Page 1

CataVento Informativo Interno da Embrapa Meio Ambiente / Nº 83 - ANO 6 - 17 a 31 de Agosto de 2013

Nº 83 - ANO 6 - 17 a 31 de agosto de 2013

1 


• SUMÁRIO CataVento

03 ENTREVISTAS

Chefe Geral Celso Vainer Manzatto

04 PRODUÇÃO INTEGRADA 05 BANCO DE TECNOLOGIAS 06 WORKSHOP / SIMPÓSIO / CURSOS 07 CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS 08

EMBRAPA & ESCOLA

Chefe Adjunto de Administração Marcos Antônio Vieira Ligo Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento Marcelo A. Boechat Morandi Chefe Adjunto de Transferência de Tecnologia Ladislau Araújo Skorupa Núcleo de Comunicação Organizacional - NCO Alexandre Rita da Conceição Cristina Tiemi Shoyama Edislene Ap. Bueno Ruza Eliana de Souza Lima Maria Cecília Valadares Zitto Maria Cristina Tordin Silvana Cristina Teixeira

EXPEDIENTE

09 ESPAÇO SGP

Jornalistas Maria Cristina Tordin Eliana de Souza Lima

10

Texto Maria Cristina Tordin

RAPIDINHAS COM A GAIA

Projeto Gráfico & Diagramação Alexandre Rita da Conceição Periodicidade Quinzenal

Fórum do leitor Este espaço é reservado para publicação de comentários, críticas e sugestões enviadas por você, leitor. Sua participação é fundamental! escreva para cristina.tordin ou eliana.lima@embrapa.br

2  • 

Informativo Interno CataVento

Publicação de responsabilidade do Núcleo de Comunicação Organizacional - NCO da Embrapa Meio Ambiente, Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Contatos e sugestão de matérias: cristina.tordin@embrapa.br ou eliana.lima@ embrapa.br


■ ENTREVISTA

Em 14 e 15 de agosto recebemos a visita de colegas do Departamento de Transferência de Tecnologia (DTT) e também de algumas UDs para uma discussão sobre o Projeto Especial 5 - Código Florestal. O referido projeto tem como objetivo estruturar a Embrapa para responder às demandas originadas do setor produtivo e do governo para a implementação do novo Código Florestal. Ladislau fala um pouco sobre esse projeto especial. Catavento: o que é o projeto? Ladislau: O Projeto Especial 5 é um dos 10 projetos especiais encomendados pela diretoria. Tem como objetivo criar condições para que a Embrapa possa atender às demandas da sociedade à luz das determinações contidas no novo Código Florestal. Nesse sentido, o projeto contempla a reunião de informações técnico cientificas produzidas pelas unidades da Empresa em especial no que diz respeito a métodos e técnicas de recuperação de áreas degradas (RAD) em área de preservação permanente (APP) e reserva legal (RL). Apesar do conhecimento de vários desses métodos, há lacunas que devem ser preenchidas, uma vez que sua aplicação em cada bioma demanda um conjunto particular de informações básicas, como, por exemplo, espécies adequadas por bioma e fitofisionomia. Por outro lado, as soluções tecnológicas existentes devem ser compatibilizadas para atender aos diferentes tipos de realidades do meio rural.

das unidades participantes, outras deverão ser envolvidas no processo de identificação de soluções tecnológicas e disponibilização das informações.

quadas aos diversos segmentos da sociedade, no atendimento ao Código Florestal.

Catavento: quais as principais atividades? Ladislau: Reunião de informações técnico-científicas produzidas pelas UDs sobre recuperação de áreas degradadas em APP e RL; adequação de modelos de restauração, uso de ferramentas de geoprocessamento e de tecnologia da informação para disponibilização das informações; mapeamento de URT tecnológica em RAD para a apresentação dos modelos, bem como a implantação de novas Unidades.

Catavento: pode falar quais foram as contribuições decididas?

Catavento: qual o tempo de duração do projeto?

Ladislau: A reunião contou com a participação de 12 unidades e teve como objetivo elaborar uma primeira versão da proposta, definindo-se os planos de ação e suas atividades. Além

Ladislau: será de 4 anos. Trata-se de uma excelente oportunidade para que a Embrapa organize suas contribuições referentes ao tema, de forma a oferecer soluções tecnológicas ade-

O Projeto Especial 5 é um dos 10 projetos especiais encomendados pela diretoria”. - Ladislau, sobre a implementação do novo Código florestal

Nº 83 - ANO 6 - 17 a 31 de agosto de 2013

3 


■ PRODUÇÃO INTEGRADA Semana de intensa atividade busca fortalecimento da PI Brasil O Mapa definiu em julho os membros das Comissões Técnicas para produção de melão, abacaxi, citros, uva, caju e morango. A principal função das comissões é atualizar as normas da Produção Integrada de Frutas estabelecidas em 2001 pela Instrução Normativa n° 20. Fagoni Calegario foi designada para presidir a Comissão Técnica para a Produção de Morango composta ainda por mais 10 membros. Representantes das certificadoras acreditadas na Produção Integrada (PI), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Comissão Estadual da Produção Integrada em São Paulo (Cepi-SP), se reuniram em 12 de agosto, na parte da manhã, na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Geagesp). Participaram Carlos Alexandre Oliveira Gomes, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que falou sobre registro de agrotóxicos, Marcus Martins, do Mapa, que falou sobre a situação da PI Brasil no país e Nelson Luzin, da Superintendência Federal de Agricultura (SFA/Mapa), que coordena a Comissão, além de vários outros membros da Comissão. Nesse mesmo dia, na parte da tarde, também se reuniram na Associação Brasileira dos Organismos de Certificação (Abraoc), em São Paulo. Nessa reunião, Fagoni Calegario apresentou a experiência da Embrapa na formação de Responsáveis Técnicos e Auditores da PI. “Foi uma semana de muitas atividades da PI Brasil, com forte participação da Produção Integrado do Morango”, diz Fagoni. De acordo com Fagoni, “com o monitoramento de pragas e doenças, o seu controle só ocorre quando há real necessidade. As primeiras tentativas são feitas usando-se controles físicos e biológicos. Em último caso utilizam-se os agrotóxicos. E mesmo assim, as normas da PIMo só permitem utilização de produtos registrados pelo Mapa, de forma disciplinada e com os devidos cuidados de proteção ao aplicador. Cada utilização precisa ser anotada no caderno de campo, que será depois auditado”, informa. Se todas essas etapas forem cumpridas adequadamente, no final do processo o morango PIMo recebe o selo Brasil Certificado, chancelado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Osvaldo Maziero, que além de produtor, é membro da Comissão Técnica do Morango, e presidente da Associação dos Produtores de Morango e Hortifrutigranjeiros de Atibaia, Jarinu e Região) e Roberto Tanaka, produtor de morango, também participaram das reuniões. Conforme Fagoni, ambos passaram por auditoria na semana passada, apresentando excelente desempenho. Os frutos com selo foram apresentados e depois degustados pelos membros da Comissão. Para a pesquisadora, “esse é um momento de união de esforços para que haja um resgate e fortalecimento da PI Brasil no país”.

4  • 

Informativo Interno CataVento


■ BANCO DE TECNOLOGIAS Espaço do Setor de Prospecção e Avaliação de Tecnologias - Banco de Tecnologias (BTEC) Considerando a necessidade de se ter de forma organizada e sistematizada as informações sobre as tecnologias e produtos gerados pela Embrapa Meio Ambiente e aproveitando as experiências exitosas de outras Unidade, foi avaliada a possibilidade de utilização do sistema informatizado, denominado “Btec – Banco de Tecnologias”, desenvolvido pela Embrapa Agroindústria Tropical, para organizar as informações e disponibilizá-las ao público de interesse. “O Btec é uma ferramenta gerencial que dispõe de um mecanismo de busca que possibilita localizar as tecnologias desejadas, acessar informações ou gerar um resumo executivo, explica Cristina Cruz”. Além disso, disponibiliza vários relatórios gerenciais para acompanhamento do processo, permite ainda que todos os atores possam interagir diretamente no sistema, que se constitui de cinco etapas: levantamento e inserção das informações iniciais no Btec, análise, complementação, correção das informações cadastrais pelo responsável pela Tecnologia, análise das informações cadastradas e envio à área de TT pelo administrador, análise, complementação, correção das informações cadastradas pela área de TT e disponibilização das informações da tecnologia na intranet e/ou home page (administrador). De autoria de Eduardo Galas e Edineide Maia, da Embrapa Agroindústria Tropical, o Btec foi uma das práticas de gestão apresentada no workshop do Projeto IsoEmbrapa, realizado de 26 a 28 de junho de 2013.

Biblioteca) e o NTI visando a troca de informações para avaliação da pertinência do seu uso para atendimento de nossas necessidades. Num esforço conjunto dos setores de Transferência de Tecnologia foi realizado o levantamento e a inserção de informações iniciais no sistema pertinentes a 67 tecnologias da Embrapa Meio Ambiente, procedimento que compreende a 1ª etapa no processo de construção de um Banco de Tecnologias da Unidade. No Btec podem ser inseridas as seguintes informações sobre cada uma das tecnologias selecionadas:

Página Inicial

Imagens associadas

Iniciando a 2ª fase do BTec No momento, inicia-se a 2ª fase do Btec onde a análise, complementação e correção das informações cadastradas serão realizadas pelo pesquisador responsável. A passagem de uma fase/etapa para a outra é registrada no sistema e comunicada por e-mail. A validação das informações pelo pesquisador é muito importante pois garante a qualidade e a confiabilidade dos dados inseridos, já que posteriormente as tecnologias poderão ser publicadas na home page e internamente, na intranet. Assim, a área de Transferência de Tecnologia conta a colaboração da área de Pesquisa para a implantação efetiva do Btec.

Resumo da Tecnologia

Após um primeiro contato, foi realizada uma videoconferência entre a Unidade Geradora e a Embrapa Meio Ambiente, com a participação da Chefia Adjunta de Transferência de Tecnologia, a equipe de TT (Sipt, Spat e Nº 83 - ANO 6 - 17 a 31 de agosto de 2013

5 


■ WORKSHOP ■ SIMPÓSIO ■ CURSOS ■ Workshop

■ Simpósio

Robson Barizon e Marco Gomes organizaram, de 27 a 29 de agosto, o encontro para reunir pesquisadores da Rede AgroHidro para discutir atividades e suas interações, assim como definir e nivelar metodologias que serão utilizados ao longo do projeto. O workshop visa também incentivar a interação entre esses pesquisadores, aumentando a sinergia das atividades desempenhadas por cada membro da equipe do projeto para pesquisadores da Embrapa e instituições parceiras com participação no PC.

A importância dos microrganismos nos processos de obtenção de biocombustíveis (de segunda e terceira geração) e outros produtos de interesse energético e industrial foram apresentados para participantes selecionados para o curso oferecido pela Probiom com apoio do Centro Brasil Argentina de Biotecnologia (CBAB), em 26 de agosto. Tratam-se de 20 graduados e estudantes de pós graduação, mestrado ou doutorado. Essa etapa do curso teve a coordenação de Deise Capalbo e Rodrigo Mendes. Tem parceria com com a Probiom Tecnologia e CBAB e Fundação André Tosello. Também haverão visitas técnicas, onde serão abordados temas relevantes e inovadores sobre o processo de fermentação para obtenção de biocombustíveis de terceira geração a partir de cultivo de micro e macroalgas e cianobactérias, de interesse energético ou industrial.

■ Curso O tema controle biológico de doenças de plantas foi apresentado a alunos de pós-graduação da Unesp por Wagner Bettiol, em 23 de agosto. O objetivo foi discutir conceitos e uso prático de controle biológico, já que o uso de biopesticidas no Brasil tem aumentado em grande escala, devendo ser amplamente discutido no país.

Deise Capalbo apresentou palestra sobre o papel dos microrganismos nas bio refinarias - importância, estratégias e aplicações. A metagenoma do rúmen para descoberta de enzimas lignocelulolíticas foi abordado por Lucas Dantas Lopes e Rodrigo Mendes e Tatiana Fernandes apresentou a coleção de microrganismos de importância agrícola e ambiental e coordenou a visita ao laboratório de Microbiologia Ambiental e coleção de culturas. O site para informações sobre o curso é http://fat.org.br/cursos/producao_biocombustiveis/

■ Curso sobre Capacitação em Gestão de Documentos Cerca de 10 empregados da Unidade participaram desse curso oferecido em parceria pelo DAP e DGP, na Embrapa Informátiva Agropecuária, juntamente com outras Unidades de Campinas, de 27 a 29 de agosto. A instrutora é Helena Gomes de Morais, Supervisora de Gestão de Documentos CGS/DAP e Gestora do Sistema SIGED – Sistema de Gerenciamento de Documentos da Embrapa. O objetivo é capacitar os empregados a identificar, analisar e corrigir as não conformidades com base na Norma “Gestão de Protocolo e Tramitação de Documentos”, Resolução Normativa nº 20 e a compreender o novo modelo de gestão. Em 30 de agosto, Helena esteve na Unidade para se reunir com Marcos Ligo, Chefe Adminsitrativo.

6  • 

Informativo Interno CataVento


■ CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS Estagiários da Embrapa Meio Ambiente foram selecionados pelo Ciência Sem Fronteiras Wallace Souza, de 22 anos, e Rafael Accetturi, de 29, são os primeiros estagiários da Embrapa Meio Ambiente selecionados pelo Ciência Sem Fronteiras, programa do governo federal que oferece bolsas de estudo no exterior para uma “graduação sanduíche”, pela qual parte do curso é realizada no Brasil e outra parte em uma universidade estrangeira.

restamento do Estado de São Paulo, com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), sob orientação de Tiago Domingues Zucchi, no Laboratório de Microbiologia Ambiental (LMA). Em 2013, iniciou o projeto Taxonomia polifásica de Amycolatopsis spp. isoladas de solos de reflorestamento, também com o apoio da Fapesp e orientação deTiago Zucchi. Conforme seu orientador, “com esses projetos foi estendido de forma considerável o número de isolados de Amycolatopsis spp., uma importante fonte biológica para prospecção de biomoléculas de interesse biotecnológico na coleção da Embrapa Meio Ambiente”. “Foram isoladas mais de 200 linhagens dos solos de três fragmentos florestais em processo de restauração do Estado de São Paulo. Uma dessas linhagens está sendo descrita como uma nova espécie de Amycolatopsis, nomeada Amycolatopsis rhabdospora sp. nov., e outras estão sob investigação por se tratarem de possíveis espécies novas”, explica Zucchi.

Os estudantes contemplados atendem exatamente ao perfil de jovens talentos que o governo quer qualificar. Wallace é aluno do curso de Engenharia Ambiental do 10º e último semestre. Já Rafael cursa o último período de Medicina Veterinária, ambos na Faculdade de Jaguariúna (FAJ). Apesar de serem de áreas diferentes, ambos têm em comum o fato de terem estagiado na Embrapa Meio Ambiente, serem alunos com ótimo desempenho acadêmico e atuarem em programas de iniciação científica. Na Embrapa, Wallace concluiu em 2012 o projeto de iniciação científica Isolamento e caracterização de Amycolatopsis spp. em solos de reflo-

“Wallace demonstrou um elevado interesse e comprometimento na pesquisa científica e os frutos desse esforço deverão ser recompensados em breve com a publicação dos seus resultados. Seu entusiasmo, dedicação e responsabilidade, aliado ao seu desempenho acadêmico acima da média, justificam investir em sua futura carreira. Uma prova disso foi a sua recente aprovação no programa Ciências sem Fronteira, onde ele desfrutará de uma experiência ímpar em uma renomada Universidade irlandesa”, acredita o orientador. Rafael Accetturi, que fez seus trabalhos no Laboratório de Ecossistemas Aquáticos (LEA) atuou tanto na rotina

diária, como alimentação, controle da qualidade de água e sanidade dos peixes, como acompanhamento, adaptação e a montagem dos sistemas modulares de aquários e tanques experimentais para a realização de experimentos com peixes e aquaponia. “Além disso, recebeu treinamento sobre diferentes métodos de avaliação de impacto ambiental da piscicultura a partir do uso de indicadores físicos, químicos e biológicos de qualidade de água”, diz Marcos Losekan, responsável pelo laboratório. Rafael também acompanhou e participou das ações de pesquisa e trabalhos no campo propostos nos projetos relacionados à piscicultura em diferentes sistemas de manejo - viveiros escavados e tanques rede em grandes reservatórios. Pelo programa, os alunos de todos os cursos de graduação e pós-graduação da Instituição que adere ao programa podem pleitear uma bolsa de estudos em universidades de países como Estados Unidos, Alemanha, Japão, Austrália, Portugal, Irlanda e Coreia do Sul. O objetivo do governo é possibilitar que os estudantes brasileiros façam estágio no exterior e mantenham contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Os jovens ficarão 18 meses no exterior: Rafael embarcou em julho para estudar na Murdoch University, em Perth, na Austrália, enquanto Wallace parte para a Irlanda no final deste mês, onde fará um intensivo de inglês durante um ano no Institute of Technology Sligo e mais 6 meses de graduação na área ambiental. Além de bons resultados acadêmicos, o programa exige que o candidato tenha cursado entre 20% e 90% Nº 83 - ANO 6 - 17 a 31 de agosto de 2013

7 


■ EMBRAPA & ESCOLA

do currículo de sua graduação, passe por um teste de inglês e tenha obtido média igual ou superior a 600 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). No caso de Wallace e Rafael, contribuiu ainda o fato de participarem de projetos de iniciação científica e serem bolsistas do Prouni – Programa Universidade Para Todos, do governo federal. “Com certeza ajudou no processo de seleção o fato de trabalharmos em pesquisa científica. O objetivo do programa é que o estudante aprenda e volte para aplicar os conhecimentos adquiridos. Faço iniciação científica e queria aproveitar a oportunidade para me aprofundar, porque meu objetivo é seguir na área acadêmica. Esta experiência vai me ajudar bastante”, afirma Wallace, que não esconde a ansiedade pela viagem e a expectativa de fazer contatos, além da chance de adquirir uma visão diferenciada sobre as questões que estuda na área ambiental. “Além de me aprofundar no inglês e poder ver meu curso com uma abordagem diferente, a experiência cultural de morar em um país totalmente diferente do nosso vai ser fantástica. Quero aproveitar tudo o que puder em termos de vivência acadêmica, cultural e pessoal”, completa. Os estudantes têm direito a uma bolsa mensal e o pagamento de todas as despesas com taxas escolares, seguro-saúde, alojamento e alimentação, passagens aéreas ou auxílio deslocamento e auxílio instalação no país de destino. Eles retornam no início de 2015 e irão terminar seus respectivos cursos, com um diferencial valioso na formação: 18 meses de uma experiência que certamente marcará o resto de suas vidas. (com informações de Bruno Felisbino, da Faj).

8  • 

Informativo Interno CataVento

■ EMBRAPA & ESCOLA A importância do meio ambiente Laerte Scanavaca Junior, Ana Lúcia Silva Marigo e Gino Zambon receberam em 22 de agosto,90 alunos da 6ª séries A, B e C da Escola Vereado Ângelo, de Paulínia.

Conservação do meio ambiente Joel Leandro de Queiroga recebeu 35 alunos do 2º ano curso de administração integrado ao ensino médio da Escola Pedro Ferreira Alves (Etec) de Mogi Mirim, em 23 de agosto. Ele falou sobre aplicação de tecnologias aplicadas a conservação do meio Ambiente. Também visitaram o Sítio Agroecológico.

Laerte abordou em sua palestra a arborização urbana e 4Rs (Reduzir, Reutilizar, Reciclar, Reeducar). Depois, os estudantes visitaram o galpão do Laboratório Ecossistemas Aquáticos.

Unicamp Portas Abertas Laerte Scanavaca Júnior apresenta, em 31 de agosto, no Unicamp Portas Abertas a palestra “Arborização urbana: custos e benefícios”. Conforme o pesquisador, ele irá abordar os principais benefícios da arborização urbana (temperatura, umidade relativa, purificação do ar, absorção de ruídos, benefícios para a saúde física e mental), além dos principais problemas dessa arborização: conflitos das copa com as fiações, principalmente elétrica e das raízes, principalmente com a rede de esgoto. O pesquisador também irá traçar paralelos e a relação custos e benefícios.


■ ESPAÇO SGP

SGPs têm encontro em Brasília Izabel participa do encontro Discutir alternativas, trocar experiências, esclarecer dúvidas, ouvir as reivindicações, construir juntos soluções em gestão de pessoas. Com esses objetivos, começou nesta segunda-feira (26), na Embrapa Estudos e Capacitação (Brasília, DF), o Encontro de Supervisores de Gestão de Pessoas (SGP). Com promoção do Departamento de Gestão de Pessoas (DGP), o evento conta com 56 participantes, que irão debater, até a próxima quinta-feira (29), meios de tornar a atividade cada vez mais alinhada às estratégias e ao processo de produção da Embrapa. A abertura do encontro foi feita pela diretora-executiva de Administração e Finanças, Vania Castiglioni, que destacou a importância da iniciativa e a necessidade de cada vez mais promover a interação e a aproximação entre as equipes das unidades e dessas com o DGP. Em seguida, a chefe do DGP, Paule Jeanne Mendes, propôs uma reflexão sobre a área de gestão de pessoas na Embrapa e o quanto as práticas e processos estão coerentes com o desafio de tornar esta área um diferencial nas estratégias da Empresa, tanto na perspectiva atual como futura. Paule Jeanne, além de abordar dos pontos críticos da área, apresentou uma visão geral de processos que estão sendo revisados como pós-graduação, premiação, DIR e PCE. A chefe do DGP enfatizou alguns princípios que têm sido adotados nas ações do DGP como o alinhamento com as políticas, a interação com as Unidades Descentralizadas e a integração com processos e projetos de outras áreas. No decorrer do encontro haverá espaço para troca de experiências e práticas entre os participantes. Também foi prevista na programação um tempo para esclarecer dúvidas com os coordenadores do DGP e representantes de Unidades Centrais que possuem relação com os processos de gestão de pessoas: Assessoria Jurídica (AJU), Departamento de Patrimônio e Suprimentos (DPS), Auditoria (AUD) e Departamento de Administração e Finanças (DAF).

Nasceu Helena É com alegria que comunicamos o nascimento da Helena, filha de Rafaela, ocorrido em 25 de agosto.

Princesinha Sophia

Normas de segurança, adquira este hábito Não há dúvidas de que, quando falamos de segurança, como parte integrante das atividades no trabalho, todos concordam quanto à necessidade de prevenir acidentes. Mas em certos momentos há colaboradores que, conscientes ou inconscientemente, deixam de observar certas normas de segurança, o que pode causar sérios acidentes. Se um determinado colaborador em certos momentos ignora algumas normas de segurança, na maioria das vezes ele e seus familiares serão os maiores prejudicados. Quando falamos em prevenção de acidentes, não podemos medir exatamente o seu sucesso. Podemos medir os fracassos por meio dos coeficientes de frequência ou gravidade. Não temos fórmula para saber quantos dedos deixaram de ser decepados, quantos olhos permaneceram intactos, quantas dores e sofrimentos foram evitadas e quantas vidas foram salvas. Lembre-se: seguir fielmente as normas de segurança, usar EPI´S adequados, praticar ações preventivas, conscientizar que eu sou o principal responsável por minha integridade física e que quando me previno em não me acidentar os maiores beneficiados são “meus familiares e eu”.

Sophia é filhinha da Kátia Jesus.

Troca de setor Desde o dia 12 de agosto Brasilino atua no Setor de Gestão de Logística e Serviços – SGL. Desejamos a ele sucesso nas suas novas atividades!!! Nº 83 - ANO 6 - 17 a 31 de agosto de 2013

9 


RAPIDINHAS COM A GAIA

Top Cited Author 2003-2008 Revista Applied Soil Ecology O artigo Effect of sewage sludge on microbial biomass, basal respiration, metabolic quotient and soil enzymatic activity, de Wagner Bettiol, publicado na Revista Applied Soil Ecology, volume 30, Issue 1 (2005) está entre os Top-10 mais citados, entre 2003 a 2008. A publicação é acessada por institutos de todo o mundo. Mais de 193.147 artigos completos foram baixados entre janeiro a dezembro de 2007: isto é um artigo a cada dois minutos.

Canal Rural na Unidade Em 20 de agosto uma equipe do Canal Rural esteve na Unidade para falar com Kátia Braga e Ricardo Camargo sobre abelhas sem ferrão.

Balanço Social Iniciou-se em agosto a preparação do Balanço Social e o levantamento das ações sociais realizadas, dos prêmios recebidos e das ações sociais e tecnologias de sucesso da Embrapa Meio Ambiente. Este ano a Sede antecipou o prazo de entrega do relatório para 31 de dezembro, com informações de 2013, categorizadas pelos seguintes temas: agricultura familiar, comunidades indígenas, educação e formação profissional externas, meio ambiente e educação ambiental, reforma agrária, segurança alimentar, fome zero, apoio comunitário, educação e formação profissional internas e saúde, segurança e medicina do trabalho. A Comissão solicita que seja informado eventuais prêmios recebidos (exceto prêmios corporativos), assim como indicar potenciais “casos de sucesso”. Considerando o curto prazo para conclusão do trabalho, foi estipulado a data de 10 de dezembro para devolução do formulário enviado a todos pelo e-mail: ana.gutzlaff@ embrapa.br

Paisagismo

Biblioteca Em razão da troca das estantes do acervo da biblioteca, os serviços de consulta e empréstimos de material bibliográfico ficarão suspensos no período de 23 de agosto a 3 de setembro. As novas estantes, além de permitirem maior capacidade de armazenamento, tornarão o aspecto visual da biblioteca mais agradável. 10  • 

Informativo Interno CataVento

Para continuar a implantação do paisagismo na Unidade, nessa terceira fase foram plantadas frutíferas em frente ao prédio administrativo, em 15 de agosto. Todos foram convidados para colaborar. Conforme Wagner Bettiol, “a ideia das frutíferas nesse local é para que, nos horários de chegada e saída dos ônibus, as pessoas tenham os frutos disponíveis para consumo”. Assim, as mudas escolhidas foram, entre outras Cambuci, Araticum cagão, Abio piloso, Calicarpa, Calabura,

Abrico de praia, Mutumba, Carambola, Cajamanga, Grumichama preta, Crindiuba, Jambo rosa, Bacupari Mirim e Saguaraji Amarelo. “Creio que poucos tem conhecimento sobre essas espécies e o objetivo é esse mesmo”.

Bettiol agradeceu aos participantes. “Tenho certeza de que todos se lembrarão desse dia quando os frutos forem saboreados. Agora precisamos irriga-las com frequência. Assim, quem puder ajudar, desde já agradeço. A mangueira para irrigação fica no próprio local, é necessário e conectar as três partes. Agradeço também ao Marcelo, pois essas mudas foram obtidas com o seu auxílio. Logicamente contribuições são bem vindas para aquisição das demais plantas”.


CataVento

Nº 83 - ANO 6 - 17 a 31 de agosto de 2013

11 


CataVento - 2ª quinzena de agosto 2013  

Informativo interno da Embrapa Meio Ambiente, que é uma Unidade de Pesquisa de Tema Básico, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária -...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you