Issuu on Google+

FEMMES&ARTS

®

A publicação democrática das artistas brasileiras

An o I - nº 01 - m aio/ j unh o - 2011

Artistas Plásticas Retratadas Anna Donadio Cleusa Rossetto Rosana De Conti Artista Convidada Vera Café

1

Entrevista Ilde Maksoud


capa: cleusa rossetto jardim do saber abstrato II - 2009 técnica mista sobre tela 240 x 120 cm (ver artigo p16)

FEMMES&ARTS sarau animus® Fundadoras: Publicação e Desenho Editorial - Cleusa Rossetto Relações Públicas - Anna Donadio Realização e Eventos - Rosana de Conti Jornalista Responsável (MTB 19004) - Cristina Bielecki

Conselho: Ilde Macksoud

Colaboradoras: Mídia - Viviane Rossetto Correspondências: - femmes.arts@gmail.com publicação virtual bimestral BRASIL

Importante: Todos os artigos, as galerias de fotos, ou obras são destinados unicamente a informar os leitores. No uso de qualquer parte desta, deve ser citada a fonte. As imagens são protegidas pela lei de direitos autorais. PUBLICAÇÃO GRATUITA

2


captação de apoio e patrocínio

III ESPAÇO CULTURAL TECNOLOGIA E ARTE/2011

A Tecnologia na Construção da Emoção

03 a 07 de outubro de 2011 Fatec-SP / BRASIL

CONTATO: Cleusa Rossetto - rossetto@fatecsp.br

Fone: (5511) 3322-2225 / - www.fatecsp.br

CRISTINA BIELECKI COMUNICAÇÃO

Zuleika Bisacchi - Araras

Cleusa Rossetto - Alianças - GE-230

Cristina Bielecki Comunicação está no mercado há mais de oito anos assessorando produtos e empresas na área de comunicação à imprensa.

Leo Brito - Rosácea Roseo

Focada em clientes de pequeno e médio porte, concentra as atividades nas áreas de gastronomia, restaurantes, vinhos, alimentos e bebidas, turismo, ações culturais e artes plásticas. Busca em cada cliente pontos de interesse para sugestões de pautas em diferentes editorias, realçando destaques pontuais e lançamentos na criação de material de divulgação, ações dirigidas e eventos. É coordenada pela jornalista Cristina Bielecki, que coloca sua experiência na imprensa para criar uma ligação entre as necessidades do cliente e da imprensa especializada, oferecendo um atendimento preciso, buscando resultados. Contato: crisbielecki@uol.com.br Tel: 11-3672-8682 Cel: 11-9111-8970

3


I / n º 01 2011

FEMMES&ARTS An o

4

S

U

M

Á

R

I

O

Bem vindas(os)!!! Quatro mulheres, apaixonadas pelas Artes Visuais, em suas diferentes linguagens, resolvem criar o

FEMMES&ARTS sarau animus®

visando obter maior entrosamento e visibilidade de artistas nacionais.

5

Por dentro do Grupo Saiba um pouco mais sobre a forma de divulgação das artistas e a formatação do FEMMES&ARTS sarau animus®. Conheça sua essência através de sua Missão, Visão e Valores.

6

Anna Donadio A Artista Plástica e Fotógrafa Anna Donadio nos brinda com suas belíssimas obras denominadas híbridas e, que segundo críticos, celebram a transdisciplinaridade das linguagens. Seus poderes poéticos fazem com que estas adquiram o tom da confidência.

8

Cleusa Rossetto A Artista Plástica e Visual Cleusa Rossetto envereda por novas fronteiras do conhecimento utilizando recursos científicos e tecnológicos na criação de suas obras essencialmente contemporâneas, mas nem por isso menos poéticas e de grande impacto e beleza.

16

Rosana De Conti Rosana de Conti vive no mundo das cores. Das tintas serigráficas aos gamuts de cores que os equipamentos digitais proporcionam... Especialista na produção de Fine Art vem participando de grandes eventos da Impressão Digital

24

Artista convidada - Vera Café Depoimento de uma artista mulher, nascida na geração da 2ª Guerra Mundial e das grandes rupturas, da vida privada e em sociedade, do sentido público, de cidadania e de direitos.

32

Entrevista - Ilde Maksoud É reconhecidamente uma grande apreciadora dos Artistas Plásticos Brasileiros da Fase Moderna, sendo uma das maiores colecionadoras dessas obras.

44

10 anna donadio

18

cleusa rossetto

26 rosana de conti

35 vera café


FEMMES&ARTS sarau animus® A no I / nº 01, ma io/junho, 2011

Bem vindas(os)!!! O veículo que chegou para democratizar a divulgação da Arte Brasileira Numa explícita necessidade de maior espaço do eu, ou no famoso se dar um tempo, frente às adversidades da vida moderna e buscar ferramentas para a potencialização de conhecimentos e atitudes no meio das Artes Plásticas, quatro mulheres resolvem criar um grupo intitulado FEMMES&ARTS sarau animus®. Anna Donadio, Cleusa Rossetto, Cristina Bielecki e Rosana de Conti são as fundadoras do Grupo, e a principio farão encontros bimestrais em locais que favoreçam o relaxamento e o aprendizado. Durante as reuniões, abertas à participação externa, o brainstorm será a ferramenta básica, garantindo a participação de maneira descompromissada, buscando resultados que potencializem os conhecimentos e que permitam descobrir novos caminhos criativos, de energia e obviamente de vida. O por que da palavra animus? Não se refere restritamente à teoria de C.G. Jung, nem no sentido de coragem, tal qual representado pela palavra ânimo no português moderno, mas também de se dar um tempo, ou um “refresco”. A palavra Latina Animus aqui adotada tem uma raiz etmológica parecida tanto em Grego como em Sanscrito e tem a ver com o respirar. Em Grego anemoi significa vento/

respirar/respiração e, no Sanscrito aniti significa - ele respira. Também podemos resgatar a passagem Bíblica aonde o homem foi criado após o sopro divino numa porção de barro significando dar vida. Ou seja, nas reuniões pretende-se deixar de lado as atividades rotineiras e muitas vezes massacrantes e utilizar sabiamente o tempo para aliviar o espírito com temas diversos, sejam referentes à Arte ou não, visando com isto ajudar no intercâmbio de informações, na quebra de paradígmas e na negação de alguns arquétipos. O grupo será constituído essencialmente por mulheres, porém, não se descarta a hipótese de convite para a participação especial de elementos do gênero masculino. Não, não se trata de nenhum tipo de segregação mas apenas permitir um clima de maior relaxamento durante os encontros. As fundadoras são acima de tudo profissionais ativas, nas mais diversas áreas, e que necessariamente têm como essência o amor às Artes e esperam com isto obter um maior entrosamento entre artistas. Esta publicação é o feliz resultado da primeira destas reuniões.

Cleusa Rossetto

Da esquerda para a direita: Cleide C. Cardoso, Viviane Rossetto, Cleusa Rossetto, Anna Donadio, Rosana De Conti e Roselene Martins na comemoração do lançamento do FEMMES&ARTS sarau animus® em 20/08/2010

5


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

Por dentro do Grupo FEMMES&ARTS sarau animus® Atividades do Grupo e itens relevantes tratados no “sarau animus” e sua divulgação O têrmo sarau animus® será utilizado para as reuniões ou encontros organizados pelo Grupo, de fundadoras e/ou convidadas. O FEMMES&ARTS® será a ferramenta de divulgação, em forma de publicação digital bimestral, de temas relativos às manifestações artísticas no território das Artes visuais contemplando os campos da expressão e do pensamento sobre o olhar e os sentidos do ser humano em diferentes linguagens, tais como a pintura, a escultura, o objeto, a gravura, o desenho, a fotografia, a videoinstalação, a videoarte, a intervenção, as novas tecnologias, a performance, a instalação e similares. Outros temas relevantes para o mundo das Artes também poderão ser considerados. Neste quesito também valem as sugestões de amigas artistas do mundo virtual, basta nos escrever.

Divulgação de obras de arte produzidas essencialmente por mulheres artistas nacionais O Brasil sempre gerou curiosidade, principalmente quanto à produção artística mais recente. Temos a obrigação de recorrer a estes artistas e mostrá-los ao mundo em toda a sua plenitude. Esta publicação virtual tem como propósito principal o de democratizar a divulgação de trabalhos realizados por artistas nacionai. Serão levados a cada edição quatro artistas brasileiras(os) sendo destes três mulheres e um convidado especial que poderá ser de qualquer gênero. Estes terão a oportunidade de falar um pouco sobre suas trajetórias profissionais, curiosidades sobre suas obras e outros fatos que permitam ao público leitor melhor conhecer o mundo em que estão inseridas(os). De momento, nossa meta é de apenas quatro artistas sendo divulgadas(os) bimestralmente no FEMMES&ARTS®. Sabemos que é pouco, porém, já é um bom começo. Primeiro porque não é fácil produzir uma publicação com qualidade e ainda mais

6

se considerarmos que não há muito tempo livre para a merecida dedicação a esta empreitada, uma vez que as fundadoras, ademais de muita paixão pelas Artes são profissionais atuantes em outras áreas do mercado. Por que artistas nacionais? Porque temos pessoas maravilhosas dentro de nosso território e que muitas vezes até carecem de espaço para se tornarem visíveis. A seleção, escolha ou votação das artistas a serem incluídas no FEMMES&ARTS® é feita pelo próprio grupo, não importando o estilo adotado. Neste primeiro número, estão representadas três das fundadoras que são artistas: Anna Donadio, Cleusa Rossetto e Rosana De Conti, e nossa primeira Artista Convidada a renomada Artista Plástica Vera Café. Também teremos entrevistas especiais e nesta edição retratamos a Senhora Ilde Maksoud, que faz parte do Conselho da FEMMES&ARTS®, considerada uma “Matriarca, Dama das Artes e da Sociedade Paulistana”.

Projetos Sociais O próprio lançamento desta publicação já constitui um Projeto Social pois, de forma democrática, permite o acesso de artistas ao mundo virtual. Outro compromisso será o de unir esforços na participação de Projetos Sociais, de entidades sem fins lucrativos. Assim sendo, é muito importante abrir espaço, no sarau animus®, a novas companheiras que tenham o mesmo perfil ideológico para que possam contribuir com a causa.

Lançamento oficial do Grupo A data da constituição do FEMMES&ARTS sarau animus® foi dia 20/08/2010 e a reunião ocorreu na AREA ARTIS Galeria de Arte Contemporânea. Foi formatada como uma Entidade Organizacional sem fins lucrativos, seguindo as diretrizes básicas de uma empresa e, sua essência pode ser observada através de sua Missão, Visão, Valores e Objetivos enunciados a seguir.


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

A essência do FEMMES&ARTS sarau animus® MISSÃO FEMMES&ARTS® - produzir bimestralmente uma publicação digital para a divulgação de mulheres Artistas Brasileiras e suas respectivas obras de Arte. Atuação:

sarau animus - reunir um grupo de mulheres para “se dar um tempo”, frente às adversidades da vida moderna e, através do brainstorm, buscar resultados que favoreçam ao relaxamento, à potencialização de conhecimentos, descoberta de novos caminhos criativos, de energia e, obviamente de vida, além de melhorar as atitudes no meio das Artes Plásticas.

VISÃO Ser um Grupo respeitável e reconhecido no meio das Artes Plásticas.

VALORES Ética, Transparência, Receptividade, Cooperação, Amizade, Relacionamento e, Responsabilidade Social e Ambiental.

OBJETIVOS • Promover o intercâmbio de experiências com grupos culturais semelhantes, no Brasil e exterior; • promover encontros de integração junto a Projetos Sociais de Entidades, sem fins lucrativos, que utilizem a Arte como caminho de Inclusão Social; • organizar Exposições, Feiras e Bazares de Artes, incluindo os beneficientes; • juntar esforços na busca de oportunidades de fomento, divulgação e promoção dos trabalhos das integrantes do Grupo; • buscar Fomento para exposições e encontros dentro e fora de São Paulo e do Brasil; • contribuir com a Educação relacionada às Artes Plásticas.

7


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

Anna Donadio

artista plástica e fotógrafa

“Minha técnica que chamo de Híbrida, por misturar fotografia e encáustica, surgiu de meu aprendizado sobre pintura encáustica, e minha paixão pela fotografia. É também uma forma de resgatar essa maravilhosa técnica milenar, aplicando-a de maneira contemporânea sobre a fotografia”.

Natural de Avaré, SP, radicada em São Paulo desde 1961. Desde os seis anos de idade tinha um sonho, ser regente de orquestra ou então advogada, primeiro porque amava a música, já que estudava piano, e o outro, porque se encantava com as conversas sobre direito de seu tio jurista e advogado renomado na região onde vivia. Mas, com o passar dos anos, foi também se apaixonando pela Arte, em todas as suas manifestações. Pois bem, Anna Donadio conseguiu realizar pelo menos dois desses sonhos. É Mestre em Direito pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, USP, Advogada e Procuradora aposentada do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e, ainda é Artista Plástica e Fotógrafa (Fotografia Avançada e Design de Fotografia), todas pela Escola Panamericana de Arte – EPA. Continua apaixonada por Música, e também pela dança, que pratica semanalmente há anos. Quanto à Arte ela cria obras que denomina “Arte Híbrida”, uma mistura de Fotografia com Pintura Encáustica. Sua coleção “Balé de Corpos” aplica intensamente estas duas técnicas. Costuma tratar a Figura feminina sob suas múltiplas variantes, onde trechos de história pessoal se tornam história comum, enquanto o olhar subjetivo se torna olhar coletivo e auto-representação do mundo.

anna.lotti@uol.com.br

Segundo o Antropólogo Antonio Carlos Fortis, ao imbricar reciprocamente as linguagens fotográfica, pictórica e digital, o trabalho de Anna Donadio celebra de modo absolutamente iconoclásta a transdisciplinaridade das linguagens da arte a serviço do estético - enquanto campo de todas as poéticas criadoras -, em detrimento de qualquer especificidade discursiva. E é justamente esse hibridismo, essa polifonia, a que confere a obra de Anna a sua contemporaneidade.

8

hommage a Neruda - 2009 fotografia plotada em mdf


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

Segundo o Crítico de Arte e Superintendente da Assembléia Legislativa de São Paulo, Emanuel Van Lauenstein Massarani, Anna Donádio detém os poderes poéticos próprios de uma arte que adquire o tom de confidência. Anna Donadio também foi Galerista de Arte, por quase seis anos, onde conduziu brilhantemente a Galeria “AREA ARTIS”, em Moema, São Paulo, descobrindo e estimulando novos talentos de todas as idades. Tem participado de muitas exposições de Artes no Brasil e também no Exterior, dentre as quais podese destacar as Exposições do Grupo Contempoarte, sob a Direção do Professor e Artista Plástico e Curador Waldo Bravo.

Exposições Coletivas No Brasil - 2009 - “Salões de Paris em São Paulo” no CIEE; - 2008 - “Diálogos con Drummond“ na Pinacoteca de Santos, SP; - 2007 - “A Escrita na Arte e a Arte na Escrita“ no Espaço Cultural do Palácio do Aço, São Paulo, SP; - 2006 – “Diálogos com Tarcila” no Espaço Cultural COSIPA, São Paulo, SP; “Branco no Branco” no Espaço Cultural do Palácio do Aço, São Paulo, SP; - 2005 - “Livro Obra” no Centro Cultural COSIPA, São Paulo, SP; “Convite a uma Outra Viagem“ da Secretaria da Cultura, na Estação da Luz, Praça da Luz, São Paulo, SP; ”O Primeiro Outro” na UNICID, São Paulo, SP, Sob Curadoria do Prof. Edgardo Arenas; “Arte Quatro” na Galeria AREA ARTIS, São Paulo, SP;

- 2007 - “Salon D’Automne” no Espace Auteuil, Paris, França; “Salon de la Societe National des Beaux Arts”, Museu do Louvre, “Salon des Independents” no Grand Palais des Champs Elisée, Paris, França; - 2006 - “ La Annonciation du Printemps” na Galerie Thuillier, Paris, França; “Emozione e Colore del Brasile”, Roma, Itália; “Altre Frontiere Artvisive” na Mostra Internazionale D’Arte, Matera Palazzo Della Annunziata, Itália.

Exposições Individuais No Brasil - 2007 - “Corpo Flor” na Galeria AREA ARTIS, São Paulo, SP; - 2006 - “Balé de Corpos”, Galeria AREA ARTIS, São Paulo, SP; - 2005 – “Corpo/PARTE IV” - Instalação, Secretaria da Cultura, Capela do Morumbi, São Paulo, SP.

Premiações Medalha de Prata - da Societé “Arts–Sciences��� Lettres“, Paris, França, pelo conjunto das Obras; Medalha de Prata – no Salon M.C.A. “Le Monde de la Culture et des Arts”, Cannes-Azur, França. Medalha de Bronze (Votação do Público) – Salão Internacional de Arte – Dubai, Emirados Arabes.

Títulos Membro da Société “Arts Sciences Lettres”, Paris, France. Société Acadé-mique d’Education et d’Encouragement.

- 2003/2005 - nas 3 “Mostras Darcy Penteado de Arte“ no Museu Brasileiro da Escultura, MUBE, São Paulo, SP.

No Exterior - 2010 - “ARTEXPO“, New York, E.E.U.U.; - 2009 - “Salão de Arte Internacional”, Dubai, Emirados Árabes; - 2008 - “Salon de la Societé le Monde de la Culture et des Arts”, Cannes-Azur, França;

9

balé de corpos - 2007 fotografia e pintura encáustica


10


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

anna donadio

hommage a Neruda - 2009 fotografia plotada em mdf

hommage a Neruda - 2009 fotografia plotada em mdf

anna donadio corpo / parte I - 2006 fotografia e pintura encáustica

11


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

anna donadio

balé de corpos - 2007 fotografia e pintura encáustica

balé de corpos - 2007 fotografia e pintura encáustica

12


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

anna donadio

corpo / flor - 2007 fotografia plotada em mdf

corpo / flor - 2007 fotografia plotada em mdf

13


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

anna donadio

balé de corpos - 2007 fotografia e pintura encáustica

balé de corpos - 2007 fotografia e pintura encáustica

balés de corpos - 2007 fotografia e pintura encáustica

14


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

anna donadio

corpo / parte IV - instalação – 2005 Secretaria da Cultura, Capela do Morumbi, São Paulo, SP

corpo / parte IV - 2005 fotografia em espelho acrílico

15


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

Cleusa Rossetto

artista visual - tecnologia e arte

“Buscar novas fronteiras do conhecimento, incluindo as científicas e tecnológicas, na área das artes plásticas é muito importante para mim, pois promove a reflexão e faz fluir sentimentos e emoções enriquecedoras e ao mesmo tempo permite criar obras diferenciadas e por vias antes não exploradas”. cleusa.rossetto@gmail.com

Natural de Botucatu, SP, radicada em São Paulo desde 1973. Doutoranda em Materiais pelo IPEN, Mestre em Tecnologias Avançadas da Construção (IETCC “Eduardo Torroja” / CSIC /1998) na Espanha, Mestre em Engenharia Civil (EPUSP/ 1996), Arquiteta (Mackenzie/1981), Tecnóloga em Edifícios (FATEC-SP/1976), estudou ainda, desenho artístico e publicitário e vários cursos de técnicas de representação. Pinta desde os 15 anos de idade. É professora de Graduação em Materiais de Construção Civil; de Pós-Graduação em Gestão da Qualidade e Sustentabilidade e de Cursos de Qualificação e Certificação de Pessoal na área de Controle Tecnológico do Concreto junto à Faculdade de Tecnologia de São Paulo e da Fundação de Apoio à Tecnologia. Como se move no mundo das engenharias, no Brasil e no exterior, e comumente explora recursos matemáticos e científicos, em 2005 resolveu conciliar sua vertente artística com o uso de computadores e softwares personalizados para a produção de complexas imagens tridimensionais visando a inovação pictórica e visual. Como resultado de suas pesquisas, vem criando uma nova linguagem artística compreensível por profissionais das áreas de engenharia, tecnologia, arquitetura, desenho industrial, escultura e, das artes gráficas, assim como, de maneira mais geral, pelos apreciadores da abstração matemática espacial na produção de obras que contém elementos os quais imediatamente remetem à lembrança de símbolos, objetos, alegorias e metáforas já conhecidas, porém, em obras inusitadas dentro da Arte Contemporânea. O trabalho de criação artística por estas ferramentas é laborioso e se faz necessário um período de aprendizagem dos softwares infográficos adequados e eventualmente conhecimentos para programar o Código para

“O artista se define agora mediante a ruptura com tudo o que lhe ha prescedido, através de uma lenta e voluntária conquista de si mesmo”. (André Malraux) desdobramento tridimensional - 2009 Técnica mista sobre tela - Coleção Poliedros

16


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

outras ferramentas diferenciadas se possam obter resultados únicos. Não se trata, como alguém poderia pensar, de tomar uma fotografia, transferi-la a um monitor e apertar umas poucas teclas. O atelier de um artista visual digital tem suas próprias ferramentas, entre estas: computador com processadores e placas gráficas de alta performance, discos de estocagem de arquivos com vários terabites e ainda um monitor profissional de alta resolução onde se criam muitas imagens ou capas e que trabalhosamente há de serem filtradas ou modificadas até que se consiga o resultado ou conteúdo pretendido. Requer-se tanto talento artístico e criatividade, como competências de programação, conhecimentos de geometria analítica e outros tantos conhecimentos obtidos muitas vezes através de intercâmbios com artistas e profissionais de outras áreas, dentro e fora do país.

Parceria Para a criação de seus motivos básicos faz uso direto ou indireto dos modelos ou Códigos desenhados, caso a caso, pelo cientista e pesquisador Dr. X a b i e r Tu r r i l l a s , e s p e c i a l i s t a e m Cristalografia e programador do CSIC/ CISDEM - Espanha. Os cenários genéricos são criados utilizando um Código que reproduz as operações de simetria cristalográfica em 3D. Tal Código, originalmente escrito para a visualização de estruturas cristalinas (ordem regular dos átomos), foi modificado para a aplicação a todo tipo de objetos definidos de forma paramétrica em um sistema cartesiano em três dimensões. Ainda que a teoria matemática e o desenvolvimento sistemático dos Grupos Espaciais em 3D, utilizados em cristalografia, tenham sido definidos no final do século XIX, nunca foram aplicados conjuntamente às artes plásticas. Não obstante, os Grupos Espaciais análogos, porém em 2D, foram utilizados de forma empírica, em tempo imemorável, entre os

17

Segundo a Artista Plástica Anna Donadio, o observador ao se deparar com uma obra de Cleusa Rossetto, a d e m a i s d e i d e n t i fi c á - l a c o m o essencialmente contemporânea, também irá identificar os elementos poéticos ali inseridos, os quais, imediatamente o remeterão à lembrança de símbolos, objetos, alegorias, e metáforas já conhecidos e que se apresentam em uma simbiose perfeita com os elementos da computação gráfica, resultando obras de grande impacto e beleza. Clarice Lispector disse: “Escrever é tantas vezes lembrar-se do que nunca existiu”. Criar uma Obra de Arte também o é... gregos e romanos até os árabes. Estes ú l t i m o s re a l i z a r a m o b r a s d e u m a complexidade e beleza incomparáveis. Nos trabalhos da arquiteta e artista visual Cleusa Rossetto os Grupos de Simetria 3D, mais complexos de visualizar e sistematizar começam a ser explorados desde uma vertente exclusivamente artística. Por buscar uma analogia, podese dizer que as operações aplicadas são comparáveis às obtidas através de um caleidoscópio tridimensional. Os cenários e figuras extraídos são alimentados com diferentes texturas desenvolvidas especialmente pela artista utilizando outros métodos de criação.

confluências poliédricas - 2009 gravura digital sobre cetim


18


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

cleusa rossetto

alianças - GE 230 - III - 2009 ténica mista sobre tela

cleusa rossetto fantasia I - 2011 técnica mista sobre tela

19

brasiliana V - 2011 gravura digital com tinta mineral sobre papel 100% algodão


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

cleusa rossetto

introspeção - 2009 técnica mista sobre tela

metrópolis emergente - 2010 gravura digital com tinta mineral sobre papel 100% algodão

20


FEMMES&ARTS An o

I / n º 01 2011

cleusa rossetto

alien view of Earth - 2011 técnica mista sobre tela

além da fronteira - 2011 gravura digital com tinta mineral sobre papel 100% algodão

21


MES&ARTS An o

I / n Âş 01 2011

cleusa rossetto

tourbillon metropolitain - 2010

gravura digital com tinta mineral sobre papel 100% algodĂŁo

contorsionista - 2011 gravura digital com tinta mineral sobre papel 100% algodĂŁo

22


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

cleusa rossetto

intimidação - 2008 técnica mista sobre tela

fauna exótica abisal I - 2011 técnica mista sobre tela

23

andromedas I - 2011 técnica mista sobre tela


entre artes e fotos

FEMMES&ARTS An o

I / n º 01 2011

Rosana De Conti

O que mais gosta de fazer? Fotografar! Busca texturas em tudo que vê: ferrugem, troncos de árvore, grafismos, na areia da praia, nas ruas, nos ferros-velhos, nas trilhas... tudo vale a pena registrar. “Fotografar é colocar na mesma mira a cabeça, o olho e o coração.”  (Henri Cartier Bresson) rosana@artphoto.com.br

Natural de São Paulo/SP, Rosana De Conti é formada em Propaganda e Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing; pós graduada em Marketing pela ESPM e Gestão da Qualidade pela Fundação Getúlio Vargas - FGV. Sua carreira  está dividida em duas fases: a primeira, quando se dedicou aos negócios da família – na indústria de tintas serigráficas. Lidar com cores foi sempre uma grande paixão. A segunda e atual, como Empresária, sócia da Artphoto, onde desenvolve novos empreendimentos na sua carreira solo: entre Artes e Fotos. Produtora ou Editora? Está entre as duas tarefas... Dedica-se à produção de Fotografias de Arte e Fine Arts, pelo processo da impressão digital, com alta qualidade e longevidade. Sua trajetória entre cores, imagens e reproduções, transformaram seu dia-a-dia, hoje dividido entre provas e edições, materiais e papéis diferenciados, exposições e muita troca de informação, com Artistas e Fotógrafos, que sempre buscam novas referências, sobre o processo de reprodução de suas obras, através da impressão digital e Arte Aplicada. Além de estar sempre atualizada através de literatura sobre Arte e Fotografia Rosana procura constantemente se reciclar, e no momento faz uma nova especialização, cursando outro pós - “A imagem sobre o papel: original e gravura” - na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC. Busca assim, ampliar sua capacidade de compreensão e análise das obras de Arte e dos suportes destinados à reprodução das mesmas, trazendo novos conceitos para seu trabalho na Empresa. Seu maior objetivo é a especialização nesse campo de produção, uma vez que normas específicas para esta atividade ainda não existem. Desta forma, Rosana busca seguir os conceitos advindos da gravura, como parâmetros para a reprodução.

“Todas as artes contribuem para a maior de todas as Artes, a Arte de Viver.” (Bertold Brecht) camada pink - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

24


I / n º 01 2011

FEMMES&ARTS An o

25

Em 2009 realizou dois grandes projetos: Primeiro, no Paraty em Foco - um dos maiores festivais de fotografia do Brasil, com a participação de grandes nomes da fotografia mundial - onde Rosana coordenou o Espaço para a impressão digital das fotografias em papel de algodão, de participantes dos workshops e fotógrafos presentes. Este foi um encontro muito importante, pois muitos fotógrafos, profissionais ou amadores, ainda não tinham tido contato com esta tecnologia e o resultado da impressão de suas fotos era sempre surpreendente. O segundo grande Evento foi a organização, produção e edição do Projeto Giclée ArtPhoto – Off Bienal que teve  como objetivo principal apresentar para os segmentos das artes visuais, arquitetura, decoração e ao público em geral, uma nova alternativa no mercado de arte, através da reprodução de obras em giclée e fine arts, com a curadoria do conceituado professor e crítico de arte o Sr. Carlos Von Schmidt, falecido recentemente. A experiência em trabalhar ao lado de um grande crítico foi extremamente gratificante  e alicerce para que Rosana seguisse em frente. Em 2010 coordenou pelo segundo ano consecutivo  o Espaço de impressão digital do Paraty em Foco em sua sexta edição, onde foram feitas aproximadamente 500 impressões em fine art para os fotógrafos e admiradores da fotografia, com uma novidade, as impressões eram feitas simultaneamente com um “Varal de Trocas” (de fotos impressas) de fotógrafos profissionais e amadores. Os resultados novamente foram surpreendentes. Ainda em 2010 esteve na França em visita às fábricas de papel  Canson e visitas a museus e igrejas. Não podia ser diferente, tal viagem reforçou ainda mais seu interesse por saber mais sobre os papéis e sobre a arte e a fotografia... uma trilogia, que segundo Rosana, não abandona mais. Em 2011 coordenou o bureau para impressão em Fine Art em um grande Evento da fotografia: o AVISTAR2011 – 6º Encontro  Brasileiro de Observação de Aves, no Parque Villa-Lobos, SP. Uma grande festa das aves brasileiras, onde houve impressões em papel de algodão, work shops, oficinas e muita troca de informação. Ainda em 2011, outro projeto, sob a coordenação de Rosana De Conti com uma grande Artista plástica: Lucia Py, sob o título “Trajetórias” e

“O nome não dado”. 2011 está apenas começando e deverá ser um ano de grandes realizações, pois vários projetos, com autorias relevantes estão caminhando sob esta coordenação.  O que mais gosta de fazer? Fotografar! Busca texturas em tudo que vê: ferrugem, troncos de árvore, grafismos, na areia da praia, nas ruas, nos ferrosvelhos, nas trilhas... tudo vale a pena registrar.

Sua paixão por fotografia aumentou muito e Rosana alega que é uma constante em sua vida. Seu mestre? Um grande fotógrafo de quem ela é fã nº 1: Dorival Moreira.

vida verde - 2010 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

vivência concreta - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada


26


I / n º 01 2011

FEMMES&ARTS An o

rosana de conti

flores metálicas - 2010 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

rosana de conti uma folha na praia - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

27

ressurge o verde - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada


FEMMES&ARTS An o

I / n º 01 2011

rosana de conti

arco íris - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

retração - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

28


I / n º 01 2011

FEMMES&ARTS An o

rosana de conti

verde - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

segredos em p&b - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

29


FEMMES&ARTS An o

I / n º 01 2011

rosana de conti

alinhamentos - 2010 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

formas e cores - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

30

buraco negro - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada


FEMMES&ARTS An o

I / n º 01 2011

rosana de conti

caminhos - 2011 impressão em papel 100%algodão com tinta pigmentada

queimada - 2010 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada

31

dobras naturais - 2011 impressão em papel 100% algodão com tinta pigmentada


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

Vera Café

artista plástica

!

“Desenvolvi paralelamente ao meu trabalho pessoal, projetos educacionais e projetos culturais sobre o sentido público, social e político entre a função da Emoção e a Arte. Emoção como função cultural entre a agressividade necessária e integrante na construção do processo criativo e a sublimação simbólica da mesma no desenvolvimento das linguagens.” veracafe@uol.com.br

“Será, o sentido fonético e trágico das imagens construídas, estágios visuais normativos para as correspondências dos elementos heterogêneos, não autoritários do discurso?” estética do prazer 6 - 2009 têmpera acrílica e a óleo sobre lona 20 x 72 cm cada

32

Natural de São Paulo, SP, formada pela Fundação Armando Alvares Penteado - FAAP com cursos de extensão na Escola de Comunicação e Artes - ECA e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo FAU da USP. Vera Café começou polemicamente a discutir como artista plástica o elemento efêmero na linguagem cultural contemporânea, em seus vários trabalhos de instalações nas ruas e locais de exposições em São Paulo, estudando o urbanismo, o espaço arquitetônico e o comportamento urbano. Na década de 90, apresentou sua pesquisa sobre percepção no 38º Congresso Internacional Society For The Study Of Time, realizado na Normandia, França. Em sua longa travessia dedicada às Artes traz no currículo participação em duas Bienais nas décadas de 70 e 80. Também já participou de grupos teatrais em São Paulo e como ilustradora desenvolvendo projetos gráficos para livros e revistas. Expôs em Galerias e Museus de São Paulo entre estes: - Pinacoteca do Estado, Museu de Arte de São Paulo - MASP, Museu de Arte Moderna - MAM, Museu de Arte Contemporânea - MAC e Museu Brasileiro da Escultura - MUBE. Nos EUA no Museum of Contemporay Hyspanic Art, Nova York,


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

Vera Café sempre apresenta propostas polêmicas, entre estas, a pesquisa em Arte Contêmporânea sobre os “Generos pictóricos como nova estética de estilos” onde em sua experimentação apresenta várias respostas sobre a linguagem dos sistemas universais enriquecentdo o sentido pré-científico (Gaston Bachelard) na percepção experimental presente nas Artes visuais. Para melhor compreender Vera Café, segue depoimento de uma artista mulher, nascida na geração da 2ª Guerra Mundial e das grandes rupturas da vida privada e em sociedade, do sentido público, de cidadania e de direitos.

Ateliê de Vera Café - Citando Charles Baudelaire - ”A pena do Poeta é o esgrima” - fazendo uma analogia com o pincel

Entrevista de Vera Café concedida à FEMMES&ARTS® no dia 03/05/11. F&A - E essa perseguição, você

33

F&A - Como você classifica tuas obras?

consideraria como política?

VC - Uma obra de resistência da linguagem feminina, da questão poética, da questão antropológica da Arte, da questão de um projeto que foi implodido na década de 70 pela tendência mundial. Eu sou de uma geração de passagem entre o analógico e o digital e que teve todos os processos de choque dessa dissociação da percepção, já que era o projeto cultural mundial. Voltando à questão feminina eu quero falar que, na medida que se faz oposição a um projeto tão poderoso, houve uma série de restrições e de patrulhamentos mercenários, que sofri e que sofro na minha pessoa até hoje, sem objetivos e sem ideologias afins, e que me serviram e me deslocaram de vários tipos de confinamentos.

VC - Não, não era questão ideológica, política, marxista ou outra, era uma questão de posição libertária feminina de um poder conservador. Digamos que a “caça às bruxas” deveu-se ao sistema conservador em relação à minha pessoa. O motivo era o meu tipo biológico, porque, por exemplo, celularmente eu sou muito vital. Eu não sou uma pessoa que se pode conter facilmente. Eu sou o tipo de n a t u r e z a , b i o l ó g i c a e c e l u l a r, extremamente livre e com potência vital o tempo inteiro. Então isso era impensável numa cultura de contenção dos impulsos, onde o impulso de morte era a grande proposta. Então digamos, uma jovem com impulso muito libertário é uma jovem que incomoda. Incomoda a família, incomoda a escola e incomoda às instituições.


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

F&A - Sua obra tem fases distintas? VC - Tem fases distintas, mas é sempre o mesmo tema. É um tema que trata da resistência do psiquismo. Como é que é a tortura do psiquismo e a tortura corporal. Minha trajetória inteira discute isto. E nesse remake estou preparando uma Exposição de trabalhos elaborados, num desses isolamentos, onde tenho um montante de 250 telas inéditas. Tais telas também serão imagens do meu livro e estarão retratando esta libertação, vamos dizer, destas questões conservadoras que quase me destruíram e que me perseguiram, e que ainda tentam me perseguir a vida inteira. Hoje não me perseguem, porque eu estou assessorada. Houve uma abertura democrática, ou sei lá o que chamar neste pais, que respirou estas questões, e que me permite através de uma equipe de advogados e uma equipe médica poder me defender dos rótulos de loucura, dos confinamentos psiquiátricos e de toda uma tortura que a mulher libertária sofre, na sua trajetória de

comandante está la puerta 01 - 2010 têmpera acrílica e bastão a óleo sobre lona 120 x 142 cm

34

procura por seus ideais. Eu não queria fazer a revolução libertária das mulheres, eu queria viver livremente. Foi só esse o meu pecado, vamos dizer, mortal de jovem, e de mulher, que hoje eu pretendo e vou viver. Estou com 64 anos, em plena forma, estou acabando esta exposição e vou viver muito. F&A - E sobre as técnicas de suas Obras? VC - Eu faço uso da Pintura, do Desenho, da Colagem e do Bordado, e porque não? F&A - Alguma recomendação? VC - Eu quero que vocês todos visitem a minha Exposição, comprem o livro, que cuida desse lindo depoimento feminino, desta mulher que adora viver e é muito feliz e, adora moço bonito! VC - Espero que nossa próxima entrevista seja no meu Ateliê na praia, na Barra do Saí, para a gente tomar uma Batidinha de Vodka !

violência discursiva têmpera a óleo sobre lona 110 x 130 cm


35


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

vera café

! exposição arte na vitrine n.1 - sem título - 2008 colagem e brocado de seda pura e têmpera a óleo sobre tela

! vera café os guerreiros e a princesa wearing art 03 - 2004 brocados e apliques de vison

36

exposição arte na vitrine n.1 - a estória está sendo tecida - 2008 têmpera a óleo sobre tela


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

vera café

elemento lúdico 07 - 2009 têmpera acrílica e bastão a óleo 125 x 160 cm

O percurso - 2009 têmpera acrílica e a óleo sobre lona de caminhão envelhecida 89 x 192 cm batalha bordada 07 - 2005 a 2009 têmpera a óleo, bordado sobre linho 130 x 215 cm

37


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

vera café

As células 01 - 2009 volume em lona pintada / têmpera a óleo. 55 x 53 x 55 cm

bordado sobre a dor 05 - 2003 bordado sobre lona

38

bordado sobre a dor 01 - 2003 bordado sobre lona


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

vera café

hipertextil 03 - 2003 bordado sobre linho 120 x 130 cm

hipertextil 01 - 2003 bordado sobre linho 120 x 140 cm

39

hipertextil 03 - 2003 bordado sobre linho 120 x 130 cm


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

vera café

anatomia da pintura 01 - 2009 têmpera acrílica e bastão a óleo sobre lona 89 x 192 cm

blocos poéticos 16 - 2007 têmpera acrílica e a óleo sobre lona de caminhão envelhecida 89 x 192 cm

40

o efêmero da linguagem 06 - 2002 (1 parte do quintríptico) têmpera a óleo sobre papel reciclado


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

vera café

poética das sombras 06 - 2007-2008 têmpera de óleo sobre lona 150 x 152 cm

partituras poéticas 07 - 2010 glissamento - fotografia trançada com texto a nanquim 20 x 30 cm

41


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

vera café

camelô dos sonhos 05 - 2010 lápis grafite e têmpera acrílica obre lona cortada e trançada 20 x 30 cm

hiperpixel - 2009 lápis grafite e têmpera acrílica sobre lona cortada e trançada 98 x 168 cm

42


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

vera café

papagaio dos sonhos 03 - 2006 a 2008 (1 parte do tríptico) têmpera a óleo e colagem sobre tela 130 x 230 cm

poesia da casa 13 - 2006 a 2007 têmpera sobre papel 120 x 180 cm

imagem de mulher - 2008 têmpera acrílica com areia sobre lona 120 x 152 cm

43


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

entrevista

Ilde Maksoud

matriarca, dama das artes e da sociedade paulistana

Nesta edição elegemos retratar a sra. Ilde Maksoud que ademais de ser membro do Conselho da FEMMES&ARTS® prestigiou muitos Artistas com a aquisição de suas obras e assim, formou um importante acervo que embeleza e enriquece muitas das Exposições realizadas no Brasil.

Filipina de nascimento, Ilde Maksoud está radicada no Brasil desde 1950. Formou-se em Química e foi Doutoranda em Bioquímica, estudou nos Estados Unidos. É Pianista Clássica, mas também aprecia a Música Popular Brasileira como a de Tom Jobim, que ama e toca divinamente, na intimidade, justificando assim ser, porque é mãe, avó e bisavó de brasileiros. É reconhecidamente uma grande apreciadora dos Artistas Plásticos Brasileiros da Fase Moderna, sendo uma das maiores colecionadoras dessas obras, razão pela qual foi também considerada uma “Matriarca, Dama das Artes e da Sociedade Paulistana”. Ilde Maksoud conta em seu acervo com obras importantes dos Artistas Plásticos: Cândido Portinari, Tarsila do Amaral, Orlando Teruz, Manabu Mabe, Tikashi Fukushima, Walchi Tsutaka, Marina Caram, entre outros. Sempre teve olho clínico e certeiro para adquirir suas valiosas obras. Em 1971 escreveu o livro de poemas “Girassol Distante”. Também fez muitas traduções para o Inglês, de artigos sobre as obras de Ianelli no Mexico, e Fang para o Itaú Cultural, e ainda, para artigos de temas diversos em revistas nacionais e internacionais. Este seu lado intelectual quase não é divulgado. Na década de 70 foi, por 4 anos, Curadora Assistente de Pietro Maria Bardi o primeiro Diretor do Museu de Artes de São Paulo – MASP, cuja sede havia sido recém inaugurada na Av. Paulista, em São Paulo.

Da esquerda para a direita: Cleusa Rossetto, Cristina Bielecki, Ilde Maksoud e Anna Donadio durante entrevista à FEMMES&ARTS®.

44


FEMMES&ARTS® An o I / n º 01 2011

Entrevista de Ilde Maksoud concedida à FEMMES&ARTS® no dia 13/05/11. F&A – Dna Ilde, a sra. como colecionadora se interessa por qual tipo de obra? IM – Geralmente por obras clássicas, onde se enquadram a grande parte de minhas obras. Venho escolhendo as minhas obras com base nos estilos e na beleza. Meu olho clínico começou quando trabalhei como Curadora Assistente do Sr. Pietro Maria Bardi, no MASP, onde recebíamos obras de Artistas de toda parte do Brasil, e muitas vezes eu apostava em alguns deles e que acabaram se tornando famosos. F&A – Qual a sua opinião pessoal sobre a Arte Contemporânea Brasileira e se esta aporta algo de novo no panorama mundial? IM – Como já disse, minha preferência sempre, foram os clássicos brasileiros, não tenho uma opinião formada sobre os chamados Contemporâneos, mas já tenho visto coisas interessantes e criativas, é como sempre digo: ”Para mim, Arte é tomar uma tela em branco, e o Artista conseguir criar, sobre ela, algo belo, interessante e que me surpreenda, me toque, me encante”. F&A – Dentro da complexidade da sociedade brasileira, qual a sua opinião sobre o futuro da Arte Brasileira tendo em vista os movimentos pictóricos independentes? IM – Primeiro, o nosso povo tem que aprender a respeitar o Artista, a Arte, a Cultura. Mas para tanto há que se lhe dar essa Educação, desde a Escola Primária, onde já se aprenda a Arte, em todas as suas manifestações, e a dar seu devido valor a esta aprendizagem, que vai tornar o povo mais culto e mais feliz.

45

F&A – O que a sra. pensa sobre as novas tecnologias – entre estas o Hiper Realismo, figurativo ou não, na Arte digital? IM - Eu posso dizer que sou bastante conservadora quanto à forma do Artista trabalhar. Como já disse, penso que este deva conceber e começar a trabalhar em sua obra, com uma tela limpa a sua frente. Sei que Andy Warhol e Victor Vasarely utilizaram técnicas digitais, mas este tipo de Arte ainda não me convenceu, ou melhor, ainda não me conquistou. F&A – O que a sra. acha sobre os Novos Milionários, colecionadores de Arte, como os russos, chineses e outros do Oriente Médio? IM – Penso que seria bom possuir colecionadores investindo em Arte sejam de onde forem, pois é uma forma de incentivo aos Artistas, mas também recomendo que estes colecionadores procurem pessoas conhecedoras da Arte para lhes assessorar, a fim de que não venham a perder dinheiro. É uma lástima que no Brasil não se dê tanta importância ao colecionismo ou mesmo na implantação de mais Museus ou Centros de Cultura. Já tivemos políticos aqui em São Paulo que impediram a criação de espaços magníficos de Arte, e que hoje poderiam melhor projetar São Paulo e o Brasil nesse meio. F&A – A sra. é uma excelente Pianista Clássica e que também toca música popular brasileira. Qual a razão deste ecletismo? IM - Bem, eu costumo tocar músicas de meu país de origem, Filipinas e algumas destas tem grande similaridade, com vários estilos de músicas brasileiras, assim não foi difícil esta transposição.


Artistas já retratadas(os) no FEMMES&ARTS® nome por ordem alfabética, nº da publicação, página anna donadio, n.1, p.8 cleusa rossetto, n.1, p.16 rosana de conti, n.1, p.24 vera café, n.1, p.32

Divulgações diversas:

AGENDA: Às interessadas em conhecer a agenda do Grupo, assim como o próximo local de encontro, encaminhar correspondência ao FEMMES&ARTS sarau animus® - femmes.arts@gmail.com

46


FEMMES&ARTS n.1