Issuu on Google+

Vice presidente do CIESP apresenta projeto em encontro com a presidente Dilma Rousseff • Pág. 6

REVISTA

CIESP FIESP Publicação Trimestral CIESP • Indaiatuba • Ano V • Número 20 • setembro a novembro de 2013

REGIONAL INDAIATUBA

RODADAS DE NEGÓCIOS APROXIMANDO AS EMPRESAS CADA VEZ MAIS

MURILO BERTOLDO

MÚSICA

ENCONTRO DE NEGÓCIOS

Sede do CIESP em Indaiatuba recebe nome de diretor

CIESP apoia projeto musical para empresários

Boituva sedia novamente encontro de empresários

Página 5

Página 8

Página 9


REVISTA CIESP • FIESP

INDICE

Nesta Edição

12

Editorial

4

Notas

5

NJE

11

SENAI

18

SESI

20

Sexo Frágil?

23

Matéria de capa Rodadas de Negócios: sucesso absoluto

Empresas em Destaque 24

5 Homenagem Sede do CIESP Indaiatuba recebe o nome de Murilo Bertoldo

Válvula de Escape

26

Marketing

29

Social

30

Artigo

34

EXPEDIENTE  CIESP Indaiatuba - Sede Murilo Bertoldo: Rua Francisco Lanzi Tancler, nº 361 - Distrito Industrial Indaiatuba/SP - Tel: (19) 3935-8981 - email: ciespindaiatuba@ciespindaiatuba.com.br Diretor Titular: José Augusto Rodrigues Gonçalves 1º Vice-Diretor: Gilberto Neto Marianno 2º Vice-Diretor: Daniel José Righetto Jurado Gerente Regional: Eliana Mattos Redação: Ana Paula Lieb / Eliana Mattos Fotos: Ana Paula Lieb / Eliana Mattos / Ciesp Projeto Gráfico: Agência F2design Impressão: Gráfica Marracini Periodicidade: Trimestral Circulação: Esmpresas, Prefeituras e entidades diversas Cidades: Boituva, Capivari, Cerquilho, Elias Fausto, Indaiatuba, Itu, Jumirim, Mombuca, Monte Mor, Rafard, Salto e Tietê. REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 3


EDITORIAL

REVISTA CIESP • FIESP

José Augusto Rodrigues Gonçalves Diretor Titular CIESP - Regional Indaiatuba

O

ano de 2013 está quase terminando e podemos afirmar, sem ser exagero, que foi um ano profícuo em grandes negócios para nossos associados e empresas da região.

Realizamos duas importantes Rodadas de Negócios, uma em Itu e outra em Indaiatuba que reuniu no total, 29 empresas âncoras, quase 250 participantes inscritos e um público flutuante em torno de 500 pessoas. Até este momento, a rodada de Itu foi a maior do estado de São Paulo.

Relevante também foi o 2º Encontro Itinerante de Negócios, que aconteceu em Boituva no dia 5 de setembro, em parceria com a Prefeitura daquela cidade e a Assinbi – Associação das Indústrias de Boituva, Iperó e Região. Outra grande oportunidade dos empresários se conhecerem e também realizarem bons negócios.

E para finalizar e como justa homenagem, nossa sede passa a se chamar Murilo Bertoldo. Perpetuamos assim o nosso carinho e reconhecimento, pelo profissionalismo e amor ao CIESP, dedicado por este jovem diretor que nos deixou tão cedo.

Boa leitura a todos. G

4 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


REVISTA CIESP • FIESP

NOTAS

Homenagem Sede do CIESP Indaiatuba recebe o nome de

Murilo Bertoldo Aconteceu no dia 22 de agosto, no CIESP Indaiatuba, o descerramento da placa que deu o nome Murilo Bertoldo a sua sede. Todos se lembraram com saudades, do jovem diretor falecido no dia 6 de outubro de 2012. Num clima de muita emoção, estiveram presentes quase sessenta pessoas, entre empresários e amigos, além de seus pais, José Márcio e Marlene, o irmão Marcio, a cunhada Cecilia e o sobrinho Bernardo. Segundo José Augusto Rodrigues Gonçalves, diretor titular do CIESP Indaiatuba, “esta é uma justa homenagem a quem acreditava na entidade e em tão pouco tempo como diretor, conseguiu realizar um importante trabalho de desenvolvimento e captação de novos associados na cidade de Capivari, tendo com isso dobrado o número de associados na cidade. Murilo também deu início a reuniões mensais entre empresários,

José Marcio e Marlene, pais de Murilo Bertoldo e Gonçalves diretor titular do CIESP Indaiatuba no descerramento da placa.

para conhecer os problemas da região e com isso levar soluções através

as reuniões mensais, procurando alcançar os objetivos desse grande

do CIESP ou do SENAI”.

empresário.

Desses encontros, Murilo formou novas lideranças e após a sua morte

Representando o CIESP São Paulo, Mario Costanski, gerente do DIR, lem-

surgiu o GEMB – Grupo Empresarial Murilo Bertoldo, que continua com

brou do grande empresário e atuante diretor que foi Murilo Bertoldo. G

Família Bertoldo reunida durante descerramento da placa em homenagem a Murilo

Gilberto Neto Marianno, 1º vice diretor do CIESP Indaiatuba e Mario Costanski gerente do Departamento de Integração Regional do CIESP São Paulo REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 5


NOTAS

REVISTA CIESP • FIESP

Vice presidente do CIESP encontra Presidente Dilma Rousseff

Pelo 8º ano, Campanha do Agasalho é um sucesso Em parceria com o JornalZEN, o CIESP Indaiatuba realizou sua 8ª Campanha do Agasalho, arrecadando este ano mais de 2.000 peças. Como nos anos anteriores a Irani Embalagens forneceu as caixas de papelão, que foram enviadas para as empresas participantes que fizeram suas arrecadações internas, transportando-as depois para a sede do CIESP, onde aconteceu a concentração total das doações. A arrecadação foi dividida entre a FEAI – Federação das Entidades Assistenciais de Indaiatuba e o FUNSSOL - Fundo Social de Solidariedade de Monte Mor.

O vice presidente do CIESP, Ignácio de Moraes Junior e presidente do grupo JLJ Empresas e da BBCA Brasil e o senhor Li Roger Jie, presidente da BBCA Group em Shangai, estiveram em setembro com a Presidente Dilma Rousseff, para apresentar o projeto da instalação da BBCA Brasil, no estado do Mato Grosso do Sul, através da implantação de uma unidade de processamento de milho, com investimentos iniciais previstos em US$ 320 milhões, financiados pelo banco desenvolvimento da China. Em conversa com a Presidente Dilma, o empresário Ignácio de Moraes Junior comentou sobre a unidade de processamento de milho e também da possibilidade de instalação de um novo projeto de uma esmagadora de soja no Estado. “Os investimentos já foram liberados pelo banco da China, serão gerados cerca de mil empregos e utilizaremos uma aérea de cerca de 210 mil hectares”, afirmou. A Presidente Dilma engrandecerá ainda mais o desenvolvimento econômico do país.

Primeira dama de Monte Mor e presidente do Funssol, Flavia Beckedorf; gerente do Ciesp, Eliana Mattos e diretora de Desenvolvimento Social, Sandra Medeiros durante a entrega dos agasalhos.

A BBCA é a maior estatal chinesa na produção de ácido cítrico, que

Participaram da campanha este ano: Alfa Trend, CIPEC, CAN, Deere-

detém 20% do mercado mundial, além da produção de vitaminas

-Hitachi, Eccos, Fluxcon, FSN, Glasshield, Hemmelrath, Irani Emba-

A, B, C e E. A cidade de Maracaju foi escolhida por ser o maior centro

lagens, Isomold, Johnson Health Tech Brasil, Laboratório Dra. Edna

de produção de milho da América do Sul e por possibilitar o apro-

Jaguaribe, Mahle Miba, Metalúrgica Fujii, Rotaract Indaiatuba, Sin-

veitamento do Porto Murtinho como logística para o Uruguai, de

tercan, Starglass, Tech Filter, Thermoglass, Torcetex, Treibacher, Tu-

parabenizou o empresário Ignácio de Moraes Junior pelo projeto que

onde sairão os grandes navios para exportação. G

6 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba

berfil, Twinglass e Vmarc. G


REVISTA CIESP • FIESP

NOTAS

Conselheiro do CIESP é o novo presidente do Rotary Club Indaiatuba No último dia 5 de julho, Gilberto Francisco, conselheiro e coordenador do grupo de Responsabilidade Social do CIESP Indaiatuba, tomou posse como presidente do Rotary Club Indaiatuba, 2013/2014. Estiveram presentes na cerimônia de posse, o 2º vice diretor do CIESP, Gilberto Neto Marianno e a gerente, Eliana Mattos. G

Gilberto Neto Marianno (2º vice diretor); Wilson Takada Junior (Governador do Rotary 2013/2014); Gilberto Francisco (presidente eleito do Rotary Indaiatuba) e Eliana Mattos (gerente do CIESP Indaiatuba).

Reunião mensal do DEPAR Durante reunião do DEPAR que aconteceu no dia 16 de agosto, o 2º vice diretor Gilberto Neto Marianno, fez a entrega de diplomas aos novos associados (Deere-Hitachi e Exata Fundações). Na ocasião Vitor Seravalli diretor de Responsabilidade Social do CIESP – SP, fez uma brilhante palestra sobre Sustentabilidade: A Competência Empresarial do Futuro.

Gilberto Neto Marianno e Fábio Mottola da empresa Deere-Hitachi

G

Jurandir Bortoletto da empresa Exata Fundações e Gilberto Neto Marianno

Vitor Seravalli explanando sobre Sustentabilidade

REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 7


NOTAS

REVISTA CIESP • FIESP

CIESP Indaiatuba apoia projeto musical entre empresários Foto: Antonio da Cunha Penna

Vamos imaginar um homem talentoso, no auge de sua juventude e que teve de escolher entre uma carreira tradicionalmente promissora e a música. Influenciado pela opinião familiar, optou pela primeira. Nunca esqueceu ou abandonou a música. Em todos os momentos de relaxamento de sua atividade profissional, buscou-a através de seus discos ou “arranhando” aquele velho instrumento, mas sempre experimentando uma sensação de nostalgia ou especulando consigo mesmo como seria sua vida se por acaso sua opção fosse outra. Este é o público que Marcelo Antunes Martins quer atingir com o Projeto Música S/A. O principal objetivo do projeto é reunir empresários e profissionais liberais das mais diversas áreas de atuação, que tenham interesse na prática musical, não importando qual instrumento, gênero, habilidade ou conhecimento teórico.

Maestro Marcelo Antunes Martins, o idealizador do Projeto Música S/A

Marcelo comenta que sua expectativa é oferecer aos interessados uma atividade prazerosa, alheia ao estresse do cotidiano, promovendo o estudo e a prática musical em grupo, bem como a harmonia e o trabalho coletivo, inerentes ao universo empresarial. Conforme os grupos forem se formando, serão agendados ensaios com repertório musical previamente estudado e escolhido entre os participantes, com arranjos elaborados de acordo com a instrumentação disponível e recursos técnicos de cada integrante.

jos serão conduzidos e acompanhados pelo maestro Marcelo que pretende elaborar uma agenda de futuras apresentações públicas. Respaldado por vinte anos de experiências diversas e bem sucedidas no ramo da educação musical Marcelo participou da implantação do Projeto Guri, que hoje atende cerca de 200 cidades no estado de São Paulo e ainda desenvolve um trabalho muito interessante com a história da música brasileira, recuperando obras

Poderão ser formados mais de um grupo, obedecendo ao gosto

desde épocas mais antigas até Pixinguinha. Tais vivências, somadas

ou gênero musical, bem como a disponibilidade dos “músicos”.

ao incessante trabalho de arranjador em gravações e espetáculos

Todo o conteúdo teórico necessário será ministrado por Marcelo

musicais com grandes nomes da música como: Dominguinhos, He-

Martins com aulas coletivas de Introdução à Leitura Musical Dinâ-

raldo do Monte, Lenine, Margareth Menezes, Lobão, trilhas sonoras

mica, Percepção e Harmonia e aulas coletivas ou particulares de

de filmes, teatro e novelas, Marcelo Martins reúne competência e

instrumento: interpretação e técnica. A participação nessas aulas

ímpeto para mais essa jornada e contará com o apoio e parceria do

será opcional dependendo do nível e interesse dos participantes.

CIESP de Indaiatuba.

O Projeto prevê a formação de grupos apreciadores de música clás-

Em breve o CIESP promoverá um evento para apresentação deste pro-

sica, popular ou jazz e também a formação de um grupo vocal, para

jeto, mas se você tem interesse em fazer parte, envie e-mail para geren-

atender aqueles que não são instrumentistas mas admiram a arte do

cia@ciespindaiatuba.com.br e cadastre-se. Não deixe de colocar seu

canto. Toda a criação, elaboração de repertório, orquestração e arran-

nome, idade, empresa, qual instrumento toca e que estilo prefere. G

8 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


REVISTA CIESP • FIESP

NOTAS

Encontro Itinerante de Negócios em Boituva reúne cerca de 100 empresários

Em parceria com a Prefeitura de Boituva; Assinbi – Associação das Indústrias de Boituva, Iperó e Região e patrocínio da Auge Recursos Humanos, o CIESP – Regional Indaiatuba realizou no dia 5 de setembro, mais um Encontro Itinerante de Negócios. O evento repetiu o sucesso de 2012, sendo que neste ano se inscreveram cerca de 100 empresas, entre indústrias e prestadores de serviços, não só de Boituva, mas da região. O objetivo desse tipo de evento é promover novos contatos e alavancar negócios entre as empresas participantes, uma vez que as inscrições gratuitas atraem diversos segmentos, criando assim ótimas oportunidades de negócios futuros. Para o diretor titular do CIESP Regional Indaiatuba, José Augusto Rodrigues Gonçalves “Boituva tem uma vocação muito forte para o empreendedorismo e esse sucesso novamente nos deixa muito satisfeitos, com parcerias que deram tão certo, como é o caso da Prefeitura e da Assinbi. O Centro de Eventos Francisco Gianotti é um espaço excelente e temos certeza que acolherá perfeitamente uma rodada de negócios em 2014. Estamos começando a tratar disso com o nosso Departamento de Produtos, Serviços e Negócios do CIESP São Paulo. Nossa meta é trazer uma rodada para Boituva no próximo ano.” REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 9


NOTAS

REVISTA CIESP • FIESP

Já o presidente da Assinbi, João Trotta, disse “sentir-se muito satisfeito com o resultado desse 2º Encontro, uma vez que as empresas participantes puderam ampliar seus contatos, divulgar seus produtos através de folders e portfólios e ainda receberam um book com os dados de todos os inscritos, o que dará oportunidade de contatos mesmo após o evento. Boituva precisa de eventos dessa envergadura para mostrar todo seu potencial para os negócios.”

Encontro já é evento oficial em Boituva O prefeito Edson Marcusso agradeceu ao CIESP Indaiatuba por mais esta oportunidade para as empresas de Boituva e região e anunciou que o Encontro Itinerante de Negócios passará a ser um evento oficial, no calendário anual em comemoração ao aniversário da cidade. Marcusso também aproveitou para dizer que neste seu mandato

existe na secretaria uma equipe multidisciplinar preparada para dar todo o suporte e assistência ao empresário.

foi criada a secretaria de Desenvolvimento Econômico, cujo prin-

Falou ainda sobre a implantação da primeira ETEC em Boituva, a

cipal objetivo é fomentar a busca por novos empreendimentos

ampliação do IFSP – Instituto Federal de São Paulo com a implan-

industriais, visando mais riqueza para o município. Disse ainda que

tação do primeiro curso de engenharia no campus local, além da

essa pasta, está se preparando para receber novas indústrias e que

reativação do SENAI na cidade. G

10 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


REVISTA CIESP • FIESP

Empresários de Indaiatuba e Boituva na reunião itinerante do NJE

NJE

NJE Indaiatuba faz reunião itinerante Aconteceu no dia 22 de julho, mais uma reunião itinerante do NJE Indaiatuba, desta vez na cidade de Boituva, no Instituto Federal de São Paulo (Antiga Ceteb). Recepcionados pelo presidente da Assinbi – Associação das Indústrias de Boituva, Iperó e Região, João Trotta; pelo representante local do CIESP, Tomaz Gonçalves da empresa Seller e por diversos empresários da cidade, a reunião contou ainda com a presença do diretor do Departamento de Produtos, Serviços e Negócios do CIESP São Paulo, José Henrique Toledo Corrêa que explanou sobre os diversos produtos disponíveis para as empresas associadas, dando ênfase ao aplicativo Inteligência de Mercado (saiba mais acessando o site www.ciesp.com.br) A consultora Raquel Kussama que assessora os coordenadores do NJE Indaiatuba, Sérgio Wolf; Victor Semeghini e Sérgio Rita, realizou uma dinâmica de integração entre os participantes e a reunião foi encerrada com um gostoso café, muito bate papo e troca de cartões. G REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 11


MATÉRIA DE CAPA

REVISTA CIESP • FIESP

Compradores que representaram as âncoras durante a Rodada

Rodada de Negócios em Itu é sucesso absoluto

Aproximadamente 260 pessoas estiveram presentes na 5ª Rodada de Negócios que aconteceu no dia 1º de agosto, no SESI de Itu. O principal propósito desse encontro é aproximar fornecedores de compradores e proporcionar uma nova rede promissora de contatos profissionais. Entre as 16 empresas âncoras participantes e as 141 inscritas, foram realizadas cerca de 1.490 reuniões e encaixes. As Rodadas de Negócios surgiram em 2008, quando aconteceram três rodadas. O formato foi tão bem aceito, que neste ano acontecerão 25 encontros. Até hoje foram 1.550 empresas âncoras e 10.500 fornecedores inscritos, segundo Airton Siste, coordenador do Departamento de Produtos, Serviços e Negócios do CIESP São Paulo. Não restam dúvidas, de que esses encontros proporcionam um excelente intercâmbio comercial. Empresas conhecem novos fornecedores e estes por sua vez, ampliam seus contatos. Segundo o diretor titular da regional de Indaiatuba, José Augusto Rodrigues Gonçalves “mais uma vez a rodada foi um sucesso e estamos muito satisfeitos com os resultados. Temos certeza que a maioria dos empresários fez ótimos contatos e quem sabe excelentes ne-

12 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


Foto: Renata Guarnieri / Prefeitura de Itu

Grupo de Responsabilidade Social presente na Rodada de Itu

G

Voluntários do Instituto Zoom, que

Antonio Tuíze, prefeito de Itu - participação do município na Rodada aumenta as perspectivas de desenvolvimento e oportunidades para toda a região. gócios futuros. Uma rodada sempre traz benefícios, pois além de alavancar novos negócios, proporciona uma aproximação positiva e extremamente vantajosa entre cliente e empresa”.

atende pessoas autistas e com TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção Com Hiperatividade, entidade com sede em Salto e que tem o apoio do Grupo de Responsabilidade Social do CIESP Indaiatuba, puderam, durante a rodada, vender potes de doce de

Já para José Henrique Toledo Corrêa, diretor do Departamento de Produtos, Serviços e Ne-

leite doados pela empresa Servimar.

gócios do CIESP São Paulo “a Rodada de Negócios proporciona a melhor relação custo x be-

A presidente do Instituto, Elaine

nefício para fazer novos negócios e conhecer novos fornecedores. Dependendo do número

Regina de Oliveira e a diretora admi-

de contatos que você fizer, a vantagem do custo da Rodada é real e significativa”.

nistrativa e assistente social, Adriana Sala, ficaram bastante satisfeitas

Para o prefeito de Itu, Antonio Tuíze, “a participação do município em mais uma Rodada de

pela oportunidade de apresentar a

Negócios do CIESP Indaiatuba, projeta perspectivas extremamente positivas para os diver-

entidade e também reverter a venda

sos setores da economia e evidencia a capacidade bastante diferenciada da região em atrair

dos potes para o Zoom.

investimentos, gerando oportunidades”.

O Instituto Zoom está localizado na

Por sua vez, o Secretário Municipal de Apoio ao Emprego e Incentivo ao Desenvolvimento

Rua Floriano Peixoto, 1689, Vila Nova,

Empresarial, José Rubens Nunes Gomes, disse que “o município de Itu já sediou e pretende

na cidade de Salto. Hoje ele atende 35

sediar em outros momentos a Rodada de Negócios do CIESP Indaiatuba. Essa iniciativa é bastante saudável, uma vez que facilita contatos entre empresas da região e consequente promoção de negócios. Esses encontros possibilitam o fomento da economia regional”.

crianças e está precisando muito de você, empresário. Informe-se e participe. www.institutozoom.com.br REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 13


MATÉRIA DE CAPA

REVISTA CIESP • FIESP

Acompanhe agora os depoimentos de empresários que participaram desta 5ª Rodada de Negócios, além de algumas âncoras. Isildinha Sendon da Embalagens Bandeirantes, de Diadema, comenta que o CIESP é

Rafael Arenas, comprador da Kennametal do Brasil

o grande facilitador desse intercâmbio

possibilita que você conheça empresas

entre empresas e fornecedores e apro-

e fornecedores que podem se tornar

veita para parabenizar a organização

parceiros em potenciais.

menciona que a Rodada de Negócios

do evento.

disse que a expectativa é abrir novos

Lenita Toledo, líder regional de segmento de compras indiretas da América do Sul da Valeo

negócios com empresas da região de

que participa pela primeira vez de uma

Indaiatuba, Salto e Itu. Inclusive, mos-

rodada, é taxativa ao afirmar que para

trou-se bastante satisfeito com o con-

qualquer comprador é extremamente

tato que fez com a Unilever

vantajoso participar. “Damos oportu-

Miguel Alexandre Sia da E-Driver Automação e Sistemas, de Nova Odessa

Já a âncora

nidades para pequenos e médios fornecedores; analisamos todas as

Rubens Ricco, da Onipress Corte em Aço, participou pela primeira vez de uma rodada e ficou muito satisfeito com a organização. Ele disse que “embora seja cedo para se falar em fechamentos, mas só o fato da aproximação entre a oferta e a procura, já torna a

estratégias de mercado e o contato gera conhecimento de fornecedores variados. Saio daqui com vários fornecedores que participarão de nossas licitações futuras. A grande maioria que passou por aqui conhece o nosso negócio e o porte da empresa, não vieram despreparados”.

rodada muito positiva”.

Brunno Bergamini, da Treibacher Schleifmittel Brasil, também foi âncora na rodada e apreciou muito ter participa-

Jesimiel Seluque, da Seluque Equipamentos, de Elias Fausto e com mais de sessenta anos em vendas técnicas,

do. Segundo ele, o evento foi de grande valia para a empresa. “Encon-

acredita que o participante de uma rodada deveria primeiro conhecer

tramos várias opções para novas fontes de fornecimento”.

a empresa âncora e preparar-se para as reuniões com antecedência. Reunião mal preparada, além de improdutiva, é desrespeito para com

João Toyohiro Arita, da Indústria Metalúrgica Arita, de Indaiatuba, participa pela

a empresa âncora. É preciso saber o que a âncora faz, o que quer comprar e assim poder fazer bons negócios.

pectativa é captar novos clientes e no-

Rosemeire Kuramoto, âncora representando a SEW Eurodrive

vos negócios, principalmente em seg-

comenta que fez vários contatos com

mentos diferentes. “Hoje somos fortes

fornecedores na sua área de atuação e

com fornecedores do segmento auto-

ressalta que isso certamente irá agregar

mobilístico, portanto para termos garantia e mantermos e até aumen-

e facilitar a busca na redução de custos,

tarmos nosso volume de negócios devemos diversificar os segmentos,

melhoria na qualidade da prestação de

abrindo nosso leque para novas oportunidades de negócios”, conclui.

serviços e melhor atendimento. G

terceira vez e conta que a sua maior ex-

14 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


Rodada de Negócios de Indaiatuba De encontros como este, surgem oportunidades importantes para as empresas

Âncoras que participaram da Rodada de Negócios de Indaiatuba Eliandro Figueira SCS/PMI

A 6ª Rodada de Negócios de Indaiatuba que aconteceu no dia 3 de outubro no Hotel Vitória contou com a participação de 13 empresas âncoras e aproximadamente 100 empresas inscritas, além de um público circulante de mais ou menos 200 pessoas. Foram realizadas cerca de 1.100 reuniões e encaixes nas quatro horas de evento. É essa demanda positiva na abertura de novos mercados que faz com que a cada ano os encontros sejam mais procurados e referenciados, como uma excelente oportunidade de negócios para o empresariado de Indaiatuba e região. O Prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira que participou da abertura do evento lembrou que desde a grande crise financeira de 2009 a cidade promove a Rodada de Negócios. Para ele esse encontro simboliza a fórmula perfeita para estreitar relações entre

O prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira

O prefeito destacou ainda que as empresas âncoras dependem de novos fornecedores dentro das suas especificações e os fornece-

os empresários. “É fundamental que os pequenos e médios empresá-

dores por sua vez querem vender ou mesmo desenvolver novos

rios façam seus produtos e serviços serem conhecidos pelas grandes

produtos e isso faz com que a roda econômica da cidade gire, refle-

empresas”, conclui.

tindo e gerando novos empregos e mais renda para a população. REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 15


MATÉRIA DE CAPA

REVISTA CIESP • FIESP

A satisfação de encerrar os eventos deste ano com a Rodada em Indaiatuba, cidade sede do CIESP, foi comemorada com alegria pelo diretor titular da regional, José Augusto Rodrigues Gonçalves. “Fechamos o ano de 2013 com chave de ouro. Neste momento estamos com a sensação de dever cumprido, por termos proporcionado aos nossos associados, a oportunidade de grandes negócios e excelentes contatos futuros.”

Daniel Jurado e Gilberto Marianno

Permitir que o pequeno empresário cresça e se desenvolva conhecendo grandes clientes foi um dos pontos destacados pelo 2º. vice diretor do CIESP Indaiatuba, Daniel Jurado. Essa aproximação real que a Rodada proporciona foi elogiada por Gilberto Neto Marianno, 1º. vice diretor do CIESP Indaiatuba, que aproveitou para chamar a atenção dos compradores que, José Augusto Rodrigues Gonçalves

muitas vezes, criam barreiras dificultando o acesso dos fornecedores.

O Secretário de Desenvolvimento de Indaiatuba, Renato Stochi aproveitou para frisar que na visão dele, o maior benefício desses encontros é a desburocratização e simplificação dos negócios. Segundo ele, as empresas precisam dessa vivência oferecida pelas Rodadas de Negócios. “Hoje o tempo é nosso maior capital e nesses encontros esse tempo é otimizado, você pode realizar compras e vendas importantes em poucas horas”, finaliza.

Rodrigo e Erik da Romi

Para o assessor de desenvolvimento, Rodrigo Torres e o analista de desenvolvimento, Erik Gustavo Fini, das Indústrias Romi, de Santa Bárbara do Oeste, uma das âncoras desta Rodada, além da oportunidade criada pelas Rodadas de Negócios de conhecer novos fornecedores, são possíveis também conhecer novos clientes e consolidar a marca da empresa em um mercado tão competitivo atualmente. Romper com a acomodação de ficar focado num único fornecedor foi um benefício em comum ressaltado por Maurílio Santos Jr, Viviane Guimarães e Roberta Costa da área de suprimentos da FBA. Para eles a Rodada de Negócios abre o leque de fornecedores e oferece uma oportunidade de visão mais abrangente do mercado fazendo com Secretário de Desenvolvimento de Indaiatuba, Renato Stochi

16 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba

que os custos sejam reduzidos e os processos aprimorados.


Eliandro Figueira SCS/PMI

A 6ª Rodada de Negócios de Indaiatuba aconteceu no Hotel Vitória

Cassia Gazafi e Débora Santana da Mann+Hummel parabenizam o CIESP pela excelente organização do evento. Cassia, coordenadora de compras, lembra também, que nos quatro anos de participação da empresa nas Rodadas, muitos negócios significativos foram concretizados. Para ela o mais importante não é somente aumentar o número de fornecedores, mas desenvolver parcerias com os melhores. Com uma filosofia parecida, o diretor industrial, Roberto Kumagai representando a âncora Valeo, afirma que, o que realmente importa é o potencial do fornecedor e destaca a importância de se agregar novas parcerias nas áreas de serviços, logística e materiais produtivos.

Maurílio, Viviane e Roberta da FBA

Roberto da Valeo presta atendimento a participante

O sucesso do evento se deve ao envolvimento e comprometimento da Prefeitura Municipal de Indaiatuba por meio da Secretaria de Desenvolvimento, que em parceria com o CIESP Indaiatuba, não mediu esforços para mais esta realização, que já se tornou um dos Cassia e Débora da Mann+Hummel

eventos empresariais mais esperados do ano. G REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 17


SENAI SALTO

REVISTA CIESP • FIESP

Em breve Salto terá uma unidade do SENAI Numa parceria entre a FIESP, SENAI e Prefeitura de Salto e ainda sem

Walter Gimenez Felix, o supervisor de ação regional do DEPAR, Mar-

previsão de início das obras, encontra-se em fase adiantada de pro-

celo Mesquita, a gerente do CIESP Regional de Indaiatuba, Eliana

jeto, a instalação de uma unidade do SENAI em Salto.

Mattos,o diretor do Senai de Itu, Helvécio Siqueira de Oliveira, além

O local escolhido para a escola SENAI é no espaço que abrigará o

de representantes de 14 empresas de Salto.

Polo Industrial e foi cedido a partir de uma parceria entre o Grupo

Após esse encontro foi realizada a coleta da demanda de formação

Nardelli, EPM Empreendimentos e Participações e Família Puente-

de mão-de-obra junto às indústrias de Salto, que aconteceu no dia

dura/Bonatto.

15 de agosto, no CEMIP - Centro Municipal de Iniciação Profissional “Prof. Lair Lyra Brandão” durante a “Semana de Qualificação Profis-

A nova escola SENAI visa atender à demanda das empresas da re-

sional”. A partir desse levantamento, um profissional do SENAI fará

gião, oferecendo cursos de ensino técnico com a perspectiva de

um projeto técnico da unidade de Salto, determinando cursos a

suprir as carências mais emergentes de mão-de-obra local.

serem oferecidos, número de docentes, funcionários e capacidade

A parceria foi anunciada num encontro realizado na sede da ASSISA

de alunos atendidos.

(Associação das Indústrias de Salto), no qual se fizeram presentes

Segundo o diretor do DEPAR, Walter Gimenes Felix, a unidade de

o prefeito de Salto, Juvenil Cirelli, a vice-prefeita, Jussara Vilaça, a

Salto deverá atender ainda à demanda de municípios localizados

Secretária de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, Eliana

no diâmetro de 50 km de Salto. “Teremos um corredor de formação

Moreira, a presidente da ASSISA, Rita de Cássia Assumpção Ribei-

entre Itu, Salto e Indaiatuba, além de uma nova unidade também

ro, o diretor do DEPAR (Departamento de Ação Regional da FIESP),

no Pirapitingui”, explicou .G

18 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


REVISTA CIESP • FIESP

SENAI INDAIATUBA

Escola SENAI de Indaiatuba oferece os seguintes cursos técnicos: As inscrições nos cursos técnicos

ELETROTÉCNICA (períodos da manhã e noite)

ELETROELETRÔNICA (período da tarde)

Objetivo - Habilitar profissionais para ins-

ções de manutenção, instalação e repa-

realizadas, via web, no endereço

talar, operar e manter equipamentos e sis-

ração de sistemas eletroeletrônicos, com

www.sp.senai.br/processoseletivo.

temas destinados à geração, transmissão e

competências de coordenação e desen-

distribuição de energia, bem com elaborar

volvimento de equipes de trabalho, pla-

projetos, seguindo normas técnicas, am-

nejamento, desenvolvimento e avaliação

bientais, da qualidade, e de segurança e

de projetos, aplicação de normas técnicas,

saúde do trabalho.

capacidade de resolver problemas novos,

Objetivo - Habilitar profissionais nas fun-

espirito crítico e ética profissional.

estarão abertas no período de 14/10/2013 a 11/11/2013 e serão

CENTRO DE TREINAMENTO SENAI “COMENDADOR SANTORO MIRONE” RUA SENAI, 129 - Fazenda Pimenta, Indaiatuba CEP: 13347-680 Telefone: (19) 3935-2773/ 2774 Site: http://www.sp.senai.br/indaiatuba E-mail: senaiindaiatuba@sp.senai.br REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 19


SESI INDAIATUBA REVISTA CIESP • FIESP

Diretor do CIESP Indaiatuba, José Augusto Rodrigues Gonçalves, diretora do SESI Odete Freire e o ex-diretor André Luis Martins da Silva.

SESI INDAIATUBA

Quem entra e quem sai Após cinco anos como diretor em Indaiatuba, do Centro de Atividades Antônio Ermírio de Moraes, André Luís Martins da Silva encerra suas atividades com a sensação de dever cumprido. Pronto para assumir a direção do Centro de Atividades Gastão Vidigal, na Vila Leopoldina - São Paulo, André está ciente de que os desafios serão muito grandes, mas compatíveis com o crescimento do SESI-SP e principalmente das pessoas atendidas pela entidade. Assume a direção da unidade de Indaiatuba, Odete Freire, indaiatubana, profissional de carreira do SESI-SP que atuava até então como diretora do CAT Santa Bárbara D’Oeste.

André Luís Martins da Silva Adepto dos conceitos do trabalho em equipe para a obtenção de resultados, André acredita na humanização dos processos de trabalho e sabe que nada acontece sem a valorização das pessoas. “Os líderes precisam apenas compreender essa questão e trabalhar com alegria para que o resultado venha como conseqüência”, afirma. Várias foram as conquistas na área de educação como a implantação da Educação em Tem20 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


po Integral, idealizada pelo presidente Paulo Skaf ou o desenvolvimento do Ensino Médio Articulado, onde os alunos do SESI podem, a partir do segundo ano do Ensino Médio, optar por realizar concomitantemente um curso técnico no SENAI, ampliando significativamente suas possibilidades de ingresso no mercado de trabalho. Não podemos deixar de citar os inúmeros investimentos na área esportiva, como a construção da quadra de futebol society com grama sintética; quadra de tênis; novo ginásio de esportes; aquecimento na piscina semi olímpica. Ou ainda o “Programa SESI-SP Ginástica na Empresa” e “Programa SESI Mulher” tendo já beneficiado cinco empresas. Na área cultural, várias atividades merecem destaque como a apresentação de peças teatrais, musicais, exposições e cursos, como o programa SESI Musicalização, destinado a crianças e jovens de 7 a 19 anos, nas modalidades viola, violino, baixo e violoncelo. Bem

Odete Freire Formada em Administração e Pedagogia, iniciou sua carreira no SESI de Indaiatuba em abril de 1992 com a inauguração do CAT “Antônio Ermírio de Moraes”, onde atuou por oito anos como coordenadora da Escola SESI. Em 2000, foi indicada para assumir a diretoria local do SESI de Sertãozinho - CAT “Nelson Abudd João” permanecendo por sete anos. Em função do trabalho desenvolvido, recebeu, em 2006, o título de Cidadã Sertanezina, o qual considera extensivo a toda a equipe de trabalho da unidade. “Uma boa administração se faz, única e exclusivamente, com pessoas comprometidas”, afirma Odete. Em 2007 foi transferida para a diretoria do SESI de Santa Bárbara d’Oeste, desenvolvendo vários projetos similares aos realizados em Sertãozinho.

como o desenvolvimento e ampliação de cursos na área de cos-

Retornando agora para o SESI Indaiatuba, faz questão de agradecer

tura, moda e artesanato dentro das empresas beneficiárias, bem

à Superintendência do SESI, na pessoa do Profº Walter Vicioni Gon-

como no SESI.

çalves, que oportunizou esse retorno. Nesses 14 anos de aprendiza-

Quanto aos cursos e treinamentos corporativos podemos destacar os dos Programas Alimente-se bem, Sabor na Medida Certa, Moradia Segura, Administre melhor o seu dinheiro, Preparação para aposentadoria, entre outros, além dos cursos de informática básica

do e crescimento profissional, como diretora das Unidades, Odete sabe que os desafios são grandes e aproveita para dizer que dará continuidade a todo o trabalho desenvolvido pelo seu antecessor André Luis Martins da Silva.G

“Programa Aprenda a Clicar” e no treinamento corporativo “Atitudes Assertivas para o Mercado de Trabalho”.

Mensagem de despedida de André Luís Martins da Silva “As iniciativas junto à indústria não seriam possíveis, não fosse o apoio incondicional de três pessoas: do Sr. Ignácio de Moraes Junior, diretor do DEPAR - Departamento de Ação Regional da FIESP; do Sr. José Augusto Rodrigues Gonçalves, diretor do CIESP Indaiatuba e da Sra. Eliana Mattos, gerente do CIESP Indaiatuba, a quem eu agradeço de coração. Enfim, foram muitas as conquistas. O sentimento que prevalece no meu interior é o do dever cumprido. Mais uma vez, agradeço a toda minha equipe que esteve ao meu lado durante este período e agradeço principalmente a Deus, por tudo o que me proporcionou”.

REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 21


SESI ITU

REVISTA CIESP • FIESP

SESI Itu amplia suas instalações Cerca de 800 alunos do ensino médio e fundamental e 250 do telecurso e curso de alfabetização serão diretamente beneficiados com a reforma iniciada em 2011 para melhor atender à demanda da comunidade que freqüenta o SESI de Itu. Antes os 5,5 mil m2 de área coberta construída eram ocupados por seis prédios que foram reformados e alguns ampliados e hoje o espaço conta com uma área maior, de 8 mil m2 e ainda outros dois novos prédios, já prontos, que têm como principal objetivo acomodar melhor os associados do centro esportivo e alunos da escola, atendendo a todos com qualidade e conforto. Segundo Silvio Rinaldi, diretor do SESI Itu, a previsão de conclusão da reforma é em dezembro de 2013. G 22 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


REVISTA CIESP • FIESP

SEXO FRÁGIL?

Empresária, esposa, mãe, mulher...

De onde vem tanta força? Amanda Lapenna tem apenas 28 anos, mas já é empresária, administradora, especialista em certificações internacionais e gestão de processos. Além disso, fala fluentemente o inglês e está cursando francês. Fundadora da RAC Consultoria onde presta consultorias para certificações, auditorias e treinamentos, Amanda ministra importantes cursos na área da qualidade e ainda encontra tempo para coordenar o Grupo da Qualidade do CIESP Indaiatuba. O pai, José Carlos Lapenna, fundou a empresa DK Diagnostics (associado ao CIESP Indaiatuba desde março de 2013) e com a expansão para os Estados Unidos, Europa e Ásia, Amanda assumiu a empresa no Brasil, hoje com 40 funcionários e um faturamento médio de 4 milhões/ano. A jovem empresária tem uma projeção para atingir nos próximos três anos, um faturamento na casa dos 20 milhões de reais/ano. E quem vai duvidar que ela consiga chegar a esse patamar? Para quem conhece a determinação desta jovem, atingir esses objetivos é só uma questão de tempo. Mas a pergunta que nos intriga é: como ela dá conta de tantos compromissos profissionais e ainda ser mãe e esposa? “Sou filha única e com a mudança de meu pai para Maryland, nos Estados

de princesa, como chama o momento em que vai ao salão de be-

Unidos, não vi outro jeito, a não ser assumir a empresa e “fazer das tripas,

leza para relaxar e se cuidar. Normalmente esse “cuidar-se” acontece

coração” para conseguir levar adiante a minha vida profissional e pessoal.”

às sextas-feiras em seu horário de almoço, quando aproveita para

Casada há cinco anos com Bruno Talon (proprietário da Senna Am-

fazer as unhas, hidratar os cabelos etc.

biental na cidade de Itu) e com uma filhinha de 1 ano e 5 meses

Pensa que terminamos esta história? Ainda uma vez por semana,

– Micaela –, Amanda tem muito mais que tripla jornada. Seu dia

ela faz aula de inglês para praticar a língua e uma hora e meia do

começa muito cedo e contando com a ajuda de uma babá, leva a

curso de francês, sua nova paixão.

pequena Micaela para a DK, uma vez que a bebê ainda não vai para escolinha. Na empresa, Amanda montou um espaço para a filha, que está bem adaptada a esta rotina.

Recentemente, como acontecem todos os anos, Amanda participou da feira Medica em Dusseldorf, na Alemanha, a maior feira de produtos médicos e diagnósticos do mundo. Dessa participação

No final do dia, Micaela e a babá acompanham Amanda na aca-

surgiram as oportunidades de negócios com abertura das filiais nos

demia. Sim, ela vai todos os dias se exercitar! Quando termina seu

EUA, Espanha e Índia. E essa viagem teve a companhia especial de

treino, a babá é deixada em casa e mãe e filha seguem juntas para

Micaela, que ficou passeando com Bruno, enquanto Amanda par-

mais uma etapa: banho na Micaela, jantar e enquanto

ticipava da feira.

Bruno

brinca com a bebê, Amanda aproveita para tomar banho e preparar algo para comerem. Nos finais de semana, ela ainda encontra tempo para cozinhar e receber os amigos e a família. E, é claro, uma vez por semana, Amanda não abre mão do seu dia

Bruno, além de consultor em meio ambiente é também instrutor de mergulho e Micaela com menos de um ano acompanhou os pais numa viagem a Cancun. Logo estarão os três fazendo mergulho! De onde algumas mulheres retiram tanta força? Uma pergunta que nem os especialistas têm ainda uma resposta. G REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 23


EMPRESAS EM DESTAQUE

REVISTA CIESP • FIESP

Textil Judith, histórica no segmento de tecelagem

Autocontrole, garra e muita dedicação de pessoas visionárias fizeram da Textil Judith uma empresa que, há 75 anos, tornou-se referência nacional na fabricação e confecção de fios, tecidos para decoração e tecidos técnicos. Marco na cidade de Indaiatuba, desde meados da década de 1940,

palmente para a fabricação de cortinas e ocupou uma posição de

a Textil Judith tornou-se referência no ramo da tecelagem e teve

vanguarda nas décadas de 1960 e principalmente 1970 sempre pri-

papel importante para o desenvolvimento econômico e social de

mando pela qualidade e capricho dos produtos oferecidos.

uma cidade tipicamente interiorana.

Os tempos áureos se desenrolaram e a empresa chegou a ter mais

Diante das poucas opções de trabalho em Indaiatuba naquela épo-

de mil funcionários. Neste período, além de fabricar o voile também

ca, trabalhar na Textil Judith era sinal de conquista sócio-econômica,

desenvolveram diversos tecidos especiais para decoração e outros

lembra o diretor Rogério José Mendes que faz uma estimativa de que

técnicos, inclusive para velas e paraquedas, recorrendo à importa-

cerca de 10% da população daquela época trabalhava na empresa.

ção de matérias-primas diversas.

As condições que a empresa oferecia eram vistas com bons olhos

Nesses 75 anos de existência talvez o grande trunfo da Textil Judi-

pela sociedade, sendo considerada como uma das melhores em-

th foi ter sobrevivido às crises, inovando e adquirindo fôlego para

pregadoras. “Todos queriam trabalhar na Textil Judith e para comple-

continuar no mercado de tecelagem, mesmo acompanhando a fa-

tar, a empresa ficou conhecida como sendo casamenteira, por causa

lência de algumas de suas concorrentes.

dos vários casamentos que resultaram de relacionamentos de trabalho”, lembra a diretora Sandra Regina Mendes Nedrotti.

Porém, diante da abertura do mercado internacional, principalmente para os tecidos vindos da China e da acelerada modernização dos

Associada ao CIESP desde 2004, a Textil Judith sempre foi reconhe-

maquinários no setor têxtil, algumas empresas, tipicamente as fa-

cida pela produção do voile, tecido fino e delicado usado princi-

miliares, tiveram dificuldade em adequar-se e perderam vantagem

24 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


competitiva em função da concorrência ter sido mais ágil e saído à frente. Nesse momento, houve um declínio significativo da Textil Judith se comparado às épocas de ascensão vivenciadas anteriormente.

Textil Judith Rua Crisolita, 145

Entretanto, nem isso foi suficiente para desmotivar os diretores que afirmam com otimismo

Tel. (19) 3875-0700

que atualmente o local onde a empresa está instalada é apropriado e os 140 funcionários

www.judith.com.br

continuam fabricando os tecidos para decoração, fios e tecidos técnicos que garantem o faturamento mensal de R$ 1 milhão. Atualmente, a empresa tem condições de produzir até 75 mil metros quadrados de tecido por mês; esse número chegou a ser oito vezes maior, mas felizmente a Textil Judith continua no mercado e comprova a cada ano que é uma empresa reconhecida por sua qualidade têxtil. G

VIACORTE Empresa de beneficiamento de aço comprova sua preocupação com qualidade

Viacorte Av.Vitória Rossi Martinio, 293 Tel. (19) 3936 8888 www.viacorte.com.br Há 15 anos atendendo o mercado de Indaiatuba e região,

Sobrevivendo e superando crises nacionais e internacionais

a Viacorte Indústria e Comércio de Oxicorte e Aços é uma

a Viacorte vem investindo em estrutura fabril, maquinário e

empresa que alcançou sucesso devido o constante respei-

treinamento com a finalidade de proporcionar melhor qua-

to e necessidade primária em atender seus clientes com

lidade de trabalho e de vida a cada funcionário e em cada

qualidade. Trabalhando na fabricação individual e seriada

etapa do processo.

de componentes, conjuntos de peças em chapas de aço

Atualmente com 25 colaboradores, o diretor José Luiz dos

carbono, materiais laminados, além de matéria prima para

Santos destaca que a produção de peças em aço por mês

produção de dispositivos, moldes, ferramentas e muito

gira em torno de 100 toneladas. E aproveita para lembrar

mais, a empresa, associada ao CIESP há mais de dois anos,

que todo o resíduo gerado pela empresa é enviado para

proporciona a solução adequada ao corte do aço aliada a

reciclagem, mostrando dessa forma sua preocupação e

uma vantajosa redução de custo.

compromisso com o meio ambiente. G

REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 25


VÁLVULA DE ESCAPE

REVISTA CIESP • FIESP

Pedalar é sinônimo de viver com qualidade Quando a prática do esporte está associada ao prazer e bem-estar o resultado é pura motivação. É assim que Sérgio Roberto Wolf, responsável pela área administrativa e industrial e sócio da WBV Plásticos se relaciona com as atividades esportivas. Natural de Indaiatuba, desde pequeno a bicicleta esteve presente em sua vida como meio de transporte e brincadeira com os amigos. Com o passar do tempo, o tênis de campo tornou-se o esporte que mais praticava. Porém, por volta do ano 2000, voltou a pedalar com amigos nos finais de semana, agora com outra motivação: transitar por caminhos mais longos pelas estradas de terra da cidade e região. Foi então que um de seus amigos o incentivou a participar de uma competição de mountain bike, na cidade de Jaguariúna em 2004. Daí em diante Sérgio não parou mais, nem de competir e muito menos de pedalar, participando hoje em dia de diversas competições, fazendo até 15 provas durante o ano. Sérgio faz parte do grupo de amigos ciclistas “Papa Terra”, que já existe há mais de 14 anos em Indaiatuba e reúne diversos apreciadores do ciclismo. Para esse empresário que pedala, joga futebol, basquete e tênis de campo “viver é como andar de bicicleta. É preciso estar em constante movimento para manter o equilíbrio”, citando uma frase que não é sua. Para ele o ciclismo é um esporte considerado completo, pois exige muito do atleta, ou seja, equilíbrio, força, resistência física, disciplina, controle mental em provas longas e, o mais importante, é o beneficio para a vida como um meio para

“Tenho um amigo que diz.... pode me deixar em qualquer lugar do mundo sozinho e com uma bike, que em pouco tempo já vou estar enturmado facilmente” Sérgio R. Wolf

a integração e convivência com amigos, pois você acaba fazendo muitas amizades verdadeiras. “Tenho um amigo que diz.... pode me deixar em qualquer lugar do mundo sozinho e com uma bike, que em pouco tempo já vou estar enturmado facilmente”, brinca Sérgio. Para este homem que não consegue se ver sem pedalar, o ciclismo está diretamente ligado à razão para se ter saúde, ao prazer de sentir-se livre, à emoção de novas descobertas, novos caminhos, à disciplina e persistência que nos acompanham na rotina de trabalho.

26 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


Tiro ao prato, uma modalidade esportiva pouco comum

O diretor executivo da Sinter Futura – empresa instalada em Elias Fausto e associada ao CIESP Indaiatuba desde 1995 - Breno Grou, sempre praticou muito esporte e, por influência do pai, que é atirador, desenvolveu peculiar afinidade com o tiro ao prato nas modalidades trap e trap double. A pedana de Trap divide-se em 5 posições onde o atirador efetua 5 disparos em cada posição, em cada uma das 4 séries, perfazendo 100 disparos. A máquina lançadora dos pratos encontra-se a 15 metros do atirador, sendo que os pratos são lançados ao comando do atirador em direções aleatórias e desconhecidas pelo mesmo. Por essa peculiaridade é chamada de Trap, ou seja “armadilha”, em inglês, pois a direção do prato a ser lançado é totalmente desconhecida pelo atirador, e a velocidade média do prato é de aproximadamente 50 Km. O atirador pode pedir o prato com a arma encaixada no ombro e deverá efetuar apenas um disparo por prato. No trap double a diferença é que a máquina lança dois pratos simultaneamente e o atirador deve efetuar dois tiros, um em cada prato. Adepto dessa prática há aproximadamente três anos, Breno reserva um dia da semana, normalmente os sábados, para desenvolver-se no tiro ao prato e cuidar da mente e do físico. Ele acredita que todas as pessoas que têm uma atividade profissional muito intensa precisam de uma “válvula de escape”. “No meu caso, gosto bastante do tiro ao prato, pois é um esporte que requer muita disciplina, concentração e agilidade em alvos em movimento”, enfatiza o empresário. Na visão dele, um bom atirador tem que desenvolver uma série de habilidades para, na hora do treino ou da competição, atingir um bom resultado. A busca pelo desenvolvimento da concentração, equilíbrio e disciplina são os maiores benefícios que o esporte lhe traz e são esses os principais motivos que levaram Breno a participar de competições organizadas pela Confederação Brasileira de Tiro, onde ganhou algumas etapas e terminou o último ano na categoria A cuja média é acima de 90% de acertos. REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 27


VÁLVULA DE ESCAPE

REVISTA CIESP • FIESP

O poder da música no bem estar pessoal “A música é a arte de expressar os diversos sentimentos da alma através

vivenciamos, por isso ele procura se disciplinar e reservar 30 minutos

do som”. Esse foi o “tom” do início de nossa conversa. Arnaldo Costa,

por semana antes de ir para a aula para estudar e tocar seu violino. “O

gerente geral da Stolle Machinery (associado do CIESP Indaiatuba,

ser humano procura sempre alguma desculpa para a falta de tempo, jus-

desde 2005) encontrou no violino o oxigênio que precisa para viver.

tificamos tudo para nós mesmos, assim ficamos bem com a nossa cons-

“Tocar para mim é uma hora boa, porque consigo sair da minha própria história e vivenciar algo que me remete a outro contexto”, diz o

ciência”, afirma. É por esse motivo que Arnaldo se esforça para que nada impeça os momentos que reserva para seu hobby preferido.

empresário que reserva uma hora por semana para estudar e aper-

Essa motivação ele carrega consigo desde que tinha 20 anos, quando

feiçoar-se na técnica do violino.

resolveu estudar música por 15 anos. Parou algum tempo para se

Para ele o grande desafio do violinista é tocar afinado, por isso para atingir um som agradável é preciso muito empenho e dedicação, o que para ele é bastante difícil diante dos compromissos profissionais e da correria do dia a dia. Como bem lembrou, a música quebra toda a rigidez e aridez que 28 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba

dedicar à empresa, mas há quatro anos voltou e afirma que o prazer que sente é maior do que os obstáculos que tentam impedir que ele se dedique aos estudos do violino. E para finalizar num tom de brincadeira, Arnaldo lembra uma sábia frase de seu professor de violino: “Se você fica um dia sem tocar, você percebe. Se fica dois dias, a família percebe e, se fica uma semana, até o seu cachorro percebe”. G


REVISTA CIESP • FIESP

MARKETING

Muito além da propaganda Uma boa comunicação sozinha não é capaz de resolver todos os problemas das pessoas, grupos ou organizações. Mas não tenha dúvida de que, quando os processos de comunicação não funcionam de forma adequada, os resultados que se buscam podem demorar bem mais para serem alcançados, ou até mesmo não acontecerem. A comunicação é como um fluído lubrificante que permeia as engrenagens de um sistema, gerando movimento, fazendo acontecer aquilo que é necessário em função de um dado objetivo. No caso das empresas, nem sempre o valor da boa comunicação é percebido em sua totalidade. Herança de um tempo em que a propaganda era a principal ferramenta para a empresa falar com seus públicos mais óbvios – clientes e consumidores –, com o único intuito de divulgar seus produtos e serviços e, como consequência, vender mais. E note que a propaganda em si, nem deveria, a rigor, ser entendida como um processo de comunicação, uma vez que flui num sentido único: a empresa “fala” e o cliente/consumidor apenas “ouve” (ou não, o que é ainda pior), sem que exista, na mesma ferramenta, o canal de volta, pelo qual ele possa se manifestar. Mas os tempos mudaram e hoje, com toda a tecnologia da informação disponível, estabele-

Carlos Bizetto é sóciodiretor da Primula Veris (www.primulaveris. com.br) - empresa de assessoria, consultoria, eventos e treinamento em comunicação, marketing e gestão empresarial com foco em resultados e associado do Ciesp Indaiatuba.

cer processos de comunicação de mão dupla com quem compra ou consome os produtos e serviços não é mais um problema. Há uma diversidade enorme de ferramentas acessíveis a empresas de todos os portes e ramos de atividade, que permitem a elas interagir com esses segmentos de público, gerando uma comunicação mais eficiente para atingir objetivos de marketing quantitativos, como aumento de faturamento e de participação no mercado, ou qualitativos, como um maior reconhecimento da marca. Outro ponto que merece a atenção diz respeito ao entendimento um pouco mais abrangente dos stakeholders com os quais, necessariamente, a empresa contemporânea precisa relacionar-se, se quiser ser durável, ter vida longa para além do curto prazo que a necessidade (legítima, diga-se) de geração de resultados econômicos impõe. Poucas são as empresas que já pararam para fazer uma lição de casa absolutamente necessária: olhar “para dentro e ao redor” de si mesmas, buscando identificar claramente as organizações e grupos (e, dentro deles, os indivíduos, as pessoas) com os quais precisam estar em contato permanente, estabelecer processos de comunicação minimamente estruturados e contínuos. Estamos falando de empregados, fornecedores, veículos de imprensa, comunicadores sociais, comunidades, entidades etc., além da sociedade como um todo, que está cada vez mais conectada pelas mídias sociais, o que lhe dá um poder sem precedentes. Construir e manter boas relações com todos esses stakeholders é fundamental, porque não apenas seus produtos e serviços, mas a própria empresa é assunto nesses segmentos. Para o bem ou para o mal dela mesma e independente de sua vontade. Uma imagem institucional positiva da empresa materializada na sua marca – considerando inclusive os aspectos socioambientais de sua atividade – ajuda muito a alavancar o resultado econômico numa situação de voo normal e pode fazer toda a diferença para a retomada da normalidade numa situação de turbulência, que pode advir de uma crise inesperada. Pense nisso. G REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 29


SOCIAL

REVISTA CIESP • FIESP

30 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba


REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba 31


SOCIAL

REVISTA CIESP • FIESP


ARTIGO

REVISTA CIESP • FIESP

Paulo Skaf*

Simplificar para crescer Nos últimos oito anos, 47 milhões de pessoas foram alçadas à classe média. Políticas como aumento do salário mínimo, bolsa família, expansão de crédito, entre outras ações, foram importantes para nos trazer até aqui, mas serão de pouco efeito se não abrirmos novas frentes para que o país possa continuar crescendo e proporcionando aos brasileiros a chance de melhorar de vida. A vontade de ter seu próprio negócio é a alternativa que muitos veem para ter um futuro próspero. Mas tornar-se um empreendedor bem-sucedido requer grande dose de paciência e determinação, pois é necessário vencer as barreiras impostas pelo excesso de burocracia, pela alta taxa de tributos a serem pagos, pela dificuldade de conseguir crédito, pela inexistência de apoio e orientação dos órgãos públicos. Apesar de todos esses entraves, atualmente cerca de 50% dos empregos são gerados por micros e pequenas empresas, e sua contribuição na arrecadação de impostos é de extrema importância para a movimentação da economia do país. A indústria acredita que o desenvolvimento econômico está no desenvolvimento das pessoas, por isso tem investido em cursos profissionalizantes, em tecnologia, em fomento à inovação e aos novos negócios. O sucesso do Festival do Empreendedorismo realizado pela Fiesp em parceria com o Senai, no final de setembro em São Paulo, mostrou que somos um país formado por pessoas interessadas em empreender, em inovar, em produzir e transformar. Vontade, interesse, envolvimento e profissionais com disposição para arregaçar as mangas e contribuir para um futuro melhor nós temos de sobra! Tornar a jornada de cada empreendedor menos árdua e incentivar para que projetos saiam do papel é dever do estado. Precisamos simplificar as coisas no Brasil, desburocratizar, fazer com que as pessoas consigam investir seus talentos a favor do desenvolvimento do país. G

*Paulo Skaf é o presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp)

34 REVISTA CIESP • FIESP Regional Indaiatuba



REVISTA CIESP Indaiatuba Nº20