Page 1

oportunidade a minha

Agosto • Setembro • Outubro | 2012 centredaccueil.ch

Opinião Pág. 06

Círculo do ódio Saúde Pág. 12

5 motivos para parar de fumar... Terapia do Amor Pág.14

Superar as desilusões

O que fazer para restaurar

a familia?

Pág. 04


Onde nos encontrar? O Centro de Ajuda Espiritual está em onze cidades bem próximas de sua casa

Genève - Thônex Rue de Genève 96 1226 Thônex Tel. 022 348 80 29 (ao lado do centro comercial de Thônex, trem 12, 16 e 17 direção Moillesulaz, parada “Graveson”)

Genève (Pâquis)

Zürich

Lausanne

Rue du Prieuré 19 1202 Genève Tel. 022 731 41 47

A 5 minutos da Gare CFF de Genève, rue de lausanne direção à Nations.

Baslerstrasse 30 8048 Zürich Tel. 044 450 42 10

Na sala de eventos MediaCampus, próximo ao estádio de Futebol Letzigrund.

Av. Louis Ruchonnet 3 1003 Lausanne Tel. 021 311 08 15

Bern (Länggasse)

Basel

Lugano

Seidenweg 63 3012 Bern - Länggasse Tel. 031 301 51 40

Haltingerstrasse 104 4057 Basel Tel. 061 681 40 72

Via Giuseppe Cattori 3 6900 Lugano- Paradiso Tel. 091 980 49 59

Bem próximo ao supermercado Migros de Zähringer.

Próximo a Baselworld e Musical Theater Basel.

A 3 minutos somente da Gare CFF de Lausanne.

Próximo ao lago de Lugano, ao lado do solarium.

Sion: Rue de la Blancherie 61-1950 Sion – Reuniões às Quintas-feiras às 20h, mais informações ligue para o CdAE de Lausanne Luzern: Baselstrasse 47 - 6003 Luzern – Reuniões às Quintas-Feiras às19h30, mais informações ligue para o CdAE de Zürich St. Gallen: Heiligkreuzstrasse 59 - 9008 St.Gallen –Terça às19h30 e Domingo às 17h, mais informações ligue para o CdAE de Zürich Fribourg: Reuniões as Quintas-feiras às 19h30, para mais informações ligue 078 928 87 15 ou para o CdAE de Genève (Thônex)

Mais informações através do nosso site web

Artigos l Eventos l Casos verídicos l Obras l Multimedia l Noticías l Mulher l Amor l Jovens l Endereços l Quem somos 2

a minha

www.centredaccueil.ch

oportunidade Setem-


[Sumário]

4

Capa Seis vidas livres de um vício

5

Capa Perdão, um gesto que cura...

6

Opinião Quebre o círculo do ódio

12

Saúde 5 motivos para parar de fumar agora!

14

Terapia do Amor Superar as desilusões

Produzido por: Centro de Ajuda Espiritual Design: Departamento Gráfico Universal E-mail: centredaccueiluniversel@gmail.com EndereÇO: Rue de Genève 96 -1226 Thônex Tel. 022 348 80 29 Distribuição Gratuita Todos os direitos reservados. Nenhuma parte ou conteúdo desta revista poderá ser reproduzido, copiado ou transmitido, seja eletronicamente, manualmente ou através de qualquer outra forma, sem que tenha uma permissão por escrito, por parte desta entidade.


[Capa]

O maior desejo de Romélia era de que a sua família não fosse destruída. Por isso, para ela havia apenas uma saída: procurar ajuda nos bruxos. Porém, a sua situação só piorou...

6 Vidas livres de um vício !

N

a vida Rodolfo tinha dois desejos: casar com Romélia, mas também continuar com os mesmos hábitos que tinha durante a sua vida de solteiro. Por isso, vivia nos bares com os amigos, a beber, e em discotecas. “Não me preocupava se a minha esposa necessitava de alguma coisa, gastava todo o dinheiro em vícios e foi aonde começaram as brigas e discussões entre nós”, conta Rodolfo. “O meu esposo, supostamente estando a trabalhar, chegava sempre tarde. Até que um dia, descobri que ele estava a ser infiel. Senti-me muito mal, como se fosse a mulher mais desprezível. A partir daquele momento começámos a comportarmo-nos como inimigos, até ao ponto de chegarmos às agressões físicas. Os nossos quatro filhos, ao verem a maneira como nos tratávamos sofriam também, e começaram a ser rebeldes.Já estávamos a ponto de nos divorciarmos, porque eu não podia perdoar-lhe e não nos conseguía- mos entender. Procurei ajuda em familiares, amigos, psicólogos 4

a minha

e até bruxos, mas a situação piorou, o meu marido continuava a beber e as agressões físicas e verbais continuaram. Pensei no suicídio como a solução de todos os meus problemas, o meu marido saiu de casa por três ocasiões e eu estava profundamente deprimida, estava sempre a chorar e, às vezes, nem sequer comia.” conta Romélia. [ Como tudo mudou ] “Uma amiga convidou-nos para ao Centro de Ajuda Espiritual, falou-nos das reuniões de sexta-feira e o meu marido decidiu assistir. Começou a fazer a corrente de oração todas as sextas-ferias e a fazer propósitos de fé, e eu também decidi assistir. Primeiro íamos separados, como se fôssemos desconhecidos, não foi nada fácil, já que ele era viciado em álcool e em mulheres, mas, através da perseverança, fomos observando uma transformação. Ele regressou para casa, começámos a ter mais diálogo e ambos a mudar de

oportunidade Agosto • setembro • outubro 2012

carácter. Fazendo os propósitos de fé e votos com Deus, o meu marido foi liberto dos vícios e eu consegui perdoálo,” comenta Romélia. “Depois de ser liberto dos vícios e de vermos o nosso matrimónio ser restaurado, decidimos lutar para melhorar a nossa situação económica. Perseverando e usando a fé, conseguimos comprar a casa dos nossos sonhos. Com melhores salários, a minha esposa hoje tem o carro que sempre quis. Estou seguro de que se não fosse a ajuda de Deus, não tinha a felicidade que hoje tenho de ter a minha família unida e o meu casamento transformado,” finaliza Rodolfo. Rodolfo e Romélia Alvillar


[Capa]

Pesquisas recentes indicam que o acto de perdoar pode aplacar a tensão, reduzir a pressão sanguínea e diminuir a taxa de batimentos cardíacos.

J

á todos nós fomos vítimas de ofensas e agressões da mais diversa ordem. Depois passamos dias, meses e até anos a remoer a situação. Uma raiva surda começa a minar-nos por dentro. Sentimos desejos de vingança, ressentimento e amargura. O ressentimento corrói a nossa força vital e enfraquecemos ao nível da saúde. É que este estado não traz só um sofrimento emocional, mas acarreta o risco de doenças mentais como a depressão e a ansiedade. É dado como certo que o sistema imunitário se encontra directamente dependente do estado emocional

Perdão, um

gesto que cura...

portanto, face a doses massivas de ansiedade, há o risco real de se desencadearem doenças físicas ou seja, de começarmos a adoecer. Face a todas estas evidências, aceita-se agora que o melhor caminho é mesmo a tentativa de perdoar. Mas, perdoar não é um processo simples, pois não é fácil lidar com o poder da ofensa psíquica. Algumas pessoas mostram-se tão relutantes em perdoar que, inconscientemente, parecem gostar do sofrimento associado ao ódio. Para além disso, o facto de tardarmos a perdoar, implica que nos mantemos presos à recordação e à pessoa que nos fez mal.

COMO PERDOAR? 1. Fazer uma análise profunda e realista acerca daquilo que aconteceu. 2. Identificar a razão do seu sofrimento e tristeza para se libertar definitivamente deles. 3. É necessário desmontar as generalizações e perceber que estão erradas. 4. Criar a capacidade de empatia Talvez seja a tarefa mais difícil, porque implica colocar-se na pele do agressor e entendê-lo. 5. Ser capaz de sentir que se pode perdoar e manter a dignidade.

Agosto • setembro • outubro 2012

a minha

oportunidade

5


[Opinião]

Circulo do ódio

1

O diretor de uma empresa gritou com seu gerente porque estava irritadíssimo. 2 - O gerente, chegando em casa, gritou com a esposa, acusando-a de gastar demais. 3 - A esposa, nervosa, gritou com a empregada, que acabou deixando um prato cair no chão. 4 - A empregada chutou o cachorrinho no qual tropeçara enquanto

limpava os cacos de vidro. 5 - O cachorrinho saiu correndo de casa e mordeu uma senhora que passava pela rua. 6 - Essa senhora foi à farmácia para fazer um curativo e tomar uma vacina. Ela gritou com o farmacêutico porque a vacina doeu ao ser aplicada. 7 - O farmacêutico, ao chegar em casa, gritou com a esposa porque o jantar não estava do seu agrado.

8 - Sua esposa afagou seus cabelos e o beijou, dizendo: Querido! Prometo que amanhã farei seu prato favorito. Você trabalha muito. Está cansado e precisa de uma boa noite de sono. Vou trocar os lençóis da nossa cama por outros limpinhos e cheirosos para que durma tranquilo. Amanhã você vai se sentir melhor. Retirou-se e deixou-o sozinho com seus pensamentos. Neste momento rompeu-se o Círculo do Ódio! Esbarrou na tolerância, na doçura, no perdão e no amor. Se você está no Círculo do Ódio, lembre-se de que ele pode ser quebrado, e VOCÊ tem esse poder! Não mude sua natureza. Se alguém te faz algum mal, apenas tome precauções. Alguns perseguem a felicidade, outros a criam. Preocupe-se mais com sua consciência do que com sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam, é problema deles. Autor desconhecido.


[Informação]

Sentir-se só no meio da multidão

S

egundo o estudo “The Lonely Society?”, realizado por investigadores da Mental Health Foundation, com base num inquérito feito a 2.256 adultos britânicos, o estilo de vida da Sociedade atual tem contribuído para o agravamento da solidão. Realidade para que contribuem também as redes sociais, as quais acabam por prejudicar seriamente as relações pessoais verdadeiras, segundo explicaram os especialistas. Afinal, 1 em cada 5 pessoas reconhece gastar demasiado tempo a comunicar com amigos online, quando o deveria fazer pessoalmente.

causa da saída de casa dos filhos, do divórcio ou da morte do companheiro de vida. [CONSEQUÊNCIAS] Sentir-se só durante muito tempo poderá conduzir a problemas de saúde,

mentar o uso de determinadas substâncias, como álcool e as drogas, ainda segundo o mesmo estudo. Contudo, admitir que se sofre de solidão parece ser muito complicado para a grande maioria das pessoas, já que 1 em cada 3 confessou ter vergonha de o fazer. [NO MEIO DA MULTIDÃO]

[QUEM MAI SOFRE] Esta mesma pesquisa revelou que as mulheres são mais predispostas a sentirem-se solitárias do que os homens, 38 contra 30%, e que estas procuram mais ajuda quando isso acontece, 13 em comparação a 10% dos homens. Já entre os mais atingidos pela solidão estão os idosos, os desempregados, os deficientes e os que se encontram na meia-idade, por

É esta a realidade cada vez mais comum nos dias que correm, seja por causa do alucinante ritmo de vida ou pelo crescente egoísmo da Sociedade moderna.

tais como stress, depressão, doenças cardiovasculares e a nível do sistema imunológico, para além de fazer au-

Todavia, a solidão não implica necessariamente estar fisicamente sozinho, uma vez que, na maior parte das vezes, esta está diretamente relacionada com o sentimento de estar distante dos outros ou de sentir os outros distantes. E, embora este seja um sentimento natural para o ser humano, parece ser um fenómeno crescente e cada vez mais preocupante na nossa Sociedade. Revelando também o estudo britânico que 1 em cada 3 pessoas gostaria de morar mais perto da sua família e de viver em cidades mais pequenas. Afinal, a superpopulação nas cidades acaba por fazer com que as pessoas venham a criar uma espécie de proteção, a fim de preservarem a sua própria identidade, o que acaba, muitas vezes, por conduzir ao isolamento.

Agosto • setembro • outubro 2012

a minha

oportunidade

7


[Família]

à beira da separação Maria, à semelhança dos seus pais, também teve uma história familiar conturbada. À beira da separação e com duas filhas, sentia-se à beira do precipício.

Q

uando era pequena e após o divórcio dos seus pais, foi viver com o seu pai e a madrasta. “Ao longo da minha infância, o meu pai sempre me deu tudo que eu queria, materialmente falando, nunca perdi nada. Mas, quando cheguei à adolescência, aos 15 anos, tudo mudou e os problemas começaram. O carácter do meu pai transformou-se e sentiame muito mal em casa. Foi então que conheci o meu companheiro e junteime, embora o meu pai não tivesse gostado da decisão que tomámos. Um dia, tive a oportunidade de emigrar e deixei para trás o meu parceiro e a minha filha. Estive um ano sozinha, até que o meu marido pudesse ir também, mas as coisas já não estavam bem entre nós. O tempo de separação tinha afetado a nossa relação e, além disso, ele não conseguia encontrar trabalho e não suportava depender apenas do meu salário. A nossa relação degradouse, por causa dos problemas finan-

8

a minha

ceiros e o desejo que o meu marido tinha de regressar fez com que pensássemos na separação. Ficámos assim um ano, até que ele arranjou emprego e a nossa situação financeira melhorou um pouco. Demorou cinco anos até que pudéssemos trazer a nossa filha, mas descobri que estava novamente grávida e, por isso, perdi o emprego.” HARMONIA FAMILIAR “A nossa relação não estava bem, mas já nos tínhamos acostumado, a situação económica continuava má, mas agora tínhamos duas filhas... estávamos no fundo do poço! Um dia, ao passear com a minha filha, senti um desespero imenso, tudo corria mal. Então, encon-

oportunidade Agosto • setembro • outubro 2012

trei uma vizinha a quem nunca tinha dito mais do que um “olá”, mas pedi-lhe ajuda, dizendo: “Ajuda-me, porque não aguento mais, não sei o que fazer.” Ela disse saber onde existia uma solução e convidou-me para ir ao Centro de Ajuda. Comecei a participar nas reuniões. Não foi fácil, mas... perseverámos. A partir daí, o meu marido e eu começámos a compartilhar tudo: tarefas de casa, a responsabilidade das filhas... e aprendemos o que era a união. Tivemos que começar do zero e, aos poucos, a nossa situação económica foi-se estabilizando. Hoje, estamos felizes com as meninas que temos e, atualmente, a nossa relação é boa, estamos unidos e somos felizes.”


[Eu era assim]

Tinha

ódio

de mim mesma! Com o pai alcoólatra e a mãe com uma doença incurável, Helena não tinha nenhum motivo para gostar de si mesma e muito menos da vida em que nasceu.

“T

riste, irritada e sem qualquer tipo de autoestima... em poucas palavras Helena descreve bem o que pensava de si mesma. Tinha 13 anos de idade e nenhuma espécie de apoio familiar, já que o seu pai dependia do álcool para suportar a rotina diária e a sua mãe, por seu lado, padecia de uma doença incurável. Esta era a receita para o fracasso que já estava instalado na sua vida e de maneira nenhuma a queria abandonar. Por ver a sua família destruída e sem possibilidade de reabilitação, Helena encontrava-se num estado depressivo, sem aparente recuperação. Todavia, foi

10

oportunidade Fevereiro 2011 a minha

DEPRESSIVA Com um ambiente familíar horrivel, Helena odiava-se e não via no futuro nada de positivo.

quando procurava o trilho da solução, que a jovem conheceu o Centro de Ajuda. portas que se abriram “Sofria com depressão, odiava a minha vida e a mim mesma. Porém, três anos depois de ter passado pelas portas do Centro de Ajuda, ainda não tinha visto a mudança de vida pretendida. Porém, eu sabia qual o motivo, eu não me tinha comprometido e não compreendia a real importância de manter um verdadeiro compromisso. Foi aí que começou a minha verdadeira busca, pois, desta vez, estava realmente comprometida.

Afastei-me das más companhias e parei de mentir. Recordo-me de me levantar às 3 horas da madrugada para perseguir os meus objetivos, através da oração. Num domingo pela manhã, senti uma alegria imensa, mas pensei comigo mesma: “Agora vou observar as minhas reações!”. Dali em diante, seria a minha vida que confirmaria o que acontecera naquela manhã. Semana após semana, comecei a tornar-me uma pessoa diferente. Sentia uma alegria diária, era forte na minha crença e seguir as orientações bíblicas passou a ser um prazer. A depressão finalmente teve um fim e nunca mais me senti só!”


[Força Jovem] “Aos 16 anos roubava na rua e batia na minha mãe”

M

arlene era totalmente desequilibrada, pois, aos 16 anos envolveu-se com más companhias e passou a fazer parte de um gang, sendo uma das cabecilhas. “Gostávamos de roubar e de agredir, entrando em conflito com outros gangs. Em casa chegava a roubar e a agredir a minha mãe. Inclusive, pensei mesmo em desistir da escola, pois não tinha quaisquer objetivos na vida. Já a nível sentimental, envolvi-me com várias pessoas, mas nunca era feliz.. Cheguei ao ponto de pesquisar na Internet sobre como fazer um pacto com o diabo. Decidi abandonar as más companhias a partir do momento em que decidi mudar de vida, através das orientações recebidas no Centro de Ajuda. Hoje, sou uma nova pessoa! Estou a acabar o 12º ano na área de técnica de gestão e vou para a faculdade tirar o curso de Gestão de Empresas. Atualmente, eu e a minha mãe somos muito amigas, tenho paz, alegria e amigos, pois pertenço à ‘Força Jovem Europa’, onde posso ajudar outros jovens!

Ser Jovem é nunca deixar de Sonhar! CULTURA, DESPORTO, EDUCAÇÃO, MÚSICA E LAZER TÊM SIDO E SERÃO AS PRINCIPAIS ATIVIDADES!

“Era tímido e anti-social”

“E

ra um jovem revoltado, fechado, tímido e antisocial, muito nervoso, e tudo isso impedia-me de me relacionar normalmente com outros jovens. Era triste e infeliz e hoje, quando olho para trás, posso ver que estava muito perto de me tornar um jovem depressivo. Até que, um dia, tive conhecimento do trabalho desenvolvido pela Força Jovem Europa. Aqui aprendi a ser corajoso, a não desistir dos meus sonhos mas a lutar por eles. Aquele rapaz nervoso, tímido e anti-social não existe mais. Hoje, sou feliz, tenho uma alegria que não é passageira, mas que está sempre comigo. Faço desportos como futebol, ténis, patins em linha, sou outra pessoa, pois tenho prazer de viver!” Leandro dos Santos.

VEM CONHECER OS NOSSOS PROJETOS E MUITOS OUTROS JOVENS IGUAIS A TI! AOs domingos às 16h30 Rue de Geneve 96 -1226 thônex INFORMA-TE EM: Forcejeune.ch Março 2011

11 oportunia minha


[Saúde] motivos para parar de

fumar agora!

O

cigarro exerce, de facto, uma atracção que atende pelo nome de nicotina, a substância viciante que atenua o stress e a ansiedade. Mas ele ainda é composto por mais de 4.700 substâncias tóxicas que causam danos em quase todas as partes do corpo. Cerca de 50 componentes provocam alteração na estrutura genética das células, contribuindo para a ocorrência de diferentes tipos de cancro.

Respire melhor A doença pulmonar obstrutiva crónica, a n t i gamente conhecida como enfisema pulmonar, provoca o estreitamento das vias respiratórias, dificultando a renovação do oxigénio. Os seus principais sintomas são tosse, produção de catarro e falta de ar. Em 90% dos diagnósticos, o cancro do pulmão está associado ao fumo.

Soco no estômago A nicotina contribui para aumentar a produção de ácido clorídrico, o que favorece a ocorrência de gastrite e úlcera. Os fumadores também sofrem com mais frequência da doença de refluxo gastroesofágico, que faz a pessoa sentir um líquido azedo a subir pela garganta.

Bate-coração A nicotina e o monóxido de carbono levam à descamação do endotélio, membrana que reveste os vasos sanguíneos, facilitando o depósito de gorduras. Com os vasos obstruidos, pode ocorrer o enfarte.

Velha-jovem As rugas nos fumadores aparecem 20 anos antes do que nos não fumadores. Os danos do cigarro à pele são piores que os dos raios solares. A nicotina age nas camadas profundas da pele, inibe a produção de substâncias vasodilatadoras e diminui, por consequência, o calibre dos vasos sanguíneos. Isso afecta a circulação, impede que o oxigénio e os nutrientes cheguem na quantidade devida às células, gerando rugas acentuadas.

Segundo uma pesquisa da Universidade de Oslo, a combinação monóxido de carbono mais nicotina, pode antecipar a menopausa. A primeira substância reduz o volume de oxigénio no corpo, o que determina uma queda na produção da hormona estrogénio até ao seu fim. Já a nicotina faz com que o corpo gaste mais rápido essa mesma hormona. Quem fuma também diminui a sua taxa de fertilidade em 40% as substâncias nocivas da fórmula do cigarro interferem na ovulação.

12

a minha

oportunidade Agosto • setembro • outubro 2012

FATO

Terreno infértil

Os jovens entre 15 e 24 anos são o alvo preferencial da indústria do tabaco. Um estudo comprovou que quem tem menos de 30 anos começa a fumar, em média, aos 17.


[Relato]

Ver a morte de perto Aos 8 anos de idade experimentou o primeiro cigarro de marijuana e, aos 10, a primeira cerveja. Para Manuel, isso era normal e bastante positivo.

“D

evido aos vícios do meu padrasto, passámos fome e necessidades. Nunca tive o carinho de um pai, por isso, cresci rebelde, ao ponto de querer matar o meu padrasto. Procurei o amor que tanto necessitava nas ruas, junto dos chamados ‘amigos’. Passei a ser membro de uma quadrilha e envolvi-me com drogas, álcool, mulheres, chegando a roubar para manter os vícios. Aos 16 anos comecei a vender drogas para sustentar o meu vício, já que não conseguia manter um emprego. Estive preso 2 vezes por causa das drogas e estive em centros de reabilitação tantas vezes que até perdi a conta. Da segunda vez que fui preso, jurei que, ao sair, iria mudar a minha vida. Conheci a minha esposa e prometi-lhe que nunca a faria sofrer, mas, pouco tempo depois, ela ficou grávida e comecei a beber, a sair com os supostos amigos e, uma vez mais, voltei

Passei a ser membro de uma quadrilha e envolvi-me com drogas, álcool, mulheres, chegando a roubar para manter os vícios” às drogas. Já estava tão cansado que desejava morrer com uma overdose. Um dia, a minha esposa viu o programa “Pare de Sofrer” e decidiu participar nas reuniões de libertação, lutar por mim e salvar o nosso casamento. Acompanhei-a, mas não dava muito valor.

Revira volta Da terceira vez que fiquei preso os advogados disseram que iria ficar muito tempo preso. Sem esperança, então, lembrei-me do que tinha escutado nas reuniões de libertação no Centro de

Ajuda. No dia em que fui ao tribunal, saí um homem livre, e foi, então, que me dei conta que Deus estava a operar na minha vida. Hoje, sou uma nova pessoa, deixei o passado para trás, não tenho vícios, pois Deus libertou-me de todos eles! Também conquistámos casa, carros, negócios que antes dificilmente conquistaríamos, ainda que tendo o dinheiro para fazê-lo. O meu casamento foi restaurado e agora sou plenamente feliz ao lado da minha esposa e das minhas filhas.” Manuel e Roxana Medina

Se as coisas não estão a correr como deveriam dentro do SEU LAR… Se a sua família tem uma importância significativa para si, mas a sua vida, assim como a dos seus familiares tem sido atingida por um destes problemas, marque com um (X) o que tem sido o motivo da sua angústia: Infidelidade Falta de amor Não tem sorte no amor Desunião na família Sente uma carga negativa

É sempre traído por amigos e familiares Sente que algo de mal vai-lhe acontecer Sente que há um impedimento nos seus caminhos Passa pelos mesmos problemas que um familiar falecido passou

Entregue este formulário no Centro de Ajuda e receba, gratuitamente, um atendimento espiritual. Setembro2012 2010 Agosto • setembro • outubro

aa minha minha

oportunidade

13 13


[Terapia do Amor]

Superar as desilusões. S uperar um trauma não é uma tarefa fácil; requer muita força de vontade. Os sofrimentos vividos em relacionamentos passados podem influenciar negativamente na busca por uma nova relação amorosa. Algumas pessoas conseguem superar e conquistam uma vida feliz; outras ficam presas ao passado e, por mais que tentem esquecer, ele sempre vem à tona. Como apagar essa marca? O ideal a fazer é organizar pensamentos e sentimentos, lutar para que isso aconteça e dar a si mesmo uma opor tunidade. A terapia do amor é um excelente começo para quem deseja superar as desilusões amorosas. O papel da Terapia A Terapia pretende curar os milhões de corações despedaçados que vagueiam pelo Mundo. Através de mensagens de incentivo, orientações praticas e realistas sobre a vida sentimental, oferecendo assim

a possibilidade de voltar acreditar e conquistar uma relação sólida e duradoura. Por esse motivo, milhares, no Mundo inteiro, têm-se reconciliado ou encontrado o amor, deixando para traz todas as desilusões que os impediam de serem felizes. Se ainda assim, você achar que investir na sua relação sentimental não seria a prioridade neste momento, então por favor medite no

que diz esse versículo: “Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará? Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão...” (Eclesiastes 4.9-12).


[Pensamento]

“A nossa persistência revela a dimensão dos nossos objectivos” Bjf

Crise & Oportunidade U

m homem vivia à beira da estrada e vendia cachorros-quentes. Não tinha rádio e, por deficiência de visão, não podia ler jornais. Em compensação, vendia bons cachorros-quentes. Colocou um cartaz à beira da estrada, anunciando a mercadoria, e ficou por ali a gritar quando alguém passava: “Olha o cachorro-quente especial!”. E as pessoas compravam. Com isso, aumentou os pedidos de pão e salsicha, e acabou por construir uma mercearia. Então, ao telefonar para o filho, que morava noutra cidade, e ao contar as novidades, o filho disse: - Pai, o senhor não tem ouvido a rádio? Não tem lido os jornais? Há uma crise muito séria e a situação internacional é crítica! Diante disso, o pai pensou: - O meu filho estuda na universidade! Ouve a rádio e lê os jornais… portan-

to, deve saber o que está a dizer! Então, reduziu os pedidos de pão e salsichas, tirou o car taz da beira da estrada, e não ficou por ali a apregoar os seus cachorros-quentes. As vendas caíram do dia para a noite e

ele disse ao filho: - Tinhas razão meu filho, a crise é muito séria!. Saiba mais nas reuniões de Segunda-feira às 10h00, 15h00 e em espécial às 20h00

Agosto • setembro • outubro 2012

a minha

oportunidade

15


Agenda semanal do CdAE de segunda à sexta-feira às 10h, 15h e 20h

Os dias e horários de cultos refere-se ao CdAE de Genève, para as demais cidades, informe-se com o CdAE mais próximo de si.

Segunda: Em favor da vida profissional e financeira Sucesso e desenvolvimento da sua empresa, casos na justiça, dívidas, desemprego, imigração... Terça: Reabilitação física Doenças, dores, problemas de saúde constante...

Sábado - 19h30: Terapia e Orientação pela vida sentimental. Orientações para casais, solteiros, ou qualquer que seja sua situação sentimental...

Quarta: Edificação espiritual Desenvolva a sua vida espiritual através da leitura da Palavra de Deus.

Quinta: Família e Casamento Orientação para as relações e conflitos familiares... Domingo: Encontro das famílias 8h00 (português) e 10h00 (francês)

Sexta: Quebre as correntes invisíveis Má sorte, negativismo, Insônia, pesadelos, inveja...

16h30 - Grupo de jovens aa minha minha 18HMaio Reunião deoportuni servos AGOSTO /-SETEMBRO ddade | junho 2011 2011 oportuni ade

16 16

minha oportunidade Agosto 2012  

Nova revista do Centro de Ajuda Espiritual

Advertisement