Page 1

9912276723/2011

Ano 2 • Edição 7 • Setembro de 2011

Novas Seções

trazem alternativas para você viver com mais qualidade CAPA Atitudes simples, como ter animais de estimação ajudam no tratamento e prevenção da doença

Mente Saudável 1

Números da Organização Mundial de Saúde mostram que a depressão aumenta a cada ano. Saiba mais sobre a doença que atinge 17 milhões de pessoas só no Brasil

22

AnS - nº 413534 Revista trimestral. Exemplar de beneficiário. Venda proibida.

informativo Cassems é a 4ª maior empresa do Estado, segundo revista Exame 28 Cassems lança em outubro o ônibus da saúde 30 Entrevista O Diretor de Unidades Hospitalares da Cassems, Flávio Stival, fala sobre a consolidação da rede própria 36


2

Seção SEÇÃO


Parabéns Servidor Editorial

Com dez anos no mercado, a Cassems é uma empresa consagrada que busca a excelência da assistência à saúde de 170 mil vidas

N

este mês comemoramos o Dia do Servidor Público e a Cassems tem o maior orgulho de celebrar essa data junto com vocês. Aproveitamos para agradecer a confiança depositada em nós e, sobretudo, pela credibilidade que nos deram há 10 anos. Foi essa força que tornou a Caixa dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul o que ela é hoje, um plano de saúde estruturado e reconhecido nacionalmente. Em comemoração a essa data, lançamos a nova revista da Cassems. Após um pequeno recesso, ela está de volta com visual renovado e conteúdo ainda mais próximo do leitor. Essa mudança aconteceu porque o perfil da Cassems também mudou. Hoje, somos uma empresa consagrada, que busca a qualidade na assistência à saúde de 170 mil vidas. Pensando nisso, o nome da revista também mudou e agora se chama Viver Cassems. Essa escolha fundamenta-se naquele mesmo sonho do início da Cassems, fazer com que a vida do servidor público estadual seja ainda melhor. Com este objetivo, pensamos em cada momento do dia de nossos leitores e, assim, escolhemos a dedo as alternativas para que você tenha garantia em saúde, seja em seu casa, no trabalho ou nas tão sonhadas férias. Espero que aproveitem bem a primeira edição da mais nova revista de saúde do Estado, Viver Cassems, e nos mande opiniões e sugestões sobre este trabalho no e-mail revista@vivercassems.com. br. Conto com a participação de cada um de vocês para dar continuidade ao nosso sonho, e você também pode contar comigo. Parabéns pelo seu dia!

"Espero que aproveitem bem a primeira edição da mais nova revista de saúde do estado, Viver Cassems, e nos mande opiniões e sugestões sobre este trabalho"

Ricardo Ayache Presidente da CASSEMS

Leitor

A seção Leitor é um espaço para o diálogo entre a equipe da revista Viver Cassems, beneficiários e leitores. Para esclarecer dúvidas, fazer elogios ou reclamações, mande e-mail para revista@ vivercassems.com.br ou fale com Ricardo Ayache em ricardoayacheresponde@ gmail.com

“Escrevo em nome de meu marido Altair Alves de Sousa. Gostaria de agradecer por tudo que vocês fizeram pelo meu esposo. Quando penso que tudo poderia ter sido mais difícil do que está sendo, meu coração se enche de alegria em saber que temos a Cassems. A todas as pessoas que tiveram o desprendimento em ajudar, meu muito obrigado” Mirian Correia da Silva

“Quero externar os mais sinceros agradecimentos à Cassems que me ofereceu as melhores condições de tratamento nesse momento de extrema necessidade e dor, do qual muito me orgulhei por ter dado verdadeiras condições humanas para que meu pai pudesse fazer sua passagem com muita dignidade e respeito. Obrigada por toda essa assistência e os meus efusivos votos de muito sucesso a essa entidade.” Vânia Vasconcellos Aurieme


Índice

Capa Dados da organização Mundial de Saúde mostram que a depressão vêm aumentando a cada ano. Saiba mais sobre a doença que atinge 17 milhões de pessoas só no Brasil 22

Intimidade

Dicas simples para você aumentar o bem-estar no cômodo mais pessoal da casa. 16

Nesta Edição Em Movimento Um ganho na qualidade de vida com exercícios de poucos minutos 06

Sempre na Viver Cassems Saúde Cassems

Bem-estar Dicas para você manter corpo e mente saudáveis 08

A importância do cavalo na vida do ser-humano 26

Sabores da Mesa Além de saudável e saboroso, pescado nas refeições previne várias doenças no organismo 10

Cassems é a 4ª maior empresa do Estado, segundo revista Exame 28

Simples Assim Conheça produtos que têm poder de limpeza e garantem boa economia na hora da faxina 12 Vida Sustentável Iniciativas favorecem o uso consciente das sacolas plásticas 16 Viagem Na região de Caldas Novas, resort garante relaxamento, diversão e contato com a natureza 18

Informativo

Entrevista

Flávio Stival, diretor de unidades hospitalares da Cassems, fala sobre a consolidação da rede própia 36

Eventos

Inauguradas novas alas no hospital próprio de Ponta Porã 40

Orgulho Cassems

Paulo Batista, do Radinho e da Cassems 48


Em Movimento 8 08

1 Em casa ou no trabalho

Ao acordar, a espreguiçada na cama após horas do corpo em repouso ativa os músculos e aumenta a disposição para começar o dia. Estique o corpo por, no máximo, 20 segundos. Mais do que isso o músculo passa a contrair, em vez de relaxar.

1 Quem passa o dia sentado em

Viva Melhor:

Faça alongamento sempre devagar. Ele deixa o corpo livre para movimentos e provoca sensação de bem-estar.

Alongue-se

frente ao computador tem a tendência de ir se fechando como uma concha. Para evitar a má postura, é preciso se alongar de duas em duas horas.

2 A dona de casa pode se alongar antes das tarefas domésticas para evitar dores na região lombar. 3 Para melhorar a respiração durante o sono, alongue o tronco antes de dormir. Ouvindo uma música tranquila de fundo o efeito é potencializado. Faça 3 repetições para cada lado do corpo.

Um ganho na qualidade de vida com exercícios de poucos minutos Texto Cidiana Pellegrin

Eles ajudam a prevenir dores e lesões no corpo, dão flexibilidade, melhoram a postura, a respiração e o ânimo para a rotina diária. Alongar-se é fácil e também necessário para que os músculos não fiquem curtos e enrijecidos. Com a prática diária, é possível alcançar todos esses benefícios. O alongamento pode ser feito a qualquer hora e por todas as faixas etárias, mas com intensidades e formas adequadas às necessidades pessoais. Aliado a respiração lenta e contínua, o movimento provoca imensa sensação de bem-estar e relaxamento. Se você tem problemas crônicos como desvio na coluna, é preciso seguir orientações de um médico ou fisioterapeuta para evitar danos. Quem está saudável e nunca sofreu lesão também deve ficar atento às limitações do corpo, pois esse exercício não é sinônimo de dor. O músculo não precisa chegar ao máximo, se doer, é sinal de que esticou demais.

2

3


Bem-estar 010 10

ASTRAL EM DIA Geralmente usados para aromatizar e purificar os ambientes, os incensos ainda têm poder de energizar, relaxar ou até estimular a meditação, se estiverem em espaços ventilados. Cada tipo contribui de uma maneira com seu astral. Se você está precisando de ânimo, o indicado é experimentar o de canela. Para combater ansiedade e tristeza, utilize os cítricos, como o de laranja. Se a intenção é acalmar, aliviar dores e tranquilizar a mente, acenda o de benjoim, lavanda ou lírio.

HIDRATAÇÃO As mãos estão sempre expostas ao sol, em contato com a química dos produtos de limpeza e o cloro da água, o que deixa a pele dessa região ressecada. A Avon desenvolveu o creme protetor Avon Care Silicone para solucionar esse problema. O produto garante uma sensação sedosa e aveludada, além de proporcionar hidratação profunda. Mesmo após a lavagem das mãos com água e sabão o creme continua na pele. Por R$ 9,00 (90 g)

Receita de hidratante caseiro:

Para deixar a pele macia e hidratada, esquente uma colher (chá) de mel natural, adicione duas de óleo de amêndoas, misture e desligue o fogo. Acrescente quatro colheres (chá) de água de rosas, uma de vinagre de maçã e mexa até esfriar. Após o processo, guarde a mistura em recipiente de vidro e aplique todos os dias nas mãos e unhas.

Viva Melhor:

Utilizando recipientes transparentes você cria um belíssimo visual e desperta o paladar.

PARA REFRESCAR A chegada da primavera não traz mudanças apenas no clima, mas, também, em nossos hábitos. Preferimos roupas leves, alimentos frescos e naturais, além de muito líquido para enfrentar os dias quentes. Para tornar a hidratação mais atrativa, que tal dar um pouco de sabor à água A receita é simples: em uma jarra com água adicione ervas com talo ou pedaços de frutas com casca e repouse o líquido por, no máximo, doze horas. Para cada litro você pode usar os complementos de sua preferência ou aderir às seguintes sugestões (usadas separadamente): 2 aspirais de casca de laranja, 3 maçãs verdes fatiadas, 1 maço de hortelã, 1 bastão de canela. Outra alternativa é ferver 1 litro de água com pedaços da casca de um abacaxi e coar.


Sabores da Mesa 12

Peixe no cardápio Além de saudável e saboroso, pescado nas refeições previne várias doenças no organismo Texto Cidiana Pellegrin

Ele é tão rico em proteínas quanto a carne bovina, mas pouco consumido pelos brasileiros. O pescado possui baixo teor de gordura e tem grande quantidade de minerais e vitaminas que são importantes para uma alimentação saudável e o fortalecimento do sistema imunológico. Várias pesquisas já constataram os benefícios desse alimento milenar. Entre as mais recentes, um estudo da Universidade Americana Northwestern comprovou que consumir postas e filés de peixe com frequência contribui para acabar com inflamações nas artérias e evitar o aumento da pressão. Entre os componentes mais famosos presentes no peixe está o ômega 3, um aliado e tanto do coração, que atua na prevenção de tromboses, inflamações e aumento de triglicérides. A gordura do bem, existente principalmente em peixes de águas frias como a sardinha, o atum e o salmão, melhora ainda a concentração, a memória e as habilidades motoras, além de ajudar na redução do estresse e prevenção de doenças degenerativas cerebrais. Mas, para manter todas as propriedades do pescado, é preciso se lembrar de comprá-lo fresco, e prepará-lo como grelhado, assado ou ensopado. Empanar ou fritar não é recomendado devido à gordura.

Viva Melhor:

Para garantir o bom colesterol, consuma peixe fresco, no mínimo, duas vezes por semana. De preferência sardinha ou salmão.

Tome nota

Na hora de comprar o peixe fresco, avalie se a carne está firme, rosada e com escamas aderidas à pele. Os olhos do peixe têm de estar salientes e brilhantes e o odor deve ser característico, não muito forte.

Curiosidades

A carcaça do peixe é rica em cálcio e fósforo de boa biodisponibilidade, ou seja, facilmente aproveitados pelo organismo. Cada brasileiro consome, em média, menos de 7 quilos de peixe por ano. A quantidade mínima recomendada pela Organização Mundial de Saúde são 12 quilos. Espécies de origem marinha possuem maior quantidade de ácidos graxos ômega 3 do que as de água doce. Porém, esses apresentam propriedades que colaboram na renovação dos tecidos e na proteção do sistema cardiovascular.


Simples Assim 14

Óleo de cozinha

Óleos como os de soja, oliva, girassol e canola servem para dar brilho em janelas ou esquadrias de alumínio. Uma vez por mês, misture óleo de cozinha e o álcool em partes iguais e passe a mistura em um tecido macio no momento de polir.

Vinagre de álcool branco

Limpeza caseira

Conheça produtos que têm poder de limpeza e garantem boa economia na hora da faxina Texto Cidiana Pellegrin A indústria de produtos de limpeza está sempre inventando uma novidade para mandar a sujeira para o ralo, sem muito esforço para quem cumpre os serviços do lar. Existem inúmeras opções na prateleira do supermercado, que vão do desinfetante ao limpa piso, passando pelo desengordurante, ceras para lustrar, limpa-vidro, limpa carpete e por aí seguem... Mas será que tudo isso é necessário para deixar a casa tinindo? Além de caros, muitos produtos industrializados podem causar irritação nas mucosas, fadiga e falta de ar, principalmente, para quem sofre com alergias respiratórias. Se você é fã daqueles vendidos na porta de casa, fique atento! A chance de eles terem sido fabricados fora dos padrões sanitários é grande, o que representa risco para sua saúde e danos ao meio ambiente. Para quem busca distância desses problemas e deseja economizar na hora da faxina, vale utilizar alguns itens que fizeram sucesso no tempo da vovó: bicarbonato de sódio, limão, vinagre branco de álcool e óleo de cozinha são aliados na limpeza e livram a casa da química.

O vinagre atua como desinfetante e limpador multiuso. No banheiro e cozinha, dilua 2 colheres (sopa) em 1 litro de água e use a solução para retirar sujeira e limo. O mesmo vale para tapetes e carpetes. No vaso, despeje vinagre e deixe-o agir por trinta minutos. Passado o tempo, salpique bicarbonato de sódio em uma escova apropriada e esfregue. Cheiro de urina e fezes de animais de estimação pode sumir se for aplicada ao ambiente uma solução de dois terços de água morna e um terço de vinagre branco.

Limão

A acidez do limão age como a água sanitária e retira a sujeira, manchas de ferrugem e amarelado das roupas brancas. Para alvejar tecidos, mantenha-os de molho em água com pedaços de limão. Se quiser limpar a ferrugem de objetos de metal, esfregue suco de limão com uma palha de aço.

Viva Melhor:

Itens que você tem na despensa podem ajudar na limpeza da casa. O vinagre branco, por exemplo, é grande aliado na faxina. Sua acidez combate mofo, gordura e mau cheiro

Bicarbonato de sódio

É ótimo para absorver odores e pode ser usado no lugar da água sanitária e do detergente. Para retirar a gordura que frequentemente entope o ralo, jogue 1/2 xícara de bicarbonato, seguido de 1 xícara de vinagre. Aguarde a espuma da reação química diminuir e enxágue com água quente. Se quiser eliminar o cheiro desagradável na geladeira, coloque um recipiente aberto com bicarbonato de sódio em uma das prateleiras.


Vida Sustentável 16

A vilã disfarçada

Em todo o mundo são produzidas cerca de 500 bilhões de sacolas por ano, isso corresponde a 10% de todo o lixo acumulado Texto Dayane Reis Elas estão ao alcance das mãos em supermercados, farmácias e lojas. Mas você já parou para pensar em quantas sacolas plásticas utiliza por dia? Agora tente fazer os cálculos de quanto isso somará no final de um ano. Calcula-se que 14 bilhões de sacolinhas sejam distribuídas nos estabelecimentos comerciais do país a cada ano para, então, serem descartadas pelos fregueses e se transformarem em um dos mais danosos elementos da poluição ambiental. Hoje, em todo o mundo, são produzidas cerca de 500 bilhões de sacolas por ano, ou seja, 10% de todo o lixo é formado por sacolas plásticas. A maior preocupação desse excesso de consumo é que, como elas são feitas de um material derivado do petróleo, portanto, não biodegradável, chegam a permanecer no meio ambiente por até 400 anos. No Brasil são distribuídas, em média, 66 sacolas de plástico por mês para cada brasileiro. Mas essa realidade só pode mudar se a população se conscientizar do seu papel social. Além de poluente, o plástico pode causar outros impactos ambientais, como entupir bueiros, poluir rios e mares, ser ingerido por animais que acabam sufocando. Além do mais, o plástico também é um meio propagador da dengue, pois acumula água em terrenos baldios onde proliferam os mosquitos. Apesar de as discussões no país terem começado apenas em 2007, mais de 30 municípios brasileiros já adotaram políticas de redução e aumentaram as campanhas sobre o assunto. Por exemplo, ano passado foi criada a Lei de Política Nacional de Resíduos Sólidos que, entre outras medidas, obriga as prefeituras a estruturarem a coleta seletiva em seus municípios num prazo máximo de quatro anos.

Em Campo Grande

As mobilizações contra o uso do plástico têm sido bem recebidas em todo o Brasil e em Campo Grande não é diferente. Desde 2009, um grupo de amigos resolveu se juntar e trabalhar a favor do uso consciente do plástico. Pela rede social Twitter, o grupo, composto pela publicitária Evaldinete Reis (@valreiss), o contador Cássio José (@Cassio_Jose), a jornalista Liziane Berrocal (@berrocalcosta) e o empresário Geraldo Thomas (@GeraldoMTomas), organiza o Dia Sem Sacola que, somente na segunda edição, arrecadou mais de 30 mil metros de plástico. Segundo a publicitária Evaldinete Reis, o Dia Sem Sacola é organizado periodicamente no centro de Campo Grande e troca 20 sacolas de plástico por uma sacola de pano. “Somente no último evento, distribuímos três mil sacolas retornáveis, mas como o evento é realizado sem fins lucrativos, precisamos sempre de apoio para que ele volte a acontecer”, afirma a publicitária. No fim do dia, as sacolas são enviadas para reciclagem.


Saúde em Casa 18

Seu cantinho mais saudável

Organização A bagunça criativa é até válida, mas excessos comprometem a boa circulação. O fundamental é ter um lugar para cada coisa. Os armários devem tornar mais fácil a tarefa de guardar seus pertences, reduzindo a confusão.

Viva Melhor:

É importante sacudir todos os lençóis e esticá-los com capricho. Assim você reduz a chance de ácaros no ambiente.

Intimidade

Dicas simples para você aumentar o bemestar no cômodo mais pessoal da casa Texto Cidiana Pellegrin

Mais que um dormitório, o quarto é um ambiente que guarda nossos segredos, lembranças e emoções, se tornando uma espécie de confessionário pessoal. O cômodo que integra a área íntima da casa também é sinônimo de acolhimento, tranquilidade e descanso. Em nome do conforto tão exigido nos dias atuais, ele incorporou equipamentos tecnológicos de entretenimento, iluminação e climatização. Mas há quem prefira manter o espírito de aconchego do passado, onde a cama é o alvo de bem-estar. Independentemente dos estilos de decoração que compõem esse espaço particular, uma afirmação é certa: ele carrega características de nossa personalidade. No interior desse universo, a combinação de móveis, objetos e pintura das paredes é a essência do processo decorativo. Mas nada adianta investir para melhorar o visual do ambiente, se o quarto anda bagunçado ou esquecido no quesito limpeza. Com algumas especificações, é possível manter individualidade, valorizar o bem-estar e preservar a saúde.

Plantas Como liberam gás carbônico à noite, não são indicadas para dormirem no quarto. Cama Sua posição deve ser o primeiro critério na distribuição dos móveis pelo quarto. A cama deve ter privacidade em relação à porta de entrada e ter um espaço de circulação agradável ao seu redor. Cores Devem ser harmônicas e proporcionar bem-estar, caso contrário podem trazer inquietação. Luz A luz natural deve ser abundante. O calor do sol auxilia a eliminar ácaros e bactérias, por isso, é indicado que se posicione a cama onde o sol a alcance. Criado-mudo Coloque nele somente o livro do momento e um abajur. Muitos objetos empilhados acumulam poeira, o que é prejudicial à saúde. Poeira Cortinas e tapetes devem ser constantemente lavados ou aspirados. Ao acordar abra as janelas para arejar o quarto e espere um tempo para arrumar a cama.


Viagem 20

Um desfrute de águas Na região de Caldas Novas, berço das piscinas naturais de águas quentes no Brasil, resort garante relaxamento, diversão e contato com a natureza Texto Cidiana Pellegrin

No interior de Goiás, a 27 quilômetros de Caldas Novas, está localizado o município turístico de Rio Quente, famoso pelas fontes termais. Em meio ao cerrado e às paisagens de águas correntes incrivelmente quentes, encontrase o Rio Quente Resorts, um complexo formado por sete hotéis, dois parques aquáticos - Parque das Fontes e o Hot Park - e uma praia artificial com ondas de até 1,20 m. Com uma estrutura integrada às belezas naturais da região, os hóspedes podem aproveitar as fantásticas piscinas cristalinas, cuja água é totalmente renovada a cada 20 minutos. Além disso, é possível se divertir com a turma na sala de games, usar academia, spa, quadras de futebol, restaurantes, bares e conferir uma extensa programação de shows noturnos, eventos e festivais temáticos.


21

Programações voltadas para o público infantil também não faltam. Uma equipe especializada coordena várias atividades lúdicas, ecológicas e esportivas para crianças de 5 a 12 anos. No período noturno, shows e números circenses no Toldo do Bosque distraem os pequenos. São atrações que acontecem 24 horas por dia e tornam o Rio Quente Resorts um cenário convidativo ao descanso e ao entretenimento, que agrada a todas as idades. Informações: www.rioquenteresorts.com.br Reservas: (11) 3512-4830


Capa 24

Mente Saudável Dados da Organização Mundial de Saúde mostram que a depressão aumenta a cada ano. Saiba mais sobre a doença que atinge 17 milhões de pessoas só no Brasil Texto Gustavo de Deus


25

Falar de depressão nos dias atuais é uma tarefa difícil. Várias teorias diferentes, e, às vezes, contraditórias procuram explicar esse mal. Talvez o único consenso seja de que ela está se tornando cada vez mais frequente , não importando a cultura, credo ou classe social, sendo conhecida como o “Mal do Século XXI”. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que os doentes de depressão vêm aumentando a cada ano em todo o mundo. Segundo o último levantamento da OMS, a depressão é apontada como a quarta maior questão de saúde pública, e até 2020 será a segunda. São quase

340 milhões de depressivos no mundo, 17 milhões só no Brasil. Devido à doença, 850 mil suicidam-se por ano em todo o mundo. Outro dado alarmante mostra que 75% dos doentes de depressão não recebem tratamento adequado. Para o psicólogo Cláudio Novaes, existem estudos amplos e diversificados que tentam explicar o número significativo de casos de depressão. Esses estudos abordam aspectos psicológicos, ambientais e bioquímicos. Mas ainda não existe um consenso sobre o que realmente causa a depressão. Porém, para o psicólogo, a competitividade cada vez maior,

a violência e a superpopulação têm grande influência. “O depressivo é, via de regra, uma pessoa que não aceita que o mundo a sua volta e as outras pessoas não sejam como ele quer e, por não conseguir mudá-los, adoece”, explica. O rompimento com pessoas, lugares ou coisas muito queridas pode, sim, desencadear um processo depressivo. Nesses casos, é normal que a pessoa fique triste por alguns dias ou até mesmo semanas, mas, se a tristeza não passar nunca, e, em vez de melhorar, a pessoa ficar cada vez pior, pode ser que ela esteja com depressão. “A depressão vai além de uma


Capa 26

O conceito de felicidade varia de indivíduo para indivíduo, e por trás desse conceito está um único objetivo: viver melhor

simples tristeza. Se eu perco um ente querido, fico triste, de luto, mas com o passar das semanas vou, gradualmente, me adaptando àquela nova realidade, mudando o que posso mudar e aceitando o que não pode ser mudado”, afirma o psicólogo. Outra questão preocupante a respeito da depressão é o diagnóstico correto. Segundo Novaes, é crescente o número de pacientes que procuram atendimento por acreditarem estar com depressão. “É necessário que haja um cuidadoso diagnóstico diferencial, pois sintomas semelhantes aos da depressão são encontrados em várias patologias, desde o

hipotireoidismo, transtorno afetivo bipolar, transtornos dissociativos de adaptação e estados de estresse, só para citar alguns”, enumera. Para o psiquiatra Oreste Bentos da Cunha, um diagnóstico correto é pré-requisito para um tratamento adequado. “Depressão não é amidalite ou fratura óssea - cujo diagnóstico, na maioria das vezes, se faz de imediato - pois envolve um conjunto de sintomas e fatores”, explica. Cunha relaciona ainda alguns indícios mais comuns da doença: “Perda de interesse e do prazer em quase todas as atividades (anedonia), irritabilidade, diminuição da energia,


27

autodesvalorização, sentimento de culpa, dificuldade de concentração, alteração de memória e raciocínio, isolamento, mau humor, alteração da libido e dor no corpo são alguns dos sintomas depressivos que requerem muita atenção”, alerta. A prevenção é o melhor remédio A depressão é uma doença complexa, haja vista a dificuldade do doente em entender e aceitar a enfermidade. Além da complicação do diagnóstico correto, a gênese da doença está escondida nas profundezas da mente do deprimido, sendo assim, cada pessoa tem o seu entendimen-

to e o seu próprio limiar entre apenas uma tristeza e uma depressão. Diante de toda essa complexidade, a melhor forma de não adoecer é a prevenção. O psicólogo Cláudio Novaes sugere algumas dicas simples para evitar um processo depressivo: A personalidade do ser humano é influenciada e construída por vários fatores que permeiam a sua vida desde a infância. Então, podemos dizer que a primeira atitude preventiva é viver em um ambiente saudável. “A depressão está acoplada à formação do ego ideal e à resolução dos conflitos narcísicos, ou seja, ela é influenciada pelo desenvolvimento dos as-

pectos psicossexuais e psicomotores. Um desenvolvimento saudável desde a infância é a melhor prevenção”. São vários os fatores que desencadeiam o adoecimento psicológico e, dentre eles, estão situações e atividades que fazem parte do cotidiano de todo mundo. Trabalho, relacionamentos e a rotina diária são, em muitos casos, desafios para doentes de depressão. “Vários fatores podem influenciar um quadro depressivo, principalmente, se já houver na mente da pessoa um “campo fértil” para que as patologias se instalem. O deprimido normalmente tem suas habilidades e capacidades


Capa 28

Atitudes simples também são importantes armas na prevenção. Tirar um momento do dia para fazer o que gostamos é uma grande aliada no combate à depressão

para enfrentar desafios, administrar conflitos ou contornar adversidades seriamente afetadas. Uma vivência traumática atinge de alguma maneira, e deixa “marcas” em qualquer um de nós. Partimos do princípio de que, quando crianças, somos mais vulneráveis e, na medida em que amadurecemos, aumenta, ou deveria aumentar, nossa capacidade de suportar frustrações”. Atitudes simples também são importantes armas na prevenção. A singela ação de tirar um momento do dia para fazer o que gostamos, o que nos dá prazer, é uma grande aliada no combate à depressão. “To-

dos esses fatores contribuem para o bem-estar e influenciam nos aspectos orgânicos e psíquicos. Pode-se dizer que essas atividades ajudam a prevenir doenças de diversas ordens, possibilitando aquilo que os filósofos da antiga Grécia chamavam de “mente sã em um corpo são”. O conceito de felicidade varia de indivíduo para indivíduo, e por detrás desse conceito está um único objetivo: viver melhor. Partindo da premissa de que não existe felicidade plena, e de que vivemos em um mundo onde a imagem da felicidade é efêmera, o autoconhecimento é essencial. “A psicologia não tem


Mente sã, corpo são

Nem todas as pessoas têm condições de pagar uma academia de ginástica, mas, certamente, todo mundo tem um parque perto de sua casa. Então, não tem desculpa. Uma caminhada, por meia hora que seja, em lugares abertos, repletos de verde, é garantia de revigorar o corpo e a alma

29

uma receita para a felicidade, cada pessoa pode e deve estabelecer seus próprios parâmetros de felicidade, descobrir seu caminho, escolher o que gosta, descobrir seu real desejo. Quanto mais a pessoa conseguir despir-se de preconceitos, ideias prontas e importadas, libertando-se das repressões internas, mais próxima ela estará de vivenciar momentos felizes e mais preparada ela estará para as adversidades”.

Tenha animais de estimação. Alguns tratamentos terapêuticos que envolvem animais, como a equoterapia, são aliados poderosos para curar diversos tipos de doenças, incluindo a depressão. Realize uma atividade lúdica, como pintar, ler, pescar ou tocar um instrumento. Todo mundo tem um hobby, agarrese a ele e esqueça-se dos problemas. Esteja sempre ao lado das pessoas que você gosta e que gostam de você. Dividir seus sentimentos, medos, expectativas e compartilhar cumplicidade são ótimas formas de ficar de bem com a vida.


Saúde Cassems 30

Terapia com cavalos A importância do cavalo na vida do ser-humano Texto Dayane Reis

Foto Alexis Prappas

O cavalo sempre teve papel muito importante para a sociedade, sendo no transporte ou mesmo em trabalhos agrícolas como animal para arar a terra. Até meados do século XX, os exércitos usavam cavalos de forma intensa em guerras, hoje, ele já auxilia até como recurso terapêutico, na chamada Equoterapia. Mas o que é Equoterapia? Segundo a Ande (Associação Nacional de Equoterapia), essa terapia é “um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiência e/ou com necessidades especiais". Segundo a fisioterapeuta do Centro de Equoterapia da PM/MS, Bibiana Rezende, “o cavalo tem a marcha muito parecida com a marcha humana, que chamamos de tridimensional, e isso facilita muito o tratamento”. A variedade de movimentos disponíveis pelo cavalo favorece o terapeuta a graduar a quantidade de informações sensoriais a serem enviadas ao praticante, associada a outras técnicas terapêuticas para chegar a um objetivo comum. Em casos de pacientes que possuem lesão medular, por exemplo, que perderam a função de andar, a equoterapia ensina esse paciente a voltar a andar. “A equoterapia funciona muito bem para uma pessoa que andava e, por algum motivo, não consegue mais. Ela aprende a andar de novo, e em cima do cavalo, fisiologicamente, é como se ela realmente estivesse andando. O corpo manda essa informação ao cérebro.”, afirma a fisioterapeuta. Centro de Equoterapia da PM/MS Criado em 2002, o Centro de Equoterapia da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul é uma entidade filantrópica que atende pacientes com problemas ortopédicos, paralisia cerebral, autismo, síndrome de down, atraso de desenvolvimento, deficiência auditiva e visual, além dos portadores de TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade). E desde 2008, a Cassems dispõe dessa terapia para seus beneficiários. O centro conta com cerca de 10 profissionais de diversas áreas, como fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, pedagogos, terapeutas ocupacionais, profissionais de educação

física, além de diversos voluntários. Entre esses profissionais estão civis e militares formados nas respectivas áreas. No início do projeto, o objetivo era atender apenas os policiais militares e bombeiros, bem como seus filhos, porém, como as vagas não foram totalmente preenchidas, o atendimento foi aberto também à população em geral. Atuando no Centro de Equoterapia desde o seu início, o 1º sargento Vanderlei Roberto Lorensetti se lembra do começo tímido da entidade, quando a divulgação era feita na base do “boca a boca”. “O nosso Centro de Equoterapia nasceu do sonho da capitã Neidy Nunes Barbosa, que já era equitadora da Polícia Militar. Ela começou a pesquisar sobre o assunto e no dia 3 de setembro de 2002 o projeto saiu do papel”, lembra Lorensetti. Passados quase 10 anos da sua criação, o Centro de Equoterapia atende no momento 84 pacientes. Outros 40 aguardam atendimento na fila de espera. Segundo Lorensetti, muito desse sucesso se deve ao apoio da Cassems. “Com a renovação do convênio nós vamos ampliar a nossa selaria, ativar um aparelho de fisioterapia que precisa de uma sala especial para funcionar, além de outros aparelhos que ainda não utilizamos por falta de espaço”, enumera. Avó do pequeno Erick, de 7 anos, que sofre de TDAH, Demerli Peralta conta como o tratamento com a equoterapia tem obtido resultados satisfatórios em seu neto. “Ele melhorou muito depois do tratamento, principalmente o medo e a ansiedade. Ele tinha medo de tudo, agora, está bem mais tranquilo, além de adorar o cavalo Brad”, comemora. “Com esses resultados excelentes, posso garantir que essa parceria durará muitos e muitos anos”, finaliza Ricardo Ayache.

O Centro de Equoterapia da Polícia Militar fica na Polícia Militar Ambiental, ao lado Parque das Nações Indígenas. Informações pelo telefone (67) 3326-0253 ou pelo email: equoterapia_ ms@yahoo.com.br


Viva Cassems:

Desde 2008, a Cassems oferece essa terapia aos seus beneficiรกrios.

31


32

Informativo


No caminho certo

Cassems é a 4ª maior empresa do Estado, segundo revista Exame Texto Dayane Reis

P

Foto Alexis Prappas

elo terceiro ano consecutivo, a Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul) figura no ranking das 100 maiores empresas do Centro-Oeste. Desta vez, a Caixa dos Servidores ocupa a 4ª posição de todo o Estado, ficando atrás apenas de grandes empresas como Enersul, Copasul e Sanesul. Segundo a edição especial da revista Exame, Maiores e Melhores de 2011, a Cassems é a 83ª do Centro-Oeste, avançando 11 posições desde o ranking do ano passado. A pesquisa, divulgada em edição especial pela revista, avalia todas as empresas do país a partir dos seguintes quesitos: lucro, patrimônio, rentabilidade, endividamento e número de empregados. Para o presidente da Cassems, Ricardo Ayache, esse resultado mostra que o grupo que gerencia a Caixa de Assistência o faz com responsabilidade. “Estamos muito felizes, pois, apesar de o mercado da saúde ser complexo e de instabilidade, temos uma grande necessidade de aprimoramento contínuo. Esse resultado mostra que estamos no caminho certo”. Ayache explica que o diferencial da Caixa dos Servidores é a preocupação de reinvestir sua receita na qualidade do atendimento. “A Cassems é uma empresa que não visa lucros, e praticamente todo o nosso recurso é investido em nos-

so próprio patrimônio e em ações que melhorem a saúde do nosso servidor público.” Hoje, a Cassems é o maior plano de saúde para servidores públicos estaduais em autogestão do país. Conta com 73 unidades de atendimento em todo o Estado, rede credenciada com mais de 2 mil profissionais de saúde, rede própria com 14 centros odontológicos, 8 centros médicos e 6 hospitais, além de 50% do hospital de Três Lagoas.

Para o presidente, essa estrutura desenvolvida aos servidores públicos só pôde ser concretizada graças ao apoio e a confiança de cada servidor de Mato Grosso do Sul. “E, mais importante do que o tamanho da Cassems hoje, é o papel social que ela exerce. Atender 170 mil vidas com qualidade vale muito mais do que figurar o 83º lugar do ranking da revista Exame. Essa conquista é de todos nós servidores públicos” finaliza Ayache.

Cassems está entre os planos de saúde com menor índice de reclamação da ANS A Cassems está entre os planos de saúde com menor índice de reclamações na ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), segundo a agência. O ranking é calculado a partir do número de queixas de cada plano privado e do total de beneficiários dos convênios de grande porte, que formam 34,42% do mercado e atendem 89,28% dos clientes. O índice é divulgado mensalmente e tem o objetivo de ajudar os consumidores a avaliar a atuação das operadoras de planos privados de saúde. Esse número permite comparar a atuação de diversas operadoras, facilitando a decisão na hora da escolha de um plano de saúde ou a permanência em uma determinada operadora. Apontada como um dos planos com menos reclamações, a Cassems apresenta, de novembro de 2010 até abril deste ano, pelo menos três meses sem nenhuma reclamação registrada. A maior média da Cassems corresponde a 0,43 no índice. Número extremamente baixo, se comparado à empresa com mais reclamações na ANS, que o acumulado deste ano já soma a 34,77 no índice. Isso vem ao encontro à última pesquisa realizada pela Cassems, que indicou que 84% dos usuários da Caixa dos Servidores avaliam o plano de saúde como ótimo ou bom. Segundo Ricardo Ayache, presidente da Cassems, “esse alto índice de aprovação é o fruto de várias ações realizadas pela Cassems, sempre visando à garantia de acesso à saúde de qualidade”. Dentre essas ações, destacam-se a descentralização do atendimento – com a aquisição de seis unidades hospitalares no interior do Estado, tendo mais dois projetos em andamento (Coxim e Campo Grande) – e a realização de diversos programas de prevenção.

33


Informativo

Peça sempre seu recibo

34

Desde 2009, a Cassems já atende parceiros do mesmo sexo Em decisão histórica, o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou este ano, por unanimidade, que os casais homoafetivos possuam os mesmos direitos dos casais heterossexuais. Mas, pensando em proporcionar uma saúde de qualidade e um atendimento justo, a Cassems já havia modificado seu estatuto em abril de 2009, autorizando a inclusão de dependente natural ao associado titular, incluindo companheiro do mesmo sexo. O julgamento do Supremo, que aprovou o reconhecimento legal da união homoafetiva, torna automático os direitos que hoje são obtidos com dificuldade na Justiça e põe fim à discriminação legal dos homossexuais. Pela decisão do Supremo, esses casais passam a ter reconhecido o direito de receberem pensão alimentícia, terem acesso à herança de seu companheiro em caso de morte, adotarem filhos, registrá-los em seus nomes, e serem incluídos como dependentes nos planos de saúde. Para o presidente da Cassems, a decisão do STF estava muito próxima de acontecer, pois é necessário que o direito de liberdade seja cumprido. “Isso mostra que nós estamos atentos às transformações da sociedade, o que torna a Cassems cada vez mais próxima dos nossos beneficiários”, finaliza o presidente. Como se tornar beneficiário? Para a inclusão como dependente natural do plano da Cassems, o titular e o companheiro do mesmo sexo deverão apresentar a Escritura Pública de Declaração de Convivência, lavrada perante o Cartório de Serviço Notarial, além dos demais documentos: RG, CPF e comprovante de residência com nome de ambos.

A Cassems pede aos seus beneficiários que solicitem recibo ao efetuar consultas e exames. É importante que todos os recibos sejam guardados em locais seguros para que possam ser usados na declaração de Imposto de Renda. É direito de todo cidadão declarar os serviços prestados em relação à saúde, e é obrigação dos prestadores de serviços fornecerem os recibos. Aconselhamos também que todos os exames sejam guardados, pois, posteriormente, eles poderão ser solicitados novamente pelos médicos ou laboratórios. Todas essas ações são importantes para o controle próprio dos beneficiários e para que todos ajudem a cuidar da manutenção financeira do plano de saúde.

Cassems lança em outubro o ônibus da saúde

A Cassems lança em outubro, em parceria com o Hospital do Câncer de Campo Grande, sob a responsabilidade do médico oncologista Fabrício Colacino Silva, o projeto "Ônibus da Saúde", com o objetivo de levar atendimento às mulheres do interior de Mato Grosso do Sul, onde a prevenção do câncer de mama e de colo do útero ainda é muito carente. O ônibus contará com mamógrafo digital de última geração, consultório médico, sala de exame ginecológico e, até mesmo, um centro cirúrgico, no qual será possível fazer biópsia e pequenas cirurgias. Segundo o presidente da Casssems, Ricardo Ayache, esse é um grande sonho da Caixa dos Servidores e, graças à parceria com o Hospital do Câncer, está se realizando. "Com esse ônibus, cumpriremos um papel social muito importante, pois boa parte das mulheres que moram no interior nunca fez uma mamografia, e isso é muito preocupante".


Informativo

Cartão do SUS é uma exigência para usuários de plano de saúde

36

Programa de atenção à gestante traz mais saúde para o bebê O programa nasceu com o objetivo de prevenir os principais problemas que podem aparecer na gestação e proporcionar atenção, esclarecimentos e instruções à gestante, para o desenvolvimento saudável do bebê desde o útero materno. Para a diretora de assistência à saúde e também médica obstetra Maria Auxiliadora Budib, durante a gravidez surgem muitas dúvidas e questionamentos que podem ser sanados em nosso curso, com profissionais de diversas áreas. “Temos palestras e aulas práticas com todas as áreas relacionadas à saúde do bebê, odontologia, pediatria, anestesiologia, obstetrícia, fisioterapia, psicologia, nutrição e enfermagem. Cada uma com sua peculiaridade, ensinando passo a passo do que pode ou não ser feito durante a gestação”, explica. O curso “Casal Grávido” tem duração de um sábado e acontece na sede da Cassems, rua Antônio Maria Coelho, 6065 – Vivendas do Bosque. As inscrições podem ser feitas pelo telefone (67) 3314-1034.

A Cassems tem até o fim do ano para cadastrar os números de cartões do SUS (Sistema Único de Saúde) de seus mais de 170 mil beneficiários. Essa é mais uma exigência da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). A alternativa é para que o Estado controle os atendimentos no sistema público de saúde dos beneficiários que possuem planos. Todas as vezes em que os clientes forem atendidos no sistema público de saúde as operadoras têm de ressarcir o governo. Durante oito anos (2001-2009) foram arrecadados R$ 495 mil de multas, que é o dobro do que o Estado gasta no atendimento de um paciente com plano de saúde. O Ministério da Saúde acredita que ficará mais difícil o erro nos registros com os números do Cartão SUS na carteira de plano. Além disso, seria uma forma de incentivar o registro de uma parte da população que provavelmente não possui o Cartão SUS, os usuários de planos. Serviço Os beneficiários Cassems que já possuem o cartão do SUS podem fazer a alteração necessária no banco de dados da Cassems. Quem ainda não possui, pode obtê-lo na Sesau (Secretaria de Saúde Pública) que está localizada na rua Bahia, 280 – Centro, Campo Grande. O horário de funcionamento é das 6 horas às 17h30. Os documentos necessários são RG, CPF, comprovante de residência e, em caso de menor, documentos dos pais. Para mais informações, o telefone da Sesau é o (67) 3314-3004.


Informativo 38

Desde 1º de agosto o fator participativo da Cassems é R$15 A Cassems aprovou, em reunião realizada no dia 6 de julho, por meio do Conselho de Administração o aumento do fator participativo para R$15,00 cobrado em consultas realizadas junto aos seus credenciados. O novo valor passou a ser cobrado a partir do dia 1º de agosto de 2011. A decisão pelo reajuste foi tomada após diversas reuniões entre os conselhos fiscal, de administração e de entidades, nas quais ficou claro que o aumento no fator participativo seria menos impactante do que o aumento da contribuição descontada em folha do próprio servidor.

O último reajuste no fator participativo da Cassems aconteceu em 2005, com a sinalização futura de haver novo aumento. Lembrando, também, que o valor de R$ 15,00 está abaixo do que é cobrado por outras operadoras, que variam entre R$ 25,00 e R$ 30,00. A alteração no valor da consulta visa garantir a manutenção da qualidade do atendimento aos nossos beneficiários e a evitar o descredenciamento dos profissionais de saúde.


Entrevista 40

Flávio Stival

O diretor de unidades hospitalares da Cassems fala sobre a consolidação da rede própria Texto Gustavo de Deus

Foto Alexis Prappas


Formado em Administração de Empresas pela URI (Universidade Integrada do Alto Uruguai e das Missões) e pós-graduado em Gestão Hospitalar Empresarial pela UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e em Recursos Humanos pela Unaes (Centro Universitário de Campo Grande), Flávio Stival está à frente da Diretoria de Unidades Hospitalares da Cassems desde novembro de 2010. Com 15 anos de experiência como gerente, administrador e consultor de hospitais, Flávio já prestou consultoria para várias empresas de São Paulo e em várias cidades do interior de Mato Grosso do Sul, incluindo a Santa Casa de Campo Grande. Nesta entrevista, Flávio fala sobre a Rede Própria Hospitalar da Caixa dos Servidores e de quanto ela ajuda a garantir assistência e a cuidar não só da saúde dos beneficiários Cassems, mas também da saúde financeira do plano de assistência dos servidores estaduais. Cassems: A Rede Própria de Hospitais Cassems já é uma realidade, quais são as maiores vantagens que ela traz para o beneficiário? Flávio: O benefício principal é para o usuário. Pois, antes dos hospitais próprios, o paciente que necessitava de determinado procedimento não disponível na sua cidade, tinha que se dirigir até outro local, e, agora, esses procedimentos estão próximos a ele. Além de garantir aos servidores públicos acesso a um atendimento de qualidade, nossa Rede Própria disponibiliza nesses lugares tecnologias até então inéditas nessas regiões. Aonde nossos hospitais chegam, também vêm junto vários procedimentos e exames que essa população do interior não tinha acesso. Além de que, com o Hospital Cassems, médicos de diversas especialidades, não disponíveis na região, acabam se deslocando também para esses locais junto com os nossos hospitais. Cassems: E os benefícios para a empresa? Flávio: Para a empresa, a grande vantagem é que podemos controlar melhor os nossos custos. Dessa forma, nós sabemos exatamente quanto custa cada procedimento, além de garantir uma melhor negociação com a rede credenciada. Porém, o mais importante é regionalizar o atendimento, levando qualidade em saúde para mais próximo dos nossos beneficiários.

Cassems: O termo verticalização é bem amplo, mas, na área da saúde, o que significa? Flávio: Na saúde, verticalização pode ser explicada como o controle total dos custos e a gestão total dos recursos. Com os custos e recursos integrados, nós administramos nosso dinheiro e otimizamos os recursos, o dinheiro é repassado do plano direto para a nossa rede. Frisando o que já havia dito anteriormente, um dos pontos mais importante na verticalização, pelo menos na Cassems, é levar atendimento para os locais carentes. Em Coxim, por exemplo, que será a próxima cidade a receber nossa unidade hospitalar, o nosso beneficiário não tem opção, ou ele vai para o SUS (Sistema Único de Saúde) ou para outra cidade. Cassems: Qual é a maior dificuldade da saúde no interior? Flávio: O grande problema da saúde em Mato Grosso do Sul, principalmente no interior, é a falta de profissionais de algumas especialidades. Isso ocorre porque nas cidades do interior esse profissional não consegue agregar o ganho satisfatório, então, ele dificilmente fica nessas cidades. E nesse sentido, o nosso hospital melhora essa situação. Quando existe o Hospital Cassems e o hospital público, o médico tem opção de remuneração em duas instituições, então, acaba sendo viável para ele, porque, tem mais pacientes para atender tanto no atendimento particular, quanto no convênio com a Cassems e também na rede pública. Cassems: Como são escolhidas as cidades que recebem hospitais Cassems? Flávio: Na verdade, a nossa rede própria nasceu da necessidade e da oportunidade. Necessidade porque havia várias crises na saúde no interior, e oportunidade porque a estruturação da rede já era tendência no Brasil. Em 2004, aconteceu uma crise na saúde em Dourados, então, a melhor saída para garantir atendimento foi adquirir o hospital. Já em Nova Andradina, com o encerramento do atendimento da Santa Casa, a saúde entrou em colapso e nossos beneficiários ficaram sem atendimento. Inclusive, nessa época, a Cassems teve que colocar um ônibus a disposição dos usuários para levá-los até Dourados para serem atendidos, até que alugamos o prédio da desativada Santa Casa. Em Naviraí aconteceu a mesma situação, ficamos sem atendi-

41


Entrevista 42

"A nossa intenção é ter hospitais em todas as nossas sedes regionais, porque acreditamos que temos de garantir saúde de qualidade em todos esses lugares, e não só em Campo Grande" mento e tivemos que comprar o hospital para acolher nossos beneficiários. Em Ponta Porã, a crise na saúde também era complicada, e aguardamos até surgir a oportunidade de compra. Na sequência, veio o hospital de Aquidauana e a parceria com a Unimed no hospital de Três Lagoas. Hoje temos seis hospitais e mais 50% do hospital de Três Lagoas e estamos caminhando para aumentar a nossa rede própria. O objetivo é reproduzir o atendimento no interior do estado, capacitando as principais cidades para resolver a maioria dos problemas de saúde, assim, somente os casos mais graves precisarão vir para Campo Grande. Cassems: Quais são as próximas cidades que receberão hospitais Cassems? Flávio: A nossa intenção é ter hospitais em todas as nossas sedes regionais, porque acreditamos que temos de garantir saúde de qualidade em todos esses lugares, e não só em Campo Grande. Uma das nossas principais metas para os próximos anos é interiorizar a saúde, levá-la para perto da casa do nosso beneficiário, e não o inverso, quando o paciente tem que vir se tratar em Campo Grande. Nós não mediremos esforços para levar tecnologia e qualidade no atendimento aos nossos beneficiários do interior. O próximo hospital que nós vamos inaugurar é em Coxim, e seguindo a nossa proposta de ter um hospital para cada regional, fica faltando apenas Corumbá e Jardim. Além disso, estamos ampliando as instalações dos nossos hospitais em Ponta Porã, Naviraí, Três Lagoas e Dourados, e também estamos em fase de compra do prédio do Hospital de Nova Andardina. Em Campo Grande, se tudo correr como o esperado, as obras do hospital devem começar no primeiro semestre de 2012. Cassems: E o Hospital de Campo Grande? Vai agregar algum diferencial? Vai servir de referência para os outros? Flávio: Exatamente. O hospital de Campo Grande será de alta complexidade e servirá de referência para os hospitais do interior. Os atendimentos primários e secundários são feitos no interior, e os procedimentos mais complexos vêm para Campo Grande. Aqui nós teremos ressonância magnética, hemodiálise, hemodinâmica e os melhores tratamentos de oncologia. Devido ao pequeno volume de alguns procedimentos e exa-

mes no interior, é inviável realizá-los nesses locais, então, eles estarão disponíveis em Campo Grande. O acesso que falta no interior estará garantido na capital. Cassems: A Cassems está informatizando e interligando todas as suas regionais e hospitais. Qual é a importância desses procedimentos? Flávio: Com o sistema da rede hospitalar todo integrado e informatizado é possível enxergar a estrutura de cada unidade. Por exemplo, quando o paciente dá entrada na recepção, todos os seus dados já estão automaticamente alimentados no sistema, então, a farmácia já sabe qual o remédio lhe foi receitado, o financeiro já abre a conta específica desse paciente, e isso facilita a vida do beneficiário e a nossa. Toda essa sistematização economiza tempo e dinheiro. Por enquanto, só Dourados está completamente informatizado, mas, já estamos começando em Ponta Porã e até o final do ano devemos expandir para todas as unidades. Por falar em integração de dados, nós estamos prestes a implantar uma central de compras, que, assim como a informatização, ajudará a diminuir os custos ainda mais. Com apenas uma central realizando as compras e distribuindo para toda a rede, nós conseguimos negociar melhor os preços, o estoque, e também padronizamos os materiais e equipamentos de toda a rede. Cassems: Os hospitais também investem no treinamento dos seus funcionários? Flávio: A nossa meta é acolher o nosso beneficiário desde o momento em que ele dá entrada no hospital até a alta. Prestar a ele um atendimento mais humanizado, da maneira que ele espera ser atendido, ou seja, com dignidade, e para que isso aconteça e se mantenha, nós temos feitos reuniões e treinamentos com nossos gerentes e com seus coordenadores. Nesses encontros nós discutimos melhorias que foram realizadas e propomos novas metas, sempre com a participação de todos. A gestão da nossa rede hospitalar é participativa, horizontal, onde todos se envolvem no processo, porque acreditamos que é assim que se constrói uma melhor qualidade.


Eventos 44

Modelo de Autogestão da Cassems é destaque na Assembléia Legislativa de Goiás Referência nacional no modelo de autogestão, a Cassems, representada por seu presidente, Ricardo Ayache, participou em setembro de audiência pública em Goiânia, para discutir o modelo administrativo aplicado pela Caixa dos Servidores a ser adotado também pelo Ipasgo (Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Estado de Goiás). Ricardo Ayache falou aos participantes sobre a experiência de administrar uma empresa que há dez anos é gerida por seus usuários. “Em dez anos, a Cassems promoveu uma revolução na eficiência do atendimento aos seus beneficiários e, hoje, é uma das instituições com melhor estrutura no país para garantir a saúde dos servidores públicos”, lembrou.

Outro ponto abordado por Ayache foram os aspectos que permitem que a Cassems tenha uma estrutura sólida e em constante crescimento, que visam a excelência no atendimento à saúde Os programas de prevenção e a rede própria de hospitais permitem não só um atendimento de qualidade, mas também uma forma moderna de promover a saúde. Ao construir hospitais em cidades do interior do Estado, a Cassems desafoga o fluxo em Campo Grande, favorecendo diretamente os beneficiários dessas localidades. “Esses aspectos, além de gerar economia, criam, principalmente, mais qualidade de vida para os usuários”, afirmou. O idealizador da audiência, deputado estadual Mauro Rubem, acredita que o exemplo bem-sucedido da

Cassems ajuda a mobilizar a sociedade para a importância de o Ipasgo ser gerido pelos seus contribuintes. “Hoje, a Cassems consegue oferecer um atendimento de qualidade com uma administração enxuta”, salientou. O presidente da Cassems finalizou informando que, seguindo as metas de prevenção, a Caixa dos Servidores inaugurará ainda este ano o Centro de Reabilitação e Medicina Preventiva e, no ano que vem, o hospital próprio em Campo Grande. “Precisamos ter efetivamente um plano de saúde, e não um plano que apenas cuide de doenças”, finalizou.

Cassems recebe Prêmio Nacional de Meio Ambiente

A Cassems recebeu em agosto o prêmio de Destaque Empresarial Brasileiro em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável 2011, realizado no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro – FIRJAN, no Rio de Janeiro (RJ). Com iniciativas e esforços direcionados à proteção e valorização do meio ambiente, melhoria da qualidade de vida dos colaboradores, promoção das boas práticas de desenvolvimento sustentável e responsabilidade social em Mato Grosso do Sul, a Cassems foi eleita por integrantes da Biosfera como merecedora do prêmio, entregue ao presidente da Cassems, Ricardo Ayache. Senador Eduardo Braga (AM) e presidente Ricardo Ayache


Eventos

Cassems assina contrato de aquisição do Hospital Unimed em Três Lagoas

46

O presidente da Cassems, Ricardo Ayache, e o presidente da Unimed de Três lagoas, Marco Lúcio Trajano dos Santos, assinaram no dia 5 de abril o contrato de aquisição por parte da Cassems de 50% do Hospital Unimed do município. Para o presidente da Unimed de Três Lagoas, essa união entre aos dois maiores planos de assistência à saúde de Mato Grosso do Sul é um marco histórico para a saúde local. “Essa parceria que nós assinamos hoje com a Cassems vai fazer o nosso atendimento evoluir muito, teremos um atendimento exemplar. Quero agradecer a Cassems por entender essa necessidade de nós, juntos, podermos crescer em benefício da qualidade de vida da nossa população”, afirmou Marco Lúcio.

Cassems inaugura novas alas de hospital próprio em Ponta Porã A Cassems inaugurou no dia 29 de abril as obras de ampliação do Hospital Cassems em Ponta Porã. Entre outras benfeitorias, foram construídos novos consultórios ambulatoriais, leitos, salas para exame, cirurgia e parto, além da ampliação do atendimento médico-ambulatorial. As novas alas do hospital trazem diversos benefícios aos usuários Cassems não só de Ponta Porã, mas também de toda a região.

• Convênios

Camapuã. Foi assinado no dia 6 de maio o convênio entre a Prefeitura de Camapuã e a Cassems. Para a diretora de clientes da Cassems, Jucli Stefanello, todo o município ganha com o esse convênio. “O prefeito que aposta no plano de saúde para seus servidores, aposta também em todo o município. O servidor que possui um plano de saúde familiar tem mais tranquilidade para trabalhar e retribui isso para o município. Sendo assim, todos ganham”, afirma Jucli. Ribas do Rio Pardo. No dia 18 de abril, o presidente da Cassems, Ricardo Ayache, assinou convênio do plano de saúde da Caixa dos Servidores com a Prefeitura de Ribas de Rio Pardo. O presidente salientou a importância da assinatura do convênio para a saúde das famílias dos servidores municipais de Ribas do Rio Pardo, porém, alertou para o bom uso do plano. “O nosso principal objetivo é a excelência no atendimento à saúde dos nossos beneficiários, mas cada um tem o seu papel de responsabilidade para que, em conjunto, possamos manter essa excelência”, afirmou Ricardo.

• "Odontologia para Bebês" previne cáries infantis Criado em 2006, o projeto de prevenção “Odontologia para Bebês” visa à prevenção e manutenção da saúde bucal das crianças de zero a cinco anos. Coordenado pela Dra. Heloísa Helena Cunha e supervisionado pela diretora de assistência odontológica Denise Sakae, o programa consiste no acompanhamento clínico preventivo das crianças por meio de visitas trimestrais. Nas visitas são realizadas profilaxias e aplicação tópica de flúor nas crianças livres de cárie, e nas crianças com atividade de cárie são realizadas as restaurações, profilaxia e aplicação tópica de flúor. Ao completar cinco anos, a criança é encaminhada para o atendimento clínico com a equipe da Odontopediatria. Mais informações pelo telefone (67) 3314-1075.


Eventos

• Cassems volta a oferecer atendimento em reumatologia em Campo Grande

48

Dia Nacional do Colesterol é um convite a práticas de hábitos saudáveis No dia 8 de agosto foi comemorado o “Dia Nacional do Colesterol” e o programa de prevenção Viva Saúde, em parceria com o IAC (Instituto de Ação e Cidadania), realizou, durante todo o dia, um evento para alertar os funcionários públicos do Estado sobre os riscos cardiovasculares. Os beneficiários puderam aferir pressão, calcular IMC (Índice de Massa Corpórea), medir glicose e, ainda, obter uma orientação nutricional realizada por especialistas da Cassems. No final do evento, os beneficiários e funcionários participaram de uma caminhada orientada. Viva Saúde – O programa Viva Saúde tem o objetivo de oferecer ações educativas com ênfase em mudanças de estilo de vida, correção de fatores de risco por meio de orientação para alimentação e informações sobre a hipertensão arterial. Para mais informações sobre o programa o telefone é o 67-3352-8024.

Preocupada sempre com a qualidade de vida dos seus beneficiários, a Cassems voltou a oferecer atendimento em reumatologia a partir de agosto, em Campo Grande. Algumas cidades do interior do Estado já possuem esse profissional, como é o caso de Dourados e Paranaíba. Para o presidente da Cassems, Ricardo Ayache, as renegociações com os profissionais da saúde realizadas em julho já estão trazendo resultados. “Hoje, existem poucos reumatologistas em Mato Grosso do Sul e, agora, conseguimos trazê-los para a Caixa dos Servidores”. Ayache explica ainda que esse resultado só foi possível graças ao apoio dos beneficiários da Cassems. “Esse pensamento coletivo só faz com que a Caixa dos Servidores cresça e continue atendendo com qualidade as mais de 170 mil vidas associadas”, finaliza.

• Presidente da Cassems anuncia novos investimentos em Paranaíba e Três Lagoas Em agosto, o presidente e o vice da Cassems, Ricardo Ayache e Ademir Cerri, respectivamente, participaram de reuniões comprometendo-se a melhorar o atendimento à saúde no interior do Estado. Em Paranaíba, reuniram-se com os beneficiários na sede da Acip (Associação Empresarial de Paranaíba), onde anunciaram novos investimentos no hospital Cassems da cidade, como a inserção do exame de mamografia digital e densitometria óssea. Já em Três Lagoas, em encontro com o presidente da Unimed local, Marco Lúcio Trajano dos Santos, juntamente com a equipe médica do Hospital Regional de Três Lagoas, foram definidas várias ações que irão melhorar o atendimento aos beneficiários da Cassems e da Unimed do município. Entre as melhorias estão a construção de 15 novos leitos na ala de apartamentos, com 700 m², e a viabilização do centro de diagnósticos, além do convênio com a farmácia da Unimed, na qual os usuários Cassems terão 20% de desconto na compra de medicamentos.

• ‘Programa Antitabagismo’ é lançado com mais de vinte inscritos Pensando em ajudar seus beneficiários a abandonar o vício do cigarro , a Cassems lançou no dia 29 de agosto o “Programa Antitabagismo” e, já na estreia, contou com 25 beneficiários inscritos. A diretora de assistência à saúde da Caixa dos Servidores e idealizadora do programa, Maria Auxiliadora Budib, afirma que cerca de 80% dos fumantes desejam parar de fumar, porém, apenas 3% conseguem abandonar o fumo por conta própria, sem intermédio dos planos de saúde. “Esse número coloca em evidência o grande potencial que essa abordagem possui para reduzir a prevalência dos fumantes”, explicou Budib..

• Cassems realiza dia de prevenção para mulher A falta de tempo é o principal fator para que as mulheres pulem uma etapa fundamental em suas vidas, a realização de exames ginecológicos. Pensando nelas, a Cassems realiza o “Dia M”, o programa de prevenção ao câncer com o objetivo de realizar os exames ginecológicos atrasados para todas as beneficiárias Cassems, com idade acima de 50 anos. A equipe da Caixa dos Servidores já tem entrado em contato com essas mulheres para marcar um dia para a realização desses exames. Para maiores informações, o telefone é o 3314-1010.


Conselho de Administração Presidente. Ricardo Ayache Vice-presidente. Ademir Cerri Alexandre Júnior Costa, Carlos José da Silva dos Santos, Félix Nazário Portela, Geraldo Alves Gonçalves, Lauro Davi, Lilian Olivia Aparecida Fernandes, Robelsi Pereira, Wilson Xavier Paiva Suplentes Celso Barros da Silva, Darlene Pereira Mendes, Elcio Oliveira Bastos, Lelisvaldo Silva Magalhães, Volindomar Paimel de Queiroz Conselho Fiscal Claudio M. Salvador M. de Souza, Flávio Humberto Bernardinis, Geraldo Celestino de Carvalho, Jurandir Rodrigues de Carvalho, Maria das Graças Freitas, Noestor Jesus Ferreira Leite, Roberto Magno Botareli César Suplentes Adriana Oliveira Araújo, Fernando Ferreira de Anunciação, Ricardo Alexandre Correa Bueno, Wilds Ovando Pereira

50

Gestão Executiva Presidente. Ricardo Ayache Diretor de Assistência à Saúde. Maria Auxiliadora Budib Diretoria de Unidades Hospitalares. Flávio Stival Diretoria de Assistência Odontológica. Denise Garcia Sakae Diretoria de Finanças. Maria Antônia Rodrigues Diretoria de Clientes. Jucli T. Stefanello Peruzo Diretoria Jurídica. Flávia Cristina Robert Proença Diretoria de Tecnologia e Informação. Celciliana Barros de Moura Ouvidoria. Cecília D. Jeronymo Serra Gerências Regionais Aquidauana Valéria Lucena Matos Campo Grande Sonilza de S. Lima Corumbá Rosana Lídia da S. Pereira Coxim Paulo Alves de Sousa Dourados. Vera Lúcia de Lima Jardim Lindamar Aparecida P. Rocha Naviraí João Inácio de Farias Nova Andradina. Ivone Ramos Pereira Paranaíba Soraya Rita E. de Lima Ponta Porã Aline Davi Sanches Três Lagoas Aelton Manoel A. de Oliveira Gerências Hospitalares Aquidauana. Júlio Antônio Rossi Dourados Jean Davi Rodrigues Naviraí Maria Inês Vidotto Nova Andradina Antônio Francisco Jorge Paranaíba Arnaldo F. Oliveira Ponta Porã Sônia Cintas Assessorias Presidência Tatiane Alves de Andrade. Comunicação Karoline Grubert Bezerra Interior Sonilza S. de Lima Atuarial Cleidemir de Paula Contabilidade AT Contábil Auditoria Independente Ascoplan TI AZ Informática

Conselho Editorial Presidente Ricardo Ayache Representante da Saúde Maria Auxiliadora Budib Representante do Conselho de Administração Felix Nazário Portela Representante do Conselho Fiscal Cláudio M. Salvador M. de Souza Representante de Comunicação Karoline Grubert Bezerra Coordenação Geral da Revista da CASSEMS Karoline Grubert Bezerra Projeto Gráfico Diniz Ação em Marketing Fotos Assessoria CASSEMS. Alexis Prappas Jornalistas Gustavo de Deus (DRT/MS 898) e Dayane Reis Colaborou Cidiana Pellegrin Revisão Dafini Lisboa E-mail cassems@gmail.com Telefone da Redação (67) 3314-1065 Tiragem 70.000 exemplares


Orgulho Cassems 52

"Eu danço para alegrar as pessoas"

Paulo Batista, do Radinho e da Cassems Texto Gustavo de Deus

“Eu danço para alegrar as pessoas”, é assim que Paulo do Radinho responde quando é questionado porque passa boa parte do seu dia dançando pelas ruas de Campo Grande. O gaúcho Paulo Batista nasceu no dia 20 de agosto de 1959, em Uruguaiana, na tríplice fronteira do Brasil com a Argentina e o Uruguai. Em 1969, aos dez anos, mudou-se para Mato Grosso do Sul. Primeiro para Bela Vista, até que em 1975 chegou a Campo Grande e, desde 1980, é servidor público estadual lotado na Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS). Paulo era um cidadão comum e formal, andava de terno, gravata e usava sapato de couro, porém, no Natal de 1996, a vida do cidadão Paulo Batista mudou radicalmente. “Era noite de Natal, eu iria inaugurar uma casa que levei 16 anos construindo para morar com a minha esposa e meus três filhos, mas a minha mulher me disse que não queria mais continuar casada comigo. Fiquei arrasado. Saí para a rua ouvindo o meu radinho, aí me ofereceram uma música na antiga Rádio Ativa, eu comecei a chorar e a dançar. Percebi que a molecada que estava do outro lado da rua gostou” recorda. Esse foi o último dia do Paulo Batista, e o nascimento do Paulo do Radinho. “Os moleques começaram a rir e me aplaudir, como eu estava de óculos, eles não perceberam que eu estava chorando. Foi então que eu decidi que era isso que iria fazer dali em diante, eu iria dançar para curar a minha dor e fazer as pessoas felizes”, lembra. Paulo acrescenta que sofreu muito quando o casamento acabou, mas, hoje, ele é grato à ex-mulher. “Eu descobri a minha vida depois do Paulo do Radinho”, analisa. A Cassems esteve presente na vida dos dois “Paulos”. Em 1989, o formal Paulo Batista foi atropelado por um carro enquanto seguia de moto pela rua dos Barbosas. “Eu estava de moto, me dirigindo a um órgão, a serviço, e uma caminhonete me atropelou. Fiquei em coma por 40 dias e sem andar por oito meses, e mesmo não tendo a estrutura que a Cassems tem hoje, quem me segurou foi o Previsul”, lembra.

Foto Alexis Prappas

A moto definitivamente não é amiga dos “Paulos”, nem do Batista nem do Radinho, e está sempre presente nas tragédias de sua vida. Além do acidente de 1989, há alguns dias ele perdeu seu irmão em um desastre de moto; no período de dez anos teve três motos roubadas e, em 2005, o Paulinho do Radinho teve mais um encontro com uma motocicleta. Enquanto atravessava a rua, como sempre, dançando e cantando, foi atropelado por uma moto. “Eu estava no semáforo dançando com meu radinho e uma moto me pegou. Tive que fazer uma cirurgia para colocar placa e, se eu não tivesse a cobertura de um plano como a Cassems, eu jamais dançaria na rua. Para mim, a Cassems é a segurança de todo servidor público”, comemora. Paulo, o do Radinho, gosta de salientar que dança para os excluídos sociais, e não para os ricos. “Eu danço nas ruas para os excluídos, as pessoas que não podem pagar. Eu danço para os viciados em crack, para as prostitutas, para os que moram nas ruas. Eu não danço para os que podem pagar, pois esses podem ir ao cinema, ao teatro. Inclusive, quando o Jô Soares veio a Campo Grande, ele pediu para que eu fosse dançar para ele no hotel onde ele estava hospedado. Eu não fui, ele que fosse à praça (Ary Coelho) para me ver”, justifica. Paulo acrescenta que a Cassems não está presente apenas nos momentos difíceis da sua vida. A cada seis meses ele realiza um completo tratamento dentário que garante seu belo sorriso enquanto canta e dança. “Além de mim, minha mãe, que tem 83 anos, utiliza muito bem o plano de saúde da Caixa dos Servidores. Recentemente, eu finalizei meu tratamento dentário inteiro pela Cassems. Eu agradeço muito a todos os funcionários, que sempre me atendem muito bem. A Cassems é nota dez para a saúde dos servidores e eu tenho orgulho em dizer que sou beneficiário desse plano de saúde tão importante para Mato Grosso do Sul”.


"A Cassems é 'nota dez' para a saúde dos servidores e eu tenho orgulho em dizer que sou beneficiário desse plano de saúde tão importante para o Mato Grosso do Sul"

53


Onde encontrar atendimento Cassems no Estado Hospitais Cassems

Guia

Aquidauana R. José Bonifário, 115 (67) 3241-7429 / 3904-2752

54

Dourados R. Oliveira Marques, 2771 (67) 3411-9595 / 3410-0000 Naviraí Av. Dourados, 1425 (67) 3461-2200 Nova Andradina R. Walter Hubacher, 748 (67) 3441-2444 Paranaíba R. Coronel Carlos, 1175 (67) 3668-2171 Ponta Porã R. Guia Lopes, 1785 (67) 3431-4907 Três Lagoas R. Bruno Garcia, 2330 (67) 3521-2871

Programas de Prevenção Programa de Nutrição (67) 3314-2559

Viva Saúde Cuidados do Coração (67) 3352-8024 Odontologia para Bebês (67) 3314-1075 Programa Antitabagismo (67) 3314-1034 Casal Grávido (67) 3314-1034

Benefícios Cassems Cartão de Benefícios (67) 3314-1033

Benefício Medicamento 67 3314-2555 / 2556 Benefício Póstumo (67) 3213-7532 / 3042-2744 / 3341-8874 Central de Atendimento 67 3314-1010 Ouvidoria (67) 3314-1080

Regionais A Aquidauana R. Manoel Antonio Paes de Barros, 540, Centro. 79200-000. (67) 3241-3226 C Campo Grande R. Antonio Maria Coelho, 6065. 79002-200. (67) 3314-2550 Corumbá R. Luiz Feitosa Rodrigues, 886, Jd. Aeroporto. 79300-000. (67) 3231-2385 / Fax (67) 3231-0473 Coxim Av. Gal. Mendes Morais, 240, Jd. Aeroporto. 79400-000 (67) 3291-3853 / Fax (67) 3291-1101 D Dourados Av. Mato Grosso, 1470. 79810-110. (67) 3421-1530 / 3411-7530 / Fax (67) 3411-7536 J Jardim R. Ten. Hernani de Gusmão, 279. 79240-000. (67) 3251-1811 / Fax (67) 3251-4107 N Naviraí Av. Dourado, 569. 79950-000. (67) 3461-1405 / Fax (67) 3461-5153 Nova Andradina R. Elizabete Rubiano, 1431. 79750-000. (67) 3441-1415. Fax (67) 3441- 4506 P Paranaíba R. Dr. Mario Correa, 175, Centro. 79500-000. (67) 3669-4044 / Fax (67) 3668-2622 Ponta Porã R. Coronel Camisão, 254. 79900-000 (67) 3431-4347 T Três Lagoas R. Elmano Soares, 250, Centro. 79601-020. (67) 3521-9046 / Fax (67) 3521-3958

locais A Água Clara R. Idalina Guarini da Silva, 60. 79680-000. (67) 3239-2431 Alcinópolis R. Maria Barbosa Carneiro, 640. 79530-000. (67) 3260-1661 Amambai R. Pedro Manvailer, 2339. 79990000. (67) 3481-1422 Anastácio R. Padre Patrício, 1520. 79210-000. (67) 3245-1942 Anaurilândia Av. Brasil, 1177. 79770-000. (67) 3445-1629 Angélica R. Antonio Basílio de Lima, 109. 79785-000. (67) 3446-1113 Antonio João R. Amantino Rodrigues dos Santos,785. 79910-000. (67) 3435-1986 Aparecida do Taboado R. Duque de Caxias, 3970, Centro. 79570-000. (67) 35655190 Aral Moreira R. 31 de Março, 810, Centro. 79930-000. (67) 3488-1112 B Bandeirantes R. Francisco Antonio de Souza, 2616. 79430-000. (67) 3261-1600 Bataguassu Av. Coxim, 61. 79780-000. (67) 3541-2362 Batayporã Av. Brasil, 1453.79760-000. (67) 3443-1561 Bela Vista R. Duque de Caxias, 1013. 79260-000. (67) 3439-4353 Bodoquena R. Yossio Okaneko, 499. 79390-000. (67) 3268-1581 Bonito R. Senador Filinto Muller, 630. 79290-000. (67) 3255-2134 Brasilândia Av. São José, 457, Centro. 79670-000. (67) 3546-1344 C Caarapó Av. Duque de Caxias, 421, Sala 07. 79940-000. (67) 3453-3323 Camapuã R. Cuiabá, 346. 79420-000. (67) 32863640 Cassilândia R. Dr. Manoel Thomaz da Silva, 257. 79540-000. (67) 3596-1516 Chapadão do Sul Av. Oito, 800, Sala 06. 79560-000. (67) 3562-1050 Corguinho R. Duque de Caxias, 127. 79460-000. (67) 3250-1501 Coronel Sapucaia R. Teixeira de Freitas, 268, Centro. 79995-000. (67) 3483-2145 Costa Rica R. José Pereira da Silva, 792. 79550-000. (67) 3247-2205 D Deodápolis R. Paraná, 503, Caixa Postal 190. 79790-000. (67) 3448-1380 Dois Irmãos do Buriti R. Ponta Porã, 304. 79215-000. (67) 3243-1387 Douradina Av. Presidente Dutra, s/nº. 79880-000. (67) 3412-1448 / 3412-1028 E Eldorado Av. Brasil, 986. 79970-000. (67) 3473-2587 F Fátima do Sul Av. Weimar Gonçalves Torres, 1055 A. 79700-000. (67) 3467-1403 Figueirão Av. Moisés de Araújo Galvão, 1012. 79422-000. (67) 3274-1534 G Glória de Dourados R. Projetada A, 15, Parque CEAD, Centro. 79730-000. (67) 3466-1177 Guia Lopes da Laguna R. Victor Francisco Bertola, 122, Centro. 79230-000. (67) 3269-1659 / 3269-1600 I Iguatemi Av. Jardelino Jose Moreira, 2649. Vila Rosa. 79960-000. (67) 3471-2093 / 3471-1822 Inocência R. Duca Valadão, 881, Caixa Postal 8. 79580-000. (67) 3574-1377 / 67 3574-2214 Itaporã Av. São José, 693. 79740-000. (67) 3451-2579 Itaquiraí Av. Getulio Vargas, 636. 79965-000. (67) 3476-1297 Juti Av. Sérgio Maciel, 1245 – Centro 79950-000 67 3463-1666 Ivinhema R. José Batista da Cunha, 430. 79740-000. (67) 3442-1499 J Jaraguari R. José Serafim Ribeiro, 270. 79440000. (67) 3285-1002 Jateí R. Miguel Lopes Falheiros, 686. 79720-000. (67) 3465-1211 Juti G Juti Av. Sérgio Maciel, 1245, Centro. 79950-000. (67) 3463-1666 M Maracajú R. Benjamim Constant,1030. 79150-000. (67) 3454-3476 Miranda R. Barão do Rio Branco, 468. 79380000. (67) 3242-1777 Mundo Novo Av. Juscelino Kubitschek, 883, Sala 03. 79980-000. (67) 3474-1892 N Nioaque Av. General Klinger, 2649. 79220-000. (67) 3236-2391 Nova Alvorada do Sul R. Manoel Antunes Lopes, 918. 79140-000. (67) 3456-2004 / Fax 67 3456-2483 P Paranhos R. Dr. João Ponci de Arruda,2130. 79925-000. (67) 3480-1794 Pedro Gomes R. Espírito Santo, 611. 79410-000. (67) 3230-1072 Porto Murtinho R. Rua Princesa Izabel, 22, Centro. 79280-000. (67) 3287-1061 R Ribas do Rio Pardo R. Carlos Anconi, 656. 79180-000. (67) 3238-1122 Rio Brilhante R. Julio Siqueira Maia, 1632. 79130-000. (67) 3452-7584 Rio Negro R. Massato Matsubara, 710. 79470-000. (67) 3278-1368 Rio Verde de Mato Grosso R. Ricardo Franco, s/nº. 79840-000. (67) 3292-2189 Rochedo R. Joaquim Murtinho, 200, Centro. 79450-000. (67) 3289-1572 S Santa Rita do Pardo R. Nicanor Gregório Rodrigues, 941. 79690-000. (67) 3591-1590 São Gabriel do Oeste Rua São Paulo, 1419, Centro. 79490000. (67) 3295-3413 Selvíria R. 24 de Junho, 560. 79590-000. (67) 3579-1440 Sete Quedas R. Monteiro Lobato,446. 79935-000. (67) 3479-2221 Sidrolândia R. João Marcio Ferreira Terra, 343, São Bento. 79179-000. (67) 3272-1919 Sonora R. Das Seriemas, 250, Centro. 79415-000. (67) 3254-3280 T Tacuru R. José Carlos de Castro Alexandria, 450. 79975-000. (67) 3478-1365 / 3478-1086 Taquarussu R. Profª Nair Rodrigues Nogueira, 77. 79765-000. (67) 3444-1405 Terenos R. Ary Coelho de Oliveira, 519. 79190-000. (67) 3246-7481 / Fax 67 3246-7366


55


56

Seção SEÇÃO

Revista Viver Cassems  

Veículo dirigido e customizado projetado pela Contém Comunicação. Conteúdo institucional: Contém Comunicação Diagramação e conteúdo: Diniz...