Page 1

Aceite para publicação em 6 de novembro de 2018.


Uma ideia original de SĂŠrgio M@ch@do

2


Carlota foi passar os últimos dias de férias na casa da aldeia

Fazia

exatamente

um

ano

que

perdera a sua melhor amiga, a avó Ana! Os seus dias eram passados no velho sótão, a brincar com o baú das recordações matemáticas.

3


- Hummmmm…números, sólidos, réguas, desafios, enigmas, cálculos…O que vai ser hoje? Deixa-me cá ver… Carlota retirava aquele emaranhado de elementos

matemáticos,

que

tantos

momentos felizes lhe haviam proporcionado junto da sua avó, quando, de repente, uma bola de ténis cai ao chão.

- Bolas para a bola! Onde é que ela foi parar!?

A pequena bola verde rolou para debaixo de um cobertor velho e desapareceu.

4


Carlota coloca-se de joelhos e estica o braço por baixo do cobertor, mas não encontra sinal da bola! - Só me faltava agora mais esta…

Não vendo outra solução, Carlota levanta parte do cobertor…

- Que estranho, não me recordo de alguma vez ter visto isto…

Por

baixo

encontrava-se

do

cobertor,

uma

caixa,

mas ainda mais velha e bem maior que aquela onde a sua 5


avó guardava todas as suas brincadeiras matemáticas.

- Estranho, a minha avó nunca me falou desta caixa, será que já não se lembrava dela? Carlota decide abrir a caixa.

-

Mas

que

raio…outra

caixa??

Dentro da velha caixa encontrava-se uma outra caixa, diferente e mais pequena: um cofre!

6


- E agora? Tem um código de três dígitos para abrir…qual será? Num pequeno visor, dez teclas continham os algarismos de 0 a 9. Carlota tenta a sua sorte: - 2…3…2!

Era a sua data de nascimento: 23 de fevereiro. Após a primeira tentativa, surge um aviso:

CÓDIGO ERRADO. DISPÕE DE MAIS DUAS TENTATIVAS.

- Bem, esta minha avó não era mesmo para brincadeiras! Se colocou um código secreto e 7


nunca me falou destas caixas é porque deve ser importante. Deixa-me cá ver… Decidida, Carlota pega um peso no cofre. Algumas abanadelas e meia dúzia de voltas depois, desiste: não se ouve nada e não se sabe qual é o código. Carlota sente-se vencida e decidida a colocar o cofre no seu devido lugar quando…

- Espera, há mais qualquer coisa aqui dentro!

Pousa o cofre no chão e debruça-se para dentro da velha caixa… - Ora, ora…um envelope bem aqui no fundo da caixa…

8


Ai, ai, ai, avozinha, o que temos aqui desta vez?

Carlota abre o envelope e retira um enorme pedaço de papel.

- Um poema? A sério, avó, um poema????? GGGRRRRRRRRR…

Carlota lê o poema:

9


10


Carlota lê e relê o poema… nada. Não vê qualquer relação com o cofre. Decide ir ao baú retirar um lápis e uma folha.

- A minha avó ensinou-me que nunca se desiste de um desafio!

De lápis e papel na mão, Carlota fica imóvel. - Pois…mas são só letras…não há cálculos nem matemática neste enigma… É isso: um enigma! Deve haver um código por detrás do poema…

11


Carlota começa a rabiscar, reescreve o poema de trás para a frente, troca as letras, a ordem das sílabas… mas não faz sentido.

- Bolas, avó, se estivesses aqui davas-me uma ajuda com os teus amigos algarismos …

Carlota esboça um sorriso. Talvez fosse essa a solução: atribuir um número a cada palavra!

Carlota

escreve

algarismos

por cima das palavras:

12


-314159265358979 32384626 4 3 3 8 3 2 7 9 5... E agora? 13


Carlota estica a folha com este estranho número. Não lhe parece fazer qualquer sentido, até porque só precisa de um código com três dígitos! - E se somar tudo? Deixa ver…

Alguns cálculos depois, obtém o resultado:

- 155, tem de ser isto! Eheheheheh, consegui! Pensavas que aqui a tua netinha não conseguia? Ah, pois é…

Confiante

no

seu

sucesso,

Carlota digita o código de três algarismos e… 14


CÓDIGO ERRADO. SÓ DISPÕE DE MAIS UMA TENTATIVA.

Desanimada, atira o lápis para cima do conjunto de algarismos que escreveu. Deitase no tapete e, com o rosto mergulhado nos braços cruzados, desata a chorar. Sente ainda mais a falta da sua velha amiga que lhe ensinara que os números também falam…

- Os números também falam!!!! É isso, avó, tu tinhas razão! Como não vi isso antes?

Ao ter atirado o lápis para o chão, riscou ligeiramente os algarismos entre o 3 e o 1… 15


- 3,141592653589793238462643383279. Agora sim, reconheço isto: o misterioso número

PI,

tão

bem

conhecido

dos

Matemáticos! Será que…

16


Carlota tem uma ideia: quem conhece o número PI sabe que é comum usarem a sua aproximação

com

apenas

duas

casas

decimais, o famoso 3,14! Precisamente os três dígitos que ela procurava! Carlota enche os pulmões de ar e, confiante, digita o código. - 3…1…4.

E o cofre abre-se. - O quê??? Não, só pode ser brincadeira…

(CONTINUA…)

17

Profile for Casa Ciências

A Máquina da Carlota  

Parte do recurso da Casa das Ciências "A Máquina da Carlota", disponível para download em: https://www.casadasciencias.org/cc/redindex.php?i...

A Máquina da Carlota  

Parte do recurso da Casa das Ciências "A Máquina da Carlota", disponível para download em: https://www.casadasciencias.org/cc/redindex.php?i...

Advertisement