Sismos portugueses de meados do século XX (1921 - 1960)

Page 1

Aceite para publicação em 6 de Junho de 2011.

Sismos portugueses de meados do século XX (1921-1960) Ana Paula Silva Correia José Rodrigues Ribeiro Escola Secundária com 3º ciclo de Henrique Medina, Esposende


Introdução Este material é a continuação de “Sismos portugueses do início do século XX (1901-1920)”. É notável a diminuição verificada na frequência e na intensidade dos eventos sísmicos, quando se compara estas quatro décadas com as duas décadas do início do século, assinaladas pelo mortífero sismo de Benavente. No entanto e em contrapartida, o período agora considerado ficou marcado pela ocorrência de um dos sismos de maior magnitude alguma vez registados nas vizinhanças do território português, o tremor de terra de magnitude 8,2 de 25-11-1941, assim como por um outro grande sismo (magnitude 7,1) ocorrido dez anos antes, igualmente com origem na mesma falha da Glória. Apenas o grande afastamento em relação à costa portuguesa impediu que destes dois sismos resultassem consequências graves. Como novidade deste documento, releva a melhor caracterização de dois sismos, o de 28 de Setembro de 1927 (Mortágua) e o de 14 de Julho de 1957 (Serra da Padrela), ambos provavelmente gerados pela falha de Penacova-Régua-Verin. Como no material anterior e embora sem um critério rígido, a selecção dos eventos sísmicos a considerar teve em conta factores como: • a magnitude do sismo; • a intensidade atingida na zona epicentral; • a área macrosísmica abrangida. Os sismos seleccionados foram ordenados cronologicamente e, para cada um, foi elaborada uma ficha contendo: • um resumo das suas principais características; • um mapa de isossistas (caso exista ou tenha sido possível elaborá-lo); • relatos da imprensa da época. As intensidades máximas são expressas na escala Mercalli Modificada de 1956 e a hora das fichas é a hora legal portuguesa. Não foram incluídos sismos que apenas tenham sido sentidos nas ilhas dos Açores e da Madeira.


SW Cabo de S. Vicente – Outubro 1922 Dia e Hora: 20 de Outubro de 1922, 20h22 Epicentro: Oceano Atlântico, SW do Cabo de S. Vicente Magnitude: 5,2 [1] Intensidade máxima: IV-V (Sines) Área macrossísmica: Faixa costeira Ocidental e Alentejo Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “A Capital” 23 Outubro 1922

“O “O Século” Século” 21-10-1922 21-10-1922

Abalo Abalo de de terra terra Cerca Cerca das das 20 20 horas horas ee meia meia de de ontem, ontem, sentiu-se sentiu-se em em Lisboa Lisboa um um abalo abalo sísmico, sísmico, na na direcção direcção Norte-Sul, Norte-Sul, de de curta curta duração, duração, que que não não causou causou mais mais do do que que susto. susto.

“O “O Século” Século” 22-10-1922 22-10-1922

OO abalo abalo sísmico sísmico de de anteontem anteontem Segundo esclarecimentos Segundo esclarecimentos fornecidos fornecidos no no Observatório Observatório Meteorológico Meteorológico do do Infante Infante D. D. Luís, Luís, oo centro centro do do abalo abalo sísmico sísmico sentido sentido anteontem anteontem em em Lisboa Lisboa ee que que durou durou alguns alguns segundos segundos foi foi aa 270 270 quilómetros quilómetros da da capital capital ee registou-se registou-se às às 20 horas e 22 minutos. 20 horas e 22 minutos. Segundo Segundo nos nos comunicam comunicam os os nossos nossos correspondentes, correspondentes, oo abalo sísmico anteontem registado em abalo sísmico anteontem registado em Lisboa Lisboa também também se se fez sentir em Setúbal e Alhos Vedros. fez sentir em Setúbal e Alhos Vedros.

“O “O Século” Século” 24-10-1922 24-10-1922

OO abalo abalo de de terra terra OO abalo abalo de de terra terra que que se se registou registou na na noite noite de de 20, 20, também também foi sentido em Sines, Benavente e Canas de Sabugosa, foi sentido em Sines, Benavente e Canas de Sabugosa, onde onde causou causou pânico pânico entre entre os os habitantes, habitantes, mas mas sem sem que que houvesse houvesse oo menor menor prejuízo. prejuízo.

“O “O Minhoto” Minhoto” Valença Valença 30-10-1922 30-10-1922

Tremor Tremor de de terra terra Sentiu-se nesta Sentiu-se nesta vila vila no no dia dia 20 20 do do corrente, pelas 20 horas, um corrente, pelas 20 horas, um ligeiro ligeiro abalo abalo sísmico, sísmico, com com aa direcção direcção norte-sul. norte-sul.

“O Alentejo” Évora 25 Outubro 1922

“O “O Século” Século” 27-10-1922 27-10-1922

OO Século Século nas nas Províncias Províncias ODEMIRA ODEMIRA –– Também Também se se notou notou aqui aqui oo abalo abalo de de terra terra que que se se deu deu há há dias, dias, mas mas àà maioria maioria da da população população passou passou despercebido. despercebido.


Benavente – Março 1924 Dia e Hora: 2 de Março de 1924, 6h45 Epicentro: Benavente Magnitude: 5,0 [1] Intensidade máxima: V (Azambuja) Área macrossísmica: Ribatejo, Oeste, Grande Lisboa, Coimbra, Badajoz Vítimas: Não houve Danos materiais: Algumas fendas em paredes

“Gazeta de Coimbra” 6 Março 1924

“O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 4-3-1924 4-3-1924

Março, Março, 33 Abalo Abalo de de terra. terra. AA sua sua acção acção fez-se fez-se sentir sentir em em Lisboa Lisboa ee arredores arredores com com certa certa violência. violência. Às Às 66 ee 50 50 da da manhã manhã de de ontem ontem sentiu-se sentiu-se em em Lisboa Lisboa ee arredores, arredores, um um abalo abalo de de terra de certa violência, com a duração aproximada de 3 segundos. terra de certa violência, com a duração aproximada de 3 segundos. OO fenómeno fenómeno foi foi apercebido apercebido de de pouca pouca gente, gente, visto visto grande grande parte parte da da população população ainda ainda estar estar dormindo, dormindo, não não tendo tendo dado dado por por ele ele oo maior maior número número das das pessoas pessoas que que andavam andavam na na rua. rua. Não houve desastres pessoais Não houve desastres pessoais nem nem materiais. materiais. SACAVÉM, SACAVÉM, 22 –– Às Às 6,55 6,55 da da manhã, manhã, sentiu-se sentiu-se aqui aqui um um violento violento abalo abalo sísmico, sísmico, acompanhado de rugido subterrâneo. A sua duração foi de cinco acompanhado de rugido subterrâneo. A sua duração foi de cinco aa seis seis segundos. segundos. Apesar Apesar de de ser ser ainda ainda cedo, cedo, algumas algumas pessoas pessoas saíram saíram espavoridas espavoridas para para aa rua. rua. MERCEANA, MERCEANA, 22 –– Hoje, Hoje, às às 66 ee 50 50 minutos minutos da da manhã, manhã, sentiu-se sentiu-se um um forte forte tremor de terra, sem consequências. tremor de terra, sem consequências. CASCAIS, CASCAIS, 22 –– Às Às 66 ee 50 50 da da madrugada, madrugada, houve houve aqui, aqui, com com ligeiro ligeiro intervalo, intervalo, dois dois abalos abalos de de terra terra de de relativa relativa violência, violência, que que causaram causaram pânico pânico em em todas todas as as pessoas que deram por eles. pessoas que deram por eles. SALVATERRA SALVATERRA DE DE MAGOS, MAGOS, 22 –– Entre Entre as as 66 ee três três quartos quartos ee as as sete, sete, produziu-se, produziu-se, nesta nesta vila, vila, um um forte forte abalo abalo sísmico sísmico de de longa longa duração, duração, alarmando alarmando aa população. população. PEDRÓGÃO PEDRÓGÃO GRANDE, GRANDE, 22 –– Hoje, Hoje, depois depois das das 66 ee 45 45 da da manhã, manhã, sentiu-se sentiu-se um um forte abalo de terra, com repetição, tendo durado alguns segundos. forte abalo de terra, com repetição, tendo durado alguns segundos. CHAMUSCA, CHAMUSCA, 22 –– Com Com curta curta duração, duração, mas mas bastante bastante violência, violência, houve houve hoje, hoje, às às 66 ee 50 50 da da manhã, manhã, um um abalo abalo de de terra. terra. SAMORA SAMORA CORREIA, CORREIA, 22 –– Às Às 66 ee 50 50 da da manhã, manhã, sentiu-se sentiu-se um um forte forte abalo abalo sísmico, com a duração de três segundos e precedido de rumor subterrâneo. sísmico, com a duração de três segundos e precedido de rumor subterrâneo. Não Não teve teve consequências consequências desastrosas, desastrosas, mas mas causou causou grande grande susto susto em em toda toda aa população. população. AZAMBUJA, AZAMBUJA, 22 –– Pelas Pelas 66 ee 45, 45, sentiu-se sentiu-se aqui aqui um um violento violento abalo abalo de de terra, terra, que que durou durou 22 segundos. segundos. OO pânico pânico em em toda toda aa vila vila foi foi grande, grande, chegando chegando aa ouvir-se ouvir-se gritos gritos aflitivos. aflitivos. Felizmente, Felizmente, não não consta consta que que tenha tenha havido havido desastres. desastres. Apenas Apenas na estação do caminho de ferro se abriram fendas nas paredes. na estação do caminho de ferro se abriram fendas nas paredes.


Albufeira – Outubro 1924 Dia e Hora: 24 de Outubro de 1924, 18h29 Epicentro: Algarve Ocidental Magnitude: 4,4 [1] Intensidade máxima: V (Albufeira e Marmelete) [2] Área macrossísmica: Algarve e Alentejo Litoral Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve In In Raúl Raúl de de Miranda“Tremores Miranda“Tremores de de terra terra em em Portugal Portugal (1923-1930)” (1923-1930)” [2] [2]

Foram Foram alguns alguns pontos pontos do do sul sul do do país país abalados abalados por por um um pequeno pequeno tremor tremor de de terra terra cujo epicentro, segundo os dados do Instituto Geofísico da Universidade cujo epicentro, segundo os dados do Instituto Geofísico da Universidade de de Coimbra, Coimbra, deveria deveria estar estar aa 315 315 quilómetros quilómetros desta desta cidade. cidade. As As localidades localidades abaladas, abaladas, de de que que tivemos tivemos notícia, notícia, foram: foram: no no distrito distrito de de Beja, Beja, S. S. Luís; no de Setúbal, Sines; e no Algarve, Vila do Bispo, Albufeira, Marmelete Luís; no de Setúbal, Sines; e no Algarve, Vila do Bispo, Albufeira, Marmelete ee Faro. Faro. OO abalo abalo obteve obteve oo grau grau III, III, em em S. S. Luís, Luís, Sines, Sines, Vila Vila do do Bispo Bispo ee Faro, Faro, atingindo atingindo oo grau grau VV em em Albufeira Albufeira ee Marmelete. Marmelete. Nesta Nesta última última localidade localidade produziu produziu grande grande pânico pânico na na população e tanto nesta como em Vila do Bispo o tremor foi acompanhado de população e tanto nesta como em Vila do Bispo o tremor foi acompanhado de ruídos ruídos subterrâneos. subterrâneos. OO tremor tremor de de terra terra deve deve ter ter tido tido oo seu seu epicentro epicentro nas nas proximidades proximidades de de Albufeira, Albufeira, junto à costa, repercutindo-se mais intensamente ao longo duma possível junto à costa, repercutindo-se mais intensamente ao longo duma possível linha linha de de fractura fractura que que de de oriente oriente desta desta vila vila segue segue para para NE, NE, originando originando assim assim um um aumento aumento de de intensidade intensidade ao ao abalo abalo sentido sentido em em Marmelete. Marmelete.

A. Ribeiro, 2011 [7]


Vale de Figueira – Julho 1925 Dia e Hora: 7 de Julho de 1925, 18h28 Epicentro: Vale de Figueira Magnitude: 4,6 [3] Intensidade máxima: V (Vale de Figueira, Tomar, Chamusca, etc) Área macrossísmica: Ribatejo, Grande Lisboa, Oeste e áreas limítrofes Vítimas: Não houve Danos materiais: Algumas fendas em paredes [2] “O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 8-7-1925 8-7-1925

DIÁRIO DIÁRIO DE DE LISBOA, LISBOA, 77 de de Julho Julho Abalos Abalos de de terra terra AA sua sua acção acção fez-se fez-se sentir sentir em em diferentes diferentes pontos pontos do do sul sul do dopaís país Às 6,30 da tarde sentiu-se em Lisboa um ligeiro abalo de Às 6,30 da tarde sentiu-se em Lisboa um ligeiro abalo de terra, terra, de de curta curta duração. duração. Por Por telegramas telegramas recebidos recebidos nesta nesta cidade, cidade, sabe-se sabe-se que que esse esse abalo abalo teve teve repercussão repercussão em em Tomar, Tomar, Almeirim, Almeirim, Torres Torres Novas, Novas, Golegã Golegãee Seia. Seia. SEIA, 7 – Pelas 6 horas e meia da tarde de SEIA, 7 – Pelas 6 horas e meia da tarde de hoje, hoje, sentiu-se sentiu-se um um pequeno pequeno abalo abalo sísmico nesta vila, causando grande susto nas pessoas que o notaram. sísmico nesta vila, causando grande susto nas pessoas que o notaram.

“O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 9-7-1925 9-7-1925

Os Os abalos abalos de de terra terra Como dissemos, Como dissemos, em em vários vários pontos pontos do do sul sul do do país, país, fizeram-se fizeram-se sentir sentir anteontem anteontem de de tarde abalos de terra. Há mais a acrescentar: tarde abalos de terra. Há mais a acrescentar: SOURE, SOURE, 77 –– Pelas Pelas 66 horas horas ee meia meia da da tarde, tarde, sentiu-se sentiu-se aqui aqui um um forte forte abalo abalo de de terra, terra, que que durou durou uns uns 40 40 segundos. segundos. Não Não causou causou prejuízos, prejuízos, apenas apenas susto. susto.

IGC [4]


Évora – Fevereiro 1926 Dia e Hora: 28 de Fevereiro de 1926, 22h12 Epicentro: Évora Magnitude: 5,6 [5] Intensidade máxima: VII (Évora) Área macrossísmica: Sul e Centro de Portugal e SW de Espanha Vítimas: Alguns feridos (pânico) [6] Danos materiais: Paredes e muros derrubados e muitos edifícios com fendas [2] “A Capital” 1 Março 1926

“Gazeta de Coimbra” 2 Março 1926

Rey Pastor, 1932 [4]


Lisboa – Dezembro 1926 Dia e Hora: 18 de Dezembro de 1926, 14h45 Epicentro: Região de Lisboa Magnitude: 4,8 [5] Intensidade máxima: VI (Lisboa, Odivelas, Loures) Área macrossísmica: Grande Lisboa, Ribatejo e Oeste Vítimas: Não houve Danos materiais: Fendas e queda de estuque em casas, ruína de chaminés, vidros de janelas partidos [2] NOTA: Agitação nas águas do Tejo.

“Diário de Lisboa” 20 Dezembro 1926

“O Democrata” Aveiro 25 Dezembro 1926

IGC [4]


Vendas Novas – Maio 1927 Dia e Hora: 18 de Maio de 1927, 2h42 Epicentro: Próximo de Vendas Novas Magnitude: 4,2 [3] Intensidade máxima: V (Alcácer do Sal, Benavente, Mora, V. Novas) Área macrossísmica: Grande Lisboa, Sul do Ribatejo, distritos de Évora e Setúbal Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “Diário “Diário de de Notícias” Notícias” 19-5-1927 19-5-1927

UM UM ABALO ABALO DE DE TERRA TERRA Sentiu-se Sentiu-se ontem ontem em em Lisboa Lisboa ee em em alguns alguns pontos pontos da da província província Ontem, pelas 2 e meia da manhã, sentiu-se em Lisboa Ontem, pelas 2 e meia da manhã, sentiu-se em Lisboa ee em em alguns alguns pontos pontos da da província província um um abalo abalo de de terra, terra, de de curta curta duração, duração, que que provocou provocou bastante bastante susto susto aa todos todos os os que que oo sentiram. sentiram. No No Observatório Observatório D. D. Luís, Luís, onde onde procurámos procurámos informes informes sobre sobre oo assunto, assunto, foi-nos foi-nos respondido respondido que, que, de de facto, facto, durante durante oo dia dia ee pelo pelo telefone telefone muita muita gente gente ali ali procurou procurou informar-se informar-se sobre sobre oo acontecimento, mas só hoje é que, retirado o registo do respectivo aparelho, se poderá acontecimento, mas só hoje é que, retirado o registo do respectivo aparelho, se poderá saber saber ao ao certo certo aa hora hora precisa precisa ee oo tempo tempo de de duração duração do do abalo. abalo. Seguem os telegramas que recebemos dos nossos correspondentes, Seguem os telegramas que recebemos dos nossos correspondentes, dando dando conta conta do do fenómeno: fenómeno: ALCÁCER ALCÁCER DO DO SAL, SAL, 18 18 –– Hoje, Hoje, às às 22 ee meia meia da da manhã, manhã, sentiu-se sentiu-se nesta nesta localidade localidade um um forte forte abalo de terra que provocou muito susto, sem contudo causar qualquer desastre abalo de terra que provocou muito susto, sem contudo causar qualquer desastre pessoal. pessoal. MORA, MORA, 18 18 –– Sentiu-se Sentiu-se esta esta noite, noite, cerca cerca das das duas duas horas horas ee meia, meia, um um violento violento abalo abalo sísmico sísmico que, que, segundos segundos depois, depois, se se repetiu repetiu com com menor menor violência. violência. Não Não há há desastres desastres pessoais. pessoais. VENDAS VENDAS NOVAS, NOVAS, 18 18 –– Pelas Pelas 2,35 2,35 da da madrugada, madrugada, sentiu-se sentiu-se aqui aqui um um violento violento tremor tremor de de terra, embora de curta duração. terra, embora de curta duração.

“Gazeta de Coimbra” 19 MaIo 1927


Mortágua – Setembro 1927 Dia e Hora: 28 de Setembro de 1927, 15h29 Epicentro: Próximo de Mortágua [7] Magnitude: 4,3 [7] Intensidade máxima: V (Mortágua, Benfeita, S.ta Comba Dão) Área macrossísmica: Distritos de Aveiro, Coimbra e Viseu Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Século” Século” 29-9-1927 29-9-1927

Um Um abalo abalo de de terra terra de de curta curta duração, duração, fez-se fez-se sentir sentir em em várias várias povoações povoações da da Beira Beira Alta Alta SANTA COMBA DÃO, 28 – T. – Às 15,35 sentiu-se, nesta vila, um violento tremor SANTA COMBA DÃO, 28 – T. – Às 15,35 sentiu-se, nesta vila, um violento tremor de de terra, terra, na na direcção direcção noroeste-sudoeste, noroeste-sudoeste, tendo tendo aa duração duração de de cinco cinco segundos. segundos. OO sismo, sismo, felizmente, felizmente, não não causou causou prejuízos prejuízos pessoais pessoais nem nem materiais, materiais, mas mas aa sua sua violência, violência, acompanhada dum forte ruído subterrâneo, assustou muita gente. acompanhada dum forte ruído subterrâneo, assustou muita gente. S. S. PEDRO PEDRO DE DE ALVA, ALVA, 28 28 –– T.T. –– Às Às 15,32 15,32 sentiu-se sentiu-se um um violento violento abalo abalo de de terra, terra, que que teve teve aa duração, duração, calculada, calculada, de de cinco cinco segundos. segundos. AA população população ficou, ficou, momentaneamente, momentaneamente, alarmada, alarmada, tranquilizando-se tranquilizando-se depois depois por por não não ter ter havido havido desastre desastre algum. algum. PORTO, 28 – T. – Em Vila Nova de Gaia e no lugar de Carvalhos PORTO, 28 – T. – Em Vila Nova de Gaia e no lugar de Carvalhos sentiu-se sentiu-se um um violento violento abalo abalo sísmico, sísmico, tendo tendo sido sido grande grande oo pânico. pânico. “O Democrata” Aveiro 1 Outubro 1927

“A “A Beira Beira Desportiva” Desportiva” Tondela Tondela 1-10-1927 1-10-1927

Na Na última última quarta-feira, quarta-feira, pelas pelas 15h40, 15h40, sentiu-se nesta vila, um pequeno sentiu-se nesta vila, um pequeno abalo abalo de de terra terra de de curta curta duração. duração.

A. Ribeiro, 2011 [7]


SW Cabo de S. Vicente – Novembro 1927 Dia e Hora: 8 de Novembro de 1927, 4h02 Epicentro: Oceano Atlântico, SW do Cabo de S. Vicente Magnitude: 4,2 [3] Intensidade máxima: V (São Luís) Área macrossísmica: Litoral do Continente, entre Lisboa e o Algarve Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Século” Século” 10-11-1927 10-11-1927

O O abalo abalo de de terra terra LABRUGEIRA, LABRUGEIRA, 88 –– C. C. –– Pelas Pelas 44 horas, horas, sentiu-se sentiu-se um um pequeno pequeno abalo abalo de de terra. terra. PORTIMÃO, PORTIMÃO, 88 –– C. C. –– AA noite noite passada, passada, pelas pelas 44 horas, horas, sentiu-se sentiu-se nesta nesta cidade cidade um um abalo de terra, de curta duração. abalo de terra, de curta duração.

“O “O Século” Século” 11-11-1927 11-11-1927

O O abalo abalo de de terra terra S. LUÍS (ODEMIRA), S. LUÍS (ODEMIRA), 88 –– C. C. –– Hoje, Hoje, pelas pelas 44 horas, horas, sentiu-se sentiu-se um um forte forte abalo abalo de de terra, terra, acompanhado acompanhado por por um um ruído ruído subterrâneo, subterrâneo, tendo tendo acordado acordado muitas muitas pessoas pessoas que que estavam estavam dormindo. dormindo. Foi Foi grande grande oo pânico. pânico. SINES, SINES, 88 –– C. C. –– AA noite noite passada passada sentiu-se sentiu-se um um abalo abalo de de terra. terra.

“Diário “Diário de de Notícias” Notícias” 8-11-1927 8-11-1927

Um Um abalo abalo de de terra terra Ontem, de madrugada, Ontem, de madrugada, sentiu-se sentiu-se em em Lisboa Lisboa ee noutras noutras terras terras um um abalo abalo de de terra terra que que poucas poucas pessoas notaram, pelo que não causou pânico. pessoas notaram, pelo que não causou pânico. Os Os gráficos gráficos do do Observatório Observatório D. D. Luís Luís registaram registaram oo início início do do abalo abalo às às 44 h. h. 22 m. m. ee 55 55 s.s. ee oo máximo máximo de de intensidade às 4 h., 3 m. e 30 s. intensidade às 4 h., 3 m. e 30 s. SETÚBAL, SETÚBAL, 88 -- Cerca Cerca das das 33 horas horas da da manhã, manhã, sentiusentiuse distintamente um abalo de terra que causou, se distintamente um abalo de terra que causou, apesar apesar da da hora hora adiantada, adiantada, bastante bastante pânico pânico entre entre aa população. população.


Évora – Fevereiro 1928 Dia e Hora: 8 de Fevereiro de 1928, 1h40 Epicentro: Évora Magnitude: 4,4 [1] Intensidade máxima: V (Estremoz, Évora, Mora, Reguengos, etc.) Área macrossísmica: Alentejo Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Século” Século” 9-2-1928 9-2-1928

Um Um tremor tremor de de terra terra foi foi ontem ontem registado registado em em Lisboa, Lisboa, com com oo epicentro epicentro aa 150 150 quilómetros quilómetros No No Observatório Observatório Central Central Meteorológico Meteorológico foi foi ontem ontem registado, registado, pelo pelo sismógrafo, sismógrafo, um um abalo abalo de de terra de curta duração, o qual se deu exactamente à 1 hora, 45 minutos e 30 segundos, terra de curta duração, o qual se deu exactamente à 1 hora, 45 minutos e 30 segundos, tendo tendo sido sido muito muito rápido rápido ee pouco pouco violento, violento, de de tal tal modo modo que, que, em em Lisboa, Lisboa, ninguém ninguém oo sentiu. sentiu. Apenas Apenas oo sismógrafo sismógrafo do do Observatório Observatório do do Infante Infante D. D. Luís Luís oo registou, registou, como como dissemos, dissemos, localizando-se localizando-se oo epicentro epicentro aa 150 150 quilómetros quilómetros de de distância. distância. Em Alvito e Mora, sentiram-se os costumados Em Alvito e Mora, sentiram-se os costumados ruídos ruídos subterrâneos subterrâneos ALVITO, ALVITO, 88 –– C. C. –– ÀÀ 1,30, 1,30, sentiu-se sentiu-se aqui aqui um um violento violento tremor tremor de de terra, terra, que que durou durou 22 ou ou 33 segundos, sendo acompanhado por um enorme ruído subterrâneo. Não consta que segundos, sendo acompanhado por um enorme ruído subterrâneo. Não consta que haja haja qualquer qualquer prejuízo. prejuízo. MORA, MORA, 88 –– T.T. –– ÀÀ 1,35 1,35 sentiu-se sentiu-se nesta nesta vila vila um um violento violento tremor tremor de de terra, terra, acompanhado acompanhado dum dum pavoroso pavoroso ruído ruído subterrâneo. subterrâneo. Não Não houve houve desastres. desastres. Em Em Redondo, Redondo, oo fenómeno fenómeno causou causou grande grande pânico pânico REDONDO, 8 – T. – À 1,50 de hoje REDONDO, 8 – T. – À 1,50 de hoje foi foi esta esta vila vila alarmada alarmada por por um um violento violento tremor tremor de de terra, terra, que que causou causou um um enorme enorme pânico. pânico. Apesar Apesar da da hora hora adiantada adiantada da da noite, noite, muita muita gente gente se se levantou levantou ee saiu saiu para para as as ruas, ruas, suplicando suplicando aa intervenção intervenção divina. divina. Não Não há há desastre desastre algum algum aa registar. registar. Noutros pontos foi, também, sentido o abalo de terra Noutros pontos foi, também, sentido o abalo de terra AZARUJA, AZARUJA, 88 –– T.T. –– ÀÀ 1,40 1,40 sentiu-se, sentiu-se, aqui, aqui, um um grande grande abalo abalo de de terra. terra. REGUENGOS, REGUENGOS, 88 –– T.T. –– Registou-se, Registou-se, nesta nesta vila, vila, um um grande grande tremor tremor de de terra terra àà 1,45 1,45 de de hoje. hoje. OO abalo foi dos maiores que aqui se têm sentido. abalo foi dos maiores que aqui se têm sentido. ESTREMOZ, ESTREMOZ, 88 –– T.T. –– Às Às duas duas horas horas de de hoje, hoje, sentiu-se, sentiu-se, nesta nesta cidade, cidade, um um forte forte abalo abalo de de terra, terra, de de curta curta duração. duração. OO fenómeno fenómeno repetiu-se repetiu-se às às 55 horas, horas, com com menos menos intensidade. intensidade.

IGC [4]


Sul de Lagoa – Fevereiro 1930 Dia e Hora: 10 de Fevereiro de 1930, 8h04 Epicentro: Oceano Atlântico, a sul de Lagoa Magnitude: 5,0 [1] Intensidade máxima: VI (Estói) Área macrossísmica: Costa Ocidental a sul de Lisboa, Algarve e Huelva Vítimas: Não houve Danos materiais: Fendas nas paredes de casas

“Diário de Lisboa” 10 Fevereiro 1930

“O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 12-2-1930 12-2-1930

AA província província em em foco foco V. V. R. R. S. S. António, António, 11 11 –– Ontem, Ontem, às às 7,55 7,55 ee em em sentido sentido de de Norte Norte aa Sul, sentiu-se aqui um abalo de terra de violência relativa Sul, sentiu-se aqui um abalo de terra de violência relativa ee com com aa duração duração de de 44 aa 55 segundos. segundos. Faro, Faro, 11 11 –– Ontem, Ontem, poucos poucos minutos minutos depois depois das das 88 horas horas sentiusentiuse, nesta cidade, um tremor de terra de grande intensidade se, nesta cidade, um tremor de terra de grande intensidade ee de de curta curta duração. duração. Albufeira, Albufeira, 10 10 –– Hoje, Hoje, às às 88 ee 55 minutos, minutos, sentiu-se, sentiu-se, aqui, aqui, um um abalo de terra, acompanhado de ruído subterrâneo. abalo de terra, acompanhado de ruído subterrâneo. Tavira, Tavira, 11 11 –– Às Às 88 horas horas ee 10 10 minutos minutos de de ontem ontem sentiu-se sentiu-se nesta nesta cidade cidade um um abalo abalo sísmico sísmico de de curta curta duração. duração. Não Não houve houve desastres. desastres. Portimão, Portimão, 11 11 –– Às Às 88 horas horas ee 55 minutos minutos sentiu-se sentiu-se ontem ontem nesta nesta cidade um abalo sísmico que alarmou parte da população. cidade um abalo sísmico que alarmou parte da população. Alvalade, Alvalade, 11 11 –– Precedido Precedido de de um um ruído ruído subterrâneo subterrâneo sentiu-se, sentiu-se, ontem aqui, pelas 8horas e 10 minutos, um tremor de ontem aqui, pelas 8horas e 10 minutos, um tremor de terra. terra. Silves, Silves, 11 11 –– Ontem, Ontem, pelas pelas 88 horas, horas, sentiram-se sentiram-se nesta nesta cidade, cidade, dois dois abalos abalos de de terra, terra, com com dois dois segundos segundos de de intervalo intervalo um um do do outro. outro. OO primeiro primeiro foi foi muito muito forte, forte, não não se se tendo tendo registado registado contudo contudo quaisquer quaisquer desastres. desastres. Foi Foi grande grande oo pânico pânico de de toda toda aa população. população. V. V. N. N. de de Milfontes, Milfontes, 10 10 –– Às Às 88 horas horas ee 55 minutos minutos sentiu-se sentiu-se ontem aqui um abalo de terra. ontem aqui um abalo de terra.

“La Provincia” Huelva 10 Fevereiro 1930


Falha da Glória – Maio 1931 Dia e Hora: 20 de Maio de 1931, 3h24 Epicentro: Oceano Atlântico, falha da Glória Magnitude: 7,1 [1] Intensidade máxima: V-VI (Ponte de Lima, Nazaré, Cascais, etc) Área macrossísmica: Portugal Continental, Madeira, Galiza, SW de Espanha, costa de Marrocos Vítimas: Alguns desmaios e feridos ligeiros (pânico) Danos materiais: Fendas nas paredes, louça e vidros partidos “Ala Esquerda” Beja 21 Maio 1931

“A República” Vila do Conde 23 Maio 1931

“Ecos de Cacia” 23 Maio 1931

A. Ribeiro, 2011 [7]


Vale do Lima – Junho 1931 Dia e Hora: 9 de Junho de 1931, 9h37 Epicentro: Vale do Lima Magnitude: 4,2 [7] Intensidade máxima: V (Viana do Castelo, Lanheses, Correlhã)[7] Área macrossísmica: Distritos de Viana do Castelo e de Braga Vítimas: Um ferido ligeiro Danos materiais: Fendas em paredes, queda de caliça de tectos “ Diário do Minho” Braga 10 Junho 1931

“ A Aurora do Lima” Viana do Castelo 13 Junho 1931

“O “O Primeiro Primeiro de de Janeiro” Janeiro” 11-6-1931 11-6-1931

NOVO NOVOTREMOR TREMORDE DETERRA TERRA LANHESES, 9 – Os LANHESES, 9 – Os sismos sismos ee microssismos microssismos começados começados por 9 horas de hoje e repetidos por 9 horas de hoje e repetidos várias várias vezes vezes com com pequeno intervalo de tempo, fizeram pequeno intervalo de tempo, fizeram sair sair das das habitações habitações os os seus seus moradores, moradores, atónitos. atónitos. Quase Quase toda toda aa gente gente nesta nesta localidade localidade se se acha acha impressionada impressionada ee enervada com os tremores de terra. O enervada com os tremores de terra. O ruído ruído vindo vindo do do lado norte como se fosse explosão de dinamite lado norte como se fosse explosão de dinamite indica indica que queooepicentro epicentronão nãoestará estarálonge longe--C. C.

A. Ribeiro, 2011 [7]


Mar de Alboran – Fevereiro 1932 Dia e Hora: 5 de Fevereiro de 1932, 5h13 Epicentro: Mar de Alboran Magnitude: 4,6 [8] Intensidade máxima: IV/V (Sevilha) Área macrossísmica: Andaluzia, Norte de Marrocos, Centro e Sul de Portugal Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve

“O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 7-2-1932 7-2-1932

Os Os abalos abalos de de terra terra Mondim Mondim de de Basto, Basto, 55 –– Sentiu-se Sentiu-se nesta nesta vila, vila, às às 55 horas, um abalo sísmico, de pouca duração, horas, um abalo sísmico, de pouca duração, não não sendo sendo possível possível precisar-lhe precisar-lhe aa direcção. direcção. –– C. C. Serra Serra (Tomar), (Tomar), 55 –– Pelas Pelas 44 horas horas da da manhã, manhã, sentiu-se sentiu-se aqui aqui um um tremor tremor de de terra. terra. Não Não houve, houve, felizmente, felizmente, desastres desastres pessoais pessoais nem nem materiais materiais aa lamentar. lamentar.–– C. C.

“O “O Século” Século” 6-2-1932 6-2-1932

Em Em Lisboa Lisboa ee noutros noutros pontos pontos do do País País foi foi sentido, sentido, ontem, ontem, de de manhã, manhã, um um abalo abalo de de terra terra Ontem, Ontem, no no Observatório Observatório Central Central Meteorológico, Meteorológico, foi foi registado registado um um abalo abalo de de terra, terra, que que teve teve oo seu seu início início às às 55 horas, horas, 13 13 minutos minutos ee 52 52 segundos segundos ee que que durou durou 55 minutos minutos ee 24 24 segundos. segundos. AA distância distância do do epicentro epicentro deve deve ter ter sido sido inferior inferior aa 500 500 quilómetros. quilómetros. COIMBRA, 5 – T. – No Instituto Geofísico desta COIMBRA, 5 – T. – No Instituto Geofísico desta cidade cidade foi foi registado, registado, hoje, hoje, às às 55 horas, horas, 14 14 minutos minutos ee 22 segundos, segundos, um um abalo abalo sísmico sísmico cujo cujo epicentro epicentro devia devia ter ter sido sido aa 500 500 ou ou 520 520 quilómetros quilómetros de de distância. distância. LEIRIA, 5 – T. LEIRIA, 5 – T. –– Hoje, Hoje, às às 55 horas horas ee 13, 13, sentiu-se, sentiu-se, nesta nesta cidade, cidade, três três abalos abalos de de terra, terra, com com pouco pouco segundos segundos de de intervalo. intervalo. OO fenómeno fenómeno causou causou pânico pânico às às pessoas pessoas que que aquela aquela hora hora estavam estavam acordadas. acordadas. OO abalo sísmico abalo sísmico foi foi também também sentido sentido fortemente fortemente em em Olhão Olhão ee Mora, Mora, cerca cerca das das 55 horas, horas, tendo tendo pouca pouca duração; duração; em em Cercal Cercal do do Alentejo, Alentejo, às às 55 ee 10, 10, na na direcção direcção este-oeste, este-oeste, ee em em Loulé, Loulé, às às 55 horas, horas, seguindo-se seguindo-se uma uma violenta violenta trovoada. trovoada.

“O “O Século” Século” 7-2-1932 7-2-1932

OO abalo abalo de de terra terra ee um um aerólito aerólito OO abalo abalo de de terra terra de de anteontem anteontem foi foi também também sentido sentido nas nas seguintes seguintes localidades: localidades: em em Castro Castro Marim, Marim, Santo Santo Estevão Estevão (Tavira) (Tavira) ee Serra Serra (Tomar); (Tomar); em em Vila Vila Real Real de de Santo Santo António, António, às às 55 ee 15; 15; em em Estói e em Tavira, onde o fenómeno foi sentido duas vezes. Nesta cidade, viram-se no céu, Estói e em Tavira, onde o fenómeno foi sentido duas vezes. Nesta cidade, viram-se no céu, dois dois traços traços de de fogo fogo e, e, pouco pouco depois, depois, um um grande grande clarão, clarão, ao ao qual qual se se seguiu seguiu um um forte forte estampido, estampido, supondo-se supondo-se ser ser um um aerólito. aerólito. Depois Depois deste deste fenómeno, fenómeno, ouviram-se ouviram-se trovões trovões ee

“Diário de Lisboa” 5 Fevereiro 1932


SW Cabo de S. Vicente – Novembro 1934 Dia e Hora: 12 de Novembro de 1934, 8h32 Epicentro: Oceano Atlântico, SW do Cabo de S. Vicente Magnitude: 4,0 [6] Intensidade máxima: IV-V (Portimão) Área macrossísmica: Sul do país Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 13-11-1934 13-11-1934

“Diário de Lisboa” 12 Novembro 1934

Abalo Abalo de de terra terra OO sismógrafo sismógrafo do do Observatório Observatório da da Serra Serra do do Pilar Pilar registou registou ontem ontem um um abalo abalo sísmico, sísmico, às às 88 horas, horas, 32 32 minutos minutos de de 59 59 segundos, segundos, de de pouca pouca duração, duração, com com epicentro epicentro provável provável aa uma uma distância distância inferior inferior aa 1000 1000 quilómetros. quilómetros. COIMBRA, COIMBRA, 12 12 –– No No Instituto Instituto Geofísico Geofísico foi foi hoje hoje registado registado um um tremor tremor de de terra, terra, às às 88 horas, horas, 32 32 minutos minutos ee 44 segundos, segundos, aa uma uma distância distância provável provável de de 322 322 quilómetros quilómetros do do epicentro. epicentro. Este Este tremor tremor de de terra terra devia devia ter-se ter-se sentido sentido em em Lisboa. Lisboa. Violento abalo de terra Violento abalo de terra Esta Esta manhã, manhã, aa população população de de Lisboa Lisboa foi foi fortemente fortemente sacudida sacudida por por um um violento violento tremor tremor de de terra. terra. Os Os prédios prédios abanaram, abanaram, os os pequenos pequenos objectos objectos balouçaram balouçaram ee durante durante alguns alguns segundos segundos oo pânico pânico apoderou-se de todos os que se aperceberam do sismo. Facilmente se notou a existência apoderou-se de todos os que se aperceberam do sismo. Facilmente se notou a existência de de um um abalo, abalo, felizmente felizmente sem sem outras outras consequências consequências que que oo susto. susto. OO Observatório Observatório Central Central Meteorológico Meteorológico da da Faculdade Faculdade de de Ciências Ciências registou registou oo fenómeno fenómeno às às 88 horas, 32 minutos e 26 segundos, com a duração de cerca de 5 minutos e 25 segundos. horas, 32 minutos e 26 segundos, com a duração de cerca de 5 minutos e 25 segundos. AA distância distância do do epicentro epicentro era era de de 220 220 quilómetros, quilómetros, parecendo parecendo que que em em direcção direcção sul, sul, Alentejo Alentejo ee Algarve. Algarve. Em Em Portimão, Portimão, às às 88 ee 33, 33, sentiu-se sentiu-se um um forte forte abalo abalo de de terra terra na na cidade cidade ee arredores. arredores. Em outras localidades, o sismo foi também registado, não tendo Em outras localidades, o sismo foi também registado, não tendo havido havido prejuízos prejuízos materiais materiais ou ou desastres desastres pessoais. pessoais.


Banco da Galiza – Junho 1936 Dia e Hora: 20 de Junho de 1936, 15h03 Epicentro: Oceano Atlântico, Banco da Galiza Magnitude: 5,6 [1] Intensidade máxima: VI (Valença, Vigo) Área macrossísmica: Costa galega, Minho e distrito de Porto [9] Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve

NOTA: Formou-se um pequeno tsunami, observado em Vigo e no Porto [10].

“O Comércio de Guimarães” 25 Junho 1936

“Jornal de Notícias” 21 Junho 1936 “O Primeiro de Janeiro” 21 Junho 1936


Quarteira – Julho 1941 Dia e Hora: 10 de Julho de 1941, 5h57 Epicentro: Próximo de Quarteira Magnitude: 4,3 [6] Intensidade máxima: V (Quarteira) Área macrossísmica: Algarve Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve

“Diário de Lisboa” 11 Julho 1941

In In Anais Anais do do Obs. Obs. Central Central Meteor. Meteor. do do Infante Infante D. D. Luiz Luiz “Observações “Observações sismológicas sismológicas –– Ano Ano de de 1941” 1941” [11] [11] Faro: Faro: Às Às 4h57 4h57 (T.M.G.) (T.M.G.) sentiram-se sentiram-se dois dois abalos abalos consecutivos consecutivos acompanhados acompanhados de de grande grande ruído ruído subterrâneo. subterrâneo. Portimão: Às 7 h (T.M.G.) sentiu-se um abalo de curta duração que causou susto entre os habitantes. Portimão: Às 7 h (T.M.G.) sentiu-se um abalo de curta duração que causou susto entre os habitantes. Olhão: Olhão: Abalo Abalo cerca cerca das das 55 hh (T.M.G.) (T.M.G.) que que não não causou causou prejuízos prejuízos mas mas assustou assustou os os habitantes; habitantes; nalgumas nalgumas localidades localidades estes estes vieram vieram para para aa rua. rua. Quarteira: Quarteira: Abalo Abalo de de terra terra cerca cerca das das 55 hh (T.M.G.) (T.M.G.) acompanhado acompanhado dum dum grande grande estrondo; estrondo; muita muita gente gente veio veio para para aa rua. rua. OO fenómeno fenómeno repetiu-se repetiu-se vinte vinte minutos minutos mais mais tarde, tarde, embora embora menos menos violentamente. violentamente. Lagoa: Lagoa: Abalos Abalos de de terra terra às às mesmas mesmas horas horas ,, sendo sendo oo primeiro primeiro mais mais forte forte do do que que oo segundo. segundo. Armação Armação de de Pera: Pera: Os Os abalos abalos registaram-se registaram-se com com oo intervalo intervalo de de 11 minuto. minuto. Lagos: Lagos: OO fenómeno fenómeno foi foi de de curta curta duração duração mas mas fez-se fez-se sentir sentir com com violência. violência. Portimão e localidades limítrofes: O sismo teve pequena duração. Portimão e localidades limítrofes: O sismo teve pequena duração. (Imprensa) (Imprensa) O O sismo sismo foi foi registado registado em em Lisboa. Lisboa.


Falha da Glória – Novembro 1941 Dia e Hora: 25 de Novembro de 1941, 18h04 Epicentro: Oceano Atlântico, Falha da Glória Magnitude: 8,2 [10] Intensidade máxima: VI (Madeira) Área macrossísmica: Oeste da Península Ibérica, litoral de Marrocos, Madeira e Açores Vítimas: Alguns feridos, na maioria ligeiros, devido ao pânico e à queda de objectos Danos materiais: Derrube de chaminés, vidros e louça partidos NOTA: Formou-se um tsunami

F. Machado, 1970 [12]

“Correio do Minho” Braga 26 Novembro 1941


SW Cabo de S. Vicente – Dezembro 1941 Dia e Hora: 27 de Dezembro de 1941, 18h18 Epicentro: Oceano Atlântico, SW do Cabo de S. Vicente Magnitude: 5,5 [3] Intensidade máxima: IV/V (Beja, Santiago do Cacém) Área macrossísmica: Oeste, Grande Lisboa, Baixo Alentejo, Algarve e Marrocos [11, 13] Vítimas: Não houve Danos materiais: Fendas em alguns prédios. “Hoja del Lunes” Corunha 29 Dezembro 1941

T. Cherkaoui, 1988 [13] In In Anais Anais do do Obs. Obs. Central Central Meteor. Meteor. do do Infante Infante D. D. Luiz Luiz “Observações “Observações sismológicas sismológicas –– Ano Ano de de 1941” 1941” [11] [11]

Faro: Faro: Tremor Tremor de de terra terra às às 18h18m, 18h18m, sentido sentido por por algumas algumas das das pessoas pessoas que que se se encontravam encontravam em em casa casa ee por por algumas algumas das das que que se se encontravam encontravam ao ao ar ar livre. livre. Foi um abalo único, com certa de 60 segundos de duração, semelhante a uma ondulação um tanto lenta de S para N e acompanhado por um ruído Foi um abalo único, com certa de 60 segundos de duração, semelhante a uma ondulação um tanto lenta de S para N e acompanhado por um ruído muito muito fraco fraco ee surdo, surdo, quase quase imperceptível, imperceptível, vindo vindo do do Sul. Sul. Os Os madeiramentos madeiramentos rangeram rangeram fracamente. fracamente. As As portas portas ee janelas janelas trepidaram trepidaram um um pouco pouco mais mais fortemente fortemente do do que que quando quando oo comboio comboio passa passa diante diante da da casa. casa. Beja: Beja: Tremor Tremor de de terra terra acompanhado acompanhado de de ruído ruído subterrâneo. subterrâneo. (Imprensa) (Imprensa) Santiago de Cacém: Tremor de terra. Algumas Santiago de Cacém: Tremor de terra. Algumas pessoas pessoas abandonaram abandonaram as as suas suas casas. casas. (Imprensa) (Imprensa) Tremor Tremor de de terra terra às às 18h18, 18h18, constituído constituído por por um um único único abalo abalo com com aa duração duração de de 10 10 aa 12 12 segundos. segundos. Foi Foi sentido sentido por por todos todos quantos quantos se se encontravam encontravam em em casa, os quais se aperceberam imediatamente tratar-se dum sismo e também por algumas pessoas que estavam na rua. Pareceu ser um movimento casa, os quais se aperceberam imediatamente tratar-se dum sismo e também por algumas pessoas que estavam na rua. Pareceu ser um movimento de de lado, lado, talvez talvez com com aa direcção direcção N.S. N.S. Os Os madeiramentos madeiramentos rangeram rangeram um um pouco. pouco.


Espinho – Abril 1942 Dia e Hora: 27 de Abril de 1942, 6h32 Epicentro: Próximo de Espinho Magnitude: 4,0 [1] Intensidade máxima: V (Espinho) Área macrossísmica: Distrito do Porto e norte do distrito de Aveiro Vítimas: Não houve Danos materiais: Louça partida “O Democrata” Aveiro 2 Maio 1942

“Correio “Correio do do Minho” Minho” Braga Braga 28-4-1942 28-4-1942

No No Porto Porto houve houve ontem ontem um um abalo abalo de de terra terra PORTO, 27 – (Pelo telefone) – Esta PORTO, 27 – (Pelo telefone) – Esta manhã, manhã, cerca cerca das 6 horas, os sismógrafos registaram das 6 horas, os sismógrafos registaram um um abalo abalo de de terra, terra, mais mais forte forte no no sentido sentido vertical, vertical, ee cujo cujo epicentro deve estar colocado a cerca de epicentro deve estar colocado a cerca de 25 25 quilómetros. quilómetros. OO abalo abalo foi foi classificado classificado no no grau grau 4º 4º da da escala escala “Mercalli”. “Mercalli”. Dada Dada aa hora hora matutina, matutina, oo fenómeno fenómeno passou passou despercebido, despercebido, sentindo-se sentindo-se forte forte ventania, que passou por um ciclone ligeiro. ventania, que passou por um ciclone ligeiro. FAMALICÃO, FAMALICÃO, 27 27 –– Às Às 55 horas horas da da manhã manhã de de hoje hoje sentiu-se sentiu-se nesta nesta vila vila um um forte forte abalo abalo de de terra, terra, que que não causou, felizmente, prejuízos materiais não causou, felizmente, prejuízos materiais ou ou vítimas. vítimas.

“O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 28-4-1942 28-4-1942

“O “O Comércio Comércio de de Penafiel” Penafiel” 2-5-1942 2-5-1942

Abalo Abalo de de terra terra Pouco Pouco depois depois das das 66 horas horas de de segundasegundafeira, sentiu-se nesta cidade um feira, sentiu-se nesta cidade um forte forte abalo abalo de de terra, terra, felizmente felizmente sem sem consequências consequências além além do do susto. susto.

Foi Foi registado, registado, ontem, ontem, um um abalo abalo de de terra terra com com aa duração duração de de 30 30 segundos segundos No No nosso nosso País País sentiu-se, sentiu-se, ontem, ontem, um um abalo abalo de de terra, terra, que que foi foi registado registado às às 66 horas, 32 minutos e 25 segundos, pelo sismógrafo da Serra do Pilar. horas, 32 minutos e 25 segundos, pelo sismógrafo da Serra do Pilar. Foi Foi em em direcção direcção vertical vertical ee com com aa duração duração de de 30 30 segundos. segundos. AA distância distância epicentral epicentral deve deve ter ter sido sido aa cerca cerca de de 25 25 quilómetros. quilómetros. OO fenómeno fenómeno foi foi sentido sentido nesta nesta cidade, cidade, especialmente especialmente na na parte parte alta. alta. Também nos arredores e em algumas terras distantes se sentiu Também nos arredores e em algumas terras distantes se sentiu oo tremor tremor de de terra, conforme nos informaram os nossos correspondentes em Ermesinde, terra, conforme nos informaram os nossos correspondentes em Ermesinde, Serzedo, Serzedo, Perosinho, Perosinho, Freamunde, Freamunde, Vila Vila de de Paredes, Paredes, Melres, Melres, Espinho Espinho ee Vila Vila da da Feira. Feira.


Minho – Junho 1943 Dia e Hora: 22 de Junho de 1943, 21h32 Epicentro: Magnitude: 4,4 [1] Intensidade máxima: V (Esposende, Viana do Castelo) Área macrossísmica: Distritos de Braga e Viana do Castelo Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 23-6-1943 23-6-1943

Tremor Tremor de de terra terra Ontem, pouco Ontem, pouco depois depois das das 21 21 horas horas ee meia, meia, sentiu-se sentiu-se nesta nesta cidade cidade um um leve leve tremor tremor de terra de curta duração que não causou, felizmente, prejuízos. O abalo, de terra de curta duração que não causou, felizmente, prejuízos. O abalo, porém, porém, não não se se sentiu sentiu apenas apenas no no Porto, Porto, como como se se pode pode verificar verificar por por algumas algumas informações informações dos nossos correspondentes, mas também em outras localidades dos nossos correspondentes, mas também em outras localidades ee mais mais sensivelmente. sensivelmente. Em Em Viana Viana do do Castelo Castelo VIANA VIANA DO DO CASTELO, CASTELO, 22 22 (Pelo (Pelo telefone) telefone) –– Às Às 21 21 horas horas ee 36 36 minutos, minutos, sentiu-se sentiu-se nesta cidade um forte abalo de terra, que durou alguns segundos e embora nesta cidade um forte abalo de terra, que durou alguns segundos e embora não não tenha tenha causado causado danos, danos, provocou provocou alarme alarme entre entre aa população, população, principalmente principalmente nos nos bairros bairros piscatórios piscatórios ee na na Bandeira, Bandeira, cujos cujos moradores moradores saíram saíram para para aa rua rua –– C. C. Em Em Vizela Vizela VIZELA, VIZELA, 22 22 (Pelo (Pelo telefone) telefone) –– Às Às 21 21 horas horas ee 37 37 minutos minutos foi foi sentido sentido um um forte forte tremor tremor de de terra terra que que durou durou cerca cerca de de 12 12 segundos. segundos. Não Não consta consta que que haja haja nada nada de de grave grave –– C. C. No Castelo da Maia No Castelo da Maia CASTELO CASTELO DA DA MAIA, MAIA, 22 22 (Pelo (Pelo telefone) telefone) –– Por Por volta volta das das 21 21 horas horas ee 34 34 minutos minutos sentiu-se sentiu-se um um forte forte abalo abalo de de terra, terra, acompanhado acompanhado dum dum ruído ruído subterrâneo subterrâneo –– C. C. Em Em Braga Braga BRAGA, BRAGA, 22 22 (Pelo (Pelo telefone) telefone) –– Às Às 21 21 ee 45, 45, sentiu-se sentiu-se nesta nesta cidade cidade um um abalo abalo de de terra terra de de curta curta duração. duração. OO abalo abalo foi foi sentido sentido unicamente unicamente pelas pelas pessoas pessoas que que estavam estavam dentro dentro de de casa casa –– C. C.

“Cardeal Saraiva” Ponte de Lima 26 Junho 1943

“Diário “Diário de de Notícias” Notícias” 24-6-1943 24-6-1943

ABALO ABALO DE DE TERRA TERRA Em Viana do Em Viana do Castelo Castelo VILA VILA NOVA NOVA DE DE CERVEIRA, CERVEIRA, 23 23 –– Ontem, Ontem, às às 23 23 horas, horas, sentiu-se sentiu-se um um forte forte tremor tremor de de terra terra que que causou causou pânico. pânico. Não Não houve houve quaisquer desastres. quaisquer desastres. AFIFE, AFIFE, 23 23 –– Cerca Cerca das das 21,30, 21,30, um um forte forte abalo abalo de de terra, terra, de de pouca pouca duração, duração, sentiu-se sentiu-se nesta nesta localidade, localidade, tendo tendo causado causado alarme alarme na na população. população.

“O “O Cávado” Cávado”

Esposende Esposende

27-6-1943 27-6-1943

Tremor Tremor de de terra terra Terça-feira, Terça-feira, por por volta volta das das 9,30, 9,30, foi foi sentido sentido nesta nesta vila, vila, com com curta curta duração, duração, um um violento violento abalo abalo sísmico, sísmico, que que causou causou pânico pânico entre entre aa população, população, que que chegou chegou aa sair sair para para aa rua rua espavorida. espavorida. Não Não teve teve consequências consequências de de maior, maior, limitando-se limitando-se os os seus seus efeitos efeitos apenas apenas ao ao susto. susto. Notícias 26 Notícias de de Forjães Forjães 26 de de Junho Junho Abalo sísmico Abalo sísmico Na Na passada passada terça-feira, terça-feira, pelas pelas 21,30 21,30 horas, horas, sentiu-se sentiu-se aqui aqui um um forte tremor de terra, o qual causou pânico nos habitantes forte tremor de terra, o qual causou pânico nos habitantes desta desta localidade. localidade.


Santa Susana, Redondo – Julho 1944 Dia e Hora: 29 de Julho de 1944, 1h17 Epicentro: Redondo Magnitude: 4,3 [6] Intensidade máxima: V (Sta. Susana - Redondo) Área macrossísmica: Distrito de Évora Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve In In Anais Anais do do Obs. Obs. Central Central Meteor. Meteor. do do Infante Infante D. D. Luiz Luiz “Observações “Observações sismológicas sismológicas –– Ano Ano de de 1944” 1944” [11] [11] Santa Santa Susana Susana (Redondo): (Redondo): OO abalo abalo fez fez com com que que dois dois leitos leitos que que estavam estavam juntos juntos no no mesmo mesmo quarto quarto se se tocassem tocassem um um no no outro. outro. Redondo: Redondo: Abalo Abalo de de terra terra às às 0h15m 0h15m (T.M.G.), (T.M.G.), que que acordou acordou oo declarante declarante ee sua esposa. Foi um ligeiro movimento oscilatório, acompanhado sua esposa. Foi um ligeiro movimento oscilatório, acompanhado dum dum grande grande ruído ruído semelhante semelhante ao ao dum dum camião camião monstro monstro que que se se deslocasse deslocasse no no sentido sentido noroeste-sueste. noroeste-sueste. Não Não houve houve estragos. estragos. Évora: Évora: Ligeira Ligeira trepidação trepidação do do solo, solo, de de pequena pequena duração. duração. Foi Foi denunciada denunciada pelo pelo sismoscópio sismoscópio da da Estação Estação Meteorológica Meteorológica às às 0h17m 0h17m (T.M.G.). (T.M.G.). Sentiu-se Sentiu-se na na rua. rua. S. S. Manços Manços (Évora): (Évora): Tremor Tremor de de terra terra às às 0h15m 0h15m (T.M.G.), (T.M.G.), que que acordou acordou oo declarante e três pessoas de sua família e foi sentido por pastores declarante e três pessoas de sua família e foi sentido por pastores ee guardas guardas de de vinhas, vinhas, no no campo. campo. Houve Houve pouco pouco pânico. pânico. Foram Foram três três fenómenos, fenómenos, dois dois deles deles espaçados espaçados de de poucos poucos segundos segundos ee oo terceiro terceiro 15m 15m depois; depois; oo primeiro primeiro ee oo terceiro terceiro foram foram simplesmente simplesmente ruídos, ruídos, enquanto enquanto que que oo segundo segundo foi foi um um choque dirigido de baixo para cima. Não houve desastres materiais. choque dirigido de baixo para cima. Não houve desastres materiais. Montemor-o-Novo: Montemor-o-Novo: Tremor Tremor de de terra terra às às 0h45m 0h45m (T.M.G.), (T.M.G.), constituído constituído por por um um único único abalo, abalo, análogo análogo aa uma uma trepidação. trepidação. Precedido Precedido ee acompanhado acompanhado de de barulho subterrâneo. Os madeiramentos rangeram. barulho subterrâneo. Os madeiramentos rangeram.

LNEC, 1986 [6]


W de Lisboa – Outubro 1947 Dia e Hora: 2 de Outubro de 1947, 21h35 Epicentro: Oceano Atlântico, W de Lisboa Magnitude: 5,1 [1] Intensidade máxima: IV/V (Lisboa, Sintra, Cascais, Montijo, Almada) Área macrossísmica: Grande Lisboa, Oeste, Ribatejo, Alentejo e localidades fronteiriças espanholas Vítimas: Uma morte em Lisboa (ataque cardíaco) e 5 feridos (pânico) Danos materiais: Vidros e louças partidos, fendas nas paredes

“Diário de Lisboa” 3 Outubro 1947

SMN, 1955 [14]


Condeixa – Agosto 1948 Dia e Hora: 13 de Agosto de 1948, 00h03 (12 de Agosto, Tempo Universal) Epicentro: Condeixa Magnitude: 5,0 [5] Intensidade máxima: VI (Condeixa) Área macrossísmica: Distritos de Coimbra, Aveiro, Viseu, Porto e áreas limítrofes Vítimas: Não houve Danos materiais: Fendas nas paredes de algumas casas “O Democrata” Aveiro 14 Agosto 1948

“Diário de Lisboa” 13 Agosto 1948

“Ecos de Cacia” 21 Agosto 1948

SMN, 1955 [14]


Minho – Novembro 1948 Dia e Hora: 18 de Novembro de 1948, 3h35 Epicentro: Nas proximidades de Barcelos Magnitude: 5,0 [5] Intensidade máxima: V (Viana do Castelo) Área macrossísmica: Metade norte de Portugal e sul da Galiza Vítimas: Um morto (ataque cardíaco) em Alijó [15] Danos materiais: Ligeiros estragos em edifícios, louça e vidros partidos “Diário de Lisboa” 18 Novembro 1948

“O Cávado” Esposende 21 Novembro 1948

SMN, 1955 [14]


Mondim de Basto – Julho 1952 Dia e Hora: 29 de Julho de 1952, 7h08 Epicentro: Mondim de Basto Magnitude: 4,2 [6] Intensidade máxima: V (Atei, Celorico de Basto, Mondim de Basto) Área macrossísmica: Norte do país Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 30-7-1952 30-7-1952

CAUSOU CAUSOUALARME ALARMENAS NASRESPECTIVAS RESPECTIVASPOPULAÇÕES POPULAÇÕESUM UMTREMOR TREMORDE DETERRA TERRAQUE QUEONTEM ONTEMSE SE FEZ FEZSENTIR SENTIREM EMVÁRIAS VÁRIASLOCALIDADES LOCALIDADESDO DONORTE NORTEDO DOPAÍS PAÍS VILA VILA REAL, REAL, 29 29 –– Hoje, Hoje, às às 77 horas horas ee 99 minutos minutos aa nossa nossa região região foi foi sacudida sacudida por por um um curto curto mas mas violento violento tremor tremor de de terra, terra, que que originou originou algum algum pânico pânico em em algumas algumas casas, casas, tendo tendo os os seus seus moradores moradoresfugido fugidopara paraas asruas ruaseequintais. quintais. Os Osprejuízos prejuízos registados registadosem em algumas algumas casas casaslimitam-se limitam-se ao ao deslocamento deslocamento de de louças louçasee peças peçasde de mobiliário, mobiliário,não nãohavendo havendo desastres desastrespessoais pessoaisaalamentar. lamentar.OOposto postometeorológico meteorológicodo doLiceu Liceunão não registou registouoofenómeno. fenómeno.––C. C. Em EmMoncorvo Moncorvotambém tambémse sesentiu sentiuootremor tremorde deterra terra MONCORVO, MONCORVO, 29 29 –– Esta Esta vila vila foi foi hoje hoje sacudida sacudida por por um um violento violento tremor tremor de de terra. terra. Principiou Principiou oo sismo sismoàs às77horas horasee77minutos minutos(hora (horasolar) solar)com comaaduração duraçãode dedois doissegundos. segundos.––C. C. Em EmAlijó Alijóaapopulação populaçãoassustou-se assustou-secomo comoootremor tremorde deterra terraque queabalou abalouaavila vila ALIJÓ, ALIJÓ, 29 29 –– Violento Violento tremor tremor de de terra terra abalou abalou esta esta vila vila às às 77 horas horas de de hoje, hoje, causando causando pânico pânico entre entreaapopulação. população.––C. C. OOsismo sismofoi foiregistado registadono noObservatório Observatórioda daSerra Serrado doPilar Pilar OO sismógrafo sismógrafo do do Observatório Observatório Meteorológico Meteorológico da da Serra Serra do do Pilar Pilar registou registou ontem ontem às às 77 horas, horas, 77 minutos, minutos, 40 40 segundos segundos ee 22 décimos décimos –– hora hora de de Verão Verão –– um um abalo abalo de de terra terra cujo cujo epicentro epicentro foi foi assinalado assinalado aa cerca cerca de de 70 70 quilómetros quilómetros de de distância. distância. OO abalo, abalo, de de fraca fraca intensidade, intensidade, chegou, chegou, todavia, todavia, aa deslocar, deslocar, embora embora ligeiramente, ligeiramente, as as agulhas agulhas registadoras registadoras dos dos aparelhos aparelhos ee foi foi sentido sentido no no Porto Porto ee seus seus arredores, arredores, causando causando certo certo alarme, alarme, pelo pelo que que várias várias pessoas pessoas se se dirigiram, dirigiram,telefonicamente, telefonicamente,àquele àqueleobservatório, observatório,solicitando solicitandoinformações. informações.

J. C. Baptista, 1998 [16]

“Diário de Lisboa” 29 Julho 1952


SW do Cabo de S. Vicente – Agosto 1956 Dia e Hora: 16 de Agosto de 1956, 3h10 Epicentro: SE do Cabo de S. Vicente Magnitude: 5,0 [3] Intensidade máxima: VI (Aljezur) Área macrossísmica: Alentejo, Algarve, Grande Lisboa, Huelva Vítimas: Não houve Danos materiais: Alguns danos em paredes e muros “Diário de Lisboa” 16 Agosto 1956

IGC [4] “ABC” 17 Agosto 1956


Serra da Padrela – Julho 1957 Dia e Hora: 14 de Julho de 1957, 7h41 Epicentro: Serra da Padrela [7] Magnitude: 4,3 [7] Intensidade máxima: V (Boticas, Valpaços) Área macrossísmica: Norte do distrito de Vila Real Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 15-7-1957 15-7-1957

AS AS PROVÍNCIAS PROVÍNCIAS DIA DIA AA DIA DIA Foi Foisentido, sentido,na namanhã manhã de deontem, ontem,violentíssimo violentíssimoabalo abalo de deterra terrana naregião região de deValpaços Valpaços VALPAÇOS, VALPAÇOS, 14 14 –– Hoje, Hoje, pelas pelas 7,42, 7,42, foi foi esta esta vila vila sacudida sacudida por por violento violento tremor tremor de de terra. terra. OO sismo foi de curta duração, mas causou grande pânico nos habitantes. sismo foi de curta duração, mas causou grande pânico nos habitantes.

“Diário “Diário de de Notícias” Notícias”

15-7-1957 15-7-1957

“Notícias “Notícias de de Chaves” Chaves”

20-7-1957 20-7-1957

ABALO ABALO DE DE TERRA TERRA EM EM BOTICAS BOTICAS PORTO, PORTO, 14 14 –– Às Às 7,35 7,35 foi foi sentido, sentido, na na vila vila de de Boticas, Boticas, um um tremor tremor de de terra terra de de certa certa violência, que causou pânico entre a população. Muita gente saiu para a violência, que causou pânico entre a população. Muita gente saiu para a rua rua espavorida, espavorida, julgando julgando que que as as casas casas iam iam desabar. desabar. No No entanto, entanto, oo abalo abalo não não causou causou qualquer qualquer prejuízo, prejuízo, nem nem se se registaram registaram desastres desastres pessoais. pessoais. OO abalo de terra foi registado no Observatório da abalo de terra foi registado no Observatório da Serra Serra do do Pilar, Pilar, às às 7.41, 7.41, localizandolocalizandose o epicentro a 135 quilómetros a norte do Porto. se o epicentro a 135 quilómetros a norte do Porto.

Um Um tremor tremor de de terra terra Por volta das Por volta das 88 horas horas do do passado passado domingo, domingo, registou-se registou-se nesta nesta cidade cidade um um violento violento abalo abalo sísmico sísmico de de curta curta duração, duração, que, que, embora, embora, felizmente, felizmente, não não tenha tenha causado causado prejuízos, prejuízos, assustou assustounumerosas numerosas pessoas. pessoas.

A. Ribeiro, 2011 [7]


Golfo de Cádis – Julho 1957 Dia e Hora: 15 de Julho de 1957, 10h36 Epicentro: Golfo de Cádis Magnitude: 4,8 [3] Intensidade máxima: IV (Faro, Olhão, Tavira, Aiamonte) Área macrossísmica: Leste do Algarve e província de Huelva (Espanha) Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 16-7-1957 16-7-1957

Abalo Abalode deterra terraem emEspanha Espanha AYAMONTE, 15 – AYAMONTE, 15 –Às Às11 11ee20 20de dehoje hojesentiu-se sentiu-se aqui um abalo de terra, acompanhado aqui um abalo de terra, acompanhadode de ruídos ruídossubterrâneos, subterrâneos,com comaaduração duraçãode de33 segundos segundoseefazendo fazendotremer tremeralicerces alicercesde de edifícios e oscilar objectos, o edifícios e oscilar objectos, oque quecausou causouoo pânico pânicoda dapopulação população––EFE. EFE. AS PROVÍNCIAS AS PROVÍNCIASDIA DIAAADIA DIA Em EmFARO FAROeeOLHÃO OLHÃOfoi foisentido sentidoum umtremor tremorde de terra que causou certo alarme terra que causou certo alarme OLHÃO, OLHÃO,15 15––Hoje, Hoje,pelas pelas10 10horas horasee55, 55, sentiu-se em Olhão e Faro um sentiu-se em Olhão e Faro umtremor tremorde de terra, terra,com commais maisduração duraçãonesta nestaúltima últimacidade, cidade, onde ondemuita muitagente gentese seassustou, assustou,em emvirtude virtudedo do suposto boato que corre por toda a suposto boato que corre por toda aparte, parte,de de acontecimentos acontecimentosinesperados inesperadospara paraamanhã, amanhã, que queno no“Diário “Diáriode deLisboa” Lisboa”se sefaz fazeco. eco.

“Diário de Lisboa” 16 Julho 1957

IGC [4]


Alvito – Janeiro 1958 Dia e Hora: 7 de Janeiro de 1958, 14h35 Epicentro: Alvito Magnitude: 4,6 [3] Intensidade máxima: V (Alvito) Área macrossísmica: Distritos de Beja e Évora Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve

“Diário de Lisboa” 7 Janeiro 1958

“Diário de Lisboa” 8 Janeiro 1958

SMN, 1959 [4]


Celeirós – Maio 1960 Dia e Hora: 3 de Maio de 1960, 23h57 Epicentro: Celeirós Magnitude: 4,4 [1] Intensidade máxima: V (Celeirós, Leitões) Área macrossísmica: Distrito de Braga e parte do distrito do Porto Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto” 4-5-1960 4-5-1960

SENTIU-SE SENTIU-SEUM UMFORTE FORTEABALO ABALODE DETERRA TERRANESTA NESTACIDADE CIDADEEEEM EMALGUNS ALGUNSCONCELHOS CONCELHOSDO DONORTE NORTE Embora não em toda a cidade, pelo menos próximo da zona marítima, sentiu-se hoje, Embora não em toda a cidade, pelo menos próximo da zona marítima, sentiu-se hoje, cerca cerca da da meiameianoite, um forte abalo de terra cuja duração foi aproximadamente de cinco segundos. Sem qualquer noite, um forte abalo de terra cuja duração foi aproximadamente de cinco segundos. Sem qualquer informação informação oficial oficial sobre sobre oo sismo, sismo, pois, pois, aa despeito despeito de de procurarmos procurarmos junto junto dos dos serviços serviços oficiais oficiais que que acompanham estes fenómenos, àquela hora estavam encerrados, foram os nossos amáveis acompanham estes fenómenos, àquela hora estavam encerrados, foram os nossos amáveis ee solícitos solícitos leitores leitoreseecorrespondentes correspondentesque quenos nosderam deramnotícias notíciasdo doabalo abalode deterra. terra. Assim, em algumas das zonas residenciais próximas da Foz do Assim, em algumas das zonas residenciais próximas da Foz doDouro Douro––pois poisno nocentro centroda dacidade cidadenão não foi assinalado o fenómeno – sentiu-se fortemente o abalo de terra, precedido dum estranho foi assinalado o fenómeno – sentiu-se fortemente o abalo de terra, precedido dum estranhoruído ruído subterrâneo. subterrâneo.Uma Umasenhora senhoraresidente residentena naAvenida AvenidaMarechal MarechalGomes Gomesda daCosta, Costa,em emcomunicação comunicação telefónica para o nosso jornal, revelou-nos que sentiu ranger os móveis e tremer telefónica para o nosso jornal, revelou-nos que sentiu ranger os móveis e tremerooquarto quartoonde ondehá há pouco recolhera. Ouviu, ainda, um ruído semelhante ao do trovão. pouco recolhera. Ouviu, ainda, um ruído semelhante ao do trovão. Outros Outrosleitores leitoresnossos nossoscomunicaram, comunicaram,também, também,terem teremsentido sentidoooabalo abalode deterra, terra,procurando procurandosaber saberde de nós uma informação tranquilizadora que, infelizmente, não podemos fornecer por, como acima nós uma informação tranquilizadora que, infelizmente, não podemos fornecer por, como acima dissemos, dissemos,não nãofuncionarem funcionaremàquela àquelahora horaos osserviços serviçosoficiais oficiaisde deobservação observaçãometeorológica meteorológicaee sismográfica. sismográfica. FAMALICÃO, FAMALICÃO,33––Próximo Próximoda dameia-noite, meia-noite,esta estavila vilafoi foisacudida sacudidapor porviolento violentotremor tremorde deterra, terra,que, que,aliás, aliás, foi de curta duração. Grande parte da população, que dormia nessa altura, saiu para as ruas, foi de curta duração. Grande parte da população, que dormia nessa altura, saiu para as ruas, assustada. assustada.Embora Emboraas ascasas casastremessem tremessemfortemente, fortemente,não nãohá hánotícias notíciasde dequaisquer quaisquerestragos. estragos. BRAGA, 3 – Precedido de um ruído subterrâneo, verificou-se aqui, perto BRAGA, 3 – Precedido de um ruído subterrâneo, verificou-se aqui, pertoda dameia-noite, meia-noite,um umabalo abalode de terra.Vendo baloiçar as louças nas prateleiras e as casas a abanarem, as pessoas mais assustadiças terra.Vendo baloiçar as louças nas prateleiras e as casas a abanarem, as pessoas mais assustadiças vieram vierampara paraaarua. rua.Nos Noscafés caféseecasas casasde deespectáculos espectáculossentiu-se, sentiu-se,também, também,oosismo, sismo,que quenão nãodeixou deixoude de causar certa inquietação. causar certa inquietação. SANTO SANTOTIRSO, TIRSO,33––Sentiu-se, Sentiu-se,nesta nestavila, vila,quase quaseao aodar daraameia-noite, meia-noite,um umforte fortetremor tremorde deterra. terra. As casas abanaram e, embora não tenha havido pânico, o sismo não deixou de impressionar As casas abanaram e, embora não tenha havido pânico, o sismo não deixou de impressionarmuitas muitas pessoas pessoasque queestavam estavamainda aindaaapé péàquela àquelahora. hora.

SMN, 1961 [4]


Canhão da Nazaré – Maio 1960 Dia e Hora: 7 de Maio de 1960, 12h04 Epicentro: Oceano Atlântico, W da Nazaré Magnitude: 4,0 [1] Intensidade máxima: V (Alcobaça, Maceira, Porto de Mós) Área macrossísmica: A maior parte do distrito de Leiria e vizinhanças Vítimas: Não houve Danos materiais: Fendas em alguns edifícios

“Diário de Lisboa” 7 Maio 1960

SMN, 1961 [4]


Deão – Novembro 1960 Dia e Hora: 5 de Novembro de 1960, 16h18 Epicentro: Cardielos-Deão (Viana do Castelo) Magnitude: 4,4 [1] Intensidade máxima: V (Cardielos, Deão e Meadela) Área macrossísmica: Distritos de Braga e de Viana do Castelo Vítimas: Não houve Danos materiais: Não houve “O “O Comércio Comércio do do Porto” Porto”

6-11-1960 6-11-1960

AS ASPROVÍNCIAS PROVÍNCIASDIA DIAAADIA DIA Na região de Viana Na região de Viana do do Castelo Castelo foram foram sentidos sentidos dois dois pequenos pequenos abalos abalos de de terra terra mas mas sem sem consequências de maior consequências de maior VIANA VIANA DO DO CASTELO, CASTELO, 55 –– Pelas Pelas 16,10 16,10 horas horas de de hoje, hoje, sentiram-se, sentiram-se, nesta nesta cidade cidade ee arredores, dois abalos de pequena duração, sendo o primeiro mais forte. Na freguesia arredores, dois abalos de pequena duração, sendo o primeiro mais forte. Na freguesiada da Areosa, Areosa, alguns alguns moradores moradores fugiram fugiram de de suas suas casas, casas, assustados. assustados. Não Não se se registaram, registaram, porém, porém, felizmente, felizmente,estragos estragosnem nemvítimas. vítimas.

“Diário “Diário do do Minho” Minho”

Braga Braga 6-11-1960 6-11-1960

PELA PELACIDADE CIDADE AATERRA TERRATREMEU TREMEUONTEM ONTEMEM EMBRAGA BRAGA Ontem, Ontem,às às16,30 16,30horas horasprecisas precisassentiu-se sentiu-senesta nestacidade cidadeeearredores arredoresum umviolento violentotremor tremorde de terra terraque quechegou chegou aacausar causarpânico pânico nas naspopulações populaçõesdas dasfreguesias freguesiasrurais ruraisonde ondeoosismo sismoteve teve mais maisrepercussão. repercussão. OOextraordinário extraordinário fenómeno fenómenofoi foiassinalado assinaladopor pordois doisgrandes grandestrovões, trovões,um umaaseguir seguirao aooutro outro com compequeno pequenointervalo, intervalo,eeoosolo soloestremeceu estremeceucom comviolência. violência. Felizmente, Felizmente,não nãohá hánotícia notíciade dequaisquer quaisquerdesastres desastrespessoais. pessoais.

SMN, 1961 [4]


Principais sismos que atingiram Portugal Continental (1921-1960) Epicentro

Dia

Hora (TUC)

Latitude

Longitude

Local

Intensidade máxima (MM1956)

Magnitude

1

20 Outubro 1922

20h22

37,00 N

10,00 W

Atlântico, SW do Cabo de S. Vicente

IV-V

5,2

2

2 Março 1924

6h45

38,90 N

8,80 W

Benavente

V

5,0

3

24 Outubro 1924

17h01

37,10 N

8,30 W

Algarve Ocidental

V

4,4

4

7 Julho 1925

18h28

39,50 N

8,70 W

Vale de Figueira

V

4,6

5

28 Fevereiro 1926

22h12

38,60 N

7,90 W

Évora

VII

5,6

6

18 Dezembro 1926

14h45

38,70 N

9,10 W

Lisboa

VI

4,8

7

18 Maio 1927

1h42

38,70 N

8,30 W

Vendas Novas

V

4,2

8

28 Setembro 1927

15h29

40,40 N

8,30 W

Região de Mortágua

V

4,3

9

8 Novembro 1927

4h02

37,40 N

9,10 W

Atlântico, SW do Cabo de S. Vicente

V

4,2

10

8 Fevereiro 1928

1h40

38,60 N

7,80 W

Região de Évora

V

4,4

11

10 Fevereiro 1930

8h04

37,00 N

8,50 W

Atlântico, Sul de Lagoa

VI

5,0

12

20 Maio 1931

2h24

37,50 N

16,00 W

Atlântico, Falha da Glória

V-VI

7,1

13

9 Junho 1931

8h37

41,70 N

8,60 W

Vale do Lima

V

4,2

14

5 Fevereiro 1932

5h13

35,60 N

4,50 W

Mar de Alboran

IV-V

4,6

15

12 Novembro 1934

8h32

37,00 N

10,00 W

Atlântico, SW do Cabo de S. Vicente

IV-V

4,0

16

20 Junho 1936

14h03

42,50 N

11,00 W

Atlântico, Banco da Galiza

VI

5,6

17

10 Julho 1941

4h57

38,10 N

8,00 W

Quarteira

V

4,3


Principais sismos que atingiram Portugal Continental (1921-1960) Epicentro Dia

Hora (TUC)

Latitude

Longitude

Local

Intensidade máxima (MM1956)

Magnitude

18

25 Novembro 1941

18h04

37,40 N

19,00 W

Atlântico, Falha da Glória

VI

8,2

19

27 Dezembro 1941

18h18

35,80 N

10,00 W

Atlântico, SW do Cabo de S. Vicente

IV-V

5,5

20

27 Abril 1942

4h32

41,00 N

8,60 W

Espinho

V

4,0

21

22 Junho 1943

19h32

41,30 N

8,40 W

Minho

V

4,3

22

29 Julho 1944

0h17

38,60 N

7,60 W

Santa Susana (Redondo)

V

4,3

23

2 Outubro 1947

20h35

38,50 N

9,90 W

Atlântico, W de Lisboa

IV-V

5,1

24

12 Agosto 1948

23h03

40,10 N

8,60 W

Condeixa

VI

5,2

25

18 Novembro 1948

3h35

41,50 N

8,50 W

Minho

V

5,0

26

29 Julho 1952

6h08

41,40 N

8,00 W

Mondim de Basto

V

4,2

27

16 Agosto 1956

2h10

36,60 N

8,60 W

Atlântico, SW do Cabo de S. Vicente

VI

5,0

28

14 Julho 1957

6h41

41,60 N

7,50 W

Serra da Padrela

V

4,3

29

15 Julho 1957

9h36

36,40 N

7,50 W

Golfo de Cádis

IV

4,8

30

7 Janeiro 1958

14h34

38,30 N

8,00 W

Alvito

V

4,6

31

3 Maio 1960

22h57

41,50 N

8,40 W

Celeirós

V

4,4

32

7 Maio 1960

11h04

39,40 N

9,10 W

Atlântico, Canhão da Nazaré

V

4,0

33

5 Novembro 1960

16h18

41,70 N

8,80 W

Cardielos-Deão

V

4,4


REFERÊNCIAS • • • • • • • • • • • • • • • •

[1] Serviço Meteorológico Nacional (1976). Catálogo sísmico no período 1902-1975. Pub. em Dados de base sobre risco sísmico em Portugal, Relatório LNEC, Lisboa, Janeiro 1976. [2] Miranda, R. (1931). Tremores de terra em Portugal (1923-1930). Coimbra. [3] Instituto Geográfico Nacional (s/data). Catálogo Sísmico Nacional. Madrid. [4] Mezcua, J. (1982). Catálogo General de Isosistas de la Península Ibérica, Publ. 202, Instituto Geográfico Nacional, Madrid. [5] Senos, M. L., Ramalhete, D. e Taquelim, M. J. (1994). Estudo dos principais sismos que atingiram o território de Portugal Continental. Monografia Nº 46, Instituto de Meteorologia e Geofísica, Lisboa. [6] Laboratório Nacional de Engenharia Civil (1986). A sismicidade histórica e a revisão do catálogo sísmico. Relatório LNEC, Lisboa. [7] Correia, A. P. e Ribeiro, J. (2011). Resultados não publicados. [8] Martins, I. e Mendes Víctor, L. A. (1990). Contribuição para o estudo da sismicidade de Portugal Continental. Publicação Nº 18, Instituto Geofísico do Infante D. Luís, Lisboa. [9] Correia, A. P. e Ribeiro, J. (2004). Contributo para o estudo dos sismos sentidos no Minho em 1932 e 1936. Esposende. [10] Moreira, V. S. (1991). Historical seismicity and seismotectonics of the area situated between the Iberian Peninsula, Morocco, Selvagens and Azores Islands. Pub. em Mezcua, J. and Udías, A. (eds.), Seismicity, Seismotectonics and Seismic Risk of the Ibero-Maghrebian Region, 213-225, Monografia Num. 8, Instituto Geografico Nacional, Madrid. [11] Observatório Central Meteorológico do Infante D. Luís (1942-1947). Anais do OCMIDL, III Parte. Observações sismológicas. – Anos de 1941, 1942 e 1943, Lisboa. [12] Machado, F. (1970). Curso de sismologia, Ensaios, Estudos e Documentos Nº 125, Junta de Investigações do Ultramar, Lisboa. [13] Cherkaoui T.-E. (1988). Fichier des séismes du Maroc et des régions limitrophes: 1901-1984. Trav. Inst. Scien.; Série géol. géogr. phys.; n°17; Rabat. [14] Serviço Meteorológico Nacional (1955). Anuário Sismológico de Portugal, nº 1 (1947) e nº 2 (1948), Lisboa. [15] Correia, A. P. and Ribeiro, J. (2011). Killer earthquakes in Portugal (mainland). Pub. in Earthquake-Report http://earthquake-report.com/2011/02/07/killer-earthquakes-in-portugal-mainland/. [16] Baptista, J. C. (1998). Estudo neotectónico da zona de falha Penacova-Régua-Verin. Tese de doutoramento, UTAD, Vila Real.


OUTRAS FONTES COLECÇÕES DE JORNAIS:

Biblioteca Digital do Alentejo Biblioteca Geral Digital da Universidade de Coimbra Biblioteca Geral da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Biblioteca Municipal de Esposende Biblioteca Municipal de José Régio, Biblioteca Digital da Imprensa Periódica Vilacondense Biblioteca Municipal de Ponte de Lima Biblioteca Municipal da Póvoa de Varzim Biblioteca Municipal de Viana do Castelo Biblioteca Nacional de España, Hemeroteca Digital Biblioteca Nacional de Portugal, BN Digital Biblioteca Pública de Braga Biblioteca Pública Municipal do Porto BIBRIA, Biblioteca Digital dos Municípios da Ria Fundação Mário Soares, Arquivo e Biblioteca Hemeroteca do ABC (Madrid) Hemeroteca Municipal de Lisboa, Hemeroteca Digital


AGRADECIMENTOS • À Dra. Ana Isabel Correia Ribeiro, investigadora do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, pela elaboração dos mapas de intensidade sísmica usados nos slides 5, 10, 14, 15 e 30 e ainda pela colaboração prestada na preparação da versão final do material. • À Dra. Luísa Melo, Biblioteca Municipal de Tomás Ribeiro, Tondela, pela notícia do jornal “Beira Desportiva” acerca do sismo de Setembro de 1927. • Ao Dr. Hermes Picamilho, Biblioteca Municipal de Beja, pela notícia do jornal “Ala Esquerda” acerca do sismo de Maio de 1931. • Ao Dr. Bernardo Silva Barbosa, director do periódico “A Aurora do Lima”, pelos recortes de notícias sobre o sismo de Junho de 1931. • Ao Professor João Carlos Vieira Baptista, Universidade de Trás-osMontes e Alto Douro, pelo ficheiro da sua tese de doutoramento. • Ao Professor Taj-Eddine Cherkaoui, Université Mohamed V AgdalRABAT, Institut Scientifique, pelos dados macrossísmicos relativos à repercussão em Marrocos dos sismos de Novembro e Dezembro de 1941.