a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

em casa

Revista para famílias do bairro Anchieta e região | nº20 | ago.set./18

Muito mais que uma viagem Intercâmbios culturais proporcionam experiências incríveis e vão muito além de promover o aperfeiçoamento de uma língua estrangeira

Tiradentes, pelas lentes do fotógrafo André Frade

maternidade

comportamento

na sua mesa

Você já ouviu falar em Baby Daycare? p.4

Educação em sexualidade: vamos falar sobre isso? p.10

Maravilhas da fruta mais brasileira de todas p.14


2

anchieta em casa • agoto/setembro DE 2018


editorial

Pra você, pai

Só meu pai me fez gostar de farinha de milho com leite gelado. Só ele me traz lembranças deliciosas de saltos do seu ombro na piscina do clube. Meu pai é um homem capaz de rugir alto e partir para o ataque a qualquer momento, contra quem quer que mexa com as meninas da casa ou com os netinhos amados. E esse mesmo leão chora sem vergonha nenhuma diante de uma memória doce do passado ou mesmo de uma simples canção que te lembra a juventude. Meu pai é um homem bom, com coração puro de uma criança. E é para ele e para todos os pais e avôs do bem, que amam e se dedicam a esses papéis tão fundamentais, que eu gostaria de dedicar essa edição da nossa revista. Junto a essa homenagem, falaremos, ao longo de toda a edição, de assuntos importantes voltados para as famílias do nosso bairro. Você já ouviu falar em Baby Daycare? Essa novidade já está disponível e pertinho da nossa vizinhança. Educação em sexualidade, tema tão relevante, também é outro assunto que a especialista Anna Cláudia Eutrópio irá abordar em um artigo cheio de questões. Teremos também uma matéria incrível sobre intercâmbios culturais, com uma séria de esclarecimentos sobre esse tipo de experiência de vida tão rica. Saúde bucal, receitas de delícias de banana e uma novidade no bairro para o acolhimento de idosos também recheiam essa edição da nossa publicação. Boa leitura e, mais uma vez, sinta-se sempre bem-vindo à nossa Anchieta em Casa. Um beijo carinhoso,

Anchieta em casa Anchieta em Casa é uma publicação da Gíria Design e Comunicação Av. Francisco Deslandes, 869/1.103 Anchieta. Tel: (31) 3222-1829 Projeto gráfico, design e redação: Equipe Gíria Jornalista responsável: Nathalia Ilovatte - MTE: 0069528/SP Tiragem: 7.500 exemplares Distribuição: BH Home (gratuita, de porta em porta) Foto da Capa: Banco de Imagens Cartas à redação e sugestões: anchietaemcasa@giria.com.br Para anunciar, ligue: (31) 3222-1829 fb/anchietaemcasa

Carolina Lentz

3


MATERNIDADE

Por Fabiana Alvim Barbosa Costa

Publicitária, empresária no segmento infantil como sócia-proprietária da loja de bebê Aconchego e do Baby Daycare Help Mãe

Baby Daycare: uma novidade para as famílias A vida corrida das grandes cidades impede que os pais se dividam satisfatoriamente entre os cuidados com os filhos e os compromissos do dia a dia. Normalmente, eles mantêm as crianças em escolinhas ou contratam babás em tempo integral. Acontece que, hoje, muita gente está preferindo opções mais flexíveis e práticas, para recorrer em ocasiões especiais, como ir ao cabeleireiro, ao supermercado, à reunião no meio da tarde, ou até mesmo ter um tempinho para relaxar e encontrar com os amigos e não têm com quem deixar as crianças, por algumas horas, sob os cuidados de profissionais altamente preparados e em um ambiente projetado para receber os pequenos com todo cuidado e segurança necessários. Muitas pessoas confundem o Baby Daycare com uma escolinha, um maternal ou um hotelzinho. Para a mamãe e o papai, que no dia a dia precisam de uma mãozinha para

cuidar do bebê, fica fácil de entender. O “baby daycare” é um serviço novo nas grandes cidades, um modelo de negócio cada vez mais presente nos países desenvolvidos. É um espaço lúdico onde as crianças são acolhidas por profissionais treinados e capacitados por um período de tempo, com horários e diárias flexíveis, sem mensalidades ou contratos anuais. Tem como proposta cuidar das crianças

O “baby daycare” é um serviço novo nas grandes cidades (...) cada vez mais presente nos países desenvolvidos. no momento da necessidade de cada família. Neste espaço são oferecidos todos os cuidados necessários às crianças desde as atividades básicas como alimentação, higiene e soneca, como também as atividades lúdicas e psicomotoras fundamentais para o seu desenvolvimento. O Baby Daycare é uma ótima opção pensando nos dias de hoje, na vida moderna e na correria do dia a dia, onde vemos uma forte tendência de muitos pais e mães optarem por profissões autônomas ou home offices para cuidarem mais de perto de seus filhos. A volta ao trabalho depois do parto é sempre um desafio para as mães. Com a versatilidade do mercado de trabalho e a mudança no perfil das empresas e dos profissionais, muitas mulheres trabalham em casa: o que não significa que tenham menos imprevistos ou que trabalhem menos. Aliás, o que acontece é exatamente o oposto: embora haja a comodidade de estar em casa, conseguir conciliar filho e trabalho não é nada fácil. E foi assim que surgiu recentemente no mercado brasileiro o negócio conhecido como Baby Daycare, que oferece serviço de cuidados com as crianças cobrado por hora. Enquanto permanecem no local, elas podem brincar, dormir e alimentar sob orientação de preparadas cuidadoras. A rotina do dia a dia de uma família exige muito e, em tempos modernos, a praticidade faz toda a diferença. Em Belo Horizonte as famílias agora podem contar com esta novidade, o Help Mãe, Baby Daycare que, em parceria com a Clínica Leite Meu, fica localizado no Bairro Sion. Um espaço projetado e feito com muito cuidado e carinho para atender as crianças de 4 meses até 3 anos.

4


cultura

teatro

O clássico O Soldadinho de Chumbo estreia em BH em setembro para encantar os pequenos. No espetáculo, atores, cantores e bailarinos dão vida aos personagens, que embalam a contação de histórias com um repertório musical cheio de encantos. Onde e quando: Teatro do Centro Cultural Minas Tênis Clube (R. da Bahia, 2.244, Lourdes) 2 de setembro, domingo, às 16h. Quanto: R$ 22 (inteira) e R$ 11 (meia). Mais informações: www.centroculturalminastc.com.br.

show

show

Os Tribalistas desembarcam em BH em setembro. Anunciada em dezembro do ano passado, a primeira turnê dos músicos será para celebrar a união do trio e o novo álbum. Ao longo de 40 dias, entre o fim de julho e o início de setembro, os Tribalistas percorrerão nove capitais do país, apresentando-se em grandes arenas. Salvador será o ponto de partida, que também contará com Rio de Janeiro, Recife e São Paulo. Onde: Esplanada do Mineirão - Avenida Abrahão Caram, 1001 - São Luís. Quando: 7 de setembro, sexta-feira, às 21h. Quanto: A partir de R$ 70,00 Mais informações: www.eventim.com.br.

Pela primeira vez juntos no palco, o músico mineiro Chico Amaral faz única apresentação com o saxofonista Leo Gandelman. No repertório do show, canções de Ary Barroso, Carlos Lyra, Baden Powell e músicas autorais de Leo e Chico Amaral. Segundo Chico, Leo Gandelman trouxe um novo padrão para a música instrumental brasileira. Vale a pena conferir. Onde e quando: Teatro do Centro Cultural Minas Tênis Clube (R. da Bahia, 2.244, Lourdes), 15 de agosto, quarta-feira, às 21h. Quanto: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia). Mais informações: www.centroculturalminastc.com.br.

5


nossa capa

Por Kenia Alves Fiúza

Psicóloga e advogada, encantou-se pelo mundo das viagens e agora divide suas descobertas nas redes sociais: @viagemeintercambioemfamilia

Experiências de vida em terras distantes A palavra intercâmbio, por definição, significa troca e quando nos referimos a intercâmbio cultural não é diferente. Realizar um intercâmbio cultural é passar um tempo em outro país, normalmente com o intuito de aprender ou aperfeiçoar determinado idioma. Durante esse período, acabam acontecendo diversas trocas: e é sobre elas que iremos falar por aqui. O intercâmbio começou a se tornar conhecido após a segunda guerra mundial, quando organizações internacionais como a Cruz Vermelha perceberam a necessidade de difundir as diferenças culturais como forma de atingir a tolerância e a paz. Afinal, nada mais eficaz para lidar com as diferenças do que conhece-las e aprender a respeitá-las. O Rotary Internacional foi uma das instituições mais importantes na popularização do intercâmbio, principalmente a partir da década de 80. Atualmente, o termo intercâmbio vem sendo usado indistintamente para qualquer estudo que se realiza fora do país, seja para aperfeiçoamento educacional ou profissional. Agências oferecem os mais diversos tipos de intercâmbio, que vão desde os tradicionais aos mais personalizados e direcionados à área de interesse do estudante. Intercâmbio de Ensino Médio É voltado para jovens de 14 a 19 anos que pretendem cursar um semestre ou um ano de ensino médio (High School) no exterior. Trata-se de uma imersão completa no aprendizado do idioma e da cultura local, uma vez que o estudante frequentará a escola juntamente com nativos e normalmente se hospeda na casa de uma família local (a host family). Esse foi o tipo de intercâmbio escolhido pelos irmãos Victor e Arthur Sayar, moradores do Anchieta. Victor, na época com 17 anos, ficou por 11 meses na cidade de Wasila, no Alaska onde frequentou o ensino médio entre 2014 e 2015. Já Arthur, 18 anos, acaba de retornar de seu intercâmbio, também por 11 meses, em Taipei, Taiwan. Adriana Sayar, mãe dos dois, afirma que fazer intercâmbio é uma oportunidade incrível de aprendizado e crescimento, que marcará a vida do jovem para sempre. Mas alerta: “o jovem precisa estar aberto para aprender, experimentar, vivenciar experiências novas e muitas vezes desafiadoras. Precisa saber que não será tratado como uma visita ou um turista”. Terá que sair de sua zona de conforto e viver o cotidiano de um jovem local, bem diferente de

6

anchieta em casa • agoto/setembro DE 2018

fazer turismo.” Por outro lado, ressalta as grandes experiências que os filhos tiveram e que considera importantes para a formação deles: “a oportunidade de aprendizado do mandarim e a possibilidade de conhecer uma cultura oriental milenar nos pareceu uma grande oportunidade de aprendizado e crescimento. Arthur teve muita dificuldade de se adaptar à alimentação mas, por outro lado, teve a oportunidade de passar cinco dias meditando em um templo budista, uma coisa inimaginável para ele até então.”

Arthur Sayar morou por 11 meses em Taipei, Taiwan


Victor Sayar em Wasila, no Alaska, onde morou e estudou por 11 meses

Intercâmbio Para Aprendizado de Língua Essa é a modalidade mais conhecida pelos brasileiros e os idiomas mais procurados são inglês e espanhol. Nesse caso, o foco é aprender ou aperfeiçoar um idioma. A duração varia de 2 semanas a um ano e, normalmente, os países mais procurados são Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Malta, Irlanda, Austrália, Espanha e Argentina. Os valores variam conforme o país e tempo de estudo. Virgínia Rodrigues, 27 anos, aproveitou suas férias no trabalho em 2017 para aperfeiçoar o espanhol através de um curso de 4 semanas em Buenos Aires. “Aprendi muito espanhol e convivi com pessoas do mundo inteiro. Na minha sala, tinha uma coreana, uma chinesa, uma francesa e um americano. Acabei conhecendo também um pouco da cultura desses lugares”, diz Virgínia. Intercâmbio com trabalho voluntário Mais indicado para aqueles que já tenham um nível intermediário na língua escolhida, esse tipo de intercâmbio alia o aprendizado da língua a uma causa que o estudante avalie como importante. Através de trabalhos voluntários, o estudante poderá escolher ajudar crianças, idosos, causas envolvendo animais, vida selvagem e meio ambiente. Entre os brasileiros, os destinos mais procurados são África do Sul e países asiáticos. Intercâmbio em Família Um programa que tem se difundido bastante mas que ainda é desconhecido para muitas pessoas é o intercâmbio em família. Ao contratar um intercâmbio familiar, na verdade, você estará comprando aulas de língua estrangeira, geralmen-

Virgínia Rodrigues aperfeiçoou o espanhol em Buenos Aires


nossa capa te inglês ou francês, para todos os integrantes da família numa mesma escola. Cada membro da família frequentará aulas de acordo com sua idade e nível de inglês. A facilidade é que, normalmente, pais e filhos estudam na mesma escola e em horários bem similares, o que proporciona uma grande sensação de segurança para ambos. Ter a segurança da presença dos pais fará toda diferença para o melhor aproveitamento do aprendizado da língua pelos filhos. O tempo de permanência no país e a carga horária dos cursos dependerá da disponibilidade de tempo, dinheiro e o perfil da família. Na maioria dos casos, há possibilidade de contratar a moradia também, que variará entre hotéis, aluguel de imóveis ou homestay. A grande vantagem de se fazer um intercâmbio em família é a possibilidade de ter uma experiência completamente diferente e poder dividir esse momento com aqueles que você mais ama. A maioria das famílias opta por fazer o intercâmbio durante as férias escolares aqui do Brasil. E é uma excelente maneira de otimizar uma viagem : aprendem um idioma e têm momentos de lazer juntos. Esse foi o caso de Marina Sales e Ivan Sales que aproveitaram as férias dos filhos Sara, 9 anos e

Além do aperfeiçoamento do inglês, o intercâmbio em família nos permitiu conhecer diversos lugares históricos e culturais no Canadá

8

anchieta em casa • agoto/setembro DE 2018


Rodrigo, 7 anos. Fizeram um intercâmbio por 6 semanas em Londres no início desse ano. Marina conta que as crianças tinham, além de aulas tradicionais de inglês, atividades externas como visitas a museus e parques, e seus filhos adoraram. Outro ponto positivo é que havia poucos alunos por turma, o que ajudou no rendimento das aulas. Já no meu caso, o intercâmbio durou 7 meses, entre 2016 e 2017. Eu, meu marido e nossas duas filhas (à época com 11 e 7 anos) optamos por morar em Victoria, Canadá. As crianças estudaram nas escolas públicas, meu marido na Universidade de Victoria e eu no Centro de Refugiados da cidade e no programa para pais, que faz parte do International High School Program que adquirimos para nossas filhas. Foi um período de muito aprendizado e crescimento pessoal, profissional e familiar também. Ao adotar um estilo de vida completamente diferente do que levávamos aqui exercitamos nossa capacidade de adaptação, cooperação e compreensão. Além disso, como o Canadá é um país multicultural – a maior parte de sua população são imigrantes ou decorrentes de famílias imigrantes – tivemos a oportunidade de conhecer diferentes culturas e seus costumes. Poder presenciar o funcionamento de uma sociedade diversa da nossa nos torna cidadãos mais conscientes e nos leva a reavaliar vários pontos de vista e a repensar nosso papel no mundo. Sem dúvidas foi a experiência mais engrandecedora de nossas vidas. É um investimento com retorno garantido, mesmo que a longo prazo.

Para saber mais

Separamos abaixo os contatos de algumas empresas especializadas em intercâmbios na nossa cidade para que você possa se informar mais sobre o assunto:

STB (Student Travel Bureau): www.stb.com.br (31) 3254-1500 / (31) 98843-0636 World Study: www.worldstudy.com.br (31) 2535-0987 Green Intercâmbio: www.greenintercambio.com.br (31) 3311-8590 CI Intercâmbio: www.ci.com.br (31) 2555-2500 / (31) 2555-1820 Rotary Club: www.rotaryclubbh.org.br (31) 3213-0099 Experimento Intercâmbio: www.experimento.com.br (31) 3225-1436


comportamento

Por Anna Cláudia Eutrópio

Psicóloga, educadora e Doutora em Educação pela FAE/UFMG. Coordenadora do Nós e Voz– Psicologia, Educação e Sexualidade www.nosevoz.com.br

Educação em sexualidade: perguntas que geram mais perguntas Outro dia recebi de uma amiga, que tem um filho de 10 anos, o pedido de um filme que falasse sobre sexo, pois ele estava fazendo muitas perguntas. Resolvi entender um pouco mais: quais são as perguntas que seu filho faz? “Pergunta sobre como é transar; se é gostoso; se coloca o “peru” na parte da frente ou de trás; quantas vezes eu já transei; como que uma menina sabe que ele quer transar com ela; me falou que quando ele era pequenininho ele falava com os coleguinhas que estava com “peru” de pedra e que não sabia o que era aquilo.” Eu simplesmente adorei as perguntas dele e acho que elas dão pano para muita manga. Quando ele pergunta se transar é gostoso já revela que tem conhecimento do que é a relação sexual e que as pessoas não fazem só para ter filhos. O interesse dele está no prazer do sexo. Interessante pensar que esse prazer é super pessoal e depende de várias coisas. Como responder a essa pergunta? Sexo pode ser gostoso, mas também pode ser dolorido. Pode ser cheio de amor, mas também cheio de violência. Teria uma resposta única? Qual o papel da educação em sexualidade diante dessas perguntas? O que uma resposta faz? Encerra uma discussão? A inicia? Quando pergunta se coloca o “peru” na parte da frente ou de trás também está revelando que já tem algum tipo de informação sobre as várias formas de penetração que existem. Haveria um local “certo” para a penetração? Seria a penetração a única forma de relação sexual? E o sexo entre algumas mulheres que não usam nada para penetração? Até onde ir nessa discussão diante dessa pergunta? Se a proposta é fazer uma educação em sexualidade não heteronormativa é preciso ampliar as respostas, mas ao mesmo tempo, como não “exagerar a dose”? Quando pergunta quantas vezes a mãe já transou abre-se uma porta para a discussão de intimidade, de estabelecimento de fronteiras e nos coloca para pensar em qual é o limite de exposição da própria vida sexual que é preciso para responder aos filhos e/ou alunos em uma situação educativa. Já haveria nessa pergunta algum julgamento ou seria só curiosidade? A quem interessa saber quantas vezes outra pessoa já transou? Em que contexto essa informação é relevante? Quando pergunta como saber do interesse de uma menina, ele está perguntando sobre os afetos e sinais que fazem parte dos jogos amorosos e que não têm respostas desconectadas de contextos e de relações. São sutilezas re-

10

anchieta em casa • agoto/setembro DE 2018

lacionais de sedução e romance que a literatura, a poesia e o cinema nos ajudam a entender. Por outro lado, nessa pergunta, abordar discussão sobre consentimento e a importância do desejo da outra pessoa para uma relação sexual seria bastante oportuno. Quando ele fala do “peru de pedra” e do não saber o que era aquilo ele revela como a informação biológica e científica também é importante e necessária para amenizar angústias. Ao mesmo tempo em que ele tem perguntas sobre aspectos emocionais, algumas perguntas poderiam ser sanadas com um bom livro de ciências/biologia. Isso é o que acho incrível da educação em sexualidade! As questões e as respostas variam enormemente. É preciso sempre entender em qual enquadre elas se situam e oferecer espaço para ampliar a discussão. De toda forma, o que me pareceu lindo nessa história é a relação dessa mãe com esse filho. É incrível a liberdade para fazer perguntas de que esse menino dispõe. Isso já diz muito sobre confiança e vínculo. A base para uma boa educação em sexualidade já está ali: afeto, confiança, vontade, verdade. Fortalecer os espaços acolhedores para que todas e todos tenham oportunidades de reflexão sobre suas dúvidas sobre sexualidade é uma urgência no mundo contemporâneo. As informações estão por todo lado, mas nem sempre são devidamente absorvidas e discutidas. Em alguns casos, essa conversa vai ser na família. Em outros, a mediação será por educadoras e educadores. O importante é assegurar que as perguntas sejam feitas! Só conhecendo as perguntas podemos ampliar o debate.

Nós e Voz convida para a oficina: Relações afetivas no mundo contemporâneo Essa oficina irá abrir o debate sobre como os jovens de hoje tem encarado as relações afetivas, discutindo desde os que se autodeclaram assexuais aos que defendem o poliamor. Tema: Relações afetivas Público-alvo: Adolescentes de 14 a 16 anos. Data e horário: 17/09; 24/09 e 01/10 (segundas-feiras) de 18h30 às 20h30. LOCAL: Rua Maranhão, 339 sala 406, Sta. Efigênia. investimento: R$ 250 Inscrições no site www.nosevoz.com.br Anna Cláudia Eutrópio Batista d’Andrea (31) 98869-7377


tem no bairro

Um Lar de afeto e respeito A enfermeira Bruna Neves Gomes nos conta mais sobre o Lar Sabedoria, que completa um ano no Anchieta em setembro deste ano.

Conte-nos um pouco sobre o Lar Sabedoria. Como a empresa nasceu? Minha paixão e respeito por idosos iniciou-se na infância, com um convívio intenso com meus avós, e se concretizou em hospitais exercendo minha profissão como enfermeira. Atuando na área de saúde há quase 10 anos, tinha o sonho de fomentar uma instituição onde as idosas pudessem chamar de lar, e isso se concretizou quando minha sócia Ana Cristina abraçou esse projeto de corpo e alma. Juntas, estudamos a fundo e idealizamos o Lar Sabedoria para idosas viverem com qualidade de vida e conforto em uma casa ampla e adequada. Completaremos em setembro de 2018 o nosso primeiro ano de grandes experiências, mantendo nosso desejo de criar um ambiente residencial onde a equipe, moradoras e familiares tornam-se parte de uma mesma família. Quais serviços o Lar Sabedoria oferece e quais seus maiores diferenciais? O Lar Sabedoria possui serviços de hospedagem permanente, hospedagem temporária, pós-operatório, espaço de convivência, day use, incluindo o cuidado físico, emocional, atividades culturais e de lazer para idosas. Casa exclusiva para idosas, com quartos cuidadosamente preparados com conforto e segurança para até 10 moradoras no Lar. Com atenção dedicada e carinhosa, nossa equipe é preparada para personalizar os serviços de acordo com as necessidades de cada idosa: cuidando, estimulando a autonomia e promovendo a reabilitação, sempre com respeito e seguindo as orientações da família ou médico, as mantendo ativas em um ambiente acolhedor e harmônico. Para qual público os serviços do Lar Sabedoria são direcionados? Serviços Direcionados para idosas que valorizam sua independência funcional, mas precisam de auxílio com as atividades diárias, o que garante maior qualidade de vida, conforto, segurança e bem estar e tranquilidade para seus familiares. Lar Sabedoria em uma frase: Viver bem com assistência e sabedoria.

11


Boas compras Para eles Kit Boníssimo Black, com deo colônia, shampoo, sabonete em barra e toalha. R$ 106,00, na Avatim, F. Deslandes, 900, lj. 151 (31) 2552-0182

Digno de realeza Brinco com banho de ródio branco cravejado com zircônias. R$ 297,00, na Beloved, F. Deslandes, 900, lj. 115 (31) 2551-2642

Lindeza para o verão Vestido fresquinho da Momi, por R$ 109,00, na Môme, Av. Bandeirantes, 1.742 (31) 3287-4704

Tal Pai, Tal Filho Combo com pijama para o papai e body para o neném, totalmente personalizados. R$ 92,00, na Gíria. www.giriapresentes.com.br

Lindo e clássico Brinco folheado a ouro 18k cravejado com micro zircônias negras, R$ 130,00, na Beloved, F. Deslandes, 900, lj. 115 (31) 2551-2642

Aroma sofisticado Perfume Seleto, R$ 106,00, na Avatim, F. Deslandes, 900, lj. 151 (31) 2552-0182

12

anchieta em casa • agoto/setembro DE 2018


educação nossa saúde

Fim do medo de dentista!

O medo é o principal obstáculo para o atendimento odontológico seguro e de sucesso. A utilização da sedação inalatória vem se mostrando eficaz e acontece de forma rotineira em consultórios odontológicos de países desenvolvidos. O dr. Marco Jardim nos esclarece aqui um pouco mais sobre esse processo inovador. Como funciona o procedimento de sedação consciente? A sedação consciente é administrada por via nasal: o paciente inala o N2O (óxido nitroso) durante todo o procedimento e, por ser uma substância inodora, não traz nenhum desconforto. Então, o paciente se encontrará relaxado e confortável. É importante ressaltar que o paciente continua consciente, capaz de compreender e de responder a comandos verbais. Quais os benefícios que o procedimento traz para o paciente? Este procedimento elimina progressivamente a ansiedade e o medo, proporcionando conforto e relaxando a musculatura, fazendo com que a abertura de boca não fique cansativa. Além do benefício da eliminação do medo, traz maior segurança pelo fato de estar com um suporte de oxigênio maior do que temos na atmosfera, sendo indicado inclusive para cardiopatas e diabéticos. Como é o efeito da sedação após o atendimento? Nenhum. A sedação inalatória com N2O é a única técnica farmacológica em que a recuperação ocorre em 3 a 5 minutos, simplesmente inalando oxigênio puro neste período. Então, o paciente pode seguir sua rotina sem nenhuma alteração. O senhor acredita que esse procedimento seja capaz de reduzir o medo de dentista (odontofobia), tão comum entre pacientes de diversas faixas etárias? Sim, pois a ação do N2O é de forma gradativa. O paciente vai se sentindo seguro e confiante ao decorrer da sedação, então o medo já não estará presente. Em alguns casos, quando o medo é muito presente, principalmente naqueles pacientes que sofreram trauma em função de um tratamento mal conduzido, é realizado um trabalho de condicionamento psicológico associado com o N2O, onde o tratamento terá sessões menos invasivas, e evoluirá juntamente com a eliminação do medo.

| Especialista em periodontia | Pós-graduado em Implantodontia (UFMG) | Membro da ABASCO (Associação Brasileira de Sedação Consciente) Atendimento a pacientes de todas as idades.

Consultório: Rua Buenos Aires, 136. Sion (fácil estacionamento) 13 Contatos: De 8:00 às 11:30h: (31) 3285-4035 | De 8:00 às 17:00: (31) 97339-4530


na sua mesa

Ela é brasileiríssima!

Fruta mais brasileira que a banana não há! E a variedade de tipos e sabores nos permite criar receitas versáteis e deliciosas, que agradam os paladares mais exigentes. Confira nossa seleção:

pavê de banana com chocolate Ingredientes: • 1 colher (sopa) de açúcar • 1 caixinha de creme de leite (sem soro) • 1 lata de leite condensado • 6 bananas caturras picadas (bem maduras) • 150 ml de leite • 1 pacote de biscoito de maisena • 1 envelope de gelatina sem sabor • ½ xícara (chá) de água • 200 g. de chocolate meio amarco • 200 ml de creme de leite modo de preparo: Descasque, pique as bananas e coloque-as em um refratário médio, junto com o açúcar e a água. Leve ao microondas por aproximadamente 5 minutos ou até que as bananas fiquem douradas. Reserve. Dissolva a gelatina sem sabor em 5 colheres (sopa) de água fria. Deixe descansar por três minutos e depois coloque no microondas por 15 segundos. Reserve. No liquidificador, ponha o leite condensado, o creme de leite, o leite, as bananas que douraram no microondas e bata tudo por cinco minutos, até ficar um creme homogêneo. Acrescente a gelatina hidratada, bata por mais três minutos, desligue novamente e reserve. Umedeça levemente os biscoitos maisena em uma mistura de leite com chocolate em pó. Em um refratário médio, monte o pavê, alternando camadas do creme de banana com os biscoitos maisena. Cubra com papel-filme, leve à geladeira por 10 a 15 minutos. Depois, derreta o chocolate e misture com o creme de leite. Cubra o pavê com o creme, deixe gelar mais um pouco e sirva.

pudim fácil de banana Ingredientes: • 3 bananas caturras grandes e maduras • 1 lata de leite condensado • mesma medida (da lata) de leite • 4 ovos • 1 colher (sobremesa) de amido de milho • gotas de baunilha modo de preparo: Bata todos os ingredientes no liqüidificador. Caramelize uma forma para pudim e coloque a mistura. Cozinhe em banho maria no forno preaquecido a 180º, durante aproximadamente 40 minutos. Deixe esfriar e desenforme. Leve à geladeira e sirva gelado.

purê de banana da terra Ingredientes: • 6 bananas-da-terra maduras • ½ cebola pequena • 1 colher (sopa) de manteiga • 1 colher (chá) de gengibre ralado • caldo de 1 limão • sal e pimenta-do-reino moída na hora (a gosto)

14

anchieta em casa • agoto/setembro DE 2018

modo de preparo: Descasque e corte as bananas em rodelas de cerca de 1 cm. Transfira para uma tigela média e regue com o caldo de limão. Reserve. Descasque e pique a cebola bem fininha. Leve ao fogo baixo uma panela média para aquecer. Coloque a manteiga e deixe derreter. Acrescente a cebola, tempere com uma pitada de sal e refogue por cerca de 3 minutos até murchar. Junte as bananas, o gengibre e misture bem. Tampe e deixe cozinhar por 5 minutos. Abra a panela e mexa com uma espátula para verificar se as bananas estão cozidas e macias. Desligue o fogo e, com o mixer ou com um garfo, bata as bananas ainda na panela até a mistura ficar bem lisinha. Se quiser um purê mais rústico, basta amassar as bananas com a espátula até desmanchar. Prove e tempere com sal e pimenta.


torta fácil de banana com pão de forma Ingredientes: • 4 bananas caturras • 12 fatias de pão de forma • 2 ovos • 2 xícaras (chá) de leite • 6 colheres (sopa) de açúcar • canela em pó a gosto modo de preparo: Bata os ovos e adicione o leite. Bata mais e reserve. Misture o açúcar com a canela em pó e reserve. Cubra o fundo de um refratário untado com metade das fatias de pão. Regue com metade do leite e polvillhe com a metade do açúcar. Disponha as bananas cortadas em fatias sobre o pão e polvilhe com o restante do açúcar e canela. Faça mais uma camada de pão, regue com o leite restante e polvilhe com a canela em pó. Leve ao forno médio, preaquecido, até dourar a superfície. A torta pode ser servida fria ou morna. O sorvete de creme é um ótimo acompanhamento.

sua receita na anchieta em casa!

Você tem uma receita de família que todo mundo adora? Então, mande pra gente! Basta enviar para o email anchietaemcasa@giria.com.br com a receita completa e seus dados de contato. Sua receita poderá ser publicada em uma de nossas edições!

15


Berçário, Educação Infantil e Ensino Fundamental I • R. Bambuí, 1040 - Anchieta

16

BH/MG • telefax: (31) 3221.8036 • www.ciadoverde.com.br

anchieta em casa • agoto/setembro DE 2018

Profile for Carolina Lentz

Revista Anchieta em Casa n.20  

Revista impressa de distribuição gratuita para famílias do bairro Anchieta e região, em Belo Horizonte.

Revista Anchieta em Casa n.20  

Revista impressa de distribuição gratuita para famílias do bairro Anchieta e região, em Belo Horizonte.

Advertisement