Issuu on Google+

A vida em primeiro lugar

Curso de noções básicas de primeiros socorros promovido recentemente pela CIPA 5 prepara cipistas da Copasa para situações emergenciais

página 3

Dicas de saúde

Gestão 2008/2009

ProgramaAntitabagismo

Dengue: saiba como se prevenir (pág. 4)

Conheçaosrepresentates (pág. 2)

GrupodetratamentoDTBV inicia atividades (pág. 4)1

Publicaçãooficial oficial Comissão de Prevenção de Acidentes - Copasa - Sede BH - abril/maio Publicação dada Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - Copasa - Sede/BH - abril/maio2009 2009


PALAVRA DO PRESIDENTE

GESTÃO - 2008/2009

A CIPA 5 é uma Comissão paritária constituída por representantes eleitos pelos empregados da REGIONAL-COPASA e pelos empregados designados pela COPASA, para atuação preventiva em prol da segurança e saúde do trabalhador, no período de Agosto de 2008 a Julho de 2009. Embora a constituição da CIPA 5 indique um conflito de interesses entre os seus componentes, no nosso dia-a-dia, inexiste qualquer divisão. Ao contrário, atuamos de forma homogênea buscando sempre o consenso na promoção de ações voltadas para a prevenção de doenças ocupacionais, acidentes no trabalho e melhorias no ambiente laboral. Esta atitude se deve, principalmente, à consciência que adquirimos sobre a natureza da atividade da CIPA. Assim, o bom cipista é aquele que se orienta pelo comprometimento único com a ideologia da Saúde e Segurança no Trabalho. Foi com este espírito que iniciamos a coordenação desta CIPA 5, em período atípico, no qual convivemos, concomitantemente, com os efeitos trazidos pelas obras nos prédios da Regional e com as ocorrências próprias do período chuvoso. Ao longo do primeiro semestre desta gestão, fomos convocados pelos empregados para diversas intervenções, das quais destacamos algumas como típicas de atuação de uma CIPA, tais como: odores causados pela putrefação das mangas, águas paradas nos fundos das canaletas, proliferação de mosquitos, poeira e ruído decorrentes das obras. Nesta edição buscamos esclarecer aos empregados quais as atividades são passíveis de intervenção pela CIPA e o motivo pelo qual nem sempre são atendidas de acordo com a expectativa dos empregados. Trouxemos também esclarecimentos sobre os limites de atuação da CIPA 5 e abrimos espaço para prestação de contas. Para complementar, divulgamos o principal evento organizado por esta gestão: o curso de noções de primeiros socorros e a relação dos empregados aptos a prestá-los. É com ansiedade que aguardamos a reação dos nossos leitores, seja para críticas, seja para sugestões ou esclarecimentos. O importante é que os empregados da REGIONAL-COPASA participem e utilizem este veículo para divulgação das questões inerentes à saúde e segurança no trabalho. Críticas, sugestões e novas demandas poderão ser enviadas ao e-mail: cipa5@copasa.com.br.

2

Leolino T. S. dos Reis - Presidente CIPA 5

REPRESENTANTES DOS EMPREGADOS TITULARES SUPLENTES

OlgadeFátimaFranco CarlosA.deLigórioGomes NiltonGeraldoSantiago JordelinodeAraújoCampos BrenoG.MacielGuedes CelsoPaduani AugustoMarryDolabela GladistondeSales

DVPS DVTI DVCB DVSS DVRC DVOB DVTI DVPT

AntônioM.Filho GilbertoRocha JoãoD.P.deAraújo AntônioLélis RoniTadeuLiodete MarcoAntônioLeite LuísM.deCarvalho

DVTB DVEP DVSA DVCB DVCB DVCB DVAI

REPRESENTANTES DO EMPREGADOR TITULARES SUPLENTES CarlosTaupker JoaquimBaeta VicenteR.deLima MarleteC.deCastro MaurícioR.deCastro RobertoC.deOliveira FernandoA.dosSantos LeolinoT.R.dosReis

DVLC MagdadosSantos DVUP CarlosAntonelli DVP I DVTI DVMO EzequielF.Dias SPAL DVPE CorJesuM.Torres DVAR DVAM NilsonA.deLima DVAI DVAR PauloH.doAmaral DVAG DVLC BernardoC.Figueira DVPD DVTL


ABRIL/MAIO 2009 - REGIONAL SANTO ANTÔNIO - B H / M G

Socorristas : todos podem ser

Importância do atendimento emergencial, representa diferença entre a vida e a morte A CIPA 5 organizou, no início da pelo instrutor. do ano, o Curso de Noções Básicas de O Curso de Noções Básicas de Primeiros Socorros, ministrado pelo Primeiros Socorros abordou temas báinstrutor Antônio de Almeida, da em- sicos, porém primordiais para o atenpresa S.B.V - Suporte Básico à Vida. O dimento de emergência, tais como: objetivo do curso foi qualificar os em- técnicas de primeiros socorros, RCP pregados da Regional - Copasa para (Ressuscitação Cárdio-Pulmonar) atuação em situações de emergência, aplicada e simplificação para socorrisprincipalmente dentro tas leigos, aspectos do nosso ambiente de legais, avaliação de trabalho. A proposta cenário de doenças do treinamento não é transmissíveis, prea de salvar vidas, o que cauções universais, também poderá ocorcomo chamar o resrer, mas a de minimizar gate, avaliação inicial a gravidade do quadro da vitima, estancamédico daqueles que mento de hemorravierem a necessitar de gias, controle de sansocorro imediato, seja gramentos externos por mal súbito ou acie internos, estado de dente, prestando auxílio choque, ferimentos até a chegada dos profisabertos, amputação, sionais da área de saúde. ferimento fechado, A CIPA recequeimaduras térProcedimento padrão para beu diversos pedidos de micas, químicas e lesões na coluna vertebral empregados interessados em elétricas, eletrocussão, lesão participar do treinamento, porém não na cabeça, lesão cerebral, lesão nos foi possível atendê-los devido a limita- olhos, ferimentos nas pálpebras, queição do número de participantes, exigi- maduras químicas, queimaduras com

Relação dos Socorristas - Regional NOME ÁREA RAMAL DVOB 1225 Celso Paduani Roberto de Oliveira DVAR 1181 DVPP 1141 Ultimo B. Rangel DVSP 1482 Carlos Taupker DVLA 1509 Luís D’Avila DVAG Paulo do Amaral 1783 DVPS 1347 Olga Franco DVCB 1350 Antonio Lélis Leolino T. S. dos Reis DVTL 1435 Vicente R. de Lima DVMO 2834 Manoel A. de Souza DVPS 1488 Alexandre de Souza DVSA 1152 DFI Joyce Alves 2015 DVPE 1541 Marlete Corrêa DVAS 1397 Elvio Alves Elizabeth de Melo DVTP 2439 luzes intensas, lesão da coluna vertebral, lesão no tórax, fratura de costelas, ferimento com objetos penetrantes, lesões nos ossos, articulações e músculos, emergências diabéticas e procedimentos para tratar vítimas de animais venenosos; dentre muitos outros temas correlatos aos primeiros socorros. A CIPA 5 aproveita a oportunidade para agradecer ao apoio da DVED e DVSA. Essenciais para o sucesso do evento. Celso Paduani

Demandas da CIPA Apresentamos o elenco de Relação das demandas atendidas pela gestão 08/09 demandas recebidas e encaminhadas pela CIPA 05 às unidades en- m Manutenção de todas as escadas m Manutenção dos pisos no prédos prédios da Regional e colodio do COP. volvidas. Como se sabe esta enticação de fita antiderrapante. dade não possui autonomia para m Programação e organização do solucionar efetivamente os proble- m Limpeza do pátio, calhas e bueicurso para socorristas. mas que lhe são apresentados e sim ros dos prédios da Regional para das macas nos encaminhá-los diretamente aos eliminar o odor causado pela m Redistribuição prédios da Regional. órgãos responsáveis por sua resoluputrefação das mangas. ção. Dentro desta premissa, a CIPA 05 vem cumprindo sua obrigação perante os empregados, recebendo as solicitações e realizando esta ponte entre os empregados e a direção da companhia. È nesta perspectiva que a CIPA deve ser vista pelos colegas, que a ela encaminham suas reinivindicações voltadas à prevenção de acidentes e a saúde do trabalhador. Augusto Dolabela

3


D I C A S D E S AÚ D E Todos na luta contra a dengue A dengue é uma doença infecciosa febril aguda causada por um vírus da família Flaviridae, que possui 4 sorotipos conhecidos, chamados DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. A doença pode ser de curso benigno ou grave, dependendo da forma como ela se apresenta, que pode ser: Infecção Inaparente, Dengue Clássica, Febre Hemorrágica da Dengue e Síndrome de Choque da Dengue. A transmissão desta doença ocorre através da picada da fêmea dos mosquitos Aedes aegypti ou Aedes albopictus, infectadas pelo vírus dengue. É importante destacar que não há transmissão através do contato direto de um doente ou de suas secreções com uma pessoa sadia. O vírus também não é transmitido através da água ou alimento. Infelizmente, não há tratamento específico para a dengue clássica, o que os médicos fazem é combater os sintomas com antitérmicos e analgésicos. Os casos

>> Artigo de Bruno Agusto Maciel Guedes Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular - UFMG Colaborador Informativo CIPA 5

mais graves da doença exigem que a pessoa infectada beba muito líquido, descanse e evite tomar antiinflamatórios e ácido acetilsalicílico (Aspirina e AAS), porque eles favorecem as hemorragias, sendo o paracetamol o único medicamento recomendado. Como não existe vacina efetiva para a doença, o combate e o controle dependem largamente da prevenção do contato vetor-homem. A regra básica é não deixar a água parada em qualquer tipo de recipiente, mesmo quando limpa. A prevenção e as medidas de combate exigem a participação e a mobilização de toda a comunidade a partir da adoção de medidas simples, visando a interrupção do ciclo de transmissão e contaminação. O diagnóstico da doença é feito com base em exames clínicos e sorológicos, detectando a ausência de anticorpos contra o vírus do dengue.

Programa Antitabagismo O Distrito do Baixo Rio das Velhas (DTBV), com sede em Curvelo, reuniu um grupo de participantes para integrar o Programa Antitabagismo. Desenvolvido pelo Programa de Prevenção e Atendimento ao Sujeito com Relação ao Álcool e às Drogas (PASA), com patrocínio da Aeco, a iniciativa vem obtendo ótimos resultados no tratamento de empregados decididos a abandonar o vício. Um dos grandes responsáveis pelo êxito do programa tem sido o uso do medicamento Champix. Os custos relativos ao medicamento (cerca de R$ 700,00 por unidade) seriam inacessíveis à maioria dos participantes do programa, por isso, a Aeco decidiu fornecê-los com descontos que variam

entre 50 e 80%, de acordo com o salário e o número de dependentes de cada empregado. O primeiro grupo do programa, formado no início de 2008, em Belo Horizonte, encerra o tratamento em junho deste ano e conta com 75% de seus participantes em total abstinência. Além do medicamento, o tratamento oferece também avaliações com psicólogos, exames laboratoriais gratuitos e reuniões de ajuda mútua, onde os participantes esclarecem suas dúvidas e compartilham experiências pessoais. z Empregados interessados em participar devem acessar a Pesquisa Tabagismo, pela rede copanet [público (U:)gInformaçõesgDVSSgquestionário tabagismo], responder o questionário e encaminhar para DVSS/ PASA via malote.

EXPEDIENTE - INFORMATIVO CIPA 5 Publicação oficial da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - Copasa - Sede/BH - abril/maio 2009 Presidente CIPA 5: Leolino T. S. dos Reis Projeto Editorial: Celso Paduani Fotos: Arquivo CIPA 5 Revisão e Diagramação: Edwaldo Cabidelli Impressão: Gráfica BH

4

Tiragem: 2.000 exemplares e-mail: cipa5@copasa.com.br


Informativo CIPA 5