Page 1

FEVEREIRO | Ano Letivo 2017-2018

Em destaque

Nesta edição: Direção

2

Conselho Geral GAF

3 4

MIBE

6

Encontro com Margarida Pogarell

8

Semana da Alimentação

O nosso agrupamento participou, mais uma vez,

Outubro Rosa

10 12

Operação Fardas

14

ças que se encontram em situação vulnerável

Escola Segura

15

devido a doença.

Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza

16

Recolha de Alimentos

17

É-te=IGUAL ?

18

III Caminhada AVEF

19

Corta Mato Escolar

20

Semana da Ciência

22

Parlamento dos Jovens

23

Semana Afetos e Direitos 24 Humanos

Gestos que Fazem a Diferença

no projeto Make a Wish, que visa apoiar crian-

Pag. 26

No âmbito do projeto “Parlamento dos jovens”, os alunos do 9.º ano da escola Básica de Fragoso, que inte-

Restauração da Independência

25

AVEF Solidário

26

Festa de Natal

28

Rosa dos Ventos

30

Cortamato distrital

31

Na Moda Lisboa Ex-aluna da Escola de

Desporto Escolar

34

Fragoso, esteve pre-

Carnaval

36

sente na Moda Lis-

Visita de estudo 5º Ano

38

boa, participando no

Visita de Estudo 6º Ano

40

Rita Sá na Moda Lisboa

42

gram as listas concorrentes, participaram numa visita a Lisboa. Pag. 23

Rita Sá

desfile “Sangue Novo” com a colecção Diz-Orientation. Pag. 36

Pag. 42


Direção Encontramo-nos sensivelmente a meio do ano

lugar-comum dizer-se que os rankings valem o que

letivo e, portanto, num momento oportuno para um

valem, pelo que não nos interessa abordar aqui a

breve balanço da forma como as atividades escola-

forma como são feitos ou a sua utilidade. Mas da

res se têm desenvolvido até aqui.

mesma forma que não os esquecemos quando não

É com agrado que a direção da escola verifica

nos são favoráveis, também os lemos com atenção

a normalidade com que o ano letivo se têm vindo a

quando a escola aparece bem classificada. Entende-

desenrolar e o dinamismo presente nas muitas ativi-

mo-los como aquilo que achamos que devem ser:

dades que têm sido concretizadas. Referimo-nos,

como mais um indicador da qualidade do trabalho

por exemplo, ao funcionamento dos diversos clu-

desenvolvido pela escola junto dos seus alunos.

bes, às atividades desportivas (corta-mato escolar),

Ora, é justamente com muita satisfação que vemos a

à viagem de estudo a Lisboa no âmbito do Projeto

colocação da escola nos referidos rankings. Na mai-

Parlamento dos Jovens, às sessões de esclarecimen-

oria deles, a escola aparece como a melhor escola

to e promoção de comportamentos saudáveis, às

pública do concelho de Barcelos e uma das melho-

sessões de esclarecimento sobre o uso seguro da

res do distrito de Braga. Aparece ainda como uma

internet, entre outras.

das cinquenta melhores escolas do ensino básico a

Estamos, todavia, perfeitamente conscientes

nível nacional.

de que numa organização dinâmica como uma esco-

Estes resultados devem-se em primeiro lugar

la há sempre aspetos a melhorar e problemas a re-

ao trabalho, esforço e dedicação dos nossos alunos e

solver. Desde logo, e como uma das principais pre-

ao interesse e acompanhamento das suas famílias.

ocupações da escola, a contínua melhoria dos resul-

Mas são igualmente resultado do empenho e da

tados escolares dos nossos alunos. Trata-se de um

qualidade de todos os profissionais que trabalham

processo nunca acabado, merecedor de toda a aten-

nesta escola. Devem por isso constituir-se como um

ção por parte dos profissionais desta escola e ao

motivo de orgulho e, simultaneamente, como um

qual temos dedicado cada vez mais os recursos hu-

desafio para a comunidade escolar.

manos disponíveis.

Terminamos desejando a todos a continuação

Outro dos problemas que nos preocupa, e que

de um bom ano letivo, apelando em particular aos

gostaríamos de ver resolvido, prende-se com a aber-

alunos para que se esforcem e possam assim alcan-

tura do pavilhão gimnodesportivo. A obra encontra-

çar bons resultados escolares.

se já concluída mas obstáculos processuais e administrativos têm impedido a sua utilização pelos alunos. Esperamos que todos os obstáculos burocráticos se ultrapassem rapidamente para que ainda neste ano letivo possa estar ao serviço da comunidade. A escrita deste texto coincide ainda com a divulgação pela comunicação social dos rankings das 2

escolas básicas e secundárias. Sabemos que é um

A direção


Conselho Geral O Conselho Geral é um órgão de direção estratégica, responsável pela definição das linhas orientadoras da atividade das escolas que constituem o Agrupamento, assegurando a participação e representação da Comunidade Educativa. O Conselho Geral para o quadriénio 2017/2021 tomou posse no dia vinte e sete do mês de abril de dois mil e dezassete. É constituído por dezassete elementos: - seis representantes do pessoal docente, salvaguardando todos os níveis de ensino, eleitos pelos docentes; - um representante do pessoal não docente, eleito pelo pessoal não docente; - três representantes do município designados pela câmara municipal (Vereadora do Pelouro da Educação da Câmara Municipal de Barcelos, Presidente da Junta de Fragoso e

Prof. Isabel Rodrigues, presidente do Conselho Geral

Presidente da Junta de Aldreu); - quatro representantes dos encarregados de educação eleitos em assembleia-geral de pais e encarregados de educação; - um representante da comunidade local cooptado pelos restantes elementos (membro da direção do Centro social de Durrães); - dois representantes dos alunos - o presidente e o vicepresidente da Assembleia de delegados, não tendo direito a voto. O Diretor participa nas reuniões, sem direito a voto. Compete a este órgão enfatizar a importância do cumprimento dos objetivos e metas do Agrupamento, fazer com que a sua visão seja partilhada por todos e se construa uma Escola de referência sempre focada nos nossos alunos, apontando para o sucesso educativo e criar condições para que este se concretize. Cabe também a este órgão eleger o Diretor e avaliar o seu desempenho. A presidente do Conselho Geral, Isabel Félix Oliveira Rodrigues

3


Gabinete de Apoio à Família

Este espaço recém-criado, da responsabilidade da psicóloga Paula Costa, destina-se a todas as famílias que identifiquem uma situação de crise na sua dinâmica familiar ou em situações

externas,

ao

Aconselhamento

Parental

(esclarecimento sobre práticas educativas positivas), procurando assegurar a proteção das famílias mais vulneráveis, promovendo a sua integração, qualidade de vida e bem-estar psicossocial. Este gabinete funciona às Quartas-Feiras, das 12:30h às 13:30h.

4


BIBLIOTECA

5


Outubro Mês Internacional das Bibliotecas Escolares

Ligando Comunidades e Culturas A Biblioteca Escolar desempenha um papel muito importante nas escolas, sendo veículo de transmissão de conhecimentos, não somente através dos livros, mas também através das atividades que desenvolve. O MIBE - Mês Internacional da Biblioteca Escolar, pretende divulgar a importância e valor da biblioteca escolar na vida das escolas. O nosso agrupamento, à semelhança dos anos anteriores, associou-se a este evento com a realização de várias atividades, lembrando sempre que todos os dias são dias da biblioteca!

“Neste ano pretende-se transmitir a ideia de que o Mês Internacional da Biblioteca Escolar conecta comunidades de aprendizagem, comunidades sociais e culturais em todo o mundo. O objectivo é que em Outubro, os responsáveis pelas bibliotecas escolares em todo o mundo escolham um dia, uma semana ou todo o mês para celebrar a importância das bibliotecas no desenvolvimento das novas competências da literacia e a consciência da sua importância na afirmação de uma cultura pedagógica que atenda às necessidades dos alunos no século XXI, para além da literacia da informação, promoção da leitura, literacia digital, formação de leitores críticos, construção da cidadania, reforço da inclusão social, cultural, desenvolvimento de boas práticas, sustentabilidade e modelos de colaboração assentes na interdisciplinaridade entre bibliotecários e professores.”! goo.gl/W64e7d

6


DIA DA BIBLIOTECA ESCOLAR O tema escolhido pela International School Library Month (ISLM) para a comemoração deste mês foi “Ligando comunidades e culturas”. Com este tema, pretende-se salientar que a Biblioteca Escolar liga comunidades de aprendizagem, comunidades sociais e culturais em todo o mundo. O Agrupamento de Escolas de Fragoso em articulação com a Rede de Bibliotecas Escolares de Barcelos associou-se a estas comemorações através de visitas guiadas à biblioteca para os alunos do 1.º ciclo e 5.º ano: com a iniciativa À descoberta da Biblioteca Escolar, os alunos aprenderam a requisitar livros e tiveram também oportunidade de os explorar e ler histórias. Ainda neste âmbito, foram distribuídos sacos de livros por todas as unidades educativas; dramatizadas histórias; distribuídos marcadores de livros e foram também realizadas sessões de literacia para os alunos do 6.º e 7.º ano. Com estas sessões pretendeu-se salientar a importância das bibliotecas no desenvolvimento das novas competências da literacia na formação dos alunos do século XXI .

7


Encontro com a escritora No dia 26 de outubro, a escritora Margarida Pogarell esteve na nossa escola para apresentar a sua obra "Acácia e os fantasminhas". Este livro apresenta-nos a Acácia, uma menina especial, e a forma como foi integrada numa turma com meninos também eles muito especiais. "Acácia e os fantasminhas" mostra-nos, através da simplicidade e pureza das crianças, que a força da amizade pode transformar vidas. Poemas, 'sketches' e trabalhos manuais mostraram que - como no livro - no reino da amizade tudo é possível. Depois de a ouvirem, os alunos colocaram várias questões, ficando a conhecer melhor a escritora, a sua motivação para a escrita e a história da Acácia. Uma tarde enriquecedora, de muita partilha e de aprendizagem significativas!

Escritora visita E.B.I. de Fragoso por Marco Silva, aluno do 9.ºB, Educação Especial

No dia 26 de outubro, a escritora Margarida Pogarell visitou a escola E.B.I. de Fragoso para falar sobre o seu livro “Acácia e os fantasminhas”. Este encontro teve como finalidade a divulgação do livro “Acácia e os fantasminha” e a sua venda para ajudar a menina Acácia de Armamar a fazer tratamentos. A Biblioteca estava cheia de alunos desde o 3.º ao 5.º anos. Após uma breve apresentação da autora pela professora Clara Neiva, a sessão teve início com as dramatizações feitas pelos alunos do 3.º ano. De seguida foram declamados vários poemas pelos 8 alunos do 5.º ano, da sua autoria. A sessão conti-

nuou com os alunos a colocarem várias questões à escritora. Esta foi respondendo às perguntas e os alunos e professores ficaram a saber mais sobre a vida e a obra dela. Seguidamente, os alunos do 5.ºA foram explicar com fizeram os trabalhos de expressão plástica que realizaram e estavam muito bonitos. Em sinal de agradecimento, a Equipa da Biblioteca ofereceu à Margarida Pogarell um ramo de flores e um polvinho em croché feito pela professora Liliana Brito, que é responsável pelo Clube de Croché da escola. Houve ainda um aluno do 9.ºB que lhe deu uma ilustração de um espaço da obra e de várias personagens. A escritora ficou muito feliz e, depois da sessão de autógrafos, foi-se embora levando consigo os trabalhos realizados pelos alunos. Marco Silva, 9.ºB


Entrevista à escritora Margarida Pogarell Margarida Pogarell é uma escritora de nacionalidade portuguesa, que vive atualmente na Alemanha. O seu prazer de escrever e a sua sensibilidade por causas humanitárias ligam-na à sua terra natal. Na sessão de promoção da obra “Acácia e os fantasminhas” que ocorreu na E.B. I. de Fragoso, teve a gentiliza de nos responder a várias questões. 5ºC: Com que idade começou a escrever?

ver?

MP: Quando era pequenina, na escola.

MP: Gostei de escrever todos.

5ºC: Como é que se sente ao escrever obras para crianças? 5ºC: Qual foi o livro que escreveu que mais a marcou? MP: Eu vivo as histórias. É como se estivesse lá dentro do livro. 5ºC: Quando era pequena gostava de ler livros? MP: Sim, muito para ler e sonhar… 5ºC: Onde é que passou a sua infância? MP: Em África. 5ºC: Qual é a origem do nome Pogarell?

MP: Foi o Livro “A Acácia e os fantasminhas”. 5ºC: Quando conheceu a menina Acácia? MP: Conheci a Acácia meses antes de publicar o livro. 5ºC: A turma da Acácia ainda permanece junta? MP: Não, esta turma não é real. 5ºC: Qual é a idade atual da Acácia?

MP: Tem 14 anos. MP: Pogarell é o apelido do meu marido que é de nacionalidade alemã. Pogarell, antigamente, era o nome de um conda- 5ºC: Onde escreveu a obra “Acácia e os fantasminhas”? do; agora ainda existe na Alemanha uma localidade com este MP: Metade em África e metade em Portugal. nome. 5ºC: Qual é a sua disciplina favorita?

5ºC: Quando é que começou a escrever este livro?

MP: O Português e o Alemão. Sou professora de Português e vivo na Alemanha.

MP: Comecei a escrever este livro em 2016.

5ºC: O que é que a motivou a ser escritora? MP: Foi um livro que eu li em criança e falava sobre um anão… 5ºC: Quando era pequenina já tinha a paixão de ser escritora? MP: Sim, porque eu já era uma menina muito sonhadora e sonhava mesmo quando estava nas aulas e, às vezes, a olhar pela janela. 5ºC: Que influência tem a escrita na sua vida? MP: Muita! 5ºC: Sobre que tema é que gosta mais de escrever? MP: Sobre tudo o que faça mexer o coração das pessoas. 5ºC: O que sente ao escrever? MP: Sinto-me inspirada. 5ºC: Quanto tempo demora a escrever um livro? MP: Depende do livro. Às vezes um ano ou até mais! 5ºC: Como é a vida de uma escritora? MP: É como a de uma professora… 5ºC: Qual foi o livro que a senhora gostou mais de escre-

5ºC: Já está a trabalhar no próximo livro? MP: Sim. 5ºC: Enquanto escreve, partilha a história com alguém para pedir conselhos? MP: Sim, com uma colega. 5ºC: Já alguma vez se cruzou com alguém a ler um livro seu? MP: Já vi muitos meninos, quando vou às escolas. 5ºC: Qual dos seus livros teve mais sucesso de venda? MP: “Acácia e os fantasminhas”. 5ºC: Como surgem as ideias para escrever um livro? MP: É a sonhar e a observar. 5ºC: Porque gosta de escrever livros? MP: Porque é muito bom! No fim desta entrevista, ficamos a saber um pouco mais sobre a vida desta escritora, a sua motivação e as suas fontes de inspiração. Agradecemos a sua atenção e enorme simpatia e esperamos que um dia ainda nos voltemos a encontrar. Os alunos da turma 5.º C

9


SEMANA DA

ALIMENTAÇÃO

Entre os dias 16 e 20 de outubro, o nosso Agrupamento comemorou a Semana da Alimentação, tendo como principal objetivo promover uma alimentação saudável junto de toda a comunidade educativa. Foram

diversas as atividades desenvolvidas

nas aulas, nos intervalos e na Biblioteca Escolar, nomeadamente as seguintes ações: - Feirinha de alimentos saudáveis; - Degustação de vários tipos de fruta e outros alimentos; - Exposição sobre os alimentos; - Receitas saudáveis de alimentos do mês de outubro; - SuperTmatik QuiZ da Alimentação saudável; - Ações de formação sobre a roda dos alimentos e alimentação saudável; - Histórias alusivas ao tema. Com estas atividades pretendeu-se reforçar a prática de uma alimentação saudável e, sobretudo, promover a reflexão sobre o tema, pois todos queremos uma comunidade educativa informada, recetiva à adoção de estilos de vida saudável e… com saúde!

10


No dia 16 de outubro de 2017, segunda-feira, a nossa escola comemorou o “Dia Mundial da Alimentação” e para comemorar este dia fizemos gela-

Escola de Balugães comemora

Dia da Alimentação

dos com os frutos que os nossos pais nos enviaram. Antes da confeção dos gelados as professoras alertaram-nos para a importância de uma alimentação saudável, observamos e analisamos a roda dos alimentos. Também chamaram a atenção para os lanches menos saudáveis que alguns meninos trazem para a escola. De seguida, procedeu-se à confeção do gelado e com a ajuda das professoras e das auxiliares, as frutas foram lavadas, descascadas e retirados os caroços. Após esta etapa, as professoras colocaram as frutas na centrifugadora para serem trituradas. A polpa foi colocada em copos de café com um pau de gelado e levados ao congelador da cantina do ATL para solidificar. No dia seguinte, no fim do almoço saboreamos o gelado delicioso. EB1 de Balugães

11


OUTUBRO

ROSA

O Agrupamento de Escolas de Frago- Nacional de Prevenção do Cancro da Mama, so aderiu, mais uma vez, à Onda Rosa, que todas as escolas do agrupamento se associadecorreu de 16 a 30 de outubro.

ram a esta ação de sensibilização, sendo dis-

Esta campanha tem como objetivo sen- tribuídos laços pela luta contra o cancro e sibilizar a população para a importância da realizado o peditório a favor da Liga Portuprevenção e diagnóstico precoce do cancro guesa Contra o Cancro, a fim de alertar a coda mama. Os Jovens Promotores de Saúde e munidade escolar para a importância da prea Biblioteca Escolar decoraram a escola sede venção do cancro da mama. de forma que a cor rosa dominasse nos prin-

A comunidade escolar aderiu e contri-

cipais espaços. No dia 30 de outubro, Dia buiu para a iniciativa. Jovens Promotores de Saúde

12


13


Auto Stop

| OPERAÇÃO FARDAS

Escola Segura No dia 23 de outubro, um senhor agente da “Escola Segura” veio à EBI de Fragoso falar connosco sobre segurança rodoviária e dinamizar uma atividade “Auto Stop – Operação Fardas”, destinada aos alunos do 3.º ano, relembrando as normas de segurança que tinham sido faladas numa palestra anterior a esta data. A operação consistiu em vestirmos fardas e transformarmo-nos em “verdadeiros” agentes, a fingir!.. Assim, lá fomos para a estrada em frente à escola e, depois de o senhor agente mandar parar os carros, dirigimo-nos ao condutor, em pequenos grupos, e alertávamos para as normas de segurança principais a ter em conta quando se circula na estrada, e mais concretamente junto às escolas: colocar sempre o cinto de segurança, abrandar quando se aproximam de escolas, nunca beber bebidas alcoólicas quando se vai conduzir, não utilizar o telemóvel. Além disso também se relembrou que as crianças até 12 anos ou 1,35 m devem usar o banco elevatório ou cadeira indicada para a sua idade. No final, regressamos às salas de aula, muito satisfeitos e com a sensação de missão cumprida. Foi uma atividade da qual gostamos muito, por ser muito divertida e enriquecedora.

14


Escola Segura | História e Missão Todas as crianças têm direito de crescer em segurança, num clima de tranquilidade, sem medos nem receios. É obrigação de todos nós tornar esse direito uma realidade. HISTORIAL

OBJETIVOS PRIORITÁRIOS DO PROGRAMA

“O Programa Escola Segura tem a sua origem num protocolo

Promover uma cultura de segurança nas escolas

Fomentar o civismo e a cidadania, contribuindo deste modo para a afirmação da comunidade

celebrado em 1992 entre

escolar enquanto espaço privilegiado de inte-

o Ministério da Administração Interna e o Ministério da Educação. Na

altura

foram

escolhidas, em função de estudos prévios e crité-

gração e socialização; 

Diagnosticar, prevenir e intervir nos problemas de segurança das escolas;

Determinar, prevenir e erradicar a ocorrência

rios objectivos para integrar o programa, as escolas

de comportamentos de risco e/ou de ilícitos nas

consideradas prioritárias, ou seja, as mais carencia-

escolas e nas áreas envolventes;

das de meios humanos e materiais, a fim de melho-

Promover, de forma concertada com os respec-

rar as suas condições de segurança. Estas escolas

tivos parceiros, a realização de acções de sensi-

passaram a beneficiar de presença policial em per-

bilização e de formação sobre a problemática

manência junto à entrada para garantirem a segu-

da prevenção e da segurança em meio escolar;

rança dos espaços interiores das escolas foram re-

Recolher informações e dados estatísticos e

crutados recursos humanos específicos (Auxiliares

realizar estudos que permitam dotar as entida-

de Educação). Foram efectuadas significativas alte-

des competentes de um conhecimento objecti-

rações na sua arquitectura e sistemas de segurança

vo sobre a violência, os sentimentos de insegu-

física (vedações, iluminação).

rança e a vitimação na comunidade educativa.”

No decorrer do programa verificou-se existir, de ano para ano, alguma oscilação quanto à situa-

Fonte: goo.gl/50zrXr

ção de segurança das escolas e que a presença permanente de polícias era incomportável e acabava muitas vezes por ser contraproducente. Este facto levou a que a partir de 1996, começassem a ser fornecidos veículos automóveis às forças policiais e fossem criadas equipas especializadas na PSP e GNR, tendo em vista a garantia da segurança e vigilância das áreas escolares. 15


17 OUTUBRO

Dia Internacional para a

ERRADICAÇÃO DA POBREZA

“A data foi comemorada oficialmente pela

vale a um vencimento mínimo mensal de 406 euros.

primeira vez em 1992, com o objetivo de alertar a

Portugal surge na 141ª posição do top dos países

população para a necessidade de defender um direi-

mais pobres do mundo, com um PIB (PPC) per ca-

to básico do ser humano.

pita de 23,185 dólares.”

Antes, a 17 de outubro de 1987, Joseph Wresinski, o fundador do Movimento Internacional

Pobreza no mundo

ATD Quarto Mundo, convidou as pessoas a se reu-

“Dados revelados pelas UNESCO indicam

nirem em honra das vítimas da fome e da pobreza

que 842 milhões de pessoas continuaram a sofrer de

em Paris, no local onde tinha sido assinada a Decla-

fome crónica entre 2011 e 2013.

ração Universal dos Direitos Humanos. Ao seu apelo responderam cem mil pessoas.

A pobreza está a diminuir a uma taxa sem precedentes. Em 1990, 43% da população mundial

A erradicação da pobreza e da fome é um dos

vivia em pobreza extrema, com menos de 1,25 dóla-

oito objetivos de desenvolvimento do milénio, defi-

res por dia. Este número reduziu para 21%, mas há

nidos no ano de 2000 por 193 países membros das

ainda muito trabalho pela frente, especialmente no

Nações Unidas e por várias organizações internaci-

continente africano.”

onais. Neste dia se dá voz aos pobres e se unem es-

10 países mais pobres do mundo

forços para acabar com a pobreza. O tema de 2016 é "Passando da humilhação e da exclusão para a parti-

1. República Democrática do Congo

cipação: acabando com a pobreza em todas as suas

2. Zimbabwe

formas".

3. Burundi

Pobreza em Portugal “Em Portugal, o número de pobres e de pessoas que passam fome tem vindo a aumentar, em resultado da crise económica. As instituições de apoio

4. Libéria 5. Eritreia 6. República da África Central 7. Níger

e caridade social têm registado um aumento signifi-

8. Malawi

cativo do número de pedidos de apoio por parte das

9. Madagáscar

famílias portuguesas.

10. Afeganistão

Segundo dados revelados pela Rede Europeia Anti-Pobreza, 18% dos portugueses são pobres. De acordo com esta organização, o número europeu que serve de referência para definir a pobreza equi16

Fonte: goo.gl/t6p4iC


Campanha de recolha de alimentos Para comemorar o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, o grupo disciplinar de EMRC dinamizou, durante a semana de 16 a 20 de outubro, uma recolha de alimentos, visando apoiar o Serviço de Acompanhamento e Atendimento Social do Centro Social e Paroquial de Fragoso. O desafio que lançou a cada aluno e demais membros da comunidade educativa foi a doação de, pelo menos, um alimento (massa, arroz, atum, ou outros não perecíveis), assente na convicção de que com a ajuda de todos pode aliviar-se o sofrimento daqueles que, nas nossas comunidades, não têm o essencial para viver dignamente. Rosária Couto | Luís Fernandes

17


Projeto “UM GESTO POR UM SORRISO” Clube “É-Te=Igual?” visita utentes do CSPF Inseridas no projeto “Um gesto por um Sorriso” – proposta do clube É-Te=Igual?, no âmbito da iniciativa Orçamento Participativo Escolar da Câmara Municipal, serão realizadas algumas atividades, por parte deste clube, com os utentes do Centro de Dia do Centro Social e Paroquial de Fragoso e outras pessoas da comunidade que queiram participar. O arranque deste projeto deuse no dia 11 de outubro com a primeira visita ao CSPF que permitiu uma tarde de convívio entre todos onde reinou a alegria e boa disposição. No dia 25 realizou-se a segunda atividade, também aberta à comunidade, uma sessão de esclarecimento sobre “alimentação saudável” com a presença de duas enfermeiras que apresentaram os benefícios e os riscos de certos hábitos alimentares terminando com um lanche saudável. Outras ações irão acontecendo ao longo do ano permitindo a integração de gerações e facilitando a tolerância e a identificação positiva com os idosos. Clube É-Te=Igual?

18


III CAMINHADA AVEF

Na manhã do dia 30 de novembro realizou-se a III caminhada da Castanha no AVEF. O grupo era constituído por 144 alunos e 6 professores que ao longo de 2h30 caminharam até à capela da Senhora dos Remédios em Palme, e voltaram. Os percursos de ida e volta foram diferentes, trilhando caminhos e atalhos por bouça e por campo onde se sentia o cheiro a terra molhada e se podia apreciar a beleza das cores que a natureza nos oferece nesta altura do ano. Esta caminhada associou a prática de atividade física ao ar livre a um melhor conhecimento do meio onde a escola está inserida. Os momentos de convívio e boa disposição foram uma constante ao longo de toda a caminhada e todos esperam que para o ano se realize a quarta.

19


XIX Corta Mato Escolar

Realizou-se no dia 30 de novembro o XIX

No Escalão de Iniciados a classificação orde-

Corta Mato Escolar do Agrupamento Vertical de

nou-se: Inês Júnior (8.ºB), Ana Ferreira (7.ºB) e

Escolas de Fragoso. A prova decorreu nos terrenos

Marta Monteiro (8.ºC) e Daniel Rocha (9.ºB), Fran-

contíguos à Escola Sede em virtude da construção

cisco Silva (8.ºB) e Manuel Miranda (9.ºA).

do Pavilhão Gimnodesportivo.

Em Juvenis a única participante foi a Cristiana

O novo traçado foi do agrado de todos e as

Pinheiro (9.ºB) e os masculinos classificaram-se:

condições atmosféricas também proporcionaram

Marco Amorim (9.ºB), Diogo Gonçalves (9.ºA) e

provas competitivas, sem incidentes e com a adesão

Eduardo Carvalho (9.ºB).

de cerca de 62% dos alunos do Agrupamento.

Em paralelo, realizou-se a III Caminhada

Assim, os primeiros classificados na prova de

AVEF que contou com cerca de uma centena e meia

1.º e 2.º anos foram: Joana Queirós (F2), Márcia Fa-

de participantes (que não participaram no Corta-

ria (F1-2) e Matilde Barbosa (F2) e Tiago Quinta

mato). A mesma visa a promoção de hábitos saudá-

(F2), Afonso Queirós (F2) e Duarte Queiroz (F2).

veis e dar a conhecer pontos de interesse locais.

Na prova de 3.º e 4.º anos a classificação fi-

O percurso foi do agrado dos participantes

cou: Ana Ramos (PA4), Beatriz Oliveira (F2-3) e

pois foram percorridos caminhos rurais de Fragoso

Lara Venda (AL3-4) e Rodrigo Carvalho (F4A),

a Palme, passando por Aldreu.

Duarte Passos (BA3-4) e Lucas Neiva (F4A).

Aos participantes nas atividades, pelo empe-

No Escalão Infantil A tivemos: Ana Almeida

nho demonstrado, aos encarregados de educação

(5.ºC), Flávia Abilheira (5.ºA) e Matilde Louro

por terem autorizado a participação dos seus edu-

(5.ºC) e Pedro Queirós (5.ºC), Rodrigo Gomes (5.º

candos, às entidades presentes, aos docentes e assis-

A) e Carlos Queirós (5.ºC).

tentes operacionais, o Desporto Escolar e a Área

Em Infantil B a classificação foi: Vera Marques (7.ºC), Libânia Silva (7.ºB) e Daniela Silva (7.ºC) e Rodrigo Rocha (7.ºA), André Neiva (7.ºC) e João Queirós (6.ºB). 20

Disciplinar de Educação Física agradecem pela participação no Evento.


21


Semana da

CIÊNCIA

De 20 e 24 de novembro, decorreu a Semana da Ciência no nosso Agrupamento. Durante esta semana realizaram-se diversas atividades para todos os ciclos de ensino: Exposição “Cientistas do Mundo”; Oficina de escrita “A palavra é uma ciência”; dramatização do livro “Serafim está sempre constipado”; “A ciência na poesia”; elaboração de marcadores de livros “Descobre as ciências”; “Respirando ciência...”atividades experimentais físicas, químicas, matemáticas e de ciências; exibição de filmes e documentários; demonstração de Jogos Matemáticos e “Descobre o cientista” com QRCodes. Estas atividades permitiram despertar nos alunos o interesse para a ciência e traduziram-se em momentos de alegria e curiosidade.

22


Parlamento dos Jovens

ALUNOS VISITAM PARLAMENTO No âmbito do projeto “Parlamento dos jovens”, os alunos do 9.º ano da escola Básica de Fragoso, que integraram as listas concorrentes, participaram numa visita a Lisboa, onde puderam conhecer “por dentro” o Parlamento, a “Casa da Democracia”, conhecendo os seus “cantos”, participando numa sessão e conhecendo o funcionamento do Plenário. Nesta sua visita, foram acompanhados pelo deputado barcelense Joel Sá, que amavelmente os recebeu e fez de “cicerone” nos labirintos do belo edifício.

23


SEMANA DOS

AFETOS E DIREITOS HUMANOS Os afetos e os direitos humanos foram, mais uma vez, o mote para uma semana diferente na nossa escola. Foram várias as iniciativas que realizamos no âmbito da Semana Concelhia dos Direitos Humanos. O nosso principal objetivo foi a mobilização da comunidade educativa na defesa dos direitos e liberdades de TODOS os seres humanos, assim como na aceitação e inclusão das pessoas portadoras de deficiência, procurando levar os alunos a aceitarem a diversidade como algo normal e a respeitarem a pessoa humana. Destacamos a maratona de cartas da Amnistia Internacional, o puzzle sobre Inclusão proposto a toda a comunidade educativa pela Educação Especial, a sensibilização em sala de aula através de videos e documentos em PowerPoint, exposições, debate sobre atentados à dignidade do ser humano e realização de marcadores de livros.

24


Primeiro de Dezembro

Restauração da Independência No dia 1 de dezembro foi realizado mais um feriado nacional português e foram feitos trabalhos por alguns alunos da nossa escola sobre este dia. Falando um pouco deste feriado, este dia ficou conhecido como Dia da Restauração da Independência de Portugal, também chamado como “Primeiro de Dezembro”. No dia 1 de dezembro de 1640, um grupo de fidalgos invadiu o Palácio Real, prendeu a Duquesa de Mântua e matou Miguel de Vasconcelos. Com o sucesso desta revolução foi o fim da União Ibérica e da Dinastia Filipina, a Restauração da Independência de Portugal e o início da Dinastia de Bragança. Jaime, 9.º B

25


AVEF

SOLIDÁRIO Mais uma vez o nosso agrupamento deu continuidade às iniciativas solidárias. Foram elas: “Cabaz solidário - Natal para todos”, sob proposta do clube “É-Te=igual?”, com o objetivo de sensibilizar os alunos para as questões da pobreza e do contributo e responsabilidade da sociedade/escola na promoção da solidariedade, incentivando para “gestos que podem fazer a diferença” no seio de muitas famílias. Também, pelo segundo ano consecutivo, o AVEF participou no projeto Make-a-wish. Foram muitos que participaram tanto na divulgação e venda das estrelas como nas ideias para a decoração e na execução do trabalho final. Foi portanto um trabalho de partilha feito com muita alegria e esperança no futuro. Para o ano continuaremos com a mesma força. Ao longo do ano letivo, continuará a promover-se campanhas para recolha de tampas de plástico e de cortiça, também para fins solidários, e ainda a recolha de medicamentos fora de prazo, no âmbito do projeto “Missão Ambiente”, que contempla parcerias com farmácias locais.

26


27


Festa de Natal Realizou-se no dia 15 de dezembro, da parte

Quanto aos alunos do 3.º ciclo, as atividades

da manhã, a festa de Natal dos alunos do 1.º e 2.º

consistiram na Manhã Desportiva, com a participa-

ciclos, onde tiveram a oportunidade de apresentar

ção em vários jogos, dinamizados pelos alunos

as atividades preparadas em conjunto com os seus

com o apoio e supervisão dos professores de Edu-

professores.

cação Física.

Para além de um momento de convívio, foi um bonito espetáculo com representações musicais, de dança e de belas mensagens.

28


29


ROSA DOS VENTOS EXPOSIÇÃO No âmbito da disciplina de Geografia os alunos do 7.º ano foram convidados a construir uma Rosa dos Ventos. Os trabalhos elaborados estão expostos no átrio principal da Escola. De realçar a criatividade, a originalidade, a qualidade dos projetos e a diversidade dos materiais utilizados. Para a realização dos trabalhos os alunos foram sensibilizados para a reutilização de materiais, numa ótica de desenvolvimento de uma consciência ambiental sustentável “verde”, uma cidadania ecológica, saudável, cívica, mais ativa e responsável.

30


Corta Mato Distrital Realizou-se no dia 8 de fevereiro o Corta Ma-

classificadas) da aluna Vera Marques (7.º C) em

to da CLDE de Braga (Distrital). A prova decorreu,

Infantil B e o 7.º lugar (em 335 classificadas) da

como vem sendo habitual, junto à Pista Gémeos

aluna Inês Júnior (8.º B) em Iniciado Feminino.

Castro em Guimarães e a EBI de Fragoso participou

Em termos coletivos destacamos os 6os luga-

com, apenas, 32 alunos (dos 2.º e 3.º ciclos) em to-

res obtidos em Infantil B Feminino e Iniciado Femi-

dos os escalões, exceto Juniores.

nino em 62 e 58 escolas classificadas, respetiva-

Numa prova que não distingue federados de

mente. O escalão de Infantil A Feminino classificou

não federados (o caso dos nossos alunos), a partici-

-se em 40.º lugar entre as 68 escolas que pontuaram,

pação pode-se considerar bastante satisfatória, pro-

o Infantil A Masculino em 53.º entre as 68 escolas

va disso são as classificações individuais e coletivas

classificadas e o Infantil B Masculino em 13.º em

obtidas. No entanto, a dificuldade em recrutar os

72 escolas que pontuaram.

alunos para a prova tem-se acentuado a cada ano.

Aos participantes, pelo empenho demonstrado

Assim, fica a sensação de que melhores resultados

e aos encarregados de educação por terem autoriza-

seriam possíveis se todos os primeiros classificados

do a participação dos seus educandos o Agrupamen-

do corta-mato escolar tivessem participado.

to Vertical de Escolas de Fragoso agradece pela par-

Posto isto, dos 378 classificados em Infantil A Masculino, destaca-se o 8.º lugar alcançado pelo aluno Pedro Queirós (5.º C), o 20.º lugar (em 378

ticipação no Evento. Prof. Rolando Pinto

31


“Os bichos” Companhia de teatro Atrapalharte dramatiza histórias de Miguel Torga No dia 19 de janeiro, os alunos do 7.º e 8.º anos puderam assistir à dramatização de duas histórias extraídas do livro "Os Bichos" de Miguel Torga, levada a cabo pela companhia de teatro Atrapalharte, no Centro Social e Paroquial de Fragoso. As histórias "Tenório" e "Miúra" foram dramatizadas de forma absolutamente hilariante. Numa adaptação para teatro bem conseguida, assentando a dramaturgia na comédia, divertida e hilariante, aliando o lúdico ao pedagógico, num espectáculo interactivo, os alunos puderam apreciar estes dois contos das metas de Português, participando alguns deles como atores nas peças. De salientar ainda a interactividade dos atores com o público, criando um clima de descontração e de envolvimento que ajudou à compreensão da mensagem. Os atores Guilherme de Bastos Lima e Tânia Catarino (com o apoio musical de Paulo Ribeiro) foram entusiasticamente aplaudidos por toda a assistência, mostrando-se disponíveis para registar o momento da sua passagem em fotografias, de grupo e individuais. Parabéns e palmas para os atores! Parabéns aos alunos, pelo seu comportamento e envolvimento no espetáculo.

32


A T R A PA L H A R T E Provavelmente, a melhor companhia de teatro infantil do país!

“Desde 2012 que criamos espetáculos para as mais variadas instituições, de escolas a municípios, de freguesias a festas populares. O nosso objetivo é levar o teatro e cultura aos quatro cantos do país, incentivando aos hábitos de leitura nos mais novos. Para isso, aliamos a arte dramática ao estudo de textos contemplados no Plano Nacional de Leitura e currículo escolar dos diferentes graus de ensino. Sabemos que, muitas vezes, não é concedido o tempo merecido ao texto dramático, por isso escolhemos o teatro como forma de dar a conhecer autores e obras nacionais e internacionais. Abordamos os textos assentando a dramaturgia na comédia, aliando o lúdico ao pedagógico, em espetáculos interativos que apresentamos em escolas de primeiro, segundo e terceiro ciclos, bem como secundário. De norte a sul do país, chegamos a perto de 120 000 alunos, professores e auxiliares educativos por ano letivo, distribuídos por mais de 400 escolas em mais de 300 localidades. A cada novo ano cimentamo-nos mais no meio escolar, esforçando-nos para aumentar progressivamente a qualidade das nossas propostas para estar à altura da exigência do nosso público. Para além dos espetáculos que criamos, apostamos também na formação de turmas júnior e sénior. Com as crianças, desenvolvemos as capacidades de expressão e de relacionamento, a imaginação e a memorização, próprias do ser humano, para além de as incentivarmos a algo tão importante como brincar. Junto da comunidade sénior, procuramos que se continue, ao longo da vida, a manter uma atitude positiva, uma vida ativa e consequentemente, um envelhecimento mais saudável e feliz. Podemos estar sempre a brincar, mas levamos o trabalho muito a sério!” http://atrapalharte.pt/

33


Equipa de Futsal na FINAL FOUR

A equipa de Futsal Feminina do Desporto Escolar da EBI de Fragoso foi convidada a participar nas atividades inseridas na Final Four da Taça CTT que se realizou em Braga, na última semana de janeiro (entre os dias 20 a 27). Os jogos decorreram no espaço entre a Arcada e a Avenida Central, numa Fan Zone criada para o efeito, onde decorreram vários eventos. Foi uma festa recheada de momentos desportivos, musicais e culturais, onde as televisões iam animando o(s) dia (s) com sucessivos diretos. A nossa equipa também teve o privilégio de entrar num direto da RTP, antes do jogo pela disputa do 3.º/4.º lugar, onde todas as alunas se apresentaram, culminando o direto com o nosso grito desportivo “FRAGOSO”. Foram momentos e uma experiência única para as atletas. Realizamos dois jogos, o primeiro com a Escola EB de Gualtar, no dia 23, e o segundo com o Externato Infante D. Henrique, no dia 24. Mais importante que o resultado, foi a experiência, a alegria e a diversão. Jogamos dois jogos, almoçamos em Braga no segundo dia, visitamos a Fan Zone, nomeadamente a exposição da apresentação de todas as equipas da primeira liga, e vimos a Taça CTT exposta (que o Sporting venceu por penaltis contra o Vitória de Setúbal). Foram os seguintes participantes da EBI de Fragoso: o Diretor Prof. Manuel Amorim, treinador Prof. José Manuel Araújo, árbitro Marco Amorim, atletas/Jogadoras – Mariana Barreto, Mariana Abreu, Inês Júnior, Gabriela Júnior, Ana Manuela, Camila Costa, Carolina Almeida, Libânia Silva, Inês Fernandes e Sara Rodrigues. As atletas tiveram direito a medalha e diploma de participação e ainda a um equipamento desportivo. O Prof. José Manuel Araújo

34


Desporto

Escolar

FUTSAL FEMININO e MASCULINO

A escola de Fragoso continua à semelhança dos anos anteriores, a desenvolver o Futsal enquadrado na atividade externa (quadro competitivo) no âmbito do Programa do Desporto Escolar. Este ano letivo temos duas equipas inscritas na modalidade de Futsal nos escalões Iniciados Feminino e Iniciados Feminino. A equipa Iniciado Feminino é constituída pelas atletas das seguintes freguesias: Fragoso – Jéssica Sousa, Sara Gomes, Sofia Carvalho, Diana Lima, Libânia Silva, Eduarda Araújo, Matilde Louro; Palme – Camila Costa, Mariana Abreu, Inês Júnior, Gabriela Júnior; Aldreu – Ana Manuela Neiva, Carolina Benido; S. Paio de Antas – Carolina Couto Almeida; Durrães – Mariana Barreto. O responsável pela equipa é o Prof. José Manuel Araújo e os alunos árbitros Mariana Sousa (Barroselas) e Filipe Faria (Fragoso). A equipa Iniciado Masculino é constituída pelas atletas das seguintes freguesias: Fragoso – André Viana, David Rodrigues, Tomás Rodrigues, Luís Costa, Duarte Rodrigues. Aldreu – Marco Silva, Alexandre Pena, David Vieira, Diogo Nibra, Eduardo Carvalho, Luís Venda, Nuno Venda, Rodrigo Rocha, Tiago Sá. Palme – José Amaral. Durrães – David Carvalho, Daniel Rocha, Pedro Castro. Tregosa – Manuel Henrique. O responsável pela equipa é o Prof. José Manuel Araújo e os alunos árbitros Marco Amorim (Durrães) e Diogo Gonçalves (Balugães). Os alunos/atletas e o professor responsável expressam o contentamento e agradecimento ao Dr. Pedro Carneiro e à Farmácia Passos Carneiro pela oferta do equipamento desportivo para as duas equipas. Prof. José Manuel Araújo

35


A alegria saiu à rua No dia 9 de fevereiro realizou-se o desfile de Carnaval que contou com a participação de todas as turmas da escola sede e do Jardim de Infância. Os alunos, professores e encarregados de educação esmeraramse, mais uma vez, na preparação do desfile, apresentando fantasias lindíssimas fruto de muito trabalho e dedicação. Foram momentos muito divertidos em que a descontração foi a rainha da festa.

36


37


Visita de Estudo

5ºano

Visita de Estudo ao Castro de S. Lourenço e Museu de Serralves

No dia 15 de fevereiro, os alunos do 5.º ano da Escola EBI de Fragoso foram visitar o Centro Interpretativo do Castro de S. Lourenço, na parte da manhã, e o Museu de Serralves, na parte da tarde. No Centro Interpretativo do Castro de S. Lourenço começaram por ouvir uma breve explicação sobre a origem dos povos Castrejos e, de seguida, viram um filme onde «Caturo», personagem principal e inventada, conta o dia a dia dos Castrejos. No Museu de Serralves participaram na atividade «Animais por dentro – Anatomia comparada», dinamizada pelas monitoras do museu.

“O Parque de Serralves tem 18 hectares e é composto por uma grande diversidade de magníficos espaços harmoniosamente interligados: jardins formais, matas e uma quinta tradicional. Projetado pelo arquiteto Jacques Gréber nos anos 30 do século XX, é uma referência singular no património da paisagem em Portugal. Uma visita ao Parque, seja através da participação numa atividade programada ou num passeio livre em qualquer um dos seus circuitos com diferentes percursos e durações, é uma oportunidade privilegiada para estar em contacto com a natureza e apreciar a diversidade do seu património arbóreo e arbustivo. Além disso, os jardins e o Parque são também cenário museográfico: numa visita ao Parque pode conhecer esculturas que são obras da Coleção da Fundação de Serralves expostas em permanência.” goo.gl/gFqDfQ


Visita de Estudo

6ºano

Museu do Carro Elétrico e Oficina “Animais por Dentro” em Serralves

No dia 15 de fevereiro, os alunos do 6.º ano realizaram uma visita de estudo ao Porto para conhecer dois locais emblemáticos desta cidade. Esta atividade foi programada pelas

mestres, dirigiram-se para o Parque da Ca-

áreas disciplinares de História e Geografia

sa de Serralves, onde almoçaram e se pre-

de Portugal e Ciências Naturais. Inicial-

pararam para participar na oficina de for-

mente, os alunos e professores dirigiram-

mação intitulada “Animais por dentro –

se para o Museu do Carro Elétrico, onde

anatomia comparada”. Cada turma dirigiu-

puderam observar a evolução deste meio

se para um laboratório, onde uma educa-

de transporte ao longo dos anos e várias

dora os convidou a dissecar minhocas para

tipologias de carros, consoante a finalida-

comparar os sistemas circulatório, respira-

de a que se destinavam. Também conhece-

tório e digestivo com o humano. Foram

ram a antiga central elétrica que alimenta-

observados e manuseados outros órgãos

va todas as linhas da cidade do Porto. Esta

do porco e da vaca, que proporcionaram

aula in loco contou com a intervenção de

aos alunos uma experiência única, a qual

duas atrizes, que de uma forma bastante

lhes permitiu complementar e revisar as

humorada, satirizaram cenas da vida quo-

aprendizagens realizadas na aula de Ciên-

tidiana do Porto. Esta visita culminou com

cias Naturais.

uma fantástica viagem de carro elétrico,

Esta visita foi agraciada por todos.

pelas ruas da cidade invicta. Seguidamente, os alunos da escola EBI de Fragoso acompanhados pelos seus

Os alunos do 6.ºB


Rita Sá Ex-aluna da Escola brilha na Moda Lisboa

A jovem designer fragosense Rita Sá, ex-

Os “genes artísticos” de Rita Sá, oriunda de

aluna da Escola de Fragoso, esteve presente na

uma família com vários elementos ligados às artes,

Moda Lisboa, participando no desfile “Sangue No-

nas suas mais variadas expressões, manifestaram-

vo”, que decorreu no dia 6 de outubro, com a cole-

se muito cedo, pois sempre se mostrou muito pro-

ção “Diz-Orientation”, obtendo a brilhante Menção

pensa para o desenho e para os trabalhos manuais,

Honrosa correspondente ao 4.º lugar, feito que lhe

para além da sua veia musical.

dá direito a entrada direta na próxima edição deste desfile.

O resultado obtido na Moda Lisboa veio consagrar o trabalho desenvolvido pela designer fra-

Rita Sá frequentou o Ensino Básico no Agru-

gosense, dando-lhe visibilidade nacional, podendo

pamento de Escolas de Fragoso, seguindo-se a fre-

vir a abrir-lhe uma carreira de sucesso, ao nível das

quência de Artes na Escola Secundária Alcaides de

suas ambições de designer emergente.

Faria e, finalmente, o Curso de Design e Moda na Escola Superior de Artes e Design (ESAD) de Matosinhos, concluído em 2017.

42

Prof. José Reis


43


Ficha Técnica Propriedade: Agrupamento Vertical de Escolas de Fragoso | Coordenação: Biblioteca Escolar Colaboradores: Direção; Professores; Educadoras; Auxiliares de Ação Educativa e Alunos

Jornal 2017 2018  
Jornal 2017 2018  
Advertisement