Page 1

GERAÇÃO DE RENDA COM BAMBU JUNTO AO ASSENTAMENTO RURAL HORTO DE AIMORÉS LARISSA RAMOS (FEB/UNESP) lari.pramos@hotmail.com MARCO ANTONIO DOS REIS PEREIRA (FEB/UNESP) pereira@feb.unesp.br

Resumo: ESTE TRABALHO ESTÁ INSERIDO NUM CONJUNTO DE ATIVIDADES DO PROJETO DE EXTENSÃO “IMPLANTAÇÃO DO PROJETO BAMBU NO ASSENTAMENTO HORTO DE AIMORÉS” CONVÊNIO UNESPUNISOL/SANTANDER DESENVOLVIDO NA UNESP – CAMPUS BAURU. TEM COMO FOCO A CAPACITAÇÃO E GERAÇÃO DE RENDA PARA A COMUNIDADE DO ASSENTAMENTO. DENTRE AS INÚMERAS POSSIBILIDADES NA ÁREA DO BAMBU, A CONFECÇÃO DE PRODUTOS ARTESANAIS FOI UTILIZADA INICIALMENTE DEVIDO À FACILIDADE DE EXECUÇÃO E POUCA UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS. COMO METODOLOGIA BUSCOU-SE MOSTRAR QUANTO UM COLMO PODE GERAR DE PRODUTO E RENDA EM RELAÇÃO A QUATRO PRODUTOS ARTESANAIS: COLHER GRANDE, COLHER DE CHÁ, ESPÁTULA PARA PATÊ E ESPÁTULA GRANDE. TAIS PRODUTOS JÁ VÊM SENDO CONFECCIONADOS PELOS AGRICULTORES E COMERCIALIZADOS EM FEIRAS PERIÓDICAS COM AUXILIO E SUPERVISÃO DE ALUNOS, QUE REPASSAM PARA ESSA COMUNIDADE ENSINAMENTOS COMO PROCESSAMENTO, ACABAMENTO E CONFECÇÃO DE PROTÓTIPOS.FORAM ANALISADOS 20 COLMOS DE BAMBU DA ESPÉCIE DENDROCALAMUS GIGANTEUS PROVENIENTES DE PLANTIO PRÓPRIO EXISTENTE NO LABORATÓRIO DE EXPERIMENTAÇÃO COM BAMBU E DETERMINADAS AS DIMENSÕES DIÂMETRO, ALTURA E ESPESSURA DA PAREDE. ATRAVÉS DE UM COLMO MÉDIO OBTIDO SE DETERMINOU A PRODUÇÃO E GERAÇÃO DE RENDA PARA UM COLMO. OS RESULTADOS PERMITIRAM A CONFIRMAÇÃO DAS POTENCIALIDADES DO BAMBU ALÉM DA SUA VIABILIDADE COMO FONTE DE RENDA. Palavras-chaves: DESIGN; GERAÇÃO DE RENDA; BAMBU; PRODUTOS ARTESANAIS.


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

INCOME GENERATION WITH BAMBOO FOR THE RURAL COMMUNITY OF THE HORTO DE AIMORÉS SETTLEMENT Abstract: THIS WORK IS PART OF A SET OF ACTIVITIES OF A EXTENSION PROJECT WITH BAMBOO IN DEVELOPMENT IN THE RURAL COMUNITY OF THE HORTO DE AIMORES SETTLEMENT. THE MAIN OBJETIVE IS THE TRAINING AND INCOME GENERATION FOR THE COMMUNITY. AMONG THE MANY PPOSSIBILITIES OF THE BAMBOO USES, THE CONFECTION OF CRAFT PRODUCTS WAS INITIALLY ADOPTED DUE IT TO BE EASE OF IMPLEMENTATION AND TO USE LITTLE EQUIPMENT. AS A METHODOLOGY FOUR CRAFT BAMBOO PRODUCTS WERE USED, A LARGE SPOON, A TEASPOON, A LITTLE SPATULAAND A BIG SPATULE TO SHOW HOW MANY PRODUCTS AND RELATED INCOME CAN BEGENERATE BY A CULM. SUCH PRODUCTS ARE ALREADY BEING MADE BY FARMERS AND SOLD AT FAIRS WITH PERIODIC ASSISTANCE AND SUPERVISION OF STUDENTS. TWENTY CULMS OF THE DENDROCALAMUS GIGANTEUS ESPCIES WERE ANALIZED IN TERMS OF THE DIMENSIONS DIAMETER, HEIGHT AND WALL THICKNESS. BY A MEDIUM STEM OBTAINED WAS DETERMINED THE PRODUCTION AND IN COME GENERATION FOR A CULM. THE RESULTS LED TO CONFIRMATION OF POTENTIAL OF BAMBOO AND ITS VIABILITY AS A SOURCE OF INCOME FOR FARMERS. Keyword: DESIGN; INCOME GENERATION; BAMBOO; HANDCRAFTED PRODUCTS.

2


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

1. Introdução Com o crescente desmatamento e pressão sobre as florestas tropicais, bem como sobre as áreas de reflorestamento, torna-se cada vez mais necessária a busca por materiais renováveis e soluções alternativas capazes de atenuar em parte este processo. A cultura do bambu, embora seja milenar em nosso planeta, tem sua utilização e pesquisa, em sua maioria, restritos aos países orientais, sendo que ultimamente no ocidente, uma maior atenção vem sendo dedicada a esta cultura. O bambu é uma cultura predominantemente tropical, renovável, perene, de produção anual, de rápido crescimento, com centenas de espécies espalhadas por todo o planeta e com milhares de aplicações além de ser considerado um rápido seqüestrador de carbono atmosférico (PEREIRA & BERALDO, 2008). Segundo Manzini & Vezzoli (2008) a contribuição para o efeito estufa proveniente do gás carbônico supera os 50%, dos CFC é em torno de 20%, o restante é determinado por outros gases. O tempo de absorção da atmosférica para estes gases superam o século. Do gás carbônico, 80% provêm dos processos de transformação energética (em particular o petróleo e o carvão), 17% através das produções industriais e os 3% restantes dos desmatamentos florestais. Analisando estes dados entende-se a significativa contribuição que o cultivo do bambu pode exercer na atual realidade. Além de seu caráter ecológico o bambu possui, ainda, características físicas e mecânicas que o tornam apto a ser utilizado no desenvolvimento de produtos normalmente produzidos com madeira nativa ou de reflorestamento. Desta forma, diversas pesquisas são direcionadas ao bambu por atender inúmeros quesitos de sustentabilidade. Todo o ciclo de sustentabilidade torna-se mais profundo e consistente quando se insere o ideal do “socialmente justo”. Também de acordo com Manzini e Vezzoli (2008), um projeto sustentável deve se possível, permitir a sustentabilidade daqueles que o usufrui. Uma das linhas do Design que atende isso é o Design Solidário. A premissa do Design Solidário é criar meios, através das práticas de design, de servir ao bem comum, poder atender e gerar oportunidades para qualquer grupo que esteja à margem da sociedade. Essa ação pode acontecer de diversas maneiras que são definidas a partir das necessidades e potencialidades da comunidade ou grupo, permitindo a geração de renda e desenvolvimento sustentável, o cooperativismo e a recuperação da auto-estima. Um projeto de extensão utiliza-se desses conceitos. A Extensão é uma via de mão dupla, com trânsito assegurado á comunidade acadêmica, que encontrará, na sociedade, a oportunidade da elaboração da práxis de um conhecimento acadêmico. No retorno a Universidade, docentes e discentes trarão um aprendizado que, submetido a reflexão teórica, será acrescido a aquele conhecimento. Este fluxo, que estabelece a troca de saberes sistematizados – acadêmico e popular -, terá como conseqüência: a produção de conhecimento resultante do confronto com a realidade brasileira e regional: a democratização do conhecimento acadêmico e a participação efetiva da comunidade na atuação da Universidade (TAVARES, 2001). O projeto de extensão “A implantação do Projeto Bambu no Assentamento Rural Horto de Aimorés” trabalha a mais de dois anos com a comunidade do Assentamento, localizado na divisa dos municípios de Bauru e Pederneiras, cerca de 15km de Bauru e possui 3


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

aproximadamente 350 famílias assentadas pelo INCRA desde o ano de 2007. Seu objetivo além de repassar todos os ensinamentos sobre manejo e plantio do bambu; é o de conscientizar esse grupo da fonte de renda que é possível ser gerada a partir da produção e confecção de produtos com bambu. 2. Objetivo 2.1. Gerais - Permitir a comunidade do Assentamento o conhecimento sobre as potencialidades do bambu e sua importância como fonte de renda. 2.2. Específicos - Através de um colmo médio, estimar e quantificar a produção e geração de renda para um colmo e para um plantio de 1 hectare, utilizando quatro produtos artesanais. 3. Metodologia 3.1. Espécie de Bambu A espécie utilizada neste trabalho foi o bambu gigante – Dendrocalamus giganteus, o qual é relativamente comum em nosso meio rural e de fácil reprodução e cultivo. As mudas deste bambu provenientes de moitas existentes na região, foram plantadas no ano de 1995 e desde o ano 2001 produzem anualmente colmos viáveis para utilização em pesquisas e desenvolvimento de produtos. Foram selecionados 20 colmos para essa análise, com dimensões variadas, para criação do colmo médio.

FIGURA 1 - Moita de bambu gigante (Dendrocalamus giganteus).

3.2 Definição do colmo médio Para a definição do colmo médio, foram selecionados 20 colmos de diversas moitas de bambu. A Tabela 1 exemplifica um colmo analisado. Onde: Ht= Altura total do colmo

4


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

Hu=Altura útil referente à espessura de parede de 8 mm (mínima necessária pra confecção dos produtos) De= Diâmetro de entrada do colmo Ds= Diâmetro de saída do colmo Ee=Espessura de entrada do colmo Es=Espessura de saída do colmo V=Volume do colmo TABELA 1 – Exemplo de um colmo analisado.

A partir desses 20 colmos, fez-se a média aritmética das dimensões gerando assim a altura, a espessura e o diâmetro médio. Para a altura: Ht(1) + Ht(2) + Ht(3)....Ht(20) / 20 Onde: Ht= altura de cada colmo Para o diâmetro: De(1) + De(2)...De(20) / 20 Ds(1) + Ds(2)...Ds(20) / 20 Onde: De= diâmetro de entrada do colmo Ds= diâmetro de saída do colmo Para a espessura:

5


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

Ee(1) + Ee(2)...Ee(20) / 20 Es(1) + Es(2)...Es(20) / 20 Onde: Ee= espessura de entrada do colmo Es= espessura de saída do colmo Como o colmo de bambu é um tronco de cone, o diâmetro da base é diferente do diâmetro superior, isso vale para a espessura também. A Figura 2 mostra esquematicamente um colmo de bambu.

FIGURA 2 – Esquema de um colmo de bambu

3.3 Análise da superfície plana do bambu Para se estimar a quantidade de produtos que pode ser gerada pelo colmo médio, foi necessário transformar o colmo (tronco de cone) numa superfície plana, como mostrado na esquematicamente na Figura 3.

6


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

FIGURA 3 – Esquema para encontrar a área plana do colmo e abertura do sólido.

Onde: G = lateral do bambu g = lateral da „geratriz‟ Cs = Comprimento superior Cb = comprimento da base R = raio da base r = raio superior H = altura do bambu h = altura da „geratriz‟ Por semelhança de triângulos e pelo teorema de Pitágoras foi possível obter a área plana representativa do colmo médio, de modo a que se possa estimar a quantidade de produtos possíveis de serem confeccionados por colmo. 3.3 Quantificação dos produtos artesanais Para a análise, quatro produtos foram escolhidos: colher grande, colher de chá, espátula para patê e espátula grande.

7


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

FIGURA 4 – Produtos selecionados.

Cada produto teve sua área analisada a fim de ser quantificada em relação à área do colmo. Para facilitar a análise, as áreas foram encontradas a partir de um retângulo, pois essa é a forma inicial antes de cortar e processar o produto como mostrado esquematicamente na Figura 5.

FIGURA 5 – Esquema de como são analisadas a área de cada produto.

Para a espátula, colher grande, colher de chá e espátula para patê usa-se a fórmula:

8


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

Área do retângulo = b (base) x h (altura) 3.4 Geração de renda por produto no colmo médio Inicialmente, foi quantificada a quantidade de produtos em relação ao colmo. Para isso foi divida a área do colmo pela área do produto. Após a quantificação dos produtos, foi possível analisar a possível geração de renda por colmo para cada produto escolhido. Os preços dos produtos variam, e atualmente são vendidos conforme a Tabela 2: TABELA 2 – Preço de cada produto.

PRODUTO Espátula grande Colher grande Colher de chá Espátula para patê

PREÇO R$ 8,00 R$ 8,00 R$ 5,00 R$ 3,00

4. Resultados 4.1 Medidas do Colmo Médio Na tabela 3, podem-se observar as medidas encontradas para o colmo médio. TABELA 3 – Colmo médio.

ALTURA 19,23 m

DIÂMETRO SUPERIOR 8,63 cm

COLMO MÉDIO DIÂMETRO DA ESPESSURA BASE SUPERIOR 11,8 cm 0,8 cm

ESPESSURA DA BASE 2,5 cm

4.2 Superfície plana do bambu Na tabela 4, podem-se observar as medidas lineares planas do bambu encontradas para o colmo médio. TABELA 4 – Medidas da superfície (em metros).

SUPERFÍCIE DO COLMO MÉDIO COMPRIMENTO COMPRIMENTO ALTURA DA RAIO SUPERIOR DA BASE 'GERATRIZ' SUPERIOR

0,27 m

0,37 m

5,17 m

0,043 m

RAIO DA BASE

0,059 m 9


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

Para encontrar “g”: Teorema de Pitágoras: g ² = h ² + r ² g ² = (5,17)² + (0,043)² g² = 5,17m Para encontrar “G” : Teorema de Pitágoras: g ² = h ² + R ² (5,17 + G)² = (24,4)² + (0,059)² √ Δ = 48,8 G = + 19,23m Assim, foram encontradas todas as medidas necessárias para achar a superfície/área plana do colmo. Área Lateral do cone: Sl = pi.R.g – pi.r.g Sl = 3,14.0,059.24,4 – 3,14.0,043.5,17 Sl= 3,8m² Conclui-se que a área lateral do colmo médio é 3,8m². 4.3 Dimensões dos produtos A Tabela 5 mostra as dimensões da superfície/área encontradas para os produtos TABELA 5 – Dimensões dos produtos. ÁREA DO COLMO MÉDIO ESPÁTULA GRANDE ESPÁTULA PARA PATÊ COLHER GRANDE COLHER DE CHÁ

3,8m² 0,048m² 0,0368m² 0,056m² 0,0368m² 10


XVIII SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Gestão de projetos e Engenharia de produção

Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2010

4.4 Quantidade de produtos gerados pelo colmo médio A Tabela 6 mostra a quantidade de produtos possíveis de serem confeccionados para um colmo. TABELA 6 – Número de produtos por colmo.

PRODUTO Espátula grande Colher grande Colher de chá Espátula para patê

QUANTIDADE 79 67 103 103

4.5 Geração de renda por produto no colmo médio A Tabela 7 mostra a estimativa de renda por colmo para cada produto TABELA 7 – Geração de renda.

PRODUTO

PREÇO

Espátula grande Colher grande Colher de chá Espátula para patê

R$ 8,00 R$ 8,00 R$ 5,00 R$ 3,00

QUANTIDADE DE PRODUTOS 79 67 103 103

RENDA R$ 632,00 R$ 536,00 R$ 515,00 R$ 309,00

5. Conclusão Os resultados obtidos permitem considerar o bambu um excelente material para confecção de produtos artesanais. A quantidade de produtos possíveis de serem confeccionadas por colmo, mostra que o bambu pode ser uma ótima opção para geração de renda. Ainda pode-se considerar que o plantio de bambu seria além de uma fonte de renda, seria uma forma de fixação da comunidade ao campo. Referências PEREIRA, M.A. dos R. & Beraldo, A.L. Bambu de corpo e alma. Canal 6 editora. Bauru, S.P. 2007. MANZINI E. & VEZZOLI C. Desenvolvimento de Produtos Sustentáveis. Os requisitos ambientais dos produtos industriais. Ed. EDUSP / 2008. TAVARES, M. G. M. Os múltiplos conceitos de extensão. Construção conceitual da extensão universitária na America Latina. Brasília: Universidade de Brasília - UnB. p. 73 – 83, 2001

11

XVII_SIMPEP_Larissa  

LARISSA RAMOS (FEB/UNESP) lari.pramos@hotmail.com MARCO ANTONIO DOS REIS PEREIRA (FEB/UNESP) pereira@feb.unesp.br Palavras-chaves: DESIGN; G...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you