Issuu on Google+


I

npaer Conquest 180

queixo caído e morrendo de vontade de voar este aparelho. É sem duvida de uma maquina destas que os aeroclubes e escolas particulares estão precisando em seus hangares, neste vasto Brasil, agora esperamos um pouco mais de agilidade de nossas autoridades para finalizar o processo de homologação dos LSA e liberar a venda para com isso tornar este projeto uma realidade com agilidade e sem mi longas... Fui


CONQUEST 180 Light Sport DIMENSÕES Capacidade: 1 Tripilante + 1 Passageiros Comprimento: 6,75 m Altura: 2,36 m Envergadura: 9,70 m PESO E CARGA Peso Vazio: 390 Kg Peso Máx. Dec.: 600 Kg Carga Útil: 210 Kg Combustível: 120 L DESEMPENHO Vel. Máxima: 205 Km/h Alcance: 1.200 Km Decolagem: 240 m Pouso: 350 m Teto Operacional: 15.000 FT MOTOR Rotax 912 S 100 Hp FABRICANTE Inpaer


E

nsaio Veículo

Apesar da ansiedade de ensaiar esta verdadeira astronave recebemos explicações sobre os dispositivos eletrônicos dessa autêntica superesportiva. Este foguete, S 1000 RR disputou a temporada 2009/2010 do Campeonato Mundial de Superbike.


B

MW S 1000 RR

A começar pelos quatro modos de pilotagem (Rain, Sport, Race e Slick), que podem ser selecionados por um botão no punho direito, mesmo em movimento -- situação na qual é preciso “fechar” o acelerador e apertar a embreagem até 60 segundos depois da escolha. Em cada um dos modos, a resposta do acelerador muda, o ABS funciona de forma diferenciada e o controle de tração (DTC) permite acelerações com a moto mais inclinada. O inédito “Sensor de Wheeling” evita que a moto empine, porém deixa de entrar em ação no modo Slick, que só deve ser usado com pneus de competição e em circuitos. Na primeira sessão, os técnicos da BMW sugeriram que pilotássemos no modo Rain, indicado para chuva e pisos escorregadios, para que nos acostumássemos tanto com a S 1000 RR como com o desafiador traçado de Portimão, repleto de subidas, descidas e curvas cegas. Bastou sair dos boxes para perceber que estava a pilotar um novo tipo de motocicleta BMW. O ronco forte do motor e a resposta brusca do acelerador prometiam diversão, mesmo com a potência restrita a 150 cv, uma das principais características do modo Rain. Além disso, o controle de tração limita a ação do acelerador com a moto inclinada a mais de 38°. Depois de algumas voltas, notei que a atuação dos freios ABS é bastante intrusiva nesse modo. Ao final da reta dos boxes, uma frenagem brusca em descida fazia o ABS funcionar em demasia, estilo que não combinava com a pista de asfalto novo e com liberdade para acelerar. Porém, deve ser ideal para situações adversas, como sob chuva forte ou piso molhado em uma estrada sinuosa. À medida que me acostumava com o circuito e com a moto, troquei para o Sport. Toda a potência de 193 cv a 13.000 rpm fica disponível e a resposta do acelerador torna-se mais direta. Já no modo Slick, esta sensibilidade chega ao topo. O novo motor impressiona. E não deve nada para os propulsores de quatro cilindros das motos japonesas, se é isso que você está se perguntando.

Com 999 cm³ de capacidade, pesa somente 59,8 kg -segundo a BMW, o mais leve quatro-cilindros de 1.000 cm³ -- conta com injeção eletrônica e refrigeração líquida. Tem cilindros de grande diâmetro (80 mm), porém o curso é de apenas 49,7 mm -- na prática, significa um motor que cresce de giros rapidamente e oferece muita potência e torque em média e altas rotações. O torque máximo de 11,45 kgfm a 9,750 rpm levanta a roda dianteira com facilidade -- ainda bem que a S 1000 RR conta com o controle de wheeling que, logo que a roda sai do chão, gerencia o motor para colocála para baixo. Esta S 1000 RR, definitivamente, não é a BMW de seu amigo cinquentão. “É uma BMW sem concessões, sem assento e manopla aquecida, sem espaço para a garupa. É uma superesportiva”, completou Stefan Zeit que, para comprovar que entendia sobre o que falava, vestiu o macacão e andou com a imprensa na pista de Portimão. CADA VEZ MAIS RÁPIDA Poderia gastar muitos parágrafos explicando o duto de ar variável, o controle das quatro válvulas por cilindro e as outras inovações tecnológicas que a BMW utilizou no quatro cilindros em linha da S 1000 RR. Mas, assim como eu, você deve mesmo querer saber como ele se comporta na pista. Impressionante, seria um bom resumo, porém insuficiente para explicar o comportamento do propulsor dessa moto bávara. Apesar das especificações bastante esportivas, tem razoável força em baixos e médios regimes e uma incrível potência em altas rotações. A entrega de toda a potência vem de forma amigável e não assusta o piloto. No modo Race -- indicado para o uso somente em pistas, porém com pneus de rua, como os excelentes Metzeler Racetec K3 originais de fábrica -- o acelerador fica ainda mais nervoso. Com ajuda do “Quick Shift Assistant”, que possibilita subir as marchas sem tirar a mão do acelerador e sem acionar a embreagem, ao final da reta de 969


metros de extensão, a S 1000 RR alcançava mais de 280 km/h em quinta marcha (o câmbio tem seis), com o conta-giros indicando que havia mais motor. Então era hora de frear em descida, afinal a curva para direita era feita em terceira marcha. Resumindo, o motor é de uma esportiva puro-sangue. Stefan Zeit que, para comprovar que entendia sobre o que falava, vestiu o macacão e andou com a imprensa na pista de Portimão. CICLÍSTICA IMPECÁVEL Sob frenagens bruscas e acelerações nas saídas de curva é que se nota o equilíbrio de todo o conjunto ciclístico de uma superesportiva, como a nova BMW S 1000 RR. A começar pelo compacto quadro em alumínio que oferece rigidez na medida certa e contribui para o peso de 206,5 kg da motocicleta. O conjunto de suspensões é formado por garfo invertido de 43 mm de diâmetro na dianteira e balança traseira monoamortecida -- além de ser uma bela peça de engenharia, tem dimensões avantajadas para garantir tração mecânica ao máximo nas curvas. O melhor de tudo é que os ajustes são completos e fáceis de fazer. Pode-se regular a altura tanto na frente como atrás e um prático sistema com escalas de 1 a 10 permite ajustar compressão e retorno, além de pré-carga da mola. Para nossa diversão, os mecânicos BMW escolheram uma configuração considerada ideal para a pista portuguesa. Com meus 70 kg e para meu nível de pilotagem não precisei mudar nada.

Porém, sem pensar nas especificações da ciclística ao pilotar a S 1000 RR, a primeira qualidade que salta é sua agilidade. Apesar da aparência de uma moto grande, muda de direção com facilidade e transmite total segurança ao piloto. Parece que o conjunto conversa com o piloto. Sente-se, do tanque às pedaleiras recuadas, todas as reações da moto, o que permite entradas de curva precisas, ajudadas pela embreagem deslizante, que possibilita reduções bruscas sem desequilibrar a moto.


B

MW S 1000 RR

Confiando no DTC e na aderência dos pneus de série, começava a acelerar bastante cedo na saída de curva. Vale dizer que, em nenhum momento, senti a moto querer escapar de traseira. O funcionamento do controle de tração é irrepreensível. Quando for guiar outras superesportivas sem o sistema terei de me lembrar que não terei toda a tecnologia da nova S 1000 RR. Porém se você se considera um piloto tão habilidoso que dispensa as maravilhas eletrônicas, a boa notícia é que tudo pode ser desligado. Só tenha cuidado ao girar o acelerador e ao acionar os freios, já que essa BMW S 1000 RR é nervosa mesmo.


BMW S 1000 RR DIMENSÕES Comprimento: 2.056 mm Largura: 826 mm Altura: 1.138 mm Altura do banco: 820 mm

FIM DE PAPO Depois de um dia inteiro no autódromo português na companhia da S 1000 RR, concluí que a BMW fez um excelente serviço nos cinco anos de desenvolvimento de sua superesportiva. Esqueça as soluções mirabolantes, os cilindros expostos do motor boxer, monobraço e eixo-cardã, características de outras motos da fábrica alemã. Essa não é a BMW do seu pai. Ela deixa de lado os mimos e aposta no desempenho. Tem um motor potente, uma ciclística intuitiva e muita tecnologia embarcada. Tecnologia, aliás, que faz dessa uma das mais seguras superesportivas que já pilotei. Lembrando que velocidades acima do permitido nunca são seguras e só devem ser atingidas em pistas e circuitos fechados com todo o equipamento de segurança necessário.

PESO E CARGA Peso vazio: 178 Kg Peso máx.: 405 Kg Carga útil: 203 Kg Combustível: 17,5 L Reserva: 4 L DESEMPENHO Vel. Máxima: 200 Km/H Potência máxima: 193 cv à 13.000 rpm Torque (RPM):11,42kgf.m à 9.750 rpm MOTOR Tetracilíndrico em linha 999 cc 4 tempos, 4 váuvalas por cilindro Taxa de compressão: 13.0 : 1 ABS-BMW Motorrad Race ABS, 4 modes to select: Rain, Sport, Race, Slick FABRICANTE BMW MOTOS Inc.

Você encontra este e outros veiculos BMW na:



Edição 15 caderno 03