Page 1

# 041 parque mayer, jardim botânico, edifícios da politécnica e área envolvente parque mayer, botanical garden, politecnica's buildings and surrounding areas A presente proposta, procura consolidar e relacionar a área de intervenção com a cidade existente a partir da alteração da sua escala, redefinição de espaços públicos e criação de novos eixos de permeabilidade com o território urbano limítro fe. Em torno do ascensor e da nova rua proposta, desenhase um eixo pedonal que relaciona a Av. da Liberdade com uma parte alta da cidade - Príncipe Real, R. Escola Politécnica e Bairro Alto. Esta rua tem potencial para estabelecer uma relação natural com os circuitos culturais mais marcantes na cidade de Lisboa. A partir da actual entrada do Parque Mayer, desenha-se a segunda via, num primeiro troço de acesso condicionado e posteriormente como via pública secundári a, para residentes e acesso às estruturas comerciais. Na proposta, opta-se por manter dois dos Teatros existentes, Capitólio e Variedades, por se considerar que existe um valor patrimonial que não pode ser menosprezado, ao nível da consciência colectiva do Parque Mayer, enquanto estrutura de diferentes Teatros. O Variedades embora não tenha a relevância arquitectónica do Capitólio, em termos urbanos, desenvolve uma interessante confrontação espacial com o referido cineteatro, sendo ainda de equacionar pontuais apropriações dos espaços públicos envolventes propostos como palcos de diferentes actividades – atente-se ao potencial uso como anfiteatro das escadarias de acesso à rua do ascensor. Os existentes muros de contenção do Jardim Botânico, serão adoçados por intermédio de um conjunto de plataformas que perfazem um percurso até à nova entrada do Jardim, cumprindo um dos objectivos do concurso ao estabelecer a ligação pelo “Parque” do “Jardim” à “Avenida”. Ao nível da estruturação do edificado procura-se repetir a escala das áreas urbanas consolidadas a Sul e Este, utilizando a tipologia de quarteirões com logradouros de solo permeável, potencialmente apropriáveis como hortas urbanas.| This proposal seeks to consolidate and relate the intervention area with the existing city by transforming its scale, redifining public spaces and creating new permeability axis with the surrounding territory. In the proposed street and funicular, is designed a walking axis wich relates the Avenida da Liberdade with the higher city part – Príncipe Real, Rua da Escola Politécnica and Bairro Alto. This street has the potential to stablish a natural relationship with some of the most important cultural circuits of Lisbon. From Parque Mayer actual entrance is designed a second axis, being the first section conditionally acessed and being the second a secundary public street, for residents and comercial structures access. The proposal chooses to keep two of the existing theaters, Capitólio and Variendades, due to the fact that the patrimonial value of the colective conscience of Parque Mayer as a several theaters structure can not be neglected. Although Variedades hasn't such an architectural relevance as Capitólio has, in urban space, it develops an interesting spacial confrontation with it. The public spaces around the two theaters can be stage for several activities. For example, the funicular's stairwell can be used as an amphitheater. The existing Botanical Garden containing walls will be dematerialised by the use of different platforms wich lead to the new Garden entrance, solving one of the contest issues: stablishing the conection between the Botanical Garden and the Avenida da Liberdade. The built structures seek to repeat East and South consolidated urban areas scale, by using a block tipology with permeable soil in its interiors, wich could be used as vegetable urban gardens.

Lisboa (PT), 2008


ASCENSORES DE LISBOA | LISBON'S FUNICULARS Em 1890, a Câmara Municipal de Lisboa, no contexto da construção da rede de ascensores que ainda hoje existe (Lavra, 1884; Glória, 1885; Bica, 1893), propôs a construção de um novo ascensor que ligasse a Av. da Liberdade ao Jardim da Escola Politécnica. Passado uma década a proposta mantinha-se ora utilizando a R. da Alegria ora a R. do Salitre. A presente proposta procura consolidar a estrutura de ascensores da cidade de Lisboa, propondo um novo ascensor, desta feita, ligando o Parque Mayer (Av. da Liberdade ) ao Jardim do Príncipe Real (R. da Escola Politécnica). Aproveitando a estrutura de logradouros existente e a sua relação, por resolver, com os muros do Jardim Botânico, procura-se desenhar uma rua pedonal com ascensor e de trânsito condicionado. O seu comprimento é sensivelmente igual ao do Ascensor da Glória, pretendendo-se afirmar esta nova rua como um eixo de carácter cultural/comercial. Este carácter poder-se-á garantir com a potenciação das instituições culturais existentes no local – Hot Clube de Portugal (bar), Alfarrabistas e Teatros requalifi cados, e das que possam vir a transferir-se – Hot Clube de Portugal (escola), bares especializados (música africana, lounge, etc.) e outras estruturas culturais que aspiram regressar ao centro de Lisboa – Ler Devagar, por exemplo. Por outro lado, a estrutura de hotéis existente na Av. da Liberdade e as que estão para surgir no Príncipe Real, servem de âncora para uma ligação com natural apetência turística. Nas traseiras da Av. da Liberdade, com início no Parque Mayer e até ao Jardim do Príncipe Real, passar-se-á a desenhar uma nova estrutura de cidade de escala contida, que possa funcionar vinte e quatro horas por dia, e que se constitua como um braço de ligação ao topo do Bairro Alto. | In 1890, during the construction of the funicula r net that still exists today (Lavra, 1884; Glória, 1885; Bica, 1893), the Lisbon Council proposed the construction of a new funicular that would conect the Avenida da Liberdade to the Botanical Garden. After a decade, the proposal was kept using either Rua da Alegria or Rua do Salitre. Our proposal seeks to consolidate the funicula r's net of the city, proposing a new funicular, that connects Parque Mayer (Avenida da Liberdade) to Príncipe Real Garden (Rua da Escola Politécnica). Taking advantage of the existing public places of the blocks structure and its unsolved relationship with the containing wall of Botanical Garden, is traced a pedestrian street with the funicular and limited traffic. With a lenght similar to Gloria's funicular, the intention is to affirm this new street as a cultural/comercial axis. The harness of the existing cultural institutions – Hot Clube de Portugal (bar), requalified theaters – and the ones that could be transfered to this street – Hot Clube de Portugal (school), specialised bars (african music, lounge, etc) and other cultural structures that aspire to return to the Lisbon center. On the other hand, the existing hotel structures in Avenida da Liberdade and the Príncipe Real emerging ones, work as an anchor for a naturally turistic connection. A new city structure of contained scale will arise from the Avenida da Liberdade back (Parque Mayer) to Príncipe Real Garden, working 24 hours a day, as a conection to the top of Bairro Alto.

Lisboa (PT), 2008

#041_01


1. ESTACIONAMENTO SUBTERRÂNEO UNDERGROUND PARKING 2. PICADEIRO DO COLÉGIO DOS NOBRES COLÉGIO DOS NOBRES RING 3. ESTUFA DO JARDIM BOTÂNICO BOTANICAL GARDEN GREENHOUSE 4. OBSERVATÓRIO DO JARDIM BOTÂNICO BOTANICAL GARDEN OBSERVATORY 5. RESIDÊNCIAS UNIVERSITÁRIAS UNIVERSITY RESIDENCES 6. HABITAÇÃO HOUSING 7. INTERIOR DOS QUARTEIRÕES INTERIOR OF THE BLOCKS 8. ESTACIONAMENTO PARQUE MAYER PARQUE MAYER PARKING 9. EQUIPAMENTO PÚBLICO PUBLIC EQUIPMENT 10. PRAÇA DOS TEATROS THEATERS SQUARE 11. HOT CLUBE DE PORTUGAL HOT CLUBE DE PORTUGAL 12. RESTAURANTES RESTAURANTS 13. HORTAS: SOLO PERMEÁVEL VEGETABLE GARDENS: PERMEABLE SOIL 14. CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ENVIRONMENT EDUCATION CENTER 15. RUA 24 HORAS 24 HOURS STREET 16. CASA DE CHÁ TEA HOUSE

Lisboa (PT), 2008

#041_02


PALETA DE CORES DE LISBOA | LISBON COLOR PALETTE Robert Wright é um escritor e fotógrafo de Buenos Aires. A partir de um pequeno ensaio de Todd Falkowsky, que sugere que as cidades, ou mesmo países, têm esquemas de cores que as definem, Wright criou uma paleta das cores de Lisboa. Inspirado no fascínio da luz de Lisboa, caracterizada por uma tonalidade de amarelo com uma pequena pitada de cor-de-laranja, e nos tons de pastel que diz estarem associados aos portugueses, encontrou a paleta que diz ser representativa da cidade.Nela podemos encontrar telhados de terracota, tonalidades da pedra de monumentos importantes, o Tejo, vários azuis de painéis de azulejo, e o castanhoavermelhado da ginginha. Propõe-se a utilizaçã o das tonalidades contidas nesta paleta, como elemento identitário dos novos eixos pedonais traçados. | Robert Wright is a writer and photographer of Buenos Aires. From a small essay of Todd Falkowsky, that sugests that cities, or even countries, have a defining scheme of colors, Wright developed a Lisbon color palette. Inspired in lisbon fascinating light, characterized by a yellow tone with a small pinch of orange, and in the pastel tones that affirms being related to the portuguese people, he found the pallet that claims to be representative of the city. In it we can find terracotta roofs, stone tones of the major monuments, the Tagus, several blues from ceramic tiles panels and the reddish brown of Ginginha. It is proposed to use the tones contained in this palette, as an identity element for the new pedestrian routes.

Lisboa (PT), 2008

#041_03


CRÉDITOS | CREDITS Cliente|Client Câmara Municipal de Lisboa Estado|Status Concurso de ideias|Ideas competition Localização|Location Lisboa, PORTUGAL Data|Date 2008 Arquitectura|Architecture ateliermob (Andreia Salavessa, Tiago Mota Saraiva com Diana Almeida, Maria Marques, Pedro Salavessa e Vera João) Especialidades|Engineering betar (José Pedro Venâncio) Arq.Paisagista|Landscape Joana Taxa Figueiredo ateliermob

Lisboa (PT), 2008

#041_04

Parque Mayer  

International Competition for the Master Plan, Lisbon 2008

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you