Page 1

27

2014

preview โ€ข geonovas n.ยบ 27, 2014 1


2 preview • geonovas n.º 27, 2014

O Cliente mais acima Fornecemos soluções para as Indústrias de Geotecnia, Fundações Especiais e Construção Civil em geral

www.maquesonda.pt Maquesonda, Lda – Parque do Alto - 2135-232 Samora Correia - Portugal - Tel.: + 0351 263 655 450 - Fax. + 0351 263 655 872 - info@maquesonda.pt


preview • geonovas n.º 27, 2014 3

Geonovas n.º 27 (2014) Versão preliminar

Este documento é uma versão preliminar da publicação anual Geonovas n.º 27, editada pela Associação Portuguesa de Geólogos e a publicar no corrente ano. Nesta edição preliminar poderá consultar os resumos do artigos a serem publicados. A Geonovas é uma revista de periodicidade anual que inclui artigos de carácter técnico-científico escritos em exclusivo para a mesma, com referees e textos de comunicações ou conferências proferidas nas várias iniciativas promovidas pela Associação Portuguesa de Geólogos. A Associação Portuguesa de Geólogos foi fundada em 1976. É uma associação sócio-profissional, sem fins lucrativos, que congrega profissionais da Geologia que se dedicam a domínios diversificados no âmbito das Ciências da Terra. É membro fundador da Federação Europeia de Geólogos. É também membro da Federação Portuguesa das Associações e Sociedades Científicas (FEPASC). Para mais informações visite www.apgeologos.pt ou contacte info@apgeologos.pt.


preview • geonovas n.º 27, 2014 5

Geonovas n.º 27 (2014) Versão preliminar Listagem de artigos 07

• Identificação de deformações em sedimentos finos não consolidados com recurso a georadar (Vale Inferior do Tejo) R. J. Oliveira, J. Casacão, B. Caldeira & J. F. Borges

08

• Prospecção geofísica aplicada à detecção de falhas activas – a falha de Vila Franca de Xira João Casacão, Rui J. Oliveira, Bento Caldeira, José F. Borges & João Carvalho

09

• Comparação de fontes sísmicas através de ensaios de refração sísmica e multichannel analysis of surface waves (MASW) S. Neves, J. Borges & B. Caldeira

11

• Petrografia das rochas metassedimentares e meta-ígneas na envolvente e nos roof pendants do Complexo Plutónico de Santa Eulália Cláudia Cruz, Maria dos Anjos Ribeiro, Helena C. B. Martins & Helena Sant’Ovaia

12

• Migmatitos e granitos: o exemplo do granito do Pedregal J. A. Ferreira, H. C. B. Martins & M. A. Ribeiro

13

• Novos dados cartográficos e estruturais da Faixa Metamórfica Porto-Viseu (região da Foz do Sousa, E do Porto) P. A. Ferreira, M. A. Ribeiro, P. Castro &, J. F. Rodrigues

15

• Caracterização de terraços marinhos entre Cascais e o Cabo da Roca, com recurso a elementos cartográficos e de deteção remota. Implicações Neotectónicas D. Duarte, K. Volochay, R. Magalhães, S. Amaro & J. Cabral

16

• Estruturação dos dados da Cartografia Geológica à luz da Diretiva INSPIRE. Proposta para futura implementação Aurete Pereira, Gabriel Luís, Pedro Patinha, José Tomás Oliveira

17

• Transformação de coordenadas cartográficas. O exemplo da região de Granja (NW do Ceará, Brasil) A. J. F. Silva, A. C. Teodoro, L. Duarte, J. A. Gonçalves, J. A. Nogueira Neto, M. R. Azevedo & B. Valle Aguado

18

• A geologia prática em mineração de pequena escala. Desenvolvimentos em territórios Lusófonos Carlos Leal Gomes

19

• Relevo no âmbito da inventariação do património geológico português Diamantino Insua Pereira & Paulo Pereira

21

• Janelas sobre mundos extintos. Reflexões sobre comunicação em Paleontologia José M. Brandão, Pedro M. Callapez, Vanda F. Santos & Nuno P. C. Rodrigues

22

• Visões filosóficas da Natureza. A Geologia no contexto cultural da Idade Média Nuno Pimentel

23

• Inventário de locais e atividades com interesse geológico no ensino das Geociências. Importância e aspetos a melhorar A. Vilão, J. Simão


preview • geonovas n.º 27, 2014 7

Identificação de deformações em sedimentos finos não consolidados com recurso a georadar (Vale Inferior do Tejo) R. J. Oliveira1,*, J. Casacão2, B. Caldeira3 & J. F. Borges4 Universidade de Évora, Centro de Geofísica de Évora, Rua Romão Ramalho, 59, 7000-671 Évora, ruio@uevora.pt; 2jcasacao@uevora.pt; 3bafcc@uevora.pt; 4jborges@uevora.pt; *Autor correspondente.

1

Resumo O projeto ATESTA visa avaliar a perigosidade sísmica no Vale Inferior do Tejo. Tem vindo a assumir-se que as falhas ativas na região terão sido a fonte de eventos históricos, como sejam os sismos de 1531 e 1909, que afetaram a região de Lisboa. Para melhor compreensão destes processos, realizaram-se ensaios geofísicos nas imediações de Vila Franca de Xira, perto de Lisboa. O objetivo destes ensaios é determinar a localização precisa das falhas, mediante a deteção de deformações sub-superficiais que possam estar associadas às escarpas dessas falhas. Os resultados de georadar evidenciam estruturas verticalizadas que corresponderão a falhas ou a deformações de sedimentos finos não consolidados. Palavras-chave: Falhas ativas, Vale Inferior do Tejo, deformação de sedimentos finos não consolidados, processamento de imagem. Abstract The main purpose of the project ATESTA is to assess the seismic hazard on the Lower Tagus Valley. Here, regional seismic faults are assumed to be the source of historical events, such as the 1531 and 1909 earthquakes which affected the Lisbon area. For a better understanding of these processes, several geophysical surveys were carried out in Vila Franca de Xira (Lisbon). The purpose of these tests is to determine the precise location of faults by detecting sub-superficial deformations that may be associated with the slopes of these structures. The results of ground-penetrating radar emphasize vertical structures that can match faults or soft-sediment deformation structures. Keywords: Active faults, Lower Tagus Valley, soft-sediment deformation structures, image processing.


8 preview • geonovas n.º 27, 2014

Prospecção geofísica aplicada à detecção de falhas activas – a falha de Vila Franca de Xira João Casacão1,*, Rui J. Oliveira2, Bento Caldeira2, José F. Borges2, João Carvalho3 Centro de Geofísica de Évora, Colégio Luís António Verney, Rua Romão Ramalho 59, 7000 Évora; jcasacao@uevora.pt; 2 Departamento de Física, Universidade de Évora, Colégio Luís António Verney, Rua Romão Ramalho 59, 7000 Évora; 3 Laboratório Nacional de Energia e Geologia, Estrada da Portela-Zambujal, Alfragide, Apartado 7686, 2610-999 Amadora; *Autor correspondente. 1

Resumo A falha de Vila Franca de Xira é considerada como a mais provável fonte de sismos destrutivos que afectaram a região de Lisboa. Contudo, devido às altas taxas de erosão/sedimentação no Vale Inferior do Tejo (VIT), as evidências superficiais de deformações cossísmicas nos sedimentos Holocénicos rapidamente são apagadas. Estudos recentes mostram indícios do traçado desta falha sob a cobertura aluvionar e de deformações subsuperficiais a ela associadas. O objectivo deste trabalho é, através de métodos geofísicos, complementar esses estudos e verificar, se possível, se esta falha atingiu os primeiros metros da subsuperfície para, assim, contribuir para um modelo de análise de perigosidade e risco sísmico no VIT. A realização de um perfil de sísmica de reflexão de ondas P deu, inicialmente, a indicação da existência de quatro descontinuidades em profundidade, interpretadas como prováveis falhas. Para confirmar as suspeitas foram realizados, sobre esses locais específicos, perfis de georadar (com antenas de 200 MHz e 400 MHz) e tomografia de resistividade eléctrica. A interpretação dos perfis obtidos revela vários deslocamentos verticais, correspondendo aos traçados de falhas propostos em trabalhos anteriores. Palavras-chave: Falhas activas, sísmica de reflexão, georadar, tomografia eléctrica, Vale Inferior do Tejo Abstract The Vila Franca de Xira fault is considered to be the most probable source of several destructive earthquakes that affected the Lisbon area. However, there is no evidence of surface faulting in the Holocene sediments of the Lower Tagus Valley (LTV) due to low tectonic activity and high erosion/sedimentation rates. The main goal of this work is, using geophysical methods, to complement recent studies and verify how close the fault approached the subsurface, thus contributing for the seismic hazard model assessment in the LTV. The initial P-wave seismic reflection survey indicated four discontinuities, interpreted as possible faults, and for this reason ground-penetrating radar (200 MHz and 400 MHz antennas) and electrical tomography surveys were conducted on those specific locations. Several vertical displacements were observed, matching the theoretical fault traces proposed in previous studies. Keywords Active faults, seismic reflection, ground-penetrating radar, electrical tomography, Lower Tagus Valley


preview • geonovas n.º 27, 2014 9

Comparação de fontes sísmicas através de ensaios de refração sísmica e multichannel analysis of surface waves (MASW) S. Neves1,*, J. Borges1 & B. Caldeira1 1

Centro de Geofísica de Évora e Departamento de Física da Universidade de Évora, Rua Romão Ramalho, 59, 7000, Évora;*sneves@uevora.pt,

Resumo São comparados os resultados obtidos através dos ensaios de refração sísmica e MASW (Multichannel analysis of surface waves) para duas fontes sísmicas diferentes, por forma avaliar a profundidade máxima de investigação através do ensaio MASW. De modo a determinar o modelo de velocidades das ondas S foi necessário obter um modelo inicial das ondas P, o qual foi obtido a partir do método de refracção sísmica. As fontes sísmicas utilizadas consistiram no tradicional martelo e na fonte sísmica AWD (Accelerated weight drop). Para ambas as fontes sísmicas foram testados alguns parâmetros de aquisição e registo, tais como, a utilização de stacking e de ganho automático. Verificou-se que a utilização da fonte sísmica AWD permite atingir maior profundidade de investigação do que com o martelo. Palavras-chave: Ensaios sísmicos, Refração, MASW, Geofísica. Abstract The results obtained from the seismic refraction and Multichannel analysis of surface waves (MASW) surveys are compared for two seismic sources in order to assess the depth to which these surveys can be achieved. The seismic sources used were the sledge hammer and AWD (Accelerated weight drop). For both seismic sources we have changed some acquisition parameters, such as the use of stacking and automatic gain. It was possible to verify that the AWD seismic source achieved more depth than the sledge hammer. Keywords: Seismic Survey’s, Refraction, MASW, Geophysics.


preview • geonovas n.º 27, 2014 11

Petrografia das rochas metassedimentares e meta-ígneas na envolvente e nos roof pendants do Complexo Plutónico de Santa Eulália Cláudia Cruz1,*, Maria dos Anjos Ribeiro1, Helena C. B. Martins1 & Helena Sant’Ovaia1 Universidade do Porto, DGAOT, CGUP, R. Campo Alegre, 4169-007 Porto, Portugal; claudiacfcruz@gmail.com, maribeir@fc.up.pt, hbrites@fc.up.pt, hsantov@fc.up.pt; *autor correspondente. 1

Resumo O Complexo Plutónico de Santa Eulália (CPSE) é um corpo granítico tardi-varisco situado na parte norte da Zona Ossa Morena do Maciço Ibérico, discordante da estruturação NW-SE. As rochas do encaixante/roof pendants do CPSE englobam unidades meta-ígneas e metassedimentares datadas, desde o Proterozoico Superior até ao Paleozoico. O efeito térmico por contacto induzido pelo CPSE é evidente apenas nos roof pendants. Nos litótipos que envolvem a intrusão granítica ocorre metamorfismo de baixo grau, com preservação de características mineralógicas, texturais e estruturais dos respetivos protólitos sedimentares, metassedimentares ou ígneos. Excetua-se uma faixa, a N e NE do CPSE, com paragéneses e texturas de metamorfismo térmico, que não estarão relacionadas com a intrusão do CPSE, mas sim com magmatismo prévio e com anisotropias estruturais. A ocorrência de efeitos térmicos, somente a teto do maciço, poderá ser consequência da conjugação de diversos factos interrelacionados: maior volume de massa granítica; efeito térmico por advecção de fluidos; maior período de tempo de prevalência de condições térmicas elevadas. Palavras-chave: Petrografia, Rochas metassedimentares, Rochas meta-ígneas, Metamorfismo térmico de contacto. Abstract The Santa Eulália Plutonic Complex (SEPC) is a late-variscan granitic body located in the northern part of Ossa Morena Zone of the Iberian Massif and cross-cuts the NW-SE structures. The host rocks/roof pendants of SEPC are composed of meta-igneous and metasedimentary units, from Upper Proterozoic to Paleozoic ages. The thermal effect induced by the SEPC is restricted to the roof pendants. In the SPEC host rocks, a low grade metamorphism with preservation of mineralogical, textural and structural features of the sedimentary, metasedimentary and igneous protoliths, is shown. In the lithologies of N and NE of SPEC there are thermal metamorphism textures and paragenesis, which are not related to the intrusion of the SEPC but to previous magmatism and structural anisotropies. The occurrence of thermal effects restricted to the pluton roof may be caused by a combination of several interrelated factors: higher volume of granitic mass, thermal effect by advection of fluids, longer period of prevalence of elevated thermal conditions. Keywords: Petrography, Metasedimentary rocks, Meta-igneous rocks, Contact metamorphism.


12 preview • geonovas n.º 27, 2014

Migmatitos e granitos: o exemplo do granito do Pedregal J. A. Ferreira1,*, H. C. B. Martins1 & M. A. Ribeiro1 Universidade do Porto, DGAOT, CGUP, R. Campo Alegre, 4169-007 Porto, Portugal; joana.alexandra.ferreira@gmail.com, hbrites@fc.up.pt, maribeir@fc.up.pt; *autor correspondente. 1

Resumo A caracterização petrogenética de rochas graníticas anatéticas no Orógeno Varisco e a sua associação espacial com domos térmicos gnaisso-migmatíticos tem vindo a ser defendida e demonstrada de uma forma mais integrada, conjugando dados geológicos, geoquímicos, isotópicos e geocronológicos. Data da década de 50/60 do século passado a referência à existência de rochas migmatíticas associadas ao “Granito do Porto”. Neste trabalho são apresentados dados preliminares relativos ao Granito do Pedregal e às rochas gnaisso-migmatíticas e metassedimentares que ocorrem na sua envolvente. O granito do Pedregal é um granitóide de duas micas, de grão fino a médio, com abundantes nódulos biotíticos (1 a 2 cm) com foliação interna e encraves xenolíticos. O granito contacta com rochas gnaisso-migmatíticas metatexíticas e com xistos estaurolíticos englobados no “Complexo Xisto-Grauváquico”. Localmente este contacto é marcado por brecha ígnea cuja matriz é o granito do Pedregal, envolvendo clastos das litologias encaixantes, o que confirma o caráter intrusivo do granitoide nas rochas envolventes. Palavras-Chave: migmatitos; granitos; Porto; Pedregal Abstract The petrogenetic characterization of anatectic granites in Variscan Orogen and their spatial association with gneissic-migmatite thermal domes has been advocated and demonstrated in a more integrated way combining geological, geochemical, isotopic and geochronological data. Migmatitic rocks associated with the “Granito do Porto” are referred since 50s/60s of the past century. In this work, preliminary data for the Granite Pedregal and for the gneissic-migmatitic and metasedimentary host rocks are presented. The Pedregal granite is a two mica, fine to medium grained rock, with abundant biotite nodules (1-2 cm) with internal foliation and xenolithic enclaves. The granite contacts with metatexitic, gneiss-migmatite rocks and staurolite-schists belonging to “Schist and Greywacke Complex”. Locally this contact is marked by an igneous breccia whose matrix is the Pedregal granite with clasts of host lithologies, which confirms the intrusive character of this granitoid in the surrounding rocks. Keywords: migmatites; granites; Porto; Pedregal


preview • geonovas n.º 27, 2014 13

Novos dados cartográficos e estruturais da Faixa Metamórfica Porto-Viseu (região da Foz do Sousa, E do Porto) P. A. Ferreira1,*, M. A. Ribeiro1, P. Castro2 &, J. F. Rodrigues3 Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, DGAOT, Rua do Campo Alegre, 687, 4169-007 Porto; priscila.antunesferreira@gmail.com; maribeir@fc.up.pt; 2 Laboratório Nacional de Energia e Geologia, Rua da Amieira, 4466-901 S. Mamede de Infesta; paulogcsfcastro@gmail.com; 3 Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Rua Dr. Roberto Frias, s/n, 4200-465 Porto; felic@fe.up.pt; *Autor correspondente. 1

Resumo Na região da Foz do Sousa são individualizadas três unidades tectonometamórficas, designadas, de W para E, por unidades A, B e C. A variação do grau metamórfico é mais acentuada entre a unidade A e B, com passagem de micaxistos estaurolíticos a filitos biotíticos, respetivamente. Na unidade C, as litologias são de baixo grau metamórfico: filitos e grauvaques. A deformação polifásica varisca que atua sobre as três unidades é mais acentuada em A e B evidenciando 2ª fase de carácter penetrativo. Já na unidade C é a 1ª fase que apresenta carácter penetrativo. Salienta-se, em todas as unidades, o carácter fortemente não-coaxial de D2, através da observação mesoscópica de estruturas rotacionais com movimento de topo para E. Palavras-chave: Faixa Metamórfica Porto-Viseu, Cartografia Geológica, Metamorfismo, Deformação não-coaxial. Abstract In a recent detailed geological mapping of the “Foz do Sousa” river area, three tectonometamorphic units have been recognized, roughly with an NS trending. They were informally designated, from the west to the east, as units A, B and C. There is a clear evidence of a decrease in metamorphic grade from west to east. Such metamorphic decrease is steeper between units A and B, decreasing from staurolite-biotite micaschists to biotite-bearing muscovite micaschists. The C unit has a typically low metamorphic grade. The sedimentary protolith (phyllites and greywackes) is recognized with well-preserved sedimentary features. Polyphasic variscan deformation affects the overall ensemble. It is more intense in units A and B, with a typical penetrative 2nd phase (D2). During regional metamorphism the unit C was affected by a penetrative D1 variscan phase. In all units deformation is markedly non-coaxial during the D2 event, as it is evident in the rotational structures of mesoscopic dimension, showing sense of movement to the east (top to east). Keywords: Porto-Viseu metamorphic lineament, geological mapping, metamorphism, non-coaxial deformation.


preview • geonovas n.º 27, 2014 15

Caracterização de terraços marinhos entre Cascais e o Cabo da Roca, com recurso a elementos cartográficos e de deteção remota. Implicações Neotectónicas D. Duarte1,a, K. Volochay1, b, R. Magalhães1, c, S. Amaro1, d & J. Cabral1,e Universidade de Lisboa, Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências, Campo Grande, 1749-016 Lisboa; adbr_duarte@hotmail.com; b kateryna.volochay@hotmail.com; crita.magalhaes@outlook.com; dsandra.lourenco.amaro@gmail.com; ejcabral@fc.ul.pt.

1

Resumo Na região litoral entre Cascais e a serra de Sintra a topografia evidencia diversos níveis de terraços marinhos escalonados a diferentes altitudes. Neste trabalho, de carácter preliminar, pretende-se identificar alguns desses terraços, determinar as cotas dos respetivos rebordos internos e correlacioná-los com uma curva eustática global de modo a poder avaliar as taxas de levantamento que caracterizam este litoral. Da análise dos dados e correlação com a curva eustática global obtêm-se taxas de levantamento de cerca de 0,03 a 0,1 mm.ano-1 no período correspondente à idade dos terraços, embora com elevada incerteza devido à fraca precisão na determinação da cota dos respetivos rebordos internos, à incerteza inerente à curva eustática utilizada e à idade dos terraços identificados. Estes valores são compatíveis com taxas de levantamento previamente estimadas para o território continental português no Plio-Quaternário. Palavras-chave: Terraços marinhos, curva eustática, taxas de levantamento neotectónico, Cascais. Abstract In the coastal area between Cascais and Sintra the morphology indicates the presence of several levels of marine terraces. The aim of this work was to identify some of these terraces, determine the elevation of their inner edges and correlate them with a global eustatic sea level curve in order to evaluate the uplift rates that characterize this region. From the data analysis and correlation with the eustatic global curve, an uplift rate of the order of 0.03 to 0.1 mm/year was obtained, though with high uncertainty due to the poor characterization of the elevation of the inner edges, the uncertainty inherent to the eustatic curve that was used, and the uncertainty in the terraces age. These values are coherent with uplift rates previously estimated for the Portuguese mainland in the Plio-Quaternary. Keywords: Marine terraces, eustatic sea level, neotectonic uplift rates, Cascais.


16 preview • geonovas n.º 27, 2014

Estruturação dos dados da Cartografia Geológica à luz da Diretiva INSPIRE. Proposta para futura implementação Aurete Pereira1, *, Gabriel Luís2, Pedro Patinha3, José Tomás Oliveira4 Laboratório Nacional de Energia e Geologia, I.P., Estrada da Portela, Bairro do Zambujal, Alfragide, Apartado 7586, 2720-866 Amadora; 1 aurete.pereira@lneg.pt; 2gabriel.luis@lneg.pt; 3pedro.patinha@lneg.pt; 4tomas.oliveira@lneg.pt; *Autor correspondente.

Resumo Para promover a disponibilização e reutilização da informação espacial essencial na definição e avaliação de políticas ambientais e/ou de atividades ligadas à área ambiental, a Comissão Europeia fez aprovar a Diretiva INSPIRE a 14 de março de 2007, que fixou as regras gerais para o estabelecimento da Infraestrutura de Informação Espacial na Europa (Comissão Europeia, 2007). Neste âmbito, o acesso aos dados espaciais será, preferencialmente, efetuado através de uma rede de serviços implementada na Internet (e.g. pesquisa, visualização, descarregamento). Embora a Diretiva INSPIRE não exija o levantamento de novos dados, obriga as autoridades públicas a cumprir com a implementação faseada dos modelos de dados dos temas dos seus anexos I, II e III. O Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG) contribui, de forma ativa, na resolução de múltiplos problemas ambientais, graças ao vasto espólio de dados que detém, de que se destacam os da cartografia geológica. Estes dados fazem parte do tema Geologia do anexo II da Diretiva INSPIRE, devendo o LNEG garantir a criação dos respetivos metadados, e a sua harmonização e disponibilização. Futuramente, terá de passar a produzir em simultâneo a cartografia geológica e os respetivos metadados segundo procedimentos normalizados que a tornem interoperável a nível europeu. A harmonização dos dados da cartografia geológica implica a adoção do modelo de dados geológicos da Diretiva INSPIRE (INSPIRE GE), sendo para isso necessário reformular as atuais estruturas que suportam a sua gestão e disponibilização. O presente trabalho apresenta uma metodologia de implementação do INSPIRE GE na produção de cartografia geológica e sua integração no Sistema Nacional de Informação Geocientífica do LNEG, contribuindo para a estruturação e harmonização da futura base de dados (BD) institucional. A metodologia adotada consistiu na modelação de uma Geodatabase e respetiva aplicação à cartografia geológica da Antiforma do Rosário, da Faixa Piritosa Ibérica, tendo permitido verificar a viabilidade na produção de cartografia geológica oficial e ainda definir novo fluxo de trabalho na produção de cartas temáticas. A título de exemplo descreve-se o processo utilizado para obter o mapa litológico da Antiforma do Rosário. Palavras chave: LNEG, Cartografia geológica, Diretiva INSPIRE, harmonização, interoperabilidade. Abstract In order to promote the availability and reuse of spatial information essential for the definition and evaluation of environmental policies and/or activities related to the environment, the European Commission did approve the INSPIRE Directive on March 14th, 2007. This Directive has the purpose of setting general rules aimed at the establishment of the Infrastructure for Spatial Information in Europe. INSPIRE Directive aims to provide the users access to spatial datasets through network services, typically via Internet (e.g. discover, view, download). Although INSPIRE does not require collection of new spatial data it obliges public authorities to comply with the phased implementation of data models of the themes as described in annexes I, II and III. Geological map datasets held by the National Laboratory for Energy and Geology (LNEG) plays an important role in the resolution of several environmental issues. The present work deals essentially with one theme – Geology, as described in annex II of the Directive. To comply with the INSPIRE “obligations” LNEG must proceed with the creation of metadata and, in the near future, harmonize these datasets so as to be coherently and easily accessed through the Internet. Harmonization in this context means the transformation of data from source schemas or data models to the target INSPIRE data models. This work describes the use of the INSPIRE Geology data model (INSPIRE GE) for creating a new geological database (Geodatabase), aiming at building a more efficient, interoperable and harmonized data management. This Geodatabase has been successfully tested in LNEG’s geological map production process with data collected from the Rosario Antiform, a geologic structure that belongs to the Portuguese section of the Iberian Pyrite Belt, as well as including a newly defined automated workflow for creating different types of thematic maps. A lithological map concerning the Rosário Antiform is given as an example. Keywords: LNEG, Geological mapping, INSPIRE Directive, harmonization, interoperability.


preview • geonovas n.º 27, 2014 17

Transformação de coordenadas cartográficas O exemplo da região de Granja (NW do Ceará, Brasil) A. J. F. Silva1,*, A. C. Teodoro2,3, L. Duarte2,3, J. A. Gonçalves2, J. A. Nogueira Neto4, M. R. Azevedo1 & B. Valle Aguado1 Universidade de Aveiro, Departamento de Geociências, GeoBioTec, Campus de Santiago, 3810-193, Aveiro, Portugal; 2 Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, Departamento de Geociências, Ambiente e Ordenamento do Território, Rua do Campo Alegre, s/n, 4169-007 Porto; 3 Centro de Investigação em Ciências Geo-Espaciais, Rua do Campo Alegre 687, 4169-007, Porto, Portugal; 4 Universidade Federal do Ceará, Departamento de Geologia, Recursos Minerais e Geodinâmica, Campus do Pici, Bloco 912, 60, 455-760, Fortaleza - CE, Brasil; *antoniojsilva@ua.pt.

1

Resumo Este estudo tem como principal objetivo mostrar a importância de se efetuar a análise metódica da cartografia de base que suporta a produção de Cartografia Geológica, antes de iniciar o trabalho de campo. Em certas regiões, as cartas base publicadas estão ainda associadas a redes geodésicas clássicas, o que obriga a proceder à transformação de coordenadas para assegurar que todos os dados geo-espaciais são definidos no mesmo sistema de referência espacial. Neste estudo, selecionaram-se 8 pontos localizados sobre as cartas publicadas na região de Granja (NW do Ceará, Brasil), determinaram-se as coordenadas no Datum topocêntrico das cartas (CA 70-72) e procedeu-se à sua transformação para os Data geocêntricos WGS84 e SIRGAS2000. As diferenças entre as coordenadas obtidas nos três sistemas são residuais, indicando que erros introduzidos quando se desconsideram parâmetros essenciais como o Datum Geodésico são, neste caso, mínimos para efeitos de Cartografia Geológica. Palavras-chave: Sistemas de Referência Espaciais, Transformação de Coordenadas, Datum SIRGAS2000 Abstract This study draws attention to the importance of conducting a detailed analysis of cartographic products that sustain the Geological Mapping before starting the field work. In some regions, the published base maps are still related to classical geodetic networks. Therefore, it is fundamental to perform the adequate coordinate transformation to ensure that all spatial data are defined relatively to the same spatial reference system. This is particularly relevant when GPS and GIS are used to obtain and plot spatial data. The present study involved the selection of 8 points located on the published maps for the Granja region (NW Ceará, Brazil), the determination of their coordinates in the CA 70-72 topocentric map Datum and their subsequent transformation to the geocentric DataWGS84 and SIRGAS2000. The differences between coordinates are residual, indicating that the error introduced when essential parameters such as the Geodetic Datum are disregarded are, in this case, minimum. Keywords: Spatial Reference Systems, Coordinate Transformations, Datum SIRGAS2000


18 preview • geonovas n.º 27, 2014

A geologia prática em mineração de pequena escala Desenvolvimentos em territórios Lusófonos Carlos Leal Gomes Universidade do Minho, Departamento de Ciências da Terra, Gualtar, 4710-057 Braga; caal.gomes@gmail.com

Resumo Apresentam-se incidências de Países Lusófonos e discute-se a diversidade e amplitude da intervenção geológica em mineração de pequena escala e a importância decisiva que lhe é atribuída por organizações internacionais. O âmbito e as perspectivas possíveis estendem-se do estudo dos factores favoráveis ao incremento e sustentabilidade desta actividade até à evidência de reservas e definição de procedimentos extractivos. Neste tipo de mineração a necessidade de utilização de mão-de-obra intensiva, as imposições governamentais e as moratórias internacionais incrementam a demanda de uma prática geológica também intensiva. Palavras-chave: mineração de pequena escala, aplicação geológica intensiva Abstract Over-viewing some mining incidences of Portuguese-speaking countries, the amplitude of practical geology assessment in small-scale mining, justifies the decisive importance given by several international organizations. The scope and possible perspectives of practical geology range from the study of favourable growth and sustainability factors for this activity to the evidence of reserves and the definition of mining procedures. The strong engagement of labour-intensive work and growing restrictiveness of governmental and international directives are correlated with the need of an increasing involvement of an also intensive practical geology. Keywords: small-scale mining, intensive geology


preview • geonovas n.º 27, 2014 19

Relevo no âmbito da inventariação do património geológico português Diamantino Insua Pereira & Paulo Pereira Centro de Geologia da Universidade do Porto, Departamento de Ciências da Terra da Universidade do Minho, Campus de Gualtar, 4710-057 Braga; insuad@dct.uminho.pt; paolo@dct.uminho.pt. Texto elaborado no âmbito do 33º Curso de Atualização de Professores (APG), Caldas da Rainha - 11 a 13 de Julho de 2013.

Resumo A inventariação das geoformas e dos processos geomorfológicos foi realizada no âmbito do inventário do património geológico português. Este levantamento realizado com base no valor científico, constitui um instrumento fundamental para a adoção de medidas objetivas de Geoconservação. Os geossítios selecionados possuem um valor didático associado e muitos deles revelam, igualmente, valor ecológico e cénico. Das 27 frameworks consideradas neste processo de inventariação, os temas “Relevo e Drenagem Fluvial no Maciço Ibérico Português”, “Sistemas Cársicos”, “Arribas Atuais e Fósseis do Litoral Português”, “Costas Baixas” e “Vestígios das glaciações Plistocénicas”, são totalmente dedicadas ao relevo. Os temas “Vulcanismo do Arquipélago dos Açores” e “Vulcanismo do Arquipélago da Madeira” identificam também um número significativo de geomorfossítios. No processo de inventariação do tema “Relevo e Drenagem Fluvial no Maciço Ibérico Português” foi adoptada a mesma metodologia de frameworks, procedimento que conduziu à definição de 5 temas e 20 subtemas. Este procedimento resultou na seleção de 37 geomorfossítios representativos da diversidade geomorfológica do Maciço Ibérico. Palavras-chave: Património geológico, geossítio, geomorfossítio, geoforma, Maciço Ibérico. Abstract A list of geomorphosites resulting from the Portuguese geological heritage inventory is presented. This inventory was based exclusively on the geosites’ scientific value and it constitutes a fundamental tool for the implementation of geoconservation measures. The selected geomorphosites may also have educational value and many of them reveal ecological and aesthetic values. 27 geological frameworks were considered in the entire inventory. From these, “Landforms and river network of the Portuguese Iberian Massif”, “Karst systems”, “Active and fossil coastal cliffs”, “Low coasts”, and “Vestiges of Pleistocene glaciations” are frameworks fully related with landforms and geomorphological processes. The frameworks “Volcanism of the Azores Archipelago” and “Volcanism of the Madeira Archipelago” also contain a significant number of geomorphosites. 5 themes and 20 sub-themes were defined in the inventory of the “Landforms and river network of the Portuguese Iberian Massif” framework. This procedure resulted in the selection of 37 geomorphosites that represent the geomorphological diversity in the Iberian Massif. Keywords: Geoheritage, geosite, geomorphosite, landform, Iberian Massif.


preview • geonovas n.º 27, 2014 21

Janelas sobre mundos extintos. Reflexões sobre comunicação em Paleontologia José M. Brandão1, Pedro M. Callapez2,3, Vanda F. Santos3,4 & Nuno P. C. Rodrigues4 Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência, Universidade de Évora / Rede HetSci. josembrandao@gmail.com; Departamento de Ciências da Terra, Universidade de Coimbra, Largo Marquês de Pombal, 3000-272 Coimbra; 3Centro de Geofísica da Universidade de Coimbra, Av. Dr. Dias da Silva, 3000-134 Coimbra; 4 Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Universidade de Lisboa 1

2

Resumo Pela curiosidade despertada, os fósseis cedo se tornaram objetos colecionáveis e motivo de discussões filosóficas sobre a história da Terra e da vida. A importância naturalística crescente desencadeou, sobretudo a partir do século XVIII, a formação de grandes coleções que serviram de base aos trabalhos que impulsionaram a Paleontologia e a Estratigrafia, durante o século seguinte. A sua representação figurativa, tornada ferramenta nas obras impressas de História Natural, foi também adotada nas exposições a partir de finais do século XIX. Este contributo conduziu a alterações substanciais no discurso museológico tradicional, até então centrado na observação massiva de exemplares dispostos segundo critérios taxonómicos ou estratigráficos, adicionando aos espécimes a sua representação pictórica em contexto paleoambiental. Através desta contextualização, os fósseis emergiram como verdadeiras “janelas de Magritte” sobre os mundos extintos, em cenários que a Paleontologia procura recriar numa aceção científica e iconográfica. Palavras-chave: Paleontologia; fósseis; museus; coleções; transposição museográfica. Abstract As a subject of curiosity, fossils soon become collectibles and a motive of philosophical discussions about the history of Earth and life. Especially from the XVIII century onwards, their growing naturalistic importance resulted on the formation of large collections, which established a basis for the work that put forward the XIX century Palaeontology and Stratigraphy. Their figurative representation in printed works of Natural History was used as a ​​ resource and adopted in exhibitions since the end of that century. This contribution led to substantial changes in the customary museological discourse, previously focused on the massive observation of specimens arranged by taxonomic or stratigraphic criteria, and adding to them a pictorial representation of their paleoenvironmental context. Through these criteria fossils emerged as true “Magritte’s windows” over the extinct worlds, in scenarios for which Paleontology recreates a scientific and iconographic meaning. Keywords: Palaeontology; fossils; museums; collections; museographic transposition.


22 preview • geonovas n.º 27, 2014

Visões filosóficas da Natureza A Geologia no contexto cultural da Idade Média Nuno Pimentel Dep. de Geologia, Fac.Ciências, Universidade de Lisboa, Campo Grande, C-6, 4º, 1749-016 Lisboa; pimentel@fc.ul.pt.

Resumo Apresenta-se uma síntese comentada das principais ideias existentes na Idade Média acerca do funcionamento da Terra. Essas ideias são enquadradas no contexto histórico e cultural, procurando evidenciar o modo como os sucessivos eventos e fases históricas influenciaram a transmissão e evolução das mesmas. Constata-se uma continuada tensão entre as observações naturalistas e a procura de interpretações conformes à doutrina vigente em cada momento. Ainda assim, constata-se, também, que já na Idade Média, muito antes da chamda “Revolução Científica”, diversos pensadores procuraram olhar, conhecer e explicar as características e processos do planeta em que habitamos. Palavras-Chave: Idade Média, Geologia, Filosofia Natural Abstract This work presents a synthesis of the main medieval ideas about the behaviour of planet Earth. Those ideas are discussed within their historical and cultural framework, showing how historical events and movements controlled their transmission and evolution. A continuous tension, between naturalistic observations and doctrine constrained interpretations, may be detected. However, it is clear how long before the so-called “Scientific Revolution”, several intellectuals tried to look, understand and explain planet Earth’s characteristics and behaviours. Keywords: Middle Ages; Geology; Natural Philosophy.


preview • geonovas n.º 27, 2014 23

Inventário de locais e atividades com interesse geológico no ensino das Geociências Importância e aspetos a melhorar A. Vilão1,*, J. Simão1,2 Departamento de Ciências da Terra, F.C.T. – U.N.L, 2829-516 Caparica, Portugal; 2Centro de Investigação em Ciências e Engenharia Geológica, F.C.T. – U.N.L., 2829-516 Caparica, Portugal; *Corresponding author; andreiavil@gmail.com.

1

Resumo O presente trabalho aborda uma vertente das Geociências que se dedica ao Património Geológico e ao aproveitamento do mesmo no ensino. Um dos objetivos principais é reforçar a importância do ensino da Geologia e, para além disso, da utilização dos demais recursos geológicos disponíveis. Pretende-se ainda informar sobre a diversidade dos meios que existem atualmente no ensino das Geociências, em particular na temática dos Georrecursos. Deste modo, procedeu-se a uma pesquisa histórica sobre as primeiras coleções de geociências e o aparecimento dos primeiros museus, até se chegar à atualidade, onde se inventariam locais de particular interesse para o ensino das Geociências. Estes locais consideram-se de significativa relevância para o ensino, contudo são pouco representativos da aplicabilidade da Geologia no quotidiano, mais especificamente dos Georrecursos. Neste artigo demonstra-se que estes materiais, para além de serem uma determinante fonte de matéria-prima, podem constituir excelentes recursos para o ensino. Palavras-chave: Ensino das Geociências, Georrecursos, Geodiversidade, Património Geológico. Abstract This paper approaches an area of Geosciences dedicated to the geological heritage and its use in education. The main objective is to reinforce the importance of geology and the use of the available geological resources. Moreover, the diversity of methodologies in Geosciences teaching is discussed in particular in the geological resources field. Thus, historical research about the early collections of geosciences and its appearance on the first museums until nowadays was accomplished. Many sites that are particularly interesting for the education of Geosciences where inventoried. Their locations are very important for teaching but they are not representative of daily applicability of Geology, more specifically the geo-resources. In this paper, it is shown that geological resources, in addition to being important sources of raw material, can be excellent didactical resources. Keywords: Teaching Geosciences, Georesources, Geodiversity, Geological Heritage.


Geonovas n.º 27 (2014) - versão preliminar  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you