Issuu on Google+


10


11


12


13


14


15


16


17


18


20


21


22


23


24


25


26

(1)


27

(2)


28

(4)

(5)

(6)

(3)

(7)


29

(9)

(8)


30

.

, .


31


32

http://web.meteo.pt/sismologia/sismObservGeral.jsp http://orfeus.knmi.nl/

http://www.iris.edu/

http://wwwneic.cr.usgs.gov/neis/epic/

http://www.mfom.es/ign/

http://www.emsc-csem.org/


33


36


37


38

•

•

• enxames apicais relacionados com relaxação de


39


40


41


42


43


0%

K/Na=1

K/Na=1

Al

K

Na

Li

pegmatitos hiperaluminosos líticos a césio-líticos

diques secantes ( uplifting e colapso)

aplito-pegmatitos sódio-líticos

sills exo-graníticos (tendência textural aplítica)

pegmatitos líticos

sills exo-graníticos (tendência textural pegmatítica)

aplito-pegmatitos sódicos

cone-sheets e sills intragraníticos (enraizados)

aplito-pegmatitos graníticos (sentido estrito) tendencialmente potássicos

filões radiais

pegmatóides ultra-aluminosos

veios de segregação e colheita de leucossoma

Referência / Padrão : Sistema granítico residual da Serra de Arga

filões sub-horizontais bandados (mineralização F-Be-Li-Ta-Cs)

filões sub-horizontais c/ "comb-structure" interna (mineralização Be-F ocasional)

bolsadas irregulares e corpos heterogéneos, miarolíticos, cerâmicos em colapso de cúpula, incluindo "stock-sheiders" (mineralização Be-NbLi ocasional)

topázio zinwaldite-lepidolite berilo ambligonite-montebrasite

lepidolite elbaite-lidicoatite polucite

espodumena olenite elbaite ambligonite-montebrasite

nigerite petalite ambligonite-montebrasite

ganite berilo berilonite berlinite

berilo amazonite fluorite

andaluzite berilo trifilite-litiofilite

andaluzite corindo crisoberilo

LCT

NYF

Minerais tipomórficos Feição Correlação com tipos paradigmáticos de correspondentes aos espectros geoquímica pegmatitos intra- batolíticos em granitos porfiróides ou de grão grosseiro tardi a pós- normalizados do Padrão Serra de Arga ou tectónicos relativamente a D3 efectivamente observados nos pegmatitos intra-graníticos

Figura 4 - Tipologia geoquímica extraída do referencial químico-mineralógico atribuído ao sistema aplito-pegmatítico da Serra de Arga (Leal Gomes, 1994) - expressa sob a forma de espectros de conteúdos médios para milicatiões por 100g de rocha, de Al, K, Na, Li, normalizados a 100%. A comparação de espectros é relevante dado que em conteúdos catiónicos estequiométricos: Al/K=1 em OR; Al/Na=1 em Ab; Al/Li=1 em petalite, espodumena e ambligonite.

K/Na=1

K/Na=1

K/Na=1

K/Na=1

back-ground Li Sistema: γ Arga

milicatiões/100g de rocha normalizados a Al+K+Na+Li=100%

100%

44


Moreira Ponte de lima

Cerquido Ponte de Lima

filões helicoidais

filões radiais

απ1

π3

grupos de vacúolos miarolíticos

grupos de corpos tabulares miarolíticos

colapso de cúpula γ

faixa com "turnip" e "pipe"

Dama Penedono

Taião Valença

bπv

biotítico bt π (c/ hornblenda)

bπ3(t) "stock.-sheider" compósito do Seixigal bπ4 biotítico

Seixinhos Gouveia

compósito c/ "mingling"

grupos aracneiformes

π5

Arreigada Paços de Ferreira bπ1 Terras do Bouro a essencialmente Vieira do Minho biotítico ou Sátão porfiróide bπ2

Queiriga Sátão

filões em colapso

2 micas (m)

rosários de bolsadas

Balouca Ponte de Lima

filões tardios

π4

απ5 Afife Viana do Castelo απ6 Real Caminha απ7 Cabração Ponte de Lima

απ4 Amonde Viana do Castelo

απ3 Formigoso Ponte de Lima

pós-D3

Sin a tardi-D3

tardi-D3

sin - D3

Interfase D2-D3

π2

2 micas (m)

D2 ?

π1

απ2 Montaria Viana do Castelo

Formigoso Ponte de Lima

filões cruzados

"sills"

Encruzilhada (Cabração) Ponte de Lima

grupos

veios de segregação

enxames

< 280 MA

< 310 MA

280 MA

305 MA

330 MA

(γg)

(γπ)

granitóide

(γΔ)

(γm)

(γm)

metassedimentar

granada

estaurolite ou andaluzite (em "roof-pendent")

silimanite

cordierite

andalusite, silimanite, biotite, cordierite, granada

cordierite

andalusite, biotite, (distena), corindo, espinela

hiperaluminosa anómala em F

hiperaluminosa lítico-potássica

peraluminosa sódio-lítica

peraluminosa lítico-sódica

peraluminosa potássica litinífera

peraluminosa sódica

γ peraluminoso

hiperaluminosa sódica

pegmatóides hiperaluminosos a ultra-aluminosos

locais chave: granitos posição idade de encaixante minerais fácies químicotipos de relacionados orogénica referência tipomórficos do mineralógia do pegmatitos (π); (γ) π π ambiente απ π aplitometamórfico deduzida de γ deduzida de γ pegmatitos(απ)

topázio, amazonite, berilo, columbite, zinwaldite, schorl

amazonite , berilo, gadolinite, alanite,columbite, zinwaldite

clorite ±apatite

berilo , columbite, tantalite, zinwaldite, lepidolite

berilo-columbite"cirtolite"±ambligonite ±taeneolite

andaluzite sulfossais de Bi topázio

topázio

lepidolite, elbaite-lidicoatite

LCT

"epídoto" , sulfuretos, sulfossais e metais nativos

brecha hidráulica com fenacite±F-apatite "episienito" c/ epídoto ou cavidades com , fluorite, zeolitos , carbonatos, sulfossais e metais nativos

a- zinwaldite , berilo, OH-herderite b-lepidolite, topázio, ambligonite

brecha hidráulica com elbaite -lepidolite ou fenacite, bertrandite

clorite±fosfatos de Mg-Fe-Mn

hambergite, werdingite

a - (petalite) b - (polucite)

(B-coockeite)

(lepidolite)

ambligonite olenite nodular - elbaite

(eucriptite)

"kunzite", coockeite

espodumena+quartzo - eucriptite

NYF

Fk de primeira > 120 000 t Quartzo hialino gema> 10 t (raro) Quartzo róseo gema> 20 t

topázio gema ?

concentrados "coltan" > 2500Kg Ta 2O5= 25-50% elbaite gema ?

concentrados "coltan" > 1000Kg Ta2 O5 = 15-39%

concentrados "coltan" > 2000Kg Ta 2O5= 15-39%

espodumena industrial > 2 500 t

"kunzite" gema > 12 kg

petalite : - cerâmica ("powder grade")>22000t - gema ("olho de gato") < 6 t

lazulite gema > 10 kg

gema < 1kg crisoberilo, corindo ....

recurso base provável por corpo individualizável

U, Be, Nb, (Ti), (Ta), (Li), (Mo), (W), (Pb, Bi, Ag)

U, Be, Nb, (Ti), (Ta), (Li), (Mo), (W), (Pb, Bi, Ag)

Sn, Be

Li,Ta, Be, Nb, Sn (Ta=255 ppm)

Be, Nb, (Li)

amazonite gema < 2.3 t

Fk de primeira > 500 000 t fenacite gema >> 2Kg

π cerâmico indiferenciado >200 000 t

Be, Nb, (Ti), (Ta), (Li), concentrados "coltan" > 4000Kg a Ta 2O5= 6-23% (Mo), (W), (Bi) FK>100 000 t (Nb=183 ppm) berilo: gema>100Kg; industrial>3000t

Ti, Y, T. R., Nb

Ta, W, Bi, Cd, Cu, Au

(Ta=1102 ppm) (Cs=1930 ppm)

(Ta=508 ppm) Li, Sn, Ta (Ta=211 ppm) (Sn=527 ppm) (Li2O=2.9%)

Li, Sn, Ta

(Li2 O=1.9%)

Li, Sn, Nb, Ta (Sn=1 320 ppm)

(Li2O=1.3%)

Li, Nb, Ta, Sn

Ti, Y, T. R., Nb

Ti, Y, T. R.

margarite, corindo, paragonite, crisoberilo, lazulite-scorzalite

paragonite, lazulitescorzalite

(teor máximo exemplificativo)

mineralização

paragénese de culminação evolutiva ou (marcador mineralógico)

espodumena± elbaite-schorl

espodumena± ambligonite

petalite

andaluzite, crisoberilo, fosfatos, zircão

dravite-schorl, andaluzite, silimanite, diásporo

fácies mineralógica π

Figura 5 - Tipologia dos pegmatitos e aplito-pegmatitos da Cintura Pegmatítica Centro-Ibérica (CPCI) Varisca, incluindo divisões regionais, cortejos mineralógicos típicos, atributos paragenéticos e mineralizações com interesse económico potencial. b - bolsada; t - corpos tabulares; v - corpos vacuolares (miarolíticos); γm - granito de duas micas de grão médio; γΔ - granodiorito; γπ - granito porfiróide essencialmente biotítico; γg - granito grosseiro essencialmente biotítico.

intragraníticos

exograníticos

campos

divisões regionais

45


Associação portuguesa de geólogos

Geonovas nº 19, pp. 47 a 56, 2005


48


49


50


51


52


53


54


55


58


59


60


61

â&#x20AC;˘ Ao longo de uma linha horizontal no modelo,


62


64

2) 

2.2 

1)  2) 

1) l

2)  3) 

3) 

4) 

4) 


65






66

Arranque de massas

Flanco de encosta Activa

Activa

Granito porfirรณide, grรฃo grosseiro (Maciรงo de Terras de Bouro - Ponte da Barca)


67


68


69


70



 


71


72


74


75


76

  

 

Fig. 3 - Interface do â&#x20AC;&#x153;SIG Online.


77

 

•

•


80

路

路

路


81

路

路

路


Manuais escolares de Geologia Uma avaliação da sua qualidade

•

•


84

a) 

b) 


85

 

 


86


COMPONENTES DE ANÁLISE

MANUAIS ESCOLARES

Permite percursos pedagógicos diversificados.

5

Fornece informação correcta, actualizada, relevante e adequada aos alunos a que se destina.

Explicita as aprendizagens essenciais.

Promove a educação para a cidadania.

Não apresenta discriminações relativas a sexos, etnias, religiões, deficiências...

3

4

5

6

Apresenta robustez suficiente para resistir à normal utilização.

O formato, as dimensões e o peso do manual (ou de cada um dos seus volumes) são adequados ao nível etário do aluno.

Permite a reutilização.

1

2

3

CARACTERÍSTICAS MATERIAIS

Os diferentes tipos de ilustrações são correctos, pertinentes e relacionam-se adequadamente com o texto.

(2)

Os textos são claros, rigorosos e adequados ao nível de ensino e à diversidade dos alunos a que se destinam.

2

3

A concepção e a organização gráfica do manual facilitam a sua utilização e motivam o aluno para a aprendizagem.

1

(1)

Responde aos objectivos e conteúdos do Programa/Orientações Curriculares.

2

COMUNICAÇÃO

Adequa-se ao desenvolvimento das competências definidas no Currículo do respectivo ano e/ou nível de escolaridade.

1

INFORMAÇÃO

Propõe actividades adequadas ao desenvolvimento de projectos interdisciplinares.

Motiva para o saber e estimula o recurso a outras fontes de conhecimento e a outros materiais didácticos.

4

Contempla sugestões de experiências de aprendizagem diversificadas, nomeadamente de actividades de carácter prático/experimental.

Estimula a autonomia e a criatividade.

3

7

Desenvolve uma metodologia facilitadora e enriquecedora das aprendizagens.

2

6

Apresenta uma organização coerente e funcional, estruturada na perspectiva do aluno.

ISBN

ANEXO

1

(2) Fotografias, desenhos, mapas, gráficos, esquemas, etc.

I S

B MB

I

I

I

I

S B MB

S B MB

S B MB

S B MB

APRECIAÇÃO GLOBAL

(Assinale com X, se for o caso) Ensino Secundário Recorrente

Ensino Regular/Ensino Diurno

Ano de escolaridade

MANUAL A ADOPTAR

(1) Caracteres tipográficos, cores, destaques, espaços, títulos , subtítulos, etc.

REGISTO DE APRECIAÇÃO E ADOPÇÃO

1

ORGANIZAÇÃO E MÉTODO

CRITÉRIOS DE APRECIAÇÃO

Editor

Título do manual

Identificação da disciplina

2005/2006

87


88

2005/2006 MANUAIS ESCOLARES

ANEXO

2

REGISTO DE INCORRECÇÕES DETECTADAS

Este anexo pode ser fotocopiado e preenchido um para cada manual em que foram detectadas incorrecções, falhas, desajustamentos, etc... Se necessário, deverá continuar a escrever no verso da folha.

1 IDENTIFICAÇÃO DO MANUAL Ano de escolaridade

Disciplina Título Editor

2

ISBN

DESCRIÇÃO DAS INCORRECÇÕES DETECTADAS EM RELAÇÃO A: 2.1. Adequação ao Programa/Orientações Curriculares*

2.2. Qualidade científica (incorrecções graves,...)*

2.3. Adequação ao nível etário dos alunos*

3

ESCOLA

ou

Código

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS (Riscar o que não interessa)

Endereço Localidade Centro da Área Educativa * Indicar também a(s) página(s) do manual onde se detectaram incorrecções.

Código Postal Direcção Regional de Educação


90


91


92

1

2

3


93


94

1

2

3


95

1

2

3

•


96

1

2

3

•A  hipótese da meteorização activa em zonas de


97


98


99


100


101

Foto 1 - Exemplo de um Bloco afectado por Fracturação Poligonal (Castelo Velho).


102


103

Fractura Bloco Movimentado Zona de encaixe

Movimento

Fractura


104

Acumulação de resíduos



Geonovas n.º 19