Page 1

1

CAPA 1


2


3

Índice MOBILIZAÇÃO DESDE A POSSE!................................................................................................ 5 O NORDESTE DO PAÍS RECEBE A ANPG: 2º SALÃO NACIONAL DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA................................................................................................... 6 PARTICIPAÇÃO: A ANPG NOS CONSELHOS E CONFERÊNCIAS NACIONAIS.............................. 8 ANPG: 25 ANOS EM DEFESA DA CIÊNCIA E DO BRASIL........................................................... 10 50% DO FUNDO SOCIAL DO PRÉ-SAL PARA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA! ............ 12 #MINHABOLSANÃOAUMENTOU............................................................................................ 14 CAMPANHA DE BOLSAS.......................................................................................................... 17 LICENÇA MATERNIDADE: IMPORTANTE CONQUISTA RUMO À HUMANIZAÇÃO DAS BOLSAS.............................................................................................. 18 38º CONAP: A REDE DE APGS SE REÚNE EM PERNAMBUCO.................................................... 19 URUGUAI, ÁFRICA, CUBA E RIO+20: A ANPG PELO MUNDO.................................................. 21 ACÚMULO DE BOLSAS COM VÍNCULO EMPREGATÍCIO: POSTURA FIRME DA ANPG REVERTEU CORTE DE BOLSAS........................................................ 23 23º CNPG: ............................................................................................................................ 25 DESAFIOS BRASILEIROS........................................................................................................... 25 RELATÓRIO DE ATIVIDADES - ANPG - GESTÃO 2010/2012...................................................... 26 GESTÃO 2010/2012............................................................................................................... 28 EXPEDIENTE............................................................................................................................ 30


4

PALAVRA DA PRESIDENTA É com grande satisfação que inicio os textos desta Revista de Gestão da ANPG. A Associação Nacional de Pós-Graduandos completou 25 anos de luta em defesa da pós-graduação brasileira e eu não poderia me sentir mais honrada em presidir a entidade neste momento. Nos capítulos da história recente da ANPG, dos quais venho fazendo parte desde 2005, posso relatar aqui inúmeras noites mal dormidas, congressos politizados, fóruns representativos e conquistas concretas, como a licença maternidade às bolsistas da Capes. Têm sido momentos, sobretudo, de imenso aprendizado e estruturação do Movimento de Pós-Graduandos no Brasil. A nossa rede está consolidada, a ANPG tem marcado forte presença no cenário nacional e tenho certeza de que cada pós-graduando deste país, do Sul ou do Norte, do Nordeste, Centro-Oeste ou Sudeste, hoje conta com uma entidade forte, unitária, que em toda a sua história esteve comprometida com o futuro, e principalmente, com o presente desse país. Em março de 1986, ano em que os brasileiros foram às urnas para eleger deputados e governadores, após os anos terríveis da ditadura, os pós-graduandos se reuniram na PUC do RJ, e em julho, na 38ª RA da SBPC em Curitiba-PR, é fundada a ANPG. A nossa relação com a SBPC é, portanto,nata. Nossa história não pode ser contada sem que façamos menção à mais importante entidade científica do Brasil. O PL dos Pós-Graduandos, desde os seus primórdios, contou então com a contribuição, organizada e sistematizada dos maiores interessados, os pós-graduandos. Em 1992, a entidade não se furtou e, ao lado da UNE e da UBES, esteve presente nas manifestações do Fora Collor. Vários pós-graduandos da época, hoje professores, pesquisadores, foram sim, e com muito orgulho, caras pintadas. Durante os anos FHC as mobilizações contra o sucateamento da Educação e a postura entreguista e privatizante que o país tomava foram motes dos fóruns da ANPG. Nos anos 2000, a aproximação com os grupos PET promove a realização do Encontro Nacional de Jovens Cientistas, que hoje, após 12 edições, é um dos xodós de todos nós. Em 2003, pela primeira vez a entidade é recebida pelo então Ministro de C&T, Roberto Amaral, já na era

Lula. Em 2005, outra conquista foi a entrada da ANPG na direção da OCLAE, importante entidade de representação latinoamericana e caribenha dos estudantes. E em 2012 a conquista de uma vaga no Conselho Deliberativo do CNPq e a filiação à SBPC coroam a importância da ANPG como entidade representativa dos pós-graduandos brasileiros. Jornadas de Lutas da UNE, UBES e ANPG, Mostras Científicas, Encontros de Jovens Cientistas, Congressos Nacionais de Pós-Graduandos, Salão Nacional de Divulgação Científica são alguns dos momentos importantes que mereciam ser citados aqui. Com certeza deixei de fora tantos outros. Estou certa de que a ANPG, entidade mais nova do que eu, inclusive, tem muito mais história pra contar que todos nós. Cada um de vocês que está agora lendo esta revista contribuiu, de diferentes maneiras, para que a ANPG hoje seja realidade. Aos que hoje já trilham outros caminhos, deixo também meu carinho e agradecimento. Como disse no início, sinto-me muito honrada de fazer parte dessa história e é com muita satisfação que termino minha gestão com a sensação de dever cumprido. A defesa da ciência, de um país mais justo e soberano, e da pós-graduação forte e comprometida com o país sempre foi e continuará sendo a missão maior da ANPG.


5

MOBILIZAÇÃO DESDE A POSSE! As atividades da semana da posse da diretoria 2010-2012 da ANPG deram indícios do tom que marcou a gestão: a ANPG demonstrou o prestígio institucional e político que acumulou ao longo de sua história e não abriu mão de pautar as principais bandeiras em defesa dos direitos dos pós-graduandos. A posse da nova diretoria da ANPG, eleita durante o XXII Congresso Nacional de Pós-Graduandos - que mobilizou 322 delegados e mais de 500 pessoas ao Rio de Janeiro no período de 15 a 18 de abril de 2010 - aconteceu em Brasília, no dia 25 de maio (2010). Numa solenidade que contou com a participação de pós-graduandos do Brasil todo, além de parlamentares “como os deputados federais Vanessa Graziotin (PCdoB/AM) e Arlindo Chinaglia (PT/SP)“ e representantes de movimentos sociais, o ato foi prestigiado também pelo secretário-geral da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Aldo Malavasi e o secretário-executivo do Consecti, Alberto Peverati.

SBPC DE AMANHÃ A fala da SBPC no ato de posse sintetizou a relação de parceria que marca a história da organização dos cientistas brasileiros com a ANPG. O ponto alto foi a declaração do professor Aldo Malavasi, que, repetindo as palavras ditas pelo então presidente da entidade, Marco Antônio Raupp, declarou que “a ANPG de hoje é a SBPC de amanhã”. Em seu discurso de posse, a presidenta Elisangela Lizardo valorizou as gestões anteriores da ANPG, reforçou a importância da organização das APGs pelo país e deu o tom da gestão: “em relação às nossas reivindicações, temos que ser radicais. Se for preciso, até acamparemos na CAPES ou no MCT para garantir avanços em relação às bolsas”. As palavras proferidas na posse se concretizaram em campanhas e atividades ao longo da gestão, com destaque para a participação das APGs nas campanhas pelo reajuste do valor das bolsas de pesquisa.

Diretoria da ANPG se reúne com Ministro de C&T, Sérgio Rezende, na semana na posse.

CARAVANA PELOS DIREITOS DOS PÓS-GRADUANDOS Depois de um ato prestigiado e cheio de referências à história da ANPG, a semana seguiu com uma agenda intensa de apresentação das pautas da ANPG e da sua nova diretoria aos principais dirigentes das instituições que conduzem a política de ciência e tecnologia no país. A nova diretoria também realizou sua primeira reunião, onde aprovou o planejamento da gestão, dando largada a dois anos de muita mobilização e importantes conquistas. A programação da posse contou com atividades da Caravana da ANPG em defesa dos direitos dos pós-graduandos, marcada por audiências com o diretor da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Lívio Amaral, com o Ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, e também com o Ministro da Educação, Fernando Haddad. As duas pautas centrais apresentadas nessas primeiras audiências conduzidas pela nova diretoria foram o aumento em 30% dos valores e ampliação em 50% do número de bolsas de mestrado e doutorado, e a garantia de licença maternidade a todas as pós-graduandas. O tom de mobilização que marcou a semana da posse demonstrou o tipo de atuação que marcaria a gestão 2010-2012 da ANPG. Após uma reunião de planejamento com diretores da entidade de todo o país e uma bateria de audiências para apresentar as pautas dos pós-graduandos, a gestão assumiu um tom mobilizador desde a semana da posse. E esse foi só o começo!


6

O NORDESTE DO PAÍS RECEBE A ANPG: 2º SALÃO NACIONAL DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA Levando à frente um projeto inciiado na gestão anterior, o 2º Salão Nacional de Divulgação Científica marcou a presença dos pós-graduandos na 62ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e garantiu o espaço de integração entre estudantes de ensino médio, graduação e pós-graduação, pautando um rico debate sobre a Integração Científica e Tecnológica na América Latina, que foi o tema da atividade. Durante o Salão, foi realizado também o 12º Encontro Nacional de Jovens CIentistas, atividade organizada pelos três segmentos de estudantes nas reuniões anuais da SBPC. A ANPG participou, ainda, de mesas sobre o Reuni e o PNPG, e entregou à então candidata Dilma Rousseff a pauta dos pós-graduandos para o avanço da Educação e Ciência e Tecnologia no país. A 1ª e 2ª edições do Salão Nacional de Divulgação Científica representam um marco da defesa unificada de uma educação científica para os três níveis de ensino. A atividade é organizada pela ANPG em parceria com a União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e a CENAPET (Comissão Executiva Nacional do Programa de Educação Tutorial). O tema central do 1º salão, realizado em São Paulo durante a Semana Nacional de Ciência e Tencologia 2009, foi emblemático: Popularização da Ciência no Brasil. Seguindo o formato do 1º Salão, a segunda edição da atividade também contou com mostra científica, intervenções culturais e debates, com convidados de peso no contexto dos sistemas de educação e de ciência e tecnologia brasileiro. Entretanto, o segundo salão foi repleto de novidades. Quanto ao formato da atividade, a inovação foi singela, com a realização de oficinas. Mas a principal mudança está no fato de ter ocorrido

dentro da 62ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Natal (RN). Outro ponto que merece ser destacado é participação de instituições internacionais, como a Unesco. Como nos 11 anos anteriores, a UNE, a UBES e a ANPG realizaram também o 12º Encontro Nacional de Jovens Cientistas durante a reunião da SBPC de 2010. Com o tema foi a Integração Científica e Tecnológica na América Latina, o protagonismo do Brasil no processo de integração da América Latina, mobilidade acadêmica, educação à distância, desenvolvimento regional e popularização da ciência foram alguns dos temas das mesas redondas, que contaram com presenças como a do representante do Instituto Internacional da Unesco para a Educação Superior na América Latina e o Caribe (IESALC/UNESCO), Ernesto González, do reitor da UNILA, Hélgio Trindade e de Álvaro Maglia, da Associação de Universidades do Grupo Montevidéu (AUGM). Cerca de 500 estudantes passaram pelas atividades do Salão, entre elas o estande montado na EXPOT&C, espaço privilegiado onde importantes entidades puderam apresentar aos presentes as suas atividades e garantir um contato mais próximo e direto com os participantes da reunião da SBPC.


7

ENCONTRO NACIONAL DE JOVENS CIENTISTAS E ENET DA UBES O 12º Encontro Nacional de Jovens Cientistas, ocorrido dentro do 2º Salão, teve por tema “Popularização da Ciência e Educação Científica” e foi prestigiado pelo professor Ildeu de Castro, que é integrante do MCT e um dos principais nomes do país que debate divulgação científica e popularização da ciência, e pela então vice-presidente do CNPq, Wrana Panizzi. A ANPG esteve presente também no Ato de Abertura do 11º Encontro Nacional de Escolas Técnicas (ENET) da UBES, que ocorreu em Natal, simultâneo à Reunião Anual da SBPC e ao 2º Salão. A presidente da ANPG, Elisangela Lizardo, convocou os estudantes secundaristas a tornarem-se jovens cientistas: “a UBES se preocupa com a arte, com a cultura e com a ciência, está claramente comprometida com o futuro do país”, destacou. Ao encerrar sua fala, Elisangela aproveitou para convidar os estudantes a participarem das atividades do 2º Salão Nacional de Divulgação Científica.

62º REUNIÃO ANUAL DA SBPC Em que pese o Salão ter sido um espaço bastante rico, a participação da ANPG na 62ª Reunião Anual da SBPC não parou por aí. O diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da ANPG, Vasco Rodrigo, fez a primeira fala da abertura Reunião, pautando a importância dos avanços em educação e ciência e tecnologia nos últimos oito anos, destacando o vertiginoso crescimento do número de escolas técnicas do país e os recentes decretos que conferiram maior autonomia à universidade brasileira. A ANPG teve a honra de dividir a mesa de abertura da SBPC com Aziz Ab’ Saber, considerado um dos geógrafos mais importantes do mundo, um dos homenageados da reunião. A ANPG compôs mesa em dois debates de destaque na programação da SBPC: 3 anos de REUNI,

Durante abertura da 62ª RA da SBPC, diretores da ANPG com o presidente de honra da SBPC, o geógrafo Aziz Ab’Saber, falecido em março de 2012

com a participação da UNE, ANDIFES e MEC e O Plano Nacional de Pós-Graduação, em conjunto com o presidente Capes, Jorge Guimarães. Por fim, diretores da ANPG participaram do encontro promovido pela SBPC com a então candidata à presidência, Dilma Rousseff. Após o encontro, a presidente da ANPG, Elisangela Lizardo, esteve, em conjunto com outras entidades estudantis, em reunião na qual entregou documento com as resoluções congressuais do XXII CNPG à candidata. A ANPG teve uma atuação destacada na 62ª Reunião Anual da SBPC: teve presença garantida em importantes mesas, divulgação visual massiva e inúmeras citações por parte das instituições presentes, além de ter promovido um debate qualificado sobre integração científica e tecnológica na América Latina.

ANPG NA 7ª BIENAL DE ARTE, CIÊNCIA E CULTURA Na 7º Bienal de Arte, Ciência e Cultura da União Nacional dos Estudantes (UNE), realizada em parceria com a ANPG no Aterro do Flamengo, a Mostra Científica e o debate sobre popularização da ciência foram espaços que promoveram o debate sobre as diversas formas de conhecimento. O físico Ildeu de Castro Moreira, diretor do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência e Tecnologia (DEPDI) do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) foi um dos convidados a debater com os estudantes. Para o mestrando em Ciências Sociais pela UFF Theófilo Rodrigues, um dos organizadores da mostra, “o ponto alto da Mostra Científica foi a riquíssima troca de experiências entre os pós-graduandos de todo o Brasil que aconteceu durante a apresentação dos trabalhos. Na área científica, esta troca de experiências teóricas e metodológicas é muito relevante”. Além da presença na Mostra Científica, a ANPG participou do 4º Diálogo Nacional de Organizações e Movimentos Estudantis. O evento teve por objetivo fortalecer a relação da sociedade civil em torno da discussão e implementações de Políticas Públicas de Juventude (PPJ’s), discutir a realização da 2ª Conferência Nacional de Juventude e fazer um balanço das experiências na área das PPJ’s relacionadas ao poder público e debater os desafios colocados para os movimentos e organizações juvenis.


8

PARTICIPAÇÃO: A ANPG NOS CONSELHOS E CONFERÊNCIAS NACIONAIS

Reunião do Conselho Deliberativo do CNPq na qual a ANPG garantiu sua vaga neste importante espaço.

Uma das formas de atuação da ANPG em espaços institucionais é a participação de conselhos decisivos para o acompanhamento das políticas nacionais de pós-graduação. A ANPG hoje é membro do Conselho Superior (CS) e do Conselho Técnico-Científico (CTC) da Capes, e desde os seus primeiros anos de fundada reivindica participação no Conselho Deliberativo (CD) do CNPq. A entidade compõe também o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) e o Conselho Nacional de Saúde (CNS). Na tarde do dia 22 de março de 2012, após reunião do CD em que a ANPG foi convidada a apresentar seu pleito, Elisangela Lizardo disse em seu perfil em uma rede social: “Informo aos Pós-Graduandos e a todos os presidentes da ANPG que me antecederam que o Conselho Deliberativo do CNPq acaba de aprovar a participação da ANPG como convidada permanente das reuniões e o compromisso de garantir os trâmites burocráticos necessários para efetivar nossa participação no conselho! Aos meus presidentes: Roberto Muniz, Harisson Targino, José Adolfo, Roberto Germano, Felipe Chiarello, Luciano Rezende, Elisa Campos, Luiza Rangel, Hugo Valadares, Soraya Smaile - esse espaço é de vocês! Que esse espaço potencialize nossa pressão pela valorização do pesquisador brasileiro!”. A ex-presidenta da ANPG, Soraya Smaile respondeu em seguida: “Isso nos mostra que é tão importante a perspectiva histórica e a certeza de que

as conquistas são alcançadas com a continuidade da luta. Que bom saber que tivemos uma participação nisso. Que bom que isso pode ser agora comemorado e compartilhado. Parabéns a essa diretoria da ANPG também, que tem apreço pela história e que sabe que a luta continua sempre, até a vitória. Um forte abraço.” A partir de agora, então, a ANPG é entidade convidada do CD do CNPq, com direito a voz. Uma alteração no regimento do Conselho será feita para que a entidade tenha, enfim, direito a voz e voto nas deliberações.

O CD O Conselho Deliberativo (CD) é a maior instância de poder decisório do CNPq. Ele é formado pelo presidente e vice-presidente da Instituição; pelos presidentes da Finep e da Capes; Secretário Executivo do MCT e por representantes das comunidades de C&T, empresariais e dos servidores do CNPq. Dentre outras questões, esse conselho trata principalmente da aplicação de recursos, da definição do orçamento, além de ações concernentes às políticas da Instituição. “Os pós-graduandos vêm debatendo os temas e os rumos da Ciência no Brasil. A ANPG, que é ao mesmo tempo incentivadora e fruto desses debates, precisava estar contemplada neste espaço tão impor-


9

tante que é o Conselho Deliberativo do CNPq. Estamos otimistas e certos de que o trabalho será de muito proveito, tanto para nós como para os demais conselheiros, no próximo período”, disse Elizangela Lizardo, presidenta da ANPG.

CONSELHOS NACIONAIS DE JUVENTUDE E DE SAÚDE A participação da ANPG no Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) e no Conselho Nacional de Saúde (CNS) foi especialmente valorizada e potencializada nesta gestão, com participação destacada na organização da 2ª Conferência Nacional de Juventude e da 14ª Conferência Nacional de Saúde. Logo nos primeiros meses da gestão da ANPG, no dia 7 de julho de 2010, foi aprovada a PEC 42/2008 Senado Federal, que reconhece a juventude como sujeito de políticas públicas de Estado. Com a aprovação da PEC, abrem-se largas avenidas para a consecução de um Plano Decenal e de um Estatuto da Juventude, campanha em curso da qual a ANPG também participa. O Estatuto tramita no Senado Federal. Outra iniciativa de peso do Conjuve no último período foi o Pacto pela Juventude. A campanha buscou qualificar o debate sobre políticas públicas de juventude no período eleitoral. O movimento levantou bandeiras de ações necessárias para o pleno desenvolvimento juvenil e destacou o papel de gestores e legisladores na implementação de políticas que incluam o jovem brasileiro na estratégia de desenvolvimento nacional. O Pacto da Juventude foi apresentado a candidatos a cargos eletivos nas 3 esferas durante o período eleitoral. Em 2011, a Comissão de Acompanhamento de Políticas e Programas do Conselho Nacional de Juventude (CAP-Conjuve), composta, entre outas entidades, pela ANPG, abordou durante sua reunião a Campanha de Bolsas da entidade e a polêmica envolvendo o acúmulo de bolsas com vínculo empregatício. Ao final, o Conjuve emitiu uma nota solidarizando-se com os(as) pós-graduandos(as) na luta pela garantia dos seus direitos e pela valorização das bolsas de pesquisa. Também em 2011 a ANPG participou ativamente da coordenação do movimento do Conselho Nacional de Saúde que lutou pela regulamentação da Emenda Constitucional 29 e que ficou conhecido como Primavera da Saúde. A Emenda 29, aprovada em 2000, define os valores que devem ser investidos

pela união, estados e municípios no Sistema Único de Saúde. Nas movimentações realizadas ao longo do ano a ANPG ajudou a trazer milhares de manifestantes para Brasília em dois grandes atos da Primavera da Saúde, que foram fundamentais para a votação e aprovação da lei que há mais de uma década estava parada no congresso e que garante a correta alocação dos recursos do SUS.

CONFERÊNCIAS DE SAÚDE E JUVENTUDE: A OPINIÃO DOS PÓS-GRADUANDOS GARANTIDA! A ANPG participou ativamente de dois importantes instrumentos de construção de políticas públicas no país: as conferências de Saúde e Juventude. De acordo com Elisangela Lizardo, a 2ª Conferência de Juventude, realizada em dezembro de 2011, teve como missão exitosa o fortalecimento da política juvenil, principalmente pensando instrumentos que garantam o cumprimento, pelos governantes, dos compromissos com a juventude em nível federal, estadual e municipal. A pressão aos parlamentares pela aprovação do Plano Nacional e do Estatuto da Juventude, em tramitação na Câmara dos Deputados, certamente é parte desse caminho, frisou Para se ter uma ideia da importância desses espaços, foi a partir da 8ª Conferência de Saúde, em 1986, que ocorreu a implantação do Sistema Unificado e Descentralizado de Saúde (SUDS). Além disso, a 8ª Conferência foi responsável por ter dado as bases da seção “Da Saúde” da Constituição Federal. Baseado nos princípios universalistas então estabelecidos, mais tarde o SUDS se transformaria no Sistema Único de Saúde (SUS). Já a 1ª Conferência de Juventude (2008) foi marcada pelo lançamento da vitoriosa campanha pela aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Juventude, com um abaixo-assinado dos delegados e uma mobilização para entrega ao Presidente da Câmara do Deputados. Em 2010, a PEC foi aprovada e o termo juventude foi incluído na Constituição, do ponto de vista prático garantindo “segurança jurídica” e permitindo o avanço das políticas já existentes. O SUS já foi implementado mas muito ainda precisa ser feito, ressalta Pedro Tourinho, Diretor de Saúde da ANPG e Conselheiro Nacional de Saúde. O tema da 14ª Conferência, realizada em novembro de 2011, foi exatamente sobre isso: “Todos usam o SUS! SUS na Seguridade Social - Política Pública, Patrimônio do Povo Brasileiro”.


10

ANPG: 25 ANOS EM DEFESA DA CIÊNCIA E DO BRASIL Os 25 anos de história da ANPG renderam um legado de conquistas, batalhas, bandeiras, histórias e mobilizações que constituem o movimento nacional de pós-graduandos de hoje. Para resgatar a importância desta construção, um ato político marcou o início das comemorações dos 25 anos da entidade durante a 63ª Reunião Anual da SBPC, em Goiânia.

Uma reunião de pessoas que reúnem em si um valor comum: a dedicação à ANPG. Foi assim o Ato Político de comemoração aos 25 anos da Associação Nacional de Pós-Graduandos. No auditório da Biblioteca do Campus Samambaia da UFG, durante a 63ª Reunião Anual da SBPC, os ex-presidentes e ex-diretores Paolo Livotto (19861987), José Adolfo de Almeida Neto (19871988), Harrison Alexandre Targino (1992-1993), Roberto Muniz Barreto de Carvalho (1993-1994), Roberto Germano Costa (1994-1995), Fábio Palácio de Azevedo (1998), Antônio Francisco Cruz Arapiraca (2004-2005), Elisa de Campos Borges (2005-2006), Allan Aroni (2007-2008) e Amália Catharina Santos Cruz (2008-2010) juntaram-se à gestão atual para a comemoração. A trajetória de 25 anos de história trouxeram um acúmulo político, institucional e de organização que caracterizam o momento atual que

vive a ANPG, uma entidade que hoje tem contato com dezenas de APGs espalhadas por todo o país, representa os pós-graduandos em conselhos nacionais, apresenta pautas e realiza campanhas em defesa da ciência, do Brasil e dos pós-graduandos, e mantém estrutura organizada com sede, realização de conslehos, congressos, etc. Durante o ato com ex-presidentes, momentos marcantes foram lembrados, como o envio de milhares de aerogramas à presidência da República em 1999, exigindo a saída do então Ministro da Ciência e Tecnologia, Luiz Carlos Gonçalves Bresser-Pereira. Paolo Livotto também recordou o debate que se instalava à época – e ainda atual: os pós-graduandos são estudantes ou profissionais? A partir disso, quais os tipos de direitos devem ser defendidos pela ANPG? Roberto Muniz Barreto de Carvalho, que hoje


11

é chefe do Serviço de Documentação e Acervo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), reafirmou, na ocasião, seu compromisso, como ex-diretor da ANPG, em relação à vaga da ANPG no Conselho Deliberativo do CNPq, conquistada na gestão do Ministro Sérgio Rezende. Em março de 2012 a vaga seria, enfim, destinada à ANPG. Esses e outros relatos dão um pouco da dimensão das conquistas possíveis a partir de uma ação organizada dos pós-graduandos brasileiros e mesmo do papel que a ANPG, organizada por esforço coletivo e consequente, cumpre na história do país.

Diretores e ex-diretores reuniram-se para comemorar os 25 anos da ANPG.

“Comemorar os 25 anos da ANPG na presença de pessoas tão importantes para a nossa história não poderia ter sido melhor. Foi também uma maneira de recuperar a memória da entidade. São nesses momentos que olhamos para o lado e vemos que não estamos sós”, disse Elisangela ao final do ato. A presidente da ANPG foi saudada pela presidente da SBPC, Helena Nader, que se disse “muito feliz em receber a ANPG como 99ª entidade científica filiada à SBPC. E ainda por cima sob a gestão de uma mulher”. Prova do prestígio da ANPG conquistado ao longo da sua história, diversas instituições da comunidade científica e entidades dos movimentos sociais compareceram ao ato, como o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), a Agência Espa-

cial Brasileira (AEB), a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), o Centro de Estudos e Memória da Juventude (CEMJ), a Fundação Maurício Grabois (FMG), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e a Comissão Executiva Nacional do Programa de Educação Tutorial (CENAPET).

ANPG SE TORNA 99ª ENTIDADE FILIADA À SBPC No dia 22 de julho de 2011, durante as comemorações de 25 anos da ANPG, a entidade recebeu uma notícia alvissareira como presente: sua filiação à Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). O anúncio de que a ANPG é a 99ª entidade científica filiada à SBPC foi feito pela própria presidenta da instituição, Helena Nader, durante o ato de 25 anos da nova filiada. A relação da ANPG com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência se dá desde o surgimento do movimento nacional de pós-graduandos, que teve como palco de sua organização e fundação da entidade nacional justamente as reuniões anuais da SBPC. De lá para cá, cientistas e pós-graduandos pautaram muitas propostas conjuntas para as políticas de educação e C&T no Brasil, em uma relação de respeito mútuo, autonomia e solidariedade. A professora Helena Nader se disse “muito feliz em receber a ANPG como 99ª entidade científica filiada à SBPC. E ainda por cima sob a gestão de uma mulher”. Professora Helena, esta parceria é histórica e se demonstrou uma receita de sucesso... portanto, a honra é toda nossa!


12

50% DO FUNDO SOCIAL DO PRÉ-SAL PARA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA! A ANPG compartilha com diversas outras entidades as campanhas por mais investimentos em Educação, Ciência e Tecnologia, em um esforço coletivo de mobilização da sociedade e para pressionar o governo. Em setembro de 2009, a ANPG, a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) lançaram a campanha por 50% do Fundo social do Pré-Sal para Educação, que mais tarde incorporou também a pauta da Ciência e Tecnologia, e mantêm firme até hoje esta defesa, que possui apoio no parlamento e até de uma parcela do governo federal. O investimento de recursos provenientes da exploração do petróleo na camada pré-sal pode significar um crescimento vertiginoso das verbas em educação e ciência e tecnologia no país. A possibilidade de conferir qualidade ao ensino básico, hoje universalizado, e a ampliação de vagas e infraestrutura

nas universidades públicas são bandeiras históricas e muito caras ao movimento educacional. Para Elisangela Lizardo, presidenta da ANPG “é hora do Brasil pagar de uma vez por todas, a dívida histórica com a Educação. A expectativa é pra que haja investimentos em Conhecimento Científico, através do aumento de bolsas de Iniciação Científica, por exemplo. Popularizar a ciência no Brasil é necessário!”. A dirigente da ANPG também defende que as verbas do pré-sal sejam investidas para promover desenvolvimento, “econômico e social”, ressalta.

“é hora do Brasil pagar de uma vez por todas, a dívida histórica com a Educação.”

Lideranças estudantis são recebidas pela presidenta Dilma Roussef e pelo então Ministro da Educação, Fernando Haddad.


13

Para ela, o recurso tem que ser utilizado de maneira estratégica, pensando na qualificação dos recursos humanos do país e também nos investimentos necessários em infra-estrutura para que as forças produtivas possam se desenvolver. Em 2010 e 2011 a ANPG participou das jornadas de lutas em defesa dos 50% do Pré-sal para a Educação e Ciênca e Tecnologia, e também por 10% do PIB para a Educação, incluindo passeatas que mobilizaram milhares de pessoas na capital federal. A vice-presidenta da ANPG Carol Pinho, o diretor de Saúde Pedro Tourinho e Elisangela dividiram a condução de uma passeata com a líder estudantil chilena Camila Valejo e foram recebidos pela presidenta Dilma Rousseff para apresentar a reivindicação. A ANPG também participou do lançamento do abaixo-assinado organizado pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e pela Academia Brasileira de Ciências (ABC) com

Daniel Iliescu, presidente da UNE, Camila Vallejo, líder estudantil chilena, Elisangela Lizardo e Pedro Tourinho, diretor de Saúde da ANPG durante passeata da Jornada de Lutas. Setembro/2011

o objetivo de sensibilizar membros dos poderes executivo e legislativo para a importância de se garantir recursos para as áreas de educação e de ciência, tecnologia e inovação (C,T&I) nos Contratos de Partilha e no Fundo Social do Pré-sal. A SBPC e a ABC se somaram à defesa da garantia de recursos do pré-sal para educação e ciência

O BOM FILHO A CASA TORNA

Maquete da futura sede a ser construída no terreno da Praia do Flamengo, 132

Durante esta gestão 2010-2012 da ANPG, os estudantes brasileiros avançaram na reconquista de sua sede histórica na Praia do Flamengo, 132. Recuperada em 2007, o endereço abrigou o prédio da UNE e UBES até 1964, quando foi invadido e incendiado pela ditadura, sendo posteriormente derrubado. Em 2007, os estudantes recuperaram o terreno. Entidade de representação dos estudantes de pós-graduação, a ANPG se incorpora à campanha “De volta para casa” e participa das ações pela reconstrução da sede. A nova casa dos estudantes já vem marcada pelos traços de um dos maiores arquitetos do mundo. O carioca Oscar Niemeyer presenteou as entidades com o projeto que inclui um Centro Cultural e terá 13 andares. Nele, serão construídos o Museu da Memória do Movimento Estudantil e o teatro dos estudantes, além de abrigar as sedes da UNE, da UBES, da ANPG, do CUCA da UNE, entre outras.


14

#MinhaBolsaNãoAumentou Se você está lendo essa Revista de Gestão durante o 23º CNPG, então já se vão mais de 1430 dias sem reajuste das bolsas de mestrado e doutorado. Como sobreviver com as bolsas defasadas? Os pós-graduandos se fazem esta pergunta diariamente, desde 1º de junho de 2008, data do último aumento. A ANPG, em conjunto com APGs de todo o país, já realizou atos políticos, apitaços, abaixo-assinado com mais de 50 mil signatários, publicou moções, enviou cartas e e-mails, pressionou pessoalmente autoridades, realizou audiências com a Capes, CNPq, MEC, MCT e até com a presidenta Dilma. Em 2012 já teve twittaço e até paralisação nacional. Nem assim o reajuste saiu. O que temos até agora é a promessa dos Ministros da Educação e de Ciência, Tecnologia e Inovação de que o reajuste sairá ainda esse ano. Falou-se inclusive em 20%, metade neste ano, metade no próximo. Se as notícias não são boas, ao menos uma coisa podemos extrair da Campanha de Bolsas (iniciada em 2008): a mobilização e a força do Movimento Nacional de Pós-Graduandos cresceu! As APGs se organizaram, o movimento ganhou corpo, diversas conquistas podem ser comemoradas, mas, em relação às bolsas ainda há muito o que ser feito. Veja um resumo das principais ações da Campanha de Bolsas nessa gestão da ANPG: Durante as atividades da posse da gestão em Brasília, em maio de 2010, a ANPG reuniu-se com o então Ministro de C&T, Sérgio Rezende, com o ministro da Educação, Fernando Haddad e com os presidentes da Capes e do CNPq. Dentre as reivindicações na carta entregue às autoridades, o reajuste das bolsas já ocupava lugar central. A diretoria recém empossada, durante reunião na capital federal também aprovou a realização da nova fase da Campanha de Bolsas. Em novembro de 2010 a ANPG fez pressão em Brasília, inclusive apresentando emendas ao orçamento como forma de tentar garantir a recomposição dos valores das bol-

APG da UNIFESP organizou grande mobilização no dia 29 de março.

sas. Para cumprir as metas do PNPG 20052010, o valor das bolsas de mestrado oferecidas pela Capes e pelo CNPq deveriam ter um acréscimo de 50% em relação ao valor aplicado em 2005. Se acrescentarmos a inflação do período, para que o aumento seja real, isso significa, por exemplo, que a bolsa de mestrado da Capes, que era de R$ 940 em 2005, teria que atingir o valor de R$ 1.673,00, a de doutorado passaria dos atuais R$ 1.800 para R$ 2.481,00, visto que em 2005 esta bolsa era de R$ 1.394,00. Em dezembro de 2010 o CNPq anunciou aumento de mais 2 mil bolsas de mestrado e doutorado para 2011. Isso representou um acréscimo de cerca de 10% sobre as 19.765 bolsas de mestrado e doutorado oferecidas pela agência de fomento em 2010. À época, a ANPG se manifestou pela humanização das bolsas: “Os pesquisadores e as pesquisadoras brasileiros precisam ser munidos das melhores condições para incrementar a produção científica nacional. Isso significa, entre outras medidas, valorizar os pós-graduandos como elemento fundamental desta produção, por meio do reajuste do valor das bolsas e aumento do número, para democratizar o acesso a elas;


15

significa retomar apoios como a taxa de bancada e o auxílio tese, políticas de moradia estudantil para pós-graduandos, implementação de políticas de redução das desigualdades regionais, além de garantias como a recém conquistada licença-maternidade para as bolsistas da Capes. É preciso, em resumo, investir na humanização das bolsas de pós-graduação, que deve ser um reflexo de uma ousada política de valorização da produção científica nacional”, disse a presidenta Elisangela Lizardo.

Pós-Graduandos fazem apitaço e passeata na UFMG.

Em janeiro de 2011, rem reunião da diretoria que aconteceu dentro da programação da 7ª Bienal de Arte da UNE, foi convocada a Campanha de Bolsas da ANPG. A reunião decidiu organizar um abaixo-assinado pela bandeira definida, assim como pautar uma audiência com a presidenta Dilma Rousseff, para que os pós-graduandos pudessem apresentar a sua pauta.

rio dos 3 anos sem reajuste, coleta de moedas para garantir o orçamento do MEC e do MCTI para aumentar o valor das bolsas, contador de dias sem reajuste, entre outras ações. Diretores da ANPG abordaram inclusive o então Ministro da Educação, Fernando Haddad. Na ocasião, o Ministro reconheceu que existe defasagem nos valores, porém não se posicionou em relação a um possível aumento. Fase 2: Março de 2012

Em fevereiro de 2011, após audiências com agências e ministérios e movimentação no Congresso Nacional pelo aumento do orçamento do MCT e do MEC para o fomento à pesquisa, a campanha lançou o abaixo-assinado pelo reajuste dos valores das bolsas de mestrado e doutorado, ao mesmo tempo em que elevou o tom da crítica à política macroeconômica adotada no início de governo Dilma Rousseff. Em menos de 24 horas a proposta já contabilizava 21 mil assinaturas.

A ANPG convocou e as APGs e pós-graduandos de todo país responderam à altura: #MinhaBolsaNãoAumentou

No 38º CONAP, em agosto de 2011, na cidade do Recife, os pós-graduandos reafirmaram a Campanha. Foi então convocada, para o mês seguinte, uma Semana Nacional de Mobilização, com atividades pelo Brasil todo.

O dia 29 de março, uma quinta-feira, foi histórico para o movimento. Neste dia os pós-graduandos paralisaram suas atividades, realizando aulas públicas e panfletagens nas universidades. E às 16h um tuitaço tomou conta da internet, chamando a atenção de todos para a demanda #MinhaBolsaNaoAumentou. O abaixo-assinado que rodava desde o ano passado já contava com mais de 50 mil assinaturas a favor da causa.

Fase 1: Setembro de 2011 Ações pelo Brasil durante as Jornadas de Lutas do movimento estudantil e entrega da pauta à presidenta Dilma foram algumas das ações. As APGs também se mobilizaram, realizando atividades locais como debates, enxurrada de e-mails às autoridades, festa de aniversá-

A semana de 26 a 30 de março colocou o reajuste das bolsas como a pauta central dos pós-graduandos. A Semana fez parte do “Março Verde e Amarelo”, nome dado à Jornada de Lutas da UNE, UBES e ANPG, série de manifestações que tradicionalmente acontecem nos meses de março e agosto, em torno de pautas referentes à educação.

As ações pelo Brasil repercutiram na im-


16

Pós-Graduandos da UFPR se vestiram de preto no dia 29 de março, em luto pelos quase 4 anos sem reajuste.

prensa de forma nunca antes acontecida na história da ANPG. No dia 3 de abril, O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou que reajustaria os valores das bolsas oferecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). “Temos que construir um reajuste das bolsas da Capes o mais rápido possível, para corrigir a defasagem”, enfatizou, durante entrevista dada a correspondentes estrangeiros em Brasília. O ministro, porém, não disse nem quando, nem quanto.

PARA ALÉM DO REAJUSTE DAS BOLSAS Embora ainda seja uma pauta urgente e central, a luta da ANPG vai além da reivindicação pelo reajuste imediato das bolsas. Tendo como referência a proposta do PL dos Pós-Graduandos (PL 2315/2003), em tramitação no Congresso Nacional, a ANPG defende a implementação de uma política permanente de valorização das bolsas de pesquisa e se coloca à disposição para dialogar uma legislação que atenda a esta demanda do país. Os pesquisadores e as pesquisadoras brasileiros precisam ser munidos das melhores condições para incrementar a produção científica nacional. Por isso defendemos desde o início da gestão a humanização das bolsas, que significa, entre outras medidas, valorizar os pós-graduandos como elemento fundamental desta produção, por meio do reajuste do valor das bolsas e aumento do número, para democratizar o acesso a elas; significa restabelecer apoios como a taxa de bancada e o auxílio tese para

todos(as) os(as) bolsistas, políticas de moradia estudantil, alimentação e acesso a creche para as mães e pais pós-graduandos, além de implementação de políticas de redução das desigualdades regionais. Tal valorização das bolsas de pós-graduação deve ser um reflexo de uma ousada política de valorização da produção científica nacional.

PL dos Pós-Graduandos, um ilustre morador da Câmara dos Deputados há quase 10 anos O PL dos pós-graduandos é um Projeto de Lei que propõe uma política de reajuste das bolsas de pesquisa, tendo como referência a remuneração dos docentes do sistema federal de ensino superior. Uma proposta neste sentido é debatida desde os primeiros anos de existência da ANPG e virou Projeto de Lei encaminhado à Câmara dos Deputados em 16 de outubro de 2003, apresentado pelo então Deputado Federal Jorge Bittar (PT-RJ). Com caráter terminativo nas comissões, caso passe pelas 5 comissões a que foi destinado, o projeto vai direto para o Senado, onde tramita da mesma forma antes de seguir para a sanção presidencial. Aprovado por unanimidade em duas comissões da Câmara Federal: na Comissão de Educação e Cultura (CEC), em 1º de dezembro de 2004; e na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI), em 10 de maio de 2006, o projeto já passou por 5 relatores da Comissão de Finanças e Tributação (CFT); em nenhuma delas houve emendas ou parecer e o projeto foi arquivado. O desafio do movimento nacional de pós-graduandos é construir o ambiente para a aprovação de uma lei que garanta uma política permanente de valorização das bolsas de pesquisa em todos os níveis, da iniciação científica ao pós-doutorado.


17

CAMPANHA DE BOLSAS


18

LICENÇA MATERNIDADE: IMPORTANTE CONQUISTA RUMO À HUMANIZAÇÃO DAS BOLSAS No dia 16 de novembro de 2011 a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) publicou a portaria n° 220, de 12 de novembro, que permite prorrogação da vigência da bolsa de parturientes, ou seja, a licença-maternidade. O CNPq já garantia este direito às bolsistas. A publicação da portaria foi uma justa resposta da Capes à reivindicação dos pós-graduandos, apresentada pela ANPG. Só nesta gestão, foram diversas as ações desempenhadas pelos pós-graduandos brasileiros que pressionaram por esta conquista: no 22º Congresso Nacional de Pós-Graduandos, realizado no Rio de Janeiro em abril de 2010, foi aprovada resolução em favor da licença com extensão da bolsa. Na semana da posse da diretoria, foi realizada uma campanha de bolsas que teve duas pautas centrais: a campanha pela aprovação da licença-maternidade pela Capes, e a campanha pelo aumento do número e valor das bolsas da Capes e do CNPq. A pauta foi ainda reforçada na Caravana de Ciência, Tecnologia e Inovação da ANPG, realizada entre março e maio de 2010 em todas as regiões do país, e nos materiais das entidades, sempre aparecendo como bandeira urgente na luta pela humanização das bolsas. E novamente pautada durante a participação da ANPG na 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CNCTI). A pressão pela edição da portaria foi retomada quando da edição de outro documento, a portaria conjunta n° 001 da Capes e do CNPq, que permitiu acumulação de bolsas com trabalho remunerado. Por consequência do debate acerca desta última portaria, a ANPG lançou uma campanha pela humanização das bolsas, por meio de nota, novamente pautando como questões centrais a licença-maternidade e a bandeira por mais e melhores bolsas. O fôlego da reivindicação se renovou com a abordagem feita pelos diretores da ANPG ao pre-

Diretores da ANPG em visita à Capes em maio de 2010.

sidente da Capes, professor Jorge Guimarães, durante a 62ª Reunião Anual da SBPC, realizada em julho, em Natal (RN). Durante o evento da SBPC, a ANPG realizou também o seu 2° Salão Nacional de Divulgação Científica, onde foi massificada a distribuição de material com 10 pontos importantes à pós-graduação no Brasil, dentre os quais a humanização das bolsas, inclusive com direito a licença-maternidade.

PORTARIA NA MESA Após todas essas movimentações, o presidente da Capes, em audiência, informou que a portaria estava pronta para ser assinada, com a garantia de quatro meses de licença para as parturientes, embora sem remuneração. A ANPG então pautou, imediatamente, a importância de estender também a bolsa, para garantir a mensalidade às futuras mães. Com a aprovação da portaria, os pós-graduandos podem comemorar uma reivindicação da ANPG atendida, como foi reconhecido em matéria publicada no “Jornal da Ciência”. E, o mais importante, mais uma vitória dos pós-graduandos consolidada, rumo à conquista da humanização das bolsas, como condição necessária ao desenvolvi-


19

38º CONAP: A REDE DE APGS SE REÚNE EM PERNAMBUCO

Ato Político no 38º CONAP reuniu lideranças estudantis e políticas.

Com a participação de diversas Associações de Pós-Graduandos (APGs) e comissões pró-APG de universidades de todo o país, o 38º Conselho Nacional de APGs (CONAP) da ANPG potencializou a Campanha de Bolsas e a relação da ANPG com as APGs. Entre os debates e resoluções, temas importantes como o Programa Ciência Sem Fronteiras e o PNPG 2011-2020 - publicado poucos dias antes do encontro – foram pautados. O 38º CONAP ocorreu entre 18 e 21 de agosto de 2011 em Recife (PE). O 38º CONAP da ANPG reuniu dezenas de APGs em agosto de 2011, em Recife, e aprovou resoluções e campanhas que deram o tom da relação da entidade nacional com as APGs. O tema “A Formação de Recursos Humanos e o Desenvolvimento do Brasil” identificou o principal debate do encontro, o PNPG 2011-2020. Versões impressas do recém-lançado PNPG foram distribuídas a todos para subsidiar as discussões. Reunidas em clima de unidade pelo crescimento do movimento de pós-graduandos, as APGs aprovaram ainda a Campanha pelo Reajuste Já das Bolsas de Pesquisa, que mobilizou as entidades por todo o país no mês seguinte. O fórum foi responsável também pela convocação do 23º

Congresso Nacional de Pós-Graduandos, entre 3 a 6 de maio de 2012, com o tema Desafios Brasileiros. Em conjunto com o CONAP, foi realizado também o Seminário de Organizações Sociais (resumo sobre OS) conforme deliberação do XXII Congresso da ANPG. O Seminário contou duas mesas que proporcionaram um rico e polêmico debate: “As Organizações Sociais (OS) e a Reforma do Estado Brasileiro” e “A experiência da implantação das OS’s no Brasil”. Como as mesas foram compostas por debatedores com posições diferentes sobre o assunto, diversos representantes de APGs apresentaram opiniões também diversas e um documento final que buscou contemplar a riqueza do debate.

DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO O encontro das APGs do Brasil foi bastante prestigiado, contando com presenças como a exMinistro de ”Ciência e Tecnologia,” Prof. Dr. Sérgio Machado Rezende, do professor José Fernandes de Lima – ex reitor da UFS e membro do Conselho Nacional de Educação, de Ronald Ferreira, membro da Federação Nacional dos Farmacêuticos (FENAFAR) e do Conselho Nacional de Saúde (CNS), de Marcelino Granja, secretário de C&T de Pernambuco, do Secre-


20

Plenária Final sistematizou as propostas. À direita, de vermelho, a vice-presidenta da ANPG, Carolina Pinho.

tário Municipal de C&T do Recife José Bertoti, além de professores da UFPE e representantes da UNE e das entidades do movimento secundarista e universitário de Pernambuco.

RESOLUÇÕES Além do documento final do Seminário de OSs, realizado um dia antes do início do CONAP, as principais resoluções aprovadas em Pernambuco foram sobre o Programa Ciência Sem Fronteiras e a convocação da Campanha de Bolsas da ANPG. O 38º CONAP aprovou uma resolução que valoriza o Programa Ciência Sem Fronteiras, mas também apresenta críticas e propostas como contribuição das APGs. A principal reivindicação das APGs presentes ao CONAP é que um programa de tal dimensão deveria vir acompanhado também de medidas de fortalecimento do Sistema Nacional de Pós-Graduação e do Sistema de Ciência e Tecnologia nacionais. Além de pautar a importância do fortalecimento do sistema nacional de pós-graduação, o CONAP apresentou como proposta ao programa a implementação de iniciativas de disseminação da cultura nacional, com a exigência de projetos que favoreçam a difusão da cultura brasileira em cada universidade conveniada. Por fim, a plenária final do CONAP aprovou o calendário da Campanha Nacional de Bolsas 2011, com uma Semana Nacional de Mobilização pelo Reajuste Já, que ocorreu de 19 a 23 de setembro nas universidades de todo o país e promoveu uma forte divulgação pelas redes sociais, com twittaços, divulgação das mobilizações ocorridas nas universidades e outras ações em prol do reajuste imediato do valor das bolsas de mestrado e doutorado.

Luana Bonone, diretora de Comunicação da ANPG.

Na semana seguinte ao CONAP, em 31 de agosto, a ANPG participou das mobilizações do Agosto Verde Amarelo, que organizou uma passeata em Brasília em conjunto com a UNE e a UBES, onde a pauta das bolsas foi apresentada à presidenta Dilma Rousseff, ao mesmo tempo em que reafirmou a defesa da destinação de 10% do Pro-

O PNPG O Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG) 2011-2020 tem como objetivo definir as diretrizes, estratégias e metas para a política de pós-graduação e pesquisa no Brasil neste período. Pela segunda vez na história, a ANPG compôs a Comissão de Elaboração do PNPG - na figura do presidente da entidade à época de sua constituição, Hugo Valadares. No intuito de agregar contribuições de estudantes, parceiros e sobretudos APGs de todo o país, a ANPG lançou, em outubro de 2010, o Blog do PNPG. Através deste instrumento foram recebidos artigos, relatos de debates, propostas e outras contribuições de pós-graduandos do Brasil todo. Em agosto de 2010, o Plano foi divulgado pela Capes. Durante o 38º CONAP os presentes receberam exemplares em primeira mão. Além disso, houve uma exposição detalhada do membro da comissão de elaboração do PNPG Prof. José Fernandes Lima, que pôde esclarecer as dúvidas do plenário. A opinião mais detalhada da ANPG sobre o plano, publicado em agosto de 2011, entretanto, só será aprovada por este 23º Congresso Nacional de Pós-Graduandos.


21

URUGUAI, ÁFRICA, CUBA E RIO+20: A ANPG PELO MUNDO A agenda internacional da ANPG foi bem movimentada nesses 2 anos. A entidade esteve presente no 16º Congresso Latino Americano e Caribenho de Estudantes (CLAE) e no 17º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes (FMJE). As atividades aconteceram em agosto, em Montevideo, e em dezembro em Joanesburgo, respectivamente. Os pós-graduandos terão sua representação garantida também na Conferência Rio+20, que ocorrerá no próximo mês de junho, no Rio de Janeiro. Durante os dias 10 a 15 de agosto de 2011, a cidade de Montevidéu, no Uruguai, recebeu o 16º Congresso Latino-Americano e Caribenho de Estudantes (CLAE), o mais importante espaço de discussão para definir os rumos da educação no continente. Na ocasião, questões como a regulamentação do ensino privado, o fortalecimento da educação pública e a mobilidade acadêmica foram os principais temas discutidos. Além de compor a programação oficial do 16º CLAE, através da ANPG, vários pós-graduandos também compuseram a delegação brasileira e participaram dos 5 dias de trocas de saberes e experiências com estudantes do continente. Como se trata da única entidade nacional de representação de pós-graduandos na América Latina, diversas entidades de outros países se dirigiram à delegação brasileira para entender melhor o funcionamento e com perspectiva de iniciar um movimento parecido em seus respectivos países. Na opinião de Tamara Naiz, vice-presidente Centro Oeste da ANPG presente no CLAE, as discussões pautadas no fórum dizem respeito não apenas à educação, mas aos temas relevantes para a sociedade de uma forma geral. “A ANPG tem lutas e vitórias comuns às entidades aqui presentes e, embora sua representação seja nacional, é solidária às lutas da américa-latina. Por mais avançados que sejam os governos, somente a luta social trará as transformações efetivas para os estudantes e o povo”, finalizou. Além

Elisangela Lizardo e Rodrigo Cavalcanti, secretário geral da ANPG, em debate durante o 17º FMJE, na África do Sul.

dela, os diretores Júlio Neto e Rodrigo Cavalcanti também estiveram no CLAE representando a ANPG.

ÁFRICA Com o tema “Por um Mundo de Paz, Solidariedade e Transformações Sociais, derrotemos o imperialismo!”, de 13 a 21 de dezembro de 2011, Joanesburgo recebeu o 17º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes (FMJE). A ANPG foi representada na atividade por quatro diretores: Elisangela Lizardo, Luana Bonone, Júlio Neto e Rodrigo Cavalcanti. A delegação brasileira teve sua participação garantida por um avião da Força Aérea Brasileira, tendo levado mais de 160 representantes de entidades como a UNE, a UBES e outras organizações de juventude, sobretudo as que compõem o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve). O festival é o principal encontro internacional de juventude e pela primeira vez aconteceu na África Subsaariana, a África negra. Durante o festival, foi realizado o Encontro Internacional dos Estudantes, que teve como objetivo rearticular o movimento estudantil da América Latina, Ásia, África, Europa e Oriente Médio no sentido de atuar com unidade e


22

semelhantes em seus países. Durante o Congresso, a Organização Caribenha e Latino Americana de Estudantes (OCLAE) realizou a reunião de seu secretariado-geral, da qual a ANPG faz parte.

RIO+20

Tamara Naiz, Vice-presidente Regional Centro-Oeste da ANPG, durante 16º CLAE.

debater a reorganização da União Internacional dos Estudantes (UIE), já que o último congresso da entidade mundial ocorreu em 2000. Uma das campanhas principais encampada pelas entidades participantes é a campanha mundial «Educação, direito de todos», que inclui na pauta a reivindicação de que a educação não seja incluída na lista de «serviços» da Organização Mundial do Comércio (OMC). A ANPG compôs uma das mesas da programação do FMJE. Como não há experiência de organização de pós-graduandos em outros países, boa parte do debate foi sobre a situação dos pós-graduandos em cada uma das nações presentes e a possibilidade de organização de entidades com o fim de representá-los.

CUBA No ano de 2012, de 13 a 17 de fevereiro, a presidenta da ANPG, Elisangela Lizardo, e a Diretora de Comunicação, Luana Bonone, estiveram em Havana, Cuba, participando do Universidade 2012: 8º Congresso Internacional de Educação Superior. Com rica programação, o fórum foi um importante espaço de articulação com entidades dos países da América Latina. A experiência da ANPG, entidade de âmbito nacional de representação dos pós-graduandos, foi de grande valia para os presentes, que foram incentivados a constituir associações

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio + 20 ocorrerá de 20 a 22 de junho de 2012 no Rio de Janeiro. Tal encontro acontece vinte anos depois da primeira cúpula histórica, também no Rio de Janeiro, em 1992, e dez anos depois do encontro de Johanesburgo, em 2002. Evento paralelo, entre 15 e 23 de junho ocorrerá, no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, a Cúpula dos Povos na Rio+20 por Justiça Social e Ambiental, da qual a ANPG também participará. A sociedade civil global, organizações, coletivos e movimentos sociais ocuparão o Aterro para propor uma nova forma de se viver no planeta, em solidariedade, contra a mercantilização da natureza e em defesa dos bens comuns. A comissão organizadora da Rio+20 abriu espaço para que entidades organizem atividades autogestionadas durante o evento e a ANPG já se inscreveu. A intenção é montar um estande de recepção/ divulgação e organizar miniconferências sobre C&T e meio ambiente.

PELO MUNDO Além das agendas fora do país, a ANPG também participou das edições do Fórum Social Mundial, com destaque para a participação no Fórum Social Mundial de Saúde, onde foi representada pelo diretor Pedro Tourinho. Além disso, os pós-graduandos estiveram presentes em fóruns e articulações de lutas internacionais em diversos momentos, como no 1º Encontro Mundial de Blogueiros e nas atividades em defesa do reconhecimento do Estado da Palestina. Dessa forma, a agenda internacional da ANPG cumpriu o papel de garantir uma relação solidária com entidades do movimento social de diversas partes do planeta e de apresentar a pauta e a atuação dos pós-graduandos brasileiros para o mundo.


23

ACÚMULO DE BOLSAS COM VÍNCULO EMPREGATÍCIO: POSTURA FIRME DA ANPG REVERTEU CORTE DE BOLSAS Em julho de 2010, a Capes e o CNPq assinaram a Portaria Conjunta nº 1, permitindo que bolsistas passassem a acumular atividade remunerada. Em abril de 2011 a Capes e o CNPq divulgaram uma nota de esclarecimento com considerações sobre algumas situações específicas de acúmulo, e em 2 de maio do mesmo ano a Capes emitiu um ofício circular para os programas de pós-graduação orientando o corte das bolsas que estivessem “irregulares” a partir de uma interpretação feita a respeito da Portaria e da referida nota de esclarecimento. Desde a edição da Portaria Conjunta n° 1, que permitiu o acúmulo de bolsas com vínculo empregatício até às reuniões da Comissão montada para estudar o caso, a ANPG foi firme em sua postura de não permitir o corte de bolsas. A postura firme da ANPG aliada ao empenho dos próprios bolsistas em procurar a sua entidade representativa, foi fundamental para reverter um corte de bolsas que ocorreu por consequência da própria ação das agências nacionais de fomento. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) autorizaram o acúmulo de bolsas de pesquisa com atividade remunerada por meio da Portaria Conjunta n° 1 de 16 de julho de 2010. Em 02 de maio de 2011, entretanto, as agências publicaram uma nota de esclarecimento acerca desta Portaria que gerou confusão sobre as regras válidas. A nota de esclarecimento da Capes e do CNPq gerou uma polêmica cuja pior consequência, amplamente denunciada por pós-graduandos de todo o país, foi o cancelamento de bolsas em diversas universidades. No dia 16 de maio, após uma semana de enxurrada de e-mails de reclamações de pós-graduan-

dos do país todo, a ANPG lançou uma nota contra o cancelamento das bolsas e realizou uma audiência com o professor Jorge Guimarães, presidente da Capes. Na reunião, da qual participaram diretores da ANPG e das APGs da UFRJ e da UnB, o presidente da Capes disse discordar do tom do ofício circular (documento da Capes orientando o cancelamento das bolsas de centenas de pós-graduandos do país por conta de uma nova interpretação a respeito da Portaria) e no dia seguinte foi enviado um novo ofício, anulando o anterior.

PRESSÃO E AÇÕES JUDICIAIS GARANTIRAM VITÓRIAS Na mesma reunião, o professor Jorge sinalizou que seria feito um levantamento da situação das bolsas no país para combater possíveis irregularidades. Além de pressionar a Capes e o CNPq, a ANPG orientou bolsistas de todo o país sobre como manter suas bolsas por meio de medida judicial, nos casos em que o diálogo com as coordenações


24

de programas e pró-reitorias não resolveram. Todos os pós-graduandos que tiveram suas bolsas cortadas e entraram na justiça após contato com a ANPG obtiveram vitória. Em julho de 2011, para tentar dar uma solução definitiva à confusão gerada pelas próprias agências, a Capes e o CNPq instituíram uma comissão cujo objetivo é “analisar as situações detectadas pelos programas e/ou pró-reitorias de pós-graduação ou equivalentes, que representam tipos de vínculos empregatícios, e que poderiam estar em desacordo com as regras para a concessão de bolsas estabelecidas pela Portaria Conjunta CAPES/CNPq nº 01/2010, bem como propor ajustes à legislação, caso necessário”, conforme publicado no DOU com a data de 14 de dezembro de 2011. Além da Capes e do CNPq, tal comissão é composta pela Associação Nacional de Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes, que a coordenará), pelo Fórum de Pró-Reitores de Pós-Graduação e Pesquisa (Foprop) e pela ANPG.

COMISSÃO DEBATE NOVA PORTARIA A 1ª reunião foi realizada no dia 14 de fevereiro e segundo a presidenta da ANPG, Elisangela Lizardo, presente na reunião, a comissão recomendou à Capes e ao CNPq que nenhuma medida fosse retroativa, ou seja, que nenhum pós-graduando fosse penalizado pelas decisões polêmicas tomadas pela falta de clareza das próprias agências. Ainda de acordo com as resoluções da reunião, não haverá cortes de bolsas e as novas regras (caso haja edição de uma nova portaria) valerão apenas para as novas bolsas. Em 20 de março a comissão se reuniu novamente e, na ocasião, circularam opiniões diversas sobre o acúmulo de bolsas com vínculo empregatício. Desde a que a permissão do vínculo fosse cancelada até a proposta de uma nova portaria totalmente reformulada. A opinião dos presidentes da Capes e do CNPq foi unânime no sentido do não cancelamento da Portaria n°01/2010. Eles explicaram que a intenção inicial da medida era proporcionar a oportunidade de uma experiência profissional aos mestrandos e doutorandos durante as suas pesquisas. O contato com o mundo do trabalho lhes permitiria um melhor ingresso no mercado, caso esse fosse o desejo após o término dos estudos. Após o debate, a comissão propôs eixos centrais para avaliação de uma possível nova portaria. Dentre esses eixos estão a definição de 8 horas semanais de trabalho ou até 32 horas mensais; a solicita-

A ANPG se posiciona nesse cenário contra qualquer medida retroativa e fortemente pelo reajuste das bolsas. ção de vínculo somente poderá ser feita pelo bolsista (ou seja, o vínculo tem que ser posterior à bolsa). Na opinião da ANPG, a desvalorização do valor das bolsas de mestrado e doutorado, há quatro anos sem reajuste, é um dos pontos por trás dessa polêmica. E mais uma vez essa questão foi levantada na reunião da comissão. “Uma solução coletiva é sempre mais difícil de ser alcançada, porém, estamos empenhando toda a nossa energia para que nenhum pós-graduando seja prejudicado. Não admitirei, em nome da ANPG, nenhum retrocesso em relação às bolsas já concedidas”, disse Elisangela. A ANPG se posiciona nesse cenário contra qualquer medida retroativa e fortemente pelo reajuste das bolsas. Embora a comissão seja um espaço consultivo, a representação dos pós-graduandos vem batalhando por uma medida ampla e que garanta a possibilidade de acúmulo. A Capes e o CNPq comprometeram-se a encaminhar alguma solução ao impasse até o final deste primeiro semestre de 2012.

ENTENDA O CASO Julho de 2010: Capes e CNPq publicam a Portaria Conjunta n°1 permitindo o acúmulo de bolsas com vínculo empregatício Abril de 2011: Capes e CNPq divulgam nota sobre “interpretação errônea” da Portaria Maio de 2011: Capes envia ofícios a programas orientando o corte de bolsas irregulares

ANPG reúne-se com presidente da Capes

Capes anula ofício circular

Julho de 2011: Capes e CNPq montam comissão para avaliar os casos Fevereiro de 2012: Comissão realiza sua primeira reunião e o consenso é que novas regras valham apenas para novos casos (novas bolsas). Março de 2012: Comissão realiza sua segunda reunião e os presidentes da Capes e do CNPq se comprometem a dar solução até o final do semestre. Fevereiro de 2012: 1ª reunião da Comissão Março de 2012: 2ª Reunião da Comissão


25

23º CNPG: DESAFIOS BRASILEIROS Em março de 2012 foi oficialmente convocado o 23º Congresso Nacional de Pós-Graduandos. A cidade de São Paulo foi escolhida para sediar o fórum máximo de deliberação da ANPG.

para os que desejam inscrever ou compor chapas candidatas à diretoria da ANPG.

A ANPG se lançou à tarefa de debater os Desafios Brasileiros. A ampliação da universidade brasileira no último período, novas e mais profundas políticas de intercâmbio, a crescente pressão por mais e mais publicações e o aumento da produção científica brasileira, as Olimpíadas, a descoberta do Pré-Sal, a Amazônia Azul, a Copa do Mundo, a questão energética e o Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG) ilustram o momento de desafios que a Pós-Graduação brasileira enfrenta, em um cenário onde o Brasil se projeta cada vez mais como potência mundial, embora gargalos históricos continuem a travar o desenvolvimento econômico e social do país.

A ANPG sempre procura privilegiar as manifestações culturais locais na programação de suas atividades. Neste ano de 2012 a 8ª edição da Virada Cultural acontece simultaneamente ao 23º CNPG, o que proporcionará aos participantes uma experiência única. A Virada Cultural é um evento que acontece anualmente em São Paulo organizado pela Secretaria Municipal de Cultura e já é nacionalmente famoso por reunir milhares de pessoas nas ruas da capital e proporcionar 24 horas ininterruptas de música, cinema, teatro e artes em geral. A expectativa deste ano é reunir mais de 4 milhões de pessoas no centro de São Paulo e todas as atividades são gratuitas.

A urgente necessidade de uma política permanente de valorização das bolsas de pesquisa certamente será um tema importante do congresso, como resultado da crescente mobilização em torno da Campanha #MinhaBolsaNaoAumentou. Pós-graduandos de todo o país foram convocados a realizar este debate com pesquisadores, estudantes, movimentos sociais, representantes de agências e instituições de C&T e gestores em Ciência, Tecnologia e Inovação. Além dos debates, o congresso abrigará a IV Mostra Científica da ANPG, atividades culturais e exposições.

Entre os destaques, as apresentações de Gilberto Gil, no Palco Júlio Prestes, Os Mutantes, os norte-americanos do Suicidal Tendencies e os Titãs, que fazem uma apresentação do álbum Cabeça Dinossauro, todos no Palco São João.

NOVIDADES Esta edição do Congresso apresenta duas inovações: a primeira é a publicação do documento-base, que norteará todos os debates. A segunda inovação diz respeito aos grupos organizados e pessoas que queiram manifestar suas opiniões acerca do Movimento Nacional de Pós-Graduandos. Para tanto, deverão ser elaboradas teses prévias ao Congresso. As teses são condição

CULTURA NA VIRADA

No geral, 114 pontos da cidade oferecem programações grátis, sendo 50 desses locais na região central da capital paulista. Pela primeira a programação chega ao Minhocão e à Nova Luz. As novidades desta edição são: o Palco Sé, voltado para a comédia stand-up, com participação de Rafinha Bastos e Tom Cavalcante; e o Chef na Rua, reunindo grandes nomes de restaurantes da capital, como o chef Alex Atala, do D.O.M. e Dalva e Dito, que oferece sua tradicional Galinhada a preços populares no Minhocão. Dentre os palcos feitos especialmente para a Virada 2012 estão o Palco Cabaré, com apresentações de Gretchen e Rita Cadillac; e o Palco Boulevard São João, que homenageia os 30 anos da morte de Elis Regina.


26

RELATÓRIO DE ATIVIDADES - ANPG GESTÃO 2010/2012 2010 MAIO

- Posse Gestão 2010-2012 - Caravana da ANPG (GO,MG,RS,PA,PE,MG) - Ato ANPG, UNE e UBES em Brasília 50% Pré-Sal - 4ª CNCTI - Audiência com Ministro da Educação - Audiência com presidente da Capes - Audiência com presidente do CNPq - Audiência com Ministro da Ciência e Tecnologia

JUNHO

- Senado Federal aprova 50% do Fundo Social do Pré-Sal para Educação

JULHO

- Visita à UNILA - ENET da UBES - 62ª Reunião Anual da SBPC em Natal (RN) - ANPG entrega carta com pauta dos pós-graduandos a Dilma - 2º Salão Nacional de Divulgação Científica

AGOSTO

-Presidente Lula recebe Conjuve e convoca 2ª Conferência Nacional de Juventude -ANPG assina carta-compromisso “Pela Garantia do Direito à Educação de Qualidade”, a ser entregue aos futuros parlamentares e governantes

SETEMBRO -ANPG participa da campanha Pacto pela Juventude -Publicada a avaliação trienal da CAPES – a ANPG participou do processo por meio da sua cadeira do Conselho Técnico Científico (CTC) da agência

OUTUBRO -ANPG participa da Inovatec -Blog do PNPG recolhe contribuições dos pós-graduandos -ANPG participa com estande na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia -ANPG presente no Simpósio de Integração Acadêmica - UFV e no 31° aniversário da APG/UFV -ANPG apoia Dilma Rousseff e entrega manifesto de pós-graduandos à candidatura

NOVEMBRO -ANPG participa de mesa no Seminário Nacional de Atenção Primária em Saúde e sobre as Relações Público-Privado no Sistema Único de Saúde (SUS) -ANPG participa de Fórum Nacional CONSECTI, CONFAP e municípios -ANPG participa de mobilização pela aprovação do Estatuto da Juventude na Câmara -ANPG participa da 1ª Conferência sobre o Desenvolvimento -Vitória da ANPG: Capes aprova licença-maternidade -ANPG faz pressão no Congresso pelo aumento do orçamento para bolsas

DEZEMBRO -ANPG compõe delegação brasileira que participou do 17º Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes (FMJE) na África do Sul -Presidente Lula lança a pedra fundamental da sede das entidades estudantis no terreno histórico da Praia do Flamengo, 132, no Rio de Janeiro


27

2011 JANEIRO - ANPG participa do 4º Diálogo Nacional de Organizações e Movimentos Juvenis - ANPG participa da organização da Mostra de C&T da 7ª Bienal de Ciência, Arte e Cultura da UNE - Diretoria Plena da ANPG se reúne no Rio de Janeiro, aprova documento contra o corte no Orçamento do MCTI e convoca campanha pelo reajuste das bolsas de pesquisa

FEVEREIRO - Pernambuco tem nova APG: UFPE - Unicamp: Movimento de pós-graduandos realiza recepção unificada aos ingressantes de 2011 - PL dos Pós-Graduandos é desarquivado - ANPG repudia cortes no orçamento e pauta avanços nas políticas de C&T - ANPG lança abaixo-assinado por reajuste de bolsas e alcança 21 mil assinaturas em 5 dias

MARÇO - ANPG convoca filiação de Pós-Graduandos na SBPC - Colóquio “A Mulher na Ciência e Tecnologia” acontece em Recife com participação da ANPG - 5 mil estudantes lotam a Esplanada dos Ministérios na Jornada de Lutas “Educação tem que ser 10!” e lideranças da ANPG, UNE e UBES são recebidas pela Presidenta Dilma

- ANPG presente nas Universidades paulistas: atividades na Unicamp e USP - ANPG marca presença em Reunião Magna da ABC no Rio de Janeiro - UNE , UBES e ANPG entregam 59 sugestões de emendas ao Plano Nacional de Educação (PNE) - ANPG se posiciona contra cancelamento de bolsas e em defesa dos pós-graduandos, reúne-se com o presidente da CAPES e a agência anuncia ANULAÇÃO do ofício circular que cancelava bolsas - Eleições da SBPC: ANPG entrevista candidatos

JUNHO - Helena Nader é eleita presidente da SBPC - ANPG convoca seu 38º CONAP - Presidente da ANPG defende mais investimentos em educação durante audiência pública no Senado - Conjuve apoia luta de bolsistas em defesa dos seus direitos e pela valorização da pesquisa

JULHO

- ANPG comemora 25 anos com Ato durante a 63ª Reunião Anual da SBPC em Goiânia e propõe moções aprovadas durante 63ª Reunião Anual da SBPC

AGOSTO

- Capes e CNPq divulgam nota sobre acúmulo de bolsa e vínculo empregatício e ANPG se posiciona

- Pós-Graduandos partem para o Uruguai rumo ao 16º CLAE: encontro convoca Jornada Continental de Lutas - 38º CONAP da ANPG reafirma Campanha de Bolsas e discute o recém-lançado PNPG 2011-2020 -ANPG participa da Marcha dos Estudantes, que recebe Camila Vallejo em Brasília e se reúne com presidenta Dilma, onde pauta reajuste imediato das bolsas

MAIO

SETEMBRO

ABRIL

- ANPG participa de debate sobre Legislação para os pós-graduandos na USP

-No 7 de setembro, ANPG, UNE e UBES divulgam documento pautando a verdadeira independência do Brasil


28

-Ocupação da reitoria da UEM conquista mais bolsas para a pós-graduação no Paraná -19 a 23 de setembro: Semana Nacional de Mobilização pelo Reajuste de Bolsas Já -ANPG apresenta pauta pelo reajuste das bolsas ao ministro Haddad durante semana de mobilização -ANPG, SBPC e ABC realizam ato em Brasília por recursos do pré-sal para educação, ciência e tecnologia

FEVEREIRO

OUTUBRO

- Reunião da Diretoria Plena da ANPG: 23° Congresso e Campanha de Bolsas na pauta - ANPG participa do Universidad 2012: 8º Congresso Internacional de Educação Superior - ANPG participa de duas reuniões da comissão criada para estudar os casos de acúmulo de bolsas com vínculo empregatício - ANPG participa de reunião do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) - ANPG participa da reunião do Conselho Deliberativo (CD) do CNPq e conquista assento -29 de março: ANPG e APGs realizam paralisação nacional de pós-graduandos pelo reajuste de bolsas já, com o mote #MinhaBolsaNaoAumentou

-Reitor da UFRGS declara apoio a reajuste nos valores das bolsas de pesquisa

NOVEMBRO -Conselho Universitário da PUC-SP e Câmara Municipal de Aracaju (SE) apoiam reajuste de bolsas

DEZEMBRO -ANPG, UNE e UBES fazem movimento #OcupeBrasília e “pelada da meia” -Campanha de Bolsas volta a Brasília: intervenção da ANPG junto às comissões da Câmara dos Deputados que tratam de Educação e de Ciência e Tecnologia (CEC e CCTCI) - ANPG participa da organização da Conferência Nacional de Juventude - ANPG participa da organização da Conferência Nacional de Saúde - Audiência da ANPG com presidente do CNPq - Audiência da ANPG com MCTI

2012 JANEIRO -ANPG convoca 23º Congresso e lança nova fase da Campanha de Bolsas -Em seu 1º dia como ministro da Educação, Aloizio Mercadante recebe ANPG, UNE e UBES, que lhe apresentam carta de reivindicações

-ANPG, UNE e UBES reúnem-se com o ministro de C,T&I Marco Antônio Raupp -Comissão da Capes e do CNPq se reúne para tratar do acúmulo das bolsas com vínculo empregatício -ANPG critica cortes no orçamento de Educação e C, T &I

MARÇO

ABRIL -Depois da paralisação nacional dos pós-graduandos, governo sinaliza reajuste -A pressão pelo reajuste continua! ANPG lança vídeo e convoca novo twittaço - ANPG participa de debate com todos os reitores do país em reunião da Andifes - Reta final de mobilização do 23º CNPG, com o tema Desafios Brasileiros

MAIO - 3 a 6: ANPG realiza 23º Congresso Nacional de Pós-Graduandos


29

GESTテグ 2010-2012


30

EXPEDIENTE A Revista de Gestão da ANPG é uma publicação da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG). Endereço:

Rua Vergueiro, 2485. Vila Mariana. São Paulo (SP). Telefones: (11) 5082-3691 e (11) 4117-9111. Endereço eletrônico: anpgbr@gmail.com Textos: Eleonora Rigotti Projeto Gráfico e Diagramação: W3 Comunicação. Fotos: Acervo ANPG. Tiragem: 5 mil exemplares. DIRETORIA DA ANPG: Presidenta: Elisangela Lizardo; Vice-presidente – Carolina Pinho; Tesoureira – Carliana Rabelo; Secretário-Geral – Rodrigo Cavalcanti; Diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação; Diretora de Relações Institucionais – Angélica Müller; Diretora de Comunicação – Luana Bonone; Vice-presidente Regional Centro-Oeste – Tamara Naiz; Vice-presidente Regional Nordeste – Maíra Gentil; Vice-presidente Regional Norte – Thiago Oliveira; Vice-presidente Regional São Paulo – André Cardoso;  Vice-presidente Regional Sudeste – Josué Medeiros;  Vice-presidente Regional Sul – Gabriele Gottlieb;  1º Diretor de Relações Institucionais – Thiago Matsushita; 2º Diretor de Relações Institucionais – João Carlos Azuma; Diretor de Políticas Educacionais –  Júlio Neto; Diretor Acadêmico-Científico – Gustavo Siqueira;  Diretor de Saúde – Pedro Tourinho;  Diretor de Cultura e Eventos Científicos – Marcelo Ramos; Diretor de Direitos dos Pós-Graduandos – Ilton Robl Filho; Diretor de Instituições Estaduais –  Marcelo Fabiano;  Diretor de Instituições Públicas –  Reinaldo César;  Diretora de Instituições Particulares –  Érica Giardulli;  Diretor de Lato-Sensu –  Luiz Carlos Fernandes;  Diretora de Ensino à Distância (EAD) – Alessandra Millezi;  Diretor de Movimentos Sociais – Fábio Plutt;  Diretor de Políticas de Emprego –  João Alex Costa Carneiro; Diretor de Políticas de Juventude - Tiago Magaldi;  Diretor de Relações Internacionais – Joelson Conceição Souza; Diretora de Mulheres – Anne Benevides; 

Diretor de Tecnologias da Informação e da Comunicação – Thiago Custódio.


31


32

Revista de Gestão 2010-2012  

Revista de Gestão 2010-2012, distribuída aos participantes do 23º Congresso Nacional de Pós-Graduandos.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you