Page 1


SUMÁRIO MAKOTO KIKUTI Creme de espinafre Salada de alface, rúcula e agrião com molho de vinagre balsâmico e mel LAURO ANDRADE Tomate recheado com queijo minas, salsinha e parmesão Nhoque de batata baroa com molho bolonhesa ROBERTO FUKUGAUTI Salada de pernil de porco com laranjas e pecãs caramelizadas Pato assado com molho de laranja PEDRO PIZA Biscoito de macadâmia Arroz com macadâmia e espumante seco FAMÍLIA AMARAL Peixe com batatas e hortelã Frango dourado com vegetais e batata gratinada ÉDER INÁCIO Cuca caseira de uva Sobremesa de uva com ganache de chocolate SILVIA NISHIKAWA Suflê de cenoura Filé mignon com molho de cenoura LUIZ ROBERTO BARCELOS Salada de melão com presunto cru Suco de melão com hortelã e limão LEDA CASTELANI Pudim de café Tiramisu ALEXANDRO E JULIANO CALDEIRA Farofa caipira de milho com bacon Creme de milho


10 12 13 14 16 17 18 20 21 22 24 25 26 28 29 30 32 33 34 36 37 38 40 41 42 44 45 46 48 49


Foto: Alltech


NOSSA MISSÃO É MELHORAR A SAÚDE E A PERFORMANCE DAS PESSOAS, ANIMAIS E PLANTAS ATRAVÉS DA INOVAÇÃO CIENTÍFICA

INSTITUCIONAL Quando a Alltech Crop Science foi criada, em 1994, nosso objetivo era aprimorar processos de plantio e cultivo garantindo produtividade e sustentabilidade aos negócios do campo. De lá para cá o mundo passou por uma série de transformações, com questionamentos sobre o consumo, maior busca por produtividade e aumento da preocupação com o uso consciente dos recursos naturais. Junte a isso uma necessidade crescente de soluções sustentáveis para a agricultura e saudáveis para as pessoas. Pensando neste novo cenário, levamos o conceito de “pense globalmente, aja localmente” para além de nossas portas. Cruzamos fronteiras para estudar nutrientes, genética e insumos; desenvolver soluções agrícolas de alta performance e levar aos nossos clientes os melhores resultados. Áreas mais produtivas, negócios mais rentáveis e saúde nos produtos que vão do campo para a mesa dos consumidores: estes são nossos objetivos.

Em Nicholasville, Kentucky (EUA), sede do grupo Alltech, investimos constantemente em pesquisas e novas tecnologias para entregar soluções inovadoras em todos os cantos do mundo. A sede conta com uma unidade de produção de alta tecnologia, sistema de fermentação ultramoderno, fazenda de pesquisas, um laboratório de desenvolvimento e um Centro de Nutrigenômica. Também produzimos pertinho de nossos clientes: aqui no Brasil são três unidades fabris da Alltech Crop Science, localizadas em São Pedro do Ivaí (PR), a maior planta de biotecnologia para nutrição animal e vegetal do mundo, Araucária (PR) e Uberlândia (MG). Em nossas estruturas, desenvolvemos e fabricamos um leque de soluções para os mais diversos tipos de cultivos em suas diferentes fases: da semente à germinação, passando pelo desenvolvimento das plantas, correção de deficiências, enraizamento adequado e nutrição. Hoje estamos em cinco continentes, com escritórios no Brasil, Austrália, Irlanda, África do Sul, Turquia e Estados Unidos. Estar presente em tantos pontos diferentes do mundo permite à Alltech Crop Science cumprir sua principal missão: ter um impacto positivo sobre a agricultura, o consumidor e o meio ambiente.

07


DO CAMPO PARA A MESA. HORA DE COMPARTILHAR.

SOBRE O LIVRO Compartilhar. Do Aurélio: ter ou tomar parte em, participar de, compartir, partilhar.

A Alltech Crop Science compartilha tecnologia e inovação em soluções para cultivo com produtores do mundo todo. Para nós, o caminho entre o campo e a mesa é como uma equação: dividimos nosso conhecimento com quem produz. Somamos nossos esforços ao trabalho de quem se dedica à agricultura. E, por fim, multiplicamos saúde na mesa dos brasileiros. O resultado positivo só existe porque estamos bem perto de nossos clientes. Conhecemos culturas distintas, buscamos soluções globais e adaptamos à realidade da sua terra. Entender o solo, o clima e as plantas de cada canto do Brasil nos ajuda a encontrar as melhores soluções para você.


Para reforçar o valor desta parceria, convidamos alguns de nossos clientes a compartilharem suas histórias, experiências e conquistas no campo. São depoimentos de produtores que fazem a diferença na agricultura brasileira e dos quais temos orgulho de estar ao lado. Estes relatos representam o sucesso deste trabalho em conjunto. E já que estamos falando em compartilhar, que tal se preparar para uma bela refeição? Afinal, sentar à mesa com amigos e família também é sinônimo de dividir!

A partir de agora, você é nosso convidado em um delicioso passeio pelas histórias e sabores que vêm da terra. Separamos receitas simples, para todos os paladares, que levam alguns dos ingredientes mais tradicionais do Brasil, temperados com as histórias de quem dedica a vida a cultivá-los. Um presente da Alltech Crop Science para quem, assim como nós, acredita que é possível unir produtividade, sustentabilidade e saúde, contribuindo com a evolução da agricultura. Do campo para a mesa, é hora de compartilhar segredos da cozinha e aproveitar o melhor de cada refeição. 09


Makoto Kikuti Biritiba Mirim - SP

Um prato colorido é sinônimo de alimentação saudável. Do cultivo de hidropônicos de Makoto

Hoje o negócio está consolidado e Makoto encontra novos desafios. O principal deles está

Kikuti surge uma das cores essenciais para montar

ligado à consciência dos consumidores. Para ele,

um belo prato: o verde das hortaliças. O produtor

o consumo de hortaliças representa muito mais

conta como a atividade levou toda a família a refletir sobre nutrição e saúde. De pai para filho: esta é a base da história de Makoto Kikuti com o campo. O cultivo de hortaliças em Biritiba Mirim, interior de SP, começou com seus

do que um negócio de família: é uma filosofia de vida que deseja compartilhar com a população.

pais. Em 1993, Makoto passou a trabalhar com eles

Há uma grande consciência por parte dos produtores, preocupados com boas práticas de cultivo e produtos cada vez mais saudáveis. Agora é preciso aumentar o conhecimento da população sobre saúde à mesa.”

e juntos enfrentaram grandes desafios, em uma luta dia após dia para manter o cultivo sempre produtivo. O começo não foi fácil: o terreno era pequeno, localizado em uma região que sofre constantemente com a falta de água.

O produtor acredita que este é o maior legado que a agricultura pode levar para todo o país. A cada ano surgem novas alternativas para produzir com eficiência, nutrição e saúde. Makoto enxerga a agricultura como

Apaixonado pelo que faz e focado em produzir alimentos saudáveis, Makoto conta que em 1998 migraram o cultivo de hortaliças para a hidroponia, a fim de garantir o crescimento e a durabilidade dos negócios que sustentavam a família. O desafio inicial era grande e exigiu muito investimento em infraestrutura.

uma engrenagem: no futuro, tudo precisa se encaixar, do cuidado com o solo até a qualidade da alimentação. Em casa a rotina da família já passa por este ciclo. O produtor aprofundou-se no assunto; fez diversos cursos sobre saúde e alimentação, aprendeu a conhecer cada alimento e compartilha seus conhecimentos com a mulher e os filhos.

É sacrificante quando se tem poucos

recursos, mas estávamos em busca de uma produção baseada na excelência. Com

muito trabalho e muito estudo na área de

Temos uma preocupação muito grande com saúde e bons hábitos alimentares. Além das hortaliças que produzimos, hoje consumimos muitas frutas, verduras

biotecnologia, fomos pioneiros em nossa

e legumes. O aprendizado do campo aumentou nosso

região no cultivo por hidroponia.”

nível de consciência em relação a tudo que comemos.”

11


Creme de espinafre

INGREDIENTES

1 O

400 G DE ESPINAFRE PRÉ-LAVADO 1 MAÇO DE CEBOLINHA VERDE 3 DENTES DE ALHO RAMOS DE TOMILHO FRESCO 1 NOZ-MOSCADA 100 G DE MANTEIGA 100 ML DE CREME DE LEITE 25 G DE QUEIJO PARMESÃO

Serve 4 pessoas

30 minutos de preparo

D I C A PA R A S E R V I R USE UMA VASILHA PEQUENA. DECORE COM CEBOLINHA VERDE FRESCA E MAIS UM POUCO DE PARMESÃO RALADO.

2 O 3 O

M O D O D E P R E PA R O Lave e pique a cebolinha verde. Coloque em uma panela grande com uma colher de azeite e leve ao fogo (180 ºC). Coloque os 3 dentes de alho descascados e acrescente um pouco de água fervente. Coloque o tomilho e rale um pouco da noz-moscada por cima. Junte as 100g de manteiga, mexa bem e deixe refogar por 3 minutos, mexendo de vez em quando. Adicione o espinafre à panela. Se não couber tudo, adicione em partes enquanto vai murchando. Mexa sempre para evitar que grude no fundo. Quando o espinafre estiver completamente murcho na panela, acrescente o creme de leite e diminua bem o fogo. Adicione o queijo parmesão ralado e misture em fogo baixo, mexendo por cerca de 2 minutos.


Salada de alface, rúcula e agrião com molho de vinagre balsâmico e mel M O D O D E P R E PA R O INGREDIENTES 1 XÍCARA (CHÁ) DE ALFACE AMERICANA 1 XÍCARA (CHÁ) DE AGRIÃO 1 XÍCARA (CHÁ) DE RÚCULA 1 XÍCARA (CHÁ) DE CHICÓRIA 8 TOMATES CEREJA 1 MAÇO PEQUENO DE SALSINHA SAL, PIMENTA E AZEITE A GOSTO VINAGRE BRANCO A GOSTO

MOLHO 1 COLHER (SOPA) DE VINAGRE BALSÂMICO 1 COLHER (SOPA) DE MEL ½ DENTE DE ALHO 3 COLHERES (SOPA) DE AZEITE

Salada Lave as verduras em água corrente. Prepare uma vasilha com 2 litros de água e 2 colheres (sopa) de vinagre. Deixe as verduras de molho nesta mistura por 10 minutos. Escorra bem, até ficarem quase secas (se preferir, use um secador de saladas ou um pano bem absorvente). Coloque tudo numa travessa e tempere com sal, azeite e vinagre. Molho Corte os dentes de alho em fatias bem fininhas. Coloque em um processador junto com o mel, o vinagre balsâmico e a pimenta-do-reino. Processe até os ingredientes se misturarem bem. Retire do processador, coloque em uma vasilha e adicione o azeite, misturando delicadamente com um garfo.

PIMENTA-DO-REINO A GOSTO

Serve 4 pessoas

15 minutos de preparo

D I C A PA R A S E R V I R DESPEJE O MOLHO CUIDADOSAMENTE SOBRE A SALADA. DECORE COM TOMATE CEREJA. SIRVA PARMESÃO RALADO PARA ACOMPANHAR.

13


Lauro Andrade Monte Mor - SP

Simples e cosmopolita, o tomate é cultivado e consumido no mundo todo. Um dos

Cuidar das cerca de 300 pessoas que trabalham com a família é ponto fundamental na rotina dos irmãos

ingredientes mais versáteis da culinária, na

Andrade. Lauro conta que há uma preocupação

cozinha brasileira desempenha vários papéis.

grande em garantir boas condições de trabalho,

Seja em uma simples salada ou em um molho

que geram pessoas felizes e o sustento de muitas

mais elaborado, o tomate dá cor, sabor e

famílias. Para ele, este foi e continua sendo o maior

acidez às receitas.

desafio no seu cultivo de tomates. Do campo para a mesa, o tomate marca presença nas refeições

A família Andrade sabe muito bem disso. Afinal, são 40 anos de dedicação ao campo. O cultivo começou com pimentões, mas logo os Andrade viram no tomate uma

da própria família Andrade. O produtor conta que também consomem aquilo que produzem, por isso a preocupação com as boas práticas agrícolas começa dentro de casa.

oportunidade de trabalho que alimentaria a família e os negócios. Quem conta um pouco sobre esta relação com uma das hortaliças mais consumidas no Brasil é Lauro Andrade, produtor de Monte Mor (SP). Desde o início havia uma grande preocupação com

fechado. Ele conta que a migração para esta nova forma de plantar tomates é um grande desafio e faz parte do legado que pretende deixar, além de buscar uma produção cada vez mais saudável,

a sustentabilidade, não somente do cultivo,

com o uso mínimo de produtos químicos.

mas do processo todo e principalmente das

E também conta que é um sonho proporcionar

pessoas envolvidas.

Para o futuro, Lauro aposta no cultivo em ambiente

A mão de obra é o nosso maior patrimônio. Valorizamos as pessoas que trabalham

arduamente, a céu aberto, para tirar da nossa terra o que há de melhor e mais saboroso.”

maior envolvimento da comunidade de entorno.

Hoje já trabalhamos promovendo eventos para os nossos funcionários. Esperamos que, no futuro, os negócios possam gerar ainda mais oportunidades sociais.”


15


Tomate recheado com queijo minas, salsinha e parmesão

Serve 2 pessoas

45 minutos de preparo

INGREDIENTES

1 O

6 TOMATES MADUROS E FIRMES 1 MAÇO DE SALSINHA 300 G DE QUEIJO MINAS 150 G DE PARMESÃO RALADO 3 COLHERES (SOPA) DE REQUEIJÃO

2 O 3 O

M O D O D E P R E PA R O Lave os tomates e corte uma fatia fina da extremidade. Retire toda a polpa e coloque uma pitada de sal e outra de açúcar dentro dos tomates. Deixe-os de cabeça para baixo para escorrer a água por cerca de 15 minutos. Em uma tigela, amasse bem o queijo minas e em seguida misture o requeijão e a salsinha picada. Adicione sal e pimenta a gosto. Com cuidado, coloque o recheio dentro dos tomates, deixando um pequeno espaço antes da borda para o queijo borbulhar. Leve ao forno em temperatura de 200 ºC por 20 minutos.

D I C A PA R A S E R V I R DISPONHA OS TOMATES EM UMA TRAVESSA PEQUENA. DECORE COM UM FIO DE AZEITE E POLVILHE O QUEIJO PARMESÃO RALADO.


Nhoque de batata baroa com molho bolonhesa

M O D O D E P R E PA R O

1 O

INGREDIENTES 1 KG DE BATATA BAROA (BATATA SALSA) 2 XÍCARAS (CHÁ) DE FARINHA DE TRIGO 2 OVOS

2 O

1 COLHER (SOPA) DE MARGARINA CHEIRO VERDE 1 COLHER (CHÁ) DE SAL

MOLHO 500 G DE PATINHO MOÍDO 400 G DE TOMATE 1/2 CEBOLA PICADA 2/3 DE XÍCARA (CHÁ) DE CENOURA PICADA 2/3 DE SALSÃO PICADO 1 XÍCARA (CHÁ) DE LEITE 1 XÍCARA (CHÁ) DE VINHO BRANCO

O 1

2 O 3 O 4 O

SECO 1 COLHER (SOPA) DE ÓLEO DE CANOLA 2 COLHERES (SOPA) DE MANTEIGA 1 LITRO DE ÁGUA NOZ-MOSCADA RALADA NA HORA SAL E PIMENTA-DO-REINO A GOSTO

5 O

Nhoque Cozinhe as batatas descascadas e cortadas em rodelas até ficarem al dente. Com um garfo grande, esmague as batatas até formarem uma pasta. Acrescente os ovos, a margarina, a farinha de trigo e o cheiro verde picado. Amasse com as mãos até sentir que começa a desgrudar da pele. Separe a massa em partes, enrole em tiras compridas e corte em cubos. Prepare uma panela funda com água fervente, óleo e sal. Coloque os cubos na água e deixe cozinhar. Quando começarem a subir, é hora de retirá-los da água com uma escumadeira. Vá colocando os cubos cozidos em uma travessa. Molho bolonhesa Em uma panela no fogo médio, coloque o óleo e a manteiga. Quando estiverem quentes, refogue a cebola, mexendo sempre, até ficar transparente. Adicione a cenoura e o salsão picados e refogue por mais dois minutos, mexendo sem parar. Junte a carne moída e misture com um garfo para ir soltando os pedaços. Tempere com sal e pimenta-do-reino e vá refogando até que a carne perca a cor rosada. Acrescente o leite, misture e rale a noz-moscada por cima. Deixe cozinhar até que o leite evapore completamente, mexendo de vez em quando. Adicione o vinho branco, misture e deixe cozinhar até secar. Corte os tomates em cubos grandes, retirando as sementes. Diminua o fogo, adicione o tomate, misture e deixe cozinhar durante três horas, com a panela semiaberta, mexendo de vez em quando. O fogo deve ficar baixíssimo, caso contrário, o molho vai queimar e grudar no fundo da panela. Quando o molho começar a secar, aqueça um litro de água em uma chaleira e regue-o com cerca de uma xícara (chá). Quando o molho começar a secar novamente, aqueça a água mais uma vez e regue com mais uma xícara. Repita esse processo sempre que for preciso durante as três horas de cozimento.

Serve 4 pessoas

4 horas

de preparo

D I C A PA R A S E R V I R DESPEJE O MOLHO SOBRE O NHOQUE DE BATATA BAROA. POLVILHE SALSINHA PICADA, QUEIJO PARMESÃO RALADO E SIRVA.

17


Roberto Fukugauti Mogi Guaçu - SP

Um suco de laranja feito na hora é ideal para começar

Usando tecnologia e equipamentos espanhóis,

bem o dia ou refrescar o lanche da tarde. O brasileiro

conseguiram realizar o sonho de levar as mais

sabe bem disso: somos responsáveis por 57% da produção mundial de laranja. Nutritiva e saborosa, a fruta é mais do que um clássico da nossa mesa. Ela é resultado de um trabalho cuidadoso realizado nos pomares Brasil afora. Na Santa Eliza Citros, da família

belas laranjas aos consumidores.

Fukugauti, também é assim – de suas terras saem

Santa Eliza Citros - contada por Roberto Fukugauti - é um exemplo de dedicação e pioneirismo. Comandada pela família descendente de imigrantes japoneses, a empresa começou a

Mas a preocupação em fornecer frutas excepcionais qualifica nosso produto como tipo exportação. Nosso objetivo é levar saúde aos consumidores mais

frutas de altíssima qualidade. Do interior de São Paulo para o mundo, a história da

Nossa produção é voltada para o mercado interno.

exigentes em todos os pontos do Brasil.” Manter os pomares frondosos em todas as estações do ano é outro desafio dos Fukugauti, enfrentado com criatividade e inovação: a Santa Eliza Citros possui um sistema de irrigação pioneiro no país, que garante a produção mesmo em períodos mais secos.

construir seu patrimônio na década de 70 em Mogi Guaçu (SP). Nas terras onde plantava legumes e

Há quatro décadas trabalhando no campo, a família

cereais, Fakugi Fukugauti introduziu o cultivo de

manteve sua preocupação com boas práticas

laranja. De lá para cá, profissionalização, tecnologia e sustentabilidade são os pilares de um negócio que envolve toda a família.

agrícolas e sustentabilidade. Das embalagens de papelão usadas no transporte dos citros até cursos, palestras e treinamentos, a rotina dos Fukugauti e da Santa Eliza Citros é pautada pela preservação dos

Cada membro da família tem hoje uma função

recursos naturais. Mais do que frutas produzidas com

dentro da empresa. Buscamos constantemente a

excelência, a família quer que o exemplo de produção

inovação no nosso dia a dia: melhoria do plantio,

sustentável seja o seu maior legado.

da colheita e do beneficiamento das frutas.” Dos pomares da família Fukugauti saem saborosas frutas cítricas que inicialmente eram destinadas à indústria de sucos. Mas eles decidiram ir além e levar à mesa dos brasileiros a fruta in natura. Para isso precisaram superar alguns desafios: entregar as frutas limpas, conservadas e com alta qualidade.

Seriedade e compromisso são as palavras-chave para o crescimento do nosso negócio. Garantir a renovação constante dos recursos naturais faz parte do nosso posicionamento. Queremos o bem-estar das gerações futuras, por isso nossos projetos incentivam o menor desperdício e o maior cuidado com o meio ambiente.” 19


Salada de pernil de porco com laranjas e pecãs caramelizadas M O D O D E P R E PA R O

O

Pernil Cozinhe o pernil na panela de pressão por cerca de 45 minutos. Tire toda a pressão, corte o pedaço do pernil e desfie com um garfo.

O

Pecãs caramelizadas Coloque as pecãs em uma frigideira seca e acrescente uma colher pequena de açúcar extrafino. Mexa com uma espátula, ou usando a própria frigideira, enquanto aquece em fogo médio por 2 a 3 minutos. Assim que o açúcar começar a escurecer, desligue o fogo. Reserve.

1

1

INGREDIENTES 1 PEDAÇO DE PERNIL DE PORCO (600 G) 100 G DE AGRIÃO 100 G DE PECÃS 3 LARANJAS

2 O

1 COLHER (CHÁ) DE AÇÚCAR EXTRAFINO

3 O 4 O

D I C A PA R A S E R V I R DISTRIBUA AS PECÃS CARAMELIZADAS SOBRE A SALADA. DECORE COM AS FATIAS DE LARANJA EM FORMATO DE MEIA-LUA.

Serve 6 pessoas

1h30

de preparo

Pegue duas laranjas e esprema até soltar todo o suco. Reserve. A terceira laranja deve ser cortada horizontalmente, guardando o suco que a fruta soltar. Corte os pedaços em formato de meia-lua, que será usado na hora de servir. Em uma vasilha à parte, coloque o pernil desfiado e regue com o suco das laranjas espremidas. Lave bem o agrião. Corte as folhas e disponha em uma vasilha de tamanho médio, distribuindo bem. Coloque o pernil de porco desfiado sobre o agrião. Tempere com sal e pimenta a gosto.


Pato assado com molho de laranja

1 O 2 O

INGREDIENTES 1 PATO INTEIRO LIMPO 500 G DE BATATA PEQUENA SUCO DE 3 LARANJAS

3 O

SUCO DE 1 LIMÃO 20 G DE SALSINHA PICADA 100 G DE AÇÚCAR ½ XÍCARA (CHÁ) DE ÓLEO

4 O

2 COLHERES (SOPA) DE VINAGRE DE VINHO TINTO SAL E PIMENTA-DO-REINO A GOSTO

Serve 4 pessoas

3 horas

5 O 6 O

M O D O D E P R E PA R O Descasque as batatas e cozinhe até ficarem al dente. Reserve. Retire toda a polpa das laranjas e corte as cascas em tiras finas. Deixe ferver as cascas em uma panela, por cinco minutos, e depois coe-as. Para tirar o amargor das cascas, repita este processo por três vezes. Guarde a água da fervura e reserve as cascas fervidas. Usando um pincel de cozinha, espalhe óleo em todo o pato e tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Coloque um pouco de óleo em uma panela e sele todos os lados do pato. Retire o pato e o óleo da panela, colocando no lugar a água da fervura da laranja e o açúcar. Adicione o vinagre e mexa tudo até engrossar. Adicione o suco de três laranjas. Volte o pato na panela, regue-o com o molho de laranja e açúcar e deixe cozinhar por duas horas. Regue a cada dez minutos para absorver bem o sabor. Após cozido, esprema mais uma laranja e um limão na panela e coloque as batatas, as cascas de laranja e tempere com salsinha por cima.

de preparo

D I C A PA R A S E R V I R SIRVA O PATO EM UM REFRATÁRIO GRANDE E DECORE COM RASPAS DE CASCA DE LARANJA.

21


Pedro Piza

Dois Córregos - SP

Fruto de árvores frondosas, a semente de macadâmia é pequena no tamanho mas gigante em propriedades nutricionais. Para

Houve uma grande evolução na forma de produzir. Visitamos um pomar de 150 hectares na Austrália que produz 600 toneladas de noz em casca, com rendimento de 33% em

cultivá-la, foi preciso cruzar fronteiras e viajar

amêndoas sem defeitos. Tudo isso conduzido

pelo mundo em busca de conhecimento e tecnologia. Pedro Piza conta os desafios

por apenas três pessoas. Acredito que este será

superados para levar à mesa do brasileiro

o futuro para o Brasil também. Passamos de áreas de difícil mecanização para áreas planas,

macadâmias de qualidade.

com plantio 100% mecanizado e baixo custo de produção.”

Em Dois Córregos, interior de São Paulo, fica a Queen Nut Macadâmias. A empresa surgiu em 1988, quando o empresário e

Mais do que isso, Pedro destaca uma característica

produtor rural José Eduardo M. Camargo

fundamental para o futuro da agricultura brasileira: a

decidiu diversificar suas atividades agrícolas.

profissionalização. Usar tecnologia de ponta, reduzir

Baseado em muitos estudos, escolheu a noz

custos e aumentar a eficiência produtiva. Tudo isso

macadâmia para aquela região. A história de

de olho na qualidade do produto final.

Pedro Piza, diretor de produção agrícola e industrial da empresa, mistura-se à história da Queen Nut. Ele iniciou a carreira na empresa em 1989, como estagiário de Agronomia, e

A produção agrícola é baseada em três pilares: sustentabilidade econômica, social e ambiental. Esta também é a base do nosso trabalho. Temos

passou por várias áreas diferentes até dedicar

boas práticas de produção, somos socialmente

todo o seu trabalho ao cultivo da macadâmia.

sustentáveis e remuneramos adequadamente

O processo, repleto de aprendizados,

todos os envolvidos no processo. Além disso,

fez Pedro viajar pelo mundo em busca

plantamos árvores com mais de 12 metros

de conhecimento sobre a tecnologia de produção. No passaporte estão Austrália,

de altura, que formarão grandes bosques e seguirão assim por décadas.”

África do Sul, Hawaii e Califórnia (EUA), Quênia, Nova Zelândia, Colômbia, Costa

Na mesa, a macadâmia faz sucesso. A população

Rica, Paraguai e Bolívia. Conhecer tantas

do mundo todo tem voltado seus olhos para o

culturas diferentes foi determinante para seu trabalho, sempre pensando em um futuro melhor para a produção aqui no país.

consumo de alimentos saudáveis. Para Pedro não é diferente: ele destaca que ter a macadâmia no cardápio é símbolo de saúde.


23


Biscoito de macadâmia

INGREDIENTES

1 O

2 XÍCARAS E ½ (CHÁ) DE MACADÂMIA TRITURADA 3 CLARAS DE OVO ½ COLHER (CAFÉ) DE SAL 1 XÍCARA E ½ (CHÁ) DE AÇÚCAR 2 COLHERES (SOPA) DE LICOR DE CEREJA 1 COLHER (SOPA) DE CANELA EM PÓ 2 COLHERES (SOPA) DE RASPAS DE LIMÃO PAPEL MANTEIGA

Rende 50 biscoitos

1 hora

de preparo

D I C A PA R A S E R V I R SALPIQUE CANELA SOBRE OS BISCOITOS E SIRVA.

2 O 3 O 4 O

M O D O D E P R E PA R O Bata as claras em neve. Adicione o sal e o açúcar aos poucos, batendo até que a mistura fique firme e homogênea. Reserve ¼ da mistura para a cobertura. Adicione ao restante da mistura uma colher de sopa de licor de cereja, as macadâmias trituradas, a canela e as raspas de limão. Misture bem. Com as mãos ou um rolo de massa, abra a massa em uma superfície lisa e corte os biscoitos no formato que desejar. Passe as claras junto com o resto do licor sobre os biscoitos. Forre uma forma com papel manteiga, disponha os biscoitos na forma e leve ao forno a 220 ºC por 5 minutos.


Serve 8 pessoas

Arroz com macadâmia e espumante seco

INGREDIENTES 150 G DE MACADÂMIA CORTADA EM PEDAÇOS GRANDES 2 XÍCARAS (CHÁ) DE ARROZ 100 G DE UVAS PASSAS PRETAS

40 minutos de preparo

1 O 2 O

½ XÍCARA (CHÁ) DE ESPUMANTE SECO 3 COLHERES (SOPA) DE AZEITE 1 COLHER (SOPA) DE SALSA 1 COLHER (SOBREMESA) DE HORTELÃ 1 CEBOLA MÉDIA RALADA 2 DENTES DE ALHO 1 COLHER (SOPA) DE MARGARINA SAL E PIMENTA A GOSTO

3 O 4 O

M O D O D E P R E PA R O Em uma panela média, aqueça o azeite, a margarina e refogue a cebola e o alho até ficarem levemente dourados. Coloque o arroz, refogue por 2 minutos e adicione água fervente até cobrir todo o arroz. Coloque sal e pimenta a gosto. Adicione o espumante seco e deixe cozinhar normalmente, mexendo de vez em quando para não grudar. Pique a salsa e a hortelã em pedaços bem pequenos. Adicione à panela do arroz no final do cozimento. Desligue o fogo. Adicione as macadâmias trituradas e mexa até misturar bem ao arroz.

D I C A PA R A S E R V I R COLOQUE O ARROZ EM UMA TRAVESSA GRANDE. MISTURE AS UVAS PASSAS PARA DECORAR. SE DESEJAR, COLOQUE ALGUMAS MACADÂMIAS INTEIRAS PARA COMPLEMENTAR.

25


Família Amaral Ipuiuna - MG

A batata é o quarto maior cultivo alimentício do mundo. Ocupando lugar de destaque na alimentação do brasileiro, ela é rica em nutrientes e

A qualidade do solo é muito importante para nós. Não se trata somente de extrair as batatas da terra. Pensamos sempre em melhorá-la.

dá origem a inúmeras receitas. Cozida, assada, frita,

Depois da colheita, a missão continua.

não importa: batata é sinônimo de uma alimentação

Colocamos outra cultura no solo, que vá melhorar a terra, para poder plantar de novo

saudável e muito saborosa!

mais à frente.” O cultivo de batatas passou de geração para geração na família de Roni Amaral. Começou quase

Produzir, mecanizar, investir em infraestrutura,

por acaso, quando seu pai foi chamado para ajudar

comprar tratores. A rotina é dura, mas também

um produtor de batatas vindo de Vargem Grande. O cultivo já era feito nas terras da família, em

é recompensadora. De olho em aproveitar melhor as terras, Roni conta que é uma grande

Ipuiuna, alugadas para o produtor. Sem conhecer

satisfação poder entregar ao consumidor final

muita gente na região, precisou de ajuda para

batatas de qualidade. Em 16 anos repletos de

comercializar as batatas que havia colhido. O pai de

desafios, o produtor destaca que o futuro da

Roni pegou gosto pelo negócio e decidiu

agricultura é promissor para ele e para todos

plantar também. Em 2000, Roni juntou-se ao pai e ao irmão para galgarem um árduo caminho em busca do sustento da família. O trabalho nunca foi fácil, como conta o produtor. A maior dificuldade está relacionada à instabilidade do valor do produto final, que exige da família preparação constante para as altas e baixas. Tudo isso sem deixar de lado os investimentos em

aqueles que se dedicam ao campo.

Nosso país vem crescendo em população. Nós vamos alimentar todas essas pessoas. O futuro é uma combinação entre produzir mais usando as mesmas áreas e garantir a sustentabilidade do solo. Só assim poderemos levar alimentos de qualidade ao país todo.”

mecanização, infraestrutura e tecnologia de cultivo. Mas a luta diária não desanima: sempre preocupado com mais qualidade nas batatas e maior

Também é do campo que vem o alimento dos Amaral. Roni conta que, além das batatas,

rentabilidade em sua produção, Roni segue em

trabalham com pecuária – tanto de leite

busca de soluções para melhorar o cultivo. Uma

quanto de corte – e plantam milho, feijão

busca permeada por uma grande preocupação com a sustentabilidade.

e mandioquinha salsa. Cardápio completo, saudável e sustentável. 27


Serve 2 pessoas

Peixe com batatas e hortelã INGREDIENTES

1h30

de preparo

1 O

4 FILÉS DE PEIXE (PESCADA, SALMÃO OU TILÁPIA) 500 G DE BATATAS PEQUENAS 1 CEBOLA GRANDE 2 LIMÕES 1 MAÇO DE MANJERICÃO FRESCO TALOS DE HORTELÃ SAL E PIMENTA A GOSTO

2 O 3 O 4 O

M O D O D E P R E PA R O Comece pelas batatas: lave-as bem e coloque em uma panela grande. Arranque as folhas dos talos de hortelã e reserve. Adicione os talos à panela junto com as batatas, coloque uma pitada de sal e água fervente. Tampe a panela e deixe cozinhar por 30 minutos. Disponha o peixe em uma travessa grande. Espalhe os filés, deixando espaço nas laterais para colocar as batatas. Tempere com limão espremido, sal e pimenta. Corte a cebola em tiras e distribua sobre o peixe. Verifique se as batatas já estão ficando macias. Retire do fogo, escorra bem, descarte os talos de hortelã e corte as batatas em quatro pedaços. Distribua ao redor do peixe. Regue tudo com uma boa quantidade de azeite. Leve ao forno em fogo médio (230 ºC) por 30 a 40 minutos.

D I C A PA R A S E R V I R DECORE COM AS FOLHAS DE HORTELÃ E LEVE À MESA.


1 O 2 O

Frango dourado com vegetais e batata gratinada INGREDIENTES 4 FILÉS DE FRANGO (120 G CADA) SEM PELE

M O D O D E P R E PA R O Corte as batatas em fatias finas, coloque em uma panela média, cubra com água fervente e tampe. Enquanto as batatas cozinham, descasque as cebolas, corte em fatias finas e coloque em uma panela. Regue com azeite e tempere com sal e pimenta. Rasgue as folhas de sálvia sobre as cebolas, leve ao fogo (180 ºC) e mexa. Adicione um pouco de água se a cebola começar a grudar.

O

Frango Sobre uma folha grande de papel manteiga, tempere o frango com sal, pimenta e alguns pedacinhos de alecrim. Dobre a folha de papel manteiga sobre o frango e esmague-o para absorver bem o tempero. Depois, descarte o papel manteiga. Em uma frigideira, coloque uma colher de sopa de azeite e grelhe o frango dos dois lados, virando até que fique douradinho. Reserve.

O

Gratinado Coloque as batatas pré-cozidas e as cebolas em uma assadeira. Despeje sobre elas o creme de leite e o parmesão ralado. Coloque para assar em fogo baixo (180 ºC) por 20 minutos.

1

RAMOS DE ALECRIM FRESCO PAPEL MANTEIGA

VEGETAIS 200 G DE ALHO-PORÓ 200 G DE ESPINAFRE 200 G DE ERVILHA NATURAL OU CONGELADA

BATATA GRATINADA

1

800 G DE BATATA 3 CEBOLAS

2 O

½ MAÇO DE SÁLVIA FRESCA 100 ML DE CREME DE LEITE 30 G DE QUEIJO PARMESÃO RALADO AZEITE DE OLIVA

Enquanto isso, prepare os vegetais. Corte o alho-poró em fatias finas, coloque na panela com um pouco de azeite e vá mexendo. Acrescente o espinafre e a ervilha à panela e mexa sempre até que o espinafre murche.

SAL E PIMENTA A GOSTO

D I C A PA R A S E R V I R COLOQUE OS VEGETAIS FEITOS NA PANELA SOBRE O GRATINADO DE BATATAS E CEBOLAS. DISPONHA OS

Serve 4 pessoas

2 horas

de preparo

FILÉS DE FRANGO SOBRE OS VEGETAIS E SIRVA.

29


Éder Inácio Petrolina - PE

Cores intensas, aromas delicados. Sabores que

que respeitem toda a cadeia produtiva

vão do doce ao azedinho. A combinação entre

e atendam aos anseios do consumidor,

estas qualidades rende frutos, sobremesas e sucos

deixando a mesa saborosa, colorida e

deliciosos. De Petrolina (PE), Éder Inácio nos conta

nutritiva.

sua história como produtor de uvas e faz suas apostas para o futuro. O interesse de Éder pela fruticultura começou

ainda na faculdade, quando cursava Agronomia

Isso vai muito além das características da uva. As pessoas querem saber se a forma como ela foi produzida é correta, sem uso de defensivos, por exemplo.

no interior de São Paulo. No fim do curso, surgiu

Quem compra quer ter certeza de que

a oportunidade de aplicar os conhecimentos em

está levando para casa um produto

campo: um estágio em uma fazenda de uvas levou o

100% saudável.”

produtor para Petrolina em 1999. Encantou-se pelo cultivo e por lá ficou. Dezessete anos depois, Éder aponta a principal mudança no cultivo de uvas – algo que, para ele, vai muito além de tecnologia ou maquinários: estamos falando de pessoas.

Somando o aprendizado de tantos anos no campo a um olhar atento para o futuro, Éder conta que o investimento em tecnologia e novas formas de produção é uma constante no seu dia a dia. E indica uma tendência forte de

Os consumidores estão cada vez mais exigentes

consumo: uvas sem sementes. O produtor de

em relação aos alimentos que consomem. Há uma

Petrolina conta que elas estão ganhando espaço

busca por produtos mais saudáveis e isso abrange

no mercado, enquanto os produtores seguem

todo o processo produtivo. Hoje precisamos

buscando melhoramento genético no cultivo

entregar uma fruta mais saborosa, que seja

destas espécies de forma sustentável para a

cultivada com práticas ambientalmente corretas e sustentáveis.” O produtor de uvas conta que quando chegou em Petrolina, este comportamento de consumo ainda não era tão presente. Hoje um dos maiores desafios é entregar frutas com qualidade cada vez maior,

população e para o meio ambiente.

Com sementes ou sem sementes, não importa. Em um país tão grande e produtivo, há espaço para todos. Quem produz com cuidado, com atenção às boas práticas de cultivo e à saúde das pessoas sempre terá bons resultados.”


31


Cuca caseira de uva

Serve 6 pessoas

2 horas M O D O D E P R E PA R O INGREDIENTES MASSA

O 1

4 XÍCARAS (CHÁ) DE FARINHA DE TRIGO ½ COLHER (CHÁ) DE SAL ½ XÍCARA (CHÁ) DE AÇÚCAR 1 E ½ COLHER (SOPA) DE FERMENTO BIOLÓGICO 1 XÍCARA (CHÁ) DE LEITE MORNO

2 O

1/3 DE XÍCARA (CHÁ) + 1 COLHER (SOPA) DE MANTEIGA 2 OVOS

RECHEIO 2 CACHOS DE UVAS PRETAS 1 XÍCARA (CHÁ) + 2 COLHERES (SOPA) DE AÇÚCAR 1 E ¼ XÍCARA (CHÁ) DE FARINHA DE TRIGO

RASPAS DA CASCA DE 1 LIMÃO

D I C A PA R A S E R V I R POLVILHE COM AÇÚCAR E RASPAS DE LIMÃO.

Massa Coloque a farinha em uma tigela com o sal e o açúcar, abrindo um buraco no meio. Em um copo pequeno, dissolva o fermento biológico no leite e despeje no espaço aberto na farinha. Faça movimentos circulares, de dentro para fora, até que a massa incorpore o fermento e o leite. Amasse ligeiramente e deixe descansar por 15 minutos. Derreta a manteiga e depois adicione à massa. Junte os ovos. Sove bastante a massa, até ficar lisa e homogênea. Deixe descansar por 30 minutos.

O 2 O

Recheio Lave bem as uvas, retire dos cachos e seque-as bem. Reserve. Misture o açúcar, a farinha, as raspas de limão e a manteiga até que formem uma pasta irregular.

O

Montagem Unte uma forma retangular média e espalhe a massa. Coloque as uvas sobre a massa e em seguida coloque a mistura feita anteriormente. Espalhe a mistura sobre as uvas, mexendo com a mão e criando pedaços pequenos. Asse em forno preaquecido no fogo baixo (180 ºC), por 30 minutos, até que comece a dourar.

1

1

¼ XÍCARA (CHÁ) DE MANTEIGA CORTADA EM PEDACINHOS

de preparo

2 O


Sobremesa de uva com ganache de chocolate

M O D O D E P R E PA R O

INGREDIENTES

O

Base de chocolate branco Em uma panela, misture o leite, o chocolate branco picado e o leite condensado. Leve ao fogo baixo (180 ºC) e misture sempre, até que ferva e comece a borbulhar. Mexa por mais 2 minutos, desligue o fogo e mexa mais um pouco para não empelotar. Reserve.

O

Ganache Coloque o creme de leite e o chocolate ao leite picado em uma panela e leve ao fogo baixo (180 ºC). Misture sempre até derreter, desligue o fogo e reserve.

1

1 CACHO DE UVAS 400 G DE LEITE CONDENSADO ¼ XÍCARA (CHÁ) DE LEITE 80 G DE CHOCOLATE BRANCO PICADO 170 G DE CHOCOLATE AO LEITE PICADO

1

1 CAIXINHA DE CREME DE LEITE (200 G)

Rende 8 porções

30 minutos de preparo

+ 1 hora

2 O 3 O

Corte as uvas ao meio ou em fatias finas, retirando as sementes. Monte a sobremesa em taças individuais. Coloque a base de chocolate branco no fundo e cubra com uma camada de uvas. Depois despeje a ganache de chocolate até cobrir as uvas. Espere esfriar bem, cubra com filme plástico e leve à geladeira por uma hora.

na geladeira

D I C A PA R A S E R V I R DEIXE ALGUMAS UVAS NO CONGELADOR. DECORE A SOBREMESA COM UMA UVA CONGELADA E RASPAS DE CHOCOLATE.

33


Silvia Nishikawa São Gotardo - MG

Reza a lenda que o consumo de cenoura está diretamente relacionado a uma pele mais dourada. Uma coisa é fato: riquíssima

em betacarotenos, a cenoura é uma hortaliça

Hoje, a agricultura é uma empresa. Para garantir a continuidade dos negócios, profissionalizamos os gestores, investimos em tecnologia de ponta no campo, nos maquinários e na infraestrutura,

muito nutritiva que ajuda a colorir o prato

bem como na especialização e bem-estar dos

do brasileiro. Da capital nacional da cenoura,

colaboradores e familiares.”

Silvia Nishikawa nos conta como a família transformou o cultivo em um negócio de sucesso.

O esforço e a dedicação dos Nishikawa ajudaram a transformar a região em pólo agrícola de destaque nos cenários nacional e

Plantar está no DNA da nossa família.”

A frase de Silvia Nishikawa representa a

trajetória destes descendentes de japoneses que dedicam-se ao campo desde a década de 70 em São Gotardo (MG). Os Nishikawa, junto com outras famílias, foram convidados a participar do PADAP – Programa de Assentamento Dirigido do Alto Paranaíba. Em 1973, Shigeru Nishikawa e seu filho Silvio começaram o cultivo de cenoura, batata e beterraba, dando início ao que hoje é a TriS Agronegócios, uma empresa altamente comprometida com produtividade e sustentabilidade econômica, social e ambiental.

mundial. O resultado não poderia ser outro: São Gotardo é a capital nacional da cenoura e a TriS Agronegócios tem como lema “plantando o que há de melhor”. A produtora sabe que todas as conquistas são fruto de muito trabalho e comprometimento, que nasceu com a família e renasce a cada semente plantada. Um solo saudável gera plantas saudáveis e uma colheita mais produtiva, permitindo o uso sustentável da terra e dos recursos naturais.

Sabemos da responsabilidade de suprir alimentos para o mundo. É este solo saudável que iremos deixar para o mundo e para nossos herdeiros.”

35


Suflê de cenoura INGREDIENTES 1 XÍCARA (CHÁ) DE CENOURA RALADA 1/2 XÍCARA (CHÁ) DE QUEIJO PARMESÃO RALADO FINO 5 CLARAS DE OVO 3 GEMAS DE OVO 1 COLHER (SOPA) DE FARINHA DE TRIGO

1 O 2 O 3 O 4 O 5 O

2 COLHERES E ½ (SOPA) DE MANTEIGA 1/2 XÍCARA (CHÁ) DE LEITE NOZ-MOSCADA A GOSTO

6 O

SAL E PIMENTA-DO-REINO MOÍDA NA HORA A GOSTO

7 O

8 O

Serve 2 pessoas

2 horas

de preparo

D I C A PA R A S E R V I R RALE UM POUCO DE CENOURA SOBRE O SUFLÊ. POLVILHE COM QUEIJO RALADO.

M O D O D E P R E PA R O Preaqueça o forno a 200 ºC. Separe as gemas das claras, reservando 2 gemas. Unte uma forma retangular média com manteiga e polvilhe com parmesão ralado. Em uma panela média, aqueça uma colher de sopa de manteiga. Quando estiver derretida, junte a farinha e cozinhe por 2 minutos, mexendo sem parar. Retire a panela do fogo e despeje todo o leite. Mexa bem usando um batedor de arame (fouet) para não empelotar. Leve a panela de volta ao fogo, mexa por mais um minuto e desligue o fogo. Em outra panela, refogue a cenoura com ½ colher de sopa de manteiga até ficar bem cozida. Junte a cenoura ao molho branco da outra panela e tempere com sal, pimenta-do-reino e noz-moscada. Adicione as duas gemas ao molho, uma de cada vez, e bata bem, usando um mixer ou batedor de arame. A mistura deve ficar bem líquida. Transfira para uma tigela grande e espere esfriar. Bata as claras em neve com uma pitada de sal, sem que fiquem firmes demais. Adicione 1/3 das claras em neve ao molho do suflê e misture até incorporar as claras. Depois junte o restante das claras e misture em movimentos circulares, de baixo para cima. Vá juntando o queijo ralado e misture delicadamente até ficar homogêneo. Coloque a massa de suflê na travessa. Leve ao forno preaquecido. Se preferir, pode assar em banho-maria: coloque uma travessa maior embaixo e preencha até a metade com água fervente. Coloque a travessa com o suflê dentro da travessa com água. Feche o forno e não abra mais. Deixe assar por 35-40 minutos, até começar a dourar.


Filé mignon com molho de cenoura

INGREDIENTES 500 G DE MIGNON

1 O

3 COLHERES (SOPA) DE MARGARINA 1 CEBOLA PEQUENA RALADA 1 CENOURA GRANDE RALADA ½ XÍCARA (CHÁ) DE MAIONESE SAL E PIMENTA-DO-REINO A GOSTO

2 O

M O D O D E P R E PA R O Tempere o filé mignon com sal e pimenta. Em uma frigideira (média), coloque duas colheres de margarina e doure os filés dos dois lados por alguns minutos. Desligue o fogo e reserve a carne, mantendo-a aquecida. Refogue a cebola na margarina restante, junte a cenoura e deixe-as amolecendo. Acrescente a maionese, retire a mistura do fogo e leve-a ao liquidificador. Acerte o sal.

D I C A PA R A S E R V I R FAÇA UMA CAMADA DE MOLHO DE CENOURA E COLOQUE O FILÉ MIGNON POR CIMA. PARA DECORAR, USE CEBOLINHA PICADA.

Serve 2 pessoas

30 minutos de preparo

37


Luiz Roberto Barcelos Icapuí - CE

O melão é um típico representante do

Hoje os quatro sócios da empresa – além de Luiz

tropicalismo brasileiro. Docinho, fresquinho

Roberto e Carlo Porro, Richard Muller e Marconi

e indispensável nos dias de calor: você sabia

Lima compõem o time – têm orgulho de

que 90% da composição do melão é água?

serem também um dos maiores empregadores

Da divisa entre o Ceará e o Rio Grande do

agrícolas do país, com 9 mil colaboradores. A

Norte, o maior produtor da fruta no Brasil

preocupação com a geração de empregos vem

compartilha sua trajetória.

de encontro às ações que a empresa pratica no seu entorno. Para a Agrícola Famosa, comida e

Em 1995, uma viagem a trabalho para o Nordeste mudou os rumos da carreira e da vida de Luiz Roberto Barcelos. Na época, junto com Carlo Porro, decidiu começar uma pequena produção de melões em

água não podem faltar a ninguém.

Participamos do programa Mesa Brasil, distribuindo toneladas de melão para a população, especialmente em Fortaleza e Natal. Também temos parcerias com as comunidades

Icapuí: inicialmente, plantavam três hectares a cada 10 dias. De lá para cá, são mais de

locais. Com poços de água mineral em nossas

20 anos em campo e um dia a dia repleto

terras, aproveitamos para distribuir milhares de litros de água para a população da região.”

de desafios. O primeiro deles foi dominar a tecnologia para produzir com água calcariosa, com bicarbonato de cálcio, que tornava a produção mais barata e sustentável. Deu certo: hoje a Agrícola Famosa é a maior produtora de melões do mundo, mas os desafios não pararam por aí. Trabalhando com exportação, os sócios viram o aumento das exigências em relação à produção.

Sobre o futuro das atividades agrícolas, Luiz Roberto acredita que a busca por produtos sustentáveis vai crescer ainda mais. Para ele o assunto não é exatamente uma novidade, já que trabalha com um mercado exigente desde o início. São consumidores que buscam mais do que qualidade: buscam sustentabilidade em toda a cadeia envolvida no processo. Uma prática que já faz parte da essência da empresa e da filosofia dos sócios.

Era uma nova realidade, com normas bastante rígidas. Foi preciso reduzir

ao mínimo o uso de defensivos e fazer

controle biológico de pragas, obedecendo a regras de manejo com critérios bem altos. Tudo em prol das boas práticas agrícolas.”

O legado que estamos deixando para a agricultura é muito positivo. Nossa parte social é muito desenvolvida. Nós ajudamos a promover saúde e sustentabilidade, fazendo bom uso dos recursos humanos e naturais.”


39


Salada de melão com presunto cru

INGREDIENTES 1 MELÃO 12 FATIAS DE PRESUNTO CRU

1 O 2 O

1 MAÇO PEQUENO DE MANJERICÃO FRESCO ½ LIMÃO VINAGRE BALSÂMICO

3 O

AZEITE

4 O

Serve 4 pessoas

40 minutos de preparo

D I C A PA R A S E R V I R DECORE COM AS FOLHAS PEQUENAS DE MANJERICÃO.

M O D O D E P R E PA R O Retire as folhas de manjericão dos talos e reserve as menores. Soque as folhas maiores em um pilão, com uma pitada de sal, até virar uma pasta. Adicione 2 colheres de sopa de azeite e suco do limão espremido. Corte o melão ao meio. Retire todas as sementes. Com uma colher, retire pedaços da fruta. Coloque em uma vasilha e misture com a pasta de manjericão. O suco do melão deve se misturar levemente com a pasta. Distribua as fatias de presunto em uma travessa, deixando um espaço no meio. Coloque os pedaços de melão entre elas.


Suco de melão com hortelã e limão

INGREDIENTES

1 O

4 FATIAS DE MELÃO SUCO DE 2 LIMÕES TAITI 4 FOLHAS DE HORTELÃ 1 XÍCARA (CHÁ) DE ÁGUA CUBOS DE GELO A GOSTO

2 O 3 O

M O D O D E P R E PA R O Corte o melão, descarte a casca e as sementes. Corte as fatias em pedaços e transfira para o copo do liquidificador. Junte o suco dos limões, a água, as folhas de hortelã e cubos de gelo a gosto. Bata até ficar bem homogêneo. Transfira para uma jarra.

Serve 4 pessoas

15 minutos de preparo

D I C A PA R A S E R V I R DESPEJE O SUCO EM UM COPO COM GELO. DECORE COM FOLHINHAS DE HORTELÃ E RASPAS DE LIMÃO.

41


Leda Castelani

Monte Santo de Minas - MG

O cheirinho de café que invade a casa pela manhã é sinônimo de conforto e tradição. Na casa da dona Leda também é assim: nunca falta um

O nosso cultivo é um sonho compartilhado entre mãe e filha. Se o sonho não existisse, nada do que conquistamos teria existido

bom café acompanhado de pão com manteiga.

também. Nossas conquistas trazem, mais do

Junto com a filha Arabela, percorremos décadas

que satisfação, a certeza de que trilhamos um bom caminho.”

de história de uma mulher que superou muitos desafios em busca dos melhores grãos.

Para alçar voos cada vez mais altos, Arabela A força e a persistência de duas mulheres que

foi estudar. E trouxe para a fazenda da família

transformaram o cultivo de café em motivo de

conhecimentos que transformaram o grão que

orgulho nacional. Esta frase resume a história de Leda Castelani, produtora de Monte Santo de Minas (MG). A filha, Arabela Pereira Lima, é quem nos leva pelos caminhos percorridos por dona Leda nos seus mais de 40 anos de dedicação ao

produzem em uma referência no mercado brasileiro. Arabela conta que o segredo do bom café está nos detalhes – e elas são especialistas nisso. Da forma de adubar a uma preocupação constante com o solo, mãe e filha cuidam de tudo. Criaram um micro clima

campo. Na década de 70, a então professora

próprio da fazenda, plantando outras espécies para

Leda precisou mudar os rumos de sua vida. Viúva,

preservar o solo, observando os animais à sua volta

herdou a fazenda onde o marido tinha iniciado o plantio de café e começou a desbravar esta cultura, até tornar-se uma “mulher da terra”, como ela mesma define. A dificuldade mais marcante foi por conta do clima: na década de 80, uma geada queimou todo o cafezal. Foi preciso começar do zero. Arabela, então menina, lembra até hoje do cheiro de grão queimado que dominou toda a fazenda.

e arando a terra com o mesmo carinho com que apreciam uma boa xícara de café.

Para produzir um bom café é preciso ter paixão. É preciso olhar para a terra e pensar ‘eu quero isso pra minha vida’. Compartilhamos nosso amor ao café com todos aqueles que trabalham conosco, transformando nosso cultivo em um projeto de vida coletivo.”

Mas a paixão pelo café falou mais alto. Dona Leda começou tudo de novo e, anos mais tarde,

Em 2016, um importante prêmio

recebeu a companhia da filha no trabalho. Arabela

reconheceu as mais de quatro décadas de

formou-se como engenheira agrônoma e, ao lado

trabalho de dona Leda Castelani. Aos 82

da mãe, enfrentou os desafios em busca de grãos

anos, ela celebra desejando a continuidade

que se destacassem em um mercado cada vez mais exigente.

do negócio que construiu com muito esforço. 43


Pudim de café

1 O 2 O

INGREDIENTES 50 G DE CAFÉ EM GRÃOS 2 COLHERES (SOPA) DE FARINHA DE TRIGO 1 XÍCARA (CHÁ) DE AÇÚCAR

3 O

1 XÍCARA (CHÁ) DE LEITE 4 OVOS ½ LITRO DE CREME DE LEITE FRESCO 4 COLHERES (SOPA) DE AÇÚCAR

4 O

DE CONFEITEIRO 1 COLHER (SOPA) DE MANTEIGA

5 O

M O D O D E P R E PA R O Moa os grãos de café até ficar como café em pó. Passe o café com pouca água, para ficar bem forte. Derreta a manteiga em uma panela. Quando estiver totalmente derretida, adicione a farinha e mexa até misturar bem. Adicione em seguida 1 xícara (200 ml) do café passado e o leite. Mexa bem até formar um creme. Retire do fogo e espere esfriar um pouco. Enquanto isso, separe as gemas dos ovos e bata as claras em neve. Quando a mistura do café estiver morna, adicione as gemas uma a uma, alternando com as colheradas de açúcar e misture bem. Junte as claras batidas em neve. Despeje a mistura em uma forma redonda untada com manteiga. Asse em banho-maria (180 ºC) por 45 minutos. Depois espere esfriar. Enquanto assa o pudim, faça o creme de chantilly: misture o creme de leite com o açúcar e bata na batedeira por 5 minutos, até começar a engrossar. Desligue a batedeira e bata com a colher até engrossar bem.

D I C A PA R A S E R V I R SIRVA AS PORÇÕES EM TAÇAS PEQUENAS E CUBRA COM O CREME DE CHANTILLY. DECORE COM UMA PITADA DE CANELA.

Rende 6 porções

1h30

de preparo


Tiramisu 1 O 2 O INGREDIENTES 1/2 XÍCARA (CHÁ) DE CAFÉ FORTE SEM AÇÚCAR 500 G DE QUEIJO MASCARPONE 12 UNIDADES DE BISCOITO CHAMPANHE

3 O

2 GEMAS DE OVO 4 CLARAS DE OVO

4 O 5 O

1/2 XÍCARA (CHÁ) DE AÇÚCAR 60 ML DE RUM CHOCOLATE EM PÓ PARA POLVILHAR

D I C A PA R A S E R V I R POLVILHE O CHOCOLATE

M O D O D E P R E PA R O Prepare uma travessa retangular para montar o tiramisu. Em uma vasilha rasa, misture o rum com o café. Molhe apenas um lado dos biscoitos champanhe nesta mistura, por apenas 2 segundos. Coloque na travessa com o lado molhado virado para cima. Repita o processo até cobrir todo o fundo da travessa. Coloque as gemas e o açúcar na batedeira e bata até formar um creme bem claro. Adicione o queijo mascarpone e bata mais um pouco para misturar. Reserve. Limpe bem a batedeira para bater as claras até o ponto de neve. Misture cuidadosamente as claras em neve ao creme reservado de mascarpone. Espalhe o creme sobre os biscoitos, cobrindo completamente a travessa. Leve à geladeira por 24 horas.

Serve 6 pessoas

EM PÓ SOBRE O TIRAMISU USANDO UMA PENEIRA FINA. PARA DECORAR, COLOQUE GRÃOS DE CAFÉ SOBRE O TIRAMISU.

2 horas

de preparo

+ 24 horas na geladeira

45


Alexandro e Juliano Caldeira Vicentinópolis - MG

A história daquela pipoca deliciosa que acompanha uma sessão de cinema é antiga e começa lá no campo: você sabia que o milho já era cultivado por aqui antes mesmo da descoberta do Brasil? Para Alexandro e Juliano Caldeira, que entendem de milho como ninguém, gostoso mesmo é uma bela espiga com manteiga derretendo.

Da correção do solo ao uso de produtos naturais, os irmãos Alexandro e Juliano trabalham em sintonia: quando um planta, o outro planta também. Colheitas feitas, é hora de dedicarem-se aos cuidados com a terra para que fique cada vez mais saudável e produtiva.

A terra onde plantamos é o que há de mais importante. Sabemos o quanto isso é valioso. Cuidamos dela o tempo todo. Afinal, sem um

Uma fazenda de 400 hectares. Dois irmãos

bom solo, não há uma boa colheita. Quanto mais

unidos em busca do sonho de fazer crescer o

a gente cuida da terra, mais a gente pode plantar

negócio, iniciado pelo pai na década de 70.

e mais a gente pode colher.”

Alexandro e Juliano Caldeira, de Vicentinópolis, fizeram do cultivo de milho o sustento da família. Quatro décadas depois, comemoram a longevidade dos negócios, fruto de muito trabalho. Mas não se esquecem das dificuldades

Sinergia é a palavra de ordem para Alexandro e Juliano. Os produtores sabem da importância do seu cultivo e por isso trabalham focados em segurança agrícola e rentabilidade para os negócios, aliando

que a vida no campo traz: depender do clima

boas práticas a uma consciência social.

exige muita perseverança. Para eles, a falta de

chuva é um dos maiores desafios enfrentados ao longo dos anos, o que tornou a busca pela sustentabilidade uma rotina em suas terras.

A agricultura é o que faz o nosso país girar. Sem ela, nada vai pra frente. Da terra vem boa parte daquilo que alimenta a população brasileira. Somos responsáveis pelo sustento de famílias e

O mais essencial para nós é fazer a

também do nosso cenário econômico.”

correção do solo. Este trabalho é feito com base no nosso conhecimento em tanto

tempo lidando com a terra, mas também estamos sempre de olho em tudo o que há de novidade. Produtos que tragam mais tecnologia e saúde para o nosso cultivo são implementados na nossa fazenda, sempre em busca de aumentar a qualidade do milho.”

Para o futuro, o sonho dos irmãos é que haja maior reconhecimento para quem cuida do solo e tira dele o alimento que chega à mesa de milhares de pessoas.

Esperamos que o ciclo agrícola no país seja cada vez mais valorizado. Não sustentamos apenas a economia do Brasil: geramos empregos, damos comida à população.”


47


Farofa caipira de milho com bacon INGREDIENTES 2 XÍCARAS (CHÁ) DE FARINHA DE MILHO EM FLOCOS

Serve 6 pessoas

45 minutos de preparo

1 O

1 XÍCARA (CHÁ) DE MILHO VERDE DEBULHADO 1/3 XÍCARA (CHÁ) DE BACON EM CUBINHOS 2 DENTES DE ALHO 6 COLHERES (SOPA) DE MANTEIGA 1 COLHER (SOPA) DE AZEITE 1/4 DE XÍCARA (CHÁ) DE CEBOLINHA PICADA SAL E PIMENTA-DO-REINO MOÍDA NA HORA A GOSTO

D I C A PA R A S E R V I R POLVILHE A CEBOLINHA PICADA SOBRE A FAROFA E SIRVA.

2 O 3 O

M O D O D E P R E PA R O Leve uma frigideira grande e alta ao fogo médio e, quando aquecer, coloque os cubos de bacon. Mexa de vez em quando até ficarem dourados. Cozinhe os grãos de milho debulhado em uma panela com água até que fiquem macios. Adicione o azeite e a manteiga na frigideira. Quando derreter, acrescente o alho picado e misture. Abaixe o fogo, junte a farinha de milho e mexa até tostar os flocos (cerca de 20 minutos). Por último, acrescente o milho e tempere com sal e pimenta-do-reino. Misture bem e desligue o fogo.


Creme de milho

INGREDIENTES 2 ESPIGAS DE MILHO 1/2 XÍCARA (CHÁ) DE LEITE

1 O 2 O

1 CEBOLA MÉDIA RALADA 300 G DE CREME DE LEITE 2 COLHERES (SOPA) DE FARINHA DE TRIGO 1 COLHER (SOPA) DE MANTEIGA

3 O

SAL E PIMENTA A GOSTO

4 O

M O D O D E P R E PA R O Debulhe o milho ainda cru. Cozinhe os grãos em uma panela até ficarem macios. Separe 1/3 dos grãos e reserve. Bata o restante do milho junto com o leite no liquidificador e reserve. Em uma panela, aqueça a manteiga, junte a cebola e refogue um pouco. Adicione a farinha de trigo e mexa rapidamente até dourar. Misture o milho batido com o leite, adicione o sal e a pimenta. Mexa até dissolver completamente e cozinhe por cerca de 10 minutos, até que o creme engrosse. Acrescente o creme de leite, mexa um pouco e desligue. Adicione os grãos de milho que estavam reservados. Misture bem.

D I C A PA R A S E R V I R SIRVA AS PORÇÕES EM VASILHAS PEQUENAS E DECORE COM SALSINHA.

Serve 4 pessoas

45 minutos de preparo

49


HI STÓ RI AS E RECEITAS

DO BRASIL

O F E R E C I M E N T O


HI S TÓR IAS E RECEITAS

DO BRASIL

A Alltech Crop Science convidou alguns de seus clientes para compartilharem seus desafios e conquistas no campo. São histórias emocionantes que retratam a força de quem dedica a vida a uma tarefa muito nobre: fornecer alimento à população brasileira. E nada mais justo do que celebrar estas histórias com uma bela refeição. Por isso, selecionamos alguns dos principais ingredientes da agricultura brasileira para serem estrelas de 20 receitas que vão deixar a sua mesa mais saborosa e nutritiva.

O F E R E C I M E N T O

Delícias do Campo - Histórias e Receitas do Brasil  

A Alltech Crop Science convidou alguns de seus clientes para compartilharem seus desafios e conquistas no campo. São histórias emocionantes...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you