__MAIN_TEXT__

Page 12

ALIMENTAÇÃO ANIMAL TEMA DE CAPA

INNOVPLANTPROTECT, UM LABORATÓRIO COLABORATIVO PARA A PROTEÇÃO DAS CULTURAS

Pedro Fevereiro CEO do InPP 12 |

ALIMEN TAÇÃO AN IMAL

O mundo como o conhecemos depende da produção

ras, sobretudo quando a produção agrícola é levada

primária. Isto aplica-se em particular à população

a cabo no espaço mediterrânico. Estas dificuldades

humana, ainda em fase de crescimento. O número de

estão relacionadas, por um lado com as alterações

pessoas existentes (cerca de 7,8 mil milhões) implica

climáticas em curso, e com a globalização do comér-

formas eficientes e sustentáveis de produção de

cio de produtos agrícolas, que deslocam pragas e

alimentos, quer eles provenham de origem animal

doenças para novas geografias, para muitas das

ou vegetal. Mas em última análise, é da quantidade

quais não existem métodos de proteção, e por outro

e qualidade de produtos agrícolas que depende a

com a proibição, em particular no espaço da união

sociedade humana observada como um todo.

europeia, de princípios ativos que têm vindo a ser

Existem várias formas de produzir alimentos vege-

utilizados, mas que se consideram atualmente noci-

tais, quer sejam eles para ser consumidos por seres

vos, quer para o meio ambiente, quer para os seres

humanos, quer sejam para ser consumidos por ani-

humanos em particular. Assim muitas das culturas

mais domésticos, utilizados estes para produzir

agrícolas, especialmente no arco mediterrânico,

alimentos, para trabalhar, para companhia entre

encontram-se ameaçadas e sem métodos adequa-

outros fins. Três dessas formas são facilmente reco-

dos disponíveis para as proteger.

nhecíveis: o modo de produção agrícola tradicional,

Exemplo destas ameaças é a Xylella fastidiosa,

o modo de proteção integrada e o de agricultura

uma bactéria que se instala nos vasos condutores

orgânica. Independentemente do modo utilizado,

de numerosas plantas, entre elas as de culturas

todos eles procuram aumentar a sustentabilidade,

permanentes como a vinha, o olival e o amendoal.

o que implica aumentar a produtividade ao mesmo

Esta bactéria apareceu pela primeira vez em 2013

tempo que se tenta atingir um equilíbrio para todo o

no sul da Itália, tendo sido identificada, pela primeira

sistema, com enfâse atual na componente ambiental,

vez em Portugal em 2019. Esta bactéria produz um

considerada por alguns como a base de um triângulo

biofilme que bloqueia os vasos condutores, preju-

onde assentam as restantes componentes (social e

dicando o fluxo ascendente da seiva bruta, cau-

económica) do trinómio da sustentabilidade.

sando uma doença que na oliveira é conhecida por

Existem diferentes condições que influenciam a efi-

síndrome do declínio rápido da oliveira. Não existe

ciência da produção agrícola. Uma delas é a capaci-

atualmente uma solução para proteger as plantas

dade de proteger as culturas de fatores ambientais,

desta doença, e atualmente esta é uma doença de

ou alternativamente de os ultrapassar, utilizando

quarentena em Portugal.

diversos tipos de tecnologia. Dois tipos de fatores

Um exemplo de uma praga em expansão em Por-

podem ser considerados, os fatores abióticos e os

tugal para a qual também não existe uma solução

fatores bióticos, embora em geral ambos os tipos

eficiente é a da Drosophila suzukii, uma mosca

de fatores estejam, de facto, interligados.

da fruta (drosófila de asa manchada) que tem um

Relativamente aos fatores bióticos todos os modos

ciclo de vida muito curto e que ameaça prunóideas,

de produção utilizam tecnologias que tentam reduzir

como as cerejas e os pêssegos e pequenos frutos

o impacto das doenças, das pragas e das infestan-

como o morango.

tes na produtividade e na qualidade dos produtos

Ainda como exemplo de uma praga para a qual não

agrícolas vegetais. Mas mesmo assim calcula-se

existe solução eficaz é o percevejo marmoreado

que entre 30 a 50% da produção agrícola mundial

(Halyomorpha halis). O percevejo marmoreado,

é perdida para estes fatores. Nos últimos 70 anos

também chamado de percevejo asiático, nativo

a utilização de produtos químicos de síntese tem

da China, Japão, península da Coreia e Taiwan, é

sido a tecnologia mais utilizada para controlar os

um inseto sugador que tem capacidade de injetar

fatores bióticos que condicionam as produções

sucos gástricos e digerir, por exemplo, a polpa de

agrícolas e a utilização destes produtos são, efe-

um tomate. Este inseto foi acidentalmente introdu-

tivamente, a única forma de conseguir produtivi-

zido na Pensilvânia em 1998, e já foram encontrados

dades que permitam rentabilizar os investimentos

exemplares em Portugal, sendo considerada a praga

feitos no estabelecimento de culturas comerciais.

do século XXI. Os percevejos asiáticos alimentam-

Nos últimos 20 anos, no entanto, têm-se acumulado

-se de várias culturas agrícolas incluindo o milho

dificuldades para se garantir a proteção das cultu-

e o tomate, e frutas como a pera, a uva e a maçã.

Profile for IACA

Revista Alimentação Animal n.º 113  

Contacte-nos através do e-mail iaca@iaca.pt para obter a versão pdf.

Revista Alimentação Animal n.º 113  

Contacte-nos através do e-mail iaca@iaca.pt para obter a versão pdf.

Advertisement