Relatório La Salle 2021

Page 1



Enfrentamento da violência contra as mulheres CRAM: fluxos de acolhimento que geram esperança.................... 09

Assistência Social

Serviço aos idosos: fortalecimento de rede de apoio e de acesso aos direitos...... 13 Transformação pessoal e comunitária através da formação de lideranças ........... 18 Proteção à primeira infância fortalece vínculos com as famílias................................ 22

Segurança Pública

Conexões em rede para o enfrentamento às violências............... 25 Observatório de Segurança Pública de Canoas............................... 28

Gestão Educacional

Educação musical na extensão da sala de aula............................... 31 Cuidados socioemocionais na agenda da escola............................ 32 Afetos e aprendizagens na retomada do convívio escolar........... 34 Esporte como espaço de convivência e formação extracurricular.................................................................... 36 Aulas de Música no caminho da formação....................................... 38

Concursos Públicos

Compromisso com a qualidade em todas as fases da seleção.................. 41 3


A transformação começa com oportunidades!

4


Utopia, um sonho possível A utopia é um sonho possível porque nos convida a caminhar. Convida-nos a não ficarmos parados diante das adversidades e desigualdades da sociedade de hoje. Desde o nosso nascimento, somos instigados a descobrir a vida e suas possibilidades: abrir os olhos, reconhecer a luz do dia e da noite, perceber os sons, os ambientes. Assim crescemos, cientes de que descobrir novas possibilidades é o caminho para o desenvolvimento pessoal e coletivo.

“O mais importante da vida não é a situação em que estamos, mas a direção para a qual nos movemos.” (Oliver Wendell Holmes)

A história da Fundação tem esses mesmos traços: uma instituição inquieta que nasceu para ser apoio à Rede La Salle e foi se transformando ao longo dos seus 15 anos. O que era um sonho tornou-se realidade e hoje vai além: atua na assistência social, na preservação dos direitos sociais, na prevenção das demandas de segurança pública, no acolhimento às mulheres em situação de violência e em outras frentes de carência de formação e humana, tornando vivo o carisma, através do cultivo criativo de uma espiritualidade que se encarna. Ao mesmo tempo, a gestão compartilhada de escolas, o olhar para a primeira infância, a atenção para as crianças e adolescentes em horário extraclasse, a gestão de um observatório de indicadores sociais são sinais de que a história da instituição está em movimento, em crescimento. O sonho permanece vivo em cada um que compartilha seus talentos e se esforça pela causa iniciada com La Salle. Nosso agradecimento aos funcionários da Fundação La Salle e aos parceiros que transformam sonhos em projetos e ações concretas em favor da vida e do desenvolvimento humano e social. Que a busca por dias melhores, situações melhores e uma sociedade mais justa e igualitária seja a nossa constante motivação. Que nossos dias sejam repletos de esperança! Viva Jesus em nossos corações! Ir. Marcelo Cesar Salami | Diretor-Presidente 5


NOSSOS RESULTADOS CONCURSOS PÚBLICOS 70.576

candidatos inscritos nos concursos públicos

46.412

candidatos atendidos nos concursos públicos

13 editais executados

NOSSOS RESULTADOS SOCIAIS 4.710 pessoas atendidas nos projetos sociais

Crianças

2.516

Jovens

641

Adultos/Idosos

1.553

12 projetos realizados em 2021


NOSSAS PESSOAS

Funcionários por gênero

Total de funcionários celetistas no final do exercício: 167 Total de funcionários por faixa etária: Menores de 18 02 18 a 35 anos 91 36 a 60 anos 68 Acima de 60 anos 06

Funcionários Estagiários Aprendizes Autônomos

Qualificação

Terceirizados

Masculino

Feminino

14 08 00 12 05

139 04 02 15 01

92 36

Percentual de ocupantes de cargo de chefia por gênero

15

Ensino Fundamental Incompleto

Ensino Fundamental

Ensino Médio

Mestrados

07 Graduados

02 Pósgraduados

01 Doutorado

14

Aposentados 03 pessoas aposentadas

2

1

Estagiários Aprendizes Terceirizados Autônomos

12 02 06 27


8

Enfrentamento da violência contra as mulheres


CRAM: fluxos de acolhimento que geram esperança Estimativas globais da Organização das Nações Unidas (ONU), apontam que as mulheres ficaram mais suscetíveis à violência de gênero, tendo em vista as medidas de isolamento da pandemia e a redução de serviços disponíveis para atendimento. Neste contexto, a convivência com o agressor no lar e a falta de acesso à rede de apoio familiar e comunitária são condicionantes que restringem as denúncias das mulheres em relação às situações de violência no âmbito familiar. Para que haja uma rede de enfrentamento à violência contra a mulher eficaz e colaborativa, é essencial o alinhamento entre Estado, sociedade e organizações da sociedade civil. No eixo de atendimento, com gestão da Fundação La Salle, o Centro Regional de Abrigamento para Mulheres em Situação de Risco e Violência (CRAM), espaço com localização sigilosa, com funcionamento de 24 horas, oferece proteção integral às mulheres vítimas de violência e seus filhos até terem condições necessárias, com autonomia fora do ciclo de violência, ou até 180 dias de permanência. Desde 2019 o serviço atua na modalidade Casa Abrigo na Alta Complexidade da Política Pública de Assistência Social (SUAS) e, com a ampliação do projeto, atualmente possui convênio com 15 (quinze) municípios do Rio Grande do Sul: Alvorada, Arroio do Sal, Campo Bom, Canoas, Capão da Canoas, Dom Pedro de Alcântara, Mampituba, Morrinhos do Sul, Nova Santa Rita, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Sapiranga, Torres, Três Cachoeiras e Três Forquilhas. O espaço tem como objetivo garantir a integridade física, apoio psicológico e social às mulheres em risco de morte e seus filhos, favorecendo o exercício de sua condição cidadã, bem como resgatar e fortalecer a sua autoestima, possibilitando que se tornem protago-

Número de Beneficiados: 133

nistas de seus próprios direitos. O processo de trabalho se concretiza através de atendimento social e psicológico, articulação com a rede de atendimento de cada município, além de atividades em grupo, com espaços de oficinas em diferentes temáticas. Com as medidas de prevenção quanto à COVID-19 e protocolos de convivência, o ano de 2021 foi marcado pelas visitas institucionais dos municípios parceiros de trabalho, realização da primeira oficina culinária para as mulheres, celebrações de datas comemorativas e confraternizações de despedidas para novos ressignificados de vidas. Além disso, foi realizado o Seminário Violência contra a mulher: causas e consequências, ação organizada em parceria entre a Prefeitura de São Leopoldo, através da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SEPOM), Universidade La Salle e Fundação La Salle. Outro destaque foi a primeira Semana da Mulher do CRAM, denominada de SOBRE(VIVÊNCIAS), a qual foi organizada com atividades voltadas ao empoderamento feminino em menção ao mês da mulher:

Margarida, 20 anos, acolhida em 2021 Passei muitas coisas do lado da minha mãe, mas tudo isso valia a pena, pois amo ela demais. É melhor duas do que uma, sempre juntas para sempre. O que quero é ajudar as mulheres que necessitam de ajuda, pois na realidade o machismo nunca vai acabar. Sempre vai ter aquele homem que ensina seu filho de maneira errada.

Centro Regional de Abrigamento para Mulheres

9


ESCREVIVÊNCIAS O momento foi aberto com a música “Dona de mim” com a intenção de gerar um espaço de fala das acolhidas. A partir das reflexões trazidas, as mulheres fizeram escritas de vivências e enfrentamento da violência sofrida na forma de pergaminhos para outras mulheres que passarão pela Casa Abrigo. “PINTO A MIM MESMA” A oficina foi iniciada com uma partilha da história de vida da pintora mexicana Frida Kahlo. A obra da artista era inspirada em suas próprias experiências, dores e por vezes as pinturas se tornaram uma denúncia pública de violência de gênero. As acolhidas foram convidadas a pintarem um autorretrato inspirado nas suas próprias vivências como Frida fazia. COMER REZAR E AMAR Cinedebate sobre o filme “Comer, rezar e amar” que retrata a vida de uma mulher que embarca em uma jornada ao redor do mundo para se redescobrir. Após assistir ao filme ocorreu um espaço para reflexões e planejamento sobre projeto de vida. MULHERES QUE INSPIRAM Roda de conversa sobre mulheres inspiradoras que fizeram história, marcaram o movimento feminista e que nomeiam os quartos e salas da Casa Abrigo. OFICINA ZAPATISTA A oficina contou com uma partilha sobre a história das mulheres zapatistas, qual a herança deixada para a atualidade e o significado de seus lenços amarrados em seus rostos. Após, as acolhidas produziram lenços zapatistas com estampa em stencil, característico de artes militantes.

Flor de Lis, 42, acolhida em 2021 Trabalhei de tudo um pouco e, aos meus 15 anos, comecei como babá. Fui mãe aos meus 20 anos, tenho 3 filhos e fui avó aos 41 anos. Os meus netos são o meu xodó e me considero uma mulher forte, apesar de tudo que já passei. Sou feliz por ter eles em minha vida, pois Deus foi generoso comigo por eu ter conseguido dar este passo na vida. 10

Centro Regional de Abrigamento para Mulheres

Parcerias mobilizadoras Em menção ao mês da mulher, foi confeccionado um cartão de agradecimento às mulheres voluntárias do grupo Sou Solidário do Colégio La Salle Esteio. A lembrança foi entregue juntamente com um chocolate para uma das voluntárias, que fez a distribuição para os demais integrantes do grupo. O grupo é responsável pela constante interação com o projeto, mobilização e logística de doações. No inverno, as temperaturas baixaram significativamente, com dias e noites muito frias na Casa Abrigo. Diante desta realidade, a Associação dos Procuradores do Estado do Rio Grande do Sul fez uma importante doação de cobertores novos e cestas básicas. Já o Coletivo Fluxo Vivo da cidade de Cachoeirinha, efetivou a doação de kits contendo materiais de higiene e roupas.


Dia internacional da Mulher O dia 25 de julho marca o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, então o mês foi dedicado a atividades que possibilitaram a reflexão sobre o lugar que a mulher negra ocupa na sociedade, citando aqui as oficinas de Mini-Biografia de Tereza de Benguela; Confecção de livro com dez mulheres negras importantes para o Brasil; Estética e autoestima da mulher negra; Identidade negra e a importância do cabelo para mulher; Sessão cinema com “Little Fires Everywhere” e documentário “Sobre nós”.

O Mínimo para Viver - Onde Nasce a Esperança No Setembro Amarelo, a campanha de prevenção ao debater sobre o cuidado com a vida foi tema central nas atividades realizadas no Abrigo. Através de oficinas que falaram sobre a importância de cuidar da saúde mental, foi possível debater sobre o suicídio, de forma coletiva. As atividades foram realizadas através de filmes, como “A vantagem de ser invisível”, “O mínimo para viver”, “Onde nasce a esperança” e “Por lugares incríveis”, além de atividades manuais como a confecção de cartazes, pinturas, desenhos que ficaram expostos pelas paredes do abrigo.

Entre conquistas e desafios em meio à pandemia, o ano de 2021 foi construído a partir da interlocução com os municípios e participação coletiva entre as trabalhadoras que realizam o atendimento das acolhidas e seus filhos. Neste horizonte, foi possível expandir a rede de municípios conveniados, alinhar fluxos com a rede de atendimento e produzir espaços de oficinas voltadas para a superação das iniquidades de gênero e refletir sobre temas educativos.

15 anos da Fundação e 2 anos do CRAM Em agosto foi celebrado os 15 anos institucionais da Funda ção La Salle, espaço que foi possível refletir sobre a importância da identidade lassalista. No dia 27 do mesmo mês, foi comemorado os 2 (dois) anos do CRAM, celebração que deu início a uma série de ho menagens aos municípios parceiros do projeto. Uma placa em ho menagem ao trabalho realizado conjuntamente pela proteção à vida das mulheres foi entregue em diferentes solenidades.

Centro Regional de Abrigamento para Mulheres em Situação de Risco e de Violência (CRAM) Mulheres abrigadas 52 Dependentes 81 Total de pessoas beneficiadas 133 Atendimentos em atividades e oficinas 168 Reuniões 92 Encaminhamentos para a Rede 577 Média de beneficiados por mês 12 Centro Regional de Abrigamento para Mulheres

11


12

Assistência Social


Serviço aos idosos: fortalecimento de rede de apoio e de acesso aos direitos

Número de Beneficiados: 112

O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) da Fundação La Salle é destinado às pessoas idosas em situação de vulnerabilidade social, com vivências de isolamento, falta de rede de apoio e de acesso aos direitos. Este é um serviço tipificado na Política Nacional de Assistência Social- PNAS (2004), que tem como objetivo contribuir no desenvolvimento da autonomia, no acesso a direitos, no fortalecimento dos vínculos familiares e no convívio comunitário, com vistas ao alcance de alternativas emancipatórias para o enfrentamento das vulnerabilidades sociais. A Fundação La Salle compreende que entre as principais estratégias de ação do Serviço estão a promoção de momentos de convivência entre os usuários nos grupos, os encontros por meio dos quais é possível exercitar escolhas, reconhecer limites e possibilidades, produzir coletivamente, valorizar o outro, construir projetos de vida, entre outras vivências que promovam conquistas pessoais e coletivas. A instituição vem desenvolvendo esse serviço desde 2018, com equipe composta por uma Assistente Social e duas estagiárias de Serviço Social, vinculadas à Universidade La Salle, que auxiliam no acompanhamento dos idosos e realização das atividades semanais. Durante o ano de 2021, período em que ainda vivenciamos os mais altos picos da pandemia do coronavírus, o Serviço manteve o formato adotado desde 2020, configurado pela suspensão dos encontros coletivos presenciais e adotando como estratégia o acompanhamento dos idosos a distância. Ligações semanais para os usuários participantes, com intuito de manter o vínculo com a equipe e oferecer escuta a cada um dos idosos e também realizando as “visitas de portão” Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

13


foram oportunidades de atender os idosos a partir de seu contexto territorial e de moradia. “No portão fazíamos uma escuta, trocávamos informações e orientações necessárias para as demandas que cada um deles nos trazia”, comenta Angélica Borba, Assistente Social da Fundação La Salle. Compreendemos a relevância que foi manter os idosos assistidos nesse período, pois para grande maioria dos participantes, o Serviço de Convivência é uma parte importante da rede de apoio. Para alguns é a única ou principal referência de cuidado e apoio e de forma geral se tornou o lugar onde estabeleceram muitos vínculos estreitos e significativos em suas redes de relações. Durante o período da pandemia, ouvimos muitos relatos e vimos muitas situações de idosos dos grupos que auxiliavam uns aos outros nas dificuldades que vivenciavam em seus lares.

O retorno do olho no olho nos encontros presenciais Em outubro de 2021, depois de um longo período com a suspensão das atividades presenciais que obedeciam aos decretos municipais, foi possível realizar a retomada das atividades grupais com os idosos. Esse retorno foi marcado por uma busca significativa de novas inserções no Serviço: os idosos que já pertenciam ao serviço retornaram e traziam junto seus amigos, vizinhos, outros idosos que estavam desejosos de participar dos grupos. O acompanhamento dos idosos durante o período da pandemia permitiu perceber de perto alguns dos impactos do isolamento sobre suas vidas, suas relações e das necessidades vivenciadas por eles. O isolamento foi um período difícil principalmente para os idosos que traziam em seus relatos o afastamento das pessoas como uma das maiores dificuldades, a necessidade que tinham de retomar ao convívio com seus pares, as questões de saúde mental, entre outros. E como manter a esperança de vida diante de cenários que se ouvia fa14

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos


lar que os idosos eram o público de risco? Tudo isso abalou psicologicamente muitos deles. E, para além disso, os impactos concretos que podíamos visualizar, como falta de recursos financeiros que trouxe a muitos dos idosos a vivência de situação de insegurança alimentar, demandando auxílio através do Programa de Aquisição de Alimentos PAA, que assegurou a muitos deles uma cesta de alimentos mensal. Diante desse cenário, a volta das atividades presenciais com os idosos foi marcada pelo clima de acolhimento, de escuta, troca de afetos e festejos pela vida e pelo tão desejado reencontro. No pri-

meiro mês de atividades, retomamos a importância desse espaço de convivência e desenvolvemos com eles atividades voltadas ao fortalecimento do coletivo e das relações ali estabelecidas. Reuniões Encaminhamentos para a Rede Atividades grupais Visitas de portão Total de beneficiados

48 42 14 225 112

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

15


A espiritualidade como ponte na retomada do grupo O contexto da vida em pandemia nesses últimos dois anos trouxe para muitos integrantes do grupo profundas reflexões, dentre elas, a temática da espiritualidade. Dentre os idosos podemos perceber o quanto o exercício da espiritualidade se tornou um recurso muito acessado durante o isolamento. A prática da fé se tornou uma estratégia de auxílio ao enfrentamento de situações difíceis e de extrema vulnerabilidade social. Enquanto instituição lassalista, compreendemos que a espiritualidade é parte importante que nos integra como seres humanos.

16

Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

Sendo assim, a partir dos ensinamentos baseados nas escrituras e nas vivências de São João Batista, que eram inspiradas pela vivência cristã, a volta das atividades foi marcada também por incluir nos encontros semanais momentos de espiritualidade, proporcionando um espaço para fortalecer a prática da fé. Com respeito às mais diversas formas de expressão religiosa, o grupo começou a realizar breves meditações, com momentos especiais para quem desejasse fazer uma oração. Alguns encontros do grupo abordaram diretamente esta temática com diferentes reflexões. A criação desse momento foi algo pensado juntamente com o grupo, que participa e interage nas questões voltadas à espiritualidade.


No mês de dezembro realizamos o projeto: “É Tempo de Celebrar - Revivendo os significados do Natal”. Cada encontro desse mês foi marcado pelo rito cristão do Advento, marca lassalista que buscamos trazer nos encontros do Serviço de Convivência, com atividades que abordaram uma retrospectiva da jornada do SCFV, com a montagem das árvores dos afetos, construídas pelos idosos sendo composta por fotos de momentos vivenciados ao longo dos anos no Serviço. Também ofertamos uma oficina de confecção de guirlandas de Natal, oportunizando aos idosos a construção de guirlandas com materiais recicláveis, podendo ao final da oficina levar seus trabalhos finalizados para decorar suas casas.

torno aos encontros presenciais, perceber a conexão que acontece quando os olhares se encontram, compreender o valor do reencontro e perceber que o momento atual demanda novas questões. Seguimos desafiados a compreender todo esse contexto vivido pela população idosa nos últimos dois anos, nos mobilizando a ofertar um serviço cada vez mais qualificado e acessível às suas necessidades.

Outra atividade que foi realizada, que teve como objetivo trabalhar o fortalecimento da identidade, foi feita através da dinâmica dos significados dos nomes, relacionando com as características que definem a singularidade de cada indivíduo. Foi este um momento em que muitos se emocionaram ao recordar as histórias da origem de seus nomes e descobrir os significados. Na ocasião foi entregue a cada idoso um envelope personalizado, contendo um bilhete que trazia o registro do significado do seu nome. O mês também contou com a realização de um encontro intergeracional, momento em que cada participante pode trazer alguém importante de suas relações familiares e/ou comunitárias. Realizamos uma breve atividade com todos os presentes, seguindo com um café da manhã especial. O projeto foi finalizado com a celebração de final de ano, na qual os idosos foram recebidos no Centro de Pastoral La Salle, sede do Serviço, com uma Ceia de Natal, em que também receberam como presente uma camiseta com a identidade do grupo. A camiseta era um desejo antigo dos mesmos, por vezes falavam o quanto seria legal poder “vestir” a camiseta que os identificassem. O momento foi marcado por muita emoção entre os participantes. Para concluir, destacamos a grande importância que foi o reServiço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

17


Transformação pessoal e comunitária através da formação de lideranças No ano de 2021 demos início ao Projeto do Centro de Educação e Cidadania La Salle Ananindeua, e a partir do mês de Outubro tiveram início a formação cidadã e os cursos profissionalizantes com Jovens e Mulheres do Bairro do Icuí, em Ananindeua, no Pará. Ao longo do percurso foram realizadas atividades que fomentam a cidadania e a geração de renda dos inscritos no projeto, bem como ações que beneficiam a comunidade de modo geral, como palestras sobre a violência contra a mulher, projeto de Vida com os jovens e doação de brinquedos no Natal.

Construção do projeto de vida dos jovens A construção do projeto de vida foi um momento marcante para a Juventude Cidadã que tem como principal objetivo gerar um processo de planejamento no qual os jovens possam se conhecer melhor, identificar seus potenciais, interesses e paixões e estabelecer estratégias e metas para alcançar os seus próprios objetivos, bem como atingir a sua realização em todas as dimensões: física, mental, profissional e espiritual. A partir disso, foi realizado um levantamento com os jovens sobre suas potencialidades. Voluntariamente, os jovens organizaram-se para fazer do encontro um momento de compartilhar experiências pessoais. Desse modo, tivemos: apresentação musical dos jovens que cantam e tocam violão, recital de poesia e dramatização. Também foi realizada a dinâmica “Cápsula do Tempo”, um recurso para trabalhar as perspectivas de futuro dos jovens. Os jovens trouxeram temas relevantes para serem dramati18

Centro de Educação e Cidadania La Salle

Número de Beneficiados: 164

zados, que envolveram temáticas já trabalhadas anteriormente durante a Formação Cidadã. A peça representada pelos jovens tratava de “Relacionamento abusivo”, perpassando por temas fundamentais como a formação do sujeito, os marcadores da diferença, bem como a presença da afetividade, enquanto categoria de importância para o desenvolvimento de relações afetivas saudáveis. O primeiro Projeto de Vida realizado pelos jovens buscou fortalecer o protagonismo e a cidadania como aliados de sua trajetória de vida, onde puderam demonstrar as suas potencialidades e habilidades.


Centro de Educação e Cidadania La Salle

19


Os sonhos das mulheres No decorrer de dezembro de 2021 foram realizadas duas ações voltadas para o público feminino do Bairro. Uma delas ocorreu na Área Missionária Ascensão do Senhor, no Conjunto Uirapuru-Icuí, com a convocação da comunidade para participar das atividades da Ação. As mulheres do projeto Agentes de Ação Social realizaram uma roda de conversa sobre as diversas tipificações de violências cometidas contra as mulheres, usando cartas com alguns questionamentos que estimularam o debate sobre violência doméstica. Da mesma forma, foi realizada a dinâmica de grupo “Sustentando Sonhos”, que fomentou o fortalecimento dos sonhos de mulheres, e a reflexão de como é o que eu posso fazer para fortalecer os sonhos de outras mulheres? Já a segunda ação realizada pelas participantes do grupo ocorreu na Comunidade Novo Cristo. Durante o primeiro mês do projeto, os relatos de abuso e experiências adversas vividas pelas mulheres, desde muito cedo, foram frequentes. Assim, foi possível perceber que os diálogos suscitaram a reflexão acerca da necessidade de falar sobre o tema com a comunidade, levar informação sobre a rede de apoio que pode ser acionada em casos de violência e a mudança de postura em relação às vítimas, pautada no acolhimento. O processo de criação do evento se tornou 20

Centro de Educação e Cidadania La Salle

um ambiente de desenvolvimento de potencialidades das mulheres, utilizandose de habilidades já presentes em seu repertório. Em todos os sentidos, foi possível perceber o protagonismo, visto que as participantes estiveram à frente de todo o planejamento e execução do plano do evento. Esta atividade demonstrou-se um contexto propício para a observação das lideranças no grupo e prospectar possíveis figuras ativas no contexto social da comunidade do Icuí. O maior desafio foi fazer com que as mulheres do projeto se sentissem capazes de multiplicar informações, pois as temáticas trabalhadas como a violência contra as mulheres e o machismo mexem com o emocional das alunas, visto que elas também estão em vulnerabilidade social e muitas das vezes passam por esses mesmos problemas. No entanto, através de diálogo, riqueza de informação e

Tamara Pereira Teixeira, 33 anos, doméstica Quero agradecer por ter a oportunidade de fazer parte desse projeto porque já aprendi muitas coisas, inclusive a me amar mais, me valorizar, dizer que sou capaz. Também aprendi a maquiar com o curso e ter uma nova fonte de renda. A palavra é gratidão a vocês por realizarem sonhos, meus e de outras mulheres. Então eu deixo aqui o meu agradecimento, é uma grande oportunidade e eu sou muito mais feliz.


muito aprendizado dinâmico, grande parte das mulheres do projeto já tomam a frente de ações e são protagonistas de suas histórias e atuantes dentro do Bairro. Com isso, as mulheres do Icuí sentem-se mais à vontade quando estão em diálogo com outras mulheres do próprio Bairro. Sentem-se mais acolhidas e trazem uma carga cultural parecida ao que é vivenciado pela comunidade. Outro ponto de suma importância a ser ressaltado são os atendimentos realizados pelos psicólogos e assistentes sociais do Centro. Durante a primeira semana de projeto, assim que foi repassado aos alunos que os profissionais estavam à disposição para escuta, logo procuraram a equipe com demandas como conflitos familiares, ansiedade, abuso sexual e outras problemáticas sociais. Os colaboradores realizaram os encaminhamentos necessários para a rede e continuam realizando essa escuta com os alunos do projeto que tem sido de grande importância para o melhor acompanhamento da família e para o desenvolvimento das atividades.

Centro de Educação e Cidadania La Salle Total de beneficiados Atendimentos em atividades e oficinas Reuniões Encaminhamentos para a Rede Eventos realizados Público atingido em eventos Total de beneficiados de 2021 Média de beneficiados por mês Atendimentos Psicossociais

164 63 11 3 5 189 164 100 16

O ano em destaque foi de início de trajetórias e construção de um novo grupo dentro do Bairro. Criar vínculos com a comunidade foi de antemão facilitado, já que a Rede La Salle já faz parte da história da comunidade do Icuí através de projetos anteriormente aplicados, bem como a presença da Escola Assistencial La Salle. Percebe-se através de escutas e depoimentos de jovens e mulheres, que o Bairro estava carente de um espaço em que pudesse acolher essas pessoas. No Centro elas podem ser ouvidas, podem ser elas mesmas e mais do que isso, é um espaço de debate em que é fomentado a importância da cidadania para a sociedade. O Projeto do Centro de Educação e Cidadania La Salle tem sido de grande relevância para o fortalecimento das discussões sociais no Bairro, bem como sendo muito importante para o futuro dos alunos, pois oferece cursos para uma nova geração de renda, oferecendo-lhe novas oportunidades no mercado de trabalho. O projeto planta uma semente que perpetua frutos para a comunidade.

Raylson Ribeiro Pinho, 15 anos, estudante Eu me inscrevi no projeto buscando uma qualificação, mas acabei encontrando amigos e consegui melhorar a minha forma de me relacionar com as pessoas. Tenho certeza que sairei daqui com outra visão do mundo e como um ser humano melhor, mais empático e participativo na sociedade. A qualificação profissional também será de suma importância para a minha carreira no mercado de trabalho. Obrigado ao projeto por essa oportunidade.

Centro de Educação e Cidadania La Salle

21


Proteção à primeira infância fortalece vínculos com as famílias O programa Criança Feliz é uma ação do Governo Federal vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Social. Instituído em 2016, possui caráter intersetorial, e tem por finalidade a promoção do desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, considerando sua família e seu contexto de vida. Já o Programa Primeira Infância Melhor promove e fortalece o protagonismo, as competências e vínculos familiares, orienta para a estimulação do desenvolvimento infantil, identifica as necessidades específicas de cada beneficiário, articulando a rede de serviços conforme as demandas que surgem no cotidiano e cultura das famílias. São acompanhadas famílias com gestantes e crianças de 0 a menos de 6 anos, priorizando as que se encontram em situação de vulnerabilidade e risco social, beneficiárias ou não de Bolsa Família e/ou BPC. O ano de 2021 foi importante para a consolidação dos programas Primeira Infância Melhor e Criança Feliz no Município de Cachoeirinha. Após o início dos trabalhos em outubro de 2020, ainda de forma experimental, intercalou-se a capacitação dos agentes com o trabalho propriamente dito. Em 2021 os programas ganharam volume e passaram a atender um número maior de famílias em situação de vulnerabilidade social. Os programas precisaram passar por ações de realinhamento de processos causados pelo afastamento social e protocolos cada vez mais rígidos de segurança sanitária devido ao contexto de pandemia. Ainda assim, o avanço foi significativo na qualificação dos trabalhos dentro de uma logística de orientação e supervisão constante e sistemática, no sentido de auxiliar o grupo de visitadoras a 22

Primeira Infância Melhor e Criança Feliz

Número de Beneficiados: 2.268

aumentar gradativamente seus números de atendimentos e a qualidade do serviço realizado. Nos meses de novembro e dezembro os programas alcançaram o total de 514 famílias atendidas.Um dos fatores que contribuíram para estes resultados é a qualificação constante e a atenção destinada da equipe de Coordenação da Fundação La Salle, Supervisoras, Monitoras e Grupo Técnico Municipal de forma que o trabalho das visitadoras ao longo do ano veio em um crescente qualitativo e quantitativo. Reuniões sistemáticas são realizadas nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), possibilitando contato e interação constante entre a equipe de execução e de gestão dos programas de governo. O trabalho segue com a intenção de aumentar o número de famílias atingidas no município e estender os serviços oferecidos a mais crianças e suas famílias.

PRIMEIRA INFÂNCIA MELHOR CRIANÇA FELIZ Total de beneficiados

Atendimentos em atividades e oficinas Reuniões Encaminhamentos para a Rede Eventos realizados Público atingido em eventos Média de beneficiados por mês

2.268 830 144 268 03 50 2.268


Letícia Xavier Machado, 42 anos Me sinto grata por ser beneficiada por esse projeto que me ajuda muito.Trabalho em casa, então posso cuidar da minha nenê e ter o acompanhamento do projeto que me ajuda de várias formas, principalmente no desenvolvimento e crescimento da minha filha. Gratidão Taiane Custódio Cardozo, pelo acompanhamento.

Priscila Quadros Soares Sou mãe do Murilo Benício que tem 2 anos. Ele é autista grau leve, no momento estou recebendo auxílio do governo e o programa PIM foi importante nos encaminhamentos para conseguir a APAE, além de sempre sanar dúvidas sobre os conselhos dos médicos.

Primeira Infância Melhor e Criança Feliz

23


24

Segurança Pública


Conexões em rede para o enfrentamento às violências No ano de 2021, os Centros de Prevenção às Violências passaram a se chamar Centros de Acesso a Direitos (CADs) a partir do decreto de nº 212 de 25 de Junho de 2021, com o objetivo de ampliar e qualificar o trabalho que já vinha sendo realizado no município de Canoas. O trabalho passou a integrar o Programa Canoas Cidade do Cuidado, coordenado pela Secretaria de Segurança Pública, que é um guarda-chuva para todas as iniciativas e intervenções na área de prevenção às violências. Além disso, visa a integração de bases de dados para uso de inteligência em prevenção e acolhimento. Continuamos o trabalho com todos os desafios que a pandemia acarretou, retornamos às atividades presenciais e abrindo possibilidades de novos atendimentos e ações. O Centro de Acesso a Direitos atende usuários através de demandas programadas e espontâneas. As demandas espontâneas compreendem usuários que procuram atendimento por motivos de violações de direitos e/ou para solicitar auxílio para acessar seus direitos. As demandas programadas correspondem aos programas Presença e Cada Jovem Conta. O público alvo do Programa Presença são jovens que abandonaram a escola e/ ou cumprem medidas socioeducativas e suas famílias, e tem como objetivo a articulação de rede intersetorial para minimizar os riscos de envolvimento em situações de violência, incluindo a elaboração de estratégias de intervenção e garantia de direitos. O programa Cada Jovem Conta articula parcerias com a rede intersetorial com o objetivo de prevenir a evasão escolar de crianças e adolescentes do sistema formal de ensino, visando criar estratégias para fortalecer os fatores de proteção e diminuir os fatores de risco da família.

Número de Beneficiados: 1.342

principalmente no que tange ao trabalho com as escolas e os retornos das aulas e atividades presenciais. O trabalho do Cada Jovem Conta foi crucial para o acompanhamento dos casos mais agravados na rede de ensino, podendo ser comprovado pelo aumento do número de casos e acompanhamentos. O programa Presença também auxiliou nesta retomada através de sua atuação com os jovens já acompanhados, com a busca por vagas escolares para aqueles que desejavam retornar ao ensino formal. O auxílio do programa Busca Ativa Escolar, realizado pela Prefeitura, foi um pilar importante para o desenvolvimento escolar. Segundo o comitê municipal, no mês de maio existia um total de 3282 estudantes em situação de Busca Ativa, e durante este mesmo mês foram resgatados 910. Em junho, eram 1201 crianças, adolescentes e jovens. No último balanço do programa, mais de 2000 mil alunos haviam retornado às escolas e a parceria dos Centros de Acesso à Direitos fez toda a diferença nos bairros de suas atuações.

A atuação dos programas intersetoriais continuaram sendo de extrema importância para a prevenção às violências e acesso à direitos, Centros de Acesso a Direitos

25


Cidade do Cuidado Em 2021, a Prefeitura Municipal de Canoas lançou o programa Cidade do Cuidado e os Centros de Acesso a Direitos integram não só a rede de acolhimento, mas fazem parte diretamente, por meio das coordenações, dos grupos de trabalho e gestão que organizam o funcionamento do mesmo. Com isso, o ano foi marcado por diversas reuniões e planejamentos que culminaram na primeira Jornada Canoas Cidade do Cuidado, direcionado às entidades assistenciais parceiras do município, com o objetivo preparar a rede de acolhimento para receber casos de violência de forma mais efetiva. Para além da formação, a Jornada teve o intuito de apresentar às instituições novos instrumentos de trabalho para encaminhamento de usuários para a rede assistencial municipal. Os Centros de Acesso a direitos estiveram presentes na capacitação, ministrando temas e assuntos pertinentes para o andamento, tais como tipos de violência, rede, discussão de casos, entre outros. O projeto capacitou 15 entidades que receberam também um selo identificando a instituição como um espaço de acolhimento e cuidado.

Juliano da Silva Dias, desempregado, 15 anos Gostaria de parabenizar pelo eficiente trabalho do CAD, especialmente da Assistente Social Desirée. Todas as vezes resolveram nossos problemas e/ou tentaram nos auxiliar. Ficamos muito gratos pela atenção. Bacana o atendimento, não possuímos queixas e pretendemos continuar com o acompanhamento. (Jovem atendido pelo Programa Cada Jovem Conta C.2 Guajuviras)

26

Centros de Acesso a Direitos

Inserção dos jovens no mercado de trabalho Outro acontecimento importante em 2021 foi a interlocução da Prefeitura Municipal de Canoas com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, o SENAC e o Grupo Zaffari que culminou em uma parceria para a execução do programa jovem aprendiz para jovens acompanhados pelos Centros de Acesso a Direitos. Os CADs acompanharam e auxiliaram em todo o processo para inclusão destes jovens, principalmente no que tange ao acesso a direitos básicos para que pudessem participar do programa, como por exemplo, retorno às aulas, emissão ou reemissão dos documentos e vacinação da COVID-19. Em um primeiro momento, 19 jovens conseguiram efetivar a matrícula e estão desde o mês de dezembro participando das aulas de aprendizagem profissional. Após a conclusão do curso, os jovens poderão trabalhar em secretarias e órgãos da administração pública com carteira assinada pelo Grupo Zaffari através da lei do Jovem Aprendiz. Luiz Michel, atendido pelo programa Cada Jovem Conta e estudante da Escola Ministro Rubem Carlos Ludwig foi um dos jovens contemplados pelo programa. Segundo o jovem:

Luiz Michel Thadeu Gonçalves, estudante, 16 anos Os CADs me ajudaram e me deram apoio quando eu mais precisei. Hoje eu espero poder me desenvolver na área e, se Deus quiser, lá na frente, poder ajudar quem mais precisa. Eu vejo esse programa como a solução para uma vida melhor. Assim, ninguém vai precisar ir para o mundo do crime.


Insegurança alimentar na agenda de trabalho

Acolhimento a favor da vida

Em 2021, os Centros de Acesso a direitos continuaram atendendo as demandas pré estabelecidas e assumiram diversas outras frentes de trabalho que infelizmente vieram com a pandemia, como é o caso do aumento de casos em atendimento em situação de insegurança alimentar. Frente à essa nova realidade, em março os Centros de Acesso a Direitos passaram a ter acesso ao Programa de Aquisição Alimentar (PAA) por intermédio da Fundação La Salle.

Apesar dos desafios enfrentados no ano de 2021 ainda por conta da pandemia da COVID-19 e dos efeitos na mesma na população brasileira, como fome, pobreza, desemprego entre outros, os Centros de Acesso a Direitos são espaços potentes de acolhimento a favor da vida. Através dos programas é possível acompanhar o crescimento não só da criança e do adolescente em situação de vulnerabilidade atendido, mas também de toda a família.

Os trâmites de cadastramento tiveram início ainda em 2020 e exigiram da equipe uma análise das famílias acompanhadas, bem como o acompanhamento mensal das mesmas. O PAA é um benefício alimentar de extrema importância para as famílias que atendemos e em 2020 conseguiu beneficiar 29 famílias no CAD Mathias Velho e 13 familiar no CAD Guajuviras, totalizando 42 famílias cadastradas pelo Centro de Acesso a Direitos.

Através das demandas espontâneas é possível perceber a importância de um espaço público que escute e oriente os usuários a melhor forma da busca e acessos aos seus direitos. A maior potencialidade dos Centros de Acesso a Direitos é ser um espaço de portas abertas para a comunidade local dentro de cada território. O ano de 2021 com todos os seus resultados mostrou o quanto o trabalho da Segurança Pública aliado à prevenção às violências e ao acesso aos direitos contribui para o desenvolvimento pessoal e familiar dos atendidos, potencializando as comunidades.

MATHIAS GUAJUVELHO VIRAS Total de beneficiados 606 736 Atendimentos em atividades e oficinas 11.804 5.717 Reuniões 112 133 Encaminhamentos para a Rede 196 387 Eventos realizados 2 2 Público atingido em eventos 62 62 Total de beneficiados de 2021 606 736 Média de beneficiados por mês 226 250 Centros de Acesso a Direitos

27


Observatório de Segurança Pública de Canoas A nova equipe multidisciplinar iniciou as atividades no Observatório de Segurança Pública de Canoas (OSPC) em agosto de 2021. Desde o primeiro dia foi um processo rico em aprendizados e descobertas sobre a trajetória do espaço público desde seu início, em 2009. Ao chegar, o grupo foi gradativamente assimilando, organizando as tarefas cotidianas do Observatório, como a de coleta de dados, o monitoramento de indicadores, o georreferenciamento, a elaboração de relatórios, o atendimento de demandas internas da Secretaria Municipal de Segurança Pública (SMSP), a participação em reuniões e grupos de trabalho, o desenvolvimento de pesquisas, entre outras. A interação da equipe também evidenciou a integração das áreas de conhecimento, valorizando a troca e a complementaridade entre os pontos de vista de profissionais das ciências sociais, antropologia, geografia e políticas públicas, além da área da segurança cidadã – representado por um servidor de carreira atuante no Observatório. Assim transcorreram-se os três primeiros meses, de agosto a outubro.

28

Observatório de Segurança Pública

Observatório de Segurança Reuniões Apresentações em eventos Produtos e relatórios produzidos Pesquisas realizadas

19 3 24 1

Daiana Vieira Costa, Secretária Executiva do Gabinete de Gestão Integrada Municipal-GGI-M O Observatório de Segurança Pública de Canoas (OSPC) criado pela Lei Municipal nº 5386.2009, capítulo IV, atua como uma ferramenta estratégica do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGI-M), em que subsidia a gestão pública municipal para tomada de decisões, com análises científicas da dinâmica das violências e das ocorrências criminais, trazendo a identificação das causalidades e dos fatores que influenciam a segurança na cidade. Em 2021 com a nova equipe do OSPC, profissionais de diversas áreas, como gestores, servidores, sociólogos e geógrafos tivemos formas mais eficientes de enfrentar os problemas relacionados à segurança pública, pois qualificamos a informação e a tornamos ferramenta para ações policiais e de fiscalização do GGI-M.”


Delegado Emerson Wendt, SMSP - Canoas O trabalho do Observatório é extremamente importante, principalmente pelo perfil agregado da equipe, o conjunto da obra por assim dizer, trazendo conhecimentos diferentes para ajudar nessas análises diferenciadas e no trabalho da segurança pública. Essas visões diferentes ajudam a compreender o mesmo fenômeno de maneira diferente, e é isto que a gente quer no observatório.

Em outubro o Observatório de Segurança participou da 5ª Reunião do Pleno - Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGI-M), em encontro presencial no Auditório Sady Schwitz, apresentando os dados criminais do período de janeiro a setembro. Foi uma grande satisfação poder demonstrar resultados do nosso trabalho na presença das autoridades municipais de Canoas, além de acompanhar os indicadores apresentados pelas demais instituições de segurança. A realização da 3ª Pesquisa de Vitimização também foi uma das atividades mais marcantes do período de novembro a dezembro. A fase anterior, de desenvolvimento do projeto e elaboração do questionário, demandou muitas reuniões de trabalho, reflexões e discussões que permitiram a elaboração de um instrumento criterioso. Já durante a fase de execução, centrada na coleta de dados, foi necessária coordenação e responsabilidade para manter as tarefas dentro do cronograma e planejamento pré-determinados. Além disso, a pesquisa mobilizou esforços tanto da Secretaria Municipal de Segurança Pública quanto da Fundação La Salle, além, é claro, dos pesquisadores envolvidos. Durante este momento, foi desafiador conciliar a coleta dos dados em campo com as tarefas internas habituais do Observatório, mas o trabalho foi cumprido de forma satisfatório com respeito aos prazos estabelecidos. Observatório de Segurança Pública

29


30

Gestão Educacional


Educação musical na extensão da sala de aula No mês de setembro de 2021, após a reabertura das escolas municipais da Prefeitura Municipal de Cachoeirinha, o projeto Canta e Encanta Minha Gente foi retomado. O projeto de educação musical ocorreu em treze das dezenove escolas de ensino fundamental, em dois turnos, atendendo os estudantes no contraturno escolar em oficinas de canto, violão e violino. As demais escolas ficaram fora do projeto devido à falta de espaço físico, pois era necessário o distanciamento entre os estudantes que, nesses casos, impediu temporariamente a implementação da proposta.

Número de Beneficiados: 1.100 Reuniões: 22

centes da escola pública, bem como aspectos do alinhamento teórico e metodológico da proposta pedagógica do projeto. As oficinas iniciaram na segunda quinzena de setembro, após ampla divulgação online e em sala de aula. As inscrições foram realizadas diretamente nas escolas. O projeto iniciou com aproximadamente 500 estudantes, chegando em novembro a 1.100, fator decisivo sobre a importância do projeto para as famílias e para as políticas públicas do município.

O novo formato do projeto foi discutido junto à coordenação de projetos da Secretaria Municipal de Educação e Direções das escolas, devido aos fatores da pandemia do coronavírus, a necessidade de distanciamento social, as normas de higienização de espaços e equipamentos e os demais protocolos de prevenção a serem aplicados nas oficinas dos projetos. Assim, conforme ajustado com a gestão escolar, as oficinas ocorreram com número reduzido de estudantes e tiveram sua ocupação máxima definida caso a caso. Inicialmente foram realizadas reuniões de alinhamento com as equipes diretivas das escolas, visando a organização de horários e espaços para as oficinas de música. Também se discutiram os protocolos e cuidados necessários para a realização das oficinas dentro das normas sanitárias exigidas. Em um segundo momento a Fundação La Salle deu início à seleção dos Instrutores de Música, sendo efetivadas as contratações de quatro professores de canto e violão e um de violino. Os profissionais passaram por uma capacitação que contou com técnicas e dinâmicas diferenciadas para a inclusão e iniciação musical de crianças e adolesCanta e Encanta Minha Gente

31


Cuidados socioemocionais na agenda da escola O ano de de 2021 iniciou com novas vivências, necessitando organizar a escola como um ambiente de acolhimento sócio-educacional. O ano letivo começou em fevereiro com atividades remotas, com o mesmo desafio de ir além das propostas educacionais, incluindo também os cuidados socioafetivos, de saúde e desenvolvimento cognitivo em cada atividade pensada para as crianças.

Número de Beneficiados: 154 bas do Drive ajudaram na aquisição de materiais pedagógicos para uso em sala de aula e materiais de necessidades gerais da escola. A escolha da Associação de Pais e Mestres e do Conselho Escolar foi outra marca importante do ano letivo.

Em maio as atividades da escola voltaram de forma presencial, com a possibilidade de ensino híbrido (remoto/presencial), onde as crianças eram atendidas por escala de horários e dias, para que a instituição pudesse respeitar as metragens e cuidados estabelecidos pela vigilância sanitária, e garantir de fato um ambiente saudável e segura para todos. Assim, aos poucos a escola foi retomando sua vida em cores, sons e formas. Para cada criança que voltava às aulas presenciais era grande a alegria, mas também o compromisso com a segurança em saúde. Periodicamente foram realizadas conversas e formações com o grupo de colaboradores, para assegurar que todos os protocolos estavam sendo seguidos, compartilhar anseios e reforçar o papel enquanto instituição que apoia a formação de cidadãos para a sociedade. Com dedicação, planejamento e cuidados foi realizado o Drive Julino. Não apenas as famílias da escola participaram, mas também a comunidade. O evento contou com a venda de 150 marmitas de comidas típicas e venda de votos para os caipirinhas feminino e masculino. O Drive fortaleceu o amor por educar, partilhar e viver junto, embora com o distanciamento social tão presente. A escola contou ainda com a revitalização do pátio interno da escola, com materiais doados pelas casas de tintas da cidade. As ver32

EMEI Izabel Cristina Souza da Costa

Larissa Augustin Kramer, Mãe do aluno Joaquim - Berçário II Cada vez que o Joaquim chega em casa e me conta uma história, canta uma música, me fala o que aprendeu com a professora, meu coração enche de orgulho dela e dele.


Setembro começou com uma ação entre amigos, que foi abraçada pela comunidade escolar, com doações dos comerciantes locais. Os recursos ajudaram a cumprir alguns compromissos monetários do registro da APM, além de outras melhorias na escola. O ano seguiu com as celebrações do dia das crianças, em que tivemos brincadeiras, circuitos, brinquedos como cama elástica, lan che variado, pintura em rosto em parceira com o Instituto Mix do município, cineminha e muito mais. Além disso, realizamos o segundo Drive de Dia Das Crianças da Escola, que contou com a presença do Super Homem e da Mulher Maravilha. O brilho nos olhos das crianças foi incrível. Para este momento cada turminha montou uma sacola pedagógica com materiais diversos, jogos, brinquedinhos e doces. O evento foi acompanhado por um Brechó comunitário, que teve as peças não vendidas doadas para a Assistência Social do Município e para o Centro de Abrigamento das Mulheres da Fundação La Salle. Com a primeira verba do governo, a escola contratou a instalação de roteadores para qualificar o acesso à internet em todos os espaços educativos, além de adquirir caixa de som, materiais de expediente, jogos didáticos e brinquedos voltados à faixa etária de cada criança. O final do ano letivo foi marcado por um período de alegria e satisfação com a caminhada do ano. A entrega dos pareceres descritivos foi acompanhada de um presente de Natal, que simbolicamente demonstra a preocupação e o cuidado da escola com cada criança e seu desenvolvimento integral.

EMEI IZABEL CRISTINA SOUZA DA COSTA ANO 2021 Total de beneficiados Atendimentos em atividades e oficinas Reuniões Encaminhamentos para a Rede Eventos realizados Público atingido em eventos Média de beneficiados por mês

154 04 05 04 05 160 a 200 154

EMEI Izabel Cristina Souza da Costa

33


Afetos e aprendizagens na retomada do convívio escolar A Escola Municipal de Educação Infantil Simone Serafim também integra a gestão compartilhada com a Prefeitura de Sapucaia do Sul no atendimento de crianças de 0 a 3 anos e 11 meses. O atendimento ocorre a partir das 7h da manhã e segue até às 18h, incluindo o café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. No ano de 2021 o trabalho começou de forma remota, passando para a forma híbrida a partir do dia 31 de maio. O trabalho foi desafiador para todos os profissionais da escola que se tornaram vídeomakers, elaborando recursos e procurando aperfeiçoamento tecnológico para dar segmento à proposta pedagógica. O fio condutor foi trabalhar com as emoções de cada um, com as indagações de crianças e familiares que já estavam há mais de um ano vivendo longe do convívio social. Com o decorrer do tempo, os familiares foram-se sentindo confiantes e seguros para que as crianças fossem retornando aos poucos para a Escola. O trabalho educativo teve por objetivo garantir de acordo com a Base nacional Comum Curricular.

Ana Paula Motta, mãe do Miguel, matriculado desde 2020 Foi na Emei simone Serafim que o Miguel formou amigos, construiu seu conceito de escola, conheceu e se encantou pelas professoras, tornou-se mais paciente, aprendeu a compartilhar, solicitar o que deseja, ampliou seu vocabulário e oralidade, aprimorou diversas habilidades, construiu novos conhecimentos, aprendeu cantigas, jogos e brincadeiras, formas geométricas e muito mais. Mas acima de tudo, sentiu-se seguro e feliz dentro da “sua” escola.

34

EMEI Professora Simone Serafim

Número de Beneficiados: 150

Os direitos da criança de aprender, conviver, brincar, participar, explorar e expressar-se possibilitando a troca entre os pares e prestando auxílio a esta comunidade com amor e com um atendimento educacional de qualidade. A prática pedagógica consiste em oportunizar que as crianças sejam capazes de expressar seus desejos, sentimentos e desagrados, familiarizar-se com a própria imagem. Conhecer seus limites, executar ações relacionadas à saúde e higiene, brincar, socializar e interagir,


identificar suas possibilidades dentro do seu protagonismo também foram premissas do trabalho desenvolvido. Para que todos esses objetivos se concretizassem foi importante criar situações educativas para que, dentro dos limites impostos pela vivência da coletividade, cada criança pudesse ter respeitados os seus hábitos, ritmos e preferências de forma lúdica e prazerosa, deixando que se encante e sejam encantados como é o trabalho na educação infantil. A organização dos espaços das salas de aula ou dos corredores da Escola representa muito sobre as concepções que os profissionais têm a respeito de criança, infância e Educação Infantil. A Escola conta com um amplo espaço físico externo onde são realizadas propostas ao ar livre, explorando recursos pedagógicos estruturados e não estruturados. Os alunos ainda contam com manifestações artísticas em quadros brancos fixados nas paredes dos corredores da Escola. São espaços utilizados também para execução de propostas que visem desenvolver a autonomia motora, postura corporal e trabalhos voltados à corporeidade. Alguns eventos e rifas foram organizados para angariar recursos para compra de materiais pedagógicos. No Drive-thru Julino foi elaborado um kit com doces e salgados de uma festa tradicional junina para entrega às famílias que fizeram a retirada de dentro dos carros, enquanto participavam de brincadeiras. O segundo Drive-thru do ano foi na semana da Criança onde foi realizado a venda de pizzas e entrega de um mimo para cada criança. Já em dezembro, com a proximidade do Natal, foi realizado o 2º ano do Natal Solidário, em que as crianças foram apadrinhadas por familiares da comunidade escolar que receberam um presente das mãos do Papai Noel. A Escola iniciou seu ano letivo em 19 de fevereiro e seguiu até 23 de dezembro. Nestes dois anos de projeto foi recompensador cada troca, cada olhar os afagos das crianças carinhosamente, as palavras de confiança das famílias nos enriquecem e valorizam.

EMEI PROF. SIMONE SERAFIM Total de Beneficiados Atendimentos Reuniões Eventos realizados

ANO 2021 150 150 10 5 EMEI Professora Simone Serafim

35


Esporte como espaço de convivência e formação extracurricular

Número de Beneficiados: 60

O Programa Segundo Tempo iniciou sua implementação em outubro de 2021, com vagas para crianças e jovens matriculados na rede municipal de ensino do Município de Canoas. A iniciativa conta com 70% das vagas destinadas aos alunos das escolas Erna Würth (Núcleo Centro Olímpico Municipal) e Escola Prefeito Edgar Fontoura (Núcleo Parque Getúlio Vargas) e 30% destinadas a toda a comunidade. Essas vagas foram oferecidas para crianças e jovens, de 6 a 18 anos de idade, para aulas de práticas esportivas (handebol, voleibol, futebol e atletismo), no turno inverso de suas atividades escolares curriculares. Os alunos foram divididos em 3 turmas, de acordo com suas faixas etárias. Turma 1, dos 6 aos 11 anos, turma 2, dos 12 aos 14 anos e turma 3, dos 15 anos para cima. Cada turma teve aulas 3 vezes por semana com duração de 2 horas. A turma 1 vivenciou as modalidades atletismo, handebol, voleibol e futebol. A turma 2 praticou o voleibol misto e a turma 3, o futebol de campo masculino. O Núcleo do Centro Olímpico Municipal ofereceu as aulas no turno da manhã, ministradas pela professora Adriana Barnasque Figueiró com o auxílio da estagiária Raquel de Oliveira Ivo. Já o núcleo do Parque Getúlio Vargas ofereceu aulas na parte da tarde, orientadas pelo professor Fernando Júnior, com o auxílio da estagiária Cátia Cilene Ferreira. Alguns desafios aconteceram na implementação do programa, como acesso dos alunos, custos de transporte, tempo de locomoção, mas o Programa desenvolveu um papel muito importante, pois os beneficiados ficaram muito satisfeitos com as aulas, melhorando suas rotinas e seu relacionamento em família, além de qualificar seus desempenhos escolares, segundo relatos dos pais em questionários respondidos no final do ano. 36

Segundo Tempo

Patrick Cândido Silva, 15 anos, estudante Eu gosto muito do Programa Segundo Tempo porque é uma ótima atividade física, que fez eu ter uma rotina de acordar cedo para fazer algo bom, que pode me dar um futuro melhor. Também fiz novas amizades e aprendi bem mais a jogar o futebol. Acho o Programa muito bom para todas as crianças e jovens que querem ter uma ocupação e fazer uma atividade física.


As crianças e jovens atendidos neste programa mostraram um ótimo empenho no aprendizado das atividades, mostrando uma grande evolução psíquica e motora no decorrer do projeto, além de demonstrarem grande satisfação em participar das aulas e interagir com outros colegas, possibilitando novas descobertas e novas amizades.

PROGRAMA SEGUNDO TEMPO Atendimentos em atividades e oficinas Reuniões Total de beneficiados em 2021 Média de beneficiados por mês

800 01 60 50

Segundo Tempo

37


Aula de Música no caminho da juventude O grande filósofo Platão dizia que “a música é um instrumento educacional mais potente do que qualquer outro”, sendo assim, qualquer tipo de formação educacional é enriquecida quando apresenta o ensino musical em seu currículo. Essa arte é reconhecida por muitos pesquisadores por desenvolver a mente humana e promover o equilíbrio, proporcionando um estado de bem-estar, facilitando a concentração e o desenvolvimento do raciocínio, em especial em questões reflexivas voltadas para o pensamento filosófico, características muito importantes na formação de jovens. As aulas de música garantem um conhecimento básico que contribui diretamente nas trajetórias de vida. As aulas são oferecidas em um turno, uma vez por semana, apresentando a teoria e a prática musical. Os alunos aprendem técnica vocal e desenvolvem o canto, aprendem ou aperfeiçoam a prática de instrumentos como violão, teclado e alguns instrumentos de percussão e recebem conhecimentos de teoria musical e tudo que envolve essa teoria, como harmonia e

Mateus Thomas Durante o ano de 2021, semanalmente tivemos encontro de teoria e técnica musical. Nos encontros desenvolvemos atividades ligadas a essa área, desde a teoria musical até a prática, realizada com violão, teclado, cajon, triângulo e canto. Foi muito bom porque concluímos o ano com um conhecimento que já foi e ainda será muito levado à nossa prática em sala de aula como professores, a atividades pastorais e à animação de encontros e celebrações.

38

Aulas de música

Número de Beneficiados: 11 partitura. As horas de aula são divididas de forma que os alunos sempre tenham contato com a teoria e com a prática, tendo momentos de aprendizagem, interação, apreciação e usufruindo do prazer e bem-estar específicos que o fazer musical traz. O repertório trabalhado nas aulas passou por diversos estilos, aumentando o leque cultural dos alunos e também abrangendo músicas que serão importantes na sua caminhada.


Iniciamos as aulas em março de 2021 na modalidade online, em razão da pandemia, utilizando plataforma de transmissão ao vivo, porém, assim que os casos de COVID-19 diminuíram, voltamos às aulas presenciais no mês de setembro. Foi um ano de muito aprendizado e desenvolvimento em que tivemos também alguns eventos para participar musicalmente, como o Encontrão de Jovens Lassalistas e uma ação do projeto Sou Solidário.

Projeto de Música Total de beneficiados Atendimentos em atividades e oficinas Eventos realizados Público atingido em eventos

11 42 02 500

Aulas de música

39


40

Concursos Públicos


Compromisso com a qualidade em todas as fases da seleção O ano de 2021 foi um ano de planejamento e suporte para a organização de processos da área de concursos públicos. As restrições com a pandemia estiveram em vigor na maior parte do ano e permitiram uma certa retomada nos meses finais do ano. Assim, o foco do trabalho esteve voltado para o planejamento, cujas ações serão implementadas em 2022, a exemplo da aquisição de softwares e de novo sistema de gerenciamento de concursos e de gestão das provas objetivas. Os concursos públicos trabalham com a inserção dos candidatos no mercado de trabalho de forma democrática e igualitária. Esse serviço é prestado atendendo aos princípios de transparência, segurança, organização e responsabilidade, assim como o respeito aos princípios constitucionais e à qualificação do serviço público.

Candidatos inscritos: 70.576 Candidatos atendidos: 46.412 Editais executados: 12

orientação com programa de capacitações, inclusive após a realização das provas. Um dos últimos destaques do sistema dos concursos foi a criação de upload de documentos no ato da inscrição dos candidatos, um processo que serve para qualquer etapa do contato com o sistema administrativo. A alteração proporciona que as inscrições e o acompanhamento das etapas sejam 100% disponibilizados ao candidato, via internet, garantindo velocidade e rápido atendimento às solicitações, através de mecanismo de controle e identificação digital.

Atuando em processos seletivos desde 2009, a Fundação La Salle tem o propósito de administrar e realizar concursos, atendendo, principalmente, Prefeituras e Câmaras Municipais, entidades representativas de classe e outros órgãos de governo, especialmente no Rio Grande do Sul. Com atuação diferenciada, o trabalho privilegia o desenvolvimento de provas contextualizadas aos cargos em seleção e logística própria na organização dos processos seletivos. O processo inicia com apresentação de proposta comercial e depois segue com o gerenciamento de calendário para execução do edital em todas suas etapas. A estrutura de trabalho assegura todas as exigências da regulamentação dos quadros funcionais públicos. A Fundação La Salle entende a elaboração do concurso ou do processo seletivo como parte de um projeto maior, incluindo planejamento pessoal, assistência e Concurso Públicos

41


42


EXPEDIENTE Realizações 2021

Diretor Presidente: Ir. Marcelo Cesar Salami, fsc Diretor Administrativo: Ir. Cledes Antonio Casagrande, fsc Diretor Técnico: Ir. Nelso Bordignon, fsc Coordenador Geral: Lucinei Hanauer Coordenador de Logística/Concursos: Cleon da Fonseca Coordenação de Comunicação e Edição: Cíntia Miguel Kaefer – Mtb 6485 Revisão: Ir. Blásio Donato Hillebrand, fsc Fotos: Banco de Imagens Fundação La Salle Diagramação/Impressão: Inovação Gráfica e Editora

Avenida Getúlio Vargas, 5558/105 Cep: 92010-242 - Canoas/RS (51) 3031-3169 – comunicacao@fundacaolasalle.org.br facebook.com/fundacao.lasalle instagram/fundacao.lasalle fundacaolasalle.org.br 43


44


Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.