__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1


Realizações 2019


Nossos resultados 3.982

PROJETOS SOCIAIS

10.536

Respondentes no Programa de Avaliação Institucional da Rede La Salle

4.300

50.357

Pessoas atendidas nos projetos sociais

118.961

CONCURSOS

Candidatos atendidos nos concursos públicos

Nas Instituições de Educação Básica AVALIAÇÃO EDUCACIONAL

1.083

Atendimentos realizados nos projetos sociais

Total de funcionários no final do exercício

Nos Pólos de Educação a Distância

Qualificação

61

18 a 35 anos 36 a 60 anos Acima de 60 anos

Especializados

03 10 Total de trabalhadores autônomos: 17

Total de trabalhadores terceirizados:

4

Graduados Ensino Médio

01 23 31 06

Aposentados

03 10 15 18 13 02

Mestrados

Total de funcionários por faixa etária Menores de 18 anos

5.153

Nas Instituições de Ensino Superior Lassalistas

Ensino Fundamental Ensino Fundamental Incompleto

Estagiários

10

Total de funcionários | Feminino Masculino

17

44

Cargo de chefia por gênero | Feminino Masculino

04

05


APRESENTAÇÃO

Somos nós os protagonistas desse presente!

As literaturas dizem que ser protagonista é ser o personagem principal de uma trama, aquele que ocupa um lugar importante na história. Quando refletimos sobre o tema “Grandes coisas são possíveis” fazemos um convite para cada um pensar na sua existência e na sua própria história. Que escolhas tenho feito? Quais meus valores? Que caminho quero percorrer? Como vejo o meu futuro e o futuro do meu próximo? Estou sendo protagonista da minha vida? O Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs Lassalistas, com sede em Roma, nos traz tais indagações porque acredita que podemos aproveitar cada instante de nossas vidas para aprender, ensinar e construir um mundo melhor. Nesta caminhada, a Fundação La Salle deu importantes passos em 2019 em seus projetos sociais através do fortalecimento do atendimento aos idosos na assistência social, do início de um trabalho inédito para o abrigamento de mulheres em situação de risco e violências no Rio Grande do Sul, além de projetos no norte do país. E todo o trabalho inovador realizado esteve ao lado da continuidade das iniciativas já consolidadas nas áreas de segurança pública, educação, voluntariado, cultura, esporte, lazer, além dos concursos públicos e programas de avaliações institucionais. Ao mesmo tempo, pela expertise do trabalho desenvolvido, recebemos o Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social, emitido pelo Ministério da Cidade e passamos a integrar também o Conselho da Fondazione De La Salle Solidarietà Internazionale ONLUS. Grandes coisas foram possíveis. E isso nos motiva a continuar a caminhada na busca constante pelo aprimoramento integral das pessoas e dos processos aos quais somos desafiados. Que venham novas oportunidades de sermos protagonistas da nossa história e da história social e coletiva. Obrigado aos colaboradores, amigos, parceiros, Irmãos e demais companheiros da caminhada da Fundação La Salle. Abraços fraternos, Ir. Marcelo Cesar Salami |Diretor Presidente

5


Nossas áreas de atuação

Concursos Públicos

Projetos Sociais

Projetos Técnicos

Avaliações Educacionais

Gestão Educacional

Nossos valores • • • • • • Formação continuada dos colaboradores

Fidelidade aos princípios lassalistas Foco nas demandas sociais e no desenvolvimento comunitário Gestão participativa Transparência Desenvolvimento sustentável e proteção ambiental Educação e cidadania


Nossas ações


FUNDAÇÃO LA SALLE

Caminhada na Assistência Social Ao longo dos últimos anos, a Fundação La Salle vem construindo sua trajetória de atuação na área de Assistência Social. Isso acontece através do redirecionamento de ações, programas e projetos desenvolvidos e também através da procura de novos espaços de consolidação desta área. A assistência social tem como horizonte a prevenção de riscos sociais e pessoais, buscando benefícios a indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade social. No ano de 2018, passamos a fazer parte das entidades de Assistência Social no Município de Canoas/RS, através da oferta de serviços tipificados pela política pública. Em dezembro do mesmo ano recebemos a Certificação de Entidade Beneficente de Assistência Social - CEBAS, concedido pelo então Ministério do Desenvolvimento Social, hoje, Ministério da Cidadania. Essa certificação é destinada às instituições que realizam ações de preponderância na área da Assistência Social, de forma gratuita, continuada, planejada e universal. O Serviço de Convivência e Fortalecimento de vínculos com idosos, desenvolvido há mais de dois anos pela instituição na cidade de Canoas, é o principal projeto nesta área, além de outras iniciativas. Este mesmo projeto concedeu à Fundação La Salle a inscrição e participação

Serviço de Convivência e Fortalecimento de vínculos com idosos

8

no Conselho Municipal dos Direitos do Idoso - COMDI no Município de Canoas, por sermos uma Instituição que atua no âmbito do atendimento à pessoa idosa, desenvolvendo atividades que buscam a defesa e a garantia dos direitos. Nos últimos anos, estendemos nosso olhar para a questão da longevidade, buscando aprimorar nossos saberes e práticas, a fim de implementarmos ações e projetos que busquem promover um envelhecimento ativo e saudável. A partir disso, estamos assumindo, cada vez mais, a responsabilidade e o privilégio de ser parte da construção e implementação dessa política no Município. O ano de 2020 inicia com novos desafios, estaremos de forma ainda mais presente nesta política pública de assistência social, atuando enquanto agentes de Controle Social, compondo a representação da Sociedade Civil no Conselho Municipal de Assistência Social- CMAS e também estaremos compondo a representação aos trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social - SUAS neste conselho. Na representação da sociedade civil, a Fundação La Salle é representada pelo Coordenador Geral, Lucinei Hanauer e pelo Assistente Administrativo, Edgar Soares. A representação dos trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social é de responsabilidade da Assistente Social, Angélica Borba.

Defesa e garantia de direitos

Assessoramento


REALIZAÇÕES 2019

Conselho Municipal de Assistência Social

9


PROJETOS SOCIAIS

Vínculo e cuidado no atendimento aos idosos beneficiados

47

atendimentos

459

O Programa de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Fundação La Salle iniciou sua trajetória no ano de 2018. Através do desenvolvimento de grupos de convivência, o mesmo tem a finalidade de atender idosos em situação de vulnerabilidade social e fragilização de vínculos familiares e comunitários. Este programa é norteado pela Política Nacional de Assistência Social - PNAS, sendo tipificado como um Serviço Socioassistencial, uma vez que é ofertado de maneira gratuita e para quem dele precisar conforme previsto pela política. Ao longo do ano de 2019, o primeiro grupo do Programa cresceu. Percebemos que isso se deu em grande parte pelo movimento dos participantes em convidarem outros idosos que encontravam pelo território, fossem esses vizinhos, amigos, pessoas que de acordo com os eles: “pareciam estar sozinhos”. Essa preocupação, além de fazer com que o público ficasse maior, veio repleta de significados, pois demonstra o interesse do grupo de partilhar desse lugar de encontro, de troca de saberes, de aprendizado e de criação de vínculos com outras pessoas. Essa é uma das maneiras que percebemos o quanto os participantes reconhecem o grupo como um “lugar” de referência e poderíamos dizer até mesmo de proteção social. Também destacamos que em 2019 foi possível estabelecer maior aproximação com a rede do território, fazendo com o programa se tornasse conhecido e de referência para encaminhamentos de idosos em situação de vulnerabilidade social e fragilização de vínculos.

tros, mas que merece ser revisitado mais vezes, acompanhado da compreensão de uma alimentação saudável enquanto uma questão de direito. Finalizamos o ano de 2019 com 27 participantes no primeiro grupo criado. No final do segundo semestre, o Programa avançou com a criação de mais um grupo de convivência, que já iniciou com 20 participantes, com encontros realizados com foco na criação da identidade coletiva. Dessa maneira, participaram do Programa no ano de 2019 um total de 47 idosos, sendo realizados 46 encontros sistemáticos, com periodicidade semanal e com duração de duas horas. Nestes momentos foram trabalhados temas relacionados a direitos, relações sociais, cuidado de si, alimentação saudável, dentre outros que sejam de interesse do grupo, sempre através de rodas de conversas, dinâmicas e palestras. Além disso, também foram realizados mensalmente os encontros de integração e lazer. Para os idosos, são momentos que possibilitam ao grupo vivenciar experiências diferentes, que fogem do seu cotidiano, com atividades pensadas juntamente com eles, a fim de assegurar o exercício da escolha que está relacionado diretamente ao desenvolvimento da autonomia do idoso. Destacamos alguns desses momentos: Encontro da Idade de Ouro (Novo Hamburgo), que foi um momento de troca com outros grupos de idosos da região metropolitana através da promoção de um baile; Visita ao Museu de Ciências e Tecnologias da PUCRS, momento ímpar que trouxe muitos aprendizados, como por exemplo, perceber a emoção de uma idosa ao compreender o funcionamento do sistema solar. Tra-

Como forma de exercício da cidadania, os idosos participaram de espaços de controle social, através Conferência Municipal de Assistência Social, contribuindo para o avanço dessa política social no Município. Outro momento importante foi a participação na Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, em que o grupo participou ativamente das discussões, e refletiu sobre a questão dos hábitos alimentares, tema já trabalhado em alguns encon-

ta-se de um conteúdo que se aprende na escola, porém vários deles estudaram poucos anos, ou até mesmo nunca haviam frequentado a rotina escolar. Outro momento vivenciado pelo grupo foi o passeio por alguns pontos turísticos de Porto Alegre, tais como; Usina do Gasômetro, Casa de Cultura Mario Quintana, em que puderam recordar de lugares que muitos tinham visitado na juventude, ou até mesmo que nunca tinham visto, apenas ouvido falar.

10


REALIZAÇÕES 2019 O ano de atividades com os grupos finalizou com um passeio na Quinta São José, em Nova Santa Rita, um sítio que sediou a atividade de encerramento do ano, com tempos dedicados para o contato com a natureza, momentos de reflexão, vivência da espiritualidade, fortalecimento dos laços criados e dos desejos para o ano novo. Recordar a vida simples do campo, o cheiro do mato, dos animais, colher fruta direto do pé, coisas que fizeram parte da história de vida de muitos idosos e que encheram o coração e estamparam muitos sorrisos. Nosso desafio para 2020 é a consolidação do novo grupo e a colaboração para o crescimento da política de atendimento da pessoa idosa no município de Canoas, ampliando a oferta deste serviço e passando a contribuir de forma ainda mais significativa na efetivação dos direitos, oportunizando espaços que estimulem um processo de envelhecimento ativo e saudável. Atendimentos em atividades e oficinas Reuniões (Encontros) Encaminhamentos para a Rede Eventos realizados Público favorecido em eventos Total de beneficiados de 2019

459 46 20 02 110 47

Depoimentos: “Eu gosto demais de vir no grupo do La Salle. As quintas-feiras pra mim são sagradas, é como um compromisso fixo de estar aqui com vocês!”. Enilson Paulo Fernandes da Silva (Pintor, 67 anos) “Eu fico esperando ansiosa o dia do grupo chegar, para poder me encontrar com essa gente amada, meus amigos!”. Marisa Júlia Fialho (Cozinheira, 72 anos) “Reencontrar esse grupo é como voltar para casa, hoje me sinto mais feliz, mais saudável, esse grupo me curou!” Marli Costa Possebon (Do lar, 65 anos) “Outro dia recebi uma visita lá em casa, era uma amiga aqui do grupo, a gente sentou conversou, tomou uma chimarrão, foi tão bom!”. Nayr Bittencourt (Artesã, 84 anos)

Idosos do Programa de Convivência 11


PROJETOS SOCIAIS

Formação e longevidade idosos

60

horas de formação

388

O Programa Gerações é uma iniciativa, inédita no país, que tem como objetivo reinventar as formas de envelhecer e trazer mudanças na realidade dos participantes, promovendo qualidade de vida, inclusão social, geração de renda e a reinserção de idosos no mundo do trabalho. O Programa se deu através de formação teórica seguida de uma etapa de prática desses aprendizados em espaços do Município de Canoas, como escolas, secretarias, entre outros. A Fundação La Salle realizou a coordenação executiva da iniciativa, em parceria com a Prefeitura de Canoas, instituição que idealizou o Programa. As aulas teóricas foram realizadas em espaços cedidos pela Universidade La Salle, parceira do projeto. Assim, a formação pedagógica dos participantes envolveu um currículo de 196 horas-aula para duas turmas de 30 idosos em cada uma, ao longo de um semestre.

zado. De modo geral, a Fundação La Salle de modo geral, avalia que a execução do Programa Gerações foi uma parceria exitosa. A realização desta iniciativa possibilitou à instituição a ampliação do olhar para a questão do envelhecimento ativo na relação com a geração de trabalho, renda e educação. O processo foi concluído com sucesso, através da cerimônia de formatura das duas turmas de participantes do Programa, um momento de encerramento de um ciclo de aprendizado. Como parte celebrativa da formatura, as turmas foram presenteadas com um passeio à serra gaúcha, juntamente com alguns professores das etapas de formação. Na avaliação do processo, foi possível observar muitos registros especiais, que traziam consigo a importância das amizades que foram construídas nesse período, a possibilidade de vivenciar experiências que para muitos deles foram únicas e memoráveis. A preocupação e o compromisso com esta pauta, contudo, tem conti-

A formação contemplou questões como o uso de tecnologias, noções básicas de escrita e oralidade, raciocínio lógico, responsabilidade socioambiental, direitos humanos e sociais, relações interpessoais e atendimento humani-

nuidade, colocando ao poder público e privado o desafio de seguir implicado na inclusão de idosos no mercado de trabalho, no incentivo à inserção em espaços de educação e no fomento às práticas autônomas de geração de renda.

12


REALIZAÇÕES 2019

Idosos do Programação Gerações

Depoimentos: “Tínhamos saudade de estar na sala de aula e logo nos encontramos num ambiente em que nós, formados pela vida, estávamos aprendendo com professores mais jovens que nós e tão cheios de conhecimento. Eles nos tomaram pela mão e disseram ‘venham sem medo’. O que vivemos e aprendemos aqui ficará para sempre”, disse Maria Elizabeth Oliveira, 64 anos oradora na cerimônia de formatura. “Foram meses de muito interesse e curiosidade. Iniciamos como adolescentes cheios de vida e alegria e seguimos com muita vontade de aprender, desenvolver habilidades e competências. Desejamos continuar contribuindo com a construção de uma sociedade melhor, não queremos ficar sentados no banco da praça vendo a vida passar”, Agostinho da Rosa, 84 anos. Formatura reuniu familiares a amigos 13


PROJETOS SOCIAIS

Acolhimento a mulheres em situação de violência A violência doméstica constitui-se como uma das principais formas de violação dos direitos humanos, atingindo as mulheres em seus direitos à vida, à saúde e à integridade física. No que diz respeito ao enfrentamento à violência contra as mulheres no Brasil, é possível apontarmos importantes iniciativas governamentais para enfrentar o problema. No campo jurídico e legislativo, a promulgação da Lei Maria da Penha, em 2006, é considerada o principal marco no enfrentamento às violências. Contudo, para o cumprimento dos objetivos previstos na referida legislação, é preciso que seus dispositivos sejam materializados em ações concretas. Assim, em 2019, a Fundação La Salle desenvolveu uma proposta para implantação de uma unidade de acolhimento para mulheres em situação de violência e seus filhos na região metropolitana, oportunizando uma alternativa aos Municípios com qualidade e economicidade. O Centro Regional de Abrigamento para Mulheres em Situação de Risco e Violência (CRAM) é um serviço de acolhimento institucional para mulheres, acompanhadas ou não de seus filhos, em situação de risco de morte ou ameaças em razão da violência doméstica. O CRAM compõe a Rede de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência e é caracterizado como um serviço da proteção social especial de alta complexidade do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Este projeto caracteriza-se na modalidade de Casa Abrigo e segue as orientações técnicas das Diretrizes Nacionais para Abrigamento de Mulheres em Situação de Risco e de Violência, ofertando um local seguro, de moradia protegida e de atendimento integral às mulheres. É um serviço de caráter sigiloso e de longa duração, no qual as usuárias podem permanecer por um período de até 180 dias, durante o qual deverão reunir condições necessárias para retomar o curso de suas vidas. 14

atendimentos

188

beneficiados

21

O CRAM tem como objetivo garantir a integridade física e psicológica de mulheres em risco de morte e de seus filhos de menor idade – crianças e/ou adolescentes, favorecendo o exercício de sua condição cidadã, bem como buscar resgatar e fortalecer sua autoestima e possibilitando que se tornem protagonistas de seus próprios direitos. Para isso, o Centro presta atendimento e acompanhamento especializado, além de serviços de manutenção, cozinha, monitoria e vigilância 24 horas por dia, o que garante o abrigamento independentemente de dia e horário. O prédio é equipado com cozinha, refeitório, biblioteca, sala de oficinas, de atendimento, lavanderia e dormitórios (todos mobiliados com camas, guarda-roupas, banheiros privativos e janelas), garantindo conforto e acolhimento diferenciado às mulheres e seus filhos. A proposta de atendimento do CRAM se dá de forma regionalizada e a adesão dos Municípios se dá através da prestação de serviços, ou da melhor forma jurídica que a administração pública entender adequado, garantindo o atendimento pelo período pactuado com os Municípios. O CRAM vem sendo divulgado e proposto para os Municípios da Região desde dezembro de 2018. As Secretarias de Assistência Social e de Políticas para as Mulheres foram contatadas e receberam o Projeto para a contratação das metas ofertadas pelo serviço. Ao longo de 2019, o CRAM foi ofertado para 48 Municípios da região metropolitana e do litoral norte do Estado. No dia 30 de maio, foi realizado um evento de apresentação e visita técnica a todas as Promotorias dos Municípios com o objetivo de impulsionar a contratação das vagas, garantindo a proteção das mulheres em situação de violência doméstica. Para além dos (as) promotores (as), também compareceram representantes da Polícia Civil, da Gestão Municipal, dos Conselhos Municipais de Direitos das Mulheres e equipes de serviços especializados no atendimento desse público.


REALIZAÇÕES 2019 nas Diretrizes Nacionais de Abrigamento que pauta a importância da interdisciplinaridade, capacitação da equipe, abordagem crítica em questões de

Assinatura de contrato com Município de Alvorada Para que esse evento pudesse acontecer, a Casa foi ambientada com materiais referentes às lutas das mulheres e com varais de poesia. Os cômodos são nomeados com mulheres que marcam a história do feminismo e que atuaram no enfrentamento às violências contra as mulheres, sendo também direcionados os espaços de convivência, de atendimento e de equipe. Foram realizadas também mudanças na estrutura da casa para garantir a acessibilidade para todas as usuárias. No mês de agosto foi efetivado o primeiro contrato de metas do CRAM com o Município de Alvorada, este momento foi celebrado no Salão Nobre da Prefeitura com a apresentação do Projeto Reconstruindo Vidas. A partir desta contratação o CRAM entrou em funcionamento 24 horas com uma equipe de apoio, contando com cozinheira e monitoras sociais. Durante este período o funcionamento do CRAM foi sendo desenvolvido a partir do contato com a Rede Intersetorial, onde se puderam coletar as realidades de atendimentos de diversos Municípios e as principais demandas dos serviços especializados. A construção do CRAM está baseada

gênero, abordagem de grupo, autogestão e constituição de redes, dentre outras diretrizes. Além destas, foram elaborados os critérios de ingresso, os critérios de avaliação, o modelo de prontuário de atendimento, o regimento interno da Casa, critérios de desligamento e as diretrizes para o Plano Individual de Atendimento. Ao longo do ano realizamos a manutenção da Casa para que estivesse pronta para o acolhimento de mulheres e seus filhos (as), com os serviços de limpeza dos cômodos, jardinagem e reparos. A partir da limpeza dos quintais foi possível a construção de uma horta com temperos e que poderá ser utilizada como uma atividade terapêutica junto às mulheres. Em 2019, contamos com a parceria do Programa Sou Solidário – Núcleo Niterói e recebemos doações de livros e de brinquedos. O acervo foi catalogado e hoje contamos com 468 livros e revistas, com volumes infantis e didáticos. Este acervo compõe a Sala de Leitura Carolina de Jesus e a Brinquedoteca. Compreendendo a importância da formação permanente, a equipe esteve em períodos de capacitação nas áreas de direitos humanos, relações de gênero, Lei Maria da Penha, ciclos e causas da violência doméstica e políticas públicas através de materiais de vídeo, cartilhas, artigos científicos e cursos de educação a distância. No período de agosto a dezembro de 2019, recebemos para abrigamento o total de 8 mulheres, acompanhadas de seus filhos (as), beneficiando ao todo 21 pessoas atendidas pelo Projeto. Estas famílias foram encaminhadas pelos serviços especializados dos Municípios conveniados ao CRAM. Após a sua chegada são acomodadas em quartos privativos e recebem toda a assistência necessária, como produtos de higiene pessoal e alimentação. No CRAM, além do acolhimento e acomodação da mulher e seus filhos (as), é elaborado um Plano Individual de Atendimento (PIA) em conjunto com a usuária e a rede de referência da mesma. Durante o acolhimento institucional, as mulheres têm acesso ao atendimento psicossocial e jurídico, oficinas e atividades em grupo e é projetado um plano de reinserção social conforme as necessidades de cada família. 15


PROJETOS SOCIAIS O Plano Individual de Atendimento (PIA) é um instrumento que norteia as ações a serem realizadas para viabilizar a proteção integral, a reinserção familiar e comunitária e a autonomia das mulheres em situação de risco e violência doméstica e que estão sob a proteção de serviços de acolhimento. É uma estratégia de planejamento que, a partir do estudo aprofundado de cada caso, compreende a singularidade de cada uma e organiza as ações e atividades a serem desenvolvidas com a mulher durante o período de acolhimento. Este Plano visa sistematizar o projeto de intervenção a ser desenvolvido com cada mulher e seus filhos pelo serviço de acolhimento, em articulação com os demais serviços de referência, durante o período de acolhimento e após o desligamento dos mesmos no serviço. A adoção do PIA nos processos de trabalho facilita, portanto, a atuação da equipe do serviço, a articulação com a rede (serviços, órgãos de defesa de direitos e outros atores), podendo conduzir a melhores resultados na efetivação dos direitos das mulheres. Além dos atendimentos individuais, foram realizadas ações lúdico-pedagógicas com as crianças, como jogos, brincadeiras e atividades de arte e cultura na Sala de Convivência e Arte Nise da Silveira. Oficinas com as mulheres na temática de gênero também foram realizadas com o intuito de refletir sobre o rompimento dos ciclos da violência e fomentar o empoderamento feminino. Em dezembro, a Fundação La Salle também participou da Reunião de Trabalho da Força-tarefa de Combate ao Feminicídio, no Município de Torres, para tratar das recentes denúncias sobre a grave situação das políticas de atendimento às mulheres vítimas de violência na região do litoral norte. A Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, em conjunto com o Senado Federal, a Câmara

16

dos Deputados e o Ministério Público compõem a Força-tarefa, que consiste em uma ação institucional conjunta que visa identificar os principais motivos do crescente número de feminicídios no Rio Grande do Sul, e estão percorrendo o Estado, através de reuniões regionais, reuniões locais de trabalho ou visitas técnicas. Esta reunião teve como objetivo encaminhar medidas de repreensão ao feminicídio na região, buscando assim novos caminhos para o controle da violência contra a mulher. Diante disso, a Fundação La Salle apresentou o Centro Regional de Abrigamento para Mulheres em Situação de Risco e Violência, sendo este um serviço que busca garantir a vida das mulheres e filhos que estejam em situações de risco e de violência doméstica. Por fim, ao longo de 2019 o CRAM foi criando vida, seu enorme espaço físico ganhou cores e tem despertado o interesse das equipes especializadas da rede intersetorial, pois o atendimento às mulheres em situação de violência doméstica exige medidas de urgência diante dos riscos e o Centro de Abrigamento busca oferecer um espaço de cuidado e proteção para estas mulheres.

Tabela com indicadores Mulheres abrigadas Dependentes Total de pessoas beneficiadas Atendimentos em atividades e oficinas Reuniões Encaminhamentos para a Rede Médio de beneficiados por mês

08 13 21 188 39 12 04


REALIZAÇÕES 2019

Depoimentos: “Quando cheguei aqui fui bem recebida e bem cuidada (...) aqui convivi com famílias que apesar de sofrerem as mesmas agressões lidavam de formas diferentes. Aprendemos sobre sororidade e compreendemos que as diferenças de pensamentos nos fortalecem e agregam (...) Para vermos os novos horizontes precisamos entender e ter coragem de colocar para fora tudo o que carregamos até chegarmos aqui (...) agradeço a cada uma que participou desta (re) construção, cada momento que estiveram do meu lado ouvindo, pois todas foram importantes nesses dois meses da minha vida”. “Um dia a gente fica por medo, no outro por dinheiro, pelo filho. Um dia ele me apontou uma arma e eu me senti morta desde então (...) eu quero ficar aqui [no CRAM] porque eu quero me curar de mim mesma”. Ambiente do Centro Regional de Acolhimento às Mulheres

17


PROJETOS SOCIAIS

Sou Solidário: voluntariado em expansão beneficiados

5.160

voluntários

186

Em 2019, o Projeto de voluntariado lassalista Sou Solidário comple-

do lassalista na região ribeirinha de Manaus/AM. Foram 14 dias de atividades

tou dois anos desde o seu lançamento em maio de 2017. No último ano, o

em duas comunidades locais, contando com o apoio de 18 participantes entre

Sou Solidário teve sua história marcada pela atuação em rede, ampliando sua

voluntários e equipe. A Missão marcou intensamente a história dos voluntários,

abrangência e lançando-se a novos desafios. Entre os destaques estão: a

que de forma unânime, afirmaram terem vivido umas das experiências mais es-

expansão dos Núcleos Sou Solidário, a criação do aplicativo Sou Solidário, a

peciais de suas vidas.

Missão Ribeirinha e a conquista do 14º Prêmio de Responsabilidade Social

Além da Missão Ribeirinha, outras tantas ações foram realizadas no de-

do Sindicato das Escolas Particulares do RS na categoria Participação Comu-

correr do ano pelos voluntários dos Núcleos Sou Solidário. Atividades que foram

nitária. Uma caminhada que vem sendo fortalecida graças ao engajamento

desde campanhas de arrecadação, como a “Missão Lassalista em Moçambique”

das Comunidades Educativas Lassalistas, que contam com a participação de

para ajudar na reconstrução das Obras Lassalista após o Ciclone Idai, como tam-

alunos, ex-alunos, familiares e colaboradores na execução de ações de soli-

bém atividades sistemáticas em instituições parceiras e comunidades em situa-

dariedade.

ções de vulnerabilidades. Voluntários que protagonizaram diferentes frentes de

O ano de 2019 iniciou com Encontro dos Núcleos Sou Solidário, um momento que impulsionou a criação de grupos de voluntários em regiões como

atuação como aulas de capoeira, alimentação para pessoas em situação de rua, convivência com idosos e ceia comunitária de natal.

Pelotas e Cerro Largo, no Rio Grande do Sul, Sobradinho e Brasília no Distrito

Ao final de 2019, o Sou Solidário foi contemplado pelo Prêmio de Res-

Federal e Manaus, no Amazonas. Neste encontro foi lançado o “Jogo Sou Solidá-

ponsabilidade Social do Sinepe/RS, através das ações desenvolvidas pelo Nú-

rio”, um recurso lúdico e pedagógico que serve como apoio metodológico para a

cleo Sou Solidário do Colégio La Salle Niterói/RS. Uma premiação que demons-

formação e realização de ações sociais.

tra o reconhecimento do engajamento e organização das iniciativas promovidas

Outro lançamento inovador que merece destaque ocorreu no Município de

pelo projeto.

Toledo, no Paraná. Um grupo de estudantes, participantes da disciplina “Volunta-

A perspectiva para 2020 é dar continuidade à caminhada do voluntariado

riado e Empreendedorismo Social” lançou o App Sou Solidário. Uma tecnologia que

lassalista que vem sendo repleta de aprendizados, afeto e compromisso com o

vem conectando pessoas que querem colaborar com instituições que precisam de

próximo. O enfoque será na formação permanente dos voluntários da Rede La

ajuda. Desde seu lançamento em junho foram arrecadados 1292 itens entre rou-

Salle, no aprimoramento das ações locais realizadas pelos Núcleos e no segui-

pas, alimentos, móveis e um computador.

mento das Missões. Inspirado pelo pedido de uma liderança comunitária ribeiri-

Em julho de 2019, outra atividade marcante para o Sou Solidário foi a realização da “Missão Ribeirinha”. Esta foi a primeira experiência de voluntaria18

nha, o Sou Solidário seguirá desafiando-se cotidianamente a “ser esperança em todos os lugares, regando sonhos e ideais”.


REALIZAÇÕES 2019 Atividades

Núcleos¹

Total

171

Missão Ribeirinha 15

N° de voluntários N° de ações

42

56

98

N° de campanhas de doação

25

-

25

N° de encontros de formação /planejamento N° de pessoas beneficiadas

85

16

101

3004*

2156*

5160

186

¹ Registros realizados a partir das ações de 9 Núcleos: Colégios La Salle Esteio, La Salle Canoas, La Salle Niterói, La Salle Medianeira, La Salle Pelotas, La Salle Brasília, La Salle Núcleo Bandeirante, La Salle Sobradinho e La Salle Manaus. * O número de voluntários é acrescido ao de beneficiários, considerando que os voluntários também se beneficiam das ações previstas pelo projeto.

Doações Alimentos Roupas Brinquedos Kits de higiene Kits de material escolar

Total 6.024 2.514 1.558 356 350

Depoimentos: “Sem amarras ou burocracias, o Sou Solidário vive o Serviço em cada segundo de existência, levando ao mundo (e, nesse caso ao Amazonas) o mais precioso bem que uma pessoa pode dar à outra: o amor, o tempo, a atenção.” Alexia Catharina Genari Martins (Ex-aluna - Colégio La Salle Toledo/PR). “A Amazônia oferece experiências magníficas, pude ver como o povo encontra Deus nas pequenas coisas e que são gratos por tudo que têm. As minhas expectativas iniciais se superaram e tenho certeza que esta experiência deu e dará muitos frutos em minha vida. Voltei mais lassalista do que já sou, essa experiência eu vou levar no coração.” Eda Cristiane Barros (Professora - Colégio La Salle Rondonópolis/MT). “Foram dias encantadores onde juntos tivemos a possibilidade de compartilhar valores nos conectando de forma simples e autêntica. Saio dessa missão com a alma lavada e com o coração transbordando de amor, gratidão e alegria.” Silvio Esteves (Coordenador de Esporte - Colégio La Salle São Paulo/SP).“ A vivência do voluntariado lassalista revela como o carisma da Instituição é encantador e ganha adesão de fácil modo, pois traz em si um processo integral de crescimento humano, apontando para a construção de um mundo melhor.” Gabriel Pôrto César (Irmão Lassalista). “Eu pude sentir em todos os lugares que eu andei a alegria e a gratidão das pessoas. Eu pude me redescobrir em cada gesto de afeto.” Ana Carolina Moura Vargas (Aluna da Faculdade La Salle Manaus/AM). “Meu sentimento é de pertencer a uma obra maior e poder ajudar mesmo que seja só com um aperto de mão, um abraço, um alimento.” Henrique Daniel de Souza (Exaluno do Colégio La Salle Niterói/RS ). “É com orgulho que a gente procura sempre ajudar as pessoas e nos ajudar também porque aprendemos muita coisa. A gente procura ajudar para que as pessoas tenham uma vida melhor, não só doando alimentos, mas com informação e cidadania.” Nilza Backes ( Avó de aluno do Colégio La Salle Niterói/RS ).

Grupo de voluntários na Missão Ribeirinha 19


PROJETOS SOCIAIS

Alfabetização como possibilidade de crescimento Em 2019, o Projeto La Salle de Alfabetização teve continuidade em São Vicente Ferrer, no Maranhão. Toda a mística da iniciativa envolve o processo de aprender a ler, escrever e fazer textos, abrindo assim portas e janelas de esperança para as crianças e adolescentes que não aprenderam a ler e escrever nos anos de estudo formal no ensino público municipal. Assim, a Comunidade La Salle de São Vicente Ferrer, através dos Irmãos Antônio Pereira de Oliveira, Deonizio Roque Bruxel e Nestor Deitos, buscou saídas para atender crianças e adolescentes, especialmente as mais pobres, privadas dos seus direitos básicos a uma educação integral e de qualidade. O estudo e pesquisa da realidade educacional vicentina possibilitou a identificação, entre outros problemas, da deficiência gritante no processo de alfabetização nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Um elevado número de crianças chega ao quarto ano, quinto, sexto, sétimo, oitavo e alguns até o nono ano sem o domínio da leitura, da escrita e da elaboração de textos. A saída para essa realidade foi a organização de um Projeto de Alfabetização com colaboração de pessoas simples do meio do povo, dotadas de liderança, boa formação e habilidade no trato com as pessoas, especialmente crianças e adolescentes. E nesta prespectiva, foi realizada uma qualificação teórica e prática de oitenta horas para essas pessoas com a assessoria de Irmão Nestor Deitos. Assim, o Projeto de Alfabetização iniciou suas primeiras atividades em 2017 e continua atuante em 2020. No total, já foram beneficiados 48 grupos, com uma média de 13 a 14 estudantes cada. Uma das premissas importantes do trabalho é o envolvimento de pais, mães e toda a sociedade civil vicentina no compromisso de defender as políticas públicas, sobretudo a da educação pública de qualidade. A escolha do povoado a ser beneficiado, segue critérios bem definidos como o grau de pobreza, distância

20

beneficiados

276

da sede, demanda suficiente de alunos, apoio e consentimento da direção da escola pública local e boas perspectivas de organização da comunidade. O Projeto La Salle de Alfabetização atende crianças e adolescentes do 3º ao 9º ano do Ensino Fundamental, matriculados nas escolas públicas municipais que não aprenderam a ler, escrever e fazer textos. A execução do projeto é de quatro meses, com a duração de duas horas e meia, de segunda a sexta-feira.

Crianças no ambiente de aprendizagem


REALIZAÇÕES 2019 O processo de constituição dos grupos segue diversos passos, incluindo o diagnóstico com alunos nas escolas públicas, reunião com os pais cujos filhos apresentaram grandes dificuldades de leitura e escrita. Na reunião é apresentado o Projeto La Salle de Alfabetização com todas as suas exigências. A partir da adesão ou não ao projeto, por parte dos pais, os grupos são constituídos. O número de pais diretamente envolvidos no Projeto de Alfabetização é o mesmo do número de crianças e adolescentes do projeto, pois é exigida a presença mensal dos mesmos em reunião para avaliar os resultados obtidos. Devido às chuvas intensas e a falta de estradas para a área rural nos meses de março a junho, os grupos de alfabetização, são organizados de julho até o final de outubro e de novembro até o final de fevereiro do ano seguinte. No ano de 2019, o projeto iniciou em julho e foi concluído no dia 31 de outubro, formando 11 grupos com 139 participantes. Enquanto esses grupos eram atendidos, a coordenação do projeto, feita pela Comunidade La Salle de São Vicente Ferrer, realizava todo o processo de organização de novos grupos. Assim, em 4 de novembro iniciaram 10 novos grupos que concluíram os estudos na primeira semana de março de 2020 com um total de 137 participantes. Total de beneficiados Público favorecido Média de beneficiados/mês Reuniões com pais Tempo médio diário de formação (horas)

276 552 139 84 06

Projeto envolve o hábito de ler, escrever e fazer textos

21


PROJETOS SOCIAIS

Hortaliças fomentam agriculta familiar Após vários momentos de análise, reflexões e visitas em outros locais, levando-se em consideração a realidade socioeconômica e em consenso com a Fundação La Salle, foi escolhida a área pública Vila Nova, em Presidente Médici/ MA, para implantação do Projeto Agriculta Familiar e Geração de Renda, através da Produção de Hortaliças, para 8 famílias e um espaço comunitário. No dia 4 de outubro de 2019, no Centro Educacional La Salle, foi realizado o primeiro encontro com as famílias contempladas. Na ocasião, Irmão Plácio José Bohn apresentou os colaboradores que ajudam no La Salle Presidente Médici e ressaltou a organização da instituição local e onde se quer contribuir com a comunidade local, de maneira especial com o Projeto de Hortas. Neste momento também ocorreram as apresentações dos participantes contemplados pelo projeto. Ressaltou-se que o objetivo principal da Rede La Salle é a educação, mas a mesma não deixa de contribuir com as questões sociais e de desenvolvimento sustentável por meio de suas organizações. Na oportunidade foram apresentadas as principais ideias e finalidades sobre o Projeto de Produção de Hortaliças, coordenado pela Fundação La Salle. Em seguida, manifestaram seus interesses com a iniciativa e aceitaram o desafio de realizar um trabalho em parceria. Em 18 de outubro ocorreu nova reunião no Centro Educacional La Salle para direcionar algumas ações práticas como a limpeza do espaço físico, onde serão construídas as estufas e os poços artesianos, demarcação dos canteiros e busca de adubo orgânico. Além disso, foi abordada a importância do trabalho coletivo e a necessidade de integrar uma associação. A partir dessa iniciativa na região, que chegou ao conhecimento do Governo de Estado, as lideranças do projeto: Ir. Plácio José Bohn, Neodir Paulo Fossatti, Francisco Magalhães Pereira e Lucinei Hanauer foram convidados pelo assessor, Augusto Lobato, para quatro audiências no mês de novembro com as Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPO), com o Secretário Francisco Gonçalves e seus assessores; Secretaria de Estado da Educação (SEEDUC), com 22

beneficiados

53

o Secretário Felipe Camarão e seus assessores; Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF), com o Secretário Júlio Mendonça e seus assessores; e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SEDES), com o Secretário Márcio Honais e seus assessores. Às Secretarias foi dado a conhecer a Rede La Salle, Fundação La Salle e as áreas de atuações de ambas e buscou-se conhecer as diretrizes e ações de cada Secretaria. Neste mesmo dia, já ficou acordado um novo encontro para dezembro de 2019 para pensar mais concretamente na elaboração de alguns Projetos em nível de Estado, parceria Governo do Estado e Fundação La Salle. No dia 19 de novembro, realizamos o lançamento do Projeto na Vila Nova, com a presença das famílias contempladas. Na oportunidade, foi retomada a importância da implantação desse projeto e a mudança na qualidade de vida para as famílias contempladas e também para a população local. Enfatizou-se ainda sobre a seriedade e responsabilidade que a Fundação La Salle tem com a iniciativa. Dois dias depois, em nova agenda de reunião, foi reforçada a necessidade de formação específica e preenchimento das fichas dos Cursos oferecidos pelo SENAR e SEBRAE do Maranhão, para serem executados em 2020, através de conhecimento teórico e prático. Neste dia, foram feitas também as combinações necessárias para o início da construção dos canteiros. Já no dia 29 de novembro de 2019, em novo encontro no Centro Educacional La Salle, foram revistos os cursos planejados pelo SENAR e SEBRAE, destacando a importância dos cursos de capacitação profissional na área de atuação e dos trabalhos realizados em coletividade para atingir com mais precisão os objetivos propostos. Neste dia, o Sr. Raimundo Barros Pimenta foi escolhido para representar as famílias contempladas com o projeto na reunião do dia 13 de dezembro com os Secretários de Estados e Fundação La Salle em Presidente Médici/MA. Assim, em dezembro, o Centro Educacional La Salle sediou encontro com a Equipe Técnica da Secretaria de Estado da Educação, Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular e Assessor do Governo do Estado do Maranhão, junta-


mente com o Presidente (Ir. Marcelo Salami) e o Coordenador Geral dos Projetos da Fundação La Salle, Diretor do Centro Educacional La Salle, Coordenador Local do Projeto, Secretário Municipal de Agricultura, entre outros convidados, representantes de entidades congêneres locais, famílias beneficiadas com o Projeto, funcionárias do Centro Educacional La Salle, Prefeita Ilvane Freire Pinho, Vereadora Eliane, representantes de Associações do Município e Região, representantes de estudantes do Programa Pró-Jovem do Estado, desenvolvido no Município de Presidente Médici e Governador Nunes Feire, para pensar ações a serem desenvolvidas entre a Fundação La Salle e o Governo do Estado do Maranhão, através de suas respectivas Secretarias, para atender determinada carência e demanda no Estado e principalmente na Região do Alto Turi e Baixada Maranhense. Tanto na Secretaria de Educação como de Direitos Humanos, enfatizou-se a necessidade e a importância de se investir na área de Formação Permanente para Gestores e Educadores; letramento para crianças, jovens e adultos; qualificação dos jovens para o mercado de trabalho; formação dos integrantes dos Conselhos Municipais, captação de recursos para investimentos e melhorias dos espaços físicos. Ficou acordado que a Fundação La Salle começará a elaborar propostas de projetos nestas áreas para ajudar o Estado a desenvolver políticas públicas efetivas para buscar sanear as carências mencionadas e dar um atendimento de qualidade para a população. No dia 14 de dezembro de 2019, pela parte da manhã, um grupo de nove (09) voluntários lassalistas realizou um mutirão junto às famílias contempladas no Projeto, ajudando na organização, preparação e construção dos canteiros e um treinamento como fazer a compostagem com o Técnico Agrícola e Secretário da Agricultura, Francisco Magalhães. Total de beneficiados Atendimentos em atividades e oficinas Reuniões Encaminhamentos para a Rede Eventos realizados Público favorecido em eventos Média de beneficiados por mês

53 08 08 01 04 57 53

Reunião com representantes do Estado do Maranhão

Mutirão para organizar a horta

Depoimentos: “O trabalho do La Salle foi uma das melhores coisas que aconteceu em minha vida, pois vai servir para nós, trabalhadores. É uma oportunidade de renda e de trabalho no Município. É muito importante esse trabalho e tenho fé em Deus que vai dar tudo certo e gerar recursos financeiros”. Raimundo Barroso Pimento, 58 anos, (lavrador). “A gente trabalha na diária para ganhar o sustento. A horta vai facilitar muito nosso trabalho, vai melhorar a renda, não precisamos mais trabalhar para os outros, comprar na frutaria, pois vamos produzir e melhorar a qualidade dos nossos alimentos para o consumo”. Henrique Silva das Neves, 22 anos e sua esposa Rosana Silva das Neves, 18 anos, (agricultores). 23


PROJETOS SOCIAIS

Segurança pública pautada pela prevenção beneficiados Em 2019, o Centro de Prevenção às Violências (CPV) completa seu terceiro ano de atuação nos territórios do Guajuviras e Mathias Velho, em Canoas/RS. O serviço da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Cidadania (SMSPC) da Prefeitura de Canoas, executado pela Fundação La Salle, teve muitos desafios no decorrer do ano. O CPV organiza-se a partir de duas metodologias - por demanda programada e demanda espontânea. Podemos definir demanda espontânea como todo atendimento solicitado pelo(a) usuário(a) do serviço, seja de acompanhamento em casos de violência ou de busca por direitos. De outra parte, a demanda programada seria aquela que o serviço organiza, a partir dos programas intersetoriais, partindo de um diagnóstico territorial e social, voltado às pessoas ou grupos sociais mais vulneráveis à violência letal. Além disso, junto ao CPV, também está localizado um posto descentralizado do PROCON, que oferece atendimento e proteção aos direitos do consumidor. As demandas espontâneas são acompanhadas pelas Agentes de Ação Social, mulheres das comunidades, capacitadas como multiplicadoras de direitos, responsáveis por acolhimentos e suporte nos Programas Intersetoriais, que são executados pela equipe técnica. Além disso, nos atendimentos por demanda espontânea também são realizadas mediações de conflitos comunitários e encaminhamentos para outros serviços da rede intersetorial. Já as demandas programadas são acompanhadas pelos técnicos, Psicólogos e Assessores Jurídicos, responsáveis pelos programas intersetoriais, quais sejam: Cuidando Trajetórias e Todo Jovem Importa (TJI). A divisão desses se dá de acordo com seu público alvo - crianças e adolescentes em rota de evasão e jovens evadidos do sistema formal de ensino e/ou em conflito com a lei. O CPV do bairro Mathias Velho tem por tradição, e por maior espaço físico, o hábito de organizar eventos abertos para a comunidade em datas emblemáticas. Em março se realizou o evento “Sou Mulher, Sou Guerreira!”, alusivo ao mês de luta pelos direitos das mulheres; em maio foi realizado o evento “Dia das Mães é Todo Dia”, alusivo ao dia das mães, que buscou discutir o direito das mulheres e a prevenção e combate ao machismo e em setembro se realizou evento alusivo ao Setembro Amarelo, que é uma campanha nacional de prevenção ao suicídio. Os eventos de março e maio foram organizados pelas Agentes de Ação Social, já o evento de setembro foi organizado pelos jovens que cumprem medida socioeducativa no CPV, 24

626

atendimentos

3.955

juntamente com a técnica responsável pelo Programa TJI. Ainda em Março, o CPV Guajuviras participou de diferentes eventos alusivos ao mês de luta pelos direitos das mulheres, organizados pela Diretoria de Políticas Públicas para mulheres. Foi inaugurado no território o Serviço de Informação à Mulher - SIM - e as Agentes de Ação Social organizaram um Cabide Solidário, para doação de peças de vestuário. Em agosto, um dos jovens acompanhados pelo Todo Jovem Importa do bairro Mathias Velho, que retornou à escola e teve auxílio da Secretaria de Educação com os materiais foi indicado para receber o Prêmio de Protagonismo Jovem que ocorreu dentro da programação da 13º Semana da Juventude de Canoas/RS. O prêmio reconhece os esforços de jovens que se destacaram em um dos 11 eixos de atuação do Estatuto da Juventude e é com muita felicidade que Adrian Marques de Souza foi premiado na categoria Segurança Pública e acesso à Justiça. O prêmio reflete a responsabilização do jovem Adrian com a sua própria vida, tornando-se protagonista da mesma e reflete também o comprometimento da técnica e dos colaboradores do programa Todo Jovem Importa para com os jovens atendidos.

Depoimento:

“Esse programa representa o começo do meu futuro. Quero ter minha própria casa, ter uma família e trabalhar. Cada um aqui pode ter uma vida e um futuro bom. Tem que acreditar e não desistir do sonho.” Adrian Marques de Souza. O mês de agosto também contou com a viagem da responsável técnica do TJI da Mathias Velho, ao Paraná, para a participação do IV Congresso Internacional de Saúde Mental que ocorreu na cidade de Irati nos dias 21, 22 e 23. O congresso com a temática “Saúde Mental, Políticas Sociais e Democracia” trouxe discussões imprescindíveis para a nossa atuação cotidiana nos cenários atuais. A discussão sobre políticas sociais e democracia, bem como a defesa das políticas públicas da qual fazemos parte, é um tema que precisa ser pontuado sempre que possível. A saúde mental precisa ser discutida em todos os âmbitos


REALIZAÇÕES 2019 da política pública e o programa intersetorial Todo Jovem Importa não poderia ficar de fora dessas discussões. Por esse motivo, a responsável técnica do TJI, apresentou trabalho na modalidade Comunicação Oral que fez parte da mostra de práticas do Congresso com o título: Todo Jovem Importa: Um relato de experiência sobre outras possibilidades de vida. Um dos principais desafios dos CPVs começou a se desenrolar a partir de setembro, com o estreitamento da relação com o Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS) para acompanhamento, em conjunto, do cumprimento de medidas socioeducativas do Município. Dessa maneira, as reuniões de articulação, que iniciaram com um momento de lançamento do Comitê Intersetorial do Todo Jovem Importa, desencadearam no compromisso de encontros sistemáticos para a discussão dos casos de cada território. Outro avanço importante foi a criação de um Grupo de Apoio à Gestão, coletivo que conta com profissionais das Políticas Públicas de Segurança e Desenvolvimento Social, reunidos para pensar em estratégias e metodologias para esse novo espaço que se constituiu. No início do mês de outubro, o Município realizou a Audiência Pública sobre a Lei da Aprendizagem – Lei 10.097/2000 e suas respectivas regulamentações - em que foram convocadas as empresas sujeitas à legislação, com o propósito de sensibilizá-las e esclarecê-las acerca da Lei e da sua obrigação legal. As equipes dos CPVs auxiliaram na organização para o momento do encontro e a jovem Gabriela da Silva, 17 anos, acompanhada pelo Programa Todo Jovem Importa do Guajuviras esteve presente, contando sua história a partir do acompanhamento realizado pelo programa e sua experiência como jovem aprendiz.

Estudantes acompanhandos pelos programas de prevenção odontológico, oficinas, auriculoterapia e reiki; da Equipe do Centro de Referência de Assistência Social - CRAS Guajuviras com atendimentos para o Cadastro Único e demais orientações sociais; e, por fim, equipes do Primeira Infância Melhor e da Diretoria de Políticas Públicas para Mulheres, ambas promovendo divulgações de seus serviços para a comunidade do bairro. Assim, a ação foi possível e obteve êxito não apenas pela participação e envolvimento dos trabalhadores da rede e do CPV Guajuviras, mas também da população, que auxiliou - por meio de diversas doações - e colaborou para que as crianças tivessem um dia mais que especial.

Centro de Prevenção às Violências Guajuviras Casos acompanhados pelos Programas

Depoimento:

Atendimentos / Acolhimentos

“Eu acho muito importante ter oportunidades, eu quero muito aprender coisas novas, foi extremamente importante o meu primeiro emprego, foi aí que eu fui me desenvolvendo, aprendendo a me comunicar, pois eu tenho muita vergonha.” Gabriela da Silva.

Reuniões

Seguindo o mês de outubro, o CPV Guajuviras promoveu uma ação alusiva ao Dia Das Crianças no Hangar Cultural Oli Borges, contando com a presença de aproximadamente 400 pessoas (300 crianças e 100 adultos). Diversas atividades foram realizadas na ocasião. Para a diversão das crianças, foram ofertados brinquedos infláveis, cama elástica, distribuição de pipocas e sucos, algodão doce, entrega de lembranças e apresentação musical. Além disso, houve a participação da equipe da Unidade Básica de Saúde, realizando testes rápidos, atendimento

Público favorecido em eventos

Encaminhamentos para a Rede Eventos realizados Atendimentos realizados pelo PROCON Total de atendimentos em 2019 Média de atendimentos por mês

175 251 96 163 22 808 409 1924 160

Mathias Velho

143 375 113 278 15 331 776 2031 169

25


PROJETOS SOCIAIS

Educação participativa e democrática com jovens e adultos A Fundação La Salle realizou o Projeto de Apoio à Educação de Jovens e Adultos – PAEJA, em duas escolas, em parceria com o Banco Interameriacano de Desenvolvimento – BID e Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo, entre os meses de março e setembro de 2019. O período de prorrogação do PAEJA teve como objetivo dar continuidades às ações de formação permanente e de integração com as instituições de ensino, fatores relevantes para a qualidade das ações desenvolvidas e para o enfrentamento à evasão escolar. O trabalho realizado levou em conta a interdisciplinaridade entre as diversas áreas do conhecimento, favorecendo a participação e cooperação entre educandos, educadores e equipe diretiva. Torna, assim, o processo de aprendizagem mais dinâmico e significativo, valorizando o protagonismo e a autonomia do sujeito na construção do conhecimento, do desenvolvimento das habilidades, potencialidades e do pensamento crítico. O trabalho foi construído a partir de um planejamento participativo e democrático. E para melhor organizar o cotidiano com as escolas, as ações procuraram respeitar os diferentes saberes dos participantes do PAEJA. No primeiro momento, foi feita a leitura do PPP (Projeto Político Pedagógico), dados de pesquisa (período de adaptação dos alunos) e os registros do SIGAM (resumo geral movimento de classe) das escolas referentes aos anos 2016, 2017, 2018 para estudo, análise destes dados e construção de planilhas de resultados e acompanhamento. Em um segundo momento, os dados foram apresentados para os representantes da Secretaria Municipal de Educação (SMED), equipes diretivas das

26

beneficiados

345

escolas participantes do PAEJA, professores e funcionários, com a finalidade de acompanhar os resultados e apresentar ações que vislumbra melhorassem os índices de evasão/aprovação e diminuíssem os índices de reprovação. Já em um terceiro movimento, a equipe de trabalho fez o acompanhamento e o assessoramento das ações trazidas pelas equipes diretivas, levando em consideração as demandas construídas pelo coletivo escolar. Em seguida foi realizado o acompanhamento das ações a partir das necessidades e interesses, planejando-as de forma interdisciplinar, ou seja, através do processo de trabalho em equipe horizontal (oficinas, palestras, passeios, entre outras). Com o objetivo de potencializar as relações de aprendizagens, foi possível também o planejamento de saídas pedagógicas que dialogassem com as temáticas que estavam sendo trabalhadas em aula, levando em consideração o interesse dos(as) educandos(as), no levantamento feito nas sondagens realizadas, onde escolheram locais que gostariam de conhecer. A escolha dos locais a serem visitados foi pensada em conjunto com as equipes diretivas, professores e equipe PAEJA. Assim, algumas visitas técnicas, culturais e de integração foram realizadas no Museu da PUC Porto Alegre (EMEF Emef Boa Saúde/Praça CEU); Cidade de Gramado (EMEF Sen. Salgado Filho e EMEF Boa Saúde/Praça CEU); Mostra DE Trabalhos-Femictec (EMEF Sem. Salgado Filho, EMEF João Baptista Jaeger e Praça CEU). Na preparação para o mercado de trabalho, foram realizadas palestras e oficinas de elaboração de currículo, com o objetivo de potencializar a formação


REALIZAÇÕES 2019 continuada de jovens e adultos, assegurando conexões com o mundo do trabalho e articulando os currículos da escolarização e da formação ao longo da vida. A formação docente foi coordenada pela equipe técnica do PAEJA e teve por objetivo promover um espaço de escuta, debate e reflexão da práxis pedagógica no processo de ensino e aprendizagem, visando contribuir para a construção coletiva de novas práticas na Educação de Jovens e Adultos. Nestes momentos foram trabalhadas as seguintes temáticas: Metodologia Dialética; Planejamento; Trabalho com Projetos; Avaliação na EJA; O Papel do Educador na EJA. Com a proposta de promover a integração entre o Projeto PAEJA e a Rede de Apoio ao Educando do Município de Novo Hamburgo, foram realizadas inúmeras reuniões de articulação da rede para trocar informações e articular com as demais ações previstas da Política de Segurança Cidadã e Prevenção as Violências.

PAEJA – Março a Setembro 2019 Ações Estudantes, professores e equipes Reuniões de articulação Reuniões de equipe Formação continuada Acolhimentos, contatos e busca ativa

43 13 68 367

Público

345 482 48 2918 3691

Momento de formação dos educadores

Apresentação do trabalho do PAEJA

27


PROJETOS SOCIAIS

Acolhimento humanitários aos Venezuelanos beneficiados

319

atendimentos

5.884

Em 2019, a caminhada do projeto de Ação Humanitária com os Venezuelanos agiu em cogestão da Fundação La Salle com a Secretaria de Assistência Social do Município de Canoas. No início do ano, foi possível observar que todas as festividades de Natal e Ano Novo nos Centros de Acolhimento da cidade aproximaram os refugiados da comunidade, gerando muitos contatos profissionais. Assim, vários venezuelanos que já estavam na cidade desde 2018 conseguiram colocações no mercado de trabalho e com trabalho formal puderam ter sua autonomia ainda maior. O reflexo disso foi percebido no número de pedidos de desligamentos voluntários dos Centros de Acolhimentos, uma vez que as pessoas começaram a alugar suas residências próprias, com auxílio da equipe. Assim, no mês de fevereiro, as famílias iniciaram os preparativos para saírem dos Centros. Os técnicos intensificaram o acompanhamento e busca de locais para aluguéis e acomodações das famílias, tarefa bastante trabalhosa, pois tinha relação direta com as inscrições dos estudantes nas escolas de educação infantil, ensinos fundamental e médio mais próximas. A força-tarefa realizada para aquisição de móveis e locação de casas e apartamentos foi grande, pois contou com solicitações de preços mais acessíveis, valores de caução e redução de tempo contratual. Além disso, o foco do trabalho deste mês também esteve focado no auxílio às mudanças e transferências escolares tanto no Município como de cidades vizinhas. Junto a essas ações também teve início o período de entrega de ran-

casos, o aconselhamento foi procurar um aluguel próximo de famílias em que a mãe ficasse em casa e pudesse ganhar algo cuidando de outras crianças. No final do mês de março, todas as famílias acolhidas em Canoas tinham ao menos um adulto com carteira assinada ou outros fazendo trabalho por diárias. Até o final do projeto, foram acompanhados um total de 105 famílias resultantes de rearranjos após o fechamento dos Centros de Acolhimentos. Destas, 23 famílias residem em outras localidades, a maioria em Municípios gaúchos como Caxias do Sul, Esteio, Nova Santa Rita, Porto Alegre, Sapucaia do Sul, Soledade, Tramandaí e Triunfo. Duas famílias foram morar fora do estado, nas cidades de Cuiabá /MT e Goioerê / PR. Para a Venezuela regressou uma família no período do acompanhamento. A partir de março, a lógica do serviço mudou com o fechamento dos Centros de Acolhimento. A equipe técnica da Fundação La Salle passou a visitar com frequência as casas e empregos, mantendo também contatos com as empresas e atendendo demandas relacionadas a familiares dos refugiados do programa com a Polícia Federal, Secretarias Municipais relacionadas a emprego e renda, educação e saúde. Além disso, foram realizadas rodas de conversas em suporte à rede para um melhor acolhimento por parte dos técnicos dessas instituições municipais, como nas demandas da assistência social, saúde e educação. O acompanhamento às famílias seguiu durante todo o ano. Mesmo os venezuelanos moradores de outras cidades continuaram acionando a equipe

chos excedentes para as famílias venezuelanas mais vulneráveis e moradoras no município e das cidades mais próximas. A equipe participou de agendas de reuniões no Cáritas e com a Defesa Civil de Canoas, assim com a busca de doações particulares de móveis para as famílias. Um outro desafio deste processo foi a organização das famílias monoparentais para que conseguissem um emprego e tivessem com quem deixar os filhos enquanto trabalhavam. Para estes

para atendimento de demandas como documentação para a Polícia Federal e resolução de dificuldades de inserção em suas redes municipais de educação e assistência Social, fazendo-se necessário um apoio recorrente. Algumas famílias mudaram de bairro e algumas de cidade, outras sofreram rearranjos devido à separação de casais, pois com a chegada de familiares que estavam na Venezuela, as mulheres sentiram segurança para dissolverem

28


REALIZAÇÕES 2019 os casamentos que haviam sido montados para poderem acessar o programa de interiorização. Cabe salientar que o projeto atendeu também as demandas de mais de 230 venezuelanos que vieram fora do programa, sendo em sua maioria familiares dos que estavam abrigados. Algumas pessoas de outras nacionalidades também receberam atendimento neste período, sendo que a demanda principal era encaminhamento para emprego, escola e regularização da documentação de permanência no Brasil.

Acolhimento às famílias venezuelanas

Depoimentos: “Foi difícil deixar nossa vida para trás, o próprio povo destruiu a Venezuela, agora estamos aqui tentando reconstruir nossas vidas, sou muito agradecido por Canoas ter nos acolhido e nos ajudado a caminhar, vocês foram importantes no nosso recomeço aqui, obrigado amigos”. Boris Terranova, (46 anos, Teólogo – Agora Vendedor). “Trabalhei muito tempo para conquistar uma casa e bens, mas com todos os problemas que tivemos tudo acabou, é muito triste você ver todas as conquistas ficarem para trás, agora começamos vida nova, o Brasil é nossa casa, eu amo a Venezuela e amo o Brasil que dá esperança para mim e para os meus filhos”. Dorisbel Ochoa (37 anos, Caixa de Mercado).

Encaminhamento das famílias para suas residências 29


PROJETOS SOCIAIS

Música e cultura para mais crianças beneficiadas O projeto Música na Escola é uma parceria entre a Fundação La Salle e a Prefeitura Municipal de Nova Santa Rita. No ano de 2019, seu objetivo foi o de expandir uma iniciativa pré-existente que atendia em média 50 estudantes da rede municipal para alcançar mais crianças e adolescentes da cidade. Através da parceria, a Fundação La Salle passou a coordenar o projeto, além de contratar novos instrutores de música e traçar um referencial pedagógico para as atividades, passando a oferecer já no início do ano letivo 500 vagas em oficinas de iniciação ao canto, violão, percussão e flauta doce. Com a gestão do projeto foi possível organizar o referencial teórico e metodológico das atividades, bem como estabelecer junto à Secretaria de Educação e às direções das escolas as condições necessárias para o desenvolvimento das oficinas e do projeto em si. Foram realizadas assim, ao longo do ano, 40 horas aula de capacitação e alinhamento metodológico para os instrutores de música responsáveis pelas oficinas, o que resultou em um trabalho qualificado, que possibilitou a realização de apresentações públicas integrando várias escolas e grupos musicais. A Fundação La Salle também foi responsável pela manutenção dos instrumentos musicais do projeto, dando condições àqueles estudantes que não tinham condição de adquirir um instrumento próprio para participar das atividades. Em 2019, o Município distribuiu 40 violões, 80 instrumentos de percussão e 50 flautas para as escolas, além de outros equipamentos necessários para a realização das oficinas. Atendimentos em atividades e oficinas Público favorecido em eventos Média de beneficiados por mês Reuniões Eventos realizados 30

16.000 5.000 400 18 10

400

Depoimento: “Foi um aprendizado muito satisfatório pela vivência com crianças humildes que valorizam o aprendizado da arte, além disso, creio que o mais importante foi o respeito e carinho criado entre professor e alunos, e até mesmo entre eles, através de músicas escolhidas que sempre trouxessem uma mensagem de reflexão”. Marcus do Prado Rodrigues, Professor.

Apresentação dos estudantes de Nova Santa Rita


REALIZAÇÕES 2019

Canta e Encanta Minha Gente beneficiados

1.500

O projeto Canta e Encanta Minha Gente, é uma parceria entre a Fundação La Salle e a Prefeitura de Cachoeirinha. Estabelecida através de licitação pública, a partir do início do ano de 2019, seu objetivo foi o de reorganizar um projeto de música anterior que atendia em média 400 estudantes da rede municipal. A iniciativa contou com 1600 vagas em oficinas de iniciação ao canto, violão, violino e flauta doce, distribuídas em 20 escolas municipais. A Fundação La Salle também foi responsável pela manutenção dos instrumentos musicais do projeto, sendo que o Município disponibilizou 80 violões, 40 violinos e 50 flautas para as aulas das crianças e adolescentes. “O Projeto Canta e Encante Minha Gente” trouxe aos alunos uma oportunidade de desenvolver a habilidade de ouvir, expressar, tocar, cantar, interagir em grupo, respeitar o outro, expressar junto ao outro, utilizando-se da musicalidade para desenvolver outras habilidades além do ler e escrever. Foi de grande crescimento para nossos alunos, enriquecedor para sua faixa etária, sendo apreciado seus números de apresentação em vários eventos na escola e fora dela , encerrando com um lindo Concerto de Natal no Shopping da Cidade”. Cristina Flor Kiefer - Vice Diretora da EMEF Jose Victor de Medeiros.

Atendimentos em atividades e oficinas Público favorecido em eventos Total de beneficiados de 2019 Média de beneficiados por mês Reuniões Eventos realizados

55.000 10.000 1.500 1.300 22 25

Crianças de Cachoerinha em apresentação musical

31


PROJETOS SOCIAIS

Dança, educação e transformação social pessoas

28

No dia Internacional da Dança, 29 de abril, conforme definição da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, Unesco, o Coreógrafo Rubielson Medeiros, juntamente com a Fundação La Salle e o Indiana Partners of the Americas deram início ao Programa Dance Partners Canoas. A iniciativa desenvolveu ao longo de 2019 oficinas gratuitas para bailarinos e coreógrafos que desejavam transformação profissional e social por meio da dança. A proposta remete a um trabalho fundado na cidade de Nova Iorque (Estados Unidos) em 2012, pelo pianista norteamericano William Engle (em memória), da Butler University, do estado de Indiana, e pelo coreógrafo brasileiro Rubielson Medeiros, Mestre em Memória Social e Bens Culturais pela Universidade La Salle. Assim, o trabalho envolveu um projeto autoral em dança, que ofereceu formação e capacitação para bailarinos e coreógrafos com atividades gratuitas no Centro de Pastoral La Salle, no bairro Niterói em Canoas/RS. O objetivo principal foi formar bailarinos, capacitar coreógrafos e promover oficinas de artes para crianças e adolescentes. No dia 10 de agosto, o programa contou com seu primeiro espetáculo no Teatro do Sesc Canoas. O espetáculo, denominado, Noite do Tapete Vermelho, celebrou os 80 anos de Canoas e marcou a pré-estreia do Documentário Memórias de uma Trajetória e a performance artística dos bailarinos, coreógrafos e atores integrantes do projeto Companheiros da Dança (versão Brasileira do Programa “Dance Part-

beneficiados culturalmente

Bailarinos do Dance Partners

ners”-USA).

Apresentação de dança 32

300

espectadores

700


REALIZAÇÕES 2019

Lance de Craque: auditoria e acompanhamento às entidades Ao longo de 2019, a Fundação La Salle acompanhou a aplicação dos recursos do Lance de Craque para quatro instituições beneficentes: Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas, Aldeia da Fraternidade, Fundação de Atendimento de Deficiência Múltipla (FADEM) e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais A (APAE). No total foram investidos R$ 412.575,00. A partida de futebol que ocorreu em 21 de dezembro reuniu 15.560 pessoas no Estádio Beira Rio, em Porto Alegre, com o envolvimento de 36 atletas. E, pelo sexto ano consecutivo, a Fundação La Salle fará auditoria dos recursos do jogo beneficente Lance de Craque. A instituição será responsável por acompanhar os recursos doados a quatro instituições beneficentes com a renda do jogo solidário liderado pelo jogador do Internacional, Andrés D’Alessandro. A Fundação La Salle realizou reunião com os responsáveis pelas entidades beneficiadas (Associação Sol Maior – Escola de Música Usina de Talentos, Centro de Educação Profissional Calábria, Associação Beneficente Santa Zita de Lucca e Associação Cristã de Moços) no mês de novembro para iniciar a organização e acompanhamento ao longo de 2020. Lance de Craque - Um gol pelas crianças é um projeto idealizado pelo atleta Andrés Nicolás D’Alessandro, que tem o contínuo desejo de fazer do futebol um instrumento para ajudar as pessoas.

Estádio Beira Rio - Porto Alegre

33


PROJETOS SOCIAIS

Incentivo ao paradesporto em Canoas beneficiados O Projeto Em Canoas o Esporte Rendimento é para todos III, contempla o desenvolvimento de esportes paralímpicos, desenvolvendo quatro modalidades: atletismo, futebol de 5, goalball e natação e é voltado para pessoas com deficiência a partir dos 12 anos de idade. A iniciativa apoia também ações e eventos da administração pública que promovam e estimulem o esporte e a prática de atividade física como eixo central de sua proposta de política pública de esporte e lazer na região metropolitana. O esporte para as pessoas com deficiência proporciona inúmeros benefícios, como aumento da força e resistência muscular, melhora do desempenho físico, da capacidade intelectual, aumento da autoconfiança e melhora na qualidade de vida. O sucesso no esporte paralímpico requer do portador de deficiência um somatório de oportunidades, incentivo, motivação, trabalho duro, sacrifício e muito treinamento. Assim como acontece com os atletas convencionais, é necessária uma abordagem individualizada para os programas de treinamento desses atletas. Neste sentido, o projeto através da sua equipe técnica buscou atender o seu atleta e suas limitações completamente, evitando estruturar o programa de treinamento baseado apenas na deficiência física, visual ou intelectual. O processo de treinamento contemplou intensidades que podem melhorar todas as características previamente mencionadas, além de evitar sobrecarga abusiva, lesão muscular e overtraining, fatores que prejudicam a recuperação e limitam o desempenho esportivo. A Fundação La Salle se tornou uma referência no treinamento de modalidades paralímpicas, possibilitando que atletas da região metropolitana e do município de Canoas tenham um local adequado para treinamento. O projeto conta ainda com transporte adaptado, academia adaptada, espaços esportivos para os treinos, torneios e amistosos para que estas equipes possam participar de competições regionais, estaduais e nacionais. 34

120

atendimentos

3.437

Locais das atividades sistemáticas: • Poliesportivo Universidade La Salle – Treinos de Natação e Academia • Centro Olímpico Municipal - Atletismo • Centro Esportivo São Luis – Goalball e Futebol de 5 Total de beneficiados Atendimentos em atividades e oficinas Público favorecido em eventos Reuniões Eventos realizados Média de beneficiados por mês

Atletas do paradesporto em treinamento

120 3437 5000 34 9 74


REALIZAÇÕES 2019

Mais esporte e educação em Carazinho beneficiados

309

atendimentos

1.896

O Projeto Carazinho mais esporte e educação é resultado de uma parceria da Secretaria de Educação de Carazinho e da Fundação La Salle, que iniciou em 15 de setembro de 2019. O objetivo é trabalhar com a formação de turmas multiesportivas, com aulas de futsal, badmintom, futebol sete, handebol, basquete, voleibol e tênis de mesa para crianças e adolescentes na faixa etária de 7 a 15 anos. As aulas são realizadas duas vezes na semana, com duração de uma hora cada aula no contra turno. O projeto oferece dois núcleos de Esportes, utilizando espaços públicos sem onerar custos ao projeto, ou seja, validando espaços de lazer e facilitando assim o acesso da comunidade às atividades oferecidas. Os núcleos esportivos foram escolhidos baseando-se na densidade demográfica dos bairros. O esporte é uma grande ferramenta na humanização e deve ser inserido na integração dos instrumentos educacionais colocados à disposição da sociedade. O projeto entende o esporte como ferramenta de mobilização e transformação e trabalha os conceitos do esporte educacional em sua plenitude, possibilitando através do projeto uma variada cultura esportiva. São atendidos alunos do ensino público municipal através de parceria estabelecida com a Secretaria de Educação de Carazinho. A intenção é estabelecer uma política pública que tenha continuidade no Município através de fidelização dos parceiros envolvidos. Até dezembro de 2019, foram beneficiados 309 crianças e adolescentes no projeto. Locais das atividades sistemáticas: • Escola CAIC: badmintom e tênis de mesa • Ginásio da FUNDESCAR: voleibol, basquete, handebol, futsal e futebol 7

Estudantes de Carazinho que integram o projeto esportivo

35


PROJETOS TÉCNICOS

Assessoria técnica para o desenvolvimento urbano A Fundação La Salle deu continuidade em 2019 à Assessoria Técnica ao Município de Nova Santa Rita para o desenvolvimento da Etapa III do Termo de Referência, que teve como objeto a revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano. Os estudos realizados impactam diretamente na organização futura da cidade e permitem o desenvolvimento e crescimento ordenado do Município, tendo critérios atualizados e que trarão credibilidade para a sociedade investir e empreender. O Plano Diretor serve para orientar diretamente o desenvolvimento e ordenamento da expansão urbana do Município, respondendo questões de como fazer com que a cidade se desenvolva de forma organizada, além de definir onde as empresas podem se instalar, a localização do comércio e até a altura dos prédios.

Estudos para o desenvolvimento do Plano Diretor 36


AVALIAÇÕES EDUCACIONAIS

Avaliação permanente com o PROAVI O Programa de Avaliação Institucional (PROAVI) é um importante instrumento de pesquisa para avaliar a atividade educativa na Rede La Salle de Educação, buscando qualificar os processos de gestão e de ensino nas Comunidades Educativas de educação básica e de ensino superior. Na educação básica, o instrumento teve como objetivo, em 2019, identificar a percepção de famílias (responsáveis financeiros e pedagógicos) e de colaboradores administrativos das unidades sobre os processos educativos desenvolvidos em cada instituição. Assim, de 12 de agosto a 12 de setembro, foi realizada a pesquisa online. A avaliação contou com 4.300 respondentes e apontou os pontos fortes e as necessidades de melhorias das Comunidades Educativas. Já nas instituições lassalistas de ensino superior, o PROAVI teve o objetivo de saber a opinião dos estudantes sobre a qualidade da educação. O instrumento também ficou disponível via mobile, com amplo acesso dos Setores de Educação Superior da Rede La Salle, Coordenações de Cursos e Diretores das IES sobre o alcance da avaliação em tempo real. De forma geral, dos 45 itens avaliados, 35 obtiveram concordância superior a 90%. A avaliação do mês de setembro contou com 5.153 respondentes dos cursos presenciais e 1083 respondentes nos cursos a distância, atingindo, respectivamente, 5 instituições lassalistas de ensino superior e 13 pólos de educação a distância. A pesquisa realizada com os alunos de Educação a Distância foi iniciada este ano, o que impossibilita comparações. Além disso, em alguns polos a adesão foi bastante baixa, podendo resultar em distorções nos resultados. Para os próximos anos aconselha-se a manutenção do mesmo questionário e também dos critérios de análise para que seja possível comparar os resultados.

37


CONCURSOS PÚBLICOS

Concursos à serviço da gestão pública A Fundação La Salle atua com Concursos Públicos desde 2009, pois entende que o serviço é uma forma de contribuir diretamente com a gestão pública realizada pelo Estado, prefeituras e órgãos de classe. O desenvolvimento do trabalho atende aos princípios de transparência, segurança, organização e responsabilidade, assim como o respeito aos princípios constitucionais e a regulamentação própria de cada órgão público. A logística do serviço envolve desde a criação dos editais necessários, a organização e aplicação das provas objetivas, escolha da banca de elaboradores das questões, orientação de provas práticas e exames psicológicos, dentre outros detalhamentos organizados de acordo com as instituições contratantes. Em 2019, 75.965 pessoas se inscreveram nos concursos públicos realizados pela Fundação La Salle e deste total, 50.357 foram confirmados posteriormente. A equipe de trabalho foi responsável por 20 editais com provas realizadas ao longo do ano.

Realizações de provas objetivas

Preparação de fiscais nos dias de provas 38


REALIZAÇÕES 2019

Concursos Públicos realizados Brigada Militar Capitão - Polícia Ostensiva Brigada Militar Capitão - Bombeiros Município de André da Rocha Município de Ibirubá PROCERGS Município de Veranópolis Município de Estrela Município de Sapiranga Câmara de Santa Vitória do Palmar Município de Santa Vitória do Palmar Município de Garibaldi Conselho de Arquitetura e Urbanismo - CAU/RS Município de Canoas Município de Rondinha Município de Montenegro Município de Esteio Município de Charqueadas Infraestrutura para equipe da trabalho

39


GESTÃO EDUCACIONAL

Nova atuação: gestão compartilhada de escolas públicas Ainda em 2019 iniciaram as tratativas para o início de uma nova área de atuação da Fundação La Salle. Assim, em novembro, ocorreu a assinatura do termo de parceria entre Prefeitura de Sapucaia do Sul, Universidade La Salle e Fundação La Salle, que incluiu a gestão compartilhada de duas escolas públicas de Educação Infantil da cidade.

As Instituições têm cerca de 1,2 mil metros quadrados, divididos em quatro prédios e cobertura central. Cada escola conta com oito salas de aula, refeitório, anfiteatro, solários, recepção, salas para secretaria e diretoria, professores e servidores, salas multiuso e de informática, almoxarifado, copa, lavanderia, despensa, sanitários e pracinha.

Neste caminho, no dia 16 de janeiro de 2020, foram inauguradas as escolas Izabel Cristina Souza de Costa e Profª Simone Serafim, que possuem capacidade para atender 296 crianças. As escolas são voltadas para crianças de zero a três anos, em turmas de Berçário I e II e Maternal I e II. Cada instituição atende até 148 alunos. Por dois anos, as Instituições funcionarão através de gestão compartilhada entre Prefeitura e Fundação La Salle. A parceria é uma das contrapartidas da Fundação, por conta da cessão onerosa do terreno de propriedade da Prefeitura, que há 20 anos já é utilizado pela Escola La Salle de Sapucaia.

Assinatura do termo de convênio entre a Fundação La Salle, Universidade La Salle e Prefeitura de Sapucaia do Sul 40

Entrada da escola que atende Berçário e Creche


REALIZAÇÕES 2019 No mês de fevereiro, as Auxiliares e Técnicas de Educação Infantil das Escolas de Educação Infantil participaram de uma semana de formação entre os dias 17 e 21 de fevereiro. Além de momentos de integração, o contato com a proposta lassalista de educação ocorreu através de trabalho orientado pela Coordenadora de Educação Básica da Rede La Salle, Maria Elisa Schuck Medeiros que abordou a temática relacionada aos Campos de aprendizagem e Carisma lassalista. Outros estudos envolveram a nova Base Nacional Comum Curricular, além do planejamento para receber as crianças do Berçário e Creche. Um momento especial nesta formação ocorreu sob orientação do Diretor Presidente da Fundação La Salle, Ir. Marcelo Salami, que coordenou algumas vivências de grupo aliadas ao desenvolvimento das relações e da espiritualidade.

Grupo de profissionais das escolas

Grupo em formação pessoal e profissional 41


FUNDAÇÃO LA SALLE

Reconhecimentos e premiações Programa Todo Jovem Importa é apresentado em Congresso Internacional

Entre os dias 21 e 23 de agosto de 2019, o Programa Todo Jovem Importa, desenvolvido pelo Centro de Prevenção às Violências, foi apresentado no IV Congresso Internacional de Saúde Mental, que ocorreu no município de Irati/ PR, na Universidade Estadual do Centro-Oeste. O trabalho integrou a mostra de práticas do Congresso com o título: Todo Jovem Importa: um relato de experiência sobre outras possibilidades de vida. A apresentação, feita pela Psicóloga Lina Gonçalves Lopes, teve como objetivo mostrar a experiência do Programa que atua com jovens em cumprimento de medida socioeducativa e/ou em evasão escolar no bairro Mathias Velho, no Município de Canoas/RS. O congresso teve como temática “Saúde Mental, Políticas Sociais e Democracia” e trouxe discussões sobre a defesa das políticas públicas. O evento contou com mais de 400 inscritos, incluindo pesquisadores brasileiros e também da França. O Programa Todo Jovem Importa foi visto como potencializador das práticas intersetoriais, entendendo como primordial o papel dos responsáveis técnicos para articulação da rede e acesso dos jovens aos seus direitos fundamentais. A Fundação La Salle é responsável pela execução dos Centros de Prevenção ás Violências, que são coordenados pela Secretaria de Segurança Pública e Cidadania de Canoas.

Prêmio sobre protagonismo é entregue a jovem do Centro de Prevenção às Violências No dia 12 de agosto, ocorreu a abertura da 13º Semana da Juventude, no Auditório Sadi Schwitz da Prefeitura Municipal de Canoas. Na oportunidade, o jovem Adrian Marques de Souza, que é acompanhado pelo Programa Todo Jovem Importa, do Centro de Prevenção às Violências Mathias Velho, recebeu o prêmio de Protagonismo Jovem. A distinção reconhece os esforços de jovens que se destacaram em cada um dos 11 eixos de atuação do Estatuto da Juventude. Adrian foi premiado na categoria Segurança Pública e Acesso à Justiça. O evento é uma realização da Diretoria da Juventude, ligada à Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Participação Social. A solenidade contou com a presença de autoridades, incluindo o prefeito Luiz Carlos Busato e a Vice-Prefeita Gisele Gomes Uequed. O prêmio reflete também a dedicação e o comprometimento da Assessora jurídica Carolina Padoin e da Psicóloga Lina Gonçalves Lopes no acompanhamento do jovem, bem como das Agentes de Ação Social Jaqueline Peres e Sandra Teresinha Hoffmann.

Depoimento:

Apresentação do projeto em Congresso sobre Saúde Mental 42

“Adrian chegou ao Centro de Prevenção às violências Mathias Velho em abril deste ano para cumprimento de medida socioeducativa e tem sido acompanhado pelo Programa Todo Jovem Importa desde então. Nesse percurso de acompanhamento, caminhamos juntos com Adrian investindo no vínculo e na aposta do jovem em superar situações já colocadas na sua vida através de outras possibilidades. Adrian desafia o contexto social e as estatísticas e mostra que por meio do seu esforço através do apoio é possível alçar outros voos. O jovem retornou à escola e apesar de todas as dificuldades para conseguir permanecer, sempre fez isso com muito desejo e empenho. Adrian aposta no seu futuro e está tentando uma vaga no mercado de trabalho, enquanto isso retomou seus tratamentos de saúde e auxilia sua família no possível. Reforçamos que a vinculação do


REALIZAÇÕES 2019 adolescente foi de extrema importância para a concretização dessa caminhada. Para além dos cuidados com ele, Adrian olhou para os seus familiares e recorreu ao auxílio do CPV e do programa para os mesmos também. Consideramos que Adrian é um exemplo de protagonismo porque conseguiu visualizar outras estratégias de vida e de voltar a sonhar. Adrian é protagonista da própria história! Enfrenta todas as dificuldades com um sorriso e disposição para seguir em frente. É companheiro, amigo e sonhador. Sua trajetória é exemplo de jovem protagonista e uma inspiração para todos nós!” Carolina Padoin, Assessora jurídica e Lina Gonçalves Lopes, Psicóloga.

Trabalho com idosos apresentado em Seminário Internacional

Projeto Sou Solidário conquista Troféu Prata no Prêmio Sinepe/RS

Prêmio Protagonista Jovem

Projetos são apresentados em Seminário Internacional sobre Envelhecimento

Entre os dias 02 e 03 de julho de 2019, a Fundação La Salle participou do 4º Seminário Internacional Sesc de Envelhecimento e da 5ª Jornada de Educação e Envelhecimento UFRGS, que teve como tema Envelhecer no mundo contemporâneo: educação, trabalho e intergeracionalidade. No evento, foram apresentados dois relatos de experiência sobre o trabalho realizado pela Fundação La Salle nas temáticas: A atuação social de idosas através do Projeto Mulheres da Paz em Canoas/RS e Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Além dos projetos desenvolvidos pela Instituição, foi apresentado um trabalho científico, a partir da pesquisa de Mestrado: Gênero e geração: envelhecimento no cotidiano das Mulheres da Paz, que recebeu premiação destaque no evento. As apresentações no Seminário foram feitas pela Coordenadora de Projetos, Michele Nunes D’Ávila e pela Assistente Social, Angélica Borba. O Seminário foi uma realização do Sistema Fecomércio-RS/Sesc, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com patrocínio da São Pietro Saúde e o apoio do Conselho Estadual da Pessoa Idosa, Conectare Neuropsi, Super Cérebro, Senac-RS e Maturilab.

O Colégio La Salle Niterói, através das ações do Núcleo Sou Solidário, recebeu o Prêmio Prata na categoria Participação Comunitária do Prêmio SINEPE/ RS 2019. Este reconhecimento é fruto de muito trabalho e engajamento comunitário do grupo de voluntários que fazem o Núcleo Sou Solidário acontecer. Em apenas um ano de existência, este grupo de alunos, ex alunos, colaboradores e familiares já avançou com passos importante na caminhada do voluntariado lassalista. Que este troféu possa inspirar a continuidade das ações realizadas, multiplicando cada vez mais as iniciativas de responsabilidade social da Rede La Salle. Parabéns a todas pessoas envolvidas nesta conquista!

Noite de premiação na área de Responsabilidade Social 43


44


EXPEDIENTE - Realizações 2019 Diretor Presidente: Ir. Marcelo Cesar Salami, fsc Diretor Administrativo: Ir. Cledes Antonio Casagrande, fsc Diretor Técnico: Ir. Nelso Bordignon, fsc Coordenador Geral: Lucinei Hanauer Coordenador de Logística/Concursos: Cleon da Fonseca Coordenação de Comunicação e Edição: Cíntia Miguel Kaefer – Mtb 6485 Revisão: Cléria Monteiro Fotos: Banco de Imagens Fundação La Salle Diagramação/Impressão: Algo Mais Artes Gráficas

Avenida Getúlio Vargas, 5558/105 Cep: 92010-242 - Canoas/RS (51) 3031-3169 – comunicacao@fundacaolasalle.org.br facebook.com/fundacao.lasalle fundacaolasalle.org.br 45


46

Profile for algomais6

Realizações Fundação La Salle 2019  

Realizações Fundação La Salle 2019

Realizações Fundação La Salle 2019  

Realizações Fundação La Salle 2019

Profile for algomais6
Advertisement