Amafresp em Foco - Edição nº 10

Page 1

em foc o Ano 3 | Edição nº 10 | Julho, Agosto e Setembro

SAÚDE DO

IDOSO Cuidados para envelhecimento saudável devem começar desde cedo. Pág. 04

Médico de Família

mensalidade

Programa da Amafresp permite acompanhamento ainda mais próximo do paciente. Pág. 06

Elevação nas internações tiveram papel importante no aumento de custos do plano. Pág. 10

1


ÍNDICE ABRE ASPAS Pág. 03

ESPECIAL Pág. 04

EDITORIAL

ENTREVISTA Pág. 06

NOTÍCIAS Pág. 08

RAIO X Pág. 11

VIVER BEM Pág. 15

Filiado(a), Os idosos representam grande parte dos filiados da Amafresp: 69% dos titulares possuem 60 anos ou mais, de acordo com levantamento de outubro de 2019. É por isso que dedicamos esta edição da Amafresp em Foco para falar sobre a saúde na terceira idade e a importância da prevenção, para que possamos usufruir dessa etapa da vida com mais qualidade e tranquilidade. No dia 1º de outubro comemora-se o Dia Internacional do Idoso, data estabelecida pela Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas) em dezembro de 1990, em um movimento de preocupação com a qualidade de vida da população idosa. A realidade é que a população brasileira está envelhecendo. Segundo Projeção de População realizada em 2018 pelo IBGE , a estimativa é que, em 2060, o percentual da população com 65 anos ou mais de idade chegará a 25,5%, o equivalente a 58,2 milhões de idosos no Brasil.

EXPEDIENTE Amafresp em foco Diretoria da Amafresp: Renato Pei An Chan Analista de Comunicação: Flávia Sapienza Assistente de Redação: Gabriel Sales Designer: Paula Pereira Circulação: 2019 Tiragem: exemplares Impressão: Grupo Pigma E-mail: amafresp@afresp.org.br

ANS- N o 31763- 2

2

Os cuidados com a saúde devem começar desde cedo e se intensificar quando nos tornamos uma pessoa idosa. Para explicar mais sobre saúde

na terceira idade e tirar dúvidas sobre o tema, conversamos com a Geriatra de Confiança da Amafresp, Dra. Talita Junqueira – a entrevista pode ser conferida na página 06. Além disso, também mostramos nesta edição informações importantes sobre alimentação e realização de atividades físicas na terceira idade. A Amafresp também está preocupada com o acompanhamento dos filiados durante todas as fases da vida e, por esse motivo, criou programas para aproximar médico e paciente, desenvolvendo prevenção e tratamento mais eficazes. Um exemplo é o Programa Médico de Família, que disponibiliza o acompanhamento mais próximo com médicos da capital paulista e de algumas regiões no interior de São Paulo. É importante ressaltar também nossa preocupação com o aumento do valor da mensalidade. Trazemos nesta edição, junto com as tabelas de custos da autogestão, esclarecimentos sobre esse tema que impacta todos os filiados. Aproveite o conteúdo!


abre aspas “O Miguel, um de nossos gêmeos, foi diagnosticado com Síndrome de Hipoplasia do Coração Esquerdo - uma das mais raras cardiopatias. Começamos a buscar os profissionais indicados e chegamos até o hospital de referência Beneficência Portuguesa, e depois corremos com o processo burocrático. Nesta etapa, a Afresp e a Amafresp foram fundamentais. Somos associados há mais de 40 anos, e quando souberam do nosso problema, sempre nos ajudaram muito, desde a negociação com a equipe como no suporte com a BP. Vimos a burocracia de outras pessoas, e com a Afresp sempre tivemos transparência do que estava acontecendo e um apoio muito grande. Até o momento Miguel passou por 4 cirurgias cardíacas. Sou muito grato a todos da Afresp, pois nos ajudaram muito e proporcionaram o melhor atendimento para meu filho”. Gabriel Stolses – Filiado

“Eu achei o programa Médico de Família muito interessante! O médico vai nos orientar quando devemos voltar para as consultas, o que devemos fazer em prol de nossa saúde e quais exames devemos fazer periodicamente ou não. Acho que assim vamos ter uma economia de tempo para nós, associados, assim como economia para a Amafresp. Além disso, o Dr. Elzo* nos pareceu extremamente competente e, por ser jovem, ficamos mais tranquilos, pois vai poder nos acompanhar por muito tempo”. Loreni Fernandes Gutierrez – Filiada *Médico de Família oficial de São José do Rio Preto e região

“Minhas impressões a respeito do médico de família Dr. José Marcelo Borelli, da cidade de Campinas, são positivas. Acho que ganhei um amigo que vai me acompanhar ao longo do tempo, cuidando da minha saúde. Feliz iniciativa da Amafresp!” Hideo Hongo – Filiado

“Achei o Programa Médico de Família muito bom, assim como o médico que nos atende aqui em Campinas, o Dr. Marcelo, que é nefrologista. Por ele ser especialista, acaba ficando muito ocupado e às vezes o agendamento de consulta demora um pouco. Acho importante selecionar um profissional que não seja tão ocupado, assim o acompanhamento será melhor!” Milton Navata – Filiado

A implantação do Programa Médico de Família tem por objetivo recriar um relacionamento próximo entre médico e paciente e, por isso, a escolha do profissional foi criteriosa para que os melhores médicos fizessem parte desse programa e dessem um atendimento de qualidade e resolutivo aos nossos associados. Oferecemos uma remuneração diferenciada a estes profissionais para que todos os nossos associados possam ser atendidos com uma marcação de consulta o mais breve possível. Considerações da Diretoria

Envie suas sugestões, elogios, críticas e dúvidas para amafresp@afresp.org.br 3


especial

ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO ALERTA PARA SAÚDE DO IDOSO Todo dia 1º de outubro é celebrado o Dia Internacional do Idoso. A data foi estabelecida pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em dezembro de 1990, em um movimento de preocupação com a qualidade de vida da população idosa, que passou a viver mais com o passar dos anos. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), o Brasil atingiu, em 2017, o número de 30,2 milhões de idosos. De 2012 para 2017, o crescimento desse grupo etário chegou a 18%, e a tendência é que esse movimento se intensifique. A população brasileira está envelhecendo, seguindo a tendência dos países pelo mundo. A estimativa é que em 2060 o percentual da população com 65 anos ou mais chegará a 25,5%, o equivalente a 58,2 milhões de idosos, segundo a Projeção de População realizada em 2018 pelo IBGE. É por isso que a saúde do idoso é um tema que exige a atenção de toda a sociedade. Nas próximas décadas, mais pessoas se tornarão idosas e é importante estar atento à saúde desde cedo. Além disso, ao chegar na terceira idade, é fundamental intensificar os cuidados para que a pessoa idosa possa ter qualidade de vida e mais tranquilidade nessa nova etapa.

4

De acordo com a Dra. Talita Junqueira, Geriatra de Confiança da Amafresp, estudos comprovam que uma boa alimentação e atividade física são fatores fundamentais para o envelhecimento saudável. Além disso, ela reforça também a importância da prevenção e do acompanhamento médico desde antes do começo da terceira idade: “Como chegamos em 2030 preparados para receber essa nova população idosa e com um perfil de idosos mais saudáveis? Somente por meio da prevenção”. Médica do Programa Saúde do Idoso da Amafresp, a Dra. Talita concedeu uma entrevista para o Amafresp em Foco com os pontos principais sobre a saúde do idoso, tema especial desta edição. Confira o conteúdo completo na página 06!

VOCÊ SABIA? Hipertensão (45,3%), colesterol alto (17,0%), diabetes (16,1%), artrite ou reumatismo (9,7%) e câncer (6,9%) foram as doenças mais declaradas pelos idosos entrevistados na Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), em 2013.


Fonte: Ministério da Saúde

Fonte: HCOR e Hospital Sírio-Libanês

5


entrevista com especialista alimentação e a atividade física. O uso indiscriminado de complexos vitamínicos desnecessários pode inclusive agravar a função renal e hepática dos idosos. E para quem já está na 3ª idade e não começou a se cuidar melhor? Por onde começar? Nunca é tarde para começar a se tratar. Temos no consultório exemplos de pessoas sedentárias que viraram maratonistas. Idosos que eram obesos e tomavam mais de sete medicações e se libertaram dos remédios ao optar por uma vida mais saudável.

Dra. Talita Junqueira Geriatra de Confiança da Amafresp Em sua experiência como geriatra, quais são as doenças mais comuns entre os pacientes que você atende? Muitas pessoas não sabem que o geriatra pode cuidar de toda parte clínica do paciente, uma vez que também somos clínicos gerais. Então, muitos pacientes nos procuram para avaliar a perda da memória, e esta muitas vezes nem sempre está relacionada a demência (Alzheimer), mas a outros motivos como falta de vitaminas, hipotireoidismo e depressão. Durante as consultas, temos a oportunidade de explicar ao paciente que podemos também cuidar de problemas como hipertensão, diabetes, colesterol, artrose, osteoporose, diminuindo assim a ida a muitos especialistas e, consequentemente, o número de medicações usadas. Qual público que mais procura o Geriatra? Existem dois grupos de pacientes que nos procuram: os que desejam envelhecer bem, ou ter uma qualidade de vida adequada, e aqueles que possuem muitas doenças e necessitam de uma atenção do especialista, devido à gravidade de suas patologias. Os primeiros são mais saudáveis e possuem poucas comorbidades, uma vez que são pouco sedentários e mais ativos. O segundo grupo muitas vezes são dependentes de cuidados, ora acamados, e muitas vezes necessitam até de cuidador em tempo integral. Neste grupo, a visita domiciliar ajuda bastante, pois facilita a aderência ao tratamento. Envelhecer de forma saudável é possível? A partir de que momento devemos focar nesses cuidados?

6

Sozinho é difícil a mudança, comece sua mudança agendando uma consulta. O geriatra avaliará sua condição de saúde através de uma anamnese geriátrica ampla (AGA). A AGA é composta de vários instrumentos de avaliação, muitos já validados no Brasil, com farta literatura científica que comprova não somente sensibilidade e especificidade nestes rastreios, mas principalmente redução do risco de desfechos indesejados na saúde global de uma pessoa idosa. Sabemos que os exercícios físicos são importantes para os idosos. Mas além deles, também é preciso cuidar da saúde mental. Que orientações, neste aspecto, você dá para os seus pacientes? A Organização Mundial da Saúde (OMS) entende saúde como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas como a ausência de infecções ou enfermidades”. Desta forma, cuidar da saúde mental é fundamental. Há um conjunto de evidências científicas que demonstram forte relação entre espiritualidade, religião, religiosidade e os processos de saúde, adoecimento e cura. Provando que a espiritualidade ajuda no envelhecimento saudável. Portanto, como Geriatra, sempre que possível, abordo estes temas em minha consulta. Além disso, deixo aqui uma dica! Uma pesquisa recente estudou as “Zonas Azuis”, locais no mundo onde as pessoas são mais longevas, ultrapassando a marca de 100 anos de idade. O que estas regiões tinham em comum? Os detalhes abaixo: f f FAMÍLIA — a família é colocada acima de tudo. f f NÃO FUMAR — centenários tipicamente não fumam. f f DIETA COM BASE EM PLANTAS — a maioria dos alimentos consumidos é derivada de plantas. f f ATIVIDADE FÍSICA MODERADA E CONSTANTE — as atividades físicas com moderação são parte do cotidiano. ff ENVOLVIMENTO SOCIAL — pessoas de todas as faixas etárias são socialmente ativas e integradas a suas comunidades. O que mudou com o passar dos anos nos cuidados com os idosos? Hoje a mentalidade é outra com relação à prevenção?

Envelhecer de forma saudável é extremamente possível e desejável hoje em dia. Atualmente, sabemos que muitas doenças são prevenidas desde a gestação. Portanto, quanto mais cedo nos preocuparmos com nossa saúde, mais reserva teremos para usar ao longo da vida.

A longevidade nunca foi tão estudada. Em 2030, a previsão é de que o número de idosos no Brasil seja superior ao número de crianças e adolescentes até 14 anos.

Mas não devemos nos enganar com tantas propagandas “anti age”. Os estudos comprovam cada vez mais que o que mais contribuiu para este envelhecimento saudável é a boa

Sabemos que o perfil da população mais idosa, acima de 85 anos, é um perfil que mostra 50% dessas pessoas com quadro de demência.


Como chegarmos em 2030 preparados para receber esta população com um perfil de idosos mais saudáveis? Somente por meio da prevenção! A medicina preventiva é altamente praticada pelo geriatra, sendo voltada para a prevenção de doenças existentes na população, em vez de procurar a cura total. Os métodos utilizados para prevenir doenças são classificados em três categorias: prevenção primária, secundária e terciária. Cada categoria de medicina preventiva tenta impedir que a doença prejudique uma pessoa ou a população, detectando-a rapidamente para evitar sua progressão ou os sintomas, ou tenta limitar o impacto de uma doença que é já diagnosticada e definida no paciente com tratamento. Que conselhos você daria para as pessoas que estão passando dos 60 anos? Um alerta importante é com relação às doenças infecto-contagiosas. HIV e Sifilis na terceira idade (após 60 anos) é um problema que cresce muito anualmente. São inúmeros os casos de pessoas que durante a vida tiveram relacionamentos fixos em que não usavam o preservativo, chegando à terceira idade muitas vezes desquitados ou viúvos, ainda com vida sexual ativa e sem a percepção de risco nem as orientações sobre a importância de se prevenirem

em relações sexuais com suas novas parcerias casuais. Uma outra orientação é que após os 60 anos muitos pacientes já apresentam doenças instaladas. Cabe a nós Geriatras detectar um problema de saúde em estágio inicial, muitas vezes em estágio subclínico, facilitando o diagnóstico definitivo, o tratamento e reduzindo ou prevenindo sua disseminação e os efeitos de longo prazo (ex.: rastreamento, diagnóstico precoce). Após os 60 anos, podemos também reduzir os prejuízos funcionais consequentes de um problema agudo ou crônico, incluindo reabilitação (ex.: prevenir complicações do diabetes, reabilitar paciente pós-infarto – IAM ou acidente vascular cerebral). E para quem ainda não chegou na terceira idade? Que dicas de prevenção você daria? Estes são os pacientes que mais se encaixam na prevenção primária. Nesta fase podemos atuar para remover causas e fatores de risco de um problema de saúde antes do desenvolvimento de uma condição clínica. Inclui promoção da saúde e proteção específica (ex.: imunização, orientação de atividade física para diminuir chance de desenvolvimento de obesidade, prevenção de doenças infecto contagiosas).

7


notícias PROGRAMA AMAFRESP COM VOCÊ COMEÇA A ATENDER 150 FILIADOS Com o objetivo de se criar um programa focado em cuidado, orientação e acompanhamento do nosso associado que, ao fim do ano de 2018, a Amafresp firmou uma parceria com a empresa AxisMed – nascendo desta parceria o Programa Amafresp Com Você. Trata-se de uma ação com foco em prevenção. Neste primeiro momento, após triagem com 500 pacientes elegíveis, 150 filiados aderiram à proposta do Programa. A idade média dos participantes é de 58 anos, sendo que 54% deles tem idade superior a 60 anos. Com esse acompanhamento, a intenção da iniciativa é diminuir riscos de doenças, internações e oferecer orientações sobre medidas de prevenção e qualidade de vida. Os filiados participantes do programa recebem contato periódico do time de saúde da AxisMed para acompanhar sua rotina de cuidados. Além disso, o Amafresp com Você coloca os pacientes em contato com especialistas em saúde, que apoiam os participantes do programa na realização de

8

mudanças importantes para a saúde. Haverá também uma central clínica 24 horas para atendimento de emergência e retirada de dúvidas dos pacientes acompanhados. “Iniciativas como essa vão ao encontro do nosso objetivo estratégico de ser um plano acolhedor, que oferece serviços de qualidade e que nos ajudam a conter os custos assistenciais. Contudo, é importante ressaltar que sozinhos não fazemos milagres, assim é importante a adesão do associado aos princípios do Programa e, principalmente, à mudança dos seus hábitos e costumes”, esclarece o diretor Renato Chan. O Amafresp Com Você começou os acompanhamentos no último mês de agosto e a resposta dos participantes já é muito positiva, conforme a pesquisa de satisfação realizada neste período. Nos quesitos contribuição do contato para o entendimento de saúde do paciente, avaliação do orientador e indicação do programa de saúde a um amigo/familiar, a média das notas superou 4,5 em todos eles, em uma escala que vai de 1 a 5.


CONHEÇA AS AÇÕES DA AMAFRESP QUE APROXIMAM MÉDICO E PACIENTE Ter um médico em quem confiamos e que acompanhe nosso histórico ao longo dos anos faz toda diferença, não é mesmo? Essa relação médico-paciente é extremamente importante para que possamos receber atenção, tirar dúvidas e obter tratamentos adequados, além de nos prevenir contra doenças no futuro.

tas desnecessárias a hospitais e tratamentos que não são efetivos. Assim, todos são beneficiados: o paciente, que recebe cuidado personalizado, e o plano e seus filiados, que passam a ter custos menores.

É por esse motivo que a Amafresp está desenvolvendo programas voltados à aproximação do médico com o paciente, como o Programa Médico de Família. Com ele, existe um acompanhamento ainda mais próximo para que os filiados Amafresp tenham mais tranquilidade com os procedimentos de saúde no dia a dia.

MÉDICOS DE FAMÍLIA Bragança e região Dr. José Ricardo Scalise Agendamento de consultas: (11) 2490-1811/1824 Local: Av. José Gomes da Rocha Leal, 107 – Centro – Bragança Paulista/SP Campinas e região Dr. José Marcelo Morelli Agendamento de consultas: (19) 3212-0145 / 32842528 Local: Rua: Albano de Almeida Lima, 364 – Guanabara Campinas/SP São José do Rio Preto e região Dr. Elzo Thiago Brito Mattar [foto] Agendamento de consultas: (17) 3121-7735 Local: Rua Amadeu Segundo Cherubini, 365 - Jardim Panorama - São José do Rio Preto/SP GERIATRAS DE CONFIANÇA São Paulo Dra. Talita Junqueira: (11) 3889-3939 Dra Renata Scilla: (11) 97065-6976 Dr. Daniel Apolinário: (11) 99727-4066 Araraquara Dra. Wanessa Marques: (16) 3114-1038 São José dos Campos Flavia Areco: (12) 3923-3251

Além disso, com médicos que sejam gestores de saúde de seus pacientes, a Amafresp consegue reduzir custos com visi-

PROGRAMA MÉDICO DE FAMÍLIA O médico de família é um clínico geral responsável por acompanhar os pacientes em todas as fases da vida, permanecendo sempre próximo e dando total atenção e cuidado à saúde do filiado. Esse especialista tem o papel de evitar que seus pacientes façam exames desnecessários, procedimentos, consultas e intervenções que não sejam indicadas ou que possam trazer mais riscos do que benefícios. Além disso, quando necessário, encaminha o paciente a outros especialistas. A implantação do Programa Médico de Família é uma evolução do Programa Geriatra de Confiança da Amafresp, pois leva para outras faixas etárias o conceito de orientação e cuidado próximo do associado. O programa Médico de Família está disponível para agendamento de consultas nas regiões de Campinas, São José do Rio Preto e Bragança Paulista e em breve chegará a Franca e Presidente Prudente. Já o Geriatra de Confiança tem seus profissionais em São Paulo, Araraquara e São José dos Campos. Ainda não conhece nosso programa? Confira os dados de contato e agende uma consulta!

9


ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DA AMAFRESP REFLETE NÚMERO DE INTERNAÇÕES ACIMA DA MÉDIA A definição da mensalidade da Amafresp ocorre com uma antecedência de 35 dias do efetivo débito do associado. Por exemplo, a mensalidade que será cobrada no quinto dia útil do mês de novembro precisa ser definida até o dia 04 de outubro. O fato do valor desta mensalidade ser definido antes do fechamento de todas as despesas realizadas no período faz com que sempre haja uma diferença entre o que é de fato pago aos nossos fornecedores e o que é efetivamente recebido dos nossos associados. Algumas vezes esta diferença é positiva, nos permitindo constituir uma reserva financeira. Outras vezes, essa diferença é negativa, gerando a necessidade de consumirmos nossas reservas para suprir os custos do plano.

Durante os meses de outubro e novembro, a Diretoria da Amafresp percorrerá todas as regionais para apresentar as medidas de reestruturação do plano com o objetivo de diminuir do valor da cota. Para mais informações, acesse o site da Amafresp (www.amafresp.org.br) ou converse com os diretores regionais.

O cálculo do valor da mensalidade leva em conta variáveis, como o número histórico de internações do período, internações autorizadas, contas dos prestadores ainda não apresentadas, contas a serem pagas já programadas, os tributos e a taxa de administração. Conforme a tabela de evolução da cota (página 11), é possível notar que desde maio deste ano, o valor real da cota permanece acima de R$600 e a diferença entre este valor real e o valor cobrado do associado está sendo coberta pelo saldo em conta-corrente e fundo de reserva da Amafresp. “Neste ano de 2019 consumimos R$ 12 milhões de nossas reservas. Essa verba serve justamente para amortecermos o impacto na mensalidade do associado e não repassar tudo de uma única vez, com uma variação tão grande no valor da cota”, explica o diretor da Amafresp, Renato Chan. Explicando um pouco mais sobre o uso do fundo de reserva para amenizar o valor da cota, Chan complementa: “Com o uso dessa reserva, ganhamos tempo para que os custos voltem a um patamar normal, mas depois disso, precisamos recompor o valor utilizado. Esse mecanismo permite que a cota suba mais devagar, mas também cairá mais devagar em relação à cota real. Mudamos a forma de trabalho da nossa

10

auditoria e estruturamos uma nova política comercial com os hospitais e isso permitiu a diminuição do tempo de permanência no hospital e a queda do custo médio da internação, mas o grande número de internações não nos permitiu refletir este ganho no valor da cota do associado”. Segundo análise feita pela Diretoria da Amafresp, houve um aumento de mais de R$ 9 milhões nos custos de internação, motivado por uma elevação de 9,89% na taxa de internação. Em contrapartida, foi constatada uma diminuição de 10,89% no preço médio de internação, conforme a tabela abaixo demonstra.

CUSTO TOTAL

TAXA DE INTERNAÇÃO

PREÇO MÉDIO INTERNAÇÃO

TEMPO MÉDIO PERMANÊNCIA

Agosto/2018 até Julho/2019

R$ 117.469.325

24,12%

R$ 21.301,99

5,53

Agosto/2017 até Julho/2018

R$ 108.130.410

21,95%

R$ 23.884,07

6,28

Variação

+8,64%

+9,89%

-10,89%

-11,94%


raio x EVOLUÇÃO DA COTA FEV

MAR

ABR

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

16.887.914,43

19.385.340,44

19.156.053,23

22.238.578,56

22.452.208,70

22.212.157,12

23.083.467,15

22.091.400,94

ENCARGOS TRIBUTÁRIOS (2)

60.256,29

72.754,75

72.719,78

79.684,51

81.764,10

82.716,04

8.595,02

7.697,52

DEVOLUÇÃO DE COTAS (3)

-

8.360,25

5.576,80

2.604,42

9.907,61

1.642,73

7.262,18

84,30

TAXA ADMINISTRATIVA (7%) (4)

1.231.036,23

1.182.154,01

1.356.973,83

1.340.923,73

1.556.700,50

1.571.654,61

1.554.851,00

1.615.842,70

RECEITA RECIPROCIDADE (5)

1.107.802,38

1.558.554,96

1.576.199,49

987.072,76

1.334.966,10

1.082.741,93

987.155,74

1.406.694,73

127.450,26

76.455,32

658.266,82

160.814,78

90.105,53

274.008,35

179.679,80

497.227,75

-

-

-

-

770.304,48

385.152,24

385.152,24

385.152,24

16.943.954,31

19.013.599,17

18.356.857,33

22.513.903,68

21.905.204,80

22.126.267,98

23.102.187,57

21.425.950,74

36.009,10

36.037,90

36.081,60

36.108,10

36.127,00

36.143,10

36.155,60

36.171,70

470,55

527,60

508,76

623,51

606,34

612,19

638,97

592,34

539,00

533,00

533,00

533,00

540,00

546,00

555,00

562,00

CUSTOS DE ATENDIMENTO (1)

RECEITAS DIVERSAS (6) SALDO (7) QUANTIDADE DE COTAS (8) VALOR REAL DA COTA (9) VALOR DA COTA COBRADA (10)

Notas explicativas: 1. Representa o total gasto com despesas assistenciais, reembolso, ressarcimento ao SUS, tributos dos prestadores retidos na fonte pela Amafresp 2. Encargos tributários próprios da Amafresp (INSS autônomos + COFINS) 3. Devolução de valores cobrados em excesso 4. Em virtude do uso da estrutura física e de pessoal da Afresp, é repassado à associação o montante de 7% dos valores dos custos assistenciais da Amafresp 5. Receita proveniente das associações de outros estados por conta da utilização dos serviços da Amafresp por seus filiados 6. Receitas com origem na cobrança de coparticipação, franquias e diferença de tabela 7. Saldo = (1)+(2)+(3)+(4)-(5)-(6) 8. Total de cotas ativas na Amafresp 9. Valor real da cota = (7)/(8) 10. Valor efetivamente cobrado em mensalidades

MAIORES PRESTADORES NO GERAL

11


PERFIL DEMOGRÁFICO

19.885 BENEFICIÁRIOS

Setembro de 2018 a Agosto de 2019

CUSTOS POR GRUPO DE DESPESA

12


PROPORÇÃO DE CUSTOS POR GRUPO DE DESPESA (%)

MAIORES USUÁRIOS Maiores usuários | Beneficiários classificados por % no Custo Operacional Total RANKING

SINISTRO INTERNAÇÕES

REPRESENTATIVIDADE NO CUSTO TOTAL INTERNAÇÃO (%)

IDADE

PRESTADOR PRINCIPAL

SINISTRO TOTAL

REPRESENTATIVIDADE NO CUSTO TOTAL (%)

1

1.577.125,43

1,39

41

Hospital Samaritano de São Paulo Ltda

1.684.402,33

0,74

2 3

1.526.942,67

1,34

87

Hosp. do Coração Assoc. Sanatório Sírio

1.795.581,17

0,79

1.287.947,93

1,13

40

Ímpar Serviços Hospitalares S/A

1.299.217,64

0,57

4

1.126.219,72

0,99

83

Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência

1.127.254,72

0,50

5

909.893,76

0,80

70

Soc.Benef.de Senhoras-Hosp. Sírio Libanês

1.361.060,51

0,60

6

827.735,23

0,73

74

Real e Benemérita Associacão Portuguesa de Beneficência

906.664,59

0,40

7

780.902,73

0,69

94

Ímpar Serviços Hospitalares S/A

781.160,10

0,34

8

646.624,16

0,57

65

Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência

694.390,14

0,31

9

643.192,91

0,56

0

Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência

643.192,91

0,28

10

625.013,70

0,55

83

Hosp. do Coração Assoc. Sanatório Sírio

797.245,99

0,35

11

619.569,75

0,54

0

Fundação José Luiz Egydio Setúbal

1.128.234,41

0,50

12

611.491,31

0,54

72

Hospital Samaritano de São Paulo Ltda

618.405,44

0,27

13

604.759,38

0,53

47

Unimed do Est. SP- Fed. Estadual Das Coop. Médicas

798.877,86

0,35

14

602.979,55

0,53

83

Associação Congregação de Santa Catarina

620.923,51

0,27

15

597.202,60

0,52

0

Hosp. do Coração Assoc. Sanatório Sírio

682.882,02

0,30

16

589.125,11

0,52

88

Hosp. do Coração Assoc. Sanatório Sírio

640.191,85

0,28

17

576.682,23

0,51

74

Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência

690.925,86

0,30

18

530.071,20

0,47

31

Hosp. do Coração Assoc. Sanatório Sírio

535.941,80

0,24

19

529.853,80

0,47

90

Hospital Alemão Oswaldo Cruz

537.524,42

0,24

20

529.148,90

0,46

8

Ímpar Serviços Hospitalares S/A

890.658,71

0,39

15.742.482,07

13,83

18.234.735,98

8,02

EVOLUÇÃO MENSAL DOS CUSTOS ASSISTENCIAIS

13


FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

Taxa mensal em consulta eletiva por beneficiário

Média de exames por beneficiário no mês

Taxa mensal em pronto-socorro por beneficiário

Setembro de 2018 a Agosto de 2019

TAXA DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR

14


viver bem PRÁTICA COMPLEMENTAR DA MEDITAÇÃO CONTRIBUI COM MELHORA DA SAÚDE MENTAL E FÍSICA A meditação tem sido amplamente divulgada na sociedade ultimamente, mas você sabia que essa prática já faz parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS (Sistema único de Saúde) desde março de 2017?

res. Por isso, grandes hospitais da capital paulista já oferecem programas complementares de meditação e outras práticas complementares, como o Hospital Beneficência Portuguesa, o Sírio-Libanês e o Hospital Nove de Julho.

A meditação é uma prática mental da medicina tradicional chinesa que permite aos seus praticantes o desenvolvimento de habilidades para lidar com os pensamentos e observar os conteúdos que emergem à consciência, ensinando a pessoa que a pratica a não se deixar influenciar por eles e compreendê-los como fluxos mentais, colocando o indivíduo em equilíbrio*.

Segundo a psicóloga Michele Moreira Nunes, da rede credenciada da Amafresp, a meditação pode ser realizada por qualquer pessoa. “A meditação é uma técnica cientificamente comprovada e sem qualquer contraindicação, que pode ser utilizada por qualquer pessoa. Dentre as diversas finalidades, ela auxilia na redução do estresse, ansiedade, fortalece o sistema nervoso e imunológico, melhora a memória, eleva a capacidade de concentração, aumenta a autoestima, auxilia o tratamento de fibromialgia, entre outros benefícios”, explica Michele.

Práticas complementares como meditação, yoga, homeopatia e acupuntura são tratamentos que utilizam conhecimentos tradicionais para prevenir diversas doenças como depressão e hipertensão. Em alguns casos, também podem ser usadas como tratamentos paliativos em algumas doenças crônicas, como o câncer. De acordo com o Ministério da Saúde, evidências científicas têm mostrado os benefícios do tratamento integrado entre medicina convencional e práticas integrativas e complementa-

A psicóloga complementa que indica a meditação para seus pacientes e, que além disso, existem diversos estudos científicos que comprovam sua eficácia para a saúde do paciente. Ela também reforça que a meditação é uma prática complementar e que não substitui os tratamentos convencionais.

*Glossário Temático – Práticas Integrativas e Complementares - Ministério da Saúde

15


Aplicativo

Saúde

Disponível para tablet e smartphones dos sistemas operacionais iOS e Android. • • • • • • • •

Rede credenciada Carteirinha virtual Notícias Alarmes Prescrições Contatos Extratos de utilização Serviço de emergência

Cadastre-se e acesse todas as funcionalidades do aplicativo!