Issuu on Google+

ANO 19 – No 207 – Julho/2010 – R$ 8,90

A REVISTA PARA SÍNDICOS, CONDÔMINOS E ADMINISTRADORAS

Condomínios investem em segurança

Mantenha o piso em ordem Varanda com ares de horta


SOLUÇÕES PARA CONDOMÍNIOS, EMPRESAS E RESIDÊNCIAS.

Participar da Expo Síndico Secovi Condomínio é a grande chance de fornecedores de produtos, serviços e equipamentos mostrarem que acompanharam os novos tempos com ideias, novidades e soluções para esse grande mercado. Milhares de visitantes estarão acompanhando os eventos da Semana Imobiliária. Essa sinergia trará: • Muito mais compradores • Muito mais visibilidade • Sinergia total de interesse • Muito mais negócios

Garanta já a sua presença em um evento ideal para grandes negócios. Reserve seu espaço: 55 11 3060-4943

www.exposindico.com.br


DE 23 A 26 DE SETEMBRO ANHEMBI / SÃO PAULO-SP QUINTA E SEXTA-FEIRA, DAS 12H ÀS 21H SÁBADO E DOMINGO, DAS 10H ÀS 21H


Índice

Julho/2010

16

Manutenção Aprenda a manter os pisos das áreas internas e externas do edifício

12

Vida de Síndico Diva Brunello Tarragó ocupa, há 22 anos, o posto de síndica do Edifício Orquídea, de São Paulo

26

Seu espaço Moradores investem no cultivo de hortaliças e condimentos nas varandas das unidades

30

Capa Tecnologia e conscientização de funcionários e moradores colaboram para a melhoria da segurança nos condomínios

08 10 12 14 16 6

É bom saber Espaço do leitor Vida de Síndico Sustentabilidade Manutenção

20 24 26 30 37

Dia a dia Opinião 1 Seu espaço Capa Opinião 2

38 40 42 44

Saúde e bem-estar Tira-dúvidas Carta do presidente Guia de produtos e serviços


R. Dr. Bacelar, 1.043 – CEP 04026-002 – São Paulo/SP Tel. (11) 5591-1300 – Fax (11) 5591-1301 e-mail: secovi@secovi.com.br – Portal: www.secovi.com.br

Recado da

DIRETORIA

editora

O

aumento da violência nas grandes metrópoles

Presidente João Crestana Vice-presidentes Cláudio Bernardes, Ricardo Yazbek, Ely Wertheim, Flavio Prando, Basílio Jafet, Caio Portugal, Carlos Alberto C. Camargo, Carlos Borges, Ciro Scopel, Elbio Fernández Mera, Flavio Amary, Hubert Gebara Conselho editorial Hubert Gebara, Sergio Mauad, Paulo André Jorge Germanos, Ricardo Yazbek e Sergio Ferrador

obrigou condomínios e loteamentos a recorrerem a uma parafernália de aparatos tecnológicos: alar-

mes sem fio, sensores infravermelhos de presença, câmeras externas que acionam televisores na guarita e na central de monitoramento, sistemas biométricos de identificação por impressão digital, face ou íris e botões de pânico.

Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), o número de câmeras de vigilância instaladas no País cresceu mais de 700% nos últimos dez anos. Em 2000 eram menos de 150 mil equipamentos. Hoje, mais de 1,3 milhão de câmeras. Outro dado confirma a expansão do setor de segurança no mercado brasileiro: cerca de 10 mil empresas atuam no segmento, que na última década cresceu a uma taxa média anual de 13%. Sozinho, o Sudeste responde por 53% de toda a demanda, segundo a Abese. O fato é que nenhum sistema de segurança, por mais avançado que seja, funciona bem sozinho. Condomínios e loteamentos têm de investir em treinamento de funcio-

PRODUÇÃO EDITORIAL Assessoria de Comunicação do Secovi - SP

REPORTAGEM E REDAÇÃO Redação leitor@revistasecovi.com.br Editora responsável Sônia Salgueiro (MTb 15.414) Reportagem e redação Marcos Fernando Queiroz, Nanci Moraes e Rosana Pinto Fotos José Carlos T. Jorge Assistente de redação Queli Peixoto Colaboradores Eliane Quinalia, Luana Garcia e Márcio Padula (Fontpress Comunicação) Apoio Catarina Anderáos, Cristina Pupo, Maria do Carmo Gregório, Mariana Dahrug, Shirley Valentin e Silvia Carneiro (Comunicação), Carlos Alexandre Cabral, João Paulo Rossi Paschoal, Karina Zuanazi Negreli, Maraneide Alves Brock, Marta Cristina Pessoa, Rita de Cássia Guimarães Bracale (Jurídico), Roberto Akazawa, Edson Kitamura, Fabricio Pereira e Daniella Magnani (Economia)

PRODUÇÃO E PUBLICAÇÃO Fontpress Comunicação fontpress@fontpress.com.br – Tel. (11) 5044-2557

nários e na conscientização dos moradores. É essencial ainda agir sempre preventivamente, como mostra nossa matéria de capa. Ainda nesta edição, trazemos uma reportagem sobre manutenção de pisos, na qual damos dicas sobre como prolongar a vida útil de revestimentos de áreas internas e externas do condomínio. Algumas das orientações: ficar

Arte e editoração eletrônica Wagner Ferreira Para anunciar: (11) 5044-2557 / 5041-4715 ou revistasecovisp@fontpress.com.br Tiragem: 30.000 exemplares Impressão: IBEP Gráfica

atento ao manual do proprietário, priorizar o sabão neutro ao lavar o piso e aposentar a lavadora de alta pressão.

Capa: ©iStockphoto.com / Lucato e Xino 6 Os artigos assinados são de exclusiva responsabilidade de seus autores. Reprodução de matérias somente após expressa autorização da Redação. Os anúncios publicitários são de inteira responsabilidade dos anunciantes.

Boa leitura! Sônia Salgueiro

SECOVI NO INTERIOR Bauru (14) 3227-2616 Campinas (19) 3252-8505 Grande ABC (11) 4121-5335 Jundiaí e região (11) 4523-0833 Santos (13) 3321-3823 São José do Rio Preto (17) 3235-1138 Sorocaba (15) 3211-0730 Vale do Paraíba (12) 3942-9975

CONTATOS SECOVI-SP PABX (11) 5591-1300 Disque Síndico (11) 5591-1234 Eventos (11) 5591-1279 PQE (11) 5591-1198 / 1250 Universidade Secovi (11) 5591-1221 / 1172 / 1284 Câmara de Mediação (11) 5591-1214 7


É bom saber

Enacon 2010

destaca a autorregulamentação

C

om um conteúdo rico, abor-

na sede do Sindicato da Habitação,

atividade e apresentamos a minuta

dagens práticas e posicio-

aproximadamente 150 pessoas, entre

do projeto de autorregulamentação”,

namentos consistentes, o

empresários e funcionários de empre-

relata o vice-presidente de Adminis-

Enacon Secovi-SP 2010 cumpriu ple-

sas especializadas em administração

tração Imobiliária e Condomínios do

namente seus objetivos. Essa é a con-

de condomínios.

Secovi-SP, Hubert Gebara. “Nossa

clusão dos organizadores do evento,

“Conseguimos focalizar temas

intenção é que o lançamento seja feito

que reuniu nos dias 17 e 18 de junho,

importantes para o exercício da nossa

até o final do ano”, acrescenta João

Fotos: Calão Jorge

Luiz Annunciato, diretor de Administradoras do Sindicato. Além das discussões em torno da organização do setor, a programação incluiu palestra do jornalista Paulo Henrique Amorim, que demonstrou otimismo em relação ao crescimento do Brasil. “O setor deve se preparar para atender a uma demanda crescente nos próximos cinco ou seis anos. O sonho de toda classe média, que está em ascensão e deverá consumir algo em torno de 10 milhões de moradias nesse período, é trabalhar, estudar e ter sua casa própria”, destacou. Evento reuniu cerca de 150 profissionais na sede do Secovi-SP

O segundo dia foi dedicado ao esclarecimento de dúvidas relacionadas à legislação civil e trabalhista. Segundo o Departamento Jurídico do Sindicato, as questões condominiais representam cerca de 80% das consultas atendidas diariamente e serviram como base para os workshops coordenados pelos advogados João Paulo Rossi Paschoal e Carlos Alexandre Cabral. Todo o conteúdo das palestras da edição 2010 será reunido em uma publicação a ser lançada ainda este ano. O Compêndio do Enacon 2009 já está disponível para aquisição na Biblioteca do Secovi-SP. Informações: (11) 5591-

Autorregulamentação em debate

8

1237/38 ou biblioteca@secovi.com.br .


Prepare-se para a Expo

Secovi Condomínio

D

Síndico

e 23 a 26 de setembro São

nio integra a Semana Imobiliária, que

biliário, o Salão Imobilário São Paulo

Paulo será palco da Expo

será aberta no dia 18 de setembro

(Sisp), FiaFlora Expo Garden e Casa

Síndico Secovi Condomínio,

pela Convenção Secovi. Compõem

& Decoração Show. Mais informações

evento que reunirá o que há de melhor

ainda a Semana o Prêmio Master Imo-

em www.exposindico.com.br.

no mercado em termos de produtos e serviços para condomínios. A exposição, que acontece no Parque Anhembi, deve receber aproximadamente 6 mil visitantes, contra os 5 mil da edição passada. Em paralelo à Expo Síndico Secovi Condomínio, acontece, no dia 25 de Foto: Calão Jorge

setembro, o Ciclo de Palestras para Síndicos, com uma programação especialmente voltada ao aperfeiçoamento da gestão condominial. A Expo Síndico Secovi Condomí-

Programe-se

C

30/8 a 1/9 – Tendo zeladores, vigias, porteiros, recepcio-

que o Secovi-SP realiza em agosto na cidade de

nistas, controladores de acesso e outros profissionais

São Paulo. Reservas nos telefones (11) 5591-1304 a 1308

interessados na área como público-alvo, o temário prepa-

ou pelo e-mail universidade@secovi.com.br.

rará os participantes para a padronização das atitudes no

onfira abaixo informações básicas sobre eventos

Técnicas de Controle de Acesso em Portarias, de

desenvolvidos para zeladores, porteiros e vigias

que diz respeito à qualidade de atendimento e proteção Aperfeiçoamento em Técnicas de Zeladoria, de 2 a 23/8 – Com aulas às segundas e quintas-feiras, das 18h30

das portarias de condomínios. Das 19 às 22 horas, na Universidade Secovi.

às 21h30, o curso abordará, entre outros temas, as caracFoto: ©iStockphoto.com/Jan Willem

terísticas profissionais, atribuições e responsabilidades de um zelador e equipe, a legislação sobre condomínio, noções de segurança e como dedicar atenção diferenciada ao idoso, seja ele condômino ou visitante. A programação inclui ainda a palestra “O que o mercado espera do profissional zelador”, ministrada por diretores do Secovi-SP. Local: Universidade Secovi (Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 2.344 – 10º andar).

9


É bom saber

Saiu reajuste

Fotos: ©iStockphoto.com/Kreativ e Just For You

para funcionários em condomínios

O

Secovi-SP e o Sindicato dos

é, de 1º de maio de 2010 até 30 de

Empregados em Empresas

abril de 2011.

de Compra, Venda, Locação

O índice de reajuste para a catego-

e Administração de Imóveis Resi-

ria condominial ficou em 6,25%, com

denciais e Comerciais de São Paulo,

piso salarial de R$730,00, exceto para

Barueri, Diadema, Guarulhos e São

mensageiros e recepcionistas, cujo

Caetano do Sul (Seecovi) assinaram,

valor fixado é de R$ 580,00. O novo

no dia 16/6, a nova Convenção Cole-

valor da cesta básica é de R$ 90,00, e o

tiva de Trabalho, que terá vigência de

do prêmio-permanência, de R$ 14,00.

dois anos, de 1º de maio de 2010 a

As demais cláusulas da Convenção

30 de abril de 2012, com exceção das

seguem mantidas. A íntegra do docu-

cláusulas de cunho econômico, que

mento está disponível no portal Secovi

serão válidas por apenas um ano, isto

(www.secovi.com.br).

Espaço do leitor

Sou síndica de um condomínio “ com 12 prédios e 220 sobrados. Gos-

Aproveitamos a oportunidade do recebimento sempre “ bem-vindo da Revista Secovi-SP Condomínios para informar que hou-

taria de obter o contato da Sra. Suely

ve mudança de diretoria em nossa entidade sindical e que nosso pre-

Canella Cabral, pois estou em proces-

sidente na gestão 2010-2014 se chama Everton Barth dos Santos.

Natalia Medeiros, Secovi-SM, Santa Maria, RS

so adiantado de individualização de água e queria tirar algumas dúvidas.

Marilda Garcia Bruno,

Agradecemos a informação. A mudança foi efetuada.

Conjunto Residencial Ibirapuera, Campinas, SP Fornecemos o telefone de Dona Suely à leitora.

“Muito boa a matéria sobre Implantação de Condomínios (edição ” Mariana Costa, assessoria de Imprensa do Grupo Itambé

de março de 2010). Parabéns à equipe.

Este espaço é reservado para você se comunicar conosco. Envie seu comentário, crítica ou sugestão para o e-mail leitor@revistasecovi.com.br. Você também pode escrever para Revista Secovi-SP Condomínios – Rua Dr. Bacelar, 1.043 – CEP 04026-002 – São Paulo – SP. Os e-mails e cartas podem ser publicados resumidamente. Aguardamos seu contato!

10


11


Vida de síndico

Fotos: Calão Jorge

Por Mariana Dahrug

Diva: “Tenho jogo de cintura para resolver os conflitos que aparecem”

Quase uma família Há 22 anos no posto, Diva Tarragó preza o bom relacionamento que mantém com os condôminos do Edifício Orquídea

12

P

ara Diva Brunello Tarragó,

Viúva e com o filho único casado,

síndica há 22 anos do Edifício

Diva preenche seu tempo dedicando-se

Orquídea, localizado na Vila

ao prédio em que mora. A motivação?

Clementino, zona sul de São Paulo,

Companheirismo e amizade. “São to-

seu relacionamento com os demais

dos muito presentes e me acolheram

condôminos não é de simples vizinhos,

desde o início. Talvez seja por isso que

mas de uma grande família.

eu me empenhe tanto”, diz.


Como se tornou síndica e o que

Qual é a principal causa de brigas

um salão de jogos, uma academia,

a motivou a ficar na função por

no condomínio?

pintamos todas as escadarias, tro-

tanto tempo?

O principal motivo de conflito são

camos os pisos, impermeabilizamos

Eu era membro do conselho e me

os animais. No prédio há pessoas

a garagem e, recentemente, fizemos

tornei subsíndica. Quando o antigo

idosas com animais de grande porte,

limpeza das pastilhas. Somente essa

síndico decidiu sair, eu assumi ime-

e nós sabemos que

diatamente. Deste então, sou reeleita

essa convivência é

a cada dois anos. O prédio precisava

saudável para eles,

de alguém com tempo para se dedicar

mas às vezes causa

à função e eu tinha este tempo, então

reclamações de ou-

decidi ficar.

tros moradores. Na maioria dos casos,

“O síndico não pode ser autoritário, nem criar problemas. Tudo tem que ser pensado com calma”

limpeza valorizou o prédio em cerca de R$ 40 mil. E qu a i s s ã o os seus projetos no momento?

Tem alguma outra atividade?

por causa do uso do elevador. Nessa

Estou reforçando a segurança no

Eu sou pedagoga, mas me aposentei

hora eu preciso explicar a situação e

condomínio. Nunca registramos pro-

há cinco anos. Antes disso, conciliava

tentar conciliar. Normalmente há um

blemas aqui, mas alguns moradores

o tempo, já que tinha uma escola e

entendimento rápido.

tinham preocupações. Então deci-

trabalhava somente no período da manhã.

dimos contratar uma empresa para Nesse tempo todo como síndica,

colocar cerca elétrica, automatizar

quais foram seus maiores feitos?

a garagem e aumentar o número de

Como é o seu relacionamento com

Tenho realizações bem grandes desde

câmeras de seis para 16.

os condôminos?

que me tornei síndica. Os três eleva-

Eles são como uma família para mim.

dores do prédio foram reformados, os

Tem algum objetivo que ainda não

Eu nunca tive muitos problemas,

gastos com funcionários se reduziram

realizou?

consigo lidar com as situações. Acho

com a unificação dos dois blocos

Tenho planos de construir uma chur-

que, por ser pedagoga, tenho jogo

existentes e a área térrea também pas-

rasqueira. Mas isso ainda precisa ser

de cintura para resolver os conflitos

sou por reforma e ficou mais bonita e

analisado, porque depende também

que aparecem.

arborizada. Além disso, construímos

da outra torre e de todos entrarem em um acordo para não descontentar ninguém, já que essa churrasqueira ficaria próxima aos primeiros andares do prédio. Isso é tudo que falta para construir, com o espaço que dispomos. Depois só será necessária a conservação. Gostaria de deixar uma mensagem para outros síndicos? As pessoas que exercem esta função devem ser bem flexíveis. O síndico não pode ser autoritário, nem criar problemas. Tudo tem que ser pensado com calma e com harmonia entre todos os condôminos.

13


Sustentabilidade Por Sônia Salgueiro

Horizontes ampliados

A

Fotos: Milton Jung / CBNSP

Recicla Morumbi, movimento lançado em 2007, pode ser replicado para outros bairros e cidades experiência do Recicla Mo rumbi, movimento que in centiva a prática da coleta

seletiva no bairro, situado na zona sul paulistana, pode, em breve, ser estendida para outras regiões da Capital. A Associação Franquia Sustentável

Caminhadas anuais para conscientizar a população e recolher material reciclável

(Afras), idealizadora do programa, desenvolveu um modelo para replicar a ação em outros bairros da cidade de São Paulo e até em outros municípios. O Recicla Morumbi foi lançado oficialmente em junho de 2007. Reúne condomínios, escolas, lojas e empresas da região. Segundo Eleine Bélaváry, diretora executiva da Afras e membro do conselho deliberativo do Recicla, há hoje no bairro mais de cem pontos de coleta de material reciclável, ante os 13 do começo. “A maioria está em condomínios residenciais”, frisa Eleine. A quantidade de material recolhido também registrou forte

14

Bairro do Morumbi conta com mais de cem postos de coleta

incremento: das 5 toneladas/mês em

ma. A participação de um centro de

ção era enviar o material para a co-

2007 para a média atual de 80,3 tone-

compras, segundo Eleine, será fun-

munidade de Paraisópolis, situada no

ladas mensais.

damental à expansão do projeto para

Morumbi, para gerar renda local. Mas

A diretora conta que o progra-

outros locais. “O shopping poderá

a Prefeitura ainda não liberou o terreno

ma foi concebido em 2006. “Nossa

centralizar as informações, sediar as

da central”, conta a diretora. Por isso,

maior motivação foi criar um projeto

reuniões e até organizar caminhadas,

foi fechado um acordo com a Coope-

que sensibilizasse principalmente as

como a que marcou o lançamento do

rativa de Coleta Seletiva da Capela

franquias de alimentação instaladas

programa”, diz a diretora.

do Socorro (Coopercaps).

nos shopping centers”, relembra.

O objetivo é que no Recicla Bairro

Pela média de salário do local, que

Isso explica por que o Shopping Jar-

a central de triagem fique próxima dos

varia de R$ 650 a R$ 800 mensais, 67

dim Sul atua como uma espécie de

pontos de coleta, o que, por enquanto,

cooperados sobrevivem graças às

parceiro-âncora da Afras no progra-

não ocorre no Morumbi. “Nossa inten-

ações do Recicla Morumbi.


15


Manutenção Foto: Divulgação Mister Polish

Por Eliane Quinalia

De olho na

Foto: Calão Jorge

Cuidados básicos podem garantir e prolongar a vida útil dos pisos em áreas externas e internas do condomínio

16

limpeza M

ais do que um papel funcio-

em que o pavimento fica mais exposto

nal, os pisos também dão

e sujeito a danos?

status aos condomínios.

A primeira dica para garantir a

Nos dias atuais não é raro deparar

vida útil de um revestimento é co-

com prédios que trazem, em seu hall

nhecer detalhadamente o manual de

de entrada, revestimentos nobres e

conservação das áreas comuns de

elegantes – e que, junto a uma com-

um condomínio, disponibilizado ao

posição harmoniosa, acabam por

proprietário ou administrador de um

valorizar o conjunto arquitetônico e o

edifício no término da sua construção.

patrimônio do imóvel.

“Tanto a manutenção quanto a limpeza

O que poucos imaginam é que

devem seguir as orientações do manu-

conservar tamanha beleza não é tão

al do proprietário. Esse documento não

fácil quanto parece. Como garantir,

pode ficar restrito, mas, ao contrário,

por exemplo, o belo visual dos pisos

estar disponível para conhecimento de

quando se convive com prestadores

todos os envolvidos na conservação

de serviços terceirizados, inclusive

do patrimônio em questão”, diz Ricar-

aqueles eventualmente contratados

do Bunemer, diretor de Tecnologia e

para mudanças e limpeza, atividades

Qualidade do Secovi-SP. Concluída a etapa de decifrar os

Velletri: Banhos de ácido podem atingir a estrutura da construção

cuidados gerais de conservação para cada tipo de piso, é preciso conhecer


VALORIZE SEU PATRIMÔNIO. MODERNIZE O PISO DE SEU CONDOMÍNIO. Estacionamentos - Subsolos - Quadras Esportivas Pinturas, vernizes e revestimentos em epóxi, poliuretano, PU-KRETE e MMA

LICENCIADO

Atendimento em todo o Brasil (11) 2164-4322 vendas@cooperpisos.com.br www.cooperpisos.com.br

17


Manutenção Foto: Divulgação Gail

Por Eliane Quinalia

as regras básicas para uma boa lavagem das áreas internas e externas do condomínio, bem como para o uso correto dos produtos de limpeza em tais espaços.

O melhor sabão Como regra geral, tenha em conta que sabão neutro é a melhor solução. Evite o uso de produtos químicos ou corrosivos em todas as áreas, especialmente nos espaços mais nobres, como o hall de entrada. “Alguns costumam ser tão agressivos ao piso que tendem a se infiltrar pela superfície, atacando as camadas de Nas áreas de maior tráfego, como a garagem, prefira materiais mais resistentes

impermeabilização que protegem o

CUIDADOS COM REVESTIMENTOS EXTERNOS CERÂMICO Descrição Fornecedores

Cuidados de uso

Manutenção preventiva

Utilizado em fachadas, muros, jardineiras e pisos

Indicadas para pisos e paredes (internas e externas)

Indicados no manual de áreas comuns, na entrega do empreendimento

Indicados no manual de áreas comuns, na entrega do empreendimento

Consulte sempre o manual de áreas comuns/ proprietário antes de realizar furos, fixar móveis e acessórios ou lavar os mesmos. Não esqueça que uma boa limpeza é feita com produtos neutros, e não com materiais químicos e corrosivos

Evite perfurações em tubulações e camadas impermeabilizadas sem consultar o manual de áreas comuns. Evite o uso de lavadoras de alta pressão, produtos corrosivos (que contenham cloro líquido soda cáustica ou ácido muriático). Lembre-se que a remoção de manchas deve ser feita por empresas especializadas e fuja das soluções caseiras

Verifique os rejuntes, as juntas de dilatação, a calafetação de rufos e a fixação de para-raios, antenas e elementos decorativos sempre que possível. A presença de peças soltas ou trincas pode indicar alguma falha no assentamento dos pisos. Não esqueça que a lavagem de fachadas e muros deve ser realizada a cada três anos, pelo menos

Verifique anualmente os rejuntes e redobre a atenção nas áreas úmidas para que elas não fiquem expostas a fungos. Quando agentes causadores de manchas (café, refrigerantes, etc.) caírem sobre uma superfície em pedra, utilize imediatamente um pano absorvente ou papel-toalha Peças quebradas, trincadas, lascadas ou com falhas em seu polimento devem ser verificadas no ato de entrega. Já as soltas ou com desgaste natural do tempo, costumam apresentar um prazo de dois anos de garantia

Prazo de garantia

Perda de garantia

ROCHAS

Geralmente causada na presença de manchas decorrentes do uso indevido de produtos químicos, bem como por riscos, quebras ou lascas no piso – estas causadas por impacto de objetos ou móveis

Manchas e perda de polimento pelo uso indevido de produtos químicos; quebra por impacto; riscos causados pelo transporte de materiais ou danos de lavadoras de alta pressão Fonte: Secovi-SP

18


Foto: Divulgação

granito e os porcelanatos costumam

explica Bunemer.

ser mais requisitados em condomínios

O gerente de marketing da Gail

por sua resistência e facilidade de

Arquitetura em Cerâmica, Fernando

limpeza. “Nas áreas comuns sujeitas

Argemiro da Silva, vai além e explica

a tráfego intenso, o uso de materiais

que o uso de detergentes também não

mais resistentes se faz necessário

é apropriado. “Um erro muito comum

devido ao desgaste constante desses

consiste em limpar o revestimento com

espaços.“

produtos conhecidos como limpa-

No caso de revestimentos exter-

pedras, que o atacam corrosivamente,

nos, atender a determinados requisitos

seja ele cerâmico ou não.” Hoje, inclu-

se torna praticamente uma obrigação.

sive, existe uma legislação específica

Nesses lugares os pisos precisam

que proíbe o uso do ácido fluorídrico

ser ásperos, antiderrapantes e mui-

(HF), componente principal de tais

to práticos, com uma manutenção

detergentes, em pisos e áreas comuns.

simplificada. Para essas áreas, as

Outra recomendação: prefira a

rochas naturais mais indicadas são a

limpeza tradicional com pano úmido,

miracema, pedra mineira e o mosaico

componentes neutros e enceradeiras

português. (Veja como conservá-las no

industriais, que não riscam ou danifi-

quadro ao lado)

Foto: Calão Jorge

revestimento do contato com a água”,

Bunemer: "Manutenção e limpeza devem seguir as orientações do manual do proprietário"

Tipos de manutenção Há dois tipos de manutenção: a preventiva e a restauradora. A primeira

cam os pisos. E nada de lavadoras de

“Pedras como essas não devem

objetiva reduzir os danos causados

alta pressão, que costumam arrancar

ser impermeabilizadas com películas

pelo desgaste natural dos pisos, ge-

todos os rejuntes que protegem o piso

de proteção do tipo resinas acrílicas,

ralmente uma limpeza periódica, feita

da água, favorecendo a infiltração do

pois elas podem não só vedar o piso,

conforme as exigências de cada tipo

líquido em seu interior. “Banhos de

mas também causar acidentes de

de material.

ácido e lavadoras de alta pressão

tráfego pela retenção da água em sua

estragam não apenas o revestimento,

superfície”, diz Pantazis.

Já a segunda, mais complexa, exige a intervenção de terceiros para

mas, dependendo do caso, também

Um ponto que tem chamado a

o reparo de áreas, que, após um in-

atingem a estrutura da construção,

atenção dos moradores diz respeito

tenso tratamento à base de produtos

chegando a atacar o concreto armado

à segurança das rampas de acesso,

apropriados, podem ter suas manchas

de um edifício”, alerta Marcos Velletri,

destinadas a pessoas com dificulda-

reduzidas. “Vale lembrar que as cerâ-

diretor de Tecnologia e Qualidade do

des de locomoção. Segundo Silva,

micas excessivamente desgastadas

Secovi-SP.

casos como esses exigem o cumpri-

ou quebradas devem ser substituídas”,

De acordo com Vassilios Dimitrios

mento da legislação, que especifica a

orienta Pantazis.

Pantazis, diretor da Mister Polish, o

inclinação e os tipos de revestimentos

O período indicado para a limpeza

mais apropriados para cada local.

dependerá da área, do tráfego de

“Normalmente essas rampas apre-

pessoas e das indicações do manual

sentam uma inclinação máxima de

do proprietário. A troca de qualquer

7% para pessoas com dificuldade de

revestimento cerâmico por quebra

locomoção e de 10% para os demais

deve ser realizada assim que os danos

transeuntes, sendo obrigatoriamente

sejam observados para evitar aciden-

calçadas com pisos antiderrapantes.”

tes ou problemas de infiltração que podem agravar a situação e com-

Pantazis: "Granitos e porcelanatos são maioria em condomínios"

prometer todo o revestimento, e não apenas um determinado ponto.

19


Dia a dia

Dicas e indicadores que facilitam a administração do seu condomínio Icon Secovi-SP – Índice de Custos Condominiais

MÊS:

Maio/2010

Total Geral PER

Pessoal / Encargo

Var. % ICON

Tarifas

Var. % ICON

12 Mês Ano meses

ICON

Diversos

Conservação e Limpeza

Var. %

Var. % ICON

12 meses

mai/09 172,332 -0,14 -0,26 6,78 171,365 0,00 0,19 8,54 166,333 -0,69 -0,69 5,43 188,209 -0,07 -1,14

3,64

174,728

jun/09

172,066 -0,15 -0,41 5,86 171,365 0,00 0,19 8,54 165,192 -0,69 -1,37 3,37 188,021 -0,10 -1,24

1,53

jul/09

172,641

0,33

12 Mês Ano meses

Manut. de Equipamentos

Var. %

Ano

Mês

12 Ano meses

ICON

Índice Base Dez/01 = 100,000

Var. %

Ano

12 meses

4,01

163,256 -0,07 -1,14

3,53

174,524 -0,12 -0,63

2,11

163,093 -0,10 -1,24

1,41

-0,08 5,50 171,365 0,00 0,19 8,54 168,994 2,30 0,90 4,35 187,212 -0,43 -1,66 -0,66 173,841 -0,39 -1,02

0,02

162,391 -0,43 -1,66 -0,77

Mês

Mês

Ano

12 meses

0,06

-0,51

ICON

Mês

ago/09 172,485 -0,09 -0,17 5,48 171,365 0,00 0,19 8,54 168,994 0,00 0,90 4,35 186,538 -0,36 -2,02 -0,70 172,991 -0,49 -1,50 -0,29 161,807 -0,36 -2,02 -0,81 set/09

173,612

0,65

0,48

5,45 171,365 0,00 0,19 8,54 174,024 2,98 3,90 3,90 187,322 0,42

-1,60 -0,39 173,226

-1,37 -0,16 162,486 0,42

-1,60 -0,39

out/09

179,176

3,20

3,70

3,76 180,933 5,58 5,78 5,78 174,024 0,00 3,90 3,90 187,415 0,05

-1,55 -1,31 173,095 -0,08 -1,44 -1,20 162,568 0,05

-1,55 -1,31

nov/09 179,214 0,02

3,72

3,69 180,933 0,00 5,78 5,78 174,024 0,00 3,90 3,90 187,603 0,10

-1,46 -1,58 173,233

-1,46 -1,58

dez/09

179,109 -0,06

3,66

3,66 180,933 0,00 5,78 5,78 174,024 0,00 3,90 3,90 187,115 -0,26 -1,71 -1,71 172,762 -0,27 -1,63 -1,63 162,307 -0,26 -1,71 -1,71

jan/10

179,130

0,01

0,01

3,77 181,397 0,26 0,26 6,05 174,024 0,00 0,00 3,90 185,861 -0,67 -0,67 -1,94 171,990 -0,45 -0,45 -1,83 161,220 -0,67 -0,67 -1,94

fev/10

179,570

0,25

0,26

3,86 181,397 0,00 0,26 5,85 174,024 0,00 0,00 3,90 188,055 1,18

0,50

-1,04 173,452

0,85

0,40

-1,15 163,122 1,18

0,50

-1,04

mar/10 179,950 0,21

0,47

4,24 181,397 0,00 0,26 5,85 174,024 0,00 0,00 3,90 189,822 0,94

1,45

0,64

175,126

0,97

1,37

0,24

164,655 0,94

1,45

0,64

abr/10

0,17

0,64

4,45 181,397 0,00 0,26 5,85 174,024 0,00 0,00 3,90 191,284 0,77

2,23

1,56

176,188

0,61

1,98

0,89

165,923 0,77

2,23

1,56

mai/10 180,698 0,25

0,89

4,85 181,397 0,00 0,26 5,85 173,959 -0,04 -0,04 4,58 193,560 1,19

3,44

2,84

177,859

0,95

2,95

1,79

167,898 1,19

3,44

2,84

180,247

FOLHA DE PAGAMENTO Pisos Salariais: Verificar a Convenção Coletiva de Trabalho da cidade do condomínio no site www.secovi.com.br

ACÚMULO DE CARGO: 20%

0,14

0,08

ÍNDICES DE PREÇO (Maio/2010)

ADICIONAL NOTURNO: 20%

HORAS EXTRAS: Cidade de São Paulo e demais municípios: 50% CESTA BÁSICA: Verificar Convenção Coletiva de Trabalho da cidade do condomínio no site www.secovi.com.br

FGTS – JULHO/2010 (Data de recolhimento até 06/08/10) = 8% sobre o total da remuneração paga ao empregado

PIS – JULHO/2010 (Data de recolhimento até 25/08/10) = 1% sobre o total da folha de pagamento

INSS – JULHO/2010 (Data de recolhimento até 20/08/10) * SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO (R$) – ALÍQUOTAS Até 1.024,97 De 1.024,98 a 1.708,27 De 1.708,28 a 3.416,54 Acima de 3.416,54

= = = =

-1,37 -1,49 162,730 0,10

8,00 % 9,00 % 11,00 % R$ 375,82

Variação - em% Indicador Mês

Ano

12 meses

IGP-DI

1,57

5,12

4,38

IGP-M

1,19

4,79

4,18

IPC/FIPE

0,22

3,06

4,93

INPC

0,43

3,50

5,31

IPCA

0,43

3,09

5,22

INCC-DI

1,81

4,48

6,07

*SALÁRIO-FAMÍLIA – ABRIL/2010: Remuneração mensal até R$ 531,12 = R$ 27,24 Remuneração mensal acima de R$ 531,12 até R$ 798,30 = R$ 19,19

Fontes: FGV, IBGE e Fipe/USP

* Valores vigentes desde 1º/01/2010 – Portaria Interministerial MPS/MF nº. 350,

Economia e Estatística do Secovi-SP

de 30/12/2009

20

Elaboração: Departamento de


informe publicitário

Fornecimento de peças para o mercado de elevadores. A desmistificação de um mito O SECIESP tem recebido diariamente correspondências e e-mails de síndicos e administradores de Condomínios com diversas dúvidas sobre elevadores, porém uma das mais constantes esta relacionada ao fornecimento e abastecimento de peças de elevadores para as empresas conservadoras multimarcas. No momento de decidir sobre a empresa que fará a manutenção dos elevadores a principal questão que surge é: “Quero trocar a empresa que faz manutenção em nossos elevadores, pois não esta nos atendendo a contento. Atualmente esta manutenção é feita pela empresa montadora do elevador. Tenho dúvidas com relação às peças no caso de troca. As empresas conservadoras têm acesso para compra de peças? Onde são compradas estas peças?” O SECIESP, além de outras, tem a função de orientar o mercado consumidor dos produtos e serviços do segmento de transporte vertical. Neste sentido, com relação às questões acima levantadas, esclarece que: 1) O mercado de elevadores, hoje em dia, é bastante diversificado. A indústria de elevadores não esta, como no passado, tão verticalizada a ponto de produzir todos os componentes necessários para a fabricação de um elevador. Hoje, estas empresas, tal como o mercado de automóveis, funcionam como montadoras. Os fornecedores das peças que compõem os equipamentos são, via de regra, comuns a todas as empresas. Além disto, o mercado globalizado possibilita a toda e qualquer empresa o acesso a tecnologia de ponta disponível no mundo inteiro, inclusive no Brasil. Portanto, não tenha dúvidas com relação a este assunto, pois as peças de reposição não são um problema para as empresas de conservação de elevadores, uma vez que o mercado disponibiliza para elas todos os com-

ponentes necessários para se fazer uma excelente manutenção. 2) Acesse o nosso site, www. seciesp.com.br, e confira as empresas classificadas como “colaboradoras”, pois estas são algumas das empresas que abastecem o mercado com peças e componentes de reposição. Inclusive, algumas delas, fornecem seus produtos para as multinacionais instaladas hoje em nosso país. 3) Portabilidade. Palavra comum para os nossos dias modernos. Assim como o seu carro e o seu telefone celular, entre outros, não são propriedade de quem os fabricou. O elevador é de propriedade do Condomínio, e não da empresa que o montou. Uma vez que você comprou e pagou, o equipamento é seu. O Condomínio não precisa e não deve ficar refém de uma empresa que não o está atendendo a contento. O cliente deve ficar com uma empresa pelos bons serviços que presta e não simplesmente pelo argumento inverídico e ingênuo de que as empresas conservadoras multimarcas não tem acesso a peças e componentes. 4) Também no nosso site, www. seciesp.com.br, encontram-se listadas as empresas de conservação, nossas associadas, que tem toda a condição de prestar-lhes um bom serviço de manutenção. Para que possamos agir ainda dentro de total transparência, indicamos acessar o site da prefeitura municipal, www.prefeitura.sp.gov.br, procurar o departamento de controle urbano e seguir as instruções até chegar à lista das empresas que possuem registro de concessão para atuar na cidade de São Paulo. Esperando ter contribuído com o esclarecimento destas questões, continuamos a disposição dos síndicos(as) e administradores(as) para dirimir quaisquer outras dúvidas que possam surgir com relação ao mercado de elevadores.

mais informações no site www.seciesp.com.br Lembre-se! A manutenção ou a reforma do seu elevador não é uma exclusividade da montadora

Consulte M&M (11) 2165-4600 www.mmelevadores.com.br contato@mmelevadores.com.br

Zapplift (11) 3849-9000 www.zapplift.com.br zapplift@zapplift.com.br

Grambell 0800-774-4015 www.grambell.com.br comercial@grambell.com.br

Primac (11) 2942-7479 www.primac.com.br comercial@primac.com.br

Crel (11) 3345-000 www.crel.com.br crel@crel.com.br

Convert (11) 3742-5364 www.convertelevadores.com.br convert@convertelevadores.com.br

Basic Elevadores (11) 3883-1850 www.basicelevadores.com.br manutencao@basicelevadores.com.br

Tel.: (11) 4723-4414 www.eletemmontagem.com.br Modernize com Tecnologia

Lider em comandos para elevadores

ISO

90

RECUSE IMITAÇÕES

00

Todas as empresas são associadas ao SECIESP

ELEVADORES X SEGURANÇA


Opinião Por Elbio Fernández Mera

Sisp:

megaoportunidade de negócios onsolidado como importante ferramenta de

C

Fica evidente a contribuição do evento nos quatro

vendas e considerado a maior vitrine de ofertas

últimos meses do ano ao observar também o Índice

da América Latina, o Salão Imobiliário São Pau-

de Velocidade de Vendas ou o indicador Venda So-

lo (Sisp) chega à quinta edição, em 2010, respaldado

bre Ofertas (VSO), que o sucedeu. O ritmo médio de

pelo absoluto sucesso das versões anteriores, reunindo

comercialização passou de 8,6% no período de 2002

em um só local variedade de produtos, padrões, pre-

a 2005 para 17,2% nos quatro anos de realização do

ços e localização de imóveis, farto crédito imobiliário,

Sisp. Importante observar que, ao longo das edições do

condições e prazos diferenciados. Ou seja, todas as

Salão, a exceção fica por conta do último trimestre de

facilidades para subsidiar interessados na compra da

2008, período em que a crise global atingiu seu auge.

casa própria, garantidas por importantes empresas do

O mercado de usados também integra esse univer-

setor e as principais instituições financeiras do País.

Secovi de Imóveis, com atuação na Capital, Grande São

expositores criam sinergia, assegurando aos 44 mil

Paulo e Interior, realizaram mais de mil atendimentos

consumidores que visitam o Salão um ambiente propí-

apenas na edição 2009 do Salão. O segmento passa

cio para a tomada de decisão. Lançamentos, imóveis

por rápido processo de crescimento e profissionaliza-

em estoque e pré-lançamentos são programados para

ção no Brasil, com empresas trabalhando de forma

exposição neste grande estande de vendas. Por sua

organizada e planejada, baseadas na exclusividade

vez, o público encontra um leque de oportunidades,

de vendas.

desperta para a real possibilidade de adquirir seu imóvel

A força do evento se traduz em benefícios às empre-

e seleciona, entre várias opções, aquele que cabe no

sas, com negócios potencializados, visibilidade multipli-

seu bolso, seja novo ou usado.

cada e cadastro de clientes atualizado. Considerando a

O Salão atrai o interesse também para os plantões de venda, possibilitando a concretização de negó-

média de visitação do Salão, são 44 mil novos clientes por ano em condições de fechar negócios.

cios no mês do evento e nos três meses seguintes.

O Sisp contribui para colocar o imóvel na mente do

Dados do Departamento de Economia e Estatística

visitante e despertá-lo para a necessidade de efetivar

do Secovi-SP mostram que o volume de imóveis comer-

a compra num período bem próximo à sua realização.

cializados no período de setembro a dezembro saltou

Porém, muito longe de estar restrita a quatro dias, a ini-

em participação anual de 37,9% em 2006 (primeira edi-

ciativa tem efeitos que repercutem nos 365 dias do ano,

ção do evento) para 46,9% e 44,1%, respectivamente,

com impactos positivos e duradouros nos negócios do

em 2007 e 2009.

setor e na economia como um todo.

Elbio Fernández Mera é vice-presidente do Secovi-SP

24

so de oportunidades. Imobiliárias associadas à Rede

Incorporadoras, vendedoras, bancos e demais


25


Seu espaço

Foto: S. Villa

Por Eliane Quinalia

Mini-horta: solução para quem gosta de alimentos frescos

Da varanda para a

mesa

Ávidos por facilitar a vida doméstica e estreitar o contato com a natureza, moradores apostam no cultivo de hortaliças e condimentos em apartamentos

N

os últimos anos as mini-hortas

áreas comuns dos prédios. A ideia é

mais suscetíveis ao ataque de pragas.

têm se tornado cada vez mais

simples e eficaz, principalmente para

Assim, nada de muita luz ou sombra

populares, especialmente

aqueles que gostam de alimentos

excessiva. “A exposição constante à

fresquinhos.

sombra deixa as espécies estioladas,

entre moradores de condomínios

26

que, no passado, priorizavam o culti-

Para aderir à prática, porém, al-

isto é, com longos caules e pequenas

vo de plantas ornamentais no interior

guns cuidados se fazem necessários.

folhas”, explica o engenheiro agrôno-

das unidades.

O primeiro deles: a escolha do local.

mo Rodolfo Geiser, diretor da Geiser

Hoje não é raro encontrar mora-

Independente de onde a horta ficará,

Paisagismo e Meio Ambiente.

dores que plantam hortaliças e con-

é importante saber que as plantas

Entre as plantas mais apropriadas

dimentos em varandas ou, ainda, que

tendem a enfraquecer fora do seu

para o cultivo, estão as de pequeno

compartilham uma horta coletiva nas

ambiente natural e, portanto, se tornar

porte, com exceção daquelas cuja


raiz é comestível – caso das cenouras,

A melhor época para o plantio

retenção da umidade e evita a perda

beterrabas e mandiocas. “Ervas medi-

dependerá da espécie escolhida.

de seu conteúdo pelos furos do vaso

cinais e condimentares como salsa, ce-

Contudo, os melhores resultados

ou da floreira.

bolinha, coentro, alecrim, manjericão,

podem ser observados nas estações

Para Goppert, toda a terra para

manjerona, orégano, melissa e tomilho

mais quentes, como primavera, verão e

plantio destinada a mini-hortas deve

são as opções mais indicadas para os

outono. “Em períodos de temperaturas

ser argilosa, apresentando matéria

apartamentos”, revela Marcelo Dalcin

mais elevadas o desenvolvimento é

orgânica e areia em sua composição.

Carvalho, gerente de produção da Isla

mais rápido e os resultados também”,

“A proporção ideal é de três partes de

Sementes. (Veja mais informações na

diz Carvalho, da Isla. Segundo ele, os

terra marrom ou vermelha, duas de

página 28.)

vasos devem comportar ao fundo uma

matéria orgânica e uma de areia.”

Quanto às hortaliças, a dica é

camada de argila expandida, para só

É importante atentar para a quan-

apostar no plantio de pimentas e

depois receber a terra. Isso auxilia na

tidade de adubo nas plantas. Não é

folhosas em geral, como alfaces, almeirões, chicórias e rúculas. “Com

Dicas para cultivo

exceção da hortelã, as demais plantas costumam gostar muito de iluminação direta e do sol da manhã”, diz o engenheiro agrônomo e paisagista Dieter Bechara Goppert, proprietário da Jardins de Gaia. Segundo ele, é comum, ainda, encontrar extremos nessas espécies. “As pimentas sempre morrem após o esgotamento da planta e os manjericões precisam de poda constante, pois crescem demais.”

O bê-á-bá do cultivo Definida a espécie mais apropriada, é importante preparar o local. Além

• Utilize terra ou substrato de qualidade: fértil e fofo; • A altura da floreira ou vaso deve

• Na semeadura, fique atento à profundidade em que você coloca a semente, garantindo

estar de acordo com o porte da

condições de germinação.

planta quando adulta, em geral,

O ideal é adotar uma medida

não inferior a 15 cm de altura;

de duas a três vezes o

• Coloque argila expandida ou pedras no fundo da floreira ou vaso; • Deixe as plantas em locais ensolarados com iluminação direta. Evite colocá-las atrás de janelas. O recomendado é que elas fiquem expostas ao sol de 4 a 5 horas por dia;

comprimento da semente menos que 0,5 cm; • Algumas espécies devem ser cultivadas em mudas e depois transferidas para floreiras; • Hoje já existem sementeiras para hortas domésticas, com capacidade para seis mudas; • No verão a irrigação deve ser diária. No inverno, pode ocorrer

de decidir qual a área mais adequada

até três vezes por semana.

para receber determinada planta, o condômino precisa estar atento às características do vaso: se possui furos na base ou mesmo os chamados “pratos”, usados para auxiliar no recolhimento do excesso de água. “Apesar da maior parte dos compartimentos serem apropriados, o modelo de plástico exige atenção, não devendo ser exposto diretamente ao sol, já que esquenta a raiz e acelera a evaporação da água”, orienta Goppert.

Foto: Divulgação Isla

(cerâmicos, plásticos e de concreto)

27


Seu espaço recomendado que haja nem excesso

cultivadas em áreas de contato direto

e nem falta de nutrientes. “Uma boa

com o solo. Estão mais sujeitas ao

dica é realizar pequenas adubações de

ataque de pragas como pulgões e

cobertura – sobre a superfície da terra

cochonilhas, insetos conhecidos por

– a cada 30 dias”, orienta Carvalho.

se alimentarem da seiva de espécies

Foto: S. Villa

Por Eliane Quinalia

domésticas.

Controle de pragas

As cochonilhas atacam toda a planta, desde a raiz até a parte aérea.

Plantas de apartamento requerem

“Dependendo do grau da infestação,

atenção redobrada em relação às

não é raro que tal ataque destrua o

ESPÉCIES MAIS INDICADAS PARA VARANDAS Nome popular

Nome científico

Tempo de vida

Cebolinha Allium 6 meses fistulosum Hortelã Mentha 6 meses piperita Manjericão Ocimum 6 meses basilicum Manjerona

Origanum 6 meses majorana

Cuidados Deve ser cultivada em clima ameno, a pleno sol, em solo fértil e irrigado regularmente De fácil cultivo, tolera bem as geadas, mas precisa de solo fértil sempre úmido, não encharcado Aprecia clima quente, mas não tolera calor excessivo. Deve ser cultivada em pleno sol e em solo fértil – este bem drenado e com irrigação frequente Gosta de clima úmido e arenoso com drenagem

Salsa Petroselinum 6 meses crispum

Possui folhas verdes e serrilhadas. Pode chegar a 45 cm de altura e prefere climas temperados e frios

Orégano Origanum 6 meses vulgare

Gosta de luminosidade e precisa de solo bem drenado (rico em matéria orgânica) e clima quente

A melhor época para o plantio depende da espécie escolhida

exemplar por completo, já que a ação dessas pragas inibe a realização da fotossíntese”, explica Camargo. Já os pulgões costumam aparecer

Fonte: Isla Sementes

em épocas de pouca chuva ou em períodos marcados pelo aparecimento de novos ramos, como na primavera. Uma alternativa para coibir o ataque desses predadores naturais é contar com uma consultoria especializada, que indicará o melhor produto para o combate da

Foto: Divulgação Isla

praga ou, ainda, optar por pesticidas

28

orgânicos. “Os pesticidas químicos podem causar efeitos indesejáveis, como o envenenamento da planta, dos animais domésticos e até de crianças”, alerta Geiser.


29


Capa Fotos: Calão Jorge

Por Marcos Fernando Queiroz

Tecnologia e consciência a serviço

da segurança

Condomínios recorrem cada vez mais à tecnologia de ponta para minimizar os riscos de delitos e invasões. Conscientização de funcionários e moradores também é essencial

T

odos já ouvimos falar que gran-

pouco tempo, só era acessível no

quando a prevenção falha. Existem

de parte da população escolhe

mundo da ficção. No entanto, peque-

duas razões básicas para que isso

viver em condomínios na busca

nos erros do dia a dia podem pôr tudo

ocorra: vontade e oportunidade. Em

de maior segurança. A sensação fica

a perder, mesmo naqueles condomí-

relação à vontade, é difícil inibi-la,

ainda mais evidente no momento em

nios ou loteamentos protegidos pela

pois ela parte do “elemento externo”.

que o mercado disponibiliza todo um

mais moderna tecnologia.

“Mas, quando se trata de oportunida-

aparato tecnológico que, até há bem

30

Muitas vezes um sinistro acontece

de, a adoção de medidas preventivas


colabora com todo um sistema que envolve segurança pública, conscientização de moradores, funcionários e aparato tecnológico”, analisa Sergio Meira, diretor de Condomínios do Secovi-SP. “A segurança continua sendo uma das maiores, senão a maior das preocupações daqueles que habitam ou trabalham em condomínios nas grandes cidades”, reforça o vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP, Hubert Gebara. Segundo ele, uma das saídas para minimizar os riscos deve ser adotada já no projeto do empreendimento. “Esse deve ser um trabalho conjunto entre arquitetos e administradoras competentes, em busca de uma estrutura que facilite a instalação e o bom funcionamento dos equipamentos de segurança”, observa. Os projetos de segurança personalizados são baseados em um estudo complexo da estrutura física e localização geográfica. Segundo Niv Yossef Steiman, gerente de Implantação e Projetos do Grupo GR, cada empreendimento possui uma necessidade específica. “Avaliamos o número de homens necessários, quantidade

Polícia Militar ao lado do Secovi-SP O Secovi-SP está atento à questão da segurança nos condomínios.

website, blogs, “fale conosco”, chats e até twitter.

Prova disso é a parceria firmada pelo

“A PMESP trabalha no fomento

Sindicato com a Polícia Militar do

da ajuda mútua entre os condomí-

Estado de São Paulo (PMESP), para

nios, o que amplia o sentimento de

mostrar a importância das ações de

cidadania entre os responsáveis

prevenção e repressão aos roubos e

pelos edifícios, criando, assim, uma

assaltos em condomínios.

verdadeira rede de cooperação”,

Em 26/5, na sede da entidade,

afirma o tenente coronel José Luiz

foi oficializada a assinatura do pro-

Sanches Verardino, subdiretor de

tocolo de intenções entre o Sindicato

Polícia Comunitária e de Direitos

e a PMESP, pelo vice-presidente de

Humanos da PMESP.

Administração Imobiliária e Condomí-

Verardino afirma que não existe

nios da entidade, Hubert Gebara, e

prevenção e segurança com 100%

o comandante geral da PM, coronel

de garantia. “A ‘equivalência bélica’

Álvaro Batista Camilo.

não resolverá a situação, mas sim o

A atuação da Polícia está forte,

trabalho com inteligência”, analisa.

e evolui no combate ao crime orga-

Ele listou itens que influenciam

nizado nos condomínios, segundo

na “pré-eleição” de um alvo, como a

o coronel Camilo. “A parceria com

localização do imóvel, a exposição de

o Secovi é fundamental para nós.

valores, a ausência de sistemas de

Sejam nossos olhos”, disse o ofi-

segurança ou mesmo a imponência

cial na cerimônia de assinatura do

do edifício (veja dicas à página 36).

protocolo. Além dos serviços 190,

“O ideal é tornar o condomínio desin-

0800 e Disque Denúncia, hoje a PM

teressante aos olhos dos bandidos,

dispõe de vários meios eletrônicos

e isso também é feito por meio do in-

à disposição da população, como

cremento da segurança”, completou.

Gebara e Coronel Camilo: parceria prevê ações de prevenção e repressão aos roubos e assaltos em condomínios

de câmeras e equipamentos, implantação de normas, mudanças arquitetônicas, implantação de barreiras físicas (muros, cercas, etc.), entre outras especificações. Os projetos são 100% personalizados”, informa. De acordo com Steiman, entre os itens mais relevantes de um projeto de segurança privada figuram a análise da situação atual do empreendimento e suas fragilidades no quesito segurança; sugestão dos recursos necessários (contratação de vigilantes, controladores de acesso,

31


Capa Por Marcos Fernando Queiroz

Fotos: Calão Jorge

Vigilância remota As empresas de segurança eletrônica obtêm excelentes resultados quando aliam a tecnologia das câmeras ao monitoramento constante das centrais. O monitoramento 24 horas é feito simultaneamente, por meio de várias unidades, garantindo a continuidade dos serviços, mesmo se acontecer algum problema em alguma delas, como falta de energia ou de telefonia. As principais tecnologias aplicadas em segurança eletrônica hoje em dia estão focadas em sistemas de alarmes, de circuitos fechados de TV, controle de acesso, portas e portões etc.); equipamentos (CFTV, alarmes,

milhão de câmeras de vigilância. No

automatizados, proteção perimetral,

monitoramento, etc.); e estrutura geral

início desta década, elas não ultrapas-

equipamentos de combate a incêndio,

(adequação da guarita, mudança em

savam a marca de 150 mil unidades.

portas giratórias e eclusas, dispositi-

paisagismo e decoração, colocação

De lá para cá houve um incremento

vos de identificação por biometria e

de cercas elétricas, muros ou grades).

de mais de 700% na aquisição desses

rastreamento de veículos, pessoas

produtos no País.

e animais.

Demanda crescente

Existem no Brasil aproximada-

O mercado apresenta novidades,

mente 10 mil empresas atuantes no

como os alarmes wireless; códigos

A segurança eletrônica tem por

segmento, o que representa 113 mil

de barra; câmeras com sensores de

finalidade detectar, comunicar e inibir

empregos diretos e 1,3 milhão de

presença, que são acionadas toda

a ação criminosa. “O perfeito funcio-

indiretos. Na última década, esse mer-

vez que alguém abre a guarita, man-

namento de um desses sistemas de-

cado vem crescendo a taxas médias

pende, basicamente, da contratação

anuais de 13%, e, somente em 2009,

de uma empresa especializada, de um

o setor movimentou R$ 1,5 bilhão. A

projeto adequado, do treinamento das

maior demanda de mercado – 53% do

pessoas envolvidas e da manutenção

total, segundo a Abese – concentra-se

preventiva do sistema”, esclarece Sel-

na Região Sudeste. Já um recente

ma Migliori, presidente da Associação

estudo do Instituto Brasileiro de Geo-

Brasileira das Empresas de Sistemas

grafia e Estatística (IBGE) indica que

Eletrônicos de Segurança (Abese).

10,5% de um total de 6,18 milhões

A demanda cresceu muito. Segundo dados da associação, o Brasil

de imóveis brasileiros estão aptos a receber sistemas de segurança.

possui cerca de 650 mil imóveis monitorados por sistemas eletrônicos, o que representa algo em torno de 1,3

32

Rizzieri: Preservação do patrimônio também envolve conscientização dos moradores e treinamento de funcionários


Qual a melhor maneira de proteger meu apartamento contra arrastões?

Como alertar todos os moradores de que há algo errado no condomínio?

A resposta da Siemens: Vertical Tranquility Finalmente um sistema inteligente para a proteção do seu condomínio. Ligue agora para (11) 3619-9000 (Grande São Paulo) ou 0800-703-8188 (Demais localidades), agende uma visita com nosso especialista de segurança em condomínios e descubra os benefícios desta solução exclusiva.

www.siemens.com.br/verticaltranquility

33


Capa Por Marcos Fernando Queiroz

dando a imagem para uma central de monitoramento ou um palm; câmeras

Aperfeiçoamento é essencial

externas que acionam televisores na guarita e na central de monitoramento; sensores pet immunity, que evitam o disparo do alarme quando os animais circulam pela residência; sensores infravermelhos de presença; sistemas biométricos de identificação por reconhecimento de impressões digitais (se tocado com outro dedo da mão indica pânico), de faces, íris e até de veias da mão; ou mesmo um simples botão de pânico móvel que pode ficar com o porteiro ou com o morador que chega à garagem. Ao entrar em contato com uma infinidade de ofertas de produtos, o síndico poderá ficar em dúvida sobre o que comprar. A dica é consultar um especialista. Contudo, o síndico deve atestar a idoneidade da empresa contratada, além de analisar o que é barato ou caro em relação à qualidade do projeto. Foi o que aconteceu no Condomínio Edifício Monte Carlo, zona norte da Capital. “Optamos por uma empresa que já prestava serviços ao condomínio, inclusive com um desconto considerável”, informa o síndico José Roberto Bertelini. Segundo ele, o Monte Carlo possuía um sistema de segurança um

Universidade Secovi transmite conceitos para gerar segurança nos condomínios

O aperfeiçoamento e treina-

Entre 2004 e 2010 foram 24

mento dos funcionários em con-

turmas só na Capital, com 6.650

domínios devem ser constantes.

alunos, além de nove edições

O curso Segurança Predial, inicia-

regionais nas cidades de Soro-

tiva de sucesso promovida pela

caba, São Bernardo do Campo,

Universidade Secovi há tempos,

São José dos Campos e Campi-

mobiliza o mercado condominial

nas, com a participação de 276

de todo o Estado para essa ne-

alunos. Estão previstas mais três

cessidade, transmitindo técnicas

turmas para setembro, outubro e

relativas à segurança de pessoas

novembro deste ano. Mais infor-

e de instalações com a utilização

mações em www.secovi.com.br/

de equipamentos eletrônicos.

universidade.

tanto obsoleto e, após decisão em assembleia, foi possível contratar a

entretanto, por melhor que seja,

nhecimento de impressão digital. “Já

empresa especializada para a execu-

funciona sem a conscientização das

estamos cotando”, revela.

ção de um projeto moderno, eficiente

pessoas. “Felizmente, tivemos reação

Embora com perfil diferente de

e personalizado. “Hoje temos 32 câ-

positiva. Costumo dizer que a tecnolo-

um condomínio trivial, o loteamento

meras espalhadas pelo condomínio,

gia corresponde a 40% do resultado,

fechado Mirante da Pedra Grande,

monitoradas pelo sistema DVDR a

e o fator humano é responsável pelos

em Ibiúna (SP), não dispensa tecno-

partir de um posto avançado via in-

60% restantes”, ilustra Bertelini. Num

logia quando o assunto é segurança.

ternet”, conta.

futuro próximo, ele pretende instalar

Lá, seus nove funcionários próprios

uma portaria com sistema de reco-

lançam mão de um bastão de ronda

Nenhum sistema de segurança,

34


Capa Por Marcos Fernando Queiroz

Dicas de segurança • Manter sempre atualizado o cadastro de endereços dos empregados do condomínio; • Instalar e manter equipamentos de segurança em plena condição de uso; • Estabelecer códigos com vizi-

externas; • Instalar porteiro eletrônico ou interfone; • Testar periodicamente alarmes e sensores de presença; • Instalar relógio de vigia quando o porteiro faz ronda;

que envolve até 18 pontos. É um equipamento com chip, instalado e distribuído em locais estratégicos do residencial que transmite informações a um leitor eletrônico de forma que cada um dos vigilantes permanece monitorado 24 horas. “Dispomos também de um quadriciclo, e mais oito câmeras serão

nhos e funcionários para denun-

• Automatizar portas e portões;

instaladas, o que perfazerá um total de

ciar ação de marginais;

• Fomentar a utilização de equipa-

36 unidades”, informa Celso Rizzieri,

mento de comunicação (rádio,

responsável pela administração do

telefones, etc.);

Pedra Grande. “Estamos aguardando

• Estabelecer procedimentos de acesso para visitantes e repre-

• Instalar caixas com portinholas

a empresa de telefonia local disponibi-

para recepção de encomendas;

lizar um IP (protocolo de comunicação

• Saber que a guarita é consi-

usado para duas ou mais máquinas se

derada o “centro nervoso” da

comunicarem) aos proprietários, que

• Fiscalizar as garagens periodi-

segurança de todo o condomí-

assim poderão acompanhar o traba-

camente e estabelecer crachás

nio e também a “menina dos

lho de vigilância de suas residências”,

de acesso;

olhos” de quadrilhas especia-

completa.

sentantes de empresas prestadoras de serviço; • Evitar a entrada de entregadores nos apartamentos;

• Tomar cuidado especial ao con-

lizadas. Se estrategicamente

Há menos de três anos o lotea-

tratar funcionários. A escolha

localizada, equipada e com um

mento não dispunha de todo esse

deve recair naqueles que tenham

porteiro treinado, tem o poder

aparato. As mudanças aconteceram

cursos de formação e treinamen-

de inibir sensivelmente a ação

principalmente em caráter preventivo,

to ou que possuam referências;

de meliantes;

pois, de acordo com a atual direção,

• Manter uma ficha de cadastro

• Fixar na portaria o Decálo-

o poder público e as prestadoras de

detalhada dos moradores, de

go de Segurança elaborado

serviços essenciais da região ainda

uso exclusivo do condomínio;

pelo Secovi e Secretaria de

não conseguem suprir as demandas

Segurança Pública.

desse tipo de residencial, a exem-

• Verificar a iluminação das áreas

plo do controle das vias públicas Guarita: "centro nervoso" da segurança do condomínio

internas, do sistema de iluminação, de abastecimento de água e mesmo da manutenção e instalação de infraestrutura. “Priorizamos a preservação do patrimônio também por meio de ações sustentáveis. Para tanto, participamos de reuniões periódicas com as lideranças locais, incluindo Polícia Civil e Militar, para estarmos sintoni-

Foto: Calão Jorge

zados com as diretrizes municipais.

36

Contamos com a conscientização indispensável dos moradores, e com o treinamento e aperfeiçoamento do corpo funcional”, completa Rizzieri.


Opinião Por Hubert Gebara

Insegurança nos condomínios já foi pior

S

egurança é matéria de capa deste

acha que é muito esperto quando tira tudo o

número da Revista Secovi-SP Condo-

que pode do cidadão e este com razão se

mínios. Nela, está traçado um quadro

sente traído e passa a ver no poder público um

geral dos avanços da parceria do Secovi-SP

inimigo. Rompe-se então o precioso elo que faz

com a Polícia Militar para vencer a luta contra

uma nação crescer e que, nos Estados Unidos,

essa neoguerrilha que mantém os condomí-

é conhecido como "o sonho americano".

nios em estado de alerta 365 dias por ano e, ainda assim, os toma vulneráveis.

Malgrado nosso desprezo pelo pacto social, a economia brasileira está crescendo.

A guerra contra a violência e os assaltos

Os números dos últimos meses são mais

tem de ser travada em duas frentes: a policial

que animadores. Se o primeiro trimestre foi

e a social. A polícia precisa chegar a tempo e

bom, podemos esperar algo ainda melhor

arriscar-se no confronto com os bandidos. Mas

do primeiro semestre e voltar a falar em "rit-

existem também as questões que somente se-

mo chinês". É essa retomada que vai gerar

rão resolvidas a longo prazo: pobreza, exclusão

– embora lentamente – uma melhor situa-

social, desemprego, planejamento familiar,

ção social. Com menos violência e menos

educação, novo Código Penal e, principalmen-

assaltos no futuro.

te, tráfico de drogas.

Quando o mercado de trabalho se ex-

Além da ação policial de efeito imediato, há

pande, decresce o rancor social e surgem

essa outra frente de luta de efeito mais lento

novos cidadãos imunes ao apelo do crime.

e que depende do chamado pacto social, no

Condomínios não são uma alternativa perfei-

momento totalmente esquecido por aqueles

ta, mas são o que, no momento, podemos

que tanto falavam dele tempos atrás.

fazer de melhor em termos de moradia. E eles

Nem todos têm consciência do que esse

podem melhorar muito. Secovi-SP e polícia

pacto significa. Ele é, entretanto, o tecido sutil

estão fazendo o que podem. A situação está

da cidadania. É o oposto do rancor social, uma

melhorando. Um Produto Interno Bruto "chinês'

força maligna de mão dupla: o poder público

também vai ajudar.

Hubert Gebara é vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP e diretor da Fiabci/Brasil

37


Saúde e Bem-estar Por Eliane Quinalia

Remédio caseiro Após regularização, plantas medicinais da tradição popular passam a ser comercializadas com bula em farmácias

Q

uem não se lembra das

viabilizada com a Resolução-RDC 10,

ça, os locais de produção deverão

antigas fórmulas de família

de 9 de março último.

se enquadrar nas Boas Práticas de

utilizadas para curar resfria-

Agora as plantas medicinais popu-

Fabricação predeterminadas pela

dos, amenizar problemas de digestão

lares podem ser encontradas em seu

Anvisa, que incluem normas desde a

ou sanar pequenos desconfortos

estado “seco” nas farmácias, acom-

coleta na natureza até a comerciali-

abdominais? Bastava um punhado

panhadas de uma espécie de bula

zação nas prateleiras das farmácias.

de poejo ou um chá de alho e pronto!

feita por profissionais do segmento.

De acordo com a coordenadora de

As plantas caseiras sempre tive-

Ela orientará os consumidores sobre

Fitoterápicos da Anvisa, Ana Cecília

ram suas propriedades largamente

a correta quantidade de substâncias a

Carvalho, não existe prazo para a

difundidas entre a população. Pesa a

serem ingeridas e seu modo de prepa-

adequação. “Como se trata de um

favor de sua popularização também

ro. “A medida estabelece regras para

produto industrializado, as indústrias

o fato de terem uma boa relação

a produção, identificação, controle de

terão que começar a produzir o me-

custo-benefício, visto que esse tipo

qualidade, embalagem, rotulagem e

dicamento conforme as novas regras.

de planta pode ser cultivado em casa

sua apresentação ao consumidor. Até

Nossa expectativa é que a partir dos

a um preço muito baixo.

a publicação da norma, não existiam

próximos meses os primeiros sinais

Para evitar o uso desregrado e por

critérios definidos por nenhuma au-

de adequação comecem a ficar evi-

vezes incorreto dessas “drogas vege-

toridade sanitária sobre o assunto”,

dentes no mercado.”

tais”, há tempos a Agência Nacional

esclarece o farmacêutico Ademir

de Vigilância Sanitária (Anvisa) tra-

Valério, diretor da Farmácia Equilíbrio

balha junto ao meio médico e farma-

e vice-presidente da Associação

Diferente do que muitos imaginam,

Nacional de Farmacêuticos

os chás comercializados em saqui-

Magistrais (Anfarmag).

nhos pela indústria e considerados

Com a mudan-

alimentícios apresentam proprieda-

cêutico para regulamentar e orientar o comércio dessas plantas

Chás e plantas medicinais

em farmácia,

des diferentes dos produzidos com

ação que só foi

ervas medicinais para o tratamento

Foto: ©iStockphoto.com/Anya

de doenças.

38


Foto: ©iStockphoto.com/Yapps Cotta

Essas plantas possuem atividades terapêuticas e agora, regulamenta-

rigente da Anfarmag. No total, 66 tipos

das, passarão a contar com uma ri-

de plantas estarão

gorosa fiscalização de qualidade feita

à disposição dos

pelo Controle de Vigilância Sanitária.

consumidores –

“Com a disponibilidade de produtos

conheça alguns de-

confiáveis nas farmácias, o farmacêu-

les abaixo e consulte

tico poderá atender e orientar quem

a lista completa no link

o procurar de maneira segura e com

http://bit.ly/d4DyXb. “O

benefícios para o usuário”, diz Valério.

alho é um famoso expec-

Com a RDC 10, cairá muito o risco

torante e muita gente tem o

de tais substâncias causarem danos

hábito de usá-lo com água fervente.

Um ponto que também agradará

à saúde do usuário. “A cultura popular

No entanto, para aproveitar melhor

os consumidores diz respeito ao

possui muitas plantas altamente tóxi-

as propriedades terapêuticas, o ideal

preço de comercialização de tais

cas que, se usadas inadvertidamente,

é deixá-lo macerar, isto é, descansar

produtos, normalmente bem inferior

podem ocasionar lesões no fígado,

em água à temperatura ambiente”,

ao fixado para os medicamentos

rins e outros órgãos”, esclarece o di-

explica Ana Cecília.

alopáticos.

Nome popular

Alho

Fonte: Anvisa/Divulgação

Canela, CaneladoCeilão

Capim (santo, limão, cidró e cidreira)

Nome científico

Allium sativum

Cinnamomum verum

Cymbopogon citratus

Parte utilizada

Forma de utilização

Posologia

Bulbo

Maceração: 0,5g (1 colher de café) em 30 ml (1 cálice)

Utilizar 1 cálice 2 vezes ao dia antes das refeições

Casca

Decocção: 0,5-2 g (1 a 4 colheres de café) em 150 ml (xíc. chá)

Utilizar 1 xíc. de chá de 2 a 6 vezes ao dia

Folhas

Infusão: 1-3 g (1 a 3 colheres de chá) em 150 ml (xícara de chá)

Utilizar 1 xícara de chá de 2 a 3 vezes ao dia

Via

Indicações

Contra-indicações

Efeitos adversos

Oral

Hipercolesterolemia (colesterol elevado). Atua como expectorante e antisséptico

Não deve ser utilizado por menores de 3 anos e pessoas com gastrite e úlcera gástrica, hipotensão (pressão baixa) e hipoglicemia (baixa concentração de açúcar no sangue). Não usar em caso de hemorragia e em tratamento com anticoagulantes

Doses acima da recomendada podem causar desconforto gastrointestinal

Oral

Falta de apetite, perturbações digestivas com cólicas leves, flatulência (gases) e sensação de plenitude gástrica

Não utilizar na gravidez

Podem ocorrer reações alérgicas de pele e mucosas

Oral

Uso para adultos em cólicas intestinais e uterinas. Quadros leves de ansiedade e insônia, como calmante suave

*As doses são indicadas para adultos. Além disso, as plantas medicinais não devem ser usadas em crianças menores de 3 anos, gestantes e mulheres que estejam amamentando. Para crianças de 3 a 7 anos, recomenda-se o uso de 25% das doses.

Foto: ©iStockphoto.com/Ale Paiva

CONHEÇA ALGUMAS PLANTAS MEDICINAIS E ENTENDA SEU USO

39


Área Cível Marta Cristina Pessoa OAB/SP 08.073

1

Tira-dúvidas Os membros do conselho consultivo podem destituir o síndico? Quando o empregado em gozo de estabilidade provisória decide pedir demissão, é possível proceder à rescisão do contrato? Estas e outras questões são respondidas pelo Departamento Jurídico do Secovi-SP

3

O condômino infrator deve ser

Numa assembleia simples, os condôminos podem determinar um prazo de

advertido ou multado imedia-

mandato do síndico diverso do previsto na Convenção do Condomínio?

tamente?

Uma simples assembleia não pode alterar o prazo de mandato estipulado na

O trâmite para imposição das

Convenção. Este somente poderá ser modificado se obedecido o trâmite para sua

penalidades condominiais será

regular alteração, pressupondo a realização de assembleia em que se preencha

aquele previsto na Convenção ou

o quórum de 2/3 da totalidade dos condôminos.

no Regimento Interno. Caso tais normas não prevejam a aplicação de advertência de modo prévio, presume-se que será possível aplicação da multa tão logo seja constatada a infração.

4 O condomínio pode responder por dano moral, caso o porteiro apague as luzes da área comum onde está sendo realizada festividade que tenha

2

40

ultrapassado o limite determinado pelo condomínio e que o condômino se recuse a encerrar, mesmo com a reclamação de outros moradores? R: Estabelece o art. 1.336, IV, do novo Código Civil que um dos deveres do condômino ou de quem esteja utilizando a propriedade em seu nome é “dar às suas partes

Os membros do conselho

a mesma destinação que tem a edificação, e não as utilizar de maneira prejudicial

consultivo podem destituir o

ao sossego, salubridade e segurança dos possuidores, ou aos bons costumes”.

síndico?

Na mesma linha, diz o art. 187 do novo Código Civil que “também comete ato

Não. O síndico será destituído

ilícito o titular de um direito que, ao exercê-lo, excede manifestamente os limites

pelo mesmo órgão que o elegeu: a

impostos pelo seu fim econômico ou social, pela boa-fé ou pelos bons costumes”.

Assembleia Geral, à qual compete

Nesse sentido, decidiu o TJSP (Apel. nº 497.253.4/0). “Não se confirmou ato ilícito.

deliberar a respeito de sua destitui-

O preposto do apelado agiu no exercício regular de direito e o ato de desligar as

ção, pelo voto da maioria absoluta

luzes da parte externa decorre de conduta apropriada para a ocasião, em virtude do

de seus membros (50% mais um

desrespeito das regras internas. O apelante não está em condições de apresentar

dos condôminos presentes na as-

queixa do incidente por ter perdido a autoridade e o comando da festa alheia, não

sembleia) e desde que fundamen-

existindo a menor possibilidade de responsabilizar o Condomínio pelas ocorrências

tada na prática de irregularidades,

relatadas. Mesmo que se admita a anormalidade de interrupção da energia em festa

não prestação de contas ou má

do condomínio, é de se ter como medida apropriada quando não existe responsável

gestão, nos termos do artigo 1.349

para atender as recomendações da administração. Não há que se falar em dano

do novo Código Civil.

moral indenizável” (art 5º, V e X, da CF).


Tira-dúvidas

Área Trabalhista

1

Carlos Alexandre Cabral OAB/SP 97.37

É possível contratar vigilantes para a segurança do condomínio? Sim, mas a contratação de empregados com o cargo de “vigilantes” tem implicações e exigências (curso de defesa pessoal, utilização de armas, rigoroso exame de saúde física e mental, treinamento periódico, autorização da Polícia Federal, etc.), uma vez que existem normas específicas regendo essa atividade. Assim, se o condomínio não pretende

3

constituir uma vigilância orgânica, que também pode ser feita mediante a contratação de uma empresa especializada, o melhor será ter vigias/ porteiros (chamando a polícia se necessário, sem entrar em ação).

Quando o empregado em gozo de estabilidade provisória decide pedir demissão é possível proceder à rescisão do contrato?

2

A resposta encontra-se no artigo 500, da CLT, que assim dispõe: ”O pedido de demissão do empregado estável só será válido quando feito

Quando um empregado que não ocupa o cargo de auxiliar ou

com a assistência do respectivo Sindicato e,

servente ocupa o posto de outro funcionário de maior salário

se não houver, perante autoridade local com-

durante as férias deste, deve receber o adicional por acúmulo

petente do Ministério do Trabalho ou da Justiça

de cargo ou o salário do substituído?

do Trabalho”. Desta forma, a rescisão poderá

Cabe observar que, no caso, tal atividade se caracteriza como subs-

ser efetivada; todavia, para evitar qualquer re-

tituição. O dispositivo da convenção da categoria que rege o instituto

clamação posterior do empregado, no sentido

trata-se de cláusula cujo texto dispõe: “Salário do substituto - O em-

de que foi coagido pelo empregador a pedir

pregador fica obrigado, enquanto perdurar a substituição, a pagar ao

demissão, é conveniente que se exija dele um

empregado substituto o mesmo salário pago ao substituído.”

pedido por escrito, no qual deixe consignado

A Súmula 159 do TST reforça tal entendimento: “Enquanto perdurar a

que o faz de livre e espontânea vontade e que,

substituição que não tenha caráter meramente eventual, inclusive nas fé-

estando ciente da estabilidade de que desfruta,

rias, o empregado substituto fará jus ao salário contratual do substituído.”

a ela renuncia.

4 O que são horas da Constituinte? A redução constitucional da carga horária semanal, de 48 para 44 horas em 1988, levou alguns empregadores a entender que as horas que ultrapassassem o limite então estabelecido deveriam ter uma denominação específica e resolveram chamá-las “horas da Constituinte”, “horas constitucionais” e outros termos semelhantes. Embora não exista na lei a denominação “horas da Constituinte”, quem as vem pagando deverá continuar a fazê-lo, pois tais horas se caracterizam como extras, previstas pelo artigo 59 da CLT.

Este espaço é um canal permanente para que síndicos e administradoras esclareçam questões relacionadas ao dia a dia da gestão condominial. Envie suas dúvidas para o e-mail juridico@secovi.com.br 41


Carta do presidente Por João Crestana

Imóvel bonito,

bom e barato O

setor produtivo formal de imóveis cresce

desempenho e às definições da Norma Brasileira

de forma equilibrada e sustentável, e a

de Desempenho de Edifícios quanto ao nível qua-

perspectiva real de produzir em escala

litativo (segurança estrutural, por exemplo), aos

com livre concorrência entre as empresas obriga

critérios quantitativos (resistência de uma viga) e

os empresários a aprimorarem a qualidade dos

aos métodos de avaliação para a verificação do

imóveis e a governança corporativa de suas orga-

atendimento ou não dos critérios.

nizações. Apesar de pensarem em quantidade, a

Para atingir a excelência em qualidade, o

preocupação primordial passa a ser a qualidade

Secovi propõe trabalhar com governo, setor

do produto, que tem de ser bom, bonito e barato.

organizado (sindicatos, associações) e agen-

Em outras palavras, o imóvel deve atender aos

tes individuais (construtores, incorporadores).

requisitos de qualidade construtiva e oferecer

Defendemos a criação de ambiente regulatório

preço justo e acessível ao bolso do consumidor.

favorável para investimentos em pesquisas na

Um pouco mais de investimento durante a

construção civil, de forma a dar mais segurança

produção beneficia o morador, que gastará me-

aos usuários.

nos com manutenção. Este cuidado desonera

Certificações obrigatórias e travas metodoló-

indiretamente a empresa, porque ao minimizar a

gicas como o Programa Brasileiro de Qualidade e

necessidade de reparos ulteriores, decorrentes de

Produtividade do Habitat (PBQP-H) não garantem

eventuais vícios de construção, os condôminos

a qualidade do produto. Para aferir os atributos do

pagam rateios menores de condomínio.

imóvel e a capacidade construtiva da empresa,

Durante o uso e a exposição ambiental

melhor seria adotar auditorias de projetos, avalia-

cotidiana, os condomínios devem preservar as

ções de desempenho, pesquisas pós-ocupação

características e funções definidas em projeto e

e criação de ranking das boas construtoras e

isso vem do cuidado dos empreendedores com o

incorporadoras, a fim de obterem benefícios nas

atendimento às normas que garantem o desem-

taxas de juros e agilidade na concessão do finan-

penho das edificações.

ciamento, por exemplo. Incentivo à funcionalidade

Um empreendimento tem de obedecer a uma lista-mestra de exigências funcionais e de

real do produto e não obrigação, burocracia e tutela estatal.

João Crestana é presidente do Secovi-SP e da Comissão Nacional da Indústria Imobiliária da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC)

42


43


ACESSÓRIOS Advento..................................................... Pág. 45 Casa das Molas ....................................... Pág. 46 Cleany Trituradores .................................. Pág. 45 Delta Caixas ............................................. Pág. 46 Mantas e Garagem................................... Pág. 45 Travema..................................................... Pág. 45 Uruflex ...................................................... Pág. 46 ADMINISTRADORA Adcip......................................................... Pág. 46 Auge Serviços........................................... Pág. 46 Caresia Adm............................................. Pág. 47 Dellatorre................................................... Pág. 46 Directa Administração .............................. Pág. 46 F. Moraes .................................................. Pág. 47 FL Administração...................................... Pág. 47 Flex ........................................................... Pág. 47 M&M Contabil........................................... Pág. 47 Mantovani Imoveis.................................... Pág. 47 Nunez Aldin Condomínios ....................... Pág. 47 Prisma Adm............................................... Pág. 47 Sivel........................................................... Pág. 47 Verti ........................................................... Pág. 48 AUDITORIA Conaudi .................................................... Pág. 48

Eletem Elevadores ................................... Pág. 22 Eletem Elevadores ................................... Pág. 23 Ewic........................................................... Pág. 52 Grambell.................................................... Pág. 22 Infolev........................................................ Pág. 15 Korman...................................................... Pág. 51 M & M Conservadora................................ Pág. 22 MC Elevadores.......................................... Pág. 50 MDE........................................................... Pág. 52 Mitson........................................................ Pág. 53 Monciel...................................................... Pág. 53 Nacional Elevadores ................................ Pág. 51 New Servs................................................. Pág. 53 Novart........................................................ Pág. 51 Paulista...................................................... Pág. 52 Primac....................................................... Pág. 22 RC............................................................. Pág. 54 Santista...................................................... Pág. 52 SPL............................................................ Pág. 53 Tecnew...................................................... Pág. 54 Universal.................................................... Pág. 53 Zapplift...................................................... Pág. 22 EXPOSÍNDICO Exposíndico ...................................... Pág. 04 e 05 FEIRA Pró Síndico ............................................... Pág. 17

Repinte...................................................... Pág. 57 Romavi e Millenium................................... Pág. 58 TAJ Engenharia ........................................ Pág. 58 Tecnobre ................................................... Pág. 59 PISCINAS Capathermi ............................................... Pág. 59 M.S.O Service Ltda. ................................. Pág. 59

BATERIAS Baterias Casa Grande............................... Pág. 48 Baterias Jaraguá....................................... Pág. 48

FILTROS Filtrolar ...................................................... Pág. 54

PISOS Agilimp...................................................... Pág. 59 Engepox Com. e Revest. de Pisos........... Pág. 59 Miaki.......................................................... Pág. 17 Mister Polish ............................................. Pág. 59

BENEFÍCIOS Sodexo...................................................... Pág. 02

GÁS Ultragaz..................................................... Pág. 25

RESTAURAÇÃO DE FACHADAS Alicerce...................................................... Pág. 59

BRIGADA DE INCÊNDIO Authentic Portas de Fogo......................... Pág. 48 Fluir Comercial ......................................... Pág. 48 Tecno Fire ................................................. Pág. 49

GESTÃO EMPRESARIAL Proquali Gestão Empresarial.................... Pág. 54

SEGURADORA Porto Seguro ............................................ Pág. 21

HIDRÁULICA Technopipe Brasil...................................... Pág. 55

SEGURANÇA Alarmline.................................................... Pág. 60 Borbardi Ind. E Com. ............................... Pág. 60 Eletroseg .................................................. Pág. 60

COBERTURAS Altec Sombra............................................. Pág. 49 CONSULTORIA EM ELEVADORES Dr. Elevador .............................................. Pág. 49 CONTROLE DE PRAGAS Desintec.................................................... Pág. 49 DESENTUPIDORA Desentupidora Império ............................ Pág. 49 Desentupidora Jupiter .............................. Pág. 50 Loremi Dedetizadora................................. Pág. 49 ELÉTRICA Exclusiva Engenharia ............................... Pág. 50 ELEVADORES Alternativa.................................................. Pág. 51 Asselev...................................................... Pág. 51 Basic Elevadores ..................................... Pág. 22 Basic Elevadores ..................................... Pág. 50 CBE........................................................... Pág. 51 Convert...................................................... Pág. 22 Crel Elevadores......................................... Pág. 22 CSM.......................................................... Pág. 52 Delev......................................................... Pág. 52

44

IMPERMEABILIZAÇÃO Lwart ......................................................... Pág. 55 Polican....................................................... Pág. 55 Sinal Brasileiro........................................... Pág. 55 Vedacit (Otto)............................................ Pág. 63 INDIVIDUALIZAÇÃO Ista Brasil................................................... Pág. 64 Martani Instalações .................................. Pág. 03 Sappel ...................................................... Pág. 23 MÁQUINA DESENTUPIDORA Alkamac Desentupidora ........................... Pág. 56 PELÍCULA DE CONTROLE SOLAR Perfect Window......................................... Pág. 56 PINTURA A Freitas Pinturas S/C Ltda....................... Pág. 56 Coristeu Pinturas ..................................... Pág. 56 Fachadex................................................... Pág. 56 Habitar ...................................................... Pág. 58 Katec Engenharia Ltda. ........................... Pág. 56 M. Bergmann............................................. Pág. 57 Manutenção PAC...................................... Pág. 57 PGM Pinturas Ltda. ME............................. Pág. 57

SEGURANÇA ELETRÔNICA JFL Equipamentos ................................... Pág. 11 Siemens ................................................... Pág. 33 SERRALHERIA Serralheria da Vila .................................... Pág. 60 TAPETES Novo Espaço Tapetes .............................. Pág. 60 TERCEIRIZAÇÃO Art Clean.................................................... Pág. 60 Better Terceirização .................................. Pág. 61 Doki Serviços............................................ Pág. 61 Falcon........................................................ Pág. 61 Fusion........................................................ Pág. 61 Grupo Alpha Serviços .............................. Pág. 62 Maxxima Sistemas ................................... Pág. 62 Natzar Terceirização ................................. Pág. 61 Nova Alpha ............................................... Pág. 62 R. E. Service Terceirização ....................... Pág. 62 Replace..................................................... Pág. 62 Treze Brasil................................................ Pág. 61 Valmac Segurança ................................... Pág. 62


Acessรณrios - Administradoras Acessรณrios - Advento

Acessรณrios - Cleany Trituradores

Acessรณrios - Travema

Acessรณrios - Mantas e Garagem

45


Acessórios - Administradoras Acessórios - Casa das Molas

Acessórios - Delta Caixas

Acessórios - Uruflex

Administradora - Auge Serviços

• Assessoria a administração • Cobrança dos inadimplentes sem custo para o condomínio • Assessoria Jurídica • Processamento de dados (boletos e folha de pagamentos) • Regularização geral do Condomínio

Tels./Fax: (11) 5589 7992 - 5581 6103 3467 3498 - 3467 3499 augecondo@augecondo.com.br www.augecondo.com.br Rua Afonso Celso, 1359 - Saúde CEP 04119-062 - São Paulo - SP

Administradora - ADCIP

46

Administradora - Dellatorre

Administradora - Directa


Administradoras Administradora - Caresia Adm

Administradora - F. Moraes

Administradora - FL Adm.

Administradora - Flex Adm

Administradora - M&M

Administradora - Mantovani

Administradora - Nu単ez Aldin

Administradora - Prisma

Administradora - Sivel

47


Administradoras - Auditoria - Baterias - Brigaga de Incêndio Administradora - Verti

Auditoria - Conaldi

Baterias - Baterias Casa Grande

Brigada de Incêndio - Fluir Comercial

48

Baterias - Jaraguá

Brigada de Incêndio - Authentic


Brig. de Incêndio - Coberturas - Cons. de Elev. - Contr. de Pragas - Desentupidora Brigada de Incêndio - Tecno Fire

Cons. Elev. - Dr. Elevador

Coberturas - Altec Sombra

Controle de Pragas - Desintec

Desentupidora - Império

Desentupidora - Loremi

49


Desentupidora - ElĂŠtrica - Elevadores Desentupidora - Jupiter

ElĂŠtrica - Exclusiva Engenharia

Elevadores - MC Elevadores

50

Elevadores - Basic Elevadores


Elevadores Elevadores - Nacional

Elevadores - Asselev

Elevadores - Novart

Elevadores - CBE

Elevadores - Alternativa

Elevadores - Korman

51


Elevadores Elevadores - CSM

Elevadores - MDE

Elevadores - Delev

Elevadores - Paulista

Elevadores - Ewic

Elevadores - Santista

52


Elevadores Elevadores - Mitson

Elevadores - Monciel

Elevadores - SPL

Elevadores - New Servs

Elevadores - Universal

53


Elevadores - Filtros - Gest達o Empresarial Elevadores - RC

Elevadores - Tecnew

Filtros - Filtrolar

54

Gest達o Empresarial - Proquali


Hidráulica - Impermeabilização Hidráulica - Techno-pipe

Impermeabiliz. - Sinal Brasileiro

Impermeabilização - LWART

Impermeabilização - Polican

55


Máquinas Desentupidoras - Película de Controle Solar - Pintura Máquinas Desentupidoras - Alkamac Desentupidora

Película - Perfect Window

Pintura - A Freitas Pinturas

Pintura - Fachadex

Pintura - Coristeu Pinturas

Pintura - Katec Engenharia

56


Pintura Pintura - Manutenção PAC

Pinturas - M Bergmann

Pintura - PGM Pinturas Ltda

Pintura - Repinte

57


Pintura Pintura - Habitar

Pintura - Romavi e Millenium

Pintura - TAJ Engenharia

58


Pintura - Piscinas - Pisos - Restauração de Fachadas Pintura - Tecnobre

Piscinas - Capathermi

Piscinas - MSO Service Ltda

Pisos - Agilimp

Pisos - Engepox

Pisos - Mister Polish

Restaur. de Fachadas - Alicerce

59


Segurança - Serralheria - Tapetes - Terceirização Segurança - Alarmline

Segurança - Bombardi

Segurança - Eletroseg

Serral. - Serralheria da Vila

Tapetes - Novo Espaço Tapetes

Terceirização - Art Clean

60


Terceirização Terceirização - Treze Brasil

Terceirização - Doki Serviços

Terceirização - Better

Terceirização - Falcon

Terceiriz. - Fusion Serviços Avançados

Terceirização - Grupo Natzar

61


Terceirização Terceirização - Grupo Alpha

Terceirização - Maxxima Sistemas

Terceirização - Nova Alpha

Terceirização - R.E. Service

Terceirização - Valmac Segurança

62

Terceirização - Replace


63



Secovi-SP - Edição 207