Issuu on Google+

ISSN 2178-8413

Publicação da ANFARMAG – Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais. ANO 3 Nº 15 - JANEIRO/FEVEREIRO/MARÇO 2012

UNIVERSIDADES: PESQUISAS EM MANIPULAÇÃO FARMACÊUTICA

DIRETORIAS REGIONAIS: DISPOSIÇÃO E OTIMISMO FARMACÊUTICOS MAGISTRAIS NOS CRFS


do associado no processo decisório que foram as oficinas. Em 2011 realizamos essa dinâmica de trabalho para buscar diretrizes para a questão tributária e para o SINAMM. Destaco a importância cada vez mais evidente do monitoramento do processo magistral e a necessidade de filiação das farmácias magistrais que ainda não fazem parte da entidade. Isso é um termômetro do quanto ainda precisa ser feito para encerrarmos este ano com nossos objetivos alcançados. O momento é de luta incansável e para atingirmos nossa meta queremos contar com a colaboração de cada um de vocês. Convoco todos os leitores a trazer novos associados para juntos defendermos o direito da sociedade ao medicamento e produtos magistrais. Desejo um 2012 próspero e com bastante sucesso. Boa leitura!

Farmácia Magistral brasileira é destaque na Us Pharmacopeia

40

ciDADE & FARMáciAs Especialista esclarece dúvidas sobre a Política Nacional sobre os Resíduos sólidos Grupo definirá regras da coleta de resíduos de medicamentos Plantar o verde para colher saúde

MUNDo ANFARMAG cARtA Do lEitoR

42 48 46

FARMáciA iNtERNAcioNAl

siNAMM – o parceiro indispensável dos farmacêuticos magistrais

50

Disposição e otimismo das novas diretorias regionais Encontro de lideranças em Florianópolis Anfarmag integra associados às decisões da entidade cases de sucesso impulsionam campanha de captação de novos sócios

EcoNoMiA E NEGÓcios

ENDEREÇos

Ademir Valério Presidente ANFARMAG Nacional

relação de anunciantes

PolíticA FARMAcêUticA Novas diretorias nos conselhos Regionais de Farmácia

38

EsPEciAl

58 57

04 08 18 10 34 28

é o da Farmácia Escola, que a Universidade Federal do Rio Janeiro mantém, há 25 anos, beneficiando estudantes, profissionais da saúde e, principalmente a população carioca. O desempenho dos novos dirigentes das Regionais e Sucursais da Anfarmag espalhados pelo País e seus planos de ação para este ano também é fator digno de destaque, pois são estes junto aos associados que dão sustentação às ações desenvolvidas na sede nacional, levando para os diversos pontos do Brasil, tudo de mais importante que acontece de interesse do âmbito magistral. Juntarmos, periodicamente, todas essas lideranças para discutir nossos problemas, traçarmos ações, conhecermos a realidade do setor nos seus estados e capacitá-los cada vez mais para atender nossos associados mostra a importância de promovermos encontros como o de Florianópolis. Una-se a tudo isso, uma das ações mais significativas da nova diretoria nacional, a promoção dos encontros da presidência com os associados, abrindo as portas da entidade em um processo democrático, onde os sócios têm voz ativa e participam das decisões. Iniciativa que tem ido além das reuniões mensais na sede e já aconteceu em Santa Catarina. Em 2011 realizamos 5 encontros e como resultados das discussões e propostas foram instituídas comissões assessoras de: INSUMOS – TRIBUTOS – INOVAÇÂO e DESENVOLVIMENTO. Soma-se a isso outra importante iniciativa instituída para promover a participação

Ensino da Farmácia Magistral nas Universidades Federais fortalece o setor Projeto de Farmácia da UFRJ completa 25 anos

ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos

36

sumário

2012 chegou, carregado de sonhos, esperanças, expectativas, desafios e RESULTADOS de sucesso no desenvolvimento cada vez mais sustentável da farmácia e da cadeia que integra o mundo magistral. É hora de reforçarmos nossos ideais e recarregarmos nossa bateria com muita disposição e responsabilidade para darmos continuidade ao nosso objetivo de fortalecer nosso setor. Sempre sob as diretrizes da SUSTENTABILIDADE: TÉCNICA – SOCIAL – ECONÔMICA – POLÍTICA. 2011 foi um ano diferente e inspirador. Iniciamos nossas ações com o foco direto no associado e nos empreendedores do mundo magistral. Estou convicto que nosso objetivo será alcançado. No final deste ano que inicia voltarei neste editorial com um balanço positivo. Nesta primeira edição da Revista da Farmácia Magistral de 2012, trazemos uma mostra de como encerramos o ano em que comemoramos nosso jubileu de prata. Destacamos a importância da formação educacional do farmacêutico magistral por meio de importantes universidades espalhadas pelo País e como as pesquisas científicas são fundamentais no avanço tecnológico do setor. E o esforço das lideranças da Anfarmag em esclarecer e informar os graduandos sobre a nobreza da profissão, ainda nos bancos escolares. Um bom exemplo da preocupação em se formar farmacêuticos responsáveis e comprometidos com sua carreira em prol dos consumidores dos produtos magistrais

EDitoRiAl

Que 2012 seja o ano da sustentabilidade do medicamento e do mundo magistral

05 – labsynth 07 – intecq 13 – All chemistry 15 – H&c 16 e 17 – l&l 21 – capsutec 25 – tecnopress 26 e 27 – Attivos 29 – Quibasa 31 – Mobyle 33 – Pharmaceutical 35 – Quallità 37 – Bstec 39 – ortofarma 43 – ctB 45 – Elyplast 47 – Mapric 49 – Millipore 55 – lED 59 – Alternate 60 – consulfarma


EsPEciAl

PoR cRistiNA PUPo

Ensino da Farmácia Magistral nas Universidades Federais fortalece o setor Estudos científicos na UFPR e UFRJ demonstram a importância do investimento educacional na formação de profissionais do segmento magistral

4| Revista da

Farmácia Magistral


A

Farmácia Magistral reconquistou espaço no mercado farmacêutico e a revalorização se deve a atuação de seus profissionais, da entidade de promoção e defesa do setor, a Anfarmag, e principalmente da formação oriunda de importantes faculdades, como as das universidades federais e estaduais espalhadas pelo País. Investimentos no desenvolvimento das potencialidades do ser humano não faltam sendo que, em algumas delas, há um grande incentivo à pesquisa científica, reconhecido mecanismo de descobertas e evolução, meio de fundamental importância para o avanço de melhorias ou da solução de problemas. E boas surpresas nascem de Farmácias Universitárias (FU) ou Farmácias Escolas, estabelecimentos agregados às universidades, que unem ensino, pesquisa e extensão com o objetivo de oferecer aos graduandos das faculdades de Farmácia a oportunidade de conhecer e exercitar a prática farmacêutica. Afinal, são as iniciativas científicas que modificam o mundo. A Farmácia Escola da UFPR – Universidade Federal do Paraná, por exemplo, teve um papel importante para aquele estado no auxílio à prevenção da gripe A H1N1, tratada como pandemia em vários países do mundo entre os anos de 2009 e 2010. Na época, a pedido do governo do Paraná, a farmácia produziu, em conjunto com as farmácias escolas de outras duas universidades privadas, a solução oral de oseltamivir para atender pacientes pediátricos. “Atualmente estamos com projetos de pesquisa que envolvem a implantação de homeopatia, estudos de excipientes para cápsulas e o desenvolvimento de formulações veterinárias e odontológicas, onde estagiários trabalham nesses

projetos, por meio de TCCs –Trabalhos de Conclusão de Curso”, revela a Profª Camila Klocker Costa, coordenadora da Farmácia Escola da UFPR. No Rio de Janeiro, uma dissertação de mestrado do programa de pós-graduação da Faculdade de Farmácia da UFRJ – Universidade Federal do RJ, concluído em 2008, colaborou na melhora do controle de qualidade das matérias primas, além da preparação e manuseio de cápsulas gelatinosas duras produzidas na Farmácia Universitária. O trabalho desenvolvido pela farmacêutica Glaucia Miranda Pinheiro (http://teses2.ufrj.br/Teses/FF_M/GlauciaMirandaPinheiro.pdf) tinha como objetivo a prevenção, eliminação ou redução dos perigos em todas as etapas da cadeia produtiva do medicamento. Durante as pesquisas, foram identificadas as causas de desvios da qualidade e citados os pontos críticos de controle do processo de manipulação, baseados na conduta de boas práticas de manipulação: recebimento, armazenagem e expedição de matérias-primas; cálculos; pesagem; mistura de pós e encapsulamento. Para resolver o problema, o controle de pesos das cápsulas manipuladas foi determinado como o melhor indicador para garantir sua uniformidade de dose e, consequentemente, sua segurança e eficácia de uso. “Os benefícios são grandes, desde a melhoria na qualificação do profissional voltado ao setor magistral até o desenvolvimento de produtos, artigos e teses”, garante a Profª. Carla Holandino, coordenadora do curso de Farmácia Magistral da Faculdade de Farmácia da UFRJ. EsPEciAlizAÇão Desde 1996, a UFRJ disponibiliza um curso de Especialização dirigido às ati-


EsPEciAl Ensino da Farmácia Magistral nas Universidades Federais fortalece o setor

vidades da Farmácia de Manipulação onde já formou, até 2010, 150 profissionais - uma média de 14 formandos a cada 18 meses, período de duração do curso. A procura tem aumentado, com dois candidatos disputando cada vaga, regularmente. O curso tem uma carga horária de 720 horas, distribuídas em 180 h/aulas teóricas, 300 h/aulas práticas e 280 h/aulas para elaboração de Monografia de conclusão de curso, além do estágio na farmácia universitária. Na grade curricular, as aulas teóricas são divididas em quatro módulos. No primeiro são ensinadas Noções Básicas de Legislação, Administração e Gerência em Farmácia com Manipulação, Orientação Farmacêutica aos Pacientes, Farmacovigilância e Metodologia Científica. O segundo é destinado ao Desenvolvimento Galênico, onde são ministradas aulas de Boas Práticas de Fabricação em Manipulação Farmacêutica Alopática e Homeopática, bem como os Conceitos Básicos para o Desenvolvimento de Formulações para Uso Externo e Interno. No terceiro, o assunto é o Controle de qualidade, com as Boas Práticas de Laboratório, os conceitos Básicos e a garantia de qualidade em Farmácias com Manipulação, Estabilidade e Prazo de Validade de Preparações Magistrais e Oficinais. No último módulo acontece a Introdução à Biofar-

mácia, com Noções Básicas em Farmacocinética e Bioequivalência. FM - DisciPliNA obRiGAtóRiA Na Unicamp – Universidade Estadual de campinas, interior de São Paulo, segundo a Profª. Priscila Gava Mazzola, responsável pela matéria de Farmacotécnica Industrial e cosmetologia da Faculdade de Farmácia da Unicamp/SP, a Farmácia Magistral é uma disciplina obrigatória para os alunos de graduação em Farmácia, desde a criação do curso de Farmácia, em 2004. O tema é abordado dentro da grade de Farmacotécnica, aplicado no final do terceiro ano. A carga horária é de 8 horas semanais, em 15 semanas, totalizando 120 horas. O Estágio em Vivência Profissional em Farmácia que acontece no sexto período letivo na Farmácia Escola da UFPR, também é obrigatório para os graduandos em Farmácia daquela instituição educativa. “Temos um foco muito grande na parte de manipulação tanto da parte dermatológica tanto na de sólidos. Os alunos desenvolvem atividades em todos os setores da farmácia, desde a conferência farmacêutica das prescrições até a manipulação propriamente dita e a dispensação”, explica a Profª Camila Klocker Costa, coordenadora da Farmácia Escola da UFPR.

A farmácia é aberta ao público em geral, mas grande parte dos clientes são provenientes do Hospital de Clínicas da Universidade Federal, que fica muito próximo ao estabelecimento e de outros hospitais da região que utilizam fórmulas para fins diagnósticos e terapêuticos. “Temos um projeto de extensão que aplica os conceitos de Atenção Farmacêutica com os pacientes que utilizam os serviços da farmácia. Três bolsistas participam e outros auxiliam nas atividades de rotina”, comenta a coordenadora da Farmácia da UFPR. Ainda segundo a professora, a disciplina de Farmacotécnica também é focada nas formulações magistrais, onde o assunto é ministrado, nos quinto e sexto período da grade curricular. “A Farmacotécnica basicamente transmite os conceitos teóricos e na disciplina de estágio os acadêmicos aplicam os conhecimentos na rotina da farmácia, com pacientes reais”, destaca. Na UFBA – Universidade Federal da Bahia, Farmácia Magistral é uma matéria obrigatória, inserida na matéria de Farmacotécnica, do quinto ao nono semestre, informa Maria Spinola Miranda, diretora da Faculdade de Farmácia da instituição. Além disso, a Universidade tem a disciplina de Controle de qualidade de medicamentos e produtos cosméticos e farmacotécnica, com estágio modular na farmácia

“Temos o cuidado de passar aos nossos alunos a importância do conhecimento que eles devem ter sobre a farmácia magistral, aliada à sua habilidade, já que esse tipo de medicamento é quase artesanal. Junto com a formação ética eles irão saber o que pode ou não ser elaborado com as suas mãos, visto que o seu produto será consumido por um ser humano”. Gerson Pianetti, professor da UFMG. 6| Revista da

Farmácia Magistral


magistral. “Nossa Farmácia Escola está sendo reestruturada, com a construção de auditório e ampliação dos laboratórios que passarão a multiuso”, informa a diretora. Outra instituição de ensino federal que inclui o assunto na Farmacotécnica é a UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais. No sexto e sétimo períodos da Faculdade de Farmácia, a disciplina aborda a tecnologia e o controle aplicado a fármacos e medicamentos. A UFMG foi a primeira do Brasil a criar um Departamento de Farmácia Social voltado para a atenção farmacêutica. “Não há, dentro da estrutura do nosso curso algo que seja voltado exclusivamente para o setor magistral por entendermos que o profissional que prepara um medicamento deve ter

todo o conhecimento necessário para tal. Seja para produzir em pequena ou grande escala, não há como diferenciar. Em ambos os casos o medicamento tem de ser eficaz e seguro e o profissional possui o conhecimento adequado para garantir essas duas premissas”, revela Gerson Pianetti, professor da Faculdade de Farmácia da UFMG. Há alguns anos, a Universidade está sem a Farmácia Escola, que funcionou por mais de quarenta anos e tinha uma preocupação em desenvolver pesquisas na área magistral, principalmente fazendo ensaios farmacopeicos em produtos manipulados. Pela importância em ter o projeto que beneficiava os graduandos e o setor farmacêutico, há pedidos por parte de acadêmicos para o seu retorno.

Com a reforma curricular no curso de Farmácia da UFRGs – Universidade Federal do Rio Grande do sul, assim como na UFBA, o tema Farmácia Magistral está inserido na Farmacotécnica, nos oitavo e nono semestres, com carga horária de 8 horas semanais, cada, totalizando 120 horas. Segundo a Ana Maria Bergold, professora do curso de Farmácia da Universidade, são ministrados temas fundamentais para a prática do segmento magistral, onde os alunos aprendem a produção e controle das fórmulas de estudo terapêutico magistral sólidas, semi-sólidas e líquidas; escala magistral e industrial e legislação pertinente. Com a ausência de uma farmácia universitária, na instituição, o estágio é feito na Farmácia Popular do governo federal ou em farmácias magistrais (ou não) particulares.


EsPEciAl

Projeto de Farmácia da

A

O projeto surgiu em agosto de 1986 para oferecer estágio curricular e suprir a necessidade da prática do ensino, pesquisa e extensão dos alunos do curso de graduação

crescente importância da Farmácia de Manipulação nos anos 80 gerou a necessidade de aprimoramento da qualidade do estágio oferecido pelas empresas do mercado e de desenvolver uma atividade capaz de ultrapassar a barreira da formação teórica técnico-científica.

Para os coordenadores de ensino da Faculdade de Farmácia da Federal do Rio era preciso praticar os ensinamentos, ainda na escola, para que os futuros farmacêuticos atendessem com competência, ética e qualidade as necessidades dos usuários de medicamentos de forma segura e eficaz.

Dentro deste contexto, em agosto de 1986, o curso de Farmácia da UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro implantou o projeto da Farmácia Universitária (FU), atividade de estágio supervisionado que reuniria, a partir dali, a tríade ensino, pesquisa e extensão, oferecendo ao aluno a oportunidade

Universidade Federal do Rio de Janeiro

8| Revista da

Farmácia Magistral


PoR ANA cARoliNA D’ANGElis PoR cRistiNA PUPo

UFRJ completa 25 anos do intercâmbio teoria-prática. A pretensão era a de desenvolver uma experiência única onde os futuros profissionais diplomados entram em contato direto com a realidade, utilizando o que aprenderam para se tornarem mais e melhor capacitados. Na FU eles preparam os medicamentos solicitados pelas clínicas especializadas, estabelecem contato com pacientes ambulatoriais e desenvolvem a Assistência Farmacêutica em sua plenitude. No final de 2011, 144 alunos assistidos neste programa estarão aptos a desenvolver o que aprenderam no mercado de trabalho. É quase o dobro dos 80 capacitados da primeira turma, em 1988. O I Encontro das Farmácias Universitárias no País, realizado em agosto de 2006, foi promovido pela FU da UFRJ, onde foi elaborada uma proposta de padrões mínimos para as Farmácias Escolas, definindo esses estabelecimentos como: “uma unidade acadêmico-assistencial que deve funcionar como modelo de estabelecimento farmacêutico no seu âmbito de atuação, com o objetivo de capacitar o aluno à prática farmacêutica, desenvolvendo suas atividades em conformidade com as legislações sanitárias e profissionais vigentes, dentro de critérios técnico-científicos, tendo caráter formador comprometido com a ética e a qualidade do ensino universitário”. BENEFícios Ao MUNDo AcADêMico E à PoPUlAÇão E conferindo a atuação do projeto, confirma-se que a entidade vem honrando os objetivos sacramentados naquele evento. Nos últimos 10 anos, por exemplo, foram atendidos, em média, 56 mil

e 11 pacientes com receitas médicas, sendo aviadas quase 4 mil receitas, por mês. A grande maioria proveniente da Dermatologia (62%), seguida pela clínica médica (25%) e cardiologia (10%). Desde 2008, já foram publicados 15 trabalhos de produção científica em importantes veículos de comunicação dirigidos ao segmento médico e farmacêutico, como Acta Farmaceutica Bonaerense; International Journal of Nanomedicine; Revista Fitos (ALANAC); Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences; Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada; Drug Development and Industrial Pharmacy, Revista Brasileira de Farmácia e Cosmetic & Toiletries. Outros quatro foram encaminhados, neste ano, para publicações. A FU também está inserida na Revisão do Formulário Nacional a ser lançado em 2011 pela ANVISA. Para continuar cumprindo sua missão de “capacitar o aluno à prática farmacêutica, desenvolvendo suas atividades em conformidade com as legislações sanitárias e profissionais vigentes, dentro de critérios técnico-científicos e

inovadores, tendo caráter formador comprometido com a ética e a qualidade do ensino, oferecendo à sociedade produtos de qualidade com orientação farmacêutica”, a Farmácia Universitária da UFRJ já traçou seus planos para os próximos anos: ampliar o horário de estágio, incluir novas áreas de manipulação, adequar as instalações do setor de Sólidos orais da FU, criar uma área para manipulação de antibióticos e outra para Laboratório de Manipulação de medicamentos homeopáticos. “Queremos que a Farmácia Universitária da UFRJ continue sendo referência no meio acadêmico, buscando sempre o uso racional do medicamento, ampliando o leque de produtos disponíveis de modo a atender o público alvo de maneira mais abrangente, cumprindo seu papel na formação dos alunos não apenas através da transmissão de conhecimento, mas através de exemplos”, anseia a Profa.Elisabete Pereira dos Santos (Bete), Coordenadora do Projeto e do Laboratório de Desenvolvimento Galênico (LADEG), da UFRJ.

“O objetivo da implantação da atividade foi proporcionar ao aluno condições adequadas para o desenvolvimento do seu perfil profissional, integrando ensino, pesquisa e extensão. Visando à prevenção, recuperação e promoção da saúde, a Farmácia Escola consolida o papel da Farmácia como estabelecimento de saúde” - Profa. Elisabete Pereira dos Santos (Bete), Coordenadora do Projeto e do Laboratório de Desenvolvimento Galênico (LADEG), da UFRJ. |9


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos

Disposição e otimismo das novas diretorias regionais

PoR cRistiNA PUPo

Representantes da entidade em todo o País já implementam ações para aumentar o número de associados e agregá-los às decisões da Associação

A

s novas diretorias das Regionais da Anfarmag de todo o País da gestão 2011/2013 já estão a pleno vapor na aplicação da diretriz mestra da entidade: sustentabilidade técnica, social, política e econômica. É desta forma que as representantes da entidade pelo Brasil vêm promovendo o trabalho de revitalização do setor farmacêutico magistral e várias localidades brasileiras. O processo da posse dos novos dirigentes culminou com a aclamação da chapa vencedora do Mato Grosso do Sul, no início de novembro, na sede nacional. Para concretizar os compromissos apresentados durante as campanhas eleitorais, as palavras de ordem dos eleitos são muita dedicação e determinação para divulgar as ações promovidas pela entidade e aproximá-la cada vez mais dos associados e todos os profissionais ligados ao setor farmacêutico magistral. O empenho comum maior é tornar a Anfarmag ainda mais forte e engrossar a voz ativa por meio da consolidação da campanha, que objetiva angariar mais mil associados para a entidade, em todo o País, até o fim de 2012. Para atingir

10| Revista da

Farmácia Magistral

esse objetivo, todos estão arregaçando as mangas e partindo para o corpo a corpo, promovendo estratégias de convencimento. No último encontro de lideranças da entidade, realizado em 19/11, em Florianópolis, todos conheceram algumas ferramentas que poderão ajudar na concretização dessa meta. Uma delas é a divulgação da importância do medicamento magistral, que conta com o apoio da Fagron, e a valorização do farmacêutico que atua nessas farmácias. Cases de sucesso de algumas Regionais também foram apresentados para troca de experiências e demonstrar como é viável a promoção de ações simples e pontuais que podem ser propagadas para outras localidades. Conheça, a seguir, os novos dirigentes das regionais e seus planos de ação: BAHiA/sERGiPE Presidente: Edza Martins Brasil Plano de ação: Traçar um programa para resgatar os associados inativos; aumentar o número de novos associados; implementar cursos do SINAMM


na regional; promover a capacitação dos profissionais no âmbito de gestão de empresas; defender os interesses do segmento magistral na região abrangida pela regional; fortalecer a representatividade da Anfarmag junto aos órgãos governamentais e fiscalizadores da Bahia e Sergipe; desenvolver e aprimorar a imagem da Farmácia Magistral junto à população da região e promover os cursos de modulação hormonal, terapia da dor e seminários sobre tributação.

“Vamos tentar recuperar associados que saíram da entidade e ampliar o quadro associativo, além de promover um encontro sobre tributação e outros assuntos de interesse dos farmacêuticos magistrais do Estado. Precisamos reverter o descrédito do segmento e esclarecer seus questionamentos, situações que podem ser melhoradas com a realização de um encontro da presidência da entidade com lideranças, em Salvador. Vamos, também, atrair o estado de Sergipe para

a nossa base”, declara a presidente da Anfarmag Regional BA/SE. DistRito FEDERAl Presidente: Cleide Regina da Silva Plano de ação: Apoiar as iniciativas da Anfarmag nacional; promover seminário sobre a legislação farmacêutica; estruturar o Boletim Informativo da Regional DF; ampliar o relacionamento com as entidades políticas e fiscalizadoras;

| 11


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos Disposição e otimismo das novas diretorias regionais

divulgar e estimular maior participação no SINAMM; promover a sustentabilidade e a representatividade da entidade; incentivar a renovação de lideranças; realizar campanhas de promoção do setor magistral no DF e firmar parcerias de cooperação técnica com fornecedores de matérias primas. MAto GRosso Do sUl Presidente: Maria Beatriz Féres Plano de ação: Resgatar ex-sócios e aumentar a quantidade de associados no Estado; ampliar a divulgação da Anfarmag e os benefícios do SINAMM para os profissionais que atuam no setor e à população; promover ações de saúde ligadas ao segmento da farmácia magistral em comunidades e estimular a inclusão do curso de farmácia magistral nas universidades por meio de palestras e aulas dentro dos estabelecimentos de ensino. “Vamos fazer um trabalho de formiguinha para resgatar associados e saber os motivos que os levaram a deixar a entidade e mostrar a importância de fazer parte da Anfarmag, além de angariar mais sócios. Queremos, também, visitar universidades para estimular a inclusão da disciplina de farmácia magistral nos cursos universitários, por meio de palestras para que o estudante entenda e se interesse pelo segmento antes mesmo de se formar”, revela a presidente da Anfarmag Regional-MS. Rio DE JANEiRo Presidente: Maria Cristina Ferreira Silva (Tininha) Plano de ação: Identificar as necessidades dos associados e, a partir delas, desenvolver uma série de ações que supram as carências do setor, como o reconhecimento do profissional como referência na atenção à saúde; fortalecer a representa-

12| Revista da

Farmácia Magistral

tividade da Anfarmag junto à classe prescritora; esclarecer e promover a atividade magistral junto à sociedade; promover atividades de aproximação com as entidades farmacêuticas; interagir com órgãos reguladores; realizar parcerias com Universidades; criar ações sociais que aumentem a visibilidade do farmacêutico magistral e promover atividades, como oficinas de trabalho e cursos que melhorem a qualidade de vida. Já estão programados cursos de atenção Farmacêutica e Dispensação. “Vamos, criar frentes de trabalho para que os associados participem cada vez mais do processo decisório da entidade, pois o destino do nosso setor e a resolução dos seus problemas não pode ficar somente na mão da diretoria. Os sócios não devem apenas ouvir as decisões e, sim, opinar e participar delas”, reforça a presidente da Regional-RJ. PARANá Presidente: Dagmar Terezinha Kessler Plano de ação: Atuar em defesa dos interesses do setor magistral por meio do fortalecimento político; buscar mais participações dos associados junto à Associação com a realização de eventos; aumentar a adesão de associados, objetivando o fortalecimento da entidade; realizar reuniões da Regional em cidades do interior do Estado para maior aproximação com os associados; continuar a integração com os órgãos fiscalizadores estaduais e municipais, entidades profissionais e instituições de ensino superior; aumentar o número de farmacêuticos com o título de Especialista em Manipulação Magistral Alopática no Estado do Paraná; criar comissões para desenvolver trabalhos que atendam as necessidades regionais, bem como continuar discutindo pontos críticos do setor; incentivar maior participação das farmácias no SINAMM, como

forma de assegurar a melhoria do segmento e do medicamento manipulado; promover ações na mídia para divulgação e valorização do Farmacêutico Magistral e da Farmácia de Manipulação como medicamento personalizado; promover a entidade com palestras nas universidades, faculdades, Conselhos Regionais, bem como às Vigilâncias Sanitárias Municipais e do estado do Paraná; realizar eventos junto à população para promover o medicamento magistral e defender os interesses do setor magistral frente a Lei Estadual do Paraná n° 16815/2011, sobre bulas. sANtA cAtARiNA Presidente: Rodrigo Michels Rocha Plano de ação: Realizar reuniões trimestrais com os associados para melhor interação; fomentar o aperfeiçoamento e a atualização técnica, jurídica e administrativa dos profissionais de estabelecimentos associados, por meio de fóruns, workshops, cursos de atualização, programas de educação continuada, palestras, mesas redondas, coleta de dados, troca de informações e apresentação de trabalhos e pesquisas; fortalecer o segmento da farmácia magistral no Estado; criar um conselho consultivo que participará das reuniões da diretoria, composto por associados convidados e também membros de diretorias anteriores, para auxiliar nas tomadas de decisões; promover reuniões periódicas de prestação de contas das ações da diretoria, incluindo a financeira; criação de comissões de ética, técnico-científica, divulgação e marketing, social e comunicação e de controle de qualidade para organizar a atuação da entidade, composta por associados que também irão acompanhar o desempenho da diretoria; melhorar o atendimento aos associados, usando as redes sociais e aperfeiçoando os canais de co-


municação; promover campanhas de esclarecimento quanto à farmácia magistral e ações feitas pela Anfarmag, como o SINAMM, para aumentar o número de associados; promover ações de orientação aos associados com referência às ações dos órgãos fiscalizadores para minimizar as penalidades e dar continuidade ao trabalho de Monitoramento da Qualidade da Gestão de Processos. “A nossa meta é que o associado sinta o valor de ser agregado à Anfarmag. Vamos fazer eventos fora de Florianópolis, já está programado para 2012, um na cidade de Pomerode, no Vale do Itajaí, e um curso, que deverá ser de gestão, para colaboradores na região oeste do Estado. É uma das estratégias para aumentar o número de associados”, revela o presidente da Regional-SC. Rio GRANDE Do sUl Presidente: Eduardo Aranovich de Abreu Plano de ações: Resgatar os sócios inativos; aumentar a participação dos associados ativos; avaliar e gerenciar recursos humanos da Regional; capacitar os associados em diversas áreas; fortalecer o SINAMM; divulgar o trabalho da Anfarmag e fortalecer a imagem da entidade através da aproximação com os órgãos de saúde, políticos e da sociedade civil.

deputados e senadores, com a finalidade de apoiar o setor magistral; promover o mínimo de quatro cursos técnicos e de gestão de empresas / financeiro, por ano, na grande Belo Horizonte e interior do Estado; implantar um clube de benefícios para os associados; reunir trimestralmente com os associados para debater problemas e soluções do segmento; reforçar a atuação do COE – Comitê de Ética, em Minas Gerais; aprimorar os atuais canais de comunicação com os associados aumentando o feedback e enviando dicas técnicas semanais via e-mail marketing; incrementar o relacionamento com os estudantes das escolas de farmácia; iniciar um programa planejado de relacionamento com médicos, tanto profissionais atuantes quanto com estudantes para divulgar a importância do segmento magistral; multiplicar o projeto de relacionamento para outros profissionais de saúde e estudantes, como os de odontologia, veterinária, fisioterapia, nutrição, enfermagem e outros; implementar um novo modelo de gestão para as Sucursais da Anfarmag no Estado, dando-lhes mais autonomia e responsabilidade; implantar novas Sucursais no norte de Minas e desenvolver projetos em parceria com outras Regionais, como congressos, feiras, fóruns e outros; informar frequentemente à Anfarmag nacional sobre as necessidades dos associados locais e da Regional.

MiNAs GERAis Goiás/tocANtiNs Presidente: Astrid Chucre Dias Guimarães. Plano de ação: Captar novos associados por meio do contato direto da diretoria com as farmácias magistrais; realizar, semestralmente, uma assembleia geral associada a um fórum farmacêutico; realizar reuniões com a VISA Estadual e aumentar contato com as Visa’s do interior do Estado; continuar a aproximação com

Presidente: Gilmar Silva Dias Plano de ação: Modernização da sede e aquisição de novos equipamentos para melhor atender aos associados; apoio e incentivo ao programa SINAMM; realização de cursos que atendam às necessidades do associado, continuidade no trabalho de parceria com entidades farmacêuticas e agentes reguladores do

Semeando Qualidade, Colhendo Confiança.

Cápsulas Oleosas em Frascos Biogel é uma linha de Cápsulas Gelatinosa mole desenvolvida com a mais alta tecnologia, apresentadas em frascos com 60 unidades cada, todos devidamente registrados no Ministério da Saúde. Entre em contato conosco e veja nossas condições !

Linha Biogel: Lecitina de Soja 1000 mg Lecitina de Soja 500 mg Óleo de Cártamo 1000 mg Óleo de Linhaça 1000 mg Óleo de Linhaça 500mg Óleo de Peixe 1000 mg Óleo de Peixe 500 mg

-

Frasco 60 Cápsulas Frasco 60 Cápsulas Frasco 60 Cápsulas Frasco 60 Cápsulas Frasco 60 Cápsulas Frasco 60 Cápsulas Frasco 60 Cápsulas

Em breve lançaremos novos produtos Biogel CONHEÇA NOSSA LINHA DE PRODUTOS: Insumos Farmacêuticos Insumos e Bases Cosméticas Cápsulas Gelatinosas Extratos Vegetais Produtos Naturais Essências L’atelier EPI’S Descartáveis Distribuição:

www.allchemistry.com.br allchemistry@allchemistry.com.br (11)

3014-7100


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos Disposição e otimismo das novas diretorias regionais

setor; promover capacitações para as farmácias do Estado do Tocantins; promover ações de valorização do setor magistral junto à sociedade dos estados de Goiás e Tocantins; estabelecer o Programa Anfarmag GO/TO em Movimento; valorizar e incentivar o fortalecimento do segmento magistral; trazer novos associados para a entidade e estreitar o relacionamento com as entidades sanitárias de Tocantins. “A participação efetiva dos associados é muito importante na concretização dos nossos objetivos. Pretendemos colocar em prática o programa Anfarmag em Movimento fazendo reuniões da diretoria em localidades que tenham um grande número de farmácias para termos um contato direto com os sócios e aumentar nossa representatividade”, acredita o presidente da Anfarmag Regional GO/TO. MAto GRosso Presidente: Ivete Souza Peaguda Plano de ação: Realizar campanhas para aumentar a quantidade de associados; promover cursos presenciais com descontos para os associados; promover ações que objetivam a maior integração e valorização do segmento da farmácia magistral junto à classe médica e à população; aumentar a represen-

tatividade política junto aos órgãos reguladores; manter a aproximação com a Vigilância Sanitária e com o CRF/MT e CFF para o fortalecimento do setor; manter convênios com empresas para diminuir custos para os associados; criar boletim eletrônico para divulgar as ações da entidade; promover palestras em Universidades e campanhas educativas e estimular uma maior participação dos associados responsáveis pelas comissões de comunicação/Imprensa, planejamento e execução de cursos, de formação de preços e técnicacientifica. EsPíRito sANto Presidente: Rita Cristina Martins Plano de ação: Promover e valorizar o segmento magistral no Estado; potencializar o reconhecimento do SINAMM junto às farmácias, prescritores, clientes e órgão regulador; ampliar a atuação da Anfarmag junto às cidades do interior do Espírito Santo; realizar campanhas de esclarecimento sobre a importância do medicamento manipulado junto a comunidade; promover cursos de interesse do associado, visando novas atuações no mercado da farmácia magistral e formar grupos de interesse em realizar licitações de serviços, visando a redução de custos para a farmácia.

sUcURsAis: AcRE/ RoNDôNiA Diretora: Êrika Rosas Plano de ação: Dar continuidade às ações já em desenvolvimento pela Sucursal, como: a promoção de eventos que contribuam para a capacitação e aperfeiçoamento profissional dos associados ou não da entidade; ampliar a divulgação da importância do SINAMM junto aos estabelecimentos farmacêuticos, autoridades fiscalizadoras e veículos de comunicação da região para aumentar o número de estabelecimentos participantes; realização de encontros trimestrais com representantes das farmácias do Acre e Rondônia para discussão das necessidades locais, levando os resultados às reuniões da diretoria da Sucursal e nacional; promover maior aproximação com as Visa’s estaduais e o CRF-AC para discutir questões de interesse dos farmacêuticos magistrais; incrementar ações que objetivam o aumento da quantidade de associados; participar das discussões sobre o piso salarial dos farmacêuticos e estreitar o relacionamento com políticos que lutam pelos interesses da categoria, como o Deputado Henrique Afonso, membro da Comissão de Seguridade Social e Família.

“Precisamos fortalecer cada vez mais o segmento da farmácia magistral e, para isso, é importante zelarmos pela sustentabilidade técnica, social, econ�mica e política, objetivo que virou a diretriz dessa diretoria da Anfarmag. Porque precisamos cuidar diariamente pelo medicamento magistral, respeitando os princípios éticos e os critérios técnicos”. Ademir Valério – Presidente da Anfarmag 14| Revista da

Farmácia Magistral


A L&L Consultoria de Marketing é a única empresa que trabalha d MAGISTRAL.

O conceito de Consultoria é o serviço de apoio aos proprietários das farmá tomadas de decisões estratégicas com impacto sobre os resultados atuais CONSULTORIA PARA A GESTÃO MAGISTRAL

CONSULTORIA PARA VI

• Reuniões mensais com a gestão da empresa para diagnóstico, estabelecimento das metas dos principais indicadores de resultados de vendas e planilhas de acompanhamento com o Consultor Mário Lúcio de Azevedo • Projetos de responsabilidade social; • Peças Publicitárias com linguagem magistral: Banners, Folhetos, brindes; Outdoor e busdoor; Etiquetas; Datas comemorativas; Abertura de lojas; Lançamento de produtos; Criação de marcas e logotipos; Identidade corporativa, Fachadas; Anúncios para jornais e revistas; Uniformes, Rótulos para medicamentos, cosméticos e embalagens; adesivos; Jornais institucionais; etc..

• Literaturas médicas perso

CONSULTORIA PARA O VAREJO MAGISTRAL • Campanhas de vendas; • Aumento da venda dos produtos de revenda; • Treinamento dos vendedores por teleconferência; • Ações para redução do Orçamento Rejeitado; • Call Center magistral com foco nas vendas ativas; • Trabalho de Venda Programa; • Redução do desconto na loja; • Aumento da rentabilidade; • Projeto de fidelização de clientes.

PARABÉNS

para impressão com a logom

• Aulas médicas das literatu

• Promoção de A a Z - Rotei promoção;

• Formulários médicos para

• Treinamento dos vendedo

• Esclarecimento de dúvida

• Fascículos de “Gestão e M

• Você seleciona o produto

aproveitados e custo desne

• Construção de cadastro m

prescrição, Fichários médico

• Como contratar visitadore de cargo.

TUDO ISTO EM UM

FARMACÊUTICO

INDISPENSÁVEL PARA A SAÚDE E QU

20 DE JANEIRO - DIA DO FARMAC


de fato a CONSULTORIA

ácias magistrais, para auxiliar nas e futuros da empresa.

ISITAÇÃO MÉDICA

onalizadas para todas as especialidades, prontas

marca, cores e informações da sua empresa;

uras personalizadas;

iro das literaturas, principais objeções e dicas de

a todas as especialidades;

ores por teleconferência;

as técnicas;

Marketing” para Médicos e secretárias;

o que vai divulgar evitando materiais que não são

ecessário;

médico voltado para resultado, Potencial de

cos modernos;

es com simulações de entrevista, perfil e descrição

M SÓ PROJETO DE CONSULTORIA

UALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO

CÊUTICO

LIGUE AGORA E RESERVE O SEU

3294-6725

19 contato@llconsultoria.com.br


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos

PoR cRistiNA PUPo

Encontro de lideranças em Florianópolis Fórum sobre a preparação e dispensação de medicamentos magistrais sem prescrição, campanha para ampliar o quadro de associados e esclarecimentos sobre tributação, insumos, bulas e psicofármacos pautaram a iniciativa que aconteceu no último 19/11

U

m fórum para discutir e traçar ações que garantam ao farmacêutico a prática de preparações e medicamentos magistrais isentos de prescrição médica foi um dos destaques e abriu o Encontro de Lideranças da Anfarmag em Santa Catarina, realizado no último 19/11. O evento reuniu, no Hotel Costa Norte, em Florianópolis, dirigentes da

Anfarmag nacional e das regionais com lideranças locais e nacionais do setor. A importância do tema promoveu a união inédita de representantes das farmácias magistrais e homeopáticas com dirigentes de órgãos fiscalizadores, como a Vigilância Sanitária e o CRF de Santa Catarina com os associados da Anfamag. “É inovador termos no nosso Fórum duas representantes da Visa - Vi-

Auditório com participantes do Encontro de lideranças em santa catarina

18| Revista da

Farmácia Magistral

gilância Sanitária de SC, o que demonstra a relevância da discussão do assunto, não somente para a nossa prática profissional como para o órgão fiscalizador”, ressaltou Álvaro Favaro Junior, 2° Secretário da Anfarmag nacional. Após a composição da mesa dos trabalhos por Ademir Valério - presidente da Anfarmag nacional, Hortência Sallet Tierling - presidente da CRF-SC, Raquel Bittencourt - presidente da Visa Estadual SC, José Miguel do Nascimento Júnior - membro do Conselho Gestor do Ministério da Saúde, Márcia Gutierrez – presidente da ABFH, Ivan da Gama Teixeira - 2° vice-presidente e diretor técnico e regulatório da Anfarmag, e Wander Rabello – Assessor jurídico e institucional da Moreau&Balera Advogados, o presidente da Regional Santa Catarina da Anfarmag, Rodrigo Michels Rocha declarou aberto o evento saudando os participantes. O mediador do fórum, Gerson Appel, diretor de Comunicação da Anfarmag nacional e membro da Regional-SC, coordenou a apresentação das exposições de motivos das discussões, que teve como destaque as autuações da Vigilância Sanitária de SC, que vem punindo com multas as farmácias magistrais locais, por conta da interpretação equivocada à RDC 67.


AMPliAR A DiscUssão PARA toDo o BRAsil “É importante discutir a interpretação da regulamentação porque não podemos ser prejudicados pelos que não trabalham direito. Esse fórum deve ser levado para outros lugares do País para uniformizarmos e expandirmos nossa luta em defesa dos nossos direitos”, alardeou Maria Cristina Ferreira Silva (Tininha), presidente da Regional-RJ. “Queremos cumprir a regulamentação, mas que ela seja sadia para não repetir os erros passados. Afinal, todos nós temos o mesmo objetivo, trabalhar corretamente e preservar a qualidade do medicamente e, consequentemente, a saúde da população”, endossou Gilmar Silva Dias, presidente da Regional GO/TO.

Ademir Valério

HARMoNizAR A REGUlAMENtAÇão “O texto ficou abrangente na sua definição, deixando lacunas na interpretação dos agentes fiscalizadores, que não reconhecem o direito do farmacêutico em preparar e dispensar medicamentos magistrais isentos da prescrição médica. Essa prática é garantida na legislação federal e na resolução do conselho da categoria, por isso é necessário que a ANVISA faça uma harmonização na regulamentação para deixar claro esse direito de atuação dos profissionais das farmácias aos seus fiscais e, assim, impedir as penalidades indevidas aos estabelecimentos. Os pacientes têm sido os grandes prejudicados nesse processo, pois ficam impedidos de exercer o direito do acesso a estes medicamentos” - Dr.Wander Rabelo, Assessor jurídico e institucional da Moreau&Balera Advogados.

Ao centro da fo

lo to, Wander Rabe

AtUAÇõEs oPostAs NA MEsMA DiscUssão “Esse é um momento histórico, onde temos na mesma mesa de discussões representantes das farmácias magistrais, dos farmacêuticos e do órgão fiscalizador de SC, só faltou a presença da sociedade civil para quem trabalhamos. Há um conflito na norma de dispensação comum, mas creio que hoje, todo desejo do legislador da norma sanitária é que o farmacêutico esteja capacitado, sem haver a necessidade de um documento para comprovar isso. O objetivo principal não é aumentar o faturamento do estabelecimento e, sim, buscar segurança e tranquilidade no atendimento aos pacientes. Com essa resolução muitos vivem um impasse e pensam: sei que sou tecnicamente capacitado para atender a necessidade do paciente sem a prescrição médica de medicamentos isentos de prescrição, mas como será quando o fiscal chegar? O fiscal tem que seguir a regulamentação que permite ao farmacêutico a dispensação de preparações e medicamentos magistrais porque a rastreabilidade dos medicamentos proibidos nós já praticamos. É uma premissa da farmácia magistral no Brasil“ – Ademir Valério, presidente da Anfarmag nacional.

| 19


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos Encontro de lideranças em Florianópolis

o FARMAcêUtico DEciDE soBRE o AViAMENto “É uma peculiaridade homeopática acompanhar a evolução do paciente com prescrição sem documentação, porque muitas vezes a continuidade do tratamento de pequenos problemas é feita por telefone. Para nós, homeopáticos, os médicos, dentistas e veterinários habilitados podem prescrever. Os enfermeiros só podem dentro da unidade de saúde, onde atuam como agentes de saúde, para preparação do medicamento no próprio local. Já os nutricionistas só podem prescrever suplementos nutricionais e os terapeutas, apesar de haver uma divulgação que podem, não é verdade, pois sequer eles têm conselho de classe. Acredito que é prerrogativa do farmacêutico a decisão de fazer ou não o aviamento, pois seu conhecimento técnico-científico o capacita a esta avaliação. Há colegas que preferem não correr o risco, mas acho que temos, sim, que nos posicionar e decidir diante da situação. Estamos brigando pelo que é legítimo” – Marcia Gutierrez – presidente da ABFH – Associação Brasileira de Farmacêuticos Homeopatas.

Márcia Gutierre

z

FiscAis DEsPREPARADos “Os fiscais estão despreparados para atuar na sua função e não vamos conseguir uniformizar a conduta deles. Temos responsabilidade e código de ética, mas para eles sempre existirá o conflito de quem prescreve e se há prescrição para a manipulação. Vamos promover um diálogo mais abrangente, definir a demanda e envolver o Ministério da Saúde nesta questão para saber do ministro o que ele acha dessa discussão, pois acho que esse debate é político” – José Miguel do Nascimento Junior, membro do Conselho Gestor do Ministério da Saúde.

José Miguel do

Nascimento Jr

FiscAlizAÇão iNDEViDA “Alguns fiscais não estão considerando nosso âmbito profissional e ultrapassam a barreira da vigilância sanitária. Eles têm que avaliar o risco sanitário e não a qualidade do medicamento, seus perigos e a atuação do profissional, pois estes fatores não lhes competem. Nossos colegas e a população não podem ser prejudicados por causa da má interpretação dessa regulamentação. Sugiro fazermos uma Carta de Florianópolis sobre o encontro para relatarmos o problema e que seja tratado em nível nacional, além de encaminharmos aos órgãos competentes para resolvermos o problema. Se for preciso vamos ao Ministério da Saúde apoiar os colegas de profissão. Temos que seguir os bons exemplos” – Hortência Sallet Tierling, presidente do CFR-SC.

20| Revista da

Farmácia Magistral

Hortência tierling


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos Encontro de lideranças em Florianópolis

ANálisE DA REGUlAMENtAÇão “Estamos em situação de análise de impacto pós-regulatório e na instância que participo e para a ANVISA vou colocar em discussão: por que exigir a receita? É importante fazer um levantamento dos medicamentos isentos de prescrição médica que estão causando danos à saúde da população na dispensação do medicamento. Podemos discutir amplamente o assunto em Santa Catarina, mas acho que a Anfarmag tem força para discuti-lo politicamente em todo o Brasil” - Raquel Bittencourt, da Visa – Vigilância Sanitária de Santa Catarina. Raquel bitten

court

MANiPUlAR sEM A PREscRiÇão MéDicA “Em 1920, falava-se que o medicamento magistral deveria estar pronto na farmácia. É um conceito interessante que precisa ser resgatado com a evolução do nosso segmento e que já poderia ser aplicado na lista de medicamentos isentos da prescrição médica. O fato de não se ter uma receita na mão não é impeditivo para se manipular uma receita. A própria ANVISA, o CFR e a Farmacopeia Brasileira nos dão esse direito. Além disso, o código de ética da profissão diz que somos responsáveis e éticos para fazer a indicação farmacêutica. Quando é necessário, usamos esse procedimento para nós mesmos e nossas famílias, então lógico que não colocamos ninguém em risco. Posso, por exemplo, resolver por meio de medicamento manipulado, um processo alérgico pessoal já conhecido e controlado com determinado componente. Em outros países isso é um procedimento muito comum e permitido. É preciso mudar esta mentalidade no Brasil” – Ivan da Gama Teixeira, 2° vice-presidente e diretor técnico e regulatório da Anfarmag. ivan teixeira

DiscUssão sAUDáVEl PARA GERAR BoNs REsUltADos “Estamos plantando, com este encontro, aqui em Santa Catarina, o melhor que queremos para o segmento da farmácia magistral em solo fértil. Tenho certeza que nossos anseios serão atendidos” - Rodrigo Michels Rocha, presidente da Regional-SC.

22| Revista da

Farmácia Magistral


iNFRiNGiNDo A lEi “Precisamos esclarecer as normas, deixar as coisas bem claras, ter apoio político e um documento em mãos para entregar quando o fiscal aparecer porque a gente vive infringindo a lei, segundo a fiscalização. Vamos até o Ministro da Saúde para que ele nos ajude” – Ana Claudia Scherer Monteiro, Conselheira da Anfarmag Regional-SC.

Ana cláudia

Rinaldo Ferrei

ra

scherer

EsclAREcER A REGUlAMENtAÇão “Todo paciente tem direito ao auto cuidado. Ele pode ficar sem ir ao médico e não colocar sua saúde em risco. O farmacêutico magistral tem capacidade de manipular o medicamento sem prescrição médica e com qualidade, mas devem ter a percepção de se colocar no lugar do paciente, avaliar os riscos à saúde. É importante para a sociedade que a Anfarmag está levantando essa bandeira e é preciso trabalhar junto a ANVISA e Conselho Federal para que a regulamentação fique mais clara para todos os envolvidos” – Rinaldo Ferreira, da Farmácia Farmifarma, de São José-SC.

“As discussões e troca de experiências do Encontro de Florianópolis nos enche de orgulho e otimismo quanto à propagação e promoção das discussões deste nível para o restante do País. Para isso, é preciso que os associados e farmacêuticos magistrais de todas as localidades brasileiras sigam o exemplo dos catarinenses, mobilizando-se e chamando os colegas de profissão para se integrar à Anfarmag e ampliar a participação nas decisões que são de interesse do nosso setor. Assim, consequentemente, estaremos fortalecendo a entidade perante os órgãos reguladores municipais, estaduais e federais e seremos ouvidos antes da tomada de decisões regulatórias” – Ademir Valério, presidente da Anfarmag nacional. | 23


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos Encontro de lideranças em Florianópolis

Tributação, bulas, psicofármacos e insumos

PoR cRistiNA PUPo

Este foi um dos temas do encontro dos associados com a presidência da Anfarmag, que já aconteceu por três meses na sede, em São Paulo, e no começo de novembro passou a ser realizado, também, em outros Estados.

A

Regional-SC foi a segunda capital a receber o evento, antecedida pela Regional-RJ, a primeira a sediar a iniciativa fora da capital paulista. O presidente da Anfarmag nacional Ademir Valério sugeriu que a questão do pagamento dos tributos das farmácias magistrais fosse tratada de forma local e propôs à Regional-SC a contratação de uma assessora jurídica para esclarecer pontualmente as dúvidas dos associados. “Os estados brasileiros não estão se mobilizando nesta questão, mas todas as nossas regionais devem se organizar e lutar pelo mesmo objetivo, ou seja, a implantação do melhor tributo para o nosso segmento, no caso o ICMS”, alertou o presidente nacional. No caso da discussão das bulas magistrais, Ademir Valério sugeriu que os farmacêuticos façam rapidamente uma proposta de modelo para sair à frente dos órgãos regulamentadores, antes que eles imponham um modelo próprio. Quanto às dificuldades que os

24| Revista da

Farmácia Magistral

associados catarinenses estão enfrentando por conta da portaria 344/98, que trata das normas para prescrição e venda de psicofármacos, a orientação é para que procurem a Regional-SC, que encaminhará os questionamentos ao grupo de trabalho criado para tratar essa questão, coordenado por Carlos Alberto Oliveira Pinto, 3° vice-presidente da Anfarmag nacional. No tocante a insumos, a orientação é a mesma. MAis Mil AssociADos Até o FiM DE 2012 É o objetivo da campanha deflagrada no encontro, que objetiva incentivar o aumento de associados para a Anfarmag. A meta é aumentar a força da representatividade do segmento da farmácia magistral em todas as instâncias, desde as pequenas localidades até as grandes capitais. A entidade está montando uma infraestrutura que contará com ferramentas de apoio às ações de es-

clarecimento sobre a importância do farmacêutico magistral fazer parte da Anfarmag. Além da sede, todas as regionais estarão envolvidas nos esforços de convencimento. Para o cumprimento dessa meta, a Associação conta com um importante aliado, a Fragon, que já realiza uma campanha mundial que divulga a importância do medicamento manipulado. As duas entidades trabalharão juntas pelo mesmo objetivo: fortalecer o segmento da farmácia magistral no País. “A Anfarmag é dos associados, seja ele micro, pequeno, médio ou grande empresário, por isso a entidade precisa da participação deles para aumentar sua representatividade. Porque nós da diretoria poderemos não estar aqui amanhã, mas a entidade permanece”, lembrou Ademir Valério, presidente da Anfarmag nacional. Foi com esse espírito, regado a confraternização entre os participantes, que foi encerrado o Encontro de Lideranças da Anfarmag.


Portal dirigido ao segmento industrial de HPPC, com informações necessárias e de grande importância para profissionais e empreendedores • Atualizações diárias: • Notas sobre economia, mercado e comportamento • Lançamentos de novos produtos • Inovações em tecnologia e ingredientes • Colunas exclusivas assinadas por experts • Calendário de eventos • Resenhas da: • Cosmetics & Toiletries (Brasil) • Edição Temática • Loja virtual: • Assinatura de revistas • Consulta e aquisição de artigos publicados • Links para sites de entidades do setor e dos principais fornecedores de insumos • Atendimento on-line

Você também pode consultar o perfil empresarial de fornecedores, obter sugestões de formulação, acessar literatura técnica e tirar dúvidas on-line... E não para por aí.

www.cosmeticsonline.com.br


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos

Anfarmag integra associados às decisões da entidade PoR cRistiNA PUPo

L

Reuniões com a presidência aproximam a entidade dos associados e promoveram a formação de quatro comissões de trabalho com representantes de vários setores da farmácia magistral que estão discutindo assuntos de grande importância para o segmento

ogo após a posse da nova diretoria da Anfarmag nacional, neste ano, um importante passo foi dado em direção a reorganização da entidade, com a implantação de mudanças significativas que visam à aproximação cada vez maior da diretoria aos associados e, consequentemente ganhar mais força e representatividade. Nesse sentido, o dia 31 de Agosto último ficará marcado definiti-

28| Revista da

Farmácia Magistral

vamente, não apenas nos registros documentais da entidade, mas principalmente nas mentes de quem esteve na abertura do processo democrático da nova gestão, que inseriu os sócios no processo decisório da Associação. “Era o momento de abrirmos esse canal de comunicação por meio da prática de reuniões da presidência nacional e dirigentes das regionais e sucursais com os associados, indo de en-

contro ao anseio de união e integração das pessoas que têm o mesmo objetivo: trabalhar com ética e responsabilidade para atender satisfatoriamente os usuários dos nossos produtos. Afinal, temos que ser uma Associação na essência do seu propósito, unindo micros, pequenos, médios e grandes empresários das farmácias magistrais e nos fortalecendo para os desafios do crescimento sustentável num mercado de


[ CONTROLE DE QUALIDADE ]

KIT DE REAGENTES PARA ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS TESTADOS E APROVADOS PELA ABFH ISENTOS DE REGISTRO NA ANVISA Em quantidades fracionadas, os reagentes vêm nas concentrações exatas para a realização dos testes que, agora, podem ser feitos utilizando a infraestrutura de controle existente no próprio estabelecimento. Junto ao kit, você recebe

material de suporte com todas as informações necessárias à execução dos procedimentos, descrição técnica e detalhamento dos resultados esperados. Farmácias de referência no país já adotam procedimentos internos de controle de qualidade. Demonstre seu comprometimento em oferecer aos seus clientes produtos seguros e confiáveis.

consumidores cada vez mais exigentes”, destaca Ademir Valério, presidente da Anfarmag nacional. Até o fim de novembro, foram cinco reuniões: três na sede, um na Regional-RJ e outro dentro do Encontro de lideranças em Florianópolis-SC, todos com a participação de diretores e profissionais das áreas técnicas e de serviços da Anfarmag, onde se discutiu assuntos estratégicos que impactam o setor. Temas como a questão da comercialização de insumos com eficácia e segurança atestados, a tributação da cadeia de medicamentos, atualização da Portaria 344 e análise da bula magistral foram objetos da criação de quatro Comissões de trabalho, compostas por represen-

tantes da cadeia de fornecedores de insumos, membros da diretoria da entidade, associados e consultores do setor magistral, entre outros.

Entre em contato e comprove as as vantagens econômic

DEMocRAtizAÇão é APRoVADA PElo sEGMENto Associados, integrantes da cadeia de fornecedores e diretores comemoram o novo canal de comunicação da Anfarmag nacional que, valoriza ainda mais o associado e abre espaço para que todos os envolvidos na manutenção do setor da farmácia magistral tenham acesso às discussões e opinem sobre assuntos de interesse do segmento. A Revista da Farmácia Magistral buscou a opinião

www.bioclin.com.br

sac@bioclin.com.br


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos Anfarmag integra associados às decisões da entidade

de alguns participantes das reuniões sobre a novidade. Confira a seguir, os comentários: “Esses encontros eram aguardados com muita expectativa e espero que os associados prestigiem, pois através deles podem transmitir seus anseios, críticas e sugestões. As discussões das comissões são um grande passo para a evolução do segmento e possibilita a discussão de melhorias da cadeia de fornecedores, como as matérias-primas”, acredita Valdir Magalhães, diretor da Embrafarma. A presidente da Regional-RJ, Maria Cristina Ferreira Silva (Tininha), comemorou a iniciativa: “Quanto mais espaço para debates e contato direto com os associados, mais proveitosa será a gestão da entidade. É muito positivo os associados ouvirem o presidente dire-

tamente e opinar, participar da diretoria nacional, das diretrizes da gestão, porque muitas vezes eles querem se integrar e não têm espaço. As comissões são uma ótima oportunidade de ouvir as pessoas de várias localidades e realidades diferentes”. “Essa atitude extremamente democrática merece elogios e assunto a ser discutido é o que não falta no segmento. Outro benefício importante é o desenvolvimento de novos líderes e colaboradores, pois a participação ativa no diálogo do processo decisório aproxima o associado e o motiva a continuar colaborando com a entidade. Minha expectativa é que cada vez mais gente participe”, opina Elpídio Nereu Zanchet. “Os dois lados ganham, pois é uma ótima oportunidade dos associados conhecerem melhor a Associação e es-

“O presidente da Anfarmag acabará se tornando um gestor ao implantar as ideias coletivas, o que é o propósito de toda Associação. A perspectiva é essa, que traz benefício ao associado, pois ele sentirá sua voz e seus desejos ouvidos” - Ivan da Gama Teixeira, 2° Vice-presidente da Anfarmag

Ademir Valério durante Encontro com a presidência realizado em são Paulo

30| Revista da

Farmácia Magistral


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos Anfarmag integra associados às decisões da entidade

tarem informados sobre os principais assuntos que estão na pauta das discussões do segmento. E também da diretoria se aproximar cada vez mais dos seus associados, levando informações sobre o desempenho do setor e obtendo a visão deles sobre esses assuntos”, comenta Hugo Guedes de Souza, 1° Vice-presidente da Anfarmag nacional. VERDADEiRo EsPíRito DE AssociAÇão Marco Antonio Perino, farmacêutico, diretor da Alternate Technologies e da Artpharma, reconhece que o associado é um importante aliado da diretoria. “Tendo o associado mais próximo e conhecendo os seus anseios e necessidades, fica mais fácil direcionar as ações da entidade, porque nenhuma diretoria sozinha tem condições de tomar decisões de forma adequada. Essa abertura irá aumentar a participação e comprometimento das pessoas com a Anfarmag e isto se traduzirá em maior aproximação e trabalho do associado, única forma de termos uma entidade forte na defesa do nosso segmento. As comissões servem justamente para colaborar com os diretores, buscando o melhor caminho dentro do objetivo para qual foi criada, levando soluções e sugestões para que se possa deliberar com segurança e embasamento”. Ivan da Gama Teixeira, 2° Vice-presidente da Anfarmag concorda e vai além: “A presidência de qualquer entidade, por vezes, se torna atividade

muito solitária, porque o dirigente acaba tendo que tomar decisões, e quanto mais ele se encontra com os associados ou com seus dirigidos, mais ele conhece os desejos da associação e mais pode tomar decisões baseadas nesse desejo, e não somente no pensamento pessoal. A perspectiva é tornar as ações da entidade, ações coletivas mesmo, com o presidente sendo um gestor de ideias colhidas pelo grupo. Por isso, os associados precisam se acostumar a participar, expor suas ideias, porque a soma do coletivo sempre será mais que quatro”. “Associados que há tempos não frequentavam a associação e profissionais que estão há muito ou pouco tempo no mercado estavam presentes, fazendo uma mescla muito interessante e discutindo assuntos que afetam todo o mercado em âmbito nacional, mas que não estavam sendo tratados devidamente. É de extrema importância a Anfarmag se envolver e defender o segmento de ameaças como ela está fazendo”, observa Geraldino Gabriel Neder, da Deg Fagron. “É uma atitude muito válida porque entendo que uma entidade não é do presidente nem da diretoria, ela é dos associados e a Anfarmag estava muito restrita às diretorias. Acho que a iniciativa está surtindo um bom efeito, com a participação dos associados, mas deve-se abrir para outros lugares do Brasil para e entidade conhecer mais o associado e divulgar o que está acontecendo”, acha Edza Martins Brasil, presiden-

te da Anfarmag Regional BA/SE. “Vejo pela empresa onde atuo que o farmacêutico tem o hábito de trabalhar e ir embora. Ele não luta pela sua profissão, não vai buscar mais informações nem estuda para melhorar o desempenho na sua carreira, estão desmotivados. Nem sempre os órgãos fiscalizadores têm razão no que falam e fazem e os conselhos são fortes porque são unidos e nós temos que montar um time forte para termos força, senão seremos engolidos. As reuniões são uma maneira de nos mantermos sempre atualizados das normas, decisões e mudanças que vão ocorrer no mercado, uma forma de tomarmos decisões antes das discussões virarem lei. É preciso divulgar mais as reuniões para aumentar a participação dos associados”, aponta Rebecka Bueno Abrahão – Bioquímica e Farmacêutica responsável pela Farmácia Pronatura. “A troca de informações e o aprofundamento dos debates são muito importantes para se extrair diretrizes e nortear a tomada de decisões. A cada encontro percebemos que o associado está mais participativo e a vontade para externar suas opiniões porque ele sente que está contribuindo na construção do segmento magistral de uma maneira democrática”, sinaliza Carlos Alberto p. de Oliveira, 3° Vice-presidente da Anfarmag. A diretoria reforça o convite aos associados para que se integrem às discussões pertinentes ao segmento, divulguem a iniciativa e tragam seus colegas de profissão. Fiquem atentos às datas das próximas reuniões e compareça.

Os farmacêuticos precisam ser estimulados a participar das reuniões, pois é uma maneira de se manterem sempre atualizados das normas, decisões e mudanças que vão ocorrer no mercado. Nos encontros podemos tomar decisões antes que as discussões virem lei” - Rebecka Bueno Abrahão – Bioquímica e Farmacêutica responsável pela Farmácia Pronatura 32| Revista da

Farmácia Magistral


ANFARMAG EsPEciAl 25 ANos

Cases de sucesso impulsionam campanha de captação de novos sócios

PoR cRistiNA PUPo

A

Bons exemplos de ações afirmativas em todas as regiões do País destacam a importância da Anfarmag no segmento

s ações positivas criadas e implantadas em algumas Regionais da Anfarmag ganharam destaque no Encontro das Li-

deranças realizado no último 19/11, em Florianópolis-SC. O objetivo era trocar experiências entre as lideranças de todo o País e associados da entidade, uma vez

que as iniciativas bem sucedidas estão diretamente ligadas à busca e manutenção dos associados, bem como o trabalho de promoção e defesa da farmácia e do far-

Denise oliveira - Vice-Presidente da Regional Es, Maria beatriz Féres - Presidente da Regional Ms, cleide Regina da silva - Presidente da Regional DF e Astrid Dias Guimarães - Presidente da Regional MG

34| Revista da

Farmácia Magistral


macêutico magistral. Todos os modelos apresentados estão dentro do parâmetro traçado pela diretoria da Anfarmag de sustentabilidade técnica, econômica, política e social. A abrangência das iniciativas e os resultados obtidos com as implantações têm importância estratégica na campanha que objetiva a captação de mais associados para a entidade. Marcos Fiaschetti, Assessor da Anfarmag nacional abriu as exposições informando que existe um investimento por parte da diretoria que visa melhorias na análise de processos internos para melhorar a qualidade dos serviços prestados aos associados. Destaque à importância da farmácia magistral A Regional-SC falou sobre o Workshop de Controle e Qualidade, implantado naquela unidade, baseado no Manual de Orientação Técnica e Assistência Farmacêutica Magistral, que visa a padronização de processos em busca da excelência e reconhecimento do medicamento magistral em Santa Catarina. O evento é realizado há dois anos, com boa aceitação no mercado farmacêutico magistral. “Os resultados esperados são a redução das diferenças no medicamento ou produto final entre farmácias, o aumento da credibilidade do consumidor e prescritor em função da padronização, maior segurança na execução do processo no laboratório (independentemente do manipulador) e um diferencial para o setor com a semelhança”, explica Gerson

Aplle, coordenador da iniciativa e membro da Anfarmag Regional-SC. A licitação para serviços de calibração e manutenção preventiva de balanças, que resultou em desconto de 40% do valor total do serviço ao associado foi a ação apresentada pela Anfarmag Regional-ES. O benefício é exclusivo às farmácias magistrais associadas, que passaram a pagar R$ 80,00 pelo serviço, metade do valor aplicado anteriormente. A vice-presidente da entidade no ES, Denise Martins Oliveira, revelou que todos os outros serviços passarão pelo mesmo processo. Ela destacou, ainda, o investimento da Regional-ES em eventos que discutam a melhora da qualidade de vida dos farmacêuticos magistrais, como os cursos sobre Obesidade e Diabetes realizados em novembro último. A importância da parceria da Regional GO/TO com as Vigilâncias Sanitárias dos municípios e dos estados de Goiás e Tocantins, com os CRF’s dos dois estados e as faculdades de farmácia daquela região foi o tema abordado por Gilmar Silva Dias, presidente da Regional local. O trabalho de aproximação com as universidades acontece desde 2005 e visa esclarecer aos graduandos como funciona a farmácia magistral e seu trabalho junto à população. “No caso da fiscalização, quando tomo conhecimento de algum problema de controle no setor aviso imediatamente os órgãos fiscalizadores. Sem essas parcerias a atuação da farmácia magistral na nossa área seria muito difícil”, reconhece.

“Sem as parcerias com os órgãos fiscalizadores municipais e estaduais dos estados, os CRF’s e faculdades da região, a atuação da farmácia magistral na nossa área seria muito difícil” - Gilmar Silva Dias, presidente da Anfarmag Regional GO/TO

Qualidade por Excelência

Centenas de clientes no País Laboratórios conforme ABNT NBR ISO/IEC 17025 Suporte técnico qualificado aos clientes Serviços complementares diversos de apoio técnico Sistema Quallità de coleta de materiais

Porque a qualidade se constrói com excelência

www.quallitacontrole.com.br R. Baronesa Maria Rosa, Nº 68 Boa Morte - Barbacena - MG

Tel.: (32) 3333-2484 (32) 3333-1302


FARMáciA iNtERNAcioNAl

PoR cRistiNA PUPo

Farmácia Magistral brasileira é destaque na US Pharmacopeia Manual do consumidor que apresenta os rótulos das embalagens de medicamentos magistrais usados no Brasil com especificação dos componentes é elogiado por componentes do Comitê de Farmácia Magistral da entidade, que reconhece a atuação e representatividade da Anfarmag

36| Revista da

Farmácia Magistral

A

US Pharmacopeia, organização não governamental norte-americana é a autoridade oficial responsável pela edição da farmacopeia daquele país, realizou em 2011, em sua sede (Rockville-EUA) duas reuniões presenciais do Compounding Expert Committee. O objetivo dos encontros foi dar continuidade ao trabalho iniciado em 2010, para revisão dos capítulos da farmacopeia americana, referentes à atividade de manipulação de medicamentos (Compounding) e levantar subsídios para aprimorar o seu código oficial farmacêutico atualizado a cada cinco anos. A presidente na gestão 2009-2011 e membro da diretoria técnica da Anfarmag, Maria do Carmo Garcez colabora com a entidade, participando de dois subcomitês, sendo um deles destinado a revisão do Capítulo de Generalidades que vem reavaliando práticas, como os cálculos em farmácias e os


TECNOLOGIA EM BIOSSEGURANÇA

equipamentos utilizados na atuação farmacêutica. O intercâmbio também é de suma importância para divulgar as ações realizadas pelo segmento magistral brasileiro, pois leva o trabalho realizado no setor pela Anfarmag para além de nossas fronteiras. Na primeira reunião realizada em abril último, aconteceu o segundo encontro do Comitê de Especialistas em Farmácia Magistral (Compounding (CMP) Expert Committee), com membros da USP e observadores do FDA e outras entidades farmacêuticas, onde foram discutidos tópicos como a legislação referente à atividade magistral. A representante da Anfarmag também faz parte do Subcomitê para criação de um novo capítulo sobre a manipulação de Substâncias Perigosas. A USP reconhece e respeita a importância e representatividade da Anfarmag, principalmente pelo desenvolvimento de programas, como o SINAMM e materiais didáticos para apoio à farmácia magistral brasileira, que é reconhecida como uma das melhores do mundo. O segundo encontro da US Pharmacopeia foi em outubro, onde o Dr. Devau, um dos representantes da FDA, reforçou que a entidade está acompanhando os acontecimentos da área de manipulação, incluindo o Brasil, por meio dos conselhos de farmácias de diferentes países. No momento, 28 monografias de produtos manipulados estão sendo avaliados para se definir os requisitos mínimos de qualidade e cinco laboratórios da FDA nos EUA estão fazendo um estudo piloto para a validação de produtos. Na reunião do grupo Hazardous Drugs Subcommittee, que tem a missão de criar um novo capítulo da USP sobre a manipulação de drogas potentes e perigosas, foram aceitas duas sugestões de Maria do Carmo, na parte de equipamentos e utensílios, quanto ao tipo de cabine de segurança a ser usado. Ela sugeriu a criação de um painel de especialistas para dirimir a questão da escolha da cabine e outro sobre níveis de risco e a respectiva estrutura necessária para atender. As discussões acontecerão na próxima reunião da USP, em abril de 2012.

“A atividade de manipulação vem crescendo ultimamente nos EUA por conta da retirada de produtos da indústria. A participação da farmácia magistral brasileira na USP é muito importante porque eles reconhecem nosso trabalho” – Maria do Carmo Garcez, presidente na gestão 2009-2011 e membro da diretoria técnica da Anfarmag

Farmacêutico, sabedoria e dedicação no cuidado à saúde

A BSTEC parabeniza todos os profissionais farmacêuticos. 20 | janeiro - Dia do Farmacêutico

A BSTEC tem a honra de participar deste processo. Conheça as soluções que podem ajudar no dia-a-dia do seu laboratório ou farmácia:

Entre em contato, informe ter visto este anúncio e receba 5% de desconto.

www.bstec.com.br 54. 3286.5788 Associada:

Apoio:


PolíticA FARMAcêUticA

PoR ANA cARoliNA D’ANGElis

Novas diretorias nos Conselhos Regionais de Farmácia

A

partir de janeiro deste ano, as novas diretorias dos Conselhos Regionais de Farmácia tomarão posse no período 2012-2013. As eleições realizadas em novembro de 2011 elegeram presidente, vice-presidente, secretário e tesoureiro. Farmacêuticos dos Estados de Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo puderam votar em candidatos a Conselheiros Federais para mandato entre 2012 e 2015. Conselheiros regionais também receberam votos. A inovação das eleições foi a votação

Pedro Menegasso, presidente do cRF/sP gestão 2012-2013

38| Revista da

Farmácia Magistral

eletrônica. Muitos Conselhos aderiram esta prática o que facilitou aos profissionais a participação no processo democrático como Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio de Janeiro. A novidade facilitou a apuração de votos e no mesmo dia, os primeiros resultados foram divulgados no portal do Conselho Federal de Farmácia. Alguns Conselhos têm representantes do setor magistral nas diretorias e conselhos: Ana Cláudia Scherer Monteiro, (CRF/SC), Antônio Geraldo Ribeiro dos Santos Jr (CRF/SP), Êrika Rosas (CRF/AC), Marcelo Brasil do Couto (CRF/PA) e Maria Alicia Ferrero (CRF/MG). O Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo - CRF/SP, maior colégio eleitoral do país, apurou todas as urnas vindas das quatro subsedes e 25 seccionais. A nova diretoria eleita é composta por Pedro Menegasso que assume a presidência, Raquel Rizzi, vice-presidente, Priscila Dejuste, secretária-geral e Marcos Machado, tesoureiro. Entre as propostas para a nova diretoria está a forte atuação na defesa magistral, principalmente entre os aspectos relacionados ao âmbito farmacêutico, umas das principais incumbências do Conselho. “A ideia é trabalhar em conjunto com as autoridades sanitárias e com a própria Anfarmag para colaborar, sobretudo, na questão dos farmacêuticos proprietários

e as dificuldades encontradas por eles. Além disso, pretendemos, ao lado da Associação, atuar em favor da manutenção do bom nome da farmácia magistral, bem como expandir para este setor as ações da Farmácia Estabelecimento de Saúde”, explica Menegasso. Eventos direcionados para a área com objetivo de melhorar a qualificação e entendimento sobre as novas regulamentações fazem parte do cronograma. O Comitê Magistral será mantido e ampliado com discussões sobre regulamentação do ponto de visto do âmbito magistral. Ao CRF/SP não cabe esclarecer questões técnicas, a Anfarmag tem próprios comitês específicos dentro da área, porém Menegasso reforça o auxilio sempre que for necessário. Ainda segundo o novo presidente, a farmácia magistral é essencial para sociedade porque sempre existirá a demanda de medicamentos não industrializados e que terão de ser manipulados pela farmácia, seja para suprir a necessidade de itens que já saíram de linha, seja de novos medicamentos que não são produzidos em escala industrial. “Para o setor farmacêutico, a farmácia magistral é essencial para a sociedade porque completa o trabalho da indústria, além de ser uma excelente área para a atuação do farmacêutico, onde pode-se aplicar toda pujança e conhecimentos junto à sociedade”, completa.


| 39


EcoNoMiA E NEGÓcios

PoR cRistiNA PUPo

SINAMM – o parceiro indispensável dos farmacêuticos magistrais

D

Programa consolida-se como alternativa segura, prática e econ�mica para o atendimento das exigências sanitárias

esde sua implantação o SINAMM - Sistema Nacional de Monitoramento Magistral, desenvolvido pela Anfarmag, vem consolidando sua importância frente aos farmacêuticos magistrais. Criado para possibilitar o compartilhamento de dados analíticos de materias primas e produtos acabados e subsidiar a entidade em suas ações de defesa e promoção do segmento, o programa mudou, para melhor, o rumo de todos os estabelecimen-

tos que o adotaram. Tanto que o Sistema já é reconhecido pelo mercado, tanto pelos consumidores das farmácias como pelos órgãos fiscalizadores e autoridades sanitárias. Em 2011, o SINAMM manteve-se em plena consolidação, ampliando sua atuação e melhorando cada vez mais o desempenho das farmácias magistrais assistidas. Estabelecimentos participantes reduziram de forma significativa as não conformidades em seus processos e produtos, obtiveram ganhos financeiros pelo incremento das formulações manipuladas e reconhecem que o sistema contribuiu para a fidelização dos clientes. Os números comprovam os bons resultados. Até o fim de novembro último, a maioria dos estabelecimentos participantes do sistema de monitoramento realizaram mais de três mil horas de auditorias internas, auditorias estas que evidenciam que as farmácias SINAMM apresentam baixo ou nulo risco sanitário conforme o que determina a legislação sanitária vigente. MoNitoRAMENto DA QUAliDADE Dos PRoDUtos MAGistRAis Quanto às análises de produtos acabados realizadas de julho a novembro de 2011, análises estas que fazem parte

40| Revista da

Farmácia Magistral

integrante do SINAMM desde o seu lançamento, é importante destacar que todos os grupos monitorados pelo Sistema (hormônios, antibióticos, citostáticos e matérias primas) apresentaram 100% de conformidade, em uma inequívoca comprovação que os estabelecimentos que participam do SINAMM possuem processos seguros para a manipulação de produtos com qualidade assegurada. Segundo a Anfarmag, o monitoramento da qualidade dos insumos e dos produtos acabados vem permitindo à entidade agir de forma corretiva e preventiva para o aperfeiçoamento dos processos de manipulação de medicamentos e produtos magistrais em geral, quer seja pela publicação de guias e manuais técnicos, envio de informes técnicos, artigos técnicos e científicos nas Revistas editadas pela entidade, como também na realização de treinamentos dirigidos e específicos para atualização e capacitação de farmacêuticos e técnicos manipuladores. Além disso, este monitoramento vem permitindo subsidiar diretores e lideranças nas discussões e reuniões com as autoridades sanitárias de todo o país - em nível nacional, estadual ou regional - de forma a se evitar generalizações quanto a eventuais desvios de qualidade no segmento, como também desmitificando a falsa impressão de que o setor não possui


um sistema eficiente de monitoramento e rastreamento das formulações preparadas pelas farmácias magistrais. NoVAs MoDAliDADEs DE tREiNAMENto Na Educação Continuada via internet, parte integrante do SINAMM, foram disponibilizados 22 treinamentos, sendo 15 inéditos e sete de ciclos anteriores. Nos treinamentos inéditos disponíveis, há importantes cursos específicos para a realidade do setor, como o de pH de Ativos de Uso tópico; Como implementar a qualificação de fornecedores; Avaliação de Certificados de análise do Fornecedor; Garantia da Qualidade na Manipulação de Medicamentos Homeopáticos; Alcoometria; Controle de qualidade em Manipulação Homeopática; Rastreabilidade de matrizes Homeopáticas; Farmacologia de Ativos na Osteoporose e Farmacologia de Ativos na Reumatologia. Na área de Relações Humanas (RH), o SINAMM igualmente disponibiliza aos associados cursos em Liderança, Gestão de Cargos e Salários, Gestão de Conflitos e Seleção de Pessoal. No setor de Marketing & Negócios, campo também contemplado pela Educação Continuada, há cursos sobre Recrutamento de propagandistas e Processo Interativo de Vendas. Há de se destacar a grande aceitação dos participantes na disponibilização destes cursos via TV Farma na internet, visto que esta nova modalidade vem possibili-

tando a capacitação e atualização de toda a equipe de forma prática e econômica. O treinamento presencial da Gestão Estratégica na Propaganda Médica já toma conta do País, tendo sido já realizado no Espírito Santo, São Paulo, Ribeirão Preto, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná, e turmas já agendados em Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Alagoas. QUAliDADE NA DisPENsAÇão Aos UsUáRios DE MEDicAMENtos Em outubro passado o SINAMM 2011 iniciou a coleta de dados sobre dispensação ativa, metodologia para que o farmacêutico possa dispensar os medicamentos magistrais de forma coordenada e dirigida, visando a excelência nas orientações ao usuário. Além desta coleta de dados, também foi lançado um vídeo com orientações quanto aos procedimentos adequados para a realização da dispensação. Para se ter uma ideia da extensão deste serviço e sua amplitude social, até novembro passado as farmácias participantes do SINAMM 2011 preencheram 1.149 formulários, totalizando 8.378 pacientes assistidos com uma dispesação monitorada e diferenciada desde 2010. sAtisFAÇão “Antes do SINAMM tentávamos organizar a farmácia e nos adequar à legis-

lação de maneira isolada, o que é bem mais difícil. Com a chegada do sistema fazemos a aplicação de treinamentos e atualização técnica de maneira eficiente e regular, o que provoca menor desgaste à equipe. Ganhamos na otimização das análises de controle de qualidade e na organização geral, melhorando a operacionalização de rotinas, procedimentos e cumprimento às exigências sanitárias. Valorizamos nossa marca e a acreditação pela classe médica e clientes”, comemora Elaine Fontino, Farmacêutica da Farmácia Alquifarma de Mauá, interior de SP. “Produtos de excelência, como o SINAMM nos ajuda a atender as necessidades técnicas e legais das farmácias magistrais. A participação em cursos, palestras e treinamentos promovem a integração de uma região tão distante quanto à nossa e nos faz sentir seguros quanto a qualidade da prestação dos serviços”, destaca Geise Laine de Pardo, proprietária da Farmácia Vitória Régia de Rio Branco, no Acre. “O SINAMM nos proporcionou um enorme e moderno processo de melhoria contínua, criando novos padrões sobre os critérios de excelência farmacêutica em termos técnicos, científicos, onde podemos passar aos consumidores segurança em termos um alicerce seguro para o gerenciamento da farmácia. Só temos a ganhar, em todos os sentidos com o programa”, declara Ana Paula Cruz, farmacêutica proprietária da Farmácia Drogacentro, de Piraju, interior de SP.

Através do SINAMM a Anfarmag vem construindo um enorme banco de dados que subsidiam ações a favor do setor magistral. Como no caso da exclusão, na consulta pública 31, da obrigatoriedade de análise periódica de matérias primas por evidências de que as mesmas têm qualidade assegurada através do enorme número de análises realizadas e do alto índice de conformidade das mesmas. Por isso, é importante que cada vez mais estabelecimentos participem do SINAMM para o compartilhamento de dados analíticos e experiências práticas. | 41


ciDADE & FARMáciA

Especialista esclarece dúvidas sobre a Política Nacional sobre os Resíduos Sólidos

PoR cRistiNA PUPo

Formas do descarte pelos usuários e a responsabilidade dos resíduos estão entre os questionamentos mais comuns

A

Patrícia iglecias

42| Revista da

Farmácia Magistral

lei 12.305, de 02/08/2010, que estabelece a Política Nacional sobre os Resíduos Sólidos está em vigor há pouco mais de um ano e ainda existem determinações a serem definidas que são objeto de muitas discussões e dúvidas quanto à sua aplicação. Ela estabelece a responsabilidade pós-consumo para a cadeia produtiva de praticamente todos os setores da economia e, para o caso de medicamentos, as discussões foram iniciadas após a promulgação da lei pois este setor deve ser também incluído na mesma política, obedecendo-se critérios e regras apropriadamente estudadas. Na Lei, o Poder Público tem responsabilidade subsidiária, ou seja, põe de lado a obrigação de fiscalização prévia do

estado, estabelecendo a responsabilidade plena por parte da empresa. Muitos associados da Anfarmag procuram o SAA para questionar e tirar dúvidas sobre o tema. Por conta disso, a Revista da Farmácia Magistral selecionou as perguntas mais comuns e solicitou à Dra. Patrícia Faga Iglecias Lemos*, advogada especialista no assunto, que respondesse as indagações. O resultado o leitor pode conferir a seguir. Revista Farmácia Magstral (RFM): De quem é a responsabilidade sobre os resíduos gerados na farmácia? Dr. Patrícia Faga Iglecias Lemos (PFil): A Política Nacional de Resíduos Sólidos aplica-se aos geradores de resíduos sólidos em geral, excluídos somen-


te os rejeitos radioativos. Os resíduos de serviços de saúde não foram excluídos dessa sistemática. A lei estabelece a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos e abrange: fabricantes e importadores, comerciantes e distribuidores, consumidores e titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo de resíduos. Aos comerciantes e distribuidores compete somente a devolução aos fabricantes ou aos importadores dos produtos e

das embalagens, que darão a destinação adequada aos resíduos. RFM: é obrigatório tratar os resíduos gerados na farmácia? PFil: Os produtos não sujeitos à logística reversa podem ser inseridos na lógica do pós-consumo via acordos setoriais, decretos e termos de compromisso. Entretanto, aos resíduos dos serviços de saúde aplica-se a Resolução 358 do CONAMA e dependem de

plano de gerenciamento de resíduos da saúde, de responsabilidade, nos termos do art. 3º. da Resolução dos geradores de resíduos, incluídas as drogarias e farmácias (também às de manipulação). RFM: Qual a normativa que obriga a tratar os resíduos? PFil: A Resolução citada, bem como a Lei 12.305/2010 e seu decreto regulamentador.

*Patrícia Faga iglecias lemos é Professora Doutora do Departamento de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Professora convidada da Escola Superior da Advocacia da OAB/SP e Professora do curso de pós-graduação em Direito Ambiental da FMU. Autora de diversos artigos e livros nas áreas de concentração, com destaque para Meio ambiente e responsabilidade civil do proprietário, São Paulo, Editora Revista dos Tribunais, 2008 e Resíduos Sólidos e Responsabilidade Civil Pós-Consumo, São Paulo, Editora Revista dos Tribunais, 2011. É membro da Associação dos Professores de Direito Ambiental do Brasil – APRODAB, da Comissão do Meio Ambiente da Ordem dos Advogados do Brasil, seção de São Paulo e atua como Consultora nas áreas de Direito Ambiental e de Direito Civil no Viseu Advogados.

Seu mais novo Canal de Ensino à Distância na área da saúde do Brasil

Centro de Treinamento e Estudos Botika


ciDADE & FARMáciA Especialista esclarece dúvidas sobre a Política Nacional sobre os Resíduos sólidos

RFM: caso a minha cidade ou região não tenha empresa especializada ou mesmo autorizada (ibAMA) para incineração do meu resíduo, o que devo fazer? PFil: Ao consumidor compete apenas separar os resíduos, desde que implementada a coleta seletiva ou devolver os resíduos e o produto pós-utilizado, quando implementado o pós-consumo. A logística reversa foi estabelecida na PNRS para: agrotóxicos, seus resíduos e embalagens; pilhas e baterias; pneus; óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens; lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; e produtos eletroeletrônicos e seus componentes. É interessante procurar por postos de coleta no comércio local.

Reversa nas várias áreas? PFil: Como já mencionei, via termos de compromisso, por exemplo, estabelecendo metas individualmente. É um erro imaginar que a implementação do pós-consumo depende exclusivamente dos acordos setoriais. Aliás, até mesmo nos casos de acordo setorial, é possível exigir metas diferenciadas individualmente. RFM: tendo em vista as diferentes realidades existentes no país, nas diversas regiões, haverá diferenças no formato como a PNRs será aplicada em cada região, promovendo a real adesão de todos os setores envolvidos, incluindo a população? PFil: Essas diferenças devem ser consideradas nos acordos setoriais e nos termos de compromisso. Há grande preocupação de que o consumidor seja corretamente informado, pois o decreto regulamentador da PNRS permite que o consumidor seja advertido ou tenha que pagar multa de R$ 50,00 a R$ 500,00 por não fazer a separação de resíduos para a coleta seletiva e a devolução no pós-consumo, quando implementados.

“A lei estabelece a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos e abrange: fabricantes e importadores, comerciantes e distribuidores, consumidores e titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo de resíduos” - Dra. Patrícia Faga Iglecias Lemos, advogada especialista no tema Resíduos Sólidos

RFM: A PNRs trata de algumas frentes quanto aos resíduos: descarte, destinação final, logística reversa, custos operacionais etc. Quais os prazos para se cumprirem todos os trabalhos de discussão, estudos e elaboração de propostas até a publicação de norma definitiva que determinará o modelo a ser seguido no Brasil? PFil: Não há dependência de uma norma definitiva. A norma é a Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos e seu decreto regulamentador. Com base nela é possível viabilizar os acordos setoriais. Além disso, outros instrumentos como os termos de compromisso podem ser utilizados, exigindo metas individualmente.

RFM: Muitas entidades representativas de diversos segmentos têm participado das discussões sobre a modelagem a ser adotada no Brasil para a logística Reversa. Visto terem interesses diversos, será possível conseguir acordos setoriais de forma a atender adequadamente a todos os setores envolvidos? PFil: Os acordos setoriais têm natureza contratual. São importantes instrumentos de viabilização da responsabilidade pós-consumo, mas sua aplicabilidade estará restrita aos representados no acordo. RFM: caso não sejam conseguidos os acordos setoriais, como o governo decidirá sobre a modelagem da logística

44| Revista da

Farmácia Magistral

RFM: o governo dará atenção especial também à educação da população, visto que a logística Reversa se dará principalmente a partir dos domicílios, em vários casos? PFIL: Um dos mais importantes instrumentos da PNRS é a educação. O cumprimento das metas depende necessariamente da participação da sociedade, com a devolução dos resíduos ou produtos pós-utilizados e a separação dos resíduos para a coleta seletiva. RFM: como o consumidor deverá proceder em relação ao descarte de seus próprios medicamentos e quem arcaria com estes custos? A indústria, as distribuidoras, as farmácias? PFil: Cuida-se da aplicabilidade da responsabilidade compartilhada. Assim, aos comerciantes e aos distribuidores cabe somente a devolução aos fabricantes ou importadores, que serão responsáveis pela destinação ambientalmente adequada.


ciDADE & FARMáciA

PoR cRistiNA PUPo

Grupo definirá regras da coleta de resíduos de medicamentos Segundo dados preliminares apresentados na reunião, há cerca de 26 mil toneladas desses resíduos espalhados pelo País

O

Grupo de Trabalho Temático de Medicamento da Anvisa - GTT de Medicamentos -, voltou a se reunir no último dia 01/11, em Brasília para tratar do desenvolvimento do Estudo da Logística Reversa, que será aplicado ao setor de medicamentos e apresentar o Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica. Nessa, que foi a quarta reunião, houve discussões sobre vários assuntos que devem ser avaliados quanto à logística reversa. Embora não tenha sido consenso entre todos os integrantes do GTT, alguns pontos chamam a atenção entre os diferentes setores da cadeia de medicamentos, entre eles o fato de que a população deve descartar todo e qualquer medicamento humano e veterinário em desuso ou vencido nas residências, em postos de coleta específicos dos estabelecimentos públicos e privados (farmácias, drogarias, UBS, hospitais, etc.), que cumpram as regras sanitárias para o recolhimento. Um grupo formado no fim do encontro definirá critérios, como locais e o funcionamento dessas unidades. O vice-presidente do Sindusfarma – Sindicato da Indústria de Produtos Far-

46| Revista da

Farmácia Magistral

macêuticos, Nelson Mussolini, demonstrou sua preocupação quanto à falta de informações e dados precisos sobre a quantidade de medicamentos que sobram nas casas das pessoas. Segundo apurado junto a empresas de coleta e limpeza e aterros pelo território nacional, haveria em torno de 26 mil toneladas de resíduos de medicamentos, montante que corresponderia a 30% da produção nacional. Segundo dados da Universidade de São Carlos e de programas voluntários de coleta do País, apresentados pelos subgrupos, das perdas registradas no SNGPC – Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados 11,25% em 2009 e 8,69% em 2010 de medicamentos industrializados estavam vencidos, o equivalente a 20 toneladas de princípios ativos, além das estimativas preliminares já apresentadas (as 26 mil toneladas de resíduos de medicamentos). O diretor da Anvisa, Jaime César de Moura Oliveira, reconhece que há falta de informações precisas, tanto por parte do Governo quanto do setor farmacêutico, porque não há controle sobre a logística reversa nas casas das pessoas.

Para Nelson Mussolini, essa sobra não poderia acontecer, por isso é importante conhecer o volume real de resíduos antes de se estabelecer um programa sobre o assunto. PRioRiDADE PARA os REsíDUos DE MEDicAMENtos A representante da Abetre – Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos alertou que as pessoas não sabem para onde levar esses resíduos e lembrou do ocorrido na última enchente de Santa Catarina, onde foram perdidos 25 toneladas de medicamentos. “Independente de sabermos o que sobra nas casas, já temos dados relevantes do que vai parar no lixão para iniciarmos o trabalho”, recomendou o diretor da Anvisa. “Temos que dar continuidade à proposta da modelagem, inclusive a Unicamp já iniciou estudo sobre a viabilidade técnica e econômica da Logística Reversa de Medicamentos, que será desenvolvido ao longo das discussões do GTT. O grupo levantará os dados mais relevantes do setor e neste primeiro momento, a logística dos demais resíduos da cadeia será


integrada à dos de medicamentos pós-consumo”, informou o coordenador do GTT, Gustavo Trindade. Ainda segundo ele, a definição de incluir os medicamentos como prioridade para implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) foi estabelecida pelo Comitê Orientador (CORI) que, por sua vez, é a instância deliberativa que informa diretamente o comitê formado por cinco ministérios acerca dos pareceres dos diversos Grupos Temáticos de Trabalho (GTT's). O objetivo dos GTT's é definir acordos setoriais para estabelecer a integração da destinação dos resíduos de medicamentos descartados pela população ao gerenciamento de resíduos

de toda a cadeia farmacêutica, e a elaboração do estudo de viabilidade técnica e econômica. A Anfarmag também está representada no GTT de Medicamentos, defendendo os interesses do segmento e, ao mesmo tempo, contribuindo com a definição de diretrizes para o melhor cumprimento da PNRS. Na próxima reunião, com data ainda não definida, será discutida a forma de segregação dos resíduos (ponto de coleta e destinação), a responsabilidade pela operação e formas de custeio (transporte, etc.) e as especificações e padrões técnicos para destinação dos resíduos (categoria de risco etc.).

“Independente de sabermos exatamente o que sobra de medicamentos nas casas, já temos dados relevantes do que vai parar no lixão para iniciarmos o trabalho de logística reversa” - Jaime César de Moura Oliveira, diretor da Anvisa


Plantar o verde para colher saúde

ciDADE & FARMáciA

PoR ANA cARoliNA D’ANGElis

O

ser humano não depende das matas apenas pela oxigenação do ambiente pelas plantas, mas em muitas delas encontra-se a cura natural para diversas patologias. Para Ana Paula Cury, proprietária da Farmácia Drogacentro de Piraju, interior de São Paulo, o Brasil, possuidor da maior biodiversidade biológica do mundo, faz baixíssimo proveito do potencial farmacêutico bilionário de suas plantas. “Muitos dos remédios e cosméticos que circulam pelo mundo são feitos com extratos de plantas descobertas em nossas matas. Na verdade, não conhecemos nem a metade das espécies

que existem no nosso país. O desmatamento traz consequências maléficas irreversíveis ao setor”, comenta. Ao se conscientizar sobre esse problema que irá afetar a saúde de toda a população, a Farmácia Drogacentro elaborou uma iniciativa junto aos futuros cuidadores do nosso planeta. O lançamento do Projeto Farmácia

“O meio ambiente e a Drogacentro caminham juntos, para o nosso futuro ser saudável” Escrita pela aluna Grazielle Fernanda da Silva Escola: EMEIEF Prof. Gilberto Bonafé.

Palestra realizada para professores, diretores e coordenadores de escolas.

48| Revista da

Farmácia Magistral

Sustentável, em 13 de setembro deste ano, busca incentivar crianças do ensino público da cidade de diferentes faixas etárias a zelarem pela natureza. A proposta da atividade com alunos do Pré-II à 4ª série foi o desenvolvimento de uma frase sobre o tema “Sustentabilidade e meio ambiente” ao envolver o meio ambiente e a Drogacentro. Ao todo 18 escolas municipais participaram do concurso que elegeu um vencedor para cada categoria. Os alunos foram divididos em três grupos: 1) Pré-II e 1º ano, 2) 2º e 3º anos 3) 4º ano. Para auxiliá-los, os professores participaram da palestra “Sustentabilidade – o futuro a gente faz agora” realizada por um engenheiro ambiental. Cada escola elegeu uma comissão composta pelo diretor, coordenador, professor e representante Drogacentro para analisar as frases e apresentou aos responsáveis do concurso nove alunos com os melhores resultados, três de cada categoria. Em 16 de novembro, 54 delas foram selecionadas. Cada aluno recebeu uma muda de árvore nativa, doada pela Votorantim, parceira do projeto para ser plantada em casa ou no jardim de al-


Alunos participantes do projeto com a muda.

gum parente, caso não haja este espaço na residência. Destes 54, três alunos, autores das melhores frases escolhidas por uma comissão geral, composta por diretor, professor, representante do Departamento de Educação e representante da Drogacentro, receberam uma bicicleta como prêmio e seus professores uma câmera fotográfica digital. O resultado final do concurso foi realizado dia 2 de dezembro de 2011. O empenho dos alunos, professores e diretores foi uma surpresa para Ana Paula em relação ao projeto, pois superou todas as expectativas. “Fomos recebidos nas escolas com todo o carinho e até com versos

e músicas sobre natureza preparadas pelos alunos, foi emocionante e bom ver o quanto as crianças de hoje se envolvem em projetos que tenham ligação com o meio ambiente. Isso se chama comprometimento”, explica. Antes da entrega do prêmio, as mudas entregues aos alunos na primeira fase do projeto foram visitadas pela comissão para averiguar se a mesma foi plantada e se estava bem cuidada, caso não estivesse plantada, o aluno seria desclassificado automaticamente. O projeto contou com a parceria da Deduc – Departamento de Educação, da Votorantim e do Laboratório Bionatus.

“O meio ambiente é responsável pela nossa vida, e a Drogacentro responsável pela nossa saúde.” Escrita pela aluna Raissa Caramaschi de Oliveira. Escola: EMEI Parque Residencial Eldorado.


MUNDo ANFARMAG

ANFARMAG Nos EstADos câMARA MUNiciPAl Do RJ FAz HoMENAGEM A FARMAcêUticos A Câmara Municipal do Rio de Janeiro reconheceu a importância do papel do farmacêutico para a sociedade em sessão solene realizada dia 24 de outubro, no auditório do Conselho Regional de Odontologia. O vice-presidente do CRF-RJ, Marcus Vinicius Romano Athila recebeu a medalha de mérito Pedro Ernesto, a mais importante comenda do município, entregue pela Casa àqueles que mais se destacam na comunidade brasileira. A mesa de honra foi composta pelo vice-presidente do CRF-RJ, Marcus Vinicius Romano Athila; conselheira do CRF-RJ e vice-presidente da Anfarmag- RJ, Aline Napp; presidente da Anfarmag-RJ, Maria Cristina Ferreira; o ex-presidente do CRF-RJ, Carlos Santarém; subgerente da Vigilância Sanitária do Município do Rio de Janeiro, Paulo Maurício Ballado; e pelo vereador Carlos Eduardo de Mattos, que foi o responsável pela entrega da medalha

Mesa de Honra da cerimônia

e moções honrosas aos farmacêuticos de diversas áreas de atuação, presentes na cerimônia. A premiação foi criada em 1980, para homenagear o médico pernambucano Pedro Ernesto Batista (1884-1942), que participou de movimentos de oposição ao governo federal na década de 20. Na

Marcus Athila , vice-presidente do cRF-RJ e Maria cristina Ferreira, presidente da Anfarmag Regional Rio de Janeiro

50| Revista da

Farmácia Magistral

ocasião, outros 66 expoentes da profissão farmacêutica receberam moções de Congratulações e Louvor pelos relevantes serviços prestados à comunidade. As homenagens foram propostas pelo Vereador Dr. Carlos Eduardo, presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal.

Aline Napp, vice-presidente da Anfarmag Regional Rio de Janeiro e Vereador carlos Eduardo de Mattos


EsPíRito sANto PRoMoVE PlANtAs MEDiciNAis E FitotERáPicos A Anfarmag Regional Espírito Santo promoveu Workshop “Indicação Farmacêutica de Fitoterápicos” aos farmacêuticos magistrais do estado. Mais de 50 profissionais usufruíram do conteúdo a partir do uso de plantas medicinais, prática comum na sociedade brasileira. Um dos tópicos discutidos foi a Resolução 546/2011 que dispõe sobre a indicação farmacêutica de plantas medicinais e fitoterápicos isentos de prescrição, que segundo Denise Martins, vice-presidente da Anfarmag ES é um avanço para a categoria e irá trazer mais segurança para quem utiliza os fitoterápicos. “A indicação farmacêutica qualifica o uso de plantas. O profissional de farmácia tem o conhecimento necessário para a indicação do fitoterápico que atenda as necessidades dos pacientes”, argumenta. Ely Saranz Camargo, doutor em Plantas Medicinais e Fitoterápicos e membro do Conselho Federal de Farmácia por São Paulo é o responsável por apresentar a proposta de resolução sobre a indicação de fitoterápicos e esteve presente no

evento para esclarecer dúvidas dos participantes. O workshop foi realizado dia 4

de novembro no auditório da EMESCAM, em Vitória.

Hildegardo seibert França, professor; Denise Martins, vice-presidente Anfarmag/Es, Ely Eduardo saranz camargo,conselheiro federal de Farmácia por são Paulo, Rita Martins, presidente Anfarmag/Es, Hugo Guedes, vicepresidente Anfarmag, Magali Demoner Bermond - conselheira Federal pelo Espírito santo e Adercio Marquesine – Professor.

ANFARMAG PR PARticiPA DE VotAÇão PARA REVoGAR lEi DE BUlAs

Participantes da votação para revogação da lei de bulas no Paraná

O projeto de Lei nº 634/11 de autoria do Deputado Estadual Valdir Rossono (PSDB/PR) foi aprovado pelo Plenário em primeira discussão para revogação da lei de bula que inviabilizava o setor magistral com 33 votos a favor e quatro abstenções. Estiveram presentes representantes da Anfarmag Regional Paraná, Deputado Valdir Rossoni (PSDB), Deputado Paranhos (PSC), Deputado Stephanes Junior (PMDB), Deputado Péricles de Melo (PT), Professor Lemos (PT), Deputado Luis Eduardo Cheida (PMDB), Deputado Tadeu (PT) e Deputado Cleiton Kielse (PMDB).

| 51


MUNDo ANFARMAG

FARMáciA MAGistRAl é tEMA EM coNGREsso PAN AMAzôNico A Anfarmag participou do Congresso Pan Amazônico de Estética e Cosmetologia – CPAEC - ao ser representada por Maria Aparecida Soares Marin, diretora e coordenadora da Sucursal Acre-Rondônia. A palestra “A medicina estética, o paciente e a farmácia magistral – a individualização do tratamento estético” foi ministrada no segundo dia do evento que também abordou temas relacionados a dermatologia, fisioterapia dermato funcional, biossegurança e gestão de negócios. O congresso foi realizado entre os dias 20 e 22 de novembro, no Porto Velho Shopping, na cidade de Porto Velho, Rondônia.

Maria Aparecida soares Marin

FoRMAs FARMAcêUticAs NUtRicioNAis é AssUNto No PARANá O farmacêutico Luis Antonio Paludetti a convite da Anfarmag Regional Paraná ministrou curso sobre Formas Farmacêuticas Nutricionais II aos associados e não-associados do estado. Aproximadamente 100 pessoas usufruíram de assuntos como Gomas, Balas, Chocolates Terapêuticos, Tabletes e Sprays. No mesmo evento, Paulo Costa Santana – Chefe de departamento de Vigilância Sanitária de Saúde, proferiu palestra sobre a lei 16815/2011 que veda o licenciamento ou sua renovação para a comercialização de medicamentos manipulados sem a respectiva bula. Ambos acontecimentos foram realizados dia 29 de outubro, no Hotel Nikko, em Curitiba.

Participantes do curso ministrado por luis Antonio Paludetti

52| Revista da

Farmácia Magistral

GEstão EstRAtéGicA DE PRoPAGANDA MéDicA coNQUistA PúBlico Do Rs Mais de 30 pessoas, entre gestores e divulgadores de farmácias magistrais do interior e da capital gaúcha, reuniram-se com o objetivo de conhecer e discutir novas estratégias de propaganda médica por meio do workshop com o médico e consultor José Almeida. Segundo a coordenadora do SINAMM no estado, Silvia Muxfeldt Chagas, o clima foi de grande interesse e satisfação entre todos, o que indica não só a relevância do tema como a importância de investir em cursos presenciais. Para farmacêutica Camila Dick Reis, que há um ano atua como divulgadora da Dermogral, o curso ajudou-a a identificar onde e como encontrar um divulgador além da melhor forma de acompanhar as visitas. Já para a farmacêutica responsável da Pharmaplus, Ângela Bueno, que há 13 anos tem atuado como visitadora, mas, somente há 6 meses, retomou a função, tanto a ampliação da concorrência entre as farmácias magistrais quanto a crescente abordagem da indústria farmacêutica chamam sua atenção. "Para mim, a maior novidade do workshop foi a importância da abordagem que sugere primeiro a apresentação do problema para, depois, sugerirmos a solução. Isso gera uma identificação entre médicos e visitadores e a possibilidade de diálogo". De acordo com a farmacêutica Luciana Casagrande, que atua há 18 anos no segmento magistral e na visitação e, há um ano, é responsável pela Hydratus, os workshops de José Almeida são muito práticos porque proporcionam a vivência da visitação. "Ele cria situações de modo que nos estimula a refletir a como enfrentá-las, já que se trata de um contato sempre bastante delicado". O evento foi realizado dia 18 de novembro no Holiday Inn, em Porto Alegre, RS.


sEtoR MAGistRAl tERá REPREsENtANtE No cFF Diretora da Anfarmag Regional Minas Gerais, Maria Alicia Ferrero, se elegeu como membro suplente do Conselho Federal de Farmácia nas eleições para a gestão 2012-2015. A farmacêutica que

irá representar o setor magistral a nível nacional considera a vitória fator decisivo para qualificação, valorização e reconhecimento profissional dos farmacêuticos que atuam na área.

Fotos Do ENcoNtRo DE liDERANÇAs DA ANFARMAG REAlizADo DiA 19 DE NoVEMBRo, EM FloRiANÓPolis, sANtA cAtARiNA

Ademir Valério

Daniela bordin, Hortência tierling, Gerson Appel, Ronize luzze, Josiane de Amorim e Mara Regina.

Ademir Valério, Ana cláudia scherer, Fernando de souza, Hortência tierling, Daniela bordin, Raffaella Pizzolatti e Rodrigo Michels

intervalo da exposição

| 53


MUNDo ANFARMAG

José Miguel Nascimento, Ana claudia scherer, Rodrigo Michels e Paulo Vieira

Hugo Guedes

Rodrigo Michels, Raquel bittencourt e Ana cláudia scherer Auditório com participantes

Marco Fiaschetti, Rafael Pappceit, bruno brandão, Edza brasil, carlos Alberto oliveira, Geraldino Gabriel Neder e Astrid chucre Dias Guimarães

54| Revista da

Farmácia Magistral

José Miguel do Nascimento Junior


Bases LED

A mais completa Linha de Bases. Economia, Praticidade, Segurança, Qualidade e Padronização para a farmácia de manipulação.

Base Anidra (Base Cremosa Dermatologicamente Testada) LANÇAMENTO Creme Hidratante Hipoalergênico (Dermatologicamente Testado) Creme Hidrossolúvel Aniônico NOVO Creme Siliconado (com Emulsão água em Silicone) NOVO Creme Hidratante Clean Creme Hidratante Hidrossolúvel Creme Hidratante Não Iônico com Óleo de Amêndoas e Óleo de Uva Creme Hidratante Cold Cream Creme Hidratante Não Iônico Loção Hidratante Não Iônica com Óleo de Amêndoas e Óleo de Uva Loção Hidratante Hidrossolúvel Loção Hidratante Oil-Free Condicionador Shampoo Base Perolado NOVO Shampoo para Cabelos Secos Shampoo para Cabelos Oleosos Shampoo para Cabelos Normais Sabonete Líquido Perolado Sabonete Cremoso Gel Hidratante com Carbomer Gel Hidratante com Hidroxietilcelulose Gel Creme Hidratante Gel Creme Hidratante Plus

Protetor Solar FPS 50 MS: 2.1554.0132 Protetor Solar FPS 30 MS: 2.1554.0133

“20 anos de experiência e desenvolvimento para o setor magistral: você é quem ganha o presente!”

Testados “in vivo” em laboratório credenciado pela ANVISA.

1 9 9 1 - 2 0 11

Led – Laboratório de Evolução Dermatológica Ltda. Televendas: (19) 3227-1471 / Fax: (19) 3267-7555 - www.ledlaboratorio.com.br - e-mail: vendas@ledlaboratorio.com.br


EMPREsAs sócio-colAboRADoRAs

Seja uma empresa filiada à Anfarmag

Associe-se à Anfarmag e contribua com o desenvolvimento do mercado magistral. Conheça as empresas sócio-colaboradoras da Anfarmag

All chemistry do Brasil (11) 3014-7100 www.alchemistry.com.br

Attivos Magisttrais (11) 2148-7606 www.attivosmagisttrais.com.br

Analyse control (13) 3222-1222 www.analysecontrol.com.br

capsutec (44) 3031-3200 www.capsutec.com.br

casa Americana (11) 3334-2650 www.casaamericana.com.br

indústria Farmacêutica catedral (31) 3629 2000 www.laboratoriocatedral.com.br

consulfarma serviços de Assessoria (19) 3736-6888 www.consulfarma.com

Elyplast 0800 173288 www.elyplast.com.br

Embrafarma Prod. Quím. e Farm. ltda (11) 2165-9259 www.embrafarma.com.br

Grupo Beltec (21) 3544-9500 www.grupobeltec.com.br

Emfal Empresa Fornecedora de álcool (31) 3597-1020 www.emfal.com.br

DEG (11) 5033-3700 www.deg.com.br

Galena Química e Farmacêutica ltDA 0800-701-4311 www.galena.com.br

Henrifarma Produtos Químicos e Farmacêuticos (11) 3385-2007 www.henrifarma.com.br

idealfarma 0800 7014424 (11) 5592 6439 - (62) 3316 1288 www.idealfarma.com.br

injeplast (11) 2721-6788 www.injeplast.com.br

instituto de Pesquisa tcnológica e controle de Qualidade. (17) 4009-4800 www.intecq.com.br

iPoG – são Paulo (11) 3251-1560

l&l consultoria de Marketing (19) 3294-6725 www.llconsultoria.com.br

Millipore indústria e comércio ltda. (11) 4133-8747 www.aquelix.com.br

M. Hausner (11) 6203-7974 www.novoaroma.com.br

Pharmaceutical Assessorias (48) 3234-7247 www.pharmaceutical.com.br

Pharma Nostra comercial (21) 2141-1555 www.pharmanostra.com.br

Quallità controle de Qualidade (32) 3333-2484 www.quallitacontrole.com.br

RcN Editora (11) 3670-3499 www.racine.com.br

santosflora comércio de Ervas (11) 2091-8787 www.santosflora.com.br

seguro Farmácia (31) 3086-2125 www.segurofarmacia.com.br

labsynth - Produtos para laboratórios ltda (11) 4072-6100 www.labsynth.com.br

Vital âtman 0800 7743361 www.vitalatman.com.br

Em acordo com o seu estatuto, a Anfarmag trabalha de forma cooperada com as empresas fornecedoras do setor, com o propósito de estimular e fomentar o desenvolvimento de negócios que garantam a sustentabilidade da cadeia produtiva magistral. i������-�� (11) 2199-3499 - ���.��������.���.��


Revista da Farmácia Magistral - Órgão Oficial da Anfarmag Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais cooRDENADoR áREA técNicA Vagner Miguel - vmiguel@anfarmag.org.br EQUiPE FARMAcêUticA DA áREA técNicA Carolina Leiva Fiore, Felipe Augusto Sbruzzi, Hélio Martins Lopes Júnior, Lúcia Helena S. G. Pinto e Maria Aparecida Ferreira Soares RElAcioNAMENto & MARKEtiNG Simone Tavares - relacionamento@anfarmag.org.br cooRDENAÇão EDitoRiAl Cleinaldo Simões simoes@cleinaldosimoes.com.br coNtEúDo EDitoRiAl cleinaldo simões Assessoria de comunicação (11) 5585-3363/5585-2273 simões@cleinaldosimoes.com.br Edição: cleinaldo simões Reportagem: Ana Carolina D’Angelis, Cristina Pupo e Lais Cavassana (revisão) ARtE E DiAGRAMAÇão

sPU1 Art Design Gladstone Barreto e Wagner Ferreira e-mail: contato@spu1.com.br / site www.spu1.com.br coMERciAl Mobyle Promocional (11) 3945.3545 mobyle@anfarmag.org.br

cARtA Do lEitoR

Rua Vergueiro, 1855 - 12o Andar - São Paulo - SP CEP 04101-000 - anfarmag@anfarmag.org.br Tel.: (11) 2199.3499 - Fax: (11) 5572.0132

Em nome do Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, comunicamos o recebimento e agradecemos a gentileza de envio da Revista da Farmácia Magistral, a Revista Técnica do Farmacêutico. Aproveitamos a oportunidade para transmitir nossos sinceros cumprimentos. Atenciosamente, luiz carlos de carvalho silva Diretor Técnico do Departamento de Gestão da Documentação Técnica e Administrativa do Governo do Estado de São Paulo

Gostaria de parabenizá-los pelo excelente trabalho de divulgação e esclarecimento prestado a nós, farmacêuticos, em relação às novas regras que a ANVISA vem lançando sobre os medicamentos. Dayse Akiko sakugawa Yamakawa – associada da Anfarmag e proprietária da Farmavale de Registro/sP.

Quando acertamos é preciso comemorar. Parabéns pela eficiência no envio do e-mail com os modelos de carta aos prescritores e termo de responsabilidade. Marcos A. c. oliveira – 2º tesoureiro nacional da Anfarmag

Elogio a matéria da última Revista Técnica do Farmacêutico (edição 14) sobre os excipientes escrita pelo Dr. Jorge Sassone. E sugiro que outras matérias sobre excipientes, por exemplo, excipientes de antihipertensivos) sejam publicadas. tulaine A. Bortoli – associada da Anfarmag da Farmácia Nativa de Nova Mutum/Mt ERRATA: 1 - Na matéria Associados – força e razão da Anfarmag publicada na edição 14 (Outubro/novembro/dezembro 2011), nome correto da proprietária da Farmácia Drogacentro de Piraju/SP é Ana Paula Cury. 2 - Rodrigo Caffaro, autor da matéria Patente de Medicamentos e a Atividade Magistral é advogado da Moreau e Balera Advogados, publicada na edição 14 (Outubro/novembro/dezembro 2011).

iMPREssão Vox coordenação Geral

cARo lEitoR,

Revista destinada aos farmacêuticos magistrais, dirigentes e funcionários de farmácias de manipulação e de laboratórios; prestadores de serviços e fornecedores do segmento; médicos e outros profissionais de saúde; entidades de classe de todo o território nacional; parlamentares e autoridades da área de saúde dos governos federal, estadual e municipal.

A Revista da Farmácia Magistral é dedicada a todos aqueles que participam do setor magistral, e está aberta à sua colaboração. Faça uso deste canal, enviando sugestões, comentários e críticas à nossa equipe. Sua opinião é de extrema importância para nós!

Artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da Anfarmag. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos assinados.

Nossos ENDEREÇos (REDAÇÃo): Por e-mail: simoes@cleinaldosimoes.com.br Via correio: Rua Antônio Gebara, 511, Planalto Paulista, São Paulo (SP), CEP 04071-020

É EXPRESSAMENTE PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DOS TEXTOS DA REVISTA DO FARMACÊUTICO MAGISTRAL Periocidade: Trimestral circulação: Nacional tiragem: 5.000 exemplares Distribuição dirigida

Também não hesite em nos procurar, caso tenha sugestões de artigos e demais colaborações para a Revista. Aguardamos o seu contato!


REGioNAis

ENDEREÇos

Rua Vergueiro, 1855 - 12° andar São Paulo - SP CEP: 04101-000 Tel.: (11) 2199-3499 Fax.: (11) 5572-0132 www.anfarmag.org.br anfarmag@anfarmag.org.br DiREtoRiA NAcioNAl GEstÃo 2011-2013 PREsiDENtE Ademir Valério da Silva - SP 1° VicE-PREsiDENtE Hugo Guedes de Souza - ES 2° VicE-PREsiDENtE E DiREtoR DA áREA técNicA Ivan da Gama Teixeira - SP 3° VicE-PREsiDENtE Carlos Alberto P. Oliveira - DF sEcREtáRiA GERAl Simone de Souza Aguiar - RS 2° sEcREtáRio Álvaro Favaro Júnior - SP tEsoUREiRo Adolfo Cabral Filho - SC 2° tEsoUREiRo Marcos Antônio C. Oliveira - MG DiREtoRA DE coMUNicAÇõEs Ana Lucia DiREtoR DE coMUNicAÇão Gerson Apple coNsElHo FiscAl Antônio Geraldo Ribeiro dos Santos Júnior - SP Rejane Alves Gue Hoffmann - PR Luiz Carlos Gomes - SP

58| Revista da

Farmácia Magistral

REGioNAl BAHiA/sERGiPE Presidente: Edza Martins brasil Av. tancredo Neves, 1632, Ed. salvador trade center, loja 25, caminho das árvores, cEP 41820-020, salvador/BA tel: (71) 3113-4011 E-mail: regional.base@anfarmag.org.br REGioNAl DistRito FEDERAl Presidente: cleide Regina da silva siG - Quadra 04 - lote 25 - sala 110 1º andar - Empresarial Barão de Mauá cEP 70.610-440 - Brasilia - DF Fone/Fax: (61) 3344-4152 E-mail: regional.df@anfarmag.org.br REGioNAl EsPíRito sANto Presidente: Rita cristina Martins Av. Nossa senhora da Penha, 1495 -sala 608 torre bt Edifício corporate center - Vitória - Es cep: 29056 - 245 -tel.: (27) 3235-7401 E-mail: regional.es@anfarmag.org.br REGioNAl Goiás/tocANtiNs Presidente: Gilmar silva Dias Rua 7 A, 189 - sala 201 Edifício Marilena - setor Aeroporto - Goiânia - Go cep: 74075 - 230 - tel.: (62) 3225-5582 E-mail: regional.goto@anfarmag.org.br REGioNAl MiNAs GERAis Presidente: Astrid chucre Dias Guimarães Av: do contorno, 2646 - sala 1104 Floresta - belo Horizonte - MG cep: 30110 - 080 tel.: (31) 2555-6875 / 2555-2955 E-mail: regional.mg@anfarmag.org.br REGioNAl MAto GRosso Do sUl Presidente: Ana Paula Busato zandavalli Rua Rodolfo José Pinho, 66 - Jardim são Bento. campo Grande - Ms - cep: 79004 - 690 tel.: (65) 3027 6321 E-mail: regional.ms@anfarmag.org.br REGioNAl MAto GRosso Presidente: ivete souza Peaguda Avenida ipiranga,70 cuiabá - Mt - cep: 78020-550 tel.: (67) 3383-1007 E-mail: regional.mt@anfarmag.org.br REGioNAl PARANá Presidente: Dagmar terezinha Kessler Rua silveira Peixoto, 1040 - 9° andar - sl 901 curitiba - PR - cep: 80240 -120 tel.: (41) 3343-0893/Fax (41) 3343-7659 E-mail: regional.pr@anfarmag.org.br REGioNAl Rio DE JANEiRo Presidente: Maria cristina Ferreira silva Rua conde do bonfim, 255 - sala 912 - tijuca. Rio de Janeiro - RJ - cep: 20520 - 051 tel.: (21) 2569-3897/Fax (21) 2196-0380 E-mail: regional.rj@anfarmag.org.br

REGioNAl Rio GRANDE Do sUl Presidente: Eduardo Aranovich de Abreu Av: Mauá, 2011 - sala 607 - centro Porto Alegre - Rs - cep: 90030 - 080 tel.: (51) 3225 9709 E-mail: regional.rs@anfarmag.org.br REGioNAl sANtA cAtARiNA Presidente: Rodrigo Michels Rocha Rua lédio João Martins, 435 - sala 409 Kobrasol - são José - sc cep: 88102 - 000 tel.: (48) 247-3631 E-mail: regional.sc@anfarmg.org.br

sUcURsAis sUcURsAl RiBEiRão PREto Diretora: Alice carneiro soares telefone: (16) 2101- 5497 E-mail: sucursal.rp@anfarmag.org.br sUcURsAl MARíliA/PREsiDENtE PRUDENtE Diretora: odete Aparecida De Andrade telefone: (18) 8118-9874 E-mail: sucursal.mrpp@anfarmag.org.br sUcURsAl MAcEiÓ Diretora: tânia bernadete P. Gomes telefone: (82) 3035-2806 E-mail: sucursal.al@anfarmag.org.br sUcURsAl FoRtAlEzA Diretor: Francisco carlos l.Andrade telefone: (85) 9981- 3789 E-mail: sucursal.ce@anfarmag.org.br sUcURsAl Ac/Ro Diretora: êrika Fernandes Rosas c. da silva telefone: (68) 3901- 6314 E-mail: sucursal.acro@anfarmag.org.br sUcURsAl BEléM Diretor: Marcelo Brasil do couto telefone: (91) 3244-2625 E-mail: sucursal.pa@anfarmag.org.br sUcURsAl JUiz DE FoRA Diretor: Rômulo Augusto Modesto email: regional.mg@anfarmag.org.br telefone: (31)2555-6875 e (31)2555-2955 sUcURsAl UBERlâNDiA Diretor: Hélio batista Júnior email: regional.mg@anfarmag.org.br telefone: (31)2555-6875 e (31)2555-2955 sUcURsAl VARGiNHA Diretor: leonardo José da silva email: regional.mg@anfarmag.org.br telefone: (31)2555-6875 e (31)2555-2955


Ocupe seu tempo com o mais importante: negociar e construir relacionamentos. Utilize a cotação eletrônica do FórmulaCerta!

Para que despender um tempo enorme fazendo cotações manualmente se você pode contar com a ajuda do FórmulaCerta para automatizar todo esse processo? Agora fazer cotações ficou muito mais simples e prático. Com isso você terá mais tempo para o que realmente interessa: estreitar o relacionamento com seu fornecedor e fazer ótimos negócios. Entenda por que a Cotação Eletrônica vai ajudar tanto a farmácia quanto o fornecedor Troca de arquivos TXT, via e-mail, diretamente entre farmácia e fornecedor sem interferência de terceiros, garantindo o sigilo total das informações. O fornecedor recebe o arquivo da farmácia com todos os produtos já codificados (com seu próprio código interno) e com um único clique importa os dados para seu sistema gerencial, ganhando com isso agilidade e maior eficiência na elaboração das cotações — o vendedor terá mais tempo para realizar os contatos e negociações. A farmácia, por sua vez, recebe do fornecedor o

arquivo da cotação padronizado, via e-mail, já com todos os valores e dados complementares dos produtos e com um único clique importa todos os dados e obtém automaticamente a grade de cotação consolidada. Uma vez importados os arquivos de todos fornecedores e fechada a grade de cotação, ela poderá comparar, avaliar e fechar seus pedidos, com rapidez e segurança. A cotação eletrônica não só agiliza e ajuda em todo processo de negociação entre fornecedor e farmácia como — pela simplificação do trabalho e pelo ganho de tempo que ela gera — propicia um aumento da integração entre as partes.

. Sigilo absoluto . Aumento de eficiência tanto para a farmácia quanto para o fornecedor . . Não afeta os critérios que o comprador da farmácia utiliza para definir a compra . Para saber mais, acesse: www.alternate.com.br/produtos/FormulaCerta/CotacaoEletronica

(11) 2152.8100. www.alternate.com.br



Revista Farmácia Magistral - edição 15