Page 1

2015 / 2016

FACENP Faculdade Cenecista de Nova Petrรณpolis

CN

SEDE

EC


Sumário Apresentação..........................................03 Turismo...............................................26 Dados Gerais.......................................... 04 Mapa do Município...........................30 População............................................... 09 Saúde..................................................39 Eleitores................................................... 13 Serviços Públicos............................... 40 Condutores, veículos e vias públicas... 14 Orçamento Público Municipal..........42 Informações do cadastro imobiliário.... 16 Funcionalismo Municipal..................43 Meios de comunicação...........................17

Emprego e Renda..............................44

Cooperativismo.......................................18 Economia........................................... 48 Educação.................................................19 Segurança.......................................... 58 Cultura..................................................... 24 Distâncias...........................................59

Foto: Margarida Neumann


Foto: Jaime Jung

Foto: Sabrina Schuster


Apresentação

Foto: Raica Daiana Metz

M

otivada pela carência de informações sociais e econômicas sobre Nova Petrópolis, cuja demanda palpitava no meio empresarial, educacional e na comunidade, iniciava em 2005 na Associação Comercial e Industrial de Nova Petrópolis, um movimento para criação de uma publicação que contemplasse este anseio. Este instrumento passaria a reunir inúmeros dados que existiam nas mais diversas fontes, mas precisavam ser pesquisados, coletados, organizados e, finalmente, colocados à disposição da comunidade e, que também, serviriam de fonte de pesquisa e análise para desenvolvimento de projetos e investimentos futuros no Município. Para tanto, nascia em 2006, numa união de esforços entre ACINP, Prefeitura Municipal e Faculdade Cenecista de Nova Petrópolis, a primeira Revista do Perfil Socioeconômico de Nova Petrópolis, projeto trabalhado através de uma comissão editorial e executiva integrada por profissionais e voluntários das três organizações. No decorrer das suas quatro edições, a revista foi evoluindo, passando a contemplar novas informações e aumentando gradualmente seu número de páginas. Na edição de 2013, o periódico foi totalmente reformulado, contando com novo layout, novos textos e fotos, sendo, também, impresso em papel reciclado. Para marcar os 10 anos da revista e sua 5ª edição, cabem muitos agradecimentos, pois a mesma somente foi viável graças a fortes parcerias. Fica, portanto, a sincera gratidão a todas as pessoas que integraram as comissões editoriais e executivas, às organizações que contribuíram com os dados, aos autores dos mais diversos textos, aos fotógrafos e também aos patrocinadores, cujo apoio foi fundamental para a sua concretização. Certamente, a Revista do Perfil Socioeconômico de Nova Petrópolis retrata, no decorrer destes 10 anos, o acentuado crescimento e o desenvolvimento do Município de Nova Petrópolis nos mais diversos setores, fruto de uma comunidade trabalhadora e de forte espírito associativista e empreendedor.

03


Foto: Alexandre Sornberger

Dados Gerais A Colônia Provincial de Nova Petrópolis

C

om o término da “Revolução Farroupilha” em 1845 e a reintegração da Província Gaúcha ao Império Brasileiro, tornou-se crucial sua reconstrução econômica. Além do comércio tradicional, tanto a base pastoril, como a policultura introduzida pelos imigrantes estavam em crise. Entendeu-se que o incremento de novos projetos de colonização com elementos estrangeiros poderiam solucionar os problemas no menor espaço de tempo. As mudanças na legislação permitiram ao Governo Provincial e à iniciativa particular aliar-se ao Governo Central na implementação de novos projetos. Assim, foram ocupadas todas as terras disponíveis nos vales dos grandes rios gaúchos e seus afluentes, bem como as encostas mais próximas. As próprias fazendas existentes anteriormente acabaram loteadas por seus proprietários para estabelecer imigrantes. Foi neste contexto histórico que aconteceu a fundação da “Colônia Provincial de Nova Petrópolis”, no dia 07 de Setembro de 1858. Tomando como parâmetros os rios Caí e Cadeia, que se julgavam navegáveis, a nova colônia foi localizada no extremo norte da “Colônia Alemã de São Leopoldo”, devendo estender-se até o limite das primeiras fazendas dos Campos de Cima da Serra. Em teoria, os dois rios serviriam como “estradas naturais” para escoamento da produção colonial rumo aos centros consumidores. A sede, hoje cidade de Nova Petrópolis, seria um grande entreposto comercial entre a serra e as regiões próximas à Capital. Os imigrantes aliciados na Europa procediam da Pomerânia Oriental, Saxônia, Reno / Palatinado e da Boêmia no Império Austro-Húngaro. A maioria era constituída de bons agricultores, mas também encontravam-se entre eles um bom número de artesãos vindos das manufaturas alemãs, dispensados pelas máquinas da Revolução Industrial incipiente. Dados Gerais Estes foram obrigados a reciclar-se Data da Colonização do Município 07/09/1858 para garantir a própria Data da Criação do Município 15/12/1954 sobrevivência. Também foi dado Data da Instalação do Município 28/2/1955 início às atividades fabris que Município de Origem São Sebastião do Caí e São Leopoldo acabaram somando com as lidas Gentíllico Nova-petropolitano agrícolas. Código do IBGE 4313201 As primeiras dificuldades Fonte: Prefeitura Municipal de Nova Petrópolis

04


econômicas da colônia surgiram com a falta de estradas para o escoamento da produção agrícola, já que, tanto o Rio Caí, quanto o Rio Cadeia não apresentam condições de navegabilidade no território colonial. As dificuldades para a construção de estradas nos terrenos montanhosos e a falta de recursos da Província, ainda ressentida com os efeitos da Revolução Farroupilha, criaram uma situação desesperadora, pois os produtos não chegavam aos mercados e os imigrantes tinham o compromisso de saldar seus débitos com o Governo em cinco anos. A situação melhorou quando “estradas carretáveis” foram abertas com o auxílio dos colonos que tinham seus débitos abatidos pelas horas de trabalho. Em pouco tempo, surgiu uma sólida estrutura comercial, englobando as casas de negócio, os carreteiros-transportadores e os “exportadores” situados junto ao Porto dos Guimarães, na atual cidade de São Sebastião do Caí. O transporte pelas carroças era feito por 60 a 80 km, seguindo-se a navegação até Porto Alegre. A redenção da colônia nas últimas décadas do Século XIX ocorreu com a construção da Rodovia Presidente Lucena, outro roteiro comercial que se apresentava: a produção levada até Novo Hamburgo podia ser embarcada nos trens de nossa primeira ferrovia e chegar a Porto Alegre. Nesta etapa da revolução econômica de Nova Petrópolis, desenvolveram-se outras iniciativas no setor coureiro-calçadista, moveleiro, produtos alimentícios, etc. O número de moinhos cresceu, pois a sua produção podia ser exportada. O mesmo aconteceu com as serrarias, ferrarias, selarias, etc. No ano de 1902, com a fundação da Caixa Rural Pioneira no Brasil, na localidade da Linha Imperial, solucionava-se a questão creditícia de forma solidária. Os frutos não tardaram a surgir. As iniciativas locais tinham caráter “revolucionário” para a época, como a criação da “Cooperativa de Banha”, onde a produção de gordura suína era industrializada para exportação a vários países da Europa. Um sistema telefônico moderno para a época, instalado também de forma cooperativa, ligava todas as comunidades do interior entre si e com a Central Telefônica Rio Grandense na cidade de São Sebastião do Caí. Assim era possível a comunicação telefônica com todas as regiões onde aquela multinacional atuava. Na mesma época, incrementava-se a vinda de “veranistas” durante o verão. Inicialmente, as casas de negócio ofereciam acomodações, mas também surgiram os Hotéis de Repouso ou Hospitais Hotel, com assistência médica. O exemplo clássico foi o Hospital Hotel “Petrópolis” do Dr. Müller von Milasch, na sede colonial. Destas iniciativas, surgiram, posteriormente, novos hotéis e hospedarias que recebiam “veranistas”. O turismo como tal, iria tomar forma com a construção das rodovias BR 116 e RS 235 na década de 1940, além da popularização dos veículos de passeio após a 2° Guerra Mundial. O movimento turístico incrementou o artesanato tradicional e várias iniciativas resgataram antigas tradições dos imigrantes. Nasceu, então, a indústria de malhas, que se destaca em todo o Rio Grande do Sul. O turismo cultural, opção posterior da comunidade, fundamentava-se no legado riquíssimo deixado pelos imigrantes e; hoje, fator preponderante na atração de visitantes. Apesar das suas condições de minifúndio, Nova Petrópolis Feriados municipais conseguiu adaptar suas atividades agrícolas às técnicas modernas. Para Sexta-Feira Santa Data Móvel tanto, contribuíram as entidades oficiais, especialmente a Cooperativa Piá, Data Móvel Corpus Christi implantada através de um conselho Brasil-Alemanha. Aproveitando a mão de Dia do Colono 25 de Julho obra excedente na colônia, várias indústrias localizaram-se no Município, Dia da Reforma 31 de Outubro garantindo assim, a permanência da população local no Município. Fonte: Prefeitura Municipal de Nova Petrópolis Conseguiu-se um admirável Índice de Desenvolvimento Social e Econômico (IDESE) equilíbrio entre diversos setores da Educação Renda Saúde IDESE economia, dando ao Município, Ano Índice Posição Índice Posição Índice Posição Índice Posição criado em 1955, condições de 2008 0,69 0,663 122º 0,817 255º 0,723 117º 83º enfrentar os desafios atuais. 2009 0,781 0,687 106º 0,816 275º 0,761 10º 55º 2010 0,767 0,717 0,818 287º 0,767 24º 84º 61º Texto: Renato Urbano Seibt 2011 0,804 0,735 0,83 0,79 8º 87º 234º 54º (Professor e Historiador) Texto originalmente publicado na primeira edição da Revista 2012 0,752 0,816 0,835 231º 0,801 7º 81º 47º Perfil Socioeconômico de Nova Petrópolis.

A posição do município refere-se ao ranking estadual. | Fonte: Fundação de Economia e Estatística, Dezembro/2015

05


Professor e Historiador Renato Urbano Seibt

O

professor e historiador Renato Urbano Seibt, filho de Rinaldo Seibt e Elisabeth Pirtouscheg Seibt, nasceu em Nova Petrópolis, no dia 20 de Janeiro de 1935. Foi aluno do primário (que correspondia ao Ensino Fundamental) no Colégio Padre Werner; deu continuidade nos estudos no Colégio Nossa Senhora do Carmo em Caxias do Sul e graduou-se em História pela Universidade de Caxias do Sul. Fundador da CNEC Local em 1960, até 1990 exerceu a profissão de professor no Colégio Cenecista Frederico Michaelsen. Foi presidente e membro da diretoria do Conselho Comunitário Local por diversas vezes, tendo atuado como tal até 1999. Liderou a compra das antigas dependências da escola e a aquisição da área que hoje abriga o Colégio Cenecista Frederico Michaelsen e a Faculdade Cenecista de Nova Petrópolis. Foi professor também na Escola Cenecista de Gramado e no Colégio Estadual Padre Werner de Nova Petrópolis e um dos fundadores da Universidade FEEVALE de Novo Hamburgo. Contava a História como se tivesse presenciado cada momento, sem a necessidade de utilização de nenhum livro didático, pois possuía imensa habilidade e conhecimento da causa. Sempre foi entusiasta na questão da imigração alemã, tendo sido um grande pesquisador da colonização, coletando dados e resgatando documentos. Preservou toda a questão cultural trazida pelos imigrantes a nossa região, integrou a comissão do então denominado “Processo Histórico de Nova Petrópolis” (importantíssimo projeto de resgate histórico e cultural do Município na década de 80) e trabalhou incansavelmente no museu e arquivo histórico do município. Sempre foi sócio ativo na Sociedade Tiro ao Alvo, inclusive, presidindo-a nos anos de 1975 a 1977. Participou também como membro do coral da mesma instituição, fundado no ano de 1962. Sua voz forte, grave e melodiosa era admirada por todos. Acompanhou a história de nosso município vivenciando importantes acontecimentos, como foi o caso da primeira eleição municipal em 1955. Integrou as comissões idealizadoras dos principais eventos e desfiles comemorativos do Município. Passava horas gravando "fitas cassetes" com músicas alemãs que eram reproduzidas no Parque Aldeia do Imigrante. Estava sempre presente nas horas cívicas, nos desfiles e nos principais eventos oficiais, pois era o responsável pelo som e reprodução dos Hinos. Apaixonado pelo cinema, foi sócio criador do Cine La Paloma em 1958, onde trazia aos munícipes filmes clássicos e documentários. Dedicou-se intensamente ao cinema e seu fechamento certamente lhe foi desolador. Mantinha um estúdio de gravação em sua própria casa, onde grupos musicais e coros de Nova Petrópolis e região gravavam Cds. Fez parte da Diretoria da Associação Theodor Amstad na qual ocupou o cargo de secretário desde 1999, período a partir do qual passou a escrever artigos em língua alemã para a revista Sankt Paulusblatt (única no Brasil publicada em língua alemã, editada em Nova Petrópolis e que comemorou 103 anos em 2015). Por cerca de 25 anos, foi colaborador do Jornal A Ponte, onde seus manuscritos encontram-se preservados. Por incontáveis anos, falou sobre assuntos históricos e pontuais na Rádio Imperial FM. A Rádio, inclusive, foi um sonho que Renato acalentou por muitos anos, tendo ele próprio sugerido o nome da emissora. Quanto às questões culturais, também apresentava um grande conhecimento da cultura Rio Grandense escrevendo artigos como Tropeiros da Serra e o Tropeirismo em Nova Petrópolis. Se procurarmos nos calendários de eventos de nosso município ou na internet, podemos verificar que

06


muitos artigos foram escritos e publicados por Renatão, como era conhecido popularmente. Foi grande incentivador e colaborador da Biblioteca Pública Municipal Elsa Hoffstäter da Silva, onde há inúmeras obras doadas por ele. No mês de outubro de 2011, a Escola Otto Hoffmann escolheu o professor Renato Urbano Seibt como patrono da sua Biblioteca. Participava ativamente do Grünenwald, onde desde 1943 senhores e rapazes se reuniam para falar em alemão e contar histórias da Segunda Guerra Mundial, preservando a tradição até os tempos atuais. Era uma das suas grandes alegrias encontrar os amigos aos domingos no Grünenwald, momentos acompanhados pela gastronomia típica alemã ou pelo churrasco, que tanto apreciava. Risos fraternos e saudosas melodias ecoavam pelas verdes matas... Trabalhou na Prefeitura Municipal recepcionando visitantes, transmitindo seu conhecimento através de palestras, realizando pesquisas e escrevendo centenas de textos em português e em alemão sobre os mais diversos assuntos históricos e culturais. Foi um dos idealizadores da Torre de Informações Turísticas, da Capela e do Cemitério Parque Vale da Esperança. Acompanhou com muita dedicação a construção do Parque Aldeia do Imigrante, especialmente a Aldeia Histórica, pela qual tinha grande afeição. Renatão possuía um imenso conhecimento sobre a história de nossos antepassados e tinha o dom de passá-la aos grupos aos quais pertencia. Embora existam livros que contam a história de Nova Petrópolis, era ele quem melhor dominava o assunto e, por isso, consultado por quem tivesse dúvidas a respeito. Ele era conhecido por muitos como “enciclopédia viva”. Contribuiu para esta revista com textos sobre a história e evolução da economia local por três edições. O texto de sua autoria que consta nesta edição foi originalmente publicado na primeira revista do Perfil Socioeconômico de Nova Petrópolis, em 2006. Renato Urbano Seibt faleceu no dia 14 de janeiro de 2015 e foi velado e sepultado no Cemitério Parque Vale da Esperança. O ato fúnebre foi acompanhado de grande cortejo e marcado por inúmeras e emocionantes mensagens de amigos. Foi homenageado em diversas tarefas da 9ª Gincana Municipal de Nova Petrópolis e durante a Semana da Pátria de 2015 por todas as escolas do nosso Município. Parte de suas memórias encontramse no Laboratório de história da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Quem o conheceu sabe, que pode ter morrido o homem, mas seguirá viva uma lenda. Texto: Sandra Rejane Wedig Franco (Gerente Executiva da ACINP)

07


Flora e Fauna de Nova Petrópolis

O

município de Nova Petrópolis está inserido no Bioma Mata Atlântica, que se estende desde o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul. Quanto à vegetação, predominam as florestas, estando o município inserido na região de transição de duas formações florestais distintas: a Floresta Estacional Decidual (Floresta Subtropical) e a Floresta Ombrófila Mista (Floresta com Araucária). Além disso, há grande influência da flora e fauna das florestas tropicais devido à proximidade com a região do Litoral Norte onde ocorre a Floresta Ombrófila Densa, ou seja, a Mata Atlântica propriamente dita. Até o momento, são conhecidas para o município, aproximadamente, 200 árvores nativas (de 535 árvores nativas do Rio Grande do Sul), não havendo um levantamento detalhado para outros hábitos (ervas, arbustos, epífitas, trepadeiras, etc). Merecem destaque pela sua abundância e importância, árvores nativas como pinheiro-brasileiro (Araucaria angustifolia), erva-mate (Ilex paraguariensis), canjerana (Cabralea canjerana), cedro (Cedrela fissilis), ipê-roxo (Handroanthus heptaphyllus), ipê-amarelo-da-serra (Handroanthus albus), várias espécies de canelas (Nectandra spp., Ocotea spp., etc) e diversas espécies da família Myrtaceae (pitangueira, cerejeira, guabirobeira, uvaia, camboins, guamirins, etc). Ocorrem ainda espécies ameaçadas e endêmicas (restritas a uma pequena região). Quanto à fauna, também não existe estudo detalhado para o município. No entanto, pode-se destacar a ocorrência de mamíferos como bugio-ruivo, macaco-prego, quati, irara, serelepe, jaguatirica, gato-mourisco, ouriço, cutia, mão-pelada, cachorro-do-mato, veado-mateiro, entre outros. Entre os répteis, destaque para o lagarto teiú pela abundância e a caninana, a maior cobra da região, além das cobras peçonhentas jararaca e cruzeira, entre outras. As florestas do município são ricas em espécies de aves, sendo algumas delas migratórias como corocochó, sabiá-ferreiro, sabiá-una e gavião-tesoura. Outras aves são residentes, como joão-de-barro, bem-te-vi, tico-tico, corruíra, diversas espécies de sabiás, saracura, inhambu, jacu, araquã, uru, gaviãocarrapateiro, entre várias outras. Texto: Martin Grings (Biólogo e Mestre em Biologia)

Localização, altitude e coordenadas O município localiza-se na encosta superior da Região Serrana do Nordeste do Rio Grande do Sul. 802 metros 604 metros 29º22'55'' S 51º11'29'' O

Altitude Máxima Altitude Média Latitude Longitude

Fonte: Secretaria de Planejamento, Coordenação de Trânsito e Habitação

Área 30,12 Km² 10,35% Área Urbana 260,98 Km² 89,65% Área Rural 291,1 Km² 100% Área Geográfica Total 65,4 hab/km² Densidade Demográfica Fonte: Secretaria de Planejamento, Coordenação de Trânsito e Habitação e Censo Demográfico IBGE 2010

Municípios Limítrofes Norte Leste Sul Oeste

08

Serelepe (Sciurus ingrami) Foto: Martin Grings

Caxias do Sul Gramado e Santa Maria do Herval Picada Café Linha Nova, Vale Real e Feliz

Fonte: Secretaria de Planejamento, Coordenação de Transito e Habitação


Foto: Adriana Monteiro Arrial

População Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) IDHM IDHM Educação IDHM Longevidade IDHM Renda IDHM - ranking no RS IDHM - ranking no Brasil

1991 0,589 0,382 0,788 0,680

2000 0,697 0,536 0,852 0,740

2010 0,780 0,688 0,890 0,775 14º 128º

2000 0,697 0,664 0,612

2010 0,780 0,746 0,727

Dados calculados com base nos Censos do IBGE Fonte: PNUD, IPEA e FJP

Comparativos de IDH Nova Petrópolis Rio Grande do Sul Brasil

1991 0,589 0,542 0,493

Dados calculados com base nos Censos do IBGE Fonte: PNUD, IPEA e FJP

Foto: Acervo Municipal

Longevidade, mortalidade e fecundidade Expectativa de vida ao nascer (em anos) Mortalidade infantil até 1 ano de idade (por mil nascidos vivos) Mortalidade infantil até 5 anos de idade (por mil nascidos vivos) Taxa de fecundidade (filhos por mulher)

1991 72,3 14,6 17,1 2,5

2000 76,1 12,3 14,3 2,1

2010 78,4 9,3 10,9 1,4

Longevidade Nova Petrópolis conquistou o título de município gaúcho com maior longevidade, possuindo uma expectativa de vida de 78,4 anos.

Dados calculados com base nos Censos do IBGE Fonte: PNUD, IPEA e FJP

09


Segmentação por gênero da população

Distribuição geográfica da população Área Urbana Área Rural 1970 2.794 10.429 1980 4.389 9.484 1991 8.343 8.424 2000 12.208 4.683 2010 14.134 4.911 Evolução no período 406% -53%

Homens Mulheres Total 6.443 6.780 13.223 1970 6.824 7.049 13.873 1980 8.307 8.460 16.767 1991 8.463 8.428 16.891 2000 9.675 9.370 19.045 2010 50% 38% 44% Evolução no período

Total 13.223 13.873 16.767 16.891 19.045 44%

Fonte: Censos Demográficos IBGE

Fonte: Censos Demográficos IBGE

Evolução da Proporção por Gênero da População

Distribuição Geográfica da População 2010

74,2%

2000

72,3%

1991

53% 25,8% 51,3% 50,8%

27,7%

49,8% 31,6%

1980

48,7%

68,4%

21,1%

1970

50,5%

50%

50,2%

49,5%

49,2%

50,8%

49,9% 50,1% 49,2%

78,9% 0%

25%

47% 50%

Área Urbana

75%

Área Rural

1970

1980

1991

100%

Homens

2000

2010

Mulheres

O Censo do IBGE é feito a cada dez anos, sendo o mais recente, realizado em 2010.

10

Foto: Miriana Stumpf Fotografia


Distribuição geográfica da população por genero Área

Homens

Mulheres

Total

Percentual

Urbana

6.851

7.283

14.134

74,21%

Rural

2.519

2.392

4.911

25,79%

Total

9.370

9.675

19.045

100,00%

Total 998 1.054 1.201 1.328 1.544 1.642 1.611 1.473 1.493 1.352 1.262 1.052 938 660 539 395 281 139 71 9 3 19.045

Percentual 5,24% 5,53% 6,31% 6,97% 8,11% 8,62% 8,46% 7,73% 7,84% 7,10% 6,63% 5,52% 4,93% 3,47% 2,83% 2,07% 1,48% 0,73% 0,37% 0,05% 0,02% 100%

Fonte: Censo Demográfico IBGE 2010

Faixa etária da população Homens 468 570 599 638 767 835 809 731 757 676 640 526 449 327 236 173 106 41 20 1 1 9.370

Faixa etária 0 a 4 anos 5 a 9 anos 10 a 14 anos 15 a 19 anos 20 a 24 anos 25 a 29 anos 30 a 34 anos 35 a 39 anos 40 a 44 anos 45 a 49 anos 50 a 54 anos 55 a 59 anos 60 a 64 anos 65 a 69 anos 70 a 74 anos 75 a 79 anos 80 a 84 anos 85 a 89 anos 90 a 94 anos 95 a 99 anos Mais de 100 anos Total

Mulheres 530 484 602 690 777 807 802 742 736 676 622 526 489 333 303 222 175 98 51 8 2 9.375

Fonte: Censo Demográfico IBGE 2010

Evolução da População do Município 20.000 19.000 18.000

17.753 18.023 17.254

18.307

18.563

18.860

19.132

19.389

19.675

20.141

20.146

20.561

20.989

17.517

17.000 16.000 15.000 2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2014

Estimativas populacionais calculadas pela Fundação de Economia e Estatística. Esta nova série é compatível com as projeções populacionais do IBGE (Revisão 2013), e não mais com os Censos Demográficos. A data de referência dos dados é 1º de julho dos respectivos anos. Outubro/2015

11


Eleitores Número de eleitores Homens Mulheres Total de eleitores

2011 2012 2013 2014 2015 7.720 49,12% 7.938 49,13% 7.976 49,13% 8.102 48,90% 8.097 48,87% 7.998 50,88% 8.220 50,87% 8.285 50,87% 8.468 51,10% 8.471 51,13% 15.718 16.158 16.261 16.570 16.568

Dados até 30 de setembro de 2015. Fonte: Tribunal Superior Eleitoral, Outubro/2015

Local de votação Local de votação Colégio Padre Werner – Centro

Número

Total

Percentual

de seções de Eleitores de Eleitores 9 20,65% 3.424

Colégio Cenecista Frederico Michaelsen – Centro

7

2.493

15,04%

Escola Estadual de Ensino Fundamental Piá – Bairro Piá

5

1.742

10,51%

Escola Estadual Primeiro de Maio – Fazenda Pirajá

4

1.330

8,02%

Sociedade Concórdia – Linha Imperial

3

1.127

6,80%

Centro Social e Cultural Pinhal Alto (Bolão) – Pinhal Alto

4

976

5,89%

Esc. Mun. Augusto Guilherme Gaedicke – Vale Verde

2

707

4,26%

Escola Técnica Bom Pastor – Linha Brasil

2

651

3,93%

Sociedade Cultural Esportiva – Linha Araripe

2

635

3,83%

Escola Otto Hoffmann (Antigo Local: Creche Lídia Braun) – Pousada da Neve

2

618

3,73%

Escola Municipal Luiz Loeser – Vila Olinda

2

542

3,27%

Sociedade União Fraternal – Treze Colônias

2

477

2,88%

Escola Municipal Pedro Beck Filho – Linha Temerária

1

360

2,17%

Sociedade Cantores Alegria – Nove Colônias

1

293

1,77%

Sociedade Irmandade – Linha Olinda

1

276

1,66%

Sociedade Recreativa e Esportiva – Tirol

1

225

1,36%

Associação Esportiva Canto Lira – São José do Caí

1

190

1,15%

Escola Municipal D. Pedro II – Linha Pirajá Baixa

1

126

0,76%

Escola de Primeiro Grau Inc. Castro Alves – Linha Riachuelo

1

119

0,72%

Sociedade Cultural Esportiva e Recreativa – Arroio Paixão

1

105

0,63%

Escola Municipal Tobias Barreto – Nova Harmonia

1

82

0,49%

Escola Municipal Lobo da Costa – São Jacó

1

81

0,49%

Total

54

16.579

100,00%

Fonte: Cartório Eleitoral de Nova Petrópolis, Outubro/2015

Foto: Miriana Stumpf Fotografia

13


Foto: Tatiana Shettert

Condutores, veículos e vias públicas Categoria de Habilitação dos Condutores

Número de condutores por habilitação 2010 Ano 121 A 1.880 AB 362 AC 472 AD 143 AE 5.244 B 500 C 367 D 102 E 9.191 Total Crescimento

2011 121 2.003 357 519 163 5.432 499 375 104 9.573 4,16%

2012 2013 2014 2015 102 108 104 105 2.154 2.308 2.440 2.497 362 370 381 384 594 617 560 643 195 212 187 211 5.697 5.972 6.195 6.365 497 495 490 484 388 393 413 416 107 105 110 115 10.047 10.542 10.967 11.220 4,95% 4,93% 4,03% 2,31%

0%

20%

40%

60%

80%

34,22%

A B C D E

78,98% 7,74%

9,44% 2,91%

Em 30 de setembro de 2015

Dados até 30 de setembro de 2015. Fonte: DETRAN RS, Outubro/2015

Frota em circulação Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015

Número de Veículos 11.224 11.896 12.653 13.689 14.413 14.802

Dados até 30 de setembro de 2015. Fontes: DETRAN RS e DENATRAN, Outubro/2015

14

Evolução da Frota de Veículos Crecimento

14.000

13.689

14.413

14.802

2013

2014

2015

12.653

5,99% 6,36% 8,19% 5,29% 2,70%

11.224

11.896

10.000

6.000 2010

2011

2012


Idade da Frota Faixa de idade Até 5 anos De 6 a 10 anos De 11 a 20 anos De 21 a 30 anos De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos Mais de 50 anos Sem informação Total

Quantidade 3.279 2.877 3.963 2.352 1.538 622 75 96 14.802

Idade da frota calculada com base no ano do modelo dos veículos. Dados até 30 de setembro de 2015. Fonte: DENATRAN, Outubro/2015

Arrecadação do IPVA Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015

Valor R$ 3.573.453,60 R$ 3.991.816,39 R$ 4.501.092,19 R$ 4.838.521,69 R$ 5.314.636,64 R$ 3.962.903,99

Veículos Categoria Automóvel Motocicleta Caminhonete Camioneta Caminhão Reboque Motoneta Semirreboque Utilitário Caminhão trator Ônibus Trator de rodas Micro-ônibus Ciclomotor Triciclo Outros Total

Quantidade 9.665 1.554 1.005 800 582 382 232 138 138 123 70 45 43 5 3 17 14.802

Percentual 65,30% 10,50% 6,79% 5,40% 3,93% 2,58% 1,57% 0,93% 0,93% 0,83% 0,47% 0,30% 0,29% 0,03% 0,02% 0,11% 100,00%

Dados até 30 de setembro de 2015. Fonte: DENATRAN, Outubro/2015

Do valor arrecadado, 50% é repassado ao município. Dados até 30 de setembro de 2015. Fonte: SEFAZ RS, Outubro/2015

Vias públicas Municipais Estaduais (RS 235) Vicinal VRS 327 - Linha Temerária Vicinal VRS 242 - Arroio Paixão Federais (BR 116)

Extensão 450 Km 24,3 Km 6,03 Km 2,05 Km 18,5 Km

Pavimentação 65 Km 24,3 Km 6,03 Km 2,05 Km 18,5 Km

Fonte: Secretaria de Planejamento, Coordenação de Trânsito e Habitação, Dezembro/2015 Foto: Miriana Stumpf Fotografia


Foto: Jei Heydt

Informações do Cadastro Imobiliário Nova Petrópolis e o apoio ao seu Patrimônio Histórico

N

ova Petrópolis ainda conserva um rico legado de suas origens germânicas, especialmente na arquitetura presente nas casas históricas, tanto no interior, quanto na sua sede. Atento ao valor histórico cultural destes bens, o Poder Público vem apoiando a manutenção destas edificações através de incentivos financeiros, previstos em Leis Específicas (Lei Municipal 4.044/2010 e posteriores). O apoio pode ser para aqueles bens inventariados e declarados de valor histórico. Para os imóveis localizados em zona urbana ocorre a isenção de IPTU e em zona rural um repasse de até R$ 3.000,00 (três mil reais), valor a ser empregado na recuperação e manutenção do imóvel, devidamente comprovado. Para serem beneficiados, os proprietários deverão fazer uma solicitação prévia junto a Prefeitura. Caberá ao Conselho Municipal de Cultura, a seleção e definição dos beneficiados, baseado em pareceres técnicos emitidos pela Equipe Técnica de Apoio a este Conselho. Os recursos disponíveis para este apoio são limitados e ainda insuficientes para manutenção destes bens históricos, porém tem se mostrado um incentivo à preservação. Segundo a declaração de um dos beneficiados de zona rural, “é o pontapé inicial para a recuperação daquilo que é nosso e um reconhecimento público do valor que tem nossa história”. Texto: Karin H. Brakemeier (Arquiteta e Urbanista, Membro do Conselho Municipal de Políticas Públicas Culturais e da Equipe Técnica de Apoio)

Ano Predial Territorial Total 2.467 8.509 2011 6.042 2.553 8.803 2012 6.250 2.644 9.117 2013 6.473 2.947 10.161 2014 7.214 3.868 11.409 2015 7.541

Projetos aprovados

ITBI

Cadastros de IPTU Ano

Qtde.

Ano

Área (m²)

2011

823

2011

64.500,73

2012

946

2012

75.755,61

2013

925

2013

67.284,32

2014

844

2014

139.169,99

2015

824

2015

76.318,77

Dados do ITBI e Projetos aprovados até 30 de novembro de 2015 . Fonte: Secretaria da Fazenda e Secretaria de Planejamento, Coordenação de Trânsito e Habitação, Dezembro/2015

16


Meios de Comunicação Revista Sankt Paulusblatt

Sankt

Fundação: 26 de fevereiro 1912 Periodicidade: mensal Tiragem: 1.200 exemplares

Jornal A Ponte Fundação: 10 de fevereiro de 1977 Periodicidade: semanal (quartas-feiras) Tiragem: 2.000 exemplares Abrangência: Nova Petrópolis e Picada Café

A Ponte

Jornal de Nova Petrópolis Fundação: 21 de agosto de 1991 Periodicidade: semanal (sextas-feiras) Tiragem: 3.000 exemplares Abrangência: Nova Petrópolis e Picada Café

Jornal Nossa Terra Fundação: 13 de novembro de 2003 Periodicidade: semanal (quintas-feiras) Tiragem: 4.000 exemplares Abrangência: Nova Petrópolis e Picada Café

Jornal O Diário Fundação: 24 de dezembro de 1992 Periodicidade: diário (segunda a sexta-feira) Tiragem: 13.450 exemplares Abrangência: Nova Petrópolis, Picada Café, Ivoti, Presidente Lucena, Lindolfo Collor, São José do Hortêncio, Linha Nova, Dois Irmãos, Morro Reuter, Santa Maria do Herval, Estância Velha e Novo Hamburgo

Rádio Imperial FM Fundação: 06 de outubro de 1989 Frequência: 104,5 FM Potência: 50 Quilowatts ERP

Rádio Comunitária Inova FM Fundação: 30 de maio de 2009 Frequência: 87.5 FM Potência: 25 Watts

17


Foto: Casa Cooperativa de Nova Petrópolis

Cooperativismo Cooperativas escolares

A

Casa Cooperativa de Nova Petrópolis é uma instituição sem fins lucrativos criada em 2011 por ocasião da irmandade entre Sunchales (Capital Nacional do Cooperativismo da Argentina) e Nova Petrópolis (Capital Nacional do Cooperativismo do Brasil). Os principais objetivos da Casa Cooperativa são a promoção da educação e da cultura do Cooperativismo e a divulgação do Título local de Capital Nacional do Cooperativismo. Por conta desses objetivos e das experiências de Sunchales, projetaram-se a construção das Cooperativas Escolares em Nova Petrópolis e região. Atualmente, existem oito Cooperativas Escolares no município. As Cooperativas Escolares são associações de estudantes de Ensino Fundamental e Médio que tem como foco a aprendizagem do Cooperativismo. Através delas são construídos saberes a partir da teoria e da prática. A ideia básica é preparar empreendedores cooperativos e cidadãos comprometidos com sua comunidade. No cotidiano dos jovens cooperativistas são aplicados os conhecimentos de sala de aula nas reuniões e oficinas de aprendizagem da Cooperativa. Já os resultados são conhecidos pelo comprometimento e liderança desses jovens cooperativistas na escola e na comunidade. Texto: Everaldo Marini (Professor, Mestre em Educação e Coordenador do Projeto das Cooperativas Escolares)

Cooperativas escolares Cooperativa

Escola Escola Bom Pastor Escola Estadual Padre Amstad Escola Estadual Piá Colégio Frederico Michaelsen Colégio Estadual Pe. Werner Escola Municipal A. G. Gaedicke Escola Municipal Bom Pastor Escola Municipal Otto Hoffmann

Cooebompa Cooeamstad Cooperpiá Cooperfred CooperWerner Coopergaedicke Cooebompa Júnior CooperOtto

Fonte: Casa Cooperativa de Nova Petrópolis, Dezembro/2015

18

Fundação

Número de Associados

18/11/2010 19/06/2012 26/06/2012 26/06/2012 15/07/2014 02/12/2014 18/11/2015 03/12/2015

130 associados 50 associados 42 associados 45 associados 46 associados 24 associados 16 associados 20 associados


Cooperativas Fundadas em Nova Petrópolis Nome

Ramo Agropecuária Cooperativa Piá Cooperativa Agropecuária Petrópolis Ltda. Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Pioneira da Serra Gaúcha Sicredi Pioneira RS Crédito Produção Cooperarte Cooperarte Cooperativa de Produção de Artesanato e Manufatura Serviços Cobomsul Cooperativa de Bombeiros da Região Sul

Instaladas em Nova Petrópolis Nome Sociedade Cooperativa de Serviços Médicos Ltda. Cooperativa dos Profissionais em Educação do Estado do RS

Unimed Coeducars

Ramo Saúde Educação

Fonte: Casa Cooperativa de Nova Petrópolis, Dezembro/2015

Principais Cooperativas de Nova Petrópolis Fundação Atuação Número de associados em Nova Petrópolis Total de associados Número de colaboradores em Nova Petrópolis

Sicredi Pioneira RS 28/12/1902 21 Municípios da Região 8.692 110.639 122

Cooperativa Piá 29/10/1967 85 Municípios da Região* 5.618 21.010 1.209

*Total de municípios na captação de leite e frutas. Fontes: Cooperativa Piá, Dezembro/2015 e Sicredi Pioneira RS, Outubro/2015

Foto: Vanessa Birk

19


Educação A Histórica Educação em Nova Petrópolis

O

s imigrantes trouxeram o hábito de serem letrados; e os descendentes mantiveram esta virtude. Hoje nos orgulhamos pelo reconhecimento nacional desta qualidade. A cultura se reflete em todos os setores de atividade. Um exemplo são as escolas e bibliotecas. O título de Cidade Leitora é resultado do bom uso da Biblioteca Municipal. Escola e Biblioteca são “irmãs gêmeas” inseparáveis. A atual biblioteca foi solenemente inaugurada em 24 de abril 1964 com o nome de Biblioteca Municipal Érico Veríssimo. Em 27 de fevereiro de 1994 foi rebatizada com o nome de uma pessoa mais ligada à cultura local, Professor Franz Hillebrand com seus alunos, em 1905 Professora Elsa Hofstätter da Silva. A formação e uso de bibliotecas foi sendo incentivado desde 1890 nos Congressos Católicos e nas Assembleias do Sínodo Riograndense da Igreja Luterana. Uma pequena mostra do hábito de leitura está na casa paroquial de Linha Imperial onde há alguns poucos livros com o registro manuscrito em letra gótica “Leseverein Imperial”, Clube de Leitura Imperial. A letra é de Franz Hillebrand, professor nesta localidade de 1887 até 1920. A atenção para com a cultura escolar em nosso município é exemplar desde a chegada dos imigrantes; havia a “Aula Pública” na Linha Brasil, desde 1904 a 1920, do mesmo professor Franz; ali já com o nome português de Francisco Hillebrand, porque o ensino era totalmente em língua portuguesa para preparar os jovens a participar da vida política nos setores públicos. Documentos comprobatórios desta escola são alguns cadernos de Pastor Paulo Evers com o Grupo Escolar Municipal, em 1938 presença de alunos, encontrados num baú da comunidade evangélica de Linha Brasil. Outro documento de valor patrimonial histórico da mesma escola é uma Ata de Exame com a presença do Conselho Escolar de Nova Petrópolis assim constituído: Alfredo Steglich, presidente, João Wazlawick, Augusto Feiten, Guilherme Thiele, Franz Thiele, Johann Kilb, August Stahl, Wenzel Wazlawick e Carlos Wazlawick. Consta o excelente aproveitamento dos alunos e a habilidade do professor. Com a saída do professor Hillebrand, a educação escolar em Linha Brasil continuou em 1922, com a vinda do jovem Pastor Paulo Evers. Ele liderou e dirigiu a escola comunitária "Gemeindeschule" que funcionava paralela à “Aula Pública”, desde 1898. Essa escola foi transformada no atual Colégio Bom Pastor. A dois quilômetros antes da Linha Brasil, na Volta Redonda, no Km 12 da RS 235, na margem esquerda do Arroio Pirajá, havia uma “Aula Particular” sob orientação da Prefeitura de São Sebastião do Caí. Merece ser Professor Rudolfo Neumann, em 1921 mencionada no histórico do desenvolvimento

20


Professora Elisabeth Pirtouscheg Seibt com seus alunos

educacional do município, porque seu fundador e professor, Reynaldo Ritter, foi um adolescente idealista de 17 anos que deu aula de 1917 até 1937. Era um autodidata, instrução adquirida com leitura de muitos livros de temas variados. Diz a neta dele, Tanara Coliselli, que mantinha diálogos com pessoas instruídas vindas da Alemanha. A herança educacional petropolitana desta escola está documentada por duas fotos do professor com seus alunos nesta localidade e outra na Linha Araripe, e num documento assinado pelo prefeito de São Sebastião do Caí, Sr. Egydio Michaelsen, nomeando o Sr. Alberto

Hillebrand, inspetor escolar. Um completo estudo sobre a história do ensino em Nova Petrópolis ainda precisa ser feito. Além destes professores, Francisco Hillebrand e Reynaldo Ritter, cada um com duas escolas, há o professor, imigrante, Frederico Michaelsen e a professora Elisabeth Pirtouscheg Seibt, com marcante história educacional no “Stadtplatz”, na sede do distrito. Em Linha Imperial, após a emigração de Franz Hillebrand para a Argentina em 1920, houve várias iniciativas com professores não formados, mas com um ou mais anos de estudo no Colégio dos Irmãos Maristas de Professor Reynaldo Ritter e seus alunos, Bom Princípio. na Linha Imperial, em 1927 Em 1934 veio o professor João Ervino Wollmeister, formado pela Escola Normal “Lehrer Seminar” de Hamburgo Velho - Novo Hamburgo - dirigido pelo “Volksverein” - Associação Popular do Rio Grande do Sul. Professor Wollmeister ficou até o final de 1948, deixando uma marca igual ao Franz Hillebrand, dando também aulas noturnas de educação complementar e atividades extraclasse, como ensaio de teatros para apresentação à comunidade, além de ser sacristão e organista da igreja. Depois do Prof. Wollmeister, foi professor na Escola São Lourenço de 1949 a 1951, o Sr. Cláudio Loebens, natural de Vera Cruz, com formação seminarística e Escola Normal de Guaporé, conforme informações da viúva Elly Grings. Em 1952, as Irmãs do Imaculado Coração de Maria formaram uma comunidade religiosa em substituição à Escola Paroquial. Esta congregação encerrou suas atividades e o Grupo Escolar do Estado, que já existia na localidade desde 1939, foi instalado ali em 16 de agosto de 1969. Texto: Ovídeo Hillebrand (Membro da Associação Nacional de Pesquisadores da História das Comunidades Teuto-Brasileiras)

Escolas Quantidade de Escolas Alunos na Educação Especial Alunos na Educação Infantil Alunos no Ensino Fundamental Alunos no Ensino Médio Alunos matriculados no NEEJA Total de alunos do município % de participação

Municipais 12 944 977 1.921 46,4%

Estaduais 5 975 433 60 1.468 35,4%

Particulares 4 71 92 156 434 753 18,2%

Total 21 71 1.036 2.108 867 60 4.142 100%

Fonte: Secretaria de Educação, Cultura e Desporto, Dezembro/2015

21


O Colégio Cenecista Frederico Michaelsen e Nova Petrópolis

O

Colégio Cenecista Frederico Michaelsen completou 55 anos em 2015. Na década de 60, os fundadores do Colégio perceberam que havia uma demanda da comunidade local que desejava seguir seus estudos e que a rede pública não possuía condições na época para atendê-la. Atentos a esta questão, é criado e organizado o Colégio Cenecista Frederico Michaelsen. É importante ressaltar que os recursos econômicos no período eram gerados pela própria comunidade através de festejos, contribuições simbólicas (visavam apenas o pagamento das despesas geradas) e sistema de bolsas financiadas pelo governo estadual (situação que não perdurou por muito tempo). Alguns professores da época contam que, nos primeiros anos, não havia salário, mas "vales" para poderem comprar no comércio local. Afirmam que não desistiram de lecionar, pois a causa e o ideal eram maiores. Certamente, foram contagiados pelo ideal do fundador da CNEC Professor Felipe Tiago Gomes. O tempo passou e as mudanças ocorreram, mas a partir do final da década de 90 e, mais especificamente, a partir do ano 2000, a CNEC posicionou-se como Rede exigindo uma postura mais administrativa do Colégio (sendo agora considerado Unidade), pois ela própria, também, estava mudando sua forma de ser e agir no cenário educacional. Neste sentido, a Unidade de Nova Petrópolis modificou-se principalmente com a criação da FACENP em 2004. A partir daí, diversas ações foram realizadas. Inicialmente, os colaboradores (professores e funcionários de todos os setores) foram informados a respeito das mudanças que estavam acontecendo. O ideal cenecista permanecia, mas era necessário ter viabilidade econômica para manter-se em um mercado cada vez mais competitivo. Portanto, atender bem e realizar um trabalho de qualidade competiam a todos que trabalhavam na Unidade. A formação acadêmica dos docentes que já era incentivada e exigida passou a ter prioridade maior, assim como a capacitação dos demais colaboradores, realizada internamente ou através da Rede em reuniões e cursos específicos. As questões envolvendo sindicatos (patronal e do trabalhador) passaram a ser observadas com maior rigor por ambas as partes, pois, para cada direito, há um dever. A Unidade de Nova Petrópolis busca ser mais justa socialmente, pois, com o programa de concessão de bolsas e o aumento da migração da população em nosso país (consequentemente em nossa cidade), recebemos alunos com diferentes realidades sociais, econômicas e culturais, objetivando acolhê-los da maneira mais adequada. Também busca desenvolver a consciência e atitudes concretas na comunidade escolar em relação aos cuidados com o meio ambiente e relação destes cuidados com a viabilidade econômica da Unidade e a vida de cada ser humano. Texto: Rubia Andréa Schaefer (Professora da FACENP)


Faculdade Cenecista de Nova Petrópolis - FACENP Cursos presenciais Alunos Cursos à distância Alunos 36 Processos Gerencias 87 Administração 13 Recursos Humanos 48 Ciências Contábeis 49 135 Total Total

Foto: FotoCriando | Roberta Bratz

Fonte: Faculdade Cenecista de Nova Petrópolis, Dezembro/2015

Associação dos Universitários de Nova Petrópolis - AUNP Curso Direito Educação Física Arquitetura e Urbanismo Psicologia Administração de Empresas Pedagogia Design História Engenharia Mecânica Ciências Biológicas Fisioterapia Ciências Contábeis Engenharia Civil Publicidade e Propaganda Relações Públicas Engenharia Química Comércio Internacional Gestão Financeira Nutrição Biomedicina Ciências Econômicas Farmácia Medicina Veterinária Engenharia de Alimentos Artes Visuais Engenharia de Produção

Alunos 34 32 31 27 26 19 18 17 15 14 14 11 11 11 11 10 9 8 8 7 7 7 7 6 5 5

Curso Alunos Curso Alunos 5 2 Engenharia Elétrica Sistemas de Informação 5 2 Gestão Comercial Tecnologia em Eventos 5 1 Matemática Artes Plásticas 5 1 Moda Automação Industrial 4 1 Agronomia Ciências Jurídicas 4 1 Biologia Comunic. Social – Jornalismo 4 1 Enfermagem Comunic. Social – Public. e Prop. 4 1 Engenharia da Computação Comunic. Social – Rel. Públicas 4 1 Estética Aplicada Engenharia de Contr. e Automação 4 1 Fotografia Engenharia de Energia 4 1 Geologia Gastronomia 4 1 Letras Gestão Ambiental 3 1 Adm. de Empresas – Ênf. em Comex Gestão em RH Design de Moda 3 1 Inglês Engenharia Ambiental 3 1 Letras – português/espanhol Engenharia Eletrônica 3 1 Marketing e suas tecnologias Gestão de Produção 3 1 Marketing Empresarial Letras – português/inglês 3 1 Medicina Tecnologia em Comércio Exterior 3 1 Negócios Imobiliários Tecnologia em Estética 3 1 Secretariado Executivo Bilingue Ciência da Computação 2 1 Tec. em Design de Interiores Economia 2 1 Tec. em Jogos Digitais Jornalismo 2 1 Tec. em Segurança da Inform. Logística 2 483 Total Processos Gerenciais 2 Quiropraxia 2

Contabilizados estudantes associados que frequentam as seguintes Universidades: UCS Caxias do Sul, UCS Canela, Feevale, Unisinos e Ulbra Fonte: Associação dos Universitários de Nova Petrópolis, Dezembro/2015

23


Cultura Formação Cultural de Nova Petrópolis

Q

uem, como eu, com mais de setenta anos, viveu 90% desse tempo, na cidade em que nasceu, no meu caso Nova Petrópolis, a poucos metros da casa paterna, consegue constatar que as grandes transformações que este lugar sofreu (como aconteceu com muitos Municípios) não apagaram aqui o espírito, aquele costume de conjuntos e de pequenos detalhes, que a nós, Nova-petropolitanos, marcaram desde nossa infância. São, por exemplo, comemorações, como o dia da inauguração da igreja, a comemoração do advento, a árvore de Natal, que traz em baixo de seus galhos um belo presépio, o hábito de visitar os parentes e amigos para admirar esse presépio, não esquecendo os “Bunte Doss”, biscoitos que cada família fazia em casa, “pintando-os” com açúcar colorido. As comemorações citadas continuam acontecendo, como outras tantas, que se mantiveram, é claro que, com menos intensidade, mas com muito amor. São costumes que revelam nossa origem alemã – costumes do qual brotou, lenta, mas firmemente este lindo Município, com um povo que sempre honrou sua pátria com gratidão pelo abrigo que aqui recebeu, quando familiares tiveram que abandonar suas casas paternas além-mar. Foi sua fé que os fortalecia e os mantinham criativos. Por isso, hoje as tantas pessoas que procuram nosso município para aqui se estabelecerem, nos dizem, “como é bom morar aqui! Que lugar tão lindo”. Isso nos deixa vaidosos. As contribuições que os novos cidadãos nos trazem são muito importantes, como é importante também se inserirem e contribuírem para que o Município se mantenha pujante. Texto: Gessy Deppe (Professora)

Dados gerais Corais Bandinhas Típicas e Conjuntos Musicais Grupos Instrumentais Banda Municipal Orquestra de Sopros Grupos de Danças Folc. Alemãs - Infantis Grupos de Danças Folc. Alemãs - Adultos Grupos de Danças Folc. Alemãs - Melhor Idade Grupos de Danças Gauchescas - Adulto Grupos de Danças Gauchescas - Infantil Grupos de Danças Contemporâneas Grupos de Artes Marciais Grupos de Teatro Biblioteca Pública Municipal Arquivo Histórico Museus Históricos

51 11 6 1 1 9 8 1 1 1 2 2 1 1 1 5

Fonte: Secretaria de Educação, Cultura e Desporto, Outubro/2015

24

Foto: Jei Heydt


Museus Museu Caixa Rural – Museu Sicredi No Parque Aldeia do Imigrante, na Aldeia Histórica encontra-se o Museu Sicredi ou Caixa Rural, com fotos, móveis e maquinários utilizados nos primórdios da cooperativa. A casa foi o primeiro prédio da “Sparkasse”, também conhecida como Caixa Rural e funcionou por 30 anos.

Museu Pastor Paulo Evers Em homenagem ao Pastor Paulo Evers, inaugurou-se, em 16 de setembro de 2006, o Museu Pastor Paulo Evers. O Museu foi criado numa casa enxaimel, doada pela família Giuseppe Repetto e Jóice Maria Maluf Repetto, localizandose na Linha Brasil. Posteriormente, a casa foi reconstruída no pátio da Escola Bom Pastor em parceria com o CPM da Escola e Prefeitura Municipal.

Museu Histórico Municipal O Museu está instalado e construído em técnica enxaimel, que antigamente servia como casa do médico e hospital. Retirado da esquina da Praça da República, onde hoje se encontra o prédio do Banrisul, foi trazido para a Aldeia do Imigrante em 1990 e inaugurado em 25 de julho de 2002, com peças doadas pela comunidade de Nova Petrópolis.

Museu de Família Alberto Hillebrand O Museu situa-se na RS 235, Km 12, na Linha Imperial e pertence ao casal Ovídio e Adélia Hillebrand. A história do Museu é muito interessante, pois, por hábito e por necessidade, a família Hillebrand, por várias gerações, guardou utensílios, livros, documentos, etc., o que proporcionou o acesso a um rico acervo que caracteriza e prova sua maneira de viver e pensar dos antepassados.

Museu Comunitário do Pinhal Alto Inaugurado em 22 de março de 2009, o Museu Comunitário do Pinhal Alto é uma obra muito importante para a comunidade e foi concretizada graças a colaboração de diversas famílias da localidade. A casa em enxaimel pertencia à família Wickert, sendo atualmente cedida para a Associação de Moradores de Pinhal Alto.

Memorial Padre Amstad Situado na localidade de Linha Imperial, interior de Nova Petrópolis, o memorial Padre Amstad é um espaço destinado à história da cooperativa SICREDI Pioneira RS. Na localidade, em 1902, nasceu a primeira cooperativa de crédito da América Latina, fato este que justifica o título de Capital Nacional do Cooperativismo.

25


Turismo Nova Petrópolis, Simplesmente Germânica!

O

turismo é uma das atividades mais modernas e atrativas da economia globalizada e que vem sendo alvo de grandes investimentos em todo o mundo. Com tudo isso, a Serra Gaúcha vem se consolidando cada vez mais entre os principais destinos turísticos do Brasil. Nova Petrópolis trabalha para isso também, através de uma parceria muito forte com as cidades vizinhas, iniciativa privada local com a ACINP/Fundo de Turismo e futuros investidores. Nova Petrópolis pode ser considerada um pedacinho da Europa em solo brasileiro onde a população fala ainda o idioma germânico. As bandinhas acolhem a todos com sua alegria contagiante, mostrando o sopro da vida e da alegria de viver. A paisagem tira o fôlego, mas a hospitalidade devolve. Basta subir a Serra para vivenciar um descortinar de lindas paisagens, um lindo raiar do sol, neblinas e até neves. Os jardins são floridos o ano inteiro, o que faz com que a cidade ofereça turismo nas quatro estações do ano. As levezas dos plátanos misturadas ao colorido das hortênsias e azaleias fazem uma mistura com as mais diversas flores e cores. É a alma florescendo nas quatro estações renovando o ciclo da vida e que concede a Nova Petrópolis o título de Jardim da Serra Gaúcha. Podem-se observar, em cada estação, cenários diferentes. É uma sensação de paraíso, em que a natureza orquestra numa sinfonia com a participação dos cantos dos pássaros e o assovio dos ventos. A pequena e bela Nova Petrópolis oferece cultura, gastronomia, hospedagem, aventura, caminhadas, trilhas, belezas naturais que proporcionam uma visão única da região. Nova Petrópolis é um verdadeiro deleite para os amantes da natureza que, por sua vez, é pródiga com temperaturas negativas no inverno, podendo chegar a 30 graus no verão, com as estações bem definidas. A cidade oferece lazer e diversão para todas as idades. Vale ressaltar que uma cooperativa de crédito nasceu da vanguarda de Padre Theodor Amstad e logo se transformou na primeira cooperativa de crédito da América Latina. O sistema cooperativista está a olhos vistos. Assim, a comunidade unida, faz da vida uma verdadeira fraternidade entre os povos, da pequena cidade de 19 mil habitantes. Hoje Nova Petrópolis é conhecida como a Capital Nacional do Cooperativismo e demonstra a sua pujança econômica, também através das malharias, das fábricas de calçados e móveis, indústria de laticínios e serviços. Com tudo isso, Nova Petrópolis apresenta todo um potencial natural, cultural e histórico, o posicionamento geográfico e sua infraestrutura urbana, apresentam as melhores condições para o desenvolvimento do Turismo. A cidade apresenta um crescimento e integra-se competitivamente com os destinos consolidados no Rio Grande do Sul. Entretanto, por mais promissora que seja esta atividade econômica, se não for muito bem planejada e gerenciada, seus resultados poderão ser reduzidos e, até mesmo, prejudicados do ponto de vista da sustentabilidade ambiental, sociocultural e econômica. Texto: Daniel Sampaio Camargo (Secretário de Turismo, Indústria e Comércio)

26

Foto: Margarida Neumann


Atrativos turísticos Parque Aldeia do Imigrante Criado em 1985 e contando com uma área de 10 hectares, o Parque Aldeia do Imigrante visa preservar a história da imigração e também a manutenção de um espaço para a contemplação da flora e fauna da região. Possui uma aldeia histórica, formada por prédios em estilo enxaimel trazidos de diversas localidades do município, apresentando a estrutura de uma aldeia de imigrantes entre os anos de 1870 e 1910. Conta, também, com vários pontos de venda de artesanato, malhas, souveniers, restaurante e um coreto para apresentações culturais.

Central de Informações Turísticas As boas vindas aos visitantes de Nova Petrópolis são dadas por um prédio em estilo medieval: a Torre de Informações. Uma construção de 25 metros de altura localizada no entroncamento da BR 116 com a RS 235. Aberto diariamente das 8h às 18h, este cartão postal tem entrada franca, e para começar bem, o visitante já tem a oportunidade de vislumbrar as primeiras paisagens do Jardim da Serra Gaúcha.

Praça das Flores O nome oficial é Praça da República, mas a característica marcante deste espaço fez com que fosse rebatizada para Praça das Flores. Localizada no coração de Nova Petrópolis, além de seus belíssimos e coloridos canteiros de flores que mudam conforme a estação, a Praça das Flores tem em seu interior, árvores frondosas que tornam as tardes agradáveis e sonoras ao abrigar dezenas de pássaros em seus galhos.

Labirinto Verde Localizado na Praça das Flores, o Labirinto Verde é formado por ciprestes plantados em círculos, dando passagem para a chegada ao centro, após percorrer cerca de 300 metros. São cuidadosamente cortados formando uma “cerca viva”. Proporciona uma oportunidade para brincar, perder-se e encontrar-se em meio à natureza, e resgatar os tempos de infância. Não possui cobrança de ingresso.

Monumento ao Cooperativismo Também situado na Praça das Flores, simboliza a essência dos ideais cooperativistas: trabalho, união e força cooperativa. O mesmo também é uma homenagem à Capital Nacional do Cooperativismo e ao centenário da 1ª Cooperativa de Crédito do Brasil (1902-2002).

Ninho das Águias Numa altitude de 720 metros, situado a noroeste de Nova Petrópolis, o local tem acesso pelo Km 181 da BR 116. Este atrativo é um mirante natural de beleza ímpar e perfeito para a prática do voo livre ou para simplesmente apreciar a vista panorâmica de 270 graus da região e do Vale do Caí, enquanto se observa um pôr do sol sem igual. O Ninho das Águias é uma obra prima da natureza e prova que realmente a beleza e a grandiosidade residem nas coisas simples.

27


Atrativos turísticos Moinho Rasche Após ser totalmente restaurado, foi reinaugurado em maio de 2008. Aberto diariamente à visitação e com entrada franca, o moinho tem como destaque uma pedra mó, além de todos os demais equipamentos de um moinho colonial. Demonstra a evolução tecnológica dos meios de produção e manufatura.

Morro Mallakoff Localizado na Linha Brasil, o Mallakoff tem paredões de pedra basáltica de mais de 100 metros de altura. Apesar de difícil acesso, é propício para escalada. Localiza-se em uma área repleta de mata nativa com diversas trilhas, em um total de 16 hectares. As trilhas são realizadas principalmente no verão e necessitam de acompanhamento de guia.

Praça Padre Theodor Amstad A Praça Padre Theodor Amstad é uma homenagem ao iniciador do Cooperativismo Brasileiro. Localiza-se na comunidade da Linha Imperial, em frente à Igreja São Lourenço Mártir. Ao lado da igreja também encontra-se o túmulo do Padre Amstad. No início do século XX, Pe. Amstad percorreu mais de 6 mil quilômetros em lombo de mulas, levando as ideias do cooperativismo aos colonos do Rio Grande do Sul.

Pinheiro Multissecular O Pinheiro Multissecular é um atrativo natural localizado na comunidade da Linha Imperial. Sua altura é de 45 metros e sua espessura equivale ao círculo feito por nove crianças de mãos dadas. Segundo especialistas, esta araucária possui mais de 500 anos de vida, tendo sido testemunha de todos os acontecimentos significativos desta região durante cinco séculos.

Portal Jardim da Serra Gaúcha Se uma torre medieval marca a entrada em Nova Petrópolis vinda pela BR 116, há um Portal quando se chega vindo da região de Gramado. O Portal da Serra Gaúcha é uma edificação que transpõe a RS 235, tendo uma imagem panorâmica com uma torre e do outro lado um mirante, ligados por uma ponte, que possibilita ótimas recordações fotográficas.

Esculturas Parque Pedras do Silêncio Situado na Linha Brasil, o Parque Pedras do Silêncio apresenta a história e a cultura da imigração germânica de Nova Petrópolis através da beleza e arte da escultura em pedra. Dispostas em uma composição de vegetação nativa e paisagismo, as esculturas representam as profissões, costumes e tradições, além das faces de vários imigrantes.

Galeria de Arte Casa Amarela É um espaço onde artistas da Serra Gaúcha têm a oportunidade de exporem suas obras, torná-las conhecidas e comercializá-las. A sede do conjunto, de 1940, está tombada e registra o nome do seu primeiro proprietário. No outro extremo, sobre a RS 235, há três casas de enxaimel (Fachwerkhaus) de 1860, 1875 e 1880, um paradigma do sistema construtivo da imigração alemã no Rio Grande do Sul.

28


Câmara de Vereadores O Município de Nova Petrópolis foi solenemente instalado no dia 28 de fevereiro de 1955, na Sociedade Cultural Recreativa Tiro ao Alvo, através da Lei Estadual nº 2.518, de 15 de dezembro de 1954. Desde então, 15 legislaturas se passaram, totalizando 79 vereadores até o momento. Entre os vereadores, anualmente é eleita a Mesa Diretora, que, segundo o Regimento Interno, é composta por Presidente, 1º e 2º Vice Presidentes e 1º e 2º Secretários. Cabe ao Presidente, que é o representante legal da Câmara de Vereadores, a função administrativa e diretiva de todas as atividades internas. Na sua história, os vereadores da tabela abaixo assumiram a Presidência da Casa Legislativa: Ano

Presidente da Camara

Ano Presidente da Camara

Ano Presidente da Camara

1955

Hugo Wedig

1971

Albano Michaelsen

1987

Geraldo Werle

Ano Presidente da Camara 2003

Jorge Luiz Lüdke

1956

Hugo Wedig

1972

Albano Michaelsen

1988

Geraldo Werle

2004

Jorge Darlei Wolf

1957

Hugo Wedig

1973

Eugênio Spier

1989

Rubem Kirchner

2005

Jorge Luiz Lüdke

1958

Edgar Spier II

1974

Eugênio Spier

1990

Lari Orgélio Nienow

2006

Jorge Darlei Wolf

1959

Reinoldo Krauspenhar

1975

Albano Hansen

1991

Erio Seefeld

2007

Daniel Carlos Michaelsen

1960

Edgar Spier II

1976

Artêmio Arnold

1992

Irineu Schwantes

2008

Jorge Darlei Wolf

1961

Edgar Spier II

1977

Lotário Dahmer

1993

Lari Orgélio Nienow

2009

Jorge Darlei Wolf

1962

Edgar Spier II

1978

Lotário Dahmer

1994

Edécio Haas

2010

Jerônimo Stahl Pinto

1963

Albano Hansen

1979

Pedro Canísio Knorst

1995

Enio Spier

2011

Jorge Darlei Wolf

1964

Albino Neumann

1980

Pedro Canísio Knorst

1996

Lari Orgélio Nienow

2012

Pascoal Grings

1965

João Sander Sobrinho

1981

Artêmio Arnold

1997

Albano Voltz

2013

Jorge Luiz Lüdke

1966

Albino Neumann

1982

Artêmio Arnold

1998

Walter Seger

2014 Charles Eloir Luedke Paetzinger

1967

Albino Neumann

1983

Eugênio Spier

1999

Albano Voltz

2015

Jerônimo Stahl Pinto

1968

Eugênio Spier

1984

Eugênio Spier

2000

Elisabeth Christina Seibt

2016

Jorge Nestor Michaelsen

1969

Eugênio Spier

1985

Harson Braun

2001

Daniel Carlos Michaelsen

1970

Albano Michaelsen

1986

Harson Braun

2002

Régis Luiz Hahn

As sessões ordinárias, de apreciação de projetos e proposições (pedidos dos vereadores), acontecem às quintas-feiras, a partir das 19 horas. A condução dos trabalhos das sessões é de responsabilidade do Presidente da Mesa Diretora e divide-se nas seguintes partes: - Grande expediente: onde são lidas as correspondências, apresentados os novos projetos e proposições. Neste espaço, os vereadores argumentam sobre os projetos e/ou proposições e defendem os seus pedidos; - Discussão da Pauta: onde constam os projetos e proposições que já estão tramitando na Câmara de Vereadores, mas que ainda não estão em votação; - Ordem do Dia: onde são votados os projetos e proposições que já passaram pelas etapas anteriores e estão aptos para apreciação dos vereadores. - Explicações pessoais: onde os assuntos tratados são de livre escolha dos vereadores. Nestes 60 anos do Município, inúmeros foram os projetos e proposições apreciados e votados pelos vereadores, sendo que tudo está registrado em atas. Todo este arquivo encontra-se aberto para consultas na sede da Câmara Municipal de Vereadores.


Nova Petrópolis completa 60 anos de história e progresso Município ostenta o título de Capital Nacional do Cooperativismo e Jardim da Serra Gaúcha ova Petrópolis, o Jardim da Serra Gaúcha, completou 60 anos de emancipação político-administrativa no dia 28 de fevereiro de 2015. As comemorações de aniversário da cidade, que ostenta o título de Capital Nacional do Cooperativismo, tiveram início na cidade de São Sebastião do Caí e foram perpetuadas ao longo de todo ano de 2015, conferindo ainda mais brilho a eventos como Festimalha, Festival Internacional de Folclore, Magia da Páscoa, Festival Sabores da Colônia, Festival da Primavera - Frühlingsfest e Natal no Jardim da Serra Gaúcha. As festividades alusivas aos 60 anos de Nova Petrópolis iniciaram no dia 15 de dezembro de 2014, data na qual Nova Petrópolis foi oficialmente emancipada do Município de São Sebastião do Caí. Por esse motivo, a Administração Municipal escolheu São Sebastião do Caí para realizar o primeiro ato de comemoração dos 60 anos, no qual uma comitiva formada pelo prefeito de Nova Petrópolis, Regis Luiz Hahn, secretários municipais, vereadores e membros de entidades, se reuniu com autoridades de São Sebastião do Caí. Após a solenidade, a comitiva retornou a Nova Petrópolis, onde foi recebida por uma bandinha típica alemã na Torre de Informações, ato que marcou o início de um desfile comemorativo até a Praça das Flores. Em frente ao Portal Verde da Imigração, foi realizada uma solenidade que contou com a apresentação da logomarca dos 60 anos de Emancipação de Nova Petrópolis, além do descerramento de uma placa em homenagem ao aniversário, realizado pelo prefeito, Regis Luiz Hahn, e pelo ex-prefeito, Siegfried Drechsler. Na oportunidade, os integrantes da Comissão Emancipacionista de Nova Petrópolis, Evaldo Michaelsen, Mauro Vargas e Arlindo Deppe, representados, respectivamente, por Ingrid Deppe, Maria Spier Vargas e Beatriz Deppe, foram homenageados. O prefeito Regis Luiz Hahn ressaltou o esforço dos fundadores do Município. “Nova Petrópolis foi posta no mapa por um grupo de visionários, pessoas com atitude e coragem, que enfrentaram muitos desafios. Nosso compromisso é deixar um legado tão valioso quanto o que nos foi deixado por aqueles que emanciparam esse Município”, destacou. O último ato do dia de comemorações ocorreu na Rua Coberta, com a apresentação da Orquestra Eintracht, reforçada pelo músico Hique Gomez, em um show inesquecível. Após os festejos de 60 anos de sua emancipação política, realizadas em dezembro de 2014, Nova Petrópolis teve um dia inteiro de programação especial em 28 de fevereiro de 2015, data que marcou os 60 anos de instalação do Município. A grande festa de aniversário de Nova Petrópolis teve Alvorada Festiva; Celebração Ecumênica; Inauguração da Galeria dos Prefeitos e apresentações culturais de grupos locais.

N

Festividades alusivas aos 60 anos iniciaram em São Sebastião do Caí

Desfile comemorativo iniciou na Torre de Informações e seguiu até a Praça das Flores

Orquestra Eintracht e músico Hique Gomez abrilhantaram o aniversário do Município

Selo comemorativo aos 60 anos foi lançado dia 15 de dezembro de 2014 Fotos: Marcelo Moura


Um ano de festividades

Galeria dos Prefeitos foi inaugurada durante a celebração dos 60 anos Foto: Marcelo Moura

Chimarruts e Acústicos & Valvulados fizeram grande show em comemoração ao aniversário de Nova Petrópolis Fotos: Divulgação SETUR/NP

60 Anos de Emancipação

Os 60 Anos da Capital Nacional do Cooperativismo e Jardim da Serra Gaúcha foram celebrados em Sessão Solene realizada pela Câmara Municipal de Vereadores para brindar o aniversário do Município. O cerimônia, proposta pelo vereador Jorge Michaelsen, ocorreu no Plenarinho, dia 27 de fevereiro de 2015. Nova Petrópolis também foi homenageada pelos seus 60 anos na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, dia 17 de março de 2015. Durante a sessão especial proposta pelo deputado Estadual Elton Weber, autoridades de Nova Petrópolis receberam uma placa em homenagem aos 60 anos do Município. A homenagem foi realizada no Plenário 20 de Setembro. Além disso, todas as atividades do calendário oficial de eventos do Município foram alusivas aos 60 anos de Nova Petrópolis. Gincana Municipal, Festimalha, Festival Internacional de Folclore, Magia da Páscoa, Festival Sabores da Colônia, Festival da Primavera – Frühlingsfest, Natal no Jardim da Serra Gaúcha, Chá das Primeiras e Segundas-Damas, dentre outros, contemplaram, em suas programações, homenagens aos 60 anos de Nova Petrópolis.

Há mais de 150 anos era criada a Colônia Provincial de Nova Petrópolis. “E valentes os bravos lutaram com sua fé e ardor varonil”. Há 60 anos, grandes homens perceberam que esta terra querida estava com as características necessárias para ser algo mais. Dia 1º de outubro de 1953, na sede da Sociedade Recreativa Tiro ao Alvo de Nova Petrópolis, reuniram-se alguns moradores do Distrito de Nova Petrópolis, Município de São Sebastião do Caí, com a finalidade de organizar uma comissão para a emancipação deste distrito.

Formavam a comissão: Ewaldo Michaelsen, Arlindo Deppe e Mauro Vargas, todos eleitores, residentes neste distrito. Em 15 de dezembro de 1954, o Governador Ernesto Dornelles assinou a lei que emancipava Nova Petrópolis. Em 28 de fevereiro de 1955 era instalado o Município, sendo Lino Grings o primeiro prefeito.

“NovaPetrópolis, nós te saudamos Neste dia de glória e prazer Nosso canto a ti dedicamos O teu nome a enaltecer”

“O aniversário de 60 anos de Nova Petrópolis foi agraciado com homenagens dignas a todos os colaboradores que, de alguma forma, participaram da linda jornada trilhada até os dias atuais. Temos um povo trabalhador, perseverante e empenhado em cultivar nossas tradições e nossa cultura. Temos um povo que exige respeito e que acompanha nossas obras, eventos e demais realizações, acreditando no constante progresso de Nova Petrópolis. Muito foi feito em todos estes anos que rememoramos ao comemorar seis décadas. Muito ainda há o que ser feito. Um grande legado foi deixado pelos que me antecederam. Em meu mandato, tenho trabalhado para responder às expectativas da comunidade. Como prefeito “desta linda joia do grande Brasil”, pude perceber o quão especial é ser prefeito. Como é bom contribuir e atender aos anseios do povo. Realizamos diversas pavimentações, fizemos obras importantes, criamos novos eventos e aperfeiçoamos outros, incentivamos nossas entidades, cuidamos da nossa cidade. É muito gratificante ver o reconhecimento que Nova Petrópolis conquistou. Contribuir para a história vitoriosa desse Município é uma honra para mim, como prefeito”, destacou o prefeito de Nova Petrópolis, Regis Luiz Hahn.

Prefeito de Nova Petrópolis, Regis Luiz Hahn Foto: Mauro Stoffel


REVISTA PERFIL SOCIOECONÔMICO DE NOVA PETRÓPOLIS:

Há 10 anos registrando o crescimento social e econômico do município Número de veículos e condutores O número de veículos e condutores do município contou com um crescimento substancial entre 2006 e 2015. Conforme pode ser observado no gráfico abaixo, houve um crescimento de 71,20% na quantidade de veículos e de 55,76% no número de condutores. A data de referência da comparação é 30 de setembro dos respectivos anos. 16.000

14.802

14.000 12.000 10.000

Através de uma conjugação de esforços, no ano de 2006, foi lançada a primeira edição da Revista Perfil Socioeconômico de Nova Petrópolis. A publicação tinha como objetivo apresentar uma compilação dos principais dados de âmbito social e econômico do município. As edições que se seguiram contaram com um significativo incremento de dados e informações. Através deles, a revista registrou a evolução de diversas características de Nova Petrópolis, proporcionando a realização de estudos e projeções. Alguns destes dados são apresentados a seguir e revelam as mudanças ocorridas nos últimos anos. Cadastros de IPTU e projetos aprovados (área construída) Conforme dados da primeira edição da revista, em 2006 havia um total de 6.678 cadastros de IPTU, sendo 2.437 prediais e, 4.331, territoriais. Já em 2015, há uma inversão desse quadro, com 7.541 cadastros prediais e 3.868 territoriais, totalizando 11.409 cadastros, o que representa um crescimento total de 68,57% no período. Além disso, de 1º de janeiro de 2006 até 30 de novembro de 2015, foram aprovados projetos que totalizaram 675.057,82m² de área construída. .

11.220 8.646 7.203

8.000 6.000 4.000 2006

Veículos

2015

Condutores

Atividades econômicas O número de contribuintes cadastrados por atividade econômica também sofreu uma significativa transformação no período coberto pela revista. Enquanto o número de estabelecimentos dos ramos comerciais e de serviços apresentou elevado crescimento, o número de autônomos e produtores rurais contou com uma pequena redução. Destaca-se que, no ano de 2009, houve a criação da figura jurídica do Micro Empreendedor Individual (MEI), proporcionando a formalização de inúmeros trabalhadores.

Número de contribuintes cadastrados por atividade econômica 2006 2015 Variação Industriais 236 10,59% 261 Comerciais 440 45,68% 641 Prestação de Serviços 404 993 145,79% Autônomos 988 880 -10,93% 2.319 2.083 -10,18% Produtores Rurais 4.387 4.858 10,74% Total


Fotos: Hotel Berghaus | Margarida Neumann

Histórico da Hotelaria de Nova Petrópolis

N

ova Petrópolis já recebia veranistas (turistas que permaneciam na cidade por um período mais longo) mesmo quando ainda não dispunha de uma infraestrutura adequada para os receber. As belezas naturais, o clima ameno e as festas próprias da cultura germânica como o Kerb, o Schützenfest e a gastronomia local, tornaram-se atrativos para os veranistas. O Hotel Seibt, hoje Hotel Petrópolis, foi o primeiro estabelecimento hoteleiro de Nova Petrópolis. No seu início, serviu também como ponto de atendimento hospitalar e os pacientes eram hospedados em uma casa anexa. O Hotel, construído em madeira, sofreria um incêndio em 1933 e, após dois anos, Rinaldo Seibt e a esposa Elisabeth, proprietários, abrem as portas do novo estabelecimento, com o nome de Grande Hotel Seibt. Em 1936, a propriedade do Hotel passa para Kurt Kaiser. Outro hotel frequentado por germano-descendentes, vindos de Porto Alegre era o Wazlavick, localizado na Linha Araripe, na divisa entre Nova Petrópolis e Gramado, dispunha de capacidade para receber até 80 hóspedes. Suas atividades iniciaram no final da década de 1930. Entre os atrativos do Hotel estava um belo jardim, um açude com uma pequena ilha, opção para banho, caminhos para passeios e espaço para prática de esportes. Além destas atrações, os hóspedes divertiam-se em bailes realizados no próprio hotel. Já no início dos anos de 1940, ocorre um incremento no número de hotéis, possivelmente em virtude de melhorias dos acessos rodoviários e o incentivo público. Entre os estabelecimentos criados neste período estão o Hotel Kehl, que iniciou como Pensão Kehl em 1940 e que, posteriormente, transferiu-se para a rua principal da cidade, em frente a Praça da República. Os documentos registram que o Serviço Social do Comércio (SESC) trouxera diversas turmas de veranistas para Capacidade da hotelaria e gastronomia este Hotel entre 1956 e 1964. O Hotel Veraneio Ramo Estabelecimentos Capacidade Schöeler foi fundado em 1942, na localidade 1.800 leitos rural de Linha Imperial, com características Hotelaria 33 familiares e diversas opções de lazer. O Hotel 4.000 pessoas Gastronomia 40 Deppe, construído em 1943, localizava-se Fonte: Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio, Janeiro/2016 junto a BR-116, onde hoje está o viaduto de Espaço para eventos e salão de festas acesso para RS 235; seu diferencial estava na Espaço para eventos Salão de festas qualidade do seu restaurante. O Hotel Fürcht, Local construído em 1948, localizava-se também 100 pessoas 100 pessoas Hotel Berghaus junto a BR 116. Registra-se, ainda, o Veraneio 85 pessoas 40 pessoas Hotel Petrópolis dos Pinheiros, fundado em 1950, e a Casa 90 pessoas 50 pessoas Hotel Pousada da Neve Belas Artes, uma casa de veraneio pequena e 30 pessoas Hotel Recanto Suiço com uma clientela fixa. 40 e 180 pessoas 120 pessoas Hotel Rothenburg A trajetória do Hotel Maria Hertel foi 40 pessoas 40 pessoas Hotel Vila Verde diferenciada. Iniciou em 1946, com a chegada do casal alemão Hertel a Nova Petrópolis, e o 150 pessoas 100 pessoas Hospedaria Bom Pastor seu sucesso foi marcado pelo que seria o 150 pessoas 100 pessoas Pousada da Chácara primeiro café colonial de toda a região. A 50 pessoas Show Garden 50 pessoas implantação do Hotel foi a segunda etapa do 80 e 160 pessoas Villa Flor Ecoresort 120 pessoas empreendimento. Destaca-se o atendimento Fonte: Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio, Janeiro/2016

37


e o pioneirismo na condução dos hóspedes para as trilhas ecológicas locais, realizado pelo Dr. Franz, marido da Dona Maria. A partir de 1966, o empreendimento passa a ser administrado pela família Richter, assumindo o nome de Recanto Suíço e, estando em funcionamento até os dias de hoje, é uma referência no roteiro turístico da Serra Gaúcha. O Veraneio da Tia Gretel inicia suas atividades em 1953 com uma proposta diferenciada, um hotel voltado para as crianças, que passam temporadas, no Veraneio. A proprietária, Margareth Finke, carinhosamente chamada de Tia Gretel, uma judia emigrada da Alemanha, contara com o apoio do seu irmão residente em Porto Alegre, grande divulgador da iniciativa. Em 1968, o estabelecimento foi assumido pela filha Tatiana que o transformou em Hotel, agregando um café colonial. Atraídos pela fartura e qualidade de alimentos oferecidos, o empreendimento passou a ser muito frequentado por turistas. Com uma estrutura receptiva instalada, o Turismo transforma-se em opção econômica cada vez mais importante para o município. A estrutura para bem receber aos visitantes também fora se aprimorando, contando, atualmente, com 33 Principais Eventos do Município estabelecimentos de hospedagem ofertando Verão no Jardim da Serra Gaúcha janeiro a março 1.800 leitos e 40 estabelecimentos no segmento Festa do Figo fevereiro de gastronomia com capacidade de atender Magia da Páscoa data móvel 4.000 pessoas. Festimalha maio Texto: Luciane Roseli Schommer Rural Piá Show julho (bianual) (Mestre em Turismo, Coordenadora do Fundo de Turismo e Festival Internacional de Folclore agosto Presidente do Conselho Municipal de Políticas Públicas Culturais) Festival da Primavera - Frühlingsfest outubro Baseado em trechos do livro “Evolução Política e Econômica de Natal no Jardim da Serra Gaúcha novembro a dezembro Nova Petrópolis: de colônia provincial a município, da pequena propriedade ao Turismo”, de Ivoni Nör Paz (org.).

Foto: Fábio Grison

Fonte: Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio, Janeiro/2016


Saúde A Estrutura da Saúde Pública em Nova Petrópolis

A

Informações gerais Hospitais Leitos disponíveis Unidades Básicas de Saúde

1 32 7

Secretaria Municipal de Saúde tem como missão “defender a vida, satisfazendo as necessidades de saúde da população, através de um Fonte: Secretaria de Saúde e Assistência Social, sistema de saúde humanizado, com responsabilização, acesso, vínculo, Novembro/2015 acolhimento, gestão participativa, trabalho em equipe multiprofissional Profissionais médicos de forma transdisciplinar e autonomia dos processos de trabalho”. O Clínico geral 12 Sistema de Saúde do Município deve, acima de tudo, fazer saúde, Pediatra 3 melhorar a qualidade de vida da população (do indivíduo e da Psiquiatra 2 coletividade) e garantir a gestão democrática. Médicos de Apoio 2 Para cumprir com seus objetivos, a Secretaria Municipal de Saúde Ginecologista (20 horas) 1 e Assistência Social conta com 183 profissionais, que pensam e agem sobre a integralidade da saúde, trocam experiências, ideias e Traumatologista 1 conhecimentos, respeitando a complexidade da atenção à saúde. O Gastroenterologista 1 cuidado é realizado por equipes multiprofissionais que atuam de forma Otorrinolaringologista 1 transdisciplinar. Atualmente, são 07 as Unidades Básicas de Saúde (UBS), Dermatologista 1 que abrangem 100% do município, compondo 08 Equipes de Saúde da Oftalmologista 1 Família (ESF), com consultórios Odontológicos em todas as Unidades. Fonte: Secretaria de Saúde e Assistência Social, A Atenção Básica usa todo o seu conhecimento para oferecer o Novembro/2015 cuidado ambulatorial e trata a grande maioria dos problemas, os mais Outros profissionais comuns, que nem sempre são os mais simples. A clínica ampliada resolve Agentes de Saúde 42 tudo que puder e não está centrada no médico, porque a equipe de Técnico em enfermagem 20 saúde pensa o projeto terapêutico em conjunto. Além disso, a ampliação da clínica favorece a “desmedicalização” - utiliza outros recursos como Enfermeiros 10 educação em saúde, atendimento interdisciplinar e práticas de vida Dentista 8 saudáveis. Assistente social 6 O Hospital Nova Petrópolis, instituição filantrópica, administrada Motorista 6 pela Ordem Auxiliadora das Senhoras Evangélicas, é um prestador de Secretaria 6 serviços da Prefeitura Municipal. O Contrato com o Hospital prevê Serviços gerais de limpeza 6 internações nas quatro áreas básicas (clínica geral, pediatria, obstetrícia e cirurgia); atendimentos de urgência e emergência, exames e Psicólogos 5 atendimento em saúde mental, com 04 leitos de referência regional. Com Fisioterapeuta 3 a conclusão do Bloco Cirúrgico, pretende-se aumentar o número de leitos Auxiliar de dentista 2 e a oferta de serviços regionalmente. Farmacêutico 2 Além disso, mantém-se um convênio com o Corpo de Bombeiros Nutricionista 2 para atendimento emergencial pré-hospitalar e transporte inter-hospitalar Fonoaudiólogo 1 24 horas; prevenção e combate a incêndios; buscas, salvamentos e resgates; bem como apoio ao Sistema Municipal de Defesa Civil e Terapia ocupacional 1 palestras em Escolas. Também apoia o Serviço de Atendimento Móvel de Fonte: Secretaria de Saúde e Assistência Social, Novembro/2015 Urgência – SAMU, que conta com uma ambulância d e s u p o r te b á s i c o , d e n t ro P ro g r a m a Serviços realizados SALVAR/SAMU. 2012 2013 2014 2015 30.473 35.473 62.640 31.998 Exames laboratoriais Texto: Críslei Gerevini 581 718 2.075 1.054 (Secretária de Saúde e Assistência Social) Exames especializados 4.019 5.056 6.126 2.654 Exames de Raio-X Dados até Agosto/2015. Fonte: Secretaria de Saúde e Assistência Social, Novembro/2015

39


Serviços Públicos Abastecimento de água - CORSAN CAPTAÇÃO ÁGUA BRUTA (Localidade de São Jacó)

INFORMAÇÕES OPERACIONAIS ESTAÇÃO DE TRATAMENTO RESERVAÇÃO (Av. XV de Novembro, 445)

DISTRIBUIÇÃO

ARROIO SANTA ISABEL (Principal)

• Tipo convencional, com

• 18 Reservatórios

• Redes

• Manancial superficial com

processo físico-químico

(02 semi enterrados,

distribuidoras em

barragem de acumulação

através de floculação,

07 elevados e 09

PVC e FºCº, entre 35

ARROIO ACKERMANN (Apoio)

decantação, filtração e

apoiados)

e 200mm

• Manancial superficial com

desinfecção.

• Capacidade de

• Extensão: 118.328

barragem de acumulação

• Capacidade de produção

reservação: 1355 m³

metros

POÇOS ARTESIANOS

atual: 48 litros/seg.

• NPE16, NPE18 e NPE19

• Horas de operação: 22

(Reservas técnicas)

horas/dia.

Dados até 31 de julho de 2015. / Fonte: Corsan de Nova Petrópolis

INFORMAÇÕES COMERCIAIS CLIENTES (USUÁRIOS) • 4.474 Ligações • 6.966 Economias (ativas) • 7.135 Economias (total)

• 100% usuários com hidrômetros (ativos)

Dados até 31 de julho de 2015. / Fonte: Corsan de Nova Petrópolis

INFORMAÇÕES ADMINISTRATIVAS FUNCIONÁRIOS • Administração (03 Agentes Administrativos) • Manutenção/Operação (03 Agentes Serviços Operacionais) • Operação (04 Agentes Tratamento Água) Dados até 31 de julho de 2015. / Fonte: Corsan de Nova Petrópolis

Consumo de água Categoria Industrial Comercial Residencial Público Total

2011 Qtde. Consumo 49 3.360 911 8.694 4.949 40.644 50 1.242 5.959 53.940

2012 Qtde. Consumo 48 1.071 8.823 917 42.643 5.190 1.242 51 53.779 6.206

2013 Qtde. Consumo 44 1.011 941 8.846 5.293 43.541 52 1.161 6.330 54.559

Qtde. 54 1000 5.718 56 6.828

2014 Consumo 1.997 9.566 46.224 1.271 59.058

Qtde. 54 1005 5.850 57 6.966

2015 Consumo 1.293 9.418 45.815 1.320 57.846

Consumo em m³/mês. Dados até 31 de julho de 2015. / Fonte: Corsan de Nova Petrópolis

40

Foto: Jei Heydt


Energia elétrica Classe Residencial Industrial Comercial Rural Poder Público Iluminação Pública Serviços Públicos Consumos Próprios Total Geral

2010 11.902.796 21.421.816 7.582.061 6.545.796 907.494 1.521.897 2.212.362 1.718 52.095.940

2011 12.220.013 20.344.018 8.245.904 6.295.783 888.392 1.664.740 2.471.246 4.292 52.134.388

2012 12.922.837 11.405.177 9.929.998 6.445.218 964.628 1.661.662 2.468.421 6.079 45.804.020

2013 14.409.562 7.385.539 10.979.913 6.229.614 1.013.538 1.686.767 2.693.381 18.930 44.417.244

2014 15.931.797 8.114.653 11.493.045 6.515.989 1.041.097 1.831.810 2.941.032 32.709 47.902.132

2015 9.322.714 4.720.804 6.638.636 3.755.799 604.375 1.107.213 1.629.204 18.916 27.797.661

Consumo total do ano em kWh. Dados até 31 de julho de 2015. No ano de 2012, algumas empresas do ramo industrial migraram de categoria ‘’Mercado Cativo’’ para ‘‘Mercado Livre’’ não tendo mais seu consumo computado na tabela acima. Fonte: RGE, Dezembro/2015

Domicílios atendidos com coleta de lixo

2010 5.065

2011 5.314

2012 5.534

2013 5.742

2014 5.385

2015 5.673

Fonte: Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, Janeiro/2016

Índice FIRJAN de Gestão Fiscal

O

município de Nova Petrópolis é destaque estadual e nacional no que se refere à Gestão Fiscal, obtendo a 3ª melhor avaliação estadual e o 27° lugar no ranking nacional de gestão fiscal apurado pelo Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF). Comparado ao último estudo, divulgado em 2012, o Município subiu 167 posições no ranking nacional e 33 posições no ranking estadual. A FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), entre outras atividades, devenvolve estudos e pesquisas sobre temas fundamentais para o desenvolvimento da indústria. Para contribuir com uma gestão pública eficiente e democrática, o Sistema FIRJAN desenvolveu o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), uma ferramenta de controle social que tem como objetivo estimular a cultura de responsabilidade administrativa, possibilitando maior aprimoramento da gestão fiscal dos municípios, bem como o aperfeiçoamento das decisões dos gestores públicos quanto à alocação de recursos. O IFGF traz a tona a forma como os tributos pagos pela sociedade são administrados pelas prefeituras. O índice é constituído a partir de resultados fiscais da próprias prefeituras, informadas e disponibilizadas, anualmente, pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN). O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) é composto por cinco indicadores: Receita Própria, que mede a dependência dos municípios em relação às transferências dos estados e da União; Gastos com Pessoal, que mostram como os municípios gastam com pagamento de pessoal, em relação ao total da receita corrente líquida; Investimentos, que acompanha o total de investimentos em relação à corrente líquida; Custo da Dívida, correspondente às despesas de juros e amortizações em relação ao total das receitas líquidas reais; e Liquidez, que verifica se as prefeituras estão deixando em caixa recursos suficientes para honrar suas obrigações de curto prazo, medindo a liquidez da prefeitura com a proporção das receitas correntes líquidas. Em sua terceira edição, o IFGF 2015 – ano de referência 2013 – avaliou a situação fiscal de 5.243 municípios brasileiros. Cabe destacar que a Região Sul possui 39,8% dos seus municípios entre os 500 melhores do país. No Rio Grande do Sul, o índice geral é de 0,5449. O Estado superou a média nacional em todos os indicadores e, no geral, foi o terceiro melhor entre as unidades federação. Nova Petrópolis está entre as cinco cidades gaúchas com melhor índice, são elas: Gramado (0,8876), Tupandi (0,8096); Nova Petrópolis (0,7855), São José do Hortêncio (0,7851) e Novo Hamburgo (0,7724).

Posição de Nova Petrópolis no Ranking do IFGF

Ranking Nacional Estadual IFGF

2009 187º 39º 0,724

2010 165º 34º 0,762

2011 170º 34º 0,765

2012 194º 36º 0,742

2013 27º 3º 0,786

Texto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Nova Petrópolis / Claus Nelson Altevogt (Secretário da Fazenda)

Fonte: FIRJAN, 2015

41


Orçamento Público Municipal Receitas (em R$)

Fonte: Prefeitura Municipal, Maio/2011

Fonte: Secretaria da Fazenda, Novembro/2015

42


Despesas (em R$)

Fonte: Secretaria da Fazenda, Novembro/2015

Funcionalismo Municipal

Servidores Municipais Cargos em comissão CLT

74 Inativos 6 Prefeito e Vice-Prefeito (cargos eletivos)

Efetivos / estatutários

321 Vereadores (cargos eletivos)

Professores efetivos

153 Conselheiros tutelares (cargos eletivos)

Agentes de saúde (efetivos) 42 Contratos emergenciais Servidores da Câmara

4 Total

4 1 11 5 33 654

Fonte: Secretaria Municipal de Administração, Dezembro/2015

43


Emprego e Renda A Dinâmica do Mercado de Trabalho em Nova Petrópolis

D

iferente de muitos municípios da região, do estado e do país, Nova Petrópolis possui características próprias em seu mercado de trabalho, apresentando uma diversidade de oportunidades para seus moradores. O fato da economia do município não basear-se unicamente em um setor (primário/agronegócio, secundário/transformação ou terciário/serviços) faz com que Nova Petrópolis não seja tão vulnerável às crises econômicas ou sociais que estão presentes em boa parte das mesas de discussão nos dias de hoje. O município possui o setor de agronegócio forte e diversificado, baseado em vários produtos como leite, carnes, frutas, verduras; possui também um setor de transformação (indústrias) forte e reconhecido pela qualidade de nossos produtos; e por último um setor de serviços com grande vocação para o turismo e gastronomia. A união destas forças faz com que o mercado de trabalho local seja pujante, com oportunidades para pessoas com as mais variadas vocações, habilidades e conhecimentos. É esta “diversidade que nos une” e nos fortalece como município. Aliado a estas características, vemos profissionais de diferentes partes do país interessados em residir em nossa cidade, buscando mais segurança e qualidade de vida, aspectos em que nosso municípios se encontra bem posicionado. A soma de todas estas características é que faz de Nova Petrópolis um lugar bom para viver e trabalhar. Muitas vezes, é necessário viajar para outros países ou regiões para valorizarmos o que aqui temos. A pergunta que deveríamos nos fazer é: sabemos valorizar tudo isto? Finalizando, em momentos de dificuldade, como o que passa o país hoje, precisamos arregaçar as mangas e nos dedicar ainda mais ao nosso trabalho, pensando não com cabeça de empregado/colaborador, e sim, com cabeça de dono/proprietário. Se todos pensarem desta forma, conseguiremos construir um mundo melhor. Ao menos estaremos fazendo a nossa parte. Texto: Márcio Port

Taxa de atividade e desocupação Ocupação da população (18 anos ou mais) Taxa de atividade Taxa de desocupação Grau de formalização dos ocupados Nível educacional dos ocupados % dos ocupados com ensino fundamental completo % dos ocupados com ensino médio completo Rendimento médio % dos ocupados com rendimento até 1 salário mínimo % dos ocupados com rendimento até 2 salários mínimos

(Presidente da Sicredi Pioneira RS)

2000

2010

81,06 3,5 67,45

80,42 1,73 70,39

37,15 24,01

56,76 34,52

35,14 76,62

16,54 69,08

Dados calculados com base nos Censos do IBGE. Fonte: PNUD, IPEA e FJP

Renda per capita 1991 2000 2010

R$ 550,08 R$ 799,96 R$ 994,67

Fonte: PNUD, IPEA e FJP

Índice de Gini 1991 2000 2010

0,51 0,47 0,44

Fonte: PNUD, IPEA e FJP

Índice de Gini O Índice de Gini é um instrumento criado para medir o grau de concentração de renda em determinado grupo. Varia de 0 a 1, sendo que 0 representa total igualdade (todos têm a mesma renda) e 1, completa desigualdade (uma só pessoa detém toda a renda do lugar).

44

Foto: Seibt Máquinas


Números de empregos formais IBGE Setores

Extrativa Mineral Indústria de Transformação Serviços Industriais de Utilidade Pública Construção Civil Comércio Serviços Administração Pública Agropecuária Total das atividades Faixa Etária 10 a 14 anos 15 a 17 anos 18 a 24 anos 25 a 29 anos 30 a 39 anos 40 a 49 anos 50 a 64 anos Acima de 65 anos Total das atividades

Masculino Feminino 25 1 1.532 1.574 14 2 301 14 568 719 640 996 191 366 144 75 3.415 3.747

Total 26 3.106 16 315 1.287 1.636 557 219 7.162

Masculino Feminino 5 1 75 71 568 674 513 605 987 1117 775 820 459 444 33 15 3.747 3.415

Total 6 146 1.242 1.118 2.104 1.595 903 48 7.162

Ocupações com maiores estoques CBO 521110 - Vendedor de comércio varejista CBO 411005 - Auxiliar de escritório em geral

Masculino Feminino 105 355 117 300 CBO 841505 - Trabalhador de tratamento do leite e fabricação de laticínios e afins 148 177 CBO 782510 - Motorista de caminhão (rotas regionais e internacionais) 2 254 CBO 411010 - Assistente administrativo 122 43

Total 460 417 325 256 165

Dados em 31 de dezembro de 2014. Fonte: RAIS / MTE

Foto: Émerson Ruppenthal

45


Remuneração média de empregos formais Setores IBGE Extrativa Mineral Indústria de Transformação Serviços Industriais de Utilidade Pública Construção Civil Comércio Serviços Administração Pública Agropecuária

Masculino R$ 1.862,75 R$ 2.504,35 R$ 4.334,21 R$ 1.589,65 R$ 1.853,80 R$ 2.611,10 R$ 2.832,81 R$ 1.747,08

Feminino R$ 1.206,00 R$ 1.583,79 R$ 2.160,64 R$ 1.235,49 R$ 1.459,80 R$ 1.949,36 R$ 2.395,32 R$ 1.731,18

Total R$ 1.836,48 R$ 2.039,16 R$ 4.044,40 R$ 1.572,84 R$ 1.633,66 R$ 2.212,23 R$ 2.545,14 R$ 1.605,64

Masculino R$ 448,15 R$ 914,41 R$ 1.569,79 R$ 2.130,59 R$ 2.609,92 R$ 2.753,01 R$ 2.442,55 R$ 2.290,55

Feminino R$ 434,00 R$ 840,15 R$ 1.377,25 R$ 1.741,09 R$ 1.929,25 R$ 1.751,23 R$ 1.910,44 R$ 1.224,88

Total R$ 445,79 R$ 878,05 R$ 1.465,00 R$ 1.919,55 R$ 2.248,72 R$ 2.240,05 R$ 2.185,00 R$ 1.943,05

Masculino R$ 1.947,08 CBO 521110 - Vendedor de comércio varejista R$ 1.898,24 CBO 411005 - Auxiliar de escritório em geral CBO 841505 - Trabalhador de tratamento do leite e fabricação de laticínios e afins R$ 1.858,49 CBO 782510 - Motorista de caminhão (rotas regionais e internacionais) R$ 2.204,31 CBO 411010 - Assistente administrativo R$ 2.709,84

Feminino R$ 1.517,81 R$ 1.505,02 R$ 1.605,47 R$ 1.392,77 R$ 2.516,97

Total R$ 1.616,07 R$ 1.614,77 R$ 1.722,40 R$ 2.197,90 R$ 2.567,54

Faixa Etária 10 a 14 anos 15 a 17 anos 18 a 24 anos 25 a 29 anos 30 a 39 anos 40 a 49 anos 50 a 64 anos Acima de 65 anos Ocupações com maiores estoques

Dados até 31 de dezembro de 2014. - Fonte: RAIS / MTE

46

Foto: Acervo Piá | Mauro Stoffel


Foto: Plenoterra

Admissões e desligamentos Ano 2010 2011 2012 2013 2014 2015

Admissões Total 2.928 2.971 2.963 2.919 3.183 2.278

Variação 1,47% -0,27% -1,48% 9,04% -28,43%

Desligamentos Total 2.719 2.797 2.906 2.838 3.007 2.060

Variação 2,87% 3,90% -2,34% 5,95% -31,49%

Dados até 30 de Setembro de 2015. Fonte: CAGED / MTE

Salário médio de admissão Indicadores Extrativa Mineral Indústria de Transformação Serviços Industriais de Utilidade Pública Construção Civil Comércio Serviços Agropecuária

Salário médio de admissão R$ 1.650,00 R$ 1.092,38 R$ 1.121,40 R$ 1.067,97 R$ 968,47 R$ 1.073,87 R$ 997,63

Ocupações com maiores saldos

Salário médio de admissão CBO 841505 - Trabalhador de tratamento do leite e fabricação de laticínios e afins R$ 1.072,63 CBO 784205 - Alimentador de linha de produção R$ 905,49 CBO 411005 - Auxiliar de escritório em geral R$ 870,27 CBO 521115 - Promotor de vendas R$ 1.108,89 CBO 514320 - Faxineiro R$ 855,71 Ocupações com menores saldos CBO 763210 - Costureiro na confecção em série CBO 771105 - Marceneiro CBO 516210 - Cuidador de idosos CBO 318815 - Modelista de calçados CBO 774105 - Montador de móveis e artefatos de madeira

Salário médio de admissão R$ 967,14 R$ 984,36 R$ 915,27 R$ 1.110,57 R$ 1.017,25

Dados referentes ao período de Jan/2014 até Dez/2014. Fonte: CAGED / MTE

47


Economia A Importância da Diversificação Econômica em Nova Petrópolis

A

diversificação econômica constitui-se em elemento primordial para o desenvolvimento regional e municipal. A economia torna-se mais robusta e estável, e adapta-se melhor às contingências do mercado com a criação de políticas públicas e privadas que tenham como objetivo a diversificação. É fator central para o crescimento da cidade, pois leva à geração de inovações e conhecimento. E no foco do setor público, o objetivo é, sempre, a diversificação econômica não só como um instrumento necessário para o desenvolvimento econômico; mas sim, como instrumento de incremento das receitas públicas próprias, criando uma independência maior perante o Estado e União. No cenário de Nova Petrópolis, trazendo como base os aspectos históricos e culturais, as empresas familiares se solidificaram e cresceram, mesmo que, lentamente, evoluíram com o passar dos anos, em função de aumento dos investimentos, buscando expertise para competir com o mercado externo. Percebe-se uma Indústria, que vinha de quedas sucessivas nos últimos anos, teve um leve crescimento. A Produção Primária (produção rural), também em crescimento, se mostra forte e diversificada; porém, a queda foi sentida com mais ênfase nos segmentos de Prestação de Serviços e Comércio, ambos vinham numa crescente, mas sentiram os impactos das crises econômicas. Os reflexos serão quantificados no retorno de ICMS, ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) e na geração de empregos. O Turismo, sem sombra de dúvidas, vem sendo uma grata surpresa, cada vez mais destaca Nova Petrópolis na região. A cada ano que passa consolida-se a importância que o turismo representa pelos estímulos que gera na economia local, acompanhado com constantes investimentos para o atendimento ao público visitante. Assim, devido à crise, alternativas devem ser criadas para que todos os segmentos se desenvolvam, se diversifiquem de uma forma sólida. E que os investimentos do Setor Público continuem através do retorno de impostos, para que a qualidade de vida tão reconhecida em Nova Petrópolis possa continuar. Texto: Claus Nelson Altevogt

Principais Produtos Industriais Agrícolas Pecuários

(Secretário da Fazenda)

Laticínios, malhas, calçados e móveis Hortifrutigranjeiros, milho, batata e feijão, silvicultura Avicultura, gado leiteiro, suinocultura

Fontes: Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio e Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, Outubro/2015

Produto Interno Bruto (PIB) Ano 2009 2010 2011 2012 2013

PIB (em milhões) R$ 346.486.465 R$ 403.243.907 R$ 457.096.241 R$ 522.406.847 R$ 563.878.888

Variação 16,38% 13,35% 29,55% 23,36%

Fonte: Fundação de Economia e Estatística, Dezembro/2015

Os novos procedimentos metodológicos adotados nas contas nacionais e regionais em 2013, que seguem o manual internacional de contas nacionais (SNA-2008), modificaram e atualizaram a composição interna e os valores nominais do PIB do Brasil e de todas as Unidades da Federação. Essas alterações impactaram diretamente no peso relativo das atividades na geração do valor adicionado bruto. Desse modo, o novo vetor de peso das atividades econômicas refletiu, diretamente, na composição do PIB dos Municípios. O ano de 2010 passa a ser o ano referência da série reformulada, tanto no Sistema de Contas Nacionais como também nas Contas Regionais e no PIB dos Municípios.

48

Foto: Floricultura Úrsula

PIB Per Capita R$ 18.597,31 R$ 21.158,77 R$ 23.793,46 R$ 26.968,50 R$ 28.017,43

Variação 13,77% 12,45% 27,46% 17,75%


Importações e Exportações Período 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Total

US$ FOB 2.437.838 3.317.989 2.407.662 2.327.007 3.597.012 1.186.875 15.274.383

Importações Peso Líq (kg) 270.294 485.527 303.875 217.281 336.156 131.416 1.744.549

Quantidade 428.542 1.554.482 1.693.472 1.044.901 1.255.443 473.715 6.450.555

US$ FOB 1.549.651 1.715.433 717.205 505.311 840.409 563.820 5.891.829

Exportações Peso Líq (kg) 36.621 44.691 18.061 13.647 39.786 35.134 187.940

Quantidade 42.425 29.497 14.069 12.052 14.316 12.920 125.279

Dados até 30 de Setembro de 2015. Fonte: MDIC / SECEX, Outubro/2015

Instituições Financeiras Número de Agências Depósitos a prazo Depósitos à vista - Governo Depósitos à vista - Privado Obrigações por recebimento Operações de Crédito Poupança

4 R$ 94.634.118,00 R$ 289.621,00 R$ 19.588.487,00 R$ 50.373,00 R$ 276.328.797,00 R$ 161.305.421,00

Fonte: IBGE / Banco Central do Brasil, Registros Administrativos 2014

Contribuintes cadastrados por atividade econômica Industriais* Comerciais* Prestação de Serviços* Autônomos* Produtores Rurais** Total

261 699 993 874 2.083 4.910

5,32% 14,24% 20,22% 17,80% 42,42% 100,00%

Fontes: * Secretaria da Fazenda e ** Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, Dezembro/2015

Av. 15 de Novembro, 1783 - Sala 30 Centro - Nova Petrópolis - RS Fone: (54) 3281-1290 - Fax: (54) 3281-1689 www.esquemacontabilidade.com.br esquemanp@esquemacontabilidade.com.br


Participação no retorno do ICMS do Município Segmento Indústria Comércio Produção primária Serviços e outros

2011 40,22% 30,48% 20,49% 8,81%

2012 39,13% 32,75% 18,33% 9,79%

2013 2014 38,56% 39,09% 34,39% 31,02% 17,29% 22,02% 9,76% 7,87%

2015 44,44% 30,37% 17,82% 7,37%

Fonte: Secretaria da Fazenda, Janeiro/2016

Composição do Valor Adicionado (ICMS) por Segmento Econômico Produção Primária

% 2012 43.921.711,11 13,63%

% 2013 55.197.574,55 15,70%

Indústria Extrativa Mineral

1.970.923,64

1.782.144,02

Descrição do Campo

0,61%

0,51%

2014 64.963.086,52

% 19,04%

2.320.285,93

0,68%

134.587.312,18 41,75% 144.781.993,34 41,19% 115.177.468,20 33,75% 9.553.658,95 12.785.171,14 12.991.296,57 3,70% Indústria de Beneficiamento 3,97% 2,80% 171.330,19 14.636,44 184.063,83 Indústria de Montagem 0,00% 0,05% 0,05% 110,03 Indústria de Acondicionamento 24,66 0,00% 0,00% 0,00% 20.150.577,14 20.939.835,55 Comércio Atacadista 17.392.667,70 99.249.590,34 5,90% 84.545.656,57 6,50% 90.949.608,50 4,95% Comércio Varejista Serviços e Outros 23.587.481,64 26,23% 28.250.558,35 25,87% 29.670.310,16 29,08% Total do Município 322.352.838,30 7,32% 351.529.931,52 8,04% 341.256.307,43 8,69% Indústria de Transformação

Participação Estado %

0,1634 100,00%

0,1530 100,00%

0,1428 100,00%

Fonte: Secretaria da Fazenda, Janeiro/2016

Indústria / Comércio / Serviços (GIA Modelo B/ICMS) Saídas Escrituradas R$ 1.097.752.782,12 Entradas Escrituradas R$ 926.059.031,47 Entradas Não Escrituradas R$ 12.771.761,67 Valor Adicionado R$ 158.921.988,98 Valor Adicionado (simples nacional + outras origens) R$ 80.653.209,34 Transportes e Comunicação R$ 36.718.022,29 Valor Adicionado Total R$ 276.293.220,61 Declarantes 810 Dados referentes ao ano de 2014. Fonte: Secretaria da Fazenda, Janeiro/2016

50

Foto: Mauro Stoffel | Festimalha


Foto: Miriana Stumpf Fotografia

O Setor Primário

N

ova Petrópolis tem sua origem a partir da colonização alemã em 1858 da então província de Nova Petrópolis e teve sua emancipação em 1955. O território com relevo irregular recortado por vales e recoberto por florestas teve que ser desbravado pelos colonizadores que aqui encontraram solos férteis pela decomposição das rochas e rico em matéria orgânica pelo acúmulo durante milhares de anos. Estes fatores não significaram facilidades, muito pelo contrário; exigiram trabalho árduo e persistência. A agricultura teve papel fundamental desde a sua colonização como pilar de sustentação das comunidades durante muitas décadas, como forma de subsistência e, posteriormente, tornando-se um dos pilares da sustentação econômica do município. As dificuldades aqui Aquicultura encontradas despertaram um diferencial, o espírito cooperativo que hoje dá a Quantidade Nova Petrópolis, o título de Capital Nacional do Cooperativismo. 10.000 Kg O município apresenta a agricultura diversificada, caracterizada pela Carpa produção familiar e pela policultura desenvolvida em minifúndios. Como Tilápia 1.000 Kg atividades em destaque, pode-se mencionar: a bovinocultura de leite e de Outros peixes 2.000 Kg corte, a avicultura de corte e de postura com mais de 1,5 milhão de cabeças Dados referentes ao ano de 2014. Fonte: IBGE licenciadas; a suinocultura, a fruticultura, destacandoPecuária se a uva, a laranja, o figo e a goiaba, a silvicultura com Quantidade plantios principalmente de acácia e eucalipto, a horticultura com mais de 60 espécies cultivadas, Bovinos* 7.351 cabeças destacando-se o tomate, alface, repolho, brócolis, 9 cabeças couve-flor, morango, pepino, etc., a produção de Bubalinos* Caprinos* 97 cabeças milho para grãos e silagem, dentre outras. Mesmo com o crescimento de outros Codornas* 11.000 cabeças segmentos, o setor primário tem-se mostrado como Equinos* 180 cabeças um dos pilares de sustentação econômica do 130.297 cabeças município. Sua influência se dá pela produção direta Galináceos - galinhas* que sai das propriedades, bem como pela Galináceos - total* 457.511 cabeças industrialização dos produtos agropecuários. Esta Ovinos* cabeças 782 característica de diversidade econômica proporciona cabeças 782 ao município um diferencial que, mesmo frente às Suínos - matrizes de suínos* cabeças 5.955 turbulências econômicas que o país e o estado estão Suínos - total* passando, garante à comunidade a prestação de Vacas ordenhadas** cabeças 3.250 serviços e investimentos em infraestrutura para a Mil litros Leite de vaca - produção** 8.100 melhoria da qualidade de vida da população. Ovos de galinha - produção** 2.231 Mil dúzias Texto: André Dall'Agnol Ovos de codorna - produção** 330.000 Mil dúzias (Secretário de Agricultura e Meio Ambiente) Kg 7.000 Mel de abelha - produção** * Efetivo dos rebanhos ** Quantidade | Dados referentes ao ano de 2014. Fonte: IBGE

51


Lavoura permanente Produto Caqui Figo Goiaba Laranja Limão Noz (fruto seco) Pêssego Tangerina Uva

Área colhida Quant. 97 6 400 38 100 10 680 68 40 4 7 11 7 119 16 160 68 680

Área colhida em hectare. Quantidade em toneladas. Dados referentes ao ano de 2014. Fonte: IBGE

Lavoura temporária Produto Área colhida Quant. Abacaxi 20 2 Alho 24 4 Amendoim (em casca) 6 4 Aveia (em grão) 2 2 Batata - doce 540 30 Batata - inglesa 260 25 Cana-de-açúcar 360 8 Cebola 156 12 Feijão (em grão) 99 90 Mandioca 924 66 Melão 90 5 Milho (em grão) 1.800 9.720 30 Tomate 1.800 Área colhida em hectare. Quantidade em toneladas, exceto para a produção de abacaxi (mil frutos). Dados referentes ao ano de 2014. Fonte: IBGE

52

Produção Primária Saídas Vendas a Indústria e Comércio Vendas a Consumidores Venda de Produtores Vendas para For a do Estado Soma Entradas Compras Produtores de Outros Municípios Valor Adicionado (Saídas - Entradas) Valor Adicionado (Outras Origens) Valor Adicionado

R$ 64.895.929,95 R$ 819.179,55 R$ 1.809.075,09 R$ 106.910,73 R$ 67.631.095,32 R$ 2.668.008,50 R$ 64.963.086,82 R$ 0,00 R$ 64.963.086,82

Dados referentes ao ano de 2014. Fontes: Secretaria da Fazenda e Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, Janeiro/2016

Destino da Produção Primária do Estado do RS Destino Para o Exterior Para outros Estados Para o Estado - A Consumidor - A Revendedores Não Inscritos no ICMS - A Produtores - Por Transferência Total Total das saídas Vendas a Ind. e Com. + Outras Origens Total da Produção Primária

Valor R$ 454.239,36 R$ 1.683.825.779,04 R$ 215.960.152,18 R$ 7.994.560,99 R$ 3.468.493.495,66 R$ 878.190.138,56 R$ 4.570.638.347,39 R$ 6.254.918.365,79 R$ 42.490.773.305,57 R$ 48.745.691.671,36

Dados referentes ao ano de 2014. Fontes: Secretaria da Fazenda e Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, Janeiro/2016

Foto: Miriana Stumpf Fotografia


A Indústria de Nova Petrópolis Indústria

A

evolução econômica e social de Nova Petrópolis está muito ligada ao desenvolvimento da sua indústria. Se hoje a cidade possui uma alta renda per capita e uma ótima qualidade de vida, a indústria possui um papel fundamental nisso. As indústrias da cidade são um dos grandes pilares que fazem de Nova Petrópolis um local desenvolvido e diferenciado em muitos aspectos. Assim, como a economia não está nocivamente concentrada em um único setor, na área industrial também não existe uma concentração desse gênero.Observando o setor e analisando mais profundamente o mesmo, notase que há nele uma grande diversidade. A indústria do alimento, através da Cooperativa Piá, destaca-se como o principal ramo. No entanto, as nossas 261 indústrias instaladas são igualmente grandes geradoras de empregos diretos e indiretos, bem como de um grande volume de impostos. Assim, os mais diversos ramos que se apresentam são: calçados, móveis, metal-mecânica, malheiro/vestuário/confecções, alimentos, dentre outros. A diversificação da nossa indústria é apenas uma característica que chama a atenção. Observa-se que o pioneirismo e a inovação são as marcas desse setor. Outro destaque é o mercado que nossas indústrias atingem. Diversas empresas colocam seus produtos no Brasil inteiro e várias fazem vendas ao exterior há muitos anos. Há, também, um papel importante da gestão pública na história da indústria local, apoiando da melhor forma o crescimento das empresas desde a emancipação do município. No entanto, o atual momento exige políticas alinhadas e inovadoras para que nossas indústrias tenham mais condições de participarem de forma competitiva num mercado que está cada vez mais ávido por novidades e exigente como nunca.

Foto: Seibt Máquinas

Foto: Seibt Máquinas

Foto: Intuição Malhas

Texto: Marcelo André Wendling (Membro do Departamento da Indústria da ACINP e Administrador de Empresas) Foto: Intuição Malhas

Indústria - empresas por segmento Quantidade Percentual Categoria 64 Malharia 24,52% 46 Móveis e madeira em geral 17,62% 43 Vestuário e calçados 16,48% Gêneros alimentícios 44 16,86% Metal-mecânica 34 13,03% Indústria em geral 30 11,49% Total 261 100,00% Foto: Acervo Piá

Dados até 30 de novembro de 2015. Fonte: Secretaria da Fazenda, Dezembro/2015

53


O Comércio de Nova Petrópolis

O

setor de comércio de Nova Petrópolis, além de representar parcela significativa da economia do município, é caracterizado por sua diversidade, como pode ser visto na tabela a seguir, que destaca as principais categorias. Além da representatividade, é interessante destacar o crescimento de 27,55% de 2013 para 2015 no número de empreendimentos que se classificam nesta categoria. Este dado aponta que, apesar do momento difícil pelo qual a economia brasileira vem passando, em nosso município o comércio se mantém consistente e sem retrações no número de estabelecimentos. Dentre os segmentos do comércio local que mais se destacaram em crescimento, verifica-se um aumento de 80,39% de 2013 para 2015 no número de negócios relacionados ao comércio de calçados e vestuário. É possível inferir que a evolução desta categoria se deve a uma outra característica bem peculiar do comércio de Nova Petrópolis: ele agrada tanto moradores locais quanto visitantes. Com sua vocação turística, a cidade não oferece apenas excelentes opções aos seus munícipes, mas também àqueles que nos visitam. Para os próximos anos, continuará sendo um desafio para o segmento manter sua fama de atendimento qualificado com produtos que agradam os clientes com sua excelente relação custo versus benefício. Que saibamos manter esta que é uma das vantagens competitivas do município! Texto: Márcio André Kny

Foto:Papelaria Stoffel

Foto: Mr. Kny

(Doutor em Administração pala Université de Rennes 1 e Professor da FACENP)

Foto: Floricultura Úrsula

Comércio - empresas por segmento Categoria Vestuário e calçados Gastronomia (restaurantes, bares, lancherias e cafés coloniais) Confecções Mercados, armazéns e fruteiras Comércio de veículos e acessórios Artesanato Móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos Construção civil Agropecuária e agricultura em geral Farmácias e drogarias Combustível e GLP Comércio em geral Total Dados até 30 de novembro de 2015. Fonte: Secretaria da Fazenda, Dezembro/2015

54

Quantidade 184 90 58 51 17 19 16 16 14 16 11 207 699

Percentual 26,32% 12,88% 8,30% 7,30% 2,43% 2,72% 2,29% 2,29% 2,00% 2,29% 1,57% 29,61% 100,00%


O Setor de Serviços

O

crescimento e o desenvolvimento econômico dos países ao longo dos tempos têm demonstrado uma característica em comum: a crescente importância do setor de serviços. Quanto mais desenvolvida for uma cidade, região, estado ou país, maior será a participação econômica do setor de serviços no PIB (Produto Interno Bruto). Países altamente desenvolvidos têm aproximadamente 80% da atividade econômica advinda do setor de serviços. No Brasil, a representatividade econômica do setor de serviços está em torno de 70%. Nova Petrópolis também tem acompanhado esse fenômeno com a proliferação de empresas de serviços e a sua diversificação. Atualmente, o número de empresas de serviços já supera o número de empresas industriais e comerciais somadas. Outra característica do setor de serviços é de empregar um número crescente de pessoas, ou seja, é ainda um setor com mão de obra intensiva. Por outro lado, a indústria e mesmo a agricultura, têm se automatizado e mecanizado respectivamente, e assim, vêm empregando menos pessoas. Em 2013 havia 548 empresas de serviços na cidade, ou seja, houve um crescimento de 22,0% em dois anos. O crescimento de indústrias, nesse mesmo período, foi de 3,6%, e o comércio, com 27,5% de aumento de empresas instaladas. Texto: Leonardo Neumann (Professor e Coordenador do Curso de Administração da FACENP)

Foto: Plenoterra

Foto: Margarida Neumann

Foto: Mecânica Olavo

Serviços - empresas por segmento Categoria Associações, clubes desportivos e sociedades Construção civil Transporte coletivo e de cargas Oficinas mecânicas, chapeação, pintura, borracharia e guincho Hotéis e pousadas Assessoria empresarial, contábil e jurídica Representação comercial Serviços de informática / Processamento de dados Ajardinamentos Serviços médicos em geral Oficina de eletrodomésticos Instituições financeiras (Bancos) Creche / Maternal Artes gráficas / Serigrafia Serviços de conservação ambiental Corretoras Locadora filmes / DVDs Serviços veterinários / Estética animal Posto de lavagem lubrificação Serviços em geral Total

Quantidade 131 164 92 51 26 38 29 19 24 20 6 8 3 7 4 5 2 3 3 358 993

Percentual 13,19% 16,52% 9,26% 5,14% 2,62% 3,83% 2,92% 1,91% 2,42% 2,01% 0,60% 0,81% 0,30% 0,70% 0,40% 0,50% 0,20% 0,30% 0,30% 36,05% 100,00%

Dados até 30 de novembro de 2015. / Fonte: Secretaria da Fazenda, Dezembro/2015

55


Artesanato

O

artesanato, na nossa região e no nosso município, teve origem com os imigrantes alemães. As necessidades das famílias obrigaram as mulheres a se dedicarem a fiar a lã e a tecerem tricô para confeccionarem casacos, blusas e meias para protegerem as famílias do frio. Também faziam crochê para peças de vestuário, cortinas, bicos em toalhas de mesa e roupas de cama que, muitas vezes, eram bordadas. Os bordados, aliás, eram usados principalmente para os panos de parede (Wandschoner) que, além de flores e outros cenários, traziam dizeres interessantes, como Salmos, conselhos úteis e ditados populares. Da mesma forma, a costura para a confecção de roupas era artesanal. Mas, esta atividade também era exercida pelos homens: alfaiates, sapateiros, chineleiros, ourives, relojoeiros, ferreiros, marceneiros e outros, que, desta maneira, ajudavam na renda familiar, até então, baseada na agricultura de subsistência, pois a comercialização dos produtos era precária. O artesanato evoluiu com criatividade, usando-se produtos naturais como vime, cipó e bambu para a confecção de cestos para transportar produtos colhidos e pasto para os animais, sementes para produzir colares e enfeites para o lar, madeira para objetos domésticos e muito mais. Este artesanato perdura até hoje, sendo produzido e comercializado, tornando-se uma característica marcante da Serra Gaúcha, agradando a turistas e a moradores locais.

Foto: Sandra Franco

Foto: Sandra Franco

Texto: Irmgard Schuch (Professora e artesã)

Autônomos e profissionais liberais - profissionais por categoria Categoria Pedreiro / Servente de pedreiro Artesão(a) / Bordadeira / Crocheteira / Tricoteira Médico(a) / Fonoaudiólogo(a) Cabeleireiro(a) / Barbeiro Advogado(a) Arquiteto(a) / Engenheiro(a) civil Pintor Costureiro(a) / Remalhadeira Faxineiro(a) Mecânico / Chapeador / Borracheiro Motorista / Transportador municipal de cargas Cirurgião(a) Dentista / Protético(a) dentário Manicure / Pedicure Taxista Corretor Professor(a) / Instrutor Psicólogo(a) Tecelão(a) Massagista / Massoterapeuta Jardineiro Contador(a) / Técnico em contabilidade Carpinteiro / Marceneiro / Serralheiro Instalador(a) eletricista Vendedor(a) ambulante Autônomos em geral Total

Profissionais cadastrados 193 127 50 44 31 32 25 19 26 15 19 26 22 21 15 13 17 14 12 12 9 7 6 29 119 903

Percentual 21,37% 14,06% 5,54% 4,87% 3,43% 3,54% 2,77% 2,10% 2,88% 1,66% 2,10% 2,88% 2,44% 2,33% 1,66% 1,44% 1,88% 1,55% 1,33% 1,33% 1,00% 0,78% 0,66% 3,21% 13,18% 100,00%

Foram considerados somente os vendedores ambulantes que atuam de forma contínua. / Fonte: Secretaria da Fazenda, Dezembro/2015

56

Foto: Sabrina Schuster

Foto: Sabrina Schuster

Foto: Sabrina Schuster


Entidades Quantidade Percentual Categoria 51 16,45% CPM (das escolas municipais e estaduais e das escolinhas particulares) 29 9,35% Associação de moradores 8,39% Entidades religiosas 26 7,42% Sociedades 23 58,39% Outros de diversos segmentos (Centros de Umbanda, grupos de terceira idade, grupos de danças, associações de cemitério e outros) 181 100,00% Total 310 Fonte: Cartório de Registros de Nova Petrópolis, Novembro/2015

Maiores empresas em valor adicionado (ICMS) no ano de 2014 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

31 Cooperativa Agropecuária Petrópolis Ltda. (Supermercado) 32 Estofados Germânia Ltda. 33 Fundição Alca Ltda. 34 Seibt Máquinas para Plásticos Ltda. 35 Elise Móveis Ltda. 36 Idilia Armani Colombo Indústria Têxtil Ltda. 37 38 Auto Nova Petrópolis Ltda. 39 Benoit Eletrodomésticos Ltda. 40 Matadouro Zimmermann Ltda. 41 Sandra de Lio Ind. e Com. de Confec. Ltda. Cooperativa Agropecuária Petrópolis Ltda. (Fábrica de Rações) 42 Granja Pinheiros Ltda 43 Rudinei Brombatti Eireli 44 Matadouro da Serra Ltda 45 C Casagrande Eireli 46 Criações Dakota Ltda 47 Dakota S/A 48 Global Distribuição de Bens de Cons. Ltda. 49 Elmir Com. De Calçados e Vestuário Ltda. 50 51 JBT Transportes Ltda. 52 Luciano Casagrande e Cia Ltda. 53 Brasfalto Pavimentação Ltda. 54 Transtoco Transportes Rodoviários de Cargas Ltda. 55 Auto Posto Olinda Ltda. 56 Drebes & Cia Ltda. 57 Rizzi e Cia Ltda. Via Inox Varejo e Distribuição de Utilidades Domésticas 58 59 Posto Center Point Ltda. 60 Abastecedora Michaelsen e Michaelsen Ltda. Cooperativa Agropecuária Petrópolis Ltda. (Indústria)

Equipar Comércio de Equip. Eletrônicos Ltda. Posto Ninho das Águias Ltda. Jose Felipe Klauck Niruma Móveis Eireli Claudir R Boettcher Metalúrgica Pinhal Alto Ltda Super Mercado Marina Ltda Salsicharia Seefeld Ltda Comércio de Medicamentos Brair Ltda Floricultura Úrsula Ltda Sandra de Lio Ind. e Com. de Confec. Ltda. Murani Móveis Ltda. Dimed S.A. Distribuidra de Medicamentos Criações Dakota Ltda W S Calçados Ltda Kinei Calçados Ltda Granja Nicolau Ltda Embutidos Petrópolis Ltda. Eloy D Arend Gula Distribuidora de Alimentos Ltda. José Ricardo Boelter & Cia. Ltda. Comercial de Alimentos Seefeld Ltda. Seefeld & Cia. Ltda Drogaria Germânia Ltda. Spier Diedrich Ltda. HDA Indústria e Comércio de Componentes Eletrônicos Gartencenter Úrsula Ltda. Dreams Perfumaria e Cosméticos Ltda. Ademir Leonardo Wendt Márcio Rogério Schumann Auto Center Ltda.

Fonte: Secretaria da Fazenda, Dezembro/2015

57


Segurança Brigada Militar Conforme relatos de antigos moradores, os primeiros registros da presença de Brigadianos, da então Vila de Nova Petrópolis, datam do ano de 1932, em que uma dupla de Policiais vinha diariamente de São Sebastião do Caí e permanecia a serviço da população, estando instalados no porão de uma casa, onde atualmente se encontra edificado o Colégio Estadual Padre Werner. A partir da emancipação municipal, foi criado o Destacamento Policial com efetivo fixo, oriundo do 3º BP de Porto Alegre, sendo seu primeiro Comandante, o Sargento Onécio da Vara. Outro fato marcante em sua história remete ao ano de 1986, em que se realizou a conclusão da obra onde está hoje localizado o prédio sede do Pelotão de Nova Petrópolis, após intensa mobilização do comando da Brigada Militar local e seus integrantes, juntamente com o poder público municipal. Atualmente, o 3º Pelotão de Nova Petrópolis está subordinado à 1ª Companhia de Polícia Militar e esta, por sua vez, subordina-se ao 1º Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas, ambos com sede em Gramado, sendo que o 1º BPAT subordina-se ao Comando Regional de Policiamento Ostensivo da Serra – CRPO/Serra e este último, diretamente ao Comando Geral da Brigada Militar. Desde 2015, Jorge Laurício Marscarin é o Capitão do Pelotão do município.

Polícia Civil A Polícia Civil iniciou suas atividades no município de Nova Petrópolis pouco tempo após sua emancipação política, por volta de 1958. Sua primeira sede esteve localizada na Rua 7 de Setembro, sendo, posteriormente transferida para um prédio na esquina da Av. 15 de Novembro com a Rua Presidente Lucena. Seu primeiro Delegado foi o Dr. Vitor Gravo Teixeira, que atuou no município até meados da década de 60. Em 1965 realizou-se um primeiro movimento comunitário, no qual alguns colaboradores e amigos do então Delegado Dr. Hermínio Dutra, engajaram-se para juntar uma verba com a finalidade de pintar o prédio da delegacia. Este movimento deu origem ao que viria a se tornar o primeiro CONSEPRO surgido no Rio Grande do Sul, modelo este, depois copiado por muitos outros municípios. Nos anos de 1979 e 1980, foi construído o atual prédio da delegacia, no período em que atuava o Delegado Dr. Geraldo Werle. Na época, também foi criada a Circunscrição Regional de Trânsito – CIRETRAN de Nova Petrópolis, que funcionava junto a Delegacia e expedia Carteiras de Habilitação. Anteriormente, era necessário que os moradores do município se deslocassem à Caxias do Sul para obter o documento. Atualmente, a Polícia Civil de Nova Petrópolis também é responsável por atuar no município de Picada Café. Desde 2011, Camilo Pereira Cardoso é o Delegado.

Polícia Rodoviária Federal Em 1962, o Município de Nova Petrópolis já contava com uma equipe móvel da Polícia Rodoviária Federal, cuja finalidade era atender às demandas de trânsito de veículos entre as localidades de Picada São Paulo e Vila Cristina. Os primeiros patrulheiros dominavam os idiomas italiano e alemão, possibilitando a comunicação entre a PRF e as comunidades locais formadas por imigrantes europeus. No ano de 1968, foi estabelecido o primeiro Posto da PRF de Nova Petrópolis. Este primeiro prédio fora construído pelo Departamento Nacional de Estradas de Rodagem – DNER, ainda em madeira, e se localizava no Km 81 da antiga BR-2. Em dezembro de 1990, foi inaugurado um novo Posto da PRF no Km 184 da BR 116 em Nova Petrópolis, em frente ao antigo prédio. Com o apoio e doação de materiais pela comunidade local, a edificação foi construída em alvenaria no estilo Bávaro, tornando-se não só um ponto de apoio, mas um cartão de visita para os turistas que chegam à Região das Hortênsias. Compete à 5ª Delegacia, com sede em Caxias do Sul, quatro Unidades Operacionais, localizadas em Caxias do Sul, Nova Petrópolis, Bento Gonçalves e Veranópolis, a circunscrição de 123 quilômetros de extensão da Rodovia BR 116 e 118 quilômetros na BR 470. O volume médio da BR 116 em Nova Petrópolis chega a atingir 8.000 veículos por dia. Atualmente, o Posto é Chefiado pelo Policial Rodoviário Federal Eduardo Martins Fornari.

Bombeiros Voluntários Após alguns incêndios e chuvas com ventos seguidos de destelhamentos sem que houvesse qualquer apoio de Bombeiros, a então Associação dos Jipeiros, junto da Defesa Civil do Município, levantou a possibilidade da criação de um Corpo de Bombeiros Voluntários em Nova Petrópolis. Em Junho de 1991, em visita a Darmstadt, cidade da Alemanha, conseguiu-se como doação, o 1°

58


Caminhão da Corporação. Nesse mesmo ano, formou-se a 1° Turma de Bombeiros Voluntários do Município, sendo que em 23 de novembro de 1991, foi fundada a Sociedade Civil Corpo de Bombeiros Voluntários de Nova Petrópolis. Frederico Guilherme Zorzan foi o 1º Presidente e também o 1º Comandante da Corporação, tendo como Vice-Presidente, Rudolfo André Novak, e Subcomandante, Anísio Baumgarten. No entanto, sem muita credibilidade, praticamente não recebiam chamados para atendimento, até que em 05 de Junho de 1992 um forte vendaval destruiu inúmeras residências do Município, unindo mais ainda Jipeiros Bombeiros Voluntários e a Comunidade, e com isso, despertando a visão da importância do Corpo de Bombeiros Voluntários para Nova Petrópolis. Atualmente, a Corporação possui uma sede estruturada e conta com 12 veículos operacionais (de combate a incêndio, resgate e ambulâncias), 01 carreta tanque, 01 barco e 01 veículo administrativo. Seu presidente e vice são, respectivamente, Walter Alves da Costa e Maico de Castilhos, e seu comandante e subcomandante, Ivanildo Santana da Silva e Éderson Tonin.

CONSEPRO O Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública - CONSEPRO, criado pela Lei Nº 1.246, de 19 de abril de 1991, é uma Entidade Privada, de interesse público sem fins lucrativos. Tem como objetivo apoiar e colaborar com o Sistema de Segurança Pública buscando soluções e alternativas para problemas de ordem pública ligados à segurança, que prejudiquem a harmonia e a paz social. Integrado por cidadãos, associações, entidades de classe e órgãos públicos, a administração do conselho é realizada por meio de Assembleia Geral, Diretoria, Conselho Técnico e Conselho Fiscal. Naira Sauter Seibt é a Presidente na Gestão 2015/2016 do CONSEPRO. Atua diretamente com a participação da Sociedade Civil Organizada, realizando a captação de recursos e estabelecendo um canal de comunicação entre a Comunidade e os Órgãos de Segurança, no sentido de adotar medidas que proporcionem o melhor desempenho da Segurança no Município. Em Nova Petrópolis, sua atuação se dá junto a Brigada Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal, com vistas à qualificação de serviços, melhoramento das instalações e condições de trabalho, e discussão de ações preventivas.

Distâncias Picada Café Presidente Lucena Vale Real Morro Reuter Ivoti Caxias do Sul Aeroporto Reg. de Caxias do Sul Feliz Gramado Estância Velha Dois Irmãos Canela Santa Maria do Herval Novo Hamburgo São Leopoldo

9,2 20,1 25,7 31,2 33,3 33,6 33,6 34,8 36,6 38,2 39,8 43,1 45,2 54,2 62,8

São Francisco de Paula Bento Gonçalves Aeroporto Internac. Salgado Filho Porto Alegre Florianópolis - SC (via BR 116) Curitiba - PR (via BR 116) Montevidéu/URU (via BR 116) São Paulo - SP Assunção/PAR Rio de Janeiro - RJ Buenos Aires/ARG (via Uruguaiana) Sunchales/ARG Belo Horizonte - MG Brasília - DF Santiago/CHI

79,7 83,1 93,1 96,0 476 607 893 1011 1175 1441 1453 1555 1595 1989 2508

Foto: Miriana Stumpf Fotografia

Distâncias rodoviárias da Sede

Distância em quilômetros. Fonte: Google Maps

59


Distâncias entre pontos localizados no Município Ponto de origem: monumento da Praça da República Vila Olinda

Zona Birk

Acesso Rua Felipe Michaelsen

2.850

Acesso

16.450

Acesso Rua Aloysio Arthur Mombach

3.250

Escola Municipal São Pedro

21.350

Sociedade Vila Olinda

3.800

Feliz Lembrança

Linha Olinda

16.100 21.400

Acesso Rua Felipe Michaelsen

2.850

Escola Municipal Jacob Mallmann

Sociedade e Campo de Futebol

8.050

Nova Harmonia

Escola Municipal Tiradentes

10.250 Acesso

17.000

Arroio Paixão

Escola Municipal Tobias Barreto

Sociedade (via Vila Olinda)

11.550

Santa Inês

Sociedade (via Linha Temerária)

19.500 Acesso

17.800

Cruzamento Tirol L. Temerária (via V. Olinda)

14.050 Escola Municipal São Luis

19.050

Linha Temerária

21.400

Linha Pirajá

Acesso Temerária (via BR 116)

10.500 Sociedade / Escola Municipal D. Pedro II (via B. Piá)

11.950

Campo de Pouso

11.500

19.800

Escola Pedro Beck Filho (via BR 116)

16.300 Pedancino

Sociedade Temerária

16.550 Acesso

14.250

Cruzamento Tirol / Arroio Paixão

17.000

Escola / Igreja

19.250

Sociedade Temerária (via Vila Olinda)

14.500 Ponte Rio Caí

20.000

Escola Pedro Beck Filho ( via Vila Olinda)

17.750

Sociedade / Escola Municipal D. Pedro II (via BR 116)

Linha Araripe Sociedade Linha Araripe

16.950

Sociedade Tirol (via Vila Olinda)

16.500 Escola Municipal Fernando Lüdke

17.100

Sociedade Tirol (via Vila BR 116)

19.450 Acesso para São Roque (Panelão)

18.100

Divisa / Ponte (via Vila Olinda)

18.550 Divisa Nova Petrópolis - Gramado

23.100

Divisa / Ponte (via BR 116)

21.500

Stille Eck

Linha Brasil Escola Bom Pastor

12.300

17.150

Acesso Linha Brasil Fundos / Igreja

12.700

20.100

Sociedade Linha Brasil

13.150

Escola Municipal Princesa Isabel (via Arroio Paixão) Escola Municipal Princesa Isabel (via BR 116) Escola Municipal Princesa Isabel (via L. Olinda)

16.300 Acesso 10 Colônias

São José do Caí

Linha Brasil Fundos / Escola Mun. José Bonifácio

Acesso (via BR 116)

10.350 Linha Riachuelo

Ponte Rio Caí / Divisa

10.800 Escola Municipal Castro Alves

Sociedade São José (via BR 116)

13.500 Nove Colônias / Chapadão

Sociedade São José (via Linha Pirajá)

18.250 Acesso Nove Colônias (Volta Redonda)

Bairro Piá

13.300 18.400 20.050 10.450

Sociedade Nove Colônias

15.600

Acesso Rua Emílio Raimann

2.400

Acesso Chapadão

14.450

Usina Piá

3.300

Escola Municipal Chapadão

16.850

Escola Estadual Km 4

2.900

Linha Imperial

Escola Municipal Jardim das Azaléias

4.850

Sociedade

7.450

Rua Antônio Schoeler esquina RS 235

7.500

Treze Colônias Acesso

12.900 Rua da Pedreira esquina RS 235

Escola Municipal Fortaleza

14.400 Encruzilhada Nove Colônias (via Linha Três de Maio)

Pinhal Alto

7.850 11.300

Acesso Nove Colônias (via Linha Três de Maio)

15.600

Acesso

7.050

Acesso Loteamento Vila Pinheiros

5.700

Escola Municipal Imperial

10.100

Loteamento Vila Pinheiros pela Rua José Grings

8.050

Escola Municipal Jacob Jaeger

13.750 Outras localidades

Escola Estadual São José

15.900 BR 116 (Viaduto)

1.200

Sociedade Pinhal Alto

16.550 Acesso Ninho das Águias

3.750

Distância em metros. Fonte: Secretaria de Planejamento, Coordenação de Trânsito e Habitação

Foto: Jei Heydt

Linha Tirol

60

Acesso


Foto: Margarida Neumann


Perfil socioeconômico Nova Petrópolis RS - 2015/2016  
Perfil socioeconômico Nova Petrópolis RS - 2015/2016  
Advertisement