Issuu on Google+

1 3 5 7 6 4 2 n e v i l l e s b ã o ep r i s c i l aq u a n t oc o n t a t o :trabalho( r i o ) ;n a d o l e a l c a r s o n d i n h of a r i a s ;b o l a d o sdizain@hotmail.coms e r álo g o m a r c a s( c a l m a , a f e s ta g o s t a r i a mâ n g e l a ;c o m m e l h o roriginalíssimasv a i r o l a r ) ; de t i r a r oe d u a r d oc e r t a sp e r i o d i c i d a d e :se possuirq u e u s a mmerc ado da rua p r e l o d e :b a c i g a l u p o ;lendas etudo nos leva a crer‘textura’,c m y kd o o u v i d o r; theiza (primeiro);m . c r i s t i n am i t o sque seja trimestral‘sombra’,lado a lado;b - d e s i g n ; pai ricardo leited r e s l e r ;a c e r c a ‘extrude’,pessoal ques p h a e r a ; d e o g u m ;d e s i g n e r sdenomes,d i s t r i b u i ç ã o :‘metálico’,s uj a a r u av i m a r a n e s ; marcelo rosaurob a i a n a s ;e v e n t o s ,m u i t a s m ã oou ainda um( p o l í t i c o sr a u l ( n o ss o m o i s é s ) ;c l a u d i oprocessosd i s t r i b u i d o r a‘degradéeo u n ã o ) ;(gráfica corbã); c a s s u l a ;rocha; colino u c o mb o a t o s d ef i l ó e b a r n e y ; l e o c a l d i ;b r i g n a l l ;m e s m oc o l a b o r a ç ã o :todas a sc o b r a n ç ai a v ; e b a ; t o n h o ;j o n a t h a natitudes,j o s é b e s s ac o r e sd o i c q ;j u l i a n a ( m o t a ) ; joão leite (esdi);b a r n b r o o k ;q u e r i a mc l a u d i o r e s t o nimagináveis’.o s q u e s ee r i q u i n h a ; b l e q u e ;jimmy leroy;perguntar c o mc o n s i d e r a mp i n e a p p l e c a r o lr u b e n sc o mt e x t o s :r e l a ç ã o“ e l i t ep o p s i c l e ; ( d e s i g n e rm a t u c k ;relação a:m i n h a m e n t ea t u d oc u l t u r a la r y ; d e c r i s t o );t o n y d ea c h a rr e d a ç ã oq u e f o ic a r i o c a ” ;f a n z i n e i r o s m a n u m a r c o ;q u e é c i t a d o ,à q u e l e se m g e r a l ; ação nãoqual é oq u e t e mr i o a r t e (c ase sensitive);s e s cimpossívelest estaa public publicação c a t a l i n avila mariana;c r i a rpode ser vendidamistério?“ m á g o a ” p o r( q u a l q u e r ( e s t a g i á r i a ) ;o p e r a ç ã ou m a(melhor que umaem breveq u a l q u e rtrocadinho é bem bruno p o r t o ;p a p e lr e v i s t al i n h a 2 0 5 )o ddbr a z ã or e c e b i d o ) ; m a r t i n e z ;( s i m o n ec o m o o ( d e s i g nb e s t a c l a u d e t t e b i l l y b a c o nt i m b ó ) ;design ded e s i g nde bolso)( c a g u e is o a r e s ; t o d oe s t a r ám a l a n d r o )r á d i o i m p r e n s a ; ( a g o r a é pa i ) ;c o n s u l a d obolso eme r e s t o :disponívele a i n d a2 l e o e y e r ;m i n e i r o ;u m a b p c ;o a l e s s a n d r aluís eduardoa c h a rp r o d u z i d o n a se ma o s q u ee d i t o r a ; d e v u l s k y ;p o t s c h ;q u e ér o c a m b o l e s c a sf o r m a t of i c a mh i r o ; f e l i p e ta b o r d a ,f e i r i n h a d am a i sdependências dap d f“ofendidinhos”.n o s s o s andréa, priscilla;l i b e r d a d e ;impossívele l e s b ã on ae c o m of a m i l i a r e s ; s a a r a ;m ô n i c aa i n d ae h a r o l d i n h ointernet.não poderiat o d a a g a l e r a j o ã o l u t z;e t o d o ob a n c a r/ d i z á i n /aguarde.d e i x a rq u e n o s a p ó i a a n d r ép e s s o a l d ad ofotolito gentilmente cedido pord e s e r , a( p o r ra , n ã o d á v i l l a s b o a s;f a c u l d a d ep r ó p r i ov i m a r a n e st e l e r j .p r a c i ta r t o d o hildegard angel;a n h e m b i -b o l s o0 2 1 - 5 8 9 - 3 2 1 4e l e s b ã o em u n d o ! ) ; “ b a r t ” ;m o r u m b ie s t eapoio mais que bemvindoh a r o l d i n h oà s petecash; n ã oe principalmente g u s t a v o ( m a pa s(onde fomosz i n e ; a c r e d i t a ma o p o v o q u e d e s ã o pa u l o ) ;r e c e b i d o sacreditar que v o c êr e s p o n d e m a i l . d i r c e ;p a r a a sq u e o r e a l m e n t ee em su m a d a m e s i m o n e ;pa l e s t r a s ) ;micro é a suaa viagem o p ar j e r e m i a s ;f a m í l i as o l u ç ã o0 2 1 - 5 4 4 - 7 2 5 6t e v ea são p paa ul ulo par araa b a r c e l l o s ;m a n c i n id a s u ah t t p : / / w w w . 2 a b . c o m . b rp a c i ê n c i ad i v u l g a ç ã o d o l e rk i t d e v e r ã o l u í s c e s a r ; nevillesbão criatividade;i m p r e s s ã o :p a r a e r e u b e r ; p e n s a rg r á f i c a c o r b ãe s ttaa l o n g ae l e s b ã o e irmã maria amélia;c arsondinhoq u e( 3 . 0 0 0 exemplares)e c o n f u s ah a r o l d i n h o : l i s t ac a s s u l a marly; jurandir;g o s t a r i a ms o m e n t e c o r p o( f o r ç a n a s m a d a l e n a ;d e v e l a r oa s au l a sas logomarcas citadas nestae m d e :d e u m aedição são de uso exclusivo dec i n c op a l e s t r a s p ã o c o mf i l m e manteiga do sion;t e l e r jfaculdadeseus detentores. qualquer( e n t r e l i n h ae companheiro de m a r c i n h a e(s ó q u e mbastarãos e m e l h a n ç a éc i n c oj a c a - a f i n a l , b u g gy ( r e c i f e ) ;d e p e n d epara asuameramente ilustrativa e sacanat a m b é m ) .é “ a p e n a s ” o s e i s s oc a s s u l a ) ; d e n i z ee n t e n d e aformação; ( r e p ó r t e r ) ;m a l d i ç ã o ) ;discriminarall rights reserved (ptu)s e r v em e i r e m a r i m sangria wa lthergangues queusuários© eleshar corporation 1999c o m o(design gráfico); ( t o p m o d e l“ lo t e i a m ” ade outra(deste mundo nada se leva)c o n s o l o ,p a u l o l i m a , s a i b arenata zincone e “ m i n h a m ã e ” ) ; c i d a d e ;m á q u i n a d a v i d b a n e r;t w i s t e dque não ao design de bolso pode serq u e n ã oe q u i p e t r i p eric estrada;matiz;s i s t e r ;s u aencontrado eventualmente:f o i m e n o s( e l e s b ã o homem elefante;g a l i s t e u ;“ m a ç ã ” ,letras e expressões (ipanema)c h a t og o s t a r i a d e h e l pf a l a b e l a ;c r e n t et r a c k s ( g á v e a )a r r u m a ra b a n d o n a r ( s ó p r i n c e s a ) ;guardadoresque vocêi a v ( UniverCidade )e s t ea sociedade para impulse tracker;d e c a r r os e r álivraria do estaçãot e x t ot r a b a l h a r á g u i a d i s c o;q u e s ã oalgo maislivraria do espaço unibancot o d ono meio daquelas c o m l u r b ;guardadoresp o rcasa do ricardo e da theizan e s t am u l h e r e s m a l d i t am a r a v i l h o s a s l e t r a sde dinheiro;c a u s a & e x p r e s s õ e s ;b a n d i n h a sd i s s o ;m e l h o r s e c o n s u m i d oc o l u n a .h a r o l d i n h o b i s c o i t o g lo b od e a x é“ b a b a r ”a n t e s d o p r ó x i m op o r q u êt a m b é m ) ; ( s a l g a d om u s i cp o r(achou o ddb número 4?)v o c êr e v i s t a d a n ã o vvaa i l e rc r i a ç ã o ; o u d o c e );e p a g o d equalquer l i v r o ,w / b r a s i l ; k r i s e b i g d a d ;( pa g o d e édinossauroelesbão e haroldinho, duplau m ta t i l d e s ; l i a n e ;“ f u n d o d ef e i t om u n d i a l m e n t e d i f u n d i d ac a c e t e ?pa u lo m o r e tt o ; l u c i a n aq u i n t a l ” ) ;e m 3 d ;a t r a v é s d e pa n f l e t o se l e s b ã oh e l e n i n h a e ( f o r m a n d a ) ;l o g o m a r c aou mesmopublic ação criada em pc stefan; silvinha; e p a u l i n h od a 24h; a t lcrer que(que se foda mesmo o seu pharoldinho,h a b i b ’ s (já tá andando);e das barcass e uo w e r s e i l á o q u ê)u m t a n t oa d g ; 1 3 5 7 6 4 2


Ilha dos P esc adores Pesc escadores

Tropic aliente ropicaliente

Terr erraa do Adocic Adocicaa

Lambaeróbic aland Lambaeróbicaland

Castel o K aoma Castelo Kaoma

Casa do Cid Guerreiro Barr Barraa

Trio Elétrico

venha conhecer! o maior parque temático de porto seguro

axé, pagode e lambada -24 horas por diacassula

cerveja liberada até meia noite - mulheres não pagam - abadás de todas as grifes - todos os dias uma sensacional queima de fogos durante o encontro dos trios na praça central - sorteio de celulares com viva voz - concurso do melhor pagode, tendo como prêmio uma s-10, em segundo um pitbull e em terceiro um vale-cerveja de mil reais nas lojas de conveniência da lagoa

e

m

b

r

e

v

e

,

t

ô

n

i

a

c

a

r

r

e

r

o

w

o

r

l

d


“P oderoso, consistente” “Poderoso, Proctomagazine “Refresc ante” “Refrescante” Cedae News “T udo is so?” “Tudo isso?” FEEMA

Brothers Gonna Make It Brown 2 faixas + BONUS “TRAQUE”

1999 Atroveran World Tour


SEUS PROBLEMAS CHEGARAM AO FIM (

o

u

n

ã

o

)

aquele monitor mal calibrado, a impressora jato de tinta ou mesmo aquela prova de cor mal feita estão com os dias contados. todo um esforço de trabalho pode ir por água abaixo pelo uso de equipamentos não calibrados. pensando no bem estar dos profissionais gráficos e principalmente no incremento da qualidade final de impressão, lançamos com exclusividade no brasil o daltone truth-or-dare color system.

são milhares de tons aleatórios, desorganizados, combinando a praticidade do acaso com o moderno, despojado. não deixe o bonde da tecnologia passar adiante, e adquira o quanto antes seu kit de cores i n c o n s ta n t e s . 0800-caguei-pracor 24 horas por dia


Mais uma vez nos dep ar amos depar aramos c o m aquela máxima: o cliente é burro.

f o n t e máxima de renda cabe a nós n o s tornamos o mais exímio dos pedagogos e ensinarmos o que é certo (ou n ã o ) .

Ok. P ode Pode até ser. Inclusive, em boa parte dos c asos, é. Is so você É Isso

pr um praa engenheiro, por is so isso ficou uma merda”, ou ainda (a pior de t o d a s ) “não estão m e pa g a n d o muito, por is so fiz isso qu uaa l q u e r coisa”.

muito,

desenho, frequentou a ulas de gd e perspectiv perspectivaa que aaté té hoje não entendeu o par araa que l h e ser vir am e servir viram v i r o u n o i t e s p a r a terminar o s

s e u s conhecimentos contemporâneos a fim de desenvol ver desenvolver um bom tr abalho? trabalho? Quem dis se a disse você que ‘comercial’ combina c o m ‘brega’ e

vergonha na c ar a? ara? Diante d i s s o t u d o , c a b e também a m i m pergunt ar perguntar a você, se o que determina a beleza de seu tr abalho trabalho

d es ign er é ma n eir o, m as vvacila. acila. j á entendeu há muito tempo, n ã o ? Claro, p o i s entender is so é isso fácil e cômodo. Difícil mesmo são vocês, designers entenderem que, se o cliente é burro, - e, muito por ac a s o , n o s s a

mas MUITO fácil você justific ar justificar jogar a culp culpaa de s u a incompetência no cliente. Estamos cansados de escut ar escutar aquelas ladainhas babac as de babacas sempre: “não ficou b o m porque o cliente é ‘c aret a’”, ‘caret areta’”, ou “o tr abalho é trabalho

Or a, c aro Ora, caro mancebo, t e m o s algumas questões a s e r e m esclarec i d a s e n t ã o : - Se você passou anos numa faculdade, gastou dinheiro c o m mensalidades, livros, revist as e revistas m at e r i a i s d e

projetos, será que a té hoje você ainda n ã o entendeu o POR QUÊ D I S S O TUDO? Se o cliente é careta, não c abe a cabe v o c ê procur ar procurar entender o mais banal fundamento de su suaa c aretis se aretisse e, a p artir partir d a í , acrescent ar acrescentar

‘antiqu ado’? é o gr graa u ‘antiquado’? de idiotice - Se você do cliente. acha va que Em c aso achav tivo, o preço afirma afirmativo, não er eraa c o n c l u o j u s t o então que diante seu você não i n q u e s - entendeu tionável N A D A . conhecimento e Pensem so i n d i s p e n - sobre is isso arem de s á v e l e p parem t a l e n t o , reclamar. POR QUÊ D e s i g n e r ACEITOU reclama az fazer o muito e ffaz tr abalho? pouco. E trabalho? Fal de considerem altt a so uma auto-estima is isso ou de reclamação.


32 bandas! 8 hor as de muito chacundum! horas pela primeira vez na história, um evento reunirá artistas consagrados e novos talentos da farofa e da sarau music! leprechaum coveiro bobo napalm death guns n roses megadeth angra anthrax twisted sister quiet riot pixies viper the cult marillion scorpions white snake def leppard bon jovi racer-x panthera korzus x-rated manowar helloween stratovarius yngwie malmsteen e muitos outros!

particip ação especial: articipação

R AMONES RAMONES

“a maior banda de sarau do mundo!” - revista valda

Geladeira Celular Digital

the babilônia menace ingressos antecipados nas bilheterias da babilônia, ou na secretaria dos seguintes colégios: andrews . aplicação ufrj . ceat . impacto . pinheiro guimarães . planck . mv-1 notre dame . santo agostinho . santo inácio . são bento . são vicente . sion . teresiano . zacharias. em c aso de chuva, o evento será transferido para a quadra coberta.


chamem elesbão e haroldinho /dizáin/

às vezes o design de bolso se contradiz e isso te deixa confuso.

porque não vai à merda?

passa-tempo experimental, insano.

aos pit aqueiros de plantão. se não confia em meu tr abalho, pitaqueiros trabalho, por quê me chama? se não sabe p ar vo, por quê par araa o quê eu sir sirvo, me chama? se não quer que eu pense, por quê me chama? se já sabe como ffazer, azer, por quê me chama? se gost ogos em gostaa de llogos chamas, voando e em 3d, por quê então me chama? se não enxerga nada além do próprio umbigo, por quê me chama? se quer se dar bem em cima de todos, por quê me chama? se acha que sou apenas a solução mais bar baraata, por quê então me chama? se não consegue confiar em pes soas mais jovens, por pessoas quê me chama? se chama contemporâneo de modernoso, por quê me chama? se não tem opinião formada, por quê me chama? se acha que qu alquer coisa é boa, por quê me chama? se qualquer você sabe ttanto, anto, por quê me chama? se acha que designer não tem fundamentos, por quê me chama? se acha que su as idéias suas são melhores que as minhas, por quê me chama? se me acha enrolado, por quê me chama? se quer ‘aquele básico’, por quê então me chama? se não quer entender o porque dos gr afismos, por quê me chama?se não conhece meu tr abalho, grafismos, trabalho, por quê me chama? se você se acha, por quê me chama? se não sabe dar vval al or, por quÊ me chama? se me invej a, por alor, inveja, quÊ me chama? se só sabe lidar com burocr burocraatas, por quê me chama? se acha indispensável eu usar uma maçã col orida, colorida, por quê me chama? se quer que eu col oque um degr adê em coloque degradê arco-íris de forma gr a, por quê , meu deus, me chama? graatuit tuita, se acha que meu nome não é sério, e sabe que eu não vou mudar, por quê me chama? se não tem c ap acidade p ar cap apacidade par araa entender conceitos, por quê me chama? se não quer me ouvir, por quê me chama? se quer fic ar buzinando em meu ficar ouvido, por quê me chama? se não quer me chamar, por quê me chama? se acha que ffaz az melhor, por quê me chama? e, se me chama p ar azer como você ffaria, aria, par araa eu ffazer

a gente não pensa no que fala e fala o que pensa. não pede para você concordar, nem tampouco sua bença.

escrevo aleatoriamente sobre o cotidiano. obcecado, leviano.

a intenção é essa.


“Saiu o Design de Bolso”



ddb_06