Page 1


2

Novembro

Geral/Opinião

2015

Jô Nunes

Curso de Gastronomia marca presença no Sirha Rio de Janeiro DA da Gastronomia

Palavra da Reitoria O livro do Eclesiastes diz que “há tempo para plantar e tempo para arrancar o que foi plantado”. Eu diria que há um tempo para plantar e um tempo para colher. Esta época é propícia para pensarmos um pouco sobre isso. Afinal, mais um ano está prestes a se encerrar. Portanto, cabe avaliar e colher o que cada um de nós plantou. Um pouco mais de um mês, e o semestre fecha suas portas. Meu desejo mais sincero é que todos estejam felizes com as suas conquistas. Que os professores saiam da jornada com a consciência do dever cumprido, tendo espalhado e provocado o saber, tendo acolhido com justo carinho e afeto aqueles que vieram para compartilhar com eles o seu espaço de ser e aprender. Que nossos estudantes saiam da jornada inteiramente satisfeitos com o resultado de suas buscas, que cada aula tenha valido a pena como investimento de vida. Que nossos técnicos e funcionários, dos iniciantes aos mais experientes, saibam de seu importante papel, para que o dinamismo na universidade continue a registrar a digna história que todos estamos construindo. Daqui a pouco, um grande grupo de acadêmicos faz sua derradeira colheita. A formatura iminente que se aproxima lhes destinará novos rumos. Desejamos que sua passagem pela Unisc tenha sido de tal forma proveitosa, que se deparem na vida pessoal e profissional com a plenitude de seus melhores projetos e sonhos. A caminhada, tanto para os formandos como para os demais, ainda não se encerrou. Invistam energia, confiança, tempo de estudo para não chorar um inoportuno tropeço. Se estiverem diante de alguma fragilidade, não desistam. Há tempo para recuperar eventuais fracassos, que não precisam ser definitivos. Mas, também é tempo de acolher. Estivemos há poucos dias recebendo um grande contingente de jovens em busca de conhecer a universidade, de saber de seus cursos, de fazer a sua opção. O Viva Unisc é um projeto de todos nós. Com certeza, muitos dos nossos atuais acadêmicos vivenciaram esse momento e sabem de sua relevância. Se queremos uma universidade sólida e qualificada, é indispensável que nos envolvamos todos na renovação de sua vida. Foi um dia de muito trabalho; no entanto, representou fundamental tempo de semear. Um pouco mais adiante o calendário marca a realização do vestibular. O campus vira um enorme reduto de ansiedade, desejos e sonhos. Milhares de jovens vêm até aqui na confiança plena de que seus projetos de vida vão encontrar o necessário suporte. Vamos recebê-los com entusiasmo e alegria, antecipando um tempo feliz de tê-los conosco como alunos, como colegas, como amigos. O ingresso no ensino superior se constitui num evento de grande significado na história da pessoa, pois aí, em geral, se traçam rumos definitivos da existência de cada um. Deixo um convite para que todos vivam esta etapa final do ano com muita energia, com renovada esperança, com desejo incessante de renovação. Se alguns momentos não foram bons, esqueçam-se deles. Faz muito bem ao coração alimentar-se das boas conquistas, ainda que tenham sido discretas e muito pessoais.

O Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia esteve presente num dos maiores eventos gastronômicos do mundo: o Sirha Rio de Janeiro. Realizado de 14 a 16 de outubro, o encontro contou com a presença de profissionais, chefs e empresários de gastronomia e de hotelaria, que apresentaram as novidades de cada setor e discutiram o rumo do mercado brasileiro. Houve, ainda, a realização dos eventos culinários Bocuse D’Or e Coupe du Monde de la Pâtisserie, os quais selecionaram novos talentos nacionais para representar o Brasil no Sihra México, em 2016. Os acadêmicos do curso de Gastronomia estiveram acompanhados pelas professoras Daniela Zubaran e Nassara Ellwanger.

Expediente Conselho Editorial

Jornal da Unisc

Reitora: Profª. Carmen Lúcia de Lima Helfer

Órgão Informativo da Universidade de Santa Cruz do Sul,

Vice-Reitor: Prof. Eltor Breunig

entidade filiada ao Consórcio das Universidades Comuni-

Pró-Reitor de Graduação: Prof. Elenor José Schneider

tárias Gaúchas (Comung), ao Conselho de Reitores das

Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação:

Universidades Brasileiras (Crub) e à Associação Brasileira

Profª. Andréia Rosane de Moura Valim

das Universidades Comunitárias (Abruc).

Pró-Reitor de Administração: Prof. Jaime Laufer Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento

Tiragem: 6.000 exemplares

Institucional: Prof. Marcelino Hoppe

Versão On-line: Bruno Franco e Luiza Rabuski

Pró-Reitor de Extensão e Relações Comunitárias:

www.unisc.br

Prof. Angelo Hoff Endereço: Av. Independência, 2293, bloco 3, sala 309. Jornalistas

Santa Cruz do Sul/RS. CEP: 96.815-900.

Josemar Santos, reg. prof. 13.267

Telefone: (51) 3717-7466

Felipe Nopes, reg. prof. 12.320 Yaundé Narciso

Onde encontrar: A Banca, Aquarius Hotel Flat

E-mail: imprensa@unisc.br

Residence, Biblioteca Municipal, Casa das Artes, Colégio Luiz Dourado, Escola Ernesto Alves, Escola Willy

Projeto Gráfico e Capa: Agência da Casa

Carlos Fröhlich, Escola Goiás, Escola Nossa Sra. do

Editoração Eletrônica: Assessoria de Imprensa

Rosário, Hospital Santa Cruz, Iluminura Livraria Café, Shopping Santa Cruz, Agência FGTAS/Sine, Zaffari,

Revisão

Campus de Venâncio Aires, Campus de Sobradinho,

Roque Neumann e Beatriz Menezes Sperb

Campus de Capão da Canoa, Campus de Montenegro e Campus de Santa Cruz (Centro de Convivência, Clínica

*Elenor J. Schneider, Pró-Reitor de Graduação.

*Este material é produzido em papel reciclável.

de Fisioterapia, Reitoria e blocos 5, 8, 12, 18 e 53).


Novembro 2015

3

Ensino

ARQUITETURA E URBANISMO PARTICIPA DE EVENTO EM NATAL

Livro de jornalismolaboratório em TV

Divulgação

Conversando sobre Turismo aborda Hotelaria Divulgação

No dia 8 de outubro, o curso de Turismo promoveu a 5ª edição do Conversando sobre Turismo, com o tema Hotelaria, muito mais que um espaço de hospedagem. A palestra foi ministrada pelo proprietário do Ecoresort Vila Ventura, do município de Viamão, Samuel da Silveira, e pelo coordenador de treinamento e entretenimento do hotel, Dílson Palestra atraiu alunos de Turismo e de Gastronomia Nakayama Miranda. A atividade ocorreu na sala 101 da Unisc e contou com a presença de acadêmicos dos cursos de Turismo e de Gastronomia, além da comunidade em geral. Instalado em meio à natureza, repleto de espaços inteligentes, multifuncionais, aconchegantes e harmônicos, idealizados para realizar os mais variados eventos e proporcionar programas de lazer para famílias, o Vila Ventura Ecoresort combina conforto, bem-estar e movimento. Em 2014, o hotel hospedou a seleção do Equador durante a Copa do Mundo no Brasil. Silveira destacou as atividades desenvolvidas no hotel, cujo objetivo principal é realizar projetos que promovam a responsabilidade social com foco no meio ambiente. Ele salientou que “o Vila Ventura vai muito além de um hotel de lazer, pois alia atividades temáticas e esportivas, corporativas e sociais, sempre primando pela sustentabilidade e pela inovação”. Já Miranda explicou sobre os diferenciais do hotel e enfatizou que um dos serviços de maior prestígio é a Colônia de Férias, que ocorre duas vezes ao ano, no verão e inverno, recebendo cerca de 40 crianças entre 8 e 12 anos. “As atividades vão desde paredão de escalada e arvorismo até uma relaxante pescaria ou um gostoso passeio de trator, passando pelo torneio de futebol, por gincanas, oficinas, games e baladinhas dançantes com DJ”, contou.

O livro Jornalismo-laboratório: televisão (Edunisc, 2015) será lançado no dia 14 de novembro, às 16 horas, no pavilhão de autógrafos da 61ª Feira do Livro de Porto Alegre. A obra, organizada pelos professores Demétrio de Azeredo Soster (Unisc) e Mirna Tonus (UFU), como o título sugere, discute e registra o estado da arte da produção laboratorial em telejornalismo no Brasil. “Buscamos suprir uma carência, em termos de pesquisa, extensão e sala de aula, de livros voltados especificamente à prática do telejornalismo em sala de aula”, salienta o professor Demétrio. A obra é dividida em duas partes, em um total de 16 capítulos. Na primeira, intitulada Perspectivas reflexivas, seis capítulos – entre estes o de Fabiana Piccinin, professora de telejornalismo do Departamento de Comunicação Social da Unisc, discutem a prática laboratorial em jornalismo de televisão a partir de contornos teóricos. Já na segunda Práticas acadêmicas em processo, total de dez capítulos, encontramse registros e reflexões sobre o que está sendo realizado em termos de jornalismo laboratorial em universidades do Brasil inteiro. O preço de capa do Jornalismo-laboratório: televisão é R$ 55. Sobre o referido livro, o professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Antonio Brasil, salienta, no prefácio, que “estes artigos certamente contribuem para pensarmos e criarmos novos laboratórios para o jornalismo televisual, e para a vida, que reflita sobre o passado, pratique o presente e indique os caminhos possíveis rumo ao futuro”. O distribuidor do Jornalismo-laboratório: televisão é a Livraria Campus. Contatos pelo e-mail campus.livraria@viavale.com.br ou pelos fones (51) 3717-7432 e 3717-7433.

Secretariado Executivo em simpósio estadual Vanessa Alves

O curso de Arquitetura e Urbanismo representou a Unisc no 34º Encontro Representantes do curso durante o evento Nacional sobre Ensino de Arquitetura e Urbanismo (Ensea) e no 18º Congresso da Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (Conabea), realizados na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal. Estiveram presentes as professoras Adriana da Costa, Clarissa Leite e Rosane Backes, e as estudantes Sabrina Baungarten, Fernanda Tasch, Milene Barbieri e Ariane Morsch. Na oportunidade, a professora Rosane Backes apresentou seu projeto de extensão Arquitetura e Saúde, que já é desenvolvido através do curso de Arquitetura desde 2010. Os eventos foram organizados pela Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (Abea). O objetivo foi compartilhar e refletir sobre os resultados de pesquisas e experiências relativas ao ensino e à formação dos arquitetos e urbanistas, de forma a contribuir para o avanço do conhecimento nesse campo. Neste ano de 2015, a proposta foi discutir o ensino e a formação dos arquitetos e urbanistas, tendo como temática central a Qualidade no ensino de Arquitetura e Urbanismo. Os eixos temáticos debatidos foram Inovações pedagógicas e Competências profissionais.

1ª Maratona Unisc de Computação Yaundé Narciso

O auditório do Memorial da Unisc foi palco da abertura da 1ª Maratona Unisc de Computação (MUC), realizada no dia 28 de outubro pelo curso de Licenciatura em Computação. Os objetivos foram proporcionar novos desafios na área da computação a estudantes de escolas de Educação Básica e de organizações educativas; incentivar o interesse pela área da computação, introduzindo o pensamento lógico; e identificar e premiar talentos na Abertura ocorreu no Memorial da Unisc área da computação. Na oportunidade, a coordenadora do curso de Licenciatura em Computação, Marcia Kniphoff da Cruz, destacou a importância de resolver desafios. “Para essa maratona, não importa o que vocês têm no pé, como vocês estão vestidos, porque nós não vamos correr. O objetivo aqui é pensar para resolver desafios”, disse. A maratona ocorreu em duas modalidades: Nível 1, para alunos do 6º e 7º anos de escolas públicas e privadas, e Nível 2, para alunos do 8º e 9º anos. A cerimônia de premiação será no dia 18 de novembro, às 15 horas, no Anfiteatro do bloco 18 da Unisc.

Da esq. para dir.: Diana, Jéssica, Andréa K. e Andréa P. No dia 24 de outubro foi realizado o 1º Simpósio de Secretariado do Sindicato das Secretárias e Secretários no Estado do Rio Grande do Sul (Sisergs), no Master Premium Grande Hotel, em Porto Alegre. O evento reuniu profissionais de diversas cidades, entre eles a coordenadora do curso de Secretariado Executivo da Unisc, professora Andréa Aparecida Konzen; a secretária Diana de Azeredo; e as alunas Andréa Plácido e Jéssica Keller. Durante o dia, elas assistiram a quatro palestras sobre mudanças no mercado de trabalho, lutas sindicais, coaching e vivências profissionais. “Foi um momento de muita troca de conhecimentos. Reforçamos o quanto o secretário é importante no desenvolvimento organizacional, pois está preparado para atuar em três principais áreas: idiomas, informática e gestão”, avaliou a professora Andréa.


4

O Centro de Línguas e Culturas (Celinc) da Unisc recebeu o norte-americano Fernando Gouveia, que ministrou o workshop Cooperação Sustentável. O evento ocorreu no dia 19 de outubro, na sede da Associação dos Docentes da Unisc (Adunisc). Gouveia abordou os esforços internacionais focados em transformar tecnologias potencialmente perigosas em programas pacíficos que beneficiam a população mundial, assim como os programas que contam com a participação de cientistas internacionais, inclusive brasileiros, direcionados a promover o desenvolvimento de energia sustentável. O palestrante é mestre em Estudos de Políticas Internacionais, pós-graduado em Controle de Armas e bacharel em Ciências Políticas pela Universidade de Massachusetts Amherst, onde também estudou Ciências Ambientais. De 2009 a 2013, trabalhou como cientista no Laboratório Nacional de Idaho, nos Estados Unidos. Nos dois últimos anos, atuou como intermediário internacional e consultor técnico de política no Departamento de Energia dos Estados Unidos, no qual promoveu e coordenou iniciativas de cooperação internacional na Argentina, no Brasil e na Rússia, com foco no desenvolvimento de energia nuclear segura.

Semana Empresarial Internacional O curso de Relações Internacionais realizou, nas noites dos dias 26, 27 e 28 de outubro, a 1ª Semana Empresarial Internacional, no Memorial da Unisc. Na primeira noite, estiveram presentes as empresas Imply e Souza Cruz; na segunda, DMF Logística e Pioneer; e, no último dia de palestras, houve a participação de dois profissionais graduados em Relações Internacionais, Gabriel Schneider (Unisc) e Claussia Neumann (Unilasalle), que compartilharam com os estudantes as suas experiências no mercado de trabalho. O evento proporcionou a troca de conhecimentos entre os acadêmicos e as empresas que possuem atuação internacional, aproximando de forma mais concreta os alunos de Relações Internacionais com o mercado de trabalho.

Novembro

2015

Dia Nacional da Consciência Negra

Divulgação

Workshop com norteamericano

360°

17ª Semana Acadêmica de Odontologia Com intensa programação ocorrida na Unisc de 29 de setembro a 2 de outubro, a 17ª Semana Acadêmica de Odontologia promoveu diversas atividades direcionadas a estudantes, professores e profissionais, como palestras, quatro cursos práticos e um simpósio sobre Odontologia Hospitalar. Segundo a acadêmica e integrante da comissão organizadora do evento, Franciani Lizzi, um dos palestrantes mais aguardados pelos participantes foi o cirurgião-dentista, professor, jornalista, cientista e pesquisador Alberto Consolaro (foto), devido ao seu admirado currículo. Ele ministrou as palestras Reabsorções dentárias nas especialidades clínicas, diagnóstico e conduta e Controvérsias em Odontologia: os odontomitos, no dia 1º de outubro, no Auditório Central. A semana acadêmica foi organizada por sete alunos do 8º semestre e dois docentes do curso de Odontologia. “O evento superou as nossas expectativas. Tivemos contato com profissionais renomados da nossa área. Estamos muito felizes em proporcionar isso aos demais estudantes e a todos os participantes”, afirmou Franciani.

Campanha previne zumbido e perda auditiva A Liga de Otorrinolaringologia da Unisc, em conjunto com o curso de Medicina e o Hospital Santa Cruz (HSC), realizou, no dia 8 de outubro, a Campanha de Prevenção ao Zumbido e Perda Auditiva. A ação foi aberta à comunidade e desenvolvida no ambulatório acadêmico do curso de Medicina, no HSC. Foram realizados 70 atendimentos por ordem de chegada. A ideia partiu de uma iniciativa que ocorre em várias cidades do Brasil, por meio da realização de exames em pacientes com queixas de perda auditiva e zumbido, solicitação de exames complementares e distribuição de material informativo. A Liga de Otorrinolaringologia da Unisc é formada por estudantes do curso de Medicina e coordenada pela médica otorrinolaringologista e professora da disciplina, Ingrid Wendland Santanna. O zumbido é um sintoma que acomete milhões de pessoas em todo o mundo, caracterizado por percepção de som nos ouvidos ou na cabeça, sem que exista uma fonte sonora ao redor. Pelo menos 28 milhões de brasileiros já vivenciaram esse sintoma em alguma circunstância. De acordo com estudos, é o terceiro sintoma que mais causa incômodo, perdendo apenas para dor e tontura intensas e intratáveis, sendo assim importante a sua investigação. O tratamento do zumbido é personalizado, diretamente relacionado à identificação dos fatores causais, podendo ser desde medicamentos e cirurgias até aparelhos auditivos.

Ouvidoria da Unisc participa de Fórum Nacional de Ouvidores Divulgação

A Ouvidoria da Unisc esteve presente no 15º Fórum Nacional de Ouvidores Universitários (FNOU), realizado nos dias 30 de setembro, 1º e 2 de outubro, em Gramado (RS). Durante o evento, a coordenadora da Ouvidoria da Unisc, Ana Claudia de Almeida Pfaffenseller, participou apresentando a Universidade e ministrando a palestra O Fórum de Ouvidorias Universitárias da Região Sul, em alusão ao 1º Encontro de Ouvidores das Universidades Gaúchas, ocorrido na Unisc em maio deste ano. O FNOU acontece todos os anos e reúne ouvidores universitários de diferentes instituições de ensino superior (IES) do país.

No dia 19 de novembro, véspera do Dia Nacional da Consciência Negra, no intuito de celebrar a data, o Grupo de Trabalho pela Promoção da Comunidade Negra em Santa Cruz do Sul (GT-Afro) fará uma reunião especial aberta na Unisc. Com início marcado para as 18h, o evento ocorre na sala 2535, no prédio da Reitoria da Universidade, onde os trabalhos serão abertos pelo professor Mateus Skolaude, que apresentará aspectos históricos e contemporâneos relacionados a manifestações e mobilizações ligadas às comunidades negras. Entre os pontos de pauta, haverá uma avaliação dos 12 anos de atuação do grupo e dos novos cenários na segunda década do século XXI para as mobilizações antirracistas. Todas as pessoas interessadas são bem-vindas, mesmo que não tenham participado de reuniões anteriores.

TecnoUnisc e Imply O Parque Científico e Tecnológico Regional (TecnoUnisc) e a empresa Imply Tecnologia Eletrônica, de Santa Cruz do Sul, assinaram convênio no dia 20 de outubro, na Imply. O objetivo da parceria é ter um núcleo de Pesquisa & Desenvolvimento hospedado no parque para pesquisar novas tecnologias e inovações. Na oportunidade, estiveram presentes a próreitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Unisc, Andréia Valim; o coordenador do TecnoUnisc, Fernando Stanck; e o diretorpresidente da Imply, Tironi Paz Ortiz.

Psicologia O Conselho Regional de Psicologia do Rio Grande do Sul (CRPRS), em parceria com a Unisc, promoveu o Conversando com o CRPRS, no dia 11 de novembro, no Auditório do Memorial da Universidade. No encontro, foram apresentadas orientações técnicas para a atuação na psicoterapia e produção de documentos psicológicos. A atividade envolveu estudantes e profissionais de Psicologia da região, que esclareceram dúvidas sobre as resoluções que envolvem a prática do psicólogo no campo da psicoterapia.


Geral

5

Palestra marca comemoração dos 10 anos da Itunisc

Tese mostra impacto de um curso de Medicina na região Divulgação

Novembro 2015

Professora Giana Sebastiany apresentou sua pesquisa

Da esq. para dir.: Fernando Stanck, Andréia Valim e Vivian da Silva

Felipe Nopes Para dar início às comemorações dos 10 anos de atuação em Santa Cruz do Sul, a Incubadora Tecnológica da Unisc (Itunisc) promoveu uma palestra na tarde do dia 8 de outubro sobre o tema Incubadora Empresarial do Centro de Biotecnologia da Ufrgs (IECBiot): 23 anos apoiando o empreendedorismo, ministrada pela gerente da IECBiot, Vivian Mutti Corrêa Ferreira da Silva. O evento, realizado na sala 5328, bloco 53 da Universidade, também contou com a presença do coordenador da Itunisc, Fernando Stanck, e da pró-reitora de Pesquisa e PósGraduação, Andréia Valim. De acordo com Stanck, a Itunisc exerce um importante papel de apoio à formação e à consolidação de micro e pequenas empresas tecnologicamente inovadoras, em demandas de interesse da região, promovendo o desenvolvimento, o aumento da renda e a criação de novas oportunidades de trabalho. “Nesses 10 anos, 14 empresas já foram graduadas e algumas delas se destacam na região e no país dentro do seu ramo de atividade, como a Interact Technology, a Idealogic e a Tekann”, apontou. Stanck destacou ainda que uma das maiores conquistas da Itunisc foi a inauguração, em maio de 2014, do bloco 16 da Universidade, que abriga a Incubadora e o Parque Científico e Tecnológico Regional (Tecno-

Unisc). “Nesse prédio estão instaladas a área de gestão, as salas para as empresas incubadas e toda a estrutura de apoio, como as salas de reuniões e de treinamento”, ressaltou. “A parceria de professores e pesquisadores das mais variadas áreas do conhecimento, que apoiam a Itunisc através de consultorias e mentoria para as empresas incubadas, também merece destaque no trabalho da incubadora”, disse. Estrutura e parcerias Em funcionamento desde agosto de 2005, a Itunisc está vinculada à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Unisc. Em 2014, com a transferência das atividades da Itunisc para o bloco 16 da Unisc, foram disponibilizados novos espaços para as empresas nascentes, oferecendo apoio e ferramentas de gestão para que se destaquem em seus nichos de mercado após serem

graduadas. Essa ação também permite uma maior integração entre pesquisadores e alunos da Unisc com empresas e empreendedores. Atualmente, a incubadora abriga cinco empresas pré-incubadas, três incubadas internas e apoia uma incubada externa. Essas empresas contam com parcerias que a Itunisc tem firmado com as prefeituras de Santa Cruz do Sul e de Vera Cruz, com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), com a Rede Gaúcha de Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos (Reginp), com a Associação Comercial e Industrial (ACI), com a Associação de Jovens Empresários de Santa Cruz do Sul (Ajesc), com a Câmara de Indústria e Comércio, entre outros. Desirê Allram

No ano de 2007, quando o curso de Medicina da Unisc dava seus primeiros passos, 83 médicos clínicos atuavam pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na 13ª Coordenadoria Regional de Saúde. Em 2014, esse número já era de 255 médicos. O impacto da implantação de um curso de Medicina em determinada região foi o tema da tese de doutorado da professora e diretora de ensino, pesquisa e extensão do Hospital Santa Cruz (HSC), Giana Diesel Sebastiany. O resultado da pesquisa foi apresentado a um grupo de funcionários da Instituição no dia 23 de setembro. A tese A necessidade social de uma nova escola médica: análise no contexto regional foi apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional – Doutorado, Área de Concentração em Desenvolvimento Regional, Linha de Pesquisa em Estado, Instituições e Democracia, da Unisc. Essa tese apresenta um estudo sobre a necessidade social de novas escolas médicas em um recorte regional. Giana teve como orientadora a professora Silvia Virginia Coutinho Areosa. “Contextualizamos a política de formação de recursos humanos para o SUS e sua materialização em uma determinada região do interior do Estado do Rio Grande do Sul”, explica a diretora do HSC. “Apontamos pressupostos e contradições nas argumentações das Instituições de Ensino Superior (IES), das entidades representativas da classe médica e do Governo Federal quanto à justificativa da necessidade social (ou não) de mais médicos para suprirem as vagas existentes em vários municípios brasileiros”. Segundo Giana, dependendo da criatividade de quem argumenta, é possível, para um mesmo contexto, justificar a abertura ou a não abertura de uma escola médica, utilizando o conceito da necessidade social. “Um curso de Medicina é considerado um projeto social, pois envolve formação de recursos humanos, assistência, trabalho em equipe e interdisciplinaridade”, justifica a professora. No entanto, um problema apontado pela pesquisa é que pelo menos metade dos egressos não se dispõe a atuar na região. Entre outros motivos, está o fato de que são oriundos de municípios de outras regiões, para onde acabam voltando após a conclusão da graduação. A solução, conforme Giana, é atrelar o projeto do curso de Medicina à oferta de programas de residência médica e à qualificação de serviços de um hospital de ensino. “A implantação do curso de Medicina em Santa Cruz do Sul, por exemplo, potencializou os serviços e a qualidade da saúde no município, atraindo profissionais e trazendo outros médicos especialistas para atuarem pelo SUS na região”, destaca a professora. “A Instituição tornou-se um hospital de ensino e atualmente oferece cinco residências médicas, com o objetivo de qualificar ainda mais os serviços oferecidos e, além disso, criar um vínculo destes profissionais com a região”, finaliza.

Orquestra da Unisc

Desde maio de 2014, bloco 16 abriga a Itunisc

Numa promoção do Núcleo de Arte e Cultura, a Orquestra da Unisc realizou, no dia 14 de outubro, no Auditório Central da Universidade, um concerto em homenagem ao Dia do Professor e do Trabalhador em Administração Escolar. O espetáculo, de caráter didático, contou com repertório formado por Primavera, de Antonio Vivaldi; Simple Symphony, de Benjamin Britten; e Instantes II (Prados), de Ernani Aguiar. A regência foi do maestro Leandro Schaefer.


6

Novembro

Geral

2015

VIVA UNISC AGITA O CAMPUS-SEDE Mostra de cursos, oficinas, minicursos, Unisc Tour Motorizado (Dindinho), Biblio Tour (visita orientada à Biblioteca Central), distribuição de brindes e show com a banda Seu Cuca. Essas foram algumas das atrações proporcionadas aos mais de 7,5 mil estudantes e professores do ensino médio que marcaram presença no Viva Unisc, realizado no dia 5 de novembro, nas dependências da Universidade. Vindos de 147 escolas de 59 municípios dos Vales do Rio Pardo e Taquari, do CentroSerra e da região da Quarta Colônia, os visitantes conheceram os cursos, os serviços e a infraestrutura do campus universitário. Segundo o pró-reitor de Gra-

duação, Elenor Schneider, o Viva Unisc é um momento de grande importância para a Universidade e todos os seus cursos. “Muitos estudantes estavam centrados e bem decididos com relação ao que procuram. Destaco a expressiva participação dos acadêmicos e dos professores da Unisc, auxiliando os alunos na definição da futura profissão”, apontou. A estudante Bruna da Rosa, de 17 anos, veio do Colégio Tiradentes, de Santa Maria, e gostou muito do que viu. “Achei a Universidade bem completa e as oficinas oferecidas chamaram bastante a minha atenção”, afirmou. Já o seu colega Michel Muniz, de 16 anos, elogiou a organização do

evento. “Os estandes dos cursos foram bem distribuídos. Participei de uma oficina da Licenciatura em Geografia e achei muito interessante e interativa”, salientou. No turno da tarde, no Centro de Convivência, ocorreu a final do 2º Viva Unisc Festival de Bandas, com a apresentação dos 10 grupos selecionados. Após a avaliação dos jurados, as três primeiras colocadas foram anunciadas: Estacionária, de Cachoeira do Sul (3º lugar); Husks, de Rio Pardo (2º lugar); e Dozeduro, de Venâncio Aires (1º lugar). As vencedoras gravarão músicas em estúdio. Como reconhecimento pela participação no festival, todas as bandas receberam troféu e kit da Unisc.

Informação Tecnológica: onde encontrar?

Fotos: Felipe Nopes

Palestra debate o futuro profissional Na manhã do dia 23 de outubro, o funcionário Bruno Seidel, da Assessoria de Comunicação e Marketing da Unisc (Asscom), realizou uma palestra voltada aos estudantes do 6º, 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental do Colégio Professor José de Oliveira Castilhos, em Venâncio Aires. O tema principal abordado foi a escolha das profissões e a ideia de trabalhar com o que se gosta, ao invés de estabelecer a rentabilidade financeira como prioridade. Por mais de uma hora, Seidel alertou sobre o desemprego tecnológico e a possibilidade do trabalho manual e repetitivo ser desempenhado por robôs. Também falou sobre alternativas promovidas pelo avanço da tecnologia que, segundo ele, tende a melhorar

a vida das pessoas daqui para frente, tornando o dinheiro gradualmente obsoleto. Temas como Renda Básica Incondicional, Singularidade Tecnológica e Evolução Exponencial também tiveram destaque na apresentação. Voltada a jovens entre 11 e 15 anos, a palestra seguiu um tom bem informal, apesar da seriedade e da complexidade do assunto. Seidel utilizou diversos exemplos e ícones da “cultura pop”, como futebol, games, super-heróis e memes, os quais mantiveram a concentração dos estudantes durante a palestra. “A gurizada não quer saber de coisas ditas importantes. Ela quer saber de coisas divertidas, que, ao contrário do que alguns pensam, podem ter muito mais a nos ensinar do que aquele

conhecimento descartável que a gente só aprende para poder passar de ano na escola”, disse Seidel. Alguns, dos cerca de 70 estudantes presentes, reiteraram a relevância do tema. “Eu gostei da palestra porque não me deu vontade de mexer no celular”, afirmou João Alberto, do 7º ano. O professor de História, Denis Puhl, que também trabalha na Asscom, salientou a importância de eventos como esse. “Não deixa de ser uma extensão do projeto de Visita às Escolas, no qual tínhamos a oportunidade de entrar nas salas de aula de turmas do 3º ano do ensino médio para falar sobre futuro profissional e convidá-los a conhecer o Viva Unisc e os cursos da Universidade”, observou.

Mas você sabe do que se trata? Informação Tecnológica é todo tipo de conhecimento sobre tecnologias de fabricação, de projeto e de gestão, que favoreça a melhoria contínua da qualidade e a inovação no setor produtivo, conforme o Glossário Geral de Ciência da Informação. Existem diversas formas de acessá-la, e uma das mais recomendadas, quando buscamos o que há de mais avançado em termos tecnológicos no mundo, é o sistema de busca de patentes. Segundo a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), mais de 70% de toda informação tecnológica disponível no mundo pode ser encontrada apenas em documentos de patentes. Além disso, o crescimento anual de depósitos de pedidos de patentes passa da casa dos 2 milhões. A busca de informação tecnológica em documentos de patentes permite: mapear tecnologias em mercados internacionais; definir áreas tecnológicas em progresso; identificar rotas tecnológicas; além de outras informações extremamente relevantes para quem trabalha com pesquisa e inovação, e possui interesse em conhecer o desenvolvimento tecnológico em nível mundial. Existem diversas empresas que ofertam esses serviços, mas você mesmo pode ter o acesso a essas informações, e ainda melhor: de modo gratuito. No Brasil, a busca pode ser feita no banco de patentes do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), onde é possível acessar, além dos pedidos protocolados, o relatório de andamento dos pedidos. O próprio Instituto disponibiliza material adicional no site (www.inpi.gov.br) para ser utilizado, tais como o “Radar Tecnológico” e os “Estudos Setoriais” que buscam disponibilizar informações que possam estimular o uso estratégico da informação tecnológica para o mercado brasileiro. Em nível internacional podemos acessar o banco de patentes da OMPI (www.wipo.int/ patentscope), que disponibiliza o acesso a uma base que contém pedidos de patentes depositados via Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes (PCT), além de coleções de alguns países, inclusive de pedidos depositados no Brasil. Muito utilizado também é o banco do Escritório Europeu (www.epo.org), onde é possível o acesso a dados bibliográficos de documentos do escritório europeu e de mais 90 países diferentes. Nesse escritório, por exemplo, estão disponíveis 85 milhões de documentos entre pedidos de patentes e patentes concedidas. O local da busca irá depender do estudo que se pretende, e hoje, praticamente, todos os escritórios nacionais de patentes disponibilizam seu banco para livre acesso. Ficou interessado? Entre em contato com o Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia (NITT) da Unisc e acesse mais informações de como você pode fazê-lo. Já pensou que interessante um artigo científico mapeando uma tecnologia de uma determinada área?

*Isabel Grunevald, Coordenadora do NITT.


Novembro 2015

7

Fora de sede/Geral Acadêmicos visitam a empresa JBS

PALESTRA EM MONTENEGRO ORIENTA AGRICULTORES

Divulgação

Divulgação

No dia 1º de outubro, ocorreu, em Montenegro, o curso Noções da produção de pectina cítrica e enzimas pectinolíticas a partir do resíduo da indústria de processamento de sucos, coordenado pela professora do departamento de Química e Física da Unisc, Mari Silvia Rodrigues. A atividade contou com a participação de agricultores e da comunidade em geral, da região do Vale do Caí, de modo que oportunizou aos presentes diversos aprendizados. No período da manhã, aconteceu a parte teórica do curso, que abordou inúmeros Atividade proporcionou muito aprendizado pontos sobre a produção de pectinas e enzimas. Já durante a tarde, foi realizada a parte prática, quando foram feitas várias formulações com o uso de pectina comercial e também com as produzidas durante a atividade. A ação faz parte do projeto Diversificação tecnológica na industrialização de citrus e aproveitamento de resíduos, vinculado ao Polo de Modernização Tecnológica do Vale do Caí, e financiado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul, pela Cooperativa dos Citricultores Ecológicos do Vale do Caí (Ecocitrus) e pela Unisc.

Integrantes da Unisc durante a visita Um grupo de acadêmicos do 6º semestre do curso de Administração da Unisc de Montenegro, acompanhados pelos professores Cícero Nei Eisenberger e Tiago Farias Dias, visitou a empresa JBS, em Montenegro. A atividade ocorreu no dia 19 de outubro. Na chegada, os visitantes participaram de um momento de integração e receberam informações referentes às boas práticas de produção e à segurança do trabalho. Em seguida, foram divididos em dois grupos para conhecerem o abatedouro de aves do frigorífico. Durante a visita, estudantes e docentes da Unisc foram recebidos e conduzidos pelo gerente de Produção, André Hermes; pelo coordenador de Produção, Ricardo Fonseca; e pelos técnicos de Segurança, Éder Santos e Mateus Weber. “Foi muito interessante conhecer o processo de produção que, com certeza, contribuiu significativamente ao desenvolvimento dos alunos”, afirmou o professor Eisenberger. Segundo a acadêmica Ariana Freitag, a visita à JBS superou as suas expectativas. “Imaginava uma operação mais manual, e vimos uma linha com muita automação”, ressaltou. Já o estudante Vagner de Oliveira disse ter se surpreendido com o processo de produção automatizado e exemplar em termos de qualidade e de segurança. “Fico feliz em morar numa cidade com uma empresa de referência internacional”, apontou.

Curso de Administração de Capão da Canoa recebe Menção Honrosa Divulgação

Unisc participa do Simpósio Internacional de Gerenciamento de Resíduos Divulgação

A Unisc participou do 7º Simpósio Internacional de Gerenciamento de Resíduos em Universidades, ocorrido entre os dias 20 e 22 de outubro, na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, apresentando cinco trabalhos desenvolvidos pela Área Ambiental. Dentre eles, destaque para a utilização de banners e de carcaças de computadores para o plantio de vegetais, chamando a atenção de representantes da ONG “PLAN”, dos Estados Unidos, que busca, dentro de universidades americanas, o Zero Waste, justamente pela adoção do Ecocycling.

Viva Unisc Capão da Canoa Desirê Allram

O curso de Administração da Unisc de Capão da Canoa recebeu, no dia 19 de outubro, o Diploma de Menção Honrosa, concedido pela Câmara de Vereadores de Capão da Canoa. A indicação foi feita pelo vereador Luciano Luis Flores e aprovada por unanimidade pelos demais vereadores. Na solenidade, estiveram presentes o pró-reitor de Graduação da Unisc, Elenor Schneider; a coordenadora da Unisc de Capão da Diploma foi concedido pela Câmara de Vereadores Canoa, Lilian Agraso Alves; os professores Sinval Souza, Patricia Kothe, Diego Silveira e Aline Burin Cella; a ex-coordenadora da Unisc de Capão da Canoa, Dulci Alma Hohgraefe; o presidente da Associc, Waldomiro Zanini; vereadores; empresários locais; alunos; e egressos. Após a solenidade, foi oferecido um coquetel na Unidade de Atividades Acadêmicas (UMA) da Unisc. A honraria representa o reconhecimento da sociedade caponense ao trabalho realizado pela coordenação do curso de Administração da Unisc em Capão da Canoa e pelos professores. “Nossa preocupação principal é formar profissionais conscientes de seu papel na sociedade, agindo como líderes éticos, respeitosos, parceiros e responsáveis”, afirma a coordenadora do curso, professora Ione Sardão. O profissional administrador, por seu conhecimento cientifico, se destaca em relação a outros profissionais quanto à aplicação de suas habilidades técnicas, conceituais e humanas, pois combina os recursos, sempre com uma visão interdisciplinar, inovadora e dinâmica, cujos impactos extrapolam os domínios das organizações.

Estudantes e professores de diversas escolas de ensino médio do litoral gaúcho estiveram presentes no campus da Unisc de Capão da Canoa, no dia 27 de outubro, para participar do Viva Unisc. A recepção aos visitantes contou com a presença de DJ e a distribuição do guia de cursos. Nas oficinas, alunos e docentes realizaram atividades práticas e tiveram contato direto com professores e acadêmicos dos cursos da Universidade, distribuídos nos estandes de Administração, Direito e Técnico de Enfermagem. Durante o evento, o público presente também participou da palestra O jovem no século 21, com a professora Samara Berger, e de atividades de entretenimento, como cama elástica, touro mecânico, high jump, karaokê na biblioteca e jogos de mesa. Houve, ainda, relatos de experiências dos estudantes da Unisc de Capão da Canoa; inscrições para o Vestibular de Verão, com valor promocional de R$ 25,00; QI Unisc, em parceria com a Rádio Atlântida; e show da dupla Claus e Vanessa.


8

Novembro

Institucional

2015

PÚBLICO EXPRESSIVO PRESTIGIA PROGRAMAÇÃO DO 6º SEE E DO 21º SIC NA UNIVERSIDADE Organização foi das Pró-Reitorias de Graduação, de Pesquisa e Pós-Graduação e de Extensão e Relações Comunitárias Fotos: Desirê Allram

Yaundé Narciso Centenas de estudantes estiveram reunidos na noite do dia 20 de outubro, no Auditório Central da Unisc, para a abertura oficial do 6º Salão de Ensino e de Extensão (SEE) e do 21º Seminário de Iniciação Científica (SIC). A organização dos eventos esteve a cargo das Pró-Reitorias de Graduação, de Pesquisa e Pós-Graduação e de Extensão e Relações Comunitárias. O objetivo foi divulgar a produção científica e as atividades de ensino e de extensão desenvolvidas pelos estudantes da Unisc e de outras Instituições de Ensino Superior (IES), além de promover o intercâmbio entre pesquisadores e bolsistas de Iniciação Científica, o fortalecimento da formação acadêmica e cidadã, e a difusão da produção do conhecimento. Para abrir os trabalhos, fizeram parte da mesa de honra da solenidade o pró-reitor de Graduação, professor Elenor José Schneider, na oportunidade representando a reitora Carmen Lúcia de Lima Helfer; a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, professora Andréia Rosane de Moura Valim; e o pró-reitor de Extensão e Relações Comunitárias, professor Angelo Hoff. Após agradecer nominalmente a toda a equipe que se empe-

Abertura oficial dos eventos ocorreu no dia 20 de outubro, no Auditório Central

nhou na realização dos eventos acadêmicos, o pró-reitor de Graduação falou aos presentes que tanto o SEE quanto o SIC são eventos que coroam a produção acadêmica anual no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão. “Esses eventos reforçam a nossa busca constante e permanente pela qualificação do ensino e o nosso compromisso de formar jovens capazes de contribuir para uma sociedade cada vez melhor”, afirmou. Em seguida, iniciou a palestra da noite, ministrada pela pesqui-

sadora e médica especializada em medicina espacial, Thais Russomano, intitulada Conhecimento: uma aventura interdisciplinar. A médica espacial fez um resgate de sua história, relacionando seus primeiros anos de vida aos acontecimentos da época. O intuito, conforme ela, foi destacar a importância do contexto que nos cerca. Thais nasceu no ano de 1963, momento em que se desenrolava a famosa corrida espacial, uma disputa ocorrida na segunda metade do século XX entre a União Soviética (URSS) e os Esta-

dos Unidos, pela supremacia da exploração e tecnologia espacial. “Com quatro anos eu decidi o que queria ser na vida: astronauta”, contou. Sonho transformado A partir daí, a pesquisadora moldou suas ações em busca desse objetivo. Tornou-se PhD em Medicina Aeroespacial e acreditou que poderia ser a primeira astronauta brasileira. “Depois que o (presidente) Itamar Franco criou a agência espacial, achei que seria a minha hora. Os jornais e as mídi-

as locais me apoiaram e publicaram notícias com títulos como: Uma gaúcha a caminho da lua. Contudo, algo inesperado aconteceu”, adiantou. De acordo com a palestrante, entre as exigências para se tornar astronauta foi acrescentada a necessidade de cumprir carreira militar. “Foi aí que ocorreu a transformação de um sonho e foi plantada a semente do Núcleo de Pesquisa Aeroespacial da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RS), que já nasceu multidisciplinar em sua essência”, expôs. Pesquisas aeroespaciais Nesse contexto, foi criado o Centro de Pesquisa em Microgravidade (MicroG) da PUC-RS, que busca desenvolver pesquisas aeroespaciais, bem como equipamentos e processos para uso na pesquisa aeroespacial e engenharia biomédica, além de estudar a adaptação humana ao ambiente aeroespacial, realizar treinamento fisiológico aeroespacial e expandir as fronteiras da saúde pelo uso de tecnologias da informação e comunicação. Para encerrar, Thais trouxe alguns dados de como funciona a vida de um astronauta no espaço, relatando desde como tomam banho até as consequências fisiológicas que estar na microgravidade podem trazer.

Estudantes destacam a importância de envolver-se em projetos de pesquisa, de ensino e de extensão De 19 a 23 de outubro, estudantes da Unisc e de outras IES apresentaram suas produções acadêmicas no 6º SEE e no 21º SIC da Universidade. Foram 275 trabalhos inscritos no SIC, sendo 32 de outras IES, e 447 trabalhos no SEE, sendo 152 do âmbito da extensão e 255 do ensino. No total, 722 trabalhos englobando todas as áreas do conhecimento foram apresentados durantes os cinco dias dos eventos. As acadêmicas Mauricéia Eloísa Moraes e Vitória Merten Fernandes, integrantes do projeto A realidade do crack em Santa Cruz do Sul - 3ª etapa: uma análise das narrativas de adolescentes sobre a temática das drogas, apresentaram seu trabalho na tarde do dia 21 de outubro. Mauricéia integra o projeto há um ano e meio, e Vitória há cerca de meio ano. Mesmo em considerável curto tempo, Vitória já é capaz de fazer uma avaliação sobre sua participação. Segundo ela, o ganho se deu tanto na dimensão técnica, quanto pessoal. “As experiências que vivenciamos acabam permeando a nossa prática acadêmica, possibilitando tanto nosso crescimento como estudante, quanto como indivíduos”, relatou. Já Mauricéia destacou que as contribuições alcançam também a vida pós-formatura. “No projeto realizamos o estudo técnico, epistemológico, mas também aprendemos com as experiências de vida. E isso já nos deixa melhor preparadas para a vida pós-formatura”, explicou. Segundo ela, a participação no projeto tornou-se um marco em sua formação. “Ter entrado no projeto fez com que eu me envolvesse em diversas outras áreas do conhecimento, o que ampliou meus conhecimentos e horizontes, além de propiciar exercitar a prática da minha futura profissão”, contou. “Todos os acadêmicos deveriam participar de um projeto, porque isso muda o jeito como vemos e pensamos. Muda quem nós somos”, completou Thais Russomano palestrou no primeiro dia dos eventos Vitória.


Novembro 2015

9

Institucional

EVENTOS APRESENTAM PALESTRA SOBRE FELICIDADE Lucas Dummer

Fernando Lucchese falou sobre A arte de viver: felicidade, saúde e vida longa

Na noite do dia 21 de outubro, o Auditório Central da Unisc foi palco de uma verdadeira aula sobre felicidade. Como parte integrante da programação do 6º SEE e do 21º SIC, o médico e professor Fernando Lucchese falou sobre A arte de viver: felicidade, saúde e vida longa. Para introduzir o

assunto, Lucchese fez um resgate da história da humanidade, apontando a expectativa de vida que se tinha em cada período. Para isso, iniciou pela idade média, quando homens viviam cerca de 14 anos e mulheres 18 anos, até chegar nos dias de hoje, quando esses números subiram para 71,3

anos e 78,6 anos, respectivamente. Segundo ele, atualmente, a expectativa de vida no Brasil aumenta quatro meses por ano e um ano a cada três anos. “É impressionante o que está acontecendo no Brasil”, disse. O palestrante apontou que a longevidade é uma conquista individual. “Vemos

aumentar a expectativa de vida, mas não o tempo de vida saudável. O tempo em que as pessoas vivem, mas convivendo com alguma doença, aumentou 10%”, relatou. Lucchese listou, então, os inimigos da longevidade, que são o infarto, os acidentes cerebrais e o câncer. Além disso, discriminou também três epidemias atuais: a aterosclerose, a depressão e a neurose. “Você é o seu maior inimigo. Práticas como não tirar férias, se alimentar de forma errada, entre outras, são as razões que nos levam a viver pouco”, alertou. Nesse sentido, destacou que o tríplice corpo + mente + espírito é indivisível. “Doenças da alma atingem o corpo, como a raiva, por exemplo”, explicou. De acordo com o palestrante, até então a medicina sempre considerou mais prejudicial a prática de “guardar” os sentimentos. No entanto, atualmente está comprovado que os indivíduos que reagem com rompantes de raiva têm mais chances de desenvolver alguma patologia relacionada. “A solidão, o pessimismo, o

egoísmo e a depressão são o que eu chamo de quarteto perigoso”, salientou. Em contrapartida, disse que o quarteto que traz felicidade consiste nas práticas de solidariedade, altruísmo, otimismo e espiritualidade. “Essas práticas antagonizam os efeitos do quarteto perigoso”, expôs. Sobre o último quesito, Lucchese trouxe dados que comprovam que quem tem uma vida religiosa vive mais. Outro destaque de sua fala foi no sentido de mostrar que a qualidade de vida e a longevidade não estão relacionadas. “Ter o carro e a casa do ano não te faz viver mais. É o estilo de vida que conta, que deve ser pautado por hábitos saudáveis e boas práticas”, relatou. Para alcançar o bemestar, segundo ele, é preciso estar em dia com aspectos físicos, psíquicos, familiares, financeiros, profissionais, ambientais e espirituais. “Estilo de vida é igual a saúde, que é igual a felicidade, que resulta na longevidade”, resumiu. E complementou: “A felicidade prolonga a vida. A longevidade não tem sentido, se não houver prazer em viver”.

O Auditório do Memorial da Unisc pareceu pequeno frente ao expressivo número de estudantes e professores presentes para assistir à última palestra da programação do 6º SEE e 21º SIC, no dia 23 de outubro. Além de ser o momento final dos dois eventos, a palestra também marcou o encerramento do 5º Ciclo de Conferências da Unisc. Para dar as boas-vindas, compuseram a mesa de honra a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Andréia Rosane de Moura Valim; o coordenador de Pesquisa, Claus Dieter Dummer; e o palestrante do dia, o professor e pesquisador Marcelo Krokoscz. Com o tema Uma questão atual: o plágio em produções científicas, o palestrante, de forma muito eloquente, manteve a plateia participativa do início ao fim. Vale ressaltar que o objetivo do evento consistiu em proporcionar um espaço multidisciplinar de interação, discussão, reflexão e debate sobre a temática do plá-

Desirê Allram

“Há um aumento da preocupação com fraudes científicas, do controle de publicações e da atenção que a mídia dá a isso” controle de publicações e da atenção que a mídia dá a isso”, disse. Diante da questão que se impõe, o palestrante levantou o questionamento: mas o que fazer? Conforme ele, o que não se pode fazer é deixar passar em branco a prática da cópia, uma vez que isso deve ser detectado e sancionado. “É preciso que haja a orientação dos professores, das instituiMarcelo Krokoscz abordou o plágio em produções científicas ções e dos editores, para que se faça um esforço no gio nas produções científicas, questão do plágio é a presunção sentido da prevenção. É preciso além de promover uma análise generalizada do conhecimento refletir sobre isso e, a partir dessa sobre o fazer acadêmico da pes- sobre o tema. Segundo ele, apesar reflexão, promover uma transforquisa e das publicações científi- de ser um fenômeno antigo e glo- mação”, alertou. cas decorrentes do trabalho do bal, o plágio vem se tornando um Tipos de plágio pesquisador, que deve se debru- problema crescente, que tem se inO pesquisador frisou que çar em produzir publicações qua- tensificado na chamada sociedautilizar conteúdo alheio é possível, lificadas com ética e compromisso. de da informação. “Há um aumento da preo- contanto que se cite corretamente Problema crescente cupação com fraudes científicas, o autor. Dentro desse âmbito, Krokoscz apontou que um um aumento da visibilidade de estabeleceu uma distinção entre dos problemas que cercam a redundâncias e retratações, do dois tipos de plágio: o intencional

e o acidental. O primeiro é quando o sujeito comete o plágio por máfé e o segundo, quando este acaba cometendo uma falha técnica. Outro ponto levantado por ele consiste na questão da “muleta cultural”, termo que usou para referenciar as desculpas dadas por estudantes que cometem o plágio. “No nosso país tem essa explicação que adotamos para justificar nosso fraco desempenho acadêmico, de que precisamos fazer muitas outras coisas além de estudar e, devido à falta de tempo, o único jeito de fazer o trabalho é plagiando”, relatou. Contudo, observou que 65% dos casos de plágio cometidos por estudantes, de acordo com pesquisa feita por ele com graduandos da Universidade de São Paulo (USP), ocorre de forma acidental. Ao final da palestra, Krokoscz abordou os sete diferentes tipos de plágio, que são: o direto, o indireto, o de fontes, o chavão, o consentido, o mosaico e o autoplágio.


10

Novembro 2015

Geral

Monitoramento A melhoria contínua dos processos que envolvem o atendimento está sempre em foco e diversas ações de monitoramento e de aperfeiçoamento são postas em prática para entregar aos usuários as melhores experiências de atendimento possíveis, buscando sempre a resolutividade das suas necessidades. Nesse sentido, um

ração da Central de Atendimento. Assim, os alunos podem solicitar documentos a partir dos Serviços Acadêmicos, no site da Unisc, para retirada na Recepção da Central de Atendimento. Além disso, também foi disponibilizado aos estudantes um conjunto de documentos que pode ser emitido diretamente através do site, sem nenhum custo.

Setor atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h30, no bloco 5 da Unisc conjunto de indicadores de qualidade é diariamente monitorado, o que proporciona à gestão a oportunidade de promover ações de melhoria ou correção sempre que necessário. Muitas das mudanças e melhorias realizadas resultam de informações obtidas com os alunos. A Central monitora constantemente os meios de contato com os estudantes e com a comunidade, tais como as redes sociais, com o apoio da Assessoria de Comunicação e Marketing; a Ouvidoria; e os próprios atendimentos presenciais. A partir de cada registro, ações são tomadas para melhorar a experiência do aluno junto ao setor. Atendimentos De acordo com o coordenador da Central, Julian Israel Lima, no decorrer desse primeiro ano de atividades, foram realizados mais de 45 mil atendimentos, o que representa uma média mensal de, aproximadamente, 3,7 mil atendimentos. O tempo de espera para atendimento é um dos elementos que tem se trabalhado intensamente para melhorar, sempre mantendo o padrão adequado de qualidade nas interações com os alunos. Atualmente, a maior parte dos atendimentos (47%) resulta em espera de até dois minutos na fila. Outros 18% dos atendimentos aguardam de dois a cinco minutos para serem atendidos. A espera entre 5 e 10 minutos representa 12%. “Isso significa que na maioria das vezes em que somos procurados pelo usuário, ele é rapidamente chamado para atendimento”, observa Lima. “É evidente que os tempos de

atendimento e de espera estão diretamente relacionados com a complexidade das demandas dos alunos, não representando o único aspecto observado para a avaliação da qualidade. Nossos atendentes estão focados em dedicar aos estudantes o tempo necessário para sanar todas as dúvidas e encaminhar soluções às demandas apresentadas”, salienta o coordenador. Novas estruturas No decorrer desse primeiro ano, foram disponibilizadas duas novas estruturas junto à Central de Atendimento: a Recepção e a área de Autoatendimento. A Recepção foi instalada para que o aluno receba informações e o direcionamento para o atendimento nos guichês, com orientações na retirada de sua senha ou encaminhamento à área de Autoatendimento. Na Recepção, também é realizada a entrega dos documentos solicitados pela internet de forma mais ágil. Já a área de Autoatendimento, que, assim como a Recepção, fica junto ao saguão do bloco 5, dispõe de quatro terminais e uma impressora. Nesse espaço, os estudantes podem solicitar documentos sem a necessidade de entrarem na Central, tendo à disposição a orientação de um atendente. Também é possível imprimir documentos disponíveis para a emissão no site e do boleto de mensalidade, sem custo. Grupo de trabalho Segundo Lima, além do que já foi mencionado, existe um grupo de trabalho na Instituição que envolve diversas áreas, em-

penhado em criar soluções que ampliem o leque de serviços de autoatendimento e outras melhorias, aumentando, assim, a comodidade do público-alvo. O processo de solicitação e emissão de documentos pela internet é uma das novas opções que foram disponibilizadas pela Universidade junto com a inaugu-

Mais melhorias O setor está em fase de implantação gradativa e várias melhorias ainda serão colocadas em prática. Entre elas, estão previstas novas formas de atendimento não presencial (telefone e meios digitais), unificação dos atendimentos financeiros e muitas outras facilidades. Além disso, quando todos os processos estiverem remodelados e o atendimento for unificado, a Central de Atendimento será alocada em um novo e mais amplo espaço, com a finalidade de oferecer mais comodidade e conforto aos alunos e à comunidade.

Encontro marca os 15 anos do curso de Serviço Social Felipe Nopes

No dia 1º de outubro de 2015, a Central de Atendimento da Unisc completou seu primeiro ano de funcionamento. O setor é resultado do trabalho iniciado em 2012, envolvendo diversas áreas da Instituição, com o objetivo de melhorar a estrutura e os processos de atendimento aos estudantes e à comunidade. A partir da inauguração, a comunidade e os alunos de cursos de graduação, de pós-graduação (lato e stricto sensu), de extensão e técnicos passaram a ter à sua disposição uma estrutura de atendimento acadêmico presencial unificada, localizada no bloco 5 da Universidade. Agora, um estudante que procura a Central pode obter, no mesmo atendimento, informações e soluções relacionadas a todas as esferas de ensino da Unisc. A Central tem horário ininterrupto de atendimento, das 8h às 21h30. Dessa forma, os alunos podem resolver suas demandas com mais comodidade, inclusive no horário do meio-dia e à tardinha. Essa mudança atende a uma solicitação vinda dos próprios estudantes. O setor está vinculado à Pró-Reitoria de Administração (Proad) e atua em conjunto com diversos setores, como a Secretaria de Graduação, a Secretaria de Pós-Graduação e Extensão, o Setor Financeiro – Atendimento ao Aluno e outras áreas da Unisc. Para qualificar constantemente o atendimento, todos os atendentes passam por capacitações periódicas, envolvendo conhecimentos relacionados aos processos de atuação e às habilidades de atendimento ao público. Os funcionários são acompanhados e têm suas competências estimuladas e desenvolvidas conforme suas necessidades individuais, tendo sempre os retornos dos alunos e os indicadores internos de qualidade como referências para seu desenvolvimento.

Desirê Allram

CENTRAL DE ATENDIMENTO: UM ANO DE FUNCIONAMENTO

Conferência de abertura ocorreu no Auditório Central Para comemorar os 15 anos de atividades na Unisc, o curso de Serviço Social promoveu, de 26 a 28 de outubro, o 1º Encontro Nacional de Políticas Sociais e 2º Encontro sobre Seguridade Social da Região dos Vales do Taquari, Rio Pardo e Centro-Serra, com o tema O desafio do trabalho do assistente social nas políticas sociais. A conferência de abertura, realizada no Auditório Central da Unisc, abordou a temática Estado e Políticas Sociais: os desafios para a garantia dos direitos sociais com autonomia. A conferencista foi a professora e doutora em Serviço Social da Universidade Federal do Pará (UFPA), Joaquina Barata Teixeira. A palestra foi seguida por um debate mediado pela coordenadora do curso de Serviço Social, professora Maira Meira Pinto. Já no dia 28, no saguão do bloco 1 da Unisc, ocorreu o lançamento dos livros Serviço Social da Unisc – 15 anos de trajetória, organizado pelas professoras Maira Meira Pinto e Eunice Maria Viccari, e Comunidades Quilombolas: as lutas por reconhecimento de direitos na esfera pública brasileira, de autoria da professora Simone Ritta dos Santos. O evento contou com aporte financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Unisc e apoio do Conselho Regional de Serviço Social – 10ª Região (Cress) e do Núcleo de Assistentes Sociais do Vale do Rio Pardo e Centro-Serra (Nucress).


Novembro

2015

11

Geral

UNISC FIGURA ENTRE AS 150 MELHORES EMPRESAS PARA SE TRABALHAR NO BRASIL Divulgação

Pela oitava vez consecutiva, a Unisc figura na lista das 150 melhores empresas para se trabalhar no Brasil, conforme pesquisa realizada anualmente pela revista Você S/A e pela Fundação Instituto de Administração (FIA), que divulgam o ranking das 150 Melhores Empresas para Você Trabalhar. O Guia é baseado na maior pesquisa de clima organizacional do Brasil e se tornou uma referência em práticas de gestão de Recursos Humanos, acompanhando a evolução das empresas brasileiras no investimento em seu principal ativo: os colaboradores. A premiação foi entregue no dia 19 de outubro, em solenidade realizada na Sala São Paulo, em São Paulo. A Unisc esteve representada pela funcionária do Setor de Recursos Humanos, Deise Inês Marchi. O resultado da pesquisa consolida ainda mais a Universidade no cenário nacional das Instituições de Ensino Superior (IES) e fortalece a sua marca de qualidade. Deise Marchi na premiação, em SP A 19ª edição da maior pesquisa sobre gestão de pessoas do país foi publicada no Guia 2015 Você S/A do mês de outubro. A metodologia foi da FIA/USP e do MBA em Recursos Humanos da FIA. As etapas da pesquisa foram: inscrição; preenchimento do termo de autorização; preenchimento pela Instituição do formulário da empresa; construção do book com informações completas sobre as práticas de gestão de pessoas da Instituição; preenchimento do formulário do empregado; e visita de uma jornalista da revista Você S/A para a realização de entrevista na Universidade.

Pontos positivos A Unisc possui clínica de fisioterapia e de odontologia para os funcionários. Além disso, o Programa Asas permite a eles usar as quadras e as piscinas da Universidade para se exercitarem nos intervalos do trabalho.

O que os funcionários dizem Identificam-se com a empresa – 91,7% Estão satisfeitos e motivados – 83,9% Acreditam ter desenvolvimento – 81,4% Aprovam os seus líderes – 85,8%

Nota final Índice de Felicidade no Trabalho (IFT)

80,7


12

Extensão

PROJETO DA UNISC BUSCA INTEGRAÇÃO E APRENDIZAGEM

Novembro 2015 Semana do Idoso Yaundé Narciso

Divulgação

Com o objetivo de integrar escolas do município em atividades realizadas na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) da Unisc e oportunizar o entendimento de que áreas protegidas são patrimônio de todos, o Programa Unisc-Escola e a Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional (Proplan), por meio da RPPN, desenvolvem o projeto RPPN como ambiente de aprendizagem: integração com escolas. Ainda em fase inicial, a iniciativa pretende desenvolver oficinas Iniciativa visa à preservação do meio ambiente nas escolas sobre áreas de preservação; sensibilização; aproveitamento de material reciclável (onde será ensinada a construção de calhas de garrafas PET para utilizar água da chuva em usos não potáveis na RPPN), além de oportunizar a vivência dos estudantes em uma RPPN. A RPPN consiste em uma área de natureza preservada, sendo a Unisc responsável por manter o local, zelando pela sua segurança e conservação. As áreas verdes fornecem serviços ecossistêmicos para os seres humanos, como água limpa, ar puro, diversidade genética, sensação de bem-estar, formação do solo, entre diversos outros. E na prática, como funciona? Primeiramente, foi desenvolvido um projeto-piloto na Escola de Educação Básica Educar-se, participante de um outro projeto, o Biocicleta. Num segundo momento, o projeto em questão se debruçou em separar e coletar as garrafas PET específicas, do projeto Biocicleta, para verificar a possibilidade de aplicação do mesmo nas demais escolas de Santa Cruz do Sul que integram a iniciativa. Daí, então, foi possível construir, com o material coletado, pelo menos um metro de calha PET. A segunda fase consistiu na implementação do projeto, quando o mesmo foi apresentado para a direção das escolas públicas de Santa Cruz do Sul, participantes do Projeto Biocicleta: EEEF Felipe Jacobs; EMEF Menino Deus e EMEF Harmonia. As escolas aderiram à proposta e, atualmente, oficinas estão sendo realizadas em turno inverso às aulas, nas dependências dos educandários. Oficinas e palestras A equipe da Unisc, responsável pelo projeto, desenvolve atividades que abordam a possibilidade de aproveitamento de material reciclável, através da construção de calhas de garrafas PET. As calhas construídas nas oficinas serão instaladas por técnicos da Unisc na RPPN, para o aproveitamento da água da chuva para usos não potáveis. A culminância do projeto será uma visita à RPPN, para que os alunos participantes, acompanhados de um professor da escola, observem a calha que eles ajudaram a construir, em funcionamento.

Unisc recebe autor premiado para falar sobre a ditadura no Brasil No dia 19 de outubro, ocorreu na Unisc uma palestra com Robson Vilalba, autor de Notas de um tempo silenciado (BesouroBox, PoA, 2015), obra de história em quadrinhos (HQ) que recebeu o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, considerado um dos mais importantes prêmios do jornalismo brasileiro. O livro aborda facetas dos Anos de Chumbo, ou seja, o Brasil após o ano de 1964, com o golpe que depôs o presidente João Goulart, instituindo uma série de governos capitaneados por militares, com repressão, perseguição, censura e assassinatos - e resistências também, ainda com desdobramentos no país. O evento ocorreu no Anfiteatro do bloco 18, com o lançamento da segunda edição da revista Reflexão e Ação, cujo tema é Ditadura(s), educação e memória. A publicação é vinculada ao departamento de Educação e ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Unisc. Vilalba é artista gráfico e mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Paraná, tendo atuação em vários órgãos de imprensa e trabalhos selecionados para salões de humor e mostras no mundo todo.

Num esforço conjunto de proporcionar saúde e bem-estar à população idosa e celebrar o Mês e o Dia do Idoso, a Unisc, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e a Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo (VTRP) promoveram a Semana do Idoso. A programação ocorreu de 28 de setembro a 1º de outubro. No dia 28, foi realizada a abertura oficial, que contou com a apresentação do coral Maturidade Ativa, do Sesc, e do grupo teatral Zip Zap, da Unimed VTRP. As apresentações aconteceram no Anfiteatro do bloco 18 e contaram com uma plateia de cerca de 240 idosos. Já no dia 29, as atividades ocorreram no ginásio da Unisc. Após um aquecimento para lá de animado, os senhores e as senhoras integrantes das iniciativas, Projeto Ações para o Envelhecimento com Qualidade de Vida (Unisc), Maturidade Ativa (Sesc) e Espaço Vida (Unimed VTRP), participaram do Circuitão de Atividades Físicas e Recreativas, composto por 10 estações, com tempo total de aproximadamente 1h30. Conforme a coordenadora do Projeto Ações para o Envelhecimento com Qualidade de Vida, do Programa Terceira Idade da Unisc, Ursula Müller, essa iniciativa reflete a força das parcerias. “As parcerias são a melhor forma de oportunizar a valorização dos trabalhos feitos com os grupos de terceira idade. Dessa forma nós conseguimos integrar e agregar, fazendo com que o evento cresça. No ano passado, a abertura contou com 50 pessoas; neste ano, foram 240”, relatou. Ainda segundo ela, a programação foi pensada para diversificar as atividades oferecidas. “Nós tivemos música e teatro; dia 29 houve o Cicuitão; dia 30, uma caminhada; e dia 1º de outubro, uma palestra sobre qualidade de vida. Nosso objetivo é que eles possam ter, cada vez mais, experiências com qualidade de vida, aproveitando a alegria de viver”, explicou. Romilda da Silva, de 79 anos, participou pela primeira vez da Semana do Idoso. “É a minha primeira vez nessa atividade que reúne vários grupos, mas eu participo de dois projetos, aqui na Unisc e outro no Sesi. É muito legal estar participando com outros grupos”, revela. Entre as ações dos dois projetos que integra, Romilda tem atividades quatro vezes por semana e isso mudou a vida dela. “Eu adoro fazer parte disso. Eu tinha dores nas pernas e nos braços, problemas de saúde, e hoje estou muito melhor, graças a essas iniciativas”, comemorou.

Simpósio trata da proteção aos animais Dirigido às comunidades dos Vales do Rio Pardo e Taquari, ocorreu no dia 17 de outubro, na sala 101 da Unisc, o 3º Simpósio de Proteção Animal, Etapa Vale do Rio Pardo. O evento foi realizado pela Organização Não Governamental Ações Educacionais pelos Animais (AJA). De forma inovadora, a AJA promoveu o Simpósio focado no tema central intitulado Educação pelos Animais no Âmbito Escolar, cuja palestra iniciou com a apresentação de um de seus programas educacionais levados às escolas. Desde 2011, a organização santa-cruzense trabalha em escolas públicas e particulares. “Esses encontros estimulam os estudantes a serem efetivamente cidadãos, fazendo, cada um, de modo responsável, a sua parte ao dar sua voz em ações de proteção aos animais vítimas da violência ”, destacou a voluntária Carla Indiara Lemos. Mais informações podem ser obtidas na página https:// www.facebook.com/aja.ong ou pelo e-mail ajaong@gmail.com.


Novembro

2015

Pesquisa

TECNOUNISC E BRDE ASSINAM ACORDO DE COOPERAÇÃO Desirê allram

Josemar Santos Em reunião realizada no dia 1º de outubro, na Unisc, foi assinado o Acordo de Cooperação Técnica entre a Universidade de Santa Cruz do Sul, por meio do Parque Científico e Tecnológico Regional (TecnoUnisc), e o Banco Regional do Extremo Sul (BRDE). Por meio do acordo, empresas incubadas na Itunisc e as empresas hospedadas ou associadas ao TecnoUnisc Acordo foi assinado na Unisc estarão credenciadas para acessar financiamentos para fomentar Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento junto ao BRDE, com juros de 6,5% ao ano, com carência para início de pagamento e até 10 anos de prazo para quitar o financiamento. Segundo informou o gerente regional do BRDE nos Vales do Taquari, do Rio Pardo e do Centro, Márlon Alberto Bentlin, os recursos serão liberados por meio do Programa de Fomento à Inovação (BRDE Inova), cujo objetivo é estimular o crescimento e a formalização das empresas emergentes em inovação. “Trata-se de um apoio ao desenvolvimento da região, pois o fato de essas empresas estarem inseridas no ambiente da Unisc já mostra o seu diferencial. Dessa forma, esperamos estar colaborando com a comunidade, no sentido de incentivá-las ainda mais para que possam no futuro gerar emprego e renda”, salientou. Para a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Unisc, Andréia Valim, a pesquisa e a inovação são diferenciais importantes para que se superem momentos de crise como o atual. “Apostar em produtos e projetos inovadores é determinante, pois significa abrir caminhos alternativos para o desenvolvimento econômico e social”, disse. “Esse é um momento importante e de incentivo para que as empresas startups (em fase de constituição) obtenham um acesso facilitado a financiamentos de seus projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de novos produtos e serviços. Isso também representa um incentivo a mais para que novas empresas também venham a se instalar na Incubadora”, revelou o coordenador da Itunisc e do TecnoUnisc, Fernando Stanck. O encontro também contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Ciência e Tecnologia de Santa Cruz do Sul, César Cechinato. Na oportunidade, destacou que a Prefeitura Municipal é parceira de todos os projetos relacionados a pequenos empreendedores. “Por meio do Banco do Povo, em parceria com o BRDE, por exemplo, oportunizamos o fortalecimento de propostas inovadoras, auxiliando novos empreendedores a seguirem em frente em seus projetos”, frisou. Também estiveram presentes o assessor de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Santa Cruz do Sul, Gérson Weigel, e o coordenador do Banco do Povo, Paulo Greiner.

Diretor técnico-científico da Fapergs palestra na Unisc Desirê Allram

Com o tema Contribuições da ciência para o desenvolvimento da sociedade, o professor e diretor técnico-científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), Érico Marlon de Moraes Flores, ministrou palestra no dia 16 de outubro, na sala 108 da Unisc. Em sua explanação, Flores apresentou um diagnóstico da Érico Flores destacou a ciência e a tecnologia no Estado atual situação da ciência e da tecnologia no Brasil, com destaque para o Rio Grande do Sul e para as estratégias da Fapergs e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT) focadas na melhoria da inovação e da tecnologia. “Um ponto que destaco é a formação qualificada de alunos de pós-graduação com enfoque em desenvolvimento e inovação tecnológica, área que precisa de mais investimento privado e estadual”, ressaltou Flores, que ainda citou exemplos de inovação tecnológica no estado e em especial na Unisc, no campo de biocombustíveis. O evento foi promovido pelo Polo de Modernização Tecnológica do Vale do Rio Pardo, em parceria com a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Unisc.

13 Revistas Científicas da Unisc são bem avaliadas pela Capes Jô Nunes

A Unisc tem um novo motivo para celebrar. Isso porque os periódicos da Unisc apresentaram uma evolução expressiva em avaliação realizada por um dos maiores órgãos de fomento científico do Brasil. No dia 21 de setembro, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação responsável pela expansão e qualificação do sistema de pós-graduação brasileiro (Mestrados e Doutorados), ligada ao MinistéAndréia Valim rio da Educação, divulgou a atualização do Qualis Periódicos 2013-2014, que pode ser conferida neste link: sucupira.capes.gov.br/sucupira/. A referida lista classifica os periódicos científicos utilizados pelos pesquisadores brasileiros para apresentar os resultados da ciência produzida no Brasil e tem oito níveis de avaliação: A1, A2, B1, B2, B3, B4, B5 e C. Entre os periódicos bem avaliados, destaca-se a revista Signo, do departamento e curso de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras da Unisc, que completa 40 anos em 2015 e recebeu a classificação Qualis A2. Outra publicação cuja classificação merece notoriedade é a revista Rizoma, do departamento de Comunicação Social, que é a revista mais recente da Universidade e já em sua primeira classificação alcançou o nível B2. Conforme a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Unisc, professora Andréia Rosane de Moura Valim, as revistas da Universidade apresentaram avanço considerável na nova classificação divulgada. “Dessa forma, merecem nosso reconhecimento, pelo esforço coletivo, os chefes de departamento, coordenadores dos programas de pósgraduação, editores e pesquisadores envolvidos, que buscam, por meio de seu trabalho, publicações de qualidade”, afirma. As revistas científicas da Unisc têm como objetivo valorizar e divulgar a produção científica de pesquisadores do Brasil e do exterior, além de contribuir para a boa avaliação da Universidade, sobretudo da Pós-Graduação. Nesse sentido, a Instituição vem investindo mais fortemente na capacitação de editores e pesquisadores na busca constante pela qualificação das revistas científicas, assim como da produção de artigos científicos de qualidade. Por meio das ações desenvolvidas pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Proppg), houve a oferta de cursos e capacitações para editores e bolsistas que atuam nos periódicos, bem como para demais envolvidos e interessados em publicar artigos de qualidade. “Recentemente ocorreu um conjunto de capacitações com profissionais renomados, via oficinas e palestras, além de terem sido realizadas reuniões semestrais com todos os editores. Todas essas atividades contabilizaram, desde então, cerca de 30 horas de capacitações e reuniões de planejamento, coordenados pela nossa Pró-Reitoria”, relata Andréia. Além das capacitações, ainda segundo a pró-reitora, foi fundamental a contratação de um funcionário incumbido de atender exclusivamente as revistas científicas da Universidade, auxiliando e orientando os editores em suas atividades. Também foram ofertadas bolsas aos alunos, para que os mesmos pudessem enriquecer sua experiência acadêmica e auxiliar na realização de atividades editoriais. “As ações desenvolvidas pela Unisc, em busca da qualificação de seus periódicos e de dar conta do previsto em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2013-2017, repercutiram positivamente na avaliação Qualis Capes 2013-2014, o que nos trouxe satisfação, mas, especialmente, a percepção e a certeza de que o caminho, embora longo, se faz necessário e é importante para nossa Universidade, pois contribui para o crescimento institucional, assim como de pesquisadores e demais envolvidos”, conclui a pró-reitora.


14

Novembro

Variedades

2015

UNISC REALIZA SEMINÁRIO INSTITUCIONAL PIBID 2015 Desirê Allram

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) é um programa de incentivo e valorização do magistério e de aprimoramento do processo de formação de docentes para a educação básica, vinculado à Diretoria de Educação Básica (DEB), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). No dia 8 de outubro, no Auditório Central, ocorreu a cerimônia de abertura do Seminário Institucional Pibid/Unisc 2015, cujo tema foi Aproximações entre Universidade, Pesquisa e Educação Básica. O Pibid oferece bolsas para que alunos de licenciatura exerçam atividades pedagógicas em escolas públicas de educação básica, contribuindo para a integração entre teoria e prática, para a aproximação entre universidades e escolas e para a melhoria de qualidade da educação brasileira. O Seminário Institucional, realizado anualmente por recomendação da Capes, tem como objetivos: intercambiar relatos de experiências e pesquisas produzidas na intersecção “escola-universidade” e “universidadeescola”; e oportunizar experiências transformadoras, baseadas no diálogo e na socialização da execução do plano de ação do Pibid em diferentes instituições de ensino. Para abrir os trabalhos, o coordenador Institucional do Pibid/Unisc, professor Rudimar Serpa de Abreu, fez um pronunciamento, destacando que, em 2015, o Pibid/Unisc comemora cinco anos de Pibid/Unisc comemora cinco anos de existência existência. “Parece que foi ontem que inscrevemos o projeto e fomos aprovados pela Capes. Nossa atuação começou contando com 123 bolsistas. Hoje nós temos 478. Crescemos muito”, ressaltou. Conforme ele, o grande objetivo do Programa consiste em promover a aproximação da educação básica com o ensino superior. “Por isso, não podemos recuar. Precisamos nos unir e participar das manifestações e estratégias orquestradas para garantir a permanência do Programa”, disse, ao referir-se sobre a incerteza manifestada pelo governo federal quanto à continuidade da iniciativa. O coordenador do Pibid na Universidade finalizou sua fala agradecendo a todos os envolvidos na organização do Seminário. Em seguida, foi a vez de a coordenadora do Fórum Nacional dos Coordenadores Institucionais do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Forpibid), professora Cristiane Antonia Hauschild, pronunciar-se. Cristiane salientou a importância de aproximar a Universidade, a pesquisa e a educação básica, e relatou que a valorização e a qualificação do Pibid têm se constituído como bandeira de luta do Fórum. Além disso, reforçou a importância de aderir aos movimentos que pedem a permanência do Programa. “A instabilidade econômica, o silêncio da Capes sobre a continuidade do Pibid e a falta de repasses de valores referentes ainda a 2014, são fatores que exigem que promovamos ações em defesa da continuidade do Programa”, alertou. Na sequência, o pró-reitor de Graduação da Unisc, professor Elenor Schneider, fez uso da palavra. “Tenho muito carinho pelo Programa e hoje o vejo como uma criança doente, que precisa de cuidados. Precisamos cuidar dele, para que continue crescendo”, disse. O professor ainda destacou que o Pibid tem importância imensa na formação de professores. “É preciso aproximar a Universidade das escolas e as escolas da Universidade. Precisamos ter mais informações das escolas para que essas possam auxiliar na contínua melhoria da formação dos nossos professores”, concluiu. Por fim, representando a reitora da Unisc, professora Carmen Lúcia de Lima Helfer, a chefe de Gabinete da Unisc, professora Carla Lavínia Pacheco da Rosa, fez uma explanação, abordando também o atual momento de instabilidade que o Programa está atravessando. “Fazemos parte de um movimento que busca manter o Pibid como parte da qualificação do magistério em todo o país. Precisamos agir para que nosso governo não perca de vista a formação profissional, que, hoje, está ameaçada. A importância da nossa profissão não pode ser medida, mensurada. Se estende para além do visível”, destacou. Após encerrada a cerimônia de abertura, iniciou-se a primeira palestra do evento, coordenada pelo professor Wolmar Severo Filho e ministrada pelo professor Áttico Chassot, que falou sobre o tema História e Filosofia da Ciência - catalisando ações indisciplinares.

Livraria

Biblioteca

Edunisc

Simples assim, de Martha Medeiros

Elis Regina - Nada mais será como antes, de Júlio Maria

Jornalismo-laboratório: televisão. Organizadores: Demétrio de Azeredo Soster e Mirna Tonus

Editora: L&PM Editores Preço: R$ 36,00

Editora: Master Books Localização na estante: 927 R335m 2015

Preço: R$ 55,00

Por que complicar ainda mais? Acordou mal-humorado? Respire fundo, abra a janela e pense que no final do dia você encontrará seus amigos para um happy e dará boas gargalhadas. O carro quebrou no meio da rua? Sinalize e espere o guincho em segurança. O namoro está mais para morno? Chegou a hora de pôr um fim a relacionamentos que não levam a nada. Está achando a vida um marasmo, sempre fazendo as mesmas coisas, vendo as mesmas pessoas e não aguentando mais ver sua cara de cansaço no espelho? Dê uma guinada. Simples assim. Martha Medeiros não tem solução para seus problemas, mas, com seu olhar afiado, aponta essas pequenezas da vida que tanto trabalho nos dão e nos faz lembrar uma máxima muitas vezes esquecida: a vida está aí para ser vivida.

Escrito pelo jornalista Julio Maria, repórter do jornal O Estado de S. Paulo, narra a vida de Elis desde seus primeiros dias em Porto Alegre, quando cantava ‘Fascinação’ ao lado das amigas nas escadarias de um colégio, até sua despedida trágica, aos 36 anos, quando estava prestes a, de novo, mudar tudo em sua vida. Ao todo foram quatro anos de entrevistas e pesquisas em arquivos. A ideia de escrever a biografia surgiu por meio de um convite da editora ao jornalista Julio Maria. No começo, o perfil do livro era uma homenagem, mas conforme Julio foi descobrindo mais histórias e avançando nas entrevistas, viu que havia muito mais o que contar.

Este é o terceiro livro de uma série que, desde 2013, procura pensar o jornalismo-laboratório em seus mais diferentes aspectos, em particular no que toca ao ensino, à pesquisa e à extensão. [...] Jornalismo-laboratório: televisão nasce em um momento particularmente importante ao jornalismo, ou seja, justamente quando as diretrizes curriculares da área provocam reestruturação nos currículos das instituições de ensino superior do país e retiram a profissão da condição de apêndice da comunicação, como ocorria na maior parte dos cursos até então, salvo raras exceções. Demétrio de Azeredo Soster e Mirna Tonus na apresentação do livro.


Novembro

2015

15

Geral

SIPAD REÚNE ADMINISTRADORES DE TODO O ESTADO Desirê Allram

Em sua 10ª edição, a Unisc sediou o Seminário Interinstitucional de Pesquisa em Administração (Sipad). O evento é resultado da parceria dos Programas de PósGraduação em Administração de todo o estado do Rio Grande do Sul (PUC-RS, UCS, Ufrgs, UFSM, Unisinos, Unisc, URI, UPF e Imed), de modo que cada edição é realizada em uma Instituição de Ensino Superior (IES) distinta. Em 2015, o Seminário ocorreu na Unisc, no dia 2 de outubro, e reuniu, em sua programação, apresentações de projetos de trabalhos de conclusão de mestrandos e doutorandos em administração, bem como uma palestra com o professor do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Luiz Becker. Os principais objetivos do encontro consistiram em promover o intercâmbio de conhecimento entre pesquisadores, alunos, gestores e colaboradores de organizações públicas, privadas e comunitárias, e/ou representantes do poder público; além de estimular o debate sobre a importância e os desafios da pesquisa e da formação docente, a fim de compreender de que forma os temas investigados influenciam na formação da carreira acadêmica. Outro intuito foi o de discutir os desafios e as ações futuras para a internacionalização dos programas de pesquisa e de pós-graduação em Administração gaúchos. Evento é realizado pelos Programas de Pós-Graduação em Administração Mestrandos e doutorandos de IES de todo o estado estiveram apresentando seus trabalhos. De acordo com a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA) da Unisc, Rejane Maria Alievi, o Sipad é um evento muito importante para a comunidade acadêmica da área, uma vez que ele oferece a oportunidade de os alunos receberem contribuições sobre seus projetos de teses e dissertações. “Não é uma avaliação formal, mas é uma chance de eles se testarem, recebendo apontamentos sobre o que produziram”, relatou. Ela destacou, ainda, que serve também para professores trocarem informações. “O evento propicia que docentes dos PPGs conheçam as linhas de pesquisa dos colegas, troquem conhecimentos e possam formar redes de pesquisa interinstitucionais”, explicou. Na abertura oficial do evento, realizado no Anfiteatro do bloco 18 da Unisc, a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Unisc, professora Andréia Rosane de Moura Valim, destacou que sediar o Sipad foi uma honra para a Universidade. “É uma honra para nós sermos sede de um evento tão importante, considerando que o objetivo deste Seminário é promover o intercâmbio de conhecimentos, estimulando o debate sobre os desafios da pesquisa e da pós-graduação em Administração, reconhecemos o quão valioso é a participação de tantas IES”, disse. Além disso, salientou o mérito das parcerias para o fortalecimento da pesquisa e da pós-graduação e para o desenvolvimento do Rio Grande do Sul. Após o pronunciamento da pró-reitora, a coordenadora do PPGA da Unisc agradeceu aos que auxiliaram na realização do evento. “Agradeço a todos que colaboraram para a realização deste evento, equipe docente, administrativa e alunos do PPGA. Foi com essa equipe e com esse esforço que conseguimos realizar o Seminário”, ressaltou a professora Rejane. Ademais, reforçou a importância das parcerias. A programação do evento seguiu à tarde, com apresentações de trabalhos. Periódicos predatórios em evidência Em sua palestra, intitulada “Pesquisa em Administração no Brasil: evolução e perspectivas”, Luiz Becker, do PPGA da Ufrgs, fez um panorama da situação no país, baseado em dados quali e quantitativos. Conforme ele, uma preocupação surgida a partir da análise, consiste na incursão de periódicos predatórios, que são aqueles que fingem ser bons, mas na verdade não analisam os papers enviados, publicando qualquer material, com qualidade ou não, e até mesmo, não publicando nada. “São periódicos com atuação incisiva. Essa prática internacional tem se revelado muito comum, e os pesquisadores são presas fáceis”, explica. Para explanar sobre o assunto, o palestrante analisou 35.611 artigos, oriundos de uma triagem parcial feita, em 2015, pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). “Quase 50% dos artigos está em inglês”, relatou. Ainda conforme ele, esses periódicos predatórios, de origem estrangeira, muitas vezes cobram taxas dos pesquisadores brasileiros e, além de não realizarem uma avaliação crítica e séria sobre o trabalho submetido, ainda não publicam o mesmo. “Às vezes o pesquisador paga a taxa (em dólares) pela submissão e depois descobre que o periódico nem mesmo existe de verdade”, explicou. Conforme ele, os pesquisadores precisam se conscientizar de que a publicação pela publicação não leva a nada. Nesse sentido, em sua opinião, a solução para a questão passa por uma conscientização dos próprios pesquisadores. Além de abordar a questão dos periódicos predatórios, Becker trouxe também um levantamento das principais temáticas utilizadas pelos pesquisadores em administração. “A partir do título, analisei os principais temas, que são estratégias, integração, cooperação e outros”, apontou. Os professores do PPGA da Unisc, Heron Sergio Moreira Begnis e Pietro Cunha Dolci, realizaram a mediação da palestra.

Docentes participam de evento em SC

Novo Instrumento de Avaliação da Graduação

A 37ª Reunião da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped) ocorreu de 4 a 8 de outubro, em Florianópolis, tendo como tema central Plano Nacional de Educação: tensões e perspectivas para a educação pública brasileira. Junto ao evento, nos dias 4 e 5, aconteceu a reunião do Fórum Nacional de Coordenadores de Programas de Pós-Graduação em Educação, que contou com a participação do coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação da Unisc (PPGEdu), professor Cláudio José de Oliveira. Ele apresentou o trabalho desenvolvido em parceria com a egressa Daiane Kipper, intitulado Práticas visuais nas aulas de Matemática com alunos surdos, no GT19 – Educação Matemática. A professora Sandra Regina Simonis Richter participou do evento representando o PPGEdu, e também como convidada no Projeto Leitura e Escrita na Educação Infantil (COEDI-MEC/UFMG/UNIRIO/UFRJ). Já a professora Betina Hillesheim teve um capítulo de sua autoria, do livro Políticas educacionais, currículo e diversidade na educação básica (Editora Mercado de Letras), apresentado no evento Trajetos escolares: pode haver uma escola nômade?. Paralelamente à Anped, realizou-se o Fórum de Editores de Periódicos da Área de Educação, do qual participou o professor Moacir Fernando Viegas, editor da revista Reflexão e Ação, do Departamento e do Mestrado em Educação da Unisc. Nos dias 5 e 6, ocorreu o 1º Encontro Nacional dos Secretários de Programas de Pós-Graduação em Educação, com a participação da secretária do PPGEdu da Unisc, Daiane Isotton. O evento teve como objetivo oportunizar um espaço de socialização e de trocas de experiências com relação aos processos administrativos das secretarias de programas de pós-graduação, além de discussões sobre o preenchimento da Plataforma Sucupira/Capes, principal banco de dados utilizado na avaliação dos programas de pós-graduação no Brasil.

Foi realizado, no dia 3 de novembro, o Workshop Novo Instrumento de Avaliação da Graduação - Compromisso dos gestores frente aos processos avaliativos externos, com a professora da PUC-RS e coordenadora do Grupo Interdisciplinar de Estudos sobre Avaliação da Educação Superior do Sinaes, Marion Creutzberg. O evento, direcionado aos coordenadores de cursos, chefes de departamentos e representantes dos Núcleos Docentes Estruturantes, teve por finalidade a familiarização com o atual instrumento de avaliação dos cursos de graduação. A professora convidada, além de trazer contribuições sobre o papel do gestor na implementação do curso, realizou um trabalho prático sobre os projetos pedagógicos dos cursos e sua relação com os indicadores constantes no atual instrumento de avaliação de cursos de graduação. A atividade foi promovida em conjunto pela Assessoria de Avaliação Institucional, da Proplan, e pelo Programa de Pedagogia Universitária (PPU), da Prograd, o qual busca, cada vez mais, qualificar a formação do docente no ensino, na pesquisa, na extensão e na gestão. A intenção é que mais momentos como esse possam ser oferecidos aos docentes da Unisc, com o objetivo de qualificá-los ainda mais para o trabalho.


Contracapa

Novembro

2015

SEMINÁRIO DO PPGPS DA UNISC TRAZ EXPERIÊNCIAS DE PESQUISADORES E EX-ALUNOS Desirê Allram

A manhã do dia 16 de outubro pode ser descrita como muito produtiva para os alunos e professores do Programa de PósGraduação em Promoção da Saúde (PPGPS) da Unisc. Isso porque ocorreram, na sala 101 do bloco 1 da Universidade, as primeiras atividades do 2º Seminário Científico do PPGPS, cujo foco consistiu em promover a integração científica entre os Programas de PósGraduação em Promoção da Saúde da Unisc e de Biologia Celular e Molecular da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Para abrir os trabalhos, compuseram a mesa de honra a próreitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Unisc, Andréia Rosane de Moura Valim, neste ato representando a reitora Carmen Lúcia de Lima Helfer; a coordenadora do PPPGPS, Miria Burgos; a coordenadora do PPGBCM da Ufrgs, Marilene Henning Vainstein; e a coordenadora do Seminário e coordenadora adjunta do PPGPS, Silvia Isabel Rech Franke. Em sua fala, a pró-reitora salientou que o Mestrado em Promoção da Saúde é responsável, assim como outras atividades desenvolvidas da Unisc, por contribuir para o desenvolvimento da comunidade. “Nosso objetivo sempre será esse: buscar o desenvolvimento de Santa Cruz e da região”, afirmou. Em seguida, destacou os objetivos do Seminário, apontando Programação do Seminário Científico do PPGPS foi aberta na sala 101 que os mesmos consistem em fortalecer a integração entre os Programas da Unisc e da Ufrgs. “Essa cooperação não nasceu da noite para o dia: é fruto de um trabalho de longa data e tem o objetivo de fortalecer os Programas envolvidos, bem como de auxiliar na consolidação do Mestrado da Unisc”, relatou. Na sequência, a coordenadora do PPGPS, Miria Burgos, ressaltou que a realização do 2º Seminário Científico (o primeiro foi realizado no ano de 2013), marca a consolidação dos eventos do Programa. “Temos que criar uma base forte no Programa para que essa possibilite que possamos cumprir a missão de nos internacionalizar”, observou. Segundo ela, em 2016, o Programa pretende trazer à Unisc o II Congresso Brasileiro de Promoção da Saúde. “Esse grande evento reunirá professores, pesquisadores, alunos e empresários. Vai ser um grande momento para o nosso programa”, adiantou. Antes de desejar um bom evento a todos, relembrou que as reflexões feitas durante o Seminário servirão como sementes, como uma base para ações futuras. Para encerrar o momento de abertura, a coordenadora do PPGBCM da Ufrgs, Marilene Henning Vainstein, relatou estar muito contente em ver que o PPGPS da Unisc está trilhando o caminho certo rumo à sua consolidação. “Certamente, daqui a algum tempo, vocês é que serão o curso consolidado auxiliando outros cursos emergentes”, disse. Além disso, citou a dinâmica de mobilidade: muitos professores e alunos da Unisc fizeram e deram aula na Ufrgs. “Alunos que frequentaram as aulas, hoje estão dando aula. É muito gratificante ver tudo isso”, apontou. Conforme ela, não é somente o PPGPS que ganha com a cooperação, uma vez que recebe do PPGBCM auxílio para tornar realidade sua consolidação, mas, também, o Programa da Ufrgs é beneficiado. “Um exemplo é termos chamado um professor daqui para lecionar uma disciplina para a qual não tínhamos docente. A disciplina foi um sucesso e os alunos querem a oferta novamente”, contou. Programação destaca relato de experiências Após a solenidade de abertura, iniciou-se o primeiro painel do evento, intitulado Exposição do autorrelato da trajetória profissional/pessoal de um pesquisador, apresentado pelo docente do PPGBCM da Ufrgs, Charley Christian Staas, e pelo docente do PPGPS da Unisc, Daniel Prá. O segundo momento da manhã consistiu numa mesa-redonda, com apresentações da Inserção/Docência de Egressos do PPGPS/Unisc e do PPGBCM/Ufrgs. Fizeram parte desse momento a nutricionista Camila Schreiner, o médico Inácio Swarowsky, a médica Andresa Thier da Borba, a farmacêutica Cézane Priscila Reuter, a profissional de Educação Física Susana Terhorst Marques Carstens, a fisioterapeuta Natali Lipert Schwanke e a enfermeira Vânia Rosimeri Frantz. Entre os depoimentos acalorados, com direito a lágrimas de emoção, foi consenso entre os egressos que a conclusão de um mestrado, além de fornecer a correta preparação para o exercício da docência, proporciona um senso crítico mais apurado e um olhar diferenciado, tanto em relação à sociedade, quanto em relação à academia. Outro destaque presente em todos os depoimentos foi a transformação e o ganho pessoal que a conquista do título proporcionam, além de ser um canal para possíveis parcerias e uma forma de abrir portas. Todos os egressos atualmente trabalham como docentes.

Universidade promove o maior evento de esporte escolar do Estado Bárbara Duarte

Pelo quarto ano consecutivo, a Unisc, por meio do setor de Marketing Esportivo, promoveu o Campeonato Estudantil do Rio Grande do Sul (Cergs), considerado o maior evento de esporte escolar do Estado por reunir estudantes de 12 a 17 anos, divididos em duas categorias e nos naipes masculino e feminino. As etapas finais do campeonato ocorreram nos dias 25, 26 e 27 de setembro, em Porto Alegre. As modalidades do Cergs são: atletismo, badminton, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica (somente feminino), handebol, judô, natação, tênis de mesa, voleibol, vôlei de praia e xadrez. O Cergs também engloba o Campeonato Paradesportivo Estudantil do Rio Grande do Sul (Paracergs). Ambos são a seletiva para a participação nos Jogos Escolares da Juventude e nos Jogos Nacionais. Possuem como objetivo promover o esporte nas instituições de ensino públicas e privadas do Estado, referenciando princípios socioeducacionais, como inclusão, participação, cooperação, promoção à saúde, coeducação e responsabilidades, reforçando a construção da cidadania e os ideais do movimento olímpico. A Apesc, mantenedora da Unisc, mostra-se permanentemente comprometida com sua principal causa: saúde e educação. Para isso, vê no esporte uma grande oportunidade de proporcionar aos cidadãos a prática de hábitos saudáveis, a disciplina e a cidadania. Através das atividades desportivas, crianças e jovens constroem seus valores, seus conceitos, socializam-se e, principalmente, vivem as realidades.

Profile for UNISC Santa Cruz do Sul

Jornal da Unisc 155  

Jornal da Unisc Nº. 155, novembro de 2015.

Jornal da Unisc 155  

Jornal da Unisc Nº. 155, novembro de 2015.

Profile for unisc
Advertisement