Page 1

Luciano Pereira

Luciano Pereira

ZONEAMENTO AMBIENTAL... Com o biólogo e integrante da Equipe Técnica de Elaboração do Zoneamento Ambiental para Atividades de Silvicultura, Ricardo Aranha Ramos

JORNAL DA

...E SILVICULTURA NO ESTADO Com a coordenadora da equipe e engenheira florestal da Fepam, Silvia Mara Pagel PÁG. 7

i

WWW.UNISC.BR

JORNAL DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL, ANO XIV, NÚMERO 72, JUNHO DE 2007

AMIGOS E TERAPEUTAS

As vantagens do exercício físico durante o expediente de trabalho

treinamento com cães e donos voluntários, primeira experiência prática foi realizada no mês de maio, em duas casas geriátricas de Santa Cruz do Sul PÁG. 10

PÁG. 6 Luciana Jost Fernanda Mallmann

Projeto desenvolvido por estudantes do curso de Fisioterapia da Unisc utiliza cães no tratamento terapêutico de idosos. Após período de

GINÁSTICA LABORAL

GRUPOS DE PESQUISA

Seminário que ocorrerá em agosto recebe inscrições no mês de junho PÁG. 11

10 ANOS DA UNIJR Empresa Júnior da Unisc é formada por alunos, sob a supervisão de professores PÁG. 11

VESTIBULAR DE INVERNO As novidades oferecidas no processo seletivo da Unisc PÁG. 3 Divugação

ESPORTE CIDADÃO

Unisc promove a inclusão social a mais de 4 mil crianças

Lilian Tremea

e adolescentes da região por meio do esporte. São mais de 10 projetos que sintetizam dois fatores fundamentais no desenvolvimento humano e social: saúde e educação

PÁGs. 8 e 9

ADRIANO SILVA

"Chegou a hora de ser feliz"

PÁG. 15


2

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

PÁGiNA

2

CARTA AO LEITOR

PALAVRA DO REITOR A Unisc comemora neste mês o aniversário da conquista do status de Universidade. Um longo caminho foi percorrido antes e também depois do dia 25 de junho de 1993, data dessa conquista. Tudo começou em 1962, com a união das lideranças da comunidade para a constituição da Associação Pró-Ensino em Santa Cruz do Sul (Apesc). Depois passou pela aprovação da Faculdade de Ciências Contábeis, em 1964, seguida pela instalação das extensões da faculdade de Filosofia, em 1967; de Direito, em 1968; e de Educação Física, em 1970. Em 1980, a união de todas as faculdades originou a Fisc e, após uma década de lutas, as Faculdades Integradas de Santa Cruz do Sul transformaram-se em Universidade. E foi no decorrer desse processo que a comunidade interna definiu alguns princípios que nortearam os rumos da Instituição: a democracia, a transparência, a participação e a preocupação com o desenvolvimento regional. O reconhecimento como Universidade deu à Instituição autonomia para alçar novos vôos. Novos cursos foram gradativamente sendo oferecidos, mudando o perfil da Unisc. Novos e modernos laboratórios foram sendo instalados e equipados. Ampliaram-se a pesquisa e as possibilidades de extensão.

O reconhecimento como Universidade deu à Instituição autonomia para alçar novos vôos

Em todas essas etapas sempre foi fundamental o compartilhamento do processo decisório e o apoio da comunidade acadêmica e regional. Os resultados disso são visíveis no crescente reconhecimento externo que a Universidade vem obtendo. Hoje, percebemos a necessidade de a Unisc efetuar alguns ajustes internos para fazer frente às mudanças no cenário educacional brasileiro e regional, permitindo a continuidade dessa trajetória de sucessos. E temos certeza de que a Unisc vai vencer mais esse desafio. Ainda quero ressaltar que, neste mês de aniversário da Unisc, teremos nosso Vestibular de Inverno, agora um pouco mais cedo, no dia 16 de junho. São mais de 900 alunos que também passarão a fazer parte de nossa comunidade acadêmica neste segundo semestre. E a Unisc oferece novas opções para esse processo seletivo, sempre atendendo às demandas regionais. É o caso do curso de Geografia, agora na modalidade de bacharelado, e dos cursos superiores de tecnologia em Gastronomia, em Gestão de Segurança Privada e em Fabricação Mecânica. Além disso, o curso de Psicologia será ofertado agora também no turno da noite. Esperamos, dessa forma, continuar contribuindo para o desenvolvimento regional, oferecendo serviços cada vez mais qualificados e atendendo aos anseios das comunidades em que a Unisc está inserida. Vilmar Thomé Reitor da Unisc

O Ministério da Educação (MEC) divulgou, no dia 31 de maio, os resultados de mais um Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). E assim como já havia sido na avaliação anterior, a Unisc teve um bom resultado. Foram avaliadas 15 áreas no Enade 2006, das quais a Unisc participa em oito delas. O curso de Comunicação Social/Radialismo - Produção em Mídia Audiovisual recebeu nota máxima (5) no conceito Enade. Nesse quesito a Unisc obteve ainda nota 4 nos cursos de Automação de Escritórios e Secretariado e de Administração (Santa Cruz do Sul) e nota 3 nos cursos de Administração (Venâncio Aires e Sobradinho), Ciências Contábeis (Santa Cruz do Sul e Sobradinho), Ciências Econômicas, Comunicação Social/Jornalismo, Comunicação Social/Publicidade e Propaganda, Comunicação Social/Relações Públicas, Direito, Psicologia e Turismo. O outro conceito avaliado, o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD), determina o quanto os estudantes agregam de conhecimento ao longo do curso. No

IDD, o curso de Radialismo - Produção em Mídia Audiovisual obteve nota 3, como a grande maioria das demais graduações da Unisc, enquanto que o curso de Automação de Escritórios e Secretariado repetiu a nota 4. Outros cursos ainda não possuem o número mínimo de alunos ingressantes ou concluintes necessários para a avaliação e ficaram sem conceito. O Enade é um dos mecanismos que avalia a qualidade das Instituições de Ensino Superior por meio de provas realizadas com os alunos ingressantes e concluintes da graduação. O Exame não é um conceito dos cursos, e sim um índice que, junto com outros, compõem o conceito final que é definido ainda pela avaliação da infra-estrutura e das condições de oferta dos cursos. Mesmo assim, os resultados foram positivos, e servem como um indicador de que a Unisc está cumprindo o papel de oferecer cursos e serviços de qualidade à sua comunidade. E o Vestibular de Inverno está aí, com mais 20 opções de cursos, sendo quatro novidades, atendendo a uma demanda cada vez maior e exigente do mercado de trabalho.

como

PROMOVER SEGURANÇA NO TRABALHO? Segurança no trabalho é um conjunto de medidas técnicas, administrativas, educacionais, médicas e psicológicas que tem por finalidade proteger a saúde dos trabalhadores por meio de programas preventivos, de acordo com a necessidade de cada setor, a partir da inspeção de segurança nos locais de trabalho. Após a identificação e o reconhecimento dos riscos aos quais os trabalhadores estão expostos, elabora-se um cronograma com ações preventivas, sejam elas campanhas e/ou capacitações, aplicadas nas áreas afins. Por ser um trabalho de equipe, os serviços de segurança e saúde contam sempre com a colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), que é um órgão paralelo que trabalha com os objetivos de prevenção e preservação da saúde. Algumas dicas fundamentais para a sua segurança:  Use os equipamentos de proteção individual e coletiva sempre que necessário e de acordo com a sua função;  Observe a data e validade dos extintores;



Participe das campanhas e capacitações de segurança e saúde;  Faça o seu exame periódico sempre que for solicitado;  Busque informações com a equipe do Sesmt;  Não deixe de tratar um ferimento por menor que ele seja. E, por acreditar que segurança é saúde e que saúde é qualidade de vida, entre as programações anuais de segurança e saúde da Unisc ocorre a Semana Interna de Prevenção de Acidentes (Sipat), que visa à participação de todos. E como não poderia ser diferente, convidamos a todos para participarem desse evento, que será realizado nos dias 19, 20 e 21 de junho com o tema Equilíbrio: A Fonte da Qualidade de Vida, que proporcionará a reflexão sobre assuntos relacionados à segurança, à saúde, ao meio ambiente e à qualidade de vida, por meio de atividades e vivências de yoga, biodança, teatro e palestras. Equipe do Setor de Recursos Humanos, do Sesmt e da Cipa

Onde encontrar o Jornal da Unisc Campus Venâncio Aires Campus Sobradinho Campus Capão da Canoa A Banca Aquarius Hotel Flat Residence Biblioteca Municipal Casa das Artes Colégio Luiz Dourado

Escola Ernesto Alves Escola Willy Carlos Fröhlich Escola Goiás Escola Santa Cruz Galeria Farah Hospital Santa Cruz Iluminura Livraria Café Loja do Posto do Gordo Shopping Center Santa Cruz

Sine Zaffari Campus Santa Cruz: Central de Informações Centro de Convivência Clínica de Fisioterapia Blocos 8, 12, 18 e 53 Reitoria

EXPEDIENTE Conselho Editorial: Reitor: Prof. Vilmar Thomé Vice-Reitor: Prof. José Antônio Pastoriza Fontoura Pró-Reitora de Graduação: Profª Carmen Lúcia de Lima Helfer Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação: Profª Liane Mählmann Kipper Pró-Reitor de Extensão e Relações Comunitárias: Prof. Luiz Augusto Costa a Campis Pró-Reitor de Administração: Prof. Jaime Laufer Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional: Prof. João Pedro Schmidt Editor: Luciano Pereira, reg. prof. 9234 Reportagem e Redação: Fernanda Mallmann, reg. prof. 10.208; Lilian Tremea, reg. prof. 12.860; Luciano Pereira, reg. prof. 9.234; Caroline Scortegagna, Luciana Jost e Thiago Stürmer Projeto Gráfico e Capa: Agência da Casa Editoração Eletrônica: Assessoria de Imprensa Revisão: Beatriz Sperb e Roque Neumann JORNAL DA UNISC: Órgão Informativo da Universidade de Santa Cruz do Sul. Entidade filiada ao Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung), ao Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub) e à Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (Abruc) Tiragem: 10 mil exemplares Versão On-Line: Erion da Silva Lara Site: www.unisc.br/jornaldaunisc Endereço: Av. Independência, 2293, bloco 3, sala 309. Santa Cruz do Sul/RS. CEP: 96.815-900. Telefone: (51) 3717-7466. E-mails: fernandm@unisc. br ou lpereira@ unisc.br Este material é produzido em papel reciclável.


ENSiNO

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

3

UNISC TEM NOVIDADES NO VESTIBULAR Processo seletivo de inverno apresenta os cursos superiores de tecnologia em Gestão de Segurança Privada, em Gastronomia e em Fabricação Mecânica e de Geografia/Bacharelado Seguem até o dia 12 de junho as inscrições para o Vestibular de Inverno 2007 da Unisc. A prova única será realizada no dia 16 de junho, às 14h30, no campus de Santa Cruz do Sul. As inscrições podem ser feitas nos protocolos da Universidade, na Loja da Unisc no Shopping Santa Cruz e no site www.unisc.br, no valor de R$ 40. As novidades deste processo seletivo são os cursos superiores de tecnologia em Fabricação Mecânica, em Gastronomia e em Gestão de Segurança Privada. Ao todo serão oferecidas 924 vagas, distribuídas em 20 opções de cursos. As inscrições podem ser feitas também via fax, pelo telefone (51) 3717-7454. Além dos tecnólogos, também o bacharelado em Geografia é novidade. Com duração de sete semestres, o curso será oferecido no turno da noite, com o valor do crédito igual ao da Geografia Licenciatura. “Enquanto a licenciatura forma para a carreira de professor de Geografia, o bacharelado capacita para a atuação técnica”, explica a coordenadora do curso, professora Erica Karnopp. “O geógrafo é capacitado para atuar como profissional credenciado pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea) em instituições de pesquisa, órgãos públicos, empresas privadas e como profissional liberal”. A professora diz ainda que egressos dos cursos de Estudos Sociais, Geografia e áreas afins podem complementar o currículo com as disciplinas específicas da Geografia Bacharelado. “Essa complementação já pode ser iniciada em agosto deste ano, uma vez que o currículo está organizado para atender também a essa demanda”, destaca. A prova do Vestibular de Inverno da Unisc será composta por Redação e 60 questões objetivas, divididas nas disciplinas de Lín-

gua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês, Espanhol ou Alemão), História, Geografia, Matemática, Física, Biologia, Química, Filosofia e Sociologia. Quem prestou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pode optar por utilizar os resultados obtidos no exame, mas deve prestar vestibular. O listão dos aprovados será divulgado no dia 19 de junho, às 14h. Mais informações podem ser obtidas no site da Instituição, no e-mail vestib@unisc.br ou pelo telefone (51) 3717-7439. Tecnólogos Os cursos superiores de tecnologia em Gestão de Segurança Privada e em Gastronomia serão modulares e cada módulo poderá ser certificado como curso de extensão. A carga horária é menor e os horários são diferenciados. O curso Gestão de Segurança Privada terá aulas às sextas-feiras, nos turnos da tarde e da noite, e aos sábados, manhã e tarde. Já o curso de Gastronomia terá aulas de segundas a quintas-feiras, das 15h às 18h, com duração de seis módulos. O curso superior em Gastronomia será o primeiro da região. Ele busca transformar os alimentos e as bebidas em verdadeiras obras de arte, trabalhando com a gastronomia da região e preparando os alunos para atuarem em hotéis, restaurantes, navios de passageiros, buffets, festas e eventos, confeitarias, resorts, hospitais ou na área de consultoria. “Há falta de mão-de-obra especializada em Gastronomia no Estado e, principalmente, na região”, afirma o professor responsável pela implantação do curso, Roberto do Nascimento e Silva. “Os profissionais de gastronomia são muito valorizados, justamente por não haver mão-de-obra qualificada”, enfatiza. Já o curso de Fabricação Mecânica prepara o profissional para

Financiamentos e bolsas A Unisc oferece bolsas e financiamentos para custear os estudos: Financiamentos com recursos externos: Financiamento Estudantil Federal (Fies), Programa Estadual de Crédito Educativo (Procred) e Crédito Municipal Venâncio Aires (Credim/VA)  Financiamento institucional: Crediunisc  Bolsas de Ensino: Prolab e Probae  Bolsas de Pesquisa: Puic  Bolsas de Extensão: Probex  A Unisc também aderiu ao Programa Universidade para Todos – ProUni 

Documentos  Ficha de inscrição devidamente preenchida  Comprovante do pagamento da taxa de inscrição  Para candidatos que optarem pelo aproveitamento da nota do Enem, cópia do documento que comprova a nota obtida no Exame

exercer atividades em empresas industriais, em prestação de serviços técnicos, consultorias, em órgãos governamentais e institutos de pesquisa, podendo ainda empreender nos segmentos metalmecânica, metalúrgico, moveleiro, construção civil, cerâmico, fumageiro, químico, de máquinas e implementos agrícolas, plásticos, produtos da linha branca, saúde, agronegócios e outros que necessitem do aporte tecnológico em fabricação mecânica, com as especificidades centradas em processos, produtos, manutenção e gestão. Os cursos superiores de tecnologia possuem valor do crédito menor, pois utilizam a infra-estrutura durante o tempo ocioso das demais graduações. Psicologia O curso de Psicologia da Unisc apresentará um diferencial neste Vestibular de Inverno. Agora, a graduação será oferecida também no turno da noite.

Cursos oferecidos Administração Ciências Contábeis Ciência da Computação Ciências Econômicas Comunicação Social / Jornalismo Comunicação Social / Publicidade e Propaganda Direito Educação Física - Bacharelado e Licenciatura Enfermagem Engenharia Ambiental Fabricação Mecânica Farmácia Fisioterapia Gastronomia Geografia - Bacharelado Gestão de Segurança Privada Medicina Pedagogia Psicologia Serviço Social

Rotinas e orientações para inscrição Preencher o formulário de inscrição Efetuar o pagamento da taxa Obs.: Candidatos com deficiência e que necessitem de recursos educacionais especiais para realizar a prova, devem contatar a Unisc com antecedência pelos telefones (51) 3717-7439, 3717-7455, 3717-7334 ou 3717-7452, para que a Universidade possa atender as suas necessidades.  

Conforme a coordenadora da Psicologia, Edna Linhares Garcia, em função de o curso proporcionar uma formação consistente, ele possui uma carga horária ampla, sendo que muitas pessoas não conseguiam aliar o horário de trabalho ao do estudo. “Pensando nessas pessoas, organizamos o curso com disciplinas ofertadas

prioritariamente no turno da noite, de forma flexível, para que o acadêmico possa trabalhar e estudar”. O curso é composto por sete disciplinas a cada semestre. As disciplinas que ocorrerão durante a semana serão à noite. As demais disciplinas serão aos sábados pela manhã e nos meses de janeiro e de julho, na modalidade intensiva.

Sobradinho passa a contar com o Programa Acadêmico de Emprego No dia 28 de maio, o Departamento de Ciências Contábeis da Unisc lançou o Programa Acadêmico de Emprego (PAE) no campus de Sobradinho. O PAE é um projeto de extensão vinculado ao Gabinete de Assessoria e Assistência Contábil (GAC) que possibilita integrar acadêmicos e egressos ao mercado de trabalho. O serviço é gratuito e permanente. Todos os alunos interessados, independentemente do curso, podem se cadastrar. A intenção é ter uma relação de estudantes para suprir as necessidades das empresas que procurarem o PAE. “O programa beneficia os

alunos, pois eles têm a possibilidade de ingressar no mercado de trabalho, e também as empresas, que estarão contratando pessoas que estão se qualificando”, ressalta o coordenador do PAE, o professor do Departamento de Ciências Contábeis, José Rocha Saldanha. Conforme o professor, as empresas poderão informar o perfil do funcionário que estão procurando e, por meio do programa, será feita uma seleção de estudantes. O cadastro, tanto para empresas como para acadêmicos, é gratuito e pode ser feito na secretaria do campus da Unisc em So-

bradinho. Outras informações pelo telefone (51) 3717- 7364. Santa Cruz No campus de Santa Cruz do Sul, o Departamento de Ciências Contábeis instituiu o programa no ano de 1984, na época denominado de Programa de Emprego (Probem), atendendo a alunos de Ciências Contábeis, Administração e Economia. Mais tarde, o cadastro foi aberto aos acadêmicos dos demais cursos. De acordo com Saldanha, a intenção é, ainda neste semestre, instalar o PAE também nos campi de Venâncio Aires e de Capão da Canoa.


4

360º

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

Thiago Stürmer

GAJ em Rio Pardo

Memorial Unisc

O Gabinete de Assistência Judiciária Gratuita (GAJ) da Unisc irá continuar atendendo à comunidade carente de Rio Pardo. A renovação do convênio foi firmada no mês de março. O GAJ funciona desde 2002 no município e, em 2006, atendeu a 2.411 pessoas. No Gabinete, estudantes de Direito matriculados nas disciplinas de Prática Jurídica II, III e IV desenvolvem, gratuitamente, atividades como atendimento a clientes, ajuizamento de ações, acompanhamento de processos e audiências. O GAJ em Rio Pardo funciona na rua Almirante Alexandrino, 1023, às segundasfeiras de manhã e terças e quartas-feiras, manhã e tarde. Mais informações pelo telefone (51) 3731-5530.

A empresa Kannenberg e Cia. Ltda. fez a primeira doação do ano para a continuação das obras do Memorial Unisc. O diretor administrativo-financeiro da empresa, Astor Bublitz, esteve no gabinete do reitor Vilmar Thomé e repassou simbolicamente R$ 75 mil. O Memorial Unisc tem como objetivo a preservação da história regional por meio de peças arqueológicas, documentos e obras de arte. No encontro, o reitor aproveitou para elogiar a iniciativa da empresa em apoiar o desenvolvimento cultural da região. “Quero agradecer à Kannenberg pela visão estratégica que tem tido em prol da cultura e da educação”, ressaltou Thomé. O Memorial Unisc será um dos principais espaços culturais da região do Vale do Rio Pardo, com uma área de 2.550 metros quadrados. Ele irá sediar eventos artístico-culturais, acolher exposições nacionais e internacionais, além de abrigar a memória histórica da região. Mais informações sobre a obra ou doações podem ser obtidas pelo telefone (51) 3717-7316, com Rosane Weiss.

Viagem de Estudos A Unisc, por meio da Assessoria para Assuntos Internacionais e Interinstitucionais (AAII), está organizando a sua 7ª Viagem de Estudos – Curso de Espanhol. A edição deste ano será para Buenos Aires, Argentina, de 18 a 26 de julho. A Viagem de Estudos da Unisc consiste em oferecer um curso de espanhol, de nível básico ou intermediário, na Universidade de Buenos Aires para alunos de cursos de graduação e de pós-graduação, funcionários e professores da Instituição.

Vivência universitária O curso de Odontologia da Unisc promoveu, no dia 16 de maio, o 1º Encontro Vivências Universitárias. A convidada de estréia foi a cirurgiã-dentista santa-cruzense Alexandra Sbaraini, que relatou a sua experiência em Sydney, Austrália. O objetivo do Vivências Universitárias é promover um espaço de comunicação e batepapo entre professores, alunos e ex-alunos do curso de Odontologia com diferentes convidados, em torno de uma temática comum. Os encontros deverão ocorrer quinzenalmente, nas terças-feiras, sempre às 11h. O 2º encontro ocorreu no dia 29 de maio, com o tema VerSUS Extensão na Unisc: uma realidade, projeto financiado em parte pelo Ministério da Saúde. Os temas seguintes poderão ser sugeridos pelos participantes e pela comunidade acadêmica do curso de Odontologia.

FESTIVAL DE BANDAS Para comemorar o lançamento do Festival de Bandas de 2007, a Unisc trouxe a Santa Cruz do Sul, no dia 18 de maio, um show com a banda de rock progressivo Mind Flow. O evento ocorreu no centro de convivência da Universidade. Os paulistas da Mind Flow têm seu trabalho divulgado em mais de 60 países e, em sua última turnê, a banda arrecadou prêmios de revistas especializadas na Ásia, na Europa e na América. O Festival de Bandas da Unisc será realizado no dia 26 de agosto e as inscrições já podem ser feitas no Setor de Áudio e Vídeo, telefone (51) 3717-7404. A ficha de inscrição e o regulamento estão disponíveis no site www.unisc.br.

Arquivo AI

REDE PONTO PÃO Treze empresas do segmento de panificação dos Vales do Rio Pardo e do Taquari, distribuídas nos municípios de Santa Cruz do Sul, Vera Cruz, Sinimbu, Monte Alverne e Boqueirão do Leão, lançaram no dia 22 de maio a Rede Ponto Pão. O empreendimento é do Programa Redes de Cooperação, coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento e dos Assuntos Internacionais (Sedai), em parceria com a Unisc. A Rede Ponto Pão nasceu da necessidade de os seus associados unirem esforços para

conquistar objetivos comuns. Com isso, implementam um novo conceito em negócio no segmento da panificação. Os empresários trabalham, desde 2006, em uma metodologia específica para o associativismo. A Ponto Pão desenvolve ações conjuntas como o marketing compartilhado, a troca de experiências, a qualificação dos seus colaboradores e a negociação com os fornecedores. Mais informações com a consultora Letícia Borges, pelo telefone (51) 3717-7663.

MUNIÇÕES CLUSTER Cristian Ricardo Wittmann, aluno do curso de Direito da Unisc, foi convidado pela ONG internacional Cluster Munition Coalition para participar da Conferência de Lima sobre as Munições Cluster, realizada de 21 a 26 de maio, na capital do Peru. A conferência é a segunda realização formal do Processo de Oslo, um processo de negociação lançado em fevereiro na Noruega com a presença do professor do Departamento de Direito, Gustavo Oliveira Vieira. Cristian e Gustavo se destacam por seu envolvimento com causas humanitárias. Eles são representantes da Campanha Internacional para o Banimento das Minas Terrestres – colaureada com o Prêmio Nobel da Paz em 1997 – no Brasil. As campanhas da ICBL já conseguiram fazer com que 153 países assinassem o Tratado de Ottawa, oficialmente chamado de Convenção sobre a proibição do uso, armazenamento, produção e transferência de minas antipessoal e sobre sua destruição.

Deise e João Pedro entregaram a documentação da RPPN ao Ibama no início de abril

CRIAÇÃO DA RPPN A Procuradoria Jurídica do Ibama está analisando a documentação entregue pela Unisc para a criação da Reserva Particular do Patrimônio Natural. Os documentos da área e da Universidade foram entregues no início de abril, em Santa Maria, pelo pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da Unisc, João Pedro Schmidt, e pela assessora Deise Schwengber Breunig. Em breve o Ibama deverá realizar uma vistoria na área da Reserva. A documentação foi entregue ao Chefe do Escritório Regional do Ibama em Santa

Maria, Tarso Isaia. Após a vistoria, o órgão deverá emitir um parecer sobre a criação da reserva. Se for favorável, será então realizada a divulgação da intenção sobre a criação da reserva no Diário Oficial da União e no site do Ibama, pelo prazo de vinte dias, descrevendo informações sobre a RPPN proposta. Após esse prazo, o Ibama avaliará os resultados e as implicações da criação da unidade e emitirá parecer técnico conclusivo que, inclusive, avaliará as propostas do público. Por fim, serão assinados os termos de compromisso para a criação da RPPN.


360º

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

5

Luciano Pereira

SEMANA DE MUSEUS No dia 18 de maio é comemorado o Dia Internacional de Museus. Para lembrar a data, a Unisc realizou a 5ª Semana de Museus, com discussões e reflexões sobre o papel que eles têm na sociedade. O evento contou com a participação de diferentes cidades de todo o Brasil. Nessa edição, teve como tema Museus e Patrimônio Universal – Somos Todos Universais. Dentro da programação ocorreu o seminário Das ações de patrimonialização das memórias: (des)enraizando olhares, além da mesa de debates sobre o tema Patrimônio Cultural: novas perspectivas e desafios. Também foi apresentado o filme Narradores de Javé, com direção de Eliane Caffé. A 5ª Semana de Museus foi uma promoção nacional. Em Santa Cruz do Sul, teve como realizadores o Memorial Unisc, a Pró-Reitoria de Extensão e Relações Comunitárias e o Departamento de Ciências Humanas da Unisc, com o apoio do Departamento de História e Geografia e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

UNISC E FAMURS FIRMAM CONVÊNIO Solenidade reuniu membros da reitoria da Unisc e da Apesc, professores, funcionários, alunos e autoridades

NOVOS LABORATÓRIOS A Unisc inaugurou no dia 2 de maio a ampliação dos blocos 12 e 13 do campus de Santa Cruz do Sul. O novo espaço será destinado aos laboratórios de Biologia e Química da Universidade. No total, a área ampliada foi de 366,21 m². O custo da ampliação foi de R$ 360 mil, valor que inclui obra civil, instalações elétricas, climatização total dos laboratórios, instalações de gás e ar comprimido, instalação lógica, telefonia e acessos interno e externo. A obra é financiada pelo BNDES. O prédio constitui-se de

pavimento térreo, onde funcionam o Departamento de Biologia e Farmácia, com os laboratórios de Botânica, Hidrologia, Zoologia e Biotecnologia; e o Departamento de Química e Física, com os laboratórios de Polímeros, Embalagem e Reciclagem, Tecnologia de Tratamento de Águas e Efluentes, Ciência dos Alimentos e Oleoquímica. Atualmente, a Unisc conta com 166 laboratórios, que atendem à graduação e à pósgraduação. A maioria está nas áreas da Saúde, da Química e das Engenharias. A área tecnológica está em expansão. Arquivo Pessoal

A Unisc e a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) firmaram, no dia 24 de maio, um convênio para a execução de projetos e atividades de ensino, pesquisa e extensão. A assinatura foi realizada na sede da entidade, em Porto Alegre, pelo presidente da Famurs, Glademir Aroldi, e pelo reitor Vilmar Thomé (foto). O convênio visa promover a expansão de ações nos Municípios. “Todas as áreas técnicas da Famurs poderão engajar-se às atividades fazendo a solicitação de aditivo, no qual deverão constar o planejamento

específico das atividades e seus custos”, explica Aroldi. Na Unisc já estão previstos o curso de capacitação em Segurança Pública e Privada, voltado para guardas municipais, e a segunda edição do MBA em Gestão Estratégica Municipal, oferecido na sede da Famurs.

A Assessoria para Educação a Distância da Unisc (AEAD Unisc) está promovendo o curso de Inglês 100% a distância. O curso exige disponibilidade de uma média de cinco horas semanais, em dias alternados, no horário que melhor convier ao aluno, para participar das atividades. A carga horária é de 40h/aula e o início está previsto para o segundo semestre de 2007. Os alunos contarão com o apoio tecnopedagógico da equipe de monitoria e tutoria do EAD, das 8h às 17h. Os interessados podem fazer o cadastro por meio do formulário eletrônico disponível no endereço www.ead.unisc.br/cursos.html. O conteúdo pode ser estudado no Ambiente EAD Unisc e o aluno receberá um CD- Rom com o material de apoio, além de certificado ao final do curso. Mais informações podem ser obtidas no site http:// ead.unisc.br, no e-mail suporte-ead@unisc.br ou pelo telefone (51) 3717-7664, das 8h às 17h.

ÓLEOS VEGETAIS

Professores José Gianotti (USP) e Silvio Correa (Unisc) participaram de congresso no Canadá

NO CANADÁ O professor Silvio Marcus de Souza Correa, do Programa de Pós- Graduação em Desenvolvimento Regional da Unisc, esteve no Canadá para um ciclo de conferências em universidades daquele país. Entre os dias 7 e 11 de maio, o professor participou do 75º Congresso Internacional da Associação Canadense Francofona de Ciências (ACFAS). Junto com o professor José Giannotti (Cebrap/USP), o professor Silvio Correa (Cepeder/Unisc) foi um dos pesquisadores brasileiros a falar no colóquio Le role des intellectuels au Bresil et au Canada, organizado pelo Centro de Estudos Brasileiros (CERB) da Universidade do Quebec de Montreal (UQAM). O professor ainda visitou uma série de institutos e universidades do Quebec.

Dia 13 de junho - 12h15 às 13h Killy Freitas Violão e voz Dia 27 de junho - 12h15 às 13h Emerson Vogt Violão e voz Música Dia 18 de junho - 20h30 Show Antônio Villeroy Violão e voz Local: Auditório Apoio: Restaurante Centenário Dia 24 de junho - 20h Orquestra Jovem Unisc 14º aniversário da Unisc Local: Auditório / Entrada franca

INGLÊS A DISTÂNCIA

No dia 16 de maio, a professora Rosana de Cássia de Souza Schneider apresentou a palestra Óleos Vegetais: Um desafio para o Empreendedorismo na Região, como parte das atividades da Semana do Empreendedor. O evento ocorreu na sala Vitória do Centro de Eventos do Hotel Charrua. A produção de óleos é uma alternativa para a diversificação na agricultura e das indústrias. Em oleoquímica, o que é mais divulgado e estudado no momento é a produção de

Espaço Aberto Apoio: Charrua Hotel Local: Centro de Convivência

biocombustíveis. No entanto, podem ser produzidos derivados como polímeros, óleo epoxidado, óleo hidrogenado e outros, destinados ao mercado interno ou à exportação. Quanto aos biocombustíveis, as oportunidades de investimentos estão sendo bastante discutidas e vários empreendimentos estão sendo pensados para a região. Os aspectos ambientais também são preponderantes para que a oleoquímica seja uma das alavancas para o desenvolvimento regional.

Dia 25 de junho - 20h Orquestra Municipal de Teutônia 14º aniversário da Unisc Promoção: Unisc Apoio: Restaurante Centenário Local: Auditório / Entrada franca Financiamento: LIC/Sedac/RS Patrocínio: Certel Dia 29 de junho - 20h Sarau, professores e alunos da Escola de Música da Unisc Local: Capela Hospital Santa Cruz Entrada franca Dia 30 de junho - 14h Orquestra Jovem Unisc Local: Igreja Conceição - Bom Jesus Exposição De 18 a 28 de junho Telas de alunos do Uniarte Local: Casa de Cultura Marcos Mallmann, em Candelária Teatro Dia 22 de junho - 20h Circo Eletrônico Local: Ginásio da Unisc Projeto: Palco Giratório Pé de Sapato Projeto Lâmpada Mágica Patrocínio: AES Sul Financiamento: LIC/Sedac/RS Realização: Cida Planejamento Cultural - Co-Promoção: Unisc Dia 26 de junho - 15h Local: Auditório Itália - Encantado Dia 27 de junho - 15h Local: Teatro Real – Arroio do Meio Dia 28 de junho - 15h Local: Sociedade Cultural Esportiva Centenário – Agudo Dia 29 de junhio - 15h Local: Clube Literário – Rio Pardo


GERAL

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

Fernanda Mallmann

6

UNISC TRAZ PROJETO RUMOS ITAÚ CULTURAL Projeto itinerante trouxe para a Universidade importantes nomes do cenário musical brasileiro Um seminário sobre Produção Cultural lançou, no dia 23 de maio, o Projeto Rumos Itaú Cultural Música - edição 2007-2009, em Santa Cruz do Sul. O evento foi realizado na Unisc e atraiu estudantes, músicos e membros da comunidade cultural da região. Estiveram presentes no seminário Chester Prestes, do Instituto Itaú Cultural, e os convidados especiais David McLoughling, da Brasil, Music and Arts - BM&A, de São Paulo, e Paulo André, produtor do festival Abril pro Rock, de Recife. Eles palestraram sobre suas experiências no meio da produção musical brasileira. David se dedica a divulgar a música independente brasileira no exterior. O projeto faz parte do programa intinerante Rumos Itaú Cultural Música, que está promovendo 50 encontros em diferentes cidades brasileiras. A intenção é estimular a produção artística e cultural,

percorrendo o país com profissionais que trabalham e pensam a respeito de temas fundamentais no setor, como a aplicação de novas tecnologias, alternativas de difusão, intercâmbios, articulação e produção. O programa é o pioneiro no mapeamento da produção artística contemporânea. Em 10 anos já recebeu cerca de 13,5 mil inscrições e apoiou o desenvolvimento de 655 projetos nas áreas de Artes Visuais, Cinema e Vídeo, Música, Dança, Literatura, Arte e Tecnologia, Literatura, Educação, Pesquisa Acadêmica e Jornalismo Cultural. Desde a sua criação, em 1997, levou a obra de mais de 800 artistas a mais de 2 milhões de pessoas em todo o país. Categorias Nesta edição, o Rumos Música contemplará duas categorias: Rumos Mapeamento - Os inscritos deverão apresentar duas

músicas de sua exclusiva autoria ou interpretação, sem restrição de gênero ou faixa etária; e Rumos Homenagem - Os inscritos deverão apresentar duas músicas compostas a partir da remixagem, modificação, adaptação ou utilização dos seguintes fonogramas: - Para Fazer Boa Música e Pirex (Itamar Assumpção) - Walter Smetak 1 e Walter Smetak 2 (WS) - Cabeça de Nego e Dama Tereza (Sabotage). Entre todos os inscritos serão selecionados até 50 artistas e/ ou grupos na carteira Rumos Mapeamento, resultando em um total de 100 músicas. Em Rumos Homenagem serão contemplados até 14 artistas e/ou grupos, totalizando 28 músicas. A escolha, que vai ser realizada entre setembro e outubro deste ano, será de responsabilidade exclusiva da comissão de seleção, composta de 10 profissionais de reconhecida atuação na área musical e de um representante

Convidados falaram sobre suas experiências no meio da produção musical brasileira

do Itaú Cultural. A lista dos selecionados será divulgada até 20 de dezembro de 2007 pela imprensa e no site do Itaú Cultural. Os contemplados terão as duas músicas selecionadas incluídas na coletânea de CDs Rumos Itaú Cultural Música. A coletânea será enviada gratuitamente para instituições culturais e educacionais, aos parceiros do Itaú Cultural, a emissoras de rádios e aos demais veículos de comunicação, no Brasil e no exterior. Os artistas e grupos contemplados também farão espetáculos produzidos pelo Itaú Cultural, e as apresentações serão gravadas em áudio e vídeo

digital para serem distribuídas em DVD a emissoras de televisão no Brasil e exterior, além de seus currículos e contatos serem disponibilizados em inglês, francês e espanhol no site da instituição. As inscrições para a edição de 2007 se encerram em 31 de julho, são gratuitas e podem ser feitas no site www.itaucultural. org.br/rumos2007. Em Santa Cruz do Sul, a coleção da edição 2004-2006 do projeto está disponível para audição na biblioteca da Unisc. O seminário foi uma promoção do Instituto Itaú Cultural, em parceria com o Curso de Comunicação Social/Produção em Mídia Audiovisual. (C.S.)

Ginástica laboral: energia para o dia-a-dia no trabalho Prática foi adotada na Universidade há seis anos, com bons resultados A coordenadora do Programa, professora Sâmara Berger, lembra que, no início, a participação era quase obrigatória. “Quase que precisávamos obrigar os funcionários a participarem. Hoje, quando não acontece uma sessão por algum motivo, eles nos procuram para reclamar”. A professora credita essa mudança ao bem-estar que elas sentem após cada sessão da laboral. “Percebemos isso pela avaliação que realizamos duas vezes ao ano. Nela, além da satisfação dos colaboradores, também procuramos medir quais os principais problemas de cada setor para podermos programar as sessões de acordo com essas deficiências”, explica. Desse modo, atingimos uma melhor qualidade no nosso trabalho”.

Fotos: Luciana Jost

Alongamentos, massagens e outras atividades fazem parte da rotina semanal dos funcionários da Unisc. Os ais e uis que se escutam no início das sessões, terminam em risos e expressões alegres no final da ginástica laboral. É o caso da estudante de Publicidade e Propaganda Cíntia da Luz, de 28 anos. Funcionária há quatro anos da Biblioteca, inicia as sessões estralando as costas. “Mas, depois de vencer a preguiça, as sessões são maravilhosas. Aliviam as tensões e as dores e dão mais ânimo para o trabalho”, destaca. A estudante de Ciências Sociais Larissa Bittencourt, de 22 anos, também funcionária da Biblioteca, não perde nenhuma das três sessões semanais da ginástica laboral no setor. “É muito bom, dá uma sensação de alívio. Recomendo que todos participem”. Ela só reclama que poderia ser diário. “Se fosse todos os dias, seria melhor ainda, porque é muito bom mesmo”, diz, entre risos. Uma das responsáveis pelo bem-estar proporcionado pela ginástica laboral na Unisc é a estudante de Educação Física Virgínia Fraga Ferreira. Há um ano no programa, ela ministra as sessões semanais em diferentes setores. Entre as vantagens da atividade, cita a qualidade de vida para o trabalhador, por meio do relaxamento e da melhora na postura. “Outro ponto importante é o entrosamento entre os colegas. Como utili-

Larissa: ginástica laboral dá uma sensação de alívio

Cíntia: alívio da tensão e mais ânimo para trabalhar

zamos momentos de atividades em dupla e em grupo, aumenta o contato entre eles”. Virgínia não fala somente dos benefícios para os trabalhadores. Diz que ela mesma se beneficiou das sessões. “Ajudou minha flexibilidade e também meu problema de coluna”. Indagada sobre como se sente ao ministrar as aulas, a estudante diz que é “gratificante ver a disposição do pessoal após a ginástica. Saem mais dispostos, rindo e dizendo que a atividade é ótima e que os ajuda a trabalhar melhor”.

O Programa da Ginástica Laboral foi implantado na Unisc em 2001 pelo Departamento de Educação Física, num programapiloto desenvolvido apenas nos setores da Biblioteca, da Informática e de Recursos Humanos. Hoje, a ginástica laboral atinge 25 setores, com cerca de 240 funcionários que participam das sessões, por semana. Além de Virgínia, os estudantes Luana Santos e Jonas Moreira, do 7º semestre de Educação Física, são os responsáveis pelas atividades diárias.

Caminhando Sâmara comenta que o Conselho Federal e o Conselho Regional de Educação Física estabeleceram 2007 como o Ano da Ginástica Laboral. Na Unisc, ela já faz parte da cultura e desenvolve diversas outras atividades. É o caso do Projeto Caminhando, que iniciou em maio. São 45 minutos de caminhada supervisionada na pista de atletismo do campus. Aberto a todos os funcionários, o exercício ocorre nas segundas e nas quartas-feiras, a partir das 17h45. O ponto de partida é no ginásio de esportes, faça chuva ou sol. (L.J.)


ENTREViSTA

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

7

Fotos: Luciano Pereira

{ { Hoje a discussão ficou muito politizada, quase sem possibilidades legais. Acho que, com isso, perde o ambiente e perde o setor produtivo

LUCIANO PEREIRA Dois integrantes da Equipe Técnica de Elaboração do Zoneamento Ambiental para Atividades de Silvicultura, da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), estiveram na Unisc no dia 25 de maio para debater com estudantes o tema Zoneamento ambiental para a atividade de silvicultura no Rio Grande do Sul. A coordenadora da equipe, Silvia Mara Pagel, engenheira florestal da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), e o biólogo da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZB), Ricardo Aranha Ramos, vieram a Santa Cruz do Sul a convite do Departamento de Biologia e Farmácia, da Coordenação do Curso de Ciências Biológicas e do Diretório Acadêmico Henrique Roessler, da Biologia, com o apoio do curso de Especialização em Licenciamento Ambiental. Na entrevista a seguir, eles esclareceram alguns pontos sobre as questões ambientais que norteiam o desenvolvimento sustentável, em especial, da metade sul do Estado. Jornal da Unisc - Em que consiste o zoneamento ambiental? Silvia Mara Pagel – O zoneamento ambiental tem como objetivo definir quais são as áreas mais adequadas para plantações florestais e também as áreas que apresentam maior fragilidade. Isso facilita a vida do empreendedor que, quando plantar, já saberá quais as limitações e as restrições ambientais que ele deverá atender. Para o orgão ambiental agilizar o licenciamento, não há necessidade de uma análise caso a caso, pois já se possuiu uma base de dados regional, que permite uma avaliação da forma como o empreendimento deve ser implantado. Ricardo Aranha Ramos – O

ZONEAMENTO AMBIENTAL NO ESTADO zoneamento ambiental é resultado de um trabalho de dois anos que reuniu cerca de quarenta técnicos, metade deles da Sema. Vários estudos serviram de base para definir as paisagens a serem analisadas e as restrições ambientais que constam no zoneamento. JU - A Sema e o Ministério Público alteraram alguns critérios para o plantio no Estado. Que mudanças foram mais significativas? Silvia - Antes a Fepam emitia a autorização para as plantações florestais, que só podiam ocorrer em áreas já alteradas pela agricultura até que a Fepam e a Fundação Zoobotânica concluíssem o zoneamento. No final de 2006, o zoneamento foi concluído e entregue ao Governo do Estado. Mas as empresas acharam as regras do zoneamento muito restritivas. Então, a Sema criou um grupo de trabalho, representado somente

O zoneamento ambiental define quais são as áreas mais adequadas para plantações florestais

{ { por órgãos do setor florestal, que fez uma análise crítica desse documento. Essa análise foi enviada ao Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema), e então foi assinado um novo Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), onde constava que a Fepam deveria aplicar o zoneamento até a aprovação do Consema. Os licenciamen-

tos da Fepam discordavam dos interesses das empresas. Sendo assim, foi assinado recentemente o termo vigente. Esse termo remete à aplicação do zoneamento como previsto na legislação, bem como às ponderações feitas por esse grupo no que for legal e tecnicamente aplicável. JU - Quais são os pontos mais conflitantes nesse processo? Ramos - As maiores críticas são de que certas diretrizes e restrições do zoneamento não teriam bases legais. Pretendemos criar uma nova lei e, a partir desta, as atividades de silvicultura deverão utilizar o zoneamento para o licenciamento. O zoneamento não diz o que deve ser plantado, onde e como. Ele é usado como apoio aos licenciadores. Silvia - Se fôssemos cumprir a legislação vigente, o zoneamento ambiental não seria necessário. Essa sistematização de dados foi feita no estado para permitir enfocar aspectos de características regionais. O zoneamento não retira a figura do licenciamento, mas ele já mostra como o empreendimento deve ser implantado. O documento apresentado ao Consema teve somente críticas. Não continha propostas técnicas para o aperfeiçoamento do zoneamento. A principal crítica é que o zoneamento foi feito somente para a silvicultura e que deveria ser usado em todas as atividades. Mas sabe-se que, desde 2007, a silvicultura está em expansão no Estado. Outras atividades como o plantio de soja não estão mais em expansão. Por isso, ele foi feito no sentido de permitir ao órgão ambiental fazer essa avaliação, que não foi possível quando a soja foi implantada, na década de 70. Ramos - O empreendimento da silvicultura está ocupando á-

reas que nunca foram utilizadas. É novo, principalmente na Campanha. A preocupação da Fepam foi fazer um zoneamento que pudesse ter regras de ocupação. Não somos contra a silvicultura, sabemos que a silvicultura é importante, é viável, mas de uma forma sustentável, de uma forma que não cause danos à natureza.

A partir de uma nova lei, as atividades de silvicultura deverão utilizar o zoneamento para o licenciamento

{ { JU - A Silvicultura será implantada no Bioma Pampa. Na opinião de vocês, qual a importância da conservação dessa área para o Estado e para o País? Ramos - O Rio Grande do Sul é o único Estado que possui o Bioma Pampa, caracterizado por campos de coxilha com mata ciliar e muitos recursos hídricos. Ele tem uma fauna toda adaptada a esse tipo de ambiente e um alto grau de endemismo e de espécies ameaçadas. Então, para a conservação dessa diversidade, ele tem um valor enorme. Também é muito importante para as pessoas que moram naquela região, pois toda a economia foi desenhada em cima das características do pampa. Só o Rio Grande do Sul tem esse tipo de campo. A importância não é somente para a diversidade, mas também para a economia, enfim, para o homem. Silvia - A pecuária, mesmo

causando impacto, mantém a diversidade do campo, ela traz alterações, mas o plantio de eucalipto altera significativamente a biodiversidade. O nosso ambiente propicia um desenvolvimento mais rápido, mas ele não é florestal, e por isso precisa de cuidados especiais. O zoneamento é um instrumento importante, porque ele permite o desenvolvimento da silvicultura com a manutenção da qualidade ambiental. E um dos objetivos específicos dele é buscar a sustentabilidade ambiental, que é a sustentabilidade do homem naquela região. Ramos - A monocultura em grandes extensões é o maior problema. Se tivermos uma agricultura que permita vários tipos de culturas agregadas, é possível manter uma biodiversidade. JU - Até que ponto as empresas estão influenciando no processo de licenciamento ambiental? Silvia - O zoneamento virou um conflito porque as empresas já tinham adquirido uma área e, em algumas dessas, o zoneamento colocou grandes restrições à atividade. O zoneameto tem toda uma estrutura onde ele foi formatado. Foi feita uma densidade de ocupação para a atividade. As unidades de alta restrição tem uma série de aspectos - solo, lençol freático, diversidade -; então, quando todos esses elementos convergem nessa unidade, ela se torna de alta restrição. A Fepam quer levar esse documento a uma audiência pública para colher propostas que tenham fundamentação. Hoje a discussão ficou muito politizada, quase sem possibilidades legais. Acho que, com isso, perde o ambiente e perde o setor produtivo. A audiência pública é a oportunidade para qualificar o zoneamento.


CENTRAL

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

CAMPEÕES DE CIDADANIA

Rodrigo / Ag. Assmann

8

Projetos esportivos da Universidade levam saúde e educação para mais de 4 mil crianças e adolescentes LUCIANO PEREIRA FERNANDA MALLMANN Em ano de Jogos Pan-Americanos ou Olimpíadas, é fácil encontrar grandes empresas ou instituições apoiando o esporte. Também é fácil ouvir, nesse período, discursos em prol do esporte e dos benefícios sociais proporcionados pela prática esportiva. Difícil, no Brasil, é encontrar iniciativas concretas de apoio ao esporte, que vão desde a formação de base do atleta até a sua manutenção e seu suporte nas categorias competitivas. Algumas empresas e instituições, muitas delas universidades, engajam-se nesse desafio de formar campeões não apenas no esporte, mas principalmente na vida. É o caso da Unisc, que possui mais de 10 projetos esportivos voltados para crianças e adolescentes de toda a área de abrangência da Universidade. No total são mais de 4 mil jovens beneficiados pelas atividades, que contam ainda com o apoio de empresas e de entidades de diferentes segmentos da região. “A educação, o compromis-

so primeiro de uma associação de ensino, tem objetivos muito próximos ao que se busca alcançar com o esporte, que são a inclusão social, o desenvolvimento do ser humano, o espírito de equipe, entre outros”, compara o reitor, Vilmar Thomé. “Esses benefícios levam a Unisc a, cada vez mais, incentivar o esporte nas comunidades onde está inserida”, conclui. O salto no número de projetos da Unisc voltados ao esporte se deu em março de 2004, quando foi criada a Assessoria de Marketing Esportivo da Instituição. Até aquele ano, eram três os projetos esportivos na Universidade: o Cestinha e o Atletismo, implantados em 2001, e o Vôlei de Praia. “O setor de marketing esportivo surgiu para estreitar a relação da Unisc com a comunidade por meio do esporte, dando, conseqüentemente, mais visibilidade para a marca Unisc”, explica o coordenador, Éverson Carvalho de Bello. A partir daí surgiram projetos nas modalidades de lutas, futebol, futsal, ginástica rítmica e basquete. “Como o próprio slogan da Apesc define, desenvolvimen-

Judô é uma das modalidades que a Universidade oferece a crianças e adolescentes de Santa Cruz do Sul. Projeto de Lutas ainda tem o jiu-jitsu e o taekwondo

to se faz com saúde e educação, e o esporte consegue sintetizar as duas coisas”, enfatiza Bello. “Nossa preocupação é formar cidadãos por meio do esporte”. O coordenador destacou ainda que, além dos projetos sociais, a Assessoria de Marketing Esportivo mantém projetos de endomarketing, destinados aos próprios alunos da Unisc, como as equipes de handebol, de voleibol e de beisebol, que disputam competições oficiais na categoria adulta. “Há também toda a linha de patrocínio de eventos e de apoio a atividades desenvolvidas na região, como a Ecorrida e os campeonatos de trampolim e de patinação, por exemplo”, conclui.

Das salas de aula para as quadras Não são apenas os atletas que são beneficiados com os projetos esportivos da Unisc. Os alunos do curso de Educação Física da Instituição também são contemplados, já que, nos projetos, atuam como monitores, exercitando e aperfeiçoando o que aprendem em sala de aula. No geral, todos os monitores que atuam nas escolinhas da Universidade são estudantes do curso. Além desses, os demais alunos também são beneficiados atuando na arbitragem e na súmula de jogos e competições realizados dentro de cada projeto. “A participação do acadêmico estabelece um link entre os conteúdos desenvolvidos em sala de aula e a sua aplicação prática, completando a formação do aluno”, opina Bello. Segundo ele, são realizadas reuniões periódicas com a coordenação do curso, com o objetivo de definir detalhes sobre o trabalho dos acadêmicos.

CMYK

Para o estudante de Educação Física e coordenador do projeto Eu Jogo Junto, Marcos Rivelino da Rosa, é preciso muita didática para trabalhar com crianças. “É importante saber lidar com elas, já que elas são diferentes, pertencem a classes sociais variadas”, opina Rivelino. ”Na faculdade a gente aprende as formas de como ensinar e aqui eu consigo aplicar isso”, diz. Já o monitor Henrique Maciel

da Silva, que ensina judô para 60 crianças de seis a 14 anos nos bairros Centro e Cohab, destaca que, no projeto, ele consegue associar os treinamentos com o que aprende em sala de aula. “O curso orienta para exercícios adequados de aquecimento e força, além de didática e planejamento”, conta. “Incentivamos a prática do esporte por meio de princípios do judô, como a disciplina”.

Arte: Silvia Bittencourt

Projetos Atletismo Atividades desenvolvidas: Corrida e marcha atlética Comunidade/Instituição atendida: Município de Santa Cruz do Sul Lutas Atividades desenvolvidas: Taekwondo, capoeira, judô e jiu-jitsu Comunidade/Instituição atendida: Município de Santa Cruz do Sul Parceria: O taekwondo é realizado em parceria com o Santa Cruz Taekwondo Clube, o judô com a Associação de Moradores do Bairro Cohab e o jiu-jitsu com a Academia Brazuca Ernesto Alves Atividade desenvolvida: Basquete Comunidade/Instituição atendida: Escola Estadual de Ensino Médio Ernesto Alves de Oliveira, de Santa Cruz do Sul Parceria: Escola Estadual de Ensino Médio Ernesto Alves de Oliveira Ginástica Rítmica Atividade desenvolvida: ginástica Comunidade/Instituição atendida: Município de Santa Cruz do Sul Parceria: Escola Educar-se Cestinha Atividade desenvolvida: Basquete Comunidade/Instituição atendida: Comunidades dos bairros Menino Deus, Arroio Grande, Margarida Aurora, Carlota, Cohab-Independência e o município de Vera Cruz Parceria: Projeto do Sesi, em parceria com a Escola Educar-se e, mais recentemente, com o Instituto Pioneer Semear Amigos

Eu Jogo Junto Atividade desenvolvida: Futebol Comunidade/Instituição atendida: Comunidades do interior de Santa Cruz do Sul, Vera Cruz, Sinimbu, Venâncio Aires e Rio Pardo Parceria: Liga de Futebol Amador de Santa Cruz do Sul (Lifasc) Futebol de campo e Futebol 7 Atividade desenvolvida: Futebol Comunidade/Instituição atendida: Comunidades dos bairros Cohab Independência, Margarida e Harmonia, de Santa Cruz do Sul; Segredos da Bola (Segredo), Associação dos Moradores de Vila Araçá (Vera Cruz) e Juventude de Vila Arlindo (Venâncio Aires) Craque Unisc Atividade desenvolvida: Futebol Comunidade/Instituição atendida: Comunidade do município de Rio Pardo Parceria: Brigada Militar Futsal Atividade desenvolvida: Futsal Comunidade/Instituição atendida: Comunidades dos municípios de Santa Cruz do Sul, Arroio do Tigre, Sobradinho e Venâncio Aires Parceria: Clube 25 de Julho, Associação Esportiva Sobradinho, Associação Esportiva Venâncio Aires (Assoeva) e Associação de Futsal de Santa Cruz do Sul (Assaf) Projeto: Ação Comunitária Atividade desenvolvida: Futebol Comunidade/Instituição atendida: Município de Passo do Sobrado Parceria: Esporte Clube Rosário


CENTRAL

Igor representará o Rio Grande do Sul no Brasileiro

principal do Cestinha é formar cidadãos. “Mas isso não impede que, da quantidade, surja qualidade”, diz o professor. “O sucesso de alguns atletas é conseqüência do trabalho desenvolvido por todos os monitores, professores e parceiros”, completa.

Projeto O Projeto Cestinha é o maior em número de atletas e foi implantado em 2001 pelo Sesi e pela Unisc. Hoje, mais de 800 jovens, com idade entre 9 e 15 anos, participam do projeto. No dia 30 de março, o Instituto Pionner Semear Amigos também passou a fazer parte do Cestinha. Além de recursos financeiros, o convênio garante a participação de voluntários da empresa na organização das atividades do Projeto. Os treinamentos do Projeto Cestinha são realizados nos ginásios do Sesi, São Canísio, Unisc, Poliesportivo/Apae, Margarida/ Aurora e no pólo Menino Deus, além do município de Vera Cruz. A cada mês é realizado um encontro com as crianças e os adolescentes do projeto, no ginásio da Universidade, onde todos recebem lanche e medalhas. Além do basquetebol, eles têm aulas de informática. Mais informações pelo telefone (51) 3717-7675.

O projeto é novo, ainda não completou um ano, mas já mobiliza centenas de meninos dispostos a correrem atrás da bola e, também, atrás de um futuro. Lançado em agosto de 2006, hoje, o projeto Futsal – Esporte em Ação reúne 420 atletas. Os participantes têm entre 6 e 16 anos, são todos estudantes e, uma vez por semana, se dedicam ao esporte. Os treinos ocorrem em cinco pontos da cidade: Centro, Bom Jesus, Menino Deus, Vila Schulz e Vila Verena. É lá que os meninos recebem as orientações técnicas do coordenador do projeto e treinador, Cleber dos Santos Pereira. É lá também que eles passam a ter um contato mais profissional com o futebol. Além da parte técnica, o projeto dispõe de um psicólogo que auxilia na evolução dos atletas. “Aqui eles aprendem técnicas, jogadas, enfim, mas também têm apoio psicológico para saber lidar com questões como a ansiedade e a atenção. É um trabalho completo e profissional”, destaca Pereira. Todo esse trabalho deve resultar em um aproveitamento de atletas, posteriormente, na Associação Santa-Cruzense de Futsal (Assaf). “Eles estarão mais preparados em todos os sentidos. Esses meninos são a base, o futuro da Assaf”, acredita o coordenador. E esse é o objetivo de muitos garotos que treinam no projeto. É o caso de Jéferson Patric Nagel,

CMYK

Fernanda Mallmann

Futsal coloca meninos em ação

Projeto de futsal foi lançado em 2006 e hoje reúne 420 atletas

15 anos, aluno do 1º ano do Ensino Médio. “Jogar aqui ajuda muito, a gente treina coisas específicas. Minha idéia é continuar e ser jogador profissional um dia”, afirma. Tiago Vinícius da Silva, 16 anos, estudante do 1º ano do Ensino Médio, tem o mesmo propósito. “Quero ter experiência, ir me aperfeiçoando. Aqui a gente consegue fazer isso”, observa.

9

Fernanda Mallmann

Com 15 anos de idade e 2m01 de altura, o futuro promete para o atleta Igor Retzke Dias, do Projeto Cestinha Sesi/Unisc. Em maio ele foi convocado para a seleção gaúcha infanto, até 16 anos, que disputará o Campeonato Brasileiro de Seleções de 13 a 16 de junho, em Caxias do Sul. Pivô da categoria cadete do Cestinha, Igor se diz surpreso com a convocação. “Dois atletas do Cestinha já foram para São Paulo jogar em equipes de lá, mas essa foi a primeira convocação de um atleta do Projeto para a seleção”, conta. Aluno da Escola Educar-se, Igor está no Projeto Cestinha desde os 12 anos de idade. Para ele, o bom trabalho de base desenvolvido pelos treinadores foi fundamental para obter esses resultados. “O Cestinha começou pequeno, mas hoje mostra resultados em todas as categorias”, comenta. Para o coordenador do Projeto, Gilmar Weis, a preocupação

Luciano Pereira

Cestinha revela cidadãos e craques

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

Além de esporte, atividades também incentivam a integração e a inclusão

550 jogam juntos É em campos de futebol de comunidades do interior ou de pátios de escola que se pratica, além de atividade física, a inclusão social, a erradicação do trabalho infantil e da evasão escolar e, não poderia deixar de ser, a integração promovida pelo esporte. Todas essas ações são objetivos do projeto Eu Jogo Junto que a Unisc desenvolve, desde 2002, em localidades do interior de Santa Cruz do Sul, de Vera Cruz e de Vale do Sol. Hoje, cerca de 550 crianças e adolescentes, entre os sete e os 17 anos, participam do projeto, nas oito localidades onde ele é desenvolvido. Meninos como Cristian Alex Scherer, 12 anos, estudante da 6ª série, e morador de Vale do Sol. “As aulas são boas e eu aprendo a jogar melhor aqui”, diz. Ou como Adonis Packer, 18 anos, aluno do 2º ano do Ensino Médio, que está no Eu Jogo Junto desde que ele começou e, mesmo passando da idade de participação no projeto, continua freqüentando as aulas. “Aqui se tem um contato profissional com o futebol. Eu, quando comecei, era muito ´fomi-

nha´, jogava só para mim e não para o time. Eu mudei quando vim para cá”, afirma Adonis. Para o coordenador do Eu Jogo Junto, Marcos Rivelino da Rosa, essas mudanças de comportamento, como a de Adonis, são um dos grandes resultados do projeto. “Nosso compromisso principal é dar oportunidade a todos que queiram jogar. Estando aqui em horário oposto ao da escola, essas crianças não estarão na rua ou trabalhando na roça. Aqui as crianças vêm para aprender, para treinar e para se divertir”, ressalta. Em cada uma das comunidades, as aulas de futebol ocorrem uma vez por semana. Qualquer criança ou adolescente interessado e que esteja matriculado na escola pode participar do projeto.

Informações O que: Projeto Eu Jogo Junto Onde ocorre: Santa Cruz do Sul (Linha Santa Cruz, Boa Vista, Monte Alverne e Pinheiral), Vera Cruz (Ferraz) e Vale do Sol (Centro, Pinhal Trombudo e Rio Pardense) Contato: (51) 3717-7485

Informações O que: Projeto Futsal - Esporte em Ação Onde ocorre: Santa Cruz do Sul (Centro, Bom Jesus, Menino Deus, Vila Schulz e Vila Verena) Contato: (51) 3717-7485

Arte: Silvia Bittencourt


EXTENSÃO

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

Animais são os protagonistas de atividade com idosos Eles têm a fama de serem os melhores amigos do homem. E, mais uma vez, o ditado prova não estar errado. Os cães são os protagonistas da atividade Cão Terapeuta, no projeto Ações para o Envelhecimento com Qualidade de Vida, desenvolvido pela Unisc, junto a duas casas geriátricas de Santa Cruz do Sul. A amizade é só o começo da relação que esses animais estão conseguindo com os idosos. A idéia de desenvolver uma atividade que envolvesse cães e pessoas idosas já interessava à professora do curso de Fisioterapia Miriam Beatris Froemming há algum tempo. Mas foi no início de 2006 que ela começou a ser pesquisada e projetada. “A terapia com cães existe em alguns países da Europa, nos Estados Unidos e no Canadá há bastante tempo. No Brasil, o trabalho surgiu na década de 50. Hoje existe a busca de alternativas que promovam a saúde e o bem-estar, no sentido de minimizar o isolamento social, a carência de afetividade e de atividades que estimulem o movimento”, afirma Miriam, que conta com a ajuda das bolsistas Cristine Brandenburg, Luciane Rabuske Sehn e Miriam Viviane Baron. No fim do ano passado, com a base teórica concluída, foi feita a seleção de cães para participar do projeto. Depois disso, no começo deste ano, já se iniciaram os treinamentos para que os animais pudessem desenvolver o papel de terapeutas. “Escolhemos animais que demonstram ter o temperamento dócil e sociável. Depois dessa seleção, passamos a trabalhar, junto com os donos, o adestramento dos cães”, explica o médico veterinário e adestrador Hermes Augusto de Souza. As visitas dos cães às casas geriátricas, acompanhados dos seus donos, da professora e das bolsistas, começaram em maio deste ano. E com as visitas, os primeiros sinais de que a aposta no trabalho iria valer a pena. “No primeiro encontro, já percebemos a expressão de alegria e surpresa estampada no rosto dos idosos. Muitos lembraram de histórias de cães

ALÉM DE AMIGOS, ELES SÃO TERAPEUTAS Fotos: Fernanda Mallmann

A atividade Cão Terapeuta é desenvolvida por professores e por alunos do curso de Fisioterapia, junto a duas casas geriátricas de Santa Cruz do Sul

o início de um relacionamento. Já no segundo semestre, será colocada em prática a Terapia Assistida por Animais, que utiliza o animal como parte do tratamento fisioterapêutico. Ela busca promover a saúde física, social, emocional e as funções cognitivas. “O animal pode ser considerado a ponte entre o tratamento e o paciente. Ele é o estímulo que o animal proporciona para os idosos se movimentarem de forma lúdica como, por exemplo, quando brincam com eles”, observa Miriam. A meta é ampliar as atividades em outras instituições para idosos e também para outros públicos, como crianças com doenças neurológicas, pacientes com câncer e pessoas com distúrbios psiquiátricos. A longo prazo, a proposta também é formar uma equipe multi e interdisciplinar, com outros cursos da área da saúde da Unisc. Histórias Não importa o tamanho ou a raça do cão. Chegando no quarto de seu Petrolino Santos, 90 anos, que vive no Lar Santa Luzia, eles são bem-vindos. E os cães parecem entender a receptividade de Petrolino, que passa acamado quase o dia inteiro. Eles logo se aproximam dele, brincam e arrancam sorrisos. “Gosto do Capeto (um labrador) que é grande, mas para brincar são melhores os pequeninhos”, diz. Na sala ao lado, os cães também são o xodó de Iara Pinto de Souza (74) e de Vilma Schmidt (89). Assim que a visita dos integrantes do projeto chega à casa gariátrica, Iara sai cantando e passeando com uma cachorrinha. Já a amiga Vilma, que é cadeirante, dá colo e acaricia os cães. “Essa está cheirosa. Tomou banho hoje?”, pergunta à bolsista do projeto.

Contato

Vilma e Iara retribuem a visita dos animais com colo e muito carinho

que tiveram no passado. Foi um bom começo”, ressalta a professora. Neste semestre, está sendo desenvolvida a Atividade Assistida por Animais, que envolve a visitação, a recreação e a distração por meio do contato com os animais. São ações que desenvolvem

Bom para os idosos e para Capeto Ele pode assustar à primeira vista pelo tamanho, mas logo mostra a sua doçura. O labrador Capeto, 4 anos e 8 meses, é um dos cães que faz a alegria nas casas geriátricas. Se ele está fazendo bem aos idosos, eles também estão fazendo bem a Capeto, garantem os seus proprietários, Maisa e Fabrício Kersting. “Sempre queríamos que ele tivesse uma atividade. Quando surgiu o projeto, logo nos candidatamos. Ele está muito bem integrado, é sociável e está mais calmo em casa. A experiência está sendo bem positiva”, afirma Maisa.

Microscópios A Unisc fez a doação de 44 microscópios para 15 escolas públicas de Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires, Vera Cruz, Encruzilhada do Sul, Rio Pardo e Sinimbu. O pró-reitor de Extensão e Relações Comunitárias, Luiz Augusto Costa a Campis, e a coordenadora do Programa Unisc-Escola, Liane Wendling Roos, fizeram a entrega aos diretores das escolas no dia 25 de maio, na Unisc. As escolas receberam, cada uma, três microscópios. Foram beneficiadas as escolas estaduais

Petrolino gosta dos cães menores para brincar

Interessados em participar como voluntários podem entrar em contato com as bolsistas Cristine (51) 9138-7713, Luciane (51) 9621-4434 e Miriam (51) 9252-1041.

de Ensino Médio Santa Cruz, Ernesto Alves de Oliveira, Alfredo José Kliemann, Nossa Senhora do Rosário, Willy Carlos Fröhlich – Poli, José Mânica, Jubal Junqueira, Vera Cruz e Frederico Kops, o Colégio Estadual Professor Luiz Dou-

rado, a Escola Estadual de Educação Básica Estado de Goiás, o Colégio Estadual Monte Alverne, a Escola Estadual de Educação Básica Gomercinda Dornelles da Fontoura e a Instituição de Educação Estadual Ernesto Alves.

Luciano Pereira

10


PESQUiSA / GERAL

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

11

Evento será realizado em agosto e já está com inscrições abertas No mês de agosto, a Universidade terá quatro dias dedicados a divulgar a pesquisa que é feita dentro da Instituição. As inscrições para o evento, o 1º Seminário de Grupos de Pesquisa da Unisc, já estão abertas. A Universidade tem hoje 42 grupos de pesquisa cadastrados no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), separados em quatro grandes áreas do conhecimento: Ciências Humanas; Ciências Biológicas e da Saúde; Ciências Exatas, da Terra e Engenharias; e Ciências Sociais e Aplicadas. A intenção é reunir os grupos, proporcionando a divulgação da produção científica e a integração. “Essa interação pode resultar, inclusive, em projetos de pesquisa conjuntos”, destaca o coordenador de

Pesquisa e Extensão A Unisc está com inscrições abertas para dois eventos que promovem os trabalhos de Pesquisa e de Extensão feitos na Universidade: o 13º Seminário de Iniciação Científica e a 12ª Jornada de Ensino Pesquisa e Extensão. Os trabalhos podem ser inscritos até o dia 13 de julho, já os eventos serão realizados de 1º a 5 de outubro. Outras informações na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, pelo telefone 3717-7348.

Workshop da Itunisc Nos dias 30 e 31 de maio foi realizado o 2º Workshop da Incubadora Tecnológica Unisc (Itunisc). Acadêmicos e empresários puderam participar de palestras e minicursos. Entre os palestrantes estiveram a coordenadora da Itunisc, Luciane Dahmer, e a diretora da Incubadora Internacional de Empresas de Base Tecnológica da Universidade Estadual de Londrina (Intuel), Cristiane Minowa, que falou sobre Empreendedorismo - Exportação para produtos de base tecnológica. Além disso, a programação incluiu um minicurso com Juliano Barbosa Alves, que é diretor da empresa Oniria Produtora de Softwares Ltda, consultor do Núcleo Games Intuel e pesquisador na área de Metodologia de Produção de Softwares de Entretenimento. O workshop também contou com a apresentação de cases das empresas incubadas pela Itunisc.

Pesquisa da Unisc, Rogério Lima da Silveira. Além dos professores, os alunos que trabalham como bolsistas em pesquisas também participarão do seminário. “A Unisc é uma Universidade que investe em pesquisa e isso é um diferencial para a Instituição, mas também para os seus alunos que podem participar de projetos, sempre agregando conhecimento”, observa Silveira. As palestras e as apresentações do evento também poderão ser acompanhadas por estudantes e por profissionais da comunidade que tiverem interesse nos assuntos abordados. A abertura do seminário, no dia 20 de agosto, será feita pela pró-reitora de Pós-Graduação da Ufrgs, Valquíria Linck Bassani, e pelo pró-reitor de Pesquisa da

Ufrgs, Cesar Augusto Zen Vasconcellos. Os dois professores também são líderes de grupos de pesquisa na instituição. A programação segue até o dia 24, com as apresentações dos trabalhos dos grupos da Unisc. As inscrições devem ser feitas até o dia 29 de junho, na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação.

Informações O quê: 1º Seminário de Grupos de Pesquisa da Unisc Quando: de 20 a 24 de agosto Inscrições: até 29 de junho Público-alvo: grupos de pesquisa, pesquisadores, alunos de pós-graduação e bolsistas de iniciação científica que desenvolvem projetos de pesquisa na Unisc

UniJr completa dez anos Dentro da Universidade, existem diversos serviços, projetos ou pesquisas que colocam os estudantes em contato com a prática profissional. Um desses meios é a Empresa Junior da Unisc (UniJr), uma organização jurídica que fornece serviços de consultoria e desenvolve projetos para empresas. Em 2007, a UniJr está completando dez anos de atividades. A Empresa Junior é formada por alunos da Universidade, sob a supervisão de professores, sendo que um diferencial é a multidisciplinaridade em suas ações empresariais, já que alunos de todos os cursos podem participar do projeto. A UniJr presta serviços de consultoria para empresas, desenvolvendo o espírito empreendedor e de liderança de seus associados, aliando a teoria da sala de aula com a prática de uma empresa. Também, como empresa de consultoria, possui o papel de auxiliar os clientes na melhoria de seu desempenho. Entre os serviços prestados estão consultorias, cursos, planejamento de eventos, entre outros. Para a empresa, a vantagem de realizar consultorias com a UniJr

Fernanda Mallmann

SEMINÁRIO REÚNE GRUPOS DE PESQUISA

é poder utilizar projetos orientados por professores da Universidade que, além de mestres ou doutores, têm experiência no mercado de trabalho. Outros benefícios são o espírito jovem e empreendedor dos consultores e o conhecimento e a tecnologia atualizada. Já os alunos conseguem aplicar os conhecimentos teóricos, adquirem experiência profissional, aprendem a trabalhar em equipe, desenvolvem o espírito crítico e empreendedor e passam a ter um diferencial. Hoje, dez alunos participam da UniJr, atendendo a dez empresas da região. Para a assessora de marketing da UniJr Mariane Kist, fazer parte da Empresa Júnior é uma oportunidade. “Para os alunos e para as empresas a participação traz vantagens”, ressalta Mariane. Os alunos que participam da Empresa Junior da Unisc são voluntários e podem trabalhar em uma área de interesse. Além disso, a participação é validada para as horas do núcleo flexível dos cursos. Para fazer parte, os estudantes podem ir até a UniJr que fica na sala 1306, bloco 13. Informações pelo telefone (51) 37177631 e pelo e-mail unijr@unisc.br.

Rogério Lima da Silveira, coordenador de Pesquisa da Universidade

Fiergs visita a Universidade Integrantes da Coordenadoria de Articulação Empresarial da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) estiveram no dia 3 de maio visitando a Unisc. O tema da reunião foi Intercâmbio de informações entre a Unisc e as indústrias (empresas) da Região do Vale do Rio Pardo”. Recepcionados pelo reitor da Unisc, Vilmar Thomé, e pela pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Liane Mählmann Kipper, os visitantes conheceram o Pólo de Modernização Tecnológica do Vale do Rio Pardo, o Programa Universidade-Empresa, o Programa Redes de Cooperação na Unisc, a Incubadora Tecnológica, o Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia, o Núcleo de Assessoramento a Projetos, a Central Analítica e o Núcleo de Integração e Fomento das Atividades de Estágio. Na apresentação, o reitor da

Unisc destacou as possibilidades de cooperação entre a Unisc e o setor produtivo por meio dos programas institucionais. A professora Liane Kipper também salientou a importância da parceria do setor empresarial com a Universidade. Após as visitas, o professor Ênio Leandro Machado, coordenador da Área de Meio Ambiente do Pólo de Modernização Tecnológica, apresentou um case de sucesso na área P + L (galvanoplastia na indústria metalmecânica), dando ênfase às possibilidades de redução de efluentes e seus benefícios. Também foram visitados os laboratórios de Fusão e Sinterização, de Produtos de Origem Vegetal, de Ciência de Alimentos, de Oleoquímica, de Tratamento de Águas e Efluentes e de Polímeros, Embalagens e Reciclagem, além da Planta-Piloto de Reciclagem. Divulgação

História do Movimento Júnior No final dos anos 60, a idealização de um jovem francês, Bernard Caioso, da Essec Business School, deu origem ao que conhecemos hoje como Empresa Júnior. Na ocasião, o estudante, ansioso por ter experiência profissional, imaginou uma estrutura administrada por acadêmicos onde fosse possível colocar em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, elaborando consultorias a bons preços no mercado, contando com o apoio e auxílio de professores. Até hoje, as empresas júnior seguem esse modelo.

Representantes da Fiergs puderam conhecer os laboratórios da Universidade


2007 no r e v n i de

ã h n a m a o m e z a f e u udes q

t i t a e s idéia

UNISC Inscrições até 12 de junho

No site, nos Protocolos da Unisc, na Loja da Unisc no Shopping ou via fax. Prova Única: 16 de junho às 14h30

Cursos Bacharelados Administração - Ciência da Computação - Ciências Contábeis Ciências Econômicas - Direito Educação Física - Enfermagem - Engenharia Ambiental Farmácia - Fisioterapia - Geografia - Jornalismo - Medicina Psicologia - Publicidade e Propaganda - Serviço Social

Licenciaturas Educação Física Pedagogia

Tecnólogos Fabricação Mecânica Gastronomia Gestão de Segurança Privada

Informações (51) 3717.7439 vestib@unisc.br MSN: centralinfo@unisc.br www.unisc.br


XIII SEMINÁRIO DE

INSCRIÇÕES ATÉ 13 DE JULHO EM WWW.UNISC.BR

UNISC

INICIAÇÃO CIENTÍFICA

XII JORNADA DE

ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

2007

I Seminário de

Grupos de pesquisa DA

INSCRIÇÕES: até

UNISC

29 de junho

INFORMAÇÕES:

WWW.UNISC.BR


14

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

VESTiBULAR

ODONTOLOGIA

TUDO VALE A PENA

Semestres: 10 Turno: Manhã, Tarde e Noite Campus em que é oferecido: Santa Cruz do Sul

ainda realizo, ajudou a custear o meu curso”, conta. Ela comenta que a experiência de atender na Clínica Odontológica da Unisc reforçava toda a teoria aprendida em sala de aula. “Você ter oportunidade de aplicar na prática o conhecimento é muito gratificante, ainda mais que você pode contar com uma infraestrutura exemplar”, reconhece a dentista.

O QUE FAZ?

COMUNICAÇÃO SOCIAL/PUBLICIDADE E PROPAGANDA

MERCADO DE TRABALHO O profissional pode atuar em agências de publicidade e propaganda, nas áreas de atendimento, planejamento, criação, produção gráfica, eletrônica e multimídia, pesquisa, mídia, marketing e gestão. Também pode trabalhar em setores de comunicação e marketing de instituições públicas e privadas, veículos de comunicação e empresas do setor audiovisual, multimídia, internet e gráfico.

INFRA-ESTRUTURA O curso da Unisc dispõe de laboratórios de edição de vídeo, fotografia (analógica e digital), redação e editoração eletrônica, televisão, rádio e multimídia. O aluno também tem acesso à Unisc TV, canal de televisão da Universidade; à agência experimental de publicidade e propaganda e ao estúdio fotográfico da Universidade.

O cirurgião-dentista, clínico geral, trata de problemas da saúde bucal, desenvolvendo ações de políticas preventivas.

Fotos: Arquivo Pessoal

“Você precisa saber que sempre tem que buscar mais sabedoria e que o progresso é uma conquista do dia-a-dia”, diz Mirela Lopes Marques, 36 anos, cirurgiã-dentista formada pela Unisc em 2005. Hoje, com seu consultório próprio, ela relata sua trajetória para a realização desse sonho. “Tudo começou quando aos meus 16 anos eu trabalhava como atendente de um consultório dentário em Cachoeira do Sul, minha cidade natal. Tinha muita vontade em seguir a profissão de minha chefe, mas o que mais dificultava era a questão financeira”. Ela iniciou os estudos em 1998 na área de Administração, mas em 2002 prestou vestibular para Odontologia na Unisc e, “a partir daí, tive certeza de que todo o esforço vale a pena, que tudo vale a pena se você se dedicar e tiver coragem de enfrentar qualquer dificuldade”, explica Mirela. Com o Crediunisc, linha de crédito oferecida pela Unisc, e com o Fies, Mirela concluiu o curso que há anos programava cursar. “Sempre fui muito incentivada, tanto pelos professores quanto pelos meus colegas que me emprestavam materiais para aulas práticas, já que na época eu não tinha condições de comprar”, exemplifica. “Desde meus 18 anos trabalho com aparelhos ortodônticos removíveis e essa atividade, que

O publicitário deve ter competência para desenvolver peças publicitárias, elaborar e promover marcas e realizar pesquisas de mercado. Habilidade de combinar necessidades e características do mercado e do comportamento do consumidor com estética audiovisual, cultural e ética. O profissional deve estar sempre atualizado e informado, estando apto para criar, produzir e veicular a comunicação publicitária.

O QUE FAZ?

MERCADO DE TRABALHO O profissional de Odontologia pode atuar como cirurgião-dentista generalista, diagnosticando, prevenindo, tratando e reabilitando a saúde bucal em nível individual e de ações comunitárias, que transformam a realidade em benefício da sociedade.

INFRA-ESTRUTURA

Mirela: Clínica Odontológica da Universidade lhe deu experiência para iniciar na profissão

“Muitas pessoas que cruzaram meu caminho me apoiaram muito. Pessoas que me auxiliaram a investir em meu negócio, pessoas que acreditaram em mim e pessoas que foram meus mestres. A troca de experiências e o ótimo relacionamento que tenho com meus professores e agora colegas de profissão são diferenciais que me fazem uma profissional realizada”, afirma Mirela.

O Curso de Odontologia da Unisc conta com uma Clínica de Odontologia; três salas especiais: Sala de Triagem, Sala de Pacientes Especiais e Sala de Higienização Bucal; nove laboratórios: Laboratório de Prótese e Fundição, Laboratório de Anatomia Humana, Laboratórios Multidisciplinares, Laboratório de Radiologia com Sala de Processamento Radiográfico, Laboratório de Leitura Radiográfica, Laboratório de Modelos Anatômicos, Laboratório de Fisiologia, Laboratório de Microbiologia e Laboratório de Informática; além do Centro Cirúrgico com Sistema de Transmissão de Imagens (ACCUCAM).

CRIAR E SURPREENDER

Semestres: 9 Turno: Manhã e Noite Campus em que é oferecido: Santa Cruz do Sul

Luciana Iser Setúbal, 33 anos, formou-se com a primeira turma de Publicidade e Propaganda da Unisc. “ Entrei no curso com a idéia de trabalhar na produção de roteiros e afins”, conta Luciana. “Mas os caminhos me levaram à área de redação, o que também inclui a produção de roteiros”. A publicitária trabalha hoje como redatora na Propaga Comunicação, agência de publicidade em Itajaí, SC, e está concluindo um curso de Especialização em Comunicação para o Terceiro Setor, na PUC/RS. Para ela, um bom profissional de comunicação deve entrar no mercado ainda na graduação. “E não estou falando de estágio curricular. Estágio mesmo, de assumir uma função e a responsabilidade que ela exige dentro de uma agência, produtora etc.”, explica. “Outra coisa inadmissível é o profissional que não lê. É o sujeito que mal e mal passa os olhos pelo jornal, lê um ou dois blogs e acha que está megainformado”, adverte. Segundo Luciana, o profissional da comunicação deve ler de tudo, do blog ao site de fofoca, do site especializado em publicidade ao que trata de jornalismo, assinar e-zines voltados à comunicação, cultura, tecnologia e, principalmente, ler os principais autores da literatura nacional e internacional. “Isso porque nossa área é feita de re-

eu achava isso um porre, mas hoje acredito que essa é a formação ideal, porque prática mesmo só o mercado te dá, mas o mercado não te ensina a pensar, a ser ético, a refletir”. Para a publicitária, o curso dá uma formação mais ampla, indispensável para quem deseja ser um bom profissional. “Entender a história da arte, a sociedade do consumo, entender a psicologia do consumidor e suas implicações em nosso trabalho são informações fundamentais”, conclui. (T.S.)

Luciana trabalhou na Assessoria de Comunicação da Unisc e hoje atua em uma agência de publicidade em Santa Catarina

ferências, do que outros pensaram, escreveram, discutiram. Ler muito não é indispensável, é questão de sobrevivência mesmo”, alerta. Luciana, que já trabalhou na Agência da Casa, da Assessoria de Comunicação e Marketing da Unisc, destaca ainda a evolução do curso de Publicidade e Propaganda. “É que o curso nunca teve aquela coisa de formar estritamente para o mercado. Há muitas disciplinas da área de Humanas, que te fazem pensar, refletir”, cita. “Como aluna


E AGORA

REFLEXÕES SOBRE CARREIRA E PROFISSÃO

HORA DE SER FELIZ

NÚMERO 72 JUNHO DE 2007

15

Adriano Silva é executivo numa grande empresa de mídia brasileira

A maioria de nós ralou muito para chegar até aqui. É provável que você tenha tido que investir um bocado para conquistar a posição que ocupa hoje. Enquanto outros caras se divertiam mais em mesas de bar, em tardes coçando no sofá você se divertia menos, na companhia de livros que nem sempre ofereciam leituras agradáveis. Não que você fosse um estóico, um eunuco. Mas tratava sempre de guardar um tempo para estudar, para ampliar seu conhecimento sobre as coisas. Ou para trabalhar um pouco mais – no caso de você ter precisado se virar desde cedo - e aprender coisas novas com quem pudesse lhe ensinar. Sempre com a certeza de que o esforço valeria a pena, de que aquilo era a coisa certa a fazer. Quanto mais de baixo você veio, mais sangue você teve de empenhar para ascender. Talvez você tenha tido que vir do interior e dividir um apartamento de dois quartos na capital com seis desconhecidos para cursar a faculdade. Talvez você tenha tido que estudar para o vestibular sozinho, em polígrafos velhos doados por algum professor que viu em você uma faísca promissora. Talvez sua família sequer reconhecesse o valor do estudo e você tenha tido de começar realmente atrás, zerando seu déficit educacional num curso supletivo antes de ambicionar vôos mais altos. Talvez você fosse realmente duro, e já que não podia tomar uma cerveja com os amigos ou ter um carro para passear com a namorada, o melhor a fazer com o seu tempo livre fosse investi-lo em você mesmo, numa instrução autodidata que lhe trouxesse uma possibilidade melhor de futuro. www.osfiguras.com.br

Mesmo que você tenha nascido numa família remediada, ou até bem de vida, é provável que você tenha suado um tanto para conquistar seu lugar no mundo. Um dia você se deu conta de que o alcance do braço do papai ou da mamãe para lhe abrir as portas vida afora não seria infinito, e decidiu se armar bem para a briga pelas melhores posições no mercado de trabalho. Isso demandou serões, trabalho pesado trazido para casa, cursos de aperfeiçoamento aos fins-de-semana, dedicação extra aos problemas da empresa – muitas vezes às custas de negligenciar suas próprias questões pessoais e familiares.

ralado tanto desaparece. Se fez sentido acelerar loucamente no início da carreira, abrindo mão de um equilíbrio maior entre seus interesses e da própria qualidade de vida, a partir de um determinado momento não faz sentido continuar numa louca cavalgada que atropela tudo pela frente: seu tempo para ficar com os filhos, para curtir sua mulher, para cuidar um pouco de você mesmo. Que momento é esse? Cada um saberá apontar o seu. O importante é riscar essa linha em algum momento. E demarcar com firmeza a sua resolução de que não dá mais para adiar as alegrias, o desfrute diário dos momentos fundamentais, grandes e pequenos, da vida. Demarcar que a gente trabalha para viver – e não o contrário. E que a hora de ser feliz é agora – porque a vida passa rápido demais.

Tudo isso valeu a pena. Estratégia vencedora. Só que há uma hora para investir e outra para colher os frutos desse investimento. Quando não há o gozo das benesses pelas quais o sacrifício foi feito, a própria lógica de ter

DICAS PARA LER... Livraria Narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo. Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século A sombra do vento, de XX, o romance é uma obra Carlos Ruiz Zafon sedutora, comovente e Editora: Suma de Letras impossível de largar. Preço: R$ 39,90 (à vista 10%)

Biblioteca

A ordem negra, de James Rollins, 477 p. Editora: Ediouro Localização: 813 R754o 2006

Segundo volume da Trilogia Força Sigma, do escritor norte-americano James Rollins, A Ordem Negra reúne elementos de suspense, ação ficçãocientífica e romance. O aparecimento de uma Bíblia pode ser a ligação entre vários acontecimentos intrigantes que fazem parte do enredo de A Ordem Negra.

Edunisc Sexto volume da Coleção Memória do Livro, esta obra traz as reminiscências de Arnaldo Campos, cuja paixão pelos livros nasceu aos 12 anos, no trabalho em uma fábrica de cadernos, no Rio de Janeiro. Em 1955, aos 23 anos, veio morar no Rio Grande do Sul. Trajetória desse completo homem do Um livreiro de todas as livro, também escritor, letras, de Arnaldo Campos bibliófilo, leitor e animador Co-edição: Escritório do Livro cultural, retraçada pelo Preço: R$ 25 (Na Unisc 40%) jornalista Renato Mendonça.

Jornal da UNISC  

Jornal da UNISC Nº 72 - Junho de 2007

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you