Page 1

EXEMPLAR DO ASSINANTE

DOMINGO

MACEIĂ“ - ALAGOAS - 13 DE MAIO DE 2012 - NÂŞ 1443 - R$ 3,00

tribunahoje.com

Maceioenses são últimas do País em prevenção de câncer de colo uterino

THIAGO NEVES vai organizar o ataque do Fluminense

FUTEBOL

Flu e Santos em vantagem na ÀQDOGRVFDPSHRQDWRVUHJLRQDLV O Fluminense duela com o Botafogo neste domingo SHODVHJXQGDSDUWLGDGD¿QDOGR&DPSHRQDWR&DULRFD podendo perder por dois gols de diferença para conquistar o título. Santos x Guarani realizaram a segunda e decisiva partida do Campeonato Paulista. O time de Neymar e Ganso tambÊm pode perder por atÊ dois gols GHGLIHUHQoDTXHVHUiRFDPSHmR&RQ¿UDWDPEpPDV tabelas completas dos jogos do CRB e do ASA no Campeonato Brasileiro da SÊrie B. Pågs. 17, 18 e 19

NEYMAR E GANSO prometem luta para erguer a taça

EXAME papanicolau pode prevenir câncer de colo do útero, mas muitas mulheres não o fazem

As maceioenses respondem pelo pior índice em realização de citologia oncótica para prevenção do câncer do colo do útero entre as capitais. A pesquisa dos últimos três anos feita pelo MinistÊrio da Saúde mostra que apenas 68% das mulheres de 25 a 59 anos fizeram o exame em 2011. Em seguida estão João Pessoa (PB), na Paraíba, com 71%, e Teresina (PI), com 72%. São Paulo e Curitiba são as capitais que dão exemplo em prevenção. As duas apresentaram índice de 90% e estão em primeiro e segundo lugar. Maceió ocupa ainda a 3ª pior colocação do Nordeste e a 10ª do País em realização de mamografia em mulheres de 50 a 69 anos. 9

CASAMENTO

ATÉ QUE AS CONTAS NOS SEPAREM ADAILSON CALHEIROS

Os gastos e os gostos diferentes dos noivos, somados ao estresse gerado pelos contratos e os valores do vestido, igreja, buffet, banda, local, número de convidados e outros itens pode levar o casal a conflitos. Ter uma festa de casamento para reunir e comemorar com amigos e familiares Ê um sonho, mas os noivos precisam tomar cuidado para que não se transforme em pesadelo. Muitas vezes, o orçamento da festa acaba sendo extrapolado e as contas e o estresse da organização podem trazer sÊrios problemas para os noivos. Hå quem desista FLà VIA optou em organizar sozinha, mas ainda assim teve muita dor de cabeça com as dívidas atÊ mesmo de casar. 14

POLĂ?TICA

Partidos procuram por ‘sangue novo’ para rejuvenescer PĂĄg. 4 TEMPO Bom a parcialmente nublado com possiblidades de chuvas em ĂĄreas isoladas

MĂ­nima

20Âş

MĂĄxima

30Âş

MarĂŠs

03:56 09:56 16:38 22:54

0.7 1.7 0.6 1.6

FINANÇAS DÓLAR COMERCIAL R$ 1,95 R$ 1,95 DOLAR PARALELO R$ 1,90 R$ 2,10 OURO: R$ 101,90 POUPANÇA: 0,5018%

O protestantismo e ‘Prefeitos gabirus a necessidade de que seja mais vĂŁo continuar a ser investigados debatido no Estado

Babi Rossi admite: ‘Fiquei um pouco chocada porque nĂŁo foi nada programado’

Suplemento

Suplemento

NIEDJA KASPARI

por seus crimes’

PĂĄg. 2

Emprego, imĂłveis, automĂłveis e mais de 2.600 anĂşncios gerais para vocĂŞ Suplemento

Neide Freire, uma referĂŞncia quando o assunto ĂŠ vestido para as noivas Suplemento


“

2 POLĂ?TICA MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

PolĂ­tica

TribunaIndependente

[Operação Guabiru] Em uma cidade produtora de banana, a prefeitura tava pagando R$ 4 o quilo da banana. Na feira ela custava R$ 1. Eles continuam tratando as crianças dessa forma. Eles VyPXGDPDVRÀVWLFDomRGDIUDXGH¾ NIEDJA KASPARY PROCURADORA FEDERAL

Guabiru: prefeitos seguem investigados

Niedja Kaspary manifesta apreço pessoal pela operação que prendeu gestores envolvidos em desvios de recursos

ESPLANADA LEANDRO MAZZINI - contato@colunaesplanada.com.br

Ministro patrocina caravana SRUUHIRUPDQD3UHYLGrQFLD

O

PLQLVWURGD3UHYLGrQFLD6RFLDO*DULEDOGL$OYHV)LOKR (PMDB), vai bancar uma caravana para a maioria das capitais com uma campanha de uma nova reforma da 3UHYLGrQFLD(QFDPSDUiRGLVFXUVRSHORÀPGR)DWRU3UHYLGHQFLirio, criado pelo governo em 1999 e adotado pelos sucessores como solução para estancar a eventual sangria das contas. Garibaldi escalou o senador Paulo Paim (PT-RS) para ser o megafone da PXGDQoDDÀPGHSUHVVLRQDUDSUHVLGHQWH'LOPD5RXVVHII´9DPRVPRVWUDUTXHQmRKiGpÀFLWQD3UHYLGrQFLDTXHHODpVXSHUDvitåria�, adianta Paulo Paim.

Alternativa Paim prega a opção 85/95: se aposenta com 100% do benefício todo cidadão cuja soma do tempo de contribuição com a idade atinja 85, para mulheres, e 95 anos, para homens.

Travado O Fator, hoje, reduz entre 35% e 40% os benefícios no ato da aposenWDGRULD3DLPFRQVHJXLXDSURYDUQR6HQDGRRVHX¿PPDVD&kPDUD trava a votação desde 2008.

Vazamento federal Em depoimento na CPI Mista do Cachoeira, o delegado Matheus RodriJXHVTXHFKHÂżRXD2SHUDomR0RQWH&DUORUHYHORXTXHRFRQWUDYHQWRU criou uma ‘mistura de inteligĂŞncias de polĂ­cias’ no seu esquema, que lhe informavam de operaçþes da polĂ­cia goiana e atĂŠ da Federal. AtĂŠ a Monte Carlo vazou, mas nem tanto, pelo que se vĂŞ.

Às moscas No ano passado, a Infraero contratou a Delta Construçþes, sem licitação, para erguer o Terminal 4 do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. Segundo a estatal, teria de ser assim senão haveria caos aÊreo. Hoje: com terminal vazio, só a Webjet opera no 4.

Check out 2SUHVLGHQWHGD&kPDUDGHSXWDGR0DUFR0DLD 3756 HQYLRXRItFLR a vårias delegaçþes estrangeiras para saber se houve algum cancelamento de vinda para a Rio+20 por causa de preços abusivos dos hotÊis cariocas.

Logo ali Chegou a Maia relato de que deputados do Parlamento Europeu cancelaram vinda por isso. Se o deputado desse um pulo em qualquer 2 estrelas do Rio, economizaria a carta.

No hangar *XVWDYR9DOHDVVXPLXD,QIUDHURSDUDSUR¿VVLRQDOL]DUDHPSUHVD&ULRX mais cargos, e as diretorias de Engenharia e Operaçþes continuam nas mãos dos mesmos.

Parceria verde O MinistĂŠrio do Meio Ambiente e a Environmental Protection Agency dos Estados Unidos vĂŁo assinar, na Rio+20, acordo de transferĂŞncia de know how para licenciamento de obras de grande impacto, como adiantou a coluna.

Terra de ninguÊm O Distrito Federal vive uma onda de invasþes de sem-tetos, arruaceiros e vagabundos em terrenos públicos e particulares. O crime, com conivência de políticos que prometem regularização, tem assustado os proprietårios.

Bravo, com razĂŁo Anda triste, e com razĂŁo, o ex-relator do novo CĂłdigo de Processo Civil, o ex-deputado SĂŠrgio Barradas, que voltou para a Bahia como suplente. Ele comandava cinco subrrelatores, com trabalho adiantado. A comissĂŁo estĂĄ perdida.

Sir Rebelo 2PLQLVWURGR(VSRUWH$OGR5HEHORIRLWUDWDGRSHORVDQÂżWUL}HVHSHOD LPSUHQVDEULWkQLFDFRPRXPORUG7RGRVRVMRUQDLVSHGLUDPHQWUHYLVWDV e ele as concedeu, separadamente. Faltou a rainha dar o tĂ­tulo de Sir Rebelo.

Na mira Jå foi distribuída para relator no Supremo Tribunal Federal a primeira ação contra a eleição da mulher do governador do Piauí para o Conselho do TCE.

Senzala 2.0 A Lei Ă urea completa 124 anos neste 2012. E o paĂ­s ainda parece estar QRVpFXORUHWUDVDGRFRPĂ€DJUDQWHVGHWUDEDOKRHVFUDYR6yWURFRXR layout da senzala.

3RQWR¿QDO Dilma Rousseff, mãe de um casal – PAC e Paula – foi eleita a 2ª mãe mais poderosa do mundo por uma revista americana.

Com Gilmar Correa e Hosa Freitas www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br Twitter @leandromazzini

SANDRO LIMA

CADU EPIFĂ‚NIO EDITOR DE POLĂ?TICA

O

jeitinho brasileiro todo mundo conhece. É aquele que quer resolver tudo na malandragem. AlĂŠm dele existe ainda o jeitinho alagoano, onde, por meio da politicagem, tudo tem solução. Quem descobriu isso foi a procuradora federal Niedja Kaspary. Em quase dez anos atuando no Estado, ela se orgulha de dois feitos: Operação Guabiru, que prendeu prefeitos envolvidos no desvio de recursos da merenda escolar; e uma ação civil que resultou na mudança de entendimento dos Tribunais de todo o paĂ­s sobre prefeitos itinerantes. Nesta entrevista, Kaspary lembra seus feitos e apresenta ao povo alagoano como funciona o tal ‘jeitinho alagoano’ de ser. Tribuna Independente - A srÂŞ ĂŠ alagoana, mas saiu daqui para se aprimorar. Como foi seu retorno? Niedja Kaspary – Cheguei em MaceiĂł em 2003. De onde jĂĄ tinha vindo de Porto Alegre (RS) e do Rio de Janeiro (RJ). Assumi a parte da tutela, que era bem abrangente na ĂŠpoca; envolvia as ĂĄreas de Consumidor, Meio Ambiente, Cidadania; a parte de SaĂşde, Educação, 'HĂ€FLHQWHV $WXHL DLQGD QD parte de improbidade, no tocante da merenda escolar. Depois, quando chegou 2007, comecei a dividir a parte de tutela com outro colega. A Procuradoria Regional Eleitoral tambĂŠm acabei acumulando. T.I. – Existe alguma ĂĄrea HP HVSHFtĂ€FR TXH WHP PDLV apreço em atuar? Niedja Kaspary – É difĂ­cil dizer devido a amplitude de minha atuação. NĂŁo diria nem afeição, mas ĂŠ mais em virtude da ĂĄrea que mais se precisa de atuação, como improbidade, combate Ă corrupção, o monitoramento dos recursos pĂşblicos destinados Ă  Educação e Ă  SaĂşde. SĂŁo recursos enviados pelo governo federal que dependem de sua aplicabilidade FRP HĂ€FLrQFLD FRP UHVSRQsabilidade. T.I. – A que podemos atribuir um nĂ­vel de ilicitude tĂŁo alto? Niedja Kaspary – Acredito que seja uma cultura de impunidade. Acreditar no jeitinho alagoano. AlĂŠm do jeitinho do brasileiro, tem o jeitinho alagoano, aquele que acha que tudo se consegue politicamente. PorĂŠm, acredito que esse quadro tem tudo para mudar, pois a atuação do MinistĂŠrio PĂşblico Federal tem sido muito efetiva. Os colegas que atuam na ĂĄrea da improbidade sĂŁo colegas muito atuantes. Acredito que este quadro caminha para uma mudança. Falta apenas o povo fazer essa separação do joio, do trigo, ĂŠ o que nĂłs esperamos. T.I. – Outra ação com um carinho particular? Niedja Kaspary – Tenho, a Operação Guabiru. Eu trabalhei desde o inĂ­cio, mas nĂŁo quis que meu nome aparecesse na ĂŠpoca. Depurei tudo, passei tudo para polĂ­cia bem investigadinho. Quando comecei a investi-

“““

Kaspary aconselha o acompanhamento dos ocupantes de cargos eletivos - antes e depois das eleiçþes

Acredito que seja uma cultura de impunidade. Acreditar no jeitinho alagoano. AlÊm do jeitinho do brasileiro, tem o jeitinho alagoano, aquele que acha que tudo se consegue politicamente� NIEDJA KASPARY PROCURADORA FEDERAL

gar os contratos, vi que era a mesma razão social, valenGR SDUD RV WUrV (UDP WRGRV iguais os contratos. O que era proprietårio de um, era testemunha da outra, e assim se seguia. Achei aquilo estranho. Ai comecei a investigar os relatórios da Controladoria Geral da União. Vi notas, endereços de empresas de fachadas. Tipo uma empresa, a Metrópole, que a sede era na Gruta de Lourdes, e quando chego lå, nada tinha. Eu tinha chegado a pouco tempo no Estado e me reuni com o procurador-geral e decidimos enviar para Justiça Federal, em Recife, e assim monitorar os prefeitos, secretårios. Ou seja, continuou com eles, quando os prefeitos foram de fato envolvidos nos desvios de merenda. Minha forma de investigar Ê na surdina. Eu dou a corda pra ele se enforcar. De uma maneira bem sutil, carreando documentos, as vezes as pessoas sabem, mas eles não conhecem a forma que nós estamos investigando. Requisitamos DV QRWDV ÀVFDLV H WXGR HOHV não sabem o trabalho que temos para achar as coisas. É XPWUDEDOKRGHLQWHOLJrQFLD Digo por que o MinistÊrio da Educação envia estes recursos e eles pedem a prestação de contas, notas, empresas, tudo pronto, mas Ê onde vemos, pois essa empresa das  QRWDV ÀVFDLV (OD WLQKD QRWDÀVFDOGHWXGRQRSDSHO era maior que o Sam’s Club. Serviços de escritório, de aliPHQWDomRWXGRTXHYRFrSRV-

[Operação Guabiru] AtÊ hoje eles continuam com a mesma pråtica. Não mudou. Eu atuei na årea de ÀVFDOL]DomRGDPHUHQda, e tenho uma linha de investigação� NIEDJA KASPARY PROCURADORA FEDERAL

sa imaginar. T.I. – Eles tomaram jeito após a operação? Niedja Kaspary – AtÊ hoje eles continuam com a mesma pråtica. Não mudou. (XDWXHLQDiUHDGHÀVFDOL]Dção da merenda, e tenho uma linha de investigação. Um deles Ê solicitar a Secretaria GD)D]HQGDDVQRWDVÀVFDLV Tem uma sÊrie de detalhes, quanto a numeração da opeUDomRHQÀP$TXHODHPSUHsa apareceu nessa investigação dentro da Fazenda, que ela lançou umas 300 notas frias, para a prefeitura, para isso e aquilo. Solicitei então abertura de inquÊrito. 4XDQGR HX GHVFRQÀR GH DOgumas empresas, jå solicito abertura de inquÊrito. Mas a investigação que a gente faz DTXL p VXÀFLHQWH 3DUD YRFr ter ideia, recentemente pedi para um funcionårio nosso fazer uma investigação, ir nos documentos, ver o depósito, não tinha merenda, foi na feira da cidade ver o preços dos alimentos. Em uma cidade produtora de banana. A prefeitura tava pagando R$ 4 o quilo da banana, na feira ela custava R$ 1. Eles continuam tratando as crianças dessa forma. Eles Vy PXGDP D VRÀVWLFDomR GD fraude. T.I. - E os prefeitos itineUDQWHV"2XSHORPHQRVRÀP deles. Niedja Kaspary - O que me marcou tambÊm foi minha atuação na Procuradoria Regional Eleitoral. Um trabalho coordenado com os

A atuação popular vai alÊm. É saber em quem vai votar, acompanhar ele, ver o que aquele seu candidato fez durante os quatro anos, para que na próxima eleição não mais votar nele� NIEDJA KASPARY PROCURADORA FEDERAL

demais promotores, trabalho bom, ajuizamos muitas açþes. O melhor que ocorreu mesmo em minha função foi uma ação que mudou a MXULVSUXGrQFLD GR 7ULEXQDO Superior Eleitoral [TSE]. Foi a questão dos prefeitos itinerantes. Existia uma juULVSUXGrQFLDTXHYLQKDVHQdo repetida ao longo de 20 anos. Sem enfrentar diretamente a questão da Constituição. A ação recomendava a impugnação de candidaWXUDV GH SUHIHLWRV SURÀVVLRnais. Na Êpoca, eu jå tinha SHGLGRFRPYLVWDVDRVœÀFKD suja’, mesmo sem ter o entendimento da lei de hoje, pois jå enfatizava a conduta daqueles que não condiziam com a magnitude de um carJR S~EOLFR 'HSRLV À] RXWUD recomendação, que chegou ao Tribunal Regional Eleitoral daqui de Alagoas, que o Tribunal acatou. Foi para o TSE, entretanto, ela não Ê unânime. Talvez mude, de acordo com a composição do Supremo [Tribunal Federal], mas o presidente Carlos Ayres Brito foi um dos que acataram a decisão, visto que existem prefeitos itinerantes no Brasil inteiro. T.I. – De que modo o cidadão pode ajudar mais? Niedja Kaspary – A atuação popular vai alÊm. É saber em quem vai votar, acompanhar ele, ver o que aquele seu candidato fez durante os quatro anos, para que na próxima eleição não mais votar nele. Não vender seu voto.


TribunaIndependente

Um estilo prĂłprio

D

o jornalista Ricardo Kotscho, em seu blog: “Os bancos jĂĄ estĂŁo chiando contra a cruzada da presidente Dilma Rousseff para baixar os juros e aumentar o crĂŠdito. É normal, ĂŠ um ERPVLQDO2VLVWHPDĂ€QDQFHLURHVWDYDKDELWXDGRKiWDQWRWHPSR a nadar de braçada e impor ao paĂ­s a sua prĂłpria ‘polĂ­tica econĂ´mica’, que nĂŁo se poderia esperar outra coisa. A melhor prova de que a presidente mexeu numa ferida, e estĂĄ certa na sua decisĂŁo, ĂŠ que os bancos jĂĄ convocaram seus ‘consultores’ e ‘especialistas’, todos muito bem remunerados, para criticar as medidas do governo em jornais, revistas e emissoras. Para nĂŁo dar muito na vista, eles TXDOLĂ€FDPDVPHGLGDVFRPRÂśSRSXOLVWDV¡GHXPODGRGHRXWUR imaginem, eles se mostram preocupados com os pequenos poupadores apĂłs as mudanças introduzidas semana passada no rendimento das cadernetas de poupança. Com Dilma nĂŁo tem tema WDEXQHPiUHDVHPTXHpPHOKRUQmRPH[HUVySRUTXHDĂ€QDOÂśIRL sempre assim’. No encontro que teve na semana passada com empresĂĄrios para explicar as novas regras da poupança, ela cortou o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que queria fazer mĂŠdia ao apoiar as medidas tomadas aproveitando um momento de alta popularidade da presidente. ‘Eu tenho que fazer as coisas que entendo que deva fazer, independentemente dos Ă­ndices de popularidade’.â€?

Compromisso O presidente do Tribunal de Contas, Luiz Euståquio Toledo, recebeu o presidente do Corecom/AL, Marcos Calheiros, e garantiu que num próximo concurso do órgão vai abrir espaço para a contratação de economistas. Toledo ressaltou a atuação destacada dos economistas que atuam no Tribunal. Da audiência participaram tambÊm dois outros dirigentes do Corecon/ AL: o vice, Maurílio Procópio, e Herman

Braga Lyra.

'H¿QLo}HV O PT tem como meta eleger este ano, em Alagoas, no mínimo cinco prefeitos e 50 vereadores, pelo que revela o presidente regional, Joaquim Brito. E explica: as alianças preferenciais são com PMDB, PDT, PT do B, PCdoB e PR entre outros. Em Maceió, sua posição pessoal Ê apoiar a candidatura a ser indicada pelo prefeito Cícero Almeida.

Mais um Para quem duvidava: o deputado federal Givaldo CarimbĂŁo anunciarĂĄ formalmente a sua candidatura a prefeito de MaceiĂł na prĂłxima 6ÂŞ feira, dia 18. O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, participarĂĄ. Eduardo Campos ĂŠ amigo do governador TĂŠo Vilela, cujo PSDB tem como prĂŠ candidato o deputado federal Rui Palmeira.

Plataforma 2DUTXLWHWR5DXO&OHWRUHD¿UPDVXDFDQGLGDWXUDDYHUHDGRUHP0DFHLy pelo PSDB. Ele jå estå fazendo contatos com amigos, à base do corpo a corpo, explicando as suas propostas. Os pontos prioritårios do seu programa são: escola em tempo integral, combate às drogas, cultura, preservação ambiental, transporte e trânsito.

0RUGDoD Assim como acontece na eleição direta para desembargadores do Tribunal de Justiça pelo quinto constitucional, prÊ-candidatos a desembargador do Tribunal Regional do Trabalho têm restriçþes na busca pelo voto. Não podem usar e-mail nem mala direta, tampouco podem fazer qualquer propaganda. Um absurdo, num regime democråtico.

Cidadania A Defensoria Pública da União em Alagoas vai comemorar o Dia da Defensoria Pública, 19 de maio, com eventos e mutirþes de atendimento à população carente. Em parceria com a Justiça Federal, atenderå à a população de amanhã atÊ 4ª feira, 16, no Fórum Juiz Federal Carlos Gomes de Barros, na Via Expressa, das 13h30m às 17 horas.

Funil Das 20 universidades com mais alunos aprovados no último Exame da Ordem, 19 são públicas e apenas uma Ê particular. A Universidade Federal de Juiz de Fora lidera o ranking, com 86,72% dos alunos inscritos no Exame aprovados. Para a coordenadora da UFJF, Aline Passos, a diferença estå no maior rigor no acesso às entidades públicas.

“

Ele [Gurgel] estå sem defesa. Não hå argumento: ele estava com a bomba atômica na mão [relatório contra Demóstenes] e nada fez.� ONYX LORENZONI Deputado federal do DEM-RS, ao tomar conhecimento de que o Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, recebeu denúncias contra o senador Demóstenes Torres em 2009 e não mandou abrir inquÊrito

* O programa “Aplausoâ€?, na RĂĄdio Educativa FM, presta hoje uma homenagem Ă s mĂŁes, apresentando gravaçþes rarĂ­ssimas de Elis Regina e trechos do show “Viva Elisâ€?, no qual Maria Rita interpreta sucessos da mĂŁe. Das 10 horas ao meio-dia. * Com o tema “Museus em um mundo em transformação: novos desaÂżRVQRYDVLQVSLUDo}HV´DFRQWHFHGHDPDQKmDWpRGLDDÂ?6Hmana dos Museus em Alagoas. Na abertura, no Museu PalĂĄcio Floriano 3HL[RWRLQVWDODomRGDH[SRVLomRÂł(FR$UW´ *A UNEAL promoverĂĄ, de 4ÂŞ a 6ÂŞ feira prĂłximas, no Clube Levino’s, em Arapiraca, o Congresso de Cultura Afro Brasileira, mais uma ação do projeto XangĂ´ Rezado Alto, celebrando os 100 anos do episĂłdio conhecido por “Quebra de XangĂ´s de 1912â€?. Âł$VGLVSXWDGDVTXHPVHUiD'LDQDGRSDVWRULO"´YROWDDFDUWD]KRMH QRWHDWURGR&LQH6HVLHP3DMXoDUDFRPRDFRQWHFHWRGRVRVGRPLQJRVGHVGHPDUoRHDWpRÂżQDOGHPDLR$SHoDpLQVSLUDGDQDFXOWXUD folclĂłrica de Alagoas. * O projeto MPB Petrobras traz amanhĂŁ a MaceiĂł o cantor e compositor Ivan Lins, para exibição Ăşnica, Ă s 20 horas, no Teatro Gustavo Leite. Comemorando 40 anos de carreira, ele farĂĄ um show baseado no ĂĄlbum Âł3HUÂżO´,QIRUPDo}HV

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012 POLĂ?TICA

3

Clareza nas ideias: O bom exemplo do 1º voto Estudantes mostram maturidade ao criticar corrupção e sensatez nas urnas SANDRO LIMA

CADU EPIFĂ‚NIO EDITOR DE POLĂ?TICA

A

principal arma do cidadĂŁo ĂŠ o voto, disso todo mundo sabe e estĂĄ cansado de ouvir, porĂŠm a munição ĂŠ a informação, e “nunca antes na histĂłria desse paĂ­sâ€?, diria um governante antigamente, a informação esteve tĂŁo acessĂ­vel e presente no cotidiano, principalmente dos jovens, que parecem nascidos para navegar. Ligados nessa gama de informaçþes e motivados pelo Exame Nacional do Ensino MĂŠdio (Enem), a mĂĄxima popular se concretiza, de fato “quem vĂŞ cara, nĂŁo vĂŞ coraçãoâ€?. Alex Leonel, 17; Emanuelle Cantarelli, 16; Nathalia Amorim, 17; Marcos Vinicius, 16; e Lais Pedrita, 17 representam bem essa galerinha cheia de Ă­mpeto e SRVLFLRQDPHQWRV Ă€UPHV 2 professor de HistĂłria CĂ­cero “Satubaâ€? - tambĂŠm ĂŠ militante polĂ­tico do PSTU hĂĄ 25 anos -, explica que atualmente o jovem tem disciplinas que os alimentam de conteĂşdo polĂ­tico. “Sociologia, FiORVRĂ€DH$WXDOLGDGHVGHL[DP eles por dentro de tudo que acontece no paĂ­s e no mundo. AlĂŠm do prĂłprio Enem que cobra muito isso delesâ€?, res-

Sentido horĂĄrio: Emanulle, Leonel, Lais, Marcos e Nathalia nĂŁo titubeaiam quando o assunto ĂŠ polĂ­tica

saltou. ,VVR p FRQĂ€UPDGR SRU Lais Pedrita, Emanuelle Cantarelli e Alex Leonel, HOHV FRQĂ€UPDUDP TXH QmR tem tempo para discutir polĂ­tica em casa, e que o ColĂŠgio ĂŠ que estĂĄ provocando eles neste sentido. “Quando vocĂŞ

Ê criança, você Ê muito inà XHQFLDGDSHORVSDLV1XQFD fui muito ligada a política e sempre a vi com maus olhos. Quando você vai crescendo, e o ColÊgio vai e nos motiva a isso, atÊ por que o Enem exige isso de nós. Com o que estå acontecendo no mundo.

Agora ĂŠ que estou criando uma visĂŁo de mundo como ele ĂŠâ€?, narra Pedrita. Leonel tambĂŠm lamenta: “Dentro de casa nĂŁo conversa sobre polĂ­tica com os pais, atĂŠ em virtude da falta de tempo nossa e deles tambĂŠmâ€?.

LIĂ‡ĂƒO

Para votar consciente ĂŠ vital senso crĂ­tico

O distanciamento do jovem da polĂ­tica acontece, de acordo com a estudante de Direito, da Ufal, Walesca Guedes, em virtude da falta de consciĂŞncia do papel do jovem na sociedade. Walesca participa de um projeto de extensĂŁo que foca no combate Ă corrupção eleitoral e para curar essa chaga, aproximadamente 40 universitĂĄrios estĂŁo engajados nesta luta. “NĂłs vamos ao interior, as escolas pĂşblicas e privadas para informar a eles so-

bre a importância e a necessidade do voto conscienteâ€?, explicou. E para se alcançar essa consciĂŞncia polĂ­tica e assim votar corretamente ĂŠ necessĂĄrio ter embasamento e senso crĂ­tico. Essa foi a lição que Lais Pedrita passou, ela lamenta que se sente desestimulada em votar. “NĂŁo SRGHPRV Ă€FDU GH EUDoRV cruzados. DĂĄ vontade de votar nulo em tudo e isso nĂŁo podeâ€?, disse. JĂĄ Marcos Vinicius dĂĄ um tom pragmĂĄtico

a conversa. “Sabemos que o voto ĂŠ muito importante, atĂŠ pelo prĂłprio conceito do voto em si, que ĂŠ na verdade a expressĂŁo da cidadaniaâ€?. Uma pena que no interior do estado, segundo contou Walesca Guedes, os jovens eleitores ainda tem dĂşvidas a respeito do sigilo e da anonimidade do voto. “Eles temem perseguição. TĂŞm medo. Eles nĂŁo tem tanto acesso a informação e nem sabem que roubos e mais roubos sĂŁo concretizadosâ€?,

constatou em seu estudo. NO LUGAR DELES Questionados se fossem polĂ­ticos, eles foram categĂłricos e se limitavam a investir no bĂĄsico da administração. Marcos Vinicius deu atĂŠ discurso. “Atuaria na base. Na saĂşde, na educação, mas a economia seria aliada a questĂŁo ambiental, e tambĂŠm focava no desenvolvimento social e cultural. Tem muito polĂ­tico jovem que tem ideias velhas. Uma penaâ€?. (CE)

PARA ELES

ExperiĂŞncia conta e corrupção ĂŠ cultural A turma mandou um recado direto para os polĂ­ticos em geral: “Eu nĂŁo votaria em polĂ­tico corrupto em hipĂłtese algumaâ€?, disse o centrado Marcos Vinicius. E no geral, eles estĂŁo bem cientes a respeito das ideias e a imagem passada no Guia Eleitoral. “Um jovem bem LQIRUPDGR QmR p LQĂ XHQFLDdo pelo Guia Eleitoralâ€?, falou Alex Leonel, que foi ponderado por Pedrita. “Muitos eleitores jovens nĂŁo tĂŞm senso crĂ­tico formado e as-

VLP VmR IDFLOPHQWH LQĂ XHQciados pelo Guiaâ€?. 6REUH R SHUĂ€O GR FDQGLdato, eles surpreenderam e disseram que o candidato jovem deve começar por baixo, em cargos do legislativo, por exemplo. “Tem que começar por baixo. Mas tem jovem que jĂĄ ser deputado, prefeito...nĂŁo podeâ€?, sugeriu NathĂĄlia. Para a jovem aluna, ĂŠ necessĂĄrio experiĂŞncia para tocar uma prefeitura, um governo. Mas Leonel retruca: “Tem que renovar.

2VYHOKRVQmRYmRĂ€FDUSDUD sempreâ€?. JĂĄ quando o assunto ĂŠ corrupção e impunidade. AtĂŠ eles sabem que as duas palavras sĂŁo amigas de londa data. NathĂĄlia, Leonel e Lais se vĂŞm desmotivados em protestar contra a corrupção pois acreditam que o assunto banalizou e virou atĂŠ tradição cultural. “Alagoas sĂł aparece nas notĂ­cias ruins no paĂ­s. É revoltante e pra se ver o nĂ­vel de banalidade, na re-

portagem do CQC [Tv Bandeirantes], onde o político admitiu que comprava voto, HOHÀFRXULQGR2TXHGHVDnima e desmotiva o jovem a protestar Ê a impunidade, a falta de punição. Pois sabe que não vai dar em nada. Se toda vez que protestasse tirasse, queria ver como seria�, esbravejou Nathålia. Para mudar isso tudo, eles admitiram que só o caos geral para que a sociedade se erga contra a corrupção generalizada. (CE)

REFERĂŠNCIA

JOVENS

Os estudantes entrevistados foram unânimes na desaprovação do Guia Eleitoral. Segundo Leonel, “dĂĄ pra ver que no Guia ĂŠ tudo de fachada, pois quando ĂŠ um assunto SROrPLFRHOHÂżFDHPFLPD do muro. Para nĂŁo perder voto nem de um, nem de outroâ€?. JĂĄ NathĂĄlia, “Tem tambĂŠm aqueles que sĂł falam nome e nĂşmero. Ta banalizado. Muitos parecem que nem levam a sĂŠrio. Nem pode ser 100% sĂŠrio, mas tambĂŠm nem pode fazer muita graçaâ€?. Para Emanuelle, “ter competĂŞncia ĂŠ a palavra certaâ€?.

O Tribunal Superior Eleitoral publicou, em 2010, que dos 135.804.433 milhþes de eleitores aptos a votar nas eleiçþes gerais de outubro, 1,76% são menores de 18 anos. Em 2010, eram 35 mil jovens eleitores com 16 e 17 anos votarão pela primeira vez em suas vidas. O prazo para retirar o primeiro título eleitoral terminou na última quarta-feira, dia 9. AtÊ o momento o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas não computou por completo os dados novos.

Guia Eleitoral ĂŠ banalizado

TRE ainda nĂŁo atualizou dados


TribunaIndependente

4 POLĂ?TICA MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

BARTOLOMEU DRESCH bartolomeu_dresch@hotmail.com.br

Vagas de vereadores

A

indecisão sobre o aumento ou não do número de vereadores não causa discussão somente em Maceió. Mas algumas cidades buscam soluçþes diferenciadas. O município de Cachoeira do Sul (RS) vai fazer um referendo formal sobre a ampliação das vagas. Os moradores conseguiram na Justiça a realização da votação no próximo dia 20. O município tem 84 mil habitantes e estå em dúvida se mantÊm os atuais dez vereadores ou aumenta para 15. A iniciativa marca uma vitória da mobilização popular para impedir o inchaço das Câmaras Municipais. O referendo terå regras próprias: não serå obrigatório por ter sido criada a partir de decisão judicial; serå organizada pela prefeitura – e não pela Justiça Eleitoral – e as cÊdulas serão de papel. A Câmara de Vereadores aprovou o aumento em 2011, mas uma entidade ligada ao comÊrcio local, a Cacisc, colheu cinco mil assinaturas e ingressou com uma ação na Justiça pedindo que a população fosse ouvida na decisão. A Justiça acabou acatando o pedido e decidiu pela votação. A Câmara não concorda com a decisão porque considera TXH´DGHÀQLomRGRQ~PHURGHYHUHDGRUHVpXPDSUHUURJDWLYDGD Casa�. A cidade se envolveu com a questão e vive um verdadeiro clima de campanha.

Líderes políticos saem da juventude partidåria Segundo militante política, jovem estå retomando espaço dentro das siglas NIGEL SANTANA

D

PMs acionam Lee Policiais militares de Sergipe que trabalharam no cÊlebre show de despedida da roqueira Rita Lee em 29 de janeiro deste ano na Praia de Atalaia resolveram processar a cantora por danos morais. Durante a apresentação Rita Lee criticou a ação da polícia que fazia revista na SODWHLDDWUiVGHGURJDV1R¿QDOHOD foi presa por desacato e encaminhada a uma delegacia de Aracaju. Ao todo 16 militares entraram com a ação em diversas varas cíveis da capital sergipana, cada um pedindo R$ 24.880 pela agressão verbal. Eles decidiram pulverizar as açþes porque acreditam que desta forma as açþes terão andamento mais cÊlere. No último domingo, no programa Fantåstico, Rita Lee revelou que sofre de transtorno bipolar.

Caretice evangĂŠlica Mesmo autorizada pelo Supremo Tribunal Federal em todo o paĂ­s, a Marcha da Maconha em Pernambuco jĂĄ enfrenta problemas. Parlamentares evangĂŠlicos da Assembleia Legislativa do vizinho estado entraram com ação no MinistĂŠrio PĂşblico para tentar impedir a realização da marcha. A manifestação estĂĄ marcada para acontecer no prĂłximo dia 20, na Rua da Moeda, bairro do Recife. Os deputados que assinaram a ação acreditam que vĂŁo conseguir impedir a marcha. Independente da posição a ser tomada pelo MP, a Frente Parlamentar em Defesa da FamĂ­lia, prepara para o mesmo dia, uma ofensiva contrĂĄria, na Rua Conde da Boa Vista, no Recife antigo, batizada de “Marcha da FamĂ­liaâ€?.

Incentivo às exportaçþes Com o objetivo de incentivar empresas alagoanas a buscarem melhores negócios no mercado internacional, acontece a partir da próxima quarta-feira (16) o 8º Seminårio de Promoção às Exportaçþes (Sempex). O evento serå no Centro Cultural e de Exposiçþes e a abertura contarå com a participação do governador Teotonio Vilela Filho. A iniciativa Ê da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, da Rede Brasileira de Centros Internacionais e da Confederação Nacional da Indústria. Contam ainda com o apoio do Governo de Alagoas, do Banco do Nordeste e do Sebrae. O evento se estende atÊ o dia 18 e as inscriçþes podem ser feitas no endereço www.sempex.com.br.

Bebe-se muito O Brasil bateu o recorde de importação de uísque escocês em 2011, segundo a Scotch Whisky Association. Houve um aumento de 48% em relação ao ano anterior e um volume de compra que passou de 67 milhþes de euros, para 99,2 milhþes de euros (ou de R$ 208 milhþes para R$ 307 milhþes). Com isso o país teve a maior expansão em todo o mundo na compra do uísque. O Brasil ainda lidera o consumo por volume da AmÊrica Latina: foram 13 milhþes de litros em 2011. O legítimo scotch surgiu na Irlanda no sÊculo XII e chegou à Escócia no sÊculo XVI, possivelmente pelos monges irlandeses. Passou a ser uma bebida conhecida em todo o mundo, quando uma praga devastou os vinhedos franceses (sÊc, XIX) e deslocou o consumo de vinhos e conhaques para o uísque.

Delivery da gelada O empreendedorismo nĂŁo tem limites. A repentina falta de cerveja durante um jogo de pĂ´quer na madrugada, fez com que trĂŞs jovens paulistas criassem uma empresa para “salvarâ€? a festa. A cerveja gelada ĂŠ entregue em casa acompanhada de petiscos (os nossos tira-gostos) por pessoas vestidas de “super-herĂłisâ€? que chegam na hora certa e salvam a madrugada. O diferencial fez com que a mĂŠdia de “salvamentosâ€? aumentasse de vinte para 190 por semana. Foram contratados mais trĂŞs entregadores e a ação livra as pessoas de caĂ­rem nas blitze da Lei Seca na capital paulista. AlĂŠm da cerveja e dos petiscos, a empresa tambĂŠm entrega chĂĄ de boldo, cafĂŠ quente e atĂŠ bafĂ´metro, se houver necessidade.

Adeus energia nuclear O governo voltou atrĂĄs e desistiu de construir entre quatro e oito usinas nucleares nos prĂłximos anos, como havia previsto. Duas delas seriam no Nordeste e Alagoas se colocava a disposição para uma delas ser construĂ­da em seu territĂłrio. A decisĂŁo agora, segundo o MinistĂŠrio das Minas e Energia, acontece porque o paĂ­s nĂŁo necessita, a curto prazo, da energia nuclear. AtĂŠ 2020 o Brasil serĂĄ atendido pela energia produzida pelas hidrelĂŠtricas e por fontes complementares como eĂłlica, tĂŠrmica e gĂĄs natural, segundo garantia dada por MĂĄrcio Zimmermann, secretĂĄrio executivo do MinistĂŠrio. ‡0RUUHXHVWDVHPDQDHP0XQLTXHQD$OHPDQKDXPGRVPDLRUHV fotĂłgrafos de guerra da histĂłria mundial. Horst Faas venceu duas vezes R3UrPLR3XOLW]HUHIRLFKHIHJUiÂżFRGDDJrQFLDGHQRWtFLDVÂł$3´GXUDQWH mais de uma dĂŠcada. ‡(OHFRPHoRXDWUDEDOKDUQDÂł$3´HPHWRUQRXVHIDPRVRQmR VRPHQWHSRUVXDVIRWRJUDÂżDVPDVSULQFLSDOPHQWHQDIRUPDomRGHQRYRV WDOHQWRVGDIRWRJUDÂżDPXQGLDO ‡(PIRLJUDYHPHQWHIHULGRQD*XHUUDGR9LHWQmPHVPRDVVLP continuou sua carreira com fotos premiadas naquele paĂ­s asiĂĄtico e em Bangladesh em 1972. ‡)RUDPGLVFtSXORVVHXV1LFN8WTXHYHQFHXYiULRVSUrPLRVPXQGLDLV FRPDIRWRGDPHQLQDYLHWQDPLWDIXJLQGRFRPRFRUSRTXHLPDGRHPXP DWDTXHFRPQDSDOP ‡(WDPEpP(GGLH$GDPVDXWRUGHXPDGDVIRWRVPDLVFRQKHFLGDVGR mundo: o momento da execução de um suspeito pela chefe de polĂ­cia do VietnĂŁ do Sul, em fevereiro de 1968.

NIGEL SANTANA REPĂ“RTER

Elida MirandapXPH[HPSORSDUDRVHJPHQWRTXHFRPHoRXQDPLOLWkQFLDHDJRUDTXHUDVXUQDV

ATUAĂ‡ĂƒO

Alguns líderes juvenis preferem atuar nos bastidores da política A ideologia partidåria e formação educacional inà XHQFLD GLUHWDPHQWH QD HVcolha de um partido político SDUDVHUÀOLDGR Estudante de Direito, Janaína Braga, da Juventude do Democratas (DEM) prefere a participação nos bastidores da política. Enquanto vice-presidente estadual da Juventude do DEM, sua contribuição para a formação de um processo político e eleitoral se då na apresentação de projetos, e posteriormente, na cobrança para que estes planos sejam

colocados em prĂĄtica. “Os pensamentos e açþes diferem da nossa Juventude Democrata a de outros partidos. Enquanto temos representantes eleitos para um cargo, conseguimos nos comunicar com eles atravĂŠs da apresentação de projetos. Depois disso, vamos em busca dessa aprovação e colocação dos nossos objetivos em prĂĄtica. A juventude cansou de esperar que os atos sejam elaborados por apenas uma parcela da sociedade. Exigimos respostasâ€?, avalia a democrata.

A perspectiva de mobilização da corrente partidĂĄria de JanaĂ­na Braga tem feito com que jovens procurem o Democratas para participar do debate. O que sempre tem gerado discussĂľes na Juventude do partido sĂŁo os direitos expostos pelos prĂłprios militantes. “Sempre temos ouvido que falta emprego para o joYHP H D TXDOLĂ€FDomR QHFHVsĂĄria para o que nĂłs procuramos. Isso nos faz abordar esses fatos em encontros do DEMâ€?. (N.S)

VANTAGEM

Baixa rejeição incentiva inserção de novos nomes em campanhas A redemocratização de um paĂ­s apĂłs o nebuloso perĂ­odo da ditadura militar (1964-1984) e o movimento dos Caras Pintadas, 1992, pelo impeachment do entĂŁo presidente Fernando Collor, foram as razĂľes para que Liziane Cavalcante entrasse de cabeça na vida polĂ­tica. No auge de seus 18 anos, HODpXPDGDVĂ€OLDGDVj-Xventude PSDB. Ela jĂĄ tem na ponta da lĂ­ngua a resposta quando perguntam porque ela vivencia o cotidiano partidĂĄrio. “Eu quero ser candidata.

Migrei de um partido [PTN] para o PSDB em busca de uma candidatura. Infelizmente, este ano não serå possível. Que venha 2014�, assegura Cavalcante. Liziane argumenta que apresentou um projeto em 2011 e foi escolhida para ser deputada federal jovem. Acompanhou durante cinco dias a jornada de trabalho dos parlamentares e a ideia amadureceu. Liziane propôs na Assembleia Legislativa do Estado que copiassem a ideia, o que acabou sendo aceita. A

Juventude do PTN tambĂŠm tem o seu representante. -RVp0DUTXHVDRVHĂ€OLDUDR partido, viu o quanto a mobilização jovem pode transformar a realidade de um povo. Marques sustenta que novos nomes para a disputa eleitoral surgem com pouca rejeição, e isso tem transformado o pleito mais favorĂĄvel para o jovem. “A difusĂŁo de ideias quando trocamos experĂŞncias com o eleitor na rua contribui para nossa formação. NĂŁo podemos apenas falar, precisamos ouvirâ€?. (N.S)

os movimentos estudantis, passando pela luta de classes, a militância polĂ­tica na juventude tem retornado paulatinamente ao cenĂĄrio alagoano. É crescente a adesĂŁo de jovens a partidos polĂ­ticos, mesmo quando hĂĄ desconĂ€DQoD GD VRFLHGDGH HOHJendo seus representantes. O discurso de quem estĂĄ chegando agora aos palcos da polĂ­tica deixa para trĂĄs as temĂĄticas abordadas por candidatos, digamos que, mais ‘experientes’. A liberGDGHFRQTXLVWDGDWUD]jWRQD os valores da juventude. Militante do Partido dos Trabalhadores (PT) e participante ativa da Juventude PT, Elida Miranda diz que o jovem nĂŁo estĂĄ mais como pano de fundo de uma campanha eleitoral. “A juventude deixa claro que estĂĄ consciente dos seus direitos e deveres. Ela cansou de ser bandeira de partidos e quer mudar essa rotina. Uma das campanhas do PT ĂŠ para que o jovem se adeque a ideia e reconheça que deve votar aos 16. Ser esclarecido tem tornado a sociedade mais participativa dos debates que envolvem os nossos interesses diretos. O nosso cenĂĄrio atual, a exemplo da Câmara de Vereadores de MaceiĂł, nos deixa aptos a fazer bem mais do que eles estĂŁo fazendo, com todo o respeito aos parlamentares eleitos para aquela Casaâ€?, reconhece Elida. Mesmo sem um nĂşmero HVSHFtĂ€FRGHTXDQWRVMRYHQV fazem parte do PT, Elida ressalta que a adesĂŁo tem sido frequente, principalmente quando sĂŁo expostas as conquistas de um partido. No penĂşltimo congresso realizado pela Juventude do Partido dos Trabalhadores, a participação dos jovens no evento reforçou o que vem sendo divulgado pela sigla. “Foi com muito esforço e participação mĂştua que conseguimos elencar as cotas que devem ajudar o partido em campanhas eleitorais. Atualmente, 20% dos jovens Ă€OLDGRVDRSDUWLGRWrPDSRVsibilidade de ser candidato. A mesma prĂĄtica serve para os negros [20%], homens [30%] e mulheres [30%]. O avanço ĂŠ notĂłrioâ€?, exalta Miranda. Como pretensĂŁo polĂ­tica para 2012, a prĂŠ-candidatura de Elida Miranda para o parlamento de MaceiĂł jĂĄ foi posta. Se vai passar ou nĂŁo, VHUi GHĂ€QLGR QDV FRQYHQçþes. A jornalista reconhece que o ano ĂŠ propĂ­cio para lançar-se a um cargo eletivo, pois, aos poucos a sociedade tem rejeitado quem estĂĄ hĂĄ anos nas nos poderes Legislativo e Executivo.

INICIATIVA

CARTILHA

8PGRVDUWtÂżFHVXWLOL]DGRSHODMXventude para difundir pensamentos estĂĄ ao acessar a internet. O ‘Boom’ das redes sociais ajudou o jovem a mostrar ainda mais os seus propĂłsitos. JosĂŠ Marques, do PTN. tem noção do quanto a rede mundial de computadores pode contribuir, mas, se nĂŁo houver a recĂ­proca da sociedade, tudo muda. “A realidade que nĂłs temos de acesso na internet ĂŠ muito pequena. Se nĂŁo houver mais ação do jovem com o candidato podemos nĂŁo avançar nos discursosâ€?.

Na conjuntura das articulaçþes da juventude rumo Ă polĂ­tica, o PMDB e seus jovens tambĂŠm tem conseguido destaque. Por ser um partido que atualmente estĂĄ na vice-presidĂŞncia da RepĂşblica, em Alagoas, a sigla tem conseguido ĂŞxito. “O Brasil ĂŠ um paĂ­s formado por jovens e tem avançado bastante em polĂ­tica pĂşblica voltada para atender os jovens. Os projetos devem ser acompanhados por essa juventude que precisa inteirar-se mais sobre a realidade do paĂ­sâ€?, diz a cartilha.

Avanço no discurso apenas com ação

PMDB tem avançado na inserção de valores


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012 POLĂ?TICA

5

Em ano eleitoral, site mapeia polĂ­ticos 2Âľ)LFKD3ROtWLFDÂśWUD]LQIRUPDo}HVVREUHYRWDo}HVDQWHULRUHVORFDOLGDGHVGHPDLRUHPHQRUYRWDomRHKLVWyULFRSDUWLGiULR

Cotidiano LININHO NOVAIS - contato@lininho.com

Bom nĂŁo tĂĄ, mas tĂĄ bom!

R

ui Palmeira Neto, deputado federal, estĂĄ num caminho sem volta, traçou sua prĂłpria missĂŁo totalmente articulada em Brasilia para seguir rumo Ă prefeitura da capital, tem PHVPRTXHVHPPXLWRDODUGHRDSRLRGRJRYHUQDGRU7HRWRQLR Vilela, a situação se complica quando o assunto ĂŠ composição, segundo fontes palacianas, o desejo mesmo seria o ninho tucano indicar o vice-prefeito quer fosse do democratas Jefersson Morais ou do socialista Givaldo CarimbĂŁo – que hĂĄ quem acredite que ele vai ser realmente candidato. “Sem Rui na disputa tudo seria mais IiFLOÂľDĂ€UPDXPPHPEURGRWXFDQDWRTXHDLQGDDĂ€UPRXTXH o desejo da composição seria apresentar numa possĂ­vel composição o nome do secretĂĄrio Marco Fireman, que preside o PSDB QDFDSLWDO&RPR7HRWRQLRQmRGHVHMDFULDUXPPDOHVWDUMXQWR a cĂşpula do seu partido e nem muito menos desagradar o ex-ministro Guilherme Palmeira, prefere sinalizar que estĂĄ com Rui “de corpo e almaâ€?, porĂŠm sĂł quem (con)vive junto ĂŠ quem sabe da real situação.

Ansioso Mais ansioso do que o deputado Fernando Ribeiro Toledo para assumir RFDUJRGH&RQVHOKHLURGR7&$/HVWiRVHFUHWiULR$OEHUWR6H[WDIHLUD para assumir o mandato como deputado estadual. A expectativa em WRUQRGDGHFLVmRÂżQDOGR7ULEXQDOGH-XVWLoDWHPGHL[DGRPXLWRVVHP conseguir dormir direito.

Contra o tempo (PDQRGHHOHLomRTXHPFKHJDUSULPHLURHVWiPXLWRPDLVGRTXHQD YDQWDJHPSRULVVRPXLWRVSUHIHLWRVHVWmRWUDQVIRUPDQGRVXDVFLGDGHV HPYHUGDGHLURVFDQWHLURVGHREUDVWRGDVHPDQDpXPDLQDXJXUDomR SRUpPR0LQLVWpULR3~EOLFRHVWiGHROKRHPFDGDSDVVRDSHQDVDJXDUGDQGRXPDSLVDGDHPIDOVRSDUDHQTXDGUDU

Bebendo ReuniĂŁo administrativa acontecendo numa determinada autarquia SXEOLFDHP0DFHLyHQRFDORUGDHPRomRXPGRVIXQFLRQiULRVTXHVH PDQLIHVWRXFRQWUDDLQVWDODomRGRUHOyJLRGHSRQWRELRPpWULFRHMXVWLÂżFRX VXDSRVLomRDRGHFODUDUTXHVHIRUSDUDLQVWDODURSRQWRWDPEpPVHULD LPSRUWDQWHWHUXPWHVWHGHEDI{PHWURSDUDDTXHOHVTXHFKHJDPGHSRLV GRDOPRoR6LOrQFLRWRWDOQDVDODHHPVHJXLGDÂżFRXDFHUWDGRGDQmR LQVWDODomRGRUHOyJLR

Empenhado O deputado Renan Filho (PMDB-AL) encaminhou para empenho UHFXUVRVGR)XQGR1DFLRQDOGH6D~GH )16 FRPÂżQVGHHVWUXWXUDomR GDUHGHGHVHUYLoRVGHDWHQomREiVLFDGHVD~GHSDUDRVPXQLFtSLRVGH %UDQTXLQKD&DFLPELQKDV'HOPLUR*RXYHLD-DUDPDWDLD0HVVLDV2OKR GÂśĂˆJXD*UDQGH3LUDQKDVH3RUWRGH3HGUDV$VSUHIHLWXUDVSRGHUmR XWLOL]DURVUHFXUVRVSDUDDDTXLVLomRGHHTXLSDPHQWRVSDUDDWHQGLPHQWR jSRSXODomRHDFRQVWUXomRGHSRVWRVGHVD~GH

Seca 'DQGRFRQWLQXLGDGHDRVWUDEDOKRVGHFRPEDWHjVHFDR&RPLWr,QWHJUDGRVHUHXQLUiFRPRVSUHIHLWRVQDVHJXQGDIHLUD  jVKQR3DOiFLR5HS~EOLFDGRV3DOPDUHV2JRYHUQDGRU7HRWRQLR9LOHODHVWHYHHVVD semana em BrasĂ­lia para garantir os recursos que serĂŁo destinados aos 35 municĂ­pios atingidos do Alto SertĂŁo e do Agreste alagoano.

Falando nisso... HPEXVFDGDHOHLomRIiFLOWHPFDQGLGDWRQRDOWRVHUWmRDODJRDQRTXH se utiliza do sistema de som de um carro para prometer que se eleito YDLID]HUFKRYHUDWpFDQLYHWHTXDQWRPDLVDJXD2PDLVLQWHUHVVDQWHp assistir o vĂ­deo que compra a denuncia!

É pessoal 7XGRFDPLQKDYDSDUDXPDHOHLomRSRODUL]DGDQDFLGDGHGH'HOPLUR *RXYHLDDJRUDRSROrPLFRSDGUH(UDOGR&RUGHLURMiVDLXGRJUXSRHP TXHHVWDYDGHVLVWLXGHVHUYHUHDGRUHDJRUDODQoRXVHFRPRSUpFDQGLGDWRDSUHIHLWRHGL]QmRDEULUSDUDQLQJXpP

Teo x Lessa Arquirrivais, Teotonio Vilela e Ronaldo Lessa vĂŁo mais uma vez para o HPEDWHSROtWLFRDJRUDpQDFLGDGHGH3HQHGRTXDQGR7HRWRQLRYHVWLX DFDPLVDGH,VUDHO6DOGDQKDH5RQDOGRDEHQoRDQGR0DUFLXV%HOWUmR 6HUiXPFRQIURQWRGHOtGHUHVHRFOLPDQDFLGDGHMiPRVWUDTXHPp quem.

Pedra no sapato 2WHOHIRQHGH5RVLQKDGD$GHIDOQmRSDUDGHWRFDUOLJDo}HVGH%UDVLOLD OKHLQFHQWLYDPDUDWLÂżFDUVXDFDQGLGDWXUDMiVHXVFRQWHUUkQHRVSUHIHUHP YrODIRUDGRSiUHR&RPGHQVLGDGHHOHLWRUDO5RVLQKDMiDSUHVHQWD FRPRIDWRUSUHRFXSDQWHSDUDFDFLTXHVSROtWLFRVTXHGHVHMDPFKHJDUDR poder na capital alagoana.

Fiscalizar (VWiQDKRUDGRVFRQVHOKHLURVHVWDGXDLVGHHGXFDomRGHL[DUHP VHXVJDELQHWHVHLQLFLDUXPDPHJDRSHUDomRQDVHVFRODVWpFQLFDVGH HQIHUPDJHPHVSDOKDGDVSHOR(VWDGRGH$ODJRDV$VLWXDomRFRPHoD DVHFRPSOLFDUTXDQGRDOXQRVQmRFRQVHJXHPFRQFOXLUDFDUJDKRUiULD H[LJLGDHPHVPRDVVLPVmRFRQVLGHUDGRVDSWRVSDUDHVWiJLRV

SIGILO

3ROtWLFRVSHGHPSDUDWLUDUĂ€FKDGRVLWH Caso nĂŁo esteja encontrando seu polĂ­tico, o ‘Ficha PolĂ­tica’ exibe atualmente os candidatos que concorreram no Estado de SĂŁo Paulo, para os cargos de presidente, governador, senador, deputado e vereador, a partir do ano de 1998. Os demais estados do paĂ­s exibem os mesmos dados, a partir do ano de 2006. Eventualmente alguns candidatos pedem para ter suas ÂżFKDVUHPRYLGDVGRVLWH3RUpPDDSDUWLUGHMXQKRDVLQIRUPDo}HV RÂżFLDLVGRTSEVHUmRLQFOXtGDVDWpSDUDWRGRR3DtV

DIVULGAĂ‡ĂƒO

CADU EPIFĂ‚NIO EDITOR DE POLĂ?TICA

E

m tempos do advento da Ficha Limpa, onde a sociedade como um todo clama por transparĂŞncia e decĂŞncia na polĂ­tica, um site traz para o eleitor o que a breve memĂłria polĂ­tica do brasileiro nĂŁo lembra mais. O www. Ă€FKDSROLWLFDFRPEUGLVSRQLbiliza gratuitamente para o curioso eleitor informaçþes FRPSOHWDV H RĂ€FLDLV VREUH os polĂ­ticos em atividade nĂŁo apenas no PaĂ­s, mas em Alagoas, por exemplo. O site apresenta o histĂłrico partidĂĄrio do referido polĂ­tico, suas votaçþes, as ĂĄreas onde eles sĂŁo mais fortes, onde as votaçþes sĂŁo mais expressivas, ou melhor, estĂĄ disponĂ­vel um verdadeiro raio X do polĂ­tico ou pretenso candidato. O paulista Rodrigo Alves, o idealizador do Ficha PolĂ­tica, lembrou que a cerne do projeto surgiu oriunda da demanda crescente de clientes do setor polĂ­tico. “Era muito constante. Eles queriam saber quantos votos os adversĂĄrios tiveram. Quais os lugares que eles tiveram a referida votaçãoâ€?, completou.

Segundo idealizador, polĂ­ticos-candidatos - ou nĂŁo -de todo o PaĂ­s podem ser encontrados no site

A ferramenta traz os daGRV RĂ€FLDLV GLVSRQLELOL]DGRV pela Justiça Eleitoral. “No momento temos informaçþes GR7ULEXQDO6XSHULRU(OHLWRral desde 2006, porĂŠm a partir de junho deste ano vamos ampliar esse leque atĂŠ o ano de 1998â€?, adiantou Rodrigo

Alves. O pesquisador pode ter informaçþes dos cargos de presidente, governador, prefeito, deputado - federal e estadual -, senador e vereador. “ApĂłs a instituição do site, o Brasil todo começou a acessar. A aceitação ĂŠ muito

boa. Não imaginei que atingiria tamanha proporção�, orgulha-se. A intenção Ê unicamente democratizar a informação e ajudar os jovens, por exemplo, como vimos nas påginas anteriores, a melhor escolher seus representantes.

DADOS

Informaçþes alimentam dossiĂŞs Com o desempenho eleitoral explicitado e entregue de mĂŁos beijadas a adversĂĄrios polĂ­ticos e Ă prĂłpria população, a disputa nos muQLFtSLRV HVWH DQR Ă€FD PDLV franca e aberta. Por meio do site, os candidatos poderĂŁo ver onde tal candidato ĂŠ mais forte, e onde ĂŠ necessĂĄrio se investir mais para tirar ou ganhar mais votos. “O site serve inclusive para alimentar dossiĂŞs de polĂ­ticos e assim montar estratĂŠgias de campanhaâ€?, recordou Rodrigo Alves.

Segundo o gerenciador do Ficha PolĂ­tica, o site tem WDPEpP D Ă€FKD GR SROtWLFR com partido atual, alĂŠm das siglas que ele jĂĄ pertenceu, o cargo atual e, se houver, os cargos anteriores. “O site traz informaçþes RĂ€FLDLVGRV7ULEXQDLV5HJLRQDLV (OHLWRUDLV >75(V@ H GR 76( H D LGHLD p DPSOLDU DV informaçþes atuais, com histĂłricos e outras informaçþes UHOHYDQWHV FRP D Ă€QDOLGDde de levar ao eleitor uma ferramenta Ăştil na consulta VREUHRVFDQGLGDWRVÂľFRQĂ€Umou Rodrigo Alves.

PERFIL O ‘Ficha PolĂ­tica’ permite inclusive que o prĂłprio pesquisado, no caso, o polĂ­tico DUUXPH PHOKRU VHX ÂśSHUĂ€O¡ na plataforma de georreferencimento. Para os manteQHGRUHV GHVWHV ÂśSHUĂ€V¡ PDLV encorpados, hĂĄ uma taxa. “Devido Ă grande demanda de atualizaçþes, ĂŠ cobrada uma taxa anual, referente Ă s atualizaçþes. Em seguida ĂŠ enviada uma credencial, por meio da qual o candidato pode atualizar sua prĂłpria Ă€FKD TXDQWDV YH]HV GHVHjar, pelo perĂ­odo de um anoâ€?,

salientou. Em ano eleitoral, o Ficha Política surge como ferramenta importante para se instruir e lembrar daqueles que nos representam. Como o brasileiro tem por si só, uma memória curta e uma curiosidade limitada a respeito deles. Chegou a oportunidade para se informar. Logicamente, a reportagem testou os nomes dos políticos alagoanos e lå se pode obter um bom material das últimas votaçþes de prefeitos, senadores, governador e alguns vereadores. (C.E)


6

OPINIAO

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

OpiniĂŁo

Bancos de leite

A

Rede Brasileira de Bancos de Leite, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Ê a maior e a mais complexa do mundo, com 299 unidades (201 bancos e 98 postos de coleta). Entre 2007 e 2011, foram distribuídos 616,5 mil litros de leite humano pasteurizado de 744,2 mil doadoras. Nesses cinco anos, foram atendidos 793,2 mil bebês. O modelo brasileiro foi exportado para toda a AmÊrica Latina e para a Península IbÊrica e à frica. Desde os anos de 1970 o País vem construindo uma política com forte ação da sociedade civil. AlÊm dos bancos para ajudar as mães que não conseguem amamentar, hå programas de estímulo ao aleitamento, como o Hospital Amigo da Criança e o apoio às mães traba-

PETRUCIA CAMELO

lhadoras que amamentam. O MinistÊrio da Saúde promove uma campanha para que as empresas do Brasil façam a adesão à licença maternidade de seis meses (que pode ser abatido do imposto de renda). Nos últimos anos, a amamentação tem crescido no Brasil. Nas capitais brasileiras e no Distrito Federal, o tempo mÊdio de aleitamento materno passou de 296 dias para 342 dias, entre 1999 a 2008. O Brasil tem aumentado a taxa de aleitamento exclusivo em 1,7% ao ano. Por isso, Ê muito importante a mãe se esforçar e todos apoiarem às mulheres a amamentarem os bebês de forma exclusiva atÊ os seis primeiros meses de vida. Para doar basta entrar em contato com o banco de leite mais próximo.

SĂłcia efetiva da ALANE, da Academia Alagoana de Cultura, da Academia Maceioense de Letras e Grupo LiterĂĄrio Alagoano.

Mulher e mãe Com um pequeno fragmento de palha de cebola, eventualmente preso aos cabelos, como se fosse um transparente estandarte a apresentar o que aquela mulher defende ao trabalhar no dia, pois desde bem cedo ela estå disponível a preparar pratos deliciosos à moda da casa, em comemoração ao Dia das Mães, atendendo ao apelo do seu coração e as vontades de sua prole, mesmo jå crescida e bem orientada, mas åvida pelo desejo de sentir o sabor e cheiro de suas origens gustativas. ËPHVPRDVVLPTXHDÀgura materna sempre estå a se propor fazer inúmeras coisas, a lavrar para colher condiçþes para suprir necessidades, a desenvolver inúmeros papÊis na sociedade. 0DV WDPEpP VDEH VDFULÀcar-se, como a ajoelhar-se no Templo a orar, por dias, meses, anos a pedir em preces D'HXVDIDYRUGRÀOKRTXH HVWiHPGLÀFXOGDGHV Luta desesperadamente, não somente no sentido de proteção, mas tambÊm para QmRGHL[DUTXHRÀOKRSDVVH

a vida de forma invisível. Deus usou de analogia entre os seres e bem o fez em relação à mulher e a terra, pois ambas se assemelham simbolicamente, a simbologia da terra Ê em geral semelhante ao da Mulher. A terra simboliza a função maternal, o animal fêmeo tem a natureza da terra. Positivamente, suas virtudes VmRGRoXUDHVXEPLVVmRÀUmeza calma e duradoura. Para o hindu, imbuído do pensamento da religião VÊdica, segundo os ritos funerais, são recitados versos a respeito dessa analogia: vai sob esta terra, tua mãe/ às vastas moradas, aos bons favores! Doce como lã a quem soube dar/ Que ela te proteja do nada /Forme arcos sobre ele e não o destruas/Recebe-o, terra, acolhe-o!Cobre-o com a barra do teu vestido/ como uma mãe protege o seu ÀOKR 5LJ 9HGD *UK\DVXtra,4,1). O amor de mãe Ê como a luz do candelabro; resiste aos ataques dos vândalos, mesmo que lhe quebrem a lâmpada; substituída, logo,

logo a vemos acesa a iluminar o caminho; Ê como a raiz que não se expþe ao solo mas trabalha nos subterrâneos da terra para garantir a subsistência dos brotos. Assim Ê a natureza materna, arraigada à luta, às Dà Lo}HV TXH QmR WLUD GHOD R direito de querer o melhor SDUDRVÀOKRV A força da mãe ainda a torna såbia; o papel que desenvolve faz parte dos argumentos sociais em prol da construção de sua linhagem, mesmo não sendo letrada se vale da persistência reivindicando o direito ao bem estar, Ê um ser defensor do coletivo, contra a qualquer forma de destruição. Mas o dia dedicado as mães não Ê para lamentos, HVLPSDUDUHà H[}HV2GLD Ê convidativo a adentrar a leitura de alguns pontos de incoerência em relação ao trato familiar e a sociedade organizada. Mas Ê, sobretudo o dia de HQWUH à RUHV H PLPRV FROKHU o sorriso maternal, pois o amor se faz notar. Um brinde de louvor às mães!

OLĂ?VIA DE CĂ SSIA CORREIA DE CERQUEIRA Jornalista - http://oliviadecassia.blogspot.com

Dia das MĂŁes INOCĂŠNCIO NĂ“BREGA inocnf@gmail.com Jornalista

Acervo midiĂĄtico

De uma forma resoluta a Presidenta da República YHP HQIUHQWDQGR R VHWRU Ànanceiro, cujos resultados favoråveis estão sendo divulgados. Na etapa seguinte enfrentarå os barþes da mídia, comprometidos ou não com cachoeiras monetårias. Não agirå sozinha, convidarå os segmentos sociais, entidades representativas, tanto patronais como dos trabalhadores da imprensa, bem como sindicatos de outras categorias, com isso, após detalhados estudos, à montagem de um esboço de projeto que, transformado em lei, teremos o marco regulatório do setor. A meta serå a democratização das comunicaçþes, sem fugirmos às responsabilidades individuais e compromissos nacionais. Antes dos debates estratÊgicos sejam abertos permitam-me uma sugestão, derivada de situaçþes reais. É comum, no encerramento ou suspensão das atividades de um órgão comunicador,

SULYDGR RX RĂ€FLDO HVSHFLDOmente jornal impresso, o destino do respectivo acervo VHMDGDGRDXPDVHFomRDĂ€P do governo, ou Ă vontade de seus proprietĂĄrios. Nesse estĂĄgio passa, espiritualmente, a incorporar-se Ă  sociedade, como bem cultural. O que deveremos reivindicar ĂŠ sua acomodação material, cabendo seu domĂ­nio, automĂĄtico, ao Estado, que a manterĂĄ na cidade ou regiĂŁo mais perto da sua antiga sede ou geração. PatrimĂ´nio cultural por natureza e de extraordinĂĄria fonte de consulta, exigĂŞncia legal nesse sentido garantirĂĄ a pesquisadores, historiadores e pessoas interessadas efetividade de sua guarda. A 01.05.1926, surgia “O Imparcialâ€?, de S. Luiz. Na data sete seguinte, “O Norteâ€?, de JoĂŁo Pessoa, chegaria a 104ÂŞ aniversĂĄrio e 2 de outubro vindouro, o 55Âş do “DiĂĄrio da Borboremaâ€?, de Campina Grande, matutinos que deixaram de circular a 1ÂŞ de fevereiro Ăşltimo.

Pertenciam aos DiĂĄrios Associados, do paraibano Assis Chateaubriand. Quanto ao primeiro, hĂĄ quatro anos corria procedimento GH PLFURĂ€OPDJHP GH VHXV exemplares na Biblioteca Nacional, nĂŁo se sabendo se foi concluĂ­da. Menor sorte ao segundo, FXMR LQYHQWiULR IRWRJUiĂ€FR estava sob ameaça de incineração e os livros, registro da histĂłria local, podendo seguir rumo BrasĂ­lia, onde estĂĄ o “Correio Brazilienseâ€?. Trata-se de uma direção que nenhum outro periĂłdico deveria tomar, apĂłs decretada sua inatividade. Autoridades municipais, polĂ­ticos, universidades, ligados a pessoas cultas se mobilizam para evitarem a malfadada viagem. SĂŁo adversidades que “O Fluminenseâ€?, de NiterĂłi, nesse dia 8 acendendo 134 velinhas, e, “A Tardeâ€?, de Salvador, em outubro prĂłximo completando seu centenĂĄrio, vĂŞm superando. ParabĂŠns! FILIADO AO

Jorgraf UM PRODUTO:

Rua da Praia, 134 - sala 303 - centro - Maceió Alagoas Endereço Comercial: Av. Menino Marcelo - 10.440 - Serraria Maceió - Alagoas - CEP: 57.083.410 CNPJ: 08.951.056/0001 - 33

Cooperativa dos Jornalistas H*UiÂżFRVGRHVWDGRGHDODJRDV

Hoje eu quero aproveitar o espaço para fazer uma homenagem a todas as mulheres que são mães e que se dedicam no cuidado com seus ÀOKRV ­ PLQKD TXH Mi HVWi em outro plano e àquelas que são incansåveis na luta diåria para dar educação e o melhor de si, sem culpas e sem amarguras. Hoje Ê dia daquele almoço em família, quando a gente tem nossos pais e mães, dia de confraternização. Quando Êramos crianças, em União dos Palmares, não tinha grandes festas lå em casa, mamãe e papai não gostavam disso em casa, mas minha mãe preparava uma saborosa galinha caipira e todos sentavam ao redor da mesa, ouvindo as histórias que eles contavam. Era tão bom isso! Hoje as pessoas jå não têm esse håbito e abandonaram muitas das tradiçþes em família, talvez seja por isso que o mundo estå tão violento e sem muito afeto. Naquele tempo não tinha tanta violência como agora e as mulheres eram respeitadas em sua maioria. Hoje seria um dia de comemoraçþes se não fossem os índices tão alarmantes de mulheres brasileiras que são vítimas de violência diåria. Nosso Estado Ê apontado como um dos que

PRESIDENTE Antonio Pereira Filho DIRETOR ADMINISTRATIVO FINANCEIRO: JosĂŠ Paulo Gabriel dos Santos Editor geral: Ricardo Castro

mais se mata mulheres. Nos dias atuais o Ă­ndice de violĂŞncia contra elas tĂŞm crescido assustadoramente. Segundo alguns especialistas, apesar da evolução da sociedade, a violĂŞncia domĂŠstica parte de uma questĂŁo cultural, que prega referĂŞncias desiguais entre mulheres e homens desde os primĂłrdios e isso vai demorar muito a acabar, avalio eu. Os homens acham muito bom suas mulheres trabalharem e ajudarem no sustento de seus lares, mas alguns ainda querem mantĂŞ-las suas escravas. “O homem sĂł vai respeitar a mulher se tiver dentro de si o conhecimento e o amor delaâ€?, dizem os estudiosos. Concordo que ĂŠ preciso criar a cultura da mulher como um ser igual. “O combate Ă violĂŞncia domĂŠstica nĂŁo ĂŠ uma causa da mulher, ĂŠ muito mais do homem porque ĂŠ ele quem tem que mudarâ€?, observa o desembargador Ruy Celso Barbosa Florence, da Coordenadoria da ViolĂŞncia contra a Mulher do TJ/ MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). Entristece-me muito a forma como muitas mulheres sĂŁo tratadas e como passam esses PDXVWUDWRVSDUDVHXVĂ€OKRV Como se eles fossem estorvos em suas vidas ou responsĂĄ-

veis pela sua infelicidade. Me revolta porque, alÊm de tudo, essas crianças não pediram para vir ao mundo. Na quarta-feira, 9, peguei um ônibus do Benedito Bentes para a Serraria, rumo à Tribuna Independente. Uma senhora humilde estava com duas meninas: uma de colo e outra de uns quatro anos, reclamando e xingando muito por estar com as crianças e pelo trabalho que estavam dando. Pelo o que deu a entender era a avó e pelas reclamaçþes que fazia, a mãe das crianças não era muito cuidadosa e a GHL[RX FRP DV ÀOKDV 'HX vontade de dizer alguma coisa, de mostrar para a mulher que aquelas crianças não têm culpa de terem vindo ao mundo fruto de pessoas irresponsåveis, mas eu não gosto de ser invasiva e de me meter na vida dos outros sem ser chamada. Vai que ela ia me dizer uma grosseria tambÊm e eu ia sair dali mais FRQVWUDQJLGD DLQGD 0DV Àquei com essa história na cabeça e me veio o pensamento de que a pessoas assim não deveria ter sido concedido a graça de serem mães. Que hoje as pessoas esqueçam um pouco do consumismo e do sentido comercial da data e pensem nessa questão.

Nosso noticiĂĄrio nacional ĂŠ fornecido pelas agĂŞncias: AgĂŞncia Folha e AGĂŞncia Nordeste PABX: 82.3311.1338 COMERCIAL: 82.3311.1330 - 3311. 1331 REDAĂ‡ĂƒO: 82.3311.1328 - 3311.1329 CENTRAL DE ASSINANTE: 82.3311.1308 - 3311.1309 comercial.tribunaindependente@gmail.com redação.tribunaindependente@gmail.com

ricardocastro@tribuna-al.com.br

DIRETORA COMERCIAL: Marilene Canuto

OS ARTIGOS ASSINADOS SĂƒO DE RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES. NĂƒO REPRESENTANDO, NECESSARIAMENTE, A OPĂ?NIĂƒO DESTE JORNAL.


TribunaIndependente

Brasil

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

BRASIL

7

Arcebispo primaz da Igreja Anglicana do Brasil envia mensagem de apoio Sabendo do imbróglio pessoal entre o presidente da ABGLT - Associação %UDVLOHLUDGH*D\V/pVELFDV7UDYHVWLVH7UDQVH[XDLV7RQL5HLVFRPR pastor Silas Malafaia, que envolve pedidos de direito de resposta, processos de difamação e um debate marcado para o dia 15 de maio em Brasília, dom Ricardo Lorite de Lima, maior autoridade da Igreja Anglicana do Brasil, fundada em 2005 na cidade paulista de Ribeirão Preto, se manifestou em carta de apoio ao militante e disse apoiar os direitos homossexuais.

Igrejas inclusivas crescem no Brasil Voltados predominantemente para homossexuais templos gays vĂŞm crescendo a um ritmo acelerado

E

ncaradas pelas minorias como um refĂşgio para a livre prĂĄtica da fĂŠ, as igrejas “inclusivasâ€? - voltadas predominantemente para o pĂşblico gay vĂŞm crescendo a um ritmo acelerado no Brasil, Ă revelia da oposição de alas religiosas mais conservadoras. Estimativas feitas por especialistas a pedido da BBC Brasil indicam que jĂĄ existem pelo menos dez diferentes congregaçþes de igrejas “gay-friendlyâ€? no Brasil, com mais de 40 missĂľes e delegaçþes espalhadas pelo paĂ­s. Concentradas, principalmente, no eixo Rio de Janeiro-SĂŁo Paulo, elas somam em torno de 10 mil Ă€pLV RX  GD SRSXlação brasileira. A maioULD GRV PHPEURV   p composta por homens, incluindo solteiros e casais,

de diferentes níveis sociais. O número ainda Ê baixo se comparado à quantidade de católicos e evangÊlicos, as duas principais religiþes do país, que, em 2009, responGLDP SRU  H  da população brasileira, respectivamente, segundo um estudo publicado pela Fundação Getúlio Vargas )*9  QR 5LR GH -DQHLUR O crescimento das igrejas inclusivas ganhou força com o surgimento de políticas de combate à homofobia, ao passo que o preconceito tambÊm diminuiu, alegam especialistas. Hoje, segundo o IBGE, hå 60 mil casais homossexuais no Brasil. Para grupos militantes, o número de gays Ê estimado entre 6 a 10 milhþes de pessoas. Segundo a pesquisadora Fåtima Weiss, da Universi-

dade Federal de Santa CaWDULQD 8)6&  TXH PDSHLD o setor desde 2008, havia apenas uma Ăşnica igreMD LQFOXVLYD FRP VHGH Ă€[D no Brasil dez anos atrĂĄs. “Com um discurso que prega a tolerância, essas igrejas permitem a manifestação da fĂŠ na tradição cristĂŁ independente da orientação sexualâ€?, disse Weiss Ă BBC Brasil. O nĂşmero de frequentadores dessas igrejas - que VmR DEHUWDV D Ă€pLV GH TXDOquer orientação sexual - acompanhou tambĂŠm a emancipação das congregaçþes. Se, hĂĄ dez anos, os Ă€pLV WRWDOL]DYDP PHQRV GH  SHVVRDV KRMH Mi VmR quase 10 mil - nĂşmero que, segundo os fundadores dessas igrejas, deve dobrar nos prĂłximos cinco anos.

RESISTĂŠNCIA

Para entrar nas evangÊlicas, gays têm que se tornar heterosAs igrejas inclusivas ainda enfrentam forte resistência das comunidades católicas e evangÊlicas. Embora a maior parte delas siga a tradição cristã - pregando, inclusive, o celibato antes do casamento e a monogamia após o matrimônio - ainda não são reFRQKHFLGDV RÀFLDOPHQWH SRU nenhum desses dois grupos. Não raro, em igrejas tradicionais, os homossexuais são obrigados a esconder sua opção sexual. Descobertos, acabam sendo expulsos - ou, eventualmente, submetidos a trata-

mentos de “conversĂŁoâ€? para se tornarem heterossexuais. “Segundo a BĂ­blia, homossexualidade ĂŠ pecado. Na igreja evangĂŠlica, gay sĂł entra caso queira se converter e, para isso, tem de se tornar heterossexual. É uma regra de Deusâ€?, disse Ă BBC Brasil Silas Malafaia, fundador de uma das principais igrejas evangĂŠlicas do Brasil, a Assembleia de Deus - VitĂłria em Cristo. “Tenho vĂĄrios casos de ex-gays na minha igreja. Trata-se de um desvio de comporWDPHQWR DĂ€QDO JD\V WrP D

mesma ordem cromossĂ´mica que nĂłs, heterossexuais. Depende deles, portanto, mudar sua opção sexual para serem aceitos na nossa comunidadeâ€?, acrescenta. A pernambucana Lanna Holder, de 37 anos, acreditava poder “curarâ€? a atração que sentia por mulheres que, segundo ela, vinha “desde a infânciaâ€?. UsuĂĄria de drogas e alcoĂłlatra, Lanna converteu-se a uma igreja evangĂŠlica aos 21 anos, passando a fazer pregaçþes no interior do Brasil. ARQUIVO PESSOAL

BBC

,JUHMDVYROWDGDVSUHGRPLQDQWHPHQWHSDUDS~EOLFRJD\VRPDPKRMHFHUFDGHPLOÂżpLVQR%UDVLO

CIDADE REFĂšGIO

EMBRIĂƒO

Origem no Pregadora ama outra, ĂŠ expulsa e funda uma igreja Brasil ocorreu ApĂłs ser expulsa de igreja, Lanna Holder decidiu criar nova congregação. “Enquanto todas as meninas brincavam de boneca, eu soltava pipa e jogava futebolâ€?, lembra ela. Lanna tornou-se uma das principais pregadoras da igreja Assembleia de Deus, a mais importante do ramo pentecostal no Brasil. Casou-se aos 24 anos e, dois anos GHSRLV WHYH XP Ă€OKR Mas, durante uma viagem aos Estados Unidos em 2002, conheceu outra

pregadora, Rosania Rocha, brasileira que cantaYD QR FRUDO GH XPD Ă€OLDO da igreja em Boston. Um ano depois, elas tiveram um caso amoroso Ă s escondidas e acabaram expulsas da comunidade. De volta ao Brasil em 2007, Lanna teve a ideia de criar uma igreja voltada predominantemente para homossexuais que, como ela, nĂŁo ganharam acolhida em outra vertente religiosa. Ela montou a “Comunidade Cidade RefĂşgioâ€?, no centro de SĂŁo Paulo.

O embriĂŁo das igrejas inclusivas começou a surgir no Brasil na dĂŠcada de 90, em pequenas reuniĂľes feitas normalmente sob sigilo. Nos Estados Unidos, entretanto, elas jĂĄ existem hĂĄ pelo menos quatro dĂŠcadas, praticando o que chamam de “teologia inclusivaâ€?, com um discurso aberto Ă diversidade. Um das pioneiras foi a Igreja da Comunidade Metropolitana (ou MeWURSROLWDQ &KXUFK  D primeira a ter sede prĂłpria no Brasil, em 2002. FESTAS TEMMĂ TICAS CRISTĂ‚ CONTEMPORĂ‚NEA Uma das formas encontradas pelas igrejas inclusivas para atrair noYRV Ă€pLV H LQWHJUiORV DRV membros antigos ĂŠ promover festas temĂĄticas. Na igreja ‘Comunidade Convertido aos 14 anos (ODFKHJRXDĂ€FDUWUrVGLDV comerâ€?, recorda. Cidade de RefĂşgio’, funa uma igreja evangĂŠlica, o sem carioca Marcos Gladstone, VĂ­tima de preconceito, dada por Lanna Holder de 36 anos, hoje gay assu- Gladstone resolveu fundar - ex-missionĂĄria da igreja mido, sempre acreditou que em 2006, junto com seu evangĂŠlica Assembleia de seria “recuperadoâ€? da atra- parceiro, FĂĄbio InĂĄcio, de Deus, que acabou expulção que sentia por homens. 31 anos, a “Igreja CristĂŁ sa por ser lĂŠsbica - sĂŁo co'XUDQWH TXDWUR DQRV Ă€- Contemporâneaâ€?, pregando muns as baladas gospel, recou noivo de uma mulher, “um discurso de tolerânciaâ€? alizadas uma vez por mĂŞs. Na festa, chamada de mas, pouco antes de se casar, e voltada predominantedecidiu revelar Ă  famĂ­lia dela mente para o pĂşblico gay. “EletroGospelâ€?, bebidas alNo inĂ­cio, contavam ape- coĂłlicas nĂŁo sĂŁo permitidas. sobre sua orientação sexual. “NĂŁo sentia amor pela nas com cinco membros. “O objetivo ĂŠ que todos se minha noiva; apenas amiza- Hoje, a igreja jĂĄ tem 1,2 divirtam com moderação. de. Quando disse Ă  famĂ­lia PLO Ă€pLV H VHLV Ă€OLDLV HVSD- Somos cristĂŁos e, portanto, dela que era gay, a fofoca lhadas pelo Brasil, alĂŠm contra qualquer promisse espalhou rapidamente. da sede no Rio de Janeiro. FXLGDGHÂľ DĂ€UPRX /DQQD

EvangÊlico abandonou a noiva ao revelar sua opção

Marcos Gladstone fundou LJUHMDMXQWRFRPVHXSDUFHLURHPHKRMHWHPPDLVGHPLOÂżpLV

RETIROS

COMPANHEIRAS

SEM TRAUMA

Na ‘Igreja CristĂŁ ContempoUkQHDÂśRVÂżpLVVmRFRQYLGDdos a participar de retiros espirituais, que ocorrem durante o Carnaval. Segundo Gladstone, a igreja recebe centenas de e-mails por dia de gays que tĂŞm medo de “sair do armĂĄrioâ€?. “Nosso WUDEDOKRpGHDFRQVHOKDmento. É muito importante que um jovem homossexual nĂŁo se sinta sozinho mesmo quando a famĂ­lia nĂŁo aceita sua orientação sexual.â€?

Hå seis anos, a piauiense Suane Borges, de 43 anos, participava da Parada Gay de São Paulo quando foi abordada por XP¿HOGD,JUHMDGD&RPXQLdade Metropolitana (ICM), de quem partiu um convite para visitar a sede da congregação, voltada para o público homossexual, no centro de São Paulo. Criada na Igreja Católica, Susane temia participar de cultos tradicionais. Desde 2005 vivendo com a companheira, Noemi Miranda, de 51 anos, ela jå não aguentava mais ser vítima de preconceito.

A travesti operadora de telemarketing Josiane de Sousa, de 25 anos, entrou pela primeira vez em uma igreja ‘inclusiva’ no centro de SĂŁo Paulo certa de que ali reviveria um passado que queria esquecer. Assim como muitos dos atuais membros da ‘Igreja CristĂŁ Metropolitana’ (ICM), voltada predominantemente para o pĂşblico gay, ela costumava frequentar uma igreja HYDQJpOLFDRQGHFDQWDYDQR coral. Josiane foi expulsa de uma LJUHMDHYDQJpOLFDDFRPHoDUDVH vestir como mulher

7UDEDOKRSDUDVDLU GHLVRODPHQWR

nos anos 90

9LYtDPRVHVFRQGLGDVDWpHQFRQWUDULJUHMD

7UDYHVWLDĂ€UPDWHU PDLVOLEHUGDGH


8

PUBLICIDADE

TribunaIndependente

0$&(,Ă?'20,1*2'(0$,2'(

Mundo

Maioria das mortes infantís são por infecções que poderiam ser prevenidas $PDLRUSDUWHGDVPRUWHVLQIDQWLVpSURYRFDGDSRULQIHFo}HVTXHSRGHULDPVHU SUHYHQLGDVGHDFRUGRFRPHVSHFLDOLVWDV(PXPHVWXGRSXEOLFDGRQDUHYLVWD /DQFHWXPDHTXLSHDPHULFDQDDQDOLVRXGDGRVUHODWLYRVDPRUWDOLGDGHLQIDQWLO HPWRGRRPXQGRHP(OHVGHVFREULUDPTXHGRLVWHUoRVGDVPLOK}HV GHFULDQoDVTXHPRUUHUDPDQWHVGHFRPSOHWDUFLQFRDQRVIRUDPYtWLPDVGH LQIHFo}HVVHQGRSQHXPRQLDDSULQFLSDOGHODV8PGRVHVSHFLDOLVWDVGLVVHTXH HUDPXLWRLPSRUWDQWH³WUDGX]LUWDLVGHVFREHUWDVHPDomR´$HTXLSHGDHVFROD GHVD~GHS~EOLFD-RKQV+RSNLQV%ORRPEHUJDQDOLVRXYiULDVIRQWHVGHGDGRV LQFOXLQGRSHVTXLVDVGRPLFLOLDUHVHVLVWHPDVGHFDGDVWUDPHQWRGHSDtVHV

Chegou a pĂ­lula preventiva da Aids (8$DSURYDUDPDDGRomRGDGURJDGHSRLVTXHHVWXGRVFRPSURYDUDPVXDHÂżFjFLDGHSUHYHQomRGDGRHQoDHPDWpGRVFDVRV

C

onsultores sanitårios dos Estados Unidos recomendaram na última quinta-feira a adoção da droga Truvada como a primeira pílula preventiva contra a Aids. O Comitê de Aconselhamento de Drogas Antirretrovirais, que assessora a Food and Drug Administration (FDA), agência que regula os alimentos e os medicamentos nos Estados Unidos, aprovou por 19 votos contra 3 a prescrição do Truvada para homens homossexuais HIV-negativos, e por 19 votos a 2 (uma abstenção) receitar a droga para cônjuges não infectados cujos parceiros têm Aids. O Truvada atualmente estå disponível como tratamento para soropositivos em combinação com outras drogas antirretrovirais e a FDA o aprovou em 2004. A fabricante de medicamentos Gilead Sciences Inc., da Califórnia, apresentou uma solicitação para poder comercializå-lo com objetivos de prevenção. Comportamento de risco

Resultados de estudos de referência publicados em 2010 demonstraram que a droga, fabricada pela Gilead Sciences, ajudou a repelir o HIV em homens homossexuais que adotam comportamentos de risco de 44% para quase 73%. Mas críticos observam que a pílula Ê cara - custa atÊ US$ 14 mil ao ano - e outros alertam que o teste clínico não representa as circunstâncias do mundo real e poderia provocar um aumento na pråtica de sexo sem proteção em uma retomada nos casos de Aids. Os dados usados provêm principalmente do Estudo de Prevenção do HIV iPrEx, pesquisa realizada entre julho de 2007 e dezembro de 2009 em seis países: Brasil, Equador, Peru, à frica do Sul, Tailândia e Estados Unidos. O estudo foi realizado com 2.499 homens homossexuais, inclusive 29 transexuais, com idades entre 18 e 67 anos, sexualmente ativos, mas não infectados com o vírus causador da Aids.

Dose diåria Os participantes foram selecionados ao acaso para tomar uma dose diåria de Truvada - combinação de 200 miligramas de emtricitabina e 300 milligramas de tenofovir disoproxil fumaratoo - ou um placebo. Aqueles que tomaram o novo medicamento com regularidade tiveram uma incidência quase 73% menor de infecçþes. Em todo o estudo, LQFOXLQGRDTXHOHVTXHQmRÀzeram um uso tão seguido do Truvada, houve 44% menos infecçþes do que entre aqueles que tomaram o placebo. O mÊtodo de ingestão do medicamento antes da potencial exposição ao +,9 p GHQRPLQDGR SURÀODxia prÊ-exposição (PrEP). Depois da publicação do estudo no periódico New England Journal of Medicine, alguns especialistas saudaram os resultados, denominando-os de uma virada de mesa e a primeira demonstração de que um medicamento oral jå aprovado poderia reduzir a probabilidade de infecçþes por HIV

DDDDD

Estudos de referĂŞnciaGHPRQVWUDUDPTXHDGURJDDMXGRXDUHSHOLUR+,9HPKRPHQVKRPRVVH[XDLV

ALERTA

Especialistas advertem para comportamentos de risco Apesar do aval tĂŠcnico, outros especialistas alertaram para os riscos de se depender das pessoas - particularmente aquelas que jĂĄ tiveram comportamentos de risco - em ingerir uma pĂ­lula diĂĄria. “PoderĂĄ haver um aumento do risco para os homens que, acreditando falsamente estar 100% protegidos, parem de usar preservativos. Uma redução no uso do preservativo VLJQLĂ€FDULD XP ULVFR PDLRU de transmissĂŁo e disseminação de um vĂ­rus resistente a medicamentosâ€?, alertou em um comunicado a Aids Healthcare Foundation. ´2V  TXH VH EHQHĂ€ciaram do Truvada no estudo iPrex foram aconselhaGRV PHQVDOPHQWH H Ă€]HUDP exames frequentes para detectar infecçþes sexuais, algo que nĂŁo ĂŠ verossĂ­mil no mundo realâ€?, acrescentou. Os homens homossexuais representam mais da metade dos 56 mil novos casos de HIV nos Estados Unidos, segundo os Cen-

ComportamentoGHULVFRFRQWLQXDVHQGRGHVDÂżRjSUHYHQomR

tros de Controle e Prevenção de Doenças do país. Uma anålise do custo e benefício, realizada no mês passado por especialistas da Universidade de Standford, sugeriu que o

PHGLFDPHQWR VHULD ÀQDQceiramente viåvel entre homens gays com cinco parceiros ou mais ao ano, mas seria proibitivamente caro se promovido para todos os homossexuais masculinos.


TribunaIndependente

0$&(,Ă?'20,1*2'(0$,2'(

Cidades

CIDADES

9

Após perder parente com câncer, enfermeira Ê incentivadora do exame $HQIHUPHLUD0DULD$PpOLD9LHLUDpXPDGDVSUR¿VVLRQDLVGDVD~GHS~EOLFD TXHGHIHQGHHLQFHQWLYDDVPXOKHUHVDID]HUHPRH[DPHSUHYHQWLYRGR FkQFHUGRFRORGR~WHURDFLWRORJLDRX3DSDQLFRODX³(XSHUGLXPDSULPD GHDQRVGHLGDGHTXHWLQKDFkQFHUGRFRORGR~WHURHHXQmRFRQVHJXL DMXGiODSRUTXHHODVHDIDVWRX´UHODWDDHQIHUPHLUD(ODDFUHGLWDTXHDV PXOKHUHVHVWmRGHVSHUWDQGRPDLVSDUDRVFXLGDGRVFRPDSUySULDVD~GH 6HJXQGR$PpOLD9LHLUDDIDL[DHWiULDGHDDQRVGHLGDGHpDTXH PDLVSURFXUDDVXQLGDGHVGHVD~GHSDUDUHDOL]DURSUHYHQWLYR³$VYLUJHQV WDPEpPSRGHPID]HURH[DPH´FRQWDDHQIHUPHLUD

Maceioense falha na prevenção de câncer &DSLWDOp~OWLPDGRUDQNLQJQDFLRQDOHPUHDOL]DomRGHFLWRORJLDRQFyWLFDSHODVPXOKHUHVTXHSUHYLQHFkQFHUGRFROR ANDREZZA TAVARES 5(3�57(5

A

s mulheres fazem de tudo para ficar de bem com o espelho e consigo mesmas. São tratamentos estÊticos e de beleza que demandam muito tempo, como as tão conhecidas escovas definitiva, progessiva, inteligente e por aí vai. Mas a preocupação não Ê a mesma quando o assunto Ê saúde. Uma pesquisa do MinistÊrio da Saúde divulgada no mês passado mostra que Maceió tem o pior índice entre as capitais, quanto à realização de citologia oncótica para prevenir o câncer do colo do útero. A pesquisa mostra que apenas 68% das mulheres de 25 a 59 anos fizeram o exame nos últimos três anos. Em situação menos mal, estão João Pessoa, na Paraíba, com 71%, e Teresina, no Piauí, com 72%. São Paulo e Curitiba são as capitais que dão exemplo em prevenção. As duas apresentaram índice de 90% e estão em primeiro e segundo logar. A citologia oncótica ou Papanicolau Ê um exame que serve para diagnosticar lesþes prÊ-malignas e malignas no

colo do Ăştero. A ginecologista Lusitânia Barros, coordenadora do Programa de Atenção Integral Ă SaĂşde da Mulher, da Secretaria Municipal de SaĂşde, explica que o HPV (Papiloma VĂ­rus Humano) estĂĄ presente na maioria absoluta dessas lesĂľes. “O HPV ĂŠ o chocolate do bolo de chocolate. Sem ele nĂŁo tem bolo de chocolate, mas para fazer o bolo sĂŁo necessĂĄrios outros ingredientes como leite, ovos, farinha de trigo, etc, sĂŁo os cofatores, os ‘amiguinhos’ do HPVâ€?, exemplifica a ginecologista, mostrando que ĂŠ possĂ­vel prevenir o câncer, mesmo tendo HPV. O vĂ­rus ĂŠ transmitido pelo contato sexual. Dos 25 aos 64 anos de idade, a citologia deve ser feita anualmente e, apĂłs dois resultados negativos, o exame deve ser feito a cada trĂŞs anos. Lusitânia Barros conta que os Ă­ndices ou indicadores de saĂşde de MaceiĂł sĂŁo avaliados e discutidos mensalmente com o secretĂĄrio, as direçþes e coordenaçþes, de onde saem sugestĂľes de atividades para melhorar os nĂşmeros, que refletem a qualidade da assistĂŞncia prestada Ă  população. 6$1'52/,0$

$'$,/621&$/+(,526

Apenas 68% das maceioensesSURFXUDUDPRVHUYLoRGHVD~GHQRV~OWLPRVWUrVDQRVSDUDUHDOL]DUH[DPHFRQWUDFkQFHUGHFRORGH~WHUR

FALTA DE INFORMAĂ‡ĂƒO

Mulheres fogem do exame com desculpas *LQHFRORJLVWDDOHUWDTXHPDLRUGRTXHDGRUGRH[DPHpDGRUGDPXWLODomR

MĂŠdica ressaltaTXHPXOKHUTXHMiLQLFLRXYLGDVH[XDOGHYHVHSUHYHQLU

Segundo relata a coordenadora do Programa de Atenção Integral Ă SaĂşde da Mulher, da Secretaria Municipal de SaĂşde, a ginecologista Lusitânia Barros, algumas das desculpas dadas pelas mulheres para nĂŁo realizar a citologia sĂŁo as seguintes: “NĂŁo estou sentindo nadaâ€?. “SĂł tive meu maridoâ€?. “Meu marido nĂŁo deixaâ€?. “Fulana foi mexer no que tava quieto e perdeu o cabeloâ€?. Apesar da facilidade no acesso ao exame, sĂŁo muitas as dificuldades encontradas pelos profissionais de saĂşde para convencer as mulheres a

ALERTA

MACEIĂ“

SĂł 20% fizeram o exame de citologia no ano passado Das 260 mil mulheres que vivem na capital alagoana, com idade de 25 a 64 anos, apenas 20% fizeram o exame de citologia no ano passado, uma delas ĂŠ a camareira Gilvânia da Silva Santos, de 37 anos de idade, que faz a citologia frequentemente. “Depois que o meu exame deu uma alteração, hĂĄ quatro anos, eu faço a citologia duas vezes por anoâ€?, declara. “A gente vai deixando sempre para amanhĂŁ, mas quem bem soubesse fazia o exame todos os anosâ€?, ressalta, deixando um recado para as mulheres que nĂŁo realizam os exames rotineiramente. “De uma simples inflamação, pode dar um câncerâ€?, completa. A mĂŠdica ginecologista Lusitânia Barros fala que para as mulheres que nĂŁo fazem os exames com frequĂŞncia, os riscos sĂŁo inerentes ao diagnĂłstico de um câncer avança-

realizarem o exame. Lusitânia Barros conta que, recentemente, precisou de meia hora para convencer uma mulher, que acompanhava o filho no psicĂłlogo, a realizar a citologia e a mamografia. “AlĂŠm da dificuldade de convencĂŞ-las a fazerem um exame que ĂŠ para o bem delas, muitas nĂŁo vĂŁo buscar o resultadoâ€?, esclare. A enfermeira Maria AmĂŠlia Vieira diz que sempre explica para as pacientes que nĂŁo adianta fazer a citologia e nĂŁo pegar o resultado. “Assim a citologia perde o efeito preventivo. Se nĂŁo pegou o resul-

tado, nĂŁo fez nadaâ€?, afirma. Ela acredita que ainda falta informação quanto Ă realização do exame. “Algumas mulheres dizem que dĂłi, ou que vai tirar o colo do Ăşteroâ€?, conta. Para a ginecologista Lusitânia Barros, dolorosa ĂŠ a mutilação, que muitas vezes vem acompanhada do abandono do companheiro e de certa discriminação de algumas pessoas que faziam parte do convĂ­vio dessa mulher. “O incĂ´modo da citologia e a dor, que ĂŠ uma pressĂŁo de menos de um minuto, sĂŁo perfeitamente suportĂĄveis,

pois aguentamos parto normal sem anestesia, depilação com cera, e arrumar as sombracelhas com pinça, entre tantas outras doresâ€?, compara a ginecologista. De acordo com Lusitânia Barros, todas as mulheres que tenham iniciado sua vida sexual, independente da idade, devem fazer a citologia, que ĂŠ garantida por lei para mulheres a partir dos 25 anos. “Quaisquer dificuldades de acesso deverĂŁo ser comunicadas Ă ouvidoria pelo 3315-5254 ou pelo email ouvidoriasaude@bol.com.brâ€?, informa. (A.T.)

Ă?ndice de mamografias tambĂŠm ĂŠ ruim 6$1'52/,0$

do, com mutilação, tratamento agressivo, e menor tempo de sobrevida. Segundo informaçþes do Programa de Atenção Integral Ă SaĂşde da Mulher, da Secretaria Municipal de SaĂşde, o câncer do colo do Ăştero vitimou 32 mulheres em MaceiĂł somente no ano passado. A doença ĂŠ o segundo tipo de câncer que mais mata mulheres na capital alagoana. Pesquisas revelam que no Brasil, a cada uma hora, uma pessoa ĂŠ diagnosticada com câncer do colo do Ăştero. RELATO “Ontem eu coletei material para a citologia de uma mulher que nĂŁo fazia o exame hĂĄ cinco anos, e a desculpa foi que nĂŁo estava sentindo nada esses anosâ€?, relata a enfermeira Maria AmĂŠlia Vieira. Dessa vez, a mulher foi procurar o posto de saĂşde por que Exame consegueGHWHFWDUQyGXORVDSDUWLUGHPHLRFHQWtPHWUR estava sentindo dor. (A.T.)

NĂŁo ĂŠ sĂł na prevenção de câncer de colo de Ăştero que MaceiĂł estĂĄ em situação ruim. A capital ocupa a terceira pior colocação do Nordeste e a dĂŠcima pior do paĂ­s em frequĂŞncia de mulheres de 50 a 69 anos que realizaram a mamografia nos Ăşltimos dois anos. O exame ĂŠ fundamental para detectar o câncer de mama. Os dados do MinistĂŠrio da SaĂşde apontam que 68% das maceioenses fizeram a mamografia no perĂ­odo. O Ăşltimo lugar do ranking ĂŠ de Rio Branco, no Acre, com 50%, e o primeiro ĂŠ de VitĂłria, no EspĂ­rito Santo, com 86%. A mamografia ĂŠ um exame importante para detectar o câncer de mama. “Quanto mais cedo for descoberto, maiores sĂŁo as chances de cura do câncerâ€?, declara a coordenadora do Programa de Atenção Integral Ă SaĂşde da Mulher, da Secretaria Municipal de SaĂşde, a ginecologista Lusitânia Barros. “A mamografia ĂŠ importante nĂŁo como diagnĂłstico, mas como investigação, rastreamento.

Quem procura acha a curaâ€?, afirma. O exame ĂŠ capaz de detectar tumores a partir de 0,5 centĂ­metros. “MĂŁos experientes de mĂŠdicos e enfermeiros conseguem encontrar apenas nĂłdulos de um centĂ­metro apalpando as mamas. Com um nĂłdulo de um centĂ­metro, a mulher jĂĄ estĂĄ com oito anos de doençaâ€?, informa Lusitânia Barros. A mamografia deve ser feita a cada dois anos em mulheres de 50 aos 69 anos de idade, porĂŠm o exame ĂŠ garantido por lei, a partir dos 40 anos de idade. O percentual de mulheres que realizam a mamografia tem relação com a escolaridade: quanto mais anos de estudo, aumenta o nĂşmero de exames, de acordo com a pesquisa do MinistĂŠrio da SaĂşde. De zero a oito anos de estudo, o Ă­ndice de mamografia entre as brasileiras ĂŠ de 68,5%, de nove a 11 anos, o Ă­ndice sobe para 80,6%, e com mais de 12 anos de escolaridade, o Ă­ndice de realização da mamografia chega a 87,9%. (A.T.)


10

PUBLICIDADE

MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

TribunaIndependente


TribunaIndependente

MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

PUBLICIDADE

11


12

CIDADES

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

&XLGDUGRÀOKRFRPHoDQDJHVWDomR Nutricionista aponta quais os alimentos mais adequados para as mamães durante a gravidez e a amamentação

“S Posse em Delmiro

O

novo Conselho Estadual do Fundo de Desenvolvimento da Educação Båsica (Fundeb) tomou posse no último dia oito. A solenidade foi realizada na 15ª Coordenadoria Regional de Ensino (CRE), localizada no Centro Educacional Antonio Gomes de Barros. A União dos Vereadores de Alagoas (Uveal), que tem o direito a dois representantes no Conselho, indicou o vereador por Delmiro Gouveia e professor Edvaldo Nascimento (PCdoB) e a vereadora por Arapiraca, Graça Lisboa, para representarem os vereadores alagoanos neste Conselho.

TrajetĂłria de luta “AlĂŠm de ser professor tenho uma trajetĂłria na luta sindical, atravĂŠs do Sinteal, sendo um dos fundadores do nĂşcleo regional do Alto SertĂŁo. Para mim ĂŠ uma grande satisfação participar, jĂĄ que tambĂŠm represento a RegiĂŁo do SertĂŁo neste colegiadoâ€?, ressaltou Edvaldo.

Estavam presentes

Vozes femininas

Na posse estiveram presentes representantes da Secretaria de Estado da Educação, atravÊs do chefe de gabinete do secretårio, JosÊ Inåcio da Silva Filho; representantes dos trabalhadores da Educação, como o professor Milton Canuto e Girlene Låzaro, e os representantes da AssemblÊia Legislativa: deputados Inåcio da Loiola (PSDB) e Ronaldo Medeiros (PT), alÊm de representantes da sociedade. O Conselho Estadual do Fundo de Desenvolvimento da Educação Båsica Ê responsåvel pelo acompanhamento, ¿VFDOL]DomRGRVUHFXUVRVGR(VWDGR relacionados ao Fundeb.

O Memorial da Mulher Ceci Cunha foi selecionado com a Exposição Vozes Femininas: O Tom da História, para estar fazendo parte das exposiçþes da Casa do Patrimônio em Maceió. A exposição conta a história da cultura musical atravÊs das belíssimas vozes femininas de mulheres arapiraquenses. O resultado da seleção se deu atravÊs do edital para seleção de exposiçþes para a Casa do Patrimônio de Maceió.

er mĂŁe ĂŠ padecer no paraĂ­soâ€?. Esta, com certeza, serĂĄ uma das frases mais lembradas neste domingo, data em que se comemora o Dia das MĂŁes. A citação poderia lembrar que o status de “mĂŁeâ€? nĂŁo ĂŠ apenas de prazer, mas de zelo, pois exige da mulher mudanças no seu comportamento, rotina e cuidados reforçados com a alimentação do filho, desde a gravidez. De acordo com a nutricionista Larissa Albuquerque, a alimentação ĂŠ um ponto importante a ser zelado durante e apĂłs a gestação, quando a mulher estĂĄ amamentando. â€œĂ‰ preciso que a mulher coma muita fruta, verdura, coisas magras e evite alimentos gordurosos e produzidos na ruaâ€?, afirma. Para Larissa, algumas bebidas tambĂŠm devem ser retiradas do cardĂĄpio, tais como refrigerante e cafĂŠ. Ela lembra que as gestantes que possuem o costume de tomar muito cafĂŠ podem fazer a retirada aos poucos, assim como do refrigerante. “O maior mal do refrigerante ĂŠ que ele afeta diretamente na formação Ăłssea do bebĂŞ. Por isso, ĂŠ recomendado que a gestante tenha a opção por outros lĂ­quidosâ€?, diz. Durante a gestação, o con-

sumo de lĂ­quidos tambĂŠm ĂŠ um dos fatores cruciais para a produção do leite materno, o melhor alimento para os recĂŠm-nascidos. Segundo a nutricionista, nĂŁo hĂĄ um alimento especĂ­fico que ajude na produção do leite. “Bastante lĂ­quido, suco, mas nada especĂ­fico. Este consumo de lĂ­quido ajuda e muito para a mulher ter leite maternoâ€?, explica. Os cuidados com alimentação devem continuar mesmo apĂłs o nascimento da criança. O organismo frĂĄgil do recĂŠm-nascido fica vulnerĂĄvel a dores e cĂłlicas, que podem chegar a durar atĂŠ trĂŞs meses. Para evitar a cĂłlica na criança, mais cuidados e prevençþes devem ser tomados. “Chocolate, refrigerante e excesso de doce precisam ser evitados pelas mamĂŁes apĂłs o nascimento da criança. Estes alimentos, que fermentam mais, influenciam e causam desconforto Ă criança que ĂŠ amamentadaâ€?, explica a nutricionista. “A amamentação ĂŠ o melhor alimento para o bebĂŞ. É bom lembrar que quando a mulher estĂĄ amamentando, ela precisa comer bem para repor o que estĂĄ sendo gasto de trĂŞs em trĂŞs horasâ€?, finaliza a nutricionista. DIVULGAĂ‡ĂƒO

Novo Lino 1RGRPLQJR  VHUiODQoDGDDSUpFDQGLGDWXUDGR9DVFR5XÂżQRQR Canavieiro Lima Clube, em Novo Lino, onde tambĂŠm irĂĄ acontecer o Encontro Regional do PSDB. ParticiparĂŁo do encontro os tucanos de todo o Estado, que ainda poderĂŁo contar com a palestra do professor e cientista polĂ­tico Eduardo MagalhĂŁes. A mesa serĂĄ coordenada pelo presidente estadual, Claudionor AraĂşjo.

Educação

Programação

A Secretaria de Educação e Centro de Orientação Educacional Especializado (COEE), que atende crianças e jovens com necessidades especiais SRUWDGRUHVGHGH¿FLrQFLDYLsual, física, auditiva e mental), realizou, na manhã da última sexta-feira (11), atividades com as mães.

A programação ocorreu no Centro de Apoio às Escolas de Tempo Integral, localizado na Praça Luiz Pereira Lima, no centro da cidade. Como parte das açþes, foram realizadas palestras, dança, entre outras apresentaçþes artísticas e culturais para homenagear as mães das crianças e jovens atendidos pelo COEE.

Marechal Deodoro $&DPSDQKD1DFLRQDOGH9DFLQDomRFRQWUD,QĂ€XHQ]DFRPHoRX no sĂĄbado (5 de maio), com o Dia “Dâ€? da vacinação em todo o Brasil, HVHJXHDWpRGLDGHVWHPrV(HP0DUHFKDO'HRGRURQmRIRLGLIHrente. No primeiro dia da campanha, a Secretaria Municipal da SaĂşde colocou Ă disposição da população diversos pontos de vacinação como as Unidades BĂĄsicas de SaĂşde (Postos de SaĂşde) e o Posto Central da cidade.

Vacinação

Campanha

O secretårio municipal de Saúde, Augusto CÊsar Cruz, comentou que em Marechal Deodoro a meta Ê vacinar 80% de toda a população alvo da campanha no município. E desde a última segunda-feira (7) a campanha estå em andamento, de segunda a sexta-feira, em todas as Unidades Båsicas de Saúde do município, das 8 às 17 horas.

A campanha contempla adultos com 60 anos ou mais, crianças entre seis meses e menores de dois anos de idade, gestantes em qualquer período da gestação, trabalhadores da saúde, população indígena, pessoas com doenças crônicas (mediante prescrição ou receita mÊdica) e população carceråria.

... Por falar em Marechal Deodoro, o prefeito Cristiano Matheus, juntamente com o diretor da SMTT, Mårio Amorim, e com o inspetor Ramos, R³5DPLQKR´IH]DVVLQDWXUDR¿FLDOGDOHLTXHUHJXODPHQWDDSUR¿VVmRH o serviço de mototåxi no município. A legalização era muito aguardada pelos mototaxistas. AlÊm da assinatura, a prefeitura fez ainda a doação GRVFROHWHVTXHVmRXWLOL]DGRVSHORVSUR¿VVLRQDLVQRFRWLGLDQRGDIXQção. ... A assinatura foi realizada no gabinete do prefeito com a presença dos SUR¿VVLRQDLVGDFDWHJRULDHGHPDLVDXWRULGDGHVFRPRRSUHVLGHQWHGD Associação dos Mototaxistas Autônomos de Marechal Deodoro - AmaPG-RVp)UDQFLVFRTXHIDORXGDLPSRUWkQFLDGDUHJXODUL]DomRSDUD DFODVVH³1LQJXpPpIRUWHVR]LQKReLPSRUWHUHVVDOWDURDSRLRTXHD SUHIHLWXUDWHPQRVGDGRHSULQFLSDOPHQWHKRMHFRPDUHJXODPHQWDomR GHPDLVHVVHVHUYLoRSDUDRSRYRGH0DUHFKDO'HRGRUR´FRPHQWRX ... O prefeito disse demonstrar alegria e satisfação em legalizar esse serviço em benefício de todos os deodorenses, e disse que os mototaxistas hoje podem prestar um serviço de qualidade na legalidade, que Ê

Alimentos com menos gordura e muito lĂ­quido sĂŁo aliados do leito materno

AĂ?LTON VILLANOVA ailton.villanova@gmail.com

Aristolino, o suicida bizarro!

B

eiços pintados de um incrível vermelho e toda perfumada, Maria Raquel parou na porta, encarou o Aristolino e falou decidida e secamente: - Estou indo embora! Perplexo, Aristolino agarrou-se ao portão sobre o qual se achava debruçado e retrucou: - Você estå louca, mulher?! E ela fria, impassível, cruel: - Não estou louca coisa nenhuma! Vou lhe deixar e pronto! Då mais não, Ari... - Não då mais por quê, meu amor? - Cansei. Só isso. Vou-me embora! - Pra onde? - Pra casa dos meus pais, na Ponta Grossa, ora! Não foi lå onde você me encontrou? O domingo estava cinzento, o cÊu cheio de nuvens carregadas. O såbado inteiro tinha sido de chuva... e deles dois. Raquel e Aristolino haviam gastado todo o dia anterior rolando na cama, fumado incontåveis cigarros, depois de reiterados goles de rum com refrigerante. Havia um ano viviam juntos, numa boa. Nenhuma briga, a menor discussão. Aquela atitude da Raquel era incompreensível. - Você endoideceu, Quelzinha! Só pode ter sido! Sair de casa, assim, sem quê e nem pra quê! Cabeça baixa, soluço sufocado na garganta, o machão baqueou. As lågrimas rolaram pela cara abaixo. - Se você me largar eu morro! – desabafou Aristolino. - Morre nada! – duvidou a mulher. - Morro! Eu me mato! - Ah, Ari, drama pra cima de mim, não, tå legal? - Tô falando, Quelzinha. Eu me mato! Encostado no portão, Aristolino impedia a passagem da Raquel, que segurava uma valise. Poucas coisas dentro dela – algumas roupas, objetos de maquiagem... besteiras. Diante do portão parou um velho desdentado, carregando uma pequena cesta: - Vocês vão querer amendoim torradinho? – perguntou. NinguÊm respondeu, ele insistu: - É amendoim de primeira, meu patrão. Vai querer? Aristolino decidiu: - Não! Agora se mande! * **** Dentro de casa, a televisão ligada, todas as luzes acesas, um sabiå cantava. Plantada na soleira da porta, Raquel encarava o Aristolino: - Sai da frente que eu vou passar! E ele, lacrimoso: - Saio não, Quelzinha! Fica, pelo amor de Deus! - Fico não! Jå disse que não fico? Não fico, pronto! Na gaiola, o sabiå firmou-se nas canelinhas, baixou a cabecinha, Ari gemeu: - Você quer me ver no caixão, não Ê? Sarcåstica, Raquel respondeu: - AtÊ que seria uma boa! - Ah, meu Deus! Como você Ê insensível! - Sai da frente pra eu passar, Ari. Daqui a pouco começa a chover de novo e eu vou me molhar toda, atÊ o ponto do ônibus... - Saio não. Por aqui você só passa se for por cima do meu cadåver! - AlÊm de dramåtico, você Ê cínico! - E você Ê uma bandida! - É a mãe! Bandida Ê a mãe! Nesse momento a loucura apossou-se do Aristolino. Ele pulou no terreiro, esticou o dedão em direção a Raquel e acusou:

- Jå sei! Você arrumou outro cara, sua puta! - Puta Ê o cu da sua mãe! Me respeite, seu cachorro! E ele, descontrolado, furioso, muito doido: - Pensa que não sei? Você arrumou outro! Pra você eu não passou de um... um... - ... corno! - Corno?! Eu sou mesmo corno, Quelzinha? - Você Ê quem estå dizendo! Aristolino aprumou-se e partiu pra cima da mulher. Pegou-a pelo pescoço, encostou-a na parede e berrou na venta dela: - Fala! Fala, Quelzinha! Eu sou corno? ***** O domingo cinzento empreteceu rapidinho. Então, a chuva desabou violenta. Cada pingo parecia uma flexada no chão. Sufocada, cara arroxeada e com os olhos esbugalhados, Raquel balbuciou: - É não, Ari. Você não Ê corno não, porque eu nunca fui puta! Aristolino afrouxou a pressão e, patÊtico, cara lavada de chuva, resfolegou: - E então por que você estå querendo me deixar, nojenta? - Nojenta Ê a mãe! - Responde, Quelzinha? - O quê? - Por que você estå indo embora? - Eu jå lhe disse que cansei de você! - Eu não vou deixar você ir! - Vai! Vai, sim! Você não Ê meu dono! - Sou! Sou seu dono, sim! - Eu chamo a polícia! - Pois chame a polícia! Raquel abriu o bocão: - Socooooorrrooo! Políííííciaaa! Na casa ao lado assomou à porta um vizinho parrudão, que quis saber o que estava ocorrendo. Aristolino respondeu: - Fique na sua, meu irmão! Aqui se trata de briga entre marido e mulher! Raquel aproveitou o momento para reiterar o pedido de socorro: - Me acuda, seu Galileu! Esse monstro estå querendo me matar! Num minuto a vizinhança inteira tomava conta da rua Santo Antônio, pedacinho acidentado do Vergel do Lago. E todos decidiram socorrer a Raquel. Quando ela dobrava a esquina da rua esburacada e lamacenta, enfim a caminho da liberdade, ouviu o grito desesperado do ex-amor: - Eu vou me matar, sua desgraçada! E a culpa serå sua!! Determinadíssimo, Aristolino, então, se preparou para cumprir a promessa, à moda dos suicidas mais radicais: encheu um copo de ågua com veneno de rato e despejou dentro do dito cujo uma enorme quantidade de vidro ralado. Em seguida, bebeu a inusitada e corrosiva mistura. Depoís, correu atÊ o banheiro, pegou uma lâmina de barbear, cortou os pulsos e, finalmente, deu um tiro de revólver na própria cabeça. Apesar de tudo isso o infeliz não morreu! Quem morreu foi a Raquel, quando atravessava a rua para pegar o ônibus que a levaria atÊ a casa dos pais. Foi atropelada por um trator da prefeitura.


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

CIDADES 13

Obras na AL-101 Sul terminam em agosto Superintendente do Departamento de Estradas de Rodagem informa que 90% dos trabalhos no local estĂŁo concluĂ­dos DANIEL MAIA REPĂ“RTER

E

stĂĄ quase tudo pronto para que o trânsito possa fluir de maneira plena na rodovia AL-101 Sul, que interliga MaceiĂł Ă Barra de SĂŁo Miguel. Na Ăşltima terça-feira o superintendente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Marcos Vital, informou que 95% das obras que acompanham a duplicação da rodovia estĂŁo concluĂ­das e o tĂŠrmino total estĂĄ previsto para o perĂ­odo que abrange o final de julho e inĂ­cio de agosto. De acordo com Marcos Vital, a data nĂŁo pode ser anunciada com exatidĂŁo, pois hĂĄ fatores que podem interferir no processo final da obra. “Quando se estabelece um cronograma de obras ĂŠ levada em conta a sazonalidade. Fatores climĂĄticos podem interferir, mas a previsĂŁo de tĂŠrmino ĂŠ para o mĂŞs de agostoâ€?, disse. A duplicação da AL-101

ADAILSON CALHEIROS

Sul teve a previsĂŁo de 24 meses para ser concluĂ­da. AtĂŠ agora 15,3 quilĂ´metros da rodovia foram liberados. Ainda restam 10,5 quilĂ´metros, que devem ser liberados em dois meses. A extensĂŁo total da duplicação ĂŠ de 25,8 quilĂ´metros. O trabalho foi realizado em 70% com os recursos do governo, com um investimento de R$ 70 milhĂľes, contando tambĂŠm aporte financeiro do MinistĂŠrio do Turismo. O atraso ĂŠ visto pelo superintendente da DER como algo natural, principalmente quando ĂŠ levada em consideração a expectativa histĂłrica que existia em torno do projeto. â€œĂ‰ normal que em 24 meses de obra se conclua a obra em trĂŞs anos e oito meses. Essa obra estĂĄ atrasada hĂĄ 10 ou hĂĄ 15 anos. O governo teve a ousadia de, em 24 meses de obra, ter a sazonalidade de seis meses. Tivemos ainda desafios como a desapropriação e perĂ­odos de chuvaâ€?, demonstrou. Obras da AL 101 Sul HVWmRHPIDVHFRQFOXVLYDHDSHVDUGRXPFHUWRDWUDVRSUHYLVtYHOWUkQVLWRGHYHĂ€XLUQRUPDOPHQWHQRPrVGHDJRVWR

COMPLEMENTO

Detran entrarĂĄ com R$ 15 mi para duplicação de rodovia Na sexta-feira, um projeto de lei de autoria do governo foi publicado no DiĂĄrio Oficial do Estado (DOE), que permite que o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) empreste R$ 15 milhĂľes para ajudar a concluir as obras de duplicação da AL-101 Sul. “O ĂłrgĂŁo dispĂľe de um caixa para

financiar as obras. O emprÊstimo tambÊm tem previsão legal�, disse a assessoria. A obra estå orçada em R$ 168,6 milhþes, sendo 2/3 dos recursos próprios e 1/3 de verba federal. Ainda restam R$ 30 milhþes para que as obras sejam finalizadas. Estå em fase de acaba-

mento o viaduto da Barra de SĂŁo Miguel, que terĂĄ mĂŁo dupla, medindo 90 metros. O viaduto que fica nas proximidades do Detran, que terĂĄ mĂŁo Ăşnica, no sentido Barra de SĂŁo Miguel-MaceiĂł, com uma extensĂŁo de 70 metros, estĂĄ na Ăşltima etapa dos trabalhos estruturantes. No

Francês, tambÊm estå em estågio de acabamento um viaduto de 108 metros, que terå mão dupla. No que se refere às pontes, duas jå foram concluídas e estão sendo utilizadas: Maceiozinho e Niquim. A Ponte Divaldo Suruagy, que passou pelo processo de duplicação,

e a ponte Massagueira estĂŁo com 80% dos trabalhos finalizados. Segundo o ĂłrgĂŁo, sĂŁo mais de 400 trabalhadores atuando na duplicação. “A implantação de uma obra rodoviĂĄria de longa duração causa certo desconforto Ă comunidade. Mas o

maior impacto serå o impacto econômico, onde todo o Estado de Alagoas sairå ganhando, com novos investimentos e aumento do fluxo turístico. Aquela região vai dar um salto imenso�, ressalta Marcos Vital, diretor do Departamento de Estradas e Rodagem. (D. M.)


14

CIDADES

TribunaIndependente

MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

Cuidado, noivos: casar pode dar motivos para separação Gastos com a festa do casamento podem gerar estresse e brigas entre o casal ADAILSON CALHEIROS

ALANA BERTO REPÓRTER

C

Flávia Cirino, recém-casada, comemora não ter desistido da festa por conta do estresse que vivenciou

CERIMÔNIA E FESTA

Valores de cada serviço variam de R$ 400 a mais de R$ 5 mil reais As opções de serviços e preços são variadas para quem deseja realizar uma festa de casamento. Cada dia, surge uma novidade sobre o assunto. “O universo é muito grande”, frisou a relações públicas Najara Felisberto, dona de um cerimonial. Para ela, o cerimonial é um desgaste a menos para os donos da comemoração. “O cliente economiza tempo e dinheiro”, explica. Para quem planeja comemorar o casório, a primeira coisa que deve ser feita, de acordo com a cerimonialista, é escolher a data e definir o número de convidados para poder fazer a escolha do local da festa. “Isso vai determinar o orçamento do buffet”.

Najara explica que o preço da festa depende muito do número de convidados e do cardápio escolhido. O cerimonial pode custar de R$ 400 a R$ 2 mil. A decoração pode custar em média R$ 2 mil. Um buffet padrão custa em média de R$ 35 a R$ 45 por pessoa e a orquestra contratada deve custar de R$ 4 mil a R$ 5.500. Produzir uma festa de casamento requer planos, e para quem pretende casar com toda pompa e circunstância pedida pela ocasião, Najara aconselha: “Os noivos devem respeitar seu estilo para que o casamento fique com a cara deles. A felicidade dos noivos reflete em toda a festa”. VESTIDO BRANCO O vestido é praticamen-

te o mais importante convidado da festa de casamento. Leonardo Sandres, que é estilista e atua na área há 11 anos, produzindo modelos para noivos e noivas, afirmou que chega a receber 25 casais por mês. Leonardo conta que já recebeu encomenda para um casamento que vai ocorrer em 2014, mas que geralmente ele é procurado pelos noivos seis meses antes da comemoração. O aluguel de um vestido de noiva pode custar de R$ 1.500 até R$ 6 mil. Esses custos dependem do tecido. Para quem deseja comprar um vestido, o valor pode chegar a R$ 12 mil. Já o aluguel da roupa do noivo pode chegar a R$ 500. (A.B.) SANDRO LIMA

Estilista diz que preço do aluguel do vestido varia de R$ 1.500 a R$ 2 mil; se for comprado, pode chegar a R$ 12 mil

FÓRMULA

Com noivo longe, ela organizou tudo e não teve estresse com festa A rotina da assistente social Priscila Monteiro para organizar uma festa de casamento com 320 convidados começou em janeiro do ano passado. A festa será realizada este mês. Entretanto Priscila se considera uma noiva tranquila. Ela contou que, como seu noivo está morando longe, a maior parte das decisões ficou com ela e, por isso, não

ocorreu conflito entre o casal em momento nenhum. Priscila sempre quis fazer uma cerimônia de casamento. “Eu acho bonita a cerimônia religiosa. A festa é só para compartilhar minha felicidade com as pessoas que amo”. Ela contratou um cerimonial, coisa que considerou muito importante. “O custo-benefício que um cerimonial

traz é muito bom. O pessoal já tem experiência em relação a tudo”. Mesmo pesquisando preço e com toda cautela, a assistente social afirmou que gastou além do que queria com o evento. “A única coisa que tinha medo em relação ao casamento era de não poder chamar toda a família, que é muito grande, mas está dando tudo certo”. (A.B.)

ontratos, igreja, buffet, banda, espaço da comemoração, número de convidados. Ter uma festa de casamento para reunir amigos e familiares é o sonho de quase todo casal. Entretanto os noivos precisam tomar cuidado para que o sonho não se transforme em pesadelo. Com tantos gastos que o casamento exige, muitas vezes o orçamento da festa vai sendo extrapolado e no fim das contas o casal gasta duas, três ou mais vezes o que era planejado. As contas e o estresse da organização podem trazer sérios problemas para os noivos e há quem desista de casar. A jornalista Flávia Cirino comemora que não foi o caso dela desistir da festa, mas a decisão passou pela sua cabeça. Ela preferiu não contratar cerimonial e cuidou de toda a organização da festa. Flávia conta que pensou em desistir em alguns momentos, mas, no final, a festa saiu como ela esperava. A comemoração começou a ser planejada no final de 2011 e aconteceu no final de abril deste ano. O casal optou por fazer a festa durante o dia para cortar gastos. Flávia não tinha um valor exato que esperava gastar com a comemoração, mas conta que esperava gastar mais ou menos a metade. A festa custou R$ 10 mil e algumas contas restaram, mas o casal acredita que vai conseguir quitar sem que abale seu orçamento. Para a jornalista, compensou realizar a festa sem contratar empresa de cerimonial. “O cerimonial ajuda muito quando é de responsabilidade. Eu me desgastei, mas saiu tudo como eu queria”. Para ela, quanto mais tempo para organizar a festa, melhor. “Quando se planeja com mais tempo, dá pra pesquisar preços e a festa sai mais em conta”. Quanto ao noivo, Flávia conta que ele é mais controlado, mas o casal chegou a entrar em atrito em consequência da comemoração. Para ela o resultado da festa foi positivo. “Quando eu pensei em desistir, não tinha como voltar atrás e não me arrependo em nenhum momento, a festa foi linda”. Agora o casal, que chegou de lua-de-mel há pouco tempo, está se instalando no novo apartamento. “Primeiro vamos organizar as coisas, para daqui a uns dois anos pensar em ter filhos”, diz. ORGANIZAÇÃO Ao contrário de Flávia, muitos casais contratam cerimoniais com seis meses ou um ano e meio de antecedência para administrar a organização da festa. As empresas de cerimoniais vão gerenciar o casamento participando do orçamento, ajudando a escolher as empresas desde a decoração até o vestido da noiva. A relações públicas Najara Felisberto, uma das sócias de uma empresa de cerimonial de Maceió, contou que a procura de noivos pelas empresas que organizam cerimoniais tem aumentado muito na capital alagoana. Ela afirma que chega a organizar duas ou três festas por final de semana. “Este aumento vem sendo percebido nos últimos dois anos, quando as pessoas começaram a investir mais”, destacou. Para Plínio Silva, psicólogo especialista em terapia de casal, o estresse depende da personalidade de cada um. Há pessoas que são mais tranquilas e a condição financeira conta muito. “O que as pessoas precisam fazer é colocar tudo no papel e manter a rotina. Porque de certa forma o desgaste de uma festa é esperado”, tranquiliza.


TribunaIndependente

Economia

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

ECONOMIA

15

Metodologia foi trazida pelo africano Aly N’Diaye, que repassa conhecimentos A metodologia Pais foi trazida para o Brasil pelo africano Aly N’Diaye, que, atÊ hoje, ministra palestras e cursos e repassa os seus conhecimentos às famílias. Em Alagoas, os instrutores que repassam a metodologia são indicados pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrårio, em parceira do Sebrae nesse processo. A meta Ê dispor de uma agricultura mais natural e saudåvel e aproveitar ao måximo a extensão de terras disponível para produzir uma varieade maior de produtos, sejam cultura ou criaçþes de animais.

6LVWHPD3DLVGLYHUVLÀFDVHPDJURWy[LFR Produção tem metodologia simples para uma agricultura sustentåvel que estå sendo ensinada a pequenos agricultores

C

om tÊcnicas simples, os produtores passam a praticar uma agricultura sustentåvel, sem uso de produtos tóxicos e com a preocupação de preservar o meio ambiente. Assim Ê a metodologia Pais – Produção Agroecológica Integrada e Sustentåvel, que estå sendo ensinada aos pequenos agricultores alagoanos. Nos dias 8, 9 e 10 de maio, 14 famílias dos municípios de Lagoa da Canoa, Girau do Ponciano e Olho d’à gua Grande foram capacitadas para implantar a metodologia. ETAPAS A primeira etapa da implantação Ê ensinar os agricultores a utilizarem a metodologia, que tem o objetivo de reduzir a dependência de insumos vindos de fora GD SURSULHGDGH GLYHUVLÀFDU a produção, racionalizar os recursos hídricos e produzir visando à sustentabilidade e à preservação ambiental. Dessa vez, o local escolhido para a explicação foi o Sítio Sivila, em Lagoa da Canoa. As famílias receberam um kit base contendo sementes, uma caixa d’ågua, sistema de irrigação e três círcu-

DIVULGAĂ‡ĂƒO

los - o galinheiro central e dois cĂ­rculos com hortaliças. “O primeiro objetivo dessa capacitação ĂŠ estimular a produção de alimentos para eles mesmos. Buscamos ensinar as famĂ­lias a como cuidar e cultivar em sua terra o prĂłprio alimento, e de forma muito saudĂĄvel, jĂĄ que nĂŁo utilizam nenhum tipo de pesticidaâ€?, explica Manoel Afonso, analista da Unidade de Atendimento Coletivo AgronegĂłcios do Sebrae Alagoas. A segunda etapa da implantação, que serĂĄ realizada nos prĂłximos meses, para que tenham tempo de plantar e colher, consiste no oferecimento de cursos para a comercialização do produto que eles cultivam. â€œĂ‰ importante tambĂŠm que eles ampliem suas ĂĄreas GHSURGXomRDĂ€PGHDXPHQtar seu consumo e sua renda, alĂŠm de que hĂĄ a necessidade de eles se ajudarem, porque, como as famĂ­lias Ă€FDP SUy[LPDV HOHV SRGHP e devem contar uns com os outros, principalmente na hora da comercialização, jĂĄ que juntos eles terĂŁo uma quantidade maior de produtos para levar atĂŠ as feirasâ€?, completa Manoel. Exemplo de modelo do Sistema Pais que visa uma agricultura sustentĂĄvel e produtiva para famĂ­lia

ORGĂ‚NICOS

Feira orgânica FHUWLĂ€FDGD pela Ecocert Mais uma feira voltada para a produção agroecolĂłgica e orgânica foi realizada ontem na Praça Ceci Cunha. SĂŁo produWRV  FHUWLĂ€FDGRV SHOD (FRFHUW Um dos objetivos do evento ĂŠ divulgar a importância de consumir esse tipo de produto, destacando os benefĂ­cios trazidos para a saĂşde, alĂŠm de fomentar a produtividade das famĂ­lias, garantindo, assim, a sustentabilidade e a geração de renda. Hoje, trabalhamos apenas com as feiras, a de MaceiĂł e a de Arapiracaâ€?, salienta. 'RQD 6HEDVWLDQD DĂ€UPRX que, ao longo dos 12 anos que desenvolve a agroecologia, a procura por esse tipo de produção aumentou bastante, jĂĄ que as pessoas tĂŞm se preocupado mais com a qualidade da alimentação. “Por isso ĂŠ tĂŁo importante que nossos produtos tenham um selo como o da Ecocert, pois os clientes tĂŞm certeza que estĂŁo comprando um alimento saudĂĄvelâ€?, concluiu a produtora.


16

ECONOMIA

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

Congresso reĂşne jovens empreendedores em AL

Caeje serå no Centro de Convençþes, nos dias 19 e 20 com ilustres palestrantes

E

mpreender virou a tendência do sucesso. Quanto mais cedo começar e criativo for, maiores são as chances de destaque. Alagoas recebe pela segunda vez o Congresso Alagoano de Empreendedorismo: Jovens & Empreendedores – Caeje, que acontece no Centro Cultural e de Exposiçþes Ruth Cardoso, nos dias 19 e 20 de maio. Com uma perspectiva voltada para a educação emSUHHQGHGRUD H ÀQDQFHLUD o Caeje traz novos nomes,

para conscientizar os jovens sobre a importância do empreendedorismo e estratÊgias de resultado. Em sua 2º edição em Maceió, o Congresso Ê idealizado pelo Instituto Guia de Ação, que promove o CPEJE, evento que jå Ê sucesso de público em Recife. A organização do evento faz questão em lembrar, que o empreendedorismo tratado no Caeje não Ê só assunto de administração, WRGRV RV HVWXGDQWHVSURÀVsionais devem ter noçþes båsicas, conviverem e co-

nhecerem um pouco mais sobre empreendedorismo. PALESTRANTES Edson Mackeenzy – RJ, Jussier Ramalho – RN, Renata Toletino – SP, AndrÊ Paffer – AL, Antônio Oliveira – AL, Beto Chaves – PB, Clezio Gontijo Amorim – PB, Eduardo Ferreira – AL, Ilton Filho – AL, Josilan Paulino – AL, Juliana Mascarenhas – AL, Ricardo Cabús – AL, Saulo Andrade – PE, Senivaldo Liberato – AL, SÊrgio Ricardo Pereira Accioly – AL, Wel-

ton Roberto – AL, Arthur Lopes e Mauricio Arruda.

SERVIÇO Quando: 19 e 20 de maio Onde: Centro de Convençþes Site e Inscriçþes: www. caeje.com.br Frase: “Empreender virou tendĂŞncia de sucesso. Quanto mais cedo começar criativo for, maiores as chancesâ€?. Organização do Caeje

SEMPEX

Seminårio de Promoção às Exportaçþes A partir do próximo dia 16 atÊ o dia 18, estudantes, empresårios e interessados na årea poderão participar do VIII Seminårio de Promoção às Exportaçþes 2012 – Sempex, que serå realizado no Centro Cultural e de Exposiçþes Ruth Cardoso, em Maceió. O evento visa manter o público informado sobre o mercado internacional, com foco em inteligência comercial, gestão, produto e promoção. O público terå acesso às informaçþes por meio de palestras que abordarão

temas como as oportunidades comerciais no Brasil, a internacionalização das empresas, a comunicação como ferramenta de gestão de marketing, a inovação na busca pelo mercado global, entre outros, sempre visando ao estímulo à participação das empresas alagoanas no mercado de exportaçþes. De acordo com o gerente da Unidade de Atendimento Coletivo Indústria do Sebrae Alagoas, Everaldo Figueiredo, o papel da instituição Ê capacitar e apoiar as micro e peque-

nas empresas para que elas se preparem para entrar no mercado internacional. “O Sebrae trabalha com empresas de diversos segmentos, como alimentos e plĂĄstico, e ĂŠ importante que elas se projetem no mercado de exportação para crescerem. Mas, para isso, precisam conhecer todo o processo de inserção, como a logĂ­stica de funcionamento e a internacionalização dos produtos, e esse seminĂĄrio ĂŠ uma grande oportunidade para trazer esses conhecimentos para o em-

presårio�, explica Everaldo. AlÊm das palestras que serão ministradas durante os três dias, empresas alagoanas com experiência em exportação participarão de uma exposição, que serå instalada no local do evento. O VIII Sempex Ê uma realização da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), atravÊs do Centro Internacional de Negócios de Alagoas (CIN), e conta com o apoio do Governo Federal e Estadual, do Sebrae Alagoas, do Banco do Nordeste e do AL-Invest.

Sebrae trabalha com empresas de diversos ramos e podem exportar


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

Esportes

ESPORTES 17

Lorival Santos inicia esta semana os primeiros treinos com bola do ‘novo’ CSA Com a dispensa de 11 e a contratação de 14 jogadores, o CSA ĂŠ considerado um novo time para a disputa do Campeonato Brasileiro da SĂŠrie D. ApĂłs DVIRUPDOLGDGHVGHDSUHVHQWDo}HVRVUHIRUoRVÂż]HUDPRVH[DPHVPpGLFRVH esta semana iniciam os trabalhos fĂ­sicos e com bola. O tĂŠcnico Lorival SanWRVQmRTXHUID]HUPXLWDVPXGDQoDVFRPDEDVHTXHYLQKDMRJDQGRHHVWDYD entrosada, mas sabe que precisa observar os novatos e dar chance a todos. “Contratamos com responsabilidade para que o CSA seja forte na SĂŠrie D. A estreia ĂŠ daqui a duas semanas e esse tempo serĂĄ fundamental para formar XPQRYRFRQMXQWR´H[SOLFRXRWUHLQDGRUD]XOLQR

CRB e ASA focados apenas na SÊrie B Alagoano terminou e os representantes do Estado na competição terão que correr para ajustar os times para estreia ADAILSON CALHEIROS

Roberto Fonseca recebeu a responsabilidade de comandar o CRB

A

cabou o Campeonato Alagoano. Agora, todo pensamento dos dois representantes do Estado na SĂŠrie B estĂĄ na competição nacional. Para o CRB serĂŁo apenas cinco dias de preparação. O Galo estreia nesta sexta-feira (18), Ă s 21h, no EstĂĄdio Rei PelĂŠ, contra o Bragantino. JĂĄ o ASA viaja para o interior paulista, onde encara o SĂŁo Caetano, Ă s 21h, no EstĂĄdio Anacleto Campanella, no sĂĄbado (19). Mesmo disputando as finais do Estadual, os dois times iniciaram o planejamento para o BrasileirĂŁo e fizeram algumas contrataçþes. Esta semana muitas novidades podem surgir com mais nomes e tambĂŠm algumas dispensas que nĂŁo agradaram neste inĂ­cio de temporada. CRB O comando tĂŠcnico do CRB mudou de Ăşltima hora. Era Paulo Comelli e agora Roberto Fonseca. Ele tem a missĂŁo de fazer uma bela campanha nesse retorno do Galo Ă  competição apĂłs trĂŞs anos na SĂŠrie C. “Recebi com muita honra o convite do CRB e vou fazer um trabalho muito sĂŠrio para levar esse time Ă s vitĂłrias. É uma competição de alto nĂ­vel, com clubes estruturados, e temos que fazer a diferença nos jogos em casa e na dedicação. Como o CRB subiu agora, muito vĂŁo entrar em

TRAPICHAO.COM

campo desacreditando O CRB anunciou a contratação do volante Gercimar, de 21 anos, que estava no Guaratinguetå-SP. Ele foi o sexto reforço do CRB para o Brasileirão da SÊrie B. Antes dele foram contratados o goleiro Anderson (ex-Mogi Mirim), zagueiro Ednei (ex-Catanduvense), o volante Paulo Vitor (ex-CSE) e os atacantes Luis Paulo (ex-CSE) e Preto (ex-Ponte Preta). ASA O planejamento do ASA começou com a contratação de Heriberto da Cunha no meio do Estadual. O gaúcho Leocir Dall’astra foi uma aposta que não deu certo. Portanto, a direção alvinegra tratou de firmar com um comandante experiente. E os números mostram isso. Cunha ficou quase dois meses sem perder e estå ajuHeriberto da Cunha chegou no ASA no meio do Estadual deste ano dando a direção com os reforços para a SÊrie B Jå foram contratados o zagueiro Diego Borges, o goleiro Gilson, os laterais Sidny e Chiquinho Baiano, e aos atacantes Roberto JacarÊ e Alexssandro. Apesar das seis contrataçþes, o ASA deverå anunciar ainda cinco reforços: um goleiro, um zagueiro, um volante e dois meias. Alagoas mergulha forte em mais uma temporada do Brasileirão. ASCOM

FalcĂŁo foi convocado e vai jogar o amistoso pelo Brasil em MaceiĂł

NO SESI

Ingressos jå à venda para amistoso de futsal do Brasil A Federação Alagoana de Futsal resolveu facilitar a vida do torcedor alagoano que queira assistir ao Desafio Internacional de Futsal entre as seleçþes brasileira e Costa Rica, colocando desde a última sexta-feira os ingressos à disposição do público com o preço promocional de meia entrada. Quem quiser ver o amistoso internacional vai pagar o valor de R$ 20, sem a exigência das carteiras de estudante e de idoso. O evento Ê uma realização da Federação Alagoana de Futsal (FAFS) e Confederação Brasileira de Futsal (CBFS),

com apoio do Governo de Alagoas. A renda líquida do evento serå destinada à Federação Alagoana de Futsal para incentivo desta modalidade no Estado. O jogo Brasil e Costa Rica serå nesta terça-feira (15), às 20h30, no Ginåsio do Sesi (Trapiche). Os ingressos estão sendo vendidos nas Lojas Tchuk Jhones (Centro, Iguatemi, Shoppings Farol e Påtio e Hiper Gruta), Lojas Poly Sporty (Rua do ComÊrcio, Iguatemi e Ponta Verde), Loja Base Azul (Hiper Jatiuca), Superbits (Jatiúca) e Pimenta de Cheiro (Trapiche).


18 ESPORTES

TribunaIndependente

MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

Botafogo tenta ‘milagre’ contra o Flu Vantagem de 4x1 do primeiro jogo é o grande obstáculo do alvinegro para ser campeão estadual 2012 neste domingo

E

m situações opostas, Fluminense e Botafogo se enfrentam neste domingo às 16h, pela última partida do Campeonato Estadual 2012. Depois de derrotar o rival por 4 a 1 no último domingo, o Flu derrotou o Internacional na quinta-feira e se classificou às quartas-de-final da Copa Santander Libertadores. Enquanto isso, após a goleada sofrida, o Alvinegro foi eliminado dentro de casa para o Vitória na Copa do Brasil e busca vencer por, no mínimo, três gols de diferença, o que levaria a decisão para os pênaltis. Apesar da larga vantagem obtida, o Tricolor das Laranjeiras não pensa em deitar em cima dela e descansar. Durante toda a semana, sempre que o confronto era mencionado, jogadores e o técnico Abel Braga garantiam que não tinha nada ganho por an-

PHOTOCAMERA

tecipação. E o comandante da equipe voltou a bater nessa tecla após a vitória sobre os gaúchos pela Libertadores. “Contra o Botafogo não tem nada ganho. Você vê o resultado do Deportivo Quito, que perdeu de 6 a 0 da Universidad de Chile depois de também ganhar por 4 a 1 no primeiro jogo. Vamos nos defender mais”, afirmou Abelão. Para o Clássico Vovô, Abel não deverá contar com Fred e Valencia O Botafogo entra em campo com todos os fatores contra. O time alvinegro se encontra em crise. Outro problema da equipe pode ser a ausência de Antônio Carlos e Fellype Gabriel. Quem também pode ficar fora é Marcelo Mattos, que sentiu o músculo adutor da coxa direita e poderá dar vaga a Lucas Zen. Além disso Oswaldo de Oliveira não contará com Lucas, expulso no primeiro jogo, na lateral-direita. Deco pXPGRVPDLVH[SHULHQWHVGR)OXPLQHQVHHHVWiFRQ¿UPDGRQRFOiVVLFR¿QDOFRQWUDR%RWDIRJR TERRA

NA BOA TERRA

Bahia confirma artilheiro para decisão estadual contra o Vitória

Souza vai reforçar R%DKLDQDJUDQGH¿QDOGR(VWDGXDOEDLDQR

O torcedor do Bahia ganhou uma importante notícia. O artilheiro Souza está confirmado para jogar a final do Campeonato Baiano contra o Vitória, neste domingo, no Estádio de Pituaçu, em Salvador, às 16h. O atacante foi poupado da partida contra a Portuguesa pela Copa do Brasil, na última quinta-feira, por conta de uma contratura muscular na coxa esquerda.

No entanto, o jogador treinou normalmente e foi confirmado para o duelo do fim de semana. Souza é um dos jogadores mais queridos pela torcida do Bahia. Artilheiro do time no Estadual com 18 gols, o atacante diz que chegou a hora de retribuir todo o carinho. “É como se fosse uma dívida particular que eu tenho com o torcedor. Tenho uma imensa responsabilidade em fazer gols. É uma

disputa pelo título e vou me doar ao máximo”, disse. Apesar da vontade em balançar as redes, Souza acredita que não vai ser uma partida fácil. “Vai ser um jogo difícil. São duas equipes motivadas por ter passado para as quartas-de-final da Copa do Brasil. Dois times querendo ser campeão baiano, mas espero que a minha estrela possa brilhar no domingo”.

COPA 2014

Ministro diz que cartolas são ‘amadores’ O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou que os dirigentes das federações esportivas brasileiras gerem mal o esporte e as verbas públicas destinadas às suas modalidades porque falta-lhes capacidade técnica e profissionalismo. Segundo ele, este é o maior desafio brasileiro na organização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016, e não a desonestidade de políticos ou cartolas, nem a falta de organização e planejamento nas obras públicas. Durante evento organizado por uma universidade em São Paulo na última quinta o ministro disse qual é, em sua opinião, a maior dificuldade do país na organização desses eventos: “Nossa maior lacuna está na gestão do esporte. Não falo sobre a honestidade dos dirigentes, falo da concepção de gestão do esporte”. Segundo ele, dirigentes de futebol e federações esportivas gerem enormes quantidades de recursos, sem ter a capacidade técnica para tanto. “Isso dificulta tudo. Fazemos convênios com associações esportivas, e muitas vezes elas não conseguem nem prestar contas desses recursos da maneira como a lei exige. Isso torna mais difícil até atrair recursos privados, pois as empresas têm receio em atrelar suas marcas a projetos que depois podem ter sua idoneidade questionada. Só honestidade não resolve, é preciso profissionalismo”.


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

ESPORTES 19

Embalado, Santos reencontra o Guarani Vantagem de 3x0 no primeiro jogo deixa a equipe de Neymar e Ganso muito prĂłxima do tĂ­tulo do PaulistĂŁo deste ano

O

elenco do Guarani mantÊm as esperanças de inverter a vantagem do Santos, que venceu na ida por 3 a 0, e conquistar o título do Campeonato Paulista Chevrolet neste domingo, às 16h, no Morumbi. No entanto, terå de se desdobrar para tal feito, isso porque a história joga contra. AtÊ hoje, em 178 confrontos o Bugre venceu o Peixe por quatro ou mais gols de diferença – placar que precisa para ser campeão – em três oportunidades. No geral, Guarani e Santos jå se enfrentaram em 178 jogos na história. O Guarani venceu somente 44 vezes, sendo outras 96 vitórias santistas. Foram, ainda, 38 empates. Contando somente os jogos pelo Paulista, a vanta-

gem tambĂŠm ĂŠ santista. Em 114 jogos, o Santos venceu 66 vezes, sendo 29 vitĂłrias do Guarani e, ainda, 19 empates. “SĂŁo nĂşmeros que podem ser batidos. Vamos entrar em campo com muita determinação e fazer uma coisa de cada vez. Precisamos do primeiro gol e depois seguir o jogoâ€?, disse o tĂŠcnico VadĂŁo. ApĂłs aplicar uma sonora goleada por 8 a 0 sobre o BolĂ­var, pela Libertadores, o Santos muda sua prioridade e foca na final do PaulistĂŁo. O tĂŠcnico Muricy Ramalho jĂĄ avisou que nĂŁo quer saber de descanso e pretende colocar força mĂĄxima diante do Guarani, neste domingo, no Morumbi. Apesar de ter garantido uma boa vantagem o tĂŠcni-

co santista nĂŁo acredita que a decisĂŁo jĂĄ estĂĄ liquidada e projeta mais um importante confronto para Neymar & Cia, que podem se tornar tricampeĂľes do Campeonato Paulista. â€œĂ‰ final. DecisĂŁo nĂŁo tem essa de poupar. SĂł iremos poupar algum jogador se ele sentir e nĂŁo tiver possibilidade de jogar. Caso isso nĂŁo aconteça, ĂŠ equipe completa, porque ainda nĂŁo estĂĄ definido e precisamos ganharâ€?, disse o tĂŠcnico. Apesar de Muricy negar o amplo favoritismo, a equipe santista tem em suas mĂŁos um resultado bem favorĂĄvel. Mesmo que perca por dois gols de diferença para o Guarani, o time alvinegro confirma o terceiro tĂ­tulo consecutivo do Estadual. TERRA

ESPN

Ganso e Neymar GHYHPIHVWDMDUPDLVXPWURIpXQHVWHGRPLQJRQR0RUXPELQDÂżQDO6DQWRVH*XDUDQL

RIVALIDADE

Sport e Santa Cruz decidem o Pernambucano na Ilha do Retiro

Marcelinho ParaĂ­ba pRSULQFLSDOMRJDGRUGHVWDÂżQDOHQWUH6SRUWH6DQWD&UX]jVKQD,OKDGR5HWLUR

Os treinadores do Sport, Mazola Júnior, e do Santa Cruz, ZÊ Teodoro, comandaram treinos fechados com as suas equipes para a final do Campeonato Pernambucano. O duelo acontece neste domingo, às 16h, na Ilha do Retiro. O primeiro jogo foi 0x0 e o Leão joga com a vantagem do empate. No Arruda, os jornalistas foram autorizados a apenas acompanhar o aquecimento da equipe. Na Ilha do Retiro, muita gente foi assistir a movimentação de prÊdios próxi-

mos. Sem a confirmação dos treinadores ficam as dúvidas, especialmente em relação ao time do Sport. Dentro de casa Ê difícil imaginar que a equipe consiga entrar em campo para defender a vantagem do empate. Apesar disso, e de Mazola ter chegado a treinar com o jovem Ruan entre os titulares, muitos torcedores acham que a equipe vai a campo com apenas um atacante (Jael ou Jheimy) e o meio-campista Marcelinho Paraíba jogando um pouco mais adiantado.

Para o lugar de Tobi, suspenso pelo terceiro cartĂŁo amarelo, AĂ­lson deve ser a opção. Ele deu entrevista confirmando que serĂĄ um dos trĂŞs zagueiros rubro-negros. “Considero um prĂŞmio, primeiro voltar a jogar, recuperado da contusĂŁoâ€?, disse. ZĂŠ Teodoro deve optar por repetir a equipe da primeira partida decisiva. A Ăşnica dĂşvida ĂŠ sobre a presença de Anderson Pedra, que sentiu uma contusĂŁo, mas treinou normalmente.


20

PUBLICIDADE

MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

TribunaIndependente


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012 VEĂ?CULOS 21

VeĂ­culos

Civic disponível com isençþes SDUDSHVVRDVFRPGH¿FLrQFLD 2+RQGD&LYLF IRWR HVWiGLVSRQtYHOSDUDSHVVRDVFRPGH¿FLrQcia, com a isenção do IPI e do ICMS. O carro, na versão LXS Automåtica, passa a custar R$ 53.345,27, jå com a isenção dos impostos (IPI e ICMS) e frete. Isso se deve ao realinhamento de preços realizado recentemente. A mudança faz com que o modelo automåtico se enquadre na faixa de preço que garante isenção GH,3,H,&06SDUDSHVVRDVFRPGH¿FLrQFLD³&RPHVWDDOWHUDomR no preço, o Civic se junta ao Fit e ao City como opçþes para um mercado consumidor que sempre foi prioridade para a Honda.

Novo EcoSport: Esportivo e

inovador Padrão excelente de conectividade, segurança e conveniência, incluindo o seu sistema Ford SYNC

O

Novo Ford EcoSport Ê um veículo compacto, ågil e tambÊm repleto de tecnologias e equipamentos inovadores. Ele reúne características normalmente não encontradas em veículos dessa categoria e oferece uma experiência de direção com um padrão superior de conectividade, segurança e conveniência a bordo. A experiência de dirigir um Novo EcoSport Ê marcada por tecnologias e recursos inovadores, criados pela Ford para oferecer um padrão superior de conectividade, segurança e conveniência a bordo. Um dos destaques Ê o premiado sistema de conectividade SYNC com comandos de voz. O sistema inclui rådio

AM/FM, tocador de CD/MP3, entrada USB, conectividade para iPod, conexĂŁo Bluetooth, entrada auxiliar e tela de LCD de 3,5 polegadas. Hoje, mais de 4 milhĂľes de veĂ­culos rodam com a tecnologia SYNC e a Ford prevĂŞ que outros 9 milhĂľes tenham o equipamento em todo o mundo atĂŠ 2015, com a inclusĂŁo desse sistema exclusivo da Ford em produtos como o Novo EcoSport. O SYNC introduz o carro “atualizĂĄvelâ€?, permitindo que novas funçþes e aprimoramentos sejam integrados ao sistema no futuro, acompanhando as tendĂŞncias e preferĂŞncias do consumidor. O SYNC criou o padrĂŁo para um futuro conectado, ativado por voz. Ele ajuda o motorista a manter as

mãos no volante e os olhos na pista enquanto escolhe sua música favorita ou faz chamadas no celular. O Novo EcoSport vem equipado de sÊrie com direção elÊtrica, vidros e espelhos elÊtricos, travas elÊtricas com controle remoto, imobilizador antifurto, sistema SYNC, Econometer e tambÊm oferece a opção de equipamentos como sistema de entrada e partida sem chave, faróis com acendimento automåtico, limpadores do para-brisa com sensores de chuva e computador de bordo, incluídos na versão Titanium. AlÊm disso, conta com diversos recursos de assistência ao motorista, incluindo freios ABS de sÊrie e opcionais como controle eletrônico de estabilidade.

Produto global inova tambÊm na segurança, com airbags duplos e de cortina, alÊm de freios ABS

CARROS

Frota da Argentina dobra de tamanho em dez anos A Argentina vive um bom momento no setor de automóveis, com um crescimento de 28,6% no ano passado, quando registrou recordes de vendas. O que chama a atenção Ê que a produção de petróleo caiu 5,2%, chegando ao nível mais baixo desde 2002. Com este baixo desempenho GDV UHÀQDULDV R SDtV WHYH aumentar em 56% as im-

portaçþes de gasolina para atender a frota de veículos. As vendas de veículos foram impulsionadas pela política econômica do governo, que proporcionou aumento de salårios e como consequência maior consumo. A frota argentina vem crescendo a cada ano e estudos mostram que ela praticamente dobrou na última dÊcada. Hå cerca de dez mi-

lhþes de veículos circulando no país, com a proporção de um carro para cada quatro habitantes. Com estes dados, a Argentina Ê o país da AmÊrica Latina com mais carros proporcionalmente ao número de habitantes. O MÊxico tem um carro para seis habitantes e tambÊm estå na frente do Brasil, que tem um para cada sete.


22

TribunaIndependente

VEĂ?CULOS MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

MERCEDES-BENZ

ĂŠ destaque na Agrishow Novos caminhĂľes asseguram versatilidade e elevada capacidade de carga

A

Mercedes-Benz, em parceria com seus concessionĂĄrios, esteve presente na Agrishow 2012, principal feira de tecnologia do agronegĂłcio no PaĂ­s e uma das maiores do mundo. Em VXDÂ?HGLomRRWUDGLFLRQDO evento, realizado em RibeirĂŁo Preto, SĂŁo Paulo, terminou dia 4 deste mĂŞs, no Centro de Cana da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado, Rodovia Antonio Duarte Nogueira, km 321. O cenĂĄrio positivo do agronegĂłcio brasileiro e o bom desempenho da economia do PaĂ­s tornam a Agrishow ain-

da mais atrativa. SĂŁo cerca de 780 expositores de mais de 50 paĂ­ses, com previsĂŁo de 150 mil visitantes, entre agricultores, pecuaristas, agroindustriais, empresĂĄrios, representantes de entiGDGHVGHFODVVHSURĂ€VVLRQDLV especialistas e estudantes. O setor sucroalcooleiro ĂŠ o que mais chama a DWHQomR QD IHLUD DR ODGR de outras importantes atividades produtivas, como cafĂŠ, laranja, soja, milho, algodĂŁo, pecuĂĄria e outros. “Os caminhĂľes Mercedes-Benz sĂŁo reconhecidos no setor do agronegĂłcio por

seu desempenho excelente e pela elevada robustez, resistĂŞncia e produtividaGHÂľ DĂ€UPD 7kQLD 6LOYHVWUL diretora de Vendas e Marketing de CaminhĂľes da Mercedes-Benz do Brasil. “Com a linha 2012, acentuamos ainda mais essas e outras vantagens, como a YHUVDWLOLGDGH GH DSOLFDomR elevada capacidade de carga, reduzido consumo de combustĂ­vel e menor custo operacional, alĂŠm da avanoDGD WHFQRORJLD %OXH7HF  H do design mais moderno dos novos modelos. Asseguramos assim mais valor para a frota

do cliente e maior rentabilidade para os seus negócios�. Num evento de forte apelo tecnológico, como Ê o caso da Agrishow, a Mercedes-Benz ganha evidência não só com seus caminhþes de ~OWLPD JHUDomR FRPR WDPbÊm com o BlueTec 5, avanoDGD H H[FOXVLYD VROXomR GD marca para caminhþes e tambÊm ônibus em atendimento ao PROCONVE P-7. Por meio de um totem touch screen, os visitantes poderam obter detalhes dessa tecnologia pura desenvolvida pela Mercedes-Benz. Caminhþes Mercedes-Benz tambÊm destacam-se no agronegócio por atributos como durabilidade, resistência e disponibilidade

ENCOMENDA

Nissan diz que Juke-R custarå mais de R$ 1 milhão 'HSRLVGHFRQÀUPDUTXH produzirå o Juke-R apenas sob encomenda, a Nissan ÀQDOPHQWH UHYHORX R SUHoR do crossover superesportivo: US$ 590 mil (R$ 1,15 milhão). 2 SUHoR UHYHODGR SHOR vice-presidente da Nissan America, David Reuter, em entrevista ao site Inside /LQH p MXVWLÀFDGR SHOR FRQjunto mecânico empregado

no modelo – o V6 biturbo de 3.8 litros, com 550 cv de potência e 260 km/h de velocidade måxima, trazido GR *75 ² H WRGR R HVIRUoR da engenharia da marca para fazer com que a estrutura do crossover comportasse tanta potência. A Nissan aceitarå encomendas do Juke-R durante todo o mês de maio – por

meio do e-mail juke-r@nisVDQFRXN ² H FRPHoDUi D entregar os primeiros exemplares em agosto, produzidos na unidade inglesa de Sunderland, a mesma resSRQViYHO SHOD IDEULFDomR GR crossover “convencionalâ€?. A estimativa do grupo ĂŠ que cerca de 20 a 25 pedidos sejam formalizados. A marca nipĂ´nica jĂĄ possui pelo

menos três compradores certos, dois deles de Dubai, onde o carro foi apresentado em janeiro deste ano. O Juke-R Ê resultado de uma parceria da Nissan da Inglaterra com a RML – equipe jå consagrada na Le Mans Series e no WTCC (o Campeonato Mundial de Carros de Turismo). Os engenheiros das duas FIN\DFFJOFFMMP

SUHFLVDUDP UHIRUoDU D HVtrutura do modelo, instalar o novo motor e manter o comprimento e o entre-eixos inalterados, jå que o Juke Ê bem menor que o Godzilla – como o esportivo GT-R Ê conhecido. AlÊm do motor novo, o carro ganhou uma largura um pouco maior para poder receber as rodas de alumínio aro 20, e

tambĂŠm uma nova gaiola LQWHUQDHUHIRUoRVQRFKDVVL O impressionante modelo desenvolvido pela Nissan serĂĄ um produto para poucos. Apenas um pĂşblico bem seleto poderĂĄ ter o prazer de pilotar uma mĂĄquina com tanta potĂŞncia. Fruto de muita pesquiVD  H LQRYDomR QR VHWRU

COMPACTOS

9RONVZDJHQSRGHODQoDU dois novos utilitĂĄrios

Os exemplares foram produzidos de forma artesanal na fåbrica de Trollhättan, na SuÊcia, e possuem volante localizado do lado direito

A imprensa europeia especializada no setor automotivo foi tomada nos Ăşltimos dias por rumores sobre dois novos SUVs compactos da Volkswagen, posicionados abaixo do Tiguan. A crescente procura por este tipo de utilitĂĄrio faz com que uma estratĂŠgia deste gĂŞnero seja um ponto chave para a montadora, que quer ser lĂ­der mundial em 2018. Um porta-voz da marca WHULD DĂ€UPDGR j LPSUHQVD alemĂŁ, que “os SUVs sĂŁo muito interessantes. O nosso VLVWHPD GH SURGXomR PRGXlar nos permite criar mĂşltiplas versĂľes, mas ainda nĂŁo tomamos nenhuma decisĂŁoâ€?.

SUECA

DE NOVO

Vei13E

Ăšltimos unidades do Saab 9-3 Ă venda

0RGHORFRQYHUVtYHOSRVVXLSUHoRLQLFLDOGHOLEUDVFHUFDGH5PLO

O último lote do Saab 9-3 conversível, com apenas 26 unidades, acaba de desembarcar no Reino Unido, onde estarå disponível por meio da rede local de distribuidores da extinta marca sueca, com 87 revendas espalhadas por todo o país. Os exemplares foram produzidos de forma artesanal na fåbrica de Trollhättan, na SuÊcia, e possuem volante localizado do lado GLUHLWRRTXHMXVWLÀFDDGHVWLQDomR DR PHUFDGR EULWkQL-

co. Hå três níveis de acabamentos entre as unidades remanescentes – SE, Aero e Independence Edition –, FRPSUHoRVTXHFRPHoDPHP 22.750 libras (R$ 72 mil). Estes exemplares, da linha 2012, trazem detalhes renovados no exterior e interior, alÊm de motores PDLV HÀFLHQWHV H HFROyJLFRV do que seus antecessores. A gama de propulsores inclui um 1.9 diesel biturbo de 179 cv, 12% mais econômico, e dois blocos a

gasolina de 2.0 litros, com potĂŞncias de 163 cv e 220 cv, que prometem 7% menos consumo de combustĂ­YHOHPUHODomRjOLQKD Entre os equipamentos de sĂŠrie, rodas de liga leve, assistente de estacionamento, bancos revestidos em couro, seis airbags e controle eletrĂ´nico de estabilidade. O grande destaque do ORWHĂ€QDOGRPRGHORTXHJDQKDULDXPDWHUFHLUDJHUDomR este ano caso a crise da fabricante sueca tivesse sido

FRQWRUQDGDpDSUHVHQoDGH sete exemplares do 9-3 conversĂ­vel da sĂŠrie limitada Independence Edition, que teve apenas 366 unidades produzidas no ano passado. 2 PRWH GHVWD HGLomR HVSHFLDOIRLDFRPHPRUDomRGH ano de venda da Saab para a holandesa Spyker. Para prestar homenagem aos PaĂ­ses Baixos, os exemplares desta sĂŠrie possuem carroceria e revestimento dos bancos em cor laranja, mesmo tom aplicado nos pon-

GM quer vender fåbrica de WUDQVPLVV}HVQD)UDQoD Pela segunda vez no esSDoR GH TXDWUR DQRV D *0 tenta vender a sua unidaGH IUDQFHVD GH SURGXomR GH caixas de velocidades, localizada em Estrasburgo, numa tentativa de encontrar investidores que mantenham esta unidade ativa. Jim Cain, porta-voz da GM, DÀUPRX TXH ´H[LVWHP FRPpromissos para a manutenomR GD SURGXomR GDV WUDQVmissþes nos próximos anos�. A montadora norte-americana, que anunciou XPDDOLDQoDFRPD36$HP

AUMENTO

ANO FISCAL

CAMAÇARI

A Kia Motors (foto), cresceu 6,9% em abril, comparando com o mesmo mês de 2011. A marca vendeu 229.643 unidades no mundo. A Europa foi onde a Kia teve o maior crescimento, 22%. Aumento de vendas em todas as regiões, com exceção da Coreia, sede da marca. Na Europa foram vendidos 49.591 carros e na China 40.525, o TXHVLJQL¿FDXPDXPHQWRGH

A Toyota (foto), divulgou no Japão a previsão de produção e vendas globais para seu ano ¿VFDOTXHYDLGHDEULO de 2012 a março de 2013. A empresa prevê XPDSURGXomRGH milhões de veículos em duas fábricas ao UHGRUGRPXQGRRTXHVHULDXPDXPHQWRGHHPUHODomRDRDQR¿Vcal 2011/2012. A estimativa de vendas é de 8,8 milhões de unidades, 1,4 milhão de unidades a mais em comparação ao último período.

Depois de alcançar a marca de 800 mil unidades do Fiesta Rocam hatch (foto), produzidas em Camaçari, entre 2002 e 2012, a Ford atinge agora 2 milhþes de veículos fabricados em seu complexo industrial na Bahia, inaugurado hå 10 anos e meio. AlÊm da variante dois volumes, a fåbrica inaugurada em outubro de 2001 produz a versão sedã do modelo e o utilitårio compacto EcoSport.

Kia Motors registra crescimento de 6,9%

Toyota vai produzir 8,8 milhĂľes de carros

Se a marca alemĂŁ jĂĄ havia planejado um SUV baseado na plataforma do Su]XNL6;RĂ€PGDSDUFHULD entre as duas marcas deverĂĄ obrigar a VW a olhar para RXWUDV VROXo}HV 8PD GDV possĂ­veis, de acordo com a imprensa germânica, ĂŠ o Buggy Up!, visto no Ăşltimo SalĂŁo de Frankfurt e que poderĂĄ ser a base para um destes dois SUV. Albrecht Reimold, presidente da VW EslovĂĄTXLDTXHSURGX]R8SDĂ€Umou Ă imprensa que a gama do Up! serĂĄ expandida, mas, acerca de um possĂ­vel SUV, disse apenas que “essa ĂŠ, certamente, uma ĂĄrea que devemos considerarâ€?.

fevereiro passado, contratou consultores para mediarem a venda desta unidade, que emprega mil trabalhadores. “Pretendemos encontrar compradores que mantenham nĂŁo sĂł os trabalhadores, mas tambĂŠm os fornecedores e os clientesâ€?, disse a GM em comunicado. A Ăşltima tentativa da GM em vender a fĂĄbrica de Estrasburgo, que produz caixas de velocidades automĂĄticas para as marcas do grupo e para a BMW, ocorreu em 2008.

Ford jĂĄ produziu 2 milhĂľes de veĂ­culos


TribunaIndependente

VEÍCULOS 23 MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012 CIDADES

SMS combate a mortalidade infantil

Acompanhamento das crianças e das gestantes, incentivo ao aleitamento materno e outras ações reduzem índices ALANA BERTO REPÓRTER

O

Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan) da Secretaria Municipal de Saúde vem apresentando sucesso em Maceió, principalmente no combate à mortalidade infantil. O sistema foi criado em 1976 e faz parte da política nacional de alimentação e nutrição. A Coordenadora do Programa de Atenção Integral à Saúde da Criança, responsável pela condicionalidade saúde do Programa Bolsa Família, Rita Leone, explicou que o programa é voltado para todas as idades, entretanto a prioridade é

atender gestantes e crianças de zero a dois anos com o objetivo de combater a mortalidade infantil. “Essas crianças correm mais riscos”, disse a coordenadora. Essas medidas são feitas através da promoção à saúde da criança e prevenção de doenças. Entre as medidas está o incentivo ao aleitamento materno, estimulando uma alimentação saudável em parceria com o programa saúde escolar. Maceió tem hoje 73.562 famílias e 39.392 crianças menores de sete anos para acompanhaPHQWR GR SHUÀO VD~GH O crescimento e o desenvolvimento da criança são

DIVULGAÇÃO

acompanhados nas unidades de saúde. As crianças que estiverem mal alimentadas recebem orientação GRV SURÀVVLRQDLV GH VD~GH do município. Esse acompanhamento também é feito através do cartão de vacina. “Diante desses dados, a unidade toma conhecimento da condição da criança”. Os dados também são enviados ao Ministério da Saúde. Para Rita Leone, o sistema é importante por trazer os indicadores de saúde dessas crianças e a partir disso o gestor direciona suas ações. Ela acrescenta que o sistema tem sido bem encaminhado em Maceió. Nós planejamos as ações em cima destes dados”, pontuou. Prevenção de doenças e promoção à saúde, com habitos saudáveis, são adotados pela Secretaria DIVULGAÇÃO

CRIANÇAS

Bolsa Família também atua no acompanhamento à saúde

Com exigências do programa federal, secretarias municipais trabalham para ampliar atendimento

O Programa Bolsa Família também realiza o acompanhamento da saúde das crianças, cujas famílias recebem o benefício. Dessa forma, as crianças podem desfrutar de alimentação saúdável e a ação reduz a mortalidade infantil. Com base nos números catalogados pelo Cad-Único e disponibilizados para os órgãos da administração pública, Maceió ainda DSUHVHQWD XP GpÀFLW GH atendimento às crianças. Mas, diante da constatação, setores ligados às secretarias de Saúde

(SMS), de Educação (Semed) e do programa Bolsa )DPtOLD HVWmR XQLÀFDQGR VXDV Do}HV D ÀP GH DPpliar a cobertura dos serviços públicos nessas áreas para as crianças a partir dos seis anos de idade. A Semed e a SMS promoveram o ajuste de informações sobre os atendimentos para reduzir o número de crianças sem assistência da saúde. Segundo Rita Leone, essas crianças que estão sem assistência de saúde sofrem pelo desencontro de informações do

próprio governo federal. “O Ministério da Educação determinou que as crianças a partir de seis anos devem ser assistidas pelo serviço de saúde, enquanto que o da Saúde entende que deve ser a partir dos sete anos”, explica Rita. Segundo ela, em virtude disso, só chegam informações à Secretaria de Saúde das crianças a partir dos sete anos. “Mas, enquanto isso, nós trabalhamos, estatisticamente, com números a partir dos seis”, acrescenta Rita Leone.


24 PUBLICIDADE MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

TribunaIndependente


TribunaIndependente

MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012 ESPECIAL 25

Especial

Data impulsiona compras extras de artigos extensivos à família O vigilante Leandro Barbosa e a agente comunitária de saúde Andréia Santos pretendem presentear as suas respectivas mães com calçados. Porém ao chegarem no comércio lembram do vestuário das crianças. Assim, saem as meias, as cuecas dos meninos e outras peças de roupa que pertinentes ao bolso e às características daquelas pessoas que forem lembradas no ato da compra. “Dia das Mães é tudo misturado. Aqui tem calçado, salto alto, vestido”, disse. Leandro. “Se a gente fosse demorar mais, ainda iríamos para os eletrodomésticos. Compramos isso, mas foi o que deu por hoje”, ressaltou Andréia.

Lojas faturam mais no Dia das Mães Final de semana é tido por clientes como período ideal para comprar; elas são protagonistas escolhendo presentes DANIEL MAIA REPÓRTER

C

hega uma época do ano que é indispensável demonstrar a gratidão por tudo que as figuras maternas representam. Podem ser mães biológicas, mães de leite, de criação, ou simplesmente, alguém da família. Não importa, mãe é mãe e merece ser lembrada com carinho. É esse carinho que movimenta o Centro de Maceió, mesmo no domingo de celebração. A desculpa de que o presente veio em cima da hora é superada com o argumento de que foi necessário mais pesquisa para ser fidédigno com os anseios da mamãe na hora de comprar. A Tribuna Independente foi a campo na sexta-feira à tarde e constatou a movimentação do calçadão do comércio. Alguns clientes deixavam as lojas com as sacolas e um bom sorriso no rosto, outros, apreensivos, diziam estar somente em pesquisa. O sub-gerente de uma loja de eletrodomésticos,

Endio Sidney, fala que o alagoano está mais criterioso quando vai escolher os presentes, principalmente em se tratando de eletrodomésticos, por isso a média de compras aumenta nos dois últimos dias que antecedem a comemoração do dia das mães. “Nos últimos dias a média de crescimento de 5%. O brasileiro, em 80%, deixa para última hora, ainda têm aqueles que deixam para vir no domingo”, disse. Para ele, o atendimento é a palavra-chave para que o consumidor retorne com a vontade de comprar. “Hoje eles pesquisam muito mais. Atualmente estão levando muito como presentes microondas e TV de tela plana. Mas dificilmente estão levando de imediato. Então quem é que sai na frente? Aquela loja que tem um melhor atendimento”, observa. Calçados, roupas, eletrodomésticos, são opções que se repetem e ganham impulso de compra sempre que a data vem chegando. É o caso de Stefhany Andressa. Mesmo sendo estudante, sem

ADAILSON CALHEIROS

renda fixa, decidiu ajudar a mãe, Eliete Vieira, a escolher o presente. Ambas com sorriso no rosto disseram à reportagem que não vão esperar mais para comprar a TV LCD tão aguadada. “Eu tenho uma televisão que já tá acabando tá com problema na voz há um tempão. Quero assistir minha novela, assistir os repórteres”, explicou Eliete Vieira. O gerente de loja de calçados, Antônio Sebastião, disse que a loja tem um aumento de 30% no faturamento, em relação à semana passada. “Em relação ao ano passado eu vejo um equilíbrio nas vendas. Ficamos oscilando. Mas a tendência é que nos últimos dias tenhamos um crescimento”, disse. Andréia Brandão, auxiliar de produção, estava levando presentes para sua tia e sua mãe. A consumidora explica que roupa é sempre um presente de bom agrado. “As mães procuram aparelhos eletrônicos, mas elas também não abrem mão de estarem na moda”, disse a consumidora. Dona Eliete e Stefhany decidem juntas qual modelo de televisor vão levar nesta data tão especial


26

ESPECIAL

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

Salve as MĂŁes

Fotos by Chico BrandĂŁ

elenilsontopnews@gmail.com

Toninho e Pepeu Leite Kotovicz homenageia hoje, domingo sua mĂŁe Carmosina Pereira Leite

FĂĄtima TenĂłrio e Helena Ferreira

N FabrĂ­cia Feitosa e Mirella Coelho

Liege Perez e MĂĄrcia Marques

Simone Belshimol, Leninha Machado e Gal BrandĂŁo

Jaqueline Farias e ValĂŠria Cox

FlĂĄvia Soares e EdĂŞnia Diniz

Simone Lins Gouveia e LĂ­gia Oliveira

Graça Nobre e Fåtima Resende Oiticica

ClĂĄudia Generoso e Ana Vasco

Kalina JucĂĄ e SĂ­lvia Sakuno

Feliz Dia das MĂŁes

enhuma homenagem a estas mulheres extraordinårias poderia descrever a importância delas nas vidas dos VHXVÀOKRV$FROXQDJRVWDULDQHVWHGRPLQJRGHDEUDoDUFDGDPXOKHUOLQGDHQJDMDGDGHGLFDGDDPRURVD DPLJDGHVWDFLGDGHPDVSRUPRWLYRVyEYLRVLVWRQmRVHUiSRVVtYHO/RJRHVFROKHPRVXPJUXSRGHPXOKHUHV TXHSHUVRQLÀFDPWRGRVHVWHVGRQVH[FHSFLRQDLVTXHLQFRUSRUDPHPVXDVYLGDVRSUD]HUGHVHUPmHGHVHUPXOKHUHGHVHUDFLPDGH WXGRREHUoRGDVIXWXUDVJHUDo}HV0mHpDTXHODTXHWHVXSRUWDPHVPRTXDQGRYRFrQmRVHDJXHQWDTXHWHFRQVRODPHVPRTXDQGRYRFrHVWiHUUDGRpDSULPHLUDSHVVRDDDFUHGLWDUQRVVHXVSURMHWRVDGHIHQGHUVHXSRQWRGHYLVWDHDQHJRFLDUFRPRPXQGRXP OXJDUHVSHFLDOSDUDYRFr0DVHVWDPmHPRGHUQDpWDPEpPDTXHODTXHVHGHVGREUDHQWUHDVUHDOL]Do}HVSHVVRDLVDID]HUHVGRPpVWLFRV DWLYLGDGHVH[WUDFXUULFXODUHVHDLQGDSHUGHQRLWHVGHVRQRTXDQGRRVÀOKRVFKHJDPWDUGHÀVFDOL]DPDVDPL]DGHVHGHVHMDPSURÀVV}HV œVyOLGDV¡FRPRJDUDQWLDGHXPFDPLQKRPDLVVyOLGR1HVWHGRPLQJRRGLDpGHKRPHQDJHPDHVWHVVHUHVIDQWiVWLFRVTXH WrPRSRGHUGHGDUjOX]GHDPDUDWpTXHPQmRVDLXGDVVXDVHQWUDQKDVHGHDEULUPmRGHTXDOTXHUEHQHItFLRSHVVRDO HPQRPHGRÀOKRDPDGR3DUDDTXHOHVTXHDLQGDSRGHPFRQWDUFRPDPmHDRVHXODGRGLJDDHODRTXmRLPSRUWDQWHHOD pHPVXDYLGD0mHpYLGDpDPRUTXHEHLUDjLQVDQLGDGH$FROXQDGHVHMDDWRGDVDVPXOKHUHVXPGLDGHKRPHQDJHQV VLQFHUDVDPRUQRFRUDomRHUHFRQKHFLPHQWRPHUHFLGR9RFrVVmRDIDFHGH'HXVQDWHUUD)HOLFLGDGHVPDPmHV

Gina Cardoso sendo KRPHQDJHDGDSRUVXDÂżOKD PatrĂ­cia RenĂŞ Cardoso

Vera Lerner e Cleide Mero

Marlene Leite e Girley Rocha

Isabel Pinheiro e Sandra Pinheiro

Neide Freire e MĂĄrcia Maciel

Ana Hora e MarĂ­lia Acioly

Valda Papini, Lisete Lyra e Ledinha MaranhĂŁo

Monique Casado, Aline Oliveira e MĂ´nica Casado

Ivetinha BrĂŞda e Sandra BrĂŞda

Nadeje Feitosa e Isabel Dorigon

Raquel Brizeno, Marly Brizeno e Yara Cassar

Ivana Toledo e Vanessa TenĂłrio

Aninha Loureiro, Gabriela CabĂşs e Martinha Lopes

Vânia Nutels e Tatiana MalÊ

ThaĂ­se Manso e MaĂ­se Manso

Silvana Vasconcellos e Ana Lydia Vasconcelos


TribunaIndependente

Elvira Ribeiro e Cláudia Toledo

Luciene Moraes e Maridalva Nunes

ória sendo homenageada HX¿OKR+HQULTXH'yULD

Edinha Almeida e Ana Paula Montenegro

Yvetinha Brêda e Eliane Tenório

Lúcia Cox, Zilma Rodas e Leninha Machado

Neu Leão e Flávia Correia

MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

Flávia Coutinho Marroquim, Lygia Coutinho e Carla Coutinho Cansanção

Geneildes de Oliveira e Martha Medeiros

Adriana Barbosa, homenageia sua mãe Elza Barbosa

Lívia Pereira e Patrícia Cartaxo

Andira Jucá e Yeda Jucá Rocha

Mirna Dória e Tânia Albuquerque

Bibiana e Fayrus Costa

Mariana Conde e Ângela Monteiro

Cleide Vieira e Eliana Aroucha

ESPECIAL

Lavyne Nogueira Teixeira e Helena Ferrário

Lúcia de Freitas e Verônica Calheiros

Valderez França e Rosa Gaia Duarte

Ana Carla Gameleira, homenageia sua mãe Anita Gameleira

Vanina Nutels e Alexandra Nutels

Zenita Almeida e Socorrinho Bezerra

Clodys Lages, Cláudia Sampaio e Vandinha Coutinho

Maria Helena Lessa e Marialba Braga

Geny Albuquerque e Edla Nogueira

Mirna Porto e Gina Gomes de Barros

Ceres Vasconcelos e Cláudia Oiticica

Rosânia Malta, Dilma Sarmento e Lígia Nogueira

Mariza Pacheco e Ruth Rocha

Aline Almeida e Roseane Beltrão

Cacilda Sampaio, Couca Nogueira

Eliane Lima, Vera, e Marcela Pereira

Ivana Toledo e Vanessa Tenório

Neide Cavalcante e Maria Luiza Torres

Cristina Magalhães e Conceição Barreto

27


28

ESPECIAL

MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

TribunaIndependente


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012 DIVERSĂƒO&ARTE

)UHGGLH0HUFXU\IDUiÂľSDUWLFLSDomR HVSHFLDOÂśHPPXVLFDO

Guillermo Del Toro serĂĄ o diretor GHUHÂżOPDJHPGH3LQyTXLR

O mundo do showbizz nĂŁo parece disposto a aceitar a morte de seus maiores Ă­dolos. Depois da aparição de Tupac Shakur no show de Snoop Dogg e Dr Dre no Coachella, agora Freddie Mercury farĂĄ uma participação especial no musical “We will rock youâ€?, em Londres. O guitarrista Brian May, no entanto, garante que a produção nĂŁo vai usar um holograma. May disse Ă BBC que a presença virtual do vocalista do Queen, morto em 1991, serĂĄ “uma espĂŠcie de ilusĂŁo de Ăłticaâ€?. Mercury farĂĄ a participação especial como uma comemoração pelo dĂŠcimo aniversĂĄrio do musical.

Guillermo Del Toro serå o diretor da nova versão de Pinóquio, o conto de Carlo Colodi que virou um clåssico da Disney em 1940. O cineasta mexicano jå havia escrito o roteiro, em parceria com Gris Grimly e Matthew Robbins, mas agora decidiu WDPEpPDVVXPLUDGLUHomRGR¿OPHHPVWRSPRWLRQDRODGR GH0DUN*XVWDIVRQ'HO7RURSURPHWHXPDYHUVmRPDLV¿HO ao espírito sombrio do conto original de Colodi, apesar de algumas mudanças no roteiro.

AO CONHECER O

&RPIRWRJUD¿DHURWHLURFDSULFKDGRV ¿OPHQmRHQWURXHPFLUFXLWR Longa conta a história de um amor proibido durante a Revolução Cultural

Z

hang Yimou Ê um cineasta formidåvel e, assim, Ê um alívio vê-lo retornar à boa forma depois da desastrosa aberração Uma Mulher, Uma Arma e Uma Loja de 0DFDUUmRTXHHVWUDQKDHFDyWLFDUHÀOmagem de Gosto de Sangue, em nada lembrava as belas obras anteriores do diretor, como Lanternas Vermelhas, Herói, O Caminho para Casa e A Maldição da Flor Dourada, entre outros. Trabalhando aqui a partir do romance Ai Mi, Yimou concebe uma história humana e tocante que consegue a proeza GHà HUWDUFRPRPHORGUDPDVHPVHU por este engolido ou sabotado. O longa QmRSDVVRXHGLÀFLOPHQWHSDVVDUiQDV tleas dos cinemas de Maceió, mas vale procurå-los pela internet... o tempo de procura-lo serå recompensado ao assisti-lo. Ambientado durante a Revolução Cultural chinesa na dÊcada de 60, RÀOPHDFRPSDQKDDMRYHP-LQJ D excepcional estreante Zhou Dongyu), TXHHQYLDGDSDUDRFDPSRDÀPGH

“aprender os valores dos camponesesâ€?, DFDEDFRQKHFHQGRRJHyORJR6XQ 'RX  Empenhando-se para recuperar a honra de sua famĂ­lia, abalada pela prisĂŁo do pai direitista, a moça inicialmente tenta ignorar os avanços do rapaz, mas os dois acabam se apaixonando e FRORFDQGRHPULVFRDSRVLomRGH-LQJ em seu novo emprego. Adotando uma estratĂŠgia narrativa curiosa ao incluir, de tempos em tempos, letreiros que descrevem passagens de tempo e sentimentos dos personagens, Yimou acaba conferindo, com isso, um carĂĄter literĂĄrio, romântico e emocionalmente ĂŠpico Ă sua histĂłria. Por outro lado, o cineasta demonstra sensibilidade ao construir aquele romance tambĂŠm por meio de sutilezas, como ao retratar, por exemplo, o primeiro toque entre os amantes, quando Sun vence a resistĂŞncia de -LQJHPOKHGDUDPmRFRPGHOLFDGH]D e respeito. Casto em função do contexto cultural e polĂ­tico do paĂ­s e tambĂŠm devido

AMOR ...

à ingenuidade da jovem protagonista, A à rvore do Amor Ê doce em sua abordagem de um envolvimento amoroso quase platônico – e mesmo quando um arremedo de intimidade física surge entre o casal, Yimou se concentra mais nas expectativas e reaçþes dos jovens do que no ato em si, mantendo sua câmera colada ao rosto dos atores e permitindo que testemunhemos a ansiedade e o desejo em seus olhos. Aliås, LVWRGHPRQVWUDDFRQÀDQoDGRFLQHDVWD HPVHXHOHQFR²XPDFRQÀDQoDMXVWLÀcada pela dinâmica estabelecida entre 'RQJ\XH6KDZQ WDPEpPHVWUHDQWH diga-se de passagem), que se entregam com tamanha naturalidade aos personagens que podemos quase enxergar o sentimento que surge entre eles, tamanha sua força. Belissimamente fotografado por Zhao Xiaoding, colaborador de Yimou

desde que trabalhou como operador de câmera em Herói, o longa faz um ótimo XVRGDVORFDo}HVGHVGHRVFDPSRVà RULdos percorridos pelos personagens atÊ o vale que abriga a pequena vila visitaGDSRU-LQJ HQHVWHVHQWLGRRGHVLJQ de produção tambÊm merece crÊditos, destacando-se tambÊm no fantåstico trabalho de recriação de Êpoca). Com um terceiro ato que, em mãos mais pesadas, poderia se transformar num ågua-com-açúcar cafona e irritante, A à rvore do Amor emociona não por ser apelativo ou maniqueísta, mas por ter conseguido levar o espectador a conhecer aqueles personagens e a torcer por sua felicidade. E que Zhang Yimou, aos 60 anos de idade, demonstre tamanha sensibilidade ao retratar o amor adolescente Ê uma prova de seu talento como cineasta e tambÊm de sua profunda humanidade.

1


2

TribunaIndependente

DIVERSĂƒO&ARTE MACEIĂ“ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

Danças populares $SDUWLUGDSUy[LPDWHUoDIHLUDGLDR0XVHX7KpR%UDQGmR $YHQLGDGD3D] HVWiUHFHEHQGRDVLQVFULo}HVSDUDDVR¿FLQDVGHGDQoDV populares: frevo, coco-de-roda, forró, baiana, fandango, guerreiro e pastoril. As aulas começam no dia 23 deste mês, sempre às quartasfeiras, das 15h30 às 17h. Tudo de graça. Vagas limitadas. Mais informaçþes: 3221-2977.

Sanfoneiro O sanfoneiro e cantor Dorgival Dantas estarĂĄ se apresentando pela 1ÂŞ vez em MaceiĂł, no prĂłximo dia 18, no ‘ForrĂł do Kanoa’, na Musique, ao lado da banda MĂ´ Fio!, do ForrĂł da Pegação e do DJ PitĂŁo. Na mesma ocasiĂŁo, a banda MĂ´ Fio! subirĂĄ ao palco para gravar o seu 1Âş DVD, ao vivo, e promete fazer um grande show para animar o pĂşblico. A partir das 22h. Ingressos Ă vendas na Loja Container e no Kanoa Beach Bar: R$ 40 pista e R$ 80 camarote.

FĂĄbio Rabin

Alice Jardim A partir do prĂłximo dia 17, a Pinacoteca UniversitĂĄria abriga a primeira exposição individual de Alice Jardim. “Dobraâ€? apresenta HPVXDVIRWRJUDÂżDVHYtGHRVFRPposiçþes que delineiam a cidade a partir das luzes, ilusĂľes montadas Uma HistĂłria de Cordel FRPLPDJHQVUHDLV$PRVWUDÂżFD A noite da prĂłxima quarta no projeto Teatro Deo- em cartaz atĂŠ o dia 29 de junho. doro ĂŠ o Maior Barato serĂĄ de muito cordel e Abertura marcada para 20h, no teatro com o espetĂĄculo “Marina – Uma HistĂłria Espaço UniversitĂĄrio Cultural, na de Cordelâ€?, da Cia Teatro da Meia-noite, a partir Praça Sinimbu. das 19h, com ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada, para melhor idade e estudantes com carteira vĂĄlida). Marina nasceu por muitas Fulanos Ih! Sicranos mĂŁos, autores que invadem uma obra existente, O que acontece quando o poder devoram-na, e reescrevem uma “velha novaâ€? pĂşblico de uma cidade decide fechar histĂłria, o que trazem de novo ĂŠ a rima, uma a Ăşnica biblioteca para transformar nova sina para quem esta habituado a prosear. o local numa casa noturna de enÉ uma tragicomĂŠdia contemporânea, inspirada tretenimento para arrecadar dinheiro no Movimento Armorial, nela misturamos lingua- para o municĂ­pio? É a partir desse argens e gĂŞneros, o espetĂĄculo caracteriza-se no gumento de Anderson Fidelis que se ÂżQDOGRVpFXOR;,;WUDWDGHFRQĂ€LWRVHPRFLRQDLV constroi o espetĂĄculo teatral “O Breu seculares que perduram atĂŠ hoje, amor proibido, da Caçupembaâ€?, da Cia. Fulanos Ih! abuso de poder, trapaças e farsas, esses ĂşltiSicranos. Em cartaz no Teatro Sesi, mos tĂŁo comuns em nosso cotidiano. na Pajuçara, hoje e nos dias 18 e 25

Exposição em Arapiraca $([SRVLomR)RWRJUiÂżFD(WHUQHFHUHVWDUiHP cartaz na galeria Sesc Arapiraca. As fotos, assinadas por Camila Cavalcante e Karla Melanias, buscam explorar os limites individuais e coletivos do esquecimento, utilizando a IRWRJUDÂżDFRPRSULQFLSDOLQVWUXPHQWRGHPDQHMR e provocação. As artistas trabalharam com equipamentos analĂłgicos de 35mm e mĂŠdio formato, tanto em cores como em preto e branco, na intenção de usar tĂŠcnicas consideradas “antigasâ€? e “ultrapassadasâ€? para expressar um FRQFHLWRFRQWHPSRUkQHRFRPRDÂżUPD.DUOD

Arte naïfe A arte naïfe de Tânia Pedrosa e peças do seu vasto acervo de colecionadora estarão expostas na Galeria de Arte Cesmac Fernando Lopes, inaugurando a temporada de mostras do ano de 2012 da Pró-Reitoria de Extensão e Ação Comunitåria do Cesmac.

Gospel na Vox Para quem gosta da chamada “mĂşsica gospelâ€? o show ĂŠ imperdĂ­vel. No prĂłximo dia 18, a partir das 20h, na Vox Room (estacionamento de JaraguĂĄ). Os ingressos custam R$ 20 (pista) e R$ 40 (VIP). Vendas na Livraria Paulinas (Centro) e no estande Viva Alagoas (MaceiĂł Shopping). Mais Informaçþes: 3033-2703.

Nas estradas brasileiras, o humorista FĂĄbio Rabin chega a MaceiĂł no prĂłximo dia 26 para apresentar seu novo espetĂĄculo, o standup comedy “Sem Noçãoâ€?. No palco, ele faz rir de assuntos do cotidiano e atĂŠ mesmo de si prĂłprio. Ă€s 21h, no Teatro Gustavo Leite, Centro de Convençþes, em JaraguĂĄ. Vendas no estande MaceiĂł Ingressos (MaceiĂł Shopping). + Informaçþes: 3235 -6950.

TemĂĄtica EspĂ­rita

de maio, sempre às 20h. Preços: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

O Poeta das Cores O artista plĂĄstico e arquiteto Pedro Caetano traz a MaceiĂł a exposição com tema “Na Janela do Olharâ€?, na Fundação Pierre Chalita, em JaraguĂĄ (somente para convidados). A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira das 8h30 Ă s 11h30 e 14h Ă s 17h30; nos sĂĄbados, de 8h30 Ă s 11h30.

Novas visitas O Museu Palåcio Floriano Peixoto (Mupa), tem um novo horårio de visitação. Nas quartas-feiras, no horårio de 17h às 22h, as visitas só poderão ser feitas com agendamento. O funcionamento nos GHPDLVGLDVGHWHUoDDVH[WD¿QV de semana e feriados, continua sem alteração.

2DWRU5HQDWR3LHWUR ÂżOPHÂł1RVVR/DU´ FKHJDD0DFHLyQR prĂłximo dia 26 para apresentar a peça de temĂĄtica espĂ­rita “O Semeador de Estrelasâ€?. Texto de Cyrano Rosalem. No palco do Teatro Gustavo Leite (JaraguĂĄ), Ă s 18h. Vendas nos estandes Viva Alagoas (MaceiĂł Shopping) e Folia Brasil (G Barbosa Stella Maris). + Informaçþes: 3034-3600.

Inscriçþes abertas Aberta a bailarinos, escolas de dança e grupos (amadores ou SUR¿VVLRQDLV DPRVWUDDFRQWHFHGHGHMXOKRDGHDJRVWR GHHWHPFRPR¿QDOLGDGHRIHUHFHUXPDYLVmRJHUDOGD dança no nosso estado. Promovida pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), as inscriçþes seguem atÊ o dia 31 de maio. O material deve ser entregue de segunda a quinta-feira, das 9h às 16h, e na sexta-feira das 9h às 13h, no setor de protocolo da Secult. As inscriçþes tambÊm podem ser feitas pelos Correios, para o endereço da secretaria, por correspondência registrada com Aviso de Recebimento – AR (sendo considerada a data da SRVWDJHP HPHQYHORSHLGHQWL¿FDGRFRQWHQGRDVLQIRUPDo}HV solicitadas no Formulårio de Inscrição (disponível no site: www. FXOWXUDDOJRYEU $6HFXOW¿FDORFDOL]DGDQD3UDoD0DUHFKDO Floriano Peixoto, 517, Centro, CEP 57020-090.

The Wailers Em turnê no Brasil, a banda jamaicana The Wailers, que começou com Bob Marley, se apresenta em Maceió no próximo dia 12 de maio. A noite do reggae tem muito mais. Outra atração internacional Ê RJUXSRGD1RYD=HOkQGLD.DWFKD¿UH$ODJRDVHQWUDFRPDVEDQGDV$GDPD5RRWV*URXYH5HJJDH Resitência, alÊm de vårios DJs. Preços: R$ 30 (pista) e R$ 60 (VIP). Vendas nas lojas Point Radical, Tchuk Jhones e no estande Viva Alagoas (Maceió Shopping). + Informaçþes: 3327-0044.

FALE CONOSCO - A Agenda Ê um serviço gratuito de orientação ao leitor. Os interessados em divulgar eventos, shows e exposiçþes podem enviar material atravÊs do endereço: tiagenda@hotmail.com


TribunaIndependente

0$&(,Ă?'20,1*2'(0$,2'( DIVERSĂƒO&ARTE

3

MATHEUS CABRAL GLOBO

FLĂ VIO RICCOFRODERUDomR-RVp&DUDORV1HU\ZZZWZHWWHUFRPĂ€DYLRULFFR

5HFRUGGHYHĂ€[DUKRUiULR das minissĂŠries

N

TV TUDO

Novo desenho

Bola em jogo

1DGDHYLGHQWHPHQWHpFRQ¿UPDGR SHOD5HFRUGPDVFRPHQWiULRVQRV VHXVLQWHULRUHVLQGLFDPSDUDPXGDQoDVLPSRUWDQWHVQDDSUHVHQWDomR GRMRUQDOLVPRSyV2OLPStDGD $WUDQVIHUrQFLDGH¿QLWLYDGR&HOVR )UHLWDVGR³-RUQDOGD5HFRUG´SDUDR ³'RPLQJR(VSHWDFXODU´pDSRQWDGD FRPRDPDLVLPSRUWDQWHGHODV$OpP GHRXWUDVHPGHFRUUrQFLDGHVWD

$~QLFDFRLVDTXHDLQGDHVWi IDOWDQGRDR1H\PDUpDSDUHFHU QXPDQRYHODGDVQRYH6HJXQGRVH LQIRUPDLVVRWDPEpPQmRYDLIDOWDU $VXDSDUWLFLSDomRHP³$YHQLGD %UDVLO´GD*ORERHGR-RmR(PDQXHO&DUQHLURHVWiHPIDVH¿QDOGH QHJRFLDomRHSRUGHWDOKHV$FHUWDU DGDWDGHJUDYDomRpXPGHOHV

a Record existe uma discussĂŁo sobre o que seria ideal para a exibição das minissĂŠries bĂ­blicas. As produzidas e apresentadas atĂŠ aqui alcançaram plenamente os seus objetivos e muito provavelmente nĂŁo tiveram audiĂŞncia maior em função do horĂĄrio avançado em que sĂŁo levadas ao ar. A questĂŁo ĂŠ exatamente essa. Se realmente vale a pena colocar um produto, com custo- Segunda temporada capĂ­tulo tĂŁo alto, no instante em que o nĂşmero de aparelhos ligados comprovadamente começa a $LQGDQmRpXPDFRLVDGHÂżQLWLYDPDVH[LVWHPJUDQGHV diminuir – por volta das 11 da noite. Ou se o mais SRVVLELOLGDGHVGR6%7DXWRUL]DU lĂłgico ĂŠ mesmo fixar a exibição nesta faixa onde a DVHJXQGDWHPSRUDGDGDQRYHOD Âł&DUURVVHO´(VWiHPHVWXGRV concorrĂŞncia nĂŁo ĂŠ tĂŁo intensa. O pessoal da “Rei Daviâ€? foi bastante questionado $SULPHLUDYDOHOHPEUDUWHPD VXDHVWUHLDFRQÂżUPDGDSDUDR sobre o assunto e as opiniĂľes ainda estĂŁo bem SUy[LPRGLD divididas. O bom senso, no caso, manda deixar como estĂĄ e nada se alterar na apresentação de Alto risco JosĂŠ do Egito. Qualquer mudança nesta altura dos $SURSyVLWRGHÂł&DUURVVHO´D acontecimentos poderia implicar riscos e atĂŠ com- QRYHODYDLHVWUHDUQR6%7FRP FHQDVGHFDStWXORVJUDYDGDV prometer os resultados que sempre foram muito 0HVPRHPVHWUDWDQGRGHXPD bons. KLVWyULDIHFKDGDRULVFRVHPSUH

VHUiPXLWRDOWR+DYHQGRDOJXPD UHMHLomRSRUSDUWHGRS~EOLFRQmR VHUiSRVVtYHOFRUULJLU0DVR6%7 QmRDSUHQGH,QVLVWHHPSHUVLVWLU no erro.

Sem mudança &RPHQWDULVWDGD%DQGHLUDQWHV RH[MRJDGRU(GPXQGRQmRYDL PDLVWURFDUR5LRGH-DQHLURSRU 6mR3DXOR,VVRDWpIRLGLYXOJDGR PDVRDVVXQWRHVIULRX 3HVDQDGHFLVmRRIDWRGHHOH TXHUHUFRQWLQXDUPDLVSHUWRGD IDPtOLDHDPLJRV

Quase pronto

Bate-rebate

Sucesso aqui e lĂĄ fora, Gusttavo Lima gravou o “Aventuras do Didiâ€?, na Globo.O cantor participa de um nĂşmero musical no programa e de brincadeiras com Renato AragĂŁo. No ar, hoje

Procura-se

Loira e morena

$%DQGHLUDQWHVFRQWLQXDDWUiVGH XPFKHIGHFR]LQKDFRQKHFLGRH UHVSHLWDGRSDUDFRPDQGDURSURJUDPD³.LWFKHQ1LJKWPDUHV´ 2IRUPDWRpGD&XDWUR&DEH]DV TXHEXVFDSHVVRDVLQWHUHVVDGDV HPVDOYDUUHVWDXUDQWHVjEHLUDGD IDOrQFLD

$YROWDGH3DORPD7RFFLj %DQGHLUDQWHVQmR¿FDUiOLPLWDGDDR QRYRSURJUDPDGH)HOLSH$QGUHROL GDVWDUGHVGHViEDGRTXHHVWUHLD HVWHPrV 4XDQGRKRXYHUDQHFHVVLGDGHHOD LUiVXEVWLWXLU5HQDWD)DQQR³-RJR $EHUWR´GDKRUDGRDOPRoR

Jovens talentos 1mRWHPHVVDGHSRQWRVHPQy5DXO*LOMiFRPHoRXDJUDYDUQRYDWHPSRUDGD³-RYHQV7DOHQWRV.LGV´SDUDHVWUHDUGLDQRVHXSURJUDPDGR6%7

$RUGHPpHVVDPHVPRPDUFDUWHUULWyULRHHVYD]LDUR³ËGRORV.LGV´GD $VHJXQGDWHPSRUDGDGR³3ODQHWD([WUHPR´TXDGURFRPDQGDGR 5HFRUGTXHVyLUiDRDUHPVHWHPEUR SRU&OD\WRQ&RQVHUYDQLWHYH Programa do Bial tem nova data VXDVJUDYDo}HVHQFHUUDGDVQR PrVSDVVDGR3DVVDDJRUDSHOR 2QRYRSURJUDPDGH3HGUR%LDO 8PIRUPDWRGHGHEDWHVFRPHVSURFHVVRGHSyVSURGXomRDQWHV VRIUHXXPDPXGDQoDHPUHODomRj TXHPDGHWHPSRUDGDHH[LELomRQR GHHVWUHDUQR³)DQWiVWLFR´ GDWDGHHVWUHLDSUHYLVWD1mRVHUi KRUiULRKRMHRFXSDGRSHOR³*ORER (QTXDQWRLVVRDHTXLSHMiSHQVD PDLVQRGLDGHMXQKR)DOD 0DU´'LUHomRGH0DUFHO6RXWR HPSURYiYHLVORFDo}HVSDUDD VHDJRUDHPGHMXOKRSULPHLUD 0DLRUYLQFXODGRDR1~FOHRGH/XL] TXLQWDIHLUDGRPrV *OHLVHU WHUFHLUDWHPSRUDGD

Fase de testes 2VODQoDPHQWRVGDSUy[LPD³0DOKDomR´PHQLQRVHPHQLQDVHQWUHHDQRVVDLUmRGHWHVWHVTXHMiHVWmR DFRQWHFHQGRHP6mR3DXORH5LRGH-DQHLUR 1RWRWDOFRQWDQGRWDPEpPFRPRVDWRUHVPDLVH[SHULHQWHVRHOHQFRGHYHUiUHXQLUSHVVRDV

HORĂ“SCOPO

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br

Š Revistas COQUETEL 2012

São convocados para "recalls" Cantor e ídolo ado- de carros lescente, esteve Urânio no Brasi em 2011 (símbolo) Planta medicinal de sabor amargo Madre (?), dirigente de convento

Diz-se do perĂ­odo Bolo de grande florescide fubĂĄ mento cultural (bras. MG) O plano alternativo

(?) Bolsonaro, polĂŞmico deputado e militar da reserva Briga (pop.)

Otis Redding, cantor dos EUA

A hora do engarra- Costela, famento em inglĂŞs (ingl.)

Disparou (arma de fogo) Ilha dos tecidos coloridos (IndonÊsia) Ciência da construção civil

JoĂŁo Paulo (?): Albino Luciani

Passarinho de canto apreciado

Novo Testamento (abrev.)

LĂĄzaro Ramos, ator de "Ă“ PaĂ­ Ă“"

Nariz, em inglĂŞs

Pesca-(?), calça curta

"LĂŠsbicas", em LGBT

Deixar de pagar a credores (jur.)

Cristo (?), monumento portuguĂŞs Ă beira do Tejo (110 m)

(?) da AmĂŠrica Latina, obra de Niemeyer e Darcy Ribeiro (SP)

Cor do vinho entre o tinto e o branco

Imitar a voz do gato

Deve ser escovada na higiene bucal

Autores (abrev.)

"Nada ĂŠ por (?)" (dito)

Modelo de carro soviĂŠtico vendido no Brasil Sem o primeiro sacramento (fem.)

Bairro em que nasceu a boemia carioca Barra pintada ou esculpida na parede Coautor do samba "Coisinha do Pai"

3/rib. 4/bali — lada — nose — rush. 5/åureo — friso. 11/pintassilgo.

14

Solução J U U S U A T I I E N G B P I NT E B M E M F R I A J O R

P A R U O R P E R O I E N T O A S R E I O R S O S G E

B E B R R I O U A S B H A R L S I L I R F I A L L A A I D A R A

J A I B R A R L R I A N C G O U A A C P A A S Ăƒ O

G

BANCO

Recursos (fig.) A letra maçônica

Ă RIES - (21/3 a 19/4) – Os bons DFRUGRVFKHJDPDJRUDHSRVVLYHOPHQWHHQYROYHUmRJUDQGHVVRPDV GHGLQKHLUReKRUDGHUHYHUVHXV LQYHVWLPHQWRV$SRVWHQRMRJR &RPRUHDJHPQXPDFULVH HFRQyPLFD4XHVW}HVFRPRDIDOWD GHGLQKHLURTXHSDUDHOHVpPXLWR LPSRUWDQWHSRGHPHQIUDTXHFrORVH FDtUHPQDGHVPRWLYDomR TOURO Âą D Âą0HUF~ULR HQWUDHPVHXVLJQRHRVUHODFLRQDPHQWRVJDQKDPHVSHFLDOPHQWHRV SURÂżVVLRQDLV%RPPRPHQWRSDUD ID]HUDFRUGRVFRPGtYLGDV &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD$IDOWDGHGLQKHLURRVSUREOHPDV UHODFLRQDGRVFRPÂżQDQoDVDJXGL]DPDVVXDVQDWXUDLVFDSDFLGDGHVV GĂŠMEOS Âą D ÂąeKRUD GHUHĂ€HWLUSURIXQGDPHQWHVREUHVXDV HVFROKDVHRVLOrQFLRYDLDMXGDUQDV SUy[LPDVGHFLV}HV3URFXUHPDQWHU VHJUHGRVREUHVHXVSURMHWRVIXWXURV &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD5HQDVFHPGDVFLQ]DVHUHLQLFLDPDOXWDGHWDOIRUPDTXHOKHV SHUPLWHHPPXLWDVRFDVL}HVVDtUHP YHQFHGRUHV CĂ‚NCERÂą D Âą3HUIHLWRGHYHUiVHURHQWHQGLPHQWR VHQWLPHQWDOGRVQDWLYRVGHVWHVLJQR *UDQGHDSUR[LPDomRGRFDVDO WHUQXUDHPDQLIHVWDo}HVDPRURVDV FRQWULEXLUmRODUJDPHQWHSDUDXP SHUtRGRPXLWRIHOL] &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD$VFULVHVÂżQDQFHLUDVWRUQDRV LQVWiYHLVHQHFHVVLWDPGHDOJXP tempo para se recomporem e FRPHoDUHPDUHDJLU LEĂƒO – (23/7 a 22/8) – Bons UHODFLRQDPHQWRVGHDPL]DGHH XPHQWHQGLPHQWRSHUIHLWRFRPD IDPtOLDFRQWULEXLUmRGHXPDIRUPD DFHQWXDGDSDUDTXHVHVLQWDEHP FRQVLJRSUySULR 'HYHUiDSURYHLWDUHVWHERPDVSHWR SDUDVHGLVWUDLUXPSRXFRHFULDU QRYDVDPL]DGHV &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD4XDQGRFRQIURQWDGRFRPVLWXDo}HVGHFULVHUHDJHGHLPHGLDWRH QmRVHHQWUHJDDGHVHVSHURVLQ~WHLV HTXHQmRUHVROYHPQDGD VIRGEM – (23/8 a 22/9) – As YLDJHQVJDQKDPIRUoDDVVLPFRPR WXGRTXHHQYROYHPRYLPHQWR(VWD pXPDIDVHGHPXLWRDSUHQGL]DGRH HVWXGRHVSHFLDOPHQWHQDiUHDGD

¡ O programa de Gilberto Barros na Rede TV! farĂĄ uma grande aposta no formato de games. Isso jĂĄ estĂĄ decidido. Ă‚&RPRHVWiDFHUWDGRWDPEpPTXH KDYHUiTXDGURVFRPSDUWLFLSDomRGH FULDQoDVSRUTXHHVWHVHJPHQWRVHPSUHGiXPDERDDXGLrQFLDFRQVWDWDVH ¡ $5HGH79FKHJRXDDQXQFLDUXP SURJUDPDGD/XFLDQD*LPHQH]QRV (VWDGRV8QLGRV0DVQXQFDPDLV VHIDORXGHOH Ă‚'HSRLVGHXPÂżPGHVHPDQDGH IROJD)DXVWR6LOYDYROWDDDSUHVHQWDURVHXÂł'RPLQJmR´DRYLYR Ă‚(YROWDSDUDDFRPDQGDUDQRYD Âł'DQoDGRV)DPRVRV´ Ă‚'HDFRUGRFRPD%DQGRQRYR FHQiULRHSDFRWHJUiÂżFRGRÂł-RUQDOGD 1RLWH´GHYHPDSDUHFHUMiQHVWHGRPLQJRQRÂł-RUQDOGR%yULV´GRÂł3kQLFR´ Ă‚(DFDGDGLDDVRSLQL}HVVREUHR 0iUFLR/~FLR&DULRFDVHUHIRUoDP eKRMHRJUDQGHWDOHQWRHPDVFHQVmRQRFDPSRGRKXPRU Ă‚5HGH79SHQVRXHPID]HUD IHVWDGRÂł6DWXUGD\1LJKW/LYH´GR 5DÂżQKD%DVWRVQD(VWDomRGD/X] SRUTXHRFHQiULRGRSURJUDPDp XPDHVWDomRIHUURYLiULD Ă‚0DVQRÂżPSDUDQmRFRPSOLFDU GHPDLVVHUHVROYHXUHDOL]DUQD SUySULDHPLVVRUD Ă‚)RLEHPRÂł6mR3DXORQR$U´GD 5HFRUGHGLomRGDTXDUWDIHLUD Ă‚$SUHVHQWDGRHQWUHKHK PDUFRXSRQWRVHGHVKDUH

&¡HVWÀQL =LQKRKRMHFRPHQWDULVWDGR)R[ 6SRUWVGXUDQWHXPMDQWDUQDWHUoD IHLUDFRP(GXDUGR=HELQLGLUHWRU GDHPLVVRUDIDORXGRFRQYLWHGR )ODPHQJRSDUDDVVXPLUDGLUHomR GRIXWHERO 8PDSURSRVWDLQWHUHVVDQWHQmR WLQKDFRPRUHFXVDU2QWHPDLQGD SHODPDQKm¿FRXWXGRDFHUWDGR PDVDLQGDDVVLPHOHFRQWLQXDUiFRPHQWDQGRRVMRJRVGD/LEHUWDGRUHV HQWUHRXWUDVFRLVDVSRUTXHR)ODPHQJRQmRHVWiPDLVGLVSXWDQGR )LFDPRVDVVLP0DVDPDQKmWHP PDLV7FKDX

LĂ VEM MAIS HVSLULWXDOLGDGH &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD&RQVHJXHXOWUDSDVVDUQDPDLRULDGDVYH]HVRVSUREOHPDVVHP TXHHOHVGHL[HPJUDQGHVPDUFDV LIBRA – (23/9 a 22/10) – Um DFRUGRTXHMiHVWiHPDQGDPHQWR FRPHoDDÂżFDUPDLVSUy[LPRe KRUDGHFRPHoDUDID]HUSODQRVGH PXGDQoDV &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD$VXDLQGHFLVmRIUDJLOL]DDVXD IRUoDLQWHULRUHWXGRVHSRGHWRUQDU PXLWRFRPSOLFDGR ESCORPIĂƒO – (23/10 a 21/11) – O HQWHQGLPHQWRFRPRVHXSDUVHUi DEVROXWRHDWUDYpVGHXPUHODFLRQDPHQWRLQWHOLJHQWHYLYHUiXPDIDVH PXLWRDJUDGiYHO &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD)RUWHVFDUDFWHUtVWLFDVGHOXWDGRUQmREDL[DRVEUDoRVHYDLjOXWD FRPWRGDDVXDIRUoDLQWHULRU SAGITĂ RIO Âą D Âąe KRUDGHDSUHVHQWDUDTXHOHSURMHWRLPSRUWDQWHHJDQKDUQRYDV DPL]DGHVQRHVFULWyULR6HXGLDD GLDGHWUDEDOKRFRPHoDDÂżFDUPDLV PRYLPHQWDGR &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD$VXDWHQGrQFLDTXDVHLPHGLDWD pHQFRQWUDUHPWHUFHLURVDDMXGD TXHOKHVSHUPLWDVDLUGHXPHVWDGR GHDĂ€LomR CAPRICĂ“RNIO – (22/12 a 19/1) – 3URFXUHQRVVHXVUHODFLRQDPHQWRV GHDPL]DGHDFRPSDQKLDLGHDOSDUD VHGLVWUDLUXPSRXFR $OJXQVHQFRQWURVFRPRVVHXVIDPLOLDUHVWHUmRHIHLWRVEDOVkPLFRV &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD1mRpSUHFLSLWDGRQDIRUPD GHDWXDUHpFRPFDOPDHPXLWD VHUHQLGDGHTXHFRQVHJXHUHVROYHU DVLWXDomR AQUĂ RIO – D ÂąeKRUD GHSURPRYHUIHVWDVUHXQL}HVHHQFRQWURVFRPRVDPLJRVHSDUHQWHV PDLVSUy[LPRV &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD$VVLWXDo}HVTXHHQYROYDP GLQKHLURSDUDHOHVYDOHPRTXHYDOH PEIXES Âą D 1mRGHL[H GHVDLUSRLVXPDQRYDDPL]DGH SRGHPH[HUPXLWRFRPYRFr &RPRUHDJHPQXPDFULVHHFRQyPLFD4XDQGRRGLQKHLUROKHVDFDED DVLWXDomRpHQFDUDGRFRPRXPD ERPEDSDUDDTXDOQmRHVWmRDYHU XPDVROXomRUiSLGD

Recordes de “Os Vingadoresâ€? geram novas sequĂŞncias

“O

s Vingadoresâ€? bateu recordes de estreia nos Estados Unidos ao faturar US$ 207 milhĂľes (R$ 405 PLOK}HV eRĂ€OPHPDLV visto do ano no Brasil, com uma bilheteria de R$ 59 milhĂľes. E arrecadou mais de US$ 700 milhĂľes (R$ 1,3 bilhĂŁo) pelo mundo. A pergunta que agora ronda a produção ĂŠ: qual o prĂłximo passo? O CEO da Disney, Robert A. Iger, respondeu ao anunciar a produção de “Os VingadoUHVÂľ´>2Ă€OPH@LOXVWUD tudo aquilo de que gostamos na Marvelâ€?, disse Iger. O anĂşncio nĂŁo foi uma VXUSUHVD$Ă€QDOWUrV herĂłis de “Os Vingadoresâ€? MiWrPĂ€OPHVVRORPDUcados para 2013 e 2014 --com a nova reuniĂŁo do grupo prevista para 2015. O primeiro a sair do papel serĂĄ “Homem de Ferro 3â€?. O longa começa a ser rodado ainda neste mĂŞs na Carolina do Norte (EUA) e deve ser lançado em 3 de maio de 2013. Shane Black (“Beijos e Tirosâ€?) entra no lugar de Jon Favreau na direção. Robert Downey Jr. terĂĄ nova companhia: Guy Pearce (“AmnĂŠsiaâ€?) faz um geneticista e Rebecca Hall (“Vicky Cristina Barcelonaâ€?) interpreta uma cientista

especializada em nanotecQRORJLD2YLOmRĂ€FDVRE a responsabilidade de sir Ben Kingsley. No mesmo ano, mas em 15 de novembro, ĂŠ a vez de “Thor 2â€?. O longa continua protagonizado por Chris Hemsworth e Natalie Portman. “Loki terĂĄ uma participação, mas o vilĂŁo serĂĄ outroâ€?, contou o presidente dos estĂşdios Marvel, Kevin Feige, ao site Collider. “CapitĂŁo AmĂŠrica 2â€? estĂĄ marcado para 4 de abril de 2014. “Steve RoJHUVPDQWpPVXDDĂ€OLDomR com Nick Fury e a Shield e luta para entender seu papel no mundo modernoâ€?, revela a sinopse. A comĂŠdia “Homem-Formigaâ€?, de Edgar Wright (“Scott Pilgrim contra o Mundoâ€?), pode aparecer em 2014 para gerar um novo personagem para os Vingadores --no caso, um cientista que muda de tamanho. Feige adiantou que “Os Vingadores 2â€? deverĂĄ ser mais “cĂłsmicoâ€?. A pista ĂŠ a cena secreta de “Os Vingadoresâ€?, protagonizada pelo vilĂŁo Thanos, um alien que orquestrou o ataque a Nova York. Ele deverĂĄ ser a ameaça da sequĂŞncia. “Thanos serĂĄ mostrado aos poucos QRVRXWURVĂ€OPHVÂľUHYHORX Feige.


4

PUBLICIDADE

MACEIÓ - DOMINGO, 13 DE MAIO DE 2012

TribunaIndependente

Edição número 1443 - 13 de maio de 2012  
Edição número 1443 - 13 de maio de 2012  

Edição Digital - Jornal Tribuna Independente - TribunaHoje.com

Advertisement