Page 1

POL�TICA Justiça veta pagamento de pensão de ex-governador a Geraldo Bulhþes 4 (;(03/$5'2 ASSINANTE

SĂ BADO

MACEIÓ - ALAGOAS - 10 DE MARÇO DE 2012 - Nº 1390- R$ 1,50 SANDRO LIMA

ANDERSON “Galegoâ€? estĂĄ preso na Casa de CustĂłdia

tribunahoje.com

Acusado diz que atirou HPÀOKRGHGHSXWDGR SDUDYLQJDUWDSDQDFDUD O atentado à bala sofrido por Nivaldo Albuquerque Neto, filho do deputado Antonio Albuquerque (PTdoB), na fazenda de propriedade de sua família, foi motivado por vingança. Essa foi a versão apresen-

tada ontem por Anderson dos Santos, o “Galegoâ€?, 27, ao ser apresentado Ă imprensa juntamente com seus dois comparsas, JosĂŠ Francisco Silva, o “Olho de Burraâ€?, 33, e JoĂŁo Paulo, o “SatanĂĄsâ€?, 18. Segundo

“Galego�, dois dias antes do crime Nivaldo teria lhe esbofeteado no rosto na frente de sua namorada, durante uma festa no Parque Ceci Cunha, em Arapiraca. “Galego� assumiu que deflagrou os quatro tiros con-

tra Nivaldo Neto, um deles no rosto, para se vingar da agressão sofrida. Ele confessou tambÊm o assalto à casa da prefeita de Santana do Ipanema, Renilde Bulhþes, e o ataque à delegacia de Pão de Açúcar. 9 $1721,23(5(,5$4

758&8/Ç1&,$32/,&,$/

30DWURSHODFROHJDV DSDJDPSURYDVEDWHP HFHQVXUDPLPSUHQVa 8PDFHQDGHWUXFXOrQFLDSROLFLDOHFHQVXUDj LPSUHQVDHVWDUUHFHXH UHYROWRXRQWHPSRSXODUHV QD5XD%HOR+RUL]RQWHQR 3LQKHLUR6HLVPRWRVGD 5DGLRSDWUXOKDHGXDVYLDWXUDVGD30IRUDPPRELOL]DGDVSDUDGDU³VXSRUWH´ DXPDSROLFLDOPLOLWDUTXH DWURSHORX-RVHDQH0iUFLD %DUUHWR3LPHQWHOTXHHVWDYDHPVXDPRWR$QWHV GDFKHJDGDGDSHUtFLDRV PLOLWDUHVSHUWRGHYLQWHUHWLUDUDPRVYHtFXORV GRORFDOHDSDJDUDPDV

SURYDVFRQWUDDFROHJD 2HQJHQKHLUR-RVp0DULD 3LPHQWHOLUPmRGDYtWLPD IRLEUXWDOPHQWHHVSDQFDGR DRFKHJDU2MRUQDOLVWD$QWRQLR3HUHLUDGDTribuna IndependenteUHJLVWURX LPDJHQVGHWXGRPDVWHYH RFHOXODUWRPDGRSHORV SROLFLDLVTXHDSDJDUDP SDUWHGDVIRWRVHGRÂżOPH HDLQGDOKHDPHDoDUDP$ DWLWXGHGRVPLOLWDUHVQmR FRQGL]FRPDVRULHQWDo}HV GRVHFUHWiULR'iULR&pVDU GD'HIHVD6RFLDOHGRJRvernador Teotonio Vilela. ADAILSON CALHEIROS

POLICIALQmRLGHQWLÂżFDGDFKDPRXRVFROHJDVSDUDHQFREULURDWURSHODPHQWRR TXHVHYLXIRLXPVKRZGHDUELWUDULHGDGHVDUURJkQFLDHWUXFXOrQFLDGRV30V

SOBRECARGA

DEFESA SOCIAL

O delegado Waldor Coimbra, do 9Âş Distrito Policial, no Jacintinho, pediu socorro ao MinistĂŠrio PĂşblico por nĂŁo conseguir concluir os inquĂŠritos em função do alto volume de crimes. Karla Padilha, da Promotoria de Controle Externo da Atividade Policial, classificou de “misĂŠria extremaâ€? a situação de delegacias na periferia da capital. Em 2012, correiçþes na delegacia do Jacintinho constataram condiçþes precĂĄrias de trabalhos: um contingente Ă­nfimo de servidores e sobrecarga de inquĂŠritos, que surgem dia apĂłs dia. 11

O promotor público Sidrack Nascimento denunciou o ex-secretårio de Defesa Social, general Så Rocha, e os coronÊis da Polícia Militar AurÊlio Rosendo e Luiz Bugarin, ex-comandantes da Intendência Penitenciåria, por fraude na aquisição de alimentos. Em caråter emergencial, a compra foi feita sem licitação e custou quase R$ 4 milhþes. A ação tramita na 16ª Vara da Fazenda Pública Estadual, para onde o processo foi encaminhado na terça-feira. A irregularidade denunciada não teria relação com DEPUTADO DLQGDDYDOLDVHYDLGLVSXWDU3UHIHLWXUDGH0DFHLy a Operação Espectro. 3

Delegado pede socorro ao MP para concluir inquĂŠritos

ESCRIVĂƒ *HDQH6LOYDVHGHVGREUDFRPFDOKDPDoRGHSURFHVVRV TEMPO Bom a parcialmente nublado com possiblidades de chuvas em ĂĄreas isoladas

MĂ­nima

20Âş

MĂĄxima

30Âş

MarĂŠs

04:54 11:00 17:13 23:28

2.3 0.0 2.3 0.1

FINANÇAS DĂ“LAR COMERCIAL 55 DOLAR PARALELO 55 OURO: 5 3283$1d$

BR-101

ADAILSON CALHEIROS

Ex-secretĂĄrio e coronĂŠis sĂŁo denunciados por fraude

SECOM

CARIMBĂƒO

FORÇA NACIONAL

0LQLVWURVH1RQ{ YLVLWDPDVREUDV GHGXSOLFDomR

œ0LQKDSULRULGDGH 1RYRGHVPDQFKH pDUHFXSHUDomR pHVWRXUDGRQR GHGURJDGRV¡ %HQHGLWR%HQWHV

2VPLQLVWURV3DXOR3DVVRV 7UDQVSRUWHV H0LULDP%HOFKLRU 3ODQHMDPHQWR YLVLWDUDPRQWHPHP1RYR/LQR HPFRPSDQKLDGRYLFHJRYHUQDGRU-RVp7KRPi]1RQ{ DVREUDVGHGXSOLFDomRGRV TXLO{PHWURVGHH[WHQsão da BR-101. Påg. 5 THOMà Z NONÔPRVWURXDRVPLQLVWURVRDQGDPHQWRGDVREUDV

2GHSXWDGR*LYDOGR&DULPEmR 36% GLVVHTXHVHXSULQFLSDO IRFRDJRUDpDUHFXSHUDomR GHGHSHQGHQWHVTXtPLFRVPLVVmRTXHGL]WHUFRPDSRLRGD SUHVLGHQWH'LOPD5RXVVHII3RU FRQWDGLVVRDVDUWLFXODo}HVGH VXDFDQGLGDWXUDDSUHIHLWRÂżFDUDPHPVHJXQGRSODQRPĂĄg. 2

$JHQWHVGD)RUoD1DFLRQDO ³HVWRXUDUDP´RQWHPjQRLWH RXWURGHVPDQFKHGHYHtFXORV URXEDGRVQXPDUHVLGrQFLDQD 5XDGDV)ORUHVQR%HQHGLWR %HQWHV1LQJXpPIRLSUHVR PDVJUDQGHTXDQWLGDGHGH SHoDVHXPYHtFXORDLQGD LQWHLURIRUDPDSUHHQGLGRV


TribunaIndependente

2 POL�TICA MACEIÓ - Sà BADO, 10 DE MARÇO DE 2012

PolĂ­tica

Novo coordenador promete mais atenção aos problemas de Alagoas Ainda durante a entrevista ontem pela manhĂŁ, Givaldo CarimbĂŁo foi bem claro ao exigir mais interação dos deputados federais com a população alagoana. “NĂłs podemos ser ‘abridores de portas’, intervir mais nos problemas de Alagoas. O problema do Hospital do Açúcar, por exemplo, ĂŠ um deles. Ele estĂĄ com problemas e fechado, se tira do povo de Alagoas um hospital do SUS, pois estĂĄ parado. Isso ĂŠ um problema que temos que intervirâ€?, decretou o parlamentar socialista.

CarimbĂŁo nĂŁo sabe se disputa pleito

Em ediçþes anteriores, o deputado federal era a imagem da certeza da prÊ-candidatura pelo PSB aliado do PSDB

ESPLANADA LEANDRO MAZZINI - contato@colunaesplanada.com.br

Extra 37%GH-HIIHUVRQTXHU¿FKDOLPSDSDUDHOHLWRU Partido presidido pelo ex-deputado Roberto Jefferson, rÊu no processo do Mensalão no Supremo Tribunal Federal, o PTB deve discutir em EUHYHDLPSODQWDomRGD¾¿FKDOLPSDœSDUDVHXV¿OLDGRVLGHLDGHOHH tambÊm atÊ para o eleitor, proposta do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), procurador da Câmara, que serão levadas à executiva QDFLRQDO-HIIHUVRQSRUpPTXHUFDXWHOD³9DPRVID]HUSULPHLURD¿FKD limpa interna, e depois discutir a outra, quando ele apresentar�, diz o presidente do partido.

CADU EPIFĂ‚NIO EDITOR DE POLĂ?TICA

O

novo coordenador da bancada federal alagoana, deputado federal Givaldo CarimbĂŁo (PSB), mudou o tom do discurso ontem, em entrevista cedida ao radialista Marcos Rodrigues, da RĂĄdio Jornal. Desde 2011, o parlamentar socialista vinha trabalhando uma prĂŠ-candidatura dentro da base aliada ao governa-

dor Teotonio Vilela Filho (PSDB), na realidade, CarimbĂŁo foi o primeiro palaFLDQR D VH PRVWUDU D Ă€P GH disputar a sucessĂŁo do prefeito CĂ­cero Almeida (PP). De pronto, quando foi questionado pelo comunicador, o deputado Givaldo CarimbĂŁo nĂŁo titubeou e respondeu na lata sobre a possibilidade de entrar na disputa: “NĂŁo seiâ€?. Parcimonioso e evitando polĂŞmicas, o parlamentar exaltou

seus pretensos adversĂĄrios, como o deputado federal JoĂŁo Lyra (PSD). “JoĂŁo Lyra ĂŠ um forte candidato, estĂĄ incentivado, motivado, com muita vitalidade mesmo de ser prefeito. Conheço gente de 30 anos que nĂŁo tem a vitalidade deleâ€?, destacou. Para o socialista, o quaGUR HVWi PXLWR LQGHĂ€QLGR H DJXDUGD XPD GHĂ€QLomR GDV demais candidaturas como seu outro colega de bancada, o deputado federal MaurĂ­cio ASCOM CĂ‚MARA

PRIORIDADE

Empenho contra as drogas desviou o foco

Cela & urna 0DUTXH]HOOLMXVWLÂżFDDSURSRVWDTXHFHUFDULDRHOHLWRUDFKDLQMXVWRSRU exemplo, que os detentos votem nas prisĂľes, respaldados por lei, e FREUHPÂżFKDOLPSDGRVSROtWLFRV

7HOKDGRGHYLGUR Ainda na mira da Justiça, Jefferson não se mostra preocupado em dar um tiro no pÊ se for condenado no STF. Teria de abrir mão da presidência, e do próprio PTB.

Berger no GDF 6ZHGHQEHUJHU%DUERVDR%HUJHUKRPHPGHFRQÂżDQoDGRH[SUHVidente Lula, entrarĂĄ no governo do Distrito Federal pelas mĂŁos do governador Agnelo Queiroz (PT). AssumirĂĄ o Gabinete Civil, criado para ele, e serĂĄ homem forte de Agnelo na gestĂŁo.

MP no Inca O MP Federal instaurou InquÊrito Civil Público para investigar suspeitas de mau atendimento a pacientes de cuidados paliativos do Instituto Nacional do Câncer. Hå denúncias de maus tratos, privação de alimentação e falta de cuidados necessårios.

Outro lado O INCA informa que a unidade de cuidados paliativos Ê referência QDFLRQDOWUHLQDQGRSUR¿VVLRQDLVSRUDQRQDiUHD³$XQLGDGHDWHQGH quase 12 mil pacientes por ano, de forma humanizada�, e recebeu em &HUWL¿FDomR,QWHUQDFLRQDOGH$FUHGLWDomR

Plateia feminina As mulheres se interessam mais por arte. O Centro Cultural Banco do %UDVLOHP%UDVtOLDFRQFOXLXTXHHODVUHVSRQGHPSRUGRS~EOLFR nos espetĂĄculos.

Cena de cinema O senador Magno Malta (PR-ES) discursava na quinta quando, ao citar RFROHJD5DQGROIH5RGULJXHV 362/$3 VROWRX³9RFrDWpTXHSDUHFH o Harry Potter mesmo!�.

Brasil no MIT Marcos Troyjo, diretor do BRICLab da Columbia University (NY) e professor do Ibmec, faz palestra hoje no conceituado Massachusetts Institute of Technology, na XV MIT Latin America Conference. O MIT Ê berço das mais avançadas tecnologias.

AlĂ´, Conar A NET faz propaganda enganosa na TV sobre os 10 Mega de velocidade de sua internet. O mĂĄximo que se chega ĂŠ 8 Mega, reclamam FOLHQWHVGH%UDVtOLD1DPDLRULDGRVFDVRVÂżFDHP0HJD(RSDFRWH nĂŁo tem o valor reduzido, apesar da prova.

AtrasadĂŁo Depois de trĂŞs adiamentos, deve ocorrer na quarta-feira o julgamento do deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO) no STF. Ele ĂŠ acusado de SHFXODWRSHOR03GH5RQG{QLDTXDQGRRFXSRXDGLUHomRÂżQDQFHLUDGD Assembleia Legislativa.

3LDGDGD&R]LQKD De um deputado, ironizando o caso Demóstenes-Carlinhos Cachoeira, sobre a cozinha milionåria dada pelo bicheiro ao senador, e o apoio PDFLoRGRVFROHJDVDRGHPRQR6HQDGR³7RGRPXQGRWHPXPSpQD cozinha�.

Radar Esplanada $QGDVRUULGHQWHROtGHUGR35QD&kPDUD/LQFROQ3RUWHOD 0* SULQFLpalmente depois que o ministro Paulo Passos, dos Transportes, saiu de reuniĂŁo com a presidente Dilma.

Brasiilll 2QWHPjWDUGHHPVHX7ZLWWHU5REHUWR-HIIHUVRQDQGRXLU{QLFR³(VVH SDtVWiLJXDODTXHOHGLWDGRVHFREULUYLUDFLUFRVHFHUFDUYLUDKRVStFLR´

Ponto Final 2%UDVLOWRUQRXVHRSDtVOtGHUHPDGHVmRjVUHGHVVRFLDLVQDLQWHUQHW Com Gilmar Correa e Hosa Freitas www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br Twitter @leandromazzini

Quintella Lessa, que segue em sua prÊ-candidatura à prefeitura da capital pelo PR. Do mesmo modo, Carimbão avalia o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT), como grande força política tambÊm, e crê, mesmo em tempos de Ficha Limpa, que o pedetista deve passar pelo crivo da Justiça Eleitoral. Na avaliação de Carimbão, os senadores Renan Calheiros e Fernando Collor serão decisivos na disputa.

Quando entrevistado pelo radialista Marcos Rodrigues, Givaldo CarimbĂŁo aparentou um pouco de decepção ou atĂŠ mesmo frustração por nĂŁo ser a unanimidade palaciana que ele mesmo esperava ser. Em matĂŠrias anteriores feitas pelos repĂłrteres da Tribuna Independente, ainda em 2011, o parlamentar externava a segurança e a Ă€UPH]D TXH VHPSUH GLUHFLRnaram sua carreira polĂ­tica. Pelo visto, outros ventos levaram o deputado a se dedicar as obrigaçþes legislativas, em BrasĂ­lia. E IRL FRP HVVD MXVWLĂ€FDWLYD que CarimbĂŁo explicou sua Givaldo CarimbĂŁo solicitou mais dedicação da bancada nos problemas dos alagoanos em geral praticamente desistĂŞncia da disputa, jĂĄ que, segundo ele, passou de março de BANCADA MAIS ATUANTE 2011 a dezembro do mesmo ano percorrendo o mundo para confeccionar um livro de 1.500 pĂĄginas sobre as experiĂŞncias de recuperação quĂ­mica de jovens viciados em drogas. O pedido veio diretaPossivelmente, Givaldo para inĂ­cio de obras no âmbi- as, no geral. mente da presidente Dilma CarimbĂŁo deve estar em pa- to municipal, em virtude dos ENCONTROS lanque diferente do prefeito impedimentos da legislação CarimbĂŁo vai sugerir aos Rousseff (PT), que elencou a CĂ­cero Almeida nas eleiçþes eleitoral. demais membros da banca- guerra contra o craque como municipais deste ano. Po“Temos que agilizar es- da um almoço mensal com uma de suas prioridades, rĂŠm, durante visita do pre- ses recursos o quanto antes. ministros para tentar via- diz CarimbĂŁo, e assim ele o feito a BrasĂ­lia esta semana, Conversarei com CĂ­cero Al- bilizar mais recursos para fez, montou um grupo e saiu ambos se encontraram, jan- meida e com o governador Alagoas. “A bancada deve pelo mundo conhecendo extaram e discutiram - de acor- Teotonio Vilela na segunda- ser mais ativa e intervir nos periĂŞncias e compartilhando com o parlamentar do -feira [12], para viabilizar problemas dos alagoanosâ€?, do informaçþes. “Estava esPSB - recursos para MaceiĂł. esses recursos o quanto an- FLWRX (OH H[HPSOLĂ€FRX R tudando mesmo a matĂŠria, O deputado federal ace- tesâ€?, enalteceu o deputado. problema enfrentado pelos dediquei-me muito e colhi nou com a liberação de R$ 40 JĂĄ por meio da bancada, o funcionĂĄrios do Hospital do experiĂŞncias satisfatĂłriasâ€?, milhĂľes para a Prefeitura de parlamentar socialista pode Açúcar, que segue fecha- narrou. DISPUTAS MaceiĂł. Recursos estes que viabilizar - ainda este ano - do. “Temos que agir, ĂŠ meMesmo debruçado sobre o devem ser liberados atĂŠ o aproximadamente R$ 200 a nos um hospital no estadoâ€?. assunto, disputei duas eleidia 30 de junho, data limite R$ 300 milhĂľes para Alago- (C.E) çþes, porĂŠm internas, brincou o parlamentar. Contra Joaquim BeltrĂŁo (PMDB), pelo comando da bancada SEM DATA federal alagoana na qual foi decidida por meio de um acordo tĂĄcito. “Eu ganharia no voto a voto, porĂŠm fui aconselhado pelo deputado JoĂŁo Lyra a abrir mĂŁo em detrimento a manter a paz Foi cancelada a reuniĂŁo ção do Crescimento – PAC consiga dar andamento Ă na bancada. E assim foi feique estava prevista para a –, do governo federal. realização da obra, que estĂĄ WR -RDTXLP Ă€FRX XP DQR H manhĂŁ da sexta-feira, dia Durante um encontro em paralisada hĂĄ meses. YRXĂ€FDURRXWURÂľIULVRX&D9, entre o prefeito CĂ­cero %UDVtOLD WDPEpP Ă€FRX GHAlmeida tambĂŠm esteve rimbĂŁo. Almeida e os diretores re- Ă€QLGR TXH UHSUHVHQWDQWHV reunido com os senadores A outra frente de batalha gionais da Caixa EconĂ´mica nacionais da Caixa viriam a Renan Calheiros (PMDB) e foi a eleição pela liderança Federal. Segundo a assesso- MaceiĂł na prĂłxima quarta- Benedito de Lira (PP). Com da bancada do PSB, na Câria de Comunicação da pre- -feira (14), para uma reu- eles, ele discutiu a liberação mara Federal, onde a partir IHLWXUD DLQGD QmR IRL GHĂ€- niĂŁo que envolverĂĄ gestores de recursos das emendas ao de julho prĂłximo, serĂĄ exernida uma nova data para a do Estado e do municĂ­pio, Orçamento da UniĂŁo, que cida pelo parlamentar. reuniĂŁo. bem como, os gerentes locais foram destinados Ă  Prefeituâ€œĂ‰ uma posição fundaNo encontro seriam dis- da Caixa. ra de MaceiĂł pela bancada mental de interlocução com cutidas medidas para tenA expectativa do prefeito federal. “Os dois senadores o partido e posicionamento tar destravar o processo de ĂŠ que desta vez os entraves manifestaram apoio as nos- diante dos interesses da leurbanização do Vale do Re- colocados no processo sejam sas solicitaçþes, consideran- genda. É muito importante ginaldo. A obra ĂŠ custeada VXSHUDGRV GHĂ€QLWLYDPHQWH do a importância que a nos- ocupar este cargoâ€?, disse o pelo Programa de Acelera- e que, com isso, o municĂ­pio sa capital temâ€?, destacou. parlamentar. (C.E)

Deputado federal jĂĄ acenou com R$ 40 milhĂľes para MaceiĂł

Cancelado encontro entre CĂ­cero Almeida e representantes da Caixa


TribunaIndependente

MACEIÓ - Sà BADO, 10 DE MARÇO DE 2012

POLĂ?TICA

3

03GHQXQFLDRĂ€FLDLV SRUVXSHUIDWXUDPHQWR

Bola fora De Antero Greco, em “O Estado de SĂŁo Pauloâ€?: “O tiroteio entre Fifa e o governo do Brasil, com a CBF levando e dando pernadas de raspĂŁo, a esta altura levanta menos reaçþes nacionalistas ou oposicionistas e faz lembrar mais de ‘Um samba no Bexiga’. No clĂĄssico sucesso de Adoniran Barbosa, o narrador conta que numa festa, na rua Major Diogo, a certa altura saiu uma tremenda briga, com as ‘pizza que avoava junto com as brachola’. Para evitar FRQIXVmRHOHHRVDPLJRVVHDPRLWDUDPGHĂ€QLQKRSRLVHUDP estranhos no lugar, nĂŁo quiseram se meter e estavam lĂĄ sĂł pra FRPHUÂś1DKRUD+VHHQĂ€HPRGHEDL[RGDPHVD(Ă€TXHPRVDOLGH EHOH]DYHQGRR1LFRODEULJDU¡$YRQWDGHTXHGipDGHDVVXPLU postura idĂŞntica Ă do personagem da canção e assistir de camarote ao quebra-pau dessa turma. Como se isso nĂŁo tivesse nada a ver com a gente, como se fosse uma confusĂŁo na Cochinchina. O palavreado usado entre os contendores, nos Ăşltimos dias, esteve Ă  altura de barraco bate-boca de comadres. Era ‘chute no traseiro’ pra cĂĄ, ‘vagabundo’ pra lĂĄ, ‘infantil’ acolĂĄ. SĂł faltou, pra virar confusĂŁo de garotada, um gaiato falar: ‘Quem for homem, cospe aqui’. Coisa feia.â€?

Reconhecimento JosĂŠ Edson Freitas, delegado-geral da PolĂ­cia Civil, foi o integrante do governo mais elogiado ao longo da semana. Tudo por conta do trabalho que culminou com a prisĂŁo de uma quadrilha que se dedicava a assaltos no SertĂŁo alagoano. Alguns deles banais e outros mais ousados, como RTXHYLWLPRXXPÂżOKRGRGHSXWDGR Antonio Albuquerque e outro na casa da prefeita de Santana do Ipanema, Renilde BulhĂľes.

Capacitação O deputado estadual Ronaldo Medeiros (PT) realiza hoje curso preparatório sobre processo eleitoral, para prÊ-candidatos este ano. A partir das 9 horas, no Hotel Sol Nascente, em Arapiraca. Ele falarå sobre Organização e Planejamento de Campanha. Os outros conferencistas são Carlos Conce, Mirabel Alves e Ygo Costa.

Vai e vem

Sobrepreço foi constatado em processos de licitação de compra de comida divulgados nesse primeiro momento. As investigaçþes devem continuarâ€?, declarou ex-secretĂĄrio de De- o promotor. fesa Social, general VALORES SĂĄ Rocha e os coronĂŠDe acordo com os levanis AurĂŠlio Rosendo e Luiz tamentos feitos pelo MiNascimento Bugarin, entĂŁo nistĂŠrio PĂşblico, em 2007, comandantes da IntendĂŞn- foram gastos mais de R$ cia PenitenciĂĄria foram de- 2 milhĂľes na compra de nunciados pelo MinistĂŠrio alimentos para o Sistema PĂşblico Estadual por fraude Prisional. Posteriormente, na aquisição de alimentos. mais de R$ 1,3 milhĂľes foEm carĂĄter emergencial, ram os valores de compras reforça o MP, a compra foi revelados pelas investigafeita sem licitação e cus- çþes no MP, totalizando quatou quase R$ 4 milhĂľes. se R$ 4 milhĂľes de aquisição O promotor Sidrack Nas- de alimentos sem licitação. cimento foi o responsĂĄvel Sidrack Nascimento atenta pelo delato do caso que hĂĄ que a ação começa a tramidois anos estĂĄ sendo investi- tar na 16ÂŞ Vara da Fazenda gado pelo MP. Sidrack argu- PĂşblica Estadual para onde menta que uma sĂŠrie de do- o processo foi encaminhado cumentos foram analisados, desde a terça-feira (6). comprovando que os dois O promotor ressalta que militares e o ex-secretĂĄrio a denĂşncia elaborada contra estĂŁo envolvidos no suposto o general SĂĄ Rocha e os corocrime. nĂŠis AurĂŠlio Rosendo e Luiz “As diversas irregulari- Nascimento Bugarin nĂŁo dades foram apontadas nos tem ligação com a operação documentos e denĂşncias que (VSHFWURGHĂ DJUDGDHVWDVHrecebemos. As provas foram mana pelo Grupo de ComaR VXĂ€FLHQWH SDUD GHQXQFLDU bate Ă s Organizaçþes Crios trĂŞs por improbidade ad- minosas. “A atuação deles ministrativa na aquisição de parte para o lado criminal, a produtos alimentĂ­cios com nossa ĂŠ para coibir o desvio dispensa de licitação. Neste de recursosâ€?, declarou. contexto, ainda temos diverA reportagem tentou sos funcionĂĄrios envolvidos, contato com os denunciados, que nĂŁo terĂŁo seus nomes mas, nĂŁo teve ĂŞxito. NIGEL SANTANA REPĂ“RTER

O

Depois de um longo período de trÊgua, o senador Renan Calheiros e o deputado federal João Lyra voltam a se estranhar, embora não tanto quanto na Êpoca em que se ofendiam atravÊs dos seus veículos de comunicação. Os desencontros de agora têm tudo a ver com a ideia de João Lyra de ser candidato a prefeito de Maceió.

ENTRA E SAI

Posição

Os processos do prefeito de São Luís do Quitunde, Cícero Cavalcante (PMDB), e de Jean Cordeiro (PP), prefeito cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), estão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e podem causar novas reviravoltas na política do município. É que existe a possibilidade de Jean retornar à prefeitura e Cavalcante perder o mandato ou continuar à frente do Executivo. $ TXHVWmR SRGH VHU GHÀ-

Pouco afeito a se manifestar em plenĂĄrio, o deputado estadual Jota Cavalcante (PDT) surpreendeu, ao criticar o fato de alguns investigados na Operação Espectro nĂŁo terem os nomes revelados. “Se tivesse um polĂ­tico envolvido, ele seria apresentado todos os dias, nos jornais e nos portais de noticiaâ€?, protestou o parlamentar.

Meia volta E o boa praça e nosso conterrâneo Aldo Rebelo, heim? Depois de tudo o que disse do secretårio geral da Fifa e anunciar que o governo brasileiro QmRRDFHLWDULDPDLVFRPRLQWHUORFXWRUWHYHGHYROWDUDWUiV&RPRHOH¿cam meio sem jeito, agora, deputados que foram na sua onda e tambÊm ofenderam JÊrôme Valcke.

Patinando Se pretende mesmo ser candidato a vereador, o delegado JosĂŠ Pinto de Luna nĂŁo vai usufruir muito, em termos de desempenho, por conta da sua passagem pela SMTT, onde nada acrescentou. Mudou-se para a Guarda Municipal, hĂĄ pouco tempo, e nĂŁo consegue repercussĂŁo alguma. Se depender de votos decorrentes desses cargos...

Orientação O Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas realiza, no dia 22 de março, um treinamento sobre novas diretrizes e regras para a prestação de contas partidårias anuais. O evento se destina a contadores e responsåveis pela gestão dos partidos políticos. Hå 70 vagas. As inscriçþes podem ser feitas no site www.tre-al.jus.br.

“

Hoje a preocupação não Ê se você vai ter carro de som, material de propaganda, mas sim ter uma boa equipe jurídica� RONALDO LESSA Candidato a prefeito de Maceió, que responde a vårios processos judiciais

* A banda Sifrão festeja, hoje à noite, 15 anos fazendo uma homenagem ao grupo Los Hermanos. A partir das 22 horas, na boate Loop. Os ingressos podem ser adquiridos com antecipação no estande Folia Brasil, no supermercado G Barbosa, do Stella Maris. *O grupo Cena Livre promove, hoje, das 14 às 18 horas, uma aula gråtis QR7HDWUR0DULVWDSDUDTXHPWHPPDLVGHDQRVGHLGDGH$VR¿FLQDV vão acontecer por quatro meses, todos os såbados, das 14h às 18h. Informaçþes: 3033-1600 e 8805-6641. * A Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió realizarå mais um mutirão, hoje, das 7h30 às 16h30, nos conjuntos João Sampaio I, no 7DEXOHLURGR0DUWLQVH-RmR6DPSDLR,,TXH¿FDHPIUHQWHDRUHVLGHQcial Benedito Bentes I. *A Secretaria Municipal de Finanças continua com vantagens no pagamento do IPTU 2012. O contribuinte que optar por pagar a cota única atÊ o dia 30 de março terå 10% de desconto. O benefício Ê vålido para quem estå em dia com os tributos municipais. * Com a goleada de 4x0 sobre o Penedense, fora de casa, o CSE estå motivado para pegar hoje o CRB, que perdeu por 2x1 para o Murici, na abertura do 2º turno. O jogo Ê em Palmeira dos �ndios, às 15h15 de hoje, com transmissão da TV Pajuçara.

ASCOM MPE

Nascimento disse que investigação Ê desvinculada da Operação Espectro

TSE ainda pode mudar destino de São Luís nida na próxima terça-feira quando o pleno do TSE deve voltar a julgar as açþes. Na quinta-feira (8), o ministro Arnaldo Versiani pediu vistas do processo após o voto do relator, Gilson Dipp, que votou pela manutenção da cassação de Jean Cordeiro. O RETORNO Cordeiro perdeu o mandato de prefeito de São Luiz do Quitunde por ser acusado de comprar votos nas eleiçþes de 2008. Para ele, ainda existe a possibilida-

de de retornar ao cargo de prefeito na cidade, tendo em vista que ele move um processo para cassar CĂ­cero Cavalcante, sustentando que o atual prefeito estĂĄ em seu quarto mandato. “Aguardamos que a decisĂŁo seja favorĂĄvel ao meu retorno ao cargo de prefeito, DĂ€QDOHXYHQFLDVHOHLo}HVH tenho plena convicção que serei inocentado nestas acusaçþes de compra de votos. Eu acredito que os dois processos sejam julgados

na terça-feira, mas, adianto que serå uma batalha porque o ministro-relator, Gilson Dipp jå deu dois despachos que chegam a ser contraditórios: em uma sePDQDHOHDÀUPRXTXH&tFHro Cavalcante não deveria ser o prefeito de São Luís do Quitunde e na outra disse que houve um equívoco: decidiu que Cícero Cavalcante teria de administrar a cidade. Iremos esperar o resultado�, assegurou Jean Cordeiro. (N.S)

DISPUTA

Cordeiro e Pedro se unem contra Cavalcante Em São Luís do Quitunde, no Litoral Norte de Alagoas, a união Ê para que o atual prefeito Cícero Cavalcante não continue mais no poder. Entretanto, essas articulaçþes estão restritas em duas prÊ-candidaturas: a do vereador afastado Júnior Pedro (PP) e do próprio Jean Cordeiro, do mesmo partido. O lema, segundo Jean Cordeiro, Ê não deixar que Cavalcante entre em outra disputa para o Executivo do município. Para isso, a Lei da Ficha Limpa, vålida para

o pleito deste ano ĂŠ uma das armas. “O CĂ­cero Cavalcante faz festa, mas nĂŁo atua na saĂşde, na educação do municĂ­pio, que estĂĄ um caos. É um abandono completo da cidade. Sendo comprovada a minha inocĂŞncia, assumo o posto de prĂŠ-candidato a prefeito, pois, jĂĄ o derrotei nas urnas. Caso contrĂĄrio, darei todo apoio ao vereador Junior Pedro, que me apoiou na campanha e ĂŠ meu aliado. A outra situação que embaraça esse processo sĂŁo

as contas rejeitadas no Tribunal de Contas da UniĂŁo. Isso ĂŠ encaixe na Lei da Ficha Limpa, com certeza!â€?, MXVWLĂ€FD&RUGHLUR CELERIDADE O vereador afastado Junior Pedro, entĂŁo presidente da Câmara de Vereadores, salienta que apĂłs o julgamento dos processos no Tribunal Superior Eleitoral ĂŠ que o municĂ­pio pode retornar Ă sua rotina polĂ­tica. “Os vereadores queriam me cassar, tendo em vista o processo que pede a cassação

ESPECTRO

AUSĂŠNCIA

Os oito acusados de integrar uma quadrilha que fraudava licitaçþes e superfaturava os preços de produtos alimentícios adquiridos pela Secretaria de Defesa Social tiveram suas prisþes prorrogadas por mais cinco dias. O pedido partiu do Gecoc, do MinistÊrio Público, e segundo o promotor Luiz Vasconcelos, o motivo necessidade de que os suspeitos repassem todas as informaçþes ao delegado Haroldo Lucca, que atua contra os crimes contra a Administração Pública.

Os depoimentos dos contadores JosÊ Carlos Dantas, Irani Martins de Omena Brito, Antônio Gonzaga Filho e Tânia Lúcia Feijó de Andrade, alÊm dos empresårios Luzinete França $UDNDNLR¿OKRGHOD(PHUVRQ Toshio Arakaki e DÊlio Xavier Tavares devem acontecer na sede da Academia da Polícia Civil. O Gecoc quer saber do paradeiro dos nove foragidos, alÊm de tomar conhecimento se existe público envolvido nos supostos desvios de R$ 300 milhþes da Defesa Social.

Prorrogada prisĂŁo de custodeados

Depoimentos devem revelar os foragidos

do Cícero Cavalcante. Se ele fosse retirado da prefeitura, um vereador Benedito Salazar assumiria o Executivo e aí continuaria tudo nas mãos dele. Por isso a pressa. Como foi pedido vistas, eles só devem abrir uma sessão quando sair o resultado. Eu acredito que devemos unir forças para ter um prefeito com conduta ilibada e não da estirpe do Cavalcante�, opina Junior. A reportagem tentou contato com Cavalcante, porÊm, ele não foi encontrado. (N.S)


TribunaIndependente

4 POL�TICA MACEIÓ - Sà BADO, 10 DE MARÇO DE 2012

BARTOLOMEU DRESCH bartolomeu_dresch@hotmail.com.br

Exploração sexual na Copa

O

governo quer se antecipar e pretende planejar uma sÊrie de açþes de prevenção à exploração sexual e de proteção à mulher, a serem desenvolvidas na Copa do Mundo em 2014 e nas Olimpíadas de 2016. Um grupo de trabalho serå formado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres e pela Secretaria de Direitos Humanos, e irå elaborar campanhas contra a violência nos eventos esportivos. Segundo a secretåria Eleonora Menicucci, alÊm do interesse do próprio governo brasileiro em planejar estas Do}HVWDPEpPH[LVWHXPDUHFRPHQGDomRHVSHFtÀFDGD2UJDQLzação das Naçþes Unidas, dedicada à causa feminina, a ONU Mulheres. A entidade solicita que o país evite todas as formas a violência contra as mulheres e a exploração sexual nos eventos. O grupo de trabalho pretende ainda elaborar políticas públicas esSHFtÀFDVSDUDPXOKHUHVLGRVDVMiTXHDSRSXODomREUDVLOHLUDWHP envelhecido rapidamente e praticamente nada, ou muito pouco se fez atÊ agora, em defesa das idosas. Outro tema a ser tratado Ê o da proposição de políticas que garantam acessibilidade às PXOKHUHVGHÀFLHQWHV3DUDWDQWRRJUXSRSUHWHQGHLQFRUSRUDUDRV prÊdios, sejam públicos ou privados, o critÊrio da acessibilidade como uma prioridade física das construçþes.

Resultado fantåstico Pouco mais de dois anos após ser criado, o Núcleo de Promoção da Filiação do Tribunal de Justiça, ganhou o reconhecimento atÊ do programa Fantåstico da Rede Globo. Neste período tem conseguido alterar as estatísticas de Alagoas, onde atÊ 2009, mais de 20% das certidþes de nascimento não possuíam o nome do pai. Sob a coordenação da juíza Ana Florinda Mendonça, o núcleo jå conseguiu realizar no período mais de 1.100 reconhecimentos espontâneos, sendo mais de 65% obtidos sem a necessidade do exame de DNA. Apenas nove casos foram encaminhados para açþes judiciais. O reconhecimento da paternidade acabou virando uma referência internacional.

Microfone na cama O americano Wayne Cripe estå sendo processado pela Justiça da Pensilvânia por monitorar a vida sexual da ex-mulher. O casal estava separado, mas ainda dividia o mesmo teto, e Wayne resolveu colocar um microfone debaixo da cama ex-esposa. O receptor do microfone estava instalado no carro de Wayne, que tentou negar aos policiais que ¿FDYDDFRPSDQKDQGRDV³HVWULSXOLDVVH[XDLV´GDDQWLJDFRPSDQKHLUD (OHGLVVHjSROtFLDTXHLQVWDORXRHTXLSDPHQWRSDUD³QmRDWUDSDOKDU´ a vida sexual da mulher e do novo namorado, mas o microfone não funcionou direito. Wayne serå processado por invasão de privacidade e interceptação de comunicação de terceiros sem permissão.

Situação da Saúde Secretårios municipais da årea da saúde vão conhecer, nesta segundafeira, um diagnóstico completo sobre a saúde pública nos 102 municíSLRVDODJRDQRV$HOHVVHUiDSUHVHQWDGRROLYUR³$QiOLVHGD6LWXDomRGD 6D~GH´HODERUDGRSRUWpFQLFRVGD6HFUHWDULD(VWDGXDOGD6D~GHDWUDYpV dos relatórios feitos sobre o Sistema de Informaçþes Sobre Mortalidade, Sistema de Informação Hospitalar, Sistema de Informação Ambulatorial e dados do censo do IBGE. Com estas informaçþes os tÊcnicos pudHUDPUHWUDWDUGHIRUPD¿GHGLJQDDVLWXDomRGDVD~GHQRHVWDGRHVHXV principais problemas, com uma avaliação de cada município. O livro serå lançado no Centro Cultural e de Exposiçþes

Contos de fadas 1 Uma coleção de lendas, mitos e contos que estavam guardados em um arquivo da cidade de Regensburg, na Alemanha foi descoberta hå pouco tempo e agora serå publicada. As histórias fazem parte de um trabalho realizado pelo historiador Franz Xaver Von SchÜnwerth (1810-1886), que coletou mais de 500 contos na mesma Êpoca em que os Irmãos Grimm tambÊm coletavam as histórias que hoje fazem parte do mundo mågico de milhþes de crianças em todo o mundo. Von SchÜnwerth passou dÊcadas entrevistando camponeses, trabalhadores e criados sobre håbitos locais, costumes e histórias que atÊ então eram passados adiante no boca-a-boca. O historiador alemão conseguiu coletar histórias e o folclore europeus como poucos.

Contos de fadas 2 Todo o trabalho levantado por Von Shönwerth foi compilado em um livro, ODQoDGRHPWUrVYROXPHVHPHTXHQXQFD¿]HUDP sucesso e caíram na obscuridade. Agora o trabalho é reconhecido como um dos mais autênticos já escritos e muitos dos contos ainda são inéditos, segundo os pesquisadores que encontraram as histórias. O que diferencia os relatos é que a maior parte ainda esta em estado bruto, VHPR³YHUQL]OLWHUiULR´TXHRV,UPmRV*ULPPHDVHGLWRUDVXVDUDPSDUD alcançar o sucesso. Um dos contos é sobre uma donzela que escapa de uma bruxa ao se transformar em um lago. A bruxa então bebe toda a água engolindo a jovem que precisa encontrar um jeito de escapar. E por aí vai.

Construir a cultura A Secretaria Estadual de Cultura realiza nos próximos dias 14 e 15 GHVWHPrVR6HPLQiULR³&RQVWUXLQGRR6LVWHPD$ODJRDQRGH&XOWXUD´2 evento acontece no Centro Cultural e de Exposiçþes e Ê parte integrante das atividades da Terceira Conferência Estadual de Cultura, e serå preparatório para os gestores municipais e para o público em geral. O objetivo principal do encontro Ê, alÊm de discutir a situação das atividades culturais tanto na capital e no interior, ouvir e compilar sugestþes para a construção de uma planilha de açþes de fortalecimento do setor. ‡$DSUHVHQWDGRUDGRWHPSR5RVDQD-DWREiPmHGHJrPHRVGHXP ano, deve deixar a Rede Globo nos próximos dias. A emissora informou que não renovarå o seu contrato e que sua saída aconteceu em comum acordo. ‡(ODVHUiVXEVWLWXtGDSRU)OiYLD)UHLUHTXH¿FDUiUHVSRQViYHOVREUHR WHPSRHDWHPSHUDWXUDQR-RUQDO1DFLRQDO3DUDROXJDUGH)OiYLDQRV WHOHMRUQDLVGH6mR3DXOR¿FDUi0LFKHOH/RUHWR1R*ORER5XUDOGLiULR SHUPDQHFH(OLDQD0DUTXHV ‡1LQJXpPFRQ¿UPDPDV5RVDQD VHJXQGRRVFROXQLVWDVGHWHOHYLVmR  estava se sentindo desprestigiada na Globo, pois tinha promessa que fazer parte da equipe do Fantåstico, mas foi preterida por Ana Paula $UD~MR$OJXpPDFKDTXHHOD¿FDUiVHPHPSUHJRSRUPXLWRWHPSR" ‡8PMRUQDOGDFDSLWDOGHYHUiUHVSRQGHUQD-XVWLoDSRUWHUFRORFDGRQD SULPHLUDSiJLQDGHXPDHGLomRGHVWDVHPDQDDIRWRGHXPDSHVVRD DEVROXWDPHQWHLQRFHQWHFRPRHQYROYLGDHSUHVDQD2SHUDomR(VSHFWUR 2MRUQDOIr]DFRQIXVmRSHODVLPLODULGDGHGRQRPH ‡$HQWUHYLVWDPDLVGLYHUWLGDGDVHPDQDDFRQWHFHXQD~OWLPDTXLQWDQD Rådio CBN, com o jornalista Manoel Miranda e o presidente da CUT Izac Jackson. Impagåvel!

Geraldo Bulhþes tem pensão suspensa pelo TJ Ex-governador pede R$ 225 mil de indenização a título de pensþes atrasadas SANDRO LIMA

VICTOR AVNER REPĂ“RTER

A

Justiça suspendeu o pagamento de uma gigantesca indenização ao ex-governador Geraldo BulhĂľes. O Estado de Alagoas havia sido condenado a pagar R$ 225 mil a tĂ­tulo de aposentadoria ao empresĂĄrio do ramo das comunicaçþes. BulhĂľes pedia o montante por nĂŁo receber pensĂŁo apĂłs ter sido chefe do Executivo alagoano. A decisĂŁo ĂŠ do desembargador SebastiĂŁo Costa Filho, presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas (TJ/AL). O magistrado considerou que o Estado nĂŁo ĂŠ obrigado a pagar a indenização atĂŠ que todos os recursos em tramitação sejam julgados. No primeiro grau, a 16ÂŞ Vara CĂ­vel da Capital havia determinado o pagamento de R$ 224.250 como ressarcimento a BulhĂľes pelo tempo em que nĂŁo houve repasse de sua aposentadoria. Mas, por meio da Procuradoria Geral do Estado (PGE), o Governo de Alagoas apelou da decisĂŁo de primeira instância. Desde entĂŁo, ao pagamento da indenização estĂĄ suspenso. Para o desembargador Costa Filho, o valor sĂł deve ser repassado apĂłs o trânsito em julgado do processo. “Ante o exposto, declaro a manutenção de todos os efeitos da decisĂŁo que suspendeu a sentença [...] o seu trânsito em julgado ou a sua substituição por decisĂŁo colegiada em grau de recursoâ€?, considerou. A reportagem tentou entrar em contato com o advogado LuĂ­s AndrĂŠ de Vasconcelos Silva, representante legal de BulhĂľes. No entanto, a seccional alagoana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AL) informou, por telefone, que a inscrição de LuĂ­s AndrĂŠ na entidade estĂĄ cancelada. HISTĂ“RICO A pensĂŁo a Geraldo BulhĂľes foi revogada ainda no governo de Ronaldo Lessa (PDT), por meio de uma medida administrativa. Em 2004, o ex-governador entrou na Justiça solicitando a restauração dos pagamentos. A decisĂŁo favorĂĄvel saiu no ano seguinte. “Julgo procedente a presente ação cauWHODUSDUDRĂ€PGHFRPSHOLU o Estado de Alagoas Ă efetivação da reimplantação da pensĂŁo de ex-governador do Estado ao requerente, Sr. Geraldo BulhĂľes Barrosâ€?, consta em decisĂŁo da 16ÂŞ Vara CĂ­vel da Capital. BulhĂľes foi governador do Estado no começo da dĂŠcada de 1990, apoiado pelo entĂŁo presidente Fernando Collor de Mello. Antes, ele havia deputado federal por diversos mandatos.

Tribunal de Justiça do EstadoHQWHQGHXTXHYHQFLPHQWRVGHYHPVHUSDJRVDR¿PGRSURFHVVR

INCONSTITUCIONAL

Para PGE, pagamento de pensĂŁo a ex-governador ĂŠ ilegal A Procuradoria Geral do Estado (PGE) quer susSHQGHU GHĂ€QLWLYDPHQWH R pagamento de pensĂŁo ao ex-governador Geraldo BulhĂľes. Para a instituição, a concessĂŁo de aposentadoria a ex-chefes de Executivo ĂŠ inconstitucional. O problema ĂŠ que para receber pensĂŁo estatal, todo trabalhador tem que arcar com uma contribuição mensal Ă previdĂŞncia – tanto no setor privado, como pĂşblico. Esse repasse, no entanto, nĂŁo aconteceu durante a gestĂŁo de BulhĂľes. “A PGE entende que [a

aposentadoria] ĂŠ inconstitucional. NĂŁo pode haver aposentadoria sem contribuição correspondenteâ€?, explicou a PGE, por meio de sua assessoria de imprensa. QUESTĂƒO NACIONAL A inconstitucionalidade do pagamento de aposentadorias a ex-governadores tambĂŠm ĂŠ defendida pela Procuradoria Geral da RepĂşblica (PGR). Por diversas vezes, a instituição jĂĄ se posicionou de forma contrĂĄria Ă s pensĂľes para ex-chefes de Executivo. Em um parecer encaminhado ao Supremo Tribunal

DESAFORAMENTO

Ferro pede que tentativa de homicĂ­dio seja julgada em MaceiĂł O ex-deputado CĂ­cero Ferro pediu que os acusados de tentar matĂĄ-lo em 2004 sejam julgados em MaceiĂł. O ex-parlamentar foi vĂ­tima de uma emboscada em Minador do NegrĂŁo. Os rĂŠus, que sĂŁo seus parentes, jĂĄ foram denunciados pela Justiça. O pedido de mudança de local do julgamento visa tornar o jĂşri imparcial. É que o crime serĂĄ julgado na Comarca de Cacimbinhas, municĂ­pio prĂłximo a Minador do NegrĂŁo. “A gente nĂŁo crĂŞ em um julgamento justo. NĂŁo pelo juiz, mas porque o

júri Ê composto por pessoas do município�, explica Bruno Cardoso, advogado de Ferro. Todos os acusados de participação na tentativa de homicídio são parentes do ex-deputado. De acordo com a investigação policial, JosÊ Nilton Cardoso Ferro, conhecido como ZÊ Nilton, H VHXV WUrV ÀOKRV :DJQHU 0DFHGR&DUGRVR)HUUR:DOdex Macedo Cardoso Ferro e :DQGHUOH\0DFHGR&DUGRVR Ferro, foram os autores do crime. O problema, argumenta a defesa do ex-deputado, Ê

CONSELHO

JUSTIÇA

Alguns dos privilegiados com aposentadorias para ex-governadores nem mesmo tinham exercido o cargo durante os quatro anos de mandato. É o caso do ex-deputado Humberto Bosaipo, do Mato Grosso. Ele asusmiu o governo do Estado por apenas dez dias. O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB) entrou com vårias açþes no STF para suspender o pagamento das pensþes vitalícias cedidas a ex-governadores de estado.

A Corregedoria Nacional de Justiça, por meio da ministra Eliana, solicitou que a Corregedoria Geral da Justiça de Alagoas prestasse informaçþes acerca dos objetivos traçados para o biênio, em especial quanto às metas nacionais traçadas no V Encontro Nacional do Judiciårio, ocorrido em novembro de 2011. Ciente da informação, o corregedor-geral da Justiça de Alagoas, desembargador James Magalhães, jå estå avaliando as solicitaçþes para encaminhå-las no prazo a contento.

OAB de olho nas aposentadorias

Federal (STF), a instituição FKHJRXDDĂ€UPDUTXHDDSRsentadoria para ex-governador ĂŠ um “privilĂŠgio inadmissĂ­velâ€?. É que nĂŁo existe previsĂŁo legal para o pagamento de pensĂŁo a gestores que deixaram o mandato. O repasse de pensĂľes estatais a ex-governadores se tornou pĂşblico apĂłs o jornal Folha de S. Paulo publicar uma sĂŠrie de reportagens expondo estados que pagavam aposentadoria a ex-chefes de Executivo. O benefĂ­cio era concedido em pelo menos dez estados brasileiros. (L.V)

CNJ envia metas para Corregedoria de AL

que os acusados podem inĂ XHQFLDU QR UHVXOWDGR GR julgamento. “A questĂŁo ĂŠ TXH RV UpXV WrP IRUWH LQĂ XĂŞncia na regiĂŁo. Eles sĂŁo bastante temidos pela população de lĂĄâ€?, comenta Cardoso. Para o advogado, caso o jĂşri aconteça na Comarca de Cacimbinhas, o crime pode Ă€FDU LPSXQH ´4XHUHPRV que o julgamento ocorra em MaceiĂł, senĂŁo nĂŁo haverĂĄ nunca uma condenaçãoâ€?, pontua. O relator ĂŠ o desembargador Edivaldo Bandeira Rios. Ele aguarda parecer do MinistĂŠrio PĂşblico. (VA)


TribunaIndependente

0$&(,Ă?6Ăˆ%$'2'(0$5d2'(

POLĂ?TICA

5

&kPDUDQmRRĂ€FLDOL]RXPDLVYDJDV 9HUHDGRUHVSUHFLVDPHQFDPLQKDUGRFXPHQWDomRTXHÂż[DQRYDVGH]FDGHLUDVQRSOHQiULRGD&DVDGH0iULR*XLPDUmHV

Cotidiano LININHO NOVAIS - FRQWDWR#OLQLQKRFRP

&RQWUDDWDTXH

O

36'%FRPHoRXDPRVWUDUVXDIRUoDHDVHLPSRUGLDQWHGRV HYHQWRVGD8QLmRGRV9HUHDGRUHVGR(VWDGRGH$ODJRDV 8YHDO RQGHOHYDRSUHIHLWRGH$UDSLUDFD/XFLDQR%DUER VDFRPRSULQFLSDOHVWUHODGRVHQFRQWURV6HJXQGRREORJGRMRU QDOLVWD%HUQDUGLQR6RXWR0DLRU´2(QFRQWURGR9DOHGR0XQGR VREUH*HVWmR2UoDPHQWR3DUWLFLSDWLYRH3ODQR'HFHQDOTXHWLQKD VLGRDJHQGDGRSDUDUHDOL]DUQRSUy[LPRGLDHP8QLmRGRV3DO PDUHVIRLFDQFHODGRSHORSUHVLGHQWHGD&kPDUDGH9HUHDGRUHV %UXQR3UD[HGHV 36'% HPDWHQGLPHQWRDXPDUHFRPHQGDomRGR SUHVLGHQWHHVWDGXDOGHVHXSDUWLGR&ODXGLRQRU$UD~MR¾

Nada disso 'HXPSHWLVWDSDUDHVVDFROXQD³6HR37GH0DFHLyVHDOLDUDR-/ WHQKRFHUWH]DTXHVHUiR¿PGDOHJHQGDGDtDQWHVTXHPXGHPDFRUGD EDQGHLUDHXSHoRPLQKDGHV¿OLDomR´

Tem anzol? &RPSDVVDJHPPDUFDGDSDUDSUy[LPDVHPDQDFRPGHVWLQRD%UDVtOLD o secretĂĄrio Regis Cavalcante vai se reunir com o novo ministro da 3HVFDELVSRHVHQDGRU0DUFHOOR&ULYHOOD1DPDODDOpPGDVURXSDV Regis levarĂĄ pedidos para ajudar os projetos que estĂŁo para ser desenYROYLGRVQRHVWDGR

Acompanhar eleiçþes 2VHQDGRU5HQDQ&DOKHLURVHVWHYHUHXQLGRFRPQD([HFXWLYD1DFLRQDO GR30'%HP%UDVLOLDSDUDUHD¿UPDUVHXVSURSyVLWRVFRPRVWHPDVUHOHYDQWHVSDUDR3DUWLGRQHVWHDQRHOHLWRUDOGH8PGHOHVIRLH[DWDmente a criação de comissþes de acompanhamento nos estados para DVHOHLo}HVPXQLFLSDLV$VFRPLVV}HVWHUmRWDPEpPDLQFXPErQFLDGH atuar como intermediårias entre as propostas partidårias nacionais e os PXQLFtSLRV

6$1'52/,0$

LUIS VILAR 5(3Ă?57(5

A

Câmara Municipal de Maceió ainda não GHÀQLX  SHOR PHQRV RÀFLDOPHQWH  D TXDQWLGDGH GH YHUHDGRUHV TXH YDL FRP por o plenårio no ano de $GHÀQLomRGRQ~PHUR pGHYLWDOLPSRUWkQFLDSDUDD FRPSRVLomR GH DOLDQoD HQWUH DOJXQVSDUWLGRVSROtWLFRVTXH WUDEDOKDP FRP DV UHJUDV GR FRHÀFLHQWH HOHLWRUDO $WXDO PHQWHD&DVDGH0iULR*XL PDUmHV p FRPSRVWD SRU  YHUHDGRUHV PDV  FRP EDVH QD HPHQGD FRQVWLWXFLRQDO TXHDOWHURXDFRPSRVLomRGDV FDVDV OHJLVODWLYDV HP IXQomR GRQ~PHURGHKDELWDQWHVGDV FLGDGHVSRGHFKHJDUDWHU $GLVFXVVmRVREUHRDVVXQ WR RFRUUHX GH IRUPD H[DXVWL va no plenårio em 2011. Um JUXSR GH YHUHDGRUHV FKHJRX D DSUHVHQWDU XPD HPHQGD j /HL 2UJkQLFD GHÀQLQGR R Q~PHUR GH YHUHDGRUHV SDUD PDVHVWDQmRSUHFLVRXVHU DSUHVHQWDGDHPSOHQiULRSRU  FRQIRUPH R YHUHDGRU 3DXOR &RULQWKR 3'7 QDpSRFDMi H[LVWLUXPDHPHQGDGH TXH DXWRUL]D R DXPHQWR e MXVWDPHQWHDtFRQIRUPHDSX rou a Tribuna Independente TXH UHVLGH R SUREOH ma. A emenda à Lei Orgânica aprovada pela Câmara Mu

Mesa da Câmara tem que enviar à Justiça Eleitoral a quantidade de vereadores que terå em 2013

QLFLSDO GH 0DFHLy DXWRUL]D R DMXVWH QR Q~PHUR GH YH UHDGRUHV PDV QmR HVWLSXOD D TXDQWLGDGH HVSHFtÀFD 'H DFRUGR FRP R HQWHQGLPHQWR GH DOJXQV SDUODPHQWDUHV GR PXQLFtSLR  VHULD QHFHVViULR TXH D SUHVLGrQFLD DWXDO  RX VHMDRYHUHDGRU*DOED1RYD

HV 35%   HQFDPLQKDVVH j -XVWLoD(OHLWRUDORItFLRLQIRU PDQGRTXDODTXDQWLGDGHGH YHUHDGRUHVTXHR´SDUODPHQ WRPLULP¾WHUiHP$Wp HVWHSUHVHQWHPRPHQWRRRIt FLRQmRIRLHQFDPLQKDGR &RP EDVH QD HPHQGD j /HL 2UJkQLFD GH  H HP

XP HQWHQGLPHQWR GD PLQLV WUD GR 6XSUHPR 7ULEXQDO )HGHUDO &DUPHP /~FLD RV YHUHDGRUHV SRGHP GHFLGLU VREUHDTXDQWLGDGHGHQRYRV YHUHDGRUHV HVWDUHP QD FDVD DWpRGLDGHMXQKRTXDQ GR VH LQLFLD R SUD]R SDUD R SURFHVVRHOHLWRUDO

Como ĂŠ? (WHPH[SUHIHLWRGHXPDFLGDGHGRLQWHULRUGH$ODJRDVTXHSRUQmR aceitar o desenvolvimento que a atual gestĂŁo tem levado ao municĂ­pio, RH[FRPDQGDQWHGDFKDYHGRVFRIUHVWHPFDXVDGRXPPDOHVWDUDR ingerir bebida alcoĂłlica, pois sai nas ruas da cidade urinando nas obras

Obras 2SUHIHLWRGHĂˆJXD%UDQFD=pGH'RULQKDHQWUHJDKRMHjSRSXODomR dois tratores agrĂ­cola, duas roçadeiras, duas batedeiras, trĂŞs carroçþes, um carro-pipa e ainda a construção de um ginĂĄsio de esporte, quem marcarĂĄ presença ĂŠ o senador Renan Calheiros, e os deputados Renan )LOKRH2ODYR&DOKHLURV$IHVWDWHPKRUDPDUFDGDSDUDDVK

MAIS VEREADORES

BR-101

œ8PHUURGHHQWHQGLPHQWR¡ 0LQLVWURVDFHOHUDPREUDV MXVWLÀFRX*DOED1RYDHV GHGXSOLFDomRHP$ODJRDV TXH R DVVXQWR GHYH VHU GLV FXWLGR QRV SUy[LPRV GLDV SDUDVHGHÀQLUDTXDQWLGDGH GHYHUHDGRUHV 6H GHSHQGHU GD GHFLVmR FROHWLYD Mi VH VDEH  FRP EDVH HP XPD YRWDomR DQX ODGDSDUDRDXPHQWRGRQ~ PHUR GH YHUHDGRUHV  TXH R SODFDU IRL GH  YRWRV IDYR UiYHLVDPDLVYHUHDGRUHV$ DWXDO VLWXDomR SRGH FRORFDU R SUHVLGHQWH GR /HJLVODWLYR ´HQWUHDFUX]HDHVSDGD¾ 'H XP ODGR D RSLQLmR S~EOLFD Mi TXH VHWRUHV GD VRFLHGDGH FLYLO RUJDQL]DGD À]HUDPDWpFDPSDQKDSDUD R QmR DXPHQWR GH YHUHDGR UHVGRRXWURRVYHUHDGRUHV TXH GHIHQGHP R DUJXPHQWR GD PDLRU UHSUHVHQWDWLYLGD de. 2V DUJXPHQWRV GR SUH VLGHQWH GD &DVD DLQGD SHU PDQHFHP RV PHVPRV 1R YDHV UHVVDOWD D TXHVWmR GR SUREOHPD RUoDPHQWiULR H YROWDDSURSRUDUHGXomRGH FXVWRV 1R DQR SDVVDGR HOH DSUHVHQWRX WUrV SURMHWRV GH OHL TXH YLVDYDP UHGX]LU RV JDVWRV QR 3RGHU /HJLVODWLYR PXQLFLSDO R FRQJHODPHQWR GRV VDOiULRV GRV YHUHDGR UHVHP5PLO HPR YDORU VHUi GH 5  PLO  D UHGXomR GDV YHUEDV LQGHQL ]DWyULDV DOpP GD GLPLQXL omRGRQ~PHURGHFDUJRVSRU JDELQHWHGHYHUHDGRU /9

(HVWiORQJHGHDFDEDUDQRYHODVREUHDYDJDGHFRQVHOKHLURGR 7ULEXQDOGH&RQWDVDSyVRHPEDWHQD-XVWLoDDODJRDQDTXDQGRWXGR VHSDUHFLDUHVROYLGRDVLWXDomRFKHJDDR67)HGHOiPDLVXPDOLPLQDU VXVSHQGHQGRDHVFROKDGRQRYRPHPEURGRSDOiFLRGHYLGURGD$YHQLGD )HUQDQGHV/LPD

(VWD VHPDQD R SUHVL GHQWH GD &DVD GH 0iULR *XLPDUmHV *DOED 1RYDHV 35% HVWHYHUHXQLGRFRPR SUHVLGHQWH GR 7ULEXQDO 5H JLRQDO(OHLWRUDOGH$ODJRDV 2UODQGR 0DQVR FRP TXHP FRQYHUVRXVREUHRDFUpVFLPR GHYDJDVQD&kPDUD1RYD HVFRQĂ€UPRXDSDXWDGRHQ FRQWUR 'LVVH R YHUHDGRU  HP HQWUHYLVWDjTribuna IndependenteTXHHVWHYHFRP 0DQVR SDUD IDODU VREUH D UHJLRQDOL]DomR GR SURJUDPD SDUWLGiULR GH VXD DJUHPLD omRR35%PDVTXHWDPEpP WUDWRX VREUH D TXHVWmR GR Q~PHUR GH YHUHDGRUHV GD FDVDOHJLVODWLYDGH0DFHLy 6HJXQGR 1RYDHV KRXYH XP HUUR GH HQWHQGLPHQWR QR DQR SDVVDGR DFKDQGR VHTXHDGHFLVmRGHYHULDWHU VLGR WRPDGD DWp GH]HPEUR GH  ´3HOR HQWHQGLPHQ WR GD PLQLVWUD QyV WHPRV DWp R SUy[LPR GLD  GH MX QKR TXH p TXDQGR FRPHoD D FRQWDU R SUD]R HOHLWRUDOÂľ colocou. DECISĂƒO (PWHVHDGHFLVmRSDVVD DJRUD D VHU GD SUHVLGrQFLD GD&DVD3RUpP1RYDHVGL] TXHRDVVXQWRVHUiGLVFXWLGR FRPRVSDUHVHYDLUHVSHLWDU DGHFLVmRFRQMXQWD(OHOHP EURX R FDUiWHU GHPRFUiWLFR GR SDUODPHQWR H UHVVDOWRX

CĂ‚MARA

MARECHAL DEODORO

INTERIOR

Galba Novaes quer reduzir RVFXVWRVGD&DVD$WXDOPHQte - com os atuais R$ 9 mil por gabinete - a Câmara gasta em mÊdia R$ 45 mil/mês com cada vereador, com todas as despeVDV(PRJDVWRVHUiPDLRU - levando-se em conta o aumento do subsídio - e ainda mais o aumento no número de vereadores QRSOHQiULR2³SDUODPHQWRPLULP´ tambÊm enfrenta problemas físicos, jå que os parlamentares não possuem gabinetes por conta do SUpGLRVHGHQmRFRPSRUWDU

Um curto-circuito Ê a provåvel causa do incêndio que atingiu o setor de Recursos Humanos da Prefeitura de Marechal DeoGRUR³2TXHIRLREVHUYDGRp que a fonte que alimenta o computador estava ligada e pode ter havido um superaquecimento, JHUDQGRXPDFRPEXVWmR2 fenômeno termoelÊtrico - curto circuito - Ê considerado comum em Marechal Deodoro, visto a TXDQWLGDGHGHHGL¿FDo}HVDQtigas, principalmente no Centro +LVWyULFR´D¿UPRXRFRRUGHnador de Defesa Civil, coronel Jadir Ferreira

O deputado federal Renan Filho (PMDB) cumpre agenda de visitas e açþes no interior do HVWDGRQHVWHÂżPGHVHPDQD1R sĂĄbado (10), o parlamentar percorrerĂĄ os municĂ­pios de Ă gua Branca, Ouro Branco, Messias H0XULFL1RViEDGRjWDUGH em Messias, Renan participa juntamente com a prefeita Vânia Omena (PP), da entrega de eqXLSDPHQWRDJUtFROD1RPHVPR dia, o parlamentar acompanharĂĄ a construção de barragem em 2XUR%UDQFR$LQGDQRViEDGR 5HQDQVHJXHSDUDĂˆJXD%UDQFD

Sem perdĂŁo 2GHSXWDGR5RQDOGR0HGHLURV 37 WHFHXFUtWLFDVDDWXDOJHVWmRGD (OHWUREUDVHP$ODJRDVGHDFRUGRFRPRSHWLVWDDVIDOKDVUHFRUUHQWHV no fornecimento de energia estĂŁo penalizando os alagoanos, que DFDEDPWHQGRVpULRVSUHMXt]RVÂżQDQFHLURVHSDUDSLRUDUDVLWXDomRGRV consumidores a burocracia ĂŠ terrĂ­vel para conseguir o ressarcimento UHIHUHQWHDREHPSHUGLGRRXGDQLÂżFDGRLVVRTXDQGRUHFHEHP

Mais agua +RMHRSUHIHLWRGH2XUR%UDQFR$WHYDOGR&DEUDOUHFHEHDYLVLWDGRV deputados Renan Filho e Olavo Calheiros que irĂŁo conhecer de perto o trabalho da barragem que estĂĄ sendo construĂ­da no municĂ­pio e TXHFRQWDFRPHPHQGDVGRVSDUODPHQWDUHV$REUDLUiEHQHÂżFLDUWRGD FLGDGHWDQWRFRPDEDVWHFLPHQWRGÂśiJXDFRPRQDSURGXomRGHSHL[HV

Em nome de Jesus 2&RQVHOKR&XUDGRUGD(%& (PSUHVD%UDVLOGH&RPXQLFDomR UHDOL]D QDSUy[LPDTXDUWDIHLUD  XPDDXGLrQFLDSDUDGLVFXWLUDYHLFXODomR GHSURJUDPDVUHOLJLRVRVQDJUDGHGD79%UDVLOHQDVHPLVVRUDVGHUiGLR FRQWURODGRVSHODHVWDWDO

Rebelou-se É cultural, sempre que algum vereador da base aliada do prefeito se sente magoado ou constrangido com qualquer ação administrativa GHXPVXEDOWHUQRGR([HFXWLYRPXQLFLSDOGHSURQWREDWHXPDIRUoD estranha dentro do peito e ele passa a agir como deveria ser sempre, HPGHIHVDGRSRYR1DFLGDGHGH8QLmRGRV3DOPDUHVRYHUHDGRU -XOLQKR3DXOLQR¹GDEDVHJRYHUQLVWDQmRVHVDEHRPRWLYRPDVVXELX DWULEXQDHGHVFHX³RSDX´QDVHFUHWDULDPXQLFLSDOGH$omR6RFLDO

Mais um capitulo

Presidente persiste em redução de gastos

Laudo culpa curto-circuito por incĂŞndio

$ YLVLWD GRV PLQLVWURV 3DXOR 3DVVRV 7UDQVSRUWHV  H0LULDP%HOFKLRU 3ODQHMD PHQWR UHDOL]DGDRQWHPQR PXQLFtSLRGH1RYR/LQRUH JLmR1RUWHGRHVWDGRVHUYLX SDUD DOLQKDU R DQGDPHQWR GDV REUDV H DVVLP HQWUH JDU HP WHPSR D FRQWHQWR $ REUD DJUHJD XP LQYHV WLPHQWR IHGHUDO GH 5  ELOKmR 2V UHFXUVRV VmR GR 3URJUDPD GH $FHOHUDomR GR &UHVFLPHQWR 3$&   H VmR UHODWLYRV j GXSOLFDomR GRV TXLO{PHWURVGHH[WHQ VmRGD%5QR(VWDGRGH $ODJRDV 3DUD R YLFHJRYHUQDGRU -RVp 7KRPD] 1RQ{ '(0  R HQFRQWUR IRL SRVLWLYR QR VHQWLGRSDUDDSUHVVDUDFRQ FOXVmRGDGXSOLFDomR ´)RLLPSRUWDQWHHQFXUWDU RVHVSDoRV&RPDFRQYHUVD GLUHWD DV GLYHUJrQFLDV FRP R JRYHUQR IHGHUDO YmR VHU WRGDV HTXDFLRQDGDV (VSH UDPRVTXHQRVSUy[LPRV GLDVWRGRVRVLPSDVVHVHVWH MDPUHVROYLGRVHDREUDVHMD WRFDGD D WRGR YDSRU DĂ€QDO HVWD REUD WDPEpP p IXQGD PHQWDO SDUD D HFRQRPLD GR (VWDGRÂľDĂ€UPRX1RQ{ 'RSRQWRGRYLVWDGRPL QLVWUR 3DXOR 3DVVRV R UHOH YDQWHpTXH´FRPDSUHVHQoD GRV HPSUHViULRV GRV FRQV WUXWRUHVHGR*RYHUQRGR(V WDGRTXHMiVHRIHUHFHXSDUD

Renan Filho percorre municĂ­pios hoje

DMXGDU HP DOJXPDV TXHV W}HV H HQWUDYHV VmR LPSRU WDQWHVGHVHUHPUHVROYLGRV¾ 2 PLQLVWUR DLQGD UHFRU GRXTXHDVREUDVGR3$&QmR WrPUHVWULomRRUoDPHQWiULD ´4XHUHPRV p TXH R %UDVLO FUHVoD¾ 2 JRYHUQR HVWDGX DO GH DFRUGR FRP 3DVVRV EXVFDUi MXQWR DR JRYHUQR IHGHUDODFHOHUDUDUHVROXomR GHWRGDVDVSHQGrQFLDVSDUD QmRKDYHUPDLVSUREOHPDV POLÊMICA 2V PLQLVWURV UHVVDOWD UDP TXH TXHVW}HV FRPR R UHDVVHQWDPHQWR GH SRSXOD o}HV LQGtJHQDV H GHVDSUR SULDo}HV IRUDP DMXVWDGDV H VHUmR HTXDFLRQDGDV SDUD GDU FHOHULGDGH jV REUDV ´$ GXSOLFDomR HVWi DQGDQGR PXLWR EHP DTXL HP $ODJR DV 1yV WHPRV YiULRV WUH FKRVTXHYDPRVHQWUHJDUQR SUy[LPRDQRHLVVRpPRWLYR GHDOHJULD¾GLVVHDPLQLVWUD 0LULDP%HOFKLRU (P $ODJRDV D GXSOLFD omR YDL EHQHÀFLDU RV PR UDGRUHV GRV PXQLFtSLRV GH 0HVVLDV 0DFHLy 6mR 0L JXHOGRV&DPSRVH7HRW{QLR 9LOHOD HQWUH RXWURV $ GX SOLFDomRGD%5WDPEpP YDL JHUDU PDLV HPSUHJR H VHJXUDQoD SDUD D SRSXOD omRDOpPGHSURSLFLDUPDLV LQYHVWLPHQWRV QR VHWRU WX UtVWLFRHDWUDo}HVGHHPSUH VDVSDUDDUHJLmR


6

OPINIAO

TribunaIndependente

MACEIÓ - Sà BADO, 10 DE MARÇO DE 2012

OpiniĂŁo

Bandos modernos

A

vulneråvel situação de segurança no sertão alagoano traz à baila uma situação somente vivenciada e contadas em versos e prosas no início do sÊculo 20 quando bandoleiros se embrenhavam caatingas adentro para realizarem serviços de pistolagem, assaltarem o comÊrcio das pequenas cidades e dominarem povoados inteiros. É o que se pode perceber, depois da prisão de uma quadrilha que agia nos municípios sertanejos de Alagoas e de Sergipe e que foi responsåvel, entre os inúmeros FULPHVGHDVVDOWRVDRÀOKRGRGHSXWDdo estadual Antonio Albuquerque e å prefeita de Santana do Ipanema, Renilde Bulhþes. A falta de presença efetiva dos meios de segurança do Estado nesta região e a agilidade na transmissão de informação são fatores que facilitam a ação dos bandidos, que se multiplica, ain-

da que poucos deles se conheçam o que leva a concluir que mecanismos como telefones celurares e redes sociais são instrumentos usados nas operaçþes criminosas, tipos roubo de veículos, assaltos a bandos e lojas comerciais, modo de desmobilização de policiais militares em cidades com segurança vulneråvel e uso de apetrechos que os caracterizam como falsos protetores da sociedade, como fardamentos militares, emblemas, coletes a prova de balas e atÊ veículos caracterizados. Difícil imaginar que o sertão do NorGHVWH HVSHFLÀFDPHQWH  DV iUHDV GH Sergipe e Alagoas, consideradas inóspitas e atrasadas economicamente se transformassem na fonte da criminaOLGDGHSDUDWUDÀFDQWHVHGHVRFXSDGRV dispostos a tudo e principalmente a matar. O quadro de calamidade social Ê fruto de anos de descaso com educação, saúde e segurança pública.

PE MANOEL HENRIQUE DE MELO SANTANA PĂĄroco da Igreja de SĂŁo Pedro ApĂłstolo - Ponta Verde Doutorando Univesidade de Grenoble III

26HQKRU%RP-HVXVGR%RQĂ€P

HĂĄ muitos comentĂĄrios sobre a SUHVHQoD VLJQLĂ€FDWLYD H FRPSURmetida ou simplesmente simbĂłlica de Jesus na vida e na pastoral das Igrejas cristĂŁs. Alguns querem ver a presença de um Cristo docĂŠtico, isto ĂŠ, desencarnado. Na conhecida obra de Ariano Suassuna, “Auto da Compadecidaâ€?, QDFHQDGRMXOJDPHQWRĂ€QDOTXHP domina a cena ĂŠ a Virgem Maria. Na Literatura de Cordel, responsĂĄvel pela versĂŁo popular da cultura, Cristo estĂĄ quase ausente, dando o seu lugar aos santos. OpiniĂľes existem e muitos assumem-nas quase dogmaticamente, porĂŠm, a realidade histĂłrica, humana, cultural e tambĂŠm religiosa deve comportar vĂĄrios olhares. A morte de Cristo certamente se apresenta como um grande impacto frente Ă s culturas. Estas imagens foram bem trabalhadas pelos evangelizadores. 'Dt RV FUXFLĂ€[RV QRV SHVFRoRV nas paredes das casas e repartiçþes pĂşblicas, na mente e no coração de nosso povo. Sem maiores aprofundamentos teolĂłgicos, essas imagens podem ter gerado uma mensagem de fatalismo ou mesmo de conformismo, sobretudo quando ainda hoje somos levados a compreender que o Cristo morreu, porque estava predito pelos profetas, porque o Pai assim determinara. 7HPRVGLĂ€FXOGDGHVGHDSUHVHQWDU as razĂľes histĂłricas e o sentido da morte de Jesus, coisa que aconteceu na Academia atravĂŠs de Benedito Ferraro, da Arquidiocese de Campinas, em tese de doutorado defendida na Suíça. NĂŁo podemos colocar a culpa tĂŁo simplesmente no povo, e PXLWRPHQRVGHVTXDOLĂ€FDUDVXDIp O primeiro sĂ­mbolo da fĂŠ, apre-

sentado ao Novo Mundo, aos Ă­ndios, presentes na Primeira Missa, foi uma Cruz. O Brasil foi assim batizado, chamado de “Terra de Santa Cruzâ€?. O imaginĂĄrio cristĂŁo da Cruz estĂĄ muito vivo entre o povo, onde misteriosamente se misturam a vida, os sentimentos, os sofrimentos, a dores e a prĂłpria morte. A redação dos Evangelhos ĂŠ uma prova muito clara deste impacto da morte de Jesus, pois os capĂ­tulos da PaixĂŁo e Morte de Jesus sĂŁo maiores e bem mais detalhados. Isso se deve ao fato de estarem eles na proximidade dos acontecimentos e ainda pelo fato de terem sido eles testemunhas oculares da vida e morte de Jesus. A vida norPDOPHQWH Gi VLJQLĂ€FDGR j PRUWH embora tambĂŠm possa essa revelar o nĂ­vel de comprometimento de uma vida e o sentido de toda uma existĂŞncia. Jesus de NazarĂŠ ĂŠ homem real, que, na Semana Santa, terminou a sua vida como Salvador. Diante destes sentimentos tĂŁo arraigados entre o povo, pode acontecer um extravasamento de reaçþes, numa sincronia perfeita com o sofrimento de Jesus, quando historicaPHQWHDFRQWHFHXFRPXPVHUWDQHMR “tirou a garrucha e vazou o olho do soldado em Congonhasâ€?. A devoção do Senhor Bom Jesus GR %RQĂ€P p PXLWR DQWLJD HP 6mR 3DXOR GDWDGD SHORV LGRV GH  A Semana Santa do povo era celebrada Ă margem da Semana Santa RĂ€FLDO Em Viçosa, Alagoas, surgia a Igreja Matriz, com o Senhor Bom -HVXVGR%RQĂ€PWUD]LGRQRVLQtFLRV do sĂŠculo XIX, sendo o padroeiro da futura cidade. A maior demonstração de fĂŠ religiosa, porĂŠm, ĂŠ a festa

GR6HQKRU%RP-HVXVGR%RQĂ€PQD Bahia. A imagem foi doada em 1745 pelo CapitĂŁo TheodĂłsio, para eternizar a graça de nĂŁo ter morrido no naufrĂĄgio da embarcação que o trazia de Portugal para o Brasil. A imagem ĂŠ uma rĂŠplica da que existe em SetĂşbal, pequena cidade de pescadores, no litoral portuguĂŞs. É um Cristo de tamanho natural e feito de madeira, sobre uma cruz de jacarandĂĄ. É ornado de ouro, prata e pedras preciosas. Conhecemos ainda o Bom Jesus de Pirapora, cuja imagem ĂŠ a do Bom Jesus, no PretĂłrio, depois de açoitado, tendo sido encontrado ali mesmo, na margem do Rio TietĂŞ, em 1724. Famoso tambĂŠm ĂŠ o Senhor Bom Jesus da Lapa, cujo SantuĂĄrio nasceu pela presença de um ermitĂŁo leigo, Francisco Mendonça Mar, portuguĂŞs, em 1691, que caminhava carregando a imagem do Senhor Bom Jesus em suas mĂŁos. A cidade nasceu Ă sombra do Senhor Bom Jesus. Trata-se de uma fĂŠ viva. O povo acredita no Bom Jesus, pobre, sofredor, abandonado como eles. O povo nĂŁo possui a morte ou o martĂ­rio de nenhum outro santo. Aqui nĂŁo hĂĄ docetismo frente aos reais sofrimentos de Jesus, celebrados na Semana Santa. Estas tradiçþes ainda acontecem em Portugal e Espanha, herança que recebemos nos tempos da colonização. Ressoa na memĂłria dos tempos o antigo “PerdĂŁo, meu Jesusâ€?, entoado lentamente pelo povo. O Senhor Bom Jesus ĂŠ o Cristo sofredor da Semana Santa, que a piedade e a arte souberam reproduzir nas vĂĄrias imagens da PaixĂŁo e Morte, presentes em Marechal Deo-

LAURINDO LALO LEAL FILHO SociĂłlogo e jornalista, ĂŠ professor de Jornalismo da ECA-USP

Minutos preciosos MARCELO SEMER Juiz e escritor

A resposta da Comissão da Verdade Militares reformados causaram alvoroço na semana que passou ao lançar manifesto em que afrontam a presidenta Dilma Rousseff. Ressentidos e receosos, reagem a declaraçþes de ministras pelo estabelecimento da Comissão da Verdade e o esclarecimento dos abusos e violências dos anos de ditadura. Mais do que a indignação dos democratas ou as puniçþes das FKHÀDVRTXHDIDUGDDSRVHQWDGD merece, neste episódio, Ê, sobretudo, o desprezo. É verdade que a saudade do tempo em que tinham voz de comando ainda vitamina muitos discursos de vivandeiras dos quartÊis. Mas hoje, militares são apenas servidores, não autoridades. A política não depende mais de suas ordens do dia e a nostalgia da repressão Ê uma história que se repete como farsa. A força retórica da reação do governo representa quase nada, todavia. Por que Ê justamente a tibieza com o trato dos crimes do passado que tem permitido que os reformados aumentem constantemente seu tom de voz. A demora na instalação da Comissão da Verdade e as diversas concessþes na sua formatação estimularam os militares, que permanecem se sentindo intocåveis,

como se ainda devĂŞssemos lhes pedir licença para investigar ou punir. Os demais paĂ­ses do continente, que tambĂŠm suportaram ditaduras, jĂĄ estĂŁo faz tempo acertando contas com o passado. TorturaGRUHVHDVVDVVLQRVIRUDPLGHQWLĂ€cados e vĂĄrios deles processados, presos e condenados. Com acusação formada, direito de defesa e penas previamente previstas, estĂĄ se fazendo justiça, nĂŁo revanchismo. Atribuem-se a rĂŠus as garantias que aqueles que lutaram contra a opressĂŁo, punidos em excesso nos anos de chumbo, jamais tiveram acesso. Nesse campo, o Brasil caminha a passos trĂ´pegos, com a omissĂŁo e leniĂŞncia dos Ăşltimos governos, ainda constrangidos com a “questĂŁo militarâ€?, e a complacĂŞncia da Justiça. A função de uma ComissĂŁo da Verdade ĂŠ esclarecer fatos que pela covardia dos agentes que os praticaram e diante da força do UHJLPHDXWRULWiULRĂ€FDUDPSRUGpcadas escondidos. Defender esta ocultação ĂŠ prestar reverĂŞncia Ă censura. É um paradoxo louvar a liberdade de expressĂŁo e ao mesmo tempo opor-se ao conhecimento da verdade. A punição dos sequestradores e torturadores, que nĂŁo ĂŠ função

da Comissão da Verdade, ainda Ê uma questão em aberto. A Corte Interamericana de Direitos Humanos não reconhece qualquer ato de autoanistia que impeça o julgamento de crimes contra a humanidade. Trata-se de uma jurisprudência internacional fortemente consolidada, que, aliås, extravasa aos exemplos da AmÊrica Latina. No julgamento do caso Araguaia, mesmo ciente da decisão do STF de não rever a lei da anistia, a Corte da OEA expressamente determinou que todos os agentes públicos do país, aí incluídos os membros do MinistÊrio Público, devam afastar os obståculos para a apuração e julgamento dos delitos. Torturadores no governo militar escolheram a violência e os porþes para tentar extorquir verdades; a democracia vai fazê-lo em público, sem dor nem sofrimento, nos termos da lei. 2SDtVQmRSRGHFRQYLYHUFRPÀlhos que atÊ hoje não sabem o destino de seus pais, porque aqueles que os sequestraram viveram de esconder seus atos, e com estes, os corpos de suas vítimas. A resposta do governo ao espernear de saudosos da ditadura deve VHU ÀUPH LQVWDODU H IRUWDOHFHU D Comissão da Verdade.

FILIADO AO

Jorgraf UM PRODUTO:

Rua da Praia, 134 - sala 303 - centro - Maceió Alagoas Endereço Comercial: Av. Menino Marcelo - 10.440 - Serraria Maceió - Alagoas - CEP: 57.083.410 CNPJ: 08.951.056/0001 - 33

Cooperativa dos Jornalistas H*UiÂżFRVGRHVWDGRGHDODJRDV

“Em ano de polĂ­tica...â€?. A expressĂŁo pode ser ouvida na boca das mais diversas pessoas em vĂĄrias partes do paĂ­s, reveladora do que ĂŠ a polĂ­tica para muitos brasileiros. Confundem, com razĂŁo, ação polĂ­tica com ano eleitoral. Ă€s vezes hĂĄ ainda o complemenWR´QHVVHDQRURODPXLWRGLQKHLURÂľ fechando o raciocĂ­nio de que se trata apenas de mais um negĂłcio datado. NĂŁo sem alguma razĂŁo (ou muita?). Por essas e por outras a vida polĂ­WLFDĂ€FDHPSREUHFLGDUHGX]LQGRVH para a maioria da população, ao ato obrigatĂłrio de votar. HĂĄ vĂĄrias explicaçþes para essa alienação. Desde a herança simbĂłlica do voto censitĂĄrio, em vigor no Brasil durante toda a monarquia atĂŠ os dias atuais, onde a polĂ­tica sĂł surge no debate nacional trĂŞs meses antes das eleiçþes atravĂŠs do chamado “horĂĄrio eleitoral gratuitoâ€? no rĂĄdio e na TV, que de gratuito nada tem. É pago Ă s emissoras atravĂŠs de UHQ~QFLDĂ€VFDO Claro que, ao longo dos perĂ­odos nĂŁo eleitorais, circulam atravĂŠs da mĂ­dia informaçþes polĂ­ticas. Mas sĂŁo informaçþes organizadas pelos meios de comunicação segundo seus interesses. Apenas “in-formamâ€?, ou seja colocam na forma os fatos prontos para serem servidos ao pĂşblico. Diferente seria se a polĂ­tica fosse comunicada, no sentido de tornĂĄ-la comum a todos, dividida, partilhada. Seriam diferentes visĂľes de mundo e de sociedade circulando atravĂŠs dos grandes meios de comunicação dando ampla possibilidade de escolha aos que as recebessem. Temos hoje muita informação e pouquĂ­ssima comunicação. Somos talvez a Ăşnica grande democracia do mundo onde nĂŁo existe um programa de debates polĂ­ticos em rede aberta, com alcance nacional, capaz de tornar comuns os fatos polĂ­ticos do cotidiano.

PRESIDENTE Antonio Pereira Filho DIRETOR ADMINISTRATIVO FINANCEIRO: JosĂŠ Paulo Gabriel dos Santos Editor geral: Ricardo Castro

Em livro recente, o professor Danilo Rothberg transcreve trechos do programa Newsnigth, da BBC, onde toda noite questþes centrais para a vida do pais são debatidas (Jornalismo Público, Editora UNESP). Um bom exemplo de comunicação. E aqui ao lado, na Argentina, a televisão pública då outro exemplo positivo ao colocar no ar programas como El Debate. Nele defensores de posiçþes divergentes sobre temas nacionais polêmicos são colocados frente-a-frente. A platÊia convidada emite tambÊm sua opinião, atravÊs de dispositivos eletrônicos, antes e GHSRLVGRGHEDWHeVLJQLÀFDWLYRYHU como o esclarecimento leva a mudanças (1). São programas que colocam a política no dia-a-dia da população facilitando posteriores escolhas eleiWRUDLV$TXLÀFDPRVUHVWULWRVjVSUHcårias mensagens partidårias oferecidas nos três meses que antecedem as eleiçþes. Não que elas não sejam importantes mas Ê muito pouco. Para candidatos e partidos ocupar o tempo no rådio e na TV Ê um jogo de vida ou morte. Muitos têm apenas esse espaço, garantido por lei, para se dirigir ao eleitor. Quantos não foram banidos das telas por se confrontarem com os interesses das emissoras? Exemplos, entre PXLWRV 6DWXUQLQR %UDJD H /HRQHO Brizola vetados pela Rede Globo e Luiza Erundina, pela Bandeirantes. A situação torna-se mais grave porque foi-se o tempo em que o voto era conquistado nos comícios. A televisão acabou com isso tornando-se o principal cabo eleitoral do pais. Não Ê por acaso que todo ano de eleição começa com a corrida dos partidos em busca de alianças para garantir o maior tempo possível de TV. Como estå acontecendo agora. Programas partidårios, ideologia, planos de governo, nada disso importa para a maioria das coligaçþes.

O que interessa sĂŁo os minutos no ar. E nessa disputa feroz como eles sĂŁo utilizados? Quase sempre com os mesmos critĂŠrios dos comerciais de sabonete. Se no dia-a-dia a TV nĂŁo trata o telespectador como cidadĂŁo e sim como consumidor, nos programas eleitorais ele ĂŠ tratado apenas como eleitor de quem se quer conquistar o voto. Nos dois momentos o mecanismo de sedução pRPHVPRDHPRomRVHVREUHSRQGR Ă razĂŁo. Salvo exceçþes, honrosas, o horĂĄrio foi transformado em um grande ED]DUVRERFRQWUROHGHSURĂ&#x20AC;VVLRQDLV de propaganda. A mesma lĂłgica da programação convencional foi adotada pelas mensagens polĂ­ticas. Numa vende-se mercadorias, na outra candidaturas. Perde-se assim a grande oportunidade de ampliar o debate democrĂĄtico oferecido por lei. Planos de governo sĂŁo subordinados a trens que voam, projetos de pontes e estradas irrealizĂĄveis feitos apenas para aparecer na TV, performances de artistas sem idĂŠias em busca de votos e por ai adiante. 2XRSLRURXVRGHVVHHVSDoRSUHcioso e privilegiado para banalizar temas sĂŠrios como, por exemplo, a legalização do aborto, transformado na eleição passada em peça publicitĂĄria de alto impacto. (VWDPRV GLDQWH GH GRLV GHVDĂ&#x20AC;RV exigir das emissoras de rĂĄdio e de TV, no dia-a-dia, mais respeito pela polĂ­tica tornando-a objeto da comunicação e nĂŁo apenas da informação e, ao mesmo tempo, cobrar dos partidos e candidatos um uso mais sĂŠrio e conseqĂźente do â&#x20AC;&#x153;horĂĄrio eleitoralâ&#x20AC;?, um dos mais importantes espaços democrĂĄticos existentes no pais. (1) Uma edição do programa El Debate, do Canal 7 da Argentina SRGH VHU YLVWR HP KWWSZZZ\RXWXEHFRPZDWFK"Y YNHW/:N< 

Nosso noticiĂĄrio nacional ĂŠ fornecido pelas agĂŞncias: AgĂŞncia Folha e AGĂŞncia Nordeste PABX: 82.3311.1338 COMERCIAL: 82.3311.1330 - 3311. 1331 REDAĂ&#x2021;Ă&#x192;O: 82.3311.1328 - 3311.1329 CENTRAL DE ASSINANTE: 82.3311.1308 - 3311.1309 comercial.tribunaindependente@gmail.com redação.tribunaindependente@gmail.com

ricardocastro@tribuna-al.com.br

DIRETORA COMERCIAL: Marilene Canuto

OS ARTIGOS ASSINADOS SĂ&#x192;O DE RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES. NĂ&#x192;O REPRESENTANDO, NECESSARIAMENTE, A OPĂ?NIĂ&#x192;O DESTE JORNAL.


TribunaIndependente

MACEIĂ&#x201C; - SĂ BADO, 10 DE MARĂ&#x2021;O DE 2012

Brasil/Mundo

BRASIL/MUNDO

7

Foca escapa de ataque ao se equilibrar no nariz de tubarĂŁo Uma foca de sorte conseguiu escapar do ataque de um tubarĂŁo branco ao pular no nariz da fera. O tubarĂŁo saltou do mar para capturar a presa, que conseguiu se equilibrar perigosamente por um tempo antes de cair novamente na ĂĄgua e fugir. A foto foi tirada pelo sul africano Chris Fallows, fotĂłgrafo especializado em imagens da vida selvagem. O episĂłdio aconteceu na Seal Island, que abriga cerca de 64 mil focas e um grupo de tubarĂľes.

Esposa ciumenta dedurou Bin laden

Traição com uma mulher mais jovem levou companheira a tramar com os EUA a morte do terrorista

O

sama Bin Laden, senil e afastado da Al-Qaeda, foi entregue aos americanos por uma de suas primeiras esposas, que sentia ciúmes de uma rival mais jovem na casa em que viviam, segundo a tese elaborada por um general paquistanês depois de uma longa investigação. Dez meses mais tarde, a incursão de um comando de elite americano que matou o chefe da Al-Qaeda em seu tranquilo refúgio na cidade paquistanesa de Abbottabad continua sendo um mistÊrio que alimenta inúmeras teorias, inclusive a traição por ciúmes. Shaukat Qadir, um general de brigada reformado, investigou o episódio durante oito meses. Graças a suas relaçþes com o alto escalão das Forças Armadas, pôde visitar a casa que Bin Laden ocupou e falar com os agentes que interrogaram as esposas do terrorista, presas depois da operação. Segundo Qadir, Bin Laden foi vítima de um complô da Al-Qaeda,

REPRODUĂ&#x2021;Ă&#x192;O

que utilizou uma de suas esposas para colocar os americanos em seu rastro. De acordo com Qadir, Bin Laden começou em 2001 a VRIUHU FRP XPD GHĂ&#x20AC;FLrQFLD mental, que progressivamente levou seu braço direito, o egĂ­pcio Ayman Al Zawahiri, a decidir eliminĂĄ-lo. Depois de vĂĄrios anos de fuga no noroeste paquistanĂŞs, a Al-Qaeda decidiu escondĂŞ-lo em Abbottabad, onde mandou construir quase uma mansĂŁo. Bin Laden se estabeleceu nessa casa em 2005 com duas de suas esposas, Amal H6HHKDQHYiULRVGHVHXVĂ&#x20AC;lhos. O grupo incluĂ­a Khalid, Ă&#x20AC;OKR DGXOWR IUXWR GD UHODomR com Seehan e quem, como os guarda-costas paquistaneses de seu pai, tinha esposas e Ă&#x20AC;OKRV 1R HQWDQWR DV FRLVDV mudaram em 2011 quando chegou Ă casa outra esposa de Bin Laden, Jairia, saudita como Seehan e com quem ele KDYLD VH FDVDGR QR Ă&#x20AC;QDO GRV anos 1980 e a quem nĂŁo via Bin laden foi morto depois de ação dos Estados Unidos que invadiram a casa do terrorista no PaquistĂŁo desde 2001.

CONTRA A VIOLĂ&#x160;NCIA

TaubatĂŠ recorre ao Batman para combater a criminalidade

O

militar aposentado AndrĂŠ Luiz Pinheiro, 50 anos, virou o centro das atençþes em TaubatĂŠ, cidade localizada a 154 km de SĂŁo Paulo, durante a Ăşltima semana o reservista GD 0DULQKD Ă&#x20AC;FRX FRQKHFLGR como o â&#x20AC;&#x153;Batman de TaubatĂŠâ&#x20AC;? apĂłs ter sido convidado pela PolĂ­cia Militar para usar a fantasia do homem morcego e participar de um programa que visa diminuir o crime em bairros violentos da cidade. Ontem, Pinheiro se reuQLX FRP D PDMRU (OLDQH 1Lkoluk Scachetti, comandante do 5Âş BPMI (BatalhĂŁo da PolĂ­cia Militar do Interior), HP 7DXEDWp SDUD GHĂ&#x20AC;QLU como o â&#x20AC;&#x153;super-herĂłiâ&#x20AC;? poderia contribuir para a diminuição do Ă­ndice de criminalidade na cidade. O mais novo famoso da cidade do Vale do ParaĂ­ba conversou com o Terra e contou detalhes desse novo projeto, deixando claro que nĂŁo vai sair pelas ruas combatendo

os bandidos. â&#x20AC;&#x153;Acho que eles me convidaram apĂłs conhecerem o trabalho que realizo como cosplay (estilo de vida que reĂşne pessoas que se fantasiam de personagens), que na verdade ĂŠ um hobby que eu tenho. Eu nĂŁo vou sair pelas ruas correndo atrĂĄs de bandido. Eu nĂŁo tenho competĂŞncia nem sou pago para isso, minha função no projeto serĂĄ outraâ&#x20AC;?, disse. De acordo com o militar, durante a conversa a comandante do batalhĂŁo explicou que, se a proposta for aprovada pelo alto comando da PM, o militar aposentado atuarĂĄ como uma espĂŠcie de agente comunitĂĄrio em bairros mais carentes. â&#x20AC;&#x153;A ideia do projeto ĂŠ aproveiWDUDĂ&#x20AC;JXUDGRVVXSHUKHUyLV para resgatar os ideais de valores, respeito Ă s regras e do conceito da famĂ­lia. Ideais que estĂŁo tĂŁo afastados, principalmente nas comunidades mais carentesâ&#x20AC;?, falou Pinheiro.

REPRODUĂ&#x2021;Ă&#x192;O

VISITANTE NOBRE

PrincĂ­pe Harry tem agenda lotada no Rio

Elegantemente vestido, mesmo depois de mais de dez horas de viagem, o prĂ­ncipe Harry desembarcou no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro na manhĂŁ de ontem usando terno e gravata. Sem GDUPXLWRVVRUULVRVRĂ&#x20AC;OKRGH Diana posou para os fotĂłgrafos que o aguardavam com tranquilidade. Este sĂĄbado vai ser intenso: ele chegarĂĄ com sua comitiva Ă s 8h45 ao Aterro do Flamengo, onde participa de XPD FRUULGD EHQHĂ&#x20AC;FHQWH DR lado de trĂŞs jovens brasileiros â&#x20AC;&#x201D; um deles ĂŠ cego, tem 17 anos e vai participar dos jogos escolares das OlimpĂ­adas de Londres. O tĂŠrmino da corrida estĂĄ previsto para 9h20. 1HVVHPRPHQWR+DUU\SRVDU para uma foto atrĂĄs do pĂłrtico de largada com ministros, autoridades britânicas e o 1Âş EHErTXHQDVFHXHP1D sequĂŞncia recebe uma homenagem dos cadeirantes do projeto Embaixadores da Alegria, que prepararam um nĂşmero musical. Ă&#x20AC;s 10h, faz a entrega simbĂłlica de medalhas para 12 FULDQoDV GH YiULDV 21*V H tambĂŠm da escola britânica. Ă&#x20AC;s 10h30 Harry participa do workshop de vĂ´lei na areia e Ă s 10h45 deixa o local, ao lado da consulesa Paula Walsh. Ă&#x20AC;s 14h ele chega ao Complexo do AlemĂŁo.

SEM SEGURANĂ&#x2021;A

Conar pede troca do anĂşncio de azeite Galo

2 &RQDU &RQVHOKR 1Dcional de Autorregulamentação PublicitĂĄria) decidiu ontem pela recomendação de alteração do anĂşncio do azeite Gallo com o tĂ­tulo O militar da reserva ´1RVVR D]HLWH p ULFR 2 YLÂżFRXFRQKHFLGR dro escuro ĂŠ o segurançaâ&#x20AC;?. como o â&#x20AC;&#x153;Batman de Os conselheiros seguiTaubatĂŠâ&#x20AC;? e vai tentar ram o voto do relator, que reduzir a considerou nĂŁo haver incriminalidade tenção racista, mas ponderou que ele permite tal inWHUSUHWDomR 1D DYDOLDomR PRONATEC COPA ALERTA do conselho, â&#x20AC;&#x153;a comunicação nĂŁo deve dar margem a associaçþes equivocadas pela responsabilidade social que temâ&#x20AC;?. A AlmapBBDO, agĂŞncia de publicidade responsĂĄvel O ministĂŠrio do Turismo de espectadores que virĂŁo terar sua fĂłrmula em todo o pela campanha, divulgou Para evitar serem obri- saĂşde dos consumidores. anunciou na tarde de ontem ao Brasil para o Mundial de gadas pela Justiça a escrever Segundo a Associação paĂ­s, e nĂŁo sĂł na CalifĂłrnia, em nota que recebeu a ina abertura de 80 mil vagas de 2014. formação. â&#x20AC;&#x153;Muito embora nos seus rĂłtulos algo como Americana de Bebida, o 4-me- para facilitar a produção. trabalho para a Copa do MunQUALIFICAĂ&#x2021;Ă&#x192;O 1XPD QRWD D &RFD&ROD nĂŁo tenha recebido o teor do de 2014. O Pronatec Copa, $OpP GD TXDOLĂ&#x20AC;FDomR RE- â&#x20AC;&#x153;contĂŠm substância carcinĂł- tilimidazol foi associado a câncomo foi nomeado o programa, tida no curso de aproximada- genaâ&#x20AC;?, a Coca-Cola e a Pep- cer em ratos numa pesquisa, DĂ&#x20AC;UPRXTXHQmRDOWHUDUiVHX oficial da decisĂŁo do Conar reunirĂĄ os escolhidos para 32 mente 160 horas/aula (cerca siCo, fabricante da Pepsi, mas nĂŁo hĂĄ provas de que re- processo de fabricação na atĂŠ o presente momento e cursos ligados Ă ĂĄrea nas 12 de quatro meses de duração), anunciaram que vĂŁo alterar presente risco para o homem. Europa, acrescentando que, como o anĂşncio foi veicucidades-sedes que recebe- os escolhidos participarĂŁo de suas fĂłrmulas, reduzindo a JĂĄ o FDA, agĂŞncia reguladora alĂŠm da CalifĂłrnia, â&#x20AC;&#x153;nem uma lado no ano passado e nĂŁo rĂŁo os confrontos do prĂłximo cursos de aprimoramento, quantidade de 4-metilimida- de alimentos e medicamentos Ăşnica agĂŞncia reguladora no voltarĂĄ Ă  mĂ­dia, a agĂŞncia Mundial, alĂŠm de regiĂľes no como por exemplo, idiomas zol (4-MEI) usado no corante GRV (VWDGRV 8QLGRV DĂ&#x20AC;UPD mundo considera um proble- nĂŁo pretende recorrer da entorno dos municĂ­pios e ou- estrangeiros, especialmente caramelo. A mudança, jĂĄ re- que uma pessoa precisaria ma a exposição do pĂşblico ao decisĂŁo do Conarâ&#x20AC;?, complealizada na CalifĂłrnia, onde o beber mais de mil latas de 4-MEI como presente no cara- tou. tros 12 destinos estratĂŠgicos inglĂŞs e espanhol. Em comunicado, o Azeipara os turistas durante o peâ&#x20AC;&#x153;O Pronatec ĂŠ o programa 4-metilimidazol foi incluĂ­do Coca-Cola ou Pepsi por dia meloâ&#x20AC;?. rĂ­odo da competição. RĂ&#x20AC;FLDO GH TXDOLĂ&#x20AC;FDomR GR JR- na lista de substâncias quĂ­- para ingerir a mesma dose da JĂĄ a Coca-Cola Brasil, te Gallo admitiu que a As vagas anunciadas pelo verno federal. A ação de ca- micas cancerĂ­genas, serĂĄ feita substância que foi dada aos onde a fĂłrmula tambĂŠm nĂŁo AlmapBBDO a empresa ministĂŠrio do Turismo serĂŁo pacitação, desenvolvida com em todo o territĂłrio america- animais em laboratĂłrio. serĂĄ alterada, divulgou a se- afirmou que nĂŁo pretende GHVWLQDGDV D SURĂ&#x20AC;VVLRQDLV GD HĂ&#x20AC;FLrQFLD H H[SHULrQFLD SHOR no. Apesar da medida, a CocaCoca-Cola e PepsiCo tĂŞm guinte nota: â&#x20AC;&#x153;O corante ca- recorrer da decisĂŁo do Colinha de frente do receptivo ministĂŠrio da Educação, estĂĄ &ROD IH] TXHVWmR GH DĂ&#x20AC;UPDU mais de 90% do mercado de ramelo utilizado em nossos nar, jĂĄ que o anĂşncio foi turĂ­stico, que trabalharĂŁo di- sendo levada para o turismo que a mudança nĂŁo foi causa- bebidas americano. As com- produtos ĂŠ absolutamente veiculado no ano passado e retamente com os milhares nacional. da porque havia riscos para a panhias dizem que vĂŁo al- seguro. nĂŁo voltarĂĄ Ă  mĂ­dia.

MinistĂŠrio abre 80 mil vagas SDUDFXUVRVGHTXDOLĂ&#x20AC;FDomR

Coca-Cola e Pepsi alteram fĂłrmula nos Estados Unidos


8

PUBLICIDADE

MACEIÓ - SÁBADO, 10 DE MARÇO DE 2012

TribunaIndependente


TribunaIndependente

MACEIĂ&#x201C; - SĂ BADO, 10 DE MARĂ&#x2021;O DE 2012

Cidades

CIDADES

9

Policiais Civis realizarão vigília em frente à Segesp para reivindicação Os policiais civis de Alagoas decidiram, em assembleia geral da categoria, realizar uma vigília em frente à Secretaria de Gestão Pública (Segesp) na próxima terça-feira (13), a partir das 8 horas. Os policiais aguardarão o resultado da reunião com o secretårio de Gestão Pública, Alexandre Lajes, que adiou pela segunda vez o encontro com o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), para tratar da pauta de reivindicaçþes da categoria. O Sindpol irå organizar um cafÊ da manhã em frente à Segesp. Na assembleia, realizada ontem, os policiais deliberaram que o ato público continuarå sendo realizado todos os dias atÊ que o secretårio Alexandre Lajes receba o sindicato.

Atentato contra Nivaldo foi vingança

$QGHUVRQ6DQWRVRÂł*DOHJR´WHULDVLGRDXWRUGRVGLVSDURVFRQWUDÂżOKRGRGHSXWDGR$QWRQLR$OEXTXHUTXHDSyVVXSRVWDDJUHVVmR BEATRIZ NUNES ANA PAULA OMENA REPĂ&#x201C;RTERES

A

PolĂ­cia Civil de Alagoas apresentou ontem trĂŞs homens acusados de mais de 18 crimes no SertĂŁo de Alagoas. Eles foram presos em CanindĂŠ do SĂŁo Francisco, no Estado de Sergipe, na Ăşltima quarta-feira (7). Anderson dos Santos, 27, o â&#x20AC;&#x153;Galegoâ&#x20AC;?, JosĂŠ Francisco Silva, 33, vulgo â&#x20AC;&#x153;Olho de Burraâ&#x20AC;?, e JoĂŁo Paulo, 18, conhecido como â&#x20AC;&#x153;SatanĂĄsâ&#x20AC;?, sĂŁo acusados de ser os autores dos disparos contra Nivaldo Albuquerque Neto, filho do deputado AntĂ´nio Albuquerque, da invasĂŁo da casa da prefeita Renilde BulhĂľes, em Santana do Ipanema, do assalto Ă residĂŞncia do delegado Adalberto Meire Cavalcante, alĂŠm da invasĂŁo Ă  Delegacia de PĂŁo de Açúcar, onde roubaram

armas e coletes Ă prova de balas. Durante a coletiva, Anderson Tavares, apontado como lĂ­der da quadrilha, confessou ser o autor dos disparos que atingiram Nivaldo Albuquerque, no dia 3 de fevereiro, na fazendo do pai dele, em Limoeiro de Anadia. Ele teria dito que os dois tiveram um desentendimento dois dias antes do crime e os tiros foram disparados por vingança. â&#x20AC;&#x153;Eu estava no Parque Ceci Cunha [em Arapiraca] com minha namorada e ele [Nivaldo] bateu na minha caraâ&#x20AC;?, afirmou. Depois de atirar no filho do deputado, Anderson ainda fugiu com o veĂ­culo da vĂ­tima, uma caminhonete Hilux, o que a princĂ­pio teria caracterizado o crime como assalto. â&#x20AC;&#x153;Dei dois tiros nele e fugi no carro dele porque era mais potente. Tive medo que os capangas do pai dele

viessem atrĂĄs de mimâ&#x20AC;?, explicou o acusado. O grupo tambĂŠm ĂŠ acusado de participação no assalto Ă residĂŞncia da prefeita de Santana do Ipanema, Renilde BulhĂľes, ocorrida no dia 3 de março, e da invasĂŁo Ă  delegacia distrital de PĂŁo de Açúcar, na terça-feira (6), onde estariam em busca de roubar coletes Ă  prova de bala e armas de fogo. LĂĄ, eles fizeram policiais refĂŠns. A operação denominada â&#x20AC;&#x2DC;SĂŁo Franciscoâ&#x20AC;&#x2122;, que prendeu o bando, contou com o apoio considerado importante de policiais de Sergipe, que segundo o delegado Geral da PolĂ­cia Civil de Alagoas, JosĂŠ Edson Freitas, nĂŁo mediram esforços para ajudar a polĂ­cia alagoana na captura dos elementos. O delegado JosĂŠ Edson frisou que a quadrilha era de alta periculosidade e agia com violĂŞncia nas açþes.

SANDRO LIMA

SANDRO LIMA

â&#x20AC;&#x153;Galegoâ&#x20AC;?DÂżUPRXTXHOHYRXXPWDSDGH1LOYDOGR1HWRHP$UDSLUDFDHVHYLQJRXFRPDWHQWDGRHURXER

Grupo ĂŠ acusado de assaltos na casa de prefeita, na casa de delegado, Ă delegacia e outras ousadias

PARA CRIMES

Quadrilha tinha duas bases de apoio logĂ­stico em Piranhas e CanindĂŠ De acordo com a delegada Ana Luiza Nogueira, coordenadora da DivisĂŁo Especial de Investigação e Captura (Deic) da PolĂ­cia Civil, o bando criminoso formado por Anderson dos Santos, o â&#x20AC;&#x153;Galegoâ&#x20AC;?, JosĂŠ Francisco Silva, vulgo â&#x20AC;&#x153;Olho de Burraâ&#x20AC;?, e JoĂŁo Paulo, alĂŠm dos integrantes jĂĄ presos, agia no sertĂŁo e teria duas bases para dar apoio logĂ­stico, uma em Piranhas, Alagoas, e outra em CanindĂŠ de SĂŁo Francisco, Sergipe, alĂŠm de grande aparato de material bĂŠlico. Quatro jĂĄ tinham sido presos no dia 10 de fevereiro passado acusados de oferecer apoio logĂ­stico Ă quadrilha, sĂŁo eles: JosĂŠ Miguel dos Santos, JosĂŠ Vicente da Silva, Maria das Dores Bezerra dos Santos e Leonilda Maria da Conceição. Duas adolescentes tambĂŠm foram apreendidas na operação. O grupo foi detido em residĂŞncias localizadas em Arapiraca com armas e objetos frutos de roubos. Conforme

o delegado Kelman Vieira, o alvo nĂŁo eram os quatro, porĂŠm estes presos foram fundamentais em apontar os demais. No mapa de crimes divulgado pela PolĂ­cia Civil, a quadrilha chegou a atuar mais de uma vez nos seguintes municĂ­pios: quatro em Arapiraca, duas em Palmeira dos Ă?ndios, uma em PĂŁo de Açúcar, uma em Olho Dâ&#x20AC;&#x2122;Ă gua das Flores, uma em Santana do Ipanema, uma em Limoeiro de Anadia. Na operação, a polĂ­cia fez a apreensĂŁo de vĂĄrios veĂ­culos, sĂŁo eles: dois Mitsubishi, um Ford Fusion, um Citroen C4, um Siena, um Astra, um Fiat Strada, um Uno Vivace, alĂŠm de outros que ainda nĂŁo foram indentificados para a imprensa. Com a quadrilha, a polĂ­cia tambĂŠm encontrou quatro pistolas 380, duas pistolas ponto 40, duas pistolas 635, um fuzil 762, uma carabina e vasta munição de diversos calibres, algumas destas

roubadas da Delegacia de PĂŁo de Açúcar. O delegado Kelman Vieira disse ainda que a quadrilha, durante a operação, teria tentado utilizar as esposas como escudo humano. â&#x20AC;&#x2DC;Olho de Burraâ&#x20AC;&#x2122; ostentava luxo com uma moto comprada pela quadrilha no valor de R$ 20 mil, de placa NMI8420. JoĂŁo Paulo era o mais agressivo da quadrilha. Anderson, chefe do grupo criminoso, disse Ă imprensa que se a morte chegar â&#x20AC;&#x153;jĂĄ eraâ&#x20AC;?. Ele confessou ter cometido o assalto na casa da prefeita de Santana, porĂŠm frisou que foi por acaso. O acusado incriminou ainda o taxista JosimĂĄrio Francisco de Farias, dizendo: â&#x20AC;&#x153;Foi ele quem me levou e planejou tudo lĂĄ no sĂ­tio [propriedade de Antonio Albuquerque]. Sou de Sergipe e nĂŁo conheço nada de Alagoas, estou aqui sĂł hĂĄ dois mesesâ&#x20AC;?, finalizou. O taxista se entregou no dia 14 de fevereiro passado. (A.P.O.)


10

CIDADES

MACEIÓ - SÁBADO, 10 DE MARÇO DE 2012

TribunaIndependente

IOM deixa de fazer cirurgia plástica Vigilância Sanitária investiga se houve negligência na hora em que paciente que fazia lipoaspiração teve parada cardíaca ALANA BERTO REPÓRTER

A

pós a morte de Rachel Martins Damasceno, de 46 anos, em consequência de uma parada cardíaca durante uma cirurgia de lipoaspiração, a Vigilância Sanitária de Maceió está investigando se houve negligência do Instituto de Olhos de Maceió (IOM) em relação ao aparato para socorrer a paciente. Após a ocorrência, o Instituto foi notificado e tem o prazo de oito dias para apresentar documentos provando que possui convênio com um hospital que tenha Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), ou UTI móvel. As cirurgias plásticas também foram suspensas por oito dias até a apresentação dos documentos. O diretor da inspetoria de serviço de saúde da Vigilância

Sanitária Municipal, René Gondim, disse que é preciso orientar a população quando alguém for fazer uma cirurgia complexa como esta. “O paciente deve saber se o hospital disponibiliza de UTI, como estão as condições do hospital, se o médico é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica”, frisou. Para Lourival Cézar de Oliveira, presidente da Sociedade Alagoana de Cirurgia Plástica, o médico que realizou a cirurgia, Valter França, possui competência suficiente. “O médico é experiente, cuidadoso e sabe o que faz. Eu acredito que foi uma fatalidade”. O cirurgião ainda diz que o hospital é bem equipado para este tipo de cirurgia. O presidente do Conselho Regional de Medicina em Alagoas (Cremal), Fernando Pedrosa, destacou que fatalidades como esta podem acontecer em

todo procedimento cirúrgico. Ele acrescenta que o IOM tem condições de fazer esse tipo de cirurgia, que é considerada cirurgia de médio porte. A afirmação vai de encontro ao que informou a assessoria na quarta-feira. “Segunda-feira (12) será instaurada uma sindicância, mas pelo que nos foi passado o fato da cirurgia ter sido feita lá não é problema”, colocou. Ele conta que caso o hospital não tenha UTI, precisa ter convênio com um hospital que tenha, além de ter uma UTI móvel. Entretanto a paciente só é transportada se estiver com um quadro clínico estável. “O próprio Samu só faz o transporte assim”, disse. A equipe de reportagem tentou entrar em contado com a diretoria do IOM, mas até o fechamento desta edição ninguém se pronunciou.

SANDRO LIMA

Instituto de Olhos de Maceió tem oito dias para enviar relatório sobre sua estrutura para cirurgias


TribunaIndependente

AĂ?LTON VILLANOVA ailton.villanova@gmail.com

MACEIĂ&#x201C; - SĂ BADO, 10 DE MARĂ&#x2021;O DE 2012

CIDADES

11

Delegado pede socorro ao MP para concluir inquĂŠritos 1RÂ&#x192;'3QHQKXPLQTXpULWRVHPVHUSRUĂ&#x20AC;DJUDQWHIRLFRQFOXtGRHP DANIEL MAIA REPĂ&#x201C;RTER

M

PrisĂŁo que resultou melada

O

riundos do interior do Estado, rapazes muito bons e bastante comportados, Auriolano e Creosvaldo eram estudantes e hĂłspedes da finada PensĂŁo Mona Lisa, situada na famosa esquina da Rua Augusta com a Rua do Macena, pegadinha Ă entĂŁo Delegacia do 1° Distrito de PolĂ­cia da Capital, que hoje serve de sede ao Instituto de Identificação. A dona da pensĂŁo, dona Valfrida, era uma senhora severa, alĂŠm de econĂ´mica ao extremo. LĂĄ, ela imprimia a â&#x20AC;&#x153;Lei do CĂŁoâ&#x20AC;?. Pequeno exemplo: os hĂłspedes, em sua maioria jovens, talqualmente os citados Auriolano e Creosvaldo, sĂł podiam tomar banho atĂŠ as 17 horas, no perĂ­odo de segunda a sexta-feira. Aos sĂĄbados, o asseio corporal limitava-se ao primeiro horĂĄrio. Quem tomou banho, tomou; quem nĂŁo tomou... paciĂŞncia! O galho para a rapaziada do pensionato era quebrado, vez ou outra, pelo investigador Manuel Machado, que era o chefe de expediente do 1° DP. CidadĂŁo de bom coração, ele permitia que os meninos tomassem banho com a ĂĄgua poluĂ­da de um tanque instalado nos fundos da distrital, tanque este que servia para â&#x20AC;&#x153;tirar serviçoâ&#x20AC;? de presos recalcitrantes. Mas, um dia, o delegado titular, Carlomano de GusmĂŁo Miranda, proibiu aquela â&#x20AC;&#x153;mordomiaâ&#x20AC;?: - Machado, nĂŁo quero mais esses meninos tomando banho aqui dentro. Pega mal, vocĂŞ sabe. E o bonĂ­ssimo Machado: - EstĂĄ bem, doutor. Se o senhor quer assim... Ocorre que o policial sempre permitia, na moita, que a rapaziada molhasse o esqueleto ali, principalmente Auriolano e Creosvaldo, que eram como unha e carne, quando este passavam do horĂĄrio estipulado por dona Valfrida, a dona da pensĂŁo. Certo sĂĄbado, depois de um animado bate-bola na antiga Praça da Cadeia, que ficava em frente ao quartel-geral da PolĂ­cia Militar, eles chegaram ao pensionato e encontraram a ĂĄgua impedida de uso. Ă&#x2030; que a torneira que permitia a distribuição do precioso lĂ­quido para o banheiro, privada e pias estava acorrentada. O jeito foi eles apelar para o velho Machado, que aquiesceu, mas com uma recomendação: - VocĂŞs tĂŞm dois minutos pra tomar banho, porque o delegado estĂĄ para chegar! Mal os rapazes tiraram a roupa e se preparavam para cair no banho, eis que Machado correu atĂŠ eles, quase sem fĂ´lego: - O doutor Carlomano chegou! - E o que ĂŠ que a gente faz, seu Machado? â&#x20AC;&#x201C; perguntou um deles, apavorado. Imediatamente o policial deu a solução: - Depressa, entrem aĂ­ no xadrez! Assim que ele for embora eu tiro vocĂŞs. Auriolano e Creosvaldo foram trancafiados no xadrez e ficaram lĂĄ, naquela expectativa. Nesse momento, o delegado surgiu na carceragem e reparou nos dois rapazes. - Quem sĂŁo esses caras, Machado? Para dar mais autenticidade Ă  encenação, o chefe de expediente respondeu: - Ah, doutor, nem queira saber. SĂŁo dois trombadinhas safados. Daqui a pouco eu vou esquentar o couro deles... - E por que nĂŁo agora? - NĂŁo, doutor, deixa pra mais tarde. - Vai ser ĂŠ agora! â&#x20AC;&#x201C; decidiu Carlomano. â&#x20AC;&#x201C; Corra lĂĄ dentro e me traga aquela bimba de boi. Enquanto isso vou tirando eles do xadrez. Os rapazes foram salvos da surra pelo providencial desmaio que sofreram, os dois, ao mesmo tempo, alĂŠm da inesperada caganeira que se abatera sobre eles. Foram liberados horas mais tarde, depois de terem feito uma faxina em regra, no xadrez. Mas de banho tomado.

O ladrĂŁo descalçado &DER309LUJXOLQR%H]HUUD TXHSRQWLÂżFRXQR6HUWmRDODJRDQR OiSHORVLGRVGHHUDXP FDEUDPXLWRYLYRHLQWHOLJHQWH HPERUDDQDOIDEHWR([HUFHQGRD IXQomRGHVXEGHOHJDGRPXQLFLSDO GHSROtFLDXPGLDHOHVHDFKDYD SX[DQGRXPURQFRQDPDFLRWD QDGHOHJDFLDTXDQGRHPERFRXOi RFRPHUFLDQWHFKDPDGR(OHVEmR &RUUHLDGRQRGHXPDORMDGH SURGXWRVYDULDGRV &DER9LUJRIXLURXEDGR $VVDOWDUDPDPLQKDORMDHOHYDUDP XPPRQWHGHPHUFDGRULDVFLJDUURVJDUUDIDVGHFDFKDoDIHLMmR DUUR]IDULQKD 'DQRXVHVHX/HVEmR2V GL]LÂżOL]Âż]pURDIrUDQXPIRL" 4XpGHHOHV" Ă?[LFDER9LUJRFRPRYRX VDEHU"9LPDTXLSUDYRFrPDQGDU SUHQGrORV 3RVVDGH[i1XPpIiFLQmR PDVY{WHQWiSUHQGrORV9DPROi QRORFi )RUDP(VSLDQGRDVFRLVDV DWHQWDPHQWHRVROKRVGRFDER 9LUJXOLQRGDQoDYDPQDVyUELWDV

3HUFRUULDPRORFDOGHFLPDDEDL[R HGHXPODGRDRXWUR'HUHSHQWH DYLVWRXXPSDUGHFKLQHORVQXP FDQWR&RPRQmRHUDPGRGRQR GDORMD9LUJXOLQRUHVROYHXOHYiORV FRPRHYLGrQFLDGRFULPH 0DLVWDUGHQDGHOHJDFLD HOHGDYDWUDWRVjERODTXDQGR OiEDL[DUDPWUrVFDERFORVTXH KDYLDPVLGRGHWLGRVSRUSRSXODUHVSRUFDXVDGHXPDFRQIXVmR TXHKDYLDPSURYRFDGRQD]RQD GRPHUHWUtFLR9LUJXOLQRORJR SHUFHEHXTXHXPGHOHVHVWDYD GHVFDOoR8VDQGRVHXLQVWLQWR PDLVXPDYH]HOHSHJRXRV FKLQHORVHRVGHL[RXQRFKmR EHPSHUWLQKRGHRQGHRVFDEUDV HVWDYDPVHQGRÂżFKDGRV2GHVFDOoDGRFKHJRXPDLVSUDSHUWR GRVFKLQHORVHÂą]LSWPHWHXRV SpVGHQWURGHOHV9LUJXOLQRULX %ULJDGRDYRVPLFrTXLPH DMXG{DGLVFXEUtRDVVDUWRQDORMD GRYpLR/HVEmR7rMHSUHVRGXDV YrLV$SUHPrUDSHODDUWHUDomR TXLGHXQDJDQGDLDGDVTXHQJD $VHJXQGDYRVPLFrMiVDEH TXDOp=

isĂŠria extrema. Ă&#x2030; assim que o MinistĂŠrio PĂşblico Estadual (MPE) define as condiçþes de atuação de vĂĄrias delegacias dos bairros perifĂŠricos de MaceiĂł, apĂłs receber um pedido de socorro do delegado Waldor Coimbra, do 9Âş Distrito Policial, no Jacintinho. Coimbra alega nĂŁo estar conseguindo concluir os inquĂŠritos por conta do volume de crimes. A promotora de Justiça da Promotoria de Controle Externo da Atividade Policial, Karla Padilha, destacou o impasse no 9° DP.

â&#x20AC;&#x153;NĂŁo ĂŠ sĂł a delegacia do Jacintinho que estĂĄ nessa situação. Tem cinco que estĂŁo piores que ela. Todas estĂŁo operando em sistema de penĂşriaâ&#x20AC;?, relatou a promotora, ao exemplificar o 8° DP, do bairro do Benedito Bentes, e o 22° DP, do Vergel do Lago. Em 2012, foram realizadas correiçþes na delegacia do Jacintinho que constataram as condiçþes precĂĄrias de trabalhos: um contingente Ă­nfimo e sobrecarga de inquĂŠritos, que surgem dia apĂłs dia. A escrivĂŁ da delegacia, Geane Alves da Silva, diz extrapolar o expediente de 40 horas semanais para tentar dar conta dos processos.

Ela leva trabalho para casa, todos os dias. â&#x20AC;&#x153;Ă&#x2030; uma sensação de impotĂŞncia. Preciso de mais cinco pessoas pra dar conta disso tudoâ&#x20AC;?, conta. No 9° DP tem inquĂŠritos inconclusos desde 2007, que se somam aos inquĂŠritos de 2012. Este ano, nenhum inquĂŠrito instaurando, sem ser por flagrante, foi finalizado. O Ăşnico inquĂŠrito finalizado em 2012 ĂŠ referente Ă prisĂŁo de Arthur Fonseca, de 21 anos, que assassinou o garçom Genival da Costa Ferreira, de 24, apĂłs uma discussĂŁo no trânsito, ainda em 2011. Por força de expressĂŁo, o delegado Waldor Coim-

bra, chegou a dizer que sĂŁo mais de mil inquĂŠritos inconclusos. â&#x20AC;&#x153;Temos que contar, mas sĂŁo muitos. NĂŁo estamos conseguindo trabalhar. Todo dia chega um, e todo dia outro tem que ser concluĂ­doâ&#x20AC;?, revelou. Karla Padilha, por sua vez, falou das limitaçþes do MinistĂŠrio PĂşblico e atribuiu as providĂŞncias ao Poder Executivo, por tambĂŠm reconhecer as limitaçþes dos poderes da direção da Delegacia Geral da PolĂ­cia Civil. â&#x20AC;&#x153;Por mais que nĂłs tenhamos essa noção, essa situação sĂł deve ser amenizada com concurso pĂşblicoâ&#x20AC;?, comentou.

ESTRUTURA

ComissĂŁo farĂĄ vistoria em prĂŠdios histĂłricos de MaceiĂł ASSESSORIA

SMCCU YDLFRRUGHQDULQVSHomRHPSUpGLRVFRPHVWUXWXUDPDLVIUiJLO

A Superintendência Municipal de Controle do Convívio Urbano (SMCCU) e outros órgãos de fiscalização de edificaçþes irão vistoriar na próxima semana a estrutura de prÊdios antigos existentes em Maceió, que podem oferecer risco à população, em caso de desabamento. A Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento (Sempla) apresentou as condiçþes de edifícios que fazem parte do patrimônio histórico do município, como os localizados no centro da cidade. Uma comissão multidisciplinar composta pela SMCCU, Defesa Civil, Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) e Corpo de Bombeiros irå avaliar a situação dos prÊdios e averiguar a condição de risco oferecida aos que o ocupam, como tambÊm para as construçþes vizinhas. A comissão contarå com o apoio da Sempla, que vai elencar os primeiros edifícios a serem vistoriados. Lei Para avaliar as condiçþes dos prÊdios de Maceió,

mas, nesse caso, independente da idade do imĂłvel, a Câmara Municipal de MaceiĂł realizou ontem de manhĂŁ uma audiĂŞncia pĂşblica sobre a lei que obriga a realização de inspeçþes em edificaçþes pĂşblicas e privadas no municĂ­pio. â&#x20AC;&#x153;Nossa cidade estĂĄ localizada em uma regiĂŁo praiana, entĂŁo os prĂŠdios sofrem bastante agressĂľes devido Ă salinidade. Temos imĂłveis que tiveram suas funçþes descaracterizadas e hoje comportam um nĂşmero de mobĂ­lia e pessoas maior do que o previsto quando foi construĂ­do. Todas as particularidades devem ser levadas em consideraçãoâ&#x20AC;?, explicou o superintendente do Crea, Jackson Cabral. Cabral relatou que diariamente o Conselho tem recebido uma mĂŠdia de dez ligaçþes solicitando vistorias em edifĂ­cios da capital, situação motivada pela tragĂŠdia ocorrida no centro do Rio de Janeiro no mĂŞs de fevereiro deste ano. O debate na Câmara Municipal de MaceiĂł continua atĂŠ a criação do projeto de lei. DIVULGAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

NO INTERIOR

Correios tĂŞm a 20ÂŞ agĂŞncia atacada por bandidos este ano DAVI SALSA REPĂ&#x201C;RTER

Mais uma agĂŞncia dos Correios foi assaltada em Alagoas. Esta ĂŠ a 20ÂŞ ocorrĂŞncia policial envolvendo a empresa este ano, sendo que 17 foram assaltos e trĂŞs arrombamentos. No inĂ­cio da tarde de ontem, um homem armado invadiu a agĂŞncia da cidade de Major Isidoro, a 180 quilĂ´metros de MaceiĂł. O homem chegou a pĂŠ ao local, entrou no estabeleci-

mento e anunciou o assalto. Ele obrigou um dos funcionĂĄrios a abrir os caixas. Em seguida, o bandido trancou o funcionĂĄrio dentro do banheiro, pegou todo o dinheiro e fugiu. A polĂ­cia foi acionada e realizou buscas para prender o assaltante, mas ninguĂŠm foi encontrado. Os policiais acreditam que ele deve ter agido com o apoio de um comparsa que estava do lado de fora da agĂŞncia. O valor levado no assalto nĂŁo foi divulgado.

Das 20 ocorrĂŞnciasHVWHDQRIRUDPDVVDOWRVHDUURPEDPHQWRV

REDE PĂ&#x161;BLICA ESTADUAL

Início do ano letivo Ê adiado para 19 de março A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEE) anunciou ontem que o início do ano letivo 2012 nas escolas da rede pública estadual serå no dia 19 de março. Inicialmente prevista para o dia 12, a volta às aulas foi postergada em virtude da paralisação nacional da Educação, que serå nos dias 14, 15 e 16. Uma por-

taria com o novo calendĂĄrio letivo serĂĄ publicada no DiĂĄrio Oficial do Estado da prĂłxima segunda-feira (12). A mudança ocorre com o objetivo de evitar prejuĂ­zos e desmotivação dos alunos da rede pĂşblica estadual. â&#x20AC;&#x153;Tomamos esta decisĂŁo apĂłs ouvir a comunidade escolar e como esta paralisação nacional jĂĄ estava prevista nĂŁo era viĂĄvel as

escolas começarem as aulas na segunda e pararem na quarta, quinta e sexta. Por isso, para evitar interrupçþes e para nĂŁo desmotivar nossos alunos, iniciaremos no dia 19, cumprindo rigorosamente os 200 dias letivos exigidos por lei. O nosso estudante nĂŁo serĂĄ prejudicadoâ&#x20AC;?, assegura o secretĂĄrio de Estado da Educação e do Esporte, Adriano So-

ares. Paralelamente, Soares tambĂŠm garante que as reformas emergenciais em 163 escolas terĂŁo seu ritmo intensificado. â&#x20AC;&#x153;Pedimos celeridade Ă s construtoras e nossa meta ĂŠ que jĂĄ no dia 19 algumas unidades de ensino estejam prontas para receber a comunidade escolar no inĂ­cio das aulasâ&#x20AC;?, informa o secretĂĄrio.


12

CIDADES

TribunaIndependente

MACEIĂ&#x201C; - SĂ BADO, 10 DE MARĂ&#x2021;O DE 2012

AgresteemFoco

JOĂ&#x192;O MOUSINHO â&#x20AC;&#x201C; joao_mousinho@hotmail.com (Interino)

Inauguração em Porto Real

A

prefeita de Porto Real do ColĂŠgio, Maria Rita Bonfim, inaugurou, na Ăşltima semana, o Centro de SaĂşde Maria Laura Otto Kummer Souza, localizado na Avenida Moacir Andrade, 505, no Centro, que vai auxiliar na saĂşde pĂşblica municipal milhares de pessoas. A chefe do Executivo local fez questĂŁo de frisar, durante a inauguração, a importância que um espaço de saĂşde moderno serve para assegurar a qualidade do atendimento mĂŠdico da população. Na inauguração, Tereza Paula, que ĂŠ filha da enfermeira que leva o nome do Centro de SaĂşde, se emocionou ao falar da trajetĂłria brilhante de sua mĂŁe, Maria Otto, em mais de 30 anos de serviços prestados Ă população local. Outro que destacou a bela homenagem feita a Maria Otto foi o secretĂĄrio de Estado de SaĂşde, Alexandre Toledo, que disse: â&#x20AC;&#x153;fazer saĂşde nĂŁo ĂŠ apenas dedicação, ĂŠ sacerdĂłcio. Maria Laura foi vocacionadaâ&#x20AC;?. A prefeita de Porto Real do ColĂŠgio, Maria Rita Bonfim, ressaltou que se sentiu satisfeita com a inauguração do Centro de SaĂşde e acrescentou: â&#x20AC;&#x153;muitas pessoas deverĂŁo ser assistidas no Centro de SaĂşde Maria Otto. Isso ĂŠ um avanço para o municĂ­pio e para as regiĂľes circunvizinhas que precisarem do atendimento qualificadoâ&#x20AC;?. O secretĂĄrio de SaĂşde de Porto Real, JosuĂŠ Marques dos Santos, contou que a obra ĂŠ um marco na histĂłria da cidade e um grande avanço social para o municĂ­pio. â&#x20AC;&#x153;O Centro MĂŠdico irĂĄ fazer exames de ultrassonografia, ginecologia, oftalmologia, exames do coração, dentre outras especialidadesâ&#x20AC;?, destacou Marques. Com equipes do Programa SaĂşde da FamĂ­lia (PSF) e especialidades, o Centro de SaĂşde Maria Otto tambĂŠm funciona como pronto atendimento no perĂ­odo noturno e nos fins de semana. A estrutura dispĂľe de ambulatĂłrio, salas de consultĂłrio mĂŠdico, de enfermagem, de nebulização, de esterilização, de leitos e de preparo para primeiro atendimento. A marcação de exames e consultas funciona por meio do Sistema de Regulação (SisReg).

Sem-terra fazem passeata pelas ruas de MaceiĂł Trabalhadores andaram ontem do bairro do Farol atĂŠ o Centro da cidade MILTON RODRIGUES REPĂ&#x201C;RTER

I

ntegrantes do Movimento Sem Terra (MST) realizaram passeata pela Avenida Fernandes Lima, no Farol, ontem de manhã. A caminhada faz parte da Jornada Nacional de Luta das Mulheres Sem Terra. Os 1.200 assentados foram atÊ o Centro de Maceió, onde participaram de audiências com o Governo do Estado e com o Instituto de Colonização e Reforma Agråria (Incra). Durante a manifestação, o trânsito na avenida ficou muito lento. De acordo com a assessoria do MST, os assentados ficarão acampados

em praças na parte baixa da cidade. Os integrantes do movimento pretendem discutir os problemas do campo, envolvendo a desapropriação de terras. â&#x20AC;&#x153;NĂłs, mulheres do campo, estamos ocupando esses espaços na cidade para mostrar nossas pautas Ă sociedade e fazer cobrança e pressĂŁo Ă s instâncias devidasâ&#x20AC;?, afirmou Tarciana Ribeiro, da Direção Nacional do MST. As lideranças camponesas exigem do poder pĂşblico a realização da Reforma AgrĂĄria em Alagoas e cobram a legalização das terras do Produban para fins de assentamento. Os protes-

tos em Alagoas sĂŁo acompanhados em todo o Brasil. SEMANA DE AĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES Na quinta-feira (8), Dia da Mulher, as famĂ­lias do MST ocuparam o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais RenovĂĄveis (Ibama). O sem-terra cobram agilidade nas licenças ambientais para consolidação de assentamentos e a recuperação de passivos ambientais herdados do agronegĂłcio. ApĂłs a ocupação do Ibama, o contingente de trabalhadores rurais se deslocou atĂŠ a Eletrobras Distribuição Alagoas, onde uma comissĂŁo de mulheres foi recebida pela presidĂŞncia, setor de operaçþes e tĂŠcnicos ASSESSORIA

Modernização

Desenvolvimento

O vice-governador JosÊ Thomaz Nonô recebeu ontem, 9/3, os ministros dos Transportes e do Planejamento e Orçamento, Paulo SÊrgio Passos e Miriam Belchior. O encontro aconteceu em Novo Lino, onde os ministros e Nonô visitaram obras da duplicação da BR-101. Em Alagoas, as obras de duplicação estão orçadas em R$ 1,3 bi, com recursos garantidos pelo Governo Federal, atravÊs do Programa de Aceleração do Crescimento 3$& $VREUDVGHYHPEHQH¿FLDUSULQFLSDOmente, os municípios de Messias, Maceió, São Miguel dos Campos e Teotônio Vilela.

A sempre competente assessora de comunicação da FecomÊrcio, Fabiana Barros, informou que a instituição irå apresentar no dia 14/3 novas oportunidades de negócios para o comÊrcio alagoano. O local do encontro serå no Senac, no bairro do Poço, em Maceió. Para maiores informaçþes: (82) 9607-5150.

MĂĄ gestĂŁo O deputado Ronaldo Medeiros (PT) teceu crĂ­ticas Ă atual gestĂŁo da Eletrobras em Alagoas. De acordo com o petista, as falhas recorrentes no fornecimento de energia estĂŁo penalizando os alagoanos, que acabam WHQGRVpULRVSUHMXt]RVÂżQDQFHLURVHSDUDSLRUDUDVLWXDomRGRVFRQVXPLdores a burocracia ĂŠ terrĂ­vel para conseguir o ressarcimento referente DREHPSHUGLGRRXGDQLÂżFDGRLVVRTXDQGRUHFHEHP â&#x20AC;&#x153;A diretoria da Eletrobras em Alagoas vem tomando medidas arbitrĂĄrias. 3DUDVHWHUXPDLGHLDXPGRVGLULJHQWHVGDHVWDWDORUGHQRXTXHQRVÂżQV de semana nenhum servidor da empresa atenda as emergĂŞncias e para isso serĂĄ chamada uma empresa terceirizada. Mas o que ĂŠ isso? O que essa gestĂŁo estĂĄ querendo provar?â&#x20AC;?, indagou Medeiros. Ainda segundo o deputado, hoje, mais de 600 concursados aguardam nomeação e atualmente a empresa possui cerca de 1.000 terceirizados.

FESTIVAL

Bandas nacional e internacional vĂŁo a Arapiraca DAVI SALSA REPĂ&#x201C;RTER

Vencimento dos jornalistas 26LQGLFDWRGRV-RUQDOLVWDV3UR¿VVLRQDLVGR(VWDGRGH$ODJRDVFRQYRFD todos os jornalistas da sua base territorial para uma assembleia geral que serå realizada no dia 12 de março, segunda-feira, na sede da entidade, situada à Rua Sargento Jaime Pantaleão, 370, Prado, em Maceió, para deliberar sobre a pauta salarial da categoria. A assembleia serå realizada às 19h30, em primeira convocação, ou às 20h00, em segunda convocação.

e gestores ligados ao Programa Luz para Todos. A Eletrobras se comprometeu em promover melhorias na distribuição de eletricidade para os assentamentos do MST em Alagoas. Os sem-terra pretendem ficar acampados em Maceió durante boa parte do mês de março. Eles irão realizar uma sÊrie de reivindicaçþes e cobranças, inclusive para tentar marcar reuniþes com os órgãos envolvidos na reforma agråria, para agilizar a liberação de åreas para assentamento, a implantação de energia e ågua, melhoramentos em estradas e outras questþes. (Com assessoria)

Lago da Perucaba serĂĄ palco da festa, assim como ano passado, quando recebeu mais de 50 mil em uma noite

MINISTĂ&#x2030;RIO PĂ&#x161;BLICO

Quatro municĂ­pios assinam TAC para erradicar trabalho infantil Piranhas, JacarĂŠ dos Homens, Maravilha e Olho dâ&#x20AC;&#x2122;Ă gua Grande entraram para a lista de municĂ­pios que se comprometeram com o MinistĂŠrio PĂşblico do Trabalho (MPT) a fazer diagnĂłstico sobre crianças e adolescentes que exerçam algum tipo de trabalho, remunerado ou nĂŁo. Os Termos de Ajustamento de Conduta (TAC), que firmam o acordo, buscam principalmente dados sobre os menores de idade que estejam em situação de risco, como no caso de trabalho em matadouros ou em lixĂľes municipais, que sejam vĂ­timas de exploração sexual e as que fazem uso

de entorpecentes. Os dados para abastecer o diagnĂłstico sĂŁo, dentre outros, a idade, a filiação, e a atividade que exerce, e se frequenta a escola. O MPT deu prazo para a entrega desses documentos e exigiu o resgate imediato dos menores que estiverem trabalhando em matadouros, lixĂľes, feiras livres ou no comĂŠrcio da zona urbana, como ambulantes, na agricultura ou na pecuĂĄria â&#x20AC;&#x201C; alĂŠm, ĂŠ claro, de menores que estejam sendo explorados sexualmente e os que usem drogas. Uma das medidas imediatas, que funcionam como contrapartida, ĂŠ a inserção delas em pro-

gramas como o Pró-Jovem, o Bolsa Família e o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), bem como garantir a matrícula em escolas que adotem a dupla jornada, ou seja, que alÊm das aulas oferecem atividades esportivas e lúdicas para a ocupação dos estudantes. Os TACs, que foram elaborados pelo procurador do Trabalho, Alexandre Magno, tambÊm preveem a criação de mÊtodos para arrecadar fundos que sustentem esse compromisso. Os termos exigem tambÊm que os lixþes municipais tenham vigilância permanente, impedindo a entrada de menores no local. SANDRO LIMA

Crianças que trabalham em comÊrcio na zona urbana estão entre as que devem ser resgatadas

Arapiraca (Sucursal) - A terceira edição do festival Viva Arapiraca terĂĄ como atraçþes, a partir do dia 29 deste mĂŞs, no Lago da Perucaba, a banda de renome nacional Jota Quest e a banda internacional Double You, que tem uma trajetĂłria com mais de 20 anos de sucesso em todo o planeta. A iniciativa ĂŠ da Prefeitura de Arapiraca, por meio da Secretaria de Comunicação, com a parceria de empresas locais. Segundo o secretĂĄrio Yale Fernandes, o principal objetivo do festival ĂŠ integrar toda a população arapiraquense e do Agreste em um sĂł pensamento: fortalecer o lazer, a cultura e celebrar o desenvolvimento do municĂ­pio. Ele adiantou que o Viva Arapiraca tambĂŠm terĂĄ uma programação cultural e social. O mega evento irĂĄ acontecer entre os dias 29 de março e dia 1Âş de abril. O palco da festa serĂĄ o Lago da Perucaba - um dos mais belos cartĂľes-postais de Alagoas. Na primeira edição do festival a banda Capital Inicial e outras atraçþes levaram mais de 40 mil pessoas ao local. Ano passado, a banda Skank animou mais de 50 mil pessoas, que cantaram e dançaram ao som de sucessos do grupo musical. Yale Fernandes disse que a programação ainda nĂŁo estĂĄ completamente fechada. â&#x20AC;&#x153;Outra banda famosa poderĂĄ ser incluĂ­da na festa, alĂŠm da valorização de bandas locais alagoanas que irĂŁo se apresentar no Lago da Perucabaâ&#x20AC;?, acrescentou Yale Fernandes. O Ăşltimo dia do festival Viva Arapiraca começa mais cedo, no domingo, dia 1Âş/4, a partir das 16 horas, com uma programação religiosa e show musical com bandas ligadas aos movimentos sociais da Igreja CatĂłlica


TribunaIndependente

MACEIĂ&#x201C; - SĂ BADO, 10 DE MARĂ&#x2021;O DE 2012

Economia DIVULGAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

ECONOMIA

13

Agricultores podem vender para alimentação escolar em Mata Grande Os agricultores interessados em fornecer produtos para a merenda das escolas de Mata Grande, no Sertão de Alagoas, têm atÊ o dia 13 de março para entregar o Projeto de Venda e a documentação para habilitação. A entrega deve ser feita na sede da Secretaria Municipal de Educação, na Rua Ubaldo Malta, no Centro da cidade. De acordo com a chamada pública, a prefeitura pretende adquirir 38 tipos de produtos, a maioria deles in natura, no período que vai de 19 de março a 30 de junho de 2012. Para participar, os agricultores devem possuir a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), documento emitido nos escritórios da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrårio (Seagri). Os grupos formais, como associaçþes e cooperativas, tambÊm podem participar e, para isso, devem ter a DAP jurídica.

Retroescavadeiras chegam a 31 municĂ­pios alagoanos

Måquinas serão para recuperação e construção de estradas viscinais

O

Estradas servem para escoar produção e promover desenvolvimento

MinistÊrio do Desenvolvimento Agrårio (MDA) entrega nesta terça-feira (13), em Maceió, retroescavadeiras a 31 municípios alagoanos. As måquinas serão usadas na recuperação e construção de estradas vicinais, melhorando as condiçþes de escoamento da produção dos empreendimentos da agricultura familiar e a circulação dos moradores e de bens e serviços no meio rural. A cerimônia serå reali-

zada Ă s 10h30, no Centro de Convençþes de MaceiĂł, e contarĂĄ com a presença do ministro Afonso Florence e do governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho. A ação integra a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). AtĂŠ junho, o governo federal doarĂĄ 1.275 retroescavadeiras e 12 motoniveladoras para 1.299 municĂ­pios de atĂŠ 50 mil habitantes. O investimento total chega a R$ 211,8 milhĂľes. $ PHGLGD GHYHUi EHQHĂ&#x20AC;-

ciar os cerca de 112 mil estabelecimentos de agricultores familiares do Estado. â&#x20AC;&#x153;Os municĂ­pios gastam muito com o aluguel dessas mĂĄquinas. AlĂŠm de serem usadas para abrir e recuperar estradas vicinais, por onde escoa a produção da agricultura familiar, elas serĂŁo Ăşteis para a construção de açudes e barragens neste momento em que enfrentamos problemas de falta de ĂĄgua por causa da secaâ&#x20AC;? explica o delegado federal do MDA em Alagoas,

Gilberto Coutinho Freire. A seleção dos municĂ­pios EHQHĂ&#x20AC;FLDGRV VHJXLX D PHWRdologia utilizada pelo PAC. Entre os critĂŠrios estĂĄ, por exemplo, pertencer ao programa TerritĂłrios da Cidadania, ter maior participação do Produto Interno Bruto (PIB) agrĂ­cola no PIB total do municĂ­pio, possuir maior extensĂŁo territorial e maior presença de agricultores familiares em relação ao total dos produtores rurais registrados no municĂ­pio. DIVULGAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

DIĂ RIO OFICIAL

Divulgada licitação de transporte intermunicipal

toledo10

2'LiULR2Ă&#x20AC;FLDOGR(VWDGR de ontem trouxe a lista completa dos concorrentes classiĂ&#x20AC;FDGRVQDSULPHLUD/LFLWDomR do Transporte RodoviĂĄrio Intermunicipal Complementar de Passageiros. A clasVLĂ&#x20AC;FDomR IRL SXEOLFDGD SHOD &RPLVVmR0LVWDGH/LFLWDomR da AgĂŞncia de Modernização da GestĂŁo de Processos (Amgesp) e tambĂŠm pode ser conferida na pĂĄgina eletrĂ´nica da AgĂŞncia Reguladora de Serviços PĂşblicos do Estado de Alagoas (Arsal): www.arsal.al.gov.br. Os participantes que nĂŁo IRUDP FODVVLĂ&#x20AC;FDGRV WrP DWp a prĂłxima sexta-feira, 16 de março, para ingressar com recursos junto Ă Amgesp, que Ă&#x20AC;FDQD5XD0DQRHO0DLD1Rbre, 281, no bairro do Farol.

Somente apĂłs a anĂĄlise dos recursos, serĂĄ publicado o reVXOWDGRĂ&#x20AC;QDOGRFHUWDPH â&#x20AC;&#x153;Ă&#x2030; importante que os participantes que foram desclasVLĂ&#x20AC;FDGRV VDLEDP TXH DLQGD Ki FKDQFHV GH FODVVLĂ&#x20AC;FDomR QRUHVXOWDGRĂ&#x20AC;QDOGHVGHTXH o recurso apresentado em tempo hĂĄbil seja aprovadoâ&#x20AC;?, alertou o presidente da Arsal, A licitação ofereceu 1.363 vagas, distribuĂ­das em 167 linhas em todo o Estado. Uma nova licitação serĂĄ aberta apenas para as linhas que nĂŁo foram preenchidas, onde qualquer interessado pode concorrer. Para maiores informaçþes ligue 08002840429 (Ouvidoria Arsal) ou 3315-3477 e 3315-3092 (Amgesp). Foram oferecidas 1.363 vagas, distribuĂ­das em 167 linhas no Estado

COMPRAS

Brasileiro usa cartão e paga 70% sem juros O Brasil tem os maiores juros do mundo no cartão de crÊdito, mas poucos clientes pagam essas taxas --81% das transaçþes são consideradas à vista e 70% das compras parceladas são sem o pagamento de juros. Os dados fazem parte de esWXGRGDFRQVXOWRULDEULWkQLFD/Dfferty, que aponta o Brasil como um dos poucos países no mundo em que o cartão de crÊdito Ê mais

utilizado como um meio de pagaPHQWR GR TXH GH Ă&#x20AC;QDQFLDPHQWR do consumo. Com os juros do cartĂŁo batendo 238,3% ao ano, segundo a Anefac, sĂł 29% do valor das faturas nĂŁo sĂŁo pagas no vencimento e acabam submetidas as taxas do crĂŠdito rotativo. Isso faz do brasileiro um dos consumidores menos penduraGRV QR FDUWmR GH FUpGLWR 1RV

EUA, cartĂŁo de crĂŠdito ĂŠ praticamente sinĂ´nimo de rotativo. 1R0p[LFRRURWDWLYRFKHJRX a 84% das faturas durante a crise de 2009 e caiu para 73% em 2011. Internet Os ministros de Comunicação dos membros da Unasul 8QLmR GH 1Do}HV 6XO$PHULFDQDV GHYHPUDWLĂ&#x20AC;FDUHPUHXQLmR em Assunção, no Paraguai, o pla-

no de trabalho para integrar as redes de banda larga da internet entre os vizinhos, por meio de um anel Ăłptico . (PFRQMXQWRFRPR3ODQR1DFLRQDOGH%DQGD/DUJDRDQHOyStico â&#x20AC;&#x153;aumentarĂĄ a capacidade e baratearĂĄ o custo das conexĂľesâ&#x20AC;?, DĂ&#x20AC;UPRX D SUHVLGHQWH 'LOPD Rousseff, na abertura da feira de tecnologia CeBIT, em Hannover, na Alemanha.

Acesse: tribunahoje.com A informação que você não tinha no seu dia-a-dia


14

ECONOMIA

TribunaIndependente

MACEIÓ - SÁBADO, 10 DE MARÇO DE 2012

HWMRUQDOLVWD#JPDLOFRP

0DWUL]GR&DPDUDJLEHRLPEUyJOLR SROtWLFR

O

H[SUHIHLWR0DUTXLQKRV JDUDQWHTXHpFDQGLGDWR FRPRDSRLRGRVHQDGRU 5HQDQ&DOKHLURV5HVWDVDEHUVH 0DUTXLQKRVYDLWHUFRQGLomRGH HQWUDUQRSiUHRGHSRLVGDDSURYDomRGD/HLGD)LFKD/LPSD XPDYH]TXHHOHFRQÀJXUDHQWUH RVSUHIHLWRVGHWLGRVSHOD3ROLFLD)HGHUDOQDTXHOD2SHUDomR *XDELUXRFRUULGDKiSRXFRPDLV GHVHWHDQRV-iRH[SUHIHLWR :DVKLQJWRQ0RXUDWHQWDUiFKHJDUPDLVXPDYH]jSUHIHLWXUD(OH WDPEpPWHPEURQFDQD-XVWLoDWDQWRTXHQDHOHLomRSDVVDGDIRL HOHLWRFRPFHUFDGHPLOYRWRVGHGLIHUHQoDPDVTXHQmRDVVXPLX SRUTXHWHYHDVXDFDQGLGDWXUDLPSXJQDGDSHOR75($/(FRPR VHQmREDVWDVVHOiHP0DWUL]LQVHJXUDHVHPYRFDomRSROtWLFDD SUHIHLWDDoda CavalcanteQmRYDLSDUDDUHHOHLomRHVHXHVSRVR HSUHIHLWRGH6mR/XtVRKRPHPTXHWDPEpPFRRUGHQDDDGPLQLVWUDomRPXQLFLSDO&tFHUR&DYDOFDQWHYDLDSRLDURHPSUHViULR/XL]LQKRGR3RVWR2XWURFDQGLGDWRTXHHVWiQRSiUHRp'DQLHO/RER HVVHFRPRDYDOGH$OEHUWR6H[WDIHLUDKRMHVHFUHWiULRGHHVWDGR

Cajueiro

Jaramataia

2VHFUHWiULRGH(GXFDomRGRPXQLFtSLR -RUJH&DYDOFDQWHGHL[DRFRPDQGRGD SDVWDQR¿QDOGHVWHPrV(OHSRUVLQDOp YLFHSUHVLGHQWHGD8QGLPH$/ 8QLmRGRV 'LULJHQWHV0XQLFLSDLVGD(GXFDomR 6HX DIDVWDPHQWRpSRUFRQWDGDHOHLomRGHVWH DQRRQGHRVHFUHWiULRHVWiVHQGRHVFDODGR SHORSUHIHLWR3DOPHU\1HWRSDUDGLVSXWDUD SUHIHLWXUD

$SRSXODomRMiQmRWHP PDLVFRPTXHPUHFODPDU VREUHRVpULRSUREOHPD GDIDOWDG¶iJXDQDVWRUQHLUDV3DUWHGDSRSXODomRSULQFLSDOPHQWHGD ]RQDUXUDOMiHVWiVHQGR VHUYLGDKiXPERPWHPSR SRUPHLRGHFDUURSLSD 2SUHIHLWR-RmR3LQKHLUR DWULEXLWRGRRSUREOHPDj Senador Rui Palmeira &DVDO'LVVHTXHpXPD HPSUHVDTXHQmRWHP 3UHIHLWR6LORp0RXUDMiDYLVRXTXHXPVREULQKR UHVSHLWRFRPDSRSXODomR pTXHPYDLGLVSXWDUHPVHXQRPHRWURQRGD HTXHQmRWHPDPHQRU SUHIHLWXUDHVWHDQReRMRYHP-RmR]LQKRTXH SDVVRXXPDORQJDWHPSRUDGDHP6mR3DXORHTXH HVWUXWXUDSDUDGDUVXSRUWH UHWRUQRXDRVHUWmRDODJRDQRKiFHUFDGHWUrVDQRV QRDEDVWHFLPHQWRSHOR VHUWmRGRHVWDGR SDUDVHSUHSDUDUSDUDDVVXPLUDPLVVmRGRWLR

Barra de Santo Antônio -RmR&RUGHLURDTXHOHTXHMiIRLSUHIHLWRGH6mR/XtVGR4XLWXQGH 5RJpULR)DULDVTXHMiIRLSUHIHLWRGDSUySULD%DUUDHWDPEpPGH3RUWR GH3HGUDVVmRRVSURYiYHLVDGYHUViULRVGDSUHIHLWD&LoRXHVWHDQRQD GLVSXWDSHODSUHIHLWXUD

Japaratinga %DUWRORPHX)LOKRR%DUW{YHPFRVWXUDQGRDSRLRSROtWLFRSRUWRGRR(VWDGRSDUDFRQFRUUHUHVWHDQRjSUHIHLWXUD(OHpLQWHJUDQWHGR336FXMD PLVVmRQDHOHLomRSDVVDGDIRLRGHFRRUGHQDURVWUDEDOKRVGHFDPSDQKD GRJRYHUQDGRU7pR9LOHODQD5HJLmR1RUWH$JXDUGDFRPDQVLHGDGHXP DSRLRLQWHJUDOGRSDUWLGRHGH7pR9LOHODSDUDODQoDUVHXQRPHjGLVSXWD PXQLFLSDO

Olho d’Água das Flores

4XDQWRjHOHLomRGHVWHDQRRSUHIHLWR&DUORV$QGUpUR1HPDLQGDQmR EDWHXR¿FLDOPHQWHRPDUWHORSDUDODQoDUVHXVXFHVVRU'LVVHTXHWHP YiULRVSUHWHQGHQWHVPDVSUHIHUHLQYHVWLUQDTXHOHHPTXHDRSLQLmR S~EOLFDVHMDIDYRUiYHO

Pilar

Chã Preta

2H[GHSXWDGRIHGHUDO&DUORV $OEHUWR&DQXWRTXHGHVSRQWDVHJXQGRXPDSHVTXLVDGR&DGDPLQXR FRPRIDYRULWRSDUDDVHOHLo}HV SUy[LPDVFRQWLQXDUHIRUoDQGR VHXEORFRFRPOLGHUDQoDVORFDLV DOpPGHSROtWLFRVGHSHVRHP $ODJRDV(OHWHQWDUiXPWHUFHLUR PDQGDWRFRPRSUHIHLWRQDWHUUD GREDJUHDRQGHDJRUDFKHJDFRP DH[SHULrQFLDTXHSDVVRXFRPR GHSXWDGRHP%UDVtOLDDRORQJRGH RLWRDQRVGHDWXDomR

2YHWHUDQR$XGiOLR+RODQGDHVWi PDLVHPSROJDGRGRTXHQXQFD SDUDUHWRUQDUDRFRPDQGRGDSUHIHLWXUD6XDFDPSDQKDYHPVHQGR PRYLGDSHORRWLPLVPRGHVHXV DOLDGRVTXHWrPXQLGRIRUoDVSDUD TXHDSUHIHLWD5LWD7HQyULRQmRVH UHHOHMD(QWUHRVDOLDGRVGHVHX $XGiOLRFRQ¿JXUDRQRPHGR¿OKR 0DXUtFLRTXHQDHOHLomRSDVVDGD FKHJRXDGLVSXWDUDSUHIHLWXUDGR YL]LQKRPXQLFtSLRGH6DQWDQDGR 0XQGD~PDVTXHQmRORJURXr[LWR

Viçosa 5HHOHLomRFRPVHJXUDQoDpDIUDVHTXHUHLQDQRGLDDGLDGRSUHIHLWR )ODXEHU)LOKR*DUDQWHTXHRYLoRVHQVHYHPUHFRQKHFHQGRVHXWUDEDOKR DRORQJRGHVVHVSRXFRPDLVGHWUrVDQRVGHJRYHUQRFXMDUHWULEXLomR VHUiGDGDQDVXUQDV2¿FLDOPHQWHQmRWHPQDGDFRQFUHWRTXDQWRjYROWD GRH[SUHIHLWR3HUL%UDQGmRSDUDHQWUDUFRPRDGYHUViULRGH)ODXEHU QHVVDVHOHLo}HVDSHVDUGDVHVSHFXODo}HV

São Luís 2SUHIHLWRHOHLWRHDIDVWDGRGRSRGHUHPPHQRVGHPHVHV-HDQ &RUGHLURDLQGDVRQKDHPUHWRUQDUDFRPDQGDUDSUHIHLWXUDQHVWHUHVWLQKR GHJHVWmR5HYHODTXHIRLYLWLPDGHXPDDUPDomRDUTXLWHWDGDSHOR DWXDOFRPDQGDQWHGDSUHIHLWXUD&tFHUR&DYDOFDQWHHTXHD-XVWLoD HP$ODJRDVFDLXQDRQGDUD]mRGHVHXDIDVWDPHQWR(OHDLQGDWHP HVSHUDQoDGHXPDGHFLVmRGH%UDVtOLDTXDQGRVHXFDVRVHUiMXOJDGRQD FRUWHPDLRUGD-XVWLoD(OHLWRUDO2FXULRVRpTXHQHVVHVWUrVDQRVHWUrV PHVHVDSUHIHLWXUDGH6mR/XtVMiIRLDGPLQLVWUDGDSRU-HDQ&RUGHLUR &tFHUR&DYDOFDQWH-~QLRU3HGURHGHSRLVPDLVXPD YH]&tFHUR&DYDOFDQWH

,%*(LQÁDomRRÀFLDO GHVDFHOHUDHPIHYHUHLUR

3ULQFLSDLVLQÀXrQFLDVQR3DtVIRUDPYDULDo}HVGHDOLPHQWRVHWUDQVSRUWHV

A

DIVULGAÇÃO

LQÁDomR FDOFXODGD SHOR ÌQGLFH GH 3UHoRV DR &RQVXPLGRU $PSOR ,3&$  GHVDFHOHURX SDUD HPIHYHUHLURDSyVVXELU  QR PrV DQWHULRU VHJXQGR GDGRV GLYXOJDGRV QHVWDVH[WDIHLUD  SHOR,QVWLWXWR %UDVLOHLUR GH *HRJUDÀD H (VWDWtVWLFD ,%*(  $ WD[DpDPHQRUSDUDRPrVGH IHYHUHLURGHVGHTXDQGR R,3&$ÀFDUDHP 1R PHVPR SHUtRGR GH RLQGLFDGRUKDYLDÀFDGRHP(PPHVHV R tQGLFH WDPEpP FRQKHFLGR FRPRLQÁDomRRÀFLDODFXPXODDOWDGH 4XDQGR GD GLYXOJDomR GRV GDGRV SHOD PDQKm R ,%*( LQIRUPDUD TXH D DOWD DFXPXODGD GR ,3&$ HP  PHVHVHUDGH1RÀQDO Preços de alimentos LQÀXHQFLDUDPYDULDo}HVTXHPDUFDUDPUHVXOWDGRGDLQÀDomRPRPrVSDVVDGR GDWDUGHRGDGRIRLDOWHUDGR 1D FRQWUDPmR R JUXSR SDUD SDUD  $ UHSRUWDJHP SDUWLX GDV SDVVDJHQV DpUHDV FXMD YDULDomR GH SUH- HGXFDomRDSUHVHQWRXJUDQGH INPC IRLFRUULJLGDjVK

2ÌQGLFH1DFLRQDOGH3UH$V SULQFLSDLV LQÁXrQFLDV oRV SDVVRX GH  SDUD DXPHQWRGHSUHoRVFRPYDSDUD R UHVXOWDGR GH IHYHUHL- ²7DPEpPH[HUFHUDP ULDomR GH  HP MDQHLUR oRV DR &RQVXPLGRU  ,13&  UR SDUWLUDP GDV YDULDo}HV LQÁXrQFLD RV SUHoRV GH {QL- SDUD  HP IHYHUHLUR 2 WDPEpP GHVDFHOHURX D DOWD GHSUHoRVUHODWLYRVDDOLPHQ- EXV XUEDQRV TXH GHVDFHOH- UHVXOWDGR UHÁHWH RV UHDMXV- GH  SDUD   2 WDomR H EHELGDV GH  UDUDPGHSDUD WHV WtSLFRV GH LQtFLR GH DQR DFXPXODGRGRtQGLFHGRDQR SDUD   H D WUDQVSRUWHV H DV WDULIDV GRV {QLEXV LQ- VHJXQGR DSRQWRX R ,%*( IHFKRX HP  H HP  PHVHV ÀFRX HP  (P GH  SDUD ²  1R WHUPXQLFLSDLV FXMD YDULD- SRUPHLRGHQRWD *DQKRX IRUoD WDPEpP D IHYHUHLUR GH  R ,13& JUXSRGHDOLPHQWRVDVPDLR- omR SDVVRX GH  SDUD DOWD GH SUHoRV GH KDELWDomR KDYLDÀFDGRHP UHVTXHGDVIRUDPYLVWDVQRV  6HJXLUDP R PHVPR FRP- GHSDUD VD~2V SURGXWRV DOLPHQWtSUHoRV GH FDUQHV GH  SDUD ²  WRPDWH GH SRUWDPHQWR DV WD[DV UHODWL- GH H FXLGDGRV SHVVRDLV GH FLRV DSUHVHQWDUDP YDULDomR  SDUD ²  H Do~- YDVDYHVWXiULRTXHSDVVRX  SDUD   H GHVSH- GH  HP IHYHUHLUR HQFDUUHÀQDGR GH²SDUD GH  SDUD  ´HP VDVSHVVRDLV GHSDUD TXDQWR RV QmR DOLPHQWtFLRV SHUtRGR GH OLTXLGDo}HV QR   DXPHQWDUDP(PMD² HQWUHRXWURVLWHQV 1R JUXSR GH GHVSHVDV QHLURRVUHVXOWDGRVÀFDUDP 4XDQWR DR JUXSR GH JDV- PHUFDGRµ H DR JUXSR FRWRVFRPWUDQVSRUWHVRPDLRU PXQLFDomR GH  SDUD SHVVRDLV D YDULDomR WDP- HPHUHVSHFWLEpP IRL VLJQLÀFDWLYD GH YDPHQWH LPSDFWRSDUDRUHFXRQRPrV ² 

ECONOMIA

GOVERNO

*RYHUQRUHGX]WD[DVGHIROKD GHSDJDPHQWRGDLQG~VWULD

'LOPDOLPLWDRVJDVWRV FRPSDVVDJHQVHGLiULDV

2 PLQLVWUR GD )D]HQGD *XLGR 0DQWHJD GLVVH TXH R JRYHUQR YDL DPSOLDU D GHVRQHUDomR GD IROKD GH SDJDPHQWR GR VHWRU LQGXVWULDO (OHIH]DGHFODUDomRDSyVWHU VH UHXQLGR FRP HPSUHViULRV GR,QVWLWXWRGH(VWXGRVSDUD R 'HVHQYROYLPHQWR ,QGXVWULDO ,HGL  RQWHP HP 6mR 3DXOR ´9DPRV DMXVWDU DV WDULIDV GH PRGR D UHGX]LU R FXVWRGRWUDEDOKRSDUDRHPSUHViULR EUDVLOHLURµ GLVVH (OHDÀUPRXDLQGDTXHWRGRV RV VHWRUHV LQGXVWULDLV TXH TXLVHUHPSRGHUmRSDUWLFLSDU GHVVD QRYD URGDGD GH GHVRQHUDomR 0DQWHJD LQIRUPRX DLQGD TXH HVWi FRQYHUVDQGR FRP HPSUHViULRVFRQYLGDQGRQRYRV VHWRUHV D HQWUDU H HVWi GLVFXWLQGR TXDO DOtTXRWD VXEVWLWXLUi R SDJDPHQWR GR ,166´9DPRV]HUDURSDJD-

$ SUHVLGHQWD 'LOPD 5RXVVHII GHFLGLX PDQWHU R FRQWUROH GR JRYHUQR IHGHUDO VREUH R XVR GH GLiULDV H SDVVDJHQV SHORV VHUYLGRUHV IHGHUDLVPDVIRLPHQRVULJRURVDGRTXHQRDQRSDVVDGR TXDQGR FRQFHQWURX WXGR QR 0LQLVWpULRGR3ODQHMDPHQWR $JRUD HVVDV GHVSHVDV IRUDP GHVFHQWUDOL]DGDV H RV yUJmRV S~EOLFRV WHUmR FHUFD GH 5  ELOKmR YROXPH  VXSHULRU DRV JDVWRV GH 5  ELOKmR HP  2V YDORUHV IRUDP SXEOLFDGRV QHVWD VH[WDIHLUD QR 'LiULR 2ÀFLDO GD 8QLmR SRU PHLR GDSRUWDULDGR0LQLVWpULR GR 3ODQHMDPHQWR UHJXODPHQWDQGRRGHFUHWRGH GHPDUoR (P PDUoR GH  'LOPD FRQWLQJHQFLRX 5  ELOK}HVGR2UoDPHQWRHFRUWRX SHOD PHWDGH RV JDVWRV FRP GLiULDV H SDVVDJHQV $ OLEH-

PHQWRGR,166VREUHD IROKD H HVWDPRV GLVFXWLQGR TXDO D DOtTXRWD TXH YDL LQFLGLU VREUH R IDWXUDPHQWRµ DÀUPRX (OH OHPEURX TXH ´FRPHoDPRVFRPIRLH[SHULPHQWDOFRPTXDWURVHWRUHVHDJRUDHVWDPRVGLVFXWLQGR D DOtTXRWD H DPSOLDQGR R Q~PHURGHVHWRUHVTXHVHUmR DEUDQJLGRVµ´0DVFHUWDPHQWHVHUiXPDDOtTXRWDTXHYDL EHQHÀFLDU R VHWRU SURGXWLYR 4XHU GL]HU UHGX]LU R FXVWR H GDU YDQWDJHQV HP UHODomR DRV SURGXWRV LPSRUWDGRV TXHYmRSDJDURHTXLYDOHQWH DHVVDDOtTXRWDµGLVVH 0DQWHJD QmR TXLV VH FRPSURPHWHU FRP R SUD]R GH GXUDomR GD GHVRQHUDomR /LPLWRXVH DSHQDV D GL]HU TXHVHUiORQJR´&RPHoDPRV FRP XP DQR PDV HVWDPRV GLVFXWLQGR FRP RV VHWRUHV D TXHVWmRGRSUD]Rµ

UDomR DR ORQJR GR DQR ÀFRX HP5ELOKmRFRPHFRQRPLDGHFHUFDGH5ELOKmR HPGHDFRUGRFRPGDGRVGLYXOJDGRVTXDQGRRJRYHUQRDQXQFLRXRFRUWHGH5 ELOK}HVQR2UoDPHQWRGH PrVSDVVDGR SUSPENSÃO 2GHFUHWRTXHFRQWHYHHVVDVGHVSHVDVHP WDPEpP VXVSHQGHX D FRPSUDHORFDomRGHLPyYHLVVDOYRHPFDVRVH[WUDRUGLQiULRV 2 GHFUHWR  SXEOLFDGR QD TXLQWDIHLUD HVWLSXOD UHJUDV PDLV GHWDOKDGDV (P FRQWUDWRV DFLPD GH 5  PLOK}HV SRU H[HPSOR D DXWRUL]DomR Vy SRGH VHU GDGD SHORPLQLVWUR $Wp HVVH SDWDPDU D DXWRUL]DomR SRGH ÀFDU D FDUJR GRVHFUHWiULRH[HFXWLYRVXEVHFUHWiULRVRXDWpPHVPRGH FRRUGHQDGRUHV H FKHIHV GH XQLGDGHV


TribunaIndependente

MACEIÓ - SÁBADO, 10 DE MARÇO DE 2012

PUBLICIDADE 15


16 ESPORTES

TribunaIndependente

MACEIĂ&#x201C; - SĂ BADO, 10 DE MARĂ&#x2021;O DE 2012

Esportes

Após confusão com o ministro Aldo Rebelo, Fifa adia viagem de Valcke ao Brasil A Fifa comunicou o Governo Federal que Jeróme Valcke, secretårio-geral da entidade, não virå ao Brasil na próxima semana, como se esperava. Após toda a confusão envolvendo o cartola e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, Joseph Blatter quer encontrar-se com a presidente Dilma Rousseff antes de avaliar as cidades-sede da Copa de 2014. O comunicado da Fifa, tambÊm enviado à imprensa, Ê mais um capíWXORHPXPDQRYHODTXHMiVHDUUDVWDGHVGHR¿QDOGDVHPDQDSDVVDGD$SyV9DOFNH dizer em entrevista coletiva que o Brasil precisava levar um pontapÊ no traseiro para apressar a organização da Copa do Mundo, Aldo Rebelo cortou relaçþes com o cartola, dizendo que o governo brasileiro não o aceitava mais como interlocutor.

LĂ­der CSE recebe o CRB buscando DĂ&#x20AC;UPDomRQDWDEHOD

75$3,&+$2&20

7~OLR0DUDYLOKDHVWiFRQÂżUPDGRQRMRJRH*DORGD3UDLD deve continuar poupando jogadores considerados titulares

C

SE e CRB jogam hoje às 15h15 no Estådio Juca Sampaio, em Palmeira dos �ndios, pela abertura da segunda rodada do segundo turno. O Tricolorido estå motivado pela atual liderança da competição e conta com o retorno de Túlio Maravilha. Do outro lado o Galo tem alguns desfalques e o tÊcnico Paulo Comelli vai continuar poupando alguns titulares. GALO O Regatas deve ter como novidades o meia Aloísio Pereira e o jovem atacante Jeorge como titulares. No treino que definiu a equipe para essa partida o tÊcnico Paulo Comelli manteve o esquema com três zagueiros, mas sacou do time titular

os meias Geovani e Ewerton Maradona. Suspenso pelo terceiro cartĂŁo amarelo, o zagueiro RodrigĂŁo ĂŠ a Ăşnica baixa do alvirrubro para a partida. A equipe que deve ser mandada a campo ĂŠ com Cristiano; Ă?talo, Filipe e Rodrigo Barros; Elsinho, Everton LuĂ­s, Diego AragĂŁo, AloĂ­sio Pereira e Jadilson; Rodrigo Dantas e Jeorge. Ainda foram relacionados Caio, Nilson, Adriano, Geovani, Ewerton Maradona, Leandrinho e Thiago MarabĂĄ. TRICOLORIDO ApĂłs a goleada fora de casa de 4x0 sobre o Penedense, o CSE trabalha sob o comando do novo treinador Paulo Roberto.

LĂ­der provisoriamente do campeonato, o tricolorido palmeirense terĂĄ dois desfalques para esta partida. Valença, que recebeu o terceiro cartĂŁo na Ăşltima rodada, cumprirĂĄ suspensĂŁo automĂĄtica e o volante LĂŠo por questĂľes contratuais tambĂŠm nĂŁo participarĂĄ na prĂłxima rodada. Em contrapartida, TĂşlio Maravilha estarĂĄ Ă disposição para o jogo. O preço do ingresso foi definido pela diretoria com duas promoçþes. A primeira ĂŠ a â&#x20AC;&#x2DC;casadinhaâ&#x20AC;&#x2122;. Aquele que comprar o ingresso, que estĂĄ pelo preço de R$ 20, ganha outro. A outra promoção: quem comprar a camisa do CSE (R$ 60) receberĂĄ um ingresso inteiramente grĂĄtis. TERRA

CRB E ASA

CBF divulga tabela da SÊrie B do Brasileiro O Campeonato Brasileiro da SÊrie B 2012 começa no såbado 19 de maio e tem sua última rodada no såbado 24 de novembro. O CRB, um dos representantes de Alagoas (tendo reconquistado o acesso em 2011), vai estrear contra o Bragantino, no Estådio R0ei PelÊ, em Maceió, no dia 19 de abril. Jå o ASA (que se manteve na Segunda Divisão no soar do gongo) farå sua estreia no mesmo dia, só que fora de casa, contra o São Caetano. Novamente com o mesmo formato da SÊrie A, com 20 clubes, turno e returno, 38 rodadas, o Brasileiro SÊrie B terå tambÊm a última rodada marcada por confrontos estaduais: Avaí x Criciúma (SC), Guarani x São Caetano e Guaratinguetå x Barueri (SP), AmÊrica x Ipatinga, AtlÊtico x Paranå, ABC x AmÊrica (RN) e ASA x CRB. Joinville, CRB, Ipatinga e AmÊrica/RN foram os clubes que subiram para disputar a SÊrie B em 2012. Duque de Caxias, Icasa, Salgueiro e Vila Nova desceram para a SÊrie C. A CBF divulgarå no dia 19 de março a tabela detalhada da competição.

TĂ&#x161;lio Maravilha nĂŁo encontrarĂĄ o zagueiro RodrigĂŁo que estĂĄ suspenso pela equipe do CRB

MUDANĂ&#x2021;AS

Edson Di ĂŠ dispensado do CSA por crĂ­ticas ao prĂłprio elenco

Jobson volta ao time do Botafogo apĂłs suspensĂŁo de seis meses

Mais por conta das duras críticas feitas ao momento que vive o clube do que pela derrota em si na estreia do 2º turno, o atacante Edson Di não faz mais parte do elenco do CSA. A dispensa foi anunciada ontem. Agora, precisando urgentemente da reabilitação, diminuem as opçþes do treinador Círio Quadros para este setor, tendo que

no domingo, contra o Penedense, recorrer a jogadores oriundos da base porque Jean Assis, uma das mais recentes contrataçþes, segue no departamento mÊdico. Edson Di, que após a derrota para o CEO ressaltou que antes o CSA tinha uma base formada e agora mais nem isso, teve ainda o desentendimento com SÊrgio Vertello, no Estådio Juca

Sampaio. No intervalo da partida, quando o Azulão jå estava perdendo o jogo, o gerente de futebol azulino teria entrado no vestiårio aos gritos, no que causou desentendimentos com os jogadores e Edson Di teria respondido à altura. Novas contrataçþes ainda não foram anunciadas. O CSA pega o Penedense neste domingo no Trapichão. 75$3,&+$2&20

CARIOCA

Botafogo terå a reestreia de Jobson hoje contra o Bangu O ´tecnico Oswaldo de Oliveira não escondeu o seu entusiasmo pela expectativa de poder lançar Jobson no jogo contra o Bangu hoje, às 16h, em Moça Bonita. Segundo o treinador, como não se trata de um caso de emergência, ele vai deixar o atacante no banco e utilizå-lo durante o jogo desde que a partida não esteja muito complicada para o Botafogo. Oswaldo não considera que o atacante esteja em dÊbito com o clube pelo

FUTEBOL

Goleira americana quer jogar entre homens +iTXHPGLJDSRUH[HPSORTXH Marta teria vaga em diversas equipes de futebol masculino no Brasil. 3HODWpFQLFDQmRKiG~YLGDGHTXH DDÂżUPDomRWDOYH]VHMDYHUGDGHLUD EntĂŁo, por que nĂŁo tentar e ver se funciona? Ă&#x2030; assim que pensa a goleira da seleção dos Estados Unidos e musa do futebol feminino mundial, Hope Solo. Ela chegou a pensar nesta possibilidade, ainda mais quando a liga de futebol IHPLQLQRGHVHXSDtVD:36IRL dissolvida. â&#x20AC;&#x153;Quase joguei em um time masculino. Acredito que eu poderia ter me saĂ­do bemâ&#x20AC;?, disse.

fato de ter sido suspenso por doping devido ao uso de crack pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), e ter a pena aumentada pelo Tribunal Arbitral de Esportes (TAS). O tĂŠcnico acha que o problema aconteceu, mas o momento ĂŠ de se pensar na frente. E teve uma Ăłtima tirada. â&#x20AC;&#x153;Se ĂŠ que existe este dĂŠbito e ele estĂĄ na obrigação de pagar, eu tenho muito prazer em ser o caixa da cobrançaâ&#x20AC;?, afirmou.

Atacante Edson Di foi dispensado do CSA por ter feito crĂ­ticas ao grupo azulino apĂłs a Ăşltima derrota

CRAQUES

CORINTHIANS

Mesmo passados dois dias da atuação de gala na vitĂłria do Santos sobre o Internacional, o tema da entrevista de Neymar ontem ainda foram os trĂŞs gols GRFUDTXH3RUpPGHVVDYH] o atacante teve que se livrar tambĂŠm de um outro tipo de marcação: as comparaçþes com Lionel Messi. O argentino marcou cinco vezes na goleaGDGHDGR%DUFHORQDVREUHR%D\HU+RUDVGHSRLVFRPDVGXDV arrancadas de Neymar na Vila, traçar um paralelo entre os craques foi inevitĂĄvel. â&#x20AC;&#x153;Essa rivalidade Messi e Neymar nĂŁo existe. O Messi estĂĄ acima de todos, de qualquer umâ&#x20AC;?.

3HUWRGHFRPSOHWDUXPDQRQR&RULQthians, Adriano inicia um momento decisivo para decidir qual serĂĄ seu futuro. Depois de uma sĂŠria lesĂŁo no tendĂŁo do pĂŠ esquerdo, problemas para perder peso e poucos jogos disputados, o Imperador entra na UHWDÂżQDOGRSURFHVVRGHUHFXSHUDomRItVLFDFRQÂżDQWHGHTXHFRQVHguirĂĄ reerguer a carreira vestindo a camisa alvinegra. â&#x20AC;&#x153;Ainda faltam dois quilos. Estou com 100 kg; o ideal ĂŠ 98 kgâ&#x20AC;?, revelou. O timĂŁo joga hoje contra Guarani Ă s 18h30.

Neymar não quer comparaçþes com Messi

Adriano diz estar perto da melhor forma


TribunaIndependente

0$&(,Ï6È%$'2'(0$5d2'(

DIVERSÃO&ARTE

1

Metallica vai gravar ¿OPHHP'

2VURTXHLURV'DYLG&URVE\6WHSKHQ6WLOOV e GraKDP1DVKTXHIRUPDPDEDQGDIRON&URVE\6WLOOV  1DVKDQXQFLDUDPVKRZVQR%UDVLOHQWUHRVGLDV HGHPDLR$WXUQrYDLSDVVDUSRU6mR3DXOR%HOR +RUL]RQWHH5LR$VSULPHLUDVDSUHVHQWDo}HVHVWmR PDUFDGDVSDUDRGLDQR9LD)XQFKDOHP6mR 3DXOR2VP~VLFRVWRFDPWDPEpPHP%HOR+RUL]RQWH QRGLDHHQFHUUDPVHXVVKRZVQR5LRQRGLD

,PDJLQHYHU-DPHV+HW¿HOGRX/DUV8OULFK³VDOWDQGR´GDV WHODVGRVFLQHPDV3RLVR0HWDOOLFDYDLFRPHoDUDJUDYDU VHXSULPHLUR¿OPHHP'DLQGDHPPHDGRVGH(PXP FRPXQLFDGRSXEOLFDGRQRVLWHR¿FLDOGDEDQGDRVP~VLFRV DQXQFLDUDPXPDSDUFHULDFRPRGLUHWRUK~QJDUR1LPURG$QWDO SUHYLVWRSDUDVHUODQoDGRHP1R~OWLPR¿PGHVHPDQD 8OULFKFRQWRXTXHDEDQGDSRGHODQoDUVHXSUy[LPRGLVFRVHP JUDYDGRUDDSyVR¿PGHVHXFRQWUDWRFRPD:DUQHU

B O O Ã M T

Crosby, Stills & Nash farão VKRZVQR%UDVLOHPPDLR

!! !

FRUDLVSUy[LPDjDUHLD RTXHWDPEpPID]FRP TXHPXLWDVDOJDVSRVVDPVHUYLVWDVDOL -iRODGRHVTXHUGR RQGHH[LVWHDDOGHLDKLSSLHpPDLVWUDQTXLOR UHVLVWLQGREUDYDPHQWH DRVDYDQoRVGDWHFQRORJLDDWXDO$SHVDUGHUHFRPHQGDGDSDUDTXHP JRVWDGHVXUIDUHVVH WUHFKRGDSUDLDQmRWHP HVWUXWXUDSDUDWXULVWDV &HUFDGHIDPtOLDV YLYHPKRMHQDDOGHLDGH $UHPEHSH6mRSHVVRDVGHWRGDVDVLGDGHVH GHGLYHUVRVOXJDUHVGR PXQGR$DOGHLDÀFD PDLVDIDVWDGDGROLWRUDO HRDFHVVRDHODGHYH VHUIHLWRDSpSRLVQmR HQWUDPFDUURVDOL3DUD HQFRQWUiODpSUHFLVR andar cerca de cinco PLQXWRVSRUEDL[RRX SRUFLPDGDVGXQDV+i XPFDPSLQJDOJXPDV SRXVDGDVHRSo}HVGH rembepe, em UHVWDXUDQWHVFRPRR Camaçari, a 30 %DUGR5RTXHTXHVHUYH km ao norte da SRUo}HVHXPGHOLFLRVR capital Sal´SUDWRIHLWRµGHSHL[H YDGRUÀFRXFRQKHFLGD FDUQHRXIUDQJRSRU QRÀQDOGRVDQRV SRXFRPDLVGH5 TXDQGRRORFDOIRLHVFRO2FHQWURGHDUWHVDQDKLGRSDUDDFULDomRGD WRpRSRQWRGHHQFRQWUR SULPHLUDDOGHLDKLSSLH GRVPRUDGRUHVORFDLV GRSDtVpSRFDHPTXH RQGHSRGHPH[SRUVXD RPRYLPHQWRHVWDYD DUWH8PDGDVSULPHLHPVHXDXJH3RUDOLMi UDVFDVDVGDDOGHLDD SDVVDUHPFHOHEULGDGHV SRUH[HPSORpGR FRPR0LFN-DJJHU DUWLVWDSOiVWLFR/XL] YRFDOLVWDGDEDQGD5ROO- &HUTXHLUDTXHYLYHQR LQJ6WRQHVHDUWLVWDV ORFDOKiPDLVGHDQRV EUDVLOHLURVFRPR5DXO HDOpPGHSLQWDUTXD6HL[DV3DXOR&RHOKRH GURVHFDPLVHWDVFRQKH7LP0DLD FHPXLWRGDVKLVWyULDV A praia, de areia GH$UHPEHSH$VVLP FODUDHIRIDFRQWDFRP FRPRHOH%HWR+RLVHO FRTXHLURVDOJXPDV TXHYLYHXDOLQRVDQRV GXQDVHiJXDVTXHQWHV WDPEpPUHXQLX HHVYHUGHDGDV2ODGR OHPEUDQoDVHODQoRXR GLUHLWRpRPDLVPRYLOLYUR´1DTXHOH7HPSR PHQWDGRFRPGLYHUVRV HP$UHPEHSHµHPTXH TXLRVTXHVTXHVHUYHP FRQWDDKLVWyULDGHLPSHWLVFRVHSUDWRVDSUHoR SRUWDQWHVDFRQWHFLPHQPpGLRGH51HVWRVFRPRDSDVVDJHP WDSDUWHDViJXDVVmR GDFDQWRUD-DQLV-RSOLQ FDOPDVJUDoDVDXPD HVXDSDL[mRSRUXP SDUHGHGHUHFLIHVGH SHVFDGRUTXHPRUDYDQD

/RFDOGDSULPHLUDDOGHLDKLSSLHGR SDtV$UHPSHEHQD%DKLDpKRMH XPUHI~JLRSDUDTXHPJRVWDGH VROSUDLDHGHVFDQVR

A

DOGHLD 2FRQFHLWRGHKLSSLH DVVRFLDGRDXPPRGR alternativo de vida, TXHQmRHVWiOLJDGRDR VLVWHPDMiQmRpPDLVR PHVPR(P$UHPEHSH RVPRUDGRUHVEXVFDP YLYHUGRDUWHVDQDWR PDVWDPEpPGRWXULVPR&HUTXHLUDJDUDQWH TXHGHVGHVXDFULDomRR ORFDOMiIRLYLVLWDGRSRU PDLVGHPLOSHVVRDV $DOGHLDpIRUPDGD SRUFDEDQDVU~VWLFDV VHQGRDPDLRULDFRQVWUXtGDGHPDGHLUDH SDOKDVHPJUDQGH SUHRFXSDomRFRPFRQIRUWR0HVPRDVVLP &HUTXHLUDDFUHGLWDTXH RPDWHULDOXVDGRSDUDD FRQVWUXomRGDVFDVDVpD SULQFLSDODOWHUDomRTXH DPRGHUQLGDGHWURX[H SDUDDUHJLmRSRLVMi pSRVVtYHOYHUDOJXPDV PRUDGLDVFRPSHoDV PDLVVRÀVWLFDGDV 8PDGDVSULQFLSDLV SUHRFXSDo}HVGRVPRUDGRUHVpDSUHVHUYDomR GDQDWXUH]DHDOLPSH]D GRORFDO+iGLYHUVDV SODFDVTXHOHPEUDPD WRGRVVREUHDREULJDomR FRPRPHLRDPELHQWH 3Uy[LPRDDOGHLDHVWi XPDEDVHGR3URMHWR 7DPDU+iXPDiUHD GHYLVLWDomRFRPDOJXQV WDQTXHVFRPWDUWDUXJDVFDEHoXGDVROLYDV SHQWHVHYHUGHV0DVR SULQFLSDOWUDEDOKRDOL VmRDVSHVTXLVDVHR FHQWURGHLQFXEDomRMi TXHDUHJLmRpiUHDGH GHVRYDFRPNPGH iUHDPRQLWRUDGD$YLVLWDjVLQVWDODo}HVFXVWD 5 &202&+(*$5 Saindo de Salvador, GHYHVHSHJDUD%$ /LQKD9HUGH QRVHQWLGR%DKLD6HUJLSH$SyV RPXQLFtSLRGH/DXURGH )UHLWDVVLJDDWpRHQWURQFDPHQWRTXHGDUi DFHVVRD&DPDoDUL

E


2

TribunaIndependente

DIVERSÃO&ARTE 0$&(,Ï6È%$'2'(0$5d2'(

Aula grátis de teatro Hoje haverá uma aula grátis, no Teatro Marista, a partir de 14h. O Grupo Cena Livre inscreve pessoas a partir de 15 anos. 0DXUR%UDJDH$QD6R¿DYmRGHPRQVWUDURPpWRGRGRWUDEDOKRSDUDSHVVRDVLQLFLDQWHVRXLQLFLDGDV0XLWRVTXHMiID]HPWHDWUR DLQGDQmRSDVVDUDPSRUXPDR¿FLQD$SyVHVWDDXODJUiWLVRVHQFRQWURVRFRUUHUmRVHPSUHDRVViEDGRVGHKjVKFRP SUHYLVmRGHTXDWURPHVHVFXOPLQDQGRFRPDPRQWDJHPGHXPDSHoD0DLRUHVLQIRUPDo}HVH

Pressão alta

O público alagoano tem a última chance hoje de assistir o espetáculo “Pressão Alta”, estrelada pelo ator Raul Gazolla. A peça tem duração de 70 minutos e será realizada no Teatro Deodoro sempre às 21 horas. Os ingressos já podem ser reservados no local e nas lojas Chillibeans. O valor será de R$ 50 (inteira) e R$ 25 estudantes, idosos e quem doar um quilo de alimento para a Coopvila - Cooperativa de Catadores da Vila Emater.

Todos cantam Elis

Martha Araújo

2VKRZ³6DXGDGHVGH(OLV±DQRV´FDSL taneado por nossa grande dama da música DODJRDQD/HXUHQ\HPDLVGH]FRQYLGDGRV :LOPD$UD~MR,JERQDQ5RFKD:LOPD0LUDQGD 'LGD/\UD&ULV%UDXQ)HUQDQGD*XLPDUmHV Nara Cordeiro, Junior Almeida, Elaine Kun dera e Irina Costa, volta a ser apresentado no SUy[LPRGLDGHPDUoR TXLQWDIHLUD QD3UDoD 0XOWLHYHQWRVQD3DMXoDUDDSDUWLUGDVKFRP DEHUWXUDGD&DQWRUD3DWUtFLD3RODLQH

$3LQDFRWHFD8QLYHUVLWiULDDEULUiDVXDSDXWDGHH[ SRVLo}HVFRPDPRVWUD³(XQmRVRXHXHQHP YRFr´GDDUWLVWDSOiVWLFDDODJRDQD0DUWKD$UD~MRGLD GHPDUoRjVKRUDV2SHUtRGRGHYLVLWDomRVH HVWHQGHUiDWpGHDEULOGH

No quintal $PDQKmQR4XLQWDO5HVWDXUDQWH0~VLFDH %DUPXLWD03%SRSURFN%RVVD1RYDHRXWURV ULWPRVFRP/XFLDQR0DULQKRHEDQGD2VKRZ FRPHoDDSDUWLUGDVK&RXYHUWDUWtVWLFR5 24XLQWDO¿FDQD7UDYHVVD6mR3HGUR QD3UDLDGH*DUoD7RUWD SUy[LPRDRUHVWDXUDQWH /XD&KHLD 0DLVLQIRUPDo}HV

Edital Infantil Coco de Roda

2VDXWRUHVDODJRDQRVGHYHP¿FDUDWHQ WRVSRLVDLPSUHVVDR¿FLDODEULXHGLWDO TXHDEUHFRQFRUUrQFLDSDUDSXEOLFDomRGH OLYURVLQIDQWLVQDFROHomR&RFRGH5RGD Os interessados podem concorrer com KLVWyULDVLQIDQWLVTXHDERUGHPWHPDVFXO WXUDLVHKLVWyULFRVGH$ODJRDV$VLQVFULo}HV Mostra Sesi.doc DFRQWHFHUmRDWpRGLDGHDEULO$V¿FKDV $WpRGLDGHPDUoRHVWmRDEHUWDVDVLQVFULo}HV GHLQVFULomRHVWmRGLVSRQtYHLVQRVLWHGD SDUDDVHOHomRGRVGRFXPHQWiULRVSURGX]LGRVHP ,PSUHQVD2¿FLDO ZZZLPSUHQVDR¿FLDODO H $ODJRDVTXHVHUmRH[LELGRVQDDEHUWXUDGHFDGD VHVVmRGDPRVWUD6HVLGRFXPDLQLFLDWLYDGR6HUYLoR RVFDQGLGDWRVGHYHPOHYDURWUDEDOKRHP WUrVYLDVLPSUHVVDVDVVLPFRPRXPDFySLD Social da Indústria com o apoio da Secretaria de (VWDGRGD&XOWXUD 6HFXOW 2HYHQWRVHUiUHDOL]DGR GRDUTXLYRHP&'RX'9'2VFLQFRWH[WRV GHDGHDEULO1RWRWDOVHUmRVHOHFLRQDGRVVHLV VHOHFLRQDGRVTXHGHYHPWHUQRPi[LPR ¿OPHVGHDWpWULQWDPLQXWRV2VLQWHUHVVDGRVGHYHP SDODYUDVVHUmRHGLWDGRVLPSUHV VRVSXEOLFDGRVHFRPHUFLDOL]DGRVSHOR HQWUHJDUHPXPHQYHORSHWUrVFySLDVHP'9'GR ¿OPHHXPDIROKDFRPVHJXLQWHVGDGRVQRPHGR yUJmR0DLVLQIRUPDo}HVRX ¿OPHWHPSRGHGXUDomRGLUHWRUQRPHFRPSOHWR DWUDYpVGRHPDLODWHQGLPHQWR#LPSUHQVDR GRUHVSRQViYHOSHODLQVFULomRHQGHUHoRHPDLOH ¿FLDODO WHOHIRQHVGHFRQWDWR

Interrompidos 2VLQWHJUDQWHVGDDQWLJDEDQGD&RLWR,QWHUURPSLGRDJRUDFRPPDLVPDWXULGDGHPXVLFDOHQRYDIRUPDomRODQoDPRVHXSULPHLURFOLSHXP5RDG0RYLH JUDYDGRQR6HUWmRGH$ODJRDVHR(3,QWHUURPSLGRVKRMHjVKQR0XVHX7KpR%UDQGmR2VLQJUHVVRVFXVWDUmR5PDLVNJGHDOLPHQWRRX5 0DLVLQIRUPDo}HV FALE CONOSCO$$JHQGDpXPVHUYLoRJUDWXLWRGHRULHQWDomRDROHLWRU2VLQWHUHVVDGRVHPGLYXOJDUHYHQWRVVKRZVHH[SRVLo}HVSRGHPHQYLDUPDWHULDODWUDYpVGRHQGHUHoRWLDJHQGD#KRWPDLOFRP

RESUMO DE NOVELAS GLOBO 18h AMOR ETERNO AMOR

7RELDVH[SOLFDSDUD3HGURRTXHVDEHVREUH &DUORV3HGURYDLFRP7RELDVSDUD9LODGRV0LOD JUHV9DOpULDWLUDVDWLVIDo}HVFRP&DUORVGHSRLV GHHQFRQWUDURGHVHQKRTXHHOHIH]GH(OLVD Fernando e Dimas pensam em desapropriar o (GLItFLR6mR-RUJHDVVLPTXH9HUEHQDIDOHFHU -iTXL¿FDHQFLXPDGDDRYHU.OpEHUSHVTXLVDQGR VREUHE~IDORVQDLQWHUQHW&DUORVÀDJUD3HGUR WLUDQGRIRWRJUD¿DVVXDV

GLOBO 19h

GLOBO 21h

AQUELE BEIJO

FINA ESTAMPA

0DUXVFKNDYDLDR&RYLOGR%DJUHIDODUFRP $QD*LUDID9LFHQWHSHGHD-XOLDQDH5DXO TXHLQYHVWLJXHP+HQULTXH2ODYRDWDFD+pOLR &ODXGLD¿FDHQFLXPDGDDRVDEHGDYLVLWDGH -XOLDQDD9LFHQWH,DUDVHGHVHVSHUDFRPD SHUVHJXLomRGRVVHXVSDUHQWHVPRUWRV&ODXGLD QmRVHFRQIRUPDFRPDUHMHLomRGH9LFHQWH 0DUXVFKNDH5XELQKRFRQIURQWDP$QD*LUDID $OEHUWRFKHJDHYrDFHQD2ODYRGLVFXWHFRP +pOLRH0DULHWDWRPDRSDUWLGRGRDPDQWH6DULWD RXYH(VWHODGL]HUD2OJDTXHYDLIXJLU$OEHUWR EULJDFRP5XELQKR

5HQrOXWDFRP7HUH]D&ULVWLQDHDFDEDVH IHULQGR*ULVHOGDYr5HQrEDOHDGRHROHYDSDUD VXDFDVD(VWKHUSHQVDHP3DXORÈOYDURRULHQWD 7HUH]D&ULVWLQDDVHDIDVWDUGHVXDFDVDSRUXQV WHPSRV*XDUDF\FKHJDQRPRPHQWRHPTXH *ULVHOGDD¿UPDTXH5HQrQmRTXHUDFXVDUDH[ mulher por ainda se preocupar com ela. Teodora GHFLGHYLDMDUGHQRYR%HDWUL]&HOLQD*OyULDH (VWKHUVHJXHPSDUDDDXGLrQFLDFRQWUD'DQLHOOH

RECORDE 21h VIDAS EM JOGO

1mRKiH[HELomRDRVViEDGRV


TribunaIndependente

0$&(,Ă?6Ă&#x2C6;%$'2'(0$5d2'(

DIVERSĂ&#x192;O&ARTE

3

',98/*$d­2

FLĂ VIO RICCOFRODERUDomR-RVp&DUDORV1HU\ZZZWZHWWHUFRPĂ&#x20AC;DYLRULFFR

SBT adota ponto eletrĂ´nico nas suas novelas

R

epresentantes da Televisa passaram por aqui e em reuniĂŁo com o pessoal do SBT se concluiu que, a partir de agora, o elenco infantil da novela â&#x20AC;&#x153;Carrosselâ&#x20AC;? passarĂĄ a usar â&#x20AC;&#x153;ponto eletrĂ´nicoâ&#x20AC;? durante as gravaçþes. Entendem que isso tambĂŠm vai servir para agilizar e amenizar a carga dos trabalhos. Uma bobagem. Começa que estĂŁo menosprezando a capacidade dessas crianças, sem levar em conta que tudo caminhou muito bem atĂŠ aqui sem essa besteira. A realidade do MĂŠxico na questĂŁo das novelas em nada se parece com a nossa, principalmente a que ĂŠ praticada por Globo e Record, por exemplo. Ponto eletrĂ´nico, com todo respeito a quem usa, ĂŠ um retrocesso, que nĂŁo tem nada a ver com o modelo adotado pela teledramaturgia brasileira. AliĂĄs, numa rĂĄpida pesquisa realizada nos bastidores com as prĂłprias crianças, a maioria se mostrou contrĂĄria a sua utilização. Novela e fĂĄbrica de macarrĂŁo, se alguĂŠm ainda nĂŁo sabe, sĂŁo coisas bem diferentes.

TV TUDO Band ClĂĄssicos 2SURJUDPDÂł%DQG&OiVVLFRV´ DSUHVHQWDGRSRU'DQLHOD)UHLWDV QHVWHGRPLQJRDSDUWLUGDVK IDODVREUHDWUDMHWyULDGH5RFN\ 0DUFLDQR Ă&#x2039;FRQHGRER[HQRVDQRVHOHLQVSLURXDSURGXomRGRÂżOPHÂł5RFN\ R/XWDGRU´FRP6\OYHVWHU6WDOORQH

Correndo atrĂĄs 26SRU79YDLUHSRUDVYDJDVGH SHORPHQRVWUrVQDUUDGRUHVHQWUH RVTXHVDtUDPUHFHQWHPHQWHSDUDD 5HFRUGH)R[6SRUWV $OJXQVWHVWHVQXPDSURYDTXHHVWD SURFXUDH[LVWHMiIRUDPUHDOL]DGRV

-HQQLIHUFRQ¿UPDGD (VWiFRQ¿UPDGDQRYDYLQGDGH -HQQLIHU/RSH]DR%UDVLOQD~OWLPD VHPDQDGRPrVSDUDD¿QDOGR FRQFXUVRGHGDQoDHP³20HOKRU GR%UDVLO´TXHLUiHVFROKHUXP EDLODULQRGRVHXSUy[LPRHVSHWiFXOR (ODYHPJUDYDUHP6mR3DXORQR GLDHRSURJUDPDLUiDRDUQR GLD

Elenco 2VGRLV'XGD¹1DJOHH5LEHLUR ¹HVWmRFRQ¿UPDGRVHP³6DOYH -RUJH´SUy[LPDQRYHODGH*OyULD 3HUH]VXEVWLWXWDGH³$YHQLGD %UDVLO´TXHHQWUDQROXJDUGH³)LQD (VWDPSD´ $PERVFRQYLGDGRVSHODSUySULD autora.

Trio $SDUWLUGHKRMH0DXUtFLR7RUUHV DVVXPHRFRPDQGRGR³(VSRUWH )DQWiVWLFR´QD5HFRUGSDVVDQGRD DSUHVHQWDURSURJUDPDFRP0\OHQD &LULEHOOLH&OiXGLD5HLV,VWRWDPEpP ID]SDUWHGRVSUHSDUDWLYRVSDUDD 2OLPStDGD 2SURJUDPDYDLDRDUjVGH]GD PDQKmHWUD]XPDHQWUHYLVWDH[FOXVLYDFRPFUDTXH1H\PDU

Esforço concentrado $OODQ5DSSGLUHWRUGR³3kQLFR´UHYHODTXHDSDUWLUGHVWDQRYDIDVHGR SURJUDPDHPVXDHVWUHLDQD%DQG :HOOLQJWRQ0XQL]R&HDUiYROWDUi DVHUXWLOL]DGRPDLVLQWHQVDPHQWH 7HUiPDLRUGHVWDTXH 7RGRVVHJXQGRHOHDSRVWDPQR VHXSRWHQFLDO

HORĂ&#x201C;SCOPO

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br

Š Revistas COQUETEL 2012

Mascote do Pan (?) voa- do Rio dor, objeto mĂĄgico de contos ĂĄrabes

Recurso Exame que substitui O adultĂŠvirtual o vestibular em algu- rio, para para achar o par mas fa- a moral amoroso, baseado culdades Pena em perfis A vida fĂ­sica do nerd

Animais do "Jurassic Park" (Cin.)

Exame que visa identificar o tumor

Função do replay no jogo de futebol

Eliane Giardini, atriz sorocabana

Expulsas do nariz pela expiração

Eliminar para sempre "Dentro, em "esoterismo

O futuro vegetal Sucesso de BeyoncĂŠ Pergunta que denota dĂşvida

Unidade de medida agrĂĄria Modifica

GarcĂ­a (?), poeta espanhol de "Yerma"

O

L

E

Sombrio Ir e (?), direito do cidadĂŁo

Cifra do acorde de dĂł maior (MĂşs.)

(?) Contra a Corrupção, movimento social (BR)

Ă&#x201C;leo, em inglĂŞs Fazer subir

Amigo do (?): o ladrĂŁo

(?) Salles, atriz de "Fina Estampa"

A voz do gato

O maior enigma do Universo

MĂŞs do dia da mentira RĂłtulo, em inglĂŞs Outlook Express (abrev.) Ashley Olsen, atriz e estilista

"Ordem", em OAB

3/ego â&#x20AC;&#x201D; oil â&#x20AC;&#x201D; tag. 4/alar â&#x20AC;&#x201D; born â&#x20AC;&#x201D; cauĂŞ â&#x20AC;&#x201D; gora. 6/marcha. 7/biĂłpsia â&#x20AC;&#x201D; desonra.

12

Solução D E D E N O S E O M E N G R GO A R A A L T T L E O R M R A I CA A VI D T R O

C N T A S A U P E T E I T A R E AT P E C I I O M A R A L A B T R O A R G O N

B R I A R O S P S E S O R I A R A D A A D A S I L C H A A E R R I L O E A T O F E

BANCO

AntĂ´nio Torres, escritor brasileiro

AeronĂĄutica (abrev.) Nascido, em inglĂŞs

Delata Construção de NoÊ (Bíb.)

Prato de carne, molho e cogumelos

Radical (abrev.) Inferior a todos

S D I T S E D E S E E N C O A N T A R O E S

Exaltadas por outrem Pedido da torcida de futebol Incomum; insĂłlito

Ato da torcida Apodrece (o ovo)

Bate-rebate

Ă RIES D Âą$XQLmR da Lua com Marte na sua casa VHLVLQGLFDXPERPPRPHQWRSDUD executar tarefas que aumentam sua HQHUJLDFRPRH[HUFtFLRVItVLFRV $SURYHLWHSDUDS{UVXDURWLQDHP RUGHPUHDOL]DQGRVXDVGHPDQGDV SHVVRDLVHSURÂżVVLRQDLV1RDPRU 2VDVWURVID]HPFRPTXHYRFr SHUFHEDFRPPDLVFODUH]DVXDV QHFHVVLGDGHVDIHWLYDVHYROWHD DSURYHLWDURVERQVPRPHQWRVD GRLV3ULRUL]HRDPRU TOURO â&#x20AC;&#x201C; (20/4 a 20/5) â&#x20AC;&#x201C; Use seu WHPSROLYUHSDUDWHQWDUHQWHQGHU FRPRVHXVVHQWLPHQWRVVHSURFHVVDPQRVHXtQWLPR2VSODQHWDVHP VHXVLJQROKHRULHQWDPDVHUFXLGDGRVRDROLGDUFRPDVDGYHUVLGDGHV GHPRQVWUDQGRGLVSRVLomRSDUDRXYLU DSHVVRDDPDGD GĂ&#x160;MEOS â&#x20AC;&#x201C; (21/5 a 21/6) â&#x20AC;&#x201C; Os asWURVTXHKRMHYLVLWDPRVHXVLJQRSHGHPXPDPXGDQoDPDLVHODERUDGD QDPDQHLUDFRPRYRFrFRVWXPDOLGDU FRPRVDVVXQWRVPDWHULDLVFRPR VXDVÂżQDQoDVHFRPRFRQYtYLRFRP VXDFDUDPHWDGH(QWHQGDPHOKRU VHXVVHQWLPHQWRV CĂ&#x201A;NCER â&#x20AC;&#x201C; (22/6 a 22/7) â&#x20AC;&#x201C; Com DXQLmRGD/XDFRP0DUWHD WHQGrQFLDpTXHYRFrVLJDVXD GHWHUPLQDomRRTXHOKHGHL[DPDLV VHJXURSDUDOLGDUFRPVHXVSUREOHPDV0DQWHQKDHPPHQWHTXHKi VHQWLPHQWRVHQYROYLGRVHQmRVH LQĂ&#x20AC;XHQFLHSHODFRPSHWLWLYLGDGH LEĂ&#x192;O Âą D Âą(VWiQDKRUD GHDFHLWDUTXHDLQWLPLGDGHFUHVoD HPVHXUHODFLRQDPHQWRIDFLOLWDQGR DVROXomRGHSUREOHPDV6DLEDDWHQGHUDVXUJrQFLDVGHURWLQDSRUpP VHPQHJOLJHQFLDURFRWLGLDQRDIHWLYR 'DUFDULQKRWDPEpPpXPDIRUPD GHUHVSHLWR VIRGEM Âą D Âą6HX VLJQRUHFHEHDXQLmRHQWUH/XDH 0DUWHRGHL[DPDLVGHWHUPLQDGRH FRPVHQVRFUtWLFRPDLVDSXUDGR LQGLFDQGRTXHpSUHFLVRWHUFDXWHOD FRPVXDVUHODo}HV(YLWHH[SRUVXDV FUtWLFDVHSULRUL]HGDUDSRLRDTXHP SUHFLVD7HQKDFXLGDGR LIBRAÂą D Âą2GLDVHUi PDUFDGRSHODVXDGHWHUPLQDomRHP YHQFHUREVWiFXORVMiTXHDXQLmRGD /XDFRP0DUWHQRVHXVHWRUGHFULVH OKHLQFHQWLYDDUHVROYHURVSUREOHPDV3RUpPpSRVVtYHOTXHYRFr WHQKDXPDSRVWXUDHJRtVWD)LTXH

A atriz Alessandra Negrini HRGLUHWRUGHIRWRJUDÂżD:DOWHU&DUYDOKR estiveram na sede do Canal Brasil na quarta, como convidados do â&#x20AC;&#x153;Cine Chat Brasilâ&#x20AC;?. O programa tem o intuito de aproximar os fĂŁs de cinema dos seus idealizadores. Os dois revelaram todos os detalhes do longa-metragem â&#x20AC;&#x153;A erva do ratoâ&#x20AC;? (2009), dirigido por Julio Bressane

Mudança

(VSDoRGHOLPLWDGR

5D¿QKD%DVWRVDGLRXDVXDYLDJHP SDUDRV(VWDGRV8QLGRV$JRUDHOH VyYDLQDVHJXQGDTXLQ]HQDGH DEULOFRPRREMHWLYRGHDFRPSDQKDU PDLVGHSHUWRWRGRRSURFHVVRGH FULDomRHSURGXomRGR³6DWXUGD\ 1LJKW/LYH´ $WpOi5D¿QKDFRQWLQXDUiSDUWLFLSDQGRGDVUHXQL}HVGLiULDVGR SURJUDPDQD5HGH79

6HPRVGLUHLWRVGRV-RJRV2OtPSLFRVGH/RQGUHVQRVLVWHPDDEHUWR HFUHGHQFLDGDDSHQDVQD79SDJD YLD%DQGVSRUWVD%DQGHLUDQWHVGDUi DWHQomRDRHYHQWR³GHQWURGRVOLPLWHV´TXHSXGHUDWXDUUHVSHLWDQGR DVGHWHUPLQDo}HVGR&2,¹&RPLWr 2OtPSLFR,QWHUQDFLRQDO 6HJXQGRVXDGLUHomRD%DQG WDPEpPJRVWDGHVHUUHVSHLWDGD TXDQGRGRRXWURODGR¹HSRURXWUR ODGRKRMHHQWHQGDVH795HFRUG

A propĂłsito ([LVWHXPLQGLFDWLYRLPSRUWDQWH QHVVDPXGDQoDGHSODQRVGR 5DÂżQKD%DVWRV 'HL[DQGRSDUDYLDMDUQDVHJXQGD TXLQ]HQDGHDEULOpIiFLOFRQFOXLU TXHDHVWUHLDGRSURJUDPDDQWHV DQXQFLDGDSDUDRSUy[LPRPrVYDL DFRQWHFHUVyHPPDLR1DPHOKRU GDVKLSyWHVHV

PontapĂŠ inicial $SDUWLUGHMXQKRIDOWDQGRGRLVDQRV SDUDD&RSDGR0XQGRQR%UDVLO RGHSDUWDPHQWRGH-RUQDOLVPRH (VSRUWHGD%DQGHLUDQWHVGDUiR SRQWDSpLQLFLDOQRVSUHSDUDWLYRV SDUDDVXDFREHUWXUD 7XGRRTXHHVWLYHUUHODFLRQDGRj iUHDGHWHOHFRPXQLFDo}HVWUDQVSRUWHKRWHOXQLIRUPHVHTXDQWLGDGH GHSURÂżVVLRQDLVFRPHoDUiDVHU GLVFXWLGRHPUHXQL}HVGDTXLDWUrV meses.

5HSRUWDJHPHVSHFLDO 1HVWHViEDGRQRWHOHMRUQDO³+RMH´ D*ORERYDLH[LELUXPDUHSRUWDJHP HVSHFLDOGDFRUUHVSRQGHQWH,O]H 6FDPSDULQLQR,QVWLWXWR,WDOLDQRGH 0RGD7UDWDVHGHXPDGDVPDLV WUDGLFLRQDLVHVFRODVGH5RPD ,O]HFRQYHUVDFRPDOXQRVSURIHVVRUHVHDLQGDPRVWUDRVPRGHORV DVPLVWXUDVHWHQGrQFLDVGRVMRYHQV HVWLOLVWDV

Retorno do Jô 5RGULJR/RPEDUGLWHPSUHVHQoD FRQ¿UPDGDQRSULPHLUR³3URJUDPD GR-{´GHVWHDQRTXHD*ORERDSUHVHQWDVHJXQGDIHLUDGLD 2DWRUYDLIDODUVREUHRWUDEDOKRQR HVSHWiFXOR³'RQ-XDQ´HWDPEpP VREUHRVSUHSDUDWLYRVSDUDYLYHU RSURWDJRQLVWDGH³6DOYH-RUJH´ SUy[LPDQRYHODGH*OyULD3HUH]

¡ Hoje, na Livraria Cultura, no shopping Market Place, em SĂŁo Paulo, a apresentadora do programa â&#x20AC;&#x153;Ritmo Brasilâ&#x20AC;?, Faa Morena e a jornalista Andrea Dallevo promovem noite de autĂłgrafos do livro â&#x20AC;&#x2DC;Sobre...VivĂŞnciaâ&#x20AC;&#x2122;, que reĂşne contos e poemas. Ă&#x201A;1HWRFRPHQWDULVWDIRLXPGRV SULPHLURVDJUDYDUSDUDRÂł3kQLFR´ GD%DQGHLUDQWHV ¡ O trabalho foi realizado em Cotia. A Bandeirantes, na verdade, estĂĄ em â&#x20AC;&#x153;Pânicoâ&#x20AC;?. O movimento nos seus corredores nunca foi tĂŁo grande. Ă&#x201A;$LQGDVREUHD%DQGDLGHLDGHXP SURJUDPDGHFDORXURVQDVWDUGHV GHViEDGRDRTXHSDUHFHQmR DYDQoRX ¡ Na Record, Rodrigo Faro estreia hoje novos cenĂĄrios e novos quadros no programa â&#x20AC;&#x153;O Melhor do Brasilâ&#x20AC;?. Estava mesmo na hora de mudar alguma coisa. Ă&#x201A;$*ORERDLQGDQmRGHFLGLXTXHP VHUiRVHXFRUUHVSRQGHQWHHP$QJROD-iH[LVWHPDOJXQVFDQGLGDWRV ¡ â&#x20AC;&#x153;Amor Eterno Amorâ&#x20AC;?, nova novela das 6 na Globo, impressiona pela beleza da sua captação. As cenas estĂŁo realmente muito bonitas. Ă&#x201A;0DVDKLVWyULDpFRQKHFLGD-i IRLFRQWDGDGHRXWUDVPDQHLUDV ,Q~PHUDVYH]HV ¡ Em seu programa no canal â&#x20AC;&#x153;E!â&#x20AC;?, segunda-feira, Ă s 22h30, Amaury Junior e Laura Wie irĂŁo entrevistar o cantor Tiaguinho e a atriz Morena Baccarin. Ă&#x201A;%RQLQKRSURPHWHVXUSUHVDVQR Âł%LJ%URWKHU´LQFOXVLYHVREUHPXGDQoDVQRVGLDVGRVSDUHG}HV ¡ O programa, a partir de agora e DSUR[LPDQGRVHGRVHXÂżQDOQRGLD 29, vai ganhar um ritmo diferente.

&¡HVWĂ&#x20AC;QL 7UrVQRYRVSURJUDPDVLUmR HVWUHDUQHVWHGRPLQJRGD79 Cultura. ÂŹVKYDLDRDUÂł20LODJUH GH6DQWD/X]LD´XPHQFRQWURGR'RPLQJXLQKRVFRPRV SULQFLSDLVVDQIRQHLURVGHWRGRR SDtVeXPDVpULH0DLVWDUGH GDQRLWHDSULPHLUDH[LELomRGR Âł79)ROKD´FRPUHSRUWDJHQVH HQWUHYLVWDVH[FOXVLYDV(SRUÂżP jVKQRÂł/HJLmR(VWUDQJHLUD´DMRUQDOLVWD0{QLFD7HL[HLUD FRPDQGDXPDFRQYHUVDFRP RVSULQFLSDLVFRUUHVSRQGHQWHV HVWUDQJHLURV (QWmRpLVVR0DVDPDQKmWHP PDLV7FKDX

DOUTORADO DWHQWR (6&253,­2Âą D Âą 2VSODQHWDVSRVLFLRQDGRVHPVHX VLJQROKHLQFHQWLYDPDFRORFDUR DPRUFRPRSULRULGDGHQDVXDURWLQD 1HVWHPRPHQWRpSUHFLVRUHYHUR TXHYRFrFRQVLGHUDLPSRUWDQWHQR VHXUHODFLRQDPHQWRHQFRQWUDQGR SRQWRVGHPHOKRULD(VIRUFHVH SAGITĂ RIO â&#x20AC;&#x201C; (22/11 a 21/12) â&#x20AC;&#x201C; A WHQGrQFLDpTXHYRFrÂżTXHPDLV HPSHQKDGRHPVXDVWDUHIDVGHWUDEDOKRMiTXHRHQFRQWURHQWUH/XDH 0DUWHOKHLQFHQWLYDDVHGHGLFDUDRV VHXVSURMHWRV3RUpPpSRVVtYHO TXHVHXFRPSRUWDPHQWRFRPSHWLWLYR FDXVHSUREOHPDV&XLGDGR CAPRICĂ&#x201C;RNIO â&#x20AC;&#x201C; (22/12 a 19/1) Âą6XDFDVDQRYHDEULJDDOLJDomR HQWUH/XDH0DUWHDXPHQWDQGR VXDIRUoDLQWHULRUHLQFHQWLYDQGR TXHYRFrEXVTXHQRYRVKRUL]RQWHV $SURYHLWHSDUDVDLUGDURWLQDH DSUHQGHUPDLVH[SHULPHQWDUFRLVDV GLIHUHQWHVHVXSHUDURVSUREOHPDV 1RDPRUVHMDPDLVFDXWHORVRDR LQWHUDJLUFRPVXDFDUDPHWDGHSRLV QmRpDFRQVHOKiYHODJLUGHPRGR LPSXOVLYRMiTXHpJUDQGHDWHQGrQFLDDGHVHQWHQGLPHQWRV&RORTXHR EHPHVWDUHPRFLRQDOGHYRFrVHP SULPHLUROXJDU AQUĂ RIO â&#x20AC;&#x201C; (20/1 a 18/2) â&#x20AC;&#x201C; O enFRQWURGD/XDFRP0DUWHOKHLQFHQWLYDDVHJXLUVHXVLQVWLQWRVPDVLVVR GHYHVHUDQDOLVDGRFRPFDXWHOD 6HXPDJQHWLVPRVH[XDOHVWiPDLV DOWRHYRFrGHYHXVDUHVVDFRQGLomR DVHXIDYRUQDVXDYLGDDIHWLYD0DV HYLWHVHDUULVFDUGHPDLV(FRQRPLFDPHQWHQmRGrRSLQL}HVFRP EDVHHPSULPHLUDVLPSUHVV}HVRX HPRo}HVWHQGHDSX[DUDEUDVD SDUDVXDVDUGLQKD PEIXES Âą D 3RVLFLRQDGDQDVXDFDVDVHWHD/XDVH XQHD0DUWHHLQGLFDXPDIDVHHP TXHVXDVUHODo}HVSHVVRDLVVHWRUQDPPDLVIRUWHV$KRUDpERDSDUD UHDOL]DUFRQTXLVWDVLPSRUWDQWHV SRLVDVSDUFHULDVHVWmRDOWDPHQWH SURGXWLYDV$SURYHLWH 1RDPRU 2VDVWURVTXHLQĂ&#x20AC;XHQFLDPVHXVLJQR KRMHOKHGHL[DPPDLVVHQVtYHO DOHUWDQGRSDUDXPDWHQGrQFLDD H[DJHUDUGRGUDPDDROLGDUFRPRV LPSDVVHVDPRURVRV&RQWUROHVH SDUDTXHSHTXHQRVSUREOHPDVQmR WRPHPSURSRUo}HVPDLRUHV

Livro-referência sobre Clarice Lispector ganha nova edição

D

esde que foi publicada com apenas 500 exemplares em 2000, pela Universidade do Minho, a tese de doutorado â&#x20AC;&#x153;Clarice Lispector â&#x20AC;&#x201D; Figuras da escritaâ&#x20AC;?, do portuguĂŞs Carlos Mendes de Sousa, tem funcionado como referĂŞncia para todos os estudiosos na obra da escritora brasileira. Agora, HQĂ&#x20AC;PROLYURJDQKDXPDWLragem trĂŞs vezes maior, em edição do Instituto Moreira

Salles. Sousa, de 52 anos, pensou em fazer alteraçþes para a nova edição, mas desistiu da empreitada. â&#x20AC;&#x153;HĂĄ muita coisa importante que se escreveu depois; eu poderia colocar notas, mas o texto tem uma estrutura coesa, os capĂ­tulos nĂŁo seguem aleatoriamenteâ&#x20AC;?, explica ele, que tambĂŠm rejeitou propostas anteriores de redução do livro (632 pĂĄginas). O estudo segue a cronologia dos livros de Clarice, da estreia com â&#x20AC;&#x153;Perto do coração selvagemâ&#x20AC;? (1943) Ă ultima obra publicada em

vida, â&#x20AC;&#x153;A hora da estrelaâ&#x20AC;? (1977). Mas nĂŁo os analisa como produtos independentes, e sim em busca de um amplo quadro sobre uma escritora tĂŁo peculiar, ressaltando as passagens de sua vida pessoal. â&#x20AC;&#x153;Quando comecei a estudar literatura, havia a marca forte do estruturalismo. SĂł interessava o texto, como se o autor nĂŁo existisseâ&#x20AC;?, lamenta Sousa, que descobriu Clarice em 1979. Ele estava busFDQGRELEOLRJUDĂ&#x20AC;D para um trabalho sobre â&#x20AC;&#x153;BanguĂŞâ&#x20AC;?, de JosĂŠ Lins do Rego. Deparou-se com um nome diferente, Lispector, e um tĂ­tulo estranho, â&#x20AC;&#x153;A maçã no escuroâ&#x20AC;?. Cativado no primeiro contato, enfronhou-se nos escritos de e sobre Clarice atĂŠ em 1992 iniciar o doutorado. De sua tese, salta logo o conceito de â&#x20AC;&#x153;nĂŁo lugarâ&#x20AC;?, ou seja, o lugar Ăşnico que a mulher nascida na Ucrânia e de famĂ­lia que falava Ă­diche ocupou na literatura brasileira, distante das correntes regionalistas. â&#x20AC;&#x153;Muitos tentaram aproximĂĄ-la de romances psicologistas como os de CornĂŠlio Penna e LĂşcio Cardoso, mas estes ainda tĂŞm ancoragem em lugares. JĂĄ Clarice vai construir sua literatura fora dissoâ&#x20AC;?, destaca ele, que tem notas para mais dois estudos relacionados Ă escritora.


4

TribunaIndependente

DIVERSĂ&#x192;O&ARTE MACEIĂ&#x201C; - SĂ BADO, 10 DE MARĂ&#x2021;O DE 2012

felipe1camelo@gmail.com felipecamelo@saladaonline.com.br camelofelipecamelo.blogspot.com

Papo cabeça de 2 bam-bam-bam da arquitetura alagoana, Jadson Amorim e Henrique Gomes no recente lançamento Saccaro. Entre eles, lĂĄ no fundo, d. Ana, eterna â&#x20AC;&#x153;convidadaâ&#x20AC;? de eventos em MaceiĂł. Seja polĂ­tico, social, agropecuĂĄrio, empresarial, funerĂĄrio... lĂĄ tĂĄ ela, observando tudo e todos. JĂĄ faz parte da cena. Evento sem ela, ĂŠ festa sem Ibope, algo errado acontecendo

Eca 1mR3DUDWXGRWHPSHUXDDTXLHP0DFHLyTXHFRORFDGH propĂłsito as etiquetas das roupas que usa pra fora, sĂł pra DOJXpPLUPRVWUDURXFRORFDUSUDGHQWURHDtHODDSURYHLWDSUD mostrar a grife. Pooodeee??? Ă&#x201D; inferno pra ter cĂŁo. Nojo de pessoa. Ainda se o diabo vestisse Prada...

Duplo Show

Inferno de trânsito na cidade, e num horroroso e constante â&#x20AC;&#x2DC;engarrafamentoâ&#x20AC;&#x2122; no Barro Duro, vi Baboo, fera da Iluminação pra lĂĄ de artĂ­stica, indo em sentido contrĂĄrio ao meu. Claro que nĂŁo poderia deixar de registrĂĄ-lo. Abç~, querido da Luz

Quero Participar O Pai da Preta ÂŹVGDQRLWHGRSUy[LPR dia 30, no Teatro Gustavo Leite, Gilberto Gil apresenta o show â&#x20AC;&#x2DC;Concerto de Cordas e MĂĄquinas de Ritmoâ&#x20AC;&#x2122;. TambĂŠm no palco, os feras Jaques Morelembaum, Nicolas Krassik, Gustavo Di Dalva e Bem Gil. Ah! Ă&#x161;nica apresentação. Ingressos, no estande Sue Chamusca, no MaceiĂł Shopping.

AtĂŠ as 3 da tarde do prĂłximo dia 21, quem curtir no Facebook do Ritz Lagoa da Anta, e clicar em â&#x20AC;&#x2DC;Quero Participarâ&#x20AC;&#x2122; na aba lateral do Fecebook â&#x20AC;&#x2DC;Sorteio de DiĂĄrias Ritzâ&#x20AC;&#x2122;, jĂĄ vai ta participando. Se atingirem 10.000 ou + fĂŁs, serĂŁo sorteadas 3 diĂĄrias. Se atingirem 12.000, alĂŠm das 3 diĂĄrias, + banho de ofurĂ´ pra 2 pessoas no Ritz Spa. Se chegarem a 15.000 ou +, sortearĂŁo 5 diĂĄrias + banho de ofurĂ´ no Ritz Spa + jantar pra 2 pessoas no Restaurante Cana CafĂŠ (sem as bebidas). 9DLSHUGHUHVWDFKDQFH"""$ÂżQDO HJUiWLVLPSHUGtYHO

A convite da Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, o show Saudades de Elis, apĂłs DEVROXWRVXFHVVRGHS~EOLFRHFUtWLFDHVWiGHYROWDDJRUD na praça Multieventos, Ă&#x20AC;s 8 e ½ da noite do prĂłximo dia 15, aberto ao pĂşblico, encerra as comemoraçþes da Semana da Mulher e da Cidadania, que este ano valorizou ainda + a arte alagoana. E a programação serĂĄ em dose dupla, FRQWDQGRDLQGDFRPDSUHVHQWDomRGDFDQWRUD3DWUtFLD Polayne (prĂŞmio ItaĂş Cultural), que apresentarĂĄ Ă s 7 horas RVKRZÂł$V&DQo}HVGH([tOLR´1RGLDGHMDQHLURGLD em que Elis Regina fez 30 anos de felecida, 11 artistas alagoanos subiram ao palco do Teatro Gustavo Leite e SUHVWDUDPEHOtVVLPDKRPHQDJHPFRPRWHDWURFRPSOHWDmente lotado (1.200 pessoas), que se emocionaram com DVYR]HVGH/HXUHQ\DDQÂżWULmGDQRLWHHVHXVFRQYLGDGRV Wilma AraĂşjo, Irina Costa, Elaine Kundera, Junior Almeida, Igbonan Rocha, WIlma Miranda, Dydha Lyra, Nara Cordeiro, Cris Braun e Fernanda GuimarĂŁes, e cada 1 com seu estilo, fez o pĂşblico aplaudir de pĂŠ. Sob a direção musical de Felix Baigon, direção cĂŞnica de JosĂŠ MĂĄrcio Passos e produção HURWHLURGH6,OYDQD&KDPXVFDHEDQGDGHÂ?7RQ\ Augusto, Allysson Paz, China, Van SIlva, Jiuliano Gomes, Dinho Zampier. Portanto, ĂŠ juntar a turma e se divertir. E o melhor, de graça. Quem informa e convida ĂŠ a produtora FXOWXUDO6LOYDQD&KDPXVFD,PSHUGtYHO

Designer de jĂłias badalada mundo afora, Bruna Bert roubando a cena com seus detalhes pra lĂĄ de estilosos. â&#x20AC;&#x153;Nem vou pedir pra vocĂŞ nĂŁo publicar essa minha comendo, nĂŁo vai adiantar, nĂŁo ĂŠ Camelo?â&#x20AC;?. NĂŁo querida, aqui estĂĄ vocĂŞ, maravilhosa

4Âş FeirĂŁo Ativa presidente da Associação Alagoana de Colunista Sociais, Jacira LeĂŁo convidando â&#x20AC;&#x2DC;confrades e confreirasâ&#x20AC;&#x2122; pro 1Âş Encontro Alagoano da Categoria, que acontecerĂĄ em Arapiraca no Ăşltimo ÂżQDOGHVHPDQDGH março. Programação pra lĂĄ de agitada, com total apoio do prefeito Luciano Barbosa. E da locomotiva Rose Carrel, claro

Das 8 da manhĂŁ Ă s 8 da noite, da prĂłxima 2ÂŞ, 12, atĂŠ a prĂłxima 6ÂŞ, dia 16, Edufal realiza seu Â&#x17E;)HLUmRGH/LYURV1D praça de conveniĂŞncias do Campus, + de WtWXORV(HVWHDQR QRYLGDGHR)HVWLYDO de Importados, quando estarĂŁo a venda livros de editoras universitĂĄrias de SDtVHVGD$PpULFD/DWLQD Descontos de 50% nos livros da Edufal e de 30% nas demais editoras e nos importados.

Tradicionalíssimo 1R~OWLPRGLD-DUDJXi7rQLV&OXEHFRPSOHWRXDQRVGHH[LVWrQFLD$VFRPHPRUDo}HVFRPHoDUDPFRP&OLQLFDGH7rQLV1DVTXDGras, Osvaldo Maraucci, consagrado tenista e jornalista, e Marina Tavares, tenista alagoana badalada mundo afora. Durante toda a semana, torneio aberto da Federação Alagoana de Tênis, encerrando-se hoje, quando acontece o lançamento de + 1 projeto social pra utilização do Tênis pra cadeirantes, numa parceria com a Federação Alagoana de Tênis e Confederação Brasileira de Tênis. E hoje à noite, no salão SULQFLSDOVXSHUFRTXHWHOFHOHEUDQGRRODQoDPHQWRGRVHORFRPHPRUDWLYRGRDQRVGR-DUDJXi7rQLV&OXEH5HFHEHQGRRSUHVLGHQWH Leonardo Pinto Júnior. ParabÊns à diretoria pelo quase centenårio e aos associados, por prestigiarem os acontecimentos no clube.

I Assembleia

Cheia de histĂłria

A

Guatemala vem, aos poucos, sendo descoberta pelos viajantes do mundo todo. O â&#x20AC;&#x153;Coração do Mundo Maiaâ&#x20AC;? abriga, quase intocada, a herança espanhola de sua colonização, assim como as ruĂ­nas bem preservadas do ImpĂŠrio Maia. Para conhecer este paĂ­s de impressionante beleza natural e enorme acervo histĂłrico sugerimos um roteiro especial para vocĂŞs! Antigua serĂĄ o primeiro local desvendado nesse itinerĂĄrio. Capital guatemalteca atĂŠ o ano de 1776, ela estĂĄ a 1.530 metros de altitude e ĂŠ considerada um PatrimĂ´nio Mundial pela Unesco. HistĂłrica e elegante, a fama da cidade pMXVWLĂ&#x20AC;FDGDDR se passear pelas vielas ladeadas pelo casario que ainda permanece intocado e suas igrejas que marcaram a conquista do paĂ­s. Como suas ruas sĂŁo estreitas, o transporte ideal no antigo municĂ­pio ĂŠ o tuc-tuc, que carrega turistas e moradores com destreza. A hospedagem no El Convento Hotel Boutique, um elegante edifĂ­cio em estilo colonial espanhol, garante fĂĄcil acesso aos principais pontos de interesse. O roteiro inclui tambĂŠm visitas Ă Catedral Metropolitana, construção datada de 1680 com concepção renascentista, Ă  Igreja de La Merced, que abriga uma fusĂŁo da arquitetura espanhola com a maia, gerando um barroco Ăşnico, e ao MonastĂŠrio de SĂŁo Francisco, que reĂşne 42 quadros pintados em 1695 por CristĂłbal de Villalpando retratando a vida do santo.

Em Brennand 1

Termina hoje a I Assembleia Geral Ordinåria deste ano da Associação Nacional de Secretårios e Dirigentes de Turismo das Capitais e Destinos Indutores (Anseditur, que acontece no Hotel Radisson Maceió. De acordo com a secretåria da Semptur, Claudia Pessoa, o evento Ê itinerante entre as cidades associadas. Uma das novidades da Anseditur Ê o convênio com o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Econômico e Social (IBDES) para o desenvolviPHQWRGDSULPHLUDIHLUDGH7XULVPRGRSDtVHPXPDPELHQWHWRWDOPHQWHYLUWXDOTXHRIHUHFHUi DRVGHVWLQRVWXUtVWLFRVEUDVLOHLURVDSRVVLELOLGDGHGH¿FDUHPHPH[SRVLomRGXUDQWHV KRUDVQRVVHWHGLDVGDVHPDQD2HQGHUHoRZZZQRVVDIHLUDQDZHEFRPGHVWLQRVGREUDVLO HVWDUiGLVSRQtYHOHPGHPDUoR

Poucas pessoas tĂŞm a oportunidade de entrar em um castelo na vida, e muito menos em um castelo que abriga tantas obras de arte de tĂŁo diversas ĂŠpocas como ĂŠ o Instituto Ricardo Brennand, em 5HFLIHeLPSRVVtYHOQmRVHDGPLUDUFRPDVXQWXosidade do lugar e o visitante em muitos momentos se pega imaginando estar em outro sĂŠculo. Vale visita sim, Recife ĂŠ bem ali, muita gente vaia a negĂłcios faz uma parada rĂĄpida.

Em Brennand 2 O Instituto possui um rico acervo de armas brancas e de fogo, totalizando cerca de cinco mil itens, que ÂżFDPDORMDGDVQR0XVHX&DVWHOR6mR-RmR7DPbĂŠm faz parte da exposição permanente do lugar a mostra do pintor Frans Post, intitulada â&#x20AC;&#x153;Frans Post e o Brasil HolandĂŞs. Funciona de terça-feira a GRPLQJRGDVKjVK(QWUDGD5 LQWHLUD  H5 HVWXGDQWHVSURIHVVRUHVHLGRVRVDFLPDGH DQRVFRPGRFXPHQWDomRFRPSUREDWyULD 2EV Crianças atĂŠ sete anos nĂŁo pagam entrada. Mais LQIRUPDo}HV

Coisas de MaceiĂł

MaceiĂł foi destaque novamente na intenet. Desta vez o site Destinos fez uma espĂŠcie de raio X dos PRWLYRVTXHRWXULVWDWHPSDUDYLUHÂżFDUXPWHPSR na capital alagoana. Entre eles, praias calmas, ĂĄgua morna, sol, muito sol e boa comida... Coisas de MaceiĂł. Na lista albergues, hotĂŠis e restaurantes como o Divina Gula! SĂł os tops.

Sem caristia Quem for viajar no feriado de Påscoa não vai encontrar preços mais caros do que os praticados no ano passado. A avaliação Ê do vice-presidente da Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), Afonso Gomes Louro, segundo o qual os preços continuam VLPLODUHVDVHQGRSRVVtYHODWp achar pacotes cerca de 5% a 7% mais baratos, especialmente para o Nordeste. De acordo com Louro, os pacotes internacionais, como para Buenos Aires e Santiago, tambÊm podem ser encontrados pelo mesmo preço ou atÊ 5% mais em conta, na comparação com o ano passado. Passado o Carnaval, tem LQtFLRRSHUtRGRGHEDL[DWHPSRUDGD que compreende os meses de março a MXQKR1HVWHSHUtRGRGL]DRSHUDGRUD redes hoteleiras e empresas de turismo receptivo congelam ou reduzem os preços de seus tarifårios ou oferecem descontos. portanto, procure direito.

CamarĂŁo das Ostras

A gastronomia Ê, sem dúvida, um dos principais atraWLYRVWXUtVWLFRVGH0DFHLy(PDUFRXSUHVHQoDRQWHP na I Assembleia Geral Ordinåria (2012) da Associação dos Dirigentes das Capitais e Destinos Indutores (Ansidetur). E o principal atrativo foi o Camarão do Bar das Ostras, preparado pelo chef Breno Gama (Maria Antonieta e ArmazÊm Guimarães). Tombado como Patrimônio Cultural Imaterial de Alagoas, em 2011, graças a um projeto patrocinado pela Sococo, o camarão estå entre RVFDPSH}HVGHSHGLGRVQRUHVWDXUDQWH´

Edição número 1390 10 de março de 2012  

Edição Digital Jornal Tribuna Independente TribunaHoje.com

Advertisement