Page 1

CIDADES Alagoas deixa de ser líder em mortalidade infantil e agora ocupa a 11ª colocação 10 EXEMPLAR DO ASSINANTE

SEXTA-FEIRA

MACEIĂ“ - ALAGOAS - 23 DE DEZEMBRO DE 2011 - NÂş 1325 - R$ 1,50 INSTITUTO LULA

LULA recebeu das mĂŁos de Dilma o presente dos catadores

LEMBRADO

ELIANA CALMON

Dilma leva a ‘O CNJ nĂŁo ĂŠ Lula presente um clube de dos catadores magistrados’ A presidenta Dilma Rousseff se encontrou ontem com o ex-presidente Lula, que se submete a um tratamento contra um câncer na laringe, e lhe entregou um presente dos catadores de materiais reciclĂĄveis. Antes do encontro, ela esteve na festa de Natal dos catadores e moradores de rua, da qual Lula participou todos os anos desde que assumiu a presidĂŞncia, em 2003. Dilma desejou a Lula saĂşde, paz e prosperidade em 2012. 7

COTIDIANO

Na manhã de hoje estarão juntos pela mesma causa o senador Renan Calheiros e o governador Teotonio Vilela, quando acontecerå a entrega de 489 casas do Programa da Reconstrução na cidade de Murici... Påg. 5

TRIBUNA LIVRE

Onze municípios alagoanos foram incluídos na relação GRVEHQH¿FLDGRVFRPREUDV de abastecimento de ågua e esgotamento sanitårio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2. Os contratos foram... Påg. 4

A corregedora do Conselho Nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, mais uma vez entrou em choque com os juĂ­zes ao rebater ontem acusaçþes feitas por entidades de magistrados de que teria orientado uma devassa nas contas de mais de 200 mil servidores do JudiciĂĄrio, entre eles juĂ­zes. A ministra disse tambĂŠm que nĂŁo pretende explicar o trabalho aos demais ministros, pois “o CNJ nĂŁo ĂŠ um clube de magistradosâ€?. 7

tribunahoje.com

Mulheres temem que maridos militares sejam envenenados em presĂ­dio Conselho Estadual de Direitos Humanos sustenta que PMs transferidos para o Baldomero Cavalcanti sofrem “ameaça veladaâ€? de presidiĂĄrios e podem ser feitos refĂŠns ou assassinados se acontecer alguma rebeliĂŁo PĂĄg. 9 DAVI SALSA

NATAL NA ALDEIA

Papai Noel leva presentes para crianças Ă­ndias Papai Noel trocou o trenĂł por uma Kombi e levou ontem presentes para 84 crianças na aldeia da tribo KarapotĂł-Plak-Ă´, no municĂ­pio de SĂŁo SebastiĂŁo. Em agradecimento, os Ă­ndios cantaram e dançaram o torĂŠ para o “Bom Velhinhoâ€?. Em MaceiĂł, hoje, haverĂĄ novos shows na Praça Multieventos. As grandes atraçþes serĂŁo os grupos de pastoril e de fandango. 12

OAB É CONTRA

FUTEBOL

Para o presidente da OAB/ AL, Omar CoĂŞlho, as liminares do STF que esvaziam o CNJ sĂŁo um “atentado Ă cidadania, um retrocessoâ€?. Segundo ele, “o magistrado tem que entender que ĂŠ um servidor pĂşblico como outro qualquerâ€? e deve ser punido quando erra. 4

Com um show da dupla Neymar e Marta - que deixou um gol - a seleção dos amigos do santista venceu por 6x4 a seleção baiana em jogo beneficiente ontem, em Salvador. A alagoana foi a única mulher entre os jogadores e recebeu o trofÊu de melhor em campo. 16

DENĂšNCIA

BOA NOTĂ?CIA!

Show da dupla ‘Ney-Marta’ em Salvador

Omar CoĂŞlho vĂŞ retrocesso nas liminares

Ă gua Doce terĂĄ R$ 16 milhĂľes para o SertĂŁo

MP investiga nepotismo em Branquinha

O MinistÊrio Público vai Um convênio entre a Seinvestigar denúncia de necretaria do Meio Ambiente MARTADPHOKRUGRPXQGRWRFDDERODVRERROKDUDWHQWRGH1H\PDUGXUDQWHMRJREHQH¿FHQWH potismo em Branquinha, e dos Recursos Hídricos e administrado pela prefeita o MinistÊrio do Meio AmBRENO AIRAN Renata Moraes (PMDB), biente garantiu R$ 16 miapós representação feita pelo lhþes para o Programa à gua Movimento de Combate à Doce, que leva ågua potåvel Corrupção Eleitoral. Na lispara comunidades do Semita, familiares, ente os quais o årido alagoano. No Estado, marido e a mãe da prefeita, o Programa atende comuatuam nos altos cargos da nidades com o Sistema Simadministração municipal. 3 ples de Dessalinização. 13 TEMPO

SOB SUSPEITA Bom a parcialmente nublado com possiblidades de chuvas em ĂĄreas isoladas

MĂ­nima

20Âş

MĂĄxima

30Âş

MarĂŠs

02:21 2.0 08:34 0.2 14:36 2.0

FINANÇAS DÓLAR COMERCIAL R$ 1,85 R$ 1,85 DOLAR PARALELO R$ 1,88 R$ 1,98 OURO: R$ 95,50 POUPANÇA: 0,6085%

NATAL AMARGO

Congresso corta repasses para Macrodrenagem A Macrodrenagem do Tabuleiro do Martins, em Maceió, estå entre as cinco obras do país que tiveram repasses suspensos pelo Congresso Nacional, na noite de quinta-feira. Em novembro, o TCU jå havia recomendado a paralisação da macrodrenagem. Påg. 5

IncĂŞndio consome a casa e o sonho de dona-de-casa

BOMBEIRO faz o trabalho de rescaldo no que sobrou do imĂłvel da dona-de-casa gestante

A dona-de-casa Ana Paula, no oitavo mês de gravidez, perdeu ontem, num incêndio que destruiu sua casa, no Conjunto Lucila Toledo, todos seus móveis e o enxoval do bebê, que guardava com ansiedade. Doaçþes podem ser feitas pelo fone 3311-1328. Påg. 9


TribunaIndependente

2 POLĂ?TICA MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

PolĂ­tica

Conselheiro destaca vagas para SRUWDGRUHVGHGH¿FLrQFLDHPFRQFXUVR Durante a sessão de ontem do Tribunal de Contas, após a sustentação de defesa do advogado à lvaro Torres, foi dado início à votação. O primeiro voto foi do relator conselheiro Otåvio Lessa. Na sequência, o conselheiro $QVHOPR%ULWR destacou a regulamentação das YDJDVGHUHVHUYDVSDUDSRUWDGRUHVGHGH¿FLrQFLDHUHVVDOWRXDV multas pelo não envio de documentos relativos à contratação da empresa, defendendo a anulação do concurso público.

Prefeito ĂŠ multado e concurso anulado

Tribunal de Contas do Estado concede prazo de 30 dias para a promulgação de novo edital em Colônia Leopoldina LUIS VILAR REPÓRTER

O

Tribunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE/AL) decidiu no dia de ontem, 22, pela manutenção da anulação do edital do concurso público da Prefeitura Municipal de Colônia Leopoldina. De acordo com informaçþes do MinistÊrio Público de Contas, os itens que levaram o TC a anular o concurso servirão de parâmetro para todos os casos semelhantes que venham a ser analisados pelos conselheiros. A sessão contou com a presença de toda a Corte para que se analisasse o processo, que teve como relator o conselheiro Otåvio Lessa. Ao votar pela anulação do concurso, Lessa destacou o fato de apenas uma empresa ter participado do processo de tomada de preço, organizado pela prefeitura.

O conselheiro frisou que nĂŁo havia sequer como optar pela escolha do menor preço, pois “nĂŁo havia outros preços apresentadosâ€?. OtĂĄvio Lessa ainda falou da ausĂŞncia de vagas destinadas aos SRUWDGRUHV GH GHĂ€FLrQFLDV fĂ­sicas e – em sua avaliação – problemas de ordem tĂŠcnica para a realização do concurso, na escolha da organizadora. Antes do voto de Lessa, o procurador do MP de Contas, Ricardo Schneider, leu o parecer no qual apresentou as razĂľes pelas quais havia sugerido a suspensĂŁo do edital. Basicamente se reapresentou a sĂŠrie de motivos que levou a suspensĂŁo do concurso no mĂŞs de setembro, o edital referente ao certame – conforme informaçþes do MP de Contas – afronta Ă Constituição Federal, por nĂŁo destinar reserva de percentual a portadores de necessidades especiais.

AlĂŠm disto, fere a resolução do TCE por nĂŁo haver enviado cĂłpia dos procedimentos licitatĂłrios, que deveria ter ocorrido ainda no primeiro semestre deste ano. O TC jĂĄ havia determinado tambĂŠm o envio de toda a documentação atinente Ă contratação da empresa Master Consultoria, para que fosse devidamente analisada. 3RU Ă€P R FHUWDPH IRL anulado por unanimidade com os votos dos conselheiros Isnaldo BulhĂľes, Rosa Albuquerque, Maria Cleide, Anselmo Brito, OtĂĄvio Lessa e do procurador Ricardo Schneider. Por decisĂŁo do 7&(Ă€FDHVWDEHOHFLGRRSUDzo de 30 dias para a publicação de novo edital, enquadrado dentro das normas vigentes. AlĂŠm da anulação do concurso, o prefeito CĂĄssio Alexandre Reis (PDT) foi multado em R$ 1.621 e 100 UPFALs. DIVULGAĂ‡ĂƒO

ASCOM TCE

Corte de Contas julgou que não havia opção de empresas em licitação para organização do concurso

0(12535(d2

Defesa alegou pressa pela escolha do tipo de licitação

Prefeito CĂĄssio Reis foi multado pelo Tribunal de Contas; TC exige novo edital em dez dias

A defesa da Prefeitura de ColĂ´nia Leopoldina foi feita pelo advogado Ă lvaro Torres, por meio de sustentação oral. O advogado destacou a lisura do processo, lembrando de como a administração municipal procedeu para composição do edital e contratação da empresa. Segundo a defesa, foi levado em conta questĂľes relativas tambĂŠm a segurança e a tĂŠcnica na realização do concurso pĂşblico. Para o advogado, a Prefeitura precisou agir com celeridade e por isto procedeu na escolha da modalidade da licitação, pensando na possibilidade de expiração do Termo de Ajustamento de Conduta que o prefeito CĂĄssio Alexandre jĂĄ havia Ă€UPDQGR FRP R 0LQLVWpULR PĂşblico do Trabalho. “Sabemos que a licitação tĂŠcnica e preço se estende

pelo dobro do prazo da licitação de menor preço�, coloFRX MXVWLÀFDQGR D WRPDGD como ocorreu. à lvaro Torres ainda defendeu a taxa de inscrição estabelecida pela prefeitura, pois – segundo ele - muitos moradores do município são carentes e por esse motivo se deu a inscrição por menor preço. A sustentação oral do advogado foi vista como um marco pelos conselheiros, pela possibilidade do debate. Mas, nem isto impediu a anulação do certame. O advogado solicitou à Corte a republicação de um novo edital, com suas irregularidades corrigidas para que não haja um descrÊdito pela administração e que os cargos sejam ocupados, pois estão em aberto, prejudicando - segundo ele, a administração. (L.V.) ADAILSON CALHEIROS

$8',Ç1&,$3Ò%/,&$

Orçamento de MaceiĂł para 2012 volta a ser discutido por vereadores A Câmara Municipal de MaceiĂł realiza - na manhĂŁ desta sexta-feira, dia 23 – a segunda audiĂŞncia pĂşblica para debater a Lei OrçamentĂĄria Anual (LOA), que SUHYr R H[HUFtFLR Ă€QDQFHLUR de mais de R$ 1,7 bilhĂŁo para o ano de 2012. O orçamento jĂĄ se encontra no “parlamento-mirimâ€? e passou por uma primeira audiĂŞncia na terça-feira passada, dia 20, quando foi debatido com entidades e representantes da sociedade civil organizada. A Câmara precisa realizar pelo menos duas sessĂľes pĂşblicas antes da aprovação da peça orçamentĂĄria, que deve ser votada – conforme informaçþes do presidente da Casa de MĂĄrio Guima-

rĂŁes, Galba Novaes (PRB) – atĂŠ o dia 10 de janeiro do prĂłximo ano. De acordo com o secretĂĄrio de Planejamento do municĂ­pio de MaceiĂł, MĂĄrzio Delmoni, apesar do atraso na apreciação da LOA, se esta for votada dentro do prazo estabelecido pela Câmara nĂŁo haverĂĄ comprometimento nos trabalhos do Executivo. “Como o mĂŞs de janeiro ĂŠ um perĂ­odo em que ainda estamos fechando as contas de 2011, entĂŁo nĂŁo haverĂĄ problemas em relação a este atrasoâ€?, colocou. Pelo prazo regimental, a LOA deveria ter sido aprovada no dia 15 deste mĂŞs. Como nĂŁo ocorreu, os vereadores entraram em sessĂŁo permanente. A

segunda audiĂŞncia ocorre no bairro do Bebedouro, durante o evento Parlamento na Praça, que foi uma solicitação do vereador Davi Davino (PP) e jĂĄ estava prĂŠ-agendada desde o inĂ­cio do mĂŞs. De acordo com Galba Novaes, os vereadores – em comum acordo – decidiram aproveitar o espaço, jĂĄ que jĂĄ havia a agenda para o Parlamento na Praça, e provocar mais um debate sobre o orçamento. “Quanto mais debates acontecerem, ĂŠ melhor para a sociedadeâ€?, colocou Novaes. Apesar de jĂĄ ser a segunda audiĂŞncia, o presidente ainda destacou que nĂŁo pretende abrir mĂŁo de um debate do orçamento no bairro do Tabuleiro do Martins. (L.V.)

Presidente Galba Novaes cita importância do debate sobre LOA

7$%8/(,52

Segundo Galba, regiĂŁo â€˜ĂŠ a que mais precisa’ Sobre o debate aberto da população e os vereadores possibilitado pela sessĂŁo pĂşblica acontecer no Tabuleiro do Martins, o presidente da Câmara Municipal de MaceiĂł, Galba Novaes, observou: â€œĂ‰ uma regiĂŁo que agrega muita gente, pelos bairros adjacentes, alĂŠm de uma regiĂŁo perifĂŠrica que ĂŠ quem mais precisa de polĂ­ticas pĂşblicasâ€?, destacou. O presidente ainda frisou que – segundo ele – no ano de 2012, a Prefeitura Municipal de MaceiĂł tem priorizado os investimentos em ĂĄreas sociais. Paralelo Ă s audiĂŞncias, a LOA deve receber as emendas dos parlamentares, que serĂŁo encaminhadas ao relator especial, vereador ThĂŠo Fortes (PTdoB). (0(1'$6 Na primeira sessĂŁo, HeloĂ­sa Helena (PSOL) destacou que pretende apresentar emendas que retirem recursos do prĂłprio duodĂŠcimo da Câmara Municipal de MaceiĂł – previsto em R$ 50 milhĂľes – para investimentos em ĂĄrea social. ´6HLTXHGLĂ€FLOPHQWHSDVsarĂĄ, mas preciso fazer a minha parteâ€?, colocou a psolista. Os demais vereadores ainda nĂŁo se posicionaram quanto Ă s apresentaçþes das emendas ao orçamento que foi desenvolvido pelo Executivo. ThĂŠo Fortes solicitou que os vereadores jĂĄ pudessem adiantar os trabalhos refeUHQWHV jV PRGLĂ€FDo}HV QD peça orçamentĂĄria para que se tivesse celeridade para confecção do relatĂłrio e consequente apreciação em plenĂĄrio. AlĂŠm da LOA, atĂŠ o dia 10 de janeiro, Galba Novaes – segundo ele – tambĂŠm pretende zerar a pauta do Legislativo. Vale ressaltar que entre os projetos pendentes, estĂŁo trĂŞs matĂŠrias de autoria dele que versam sobre redução de custos.(L.V.)


TribunaIndependente

3

MP vai apurar nepotismo na cidade de Branquinha

VisĂŁo crĂ­tica

D

o senador DemĂłstenes Torres (DEM/GO): “O ano se fecha com a economia estagnada e a Educação no vermelho. Se o exercĂ­cio da PresidĂŞncia fosse submetido ao sistema de avaliação dos colĂŠgios, Dilma Rousseff estaria reprovada. Enquanto naçþes como China e Coreia crescem exigindo nas escolas esforço e mĂŠrito, as novidades do setor por aqui sĂŁo a Lei da Palmada, o Kit *D\RVOLYURVSRUQRJUiĂ€FRVGLVWULEXtGRVSHORJRYHUQRDVFRWDVHD GRXWULQDomR'LOPDVyDOFDQoDQRWDVHVRPDGDVDLQĂ DomR  de IPC), a expansĂŁo do PIB (2,92%, segundo o Banco Central) e a produção industrial (0,82%, ainda de acordo com o boletim Focus, do BC) – a primeira, maior que a prevista; as outras, reduzidas a cada semana. As duas potĂŞncias asiĂĄticas tĂŞm nĂşmeros auspiciosos porque investem em Educação nĂŁo somente dinheiro. O Brasil prefere o caminho contrĂĄrio. A ditadura chinesa reserva menos tempo dos estudantes para propaganda ideolĂłgica que nossa democracia. Nesse item, copiamos a Coreia, nĂŁo a do Sul, mas a do recĂŠm-falecido Kim Jong-il, que matou de fome 3 milhĂľes de pessoas. O receituĂĄrio do nanodĂŠspota se assemelhava ao dos companheiros do Planalto: culto Ă personalidade, Ăłdio Ă  opiniĂŁo livre, salas de aula transformadas em comitĂŞs do partido.â€?

Novos passos Eliana Cavalcanti, autora de trĂŞs livros e com mestrado em literatura, foi eleita para uma vaga na Academia Alagoana de Letras. Vai ocupar a Cadeira 34, cujo primeiro ocupante foi o BarĂŁo de Penedo. Dentre os apoios recebidos, Eliana se sente orgulhosa pelos votos declarados do desembargador AntĂ´nio Sapucaia e de LĂŞdo Ivo, membro da Academia Brasileira de Letras. Ela dirige a Academia de BalĂŠ Eliana Cavalcanti.

Tradição Boa parte dos políticos, com mandato ou não, tem um compromisso para hoje: passar na casa do mÊdico JosÊ Wanderley Neto, ex-governador, SDUDD³)HVWDGRV&DQDOKDV´(VVHHYHQWRHOHUHDOL]DWRGRVRVDQRV unindo os amigos em confraternização. Canalha Ê uma forma carinhosa de se referir às pessoas de quem gosta.

Denúncia foi feita pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral em AL SANDRO LIMA

NIGEL SANTANA REPĂ“RTER

O

MinistÊrio Público Estadual decidiu acatar a ação do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e vai investigar a denúncia de nepotismo no município de Branquinha, na Zona da Mata alagoana, administrado pela prefeita Renata Moraes (PMDB). A representação foi dada entrada pelo coordenador-geral do MCCE de Alagoas, Antonio Fernando dos 6DQWRV QR ÀQDO GH QRYHPbro, e causou um verdadeiro mal-estar na gestão de Renata. A prefeita tentou VHMXVWLÀFDUHDWpLQIRUPRX à reportagem da Tribuna Independente que queria saber se o movimento teria provas para denunciå-la. O fato estå no Diårio 2ÀFLDO GR (VWDGR LQFOXVLve, o procurador-geral do MP, Eduardo Tavares designarå um promotor especial para apurar o caso. O suposto nepotismo jå estå na comarca da cidade de Murici, tambÊm na Zona da Mata. EM FAM�LIA Na lista de familiares elaborada pelo Movimento de Combate à Corrupção

Administração da prefeita Renata Moraes serå investigada pelo MinistÊrio Público Estadual

Eleitoral, os parentes de Renata Moraes atuam nos altos cargos da administração pública. São eles: MaULD ,VDEHO GD 3XULÀFDomR mãe da prefeita, Ê secretåria de Saúde; Renato da 3XULÀFDomR R WLR p VHFUHtårio de Finanças; o primo Gervåzio Lopes Ê o coman-

dante da pasta de Educação; e o marido e ex-prefeito de Branquinha, Neno Freitas, atua como secretårio de Administração. A situação ainda pode se complicar para a prefeita. A Controladoria Geral da União (CGU) descobriu um suposto desvio de re-

cursos que ultrapassa R$ 2 milhþes no Fundo de Desenvolvimento Nacional da Educação (Fundeb). A reportagem tentou manter contato com Renata Moraes para que ela desse a sua versão sobre o assunto, porÊm, ela não atendeu as nossas ligaçþes.

DIVERSAS

Sucesso Nos últimos cinco anos, período de gestão do governador TÊo Vilela, Alagoas ganhou 30 novas indústrias, apenas na cadeia da química e do plåstico. Då uma mÊdia de seis por ano ou de uma a cada dois meses. Segundo os empresårios, Alagoas Ê o estado que mais tem atrativos para a captação de investimentos no setor.

Limite

Realidade

Hoje Ê um dia de muito corre-corre nas repartiçþes públicas estaduais. É que se encerra exatamente nesta 6ª feira o prazo para empenhos. E existem órgãos com dinheiro, precisando de processos prontos para liberar recursos. No âmbito federal, a busca por agilidade Ê semelhante, por parte de Estados e municípios.

Nos dados de 2010, somente revelados agora pelo censo do IBGE, atÊ que Alagoas estå bem situado, no que diz respeito às favelas. Aqui os favelados representam 4% de toda a população, enquanto a mÊdia no Brasil Ê de 6%. Só para se ter uma idÊia da situação, em BelÊm, capital do Parå, os favelados são 54% da população.

Prioridades No último ano de mandato de Cícero Almeida, a Prefeitura de Maceió garante realizar mais concursos para a contratação de servidores. AlÊm da realização de obras viårias, sua marca principal, a gestão do prefeito tem sido pródiga com os servidores. AlÊm dos vårios concursos, Almeida då reajustes salariais e paga em dia.

Maldade Tem gente para tudo nessa vida. Pois não Ê que às vÊsperas da entrega de casas para pessoas desabrigadas da enchente do ano passado houve vårios casos de roubos e furtos de equipamentos, como torneiras, pias e lâmpadas? As empresas tiveram de reforçar a segurança e readquirir o que foi levado pelos vândalos.

“

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011 POLĂ?TICA

A criação de sindicatos ĂŠ um dos negĂłcios mais sedutores e mais rentĂĄveis deste paĂ­sâ€? JOĂƒO ORESTE DALAZEN Presidente do Tribunal Superior do Trabalho, para quem a reforma sindical ĂŠ mais importante para o Brasil do que a reforma polĂ­tica ou tributĂĄria

* A jornalista Rosemary Ribeiro não Ê mais assessora de comunicação da Procuradoria Geral do Estado. Foi substituída por Natålia de Oliveira Souza. Rosemary atuou na PGE por quatro anos e quatro meses, sendo reconhecida pela competência e pela simpatia. * A festa natalina da Prefeitura, na Praça Multieventos, hoje apresenta, a partir das 19 horas, o coro Alpha de Maceió, o pastoril do grupo folclórico Ganga Zumba, o grupo Fandango do Pontal da Barra e as cantoras Irina Costa e Fernanda Guimarães. * Às 20 horas de hoje tem início a Cantata de Natal do Hotel Maceió 0DUQD3UDLDGH3RQWD9HUGHFRPDSUHVHQWDomRGRVFRURV0DJQL¿FDWH Cristo em Voz. Acesso livre ao público, segundo a direção do hotel, que promove o espetåculo. * Encerra-se hoje, no Centro Cultural e de Exposiçþes de Maceió, a 27ª edição do Salão de Arte, painel com trabalhos de vårios artistas alagoanos que tem curadoria de Carol Gusmão e Fredy Correia. A mostra pode ser visitada das 14 às 22 horas. * No dia 14 de janeiro, na abertura do Campeonato Alagoano de Futebol, o clåssico CRB x CSA vai marcar o confronto de dois jogadores alagoanos campeþes mundiais: Aloísio Chulapa (pelo São Paulo) e Adriano Gabiru (pelo Inter de Porto Alegre).

Movimento protocolou 130 denĂşncias no MP A exemplo da representação que o Movimento de Combate Ă Corrupção Eleitoral para banir o nepotismo na prefeitura de Branquinha, o MCCE fez um balanço das açþes e trabalhos feitos em 2011. Segundo Antonio Fernando dos Santos, coordenador-geral do Movimento no estado, a missĂŁo foi cumprida. “Atuamos em Alagoas assim como o MCCE age em outros estados. Existe um manifesto elaborado pela coordenação nacional que seguimos Ă  risca. Com cer-

teza nĂŁo estamos aqui para agradar fulano ou beltrano, mas para mostrar as mazelas que existem na administração pĂşblicaâ€?, ressalta. De acordo com os levantamentos feitos pela coordenação do MCCE em Alagoas, mais de 130 denĂşncias foram protocoladas no MinistĂŠrio PĂşblico Estadual. Fernando CPI explica que a instituição recebe docuPHQWRV Ă€OPDJHQV HPDLOV e muitos deles preferem que QmRVHMDPLGHQWLĂ€FDGRV “A sociedade ainda ĂŠ muito reclusa e tem muito receio

de denunciar abertamente. O Movimento faz essa ponte entre o oprimido, que exige transparência nos atos públicos de seus gestores. Eu, particularmente, entendo que o medo prevalece quando denunciamos alguÊm. Com certeza as represålias acontecem imediatamente�, explica o coordenador. Dos crimes de improbidade administrativa delatados pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral em Alagoas, a pråtica do nepotismo (emprego parentes na administração pública) e o

enriquecimento ilícito por parte de prefeitos e secretårios estiveram em destaque na imprensa alagoana. Antonio Fernando lembra que 80% das açþes encaminhadas ao MinistÊrio Público foram atendidas e as investigaçþes estão correndo. O coordenador cita como exemplo as gestþes de Cristiano Matheus (PMDB), em Marechal Deodoro; James Marlan (PP), em Limoeiro de Anadia, que podem ter cometidos irregularidades em suas gestþes. (NS)

PARA MCCE

2012 serå um duelo contra a compra de votos A parceria da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Alagoas, o MinistÊrio Público Estadual, MinistÊrio Público Eleitoral e a Justiça Eleitoral têm reforçado o combate à corrupção no estado. É o que argumenta a coordenação-geral do MCCE em Alagoas. O ano de 2012 serå uma espÊcie de duelo constante contra a compra de votos nos pleitos municipais. A pergunta Ê se o Movimento de Combate à Corrupção

Eleitoral conseguirĂĄ dar conta de 102 cidades alagoanas. “Muitos falam que nĂłs somos um estado pequeno. O pequeno que muitos se referem ĂŠ para administrar, pois, para fazer o mal, para comprar votos, iludir o eleitor, os corruptos trilham os caminhos mais difĂ­ceis para ganhar uma eleição. O MCCE tem algumas raPLĂ€FDo}HV QDV SULQFLSDLV regiĂľes, com certeza, estaremos sabendo das irregulari-

GDGHV 'HÀQLWLYDPHQWH QR próximo ano estaremos em XPFRPEDWHÀUPHjFRPSUD de votos em Alagoas, que nunca deixarå de ser um motivo de vergonha�, salienta Antônio Fernando. BIOMETRIA Um ponto positivo para coibir os desmandos eleitorais em Alagoas, ressalta Antônio Fernando, foi o recadastramento biomÊtrico em Alagoas. O coordenador-geral do MCCE acredita TXH D ELRPHWULD GLÀFXOWDUi

LIMOEIRO

GDE

Dentre as representaçþes no MinistÊrio Público Estadual protocoladas pelo MCCE, o prefeito James Marlan, de Limoeiro de Anadia, Agreste de Alagoas, sentiu na pele que a administração pública não deve ser formada apenas por familiares. Ele teve que demitir parentes empregados na prefeitura local. Do mesmo modo agiu o prefeito de Palmeira dos �ndios, James Ribeiro. O MinistÊrio Público apontou a irregularidade e sugeriu a demissão dos familiares. Foi feito.

Uma das últimas açþes do ano impetrada pelo MCCE, estå diretamente ligada ao pagamento GDYHUEDGH*UDWL¿FDomRSRU Dedicação Exclusiva (GDE) a funcionårios da Assembleia Legislativa. O MCCE tomou como base as denúncias do deputado João Henrique Caldas (PTN) quando informou haver irregularidades no pagamento dessas JUDWL¿FDo}HV³$DEHUWXUDGH um procedimento administrativo contra ALE deve ser aberto para que a Mesa explique toda essa irregularidade�, Fernando CPI.

Dois James foram alvo de açþes do MP

MCCE tambÊm quer explicaçþes

as fraudes eleitorais. “Os polĂ­ticos e atĂŠ mesmo os eleitores que querem o mal de Alagoas nĂŁo terĂŁo a audĂĄcia de querer se passar por outras pessoas para votar nas eleiçþes. Essa histĂłria de eleitor fantasma deve acabar graças ao cadastraPHQWRELRPpWULFR4XHĂ€TXH claro que essa ĂŠ uma Ăłtima medida, no entanto, nĂŁo acaba com a compra de votos. Por isso mesmo muitos candidatos ainda vĂŁo querer burlar a leiâ€?. (NS)


TribunaIndependente

4 POLĂ?TICA MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

BARTOLOMEU DRESCH bartolomeu_dresch@hotmail.com.br

Obras do PAC 2

O

nze municĂ­pios alagoanos foram incluĂ­dos na relação dos EHQHĂ€FLDGRVFRPREUDVGHDEDVWHFLPHQWRGHiJXDHHVJRtamento sanitĂĄrio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2. Os contratos foram assinados esta semana no PalĂĄcio do Planalto pela Presidente Dilma Rousseff e contou com a presença de diversos governadores, entre eles Teotonio Vilela Filho. A uniĂŁo vai investir no total R$ 3,7 bilhĂľes em 1.144 obras distribuĂ­das por 1.116 municĂ­pios de todo o paĂ­s. Os critĂŠrios de HVFROKDGDVFLGDGHVEHQHĂ€FLDGDVIRUDP([LVWrQFLDGHSURMHWRV bĂĄsicos de engenharia elaborados; Ă?ndice de Desenvolvimento HuPDQR ,'+ ĂŒQGLFHVGHFREHUWXUDVDQLWiULD7D[DVGHPRUWDOLGDGH infantil; GestĂŁo estruturada no serviço de saneamento; Complementação ĂĄ obras do PAC 1; Risco de doenças relacionadas a falta GHDEDVWHFLPHQWRGHiJXDHVDQHDPHQWREiVLFRHH[LVWrQFLDGH plano municipal de saneamento. Em Alagoas foram selecionadas Boca da Mata (R$ 16.960 milhĂľes), Anadia (R$ 7.247 milhĂľes), Pariconha (R$ 3.949 milhĂľes), SĂŁo JosĂŠ da Tapera (R$ 2.248 milhĂľes), Piranhas (R$ 3.225 milhĂľes), Viçosa (R$ 12.643 milhĂľes), Inhapi (R$ 500 mil), Mata Grande (R$ 500 mil), Olivença (R$ 500 mil), Senador Rui Palmeira (R$ 500 mil) e SĂŁo BrĂĄs (R$ 500 mil).

Reação em cadeia A liminar concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco AurÊlio Mello proibindo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de investigar magistrados acusados de irregularidades tem provocado reaçþes indignadas de vårios segmentos da sociedade. No Congresso Nacional, pela primeira vez nesta legislatura Governo e Oposição repudiaram a decisão do Ministro, que acabou por engessar as açþes do CNJ. Com a decisão, cujo mÊrito ainda serå julgado em Fevereiro quando for levada a plenårio, os magistrados continuarão a responder por seus atos junto às corregedorias estaduais, quase sempre comprovadamente corporativistas.

Reação em cadeia 2 Em Alagoas o Presidente do Conselho Estadual de Segurança e Conselheiro Federal da OAB, Paulo Breda, tambÊm manifestou-se contrårio iOLPLQDUGR0LQLVWUR0DUFR$XUpOLRHD¿UPRXTXHDGHFLVmR³YDLQD contra-mão da vontade popular. Grandes conquistas no Judiciårio foram advindas do Conselho Nacional de Justiça. É um retrocesso�. Ele defendeu uma mobilização popular para tentar reverter à questão quando do julgamento do mÊrito da liminar no próximo ano. �Os demais ministros do Supremo precisam observar que a sociedade aguarda uma postura sensata, que traga benefício para a população e punição para os transgressores� disse Paulo Breda.

VĂ­rus mortal

VĂ­rus mortal 2

Uma pesquisa conjunta entre cientistas americanos e europeus acabou criando em laboratĂłrio uma linhagem mortal do vĂ­rus da gripe aviĂĄria. O novo vĂ­rus tem capacidade para infectar e matar milhĂľes de pessoas, fato que vem preocupando os especialistas em biossegurança de todo o mundo. AtĂŠ o Governo dos EUA solicitou que a sequĂŞncia genĂŠtica do vĂ­rus alterado nĂŁo seja revelada pelas revistas especializadas “Scienceâ€? e “Natureâ€?. O problema ĂŠ que a pesquisa jĂĄ foi tornada pĂşblica em diversos encontros mundiais e atĂŠ em congressos especializados. AlĂŠm do temor da sequĂŞncia cair em mĂŁos de terroristas e tornar-se uma arma biolĂłgica, existe a possibilidade de um acidente liberar o micro-organismo.

Pela primeira vez os pesquisadores conseguiram provocar uma mutação da linhagem do H5N1 da gripe aviåria, tornando-o facilmente transmissível pelo ar. O que torna o vírus perigoso Ê que ele matou 60% das pessoas infectadas, em função da sua capacidade de matar moderada apenas por inabilidade (atÊ agora) de se espalhar entre os humanos. O vírus criado em laboratório, contudo, se transmite com extrema facilidade entre as pessoas. Os cientistas que participaram da descoberta garantem que com o conhecimento adquirido com o estudo serå bem mais fåcil desenvolver novas vacinas e drogas contra a doença. Jå os críticos da experiência acham que os cientistas colocaram o mundo em risco, jå que uma pandemia poderia matar milhþes de pessoas.

OAB diz que limitar CNJ ĂŠ “atentado Ă cidadaniaâ€? Para Omar CoĂŞlho, liminares do Supremo provocam retrocesso no JudiciĂĄrio cautelares sĂŁo relacionadas a duas açþes impetradas pela Associação dos Magistrados s liminares do Supre- Brasileiros (AMB), pela Asmo Tribunal Federal sociação dos Magistrados da (STF) que suspendem Justiça do Trabalho (Anaos poderes correicionais do matra) e pela Associação dos Conselho Nacional de Justiça JuĂ­zes Federais do Brasil (CNJ) sĂŁo criticadas tambĂŠm (Ajufe). em Alagoas. Omar CoĂŞlho, Para o presidente da secpresidente da seccional alago- cional alagoana da OAB, ana da Ordem dos Advoga- a limitação dos poderes do dos do Brasil (OAB), consid- Conselho ĂŠ um retrocesso. “O era que decisĂľes sĂŁo danosas magistrado tem que entenao prĂłprio Poder JudiciĂĄrio. der que ĂŠ um servidor pĂşbliâ€œĂ‰ um atentado Ă  cidada- co como outro qualquer. NĂłs QLDÂľ GHĂ€QH &RrOKR ´2 &1- temos avançado com o Confoi um instrumento que con- selho. Essas decisĂľes, agora, seguimos criar para fazer provocam uma paralisação, punir o judiciĂĄrio corruptoâ€?, talvez um retrocessoâ€?, ponressalta o presidente da sec- tua. cional alagoana. A OAB foi Uma das melhorias aponuma das instituiçþes que tadas por CoĂŞlho ĂŠ a diminuidefenderam a aprovação da ção dos casos de nepotismo e emenda constitucional 45, irregularidades administraque deu origem ao Conselho. tivas no JudiciĂĄrio. “O nepoCom as liminares conce- tismo foi reduzido graças Ă  didas pelos ministros Mar- atuação do CNJ. As corregeco AurĂŠlio Mello e Ricardo dorias tĂŞm uma atuação mĂ­Lewandowski, publicadas no nima. É sĂł ver a quantidade começo da semana, o prin- de magistrados punidos ancipal ĂłrgĂŁo correicional da tes e depois do CNJ. [Se as -XVWLoDEUDVLOHLUDĂ€FRXLPSH- liminares continuarem vadido de realizar investigaçþes lendo] serĂĄ muito ruim para contra magistrados acusados todos nĂłsâ€?, declara o preside corrupção. As medidas dente da Ordem.

ADAILSON CALHEIROS

VICTOR AVNER REPĂ“RTER

A

CoĂŞlho ressalta que o CNJ foi criado para punir judiciĂĄrio corrupto

‘RETROCESSO’

Desembargador defende poderes do Conselho Assim como Omar CoĂŞlho, o desembargador JosĂŠ &DUORV 0DOWD 0DUTXHV DĂ€Uma que reduzir os poderes correicionais do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) ĂŠ um retrocesso. No entanto o magistrado ressalta que as decisĂľes do Supremo Tribunal Federal (STF) sĂŁo em carĂĄter liminar e podem ser revertidas em breve. “Isso ĂŠ o menos importante, porque o pleno do STF ainda vai decidir o mĂŠrito das açþes. O que houve foi um despacho pessoal do relator. Mas quando o pleno

voltar das fĂŠrias, vai decidir LVVRÂľH[SOLFDRGHVHPEDUJDdor alagoano. Malta Marques, considera que a aplicação de uma liminar ĂŠ razoĂĄvel, uma vez que as açþes movidas pelas associaçþes de magistrados estavam hĂĄ meses na pauta da Corte. “Pelo que vi na imprensa, a ação estava pronta, na pauta do Supremo, hĂĄ DOJXP WHPSR H Ă€FDUDP GHmorando para chamar [ir a julgamento]â€?, esclarece. No entanto, o desembargador se diz contrĂĄrio Ă s açþes movidas pelas enti-

dades representativas dos magistrados. “HaverĂĄ um retrocesso. Vai diminuir e muito os poderes de investigaçãoâ€?, comenta. OUTRAS FUNÇÕES Alguns juristas chegaUDP D DĂ€UPDU GXUDQWH D semana que as liminares do Supremo acabam por tornar D H[LVWrQFLD GR &1- GHVQHcessĂĄria. Mas para Malta Marques, mesmo que o Conselho perca seus poderes investigativos, ainda serĂĄ importante para o JudiciĂĄrio. “As funçþes do CNJ nĂŁo sĂŁo apenas correicionais. Eu

ELIANA CALMON

Corregedora nega quebra de sigilo de juĂ­zes COM ASSESSORIA

se impĂľem perante ao STF. [...] Sinto obrigada a romper A corregedora nacional o silĂŞncio com que a Correde Justiça, Eliana Calmon, gedoria geralmente atua negou ontem (22) que tenha para dar satisfaçþes Ă poquebrado o sigilo bancĂĄrio pulação brasileira. [...] Esse RX Ă€VFDO GH PDJLVWUDGRV estardalhaço todo em torno “NĂłs nĂŁo tivemos acesso a de uma decisĂŁo eminenteestas informaçþesâ€?, decla- mente tĂŠcnica tem o objetivo URX$DĂ€UPDomRVHGHXHP de tirar o foco do que estĂĄ coletiva de imprensa reali- UHDOPHQWHHPMRJRDVREUHzada sede do Conselho Na- vivĂŞncia com autonomia do cional de Justiça (CNJ) para &1-ÂľDĂ€UPRX prestar esclarecimentos soDe acordo com a corregebre o caso. dora, nĂŁo hĂĄ ilegalidade nas “TĂŁo graves sĂŁo as acusa- açþes do Conselho. Ao aveo}HVTXHPHĂ€]HUDPURPSHU riguar o suposto enriquecio silĂŞncio e a discrição que mento de magistrados em

todo o paĂ­s, o CNJ estĂĄ cumprindo com a sua função. As informaçþes teriam sido repassadas espontaneamente pelos prĂłprios Tribunais. “A Corregedoria ĂŠ um ĂłrgĂŁo de controle administrativo do Poder JudiciĂĄrio e como tal tem acesso Ă s declaraçþes de renda e bens anuais dos magistrados. Essa declaração nĂŁo ĂŠ feita para Ă€FDU GHQWUR GH DUTXLYRV mas para ser utilizada pelos ĂłrgĂŁos de controle. Isso nĂŁo ĂŠ devassaâ€?, argumentou a ministra-corregedora. Calmon aproveitou a en-

SEM CONTROLE

CONTRA-ATAQUE

‡$5HGH*ORERUHVROYHXFULDUXPDGLUHomRGHMRUQDOLVPRHVSHFt¿FD voltada para os veículos da TV por assinatura e da Internet. A medida Ê direcionada para o canal Globonews e para o portal G1.

Presidente nacional da OAB critica liminar

‡2DQ~QFLRIRLIHLWRSHORGLUHWRUJHUDOGHMRUQDOLVPRGD*ORER&DUORV +HQULTXH6FKURGHUTXHMXVWL¿FRXDQRYDGLUHomRHPIXQomRGRDYDQoR QDLQWHUQHWHGD79SDJDQR%UDVLO

Para Ophir Cavalcante, a liminar do ministro Marco AurĂŠlio Mello retira o controle social sobre o Poder JudiciĂĄrio. “Perde o CNJ, perde a Justiça e perde, sobretudo, a socieGDGHEUDVLOHLUDTXHYDLÂżFDU sem um instrumento de defesa contra magistrados que nĂŁo tĂŞm compromisso com a dignidade GDPDJLVWUDWXUD´DÂżUPRXR presidente nacional da OAB. A opiniĂŁo ĂŠ acompanhada por Omar CoĂŞlho: “A sociedade tem que pressionar para que o STF nĂŁo aja corporativamenteâ€?.

A liminar de Marco AurĂŠlio de Mello estĂĄ sendo questionada no prĂłprio STF. O advogadogeral da UniĂŁo, Luis InĂĄcio Adams, pediu a suspensĂŁo imediata dos efeitos da medida FDXWHODUGRPLQLVWUR(OHDÂżUPD que Marco AurĂŠlio “inobservou o regramento constitucional e infraconstitucional que regem os processos de controle abstrato de constitucionalidadeâ€?. Segundo Adams, nĂŁo haveria urgĂŞncia SDUDMXVWLÂżFDUDOLPLQDUFRQFHdida pelo ministro pouco apĂłs o inĂ­cio do recesso judiciĂĄrio.

Saúde no Natal Para garantir o atendimento aos quase 95% dos alagoanos que necessitam do Sistema Único de Saúde (SUS), a Secretaria Estadual de Saúde preparou uma cobertura especial neste Natal. A partir da meia noite de hoje, todas as unidades contarão com escalas especiais de plantão no Hospital Geral do Estado, Unidade de Emergência do Agreste, Ambulatório de Hematologia, Ambulatórios 24 horas e demais serviços. Jå o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) manterå o atendimento nas bases centrais em Maceió e Arapiraca e nas demais bases descentralizadas no Estado. TambÊm estarão de plantão o Laboratório Central (Lacen), Vigilância Sanitåria Estadual, Vigilância Epidemiológica e o programa Estadual de Imunização.

Atendimento correto Ainda sobre o atendimento da årea de saúde nos festejos natalinos, o superintendente de Atenção à Saúde da Sesau, Sival Clemente, orienta a população para procurar os serviços corretos de atendimento de urgência e emergência. As pessoas com pequenos ferimentos ou dores de cabeça, devem procurar os ambulatórios 24 horas, como o Denilma Bulhþes, no Benedito Bentes; Dayse Breda e NoÊlia Lessa, na Levada; Dom Miguel Fenelon Câmara, na Chã da Jaqueira e João Fireman, no Jacintinho. Apenas as vitimas com lesþes de natureza grave devem procurar atendimento no Hospital Geral do Estado ou na Unidade de Emergência do Agreste.

‡$*ORERQHZVpOtGHUDEVROXWDQRVHJPHQWRMRUQDOtVWLFRGD79SRU assinatura e deve estar cada vez mais preparada para estes avanços. E no caso da internet, existe necessidade ainda maior, e o G1 se destaca, disse o chefĂŁo da Globo. ‡1RFDVRGD*ORERQHZVRFDQDOFRQWLQXDUiVREDGLUHomRGH(XJHQLD 0RUH\UDHR*SHUPDQHFHUiFRP0iUFLD0HQH]HVjIUHQWH0DVDPEDV VHUmRVXSHUYLVLRQDGDVDSDUWLUGHDJRUDSRU/XL]&DUORV/DWJH ‡&RPDFULDomRGDQRYDGLUHWRULDGHMRUQDOLVPR6LOYLD)DULDVXEVWLWXLUi Latge na direção-executiva de jornalismo, supervisionando os quatro jornais da rede “Bom Dia Brasilâ€? e “Jornal Nacionalâ€? feitos no Rio, e “Jornal Hojeâ€? e Jornal da Globoâ€? feitos em SĂŁo Paulo.

acho que o mais importante Ê a questão da modernização provada pelo Conselho�, ressalta o magistrado. Diversas melhorias no funcionamento da Justiça brasileira foram provocadas a partir da criação do CNJ. PARCERIA Malta Marques era corregedor do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas (TJ/ AL) atÊ o começo do ano. Em sua gestão à frente do órgão de correição local, o magistrado fez parcerias com o CNJ, inclusive em açþes da Corte alagoana. (V.A.)

AGU quer derrubar decisĂŁo de ministro

trevista para destacar que alguns Tribunais nĂŁo estĂŁo repassando as informaçþes. Em SĂŁo Paulo, 45% dos magistrados nĂŁo apresentaram VXDV GHFODUDo}HV Ă€QDQFHLras. Em Mato Grosso do Sul a inadimplĂŞncia ĂŠ de 100%. Segundo a corregedora nacional, as investigaçþes contra magistrados estĂŁo suspensas, como determinou a liminar do ministro Ricardo Lewandowski. “Tenho que cumprir as liminares com obediĂŞncia, mesmo que nĂŁo concorde com elasâ€?, pontuou Calmon. (V.A.)


TribunaIndependente

0$&(,Ă?6(;7$)(,5$DE DEZEMBRO'( POLĂ?TICA

5

TJ tira Arthur de nova ação ‘taturana’ Desembargador SebastiĂŁo Costa Filho entendeu que deputado federal nĂŁo interfere nas açþes da Mesa Diretora da ALE

Cotidiano LININHO NOVAIS - contato@lininho.com

Juntos mais uma vez?

N

a manhĂŁ de hoje estarĂŁo juntos pela mesma causa, o senador Renan Calheiros e o governador Teotonio Vilela, quando acontecerĂĄ a entrega de 489 casas do programa da reconstrução na cidade de Murici. A causa ĂŠ nobre e muitos aguardam para ouvir os discursos durante a solenidade, porĂŠm quem conhece os dois “amigosâ€? sabe que ambos estĂŁo sempre na WULQFKHLUDGHOXWDHPGHIHVDGH$ODJRDV(FRPRVHPSUHDĂ€UPD Teotonio: “os palanques foram desarmados e estamos sempre juntos pelo desenvolvimento do nosso estadoâ€?.

Em campo O presidente da Federação Alagoana de Futebol, Gustavo Feijó, sinalizou que poderå disputar a prefeitura de Boca da Mata, num roda de amigos não se falava em outra coisa a não ser certeza da candidatura e dos apoios que Feijó contarå para o possível pleito.

De olho Uma verdadeira operação que reúne CGU, MPF e TCU estarå visitando YiULRVPXQLFtSLRVDODJRDQRVQRVSUy[LPRVGLDV3HORYLVWRWHUHPRV JHVWRUHVLQLFLDUmRRDQRQRYRFRPPXLWDFRLVDSDUDH[SOLFDU

DiversĂŁo JĂĄ ĂŠ natural ver Danilo Damaso frequentando a orla de Marechal, segundo gente cidadĂŁos ele sempre chega para ver o pĂ´r-do-sol e sĂł vai embora depois das tantas da madrugada. AlĂŠm de se “divertirâ€?, Damaso tem observado a movimentação local, e nĂŁo estĂĄ nem aĂ­ para o que povo acha sobre seus processos na justiça.

IrmĂŁ? 1DÂżODGHXPDDJHQFLDEDQFDULDQDFDSLWDOTXHHVWDYDSRUOiIRLDH[ toda poderosa primeira-dama Denilma BulhĂľes, sem maquiagens e usando sandĂĄlias rasteiras, ela foi abordada: “Dona Denilma como vai a senhora?â€?, e a resposta foi: “meu querido, agora sĂł penso em levar a palavra de Deus aos que mais precisam!â€?.

Do mesmo lado... ... pelo menos na hora de jogar futebol, os deputados Fernando Toledo e Ronaldo Medeiros vestiram a camisa do mesmo time durante confraterQL]DomRQRFOXEHGRVRÂżFLDLV

PreferĂŞncia Nas ruas de Marechal Deodoro ĂŠ publico se ver a opiniĂŁo do povo, onde alguns comentam que preferem um segundo mandato de Cristiano Matheus Ă ver a volta do grupo de Danilo Damaso em comandar os destino da cidade.

Na alegria e na dor Após festejar a entrega das casas para as famílias que viviam nas barracas de lona após a enchente, a prefeita Ana Renata recebeu como um golpe a representação do MP contra ela por nepotismo. A situação não tem sido fåcil para a prefeita, desde do inicio de sua administração que HQIUHQWDGL¿FXOGDGHVHPWRGRVRVVHQWLGRV

Nunca se fez Durante entrevista a emissora AG Fm na cidade de UniĂŁo dos PalPDUHVRH[JRYHUQDGRU0DQRHO*RPHVGH%DUURVGLVSDURXHORJLRVDR governador Teotonio Vilela, e disse que nunca um govenador fez tanto pela terra de Zumbi.

Solução O deputado federal Renan Filho subiu a tribuna da câmara para informar que solicitou audiência com o Ministro da Justiça Eduardo Cardozo, FRPRLQWXLWRHPGLVFXWLUDYLROrQFLDHP$ODJRDVHGHL[RXFODUR³YRXDR ministÊrio e só sairei de lå com uma solução�.

Guardou o terno Depois da decisĂŁo do presidente do TJ em suspender o afastamento do GHSXWDGRIHGHUDO$UWKXU/LUDRVRQKRGH$OH[DQGUH7ROHGRHPDVVXPLUR PDQGDWRPDLVXPDYH]ÂżFRXORQJH

Agora sou eu ApĂłs sofrer a derrota quando seu grupo perdeu de fato a prefeitura de -RDTXLP*RPHVRDJURSHFXDULVWDHH[SUHIHLWRGH0DWD*UDQGH+HOLR BrandĂŁo, reuniu correligionĂĄrios em sua fazenda e jĂĄ se declarou como FDQGLGDWRDFRPDQGDURFRIUHGRPXQLFtSLRHP

ARQUIVO

NIGEL SANTANA REPĂ“RTER

O

deputado federal Arthur Lira (PP) nĂŁo deverĂĄ mais ser afastado de suas funçþes parlamentares a mando do juiz Helestron Costa, da 17ÂŞ Vara da Fazenda Estadual. O Tribunal de Justiça de Alagoas decidiu suspender os efeitos de decisĂŁo do magistrado apĂłs analisar os recursos impetrados pela defesa do deputado. O advogado Marcelo Brabo MagalhĂŁes, em entrevista ao Tribuna Independente, contou que o desembargador-presidente, SebastiĂŁo Costa Filho entendeu que Arthur Lira nĂŁo poderia atrapalhar o andamento do processo que ĂŠ investigado, no caso da Operação Taturana, da PolĂ­cia Federal. “A suspensĂŁo da decisĂŁo FKHJRX DR HVFULWyULR QR Ă€QDO da tarde de ontem. Pelo entendimento do presidente do TJ, SebastiĂŁo Costa Filho, o deputado federal, Arthur Lira nĂŁo poderia atrapalhar e obstruir a colheita de provas do processo. Esses dois argumentos foram acatados pelo Tribunal de Justiça. Esta semana, demos entrada com uma suspensĂŁo liminar e um agravo de instrumento, FRPEDVHVHPWUrVMXVWLĂ€FDWLvas jurĂ­dicas que isentavam o parlamentar de se afastadoâ€?, relatou Brabo. Segundo o advogado, Arthur Lira nĂŁo ocupa mais o cargo de deputado estadual, e tampouco estĂĄ no comando da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado. Lira venceu a eleição em 2010 para quatro anos de mandato na Câmara Federal. NĂƒO ESTENDE Marcelo Brabo lembra ainda que a decisĂŁo do TribuQDOGH-XVWLoDVyQmREHQHĂ€ciou o deputado JoĂŁo BeltrĂŁo (PRTB), e consequentemente o deputado CĂ­cero Ferro (PMN), tambĂŠm citados pelo juiz HelĂŠstron Costa, devido o desembargador SebastiĂŁo Costa Filho nĂŁo ter julgado o argumento de que apenas o Supremo Tribunal Federal (STF) teria a competĂŞncia jurĂ­dica de afastar o deputado federal Arthur Lira. “Se o TJ tivesse analisado essa nossa tese, que tem estudos baseados na decisĂŁo do Superior Tribunal de Justiça [STJ], o processo de afastamento contra o deputado JoĂŁo BeltrĂŁo seria suspenso tambĂŠmâ€?, reitera Marcelo Brabo. 3RUĂ€PRDGYRJDGRDFUHdita que os escritĂłrios jurĂ­dicos dos deputados estaduais JoĂŁo BeltrĂŁo e CĂ­cero Ferro VHUmR QRWLĂ€FDGRV DSHQDV HP 2012, quando a Assembleia Legislativa retornar do recesso parlamentar. Brabo informou que entrou em contato com Marcos Guerra, procurador da ALE, que por sua vez, disse que o Legislativo ainda nĂŁo recebeu nenhuma documentação do juiz Helestron Costa.

Segundo decisĂŁo do TJ$UWKXU/LUDQmRSRGHLQĂ€XHQFLDUQDDWXDomRGD&DVDGH7DYDUHV%DVWRV

TCU

Congresso suspende repasses para Macrodrenagem do Tabuleiro O Congresso Nacional suspendeu na noite da quinta-feira (22) os repasses para cinco obras em andamento no país com previsão de receber recursos federais, entre elas a Macrodrenagem do Tabuleiro do Martins, em Maceió. Em novembro, o Tribunal de Contas da União (TCU) jå havia recomendado a paralisação da macrodrenagem e de mais 25 obras em todo o Brasil que apresentavam indícios de superfaturamento. Os parlamentares da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) aprovaram o relatório do Comitê de

Avaliação das Informaçþes sobre Obras e Serviços com Indícios de Irregularidades Graves (COI), que analisou uma lista de obras suspeitas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O relatório retira a previsão de recursos do Orçamento da União de 2012 para as obras. No entanto, caso as irregularidades sejam sanadas, os repasses poderão ser retomados. Basta o TCU comunicar à Comissão Mista de Orçamento, que poderå autorizar os pagamentos por meio de decreto legislativo. O relatório da comissão, porÊm, incluía 27 obras suspeitas. A decisão sobre a

BRANQUINHA E RIO LARGO

382 famílias ganharam moradias do Programa da Reconstrução Mais um dia de festa na região da Zona da Mata alagoana, que se estendeu atÊ a região Metropolitana. Branquinha e Rio Largo receberam casas do Programa da Reconstrução, no dia de RQWHPEHQHÀFLDQGR famílias desalojadas pela enchente de 2010. O governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) e o vice-governador JosÊ Thomaz Nonô, coordenador do Programa da Reconstrução, entregaram pessoalmente as chaves das novas casas. O governador Teotonio Vilela ressaltou a responsabilidade e cuidado do Governo com as famílias atingidas.

“Desde o inĂ­cio desta tragĂŠdia o Governo esteve ao lado das prefeituras e das famĂ­lias atingidas lutando para conseguir recursos para a Reconstrução das cidades e para garantir melhores condiçþes de vida para a população. Agora, com a entrega dessas casas, desejo que todos sigam com fĂŠ, coragem e ânimo para superar os obstĂĄculos e seguir com suas vidas. Alagoas agora vive um novo momentoâ€?. “A entrega dessas casas tornou-se uma verdadeira festa do povo alagoano. Em cada rosto vemos um grande sorriso, muita alegria. E o responsĂĄvel por essa feli-

JUSTIÇA

RECONSTRUĂ‡ĂƒO

BRANQUINHA

O senador Benedito de Lira solicitou ao ministro Eduardo Cardozo (Justiça) a construção de construção de 43 bases comunitårias de segurança em Alagoas. Lira reividicou ainda DLQVWDODomRGHXPDEDVH¿[D da Força Nacional no estado e Planta Digital a instalação da de Radiocomunicação, alÊm da construção da nova sede do Instituto de Criminalística, e compra de equipamentos para R,0/GH0DFHLyD¿PGHRIHrecer acomodaçþes adequadas DRVSUR¿VVLRQDLV

entrega das casas do Programa da Reconstrução, o prefeito DQ¿WULmRGHKRMHGLDp5HPL Calheiros (PMDB), de Murici. Lå, o governo estadual vai entregar aos atingidos pela enchente 489 unidades habitacionais, sendo 333 no Residencial Pedro Tenório Raposo, e 156 no Residencial Olavo Calheiros Novais. De acordo com vicegovernador, Thomaz Nonô, DWpHVWDVH[WDIHLUDR(VWDGR entrega 1.479 residências. Meta do Governo Ê tirar todos das barracas.

O secretĂĄrio adjunto da Infraestrutura, Fernando Nunes, destacou o trabalho de todos os envolvidos no processo da Reconstrução. “Na ĂŠpoca da tragĂŠdia nĂłs presenciamos o sofrimento das famĂ­lias atingidas. A prefeita Renata e o governo do Estado lutaram para que hoje [ontem] tornĂĄssemos esse sonho uma realidade. Muitas pessoas aqui viviam em pĂŠssimas condiçþes de moradia e hoje recebem casas dignas, graças ao trabalho de todosâ€?, disse Fernando Nunes.

Senador solicita equipamentos ao MJ

suspensão de repasses caberia ao Congresso. IRREGULARIDADES Em novembro de 2010, o MinistÊrio Público Federal (MPF) pediu a inclusão dos ex-governadores Ronaldo Lessa e Manoel Gomes de Barros na relação de denunciados por må gestão de recursos de verbas destinados às obras de macrodrenagem do Tabuleiro. Subscrito pela procuradora da República Niedja Kaspary, o pedido foi encaminhado com base em investigaçþes conduzidas pelo próprio MPF-AL e no relatóULRÀQDOGD2SHUDomR1DYDlha, da Polícia Federal.

Murici vai receber 489 unidades habitacionais Nunes lembra sofrimento de famĂ­lias Seguindo o cronograma de

cidade se chama Teotonio Vilela. Hå um ano essas pessoas estavam sem destino e hoje voltam a ter esperança e dignidade�, declarou o vice-governador Thomaz Nonô. Em Branquinha, foram entregues 144 moradias no Residencial Raimundo Nonato Lopes. No município de Rio Largo, 238 residências foram entregues no Conjunto Francisco Tavares Granja. Ambos foram construídos para abrigar os desabrigados da enchente de junho de 2010 e estavam morando provisoriamente nos acampamentos montados pelo Estado.


6

OPINIAO

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

OpiniĂŁo Obras empacadas

A

lgumas obras em Alagoas costumam ser conhecidas mais pelos nomes que lhe dão do que pela concretização delas. A denominação começa em um palanque eleitoral, GHSRLVSDVVDSHODSXEOLFLGDGHRÀFLDO entra e sai da mente da população, porÊm, do papel para a pråtica, dura tempo ou simplesmente empaca. E bote tempo nisso. O costume vem ao longo dos anos. Foi assim com a famigerada Adutora do Sertão, a redenção dos sertanejos dos anos de 1970, cujo tema virou cordel, frevo e todos os outros tipos de manifestação cultural, mas atÊ hoje se procura a obra. O Canal do Sertão Ê outra ladainha difundida hå

mais de 20 anos e executada em doses homeopåticas. Ontem, entrou um cena de mais um capítulo da novela Macrodrenagem do Tabuleiro, mais conhecida pelos desvios de recursos públicos do que uma obra que tinha como objetivo acabar com as inudaçþes na parta alta de Maceió, que inclui os conjuntos Salvador Lyra, Graciliano Ramos o Polo Multissetorial totalizando uma årea de 50.000.000 m2. Com milhþes GH UHFXUVRV ÀQDQFHLURV GHVYLDGRV R Congresso resolveu não atender com verbas à obra em 2012, atÊ que as antigas pendências sejam solucionadas. Um problema a mais para a macro-obra sair do papel.

RUBENS MĂ RIO Professor do Cesmac

Uma aula de futebol

No Ăşltimo domingo assisti, embevecido, ao jogo Santos x Barcelona, ou melhor, a uma aula do verdadeiro futebol dada pelo time espanhol. O clube catalĂŁo nos deu mostras de que, como fazĂ­amos no passado, ainda pode-se jogar um futebol vistoso e ganhar com facilidades. ApĂłs o jogo, o treinador campeĂŁo declarou que ouvira dos seus pais e avĂłs que no Brasil, antigamente, se jogava daquela maneira. Para a nossa felicidade, nĂŁo enxergamos no time HVSDQKRO DV Ă€JXUDV KRUUHQGDV do zagueiro “xerifĂŁoâ€?, que distribui, gratuitamente, pontapĂŠs e chutĂľes para todos os lados; dos volantes “ladrĂľes de bolaâ€? ou do centroavante “cabeçudoâ€?, Ă€JXUDV REULJDWyULDV QRV QRVVRV clubes atualmente. O tĂŠcnico Muricy Ramalho, um adepto, incondicional, do chamado “futebol de resultadosâ€?, declarou, apĂłs o jogo, que, se um treinador brasileiro ousasse utilizar o sistema 3-7-0, segundo ele, utilizado pelo time espanhol, seria defenestrado por todos no Brasil. O treinador santista, apenas esqueceu, que, dentre os sete jogadores do time espanhol, que atuam no meio, incluindo o ala direito, nĂŁo existe nenhum “brutamonteâ€?; todos sĂŁo jogadores leves e que, prio-

ritariamente, tĂŞm a ordem do seu tĂŠcnico, para dar, no mĂĄximo, dois toques na bola, faciliWDGRVSHODIRUPDomRGHĂ€JXUDV geomĂŠtricas com trĂŞs, quatro, cinco, seis e atĂŠ sete componentes, facilitando a manutenção da posse da bola e, ao contrĂĄrio da teoria, atacando em bloco os seus adversĂĄrios, no momento certo. Esse esquema de jogo, para ter sucesso, exclui do futebol os “gladiadoresâ€?, tĂŁo adorados pelos chamados “treinadores de pontaâ€? do Brasil. É muito comum, hoje, no nosso futebol, vermos, descaradamente, treiQDGRUHVVDFULĂ€FDUHPMRJDGRUHV de talento, obrigando-os a marcar os adversĂĄrios - alguns, atĂŠ, abandonam o futebol, precocemente, por nĂŁo atenderem Ă essas esdrĂşxulas determinaçþes. Uma das frases mais ouvidas dos treinadores, apĂłs as derrotas, ĂŠ que, ao seu time, faltou “pegadaâ€?, nos dando a entender que estĂŁo se referindo a uma corrida de cavalos. Ao contrĂĄrio do que o sr. Muricy Ramalho declarou, no nosso paĂ­s, tem sim, muitos clubes, jogando no esquema, 3-7-0. A grande diferença do sistema utilizado pelo Guardiola ĂŠ que nĂŁo existem os volantes “cabeçudosâ€? e um dos alas joga como se fosse o nos-

so antigo ponta, com liberdade para atacar pelos dois lados do campo. Temos a certeza que, se os nossos treinadores perderem o medo de perder conseguiremos melhorar nossos espetĂĄculos de futebol e voltaremos a ter o meOKRU IXWHERO GR PXQGR DĂ€QDO ainda somos o paĂ­s do futebol. O saudoso treinador Gentil Cardoso sempre repetia: “a melhor defesa ĂŠ um bom ataqueâ€?. Acredito que foi isso que Guardiola ouviu dos seus pais e avĂłs e estĂĄ praticando agora. Recentemente, na Copa SulAmericana vimos um clube de um paĂ­s, cujo futebol ĂŠ muito pobre, exibir um jogo que lembra o do Barcelona – Universidad do Chile – sagrado, recentemente, campeĂŁo daquela competição, que, embora, utilizando-se de mais força fĂ­sica e velocidade, tambĂŠm exibiu um futebol onde os seus jogadores dĂŁo poucos toques na bola, buscando sempre o ataque. O clube chileno provou que, mesmo sem grandes UHFXUVRV Ă€QDQFHLURV SRGHPRV formar bons times e vencer grandes competiçþes. Esperamos que, a exemplo do que declarou o jogador Neymar apĂłs o jogo, os nossos treinadores, tambĂŠm, tenham aprendido como se joga futebol.

LEONARDO SAKAMOTO Jornalista e doutor em CiĂŞncia PolĂ­tica

Morte para quem maltrata cĂŁo EMIR SADER FilĂłsofo, cientista polĂ­tico e professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), onde coordena o LaboratĂłrio de PolĂ­ticas PĂşblicas

Direitos humanos

No seminĂĄrio sobre Direitos Humanos, Justiça e MemĂłria, realizado esta semana na Faculdade de Direito da Universidade de SĂŁo Paulo, organizado pela Faculdade Latinoamericana de Ciencias Sociais (Flacso) e pela Secretaria de Direitos Humanos da PresidĂŞncia da RepĂşblica, pudemos viver momentos de uma intensidade emocional incomparĂĄveis. NĂŁo seria de se estranhar, sabendo o que vĂĄrios paĂ­ses desde continente viveram em um passado recente, sob regimes militares que implantaram o terror. Desta vez o momento foi especialmente emotivo porque a ministra Maria do RosĂĄrio, em nome do Estado brasileiro, entregou as cinzas de um cidadĂŁo espanhol de nascimento e de cidadania venezuelana, chamado Miguel Sabal Nue, aos VHXVWUrVĂ€OKRV A cerimĂ´nia foi ainda mais emotiva, porque atĂŠ recentemente circulava a versĂŁo da ditadura militar de que Miguel teria se suicidado. Maria GR5RVDULRH[SUHVVRXDRVĂ€OKRV o pedido de perdĂŁo do Estado brasileiro pelo que havia sido feito com seu pai. A tenacidade de familiares das vĂ­timas da ditadura na pesquisa, permitiu encontrar QRV DUTXLYRV GR 'RL&RGL D Ă€cha de Miguel, com a letra T em vermelho, que indicaria que seria um “terroristaâ€?. Apesar de nĂŁo estar vinculado a atividades de esquerda,

de ser um professor, Miguel foi SUHVR WRUWXUDGR H ÀQDOPHQWH assassinado pelos órgãos da ditadura militar. Seus restos foram encontrados em uma das ossadas que foram descobertas e entregues suas cinzas SDUDVHXVÀOKRV Estes expressaram seus senWLPHQWRV GH ÀOKRV TXH GHVGH pequenos não tinham podido conviver com o pai e que tinham tudo que conviver com a imagem de seu eventual suicídio, sem poder entender o que havia passado. Claro que nenhuma reparação cura as feridas de uma perda dessas, mas o Estado brasileiro fez o que pode para buscar a verdade do ocorrido e por isso recebeu o reconheFLPHQWR GRV ÀOKRV GH 0LJXHO que disseram que jogariam ao vento do Mont Juic, em Barcelona, de onde era proveniente seu pai, suas cinzas. O seminårio teve outros momentos de grande densidade, pela experiência transmitida por Daniel Filmus, senador e ex-Ministro de Educacao da Argentina, assim como a expoente mais importante da luta dos argentinos pelos direitos humanos, Estela Carlotto, presidente do movimento das Avós da Praça de Maio. Expressão direta desse movimento foi a intervenção de outro argentino, Juan CabandiÊ, atual deputado pela cidade de Buenos Aires. Juan Ê o que se chama lå de neto recuperado, um grupo que jå conta com 105 netos, que tiveram

sua verdadeira identidade recuperada pelo movimento das Avós. Sao pessoas cujos pais foram presos e assassinados pela ditadura militar, que encaminhou-os as crianças, depois de assassinar seus pais, para outras famílias, que os educaram com identidade falsa. No caso de Juan, as explicaçþes que lhe eram dadas sobre eles nunca os tinha satisfeito, atÊ que um dia, quando jå tinha 25 anos, foi bater na porta da sede do Movimento das Avós e lhes manifestou sua VXVSHLWDGHTXHHOHVHULD ÀOKR de algum desaparecido. Ao cabo de três anos, Juan teve o retorno, com a identiÀFDomR GRV VHXV YHUGDGHLURV pais e seu nome real. Seus pais foram um jovem casal de estudantes, ele de 19, ela de apenas 16, presos pela ditadura e executados, assim que ele nasceu, dado que sua mãe foi detida jå gråvida. Foi a partir desse momento que, segundo o depoimento de Juan, ele recuperou sua liberdade e sua alegria, mesmo sabendo do destino trågico de seus pais nas mãos da ditadura. Tomar consciência de sua verdadeira identidade era, ao mesmo tempo, tomar consciência política do que a Argentina estava vivendo e havia vivido, o que o levou imediatamente à militância política, por meio da qual ele Ê hoje um jovem e combativo parlamentar do partido de governo.

FILIADO AO

Jorgraf UM PRODUTO:

Rua da Praia, 134 - sala 303 - centro - Maceió Alagoas Endereço Comercial: Av. Menino Marcelo - 10.440 - Serraria Maceió - Alagoas - CEP: 57.083.410 CNPJ: 08.951.056/0001 - 33

Cooperativa dos Jornalistas H*UiÂżFRVGRHVWDGRGHDODJRDV

A internet replicou imagens bizarras de uma mulher espancando um cachorro. Para ela, todo o rigor previsto em lei, ĂŠ claro. O problema ĂŠ que começaram a pipocar no Twitter, FaceERRNEORJVHDĂ€QVXPDPLUtDGH de pessoas, tĂŁo dodĂłis quanto a dita, sugerindo linchamento em praça pĂşblica, imolação em fogueira, separação de membros por cavalos em fĂşria, pisoteamento por bodes chapados em ĂĄcido e atĂŠ assassinato. Outros queriam a aplicação imediata da Lei de TaliĂŁo, o velho olho por olho, dente por dente. Ou seja, fazer dela a mesma peteca que transformou cretinamente o au-au. O mais interessante ĂŠ que os comentĂĄrios da turba foram ditos e reditos, aprofundados e revisitados, sem o menor pudor. Era sangue que o povo queria. Mesmo para os padrĂľes covardes do anonimato na internet (tem gente que se protege atrĂĄs de um monitor pois, na vida real, a coragem ĂŠ menor que um mouse), esse caso assustou. E vamos indo da barbĂĄrie para a decadĂŞncia sem passar pela civilização. Algum fuinha vai tirar o pĂł do seu Tico-e-Teco e dizer: “Ah, lĂĄ vem o japa defender bandidoâ€?. Ă” frase que me dĂĄ preguiça da humanidade! Pode ser uma visĂŁo por demais hobbesiana do mundo, mas o Estado – esse creWLQRRSUHVVRUGHXPDĂ€JD²HVWi aĂ­ para impedir uma catĂĄstrofe maior (ao menos enquanto nĂŁo WLYHUPRVFRQVFLrQFLDRVXĂ€FLHQte para tomar o seu papel – mas isso ĂŠ outra histĂłria). E ao criticar linchamentos pĂşblicos nĂŁo defendo “bandidoâ€?, mas, sim, o pacto que os memEURVGDVRFLHGDGHĂ€]HUDPHQWUH si para poder conviver (minimamente) em harmonia. Em suma, abrimos mĂŁo de resolver as coisas por nĂłs mesmos para impedir que nos devoremos. Se a mĂĄquina estĂĄ com defeito,

PRESIDENTE Antonio Pereira Filho DIRETOR ADMINISTRATIVO FINANCEIRO: JosĂŠ Paulo Gabriel dos Santos Editor geral: Ricardo Castro

conserte-a. NĂŁo a defenestre. No ano passado, um caso dobrou meu consumo diĂĄrio de Pantoprazol. Cirso Fernandes Guilherme foi espancado atĂŠ a morte e teve a casa incendiada e o bar destruĂ­do por uma turba de 20 tresloucados, apĂłs ser acusado de ter sido o responsĂĄvel pela morte de uma adolescente de 14 anos em MarĂ­lia (SP). Exames preliminares, mostravam que a jovem nĂŁo havia sofrido violĂŞncia e poderia ter morrido por outro motivo. Cirso nĂŁo teve direito Ă defesa ou Ă  recurso. Foi julgado e executado pela irracionalidade coletiva. Para muita gente, esse tipo de decisĂŁo sumĂĄria ĂŠ linda, seja feita pelas mĂŁos da população, seja pelas do prĂłprio (VWDGRDRFDoDUWUDĂ€FDQWHVHP morros cariocas ou na periferia da capital paulista. Se com o devido processo legal inocentes amargam anos de cadeia devido a erros, imagine sem ele? Como nĂŁo dĂĄ para dar Ctrl+Z em injeção letal, imagina a quantidade de “Ops, foi malâ€? seguida de indenizaçþes contra o Estado que surgiriam pelo rosĂĄrio de burradas cometidas se a pena de morte fosse aqui legalizada? “Se a gente fez, ele deve. Alguma coisa ele deve.â€? A frase, dita por uma pessoa que participou do linchamento, perturba. O morto ĂŠ culpado porque nĂłs o punimos. Nem o pessoal do Monty Phyton faria melhor. Um pecuarista, que jĂĄ haYLD VLGR Ă DJUDGR FRP WUDEDOKR escravo, deixou de pagar pela enĂŠsima vez o salĂĄrio de seus empregados, anos atrĂĄs, no Sul do ParĂĄ. Dizem as autoridades ORFDLV TXH HQĂ€P RV SH}HV UHVROYHUDP VH UHEHODU Ă€]HUDP uma emboscada na porteira e, quando ele chegou, teriam dado cabo da sua vida a golpes de foices e enxadas. Vingança? Idiotice. 6DEHPRVGDGLĂ€FXOGDGHGHOH-

var um tipo desses a julgamento e, estando lĂĄ, de conseguir uma condenação real por seus crimes. Mas creio que todos os que lutam para que Justiça nĂŁo seja uma palavra bonita numa capa dura de um livro nĂŁo se sentem contemplados com o passamento do fazendeiro suSUDFLWDGR RX GH Ă€JXUDV IROFOyricas como Augusto Pinochet, Suharto, Erasmo Dias, coronel Ubiratan, e tantos outros que se foram antes de responder pelo TXHĂ€]HUDP NĂŁo quero uma saĂ­da “Nicolas Marshallâ€?. Quero apenas que a Justiça funcione. E, com isso, a sociedade consiga saldar as contas consigo mesma, discutindo-se, entendendo-se. NĂŁo era bom marido? Mau pagador de impostos? Trapaceava nas cartas? Vendia bebidas vencidas ou nĂŁo lavava os copos com decĂŞncia? As porçþes servidas no bar nĂŁo eram dignas? Era avarento, invejoso, preguiçoso? Lançava-se Ă luxĂşria? Torcia para o time errado? Dava “bom diaâ€? de dentes cerrados? – ah, os dentes cerrados‌ Entregava-se Ă  bebida? NĂŁo ia Ă  missa todos os domingos? Era econĂ´mico nos elogios? Ou, quiçå, pior? Usava mĂŁo-de-obra escrava? Violentava crianças? Maltratava animais? Pau nele. De vez em quando nĂŁo sei de quem tenho mais medo: dos bandidos, dos “mocinhosâ€? ou de nĂłs mesmos. Bandido bom ĂŠ bandido morto? Para começo de conversa, diga-me com quem andas que WHGLUHLTXHPpV$Ă€QDOGHFRQtas, matar ĂŠ solução para pau que nasce torto, que nĂŁo tem jeito, morre torto. E, pior ainda QDSHULIHULDRQGHĂ€OKRGHSHL[H peixinho ĂŠ. Revidar ĂŠ nosso direito, pois quem com ferro fere com ferro serĂĄ ferido. Ou eles ou nĂłs, pois o pior cego ĂŠ aquele que nĂŁo quer ver. É tĂŁo gostoso repetir idĂŠias feitas sem precisar pensar, nĂŠ?

Nosso noticiĂĄrio nacional ĂŠ fornecido pelas agĂŞncias: AgĂŞncia Folha e AGĂŞncia Nordeste PABX: 82.3311.1338 COMERCIAL: 82.3311.1330 - 3311. 1331 REDAĂ‡ĂƒO: 82.3311.1328 - 3311.1329 CENTRAL DE ASSINANTE: 82.3311.1308 - 3311.1309 comercial.tribunaindependente@gmail.com redação.tribunaindependente@gmail.com

ricardocastro@tribuna-al.com.br

DIRETORA COMERCIAL: Marilene Canuto

OS ARTIGOS ASSINADOS SĂƒO DE RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES. NĂƒO REPRESENTANDO, NECESSARIAMENTE, A OPĂ?NIĂƒO DESTE JORNAL.


TribunaIndependente

MACEIÓ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

ESPECIAL

7


8

BRASIL/MUNDO

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

Brasil/MUndo

Em nova manifestação por educação no Chile atÊ o Papai Noel apanhou A última manifestação de estudantes chilenos neste ano produziu ontem imagens semelhantes às que foram vistas nas dezenas de protestos que pediram mudanças no sistema de educação ao longo do ano. Policiais usaram gås lacrimogêneo e canhþes de ågua para tentar conter uma marcha não autorizada em Santiago. Cenas parecidas foram vistas durante confrontos entre a polícia e estudantes em Valparaíso. Na capital, porÊm, um registro inusitado marcou a manifestação: um manifestante vestido de Papai Noel foi detido e agredido.

CNJ e magistrados em rota de colisĂŁo Entidades de juĂ­zes acusam Conselho de quebrar sigilo bancĂĄrio de 200 mil servidores; corregedora reage

A

corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, negou ontem que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tenha promovido uma “devassaâ€? em informaçþes sigilosas de juĂ­zes e acusou associaçþes de magistrados de fazer “declaraçþes incendiĂĄriasâ€? para tentar abafar os debates sobre a atuação e os poderes de investigação do ĂłrgĂŁo de controle externo no Poder JudiciĂĄrio. Esta semana, a Associação Na-

cional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e a Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) divulgaram a informação de que a suposta varredura determinada pelo CNJ atingiria a movimenWDomR ÀQDQFHLUD GH PDLV GH 200 mil os servidores e magistrados do Judiciårio. ´,VVRQmRpGHYDVVDÀVFDO isso não Ê quebra de sigilo. Isso Ê um trabalho que Ê fei-

to pelos ĂłrgĂŁos que fazem o controle administrativo. NĂŁo houve quebra de sigiOR Ă€VFDO RX EDQFiULR PXLWR menos devassa ou vazamento de informaçþes sigilosasâ€?, explicou. “Tudo isso ĂŠ fruto de maledicĂŞncia e de irresponsabilidade da AMB, da Anamatra e da Ajufe, associaçþes que, mentirosamente, desinformam a população ou informam com declaraçþes incendiĂĄrias, inverossĂ­meis, portanto. Porque (traba-

lhar) 270 mil pessoas investigadas Ê absolutamente inverossímil. (As associaçþes) Passam a dizer o inexistente, falar o indevido e detratar de um órgão que, em última anålise, pretende defender as instituiçþes brasileiras da corrupção que realmente se alastra nesse País�, disse Eliana Calmon. Nos últimos dias, a atuação do CNJ foi colocada em xeque após decisþes dos ministros Marco AurÊlio Mello e Ricardo Lewandowski,

do Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiram rever as prerrogativas do Conselho, esvaziar o poder do colegiado de dar início a investigaçþes contra juízes suspeitos e suspender a inspeção feita pelo órgão de controle do Judiciårio na folha de pagamento do Tribunal de Justiça de São Paulo. A despeito das decisþes, a ministra Eliana Calmon disse que não pretende argumentar com os ministros para tentar rever os votos.

“NĂŁo pretendo (explicar aos ministros) porque a questĂŁo estĂĄ judicializada e nĂŁo se deve questionar ou explicar como se fosse um clube de amigosâ€?, comentou. Para a corregedora, as investigaçþes patrimoniais dos juĂ­zes ocorrem hĂĄ quatro anos, desde a gestĂŁo do antigo corregedor, Gilson Dipp, e envolvem, conforme previsto em lei, a anĂĄlise de folhas de pagamento e declaraçþes de Imposto de Renda. GLĂ UCIO DETTMAR

Corregedora Eliana Calmon rebate acusação de entidades e diz que o CNJ não Ê clube de magistrados

DRIBLE

CASO ELIZA

COREIA DO NORTE

A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz InĂĄcio Lula da Silva voltaram a driblar a imprensa ontem, ao se reunirem sigilosamente em um hotel da Zona Sul da capital paulista. O encontro durou cerca de duas horas e a assessoria de imprensa do ex-presidente nĂŁo revelou o teor da conversa. CELEBRAĂ‡ĂƒO DE NATAL Dilma participou, pela manhĂŁ, da sua primeira celebração de Natal com catadores de materiais reciclĂĄveis e da população em situação de rua, na condição de presidente da RepĂşblica. No ano passado, recĂŠm eleita, ela participou deste evento, ao lado do entĂŁo presidente Lula. O ex-presidente jĂĄ tinha manifestado a intenção de participar do Natal dos catadores deste ano, mas nĂŁo compareceu, segundo informaçþes de assessores prĂłximos.

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro CÊzar Peluso, pediu mais informaçþes sobre o caso do goleiro Bruno, acusado de matar sua ex-amante Eliza Samudio. O pedido acontece após analisar um pedido de liberdade para o goleiro. Para o ministro, Ê inviåvel a apreciação do pedido de liminar sem a correta formação do habeas corpus, apresentado à corte com 90 påginas. Por isso, o presidente do STF determinou que seja solicitado ao juiz do Tribunal do Júri de Contagem (MG) o envio da cópia da sentença que pronunciou Bruno, alÊm de eventuais decisþes posteriores que tenham mantido a prisão preventiva do rÊu. O STJ (Superior Tribunal de Justiça) negou um novo pedido de habeas corpus apresentado pela defesa do goleiro no mês de outubro deste ano.

AlĂŠm de jogos do ChicaJR %XOOV H Ă€OPHV GH DomR D Disney tambĂŠm fez parte da vida de Kim Jong-un: o jornal japonĂŞs “Yomiuri ShimEXQÂľ DĂ€UPRX RQWHP TXH R Ă€OKR HVFROKLGR SRU .LP Jong-il para sucedĂŞ-lo no comando da Coreia do Norte YLVLWRXVHFUHWDPHQWHDĂ€OLDO japonesa do parque de diversĂŁo, usando um passaporte brasileiro. Kim Jong-un, o caçula do ditador, teria entrado no paĂ­s na infância, com outra criança. De acordo com o jornal, o acompanhante seria seu irmĂŁo Kim Jong-chol. Mas nem toda a famĂ­lia foi bem-sucedida em suas visitas Ă Disney. Especula-se que uma das razĂľes para que o primogĂŞnito de Kim Jong-il tenha sido preterido na sucessĂŁo norte-coreana foi justamente uma viagem desastrada ao JapĂŁo.

Lula e Dilma se STJ vai decidir Sucessor entrou encontram Ă s sobre soltura do no JapĂŁo com cartĂŁo brasileiro ocultas em SP ex-goleiro


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

Cidades

CIDADES

9

Hoje tem Coro, grupos folclĂłricos e Irina Costa e Fernanda GuimarĂŁes, na orla A programação de Natal em MaceiĂł continua esta noite com a presentação do Coro Alpha, que farĂĄ seu show, Ă s 19 horas, na Praça Multieventos, na Pajuçara. Em seguida, se apresenta o grupo folclĂłrico Ganga Zumba das Alagoas, com um pastoril, e o grupo Fandango do Pontal da Barra. TambĂŠm estĂĄ na programação de hoje, o show Sawabona – Sons da Paz, com Irina Costa e Fernanda GuimarĂŁes. No sĂĄbado, os festejos natalinos da Prefeitura terĂŁo inĂ­cio Ă s 18h30, com Dydha Lyra cantando a “Ave Maria de Gounodâ€?. Das 19 horas Ă s 20 horas e 30, a programação continuarĂĄ com a celebração da Missa de Natal, pelo padre JosĂŠ Nilton BrandĂŁo. Em seguida, apresenta-se o Coro Prisma, com o maestro Gustavo Campos.

Comissão constata violação de direitos humanos de militares

SANDRO LIMA

Mulheres dos militares, presos provisĂłrios, disseram temer morte por envenamento ou rebeliĂŁo com assassinato de seus maridos ANA PAULA OMENA REPĂ“RTER

D

urou cerca de uma hora a visita feita ontem pela ComissĂŁo Estadual de Defesa dos Direitos Humanos (CEDDH), ligada Ă Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos de Alagoas, ao mĂłdulo do PresĂ­dio Baldomero Cavalcanti onde 21 militares estĂŁo desde que foram transferidos do PresĂ­dio Militar, na Ăşltima segunda-feira, em MaceiĂł. A visita foi provocada por denĂşncia das mulheres dos militares sobre o medo que eles tĂŞm de ser envenenados ou assassinados em rebeliĂľes pelos presos comuns, entre outros problemas. De acordo com o presidente da ComissĂŁo, Fernando Teles,

durante a visita foi observado que houve violação dos direitos humanos dos militares e que hĂĄ ameaça velada por parte dos reeducandos. O sargento Teobaldo Henrique, presidente da Associação de Subtenentes e Sargentos de Alagoas (Assmal), tambĂŠm acompanhou a visita e relatou Ă Tribuna Independente a situação desumana em que os militares se encontram. “Embora os militares nĂŁo sejam condenados, eles tĂŞm sido tratados como se fossemâ€?, enfatizou. Segundo o sargento, os 21 militares estĂŁo sem dormir desde que chegaram, na segunda-feira, por medo de uma possĂ­vel rebeliĂŁo. “Eles estĂŁo sendo ameaçados pelos cerca de 600 detentos do Baldomero. Quando os presos passam pelo mĂłdulo ficam ameaçando, dizendo que

vĂŁo batizar (envenenar) a comida dos militares. Isto tem deixado os militares sem comer e sem dormirâ€?, revelou. O que separa os militares dos presos sĂŁo apenas uma parede e uma grade, segundo mencionaram as mulheres dos militares que foram atĂŠ a Secretaria de Direitos Humanos cobrar providĂŞncias sobre o caso, na manhĂŁ de ontem. “Os militares nĂŁo sĂŁo reeducandos e estĂŁo sendo tratados como se fossem. As mulheres tambĂŠm estĂŁo sendo humilhadas e temem sofrer represĂĄlias pelas outras mulheres de presos. Nem estamos mais visitando nossos maridos por conta das piadinhas que chegamos a ouvir atĂŠ mesmo de agentes penitenciĂĄriosâ€?, denuncia LĂŠa Cunha, mulher de um militar. BRENO AIRAN

REGALIAS TAMBÉM

PresĂ­dio Militar foi interditado por irregularidades O presidente do Conselho de Segurança (Conseg), Paulo BrĂŞda, disse que a interdição do Presidio Militar foi determinação do Conseg por identificar inĂşmeras irregularidades no local. Segundo ele, inspeçþes revelaram ausĂŞncia de segurança no PresĂ­dio Militar, risco de incĂŞndio por conta de vĂĄrias gambiarras, falta de controle de entrada e saĂ­da de pessoas e de objetos, alĂŠm de regalias como piscina com chuveirĂŁo, trĂŞs camas para apenas um preso militar, computador, som, TV de plasma, veĂ­culos estacionados sem saber a origem, entre outros. Paulo BrĂŞda enfatizou que nĂŁo hĂĄ motivo para pânico, destacando que o mĂłdulo onde os militares estĂŁo ĂŠ seguro. “O PresĂ­dio Militar foi interditado e enquanto o Estado nĂŁo construir outro com regra de presĂ­dio, os militares vĂŁo continuar naquele mĂłduloâ€?, declarou. “O mĂłdulo que eles estĂŁo fica ao lado da administração, entĂŁo se eles estĂŁo com receio de ficar ali, os outros da administração tambĂŠm estĂŁoâ€?, emendou. O comandante geral da PolĂ­cia Militar, coronel Luciano Silva, informou por meio de sua assessoria de comunicação que atendeu Ă reivindicação dos 21 militares que estĂŁo no mĂłdulo do PresĂ­dio Baldomero Cavalcanti e vai fornecer a alimentação deles por meio do Quartel, o que nĂŁo estava acontecendo atĂŠ ontem. O coronel Luciano Silva disse que teria atendido Ă  determinação judicial concedida pelo juiz JosĂŠ Braga Neto, da Vara de Execuçþes Penais, para transferĂŞncia dos militares do PresĂ­dio Militar para o PresĂ­dio Baldomero Cavalcanti. Os militares que foram transferidos ainda nĂŁo foram julgados. Eles respondem por crimes de homicĂ­dio, tentativa de homicĂ­dio, entre outros. (A.P.O.)

Visita ao BaldomeroDFRQWHFHXRQWHPjWDUGHDSyVGHQ~QFLDGHDPHDoDVIHLWDVSHORVUHHGXFDQGRV

INCLUSIVE ENXOVAL

Mulher grĂĄvida de oito meses perde tudo apĂłs incĂŞndio em sua casa BRENO AIRAN REPĂ“RTER

BombeirosWLYHUDPGLÂżFXOGDGHSDUDDSDJDUDVFKDPDVQRLPyYHO

O Natal deste ano para Ana Paula Domingos de Souza, moradora de MaceiĂł, vai ser de tristeza. Na tarde de ontem, uma equipe de combate a incĂŞndio do Corpo de Bombeiros foi acionada para uma ocorrĂŞncia de fogo em residĂŞncia na Rua 4 da quadra B do Conjunto Lucila Toledo, no bairro do Tabuleiro do Martins. Mal sabiam os militares de que se tratava da casa de uma gestante de oito meses. O acesso Ă residĂŞncia era por um beco estreito, ao lado da casa de nĂşmero

248. O imóvel de Ana Paula ficava atrås dessa casa. Ela havia comprado todo o enxoval da criança que estå por vir e praticamente tudo na casa se perdeu, a não ser um conjunto de panelas e um botijão de gås, que, se explodisse, causaria um estrago bem maior. O carro-bomba que atendeu ao chamado tomou a rua e a interditou, com o objetivo de apagar as labaredas que passavam do telhado. As ripas de madeira logo cederam e o calor era insuportåvel. Os móveis, a cama de casal - o marido da gråvida estava traba-

lhando no momento do incidente –, todo o enxoval, enfim, ficaram destruĂ­dos pelo fogo. As paredes tambĂŠm estavam em mĂĄs condiçþes, com rachaduras, e precisariam ser demolidas. “Tudo indica que tenha sido um curto-circuito o grande responsĂĄvel por issoâ€?, lamentou um bombeiro, coberto de cinzas. A gestante passou mal depois de sair da casa em chamas e foi amparada por vizinhos. Ela teve de ser atendida por uma equipe de paramĂŠdicos do Serviço de Atendimento MĂłvel de UrgĂŞncia (Samu) e foi encaminhada para o Hospital Geral do Estado. SANDRO LIMA

AEROPORTOS

Greve de funcionĂĄrios das companhias nĂŁo atinge AL ANDREZZA TAVARES REPĂ“RTER

A notícia de greve nos aeroportos de todo o País, anunciada para ontem, intrigou os alagoanos que estão com viagem marcada para passar as festas de fim de ano fora do Estado. Esta semana, o Tribunal Superior do Trabalho determinou que apenas 20% dos funcionårios das companhias aÊreas poderiam parar suas atividades nos dias 23, 24, 29, 30 e 31 de dezembro. Ontem, apenas os aeronautas aceitaram a proposta das empresas e suspenderam a paralisação. Mas no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares o movimento Ê considerado tranquilo com todos os voos chegando e partindo normalmente, sem caracterização de greve. As principais empresas aÊreas que operam em Alagoas informaram que o movimento estå normal, sem atrasos e sem cancelamen-

tos de voos. Elas esclarecem que não estão em greve e que tudo opera dentro da normalidade. Inicialmente, eram os aeronautas, funcionårios que trabalham embarcados, e os aeroviårios, que trabalham em terra, paralisariam as atividades. Ontem, porÊm, só os aeroviårios optaram por manter a paralisação, que deve atingir os aeroportos do Galeão (Rio de Janeiro), Cofins (Belo Horizonte), e os de Brasília e Fortaleza. As informaçþes atÊ o fechamento desta edição Ê que não havia previsão de greve no aeroporto em Alagoas. A paralisação em outros terminais poderå ter reflexos nos aeroportos que não aderiram à greve. Os destinos mais procurados pelos alagoanos, neste fim de ano são: Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas. As companhias informaram que os voos estão lotados, mas sem atrasos.

Movimento no aeroporto Zumbi dos Palmares era tranquilo ontem, apesar do anĂşncio de greve


10

CIDADES

TribunaIndependente

MACEIÓ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

AL não é mais líder em mortalidade infantil Nova pesquisa do Ministério da Saúde constatou que 10 outros Estados brasileiros têm índices mais preocupantes

A

lagoas vai encerrar 2011 com uma ótima notícia: o Estado não é mais líder em mortalidade infantil, segundo pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde (MS), que resultou na publicação Saúde Brasil 2010 - Uma Análise da Situação de Vigilância em Saúde. Uma busca ativa realizada por técnicos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), chegou a uma estimativa realizada em 2008, que apontou o registro de 21,5 mortes para cada 1.000 nascidos vivos, colocando Alagoas na 11ª posição do ranking nacional de mortalidade infantil, atrás de outras dez unidades da federação. Realizado com base nas informações captadas em cada município, o estudo se baseou em um cálculo do fator de correção de óbitos infantis, em que o MS constatou uma grande sub-notificação dos óbitos. O líder em mortalidade infantil agora é o Amapá, com 28,9 mortes para cada 1.000 nascidos vivos, seguido pelo Maranhão, Piauí, Pará, Bahia, Amazonas,

Acre, Tocantins, Mato Grosso e Roraima. O estudo aponta, ainda, que dos nove Estados nordestinos, três encontram-se em situação pior que a de Alagoas quanto à mortalidade infantil. Dos sete estados da Região Norte, seis apresentam taxa superior à alagoana, além do Mato Grosso, situado na Região Centro-Oeste. A metodologia utilizada pela pesquisa estimada da mortalidade infantil se baseou, segundo a publicação Saúde Brasil 2010, “nas coberturas dos sistemas de informações SIM e Sinasc no ano de 2008, estimadas a partir dos dados coletados pelo projeto de Busca Ativa de Óbitos e Nascimentos na Amazônia Legal e no Nordeste”. Segundo o MS, o projeto foi conduzido de setembro de 2009 a junho do ano passado e foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Escola Politécnica em Saúde Joaquim Venâncio da Fundação Oswaldo Cruz. O secretário de Estado da Saúde, Alexandre Toledo, ressalta que ASSESSORIA

ASSESSORIA

o resultado da pesquisa representa o reconhecimento acadêmico dos esforços e das políticas públicas implementadas pelo atual Governo estadual. Dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) referentes aos anos de 2009 e 2010 – e que não são abrangidos pela publicação Saúde Brasil 2010 – mostram que a redução da taxa de mortalidade é ainda maior em Alagoas. “No período de 2006 a 2010, foi observada uma redução de 18,2% na taxa de mortalidade infantil, reduzindo de 21,4 para cada mil nascidos vivos em 2006 para 17,5 para cada mil nascidos vivos em 2010. E de 2009 até o ano passado, foi obtida uma redução superior a 11%, equivalendo a mais que o dobro proposto pelo Pacto Nacional, cujo índice corresponde a 5%. Os dados também apontam que em 2000 a taxa de mortalidade infantil era de 30,8 por mil nascidos vivos e que no ano passado ela foi de aproximadamente 17,5 por mil nascidos vivos, representando uma redução de 43,2%”, ressalta Toledo.

Índice teve queda surpreendente, segundo aponta secretário: de 2000 a 2010 houve redução de 43,2% e hoje taxa é de 17,5 mortes por mil nascidos vivos

EM TODOS OS MUNICÍPIOS

Queda foi possível com monitoramento

Secretário destaca reforma de maternidades na redução da mortalidade

Para conseguir tirar Alagoas do 1º e colocar no 11º lugar no ranking da mortalidade infantil, os técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) implantaram e estruturaram a Gerência de Núcleo de Vigilância do Óbito, que passou a monitorar cada morte registrada no Estado. Os médicos, enfermeiros e gestores dos 102 municípios passaram a participar de capacitações sistemáticas, por meio do Programa Viva Vida. Também foram implantados

Comitês de Prevenção à Mortalidade Infantil, Materna, Fetal e por Causas Mal Definidas, e foram realizadas supervisões periódicas nos municípios. A Sesau também distribuiu computadores aos municípios para uso exclusivo com os sistemas de mortalidade (SIM) e de nascidos (Sinasc). Foram realizadas análises do perfil epidemiológico da saúde materno-infantil em cada região do Estado e o Governo firmou parceria com o Fundo

das Nações Unidas para a Infância (Unicef), para realizar capacitações em vigilância do óbito e monitoramento do Plano de Redução da Mortalidade Infantil e Materna. Em paralelo, também foi implantado o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Neonatal-Aeromédico e estruturado o Programa Saúde da Família (PSF) com o aporte de R$ 11 milhões do Programa Prosaúde. Somente este ano, foram investidos R$ 8,3 milhões na reestrutu-

ração das UCIs e UTIs das 23 maternidades públicas e conveniadas. “E para atender os usuários do SUS de forma integral, universal e equânime, reformamos a Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal da Unidade Mista Senador Arnon de Mello, em Piranhas, e está em fase de licitação a reforma da Unidade de Terapia Intensiva e da UCI Neonatal da Maternidade Escola Santa Mônica”, salientou o secretário de Saúde, Alexandre Toledo.


TribunaIndependente

AĂ?LTON VILLANOVA ailton.villanova@gmail.com

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

CIDADES

11

Defesa de padre condenado jĂĄ estĂĄ com recurso pronto &RQÂżVV}HVGHSDGUH(GLOVRQ'XDUWHTXHFRQVWDPQRVDXWRVWHULDPVLGRIRUoDGDV DANIEL MAIA 5(3Ă?57(5

A

Esperteza portuguesa, com certeza!

N

ão tem lugar mais divertido do que estação de passageiros de aeroporto internacional. É aí onde se junta gente de todo canto do mundo, numa mistura de línguas as mais complicadas e engraçadas. Quando o caro leitor estiver num desses aeroportos, comece a prestar atenção nas conversas dos passageiros estrangeiros. Determinado dia, no Aeroporto de Guarulhos, São Paulo, duas distintas figuras internacionais do setor da astrologia batiam um descontraído papo, enquanto aguardavam aeronave para os seus respectivos destinos. Eram um mestre português e um cientista brasileiro. A certa altura da conversa, o lusitano, que se chamava Joaquim Silveira, revelou ao brasileiro: - Tu sabes, ó colega, nosso peís acaba de teire uma ideia genial... - É mesmo? – manifestou o cientista brasileiro. – Mas que ideia Ê essa? E o português: - Estamos a organizaire a primaira viagem ao Sol! - Impressionante! – admirou-se o brasileiro. – Mas como seria essa viagem ao Sol? - Ainda estamos a bolaire. - Não vai dar certo! - Como não vai daire, ora pois? - É simples. Qualquer pessoa que tentar se aproximar do Sol vai morrer torrada! Então, o português soltou um risinho irônico e completou: - E o senhoire estå a pensaire que somos mesmo burros? - Não, não Ê isso... - Pois fique o sinhoire sabendo que jå pensamos nessa possibilidade. De modo que vamos planejaire tudo direitinho pra nave chegaire lå de noite!

pós a condenação de três sacerdotes católicos de Arapiraca por pedofilia, o advogado Thiago Mota, que defende o padre Edilson Duarte, em conjunto com Bruno Cardoso, informou que jå estå com a apelação pronta para recorrer da sentença do juiz João Luiz, da 1ª Vara da Infância e da Adolescência, anunciada no último dia 19. O advogado aproveitou o ensejo para criticar a Comissão Parlamentar de InquÊrito (CPI) da Pedofilia, na

pessoa do senador Magno Malta (PR-ES), que presidiu a sessĂŁo, em meados de abril de 2010. Segundo Thiago Mota, durante a CPI, o padre foi coagido pelo senador, chegando a dizer inverdades sobre a relação homoafetiva que os outros sacerdotes mantinham com os ex-coroinhas. “Aquilo representou um cĂ­rculo de horrores. Ele [Edilson] simplesmente disse: se ĂŠ isso que o senhor quer que eu fale, eu faloâ€?, reconstituiu Thiago, ao falar que padre Edilson desmentiu as declaraçþes.

Naquela ĂŠpoca, o padre mencionou que havia uma espĂŠcie de “rodĂ­zio sexualâ€? com os rapazes. O esquema repercutiu nacionalmente, e levou ao conhecimento pĂşblico supostos codinomes dos sacerdotes usados durante as relaçþes. Segundo depoimento, os sacerdotes eram chamados pelos nomes femininos “MĂ´nicaâ€? e “Simoniâ€?. JĂĄ o advogado Daniel Ferreira, da Arquidiocese de Penedo, que representou o Vaticano, foi expulso da sessĂŁo pĂşblica pelo senador e, apĂłs um ano, nĂŁo poupou crĂ­ticas Ă CPI. O episĂłdio foi

noticiado pela Tribuna Independente, e em seguida a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL) moveu um recurso por quebra de decoro parlamentar contra Malta. “Que a CPI ocorreu de forma irregular, sem dĂşvida. AlĂŠm de ser um absurdo o fato de eu ser expulso de uma sessĂŁo pĂşblica. Ela deveria ser presidida por duas pessoas, no caso, sĂł foi uma. Tecnicamente, essa CPI era pra ser nulaâ€?, criticou. Ontem, a Tribuna Independente tentou contactar a assessoria do senador por telefone, mas nĂŁo houve retorno. '$9,6$/6$

Fax explosivo $HURSRUWRLQWHUQDFLRQDOGH %UDVtOLDGLDGHDJRVWR(X PHHQFRQWUDYDQDHVWDomRGH HPEDUTXHDJXDUGDQGRRDYLmR TXHPHWUDULDGHYROWDD0DFHLy 3HUWLQKRGHPLPFRQYHUVDYDP XPMDSRQrVHXPDPHULFDQR 8PSRXFRPDLVDGLDQWHXP EUDVLOHLURFRPFDUDGHEDLDQRHV FXWDYDDWHQWDPHQWHDFRQYHUVD GRVGRLV'HUHSHQWHWRFRXXP ELSRMDSRQrVSHGLXOLFHQoDIH] DTXHOHJHVWRGHTXHPDWHQGHXP WHOHIRQH GHGRPtQLPRMXQWRDR OiELRHSROHJDUQRRXYLGR IDORX SRXFRHGHSRLVVHGHVFXOSRX 0HXPLQLFHOXODUPDUDYLOKD GDWHFQRORJLD,PSODQWHLQDV

XQKDV)LFDPXLWRSUiWLFRSUD FDUUHJDU (PVHJXLGDRXWURELSELS 2DPHULFDQRS}HRGHGRQR GHQWHLQFLVLYRHFRPHoDUDIDODU 7HUPLQDH[SOLFD 0HXPLQLFHOXODUZRQGHU IXOOPLQLWXUL]DWLRQ,PSODQWHLQR GHQWHHQRRXYLGRPpGLR0XLWR SUiWLFR 1HVVHPRPHQWRRXYHVH XPDVRQRUDH[SORVmRDQDOÂą SUUURRUUURRRWÂąYLROHQWtVVLPD2 EUDVLOHLURFRPFDUDGHEDLDQR TXHVHHQFRQWUDYDSUy[LPRDRV GRLVLPHGLDWDPHQWHVHGHVFXOSD $FDEDGHFKHJDUXPID[ 0DVHXQmRYRXOHUDJRUD

A família dela foi a culpada! $RVDQRVGHLGDGHR9LOLEDOGR7ULFROLQRHUDXPUDSD]QRUPDOtVVLPR 6yWLQKDHQWmRXPGHIHLWR]LQKRVDIDGRHUDGRQ]HOR8PGLDFRQKH FHXRWDOGH'HJHQDOGR)HOLSDOGRTXHRDSUHVHQWRXjWDPEpPYLUJHP 0DUJDULGD0DULDXPDÀRUGHJDURWD,QMXVWLoDVHULDGL]HUTXHDUHIHULGD IRLDVXDSHUGLomR$KLVVRQmR 9HUGDGHpTXH9LOLEDOGRFRPHoRXDGHJHQHUDUDSDUWLUGRWHUFHLUR PrVGHQDPRURFRP0DUJDULGDSRUTXHR'HJHQDOGRRLQGX]LXDSUiWL FDVQmRFRPSDWtYHLVFRPRGHFRURFRPDPRUDOHRVERQVFRVWXPHV 1RSULPHLURPrVGHQDPRURRJDURWmRVHTXHUWRPDYDFDIH]LQKR QDFDVDGDQDPRUDGD7tPLGRDV~QLFDVIUDVHVTXHHQWmRSURQXQFLDYD HUDP³SRUIDYRU´H³PXLWRREULJDGR´ 9HLRRPrVVHJXLQWHHHOHMiVHVHQWLDPDLVjYRQWDGHQDUHVLGrQ FLDGD0DJiX7RPDYDFDIpFRPLDEROLQKRDEULDDJHODGHLUDVR]LQKRH QmRWLUDYDRVROKRVGDVEHODVFR[DVGDFXQKDGD 1RTXDUWRPrVMiFKHJDYDGHEHUPXGDjFDVDGDQDPRUDGDH VHSHUPLWLDVROWDUDUURWRVjPHVDGHUHIHLo}HV3DVVRXWDPEpPDGDU SDOSLWHVQDVFRQYHUVDVGRVRJURHGDVRJUD 4XLQWRPrV6HUYLDVHVR]LQKRQDKRUDGDVUHIHLo}HVHOLPSDYD DERFDQDWRDOKDGDPHVD2VRIiGDVDODHUDRVHXORFDOSUHGLOHWRSDUD WUDQVDUFRPDQDPRUDGD$OLiVIRLQDIRIXUDGHVVHVRIiTXHHOHPDQGRX SUREHOHOpXDYLUJLQGDGHGD0DJiX %HPGL]HUHOHPRUDYDQDFDVDGHOD$OpPGRPDLVXVDYDH DEXVDYDGRFDUURGHVHX,WDQDJLOGRRVRJUR3HLGDYDQRVRIiVHPR PHQRUFRQVWUDQJLPHQWRHVyWUDWDYDGRQD3DOPLUDDVRJUDGH³JRUGX FKDYHOKD´(UDRPrVQ~PHURVHLV 1RVpWLPRMiGRUPLDQRTXDUWRGRVVRJURV1RV¿QDLVGHVHPD QDSHJDYDD0DUJDULGDPRQWDYDFRPHODQRFDUURGRYHOKR,WDQDJLOGR HRVGRLVVyYROWDYDPQDVHJXQGDIHLUDQDPDLRUUHVVDFD1HVVDIDVH 9LOLEDOGRGHJHQHURXGHYH]6yLDjPHVDGHUHIHLo}HVGHFXHFD 4XDQGRFRPSOHWRXRRLWDYRPrVGHQDPRURWHYHXPDEULJD FRPDVRJUDVySRUTXHHVWDUHFODPRXTXHHOHHVWDYDPDQGDQGRYHUXP FRFR]mRFRPDSRUWDGREDQKHLURDEHUWD$FXQKDGDTXLVVHPHWHUQD GLVFXVVmRHOHYRXXPDSRUUDQRPHLRGDFDUD 1RQRQRPrVVHXUHODFLRQDPHQWRFRPRVVRJURVSLRURXSRU FDXVDGHXPDUHFODPDomR]LQKDRIROJDGRQmRGDYDPDLVGHVFDUJDQD SULYDGD6ySUDFRQWUDULDUHOHOLPSDYDRSrQLVQDFRUWLQDWRGDVDVYH]HV TXHDFDEDYDGHFRPHUD0DJiX 4XDQGRFKHJRXDRGpFLPRPrVRLQIHOL]GRVRJURMiHVWDYD FRPDFRQWDVXVSHQVDQREDQFRWDQWRVIRUDPRVHPSUpVWLPRVTXHOKH FRQFHGHUDVHPUHWRUQRDOJXP 'pFLPRSULPHLURPrV9LOLEDOGRDVVXPLXRFRQWUROHGDFDVD HERWRXDFXQKDGDSUDIRUDVySRUTXHHODQmRTXLVGRUPLUFRPHOHQD FDPDGRVSDLVGHOD $RFRPSOHWDUXPDQRGHQDPRURFRP0DUJDULGD9LOLEDOGR UHVROYHXVHPDQGDU$FDERXRUHODFLRQDPHQWRVREDDOHJDomRGHTXHD IDPtOLDGHODHUDFKDWDGHPDLV

Padre Edilson UHYHORXGHWDOKHVGHUHODo}HVFRPH[FRURLQKDVGXUDQWH&3,TXHpTXHVWLRQDGDSHOD2$%HDWpSRUUHSUHVHQWDQWHGR9DWLFDQR 6$1'52/,0$

22 MANDADOS

Megaoperação da polícia fracassa e só prende dois DAVI SALSA 5(3�57(5

Arapiraca (Sucursal) Uma operação conjunta deflagrada nas primeiras horas de ontem pelas Polícias Civil e Militar, MinistÊrio Público Estadual, Força Nacional, Divisão Especial de Investigação e Captura (Deic) e 17ª Vara Criminal prendeu dois homens envolvidos com o tråfico e porte de arma, no município de Teotônio Vilela, a 99 quilômetros de Maceió. A ação, que era para ser uma megaoperação, denominada Amanhecer, e cumprir 22 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça, fracassou. Atuaram nos trabalhos aproximadamente 100 homens, e

entre os batalhþes participantes estava o 3º BPM e Bope, que prenderam Cícero DeoclÊcio dos Santos, 54, com uma espingarda calibre 12, e Charles Bruno Viana, 24, com um revólver calibre 38, alÊm de farta munição. Ambos estavam em suas residências e foram presos após cumprimento de mandado judicial expedido pela Vara da Justiça de Teotônio Vilela. Os acusados foram encaminhados à sede da Deic, onde foram realizados os procedimentos legais. O objetivo da operação foi a de desmantelar uma quadrilha especializada em assaltos e crimes de pistolagem, porÊm com pouco sucesso. (Com Assessoria)

SUPOSTO TRAFICANTE

Os dois presosIRUDPHQFDPLQKDGRVj'HLFRQGHIRUDPRXYLGRV

SEM CHUVA

([SUHVLGLiULRpPRUWRGLDVDSyVOLEHUWDomR Previsão do tempo diz 'LDVGHSRLVGHGHL[DUD&DVDGH &XVWyGLDGH0DFHLyQR7DEXOHLURGR 0DUWLQVEronildo do Nascimento dos SantosGHDQRVFRQKHFLGR FRPR³.´IRLDVVDVVLQDGRRQWHP FRPYiULRVWLURVQDFDEHoDQREDLUUR GR7UDSLFKH(OHKDYLDVHPXGDGR DSRXFRWHPSRGDIDYHODGD&RUpLD SDUDD5XD-RVp0DUTXHV5LEHLUR RQGHDFDERXVHQGRPRUWR8P RXWURKRPHPQmRLGHQWL¿FDGRWHULD VLGRIHULGRFRPXPWLURQRMRHOKRH HQFDPLQKDGRDR+RVSLWDO*HUDOGR (VWDGR$3ROtFLD0LOLWDUDFUHGLWDTXH (URQLOGRWLQKDHQYROYLPHQWRFRPR WUi¿FRGHGURJDVRTXHIRLQHJDGR SRUIDPLOLDUHV

TXHFpXĂ€FDUiQXEODGR $SUHYLVmRGRWHPSRSDUD HVWD VH[WDIHLUDHSDUD DYpVSHUDGH1DWDOHP $ODJRDVpGHFpXSDUFLDO PHQWHQXEODGRSRUpPVHP FKXYDV3DUDWRGRR(VWDGR DSUHYLVmRGD6HFUHWDULD GH(VWDGRGR0HLR$PEL HQWHH5HFXUVRV+tGULFRVp GHSRXFDQHEXORVLGDGH2 DODJRDQRSRGHUiDSURYHLWDU DVIHVWDVGH1DWDOHPiUHDV DEHUWDVHLUjVSUDLDVQRILP GHVHPDQDVHDSUHYLVmR VHFRQILUPDUWDPEpPSDUDR GRPLQJR


12

CIDADES

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

Ă?ndios encontram Papai Noel pela primeira vez

Sem salĂĄrios

D

e acordo com e-mail enviado a este colunista pelo professor Carlindo e Lira, o reitor da Universidade estadual de Alagoas, professor Jairo Campos fecha o ano de 2011 sem efetuar o pagamento aos funcionårios e professores do PGP. Insatisfeitos com a situação, professores e funcionårios do PGP-Uneal não receberam o pagamento final dos seus serviços prestados ao Programa. Eles têm informaçþes de que o reitor andou gastando o dinheiro do salårio dos servidores fazendo festas caras, custeando jantares e comprando ar-condicionados.

Sem previsĂŁo 2IDWRpTXHIXQFLRQiULRVHSURIHVVRUHVHVWmRFRPRVQRPHVQXPDIROKD GHSDJDPHQWRVHPSUHYLVmRSDUDUHFHEHUHPVHXVYHQFLPHQWRVVHJXQGRLQIRUPDomRGDFRUGHQDGRUDJHUDOGR3*3SURIHVVRUD0DU\6HOPD

Mais denĂşncias

³1mREDVWDVVHDQRWDEDL[tVVLPDTXHD8QHDOWLURXQD~OWLPDDYDOLDomR GR0(&FRUUHQGRULVFRGHIHFKDUDOJXQVFXUVRVHDLQGDVHUUHEDL[DGD j)XQGDomRRUHLWRU-DLUR&DPSRVSHUVHJXHSURIHVVRUHVHDOXQRV(OH WDPEpPGHPLWLXXPPRWRULVWDSRUFRQVLGHUiORYHOKRGHPDLVSDUDGLULJLU UDVJDQGRR(VWDWXWRGR,GRVR 2XWUDTXHVWmRpTXHRVYHtFXORVDOXJDGRVGD8QHDOQmRVmRSORWDGRV FRPRQRPHGDLQVWLWXLomRFRPRPDQGDDOHL-iKiGHQ~QFLDVGHTXH RSURIHVVRU5HQDQ5RFKDWHPOHYDGRYHtFXORVSDUDSHUQRLWDUHPVXD UHVLGrQFLDTXDQGRGHYHULDPHVWDUQD8QHDOEHPFRPRYHPID]HQGR XVRGHYHtFXORVQRV¿QDLVGHVHPDQDSDUDXVRSHVVRDO´GHQXQFLDR SURIHVVRU&DUOLQGR %RPFRPDSDODYUDRUHLWRU-DLUR&DPSRV

Viva a incompetĂŞncia

Muita sujeira

4XHPHGHVFXOSHPDVLQFHULGDGHPDVDLQFRPSHWrQFLD GRVDGYRJDGRVGRVSDGUHVGH $UDSLUDFDFRQGHQDGRVSHOD ³SUiWLFD´GHSHGR¿OLDHVWiPDLV GRTXHFODUD'HSRLVGDFRQGHQDomRHOHVVLPSOHVPHQWH VXPLUDPHVHHVFRQGHPGD LPSUHQVDDVVLPFRPRRGLDER IRJHGDFUX] (WHPPDLVQmRVHSUHRFXSDUDPVHTXHUHPPRVWUDUR RXWURODGRGDPRHGDTXHIRLD DUPDomRVyUGLGDSUDWLFDGDSRU SHVVRDVOLJDGDVDRVH[FRURLQKDVFRPD¿QDOLGDGHGHDUUDQFDUGLQKHLURGRVUHOLJLRVRV

8PDFLGDGmTXHDUPRXWRGDHVVD VXMHLUDHVWiULQGRjWRD2VHXHQULTXHFLPHQWRGHSRLVGHVVHHSLVyGLR IXQHVWRpPDLVGRTXHDSDUHQWH 0RQVHQKRU/XL]0DUTXHVTXHSHJRX PDLVGHDQRVGHFDGHLDFKHJRX DSDJDUSDUDHYLWDUTXHRHVFkQGDOR FKHJDVVHjLPSUHQVD6HGHXPDO $UHGH5HFRUGHQFKHXRVEROVRVGH GLQKHLURGHTXHPDUPRXDSLFDUHWDJHP -ipKRUDGHRVSDGUHVWURFDUHP GHDGYRJDGRV$LQGDJR]DPGH OLEHUGDGHSRUFRQWDGHXPDEUHFKD QD/HLPDVSHORDQGDUGDFDUUXDJHP FRUUHPVpULRVULVFRVGHSDVVDUHPXP ERPWHPSRQDSULVmR

Natal solidårio 23URJUDPDGH(UUDGLFDomRGR7UDEDOKR,QIDQWLO¹3HWLUHDOL]DKRMHD SDUWLUGDVKRž1DWDO6ROLGiULRGR3HWL3DUWLFLSDUmRGRHYHQWRRV Q~FOHRVGRSURJUDPDGLVWULEXtGRVQD]RQDXUEDQDHUXUDO 1DRFDVLmRDVFULDQoDVDGROHVFHQWHVHRULHQWDGRUHVVRFLDLVGLVWULEXLUmR RVSUHVHQWHVFRQIHFFLRQDGRVHUHPRQWDGRVHPXPEDLUURRXFRPXQLGDGHFDUHQWHGRPXQLFtSLR ³23URMHWRWHPFRPR¿QDOLGDGHGHVHQYROYHUQDVFULDQoDVHDGROHVFHQWHVLQVHULGRVQR3HWLRVHQVRGHpWLFDVROLGDULHGDGHHIUDWHUQLGDGH´ H[SOLFDDVHFUHWiULDGH$VVLVWrQFLD6RFLDO$GpOLD/~FLD)HUUHLUD

Moveleiros

Produção

8PWUDEDOKRGHPDLVGHTXDWURDQRV IRLFRQVROLGDGRQDTXLQWDIHLUD   FRPDLQDXJXUDomRGR3ROR0RYHOHLUR GH$UDSLUDFD 2HVSDoRHVWiLQVWDODGRHPWHUUHQR FRPiUHDGHPLOPHWURVTXDGUDGRVQR3RYRDGR&DSLPHTXHIRL GRDGRSHOD3UHIHLWXUDGH$UDSLUDFD $YLDELOL]DomRGRVRQKRGRVPRYHOHLURVpIUXWRGHVXFHVVLYDVUHXQL}HV FRPSURGXWRUHVHQWUHHOHVRHPSUHViULRHSUHVLGHQWHGD$VVRFLDomR GRV(PSUHViULRVGR'LVWULWR,QGXVWULDOGH$UDSLUDFD/XL]6DQGHVHR SUHIHLWR/XFLDQR%DUERVD 30'%  TXHQmRWHPPHGLGRHVIRUoRVSDUD IRUWDOHFHUDJHUDomRGHHPSUHJRH UHQGDHRIRUWDOHFLPHQWRGDHFRQRPLD GRVSHTXHQRVHPpGLRVSURGXWRUHV GH$UDSLUDFDHUHJLmR

23yOR0RYHOHLUR1DVFLPHQWR /HmRYDLGLQDPL]DUDSURGXomR GHPyYHLVQD5HJLmR$JUHVWH $LGpLDpTXHRORFDOVHMDRFXSDGRSRUSHTXHQRVSURGXWRUHV GHPyYHLVGDUHJLmRDOpPGH LQG~VWULDVPDLRUHVDÂżPGH TXHSRVVDPH[SDQGLUDVXD SURGXomRHDODYDQFDURVHWRU 2*RYHUQRGR(VWDGRSRU PHLRGD6HFUHWDULDGH3ODQHMDPHQWRHR6HEUDH$ODJRDV FRRUGHQDUDPRVWUDEDOKRVGR $UUDQMR3URGXWLYR/RFDO $3/  GH0yYHLVFRPDSURPRomR GHSURMHWRVHDo}HVYROWDGDVSDUDDTXDOLÂżFDomRGRV SURGXWRUHVPRGHUQL]DomRGRV HTXLSDPHQWRVLQRYDomRGH WpFQLFDVHQRo}HVGHJHVWmR

Investimento 3DUDDLPSODQWDomRGRFRPSOH[RTXHFRQWDFRPXPDiUHDFRQVWUXtGD GHTXDVHPLOPHWURVTXDGUDGRVGLYLGLGRVHPORWHVIRUDPLQYHVWLGRVPDLVGH5PLOK}HVFRPVLVWHPDGHLOXPLQDomRSDYLPHQWDomR GUHQDJHPUHGHGHDEDVWHFLPHQWRGHiJXDHHVJRWDPHQWRVDQLWiULRGH TXDOLGDGHHYLJLOkQFLDHOHWU{QLFD

23yOR0RYHOHLURHVWiOLJDGRDR$UUDQMR3URGXWLYR/RFDO $3/ 0yYHLV GR$JUHVWH2$UUDQMRFRQWDDWXDOPHQWHFRPHPSUHHQGLPHQWRV Essa medida vai suprir a necessidade de boa parte desses empresårios, que estão impossibilitados de ampliar sua produção, pois não contavam com uma estrutura física adequada. $OpPGLVVRR3yORYDLRIHUHFHUDSRVVLELOLGDGHGHSHTXHQRVSURGXWRUHVVDtUHPGDLQIRUPDOLGDGHFRPRWDPEpPSURPRYHUDDWUDomRGH QRYRVHPSUHHQGLPHQWRVSDUDRVHWRU

'XDVFXOWXUDVGLIHUHQWHVÂżFDUDPIUHQWHDIUHQWHRQWHPHP6mR6HEDVWLmR DAVI SALSA

DAVI SALSA 5(3Ă?57(5

A

rapiraca (Sucursal) Ă?cone de um cultura diferente, o Papai Noel começa a fazer parte da vida dos Ă­ndios alagoanos. Ontem, o bom velhinho fez a festa de dezenas de crianças na aldeia indĂ­gena da tribo KarapotĂł-Plak-Ă´, no municĂ­pio de SĂŁo SebastiĂŁo, a 125 quilĂ´metros de MaceiĂł. Papai Noel chegou Ă comunidade em uma Kombi trazendo guloseimas e presentes para 84 crianças. Animados com a presença do velhinho, os Ă­ndios dançaram e cantaram o torĂŠ para recepcionar toda a comitiva de visitantes. A iniciativa de levar Papai Noel atĂŠ a aldeia partiu da direção dos Correios em Alagoas, com o apoio da assessoria de comunicação da instituição. O jornalista Carlos Gonçalves conta que a assessoria recebeu uma carta da representante da Associação de Mulheres IndĂ­genas da Aldeia KarapotĂł, Ana LĂşcia Ferreira. “Ficamos sensibilizados e decidimos fazer a entrega de presentes para os indiozinhosâ€?, revela o assessor, que estava acompanhado do diretor dos Correios em Alagoas, Luiz Carlos Bastos e de servidores da empresa. Antes da entrega dos presentes, o cacique Juarez de Souza ItapĂł agradeceu a presença da comitiva dos Correios que levou o Papai Noel. “Estamos muito felizes com tudo isso que estĂĄ acontecendo aqui. É a primeira vez que nossos filhos estĂŁo vendo o Papai Noel frente a frente. Mas a gente sofre muito com a falta de condiçþes na aldeia. Falta mĂŠdico, remĂŠdios e a ĂĄgua estĂĄ muito suja. Um adulto jĂĄ morreu e estamos preocupados com a saĂşde de nossas criançasâ€?, disse o cacique, em tom de desabafo, pedindo o apoio da Funasa e da Secretaria de SaĂşde. Em seguida, Papai Noel iniciou a entrega de docinhos, bolos, pĂŁezinhos com queijo, refrigerantes e sucos para as 84 crianças indĂ­genas com idade atĂŠ dez anos. “Estou vendo o Papai Noel e estou muito feliz com o presenteâ€?, declarou Josernilson Santos Ferreira, quatro anos, que recebeu um carrinho de brinquedo e foi correndo mostrar o presente para os outros indiozinhos. â€œĂ‰ muito bom ver a alegria estampada no rosto de adultos e crianças. JĂĄ realizamos a campanha hĂĄ 22 anos e pretendemos ampliar a iniciativa a cada anoâ€?, salientou o diretor dos Correios em Alagoas, Luiz Carlos Bastos. Na aldeia com 1.800 hectares de ĂĄrea jĂĄ demarcada, vivem 130 famĂ­lias, que sobrevivem com o cultivo de mandioca, milho, feijĂŁo, maracujĂĄ, jenipapo, entre outras frutas, alĂŠm da ajuda do governo federal e apoio da prefeitura e de ĂłrgĂŁos do governo estadual.

Bom velhinhoGLVWULEXLXSUHVHQWHVHJXORVHLPDVHQWUHFULDQoDVGDWULERGHtQGLRV.DUDSRWy3ODN{

SEM MESAS E TENDAS

Prefeitura divulga normas sobre uso do espaço público no RÊveillon A Superintendência Municipal de Controle do Convívio Urbano (SMCCU), tendo em vista a proximidade da festa de RÊveillon, em toda a orla de Maceió, divulgou nota ontem para orientar a população sobre o uso consciente do espaço público. De acordo com as normas da SMCCU, não serå permitido nenhum tipo de privatização do solo urbano, com colocação de tendas, barracas, toldos, palcos, mesas ou quaisquer tipos de ocupaçþes que diminuam ou restrinjam o livre acesso da população à orla marítima durante o evento. Segundo o superinten-

dente da SMCCU, JosĂŠ Galvaci de Assis, ĂŠ proibido a comercialização de espaços para a colocação de cadeiras e mesas na areia da praia. “As famĂ­lias podem levar somente cadeiras e colocĂĄ-las na areia. O que nĂŁo pode ĂŠ privatizar essa ĂĄreaâ€?, afirmou. Os ambulantes, que irĂŁo trabalhar nesse perĂ­odo, deverĂŁo recolher atĂŠ as 16 horas do dia 31 de dezembro todos os seus equipamentos, como carrinhos e barracas de lanches, e vender somente em depĂłsitos de isopor. As bebidas sĂł poderĂŁo ser comercializadas em latinhas, evitando acidentes com va-

silhames de vidro. A tradicional queima de fogos serå promovida pelo Governo do Estado na orla de Ponta Verde, próximo ao antigo Alagoinhas, e no complexo Benedito Bentes, na parte alta da cidade. AlÊm disso, os hotÊis Jatiúca e Salinas tambÊm solicitaram autorização para realizar a queima. A SMCCU segue as determinaçþes de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), assinado com o MinistÊrio Público Estadual, em que são definidas normas para que a população tenha mais segurança durante as festividades.

PAJUÇARA

IMA inicia estudo que pode gerar restrição de årea na piscina natural O Instituto do Meio Ambiente (IMA) farå um estudo que poderå transformar a conhecida Pedra do Amor, nas piscinas naturais de Pajuçara, em årea restrita. A equipe do projeto Diagnóstico dos Ambientes Marinhos Costeiros darå início hoje aos estudos para identificação da possível årea de restrição. Biólogos e estagiårios farão mergulhos, registros e mapeamento para compor o levantamento que poderå estar pronto em atÊ seis meses. A ação acontece em paralelo com as atividades de sensibilização dos ba-

nhistas por meio do Projeto Conduta Consciente. Durante toda a sexta-feira, haverĂĄ duas equipes realizando as duas atividades. O grupo do Gerenciamento Costeiro irĂĄ interagir com banhistas na piscina natural da Pajuçara. A intenção ĂŠ explicar a melhor maneira de os visitantes se comportarem nos ambientes marinhos, evitando deixar lixo no local, retirar espĂŠcimes como “lembrançaâ€? do local e causar danos aos recifes. Segundo o biĂłlogo Carlos Eduardo Godoy, coordenador do projeto, o tipo de restrição dependerĂĄ desse

estudo. Ele disse ainda que dessa forma se contribui para a recomposição da fauna. “Isso contribui com o aumento do nĂşmero de espĂŠcies como peixes, crustĂĄceos e moluscos. A ĂĄrea se transforma tambĂŠm em uma zona de exportação para outros locais do marâ€?. O Projeto Conduta Consciente acontece durante todo o ano e ĂŠ intensificado com a chegada do verĂŁo. O projeto DiagnĂłstico dos Ambientes Marinhos Costeiros ĂŠ desenvolvido por uma equipe multidisciplinar e deverĂĄ durar trĂŞs anos, por meio de convĂŞnio firmado com a Petrobras.

HOJE À TARDE

ARAPIRACA

3DUDDQLPDURV FRQVXPLGRUHV TXHIDUmRVXDV FRPSUDVGH1DWDO GH~OWLPDKRUD RFDOoDGmRGR &HQWURGH0DFHLyUHFHEHKRMH jWDUGHDWUDo}HV HVSHFLDLV$SDUWLU GDVKRUDVXP FRUDOLQIDQWLOLUi HVSDOKDURHVStULWR GH1DWDOSHODVUXDVGREDLUURHQTXDQWRR3DSDL1RHOSDVVHLDGLVWULEXLQGRGRFHVHURVDV$EDQGDGD3ROtFLD0LOLWDUWDPEpPHVWDUi QRFDOoDGmRHPIUHQWHDR30%R[SDUDDQLPDURÂżPGDWDUGH 1HVWDVH[WDDVORMDVGR&HQWURDEULUmRGDVKRUDVjVKRUDVH QRViEDGRGDVKRUDVjVKRUDV

3ROLFLDLVPLOLWDUHVGR ž%DWDOKmRUHDOL]DUDPTXDUWDIHLUDDHQWUHJDGHDSUR[LPDGDPHQWHGXDVWRQHODGDV GHDOLPHQWRVUHFROKLGRVMXQWRjWURSD HGHVWLQDGRVSDUD IDPtOLDVFDUHQWHVH DEULJRVGH$UDSLUDFD $HQWUHJDFRQWHPSORX R$EULJR0mH5DLQKD R/DU6mR'RPLQJRV HD&DVDGD0HQLQDD&DVDGR2OHLURHD&DVDGRV9HOKLQKRV-i QRGLDGHRQWHPDFRRUGHQDomRGR3HORWmR0LULPMXQWDPHQWHFRP PLOLWDUHVGRSRVWRSROLFLDOGR%DLUUR3ULPDYHUD¿]HUDPDGLVWULEXLomR SRUPHLRGHVRUWHLRGHRXWUDVFHVWDVEiVLFDVSDUDIDPtOLDV FDUHQWHV

Coral infantil e banda da PM animam o Centro Policiais arrecadam e distribuem alimentos


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

Economia

ECONOMIA

13

Vaca campeã em torneio leiteiro produz mais de 73 quilos de leite A vaca campeã no 6º Torneio Leiteiro do Povoado Paus Pretos, na zona rural de Monteirópolis, produziu 73,8 quilos de leite em quatro ordenhas. O animal se chama Siricora e pertence ao criador Adalberto Martins Bezerra. Na categoria novilha, o animal vencedor se chama Neguinha e produziu 51,8 quilos de leite. Para o secretårio de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrårio, Jorge Dantas, que participou da solenidade, o resultado Ê considerado elevado e representa bem o potencial dos animais da região da Bacia Leiteira. O torneio, promovido pela Associação dos Pequenos Produtores de Leite de Paus Pretos (Appaleite), foi realizado entre os dias 15 e 17 de dezembro.

Governo terĂĄ R$ 16 milhĂľes para ĂĄgua

“

Recursos sĂŁo de convĂŞnio com MinistĂŠrio do Meio Ambiente para Programa Ă gua Doce no SemiĂĄrido alagoano DIVULGAĂ‡ĂƒO

Documento para liberação de recursos foi assinado em BrasĂ­lia e vai possibilitar levar ĂĄgua potĂĄvel para comunidades sertanejas do Estado DIVULGAĂ‡ĂƒO

SEPAQ

O convĂŞnio ĂŠ um reconhecimento do governo federal pelo trabalho que estĂĄ sendo desenvolvido aqui no Estadoâ€? IVĂƒ VILELA SECRETĂ RIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HĂ?DRICOS

da Semarh, Ivã Vilela, o convênio Ê um reconhecimento do governo federal pelo trabalho que estå sendo desenvolvido aqui no Estado. O convênio com o MinistÊrio do Meio Ambiente irå ampliar seu sistema para mais 101 comunidades atÊ o ano de 2014 e passa a vigorar a partir de sua assinatura. Serão novos sistemas de dessalinização simples com ågua potåvel e em alguns casos, como jå existe em Estrela de Alagoas e Santana do Ipanema, haverå ainda piscicultura e plantação para engordar gado.

ALAGOAS

Feira mostra diversidade das pequenas empresas

Parceria com Ufal para artesanato Para valorizar o potencial de Alagoas na produção de artesanato, a Secretaria de Estado da Pesca e Aquicultura (Sepaq) estĂĄ formatando um projeto para integrar as famĂ­lias dos pescadores do Litoral Norte em torno de outra renda, como a proveniente dos trabalhos manuais. Tem como parceira a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e a iniciativa foi tema de uma reuniĂŁo realizada ontem entre a vice-reitora da instituição, Rachel Barros, o secretĂĄrio Regis Cavalcante e a superintendente Nadja Baia. Ă€ frente da ação, a superintendente vem estudando maneiras de projetar no Estado possibilidades de agregar valor Ă matĂŠria-prima que vem do pescado, do mar e do litoral como um todo. “Muitas cooperativas e associaçþes jĂĄ trabalham de forma PDLV SURĂ€VVLRQDO PDV D UHJLmR Norte precisa se organizar e criar uma fonte de renda integrada Ă  pesca, que hoje ĂŠ o grande gerador de empregos daquela regiĂŁoâ€?, explica Nadja Baia. Segundo Nadja, agregar valor Ă s matĂŠrias-primas ligadas Ă  pesca e produzir artesanato de IRUPDRUJDQL]DGDHSURĂ€VVLRQDO levarĂĄ o nome de Alagoas para os mercados nacional e internacional. Com a proximidade da Copa do Mundo de Futebol de 2014, o objetivo ĂŠ tambĂŠm valorizar a regiĂŁo Norte, que serĂĄ um apoio turĂ­stico para Recife, uma das sedes do evento. O secretĂĄrio de Estado da Pesca e Aquicultura, Regis Cavalcante, adiantou que, para o projeto ter andamento, serĂĄ necessĂĄrio fazer um relatĂłrio detalhado das demandas da regiĂŁo. “A vice-reitora nos solicitou um documento que apresente uma avaliação socioeconĂ´mica da reJLmR1RUWHHTXDQWLĂ€TXHRVPXnicĂ­pios que tenham colĂ´nias de pescadores para que possamos LGHQWLĂ€FDU DV SHVVRDV HQYROvidas e a demanda do projeto como um todoâ€?.

O

secretårio de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Ivã Vilela, retornou ontem a Maceió após assinar, em Brasília, um convênio entre o governo de Alagoas e o federal para o Programa à gua Doce, que leva ågua potåvel para comunidades do Semiårido alagoano. Serão aplicados mais de R$ 16 milhþes apenas em Alagoas. O documento foi assinado simbolicamente na sede do MinistÊrio do Meio Ambiente (MMA), na quarta-feira (21), pelo secretårio de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano (SRHU), Nabil Bonduki, e o secretårio de Estado, Ivã Vilela. O objetivo principal Ê fortalecer a metodologia do Programa à gua Doce na recuperação, implantação e gestão de sistemas de dessalinização no Semiårido alagoano. Em Alagoas, o Programa à gua Doce Ê coordenado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos e atende diversas comunidades com o Sistema Simples de Dessalinização ou Unidade Demonstrativa. Para o secretårio de Estado

Feira do Alagoas Cidadã foi montada em praça pública no Jacintinho e expþe a força do pequenos negócios

PRĂŠMIOS

Nota Fiscal Alagoana sorteia R$ 500 mil Serão conhecidos na manhã desta sexta-feira (23) os ganhadores da premiação do sorteio de Natal do Programa Nota Fiscal Alagoana (NFA), da Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz/AL). O sorteio eletrônico acontece ao vivo no calçadão do comÊrcio de 0DFHLy QR HVSDoR TXH ÀFD em frente ao prÊdio do Jà Produban. Na oportunidade, três consumidores alagoanos TXH SHGLUDP D QRWD ÀVFDO H inseriram o CPF ou CNPJ durante as compras dos meses de agosto e outubro passarão a virada de ano com a conta bancåria recheiada. O primeiro sorteado receberå R$ 100 mil, o segundo R$ 50

mil e o terceiro R$ 30 mil. Jå outros 17.180 consumidores dividirão cento e oitenta prêmios de R$ 500 (quinhentos reais), quatro mil de R$ 25 e outros treze mil prêmios de R$ 10. O total de prêmios sorteados na extração de Natal da NFA Ê de R$ 500 mil. Participam do sorteio de Natal 48 mil consumidores alagoanos com 564.176 cupons, provenientes de 1.603.470 docuPHQWRVÀVFDLV ESTRUTURA A Sefaz, em parceria com o Procon, montou a estrutura no calçadão do comÊrcio de Maceió, em frente ao prÊdio do Jà Produban. Os consumidores que esWmRID]HQGRDVFRPSUDVGHÀ-

A microempreendedora Maria das Graças Lopes de Lima, do Jacintinho, foi uma das participantes da I Feira de Comercialização dos grupos do Programa de Redução da Pobreza - Alagoas CidadĂŁ, que mostrou, em praça pĂşblica, a força dos pequenos negĂłcios de moradores da comunidade e que fazem parte do programa. Depois de um ano participando das reuniĂľes do Grupo Unidos, a empreendedora DĂ€UPD TXH R $ODJRDV &LGDdĂŁ tem ajudado a investir ainda mais em seu negĂłcio no ramo de confecçþes, e que agora pensa em partir para a formalização como microempreendedora individual (MEI). “Participar do Alagoas CidadĂŁ me deu mais força para crescer com o meu pequeno negĂłcio. Passei a me RUJDQL]DU PHOKRU Ă€QDQFHLramente, e com o emprĂŠstimo destinado aos grupos investi na compra de uma mĂĄquina de costura. O prĂłximo passo serĂĄ tirar mais

um emprĂŠstimo, desta vez para comprar uma mĂĄquina galoneira e assim melhorar, cada vez mais, o meu desempenho nas costuras e venGDVÂľDĂ€UPRX*UDoD ARTESANATOS AlĂŠm de confecçþes, a feira mostrou trabalhos em artesanato feitos por diversos participantes de outros grupos do programa. Foram mostrados artigos como panos de prato, enfeites natalinos, almofadas, bonecos de pano, utensĂ­lios, material de limpeza, entre outros, produzidos por pessoas como as irmĂŁs Gertrudes Santos e Berenice das Neves. Elas sĂŁo alguns dos participantes dos grupos que Mi UHFHEHUDP R FHUWLĂ€FDGR de capacitação em Plano de NegĂłcios, que faz parte da metodologia do programa TXH WHP D HGXFDomR Ă€QDQceira, voltada para o empreendedorismo, como foco principal, possibilitando novas oportunidades de renda para os empreendedores de bairros perifĂŠricos. DIVULGAĂ‡ĂƒO

nal de ano terão a oportunidade de acompanhar ao vivo o sorteio da NFA. O sorteio eletrônico acontece às 10 horas da manhã, mas das 8hs às 12hs, jå estarão disponíveis no local diversos serviços para a população que quiser saber mais sobre o Programa de Educação Fiscal do Governo do Estado e sobre direitos do consumidor. Durante toda manhã servidores da Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz/AL) e da Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor estarão no local para tirar dúvidas e orientar os consumidores GXUDQWHjVFRPSUDVGHÀQDO de ano. Consumidores ganham prêmios e ajudam na arrecadação de impostos


14

ECONOMIA

TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

etjornalista@gmail.com

Maribondo, nosso leitor

N

osso leitor assĂ­duo em Maribondo ĂŠ o radialista Carlos Alberto Costa. Diariamente, Alberto apresenta o programa “Bom Dia Farol NotĂ­ciasâ€?, que vai ao ar das 8h Ă s 9h na emissora Farol Rede Sat, pertencente ao grupo do ex-deputado JoĂŁo Caldas. A programação, segundo Alberto, reĂşne em um curto espaço de tempo as principais informaçþes que rolam no Brasil e no mundo. “Aqui estou sempre lendo a sua Coluna. TĂĄ bem do jeito que eu gostoâ€?, revelou.

Santana do Ipanema e SĂŁo JosĂŠ da Tapera lideram adesĂŁo ao seguro

O

Marechal Deodoro e o nosso Broma O municĂ­pio desfruta de grandes recursos naturais, como a Praia do FrancĂŞs, banhos de bicas e de rios de ĂĄguas cristalinas. Entre tantas belezas podemos destacar o balneĂĄrio do Broma, uma relĂ­quia alagoana que sempre foi admirada por seus frequentadores, sobretudo os WXULVWDVTXHQmRGLVSHQVDPRFOLTXHIRWRJUiÂżFRSDUDPHPRUL]DUSDUD sempre a visita ao local.

Marechal - Falta de apoio Ainda sobre o Broma, o lamentåvel Ê que o poder público não tem valorizado essa joia rara encravada entre Maceió e Marechal, numa região tão próxima de tudo, mas que falta muito apoio para ser bem melhor, principalmente em se tratando de acesso de qualidade (estrada) e punição aos agressores da Mata Atlântica, que nas caladas da noite estão destruindo, aos poucos, o que resta de årvores na região. Os diretores do Broma estão preocupados com essa situação, jå que o volume das åguas jå não Ê mais como antes.

Santa Luzia do Norte Roteiro Nesta sexta-feira, a prefeitura efetua o pagamento do mês em curso a todos os funcionårios municipais. No último såbado houve a festa de confraternização entre todos eles, onde a prefeita Fåtima Barros comandou o evento num clima de muita alegria, em meio a sorteio de brindes e animação musical, sem falar nos comes e bebes. Este mês tambÊm todo mundo recebeu o 13° e a cidade vivenciou a festa de Santa Luzia.

Inscriçþes do Garantia Safra vão atÊ março

Ontem, no Balneårio da Prefeitura aconteceu a festa de confraterni]DomRGH¿QDOGHDQRHQWUHWRGRV os funcionårios públicos e seus familiares. O prefeito Fåbio Jatobå comandou a festa, oportunidade em que fez sorteio de balaios natalinos e contemplou o melhor funcionårio de cada secretaria com o incremento de um 14° salårio. A escolha foi na própria festa diante de uma pesquisa feita entre todos eles.

Satuba O ex-secretårio Ciro da Vera Cruz continua no silêncio, articulando seu JUXSRSROtWLFRD¿PGHLPSHGLUQRSUy[LPRDQRDSHUPDQrQFLDGRSUHIHLto Titor no poder, atravÊs da reeleição. Por enquanto o deputado Antonio Albuquerque Ê tido com seu grande padrinho de campanha.

Barra de Santo Antonio Esta semana os vereadores depararam com uma cena inusitada. Todos na lista negra do SPC (Serviço de Proteção ao CrĂŠdito). O presidente da Câmara, MĂĄrcio de Ademir, atribui toda essa bronca ao ex-presidente da Casa, vereador Marcos Rios, que no mĂŞs passado foi afastado do comando da Câmara, por questĂľes de improbidade administrativa. $UJXPHQWD0iUFLRTXHWRGRVRVYHUHDGRUHVÂż]HUDPXPHPSUpVWLPR consignado junto Ă Caixa EconĂ´mica, cuja parcela do mĂŞs passado nĂŁo foi repassada pelo entĂŁo presidente Marcos Rios. “DaĂ­ a Caixa colocou o nome da gente no SPC, inclusive tambĂŠm alguns funcionĂĄrios. O valor total chega a 7.500 reaisâ€?.

s municípios de Santana do Ipanema e São JosÊ da Tapera jå possuem, respectivamente, 1.685 e 1.385 agricultores inscritos no Programa Garantia Safra. Com os números, eles lideram, atÊ agora, as inscriçþes na Região do MÊdio Sertão. O período de inscriçþes vai atÊ março de 2012. Em seguida, os agricultores serão orientados a fazer a adesão, por meio do pagamento de um boleto de R$ 6,80. Assim, garantem um seguro de R$ 680 em caso de perda provocada por seca ou excesso de chuvas.

De acordo com o gerente regional da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento AgrĂĄrio (Seagri), Miguel Alencar, que coordena o trabalho dos tĂŠcnicos extensionistas que estĂŁo realizando as inscriçþes na RegiĂŁo do MĂŠdio SertĂŁo, a meta para o municĂ­pio de Santana do Ipanema ĂŠ inscrever 2.200 agricultores e, para SĂŁo JosĂŠ da Tapera, 2.000. MUNICĂ?PIOS “Em dez municĂ­pios da regiĂŁo, o objetivo geral ĂŠ inscrever quase 10 mil agricultores familiaresâ€?, salientou o

AEROPORTOS

SertĂŁo

Quebrangulo

Bronca, ontem, no abastecimento de ågua em parte das cidades sertanejas. O alvo tem sido à gua Branca, Canapi, Delmiro Gouveia, Inhapi, Mata Grande, Pariconha, Olho d’à gua do Casado e o distrito de Piau, em Piranhas. O motivo foi um defeito eletromecânico no conjunto motobomba da Estação de Tratamento de à gua do sistema adutor do Sertão. Uma equipe tÊcnica do setor de operação da Unidade de Negócio Sertão, da Casal, estå trabalhando para realizar o reparo atÊ esta sexta-feira, a partir de quando o fornecimento de ågua começarå ser restabelecido. Tomara!

O otimismo entre moradores e o poder público tem sido sem igual na cidade, sobretuGRQHVWH¿QDOGHDQRQXPWRP bem natalino, cuja prefeitura não mediu esforço para garantir um evento marcado de esperança e paz. É que a FLGDGH¿FRXDUUDVDGDQRDQR passado, com a enchente de junho e que aos poucos se recuperou com a união de todos. Deste såbado atÊ o dia 1° de 2012, Quebrangulo começa a celebrar a festa de seu santo padroeiro.

União dos Palmares - Corrida do Jumento No domingo, 25, acontece em União dos Palmares a XV Corrida Palmarina do Jumento Alagoano. O evento reúne diversas atividades que animam os participantes e espectadores. A tradicional festa, que ocorre hå quinze anos, vem se tornando popular no interior de Alagoas, como informou o organizador da Corrida, o historiador Paulo Sarmento. AlÊm da Corrida do Jumento, haverå tambÊm concursos da cachorrada, gataria, papagaiada, piada e fantasia mais engraçada, imitador de jumento, da careta e do cavalo mais feio, da cadeira de rodas e da carroça mais enfeitada. Segundo os organizadores do evento, tambÊm estão inclusas outras modalidades. São mais de três mil reais em prêmios, alÊm de camisas do evento.

fazem adesĂŁo ao programa. 3RUFDGDSURGXWRUTXHĂ€]HUD adesĂŁo, o municĂ­pio contribui com R$ 20,40, e o Estado, que jĂĄ assinou o termo de adesĂŁo, contribui com R$ 40,80. “O restante ĂŠ disponibilizado pela UniĂŁo, a partir de um fundo nacionalâ€?, esclareceu o coordenador. Para se inscrever, o agricultor deve procurar os tĂŠcnicos extensionistas da Seagri ou os escritĂłrios locais e regionais da secretaria. Outras informaçþes pelo telefone (82) 3315-3668, de segunda a sexta-feira, das 8h Ă s 14h.

ABRINQ

Aeronautas descartam Venda de brinquedos greve com acordo cresce 8% no Natal O Sindicato Nacional dos Aeronautas aceitou acordo com o Snea (Sindicato Nacional das Empresas AÊreas), ontem. Jå a situação dos aeroviårios de Congonhas e do Campo de Marte, representados pelo Sindicato dos Aeroviårios no Estado de São Paulo, ligado à Força Sindical, só deve ser decidida em 2012. Uma reunião no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) da 2ª região, em São Paulo, entre este sindicato e o Snea terminou sem acordo nesta quarta-feira. O TRT decidiu que, caso a greve aconteça, 80% dos trabalhadores devem estar a postos nos dias 23, 24, 29, 30 e 31, para atender à movimentação de Natal e Ano Novo. Caso a determinação não seja cumprida, a multa diåria Ê de R$ 100.000. Com o acordo foi descatada a pos-

sibilidade de greve, de acordo com a Fentac (Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil), ligada à CUT. O sindicato representa pilotos e comissårios de bordo de todo o país. Eles aceitaram reajuste salarial de 6,5% e 10% de alta nos pisos. Com isso a ameaça de greve a partir das 23h desta quinta-feira estå descartada.Jå os sindicatos dos aeroviårios --que representam os funcionårios que trabalham em solo-- ainda não têm uma situação fechada. Estes trabalhadores são representados por diversos sindicatos. Nos aeroportos de São Paulo a greve não deve acontecer nos próximos dias. O Sindicato dos Aeroviårios de Guarulhos (Grande SP), dos Trabalhadores do Aeroporto de Cumbica, decidiu pelo acordo.

Barra de Santo Antônio - Sem dinheiro Outra bronca que o atual presidente da Câmara, Mårcio de Ademir, DSRQWDFRQWUD0DUFRV5LRVpTXHHVWHPrVRVYHUHDGRUHVYmR¿FDUVHP ver a cor do dinheiro do duodÊcimo, que Ê de 70.858 reais. Disse que Rios vem tentando a todo custo voltar ao poder, e que por conta disso implicou com uma ação, cujo valor não foi repassado pela prefeitura, por se encontrar consignado em juízo. Mårcio nos enviou documento que comprova o nome de seus companheiros no SPC e outro dando conta que Marcos Rios esteve esta semana em Porto Calvo, onde foi tentar uma liminar para retornar ao comando da Casa, junto ao juiz plantonista João Paulo, quando esse negou sua solicitação.

gerente regional. O Garantia Safra cobre as culturas de feijão, milho, algodão, arroz e mandioca, desde que cultivadas em åreas que variem entre 0,6 e 10 hectares, sem irrigação, em municípios do Alto e MÊdio Sertão, Bacia Leiteira ou Região Agreste. Em Alagoas, 38 municípios podem aderir ao programa. Segundo o coordenador estadual do Garantia Safra, JosÊ Antônio dos Santos, o Estado tem 25 mil cotas para esse período. AlÊm do agricultor, o município e o Estado tambÊm

Acesse: tribunahoje.com A informação que você não tinha no seu dia-a-dia

A indĂşstria registrou aumento de 8% nas vendas de brinquedos ao varejo no Natal deste ano, na comparação com mesmo perĂ­odo do ano passado, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira pela Abrinq (Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos). O presidente da entidade, SynĂŠsio Batista da Costa, atribui o aumento a uma maior produção (6% em relação a 2010), Ă manutenção dos preços de anos anteriores e Ă  retomada de mercado dos importados chineses (2% no perĂ­odo). “Estamos levando Ă  frente projeto para retomada de 15% do mercado de brinquedos importadosâ€?, diz. O Natal representa 30% das vendas da indĂşstria de brinquedos no ano e o Dia das Crianças, 40%. “Pelas projeçþes, o setor deve faturar em 2011 R$ 5,7

bilhþes, uma alta torno dos HPUHODomRD¾DÀUPD Costa. O setor de brinquedos Ê composto por 442 indústrias que empregam 28 mil trabalhadores em todo o país. A taxa de desemprego nas seis principais regiþes meWURSROLWDQDV GR SDtV ÀFRX HP 5,2% em novembro, queda de 0,6% em relação ao mês anterior, quando foi de 5,8%. Os dados são da PME (Pesquisa Mensal de Emprego), divulgados nesta quinta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de *HRJUDÀDH(VWDWtVWLFD  Em comparação com novembro de 2010, houve recuo de 0,5 ponto percentual. Esta Ê a menor taxa para um mês de novembro desde a reformulação da pesquisa em 2002 e tambÊm para toda a sÊrie, informou o gerente de pesquisa de emprego do IBGE, Cimar Azeredo.


TribunaIndependente

MACEIÓ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

ESPECIAL

15


16 ESPORTES

TribunaIndependente

MACEIÓ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

Esportes

Sílvio Acioli será o árbitro do primeiro amistoso do CSA na pré-temporada O CSA encara o Porto de Caruaru no dia 29 de dezembro, às 20h, QR(VWiGLR5HL3HOp2iUELWURGDSDUWLGDVHUi6tOYLR$FLROL2SUR¿Vsional teve boas atuações no Estadual deste ano, mas não apareceu bem no segundo semestre. “Apostamos muito no Sílvio e ele está se preparando muito bem para esta temporada de 2012. Tenho certeza que fará um excelente trabalho neste jogo tão importante para o CSA, pois é a apresentação do time para a torcida”, disse o presidente do Sindafal, Charles Hebert. No mesmo dia o árbitro Francisco Carlos comandam a preliminar, que será o jogo das estrelas.

Tenório e Tavares assumem a direção do conselho do CSA

ASCOM CSA

Eleição foi por aclamação e os empresários prometem muito trabalho para fazer o clube mais forte

E

m reunião extraordinária no CT Gustavo Paiva, o empresário Rafael Tenório foi aclamado presidente do Conselho Deliberativo do CSA, após nenhuma chapa ter sido inscrita para eleições que aconteceriam no dia 12 deste mês. Raimundo Tavares foi eleito o vice. O presidente Jorge VI agradeceu ao ex-presidente do Conselho, Lumário Rodrigues. “Durante todo o tempo que você esteve aqui foi fundamental para minha gestão.

Agora, o Rafael vai continuar esse trabalho”, disse. Animado com a nova possibilidade, Rafael mostrou estar convicto do seu papel através da presidência do conselho. “A partir de segunda-feira o Conselho Deliberativo terá uma funcionária paga por mim, não pelo CSA, e ela entrará em contato com os 100 conselheiros do clube, um a um, e irá identificar e cadastrar esses conselheiros para saber quais são as intenções destes”, declarou o novo presidente do conselho, comple-

tando que todo conselheiro deve ser um “padrinho” do clube, colaborando de acordo com a seriedade do cargo, que representa um grupo seleto de uma nação de mais de um milhão de torcedores. “Vou atrás de recursos para viabilizar a administração, para, através destes, o presidente possa investir em sua gestão, nas categorias de base, onde o CSA terá, obrigatoriamente, como uma empresa, que capacitar e profissionalizar estes garotos”, complementou. TERRA

Raimundo Tavares e Rafael Tenório são os novos mandatarios do Conselho Deliberativo do CSA

TIMÃO

CRB

Corinthians está Jovem meia Ademir chega e ‘inchado’ de grupo segue os trabalhos atacantes em 2012 Mais um reforços chegou os jogadores, divididos em

Neymar e MartaVHHQFRQWUDUDPQRDPLVWRVRQD%DKLDH¿]HUDPDDOHJULDGDWRUFLGDGH6DOYDGRU

CRAQUES

Neymar e Marta brilham em amistoso beneficente na Bahia O público ficou abaixo do esperado, mas o show, não. Era dia de diversão, e as “neymarzetes” foram as donas do espetáculo no primeiro Super Desafio de Natal, realizado ontem no Estádio de Pituaçu. Antes da partida, o atacante Neymar já havia feito a previsão: “Hoje, o mais importante não é o futebol, é ajudar quem precisa, fazer o povo da Bahia feliz. O futebol fica em segundo plano. Viemos para nos divertir e fazer todo

mundo feliz; dar um sorriso, um tchau, uma foto, dar um abraço. E ele seguiu o que disse ao pé da letra. Extremamente assediado, Neymar foi o foco das atenções e anfitrião do evento. A partida entre os amigos dele e a seleção baiana foi bastante movimentada, com direito a embaixadinhas do craque santista e gol da melhor jogadora do mundo, a alagoana Marta A cada vez que a bola pa-

rava nos pés de Neymar, gritos ensurdecedores partiam da arquibancada. Em campo, o jogador retribuía com dribles, acenos e beijinhos. A partida serviu para arrecadar alimentos para projetos mantidos pelo Governo do Estado, além de ter parte da renda revertida para o Instituto Deco 20. A cada gol marcado no confronto, dez cestas básicas foram doadas. O placar foi de 6 a 4 para os Amigos do craque.

O técnico Tite não poderá reclamar de falta de opções para escalar o ataque do Corinthians em 2012. Tudo indica que o treinador terá pelo menos oito opções ofensivas no Campeonato Paulista e na Libertadores. Já fazem parte do elenco Liedson, Emerson Sheik, Adriano, Willian e Jorge Henrique. Gilsinho, de 27 anos, foi contratado após quatro temporadas no Japão e é uma nova aposta. Bill, que foi bem no Coritiba, volta de empréstimo. O outro nome será Élton, autor de 11 gols pelo Vasco no último Brasileiro. Dessa forma, fica evidente a desconfiança da diretoria em relação às condições físicas de Liedson e Adriano, os centroavantes do elenco. Apesar de ídolo da torcida e de ter anotado 23 gols na temporada, o Levezinho acabou de completar 34 anos e sofre de uma lesão crônica no joelho esquerdo, problema que o afastou de algumas rodadas no Brasileiro. A comissão técnica aguarda o retorno do camisa 9 para avaliá-lo.

ontem na Pajuçara. O jovem meia Ademir, de apenas 19, foi integrado so grupo do CRB que já começou os trabalhos. Com pouca idade, mas de habilidade diferenciada, Ademir é um aposta do dirigente Alarcon Pachefo para 2012. Nos trabalhos ofertados aos jogadores ontem, os principais objetivos foram a posse de bola e movimentação. Em um dos trabalhos,

grupos com e sem colete, podiam apenas dar um toque na bola e tinham como objetivo tentar fazer gols em barrinhas formadas por cones. Na sequência, mais um trabalho, agora, com os jogadores podendo dar dois toques na bola e tendo como objetivo derrubar os cones dispostos em diferentes lugares do campo, alguns nas laterais, outros no limite da divisão do campo. TRAPICHÃO.COM

Roberto Lopes está treinando forte junto com o grupo do CRB


TribunaIndependente

MACEIĂ“ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

1

6PDVK0RXWKFRQÂżUPD VKRZQR%UDVLOHPPDLR

&DQWRUD6HOHQD*RPH] IDUiVKRZVQR%UDVLO

A banda norte-americana Smash Mouth se apresenta em 20 de maio de 2012 na Via Funchal (zona oeste de SĂŁo Paulo). Os ingressos custam de R$ 120 a R$ 220 e estĂŁo disponĂ­veis no site da casa. Liderado pelo vocalista Steven Harwell, o quarteto californiano tem entre os hits as mĂşsicas “Walkin’ on the Sunâ€?, “All Starâ€?, “Why Can’t We Be Friendsâ€? , e “ I’m a Believerâ€?, versĂŁo regravada do grupo Monkees e que fez parte da trilha sonora de “Shrekâ€?.

A cantora adolescente 6HOHQD*RPH] namorada de Justin Bieber, farĂĄ shows no Brasil em fevereiro. Ela se apresenta dia 4 no HSBC Arena, no Rio de Janeiro, e no dia 5 no Via Funchal, em SĂŁo Paulo. Os ingressos para o show em SĂŁo Paulo custam R$ 200 (pista), R$ 260 (mezanino) e R$ 360 (pista premium e camarote) e estarĂŁo Ă venda a partir desta sexta-feira (23) pelo site do Via Funchal, pelo telefone (3846 2300) e na bilheteria da casa. JĂĄ Ă  venda de ingressos para a apresentação no Rio terĂĄ inĂ­cio na prĂłxima quarta-feira (28) pelo site Livepass, por telefone (4003 1527) e em pontos de venda. Os preços vĂŁo de R$ 220 (pista) a R$ 380 (pista premier). Selena Gomez trarĂĄ ao Brasil a turnĂŞ do ĂĄlbum “When The Sun Goes Downâ€?, seu terceiro trabalho de estĂşdio, e virĂĄ acompanhada da banda The Scene.

A

VLQRSVHRÀFLDOGH &RQWUDR7HPSR GL]RVHJXLQWH ´(VWiQmRpDYLGDGHOH HHOHQmRHVWiQRFRUSR GHOH4XDQGRRFDSLWmR 6WHYHQV -DNH*\OOHQKDOO DFRUGDHVHYrQD SHOHGHXPKRPHPTXH HOHQmRFRQKHFHGHVFREUH TXHHVWiID]HQGRSDUWH GHXPH[SHULPHQWRFULDGRSHORJRYHUQRDPHULFDQRFKDPDGRGH´&yGLJR )RQWH¾2SURJUDPDSRVVLELOLWDTXH6WHYHQVDVVXPDDLGHQWLGDGHGHXP RXWURKRPHPHPVHXV ~OWLPRVRLWRPLQXWRVGH YLGD$JRUDVXDPLVVmR pHQFRQWUDURVUHVSRQViYHLVSRUXPDWHQWDGR TXHGHL[RXPLOKDUHVGH YtWLPDV(PEDUTXHQHVWD PLVVmRGLIHUHQWHGHWXGR TXHMiVHYLXRQGHFDGD VHJXQGRWHPTXHVHU DSURYHLWDGRQXPDOXWD FRQWUDRWHPSR¾ 'DUDYLGDSHOD3iWULD pXPDGDVEDERVHLUDV TXHRVH[pUFLWRVGHWRGR RPXQGRFRORFDPQDV FDEHoDVGHVHXVVROGDGRV )D]SDUWHGDSURÀVVmR $JRUDPRUUHUSHORVHX SDtVUHVVXVFLWDUPRUUHU GHQRYRUHVVXVFLWDUGH QRYRHDVVLPSRUGLDQWHTXDQWDVYH]HVIRUHP QHFHVViULDVDtMipXP SRXFRGHPDLVeFRQWUD HVWDVLWXDomRTXHRPLOLWDU6WHYHQV -DNH*\OOHQKDDO VHUHYROWDDRVDEHUTXHVHPVHTXHUVHU FRQVXOWDGRHVWiID]HQGR SDUWHGHXPH[SHULPHQWR XOWUDVVHFUHWRGRJRYHUQR DPHULFDQR &RQWUDR7HPSRpXP GRVÀOPHVPDLVHQYROYHQWHVGRDQR2URWHLUR HVFULWRSRU%HQ5LSOH\ HUiSLGRHEHPGHVHQYROYLGRVDEHQGRDSURYHLWDUDLQWHUHVVDQWHH RULJLQDOSUHPLVVDVHP FRPSURPHWHUDHVWUXWXUDQDUUDWLYDFRPXP yWLPRHTXLOtEULRHQWUHD ÀFomRFLHQWtÀFDHDDomR

DIVERSĂƒO&ARTE

TEMPO PRESO NO

WHQVDGDWUDPD2yWLPRPDWHULDOGH5LSOH\p PXLWREHPDSURYHLWDGR SRU'XQFDQ-RQHVTXH MiKDYLDGLULJLGRRyWLPR /XQDUTXHWDPEpPp XPDSHOtFXODSHFXOLDUH HQYROYHQWH $WUDPDDWUDWLYDH

Contra o tempo, em cartaz no Cine Sesi, retoma aidÊia GHXPD¿FomRFLHQWL¿FDPDLV cerebral e cosnegue prender o espectador com revelaçþes a conta gota

EHPHODERUDGDIRLHVFULWDSRU%HQ5LSOH\XP MRYHPURWHLULVWDTXHDSyV HVFUHYHURVFDStWXORVH GH$([SHULrQFLD ODQoDGRVGLUHWRHP'9'  ID]HP&RQWUDR7HPSR VXDHVWUHLDFLQHPDWRJUiÀFD'LULJLGRSHORLQJOrV

'XQFDQ-RQHVRÀOPHp LQWULJDQWHHLQWHOLJHQWH 1XPDSULPHLUDOHLWXUD WUDWDVHGHXPDERDÀFomRFLHQWtÀFDTXHUHPHWH DRVPHOKRUHVWUDEDOKRV GRHVFULWRU3KLOOLS. 'LFN 3RUpPKiPDLVD

VXEWUDPDGRKRPHP RSULPLGROXWDQGRFRQWUD XPVLVWHPDGHVXPDQDPHQWHDVVpSWLFR DÀQDO pXPDFRSURGXomRFRPD )UDQoD DOLDGDDXP WrQXHPDVLPSRUWDQWH ÀRFRQGXWRUURPkQWLFR TXHPXOWLSOLFDDPRWLYDomRGRSURWDJRQLVWDID]HPGH&RQWUDR7HPSR DOJRPDLVTXHXPDÀFomR FLHQWtÀFDFRQYHQFLRQDO eSRVVtYHOUHVYDODUHP UHIHUrQFLDVFRPR2V 0DFDFRV29LQJDGRUGR )XWXURHDWpPHVPRR FOiVVLFRSDFLÀVWD-RKQQ\ 9DLj*XHUUDHQWUH YiULDVRXWUDV2TXHQmR WRUQDRÀOPHPHQRVRULJLQDO,VVRVHPIDODUGD yWLPDLQWHUSUHWDomRGH 9HUD)DUPLJDFRPVHXV HQRUPHVROKRVH[SUHVVLYRV &RPWXGRLVVRRHVSHFWDGRUPDLVH[LJHQWH QHPUHFODPDUiPXLWR GDVH[SORV}HV´YLUWXDLV¾ GHPDLVRQGHÀFDFODUR TXHRVHIHLWRVHVSHFLDLV QmRVmRH[DWDPHQWH GHSULPHLUDOLQKD1mR LPSRUWD&RQWUDR7HPSRWHPPXLWRPDLVD PRVWUDUTXHH[SORV}HV WHUURULVWDV%DVWDYHUGH ROKRVEHPDEHUWRV 3DUDXPDÀFomRFLHQWtÀFDWmRGLIHUHQWH &RQWUDR7HPSRQmR SHUGHWHPSRHQURODQGR RHVSHFWDGRUTXHDFRPSDQKDRSURWDJRQLVWDQD FRUULGDFRQWUDRWHPSR SDUDHYLWDURXWURDWDTXH WHUURULVWDHP&KLFDJR DRPHVPRWHPSRHPTXH FRPSDUWLOKDDVPHVPDV G~YLGDVGRSHUVRQDJHP VREUHDPLVVmRHPTXH HVWiHQYROYLGD'HFHUWD IRUPD&RQWUDR7HPSR OHPEUDRXWURVÀOPHVGH UHDOLGDGHDOWHUQDWLYD FRPR)HLWLoRGR7HPSR yWLPDFRPpGLDGH%LOO 0XUUD\$JUDQGHYLUWXGHpHTXLOLEUDUDVUHDOLGDGHVDSUHVHQWDGDVH ID]HUFRPRS~EOLFRFRPSUHDRULJLQDOLGDGHGR ÀOPH7XGRIXQFLRQDHP XPPLVWRGHVXVSHQVHH DomRWHQVRGLYHUWLGRH HQYROYHQWH 2HOHQFRpSHTXHQR PDVYHQGHRÀOPHPXLWREHP(VWHpRPHOKRU -DNH*\OOHQKDDOTXH YLPRVHPDQRV$WRU LQFRUSRUDPXLWREHP DSHUSOH[LGDGHGHVHX SURWDJRQLVWDHGRyWLPR PDWHULDOGH5LSOH\2 SHTXHQRHOHQFRFRDGMXYDQWHWDPEpPQmRID] IHLWRGHVGHDHQFDQWDGRUD0LFKHOOH0RQDJKDQ DWpDVHPSUHFRPSHWHQWH 9HUD)DUPLJD


2

TribunaIndependente

DIVERSÃO&ARTE MACEIÓ - SEXTA-FEIRA, 23 DE DEZEMBRO DE 2011

Wado on-line Já disponível apenas para download no site do cantor e compositor (wado.com.br), o sexto disco da sua carreira, samba 808, segue a mesma trilha de talento dos anteriores. Em Maceió, o show de lançamento do novo trabalho está marcado para o próximo dia 30 de dezembro, a partir das 21h, na Loop Lounge Club (Stella Maris). A noite da boa música ainda conta com a banda Bazzinga e o DJ Finizola. Ingressos R$ 30. Ponto de venda: estande Folia Brasil. Mais informações: 3327-8700.

Grito do Edécio

O radialista e compositor Edécio Lopes será homenageado com o primeiro baile de Carvanal. O evento será realizado no dia 7 de janeiro na Vox Room, no Jaraguá. O baile será agitado por Allison Cunha (chorinho), Igbonan e Wilma (samba), Orquestra do maestro Almir Medeiros (frevo) e e cantor Claudionor Germano, que gravou várias músicas de Edécio Lopes. Dia 7 de janeiro de 2012. Preço: R$ 60 (indivudual); R$ 200 (Mesa). Pontos de Venda: Maxhu’s. Mais informações: 9981-4018 (Dinho Vasconcelos) ou www.edeciolopes.com.br.

Padre lança CD No próximo ano, o padre Fábio de Melo volta aos palcos para uma série de shows de lançamento do novo CD e DVD, No Meu Interior Tem Deus. Em Maceió, a apresentação está marcada para o dia 5 de fevereiro, às 19h, no Ginásio do Sesi, bairro do Trapiche da Barra. Ingressos: Livraria Paulinas, Maceió Shopping e Livraria Paráclitos. Mais informações: 8832-4662.

Reggae O reggae vai invadir o histórico bairro de Jaraguá. A partir das 22h, no dia 25 de janeiro, acontece o show de gravação do primeiro DVD do DJ Rey Roots. A noite ainda conta com a sonoridade dos DJs Thuppa, Nene Roots, Mousa Pedra, Djavan Roots e muito mais. No espaço Reggae Night (Praça Dois Leões, em Jaraguá). Mais informações: 3235-6950.

Réveillon do Sesc O tradicional Réveillon do SescGuaxuma começa às 22h do próximo dia 31, no balneário do /LWRUDO1RUWH(VWHDQRDP~VLFD¿FD por conta das bandas Avalon e Villa Lobos, além da queima de fogos, jantar e mesa de frutas ao amanhecer. Os preços variam de R$ 25 a R$ 160. Mais informações: 0800 284 2440

Tihany O fabuloso circo Tihany anuncia sua volta para Maceió para mais uma temporada de Verão. Todas as atrações (trapeziatas, mágicos, malabaristas e palhaços), voltam a ocupar o picadeiro, que será montado no Farol. Para isso os ingressos já estão sendo vendidos. Mais informações: 3034- 5975 e no estande Sue Chamusca, no Shopping Maceió.

Santorégano

Vermelho e preto

Abrindo a temporada de verão, a Santorégano estreia uma programação, todos os sábados, pra lá de especial. A aposta é uma deliciosa feijoada servida ao som do Grupo Guerreiros da Paz. O grupo é um quarteto com violão, cavaquinho, pandeiro e surdo, formado por amigos que cantam e tocam juntos há mais de dez anos. Samba, choro, samba de breque e, claro, os clássicos da nossa MPB, fazem parte do repertório. O horário da feijoada é de 12 às 17h, com self-service de R$ 22. O samba começa às 13h e vai até as 15h. O couvert é R$ 4,50. Mais Informações: 3355-1801

No dia 21 de janeiro de 2012 ocorrerá a prévia carnavalesca Vermelho e Preto. O evento está marcado para acontecer no Jaraguá Tênis Clube e o tema será 1R(VFXULQKRGR&LQHPD$DQLPDomR¿FDUiSRUFRQWDGDVEDQGDV3DWXVFRGH Recife e Orquestra de Frevo de Zuza e Thais de Olinda. As mesas estão sendo vendidas por salão climatizado: R$ 400 e R$ 380 (sócios). Já na Quadra coberta: R$ 380 e R4 360 (sócios). O Buffet All Inclusive com uísque cerveja, refrigerantes e tira-gosto. Durante a festa haverá concurso de fantasias com premiação. Data: 21 de janeiro de 2012. Pontos de Venda: Secretaria do Jaraguá Tenis Clube. Mais informações: Reservas de mesa - 3231.2538/ 9925.3922.

FALE CONOSCO - A Agenda é um serviço gratuito de orientação ao leitor. Os interessados em divulgar eventos, shows e exposições podem enviar material através do endereço: tiagenda@hotmail.com

RESUMO DE NOVELAS GLOBO 18h A VIDA DA GENTE

Celina discute com Lourenço e pede para ele se afastar. Iná exige que Laudelino converse FRP/RUHQD0DQXHOD¿FDLQWULJDGDFRPR comportamento de Rodrigo. Eva segue Ana ao YrODVDLUFRP5RGULJR6R¿DIDODSDUD9LWyULD TXHQmRTXHUPDLVMRJDUWrQLV6R¿DSHGHSDUD continuar se encontrando com Miguel, desde que seja longe do clube. Celina deixa escapar para Nanda que Lourenço está envolvido na gravidez de Cris.

GLOBO 19h AQUELE BEIJO

Vicente decide interromper sua lua de mel SDUDDMXGDU&ODXGLDH/XFHQD¿FDUHYROWDGD Agenor faz um pacto com as costureiras da Shunel para tocar a confecção. Claudia chega à delegacia com Vicente e vê Rubinho. Regina é chamada para depor e Vicente avisa que irá acompanhá-la. Claudia confronta Maruschka. Mirta aconselha Rubinho a pedir perdão para Claudia. Maruschka e Alberto são liberados. Claudia expulsa Rubinho de casa.

GLOBO 21h FINA ESTAMPA

Quinzé ameaça fugir com Quinzinho para impedir Teodora de sair com o menino. Tereza Cristina avisa a Renê que o jantar oferecido para Alexandre será no mesmo dia da festa de Griselda. Letícia pede para Juan adiar o casamento. Pereirinha pega dinheiro com Tereza Cristina. Patrícia ouve Antenor falar que YDLDRVHXMDQWDUH¿FDLUULWDGD4XLQ]pREVHUYD Teodora levar Quinzinho ao colégio.

RECORDE 21h VIDAS EM JOGO

Cleber troca ameaças com Carlos e Francisco. Francisco e Carlos tentam acompanhar o comboio que leva Cleber, mas acabam sendo fechados por um carro. Os capangas de Cleber cercam o comboio e rendem os policiais. Mais à frente, Cleber consegue roubar o carro de um senhor. Ele foge, seguido por Carlos e Francisco. O carro de Cleber colide com um caminhão e capota.


TribunaIndependente

0$&(,Ă?6(;7$)(,5$'('(=(0%52'( DIVERSĂƒO&ARTE

3

5(&25'',98/*$d­2

FLĂ VIO RICCOFRODERUDomR-RVp&DUDORV1HU\ZZZWZHWWHUFRPĂ€DYLRULFFR

$QRQD79DJRUD FRPHoDPDLVFHGR

-iKiDOJXQVPHVHVQRV(VWDGRV8QLGRVGHGLFDGDDFXUVRV de cinema e interpretação, Louise D’Tuani, atriz da Record, PDUFRXDVXDYROWDGHÂżQLWLYDDR %UDVLOSDUDRGLDGHMDQHLUR $LQGDQmRKiQRWtFLDVVREUHR VHXDSURYHLWDPHQWRQRVSUy[LPRVWUDEDOKRVGDHPLVVRUD

TV TUDO AtĂŠ nisso

A

A Record resolveu copiar o “modeloâ€? do SBT no seu estacionamento em SĂŁo Paulo. Todas as vagas, agora, sĂŁo delimitadas por setores, tipo Diretoria, Financeiro, RH, ArtĂ­stico etc. Dizem que ĂŠ sĂł uma questĂŁo de WHPSRSDUDÂżFDUWXGRLJXDO]LQKRDR GD$QKDQJXHUD

SDUWLUGHDJRUDPHVPRFRPRVWHOHMRUQDLV HQRYHODVVHJXLQGRDVVXDVYLGLQKDVGH VHPSUHRVGHPDLVVHWRUHVGD79FRP DSUHVHQWDomRGHHVSHFLDLVHUHWURVSHFWLYDV DSHQDVFXPSUHPDPHVPDWDEHODGHWRGRĂ€QDO GHWHPSRUDGD1mRKiQDGDGHGLIHUHQWHHP UHODomRDRVDQRVDQWHULRUHV$FRLVDVyYROWDUi DHVTXHQWDUHPMDQHLURQD*ORERSRURFD- Programa na internet VLmRGDVHVWUHLDVGRSUy[LPR´%LJ%URWKHUÂľ Depois de “A Fazendaâ€?, Raquel HGDVpULH´'HUF\GH9HUGDGHÂľ$5HFRUG 3DFKHFRDH[Âł%UXQD6XUÂżVWLQKD´ WDPEpPQRPHVPRPrVWHUiLQLFLDOPHQWH agora vai fazer um programa na internet, de entrevistas e debates RUHDOLW\´$PD]{QLDÂľHDPLQLVVpULH´5HL sobre temas polĂŞmicos. 'DYLÂľDVVLPFRPRR6%7FRPRVODQoDO tĂ­tulo ĂŠ “Eu sou e DaĂ­?â€? e terĂĄ a PHQWRVGDQRYHOD´&RUDo}HV)HULGRVÂľHGD direção-geral de Warley Santana. QRYDOLQKDGHVKRZV3RU~OWLPRQRSUyA estreia poderĂĄ acontecer ainda este mĂŞs. [LPRGLDD%DQGHLUDQWHVSDVVDDDSUHVHQWDURSURJUDPD´0XLWRÂľGD$GULDQH *DOLVWHX%RPTXHDVVLPVHMD2FDOHQGiULR Madrugador O atual momento da Record, espeQDWHOHYLVmRĂ€FRXLJXDODRQRVVR+iEHP cialmente a sua queda de audiĂŞnSRXFRWHPSRRDQRVyLQLFLDYDHPDEULO FLDWHPH[LJLGRYHUGDGHLURVVDFULTXDQGRFRPHoDYDDTXHFHURPHUFDGRFRfĂ­cios de todos os diretores para retomar o controle da situação. PHUFLDO Em alguns desses Ăşltimos dias, as reuniĂľes na sede, em SĂŁo Paulo, começaram por volta de cinco KRUDVGDPDQKmHWRGDVFRQWDQdo com a presença do nĂşmero 1, Honorilton Gonçalves.

Bate-rebate

Show sertanejo

2&DQDO5XUDOLUiWUDQVPLWLUQHVWH ViEDGRHPVXDSURJUDPDomR É craque GH¿PGHDQRVKRZVGHJUDQGHV Boni, JosÊ Bonifåcio de Oliveira DUWLVWDVGDP~VLFDVHUWDQHMD 6REULQKRGHXLQ~PHUDVHQWUHYLVWDV Entre as atraçþes, a praticamente todas as emissoras 0LFKHO7HOy)HUQDQGRH6RURFDED 0DUFRVH%HOXWWL5HQDWR7HL[HLUDH de televisão, desde o lançamento SÊrgio Reis. do seu livro. Marília Gabriela foi

XPDGDV~OWLPDVGD¿ODFRPR³'H Frente com Gabi�, levado ao ar no último domingo, no SBT. E ela conseguiu arrancar casos que ele QXQFDWLQKDGLWR&RLVDGHTXHP sabe.

TV paga O programa “Discovery Zoomâ€?, sobre temas como sustentabilidade, tecnologia, ciĂŞncia e esportes, H[LELGRWHUoDKQR'LVFRYHU\ &KDQQHOMiWHPRXWUDWHPSRUDGD DVVHJXUDGD&RPDSUHVHQWDomR GH&DPLOD%LRQGDQH*XLOKHUPH Arruda, os novos episĂłdios devem entrar no ar no primeiro trimestre do ano que vem.

SilĂŞncio em cima A partir do instante em que a direção da Bandeirantes se decidiu pela estreia da Adriane Galisteu, com o “Muito +â€? agora, nunca mais se falou em novo programa para MĂĄrcia *ROGVFKPLGW Ao que parece, foram afastados novamente os planos da sua volta.

&RQ¿VV}HV 'DQLHO)LOKRWHPRHOHQFRGH³&RQ¿VV}HVGHDGROHVFHQWH´EHPHQFDPLQKDGRFRPDVSDUWLFLSDo}HVFRQ¿UPDGDVGH'HERUDK6HFFR*HRUJLDQD Góes, Daniele Valente e Maria Mariana, agora, fazendo as mães das adolescentes. )DOWDDSHQDVDMHLWDUDVGDWDVHPDUFDURLQtFLRGH¿OPDJHQV

Nova dupla

Pediu a palavra

(UQHVWR3DJOLDMiLQLFLRXDVJUDYDçþes de uma nova temporada do “Globo Marâ€?, que serĂĄ levada ao ar a partir de abril do ano que vem. Depois de Mariana FerrĂŁo no SULPHLURH*OHQGD.R]ORZVNLQR segundo, agora ele terĂĄ a compaQKLDGDUHSyUWHU3ROLDQD$EULWWD FRQKHFLGDSHORVVHXVWUDEDOKRVGH BrasĂ­lia.

$SURGXWRUD+HO{&DPSDQKROR FRQ¿UPDWHUUHFHELGRFRQYLWHGD )R[6SRUWVHUHFXVRXQmRSHORIDWR da mudança para o Rio de Janeiro, mas porque não pretende sair da Record. (VWiVDWLVIHLWDHWHPSURMHWRVDXGDFLRVRVQDFDVDFRPRWUDEDOKDUQD cobertura dos Jogos Olímpicos de /RQGUHV

¡ AmĂŠrico Martins, diretor de jornalismo da Rede TV!, estĂĄ em fĂŠrias. SĂł volta em janeiro. ¡ Danilo Gentili se transformou numa das principais apostas da %DQGHLUDQWHVSDUDRVSUy[LPRV tempos. ¡ AlĂŠm do programa de todas as noites, “Agora ĂŠ Tardeâ€?, jĂĄ se fala em outros projetos para ele. ¡ Boni contou que na primeira “Gabrielaâ€? mandou Sonia Braga Ă %DKLDDFRPSDQKDGDGR(GZDOGR 3DFRWHSDUDUHFHEHUDFRQFRUGkQcia de Jorge Amado. ¡ E ela foi aprovada sem restriçþes. Ă‚0HVPRHPÂżPGHVHPDQDGH1Dtal, a produção do novo programa da Adriane Galisteu vai continuar WUDEDOKDQGRQRUPDOPHQWH ¡ AmanhĂŁ, na Cultura, 8 da noite, serĂĄ apresentado um “Viola Minha Violaâ€? especial, com Renato Teixeira. Ă‚$5HGH79FKHJDDRÂżPGRDQR sem um diretor comercial. Marcelo GH&DUYDOKRRYLFHFRQWLQXDUHVpondendo pelo setor. ¡ O cargo estĂĄ vago hĂĄ mais de quatro meses. ¡ Ainda nĂŁo tem nada decidido, mas H[LVWHPHVWXGRVQD5HFRUGVREUH RKRUiULRGRÂł0HOKRUGR%UDVLO´GR Rodrigo Faro, no ano que vem. ¡ JĂĄ se comenta sobre a possibilidade de uma pequena mudança, para nĂŁo começar e terminar tĂŁo tarde.

&¡HVWĂ€QL Âł2GLDTXHHXJDQKDUXP$3&$GH 0HOKRU1RYHODDFRQWHFHXPWHUremoto no Brasil!!!â€?. Esta “profeciaâ€? ĂŠ de ninguĂŠm menos que Aguinaldo Silva, no ar, atualmente, com “Fina Estampaâ€? no KRUiULRQREUHGD*ORER Apesar da grande repercussĂŁo das suas novelas, o autor nunca recebeu um prĂŞmio desta categoria GD$VVRFLDomR3DXOLVWDGH&UtWLFRV de Arte. Neste ano, a propĂłsito, a $3&$DQXQFLRXFRPRYHQFHGRU RWUDEDOKRGDVDXWRUDV7KHOPD *XHGHVH'XFD5DFKLGÂł&RUGHO (QFDQWDGR´XPDSURGXomRGDVK (QWmRpLVVR0DVDPDQKmWHP PDLV7FKDX

HORĂ“SCOPO PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br GĂŞneros musicais caribenhos Abre a HĂŠlio fechadura (sĂ­mbolo)

Certo teste detector do HIV Intensida- Item da de de uma homepage corrente (Inform.) elĂŠtrica

Š Revistas COQUETEL 2012

Bem-te(?), ave brasileira

A maior ilha da PolinĂŠsia Francesa

Nome da letra S Substância usada em tratamentos capilares

Especificação do plano de voo

Ave que come sementes de gramíneas Raio Preço de transporte (abrev.)

(?) Zumba, líder dos escravos (Hist. BR) "(?) – O Eteimoso", sÊrie de TV (EUA) (?) Saretta, ex-tenista paulista

Escultor Etapa da novela na qual ocorre o de obras diversas desfecho da histĂłria no BrasilMĂŁe, em latim ColĂ´nia CĂłdigo da pilha palito Arthur Moreira Lima, pianista brasileiro

Centro de RondĂ´nia pesquisas (sigla) aeroes- 605, em paciais romanos Navio das Armadas (Hist.)

(?) generis: peculiar (latim)

Valentino Rossi, piloto italiano da Moto GP

Forma de cruz Tecla de micros

(?) a pique, material de casebres

Ingrediente que faz o bolo crescer

Oersted (sĂ­mbolo) Lya Luft, escritora

3/cta — sui. 4/rola. 5/elisa — ganga — mater — taiti. 6/flåvio.

67

Solução C C H A E L I A M P E S N O Q U E R F R E G A G F L A F E

M V E I S A T A E R A S E V C R A T O L A T E A N G T V I O R M E

A M A I T G E R D I N A S U A P A L N T

U L T I M O C A P I T U L O

BANCO

Tecla de ĂĄudio em TVs estĂŠreos

Ă RIES - D Âą$SDVsagem de VĂŞnus pela sua ĂĄrea de amizades favorece as relaçþes EDVHDGDVQDFXPSOLFLGDGHMiTXH DIUDWHUQLGDGHHVWiDĂ€RUDGDKRMH e tende a dar o tom da interação interpessoal. A fase ĂŠ ideal para se divertir em grupo! Otimismo e boa LQLFLDWLYDHPUHODomRDRWUDEDOKR o dia favorece novas tecnologias e mudanças nas parcerias. &RU9LQKR TOURO Âą D Âą6HX UHODFLRQDPHQWRpLQĂ€XHQFLDGRSHOD movimentação astral que traz uma consciĂŞncia maior sobre os assuntos afetivos. VocĂŞ verĂĄ que pode manter seu equilĂ­brio emocional a salvo dos problemas, desde que respeite as diferenças. &RU&LQ]D GĂŠMEOSÂą D Âą(VWiQD KRUDGHIXJLUGHDFRQWHFLPHQWRV delicados entre vocĂŞ e a pessoa amada. A movimentação astral sugere que vocĂŞ adote um comportamento mais dedicado Ă busca de solução para os problemas que vocĂŞ vem protelando. &RU9HUPHOKR5XEL CĂ‚NCERÂą D Âą&RP VĂŞnus posicionado na sua casa oito, ocorre uma abertura emocional importante que possibilita que vocĂŞ GLUHFLRQHVXDVHQHUJLDVHGHVHMRV SDUDDH[SORUDomRGHVXDVH[XDOLGDGH6XDVDWLVIDomRQHVVDiUHDOKH GHL[DUiPDLVFRQÂżDQWH &RU/DUDQMD LEĂƒO Âą D Âą6XDV GLÂżFXOGDGHVSHVVRDLVGHYHPVHU RUTXHVWUDGDVGHPRGRPDLVHÂżFD] MiTXHRVDVWURVOKHWUD]HPkQLPR renovado para lidar com os problemas que teimam em surgir. Fique atento e foque na maneira como vocĂŞ trata do amor. &RU*UDÂżWH VIRGEMÂą D Âą&RP VĂŞnus posicionado no seu setor de VD~GHRSHUtRGRVHWRUQDEHQpÂżFR SDUDPHOKRUDUVHXEHPHVWDUHVXD DXWRHVWLPDDXPHQWDQGRVXDFRQÂżança e sua disposição para interagir. Invista na sua aparĂŞncia e em programas de lazer. No amor, possĂ­vel inibição diante de pessoas novas TXHH[HUoDPIRUWHDWUDomRVREUH vocĂŞ. Timidez na relação.

&RU$PDUHOR2XUR LIBRAÂą D Âą'HL[H que a pessoa amada saiba que vocĂŞ estĂĄ disposto a lidar com as diferenças emocionais. A moviPHQWDomRDVWUROyJLFDOKHDMXGDD mostrar determinação ao cuidar de seus sentimentos com prioridade. DĂŞ atenção ao que sente. &RU3UHWR ESCORPIĂƒOÂą D Âą 3RQKDVHXUHODFLRQDPHQWRHPRUdem, agindo de modo transparente HGHGLFDGR$DWXDOFRQÂżJXUDomR astral faz com que vocĂŞ sinta que tem condiçþes de resolver as penGrQFLDVFRPVHUHQLGDGH0DQWHQKD se equilibrado. &RU5RVD SAGITĂ RIOÂą D  Âą&RP9rQXVQRVHXVHWRUGHFRPXnicação, seu poder de conversar e de se articular com as pessoas ÂżFDPDLVIRUWHRTXHIDYRUHFHRV contatos nas diversas ĂĄreas. A fase ĂŠ boa para conquistas por meio de sua inteligĂŞncia e sua simpatia. No amor, segure o seu coração, vai ser difĂ­cil nĂŁo dar bandeira que vocĂŞ estĂĄ, e muito, interessado. &RU$]XO5R\DO CAPRICĂ“RNIO Âą D Âą O mais importante agora ĂŠ analisar a maneira como vocĂŞ trata das H[LJrQFLDVDPRURVDVDVVLPFRPR com os benefĂ­cios da vida a dois. É preciso ter cuidado para que o amor QmRVHGHVJDVWHFRPRVFRQĂ€LWRVH os pequenos obstĂĄculos da rotina. &RU0DUURP(VFXUR AQUĂ RIOÂą D Âą(VWH ĂŠ um bom momento para tratar de seu relacionamento de maneira orJDQL]DGDMiTXHRSRVLFLRQDPHQWR GRVDVWURVOKHGHL[DPDLVVHJXUR emocionalmente para enfrentar as adversidades. NĂŁo permita que assuntos do pasVDGRDWUDSDOKHP &RU9HUGH0XVJR PEIXES Âą D 7HQKDFXLGDGRFRPDVIDOKDVQDFRPXQLFDomR HQWUHYRFrHDSHVVRDDPDGDMi TXHDDWXDOFRQÂżJXUDomRDVWUDOOKH LQFHQWLYDDGHFLGLUSRUFDPLQKRVFHUtos neste momento. 'HL[HRSDVVDGRSDUDWUiVHQmR queira abraçar o mundo. &RU$]XO7XUTXHVD

FRANQUIA

9LQ'LHVHOFRQÀUPDPDLVGRLV ÀOPHVGH9HOR]HVH)XULRVRV

A

JRUDpRÀFLDOD IUDQTXLD9HOR]HVH )XULRVRVYDLPHVPR JDQKDUPDLVGRLVÀOPHV FRQÀUPRX9LQ'LHVHO2 DWRUIDORXVREUHRDVVXQWR HPXPDHQWUHYLVWDDRVLWH 7KH+ROO\ZRRG5HSRUWHUQD WHUoD   ´&RPRVXFHVVRGR~OWLPRHDLQFOXVmRGHWDQWRV SHUVRQDJHQVHDDPSOLDomRGRHVFRSRTXDQGRQRV VHQWDPRVSDUDGHFLGLURTXH FDEHULDQRQ~PHURVHLVQmR WtQKDPRVHVSDoRVXÀFLHQWHWHPRVTXHOLTXLGDUHVVD KLVWyULD 3UHFLVDPRVUHVROYHURV UHODFLRQDPHQWRVGHWRGRV HVVHVSHUVRQDJHQVHTXDQGRFRPHoDPRVDPDSHDU WXGRSDVVDPRVGDVSiJLQDV2HVW~GLRGLVVHœ9RFr QmRSRGHHQÀDULVVRHPXP ~QLFRÀOPH¡¾H[SOLFRX9LQ

'LHVHO $SURGXomRGRVGRLV ÀOPHVTXHSURYDYHOPHQWH VHUmRJUDYDGRVVLPXOWDQHDPHQWHFRPHoDQRLQtFLR GHQRYDPHQWHFRP -XVWLQ/LQQDGLUHomR (9HOR]HVH)XULRVRV MiWHPDWpGDWDGHODQoDPHQWRGHPDLRGH $GDWDIRLPDUFDGDSHOD 8QLYHUVDOSDUDDSURYHLWDU RIHULDGRDPHULFDQRGR 0HPRULDO'D\ FULDGRHP KRPHQDJHPDRVVROGDGRV PRUWRVHPJXHUUDV TXH DFRQWHFHVHPSUHQD~OWLPD VHJXQGDIHLUDGHPDLR /DQoDGRHPDEULOGHVWH DQR9HOR]HV )XULRVRV ²2SHUDomR5LRTXHWHYH JUDQGHSDUWHGHVXDVFHQDV ÀOPDGDVQR%UDVLODUUHFDGRX86PLOK}HVHIRL DVH[WDPDLRUELOKHWHULD PXQGLDOHP


4

TribunaIndependente

DIVERSÃO&ARTE 0$&(,Ï6(;7$)(,5$'('(=(0%52'(

IHOLSHFDPHOR#JPDLOFRPIHOLSHFDPHOR#VDODGDRQOLQHFRPEUFDPHORIHOLSHFDPHOREORJVSRWFRP

4XHURGDTXLFRQ¿UPDUDDPL]DGH HDXQLmRGHWRGRVTXHID]HP esta Tribuna, desejando que QHVWH1DWDOH$QR1RYRVHMDPRV DLQGD+RPHQDJHLRDWRGRV os cooperativados, jornalistas HJUi¿FRVQD¿JXUDGHQRVVD GLUHWRUDFRPHUFLDOMarilene Canuto3HVVRDWRWDOPHQWHGR%HP EDWDOKDGRUDVXSHUPXOKHUTXH FRPJDUUDHQIUHQWDHYHQFHRV GHVD¿RVGRGLDDGLD$GRUR $66(6625,$

4XHPHVWHYHSRUDTXLIRLDSDXOLVWDFlávia CamargoPXLWRFRQKHFLGDSRUVHUPXOKHUGR FDQWRU/XFLDQR TXHID]GXSODFRP=H]p'L &DPDUJR $GHVLJQHUGHL[RXVXDVSHoDVFRP H[FOXVLYLGDGHHP$ODJRDVQDCasa Moa. A MRLDVHELMXVPLVWXUDPEULOKRHFRUHVVHJXLQGR DVWHQGrQFLDVGRYHUmR0RDFLUD $QGUpD &XQKDDGRUDUDPHDVSHoDVMiHVWmRID]HQGR RPDLRUVXFHVVRFRPDVOXOXVHQFDQWDGDV

Virada Tranquila 3UDTXHPTXHUSDVVDUDYLUDGDGRDQRQDPDLRUSD]FHUFDGR GHYHUGHSRUWRGRVRVODGRV/XDQD1XQHVLQGLFDQGRR+RWHO )D]HQGD%HWkQLDHP6mR%HQHGLWRGR6XO3HUQDPEXFRH GLVWDQWHXQVNPGH0DFHLy3UDQRLWHGRGLDFHLDHVpecial com culinária regional será servida ao som dos cantores SHUQDPEXFDQRV6LPRQH5RGULJXHV&REUDH7RPLQWHUSUHWDQGR RPHOKRUGR03%$OpPGLVVRKDYHUiDWUDGLFLRQDOTXHLPDGH IRJRVTXHYDLLOXPLQDUHFHOHEUDUDFKHJDGDGRDQRQRYR6HQGR RWXULVPR5XUDOGRVSRQWRVWXUtVWLFRVH[SORUDGRVSRUEUDVLOHLURVHHVWUDQJHLURVRKRWHO)D]HQGD%HWkQLDUHJLVWURXTXHSHOR PHQRVGHVHXVKyVSHGHVVmRGH$ODJRDV6HUJLSHH6mR 3DXOR1DFHQDSDVVHLRVHPFKDUUHWHVDFDYDORVRXWUDWRUHWH FDUURoDSX[DGDSRUWUDWRU ,VVRSRVVLELOLWDRKyVSHGHDSUHFLDU OLQGDVSDLVDJHQVDWUDo}HVGHJUXSRVUHJLRQDLVHDWpGHJXVWDomR GHIUXWDVGLUHWRGRVSRPDUHV$OpPGHWULOKDVFRPTXDGULFLFOR HEDQKRVQDWXUDLVQDVFDFKRHLUDVSUy[LPDVj)D]HQGD6mR DSDUWDPHQWRVSUDDWpOHLWRVHPWRGRRKRWHO7RGDVDV DFRPRGDo}HVVmRGLYLGLGDVHPVXtWHVFRPRXTXDUWRVFRP DUFRQGLFLRQDGRIULJREDUWHOHYLVmRLOXPLQDomRHVSHFLDOHFRP DPELHQWDomRWUDGLFLRQDOHU~VWLFDGRFDPSR/XDQD1XQHVLQGLFDQGRHFRQYLGDQGRQRZZZID]HQGDEHWDQLDFRPEU

Top, Top, Top $7RSQmRSDUD0HVPRHPYpVSHUDGH1DWDO$PDQKmDDFDGHPLDIXQFLRQDUiHPKRUiULRHVSHFLDOGDVGDPDQKmDRòGLD(RPHOKRUDXOmRGH%LNH FRPGXUDomRGHKRUDVFRPDQGDGRSRU IHUDVQRDVVXQWR 'DVjVWRGRPXQGRYDLVXDUDFDPLVDSHGDODQGRDRFRPRVSURIHVVRUHV$UOLVVRQ.LNR/pRH'H\YLG&ODURTXHQRGRPLQJR7RSQmRIXQFLRQD2QWHPVXFHVVDoRR µPHHWLQJ¶QDVDUHLDVGD3UDLDGH3DMXoDUD&RPRSDUWHGDSURJUDPDomRGRµ6XPPHU7RS¶RSURIHVVRU5REHUWR%DUURVHVWHYHQRFRPDQGRGHFRUULGDSUDOiGHHPRFLRQDQWH5XQQLQJ)HVWLYDO1LJKW5XQ)RUDPNPGHFRUULGDHNPGHFDPLQKDGD2VEULQTXHGRVDUUHFDGDGRVVHUmRHQWUHJXHVKRMHjVFULDQoDVGD9LOD(PDWHUGXUDQWHDDomR1DWDO6ROLGiULR7RS(DEDGDODGDHIRID MRUQDOLVWD/LV1XQHVDVVHVVRUDQGRDDFDGHPLDGD3DMXoDUDLQIRUPDQGRTXH³$7RSHVWiFRPRVLWHGHFDUDQRYD2ZZZHXVRXWRSFRPDJRUDFRQWDFRPXPOD\RXWPDLVOHYHDWXDOL]Do}HVGLiULDV HHVWiVLQFURQL]DGRFRPDVUHGHVVRFLDLV$OpPGLVVRpSRUPHLRGHOHTXHD7RSR¿FLDOL]DVXDQRYDEDQGHLUD7RS)LWQHVVH:HOOQHVV1HOHYRFrFRQWLQXDWHQGRVHXHVSDoRPDLVTXHH[FOXVLYR *RVWDUtDPRVGHFRQWDUFRQWLJRSDUDDWXDOL]Do}HVVHPDQDLV,VVRSRUTXHJUDQGHGLIHUHQFLDOGRQRVVRVLWHpH[DWDPHQWHHVVHHVWDUVHPSUHQRYR$KMiH[LVWHPORJLQHVHQKDSDUDYRFrWHUDFHVVR DRDGPLQGRVLWHHID]HUWRGDVDVSRVWDJHQV&RQWDPRVVHPSUHFRPYRFr%HLMRVFDULQKRVRV/LV´LPSRVVtYHO Daphne EsperonH/HWtFLD6DORPRQLDWUDLQGRJHQWHPRGHUQDERQLWDH divertida à Garça Torta6HPG~YLGDMilk Beach PubVHUiRVXFHVVRQHVWD WHPSRUDGDGHYHUmR(VSDoRWRGRJUDPDGRYiULDVUHGHVHSXIHVHVSDOKDGRVFRPLGLQKDVGHOLFLRVDVFHUYHMDVHFKDPSDQKHWRWDOPHQWHJHODGDVH HVWmRSURGX]LQGRVXSHUYLUDGDGHDQR3HWLVFRVGDFDVDMDQWDUHFDIpGD PDQKm2SHQEDUFRPZKLVN\YRGNDHVSXPDQWHFHUYHMDHUHIULJHUDQWHV %DQGD0DFHLy3RZHU-D]]DQWHVGDYLUDGD'MUHVLGHQWH$OH[DQGUH7ULFN\ 'MVFRQYLGDGRV$K)HVWDIHFKDGDFRPDSHQDVLQJUHVVRVGLVSRQtYHLV

Papai Noel dos Correios $VFULDQoDVLQGtJHQDVGDWULER.DUDSRWy3ODN{GDFLGDGHGH6mR6HEDVWLmRQR $JUHVWHGR(VWDGRUHFHEHUDPYLVLWDHVSHFLDORQWHPGR%RP9HOKLQKRTXHKi DQRVSDUWLFLSDGD&DPSDQKD3DSDL1RHOGRV&RUUHLRVID]HQGRDDOHJULDGHtQGLRV GLVWULEXLQGRSUHVHQWHVHPXLWDDOHJULD³)RLDYH]TXHHOHVYLUDPGHSHUWRD¿JXUD GR3DSDL1RHOHDLQGDUHFHEHUDPSUHVHQWHV´FRPHPRUD$QD/~FLDUHSUHVHQWDQWH GD$VVRFLDomRGH0XOKHUHV,QGtJHQDVGD$OGHLD.DUDSRWy)RLHODTXHPWHYHDLQLFLDWLYDGHHVFUHYHUDFDUWLQKDIDODQGRHPQRPHGDVFULDQoDVLQGtJHQDV$HVWUXWXUDGR Loucura, Loucura, Loucura OXJDUpEHPSUHFiULDDOpPGDDVVRFLDomRMiPHQFLRQDGDH[LVWHDSHQDVDPEXA partir das 11 da noite do próximo dia 30, a prévia de réveillon + irreverente e inusitada do pedaço aconODWyULRPpGLFRHHVFROD$LQGDDVVLPQmRKiPpGLFRVQRDPEXODWyULRDSHQDV WHFHUiQDERDWH/H+RWHOFRPDJDOHUDR¿FLDOTXHID]R3kQLFRQD79HQR5iGLR1DFHQDDHVFROKDGD WpFQLFDGHHQIHUPDJHPTXHWHPGHVHGHVGREUDUSUDDWHQGHUDWRGDDDOGHLDVHP 0LVV5pYHqLOORQ%XP%XP2VFRQYLGDGRVSRGHUmRLQWHUDJLUFRPRVLQWHJUDQWHVGDWXUPDGR3kQLFRTXH LUmRDJLWDUHWLUDUPXLWDRQGDFRPVRUWHLRVGHYiULRVEULQGHVGR3kQLFRQDSHQ~OWLPDIHVWDGRDQR$EDQGD SRGHUSUHVWDUVRFRUURQRVFDVRVJUDYHVRXXUJHQWHV-iDHVFRODIXQFLRQDGH PDQHLUDFDyWLFDQmRKiFDGHLUDVVX¿FLHQWHVWRGDDHVWUXWXUDItVLFDHVWiGDQL¿FDGD $IIDUUDQRSDOFRHRV'-V3DXOR3ULQJOHV 5iGLR-RYHP3DQ 7KDOHV+LOOH*X11JDHVWDUmRFRPDQGDQGR HRVFRPSXWDGRUHVUHFHELGRVKiDQRDWpRPRPHQWRDJXDUGDPDLGDGHWpFQLFRV DV3LFN8SVQmRGHL[DQGRQLQJXpPSDUDGRFULDQGRPRVTXLWRGDGHQJXH$EXQGDFRORFDGDJDQKDUi LQJUHVVRSUR5pYHLOORQ&HOHEUDWLRQHDJDQKDUiLQJUHVVRSUR5pYHLOORQ3RQWD9HUGH$VLQVFULo}HVHVWmR SUDLQVWDODomRRVSURIHVVRUHVSHUWHQFHPjSUySULDWULERHHQVLQDPSRXFRVREUHD FXOWXUDLQGtJHQDGHPLOFDUWDVIRUDPHQYLDGDVDR3DSDL1RHOGRV&RUUHLRVFRP DEHUWDV'DQLHO=XNHUPDQGRVLQWHJUDQWHVGR3kQLFRHVWDUiSUHVHQWH(OHTXHLQWHUSUHWDRVIDPRVRV RVGLYHUVRVSHGLGRVFHOXODUFRPSXWDGRUPDWHULDOHVFRODUPRFKLODSHUIXPH&'V SHUVRQDJHQV,PSRVWRUHR7XFDQR+XFN2VLQJUHVVRVHVWmRVHQGRYHQGLGRVH[FOXVLYDPHQWHSHORZZZ HDWpFDVDHHPSUHJRSURVSDLVDOpPGHPXLWRVFDUULQKRVERQHFDVERODV$RWRGR VKRZGHLQJUHVVRVFRPEU2TXHYDLWHUGHPDUPDQMRPHQWLQGRHGHL[DQGRDQDPRUDGDHPFDVDSUDLU MiIRUDPDGRWDGRVGHSUHVHQWHV$VVHVVRUGH&RPXQLFDomRGRV&RUUHLRV FRQIHULUVHSRVVtYHOGHSHUWREHPGHSHUWRR%XPEXPGD0LVV5pYHLOORQGR3kQLFREDGDODQGRHEDODQ'LUHWRULD5HJLRQDOGH$ODJRDVMRUQDOLVWD&DUORV*RQoDOYHVFRPHPRUDQGRRVXFHVVR oDQGRQLQJXpPPHQRVTXH*DOLVWHXRSURPRWHUIHUYLGRGDiUHD6HEULQFDU*DOLV7HXYLUDSHUVRQDJHP GDFDPSDQKD:HOOLVVRQ'LFNVRQ9DVFRGRV6DQWRVLQIRUPDQGR GR3kQLFR-RUQDOLVWD9LWRU/X]LQIRUPDQGRHFRQYLGDQGR 1D~OWLPDDVVHVVRUDGRSRU$QW{QLR1R\DDr. Humberto Gomes de Melo, provedor da Santa Casa de Maceió, receEHXMRUQDOLVWDVSUDDOPRoRGHFRQIUDWHUQL]DomRGH1DWDOQR+RWHO-DWL~FDQRWULEXQDKRMHFRPIHOLSHFDPHOR

Prêmio ANA 2012 1 $WpžGHMXQKRGHD$JrQFLD1DFLRQDOGH ÈJXDV $1$ HVWiFRPLQVFULo}HVDEHUWDVSDUD DTXDUWDHGLomRGR3UrPLR$1$TXHDFDGDGRLV DQRVUHFRQKHFHLQLFLDWLYDVTXHVHGHVWDFDPSHOD H[FHOrQFLDHFRQWULEXLomRSDUDDJHVWmRHRXVR VXVWHQWiYHOGRVUHFXUVRVKtGULFRVGR3DtV1HVWD HGLomRVHUmRRLWRFDWHJRULDVGHSUHPLDomRJRYHUQRHPSUHVDVRUJDQL]Do}HVQmRJRYHUQDPHQWDLV SHVTXLVDHLQRYDomRWHFQROyJLFDRUJDQLVPRV GHEDFLDHQVLQRLPSUHQVDHiJXDHSDWULP{QLR FXOWXUDO

5HÁHWLQGRR1DWDO

2

TXHpR1DWDOGRSRQWRGHYLVWDDPELHQWDO"eXPPRPHQWRSUHRFXSDQWHHPTXH Prêmio ANA 2012 2 pGLItFLOHVWDEHOHFHUTXDOTXHUFULWpULRGH FRQVXPRFRQVFLHQWHTXDQGRRTXHLPSRUWDpSUH$VLQVFULo}HVGHYHPVHUHQYLDGDVSRUUHPHVVD SRVWDOUHJLVWUDGDDRVFXLGDGRVGD&RPLVVmR2UJDHQFKHUDOLVWDGHFRPSUDV$HVFROKDGRVSURGXWRV QL]DGRUDGR3UrPLR$1$QRVHJXLQWHHQGHJHUDOPHQWHpVHPUHÁH[mRHPTXHDVSHVVRDVQmR UHoR632ÈUHD4XDGUD%ORFR³0´6DOD VHLPSRUWDPHPFRQVXPLUGHHPSUHVDVVRFLDOH %UDVtOLD')&(3$GDWDGHSRVWDJHP VHUiFRQVLGHUDGDFRPRDGHHQWUHJD2VFRQFRUDPELHQWDOPHQWHUHVSRQViYHLV2TXHLPSRUWDp (PR%UDVLOWHUiXPLPSRUWDQWHDOLDGRSDUDFRPEDWHUDGHQJXH8PELRLQVHWLFLGDGHUHQWHVSRGHUmRLQVFUHYHUPDLVGHXPDLQLFLDWLYDH VLPSOHVPHQWHFRPSUDU$OpPGLVVRVRPRVPHUJX- VHQYROYLGRSHOD)XQGDomR2VZDOGR&UX] )LRFUX] HIDEULFDGRSRUXPDLQG~VWULDIDUPDFrXWLFD DSUHVHQWDUWUDEDOKRVLQGLFDGRVSRUWHUFHLURVGHVGH OKDGRVQXPFHQiULRFDyWLFRGHHPSXUUDHPSXUUD SURPHWHVHUXPGLYLVRUGHiJXDVQDOXWDFRQWUDR$HGHVDHJ\SWLPRVTXLWRWUDQVPLVVRUGD TXHDFRPSDQKDGRVGHGHFODUDomRDVVLQDGDSHOR WUkQVLWRHVWUHVVDQWH0XLWRVVmRUHIpQVGRFRQVX- GRHQoD IRWR 2ELRLQVHWLFLGDpUHVXOWDGRGHTXDVHGH]DQRVGHSHVTXLVDVFRRUGHQDGDVSHOD LQGLFDGRFRQFRUGDQGRFRPDLQGLFDomRHFRPRUHFLHQWLVWD(OL]DEHWK6DQFKHVTXHWUDEDOKDQD)DUPDQJXLQKRVXQLGDGHGD)LRFUX]UHVSRQViYHO JXODPHQWRGDSUHPLDomR2UHJXODPHQWRHD¿FKD PRLQVDQRHDFDEDPSRUVHGLVWDQFLDUGRHVStULWR SHODSURGXomRGHPHGLFDPHQWRV&ULDGRDSDUWLUGR%DFLOOXVWKXULQJLHQVLVHGR%DFLOOXVVSKD- GHLQVFULomRHVWmRGLVSRQtYHLVQRKRWVLWHGR3UrPLR QDWDOLQR3RUWDQWRpLPSRUWDQWHOHPEUDUWDPEpP HULFXVHOHVHUiSURGX]LGRQDIRUPDGHFRPSULPLGRVSDUDGLVVROXomRHPFDL[DVG¶iJXDRXHP ZZZDQDJRYEUSUHPLR0DLVLQIRUPDo}HVSRGHP TXHPXLWDVYH]HVRVLPSOHVHQFRQWURHQWUHSHVVRDV DSUHVHQWDo}HVPDLRUHVSDUDXWLOL]DomRHPDoXGHVHUHVHUYDWyULRV$SHVTXLVDGRUDJDUDQWLX VHUREWLGDVSHORHPDLOSUHPLRDQD#DQDJRYEURX TXHRELRLQVHWLFLGDQmRDSUHVHQWDTXDOTXHUULVFRSDUDRPHLRDPELHQWH SHORWHOHIRQH   TXHVHJRVWDPHVLQFHUDVGHPRQVWUDo}HVGHDPRU FDULQKRHDPL]DGHVmRVXÀFLHQWHVSDUDSUHHQFKHU Novas parcerias &KDQHO)DEHU&DVWHOOH6XQGRZQWUrVHPSUHVDVGHUDPRVGLIHUHQWHVDJRUDWrPHPFRPXPR3OiVWLFR9HUGH(OHV¿UPDUDPSDUFHULDFRPD%UDVNHPH RHVSDoRGHXPSUHVHQWH$ORQJRSUD]RDVXVSDVVDPDXWLOL]DURSROtPHURIHLWRGHPDWpULDSULPDUHQRYiYHORHWDQROGHFDQDGHDo~FDU2SURGXWRWHPDSOLFDomRLGrQWLFDDRSROLHWLOHQRWUDGLFLRQDO WHQWDELOLGDGHKXPDQDQRSODQHWDGHSHQGHPDLV HUHQGHXj%UDVNHPR3UrPLR(FRQDFDWHJRULD6XVWHQWDELOLGDGHHP3URGXWRVH6HUYLoRVFRQFHGLGRSHOD&kPDUD$PHULFDQDGH&RPpUFLRHSHOR GRDIHWRHQWUHDVSHVVRDVGRTXHGHXPPHUFDGR MRUQDO9DORU(FRQ{PLFR

Bioinseticida contra dengue

Campanha por embalagens reutilizáveis 1 'HSRLVGHWUrVDQRVGHVHQVLELOL]DomRGRFRQVXPLGRUDUHVSHLWR dos impactos ambientais negativos do consumo exagerado de sacolas plásticas o Ministério do Meio Ambiente lançou na segunGDIHLUD  DVHJXQGDIDVH GDFDPSDQKD³6DFRpXP6DFR´ DJRUDIDODQGRVREUHDVDOWHUQDWLYDVUHXWLOL]iYHLVjVVDFROLQKDV (PSDUFHULDFRPD$EUDVHD$SDV $VVRFLDo}HV%UDVLOHLUDH3DXOLVWD GH6XSHUPHUFDGRVR00$ODQoD

Sem análise

QDFLRQDOPHQWHDFDPSDQKD³9DPRVWLUDURSODQHWDGRVXIRFR´ $QRYDFDPSDQKDIDODGDDOWHUQDWLYDjVVDFRODVGHVFDUWiYHLVDV HPEDODJHQVUHXWLOL]iYHLV eUHXWLOL]iYHOWRGDHPEDODJHPUHFLSLHQWHVDFRODFDL[DTXHSRVVD VHUXWLOL]DGDYiULDVYH]HVp SRUWDQWRIHLWDGHPDWHULDOGXUiYHO 6mRVDFRODVGHSDQRRXSOiVWLFR UHVLVWHQWHFDL[DVGHSDSHOmR HQJUDGDGRVSOiVWLFRVFDUULQKRVGH IHLUDHWF

(VVDVHPDQDDDQiOLVHGDEDOQHDELOLGDGHGDVSUDLDVVHUiGLYXOJDGDLQFRPSOHWD'HDFRUGRFRPR,QVWLWXWR GR0HLR$PELHQWHUHVSRQViYHOSHODVDQiOLVHVDVDPRVWUDVFROHWDGDVQR/LWRUDO6XOHSDUWHGDUHJLmR PHWURSROLWDQDIRUDPFRPSURPHWLGDVGHYLGRjIDOWDGHHQHUJLD2UHODWyULRGDDQiOLVHGHEDOQHDELOLGDGHGDV SUDLDVpIHLWRSHOD'LUHWRULDGH/DERUDWyULR 'LODE VHPDQDOPHQWH'LVSRQLELOL]DGRQRVLWHGR,0$HOHWDPEpPSRGHVHUYLVXDOL]DGRDWUDYpVGR*RRJOH(DUWKQRPDSDGHVHQYROYLGRSHOD*HUrQFLDGH*HRSURFHVVDPHQWR$IHUUDPHQWDIDFLOLWDREVHUYDUWRGRROLWRUDOGR(VWDGRHDVFRQGLo}HVGHFDGDWUHFKR 

Campanha por embalagens reutilizáveis 2

Campanha por embalagens reutilizáveis 3

$FDPSDQKD³9DPRVWLUDURSODQHWDGRVXIRFR´LQLFLDGD HP6mR3DXOR IRWR VHUiOHYDGDDRVGHPDLV(VWDGRV GR3DtVSDUDPRELOL]DUFLGDGmRVHHPSUHViULRVORFDLV 0DLVGHPXQLFtSLRVSDXOLVWDVDGHULUDPjFDPSDQKD RTXHDEUDQJHGDSRSXODomRGR(VWDGR2JUDQGH EHQHItFLRGDFDPSDQKDpDSUHSDUDomRGDFRPXQLGDGH SDUDDUHGXomRGDRIHUWDGHVDFRODVSOiVWLFDVVHMD SRUSROtWLFDLQWHUQDGDVUHGHVVXSHUPHUFDGLVWDV VHMDSRUOHJLVODomR1DVHJXQGDIHLUDIRLDYH] GH%UDVtOLDUHFHEHUDFDPSDQKD

3DUDGDURSRQWDSpLQLFLDOGDFDPSDQKDHPQtYHOQDFLRQDO IRLSURGX]LGRXP¿OPHGHVHJXQGRVSDUDYHLFXODomRQDV 79VHPtGLDVGLJLWDLVFKDPDQGRDSRSXODomRDGLPLQXLUR XVRGHVDFRODVGHVFDUWiYHLVGXUDQWHDVFRPSUDVGH1DWDO 2¿OPHSRGHVHUYLVWRSHOROLQNKWWS\RXWXEH'JX;<7= 2¿OPHOHPEUDTXH3DSDL1RHOVHPSUHXVRXXPDVDFROD UHXWLOL]iYHOHTXHQmRLPSRUWDRWDPDQKRGRSUHVHQWHSDUD ID]HURPHVPRSUHVHQWLQKRRXSUHVHQWmRVDFRODUHXWLOL]iYHO QDPmR

R$ 85 milhões para energia sustentável

(VVHIRLRYDORUHPSUHVWDGRDR%UDVLOSHOR%DQFR0XQGLDO,VVRSRUTXHRVVHWRUHVGHHQHUJLDHGHPLQHUDomRGR%UDVLOHVWmRHQWUHRVPDLRUHVGR PXQGRHPGHVHQYROYLPHQWRHWrPFRQWULEXtGRVLJQL¿FDWLYDPHQWHSDUDRFUHVFLPHQWRGRSDtVPDVDLQGDHQIUHQWDPGHVD¿RVSDUDUHDOL]DUVHXVSOHQRV SRWHQFLDLVGHGHVHQYROYLPHQWRHSURPRYHUDVXVWHQWDELOLGDGHDPELHQWDOHDLQFOXVmRVRFLDO$LQLFLDWLYDYLVDEHQH¿FLDUGLUHWDPHQWHDSRSXODomREUDVLOHLUDHVSHFLDOPHQWHRVJUXSRVPDLVYXOQHUiYHLVTXHGHSHQGHPPDLVGHHQHUJLDEDUDWDHGDH[WUDomRPLQHUDO(VWHVVHJPHQWRVWHUmRDFHVVRjHOHWULFLGDGHPDLVFRQ¿iYHOHDSUHoRVPDLVEDL[RV7DPEpPIRUQHFHUiDVVLVWrQFLDWpFQLFDSDUDIRUWDOHFHUDFDSDFLGDGHGDVSULQFLSDLVLQVWLWXLo}HVS~EOLFDV SDUDDXPHQWDUDVFRQWULEXLo}HVGRVHWRUSDUDXPFUHVFLPHQWRFRPPHQRUHPLVVmRGHFDUERQRHTXHVHMDDPELHQWDOHVRFLDOPHQWHVXVWHQWiYHO

Edição número 1325 23 de dezembro de 2011  

Edição Digital Jornal Tribuna Independente TribunaHoje.com

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you