Page 1

MACEIÓ - ALAGOAS 12 E 13 DE MAIO DE 2018

N0 3.143

R$

4,00

tribunahoje.com

EM MENOS DE UM ANO, ALTA DA GASOLINA É DE 21% E DIESEL 19% DESDE O INÍCIO DA NOVA METODOLOGIA DE CORREÇÃO DE VALORES, EM JULHO DE 2017, O PREÇO DA GASOLINA ACUMULA ALTA DE 21,57%, E O DO DIESEL, 19,32%. OS ÍNDICES SUPERAM EM MUITO A INFLAÇÃO, DE 2,76%, E QUALQUER REAJUSTE SALARIAL NO PERÍODO. NESTE SÁBADO, A GASOLINA VOLTA A SUBIR 2,23%. PÁGINA 22

UM OLHAR DIFERENTE AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E MINORIAS ÉTNICAS Graças ao trabalho da Gerência de Articulação Social, o Governo do Estado tem lançado um olhar diferenciado para comunidades tradicionais - como quilombolas e indígenas -, além dos movimentos sociais. Com isso, os resultados têm sido positivos e o Estado tem conquistado parcela crítica da sociedade e ampliado espaços político e social. PÁGINAS 14 e 15

ELEIÇÕES 2018

REDE MUNICIPAL DE MACEIÓ

OPOSIÇÃO CONTINUA SEM NOME PARA DISPUTAR O GOVERNO COM RENAN FILHO

PROFESSORES PARAM UM DIA EM PROTESTO POR REAJUSTE SALARIAL

PÁGINA 3

PÁGINA 4

MÃES DE FILHOS DESAPARECIDOS NÃO TÊM O QUE COMEMORAR Suas vidas foram paralisadas pela dor, saudade e muitas perguntas sem respostas. É o caso de Deyze Teófilo, mãe de Alan, e de Maria José da Silva (foto), mãe de Davi - que sumiu após abordagem policial. PÁGINAS 16 A 18

Como o mutum foi salvo da extinção iminente e reintroduzido em Alagoas. PÁGINAS 10 e 11

ENTREVISTA TRIBUNA TV

,

"PREFEITOS NÃO ABSORVERAM AINDA A CULTURA DA TRANSPARÊNCIA" A grande maioria dos prefeitos alagoanos não assimilou, ainda, a cultura da transparência em suas gestões e pouco tornam público seus atos administrativos, disse o superintendente da Controladoria Geral da União (CGU) em Alagoas, Moacir Rodrigues. PÁGINA 2

TEMPO

O RETORNO

Bom a parcialmente nublado com possiblidades de chuvas em áreas isoladas

Mínima

23º

Máxima

32º

MARÉS

00:36 06:54

1.7m 0.6m

12:54 2.2m 19:17 0.6m

YARA CHARRY ERA ESTUDANTE DE MODA ANTES DE SER DESCOBERTA COMO ATRIZ Aos 20, a atriz de nacionalidade francesa, Yara Charry, chama a atenção como Jade em “Malhação - Vidas Brasileiras”. A personagem enfrentou o drama de ter fotos íntimas expostas na internet. Antes de vir para o Brasil, há 2 anos, quando fez uma participação em “Velho Chico”, Yara estudava estilismo e trabalhava com marketing de moda, mas se descobriu atriz e se apaixonou. SUPLEMENTO

FINANÇAS

DÓLAR COMERCIAL DÓLAR PARALELO R$ 3,60 R$ 3,60

R$ 3,53 R$ 3,69

OURO

R$ 150,94

POUPANÇA 0,3715%


TRIBUNAINDEPENDENTE

2 POLÍTICA MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 e 13 DE MAIO DE 2018

Política

A gente percebe que dentro de nossa cultura, ainda não se absorveu a transparência, de perceber que a informação sobre recurso público não é da administração e deve estar disponível para o cidadão MOACIR RODRIGUES SUPERINTENDENTE DA CGU-AL

Cultura da transparência é pequena

Superintendente da CGU em Alagoas fala sobre a dificuldade de as gestões se adequarem à Lei de Acesso à Informação

ESPLANADA LEANDRO MAZZINI - contato@colunaesplanada.com.br

Chave do cofre

D

eputados e senadores que votaram ou se posicionaram contra a orientação dos partidos em matérias na Câmara e no Senado vão pagar a fatura nas eleições. Quem “traiu” a legenda e concorrerá à reeleição terá fatias menores do Fundo Partidário. Partidos como o PP e PMDB, por exemplo, já têm a lista dos “divergentes”. O Tribunal Superior Eleitoral autorizou as legendas a usarem mais R$ 888 milhões do Fundo Partidário para bancar as campanhas de seus candidatos nas eleições desse ano.

Disputa interna Com o fim da doação milionária por empresas, o Fundo virou a salvação de quem vai às urnas. Mas ninguém acredita mesmo em distribuição equânime de valores.

Fundo Eleitoral Outro fundo, o eleitoral, aprovado pelo Congresso no ano passado, liberou R$ 1,7 bilhão para as campanhas.

Do seu bolso PT, PSDB, MDB, PP, PSB e PSD receberão mais recursos do Fundo Partidário. Os nanicos PCB, PCO, PMB e Novo terão menor participação na distribuição.

Tabagismo Os senadores Ana Amélia (PP-RS) e o senador Ivo Cassol (PP-RO) emperraram a votação do Projeto de Lei (PL 769) que amplia o combate ao tabagismo. Alegam que a medida pode trazer impactos negativos para os produtores de tabaco, e pediram vista da proposta do senador José Serra (PSDB-SP), pronta para ser votada na Comissão de Transparência e Defesa do Consumidor.

Propaganda & Multa O texto de Serra, que tramita há três, veda propaganda de fumígenos nos locais de venda; proíbe uso de substâncias sintéticas e naturais que modificam o sabor de cigarros e estabelece multa para o motorista que fumar na presença de menores de 18 anos.

Loucura Fiel defensor do presidente Michel Temer, o deputado gaúcho Darcísio Perondi (MDB) rechaça a possibilidade de terceira denúncia contra o aliado. “Seria mais uma loucura da ditadura do Judiciário irresponsável”, incita o parlamentar.

Entra e Sai Indagado sobre a saída do ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa, da disputa presidencial, o deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE) ironiza: “Ele nem entrou”.

Prazo Deputados do PP, segunda maior bancada da Câmara, rechaçam aliança com Ciro Gomes (PDT), e avisam que mantêm apoio a Rodrigo Maia (DEM) até julho.

Pós-Lula Enquanto a cúpula do PT reluta em discutir a eventual substituição do ex-presidente Lula para a disputa presidencial, internamente, o ex-ministro Jaques Wagner já conta com mais de 50% de apoio da chamada “ala progressista” do partido

Eixo Rio-SP O diretor da Polícia Rodoviária Federal, Renato Dias, reforça que o combate ao roubo de cargas passa pelas atuações sistemáticas nas rodovias, em especial no eixo Rio/São Paulo onde se concentram 85% dos ilícitos. “Intensificamos essa operação e alcançamos excelentes resultados através dessa integração com as forças de segurança”, afirma.

Prejuízo Dados da NTC Logística revelam que, em 2017, foram registrados 25.970 roubos de mercadorias em todo o País: um prejuízo de R$ 1,5 bilhão. As cargas mais visadas são produtos alimentícios, cigarros, combustíveis, eletrônicos, farmacêuticos, bebidas, têxteis e confecções, autopeças e produtos químicos.

Sem ilações O deputado Major Olímpio (SD-SP) coloca na conta de ‘esquerdopatas’ as insinuações de ligações do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) com o regime militar, diante da revelação de documentos da CIA que indicam a mão de ferro do general Ernesto Geisel no mando de assassinatos de subversivos na ditadura.

Menino da bola “Bolsonaro é um militar que está buscando ser presidente democraticamente pelo voto. Os esquerdopatas estão comemorando os documentos americanos. Em 1969 Bolsonaro era um menino jogando bola na rua em Eldorado. Parem com a safadeza” Com Equipe DF, SP e Nordeste www.colunaesplanada.com.br contato@colunaesplanada.com.br Twitter @leandromazzini

SANDRO LIMA

CARLOS AMARAL REPÓRTER

A

transparência na utilização de recursos públicos tem sido cada vez mais cobrada no Brasil. Desde a criação da Lei de Acesso à Informação em 2011, governos e prefeituras tem implantado portais com dados sobre a gestão, mas isso ainda ocorre de forma aquém do que deveria. Em Alagoas, por exemplo, só dois municípios possuem nota entre 8 e dez no ranking “Brasil Transparente” da Controladoria Geral da União (CGU): Passo de Camaragibe, com nota 8,47 e Maceió, com 10. No Sertão, a maioria das cidades tem nota zero. Para falar sobre esse tema, a Tribuna Independente entrevistou Moacir Rodrigues, superintendente da CGU em Alagoas. Para ele, a cultura da transparência ainda não foi absorvida no Brasil. Tribuna Independente – No ranking da CGU, “Brasil Transparente”, somente duas cidades em Alagoas possuem nota entre 8 e 10. No Sertão, uma boa parte dos municípios possui nota zero. Por que é tão difícil ter transparência na gestão pública? Moacir Rodrigues – A gente entende que Lei 12.527/2011, a de acesso à informação, mudou uma cultura e mudança de cultura é um processo. A CGU já realizou três avaliações do Brasil Transparente e percebeu um crescimento, mas mesmo após da última avaliação a média de transparência é muito baixa no Brasil. A gente percebe que dentro de nossa cultura, ainda não se absorveu a transparência, de perceber que a informação sobre recurso público não é da administração e deve estar disponível para o cidadão. A gente entende também que a sociedade ainda não está acostumada a utilizar essa informação, para conhecer a administração pública. Outro caso em relação às prefeituras menores é a falta de estrutura mesmo, de pessoal. Em que pese a CGU iniciar esse processo – somos Ouvidoria Geral da União e responsáveis pela instância recursal da Lei 12.527 no Poder Executivo Federal –, nós desenvolvemos programas, inclusive, para prefeituras e sem custo algum. Temos a rede de ouvidoria, utilizando o próprio sistema da CGU. O Brasil é muito compartimentado. Nosso federalismo, em que temos União, estados e municípios que são esferas diferentes, acaba por gerar uma não integração. A CGU busca essa integração, por isso disponibilizou para estados e municípios esses programas. Tribuna Independente – O senhor avalia que essa dificuldade em transparência não é só em Alagoas, mas no Brasil inteiro? Moacir Rodrigues – No

Moacir Rodrigues destaca que nenhum órgão de controle vai conseguir estar em todos os lugares

A gente entende também que a sociedade ainda não está acostumada a utilizar essa informação para conhecer a administração pública. Outro caso em relação às prefeituras menores é a falta de estrutura mesmo, de pessoal.

A sociedade, que usa a política pública na ponta, é que pode dizer se funciona. Se o médico está presente, se o medicamento existe, se a escola e o transporte escolar funcionam

É imprescindível a participação da sociedade, mais até que o próprio controle. O primeiro controle é o social e ele é um controle político também, na medida em que ele julga o gestor a cada dia

Brasil inteiro. Eu já trabalhei no Acre, na Paraíba, no Rio Grande do Norte e antes de vir para Alagoas, passei cinco anos em Curitiba. Imagine um gestor instalado em São Paulo e Curitiba a facilidade que ele tem em questão de fornecedores e um no interior do Acre. São realidades diferentes. O Brasil é muito diferente, com vários brasis. Tribuna Independente – Os gestores não são ilhas isoladas da população, ao contrário, fazem parte dela, e o senhor falou em cultura da transparência. Como a CGU pode influenciar mais nesse quesito, para além do caráter mais punitivo? Moacir Rodrigues – Eu entendo o seguinte: devemos enxergar além da lama. Vivemos um clima que a cada dia nos deparamos com situações de irregularidades. Hoje mesmo [sexta-feira, 11], nós tivemos a Operação Catabiu. Tem um Decreto 9.203/2016, que trata de governança, gestão de risco e controles internos, onde se destaca muito planejamento estratégico. No Brasil, ainda, a administração pública não absorveu totalmente os instrumentos de planejamento. A gente fala muito em custo da corrupção, mas o custo da ineficiência da administração pública é um absurdo. Quantas obras paradas nós temos? Quantos medicamentos nós descartamos por ano no Brasil, por inefi-

ciência, compra sem planejamento, por comprar perto do prazo de vencimento? Em merenda escolar, quanto perdemos no dia a dia? Enfim, isso é uma cultura que tem de ser trazido para a discussão. Você me perguntou como a CGU tem feito isso. A CGU, hoje, trabalha em quatro grandes vertentes: somos Secretaria Federal de Controle, então somos o controle interno do Poder Executivo Federal e nessa Secretaria que fazemos auditoria e fiscalização, e até as operações especiais; a outra vertente é a Ouvidoria Geral da União, e nós temos várias ações para trazer o controle social e qualificar o cidadão, prestar informação e oferecer instrumento ao cidadão se manifestar e obter informação. Agora, estamos junto com a Secretaria de Estado da Educação discutindo a implantação do programa ‘Monitorando a Merenda’. Escolheremos 10 ou 15 escolas da rede pública, que tiverem os piores índices na área de educação e faremos uma campanha nessas escolas para sensibilizar os alunos sobre cidadania e participação social. Aqueles que assim entenderem, a CGU vai instalar um programa em seus aparelhos de celular para que eles monitorem a merenda em suas escolas e encaminharem à CGU suas avaliações. Tribuna Independente – Esse papel da população apresentar demanda à

CGU é importante, e como está essa procura, chega muita demanda? Moacir Rodrigues – É imprescindível. Nenhum órgão de controle vai conseguir estar em todos os lugares avaliando o que acontece. A sociedade, que usa a política pública na ponta, é que pode dizer se funciona. Se o médico está presente, se o medicamento existe, se a escola e o transporte escolar funcionam. É imprescindível a participação da sociedade, mais até que o próprio controle. O primeiro controle é o social e ele é um controle político também, na medida em que ele julga o gestor a cada dia. Enfim, nós temos no portal da CGU um espaço para denúncias, parte dessa rede de Ouvidoria que acabei de citar. Se pode pedir informação ou fazer uma denúncia. Temos uma grande quantidade de acessos, mas ainda aquém para um país como o Brasil. Tribuna Independente – Esse programa que o senhor citou, o da merenda, já está implantado? Moacir Rodrigues – Ele já foi executado no Pará e aqui será a partir do segundo semestre deste ano. Na segunda-feira [7], tive uma reunião com Maria Clara, controladora-geral do Estado, e na semana que vem teremos uma reunião com a secretária de Educação para discutir como se dará sua implantação.


TRIBUNAINDEPENDENTE

Conjuntura

FLAVIO GOMES DE BARROS - flaviogomesdebarros55@gmail.com

Injustiça tributária

D

o economista Celso Luiz Tracco: “Imposto tem uma essência positiva, como mecanismo de redistribuição de renda, visando uma maior justiça social. Aqueles que possuem mais, renda e patrimônio, deveriam pagar mais, em relação aos que têm menos, desse modo subsidiando as necessidades dos mais pobres como: educação, saúde, moradia, segurança, transporte, saneamento básico. Mas aqui, não é isso que acontece. No Brasil, além de se pagar muito em geral, o pobre paga proporcionalmente mais do que o rico, outra injustiça social. Isto se deve a que a estrutura fiscal no Brasil taxa mais a produção, o trabalho e o consumo, quando deveria taxar mais a renda e o patrimônio. O pobre paga mais porque praticamente toda a sua renda está comprometida com necessidades essenciais: moradia, alimentação, transporte, vestuário, bens e serviços que embutem imposto indireto, assim, a cada 4 pratos de comida, por mais simples que seja, 1 vai para o governo. Podemos dizer que a classe dos mais necessitados vive em uma condição servil e de semiescravidão e que o sistema fiscal é o responsável. Para atender aos gastos sempre crescentes da máquina pública, executivo, legislativo, judiciário, empresas estatais, os ‘senhores feudais de plantão’, não importando a ideologia política, só conhecem um caminho: aumentar impostos, infelicitando os brasileiros e impedindo um real crescimento econômico e uma melhor condição de vida.”

TV Mar Rodrigo Cunha, agora pré-candidato a senador pelo PSDB, e Basile Christopoulos, pré-candidato a governador pelo PSOL, são os entrevistados do programa “Conjuntura”, na próxima 2ª feira, 14, 9h30m, ao vivo, pela TV Mar, canal 25 da Net. O programa será exibido, também ao vivo, pela gazetaweb.com, com reprises.

Resignação De modo geral, a decisão do deputado Rodrigo Cunha de concorrer ao Senado, e não ao governo, deixou uma sensação de frustração na maior parte do seu eleitorado. Apesar de as manifestações pelas redes sociais serem de respeito à posição assumida por ele. Algo do tipo “somente ele sabe as razões da posição assumida”.

Opostos O maior beneficiado com a decisão de Rodrigo Cunha é o governador Renan Filho, que mantém situação extremamente favorável na disputa pela reeleição. O mais prejudicado é o senador Benedito de Lira. Que, a propósito, não se manifestou a respeito, assim como ocorreu com a desistência de Rui Palmeira disputar o governo.

Decisão O prefeito Rui Palmeira agora terá de escolher dois, dentre três candidatos ao Senado. É que tanto Benedito de Lira quanto Rodrigo Cunha e Maurício Quintella tiveram uma participação importante nas suas duas eleições. A não ser que Maurício, hoje aliado dos Renans, confirme a devolução das duas secretarias da prefeitura.

Cobrança O senador Renan Calheiros, alvo de 11 investigações, defende o ministro Dias Toffoli, que é favorável à ampliação de restrição do foro privilegiado: “Todo mundo tem de se submeter a investigação, o Ministério Público e o Judiciário também, sobretudo quando pairam dúvidas sobre suas atuações. Não vão investigar o Janot?”

Bastidores Kléverson Levy, site “Cada Minuto”: “Há rumores dos bastidores - lá nos escritórios da política - dando conta de que o senador Fernando Collor (PTC) estaria com ‘ânimo’ para participar do processo eleitoral deste ano, em Alagoas. Collor, por outro lado, não se manifestou - ainda - a respeito da eleição de 2018 nas terras de caetés e marechais.

Opinião Ministro Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, sobre a decisão de não concorrer à Presidência da República: “A previsão de que eu já estava mergulhado na campanha vinha de gente que não falava comigo. Minha disposição para disputar era pequena. Não tenho, nunca tive essa ambição por poder.”

Ousadia para superar o velho e fazermos brotar o novo” RODRIGO CUNHA Deputado estadual do PSDB, ao definir as propostas da sua candidatura ao Senado

* Ocorreu ontem o falecimento do professor Élcio de Gusmão Verçosa, que atuou em diversas instituições de ensino em Alagoas. O sepultamento será neste sábado, às 10 horas da manhã, no Parque das Flores, onde o corpo está sendo velado. * O engenheiro e escritor Alberto Rostand Lanverly, presidente da Academia Alagoana de Letras, recebe na próxima 2ª feira, às 15 horas, a Comenda Ledo Ivo, concedida pela Assembleia Legislativa, por proposta do deputado estadual Francisco Holanda. * O Museu de História Natural da Ufal realiza, neste sábado, a 17ª edição do Fim de Semana no Museu. O evento acontece na sede do MHN, na Praça da Faculdade. As atividades, gratuitas e para todas as idades, são das 9 às 12 horas e das 14 às 17h30. * A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo promove, na 2ª feira, o II Fórum da Mineração de Alagoas, no auditório da Federação das Indústrias, das 8h30m às 12 horas. Iniciativa da própria Sedetur, em parceria com o Sebrae, * A Diteal elaborou uma programação especial para celebrar o Dia Alagoano do Teatro. As apresentações vão de 2ª feira, 14, a 20 de maio. A programação começa com a peça “A Mulher Braba”, da Companhia La Casa, às 16h30m, na Praça Deodoro. * O Centro de Estudos Astronômicos de Alagoas promove neste sábado a 43ª edição do Curso de Iniciação à Astronomia. A atividade tem o objetivo de fornecer conhecimento sobre astronomia. Na Usina de Ciência da Ufal, Rua Aristeu de Andrade, Farol. * O CSA recebe neste sábado o Boa Esporte, 16h30m, no Trapichão, pela Série B do Brasileiro. Jogos pela Série D, todos domingo, 16 horas: Central x ASA, Santa Rita x Vitória da Conquista (BA) e Fluminense de Feira de Santana (BA) x Murici. * FELIZ DIA DAS MÃES.

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018 POLÍTICA

3

Oposição continua sem nome para o governo PSDB ainda não tem um candidato com densidade eleitoral para bater Renan Filho SANDRO LIMA

CARLOS VICTOR COSTA REPÓRTER

A

decisão do deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB) de lançar seu nome como pré-candidato ao Senado acabou frustrando as expectativas da oposição ao governador Renan Filho (MDB), que acreditavam numa disputa entre o tucano com o atual chefe do Poder Executivo alagoano. Após esse banho de água fria em alguns setores do tucanato alagoano, o principal grupo oposicionista, composto pelos partidos PSDB, Progressistas (antigo PP), DEM e Pros não consegue ver a luz do fim do túnel. A última esperança parecia mesmo ser o deputado estadual. O presidente do PSDB em Alagoas, prefeito de Maceió, Rui Palmeira, considerou, em entrevista para a imprensa na última sexta-feira (11), que a decisão de Rodrigo Cunha foi “consciente e bem pensada”. Ele avaliou ainda que o momento é de analisar outros nomes e manter a aliança com os partidos. Rui disse ainda que o partido espera manter a aliança com o Progressistas, de Benedito de Lira, PROS

ELEIÇÃO

Governador Renan Filho segue tranquilo para um novo mandato enquanto oposição está em frangalhos

e o DEM. Com o anúncio de Rodrigo Cunha, foi levantada uma possível ruptura entre Progressistas e PSDB. Sem um nome até o momento, o principal grupo vê outras figuras políticas aparecerem no cenário como principais oposicionistas

a Renan Filho e que prometem ter debate e embate para as eleições de outubro. Na linha da esquerda, o PSOL irá lançar o professor e doutor em Direito, Basile Christopoulos. A pré-candidatura será oficializada na próxima terça-feira (15), em

Maceió, quando o partido recebe na capital o pré-candidato a presidente da República, Guilherme Boulos. O partido destaca que o pré-candidato possui uma série de propostas que vão beneficiar a população alagoana.

Partidos de menor expressão lançam pré-candidatos Outros partidos também estão lançando seus pré-candidatos ao Governo de Alagoas. O Podemos apresentou o nome do jurista Richard Manso como principal nome, além de garantir o palanque do pré-candidato a presidente, o senador Álvaro Dias. Conservador e de direita, o PSL, partido do deputado federal e pré-candidato a presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, lançou como postulante ao cargo de governador, o engenheiro Josan Leite. Ele foi candidato a vereador por Maceió, em 2016, obtendo 2.033 votos. Com o atual cenário político, a cientista política Luciana Santana, foi ouvida pela reportagem da Tribuna Independente. Ela analisa que a situação para Renan Filho ainda permanece bastante tranquila com os nomes que estão sendo apresentados. “Eu acho que trazem para a disputa eleitoral uma oportunidade de diálogo em termos de gestão. Uma avaliação do governo, do que está sendo feito e se realmente tem atendido as expectativas da população ou não. Lacunas do governo que precisam ser pensadas melhor pelo próximo governo. Diante desse quadro a reeleição do Renan tende a ser mais confortável. O que não quer dizer que a gente não tenha uma disputa eleitoral com provocações que eu entendo que faz parte da disputa, até porque não é só uma disputa para um cargo, mas temos disputa para outros cargos e que quer queira quer não acaba sendo influenciado pelo desempenho do governador”. Questionada se o anúncio de Rodrigo Cunha para o Senado acaba com qualquer perspectiva da oposição a Renan Filho. A cientista acredita que enfraquece a possibilidade de uma reação principalmente por parte do principal partido oposicionista que seria o PSDB. “A gente tem uma mudança. Provavelmente esse bloco com Progressistas, Pros e DEM vai ter que repensar estratégias ou repensar ações no sentido de conseguir êxitos mesmo num pleito como esse com oposições que tem menos possibilidade de ganhar uma disputa eleitoral”, avalia Santana. (C.V.C.)


4

TRIBUNAINDEPENDENTE

POLÍTICA MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

BARTOLOMEU DRESCH bartolomeu_dresch@hotmail.com.br

A ditadura assassina Um documento antes sigiloso e agora liberado pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, mostra que os militares brasileiros tinham, durante a ditadura, uma política de execuções sumárias dos adversários do regime. O então presidente Ernesto Geisel (1974-1979) orientou o chefe do Serviço Nacional de Informações (SNI) general João Batista Figueiredo, que viria a substituí-lo na presidência, a autorizar os assassinatos que julgasse convenientes. Segundo os documentos liberados pelos americanos, no ano de 1973, 104 pessoas consideradas perigosas ao regime, foram sumariamente executados. Pelo menos esta é a versão oficial, mas acredita-se que o número tenha sido muito maior. Os documentos foram publicados pelo professor Matias Spector, colunista da Folha de São Paulo e professor de relações internacionais da Fundação Getúlio Vargas, que considerou os mesmos “os mais perturbadores que já analisou em 20 anos de pesquisa”.

Intolerância religiosa O conhecido padre Fábio de Melo foi notificado esta semana pelo advogado Ricardo Brajterman por intolerância religiosa. O advogado representa o Babalawô Ivanir dos Santos, presidente da Comissão Estadual de Combate a Intolerância Religiosa e trata sobre um discurso depreciativo contra as religiões de matriz africana. O padre Fábio teria cometido as ofensas durante um sermão durante a Festa da Divina Misericórdia, em Cachoeira Paulista (SP) em abril deste ano. Em seu perfil no Twitter, Fábio de Melo pediu desculpas a quem se sentiu ofendido e disse que não é “proprietário da verdade”.

Intolerância religiosa 2

Espessura de asfalto motivou Operação Catabiu Investigação pretende descobrir irregularidades em contratos de obras CARLOS AMARAL REPÓRTER

A

s irregularidades no contrato para a revitalização do trecho km 85 da BR-104, em Rio Largo, foram detectadas pela Controladoria-Geral da União (CGU) em Alagoas. A principal delas foi a espessura do asfalto utilizado na obra. Segundo Moacir Rodrigues, superintendente da CGU em Alagoas, o órgão encaminhou uma amostra técnica à Polícia Federal (PF), que daí realizou uma perícia cujo resultado foi a Operação Catabiu, ocorrida na última sexta-feira (11). “Fizemos um trabalho no local e, dentre as várias coisas que encontramos, detectamos uma diminuição na espessura

no asfalto, de maneira significativa. O principal problema foi na espessura da pavimentação, mas em geral encontramos muitas fragilidades no que se refere à fiscalização. Estamos, junto com a Policia, buscando a quem cabe a responsabilidade. A busca e apreensão nos dará elementos para dizer qual foi a atuação do fiscal. Numa obra pública você tem quem executa, a empresa fiscalizadora, que muitas vezes faz os ensaios para dizer que a pista está OK e tem um fiscal que atesta que aquilo está de acordo”, explica Moacir Rodrigues. O contrato do trecho conta com apenas uma empresa, mas o superintendente da CGU em Alagoas não revelou o nome dela. Contudo, ele diz que nenhuma pessoa física foi

alvo dos mandados de busca e apreensão da Operação Catabiu. “Os mandados foram cumpridos em empresas e no Dnit [Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes]”, diz Moacir Rodrigues. Além da espessura do asfalto, a CGU aponta outros problemas a serem apurados. “Também tem a fonte de onde foi retirada a brita. Quando se tem aplicação de materiais, há a mina de onde ela saiu, que pode ser mais longe ou mais perto, e isso influencia no valor da obra. Isso também está sendo objeto de investigação, assim como se deu a execução do contrato”, completa. OPERAÇÃO A Operação Catabiu cum-

priu sete mandados de busca e apreensão em Alagoas, Pernambuco e São Paulo, sendo quatro em Maceió, um em Santana do Ipanema, um em São Paulo e um em Pernambuco. Segundo a assessoria de comunicação da PF em Alagoas, a Catabiu mira “danos aos cofres públicos comprovados na ordem de R$ 10 milhões, executado DNIT em Alagoas, firmado entre o DNIT e um consórcio de empresas, para revitalização de aproximadamente 85 km da rodovia neste estado”. Ainda de acordo com a PF em Alagoas, o valor original do contrato, somado aos reajustes e aditivo, chega a R$ 100 milhões, com recursos 100% federais.

Assim se desculpou o religioso católico: “sempre manifestei publicamente o meu respeito a todas as religiões. O candomblé faz parte da minha origem. Nunca quis ofender ou desmerecer quem quer que seja. Apenas expressei, durante uma celebração cristã, convicções cristãs. Peço perdão aos que se sentiram ofendidos. Não sou proprietário da verdade. Eu estou em busca dela. Quero o esclarecimento espiritual que me coloque ao lado de todos. Diferentes e iguais a mim. Somos irmãos e não me sinto melhor do que ninguém. Se fui infeliz na forma como me expressei o meu não crer, perdoem-me” afirmou Fábio de Melo.

ADAILSON CALHEIROS

PSOL mantém convicções Na próxima terça feira, o pré-candidato a presidente da República pelo PSOL, Guilherme Boulos vai estar em Maceió participando de uma série de atividades com vistas é formação de um palanque de apoio em Alagoas. Boulos, que é líder nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, deve vir a Maceió com a pré-candidata a vice, Sônia Guajajara com a finalidade de discutir com filiados a atual situação do país, bem como a construção do Movimento Sem Teto em Alagoas.

PSOL mantém convicções 2 No mesmo dia da visita a Alagoas do pré-candidato Guilherme Boulos, o partido lançará oficialmente a candidatura do professor e doutor em Direito, Basile Christopoulos ao Governo de Alagoas. “Sabemos como funciona a política de Alagoas. Muitas vezes é de pai para filho e nada muda. As pessoas merecem políticos honestos que lutem pelas causas do povo nas principais áreas: saúde, educação, segurança e cultura. Estamos acostumados com os mesmos candidatos concorrendo às vagas, mas acredito que chegou uma nova era, a era da mudança e precisamos apostar em outros nomes” disse o pré-candidato ao governo.

Apedrejada até a morte Uma disputa entre dois homens que se diziam maridos legítimos de uma mulher de 30 anos, resultou na morte dela por apedrejamento no distrito Sabrale, distante 250 km ao sul da capital da Somália, Mogadíscio. O local é governado pelo grupo radical islâmico Shebab, que acusou a jovem de ser casada com 11 homens que se apresentaram após a briga dos dois primeiros. Ela era mãe de 8 filhos. A pena de morte foi cumprida por uma dúzia de membros do El Shebab, que estavam com os rostos cobertos. O grupo radical prometeu derrubar o governo da Somália e instalar um regime baseado na interpretação fiel da lei islâmica.

Outro surto de Ebola Uma nova epidemia de Ebola já matou 17 pessoas na província de Equateur no noroeste da República Democrática do Congo informou o Ministério da Saúde daquele país. “Foram notificados no dia 3 de maio, vinte e um casos de febre com sinais hemorrágicos e 17 mortes, uma taxa de letalidade que chega a 80%” assinalou a nota do Ministério que considera “uma emergência de saúde pública internacional”. Apesar da situação, nenhuma outra morte foi registrada após a notificação dos casos em 3 de maio. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a organização Médicos Sem Fronteiras deslocaram equipes para o local. • O governador Renan Filho e o secretário da Agricultura Antônio Santiago acompanharam ontem em Anadia, o lançamento da safra de grãos 2018. • Para este ano a previsão é de plantar cerca de 6 mil hectares na região de Anadia, Campo Alegre e Limoeiro de Anadia, com milho (3.500 hectares), soja (1.400 hectares), arroz (400 hectares), algodão (90 hectares), e 400 hectares de sorgo. • O Programa de Incentivo à Produção de Grãos garante duas novidades para esta safra, como a safrinha, que permite, após a colheita da soja, utilizar a terra para o plantio de feijão, ofertando duas culturas na mesma área em um só ano. • Além disso, outra novidade agrícola, é que nesta safra serão utilizados grãos elaborados com tecnologia de ponta, sementes e tratos específicos na cultura agrícola. • Os secretários de Agricultura da Paraíba, Rômulo Montenegro, e do Rio Grande do Norte, Guilherme Saldanha, acompanharam o início dos trabalhos de plantio no dia de ontem.

Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em Alagoas, Pernambuco e São Paulo para apurar danos aos cofres públicos

REAJUSTE DA EDUCAÇÃO

Prefeitura inicia semana pressionada EDITORIA DE POLÍTICA COM ASSESSORIA

Em assembleia realizada na última sexta-feira (11), na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Alagoas (Sinteal), os funcionários da educação decidiram realizar um dia de paralisação na próxima segunda-feira (14), e marcaram uma vigília de luta em frente à Secretaria Municipal de Gestão (Semge). No local, será realizada uma audiência com representantes da Prefeitura de Maceió. A categoria está em campanha salarial reivindicando o reajuste do piso, e exigindo que seja implantado a todos os trabalhadores da educação, de todos os níveis de escolaridade. A audiência com a prefeitura estava marcada para a última sexta, por isso a

agenda de lutas previa uma vigília. No entanto, o Sinteal foi informado no final da tarde de sexta-feira que a audiência seria transferida para o dia 14. “Estão tentando desmobilizar a categoria, demoram para definir o local da audiência, remarcam em cima da hora, tudo para que a luta seja dificultada. Mas não vai funcionar, estamos em estado de greve e vamos continuar fazendo a luta!”, disse Célia Capistrano, vice -presidente do Sinteal. Com data-base em janeiro, servidores da rede municipal de educação exigem respostas da Prefeitura de

Maceió e consequentemente, do gestor da capital, Rui Palmeira (PSDB). Desde o início do ano, o Sinteal já realizou assembleias, atos públicos e paralisações cobrando respostas da prefeitura. A campanha de 2018 acabou se acumulando com a de 2017, já que até agora não surgiu nenhuma proposta de reajuste sobre o ano passado e o assunto está sendo discutido na justiça. A presidente do Sinteal explica que a luta não começou agora. “Ano passado a categoria se mobilizou, fez a luta, e foi repreendida pela justiça. A negociação foi judicializada e estamos até

hoje debatendo nosso reajuste. Chegamos a outra data-base e continuamos sem resposta. Quem vai pagar pelas perdas que nós, trabalhadores e trabalhadoras da educação estamos acumulando? É esse o tratamento que a educação merece?”, questiona Consuelo Correia. Depois de discutir coletivamente quais os próximos passos da luta, a plenária decidiu manter a proposta de vigília para acompanhar a audiência no dia 14, e construir uma assembleia conjunta com outros servidores do município de Maceió, com o indicativo de data para o dia 21 de maio.


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018 POLÍTICA

5

TJ autoriza investigação de ex-prefeito Ex-gestor de Porto Calvo não prestou esclarecimentos a cidadão sobre obra realizada no município alagoano ASSESSORIA

EDITORIA DE POLÍTICA COM ASSESSORIA

O

Ormindo Uchôa estava no mandato e foi indagado sobre os investimentos do município com base na Lei de Acesso à Informação

s desembargadores da 3ª Câmara Cível, do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), determinaram, por unanimidade, que o ex-prefeito de Porto Calvo, Ormindo Mendonça Uchôa, acusado de não prestar informações públicas requeridas por cidadãos referentes a uma obra, responda a processo de improbidade administrativa. A decisão, de relatoria do desembargador Domingos de Araújo Lima Neto, foi proferida em sessão de quinta-feira (3). De acordo com os autos, o Ministério Público Estadual (MPE) propôs uma ação civil pública de improbidade administrativa contra o então prefeito de Porto Calvo solicitando que fossem prestadas informações sobre a demora de mais de cinco meses na prestação de informações requerida por cidadãos referente à realização de uma obra de engenharia no município, infringindo

dispositivos da Lei de Acesso à Informação e o princípio da publicidade. No primeiro grau havia sido extinto o processo sem resolução no mérito com alegação de ausência de provas que demonstrassem o possível ato praticado por Ormindo Mendonça Uchôa. A decisão da 3ª Câmara Cível determinou que a ação retorne para a unidade de origem a fim de dar prosseguimento da ação com a citação do ex-prefeito. Para o relator do processo, desembargador Domingos de Araújo Lima Neto, seria prematuro não receber a petição inicial da ação de improbidade administrativa, sem que se fosse dada oportunidade à parte autora, no caso o Ministério Público, fundamentar com provas a existência do ato de improbidade. ABSOLVIÇÃO Os desembargadores da 3ª Câmara Cível absolveram o ex-prefeito de Pão de Açúcar, Jasson Silva, da acusação de improbidade administrativa.

ASSESSORIA

OPERAÇÃO

Fiscal tem pedido de liberdade negado O Ministério Público do Estadual (MPE), representado pelo procurador de Justiça, Luiz Barbosa Carnaúba, logrou êxito junto ao Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) ao ser denegado o pedido de habeas corpus em benefício do fiscal de renda Alberto Lopes Balbino da Silva preso durante a Operação Rilacio, desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal (Gaesf). O desembargador João Luiz Azevedo Lessa, relator designado, votou pela manutenção da prisão pre-

ventiva do acusado, seguido, por unanimidade pelos demais colegas do Pleno. Em seu parecer, o procurador de Justiça, Luiz Carnaúba, é categórico ao afirmar que não há razão alguma para que o fiscal seja posto em liberdade. Ele também ressalta que a liberdade de Alberto Lopes Balbino seria um risco “ pela demonstração concreta da possibilidade de reiteração criminosa e interferência direta no rumo das investigações”. O fiscal de tributos foi preso mais de uma vez e é

acusado de ser um dos líderes da organização criminosa que extorquiam dinheiro de empresários para ignorar as irregularidades em seus estabelecimentos comerciais e facilitar o fechamento das mesmas sem maiores danos. Concordando com o parecer do procurador de Justiça, Luiz Carnaúba, o desembargador-relator, João Luiz de Azevedo Lessa, votou no sentido de negar a ordem de habeas corpus “cassando a liminar concedida e determinando a imediata expedição de mandado de prisão, restaurando a custódia

preventiva decretada pelo juízo”. Em seu entendimento é comprovada a gravidade da ação delituosa cometida pelo fiscal de tributos Alberto Lopes Balbino que usufruiu da posição de servidor público para burlar a lei em troca da satisfação e interesses pessoais. Ele deixou claro que acatou o parecer do Ministério Público, confeccionado pelo procurador de Justiça, Luiz Carnaúba. Alberto Lopes Balbino da Silva ainda poder recorrer da decisão que o mantém preso.

Luiz Carnaúba destacou que Alberto Lopes representa perigo


6

OPINIÃO

TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

Opinião

Vacinação contra gripe

N

este sábado (12), os postos de vacinação de todo o país estarão abertos para a vacinar a população-alvo contra a gripe. As pessoas que fazem parte do grupo prioritário devem procurar as unidades mais próximas para receber a vacina gratuitamente. O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, participa do Dia D de mobilização contra a influenza, em Brasília (DF). Até o dia 9 de maio, 13,6 milhões de pessoas foram vacinadas no Brasil. Esse total considera o público estimado de pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas com comorbidades. A expectativa do Ministério da Saúde é vacinar 54,4 milhões de pessoas até o final da campanha, dia 1º de junho. Dessas, 43 milhões são idosos a partir de 60

anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto). Até esta quarta-feira (9), 26,7% dessa população receberam a vacina contra a gripe - ou 11,6 milhões de pessoas. A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos.

INOCÊNCIO NÓBREGA

CARLOS FERNANDES Economista

Servidão aos EUA Fez sentido a continência sabuja e antipatriótica de Bolsonaro à bandeira dos USA. Foram precisos 44 anos para que um documento emblemático da ditadura militar brasileira viesse a público e revelasse mais uma faceta de um dos piores momentos de nossa história. Um relatório endereçado ao então secretário de Estado norte-americano, Henry Kissinger, pelo diretor da CIA, William Egan Colbim, em abril de 1974 - mais do que as práticas fascistas, criminosas e assassinas adotadas pelos generais - mostrou o nível de subserviência com que os militares cultivaram em relação aos Estados Unidos da América. Consta no documento que em reunião privada entre o presidente Ernesto Geisel e os generais de primeira linha Milton Tavares de Souza, Confúcio Dantas de Paula Avelino e João Baptista Figueiredo, foi discutida a continuidade da “política de execuções sumárias” do regime adotada já desde o governo do também general Emílio Garrastazu Médici. O nível de detalhamento e a rapidez com que o documento chegou à mesa de Kissinger assombram quase tanto quanto as práticas utilizadas para “eliminar” o perigo de insurgência causado pela “ameaça subversiva”. E para que não se reste dúvidas, “ameaça subversiva”

era a denominação dada pelos militares aos grupos políticos e sociais que lutavam pelo retorno da democracia brasileira. Ainda no documento, Colbim relata ao seu superior que durante a referida reunião, o general Milton detalhou todo o “trabalho” executado pelo Centro de Inteligência do Exército (CIE) nos últimos anos do governo Médici. Segundo consta, Milton afirmou que “cerca de 104 pessoas nesta categoria foram sumariamente executadas pelo CIE durante o ano passado, ou pouco antes”. Diz ainda: “Figueiredo apoiou essa política e insistiu em sua continuidade”. A coisa só não é ainda mais estarrecedora porque o governo dos Estados Unidos não liberou a íntegra do memorando. Existem pelo menos dois parágrafos e meio cuja confidencialidade não foi derrubada. Se a execução sumária de 104 cidadãos brasileiros pelo alto comando do exército brasileiro foi considerada algo passível de vir a público, imaginem o que mantiveram em segredo. Monstruosidades à parte, fica claro que os Estados Unidos devem possuir mais documentos oficiais referentes à ditadura militar brasileira do que o próprio governo brasileiro. Isso comprova que a intervenção militar que derrubou

o presidente Jânio Quadros em 1964 não só teve forte e imprescindível apoio norte-americano como foi, por eles, ordenado, orquestrado e administrado. Depreende-se daí que a carnificina que se seguiu nos 21 anos de ditadura no Brasil apenas representou o que se poderia chamar pelos verdadeiros comandantes da empreitada como um “percalço menor a ser superado”. Como quem sempre faz o trabalho sujo nunca são os donos do poder, os generais brasileiros e seus subordinados é que se chafurdaram em sangue para que os seus donos alcançassem seus intentos. Daí que, justiça seja feita, faz todo o sentido que um borra botas como Jair Bolsonaro tenha batido continência para a bandeira dos USA num comício de restaurante em Deerfield Beach, na Flórida em outubro do ano passado. O sabujo – que deve passar longe de saber o significado da palavra “patriota” – apenas reiterou que caso chegue à presidência da República, o Brasil retornará de vez ao comando expresso do governo americano e que “execuções sumárias” (para além das milhares já existentes nas favelas brasileiras) voltarão a fazer parte do cotidiano dos porões de nossos quartéis. Verdade seja dita, uma continência nunca se pareceu tanto com um baixar de calças.

Jornalista. inocnf@gmail.com

ALDER FLORES

Supremo livre Há todo um encadeamento histórico, até chegar-se ao Supremo Tribunal Federal: Tribunal de Relação, em 1587, Casa de Suplicação, a ela cabendo julgamento processual em derradeira instância; e Superior Tribunal de Justiça, vindo da Constituição de 1823, para simplificarmos. De lado, a triste passagem do Trib. de Segurança Nacional, que condenou Carlos Prestes a 14 anos de reclusão. Nessa trajetória, nem sempre atuou com imparcialidade devida, servindo para dar conformidade jurídica a atos oficiais do reino à república, e perseguir adversários do governo. Sofrendo, incontestáveis reveses, quando pulava dessa linha, ao julgar com isenção possível, processos envolvendo direitos humanos. O equilíbrio entre Judiciário e Executivo foi quebrado em 1964, agindo este com supremacia frente ao conjunto de Poderes. O habeas-corpus preventivo, ao governador de Goiás, Mauro Borges, por aderir à Campanha

da Legalidade de 1961, apesar de favorável ao golpe militar, não evitou intervenção em seu estado, em novembro desse ano. A reação do ministro Ribeiro da Costa foi de duras críticas à decisão de Castelo Branco, de que, segundo livro de Carlos Chagas, se pretendia criar uma imagem de onze cordeirinhos compondo aquela Corte, da qual era aquele presidente. Ameaçou, inclusive, entregar as chaves ao porteiro do Planalto. O Supremo virou réu perante os Atos Institucionais, um dos quais suprimindo o HC por crimes políticos. A humilhação sofrida atingiu ao clímax, com a aposentadoria compulsória de três de seus membros, acusados de esquerdas. Sua composição foi aumentada para 16, objetivando acompanhar diretrizes da ditadura. Com atribuições restritas, de um eminente doutor em direito levou o epíteto de mero “enfeite constitucional”.

Advogado, químico, auditor ambiental e membro da Academia Maceioense de Letras

Resgatada a democracia, feito guardião da Carta Magna, a população brasileira almeja uma Justiça ciosa de suas responsabilidades constitucionais, sobretudo livre das ortodoxas evidências doutrinárias internacionais, impondo obediência a magistrados subalternos. Que não se transforme numa bem sucedida arma contra o povo e a Nação, beneficiando-se de um poderoso arsenal de leis, manejando-o conforme conveniências políticas e de mercado do momento, escudando-se na sua terceira turma, a mídia, merecendo sua mais nova censura. Refletindo na herança do passado, de subserviência e de coragem, despolarizado, sem visitações a conglomerados econômicos alienígenas, a fim de preservar sua imagem de altivez e soberania. Ministros indicados pelo pres. da República, não vem ao caso; preocupa-nos sua parceria com o golpismo de 2016, de legislar em causa própria e seletividade de seus procedimentos.

Para minha mãe Certe vez quando minha querida mãe ainda estava por aqui lhe dedique este texto. Existem pessoas que reúnem certas qualidades que se traduzem em enorme beleza. A beleza a que me refiro são os somatórios do comportamento, da solidariedade, do carinho, da proteção, dos gestos e atitudes e do amor. Todos estes e mais alguns a Senhora é detentora. A vida é feita de momentos, sejam eles de maior ou de menor intensidade. No entanto, devo confessar a tamanha emoção que vivencio neste dia revestida com aquele sentimento que as palavras não conseguem

Presidente José Paulo Gabriel dos Santos

INDEPENDENTE Rua da Praia, 134 - sala 303 - Centro - Maceió / Alagoas Endereço Comercial: Empresarial Humberto Lôbo / Av. Menino Marcelo - 9.350 - Serraria Maceió - Alagoas - CEP: 57.083.410 CNPJ: 08.951.056/0001 - 33

Jorgraf UM PRODUTO:

Cooperativa de Produção e Trabalho dos jornalistas e gráficos do Estado de Alagoas

Diretor administrativo-financeiro Flávio Peixoto Editor geral Ricardo Castro ricardojcastro@yahoo.com

Diretora comercial Marilene Canuto

traduzir o que sente o meu coração, sendo um estado real de significância em minha vida em poder mais uma vez dividir com minhas irmãs a comemoração de mais um Dia das Mães juntamente com a Senhora. Minha querida mãe devo dizer-lhe que a Senhora é um ser que vive em sintonia com amenidades, vinculadas sempre a ternura, a compreensão, a meiguice e simplicidade que brilham como uma estrela no seu interior, e que reflete a sua luminosidade para seus filhos que sempre encontram em seu ombro um porto seguro. Como bem sei mãe que algumas coisas alcancei e outras talvez nunca as al-

LOCALIDADE ALAGOAS

VENDA AVULSA DIAS ÚTES R$ 2,00

OUTROS ESTADOS R$ 3,00

LOCALIDADE ALAGOAS

ASSINATURAS SEMESTRAL R$ 300,00

OUTROS ESTADOS R$ 500,00

DOMINGO R$ 4,00 R$ 5,00

cançarei, agradeço a Deus humildemente por me permitir vivenciar mais uma vez este momento comemorativo ao seu dia, que me perdoem são todos os dias. Mãe, atualmente na plenitude de minha maturidade adquirida com o passar dos anos, os momentos de angustia e decepções são inevitáveis, mas devo aqui dizer e agradecer a Deus por ter proporcionado a oportunidade de ter um convívio cotidiano com a senhora, pois sempre encontrei neste convívio um oásis para minha alma e um tônico revigorante para o enfrentamento dos problemas desta vida. Muito obrigado por tudo e um grande beijo.

PABX: 82.3311.1338 COMERCIAL: 82.3311.1330 - 3311. 1331 REDAÇÃO: 82.3311.1328 - 3311.1329 CENTRAL DE ASSINANTE: 82.3311.1308

ANUAL R$ 600,00

comercial.tribunaindependente@gmail.com redação.tribunaindependente@gmail.com

R$ 1.000,00

OS ARTIGOS ASSINADOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DOS SEUS AUTORES, NÃO REPRESENTANDO, NECESSARIAMENTE, A OPINIÃO DESTE JORNAL.


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

Filme “O Processo” é premiado em festivais de Lisboa e Madri

Documentário relata os bastidores do impeachment da presidente Dilma Rousseff em 2016

‘‘O

Processo”, de Maria Augusta Ramos, venceu o prêmio de melhor longa-metragem internacional no Festival Documenta Madri, na Espanha. O filme já tinha levado o Prêmio Silvestre e o Prêmio do Público de melhor longa-metragem no Festival Indie Lisboa, em Portugal, e conquistado o de Melhor Longa Metragem na Competição Internacional do Festival Internacional de Documentários Visions du Reel em Nyon, na Suíça. O filme também participou do Hot Docs - Festival Internacional de Documentários de Toronto, do Documenta Madri - XV Festival Internacional de Cinema Documental, na Espanha. Depois, estará nos festivais de Munique, na Alemanha, e Sheffield, na

Inglaterra. A justificativa do júri foi “Pela energia e tensão com que revela a teia de interesses que subjaz a uma situação de ressonâncias globais para as quais é dado um tratamento deliberadamente simples”. O longa, que estreou mundialmente em fevereiro, no Festival de Berlim e foi escolhido pelo público como o terceiro melhor documentário da mostra Panorama, retrata o processo que culminou no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 31 de agosto de 2016. O longa, que estreou mundialmente em fevereiro, no Festival de Berlim e foi escolhido pelo público como o terceiro melhor documentário da mostra Panorama, retrata o processo que culminou no impeachment da ex-presiden-

RICARDO STUCKERT

te Dilma Rousseff, em 31 de agosto de 2016. Diretora dos longas premiados “Futuro Junho” (2015), “Seca” (2015), “Morro dos Prazeres” (2013), “Juízo” (2007), “Justiça” (2004) e “Desi” (2000), em seu novo trabalho, Maria Augusta Ramos busca compreender e refletir sobre o atual momento histórico brasileiro. A diretora dá continuidade às abordagens desenvolvidas a partir do sistema judiciário do país na trilogia formada por “Justiça”, “Juízo” e “Morro dos Prazeres”. Para realizar “O Processo”, Maria Augusta passou vários meses em Brasília, sua cidade natal, acompanhando cada passo do processo de impeachment, somando 450 horas de material filmado.

NAS TELONAS

Estreia está marcada para quinta-feira Sem fazer entrevistas ou intervir nos acontecimentos, ela e sua equipe circularam por corredores do Congresso Nacional, filmaram coletivas de imprensa, registraram as votações na Câmara dos Deputados e no Senado e testemunharam bastidores nunca mostrados em noticiários. O longa é produzido por NoFoco Filmes, coproduzido pelo Canal Brasil, pela produtora alemã Autentika Films e pela holandesa Conijn Film e tem distribuição da Vitrine

Filmes. A estreia nos cinemas está marcada para 17 de maio. SINOPSE “O Processo” oferece um olhar pelos bastidores do julgamento que culminou no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 31 de agosto de 2016. O filme testemunha a profunda crise política e o colapso das instituições democráticas no país. Uma imagem aérea mostra a Esplanada dos Ministérios dividida. É como se a arquitetura do espaço fosse criada

para momentos como esse. De um lado, camisas vermelhas; do outro, camisas em verde e amarelo. Assim começa O Processo, documentário de Maria Augusta Ramos que estreia dia 17 de maio de 2018.. O título é quase metalinguístico, visto que o longa é um resumo do que foi o processo de impeachment da então presidente Dilma Rousseff em 2016, mas é também um exemplo muito claro de como é a produção do cinema-documentário em si.

Presidenta Dilma após comunicado do Senado sobre o impeachment

ROTEIRO

Filme foi rodado sem atores, sem entrevistas e sem trilha Nada de trilha sonora, nada de artes e gráficos, nada de planos ou cortes fora do comum. A montagem é apenas a encadernação que mantém O Processo em sua ordem cronológica, resumindo dois anos em 2 horas e 17 minutos. Nada de entrevistas, apenas imagens gravadas pela equipe nos bastidores de Brasília e material cedido por órgãos de comunicação, como TV Senado e TV Câmara. Nenhuma narração, nenhum ator conhecido fazendo voice-over. Toda a estrutura do filme dei-

xa claro o quão pequena foi a intervenção da cineasta além dos registros de sua câmera. No documentário, a História é a grande estrela e fala por si – História com H maiúsculo, mais um recorte de um acontecimento histórico do Brasil. A obra é uma analogia do que foi viver o processo, levando a experiência a uma exaustão característica daquele momento. Quem acompanhou os eventos desde a primeira votação em 2016 até a recente prisão do ex-presidente Lula, revisita-os.

PLANO ABERTO

Narrativa faz parecer filme de ficção O surrealismo do cenário político brasileiro fica evidenciado, independente de ideologia política. Não importa qual é sua opinião sobre o impeachment, há de se concordar que desde as reações de manifestantes aos diálogos e monólogos de personagens de ambos os lados da História, toda a narrativa parece obra de ficção. Há momentos de silêncio e de caos que quase parecem programados – mas como poderiam ser? Foram captados em tempo real por diversas outras câmeras durante todo o desenrolar desses momentos. Os personagens são apresentados de maneira autoexplicativa, como é na vida fora das telas, e também como se dá em uma das estruturas clássicas de roteiro para ficção. Aqueles que não estiverem familiarizados com figuras como por exemplo Gleisi Hoffman, Janaína Paschoal e José Eduardo Cardozo, não recebem uma caixa de texto indicando quem são assim que eles aparecem diante da câmera. A história se encarrega de apresentar cada um, com direito a nome, perfil, e qual é o seu papel ali. A arquitetura de Brasília, com suas linhas retas e limpas e grandes edificações, é captada com simplicidade e maestria pela fotografia de Alan Schvarsberg. A capital brasileira é uma cidade que praticamente força a escolha de planos abertos; é um cenário que demanda que sua magnitude planejada esteja sempre em evidência, quase como uma moldura para toda a história. Talvez esse seja o único artifício interpretativo que Maria Augusta Ramos permite em todo o filme, usando essa moldura para denotar o momento de divisórias e enquadramentos que o centro político do país se encontrou durante os acontecimentos, assim como todo o Brasil.

CONCLUSÃO

Memória deve se encarregar de expor final O filme termina inconclusivo, pois o roteiro é uma trama viva cujos acontecimentos ainda estão em movimento, e da qual o fim é como a linha do horizonte, se afasta à medida que tentamos nos aproximar. O desfecho nada mais é do que um fato em uma sucessão de outros que já vimos e ainda veremos – ou reveremos – no desenrolar da memória coletiva brasileira. O Processo é uma ode ao poder do cinema na sua forma mais crua, que é documentar a humanidade e o desdobrar de suas ações, seja através da ficção ou da realidade. É uma narrativa que em sua simplicidade é intensa e corajosa, pois abdica de artifícios e popularidade para abordar algo que apesar de muito discutido, permanece tão fugaz no mundo do cinema, das ideias e da política: o conceito de “verdade”. BELO HORIZONTE Neste sábado dia 12, é a pré-estreia nacional de O Processo, documentário dirigido por Maria Ramos que aborda os bastidores do impeachment da Presidenta Dilma Rousseff. Em BH o filme será exibido às 18:50 no Shopping Cidade. O presidente Lula que está preso em Curitiba foi ovacionado durante a pré -estreia do documentário “O Processo” em Brasília.


8 PUBLICIDADE MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

TRIBUNAINDEPENDENTE


MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

TRIBUNAINDEPENDENTE

Cidades

CIDADES

9

Alagoas tem 17 casos de Influenza confirmados e um óbito este ano Alagoas tem 17 casos confirmados de Influenza em Alagoas, com um óbito. O Ministério da Saúde estipulou que devem ser vacinadas crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto). Ainda estão entre os contemplados, os trabalhadores da Saúde e os professores das escolas públicas e privadas, bem como, os indivíduos com 60 anos de idade ou mais. Também fazem parte do grupo a ser vacinado, os servidores do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade que cumprem medidas socioeducativas e a população privada de liberdade.

Influenza: sábado é Dia D de vacinação Vacina é a forma mais eficaz para evitar a doença, autoridades de saúde alertam para importância da imunização

N

este sábado (12), Unidades Básicas de Saúde do município e postos fixos estarão mobilizados para o Dia D de mobilização contra a gripe, seguindo cronograma nacional de imunização contra o vírus da Influenza. A campanha tem como meta vacinar 90% do público-alvo preconizado, o que corresponde a um total de 226.740 pessoas na capital. A campanha tem como principal objetivo reduzir as complicações, internações e mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus nessa população, que apresenta um quadro de maior suscetibilidade à doença. Devem ser imunizados idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, trabalhadores da saúde, doentes crônicos professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas sob socieducativas e funcionários do sistema prisional. A gerente de imunizações do município, Eunice Amorim, lembra que as únicas contraindicações são para pessoas que possuem alergia à proteína do ovo ou que apresentaram uma reação severa a uma dose anterior da vacina.

Além dos postos de vacinação da rede municipal de saúde, haverá imunização no Maceió Shopping (10h às 21h), Pátio Shopping (10h às 21h), Parque Shopping (10h às 21h), Carajás Home Center (10 às 16h), Walmart (Gruta – Antigo Hiper Bompreço) (8h às 17h). CUIDADOS Lavar as mãos, usar álcool gel, manter hábitos saudáveis de higiene e evitar locais com aglomeração são medidas importantes que previnem a contaminação pelo vírus Influenza, cujos subtipos são H1N1, H3N2 e Influenza B. No entanto, a vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde (MS) ainda representa a forma mais eficaz de evitar a doença, que pode levar à morte, segundo alerta a assessora do Programa Nacional de Imunização (PNI) em Alagoas, Denise Castro. Para isso, ela recomenda que o público alvo da Campanha de Vacinação deste ano procure os postos espalhados pelos 102 municípios do Estado. Neste sábado (12), quando ocorre o Dia D, visando aumentar o percentual de vacinados. Segundo dados do PNI, até às 12h desta sexta-feira (11), tomaram a vacina apenas 224.291 pessoas dos 787.908 alagoanos que devem ser vacinados até o dia 1º de junho, o que representa 32,92%.

SECOM MACEIÓ

Neste sábado ocorre o dia D da Campanha de Vacinação em todo o Estado e todos que integram o público-alvo devem se vacinar

GRIPE

Gestantes que tomam a vacina ajudam a proteger o bebê de riscos As gestantes estão entre as pessoas que devem receber uma dose da vacina para se proteger e, assim, aumentar o cuidado com o bebê. A coordenadora Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, explica mais sobre esse assunto. “O Ministério da Saúde só recomenda vacinação para gestantes quando se tem estudos que garantam a segurança tanto da mãe quanto de seu feto. Então

esses estudos já demonstraram, inclusive, que a vacina tem um efeito protetor enorme tanto para a mãe quanto para a criança. A mãe porque na gravidez, pela sua condição de gestante, ela tem uma baixa imunidade, então ela está mais propensa a adquirir a gripe. A criança quando nasce ela só vai poder tomar a vacina a partir dos seis meses, então essa criança estará desprotegida. Quando a mãe toma a vacina, ela passa anticor-

pos para o seu filho, ainda na barriga, e a criança vai nascer já com uma imunidade que nós chamamos de passiva, que vai da mãe para o filho”. A transmissão dos vírus da gripe ocorre por meio do contato com secreções das vias respiratórias, de uma pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, e pode ocorrer outros, como dor de cabeça, dor muscular

e nas articulações. Na forma grave, a gripe causa falta de ar, febre por mais de três dias, dor muscular intensa e prostração. Em alguns casos, a doença também pode levar à morte. SALVA VIDAS Durante esta época do ano, algumas regiões já começam a esfriar e a as pessoas começam a ficar preocupadas com a gripe. E é exatamente neste período, antes do inverno, que o Ministério da Saúde realiza a Campanha Nacio-

nal de Vacinação contra Gripe, em parceria com estados e municípios, para proteger a população contra a doença. Neste ano, a campanha é de 23 de abril a 1º de junho. A vacina contra gripe é segura e salva vidas. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% nas doenças relacionadas à influenza.

Os idosos estão mais propícios a sofrer complicações pela doença e a vacinação ajuda a reduzir o número de hospitalizações. Aos 72 anos, Antônio Carlos de Souza sabe da importância da prevenção contra gripe e não deixa de se vacinar todo ano. “A gripe quando me pegava ela me derrubava, e hoje a gripe vem e passa logo. Além disso, não fico de cama como eu ficava antes, não sinto aquela fraqueza”, conta o aposentado.


10

ESPECIAL

TRIBUNA

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

MUTUM-DE-ALA FOTOS: ANDERSON MACENA

A ave, considerada uma das cinco mais raras do mundo, foi reproduzida durante todo esse tempo em cativeiro: agora, ela ganha liberdade JANAÍNA RIBEIRO ESPECIAL PARA A TRIBUNA INDEPENDENTE

O

WILSON BARROS DIAGRAMAÇÃO

alagoano ilustre voltou. E pensar que ele poderia ter desaparecido por completo da natureza há cerca de quatro décadas, quando quase não existiam mais exemplares da sua espécie nas matas. Estamos falando do Pauxi mitu, popularmente conhecido como Mutum-de-alagoas, uma ave da ordem dos Galináceos e da família dos Cracídios, já considerada extinta da natureza, e que figura como uma das cinco mais raras do planeta. A boa notícia é que o amor ao animal fez com que um ambientalista carioca resgatasse, no litoral sul do Estado, cinco unidades do Mutum no final da década de 70, provocando a sua reprodução em cativeiro na região Sudeste. E o melhor disso tudo é que, pela primeira vez na história do Brasil, um animal tão ameaçado de extinção voltou à terra natal, graças a uma força-tarefa de diversas instituições, que criou mecanismos para a sua reintrodução. O casal dos Mutuns-de-alagoas pisou em seu habitat natural em setembro de 2017, quase 40 anos depois que os últimos exemplares foram vistos na Mata Atlântica alagoana. Macho e fêmea já estão tão adaptados à nova moradia que, segundo os especialistas, agora vivem uma nova fase: a do namoro. Mas a preparação para trazer os dois animais de volta começou há mais de 20 anos. Só que antes disso, em 1976, um amante da natureza descobriu que a ave corria o risco de sumir. Foi o ambientalista Pedro Nardelli, empresário carioca, quem veio salvar o animal da extinção. Àquela época, ele descobriu que uma das espécies da ave, o Mutum-de-alagoas, estava desaparecendo. E a sua primeira experiência na mata rendeu até uma história pra lá de engraçada. “Depois de muito peregrinar, Pedro Nardelli, ambientalista descobri que havia um Mutum preso. Fiquei curioso com a informação e fui à delegacia para saber o que o coitado do animal havia feito para estar atrás das grades. O policial me disse que um camarada fora detido porque bateu na esposa. E como o sujeito estava acompanhado do bicho na hora do cumprimento do mandado, o Mutum foi junto, mesmo não tendo nada a ver com a confusão entre marido e mulher (risos). Acho que esse foi o único caso no mundo onde um animal ficou preso num xadrez humano”, relembrou Nardelli. “Depois, quando seu Darci (o dono do Mutum) foi solto, eu o procurei novamente e propus uma troca. Dei a ele um faisão, e recebi o Mutum-de-alagoas. Logo em seguida, em 1978, eu montei uma expedição e fiquei dois anos embrenhado na mata atlântica alagoana. Fiz amizade com alguns caçadores, que resolvi contratar de imediato. Meu objetivo era que fazer com que eles não matassem os poucos exemplares que ainda poderiam existir naquela localidade, já que o Mutum era alvo fácil porque sua carne era conhecida por ser saborosa. Em 1980 voltei para o Rio de Janeiro com cinco indivíduos. Eram os últimos vivos. E eu precisava fazer algo para evitar o seu desaparecimento por completo. Dei início à reprodução em cativeiro”, contou entusiasmado à Tribuna Independente.

CRIADOURO EM MINAS GERAIS DEU CONTINUIDADE AO SONHO Em agosto de 1999, Pedro Nardelli resolveu doar os 44 mutuns do criadouro de sua propriedade. Vinte e duas aves foram recebidas pela Crax Brasil - Sociedade de Pesquisa da Fauna Silvestre, localizada em Contagem, Minas Gerais. Seus fundadores, Roberto Azeredo e James Simpson, então deram continuidade ao sonho do empresário nascido no Rio de Janeiro. “De lá pra cá, nosso trabalho tem se concentrado em aprimorar técnicas capazes de fazer o Mutum-de-alagoas se reproduzir com regularidade”, garantiu Azeredo. “Antigamente, nós não tínhamos os recursos necessários para monitorar as aves geneticamente, de modo que pudéssemos fazer os melhores casais, evitando o cruzamento entre irmãos. Isso poderia pôr fim à espécie. Porém, o nosso comprometimento, e o de algumas autoridades que se uniram a nós, chamou a atenção da Universidade de São Carlos (SP), que passou a disponibilizar biólogos e veterinários para nos ajudar na preservação do Mutum-de-alagoas. E tanta gente irmanada nesse propósito permitiu a reprodução de mais de 180 animais. Essa foi uma meta construída a muitas mãos e que hoje nos enche de orgulho”, completou ele.

Roberto Azeredo, proprietário da CRAX Brasil

Mutum-de-alagoas nascendo em cativeiro, no estado de Minas Gerais

VISITAÇÃO E para quem ficou curioso em ver os mutuns bem de pertinho, a visitação é, sim, possível. Basta agendar pelo telefone (82) 3022-4403 ou pelo e-mail pea@ipma.org.br. O Centro de Educação Ambiental Pedro

Nardelli está localizado na Vila Utinga (dentro da us s/n, zona rural do município de Rio Largo, e está sob a do Instituto para Preservação da Mata Atlântica.


AINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

ESPECIAL

11

AGOAS Animais sendo embarcados no aeroporto de Belo Horizonte

OS PROTOCOLOS INICIAIS À REINTRODUÇÃO DO CASAL DE MUTUM-DE-ALAGOAS Em meados dos anos 90 o Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL) descobriu a história daquele animal que foi obrigado a buscar refúgio em outras terras para não desaparecer. O engenheiro Fernando Pinto, um apaixonado por aves, revelou a saga do Mutum-de-alagoas ao promotor de justiça Alberto Fonseca, titular da 4ª Promotoria de Justiça da capital, que tem atribuição na defesa do meio ambiente. A partir de então, a instituição passou a integrar o grupo que construiu o Plano de Ação Nacional para o Mutum-de-alagoas. E enquanto as tratativas aconteciam com o Governo Federal, o Ministério Público participava ativamente das outras iniciativas para a preservação dos animais que viviam em cativeiro, lá nas Minas Gerais. O MPE/AL compôs, por exemplo, o grupo que conseguiu com uma universidade paulista o investimento de R$ 400 mil para financiar um estudo de DNA capaz de descobrir quais exemplares tinham melhor genética para reproduzir mutuns mais puros. E também foi lá acompanhar o nascimento dessas novas aves.

“O Mutum se originou em Alagoas, mas o desmatamento para dar lugar às plantações de cana-de-açúcar e a caça praticamente exterminaram a espécie, colocando-a na lista vermelha do Ibama. Ela foi classificada como uma das oito já extintas da natureza no Brasil. Por isso, quando descobri a história sobre a luta de ambientalistas de outros estados para salvá-la, senti-me na obrigação de também fazer a minha parte. Tenho certeza que aqueles animais alimentavam, em todos esses esforços, a esperança de não fazerem parte apenas das memórias. Eles só queriam uma chance de viver”, declarou Alberto Fonseca. Nos anos 2000 o Plano Nacional foi aprovado. Mas o Ministério Público de Alagoas queria mais. A instituição desejava que o estado de origem do animal prestasse mais atenção nesse seu filho, que não teve direito a viver nas matas. Foi quando a instituição decidiu então reunir órgãos com atribuição na esfera ambiental e montou o Plano de Ação Estadual para o Mutum-de-alagoas. Foram dezenas de reuniões para construir os protocolos de reintrodução e de criação da ave em cativeiro, só que já em solo alagoano.

EM SETEMBRO DE 2017, CHEGAVA AO ESTADO O PRIMEIRO CASAL DE MUTUNS

A ESPÉCIE, QUE ESTÁ ENTRE AS CINCO AVES MAIS RARAS DO MUNDO, ERA NATURAL DO LITORAL DO SUL DE ALAGOAS

usina Utinga Leão), a responsabilidade

De Alagoas, o Ministério Público deu o suporte necessário ao criadouro de Minas, de modo que a preparação para a reintrodução fosse planejada. E enquanto os técnicos cuidavam disso por lá, uma série de outras medidas precisaram ser articuladas e garantidas aqui, antes da chegada do animal. Internamente, o MPE/AL criou o Programa de Atuação Ministerial para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção, em 2016. A partir de então, com um projeto oficial dentro da instituição, a Promotoria do Meio Ambiente evoluiu mais rapidamente nas ações. Por meio de vários termos de ajustamento de conduta (TACs) foram viabilizados recursos para a aquisição de viaturas e a construção da nova sede do Batalhão de Polícia Ambiental, que assumiu o compromisso de policiar a área definida para receber de volta o Mutum-de-alagoas. Já a usina escolhida para o processo de reintrodução, a Utinga Leão, aceitou ceder parte de seus hectares ao projeto. Assim, um novo TAC assegurou a verba necessária à edificação do Centro de Educação Ambiental Pedro Nardelli, onde foi construído um grande viveiro e um prédio administrativo. Era um investimento de R$ 500 mil que estava prestes a tornar

realidade a primeira reintrodução no Brasil de uma espécie extinta na natureza. O VOO ATÉ MACEIÓ E após as etapas iniciais cumpridas, finalmente chegara um dos momentos mais esperados: a volta pra casa dos mutuns. O casal foi doado por Roberto Azeredo e a preparação para embarcá-lo foi feita com muito cuidado, afinal de contas, começava ali uma das fases mais importante daquele processo. Dos oito bichos não mais vistos soltos no meio ambiente brasileiro, como a Ararinha-azul, a Perereca-verde-da-fímbria, o Maçarico-esquimó e o Rato-denoronha, o Mutum era o primeiro deles a ser levado de volta ao habitat onde nasceu, tornando o estado de Alagoas pioneiro nesse tipo de proteção à fauna silvestre. E como tudo foi pensado detalhadamente, o transporte das aves seguiu todas as recomendações médico-veterinárias e sanitárias, permitindo que os Mutuns-de-alagoas voassem pelos céus do Brasil da forma mais segura possível. E quando eles desembarcaram em solo alagoano, uma comitiva os esperava no aeroporto. Muita gente que viveu aquele desejo por anos, quis acompanhar de perto a transformação de um sonho tão acalentado, em realidade.

O PIONEIRISMO DE ALAGOAS E A ADAPTAÇÃO DOS MUTUNS Teve solenidade para anunciar a chegada dos mutuns em solos caetés. Os animais, que ganharam comemoração de gente grande, também passaram a ser símbolo dos 200 anos de Alagoas, bicentenário completado em 16 de setembro último. O governador Renan Filho (MDB) fez questão de assinar um decreto estabelecendo a ave como representante do estado e disse se orgulhar do protagonismo dos alagoanos em defesa dessa causa. “Temos que dedicar atenção especial a eles. É compromisso do Estado de Alagoas garantir as condições à preservação dos mutuns. O decreto é simbólico, mas as ações serão efetivas, reais”, assegurou o chefe do Poder Executivo. A Tribuna Independente também ouviu o ator Victor

Fasano, conhecido internacionalmente por ser militante da causa ambiental, e dono de um dos maiores criadouros de animais silvestres do país. Ele esteve presente à cerimônia de reintrodução e igualmente comemorou o acontecimento. “Eu não conheço, em todo o mundo, uma iniciativa onde os últimos exemplares de uma espécie tenham sido resgatados e inseridos num plano de trabalho que tornou possível à sua volta ao habitat natural. Aquele foi um acontecimento único e Alagoas deve se sentir orgulhosa disso. Deve, inclusive, gastar energias nesse projeto que tem que durar a vida inteira. Esperamos poder passar esse bastão de geração a geração, de modo a provocar na população o apaixonamento pelo meio ambiente”, disse ele.

A SOLTURA DOS ANIMAIS NO VIVEIRO Os mutuns foram soltos dentro de um viveiro gigante, de quase 500m². No início, eles tinham comportamento acanhado e preferiam ficar escondidos entre a vegetação. Mas com o passar do tempo, os animais se ambientaram ao novo lar, já andam e correm por todo o espaço, e até voam, sempre emitindo seus sons característicos. “A depender do que queiram fazer, o piado é diferente. Se estiverem apenas passeando, o som é um. Se estão assustados com algo, é outro completamente diferente. E o terceiro som é quando querem chamar atenção do sexo oposto. E por falar nisso, aproveito a oportunidade para anunciar que o casal já está enamorado. O macho tem chegado junto, paquerado bastante. A fêmea está se fazendo difícil, mas já já ela se renderá”, brincou Fernando Pinto.

“Eu não vejo a hora de eles cruzarem. Quero estar vivo para assistir ao nascimento de um mutum em território alagoano. Acho que será uma das minhas maiores vitórias”, afirmou ele. Por enquanto, o casal de mutuns continua no viveiro construído especialmente pra ele. Agora, o próximo passo começa a ser desenhado. O Ministério Público conseguiu tornar a área da usina uma RPPN, reserva particular de patrimônio natural. Protegida por lei, a mata passou a ser fiscalizada e, sem caçadores, as aves não correm mais o risco de ser capturadas. A intenção é soltar os animais, definitivamente na natureza, até o final do ano. Mas enquanto isso não acontece, os dois seguem protegidos, numa prova real do quanto vale a pena um esforço coletivo, de tantas mãos e corações, que foi capaz de transformar o meio ambiente onde a

gente vive. E pra melhor, e mais bonito, garantem os dois grandes responsáveis pela preservação da espécie: “Essa é uma vitória enorme. Inicialmente, para o próprio povo de Alagoas, que está tendo a oportunidade de conhecer um animal que quase foi exterminado. Em segundo lugar, esse é um troféu do qual o estado deve se orgulhar porque está dando exemplo para o mundo. É a primeira vez no Brasil que um animal tão ameaçado de extinção volta para o seu local de origem, apesar de muita gente ter achado que isso jamais seria possível. Como criador e doador

dessas duas aves, eu lhes asseguro qual o meu sentimento: mais alegria, impossível”, declarou Roberto Azeredo. “Ter feito parte disso faz com que eu possa viver um pouco mais com alegria. Eu sinto que fui útil à espécie que corria risco de desaparecer, que fui útil a Alagoas e ao Brasil, que fui útil à humanidade por ter feito parte de um grupo que lutou pela preservação de um animal na natureza. Acho que para um ser humano que gosta do que faz, não tem sensação melhor”, comemorou Nardelli, emocionado.


12

CIDADES

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

TRIBUNAINDEPENDENTE

Transtorno afasta profissionais da Educação Pesquisa aponta que doença de fundo emocional atinge 68,1% dos trabalhadores dessa área em Arapiraca ASCOM SINTEAL

DAVI SALSA SUCURSAL ARAPIRACA

AÍLTON VILLANOVA ailton.villanova@gmail.com COM DIEGO VILLANOVA

Mas que desconsideração!

C

abra velho quando se apaixona por menina nova ou cai no ridículo, ou em desgraça. Ou as duas coisas juntas. Pois o sexagenário Aristarco Guilhobel, viúvo, funcionário público federal aposentado, achou de gamar pela garotona Turmalina Pereira, 21 anos, bastante vividos para a idade. Aristarco Guilhobel andava abobalhado, de cara pra cima, sonhando acordado. Quando ele não estava com a pecinha entre os braços, ficava pendurado no telefone, expelindo juras e mais juras de amor no ouvido dela. E demorava nisso incontáveis voltas dos ponteiros do relógio. Certo dia, Guilhobel acordou mais cedo e bem disposto. Banhouse todo, raspou os escassos pelos da cara, escovou os dentes e abriu a vávula do fogão a gás para fazer o café do desjejum. Nesse momento, o telefone começou a tocar. Quem seria uma hora daquelas? Guilhobel correu para o aparelho, tirou-o do gancho e disse: - Alô! Do outro lado da linha, a voz musicalmente melíflua e sibilina da garotona ecoou: - Sssou eeeuuu, amooorrr... E começou o chumbrego via linha telefônica. O café que se danasse. O gás do fogão, que Guilhobel esqueceu de fechar, começou a tomar conta do ambiente. Ele nem aí. Àquelas alturas importava apenas escutar a Turmalina, mulher de sua vida. Um canário belga que ele criava numa gaiola presenteada pela amada, caiu de canela esticada, asfixiado pelo gás, já espalhado pelos quatro cantos do apartamento. E Aristarco Guilhobel, meio zonzo, aspirando mais gás: - Amor, diz mais uma coisa bonita pra eu escutar. Olha, parece até que estou embriagado de tanta paixão. Aí, o Guilhovel fez uma coisa que jamais deveria ter feito na vida: botou um cigarro no bico e acionou o isqueiro: “Caaabbbrrruuuuuuuummmm” Explosão de mil megatons. E lá se foi metade do apartamento do apaixonado Guilhobel, com ele dentro. Socorrido a tempo, o sexagenário escapou da morte. Ainda hoje ele está querendo morrer por livre e expontânea vontade, pelo seguinte motivo: Turmalina rompeu o namoro, sob a alegação de que, naquele dia fatídico o Guilhobel havia sido deselegante e “muito mal educado”. - Você pelo menos poderia ter me avisado que o apartamento ia explodir, mas não avisou. Bateu o telefone na minha cara e isso eu não perdôo! - desabafou Turmalina, cheia de indignação, no momento em que decidiu por um ponto final no romance.

- “Se pegar mais uma, morre!” Antigo prefeito sertanejo José Florisval, o proverbial Zé Flor, tinha um aliado de fé, um sargento PM adiposo chamado Amaro Laudelino, mais conhecido como Farofa - subserviente e ignorante de pai e mãe. Apreciador do batebola, Zé Flor inventou, certo dia, de organizar um campeonato futebolístico, envolvendo times da região. Chamou o Amaro Farofa e propôs: - Eu quero qui vosmicê sêje o juiz de todos os jôgo, purque o time de nóis aqui num pode perdê de jeito ninhum! Nosso time tem de ganhá nem qui sêje na base da ispingarda! - Possa dexá cumigo, prefeito! - animou-se o milico. O campeonato teve início e, imagine o caro leitor, o time do prefeito, em que pese ter sido o pior da competição, chegou à disputa final. Convém esclarecer que isso só ocorreu porque o juiz Amaro Farofa além de ameaçar jogadores, roubou absurdamente. Chegou o domingo do prélio final. Zé Flor chamou o sargento e reiterou: - Óia, salgento, se alembre qui a gente num pudemos perdê! - Possa contá cum a vitóra, ou num me chamo Amaro! Nesse jogo final o Esporte Clube Riachense, time do prefeito, enfrentava o Cacimbinhas Futebol Clube, onde só tinha nego bom de bola. O plantel da terra de Wanderley Neto dava o maior show, mas não podia avançar além da linha intermediária, porque o juiz Farofa marcava impedimento. Marcou uns trezentos. Terminou o primeiro tempo com o placar zerado. O time do prefeito Zé Flor, mal das pernas, mal se sustentava em campo. Aí, o juiz achou de marcar um pênalti pra lá de absurdo contra o Cacimbinhas. A torcida protestou, mas não houve jeito. A bola foi colocada na marca da cal e o centroavante do Riachense, um tal de Nequinho Perneta, marcou carreira e mandou o sapato na pelota - cataplaft! O goleiro do Cacimbinhas deu um pinote no canto e agarrou a pelota. O mundo quase veio abaixo. - Num vogou! Tá nulo! - berrou o juiz. - Num vogou pur quê, seu sargento? - quis saber o capitão do Cacimbinhas. - Num vogou pur causo de quê o golêro se mexeu! Bate o quíque dinôvo! Perneta marcou carreira do meio do campo e sapecou o pé na bola. O goleiro agarrou novamente. Bateu novo pênalti. O goleiro, cráu, pegou a pelota. Outro pênalti, mais outro e ourtro mais. O juiz, então, perdeu a paciência e chegou junto do goleiro e ameaçou, segurando o cabo do revólver: - Olhaquí, seu neguinho exibido, se você fedendê mais um quique, num sai vivo daqui, tá intendendo? Num se faça de besta, não. Nequinho Perneta, àquelas alturas de pernas bambas, bateu o último penalte. Goleiro pra um canto, bola pra outro. O Riachense sagrou-se campeão do torneio, na marra, depois da cobrança repetida de 36 pênaltes, todos defendidos pelo goleiro cacimbinhense.

E

m Arapiraca, os problemas de saúde, sobretudo os de origem emocional, têm sido os maiores vilões para o afastamento de professores em sala de aula. Uma pesquisa realizada enfermeira Leilane Camila, no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) aponta que 68,1 dos trabalhadores da Educação em Arapiraca Recentemente, o presidente do Núcleo Regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Alagoas (Sinteal/Agreste), André Luiz da Silva, e o vice -presidente Paulo Henrique estiveram na Câmara Municipal, para debater com os vereadores os problemas e os maiores desafios da catego-

Pesquisa da enfermeira Leilane Camila mostra que transtorno emocional afastou 47% dos professores

ria em Arapiraca. Na sabatina com os vereadores, entre outros assuntos, André Luiz revelou

que o sindicato está preocupado com o crescente número de professores com problemas de origem emocional.

Doenças como a Síndrome do Pânico e a depressão afetam diretamente os educadores no local de trabalho.

SERVIDORES

Doença acomete mais os professores

Estudo avaliou 816 fichas médicas de servidores afastados por problema de saúde A pesquisa feita pela enfermeira Leilane Camila mostra que, de todas as categorias de servidores pesquisados no município de Arapiraca, os professores são os que mais sofrem esses tipos de transtornos. O estudo avaliou as fichas médicas de 816 servidores que estavam fora do trabalho por problemas de saúde.

A pesquisa mostrou que 693 mulheres haviam solicitado afastamento e apenas 123 homens estavam em licença temporária. Ainda de acordo com o levantamento, do total de 816 servidores, os professores lideram as estatísticas com 474 pedidos de afastamento para tratar da saúde. A amostragem feita pela enfermeira Leilane Camila

revela que 68,1 % dos trabalhadores da Educação afastados da escola por conta de transtornos mentais inclui professores, coordenadores e pessoal do apoio técnico e administrativo. Quando separada por função, 47% dos professores pediram licença médica, em razão de problemas de origem emocional, e 58,1% solicitaram afastamento do

trabalho por conta de outras doenças. O resultado da pesquisa foi informado aos diretores do Núcleo Regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Alagoas, em Arapiraca, para que os problemas apontados estejam na pauta de reivindicações da categoria perante diretores de escolas e prefeituras da região. (D.S.)


MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

TRIBUNAINDEPENDENTE

CIDADES

13

Morre professor Élcio de Gusmão

Professor da Ufal e pesquisador referência na área de Educação, tinha 73 anos e faleceu em decorrência de câncer

REPRODUÇÃO

BRUNO MARTINS REPÓRTER

M

orreu na manhã da sexta-feira (11) o professor da Universidade Federal de Alagoas, Élcio de Gusmão Verçosa. O alagoano da cidade de Porto calvo faleceu aos 73 anos de idade em decorrência de um câncer. Considerado uma referência na área da pesquisa em Educação, Élcio também foi militante na época da abertura democrática, no período pósDitadura. Em nota, a família comunicou o falecimento com imenso pesar e convidou para o sepultamento, que ocorrerá no sábado (12), às 10h da manhã no Cemitério Parque das Flores, onde o corpo está sendo velado. O secretário de Comunicação do Estado, Ênio Lins, lamentou a morte de Élcio e destacou seu legado. “Tive contato pessoal com ele nos anos 70. O professor Élcio deixa um

exemplo grande de responsabilidade, profundidade intelectual. Foi um dos grandes pesquisadores, talvez o maior pesquisador sobre Educação em Alagoas, ele deixa também um exemplo de generosidade. Ele orientou gerações de pesquisadores, abrindo espaço para a pesquisa em Alagoas na área de Educação e foi um cidadão atuante. Portanto, todas as causas progressistas, da Anistia, da Constituinte, da votação dos candidatos progressistas para transformar o Brasil, o professor Élcio sempre esteve na linha de frente. É uma grande perda para Alagoas”, destacou. Edberto Ticianeli, jornalista e ex-líder estudantil que conheceu Élcio nas lutas políticas, falou sobre a formação ideológica do professor. “O Élcio vem de uma geração que se formou politicamente junto ao trabalho social da Igreja Católica no início dos anos 60, principalmente no

Seminário de Recife. Tempos da Teologia da Libertação. Foi da Juventude Universitária Católica, JUC, da Ação Popular, que evoluiu para formação da Ação Popular e depois Ação Popular Marxista-Leninista. Muitos deles entraram no Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Era a esquerda rompendo com a Igreja Católica. Havia uma militância política em partidos clandestinos, afinal nós vivíamos no período da Ditadura Militar. O Élcio era uma das mais expressivas lideranças de Ação Católica e depois de Ação Popular”, afirmou Edberto. O jornalista também ressaltou o papel de Élcio Verçosa na formação de pesquisadores da área educacional em Alagoas. “Ele influenciou muita gente e ele foi responsável pela formação de inúmeros professores que hoje estão reproduzindo valores do humanismo, ligados à busca de Élcio participou ativamente da formação acadêmica de vários pesquisadores e docentes no Estado justiça social.

PROFESSOR ÉLCIO

“É uma perda também para a pesquisa em educação” “Élcio Verçosa deixou uma lacuna porque era um elaborador, um dos que mais se aprofundou na pesquisa sobre a Educação em Alagoas, além de aprofundar a relação entre educação e nossos históricos problemas sociais e econômicos. Foi autor de vários clássicos, de livros importantes. É uma perda enorme para nós, era uma referência e Alagoas hoje está mais pobre”, frisou Edberto Ticianeli.

O presidente da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Alagoas, professor Jailton Lira, citou a perda para a Educação em Alagoas que representa a morte do professor Élcio Verçosa. “É uma perda também para a pesquisa em Educação no Estado de Alagoas e para o movimento sindical porque o Élcio foi uma pessoa que lutou pelo processo de redemocratização política, esteve à frente

das lutas da antiga Associação de Professores, a Apal, foi presidente da Associação de Docentes da Ufal [Adufal] e sobretudo era uma pessoa muito próxima a nós porque ele estava trabalhando no Centro de Educação [Cedu], onde também trabalho hoje. Muito do que a gente conseguiu avançar em termos de produção acadêmica da Educação alagoana e proposição de ideias sobre educação pú-

blica são devedores da contribuição do professor Élcio, então a gente lamenta com pesar tanto em nome do sindicato quanto em nome dos professores que fazem a universidade e, particularmente, do Centro de Educação”, disse Jailton. NOTA DA ADUFAL “Hoje é um dia triste para a educação alagoana com o falecimento do professor Élcio Verçosa. Élcio de Gusmão Verçosa é Doutor em Educação.

Foi presidente da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Alagoas, Diretor do Centro de Educação e presidente do Conselho Estadual de Educação, com uma trajetória marcante em defesa da educação pública e da redemocratização política do País, fazendo os enfrentamentos necessários na defesa de uma Associação de Professores de Alagoas autônoma e independente ainda na década de 1980. Pesquisa-

dor destacado, contribuiu para a reflexão dos rumos educacionais do estado, colaborando na construção de um modelo interpretativo sobre as raízes estruturais das deficiências do ensino e dos desafios que precisam ser superados para o alcance de uma educação de qualidade. A direção da Adufal manifesta seu profundo pesar com sua perda ao tempo em que presta solidariedade aos familiares.” (B.M.)


14

CIDADES

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

TRIBUNAINDEPENDENTE

TRADIÇÕ

RESPEITA

Com olhar diferenciado tradicionais e movimentos s parcela crítica da sociedade

DA REDAÇÃO

DIVULGAÇÃO

JOSÉ DERIVALDO DIAGRAMAÇÃO

T

ão importante quanto alardear as conquistas para trazer ao mesmo lado ex-inimigos na luta política, é fundamental também usar a estratégia do silêncio, mas isso para conseguir o mesmo objetivo e apoio com os movimentos sociais e as minorias espalhadas pelo Estado de Alagoas. Assim tem sido o trabalho da Gerência de Articulação Social do Gabinete Civil do Governo do Estado que, essa semana, conseguiu reunir em um trabalho de cidadania mais de 9 mil pessoas nas comunidades quilombolas do município de Santana do Mundaú e na comunidade indígena Wassu Cocal, em Joaquim Gomes. Juntas, as ações somaram 9. 122 atendimentos e beneficiaram as comunidades em serviços de saúde, como vacinação, teste de HIV; Cartão do SUS; emissão da 1ª e 2ª vias de carteira de identidade, CPF, e atividades de recreação para as crianças. A iniciativa se deu dentro do Projeto Dia D do Governo Presente, que ocorre desde 2015. Com os indígenas, em parceria com a prefeitura local e a Associação da Aldeia, as ações se concentraram na Escola Estadual Indígena Estadual José Máximo de Oliveira com serviços e atendimentos para os índios da tribo Wassu Cocal. Já com os quilombolas de Santana do Mundaú, os contemplados foram as comunidades de Jussara, Mariana e Fioluz, atendendo à solicitação feita ao Governo do Estado pelo Instituto Irmãos Quilombola. A programação focada para atender os povos tradicionais — como os quilombolas e indígenas — foi feita graças à interlocução feita pela Gerência de Articulação Social do Gabinete Civil. “Nosso objetivo é aproximar, integrar, levar cidadania e diversos serviços à população mais distante e, agora, com um olhar também para os povos tradicionais do nosso Estado”, destaca o secretário executivo de Integração Política e Social do Gabinete Civil, Adrualdo Catão. Para a coordenadora da Gerência de Articulação Social do Gabinete Civil, Edenilsa Lima, o trabalho solidifica a interlocução ao reconhecer a cidadania dos povos tradicionais. “A gestão Renan Filho tem priorizado o diálogo e a construção de políticas de atenção diferenciadas para que a identidade cultural e o desenvolvimento social desses povos sejam melhorados”, destaca.

Ações de cidadania para quilombo

Menina quilombola com a gerente de Articulação Social do governo, Edenilsa Lima: trabalho fundamental

Graças à Gerência de Articulaçã terras, Justiça, PM e governo sen


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

CIDADES

15

ÕES

MÁRCIO FERREIRA / AGÊNCIA ALAGOAS

ADAS

o para comunidades sociais, Estado conquista e e amplia espaço político

Menina índígena da tribo Wassu Cocal quando era atendida no Dia D do Governo Presente, promovido pelo Estado, no município de Joaquim Gomes

Beneficiados atestam resultados práticos Líder da comunidade quilombola Fioluz, de Santana do Mundaú, Cícera Vital afirma que com a interlocução que tem sido feita nos últimos três anos com a Gerência de Articulação Social, as comunidades quilombolas só têm tido resultados promissores em suas reivindicações. “Somente este ano nossa comunidade conseguiu criar a 1ª Feira de Produtos Quilombolas, tudo por causa desse apoio do governo através de dona Edenilsa [Lima]. Isso sem falar que também ganhamos uma articulação para que a gente possa produzir artesanato com a produção rica de nossos agricultores”, revela Cícera, ao informar que sua comunidade abrange

DIVULGAÇÃO

olas realizadas essa semana em Santana do Mundaú DDDDD ADAILSON CALHEIROS

ão Social, atualmente movimentos sociais, donos de ntam à mesa para resolver conflitos agrários

52 famílias de quilombolas. As outras duas comunidades quilombolas, Jussara e Mariana, ambas em Santana do Mundaú, são compostas por 34 famílias e 30 famílias, respectivamente. Satisfação também é demonstrada pelo líder índígena Francisco João da Silva, da tribo Kouiupanka, encravada no alto Sertão alagoano, especificamente no município de Inhapi. “Com essa interlocução, conseguimos realizar nossos jogos indígenas e ter respeito do governo que agora tem dado todo apoio a nossas necessidades”, atesta o coordenador dos jogos na aldeia. “Com esse apoio conseguimos fazer

uma boa estrutura nos Jogos Indígenas em 2016 e 2017. Esperamos manter essa boa relação e esse olhar diferenciado para nosso povo”, completa Silva. Na comunidade Indígena Wassu Cocal, em Joaquim Gomes, os serviços prestados pelo governo do Estado, em parceria com a prefeitura da cidade, movimentou crianças, jovens, adultos e idosos com ações para todas as faixas etárias, de parquinho para diversão, até emissão de documentos importantes. O cacique Edmilson, da Wassu Cocal, ressaltou o trabalho. “A gente fica muito feliz em ver que agora somos vistos pelo poder público”, ressalta.

Movimentos sociais, donos de terra, Justiça e Estado hoje sentam à mesa Outra atuação importante da Gerência de Articulação Social do Governo é na alçada dos conflitos agrários. E foi através do serviço ‘formiguinha’, silenciosamente, que atualmente é possível que entes com diferentes interesses sentem à mesma mesa de negociação. E esses entes são os movimentos sociais, proprietários de terra, Justiça e o Estado. “Há alguns anos era quase impossível se pensar numa negociação em que estivessem à mesma mesa proprietários de terra, movimentos sociais e a Justiça. Hoje isso é uma realidade e é feito de forma democrática, republicana e com credibilidade entre as partes”, garante Edenilsa Lima. Esse trabalho de integração e diálogo constante pode ser visto no encontro do Comitê Integrado de Mediação de Interesses e Questões Agrárias, instância permanente para o diálogo, monitoramento, coordenação e prevenção de con-

flitos agrários no âmbito do Estado de Alagoas. Nessa atividade, que também é coordenada pelo secretário executivo de Integração Política e Social do Gabinete Civil, Adrualdo Catão, é comum a participação de algum juiz do Tribunal de Justiça (TJ), Fórum Agrário de Alagoas; Defensoria Pública e Gerenciamento de Crises da Polícia Militar. Atualmente, os membros têm discutido o destino da administração da Massa Falida do Grupo João Lyra, que tem gerado preocupações de lideranças dos movimentos quanto à negociação das terras da Usina Guaxuma, onde 1.500 hectares seriam destinados ao assentamento das famílias dos movimentos sociais. Em relação à articulação e seus frutos, um ponto importante de conquista foi a implementação do Convênio Rural Legal, que tem a participação do Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas

(Iteral). O Comitê Estadual foi instituído como Comitê de Mediação de Conflitos Agrários pelo Decreto Estadual nº 11.054, de 4 de abril de 2011. Mas sua nomenclatura e incumbências ampliadas com o Decreto nº49.947 de 23 de agosto de 2016 pelo governador Rena Filho. Atualmente possui 18 membros com seus respectivos suplentes, promovendo a interlocução entre representantes de instâncias governamentais, do Poder Público e seis movimentos sociais agrários: Comissão Pastoral da Terra (CPT); Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST); Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST); Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Livremente Associados – Via do Trabalho (MVT); Movimento dos Trabalhadores do Campo (MTC); e Movimento Terra, Trabalho e Liberdade (MTL). As reuniões ordinárias ocorrem todas as terceiras quartas-feiras de cada mês e são abertas ao público.

“Antigamente negociação era na bala” “Não há dúvidas de que nesses quatro últimos anos houve, sim, uma ampliação da participação dos movimentos sociais para a discussão da questão agrária em Alagoas, embora reconheçamos ser ela uma questão de âmbito nacional. No entanto, os movimentos têm conseguido bons resultados nas reivindicações, o que têm diminuído a distância entre o campo e a cidade, bem como a boa vontade do governo do Estado em intermediar os conflitos e beneficiar os trabalhadores do campo com maquinários e outros benefícios”. A afirmação é de Marcos Antônio da Silva, o “Marrom”, coordenador nacional do Movimento Via do Trabalho em Alagoas.

Marron ainda vai mais longe. “Não há dúvidas também que há 20 anos ninguém sentava com trabalhador rural para negociar desocupação de terra, nada. A coisa era resolvida à bala com apoio de delegados e agentes do aparelho de segurança do Estado. Graças a Deus isso mudou em Alagoas, priorizando-se essa forma democrática de governar”, completa o líder. Um exemplo disso é que, recentemente, o governador Renan Filho recebeu lideranças de seis movimentos sociais sem-terra: MLST, MLT, MST, MSL, Via do Trabalho e CPT. O encontro foi solicitado pelos trabalhadores rurais como parte da Jornada de Luta pela Terra e Reforma Agrária com uma

pauta com seis itens e debatida durante a reunião. Todos os pontos tiveram encaminhamentos e tanto as lideranças como o governador avaliaram o encontro como positivo. “Eu avalio que foi uma reunião muito prática. O governador é um gestor muito executivo e, dentro da sua juventude, tem muita criatividade; então, o problema não é encarado com um problema sem solução, é sempre buscando uma forma executiva de resolvê-lo para melhorar a situação de quem está sendo afetado que, no nosso caso, são os trabalhadores rurais”, afirmou o coordenador estadual do Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST), Josival Oliveira.


16

CIDADES

TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

CidadesemFoco ROBERTO BAIA robertobaiabarros@hotmail.com

Nova Polêmica

A

Controladoria Geral do Município e a Controladoria Geral da União emitiu, em 28 de novembro de 2017, relatório com indícios de irregularidades encontradas no contrato 115/2011, para a execução de obras de terraplenagem, drenagem de águas pluviais e pavimentação de várias ruas de Arapiraca. O vice-governador de Alagoas, Luciano Barbosa, ex prefeito de Arapiraca, disse estar tranquilo em relação aos atos praticados à frente até dezembro de 2012. Ele disse confiar em sua equipe

Rescisão unilateral

Em dois de agosto, a Prefeitura realizou a rescisão unilateral do contrato, após a Controladoria Geral do município detectar indícios de irregularidade.

Sem dúvidas

“Tenho certeza que se dúvida houver será esclarecida”, declarou Luciano Barbosa, ao JORNAL DE ARAPIRACA, nesta semana.

Análise técnica

Assim que assumiu o cargo, em janeiro de 2017, um dos primeiros atos do prefeito Rogério Teófilo foi solicitar à Controladoria Geral do Município uma análise técnica em contratos celebrados pelo município, dos quais alguns permanecem vigentes e outros tiveram a recomendação de serem rescindidos, face as falhas nos procedimentos licitatórios que os desvirtuam da legalidade, um dos princípios da administração pública. Contudo, eram contratos já aprovados pela Caixa Econômica.

Disputa ao Senado

Em sua decisão de concorrer ao Senado Federal, Rodrigo Cunha (PSDB) provoca uma reconfiguração na disputa pelas cadeiras ao Congresso Nacional. Cunha não fará dobradinha com nenhum nome, incluindo o aliado do prefeito de Maceió, Rui Palmeira(PSDB), que é o senador Benedito de Lira (PP).

Sem a oposição

Rodrigo Cunha não é o nome que agrega a oposição. Só faria isso se fosse candidato ao Governo do Estado de Alagoas, pois seria a cabeça de uma estrutura que teria o senador Benedito de Lira na disputa pela reeleição e outro nome qualquer a ser indicado para a segunda vaga da chapa.

Nome forte

Rodrigo entre os que disputam com chances de vitória a vaga de senador, ao lado de Renan Calheiros (MDB), Maurício Quintella Lessa (PR), Benedito de Lira e Marx Beltrão (PSD). Nas redes sociais, notasse um crescimento grande da sua candidatura ao Senado.

Decisão consciente

O presidente do PSDB em Alagoas, Rui Palmeira, disse que a decisão do deputado estadual Rodrigo Cunha em concorrer para as eleições do Senado foi “consciente e bem pensada”. Palmeira afirmou que o momento é de analisar outros nomes e manter a aliança com os partidos. O nome de Cunha era cogitado para concorrer ao Governo do Estado. De acordo com Rui, o PSDB ainda não pode revelar os outros possíveis candidatos, mas as lideranças irão se reunir para definir esse ponto.

Outros interesses O PSDB também tem seus interesses como a eleição de Cibele Moura – filha de Rui Palmeira, Abraão Moura – a deputada estadual e a disputa de Pedro Vilela ao cargo de parlamentar em Brasília. Vilela buscará a reeleição. São interesses a serem conjugados dentro de uma oposição que não tem “cabeça”.

Fazendo cálculos

Se ninguém que una esses partidos, começarão cada um a fazer cálculos por si mesmos. Pode nascer até uma via proporcional que não se importe mais com um nome a governo.

Mais ambulâncias

A Secretaria da Saúde entregou duas novas ambulâncias do Serviço de Transporte Sanitário para os municípios de Teotônio Vilela e Junqueiro. Os veículos fazem parte do montante de 130 ambulâncias adquiridas pelo Governo e deverão ser entregues a todos os municípios alagoanos. ... O prefeito Júlio Cezar deu posse ao novo secretário municipal de Articulação Política, Pedro Alberto Araújo Toledo. ... Pedro Alberto já foi vereador por Palmeira e tem grande3 influência com lideranças comunitárias e políticos locais. Ele ocupa a pasta que pertencia ao médico Emílio Silva. ... Pedro Alberto elogiou o Governo Júlio Cezar, principalmente pelo recém-aumento salarial dado às categorias da Saúde, Assistência Social, Educação, aos aposentados e pensionistas. ... “Como secretário, estarei sempre ao lado do governo para fazer as articulações e alianças que precisamos para o desenvolvimento de Palmeira”, disse o secretário.

Mães de desaparecidos lutam por respostas

Para elas, Dia das Mães tornou-se sinônimo de dor e muito sofrimento ADAILSON CALHEIROS

EVELLYN PIMENTEL REPÓRTER

O

tempo passa, mas não para essas mães. Para elas, o tempo parou no exato momento em que seus filhos saíram e não deram mais notícias. As vidas delas foram paralisadas pela dor, saudade e muitas perguntas sem respostas. A reportagem da Tribuna Independente esteve em contato com mães de desaparecidos em Maceió para saber como é o outro lado do dia dedicado as celebrações. É o caso de Deyze Teófilo. Há quase seis meses ela faz a mesma pergunta todos os dias: Onde está meu filho? Alan Teófilo Bandeira desapareceu no dia 23 de novembro de 2017 após uma partida de futebol no município de Satuba. Até o momento a polícia não tem pistas sobre o seu paradeiro. Para Deyze, o primeiro Dia das Mães sem o filho mais velho fez com que a celebração perdesse o sentido. “Esse dia, só Deus sabe como eu vou passar. Vai ser tão sofrido. Eu tenho outro filho, mas a gente nunca passou separado e eu tenho até raiva quando vejo na televisão Dia das Mães, porque para mim Dia das Mães sempre foi um dia feliz, para as mães que estão com seus filhos é assim, mas para mim vai ser o dia mais triste da minha vida”, diz. A angústia é estampada no semblante da mãe que controla o choro para relatar o sofrimento e os momentos de desespero que tem vivido com a família. “Tá um negócio muito sofrido para a gente. Tá desesperador. Às vezes eu penso que estou num pesadelo, que vou acordar e vou encontrar meu filho, que isso não é verdade. É horrível. É muito doloroso. Eu não me lembro de uma dor pior que eu tenha sentido na vida”. Além do desaparecimento do filho ter mexido com a vida de mãe, Deyze diz que nem o papel de avó tem sido uma tarefa fácil de desempenhar. “Isso mudou muito minha rotina. Nós hoje estamos vi-

Ao lado do marido, Deyze, mãe de Alan Teófilo, conta dor vivida pela família desde que filho desapareceu

vendo em relação a achar o Alan. Nós não temos mais vida. Ele trabalha como autônomo, mas não consegue mais trabalhar. A gente não dorme direito. Eu vivo sob calmantes e já não aguento mais, meu organismo não aguenta. Os dois filhinhos dele perguntam pelo pai e não sei mais o que responder. Às vezes eu fico até sem querer vê-los por causa disso. O menino tem nove anos e me pergunta. A mais novinha vai fazer 2 anos. Ela vê a foto do meu outro filho e diz papai, e eu não aguento” Acompanhada do marido e pai de Alan, Albério Bandeira, ela diz que muitas vezes se sente culpada em meio a tantas incertezas. “Você não saber onde vai achar seu filho. Quem mexeu com seu filho? O que fizeram? Por que levaram? Eu fico me perguntando onde meu filho está. Meu filho está comendo? Está se cobrindo? Às vezes eu me culpo de estar me cobrindo com um edredom e meu filho não estar coberto, que pode não ter um lençol para se cobrir. Pode não estar comendo direito, não ter tomado um banho. E eu não

posso dividir com ele porque ele não está perto de mim. Isso está acabando comigo. Não tem mãe nenhuma que aguente um sofrimento desse, não ter resposta” A mãe relembra emocionada a rotina do filho, que incluía o contato com os pais diariamente e afirma que ainda acredita que Alan esteja vivo. “Ele passava na minha casa todos os dias... No meu coração de mãe meu filho está vivo. Embora quem eu fale diga que é muito tempo, mas eu sinto que meu filho tá vivo. Agora onde está, o que fizeram e quem fez alguma coisa com ele eu não sei dizer. Ninguém me diz nada, a polícia não sabe de nada, não fala nada pra gente. Não acharam o carro, pertence nenhum do meu filho”. “Ele é muito bom pai, ele é daqueles que deita no chão e os filhos fazem de gato e sapato. Ele não tinha inimizade com ninguém. Ele é do tipo de rapaz que faz festa, que todo mundo gosta de estar perto porque anima a festa. Ele é assim. A gente ia para as festas, dançava forró. Ele é um filho que a gente

está se acabando, eu e o pai. A gente não entende porque está acontecendo isso com a nossa família. Não que eu me ache melhor que outras mães, mas eu jamais esperava que isso fosse acontecer, por ele ser a pessoa que é. Eu não vejo motivo”, relata a mãe. O pai de Alan, afirma que a luta pelo paradeiro do filho é diária. Toda ideia é considerada pista. Ele afirma que já fizeram buscas com drones, em rios, açudes, matagais, no interior, em outros estados, mas até agora nada de concreto. O mistério em torno do caso aflige a família, segundo ele. “A vida da gente é o dia todo pensar no que pode fazer para achar alguma pista. Às vezes eu até sonho com alguma pista e no outro dia vou correr atrás. Tudo que se pensa a gente corre atrás. Eu já fui até vasculhar dentro de açudes da usina para ver se já tinham jogado dentro. Imagine o desespero. Tudo que você puder imaginar, com drones, 30 dias com helicóptero. Se tem alguma coisa que possa ser feito é porque a gente não pensou ainda”, diz Albério.


MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

TRIBUNAINDEPENDENTE

Dor prolongada EVELLYN PIMENTEL REPÓRTER

P

ara Maria José da Silva os últimos quatro anos são de intensa agonia e de recordações. A lembrança mais marcante é do carinho recebido do ‘seu filhinho’ como ela mesma chama. “Era amoroso, eu sentava no sofá e ele chegava, sentava perto de mim. Começava a me alisar, a cheirar eu. Eu dizia: Tá bom Davi, para! E ele continuava. Eu jamais esperava que isso acontecesse. Meu filho não era mau, não fazia mal a ninguém. Era fazedor de favor, um menino que ajudava todo mundo aqui por perto. Parece que meu coração ainda fala. Coração de mãe. Né? Que fica pensando que meu filhinho vai ser encontrado com vida. Queria que ele fosse encontrado com vida, mas não sei. Seria meu presente de Dia das Mães, encontrar meu filho, mas hoje não sei mais meu Deus.” Era agosto de 2014 e Davi da Silva, tinha 17 anos quando desapareceu após uma abordagem policial no conjunto Cidade Sorriso I, bairro do Benedito Bentes. Para a mãe, a pior dor é não saber o que aconteceu. Maria José diz que não passa um dia sem imaginar o que

o filho passou. “Eu não sei o que aconteceu. Sei que levaram meu filho e desapareceram. Agora o que fizeram não sei. Onde botaram também não sei. Eu fico martelando na minha cabeça. Fico pensando o que fizeram com meu bebê. Se mataram meu filho daquele jeito, com aquele revólver, se pisaram na cabeça dele, se machucaram muito ele. Eu fico pensando tanta coisa, no que pode ter acontecido, se mataram meu filho sem ele fazer nada. Nem com o pior bandido do mundo não se faz isso”, fala emocionada. De lá para cá, ela afirma que sua vida mudou. Junto com o filho foram embora também a alegria e a vontade de viver. “É muito difícil, é muita tristeza. Mas nunca eu fui a mesma. A minha vida mudou. Não sou mais alegre, eu não tenho animação para ir para lugar nenhum. O pessoal me chama pra uma festinha e eu não vou. O único canto que ainda consigo ir é pra igreja, pra missa e no mercado, mas de resto não consigo mais”, diz. Ela recorda com clareza do dia do desaparecimento do filho, 25 de agosto de 2014. Segundo ela, o dia mais doloroso de sua vida. “Já vai fazer quatro anos

e eu lembro de tudo. Ele saiu dizendo que ia fazer um serviço mais outro menino. Mas não chegaram a ir, foram pegos no meio do caminho. Quando ele não voltou eu fiquei muito doida da minha cabeça. Se eu ainda vivo até hoje é porque tenho Deus na minha vida que me segura e me protege, senão estaria nem em pé”. Segundo Maria José, este é um dos períodos do ano mais difíceis porque além de Dia das Mães tem o aniversário de Davi, no dia 6 de maio. “Todo dia 6 de maio ele faz aniversário. Esse ano para mim foi muito triste. Passei o dia só chorando, lembrando dele, sem ver o meu filho dentro de casa. Sem poder fazer o bolinho dele, cantar parabéns pra ele. Ele estaria com 21 anos. É muito triste”, conta. Entre o desejo de querer o filho vivo e o sentimento da ausência a mãe anseia por respostas. Para ela, a falta de condições financeiras é um dos motivos do esquecimento. Ela é enfática sobre o caso do filho: “Não há justiça”. “Eu já procurei tanto que já cansei. Já botei tudo nas mãos de Deus. Eu não vi justiça nenhuma. Já fiz tanto, bati em tantas portas,

CIDADES

17

Para a mãe de Davi da Silva, desaparecido em agosto de 2014, a pior dor é não saber o que aconteceu ADAILSON CALHEIROS

Maria José da Silva conta que, junto com o filho foram embora também a alegria e a vontade de viver

Se eu ainda vivo até hoje, é porque tenho Deus na minha vida, que me segura e me protege, senão estaria nem em pé” MARIA JOSÉ DA SILVA MÃE DE DAVI DA SILVA

fiz tudo que uma mãe deve fazer. Nenhuma mãe lutou tanto por um filho como eu venho lutando pelo meu e não vejo a justiça fazer nada. Eu não vejo fazendo nada, porque é um menino pobre, deixam para lá. Se eu tivesse dinheiro, né? Se fosse um filho de uma pessoa que pudesse, podia ser. Mas de uma mãe que não tem nada, fica por isso mesmo.

Não dão resposta, vai passando o tempo e eu não vejo resposta de nada.” lamenta a mãe. E reclama do esquecimento. “No começo sempre vinha reportagem aqui, fazendo uma coisa, fazendo outra, mas agora tá tudo parado estão tudo calado, ninguém diz mais nada. Estão todos calados como que nada aconteceu.”


18

CIDADES

TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

Programa lança esperança para famílias Em 2017, Alagoas registrou 402 desaparecimentos; conselho do MPE cria ferramenta para tentar solucionar casos sem respostas EVELLYN PIMENTEL REPÓRTER

S

egundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AL), só no ano passado 402 registros de desaparecimentos foram feitos no estado. No entanto, não há como saber se todas estas pessoas estão realmente desaparecidas. “O que ocorre é que muitas vezes familiares registram o boletim do desaparecimento, mas não comunicam à polícia que a pessoa reapareceu”, esclarece o órgão. Para tentar solucionar casos até agora sem respostas o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) implantou nacionalmente

uma ferramenta de informatização de dados sobre desaparecidos. Para o pai de Alan Teófilo, é uma esperança em meio a uma investigação que se arrasta sem perspectivas de solução. “A gente espera que esse programa que lançaram ajude. E que as delegacias tanto do Dr. Eduardo Mero quanto da Dra. Angelita descubram. Nossa esperança está nas mãos da Polícia Civil e nesse cadastro de desaparecidos que foi lançado. A gente está esperançoso, que se ele está numa situação dessas que a gente imagina, que fizeram ele dirigir até outro estado, tiverem espancado ele e ele está desorientado... É o que eu creio. Que, se Deus qui-

ser, aconteceu algo parecido com isso. Porque ele não fugiu de casa, é muito apegado a gente. A única coisa que vejo é isso. Eu fiquei muito esperançoso, porque é um cadastro nacional que reúne ONG, hospitais, delegacias, que se comuniquem e espero que isso nos ajude, porque nós já andamos tanto. Em todo o lugar que você possa imaginar a gente já foi”, pontua Albério. Segundo a coordenadora do Núcleo de Direitos Humanos do Ministério Público Estadual (MPE-AL) promotora Marluce Falcão, a implantação do cadastro de desaparecidos está em fase avançada no estado. “É um sistema de localização e identificação de pes-

soas desaparecidas. É um sistema de informatização de dados que possibilita a sua alimentação através do próprio Ministério Público e de órgãos que vão se conveniar com o programa. Cada estado aderiu ao sistema nacional e está sendo implantado. Em Alagoas nós estamos bem adiantados. Já saiu no Diário Oficial o ato de criação do programa local, o Clide Alagoas. Que vai desde a utilização do sistema nacional até a realização de buscas ativas por pessoas desaparecidas”. A iniciativa segundo a promotora faz parte de uma experiência premiada do Ministério Público do Rio de Janeiro que será aplicada em todo o Brasil.

“Esse protocolo de ações está sendo estabelecido com os órgãos policiais, perícia oficial, unidades de abrigamento. Enfim, todos aqueles que possam ter algum tipo de conhecimento ou de contato com esse fenômeno social que é o desaparecimento. Não é um meio novo, nós estamos aplicando a nível nacional uma experiência exitosa do MP do Rio de Janeiro”. Marluce Falcão destaca que o programa irá contribuir com o trabalho investigativo dos órgão policiais além de facilitar as buscas em âmbito nacional. “Na verdade é outro recurso que pode ajudar casos insolúveis. A partir do momento que entre em execu-

ção e cresça, o programa vai possibilitar cada dia o cruzamento de dados no Brasil inteiro. Você não procura mais no local de desaparecimento, mas a ferramenta é hábil e ágil. Porque não fica só o delegado procurando, tem a possibilidade de interagir com todos os órgãos. Isso é que vai facilitar. O programa cria no estado um conjunto de ações para identificação e localização da pessoa desaparecida, não importa a pessoa, estando desaparecida, mesmo sem identificação haverá a inserção no sistema e o protocolo de atuação, se não acha de imediato, mas fica no banco de dados e fica mais fácil localizar, viva ou morta”, explica.


MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

TRIBUNAINDEPENDENTE

CIDADES

19

Drama pessoal reacende maternidade Técnica de enfermagem relata experiência de ser mãe, avó e pai ao mesmo tempo, após perder filho e nora em acidente

DAVI SALSA SUCURSAL ARAPIRACA

M

aria Aparecida Alves da Silva tem 57 anos de idade e assumiu a guarda da neta Maria Cibele, hoje com nove anos de idade, depois da morte trágica do filho Wellington e da nora Edilane em um trágico acidente ocorrido há seis anos. O casal estava em uma moto e foi atropelado por um veículo, no momento em que trafegavam por uma estrada vicinal, na área rural de Igaci, para buscar a filha na casa da avó materna. Wellington e Edilane sofreram graves ferimentos e morreram no local do acidente.

A pequena Maria Cibele, na época com três anos de idade, ficou órfã dos pais e a Justiça autorizou a guarda da menina pela avó paterna. Técnica em enfermagem, Maria Aparecida trabalha no Hospital de Emergência Daniel Houly, em Arapiraca, mas mora com o esposo José Feitosa, Maria Cibele e mais três netos: Henrique Breno, de 16 anos, Victor Wendel, de 10 anos, e Maria Melissa, de 8 anos, em uma residência localizada no Povoado Lagoa do Félix, na área rural do município de Igaci, a 150km de Maceió. O drama pessoal reacendeu a maternidade da técnica de enfermagem. Maria Aparecida teve quatro filhos

do casamento com o comerciante José Feitosa. Dos quatro filhos, Wellington foi o que faleceu, aos 25 anos, no acidente com a esposa, deixando órfã a pequena Maria Cibele. Com a morte do filho e da nora, a avó Maria Aparecida também assumiu o papel de mãe e pai da menina, que sonha em ser médica para ajudar as pessoas. “É uma responsabilidade muito grande e maior do que cuidar dos filhos. É amar duas vez. Sei que não vou ocupar o lugar dos pais, mas faço tudo para que ela não sinta a falta deles”, relata. A técnica de enfermagem diz que a neta Maria Cibele gosta muito de brincar em

parques de diversão, na cidade de Igaci, e visitar o shopping center, na cidade de Arapiraca. Emocionada, Maria Aparecida conta que foi a neta que pediu para chamar a avó de mãe. A técnica de enfermagem diz que a menina tem um carinho muito grande por ela. “Dias atrás, a Cibele brigou com o avô porque vendeu as novilhas da vaca que ela ganhou de presente. As pessoas mais velhas dizem que o nascimento de três novilhas é sinal de prosperidade. Quero que Deus continue me abençoando para continuar cuidando da minha filha e realizar os sonhos dela”, finalizou.

DAVI SALSA

Maria Aparecida com as netas Maria Cibele e Maria Melissa


20

CIDADES

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

TRIBUNAINDEPENDENTE


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

Economia

ECONOMIA

21

Turismo: Alagoas celebra novos hotéis e mais empregos Quatro hotéis estão em construção em Maceió aumentando a oferta de leitos e a qualidade da indústria hoteleira no Estado. Mesmo com uma rede maior, o índice de ocupação hoteleira tem se mantido alto. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) de Alagoas, este índice é 79,75% nestes primeiros quatro meses do ano, com pico de 88% durante o mês de janeiro. No interior, mais de 1.700 leitos de hotéis serão implantados somente no interior do Estado, nos próximos dois anos.

O potencial dos rios Tatuamunha e Manguaba

CLAUDIO BULGARELLI

Turismo sustentável é tendência no Litoral Norte alagoano CLAUDIO BULGARELLI SUCURSAL LITORAL NORTE

D

ois rios da região Norte de Alagoas já experimentaram a exploração do turismo sustentável. O Rio Tatuamunha, que divide os dois municípios que são a nova sensação do turismo no Nordeste, São Miguel dos Milagres e Porto de Pedras, já é visitado por turistas há nove anos motivados pelo mais importante projeto de preservação ambiental de Alagoas: o santuário do peixe-boi marinho. O Rio Manguaba, que é o mais importante do Norte de Alagoas, foi palco de intensas batalhas militares na época da colonização, e, num passado mais recente, por suas águas escoava a produção de açúcar dos engenhos da parte Norte do Estado. Hoje, seu maior destaque está nos vários portos ao longo de suas margens e também na bela foz, que separa os municípios de Porto de Pedras e Japaratinga. O único com turismo organizado, o Rio Tatuamunha, que abriga o Santuário do Peixe Boi, administrado pelo ICMBio e explorado pela Associação do Peixe Boi, se transformou, nos últimos anos na principal atração turística da Rota Ecológica dos Milagres, levando, por ano,

mais de 10 mil pessoas ao passeio pelas suas tranquilas águas. O santuário é um projeto de preservação localizado em um trecho do rio, no povoado de mesmo nome, em Porto de Pedras. Atualmente esse tipo de turismo de observação envolve mais de 20 jangadeiros credenciados, mas somente 10 podem entrar no rio por dia, levando 10 pessoas por jangada, num total de 70 visitantes. O trabalho dos jangadeiros está direcionado ao serviço de condução de visitantes e às ações socioambientais para a gestão ambiental compartilhada e a melhoria da qualidade de vida da população local, já que mais de 100 famílias vivem diretamente ou indiretamente desse tipo de turismo. O passeio é uma contemplação do rio e manguezal de Tatuamunha, com sua flora e fauna local, em especial o peixe-boi. PEQUENA CAMINHADA O visitante é acompanhado por um condutor credenciado durante todo o passeio. Começa com uma pequena caminhada pelo povoado até chegar à ponte estreita sobre rio e manguezal. Após a travessia da ponte, onde já se pode contemplar a beleza e riqueza da

biodiversidade local, embarca-se numa jangada simples, conduzida com varas por dois remadores. Seguese por um passeio tranquilo com algumas paradas no leito ou nas camboas do rio, além de uma parada para observar o recinto de readaptação dos peixes-boi e, com sorte, para contemplar os animais livres que podem ser encontrados no percurso. O trajeto de ida e volta pode durar até 3 horas. Mesmo com a presença constante de fiscalização do ICMBio e o trabalho de conscientização ecológica dos jangadeiros, o Rio Tatuamunha recebe toneladas de esgotos de comunidades que vivem em trechos de suas margens. Em São Miguel dos Milagres, por exemplo, no povoado do Manibu mais de 50 famílias despejam seus esgotos diretamente num braço do rio. E ao longo da estrada parque, na comunidade do rio, no povoado da Laje, outras centenas de casas também não possuem rede sanitária, onde esgotos também são despejados diretamente no rio. Soma-se o desmatamento e a grande quantidade de lixo despejados no rio, colocando em risco a vida do peixe-boi, o animal marinho que com o maior risco de extinção no Brasil.

Turismo no Rio Tatuamunha, onde jangadeiros conduzem visitantes com ações socioambientais

Rio Manguaba une beleza e história da era colonial, sobretudo após a descoberta de fortes

HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Rio Manguaba e seus portos coloniais no Litoral Norte Três anos atrás, os passeios pelo Rio Manguaba enfim sairiam do papel e se tornariam uma realidade a mais para o desenvolvimento do turismo na região. Infelizmente o projeto não avançou. Nesse mesmo período, duas empresas de exploração do turismo sustentável, a Manati e a Eco Turismo, deram início a passeios organizados com saída do porto de Porto de Pedras, na foz do rio, até alguns quilômetros acima, em direção a Porto Calvo, sobretudo para visita de contemplação em noites

de lua cheia e visitas mais restritas até os primeiros portos construídos na época da colonização e ocupação holandesa na região. Apesar de não possuir litoral, Porto Calvo integra a região turística da Costa dos Corais alagoana justamente por causa da restinga do Rio Manguaba. Por isso o município quer usufruir do movimento turístico que já existe na região, atraindo visitantes com sua rica história da época do Brasil colônia que passa, necessariamente, pelas águas do rio, por onde escoava a produção açucarei-

ra da época, os víveres e as armas empunhadas nas refregas entre os exércitos luso -espanhol e holandês. E tudo isso pode mudar com a descoberta de um forte do período da ocupação holandesa e a revelação de muitos outros. Interessados começam a aparecer para criar passeios pela histórica do Manguaba, que nasce no pé da Serra do Lino e escorre num curso que já era percorrido 400 anos atrás até o mar. Do Porto do Varadouro, em Porto Calvo, até a foz, entre Porto de Pedras e Japaratinga, são 42 km de águas

navegáveis. A bacia do Rio Manguaba drena parte dos municípios de Novo Lino, Jundiá, Porto Calvo, Japaratinga e Porto de Pedras. Desde a sua nascente o rio percorre zonas rurais e cruza por centros urbanos, sendo o mais importante rio do Norte de Alagoas. PASSEIO TURÍSTICO O passeio pelo Manguaba já é feito pelos moradores de Porto Calvo, mas ainda não foi explorado comercialmente como atrativo turístico. Os nativos alugam jangadas e barcos a motor e descem o rio, sobretudo nos fins de

semana e feriados, numa viagem recreativa. Partindo de Porto de Pedras, alguns jangadeiros já exploram o passeio turístico em caiaques e jangadas. O projeto das prefeituras de Porto Calvo e Porto de Pedras, no entanto, é profissionalizar o serviço, tornando-o acessível ao turismo externo. O mais forte atrativo para que essa ideia se torne realidade, foi a descoberta há alguns anos de um forte do século XVII, da época da ocupação holandesa no Brasil, localizado no Reduto Ilha do Guedes, às margens

do Manguaba, numa fazenda particular. O local do forte, essa pequena ilha no meio do rio, defronte à antiquíssima Rua do Varadouro, por onde foram dependuradas, num dia do ano de 1635, as partes esquartejadas de Calabar, só tem acesso por meio de barco. O Forte Bass na Ilha do Guedes, que está sendo restaurado desde 2017 pelo Iphan foi o provável reduto do acampamento de Johannes Lichthard, um almirante holandês, a serviço da Companhia das Índias Ocidentais, no século 17 XVII. (C.B.)


22

ECONOMIA

TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

Gasolina tem sexta alta seguida Aumento deste sábado é de 2,23%; diesel, em contrapartida, terá uma redução de 0,88%, anunciou Petrobras

A

Petrobras anunciou, na sexta-feira (11), que vai aumentar o preço da gasolina comercializada nas refinarias em 2,23% a partir deste sábado (12). O diesel, em contrapartida, terá uma redução de 0,88%. Desde o início da nova metodologia de correções de valores dos combustíveis, o preço da gasolina comercializado nas refinarias acumula alta de 21,57%, e o do diesel, 19,32%. Com o aumento, a gasolina vendida pela Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 1,8908 para R$ 1,9330. Já o diesel, por sua vez, sairá do valor de R$ 2,2361 pelo qual está sendo vendido hoje e chegará a R$ 2,2162 o litro. Este será o sexto aumento consecutivo aplicado pela estatal no preço da gasolina. No último dia 3 houve a última redução no valor do combustível, que passou de R$ 1,8072 para R$ 1,7893. Depois disso, só não foram registradas elevações nos dias 6, 7 e 10. O diesel vinha de três aumentos consecutivos até ter a baixa anunciada pela empresa. No último dia 8 o preço foi de R$ 2,1015 a R$ 2,1289. Posteriormente, houve aumento nos dias 9 e 11, passando para R$ 2,1728 e R$ 2,2361, respectivamente. Estes combustíveis repassados às distribuidoras nas refinarias são do tipo A. Os produtos vendidos ao consumidor final, nas bombas dos postos, são uma composição que mistura esses combustíveis do tipo A com biocombustíveis. Os preços médios divulgados pela Petrobras no que diz respeito às vendas para as distribuidoras brasileiras nas refinarias também não contabilizam a incidência de tributos sobre estes combustíveis. Portanto, considerando que o

DIVULGAÇÃO

Preços dos combustíveis têm como base o valor de paridade de importação, diz estatal; ministro da Fazenda diz não abrir mão de impostos para conter alta de preços

preço nas refinarias não é o único fator determinante no preço final, o reajuste não necessariamente chegará ao consumidor final. Distribuidores, revendedores e produtores de biocombustíveis têm liberdade de preço no mercado de combustíveis. De acordo com a Petrobras, os preços dos combustíveis têm como

base o valor de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais desses produtos, mais os custos que importadores teriam. Além disso, as variações buscam um alinhamento com o mercado internacional. Para atingir o objetivo, a empresa adota mudanças praticamente diárias nas cotações. “A paridade é necessária

porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”, diz a estatal sobre o preço da gasolina e do diesel. TRIBUTOS O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou que não há possibilidade neste ano de o gover-

no abrir mão de parte da arrecadação de impostos para conter a alta de preço dos combustíveis. Embora os tributos correspondam a 45% do preço da gasolina, segundo dados da Petrobras, o ministro afirmou que, devido à crise fiscal, não há espaço para diminuir o peso dos impostos na composição do preço dos combustíveis.

“Infelizmente, neste ano, dada a situação fiscal que todos conhecem, não estamos discutindo nenhuma possibilidade de redução de impostos”, afirmou. O aumento de tributos, somado aos reajustes feitos pela Petrobras, fez disparar o preço dos combustíveis, o que vem gerando preocupação no governo.


MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

TRIBUNAINDEPENDENTE

ESPORTES

23

Tite convoca para Copa nesta segunda

Técnico anuncia 23 nomes para compor o elenco que vai tentar ganhar hexacampeonato na Rússia a partir de junho

ACRÉSCIMOS

EDMILSON TEIXEIRA etjornalista@gmail.com

Cheiro de discriminação

A

comunista Cláudia Petuba, hoje secretária de Esportes, Lazer e Juventude de Alagoas, ao que parece vem desconhecendo, ou melhor; discriminando a força da Associação dos Cronistas Esportivos de Alagoas (ACEA). Trata-se de uma entidade de classe recém-criada, formada por cerca de 100 jornalistas e radialistas profissionais, que resolveram se desgarrar da Associação dos Cronistas Desportivos de AlagoasACDA, sobretudo depois de uma dissidência nacional da ABRACE, com o surgimento da Associação dos Cronistas Esportivos do Brasil (ACEB).

Título tentador!

“Por ter recebido, recentemente, o título de sócia benemérita da ACDA, a secretária Cláudia Petuba vem tomando partido em favor da outra entidade, inclusive assinando um documento de sessão para gestão da área destinada no Estádio Rei Pelé aos cronistas esportivos– conhecida como Tribuna de Imprensa-, onde estão localizadas as cabines de rádio, em detrimento da ACEA ter os mesmos direitos de assumir esse compromisso” comentou o presidente da ACEA, Jorge Moraes, atento pela frieza de Petuba, durante uma reunião na tarde da última segundafeira, com integrantes da diretoria da Associação.

Carrasco!!!

“Na verdade, o que mais motivou a nossa migração em massa para a ACEA, foi o fato da velha ACDA está hoje nas mãos de um ditador chamado de Jorge Lins. Pois ele adotou a entidade como produto de seu quintal; ou seja, primeiro ele, segundo ele e terceiro ele!!!” comentou ironicamente um associado, dando conta de que a democracia e a liberdade de expressão estão presentes no dia a dia dos que fazem a nova associação dos cronistas esportivos de Alagoas.

Absurdo

Tite, técnico da Seleção Brasileira, que ocupa uma agenda de trabalho bastante folgada ao logo de cada ano, sobretudo pelos pouco jogos que acontecem da Canarinho, tem salário mensal em torno de R$ 1.330 milhões, ou seja R$ 14,5 milhões por ano. é que na última quartafeira, a rede de TV holandesa Zoomin divulgou uma lista que revela os salários anuais de todos os treinadores das seleções que estarão na Copa do Mundo da Rússia. Pois o Tite ocupa o segundo lugar do ranking, empatado com Didier Deschamps, comandante da França.

Relação

De acordo com o canal, o brasileiro e o francês recebem 3,02 milhões de libras anuais, o equivalente a R$14,5 milhões. O treinador mais bem pago é Joachim Low, da Alemanha, com vencimentos anuais equivalentes a R$15,9 milhões. O menor salário é o de Allou Cisse, técnico de Senegal, que recebe R$ 836,8 mil por ano.

Nordestinos

O Sport é o clube nordestino mais popular do país, seguido de perto pelo Bahia de acordo com a pesquisa nacional do Ibope Repucom. O resultado foi extraído da pesquisa publicada pela Revista Época e faz parte do estudo DNA Torcedor, ainda não divulgado ao público. O material foi obtido com exclusividade pelo jornalista Rodrigo Capelo com fontes do mercado. Com os dados da pesquisa, o Globoesporte.com fez um recorte apenas com os 11 clubes do Nordeste que aparecem no levantamento.

Números

Dentre os times do Nordeste, o Sport é o que conta a maior torcida, com 1 milhão e 890 mil torcedores, seguido do Bahia com 1 milhão e 780 mil torcedores. Em números brutos, de acordo com a pesquisa, o rubro-negro pernambucano está em 11º no ranking nacional – à frente de Fluminense (1 milhão e 860 mil torcedores) e de Botafogo (1 milhão e 760 mil). O tricolor baiano seria o dono da 13ª maior torcida do Brasil. Porém, levando em conta a margem de erro, todos esses clubes estão empatados tecnicamente.

Galo na relação

Os outros dois clubes que disputam a Série A do Brasileirão vêm em seguida na pesquisa: o Vitória é o terceiro na preferência popular da região, com 1 milhão e 220 mil torcedores e o Ceará vem em quarto, com 1 milhão e 120 mil torcedores. Em sequência estão: Santa Cruz, Fortaleza, Náutico, Botafogo/PB, ABC e o nosso CRB na 10ª posição, com 80 mil torcedores.

O

técnico Tite vai anunciar nesta segunda-feira, a convocação dos jogadores que vão defender a seleção brasileira na Copa do Mundo da Rússia. A divulgação da lista de 23 jogadores será realizada na sede da confederação, na Barra da Tijuca, no Rio, a partir das 14 horas. A apresentação dos jogadores convocados para a Copa do Mundo está agendada para 21 de maio, em Teresópolis (RJ), na Granja Comary, onde serão realizados os primeiros treinamentos. Há a possibilidade de o grupo ainda não estar completo em razão da final da Liga dos Campeões da Europa, que será disputada em 26 de maio, em Kiev. Marcelo e Casemiro, do Real Madrid, e Roberto Firmino, do Liverpool, devem fazer parte da lista de Tite e

estão na decisão. De Teresópolis, onde ficará até o dia 27, a seleção brasileira seguirá para Londres, palco da maior parte da sua preparação para a Copa. Antes de chegar à Rússia, a equipe ainda fará dois amistosos, em 3 de junho, contra a Croácia, e no dia 10, contra a Áustria, em Viena. Depois desse último amistoso, a seleção embarca para Sochi, que será a sua base durante o período de disputa da Copa do Mundo. E a sua estreia no torneio ocorrerá em 17 de junho, diante da Suíça, em Rostov. Quinze jogadores estã praticamente garantidos. Outros sonham com vagas remanescentes. Tite vai entregar uma lista de 35 nomes para Fifa, mas os outros nomes não serão divulgados pela comissão.

CBF

Tite faz nesta segunda convocação final da Copa do Mundo 2018


24

ESPORTES

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

Esportes

TRIBUNAINDEPENDENTE

Júnior Rocha confirma treino intenso neste final de semana para o CRB O CRB só volta a jogar na próxima terça-feira, às 19h15, contra o Avaí no estádio Rei Pelé. Por isso o técnico Júnior Rocha adiantou que vai puxar bastante do elenco regatiano neste sábado e domingo. “Preciso de treino com intensidade. Temos um elenco grande e de qualidade. São muitos jogos e é importante que todos estejam no mesmo nível”, disse Rocha. O Galo vive um bom momento na Série B. Vem de duas vitórias consecutivas que figurar nas primeiras colocações da tabela. “É momento de construção de modelo de jogo. Cada partida mostramos isso e estamos melhores”, justificou o treinador.

CSA encara o Boa e tenta se manter no G4 Azulão espera grande presença do torcedor na partida deste sábado; técnico Marcelo Cabo terá alguns desfalques

O

CSA entra em campo neste sábado para encarar o Boa Esporte. O jogo começa às 16h30 no Estádio Rei Pelé e é a grande chance do Azulão ser líder da Série B. Para isso precisa vencer e torcer pelo tropeço de Fortaleza, Vila Nova e Paysandu. Mas o objetivo continua o mesmo. “Nossa meta é fazer 45 pontos. É para isso que estamos trabalhando no momento. Quando atingir este ponto, pensaremos no que vamos brigar”, exaltou Marcelo Cabo. A semana cheia não foi tão tranquila. Muitos desfalques. Jogadores considerados titulares como Celsinho e Rafinha não trabalharam. O primeiro por lesão e o segundo por conta do falecimento do pai em São Paulo. Reserva imediato, Velicka se recupera de um problema no tornozelo e deve desfalcar

o time. Cabo tem improvisado o meia Echeverría no setor. Titular desde que estreou pelo CSA, o atacante Niltinho destacou o período de 10 dias de intertemporada e afirmou que o Azulão precisa ter intensidade para fazer com que os adversários sofram no Estádio Rei Pelé. “A intertemporada foi cansativa, né? (risos). Foi bom para o grupo. Melhor para adquirir força e resistência e não deixar a intensidade nos jogos diminuir. Fazer com que todos os times que venham jogar no Rei Pelé sofram com nossa intensidade dentro de campo. É normal o atleta ir para o Departamento Médico e voltar, faz parte do grupo. Bom que está todo mundo à disposição do treinador para o sábado”, disse. O atacante mostrou confiança no elenco. Com

as possíveis ausências de Celsinho e Rafinha nas laterais, Niltinho minimizou a situação e deu crédito aos outros companheiros. “O grupo é bem qualificado. Entrando uma peça e saindo outra, vai manter o mesmo nível. Assim como nos jogos. Sai o Celsinho, entra o Muriel. Sai o Ferrugem, entra o Muriel de voltante. Quem está entrando, está entrando bastante focado. Isso não diminui a intensidade do time”, afirmou. Os ingressos seguem com os valores de R$ 15 arquibancada baixa, R$ 25 arquibancada alta e R$ 60 as cadeiras. Os preços são promocionais de meia-entrada. Sócios adimplentes têm acesso garantido ao setor correspondente ao plano. oUTRoS JoGoS 16h30 São Bento x Oeste 16h30 Figueirense x Avaí 19h00 Fortaleza x Goiás

ASCOM CSA

Walter busca espaço no time titular e Echeverria será improvisado na lateral-esquerda neste sábado ASCOM ASA

séRie d

Flamengo poupa titulares para jogo com a Chape

ASA precisa bater o Central neste domingo para seguir com chances Alvinegro tem desfalques na zaga e muda setor de ataque Campeonato Brasileiro da Série D. Central e ASA se enfrentam neste domingo, às 16h, no Estádio Lacerdão. Atualmente o time arapiraquense ocupa a segunda colocação com três pontos. O time pernambucano está em terceiro lugar com apenas dois pontos. Será uma briga direta pela segunda posição e também todos secando o Sergipe diante da Jacuipense. Sob comando do técnico Carlos Rabello, os jogadores do ASA finalizam os trabalhos neste sábado no estádio do Porto em Caruaru. Desde sexta-feira a delegação está na capital do Forró. A programação estabelecida pelo departamento de futebol foi antecipada para dar um maior

conforto e descanso para o grupo. Para este difícil duelo diante do Central-PE pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro da Série D, o técnico alvinegro não vai poder contar com o zagueiro Willames José. Em seu lugar Caíque Baiano ganhou a preferência para iniciar jogando. Rabello também sinaliza mudanças no setor de ataque, com a saída de Juliano e a entrada de Isaías. Assim como, trabalhou com Wesley no lugar de Nona. Chiquinho Alagoano, que saiu do banco para salvar o ASA da derrota semana passada, fazendo dois gols, deve ser titular. Quem também vai ter de cumprir suspensão é o atacante Jean Carlos, que foi

expulso nos acréscimos por se desentender com o zagueiro Vitão. Porém, Jean Carlos é reserva. Domingo, substituiu Osvaldir, que atuou na lateral direita. Foi uma mexida tática para deixar o ASA mais ofensivo. MURICI Também às 16h, em Feira de Santana na Bahia, o Murici encara o Fluminense. Apesar das três derrotas na competição, o time fez contratações e ainda acredita em uma classificação. sANTA RiTA Em Boca da Mata, o Santa Rita pode ser eliminado de forma precoce contra o Vitória da Conquista-BA. O time faz campanha idêntica ao Murici com três derrotas

ARenA Condá

Time do ASA treinou forte a semana inteira para vencer o Central

Após sequência intensa de jogos e viagens, o Flamengo terá jogadores do time titular poupados diante da Chapecoense, domingo, pelo Brasileirão. Apesar de buscar a manutenção da liderança do torneio, o Rubro-Negro encara, na próxima quarta-feira, jogo decisivo pela Libertadores, no Maracanã. Caso vença o Emelec, o time se classifica para as oitavas de final. Ficaram fora da lista de relacionados os titulares: Diego Alves, Réver, Lucas Paquetá e Éverton Ribeiro. Por outro lado, Diego, que tratou lesão e desfalcou o time nos últimos jogos, está de volta. Assim como o zagueiro Rhodolfo, que não joga há mais de um mês. Após o empate em 0 a 0 diante da Ponte Preta, pela Copa do Brasil, o técnico Maurício Barbieri explicou que avaliações seriam feitas para detectar desgaste e a necessidade de poupar atletas.


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 E MAIO DE 2018 DIVERSÃO&ARTE 1

Mike Myers revela que gostaria de fazer sequência de Austin Powers focada no Dr. Evil Em entrevista ao ET (via Screen Crush), Mike Myers afirmou que tem uma ideia para um novo filme de Austin Powers: “Eu adoraria fazer um filme pela perspectiva do Dr. Evil. Então seria Dr. Evil 1 e Austin Powers 4”. No mês passado, o ator reprisou o papel do vilão no programa de Jimmy Fallon, alfinetando o Facebook e Mark Zuckerberg - veja aqui. A série de filmes Austin Powers começou em 1997 com Austin Powers: Um Agente Nada Discreto e gerou mais dois longas, Austin Powers: O Agente Bond Cama em 1999 e Austin Powers em o Homem do Membro de Ouro em 2002. Em abril deste ano, Verne Troyer, conhecido por interpretar Mini-Mim na franquia, morreu aos 49 anos.

Um novo coração Promovendo o segundo disco solo de inéditas, cantor Johnny Hooker se apresenta neste sábado no Clube Fênix

D

epois de despontar como um dos maiores nomes do cenário musical brasileiro contemporâneo através de um álbum de estreia solo, Johnny Hooker retorna à capital alagoana, hoje, para apresentar a nova turnê do disco de inéditas ‘Coração’. O evento, realizado pelas produtoras COOL e Whytna Cavalcante, acontece no Clube Fênix, situado no centro da cidade, a partir das 22h. Eleito o melhor cantor popular no Prêmio da Música brasileira em 2015, e um dos nomes mais comentados do palco Sunset durante uma apresentação no Rock In Rio de 2017, o pernambucano de 30 anos promete um show mais político,

combativo e intenso do que o realizado na capital alagoana em 2016. “Se o ‘Macumba’ eram as águas profundas do abandono, ‘Coração’ é sobre sobreviver e resistir. É mais solar e afirmativo. Como colocar a cabeça para fora d’água depois de um período turbulento”, afirma o cantor. Dono de hits como ‘Amor Marginal’, ‘Alma Sebosa’, ‘Volta’ e o mais recente em parceria com Liniker, ‘Flutua’, Johnny trará onze canções inéditas, além de

SERVIÇO FESTA PARA MAIORES DE 18 ANOS

‘‘Coração’’, com Johnny Hooker Data: Sábado, 12 de maio, a partir das 22h Local: Clube Fênix Alagoano, no Centro Ingressos: R$40 a R$60, na Chilli Beans do Maceió Shopping ou online no bit.ly/cooljohnnyhooker .

alguns dos sucessos do disco anterior para o palco do evento. E a festa não para por aí, o público ainda vai poder curtir a discotecagem de Allana Marques, direto das festas recifenses de selo Golarole, e do grupo Haus of Mouse. Além de David Andrade, da PIXEL, Artur Finizola e da dupla Senna e Jotav. “É um evento lindo de celebração. Johnny desafia gênero, linguagens e questiona a própria identidade da música brasileira. Será lindo ter tudo isso transmitido para o público de Maceió”, afirma a produtora Whytna Cavalcante. Os ingressos variam de R$40 a R$60, dependendo do lote disponível, podendo ser adquirido online em bit.ly/ cooljohnnyhooker ou fisico na Chilli Beans do Maceió Shopping.

Coração é um trabalho com sonoridade mais diversa Johnny Hooker já perdeu a conta de quantas pessoas tatuaram no corpo “firme e forte como um touro” e “ninguém vai poder querer nos dizer como amar” – versos de, respectivamente. ouro e Flutua, faixas de Coração (2017), seu segundo álbum. “Minhas canções têm ressignificado tanta coisa na vida de tantas pessoas...”, comenta o cantor e compositor pernambucano. Com sonoridade mais diversa que a do primeiro álbum, Coração nasceu de um momento difícil. “Depois da explosão do primeiro disco, estava completamente exausto, física e emocionalmente. Sou um artista independente, então faço todo o planejamento da carreira, roteirizo clipes, desenho figurinos, dirijo show. É bem punk”, revela. Não bastasse isso, o fim de um relacionamento algo traumático o levou a mudar da vida. Hooker deixou o Rio de Janeiro, onde viveu quatro anos, por São Paulo, onde mora desde 2017. Nesse meio-tempo, teve de gravar um disco. “Estava bem deprimido no começo de 2017. Ou me entregava ao trabalho,

ou cancelava tudo. Escolhi sobreviver, o que demandou uma energia gigantesca”, diz Hoooker, referindo-se ao álbum lançado pela Natura Musical e a sua participação no Rock in Rio, em setembro. A performance deu o que falar devido ao beijo na boca trocado com Liniker no palco. Flutua, cançãosímbolo de novo trabalho, gravada com Liniker, destaca-se em meio às outras faixas do CD. “No primeiro disco, já tinha escrito muito sobre o fracasso do amor. Foi como um exorcismo através de crônicas afetivas, histórias misturadas com coisas que vi quando morava no Recife. O segundo é mais pessoal. Senti a sensação urgente de escrever sobre a vitória do amor. Apesar dos dias que vivemos, apesar do ódio e das diferenças, o amor acaba vencendo.” “E flutua, flutua/ Ninguém vai poder querer nos dizer como amar.” Versos assim, simples e absolutamente em consonância com os tempos atuais, ditam a canção pautada pela música negra americana. “Quando escrevi o refrão, fui automaticamente para a figura da Liniker.


TRIBUNAINDEPENDENTE

2 DIVERSÃO&ARTE MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 E MAIO DE 2018

sdfdsfdsfsdfs

O

Museu Théo Brandão receberá, neste sábado (12) a pré-estreia do curta-metragem O sonho que eu queria ter, do Ballet na Vila. Na ocasião, também haverá outras atividades culturais, como apresentações de música e dança. O evento começa às 14h. O filme conta a história do projeto social Ballet na Vila desde seu surgimento, mostrando também personagens e dificuldades reais. Dentre as atividades culturais, uma das atrações da dança é o espetáculo Sonho mágico, que é uma reapresentação do primeiro espetáculo do grupo, realizado em dezembro de 2017, no Teatro de Arena. Além deste, haverá também o ballet da Companhia Selma Pimentel e Danças Urbanas por Fagner Rosendo e Daniel Lanças. A música ao vivo ficará por conta de Marília, Rey Miller e Júnior Braga.

Show do CD Solar

Patati Patatá - Turnê Sorrir & Brincar

A dupla de palhaços mais amada da América Latina, Patati Patatá, volta a Maceió com a turnê “Sorrir & Brincar”. Promovido pela Rinaldi Produções, o espetáculo será realizado no dia 09 de junho no Teatro Gustavo Leite. Ingressos: Plateia: R$ 45,00 (meia) e R$ 90,00 (inteira)/Mezanino: R$ 35,00 (meia) e R$ 70,00 (inteira).

A

ndrea Laís volta aos palcos de Maceió para apresentar ao público o show do CD Solar, a apresentação ocorrerá no dia 30 de maio, às 20h no Rex Jazz Bar, no bairro do Jaraguá. O show de abertura da casa ficará por conta dos baianos do Duo B.A.V.I. (Berimbau Aparelhado e Violão Inventável) dos músicos Anderson Petti e João Almy. Os ingressos estão sendo vendidos pela plataforma do Sympla (https:// www.sympla.com.br/solar-em-maceio__278333) no valor de R$ 15,00 o 1º lote e R$ 20,00 o 2º lote. Como cortesia, estará sendo distribuído um CD autografado para quem adquirir o ingresso na pré-venda do 1º lote, a quantidade é limitada.

Fim de Semana no Museu

Forró das Antigas

Do pé-de-serra de Luiz Gonzaga ao eletrônico com pegadas de arrocha da atualidade, o forró passou por transformações e fases variadas, sendo uma delas marcada pelo romantismo e pelas primeiras versões mais estilizadas do gênero. No dia 30 de maio (véspera de feriado), as bandas Mastruz com Leite, Magníficos, Limão com Mel e a cantora Eliane, subirão ao palco montado no estacionamento do Parque Shopping, onde o público poderá conferir como as atrações conseguiram fazer o sucesso do estilo, atravessar gerações. Ingressos à venda no Acesso Vip (Parque Shopping e Unicompra Farol) , Folia Brasil (G Barbosa Stella Maris) e Viva Alagoas (Maceió Shopping). Mais informações: 82. 3313-2429.

Caixa Premiada

O Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realiza, neste sábado (12), a 17ª edição do Fim de Semana no Museu. O evento trará atividades que exploram as conexões da vida por meio do processo evolutivo e padrões de compartilhamento de características. No local, haverá visita guiada para os visitantes e as crianças poderão se divertir com pinturas, jogos pedagógicos envolvendo aves e outras atividades. O 17º Fim de Semana no Museu vai ser conduzido pelo LSEA, vinculado ao Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS) da Ufal. O evento acontece na sede do MHN, localizado na Avenida Amazonas, Prado (Praça da Faculdade). As atividades, gratuitas e para todas as idades, são das 9h às 12h e das 14h às 17h30.

16ª Semana Nacional de Museus

Entre 16 e 18 de maio, o Museu Théo Brandão (MTB) vai participar da 16ª Semana Nacional de Museus, com abertura de exposição, oficina e apresentações culturais. O 5º Encontro de Pesquisadores do Museu Théo Brandão de Antropologia e

Folclore vai compor a programação com mesas-redondas e grupos de trabalho. O tema do evento nacional é Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos. A abertura está marcada a quarta-feira (16), às 9h.

Exposição “Ruir’’

Pautado na fotografia artesanal relacionado à memória urbana no intuito de promover o diálogo entre público e o artista, o Sesc Alagoas apresenta a exposição Ruir, da artista e professora Renata Voss, na Galeria do Sesc Centro. A exposição fotográfica reúne uma série de imagens da artista, que retrata a ação do tempo sobre a paisagem urbana da cidade com edificações em situações de riscos. Visitação: De 14 de maio a 15 de junho (segunda a sexta, das 12h às 18h). Visitas agendadas: Ligar para (82) 3201-1374 (falar com Kelcy, Álvaro ou Letícia). Entrada gratuita.

Show de lançamento do CD TRABUMZANFONSIAN

O

clima de São João está contagiando a cidade e os pequenos não podem ficar de fora dos festejos juninos. O primeiro FORROZIN DA CAZUADINHA que acontecerá no dia 27 de maio, no Espaço Armazém, em Jaraguá, com direito a lançamento do 1º CD da banda, TRABUMZANFOSIAN. O arrasta pé dos pequenos começará às 16h e terá brincadeiras juninas e também uma super atração: a quadrilha Amanhecer do Sertão. Na praça de alimentação do Forrozin, muita pamonha, canjica, pipoca e algodão doce para repor as energias da garotada, dos papais e das vovós. Os ingressos antecipados já podem ser comprados na Livraria Leitura (Parque Shopping e Maceió Shopping), Viva Alagoas e pelo site www.eventim.com.br. Horário: abertura da casa 16h. Ingressos: Primeiro lote: R$ 30,00 (meia) e R$ 60,00 (inteira). Vendas: Livraria Leitura (Maceió Shopping e Parque Shopping) e www.eventim.com.br. Mais informações: 82 3235-5301.

FALE CONOSCO - A Agenda é um serviço gratuito de orientação ao leitor. Os interessados em divulgar eventos, shows e exposições podem enviar material através do endereço: tiagenda@hotmail.com

RESUMO DE NOVELAS GLOBO 18h

GLOBO 19h

GLOBO 21h

RECORD 21h

ORGULHO E PAIXÃO

DEUS SALVE O REI

O OUTRO LADO DO PARAÍSO

APOCALIPSE

Mariana socorre Brandão, que está ferido pelo tiro que levou de Xavier. Susana se surpreende ao ver Julieta chegar com Brandão e confronta Mariana. Julieta tenta denunciar Xavier na delegacia, mas Kleber protege o amigo. Tenória revela a Jorge que Ema, Elisabeta, Camilo e Ernesto estão instalados no cortiço. Lídia exige que Uirapuru a ame. Ema garante a Jorge que não deixará o cortiço. Petúlia confirma a Susana que Darcy e Elisabeta reataram. Ofélia decide ir para São Paulo atrás de suas filhas. Lorde Williamson chega à casa dos Benedito.

Afonso manda Romero comunicar a Rodolfo que ele será exilado em um castelo. Constância avisa a Amália que Martinho está passando mal. Amália manda Lupércio avisar a Afonso que a peste chegou ao castelo. Ístvan pede Glória em casamento.Afonso decide se despedir de Mesaque e pede a Amália para receber Otávio. Saulo pede perdão a Selena antes de morrer. Amália escuta Otávio propor a Catarina que se unam para afastar Afonso do reino de Montemor.

Reprise do último capítulo.

Não há exibição aos sábados.

Para o Dia das Mães, data mais amorosa do nosso calendário, o Shopping Pátio Maceió preparou para seus clientes uma inédita, divertida, fascinante e encantadora promoção. A campanha tem como título ‘Caixa Premiada’ e consiste na distribuição de prêmios, descontos e vales-compras de até R$ 400,00. Para participar, é necessário que o consumidor realize, até domingo (13), compras a partir de R$ 250,00 nas lojas do Shopping. Após a apresentação da nota fiscal, no balcão de trocas da promoção, o cliente ganhará um voucher que dá direito a brincar na ‘Caixa Premiada’, instalada na Praça Central de Eventos, e retirar um brinde. Mais informações através do site www.patioshoppingmaceio. com.br, Facebook (Shopping Pátio Maceió) e Instagram (@ shoppingpatiomaceio).

Crianças, acompanhantes, professores, estudantes e portadores de necessidades especiais pagam meia-entrada. Desconto de 10% da inteira e na meia-entrada ao apresentar na hora da compra, ingresso do show Forrozin da Cazuadinha. Vendas: Livraria Leitura (Maceió Shopping e Parque Shopping).

A Visita da Velha Senhora

“Encenar a Visita depois de A Alma Boa e Galileu é quase como finalizar uma trilogia”, diz Denise Fraga. “A trilogia de nosso eterno dilema entre a ética e o ganha pão.” O espetáculo cumpriu temporada em São Paulo e Rio de Janeiro e Belo Horizonte e estará em cartaz nos dias 18, 19 e 20 de maio, Sexta e sábado, às 20h; Domingo, às 18h, no Teatro Gustavo Leite – Centro de Convenções. Com: Com Denise Fraga, Tuca Andrada, Fábio Herford, Romis Ferreira, Maristela Chelala, Renato Caldas, Eduardo Estrela, Beto Matos, Luiz Ramalho,Rafael Faustino, David Taiyu, Fábio Nassar e Fernando Neves. Ingressos: Plateia: R$ 60 (inteira) / R$ 30 (meia-entrada). Mezanino: R$ 50 (inteira) / R$ 25 (meia-entrada). Vendas:Livraria Leitura (Maceió Shopping e Parque Shopping), Soraya Farias Acessórios (Rua Eng. Mário de Gusmão, 507 – Ponta Verde). www.eventim.com.br. Mais informações: 82 3235-5301.

Dia Alagoano do Teatro A diretoria de Teatros do Estado de Alagoas, Diteal, elaborou uma programação especial para celebrar o Dia Alagoano do Teatro, comemorado em 14 de maio. As apresentações vão de 14 a 20/05, com espetáculos locais e nacionais, nos Teatros Deodoro e de Arena Sérgio Cardoso, no Complexo Cultural Teatro Deodoro e na Praça Deodoro, Centro de Maceió. Entre os espetáculos de circulação nacional, está Alma Imoral com Clarice Niskier, que será apresentado no sábado (19/05), às 20h, no Teatro Deodoro. O valor da entrada é R$ 30,00 inteira

e R$ 15,00 a meia entrada e está à venda na bilheteria do Teatro Deodoro, de terça a domingo, das 14h às 18h. Clarice Niskier volta ao palco do Teatro Deodoro no domingo (20/05) com outro espetáculo conhecido nacionalmente: A Lista, que será às 19h, também com ingresso por R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 a meia entrada, à venda na bilheteria do Teatro Deodoro, de terça a domingo, das 14h às 18h. Tem promoção para quem comprar ingressos para os espetáculos A Alma Imoral e A Lista, o valor fica R$ 50,00 inteira e R$ 25,00 meia para os dois dias.

O Julgamento de Sócrates É uma livre adaptação de “Apologia de Sócrates”, de Platão, realizada pelo premiado autor Ivan Fernandes em forma de monólogo, com o ator Tonico Pereira no papel título. A peça comemora os 50 anos de carreira do ator, que pela primeira vez, faz um monólogo. Dias: 11 e 12 de Maio, às 21h, no Teatro Deodoro. Ingressos: R$ 84,00 (inteira) e R$ 44,00

(meia). Meia entrada válida para estudantes, professores, pessoas acima de 60 anos, associados à OAB e Ingresso Solidário (meia entrada + 1kg de alimento não perecível). Vendas: Viva Alagoas, Folia Brasil e Acesso Vip. Vendas online: www.lojadeingresso.com. Mais Informações: 3032-5210 ou 99601-2828.

DEMITIDO

Amazon retira Jeffrey Tambor da corrida pelo Emmy 2018

C

omo esperado, o ator Jeffrey Tambor foi retirado pela Amazon da corrida pelo Emmy 2018. Após envolvimento em acusações de assédio sexual, o ator demitido da série Transparent não poderá somar mais uma estatueta na sua estante. Pelo papel de Maura Pfefferman na série da Amazon, Tambor ganhou duas das três indicações que recebeu ao Emmy ao longo dos anos. A confirmação de que o estúdio não irá colocar o ator na disputa deste ano foi feita por fontes do Deadline. Além disso, a Netflix e a Fox são responsáveis pela série Arrested

Development, em que Tambor ainda pode concorrer ao Emmy 2018 como coadjuvante, visto que as empresas não se pronunciaram sobre tirar ou não o ator da corrida. Tambor foi demitido em fevereiro de 2018 da série de comédia-dramática criada por Jill Soloway. As acusações de assédio contra ele foram feita em novembro de 2017, pela atriz Trace Lysette e sua ex-assistente Van Barnes. Após Tambor interpretar a protagonista de Transparent por quatro temporadas, a quinta leva de episódios será a última e deve estrear no Amazon Prime Video somente em 2019.


TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 E MAIO DE 2018 DIVERSÃO&ARTE 3 Começo de escalação e são inevitáveis uma ou outra mexidinha no elenco. Em “Jesus”, próxima religiosa da Record, Cláudia Assunção não fará mais Maria de Nazaré. Outra Cláudia, a Mauro, ficou com o papel. Assunção ainda não tem nova personagem definida

FLÁVIO RICCO - colaboração: José Carlos Nery - www.twitter.com/flavioricco

Esporte Interativo está escalado para a grande final da Liga dos Campeões

Para onde foi?

O “TV Kids”, este é o nome, foi resumido para desenhos do “Pokémon” e mudado para 6 da tarde. O curioso é que o desenho passa a anteceder o “Operação de Risco”, programa policial. Um público que nada tem a ver com o outro. Fica difícil.

P

or parte das TVs envolvidas, a final da Liga dos Campeões, Real Madrid e Liverpool, em Kiev, dia 26, já faz por merecer grande atenção. O NSK Olimpiyskyi é o mesmo estádio da decisão da Eurocopa, em 2012, quando a Espanha se sagrou campeã. O Esporte Interativo, como sempre a única a se prestar a tanto, vai com equipe completa para a Ucrânia: o narrador André Henning e os comentaristas Zico, Mauro Beting e Vitor Sérgio Rodrigues. Os repórteres Tati Mantovani e Fred Caldeira, além da cobertura do jogo, estarão encarregados de acompanhar a última semana de preparativos das duas equipes. Na TV aberta, Band e Globo, também como foi ao longo de toda a competição, irão acompanhar o jogo dos seus estúdios no Brasil.

C’est Fini

“Deus Salve o Rei” passou por alguns ajustes nos seus últimos capítulos, muito em função do trabalho que Ricardo Linhares, investido nas funções de supervisor, recomendou fazer. Há um engano, no entanto, na maneira de interpretar de alguns atores, que se arrasta desde os primeiros capítulos. Em vez de falar, muitas vezes, preferem sussurrar. Por conta de quê?

Por enquanto, além de participar do “Jogo dos Pontinhos”, ainda não há a definição de um novo programa para Patrícia Abravanel no SBT. Existem apostas de que será o “Topa ou Não Topa”. Ficamos assim. Mas amanhã tem mais. Tchau!

A propósito

Não para

Com média de um trabalho por ano na Globo desde sua estreia em 1993, Cyria Coentro também se garantiu na próxima novela das 7. Será “mãe” de Fhelipe Gomes e Talita Younan em “O Tempo Não Para”.

César Alves

Faltou isso

Se tem uma novela que está passando batido e caindo na graça de uma grande maioria, ela atende pelo nome de “Orgulho e Paixão”, no horário das 6. A história é interessante e o elenco, escolhido com acerto, está muito bem encaixado.

Bate-rebate

Em se tratando de novelas, este será um final de semana que não terá para nenhuma. Todos os espaços de chamadas do gênero, na Globo, serão de “Segundo Sol”, estreia de segunda-feira. Letícia Colin, no papel de Rosa, vive um dos destaques da história

TV TUDO Se vira nos 30

Esta próxima segunda-feira será um dia de atenção para toda imprensa esportiva em geral e TVs especializadas no particular. Às duas da tarde, de acordo com a programação, o técnico Tite irá apresentar a lista dos selecionados para a Copa da Rússia.

Quero ver

Uma segunda de desafio para aqueles que são responsáveis em armar as grades de programação. Na Band, por exemplo, duas da tarde, termina o programa do Neto e começa o da Cátia Fonseca. Como será?

Falando nisso

Sabe aquela programação infantil que existia na Rede TV! às 9 da manhã? Pois é, ela não está mais lá. O horário também foi vendido. Entrou algo que se intitula “Calculadora”.

·O chef de cozinha Eric Jacquin também será utilizado na campanha do BandSports para as transmissões de Roland Garros... ·... O torneio, um dos mais charmosos do circuito de tênis, será disputado entre os dias 27 deste mês e 10 de junho. ·No “Zero 1” deste sábado, na Globo, Tiago Leifert vai comemorar o “Dia das Mães” e o “Dia Internacional do Meme”. ·O canal Fox Sports não iniciou nenhuma negociação com Juninho Pernambucano... ·... ESPN e Esporte Interativo, também na parte que toca as duas, também não... ·... Pelo menos até agora. ·A festa de entrega dos prêmios da APCA, relativos ao ano passado, será no dia 4 de junho, a partir de 7 da noite, no Teatro Sérgio Cardoso. ·Hoje vai ao ar, na Globo, faixa da tarde, depois do “Sai de Baixo”, o segundo “As Mastrioskas”... ·... Nova série do passeio de Glenda Kozlowski com as mães dos três craques– Nadine (Neymar), Vera (Gabriel Jesus) e Ane (Fernandinho)... ·... Entre salão de beleza e ópera no Teatro Bolshoi vai ter mais um pouco de tudo.

HORÓSCOPO ÁRIES - (21/3 a 19/4) – O contato da Lua com Saturno e Júpiter sintoniza o setor de crise, profissional e material e indica chances que lhe auxiliarão a vencer os problemas na vida objetiva. Você tende a conduzir os problemas com firmeza. TOURO – (20/4 a 20/5) – A fase sugere demandas que beneficiem seu bom senso, já que a Lua se associa a Saturno e Júpiter no setor social. Apesar de ser complicado lidar com gênios difíceis, a tensão com Vênus tende a trazer maturidade e ajudar você neste processo de conhecimento pessoal. No amor, Lua, Saturno e Júpiter indicam a importância de repensar os problemas amorosos e fazer com que seu afeto seja conduzido

com bom senso. Evite complicações no seu cotidiano e priorize o amor. GÊMEOS – (21/5 a 21/6) – A Lua no setor profissional em contato com Saturno e Júpiter destaca um período bom para resolver os problemas e colocar a vida em ordem. Seja firme e busque lucidez. Evite que suas inquietações cresçam, dada a desarmonia com Vênus. No amor, os problemas sentimentais precisam ser tratados como oportunidades de repensar seus propósitos e postura com a pessoa querida. O contato da Lua, Saturno e Júpiter sugere estabelecer diálogo para promover mudanças significantes na rotina afetiva. CÂNCER – (22/6 a 22/7) – Os problemas da convivência afetiva precisam

ser minimizados com mais cuidado. Conduza as adversidades com serenidade e evite se exaltar com a pessoa querida. Procure resolver as pendências amorosas. LEÃO – (23/7 a 22/8) – Fase boa para investir no amadurecimento de assuntos interessantes para sua vida, levando em conta a sintonia da Lua com Saturno e Júpiter. A tensão com Vênus indica a necessidade de rever seus projetos, apesar dos contatos pessoais esbarrarem em desafeições. No amor, tenha mais atenção com seu romance e não perca tempo com as situações complicadas do dia a dia. VIRGEM – (23/8 a 22/9) – A fase é boa para promover mudanças na convi-

vência afetiva. Conduza os problemas com serenidade e faça de tudo para que o afeto seja revisto. Tire o máximo de proveito do dia para expressar suas emoções. LIBRA – (23/9 a 22/10) – O contato da Lua com Saturno e Júpiter sugere praticidade e bom senso. Busque estabilidade emocional, já que Vênus se tensiona no setor espiritual. Não deixe de conciliar a diversão e o descanso com o trabalho. No amor, o contato da Lua com Saturno e Júpiter destaca uma fase de ponderação sobre a vida amorosa, pois o afeto exige segurança e sensibilidade para lidar os problemas afetivos. Procure amadurecer a relação a dois.

ESCORPIÃO – (23/10 a 21/11) – Júpiter no seu signo em contato com a Lua que também se associa a Saturno traz mais conhecimento e oportunidades a você. Procure vencer suas decepções pessoais e se livrar de todo pensamento negativo. SAGITÁRIO – (22/11 a 21/12) – Os astros indicam uma atitude tranquila frente ao romance. Conduza sua segurança pessoal com consideração e afetuosidade com a pessoa querida. Fuja de brigas e pense bem antes de falar. CAPRICÓRNIO – (22/12 a 19/1) – As relações entram em sintonia na base do diálogo, levando em conta a harmonia da Lua com Saturno e Júpiter. Busque se reconciliar com quem andou

distante. Evite que os relacionamentos profissionais sejam comprometidos pela inflexibilidade. AQUÁRIO – (20/1 a 18/2) – Seu bom senso cresce frente ao contato da Lua com Saturno e Júpiter, indicando um período bom para colocar a vida em ordem e buscar melhorias. Uma visão mais prática dos acontecimentos beneficia suas escolhas. Dedique-se a seus projetos e corra atrás de mudanças. PEIXES – (19/2 a 20/3) -Preserve bom senso emocional acima de todas as dificuldades cotidianas. O contato da Lua, Saturno e Júpiter sugere uma atitude livre diante da convivência a dois. Mantenha a serenidade frente às situações conflitantes.

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br O 1º e o 2º na linha de sucessão ao trono britânico, respectivamente Serviço básico de hotéis e pousadas "(?) as Pedras", sucesso de Kiko Zambianchi

© Revistas COQUETEL

Instituição beneficente para idosos

Nota que nega a veracidade de (algo)

Que estão bem acima da média

A natureza íntima de uma pessoa

O mais populoso Estado amazônico (sigla) Habitam; residem A temperatura, na cidade serrana Com (?) infinita, tipo de piscina

(?) drive, memória portátil (Inform.)

Cometa, País hoem inglês mônimo de assado Barco natalino de luxo

Designação comum de orfanatos

Peixe criado em lagos e tanques

Comer, em inglês

Gás essencial à vida (símbolo)

Eliseu Visconti, pintor

Extensão de arquivos de vídeo Donald Trump, presidente dos EUA

Câmera de (?), acessório de carros

Loja que vende itens adquiridos no exterior Os esportes como o polo e o hipismo 39

Solução

A D

E

A

A A S I L O

P E R U D O M N P

E

A P

I A T E A O I

C A S C A T A S

D

D E S M E N T

H E D E

D T O R P A R A B O L A

M E O R R A D M O A A M R M E A V D O R R E G

E

S A R G E N T I N A S D N P

A A A

E M

BANCO

H E R A

lavras de pessoas famosas. Quando se muda para um internato, sua vida muda ao conhecer a sensual, fascinante e ousada Alasca Young. Já parceiros do Hulu por conta de Runaways, Josh Schwartz e Stephanie Savage serão produtores executivos ao lado de Green, Jessica Tuchinsky, Mark Waters (ambos de (500) Dias com Ela) e Marty Bowen (franquia Maze Runner). Com dez episódios, Looking For Alaska não tem previsão de lançamento.

Sentimento que não se define; sente-se, segundo Sêneca Posição do basquete Ópera de (?), postal de Curitiba

O Q

vando-a para a Paramount Pictures. Após o sucesso de A Culpa é das Estrelas, parecia que o projeto ia sair do papel, com Rebecca Thomas (A Fita Azul) sendo contratada para dirigir a longa. Mas a fraca repercussão de Cidades de Papel prejudicou seu progresso, até o momento que Schwartz decidiu transformá-la numa minissérie. Lançado em 2005, o livro gira ao redor de Miles Halter, jovem que leva uma rotina bem pacata e é obcecado pelas últimas pa-

Passo muito rápido, apressado

Pequenas quedasd'água

C H O A R O L T E I S M E O W S I L G L A I L A O M P E

arece que a novela mexicana envolvendo uma adaptação de Quem É Você, Alasca? finalmente vai ganhar um final feliz. O Hulu está desenvolvendo uma minissérie baseada no famoso livro de John Green. A informação é do portal Deadline. Josh Schwartz (The O.C., Gossip Girl) assina o roteiro do piloto e será showrunner do projeto. Vale lembrar que o moço está tentando emplacar tal adaptação desde 2005, le-

Instância psíquica regida pelo prazer Explicação usual para a genialidade Operação bancária Trepadeira de muros

I

P

Desfeita pela polícia (quadrilha) Will Smith, ator de "Eu Sou a Lenda" São usadas na condução de presos

Cedem com fins caritativos

T

Livro de John Green será adaptado para a televisão

O popular "prego", da CEF

3/eat — pen. 4/alto. 5/comet — rolam.

SÉRIE

Palo (?), cidade da Califórnia (EUA)

"Pastéis" típicos do País do Tango (cul.) Letra do escudo do Guarani (fut.)

História como a do semeador (Bíblia)


4

ESPECIAL

TRIBUNAINDEPENDENTE

MACEIÓ - SÁBADO E DOMINGO, 12 E 13 DE MAIO DE 2018

As amigas Flora Vaz e Gleick Vaz FOTOS BY CHICO BRANDÃO, GAL BRANDÃO E SÍLVIO EUGÊNIO

As amigas Marlene Leite e Márcia Marques

A empresária Dinha Tenório

A amiga Geny Albuquerque

A amiga Ângela Maciel

As amigas Vanessa e Fátima Tenório

Top News homenageia o Dia das Mães

F Sra. Vânia Coutinho

Sra. Eliane Lima

Sra. Audi Galvão

Chef Ana Silva

Dra. Martha e Carol Azevedo A amiga Kalina Jucá

Sra. Graça Nobre e Marcielle

Sra. Isabel Pinheiro

foi feito para ambos os sexos. E faz de tudo para que seus direitos e seus ideais sejam respeitados. Com coragem e persistência luta a cada dia para ajudar na felicidade da família. Sua existência é em si um ato de amor. Gerar, cuidar, nutrir. Amar, amar, amar… Amar com um amor incondicional que nada espera em troca. Afeto desmedido e incontido. Mãe é um ser infinito! Parabéns mamãe pelo seu dia. Você é a razão do viver de todos nós.

alar das mães é falar de Deus, pois no coração delas está o verdadeiro amor. Amor que poderia até ser usado como exemplo, amor que se dá sem pedir recompensa. Sem cobrança, sem distinção, sem egoísmo e até sem medir distância, nunca deixa de ser amor. Sua luta no dia a dia a faz uma mulher madura, competente, que sabe o que quer para sua vida. Sexo frágil sim. Mas acomodada não. Cada dia mais preparada, mas consciente de que o mundo

Sra. Gina Cardoso

As amigas Fabrícia Feitosa e Mirella Coelho

Sra. Fátima Rolim

A amiga Lígia Coutinho

Dra. amiga Ana Paula

Sra. Silvana Vasconcelos

Sra. Márcia Vasconcelos Sra. Ana Hora e a chef Tatiana Brasil

Sra. Janete Lobo

Amiga Ana Dória

Sra. Eliane Barbosa

Sra. Milena Machado

Sra. Yeda Jucá

Amiga Carol Agra

Dra. Ligia Nogueira

Sras. Carla Coutinho Cansanção e Flávia Coutinho Marroquim

As amigas Isabella Bezerra e Socorrinho Bezerra

Sra. Luciene Moraes

Sra. Fátima Oiticica

Sra. Laura Vasco

Sra. Patrícia Dantas

Dra. Cleide Vieira

A amiga Lígia Oliveira


Edição número 3143 - 12 e 13 de maio de 2018  

tribunaindependenteediçãodigitaltribunahoje

Edição número 3143 - 12 e 13 de maio de 2018  

tribunaindependenteediçãodigitaltribunahoje

Advertisement