Page 1

» CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 38 PÁGINAS E 5.102 ANÚNCIOS FUNDADOR: ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 60 • Número 205 • Domingo,14 de novembro de 2010 EXEMPLAR DO ASSINANTE ALEX RÉGIS

HUMBERTO LOPES

Acessórios realçam a beleza feminina [ TN FAMÍLIA 8 ]

EMANUEL AMARAL

O perigo que vem do gelo

Temor em meio à fartura

Análise feita em 85 amostras de sorvetes produzidos no RN aponta contaminação em metade delas. [ TN FAMÍLIA 1 E 3 ]

Recém-eleito presidente do Sinduscon,Arnaldo Gaspar Jr. teme um apagão de mão de obra e de materiais. [ ECONOMIA 3 ]

FÁBIO ROSSI

[ AGROPECUÁRIA ] Cemitérios de animais mortos se integram à paisagem seca do interior,onde não há pasto para garantir a sobrevivência do rebanho

Sertanejos recorrem à queima do xiquexique para salvar o rebanho EXEMPLAR DO ASSINANTE

Depois de dois anos de fartura, o agricultor norte-riograndense voltou a ser castigado pela seca. Na região Central, em meio ao cinza da vegetação e à terra rachada, os criadores estão recorrendo à queima do xiquexique para

salvar os animais, um trabalho penoso e muitas vezes em vão porque não é difícil encontrar cemitérios com carcaças de vacas à beira das estradas. Quem pode, está levando o rebanho para outras localidades. Um saco de ração custa R$

50, e um caminhão-pipa R$ 80. A previsão da Emparn aponta para bom inverno em 2011. O problema é que ainda faltam quatro meses para as chuvas chegarem, os açudes estão secos e a água mais escassa. [ NATAL 1 E 2 ] EMANUEL AMARAL

Antes do nascer do sol Como é a rotina de Renata Vasconcelos, Ana Maria Braga e outras apresentadoras que acordam cedo para as primeiras atrações das emissoras de TV. [ REVISTA DA TV 6 E 7 ]

FÓRMULA 1

URBANISMO

Vettel larga na frente no GP que decide o campeão

Construtoras investem na divisa de Natal e Parnamirim

[ PÁGINA 7 ]

[ ECONOMIA 7 ]

»OPERAÇÃO VIA ÁPIA Acusados pela Polícia Federal do desvio de R$ 2 milhões do Dnit deixam o Itep, antes de serem levados para o Centro de Detenção Provisória, em Macaíba. [ PÁGINA 7 ]

ARQUIVO TN

50 anos do mito Ayrton Senna

GAUDÊNCIO TORQUATO Curvas dos caminhos da liberdade ficam mais acentuadas com a extensão da muralha normativa. [ PÁGINA 6 ]

CLÁUDIO HUMBERTO Em 2006,campanha do candidato tucano Geraldo Alckmin doou dinheiro a adversário. [ PÁGINA 10 ]

Documentário conta a história nas pistas e fora delas, do piloto Ayrton Senna.O brasileiro que virou mito, completaria 50 anos se ainda estivesse vivo. [ ESPORTES 2 ]

WODEN MADRUGA O convite do português Manoel Machado,em 1927,aos bravos aviadores do Jahú. [ PÁGINA 2 ]

ELIANA LIMA Corrupção custa até R$ 69,1 bilhões por ano aos brasileiros, segundo estimativa da Fiesp. [ NATAL 10 ]

NEGÓCIOS & FINANÇAS Plano para equilibrar as contas da Previdência Social passa pelo fim das pensões herdadas. [ ECONOMIA 2 ]

100

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

REDAÇÃO: PAUTA

pauta@tribunadonorte.com.br

FALE CONOSCO: PABX: 4006-6100 Redação: 4006-6113

Assinaturas: 4006-6111 Venda avulsa: 4006-6103 Comercial: 4006-6173

Classificados: 4006-6161 Circulação: 4006-6103 Reclamações:4006-6111

VIOLÊNCIA

TRIBUTOS

Gangues usam internet para marcar brigas

Bancada diverge sobre recriação da CPMF

Gangues de estudantes de Natal criam páginas nas redes sociais e usam a internet para ameaçar pessoas, ofender colegas, denegrir a imagem dos rivais e até marcar brigas. [ PÁGINAS 9 E 10 ]

A bancada federal do RN está dividida quanto à criação de um tributo nos moldes da extinta CPMF. Alguns parlamentares são contra, enquanto outros admitem discutir a proposta. [ PÁGINA 3 ]

UFRN

DESENVOLVIMENTO

Reitora eleita terá Seminário discute R$ 200 milhões linhas de crédito para investir para exportação A professora Ângela Paiva, eleita para comandar a UFRN nos próximos anos, vai encontrar um canteiro de obras no campus central e um orçamento de R$ 200 milhões para investir. [ NATAL 4 E 5 ] HOME PAGE:

As linhas de créditos do Banco do Brasil, voltadas para quem quer investir no mercado externo, são um dos temas do Motores, que será realizado no dia 22. [ ECONOMIA 8 ]

www.tribunadonorte.com.br

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

opinião

Domingo | 14 de novembro de 2010

JOSÉ SARNEY [ escritor ]

Jornal de WM WODEN MADRUGA - woden@terra.com.br

Na casa de Fernando Pessoa ui brindado esta semana com dois regalos de Ivoncísio Meira de Medeiros: cópia do convite do empresário português Manoel Duarte Machado (“Despensa Natalense”, “M. Machado e Cia.”) para a recepção que ele e senhora ofereceram “aos bravos aviadores do Jahú”, na noite de 19 de maio de 1927. Dias atrás, toquei aqui, nesse importante episódio da história da aviação brasileira: a travessia do Atlântico (África-Natal) do hidroavião tripulado por pilotos brasileiros. Citei como fonte alguns exemplares do Diário de Natal, que era um jornal ligado à Igreja Católica.

F

Ivoncísio, que é historiador e possuidor de um arquivo precioso de nossa história, tira de uma de suas tantas gavetas o convite da recepção do casal Machado e, junto a ele, num detalhe, fotografia do Jahú pousado sobre as águas do Rio Potengi. O Jahú chegou a Natal no começo da tarde do dia 14 de maio. Na noite seguinte haveria um baile no Palácio do Governo. Num dos intervalos, a poetisa Palmyra Wanderley fez uma saudação em versos. (Está no livro de Paulo Viveiros, “História da Aviação no Rio Grande do Norte”, que foi recentemente reeditado pela UFRN. O comerciante Manoel Duarte Machado morava num dos palacetes mais bonitos de Natal, localizado na praça Dom Vital, ao lado da Igreja do Rosário, na Cidade Alta. Que continua lá, de pé (viva!), do jeito que foi construída pelo seu primeiro proprietário, Jorge Barreto de Albuquerque Maranhão, irmão dos governadores Pedro Velho e Alberto Maranhão. Foi lá onde Manoel Machado e sua mulher, a mossoroense Maria Amélia Duarte, recepcionaram a sociedade natalense para homenagear os quatro tripulantes do Jahú, naquela noite de 19 de maio de 1927. O convite está redigido assim: “Manoel Duarte Machado e Senhora têm a satisfação de convidar V. Exa. e Exma. Família para a recepção que, às 21 horas, offerecem em sua residência ás pessoas de sua amizade, em honra dos

bravos aviadores do “JAHÚ”. Natal, 19/5/927”. No verso do convite aparece o autógrafo do comandante do Jahú, o piloto paulista João Ribeiro de Barros. O nome de Manoel Machado está solidamente ligado à história da aviação no Rio Grande do Norte. Não por conta dessa recepção ao Jahú (teria também recepcionado outros pilotos, entre eles o francês Jean Mermoz, naqueles tempos pioneiros e heróicos da aviação). A ligação é mais profunda, mais importante. Foi Manoel Machado que doou boa parte de sua fazenda Pitimbu, localizada entre os tabuleiros de Natal, Macaíba e Parnamirim, para a construção do primeiro campo de aviação do Rio Grande do Norte. Doado aos franceses da Societé Franco Sudamericanine de Traveaux Publics (representada por Paul Vachet), que depois seria Latecoère, mais tarde Air France (Está tudo contadinho no livro de Paulo Viveiros que juntou, inclusive, a escritura de doação passada no cartório de Miguel Leandro, tio do poeta Nei Leandro de Castro, e hoje guardada nos arquivos do cartório de Jairo Procópio de Moura). O terreno é o mesmo onde depois seria construída a Base Aerea de Natal e onde está o Aeroporto Internacional Augusto Severo. No meio dessa história tem a Guerra e os americanos chegando. E tudo começou com o portuga Manoel Machado...

Lobato e Twain mbora já tenha esfriado o debate sobre a decisão do Conselho Nacional de Educação, que vê em “Caçadas de Pedrinho”, de Monteiro Lobato, racismo, não quero deixar de opinar sobre o assunto. Poucos no Brasil têm sido defensores da raça negra como eu. Acho, inclusive, ser a escravidão a maior mancha de nossa história. Desde que entrei na política apoiei Afonso Arinos, e fui o criador da Fundação Palmares, dedicada à promoção da raça negra. Fui o autor do primeiro projeto de cotas raciais. O que acontece com Lobato lembra-me um caso clássico da educação americana: o combate a “As Aventuras de Huckleberry Finn”, de Mark Twain. Desde que foi publicada, em 1884, essa continuação de “As Aventuras de Tom Sawyer” causou polêmica, foi considerada imprópria e retirada de currículos e bibliotecas. A reação de Twain (Samuel Clemens, no civil) foi tratar o assunto com humor: “Expulsaram Huck de sua biblioteca como “lixo e só

E

adequado às favelas”. Isso vai vender com certeza umas 25 mil O livro “Caçadas de cópias”. Mas a disPedrinho”iluminou a cussão continuou. vida de milhões de Muitas vezes, os brasileiros, que o combatem mais despertando neles o querem utilizar o nesentido da gro para brilhar do convivência racial e que para defendê-lo. da igualdade entre Huck foi um exbrancos e negros.” traordinário sucesso. De vendas e literário. Hemingway declarou que “Huckleberry Finn é o livro de onde brota toda a moderna literatura americana”, onde “nada foi escrito de tão bom”. Mas a polêmica continua até hoje. Tudo porque Twain inovou recriando a linguagem de cada personagem com as características da vida no Mississippi, inclusive incorporando o tratamento a um dos personagens centrais, o “nigger” Jim, escravo fugido. No entanto, o livro é uma sátira terrível,

onde Jim é o bom caráter, em meio a uma multidão de brancos que representam todos os defeitos da sociedade escravocrata. Além de excluído de bibliotecas, o livro tem enfrentado todo tipo de censura - e sobrevivido como um dos livros mais lidos nas escolas americanas. Sobre a polêmica há toneladas de textos, mas creio que o definitivo seja o julgamento do juiz Stephen Reinhard: “Palavras podem machucar, particularmente epítetos racistas, mas um componente necessário de qualquer educação é aprender a pensar criticamente sobre ideias ofensivas. Sem essa habilidade, se pode fazer pouco para responder a elas”. Lobato está em boa companhia. A criação literária é um processo próprio, e tramas, personagens e cenários existem somente na imaginação do autor. Nem por isso deixam de refletir realidades e ser instrumento de mudanças na sociedade. “Caçadas de Pedrinho” iluminou a vida de milhões de brasileiros, despertando neles o sentido da convivência racial e da igualdade entre brancos e negros.

Amâncio

Cartas Mangueiras É uma barbaridade o que a prefeitura fez nas mangueiras da Avenida Itapetinga. Com tanta gente morrendo de fome, mandar cortar as árvores carregadas de manga é um crime e os responsáveis por isso deveriam ser punidos. Será que a Semsur não poderia esperar mais alguns dias, afinal de contas ainda estamos a mais de um mês para o Natal. Sábios são os ambientalistas que impedem a poda do cajueiro de Pirangi do Norte. Para nós pode ser um absurdo, mas para o mundo será um belo exemplo mostrar que no Rio Grande do Norte uma das praias mais badaladas do Estado teve de mudar sua rotina por causa de uma cajueiro que não para de crescer, mesmo depois de 100 anos de vida. Jonas Martins – por e-mail

NA CASA DO POETA O segundo regalo que Ivoncísio Medeiros me deu foi o acesso, onlaine, à Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, onde está, entre outros tesouros, a sua biblioteca particular, aberta ao público agora em outubro. Tenho ido lá às últimas madrugadas, horas seguidas. Um encantamento. É dirigida pela escritora Inês Pedrosa, de quem acabo de ler “A eternidade e o desejo”, escrito nas pegadas do Padre Vieira, em andanças pelo Brasil. Inês Pedrosa está entre as três escritoras portuguesas do meu deleite, ao lado de Agustina Bessa-Luís e Lídia Jorge. Na apresentação do saite da Casa Fernando Pessoa, ela escreveu: “A Casa Fernando Pessoa possui um tesouro único no mundo: a biblioteca particular desta figura maior da literatura. É muito raro conseguirse encontrar a biblioteca inteira de um escritor com a dimensão universal de Pessoa. Os livros tendem-se a mover-se muito depressa: emprestam-se, perdem-se, vendem-se. Pessoa também vendeu alguns – mais deixou-se 1142 volumes, de todos os gêneros e em vários idiomas, densamente anotados e manuscri-

tos (...) Trata-se de uma biblioteca aberta ao infinito da interpretação – bela, surpreendente e instigante, como tudo o que Fernando Pessoa criou. Usufruam-na.” É o que eu tenho feito: usufruindo-a. Li, por exemplo, passagens do texto “O retrato possível de Fernando Pessoa”, tirado do livro “A mesa com Fernando Pessoa”, de Luís Machado (Lisboa, Pandora, 2001). Destaco algumas: a) “Terrivelmente supersticioso, tinha momentos e que se comportava de uma forma enigmática e misteriosa, a que decerto não seria alheia a sua velha atracção pelo oculto, o esotérico e a própria relação metafísica que tinha com a vida”; b) Sabe-se, também, que Pessoa tinha algumas fobias: não suportava que lhe tirassem fotografias, não gostava de falar ao telefone e tinha terror às trovoadas”; c) “Sabe-se que coleccionava postais e que era filatelista. Além de gostar de ler, e a sua biblioteca comprova os muitos livros que “devorou”, apreciava música clássica: Beethoven, Chopin, Mozart, Verdi e Wagner foram seguramente alguns dos seus compositores favoritos”.

SEUS POETAS Além de seus livros, encontro na biblioteca de Fernando Pessoa, obras de mais 77 poetas portugueses. De Camões a Florbela Espanca, passando por Gil Vicente, Bocage, Camilo Castelo Branco, Eugénio de Andrade, Cesário Verde, Guerra Junqueiro, José Saramago, Sá de Miranda, Sophia de Mello Breiyner Andersen, Alexandre Herculano, Vitorino Nemésio, Almeida Garret, Almada Negreiros, Mário de Sá Carneiro, outros e outros. Tantos. Vou aos poucos abrindo seus livros, folheando suas páginas. Descubro em Sophia de Mello Breynar Anderson, que é mãe do escritor Miguel Souza Tavares (“Equador”), outro grande nome da literatura contemporânea portuguesa, um poema homenageando o nosso Manuel Bandeira (Este poeta está/ Do outro lado do mar/ Mas reconheço a sua voz há muitos anos/ E digo ao silêncio os seus versos devagar ). Paro na estante de Miguel Torga. Leio o seu poema “Pudor”, e como faria Sophia, digo os seus versos devagar, no silêncio da madrugada: “Vens, e não sonho mais/ Quebra-se a onda no penedo austero./ E o mar recua, sem haver sinais/ De que te quero. // Não sei amar, ou amo o que me foge./ Já com Deus foi assim, na juventude:/ Dei-lhe a paixão que pude/ Enquanto o namorava na distância;/ Depois, ou medo, ou ânsia/ De maior perfeição,/ Vi-o junto de mim e fiquei mudo./ Neguei-lhe o coração./ E então perdio-, como perco tudo”.

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av.Tavares de Lira,101,Ribeira - Natal/RN CEP:59010200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm.e Operações: Ricardo Luiz de V.Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação:Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

DOM DEMÉTRIO VALENTINI [ presidente da Cáritas Brasileira ]

Dengue

República e Reino próxima semana começa com o dia da República, e termina com o domingo de Cristo Rei. República e Reino. Até parece combinado. Para arrematar bem este ano litúrgico, nada melhor do que estas duas referências estimuladoras, com o claro desafio de integrar os valores que elas apontam. Uma visão, portanto, não teórica, mas prática, no intuito de discernirmos como participar concretamente da República, e como, ao mesmo tempo, sentir-nos cidadãos do Reino de Deus. Logo salta aos olhos que a referência mais rica, mais profunda, mais permanente, é sem dúvida o Reino. Não é por acaso que o Evangelho o menciona com tanta frequência, a ponto de Cristo ter dedicado a ele a maior parte de suas parábolas. E depois de ter contado tantas, ele mesmo se perguntava com que mais poderia ser comparado o Reino. Mateus, herdeiro da tradição judaica, fala do “Reino dos Céus”, para evitar de citar, por respeito, o nome de Deus. É sempre prudente não usar em vão o nome de Deus! São pitorescas as comparações usadas por Cristo. Desde o aceno para o grão de mostarda, até a comparação do banquete, rejeitado pelos convidados, mas oferecido inesperadamente aos pobres. As muitas comparações usadas por Cristo sugerem que o Reino aponta para a integração, para a harmonia, para a totalidade, onde somos convidados a nos integrar. O Reino não disputa lugar com as outras realidades. Ao contrário, ele integra a todas, apontando o sentido e a finalidade de cada uma, concreta e singular, que assim não se entende perdida ou isolada, mas integrada no conjunto maior. O Reino supõe harmonia interior, que Jesus expressava de maneira surpreendente e encantadora, e buscava por sua atitude mística de recolher-se longamente em oração. Jesus fala que o Reino é semelhante ao fermento que a mulher põe na farinha, até que tudo fique levedado. Ou semelhante também ao sal, que torna saborosa a comida. Ou à luz, que deve ser colocada em lugar de destaque para iluminar todo o ambiente. Com estas comparações, fica claro que o Reino

A

Classificados: Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

não é alheio à realidade. Ele a respeita, mas tem a força de transformá-la por denNo Reino se escuta e tro, não contrariando sua se obedece. Na natureza, mas levando-a a República se pensa e desabrochar suas potenciase decide. Quando lidades. Portanto, o Reino aplicamos à não é alheio à realidade. República os Quem se sente animado a mesmos participar do Reino, e a aprocedimentos do gir de acordo com sua insReino, acabamos piração, se volta para a readesrespeitando a lidade, e procura a maneiRepública, mas ra adequada de nela intetambém traindo o ragir. Reino, pois ele Pois bem, nesta semana aposta, não na comparece uma realidade imposição, mas no muito importante, com um convencimento.“ nome bem concreto: a nossa República, a “República Federativa do Brasil”. Se quisermos ser coerentes com a realidade do Reino, precisamos encontrar a maneira adequada de participar da vida republicana. O cristão se sente participante do Reino, mas também cidadão da república. Porém, com uma diferença: na esfera do Reino, lidamos com o absoluto, contamos com verdades definitivas, apelamos para a obediência e para a comunhão de pensamentos e de vontades. Na vida republicana lidamos com o relativo, com o precário, com o provisório, com o limitado, e não podemos invocar sobre estas realidades a mesma postura que adotamos na vivência do Reino. Na República não convém, por exemplo, invocar o nome de Deus! O melhor é cumprir, na prática, a sua vontade. No Reino se escuta e se obedece. Na República se pensa e se decide. Quando aplicamos à República os mesmos procedimentos do Reino, acabamos desrespeitando a República, mas também traindo o Reino, pois ele aposta, não na imposição, mas no convencimento. A propósito, isto tem alguma coisa a ver com as recentes eleições acontecidas na República?

Se for verdade o que diz o levantamento do Ministério da Saúde, estamos na iminência de uma epidemia de dengue e, pelo que me consta, nada está sendo feito nos municípios para nos livrar dessa terrível doença. José Gregório – por e-mail

América Com certeza irão aparecer vários obstáculos em relação ao projeto de construção do estádio de futebol do América, mas o que está em jogo, sem sombra de dúvida, é a reorganização e o futuro da instituição América Futebol Clube. A má fase enfrentada pelo time, já era esperada, isso porque nós vínhamos capengando nos últimos anos sem que nada de novo ou providências fossem tomadas. Marcos Aurélio - por e-mail

Assaltos Como diz Rita Lee em uma de suas canções: “Agora é moda”. É a nova sensação do momento, a bandidagem se utilizar de explosivos para danificar a propriedade alheia. Não seria bom uma lei que obrigasse esses meliantes a pagarem os prejudicados? É inadmissível uma conduta dessas e ficar impune. rsbarbosa40@hotmail.com Cartas para esta coluna deverão ter no » máximo 40 linhas para cada leitor e endereçadas para a seção Coluna do Leitor - Fone:4006-6100 FAX:4006-61224 - Redação/Tribuna do Norte. Email - tribuna@digizap.com.br

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro :(O21)2544-3070 – São Paulo:(011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J.do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J.Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


Domingo | 14 de novembro de 2010

política

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

[ IMPOSTO DA DISCÓRDIA ] Deputados e senadores eleitos e reeleitos têm posições divergentes sobre a criação de um tributo nos moldes da extinta CPMF

Notas & Comentários colunanotas@tribunadonorte.com.br

Fim da reeleição ma comissão especial será formada na Assembleia Legislativa para analisar a Proposta de Emenda Constitucional que acaba com a possibilidade de reeleição para a presidência da Assembleia Legislativa. A comissão será designada pelo atual presidente da Casa, Robinson Faria.

U

VOTAÇÕES DA ASSEMBLEIA Uma reunião dos líderes de bancada com o presidente da Assembleia, Robinson Faria, vai definir, na próxima terça-feira, a pauta de votações até o final da atual legislatura. Os deputados estaduais podem entrar em recesso no dia 15 de dezembro, se até lá votarem o projeto de lei que define o Orçamento Geral do Estado.

Reação no twitter O deputado federal João Maia usou o twitter para comentar os episódios recentes que envolveram indicados por ele na investigação sobre corrupção no Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte). O nome de João Maia foi citado também em reportagem num jornal local que apontava envolvimento nas articulações para aumento da tarifa de trans-

porte urbano em Natal. “Em relação ao que está acontecendo no RN, tenho me mantido calado, esperando decisão da Justiça”, afirmou o deputado no twitter. E acrescentou: “Eu confio na Justiça e tomei a decisão de acionar a todos, na própria Justiça pra provarem o que estão falando. Para mim, a liberdade de imprensa é sagrada. A injúria e a difamação, não”.

ESTRATÉGIA DO MERGULHO Ao se manifestar pela primeira vez depois que foram publicadas reportagens sobre as suspeitas de corrupção no Dnit, o deputado João Maia, presidente estadual do PR, escolheu o twitter. Mantém a postura de não conceder entrevistas sobre o assunto. Para um deputado e presidente de um partido seria mais convincente falar abertamente sobre o assunto. A estratégia do mergulho, deixa margem para dúvidas.

DIVULGAÇÃO

Assessoria à transição

O advogado Paulo de Tarso Fernandes acompanhou a governadora eleita Rosalba Ciarlini e o vice-governador Robinson Faria na audiência de sexta-feira com o governador Iberê Ferreira. Na ocasião, Rosalba apresentou a equipe de transição. Ela confirmou que Paulo de Tarso, embora não integre oficialmente essa equipe, dará assessoria ao trabalho de transição e a projetos que serão desenvolvidos pelo novo governo.“Paulo de Tarso estará sempre conosco. Dará assessoria a esse trabalho e a outros projetos”, destacou a governadora eleita.

Transição pacífica A governadora eleita Rosalba Ciarlini elogiou a atuação do governador Iberê Ferreira de Souza, que foi adversário dela na disputa eleitoral, nesta fase de transição. “O governador Iberê não está omitindo nenhuma informação. A situação econômica é difícil, a exemplo do que acontece na maioria dos Estados brasileiros, mas o governador está trabalhando para ajustar as coisas”, disse Rosalba Ciarlini.

Homenagem

Rumo a 2012

O advogado, jornalista e professor aposentado, Eider Furtado, 86 anos, será homenageado em uma sessão solene promovida pela Câmara Municipal de Natal e proposta pelo vereador Raniere Barbosa (PRB). A sessão está marcada para a próxima quinta-feira (18), às 18 horas, no plenário do Palácio Padre Miguelinho.

O jornalista Robinson Pires informou que circula nos bastidores conversas, segundo as quais, o deputado estadual Álvaro Dias pode ser candidato a prefeito de Caicó, em 2014, tendo Roberto Germano como vice. Pelo acordo, se forem eleitos, Álvaro deixaria a prefeitura em 2014 para disputar um mandato de deputado estadual.

DEMOGRAFIA EM HAVANA Os professores Mardone França, Cristiane Correa e Paulo Roberto Medeiros, do Departamento de Estatística da UFRN, vão participar do “IV Congreso da Associación Latinoamericana de Población”, em Havana/Cuba. O congresso vai de 16 a 19 de novembro de 2010. Eles apresentarão trabalhos sobre questões demográficas da América Latina e do Brasil.

Bancada do RN diverge sobre recriação da CPMF ANNA RUTH DANTAS repórter

OPINIÃO DOS PARLAMENTARES Veja a opinião dos senadores e deputados eleitos e reeleitos sobre a recriação da CPMF

bancada federal do Rio Grande do Norte está dividida quanto à criação de um tributo nos moldes da extinta Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Assessores da próxima presidente Dilma Rousseff sinalizaram que o tributo poderá ser criado. Uma iniciativa que conta com toda cautela da bancada potiguar. Senadores e deputados dos partidos de oposição ao Governo Federal se posicionam “terminantemente” contra a ideia. Em comum todos eles têm a preocupação com o problema do financiamento para a saúde pública. Já os deputados que são da base governista não assumem ser favorável ao retorno da CPMF de forma isolada, mas admitem que ela poderá ser recriada a partir da reforma tributária, que será colocada em pauta na próxima legislatura. Líder do PMDB na Câmara dos Deputados, o deputado federal Henrique Eduardo Alves não acredita que a CPMF será recriada de forma isolada. Ele destaca que já ouviu ministros ligados a presidente Dilma Rousseff afirmarem que “não será criada agora”. Mas o peemedebista confirma que a discussão sobre essa taxação poderá ocorrer dentro do projeto de uma “ampla reforma tributária”. A deputada federal Sandra Rosado (PSB) sugere que o Governo destine um imposto já existente e coloque exclusivamente o carimbo de recursos para saúde. Líder da oposição no Senado, o senador José Agripino Maia (DEM) é contundente ao criticar a CPMF. E destaca que os sinais da presidente Dilma Rousseff de que poderá recriar o imposto é um “grande alerta” para população. Mesmo quem é do partido de apoio ao Governo Federal também se posiciona contrária a taxação. É o caso do senador Garibaldi Alves Filho (PMDB). Para ele, o fato da CPMF já ter estado em vigor e não ter resolvido o problema da saúde aponta que o financiamento para esse sistema precisa ser discutido, mas não amparado na cria-

A

Senadores do RN são contra retorno da CPMF A bancada de senadores do Rio Grande do Norte que estará atuando a partir de 2011 é contrária a criação da CPMF. Dos três parlamentares, José Agripino Maia (DEM), Garibaldi Alves (PMDB) e Garibaldi Filho (PMDB), o único que ainda aceita ceder ao Governo para votar favorável a CPMF, caso seja comprovada a necessidade desses recursos, é Garibaldi Alves. Tanto José Agripino quanto Garibaldi Filho trazem discursos fortes de crítica a recriação do imposto. “Sou frontalmente contrário. Acho que a tentativa de recriar um a CPMF é um desrespetico com a sociedade e me preocupa nesse novo governo. É (a recriação da CPMF) um sinal preocupante que o governo emite para a sociedade”, destaca. O senador do DEM lembrou que o imposto foi derrubado há dois anos “pela vontade da maioria do povo brasileiro e o governo que acaba se reeleger traz nos primeiros atos a sinalização da recriação”. “Ao invés de reduzir gasto público, o governo sinaliza com crescimento da receita pela criação de imposto já derrubado”, avalia. O senador Garibaldi Filho é contrário à CPMF e argumenta que quando o imposto vigorou não resolveu o problema da saúde no país. “O Governo não entregava totalmente os recursos para saúde. Sou a favor é que se resolva o financiamento da saúde que é caro, mas não vejo como aumentar a carga tributária”, comenta.

SENADORES JOSÉ AGRIPINO MAIA Contra.Para ele,o governo Dilma sinalizando para recriação da CPMF é um sinal de alerta para sociedade.

GARIBALDI FILHO Contra.Acredita que é preciso resolver o problema do financiamento da Saúde,mas não com o aumento da carga

GARIBALDI ALVES (PAI) Sem posicionamento. Estudará o assunto, mas afirma que se houver necessidade do Governo para resolver o problema da Saúde será favorável à CPMF.

tributária.

DEPUTADOS FEDERAIS

HENRIQUE EDUARDO ALVES

Acredita que a recriação da CPMF deve ser discutida dentro de uma ampla reforma tributária.

FÁTIMA BEZERRA

Favorável à criação de um mecanismo próprio de financiamento da Saúde.Mas contrária à criação da CPMF no modelo anterior.

FÁBIO FARIA

Contra.Acredita que se for criada uma nova forma que atenda ao pleito dos municípios deverá ser aprovada.Mas é totalmente contrário ao modelo original.

SANDRA ROSADO

Contrária.Propõe que para resolver o problema da Saúde seja direcionado um imposto já existente,voltado exclusivamente,com o carimbo da Saúde.

ção de um imposto. Também da base de apoio ao Governo Federal, o deputado federal Fábio Faria afirma ser contrário a volta da CPMF e destaca que já ouviu do ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, de que essa tributação não será novamente implantada. A deputada federal Fátima Bezerra, única representante do PT do Rio Grande do Norte na Câmara, é cautelosa ao falar da volta da CPMF. Ela opta por não entrar na discussão de ser contrária ou favorável, mas confirma que a taxação deverá ser discutida no projeto da reforma tributária. “Não podemos fechar os olhos para o financiamento da saúde”, frisa.

FELIPE MAIA

Contrário.Argumenta que o governo federal continua registrando recordes de arrecadação.Tanto que, apesar de a CPMF ter sido derrubada,a gestão Lula arrecadou duas vezes o valor da contribuição.

BETINHO ROSADO

Contra.Argumenta que o grande prejudicado com mais esse imposto será a classe média.Estima que o brasileiro já paga,do seu salário,50% de imposto.

JOÃO MAIA

PAULO WAGNER

Não foi localizado pela reportagem.

Procurado pela reportagem. Não foi localizado.

REDISTRIBUIÇÃO A recriação da CPMF também não conta com a simpatia da governadora eleita do Rio Grande do Norte Rosalba Ciarlini.Ela é contrária ao imposto e acredita que não é essa tributação que irá resolver a problema do sistema público de saúde. “Sou contrária sempre. A CPMF já foi criada uma vez e não resolveu o problema da saúde.O que precisamos é que o Governo priorize a saúde, a questão precisa ser resolvida com a regulamentação da emenda 29”, destacou a governadora eleita. Ela argumentou que a recriação da CPMF trará apenas mais uma penalidade para o contribuinte.“A nova CPMF vai penalizar ainda mais o contribuinte,que não aceita mais impostos”, frisou.Rosalba Ciarlini comentou que é necessário redistribuição dos recursos federais. “A CPMF foi criada,não resolveu e estamos há anos esperando a regulamentação da emenda 29”, completou.

Reforma vai tratar do financiamento O assunto da recriação da CPMF deixa a bancada de deputados federais do Rio Grande do Norte dividida. Embora todos afirmem ser contrários a volta do imposto isoladamente, os governistas admitem discutir a taxação dentro de um amplo projeto de reforma tributária. “Posso adiantar que não há a menor possibilidade de ressuscitar a CPMF nesse momento. Essa é a posição do PMDB. Não há o menor clima para recriar o imposto”, destaca o líder do PMDB na Câmara, o deputado federal Henrique Eduardo Alves. Ele pondera que a discussão sobre a CPMF será travada dentro do projeto de reforma tributária. “No bojo dessa reforma vamos cuidar do financiamento para saúde e de outras alterações. Essa reforma irá se impor logo no primeiro semestre do próximo ano”, destaca, frisando que a problemática da saúde está no fato da demanda ser muito superior a própria receita. “Mas isoladamente é impossível a recriação da CPMF”, completa. A deputada federal Fátima Bezerra (PT) segue um argumento semelhante a do líder peemedebista. Ela chama atenção para necessidade do financiamento da saúde, mas prega a reforma tributária como forma de criar esse mecanismo. “Não podemos fechar os olhos para o financiamento da saúde. Sou favorável para que pensemos em um mecanismo de fortalecimento da saúde. Mas esse debate só acontecerá no próximo ano”, diz a petista. Ela frisa que não é favorável a

voltar a CPMF nos moldes originais. “Não há necessidade de uma alíquota daquele tamanho, como era anteriormente. Mas é preciso pensar sim uma contribuição para saúde, um mecanismo próprio”, completa. Para a deputada Sandra Rosado (PSB) urgente é criar um mecanismo para a saúde pela gravidade do problema enfrentado por Estados e municípios. “Não sou a favor da CPMF, mas acredito que o Governo deve procurar a subs-

Posso adiantar que não há a menor possibilidade de ressuscitar a CPMF nesse momento. Essa é a posição do PMDB” HENRIQUE EDUARDO ALVES líder da bancada do PMDB

tituição de um imposto e direcioná-lo para a saúde. Seria um imposto que já existe, o que não pode é acrescentar imposto a carga tributária. A população não pode ser penalizada”, avalia a parlamentar do PSB, lembrando que quando a CPMF estava em vigor não havia informação sobre o que era recolhido para a saúde. Parlamentar da bancada de oposição ao Governo Federal, o deputado federal Felipe Maia observa que a administração fede-

ral está registrando recordes de arrecadação, mas não é revertido para saúde. “O governo federal continua registrando recordes de arrecadação. Tanto que, apesar de a CPMF ter sido derrubada, a gestão Lula arrecadou duas vezes o valor da contribuição. E nada disso foi investido na saúde. Ou seja, os fatos mostram que o governo não precisa recriar um imposto para gastar com a saúde”, observa o parlamentar do DEM. O deputado federal Betinho Rosado (DEM) também é contrário ao novo imposto. Ele argumenta que a população brasileira já paga uma carga tributária muito elevada, para arcar com ainda mais esse imposto. “Do salário ganho pela população ela fica com apenas 40% do dinheiro. 10% vai para a previdência e 50% para impostos”, comentou o parlamentar. Ele disse ser contrário a qualquer aumento da carga tributária. Também de oposição, o deputado federal Rogério Marinho classifica de “estelionato eleitoral” o fato da recriação da CPMF não ter sido colocada na pauta da campanha eleitoral de Dilma Rousseff e agora o governo sinalizar com o assunto. “O governo precisa sair de cima da regulamentação da Emenda 29. A arrecadação só aumentou a partir de 2008, com o término da CPMF. Acontece é que o Governo não cumpre seu dever de casa, aumenta a arrecadação, mas não corta os gastos ruins”, completa. [ Leia mais na página 4 ]


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 14 de novembro de 2010

[ IMPOSTO DA DISCÓRDIA / CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 3] Senadora que foi relatora do projeto de prorrogação da CPMF afirma não acreditar que a presidenta eleita apoiará o retorno do tributo

[ PRIMEIRO ESCALÃO ] Prioridade é

definição dos ministros da área econômica

Kátia Abreu afirma que volta da CPMF seria “estelionato” S

Chalita é nome cotado para substituir Haddad

WALDEMIR BARRETO/AS

ão Paulo (AE) - A senadora Kátia Abreu (DEM-TO), que foi relatora do projeto da prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), disse ontem que não acredita que a presidenta eleita Dilma Rousseff apoiará o retorno do tributo. “Não acredito que a presidente vá colocar essa matéria em pauta, mesmo porque seria estelionato eleitoral”, afirmou a senadora durante palestra promovida pela Feileite (Feira Internacional da Cadeia Produtiva do Leite), em São Paulo. De acordo com a senadora da oposição, Dilma “deu sua palavra” 15 dias antes da eleição de que a CPMF estaria fora da agenda. “Tenho certeza que ela vai cumprir”, completou. Kátia Abreu rechaçou a hipótese da CPMF voltar a ser discutida no Congresso Nacional. “Em qualquer hipótese, eu não voto aumento de impostos”, ressaltou. Sobre as expectativas em relação ao novo governo para o setor do agronegócio, a senadora que também é presidenta da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) - disse que é preciso “dar um tempo” para Dilma e avaliar seus primeiros 100 dias de governo. “Vamos esperar o próximo governo dar seus primeiros movimentos. Nós pretendemos fazer isso: aguardar esses próximos 100 dias para a presidente se manifestar a respeito de todos os assuntos, incluin-

CPMF

S

Imposto não deve voltar

Kátia Abreu: senadora e presidenta da CNA

do o agronegócio”. A senadora, que atualmente é uma das principais lideranças nacionais do DEM, foi “cordial” ao declarar que tem “boas expectativas” em relação à sucessora do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Kátia Abreu, o governo depende do agronegócio e o setor depende do governo. “Acho que vai ser uma boa parceria”, disse. Questionada sobre a declaração da presidenta eleita de que o

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) não pode ser tratado como “caso de polícia”, a presidente da CNA mostrou que nesta área não deve haver consenso entre ruralistas e o governo. “Desde que o MST não invada terras, ele não será um caso de polícia”, rebateu. Kátia Abreu aproveitou sua passagem por São Paulo para se reunir com lideranças de seu partido, entre eles o prefeito Gilberto

Kassab, cotado para ir para o PMDB. Após o encontro, Kátia Abreu descartou a possibilidade de Kassab deixar o partido A senadora garantiu que a fusão do DEM com o PMDB não está em pauta e que a preocupação agora é com a reestruturação da legenda. “Queremos uma reformulação na direção do partido para que possamos revitalizar os diretórios municipais, estaduais e nacional”, explicou.

ão Paulo (AE) - Os dois anos de sucessivas falhas na aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não só desgastaram o ministro da Educação, Fernando Haddad, preferido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para continuar à frente da pasta no governo Dilma Rousseff, como abriu espaço para que outros candidatos disputem a vaga. Em meio às negociações para a formação do futuro governo, o PSB pode abocanhar também o Ministério da Educação e ampliar sua participação no Planalto - que hoje se restringe ao Ministério de Ciência e Tecnologia e Secretaria Especial dos Portos. Segundo fontes ligadas à legenda, o nome mais cotado é o do deputado eleito e vereador por São Paulo Gabriel Chalita. Ex-secretário da Educação do Estado de São Paulo na gestão Geraldo Alckmin (PSDB), Chalita conta também com o carinho especial da presidenta eleita. Ele foi um dos responsáveis pela aproximação de Dilma com setores da Igreja Católica desde a pré-campanha e atuou como “bombeiro” na articulação entre a candidata e a Igreja nos momentos mais delicados da campanha, quando as discussões envolvendo temas como aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo fizeram a petista perder pontos nas pesquisas de intenção de voto. Na disputa com o deputado federal eleito neste pleito - o segundo mais votado do Estado depois do palhaço Tiririca - estão nomes como o da filósofa Marilena Chauí, ex-secretária em São Paulo durante o governo Erundina, do escritor Fernando Morais e do senador petista Aloizio Mercadante. Chalita é considerado um gestor agregador e mobilizador das redes de ensino, com boas chances de por fim à crise que colocou o Enem em xeque. “Para ela (Dilma) o que aconteceu com o Enem é inconcebível”, conta um pessebista, ao criticar as falhas consecutivas na aplicação da prova. Caso seja escolhido para dirigir o Ministério da Educação, Chalita deverá promover mudanças significativas no Enem, começando com a aplicação da prova em três datas diferentes ao longo do ano, como defende a ex-secretária executiva do MEC Maria Helena Guimarães de Castro, uma das criadoras do Enem na gestão Fernando Henrique Cardoso. No passado, Chalita fez críticas ao Enem, o qual classificou como “tão ruim quanto os antigos vestibulares”. Os primeiros nomes do novo governo Dilma Rousseff devem ser anunciados nas próximas semanas. A prioridade é a definição da área econômica, como sugeriu o presidente Lula. A tendência é que a presidenta eleita aposte em perfis técnicos com viés desenvolvimentista. Num dos postos-chave do governo, a Casa Civil, a discussão está em torno do perfil do

novo titular, se vai pender mais para o político ou para o técnico. Segundo Fontes, além dos conselhos do presidente Lula, Dilma tem ouvido com frequência seu vice Michel Temer para fechar os nomes do primeiro escalão. OUTROS PARTIDOS O PV, que faz questão de se colocar como “independente”, também vem sendo cogitado para integrar o governo Dilma. Para surpresa do partido da senadora Marina Silva, o PV foi sondado para compor a nova administração. No segundo turno, Dilma se comprometeu com propostas que faziam parte do plano de governo de Marina. Embora a equipe de transição esteja mais comprometida em atender os partidos de sua coligação, Dilma quer ter ao seu lado o PV que saiu fortalecido das urnas. “Está havendo boa vontade e sondagens, mas não há nenhuma sinalização sobre ministérios”, disse um ex-candidato do PV. Oficialmente, o PV rechaça discussões relacionadas à negociação de cargos. “Qualquer conversa em torno de programas é construtiva. Mas não há convites e não

Está havendo boa vontade e sondagens, mas não há nenhuma sinalização sobre ministérios”

haverá convites”, reforça o vicepresidente do partido, Alfredo Sirkis. Deputado federal eleito pelo Rio de Janeiro, Sirkis lembra que o governo Dilma terá dificuldades para agregar todos os partidos da sua base, “quanto mais os que não a apoiaram”. Já o PCdoB, que se reuniu esta semana com o presidente do PT, José Eduardo Dutra, diz que o tema da conversa não foi composição ministerial e sim questões programáticas que não foram aprofundadas durante a campanha eleitoral, como as reformas e a guerra cambial. “Temos muitos nomes, nomes de excelência, mas não chegamos lá (na reunião) para cobrar ministérios”, disse o secretário de comunicação do partido, José Reinaldo Carvalho. O secretário destaca que o partido se identifica com as pastas criadas no governo Lula, como a Secretaria de Políticas de Promoção e Igualdade Racial, e áreas que exijam interface com movimentos sociais. Entre os “nomes de excelência” do PCdoB estão os deputados Aldo Rebelo (SP), Manuela D’Ávila (RS), e o atual ministro dos Esportes, Orlando Silva.


Domingo | 14 de novembro de 2010

política

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

Após ter a biografia contada em livro e nas telas do cinema, e ganhar fama internacional por ser chamado de “o cara” por Barack Obama, o presidente Lula é o tema do primeiro gibi da coleção “História do Brasil em Quadrinhos”

[ PRESIDÊNCIA ]

Lula vira personagem de gibi FOTOS:REPRODUÇÃO

ão Paulo (AE) - Após ter sua história contada em livro e nas telas do cinema, virar personagem do South Park e da “Ilha Presidencial” (do site de humor venezuelano “El Chiguire Bipolar”), e ganhar fama internacional por ser chamado de “o cara” pelo dirigente norte-americano Barack Obama, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o tema do primeiro gibi da coleção “História do Brasil em Quadrinhos”, da editora Sarandi. A coleção, que chegou às bancas e livrarias de todo País nesta semana, começa com a “Série Brasileiros”, que aborda a história de personalidades que marcaram a história do Brasil. A menos de dois meses do final de seus oito anos de mandato, o presidente Lula aproveita a publicação para se despedir do poder em uma carta publicada no final do volume, onde diz que deixa o governo com a “sensação do dever cumprido”. Inicialmente foram produzidos 37 mil exemplares do livro “Luiz Inácio Brasileiro da Silva”, que chega às bancas ao preço de R$ 4,95. As 48 páginas retratam a trajetória de vida do presidente da República, desde sua infância no sertão pernambucano até os dias atuais, com o final do mandato na Presidência da República, seguindo praticamente a abordagem do filme “Lula, o filho do Brasil”. O texto é de Toni Rodrigues, autor dos livros infantis “Um monstro no meu quarto” e “Tem bicho que gosta” e as ilustrações são do argentino Rodolfo Zalla, que se destacou como editor de quadrinhos na década de 80 com as revistas “Calafrio” e “Mestres do Terror” e é conhecido no mercado pela sua

S

habilidade em trabalhar com gêneros diversificados, como terror, guerra, policial, western e sexo. Diferentemente do filme, o gibi começa com o elogio do presidente norte-americano Barack Obama ao colega brasileiro durante reunião do G20, em abril de 2009. “Essa é a história do homem que Obama chamou de ‘o político mais popular do Planeta Terra’”, diz a introdução. Temas que não foram mencionados no filme de Fábio Barreto, como o nascimento de sua filha Lurian e os fatos mais relevantes da história da política brasileira, do final da década de 70 ao período da redemocratização, aparecem no gibi, incluindo a posse de José Sarney, após a morte de Tancredo Neves, a eleição de Fernando Collor de Melo

(sem menção ao processo de impeachment) e as duas derrotas para o tucano Fernando Henrique Cardoso, o qual é tratado como “um antigo companheiro de lutas”. “Finalmente, nas eleições de 2002, o filho de Dona Lindú se elege pela primeira vez como presidente do Brasil. Ele implementa em seu governo um amplo programa social, sempre que possível voltado para os menos favorecidos”, diz o gibi. “Lula é reeleito em 2006. Os problemas são muitos, nem todas as batalhas são vencidas, mas ele chega ao final de seu segundo mandato com um dos maiores índices de popularidade da história da república “ A última página da publicação deixa claro que o presidente ocupará um papel importante na história do País. “Muitos se pergun-

tam que futuro aguarda este homem que de uma origem bastante humilde, contra todas as circunstâncias, chegou ao mais alto cargo que um político possa almejar... mas o futuro ainda é uma página em branco...”, conclui o gibi. Ao final da leitura, o leitor se

depara com uma “mensagem” assinada pelo presidente, onde ele diz que sua história representa a de milhões de brasileiros anônimos que não tiveram oportunidades. Lula agradece a todos que contribuíram para a realização de seu governo, dos funcionários mais humildes aos ministros, à sua família, principalmente a primeira-dama Marisa Letícia. “Apesar do muito que ainda falta ser feito, vou concluir o mandato com a sensação do dever cumprido. Com a certeza de que cada página em branco do nosso futuro há de ser preenchida por homens e mulheres que não desistem nunca e conquistaram o direito de uma vida digna”, afirma o presidente.

MEC A Editora Sarandi foi criada em 2003 por professores e tem como um dos principais clientes o Ministério da Educação (MEC), que comercializa seus livros didáticos pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). A Sarandi também publica obras paradidáticas e é especializada em publicações da área de ciências da natureza e Direito. Com foco no público infantojuvenil, a editora espera que a publicação também chegue aos adultos. A linguagem das histórias em quadrinhos foi escolhida pela possibilidade de comunicação rápida e chances de atingir os mais variados leitores. Os próximos volumes da coleção serão sobre Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e Giuseppe Garibaldi.


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 14 de novembro de 2010

[ INTERNAÇÃO ] Estado de saúde do vice-presidente José Alencar melhora, após infarto do

miocárdio, ocasionado pelo tratamento quimioterápico para combater o câncer no intestino

Gaudêncio Torquarto gaudenciotorquarto@tribunadonorte.com.br

Curvas nos caminhos da liberdade

Lula e Dilma chegam da Coreia e visitam Alencar RICARDO STURCKET

liberdade de expressão e a liberdade de imprensa, ao lado do livre exercício da religião, do direito das pessoas se reunirem e poderem reivindicar reparações às ofensas recebidas, constituem o lume da democracia moderna. Essas liberdades são objeto da primeira emenda à Constituição americana. Em 1791, Thomas Jefferson, impressionado pelos acontecimentos que vivenciou na França em 1789, onde era embaixador, propôs que a Carta abrigasse 10 artigos (Bill of Rights). Desde então, esse ideário patrocinado pelas Revoluções francesa e americana, tem sido o facho que ilumina as democracias contemporâneas, servindo, ainda, de baliza para enquadrar regimes que tentam, de forma aberta ou latente, negar ou escamotear seus valores. As constituições democráticas abrem grandes espaços para o escopo das liberdades e dos direitos à informação.

A

O universo das comunicações sociais e tecnológicas está a merecer amplo foro de debates, principalmente quando se leva em conta a concepção do mundo global com o centro de irradiação na Telépolis.”

O Brasil é um exemplo de país que disseminou a semente dos direitos. O inciso XIV do art. 5º da Constituição assegura o acesso à informação e resguarda o sigilo da fonte; o inciso XXX assegura o acesso às informações de órgãos públicos; o inciso IV, a manifestação do pensamento; o inciso IX, a liberdade de expressão; o inciso X, a inviolabilidade da vida privada, enquanto o art. 220 proíbe a censura. O cidadão pode se considerar protegido por um cinturão de direitos. Diante de tão extensa muralha normativa, há perigo de soçobrar nosso edifício democrático, principalmente as colunas das liberdades de expressão e de imprensa? Esta é a recorrente dúvida que tem se expandido no Brasil, em função de propensão de alguns perfis em defender sistemas de “controle social da mídia”, a partir de conselhos de comunicação, alguns até em estágio de criação por Assembleias Legislativas, como as do Ceará, Bahia, Alagoas e Piauí. O próprio governo Lula, por meio do ministro Franklin Martins, da Secretaria de Comunicação Social, tem procurado inserir na agenda o controle da mídia. Um evento realizado em Brasília, semana passada, exibiu um panorama internacional sobre a questão. Analisemos os aspectos polêmicos. De pronto, uma constatação: o universo das comunicações sociais e tecnológicas está a merecer amplo foro de debates, principalmente quando se leva em conta a concepção do mundo global, com seu centro de irradiação na Telépolis, espaço sem fronteiras, onde infovias e bits propiciam, em um átimo de segundo, a integração de linguagens, sistemas e processos de mídias muito diferentes. Vê-se a conjunção de dois planetas, o primeiro circulando em torno do pólo das comunicações sociais – onde as mídias da era Gutenberg (meios impressos) se encontram com as mídias da era eletrônica (rádio e televisão) – e o segundo margeando o polo da tecnetrônica (mescla da tecnologia e eletrônica para formar as redes sociais da Internet). Interrogação posta na mesa: os códigos que regulam atividades jornalísticas nos campos impresso e eletrônico devem ser os mesmos? O repertório de abusos que se viu nas infovias da Internet, ao longo do pleito deste ano, indica que “uma terra de ninguém”, semeada de barbárie, está a carecer de uma base regulatória, mesmo estreita. O direito à livre expressão foi (ab)usado para produção de falsidades, histórias estapafúrdias, glorificação e demonização de perfis, no intuito de corroer ou elevar o pedestal de candidatos. Dizer que o exercício expressivo na Internet é regido por nossos códigos - dentre eles, o de-

fasado Código Eleitoral - é ferir a verdade. Outra questão diz respeito aos limites do território das telecomunicações. Como se sabe, este ambicionado filão, sob regime da livre iniciativa, forma um dos negócios mais prósperos do país, emoldurando o portfólio de grupos internacionais. A área, que opera a plataforma tecnológica, não tem competência legal para entrar na seara da comunicação social. Quem produz o prato não pode fabricar a comida. Há, no entanto, sinais de que as telecomunicações produzem conteúdos. Trata-se de concorrência desleal. Ao lado das abordagens concernentes à convergência, mobilidade e interatividade das novas mídias, desponta o velho nó da propriedade cruzada de meios de comunicação. A tese da democratização do universo comunicativo afasta a possibilidade de um mesmo proprietário ser dono de TV, rádio e jornal numa mesma região. Tais cadeias constituem, como é sabido, extensões da própria cultura política, sendo os meios de comunicação cabeças de ponte para a perpetuação do mandonismo de grupos regionais. Eliminar esse costume seria um golpe mortal nos feudos, meta muito difícil de ser alcançada. Decisão nesse sentido passaria pelo crivo dos próprios interessados. Outro fator de dissabor – que afeta a classe política – diz respeito à reparação de danos (ofensas, calúnias, injúrias etc) por conta de matérias jornalísticas envolvendo os atores. Expande-se um sentimento negativo contra a imprensa no Parlamento. A imprensa, é evidente, cumpre o dever de mostrar desvios e ilícitos, mas os implicados sentem a honra maculada quando veem suas vidas devassadas antes de serem condenados. Aqui, bifurcam-se alas e interesses. De um lado, setores políticos propensos a acatar medidas de controle da mídia; de outro, grupos que exalam um teor ideológico, e cuja argumentação procura o escudo de um marco regulatório para o setor, particularmente no sentido de evitar a canibalização da radiodifusão pelas telecomunicações. A dúvida persiste: a base regulatória implicará controle de conteúdo da matéria jornalística? Procurará apenas aplicar disposições legais, como a indicação constitucional para regionalização de parte dos conteúdos midiáticos? O receio da sociedade é este: o de que por trás do tal marco pode se esconder uma teia doutrinária, de matiz socializante, e atrelada aos cordões de governos da região que sufocam a liberdade de expressão, como Cuba, Venezuela, Equador, Argentina e Bolívia. Esse é o porém que, até o presente, os “reguladores” não conseguiram afastar do meio social.

ão Paulo (AE) - Internado desde o dia 25 de outubro, o vice-presidente José Alencar recebeu, na manhã deste sábado, a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da sua sucessora, a exministra Dilma Rousseff. Bem disposto, Alencar posou para fotos com os dois em seu quarto no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O vice-presidente está internado para tratamento de suboclusão intestinal com quimioterapia. Na tarde de quinta-feira, Alencar apresentou mal-estar e teve enfarte agudo do miocárdio. Ele foi imediatamente submetido a um cateterismo. Pelo quadro estável, na sexta-feira à tarde Alencar foi transferido da UTI para a unidade coronária semi-intensiva, segundo boletim médico. Não há previsão de alta. Lula e Dilma desembarcaram no aeroporto de Congonhas às 9h20, de viagem feita à Coreia do Sul, e logo seguiram para o hospital. Após a visita, Lula partiu para sua residência em São Bernardo do Campo, sem compromissos oficiais, segundo a assessoria de imprensa da Presidência. “O vice-presidente está bem e superestável do ponto de vista cardíaco. Ele trabalhou normalmente, da UTI mesmo, e o vi despachando e assinando documentos com assessores e tudo”, afirmou o cardiologista Roberto Kalil Fi-

S

Bem disposto, Alencar posa para fotos com Dilma e Lula no quarto do Hospital Sírio Libanês

lho. “Se Deus quiser, na próxima semana ele deverá ter alta”, afirmou. Segundo o médico, o enfarte que Alencar sofreu está relacionado a efeitos colaterais ocasionados pela quimioterapia e por uma anemia, entre outros fatores. “Enfarte é sempre um quadro delicado, mas ele não teve instabilidade na parte cardíaca, a pressão se manteve boa, ele está estável e não teve maiores consequências. É um agravamento momentâneo.”

O oncologista Paulo Hoff disse que Alencar respondeu bem ao tratamento para combater a obstrução intestinal, causada pelo crescimento de um tumor. “Como houve excelente resposta ao tratamento e redução dos tumores, o quadro havia normalizado e a nossa expectativa era que o vice-presidente estivesse tendo alta na sexta-feira. O oncologista informou que a quimioterapia será retomada as-

sim que Kalil autorizar. “Vamos reiniciar o tratamento a partir da avaliação de Kalil. A prioridade passou a ser o coração dele”, disse. “Não estamos trabalhando com a possibilidade de interromper o tratamento. Havendo concordância do Dr. Kalil, devemos reiniciar o tratamento ainda hoje. Ele tem um tumor agressivo e deve retomar o tratamento, que é fundamental para que ele continue com o quadro sob controle.”

Cúpula de Seul expõe os limites do G20 Seul (AE) - O encontro dos líderes das 20 maiores economias do mundo encerrado sexta-feira em Seul, do qual o presiente Lula e a presidenta eleita Dilma Rousseff participaram, deixou claro os limites do G20 e o conflito entre o esforço de coordenação global e os interesses nacionais defendidos por cada um dos integrantes do grupo. Os dois gigantes, Estados Unidos e China, se enfrentaram nas negociações, mas cederam pouco ou quase nada diante do apelo para que mudem políticas domésticas que têm im-

pacto sobre o restante do mundo. O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, avalia que o agravamento das divergências internas é o resultado da mudança das circunstâncias em que o G20 atua. Quando o grupo de líderes se reuniu pela primeira vez há dois anos, havia necessidade de enfrentamento do furacão financeiro que se abatia sobre o mundo e todos concordaram em combater o protecionismo e estimular suas economias. Agora, o G20 caminha para

[ VIOLÊNCIA ] Crime aconteceu por volta das

21h30, num terreno baldio, no Alecrim

uma fase “pós-crise”, diz StraussKahn, na qual os interesses nacionais podem se sobrepor à coordenação global. “Na primeira fase, a cooperação, que é o objetivo do G20, era mandatória. Na segunda fase, que se inicia agora, a cooperação é voluntária.” O presidente Lula defendeu em seu discurso no G20 a necessidade de que os países do grupo levem em conta o impacto de suas políticas macroeconômicas sobre as demais nações do mundo antes de adotá-las. “Qualquer decisão que a Argentina tomar ou que

o Brasil tomar terá efeitos imediatos nos países vizinhos. Agora imaginem potências econômicas como a União Europeia, os Estados Unidos, a China ou a Índia tomando posições unilaterais sem levar em conta a repercussão no restante do mundo.” O discurso foi uma reação à decisão dos Estados Unidos de injetar US$ 600 bilhões na economia nos próximos oito meses, o que aumentará a quantidade de dinheiro em circulação no mundo e os fluxos de capitais para países emergentes, como o Brasil.

[ MYANMAR ] LIBERDADE PARA AUNG AE

Jovens são retirados de velório e mortos a tiros s pais de duas das três vítimas da chacina ocorrida por volta das 21h30 de sexta-feira, dia 12, num terreno baldio entre a rua Leão Veloso e avenida Bernardo Vieira, no Alecrim, passaram pela dor de terem de reconhecer os corpos dos filhos no Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep), na Ribeira: O eletricista José Carlos da Silva, disse que tinha 13 filhos, mas João Isaías de Macedo Neto, 22 anos, “era o único que dava dor de cabeça”. “Carlão Eletricista” disse que o filho, como os outros, trabalhava com ele, era um bom profissional, e deixa mulher e um filho de de seis meses”. Segundo ele, na quintafeira ainda pediu pra ele deixar de andar com más companhias, mas a resposta de João Isaías foi de que “sabia o que estava fazendo”. “Carlão” afirmou que o filho não bebia, não jogava, nem gostava de festa, mas acha o filho só foi assassinado porque “estava andando com cabra de má qualidade”. O soldador Francisco de Assis da Silva também esteve no Itep, ontem de manhã, reconhecendo o corpo do filho e estudante Felipe Anderson Pereira da Silva, que tinha o apelido de “Tumulto”, por-

O

que gostava de fazer muita brincadeira “e falava agitado”. Francisco da Silva disse que o filho era de sempre chegar cedo à noite, depois de vir da academia, mas, por força de expressão, declarou: “A primeira vez que dormiu fora de casa foi essa agora”. Silva nunca recebeu uma queixa do filho, a não ser arengas naturais de quando ele era criança. Mas, admitia, que diante das circunstâncias do crime, “só podia estar fazendo alguma coisa errada, com alguém errado”. Até as 10 horas da manhã deste sábado, dia 13, o corpo da terceira vítima da chacina não tinha sido reconhecido no Itep. Todas elas moraram próximo ou no bairro Rosa dos Ventos, em Parnamirim. A Polícia trabalhava com a hipótese de que a chacina tenha sido um acerto de contas. Também se comentava durante o recolhimento e a realização das primeiras perícias nos corpos das três vítimas, que eles teriam ido a um velório e sido reconhecidos como os assassinos de um outro jovem, morto na quinta-feira no bairro Bom Pastor. Segundo testemunhas, os três rapazes foram mortos a tiros por duas pessoas que estavam num carro branco.

Partidários da líder oposicionista Aung San Suu Kyi se aglomeraram, neste sábado,perto da casa dela e na sede de seu partido,a Liga Nacional pela Democracia,para comemorar a libertação da ganhadora do Prêmio Nobel da Paz pelos generais que comandam Myanmar.No Japão,onde se encontra,o presidente dos Estados Unidos,Barack Obama,elogiou a libertação de Kyi.


geral

Domingo | 14 de novembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

7

[ OPERAÇÃO VIA ÁPIA ] Depois de nove dias na carceragem da Polícia Federal, acusados do crime

[ TRÂNSITO ]

de peculato e envolvimento no desvio de R$ 2 milhões são levados para presídio na Grande Natal

Acidentes com motos fazem quatro vítimas

PF transfere acusados do Dnit EMANUEL AMARAL

Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc) ainda não terminou a reforma do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Macaíba, mas foi para lá, no começo da tarde de ontem, que a Polícia Federal transferiu seis pessoas que estão sendo investigadas por crime de peculato e formação de quadrilha e envolvimento no desvio de R$ 2 milhões do Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit), recursos que deviam ser aplicados na duplicação da BR101, no trecho de 35,2 quilômetros entre Arês e a divisa do Rio Grande do Norte com a Paraíba. Os seis acusados estavam presos há nove dias na carceragem da Polícia Federal, em Lagoa Nova, desde a deflagração da “Operação Via Ápia”, com a finalidade de investigar o desvio de recursos da obra que está a cargo do consórcio de empreiteiras Constran/Construcap/Galvão Engenharia. No dia 4, uma quinta-feira, foi preso o chefe do Serviço de Engenharia da Superintendência Regional do Dnit, Gledson de Araújo Maia, em flagrante, num restaurante da cidade, recebendo uma suposta propina de R$ 50 mil de um empresário paranaense. O juiz da 2ª Vara Federal no Rio Grande do Norte, Mário Jambo, havia transformado a prisão em flagrante delito de Gledson Maia no dia seguinte à sua prisão. No dia 9, foi a vez da conversão da prisão temporária

A

de outros cinco acusados em prisão preventiva por 30 dias. Dos envolvidos na “Operação Via Ápia”, até agora só foi posto em liberdade o empresário paranaense Túlio Gabriel de Carvalho Beltrão Filho, com quem Maia estava almoçando num restaurante da avenida Roberto Freire. Já na sexta-feira, dia 6, a Polícia Federal prendeu mais cinco pessoas, entre os quais o superintendente regional do Dnit, Fernando Rocha Silveira. Antes de serem transferidos para o CDP de Macaíba, por volta do meio-dia de ontem, os acusados, incluindo Luiz Henrique Maiolino de Mendonça, Frederico Eigenheer Neto, Andrev Yuri Barboza Fornaziere e Gilberto Ruggiero, fizeram exames de corpo de delito no Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep), na Ribeira. A custódia dos presos foi feita por 11 agentes da PF e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), tendo em vista a deficiência de agentes penitenciários na Sejuc. O secretário estadual de Justiça e Cidadania, Leonardo Arruda, explicou que o prédio foi cedido pela Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), e estava parcialmente destruído. Uma ampla reforma, que está 90% concluída, aumentou o número de celas, de três para 10. A expectativa é de que o prédio seja finalizado até o final do mês. SUBSTITUTO No “Diário Oficial da União”

esmo que o acidente tenha ocorrido à noite, a má conservação da rodovia estadual que liga o distrito de Laranjeira do Abdias a São José do Mipibu, pode ter sido a causa da colisão entre duas motos que resultou nas mortes dos pilotos Joab Carlos do Nascimento, 23 anos, e José Paulo da Cunha, 28 anos. O acidente ocorreu por volta das 23 horas, num trecho onde existia uma curva, uma lombada e um buraco, que obriga os veículos a desviarem de uma mão para outra. Joab Carlos trafegava num sentido, enquanto outras duas motos vinham no sentido contrário, uma moto passou por ele, mas a outra conduzida pelo trabalhador José Cunha acabou colidindo com a dele. Outro acidente envolvendo uma moto e um veículo não identificado, também matou o jovem Jamerson Diego Cavalcanti, 21 anos, por volta das 19h50 da sexta-feira, dia 12, na BR-226. A Polícia Rodoviária Federal informou que o acidente ocorreu nas proximidades do bairro de Felipe Camarão, na Zona Oeste de Natal. Outro acidente de moto com morte ocorreu na BR-405, que liga as cidades de Apodi a Mossoró, na região Oeste do Estado. A vítima foi Joacilio Marx Gama de Oliveira, 22 anos, que perdeu o controle do veículo e bateu a cabeça contra uma mureta da rodovia federal.

M

Agentes federais conduzem detidos do Itep,onde fizeram exames antes da transferência para Macaíba

da última sexta-feira, dia 12, foram publicadas as exonerações de Fernando Rocha e Gledson de Araújo Maia dos cargos que eles ocupavam na Superintendência do Dnit no Rio Grande do Norte. Portarias assinadas pelo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, oficializam a nomeação do analista em Infraestrutura do Dnit, José Antoniel Campos Feitosa, que passa a ser o chefe do Setor de Engenharia em lugar de Gledson Maia. Nomeação do superintendente deverá ser anunciada no decorrer da semana.

CRONOLOGIA Principais ocorrências na Operação Via Ápia que investiga desvio de verbas no Dnit do Rio Grande do Norte 4/11 – A Polícia Federal e o Ministério Público Federal deflagram a “Operação Via Ápia”para prender os acusados de desvios de R$ 2 milhões do Dnit. – O chefe do Setor de Engenharia do Dnit,Gledson de Araújo Maia,é preso quando recebia uma suposta propina de R$ 50 mil.

Gilberto Ruggiero. - O empresário paranaense Túlio Gabriel Beltrão Filho tem a prisão relaxada e é libertado da carceragem da Polícia Federal. - O juiz Mário Jambo (2ª Vara Federal) decreta a prisão preventiva de Gledson Maia por 30 dias.

5/11 – A Polícia Federal prende mais cinco acusados do desvio de recursos do Dnit,inclusive o superintendente regional da autarquia, engenheiro Fernando Rocha.Também são presos Luiz Henrique Maiolino de Mendonça,Frederico Eigenheer Neto, Andrev Yuri Barboza Fornaziere e

9/11 – A Justiça Federal também decreta a prisão preventiva dos outros cinco acusados de desvio de recursos do Dnit, destinados à duplicação da BR-101. 13/11 – Os seis presos que estavam na carceragem da PF são transferidos para o CDP de Macaíba.

[ AVIAÇÃO ] População aproveitou o sábado

[ FÓRMULA 1 ] Corrida deste domingo define o campeão da temporada de 2010 e o espanhol

para conhecer de perto aviões de caça

Fernando Alonso, da Ferrari, tem grande chance de chegar ao tricampeonato em Abu Dabi

Cruzex abre portões para visitação pública

Vettel larga na frente em grid que favorece Alonso

om os portões abertos para a população, a Base Aérea de Natal recebeu muitos interessados em ver de perto aeronaves de combate que participam do exercício Cruzex 5. Neste sábado, os visitantes puderam ver de perto caças do Brasil, Chile, Estados Unidos, França e Uruguai, que participam de simulação em cenário de guerra. A maioria das pessoas que se dirigiu à Base Aérea foi em família, principalmente levando crianças para ter contato com os aviões. Um exemplo foi o casal Erac Gonçalves e Meire Soares, que levaram o filho Elias Eduardo, com 4 anos de idade, para ver um avião de perto pela primeira vez. “Esta é uma oportunidade única, de chegar perto de aeronaves de diferentes países. O pequeno está muito animado, tanto que já desceu do carro correndo e na hora de tirar uma foto queria passar da corda que isola o avião, para chegar bem pertinho”, conta Gonçalves. O contato com as aeronaves militares foi marcante também para os deficientes visuais Damião de Melo e Paula Viviane, que fo-

C

ram ao local com a professora Bernadete Maia. Eles dizem que decidiram ir ao aeroporto após tomar conhecimento do evento através da matéria de um telejornal local e só não estavam totalmente satisfeitos pela proibição de se aproximar de todas as aeronaves. “Como não enxergamos, gostaríamos de poder tocar os aviões. Não dá para fazer isso em todos, mas chegamos o mais perto possível”, diz Viviane. Entre as aeronaves expostas em parte do pátio do Aeroporto Internacional Augusto Severo, estavam os A-1, F-5, F-16, A-37 e Rafale, utilizados pelas forças armadas dos países que participam do exercício militar. Próximo aos aviões, havia uma feirinha, na qual eram comercializados artesanato, camisetas, bonés, bandeiras, aeromodelos e artigos das forças aéreas dos países integrantes desta edição da Cruzex. A programação do sábado incluiu também uma apresentação da Esquadrilha da Fumaça e, durante todo o dia, os visitantes tinham a possibilidade de pilotar virtualmente um avião T-27 - usado pela esquadrilha - em um simulador. RODRIGO SENA

Caças de combate despertaram a atenção de quem foi à Base Aérea

KARIM SAHIB

bu Dabi - Sebastian Vettel, da Red Bull, conquistou mais uma pole position na classificação deste sábado em Yas Marina, mas quem se colocou em uma posição confortável na disputa pelo título foi Fernando Alonso, da Ferrari. O espanhol fez o terceiro tempo, atrás de Lewis Hamilton (McLaren), e será campeão mundial se essas colocações se mantiverem na corrida. Jenson Button (McLaren) foi o quarto, enquanto Mark Webber (Red Bull) ficou em situação difícil depois da fazer apenas o quinto tempo. Na sequência, dois brasileiros, com Felipe Massa (Ferrari) em sexto e Rubens Barrichello (Williams) em um ótimo sétimo lugar. Confirmando seu bom final de temporada, Michael Schumacher superou o companheiro de equipe na Mercedes, Nico Rosberg, na disputa pela oitava posição. Vitaly Petrov (Renault) completou o top 10. Alonso foi o mais veloz na Q1, à frente de Rosberg, que subiu para segundo nos momentos finais da sessão, Vettel, Hamilton e Webber. Button ficou em sexto, Barrichello em sétimo e Massa em oitavo. Nico Hulkenberg (Williams) e Petrov fecharam os dez primeiros. A disputa pela última vaga na Q2 ficou entre os pilotos da Toro Rosso. Mas Vettel voltou ao topo da tabela de tempos na Q2, superando Button e Rosberg, que saltaram para as primeiras colocações com o cronômetro já zerado. Webber, Hamilton, Alonso e Massa vieram na sequência, seguidos por Schumacher e Barrichello. Surpreendentemente, Petrov foi o único piloto da Renault

A

Sebastian Vettel, que está 15 pontos atrás de Alonso na classificação, comemora mais uma “pole”

a passar para a Q3, deixando seu companheiro Robert Kubica em 11º e fora da sessão decisiva. Na Q3, Vettel fez o melhor tempo quando ainda restavam alguns minutos, e quando todos os seus rivais, com a exceção de Webber, abriram voltas rápidas com o cronômetro já zerado, o primeiro lugar do alemão parecia seriamente ameaçado. Entretanto, nenhum deles conseguiu superá-lo; Hamilton foi quem mais se aproximou, ficando a 0.031s, mas o maior lucro foi de Alonso, que saltou para terceiro e ficou mais perto de seu terceiro título mundial. O GP de Abu Dhabi, que vai definir o campeão da temporada, será disputado em 55 voltas. A larga será às 11 horas (de Brasília) deste domingo.

Vôlei feminino vence e vai disputar a final neste domingo Tóquio - As nove vitórias em nove jogos deram ao Brasil todo o favoritismo contra o Japão para conquistar uma vaga na decisão do Campeonato Mundial feminino de vôlei. Mas o time comandado por José Roberto Guimarães precisou suar muito para bater na manhã deste sábado as anfitriãs por 3 sets a 2, numa virada histórica em Tóquio, para ter o direito de fazer com a Rússia a repetição da final de 2006, em que as europeias ficaram com o título. As parciais foram de 22/25, 33/35, 25/22, 25/22 e 15/11, em duas horas e três minutos de jogo.

Desconcentrada, a equipe brasileira teve uma atuação irreconhecível nos dois primeiros sets, com excesso de erros de contra-ataques. Para piorar, ainda teve de assistir a show de defesas das nipônicas, que confirmaram o ponto forte de sua escola de vôlei. O time de Zé Roberto melhorou a partir do terceiro set e, apesar do grande equilíbrio, contou com a experiência nos momentos decisivos para conseguir a virada. Com o resultado, o Brasil manteve sua invencibilidade e ganhou o direito de buscar o inédito título mundial contra a Rússia, às 8h30 (de Brasília).


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 14 de novembro de 2010


Domingo | 14 de novembro de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

Nas páginas de relacionamentos é fácil detectar a relação entre as torcidas organizadas de escolas com as de times de futebol. Uma característica comum a todas é o incentivo à violência contra os adversários

[ GUERRA ESCOLAR ]

Torcidas colegiais ligadas ao crime RODRIGO SENA

CARLOS JÚNIOR especial para a TN

o acessar a comunidade do Orkut da Ira Jovem, Torcida da Escola Dom Marcolino Dantas (DMD), o internauta encontra um aviso: “A Torcida Ira Jovem, não tem nada a ver com a Máfia Vermelha e nem a Garra Alvinegra”. Talvez essa seja apenas uma forma de despistar as investigações da polícia, que tem buscado de diversas formas descobrir com antecipação as brigas marcadas pela internet entre alunos de diversas escolas. As brigas geram muita violência e há suspeitas de que até mortes aconteceram por conta da guerra entre as escolas. O aviso da Ira Jovem, repetido em outras comunidades no intuito de despistar a realidade violenta, ao observar mais a fundo os sites, blogs e os próprios tópicos do Orkut, ficam claras as semelhanças entre as guerras das escolas e as torcidas organizadas tradicionais. As maiores torcidas dos clubes nordestinos são, em sua maioria, divididas em dois grupos, denominados de “lado a” e “lado b”. Esses nomes são originados dos bailes funk, em que o cantor dividia o público em dois lados e autorizava uma pancadaria desenfrea-

A

da entre o público. Tanto no caso das torcidas organizadas de clubes, como nas chamadas torcidas colegiais, são feitas ‘alianças’ e os grupos brigam em bloco. Nas torcidas organizadas, o “lado A” é formado por torcidas como a Inferno Coral do Santa Cruz-PE, Torcida Uniformizada do Fortaleza e OHS do América, entre outras. Detalhe: O nome da torcida OHS surgiu pela proibição do Ministério Público ao nome Máfia Vermelha, com isso, o grupo se intitulou de “Ontem Hoje e Sempre”, deixando o nome Máfia oculto. Já o “lado B” é formado por torcidas dos times rivais, como a Cearamor, do Ceará, FaNáutico, do Náutico e Garra Alvinegra, do ABC. Já no “lado A” colegial é formado por torcidas como a Irmoçada do Instituto Reis Magos, a Torcida Organizada Atheneu (do Colégio Atheneu), a Torcida Organizada do Walfredo (da Escola Estadual Walfredo Gurgel), entre outras. Já o “lado B” é composto por um grupo formado por cerca de 20 torcidas, que é facilmente encontrada em uma das comunidades do Orkut de alguma delas. O grupo é variado e conta, tanto com escolas da periferia, como também de colégios tradicionais, como a Torcida Organizada do Maria Auxiliadora. A escolha dos nomes “lado A”

VIOLÊNCIA MÚSICAS CRIADAS PARA BRIGAS

Os sites de relacionamento estão sendo usados por estudantes para incitar a violência contra rivais

e “lado B” não pode ter sido mera coincidência. Prova disso é que boa parte das diretorias das torcidas do “lado B” colegiais são membros da Garra Alvinegra. E no “lado A” a ligação é ainda mais comprovada, pois no blog fotográfico da torcida do Athe-

neu (flogao.com.br/toatheneu) há uma homenagem a um membro da OHS morto pela violência entre as torcidas dos clubes e, nos comentários consta a promessa de vingança. Além disso, todos os blogs favoritos são de torcidas do “lado a” dos clubes,

ficando clara a ligação direta das torcidas com as facções dos times de futebol. A marginalidade também é vista no blog do Atheneu com a exposição de pichações e de materiais que eles afirmam ter roubado das escolas do “lado b”.

As músicas das torcidas organizadas também mostram como a violência é incentivada por esses grupos escolares, denominados de torcidas colegiais.Uma prova é vista no website da Torcida Ira Jovem (torcidairajovem.rg3.net),do DMD.O cantor MC Tremor lembra de fatos de violência ao cantar“Nosso passatempo é quebrar os alemão.Se lembra em 2009,invadimos foi o DED com um verdadeiro mulão”. A gíria alemão é utilizada por torcidas organizadas de todo o país,para intitular o suposto inimigo como derrotado,já que os alemães saíram derrotados da Segunda Guerra Mundial.As torcidas sulistas começaram a usar o termo e outros grupos também repetiram isso,sempre afirmando que membros das torcidas organizadas rivais vão morrer,assim como aconteceu com os alemães.A gíria mulão significa galera do mal. A violência é incitada de forma clara nas descrições: “programadas para matar”.

9


10 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 14 de novembro de 2010

[ CONT. PÁG. 9/GUERRA ESCOLAR ] Para as profissionais da educação o desarranjo e a falta de estrutura familiar são as principais razões do mau comportamento dos jovens

Cláudio Humberto

ALDAIR DANTAS

E-mail: ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br

Produtora entregava grana tucana presidente do PDT-DF, Ezequiel Nascimento, revelou que empresas ligadas à produtora de tevê Fabrika, a F-1 Filmes e a F-2 Filmes Ltda, que trabalhavam para a campanha presidencial de Geraldo Alckmin, em 2006, teriam entregue dinheiro em nome do PSDB à campanha do senador Cristovam Buarque à Presidência. O objetivo seria fortalecer Cristovam para tentar tirar votos de Lula, que disputava a reeleição.

O

OUTRO LADO Até o fechamento desta edição não localizamos o senador Cristovam. Sua assessoria informou que ele estava viajando, em trânsito.

É hora do partido se renovar”

DEPUTADO PAULO BORNHAUSEN (DEM-SC), ao negar a possível fusão entre PMDB e DEM

DUAS PARCELAS Segundo Ezequiel, a empresa F-2 Filmes entregou parcelas de R$ 250 mil e de R$ 750 mil, enviados pelo PSDB à campanha de Cristovam.

Organização

Não dá ideia

O PMDB apresentou um único candidato a Presidência da Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). Agora cobra do PT o fim das brigas entre os vários candidatos petistas. Sem definição, não há acordo.

Um servidor do Instituto Militar de Engenharia, denunciado pelo Ministério Público Militar, achou a solução para esconder suposta fraude em licitação com o Dnit: destruiu os documentos.

SEIS PAGAMENTOS Curiosamente, à Justiça Eleitoral Cristovam não declarou doação da F2 Filmes, e sim seis pagamentos à empresa, no total de R$ 562,2 mil.

Asfor e Adams são ‘finalistas’ Dois “finalistas” disputam a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal, segundo setores do governo consultados pelo presidente Lula para a escolha: o ministro Cesar Asfor Rocha, que presidiu o Superior Tribunal de Justiça, e o ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, Luiz Adams. Lula também pediu informações sobre os advogados Luiz Roberto Barroso, Luiz Edson Fachim e Roberto Oliveira Caldas.

BRIGA PELO CONTROLE A denúncia de Ezequiel é produto da briga pelo controle da executiva do PDT no DF. Cristovam quer alterar a composição da executiva.

PT ‘batalha’

Negócios

A presidente eleita Dilma Rousseff não gostou nada da confusão criada por senadores do PT, liderados por Delcídio Amaral (MS) e Lindbergh Farias (RJ), na busca por cargos e empregos no futuro governo.

Derrotado nas urnas do Ceará, o senador Tasso Jereissati (PSDB) se prepara para construir um grande shopping center em Belém do Pará. Ele também planeja um segundo em Campo Grande (MT).

NO PÁREO PARA O STF Lula solicitou opinião de amigos e auxiliares também sobre os ministros Luiz Fux, Teori Albino Zavasck e Benedito Gonçalves, todos do STJ.

Insistência O ministro da Propaganda, Franklin Martins, não desistiu de ser indicado para a vaga de conselheiro da Anatel. A presidente eleita Dilma Rousseff pediu a Lula que não o nomeasse pois teme comprar uma briga com emissoras de rádio e tevê se ele emplacar o cargo.

VIRTUAL E ‘AÉREA’ A Webjet, que festeja 9 milhões de passageiros, só existe nos aviões e na internet. Nos telefones de vendas e SAC é só gravação horas a fio.

Arte ‘tiriririca’

CPMF, a missão

Os servidores da Casa Civil farão curso, nos próximos dias 22 e 23, sobre “A Arte de si (sic) Comunicar com Expressividade e Eloqüência”. Talvez porque a chefa anterior, Erenice Guerra, era muito “discreta”.

O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, avisou que o retorno da CPMF não deve entrar em pauta na Câmara e no Senado este ano. Mas a proposta deve aparecer em 2011. E com outro nome.

TÁ LIMPO O Senado estará “limpeza” quando retomar os trabalhos, em março: vai trocar todas as válvulas de descarga elétrica dos banheiros masculinos. CASOS DE POLÍCIA A filha de Silvio Santos foi sequestrada em 2001. Ele ficou refém. Agora, seu banco foi “resgatado” pelo Banco Central, e os “reféns” somos nós.

Irmã Maria do Socorro , da Escola Dom Marcolino, acredita que falta de referência familiar é responsável pelos conflitos entre jovens

Escolas monitoram alunos e responsabilizam as famílias ROBERTA TRINDADE Repórter

internet pode ser utilizada para diversos fins, mas uma delas tem chamado a atenção dos especialistas em segurança pública. Por meio da rede de computadores, jovens integrantes de torcidas rivais estão marcando brigas, ameaçando pessoas e denegrindo a imagem de desafetos. É isso que tem sido feito por alguns alunos de escolas privadas de Natal. O site de relacionamento Orkut é o principal meio eletrônico utilizado para os estudantes marcarem conflitos, ofenderem colegas de turma (bullyng) e criarem comunidade destruindo a imagem de professores. A situação é tão grave que, segundo o que foi apurado pela TRIBUNA DO NORTE há vários professores que estão incapacitados de trabalhar (estão pelo INSS) diante do constrangimento sofrido por alunos que utilizam o Orkut para desmoralizar estes profissionais. A reportagem da TN percorreu algumas instituições de ensino particular e verificou que as escolas estão utilizado o diálogo como método para tentar evitar que as brigas se concretizem. O mais curioso é a faixa etária onde se detecta o maior número de conflitos - estudantes entre 12 e 15 anos.

A

A TN entrevistou profissionais ligadas à área de educação e todas são unânimes em apontar a falta de estrutura familiar como principal fator para o descontrole de alguns jovens natalenses. ESCOLAS CATÓLICAS Maria Isabelle Costa Pereira, 29, é assistente social do Instituto Maria Auxiliadora e do Colégio Nossa Senhora das Neves. Experiente, a profissional disse que um trabalho socioeducativo tem sido realizado onde o objetivo tem sido enfocar a paz. Apesar disso, questionada sobre a Torcida Organizada do Auxiliadora, a assistente social enfatiza que tem acompanhado de perto toda a situação e que “os estudantes estão calmos”. Isabelle diz que verifica não somente o Orkut, mas também o MSN outra ferramenta utilizada pelos alunos. “Sobre a torcida, identificamos os meninos, chamamos os pais e fazemos um trabalho educativo”. Com os novos tempos, Isabelle aponta um problema enfrentado pelas famílias. “Os pais, geralmente, não sabem utilizar a internet e os jovens mexem em tudo”. Isabelle destacou que, no caso do Instituto Maria Auxiliadora, as possíveis ameaças ou brigas ficaram no campo virtual. “Não se

concretizaram porque agimos e conversamos com os envolvidos”. A irmã Maria do Carmo Lira,59, é a administradora do instituto e ainda acredita em uma boa conversa. “Eu sou do parecer do diálogo com a família. Eu vejo um novo modelo de família. Não tem mais pai e mãe. É o pai e a madrasta, a mãe e o namorado. Cha-

Percebemos o desarranjo familiar. Como tudo é fragmentado, o computador entra com muita força na vida das famílias” IR. MARIA DO CARMO LIRA Administradora do IMA

mamos desarranjo familiar. Como tudo é fragmentado, o computador entra com muita força na vida das famílias”. Na Escola Dom Marcolino Dantas, onde estudam 420 alunos, a diretora irmã Maria do Socorro de Lima, 60, também é de acordo com o que disse a irmã Maria do Carmo. Para a diretora, os jovens não têm mais a referência da família. “Não existe estrutura. Quase todos não têm pai e mãe juntos. Os adolescentes trazem uma

carga de conflitos dentro deles”. O colégio também tem um grupo: Torcida do Dom Marcolino Dantas (DMD). Maria do Socorro disse que tem informações sobre a torcida, mas que o pior no colégio é mesmo o bullyng. “Precisamos conversar com um aluno, na semana passada, por causa desse assunto. É um problema que leva tempo para solucionar. Um processo educativo de todos os dias”. POLÍCIA O delegado geral da Polícia Civil, Elias Nobre, afirmou que já existe uma investigação em conjunto entre a Polícia e o Ministério Público para apurar as brigas de torcidas organizadas via internet. “O delegado José Roberto (da Delegacia Especializada em Homicídios) está à frente das investigações, juntamente com o promotor de justiça Fernando Vasconcelos. Elias disse que, apesar da Polícia Civil ainda não ter uma delegacia especializada em crimes cibernéticos, o serviço de inteligência da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social possui profissionais especializados no assunto. “O delegado Raimundo Rolim é do serviço de inteligência e também é analista de sistemas. É um policial preparado que atua na área”, completou.


Domingo | 14 de novembro de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11

ENTREVISTA/LAURENTINO GOMES, ESCRITOR E HISTORIADOR

A arte de escrever sobre história DIVULGAÇÃO

mula, estava vestido como um tropeiro e não em uniforme militar, e os dragões da Independência ainda não existiam. A guarda de honra era formada por fazendeiros, cavaleiros e pessoas comuns das cidades do Vale do Paraíba, por onde o príncipe passara alguns dias antes a caminho de São Paulo. Além disso, uma testemunha do Grito (o coronel Marcondes, futuro Barão de Pindamonhangada) registrou em suas memórias que D. Pedro estava com dor de barriga devido a algum alimento estragado que havia comido no litoral paulista. A cena real é bucólica e prosaica, mais brasileira e menos épica do que a retratada no quadro de Pedro Américo. E, ainda assim, importantíssima. Ela marca o início da história do Brasil como nação independente.

ISAAC LIRA repórter

s listas de best-sellers desde 2007 foram invadidas por títulos com “números na capa”. Primeiro, foi “1808”. Agora é a vez de “1822”. Ambos tratam de momentos importantes sobre a História do Brasil e, embora exista a rígida preocupação sobre a verdade factual e histórica, as duas obras têm na linguagem acessível e envolvente o principal trunfo. O responsável é o jornalista Laurentino Gomes, que participa no dia 18 de novembro do Festival Literário de Pipa, numa tenda literária marcada para 21h30. O tema é “Uma nova perspectiva da criação do Brasil” com a mediação do professor Raimundo Arrais. O jornalista Laurentino Gomes concedeu entrevista, por e-mail, onde explicou a relação jornalismo e História e detalhou alguns mitos comumente associados à História do Brasil. Laurentino planeja ainda fechar uma trilogia sobre o período no livro “1889”, sobre o segundo reinado e a proclamação da República. “Depois disso, prometo não fazer mais livros com números na capa”, diz, com bom humor.

A

TRIBUNA DO NORTE - O senhor conseguiu fazer da visita da corte portuguesa um best-seller e agora lança um livro sobre a independência do Brasil.Qual o papel da linguagem acessível,jornalística, nesse sucesso? LAURENTINO GOMES: Minha contribuição ao estudo da História do Brasil é de linguagem. O grande desafio é ampliar o interesse do público pela História sem banalizar o conteúdo. Por isso, procuro usar elementos pitorescos, engraçados, às vezes até bizarros, de um acontecimento ou personagem para chamar a atenção de um leitos mais leigo. Mas em seguida, tendo capturado sua atenção, é necessário também dar um mergulho mais profundo. Essa é uma linha tênue e perigosa. Se o autor ficar só na superfície e na banalidade, o livro não oferecerá contribuição alguma, será irrelevante. Se, ao contrário, der um mergulho muito profundo, não conseguirá prender a atender desse leitor menos especializado. Mas entendo também que esse é o desafio permanente do bom jornalista. Acredito que no “1808” e no “1822” consegui superá-lo.

junto ao Forte das Cinco Pontas. Também foi à Bahia, acompanhar a festa do 2 de Julho, data da expulsão dos portugueses de Salvador em 1823. É uma festa cívica sem paralelo no Brasil de hoje. No primeiro capítulo do “1822”, por exemplo, eu falo do Riacho do Ipiranga atualmente, poluído, enquadrado, concretado, asfaltado e engolido pela maior metrópole da América Latina, a cidade de São Paulo. É um riacho bem diferente daquele que D. Pedro encontrou no dia 7 de setembro de 1822. É uma forma de olhar o passado sob as luzes do presente, o que ajuda o entendimento do leitor. Entrando no livro em si,o título fala em um homem sábio,uma princesa triste e um escocês louco. Quemsãoequalopapeldessestrês personagensnaindependênciado Brasil? O “homem sábio” é José Bonifácio de Andrada e Silva. Brasil que emergiu das Margens do Ipiranga em 1822 tem a inconfundível assinatura de José Bonifácio. Foi o grande conselheiro e braço direito de D. Pedro na Proclamação da Independência. Com a ajuda dele, o jovem príncipe de apenas 23 anos conseguiu manter o país unido na-

quele momento em que os riscos de uma guerra civil e de separação das diferentes províncias eram enormes. Bonifácio esteve à frente do ministério de D. Pedro por escassos dezoito meses, de janeiro de 1822 a julho de 1823, mas nenhum outro homem público brasileiro realizou tanto em tão pouco tempo. Sem ele, o Brasil de hoje provavelmente não existiria. A “princesa triste” é Leopoldina, primeira mulher de D. Pedro. Foi um personagem fundamental nos acontecimentos de 1822, a grande parceira de José Bonifácio de Andrada e Silva nas horas mais tensas que antecederam o Grito do Ipiranga. Era uma mulher culta, nascida e educada na corte mais ilustrada da Europa, a dos Habsburgo de Viena. Chegou ao Brasil iludida a respeito do país, da corte portuguesa e do marido D. Pedro. Logo se decepcionou com tudo. Era maltratada pela corte e traída em público pelo marido. Morreu jovem, com apenas 29 anos, mergulhada em dúvida e profundamente deprimida. É a grande tragédia pessoal na história da Independência brasileira. Por fim, o livro traz um personagem que 99 entre 100 brasileiros desconhecem. É o lord escocês Thomaz Alexan-

Os anos “1808”e “1822”aparentam ser uma esquina entre jornalismo e história.Como conciliar as duas áreas? Jornalismo e história tem mais semelhanças do que se imagina. No fundo, a única diferença está na dimensão do tempo e na profundidade da pesquisa. Repórteres e editores escrevem a história a sangue quente, em tempo real, relatando fatos no instante em que eles acontecem e entrevistando, ao vivo, personagens que no futuro serão objetos de estudo dos historiadores acadêmicos. Acho também que uma área tem muito a aprender com a outra. Historiadores podem ensinar aos jornalistas método e disciplina na pesquisa. Os jornalistas, por sua vez, tem contribuição de linguagem e estilo a dar no ensino e na divulgação do conhecimento da história. Osenhordeclarouquevisitaoslocais onde se passaram a história. Ainda é possível colher informações nestes locais mesmo depois de tanto tempo? O ano 1822 envolveu um intenso trabalho de reportagem, no qual li muito sobre o assunto, pesquisei documentos, mas principalmente fui aos locais em que as coisas aconteceram duzentos anos atrás. Apesar da distância no tempo, esses lugares ainda guardam hoje muito informação para um jornalista com olhar atento. Estive no Recife, para ver o local em que Frei Caneca foi arcabuzado,

tn família

TODOS OS DOMINGOS NA TRIBUNA DO NORTE

dre Cochrane, o “escocês louco por dinheiro” da capa do meu livro, fundamental para a vitória do Brasil na guerra contra os portugueses, mas hoje um herói maldito da Independência. É um personagem fascinante. A história brasileira costuma ter muitos mitos. Quais os principais mitos com os quais o senhor se deparou ao fazer a pesquisa para escrever “1822”? A história da Independência é repleta de mitos, fantasias e versões que nem sempre estão de acordo com a realidade. Uma dessas fantasias reza que o processo de ruptura com Portugal foi pacífico, fruto de uma negociação dentro da família real de Bragança, entre o paí, D. João XI e o filho, D. Pedro. Isso não é verdade. O processo foi violento, com uma guerra no Norte e no Nordeste que se prolongou até quase o final de 1823. Muita gente morreu lutando pela Independência brasileira. Outra fantasia é o próprio quadro de Pedro Américo, que retrata do Grito do Ipiranga. Trata-se de uma idealização da cena real, uma construção tardia, já do final do século XIX, encomendada por D Pedro II ao pintor paraibano como forma

Li muito sobre o assunto, pesquisei documentos, mas principalmente fui aos locais em que as coisas aconteceram duzentos anos atrás. Apesar da distância no tempo, esses lugares ainda guardam hoje muito informação para um jornalista com olhar atento.”

celebrar os feitos da monarquia brasileira, a esta altura bastante ameaçada pelos ideais republicanos. Na sua pintura, apresentada ao público em 1888, ou seja 66 anos após o Grito do Ipiranga, Pedro Américo mostra um príncipe impecavelmente vestido, montado sobre um alazão e saudado pelos dragões da Independência. É uma cena épica, mas nada disso é verdade. D. Pedro montava um animal de carga, provavelmente uma

O que foi a “Batalha do Jenipapo” e como isso desmente, em partes,a ideia de que a independência foi um processo totalmente pacífico? Há episódios importantes na história da Independência que são completamente desconhecidos pela imensa maioria dos brasileiros. Um exemplo é a Batalha do Jenipapo, no Piauí. Foi travada no dia 13 de março de 1823 na localidade de Campo Maior, a 80 quilômetros de Teresina (que naquela época ainda não existia, que visitei em meados de 2009. O resultado dessa batalha, em que as forças brasileiras eram compostas por cearenses e piauienses, foi um massacre. Morreram entre 300 e 400 brasileiros, contra apenas oito vítimas do lado português. Ou seja, a Independência do Brasil não se resume ao Grito do Ipiranga. Existe a perspectiva de continuar a escrever sobre História do Brasil? Quais episódios? Meu próximo livro, que pretendo publicar dentro de três anos, vai se chamar “1889”. Será sobre o Segundo Reinado e da Proclamação da República. Dessa maneira, fecho uma trilogia numérica com três datas fundamentais para entender a construção do Estado brasileiro no século XIX. Depois disso, prometo não fazer mais livros com números na capa. Existem, ao claro, outros projetos à vista, mas ainda é cedo para falar sobre eles. Prefiro me concentrar em uma pesquisa de cada vez.


12 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 14 de novembro de 2010

Segundo as Estatísticas do Registro Civil, cresceu a idade média das mulheres no primeiro casamento de 24 para 26 anos - e aumentou também o número de brasileiras que se casam com homens mais jovens - 23% [ CASAMENTOS ]

IBGE divulga estatísticas nacionais io (AE) - Os casamentos entre solteiros em que o homem é mais velho que a mulher são majoritários no país, mas têm aumentado os casos em que a situação é inversa. Em 2009, 23% dos casamentos foram de mulheres com homens mais novos do que elas. Dez anos antes, essa proporção era de 19,3%. Trata-se de uma tendência nacional, aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), porque a evolução foi notada em todos os Estados. O estudo Estatísticas do Registro Civil mostra que a idade média das mulheres no primeiro casamento subiu progressivamente na última década, de 24 para 26 anos. No caso dos homens solteiros que se casaram com solteiras, o aumento foi de 27 para 29 anos no mesmo período. Para o coordenador da pesquisa, Cláudio Crespo, o resultado mostra que “alguns tabus” estão sendo quebrados. “Essa é uma alteração gradual, a participação, a independência da mulher, o fato de ela trabalhar. É uma sociedade

R

com maior tolerância, que quebra alguns tabus que antes eram comuns, do homem necessariamente ser mais velho”, afirmou o pesquisador. Em 2009, o maior volume de casamentos em que a mulher tinha idade mais avançada ocorreu entre as que tinham de 25 a 29 anos (33,9%). Para Crespo, as mudanças decorrem de fatores como escolaridade e participação da mulher no mercado de trabalho. “Estão postergando, buscando a formalização um pouco depois de terem algumas realidades já satisfeitas. Há uma mudança social na aceitação desse comportamento da mulher, de se casar com mais idade.” A distribuição das taxas de nupcialidade por grupos de idade mostra que, em dez anos, houve aumento para as mulheres com mais de 25 anos, em todas as faixas, e queda nos grupos de 15 a 19 e de 20 a 24 anos. No entanto, as taxas das mulheres continuam maiores que as dos homens apenas nesses dois grupos etários mais jovens. A partir dos 60 anos de ida-

de, as taxas obtidas pelos homens são mais que o dobro que as das mulheres. Gerente do estudo, Adalton Bastos aponta o preconceito como motivador do desequilíbrio. “Hoje temos uma mulher presidente. Os arranjos mudam.” Os números do IBGE se referem a casamentos entre solteiros, 82,4% dos casos em 2009. CASAMENTO TARDIO Além de casar mais tarde, as mulheres estão adiando a maternidade. Para o IBGE, o padrão de fecundidade das brasileiras, concentrado no grupo etário de 20 a 24 anos, vem apresentando alterações. A proporção de mães com idade de 30 a 39 anos chegou a 24,8% em 2009. Há dez anos, o grupo representava 21,1%. Também houve aumento entre as mulheres com mais de 40 anos (de 1,9% para 2,3%) e de 25 a 29 anos (23,3% para 25,2%). A maior concentração de registros de nascimentos ainda ocorre na faixa de 20 a 24 anos, apesar da queda em dez anos, de 30,8% pa-

ra 28,3%. Também houve queda do volume de nascimentos entre as mulheres de 15 a 19 anos , de 20,8% em 1999 para 18,2%, em 2009. O estudo destaca que em São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal as proporções de nascimentos de mães de 25 a 29 anos já são maiores que no segmento anterior (20 a 24 anos). Além disso, o volume de nascimentos entre as mães de 30 a 34 anos é maior que o das mães adolescentes nesses locais. Já no Maranhão e no Pará, as proporções mais elevadas ocorreram nos grupos de mães de 20 a 24 anos e 15 a 19 anos.

DIVULGAÇÃO

DIVÓRCIOS O MS encabeça o ranking nacional de dissolução de casamentos em 2009, com razão de 38/100, segundo o IBGE. Ou seja: para cada cem casamentos, 38 foram desfeitos. O menor valor foi obtido no MA, onde houve sete dissoluções para cada cem casamentos. A média brasileira de insucesso no casamento foi de 23/100.

Mulheres estão se casando mais velhas e com homens mais jovens


Domingo | 14 de novembro de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

13


14

quadrantes

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 14 de novembro de 2010

HELDER CALDEIRA [ Escritor ]

Dilma, quer casar comigo? empre fui fascinado por mulheres fortes, convictas e que, no trato do poder, consigam conta-gotear algumas delicadezas. Talvez esse seja o grande desafio de uma mulher ao chefiar uma nação. Confesso que os terninhos bem talhados e o novo corte de cabelo não foram capazes de me seduzir durante a campanha presidencial. Porém, nesses primeiros dias pós-eleita presidente, Dilma Rousseff ganhou meu coração. Como numa valsa tangueada, ela está conseguindo transpor a pérola cravada em uma fina gargantilha de ouro e vem dominando, com elegância, o salão do palácio. “Há que endurecer, sem perder a ternura jamais”, eternizou Che Guevara. Nem sou seu fã, mas sua ponderação me parece de total pertinência temática quando vejo as ações e o comportamento de nossa futura presidente. Estou apaixonado. Será que ela aceitaria um pedido meu de casamento? Nos últimos dias, a presidente Dilma tem adotado a postura de quem pretende governar como uma estadista. E isso

S

não é um galanteio político de um conquistador barato, nem um falso puxassaquismo com quem venceu. Um observador mais cuidadoso é capaz de perceber o comportamento da presidenta, que tão confortável parece estar com as dimensões da responsabilidade assumida, já até citou o ex-premiê britânico Churchill durante uma entrevista a jornalistas que a cercavam na entrada da principal reunião do G-20, na Coreia do Sul. Foi absolutamente perfeita ao parafraseá-lo: “há certas medidas que a gente não confessa nem para nós mesmos”. A terceira mulher mais poderosa do planeta, segundo a revista Forbes, é a grande atração do encontro de cúpula das 20 maiores economias do mundo. É importante ressaltar que uma coisa é ser político, no sentido comum. Outra coisa é ter uma visão e um comportamento de estadista. Político qualquer um pode ser e nos sobram Tiriricas e Romários para corroborar a tese. No entanto, raros são os estadistas, que, nas sábias palavras do ex-presidente Fernando

Henrique Cardoso (que se portou como um), “é aquele que projeta o futuro do seu país, consegue enxergá-lo no contexto mundial e é capaz de conduzi-lo nessa direção”. O ex-primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Sir Winston Churchill, foi um verdadeiro estadista no leme do Estado num momento crucial da história contemporânea: a Segunda Guerra Mundial. E Dilma já compreendeu esse timing. Acertou em cheio ao citá-lo, quase metaforicamente, à margem de um encontro que tem a dura missão de discutir a guerra cambial que está assolando as economias em desenvolvimento. São pequenos detalhes que já evidenciam suas posições pós-posse. Não estão satisfeitos até aqui com as razões do meu pedido de casamento? Então vamos colocar mais alguns detalhes. Será que alguém reparou como a presidente eleita tem se comportado em público? Quando está só, assume o comando, domina os microfones e fala de forma retilínea sobre seus movimentos políticos no tabuleiro de xadrez que se for-

Uma coisa é ser político, no sentido comum. Outra coisa é ter uma visão e um comportamento de Estadista. Político qualquer um pode ser. (...) No entanto, raros são os estadistas que, nas sábias palavras do ex-presidente Fernando Henrique “é aquele que projeta o futuro do seu país, consegue enxergá-lo no contexto mundial e é capaz de conduzi-lo nessa direção”.

mou e como pretende governar. Mas quando está ao lado do ainda presidente Lula, discretamente se afasta, tenta não estar no foco dos fotógrafos e até caminha com ele, mas guarda-lhe alguns passos de dianteira. É natural que os cidadãos e a imprensa estejam mais interessados por ela do que por ele, afinal ela é o futuro imediato. No entanto, não serão discursos passionais e saudosistas ou elogios dela uma prova de gratidão e respeito. A maior e mais impressionante deferência que Dilma Rousseff presta a seu padrinho político Luiz Inácio Lula da Silva é justamente não furtar-lhe o brilho em seus últimos momentos na Presidência da República. Só uma mulher, em completo domínio de seus meios e plenamente consciente de seu próprio poder, é capaz de tão exata delicadeza. Lição que aprendi com a atriz Íttala Nandi, uma amiga-mestre apaixonante. Ser estadista não é condição sine qua non para se exercer um papel útil, decente e de relevância na vida pública. Mas é excitante observar a presidente eleita já navegando com maestria pelos mares do poder, que ela tem convicção meridiana de conquistar. Sinto-me um voyeur de Dilma. E talvez só Freud conseguirá explicar isso. Ou nem ele. Mas é fato que ela está me conquistando, dia após dia. E o inverso, a recíproca, será que virá? Faço aqui valer as palavras do mesmo Churchill, quando disse modestamente: “minha conquista mais brilhante foi a habilidade de persuadir minha mulher a se casar comigo”. Como último argumento, vale dizer, se chegou a hora de termos a primeira mulher presidente, é também chegada a hora de termos, finalmente, um primeirocavalheiro, um Denis Thatcher. Casa comigo, Dilma?

Humor Fino [ Amâncio ] CARMEN VASCONCELOS [Poetisa ]

NELSON PATRIOTA [ Escritor ]

Se eu fechar os olhos, verei a vasta memória

Elogio e enigmas em torno de Nísia Floresta

ssisti por esses dias uma entrevista do Edney Silvestre, escritor que ganhou este ano os prêmios São Paulo de Literatura e Jabuti, com o primeiro romance: “Se eu fechar os olhos agora”. Jornalista acostumado a entrevistar, estava ele do outro lado, respondendo a perguntas. A última dessas perguntas era uma hipótese envolvendo o título do romance. A Edney foi perguntado: e se ele fechasse os olhos, o que veria? Ele veria todas as pessoas que já passaram por sua vida, as pessoas que ele perdeu. E seria bom, ele disse. A memória ameniza a dor da perda, a memória suaviza. Por esses dias, comecei a ler “Leite Derramado”, o mais recente romance de Chico Buarque. Por coincidência, esse romance também deu a Chico os mesmos prêmios São Paulo de literatura e Jabuti, e mais o prêmio Telecom. Logo no comecinho do livro de Chico, eu me deparei com uma daquelas frases adoráveis para quem gosta de grifar livros (eu não leio um sem fazer isso). Por coincidência (as coincidências sempre acontecem quando precisamos delas), era também sobre a memória que o personagem falava. Só que, ao contrário da do Edney, a memória do personagem do Chico não suaviza a dor. Ela faz sofrer: “Qualquer coisa que eu recorde agora, vai doer. A memória é uma vasta ferida”. “A memória é uma vasta ferida.” Uma frase memorável, essa. Quando penso nos meus mortos, fico com o Chico. Não acho que memória suavize a dor. Não ameniza a perda, isso é função do tempo, do tempo que descolore a memória. A memória é carne viva. Não que queiramos perdê-la, isso não. Mesmo doendo, a memória é a única coisa A memória que resta de tudo o que é carne viva. foi perdido. Só nela é (...) Mesmo possível reencontrar doendo, a pessoas que se foram memória é a para sempre. única coisa Jorge Luís Borges, que resta de célebre amante de totudo o que foi da memória, diz que perdido. Só somente é nosso aquinela é possível lo que está perdido pareencontrar ra sempre. Como pessoas que se Proust, para ele os paforam para raísos perdidos são os sempre. verdadeiros paraísos. Não são. Nossa é apenas a lembrança do perdido, o perdido envolto em névoas. E a névoa queima, às vezes. O que perdemos nos dói, é verdade, os nossos mortos ardem em nós e arderão até o dia em que nós mesmos nos dissolvamos nesse inesgotável nada que é a morte. Penso em momentos. Nos agoras em que eu fecho os meus olhos, posso ver muita coisa, muita gente. Se eu fechar os meus olhos, posso ver o agora, posso ver o antes. Só não vejo o que virá, porque nem mesmo sei se eu existirei no que virá. Algumas coisas me doem quando eu fecho os olhos, algumas lembranças são mesmo feridas, como as do personagem do Chico. Mas, nem todas. A memória não é só isto, uma vasta ferida. Na vastidão da memória, não só se derramam leites, mas também bálsamos, perfumes, milagres e escancaradas alegrias. É isto o que temos: os ganhos, eles também acontecem. E ficam na memória.

restará inestimável serviço às letras pátrias quem estudar criteriosa e demoradamente essa por tantos títulos excepcional figura feminina, uma das primeiras da fase romântica entre nós”. A frase é de Henrique Castriciano deplorando a falta de uma biografia de Nísia Floresta, cujo bicentenário transcorre este ano e vem dando margem a homenagens e colóquios sobre a obra multifacetada dessa escritora, o mais recente dos quais aconteceu na semana passada na Aliança Francesa, tendo na agenda as raízes gaulesas de Nísia. Sabe-se que, entre suas idas à Europa, Henrique Castriciano coletou vasto material documental sobre Nísia Floresta, com vistas a um projeto de biografar a jovem de Papari, infelizmente, porém, semelhantemente ao que ocorreu com seu plano de romance, não chegou a realizá-lo, apesar de tê-lo revelado a mais de um confidente. Chama ainda a atenção que Castriciano coloque Nísia entre as figuras da “fase romântica”, talvez se reportando a sua veia indigenista incorporada ao poema “Lágrima de um caeté”. Com isso, porém, abstrai vertentes mais “modernas” da obra da escritora, como seu protofeminismo, suas ideias revolucionárias sobre a educação da mulher, seu empreendedorismo, sua adesão à causa abolicionista etc. Em sua “História de Nísia Floresta”, datada de 1941, Adauto da Câmara presta tributo de reconhecimento a Henrique Castriciano, ao reconhecer que “o Brasil não esqueceu Nísia Floresta por obra e graça de Henrique, que tão fervorosamente lhe tem estudado a memória, procurando tornar conhecidos, por toda a parte, os seus talentos”. E, em seguida, arremata: “Aproveitamos o ensejo para lhe reiterar o apelo que tantos outros lhe têm feito, no sentido de publicar o seu livro sobre Nísia Floresta, para o qual reuniu copiosa documentação colhida em mananciais que só ele explorou: esteve em contato com pessoas que conheceram Nísia; travou relações com sobrinhas residentes no Rio; correspondeu-se com a filha de Nísia; pesquisou, pessoalmente, na Europa, sobre esta grande vida. Ninguém melhor que ele para traçar a biografia definitiva de Nísia Floresta; é o órgão mais autorizado, o estudioso mais bem informado, a última instância neste assunto”. O encargo dessa missão ficaria mesmo para o próprio Adauto que, incansável em sua busca, pesquisou jornais, revistas, livros, documentos cartoriais e batistérios no afã de levantar os fatos da vida da escritora potiguar, processo que seria aprofundado nos anos 1990 pela professora Constância Lima Duarte, em seu “Nísia Floresta, vida e obra”. Dentre outros aspectos, salientam-se na leitura de “História de Nísia Floresta” dois enigmas sobre os quais o autor mossoroense não consegue calar. O primeiro, diz respeito às fontes de sua vertiginosa formação, que a leva a desenvolver atividades de educadora, preceptora, escritora em três idiomas e interlocutora de sábios e homens de letras europeus. O segundo enigma remonta às origens de sua fortuna, extraordinária, pois lhe permitiu passar quase trinta anos como residente temporária ou permanente em países como França, Itália, Alemanha e Grécia, quando, ainda em 1849, vivia pobremente no Rio! Para Adauto, quem resolver esses dois enigmas terá esclarecido questões fundamentais da biografia da jovem de Papari. Lembremos, por suposto, que a exaustiva pesquisa levada a cabo pela professora Constância, não obstante ter lançado luz sobre numerosas lacunas que cercavam a vida da autora de “Opúsculo humanitário” e a torna ainda hoje tão fascinante a ponto de suscitar opiniões passionalmente contraditórias. Dentre estas, mas não certamente a maior, citaríamos aquela apontada por seu biógrafo mossoroense: “Uma das contradições mais curiosas da obra de Nísia é o seu proclamado apego ao torrão natal, e o gosto de viver longe da Pátria”. Quanto às origens gaulesas na obra de Nísia, são por demais evidentes para alimentarem dúvidas, como o próprio Adauto observa ,quando escreve: “Afinal, fatigada de tanto caminhar por alheias terras, [Nísia] elegeu a França para seu pouso definitivo”. O colóquio convocado pela Aliança Francesa não poderia senão reiterar tal fato.

A

“P

CLÁUDIO EMERENCIANO [ Professor da UFRN ]

A busca sem fim udo na vida tem sentido. O perfume das rosas revela seu sentido ao suscitar sensações, que variam entre o êxtase e o encantamento, a suavidade e o alumbramento, a paz e a ternura. Milan Kundera (checo) dimensionou sentimentos e emoções em “A insustentável leveza do ser”: “Em tudo se deve assimilar o sentido. Principalmente no amor. O previsível ou o acaso têm sentido. Como o instante em que os pássaros pousaram nos ombros de São Francisco”. A diversidade de aromas das plantas é insuperável: pequeníssima face da monumentalidade da vida a ser ampliada pela humanidade. A percepção do sentido das coisas lastreia uma civilização. Aprimora laços entre os homens. A vida humana identifica correspondência e semelhança com os ciclos da natureza. Há uma ruptura entre os homens e a natureza, desagregando-os. A noite envolta pelo manto da esperança. O amor assumindo tantas faces e formas: ternura, êxtase e pureza, as feições de uma criança a dormir ou da amada a sorrir. O desejo de viver a vida com dignidade. O pesadelo da insegurança, da miséria, do abandono, da fome, da doença e do desalento. A noite que se desvia do seu fim; que não pacifica nem acalma. As injustiças entre os homens, em seus mais amplos aspectos sociais e individuais. Onde os homens sofram injustiças, subverte-se o sentido de suas vidas. Essa tragédia também dilacera a ética e a moral. Semeia o fisiologismo. O homem e a natureza que o cerca reclamam cultivo, condições, circunstâncias, harmonia, equilíbrio, conjugação e convergência. Os lírios dos campos, “não fiam nem tecem”, mas nenhuma indumentária se lhes compara em beleza e magnificência. As aves dos céus, que cantam, gorjeiam, embevecem com suas sinfonias pastorais, emitem sons inimitáveis. As chuvas metamorfoseiam a terra seca, esturricada, cinzenta, árida e sombria; converte-a, da noite para o dia, numa espécie de piscar de olhos da eternidade, em verdejante vale, ou florido campo, ou em agreste molhado, muitas vezes encharcado. O que parecia sem vida, morto, destruído, abruptamente ressurge, revitaliza-se, ressuscitando paisagens perdidas ou esquecidas. Esse fenômeno é universal. Manifesta-se nos climas temperados do hemisfério norte e nas zonas tropicais. Particularmen-

T

te no semi-árido nordestino, que resiste a um processo estúpido de desertificação, fruto da insensatez e da voragem por lucros rápidos e imediatos. Infelizmente, a tragédia é universal. O desequilíbrio ecológico é morte e destruição. Até quando nos Tudo na vida tem destruiremos? Seu ímpeto é, sentido.O perfume sem dúvida, apocalíptico... das rosas revela seu O Cardeal Stanislaw Dzisentido ao suscitar wisz, secretário particular de sensações,que Karol Wojtyla, de 1966 até variam entre o êxtase sua morte, escreveu um livro e o encantamento,a excepcional sobre essa consuavidade e o alumbramento,a paz vivência: “Uma vida com Karol”. O texto é conciso, e a ternura.Milan simples, objetivo; bastante Kundera (checo) revelador. Um exemplo: “Um dimensionou sentimentos e fato sem precedentes. Em 27 emoções em“A de outubro de 1986, em Asinsustentável leveza sis, foi realizado o Dia Mundo ser”:“Em tudo se dial de Preces pela Paz. Pela deve assimilar o primeira vez, representantes sentido. de todas as religiões, na verPrincipalmente no dade mais de 4 bilhões de hoamor.O previsível ou mens e mulheres, se uniram o acaso têm sentido. para rezar no mesmo lugar, Como o instante em no mesmo momento, para que os pássaros pedir ao Altíssimo a benção pousaram nos ombros de São da paz. O Papa tinha à direiFrancisco”.A ta o arcebispo Metodios, do diversidade de Patriarcado ecumênico, o araromas das plantas cebispo de Canterbury, Runé insuperável: cie, e os outros chefes das pequeníssima Igrejas ortodoxas e protesface da tantes; à esquerda, o Dalai monumentalidade Lama, e as outras personalida vida a ser dades não-cristãs. E duranampliada pela te o dia todo, a consagrar humanidade.A aquele momento histórico, percepção do sentido das coisas nos cenários de guerra do lastreia uma mundo inteiro, nenhuma vícivilização. tima se registrou”. O sentido de tudo termina onde começou: Deus, infinitamente Amor e Paz.


Domingo | 14 de novembro de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 15

Mercado americano de ações reagiu com cautela às notícias sobre um possível aperto monetário na China. O receio é que o impacto das medidas sejam prejudiciais à economia - especialmente se os juros forem elevados

[ ESTADOS UNIDOS ]

Bolsas fecham semana em baixa ova York, 12 (AE) - Os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam em baixa na última sexta-feira, pressionados por ações de empresas ligadas aos segmentos de matérias-primas e energia, em meio a receios de que a China precisará apertar a política monetária para conter a pressão inflacionária, medida que pode reduzir a demanda do país por commodities. Nos últimos dias, pesaram sobre as bolsas receios com potenciais impactos negativos trazidos pelo programa de compra de Treasuries do Federal Reserve, preocupações com a situação fiscal dos países europeus com economias pequenas - como Portugal e Irlanda. Hoje, a perspectiva de que a China precisará elevar os juros novamente foi acrescentada a esse quadro. “Nós digerimos os balanços do terceiro trimestre e agora os receios macroeconômicos estão voltando ao primeiro plano”, disse Benny Lorenzo, presidente e executivo-chefe da Kaufman Brothers. Alguns investidores, no entanto, não demonstraram tanta preocupação com um eventual aumento dos juros chineses. “Eles estão adotando medidas prudentes para manter a inflação sob controle”, disse Brian Peardon, consultor do Harrison Financial Group. “Isso não vai acabar com o crescimento, só mantê-lo sob controle.” O Dow Jones caiu 90,52 pontos, ou 0,80%, para 11 192,58 pontos, mas chegou a recuar quase 140 pontos ao longo do dia. O Nasdaq perdeu 37,31 pontos, ou 1,46%, e fechou a 2.518,21 pontos, enquanto o S&P 500 teve queda de 14,33 pontos, ou 1,18%, para 1.199,21 pontos. Na semana, os três índices acumularam um declínio próximo de 2,2%. Entre ações isoladas, as da Alcoa - que fazem parte do Dow Jones, caíram 2,32%. A Boeing também fechou em queda, de 3,49%, após a Bernstein Research reduzir a recomendação de investimento na companhia de “acima da média do mercado” para “média do mercado”, citando riscos relacionados à aeronave 787. A Walt Disney subiu 5,27% após ter divulgado ontem que seu lucro trimestral encolheu 6,7% no quarto trimestre fiscal em comparação a igual período do ano passado, devido a fatores extraordi-

N

nários, como o fato de o quarto trimestre fiscal deste ano ter sido uma semana menor que o do ano passado. “Os fundamentos estão bastante fortes excluindo esses itens”, disse Lorenzo, da Kaufman Brothers. A Intel anunciou que seu conselho aprovou um aumento de 15% no pagamento de dividendos a partir do primeiro trimestre. As ações subiram 1,51%. Na próxima semana, serão divulgados os balanços do Walmart e da Home Depot, que fazem parte do índice Dow Jones. Segundo dados da Thomson Reuters, mais de 90% das companhias que integram o S&P 500 já divulgaram seus respectivos balanços trimestrais. Dentro desse grupo, 72% superaram as estimativas de Wall Street, enquanto 19% divulgaram números mais fracos que o previsto. Num trimestre típico, 62% das empresas do índice superam as estimativas e 20% não conseguem corresponder às expectativas, embora nos últimos quatro trimestres essas taxas tenham sido de 76% e de 16%, respectivamente. No mercado de Treasuries, os preços caíram - com respectivo movimento inverso dos juros -, pressionados por comentários de autoridades da Irlanda e da Comissão Europeia negando que o país estaria negociando um pacote de resgate e também por um ajuste de posições após a primeira operação de compra de Treasuries realizada pelo Federal Reserve envolvendo recursos do programa de US$ 600 bilhões anunciado na semana passada. “Você compra na expectativa de um evento que supostamente será bom e vende quando ele acontece, porque a boa notícia já foi embutida nos preços”, disse Ted Ake, diretor de negociações com Treasuries do Société Générale em Nova York. “Todos querem vender para o Fed e, como hoje é sexta-feira, o mercado está reduzindo a exposição antes do fim de semana.” O Federal Reserve comprou um total de US$ 7,229 bilhões em Treasuries e recebeu um total de ofertas equivalente a US$ 29,03 bilhões. A maior parte das compras ocorreu entre títulos com vencimento em maio de 2015. No pico das vendas desta sexta-feira, o juro projetado pela T-note de 10 anos ficou em 2,789% - maior nível desde meados de setembro.

RODRIGO SENA

Durante seis semanas a moeda europeia teve sua cotação mais baixa com relação ao dólar, mas no final da semana registrou alta

Você compra na expectativa de um evento que supostamente será bom e vende quando ele acontece, porque a boa notícia já foi embutida nos preços” TED AKE Diretor de negociações

Eles estão adotando medidas prudentes para manter a inflação sob controle” BRIAN PEARDON Consultor do Harrison Financial Group

Após queda,Euro volta a crescer Nova York, 12 (AE) - O euro recuperou-se de sua cotação mais baixa ante o dólar em seis semanas e era negociado em alta no fim da tarde desta sextafeira, depois de a Irlanda ter negado veementemente rumores de que estaria prestes a recorrer a uma linha de resgate financeiro da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Uma declaração de líderes da UE também ajudou a aplacar os temores causados pela persistente crise da dívida dos países da periferia da zona do euro, o que contribuiu para que a moeda comum europeia se recuperasse das cotações mais baixas desde o fim de setembro. No fim do dia, a alta do euro sobre o dólar era relativamente modesta, mas a queda das ações nos Estados Unidos conteve a deman-

da por ativos cambiais considerados mais arriscados. Analistas do Goldman Sachs avaliam que a crise da dívida soberana na zona do euro é “controlável” e que estão “superados” os temores de que haja contágio dos países periféricos para as nações maiores da região. O euro recuperou-se das mínimas registradas no overnight depois que os ministros das Finanças da Alemanha, da Espanha, da França, da Itália e do Reino Unido divulgaram nota conjunta afirmando que os títulos de dívida lançados antes de meados de 2013 não serão afetados por mudanças no programa de resgate da UE, tirando um pouco da pressão sobre os mercados de bônus soberanos da região. Apesar de o dólar ter caído ante o euro, a moeda norte-americana apreciou-se ante diversas ou-

tras divisas de yield mais elevado, uma vez que os investidores passaram a buscar ativos de risco mais baixo depois de a reunião do Grupo dos 20 (G-20, que reúne as nações mais industrializadas e as principais potências emergentes do mundo) em Seul ter sido encerrada sem um acordo específico sobre câmbio. Os líderes do G-20 comprometeram-se a agir para buscar um crescimento mais equilibrado, mas deixaram para o próximo ano o polêmico trabalho de definir quais problemas ameaçam a recuperação global. No fim da tarde, em Nova York, o euro era negociado a US$ 1,3693, de US$ 1,3662 ontem. O iene estava cotado a 82,43 por dólar, de 82,48 ienes por dólar ontem. A libra estava em US$ 1,6136, de US$ 1,6130 ontem. As informações são da Dow Jones.

ALESSANDRO DI MEO

[ ITÁLIA ] Pelo menos quatro membros do governo italiano ligados ao presidente da Câmara Gianfranco Fini, inimigo político de Berlusconi, devem deixar a administração do premiê

Mudanças no governo oma, 12 (AE) - Quatro membros do governo italiano leais ao presidente da Câmara dos Deputados, Gianfranco Fini, devem deixar seus postos na administração do primeiro-ministro Silvio Berlusconi na segunda-feira. Fini era um aliado do premiê, mas tornou-se um duro rival do líder do país. Também na última sexta-feira, em outro sinal de que a crise política está se agravando na Itália, a oposição de centro-esquerda apresentou no Parlamento um voto de não confiança contra Berlusconi. O Partido Democrático e seu aliado Itália dos Valores apresentaram o pedido, que ainda não tem data para ser discutido. O líder do Partido Democrático, Pierluigi Bersani, pediu a Fini e seus aliados que votem com a oposição, dizendo: “Eu gostaria de acreditar que todos aqueles que pensam que essa fase acabou sejam coerentes e essa é uma ocasião de mostrar isso”. Um dos políticos ligados a Fini, Italo Bocchino, disse em entrevista na televisão no fim da quinta-feira que Berlusconi encontrará as cartas de demissão de

R

Silvio Berlusconi e Gianfranco Fini já foram aliados políticos

todos os nomes leais a Fini em sua mesa, na segunda-feira, quando ele retornar do encontro do G-20 na Coreia do Sul. A crise política na Itália se acelerou no final de semana passado, quando Fini, ex-aliado de direita do premiê, pediu a Berlusconi que renunciasse. O premiê, de 74 anos, já está abalado por uma série de escândalos sexuais. Nesta sexta-feira, o pivô do escândalo mais recente, uma garota marroquina de apelido Ruby, Kharima El Mahroug, completou 18 anos. Ruby participou de festas em uma mansão de Berlusconi, do qual teria recebido 7 mil euros. Ruby negou ter feito sexo com o premiê. Ruby disse nesta sextafeira à agência Ansa que pretende deixar Milão e voltar para a Sicília, onde vivem seus pais. Berlusconi afirma que não renunciará ao cargo e só sai se o Parlamento aprovar a moção de não confiança. A ação dos partidários de Fini foi tomada após o líder da Liga Norte, Umberto Bossi, se encontrar com o líder da direita italiana na quinta-feira, em uma fracassada tentativa de encerrar o impas-

se político, que pode levar a uma crise no governo e até a eleições antecipadas. Fini rompeu com Berlusconi mais cedo neste ano, encerrando uma aliança de um ano com o bilionário italiano. O direitista Fini lidera pelo menos 35 parlamentares na Câmara dos Deputados, uma bancada que seria capaz de acabar com a maioria parlamentar de Berlusconi, caso todos votem contra o governo. O pedido da centro-esquerda para que a confiança seja votada poderá obrigar Fini e Bossi a decidirem se apoiam Berlusconi ou se votam pela queda do premiê. Vários importantes projetos devem ser discutidos pelo Parlamento nas próximas semanas, incluindo um crucial sobre mudanças no orçamento italiano para os próximos três anos. No domingo, Fini pediu que Berlusconi renuncie, em um discurso que marcou o distanciamento dos dois políticos, que fundaram juntos o Partido do Povo da Liberdade. As informações são da Associated Press, Dow Jones e Ansa.

IRAQUIANOS Roma,12 (AE) - A Itália está transportando 26 iraquianos feridos em um ataque de extremistas contra uma igreja católica em Bagdá para Roma, onde eles receberão tratamento médico,informou o Ministério das Relações Exteriores da Itália.O governo italiano disse que age a pedido do secretário de Estado do Vaticano,o cardeal Tarcísio Bertone.Um avião C-130 do governo com os feridos deverá pousar em Roma mais tarde nesta sexta-feira. No total,68 pessoas foram mortas após extremistas islâmicos terem invadido a Igreja de Nossa Senhora da Salvação em Bagdá,em 31 de outubro,durante a missa de domingo.Os extremistas atiraram nas pessoas que assistiam à missa e mantiveram outras como reféns e então explodiram bombas quando comandos iraquianos começaram a invadir o prédio.Os feridos,acompanhados por 21 familiares,serão tratado no Hospital Gemelli na capital italiana.


16 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 14 de novembro de 2010

A MAIOR LEMBRANÇA É O CONVITE ABRINDO NOVOS ESCRITÓRIOS, ATÉ NO SUDESTE DO PAÍS, A MESTRE DOS CONVITES, DENISE LINS, BUSCA EXCELÊNCIA E FAZ DE SEU OFÍCIO UMA ARTE AGORA TAMBÉM EM OUTROS ESTADOS ALEX FERNANDES

ustomizar é transformar, modificar, dar a nossa personalidade a uma peça de roupa ou acessório. Pelo mundo afora estão customizando criações, rebordando, rasgando, esgarçando, bordando e reinventando”. A definição está na internet, mas já povoa há muitos anos o trabalho de um ícone da criação de convites em Natal. E isso muito antes de existir a Rede Mundial de Computadores. Denise Lins é o nome da pessoa e a marca de um produto fundamental em qualquer evento social ou corporativo – o convite. Afinal, é o documento que antecede a festa e distingue o convidado especial. Novamente, ela colocou seu talento a serviço do TOP Natal, cujo prêmio de maior lembrança do consumidor a empresas de 36 segmentos de negócio será entregue no próximo dia 18 de novembro, numa grande festa no Olimpo Recepções. No dia seguinte ao evento, a revista com o perfil dos ganhadores circulará encartada na edição da TRIBUNA DO NORTE. O prêmio TOP Natal tem o patrocínio da Assembleia Legislativa, Sebrae-RN, sistema Fiern e sistema Fecomercio. O documento fica. Buffets, bebidas e até boas conversas passam. O convite fica. E quanto mais requintado ou criativo ele for, vira documento

“C

e vai para os guardados de estimação. Coisa para ser desengavetada e admirada 10 anos depois. Em 1985, quando abriu sua gráfica, Denise Lins já sabia que precisava se distinguir no mercado. Fazer algo importante que notabilizasse seus produtos, sem enveredar pelas tiragens elevadas e norteadas pelo famoso custo por mil – ou seja, quanto mais exemplares, menor o preço unitário. O que ela fez? Elegeu o convite como “nicho” e iniciou um processo de aprendizado do negócio que dura até hoje. Bem, durar até hoje é força de expressão. Denise Lins já é considerada uma mestre nesse segmento e sua presença já foi percebida não só no Nordeste, como em São Paulo, capital, meca do profissionalismo e das inovações.

Tanto é assim, que Denise Lins já abriu escritórios em Vitória (ES), onde já produziu os convites de seu segundo evento local, e Mossoró, segunda cidade do RN, onde funciona nas instalações da Master Eventos. E para não dizer que a empresária não olhou para a Paraíba, um escritório será aberto ainda este ano em João Pessoa. Com uma dedicação insana e apreço pelos detalhes, os convites impressos quase artesanalmente pela equipe de Denise revelam diferenciais de criação e composição que passam pelo papel importado, estão presentes na tinta e estão envoltos em envelopes absolutamente originais, ratificando a idéia de que apresentação é tudo. Sua pesquisa é tão aplicada que a empresária dá nome a uma linha de papeis finos fabricados por uma grande indústria do setor – a Lilac Delins. Para agregar ainda mais valor a seu produto, Denise levou a customização tão a sério que transformou, modificou e deu personalidade a cada uma de suas criações. Envelope adornado com uma fina renda, desenvolvida especialmente para o convite; barras de chocolate cujas embalagens foram concebidas especialmente para o aniversário de fundação de uma empresa; convites revestidos com lâminas de ouro – tudo isso dá a idéia do tipo de trabalho desenvolvido na Gráfica Diplomata.

O caminho das pedras Muito cedo, Denise percebeu que precisaria conhecer profundamente os processos gráficos ligados à produção de papeis finos para obter o efeito desejado em cada peça produzida. Isso incluía o acesso a insumos importados, que permitiriam aplicações cujos efeitos superassem as expectativas dos clientes. Foi assim que a empresária tornou-se uma grife no mundo dos convites. A ponto de ter uma linha de papeis finos fabricada hoje por uma grande indústria do setor com o seu nome – a Lilac Delins. Foi um reconhecimento importante, que coloca Denise num patamar idêntico a de um atleta olímpico criador de uma combinação acrobática totalmente original. Atualmente, cada nova linha de papeis desenvolvida por Denise e sua equipe é segredo de Estado, guardado a sete chaves – po-

de ser até copiado, mas jamais será o mesmo. Embora o carro chefe de sua gráfica hoje sejam os convites para casamento, Denise também trabalha intensamente a linha infantil para qual desenvolveu novos e criativos complementos. Toda sua linha de cartões, por exemplo, é fortemente carregada de exclusivismo, fruto de muita pesquisa. A linha de convites empresariais de Denise Lins também vem ganhando espaço nos últimos anos. Mas tanto a linha infantil quanto a corporativa ainda não se aproximam numericamente dos convites de casamento, aonde a designer dedica grande parte de sua rotina diária. Os clientes participam ativamente do processo e criação na medida em que repassam toda a informação a ser aplicada na inspiração dos cartões. O resultado é de encher os olhos e a reverbera-

ção desse trabalho é que rende à Denise os convites que vem de outros estados. Aliás, com certa frequência, ela é convidada pelos noivos para a cerimônia e às vezes até como madrinha. “É um dos lados muito gratificantes do trabalho”, reconhece. Mas para alcançar todo esse reconhecimento demandou anos de trabalho duro e de pesquisa interminável. De indústria em indústria, de fornecedor em fornecedor, aqui e no exterior, o maior trabalho de Denise é desvendar o “caminho das pedras”, como ela própria costuma dizer. Centenas, milhares de horas de experimentos e uma impressão apurada, que tira exemplar por exemplar, dão acabamento a um produto final examinado um por um, por meio de um rigoroso controle de qualidade.

Denise Lins, a dona dos convites mais originais e sofisticados do mercado expande seus domínios


economia DÓLAR COMERCIAL Compra:R$ 1,721 Venda:R$ 1,723 DÓLAR PARALELO Compra:1,76 Venda: 1,86

POUPANÇA HOJE 0,5686% CDB 10,65% BOVESPA - 0,72%

SALÁRIO MÍNIMO

R$ 510,00 TAXA SELIC

10,75%

TELEFONES ÚTEIS Receita: 3232-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT/RN: 3220-2000

CONSTRUÇÃO CIVIL

Arnaldo Gaspar Júnior fala das expectativas e planos à frente do Sinduscon RN. PÁGINA 3 DÓLAR TURISMO Compra: R$ 1,673 Venda:R$ 1,803 EURO Compra:R$ 2,357 Venda:R$ 2,360

Editor: Vinícius Albuquerque e-mail:vinicius@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 14 de novembro de 2010 ANTONIO CRUZ/ABR

[ NOVO GOVERNO ] Analistas avaliam que enquanto Dilma Rousseff se

mantiver aderente ao perfil de Lula, mercado financeiro será benévolo

Mercado dever ser complacente nos primeiros meses ão Paulo (AE) - O mercado financeiro deverá se manter complacente com relação ao governo de Dilma Rousseff (PT) enquanto a nova gestão se manter aderente ao perfil do governo do presidente Lula. Isso significa dizer, segundo o economista-chefe da MB Associados, Sérgio Vale, que a paz entre os agentes financeiros e a nova administração deve durar, no máximo, uns seis meses, tempo que Dilma Rousseff precisará para tomar pé da situação e se desvincular de vez do perfil imposto nos últimos oito anos pelo presidente Lula. A discussão sobre a futura relação do mercado financeiro e o novo governo ganhou força com a informação divulgada na semana passada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” de que a presidente eleita poderá tirar o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, do cargo. Segundo a reportagem, apesar de avaliar que Henrique Meirelles desempenha um papel importante no combate à inflação e na contenção dos efeitos da crise econômica global de 2008 na economia brasileira, Dilma não pretende deixá-lo à frente da condução do Banco Central. Um dos motivos que podem explicar a atitude é a vontade, já externada pela presidente eleita, de reduzir a taxa de juro real para 2% até 2014. Com isso, ela deverá priorizar a formação de um governo de pessoas com um viés desenvolvimentista. O

S

problema, na visão de Vale, está na contradição entre o discurso e a prática. Para o economista, não há a menor possibilidade de a taxa de juro real chegar a 2% ao final dos próximos quatro anos se for mantida a atual política fiscal expansionista que Dilma indica que deverá seguir. “Ela não tem a menor noção da importância de um ajuste fiscal”, afirma o economista. Todavia, diz Vale, isso não surpreende aos que ao longo do tempo vêm analisando o comportamento da presidente eleita. Dilma, de acordo com o chefe dos economistas da MB Associados, quando era ministra, foi contra a proposta de ajuste fiscal defendida pelos ministros Antônio Palocci e Paulo Bernardo. “O que esperar de um governo que afirma não haver ajuste político a ser feito?”, questiona o economista. Na sua opinião, é preciso avaliar a Dilma ministra e não a candidata. “Como ministra ela nunca enganou ninguém. Sempre demonstrou o seu perfil desenvolvimentista. E nós nunca pensamos que Palocci e Meirelles fossem ter voz ativa em seu governo”, afirma. Para a MB Associados, Dilma poderá até contar com os dois, mas por um período de no máximo seis meses. Depois disso, ela deverá se cercar de pessoas com perfil heterodoxo. Vale lembra que em 2003, quando o governo Lula fez o ajuste fiscal, as figuras que coordenaram o programa foram ortodoxos, como Palocci, Meirelles e Marcos

Lisboa, que era o grande formulador de política microeconômica do governo Lula. Apesar das informações de que Dilma pretende tirar Meirelles do BC, o mercado só irá partir para cima do novo governo quando a presidente eleita começar a impor o seu ritmo sobre a instituição. “Isso poderá ser perigoso”, afirma o economista da MB Associados. Do ponto de vista político, Vale entende que o presidente Lula, até por sua vivência dentro do sindicalismo, é uma pessoa mais conciliadora. “A arbitragem de opiniões diferentes foi a síntese do governo Lula. Ele soube administrar bem as divergências entre o Ministério da Fazenda e o Banco Central. No governo de Dilma Rousseff isso não deverá acontecer porque ela já deu mostras de que não consegue conviver com opiniões diferentes”, afirma o economista. Além do mais, a necessidade de um ajuste fiscal hoje se dá em função do equilíbrio de longo prazo. Não é como o de 2003, quando o governo Lula foi forçado pela premência do curtíssimo prazo, avalia Vale. “E essa percepção de que o curto prazo, neste momento não exige um aperto fiscal, como esperar um ajuste de um governo que afirma que a valorização do real não tem nada a ver com o fiscal?”, pergunta Vale. Por isso, diz ele, a possibilidade de juro real em 2% em 2014, a considerar a permanência da atual política fiscal, já está morta.

Meirelles deve continuar à frente do Banco Central. Pelo menos enquanto Dilma “toma pé”

Previsões distintas do mercado financeiro preocupam BC Brasília (AE) - O Banco Central anda preocupado com as previsões do mercado financeiro porque analistas têm projetado cenários cada vez mais distintos entre si e também na comparação com o quadro desenhado pela instituição. O tema levou o BC a realizar pesquisa para entender como pensam os analistas. O estudo mostra que a principal causa da leitura diferenciada é o tema fiscal. Enquanto o BC prevê superávit primário de 3,3% em 2011, o mercado trabalha com esforço fiscal menor por investimentos ou manobras contábeis. As previsões do mercado apresentavam um comportamento relativamente convergente até o fim de 2008. Logo após o estouro da crise financeira, porém, as estimativas começaram a variar muito e a dispersão das expectativas aumentou rapidamente no início de 2009. O fato revela dificuldade dos economistas em ler e projetar o quadro econômico que está por vir.

O fato acendeu a luz amarela no BC. No regime de metas de inflação, uma das principais atribuições da autoridade monetária é “ancorar” as expectativas do mercado - ou seja, convergir previsões dos economistas ao mesmo tempo em que torna as decisões do BC mais previsíveis. A crise parece ter desregulado a leitura dos analistas. O auge das leituras divergentes aconteceu no meio do ano, quando o mercado acreditava que era necessário subir o juro em ritmo mais forte que o realizado pelo BC. Ou seja, o Comitê de Política Monetária (Copom) via um cenário mais ameno que o projetado pelos investidores que mantiveram preocupação quanto à inflação Para entender a diferença, o BC quis saber como é a leitura do mercado para uma série de aspectos macroeconômicos, como a política fiscal, quadro externo e juro real neutro. Foram realizados dois questionários. O primeiro, de duas

NÚMERO

3,3%

do PIB em 2011 é a meta de superávit primário com a qual o Banco Central trabalha

perguntas, foi enviado aos analistas que respondem semanalmente a pesquisa Focus. As 54 respostas foram recebidas pelo BC até 27 de setembro. Em outubro, novo questionário, dessa vez com três questões, e foram 64 respostas coletadas até 29 do mês passado. A resposta às cinco perguntas foi publicada na segunda-feira passada em documento divulgado pelo Banco Central. Diante das respostas, prevaleceu o entendimento de que uma das principais razões para a diferença de leitura mora nas “hipóteses de trabalho”, especialmente da questão fiscal. Enquanto o BC trabalha com a previsão que o Brasil vai cumprir a meta de superávit primário de 3,3% do PIB, boa parte do mercado ainda prevê que o esforço fiscal será abatido.


2

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 14 de novembro de 2010

ALCIMAR DE ALMEIDA SILVA [ consultor, fiscal e tributário municipal ]

Negócios &Finanças LUIZ ANTÔNIO FELIPE laf@tribunadonorte.com.br

Contas da Previdência Previdência Social já estaria estudando o fim das pensões herdadas, considerada um dos pontos de desequlíbrio das contas. Em 2008, estudo apontava 3,7 milhões de pessoas recebendo pensões por morte de cônjuge, companheiro ou excônjuge. O bom desempenho da economia brasileira e a proximidade de um novo governo formam um cenário propício para reacender assuntos polêmicos ligados à Previdência Social. Pouco a pouco, o ministro Carlos Eduardo Gabas vem colocando os temas em pauta: aumento da idade mínima para aposentadoria, unificação dos regimes dos servidores públicos com o geral e continuação da contribuição previdenciária dos servidores inativos. Os itens mais recentes são o desconforto em relação ao acúmulo de benefícios, que praticamente só existe no Brasil, e as pensões herdadas por cônjuges.

A

PENSÕES De acordo com o anuário da Previdência de 2008, o mais recente disponível, 3,7 milhões de pessoas recebiam naquele ano pensões por morte de cônjuge, companheiro ou ex-cônjuge - a maioria significativa é de mulheres (3,4 milhões). O total de pagamentos previdenciários por morte - incluindo filhos, pais, irmãos, além do próprio cônjuge - é feita a 6,5 milhões de beneficiados e o número geral de benefícios do INSS é de 23,1 milhões.

Economia

Energia

A TRIBUNA DO NORTE promoverá dois grandes eventos, com foco na economia. Na próxima quinta-feira, dia 18, o TOP Natal, com as marcas mais lembradas, a partir das 20 horas, no Olimpo Recepeções. A revista sai no dia 19, encartada na edição de TN, com os vencedores dos 36 segmentos. Na segunda-feira, dia 22, o seminário “Os Motores do Desenvolvimento do RN” vai discutir o tema “Setor Exportador – Agronegócios e Pesca”, no auditório da Fiern.

O primeiro, dos 71 parques eólico negociados no Leilão de Reserva de 2009, fará o envio dos dados à EPE, a partir de fevereiro de 2011, para a formação de um banco de dados de geração eólica. Os empreendedores concessionários dos parques eólicos remeterão quinzenalmente, via internet, médias de medição efetuadas a cada 10 minutos. Informações que farão parte desse monitoramento agregam os seguintes dados: velocidade e direção dos ventos, temperatura local, umidade relativa do ar e pressão atmosférica.

ESTRUTURA Os aeroportos brasileiros já estão operando no limite da capacidade. Agora, a Anac prevê uma expansão da demanda em até 20% para 2010, como consequência da disseminação do transporte aéreo, principalmente para cidades de pequeno e médio portes. As companhias Trip, Azul e Passaredo são exemplos de empresas menores que vêm operando com eficiência.

1

O Sebrae/RN e a Associação Norteriograndense de Informática (Aneinfo) vão entregar às empresas,o Selo Informática Legal 2010.A solenidade acontecerá no dia 17, próxima quarta-feira, no Centro de Eventos do Hotel Escola Barreira Roxa.Serão agraciadas as empresas Engemática TI,Gestec,Hot Line, Microfácil,Miranda Computação,MK, Peggasus,Net,On Line,Plugtech e Work.

2

O programa “Vai Brasil”do MTur será lançado no RN,numa parceria da Emprotur, ABIH/RN e o Natal Convention & Visitors Bureau.O lançamento será no dia 22 próximo,durante reunião com o trade turístico,na sede da ABIH, em Petrópolis.O projeto pretende fomentar a comercialização de pacotes turísticos nos diversos destinos do Brasil.Os produtos do Vai Brasil terão condições especiais de preço,via site do programa (www.vaibrasil. com.br).

3

O comércio do centro de várias capitais já preparou o calendário de abertura aos domingos para atender melhor o crescimento do consumo no final do ano.Em Recife,por exemplo,o funcionamento extra de Natal terá início hoje,e seguirá até o final de dezembro.As lojas terão funcionamento diário entre a segunda-feira dia 8 até o Natal,sem fechar um dia sequer.

ENLATADOS Desembarca no Nordeste a marca de pescados enlatados Robinson Crusoé, do grupo espanhol Jealsa Rianxeira, começando com os atuns. A empresa garante que utiliza técnica de captura individual. Um peixe de cada vez. Pretende nos próximos meses trazer salmão em pedaços, mexilhões em conserva, patês de salmão defumado e caranguejo. PROPOSTAS O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) está recebendo propostas inovadoras que buscam gerar bens públicos orientados a promover a integração da América Latina e Caribe. A chamada para propostas, sob o Programa de Bens Públicos Regionais, segue até amanhã. O Programa apoia a busca de soluções de políticas públicas e oportunidades ou desafios transnacionais mediante a ação coletiva dos países da região. NORDESTE A compra da Elizabeth Louças Sanitárias, com sede em João Pessoa, vai permitir à Duratex dobrar a capacidade de produção no Nordeste, mercado que tem registrado elevadas taxas de crescimento. A empresa assinou o acordo para aquisição da fabricante de louças nordestina, por R$ 80 milhões. O negócio deve ser sacramentado no início de 2011. ADIAMENTO Como já é de praxe neste país, o concurso público dos Correios também está adiado, por decisão judicial. As provas previstas para o dia 28 deste mês. O recurso da ECT a essa decisão encontra-se em análise pelo Tribunal Regional da 1ª Região. Os Correios informam ainda aos candidatos que vierem a desistir de sua participação no concurso, que será garantida a devolução das taxas pagas, devidamente atualizadas, em data a ser divulgada.

FPM de 2011: perdas e ganhos IBGE divulgou no último dia 4, a população residente em cada um dos 5.565 municípios brasileiros em 1º de agosto de 2010, obtida pelo Censo Demográfico 2010, realizado no período de 1º de agosto a 31 de outubro, que totalizou 185 milhões, 712 mil, 713 pessoas em todo o Brasil, tendo publicado naquela mesma data no Diário Oficial da União a fim de servir de base à fixação pelo Tribunal de Contas da União dos coeficientes do FPM – Fundo de Participação dos Municípios para o ano de 2011. Diante desta publicação, as Prefeituras Municipais terão o prazo até 24 do mês em curso para apresentar reclamações fundamentadas, uma vez que no dia 29 de novembro será feita a publicação final. Examinados os números referentes aos Municípios do Rio Grande do Norte, em confronto com a estimativa feita em 1º de julho de 2009, que serviu à fixação dos coeficientes do FPM para o ano em curso, mesmo havendo redução ou aumento de população, estas alterações indicam re-enquadramento de coeficientes em relação somente a 11 dos 166 Municípios do interior, sendo 4 para baixo e 7 para cima, estando entre os primeiros Alexandria, Jardim

O

de Piranhas e Santana do Matos, caindo de coeficiente 1,0 para coeficiente 0,8, enquanto o de Nísia Floresta, à falta de apenas 1 habitante cai do coeficiente 1,4 para 1,2. A perda de Alexandria pode ter sido consequência do litígio territorial com o Município de Brejo dos Santos no Estado da Paraíba, tendo aquele sofrido uma redução em sua população, entre a estimativa do ano passado e o censo deste ano, em 1.017 habitantes e não apenas em 300 como foi cogitado ao serem feitos comentários sobre o litígio, o que inclusive mereceu artigo do autor aqui publicado. Jardim de Piranhas, por sua vez, teve uma redução de 853 habitantes, enquanto em Santana do Matos a redução foi de 1.650. A redução de população em Nísia Floresta foi de apenas 337 habitantes, porém o suficiente para sinalizar queda do coeficiente do FPM de 1,4 para 1,2, porque a população mínima para enquadramento no coeficiente 1,4 é de 23.773 habitantes e foram contados 23.772 habitantes. O grupo dos Municípios que tiveram ganho de população a ponto de aumentar o seu enquadramento nos coeficientes compreende São Gonçalo do Amarante, migrando do coeficiente 2,6 para 2,8; Canguaretama e Tou-

ros, de 1,4 para 1,6; Extremoz, de 1,2 para 1,4; Poço Branco e Serra do Mel, de 0,8 para 1,0; e Maxaranguape, de 0,6 para 0,8. Nos Municípios de Pendências e Rio do Fogo foram apurados habitantes que lhes deixaram nas proximidades de aumentar o seu enquadramento, pois o primeiro com mais 161 elevaria o seu enquadramento do coeficiente atual de 0,8 para 1,0 e o segundo com mais 162 elevaria o seu enquadramento do coeficiente atual de 0,6 para 0,8. Continuando os coeficientes e a distribuição de recursos do FPM tomando por base apenas o critério populacional, também continuam presentes as impropriedades de que é exemplo a da relação entre Rio do Fogo – o mais populoso dos Municípios de coeficiente 0,6 com 10.027 habitantes – e Viçosa – o menos populoso não só entre os de coeficiente 0,6 como de todo o Estado com 1.618 habitantes – ambos destinatários do mesmo volume de recursos, enquanto o primeiro tem uma população correspondente a mais de 6 vezes à do segundo, em consequência do que o FPM “per capita” de Viçosa corresponde, inversamente, a mais de 6 vezes o FPM “per capita” de Rio do Fogo. E-mail: aasconsultoria@bol.com.br

ALCYR VERAS [ economista e professor universitário ]

O PIB e o desenvolvimento PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro situa-se, atualmente, em torno de 3.2 trilhões de reais que representam o valor total de todos os bens e serviços (de capital e de consumo) produzidos durante um ano, inclusive a produção de empresas estrangeiras instaladas em nosso país. Dessa variadíssima gama de bens fazem parte máquinas, equipamentos, veículos automotores, produtos agro-pecuários, minérios e outros tipos de matérias primas, bem como serviços técnicos – especializados nas mais diversas áreas do conhecimento humano. Apesar de não mais adotar o modelo primário-exportador do passado, o Brasil ainda apresenta, em sua pauta de exportações, considerável densidade de comodities, tais como: açúcar, soja, mate, suco de laranja, frango, carne, minérios, etc. De acordo com sua versão preliminar, o Censo Demográfico 2010 divulgado pelo IBGE, o Brasil tem, hoje, uma população de 185 milhões e 713 mil habitantes (número este sujeito à recontagem), mas apenas 101 milhões constituem a população economicamente ativa, ou seja, a força de trabalho que participa diretamente da formação do PIB, cujo valor expressa o tamanho real da nossa riqueza. Enquanto que a renda per capita

O

(renda por pessoa), é obtida dividindo-se o PIB pela população total. O valor encontrado é de 17.230,00 reais por habitante/ano, demonstrando assim alta concentração de renda, tendo em vista que parcela significativa dos brasileiros, que se encontram estacionados abaixo da linha de pobreza, tentam sobreviver ganhando menos de meio salário mínimo por mês, o que daria um pouco mais de 3 mil reais por ano, valor este muito abaixo dos 17.230,00 da renda per capita apurada pelos órgãos oficiais. É bem verdade que a renda per capita é um valor médio, pois seria utópico pretender igualdade absoluta de salários para toda a população de um país. Mas, também não se pode conviver com situações extremas em que uma pequena parcela de privilegiados concentrem o maior volume da riqueza, em detrimento de uma grande maioria de pessoas marginalizadas em consequência da pobreza. Ainda são tímidas e incipientes as politicas públicas de redistribuição de renda. Os mecanismos existentes de transferência de renda limitam-se aos programas sociais do governo, de forte conotação assistencialista. Efetivamente, não agregam valor econômico ao sistema produtivo capazes de fortalecer a relação capital – trabalho com o objetivo de aumentar a massa salarial. A elevada carga tributária, os pesados encar-

gos trabalhistas e a baixa produtividade da mão de obra em função de tecnologias obsoletas e falta de especialização, são responsáveis pelos baixos salários do trabalhador brasileiro, em comparação com europeus e norte-americanos. Convém ressaltar, todavia, que o PIB não é o único instrumento utilizado para medir o desenvolvimento econômico de um país. Ele, por si só, não expressa, com precisão, o grau do desenvolvimento econômico. São necessários outros critérios de análise para avaliar, efetivamente, a situação sócio-econômica conjuntural. Para isso, é fundamental conhecer-se as condições estruturais da educação, saúde pública, saneamento básico, segurança pública, transporte, habitação, emprego e renda, etc. Esses ingredientes somados compõem um índice chamado IDH – Índice de Desenvolvimento Humano que, consequentemente, vai atestar a qualidade de vida da população. Segundo relatório, divulgado na semana passada, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o Brasil avançou quatro posições e aparece, agora, em 73º lugar no ranking do IDH. O economista do PNUD/ONU, Flávio Comin, declarou que o desempenho do Brasil só não foi melhor porque os indicadores referentes à educação foram baixos.

ANGELO LUNARDI [ professor e consultor da Aduaneiras ]

Câmbio: afinal, tudo pode? m tempos pretéritos, tempos de escassez de divisas, tudo era proibido. Proibido viajar, por conta dos limites impostos para compra de moeda; proibido comprar produtos de informática, por conta de uma reserva de mercado; proibido comprar máquinas e equipamentos sem financiamento de longo prazo; proibido importar produtos de uma lista de mais de 3.000 itens etc. Tempos difíceis. Uma legislação cambial jurássica e anacrônica. Por exemplo, um Decreto nº 23.258/33, de Getúlio Vargas! Décadas passaram-se, tempos de vacas magras, até que com a virada do milênio o Brasil mudou, o mundo mudou. Conseguimos, inclusive, resistir à última crise mundial! A partir do novo Regulamento de Câmbio, o RMCCI, o Banco Central do Brasil - a quem cabe executar a política cambial do governo - passou a se preocupar com princípios e não mais com procedimentos: “As pessoas físicas e as pessoas jurídicas podem comprar e vender moeda estrangeira ou realizar transferências internacionais em reais, de qualquer natureza, sem limitação de valor, sendo contraparte na operação agente autorizado a operar no mercado de câmbio, observada a legalidade da transação, tendo como base a fundamentação econômica e as responsabilidades definidas na respectiva documentação.” (RMCCI-1-1-3) Isso, na prática, vale dizer que qualquer operação da espécie pode ser realizada, desde que observados - pelos agentes autorizados e seus clientes - alguns princípios básicos. Em primeiro lugar, observar que as operações somente podem ser realizadas por meio de agentes autorizados a operar em câmbio, tais como bancos múltiplos, bancos comerciais, caixas econômicas, bancos de investimento, bancos de desenvolvimen-

E

to, bancos de câmbio, agências de fomento, sociedades de crédito, financiamento e investimento, sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários, sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários e sociedades corretoras de câmbio. Em segundo lugar, observar a legalidade da operação, verificando a existência de codificação própria na “Codificação de Operações de Câmbio”, listada no RMCCI-1-8 e, em especial, assegurar-se da legalidade da operação subjacente, aquela que dá base à operação de câmbio. Assegurar-se de que existe uma justificativa econômica lícita e que não fere qualquer dispositivo da legislação e regulamentação nacional. Não basta, por exemplo, saber que remessas a título de “Lucros e Perdas em Transações Mercantis com o Exterior” são permitidas. É indispensável demonstrar a existência de tais lucros e perdas. Em terceiro lugar, diz o Regulamento de Câmbio, é necessário que as responsabilidades das partes estejam definidas na respectiva documentação. Isso quer dizer que as operações devem ter respaldo documental, como também prevê o RMCCI-1-6: “A realização de operações no mercado de câmbio está sujeita à comprovação documental”. Por “responsabilidades das partes”, deve ser entendido como a inequívoca identificação do legítimo credor e do legítimo devedor a quem os recursos devem ser pagos ou de quem eles devem ser recebidos. Assim, como regra, uma importação brasileira só pode ser paga pelo importador e os recursos somente podem ser remetidos ao seu legítimo credor externo. Da mesma maneira, somente o exportador brasileiro poderá receber os recursos de sua exportação e desde que tenham sido pagos pelo importador estrangeiro. E ainda no que respeita os documentos, o RMCCI também destaca que “as transfe-

rências de recursos de que trata este Regulamento implicam para o cliente, na forma da lei, a assunção da responsabilidade pela legitimidade da documentação apresentada ao agente autorizado a operar no mercado de câmbio”. Respeitados esses princípios básicos, “é facultada a liquidação, no mercado de câmbio, em moeda estrangeira equivalente, de compromissos em moeda nacional, de qualquer natureza, firmados entre pessoas físicas ou jurídicas residentes, domiciliadas ou com sede no País e pessoas físicas ou jurídicas residentes, domiciliadas ou com sede no exterior, mediante apresentação da documentação pertinente”. Também “é permitido às pessoas físicas e jurídicas residentes, domiciliadas ou com sede no País pagar suas obrigações com o exterior: a) em moeda estrangeira, mediante operação de câmbio; b) em moeda nacional, mediante crédito à conta de depósito titulada pela pessoa física ou jurídica residente, domiciliada ou com sede no exterior, aberta e movimentada no País nos termos da legislação e regulamentação em vigor; e c) com utilização de disponibilidade própria, no exterior, observadas, quando for o caso, disposições específicas...”. Mas, apesar de toda essa liberdade, clientes reclamam que muitas vezes têm dificuldade para realizar certas operações. Parece que os bancos “complicam”, dizem. Não, eles não complicam. É que o RMCCI determina que “os agentes autorizados a operar no mercado de câmbio devem certificar-se da qualificação de seus clientes, mediante a realização, entre outras providências julgadas pertinentes, da sua identificação, das avaliações de desempenho, de procedimentos comerciais e de capacidade financeira,...”. Enfim, liberdade com responsabilidade! Isso é cidadania.


economia

Domingo | 14 de novembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

ENTREVISTA / ARNALDO GASPAR JÚNIOR, PRESIDENTE ELEITO DO SINDUSCON RN

“Temos novos desafios a enfrentar” FOTOS:EMANUEL AMARAL

Queavaliaçãoosenhorfazdagestão de Sílvio Bezerra? É a melhor possível. Sílvio passou oito anos à frente do Sindicato e inicialente havia 26 empresas associadas e um índice de inadimplência altíssimo. Era um sindicato que não tinha subsistência própria, que dependia totalmente da Fiern. Inclusive a nossa sede social era lá (prédio da Casa da Indústria) em uma daquelas salas onde ficam todos os sindicatos. Depois de oito anos nós temos 120 empresas com um índice de adimplência em torno de 85% e temos uma sede social bastante grande, onde realizamos as nossas reuniões de diretoria. O sindicato é outro, a relação do sindicato com a sociedade é outra. A gestão foi espetacular em todos os aspectos. Diante de uma avaliação tão positiva,o senhor já tem planos de como melhorar ainda mais a gestão do Sindicato da Construção Civil? Um grande desafio é dar continuidade ao que Sílvio fez. Porque, no início do processo da eleição dele houve uma distensão da classe empresarial. E durante esses oito anos, nós costuramos junto com Sílvio essa união da categoria. Então o grande desafio é manter o que foi feito até agora, é manter essa visibilidade do Sinduscon em relação à sociedade e saber responder aos novos desafios que virão. É claro que a toda hora vão surgir desafios novos e eu acho que eu e Larissa (Dantas Gentile, vice-presidente eleita do Sinduscon RN) vamos ter que nos adaptar. Até porque o momento, o cenário é outro. Há oito anos, o mercado imobiliário era dominado por empresas locais. Eram três ou quatro proeminentes no mercado. Hoje você tem uma concorrência absurda, talvez 30, 40 empresas atuando no mercado de forma bastante agressiva. Você tem o sindicato dos trabalhadores hoje muito mais organizado, que demanda muito mais negociação da nossa parte, que demanda uma maturidade muito maior. São outros desafios e para nossa sorte, por termos tido oito anos de uma gestão excelente, o Sindicato está muito bem aparelhado para responder essas demandas. O senhor assume em um ano de novas gestões públicas no âmbito estadual e federal.O que o setor espera da presidenta Dilma Rousseff e da governadora Rosalba Ciarlini? A minha expectativa é muito positiva nesses dois aspectos. No âmbito federal, eu acho que estamos vivendo um momento ímpar no Brasil. Nunca nós tivemos uma distribuição de renda tão grande no país. Isso é uma realidade palpável, os índices de consumo estão aí e não me deixam mentir. Nós nunca tivemos tantas obras estruturantes sendo executadas no Brasil ao mesmo tempo. O que nós temos conhecimento, o que nos foi e é passado pela propaganda governamental é que a presidenta Dilma era a gestora executiva do governo, então eu acho que ela tem tudo para continuar. O que eu acho que ela vai precisar é de alguém que faça o papel político que o presidente Lula fazia. Eu acho que no lado executivo ela vai realmente não só dar continuidade ao que vinha sendo feito como acelerar todas essas obras. A minha própria empresa é exemplo disso. Estamos fazendo obras no Brasil inteiro. Se você for a Rondônia, Porto Velho é um canteiro de obras, assim como Sergipe e Fortaleza. O Rio de Janeiro é um canteiro de obras com a urbanização das favelas. E com relação ao Estado? Também espero coisas muito boas. A governadora Rosalba tem um desafio muito grande. Um desafio de gestão muito importante a fazer. Hoje a arrecadação do Estado deve fechar entre R$ 7,4 a R$ 8 bilhões. E hoje você tem obras em andamento no estado que somam mais de R$ 1,5 bilhão, R$

dreiro, carpinteiro, de armador. E ontem eu tive uma surpresa agradável, quando a gente foi procurado pela Fecomercio que também está com um projeto chamado Crescer de formação de mão de obra sob demanda. Isso está a cargo de Rogério (Almeida), diretor da Fecomercio, junto com Marcelo (Queiroz, presidente da entidade). Você diz o que você quer na sua empresa, assina um compromisso e a Fecomercio forma esse profissional. Então acho que isso é bastante interessante. Então eu acho que esse é um desafio bom, principalmente se você olhar a questão da dívida social que nós temos. Porque quando a gente fala “a mão de obra está escassa” isso é apenas um problema que nós empresários temos que resolver. Mas por outro lado, na hora que nós temos uma dívida social para quitar é a hora que o trabalhador é valorizado. É a hora que ele consegue melhores condições de trabalho, é a hora que ele consegue melhores ofertas de salário pelo trabalho que ele vai realizar e de reajuste também. Nós tivemos uma convenção coletiva agora que deu um reajuste de 16% ao profissional da construção civil. Eventualmente, isso vai ser um pouco ruim para as empresas, a gente vai ter que ser mais criativos, mas para o país com um todo, esse desafio não pode assustar. Ao contrário, deve nos deixar mais motivado para tentar vencê-los.

Quaisasexpectativascomrelação àcontinuidadedoMinhaCasa Minha Vida? O Minha Casa Minha Vida 1 foi um sucesso. Aqui no Rio Grande do Norte se não me engano foram quase 20 mil unidades. O Minha Casa Minha Vida 2 será o dobro disso. Eu acho fantástico. É um dos programas do governo federal de grande alcance, mais uma vez resgatando essa dívida social que nós temos. Dando a casa própria, dando condição para você ter a casa própria de uma forma muito inteligente. Porque você não recebe a casa própria, você paga por ela. Isso é importante. Ou seja, criando a condição de financiamento. Se você olhar, o cerne disso tudo, desse bom momento que estamos vivendo, chama-se condições de financiamento. Na hora que nós temos uma economia estabilizada há quase 18 anos, que essa estabilização ficou madura e que a gente conseguiu dar crédito com juros ainda altos, mas crédito de longo prazo. E aí quando você pega o Minha Casa Minha Vida onde os juros realmente são bem mais baixos que os juros do mercado imobiliário normal, então você vê que não tinha como não ser um sucesso.

VINÍCIUS ALBUQUERQUE editor de Economia

N

os próximos quatro anos, o Rio Grande do Norte – em especial Natal – deve passar por uma série de transformações es-

truturais. A Copa do Mundo de 2014, o desenvolvimento da energia eólica, a continuidade das ações federais com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Minha Casa Minha Vida. Um dos principais setores beneficiados pelas obras que o Estado vivenciará é a construção civil. Enquanto têm motivos para comemorar, os construtores também estão preocupados com a possibilidade de escassez de mão de obra e de materiais para a demanda que se anuncia. Este é um dos desafios que o novo presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon RN), Arnaldo Gaspar Júnior, vai precisar enfrentar nos próximos quatro anos de sua gestão. Eleito este ano, ele só assume em julho de 2011, mas junto com sua equipe já tem expectativas e planos para melhorar ainda mais as conquistas que o setor alcançou durante a gestão de Sílvio Bezerra. Engenheiro civil graduado pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, ele é também diretor da construtora A.Gaspar.

1,6 bilhão. Talvez até mais. Se você colocar um horizonte de dois anos, isso dá 10% de investimento ao ano. Não é um investimento desprezível. Ela (Rosalba) tem gestão para saber quais todos os cuidados administrativos que se deve tomar quando se faz a transição de um governo para o outro. Mas o grande desafio é não deixar essas obras pararem. Até porque essas obras serão a garantia do sucesso do governo dela nos dois primeiros anos, essas obras que estão contratadas. E que muitas vezes é preciso haver uma gestão forte entre o governo do estado, às vezes as próprias prefeituras e a Caixa Econômica junto com as empresas para desatar esse nó. Se ela conseguir isso, ela tem dois anos de governo em que ela independe do governo federal porque essas obras já estão licitadas. Ela precisa ter gestão e eu acredito que ela terá porque teve uma administração vitoriosa na Prefeitura de Mossoró. E isso vai permitir com que a baixa capacidade de investimento do estado hoje, que é uma realidade, posso durante dois anos ser recuperada. O senhor considera que o andamento das obras do PAC tem sido bom ou as empresas têm enfrentadoalgunsentravesparafazeressas obras saírem do papel? Essa resposta é muito complexa. Porque há quatro anos, nós não tínhamos obras estruturantes como temos hoje. Quando o governo federal lançou o PAC, todos os órgãos gestores – prefeituras e estados – iniciaram uma corrida atrás de recursos. Essa corrida foi feita de forma um pouco desordenada. Os estados e municípios queriam dar entrada nos seus projetos para serem aprovados no PAC. Para isso eles precisavam ter projetos. E não havia bons projetos. Então a realidade é que estados e municípios deram entrada no PAC em projetos necessários, mas projetos básicos fracos. E esse é o grande entrave do PAC 1. Entre o projeto básico que foi licitado até o desenvolvimento do projeto executivo, havia diferenças. Tudo isso demanda tempo em termos de legalizar essas mu-

danças, seja através de aditivos, seja através de adequações de planilha e a própria aprovação. Tudo isso fez com que o PAC sofresse esse retardo que é real. E por isso minha esperança de que a mentora e a gestora do PAC saiba desatar esses nós. Um dos problemas que as empresaschegaramacolocarduranteum período eram entraves burocráticos junto à Caixa Econômica Federal.Esse problema foi resolvido? Veja bem. Não sei se a palavra certa é burocracia. O que acontece é que a raiz de tudo são projetos incompletos. E a Caixa realmente é bastante rígida na análise. Isso gerou toda essa demora e o Rio Grande do Norte é um caso bastante claro. Você tem muita obra licitada que tem intervenção da Caixa e vai precisar inclusive que o governo Rosalba tenha uma atenção muito grande com essas obras já contratadas, licitadas e que estão de certa forma emperradas por problemas de projeto, por exigências da Caixa que não são descabidas. Mas eu creio que tem que haver uma flexibilização que não pode ser a Caixa aqui (no RN) que vai fazer isso. Tem que vir uma política de Brasília para que esse nó do PAC 1, que não é só do Rio Grande do Norte, seja desatado. A sua gestão vai acompanhar um período importante para a cidade de Natal que é a preparação com obrasparaaCopade2014.Comoesse evento vai movimentar o setor? A nossa expectativa é a maior e a melhor possível. Nosso cuidado é o mesmo de sempre: essas obras têm que ter bons projetos. A cidade de Natal tem que ter projetos que tornem Natal uma cidade inclusiva no pós-Copa. Porque a Copa é um evento que vai durar talvez para nossa cidade 15 dias, 20 dias. Nós vamos trabalhar quatro anos para isso. O que Natal precisa fazer é se planejar para que, aproveitando a Copa, possa executar obras visando o pós-Copa. Obras que deixem raízes na cidade, que resolvam problemas que enfrentamos nessa transição de uma cidade pequena

e média para uma metrópole conurbada. Para se ter uma ideia, a Prefeitura de Natal tem praticamente R$ 300 milhões aprovados junto ao BNDES, o governo do Estado tem R$ 75 milhões. Existe mais o plano de drenagem da Prefeitura que é algo em torno de R$ 250 milhões e que resolveria todo o problema de drenagem da capital, um problema sério que a cidade já passa há muitos anos. Essa é inclusive uma obra subterrânea, que não é visível, mas que a população sentirá muito os benefícios. Com essa enorme quantidade de obrasquevemporaí,osetorvaiter uma demanda muito grande de funcionáriosedematerial.Comoa novadireçãodoSindusconRNanalisa isso? O Brasil está preparado para receber tantas obras? Eu creio que sim. A gente tem que ter o desafio para tentar vencêlo. Na hora que você tem a demanda, os agentes econômicos se mobilizam para atendê-la. Você tem a questão do cimento, por exemplo. É uma questão importante, mas ao mesmo tempo o governo pode sempre abrir mais as alíquotas de importação para atender o mercado. Lembre que o Brasil está crescendo hoje a uma taxa de 7,5% ao ano, a China e a Índia também, mas o resto do mundo não. Então, o resto do mundo tem cimento sobrando. No que diz respeito à mão de obra, eu acho que é um desafio gostoso da gente ter. Ruim seria se nós tivéssemos mão de obra sobrando, gente desempregada e o consumo em queda. Mas não. Nós temos um país para construir, temos praticamente 3 milhões de novos jovens que chegam ao mercado de trabalho todo ano. A gente não pode ter medo desse desafio. O que a gente tem é que tentar resolvê-lo. Ontem (terça-feira passada), Sílvio (Bezerra) teve uma reunião com o diretor do Senai, Rodrigo Melo. O Senai está fazendo capacitação de profissionais para construção civil, está investindo violentamente nisso, inclusive com simuladores de máquinas para operação, para termos operadores de máquinas pesadas. Há também formação de pe-

A corrida para o PAC foi desordenada. Tínhamos projetos necessários, mas projetos básicos ruins”.

A falta de mão de obra é um desafio gostoso de ter. Ruim seria se tivéssemos mão de obra sobrando”.

Natal precisa se planejar e aproveitar a Copa pensando em obras para o pós-Copa”.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 14 de novembro de 2010

[ PRODUÇÃO ]

[ CONSTRUÇÃO CIVIL ]

Petrobras eleva queima de gás

Natal recebe encontro de cooperativas do setor

Segundo dados da ANP, a queima de gás natural em campos no Brasil, em setembro, foi de 6,5 milhões de metros cúbicos por dia, volume 6,5% maior que a registrada em agosto

JÚNIOR SANTOS

io (AE) - A Petrobras voltou a apresentar uma escalada crescente na queima de gás natural em seus campos onshore e offshore no mês de setembro, depois de um ano em que foi frequente a redução desta prática. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), a queima de gás natural em campos produtores no Brasil em setembro foi de 6,557 milhões de metros cúbicos por dia, volume 6,5% maior que a queima registrada em agosto, que já havia sido 8,9% maior do que o mês anterior. Em média, o volume queimado nos últimos dois meses representa 10% do total produzido no País no período. Os dados da ANP apontam que a maior variação ocorreu na produção em terra. Foi 35,2% a mais do que em agosto, com 1,2 milhão de metros cúbicos por dia. Desse total, o campo com a maior queima foi o de Rio Urucu, na Bacia do Solimões, com 468 mil metros cúbicos por dia, seguido de Leste do Urucu, com 443 mil metros cúbicos por dia. Nos campos em alto-mar a queima cresceu 1,58%, somando 5,35 milhões de metros cúbicos por dia. A Bacia de Campos registrou o maior volume, com 4,1 milhões de metros cúbicos, seguida por Santos com 1,1 milhão. Jubarte, operado pela Petrobras no pré-sal da Bacia de Campos, foi o campo que registrou a maior queima, com 1,23 milhão de metros cúbicos por dia. “Ninguém queima gás porque quer”, disse na semana passada o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, ao ser indagado

R

atal irá receber o encontro da Cooperativa da Construção Civil do Brasil (Coopercon Brasil), no próximo dia 19 de novembro. O evento será o primeiro encontro da entidade e na oportunidade, representantes de 11 cooperativas da construção civil de todo país discutirão assuntos como detalhes acerca da estrutura física da entidade nacional, bem como calendários de reuniões e compras para 2011. A reunião terá coordenação do presidente da Coopercon Brasil, Sarkis Nabi Curi, da cidade de Goiânia. Em pauta, estarão o planejamento da Coopercon, futuras negociações com fornecedores e os rumos da construção civil. Como anfitriã, a Cooperativa da Construção Civil do Rio Grande do Norte estará presente, com a participação do presidente da entidade, o engenheiro Marcus Aguiar.

N

Segundo análise da Agência Nacional do Petróleo, a queima de gás realizada pela Petrobras vem aumentando gradativamente

sobre o tema. Ele destacou que o gás natural no Brasil é produzido associado ao petróleo e quando há dificuldades em seu escoamento, a única saída é queimá-lo. “Você tem dois tipos de problemas. Primeiro é que há momentos em que tem algum obstáculo na retirada do gás. Ou porque teve um problema na compressão ou na operação da produção que não pode ser feita. Então, teve um momento que não se pôde usar o gás. Queimar o gás é indispensável para o processo de produção da indústria. Mas queimar o gás por queimar não tem sentido, porque neste caso você está queimando riqueza”, disse, completando que só se quei-

ma o gás quando não há condições de usá-lo. Procurada, a assessoria de imprensa da estatal não informou quais o motivos que provocaram o aumento na queima. Apesar de crescente, o volume está bem abaixo do que no ano passado, quando chegou a superar mais de 12 milhões de metros cúbicos queimados por dia. Este ano, no entanto, ocorreu outro pico, em fevereiro, de 7,6 milhões de metros cúbicos, volume suficiente para atender ao consumo agregado dos Estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Bahia ou um pouco menos do que a demanda total do Estado do Rio de Janeiro.

Por um lado, o aumento da queima de gás contribuiu para diminuir o excesso de oferta que afeta o mercado brasileiro na esteira da crise econômica internacional no início do ano. A perspectiva é de redução contínua e segundo especialistas o crescimento verificado em setembro seria apenas provocado por ajustes no sistema. Gabrielli reiterou que a Petrobras tem metas a cumprir: “e estamos caminhando para isso”, mas o presidente da estatal não especificou volumes estabelecidos nestas metas. Na mesma linha, a ANP aprovou na semana passada a redação final de um termo de compro-

misso que será assinado com a Petrobras e a Chevron para a redução da queima de gás natural operados pelas duas empresas. A medida faz parte do Programa de Ajuste para a Redução da Queima de Gás, lançado em abril pela agência. O termo de compromisso envolve os campos de Abalone, Albacora, Albacora Leste, Barracuda, Bonito, Caratinga, Cherne, Enchova, Espadarte, Frade, Garoupa, Jubarte, Marimbá, Marlim, Marlim Leste, Marlim Sul, Namorado, Ostra, Piraúna, Roncador e Voador. Com a exceção de Frade, operado pela Chevron, todos os demais campos são operados pela Petrobrás.

ATUAÇÃO O modelo de cooperativa da construção é visto em diversos estados do país e a Coopercon Brasil congrega as entidades de diferentes unidades da federação. Através dessas cooperativas, são negociados valores praticados por fornecedores junto a construtoras. A Coopercon RN foi criada com o intuito de melhorar a relação entre as 37 construtoras potiguares cooperadas e fornecedores, visando a redução de valores de diversos produtos, como aço, cimento e elevadores, proporcionando preços mais competitivos ao mercado da construção civil.


economia

Domingo | 14 de novembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5

Desse total, R$ 30,6 bilhões serão destinados para aplicação em habitação e R$ 4,8 bilhões para saneamento básico. Os valores foram aprovados na semana passada pelo Conselho Curador do Fundo [ ORÇAMENTO ]

FGTS terá R$ 46,9 bi em 2011 EMANUEL AMARAL

B

rasília (AE) - O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) terá em 2011 um orçamento de R$ 46,9 bilhões. Desse total R$ 30,6 bilhões serão destinados para aplicação em habitação e R$ 4,8 bilhões para saneamento básico. Para infraestrutura, foram aprovados R$ 11,5 bilhões, R$ 4 bilhões para transporte urbano e R$ 7,5 bilhões via FI-FGTS, fundo de investimento que destina recursos para os setores de energia, rodovia, ferrovia, hidrovia, portuário e de saneamento. Os valores foram aprovados na semana passada pelo Conselho Curador do FGTS, que também aprovou o Plano Plurianual do fundo para o período de 2012 a 2014. Em 2010 o orçamento inicial aprovado foi de R$ 40,7 bilhões, dos quais R$ 25,9 bilhões para a área habitacional, R$ 4,6 bilhões para saneamento básico e R$ 1 bi-

NÚMERO

25,9

milhões de reais serão destinados para a área habitacional,segundo previsão do conselho curador

lhão para infraestrutura urbana. Para o FI-FGTS, foram destinados R$ 9,2 bilhões. Hoje os conselheiros aprovaram ainda suplementação de R$ 5,3 bilhões no orçamento de 2010, a serem aplicados na área de habitação popular. Na área habitacional, estão previstos para o próximo ano R$ 21 bilhões para crédito a habitação popular, outros R$ 2 bilhões destinados ao Pró-Moradia, programa do FGTS que beneficia a população em vulnerabilidade social, além de R$ 1 bilhão por meio do Pró-Cotista, programa que destina recursos aos detentores de con-

ta vinculada no FGTS e que tem juros abaixo do usual. O Conselho aprovou uma reserva de R$ 4,5 bilhões para concessão de descontos na compra de imóvel para pessoas físicas de baixa renda. O ministro do Trabalho e presidente do Conselho Curador do FGTS, Carlos Lupi, explicou a destinação do recurso: “Desse valor do desconto, R$ 3 bilhões estão destinados para o Programa Minha Casa, Minha Vida, na produção ou aquisição de pelo menos 150 mil imóveis novos”. Aprovado na semana passada, o PPA do FGTS reserva R$ 25 bilhões para a área de habitação popular nos exercícios de 2012 a 2014, para o saneamento básico serão R$ 5 bilhões e outros R$ 4 bilhões serão destinados à área de infraestrutura, com foco em obras de transporte urbano para melhorar o sistema de transporte coletivo urbano nas principais cidades brasileiras.

[ ANTIDUMPING ] O governo também é obrigado a abrir a economia

ao mesmo tempo que adota barreira contra uma série de produtos

País lidera processos na área ALDAIR DANTAS

S

ão Paulo (AE) - Ao mesmo tempo em que adota barreira contra uma série de produtos para deter a enxurrada de importados, o governo também é obrigado a abrir a economia. Do início de 2009 até agora, foram reduzidas as tarifas de importação de 32 produtos - em alguns casos, as taxas caíram a zero. O motivo é o desabastecimento do mercado local, provocado pelo forte crescimento da economia. Boa parte dos produtos beneficiados são insumos para a produção industrial, como alguns tipos de aço e vários compostos químicos. O instrumento adotado para reduzir as tarifas são resoluções da Câmara de Comércio Exterior (Camex). Até agora, o governo publicou 16 resoluções, afetando um total de 32 produtos, revela levantamento feito pelo escritório Nasser Sociedade de Advogados. O secretário de Comércio Exterior, Welber Barral, diz que são medidas pontuais e que não existe risco de falta de produtos por conta de superaquecimento do consumo. A previsão dos analistas é que o Produto Interno Bruto (PIB) avance 7% este ano. O caso mais recente é o do alESTUDO

MERCADO DE CARBONO DEPENDE DE REGRAS Rio (AE) - Os negócios de compra e venda de créditos do mercado de carbono estão em compasso de espera no País, e só vão decolar a partir da instauração de regras, nos âmbitos federal e estadual, sobre o funcionamento das transações neste mercado, principalmente nos aspectos jurídicos, fiscais e contábeis. A análise partiu do advogado Antonio Fernando Pinheiro Pedro, da Pinheiro Pedro Advogados, um dos consultores responsáveis pelo estudo “Organização do Mercado de Créditos de Carbono no Brasil”, que faz parte do conjunto de cinco estudos sobre o tema feito pela BM&FBovespa; Banco Mundial; e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). “Em nosso levantamento, a preocupação com a ausência do marco regulatório é unânime”, afirmou Pinheiro Pedro. Na semana passada, as três organizações responsáveis pelos estudos realizaram seminário para apresentar propostas.

Instrumento adotado para reduzir tarifas são resoluções da Camex

godão, cuja alíquota de importação caiu de 10% para zero. Até 31 de maio, os importadores poderão trazer 250 mil toneladas de algodão para o País sem pagar imposto. O setor têxtil reclama que a escassez do algodão pressionou os custos. Segundo o diretor de marketing da fabricante de roupas infantis Brandili, Germano Costa, a empresa vai reajustar seus preços entre 13% e 15% no início de 2011, para compensar o aumento do algodão e dos salários.

As reduções de tarifas de importação por razões de desabastecimento são temporárias e é fixada uma cota. O objetivo é não permitir que importações descontroladas prejudiquem os fabricantes locais.Outro produto que chamou a atenção foram as latinhas de cerveja. O governo reduziu as tarifas de importação das latinhas depois que fabricantes como a Ambev informaram que seriam obrigadas a importar para atender a demanda interna.

Recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço têm destinação definida para 2011


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 14 de novembro de 2010

[ CARNE ] Se confirmada, a cifra se aproxima da registrada em 2008, quando foram vendidos ao mercado externo US$ 5,3 bilhões. Em 2009, números chegaram a R$ 4,1 bilhões

Abrindo a porteira laf@tribunadonorte.com.br

Código Ambiental em 2010

E

m entrevista ao jornal BrasilEconômico, o deputado Aldo Rebelo disse ser favorável à votação do Código Ambiental ainda em 2010, por entender que “a legislação ambiental está tornando a vida do agricultor no Brasil uma coisa inviável”. A votação decisiva da polêmica reforma do Código Florestal está na fila das pautas da Câmara que ficaram congeladas devido ao segundo turno da eleição presidencial. A decisão é do presidente da Câmara, Michel Temer. Há um decreto do governo em curso, chamado “Mais ambiente”, que permite a legalização das propriedades rurais que estão irregulares. Mas, não está resolvendo o problema do campo devido a legislação (ambiental) atual. Esse decreto expira em julho de 2011. Nada menos que 90% das propriedades rurais do país estão na ilegalidade. Em alguns estados, como Rio Grande do Sul, esse número chega a 99%. E ninguém apresenta alternativa para isso.

ENCERRAMENTO Termina hoje, em Recife, a Exposição Nordestina de Animais que contou com a participação de empresários potiguares. A última exposição agropecuária do ano, no Nordeste, acontece em Salvador.

Safra (I)

Safra (II)

O IBGE estima a safra agrícola de 2011 2,8% menor, em comparação com 2010. A produção nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas de 2011 somará 144,5 milhões de toneladas, conforme o primeiro prognóstico para a safra do ano que vem. A queda se deve, principalmente, “às menores previsões da Região Sudeste (-1,9%) e Sul (9%)”.

No caso da área colhida, deve haver uma expansão de 1,7%, para 47,4 milhões de hectares, tendo em vista o incremento, em praticamente todos os estados. O Sul deve responder por 63,8 milhões de toneladas, o CentroOeste, por 52,2 milhões e o Sudeste, por 17 milhões de toneladas. O Nordeste deve colher 11,7 milhões de toneladas e o Norte, 4 milhões.

CANA Agricultores e empresários discutiram, na última quinta-feira, a produção Integrada de Cana-de-Açúcar, em um workshop, em Maringá (PR). O encontro faz parte das ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para estimular a produção agrícola sustentável de alimentos e outros produtos agropecuários. Os países importadores de etanol poderão impor exigências a partir do próximo ano, exigindo certificação.

Preço da carne O abate de matrizes ocorrido há cinco anos, é a causa do alto preço da carne, diz o diretor de Política Agrícola e Informação da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Sílvio Porto. Deixa claro que o preço da carne bovina, “considerado alto pelo mercado”, não se deve a aumento dos percentuais de exportação ou ao custo de rações. A causa ele, é resultante do impacto do abate de matrizes (gado propício à procriação) ocorrido

1

No mês de outubro,a produção de máquinas agrícolas automotrizes no Brasil alcançou 8,15 mil unidades em outubro,resultado que corresponde a um incremento de 16,3% no comparativo com o mesmo mês de 2009. Na comparação com setembro,quando foram fabricadas 8,24 mil unidades,a produção de máquinas agrícolas diminuiu 1,1%.Em 2010,foram fabricadas 77,31 mil máquinas agrícolas, um incremento de 46,4% no confronto com os dez primeiros meses de 2009.

2

em 2005, que está agora provocando “efeito retardado”. De lá para cá, segundo Porto, não houve na agropecuária brasileira estoques de novilhas e bezerras para engorda em volume suficiente para garantir uma oferta maior de carnes. Ele lembrou que o gado não é como o frango, que rende resultados antes dos dois primeiros meses do início da criação. O diretor prevê que os preços da carne deverão se normalizar ao longo de 2011.

O Ministério do Meio Ambiente, através do Serviço Florestal Brasileiro,vai lançar o livro “Uso Sustentável e Conservação dos Recursos Florestais da Caatinga”, no dia 23 próximo,no Recife Praia Hotel,em Recife, às 15:30 horas.O livro, de caráter inédito, reúne e disponibiliza o conhecimento armazenado em mais de 25 anos de estudos e pesquisas sobre o uso sustentável dos recursos florestais de um dos principais biomas brasileiros — a Caatinga — e o seu potencial para o desenvolvimento da Região Nordeste.

3

A Paraíba já tem um levantamento da estiagem em 2010.A seca atinge 390 mil paraibanos,em 73 municípios que decretaram situação de emergência,no Sertão e até em áreas de plena Zona da Mata.Segundo a Defesa Civil Estadual, 130 cidades da Paraíba estão sendo abastecidas por carrospipas.A poluição das águas do açude Boqueirão (Epitácio Pessoa),que ameaça a saúde de cerca de 500 mil pessoas,em 18 municípios abastecidos por esse reservatório,o segundo maior do Estado.Cerca de 800 mil pessoas não têm água tratada na Paraíba.

LEILÃOA Conab promoveu quinta-feira um leilão de venda de feijão, ofertando ao mercado 33,8 mil toneladas dos tipos cores e preto, para amenizar a pressão dos preços. O produto, armazenado nos estados de Goiás, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, faz parte dos estoques governamentais. MANDIOCA Base da tapioca, a mandioca emprega no Brasil um milhão de pessoas, principalmente no Norte e no Nordeste. Segundo a Embrapa, a cadeia produtiva gera receita bruta anual em torno dos R$ 4,5 bilhões e uma contribuição tributária de R$ 250 milhões. Transformada em farinha e fécula proporcionam, respectivamente, receitas de R$ 1 bilhão e R$ 250 milhões.

Abiec prevê US$ 5 bi em exportações em 2010 DIVULGAÇÃO

S

ão Paulo (AE) - O presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Antonio Jorge Camardelli, prevê que este ano as exportações brasileiras de carne bovina chegarão a US$ 5 bilhões. Se confirmada, a cifra se aproxima da registrada em 2008, quando foram vendidos ao mercado externo US$ 5,3 bilhões. Em 2009, os negócios no exterior somaram US$ 4,1 bilhões. “Se as exportações de processados aos Estados Unidos voltarem, esse valor pode ser ultrapassado”, afirmou o executivo, em coletiva de imprensa realizada há pouco na sede da entidade, em São Paulo. Em volume, Camardelli acredita que os embarques chegarão a 1,8 milhão de toneladas equivalente carcaça. Em 2008, os embarques ao exterior somaram 2,165 milhões de toneladas e, no ano passado, 1,925 milhão de toneladas. Para 2011, o presidente da Abiec ainda não fez suas projeções, mas pretende abrir mercados estratégicos como Estados Unidos, Japão, México, Coreia do Sul, Taiwan e Canadá, para assim aumentar os volumes exportados. “Se nós continuarmos com a escalada de status sanitário, não tenho dúvidas de que em breve estaremos exportando para esses países”, afirmou, assegurando que pelo me-

Se exportações de processados aos EUA forem retomadas, setor espera resultados ainda melhores

nos um desses mercados será aberto no ano que vem. O executivo ressaltou que o foco de sua gestão na Abiec será a competitividade da carne brasileira no exterior e “aliança 100%” com os órgãos governamentais intervenientes da cadeia, como os Ministérios da Agricultura (Mapa), de Relações Exteriores (MRE) e Desenvolvimento, Comércio e Indústria (MDIC).

OUTUBRO A Abiec também apresentou os números de exportação de outubro e do acumulado dos primeiros oito meses do ano. No mês passado, a receita com vendas externas de carne bovina somaram US$ 419,024 milhões, alta de 11% ante outubro de 2009, quando foram vendidos US$ 378,675 milhões, com preços 22% superio-

res, a US$ 4.240/tonelada. Em volume, o total embarcado foi de 134,063 mil toneladas equivalente carcaça, queda de 14% na mesma base de comparação (155,078 mil toneladas). “A queda em volume é explicada pelo mercado consumidor não tão demandado, principalmente na Europa”, justificou Camardelli.

[ ALGODÃO ] Números da produção para a

[ AGRICULTURA ] Ministério anunciou que vai

safra 2010/2011 foram divulgados pela Conab

realizar leilões de Prêmio de Escoamento

Preços altos causam aumento na produção

Wagner Rossi garante leilões de arroz e trigo

A

O

produção de algodão na safra 2010/2011 deve bater recorde em nível nacional, de acordo com a previsão da Conab. O diretor de Política Agrícola e Informações da empresa, Silvio Porto, explicou que o aumento da cotação do produto está relacionado com este cenário. “Os preços muito altos no mercado, atualmente 60% acima do preço mínimo praticado nos últimos seis anos, tem influenciado na recuperação de área”, disse. O

aumento de área em todas as regiões produtoras pode chegar a 36,9%, enquanto a produção de algodão pluma deve ficar em 1,74 milhão de toneladas, caracterizando aumento de 46%. Entre os produtos estudados pela Conab, todos confirmam os dados anunciados em outubro, durante o levantamento da primeira intenção de plantio. Por ser ainda uma estimativa preliminar, Porto lembra que o essencial, agora, é a previsão de área para a safra.

ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi, anunciou na semana passada a realização de leilões de Prêmio de Escoamento de Produto (PEP) de arroz para garantir o preço mínimo do grão, de R$ 25,80 por saca de 50 quilos. O primeiro leilão está marcado para o dia 23 de novembro e oferecerá 125 mil toneladas de arroz – 110 mil para o Rio Grande do Sul e 15 mil para Santa Catarina. Os detalhes foram acertados em reunião com a cadeia produtiva, em Brasília. “Houve um entendimento muito amplo da cadeia produtiva e vamos iniciar uma política de apoio para que o produtor tenha a garantia do preço mínimo”, afirmou Wagner Rossi. Outro leilão deve ser realizado no dia 7 de dezembro. As demais ofertas serão definidas a partir da reação do mercado. Portaria Interministerial Nº 318, publicada em maio, autoriza a venda de até

RENATO ARAÚJO / ABR

Wagner Rossi, ministro

500 mil toneladas. “Os ajustes necessários, quer em prêmio, se houver, quer no prazo entre leilões, serão fixados também num diálogo com todos os elos da cadeia produtiva”, destacou Rossi. Os produtores saíram satisfeitos da reunião.


economia

Domingo | 14 de novembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

7

Os bairros de Nova Parnamirim e Emaús têm registrado um aumento populacional significativo nesta década. Neles, residem hoje aproximadamente 70 mil pessoas, uma população maior do que cerca de 20% dos municípios potiguares

[ IMÓVEIS ]

Natalenses ocupam Parnamirim ALEX RÉGIS

SÍLVIA RIBEIRO DANTAS Repórter de Economia

om uma formatação natural que apresenta limitações ambientais, com o mar, dunas, rios e áreas de preservação, a população de Natal está passando a buscar moradia nas cidades vizinhas. Com isso, cada vez mais pessoas que trabalham em Natal tem buscado os bairros de Parnamirim mais próximos da capital, que são Emaús e Nova Parnamirim, fazendo com que esses municípios apresentem um processo de conurbação e as população não mais perceba uma divisão entre elas. Apesar de a expansão ter sido iniciada no final da década de 1980, com a construção de conjuntos habitacionais nesses bairros, o interesse ficou mais forte ao longo dos últimos seis anos. Em grande parte, isso ocorreu pelas avenidas Abel Cabral e Maria Lacerda Montenegro, que cortam o bairro de Nova Parnamirim, ligarem a BR 101 à avenida Ayrton Senna. Assim, o fácil acesso viário entre Parnamirim e os bairros da Zona Sul da capital potiguar fez com que parte da população natalense migrasse para o município vizinho. Percebendo esse movimento, o mercado imobiliário passou a construir grandes empreendimentos na área, fazendo com que aumentasse o valor do metro quadrado. De acordo com os empresários do setor imobiliário Ricardo Abreu e Caio Fernandes, o metro quadrado hoje na região varia entre R$ 2,7 mil e R$ 3,5 mil, enquanto há três anos o valor pago pelo mesmo espaço variava entre R$ 2 mil e R$ 2,2 mil. O diretor da Abreu Imóveis, Ricardo Abreu, diz que atualmente, a procura mais forte por empreendimentos em Natal é pela área e ele estima que 95% dos lançamentos concentrem-se na região de Nova Parnamirim e Emaús. “Com esse crescimento todo, o Salesiano, um colégio tradicional na cidade, abriu uma unidade em Nova Parnamirim recentemente e menos de três meses após a abertura das matrículas não havia mais vagas disponíveis”, exemplifica. Pelo crescimento recente, a maioria dos empreendimentos na região é residencial. Entretanto, começam a surgir bastante estabelecimentos comerciais, para dar suporte a toda a população da região. “Natal hoje apresenta deficiência de áreas para empreendimentos grandes e na região entre a capital e Parnamirim ainda é possível encontrar terrenos bons. Mas os novos moradores exigirão bons serviços e os empresários estão atentos a isso”, avalia Caio Fernandes, diretor da imobiliária de mesmo nome.

Grandes construtoras apostam na região entre as cidades

C

Forte interesse na área faz surgir inúmeros empreeendimentos imobiliários entre Natal e Parnamirim

Natal hoje apresenta deficiência de áreas para empreendimentos grandes e na região entre a capital e Parnamirim ainda é possível encontrar terrenos bons” CAIO FERNANDES Empresário

mento Econômico de Parnamirim, Jorge Cunha, revela preocupação com o aumento no fluxo de veículos circulando e afirma que investimentos na estrutura viária da região precisam ser feitos com urgência. “Na realida-

de, Parnamirim foi vítima da falta de planejamento, porque ninguém previu que a cidade iria crescer tanto em cerca de 10 anos. Em 2001, Parnamirim tinha uma população de 123 mil habitantes e agora está com cerca de 200 mil”, diz. Para Cunha, é necessário continuar ocupando urbanisticamente a cidade, com cuidado e responsabilidade ambiental. Ele destaca a existência de um ecossistema na região, composto de pequenos rios e da bacia do Pitimbu, que está extremamente fragilizada. “Além disso, dentro deste ativo ambiental, há outros detalhes importantes, como a Barreia do Inferno e a Base Aérea, que valorizam o entorno da cidade, concentrando vegetação. E se esses elementos não forem considerados na ocupação da região, a conta ambiental será muito cara”, reforça o secretário.

PARNAMIRIM Confira alguns dados do município de Parnamirim e,particularmente,dos bairros de Emaús e Nova Parnamirim.Nestas áreas,a atual década está sendo marcada por uma intensa expansão imobiliária. Parnamirim

Bairros de Nova Parnamirim e Emaús

Data de fundação: 17 de dezembro de 1958

Nesta década,os bairros vêm passando por um intenso processo de surgimento de empreendimentos imobiliários,que se fortaleceu ao longo dos últimos três anos.

Área Total:120,0 km² Distância de Natal:12 km População:196.630 Média de moradores por domicílio:3,36 Produto Interno Bruto (PIB): aproximadamente R$ 915 milhões PIB per capita: R$ 5.607

EMAÚS

NOVA PARNAMIRIM

R$ 2,7 mil e R$ 3,5 mil Valor estimado do metro quadrado na região atualmente

R$ 2,2 mil Valor estimado do metro quadrado na região em 2007

10 mil habitantes população Emaús

60 mil habitantes Fonte:Prefeitura de Parnamirim / IBGE

to e a entrega. Por isso, é um grande negócio, inclusive pela possibilidade de locar”, exemplifica. A possibilidade de fazer bons investimentos na região é confirmada pelo Diretor da construtora G5, Sami Elali. Na avaliação da empresa, o entorno das avenidas Abel Cabral e Maria Lacerda Montenegro, bem como as imediações da BR 101, formam um grande corredor de expansão imobiliária, que deverá ser ampliado em pouco tempo, com a ampliação da avenida Omar O’Grady (conhecida como prolongamento da Prudente de Morais). MINHA CASA MINHA VIDA Empreendimentos que se enquadram no programa habitacional do Governo Federal, Minha Casa Minha Vida são o carrochefe da construtora MRV na área. “Já lançamos cinco empreendimentos e temos mais dois com lançamentos previstos para o primeiro semestre do próximo ano. Destes, apenas um não é voltado para o programa habitacional”, diz o diretor comercial da MRV na regional Nordeste, Yuri Chain. DIVULGAÇÃO

população de Nova Parnamirim

Para Renée Silveira, há uma nova formatação da capital

Uma década de intensas mudanças O bairro de Nova Parnamirim, perfeito exemplo de conurbação urbana, é um dos mais procurados atualmente na Região Metropolitana de Natal e vem se destacando ao longo dos últimos anos, pela crescente quantidade de novos empreendimentos imobiliários e comerciais. No final da década de 1980, o bairro abrigou alguns conjuntos habitacionais, como Portal do Jiqui, Jardim das Flores e Parque dos Eucaliptos. Mas a região passou a crescer com maior rapidez, adquirindo novas características, no final da década seguinte, quando começou a abrigar condomínios horizontais voltados para a classe média da vizinha cidade do Natal. Até o início da atual década, Nova Parnamirim era uma espécie de território indefinido, conhecido como “Nem”, definição para “Nem Natal, Nem Parnamirim”. Com o aumento no interesse imobiliário na área, os órgãos públicos passaram a investir na infraestrutura da região e hoje o bairro é bastante procurado pela classe média natalense. AVENIDAS Com uma extensão territorial de sete mil quilômetros quadrados, mais de 300 ruas e uma população de aproximadamente 60 mil habitantes, as duas principais vias de Nova Parnamirim são a Abel Cabral e a Maria Lacerda Montenegro. Essas avenidas ligam a avenida Ayrton Senna à BR 101, formando dois grandes corredores ao longo do bairro e contam cada vez mais com empreendimentos comerciais.

BATE-PAPO Jorge Cunha » Sec. Planejamento de Parnamirim Por que aumentou o interesse pelos bairros de Nova Parnamirim e Emaús, ao longo dos últimos anos? O que favoreceu o crescimento dessas regiões foi a proximidade com Natal. Podemos ver que Parnamirim hoje está mais próxima de bairros importantes de Natal, como Lagoa Nova, do que a Zona Norte da própria capital. Com mais pessoas optando por residir nessa área, começam a ser abertos novos negócios na região? Na hora em que há aumento na densidade demográfica, é gerado um novo mercado, com a atração natural de novos empreendimentos comerciais. Para ilustrar, podemos ver que no bairro de Nova Parnamirim, há 10 anos deveria existir uma ou duas lanchonetes apenas, enquanto hoje são dezenas de lanchonetes, restaurantes, sorveterias, bares e estabelecimentos dessa natureza. Que tipo de investimento vem sendo feito,em relação à infraestrutura nessa área? JÚNIOR SANTOS

MEIO AMBIENTE Apesar de comemorar a expansão da área, o secretário de Planejamento e Desenvolvi-

Com as mudanças vistas em Natal durante esta década, diversas construtoras voltaram parte de suas atenções para a área. A gerente regional da Cyrela Plano & Plano, Renée Silveira, explica que o crescimento do interesse ocorreu por uma nova formatação de Natal, uma vez que os bairros mais centrais estão bastante adensados e apresentam trânsito complicado, com dificuldade até de encontrar vagas de estacionamento. “Assim, não há grandes espaços para empreendimentos e, naturalmente, o mercado imobiliário buscou áreas disponíveis, criando novos centros de moradias”, analisa. De acordo com Renée, a região é procurada principalmente por casais jovens, deixando de pagar aluguel e procurando apartamentos com dois ou três dormitórios. Para ela, a infraestrutura atual atende à população, com supermercados, escolas e um planejamento urbano por parte do poder público, construindo ruas e avenidas. “A área hoje é bastante favorável para os investimentos. Em um dos nossos empreendimentos, houve uma valorização de 30% entre o lançamen-

Esses investimentos tiveram início no ano de 2001, quando foram pensadas a construção do viaduto Trampolim da Vitória e a duplicação da estrada para Macaíba. Adicionado a isso, também pelo crescimento da cidade, é necessário investir nas áreas de educação, saúde e assistência social. Isso deu uma nova amplitude à cidade e o prefeito Maurício Marques vem olhando para locais como Nova Parnamirim, fazendo investimentos como a lagoa de contenção de enchentes que vai abrigar a bacia da Petra Kelly, cuja obra deverá ser concluída ainda este ano, bem como a pavimentação de diversas ruas. Daqui para a frente,o que ainda falta ser feito, em termos de infraestrutura? Em relação a Nova Parnamirim, podemos perceber que faltam escolas de segundo grau da rede pública, pois ainda não há instituições desse tipo no bairro. Também é preciso criar mais equipamentos de entretenimento e lazer. Além disso, é importantíssimo dar um direcionamento à questão do trânsito no local.


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 14 de novembro de 2010

[ MOTORES DO DESENVOLVIMENTO ] Além de linhas de crédito voltadas para quem quer investir no mercado externo, o

Banco do Brasil também oferece consultoria e treinamentos para empresários de diversos setores da economia

BB oferece crédito a exportadores ALEX FERNANDES

anto para quem está começando no ramo de exportações quanto para quem já tem anos de experiência um fator é indispensável para o sucesso do negócio: recursos financeiros para investir na produção. O Banco do Brasil é o principal agente financiador do comércio exterior brasileiro e além do financiamento, oferece também capacitação para as empresas que querem exportar. A segunda edição do ano do projeto Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte, uma realização da TRIBUNA DO NORTE, Fiern, Fecomércio/RN e RG Salamanca Investimentos, com patrocínio do Banco do Brasil, Governo do Estado, Assembleia Legislativa e Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), vai aborda este e outros assuntos ligados à exportação. O tema escolhido é o “Setor Exportador: Agronegócio e Pesca” e o evento será realizado no próximo dia 22, no auditório Albano Franco, na Casa da Indústria, a partir das 8h. Uma das maiores queixas de quem quer exportar é a dificuldade de conseguir linhas de crédito para garantir a produção. Foi pensando nisso que o Banco do Brasil criou um setor específico para dar a apoio aos empreendedores. O BB oferece uma série de possibilidades de crédito para quem pretende produzir visando o mercado externo. As linhas de específicas para o financiamento das exportações são o Adiantamento sobre Contratos de Câmbio (ACC), Adiantamen-

T

Quem estiver interessando em conhecer as linhas de créditos oferecidas pelo banco deve procurar uma agência ou acessar o site do banco para obter informações

Nossa preocupação com o setor é muito grande porque a exportação é uma grande geradora de empregos e renda em todos os setores da economia. A fruticultura é um bom exemplo disso” OTAVIANO AMANTÉA superintendente do BB no RN

to sobre Cambiais Entregues (ACE), PROEX Financiamento (linha exclusiva do BB), PROEX Equalização e linhas de financiamento do BNDES também específicas para exportação, para as quais o BB também é o principal agente repassador. O superintendente do BB no Rio Grande do Norte, Otaviano Amantéa, lembra que o BB é o único banco do país que oferece ao exportador a possibilidade de contratar o ACC ou ACE diretamente via Internet. Isso traz ganhos em relação à taxa cambial, agilidade e desburocratização para o empreendedor. “Nossa preo-

cupação é muito grande nesse sentido porque a exportação é grande geradora de empregos e renda em todos os setores da Economia. Um bom exemplo é a fruticultura irrigada do Rio Grande do Norte”, cita. TREINAMENTO O BB oferece através da Diretoria Internacional e Comércio Exterior dez módulos de treinamentos em negócios internacionais que abrangem praticamente todos os assuntos afetos à exportação, importação e operações financeiras. Têm duração de 7 ou 8 horas e são ministrados por Ge-

rentes de Negócios Internacionais do BB com grande experiência e conhecimento da área, especialmente treinados pelo Banco para a finalidade. O banco também oferece também Consultoria em Negócios Internacionais para os correntistas. “Isso ajuda o empresário a resolver qualquer pendência ou maximizar oportunidades que surjam como uma parceria internacional, um empréstimo externo ou até mesmo a busca por um comprador para o produto que deseja exportar”, afirma Otaviano Amantéa. Em todos os Estados da região há pelo menos um Ge-

rente de Negócios Internacionais disponível para atendimento a nossos clientes, inclusive no Rio Grande do Norte.

tos específicos de exportação? Sim. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior tem por exemplo o programa Aprendendo a Exportar, que fornece informações específicas para exportações de flores, móveis e artesanato que podem inclusive interessar ao empresário potiguar.

preço em Euros e Dólares, capacidade de produção e prazo para embarque bem como o histórico da empresa em Português, Inglês e Espanhol. Tudo isso sem custo algum para o cliente. Através do portal recebe pedidos, embarca e acompanha a remessa e ao receber a ordem de pagamento, efetua a operação de câmbio totalmente on line. Trata-se portanto, de preciosa ferramenta para a exportação especialmente para as pequenas e micro empresas pelas facilidades que oferece.

PARCERIAS O banco também trabalha com parcerias com órgãos locais e nacionais para o desenvolvimento de empresas exportadoras – Sebrae, Fiern e Correios são exemplos de instituições parceiras. “Cada um dos órgãos atua em sua área de competência e conhecimento e as atividades são complementares. Trabalhando juntos otimizamos o processo”, afirma o superintendente do banco no RN.

BATE-PAPO OTAVIANO AMANTÉA » superintendente do Banco do Brasil no RN Qual o principal equívoco dos empresários quando exportam sem a orientação necessária (não saber como receber os recursos, falta de capital de giro,etc.)? Um dos principais equívocos que encontramos é a remessa de mercadorias sem a garantia do recebimento do valor correspondente. No ímpeto de exportar, o empresário embarca a mercadoria sem o conhecimento das modalidades de pagamento e seguro existentes no comércio exterior e se vê às voltas com a inadimplência que não é exclusividade nas vendas ao mercado interno. Outro equívoco que poderíamos apontar é a falta de conhecimento sobre as linhas de financiamento ao comércio exterior que de maneira geral, têm taxas de juros

mais atrativas tanto para giro como para investimento. O BB capta recursos no exterior através de nossa rede de agências externas e repassa para exportadores e importadores a taxa de juros extremamente competitivas. Como está a procura por esse tipo de serviço e linha de crédito oferecidos pelo banco? A procura é crescente ou as pessoas ainda não têm conhecimento sobre a existência dessas facilidades? A procura é crescente porém existe ainda grande desconhecimento das facilidades oferecidas e vantagens das linhas de crédito específicas para a exportação e importação. Poucos empresários sabem que no BB as operações de câmbio de exportação e importa-

ção são totalmente on line, da contratação à assinatura do contrato, o que desburocratiza, reduz o custo com papel e trânsito físico de documentos e propicia ao empresário a melhor cotação possível da moeda estrangeira em relação ao Real. Como o BB lida com a questão cambial? Nós oferecemos aos nossos clientes mecanismos para proteção cambial que podem auxiliar o empresário a se proteger de flutuações bruscas na paridade da moeda estrangeira com o Real e garantir a rentabilidade necessária ao seu empreendimento com tranqüilidade. Há hoje políticas para segmen-

O que é o Brasil Web Trade e quais as principais vantagens desse portal? O Brasil Web Trade (BWT) é uma solução completa de comércio eletrônico voltada para a exportação. Através dela, o exportador cliente do BB insere em uma página própria e dentro do site do Banco a foto de seus produtos, características dos mesmos como

Qual a participação ou utilização do Brasil Web Trade pelas empresas potiguares? A utilização ainda é pequena mas vem aumentando gradativamente e consistentemente.


natal

OBRAS NO CAMPUS

Reitora eleita Ângela Paiva terá R$ 1 bilhão de orçamento.

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Max.: 30º CO Min.: 26ºCO

Preamar 04h39 -0.8- 17h06 -0.9 Baixa-mar 11h04 -1.7- 23h17 -1.8

Panorama: hoje 332 bancas/196 feirantes Planalto 186 bancas/97 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Mãe Luíza Pium Pirangi do Norte Redinha

FASES DA LUA Crescente: Hoje Cheia: 21/11 Nascer do sol: 5h21 Pôr do sol: 17h19

JÚNIOR SANTOS

PÁGINAS 4 E 5

Editor: Edilson Braga e-mail: braga@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 14 de novembro de 2010 ALEX REGIS

“OS URUBUS ESTÃO RICOS”

É

tempo de fartura no sertão. Por entre caminhos secos, repletos de galhos retorcidos e cactáceos, é possível perceber que há comida em abundância. O alimento se espalha pela terra e o desperdício é constante, pois é impossível dar conta de tanta fartura. Por causa do desperdício, o vermelho do chão seco aparece salpicado de branco, que são ossadas. Mais acima, no céu, o azul por sua vez aparece salpicado de preto: os reis do banquete na caatinga potiguar. “Os urubus estão ricos”, garante o sertanejo. [ LEIA MAIS NAS PÁGINAS 2 E 3 ]


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 14 de novembro de 2010 ALEX REGIS

Cena comum à época de estiagens no sertão nordestino, a queima de xique-xique é o recurso ao qual agricultores, como Paulo Assunção, emSantana do Matos, dispõem para escapar o magro rebanho

[ SECA ] No sol de quase dezembro, sertanejos, criadores de gado e

outros ilustres personagens do sertão disputam o gado com os urubus

Xique-xique é o fiel da balança em meio à terra rachada

MÉDIA DE CHUVAS EM ALGUNS MUNICÍPIOS Ao contrário de 2009,este ano o ní vel das chuvas ficou muito baixo em quase todas as regiões do RN Santana do Matos

vida é assim. A desgraça de uns muitas vezes se transforma na fortuna de outros. No sol de quase dezembro, e após seis meses de estiagem, vaqueiros, sertanejos, criadores de gado, fazendeiros e outros ilustres personagens dessa história secular disputam o gado com os urubus. Não só o gado: também bodes e cabras. A plantação já foi perdida. O tempo não foi generoso e a caatinga reassumiu sua faceta mais estereotipada: terra rachada, carcaças de animais espalhadas pelos caminhos. Por essa época do ano, entre o sertanejo e os urubus, surge uma outra figura histórica para a caatinga. É o xiquexique, o fiel dessa balança. O xique-xique é antes de tudo um forte. Espinhoso, resistente e acostumado à aridez, o sodoro, como é mais comumente chamado por essas bandas, é uma das poucas plantas a conseguir sobreviver à seca. Como não choveu, não há pasto. Mas o gado obviamente precisa comer. É nesse descompasso que o xique-xique se insere e ganha ares de personagem principal. Tentando evitar ao máximo enriquecer ainda mais os urubus, o sertanejo começa a queimar o sodoro para substituir o pasto e a ração, já escassas após o sexto mês de seca. Alguns mais abastados conseguem misturar com fa-

A

relo ou pasta. Outros dependem exclusivamente do xique-xique. Passa das 10h em Santana do Matos. O azul do céu limpíssimo, apesar de bonito, aterroriza. É sinal de calor. Aboletados em uma pequeno almoxarifado, três homens, sendo um mais moço e dois mais velhos, assistem ao espetáculo do sodoro. O xique-xique foi guardado em grandes montes à espera da forrageira. A massa verde atravessa a máquina para se transformar numa pasta aquosa e sem cheiro. A pasta é recolhida do chão e vai parar nos pastos, sozinha ou acompanhada. Caso haja ração para a mistura, a vida do sertanejo fica um pouco mais leve. Só é necessário preparar a “iguaria” uma vez por dia. Sem ração, a mistura fica fraca. E o trabalho aumenta. “Eu preciso passar o dia quase todo queimando o sodoro, porque ele não tem força para manter o gado. Então, o gado precisa passar o dia inteiro comendo ou então fica fraco e pode morrer”, diz José Silveira Braga Filho, de 29 anos, acrescentando que um saco de ração custa cerca de R$ 50. “Com o passar do tempo, a seca vai deixando a ração mais cara. Quanto mais difícil o pasto, mais cara a ração”, complementa José Silveira Braga, o pai, que tem 69 anos e já queimou muito sodoro na vida. A família Silveira Braga tem 20 cabeças de gado, sendo 10 bezerros, o que torna o ofício de queimar xique-xique penoso, mas não impossível. “Já passei 14 meses susten-

tando o gado apenas no xique-xique”, diz o Silveira Braga mais velho. Filho e pai se revezam em frente à forrageira e conseguem alimentar o gado apenas com a planta. Nos arredores do sítio Quixaba, em Santana do Matos, há produtores com mais de 100 animais. Dessa maneira, é impossível alimentar todos apenas com a queima do sodoro. E os animais vão morrendo. Na Fazenda Serra do Gado, mais de 20 animais morreram. Os arredores da casa principal, onde José Carlos Soares toma de conta da pecuária, se transformaram nos últimos meses num cemitério de animais. Há pouco mais de cem metros do curral principal estão sete cadáveres de vacas , alguns já reduzidos a ossos, outros ainda motivo de festa para os urubus. Os proprietários da fazenda tiveram de recorrer a uma medida extrema. Contrataram caminhões e levaram a maior parte do gado para outra terra, na Paraíba. Muitas vacas não tiveram força para subir no caminhão. Essas vão morrendo com o passar do tempo. Um detalhe é indispensável nesse contexto. Falta pelo menos mais quatro meses sem chuvas significativas no sertão potiguar. Esse prognóstico é otimista. Parte do pressuposto que haverá um bom inverno em 2011. Nem todos os agricultores e criadores de gado pensam dessa forma. “Se o próximo ano for do mesmo jeito, vou perder todo o meu rebanho”, diz o Silveira Braga mais novo.

Paulo Xavier, da comunidade Quixaba, tem dificuldade para alimentar suas cabeças de gado

498,9 milímetros

2009 2010

445,5 milímetros

891,4 milímetros

2008 2009

208,5 milímetros 274,6 milímetros

Afonso Bezerra 844 milímetros

2008 2009 2010

Eu preciso passar o dia quase todo queimando o sodoro, porque ele não tem força para manter o gado” JOSÉ SILVEIRA BRAGA FILHO agricultor

Lajes

2010 ISAAC LIRA Repórter

850 milímetros

2008

525 milímetros

Então, o gado precisa passar o dia inteiro comendo ou então fica fraco e pode morrer” JOSÉ SILVEIRA BRAGA FILHO agricultor

365 milímetros

Pedro Avelino 601 milímetros

2008 2009 2010

348,7 milímetros 285,2 milímetros

Caicó 766,7 milímetros

2008 2009

448 milímetros

2010

431 milímetros

Com o passar do tempo, a seca vai deixando a ração mais cara. Quanto mais difícil o pasto, mais cara a ração” SILVEIRA BRAGA agricultor

Alimento pouco nutritivo para o gado Enquanto a chuva não chega, há muito xique-xique para cortar e levar ao fogo. A planta vai assumindo um papel cada vez mais importante ao ponto em que o pasto vai rareando por aquelas paragens. A medida emergencial tem os seus contras: é um produto pouco nutritivo para as rezes, o que causa uma diminuição na produção de leite, além de, com o enfraquecimento do gado, poder até matar; e ainda por cima possui um processo bastante penoso para o trabalhador rural. Tanto que, na maioria dos casos, não há como terceirizar o serviço, a não ser que o proprietário esteja disposto a pagar entre R$ 30 e R$ 50 a diária do trabalhador. A maioria dos criadores não tem como sustentar sequer um mês a esse preço. Paulo Xavier prepara todos os dias xique-xique para suas 15 cabeças de gado. É preferível começar o trabalho à tardinha, quando o sol castiga menos e o calor por consequência é menor. Mas nem sempre acontece assim. Há quem prepare a ração improvisada durante o dia inteiro, como também há quem escolha momentos estratégicos durante o dia. Por ocasião da visita da reportagem a Santana do Matos, Paulo Xavier preferiu iniciar o processo às 16h.

O primeiro passo é cortar o xiquexique em grandes pedaços, com uma foice ou uma roçadeira. Como se sabe, trata-se de uma planta cheia de espinhos, o que torna impossível o manuseio com as mãos. O sertanejo improvisa um gancho, através do qual consegue manusear a planta. A queima e si varia. O objetivo desse passo é retirar os espinhos da planta, os quais impossibilitam a ingestão do sodoro pelo ga-

NÚMERO

50

reais é quanto custa a diária de um trabalhador,em tempo de seca,na zona rural

do. Métodos mais “modernos” usam um maçarico, mas desde sempre o processo tem seguimento com as “coivaras”, grandes fogueiras onde o sertanejo “assa” o xique-xique até que ele fique liso. As duas maneiras têm diferenças importantes para quem conduz o processo. O grande problema é o calor. Ora, o sertão já é suficientemente quente e alguns minutos diante de uma fogueira é o bastante para produzir uma insu-

portável sensação de calor. Com o maçarico, o sertanejo tem a escolha de parar o processo quando lhe der vontade, ou quando a temperatura atingir níveis difíceis de agüentar. Já nas “coivaras” isso não é possível. É preciso aproveitar a lenha, na maioria das vezes galhos secos encontrados ao redor. A demonstração apresentada por Paulo Xavier foi à moda antiga. Os sodoros estavam amontados no chão e o gancho era encarregado de levá-los até a fogueira, onde cada planta demora poucos minutos. Quando o xique-xique entra em contato com o fogo, as labaredas assumem um tom esverdeado, aos poucos substituído pelo amarelo e pelo laranja. Ao passo em que o monte de sodoros cortados vai dando lugar aos galhos pintados de preto pelo fogo, é hora de carregar a carroça e levar o apurado do dia para o curral. Contudo, o trabalho não terminou por aí. Os galhos queimados precisam passar pela forrageira para chegar à forma comestível para as rezes. Em dias normais, dizem os sertanejos, o gado não comeria aquela mistura insossa. Mas até mesmo os animais sentem que não há escolha. Ou comem sodoro ou são admitidos no banquete macabro dos urubus.


natal

Domingo | 14 de novembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

[ SECA ] O que se percebe andando pelo sertão do RN é a dificuldade dos sertanejos em lidar com o temperamento da natureza. Os animais não são os únicos a serem atingidos

Animais são os primeiros a serem atingidos pela seca FOTOS:ALEX RÉGIS

convivência com a seca é um tema recorrente no Brasil há muito tempo. Fala-se de tudo: caminhões-pipa, cisternas, transposição de rios, construção de açudes, etc. A lista de supostas panacéias é infindável, porém insuficiente. O que se percebe andando pelo sertão do Rio Grande do Norte é a dificuldade dos sertanejos em lidar com o temperamento da natureza. Os animais são os primeiros atingidos, mas não os únicos. Em algumas localidades, é difícil conseguir água até mesmo para o consumo humano. Quando se pensa nesse assunto, melhor relativizar o estereótipo do sertanejo miserável e faminto. Miséria existe, mas não é tão fácil encontrar sertanejos comendo palma e preás como há tanto é alardeado pela imprensa nacional. Por mais pobre que seja a comunidade, sempre existem aposentados e beneficiários do bolsa-família para sustentar a casa. O que acontece é o sucessivo empobrecimento dessas famílias e a dependência sem fim desses programas de assistência. No assentamento Jucá, município de Pedro Avelino(Região central), a dificuldade é manter a água para a própria comunidade, formada por 10 casas. Tudo ali é fruto de financiamento governamental. A começar pelas casas, a aquisição do terreno, os animais para criação e as cisternas consideradas a solução dos problemas. Como não choveu, as cisternas ficaram vazias. É normal que uma cisterna de 18 mil litros seja suficiente para manter o consumo de uma família durante um ano. Contudo, naquelas paragens é tamanha a aridez que as pessoas dividem a água com o gado. Nesse caso, a única solução é comprar água por carrada. Custa R$ 80 cada caminhão que vai para o Jucá. Somente este mês foram sete, o que aperta o orçamento das famílias. Ora, a principal atividade é a criação de caprinos – bodes e cabras – e esta mesmo não vai muito bem. O rebanho praticamente foi reduzido pela metade. O pasto está repleto de carcaças ao ponto de, em minutos, os criadores conseguirem juntar cinco cabras mortas para uma fotografia. Francisco Carlos da Silva, tesoureiro da associação que gere o assentamento, conta que a úni-

A

No assentamento Jucá,em Pedro Avelino,a dificuldade é manter a água para a própria comunidade

BATE - PAPO » Gilmar Bristot

meteorologista da Emparn

“Notícias sobre oceano Pacífico são positivas” Dá para fazer alguma previsão sobre as chuvas em 2011? Não há nada oficial. Ainda estamos na primavera e não tem como se fazer uma avaliação segura sobre a situação do Oceano Atlântico, que tem grande influência sobre o clima no Nordeste. O Oceano Atlântico é bastante dinâmico. Por outro lado, as primeiras informações sobre o Oceano Pacífico são positivas, com uma tendência de indicar um bom período de chuvas em 2011. As cabras, magras, estão morrendo por falta de comida e água

ca alternativa é se virar com bicos e o dinheiro do bolsa-família. No assentamento, não há aposentados. Para os próximos anos, a construção de duas grandes cisternas é apontada como uma possível solução. O açude que há por ali fica longe e não há tubulação. A proliferação de cisternas faz parte de um programa do Governo Federal. São mais de 300 mil em todo o país. Em municípios pequenos, como Pedro Avelino, Santa-

na do Matos, Lajes, entre outros da região central, há entre 300 e 500 cisternas por cidade. É pouco quando se compara ao universo total de agricultores e criadores de gado. Outro ponto importante para a vida no sertão – os carros-pipa – sofrem com a politização. Quando o programa executado pelo Exército não chega a todos, a água vira moeda política. Um capital utilizado para conseguir votos nas regiões mais distantes.

PRINCIPAIS RESERVATÓRIOS DO ESTADO A barragem de Carnauba é o resevatório que tem o menor volume d’água no Rio Grande do Norte

Armando Ribeiro (Assu)

2,4 bilhões de m3

69,91%

Santa Cruz (Apodi)

599 milhões

84%

Umari (Upanema)

292 milhões

70,29%

Poço Branco

136 milhões

60,93%

Boqueirão de Parelhas

85 milhões

63,66%

Lagoa do Bonfim (Nísia Floresta)

84 milhões

73,90%

Itans (Caicó)

81,75 milhões

Mendubim (Assu)

76 milhões

60,85%

Sabugi (São João do Sabugi)

65 milhões

43,95%

Pau dos Ferros

54 milhões

45,35%

Passagem das traíras (São José do Seridó)

48 milhões

55,06%

Gargalheiras (Acari)

40 milhões

53,87%

Trairi (Tangará)

35 milhões

56,77%

Cruzeta

35 milhões

41,71%

Lucrécia

27 milhões

54,59%

Carnaúba (São João do Sabugi)

25,7 milhões

35,38%

Pataxó (Ipanguaçu)

24,5 milhões

54,3%

Campo Grande (São Paulo do Potengi)

23 milhões

52,23%

Rodeador (Umarizal)

21 milhões

71,08%

Esguicho (Ouro Branco)

21 milhões

52,5%

56,9%

Quando será possível fazer uma avaliação mais segura? No início de dezembro. E em relação às chuvas de dezembro e janeiro, que não são necessariamente chuvas de inverno? Essas chuvas não têm como ser alvo de previsão. Normalmente, só conseguimos prever esse tipo de fenômeno entre cinco e dez dias antes. Mas como é comum esse tipo de chuva, esperamos que aconteça também em 2011.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Poder Judiciário ANELLY MEDEIROS

Retorno ao TCE procuradora geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado, Luciana Campos, antecipou o retorno ao trabalho. Ela estava de licença maternidade, mas decidiu voltar as atividades para atuar diretamente na transição da sua gestão para a do procurador Tiago Martins, eleito procurador geral junto ao TCE. A posse está marcada para o dia 16 de dezembro. Até lá, Luciana Campos coordenará pessoalmente a transição, repassando todas as informações e projetos desenvolvidos pela Procuradoria Geral junto ao TCE.

A

Semana da Conciliação A Justiça Federal do Rio Grande do Norte participará da Semana Nacional da Conciliação, que acontecerá no período de 29 de novembro a 3 de dezembro. Essa será a quarta edição da Semana da Conciliação. No caso da Seção Judiciária potiguar as audiências de conciliação atingirão os processos cíveis, de Execução Fiscal e do Juizado Especial Federal (onde tramitam ações de até 60 salários mínimos). As Varas ainda estão fechando a pauta de audiências. Mas na 3ª Vara, por exemplo, estão confirma-

das 200 audiências. O trabalho da JFRN na Semana Nacional de Conciliação atingirá não apenas os processos de Natal, mas também ações que tramitam nas Subseções de Mossoró e Caicó. O mutirão de conciliação na Justiça Federal ganha um destaque ainda maior pela característica dos processos que tramitam nessa instituição. Como as ações envolvem órgãos e autarquias federais esses não desenvolviam a cultura da conciliação, geralmente levando o processo às últimas instâncias.

DIVULGAÇÃO

Visita

A presidente da Suprema Corte do Estado da Geórgia (Estados Unidos),juíza Carol Hunstein,realizou visita ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região e foi recebida pelo presidente Luiz Alberto Gurgel de Faria e pelo vicepresidente,desembargador federal Marcelo Navarro.A magistrada americana estava acompanhada do desembargador do Tribunal de Justiça de Pernambuco, Fernando Cerqueira.

DPVAT

Destaque

A juíza Sulamita Pacheco está a mil por hora para organizar a Semana de Conciliação do Poder Judiciários do RN que acontecerá no período de 29 de novembro a 3 de dezembro. Segundo a coordenadora do evento, também será realizado um mutirão de julgamentos sobre processos relacionados ao seguro obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), entre os dias 23 a 26 de novembro. A organização estima oito mil julgamentos durante a semana de conciliação.

A FACEX mais uma vez dá o bom exemplo e arranca elogios em público do palestrante Paulo Giovani Militão de Alencar (Juiz de Direito e professor da ESMARN). Semana passada ocorreu a abertura do Curso de Capacitação em Técnicas de Conciliação, Mediação e Arbitragem oferecido pelo TJRN e ESMARN através do Convênio entre a Casa de Justiça e Cidadania, projeto do CNJ, e a FACEX, no auditório da OAB-RN. Os alunos FACEX se destacaram pela competência e participação ativa, o palestrante elogiou em público.

Domingo | 14 de novembro de 2010

[ OBRAS NO CAMPUS ] Ivonildo Rego vai entregar uma instituição renovada à reitora eleita Ângela Paiva, com um orçamento de R$ 200 milhões, e um grande canteiro de obras

Reitora eleita da UFRN terá 200 milhões para investir VALDIR JULIÃO Repórter

reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, professor Ivonildo Rego, ainda tem seis meses de mandato, até entregar em 31 de maio de 2011, o cargo para a primeira mulher eleita para gerir os destinos daquela instituição, Ângela Paiva, a qual deve encontrar uma universidade bem diferente de quando ele assumiu o segundo mandato, em 2003. “A área da educação já tem uma marca histórica feminina, principalmente a educação básica”, diz Ivonildo, ressaltando que na UFRN isso não tem sido diferente, inclusive na sua gestão: “Hoje nós temos três pró-reitoras e duas diretoras de centro”. Então, Ivonildo do Rego considerou ter sido “uma tendência natural”, o fato da UFRN agora passar a ser administrada por uma mulher, visto que em outros setores da sociedade “e na medida em que passaram os anos, as mulheres foram conquistando uma situação de igualdade em relação aos homens”. Para ele, “naturalmente que essa evolução das mulheres vai acontecer em tudo” e não apenas na política, como ocorreu agora com a eleição da primeira presidenta do Brasil, “o que no país demorou muito” depois de 121 anos de proclamação da República, a serem completados nesta segundafeira, dia 15 de novembro. “As mulheres são mais disciplinadas, mais sensíveis , gostam muito de trabalhar”, simplifica o reitor, que vai presidir a reunião do Conselho Universitário (Consuni) que no próximo dia 30 vai homologar a lista tríplice encabeçada por Ângela Paiva e a ser enviada ao Ministério da Educação, responsável pela nomeação da futura reitora. Rego lembra que no período do

O

governo Fernando Henrique Cardoso, em muitas universidades o candidato eleito pelo voto direto da comunidade universitária, não chegou a ser o indicado para reitor. No governo Lula, porém, ele disse que a “tradição foi sempre de se indicar o mais votado na consulta feita a professores, técnicos e alunos”. Para o reitor, a escolha de Ângela Paiva para reitora pelo MEC deve sair ainda este ano, mas ele explica que, formalmente, a nomeação deve ocorrer até 60 dias antes do término do seu mandato, que ocorrerá em 28 de maio de 2001 e a posse da nova reitora no dia 31. Segundo Rego, a UFRN atualmente experimenta uma fase de crescimento e bem diferente do começo da década, quando tinha de ficar “de pires na mão” e contando as emendas da bancada federal do Rio Grande do Norte para obter recursos de emendas ao Orçamento Geral da União (OGU), a fim de custear despesas apenas de água e luz. Agora não, as emendas dos parlamentares são destinadas exclusivamente para investimentos: “Em toda obra que inauguramos, temos uma placa dando crédito ao apoio deles, que dizem ser a universidade, a única que faz isso”. Rego explica que, normalmente, um deputado ou senador abre mão de uma emenda individual para a UFRN. Este ano, por exemplo, a emenda veio da senadora e governadora eleita do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini. Os recursos serão investidos em infraestrutura, por exemplo, na construção do Instituto Internacional de Física e em blocos de salas de aulas, como foram os casos dos setores II e IV e a recente inauguração do Centro de Biociências de Caicó, além do Instituto de Neurociências, onde são investidos em torno de R$ 50 milhões.

Para 2011, o reitor diz que ficarão recursos da ordem de R$ 12 milhões para a construção de um centro de eventos, que inclui um auditório para quatro mil pessoas, dez vezes mais a capacidade do auditório da Reitoria, onde tradicionalmente vem se realizando eventos na UFRN. “Nós somos a instituição que mais traz eventos para a cidade”, conta ele. Além disso, o reitor explicou que depois do Reuni, o qual tem projetos para serem prosseguidos no próximo ano, uma das coisas mais importantes serão as reformas e ampliação dos hospitais universitários, que implicarão em investimentos de cerca de R$ 70 milhões a partir de 2011. “Vão ser aumentados os números de leitos de UTI, serão construídas torres de edifícios no Hospital Onofre Lopes (Huol)”, acrescentou o reitor, além do novo prédio da Faculdade de Farmácia, que passará a funcionar só no Campus Central, a exemplo dos cursos de Fisioterapia e Enfermagem que já funcionam no campus e para onde já está vindo o de Nutrição. Porém, ele cita que dentre os oito planos estratégicos da UFRN, “a minha menina dos olhos” é a Metrópole Digital, que será um pólo gerador de novas oportunidades e empreendimentos em Tecnologia da Informação (TI), visando a inclusão social e digital com inovação tecnológica, a fim de gerar a prospecção de talentos e formação de jovens com conhecimento especializado, como a formação de engenheiros de software e ensino de pós-graduação. Outra coisa que ele considera importante é a criação do Instituto de Línguas, Literatura e Cultura Modernas – Agora, que oferecerá cursos de línguas estrangeiras a professores e alunos da UFRN e cursos de língua portuguesa a professores e estudantes estrangeiros,

para melhor acolhimento em busca de sua internacionalização. Ivonildo Rego diz que considera como mais gratificante, o fato de ter assumido o cargo de reitor pela primeira vez, em 1995, quando a universidade tinha 11.800 alunos, enquanto hoje são 34 mil e com projeto para chegar em 2014 com um total de 45 mil em todos os níveis de ensino, inclusive pós-graduação. Outros números que ele acha importante é que em 1995 havia 37 cursos de graduação, hoje são 83, enquanto os cursos de mestrado eram 13 em 15 anos passaram para 46. No mesmo período, o número de cursos de doutorado cresceu de dois para 28 e os projetos de pesquisa saíram de 385 para 1.252. As ações de extensão eram 334 e chegaram a 1.006. Com relação ao número de doutores dentro da UFRN, Rego disse que havia 236 em 1995, mas agora são 1.300. A área construída chegou a 170 mil metros quadrados há 15 anos, mas vai deixar agora com 300 mil. Os investimentos não passavam de R$ 11milhões, foi a R$ 19 milhões em 1999, passou a R$ 39 milhões no segundo mandato e até o ano que vem o total de investimentos chegará a R$ 200 milhões. A UFRN ATUAL No ensino de graduação, dos 44 cursos avaliados pelo Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), 28 (63,6%) obtiveram conceito 4 ou 5, a nota máxima. No ensino de pós-graudação, a média de avaliação pela Capes foi de 3,9 com programas conceituados em 5 ou 6. A UFRN obteve a segunda melhor colocação no Índice Geral de Cursos (IGC) entre todas as universidades do Nordeste, aferido no triênio 2006/2007/2008. LEIA MAIS NA PÁGINA 5

EMANUEL AMARAL

TRE Com a presença do presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN), desembargador Vivaldo Pinheiro, começa na próxima terça-feira (16), o Recadastramento Biométrico dos municípios da 5ª Zona Eleitoral : Macaíba, Bom Jesus e Ielmo Marinho.

ASDAS Os advogados Eduardo Nobre, Ivanka Nobre, Fabiano Falcão e Ronald Castro comemoram decisão do Supremo Tribunal Federal, que concedeu liminar suspendendo os efeitos da decisão do Conselho Nacional de Justiça que havia declarado vago os cartórios de São Paulo do Potengi e São José do Mipibu,em julho deste ano. O escritório Nobre&Falcão mostrou entre outras coisas, que o argumento de permuta irregular não tinha base legal.

Eleição A Proposta de Emenda à Constituição 31/2009, que institui a eleição direta para a escolha de procuradores-gerais de Justiça dos estados e do Distrito Federal, foi aprovada na última quartafeira pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. A PEC 31/ 09 segue agora para votação em plenário. Atualmente, a escolha dos procuradores-gerais de Justiça é feita pelos chefes do Executivo, que analisam uma lista trí-

plice com os candidatos ao cargo, eleitos pelos integrantes dos Ministérios Públicos. Qualquer um dos integrantes da lista pode ser nomeado, independentemente da colocação, de acordo com a Constituição. A PEC 31/09 dá nova redação ao parágrafo 3º, do artigo 128, da Constituição, que determina que o chefe do Executivo deverá nomear para procurador- geral de Justiça o candidato mais votado na lista tríplice.

A reitora eleita da UFRN,professora Ângela Paiva,vai receber a instituição de Ivonildo Rego transformada em grande canteiro de obras

Pesquisa avalia gestão de Ivonildo como boa Pesquisa realizada pelo Departamento de Estatística da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), entre agosto e setembro deste ano, mostra que a gestão do reitor José Ivonildo Rego é aprovada pela maioria da comunidade universitária, onde 74,7% das pessoas consideram o desempenho como ótimo e bom. Outros 22,7% dos entrevistados consideram a sua administração regular, enquanto só 2,6% acham ruim ou péssima. Na mesma pesquisa foi perguntado se houve uma melhoria ou piora na UFRN durante a atual gestão. Dos 1.572 entrevistados, 60,6% responderam que houve melhorias e só 8,1% disseram que piorou. Os que responderam nem melhor e nem pior foram 31,3%. Já o Programa de Reestrutura-

ção da Universidade (Reuni) foi avaliado como ótimo por 52,1% e bom por outros 34,5%. Os que consideram regular somam10,7% e ruim ou péssimo apenas 2,7%. Algumas questões relacionadas à prestação de serviços também entraram na pesquisa, como a segurança, que foi considerada ótima ou boa por 30,1% dos entrevistados. Outros 43,1% avalariam como regular 26,8% responderam ruim ou péssima. Com relação às vias de circulação, 59,8% acharam ótimo e bom, mas 35,5% a consideram regular. Somente 21,1% acharam ruim ou péssimas. Uma das coisas que receberam avaliação acima da expectativa foi o Sigaa, o sistema de informação pelo qual o aluno universitário tem

NÚMEROS

74,7 200

por cento da comunidade acadêmica aprova a atual gestão

milhões de reais é a previsão do orçamento da UFRN para 2011

65,8

por cento dos estudantes e funcionários consideram ruim o serviço de transporte do campus

acesso a todos os dados de sua vida acadêmica, inclusive a livros, apostilas e outros documentos, que foi considerado ótimo e bom por 83,5% das pessoas ouvidas na pesquisa. 12,7% consideram o Sigaa regular e 3,8% ruim ou péssimo. Um dos itens que não receberam uma avaliação muito positiva, foi o estacionamento, pois só 24,6% acham o serviço ótimo ou bom, contra contra 29,4% que consideraram regular e 46,0% que responderam ruim ou péssimo. A pesquisa também avaliou o serviço de coletivo circular no campus universitário de Lagoa Nova, questionando apenas os alunos: 65,8% consideram o serviço ruim ou péssimo e só 9,9% avaliam como ótimo ou bom. Outros 24,3 % acham o serviço regular.


natal

Domigo | 14 de novembro de 2010 ➾ www.tribunadonorte.com.br ➾ tnonline@tribunadonorte.com.br ➾ twitter.com/tribunadonorte

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

5

tn online

Fred Carvalho - www.twitter.com.br/fredcarvalhorn

Segurança

Optimus

A RED Network traz para o Brasil o Astaro Mail Archiving, uma solução SaaS que permite liberar recursos valiosos do servidor e obter controle sobre os requerimentos de segurança, enquanto melhora a produtividade do usuário final. A solução ainda oferece capacidade de armazenamento e usuários ilimitados. Desenhado com um serviço baseado em nuvem, o Astaro Mail Archiving não requisita a instalação de software ou hardware adicionais. De fácil configuração, o serviço permite fazer pesquisas instantâneas, podendo assim, encontrar mensagens em segundos com termos que podem estar no assunto, no corpo ou anexos dos e-mails.

LG e a Vivo lançaram na sexta-feira o smartphone “LG Optimus One P500” que, segundo as companhias, é o primeiro aparelho com a última versão do sistema operacional Android (Froyo) a ser comercializado no Brasil para o consumidor final. Com tela sensível ao toque de 3,2 polegadas, o “LG Optimus One” tem conexão Wi-Fi e 3G. O aparelho será vendido por R$ 1 mil no plano pré-pago. Se for contratado o plano pós-pago da Vivo de R$ 111 mensais, o smartphone sai por R$ 500.

A Positivo lançou na quarta-feira passada o leitor digital Alfa com conexão Wi-Fi. A nova versão do aparelho permite que o usuário acesse conteúdo de livrarias on-line e faça download de livros diretamente no equipamento, sem a necessidade de um pen drive. O e-reader já está disponível em livrarias e lojas de varejo pelo preço sugerido de R$ 800. O novo Positivo Alfa vem com um navegador instalado, que não permite o acesso a vídeos ou conteúdos dinâmicos, como o Flash.

No ar

VELOCIDADE

Utilidade pública As câmeras do revolucionário Google Street View podem ajudar a polícia britânica a solucionar um furto no condado inglês de Derbyshire. No dia 5 de junho de 2009 um trailer foi roubado quando estava parado em frente a uma casa na cidade de Linton, mas, mesmo após diversas perícias, o ladrão não foi encontrado. Recentemente o dono do veículo roubado checou o Street View e identificou um homem suspeito parado com um carro próximo ao trailer na manhã do furto. Agora, a polícia utiliza a foto do Google para tentar identificar o ladrão por meio da população.

ALFA

A

O gigante da internet Google vai oferecer uma cortesia aos norteamericanos até o fim do ano: internet Wi-Fi gratuita de 20 de novembro até 2 de janeiro nos voos das companhias Virgin America, AirTran e Delta. A medida vai valer apenas para os voos domésticos dentro dos EUA. Nas terras do “Tio Sam” a taxa de serviço para se usar internet Wi-Fi dentro dos aviões custa US$ 9,95.

Premiada A Plugtech recebe pelo segundo ano consecutivo o Selo Informática Legal Aneinfo, que será entregue na próxima quartafeira pela Associação Norte-riograndense de Empresas de Informática. O evento acontece no Hotel Escola Senac Barreira Roxa, a partir das 19h. A Plugtech é uma das onze empresas certificadas pelo selo de qualidade no Estado. A empresa atingiu os 63 requisitos exigidos pela certificação após uma rigorosa auditoria realizada pelo Sebrae/RN.

DE PESO Uma nova arma na luta contra a gordura está a caminho: um aplicativo para celular que faz a contagem de calorias com base na foto da comida que está no prato. Embora já existam aplicativos com esse objetivo, esses programas exigem que os usuários digitem o tipo de alimento e as informações calóricas. Já o software desenvolvido pela operadora NTT Communications, do Japão, avalia a cor e a forma dos alimentos e os compara a um banco de dados, calculando as calorias.

A produtora Electronic Arts divulgou na quinta-feira que a demonstração do game “Need for Speed: Hot Pursuit” foi baixada por mais de dois milhões de jogadores no Xbox 360 e PlayStation 3 em duas semanas. Segundo a empresa, nenhuma versão de testes de jogos da série foi tão popular. “Need for speed: hot pursuit” apresenta grandes perseguições a carros de corrida mais desejados do mercado. Para entrar nesta aventura, o jogador deve escolher ser um fugitivo dono de uma Lamborghini ou um policial rodoviário que tem um carro do mesmo estilo. Enquanto o primeiro deve fugir, escapando dos bloqueios policiais e evitando ter o seu carro destruído pelo adversário, o segundo deve embarcar em uma caçada em alta velocidade.

DISCUSSÃO O site cubano “Cubadebate” criticou o game “Call of Duty: Black Ops”, produzido nos Estados Unidos, porque permite que os jogadores assassinem o ex-presidente e líder da Revolução Cubana, Fidel Castro. Segundo o site, o jogo seria uma “nova operação” americana contra a ilha. “Nova operação contra Cuba: EUA lançam jogo cujo objetivo é assassinar Fidel” é o título do artigo. De acordo com o site, o governo dos EUA tenta conseguir virtualmente o que não alcançou em mais de 50 anos.

[ ENTREVISTA/ ÂNGELA MARIA PAIVA CRUZ / REITORA ELEITA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ]

Vamos dialogar com as instituições JÚNIOR SANTOS

Qual vai ser o diferencial de sua gestão com relação a uma outra na qual a senhora também vem atuando? Queremos dar outros passos em relação à internacionalização da Universidade, já demos passos importantes criando institutos, uma secretaria de relações internacionais, mas precisamos implementar nossos projetos pedagógicos modelos, com uma estrutura curricular que se amolde e tenha possibilidade que o nosso aluno possa sair para uma mobilidade internacional, enriquecendo a sua formação, sem prejuízo de contar no seu currículo com todas as suas opções. E, ao mesmo tempo, a gente vai trabalhar com uma política mais forte de interiorização consolidando os campi e a educação a distância que está presente em várias cidades, mas também elastecendo essa presença, fazendo a formação de pessoas nas áreas de ciência e tecnologia. A universidade já está presente no interior, mas vamos dialogar com outras instituições públicas do Estado para que tenhamos a oportunidade para os jovem do Rio Grande do Norte, que está numa comunidade muito distante e queira fazer uma engenharia, uma psicologia, ele não tenha de se deslocar, sair do seio de sua família para uma grande cidade, ele possa fazer o curso na sua região, na sua cidade e continuar lá, contribuindo para o desenvolvimento do RN. Queremos nossa gestão, eu e a professora Fátima Ximenes, que os jovens da rede pública de ensino e do ensino médio, tenham mais possibilidades de serem incluídos na universidade e tenha a condição de permanência. O Enem continua tendo problemas na sua execução,a UFRN vai continuar usando esse processo de seleção como inclusão de alunos oriundos do ensino médio? Queremos contribuir com o Ministério da Educação para que o Enen se consolide como um bom modelo unificado no Brasil, para

que permita uma estrutura curricular mínima para o ensino médio, isso é muito bom para o país. Vamos continuar contribuindo para que isso aconteça. Mas a UFRN, decidiu entrar com seis cursos este ano e esperamos que esse sistema do Enem se aperfeiçoe para nós podermos gradativamente termos segurança de colocarmos novos cursos pelo Enem. Nós vamos avaliar e fazer gradativamente essa migração e contribuindo também para que esse sistema no Brasil se fortaleça. A UFRN saiu de uma situação difícil de anos atrás,como está hoje a questão de recursos na universidade? Como vice-reitora tenho participado ativamente da gestão atual, felizmente o orçamento da universidade vem se recompondo de 2003 para cá. Ele quase que triplicou, mas o orçamento previsto de 2011 é de cerca de R$ 1 bilhão, então nós temos elementos para dizer que estamos com os projetos acadêmicos, o custeio e os recursos para dar conta de todas as obras, plenamente garantidos para o próximo ano. De todo modo continuaremos com esse modelo de buscar junto aos Ministérios, aos organismos de fomento e junto aos nossos parlamentares as emendas de bancada que são tão benéficas para o RN. A senhora vem de uma eleição em que foi votada em todos os segmentos da comunidade universitária,o que nunca tinha ocorrido na eleição de outros reitores desde 2004. Como avalia isso? Quando nos candidatamos já sabíamos da responsabilidade que é fazer uma gestão da maior universidade do Estado, responsável por 40% das matrículas da graduação, por mais de 90% das matrículas de pós-graduação, e sabíamos que a UFRN é uma espécie de motor de desenvolvimento desse Estado, sabemos dessa grande responsabilidade, mas

temos pela primeira vez uma reitora e vice-reitora mulher da história da universidade e fazer a gestão dessa instituição, com o grande componente social que ela tem para o Estado.

E

m 31 de maio de 2011, uma mulher assumirá, pela primeira vez, o cargo de reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A professora Ângela Maria Paiva Cruz foi eleita na quarta-feira, dia 10, com uma maioria alcançada em todos os segmentos da comunidade universitária: professores, técnicos e alunos daquela Instituição de Ensino Superior (IES). Atual vice-reitora na gestão do reitor Ivonildo Rego, ela chega ao cargo como coordenadora geral de um dos maiores projetos que contribuíram para o crescimento da UFRN, o Programa de Reestruturação das Universidades Federais (Reuni), depois de passar por diversos cargo na administração universitária, como vice-diretora do Centro de Ciências humanas, Letras e Artes e chefia do Departamento de Filosofia, além de ter sido membro do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), do Conselho de Administração (Consad) e do Conselho Universitário (Consuni), o qual deverá, em 30 de novembro, homologar o resultado das eleições e a lista tríplice, que além dela como cabeça por ter vencido a consulta feita à comunidade universitária, deve indicar dois aliados para a sua composição. A lista tríplice será enviada ao Ministério da Educação e Cultura (MEC), que se encarregará, finalmente, pela escolha e nomeação da futura reitora. Ângela Paiva é graduada em Matemática, tem mestrado em Lógica e é doutora em Educação. Professora da UFRN desde 1983, ela vai exercer o mandato de 2011 a 2015 e falou para a TRIBUNA DO NORTE sobre os desafios que vai ter pela frente e a responsabilidade de ter de substituir um reitor que já foi eleito três vezes e foi o primeiro a conseguir dois mandatos consecutivos à frente da UFRN.

Queremos contribuir com o Ministério da Educação para que o Enen se consolide como um bom modelo”

Nós temos de concluir todas as obras que vão dar suporte aos projetos acadêmicos do Reuni”

O reitor falou que o resultado da eleição refletia o sucesso do projeto tocado inicialmente por ele; a senhora concorda com isso? Eu faço parte dessa gestão, eu e a professora Fátima Ximenes, na avaliação que fizemos dessa gestão, uma pesquisa do Departamento de Estatística, mostra que mais de 80% da comunidade acadêmica aprova o projeto dessa gestão, de 2007 para cá, no segmento dos professores, dos técnicos e dos estudantes. E a nossa proposta da chapa “Novas Conquistas” é consolidar e continuar avançando com novos projetos no ensino, na pesquisa, na extensão e na qualidade de vida das pessoas e nas ações de inclusão e permanência dos alunos, na interiorização da universidade. Qual é o primeiro passo a partir de agora,existe um ponto específico que vai perseguir no começo de sua gestão?

Nós temos de concluir todas as obras que vão dar suporte aos projetos acadêmicos do Reuni, nós temos aí uma série de obras em execução, mas uma prioridade que se coloca para o ano de 2011, é retomar a reestruturação dos espaços de convivência da universidade, por isso que a reestruturação e ampliação do centro de convivência, a construção auditório de eventos, a conclusão da grande obra de comunicação que vão dar suporte aos cursos da área de Comunicação Social são as nossas prioridades. Além disso, nós vamos retomar o plano diretor do campus central para uma revisão, tento em vista o grande número de obras que está em execução na UFRN.


natal 6

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 14 de novembro de 2010

[ ARTIGO ]

Licença para se esconder MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA Procurador da República

Mestre em Direito pela PUC/SP Doutorando em Direito pelo King’s College London - KCL

i no “The Sun” que o MI6 uma das agências do serviço secreto inglês, responsável pelas operações de inteligência no exterior - está extremamente receoso de que, nos muitos processos iniciados perante a Justiça inglesa para fins de compensação por detenções (justas e injustas) ligadas ao terrorismo, dados secretos sejam revelados, como as identidades de seus agentes, localizações, detalhes de missões etc. Reclamando de alguns juízes, a direção do MI6 afirma bombasticamente que “agentes podem ser presos, torturados e mortos”. Bom, o “The Sun” é o “The Sun”, alguém poderá logo contraditar. Mas tirando de lado a “má fama” do tablóide e a neurótica preocupação dos ingleses com o terrorismo (às vezes justificada; outras, não), verifiquei que a notícia tem um fundo de verdade e está também repercutida em jornais mais “sérios”. A notícia tem relevância para o Direito. Da sua leitura, resta claro o conflito entre o dever do estado de combater o terrorismo e de proteger seus agentes com o princípio da ampla publicidade dos atos do Poder Judiciário (publicidade essa que é considerada por aqui como aspecto fundamental da “Rule of Law”). E feitas as

L

devidas adaptações, é assunto pertinente também ao Brasil. Vivemos constantemente o mesmo dilema, sobretudo em um país cuja Constituição aponta como regra o princípio da publicidade ampla (CF, art. 93, IX). Uma tese poderia ser desenvolvida sobre o tema, o que deixo para aqueles mais entusiasmados (no frio londrino, confesso, não é o meu caso), com o meu palpite de que a solução para o afirmado conflito deve passar pela compatibilização (com transigências recíprocas) das duas necessidades/princípios. Leitor do “The Sun”, eu devo é deixar de lado essa parte mais enfadonha (e, sob certo sentido, mais trivial) da reportagem e me dedicar ao que ela tem de mais sensacional (para não usar do pejorativo termo “sensacionalista” com o meu querido jornal). E assim, por exemplo, vejo que o jornal destaca a figura de um tal Sir John Sawers. Também conhecido apenas como “C”, ele é o atual “boss” do famoso serviço secreto de Sua Majestade (e de James Bond). Serviço secreto que, estranhamente, apesar de famoso, apenas há pouco tempo foi oficialmente acreditado, pois, até 1994, a sua própria existência era negada pelo governo. O fato é que por aqui, no que toca ao serviço secreto de Sua majestade, seus “C” (assim nominados em uma homenagem a Sir Mansfield Cumming, o primeiro

chefe do MI6, que assinava apenas com a inicial do seu sobrenome) e seus “00algumacoisa”, a arte imita a vida e vice versa. O tal Sir John Sawers, um ex-agente no Oriente Médio e décimo quinto “C” na história do MI6, curiosamente, é apenas o segundo deles a se deixar fotografar (fato que, aliás, ainda vem causando certa polêmica). E se nos romances de Ian Fleming (1908-1964),

Vivemos constantemente o mesmo dilema, sobretudo em um país cuja Constituição aponta como regra o princípio da publicidade ampla”

criador da personagem James Bond (com “Casino Royale”, de 1953) e na longa série de filmes (iniciada com “Dr. No”, de 1962, e hoje oficialmente perfazendo vinte e dois 007s), o agente secreto tem “licença para matar”, agora, no final das contas, o que se está pedindo é uma licença especial para algo esconder. Claro que a vida nunca vai ter o glamour dos livros e, sobretudo, das telas. Não acredito que en-

contraremos no edifício sede do MI6, em Vauxhall Cross (Londres), a elegância e a fina ironia de um Sean Connery ou de um Roger Moore. Desconfio que o gosto musical por lá não deva estar ao nível de “Diamonds Are Forever” e “Goldfinger” na voz de Shirley? Bassey, de “Live and Let Die” (de Paul McCartney, que, estou sabendo, coincidentemente por estes dias anda pelo Brasil) ou mesmo da maravilhosa músicatema do agente 007. Mas, sobretudo, estou certo que não acharemos em Vauxhall Cross “Bond Girls” como as outrora jovens e belíssimas Ursula Andress e Maud Adams. Nem mesmo as hoje mais maduras (mas ainda lindas) Tanya Roberts e Sophie Marceau. Ou ainda as atuais beldades Denise Richards, Halle Berry, Rosamund Pike e Eva Green. “E quanto às últimas, que viessem como Deus as tem conservado, muito obrigado”, sugere-me continuar um bom diabinho. “Olhe o que escreve, Marcelo”, recomenda-me uma enfadonha consciência. Bom, voltemos ao Direito. Como deixei a entender no começo, a regra da publicidade ampla deve, em certas circunstâncias, ceder seu espaço (aliás, é o que também prevê a nossa CF no citado art. 93, IX). Meu chute é que estamos lidando com uma dessas situações. Ademais, se James Bond já tem “licença para matar”, por que haveríamos de lhe negar uma licençazinha para apenas se esconder?


natal

3POR QUATRO

O ator Eri Johnson diz que não esconde sua vida de ninguém.

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Max.: 30º CO Min.: 26ºCO

Preamar 04h39 -0.8- 17h06 -0.9 Baixa-mar 11h04 -1.7- 23h17 -1.8

Panorama: hoje 332 bancas/196 feirantes Planalto 186 bancas/97 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Mãe Luíza Pium Pirangi do Norte Redinha

FASES DA LUA Crescente: Hoje Cheia: 21/11 Nascer do sol: 5h21 Pôr do sol: 17h19

ANDRÉIA MUNFORD

PÁGINA 9

Editor: Edilson Braga e-mail: braga@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 14 de novembro de 2010

Devido às maiores exigências, os contratos novos têm mensalidades mais caras, mas os antigos terminam gerando grandes riscos como a limitação no número de atendimentos, ou a falta de cobertura de novos exames [ PLANOS DE SAÚDE ]

Sem direito às novas tecnologias JÚNIOR SANTOS

e há uma data que marca a história dos planos de saúde no Brasil é o dia 1º de janeiro de 1999. O setor de saúde suplementar nunca mais foi o mesmo desde então. A partir daquela data passou a vigorar a nova legislação para esse tipo de serviço, baseada na Lei 9.656/98, e o “pacote” mínimo de atendimento, o chamado plano de referência, agora é obrigatoriamente determinado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), garantindo aos usuários o direito ao acesso às novas tecnologias e a uma assistência cada vez mais ampla. A mudança, porém, não beneficiou a todos. Quem tinha planos assinados anteriormente teve a opção de aderir ou não aos novos modelos, regulamentados. Nem todos fizeram a migração. Na Unimed Natal, 27% dos clientes ainda mantêm planos não regulamentados, assinados antes de 1999 e cuja cobertura inclui apenas os serviços constantes do contrato. Na Hapvida, hoje são cerca de 5% e a meta da operadora é zerar esse percentual até 2012. Os chamados contratos não regulamentados não podem mais sequer ser oferecidos pelos planos de saúde e permanecem vá-

S

lidos apenas para os consumidores que não migraram para o novo sistema. Ao mesmo tempo, também não garantem o acréscimo de qualquer nova tecnologia, ou atendimento incluído pela ANS no rol de procedimentos, atualizado anualmente e às vezes até semestralmente. Um dos motivos para alguns usuários não migrarem para os planos regulamentados diz respeito à questão financeira. Devido às maiores exigências, os contratos novos possuem mensalidades geralmente mais caras. No entanto, os antigos terminam gerando grandes riscos como a limitação no número de atendimentos, ou a falta de cobertura de novos exames e tratamentos. “Muitas vezes o paciente só vai perceber isso quando precisa de um atendimento e, por não estar no contrato, o procedimento é reiteradamente negado”, alerta o vice-presidente da Unimed Natal, médico Marcos Jácome. A situação tem se tornado frequente e muitos usuários terminam apelando para a Justiça, na tentativa de garantirem acesso a uma assistência não incluída no contrato. Para evitar essas “surpresas”, as empresas promovem campanhas de convencimento em prol

da migração dos usuários. A Hapvida envia informativos e realiza reuniões particulares. “Na ilusão de ter um plano ‘barato’, o usuário muitas vezes adia a regulamentação, o que em primeira mão pode parecer vantagem, pois na maioria das vezes o custo mensal de um plano não regulamentado é menor, mas com certeza, a longo prazo, é um péssimo negócio. Na hora da necessidade, o associado não tem cobertura contratual que possibilita o direito a uma série de procedimentos”, descreve a nota oficial. Quando os pacientes ganham o direito na Justiça a procedimentos que não fazem parte do contrato, a decisão termina por prejudicar o equilíbrio financeiro das operadoras. “Um plano de saúde funciona como uma poupança de um grupo de associados, com o objetivo de garantir acesso a uma série de procedimentos previstos no rol da ANS. Quando um que não tem direito ao benefício, seja por tempo de carência, ou por ter um plano não regulamentado, passa a utilizar o serviço, ele quebra o equilíbrio de custo estabelecido, prejudicando todo o grupo assistido”, resume a nota da Hapvida. [LEIA MAIS NA PÁGINA2]

Os planos de saúde com antigos contratos têm causado alguns aborrecimentos a seus usuários


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 14 de novembro de 2010

O PL 7.762 foi apresentado na Câmara Federal em 17 de agosto, pelo deputado Chico Lopes (PCdoB), do Ceará. A matéria será analisada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania [ PLANOS DE SAÚDE ]

Projeto de lei quer facilitar migração Associação Brasileira de Procons formulou um anteprojeto que foi transformado em projeto de lei (PL), com o número 7.762/2010, e que prevê melhores condições para os usuários migrarem dos antigos planos não regulamentados, para os atuais. Presidente da associação e coordenador geral do Procon/RN, Beto Madruga explica o objetivo principal: “Queremos que todos tenham direito a essa opção, sem que tenham de assinar praticamente um novo plano, como ocorre hoje.” Ele compara a situação com a dos

A

usuários que deixam planos empresariais e que após seis meses a dois anos têm de se submeter a regras e valores totalmente diferentes daquelas às quais estavam acostumados. O projeto de lei também trata desse aspecto e busca outros avanços para os consumidores na relação com as operadoras, como a determinação de que todas têm de oferecer planos individuais e a obrigação de fornecer por escrito o motivo da recusa em realizar procedimentos. O PL 7.762 foi apresentado na Câmara Federal em 17 de agosto, de autoria do deputado Chico Lo-

pes (PCdoB), do Ceará. A matéria segue em tramitação normal e será analisada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, junto com uma série de outras propostas que tratam de mudanças no setor. Beto Madruga se diz otimista e espera que as pessoas que contam com planos antigos possam ter melhores condições de migrar para os “regulamentados”. Até que isso ocorra, o coordenador do Procon confirma que as operadoras estão respaldadas em cumprir estritamente o que há nos contratos, nos planos anteriores a 1998.

PLANOS DE SAÚDE O Rio Grande do Norte tem hoje quase 500 mil pessoas usuárias de planos de saúde Evolução da cobertura

População com plano de saúde Total no RN

BRASIL Cobertura (%)

474.066

18,1

18,0

17,8

17,7

18,3

18,3

19,1

19,8

20,9

21,3

23,0

Brasil

44.012.558

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010

Novos planos só com regras da ANS Hoje não é permitida a alternativa de contratar planos de saúde fora das regras da ANS. Porém ainda restam uma série de opções para os usuários, tanto entre operadoras, quanto dentro de uma mesma empresa ou cooperativa. Os planos de saúde são classificados de diversas formas. Quanto ao tipo de cobertura assistencial, podem ser de cobertura integral do Plano Referência, ou por segmento (ambulatorial, hospitalar, hospitalar com obstetrícia ou odontológico). A lei não impede planos com coberturas extras, dentre os quais aqueles que preveem melhores acomodações, ou procedimentos não obrigatórios, como as cirurgias estéticas, por exemplo. Quanto à forma de contratação, os planos podem ser individuais, familiares ou negociados em grupos, dos quais um exemplo são os planos empresariais. Nesse último modelo há os “com patrocinador”, no qual as empresas ban-

ROL DE PROCEDIMENTOS As listagens publicadas periodicamente pela ANS,determinando aos planos a obrigatoriedade de oferecer novas consultas,exames e tratamentos a seus usuárias,são chamadas de Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde e atualizadas uma a duas vezes por ano.O rol é a referência de cobertura mínima obrigatória para cada segmentação de planos (ambulatorial,hospitalar com ou sem obstetrícia e plano referência), mas beneficiam apenas aqueles já regulamentados,ou seja,contratados a partir de 2 de janeiro de 1999.O rol define também a cobertura obrigatória para odontologia,procedimentos classificados como de alta complexidade e cirurgias.O último é de 7 de junho deste ano e incluiu diversas cirurgias torácicas por vídeo;novas tecnologias como o implante de marcapasso multissítio e pet-scan oncológico em determinadas indicações.

cam parte da mensalidade e o usuário o restante. E ainda aqueles nos quais o usuário paga um valor extra por alguns procedimentos, os coparticipativos. As operadoras dos planos também se diferenciam entre si e são classificadas em administradoras, cooperativas médicas, cooperativas odontológicas, instituições fi-

lantrópicas, autogestões (patrocinadas e não patrocinadas), seguradoras especializadas em saúde, medicina de grupo e odontologia de grupo. Com relação à abrangência geográfica, dividem-se em municipais, estaduais e nacionais. Além das operadoras, o setor de saúde suplementar reúne médicos, enfermeiros e dentistas.

RIO GRANDE DO NORTE Cobertura (%)

9,8

8,9

8,7

9,1

9,9

9,9

13,7 10,4

11,5

15,1

12,4

Planos com maior número de usuários RN (jun/2010) 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010

NATAL Cobertura (%)

28,4

24,7

24,1 25,3

27,4

26,3 27,1

29,2

30,6

33,7

36,6

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010

Unimed Natal

106.547

Hapvida

100.482

ASL (Amil)

97.214

Unimed Mossoró

20.692

Geap

13.581

Banco do Brasil

11.733

Intermedica

11.695

Petrobras

11.161

Bradesco Saúde

9.936

Excelsior

8.874

Fonte:ANS

[ ENTREVISTA / MARCOS JÁCOME – VICE-PRESIDENTE DA UNIMED NATAL ]

Planos antigos não têm alguns direitos ADRIANO ABREU

Como evoluiu o setor de saúde suplementar brasileiro? Para definir essa atividade há uma baliza, que é a fase pré e pós regulamentação. Antigamente, qualquer pessoa que quisesse colocar um plano de saúde abria, captava vidas, oferecia o que queria, agenciava profissionais e muitas vezes a intenção era só trapacear. Tivemos aqui no estado exemplo de empresas que deixaram na mão a população que estava sendo assistida e os profissionais que prestavam serviços e isso era péssimo para todos. Com a regulamentação, gerou-se uma expectativa de transformar essa atividade em algo mais sério e supervisionado, para não haver mais abusos. E o que trouxe de novidades? Uma das coisas foi corrigir algo que antes era praticado com muita liberalidade, que era o cliente escolher o que ele queria no plano. Era como se estivesse em uma prateleira de supermercado, diante da qual a pessoa fazia uma “mistura” do que desejava. E sempre acabava deixando algo importante de fora. E tinha também tecnologias que não existiam, como ressonância magnética, e que não constavam nos contratos. Você naquela época podia ter no contrato o direito a um limite de 30 dias de UTI. Se a pessoa tivesse de passar mais tempo, perdia o direito. Não era algo simples de entender, mas era confirmado em uma prática contratual na qual as duas partes consentiam. E a regulação do setor mudou essa prática? Sim, mas o que houve de ruim na regulação foi que, das pessoas que já tinham plano de saúde, uma parte não migrou para os regulamentados. Daquela época para cá todos os planos comercializados, sem exceção, têm de ser regulamentados. Agora as pessoas que opta-

ram em não regulamentar continuam com os contratos antigos. Como a regulamentação, que tem uma abrangência maior na assistência, apontando para uma melhor qualidade e maior número de opções, induz a ser um plano mais caro, porque é mais completo, alguns clientes preferiram não migrar. Então os planos mais novos, já regulamentados, incluem, por exemplo, as novas tecnologias na área de saúde? Tudo. Por exemplo, as órteses e próteses, materiais considerados muito caros e que nos planos antigos não eram liberados, nos planos novos são contemplados. Se naquele tempo você tinha 30 dias de UTI, hoje não há mais limite. No cálculo das prestações já são contemplados esses ganhos que os usuários tiveram, por isso que, obrigatoriamente, esses planos são mais caros. E a ANS estabelece periodicamente, uma ou duas vezes por ano, uma lista do que é obrigatório na cobertura, o rol. Eles incluem novos procedimentos e passam para os planos de saúde se adequarem. Isso é algo interessantíssimo para quem tem planos regulamentados. Mas não abrange os antigos? Aqueles dos planos antigos, não regulamentados, continuam não tendo direito a essas coisas novas porque no seu contrato pactua apenas aquilo que estava na ocasião da assinatura. O governo não obrigou que todos migrassem para planos regulamentados. Na verdade voltou atrás, porque inicialmente impôs e depois decidiu deixar livre. Para mim, foi uma das falhas na regulamentação. E hoje as decisões judiciais que ampliam os procedimentos contratados nos antigos planos resultam em quê? É algo muito prático: gasto fei-

ça com a coletividade. Se isso começa a ficar frequente, em última instância vai fazer com que os planos deixem de ser viáveis e venham a falir, um prejuízo muito maior para milhares de pessoas. Ou seja, a Justiça resguarda o direito de um e de outro, mas prejudica o direito da coletividade. Não é um caso, ou dez casos ao ano, são mais e geralmente quando são autorizados o montante é muito alto, com valores muito altos.

to tem de ser gasto pago. Então temos uma receita do que os pacientes pagam e com ela temos de cobrir as despesas. Aí o que acontece: os pacientes de planos não regulamentados que têm hoje necessidade de algo que não está previsto no contrato, o procedimento é rotineiramente negado. Parte dos usuários se conscientizam e buscam naquele momento a regulamentação. Outra parte não migra e acaba não tendo a assistência que gostaria de ter. E por que isso ocorre? É uma falha que podemos atribuir ainda em boa parte à desinformação. É importante as pessoas tomarem a iniciativa de migrarem para planos regulamentados e não apenas quando tiverem em uma situação de necessidade. Como é um plano novo, mas a pessoa já é usuária da operadora, não se mexe com carência, tem desconto no preço atualizado, uma série de vantagens. Existe uma série de ga-

rantias e ele, fazendo a migração, vai com certeza ter uma assistência muito melhor, mais tranquila e sem surpresas desagradáveis. E quanto às decisões judiciais? Quando trato da Unimed Natal, que tem 120 mil usuários, não posso pensar em um usuário único, tenho de pensar em todos de forma conjunta. Se tenho uma estrutura e para mantê-la tenho um gasto planejado de X reais, e por um ato unilateral a gente se torne obrigado a oferecer serviços que não estão contratualizados, a gente começa a tirar dinheiro daquela estrutura que está prevista para dar assistência a 120 mil pessoas. E isso desequilibra a relação. A gente tem tudo de forma muito bem calculada, até por um especialista em cálculo atuarial. Ele prevê a necessidade financeira para dar uma cobertura ideal. E no final o que pode parecer para aquele cidadão a busca da justiça, muitas vezes se reveste de uma injusti-

Quando trato da Unimed Natal, que tem 120 mil usuários, não posso pensar em um usuário único”

A gente tem tudo de forma muito bem calculada, até por um especialista em cálculo atuarial”

E isso torna difícil a situação de todo o mercado? Na realidade, somente as empresas que levam a atividade com mais seriedade e rigor conseguem sobreviver, porque as exigências são muitas, inclusive do ponto de vista de ter reservas financeiras. Não é qualquer um que consegue manter esse esquema de captação de recursos, provisões, de forma adequada. Mesmo muitas empresas sérias, algumas menores, passaram por dificuldades e até deixaram de funcionar. Então qual a orientação aos usuários? A gente recomenda que aqueles que têm planos antigos, não regulamentados, procurem seu plano de saúde para se informar e migrar para planos já regulamentados, que garantem uma assistência mais ampla. Essa opção é saudável para ele próprio, para seus familiares e para as operadoras como a Unimed, que mantêm o padrão de atendimento a nível excelente. A assistência à saúde deveria ser garantida na integralidade pelo poder público. Na prática, por essa assistência não ser boa, as pessoas têm a opção de buscar um plano de saúde. À medida que ele procura o setor privado, deve fazê-lo de forma a escolher, dentre as opções, aquelas empresas mais sérias, idôneas e, dentre essas empresas, procurar ver se o que ele tem de direito é garantido.


natal

Domingo | 14 de novembro de 2010

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11

3porquatro

POR ANNA RUTH DANTAS

ERI JONSON

DISTANTE DA POSTURA SUPERFICIAL DE RESPOSTAS,ERI JONSON É DIRETO E NÃO POUPA CRÍTICAS.SE HOJE O DISCURSO COMUM DE MUITOS ATORES É DEFENDER A “PRIVACIDADE”,ERI VAI PARA O PALCO E TRAZ UM POUCO DA SUA PRÓPRIA HISTÓRIA DE VIDA.“EU LEVO MINHA VIDA PESSOAL PORQUE É UMA VIDA QUE TODO MUNDO SABE”.

MINHA VIDA TODO MUNDO SABE FOTOS:ANDREIA MUNFORD

O que você pretende com Eri pinta Jonson borda (nome da peça que ele está apresentando nos teatros)? Essa peça eu misturo realidade e ficção. Sempre tive vontade de que o público que me prestigia esses anos todos no teatro pudesse saber um pouco da minha particularidade, da minha intimidade assim como meus amigos e minhas amigas sabem. Então eu resolvi escrever, misturando realidade e ficção, mas de uma maneira engraçada. Gosto de dançar, gostava mais. Comecei na televisão na novela Barriga de Aluguel fazendo o coreógrafo Lulu. Eu mostro as coisas como foram. A primeira aparição (na novela Barriga de Aluguel) eu reuni a família em casa. Meu pai um paraibano arretado, militar da Marinha muito severo. Minha mãe pernambucana, meus dois irmãos e eu. A primeira aparição, a família reunida e eu já apareci de Lulu. Meu pai ficou olhando aquilo e disse “que diabo é isso?”. Eu disse: “segura que o senhor vai se acostumar”. Ele (o pai) foi se acostumando com o tempo. E com o tempo também eu fui colocando outras coisas que foram sugeridas por amigos e amigas. Jairo Mattos (diretor da peça) conseguiu com que esse espetáculo ganhasse uma beleza. Virou uma produção que me orgulha muito. Tenho oportunidade nesse espetáculo de fazer número de platéia, as imitações que todo mundo sempre pedia. No momento em que alguns artistas fazem declaração defendendo a preservação da vida individual, você leva para o palco um pouco da sua vida pessoal. Não é contraditório? Eu levo minha vida pessoal porque é uma vida que todo mundo sabe. Eu não escondo, eu sou o que sou. Se você tiver alguma coisa para esconder não conte para mim porque eu vou falar. Se eu falo de mim falo de você também. E a minha intimidade com o público parte daí. Todo mundo sabe as coisas que eu gosto, o que falo, o que penso porque eu falo isso em entrevista e em qualquer lugar. Eu não tenho nada para esconder. Até concordo com os colegas que a privacidade vai ser invadida aqui e ali, as vezes você tem determinados momentos da sua vida que você não está afim. Você está almoçando, jantando, numa praia com uma namorada e logo fotografam você não quer que isso aconteça porque você não tem certeza dessa relação. Então, estão antecipando uma coisa que pode ser nada. Isso eu concordo com a galera. Agora quando eu estou no palco estou inteiro, principalmente no “Eri pinta Jonson borda” faço questão que saibam um pouco da minha vida porque é uma troca. Você sair de casa, pagar o ingresso para me assistir você está prestigiando o meu trabalho e porque você gosta do meu trabalho, gosta da minha pessoa. E porque é assim eu quero mostrar para você mais do que o ator, quero mostrar a pessoa também. O único drama que você fez foi O Marginal. Não combina o perfil de Eri Jonson com o drama? Acho que a comedia me prefere mais. Não tenho nada contra drama. Mas eu também se fosse diretor não ia ligar para casa do Eri Jonson e chamar para fazer um drama até porque na comédia já

ção com a produção. Isso acho perigoso. Acho que tem prazo de validade. Acho que não fica por muito tempo. A não ser que entrem por outro caminho, o caminho da produção porque o público se cansa. Acho uma pena poderia ser algo muito maior e melhor, mas aí não seria com eles (os que fazem standup) porque na maioria das vezes eles não são atores. Mas não me atrapalha, acho que atrapalha o teatro.

O

ator Eri Jonson, famoso pelos personagens de humor, contraria o perfil de muitos dos atores. Longe do estrelismo, é uma pessoa simples. Distante da postura superficial de respostas, Eri Jonson é direto, simples e não poupa críticas. Se hoje o discurso comum de muitos atores é defender a “privacidade”, Eri Jonson vai para o palco e traz um pouco da

sua própria história de vida.“Eu levo minha vida pessoal porque é uma vida que todo mundo sabe. Eu não escondo, eu sou o que sou. Se você tiver alguma coisa para esconder não conte para mim porque eu vou falar. Se eu falo de mim falo de você também”, comenta o ator, que esteve em Natal apresentando a peça “Eri Pinta Jonson Borda”, com produção local de Jorge Elali. O filho de pais pernambucana e paraibano, confessa, sente-se um pouco nordestino. Admite: a comédia lhe prefere e é nela que ele se realiza. “Acho que a comédia me prefere mais. Não tenho nada contra drama. Mas eu também se fosse diretor não ia ligar para casa do Eri Jonson e chamar para fazer um drama até porque na comédia já deu certo”, afirma, com uma simplicidade muito peculiar. Mas críticas também surgem, naturalmente, no discurso de Eri Jonson. Ele lamenta a forma como os espetáculos “stand-up”, onde o humorista fica no palco contando piadas sem qualquer produção, estão sendo feitos. Para o ator falta respeito ao próprio teatro. “Eles (os atores de stand-up) deveriam ter um certo respeito ao teatro. Não parar, podem fazer stand-up, mas tem que ter respeito, tem que produzir. Não pode sair de casa com uma roupa e com essa roupa mesmo entrar no palco”, destaca. Até mesmo na crítica, ele traz sutileza na ironia. Para Eri Jonson não se pode dizer que 100% dos espetáculos de stand-up são ruins. “99%, só que esse 1% eu ainda não assisti”, complementa. O convidado de hoje do 3 por 4 é um ator com todos os traços de humor, um cidadão simples, uma pessoa atenciosa. Com vocês, Eri Jonson:

Eu prefiro fazer bons espetáculos, sejam comédia, drama, musical. Só que a comédia é que mais me procura. E eu fico feliz da vida”

Eu não escondo: eu sou o que sou. Se você tiver alguma coisa para esconder, não conte para mim porque eu vou falar”

deu certo. Eu gosto muito do barulho da gargalhada. O barulho do silêncio me atordoa. O barulho da gargalhada eu gosto. Está no palco, fazendo rir com uma produção boa me deixa muito feliz. Você disse que a comédia lhe prefere.Você também prefere a comédia? Eu prefiro fazer bons espetáculos sejam comedia, drama, musical. Só que a comédia é que mais me procura. E eu fico feliz da vida. Eu acho que nasci para fazer rir, no palco ou na televisão, na vida não. Mas no palco e na televisão eu nasci para fazer rir. Por que “na vida não”? Porque na vida você não tem que ficar fazendo graça toda hora. Tem que estar na boa, normal, se tiver que contar uma piadinha aqui e outra ali a gente conta, mas no geral na vida eu levo muito a sério. Você disse que gosta de ouvir uma boa gargalhada. O que faz as pessoas rirem? Acho que você tratando principalmente a comédia como um produto muito sério. A comédia não pode ser escrachada. Quanto mais sério, mais verdadeiro você for em cena mais graça você vai tirar. Se você ficar mais preocupado com a careta do que com o

que você está dizendo, você está transmitindo, com toda certeza o público rir menos. Até rir porque tem coisas que não são tão engraçadas, mas você força tanto a barra que acaba ficando engraçado. Mas eu acho que quanto mais sério, mais verdadeiro você for para comédia mais gargalhada você vai tirar. Você faz laboratório para saber se a plateia vai rir ou não da sua peça? Não tem como não rir. Falo isso sem falsa modéstia. É impossível. Quando eu leio o texto eu já o leio me visualizando e como eu estaria fazendo e tentando ver a reação da platéia, ver onde conseguir com texto inteligente, da maneira mais sutil fazer rir. Não tem jeito. Hoje são muitos os shows estilo stand-up (feito muito pelos apresentadores do CQC e outros programas de humor).Agrada esse tipo de apresentação? Acho perigoso (o momento da febre dos stand-up). Na maioria dos casos não são atores. Eles não tem a preocupação com o teatro. Preocupação é de estarem pegando o microfone e contando uma série de coisas que muitas vezes tem o seu valor. Mas acho que a preocupação profissional é zero. Porque não há preocupação com o cenário, o figurino, não tem uma preocupa-

Detalhes Um personagem: Lulu de Barriga de Aluguel Em que acredita: Deus Eri Jonson pinta o que: todas

Perfil O ator Eri Jonson Oliveira,49 anos,ganhou fama e espaço na televisão,interpretando personagens de humor.Ele começou a carreira participando do programa de Carlos Imperial,na extinta Rede Tupi,disputando concursos de dança no final dos anos de 1970. Mas foi na Rede Globo que ganhou fama.Já atuou em dezenas de novelas,minisséries, cinema e hoje está no palco do teatro com a peça “Eri Pinta Jonson Borda”.

Você acha que essas apresentações de stand-up deturpam o conceito do teatro? Acho. Eles deveriam ter um certo respeito ao teatro. Não parar, podem fazer stand-up, mas tem que ter respeito, tem que produzir. Não pode sair de casa com uma roupa e com essa roupa mesmo entrar no palco. Tem que respeitar. Vou fazer 30 anos de profissão. Eu aprendi a respeitar os atores mais velhos. A respeitar a profissão. Essa profissão não pode ser desrespeitada pelo pessoal que faz stand-up. Não estou generalizando, estou falando de 99% deles. 1% deve fazer alguma coisa que eu não vi. Mas é preciso tomar cuidado. Quando acabar...é como o pessoal do Big Brother. Você entra no BBB, fica famoso e daqui um tempo morreu, acabou. Quem tiver a cabeça no lugar acaba se dando bem, conseguindo outras coisas. Todo mundo tem que ter oportunidade na vida. É transformar oportunidade na coisa futura, não na coisa presente, rasa, leve. Quem é mais difícil imitar? O presidente Lula é o mais difícil porque as vezes vaiam. Aí é o mais difícil. O mais fácil é o Romário. É um ídolo e geralmente pedem para que eu imite o Roma´rio logo. Caetano Veloso é um dos mais queridos porque aplaudem muito ele. Tem alguém que você gostaria de imitar e não conseguiu? Não fico tentando imitar. Eu fico prestando atenção quando estou pensando em imitar. Vejo um gesto daqui. Em uma entrevista você já chegou a dizer que não tinha saudade de personagem. Mas você sente saudade de quê? Do meu pai e da minha mãe que estão no céu. Meu irmão mais velho também está no céu. Tenho muita saudade. De personagem não tenho saudade. Tenho saudade de infância que era incrível no Rio de Janeiro, jogava bola na rua, soltava pipa, matava aula. Sinto falta dessas coisa que nunca mais vou poder desfrutar. Trinta anos de carreira.Qual foi seu grande momento? Acho que vem aí, aliás, tenho certeza que vem aí. Tudo que fiz até agora foi para somar para o futuro. Tenho impressão de que alguma coisa que fiz até agora foi plantar, plantar, plantar. Acho que ainda vou colher. E qual foi o seu momento mais delicado? Profissionalmente foi a novela de Corpo e Alma. Eu fazia o Reginal, tinha Daniela Perez e os assassinos da Dani interromperam a carreira. Na novela meu personagem era apaixonado por ela. Eu também era. Foi o momento mais difícil.


natal

10 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 14 de novembro de 2010

“ Eliana Lima

Não pode ser séria uma política energética onde o petróleo é mais importantes do que a água, por julgar mais válido não faltar alimento para as máquinas, muito embora possa faltar alimento para o povo”

elianalima@tribunadonorte.com.br

De Dom Nivaldo Monte, no livro ‘Fome! Por quê?’ SEBASTIÃO MARINHO

DRIKA SILVEIRA

» ASSALTO...

»VELHO MUNDO

Você sabe quanto custa a corrupção para o Brasil? Chorem seu pobre-rico dinheiro nos tilintares de champanhe comprado com a bolsa da viúva: entre R$ 41,5 bilhões e R$ 69,1 bilhões por ano. A estimativa é do Departamento de Competitividade e Tecnologia da Federação da Fiesp. Valores que equivalem a coisa de 1,38% a 2,3% do PIB.

Pausa no Jornalismo e na Medicina. A jornalista Anna Ruth Dantas suspende o Panorama Político e embarca com o namoradón Marcos Lima - que dá uma pausa nas cirurgias cárdicas – para o Leste Europeu. Clima total de lua-de-mel. O Zangão mirou na passagem e visualizou entre os destinos as belas Viena e Praga. O amor é lindo!!!

»...À VIÚVA

»FIDELIZAR

Enquanto isso, o governo federal manobra com governadores a volta da CPMF, imposto sobre o cheque. Dados enviados pelo comentarista do blog Abelhinha ‘Çivirino’ revelam que em 2008 foram arrecadados cerca de R$ 40 bilhões. Mas a saúde nunca melhorou. Pelo contrário, cada vez mais moribunda. Para solucionar o caos, ele dá a dica, melhor impossível: “acabe-se com a ladroagem na atividade política e aplique-se todo esse dinheiro integralmente na Saúde Pública. A população, sobretudo os mais carentes, vão agradecer o que na verdade constitui um dever daqueles que ostentam a qualificação de homens públicos”.

»POIS BEM! Não existe mistério nem segredo para a solução na saúde pública, que não é arrancar mais dinheiro do bolso sofrido do povo, mas sim estancar o sagramento desmedido da corrupção. Se o governo quiser, consegue, pois governantes são eleitos para encontrar soluções diante de dificuldades. E este é o maior desafio de todos eles.

»CONTRAMÃO Mas, lamentavelmente, a presidenta eleita Dilma Rousseff já começou mal a partir da sua equipe de transição, nomeando uma implicada na máfia dos sanguessugas. Ao ser descoberta pela imprensa, logo foi exonerada. Mas a intenção e a nomeação deixaram trombas de elefantes atrás das orelhas... Também nomeou – com salário de R$ 6,8 mil, pago pelo governo, o que permite a lei – uma cabeleireira gaúcha, que até o ano passado trabalhava num salão de beleza em Porto Alegre (RS) e mantinha um blog com dicas sobre cabelos até a nomeação. Dilma justificou que ela – que trabalhou na produção da campanha – será uma secretária trilingue, enquanto a cabeleireira não sabe qual a sua função...

»A PROPÓSITO... Por que o Programa do Leite do Estado, que por cerca de 20 anos foi executado pela Secretaria de Trabalho e Ação Social do governo, foi transferido para a Emater???

» ÁLBUM DE...

Lindinhos e apaixonadinhos no altar da Igreja Bom Jesus: Fernanda Rocha e Robertinho Fernandes

» ...CASAMENTO

Após os juramentos de amor, os novos casadóns Andressa Azambuja Alves e Bruno Steinmann

JOAONETOFOTOS.COM JOAONETOFOTOS.COM

E hoje, o partidón-charter Murillo Felinto leva um grande e bom grupo de potiguares para se jogar nos paraísos de Cuba. A ilha de Fidel nunca mais será a mesma depois da passagem desse trio: Getúlio Soares, Hilneth Correia e Jota Oliveira. De passageiros, também vão Genibaldo Barros, Haroldo Bezerra, Paulo Monte, Célia Ribeiro e o filho Manoel, Dodora e Gustavo Ribeiro com Fernanda, Thaysa Flor e Beto Santos, Lourdeca e Diógenes Álvares...avião lotado.

»PRA AGENDAR! » LUZES

O carinho de Sérgio Costa e Daniele Escocia

»FARO... Outro comentarista do blog Abelhinha alerta sobre a terceirização da Tributação do município de Natal. - “É totalmente inconstitucional e quebra o sigilo fiscal de todos os contribuintes, incluídos aí, os contribuintes de IPTU e ISS. Ou seja, qualquer proprietário de imóvel em Natal terá seus dados nas mãos de uma empresa privada. Imaginem o que esse pessoal pode fazer com esses dados. Além disso, o valor da contratação é absurdo. Por favor, investiguem”.

» PORTARETRATO

Os lindinhos Marília e Fábio Dore JOAONETOFOTOS.COM

»COISAS... Enquanto não se resolve o ‘destino’ do antigo Hotel Reis Magos, o prédio enfeia a Praia do Meio e serve de abrigo para mosquitos, etc. Pior: moradores da redondeza reclamam que lá existe uma cobra jiboia (para espantar guabirus, que terminam infestando a praia e as casas). Cobra que vez por outra faz uma visita aos vizinhos.

»...FINO Terceirização que já foi tentada em outros municípios e derrubada pelos Ministérios Públicos e a Justiça. De acordo com a homologação da Secretaria Municipal de Tributação – SEMUT, a empresa DSF – Desenvolvimento de Sistemas Fiscais Ltda levará o valor unitário de R$ 0,12, para cada R$ 1,00 recebido sobre a receita mensal prevista.

»CAVALO... A senadora Rosalba Ciarlini esteve anteontem na Governadoria para apresentar ao governador Iberê Ferreira a sua equipe de transição. Diante do tumulto – agentes penitenciários faziam manifestação -, não deve ter observado que as plantas nos canteiros centrais da antiga entrada principal, hoje desativada por conta das obras para a Copa, estão morrendo por falta d’água.

»...DE NATAL Mais: cachorros Pitt Bull protegem o lugar, e uma vez uma protistuta que pulou o muro para fazer suas necessidades fisiológicas quase foi estraçalhada por um dos monstros.

»...DE TRÓIA Mas, por ironia do destino, esse local possui vários poços administrados pela CAERN que abastecem alguns bairros da Zona Sul de Natal, entre eles Lagoa Nova e Candelária. Então, nada justifica que essas plantas estejam morrendo por falta d’água.

COLMEIA

»

»GRITA CIDADÃ Apesar da nova ponte (Newton Navarro), os engarrafamentos continuam. Dos motivos: a ponte velha é muito usada por pessoas que vão a outros municípios, e a nova também por muitos turistas e veranistas. Final de semana, feriadões e veraneio, caos total. Além do que os prometidos acessos ainda não foram feitos. E quando a Copa chegar? Se é que vem...

O jornalista Laurentino Gomes lança mais um livro.Dessa vez‘1822’, sobre o aconteceu após a chegada de D.João ao Rio de Janeiro.Dia 17, às 19h,na Siciliano-Midway. Estreia amanhã o programa‘Em Cima do Trio’, na SimTV,fazendo a prévia da comemoração dos 20 anos do Carnatal e passando todas as informações da Micareta do Brasil.De segunda à sexta,sempre às 18h20,ao vivo,com apresentação de Priscilla Freire e Manu Pessoa.

»

»BZZZZ... Como prometido, o nome do novo partidón que voltou ao circuito alone: - o topdón Habib Chalita não usa mais a – grossíssima – aliança de noivado. Está solteitinho da silva.

Dia 16 tem Tributo a Tico da Costa, ao som da Banda Filarmônica de Cruzeta, com o show ‘Várias Vozes, Um Só Canto II, De Tico e para Tico’, às 19h30, no TAM. Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Violonista potiguar que fez sucesso mundo afora, Tico morreu em agosto do ano passado em decorrência de um câncer no pâncreas. Parte da renda será encaminhada aos familiares do cantor.

» FLAGRA

Do flash-flagra de João Neto, Adriana Galvão conversa

COLABORAÇÃO: HELDON SIMÕES


Domingo |

natal

14 de novembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

11

George Azevedo georgeazevedo@digizap.com.br

UM BRINDE!!! A colunista Lizana Lima reuniu queridos no último dia 05 para celebrar a vida e mais um ano de colunismo social no jornal O Mossoroense. Foi o maior festão no Kiko’s Eventos, com ambientação assinada por Lenilson Marques e Fábia Soares, e muita animação ao som da Radiola Clube e dos sertanejos Valber e Victor. As fotos são do Trafegando.com FOTOS:MARCELO BENTO/ TRAFEGANDO.COM

Marcelo Oliveira e Kênia Marques com as estrelas da campanha da V.Hall, Eduardo Marques e Ludmilla Amorim.

Pablo Escóssia e Carol Mendes. Vem casório por aí!!!

Momento “Parabéns pra você!!!”.

Vera Escóssia, Silvana Escósssia e Lucinha Maia. Só nos closes!!!

Quarteto animado. Frank Felizardo e Mara Lidiane, Carlos Augusto Araújo e Viviana

Enver Freire e sua belíssima Catharina Amorim

Lizana com seus “sócios”Paulo Victor Macial, Rafael e Rodolfo Maia.

Dani Demais e Jeanne Martins, só de olho...

Laurinho Rosado, Fábio Porcino e Rogério Batista, altos papos

A aniversariante posando com a dupla Valber e Victor.

MODA E SOLIDARIEDADE

Raiane Cavalcante e o beach wear de kuxo da Água de Côco.

O evento beneficente do Lions Clube Natal Reis Mgos aconteceu no inico do mês , dia 4 de Novembro e ainda repercute nas altas rodas da Capital. Organizado por Hélio Santa Rosa, o Fashion Show, foi prestigiadíssimo e teve, na passarela nomes de pêso como Agua de Côco,

Oculare, Bobstore e Maria Maria Maison. Tudo aconteceu no Olimpo com ambientação assinada por Matheus Bulhões. Aqui, em imangens do fotógrafo Fabio Farias, um pouco do que aconteceu, você confere na nossa proxima edição GLAM.

Bárbara Aquino, new face do Tráfego Look 2010, desfila para Água de Côco

Kelly Fonseca e o charme da coleção BobStore

Diretamente de Cabo Verde/África, para as passarelas potiguares: Miriam Santos

Niltharzya Góis. So Gold

Alice Alves, toda Glam para Maria Maria Maison

Gleyna Lemos, desfila a moda Maria Maria Maison

Lariza Lima e a coleção Oculare

Alice, Luiza e Thairrane. Black is beautiful


natal 12

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 14 de novembro de 2010

[ VIDA A BORDO ]

ÉTICA: A REALIDADE RUMO AO SONHO

MARCELO MILITO velejador

lube náutico é um lugar que atrai malucos de todos os lugares do mundo. Pessoalmente acredito que viver enclausurado em um veleiro, um espaço geralmente tão reduzido e ao mesmo tempo sem limites, já que você pode ir aonde o vento te levar, faz a mente ir mais longe. Como exemplo, os semanais relatos nesse Diário do Avoante. Muitas pessoas que estão fora do nosso universo comum têm comportamentos diferentes e que muitas vezes julgamos serem pessoas com o “juízo” fora do lugar, mas às vezes essas pessoas nos mostram que talvez o “juízo” da maioria de nós é que está fora e o deles está dentro. Isso pelo simples fato que nascemos com vícios culturais e que muitas vezes julgamos ser o certo pela pura força do hábito e algumas cabeças de fora podem nos ensinar caminhos novos de coisas aparentemente tão óbvias como a ÉTICA. Assim aconteceu comigo em Setembro de 2009 ao fazer a travessia Natal - Recife a bordo do veleiro Antártica, um monocasco de aço com 49 pés de tamanho e com tudo de mais moderno a bordo. O capitão era um romano digno de filmes sobre gladiadores: um homem de meia idade com barba e cabelos louros, de poucas palavras,

C

A PÁGINA DE HOJE DO DIÁRIO DO AVOANTE FICA COM O TEXTO DO VELEJADOR MARCELO MILITO SOBRE UM BEM TÃO ESQUECIDO NO MUNDO MODERNO: ÉTICA. e que de vez em quando fazia umas piadas sem graça, mas como o homem era meio brabo a gente ria só para garantir o humor do capitão. Em resumo: O cara era uma figura de cinema. Depois da travessia, recém chegados no porto de Recife, antes de tentarmos largar para a REFENO 2009 uma atitude me ensinou

mais do que mil palavras: houve o furto de um relógio a bordo por um mecânico contratado para consertar o motor do barco, fato que somente foi percebido horas depois com um grito do capitão perguntando quem tinha roubado o relógio. Rapidamente ele olhou para todos que estavam a bordo e fez uma busca mental e concluiu

que só poderia ter sido o mecânico. Então foi até o clube buscou o mecânico e sem muitas palavras doces exigiu que ele devolvesse o relógio. Sua atitude foi tão segura e ofensiva que o mecânico imediatamente devolveu o objeto. Quando vimos o objeto roubado todos nós fomos unânimes em perguntar se o capitão estava doi-

do, e que não havia motivo de tanta briga por um “relogiozinho” de pulso, com pulseira de plástico e fabricado na China, uma vez que perdemos a primeira largada. Havia equipamentos mais valiosos que poderiam ter sido roubados e ainda corremos o risco de sermos agredidos pelo ladrão. A resposta dele foi inesquecível: - “MARCHELO, es-

se relógio não vale nada, o problema é que não podemos permitir ou tolerar atitudes como essa!” Naquela hora aprendi que ética é comportamento e comportamento é atitude. A ambição de um mundo melhor para todos é dependente direta das atitudes que tomamos a favor desse processo. Vale salientar que não fazer nada, de nada vale. As atitudes devem ser ofensivas no ponto de impedir que comportamentos antiéticos possam continuar a reinar, conscientizando que esses são regressivos para todos, incluindo em longo prazo para o próprio causador. Nós, seres humanos, nos gabamos por dominarmos e controlarmos a terra e quase tudo que nela vive graças a nossa capacidade mental, mas não conseguimos fazer algo tão simples, algo que várias espécies fazem com perfeição: o mutualismo entre os da mesma espécie, o bem comum acima do interesse individual e uma convivência que não necessite de Leis para nos regulamentar e dizer dos nossos deveres e obrigações sociais afim de uma evolução em comum. Por sinal, o mecânico que deveria ter nos ajudado não fez um serviço bem feito e logo depois tivemos que voltar ao Porto com água no motor e assim não competimos na regata. Mas não estávamos tristes, mesmo sem poder participar da REFENO 2009 tínhamos certeza do dever ético cumprido e de ter aprendido mais uma lição para a vida.


HOJE NA TV

RÁDIO GLOBO NATAL

10h00 – GRAND PRIX DE ABU DHABI F1 - Globo 18h30 - VITÓRIA X SANTOS, Sportv

06h - Esporte em debate 16h10 - Fluminense x Goiás Série A 21h - Resumo Final

CURIOSIDADES O documentário de Ayrton Senna mostra cenas inéditas, de bastidores,com brigas e discussões entre os pilotos.

DICAS Os ingressos para o jogo final entre ABC e Ituiutaba estão à venda no estádio Frasqueirão.

Documentário revive mito de Ayrton Senna. PÁGINA 2 NÚMERO 2012 é o ano em que o estádio de Brasília fica pronto.A cidade quer a abertura da Copa.

Editor: Itamar Ciríaco e-mail: esporte@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 14 de novembro 2010

A última prova da temporada será realizada hoje, às 10h (no RN), no circuito de Abu Dhabi e tem quatro pilotos disputando com chances de conquistar o título. Fernando Alonso é o líder e leva vantagem [ FÓRMULA 1 ]

Capítulo final com fortes emoções LUCA BRUNO

bu Dhabi (Emirados Árabes) - Gazeta Press - A temporada 2010 da Fórmula 1 chega ao seu final neste domingo, com o Grande Prêmio de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. No belo circuito de Yas Marina, Fernando Alonso, Mark Webber, Sebastian Vettel e Lewis Hamilton decidirão quem será o novo campeão da principal categoria do automobilismo mundial. O GP de Abu Dhabi tem largada programada para às 10 horas (RN), com transmissão ao vivo da Rede Globo. É a primeira vez na história que quatro pilotos chegam à última etapa do ano com chances matemáticas de se sagrar campeão. E mesmo para Hamilton, quarto colocado no Mundial, 24 pontos atrás do líder Alonso, a situação não pode ser vista como perdida. Para o inglês da McLaren faturar seu segundo título na F1, Alonso não pode pontuar, o que aconteceu três vezes em 2010. Já com relação a dupla da Red Bull, Vettel não pode chegar acima do terceiro lugar, fato que ocorreu nove vezes em dezoito provas este ano. E Webber, sexto, o que se repetiu em sete ocasiões nesta temporada. Uma combinação difícil, mas não impossível.

ECKEHARD SCHULZ

JAN WOITAS

VICTOR R.CAIVANO

A

Fernando Alonso, da Ferrari, lidera a competição

A Red Bull de Webber é uma das concorrentes ao título

Sebastian Vettel pode ser o fator decisivo na prova

Hamilton tem um carro equilibrado e corre por fora

As chances dos demais são evidentemente maiores, mas ao se combinar a situação na tabela com os prognósticos na pista, fica difícil prever o que vai acontecer. A Red Bull sem dúvida estará mais rápida que as rivais em Yas Marina, e a superioridade demonstrada no Brasil tem tudo para se repetir nos Emirados. Com isso, é de se esperar que Webber e Vettel ocupem as duas primeiras posições no pódio, feito repetido quatro vezes este ano.

A questão é em que ordem. Se Webber vencer a prova e Vettel for segundo, o australiano será o campeão, pois somará 263 pontos, com Alonso chegando a 261 se for terceiro. Se Vettel cruzar a linha de chegada em primeiro, só será campeão se Alonso não passar do sexto lugar. “É muito simples”, disse Vettel. Cerca de 40 anos atrás um piloto de F1 disse que a única tática que existe nessas corridas é pisar fundo no acelerador. Esta maneira de ver as coisas não mudou nas últi-

ma corridas e, para mim pelo menos, não vai mudar aqui. Levandose em consideração as últimas três etapas, com exceção do GP da Coréia, onde a Red Bull teve problemas e não marcou pontos, no Japão e no Brasil o pódio foi o mesmo: Vettel, Webber e Alonso. Portanto, este pode ser considerado o resultado mais provável hoje, em condições normais. Entretanto, se este for o caso, a Red Bull vence mas não leva. Alonso seria o campeão com 261 pontos, e a du-

pla da RBR morreria empatada na praia com 256. Fica então a grande questão deste final de Campeonato: Vettel abrirá mão da vitória para Webber para que a equipe, que já garantiu o Mundial de construtores, faça também o campeão entre os pilotos? O dono da Red Bull, o empresário austríaco Dietrich Mateschitz insiste que não haverá ordens de equipe, e que prefere ver seus pilotos terminarem em segundo a abandonar a esportividade. Portanto, a decisão ficará para

os pilotos. Perguntado sobre o que fará numa possível última volta com Webber em segundo e Alonso em terceiro, Vettel se esquivou, mas não descartou trabalhar pela equipe. “A resposta para esta pergunta, se a situação acontecer, eu acho que sabemos que pilotamos para uma equipe. Nós tivemos ocasiões este ano onde estivemos muito próximos e as coisas não foram bem. O nosso maior objetivo é não repetir isso. Quanto ao resto, vamos ver”, afirmou Vettel. O piloto da Ferrari, por sua vez, tenta focar na sua corrida e esquecer os adversários, já que só depende de si para ser campeão. “Eu só preciso chegar em segundo. Não importa quem vai vencer se eu conseguir isso. O problema está acabado”, disse Fernando Alonso. Hamilton, por sua vez, se coloca na posição de franco atirador. “Eu tenho nada a perder. Os caras na minha frente têm tudo a perder, então para mim será “pisar fundo” como sempre. Eles têm tido carros mais rápidos do que o meu, mas isso não significa que não possa lutar pela vitória. Obviamente eu tenho que vencer esta corrida, e isso é o que eu planejo fazer”, disse o desafiador e confiante Hamilton.

DIVULGAÇÃO

esportes

FÓRMULA 1


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 14 de novembro de 2010 FOTOS:ARQUIVO TN

TOLLEMAM

LOTUS

MCLAREN

WILLIAMS

Ayrton iniciou sua carreira na desconhecida equipe Tollemam.No Grande Prêmio de Mônaco fez história ao chegar na segunda colocação.

Na Lotus,Ayrton Senna mostrou que seria um dos grandes piltos da categoria.Apesar do carro em condições inferiores,deu trabalho aos adversários.

Na equipe inglesa,Ayrton Senna fez história e conseguiu os títulos que o transforam em ídolo.No GP do Brasil, venceu com apenas uma marcha funcionando.

Sonho de consumo de ambos,Williams e Senna,o casamento entre piloto e equipe não deu certo,e o brasileiro morreu em 1994,dirigindo o carro inglês.

50 anos de um mito O PILOTO BRASILEIRO AYRTON SENNA DEIXOU AS PISTAS E ENTROU PARA A HISTÓRIA DA FÓRMULA 1 E DO ESPORTE INTERNACIONAL.NO ANO EM QUE COMPLETARIA 50 ANOS DE IDADE,É LANÇADO O DOCUMENTÁRIO QUE CONTA PARTE DE SUA TRAJETÓRIA VENCEDORA ra junho de 1984, um domingo no Grande Prêmio de Mônaco. Enquanto caía uma chuva torrencial, um dos melhores grupos de pilotos da história das corridas automobilísticas se alinhava na pista. Nada menos que seis atuais ou futuros campeões mundiais competiam naquele dia, incluindo o detentor do título Keke Rosberg; um impassível e destemido inglês chamado Nigel Mansell; o bicampeão mundial austríaco Niki Lauda; o confiante bicampeão mundial Nelson Piquet; e o homem chamado de ‘O Professor’, o francês Alain Prost. Enquanto isso, na 13a posição do grid, atraindo pouco interesse em seu nada conceituado Toleman, estava um impetuoso jovem piloto em apenas sua sexta corrida de Fórmula 1. Quando os motores deram partida, o homem que começou em 13º disparou na pista, alcançando Prost na 32ª volta. Esse homem era Ayrton Senna, anunciando sua chegada ao mundo da F1 com uma corrida espetacular. Senna, porém, não venceu a prova. Ele perdeu apenas por uma questão técnica. Mas o brasileiro não ficou amargurado, aquele ainda era seu primeiro pódio. Ele frequentemente venceria nas pistas, mas seria derrotado fora delas, lutando contra o que considerava injustiças em um esporte altamente politizado. Ainda assim, superou obstáculos em seu caminho, ganhou três campeonatos. Para a imprensa internacional, Senna mostrou-se um campeão encantador e arrojado; à sua mídia nativa brasileira, ele era um homem humilde e profundamente religioso. No auge de suas forças, no entanto, enquanto corria no

E

Circuito de Ímola em San Marino, veio o desastre. Era a terceira prova da temporada de 1994 e, durante o treino classificatório, Rubens Barrichello, um aprendiz de Senna, bateu e se feriu. Um dia depois, o piloto austríaco Roland Ratzenberger atingiu um muro a 320km/h, morrendo instantaneamente. Senna ficou abalado e parou para pensar se deveria continuar correndo. Seu grande amigo e médico da F1 professor Sid Watkins aconselhou-o a não correr no domingo. Mas o orgulho, senso de responsabilidade com sua equipe e o esporte e sua necessidade de subjugar o medo levaram Senna a ir adiante. No domingo da corrida, Senna pilotou por apenas duas voltas depois que o safety car saiu da pista, antes de bater na curva de alta velocidade Tamburello, seu carro indo de encontro a um muro de concreto a mais de 200km/h. Em 1994, quando Senna bateu, seu carro atingiu a parede em tal ângulo que parte da suspensão voou e perfurou seu capacete, causando fraturas cranianas fatais. Os médicos encontraram uma bandeira austríaca no carro do piloto: ele planejara homenagear Ratzenberger ao terminar a corrida. A notável história de Senna, sua busca por perfeição e o status de mito que ele alcançou são os temas de SENNA, um documentário que abrange os anos da lenda do automobilismo como piloto de F1, lançado no ano em que faria 50 anos. (texto editado com base em material do: www.senna50.com).


esportes

Domingo | 14 de novembro de 2010

[ ESTADUAL ]

Baraúnas começa processo de organização Baraúnas já está planejando a temporada 2011. Para isso, anuncia a criação do departamento de marketing e comunicação. O gerente desse setor é o jornalista Carlos Guerra Júnior, que já definiu algumas metas em reunião com o presidente do clube, João Dehon, na última sexta-feira (12). E o Baraúnas já vinha planejando ações nesse setor a algum tempo. Tanto é que o clube, em parceria com a Associação Atlética do Sítio Florânia, lança neste sábado um programa de rádio. O Programa Leão em Foco será transmitido aos sábados na rádio 98FM de Mossoró, a partir das 11h. O novo gerente de comunicação e marketing do Leão do Oeste é formado em comunicação social pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e já trabalha na área de comunicação há cinco anos. Os seus principais trabalhos foram no site do Lancenet!, onde conquistou um título nacional, na Band Natal e com a assessoria de imprensa, com clientes como o ASSU, Gleison Tibau e Ana Cláudia Silva.

O

ELOGIOS “Era um desejo muito grande ter uma pessoa do segmento no clube e encontramos o profissional ideal, pois é baraunense e muito competente. É também um presente para ele essa contratação, uma vez que Carlos completa 22 anos neste sábado”, disse o presidente João Dehon. O presidente do Tricolor e o novo gerente de comunicação e marketing são os convidados do novo programa de rádio do Baraúnas.

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

[ FUTSAL ] Competição contou com grandes jogadores do RN, como o goleiro Matheus, ex-ABC/Art&C. No evento de dezembro, outros alvinegros estarão na equipe que foi a campeã

ÁRBITRO

Estrelas voltarão para novo torneio em Assu

A Federação Norte-riograndense de Futsal - FNFs já definiu as datas do novo curso de arbitragem de futsal. Será sempre nos fins de semana, entre este mês de novembro e janeiro do ano que vem, nos dias: 21/11, 05/12 e 19/12, além de 02/01, 16/01 e 30/01/2011. As aulas vão acontecer no Colégio Imaculada Conceição (CIC), sempre entre as 8h às 12h e 14h às 17h. Os interessados devem correr. O período de inscrição está aberto até o próximo dia 19 na sede da FNFs, que fica no ginásio Machadinho.

Campeonato Municipal de Futsal de Assú é uma confirmação de como o nível do futsal da cidade vem crescendo bastante. Com o ginásio Arnóbio Abreu lotado, o Prisiaca conquistou o título municipal e já adiantou que virá ainda mais forte para o Assú Open, que acontecerá entre os dias 06 e 17 de dezembro. O Municipal de Assú não seguiu a linha de um campeonato apenas com jogadores amadores locais, como acontece em outras cidades. O evento contou com grandes nomes do futsal do Rio Grande do Norte. O Cruzeiro, por exemplo, representou a cidade no Estadual de Futsal e ficou com o terceiro lugar e no Campeonato Municipal terminou nesta mesma posição no Municipal, apesar de todo favoritismo. A equipe que ficou na segunda colocação foi o também forte candidato ao título, Vilence. O time contou com três jogadores que deixaram o ABC/Art&C recentemente. Entre eles está o goleiro Matheus, que se tornou ídolo da torcida alvinegra. E, apesar das inúmeras defesas, Matheus não conseguiu parar o time do Prisiaca, que contava com atletas de Lagoa d’anta, Pendências e Fernando Pedroza, além de destaques da própria cidade de Assú. O goleiro Bizinho, que acompanhou o amigo Matheus da arquibancada, já confirmou que vai participar do Assú Open de Futsal, assim como os seus companheiros de ABC/Art&C. “A gente está estudando a possibilidade de participar todos os ex-jogadores

DIVULGAÇÃO

O

FNFS FAZ CURSO DE ARBITRAGEM

BEACH SOCCER

RN INICIA A LUTA PELO TÍTULO

Depois de lutar muito pela conquista do título veio a merecida festa,iniciada ainda na quadra de jogo

Temos de vir fortes pois estamos vendo como está o nível de futsal de Assu e sem falar das outras equipes como o Baraúnas, Areia Branca e Limoeiro” BIZINHO Jogador de Futsal

do ABC em um time só no Assú Open. Algumas equipes já se disponibilizaram a bancar esse time, bem entrosado, e estamos estudando as propostas. Temos que vir forte, pois estamos vendo como está o nível do futsal de Assú e sem falar que outras equipes, como Baraúnas, Areia Branca e Limoeiro do Norte vão vir qualificadas também”, salientou Bizinho. A equipe da Seleção da Várzea é outro time assuense que promete empenho para o Assú Open. A Várzea deverá ter um grande apoio da torcida no Assú Open, porque o grande ídolo do futebol

da cidade, o atacante Marcelo Assuense, confirmou regresso ao futsal para participar da competição, por esse time. “A Seleção da Várzea é uma equipe que une toda a zona rural de Assú e eu aceitei o convite para defendê-la, porque todo esse pessoal me apóia bastante no futebol e pediu para que eu jogasse o Assú Open. Fazia muito tempo que não jogava futsal, mas estou empolgado e vou ajudar bastante a Seleção da Várzea nesse campeonato. Quero retribuir o carinho da torcida com gols”, disse Marcelo.

A seleção do RN de beach soccer entra em campo hoje às 9h30 contra a seleção de Alagoas pelo 14º Campeonato Brasileiro da modalidade. O tempo frio, em média 14º graus é um desafio. “Não somos acostumados a essa temperatura, além do que, não tivemos como nos adaptar, mas isso não será só problema nosso, todas as seleções do Nordeste estão enfrentando esta dificuldade”, comentou o prof. Andrey Valerio, técnico da equipe. FUT.AMERICANO

SCORPIONS DISPUTA AMISTOSO HISTÓRICO Hoje, o Natal Scorpions vai entrar para a história do Futebol Americano nordestino. A equipe natalense, uma das principais da região nordeste, vai enfrentar amistosamente o Recife Pirates, às 15h, no campo do Clube dos Servidores da SUDENE, na capital pernambucana. Será o 1º duelo entre as equipes.


4

esportes

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 14 de novembro de 2010

[ AMISTOSO ] Mano Menezes dará início aos

[ CAMPEONATO ITALIANO ] A Internazionale e o Milan fazem o clássico mais famoso da Itália e possuem em suas equipes estrelas como Ronaldinho, Robinho, Lúcio e Maicon

treinamentos para enfrentar a riva Argentina

Seleção se apresenta hoje no Rio de Janeiro

Clássico de Milão reúne as estrelas brasileiras MARCELO REGUA

ilão (Itália) - O tradicional clássico entre Inter e Milan, que acontecerá neste domingo, no Estádio Giuseppe Meazza, em Milão, é a principal atração da 12ª rodada do Campeonato Italiano, que será disputada neste fim de semana. O Rubro-Negro lidera a competição com 23 pontos, um a mais que a Lazio, segunda colocada. Mas a Inter vem logo na cola, com vinte pontos e de olho na conquista de um inédito hexacampeonato. Os atuais campeões sabem da importância do duelo. “Nós entendemos que neste momento não podemos deixar nenhuma equipe abrir muita vantagem na liderança e isso acontecerá se cedermos ao Milan a vitória no clássico. Daí o fato de considerarmos o duelo deste domingo como decisivo para a sequência da competição. Estamos encarando como uma final, como todos os confrontos diretos entre postulantes ao título”, disse o lateral direito argentino Javier Zanetti, da Inter. Pelo lado do Milan existe o objetivo de se minimizar a importância do clássico. “Estão querendo dar contornos de decisão ao

M

No Milan,Ronaldinho Gaúcho tem surpreendido e voltou a ser um dos destaques do futebol mundial

clássico e isso apenas porque estamos na liderança e temem que possamos abrir vantagem. Mas o Milan não será campeão em caso de vitória e a Inter não ficará fora

da disputa em caso de derrota. Portanto, estamos nos preparando para este duelo em um ambiente de muita tranquilidade”, respondeu o goleiro Abbiati, do Milan.

A Lazio atuará diante de seus torcedores, no Estádio Olímpico, em Roma, contra o Napoli, que vem em terceiro lugar e também pode se dar ao luxo de sonhar com a ponta.

io de Janeiro (RJ) - Os jogadores da Seleção Brasileira que atuam no Brasil se apresentam neste domingo e viajam, na companhia de Mano Menezes e dos demais membros da comissão técnica, para Doha, no Catar, onde nesta quarta-feira acontece o amistoso contra a Argentina. Os atletas que jogam no exterior já se juntarão aos demais na Ásia mesmo. Esse será o quarto amistoso do time canarinho sob o comando de Mano, que substituiu Dunga após a eliminação nas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul. Anteriormente a Seleção Brasileira disputou três amistosos e venceu todos, sem sequer sofrer gols. O Brasil fez 2 a 0 nos Estados Unidos, 3 a 0 no Irã e 2 a 0 na Ucrânia. Porém o grande teste do ano é considerado mesmo o amistoso com a Argentina, que não vem atravessando um grande momento e, no mês passado, foi derrotada pelo Japão em um amistoso, por 1 a 0. Para este duelo Mano Menezes manteve a base de convocações anteriores, mas decidiu apostar em Ronaldinho Gaúcho, que ficou de fora da Copa do Mundo e que não vinha tendo chances com Dunga. Outra novidade foi a presença do atacante Neymar, do

R

Santos, que tinha ficado afastado dos dois últimos amistosos por questões disciplinares. O desfalque para este jogo fica por conta do atacante Alexandre Pato, cortado por conta de um estiramento na coxa direita, sofrido quando estava defendendo o Milan pelo Campeonato Italiano. A Seleção Brasileira vai realizar seu primeiro treino nesta segundafeira e na terça-feira uma atividade será feita no Khalifa International Stadium, o local do amistoso contra a Argentina, às 14h(no RN). COPA AMÉRICA Paraguai, Venezuela e Equador serão os adversários do Brasil no Grupo B da Copa América 2011. O sorteio realizado nesta quinta-feira deixou o técnico Mano Menezes na expectativa por confrontos complicados na competição continental - que este ano contará com México e Japão, convidados. “Será a primeira oportunidade, depois da Copa do Mundo, de as seleções da América do Sul confirmarem que estão em ascensão. Daí prever jogos difíceis e muito disputados”, comentou o treinador, ao site oficial da Confederação Brasileira de Futebol. Para o treinador, a ampla superioridade de Brasil e Argentina em relação aos demais países ficou no passado. MARCELO REGUA

ESPORTES NA TV

Marcos Lopes lopesrn@hotmail.com

Arena do Dragão Conselho Deliberativo do América aprovou a construção do estádio do clube, que já vem sendo chamado de Arena do Dragão, e que sem dúvida representa é um avanço importante para fortalecer a estrutura de clube, e acompanhar a evolução do futebol. A oxigenação no Conselho Deliberativo foi fundamental para que a vontade dos chamados cardeais, daqueles conselheiros mais conservadores fosse derrubada. Claro que a aprovação não significa a construção imediata do estádio, o que ainda demanda tempo e uma série de negociações, mas foi o pontapé inicial para que o torcedor do América vislumbre uma nova realidade, talvez a médio prazo. A preocupação imediata deve ser onde o América vai mandar os jogos da próxima temporada, a partir da demolição – se é que vai acontecer – do estádio Machadão, encontrar uma alternativa para a temporada 2011, e paralelamente, trabalhar e avançar a construção da Arena do Dragão. Um estádio próprio é um facilitador para qualquer clube de futebol. É através do estádio que ele pode alavancar ações de marketing, chamar o torcedor, valorizar a marca do clube, e ter um controle quase absoluto sobre um problema que é crônico, em um estádio público, que é a evasão de renda. Por outro lado, é preciso entender que o estádio pelo estádio não salva. É necessária uma ação eficiente e profissional de marketing, a adequação do estádio em uma arena capaz de ser aproveitada para outros eventos, mas principalmente um futebol forte e competitivo. Respeitando a rivalidade, mas vejam que hoje o ABC sabe como administrar o estádio Frasqueirão, e sabe como “vender” a marca ABC, o que é resultante também, da boa campanha que o time está fazendo no Brasileiro. Ninguém, nenhum clube, perde com um estádio, se souber trabalhar e se tiver um time para acompanhar e para chamar o torcedor. Eu enxerguei na aprovação, e vislumbro na futura construção da Arena do Dragão, um avanço fantástico do América para crescer e se estruturar como clube de futebol. A oxigenação do Conselho Deliberativo foi fundamental.

O

INGRESSOS MAJORADOS A decisão da direção do ABC, de majorar os preços dos ingressos para a decisão do Brasileiro, dia 20 contra o Ituiutaba, pode ter causado um impacto no torcedor, mas não está errada. Desde que assumiu a direção do clube, o grupo comandado por Rubens Dantas tem dado um tratamento empresarial ao futebol, e, no caso específico, adota o mesmo critério dos grandes shows e eventos. O show de Roberto Carlos tem um preço, o de Chico dos Anzóis, outro. A verdade mesmo, é que o futebol é um produto cada vez mais caro, e justamente por ser caro que as campanhas de sócios tem crescido tanto. O torcedor paga 30 reais e assiste no mínimo quatro jogos por mês, o que é bem melhor do que ficar pagando jogo a jogo.

Fim de jogo, fim de papo RODRIGO SENA

Ao lado de José Vanildo, Eduardo Rocha tem sido um batalhador pelo fortalecimento do futebol nordestino

FUTEBOL ESTÁ SENDO ENGOLIDO O futuro do futebol nordestino é incerto em nível nacional.É preciso que o quadro seja analisado com a frieza necessária,e que seja fortalecida a luta para recuperar o cenário que hoje já é preocupante. Os cartolas alinhados – comandados por Carlos Alberto da federação pernambucana - com a CBF,não são capazes de olhar para o macro.Para a situação da Paraíba, Alagoas e Sergipe.O RN está escapando de uma crise por causa do acesso do ABC,mas não vive uma situação de comodidade em nível nacional.O sistema é implacável e mais cedo ou mais tarde,vai abocanhar o futebol do nordeste.É preciso que os clubes e as federações enxerguem para a dura realidade,e valorizem a luta da Liga dos Clubes do Nordeste.

10 horas - Fórmula 1:GP de Abu Dabi; Globo 11 horas - Campeonato Italiano: Sampdoria x Chievo; SporTV 13 horas - Campeonato Espanhol: Zaragoza x Sevilla;ESPN Internacional 13 horas - Campeonato Francês: Auxerre x Rennes;SporTV 2 13 horas - Campeonato Brasileiro Sub-23 de Futebol: Internacional x Corinthians; SporTV 13 horas - Fórmula Truck:etapa de Curitiba;Bandeirantes 13h10 - Campeonato Inglês:Chelsea x Sunderland;ESPN Brasil 13h30 - Campeonato Alemão:Bayern Munique x Nuremberg;BandSports 16 horas - Brasileirão:Atlético-GO x Palmeiras;Globo e Bandeirantes

Mano Menezes acredita que superioridade é coisa do passado


Domingo | 14 de novembro de 2010

esportes

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

[ BRASILEIRO – SÉRIE A ] São Paulo aposta no bom retrospecto contra o Vasco para se manter firme na luta por uma vaga na competição continental. Cariocas pensam só na Sul-americana

Apito Final EVERALDO LOPES - elopes@tribunadonorte.com.br

Souza Silva ara a turma antiga da Rádio Globo (exCabugi), familiares e amigos, todo dia 15 de novembro traz tristes recordações. Nessa data, vítima de desastre automobilístico quando dirigia seu próprio carro, a quatro quilômetros de Mossoró para onde seguia a fim de animar o comício do deputado Henrique Eduardo, morreu tragicamente o repórter esportivo e vereador em Natal, Souza Silva, 34 anos. Se vivo fosse, estaria com 58 anos. Cria da própria Cabugi, com o apelido de “Chico Telefone” quando era quase um garotão, e por ser quem primeiro atendia o telefonema dos ouvintes, quando se iniciava no rádio natalense. Souza teve ascensão rápida no rádio, logo entrou para a área de esportes e foi cobrir o seu clube do coração: o ABC. Era o ano de 1971, quando havia ainda jogos no “JL”.

P

Souza (2)

Souza (3)

Bastante versátil, rapidamente conquistou a torcida, o ABC e os ouvintes da emissora dos Alves – como se costumava dizer. Em 72, a audiência foi às alturas porque foi o ano de inauguração do estádio “João Machado” (a princípio, Castelão). No ano seguinte, a excursão do ABC ao exterior, porém Souza não seguiu, indo apenas o narrador Celso Martinelli, com o detalhe de que as transmissões não eram ao vivo, já que não havia ainda os satélites. Foi Souza Silva quem lançou o bordão “alô Deus, a Frasqueira te agradece, Senhor”, sempre que acontecia um gol do ABC. O grande mérito do jovem repórter foi tocar nos brios da “frasqueira”.

No cemitério Parque, este ano o jazigo de Souza Silva foi um dos mais visitados, no Dia de Finados. Quando perdeu a vida ao capotar com seu fiat próximo ao fim da viagem, Souza Silva era casado, pai de duas filhas. Foi um dos candidatos a vereador mais votados em Natal. Sua filha Débora é estudante de jornalismo, trabalha no “Novo Jornal”. A propósito, pelo muito que fez pelo ABC, vibrante e irônico, chegou a ter atritos com torcedores americanos. Souza Silva merece ter seu nome em uma das cabinas de rádio do “Frasqueirão”. Outro grande abecedista também falecido, Marcoantônio Antunes, tem seu nome perpetuado em uma das cabinas do “Maria Lamas”.

Mercado caiu

Mercado (2)

Foi entre 2003, ano em que o Brasileirão inaugurou os pontos corridos que o mercado de venda de grandes jogadores começou a dar folga nos cofres dos clubes, chegando a 26% da receita das associações esportivas que lidam com futebol. Mas, o recorde, mesmo, foi em 2007 quando chegou a 37% da receita total. Outras receitas que subiram foram as de bilheteria, de 7% para 13%, patrocínios e publicidade passando de 9% para 14% da receita.

Eis os dez maiores faturamentos no item clubes, em 2009: Corinthians R$ 181 milhões, Inter R$ 176 mi, São Paulo R$ 174 mi, Palmeiras R$ 125 mi, Cruzeiro R$ 121 mi, Flamengo R$ 120 mi, Grêmio R$ 110 mi, Vasco R$ 84 mi, Santos R$ 70 mi e Atlético/MG R$ 66 milhões. Como se vê, saindo das regiões Sul/Sudeste e um pedaço do Brasil central, nenhum clube do futebol nordestino está nessa relação. Esses clubes faturam pouco e, por isso, devem pouco.

As dívidas O pior vem mais embaixo: as dívidas. Os campeoníssimos são o Fluminense, ultrapassando o “líder” até então Flamengo, com dívidas que chegam a R$ 329 milhões, seguidos pelo Vasco com R$ 327 mi, Botafogo R$ 317 mi, Flamengo R$ 308 mi, Atlético

Mineiro, R$ 285 mi, Santos R$ 181 mi, Inter R$ 147 mi. Grêmio Porto-alegrense R$ 137 mi, Palmeiras R$ 117 mi, Portuguesa R$ 116 mi. Com dívidas quase inexistentes aparecem Atlético/PR e São Caetano, devendo cada um apenas R$ R$ 1.300 mil.

Contrastes O futebol só é emocionante e surpreendente por conta dos contrastes. Ano passado, com Cuca como treinador, o Fluminense escapou do rebaixamento para a “B” com 46 pontos. Um ano depois, o mesmo Flu, tendo no co-

mando técnico Muricy Ramalho, é líder isolado da “A” com 61 pontos (hoje, enfrenta o Goiás, em casa). O Flamengo, campeão de 2009, com Andrade, hoje está ameaçado de rebaixamento, com Wanderley Luxemburgo.

E tome jejum Aparecendo como cabeça do grupo que está na zona de rebaixamento da “A”, o Guarani treinado por Wagner Mancini está há seis jogos que não marca um

gol, fato inédito na história do clube. Hoje, o bugre enfrenta o Vitória/BA e, se não vencer está fadado a ficar bem próximo da lanterna.

Tricolor tenta voltar à luta por vaga na Libertadores JOÃO PIRES

io de Janeiro (GP) - Ainda com chance de conquistar uma vaga para a Libertadores da próxima temporada, o São Paulo vai o Rio de Janeiro encarar o Vasco, hoje, em São Januário. Na nona colocação, com 50 pontos, os paulistas vão atrás da vitória para ficarem somente três atrás do Botafogo, quarto. Já na equipe carioca, o pensamento é de garantir a vaga para a Sul-americana para terminar bem o ano. O São Paulo realizou três partidas na Cidade Maravilhosa ao longo do torneio nacional. No Maracanã, empatou com o Flamengo (1 a 1) e com o Fluminense (2 a 2). No Engenhão, perdeu do Botafogo (2 a 0). Diante do Vasco, o Tricolor tem a última oportunidade de vencer no Rio. Depois de cair frente ao Corinthians na última rodada, o técnico Paulo César Carpegiani conta com os retornos do versátil Richarlyson e do volante Carlinhos Paraíba, livres de suspensão. Ele pretendia escalar o mesmo time que venceu o Cruzeiro, mas pode ser obrigado a promover duas alterações. Com dores nas costas, Rodrigo Souto pode ser trocado pelo jovem Zé Vitor na cabeça de área. Já o centroavante Ricardo Oliveira, que sofre uma tendinite no joelho esquerdo, daria lugar ao meia Jorge Wagner. Assim, Fernandão formaria o ataque ao lado de Dagoberto. Apesar de o Vasco não ter grandes aspirações no Campeonato Brasileiro, Fernandão

R

Richardson tem retorno assegurado ao time paulista, após cumprir suspensão no jogo com Timão

mantém a cautela. “Temos que respeitá-los pelos jogadores que eles têm, mas ao mesmo tempo precisamos ser agressivos, mesmo fora de casa. É um time que vai jogar mais solto e com menos responsabilidade, não tem nada a perder”, disse o atacante. Se ainda não venceu no Rio de Janeiro nesta edição do torneio nacional, o São Paulo defende um retrospecto favorável diante do Vasco nos últimos jogos. O Tricolor não perde da equipe cruzmaltina desde 2005 – desde então, acumula seis vitórias e dois empates.

O ex-presidente alvinegro só não cita o local porque não sabe se vão permitir usar o auditório, no ”Frasqueirão”. JT diz que está preparado para responder a qualquer questionamento da imprensa ou de conselheiros. “Será ótimo que meus maiores críticos também compareçam”, afirma.

ESPORTES EM DEBATE O presidente americano Clóvis Emídio será o entrevistado deste final de semana. Nesse sábado, 13, de 12h30 às 14h, e no domingo, dia 14 às 6h da matina.

VASCO SÃO PAULO Fernando Prass, Irrazábal, Dedé, Cesinha e Diogo; Rafael Carioca, Rômulo e Felipe; Carlos Alberto, Eder Luis e Zé Roberto Técnico: PC Gusmão

Rogério Ceni;Jean,Alex Silva,Miranda e Richarlyson;Rodrigo Souto (Zé Vitor), Carlinhos Paraíba, Lucas e Fernandão; Dagoberto e Ricardo Oliveira (Jorge Wagner) Técnico:Paulo César Carpegiani

Estádio:São Januário (RJ) Hora: 18h30 (no RN) Árbitro:Wagner Reway (MT) Assistentes:Lincoln Ribeiro Taques (MT) e Fábio Rodrigo Rubinho (MT)

LUCAS UEBEL

Avaí joga sua sorte com Inter Internacional e Avaí encaram a partida deste domingo, 16h (no RN), no Estádio Beira-Rio, de formas absolutamente distintas. Enquanto o Colorado vê no duelo com os catarinenses mais uma etapa de preparação para o Mundial de Clubes, o Leão joga uma de suas últimas fichas na luta contra o rebaixamento. E precisa da vitória. Eliminado da Copa Sul-americana após perder em casa para o Goiás por 1 a 0, o Avaí está em profunda crise. Os torcedores manifestaram seu desagrado após a derrota com muitas vaias ao time, que está em 18º lugar no Brasileiro, com 34 pontos, dois atrás do Atlético-MG, o primeiro clube fora da zona de rebaixamento. O zagueiro Emerson, que visivelmente continha as lágrimas ao falar sobre a situação do clube, garantiu empenho total para evitar a queda. “Vamos mostrar que somos guerreiros. Temos que continuar trabalhando. Precisamos de tranquilidade, agora é foco total no Campeonato Brasileiro”, disse. O técnico Vagner Benazzi deu declarações polêmicas, afirmando que, se fosse Celso Roth, escalaria o time do Inter com reservas. Tratava-se de um aviso de que seu time, em situação difícil, não iria aliviar nas divididas, e que seria de bom tom o Colorado preservar.

Técnico Celso Roth aproveita o Brasileiro para testar a força do Inter

Diante do “lanterna”,Furacão mira vaga no grupo de elite O empate do Botafogo no meio de semana é só um dos grandes motivadores para o Atlético Paranaense na partida de hoje, às 18h30 (no RN), na Arena da Baixada, contra o desesperado Grêmio Prudente, pelo Brasileiro. Uma vitória simples, na frente do torcedor que promete lotar o caldeirão, recoloca a equipe rubro-negra no G-4 e mantém vivo o sonho de uma vaga na Libertadores da América 2011. O técnico Sérgio Soares recebeu boas notícias e terá novidades para escalar o time. O meia Branquinho, o zagueiro Rhodolfo e o volante Chico já treinaram com o grupo após um período de molho no departamento médico e

Coletiva de Judas Coletiva (2) O ex-presidente Judas Tadeu confirma a informação de que, tão logo o ABC conclua sua participação na série “C”, o que ocorrerá no próximo sábado ao enfrentar o Ituiutaba no jogo da volta, vai convidar a imprensa esportiva e conselheiros do Alvinegro, para uma coletiva.

Palmeiras vai com equipe B para Goiás

FICHA TÉCNICA

autos &

motores

TODAS AS SEXTAS NA TRIBUNA DO NORTE

devem ir para o jogo. Já o atacante Maikon Leite e o lateral Élder Granja continuam fora. O volante Vitor e o atacante Bruno Mineiro, poupados no início dos trabalhos, ficam à disposição. Quem também está pronto para partida é Guerrón, que na segunda-feira se apresenta à seleção equatoriana. O jogador atribui a boa fase à confiança recebida no Furacão e promete lutar até o fim pela vaga na Libertadores. “Estou ganhando uma sequência de jogo e aumentando meu nível futebolístico. Vamos brigar pela vaga à Copa Libertadores. O Atlético tem time para isso”, garantiu o estrangeiro.

Goiânia (GP) - Semifinalista da Copa Sul-americana, o Palmeiras planeja entrar novamente com a força reduzida no Campeonato Brasileiro. Ainda assim, o Verdão promete uma postura competitiva e digna para enfrentar neste domingo, às 17 horas, no estádio Serra Dourada, o Atlético-GO, um dos que luta contra o rebaixamento à Série B. Para o time de Goiânia, a partida é mais uma decisão. O Atlético-GO iniciou a rodada com 37 pontos, um de vantagem em relação ao Guarani, primeiro integrante da zona da degola. Mesmo com a presença de muitos reservas em campo, o Palmeiras sabe da importância de demonstrar empenho em campo. “Eu não vou entrar de corpo mole nunca. Contra o Guarani, foi o meu primeiro jogo oficial na temporada, era a chance de mostrar o meu trabalho, então joguei tudo que podia”, pondera o goleiro Bruno, destaque o triunfo alviverde no domingo passado na Arena Barueri. Aos jogadores menos badalados do Palmeiras, o jogo contra o Atlético-GO é a oportunidade perfeita para mostrar serviço ao técnico Luiz Felipe Scolari e sonhar com uma vaga entre os titulares. “Nós estamos no Palmeiras e vamos tentar representar o clube da melhor maneira no Campeonato Brasileiro, que é um dos melhores do mundo”, confirma Bruno. A propósito, a opção palmeirense em escalar os reservas já virou tema de discussão na imprensa. No entanto, Felipão considera injusta qualquer tipo de crítica ao Verdão. “As pessoas devem pesquisar o que aconteceu lá¡ atrás, há dois ou três anos. Todos sabem quem já prejudicou quem”, responde o treinador de forma ríspida. Para trazer problemas ao Atlético-GO, o Palmeiras aposta na consistência de sua marcação. No Campeonato Brasileiro, o Verdão tem a segunda melhor defesa ao lado do Cruzeiro, com 34 gols sofridos. A melhor retaguarda pertence ao Fluminense.


esportes 6 | Natal Rio Grande do Norte |Domingo| 14 de novembro de 2010

Único clube a depender apenas de suas forças para conquistar o campeonato, Tricolor enfrenta o Goiás que luta para fugir do rebaixamento. Muricy Ramalho poderá contar com as voltas de Fred e de Deco contra o Goiás [ BRASILEIRO SÉRIE A ]

Flu tenta outro passo rumo ao título FOTOS:WALLACE TEIXEIRA/PHOTOCAMERA

io de Janeiro (GP) - Líder do Campeonato Brasileiro com 61 pontos, o Fluminense tenta dar mais um passo rumo ao título contra o Goiás hoje, às 16h (no RN), no Estádio Engenhão (RJ), pela 35ª rodada da competição. O Tricolor é o único time que depende das próprias forças para erguer a taça, que conquistou apenas em 1984. Além disso, está embalado pela vitória de 1 a 0 no clássico contra o Vasco, no fim de semana passada. Analisando apenas a tabela de classificação, os cariocas não deverão encontrar maiores problemas. Isso porque os goianos foram goleados pelo lanterna Grêmio Prudente, por 4 a 1, na rodada passada e, com 31 pontos, amargam a penúltima colocação. O que pode complicar para os anfitriões é que no meio de semana o Goiás ganhou novo fôlego ao derrotar o Avaí por 1 a 0, em Santa Catarina e avançar para as semifinais da Copa Sul-Americana. O jogo marcou a estreia do técnico Arthur Neto, que substituiu Jorginho, demitido após a goleada no interior paulista. Além do novo ânimo do adversário, o Fluminense deve se preocupar com o histórico do Goiás. No ano passado, mesmo apenas cumprindo tabela, os goianos, na reta final, empataram sem gols com o Flamengo, no Rio de Janeiro, e venceram o São Paulo, em Goiânia (GO), quando os dois rivais eram postulantes ao título. Os flamen-

Duelo para se afastar da “degola”

R

Garantido, meia Deco vai auxiliar Conca na armação das jogadas

Depois de um longo período,atacante Fred volta a sorrir no Tricolor

guistas acabaram sendo campeões. Muricy Ramalho, técnico do Fluminense, vem trabalhando o aspecto psicológico de seus jogadores no sentido de mostrar a eles que é fundamental estar ainda mais atento na reta final do Brasileirão. O treinador considera que as quatro partidas restantes deste Brasileirão terão caráter de decisão para o Tricolor, independentemente do que esteja planejando os adversários. “Nós estamos brigando nesta reta final porque nos preparamos bem para isso e porque temos um elenco de qualidade. Mas não podemos vacilar nessas quatro partidas restantes. Ao que tudo indica o Campeonato Brasileiro desse ano, pelo equilíbrio, será definido apenas na

tacou o lateral esquerda Carlinhos. Para este compromisso Muricy Ramalho ganhou os reforços do volante Diguinho, que cumpriu suspensão contra o Vasco por acúmulo de cartões amarelos, do meia Deco, recuperado de lesão na coxa direita, e do atacante Fred, livre de edema na panturrilha esquerda. Diguinho, porém, pode ficar como opção no banco, com o colombiano Valencia sendo mantido para formar dupla de volantes com Fernando Bob. Deco vai ajudar o argentino Darío Conca na criação de jogadas. No ataque, Fred barra Washington e forma dupla com Tartá. Isso porque Emerson, ainda com dores no tornozelo esquerdo, foi vetado.

última rodada e teremos quatro decisões pela frente. Nosso foco neste momento é o Goiás”, disse Muricy. Os jogadores também preferem manter o foco no time goiano, embora reconheçam que é complicado segurar a ansiedade quando se está na liderança do Campeonato Brasileiro a quatro rodadas do fim. “Claro que existe a ansiedade neste momento, mas precisamos concentrar forças apenas na partida contra o Goiás. Vamos precisar subir um degrau de cada vez se quisermos conquistar o título. O fato de dependermos das nossas próprias forças ajuda bastante, pois não precisamos nos preocupar com nenhuma outra partida que não seja a nossa”, des-

FICHA TÉCNICA FLUMINENSE GOIÁS Ricardo Berna, Mariano,André Luis, Leandro Euzébio e Carlinhos;Fernando Bob,Diguinho (Valencia),Darío Conca e Deco; Tartá e Fred Técnico: Muricy Ramalho

Harlei,Valmir Lucas,Ernando e Marcão;Douglas, Amaral,Carlos Alberto,Marcelo Costa e Wellington Saci;Felipe e Rafael Moura Técnico: Arthur Neto

Estádio: Engenhão (RJ) Horário: 16h (no RN) Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS) Assistentes: Marcelo Barison (RS) e Tatiana de Freitas (RS)

Guarani e Vitória entram em campo hoje, às 16h (no RN), para duelarem entre si e contra o rebaixamento. O Bugre inicia a rodada na 17ª colocação com 36 pontos ganhos e uma vitória no confronto que será realizado no Brinco de Ouro da Princesa pode significar a saída do time do grupo de descenso. Já o Leão da Ilha chega à partida com 38 pontos e quer o triunfo para distanciar-se da zona de risco do Brasileirão. Os donos da casa encaram a partida com atenção especial. Sem vencer há nove rodadas no Nacional, o Guarani busca um triunfo diante de sua torcida para recuperar a confiança e conseguir uma arrancada na fase final do Campeonato Brasileiro. “Precisamos vencer para tirar esse peso das costas. Nenhum de nós imaginava que o Guarani fosse passar pelo que está passando, mas esse é o Campeonato Brasileiro. São quase sete meses de competição e a oscilação é natural”, disse o lateral Apodi. “Estamos precisando da vitória e, se não for na técnica, vai ser na raça”, completou. O técnico Vagner Mancini terá desfalques sérios para a partida diante do Vitória. Baiano e Mário Lúcio estão suspensos.


A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

Em “As cariocas”, Cíntia Rosa é a protagonista do episódio “A internauta da Mangueira”, papel conquistado através de teste

revista da tv

[ PÁGINA 3 ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 14 de novembro de 2010

Rodrigo Penna trocou as câmeras pelas carrapetas. Titular da festa Bailinho, ele parece confortável no papel de DJ e diz não ter planos de voltar a atuar. [ PÁGINA 11 ]

ANTES DO AMANHECER COMO É A ROTINA DE QUEM ACORDA NO MEIO DA MADRUGADA PARA APRESENTAR AS PRIMEIRAS ATRAÇÕES DA PROGRAMAÇÃO [ PÁGINAS 6 E 7 ]

Renata Vasconcellos, do “Bom dia Brasil”, está de pé às 4h30m


Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 14 de novembro de 2010

TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

Fausto diz a Catarina que aceita sua proposta se ela viajar e não contar a ninguém sobre o acordo. Maicon se declara para Babi. Maicon comenta com Duda e Obama que teve a melhor noite de sua vida. Catarina diz para Pedro que quer terminar com ele. Babi diz a Maicon que não sente nada por ele. Catarina destrata Pedro. Fred tenta reconquistar Laura. Pedro decide ir à casa de Catarina para tirar satisfações, quando Fausto diz ao DJ que Catarina viajou com Lúcio.

Pedro vai embora transtornado. Josiane aceita namorar Dodói. Maicon pede Babi em namoro, mas ela debocha de seus sentimentos. Catarina inventa para o DJ que está namorando o amigo de Eric. Lurdes fica feliz pela investigação contra Pedro ter sido arquivada. Lúcio não desmente quando Eric pergunta se ele está com Catarina e os dois discutem. Sérgio ataca Lorelai e Theo sai em defesa da moça. Júlia ouve Lúcio e Arthur dizendo que Theo é inocente no acidente de Fred.

Sérgio e Theo se enfrentam por causa de Lorelai. Júlia liga para Theo e conta sobre a conversa que ouviu entre Lúcio e Arthur. Júlia se vê em meio a uma confusão, corre junto com a multidão e sofre um acidente. Dona Zica chama a ambulância. Cláudia fica chocada ao ver a mãe de seu neto no pronto-socorro. Fred fica nervoso ao encontrar Pedro e Theo no hospital. O caso de Júlia se agrava e os médicos precisam da autorização de Antônio para adiantar o parto do bebê.

Antônio autoriza a cirurgia. Júlia não resiste à cirurgia e Cláudia e Roberto dão a notícia a Fred e Antônio. Ângela e Fausto comentam sobre a necessidade de prender os assaltantes enquanto Pedro e Catarina defendem a necessidade de dar-lhes acesso à educação. Lúcio compara Theo aos menores responsáveis pelos assaltos. Theo teme que a chance de ele provar sua inocência tenha morrido com Júlia. Natália fala para Cláudia que vai levar a filha de Júlia para morar com ela.

Manuela vai embora furiosa. Max desconfia de Amélia ao ouvir uma conversa entre a mulher e Vitor. Solano resolve usar o amuleto. Ele convida Beatriz para jantar. Vitor tenta contar para Solano sobre sua armação, mas o gaúcho não dá atenção. Geraldo vai até o sítio de Padre Emílio pedir esclarecimentos sobre o espetáculo. Manuela reclama com Max por tentar convencêla a voltar com Vitor. Mariquita fica nervosa ao saber que Solano convidou Beatriz para jantar na estância.

Manuela reclama de ter visto Solano com Estela, que tenta conter sua felicidade com o rompimento dos dois. Beatriz agradece pelo jantar e Estela resolve mostrar o restante da casa para ela. Beatriz aconselha Estela a não desistir de conquistar Solano. Mariquita aconselha Beatriz a contar a verdade para Solano. Fred e Janaína passeiam juntos e Nancy discute com a irmã. Beatriz avisa a Lenita e Tavinho que ficará no Araguaia. Estela e Solano passam a noite juntos.

Solano e Estela passeiam na praia. Max sorri orgulhoso ao ver Manuela se entregar ao trabalho para esquecer Solano. Solano mostra seu amuleto para Estela. Aspásia diz que viu um velho índio perto do cemitério. Mariquita aconselha Solano a se afastar de Estela. Amélia chega à estalagem para devolver o celular de Vitor. Ruriá repreende Estela por ter passado a noite com Solano. Vitor e Amélia se beijam. Max vê o carro da esposa parado na estalagem e vai até lá.

Terê impede Max de entrar na estalagem e tem uma visão quando aperta a mão do fazendeiro. Estela amaldiçoa seus ancestrais e Ruriá desmaia em seus braços. Amélia pensa no beijo de Vitor. Amélia chega em casa e Max a aborda. Terê revela para Neca e Pimpinela a visão que teve quando tocou Max e decide não apresentar o espetáculo. Padre Emílio contraria Terê, e Solano afirma que o espetáculo vai acontecer. A trupe do circo volta para o Araguaia.

Padre Emílio apresenta doutor Ricardo para Solano e ele o leva até a fazenda de Max. Manuela pensa em Solano. Ricardo brinca com a veterinária assim que chega na fazenda. Max reclama com Manuela por ter chamado Ricardo para ser médico do posto de Girassol. Marreta ameaça contar que Max mandou atear fogo no circo. Ele entrega o dinheiro que recebeu de Max para Terê e Neca e pede perdão. Solano se incomoda ao ver Manuela chegar de mãos dadas com Ricardo.

Jaqueline pressiona Jacques a demitir Clotilde. Camila confessa que está apaixonada por Luti e Rebeca a apoia. Victor Valentim recebe Suzana no ateliê. Ariclenes fica com ciúmes da relação de Suzana com Valentim. Bruna comenta com Edgar que Marcela está com Julinho e ele vai atrás dela. Júlia visita os netos na casa de Marta. Gabriela some do quarto e Amanda estranha. Jaqueline demite Clotilde. Renato conversa com Marcela no apartamento de Eduardo quando Edgar chega.

Edgar briga com Renato e Marcela fica nervosa. Clotilde garante a Jacques que vai sumir de sua vida. Amanda ajuda Gabriela ao vê-la desmaiada no banheiro. Edgar diz a Julinho que planeja impedir que Marcela se case. Rony entrega croquis horríveis para Ariclenes e se queixa por Valentim mudar seu vestido. Camila se afasta de Luti. Luísa alerta Giancarlo que Edgar tentará impedir o casamento de Renato. Jacques avisa que vai readmitir Clotilde e Jaqueline se revolta.

Giancarlo sugere que Marcela compre um vestido de noiva. Jacques a recebe em seu ateliê. Mabi refaz os croquis de Rony. Jaqueline percebe a tristeza de Marcela. Julinho e Edgar pedem a ajuda de Jaqueline. Ela distrai o segurança de Giancarlo e deixa o caminho livre para Edgar se aproximar de Marcela. Ao entrar no carro, a noiva vê Edgar ao volante. O segurança descobre que Marcela foi raptada e avisa a Giancarlo. Edgar leva Marcela a uma capela e avisa que eles vão se casar.

Marcela e Edgar são abençoados pelo Reverendo Jaime. Renato deixa o cartório humilhado. Jorgito aparece no ensaio fotográfico de Desirée. Dona Mocinha tranca Stéfany na sala onde guarda seu tesouro. Marcela avisa que voltará para se casar com Renato e Edgar não se conforma. Jaqueline confessa para Jacques que ajudou Marcela a fugir. Edgar chega em casa abatido e recebe o apoio da mãe. Marcela procura Renato e afirma que irá cumprir sua parte no acordo.

Renato fica furioso ao descobrir que Marcela passou o dia com Edgar. Suzana janta com Ariclenes e pede que ele se vista de Valentim. Desirée diz a Armandinho que ama Jorgito. Marcela se instalana mansão de Giancarlo com Paulinho. Dona Mocinha solta Stéfany. Desirée faz as pazes com Jorgito. Camila vê Jacques embriagado na rua ao lado de mendigos e filma a cena. Ariclenes recebe o vídeo que Camila fez. O juiz chega à mansão de Giancarlo para casar Renato e Marcela.

Bete explica para Olavo e Clô que não pode vender as ações para eles por causa da divulgação do leilão. Fred ouve a conversa e autoriza o seu investidor a fazer um lance alto no leilão. Felícia fica nervosa por estar sozinha com Gerson. Jéssica convence Clô a contratar Mimi como mordomo da casa. Totó vê Felícia e Gerson se abraçando. Agnello ofende Clara e Totó a defende. André rouba Gerson, que persegue o ex-cunhado e acaba encontrando Danilo.

Danilo não reconhece Gerson e desmaia. O piloto leva o sobrinho para uma clínica de reabilitação. Cavarzere aconselha Totó e Clara a permanecerem mais tempo juntos em casa para que possam convencer a assistente social de que são felizes. Fred teme que não consiga manter Myrna em silêncio. Gerson leva Stela e Sinval para ver Danilo. Jéssica e Agostina procuram Berilo. Gerson diz para Diana que encontrou André drogado. Danilo conta para Stela que brigou com Saulo.

Stela se apavora com o estado de Danilo. Gerson resolve levar Diana até o local onde viu André. Agostina descobre que Dino foi levado da escola pelo pai. Stela afirma para Sinval que Danilo não matou Saulo e ele desconfia. Diogo ameaça fazer mal a Totó e Clara adverte o cantor para se afastar de seu marido. Fred e Olavo disputam as ações no leilão. Felícia chama Totó para conversar sobre Gerson. Bete descobre que não é mais a acionista majoritária da metalúrgica.

Mauro tenta descobrir o nome da empresa que comprou as ações. Fred instrui o investidor para lhe representar na metalúrgica. Felícia pede um tempo a Totó. Guida ajuda Berilo a ver Olavinho. Clara sofre com as ofensas de Felícia. Olavo leva a polícia até o apartamento de Berilo. Melina insiste em saber com Mauro se Diana o procurou. Bete fica arrasada ao ver Danilo. O investidor explica a Mauro e Bete que eles não poderão saber o nome do dono da empresa que representa.

Totó se irrita com Diogo. Bete e Mauro desaprovam as regras impostas pelo representante de Fred. Danilo afirma ao tio que matou Saulo e ele fica preocupado. Stela garante a Gerson que não foi Danilo que matou o pai. A assistente social vai à casa de Totó e acredita na felicidade do italiano ao lado de Clara. Cris pensa em uma forma de livrar Diana da chantagem de Melina. Berilo sequestra Jéssica. Melina implora para ficar com Mauro. Totó pede a Clara que não vá embora.

Karina chora ao lembrar que Tito está casado com Filomena. A patricinha liga para o senador e os dois marcam de se encontrar. Diana diz a Arminda que contou para Joca que ela ficou triste depois do casamento. Arminda coloca a adolescente de castigo. Tito aceita que Filomena participe da caminhada. Virgílio manda Iara observar se vai rolar alguma coisa entre Tito e Filó.

Tito resolve seguir por outro caminho com Filomena. Ela fica constrangida. Lílian diz a Nicolau que não aguenta mais ser maltratada por ele. O senador a agarra na sala de Lincon. Filomena e Tito chegam ao acampamento. Diana avisa Joca que Arminda não está legal. Tito diz a Filomena que acha melhor ela descansar mais um pouco. Exausta, Filomena diz a Newton que não consegue mais continuar.

Iara trata o pé de Filomena e lhe empresta uma meia. Tito fica impaciente. Ari diz a Arminda que sempre foi a favor do resort, mas que agora está confuso, pois seu adversário é dono do empreendimento. Sônia e André se curtem. Ajuricaba encontra Sérgio na praça e ele diz que deixou Sônia no colégio. Arminda revela a Joca que o prefeito lhe pediu propina e diz que não sabe o que fazer.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

SEGUNDA

SÁBADO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

MALHAÇÃO ID Catarina leva Ângela para contar a seu pai sobre a autoria do blog, mas ele continua culpando Pedro. Lurdes volta a passar mal. Catarina pede a Cláudia para convencer Fausto a não processar Pedro. Geraldo pede a Pedro para não deixar que seu namoro afete a saúde de Lurdes. Duda fica aflita com as investidas de Rose. Uma tempestade deixa Babi e Maicon presos na Caldeira. Catarina propõe terminar o namoro com Pedro, se Fausto retirar o processo contra ele.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

ARAGUAIA Solano disfarça a tristeza ao ver Manuela partir com Vitor. Aspásia entrega para Solano o antigo caderno de receitas de Antoninha. Padre Emílio sugere que a renda conseguida com o espetáculo seja doada a Solano para pagar sua dívida com Max. Solano termina de ler o caderno e fica impressionado. Estela sugere a Solano que os dois deixem o Araguaia. Fred incentiva Manuela a reatar seu namoro com Solano. Estela se declara para Solano e Manuela vê a cena.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

TI-TI-TI Edgar não se conforma com a decisão de Marcela de se casar com Renato e procura Giancarlo. Jaqueline não tem coragem de entrar no apartamento de Clotilde. Suzana conta para Ariclenes que a Moda Brasil está salva e pede para entrevistar Valentim no ateliê. Marcela vai embora da mansão dos Sampaio e promete voltar para Edgar em um ano. Marcela pede abrigo para Eduardo e Julinho. Edgar afirma para a mãe que não deixará Marcela se casar com Renato.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

PASSIONE Totó se afasta de Clara, arrependido de beijá-la. Felícia diz a Candê que não vai proibir Fátima de se encontrar com Sinval. Olga fica irritada ao desconfiar que Diogo está apaixonado por Clara. Candê consegue a guarda de Cridinho e Amendoim. Fred abre uma empresa no exterior e diz ao investidor que compre todas as ações da metalúrgica. Talarico e Olga se beijam. Fátima estimula Felícia a andar de carro com Gerson no autódromo. Sinval anuncia que vai se casar com Fátima.

RIBEIRÃO DO TEMPO

TV Tropical – Canal 8

2

Joca sai da festa chateado e vai beber cachaça. Sônia e André se beijam. Tito explica a Filomena que colocou duas camas de solteiro no quarto para deixá-la mais à vontade. Ela disfarça a frustração. Arminda lembra de Nicolau anunciando o casamento deles e joga um objeto contra a parede. Filomena veste uma camisola sensual e se depara com Tito dormindo. Romeu e Alfredo levam Joca em casa.

Clorís pergunta a Filomena se ela dormiu bem e ela mente que sim. Joca diz a Léia que vai investigar o atentado contra ele. Ellen mostra a Patrícia um convite do Comando Invisível para uma manifestação contra o resort. Joca entra sem ser visto no casarão de Flores e grampeia os fios da caixa de telefonia. Diana conta a Joca que viu Arminda chorando e afirma que é dele que a executiva gosta.


revista da tv

Domingo | 14 de novembro de 2010

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 3

ZEAN BRAVO

triz desde os 9 anos, Cíntia Rosa já passou da fase de ser apontada como uma revelação. Com passagens pela TV, teatro e cinema, a moradora do Vidigal e integrante do grupo Nós do Morro é a primeira a reconhecer que agora, aos 30, encarou seu mais importante personagem no vídeo, na série “As cariocas”. Protagonista do episódio “A internauta da Mangueira”, no ar nesta terça-feira, após o “Casseta & Planeta, urgente!”, na Globo, ela foi a única estrela do programa — que traz em seu elenco nomes de peso como Fernanda Torres, Paola Oliveira, Alinne Moraes e Sonia Braga — a ser avaliada antes de levar o papel. — Sou atriz há anos, mas não vejo o menor problema em ser testada. Quando cheguei para fazer o meu, tinham outras três meninas lá. Foi tudo muito rápido — explica Cíntia, irmã da também atriz Sabrina Rosa: — Ela já tinha trabalhado com a Cris D’Amato, que dirigiu as minhas cenas. Depois de um tempo, as pessoas acabam conhecendo nosso trabalho e acho que isso ajudou. Idealizada por Daniel Filho e baseada na obra de Sérgio Porto, “As cariocas” traz Cíntia em seu primeiro papel central na TV. Na história desta semana, ela é Gleicy, uma fogosa mulata casada com Armando, personagem de Eduardo Moscovis, de volta ao vídeo depois de um longo hiato. — Gleicy é bem casada e ama o marido, que é ciumento e pede para ela trabalhar em casa. A personagem digita teses para amigos, mas não usa o computador só para esse fim... — entrega. Apesar de ser louca por Armando, um flamenguista roxo, Gleicy adora se exibir para outros marmanjos na web. — Ela é glamourosa, mas não trai o parceiro. Só quer se sentir bonita. É o fetiche dela, o que aquece seu casamento. Depois de desligar o computador, Gleicy vai para a cama com o marido. Namorada do ator Jonathan Haagensen, a atriz sabe que sua personagem pode levantar uma polêmica: afinal, traição virtual pode ser considerada como uma pulada de cerca?

A

BATALHA VENCIDA

TV GLOBO/DIVULGAÇÃO

ÚNICA PROTAGONISTA DE ‘AS CARIOCAS’ QUE FEZ TESTE PARA O PAPEL, CÍNTIA ROSA ESTRELA EPISÓDIO PICANTE AO LADO DE DU MOSCOVIS

A atriz começou aos 9 anos: integrante do grupo Nós do Morro, ela também está em cartaz no cinema e integra projeto musical

FÁBIO ROSSI

Como Gleicy,ao lado de Eduardo Moscovis,no capítulo “A internauta da Mangueira”: no ar nesta terça-feira

— Traição para mim é contato físico, beijo na boca. Se bem que, dependendo da intenção, o que você faz na internet também pode ser visto dessa forma — pondera. A série também representa a estreia de Cíntia num papel mais sensual. Gleicy, a internauta exibida, usa pouca roupa para seduzir. — Ela tem um furacão interno e eu me senti tímida ao gravar as cenas mais ousadas. Nunca tinha feito nada do gênero. Mas o fato de ter sido dirigida por uma mulher me ajudou — conta. Em cartaz nos cinemas com o longa “A suprema felicidade”, Cíntia surgiu recentemente na tela grande em “5 x Favela — Agora por nós mesmo”, fita que a levou até ao Festival de Cannes. — Minha estreia no cinema foi em “Como ser solteiro” (de 1998). Também fiz um papel pequeno em “Cidade de Deus” (2002), mas participei de todo o processo de preparação de atores — recorda a atriz, que destaca em seu currículo “O maior amor do mundo”, de Cacá Diegues: — Tenho duas cenas ótimas neste trabalho. E o Cacá é muito querido, já me indicou para várias outras coisas. A atriz será vista ainda no começo do ano que vem no longa “Bróder”. E está no elenco de “Vamos fazer um brinde”, projeto da sua irmã, Sabrina. As duas também são parceiras na banda Linda Flor, que forma o coletivo Melanina Carioca, que engloba outros dois grupos. Já na TV, Cíntia dá as caras desde 2002, quando atuou na série “Sandy & Junior”. De lá para cá, coleciona passagens por atrações como “Cidade dos homens”, “Faça a sua história” e “A vida alheia”, também da Globo, e a novela adolescente “Alta estação”, da Record. — Sou parecida com minha irmã e, sempre que eu ou ela estamos no ar, somos confundidas. Sabrina tem uma filha (Letícia, de 7 anos). Já passaram a mão na minha barriga no começo da gravidez dela pensando que éramos a mesma pessoa — lembra Cíntia, que não tem pressa para casar com Haagensen. — Somos amigos de infância e namoramos um pouquinho quando éramos mais jovens. Estamos juntos há quatro anos e agora nos reencontramos adultos e resolvidos — destaca.


4

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Até os fãs mais saudosos de “Família Soprano” estão elogiando “Boardwalk empire”, a nova série mafiosa da HBO.

SERIAIS

Domingo | 14de novembro de 2010

“The event”prometeu,mas não está cumprindo.A série de mistério do Universal Channel anda sem pé nem cabeça.

LÍVIA BRANDÃO - TATIANA CONTREIRAS

Era uma vez uma série...

E o episódio mais recente de “Glee”, exibido nos EUA,teve o primeiro beijo gay da série. Não vamos spoilar porque a segunda temporada estreia aqui sabe lá quando,mas Kurt (Chris Colfer) faz parte.

»NÃO CHOREM

O Disney Channel cancelou “Jonas LA”, série estrelada pelos Jonas Brothers.Nick, Kevin e Joe Jonas viviam três rapazinhos que conciliavam música,estudos e vida pessoal.Tchau,meninos.

MAIS-MAIS

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Q

»BESAME MUCHO

uando a Seriais conversou com Esai Morales,um dos protagonistas de “Caprica”, há quase um mês,o ator ainda tinha esperanças de que a série fosse renovada para uma outra temporada. Pobre Esai:não foi dessa vez,amigão. Exibida por aqui pelo Sy Fy (segundas, às 22h),a atração foi sumariamente cancelada lá fora — em tese,para abrir espaço para outro spin-off de “Battlestar Galactica”, ícone do gênero aqui,ali e em todo lugar. Na falecida série,ambientada 50 anos antes de “BSG”,Morales vive Joseph Adama.O advogado é pai de William Adama,futuro comandante da nave Esai Morales (terceiro à direita) queria continuar no ar com “Caprica” Galactica.O piloto do novo spin-off,que começa a ser gravado ano que vem e vai se chamar “Battlestar Galactica:Blood & chrome”,também é um epílogo.Concebida como um “Sou papi de uma beleza de criatura”, conta o ator,em seriado para a internet,foi puxada para a TV diante da baixa bom português — ,Esai também ficou conhecido por audiência de “Caprica”e vai mostrar a rotina do jovem sua participação em “Jericho”. Empolgado com “Caprica”, o William. — “Caprica”é para pessoas que querem ir além da ator diz que enxerga semelhanças entre seu núcleo e a superfície.E não é fácil fazer um programa cuja gênese está população latina nos Estados Unidos.— Os Adama conectada a um dos seriados mais icônicos da TV — representam a história dos imigrantes.E nós,latinos, explica Morales,por telefone,a jornalistas da América estamos cansados de ser vitimizados — compara Latina.— A série não é sobre tecnologia.É uma alegoria:o Morales,que,à época,disse que rezava pela renovação que você busca pode te alcançar antes. da série:— Nós queremos continuar! Casado com uma brasileira e pai da pequena Mariana — Ai,tadinho...

Sem paranoia com a chegada do verão,a lista da semana homenageia os gordinhos mais carismáticos da TV. 1.“Mike & Molly”.A série ganhou o subtítulo“Um casal de peso”no Brasil.Mike é um ex-policial que está doido para se acertar com a balança e a professora Molly convive bem com os quilos a mais 2.“Drop dead diva”.Uma modelo magrela partiu dessa para uma melhor,mas...Voltou encarnada no corpo de Jane,uma advogada gordinha,sim,e daí? 3.“Glee”.Mercedes não está nem aí para os comentários.Veste roupas ousadas,já foi cheerleader e até pegou um dos caras mais pop do colégio. 4.“Lost”. Hurley era o típico gordinho gente boa,dude! 5.“Huge”. São oito adolescentes mandados a um acampamento-spa para perder peso.

E AINDA • VEM MAIS ZUMBI POR AÍ: O sucesso de “The walking dead” tem sido tão grande que o canal americano AMC já confirmou a segunda temporada da série.Miooolos.... • BOMBANDO! Fique de olho nas participações em“The good wife”:Michael J.Fox marcou presença,e Leelee Sobieski também vai aparecer.Em breve por aqui.

CANAL BRASIL/JULIANA TORRES

ENTREVISTA COM OS VIZINHOS THAÍS BRITTO

apo vai, papo vem entre a apresentadora Simone Zuccolotto e o ator Paulo José quando, de repente, o gatinho Branco irrompe o cenário e posiciona-se estrategicamente entre entrevistadora e entrevistado. A reação? Os dois fazem carinho no bichano e a conversa continua. O clima descontraído é um dos trunfos do novo formato do “Cinejornal”, programa do Canal Brasil que acabou de ganhar uma repaginada em seu aniversário de 10 anos. Mais aprofundadas, as conversas

P

Paulo José e Simone Zuccolotto em companhia do gatinho Branco

“CINEJORNAL”, PROGRAMA DO CANAL BRASIL ACABOU DE GANHAR UMA REPAGINADA EM SEU ANIVERSÁRIO DE 10 ANOS agora ocupam um tempo maior na atração. Nas próximas duas semanas, os convidados são Selton Mello e Paulo José. Amigos e vizinhos no mesmo condomínio na Gávea, os dois estiveram juntos,

no início do ano, nas gravações de “O palhaço”. O filme é a segunda empreitada de Selton Mello na direção de longas e um dos assuntos da primeira conversa que vai ao ar no sábado, às 20h30m. Ele fala também sobre um projeto ainda secreto de estrear na direção de TV. — O que posso dizer é que será uma comédia com Guel Arraes e Cláudio Torres, na qual vou atuar e fazer parte da equipe de diretores — conta o ator. Já o bate-papo com Paulo José será exibido no dia 27. Em sua casa, os vários gatos dividem es-

paço com Pina Bausch, uma enorme e dengosa cadela da raça labrador que o ator ganhou de presente de Mello. Simone Zuccolotto ainda chegou com mais dois mimos enviados pelo vizinho: uma miniatura do sapato de palhaço usado por Paulo José no filme, além de um CD com fotos da produção. — Foi ótimo trabalhar com o Selton. Nunca tínhamos feito nada juntos — celebrou o ator, que também fala sobre seu processo de escolha de personagens, sua relação com o mal de Parkinson e o desejo de fazer um filme gaúcho.


revista da tv

Para “Clandestinos — O sonho começou”, programa excelente derivado da peça de teatro de João Falcão.O texto e a direção são ótimos e o fato de a série apresentar novos talentos para o público de televisão,uma outra grande qualidade.

Para a Record,que vem dedicando parte de sua programação dominical a mostrar os participantes eliminados de “A fazenda”atravessando uma passarela em troca de alguns trocados.Isso cercado de muito “suspense”. É chaaaaato...

10

0

CONTROLE REMOTO MARCELO CORREA

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

»BATUCADA

MARCELO CORREA

Domingo | 14 de novembro de 2010

Em ritmo de folia,Nando Cunha,o Palhaço Pimpinela de “Araguaia”, posa para o Ego (www.ego.globo.com) na quadra da Unidos de Vila Isabel,escola em que ele desfilará em 2011.Além de carnaval,ele falou sobre carreira e preconceito.“O ator é incolor”, diz.

ELIZABETE ANTUNES (INTERINA)

10

RODRIGO BARROS GUIMARÃES: Para “Passione”e “Ti-ti-ti”, duas novelas envolventes e emocionantes da Globo.Dá gosto assistir.

0

Para os programas de quiz e venda de joias exibidos sempre na CNT.Todos são chatos, cansativos.Além disso,a emissora apresenta muitas falhas técnicas.

CRÍTICA ARTECHE EM ‘TI-TI-TI’

10 0

»BELA

Capa da“Cabelos & Cosméticos”,Christine Fernandes diz que,para ficar em forma, pratica muay thai e dá“uma corrida na areia da praia de vez em quando”.

10 0

FRANCISCA HOLANDA SILVA: Para a cena em que Melina humilha Diana e a faz desistir de se casar com Mauro,em “Passione”. Mayana Moura estava perfeita. Para a ridícula invasão ao ateliê de Jacques Leclair (Alexandre Borges),em “Ti-ti-ti”, novela das 19h da Globo.O costureiro não merecia isso. MARCUS VINICIUS CARVALHO: Para Flávio Migliaccio,que interpreta o personagem Fortunato em “Passione”.Vale a pena cada cena com o ator. Para Diana (Carolina Dieckmann) em “Passione”. Não dá para acreditar que uma moça chore desse jeito e desista do seu amor assim nos dias de hoje. ARQUIVO PESSOAL

»TADEU EM MARCHA

Tadeu Schmidt será homenageado por uma das marchinhas do concurso da Fundição Progresso.“Bola cheia e bola murcha na folia” é o nome da canção,cujo refrão diz:“Tadeu tá vendo e no ‘Fantástico’vai ao ar”

DUPLA Dupla de “Poder paralelo”, Ignácio Coqueiro e Lauro César Muniz vão voltar a trabalhar juntos na Record.

NOVELA Ana Rosa foi convidada para o elenco da novela de Walcyr Carrasco dirigida por Rogério Gomes.

HONOLULU Masi Oka,ator de “Heroes”, fez uma participação em “Hawaii five-0”.Vai ao ar na quarta-feira no Liv.

NA INTERNET Mesmo fora do ar,Jorge Kajuru é um sucesso de audiência na internet.O site dele alcançou 1 milhão de acessos nos últimos três meses.

PILOTANDO Já foram gravados quase 40 pilotos para o novo “Saia justa”, mas até agora o elenco definitivo não foi escolhido.

FILMES O GNT terá uma faixa de filmes diária no horário nobre a partir de 2011.A princípio, eles serão legendados.

M

arcelo Faria,que acabou de fazer “Escrito nas estrelas”, viajou de férias assim que a novela das 18h terminou.Ele e a mulher,Camila Luciolla,que está grávida de seis meses,visitaram Paris e Roma (na foto).Depois,ainda esticaram a viagem até Nova York para comprar o enxoval de Felipa,nome que escolheram para o bebê.O ator diz que está ansioso para o nascimento da primeira filha.E que pretende filmar o parto. — Estou muito feliz,feliz mesmo,curtindo cada etapa da gravidez da Camila — derrete-se ele, que estará em cartaz com a peça “Dona Flor e seu dois maridos”, dia 19 de novembro,em Porto Alegre.— Será uma turnê de um mês — avisa o futuro papai.

Enquanto as discussões sobre beijos gays nas histórias das 21h continuam rendendo,olha a surpresa:é justamente na novela das 19h,“Ti-ti-ti”, que um personagem homossexual surge mostrado de uma maneira 100% natural,sem caricatura ou dramas exagerados.Falo de Julinho,papel de André Arteche.O ator era o Indra em “Caminho das Índias”, indiano que não resistia aos encantos da vizinha mais velha e matadora,a Norminha (Dira Paes). Foi uma bela estreia.Agora,na novela de Maria Adelaide Amaral, com um personagem totalmente diferente,ele também está acertando em cheio. Julinho é gay,mas não uma caricatura.Caricatura é Jacques Leclair (Alexandre Borges),que não é gay.Julinho teve um grande amor, Osmar,morto num acidente de carro.A família do rapaz, conservadora,demorou a saber a verdade.Quando descobriram,o conflito explodiu,e ele acabou expulso pela “sogra”,Bruna (Giulia Gam).Tudo tratado de uma maneira bem realista,emocionante,e até bem romântica porque o rapaz está prestes a encontrar um novo amor. Se Arteche não fosse um ator de tanto talento,poderia ter se limitado a fazer escada para Ísis Valverde,Marcela,a mocinha. Julinho é apenas seu melhor amigo,então aparece muito em cena com ela,que tem mais importância na história.Mas o ator construiu um tipo irresistível. Seria injusto não atribuir este êxito também à direção de Jorge Fernando.A comédia prevalece em “Ti-ti-ti”, que é uma produção das 19h,alegre,leve etc.Mas Julinho é uma das amostras de que dirigir bem é também conhecer uma diversidade de tons.E o diretor conhece.

5


revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte ANA BRANCO

Domingo | 14 de novembro de 2010

HUDSON PONTES

Gustavo Marques (de gravata): banho gelado para chegar na Record

NATALIA CASTRO

ntes do dia raiar, Renata Vasconcellos já está de pé. Seu despertador toca às 4h15m, e ela, imediatamente, pula da cama. O tempo que tem é curto: uma hora depois precisa estar nos estúdios da TV Globo, no Jardim Botânico, onde apresenta o “Bom dia Brasil” diariamente. Há oito anos no comando do jornalístico, ao lado de Renato Machado, ela diz que já se adaptou à rotina. — Assim que acordo, tomo um banho e me arrumo. Enquanto me maquio, já ligo o rádio para ouvir as primeiras notícias. Sou a última a chegar na emissora, mas já vou pronta — explica Renata, que não dispensa os retoques na maquiagem nos intervalos da atração, que começa às 7h15m. Tarefa cumprida, a apresentadora, enfim, consegue um tempo para tomar o café da manhã e, antes de voltar para casa, por volta das 12h30m, se reúne com a equipe para a reunião de pauta e adianta matérias para o dia seguinte. Mãe de dois filhos, Antonio, de 11, e Miguel, de 9, Renata conta que é impossível dormir cedo. Por isso, gosta de descansar no meio da tarde. — É fundamental para eu encarar bem a segunda etapa do dia — diz a jornalista, que, à noite, vai se deitar às 23h, só depois de ajudar as crianças com os deveres da escola e de jantar com a família reunida: — Sou rígida e coloco os meninos para dormir às 22h, senão eu ia até a madrugada. No entanto, Renata afirma que não deixa de ir a compromissos quando está a fim: É claro que a gente fica mais restritiva. Sou bem caseira, mas vou ao cinema e encontro os amigos quando quero. Eu optei por não deixar de viver. Às vezes, quando durmo pouquíssimo, o corpo cobra, mas tento compensar. Assim como a jornalista, outros profissionais que levantam cedo recorrem a diferentes métodos de organização. Mas, entre eles, há uma coisa em comum: o pesadelo de perder a hora. Ana Luiza Guimarães, do “Bom dia Rio”, prefere não arriscar. No ar às 6h25m, ela sai da cama às 3h45m e chega na Globo meia hora depois. Para não perder o ritmo, ela se deita, pontualmente, às 20h. — Novela das oito não existe para mim — lamenta. — E ameaço de

A

À frente do “Bom dia Brasil”, Renata Vasconcellos gosta de descansar à tarde TV GLOBO/JOÃO MIGUEL JR.

Ana Luiza Guimarães, do “Bom dia Rio”: na cama às 20h

Ana Maria Braga, no “Mais você”: dois relógios e um celular para acordar

APRESENTADORES DE PROGRAMAS MATINAIS REVELAM COMO A ROTINA DE TRABALHO INTERFERE NA VIDA QUE LEVAM FORA DOS ESTÚDIOS — Lá pelas 7h, a minha equipe se reúne comigo no camarim, onde afinamos o programa. Por ser ao vivo, mudamos constante mente em decorrência dos fatos do dia a dia — explica Ana, que só deixa o trabalho por volta das 18h: — Quando consigo um tempinho vou até caminhar na praia. Logo após a exibição de “Passione”, Ana Maria corre para debaixo do cobertor. Para ela, disciplina é fundamental: Por estar há muitos anos nessa rotina, as pessoas com quem me relaciono sabem dos meus horários. Quando tenho um compromisso que vai até mais tarde, descanso o que posso e procuro compensar depois. Já Keila Lima, do “Manhã maior”, no ar às 9h na RedeTV!, afirma que o horário nunca foi um grande problema, mesmo quando dorme apenas duas horas por

É HORA DE

morte quem me ligar depois desse horário (risos) — exagera. Desde que assumiu a bancada do noticiário há cinco anos, Ana Luiza viu sua vida virar do avesso: Raramente eu saio. Porque não é sair, voltar e dormir. Tenho que entrar no clima do sono. Às 18h30m já inicio os trabalhos. Para a apresentadora, o horário de verão é um fator que complica ainda mais a situação. — Quando coloco a camisola, o dia ainda está claro. É difícil para o corpo se acostumar a dormir com a luz lá fora — conta Ana Luiza, que não tem trégua nem nos finais de semana: — Se saio na sexta, acabo ficando 24 horas acordada. Se tento dormir à tarde, acabo emendando. No sábado, consigo aproveitar, mas, no domingo, já estou tensa, querendo dormir cedo para não sair do ritmo. Algumas pessoas me perguntam se venho trabalhar virada. É impossível, não pelo rosto acabado, mas pela cabeça. Sem condições. Para não chegar em cima da hora para fazer o “Mais você”, Ana Maria Braga lança mão de dois despertadores e um celular. Ela consegue esticar o sono até as 5h. Mas não passa disso. Afinal, às 6h já está no Projac para se preparar para a atração, que começa por volta das 8h15m.

DESPERTAR

6

No “Manhã Maior”, Keila Lim camarim e Daniela Albuquerque m


Domingo | 14 de novembro de 2010

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte DIVULGAÇÃO/SBT

FÁBIO ROSSI

REDETV!/WAYNE CAMARGO

ma (de calça) cochila no alha antes do trabalho

noite. No seu caso, sem dramas. — Meu namorado é quem fica dizendo que tenho que relaxar, que devo tomar complexo vitamínico, porque dormir tão pouco não faz bem. Mas não consigo. Nas duas primeiras semanas de trabalho até tive alguma dificuldade. Agora, acostumei. Não vejo desvantagem alguma em trabalhar a essa hora. Haveria se eu tivesse sono. Sua única preocupação é em relação ao trânsito. Moradora do ABC paulista, Keila sai às 4h45m para não pegar engarrafamento ao longo dos 50km que separam sua casa da emissora, localizada em Barueri. Normalmente, como chega em quase 40 minutos, aproveita para dar uma cochilada no camarim. — Enquanto estou sendo maquiada, também durmo um pouco — revela. Sua companheira de programa, Daniela Albuquerque, já está de olhos fechados às 22h. Tudo para não perder a ginástica que faz diariamente, às 6h, antes de ir para a RedeTV!: Se eu não malhar antes, não é a mesma coisa. Não posso aparecer na TV com cara de quem acordou naquela hora ou dormiu mal. Para se sentir bem no comando do “RJ no ar”, que é exibido às 6h45m, na Record, Gustavo Marques desenvolveu um método próprio — e corajoso! Assim que se livra dos lençóis, ele toma um banho geladíssimo, daqueles que começa ao poucos, molhando a nuca para se acostumar com a temperatura da água. Quando sai do chuveiro, toma um café e está pronto para pegar no batente. — É uma forma que adotei para acordar de vez. E me deixa bem disposto — garante. Marques também tem a sorte de contar com um despertador especial: a mulher, a repórter Vivian Carvalho, que trabalha no mesmo horário e na mesma emissora. — Ela levanta antes para se arrumar e fica me cutucando até eu sair da cama — admite ele. O maior problema para o apresentador começa na noite anterior. Sem o costume de dormir cedo, Marques vê televisão até tarde: Assisto a documentários ou musicais até fechar os olhos. À tarde, até tento me ocupar para não dormir, porque o sono da noite é uma meta. Segundo o apresentador, é possível se adaptar, mas nunca se acostumar a acordar antes do amanhecer. — Não adianta. Fomos feitos para dormir à noite — finaliza.

DIVULGAÇÃO/GLOBO NEWS

Guilherme Cardoso (à direita.),do“Jornal Globo News”, sai da cama às 14h.Hermano Henning e Analice Nicolau,do“Jornal do SBT”,deixam o estúdio por volta das 2h30m

Comando da madrugada Enquanto a maioria dorme,eles estão a mil por hora.Se os apresentadores da manhã se empenham em levantar cedo da cama,os que trabalham na madrugada precisam manter um ritmo de vida completamente diferente.Suas manhãs se transformam em noites e vale tudo para se manter aceso no ar. Alguns não precisam se esforçar tanto, como Christiane Pelajo.Notívaga,ela diz que não se incomoda nem um pouco com a rotina fora do habitual.Desde 2004 dividindo a bancada do “Jornal da Globo” com William Waack,a jornalista chega na emissora às 16h30m para participar de reuniões de pauta.Depois,janta,se arruma e,quando o “Jornal Nacional” começa a ser exibido,ela já está a postos. — Temos que estar preparados caso aconteça algo urgente — explica ela,que só entra no ar por volta da meia-noite:— Não sou de dormir muito,vou deitar às 3h e acordo às 9h30m.Desde nova,sempre preferi fazer minhas coisas à noite.Sinto que rendo melhor. Segundo Christiane,o horário incomum também não atrapalha em nada o casamento de um ano e meio com o economista Fernando Sita. — Ele me espera acordado numa boa,já me conheceu assim,né? (risos). Além disso,a noite de São Paulo começa bem tarde — diz a apresentadora,que deixa a emissora por volta de 1h30m da madrugada. Já Guilherme Rios Cardoso nem pode pensar em sair. No comando do “Jornal Globo News”, exibido de hora em hora pelo canal por assinatura, ele passa a madrugada inteira em frente às câmeras. Quando chega em casa, revela que precisa de um verdadeiro esquema tático para conseguir relaxar em plena luz do dia. — Coloquei insulfilm e blecaute na janela.Além disso,uso máscara de dormir e algodão nos ouvidos,e ligo o ventilador

TV GLOBO/ZÉ PAULO CARDEAL

Christiane Pelajo,do “Jornal da Globo”, diz que rende melhor à noite e que o marido a espera chegar do trabalho

para desviar minha atenção do barulho externo.Mas não é a mesma qualidade de sono — analisa Cardoso,que levanta por volta das 14h.Às 20h,deita de novo para mais um cochilo de uma hora. — Meu dia começa quando acordo.Tomo café da manhã às 16h (risos).Atualmente, estou finalizando um mestrado e,para conseguir estudar e me sentir bem à tarde,comecei a meditar.É bom para a concentração — ensina. Para Analice Nicolau,é um esforço estar

7

de pé diariamente às 7h para ir à faculdade,onde cursa o segundo ano de Jornalismo.É que a apresentadora sai do estúdio por volta das 2h30m,depois de deixar gravado o “Jornal do SBT”, que só entra no ar às 4h. — Sempre gostei de acordar cedo,tipo 6h30m. Agora,não dá mais.Na faculdade, sei que fico devendo no rendimento,mas tento compensar estudando na parte da tarde — conta ela,que reserva uma hora desse tempo também para descansar:— Sempre falo para ninguém me ligar,que estou no meu momento de beleza. Preocupada de verdade com o visual, Analice tem cuidados extras com a alimentação: — É provado que quem come tarde engorda mais facilmente, principalmente mulheres. Então, levo meu jantar para a emissora. Às 21h, faço a última refeição do dia. Moradora de São Paulo, a apresentadora diz que o casamento à distância com o empresário Otavio Minotto, que vive em Florianópolis, acaba facilitando a rotina invertida: — Se a gente morasse junto,quase não nos veríamos.Assim é bom,cada um faz suas coisas,batalha pelo seu espaço e,nos finais de semana,nós nos encontramos sem problemas. Ao seu lado na bancada,o jornalista Hermano Henning já se acostumou com a situação.— Quando eu era correspondente da Globo em Nova York, tinha que acordar muito cedo.Depois,na Europa,já era mais tarde.Minha vida sempre foi caótica — diverte-se. Há quatro anos no jornalístico,Henning revela seu segredo para não dormir no ponto:toma refrigerante para despertar. E,quando volta para casa,pega no sono às 4h e levanta às 8h: — Outro dia Silvio Santos me perguntou quando é que eu dormia.Eu brinquei, dizendo que nunca.


revista da tv

8 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

A elegante rainha da Jordânia é o destaque do documentário “Rania — A rainha da internet”, amanhã,às 21h30m no GNT.O programa mostra como a nobre faz sucesso na rede.

»ATENÇÃO,CRIANÇADA!

Essa é para não sair do sofá.Na sexta,às 17h,começa o “Final de semana Pokémon”, no Cartoon Network.A maratona continua no sábado,às 15h e no domingo,dia 21,às 11h.

O QUE VEM POR AÍ

»COMO UMA ONDA

Já no clima do verão,o surfista catarinense Teco Padaratz conversa com Funérea sobre como é a vida em cima de uma prancha.No “Infortúnio”, na terça,às 0h15m,na MTV.

NATÁLIA CASTRO GNT/DIVULGAÇÃO

» CONEXÃO FINA

Domingo | 14 de novembro de 2010

FOTO DE ARQUIVO

»DE CRIANÇA PARA CRIANÇA

Nanda (Manoela Ferreira),Zé (Gustavo Daneluz) e Chico (Guilherme Seta) são os protagonistas de “Esconderijo secreto”, que estreia amanhã no Discovery Kids.Com dois minutos de duração na programação,a série tem como objetivo explicar conceitos do mundo real por meio do universo infantil.

»CADA MERGULHO É UM FLASH

Responsável por inúmeros cliques em páginas nacionais e internacionais,o fotógrafo brasileiro Bob Wolfenson recorda os momentos (e imagens) mais importantes de sua carreira no “Foto em cena”, quinta,às 20h15m no Canal Brasil.

»PÉS DESCALÇOS

rimeira mulher a se tornar membro da Academia Brasileira de Letras, a cearense Rachel de Queiroz é considerada um dos grandes expoentes da nossa literatura. Autora de mais de 20 livros e contemplada com o prêmio Camões em 1993, Rachel completaria 100 anos na próxima quarta, data em que é

P

C E NA V I R T UA L þ

homenageada pelo canal Globo News. No dia de seu aniversário, ela é tema de uma edição especial do “Arquivo N”, às 23h, totalmente dedicado à sua trajetória pessoal. Na sexta, é a vez das obras da escritoras serem revistas e analisadas no “Espaço aberto — Literatura”, às 21h30m.

DIVULGAÇÃO/MULTISHOW

Daniele Suzuki volta a viver experiências inovadoras na segunda temporada de “Pé no chão”, que estreia na quinta,às 22h30m,no Multishow.Em dois destinos completamente diferentes,ela desvenda novos hábitos e costumes e faz descobertas em cada região.Dani vai para o outro lado do mundo e desembarca no Japão,sua primeira parada,onde passa por todas as etapas necessárias para se tornar uma legítima gueixa (foto).Na volta para o Brasil,a apresentadora para na Ilha de Marajó,no Pará,onde conhece um vilarejo e monta em búfalos.

DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET

Gozado.“Tudo que você mais gosta,tudo que você mais quer”. As chamadas do Pintos Shopping, em Teresina,com Reynaldo Gianecchini viraram hit na web.

þ

Tão -balalão Quando ouviu o alto valor arrecadado no Teleton,Hebe se jogou no chão de felicidade.E ainda foi carregada por Celso Portioli e Silvio Santos.

þ

Palavra “Lady Gaga não estar aqui hoje,mas deixou esse vestido no refrigerador de seu camarim”, disse Eva Longoria, com fantasia de presunto no EMA’s.


revista da tv

Domingo | 14 de novembro de 2010

Programação de tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Filmes de hoje

Tatiana Contreiras (interina)

U

m dos melhores atores da sua geração (a expressão é clichê, mas aqui seu uso realmente se justifica),Edward Norton precisa reavaliar suas decisões mais recentes, como o inexpressivo protagonista de “Incrível Hulk”, longa protagonizado por ele em 2008,com cenas gravadas até no Rio de Janeiro.Nascido em 18 de agosto de 1969,em Boston,o artista foi mais feliz em escolhas passadas,como neste filmaço dirigido por Spike Lee e programado para a noite deste domingo.Na fita de 2002,Norton é Monty Brogan,traficante condenado a sete anos de prisão que usa suas últimas horas de liberdade para se acertar com o passado — ele se reúne com dois amigos de infância,com a namorada (papel de Rosario Dawson),e encara um conversa dura com o pai.Emocionante e zero piegas,o drama é ambientado numa Nova York recém-atingida pelos atentados terroristas do dia 11 de setembro de 2001.“A ÚLTIMA NOITE” (MAX PRIME,0h45m)

Temperatura Máxima: Quarteto fantástico InterTV Cabugi/Globo -11 05:45-Santa Missa 06:50-Sagrado 07:00-Globo Comunidade 07:25-Pequenas Empresas 08:00-Globo Rural 08:55-Auto Esporte 09:15-Esporte Espetacular 10:50-Fórmula 1 - GP de Abu Dhabi 12:50-Os Caras de Pau 13:40-Temperatura Máxima:Quarteto fantástico 15:39-Globo Notícia 15:42-Domingão do Faustão 16:45-Campeonato Brasileiro:Fluminense x Goiás 19:00-Domingão do Faustão 20:45-Fantástico 23:10-S.O.S.Emergência 23:40-Domingo Maior:“O detonador” 01:35-Sessão de Gala:“Ultravioleta” 02:45-Corujão

TV Universitária/Cultura - 5 06:00-Via Legal 06:30-Brasil Eleitor 07:00-Palavras de Vida 08:00-A Santa Missa 09:00-Viola Minha Viola 10:00-A Turma do Pererê 10:30-Esquadrão sobre Rodas 11:00-Castelo Rá Tim Bum 11:30-Janela Janelinha 12:00-ABZ do Ziraldo 12:45-Curta Criança 13:00-Um Menino Muito Maluquinho 13:30-Catalendas 14:00-Dango Balango 14:30-TV Piá 15:00-Stadium 16:00-A‘ UWÊ: Apresentação:Marcos Palmeira 17:00-Ver TV 18:00-De Lá pra Cá 18:30-Cara e Coroa 19:00-Papo de Mãe 20:00-Conexão Roberto D’Ávila 21:00-Esportvisão 22:30-Nova África 23:30-Cine Ibermedia:Temporada de patos 00:45-A Grande Música 01:45-DOC TV América Latina 02:45-Curta Brasil

TV Mult tv/Rede TV! - 17 06:00-Ultrafarma 08:00-Tempo de Avivamento 08:30-Igreja Internacional da Graça de Deus 09:00-Comunidade Sara Nossa Terra 09:30-Pé na Estrada 10:00-Ultrafarma 11:00-Super Papo 11:50-Campeonato Italiano: Juventus x Roma 14:00-Auto Mais 14:45-Parceria Publicidade 15:00-Super Papo 15:15-Transição 16:15-Olhar Digital

16:45-Carlos Cunha Show 17:15-Pague Menos 17:45-Ritmo Brasil 18:15-Campeonato Italiano:Inter x Milan 20:00-O Último Passageiro 21:00-Pânico na TV 23:30-Dr.Hollywood 00:30-É Notícia 01:30-Bola na Rede 01:50-A Hora e Vez da Pequena Empresa 02:05-Super Papo 03:00-Igreja da Graça Nosso Lar

TV Potengi/Bandeirantes - 3 05:45-Espaço Vida Vitoriosa 07:00-Mundo Real 07:30-Vida e Missão 08:00-Posso Crer no Amanhã 08:30-Liliana Rodriguez 09:00-Multirio 10:00-Full Motor 10:30-Brasil Caminhoneiro 11:00-Infomercial 12:00-Lassie 12:30-Um Hóspede do Barulho 13:00-Que Dureza 13:30-Liga dos Campeões UEFA - Magazine 14:00-Band Esporte Clube 16:30-Campeonato Brasileiro 19:00-Terceiro Tempo 20:30-O Formigueiro 21:30-Domingo no Cinema:“A força em alerta 23:30-Canal Livre 00:30-Deles e Delas 01:00-Show Business 01:45-Show Mix 02:30-Espaço Vida Vitoriosa

TV SBT/Ponta Negra - 13 06:00-Aventura Selvagem 07:00-Pesca Alternativa 08:00-Vrum 08:30-Ganhe Mais Dinheiro com Jequiti 09:00-Clube do Chaves 11:00-Domingo Legal 15:00-Eliana 19:00-Roda a Roda Jequiti 19:45-Programa Silvio Santos 00:00-De Frente com Gabi 01:00-Arquivo Morto — Série 02:00-Desaparecidos — Série 03:00-Estética — Série 04:00-Jornal do SBT

TV Tropical/Record - 8 07:15-Desenhos Bíblicos 08:00-Record Kids 09:30-Domingo de Prêmios 10:00-Record Kids 12:00-Tudo é Possível 16:00-Programa do Gugu 20:00-Domingo Espetacular 23:15-A Fazenda 00:00-Heroes 01:00-Programação IURD

• DESTINO INSÓLITO Com Madonna, Adriano Giannini, Jeanne Tripplehorn, Michael Beattie. Romance. Madonna ilustrou o alto deste espaço na semana passada com o divertido “Procura-se Susan desesperadamente”, sua estreia no cinema. Hoje, a loura aparece na programação numa sessão recomendada somente aos seus fãs mais ardorosos. Dirigida por ex-marido, a diva pop amargou um belo fracasso de crítica e bilheteria com esta fita, lançada no Brasil direto em DVD. Malhada e canastra que só ela, a cantora interpreta Amber Leighton, socialite insuportavelmente mimada que se aventura num cruzeiro pelo Mediterrâneo com o marido e amigos. Após um naufrágio, vai parar numa ilha deserta apenas com o marinheiro da embarcação, o grosseirão Giuseppe Esposito (Giannini). Isolados, os dois iniciam uma relação de gata e rato: só que a gata começa a gostar demasiadamente do rato e aí, já viu, né? MAX, 11h55m. • LEIS DA ATRAÇÃO Com Pierce Brosnan, Julianne Moore, Parker Posey, Michael Sheen. Comédia romântica. Atriz que ilumina a tela em qualquer ocasião (e aparição), Julianne é o grande destaque desta fita bem mais ou menos, estrelada por ela e o canastrão profissional Brosnan. A ruiva interpreta Audrey Woods, uma advogada especialista em divórcios que tira onda por nunca ter perdido um caso. Vidrada em trabalho, a moça torce o nariz para o também advogado Daniel Rafferty (papel de Brosnan). Claro que toda essa raivinha no fundo é amor e os dois precisam lidar com uma situação inesperada ao se casarem depois de uma noite de bebedeira. MEGAPIX, 13h20m. • QUARTETO FANTÁSTICO Com Ioan Gruffudd, Michael Chiklis, Jessica Al-

ba, Chris Evans. Aventura. Bem-sucedida adaptação dos quadrinhos da Marvel para a tela grande, o primeiro longa da série apresenta os personagens e mostra como Reed Richards (Gruffudd), Sue Storm (Alba), Johnny Storm (Evans) e Ben Grimm (Chiklis) ganharam seus superpoderes e aprenderam a lidar com eles. INTER TV/CABUGI, 13h40m. •

TRAIR E COÇAR É SÓ COMEÇAR Com Adriana Esteves, Cássio Gabus Mendes, Otávio Muller, Cristina Pereira. Comédia. Sucesso absoluto no teatro, o texto de Marcos Caruso ganhou esta simpática adaptação cinematográfica com a colaboração de Flávio de Souza. Atriz com excelente tempo cômico, Adriana Esteves

assume o papel da protagonista Olímpia, eternizada nos palcos por Denise Fraga. Intrometida e indiscreta que só ela, a “ajudante do lar” arruma uma confusão daquelas no condomínio dos seus patrões — a arquiteta Inês (Bianca Byington) e o médico Eduardo (Cássio Gabus Mendes) — depois de supor que os dois são infiéis. TELECINE FUN, 16h25m. • A ONDA DOS SONHOS Com Kate Bosworth, Matthew Davis, Michelle Rodriguez, Sanoe Lake. Aventura. Biquínis, corpos sarados e uma certa questão, digamos, existencial. É isso o que você pode esperar deste longa que traz uma Kate Bosworth novinha, no papel da surfista Anne Marie. Mocinha batalhadora, ela toma conta da irmãzinha rebelde e divide a vida com amigas tão apaixonadas pelo esporte quanto ela. Sim, há mais um conflito. Inscrita num importante campeonato de surfe — que ela não sabe se deve ou não participar —, Anne dá duro como camareira de um hotel. Lá, se apaixona por um cara endinheirado, Matt Tolman (Matthew Davis), e fica na dúvida se o sujeito quer mesmo algo mais sério com ela. MGM, 22h. • O DETONADOR Com Wesley Snipes, Silvia Colloca, Tim Dutton, William Hope. Aventura. Agente da CIA é enviado à Polônia para impedir que um traficante de armas conclua a venda de uma arma nuclear. Gostou? Tem mais. Lá, o tal agente acaba sendo preso, mas consegue ser libertado pela CIA e encara outra missão: escoltar para os EUA, uma russa que está sendo perseguida pelo mesmo traficante. INTER TV/CABUGI, 23h40m.

9


10 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 14 de novembro de 2010 DIVULGAÇÃO/BEATRIZ PONTES

COLUNA DO

Clube do Assinante

A atriz conta que voltar à personagem foi como “reencontrar uma amiga”

Promoções e descontos renovados a cada domingo

ALEXSANDRA BORGES

Promoções válidas de domingo (14/11/10) a sábado (20/11/10), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

TATIANA CONTREIRAS

SCHALK– (Amintas Barros) A Schalk é uma loja super transada com roupas masculinas do básico ao social. Lá, você encontra camisas sociais, esportivas, shorts, sandálias, sapatênis, cuecas, cintos, tudo com muito bom gosto. Esta semana, a Schalk da Amintas Barros oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, nas camisas T-Shirt Deluxe02. Desconto válido somente na loja da Amintas Barros. Amintas Barros, 2372, loja 02 Lagoa Nova Tel.: 3206.9439

50% à vista (dinheiro) nas camisas T-Shirt Deluxe02. Desconto válido somenDIVULGAÇÃO

te na loja da Amintas Barros.

Fênix Aromas A Fênix Aromas possui excelente opções para presentes. Lá, você encontra produtos de aromaterapia, cosméticos como essências, hidratantes, sais, difusores, incensos, etc. Esta semana, a Fênix Aromas oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, nos produtos de aromaterapia, cosméticos e artigos para presentes e decoração. Av. Eng. Roberto Freire, 2925, loja 02 – Em frente ao Cidade Jardim Tel.: 3207.3600

50% à vista (dinheiro) nos produtos de aromaterapia, cosméticos e artigos para presentes e decoração.

■ As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■ Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção,o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■ Contatosparacredenciamento:Depto.deMarketing.Tel.4006-6100,R.6262. ■ e- mail.mkttn@terra.com.br; clubetribuna@digizap.com.br

sorriso do gato certamente está diferente e a Rainha de Copas a ser enfrentada desta vez também deve ter mudado. Na segunda temporada de “Alice” — na verdade, dois grandes episódios de 80 minutos cada, batizados de “Alice — Um especial em duas partes” —, a mocinha que cai num País das Maravilhas chamado São Paulo está diferente. Sucesso na HBO, a série retorna à grade do canal no sábado, às 21h, com uma outra mulher como protagonista. Depois de viver no desbunde da cidade grande, a menina cresceu. Passados dois anos, quer criar raízes, mudar. Mas na essência, a constatação é clara: diante de tantas novas possibilidades, Alice continua em busca de si mesma. Dirigidos por Karim Ainöuz e Sergio Machado, que foram os responsáveis pela direção geral da primeira temporada da série, os dois especiais também trazem a cidade como personagem. Para Andreia Horta, voltar à pele de Alice foi algo marcante. — Foi muito legal, como reencontrar uma grande amiga que você conhece muito bem, não vê há dois anos e só de olhar já sabe tudo sobre ela, mesmo estando longe — compara a atriz: — E eu também estou mais madura, como ela. Caminhamos de mãos dadas. Quando olho as caras da Alice, percebo que ela é uma mulher agora, apesar de ser meu corpo que

O

SUCESSO NA HBO, A SÉRIE ‘ALICE’, ESTRELADA POR ANDREIA HORTA,VOLTA À PROGRAMAÇÃO DO CANAL EM UM ESPECIAL DE DUAS PARTES

MARAVILHAS em novo formato está lá contando essa história. Agora adaptada à metrópole, Alice mora no Centro, tem uma vida estável e pretende casar com Nicholas (Vinicius Zinn). Os dois especiais mostram a moça à procura do apartamento ideal. Personagens da primeira temporada voltam à cena, e encontros e desencontros amorosos permeiam a ação. Monique (Sílvia Lourenço), a melhor amiga, quer um amor de verdade, assim como a jovenzinha Regina Célia (Daniela Adler Piepszyk), que começa a descobrir o sentimento. Em meio a tantas pessoas, Alice avalia as suas intenções. — Alice está mais mulher, com outras questões. Ela sempre esteve em busca de si, perdida, batendo com a cabeça. Agora, ela continua atrás de raízes, quer tomar as rédeas de sua vida e acha que está resolvendo isso dessa forma. Vai casar, comprar apartamento, e pensa que isso é o que resolve a vida. Mas não é.

E, durante esse processo de morar junto com Nicholas, percebe que esse era um desejo só dela, que essa história vai ruir. E, finalmente, Alice se encontra com ela mesma — adianta Andreia, que neste ano também interpretou a médica Rosângela na série “A cura”, exibida pela TV Globo, e está no longa “Muita calma nessa hora”, em cartaz nos cinemas desde sexta-feira passada. A série de João Emanuel Carneiro e Marcos Bernstein, aliás, não tem uma segunda temporada definida — mesmo caso de “Alice”, cujo futuro pós-especiais na HBO é incerto. Mas a atriz acredita na força da personagem, que serviu e ainda serve de espelho para muita gente. — Alice não resolveu nada ao redor dela, mas já entendeu várias coisas fundamentais para se viver. Fôlego para mais uma temporada ela tem. O lance é descobrir que assuntos seriam abordados — diz a atriz.


revista da tv

Domingo | 14 de novembro de 2010

PRIMEIRO PLANO

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 11

VALÉRIO ANDRADE

Os atores de 2010 — Leonardo Villar – II

L

eonardo Villar estreou no cinema já no alto,em um clássico da cinematografia brasileira:O Pagador de Promessas.Ao ver a peça de Dias Gomes,que ficou cinco meses em cartaz no TBC (SP),Anselmo Duarte convidou-o para o papel de Zé do Burro, com uma condição:emagrecer 13 quilos! Foi o único filme brasileiro a ganhar Palma de Ouro do Festival de Cannes,em 1962.

O NOVO LAMPIÃO A seguir,sob a produção de Oswaldo Massaini e a direção de Carlos Coimbra,Leonardo Villar faria um nordestern de sucesso popular: Lampião,Rei do Cangaço,ao lado de Vanja Orico e Milton Ribeiro – a dupla do clássico do gênero:O Cangaceiro (1953).

ESTREIA NO CINEMA NOVO O primeiro filme carioca foi Procurase uma Rosa,que marcou a estréia do

ator Jece Valadão na direção.No Cinema Novo participou de um filme de Carlos Diegues:A grande Cidade. O papel que exigiu mais dele – três meses de ensaios sem câmara – foi A Hora e a Vez de Augusto Matraga, dirigido por Roberto Santos, aclamado na I Semana do Cinema Brasileiro de Brasília de 1965.

década de 70,apesar do talento comprovado e reconhecido,não faria nenhum filme,e,nos anos 80, apenas um:Amor de Perversão, dirigido por Alfredo Sternheim, assim mesmo em papel secundário. Na década de 90,também um único filme:Ação Entre Amigos (1998),cuja volta ao cinema foi saudada pelo critico Rubens Ewald Filho “como um dos mais cinematográficos atores que já tivemos.Um rosto muito brasileiro,muito humano”.

A INTERRUPÇÃO CINEMATOGRÁFICA Participou de um filme esquecido de Gerson Tavares:Amor e Desamor (1966),com Betty Faria,roteiro de Carlos Alberto de Souza Barros.Em 1968,sob a produção de Oswaldo Massaini e a direção de Carlos Coimbra,a dupla de Lampião,Rei do Cangaço,encabeçou o super elenco de A Madona de Cedro,adaptação da peça de Antonio Callado,coestrelado por Leila Diniz,Anselmo Duarte,Sérgio Cardoso,Ziembisnski, Jofre Soares e Clyde Yácones.Na

Leonardo Villar diz que se afastou do cinema na década de 70 por causa do declínio artístico provocado pelo surto da pornochanchada.”

EXPLICAÇÃO DA AUSÊNCIA Leonardo Villar diz que se afastou do cinema na década de 70 por causa do declínio artístico provocado pelo surto da pornochanchada.Mesmo assim,é inexplicável,é injustificável, que um ator do seu talento tenha feito tão poucos filmes em cinco décadas de carreira.Talvez por não possuir o perfil do galã,por ser essencialmente um ator,além do

mais,ser discreto e solitário,tenha sido esquecido.Seja como for,se ele perdeu,quem perdeu mais foi o cinema brasileiro.

O APOGEU NA VELHICE Na televisão desde a década de 50, quando participou do Grande Teatro Tupi,Leonardo fez muitas novelas, entre as quais Os Ossos do Barão e O profeta.Nos últimos anos (na Globo), teve menos chances do que merecia, sendo escalado para os papéis secundários,mas desempenhados com a sua habitual correção.De repente,“Passione”.Em papel ajustado a sua personalidade,ao seu humanismo,a sua sensibilidade,está tendo um desempenho memorável como o Antero criado sob medida por Silvio de Abreu. Leonardo Villar foi incluído na nossa galeria dos atores de 2010,não pelo seu passado, nem pelas atuações marcantes,mas pela presença em Passione.

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

R

odrigo Penna trocou definitivamente as câmeras pelas carrapetas.Titular da festa Bailinho há três anos,ele parece confortável no papel de DJ e diz não ter planos de voltar a atuar,pelo menos por enquanto. Lembrado especialmente por seus trabalhos quando ainda era adolescente,nas novelas “Vamp”(1991) e “Top model”(1989),sua última participação em folhetins foi em 2007,na pele do fotógrafo Mariano,de “Paraíso tropical”. Com o Bailinho,ele viaja na próxima sexta a São Paulo,toca dia 3 de dezembro em Brasília e,dia 12,no Rio.

A TV DE.... O GLOBO:Dos folhetins que você fez,em qual mais gostou de trabalhar? Por quê?

“Top model”. O primeiro susto a gente nunca esquece. Tem saudade de atuar?

Não, por enquanto. A cabeça anda criativa como se eu vivesse ainda o teatro, a TV ou o cinema. E fico sempre ligado nos artistas que curto. Alguns são amigos; outros, não. Mas estou sempre de olho. Gosta de algum programa de TV sobre música?

Gosto muito do “Urbano”, apresentado por Renata Simões (no Multishow). Não é propriamente sobre música, mas ela é antenada e você sempre tira algo de tendência. Recentemente, ela foi ao Japão e entrevistou uns DJs. Foi bem bacana. Qual a melhor trilha de novela,na sua opinião?

Ah, eu lembro muito de “Champagne”. Eu adorava, tinha clipe e tudo!

RODRIGO PENNA

Tem uma cena favorita de baile na TV?

“Anos dourados”! Você assiste a seriados? Tem algum predileto?

Já estive entre os viciados em “24 horas” e “Friends”, mas parei por aí. Se pudesse fazer uma seleção das melhores músicas de novelas,o que ela teria?

A minha teria muita música nacional: Marina, Djavan, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Rita Lee etc. Alguma atração o inspira?

Vejo pedaços de muitas coisas. Ultimamente, estou curtindo muito a série “Clandestinos — O sonho começou”, do João Falcão. Acompanhei as gravações desde o início e toquei na festa de comemoração dos atores. O programa superou as minhas expectativas. A atriz Adelaide (de Castro) está arrasando, ela é linda de morrer. Também gosto de coisas criadas pela (produtora) O2, além de documentários, alguns novos comediantes e telejornal.


Revista da tv 12

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 14 de novembro de 2010 FOTOS DE CARLOS IVAN

O papo é

QUENTE

TATIANA CONTREIRAS

um tradicional clube da Zona Sul do Rio de Janeiro, palco de várias festas de formatura e casamentos, o clima é mais caliente nesta tarde de outubro. É lá que se instalou a Hot Fair, primeira grande feira erótica da cidade, para a alegria de simpatizantes e curiosos ocasionais — e da equipe do “Penetra”, do canal Sexy Hot. Exibida aos sábados, a atração apresentada pela jornalista Rossana Freire tinha o evento como um prato cheio de possíveis entrevistados, novíssimos produtos e, como dizer, diversas práticas a serem devidamente registradas pelas câmeras. E foi lá que a Revista da TV acompanhou a rotina de um programa que tem sexo como seu principal assunto. — Minha primeira matéria no “Penetra” foi num set de filme pornô — lembra Rossana, antes de encarar mais uma bateria de entrevistas. Gaúcha, a apresentadora chama atenção pelos corredores do clube. Alta, bonita e com um ar classudo, ela circula com naturalidade entre vibradores, chicotes e outros brinquedinhos. E não se envergonha por não conseguir, entre outras coisas, fazer uma performance nota 10 no pole dance. Para subir no mastro e gravar alguns takes, aliás, Rossana precisou da ajuda de uma das meninas do estande da Federação Brasileira de Pole Dance. Empurra daqui, dá uma mãozinha dali, cruza os pés acolá, e pronto: lá está ela, toda sorridente. — Dou risada. O segredo é rir e ver com bons olhos todos os gostos e escolhas na busca pelo prazer. Outro dia vi uma pesquisa que dizia que 70% dos consumidores de produtos eróticos é composto por mulheres. E o canal tem 49% de audiência feminina, tanto que o “Penetra”

N

A apresentadora também mostra produtos e desvenda vários fetiches

ACOMPANHAMO S AS GRAVAÇÕES DO ‘PENETRA’, PROGRAMA DO CANAL SEXY HOT, NUMA FEIRA DE PRODUTOS ERÓTICOS NO RIO

Rossana Freire entrevista Érica Rambalde, consultora erótica que inspirou até um filme

é feito para elas, mas muitos homens assistem — diz Rossana. Para tratar dos assuntos e fetiches mais cabeludos (sem trocadilhos, por favor), o segredo, diz a apresentadora, é ter naturalidade. Ainda mais diante do público feminino, que muitas vezes preza pela delicadeza, e não pelo escracho. Ou seja: nem pudico demais, nem grosseiro demais. — Hoje já gravamos num estande que vende um pufe com um pênis de borracha que entra e sai... De onde você quiser — diz, entre risos: — Na Erotica Fair, em São Paulo, mostramos 106 tipos de vibradores. A

cada programa revelamos um produto novo. Os mais legais? Tem umas bolinhas que turbinam o sexo oral que são ótimas! Pausa para fotos. Enquanto isso, o diretor de produção do “Penetra”, Zeghy, explica as próximas pautas do dia. — Agora vamos entrevistar a Érica Rambalde, da “Sexydelícia”, conhece ela? São dois assuntos: um é o filme dirigido pelo Roberto Santucci, que ainda vai estrear, e que tem a Ingrid Guimarães no papel da Érica. O outro é o produto que ela vende, apelidado de “clone” — conta Zeghy, explicando que o objeto é uma espécie de molde que o cliente pode usar para criar uma cópia de seu próprio órgão sexual. Ao lado de Érica, Rossana mostra o tal clone — “Chamamos esse brinquedo de ‘Ricardão’”, conta a consultora erótica. No som da feira, em volume altíssimo, tocam hits de Black Eyed Peas e Rihanna. A música quase atrapalha o papo com a sexóloga Tatiana Presser, mulher do ator Nizo Neto — o casal também deu uma circulada pela feira. A tarefa seguinte da equipe é conversar com Friederike Strak, da Daspu, grife criada por prostitutas cariocas. Entre camisetas e acessórios como a sutiliga — sim, um sutiã com cinta-liga — , Rossana lança a pergunta no ar para a entrevistada da vez: Entre quatro paredes você vira uma puta? — diz, arrancando risadas. Pausa para o lanche e descanso dos câmeras. Todo o material gravado será exibido no programa do dia 27, às 20h. Na feira desde as 17h, a equipe entra pela noite para encerrar o dia de trabalho. Mas para onde eles vão, fotografar não é permitido. No andar de cima, o chamado Castelo dos Fetiches ocupa o espaço, com áreas reservadas para todos os tipos de fantasia. Sadomasoquismo, bondage e afins — “Este aqui é o nosso pelourinho: você põe a cabeça e, se quiser, damos uns tapinhas”, conta uma ruiva de pouca roupa — dominam o local. — É... Lá vai ter gente pelada! Para vocês não dá, né? — despede-se Rossana.

Tribuna do Norte - 14/11/2010  

100 pauta@tribunadonorte.com.br R$ 2,50 FÓRMULA 1 URBANISMO NEGÓCIOS & FINANÇAS »OPERAÇÃO VIA ÁPIA Acusados pela Polícia Federal do desv...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you