Issuu on Google+

» CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 32 PÁGINAS E 5.753 ANÚNCIOS FUNDADOR:ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 59 • Número 303• Domingo,21 de março de 2010 EXEMPLAR DO ASSINANTE

RODRIGO SENA

LUÍS MORAIS

O “FELIPÃO”DO ALVINEGRO O gaúcho Leandro Campos assumiu o ABC recentemente e,além do bigode estilo Felipão,tem como característica a exigência de um time forte na marcação.“Eles vão ter que aprender a marcar no estilo da minha escola”,diz. [ ESPORTES 2]

MODA

INTERTV CABUGI

O PRETO DEIXOU DE SER BÁSICO.É GLAM,o

A ERA DIGITAL DA TV CHEGA AO RN

estilistas Meio esquecido pelos vo conceito, preto volta com um no orâneo e mais glamour, contemp versátil. [ TN FAMÍLIA 8 ]

bo começa Emissora afiliada à Glo (22),com da a operar,nesta segun INA 11] transmissão digital. [ PÁG

ANA SILVA

SIMONE MARINHO

[ ELEIÇÕES ] Procurador Regional Eleitoral antecipa entendimento sobre coligações e já investiga propaganda indevida na Internet

EXEMPLAR DO ASSINANTE

PRE vai recorrer contra partido que desvincular as coligações eleitorais POLÊMICA E DESPUDORADA, PRETA GIL VOLTA À TELEVISÃO PARA COMANDAR O “VAI E VEM”

A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio Grande do Norte não admitirá que os partidos políticos façam coligações proporcionais desvinculadas das alianças majoritárias. O aviso é do procurador Ronaldo Sérgio

Chaves, confirmando que o Ministério Público entrará com representação para impugnar as possíveis candidaturas fruto dessas composições. “Os partidos precisam ter coerência”, opina o procurador. Atento às novas

formas de mídia, ele também já investiga um caso de propaganda eleitoral antecipada, verificada no uso da Internet. Comunicação digital, coligações e caixa 2 serão alvos da vigilância da PRE nas eleições deste ano. [ PÁGINA 3 ] RODRIGO SENA

[ REVISTA DA TV 6 E 7 ]

O empresário Tersandro Milagres, que tenta reabrir a fábrica da Alcanorte para produzir tintas, cimento e barrilha, acredita poder vencer a disputa judicial que emperra o projeto. [ ECONOMIA 7 ]

VIDA MODERNA

Arquitetura do medo tenta driblar a insegurança Guaritas, muros altos e cercas. O aparato de segurança, raros em residências até duas décadas atrás, hoje é parte integrante de qualquer projeto de construção. É a nova “arquitetura do medo”. [ NATAL 1 E 2 ]

UFRN é convidada para integrar nova missão espacial

AGNELO ALVES O Rio Grande do Norte foi posto à margem nessa crise do pré-sal.

Depois de participar na descoberta de um planeta fora do sistema solar com 300 vezes a massa da Terra, a UFRN é convidada para um projeto de pesquisa especial ainda maior: a Missão Plato. [ NATAL 9 E 10 ]

[ PÁGINA 6 ]

ELIANA LIMA Cinco empresários do RN compraram de empresário de PE o terreno do Exército. [ NATAL 14 ]

IMPRENSA

Gustavo Franco fará palestra nos 60 anos da TN

PAULO COELHO

[FAMÍLIA 2 ]

Empresário se mostra confiante com a Alcanorte

ASTROFÍSICA

COLUNAS

Na alma do homem está a alma do mundo,o silêncio da sabedoria.

ECONOMIA

SE TEM CRIANÇAS, NÃO BEBA Levados pelos pais para os bares nos fins de semana,convivendo em casa com o hábito da bebida e sem orientação adequada,é cada vez maior o índice de ingestão de bebidas alcoólicas na infância. Pesquisa mostra que 43,8% dos alunos brasileiros já beberam.Histórias de alcoolismo com origem na infância também são frequentes. [ NATAL 17 E 18 ]

O economista Gustavo Franco, expresidente do Banco Central, fará a palestra no aniversário dos 60 anos da TN. O evento, com lançamento do livro contando a trajetória do jornal, será na terça-feira. [ NATAL 3 ]

ALEX RÉGIS

O FIM DO MUNDO COMEÇOU? Terremotos, mudanças no clima, tsunamis, furacões. Os sinais fazem lembrar o filme-catástrofe “2012”. Acreditando ou não no fim do mundo, profecias sobre o tema têm muito o que dizer. [ TN FAMÍLIA 1 E 3 ]

108

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

REDAÇÃO: PAUTA

pauta@tribunadonorte.com.br

FALE CONOSCO: PABX: 4006-6100 Redação: 4006-6113

Assinaturas: 4006-6111 Venda avulsa: 4006-6103 Comercial: 4006-6173

Classificados: 4006-6161 Circulação: 4006-6103 Reclamações:4006-6111

HOME PAGE:

www.tribunadonorte.com.br

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

opinião

Domingo | 21 de março de 2010

JOSÉ SARNEY [ escritor ]

Jornal de WM WODEN MADRUGA - woden@terra.com.br

Da poesia ao teatro

V

olto a Didi Câmara, a poeta que encontrei pela primeira vez numa crônica de Edgar Barbosa, assunto que já rendeu neste canto de página algumas edições. Volto, porque no meio da semana recebi um imeio do poeta e contista João Batista Pinto, natalense de raízes angicanas que vive no Recife há muitos carnavais. João conheceu Didi Câmara e por algum tempo seguiu “seus passos leves” pelas ruas da Ribeira. É possível que o leitor deste domingo possa não entender essa história, até porque talvez não leu as primeiras notas que escrevi aqui. Outros podem até não achar graça nenhuma, tanto assunto mais interessante por aí, pô! Por exemplo: a prefeita Micarla passou o final de semana em São Paulo para assistir a corrida da Fórmula Indy. Ruuuuummmm!!!! Tudo começou depois que eu li aquela crônica de Edgar Barbosa, datada de 1938, que cobre de elogios um livro de poemas de uma autora chamada Didi da Câmara. Era a primeira vez que eu tomava conhecimento da poeta. Fiquei curioso em saber mais coisas. Procurei nas principais antologias norteriograndenses, entre elas a mais antiga, Poetas do Rio Grande do Norte, de Ezequiel Wanderley, de 1922, e em seguida, a de Rômulo Wanderley, Panorama da Poesia Norte-RioGrandense, publicada em 1965. Nas duas não consta o nome de Didi Câmara. Refolhei o livro de Tarcísio Gurgel, Informação da Literatura Potiguar (Natal, 2001) e a antologia Literatura do Rio Grande do Norte, organizada por Constância Lima Duarte e Diva Cunha, edição também de 2001, obras essenciais para o estudo de nossa literatura. Também não consta nos dois o nome de Didi Câmara. Quem foi, então, essa poetisa que tanto encantou o esteta Edgar

Barbosa, das maiores expressões de nossas letras? Fiz a pergunta e, a partir daí, comecei a receber imeios que foram abrindo veredas, a campina se clareando. Nas doces asas da abelhinha Eliana Lima veio a informação do pesquisador Alderico Leandro: Didi Câmara fazia rádio-teatro integrando o cast da Rádio Educadora de Natal, começo dos anos quarenta. Em seguida, chegou o imeio de Laélio Ferreira de Melo dando conta de um texto do seu pai, o grande poeta Othoniel de Menezes, num ensaio sobre Ferreira Itajubá. Ali aparece o nome de Didi Câmara Cardoso, num recital no Teatro Carlos Gomes. O próprio Laélio acrescenta novas informações. A poeta era também atriz e autora teatral e o seu nome verdadeiro era Julita, tendo integrado grupos de teatro amador na época (1940) e casada com o ator Fernando Cardoso. As pistas estavam claras e apontavam um novo rumo. Pesquisar na área de teatro. Foi o que fiz.

Março das bodas de prata

D

E 15 DE MARÇO de 1985, o meu sentimento é de dupla face. Numa, a volta da democracia ao país; na outra, a dor profunda do martírio de Tancredo Neves. A história o preparara para fazer a transição democrática e inaugurar aquilo que ele mesmo batizou como slogan de sua campanha: a Nova República. Costumamos dividir os nossos períodos históricos em Colônia, Império, República -que nasceu de um golpe militar, por isso mesmo batizada por Aristides Lobo de "sem povo". A República foi marcada pelas dores de seu gesto inaugural: divisão militar e instabilidade política, com o medo da volta da monarquia. Por não ter suporte popular, foi obrigada a usar do voto a descoberto, invenção de Campos Sales -eleição a bico de pena, mandatos ilegítimos, embora representação legítima, como dizia Gilberto Amado. É a época das intervenções, da degola dos parlamentares não alinhados e dos carcomidos, como eram chamadas as velhas oligarquias provincianas pelos tenentes. A esse período chamam os historiadores de

República Velha.Ela termina com a Revolução de 30, que coA Nova República meçou em 22 com a sepulta as ideologias Revolta dos Tenene a discriminação tes, repicada em 1924 sobre elas.Saímos da e desaguada em hegemonia da 1930. Depois é a dipreocupação tadura, o Estado Noeconômica para uma vo. Renasce em 1946 democracia social.A a República, efemeconvocação da ramente chamada de Constituinte,feita Nova República, nopor mim,já apontava me logo esquecido, o caminho dos porque só a marcará direitos sociais.A sua desintegração. sociedade Vem 1954 com o suidemocrática,num cídio de Vargas, o 11 sistema de de novembro de capilaridade, 1955, a meteórica e emergiu como a exótica experiência verdadeira cidadania parlamentarista e seu com todos os seus fim em 1964 com o direitos”. regime dos generais. Em 1985, volta a democracia, e a República, uma vez mais, é batizada de Nova Repú-

blica. Esta realmente marcou a história do Brasil e hoje está definitivamente incorporada à nossa vida institucional. Não porque as instituições voltaram, mas porque ela trouxe marcos novos e definitivos, que foram a entrada em nossos objetivos políticos dos direito sociais. A Nova República sepulta as ideologias e a discriminação sobre elas. Saímos da hegemonia da preocupação econômica para uma democracia social. A convocação da Constituinte, feita por mim, já apontava o caminho dos direitos sociais. A sociedade democrática, num sistema de capilaridade, emergiu como a verdadeira cidadania com todos seus direitos. O lema do governo já revelava a característica da Nova República: "Tudo pelo Social". Este o segredo dos 25 anos de paz social, de alternância do poder, da presença do proletariado nas decisões nacionais. Quando agora se falar de divisão da história, dir-se-á que foi a Nova República que mudou o Brasil, não somente com a liberdade e as instituições mas com os direitos sociais.Comemoremos.

Amâncio

Cartas Salvar a água Isto é uma questão política, pois desde a primeira campanha de governo da Vilma, e eu lembro bem, foi colocado uma placa bem grande na entrada de Candelária, ali onde hoje tem uma praça (que não serve pra nada) vizinho ao ginásio do DED e esta placa informava que seria feito todo esgotamento sanitário e drenagem do bairro de Candelária e até hoje não foi feito. Realmente não tem outra saída para uma mobilização da população. E vamos votar com aqueles políticos sérios, principalmente aqueles que mostrem a cara neste movimento. Eu concordo com esta mobilização!

O livro de Meira Pires Fui à estante e peguei a História do Teatro Alberto Maranhão (1904 a 05.03.1952), editado pela Fundação José Augusto em 1980, com prefácio de Câmara Cascudo. O livro de Meira Pires não é apenas a história do Teatro desde sua construção. Pois em suas páginas (494) o leitor vai encontrar também passagens importantes da história política, social e, claro, cultural (e por que não esportiva?) do Rio Grande do Norte. E aí você descobre verdadeiras pérolas. Como esta: uma luta de box entre Djalma Maranhão e o pugilista paraense Ascendino Holanda. Foi na noite de 26 de agosto de 1939. Meira Pires registra assim: “Uma grande assistência compareceu para presenciar o embate entre o campeão natalense e o campeão do Pará. A luta entrou pela violência. No 5º round, chegou ao auge. Enquanto Maranhão e Ascendino pelejavam dentro do ring, os seus menagérs engalfinharam-se fora dele. Não havendo como fazê-la prosseguir, as autoridades resolveram suspendê-la.” O nome da atriz Didi Câmara aparece em 1938. Integrava o elenco do Centro Estudantil Potyguar que, em janeiro, encenou a peça “Amor e Ciúme”, de Segundo Wanderley. Um dos atores era Antônio Soares Filho. O ponto foi Humberto Nesi. São vários espetáculos em que atua Didi Câmara, entrando pela década de 40. Em abril de 1939, ela está no elenco do Grêmio Dramático de Natal, fundado naquele mês, ao lado de Clarice Palma, Amaro Pedroza, Izabel Roselli, Urbano Brandão, Geraldo Fernandes, Olga Câmara, Carlos Siqueira e Amaro Andrade. Quem trabalhou no teatro com Didi Câmara foi o jornalista, escritor e hoje consagrado jurista, doutor Eider Furtado, que também fazia parte do Grêmio Dramático. No mês de julho de 1941, o Grêmio encenou a comédia “O Amigo da Paz”, de Armando Gonzaga. Era a estreia de Eider, trabalhando ao lado de Didi Câmara, Terezinha Maia, Acidália Oliveira, José Herôncio e Fernando Cardoso, marido de Didi. No primeiro volume de suas memórias, Audiência de um tempo vivido (Natal, 2004), Eider dedica todo um capítulo, “O artista que quase fui”, contando suas lembranças do mundo das artes, onde aparece o Eider músico (violinista) e o Eider ator e também dramaturgo. Nas lembranças está Didi Câmara: “... Fernando Cardoso e Didi Câmara, um casal maravilhoso, ela, que era poetisa das melhores”. Djalma Maranhão também cita a poeta e atriz em suas crônicas reunidas no livro Esquina da Tavares de Lira com a Dr. Barata – centro convergente e irradiador da vida natalense, organizado por Cláudio Galvão que acrescenta notas. São crônicas que Djalma publicou no Diário de Natal em 1949. O livro foi publicado pelo Sebo Vermelho em 2004.

A LEVEZA DE JOÃO BATISTA E aí me chega o imeio de João Batista Pinto, um texto delicioso, de quem sabe ser poeta e escritor, timoneiro seguro de quem já passou pelo cabo sem tormentas dos oitentanos. Descubra o desfecho sensacional desse enredo: “Prezado Madruga Li em sua coluna de 7 do corrente, uma referência à poetisa Didi Câmara. Tive o prazer de conhecê-la. À época, de menino adolescente, via a poetisa caminhar, com os seus passos leves, pela Rua Frei Miguelinho. Residia na antiga Rua do Triunfo. Era uma criatura muito simpática. A partir de certa época, vinha dedicando-se ao que chamam de “trovas”, o que fazia muito bem. Além de poetisa, foi uma excelente atriz amadora. Acredito que no Grêmio Dramático de Natal ou no Teatro de Sandoval Wanderley, isto na década de quarenta, quando floresceram as duas entidades. Por curiosidade, a Ribeira contribuiu com três atores: Didi Câmara, Acidália Oliveira e Luís Siqueira. Se não estou enganado, Didi era irmã de Chico de Assis, excelente nadador, que foi derrotado por José Guará.” Um grande abraço, João Batista Pinto (Recife, 16.03.2010).”

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av.Tavares de Lira,101,Ribeira - Natal/RN CEP:59010200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm.e Operações: Ricardo Luiz de V.Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação:Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

deuto_lima@yahoo.com.br

Africano

CARLOS EDUARDO [ advogado e ex-prefeito de Natal ]

Desertificação Por estar localizado no Polígono das Secas, o Rio Grande do Norte tem 97% do seu território ameaçado pela desertificação. Daí ser muito importante atentar para os números divulgados pelo Ministério do Meio Ambiente sobre a ação predatória do homem na caatinga, o bioma dominante na nossa região. De 2002 a 2008, a caatinga perdeu 45,39% de sua cobertura vegetal original, ou seja, 375 mil quilômetros quadrados de um total de 826.411 quilômetros quadrados. Os Estados que mais desmataram o sistema foram Bahia e Ceará. O Rio Grande do Norte é a quinta unidade da região no índice de desmatamento. Vale ressaltar que, nesse período, 16,5 mil quilômetros quadrados foram queimados, resultando em 2% do bioma. Em quase todo o Nordeste, com principal relevância em nosso Estado, a vegetação é derrubada para fazer lenha e carvão. E o pior é que grande parte desse material sequer fica na região, pois abastece as siderúrgicas de Minas Gerais e Espírito Santo. Entre nós, lenha e carvão têm como destino as olarias e padarias, pois é um combustível barato, adequado às condições econômicas desses estabelecimentos. E qual é a solução óbvia para combater esse crime ecológico e, ao mesmo tempo, dar sustentabilidade ao nosso pólo ceramista, localizado principalmente nas regiões do Oeste, Assu e Seridó? O gás natural, tão abundante em nossas terras. Para tanto, precisamos que a Petrobras instale um gasoduto que abasteça aquelas áreas. Porque o gás já está indo para Pernambuco e Ceará para construir o progresso deles. Por que não o nosso? O que impede a sua efetiva instalação é o custo do gás, que é muito alto para as indústrias já existentes, inviabilizando sua competitividade no mercado. Caberia aí uma política de incentivos do goClassificados: Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

verno estadual, estimulando a implantação do gasoduto e o uso do gás natuEm quase todo o ral. Um investimento que Nordeste,com resultaria em preservação principal do nosso bioma e que darelevância em ria impulso à nossa indúsnosso Estado,a tria ceramista, que emprevegetação da ga milhares de trabalhadocaatinga é res. Só em Parelhas, com derrubada para uma população de pouco fazer lenha e mais de 19 mil pessoas, cercarvão. ca de 3 mil estão nesse raE o pior é que mo. Com tal política, gagrande parte nhariam o meio ambiente, desse material a produção de emprego e sequer fica na renda e a economia do Esregião, pois tado. abastece as Tratando especificasiderúrgicas de mente da questão ambienMinas Gerais e tal, podemos comemorar Espírito Santo”. uma boa notícia. É que a exemplo do que já acontece na Amazônia, a caatinga e o cerrado também deverão ganhar do governo federal planos de combate ao desmatamento, com ações para inibir a investida de atividades de grande impacto no sistema e com metas de redução drástica da destruição. Por sinal, recentemente foi criado o Fundo Nacional de Mudanças Climáticas, que disporá de cerca de R$ 500 milhões anuais. Desde já, tanto o governo estadual como a bancada federal devem lutar para que boa parte desses recursos sejam destinados ao nosso bioma, tão severamente degradado, uma vez que somos, comprovadamente, a região mais vulnerável do país. www.carloseduardoalves.com.br

Sábia decisão judicial. Parabéns ao juiz que assinou a sentença. É cidadãos honestos e trabalhadores que nosso país merece, ao contrário de certos juízes que ainda teimam em soltar bandidos com decisões irresponáveis, centenas de bandidos são soltos por dia no Brasil com ordem judicial, vão para as ruas e tornam a cometer os mesmos crimes vandasbmesquita@hotmail.com

Africano 2 Fico imaginando quantos refugiados vivem em muitos países querendo ter a chanche que Andrimana acaba de conseguir. Parabenizo os nobres advogados que abraçarão essa causa. Muitos dirão: “Mas o Brasil com tantos problemas e miseráveis, tem é que ver os problemas internos”. Agora repito as palavras ditas pela minha mãe: “Filho, lembre, aonde come um come dois”. Vejo nessa luta um gesto de bondade e caridade pelo próximo, que esse jovem sintase realmente um brasileiro, e que se orgulhe, pois pode ter certeza, mesmo com todos os problemas aqui encontrados, digo sem medo de errar,não há lugar melhor para se viver do que este pedaço de chão chamado BRASIL. heliogc40@yahoo.com.br Cartas para esta coluna deverão ter no » máximo 40 linhas para cada leitor e endereçadas para a seção Coluna do Leitor - Fone:4006-6100 FAX:4006-61224 - Redação/Tribuna do Norte. Email - tribuna@digizap.com.br

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro :(O21)2544-3070 – São Paulo:(011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J.do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J.Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


política

Domingo | 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

3

[ ENTREVISTA / RONALDO SÉRGIO CHAVES – PROCURADOR REGIONAL ELEITORAL DO RN ]

Notas & Comentários colunanotas@tribunadonorte.com.br

O miserê está de volta elo menos doze municípios do Rio Grande do Norte tiveram “saldo zero” nas duas parcelas de março do Fundo de Participação. Isso é consequência de uma combinação perversa: queda de arrecadação e aumento das despesas com pessoal. É o caso de Parnamirim, que aumentou a folha de pessoal com a contratação de novos professores para atender mais 4 mil novos alunos da rede municipal e com o reajuste do salário mínimo. Por lei, 36% do FPM são verba carimbada: vão exclusivamente para a Educação, Saúde e Pasep. No caso dos municípios “saldo zero”, o que sobrou dos repasses ficou retido para pagamento das contribuições previdenciárias. Em Pendências, 64% dos 195,5 mil brutos, recebidos este mês de FPM, foram para o INSS. De acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional, apesar da arrecadação recorde anunciada na quinta-feira passada pela Receita Federal, o Fundo de Participação terá queda de 31% em março.

P

FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS Valores brutos de duas parcelas de março repassadas e saldo para livre movimentação pelo gestor municipal — em R$ 1.000 Município

Valor Bruto

Saldo

2.231,2 2.231,2 260,7 260,7 782,1 456,2 260,7 586,6 391,0 260,7 195,5 521,4 7.301,5 847,3 781,1 781,1 586,6 458,2 260,7 521,4

0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 4.603,8 148,0 499,6 499,6 46,0 211,3 22,2 78,7

Mossoró Parnamirim Guamaré Upanema Ceará-Mirim Touros Arês São José de Mipibu Caraúbas Pendências Carnaubais Nova Cruz Natal São Gonçalo Caicó Macaíba Currais Novos Macau Patu João Câmara

Fonte:Tesouro Nacional e Banco do Brasil

Boas-vindas O líder do PMDB na Câmara, deputado federal Henrique Eduardo Alves, elogiou a postura do governador de São Paulo, José Serra, de ter admitido a candidatura a presidente da República. “Para o país é muito bom que o governador José Serra tenha admitido, enfim, sua candidatura. Indepen-

dentemente de o PMDB estar apoiando o governo federal e a candidatura da ministra Dilma Rousseff, temos que admitir que o Serra é um grande nome. O país vai muito bem com candidatos como Dilma, Serra e a senadora Marina Silva”, disse Henrique ao portal Último Segundo.

OVELHA DESGARRADA Na presença de prefeitos do Seridó, todos eleitores de Iberê, o deputado João Maia aproveitou ontem a festa de São José, na cidade de Carnaúba dos Dantas, para lançar o movimento “Volta Vivaldo para a base de Lula”. Segundo o jornalista Robson Pires, o “papa”, que jurou amor eterno à candidatura de Rosalba, ficou “encabulado”.

Base aliada

O retorno

O apartamento do Hospital Sírio Libanês onde está o vicegovernador Iberê Ferreira tem se tornado uma verdadeira sede do PSB. Por lá já passaram a presidente estadual do partido, Wilma de Faria, ex-prefeitos que apoiam a candidatura de Iberê. Além deles também estiveram visitando o vice-governador os deputados Gustavo Carvalho, Wober Júnior e Ezequiel Ferreira.

Com a ratificação do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, de que não será candidato a vice-presidente na chapa de José Serra, o nome do senador potiguar José Agripino Maia voltou a ser citado na imprensa nacional como possível vice na chapa tucana. O líder do DEM no Senado, é categórico: o projeto político para 2010 é a reeleição e não a candidatura a vice.

FIM DA TEMPORADA

ELEIÇÃO INDIRETA

Depois da temporada europeia, a senadora Rosalba Ciarlini está sendo aguardada no início desta semana no Rio Grande do Norte. A parlamentar do DEM esteve na França para assistir ao casamento da sobrinha Laura Ciarlini.

A governadora Wilma de Faria e o deputado federal Rogério Marinho se enfrentaram neste sábado, indiretamente, na eleição do Conselho Comunitário da Cidade da Esperança. Com direito a uma boa dose de confusão.

EVENTOS O deputado Henrique Alves foi convidado pelo presidente Lula para uma reunião de líderes, nesta segunda-feira, em Brasília. Henrique não aceitou o convite porque tem dois compromissos em Natal: a solenidade que marcará o ingresso da TV Cabugi na era digital, segunda, e o aniversário de 60 anos da TRIBUNA DO NORTE, na terça. AQUECIMENTO GLOBAL A Prefeitura do Natal vai abrir processo licitatório para a compra de gelo. GIRO PELO INTERIOR Wilma estará neste domingo no Oeste. Inaugura obras em Governador Dix-sept Rosado e Umarizal e participa do aniversário de Nilton Figueiredo, em Pau dos Ferros. SLOGAN TUCANO Petistas e simpatizantes do governo Lula estão sugerindo um slogan para a candidatura tucana. “Vote no Serra e ganhe a turma do Arruda de brinde".

“Os partidos políticos precisam ter coerência” ELISA ELSIE

Qual o desafio de quem assume a Procuradoria Regional Eleitoral em ano eleitoral, quando já começaram as movimentações dos candidatos? O desafio é basicamente buscar a legitimidade das eleições. Coibir os abusos, a propaganda irregular, corrupção eleitoral. Esse é nosso grande desafio: tentar mobilizar a sociedade e tentar evitar, através da aplicação da lei eleitoral, esses abusos que são constantes. Nós temos uma prática muito grande da corrupção, da venda de voto, influência do abuso do poder político e econômico. Os candidatos já se movimentam muito soando como propaganda antecipada.Isso traz um alerta maior para o senhor? Traz. Mas nós também temos que perceber que a eleição, na verdade, começa em contatos políticos. Isso a gente não pode fechar os olhos. Ou seja, a movimentação política deve existir. Não se faz uma campanha eleitoral a partir da convenção partidária. Isso nós sabemos. O que a legislação veda é a propaganda antes do período. Isso não podemos permitir. Os contatos políticos, reuniões, obviamente existirão porque fazem parte do jogo político e é natural. O que dizer sobre os novos instrumentos como twitter, redes sociais,blog? Como eles interferem e como a Procuradoria Eleitoral atuará com essas ferramentas? Essa discussão foi muito tormentosa dentro do TSE. Alguns ministros achavam que a internet era um local onde não deveria se regular, outros queriam a regulação detalhada da Internet. Na verdade, se tentou um meio termo. Ou seja, se coibir em algumas situações o uso de um mecanismo moderno de propaganda, que tem um poder muito grande. É um poder de alcance muito grande, principalmente para os jovens. Tem o twitter, orkut, as redes sociais elas têm alcance muito grande. Na verdade, a legislação eleitoral será aplicada tal como se aplica nos outros meios de comunicação. Inclusive nós já estamos verificando a existência ou não de propaganda irregular por meio da Internet, nós estamos apurando isso. Caso se verifique que algum candidato exorbitou, será postulada uma representação para aplicar as penalidades, que são multas. Então,o senhor confirma que já há uma investigação de propaganda eleitoral? Já. Nós estamos apurando um caso onde possa haver algum abuso. Vamos verificar se é uma coisa diminuta ou algo que represente propaganda antecipada. O TSE tem uma jurisprudência que, às vezes para o leigo, é propaganda antecipada. Mas o TSE fixou uma orientação que propaganda antecipada tem que delinear contornos, você tem que demonstrar que é o candidato mais apto para o cargo, é a propaganda dissimulada. Se verificarmos que esse contexto (da denúncia que está sendo investigada) se amolda a jurisprudência do TSE postularemos a aplicação de penalidades. O caso concreto a que o senhor se refere chegou como denúncia? Não. Foi de ofício (o próprio Ministério Público Eleitoral flagrou). Agora não existe nenhum procedimento. O que estamos fazendo é um levantamento, uma pesquisa para saber se a gente verifica. Como nós já sabemos que há pré-candidatos se tiver fazendo propaganda irregular iremos pedir a punição. O twitter seria a ferramenta mais usada pelos candidatos? Acho que sim. É muito instantâneo. É um mecanismo de muita eficácia porque tem um alcance muito grande. O senhor está vigiando o twitter?

ANNA RUTH DANTAS repórter

A

Procuradoria Regional Eleitoral no Rio Grande do Norte não admitirá que os partidos políticos façam coligações proporcionais desvinculadas das alianças majo-

ritárias. O procurador Ronaldo Sérgio Chaves confirmou que caso ocorra, o Ministério Público entrará com representação para impugnar as candidaturas, fruto dessas composições. “Os partidos precisam ter coerência. Se você vai se coligar na eleição majoritária, deve se coligar na proporcional. O problema é que nós temos os interesses dos representantes partidários que, às vezes, são conflitantes”, argumenta. Ronaldo Sérgio confirma que a Procuradoria já investiga o primeiro caso de propaganda eleitoral antecipada do pleito de 2010. Ele adianta que trata-se de um fato na internet, disse que o caso ainda está sendo “apurado” e confirma que poderá desaguar na representação com denúncia de publicidade antecipada. O procurador alerta que o Ministério Público está atento a ferramentas como o microblog twitter e orkut. “Não estamos deixando correr solto. Estamos atentos para evitar eventuais abusos”, comenta. Ele elegeu como uma das prioridades para o pleito de 2010 o combate ao abuso do poder político e econômico, mas sem prejuízo da punição pela propaganda eleitoral antecipada. Sobre os casos de fidelidade partidária, onde o candidato da legenda destoará da orientação do apoio da chapa majoritária, Ronaldo Sérgio afirma que esse é o caso do próprio partido cobrar “fidelidade”. Ronaldo Sérgio descarta que o Ministério Público Eleitoral agirá contra o candidato que destoar das orientações partidárias no pleito 2010. Nessa entrevista à TRIBUNA DO NORTE, ele convoca a população a colaborar com o Ministério Público enviando denúncias.

Eu não (risos). Mas a Procuradoria está atenta. Diria que estamos atentos, não estamos deixando correr solto. Estamos atentos para evitar eventuais abusos. E o caixa 2? Como a Procuradoria Eleitoral atuará para coibir essa prática? O caixa 2 é uma questão interessante porque a legislação criou um mecanismo eficaz que foi o famoso 30A, da lei das eleições. Esse é aquele dispositivo que por gastos ilícitos ou arrecadação ilícita de campanha você pode perder o mandato. Isso foi criado na legislação. A jurisprudência do TSE até então entendia que aquele que tivesse as contas desaprovadas não receberia a quitação eleitoral. Mas nós verificamos que a reforma que existiu (recentemente, feita pelo Congresso Nacional), retirou esse aspecto da quitação eleitoral. Criam um mecanismo útil, aí depois percebem que ele é eficaz e tentam retirar a eficácia. O Congresso Nacional retirou a eficácia da jurisprudência do TSE que até então entendia que a desaprovação das contas levaria a impossibilidade de você receber quitação eleitoral. Ou seja, você não seria candidato. Para exemplificar, o candidato que foi candidato em

As eleições tocam a paixão. O que a gente quer é que a sociedade desapaixonada, no sentido de ligação partidária, auxilie o Ministério Público e os canais que estão aí.” 2006 se teve contas desaprovadas nessa eleição de 2010 ele não receberia quitação eleitoral. Ou seja, a prestação de contas era algo sério. Você tinha que ter o cuidado necessário porque se tivesse a constatação que houve arrecadação ou gatos ilícitos você poderia não concorrer na eleição vindoura e isso a mini-reforma colocou abaixo. Ou seja, nós tivemos um avanço e agora um retrocesso com a legislação. O importante é ver que o entendimento era jurisprudencial. Outro problema, que discutismos semana passada com os procuradores eleitorais: o prazo na legislação de 15 dias depois da diplomação para entrar com ação. Esse é o problema. O proble-

ma é entrar com essas ações 15 dias depois da diplomação, limitaram algo que você poderia entrar até terminar o mandato. Se você descobrisse que houve irregularidade poderia entrar com ação. Então a gente vê, na verdade, que existe um movimento sempre de dificultar a aplicação da lei eleitoral quando se percebe que tem eficácia. Quando você verificava entrava com ação e cassava o mandato. Eles (os legisladores) limitaram o prazo para só 15 dias depois da diplomação. Isso mostra que o legislador, as vezes, tem percepção que se o dispositivo está sendo bem aplicado, então vamos agora limitar. A gente costuma dizer que a prestação de contas era o faz de conta. E hoje não é mais (o faz de conta)? Ainda é. Mas com a jurisprudência do TSE isso mudou um pouco porque a prestação de contas tinha uma grande eficácia, de você não se candidatar mais na próxima eleição, afora o abuso de poder econômico, caso fosse constatado. Mas essa penalidade específica a legislação retirou a eficácia. O que é uma pena. Vejo isso com muita preocupação. Como a Procuradoria irá trabalhar nesse prazo de 15 dias (após a diplomação) para entrar com ação sobre prestação de contas? Essa é a preocupação porque temos uma equipe pequena. Suscitamos isso para o Procurador geral eleitoral, ele ficou de analisar a possibilidade de entrar com uma ação de Argüição de Preceito Fundamental, que é uma ação constitucional, para argüir a inconstitucionalidade desse dispositivo frente a possibilidade de ineficácia de sua aplicação. Essa é uma preocupação séria do Ministério Público. Sabemos que nas eleições o Ministério Público sempre tem o apoio dos partidos opositores daquele que praticou o ilícito. Mas, mesmo assim, isso não é razoável essa limitação porque precisamos de um prazo. Geralmente, a prestação de contas começa a ser motivo de preocupação após as eleições. Nessa fase nós temos: agora nesse início é propaganda antecipada, depois entramos na fase de registro, momento crítico de impugnação para saber se os candidatos estão aptos ou não, na campanha eleitoral vem a preocupação, principalmente, com o abuso de poder e corrupção eleitoral, além da propaganda antecipada. Depois, passadas as eleições, vamos nos preocupar com a prestação de contas. Claro que você pode analisar antes do período, mas é naquele período que eles apresentam os documentos. Veja que é uma fase natural que pode, depois das eleições, ocasionar a perda do mandato por abuso do poder econômico ou arrecadação ilícita de campanha. [ LEIA MAIS NA PÁGINA 4 ]


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 21 de março de 2010

[ ENTREVISTA / RONALDO SÉRGIO CHAVES – CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 3 ]

Coligações livres não estão liberadas Como atuará o Ministério Público no caso de partidos que façam coligações na proporcional diferente das alianças majoritárias? Esse problema está surgindo hoje porque antes da Emenda Constitucional 52, de 2006, existia a verticalização que você deveria seguir as coligações nacionais, quem estava embaixo tinha que seguir quem estava lá em cima (na chapa para presidente da República). Veio a Emenda Constitucional nº 52 e ela fez alteração na Constituição e acabou com a verticalização. O que ocorre? Alguns passaram a entender que não existindo verticalização liberou geral. Não é assim. Por que não pode ser assim com liberdade para partidos fecharem qualquer coligação? Porque nós temos um dispositivo na lei das eleições que é o artigo 6º que dá diretrizes para as coligações. Embora exista a autonomia partidária, isso é inegável, o fato é

que não existe o liberou geral para as coligações. O próprio artigo 6º dá comandos que impossibilita, por exemplo, que partidos que estejam coligados, na mesma circunscrição eleitoral, dois partidos A e B, poderia o partido C, que não se coligou com eles se coligar para eleição proporcional? Não pode. O TSE, na nossa visão, disse que as coligações proporcionais só podem ser formadas a partir dos partidos que estejam aliados na majoritária. Então não se trata de verticalização. Verticalização é o que o partido nacional disser o outro respeita. Não se trata disso. Estamos falando que proporcionais tem ligação com as coligações majoritárias. Você pode até perguntar por que isso? Aí vem a história do fortalecimento dos partidos. E eu diria também um pouco de coerência. Os partidos precisam ter coerência. Se você vai se coligar na eleição majoritária deve se coligar na proporcional. O problema é que nós temos os interesses dos represen-

ELISA ELSIE

tantes partidários que, as vezes, são conflitantes. Para você conciliar os interesses, as vezes, é preciso uma certa mágica. Caso os partidos insistam em coligações proporcionais diferentes das majoritárias,o Ministério Público agirá com representação? Sim. Veja que a coligação tem que ser apreciada, comunicada, e será objeto pela Justiça Eleitoral. Nós participamos nesse momento. Se um registro de candidatura é feito por uma coligação que a gente acha que não pode existir, vamos impugnar o pedido de registro. Não há dúvida sobre isso. Se entendermos que há irregularidade na formação da coligação à luz da legislação eleitoral, há possibilidade da impugnação e vamos agir de ofício. O senhor fala de coligação, mas agora observando o cenário: aquele candidato que disputar por um partido e apoiar a cha-

Embora exista a autonomia partidária, isso é inegável, o fato é que não existe o liberou geral para as coligações.”

pa majoritária diferente da sua legenda poderá ser processado pelo Ministério Público? No assunto da fidelidade partidária os partidos é que precisam começar a atuar em relação a isso. O partido tem que saber se o candidato deve a fidelidade às orientações partidárias. Caso ele não tenha essa fidelidade precisa tomar as medidas que a autonomia partidária permite. Não podemos chegar ao ponto, eu, particularmente, não posso chegar ao ponto de tentar expulsar um determinado candidato porque ele não seguiu orientação do partido. Isso está dentro da autonomia partidária. Isso é diferente da situação em que ele sai do partido. Aí é diferente porque a legislação me confere a legitimidade já que o mandato não é do parlamentar, mas do partido. Se o eleitor votou tem o voto de legenda que permite a eleição de pessoas que tiveram menos votos que outros, pelo quociente eleitoral o de-

putado tem votação mais expressiva e não consegue entrar no parlamento. O eleitor, as vezes, vota no partido. Quando o político sai daquele partido, na verdade, está traindo o eleitor que depositou o voto de confiança naquele partido. Nesse ponto da infidelidade partidária em que ele sai do partido nossa legitimidade é prevista na legislação. Agora quando o político foge às orientações do partido aí é o partido que tem dentro da sua autonomia tomar as medidas que achar conveniente. O que será determinante nessa eleição para o Ministério Público? Sua atenção estará mais concentrada em quê? Na Procuradoria, nessas eleições gerais, contarei com o valioso auxílio de três procuradores, que serão os procuradores gerais auxiliares. Em 2006, eu, Fábio Venzon e Caroline Maciel atuamos auxiliando Edilson França. Agora nessa eleição eu contarei com o auxílio de três colegas: Ronaldo Pinheiro, Gilberto Carvalho e Rodrigo Teles. Esses procuradores auxiliares se concentrarão na propaganda antecipada, na possibilidade da captação ilícita e sufrágio, que é a corrupção eleitoral, e eu vou me concentrar na impugnação dos registros de candidatura e na questão do abuso do poder político e econômico. Essa será minha grande preocupação nas eleições. Inclusive, para tentar evitar esse abuso já existe a ação do Cheque-Reforma (programa do Governo do Estado, que a Procuradoria Regional Eleitoral impetrou representação no TRE para suspender a distribuição até o final das eleições). Sabemos que isso cassou um governador, que foi o da Paraíba. Estamos tentando fazer com que no Rio Grande do Norte não ocorra o abuso. No interior agirão os promotores. Os promotores eleitorais atuarão com poder de polícia e essa ajuda será muito valiosa. Eu conto com a ajuda dos procuradores eleitorais, na verdade, para entrar com as ações. Mas em todo Estado temos em cada zona eleitoral um promotor que atuará para coibir todos os abusos. O projeto “Ficha Limpa” ainda não saiu do Congresso Nacional. Mesmo assim há como o Ministério Público Eleitoral atuar em relação a isso? Acho que seria um grande avanço se fosse aprovado isso (o projeto Ficha Limpa). Mesmo achando que deveria se valorizar a decisão do juiz de primeiro grau, mas se isso é o possível que se aprove o possível.


Domingo | 21 de marรงo de 2010

especial

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 21 de março de 2010

Agnelo Alves O REPÓRTER NOTAS... ...SATON PMDB Apostas em alta sobre como o PMDB/RN sairá da “sinuca de bico” criada com a divergência de Garibaldi Filho e Henrique Eduardo na sucessão governamental. Garibaldi renunciará ao apoio explícito a Rosalba, do DEM? A “pule” mais cotada. TRE abrirá uma porta ou mesmo uma janela para uma solução.“Pule” menos cotada.

PRÉ-SAL INSTALA PRIMEIRA CRISE FEDERALISTA NO BRASIL COM O PETRÓLEO AINDA NO FUNDO DO MAR ARQUIVO

CULPADOS Por falta de uma legislação eleitoral, a partir da “fidelidade partidária”, os políticos estão pagando um preço alto. Não votaram uma legislação, empurrando com a barriga, o resultado está aí. Vai haver mudança no quadro de candidatos nas eleições de Outubro. É só esperar. O Ministério Público não abre mão do cumprimento da Lei.

Plenário do Senado,onde será decidida a crise federalista.Ganho para todos os Estados? Qual a fatia de ganho do Rio Grande do Norte?

PORTO OU MARINA O porto de Natal morreu de morte morrida. Bira Rocha sugere uma grande marina, que seria a maior da América Latina. A idéia é boa.

ATÉ CABEDELO Até o pequeno porto de Cabedelo está ganhando do porto de Natal. O único porto viável no Rio Grande do Norte é o do terminal salineiro de Areia Branca.

PRECEITO BÍBLICO Entre os líderes políticos está sendo um recitada uma corruptela de um conceito bíblico.“O quê Deus ligar na terra não será desligado não céu”. É em relação às coligações para as eleições majoritárias e proporcionais. Uma infernal confusão.

ROBINSON SACRIFICA AMIGOS Para garantir o apoio de uma bancada oposicionista forte na Assembléia Legislativa o Deputado Robinson Faria está sacrificando amigos candidatos a deputado Estadual, no Agreste. O primeiro sacrificado foi o exprefeito de Nova Cruz, Cid Arruda. Mas o ex-prefeito de Goianinha, Disson, está resistindo com o apoio de vários amigos de outros municípios do Agreste.

MATEMÁTICA Os matemáticos políticos de plantão fazem as contas sobre os resultados da eleição de outubro para governador e senador. Não vale citar os prognósticos.

REPERCUSSÃO A favor ou contra, a entrevista do Senador José Agripino, domingo passado na TRIBUNA, repercutiu a semana quase toda. Competência política.

FERRO E SAL O sal enferruja o ferro.O sal produzido no Rio Grande do Norte não deixa valores econômicos significativos no Estado.O ferro produzido em Jucurutu e adjacências poderá ter o mesmo destino.Anotem.

BOMBA Bomba política nos próximos dias? Sim, dizem os que sabem. Qual? Segredo, respondem. Uma pista? É melhor saber do fato. Mas é bomba mesmo.

om o petróleo ainda nas profundezas do mar e com a sua lucratividade prevista somente a partir de 2015 – se tudo certo – o Brasil está vivendo uma pré-crise com quase todos os estados de um lado e apenas outros dois estados de outro. É a crise do pré-sal. O Rio Grande do Norte está posto à margem da crise. Até agora, nenhum dos seus líderes políticos com assento no Congresso Nacional, palco da crise, se manifestou nem contra nem a favor, antes pelo contrário, apesar de dois dos seus representantes, Henrique Eduardo e João Maia, serem relatores de duas das quatro proposições em tramitação na Câmara – onde foram aprovadas – presentemente no Senado.

C

RIO GRANDE DO NORTE CALADO A Câmara Federal tem, institucionalmente, a representatividade do povo, a Nação. O Senado tem a representatividade dos estados. A Câmara foi onde a crise se instalou, através de uma emenda do deputado Ibsen Pinheiro, do PMDB gaúcho, igualando os percentuais dos “royalties” do pré-sal por todos os estados produtores ou não de petróleo. Dois estados se rebelaram, o Rio de Janeiro e o Espírito Santo, ambos produtores. O governo carioca foi estridente. Chorou. Esperneou e está levando a população carioca a se unir contra a emenda. O governador do Espírito Santo comporta-se de maneira mais discreta, porém igualmente contrário. O presidente Lula calou, mas seus líderes na Câmara afirmam que ele votará a emenda, caso seja aprovada.

ANO ELEITORAL O ano eleitoral favoreceu aos governadores do Rio de Rio Grande do Norte Janeiro, no seu tem dois relatores na protesto, e do Espíri- Câmara, mas o to Santo, abrindo a Governo do Estado crise. Os artistas car- faz silêncio total – iocas foram para as Expectativa ante a ruas. Os cálculos so- posição dos bre o prejuízo do Es- senadores Garibaldi, tado do Rio de Agripino e Rosalba”. Janeiro estão entre cinco e seis bilhões, cita-se sem nenhuma base oficial. O governador é candidato à reeleição, o quê já não acontece com o governador do Espírito Santo, que deverá renunciar nos próximos dias para disputar o Senado Federal. Os partidos, como sempre, não têm posição tomada. A posição que funcionará será entre Governo e Oposição. O Senado é considerado a “Casa do Bom Senso”. O quê sairá do Senado?

PRIMEIRA CRISE FEDERATIVA Na verdade, esta é a primeira crise federativa no Brasil. Os senadores estão com uma “batata quente” nas mãos, sem saber a posição que adotarão: 1 – Como Casa representativa dos estados. E aí a maioria a favor da emenda será esmagadora. Apenas seis senadores – três do Estado do Rio e três do Espírito Santo – votarão contra a emenda; 2 – Os senadores também poderão votar como integrantes das bancadas: governista e oposicionista. E aí ninguém pode imaginar qual será o placar no Senado, pois os senadores

costumam ser infiéis; 3 – Também cogita-se a possibilidade de um acordo – o mais plausível – embora não satisfaça nenhum dos lados e nem a ninguém. PREJUÍZO PARA GOVERNO FEDERAL A emenda substitutiva, se for apresentada, aumentará a participação dos Estados perdedores, Rio de Janeiro e Espírito Santo à custa do Governo Federal. Mas é difícil. Muito difícil, pois o Governo Federal não se mostra disposto a perder um real. Mas é o caminho que está sendo estudado. AS PERDAS DO RIO GRANDE DO NORTE

A relação entre o Rio Grande do Norte e a Petrobras é de desvantagem para o nosso Estado. Já fomos o Estado maior produtor de petróleo do Brasil. Chegamos aos 100 mil barris de petróleo, por dia. Hoje caímos para 65 mil barris. Reivindicamos uma refinaria. Quem ganhou a refinaria foi Pernambuco, que não produz uma gota de petróleo nem por dia, nem por semana, nem por mês, nem por ano. As outras duas refinarias para a região Nordeste, uma será no Ceará e a outra no Maranhão. FALTA DE VONTADE Até agora, nenhum parlamentar do Rio Grande do Norte fez qualquer pronunciamento sobre a emenda do deputado gaúcho Ibsen Pinheiro. É fatível que todos os deputados federais que estiveram presentes no plenário da Câmara Federal tenham votado a favor, mas sem nenhum conhecimento sobre o assunto. A vez, portanto, é dos senadores.

estória da história CATECISMO DO PSD MINEIRO DE TANCREDO E JK ERA DIFERENTE DO PSD DE DOUTOR ULISSES ARQUIVO TN

A convivência quase diária com o presidente Tancredo Neves me permitiu observar muitas de suas manhas políticas, sempre festejadas e realçadas como prova de um talento que, realmente, ninguém poderia negar-lhe. Um exemplo. Tancredo departamentalizava tudo, segredos, estratégias, conversas. O que conversava com um não conversava, necessariamente, com outros. Uma vez o doutor Ulisses Guimarães ficou sabendo que Tancredo confiara a um determinado companheiro uma missão. O doutor Ulisses somente ficou sabendo alguns dias depois da missão ter sido cumprida, exatamente junto a um dos dirigentes mais próximos dele, o doutor Ulisses. E o doutor Ulisses Guimarães era extremamente cioso de sua importância no processo de que se sentia excluído pelo doutor Tancredo. Conversava a sua insatisfação junto a um grupo de deputados e senadores, quando o Tancredo se aproxima. Creio que, à distância, Tancredo percebeu a insatisfação do doutor Ulisses e, com toda certeza, acredito, percebeu o motivo ao ouvir uma palavra ou mesmo uma frase do doutor Ulisses que tinha realmente vozeirão de alguns decibéis alterados. “Ulisses, estava esperando por você, porque

ARQUIVO TN

TANCREDO E ULISSES GUIMARÃES

lhe devo uma satisfação” – disse Tancredo, ao mesmo tempo em que puxava o Presidente do PMDB pela mão, saindo os dois, falando baixinho, para um canto da sala. A uma distância de três metros, mais ou menos, daria para eu ouvir o quê os dois conversavam. Mas, o doutor Tancredo falava baixinho e o doutor Ulisses estava se limitando a ouvir. Cerca de cinco minutos ou menos após, os dois estavam de volta, Ulisses silencioso e o doutro Tancredo feliz. Foquei na saída de um dos dois. Já conhecendo o doutor Tancredo o e o doutor Ulisses, pensei comigo mesmo, “vai ter prosseguimento”... E realmente, o grupo foi de desfazendo, principalmente quando o Tancredo puxou o doutor Ulisses pelo braço e o levou para o

seu gabinete, fechando a porta atrás de ambos. Os agendados para Tancredo receber, foram entrando. E o doutor Ulisses testemunhando, ouvindo tudo. Era tudo que doutor Ulisses queria. Ser prestigiado perante todos. Ao final, o doutor Ulisses, todo feliz, sai com o doutor Tancredo no mesmo automóvel. Nunca vim saber nada além. Primeiro, porque não me cabia perguntar. E também porque tinha certeza que Tancredo não dissera o quê o doutor Ulisses queria saber. E o doutor Ulisses já sabia, porque a missão fora junto a um dos seus melhores amigos. Por último, o quê doutor Ulisses queria era o quê Tancredo estava dando: todas as provas de prestígio. Já no final de campanha, vim a saber do “segredo departamentalizado” de Tancredo. Mas, desde aquele episódio, me certifiquei da lição que aprendi com Tancredo Neves: tem segredo e tem “segredo”. Um dos itens mais importantes do catecismo do PSD mineiro, que levou JK E TANCREDO à Presidência da República. JK, com saúde, assumiu. Tancredo, para assumir, sacrificou a saúde, sacrificando a própria vida. Não assumiu. Mas garantiu a redemocratização do Brasil. O catecismo no PSD comportava diferenças entre o mineiro e o paulista.

... CARO LEITOR... A rigor,novidade,nenhuma.Salvo se considerarmos coisa nova as especulações,os boatos,as versões. Anoto todas no computador que aciono no departamento da memória.Um dia,quem sabe, servirão para alguma coisa.A política é fértil na produção do que não se esquece.Um dia a gente reporta. Amigo,o quê danado tem de verdade A denúncia envolvendo a Prefeitura com um hotel lá em Ponta Negra? Falei Ponta Negra.Um fedor precedendo o emissário submarino está exalando da praia para a cidade, com 90 milhões de reais de fazer inveja e matar os professores da rede municipal de ensino,cujos salários,a prefeita alega falta de dinheiro.É tanto dinheiro que chega-se a desconfiar que não seja verdade. Mas o fedor é grande.Onde duas ou mais pessoas conversam,todas de lenço no nariz,não se fala noutro assunto. Prezado leitor,tudo indica que estamos vivendo o quê, antigamente,a imprensa chamava de“Seca Verde”.Os anos em que chovia,mas não corria água.Chove aqui,não chove acolá,mais adiante, apenas chuvisca.E também o abastecimento de água das cidades não depende mais de cisternas ou coisa aparecida.Desde que começaram a ser implantadas as adutoras,a água é corrente nos canos e torneiras de todas as cidades. E muitas outras razões,cara,entre as quais a seca só seria caracterizada nos sertões nordestinos,hoje,se faltassem as aposentadorias rurais e o“Bolsa Família”...Aí o grito já estaria no meio do mundo.O algodão,o“ bicudo”comeu.Não me lembro de outra cultura.O gado é tão pouco, pequeno e magro,que qualquer capim resolve.Dá prejuízo de qualquer maneira.Não fosse o programa do leite,não tinha mais nem uma vaca nos sertões do Rio Grande do Norte. Não quero ir além.Fica aí a“dica”para os pauteiros mandarem os nossos bravos colegas da reportagem levantar e reportar.No dia-a-dia,a Didinha continua coma as “artistagens”dela.Uma grande atriz. A Eusinha e Eu – que não sou eu, hein? – continuam belas, esplêndidas,passeando na cara de nós outros,que não temos como ir além do brado heróico de“viva o Brasil”,como recomenda o nosso bom amigo Manoel de Brito.O Jurubinha está reaparecendo.Eu soube.Mas não o vi,ainda. Meu abraço,amigo e até domingo próximo,com as bênçãos de Deus,NECO.

... O QUE SE DIZ... ...QUE,dos três ícones candidatos ao Senado,Garibaldi,Agripino e Wilma,o único que não tem acordos na paralela com Wilma é Garibaldi... ...QUE Wilma vai ser votada em vários municípios com Agripino que,por sua vez,em vários outros municípios,será votado com Wilma.Seis por meia dúzia...Ou acordo secreto entre o DEM e o PSB? ...QUE os amigos de Garibaldi começam a alertá-lo quanto ao resultado de 2006 para governador,quando o DEM votou em Wilma... ...QUE no Ágape – palavra esquecida – os amigos de Garibaldi vão festejar os 40 quarenta anos de sua vida pública e estarão presentes os três candidatos a governador Rosalba Ciarlini,Iberê Ferreira de Souza e Carlos Eduardo... ...QUE as pesquisas eleitorais pululam nas gavetas,enquanto os boatos,com seus resultados,se multiplicam muito mais...


geral

Domingo| 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

7

Futuro candidato a governador pelo PSB, vice-governador submeteu-se a uma cirurgia para retirada de um nódulo no pulmão, na última quinta-feira. Após a alta, Iberê passará mais alguns dias em São Paulo, por recomendação médica

[ RECUPERAÇÃO ]

Iberê deverá ter alta esta semana O “ vice-governador Iberê Ferreira de Sousa deverá receber alta do hospital Sírio Libanês nessa segunda ou terçafeira. O político, que será candidato a governador pelo PSB, submeteu-se a uma cirurgia para retirada de um nódulo no pulmão na última quinta-feira. Iberê Ferreira se recupera bem. Ontem pela manhã, ele recebeu a visita do médico Riad Younes, que integra a equipe de Roberto Kalil. O especialista avaliou que o vice-governador estava “muito bem” e recomendou que ele caminhe nos corredores do hospital. Mesmo recebendo alta no início dessa semana, Iberê Ferreira permanecerá em São Paulo, já que deverá ficar alguns dias de repouso até fazer a viagem aérea para a capital potiguar. A permanência na capital paulista é uma recomendação médica para evitar nos

Apesar de ter vindo para exames de rotina, decidiu fazer essa cirurgia em um momento acertado na vida dele”. GUSTAVO CARVALHO deputado estadual

primeiros dias a viagem de avião. No hospital, o peessebista tem recebido visita de familiares, amigos e políticos. Na última sextafeira, a governadora Wilma de Faria esteve com ele. O deputado estadual Gustavo Carvalho está em São Paulo, acompanhando o vicegovernador. “O vice-governador, apesar de ter vindo para exames de rotina em São Paulo, decidiu fazer essa cirurgia em mais um

momento acertado na vida dele. Identificou o nódulo no nascedouro e foi retirado. Ele continua a mesma pessoa otimista e sonhadora com o melhor para o Rio Grande do Norte”, disse o parlamentar. Iberê Ferreira está sendo atendido pelo cirurgião torácico e diretor clínico do Hospital SírioLibanês, Riad Younes, pelo oncologista Paulo Hoff e pelo cardiologista Roberto Kalil Filho, este último médico pessoal do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A cirurgia ocorrida na noite da última quinta-feira retirou um nódulo medindo um centímetro. Os médicos preferem não fazer prognóstico sobre a origem do nódulo e acreditam que a probabilidade de ser benigno ou maligno é de 50%. A expectativa é que o resultado da biópsia possa sair ainda neste final de semana.

EMANUEL AMARAL

Cirurgiado na última quinta-feira, vice-governador passa bem e deverá ter alta segunda ou terça

[ VIOLÊNCIA ] Polícia Federal garante segurança dos moradores da rua Wilma de Faria, na

[ CHUVA ] População começa reparo nos telhados

comunidade onde ocorreu morte do policial militar José Nelson Fernandes, no último dia 5

de casas, mas prefeitura diz que vai ajudar

PF faz ronda na D. Pedro I

Angicos contabiliza prejuízos após vendaval

MARCELO BARROSO

Polícia Federal está garantido a segurança dos moradores da rua Wilma de Faria, localizada na comunidade Dom Pedro I, no bairro de Pajuçara, zona de Norte de Natal. O local foi onde morreu o policial militar José Nelson Fernandes, o J. Fernandes, após ser baleado pelo suposto traficante Jackson Michel da Silva, de 20 anos, no dia 5 deste mês. A informação foi contada por uma moradora da rua. “Eles chegaram aqui, se identificaram como sendo da PF e disseram que a Polícia Militar não iria mais passar por aqui. Eles que iriam garantir a segurança”, revelou a mulher, que pediu para não se identificar. Os policiais federais têm passado no local de forma inesperada e em horários aleatórios, sempre vestidos a paisana. A vigia começou há cerca de uma semana. “Depois que houve essa confusão envolvendo o Jackson e o assassinato da mulher dele, (Francisca) Lúcia, a situação ficou muito difícil. Ninguém se falava mais, quando víamos a PM passando corríamos para dentro de casa, porque eles prometeram que voltariam para ‘tocar o terror’ aqui na rua. Isso, graças a Deus, não aconteceu”, contou a moradora. Mesmo com a PF de vigia, os moradores revelam que a insegurança ainda existe na Dom Pedro I. Sobretudo, por pessoas desconhecidas que também começaram a passar na rua depois do assassinato de J. Fernandes. “As vezes passam dois homens

A

E

Vigia da rua Wilma de Faria começou há uma semana e moradores se sentem mais seguros para sair

Usam sempre capacete ou uma película bem escura no carro, de forma que não conseguimos identificar quem são. Isso faz com que a gente fique dentro de casa direto, principalmente, à noite” MORADORA

foi preso na noite de sexta-feira por porte ilegal de arma de fogo

Homem é preso quando tentava cobrar dívida com traficante

O

va na portaria, foi arrastada por cerca de 50 metros. Segundo o soldado, as pessoas continuam assustadas, mas aos poucos reorganizam suas casas. REFORMAS O prefeito de Angicos Clemenceau Alves afirmou ontem que ainda na maioria das casas as telhas voaram, mas somente uma teve a estrutura seriamente ameaçada, já que o vento arrancou inclusive caibros. Clemenceau acredita que na segunda-feira será procurado pelos moradores em busca de ajuda para reforma de suas casas. Segundo ele, até agora, a população se encarregou de cobrir as próprias casas. “Receberei as pessoas na segunda-feira. Estou analisando uma forma de resolver esse problema”, disse o prefeito. CARLOS COSTA

em uma moto. Em outras, são homens dentro de um carro. Sabemos que não são os policiais da PF, então, ficamos com medo. Usam sempre capacete ou uma película bem escura no carro, de forma que não conseguimos identificar quem são. Isso faz com que a gente fique dentro de casa direto, principalmente, à noite”, afirmou. Jackson Michel continua internado no Hospital Médico Cirúrgico, no bairro de Petrópolis sob cuidados médicos. Ele está sendo guardado por policiais da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam). Apenas familia-

[ APREENSÃO ] Comerciante Tiago Rodrigo de Araújo, de 22 anos,

comerciante Tiago Rodrigo de Araújo, de 22 anos, foi preso na noite desta sexta-feira por porte ilegal de arma de fogo. Ele estava na rua Centenário da Abolição, no conjunto Cidade Praia, em Lagoa Azul, zona Norte de Natal, com dois revólveres - um calibre 32 e um 38. A intenção de Tiago Rodrigo era cobrar uma dívida com um traficante identificado apenas como Adriano. Tiago Rodrigo confessou ser o dono das duas armas e contou que as conseguiu há cerca de seis meses. O 32 custou R$ 200 e foi comprado no Parque dos Coqueiros, também na Zona Norte, enquanto o 38 havia sido adqui-

ste fim de semana é de avaliação de prejuízos para os moradores de Angicos, a 171 quilômetros de Natal. Atingida por um vendaval que alguns já chamam de mini-tornado, a cidade contabiliza os prejuízos, que vão desde a destruição de telhados de casas ao saldo de dois feridos por muros que caíram. Uma mesa que estava na portaria do quartel da Polícia Militar foi arrastada por 50 metros. Na manhã de ontem (20) o clima já estava tranquilo na cidade. O céu permanecia nublado e a previsão era de que apenas pancadas de chuva atingissem o local durante o fim-de-semana. Segundo o soldado Félix, da 2ª Companhia de Polícia Militar de Angicos, entre 40 e 50 casas tiveram as telhas arrancadas, e três muros caíram. Uma mesa de trabalho da Polícia Militar, que esta-

rido por R$ 350, no “Mercado da 4”, no Alecrim, Zona Leste. Os dois estavam carregados no momento em que ele foi detido. Segundo os policiais militares que fizeram a detenção do acusado e o encaminharam para a Delegacia de Plantão da Zona Norte, Tiago Rodrigo não resistiu a prisão. Por sinal, ele já havia sido desarmado e seguro por outros PMs, que estavam a paisana e chegaram antes na ocorrência. O comerciante afirmou que estava em Cidade Praia para cobrar uma dívida com um traficante, com quem ele havia deixado um relógio e dois cordões de prata - pertences avalia-

dos em R$ 1.250. O traficante devedor se chamaria Adriano e teria uma “boca de fumo” localizada na rua Centenário da Abolição. A informação não foi confirmada pela Polícia Militar. Tiago Rodrigo afirmou que a intenção com as armas era, também, garantir a segurança dele e da família, além de evitar novos roubos na loja de confecções, localizada na Cidade Praia. O comércio já teria sido alvo de três assaltos. Tiago Rodrigo disse ainda que tinha problemas mentais e que passou três meses internado no Hospital Severiano Lopes, mas não comentou o possível vício em drogas.

res que ele mesmo tenha indicado podem visitá-lo. Na casa onde morava com Francisca Lúcia, pouca coisa restou. “Os familiares deles levaram tudo. Acho que o Jackson não volta”, afirmou um morador que reside de frente para a casa do suposto traficante que teria atirado e matado no PM. Os filhos de Francisca Lúcia, um de 10 e outro de 14 anos, estão morando com o pai, no bairro de Mãe Luiza. O bebe que o casal havia adotado de uma mulher viciada em drogas está morando com o irmão de Jackson, em um local não divulgado.

Vendaval em Angicos derrubou muros e destelhou casas

FENÔMENO

CASO NARDONI

IGREJA

TEMPESTADE DE AREIA ATINGE CHINA

DEFESA PODE PEDIR ADIAMENTO DO JÚRI

PAPA PEDE DESCULPA POR ABUSOS SEXUAIS

A capital chinesa começou o sábado com o céu tingido de laranja em virtude da mais forte tempestade de areia que atingiu a região norte do país neste ano. O fenômeno causou atrasos em voos no aeroporto de Pequim e provocou alerta em Seul, na Coreia do Sul. O escritório para monitoramento do clima, em Pequim, classificou a qualidade do ar em um raro nível de periculosidade. Os desertos chineses em expansão agora cobrem um terço do país, em virtude de desflorestamento, pastos, expansão urbana desordenada e secas. A movimentação em areia tem levado a um aumento agudo das tempestades de areia, cujos grãos podem se espalhar por amplas extensões, chegando até mesmo nos Estados Unidos.

O pedreiro Gabriel Santos Neto, que encabeça a lista de testemunhas convocadas pela defesa de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, não foi encontrado pelos oficiais de Justiça do 2º Tribunal do Júri para ser intimado a comparecer ao julgamento desta segundafeira (22). A falta da testemunha pode levar a defesa do casal Nardoni a pedir o adiamento do júri, mas quem decidirá será o juiz Maurício Fossen. Na época, o pedreiro teria dito que alguém invadiu a obra em que trabalhava na noite em que Isabella foi morta. O terreno da construção ficava ao lado do prédio onde vivia o casal. O julgamento está marcado para começar a partir das 13 h no Fórum de Santana, na zona norte da capital paulista.

O papa Bento XVI, em carta aos fiéis irlandeses, pediu desculpas por abusos sexuais cometidos por bispos da igreja no país. O pontífice criticou severamente os bispos irlandeses por “graves erros de julgamento” na condução das questões ligadas ao abuso sexual cometido por clérigos, ordenou que seja feita uma investigação na igreja irlandesa para averiguar as ocorrências, mas não mencionou qualquer responsabilidade do Vaticano no escândalo. O papa também não citou punições aos bispos acusados pelas vítimas nem fez referências às investigações ordenadas pelo governo irlandês pelo acobertamento de anos de abuso. Bento XVI pediu desculpas pelo mal feito às gerações de católicos irlandeses.


8

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 21 de marรงo de 2010


geral

Domingo | 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 9

[ CASO GLAUCO ] Justiça acata pedido da polícia para aprofundar as investigações sobre o assassinato do cartunista Glauco

Vilas Boas e do filho Raoni, mortos numa chácara em Osasco. Rastreamento de celular mostra contradições dos acusados

Justiça autoriza quebra de sigilo ão Paulo (AE) - A Justiça de Osasco autorizou a quebra do sigilo telefônico do estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos, assassino confesso do cartunista Glauco Vilas Boas e seu filho Raoni. Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a medida também abrange o sigilo telefônico do estudante Felipe Iasi, de 23 de anos, que levou o acusado até o local do crime. A polícia pediu a quebra do sigilo telefônico para identificar as chamadas feitas e recebidas pelos envolvidos no caso. Agora, a Justiça vai informar a determinação às operadoras de telefonia. Glauco e Raoni foram mortos a tiros na chácara onde moravam, em Osasco, na Grande São Paulo, na semana passada. Nunes está preso na Polícia Federal de Foz do Iguaçu (PR), onde foi detido ao tentar chegar ao Paraguai. Em depoimento, ele confessou o crime e disse ter obrigado Iasi a levá-lo até o local do crime, versão dada pelo estudante à polícia. A polícia já fez um rastreamento das antenas de celular da região da chácara de Glauco, o que permitiu saber o trajeto de Nunes após o crime. A investigação apontou que o acusado levou 9 minutos para percorrer uma distância de 9 km entre a casa do cartunista e a Ave-

S

NÚMEROS

9

quilômetros foram percorridos pelo assasssino em apenas nove minutos,o que descarta fuga a pé,como alega o acusado.

2 mil reais era o dinheiro que estava com Carlos Eduardo quando ele foi preso em Foz do Iguaçu,no Paraná.

nida das Comunicações, no bairro IAPI. Para a polícia, isso é incompatível com a versão de Nunes, que diz ter fugido a pé. A quebra do sigilo telefônico pode ajudar a esclarecer se alguém o ajudou a escapar, possivelmente o próprio Iasi. Elementos que ajudariam a revelar detalhes do assassinato do cartunista Glauco e de seu filho desapareceram. É o que apontou o advogado Gustavo Badaró, responsável pela defesa de Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, em entrevista ao jornal Gazeta do Povo. Teriam sumido o celular que Nunes usava no dia do assassinato, um dos pen-

tes da pistola usada no crime e na fuga, e cerca de R$ 2 mil em dinheiro que estariam com o acusado no momento em que foi preso. Badaró esteve Polícia Federal na última sexta-feira para acompanhar o depoimento de Nunes à polícia. De acordo com o advogado, o plano do acusado era permanecer no Paraguai por um determinado período e depois retornar ao Brasil para procurar outro membro da Igreja Céu de Maria, provavelmente a viúva de Glauco, Beatriz Galvão. O objetivo do acusado seria provar que seu irmão mais novo é a reencarnação de Jesus Cristo. O advogado levou roupas, chinelos, uma Bíblia e uma carta assinada pelo irmão de Nunes. Na sexta-feira, mais de 250 pessoas, todas vestidas de branco, chegaram silenciosos na igreja Céu de Maria, em Osasco, na Grande São Paulo, para a missa de sétimo dia do cartunista Glauco Vilas Boas e seu filho Raoni. Cerca de 30 metros antes da entrada da igreja, fiéis paravam os automóveis para pedir que os frequentadores não conversassem com os repórteres. A igreja fica na chácara onde Glauco e Raoni moravam e foram assassinados por Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, de 24 anos. A imprensa foi impedida de acompanhar a missa. MARCOS LABANCA/GAZETA DO POVO/AE

Gustavo Badaró,advogado de Cadu,fala à imprensa na delegacia da Polícia Federal,em Foz do Iguaçu

Estudante ligou duas vezes para a PM após o crime São Paulo (AE) - O estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, 24 anos, acusado de matar o cartunista Glauco Vilas Boas, 53 anos, e o filho Raoni, de 25 anos, ligou duas vezes para o 190 da Polícia Militar após o crime. Em depoimento à Polícia Civil, ele contou que queria se entregar e na primeira ligação, o atendente pensou que fosse trote. Na segunda chamada foi orientado a ir a um distrito policial. Em nota oficial, a PM confirmou ter recebido as duas ligações feitas do celular de Cadu, a 0h30 do último dia 12, quando o cartunista e o filho foram mortos a tiros em Osasco, na Grande São Paulo. A PM informou que nas duas ligações, Cadu narrava coisas desconexas e sem sentido. Também não forneceu sua localização ou outras informações para que uma viatura fosse enviada até o local e, por isso foi orientado a se deslocar para um distrito policial. A Polícia Civil informou ter detectado uma mentira no depoimento prestado por Cadu. O rapaz disse que roubou um carro no Morumbi, zona sul, às 9h30 do dia último dia 14 e fugiu em seguida pela Régis Bittencourt para Foz do Iguaçu (PR) onde foi preso por volta de 23h30. O veículo, no entanto, foi flagrado no Ibirapuera às 13h do mesmo dia. Segundo o delegado Marcos Carneiro, diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro), Cadu pode ter ido ao Ibirapuera para encon-

Ninguém foge para um lugar distante sem dinheiro. Isso reforça a tese de que ele premeditou o crime” MARCOS CARNEIRO delegado

trar-se com alguém e receber ajuda para fugir. “Ele contou no depoimento que tinha R$ 2 mil. Alguém pode ter dado o dinheiro a ele. Ninguém foge para um lugar distante sem dinheiro. Não daria para abastecer o veículo. Isso reforça a tese de que ele premeditou o crime”, argumentou o policial. A outra mentira de Cadu, segundo a polícia, foi ter dito que fugiu a pé do local do crime por volta da 0h30 do dia 12. O delegado Archimedes Cassão Veras Júnior, do Setor de Investigações Gerais (SIG) de Osasco, apurou que Cadu percorreu uma distância de pelo menos 12 quilômetros em 11 minutos e não poderia ter feito isso a pé. A suspeita da Polícia Civil é de que o universitário Felipe de Oliveira Iasi, 23 anos, tenha dado fuga ao amigo Cadu. Foi Iasi quem o levou para a casa do cartunista, na noite do crime. Ao depor ao delegado Veras Júnior, Iasi disse que foi sequestrado e ameaçado de morte por Cadu, caso não cumprisse a ordem dele.


10 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 21 de março de 2010

[ ELEIÇÕES 2010 ] Enquanto Serra admitia candidatura, Lula e Dilma gastavam boa parte da

agenda discutindo ações em saneamento, energia e petróleo e melhorias em favelas

Cláudio Humberto E-mail: ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br

Acusado no mensalão é nomeado ersonagem do mensalão do PT, o ex-vice-presidente local do partido Raimundo Júnior ganhou na Câmara Legislativa do DF, presidida pelo cunhado, o também deputado petista Cabo Patrício, a “boquinha” de secretário-geral – um dos cargos mais importantes na estrutura do Legislativo. Raimundo, que trabalhava na direção nacional do PT, sacou ao menos R$ 100 mil de contas do mensalão no Banco Rural.

P

É melhor assim, jogar aberto com o povo todo sabendo”

Dep. Fernando Ferro (PT), sobre o anúncio não-oficial da candidatura de José Serra

Destinatário

Profissional

Raimundo Júnior contou à Polícia Federal haver entregue a Delúbio Soares, tesoureiro do PT, o dinheiro que sacou do Banco Rural.

À época do mensalão do PT, Raimundo Júnior também tinha uma boquinha no gabinete do deputado Paulo Delgado (PT-MG).

PORTAL OPACO O Portal da Transparência do governo Lula anda opaco. Há mais de um mês não atualiza (portanto, omite) gastos com cartões corporativos. FARRA IMPARÁVEL Até fevereiro, o governo federal havia torrado R$ 6,1 milhões com cartões corporativos. As despesas são secretas.

TV do Lula lança ‘Cara e Coroa’ A TV Brasil, a tevê do Lula, vai estrear um novo programa, transmitido em rede para todo o País: “Cara e Coroa”. Qualquer semelhança com o presidente, a quem o americano Barack Obama denominou

de “O Cara”, e sua ministra-candidata Dilma Rousseff, que vem sendo chamada nas ruas de “Coroa”, não é mera coincidência, segundo suspeita a oposição. A estatal EBC prevê sua estréia em maio.

PODER,NÃO PODE A Casa Civil da Presidência da República renovou contrato com a TIM. Publicou-o em 19 de março com vigência retroativa a 16 de janeiro. RAROFLAGRANTECOM... ...PUNIÇÃO IMEDIATA Ositeclaudiohumberto.com.brnoticiou primeiro a prisão, no DF, de um supostoportadordepropinaparaosecretário de Justiça, Flávio Lemos.

O secretário Flávio Lemos negou que os R$ 104 mil fossem para ele, mas ainda sim ele será exonerado nesta segunda-feira.

Bandidos favorecidos A libertação de três acusados da morte do prefeito de Santo André, Celso Daniel atrasará ainda mais o desfecho do caso. Livres, serão favore-

cidos, caso o juiz de Itapacerica da Serra (SP) decida quinta (25) que enfrentarão júri popular, lamenta a promotora Mylene Comployer.

Tempo, tempo

Candidatíssimo

Soltos, os acusados do assassinado de Celso Daniel poderão manobrar para atrasar a primeira fase do processo. Eles já cumpriram mais de um sexto da pena máxima de 30 anos e podem também se beneficiar da progressão, mesmo por crime hediondo.

No programa do PRB na TV, o vice José Alencar comoveu outra vez o País, afirmando que se sente curado do câncer, mas se apresentou com cacoetes de candidato. Candidato ao governo de Minas Gerais.

Nomeações explicadas Dos 823 nomeados pelo governador Wilson Lima, segundo informa sua assessoria, 430 eram concursados à espera de admissão (agentes penitenciários, auditores e médicos). Os demais eram comissionados.

Carepa sem prestígio Em reunião com políticos do Pará, o ministro Nelson Jobim (Defesa) foi interrompido pelo secretário de Segurança do Estado, que lhe pas-

sou o celular. Era sua chefe, a governadora Ana Júlia (PT). Jobim não gostou, foi seco: “Tudo bem, falarei com eles”. Desligou. E não falou.

Almas penadas

Eles merecem?

Os indefectíveis Frei Betto e o poeta Thiago de Mello são alguns dos mirrados 674 nomes no abaixo-assinado em www.porcuba.org, em favor da “não ingerência nas questões internas”. Que piedosos...

O terrorista Cesare Battisti foi visitado na penitenciária da Papuda por diplomatas da embaixada da Itália, que levaram medicamentos e livros. Outros três presos italianos não tiveram a mesma atenção humanitária.

AFLIÇÃO NO PODER Se alguns ministros que sairão em 31 de março mostram sinais de noites mal dormidas, seus auxiliares diretos apresentam sinais de sonambulismo. Não sabem o que os espera depois de 1º de abril.

PENSANDO BEM... ... o governador Sérgio Cabral quer o Rio de Janeiro na Opep e o resto do Brasil como “cliente”.

Planalto monta estratégia para consolidar Dilma CLAYTON DE SOUZA/AE

rasília (AE) - Enquanto o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), deixava claro em programa de TV sua candidatura ao Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua equipe voltava a se reunir no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) para fechar a nova versão do Programa de Aceleração do Crescimento. Na avaliação de auxiliares de Lula, o PAC 2, mais que dar visibilidade à ministra da Casa Civil e pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, concluirá o “legado” do governo para o desenvolvimento do País. Lula e Dilma gastaram boa parte da agenda discutindo ações em saneamento, energia e petróleo e melhorias em favelas e centros urbanos. O presidente tem reiterado que o programa, com obras previstas para o próximo ano, permitirá que seu sucessor governe no primeiro ano com orçamento definido. Aos assessores, ele disse esperar que o PAC 2 seja visto como a consolidação da ideia de planejamento em áreas como logística, saneamento e energia e avisou que está preparado para rebater críticas de que o programa tem objetivos de curto prazo. Para o presidente, a “largada” da disputa de 2010 já foi dada, segundo um auxiliar. Ele avaliou que o PAC 2 vai qualificar o debate e exigir que os concorrentes na eleição presidencial de outubro se posicionem sobre suas principais metas. Um auxiliar direto do presidente disse que Serra certamente será questionado sobre o PAC 2 e terá de tomar uma posição. “Ele (Serra) terá de se posicionar sobre tudo, até sobre o PAC 2”, observou. “Terá de dizer se é contra e apresentar sua proposta.” Lula cuida pessoalmente dos preparativos do anúncio do PAC 2, na manhã do dia 29, no Centro de Convenções Brasil 21, em Brasília, e da festa de despedida de Dilma e outros ministros que vão deixar seus cargos para concorrer nas próximas eleições, na tarde do dia 1º, no Itamaraty. Os dois eventos são apostas do Planalto para dividir os holofotes com José Serra, que ganhará bom espaço a partir de agora, que deixou claro que estará na corrida eleitoral, na avaliação de assessores do governo. A solenidade no Itamaraty no dia 1º, quando Dilma e outros ministros deixarão o cargo e secretários dos ministérios irão assumir as pastas, será a oportunidade de Lula fazer um agradecimento em especial à sua candidata ao gover-

B

José Serra é cumprimentado por eleitora na inauguração do Poupatempo, na cidade de Piracicaba CÉLIO MESSIAS/AE

Serra e Dilma: duelo de obras e programas

Dilma Roussef: programa de desenvolvimento sob medida

no, disse um ministro. Dilma está no governo desde janeiro de 2003, quando assumiu o Ministério de Minas e Energia. Mas foi a partir de junho de 2005, com a queda do então ministro da Casa Civil, José Dirceu, no rastro da crise política, que Dilma ocupou essa pasta e tornou-se uma das principais assessoras do presidente. Pessoas próximas de Lula lembram que, ao trazer Dilma para dentro do Planalto, o presidente conseguiu, num momento de turbulência, recuperar credibilidade, com a imagem da ética desgastada. O perfil técnico da ministra deu ao círculo mais íntimo de Lula uma imagem mais austera, menos partidária. Erenice Guerra, secretária-executiva de Dilma, assume a pasta da Casa Civil.

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE COMARCA DE CAICÓ JUÍZO DE DIREITO DA 1ª VARA CÍVEL Rua Felipe Guerra, nº 179, centro, Caicó-RN, CEP 59.300-000. Fone (84) 3417.2933/Ramal 224 EDITAL DE CITAÇÃO (Prazo 30 dias) Processo: 101.08.000848-8. Ação: Usucapião Autor: Sérvulo Lopes Neto. Ré: Ana Anita Camboim Medeiros CITANDOS: Os possíveis interessados incertos e desconhecidos, respectivos cônjuges, em lugar incerto e não sabido, na forma do Art. 942, CPC; FINALIDADE: Responder a ação no prazo de quinze (15) dias a contar da fluência do prazo do edital, sob pena de revelia. OBJETO: Imóvel situado na Avenida Seridó, nº 330, centro, Caicó-RN, com área total de 152,40m², medindo 12m de frente, por 12,70m de fundo, limitando-se ao norte: com o prédio nº 318 da Av. Seridó, de propriedade de Gentil Homem Filho; ao Sul: com a Rua Professor Coutinho; ao Leste: com o prédio nº 206 da Rua Professor Coutinho, de propriedade de José Milton de Araújo; e ao Oeste: com a Avenida Seridó. ADVERTÊNCIA: Não sendo contestada a ação, presumir-se-ão aceitos, como verdadeiros, os fatos articulados pelo autor. DADO E PASSADO nesta Comarca de Caicó, Estado do Rio Grande do Norte, aos 18 de março de 2010. Caicó, 18 de março de 2010. Sérvulo Lopes Neto Autor

autos &

motores

TODAS AS SEXTAS NA TRIBUNA DO NORTE

São Paulo (AE) - Enquanto não é dada a largada oficial da campanha e os pré-candidatos não podem assumir oficialmente a condição de protagonistas das eleições, as duas principais máquinas governamentais do País travam um duelo de programas, obras e factóides. De um lado, o governo federal, com o Programa de Aceleração do Crescimento, o Minha Casa, Minha Vida e o Bolsa-Família. De outro, o governo de São Paulo, com o Rodoanel, as Fatecs (escolas técnicas) e o Renda Cidadã. Os condutores dessa batalha estavam em campo na sextafeira. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu ministros para acelerar os preparativos do PAC-2, programa de obras que lançará no dia 29. Já o governador José Serra lançou na capital a pedra fundamental de uma das 26 escolas técnicas e faculdades de tecnologia (Etecs e Fatecs) que pretende colocar em funcionamento até dezembro. Também esteve em Mogi-Mirim e Mogi-Guaçu para entregar

unidades novas e reformadas. Com os investimentos em educação, Serra busca neutralizar o discurso de Lula de que foi, em toda a história do País, o presidente que mais ampliou o ensino técnico e universitário. O governo federal planeja inaugurar neste ano 99 instituições técnicas de ensino médio e superior. Os dois governos também atuamno sentido de levar o saneamento básico para a vitrine eleitoral. Desde o início do mês, Serra inaugurou sete estações de tratamento de esgoto. Até dezembro, pretende entregar outras 66. Lula, por sua vez, fez do saneamento um dos pilares do PAC e deve anunciar recursos vultosos para o setor na segunda parte do programa. A disputa pelos holofotes se estende ao mundo do trabalho. No final do ano passado, o presidente anunciou a elevação do salário mínimo para R$ 510 - o reajuste, de 9,69%, superou a inflação. Em fevereiro, Serra surpreendeu ao anunciar um reajuste ainda maior para o piso salarial do Estado, de 10,89%. O valor do piso passou para R$ 560. Serra disse numa entrevista a Datena, apresentador de um programa policial da Band que deverá mesmo ser candidato a presidente da República.


Domingo | 21 de março de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

11

Com a chegada da nova tecnologia, a Inter TV Cabugi traz para o Estado o que há de mais moderno em transmissão televisiva – isso significa dizer que a qualidade do que hoje é produzido e transmitido ganhará proporções das telas de cinema

[ TV DIGITAL ]

Um novo jeito de ver televisão SARA VASCONCELOS Repórter

partir de amanhã (22), um mundo de imagens cristalinas e de som perfeito passa a integrar a forma de ver televisão no Estado. É a era da TV digital que chega a casa do potiguar, por meio da InterTV Cabugi, primeira emissora do Rio Grande do Norte a lançar transmissão em sinal digital. Isto implica dizer que a qualidade do que hoje é produzido e transmitido para as telinhas, ganhará proporções das telas de cinema, mesmo quando reduzidas ao display de um celular ou das minitvs, que chegam ao mercado. Permitindo acompanhar a novela ou se inteirar das últimas notícias, sem a preocupação de chegar a tempo em casa. Ou seja, não é apenas o como ver, mas o onde, quando e o quê é visto que ganharão nova roupagem.

A

“É mais que uma nova tecnologia é a mudança da forma de fazer televisão e também nos costumes dos brasileiros”, disse o diretor executivo da InterTV Cabugi Dirceu Simabucuru. A importância do evento para a mídia televisa e o mercado local pode ser medida pela atenção que vem despertando, não apenas nos telespectadores. A InterTV Cabugi fará uma apresentação detalhada do novo sistema no lançamento oficial, programado para começar às 18hs, nos jardins da sede da emissora. Estão confirmadas as presenças do ministro das Comunicações, Hélio Costa, da diretora da Central Globo de Afiliadas e Licenciamento (CGAL), Claudia Quaresma, e do o presidente da rede InterTV, Fernando Camargo. A governadora Wilma de Faria, a prefeita de Natal, Micarla de Sousa, e lideranças empresarias também estarão presentes. “Ás 19h, com a entrada do RN

TV dois, vamos começar a transmitir ao vivo com o ministro Hélio Costa apertando o botão que vai liberar o sinal digital para nossas transmissões”, disse Dirceu Simabucuru. Um pouco antes do evento na InterTV, o ministro deverá participar (às 15hs) de uma solenidade na Fiern, assinando a autorga do sinal digital para todas as emissoras de tv em operação no Estado. No âmbito da InterTV, a relação com o expectador passará a ser de interação com os programas da grade, seja votando em enquetes jornalísticas, comprando produtos exibidos na novela ou acessando informações adicionais ao conteúdo exibido. A forma de medir a audiência pelo Ibope também está sendo reformulada. Mas calma. Não é necessário trocar os aparelhos 29”, adquiridos há pouco mais de um ano, pelos modelos de alta definição (ou

HDTV). A emissora continuará transmitindo simultaneamente, nos dois sistemas – analógico e digital – até 2016, quando a cobertura do novo modelo deverá atingir todo território brasileiro. Em princípio, a transmissão ficara restrita aos municípios da região metropolitana de Natal. Além disso, para ter acesso a essa tecnologia, sem desembolsar alguns milhares de reais em supertelas de tevês de plasma, LCD ou Led, a aquisição de um conversor, do tipo Set Top Box acoplado a uma antena de UHF é o bastante. Os conversores disponíveis em algumas lojas da cidade, ao custo médio de R$ 300, são compatíveis a todos os modelos, desde os convencionais - tubo ou “slim” às novas tecnologias. Sem dúvidas, o mais impactante é a qualidade de som e imagem em relação aos já conhecidos. A transformação é possível graças ao

sistema de envio de sinal. Antes a informação chegava dos satélites pelas torres receptores das redes de tevê e de lá, eram decodificadas, e seguiam para serem reenviadas às milhares de telinhas ligadas em 90% dos lares brasileiros. Na TV Digital, a transmissão do áudio e do vídeo passa a ser feita através de sinais digitais que, codificados, permitem um uso mais eficiente, com um volume muito superior de dados. A precisão da imagem Full HD é quatro vezes superior a atual, saindo de uma resolução analógica de 400 x 400 pixels para 1920 x 1080 pixels. Com isso, até as ruguinhas que a maquiagem não conseguiu esconder daquela senhora atriz serão reveladas junto com seu talento. Eliminando a possibilidade de chiados e chuvisco durante a transmissão dos programas. “Ou a imagem é ótima ou não é digital. Não existe meio-termo”, frisa Simabucuru.

PORTABILIDADE A facilidade de assistir a televisão, a partir do celular, notebooks e miniTVs, promete revolucionar o hábito dos natalenses e transformar qualquer ambiente - do banco do ônibus às praças e calçadões a beira-mar - em “salas” de tevê, por meio da nova tecnologia. A mobilidade e a portabilidade aferidas pela alta definição com certeza irá alterar a rotina dos brasileiros. A alteração amplia o número de telespectadores, incluindo uma fatia expressiva que passa o dia fora de casa,e poderão ficar ligados durante o almoço, na volta para casa ou até na academia.

FOTOS:EMANUEL AMARAL

O diretor-executivo da Inter Tv Cabugi, Dirceu Simabucuru, explica as mudanças trazidas pela tecnologia e os benefícios que o novo tipo de transmissão trará para os telespectadores do Estado

Lançamento aquece vendas de TVs Nem mesmo começou a operar, e a transmissão digital já aquece as vendas de aparelhos de TV e decodificadores do sinal de alta definição. Basta ir a qualquer loja ou seção de eletrônicos do hipermercado para conferir o crescimento na procura por tevês de LCD, LED ou de plasma. Nos últimos 15 dias, a saída foi tamanha, que alguns lojistas optaram por renovar o estoque. Finas e com suas telas planas, possíveis de serem fixadas na parede, e com preços mais acessíveis que há nove anos quando chegaram ao Brasil, a estimativa póslançamento do sinal digital é de um incremento de até 10% nas venda de TVs de plasma. Com preços variando de R$ 799,00 (19”) a R$ 3.999,00 (52”), dependendo da marca e do modelo, as tevês que mais parecem quadros para por nas paredes de

tão finas, deverão ter um impulso maior após a liberação do sinal. Segundo o vendedor Marcelo Manzin, as vendas da tevê com tela de 42 polegadas bateram o recorde nas primeiras semanas de março. Passaram de cinco para até onze aparelhos em uma semana. “Muitos estão aproveitando as promoções e levando, com medo de reajuste nos preços”. Apesar da correria nas lojas, ele conta que ainda há público para a tevê analógica nos modelos “Ultra Slim”, mais finos que as de tubo. Nas lojas do Centro da cidade, o crescimento também foi expressivo. A partir desta semana, o comércio deve se preparar para oferecer produtos em maior número. “Imagine quando começar a Copa, vai sair como água”, observa o vendedor Ednaldo Alves, das Lojas Rabelo,. Até lá, a enfermeira Ana Paula Costa, 32, espera uma

queda nos preços. “Estou levantando preço, mas vou esperar a melhor oportunidade. A vontade é de levar logo, pra desfrutar de uma tecnologia mais avançada. Mas se está caindo, deve descer mais”, acredita. O vendedor Daniel Jácome, da Laser Eletro, conta que muitos consumidores estão optando em vender os aparelhos convencionais, para dar entrada no equipamento “high definition”. A preferência entre eles é pelos equipamentos completos, que dispensam o uso de adaptadores para transformar a imagem. “A compra separado do conversor não compensa, claro que o fator determinante é o poder aquisitivo, mas só quem realmente não pode substituir uma tubo por uma LCD, ou quem já tem sem ser embutido, está procurando os conversores”, observa.

TELEVISORES Características dos aparelhos disponíveis no mercado

Preto e Branco Feita em madeira,a maioria usava tubo de imagem e era bem larga, o sintonizador manual vinha no formato de botão rotatório.Para funcionar era preciso deixar esquentar.Não tinha sintonizador de canal em UHF o que limitava o número de canais. O som chegava antes da imagem.

Colorida Som e imagem já chegavam simultaneamente. Os paraelhos eram produzidos em diversos tipos de material,até em imitação de madeira.O painel de botões passou a ser sensível ao toque.

LCD Os tamanhos variam de 13 a 45 polegadas.Pode ser vista a um ângulo de até 175º.É mais leve e menos espessa que as TVs de plasma - Funciona bem em ambientes com muita luz,são mais econômicas,pois gasta pouca energia elétrica;tem a vantagem ainda de funcionar como monitor para computadores.

Plasma Vai de 32 a 63 polegadas;e possibilita ser vista a um ângulo de até 160º.É mais barata e apresentam melhor contraste das imagens que os parelhos de LCD.

As transmissões do sinal digital começarão a ser feitas amanhã, com a inauguração do sistema

Dos aparelhos preto e branco a era digital Nos últimos 59 anos, desde que a “caixa mágica” foi introduzida nos lares brasileiros, a televisão passou por várias transformações. A primeira transmissão no Brasil foi em 1950. Era o início da TV analógica. Uma novidade fabulosa, mesmo com a imagem em preto e branco, com pouca nitidez e muito chuvisco. Era considerada artigo de luxoe presente apenas em alguns lares. Em 1972, o mundo que víamos na TV ganhou cores. Mesmo com os aparelhos antigos funcionando, ter uma “TV em cores” virou sonho de consumo. Mais de 30 anos, em 2007, o Brasil entrou na era da TV digital e o jeito de ver televisão começou a mudar mais uma vez.

O RETÂNGULO Na era digital,a funcionalidade ganha outra forma geométrica.A mão da vez vai no retângulo.O formato similar ao de cinema (9x16 ao contrário do 3x4 do sistema analógico) permitirá um campo de visão ampliado,abrindo espaço para mais informações do que o“quadrado”a que estamos habituados. “É como tirar uma tarja preta da lateral.Como ver no cinema, quando passamos o DVD no formato de televisão e não com o zoom desligado,o que sobra não é visualizado”, observa Simabucuru. A High Definition Television (HDTV) força ainda uma produção mais elaborada.“Tudo terá que ser repensado,porque passará a compor o cenário”, observa.


12

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 21 de marรงo de 2010


Domingo | 21 de marรงo de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

13


14

quadrantes

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 21 de março de 2010

NEY FIGUEIREDO [ Consultor político ]

A oposição tem chance? or qualquer ângulo que se examine o quadro eleitoral as perspectivas de uma possível vitória para oposição são bem modestas. Certamente isto tenha adiado a decisão final do governador Serra em declarar-se ou não candidato à presidência da República. Como derrotar um mito, que não se formou do nada e nem foi inventado por algum marqueteiro, que chegou, através de longa caminhada, ao lugar privilegiado antes reservado sómente aos donos do poder ou aos seus prepostos? Não será com certeza tentando desconstrui-lo, como pregam alguns analistas pouco atentos. Por este caminho a derrota é certa. Não será, também, procurando comparar as realizações do governo FHC com o dele. Lembremo-nos que nos últimos 8 anos, 14 milhões de pessoas fizeram um trajeto notável de ascensão social, transpondo a linha de pobreza e indo se alojar na classe C, que, pela primeira vez em nossa história, representa a maioria dos brasileiros:52,3% da população! As causas de tamanhas transformações estão estribadas, em parte, nas políticas de distribuição de renda, com destaque para o Bolsa Família, que além de ter tido o seu valor substancialmente aumentado em 2003, expandiu os seus beneficiários de 5 para mais de 11 milhões de famílias e, neste ano eleitoral, deverão chegar aos 13 milhões! Tivemos ainda o aumento real do salário mínimo no mesmo período(25% no primeiro governo Lula); a expansão do crédito às famílias de baixa renda, incluindo-se aí a adoção do empréstimo consignado para aposentados e empregados dos setores públicos e privados. É certo que tal estado de coisas foi beneficiado pela manutenção de políticas macro-econômicas herdadas do governo FHC,

P

como controle da inflação em um nível baixo, e pelo círculo virtuoso da economia(2003/2008) que, aproveitando do ambiente internacional favorável, elevou o PIB e a renda per capita do Brasil e da América Latina como um todo. Acrescente-se a estes dados econômicos que a escolarização também teve avanços. Em 2006, segundo dados do MEC, aumentou para 36% o número de brasileiros que tinham nove ou mais anos de estudo. O analfabetismo um eterno pesadelo,segundo a mesma fonte, reduziu-se a um dígito 9,1%. Por que essa maioria esmagadora de eleitores iria querer mudar, se para as classes mais baixas, justamente as que deram votação esmagadora em 2006 a Lula, as coisas nunca estiveram tão bem e, como um todo, o país passou com louvor pela terrível crise internacional, que abalou o mundo em 2008? No meu entender, justamente neste ponto, aparentemente favorável à Lula e a sua candidata, reside uma razoável possibilidade de vitória para a oposição. Dilma não é Lula. É bem pouco provável que alguém com o seu perfil repita a sua trajetória em algum momento do nosso futuro. Entre as razões do seu sucesso foi ter mantido o PT longe das decisões mais importantes do seu governo, como na escolha de Meireles para o Banco Central, e seguir as linhas básica das políticas implantadas por FHC. Todos julgavam isto absolutamente impossível. Ele conseguiu manter estável a delicada química petista, em que o anacronismo marxista radical convive com uma ala majoritária convertida por ele à democracia social. Não ouvir aqueles que clamavam por vingança e tentaram, felizmente sem sucesso, implementar teses ruinosas de ruptura revolucionária atropelando os avanços duramente con-

CARMEN VASCONCELOS [Poetisa ]

Como derrotar um mito que não se formou do nada nem foi inventado por um marketeiro? Não será,com certeza, tentando desconstrui-lo, como pregam alguns analistas pouco atentos.Por este caminho a derrota é certa. Não será também, procurando comparar as realizações do governo FHC com o dele.Lembremonos que nos últimos oito anos, 14 milhões de pessoas fizeram um trajeto notável de ascensão social, transpondo a linha da pobreza e indo para a classe C.

quistados pelos brasileiros, foi uma das suas grandes vitórias. Neste ponto, lembrou Nelson Mandela, que após passar 28 anos na cadeia estendeu a mão para os seus carcereiros, utilizando-se de muitos deles como segurança pessoal. A história passada de Dilma, o seu perfil, revelam justamente ao contrário: mulher voluntariosa, de gênio difícil, participante de movimentos armados no passado e que nunca disputou nem eleição de condomínio. Certamente ela, que não tem o carisma nem a habilidade política de Lula, ficará refém do PT e dos partidos fisiológicos que compõem a incrível colcha de retalhos que Lula habilmente teceu para tentar elegê-la. Se o povo quer continuar o que aí está, certamente Dilma e o PT não são o caminho. Em 1976 o ex-presidente do México, Luis Echeveria tirou do bolso do colete o nome de José Lopez Portilho e o impôs ao seu partido PRI.Ele foi eleito e governou de 1976 a 1982. O resultado todos conhecem: Portilho foi considerado um dos mais incompetentes e corruptos presidentes do México. E possível transformar no imaginário popular um candidato viável, com passado limpo e com densidade eleitoral na continuação da política de estabilização iniciada lá atrás por FHC e seguida por Lula. Para tanto o primeiro passo deverá ser conseguir reunir a força máxima do que resta da combalida oposição em torno do seu nome. A luta será gigantesca,mas não impossível. Basta ter um exército coeso,unidade de comando e assestar as baterias contra os objetivos certos. É insensato tentar derrotar um mito,que nem candidato é. Por que chamar para briga ou aceitar as provocações do mais popular presidente da República da história brasileira recente? A equação é difícil, mas não impossível. Já aconteceu inúmeras vezes no passado.

Humor Fino [ Amâncio ]

NELSON PATRIOTA [ Escritor ]

A banalidade do ódio

A escrita minimalista de “Lápis nas veias”

morte do cartunista Glauco e seu filho, na semana que passou, lembrou-me a morte de John Lennon, no ano de 1980. Mortes assim são inexplicáveis – por mais que se tente explicá-las. Mas há algo dolorosamente simples de se perceber nesses e em outros casos parecidos: como é fácil o ódio medrar. Como é fácil projetar e, sem trocadilhos, como é fácil atirar em outras pessoas sentimentos ruins, vontades íntimas de destruição. Há pessoas cujo ódio se desenvolve da forma mais banal, por um naco de qualquer coisa, mas, paradoxalmente, para essas pessoas, o ódio é algo fundamental. São movidas pelo ódio, ele é o seu impulso vital. Essas pessoas existem e nunca se sabe quem poderá ser vítima delas. Às vezes, não chegam a matar. Destroem, porém, seja o que for. Destroem a paz, a reputação alheia. Por nada. Não importam os meios para conseguir eliminar de alguma forma o objeto momentâneo do seu ódio. Sim, porque se hoje odeiam algo ou alguém, amanhã odiarão outra coisa, outro alguém. Não cuidam se machucarão outrem que não têm nada a ver com o seu ódio, porque, no seu egocentrismo, não enxergam importância em ninguém, além de si mesmos. Não podem passar sem o seu ódio, como vampiros não existem sem a sua necessidade de sangue. Lendo passagens de Proust, aprendi que o amor que se desenvolve em nós depende quase nada de seu objeto. Ele existe muito mais pela nossa necessidade de amar, ele é um sentimento nosso. Amamos desesperadamente alguém, mas o que está no fundo caótico de nós é a nossa necessidade de amar. O narrador de Proust projeta sua paixão em Albertine, uma das “raparigas em flor”, antes de saber qual delas é sua musa. Depois é que a individualiza. Já Swan, outro personagem de Proust, projeta sua paixão em Odete, mas não na mulher real, em uma Odete criada por sua imaginação fértil em querer amar. Infelizmente, o ódio se comporta assim também. Quem tem necessidade de odiar, odeia por tudo, odeia por nada, odeia (com licença de Paulo Ricardo - RPM) “a vida assim engatilhada”. Odeia nas outras pessoas imagens criadas por sua mente doentia. Sim, é humano, mas é incompreensível. E é assustador. Por isso, diante dessas situações, ficamos atônitos e medrosos. Ficamos, talvez, mais calmos quando procurarmos explicações nas vítimas. Ah, morreram porque eram pessoas que tinham alguma projeção na sociedade, no mundo. Matar John Lennon deu grande notoriedade ao assassino. E, enquanto o Brasil inteiro conhecia Glauco, o seu assassino ficou conhecido por uma única razão: é o assassino do Glauco. Mas, e tantas outras mortes, de pessoas anônimas que morrem apenas porque acidentalmente se puseram no caminho de alguém que precisava matar. E o cara a caminho do trabalho, que morreu porque se recusou a abrir uma janela de ônibus? E os que não matam, mas ferem, física e espiritualmente? E os irresponsáveis assassinos de reputações, que não checam as informações das quais dispõem antes de vomitá-las a outros, seus iguais, os quais as repassarão, ávidos de ferir, destruir, matar? Somos atônitos e frágeis diante de qualquer morte. Somos ainda mais frágeis diante da inexplicável banalidade com que medra o ódio. Mas não tentemos entender. Deixemos estar em nós, à guisa de uma esperança, a nossa perplexidade.

om um olhar crítico no social e outro voltado para a poética do cotidiano, o cearense-mossoroense Clauder Arcanjo exercita a arte do miniconto em Lápis nas veias (Mossoró: Sarau das Letras, 2009), livro lançado em fevereiro último. Em formato minimalista, compatível com o tamanho dos textos que o enfeixam, Lápis nas veias é amplamente ilustrado com fotos de Pacífico Medeiros, o que confere à obra um caráter duplo, em que a cada texto corresponde uma foto que tenta espelhar com linguagem imagética algo que o texto exprime ou sugere. Gênero pouco apreciado pela sua forma exígua, portanto limitadora, o miniconto tem, no entanto, chamado a atenção de alguns nomes graúdos da literatura brasileira contemporânea, como Dalton Trevisan e João Gilberto Noll, e pode ser encontrado ainda em algumas revistas de cultura geral. Lápis nas veias não se enquadra classicamente no gênero conto, embora narrativas como “Amor fora de moda”, “Loucura poética”, “Insanidade”, reúnam as condições fundamentais desse gênero: descrição de um episódio único que chega rapidamente a um desfecho. Relatos como “Ano-Novo”, “A Normalista”, “Meninas de rua”, “O mentiroso”, entre outros, são pequenos flashes do cotidiano, o que as remete ao gênero “minicrônica” e poderiam, caso o autor assim o desejasse, se transformarem em crônicas típicas da vida que corre, independentemente do lugar. O texto “Recife” é particularmente representativo desse gênero fluido, para o qual Pacífico Medeiros conseguiu uma ilustração feérica lembrando o Recife Antigo. É, portanto, sob a alternância de minicontos e minicrônicas que Clauder Arcanjo constrói o edifício de Lápis nas veias. Todavia, há aí momentos de reflexão sobre a tradição literária, parando por alguns instantes na esÉ, portanto, sob a tação machadiana, ou optando pelo alternância de diálogo entre visões opostas do fazer minicontos e literário. É o caso do texto “Diálogo de minicrônicas que estilos”. A abertura do diálogo é feita Clauder Arcanjo por uma voz que faz uma exortação: constrói o edifício “Pare de me importunar com esta conde Lápis nas veias. versa de rebuscar, de empolar, de torTodavia, há aí nar clássicas as minhas construções!”. momentos de O fecho, porém, que supostamente reflexão sobre a reflete a opinião do autor sobre a ditradição literária, vergência entre modernos e clássicos parando por se encerra com opção por estes: “[...] alguns instantes na podes caminhar à vontade, todos os estação caminhos da literatura nos levam aos machadiana”. clássicos. Para alguns, voo direto; para outros, uma caminhada cheia de curvas e precipícios [...]”. Essa opção não ocorre por gratuidade literária. Em seu livro de estreia, Licânia (Mossoró: Sarau das Letras, 2007), Clauder Arcanjo já se mostra perfeitamente à vontade na seara do conto. Entre as vinte e quatro histórias que compõem esse livro, tempos e lugares, personagens e situações, humor e ironia se alternam num caleidoscópio de cores mutáveis, sustentado quase sempre pelo narrador de terceira pessoa. Licânia é um codinome de que o autor se serve para ambientar algumas das histórias, embora pareça um artifício desnecessário, não fosse o fato de dar nome ao livro. Os contos “Boné azul”, “Despedida”, “O riso do cão”, “Jesuíno” apresentam elementos literários de variados recursos que transmitem empatia com o sofrimento das pessoas simples colocadas em situações inesperadas, excepcionais. A narrativa flui com perfeita neutralidade, chegando a parecer “invisível”, de tal modo que o enredo resulta dominante ao longo de todo o seu desenrolar. Não seria essa uma qualidade que todo narrador gostaria de exibir aos olhos dos seus leitores? Há em Licânia um “contraconto” – um conto sem “enredo”, intitulado “O pó de chinelo”. Narrado na segunda pessoa plural, dá voz a um sujeito que fala de caminhadas feitas e por fazer ante o leito de um companheiro que não pode mais seguir adiante. O conto termina com uma exortação ao destinatário que evoca as palavras de ordem dos revolucionários. Mas esbarra em ouvidos que já não ouvem. O paradoxo está completo: vítima de uma alucinação de que não consegue se desembaraçar, o orador alucinado prossegue em seu desvario por caminhar.

A

C

CLÁUDIO EMERENCIANO [ Professor da UFRN ]

Legado intemporal s perplexidades e contradições do mundo atual. Os sonhos e esperanças que prenunciaram o novo milênio. Será que enveredamos num daqueles retrocessos, que Arnold Toynbee, em seu notável "Um estudo da História", chamou de perversa reversão de expectativas? Será que, mais uma vez, a violência sobrepuja a paz, o ódio dilacera o amor, os egoísmos sufocam a fraternidade, o cinismo esmaga a solidariedade e a estupidez germina a agonia no mundo? Será que declinam a consciência universal e a perseverança no que é indispensável à felicidade dos homens? Apesar de tudo, há pessoas que, cotidiana e incessantemente, são artífices do bem e da paz. Em todas as culturas e circunstâncias. Universalmente. Exercitam o amor como forma de viver. Estóicos e resolutos. Como Gandhi, João XXIII, Martin Luther King, Madre Teresa de Calcutá, João Paulo II (o "João de Deus"), Dalai Lama, Nelson Mandela, que reintegraram os homens ao sentido da Criação. Testemunho universal do amor. Reverencio um homem simples, rústico, humilde, muitas vezes arrebatado, frágil e contraditório como qualquer um. Durante algum tempo, falava e lia precariamente sua própria língua, um dialeto confuso e enigmático. Inseguro e, em certas circunstâncias, subjugado pelo medo. É um dos meus grandes heróis: S. Pedro, o Apóstolo. Nele se conjugam quase todas as características da condição humana. Inclusive o senso de humildade, a faculdade de arrependerse, pedir perdão e ser clemente com os outros. Talvez por isso, em Roma, uma das minhas primeiras visitas é à Basílica "San Pietro in Vincoli". Seu acesso é facílimo pela Avenida Cavour. Em frente ao Hotel Palatino, uma escadaria nos leva diretamente à porta lateral da Basílica. Pedro, após ser preso em pleno Circo Máximo, onde desafiou Nero em defesa de cristãos prestes a ser devorados pelas feras, foi conduzido à Prisão Marmetina. Ali se encontrava outro Apóstolo: Paulo de Tarso. Duas correntes o prenderam. Após sua crucificação no monte Vaticano (de cabeça para baixo), dois escravos libertos e convertidos, levaram as correntes para as catacumbas de S. Calisto. Tempo depois foram transferidas para Constantinopla (Bizâncio). Voltaram muito posteriormente para Roma. Nessa Basílica se encontra, também, o "Moisés" de Miguel Ângelo que, em termos de escultura, juntamente com a Piettá e o Davi, são obras-primas inimitáveis e insuperáveis. Expressões de genialidade e fé. Arte que encaminha o homem a Deus. S. Pedro era dez anos mais velho do que Jesus. O Anno Domini (ano de nascimento de Je-

A

sus) teria ocorrido dois anos antes do 1º ano do Calendário Gregoriano. Desse modo, Jesus teria sido crucificado no ano 31 e não no ano 33 da nossa era. S.Pedro foi crucificado de cabeça para baixo no ano 67 d.C., provaAs perplexidades e velmente com 79 anos. contradições do Não há descrições do seu mundo atual.Os martírio. Mas os cristãos sonhos e esperanças documentaram suas paque prenunciaram o lavras no Circo Máximo, novo milênio.Será denunciando Nero e que enveredamos confortando os mártires: num daqueles "Paz aos mártires. Paz a retrocessos,que eles. Leve seus filhos, SeArnold Toynbee,em nhor. Entorpeça suas feseu notável "Um ridas. Suavize a dor. Dêestudo da História", lhes força, Senhor. chamou de perversa Abençoados sejam vós, reversão de filhos que morrem em expectativas? Será nome de Jesus. Saibam que,mais uma vez,a que, ainda hoje, estarão violência sobrepuja a com Ele no paraíso. paz,o ódio dilacera o Aqui, onde Nero reina amor,os egoísmos hoje, Cristo reinará etersufocam a namente". A profecia se fraternidade,o consumou a partir do sécinismo esmaga a culo IV, no reinado de solidariedade e a Constantino. estupidez germina a O pescador da Galiléia agonia no mundo? percorreu parte do munSerá que declinam a do antigo. Conviveu com consciência universal S. Paulo nas comunidae a perseverança no des cristãs da Grécia e em que é indispensável à Jerusalém. Foi ele quem, felicidade dos pacientemente, durante homens? Apesar de um mês, prestou a S. tudo,há pessoas que, Paulo e a S. Lucas muicotidiana e tas das informações que incessantemente,são constam do Evangelho artíficesdobemedapaz segundo Lucas e dos Atos dos Apóstolos. Aquele homem simples, curtido nos sacrifícios, que negou o Cristo três vezes, sublimou-se no martírio. Amou aos homens e denunciou as injustiças do mundo. Seus atos são atemporais. Por isso, na Basílica de S. Pedro, diante de sua imagem em bronze, não contenho a emoção. Contemplo a vida daquele pescador, que identificava nos pequenos gestos a grandeza da humanidade: o ato de amar, reunir e pacificar. Assim se converteu sublimemente em pescador de homens. Seu legado consagra a fé, a vida e os homens.


Domingo | 21 de março de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 15

[ ENTREVISTA/ LUIZ DRUDE DE LACERDA - PROFESSOR DOUTOR E CIENTISTA DO MAR ]

“Existem imensas áreas desconhecidas” FOTOS:ALEX RÉGIS

O planeta passa por uma alteração climática, que não só é sabida como sentida por todos nós. O que está acontecendo com os oceanos e qual o papel nesse sistema? Os oceanos são os principais reguladores das condições climáticas do planeta - seja pelas correntes marinhas, calor especifico das águas, e outros gases de efeito estufa importantes, por exemplo, como o CO² (dióxido de carbono) - e provavelmente os que estão sofrendo mais fortemente as alterações porque, por definição, o oceano está em equilíbrio com a atmosfera, seja pela troca de gases, temperatura, o que acontece na atmosfera reflete nos oceanos, só que com um detalhe: os oceanos tem um tempo de resposta muito mais longo que a atmosfera.

Esta mudança climática está acontecendo em um planeta que tem sérios problemas ambientais”

A necessidade de formação de profissionais na área de atuação marinha e oceânica é latente em todo o país”

Significa dizer que o efeito “estufa”não acontece nas águas? Isso significa que os efeitos que você mede na atmosfera vai esperar um pouco mais de tempo para acontecer nos oceanos. Pior que isso. Se resolver os problemas da atmosfera, interromper e reverter a emissão de gases do efeito estufa, os processos não param nos oceanos, os efeitos induzidos irão continuar pelos próximos 50 anos. Por isso, monitorar as condições oceânicas com base nas condições climáticas é fundamental. Como estas variações no mar afetam a população do litoral? É importante frisar, que esta mudança climática global não esta acontecendo num planeta virgem e selvagem, mas num planeta que tem problemas ambientais sérios. Um pequeno aquecimento na águas dos oceanos, não precisa ser um grau, já vai refletir na elevação do nível do mar apreciado. O aumento na temperatura dos mares causa essa elevação. Em que nível de elevação estamos falando? Não é uma elevação de dez ou 20 metros, são milímetros. Mas há um detalhe. Se o mar aumentar um centímetro você não vai sentir, entretanto, se houver uma tempestade num fenômeno de mares, aquele um centímetro sofre uma potencialização ao longo da costa, causando uma grande inundação. Ou seja, as pequenas variações podem causar grandes catástrofes. Esses impactos que são relativamente pequenos podem ser muito maximizados. Qualquer impacto no litoral vai afetar a população que mora nessa interface, que hoje corresponde ate 70% da população mundial. Uma destas consequências seria o avanço do mar,que está engolindo praias e afetando diretamente quem vive ali? O avanço do mar foi mapeado recentemente pelo Ministério do Meio Ambiente e traz diverso exemplos de faróis e prédios que foram parar dentro d’água. Esse avanço pode ser reversível? Quais áreas mais afetadas ou susceptíveis? A coisa é meio complicada. O nordeste é uma das áreas mais sensíveis a isso. Porque além da variação do nível do mar, o responsável pelo equilíbrio da linha da costa é um resultado entre o que sai do continente e o que o mar faz de erosão. O continente repõe a areia que as correntes marinhas levam. O problema que são os rios que trazem esses materiais. Hoje, 97% do fluxo fluvial são reguladas artificialmente por barragens. Isso diminui a entrada daquele material que faria o equilíbrio e com isso acelera o processo de erosão costeira. A erosão é um dos impactos mais visíveis das mudanças climáticas globais potencializado pela alterações regionais,

A elevação do nível do mar é de milímetros, mas as pequenas variações podem causar grandes catástrofes”

como pelo barramento dos rios. Então, a interferência do homem também contribui para este quadro? Para piorar a situação, ainda tem a ação antrópica (do homem). Em New Orleans, o tufão Catrina, por exemplo, apesar de ser uma área onde ocorre tufões, houve um agravante. Ser uma área altamente urbanizada, com controle de fluxos de águas, que dependem de sistemas de diques e se um arrebenta o impacto é gigantesco. A erosão de uma praia no interior do Ceará ou do Rio Grande do norte, por exemplo, é diferente da que acontece em área urbana. Se pegar uma praia entre Touros e Tourinhos, vai erodir as dunas da franja da praia. Mas se acontecer aqui na Mãe Luiza, vai chocar um hotel de alguns milhões de dólares. Ora quem não deveria está ali, provavelmente seria o hotel. A erosão é o impacto mais forte ou podemos esperar outras consequências? Algumas áreas, dão sinais ainda de acidificação, pela maior quantidade de Co2 9diósido de carbono) dissolvido na água, com isso o PH da água do mar tende a diminuir. Não ocorre em grandes áreas, mas a maior parte do cientistas acreditam que já esta acontecendo e isso é um problema muito mais grave. O que pode acontecer? Há alguns experimentos feitos no Mediterrâneo, em áreas com liberação do CO2 por falhas vulcânicas no fundo, que geram o PH ácido dentro do oceano. Um Ph de 7.8, considerado básico, mais suficiente ácido para desmanchar carbonatos de conchas de moluscos por exemplo, é um impacto forte nos corais. Felizmente o processo é muito lento e o oceano tem um sistema tampão eficiente, mas já esta acontecendo. O impacto ser muito grave.

SARA VASCONCELOS repórter

O

s oceanos são os principais reguladores das condições climáticas do planeta e também os que mais sofrem os prejuízos do efeito estufa. O cien-

tista do mar e professor da Universidade Federal do Ceará, Luiz Drude de Lacerda, que esteve em Natal na última sexta-feira para ministrar palestra sobre “Os avan-

O conhecimento do mar brasileiro ainda é muito pequeno. Existem áreas imensas e desconhecidas completamente”

ços da Ciência do Mar no Brasil”, durante a aula magna que marcou simbolicamente a abertura do ano letivo na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, explicou a necessidade de desbravar o mar brasileiro e toda via dentro e entorno dela. “Ainda há áreas imensas do litoral brasileiro que se desconhece completamente. Se você não sabe como funciona, o que é terrível do ponto de vista ambiental, você não sabe e nem pode prever o efeito de determinado impacto sobre esse meio”. Confira a entrevista com o doutor em Ciências Biológicas, membro da Academia Brasileira de Ciências e coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Transferência de Materiais Continente-Oceano, Luiz Drude de Lacerda. A exploração dos mares afetou não só a vida marinha mas também o clima? Ao longo da história mais recente, a exploração foi predadora. Muitos locais no mundo não conseguem sustentar grandes pescarias, vários estoques de pescado, que se já não estão exauridos estão próximos da exaustão. Hoje os oceanos precisam de um cuidado grande do ponto de vista da exploração. Não pode deixar de fazê-lo, mas tem que descobrir, montar estratégias para esta exploração. Como uma legislação mais rigorosa? Claro que no início da exploração não havia uma regulamentação, e essa exploração ocorreu

de uma forma predatória. Mas hoje em dia existe uma legislação bastante nacional internacional, quase todos os problemas ambientais são suportados pela legislações específicas. O que falta,então? O problema para tomar as decisões de como aplicar essas leis é que precisa de conhecimento. É isso que a SBPc que acontece aqui este ano, vem abordar. Mesmo tendo as condições de explorar muito bem os recursos naturais, sem causar impactos ambientais graves. Se você não conhecer você não sabe o que esta fazendo. E a velocidade de desenvolvimento de novos conhecimentos e tecnologias é sempre mais lenta que a necessidade da demanda

A exploração do mar foi predatória para o pescado. Há lugares em que o estoque se exauriu ou está se exaurindo”

A velocidade de desenvolvimento de novas tecnologias é sempre mais lenta que a demanda por elas”

por estas tecnologias. Para consertar isso é preciso investir mais nas universidades, institutos de pesquisa de modo ter capacidade para atender os diferentes setores, seja ele ambiental, energético, produtivo. Como avança a ciência do mar no Brasil? A avaliação do avanço nas ciências do mar no Brasileiro é emblemática. Há dez anos, em todo país havia seis ou sete cursos de pós-graduação e dois de graduação em oceanografia, hoje são 11 de graduação e 17 em mestrados e doutorados. O próprio reitor da UFRN, Ivanildo Rêgo, está pensando em investir mais nesta área de ciência. A UFRN hoje faz ciências do mar, por meio de outros departamentos como o de petróleo e gás, aquacultura e isso esta consolidando. Mas a necessidade de formar profissionais na área de atuação marinha e oceânica é latente em todo país. Como este conhecimento gerado nas universidades pode chegar à sociedade? O problema é básico ao meu ver e passa pela fato de não ter massa critica. O monitoramento ambiental na produção de petróleo ‘offshore”, por exemplo, há dez anos não tinha profissional para fazer, profissionais que entendessem da ecologia do plancto ou do bencton. Hoje de uma área offshores, seja da petrobras ou outra empresa, é feito por cerca de 60 profissionais das diversas áreas do conhecimento da oceanografia. A demanda por conhecimento do mar brasileiro é o motivo da SBPC eleger como o tema central este ano. É o reconhecimento desta necessidade premente da geração, em larga escala, de conhecimento em ciência do mar, dada a importância crescente de diversos aspectos, como a importância econômica para o país. Outro aspecto que essa grande atividade industrial portuária esta localizada em area ecologicamente sensível e muito importante, que já está sofrendo impactos ambientais significativos no país todos. Qual o nível de conhecimento do mar do Brasil hoje? Outro dia, na universidade de Pernambuco, um pesquisador se deparou om um peixe novo de dois metros, ainda desconhecido na literatura. É o mesmo que está andando aqui no parque do campus e se deparar com uma onça, uma onça que nunca se viu. Isto mostra o nível de conhecimento que temos do mar brasileiro. Apesar de ter avançado por meio de projetos nas últimas décadas, mas mesmo assim o conhecimento, mas ainda é muito pequeno. Ainda há área imensas do litoral brasileiro que se desconhece completamente. Qual o prejuízo desta falta de conhecimento? Se você não sabe como funciona, o que é terrível do ponto de vista ambiental, você não sabe o efeito de determinado impacto sobre esse meio. Para você saber e para prever eventuais impactos, que venham acontecer, por exemplo, nos recifes de abrolhos, principais recifes de coral brasileiro de você precisa entender o que está acontecendo no rio doce. Alguns aspectos da preservação das região marinha começa nas bacia de de drenagem, as vezes nem tao perto da costa. Isso obriga uma investigação mais ampla, integrada com os rios,da área ao redor? Esta é a característica da oceanografia. Ao contrario de outras disciplinas, ela só tem sentido se for transversal e multidisciplinar. Se não, ela é biologia marinha, geologia marinha, química do mar.


16

geral

Natal | Rio Grande do Norte| Domingo | 21 de março de 2010 FOTOS:RICARDO STUCKERT

[ ORIENTE MÉDIO ] Analistas avaliam a possível

participação brasileira na mediação do conflito

Lula acompanhado do primeiro-ministro palestino Salam Fayaad

E na chegada à cidade de Amã, na Jordânia, com o rei Abdullah II

Viagem de Lula é bem vista, mas tem limitações GABRIEL BUENO DA COSTA Repórter

ÃO PAULO, (AE) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou nesta semana para o Oriente Médio. Na bagagem, uma agenda ambiciosa, com o declarado objetivo de auxiliar a mediar os delicados conflitos na região. Um analista israelense e outro palestino, ouvidos pela Agência Estado, avaliaram em geral como positiva a atuação brasileira, mas notam limites claros para a empreitada. “É sempre bom ter líderes de países como o Brasil para se envolver diplomaticamente na região”, diz, em entrevista por telefone, o analista palestino Mouin Rabbani, que já trabalhou para o International Crisis Group e vive em Amã, na Jordânia, uma das paradas de Lula. “Poucos líderes mundiais são respeitados pelos dois lados na região”, lembra o israelense Gerald Steinberg, professor de Ciência Política na Universidade Bar Ilan, em Jerusalém. A viagem da comitiva brasileira ocorreu em um momento tenso, na já turbulenta região. Em 9 de março, o Ministério do Interior de Israel anunciou que aprovou a construção de mais 1.600 casas no assentamento judaico de Ramat Shlomo, em Jerusalém Oriental. Os palestinos querem essa parte da cidade como capital de seu futuro Estado independente. Para piorar, o anúncio foi feito durante uma visita do vicepresidente dos EUA, Joe Biden, a Israel, gerando um mal-estar entre os tradicionais aliados. Inegavelmente, Washington é o ator mais importante para mediar a paz entre israelenses e palestinos. O governo brasileiro não nega isso nem tem a ambição de substituí-los, afirmou o chanceler Celso Amorim nesta semana. Na opinião de Rabbani, o Brasil “representa uma diferente abordagem” à questão, mais interessado em “temas concretos, como assentamentos”. “O Brasil é membro (temporário) do Conselho de Segurança (CS) da ONU, é uma potência emergente, que tem relações com todo o Oriente Médio”, lista Rabbani. “O País pode, em teoria, ter um papel de mediador”, acredita. Já Steinberg sugere que “todos devemos ser modestos”. E complementa: “Lula não será um grande pacificador, isso é muito difícil. Seria uma falsa expectativa “ O professor israelense acredita, apesar disso, que o Brasil poderia ter atuação importante para facilitar um diálogo entre o mundo e o Irã. O regime iraniano está sob pressão internacional, por não desistir de seu programa nuclear. Teerã garante ter apenas fins pacíficos, mas países como EUA e Israel temem que haja também uma iniciativa secreta para produzir armas nucleares Washington tem pressionado por uma nova rodada de sanções ao Irã no CS da ONU - a nação persa já sofreu três delas -, mas países como o Brasil e a China defendem mais diálogo com os iranianos para resolver o impasse. Autoridades israelenses não descartam, inclusive, um ataque militar contra instalações nucleares do Irã, enquanto o presidente iraniano, seguidamente ataca Israel.

S


economia DÓLAR COMERCIAL Compra:R$ 1,800 Venda:R$ 1,801 DÓLAR PARALELO Compra:1,86 Venda: 1,96

[ INDÚSTRIA ]

BNDES estima investimentos de R$ 500 bi em 4 anos

R

io (AE) - Com a retomada do crescimento econômico após a estagnação imposta pela crise global em 2009, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) contabiliza quase R$ 500 bilhões em investimentos na indústria nos próximos quatro anos. A cifra consta da última atualização do mapeamento que o banco faz nos sete setores mais intensivos em capital que respondem por quase 2/3 das inversões da indústria brasileira. Segundo o BNDES, o montante representa alta de 60,2% em relação aos R$ 311 bilhões investidos entre 2005 e 2008. O ano de 2009 não foi usado na comparação por não ter dados consolidados. A pesquisa mantém a exploração de petróleo e gás no présal como principal motor da indústria entre 2010 e 2013. O setor deverá responder por 60% dos planos de investimentos mapeados, cerca de R$ 295 bilhões. Na comparação com o período 20052008, a alta será de 88,2%. A exploração e produção no pré-sal será um grande impulso, mas responderá por R$ 60 bilhões dos investimentos, apenas 20% do previsto para o segmento pelo BNDES até 2013. Boa parte das inversões virá da cadeia econômica do setor, como a perspectiva de produção de 48 embarcações da apoio e 13 plataformas até 2020 e 28 navios-sonda e plataformas entre 2013 e 2017.

A petroquímica é muito dependente do mercado interno e a demanda do setor tende a aumentar mais do que o crescimento da economia” FERNANDO PUGA chefe de Acompanhamento

“Essa concentração é positiva porque tem um efeito de arrasto em vários setores, como o de equipamentos. A indústria naval está sendo revitalizada pelo petróleo depois de 20 anos sem grandes investimentos”, diz Fernando Puga, chefe do Departamento de Acompanhamento Econômico e Operações do BNDES, que assina o estudo com a economista Beatriz Meirelles. No rastro do petróleo, a petroquímica deve crescer 87,1% na comparação entre os períodos 2005-2008 e 2010-2013. Os projetos devem alcançar R$ 36 bilhões nos próximos quatro anos. Além da consolidação coroada com a união Braskem-Quattor, o setor tem boas perspectivas com a intenção do governo de incentivar a produção nacional de fertilizantes e o uso de matérias-primas alternativas. Segundo o estudo, os investimentos nos setores voltados ao mercado interno deverão crescer a uma taxa anual de 9,4% até 2013. Já para o segmento exportador, que liderou a expansão da indústria no ciclo de investimentos a partir de 2006, o crescimento anual projetado é de 3,3%. “A petroquímica é muito dependente do mercado interno e a demanda do setor tende a aumentar mais do que o crescimento da economia”, diz Puga, referindo-se à expectativa de crescimento do PIB acima de 5% nos próximos anos.

POUPANÇA HOJE 0,5000% CDB 8,66% BOVESPA - 0,72%

SALÁRIO MÍNIMO

R$ 510,00 TAXA SELIC

8,75%

TELEFONES ÚTEIS Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT/RN: 3220-2000

ALCANORTE

Tersandro Milagres detalha os novos investimentos que serão feitos no complexo. PÁGINA 3 DÓLAR TURISMO Compra: R$ 1,760 Venda:R$ 1,893 EURO Compra:R$ 2,435 Venda:R$ 2,438

Editor: Vinícius Albuquerque e-mail:vinicius@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 21 de março de 2010


2

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 21 de março de 2010

JOÃO FRANCISCO SALOMÃO [ presidente da FIEAC ]

Negócios &Finanças LUIZ ANTÔNIO FELIPE laf@tribunadonorte.com.br

Expansão do consumo o embalo do crescimento do consumo, as vendas na Páscoa devem crescer 8,8%, prevê a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). A entidade aponta aumento de, em média, 5,2% nos preços dos produtos de Páscoa, por isso, é importante o consumidor pesquisar antes de fazer as compra. Todos os produtos pesquisados tiveram aumento de encomenda junto aos fornecedores: peixes em geral (10,7%), ovos de Páscoa (8,2%), bombons e chocolates (6,4%), bacalhau (5,8%), azeites (5,3%), vinhos importados (4,9%), vinhos nacionais (4%) e colomba pascal (2,7%).

N

ANIVERSÁRIO Na próxima terça-feira (23), no hotel Pirâmide Palace, a TRIBUNA DO NORTE dá início às comemorações dos 60 anos de circulação. O palestrante convidado é o ex-presidente do Banco Central, Gustavo Franco, que vai falar sobre o tema “Perspectivas da economia Brasileira”. Gustavo Franco é diretor do fundo de investimento Rio Bravo que, recentemente, através da Rio Bravo Nordeste II, adquiriu uma participação na potiguar MultDia/Nutriday.

Incentivo

Revelações

Os carros flex até mil cilindradas permanecerão com uma alíquota reduzida de IPI de 3% até 31 de março (dez dias, apenas). Para os carros entre mil e duas mil cilindradas, com motor flex, a atual alíquota de 7,5% também será mantida até 31. Um grupo de trabalho deve produzir um primeiro relatório para governo aprimorar a qualidade da indústria automobilística brasileira para que ela alcance maior participação na produção mundial.

O presidente da operadora de turismo CVC, Guilherme Paulus revela porque decidiu vender parte da empresa ao fundo de investimento norte-americano Carlyle. Os mesmos motivos que levaram os empresários potiguares Marcelo Alecrim (SAT) e, mais recentemente Eduardo Patrício (MultDia), a tomarem a mesma decisão. Uma expansão mais rápida dos seus negócios, para chegar em marcados que levaria anos para se atingir.

LOGOMARCA A partir de amanhã, a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco mudará sua logomarca tradicional. Sai Chesf e passa a exibir a marca da holding, Eletrobras Chesf, sem o acento. Para analistas, perde também status e autonomia.

Energia insuficiente Com os reservatórios cheios, no Brasil, hoje está sobrando energia elétrica. O preço estacionou em torno dos R$ 16,00, por MWh. Mas, se a economia brasileira crescer a 5% ou a mais do que isso, o preço da energia tende a disparar. Já há especu-

lação de que essa tarifa saltará, agora em 2010, para R$ 110, com viés de alta. Há empresas industriais, grandes consumidores desse insumo, que já estão acertando contratos de “hedge” para proteger-se contra o que está por vir.

CADASTRO O Sebrae RN vai lançar, amanhã, o Cadastro Empresarial do Rio Grande do Norte (CEMP). O evento será realizado a partir das 19h, na sede do Sebrae. O cadastro incluirá o perfil comercial de todos os 167 municípios do Estado, com suas características econômicas, potencialidades e oportunidades.

1

O IPEM-RN realiza Operação Páscoa, a partir de amanhã (22), para verificação da qualidade e do peso de pescados e ovos de chocolate. A operação terá caráter itinerante e será realizada em supermercados de Natal e no interior, com o objetivo de verificar se os produtos estão de acordo com as normas estabelecidas pelo Inmetro.

2

A obra de duplicação da BR-101 ficará pronta somente em setembro, em plena campanha eleitoral, mas sem as pistas paralelas, entre Natal e Parnamirim. Vários trechos serão liberados até meados do ano, entre 3,5 quilômetros a cinco quilômetros, entre São José de Mipibu/RN até Igarassu/PE, sendo a maior parte na Paraíba.

3

O banco HSBC também está antecipando a restituição do Imposto de Renda, garantindo uma das menores taxas do mercado. Como outros bancos já estão fazendo, como O Banco do Brasil, vale comparar. No HSBC Bank Brasil. O cliente pessoa física, tem a opção de antecipar sua restituição com taxa de 2,99% a.m.. O serviço está disponível até o dia 14 de junho.

COMEMORAÇÃO O Banco do Nordeste do Brasil vai comemorar os 20 anos da sua Agência Metro Natal, da avenida Prudente de Morais. A solenidade será na próxima terça-feira (23), às 18h, na sede da Agência, também marcará a posse do novo gerente-geral da unidade, Mário Aldo de Melo.

LIMPEZA A decisão tomada pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, de restringir o comércio informal ao redor do Shopping Midway Mall, foi muito bem recebida pelos clientes e lojistas do shopping. Até mesmo as pessoas que transitam nas calçadas e que vinham disputando o espaço público com os inúmeros ambulantes que trabalhavam de forma desordenada na área, ficaram satisfeitas com a medida.

NOVA ALAMEDA Nos próximos dias, os clientes que realizam pagamentos na Nossa Agência do Natal Shopping, trocam moedas no câmbio, fazem apostas na Lotérica ou acessam terminais bancários, terão à disposição um novo espaço para efetuar esses serviços. O Shopping está concluindo uma nova alameda de serviços. Ambiente amplo com 170m² e luz natural, a nova alameda ficará no segundo, com acesso entre as lojas Siciliano e Datelli.

Proposta letal contra empresa e trabalhador Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 231/95, que diminui a jornada semanal de trabalho de 44 para 40 horas, sem redução de salário, e aumenta a hora extra de 50% para 75%, seria um tiro, disparado por aqueles que a fomentam, na competitividade das empresas e no pé dos próprios trabalhadores. Afinal, além de não gerar empregos, pode significar o fechamento de numerosos postos de trabalho. Numerosas firmas ficariam impossibilitadas de arcar com o imenso ônus acarretado pela medida, cuja adoção seria um contrassenso neste momento em que o Brasil recupera-se vigorosamente da grande crise mundial. Obviamente, a proposta tem imenso apelo em termos de marketing político, pois seu objetivo tácito, embora irreal e inviável, é a criação de mais empregos. Assim, corre-se o risco de, neste ano de eleição e disputa pelos votos dos brasileiros, assistirmos à matéria entrar na ordem do dia da Câmara dos Deputados. Por isso, é importante uma cívica mobilização no sentido de demonstrar aos parlamentares os equívocos contidos na PEC, a começar pela perda de competitividade das empresas brasileiras. A experiência nacional e de outros países confirma que a redução da jornada em nada contribui para o aumento da oferta de empregos. Os defensores da proposta alegam que sua adoção abriria 2,25 milhões de vagas. Trata-se, entretanto, de um cálculo simplista e equivocado, que desconsidera a realidade da economia e do universo produtivo. De imediato, todas as empresas arcariam com aumento de custos com a folha de pagamentos superior a 10%. Teriam, então, de reduzir drasticamente as mar-

A

gens ou até mesmo trabalhar sem lucro. A outra alternativa seria É importante uma repassar essa majoracívica mobilização ção, com efeitos em no sentido de cascata muito negatidemonstrar aos vos em todas as caparlamentares os deias de suprimentos, equívocos com inevitável quecontidos na PEC,a da no consumo e prescomeçar pela são inflacionária. perda de As micro e pequecompetitividade nas empresas, nas das empresas quais trabalha mais brasileiras” da metade dos brasileiros com emprego formal, seriam as mais prejudicadas. Para muitas delas, a redução da jornada significaria fechar as portas. Para as firmas prestadoras de serviços, como informática, saúde e marcenaria, o impacto seria contundente, pois 60% de seu custo referem-se a recursos humanos. Os setores empregadores de mão-de-obra intensiva, como os de calçados, têxteis, vestuário e móveis, que já perderam milhares de postos de trabalho para a China, atuam em mercado muito competitivo. Portanto, qualquer diferença em custeio pode significar dispensa maior de trabalhadores. Ademais, o repasse dos custos teria maior impacto nos produtos de menor valor, em cuja produção os recursos humanos significam percentual expressivo do preço final. Assim, mais uma vez os ônus recairiam sobre quem tem menor poder aquisitivo. Isto seria péssimo para os consumidores e os empresários, pois seria reduzido o poder de compra da população, com efeito em cascata negativo em toda a economia.

Por outro lado, é preciso considerar que o exercício da democracia e o avanço da economia brasileira conferiram maturidade à interação entre capital e trabalho. Assim, conforme estabelece a Constituição, empresas e trabalhadores podem negociar livremente a jornada adequada a cada empresa e atividade. No Brasil, a média semanal de horas trabalhadas é de 41,4 horas, já inferior à da maioria dos países, inclusive daqueles com os quais competimos, e um pouco superior à de algumas nações desenvolvidas. Em muitas destas, embora haja nível mais elevado de automação e qualificação, se trabalha mais tempo do que no Brasil. Por meio da negociação, sindicatos e empresas poderão encontrar as soluções dentro das possibilidades e necessidades de cada setor, conforme suas características, potencialidades e restrições, que somente os envolvidos conhecem e entendem. Nada lhes deve ser imposto. Há segmentos que têm negociado redução gradativa da jornada até chegar a 40 horas semanais, mas se respeitando a capacidade das empresas de absorver de maneira programada o aumento de custos. Nada a ver com a PEC, cuja aprovação significaria medida abrupta, com impacto muito difícil de ser assimilado. Assim, independentemente de interesses eleitorais imediatos, de pessoas ou grupos, é necessário pensar nos objetivos maiores do País, e estes seriam muito prejudicados se os custos da produção e trabalho forem onerados. Não se criam empregos por meio de artifícios e leis impositivas. Multiplicação de postos de trabalho é a decorrência natural de investimentos, crescimento sustentado e educação de qualidade!

LÚCIO ABRAHÃO [ advogado tributarista,é sócio-diretor da BDO ]

Imposto de Renda: todo cuidado é pouco! ma das principais novidades anunciadas pela Receita Federal em relação ao Imposto de Renda de Pessoa Física em 2010 é o aumento da faixa de isenção: quem teve renda anual igual ou inferior a R$ 17.215, 08 fica desobrigado de declarar. O limite anterior era de R$ 16.473,72. Por isso, em 2009, foram entregues 25,5 milhões de declarações, e em 2010, esse número não será superior a 24 milhões. Mas será que deixar de fazer a declaração é sempre uma vantagem? A resposta para esta pergunta é “não”. Em muitos casos, a pessoa que não faz a declaração acaba perdendo a chance de obter a restituição que lhe é devida. Vejamos o exemplo de um contribuinte que trabalhou em regime de CLT durante cinco meses do ano, percebendo o salário de 3 mil reais, e teve impostos retidos na fonte. Nesse caso, seu rendimento total anual ficou aquém dos pouco mais de R$ 17 mil que delimitam a fronteira entre isentos e não isentos. Ele está, portanto, dispensado de declarar. Mas, se ele deixar de fazer a declaração, perderá o direito à restituição do montante pago na fonte. Também é importante lembrar que os contribuintes que receberam acima de R$ 40 mil em rendimentos não tributáveis, ou tributados exclusivamente na fonte – como, por exemplo, o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço –, ficam obrigados a declarar. Como sempre acontece, são diferentes as alíquotas que incidem sobre as diferentes faixas de renda. Desse modo, salários entre R$ 1.499,16 e R$ 2.146,75 terão alíquota de 7,5% e com dedução de R$ 112,94. De R$ 2.146,76 a R$ 3.743,19, a alíquota é de 22,5%, com redução de R$ 505,62. Acima de R$ 3.743,19, a

U

alíquota é de 27,5%, com dedução de R$ 692,78. A base de cálculo do IR se compõe de todos os ga- Sócios de nhos do contribuinte, e os empresas e abatimentos podem au- cooperativas mentar a restituição ou di- também eram minuir o imposto a ser pa- obrigados a go. declarar.A partir Outro aspecto impor- de agora,eles tante ao qual o contribuin- passam a contar te deve estar atento é o fa- com os mesmos to de a Receita Federal dis- direitos dos por de instrumentos cada contribuintes vez mais eficientes de re- assalariados” pressão à fraude. No passado, havia subterfúgios para pagar menos imposto. Quem, por exemplo, vendia por R$ 200 mil um imóvel cujo valor venal fosse de R$ 100 mil, podia combinar com o comprador que este, em troca de um desconto ou outra benesse, lançasse em sua declaração os mesmos R$ 100 mil. Ocorre, porém, que além de procedimentos como este serem ilegais, eles estão cada vez mais fora de alcance. A Receita recebe informações dos cartórios responsáveis por registrar esse tipo de transação e também cruza dados bancários: é tolice se arriscar e acabar caindo na malha fina. Vale lembrar que quem vende um imóvel com ganho, mas investe o dinheiro obtido em outro imóvel residencial num prazo de até 180 dias, não terá de arcar com a incidência de IR sobre o lucro. Isso vale por, no máximo, cinco anos consecutivos – ou seja, não se pode fazer sempre. Mais uma mudança importante diz respeito à declaração de bens e direitos. Até o ano passado, quem não possuía renda, mas tinha

patrimônio superior a 80 mil reais, era obrigado a declarar. Agora, essa obrigação existe apenas para quem detém patrimônio superior a 300 mil reais. Sócios de empresas e cooperativas também eram obrigados a declarar, mesmo que seus rendimentos ficassem dentro da faixa de isenção. A partir de agora, eles passam a contar com os mesmos direitos dos contribuintes assalariados. Quanto aos modelos de declaração disponíveis, é aconselhável que as pessoas que têm somente uma fonte de renda e poucas deduções a apresentar optem pelo modelo simplificado. Já o contribuinte com várias fontes de renda, altos gastos médicos, pagamento de pensão alimentícia, despesas com educação e previdência privada terá a ganhar se fizer a declaração completa. E, por falar em deduzir despesas com saúde, é bom lembrar: assim como os cartórios são obrigados a informar a Receita acerca das transações com imóveis, também os médicos e outros profissionais são obrigados a prestar contas das notas que emitem para sua clientela. Em tempo: existe também a possibilidade de mudar a quantidade de parcelas para o pagamento do Imposto de Renda. Se o contribuinte optar por pagar, por exemplo, em três ou quatro parcelas, mas sofrer um imprevisto e tiver que estender esse parcelamento, será possível fazer essa alteração por meio de uma retificação da declaração. O mesmo vale para o banco escolhido para o depósito da restituição: em qualquer momento, o contribuinte poderá retificar, junto à Receita, a conta, a agência ou mesmo a instituição bancária escolhida.

ANTONINHO MARMO TREVISAN [ empresário,educador e consultor ]

Estímulo e compromisso entre as lições a serem aprendidas com a grave crise econômica de 2008 e 2009, inclui-se a necessidade de aumentar o grau de compromisso das pessoas com as organizações nas quais trabalham. Precisam ser combatidos comportamentos profissionais movidos por visões distorcidas, como um sedutor sucesso financeiro vultoso, em curto espaço de tempo, mediante a loteria de um imenso bônus forjado com papel sem lastro. Perspectivas de curto prazo para a trajetória profissional numa empresa, que chegam a ser defendidas por algumas correntes da área de recursos humanos, fomentam o individualismo, reduzem as responsabilidades com o todo e podem suscitar riscos. Obviamente, um indivíduo que percebe o reconhecimento ao seu esforço e identifica elementos como segurança e possibilidades internas de progresso dificilmente tergiversará em seu compromisso com a organização. Portanto, uma estratégia adequada de remuneração e recompensa confere sinergia entre os objetivos pessoais e os corporativos, substituindo o individualismo pela visão coletiva. Portanto, são fundamentais políticas de recursos humanos capazes de atrair, reter e conquistar a confiança dos colaboradores, de mo-

D

do que vislumbrem, na própria empresa, oportunidades de ascensão profissional e melhoria na É necessário qualidade da vida. Nesse contemplar sentido, uma das mais efi- desempenho e cazes ferramentas é a re- iniciativa, muneração variável, de- formulação de finida como o conjunto de valores e visão distintas formas de reco- organizacionais, nhecimento oferecidas estímulo ao aos funcionários, em treinamento e complemento ao salário educação fixo. Há várias alternati- continuada. vas para implementar a Reconhecimento é prática, como a participa- essencial aos seres ção nos lucros, remune- humanos!” ração por resultados ou participação acionária. É preciso ter em mente, por outro lado, que um programa de remuneração variável deve submeter-se a regras legais, tanto trabalhistas quanto as relativas ao imposto de renda da pessoa física. Saliente-se, ainda, que um programa de remuneração variável funciona como indutor de comportamentos profissionais que marcarão profundamente a cultura da corporação, merecendo, por isso, cautelas adicionais.

A melhoria paulatina e ampliação dos itens da remuneração variável dos colaboradores devem estar atreladas a sua atitude, comprometimento e resultados. Portanto, não precisam ser necessariamente dependentes da ascensão hierárquica. É importante que os indivíduos percebam ser possível ganhar mais e ter melhores benefícios na própria posição que ocupam. Desse modo, antes de almejar cargos, estarão voltados ao seu aprimoramento profissional, à sua eficiência e aos resultados globais da organização. O desempenho dos recursos humanos, é desnecessário afirmar, torna-se cada vez mais decisivo para a competitividade das empresas. Foi-se o tempo em que esquemas operacionais herméticos e rotinas burocráticas, supervisionados pelo antigo chefe da seção, garantiam resultados adequados. Assim, as políticas de recursos humanos devem estabelecer estratégias de desenvolvimento e capacitação dos colaboradores, por meio de programas motivacionais abrangentes. É necessário contemplar desempenho e iniciativa, formulação de valores e visão organizacionais, estímulo ao treinamento e educação continuada. Reconhecimento é essencial aos seres humanos! É um estímulo decisivo às altas performances!


economia

Domingo | 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

ENTREVISTA/ TERSANDRO MILAGRES/ DIRETOR DA TECHNO-PAR

Não é tão simples produzir barrilha FOTOS:JÚNIOR SANTOS

De quanto será o investimento feito no complexo da Alcanorte? Estamos falando de um projeto de cerca de R$ 1,2 bilhão.

O Governo do Estado ofereceu algum tipo de incentivo ao projeto? Nós buscamos incentivos na parte tributária e os representantes do governo demonstraram apoio às nossas propostas. Mas nada foi firmado, justamente em função do impasse que permanece em torno do fornecimento de gás e por não termos como prosseguir, devido à disputa. O que posso garantir com segurança hoje é que, após começar o projeto, em um ano, estaremos produzindo cal e tinta. Isso porque o consumo de gás para esses produtos é em um volume que o estado tem condições de fornecer.

Como está o andamento desses projetos,atualmente? Os projetos estão em fase final de licenciamento ambiental, para as obras poderem ser iniciadas. O processo de licenciamento já dura quase um ano e a maioria das etapas para o licenciamento já foi cumprida. Como foi fechado o negócio com a Nova Álcalis para que aTechnoPar se estabelecesse na área? Nós fizemos um contrato de arrendamento com opção de compra. O contrato prevê o arrendamento por 20 anos. Em janeiro de 2006 foi firmado o memorando de atendimento, em maio de 2007, os contratos de arrendamento e em maio de 2008 foram feitos aditivos a esse contrato.

O que será preciso fazer na estrutura,para começar a produzir esses insumos? Temos que qualificar pessoal e acho que na região de Macau deverá faltar mão-de-obra qualificada, além de precisarmos fazer uma estruturação no que diz respeito a um sistema de dutos, interligando com Guamaré. Na parte de construção civil, devemos começar reformando as estruturas de concreto. Íamos começar agora asfaltando o aeroporto, para facilitar o trânsito dos técnicos, e começar a asfaltar a parte interna da planta.

Qual o valor do contrato firmado? Os contratos preveem15% sobre o lucro líquido, no que diz respeito à exploração de calcário, além de um valor fixo mensal. Se for somar tudo, podemos dizer que dá em torno de R$ 70 milhões, que renderia à diretoria da Nova Álcalis ao longo de 20 anos. Esse é um complexo de aproximadamente R$ 1,2 bilhão e,em funcionamento, teria capacidade para gerar cerca de três mil empregos,entre diretos e indiretos. O senhor confirma essas informações? Sim, é isso mesmo. Só com relação à termoelétrica, estamos falando de cerca de R$ 1 bilhão, que consiste no maior projeto para a área. Para concluir os outros projetos no complexo serão investidos mais R$ 400 milhões. Qual a potência prevista para a termoelétrica? A potência instalada com a termoelétrica será em torno de 540 megawatts de energia, fornecendo para o próprio complexo e para o mercado interno, através de leilões de energia. A expectativa é que o projeto comece a sair do papel em quanto tempo? O primeiro fator do projeto a ser vencido será viabilizar o fornecimento de gás. Depois disso, pode considerar mais um período de, no máximo, 36 meses para concluir a obra inteira. Antes de começar a obra é preciso negociar com a Petrobras,para garantir o recebimento de gás? Já estamos negociando. Há algum tempo, a Petrobras fez uma apresentação para vários investidores, afirmando que só teria como trabalhar no fornecimento de gás dentro do Nordeste a partir de 2011. Assim, estamos contando que a estatal possa fornecer gás para a termoelétrica a partir do próximo ano e precisaremos esperar até o final do próximo ano ou início de 2012, mas se tivéssemos a garantia de fornecimento desse produto, poderíamos iniciar o projeto antes. Com relação aos insumos que serão produzidos, como tinta, cimento,cloro e numa ultima etapa barrilha,qual será o mercado para esses produtos? As tintas serão produtos voltados para a construção civil e pensamos em vender em todo o mercado nacional, bem como o cloro. Já a cal, será vendida uma parte no Brasil e outra será voltada para o mercado externo. O mesmo irá ocorrer com o cimento, que cerca de 70% será para exportação. De quanto será a produção da fábrica de cimento? Estimamos ter cerca de dois milhões de toneladas anuais de cal e cimento. A nossa intenção é começar a produção cerca de 24

A Alcanorte tinha muitas dívidas. Como ficou essa questão? Com relação às dívidas, iniciamos uma negociação com os bancos, chegamos a iniciar avaliações, mas nada foi muito à frente. Prefiro não falar o valor das dívidas, para não atrapalhar as negociações.

RENATA MOURA E SÍLVIA RIBEIRO DANTAS Repórteres de Economia

inta, cal, cimento. Nem só de barrilha vivem os projetos da Techno-par, holding de participações criada no Rio Grande do Norte para gerir a Alcanorte e sua tão esperada retomada. Aliás, a produção de barrilha - que já foi a estrela da fábrica em sua idealização - é um insumo hoje distante (embora não descartado) dos objetivos dos investidores. Na verdade, a Alcanorte renascerá como um complexo cujos detalhes são explicados pelo diretor da Tech-

T

no-par, Tersandro Milagres. Em entrevista exclusiva à TRIBUNA DO NORTE, ele detalha como foi firmado o negócio com a Nova Álcalis, antiga controladora, e aponta quais são os próximos passos a serem dados para que o projeto que alimenta os sonhos da economia potiguar há várias décadas saia finalmente do papel. A realidade não parece tão distante, mas ainda depende de algumas questões. A primeira dificuldade para retomar o funcionamento do complexo será o fornecimento de gás natural. Embora a própria Petrobras tenha informado a políticos potiguares neste semana não ser capaz de realizar esta operação, Milagres afirma que os investidores aguardam a concretização dos planos da estatal para fornecer o gás para o Nordeste a partir do próximo ano. O empresário descarta a presença da Petrobras como parceira na produção de insumos, mas confirma que a estatal foi procurada para integrar a termoelétrica que será instalada. A estatização da empresa também é uma alternativa que ele derruba.

O primeiro fator do projeto a ser vencido será o fornecimento de gás”.

meses após o início do nosso cronograma, que começa em 12 meses, tanto para a cal quanto para a tinta.

dução. Com relação às etapas anteriores, já foram realizados diversos estudos e já estão prontas para sair do papel.

A empresa pretende pegar uma fatia do mercado que vai se abrir com as obras de infraestrutura voltadas para a Copa de 2014 e com o programa habitacional Minha Casa,Minha Vida? Acredito que essas iniciativas não são tão expressivas, a ponto de viabilizar uma fábrica de cimento. O nosso foco principal será, realmente, a exportação.

O senhor falou que há investidores de peso com contratos já firmados,mas os jornais têm levantado a possibilidade de a Petrobras também fazer parte desse projeto.Como investidor que está à frente desse complexo,o senhor confirma ter negociado com a estatal? Chegamos a conversar alguma coisa, mas há alguns problemas. Se você me disser que a Petrobras vai integrar o projeto de uma fábrica de barrilha, eu não acredito, pois esse não é o foco e não há nenhum interesse da empresa nesse sentido. Conversamos a respeito da termoelétrica, para a estatal fornecer o gás e ter uma fatia de participação no projeto. Essa opção foi vista com bons olhos, mas nenhum contrato foi fechado, pois o fornecimento de gás para a região Nordeste só deve começar em 2011, mas a Petrobras entrou em outros projetos aqui no estado, como a Termoaçu.

A produção de barrilha está contemplada também nesses projetos ou não há contrato de intenção firmado com investidores? Já existem contratos firmados, porém ainda é muito prematuro falar sobre barrilha.

Acreditamos que o projeto é viável, porque levantamos uma taxa de retorno atrativa, que hoje não temos como dizer quanto, é por envolver uma série de custos variáveis.”

Podemos dizer que há a possibilidade de o estado não produzir barrilha,dentro desse complexo? A possibilidade existe, mas acredito que é mínima. Se você me perguntar se daqui a 36 meses estaremos produzindo barrilha, vou te dizer que não, mas em um período de cinco anos, acho que a produção será uma realidade. Podemos dizer que essa será a terceira etapa do projeto, mas para ser concretizada, dependerá de variáveis, como o mercado. E sabemos que existe interesse de compradores, inclusive do exterior, mas não é tão simples viabilizar essa pro-

Algumas correntes políticas e empresariais têm defendido a estatização da Alcanorte.Há essa possibilidade? Eu acho que está todo mundo falando, sem saber o que tem por trás dessa história. Eu tenho visto cada coisa absurda nos jornais. Fala-se em intervenção, mas se-

ria intervenção de quem? A empresa faz parte de um conglomerado e sem os nossos projetos, aquilo ali é um elefante branco, como já foi dito por diversas vezes. O que posso dizer é que, de imediato, existe viabilidade para montar a fábrica de tinta, cal, cimento e algumas outras coisas. Esse é o meu projeto, estou com contratos de arrendamento e trabalhando em cima disso. Mas se vai ter estatização, isso ou aquilo, eu acho muito difícil, em função dos contratos existentes. Não tem como cogitar agora que a Petrobras vai entrar no negócio e a fábrica de barrilha vai começar a produzir daqui a três anos. A estrutura arrendada está nas minhas mãos, porque estou no meio de uma disputa acionária. Quem vai fazer um investimento no meio de uma disputa dessas? Estou esperando a Justiça dar uma solução para esse problema e acredito que esta briga deva ser encerrada nos próximos 20 dias, tanto para decidir que a gente está dentro ou fora do projeto. Agora, no formato que está hoje, ninguém vai fazer investimento em cima dessa disputa jurídica. Nesse contexto de disputa,o que torna o projeto viável? Acreditamos que o projeto é viável, porque levantamos uma taxa de retorno atrativa, que hoje não temos como dizer quanto, é por envolver uma série de custos variáveis.

Como o senhor avalia todo esse movimento em prol do renascimento da Alcanorte? Acha que há muito romantismo? Eu sou a favor do cimento. Acho que isso tudo só atrapalha, é só especulação e um monte de informação desencontrada. O projeto, em si, tem alguns entraves que estão sendo descobertos hoje pela população, mas que para a gente não são tão desconhecidos. Jornais de Natal já publicaram que ainda é preciso fazer estudos sobre a viabilidade da barrilha e talvez fosse mais lucrativo importar do que produzir. Qual a sua opinião a esse respeito? É preciso desenvolver estudos relativos a isso, para ter certeza. Mas o que eu penso em relação à barrilha é que temos uma fábrica que iniciou as instalações há 34 anos, com matéria-prima para produzir, que são gás, sal, calcário e água, e agora só precisamos saber o custo para recuperar a planta do local. Não tem sentido produzir barrilha em outro local do Brasil, pois no RN temos tudo para isso. Mas é preciso ver o custo de investimento em uma planta dessa. A barrilha não é uma prioridade no projeto? Não, porque existem outros insumos que a produção será iniciada no prazo de um ano, com um retorno mais rápido e, enquanto isso, continuaremos trabalhando no sentido de viabilizar a produção da barrilha. Há quanto tempo o senhor trabalha no setor de energia? Desde o ano 2000. Tenho experiência na geração e construção. O projeto do Rio Grande do Norte é um dos três que estamos estruturando com investidores americanos. Além desse, há um no Rio de Janeiro e o local do terceiro ainda está sendo estudado. Devido a essas dificuldades apresentadas,o senhor já pensou em desistir do projeto? Ainda não. E espero que esses impasses sejam resolvidos em breve, para que possamos colocar em prática as obras até o fim deste ano.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 21 de março de 2010

[ CADASTRO ] O Cadastro Empresarial do Rio Grande do Norte revelou que as empresas formais são maiores, apresentam

faturamento anual mais elevado e empregam maior quantidade de pessoas na comparação com as informais

Sebrae apresenta mapa econômico EMANUEL AMARAL

Sebrae do Rio Grande do Norte já está com tudo pronto para lançar o primeiro mapeamento geral das atividades econômicas do estado, o Cadastro Empresarial do Rio Grande do Norte (CEMP). Os resultados serão apresentados em solenidade amanhã, às 19h. O CEMP catalogou mais de 72,1 mil empreendimentos - incluindo os não produtivos, como escolas e associações - que funcionam em áreas urbanas de todos os municípios norte-rio-grandenses. O estudo serviu para identificar as empresas que estão em funcionamento, até mesmo aquelas sem registro formal, e também para se conhecer as potencialidades econômicas de cada cidade. Após meses de coleta de informações, os dados foram analisados, cruzados e os resultados foram compilados em uma publicação, denominda ‘Negócios Potiguares’, que contou com o apoio do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Natal (CDL/Natal). O catálogo traz panorama geral dos negócios do RN e também um CD com o perfil econômico de cada um dos 167 municípios potiguares. Entre as variadas constatações, o CEMP revela que as empresas formais geralmente são maiores, apresentam faturamento anual mais elevado e empre-

O

Zeca Melo explica que CEMP vai ajudar a orientar quem deseja abrir ou expandir negócios

gam maior quantidade de pessoas. Além disso, foi verificado que os dirigentes dessas organizações possuem nível de escolaridade mais elevada. Em contrapartida, os empreendedores do setor informal apresentaram-se mais ousados ao iniciar o negócio e têm grande satisfação no trabalho desenvolvido. Contudo, a incorporação de novas tecnologias atreladas ao negócio ainda é baixa para essa parcela de empreendedores. Diante de resultados como esses, o CEMP se figura como uma

importante base de dados para se entender o cenário produtivo do Estado e guiar futuros investimentos nesses setores. São Informações úteis a empreendedores, como Antônio Albano e Marluzia Mitre, que possuem uma panificadora em Assú (município distante 207 quilômetros de Natal), na hora de expandir ou diversificar os negócios. “Uma das principais vantagens de se ter esse rol de informações disponíveis aqui, no Sebrae, é poder orientar com maior precisão quem deseja abrir ou ex-

pandir os negócios de acordo com realidade da localidade onde o empreendimento está instalado”, ressaltou o diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto. Segundo ele, o CEMP ajuda não apenas na tomada de decisão, mas também na aplicação de novos recursos no negócio e verificação de viabilidade do empreendimento. Além disso, os dados também poderão nortear políticas públicas, que colaborem com o desenvolvimento da produção das empresas.

RN é o primeiro Estado a ter banco de dados desse tipo O Rio Grande do Norte é o primeiro estado a ter um banco de dados como esse à disposição de empreendedores e investidores. “O mérito desse trabalho é que contempla não apenas informações cadastrais, mas também outras agregadas, como número médio de funcionários por setor, investimento em tecnologia, utilização dos recursos de TI, perfil dos empresários, principais dificuldades e investimento em gestão ambiental, dentre outras. E principalmente a possibilidade de fazer inúmeros cruzamentos com as informações disponíveis”, destaca o superintendente do Sebrae RN, Zeca Melo. PESQUISA De forma prática, o Cadastro Empresarial do Rio Grande do Norte (CEMP) servirá para orientar quem pretende montar uma empresa ou fazer novos investimentos. Realizada entre outubro de

O mérito desse trabalho é que contempla não apenas informações cadastrais, mas outras agregadas, como número médio de funcionários por setor e investimentos em tecnologia” ZECA MELO superintendente do Sebrae RN

2008 e outubro do ano passado, a coleta de dados mobilizou uma equipe de 400 pesquisadores, que entrevistaram dirigentes de empreendimentos que funcionam em um ponto fixo e de fácil identificação.


Domingo | 21 de março de 2010

economia

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5

ALEX RÉGIS

[ COMÉRCIO ELETRÔNICO ] Televisores de tela plana de LCD

e plasma serão os carros-chefes dos negócios pela internet

Copa do Mundo puxará vendas no 1º semestre ão Paulo (AE) - A Copa do Mundo de futebol, programada para iniciar em 11 de junho na África do Sul, deverá puxar as vendas de eletroeletrônicos, sobretudo de televisores de tela plana de LCD e plasma, e de artigos esportivos na internet no primeiro semestre deste ano. A avaliação é do diretor geral da empresa de monitoramento de comércio eletrônico, e-bit, Pedro Guasti, que estima vendas brutas na internet de R$ 13,6 bilhões este ano, o que representaria um avanço de 30% sobre 2009. “A categoria de eletrônicos vai ganhar uma maior representatividade nas vendas do comércio eletrônico, avançando em participação sobre os eletrodomésticos, que tiveram no ano passado o incentivo da redução do IPI à linha branca”, afirmou. Segundo ele, as vendas no primeiro semestre devem atingir 45% do total do ano, enquanto que na média de anos sem Copa do Mundo fica na faixa de 40%. Ele prevê que a comercialização de televisores será puxada pela queda nos preços dos aparelhos. Guasti destacou que o setor de

S

comércio eletrônico, que passou a contar recentemente com a participação de lojas virtuais de todas as principais redes de varejo instaladas no País, apresenta um momento de consolidação do ritmo de crescimento das vendas, na faixa dos 30%. “Crescimentos, como o que tivemos em 2006, com alta de 76%, não deveremos mais registrar.” Segundo ele, as novas empresas atraem novos e-consumidores, mas o que puxa o crescimento é o avanço da banda larga e dos meios eletrônicos de pagamentos. A expectativa da e-bit é de que ocorra um incremento de 35% no número de pessoas que compram por meio da internet este ano sobre 2009, atingindo 23 milhões de consumidores. Guasti salientou ainda que “há um enorme espaço a ser preenchido” pela entrada de consumidores das classes C e D. A relação entre o número de adeptos das compras pela internet e de internautas brasileiros deverá encerrar o ano em 35%, ante os 26% observados em 2009. CRESCIMENTO As vendas por meio da internet apresentaram um crescimen-

to de 30% no ano passado em relação a 2008, atingindo uma receita bruta de R$ 10,6 bilhões, segundo divulgou hoje a empresa de monitoramento de comércio eletrônico, e-bit. Para 2010, a expectativa é repetir o o ritmo de crescimento em 30%. O número de consumidores que fizeram compras na internet no ano passado passou para 17,6 milhões de pessoas, uma alta de 33% sobre 2008. Em 2010 a estimativa é de que atinja 23 milhões, o que representaria uma elevação de 35%. As categorias de produtos que puxaram o volume das vendas no ano passado foram livros; saúde, beleza e medicamentos; eletrodomésticos; informática; e eletrônicos. O tíquete médio em 2009 nas vendas pela internet foi de R$ 355, o que representou um aumento de 2% sobre o valor de 2008. Segundo a e-bit, os preços na internet no ano passado sofreram uma pressão de queda em razão da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) da linha branca, como geladeiras, fogões e máquinas de lavar roupa.

Vendas brutas pela internet devem chegar a R$ 13,6 bilhões estima empresa e-bit


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 21 de março de 2010

As companhias aéreas brasileiras poderão ter até 49% de capital estrangeiro. Na mesma proposta enviada ao Congresso, o governo muda o regime dos serviços aéreos

IMPOSTO DE RENDA

[ ESTRANGEIROS ]

Pergunte

Participação poderá chegar a 49% ADRIANO ABREU

rasília (AE) - As companhias aéreas brasileiras poderão ter até 49% de capital estrangeiro. Na mesma proposta enviada ao Congresso, em que permite a ampliação de 20% para 49% dessa participação de capital estrangeiro nas empresas aéreas, o governo também muda o regime de funcionamento dos serviços aéreos, que deixam de ser uma concessão de serviço público e passam a ser prestados mediante simples autorização do governo. A proposta do Ministério da Defesa sacramenta juridicamente a liberação dos preços das passagens aéreas, que já ocorre na prática, pois exime o governo da responsabilidade na garantia do equilíbrio econômico e financeiro das empresas. Há uma exceção em que o capital estrangeiro pode ser superior a 49%: em caso de acordo bilateral de reciprocidade. O artigo 180G do novo texto do Código Brasileiro de Aeronáutica, diz que “observada a reciprocidade, os acordos sobre serviços aéreos celebrados pelo Brasil poderão prever limite de capital social votante em poder de brasileiros inferior ao mínimo estabelecido no inciso II do art. 180-F (51%), sendo válido apenas entre as partes contratantes”. Se o Brasil decidir fazer um acordo especial com um país, isso só valerá para esse caso específico.

B

FÔLEGO Para o Ministério da Defesa, com a ampliação de 20% para 49% de capital estrangeiro as empresas aéreas ganharão fôlego financeiro e facilidade administrativa. Na exposição de motivos, Jobim disse que a injeção de inves-

A proposta do Ministério da Defesa sacramenta juridicamente a liberação dos preços das passagens aéreas

timentos vai ajudar a atender a “demanda por serviços de transporte aéreo, que tem crescido significativamente, na ordem de 14% ao ano nos últimos cinco anos”. REGIONAIS Com a liberdade para abrir e fechar novas empresas - sem precisar passar pelas regras de concessão pública -, o governo quer estimular também o aumento de empresas dispostas a fazer voos regionais, elevando, assim o número de cidades atendidas por linhas aéreas. O projeto não prevê prazos para as autorizações de funciona-

mento das companhias aéreas. Não haverá interrupção em nenhum tipo de contrato. As mudanças de regime de concessão para autorização deverão ocorrer automaticamente no encerramento dos atuais contratos. As novas empresas já serão sob a regra da simples autorização, muito menos burocratizada. A cassação da autorização poderá ocorrer a qualquer momento, se a empresa descumprir as regras de funcionamento do setor exigidas que vão desde princípio de eficiência, regularidade, pontualidade, até responsabilidade e segurança das

operações, segundo as normas do setor de aviação. Os cancelamentos frequentes de voos ou atendimento deficiente podem ser motivo de punição à empresa. CASA CIVIL O texto estava pronto para ser encaminhado ao Congresso desde outubro de 2009, mas inúmeras discussões foram travadas entre a Casa Civil e a Defesa. Existem outros projetos que permitem a ampliação do capital estrangeiro em tramitação no Congresso. Um deles, já foi aprovado no Senado e

está na Câmara. De acordo com a Defesa, o novo texto é mais amplo e adequa à nova situação do transporte aéreo o capítulo do Código Brasileiro de Aeronáutica que trata de serviços aéreos. Na exposição de motivos encaminhada ao Congresso, o Ministério da Defesa defende a alteração do texto alegando que é preciso “estabelecer novo paradigma ao modelo que os serviços aéreos são organizados e prestados, de modo a garantir a segurança jurídica necessária para estímulo e desenvolvimento da aviação nacional e adequar o setor à realidade mundial”.

ao

leão Sou proprietário de um imóvel e fiz o contrato de locação em nome de meu filho,que não tem outros rendimentos,além desse. Como devem ser tributados os rendimentos do aluguel? Pelo relato o senhor deu ao filho o usufruto dos rendimentos de aluguel de imóvel.Se o usufruto constar de escritura pública averbada no registro de imóveis,os rendimentos serão tributados em nome do filho.Na Declaração de Bens e Direitos o pai deve informar a constituição do usufruto em favor do filho. Caso o filho não declare em separado,mas conste como Dependente na Declaração do pai, os rendimentos devem ser declarados na Ficha específica – “Rend.Trib.PF/Exterior pelos dependentes”e,dessa forma, somados aos demais rendimentos do Titular (o pai,neste exemplo). Se,noutro giro,não houver escritura averbada,o pai,ao relacionar o imóvel em sua Declaração de Bens e Direitos,informa que tais rendimentos foram doados ao filho. Nessa hipótese os rendimentos são tributados em nome do pai.Para o filho os rendimentos são considerados não-tributáveis,como doação em espécie. Vale destacar,por fim,que os rendimentos de aluguéis,além de serem levados como rendimentos tributáveis para a Declaração Anual de Ajuste,são tributados mensalmente na fonte,se pagos por pessoa jurídica,ou sujeitos ao recolhimento mensal (CarnêLeão),se pagos por pessoas físicas. As perguntas desta coluna são respondidas por técnicos da Delegacia da Receita Federal em Natal.Envie suas dúvidas com nome,e-mail e telefone para irpf@tribunadonorte.com.br


economia

Domingo | 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

7

Projeto que prevê, em última fase, a produção de barrilha no Rio Grande do Norte, espera o fim da etapa de licenciamento e o desfecho de uma disputa judicial para ser iniciado, mas já tem prazos definidos para sair do papel [ EXPECTATIVA ]

Complexo Industrial está no gatilho LUCIANA BRASIL

RENATA MOURA Repórter de economia

o ano passado, enquanto o mundo e o Rio Grande do Norte sentiam os efeitos da recessão e da desaceleração de investimentos, um empresário mineiro, de 36 anos, apostava suas fichas num complexo industrial de R$ 1,2 bilhão e chance de o Rio Grande do Norte ligar as máquinas da Alcanorte, fábrica de barrilha instalada há mais de três décadas em Macau, mas até hoje inativa. O projeto, que prevê a produção não só desse produto, mas também de tinta, cimento, energia e beneficiamento de calcário, considerados prioritários num primeiro momento, despertou o interesse de potenciais parceiros, mas esbarrou numa disputa judicial pelo controle da fábrica de barrilha - uma de suas ramificações. “O impasse atrasou nossos planos. Mas estamos no ponto de começar. Já tenho o corpo técnico todo preparado para dar início à montagem, às instalações. Basta essa questão ser resolvida”, diz Tersandro Milagres, empresário que está à frente da Techno-Par, holding de participação criada no Rio Grande do Norte para gestão dos projetos. Fazendo jus à fama de comer quietinho dos mineiros, ele esboçou o “Complexo Industrial de Macau”, como batizou o empreendimento, encontrou parceiros com interesse em cada área de produção, deu início ao processo de licenciamento e apresentou, sem holofotes, os detalhes das negociações ao governo do estado. “Não começamos a montagem no ano passado por conta das disputas jurídicas. Tenho cinco empresas grandes, com contratos de intenção de investimento firmados, mas que não querem se expor no meio dessa confusão toda”, comentou o empresário, em entrevista exclusiva à Tribuna do Norte, em que apresentou pela primeira vez os detalhes e o cronograma do investimento. O projeto foi dividido em três etapas e, em linhas gerais, tem como objetivo o beneficiamento de calcário para produção de cimento, cal e barrilha. Mas também engloba a implantação de unidades para produzir tinta, energia e vidro, por exemplo. A barrilha entraria na linha de produção numa última etapa. “Podemos chegar na barrilha, mas precisamos de estu-

SILÊNCIO Parte da receita da Alcanorte é oriunda de royalties de petróleo.A diretoria da empresa não tem,porém, dados precisos sobre quanto o pagamento representa na receita nem sobre o total de poços existente na área em que a fábrica está instalada.A Petrobras foi questionada sobre esse e outros pontos,como a possibilidade de fornecer o gás natural necessário à produção no Complexo,mas limitou-se a responder,por meio da assessoria de imprensa,que“não comenta o assunto Alcanorte”.No caso dos royalties,dados da Agência Nacional de Petróleo,Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) apontam Macau como o município que recebeu o maior repasse no estado, em fevereiro.O levantamento não mostra os destinatários do pagamento,mas aponta que a cifra recebida pela cidade chegou a R$ 1.686.909,04,do total de R$ 26,02 milhões pagos ao RN. A Petrobras não respondeu se teria algum interesse no projeto de Macau.O presidente da estatal, Sérgio Gabrielli,se mostrou disposto a receber informações sobre o empreendimento,mas ressaltou que não poderia garantir o fornecimento de gás para a fábrica, segundo o senador Garibaldi Filho,em discurso na tribuna do Senado esta semana.A Petrobras não confirma se a posição de Gabrielli põe um ponto final no assunto.

N

A Alcanorte, fábrica de barrilha projetada há mais de 30 anos em Macau, no RN, pode ser viabilizada dentro do Complexo Industrial JÚNIOR SANTOS

Conversamos com a Petrobras e ela não fechou as portas para fornecer o gás” TERSANDRO MILAGRES diretor da Techno-Par.

dos mais profundos. A produção de cal, por exemplo, é simples, a de barrilha não é tão simples”, disse Milagres, garantindo que o produto não está fora dos planos. Algumas razões inviabilizam a produção, porém, no curto prazo. Um dos motivos é a indisponibilidade de gás no momento para atender a fábrica. Mas o problema, de acordo com Milagres, não é insolúvel. “Conversamos com a Petrobras e ela não fechou as portas. Disse

Disputa judicial atrasa início dos investimentos no projeto Dois grupos da Novalcalis, sócia majoritária da Alcanorte, disputam o controle da empresa, provocando um impasse que tem atrasado o início dos investimentos para ativar o complexo. Segundo Herculano Caiado, diretor financeiro da Alcanorte, mas atualmente afastado, um grupo de oposição à gestão que integra tentou dar um “golpe de Estado” para assumir o comando da companhia. O processo se arrasta há cerca de 10 meses. No Rio de Janeiro, a justiça teria decidido manter os antigos administradores, grupo em que se inclui Herculano, o presidente da Alcanorte Aloísio Caiado e o presidente da Noválcalis, Antônio Carlos Feres, em seus cargos, mas, quando o processo chegou ao Rio Grande do Norte, os opositores conseguiram decisão favorável e ficar à frente da empresa. “Mas estamos recorrendo dessa decisão”, diz Herculano. O grupo opositor, segundo ele, estaria interessado na renda mensal da fábrica instalada no Rio Grande do Norte, que gira em torno de R$ 200 mil. A renda, de acordo com informações do diretor, vem do arrendamento de uma adutora de água à Caern, que abastece 14 municípios da região próxima à Macau, mas que havia sido concebida, inicialmente, para fornecer água ao projeto. “Como

Os investidores não sentem firmeza em quem está à frente da negociação desse jeito. Isso tudo gera insegurança ao investimento” HERCULANO CAIADO diretor da Alcanorte

o projeto não foi pra frente, foi arrendada”, explica. A cifra também é garantida pelo aluguel de 279 casas, de um clube e de uma mina de granito de propriedade da Alcanorte. Parte da receita vem, ainda, de royalties, pagos pela produção e exploração de petróleo e gás na área em que está instalada a companhia. A disputa judicial, segundo ele, tem atrapalhado totalmente o andamento dos novos projetos. “Temos um investidor que se propõe a começar uma parte do projeto e tem condição de buscar parceiros. Mas os investidores não sentem firmeza em quem está à frente da negociação desse jeito. Isso tudo gera insegurança ao investimento”, analisa ele, que participou ativamente da captação de parceiros e vem acompanhando os projetos da Techno-Par.

que precisaria de dois ou três anos para se estruturar e fazer o fornecimento”, detalha. Os equipamentos existentes na fábrica também estão obsoletos e demandam estudos para que o investidor analise a viabilidade dos custos. Pelo cronograma apresentado ao governo do estado em outubro de 2009, a terceira etapa do projeto, que incluiria a barrilha, seria implantada em 36 meses. Um dos diretores da Alcanorte, atualmente afastado, Herculano Caiado, garante que há um grupo indiano disposto a produzir o insumo. A linha de produção do complexo industrial deve ser, porém, estreada pelos outros produtos. “Um projeto viabiliza o outro”, diz Milagres. Desde 2006, vêm sendo desenvolvidos estudos de mercado e outras análises no projeto.

Alcanorte tornaria o Brasil autossuficiente

Caiado: “Grupo indiano está interessado em produzir barrilha”

COMPLEXO INDUSTRIAL DE MACAU O projeto prevê três etapas de operação.Confira: Primeira fase:

12 meses

Área de Expansão Área:16 ha

➔ Beneficiamento de calcário para produção de cal. ➔ Unidade de blendagem de resíduos. ➔ Aterro Industrial. ➔ Indústria de tinta.20% da capacidade. ➔ Mineração de calcário. Segunda fase:

24 meses

➔ Geração de 270 MW de energia. ➔ Beneficiamento de calcário incluindo a produção de cimento 50% capacidade. ➔ Unidade de Produção de Cloro. ➔ Unidade de Produção de Panfloc. ➔ Industria de tinta 100% da capacidade. Terceira fase:

36 meses

➔ Geração de 540 MW de energia. ➔ Beneficiamento de calcário 100% da capacidade de produção do cimento. ➔ Beneficiamento de calcário incluindo a *produção de barrilha. ➔ Industrias de vidros:garrafas e planos. *A produção da barrilha necessita de consultas técnicas para sua confirmação e avaliação da viabilidade econômica do projeto. Fonte:Techno-Par

Unidade de geração de Energia - QTE Área:17,5 ha

a Ru

Unidade industrial de Tintas Área:6,8 ha

Rua projetada

a ad jet o pr

Aterro Industrial Unidade de Blendagem Área:13,2 ha

Unidade de Beneficiamento de Calcário Área:23,9 ha

Unidade de Apoio Administrativo Área:5 ha Área de captação de água Área:4,3 ha

Unidade Pladnfloc Área:6,1 ha

Unidade de produção de Cloro Área:11 ha 2ª opção UTE MACAU/RN Área:20 ha Adquirido

NÚMEROS

R$ 1,2 bilhão

3 mil

é o valor estimado do investimento no complexo

entre diretos e indiretos,será geração de empregos quando estiver em pleno funcionamento

A Alcanorte foi concebida para ajudar o Brasil a se tornar autossuficiente na produção de barrilha, na década de 70. O insumo, feito à base de sal, gás e calcário, produzidos com destaque pelo Rio Grande do Norte, encontrou terreno fértil, mas nunca chegou, porém, a ser produzido no estado. Na esteira de crises envolvendo seus ex-controladores, a fábrica foi inviabilizada. Se afundou em dívidas e só encontrou perspectivas de ressuscitar há cerca de três anos, quando a outra fábrica existente no Brasil, a Álcalis, fechou as portas, por conta de dívidas, mas também de escassez de matéria-prima nas proximidades de onde estava instalada, no Rio de Janeiro. As duas empresas foram arrematadas pelo grupo Fragoso Pires, na época das privatizações, e “doadas” em 2003, a funcionários que assumiram a administração por meio da Companhia Nacional de Álcalis (CNA). “Eu entrei no projeto quando a Álcalis estava funcionando. Na realidade, foi para tentar recuperar a Álcalis no Rio de Janeiro”, diz Tersandro. O projeto dele era montar uma termoelétrica dentro da empresa para fornecer energia e vapor para o processo de produção de barrilha. O projeto permitiria uma redução de 30% nos custos de produção do insumo. “Nessa época, tivemos dificuldade porque não tinha gás no Rio de Janeiro parta abastecer o projeto. A mesma dificuldade que temos hoje aqui”, comenta ele. “Quando a fábrica fechou, como eu já estava com financiamento liberado, com equipamentos liberados para montar e todo mundo falava que no Rio Grande do Norte tinha facilidade do gás, vim ver as instalações para tentar montar a estrutura aqui”, continua. Com experiência na área de geração de energia, o empresário pretende firmar parcerias com outras empresas para fabricar os demais produtos. “Desde 2006 eu estou investindo. Tem outros grupos interessados. Grupos considerados agressivos”, afirma.


economia 8

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 21 de março de 2010

[ CAMPO ] Confederação está preocupada com

o processo de reavaliação do uso de tóxicos

CNA alerta para riscos de alta nos preço dos agrotóxicos B

classificados

O seu mercado de serviços todos os dias na TRIBUNA DO NORTE

rasília (AE) - A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) está preocupada com o processo de reavaliação do uso de substâncias componentes em agrotóxicos. Desde o ano passado, 14 dessas substâncias estão sendo analisadas pelo governo e uma, a cihexatina, já foi proibida no mercado. De acordo com a CNA, se três desses ingredientes ativos (endossulfam, acefato e methamidophos) passarem a ser proibidos, o custo do produtor agrícola com defensivos pode subir até 200% por componente. Isso porque, de acordo com a Confederação, o custo com o endossulfam, por exemplo, é de até R$ 198,00 por hectare. Seu substituto custaria ao agricultor até R$ 340,00 para a mesma área de plantio. Essa substância é usada para combater o cupim da cana-deaçúcar. A alteração custará mais para o produtor, conforme a CNA, porque os ingredientes utilizados hoje já possuem suas patentes quebradas, o que não ocorre com seus possíveis substitutos.

O alerta já foi feito pela presidente da CNA, senadora Kátia Abreu (DEM-TO), à Casa Civil. Afinal, argumentam os representantes da Confederação, os custos mais elevados podem representar alimentos mais caros no mercado. Além disso, a senadora defende que essas substâncias são usadas em outros países produtores. “O uso dos ingredientes ativos em reavaliação é permitido nos maiores mercados agrícolas mundiais, como Estados Unidos e Austrália, mundialmente conhecidos pelo rigor de suas exigências toxicológicas e ambientais”, disse Kátia no texto enviado à Casa Civil. A reavaliação está sendo coordenada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas é preciso passar pelo aval do Comitê Técnico de Assessoramento, composto também por representantes do Ministério da Agricultura e do Ibama, do Ministério do Meio Ambiente. Se o CTA definir que o produto deve ser retirado do mercado, o grupo de representantes traça, então, uma estratégia de banimento do produto.


economia DÓLAR COMERCIAL Compra:R$ 1,800 Venda:R$ 1,801 DÓLAR PARALELO Compra:1,86 Venda: 1,96

SALÁRIO MÍNIMO R$ 510,00 TAXA SELIC 8,75%

POUPANÇA HOJE 0,5000% POUPANÇA AMANHÃ 0,5000% CDB 8,66%

BOVESPA

TELEFONES ÚTEIS

+ 0,72%

Receita Federal: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6770 Procon Municipal: 3232-9050 DRT RN: 3220-2000

AGRICULTURA

Reinhold Stephanes espera que fundo de catástrofes comece a operar até 2013. PÁGINA 10 DÓLAR TURISMO Compra: R$ 1,760 Venda:R$ 1,893 EURO Compra:R$ 2,435 Venda:R$ 2,438

Editor: Vinícius Albuquerque e-mail:vinicius@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 21 de março de 2010

Analistas apontam o parque industrial mais voltado a segmentos que foram muito beneficiados com a manutenção da demanda interna como um dos fatores que ajudaram a região a se reerguer com mais agilidade que o resto do país [ INDÚSTRIA ]

NE se recupera mais rápido da crise DIVULGAÇÃO

Indústria do petróleo é uma das que movimenta o Nordeste

io (AE) - Os Estados do Nordeste estão se recuperando mais rapidamente da crise que as demais regiões do País. Analistas apontam o parque industrial mais voltado a segmentos que foram muito beneficiados com a manutenção da demanda interna como um dos fatores. O segundo é a disponibilidade de renda, acentuada pelo fato de a região concentrar transferências de programas governamentais como o Bolsa Família. O parque industrial nordestino é rico na produção de bens de consumo semi e não duráveis (alimentos, bebidas, calçados) e intermediários (petróleo, metalurgia e produtos químicos). Segundo dados do IBGE, enquanto a produção industrial na média nacional ainda estava, em janeiro, em patamar 4,9% abaixo de setembro de 2008, o Ceará já havia mostrado uma expansão de 10,6%. Dados positivos neste tipo de comparação foram apurados também em Pernambuco (4,3%), Bahia (1,6%). Como um todo, a região Nordeste teve alta de 2,5%). O mês de setembro de 2008 foi escolhido pelo instituto como base de comparação por representar o momento imediatamente anterior aos efeitos da crise sobre a indústria. Em setembro o setor operava em patamar recorde. O economista da coordenação de indústria, André Macedo, explica que os Estados do Nordeste têm, na sua estrutura industrial, segmentos que ou sofreram menos impacto das turbulências que marcaram o setor no ano passado ou que mostraram forte reação no segundo semestre de 2009. O economista do Instituto de

R

Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) Rogério Souza, explica que a produção no Nordeste apresentou recuperação bem antes das outras regiões do País. Ele destaca o fato de o Ceará e a Bahia terem retomado o nível de produção de pré-crise já em novembro de 2009. Em Pernambuco, de acordo com o Iedi, a recuperação veio ainda mais cedo e, em agosto de 2009, a produção pernambucana superava o nível registrado em setembro de 2008. Segundo ele, a região Nordeste vem sendo beneficiada, “em grande medida”, por fatores que chama de “estabilizadores automáticos” que atuam como fatores anticíclicos (que minimizam os problemas gerados por crises) e que têm relação com políticas de renda políticas de renda como, por exemplo, o Bolsa Família. De acordo com o IBGE, os segmentos que estão impulsionando a produção no Nordeste como um todo, segundo os dados de janeiro, são produtos químicos (sobretudo etileno e polietileno), refino de petróleo e produção de álcool e indústria metalúrgica. Nos casos específicos, o Ceará mostra destaque em produtos têxteis, por causa do aumento na fabricação de tecidos e fios de algodão; calçados e artigos de couro, sobretudo por causa de calçados de plástico femininos e produtos químicos. Em Pernambuco, os destaques tem sido a produção de pilhas e baterias elétricas para veículos, produtos químicos e metalurgia básica, enquanto na Bahia os maiores incrementos foram apurados em refino de petróleo e produção de álcool e metalurgia básica.


10

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 21 de março de 2010

[ PERDAS ] Projeto foi aprovado na semana passada pelo plenário da Câmara e expectativa do ministro Reinhold Stephanes é que benefício entre em operação na safra 2012/2013

Abrindo a porteira laf@digizap.com.br

Rei do gado egundo matéria do jornal Valor, o novo rei do gado no Brasil é o banqueiro Daniel Dantas. Ele engorda o rebanho com pesados investimentos na Agropecuária Santa Bárbara, no Pará, com recursos próprios e fundos administrados pela companhia financeira. O projeto é bilionário, com 500 mil cabeças do Grupo Opportunity. A Agropecuária Santa Bárbara tem área quase igual à do Distrito Federal e quer chegar a 1 milhão de bois até 2014. A empresa tem hoje 500 mil hectares de terras, principalmente no Pará. Nos 240 mil hectares de pastagem - o restante é destinado às reservas florestais legais - o grupo tem hoje meio milhão de cabeças de gado, e a meta é dobrar esse número até 2014.

S

VACINA

O Ministério da Agricultura e Pecuária quer a classificação de ‘livre da febre aftosa com vacinação’ para todos os estados até final de 2010, com exceção de Santa Catarina que é livre sem vacinação.

Calendário

Expoleilão

O lançamento do calendário de eventos agropecuários do RN, de 2010 e, da campanha de vacinação contra a aftosa, pela Secretaria da Agricultura e Pecuária, a ser realizada em abril, já tem data definida. Será no dia 31 próximo, durante café da manhã no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim. Também marcará a despedida da governadora Wilma de Faria.

A VII Expoleilão começa na última quinta-feira de abril dia 29 e vai até 2 de maio no Parque de Exposição Aristófanes Fernandes em Parnamirim. Durante o evento haverá julgamentos de Caprinos, Ovinos e Bovinos, serão 3 leilões, o tradicional leilão Preto no Branco de Caprinos e Ovinos, o leilão das Águas, de bovinos e o leilão do Haras Santa Helena.

Fundo de Catástrofe deve operar em até três anos rasília (AE) - O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, acredita que o Senado tenha condições de votar ainda neste semestre o projeto de lei complementar que cria o Fundo de Reparação de Perdas por Sinistros para a agropecuária brasileira, conhecido como Fundo de Catástrofe. O projeto foi aprovado na semana passada no plenário da Câmara com 329 votos a favor e 1 contrário. Ele não está tão otimista quanto os deputados, no entanto, em relação ao início da operação desse fundo, que funciona como um seguro.

B

“Não sou otimista a ponto de dizer que o fundo entre em operação na safra 2010/2011 (que tem início em julho). Se o cronograma estiver ajustado, pode começar a operar na safra 2011/2012, mas o mais provável é que inicie em 2012/2013”, comentou. Para Stephanes, é preciso pelo menos um ano após a sua aprovação pelo Senado e a eventual sanção do presidente da República até que o projeto saia do papel. “O Senado tem condições de votar neste semestre ainda porque o debate sobre o tema foi exaustivo”, disse ele, acrescentando que se empenhará pessoalmente nes-

sa questão. O ministro ressaltou que esse seguro ajudará na formação de um novo tripé que sustentará a agricultura brasileira no futuro: crédito, seguro e garantia de preço. Para ele, a política atual de preço e renda teve seu mérito, mas está defasada. “Já se esgotou”, resumiu. Por isso, um grupo formado por representantes do setor privado, do Banco do Brasil e dos ministérios da Agricultura e da Fazenda estudam uma forma de apresentar uma nova política agrícola para o produtor brasileiro. “Estas discussões começaram antes da minha chegada ao Ministério e de-

vem amadurecer, podendo sair junto com o Fundo de Catástrofe”, previu. Stephanes ressaltou que tem encontrado problemas, por exemplo, com a política de preços mínimos. “Sempre surgem dificuldades pelo caminho e é preciso ir um pouco além”, comentou. Um exemplo, segundo ele, é o do trigo. A atual política de apoio do ministério alcançou 65% da produção de trigo, mas teria sido necessário atingir 90% da safra em função dos problemas registrados este ano, segundo cálculos do ministro. “No caso do feijão, também não funcionou bem”, disse. JÚNIOR SANTOS

Mais leite Uma nova empresa de laticínios, para brigar com as grandes companhias do setor, começa a ganhar contornos, com a assinatura de um acordo entre a Monticiano Participações, da GP Dairy, e da Laep Investments, detentora do licenciamento da marca italiana Parmalat. Inicialmen-

te está sendo criado um consórcio operacional das fábricas da Leitbom, laticínio com sede em Goiás adquirido em 2008 pela GP Dairy, e da Glória Alimentos e Ibituruna, duas empresas da Laep, holding que controla também a Parmalat Brasil, em processo de recuperação judicial.

ÁGUA O Governo do Estado faz uma programação especial para comemorar o Dia Mundial da Água, amanhã (22). Será realizado em três dos principais cruzamentos da cidade um pedágio de educação ambiental, pelo uso racional da água. Dentro da programação, na próxima quinta-feira (25), em Parelhas, haverá uma audiência pública sobre o Programa de Convivência com a Seca e com o Semi-árido Potiguar (PSP). Encerrando as comemorações, acontece a inauguração da Estação de Tratamento de Esgotos do Baldo, que vai tratar os esgotos de 21 bairros de Natal, despoluindo o rio Potengi.

1

O Rio Grande do Norte vai sediar mais uma exposição nacional de animais. Durante a Feinco, encerrada no último sábado e, São Paulo, o RN conquistou a exposição nacional da ovina raça Dorper, em 2011, durante a Festa do Boi. Agora, em 2010, será sede da nacional da raça caprina Boer. No ano passado sediou a nacional da raça Santa Inês.

2

O Rebanho Caroatá divulgou o resultado do leilão virtual Três Ases e Um Curinga realizado no último dia 06. O valor total de vendas do evento foi de R$ 130 mil, com destaques para os ovinos da raça Dorper, que alcançaram os maiores valores de remates. O leilão foi realizado em parceria com fazendas da Paraíba.

3

A Finobrasa Agroindustrial no Vale do Açu, produz manga em 350 hectares próprios e mais 250 hectares arrendados. No ano passado exportou 2,3 milhões de caixas de 4 quilos cada uma. A empresa é a quinta maior produtora e exportadora brasileira de manga, com meta de chegar, nos próximos três anos, à marca de 3,5 milhões de caixas de manga exportadas.

FRIGORIFICO

No Cariri paraibano, a região que mais contribui para a Paraíba figurar como maior produtor de leite de cabra no país, começa a diversificar os negócios com a demanda do mercado pela cadeia da caprinocultura. O contrato fechado pela Cooperativa Agro-Industrial (Coagril) com supermercados de João Pessoa e Campina Grande para a venda dos derivados do leite caprino como queijo e, até o final do ano, de doces e iogurtes, deverá expandir os negócios dos pequenos produtores. A meta até dezembro é chegar com os produtos em 20 estabelecimentos comerciais nas duas principais cidades do Estado. O abate está entre 100 e 150 animais/dia no frigorífico de Mulungu e com a capacidade de mais 120 animais/dia do frigorífico de Monteiro.

AÇÚCAR Marcada para o período de 13 a 15 de abril, no Centro de Convenções de Pernambuco, a realização II Mostra do Setor Sucroenergético (Sucronor) em paralelo à ForInd NE (II Feira de Fornecedores da região Nordeste).

Fundo ajudará na formação de um novo tripé que sustentará a agricultura: crédito, seguro e garantia de preço

Projeto para fertilizantes está pronto Brasília (AE) - O anteprojeto de lei para o segmento de fertilizantes que está sendo elaborado em conjunto pelos ministérios da Agricultura e de Minas e Energia está pronto. A informação foi dada na semana passada pelo ministro Reinhold Stephanes. De acordo com ele, faltam apenas detalhes técnicos que serão ajustados até segunda-feira por profissionais das duas Pastas. Além disso, segundo o ministro, também já estão finali-

zadas as medidas administrativas e políticas a serem tomadas pelo governo nesse segmento. Receoso de divulgar informações específicas do projeto antes da apresentação ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 29, Stephanes comentou apenas que estão previstas regras mais exigentes em relação a prazos e atuações das empresas que quiserem atuar no setor. Vale destacar que a regulamentação para os fertilizantes es-

tará sob o mesmo guarda-chuva do Código Mineral apresentado no último dia 9 pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. “O projeto cria obrigações firmes”, disse, citando como exemplo a obrigatoriedade de apresentação de cronograma de investimentos, especificações de prazos de início e término de exploração e perspectiva de quantidade a ser explorada. Essas determinações serão acompanhadas de multas e

punições para os que não cumprirem as novas regras. Além disso, segundo Stephanes, as jazidas de minérios usadas para fertilizantes que não estão sendo exploradas em sua operação plena terão que se adequar às novas regras. Ele não comentou, porém, o ponto nevrálgico desse novo modelo: se será criada uma empresa estatal para atuar no segmento. “Não vou falar mais nada porque pode acabar virando polêmica.” CHILE

IMPORTAÇÃO LIBERADA A MAIS 16 FRIGORÍFICOS São Paulo (AE) - O Chile habilitou mais 16 frigoríficos brasileiros a exportar carne bovina in natura para aquele país. As unidades recém liberadas pelo governo chileno foram visitadas em dezembro do ano passado e, de acordo com o diretor executivo da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Otávio Cançado, o relatório com a relação dos frigoríficos autorizados a embarcar para o Chile chegou ontem ao País. Com essas novas plantas habilitadas, chega a 34 o número de frigoríficos habilitados a exportar carne bovina para o Chile, que em 2005 proibiu os embarques de carne brasileira em razão da ocorrência de focos de febre aftosa em Mato Grosso do Sul. Antes do embargo, segundo Cançado, 36 frigoríficos brasileiros exportavam carne in natura para o Chile. A meta da entidade é alcançar 42 unidades habilitadas a vender carne àquele país ainda no primeiro semestre.


Domingo | 21 de março de 2010

economia

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

[ MERCADO ] De acordo com dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), divulgados na semana passada, ao fim de 2009, as ofertas totalizaram R$ 122,3 bilhões

Ofertas de títulos já somam R$ 14,21 bilhões até março MARCELO SAHD

R

io (AE) - As ofertas de títulos no mercado este ano até 17 de março já somam R$ 14,21 bilhões, de acordo com dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). No mesmo período do ano passado, o total era de R$ 5,951 bilhões. Era o auge da crise econômica. Ao fim de 2009, as ofertas totalizaram R$ 122,3 bilhões. O destaque no ano passado foi a estreia na Bovespa das ações do Santander, com R$ 14,1 bilhões, em outubro. Este ano, em valor, as operações com debêntures lideram as ofertas, com R$ 4,946 bilhões, seguidas pelas ações, com R$ 4,370 bilhões. No ano passado até 17 de março, a única oferta de debêntures era a do Bradespar, de R$ 610 milhões, e não havia ainda nenhuma de ações Em 23 de março, porém, foi feita a da Redecard, de R$ 2,2 bilhões. O destaque do mesmo período do ano passado eram as notas promissórias. Elas constituem uma alternativa para parcelar dívida com fornecedores em um período de crédito escasso. Na época, foram emitidas R$ 1,348 bilhão. Já este ano até quarta-feira passada, foram apenas R$ 380 milhões. A presidente da CVM, Maria Helena de Santana, comentou ontem em cerimônia de assinatura de convênio com a Polícia Federal, que “o mercado brasileiro tem sido capaz de atrair investidores nacionais e internacionais”. Na mesma ocasião, para realçar a importância do mercado de capi-

O destaque foi a estreia na Bovespa das ações do Santander, com R$ 14,1 bilhões, em outubro

tais brasileiro, disse que, neste início de 2010, ele “já viabilizou ofertas de quase R$ 14 bilhões”. CRIME A CVM e a Polícia Federal firmaram convênio para atuação conjunta na prevenção e combate ao crime no mercado de capitais. O convênio dará mais agilidade e efetividade ao combate a crimes no mercado. O diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Paulo Corrêa, explicou que a PF está mudando sua forma de atuação no mercado de capitais e quer aumentar seus conhecimentos e capaci-

tação nessa área. “A Polícia Federal quer deixar de atender ponto a ponto, caso a caso, e ter uma capacidade sistêmica instalada (no mercado de capitais)”, afirmou. Com a atuação em conjunto, os processos administrativos da CVM poderão se beneficiar de provas obtidas em investigações criminais pela Polícia Federal. Em um caso desse tipo, escuta telefônica feita pela PF mediante autorização da Justiça pode vir a subsidiar uma investigação da CVM, segundo Maria Helena Santana. “Temos certeza de que preci-

samos evoluir na capacidade de detecção e qualificação de provas no mercado de capitais, em áreas difíceis como a de informação privilegiada e manipulação de mercado”, disse Maria Helena. O procurador-chefe da Procuradoria Especializada da CVM, Alexandre Pinheiro, ressaltou a possibilidade de compartilhamento de provas. O diretor de combate ao crime organizado da PF, Roberto Troncon, também falou da importância de aumentar a capacitação da PF com o convênio, para “buscar efetivamente prova mais qualificada”.

11

[ BANCOS ]

[ PLANO COLLOR ]

Estudo do Idec aponta falta de clareza com clientes

Prazo para ações termina no dia 31 de março

S

B

ão Paulo (AE) - Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) com os dez maiores bancos do País registrou irregularidades em relação ao é que exigido pelo Código de Defesa do Consumidor e pelas leis e resoluções que regulamentam o setor. Durante um ano, os pesquisadores do instituto mantiveram contas nos bancos com mais de um milhão de clientes, localizados na zona oeste da cidade de São Paulo. As instituições financeiras avaliadas foram Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Nossa Caixa, Real, Santander e Unibanco. O índice médio de desempenho dos bancos, que tiveram suas práticas bancárias, contratos de abertura de contas e de concessão de crédito avaliados, foi de 55%. O Real e o Santander apresentaram o pior índice, de 38%. Segundo o estudo, nenhum dos bancos foi claro com o cliente no momento da abertura da conta, ao detalhar o pacote contratado, informando os valores de cada tarifa - um direito garantido pelo Código do Consumidor.

rasília (AE) - Os poupadores que alegam ter sofrido perdas decorrentes do Plano Collor I têm até o dia 31 de março para entrar com ações na Justiça cobrando ressarcimento. Depois desta data, não será mais possível recorrer judicialmente porque terá ocorrido a prescrição. De acordo com a gerente jurídica do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Maria Elisa Novais, todos os poupadores que tinham conta com saldo em abril e maio de 1990 podem pedir a reparação dos prejuízos. Baixado em março de 1990, o plano determinou o bloqueio das cadernetas de poupança até o limite de 50 mil cruzados novos. O valor excedente aos 50 mil cruzados novos, que era reajustado pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC), passou a ser reajustado pelo Bônus do Tesouro Nacional Fiscal (BTNF). Segundo o Idec, os valores até 50 mil cruzados novos que ficaram livres nas cadernetas deveriam continuar a ser reajustados pelo IPC pelo menos até a remuneração de maio de 1990. Porém, o reajuste foi feito pelo BTNF.


12 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 21 de marรงo de 2010


natal

SATÉLITE

Astrofísico Renan Medeiros participa da construção de satélite PÁGINAS 9 E 10

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Máx.: 30ºC Mín.: 26ºC

Preamar 00h45 - 0.6 - 07h08 - 2.1 Baixa-mar 13h08 - 2.1 - 19h38 - 2.0

Panorama: hoje 332 bancas/196 feirantes Planalto 186 bancas/97 feirantes

EM NOME DA SEGURANÇA,CADA VEZ MAIS O NATALENSE,OS MAIS ABASTADOS, CONSTRÓI MANSÕES COM BASE NA CHAMADA ARQUITETURA DO MEDO.E TOME GUARITAS E CERCAS ELÉTRICAS

BALNEABILIDADE Impróprias Mãe Luíza Pium Pirangi do Norte Redinha

FASES DA LUA Cheia: Hoje Minguante: 15/07 Nascer do sol: 5h21 Pôr do sol: 17h19

Editor: Edilson Braga e-mail: braga@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 21 de março de 2010 ALEX RÉGIS

A ARQUITETURA DO MEDO ISOLA


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de março de 2010

Mesmo com Natal sendo considerada uma das capitais menos violentas do país, é comum a construção de condomínios de luxo privilegiar a questão da segurança, em detrimento da beleza arquitetônica

[ ARQUITETURA ]

Castelos de prosperidade e medo FOTOS:ALEX RÉGIS

ISAAC LIRA repórter

População se isola por classe e categoria

uaritas, muros altos e cercas. A fortaleza parece impenetrável, mas não estamos falando de um castelo medieval e sim de uma inexpugnável fortaleza moderna, construída para garantir a paz e a tranqüilidade de seus habitantes em tempos de “violência e insegurança”. Não é de hoje que a preocupação com a segurança incide diretamente sobre a forma como os prédios são pensados e construídos para garantir aos seus proprietários a dita sensação de paz e tranqüilidade. Se antes a segurança era considerada adicional, hoje é um quesito incluído nos próprios projetos arquitetônicos e representa a maior parte dos custos de um condomínio. O presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RN), Luciano Barros, afirma que a preocupação com a segurança de um condomínio, seja de casas ou de apartamentos, começa na elaboração do projeto. “Enquanto uma equipe trabalha na elaboração de todo o projeto, há pessoas para pensar unicamente o controle de acesso, ou seja, a portaria. Também acontece, dependendo do tamanho do empreendimento, de se contratar uma empresa de segurança para dar consultoria no projeto, que já nasce comprometido com essa preocupação”, afirma. Contudo, o aspecto de “castelo medieval”, com muros imensos e intransponíveis, não é o mais desejado. O bom e eficaz muro é cada vez mais invisível. “O arquiteto precisa conseguir harmonizar a construção com todos esses pré-requisitos de segurança”, explica Luciano Barros. Dessa forma, são cada vez mais comuns os jardins na frente do condomínio ou residência, o que se chama

G

Para o professor de Ciências Sociais, Edmílson Lopes, os fatores que explicam a proliferação de critérios rígidos de segurança vão além das estatísticas de homicídios e roubos da capital potiguar. A violência exerce influência capital, obviamente, mas há também outras características, como a tendência de isolamento de classes e categorias em seus “paraísos particulares”. A incapacidade do Estado em manter a “paz social” é outro ponto abordado pelo professor. Esse último ponto é bastante perceptível. Aparentemente, a população não identifica no poder público capacidade para cumprir aquilo que se propõe. Ou seja, a Justiça não é reconhecida como justa, a Polícia não consegue ser respeitada, etc. Por isso, as pessoas buscam no mercado uma resposta que não recebem do Estado. Dentro do raciocínio capitalista liberal, a Sociedade (ou o mercado), ao ver que não existiam respostas estatais, criaram, com seu dinamismo, uma forma de oferecer esse serviço e lucrar com essa demanda. Porém, esse movimento, embora bem embasado, esconde a tendência de isolamento na sociedade. Uma pergunta: quais e quantos espaços públicos de convivência existem hoje em Natal? Além da praia, que ainda é um local onde pessoas de diferentes estratos sociais freqüentam e convivem (sem contar com as faixas praticamente privativas

LUCIANO BARROS presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil/RN

EDMILSON LOPES professor de Ciências Sociais

As classes menos abastadas foram expulsas desses locais de forma natural”.

Com um jardim na frente, dá pra esquecer que atrás há um muro imenso”.

de “gentileza urbana”. Em outras palavras, um artifício para atenuar o aspecto de “local fechado” de determinadas fachadas. “Com um jardim na frente, dá pra esquecer que atrás há um muro imenso”, aponta. E acrescenta: “Sem isso, o local fica parecendo um presídio, com todas as portas e seguranças”. O termo “atenuar o aspecto de local fechado” é bastante apropriado. Não dá para se enganar, o objetivo é impedir a entrada de estranhos, vigiar, revistar e punir. Uma evidência é o crescimento do mercado de segurançaprivadaemNatal.Deacordo com o representante do Sindicato de Empresas de Segurança Privada (Sinesp/RN), Ricardo Roland, embora não seja possível medir com exatidão o aumento no setor, por conta da proliferação de empresas clandestinas, essa porcentagem deve ultrapassar a marca dos 10%. “Com certeza, dá para perceber que o mercado de segurança privada está em ascenção em Natal. Cada vez mais o natalense procura as empresas especializadas para se proteger contra a violência”, afirma. Os aparatos, segundo Roland, não mudam. São câmeras de monitoramento, guardas armados, controles de acesso cada vez mais rigorosos. No afã de se proteger, o natalense tem inclusive aberto mão da privacidade. A nova onda é de circuitos de TV para monitoramento, sob o controle inclusive dos próprios condôminos. Funciona da seguinte maneira: dentro de cada casa, há um monitor com tudo o que as câmeras captam em todo o condomínio. Como se fosse um imenso Big Brother, todos podem ver o que todos fazem nas áreas comuns. Um dos locais que podem aderir à novidade é o Condomínio Green Villagge, localizado na ave-

Como verdadeiras prisões,os condomínios de luxo,como o Green Villagge,na rua Jaguarari, são cercados de muros altos e cercas elétricas

nida Jaguarari e considerado um dos mais seguros da cidade. De acordo com o empresário João Aurimar Morais, presidente da Comissão de Segurança do Green Villagge, a proposta será colocada em votação em breve. “Vamos perder a privacidade, mas vale a pena por conta da segurança”, afirma. João Aurimar conta que cerca de 80% do que é gasto mensalmente no condomínio é direcionado à segurança, o que significa um gasto mensal de cerca de R$ 300 mil. “Não acho que Natal seja tão insegura assim, mas para se proteger é preciso prevenir”, diz. A fala de João Aurimar levanta um ponto importante da questão. Natal é uma cidade de médio porte que está muito longe de outras capitais nordestinas e do Brasil em termos de insegurança. Pensando nisso, a rigor, do que as pessoas estão se protegendo?

Percepção do povo é que Natal é muito violenta

Não acho que Natal seja tão insegura assim, mas para se proteger é preciso prevenir JOÃO AURIMAR MORAIS empresário

A distância entre Natal, em termos de índices de violência, e outras cidades como Recife e Fortaleza, para ficar apenas no Nordeste, ainda é bastante acentuada. Um parâmetro para se analisar é o critério utilizado pelo Governo Federal para implantar um de seus principais programas contra a violência, o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), que articula políticas de segurança com ações sociais. O Rio Grande do Norte não fi-

gurou como prioridade justamente por não ter uma situação tão preocupante. Mesmo assim, a percepção do povo natalense é de que a violência na cidade está cada vez mais alarmante, vide o quesito “segurança” figurar como uma das maiores reclamações contra o atual Governo do Estado. Para o professor Edmílson Lopes, o medo da população não é completamente destituído de sentido. “Natal tem um crescimento acentuado dos níveis de violência, principalmente nas periferias. Se você levar em consideração onde se concentram os homicídios, vai ver que é preocupante”, encerra.

do litoral potiguar), não existem outros espaços de convivência. O que há é uma fragmentação: cada classe social freqüenta apenas o seu espaço devidamente legitimado. Os shoppings, por exemplo, são espaços de convivência de determinadas classes sociais. “As classes menos abastadas foram expulsas desses locais de forma natural. Não é preciso ter uma cerca elétrica na frente de um shopping para ficar claro que um pobre ou miserável não tem permissão para estar naquele ambiente. Ao mesmo tempo, essas pessoas encontram espaços alternativos de convivência, muitas vezes espaços perversos. É o caso dos paredões de som, que incomodam a vizinhança, ou os bares de periferia, em canteiros e áreas públicas. A Prefeitura tenta coibir, mas não há como, porque aquele espaço foi o encontrado por aquela população para conviver”, explica. Por esse ponto de vista, há dificuldades claras de relacionamento com a diferença. A proibição sutil de que Edmílson Lopes fala não difere em nada da que citou o arquiteto Luciano Barros. “Harmonizar o ambiente” é suavizar o impacto da proibição, expressar de forma menos agressiva quem pode e quem não pode freqüentar determinado ambiente. Seguindo a avaliação, o que poderia ser uma medida de prevenção, acaba acirrando ainda mais os ânimos. “Essa proibição sutil acaba reprimindo ainda mais a violência. Quando a violência eclode vem de uma forma ainda mais intensa”, encerra Edmílson Lopes.


natal

Domingo | 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

[ COMEMORAÇÃO ] Ex-presidente do Banco Central e um dos economistas mais brilhantes do País, ele falará sobre as perspectivas da economia brasileira no aniversário da TRIBUNA DO NORTE

Gustavo Franco é a estrela dos 60 anos da TRIBUNA DIVULGAÇÃO

Tribuna do Norte 60 anos será lançado dia 24

Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central, fala aos convidados da TN, na terça-feira, dia 23

ex-presidente Fernando Henrique Cardoso o elogiou pela coerência e persistência. Edmar Bacha, considerado o teórico mais consistente do grupo de autores do Plano Real, diz que ele é um “otimista incorrigível”. E Armínio Fraga, seu sucessor no Banco Central, acrescentou uma qualidade fundamental: “Ele não tem medo de contrariar interesses”. Tantos elogios, feitos em ocasiões diferentes, contam um pouco da vida de Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central no período de 1997 e 1999 e ex-secretário adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda. Hoje, fundador e estrategistachefe da Rio Bravo Investimentos, uma gestora de recursos focada em investimentos de longo prazo, Gustavo Franco será palestrante no evento que marca o aniversário dos 60 anos da TRIBUNA DO NORTE, no Pirâmide Natal Resort & Convention, dia 23, terça-feira, 19 horas, no Auditório Cidade do Sol. Com um tema empolgante “Perspectivas da Economia Brasileira” -, Franco estará falando para uma audiência de 500 convidados, entre empresários, políticos e formadores de opinião. Depois de sua palestra será servido um coquetel aos convidados e distribuídos os livros da edição comemorativa aos 60 anos da TRIBUNA DO NORTE. Na edição que circulará na quarta-feira, 24 de março, o mesmo livro estará encartado gratuitamente na edição do dia do jornal. A palestra de Franco dará o start às comemorações do aniversário da TRIBUNA, cujos demais

O

Economista se inspira em Machado

eventos do ano estão em fase de planejamento. UMA LENDA A atuação de Gustavo Franco, nos âmbitos público e privado, o transformaram numa lenda viva da economia brasileira recente. Franco começou sua carreira como professor da PUC do Rio de Janeiro. No início da década de 80 doutorou-se em Harvard defendendo a tese sobre as hiperinflações. Quando o então senador Fernando Henrique Cardoso assumiu

o Ministério da Fazenda, antes de candidatar-se e vencer as eleições para suceder o presidente Itamar Franco, chamou Gustavo Franco para ajudá-lo na elaboração do Plano Real. O sucesso do empreendimento o levou, sem escala, à presidência do Banco Central. Nos últimos anos, ele foi preencher um espaço que lhe faltava dentro das universidades, setores públicos e empresas para, finalmente, criar a Rio Bravo, um fundo de investimentos especializado no Nordeste do Brasil.

ARQUIVO

ARQUIVO

Nada consegue demonstrar melhor o que sentimos do que o nosso consumo” GUSTAVO FRANCO ex-presidente do BC

NÚMERO

24

é o dia em que a TRIBUNA DO NORTE completa 60 anos

O livro “Tribuna do Norte 60 Anos”, escrito pelo jornalista Nelson Patriota, o mesmo que organizou a edição especial do cinquentenário, estará nas bancas nesta quarta-feira, dia 24, encartada no jornal. Os assinantes estarão recebendo em casa, junto com a edição do dia. É um documento imperdível sobre a história da TRIBUNA DO NORTE, que retrata seis décadas de Brasil vistas pela ótica do jornal fundado pelos jornalistas Aluízio Alves e Agnelo Alves e pelo advogado e administrador José Gobat . Durante meses, Nelson Patriota compilou documentos e teve trabalho redobrado para reconstituir os últimos 10 anos da TRIBUNA, nos quais registrou-se o decisivo avanço técnico do jornal em tempos de Internet. Acompanhado de reproduções preciosas de importantes edições que marcaram os últimos 60 anos do jornal, o livro comemorativo é um documento valioso para leitores e pesquisadores interessados na história recente do Rio Grande do Norte. Além do livro, a própria edição do dia 24 estará repleta de matérias sobre a história da TRIBUNA, seus fundadores e colaboradores atuais.

Ele não tem medo de otimista incorrigível” contrariar interesses” ARMÍNIO FRAGA economista

EDMAR BACHA economista

Gustavo Franco costuma dizer que a economia retrata de forma transparente o comportamento humano. “Nada consegue demonstrar melhor o que sentimos do que o nosso consumo”, afirma. E considera que para entendê-la é preciso estudar história, filosofia, psicologia, artes e outras ciências. Gustavo Franco é um economista atípico, pois seus trabalhos estão calcados, em grande parte, no conhecimento sobre Economia de escritores como Fernando Pessoa, Machado de Assis e Shakespeare – e como isso influenciou em suas obras. ENSAIO O poeta e dramaturgo William Shakespeare, foi fonte para seu último ensaio. O autor de Romeu e Julieta, Hamlet e Macbeth era um homem rico, bem-sucedido empresário na Londres dos séculos XVI e XVII. Sócio de companhia de teatro, salas de espetáculo e diversas propriedades rurais produtivas, o escritor deixou a quantia de 1.500 libras em seu testamento de 1613. No ensaio Shakespeare e a Economia,Gustavo Franco simplesmente atualizou os valores em dinheiro de hoje e, numa estimativa considerada bastante razoável, estimou que a herança do autor teria chegado a 14 milhões de libras. O ensaio traz, ainda, um texto de 1931 do americano Henry Farnam (1853-1933), professor de Yale e pioneiro dos estudos econômicos sobre o poeta e dramaturgo, analisando como a economia retratada nas obras de Shakespeare compõe um importante painel histórico do surgimento do capitalismo. Nessa mesma linha, Franco também é autor de “A Economia em Machado de Assis”.


4

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de marรงo de 2010


Domingo | 21 de marรงo de 2010

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de março de 2010

ARTIGO

Se és capaz de te defenderes...

Poder Judiciário ANELLY MEDEIROS

Potiguar analisa Cartilha eleitoral ALEX REGIS

m meio a tantas atribuições, o subprocuradorGeral da República, o potiguar Edílson França, agora tem a responsabilidade de analisar o teor da cartilha publicada pela Advocacia Geral da União. A cartilha orienta o presidente, ministros e agentes públicos federais sobre o que é ou não proibido no período eleitoral. A tarefa de Edílson França é o de examinar se a publicação está em sintonia com o que determina a legislação eleitoral.

E

ça, Rafael Godeiro, a coisa não andou. A Datanorte precisa dos documentos da prefeitura para regularizar os conjuntos, mas a Semurb alega que a empresa que herdou os conjuntos da Cohab não repassou para o município áreas comuns. O corregedor já avisou: Tanto a prefeitura como a Datanorte podem ser alvo de uma Ação Civil Pública.

Comemoração O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte foi homenageado pelo CNJ por ter ficado entre os dez tribunais que apresentaram melhor desempenho no cumprimento das Metas de Nivelamento do Judiciário em 2009. A homenagem foi conferida aos tribunais que cumpriram mais de 90% das dez metas estabeleci-

udyard Kipling (18651936), em seu poema “If”, nos alerta: “se és capaz (...), de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes” e “a todos podes ser de alguma utilidade”; “tua é a terra com tudo o que existe no mundo, E o que mais - tu serás um homem, ó meu filho”. Outro dia, de uma amiga (boa amiga, diga-se de passagem), não fui capaz de me defender. Antes que se pense outra coisa, devo deixar claro que o ataque que sofri foi essencialmente jurídico. Na verdade, minha amiga, funcionária pública com formação na área de saúde (pelo menos, até aquele momento, era o que eu achava), indignada, reclamava do seguinte: ela era parte em um processo, que discutia uma questão jurídica já decidida várias vezes pelo Supremo Tribunal Federal no sentido do que ela pleiteava (num tal de “controle difuso de constitucionalidade”, ela dizia). Mas esse seu processo (ela continuava, quase se descabelando) tinha sido decidido, por um juiz da nossa capital dos reis magos, em contrário a esses precedentes do Supremo. E o que é pior: alguns colegas seus, em situação idêntica, tiveram suas demandas julgadas procedentes por outros juízes. Bom, tentei argumentar, alegando o princípio do livre convencimento do juiz. Disse que, como não adotamos a teoria do precedente vinculante como regra geral, o sucesso do processo dela foi prejudicado pela azarada distribuição do feito àquele juiz, certamente “teimoso” em não seguir a jurisprudência do Supremo.

R

Impasse entre prefeitura e Datanorte O desembargador João Rebouças é quem está intermediando o impasse entre a Datanorte e a Prefeitura de Natal que não se entendem. A questão gira em torno da legalização fundiária dos conjuntos habitacionais da Zona Norte. Depois da assinatura festiva de um convênio da prefeitura Micarla de Souza com o presidente do Tribunal de Justi-

MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA Procurador da República Mestre em Direito pela PUC/SP Doutorando em Direito pelo King’s College London – KCL

das pelos presidentes dos 91 tribunais brasileiros no ano passado. O Tribunal Regional Federal da 5ª Região ficou em 2° lugar no ranking de cumprimento das dez metas de nivelamento estabelecidas pelo CNJ. O TRF5 perdeu a primeira colocação para o TRT da 14ª Região que cumpriu 100% das metas.

TJRN tem novo desembargador

Ela, de logo, retrucou: “e vaidoso”. E disse mais: “esse tal de livre convencimento do juiz pode até ser algo romântico, mas, levado ao extremo, é claramente contrário ao interesse público”. “Deve haver uma fórmula que impeça, na medida do possível, que a sorte dos litigantes fique condicionada à distribuição da ação a esse ou aquele órgão julgador ou, pior ainda, que fique ao sabor da vaidade ou da teimosia estéril do juiz de um caso”. Sim, foi aí que passei a desconfiar da formação profissional de minha amiga. Teria ela uma segunda profissão que eu desconhecia? Mas não me dei ainda por vencido. Tentei, em retorsão, explicar como funcionava o controle de constitucionalidade de leis e atos normativos em nosso país, onde, convivendo ao mesmo tempo os modelos concentrado e difuso, historicamente temos um embate entre eles. Reconheci que o nosso controle difuso é capenga, pois, inspirados no exemplo americano, nós adotamos o seu modelo difuso de controle, mas sem adotarmos a doutrina do stare decisis. Enquanto que, nos Estados Unidos, as decisões no controle difuso são razoavelmente uniformizadas pela aplicação da doutrina, no Brasil, exatamente pela ausência desta doutrina, essa uniformidade não existe. Nesse momento, fui interrompido bruscamente: “Marcelo, você não pode deixar de reconhecer que a multiplicidade de processos no controle difuso gera, comumente, decisões contraditórias, o que, dado a igualdade perante a lei, não é desejável. E o problema torna-se ainda mais grave quando essa contradição se dá em relação às decisões do Supremo Tribunal Federal, órgão responsável

E ela assim sussurrou: “lembre-se que um dos objetivos principais da existência de uma corte constitucional (ou de um tribunal supremo que faça o papel de corte constitucional, como é o nosso caso) é afastar o risco de se ver determinada lei tida por inconstitucional por alguns juízes e tribunais e por outros, não.“

pela guarda da Constituição”. Já mais calma, em tom intimista mas professoral, ela ainda disse (e aqui tive a certeza que essa minha amiga escondia algo na vida): “querido, hoje, a multiplicidade de processos relativos à legislação tributária, previdenciária, administrativa, para ficar apenas nas mais palpitantes, requer mecanismos eficazes, sob pena de chegarmos ao total descrédito da

Justiça por parte da população. Claro que não se deve, simplesmente, enfraquecer o papel dos juízes de primeiro grau; o que se deseja, para esses processos de massa, é um mecanismo para uniformização de suas decisões. A questão é que, para a obtenção disso, é absolutamente necessário, pela própria natureza das coisas, além do incremento do controle concentrado, que se objetive o controle difuso, quando existente decisão do Supremo Tribunal Federal. Vocês, operadores do direito, devem saber que já está na hora de se reconhecer imperium erga omnes às decisões do Supremo Tribunal Federal nos recursos extraordinários, sob pena de se verem gravemente comprometidas as elevadas funções deste tribunal e, o que é pior, do nosso sistema constitucional como um todo”. E ela assim sussurrou: “lembrese que um dos objetivos principais da existência de uma corte constitucional (ou de um tribunal supremo que faça o papel de corte constitucional, como é o nosso caso) é afastar o risco de se ver determinada lei tida por inconstitucional por alguns juízes e tribunais e por outros, não. Se, segundo o princípio da supremacia da Constituição, o restante do corpo normativo de um país deve respeitar, formal e materialmente, o que é consagrado no texto constitucional, isso deve valer para todos. É uma conseqüência lógica, e ferir essa isonomia implicaria, no fundo, descumprir a própria autoridade da Constituição”. Por fim, sorrindo, em tom quase lânguido, confidenciou: “eu soube que o Supremo já vem tratando disso”. De minha amiga, parece, não me defendi muito bem. Mas será que, aqui, contando esse meu “causo”, fui de alguma utilidade?

JOANA LIMA

O magistrado Virgílio Fernandes, eleito desembargador pelo Pleno do Tribunal de Justiça do RN, tomará posse na próxima quarta-feira, durante sessão plenária. O novo desembargador foi escolhido, na semana passada para preencher a vaga do desembargador Cristóvam Praxedes, aposentado em janeiro deste ano. Virgílio Fernandes concorreu a vaga com grandes nomes da magistratura potiguar.

VITÓRIA APERTADA A nova diretoria da Amarn toma posse segunda-feira numa festa reservada no Versalles Recepções, às 20h. A chapa encabeçada pelos juízes Azevedo Hamilton e Mádson Ottoni venceu uma das disputas mais acirradas da Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte. A chapa “Magistratura Independente” assume a associação com sete votos de diferença. Para o novo presidente, a hora é de trabalhar firme.

TCE: TROCA DE EXPERIÊNCIA A procuradora-chefe do Tribunal de Contas do Estado, Luciana Campos, esteve recentemente nos EUA. Ela foi recebida, em visita oficial, pelos diretores George Breen e Michael Motley do General Accountability Office, órgão responsável pelo controle externo nos EUA, vinculado ao Congresso Nacional Norte Americano. Lá, a procuradora conheceu o trabalho desenvolvido e recebeu material sobre o funcionamento e estrutura do órgão.

STF garante acesso à saúde “O cidadão tem amplo acesso à saúde, mesmo quando o medicamento ou o tratamento do qual precisa não é oferecido pelo Sistema Único de Saúde”. Com esse entendimento, já amplamente seguido pelos magistrados de todo país, os ministros do Supremo Tribunal Federal decidiram confirmar essa garantia a nove pacientes que entraram com ações na Justiça. Aqui no Rio Grande do Norte, a promotoria da Saúde tem um papel fundamental, no que se refere ao reconhecimento desse direito. Em apenas

três dias, o estudante de Direito Irinaldo Gomes conseguiu a transferência da mãe, internada no Hospital Walfredo Gurgel, para um hospital particular. Maria das Dores estava aguardando uma vaga na UTI há mais de seis dias. “Infelizmente foi preciso entrar com uma denúncia na promotoria para ter esse direito garantido. Pena que muitos não sabem da celeridade dos trabalhos executados por promotorias desta natureza e da Justiça, quando o assunto envolve a saúde dos cidadãos”, disse Irinaldo Gomes.

CLASSIFICADOS DA TRIBUNA FONE 4006 6161


natal

Domingo | 21 de março de 2010 ➾ www.tribunadonorte.com.br ➾ tnonline@tribunadonorte.com.br ➾ twitter.com/tribunadonorte

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

7

tn online Fred Carvalho - fredcarvalho@tribunadonorte.com.br

Negócio da China

DICAS - DICAS - DICAS - DICAS - DICAS - DICAS

A assessoria do Google no Brasil comunicou que a notícia publicada pelo jornal econômico chinês “China Business News”, afirmando que a empresa sairia do país em abril, compõe-se apenas de especulações. “Não há nada oficial por enquanto, nem previsão sobre quando haverá uma decisão”, diz a assessoria. “O executivo-chefe da empresa, Eric Schmidt, deve se pronunciar quando for o caso”, e “as conversas com o governo chinês estão em andamento”, completa a assessoria.

MULTIFUNÇÃO A C3 Tech, marca registrada da empresa Coletek, fabricante brasileira de periféricos, inova mais uma vez e lança no mercado dois novos modelos de carregadores multifunção. Os produtos prometem trazer mais simplicidade, praticidade e facilidade ao dia-a-dia, já que abrigam dez diferentes conexões em um único produto, representando carregadores para os mais diversos aparelhos eletrônicos. Podem ser conectados a uma porta USB do computador ou notebook, ao adaptador AC ou, na versão UC-200, no adaptador veicular de 12V. Com isso, o usuário não precisará mais carregar quantidades absurdas de fontes e carregadores para os seus dispositivos.

Curto Os serviços que reduzem o tamanho de endereços URL são cada vez mais utilizados, mas muitos deles são lentos e pouco confiáveis, de acordo com uma pesquisa da companhia de monitoramento da web WatchMouse. A empresa holandesa selecionou 14 dos principais serviços e monitorou o tempo que o recurso fica ativo na web e o de-

sempenho deles durante cerca de um mês: de 14/2 a 16/3. O resultado: apenas dois encurtadores, o goo.gl e o twt.tl, ficaram ativos durante todo o período; todos os outros ficaram fora do ar pelo menos uma vez durante a análise. O encurtador com maior tempo inativo foi o snurl.com, que passou cerca de 2% do período fora do ar.

SLATE Um site espanhol conseguiu acesso a uma unidade da HP Slate para alguns testes e indicou que, na Europa, ela será comercializada por 400 euros (aproximadamente US$544) quando for disponibilizada para compra. Tal valor a coloca como um produto um pouco mais caro do que o iPad, que será vendido nos Estados Unidos a partir de US$499. No entanto, o teste feito com a tablet da HP revelou algumas funções extras além das que foram demonstradas por Steve Ballmer em sua penúltima keynote da Microsoft, na CES 2010.

MÉDIA CENTERS Embora o mercado todo se mobilize para a

Tablets Nem bem foi lançado comercialmente e o iPad já começa a despertar o interesse de outros grandes fabricantes. Pelo menos dois deles (Samsung e Sony) já mostraram soluções que seguem a mesma linha do novo portátil da Apple em eventos internacionais nas últimas semanas. Durante o Samsung Fórum 2010 em Cingapura, a empresa coreana exibiu seu tablet PC, que deve ser lançado no segundo semestre. “Estamos trabalhando num modelo do tipo lousa com alto poder de processamento e conectividade”, confirmou Philip Newton, diretor da divisão de TI da Samsung Austrália ao site APC.

tecnologia LCD com backlight de LED, a Samsung quer mostrar que o plasma ainda respira. Para isso, apresentou três novos modelos onde as melhores especificações não ficam limitadas a taxa de contraste (ainda insuperável, quando comparada com a tecnologia LCD) nem o tempo de resposta, que nesse modelo chega a 600Hz. O mais interessante é que eles trazem um novo painel PDP, chamado de E3 que promete reduzir o efeito blur até mesmo em ângulos de visualização extremos, além de uma tecnologia anti-reflexo para evitar que a luz ambiente interfira na qualidade da imagem que está sendo exibida.

Dever de casa Como água e azeite, games e escola são dois elementos que nunca se misturaram. Os professores recriminam os jogos eletrônicos nas aulas, pois eles não apresentam elementos que podem ser utilizados como ferramentas pedagógicas. Mas o fortalecimento dos “serious games”, os jogos sérios e educativos, po-

de finalmente levar os games para a escola e, claro, complementar o ensino dos estudantes. Lançado passada no Brasil, o game “Conflitos globais” tenta quebrar este paradigma, sendo uma plataforma educativa que levará não apenas o game para a sala de aula, mas todo um plano de ensino pedagógico.

A perícia criminal é um trabalho que requer muita dedicação e amor à profissião. A descoberta dos autores dos crimes depende, exclusivamente, do trabalho minucioso que é realizado pelos peritos criminais [ CRIMINALÍSTICA ]

Operários de uma fábrica de provas ROBERTA TRINDADE

ROBERTA TRINDADE Repórter

profissão cresce no Brasil, seja pela progressão da violência, seja pela complexidade na elucidação de inúmeras mortes violentas. Ser perito criminal é mais que um ofício. É puro amor. Os peritos criminais são operários de uma fábrica de provas.Quem não se lembra de Sherlock Holmes, personagem da ficção britânica que ficou famoso por utilizar, na resolução de mistérios, métodos científicos e a lógica dedutiva? Em seriados de TV, no cinema ou mesmo na vida real, a perícia tem se tornado imprescindível durante as investigações. Um dos episódios mais recentes da crônica policial é o caso Isabella. Os principais suspeitos de terem jogado a garotinha de apenas cinco anos do 6º andar do edifício London, na Vila Guilherme, zona Norte do Estado de São Paulo, no dia 29 de março de 2008 vão à júri popular, amanhã, em um dos julgamentos mais importantes já realizados no Brasil. Alexandre Nardoni (pai de Isabella) e Anna Carolina Jatobá (madrasta) estarão sentados no banco dos réus. O que aconteceu naquela noite, os segredos da morte de uma criança inofensiva e o que não foi revelado pelo pai e pela madrasta podem vir à tona durante o julgamento, que deve durar dias. O rascunho do laudo 1.081 reforça a tese de que a menina foi asfixiada por esganadura ou sufocamento e teve um osso da mão quebrado. Havia sinais de que a fratura ocorreu enquanto a garotinha estava viva. Também foi constatada hemorragia no cérebro. Comum em casos que a perícia identifica como sendo “síndrome da criança espancada”. No corpo da menina, um machuca-

A BALÍSTICA

A

Peritos criminais examinam um corpo,não identificado,que foi encontrado em fevereiro deste ano, no conjunto Guarapes,Zona Norte

do no antebraço direito como se Isabella tivesse tentado se segurar na tela da janela, no momento em que estava caindo ou que estava sendo jogada. Em prova estará o emocional versus o racional. Crimes deste tipo comovem a sociedade. No Rio Grande do Norte também senta no banco dos réus, ainda este ano, o ambulante Osvaldo Pereira de Aguiar, acusado de ter torturado, matado e esquartejado a estudante Maisla Mariano dos Santos de apenas 11 anos. Em ambos os casos, a perícia criminal tem fator predominante para auxiliar os jurados a condenar ou absolver o réu. Do lado de cá a sociedade de “camarote” aguarda os novos rumos. [LEIA MAIS NA PÁGINA 8]

O crime que chocou todo o RN A gaúcha Andréia Rosângela desapareceu da casa onde morava com as duas filhas e o marido – o sargento da Aeronáutica Andrei Thies, no dia 22 de agosto de 2007. A família morava em uma casa de esquina, no conjunto Cidade Verde, em Nova Parnamirim. Somente cinco dias após o desaparecimento da companheira, Thies procurou a delegacia do bairro para denunciar o fato. O caso foi parar nas mãos de um dos mais renomados delegados do RN – Raimundo Rolim, que investigou, juntamente com uma equipe de policiais, dias e noites o desaparecimento da gaúcha até descobrir que Andréia havia sido morta pelo marido. O corpo foi enterrado no fundo da casa da família. Na conclusão do inquérito po-

licial, a resposta de um crime macabro. O que a dona de casa passou nas mãos do marido que, posteriormente, confessou o crime foram momentos de terror. De acordo com Rolim, a vítima foi torturada e morta pelo marido, por meio de um objeto perfurocortante. O corpo foi guardado na geladeira onde a família morava e, em seguida, enterrado no quintal de uma casa alugada em nome de Andréia (na Vila de Ponta Negra). O delegado e os peritos sabiam que Andrei havia enterrado o cadáver em algum local, porém, não sabiam onde. O sargento afirmava que o corpo estava no terreno da Base Aérea de Natal, mas com o auxílio de uma porca (animal), a polícia e a perícia chegaram a con-

clusão que o militar mentia. Na Universidade de Brasília pesquisas são realizadas com porcos. A decomposição do animal se assemelha com a do ser humano. Uma porca foi morta e enterrada, na área da Base. Lá, o animal ficou durante cinco dias enterrado, como o militar dizia ter feito com Andréia. Os dias se passaram. Thies recebeu a função de retirar a porca da cova da mesma forma que diz ter feito com a companheira. Não conseguiu. “Ele contou em depoimento que depois desenterrou o corpo daquele local o levou (dentro do carro) para outra região. A polícia e a perícia descobriram que o cadáver de Andréia nunca foi enterrado na Base Aérea. Sozinho, ele não conseguiria carregar o cadáver até o carro”, explica o delegado.

No setor de balística do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep),em uma das salas está um microcomparador balístico que ainda funciona,apesar dos 25 anos de existência.Do outro lado,tomando boa parte do ambiente, encontra-se o que se tem de mais moderno no país - um microscópio que possui uma imensa variedade de recursos e que dá agilidade à perícia.A balística para a justiça é de grande valia.Por meio dela se identifica:a natureza do fato,a arma,o projétil que foi utilizado e tantos outros detalhes que auxiliam na resolução de um crime. Além disso,em todo o Brasil está sendo implementado o AIFS (sigla em inglês) – Sistema Informatizado de Impressões Digitais que otimiza e agiliza a identificação cível e criminal.Em um futuro bem próximo o banco de dados do Rio Grande do Norte estará coligado com as outras regiões do país. EMANUEL AMARAL

José Pinto: perito criminal


natal 8

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 21 de março de 2010 ELISA ELSIE

[ CRIMES ] Perito José Pinto fala do trabalho

que realiza e conta histórias que testemunhou

O trabalho dos peritos criminais só começa após a polícia isolar a área aonde aconteceu o crime, para evitar a contaminação das provas

“A mãe pediu o lençol que cobria o corpo do filho morto” O projétil, o sangue, o DNA e até manchas orgânicas (semem). Tudo que for encontrado no local do crime é importante e pode vir a subsidiar a investigação. Os peritos criminais são operários de uma fábrica de provas. No primeiro mundo se valoriza a perícia, já no “terceiro mundo” a valorização parece começar a tomar força diante dos inúmeros crimes cometidos, todos os dias no país. Mestres da literatura da perícia criminal, Domingos Tochetto e Eraldo Rabelo têm seus discípulos espalhados pelo Rio Grande do Norte, mais precisamente no Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep). José Pinto é um deles. O perito criminal começou a trabalhar nesta área há 30 anos e não pretende parar. Com a carteira de trabalho nas mãos, ele mostra a data de admissão - 1º de maio de 1986. Pinto faz parte da primeira geração da perícia criminal no Estado. Passou por todas as fases da perícia, desde o local do crime, o chamado “feijão com arroz”, depois pela parte papiloscópica (impressão digital), grafotécnica (escrita), veículo roubado (metalográfico), reproduções simuladas até chegar na balística. As histórias são muitas. Na década de 90, Pinto e os colegas de

trabalho seguiram em uma embarcação para realizar a perícia de um corpo que havia sido encontrado dentro de um navio, em alto mar. A embarcação onde José Pinto estava afundou. “Foi durante à noite. Por sorte, todos se salvaram” Na mesma década, o perito passou por outro momento inesquecível, ainda muito presente na vida do profissional. Ao chegar no local de um assassinato, o corpo estava estendido no chão coberto por um lençol branco. Era um adolescente, morto a tiros. “Quando retiramos o pano para que o corpo fosse removido, a mãe da vítima nos pediu o lençol. Queria cobrir o filho vivo”. Pinto lembra que, naquela noite fazia muito frio e a mãe, pobre, não tinha cobertor para agasalhar o outro filho. “Por isso ela pediu que nós entregássemos o lençol que cobria o cadáver. Era uma vida miserável. Não esqueço daquela cena” Outro profissional que também constrói uma história dentro da perícia criminal no RN é Marcos Guimarães, profissional da nova safra. Com nove anos de atuação, o jovem alto, magro, reservado e, extremamente inteligente tem se dedicado inteiramente ao trabalho pericial. Marcos atuou em crimes de grande repercussão no Estado, entre eles, o caso Andréa.

BATE-PAPO Marcos Guimarães » perito criminal O que mais o fascina nesta profissão? E o que mais lhe decepciona? O que fascina é a investigação propriamente dita. É chegar no local do crime, que de fato não é uma cena agradável de ser contemplada, e começar a colher informações, vestígios e então montar o quebra-cabeça com o intuito de determinar o que aconteceu, como ocorreu e quem cometeu, isso de fato é a melhor parte. O que mais me decepciona é a falta de estrutura do órgão, tanto de equipamento como de pessoal. Para cobrir todo o Estado são apenas três peritos criminais de plantão por dia, destes, dois em Natal e um em Mossoró. Número, patentemente, muito aquém do necessário. Quais as outras dificuldades? Se compararmos a estrutura da Polícia Científica do RN com a da Paraíba estamos em uma grande desvantagem. No Estado vizinho, por exemplo, o governo promoveu recentemente concurso para perito criminal oferecendo cerca de 30 novas vagas. Hoje, a Paraíba, que é um Estado menor do que o nosso, conta com mais de 100 peritos criminais espalhados em diversas regionais. Enquanto isso, no RN temos apenas 35 profissionais na ativa, localizados apenas em Mossoró e em Natal. E as vantagens? A grande vantagem de ser perito criminal é poder exercer as atribuições inerentes ao cargo e contribuir com informações técnicas e científicas para elucidação de um crime. Acha que a sua profissão está em em constante crescimento? Com certeza, a perícia criminal está cada vez sendo mais necessá-

ria para elucidação de crimes hoje em dia, onde a prova testemunhal está se tornando mais rara e menos confiável, não existe investigação criminal eficiente que dispense um bom exame pericial. Qual sua função dentro da perícia criminal? Sou perito de externa. De fato é o melhor local para um profissional que gosta de exercer a função. São os peritos criminais da externa que vão para o local do crime, colhem vestígios, informações, solicitam exames complementares para o pessoal da interna e depois debulham isso tudo. Lógico que os profissionais que trabalham internamente são extremamente importantes e imprescindíveis, mas o perito de campo, por estar presente in loco, vive a situação de forma plena e concreta. Que crime trabalhou que mais marcou sua vida? Nesses nove anos de perícia criminal foram diversos casos importantes, mas de fato, o que mais me chamou a atenção foi o caso Andréia, no ano de 2007, onde um sargento da Aeronáutica (Andrei Thies) matou brutalmente a companheira e enterrou o corpo no quintal da casa onde morava. As investigações foram iniciadas cerca de 60 dias após o fato, a única informação era que Andréia estava desaparecida, não havendo, aparentemente, nenhuma testemunha ou qualquer outra prova que apontasse o paradeiro da vítima. Então, nesses crimes onde não existem testemunhas, a perícia ganha um papel preponderante. Na investigação do caso Andréia utilizamos o que havia de mais moderno em termos de perícia criminal, como por exemplo, o Luminol.


natal

CONCURSO

Joice Cristina, miss RN, já vive efeitos de ser a mais bela do Estado. PÁGINA 11

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Max.: 30º CO Min.: 26ºCO

Preamar 00h45 -0.6- 07h08 -2.1 Baixa-mar 13h08 -2.1- 19h38 -2.0

Panorama: hoje 332 bancas/196 feirantes Planalto 186 bancas/97 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Mãe Luíza Pium Pirangi do Norte Redinha

FASES DA LUA Cheia: Hoje Minguante: 15/07 Nascer do sol: 5h21 Pôr do sol: 17h19

Editor: Edilson Braga e-mail: braga@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 21 de março de 2010

Depois de se integrar no projeto do satélite Corot, a UFRN foi novamente convidada a participar de uma missão espacial. Agora a instituição está pronta a dar um passo ainda maior no campo da astronomia [ SATÉLITE ]

UFRN na “maior aventura humana” descoberta de um planeta fora do sistema solar com 300 vezes a massa da terra, anunciada na última semana, é motivo de orgulho também para o Rio Grande do Norte. O satélite Corot, responsável por “achar” o corpo celeste localizado a 1.500 anos-luz de distância, é fruto de um consórcio internacional do qual o Brasil faz parte e que inclui um centro da missão na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A UFRN agora está pronta a dar um passo ainda maior no campo da astronomia, a participação no projeto Plato. “A Agência Espacial Europeia decidiu lançar agora o satélite Plato, uma espécie de continuação da Missão Corot, com capacidade científica muito maior que o anterior. Enquanto o Corot foi concebido para observar 100 mil estrelas, o Plato vai observar 500 mil. Vai ter condições, inclusive, de descobrir planetas idênticos, iguais à terra. E devido à grande contribuição brasileira na Missão Corot, fomos novamente convidados a participar”, revela o astrônomo e astrofísico José Renan de Medeiros, do Departamento de Física da UFRN. O convite se consolidou entre o final de 2009 e o início deste

A

ano e representará a participação dos pesquisadores potiguares no que o cientista chama de “maior aventura da ciência moderna”, com relação à busca por planetas fora do sistema solar. Dentro do consórcio estão, além da UFRN, a Universidade de São Paulo (USP), a Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Instituto Mauá de Tecnologia. “O Plato vai revolucionar a busca por outros planetas”, resume. A vida útil do satélite será de seis anos em órbita e o lançamento só deve ocorrer em 2018. Os benefícios do projeto, porém, já serão sentidos este ano. “Vamos contribuir de várias maneiras. A primeira é enviando jovens engenheiros, físicos e matemáticos para a Europa, para participar diretamente do desenvolvimento dos softwares e do hardware necessários ao desenvolvimento do satélite”, revela José Renan. A seleção já se iniciou e a quantidade de jovens escolhidos dependerá de quantos serão identificados com a qualificação necessária, mas a previsão é de até 12 serem enviados, a partir do segundo semestre. Eles participarão da primeira fase do projeto, que prossegue até por volta de 2013. Nesse período, a UFRN também irá preparar

amostras a serem observadas pelo Plato. “Ou seja, vamos caracterizar as estrelas em torno das quais o satélite vai buscar novos planetas”, explica o professor. Segundo ele, a grande “coqueluche” da ciência na atualidade é descobrir planetas iguais à terra. Outra possibilidade é o Brasil participar do desenvolvimento de alguma parte da estrutura do satélite. “Essa definição vai depender da competência que mostrarmos. Só em ter parte do satélite construído em nosso país já seria uma grande vitória, mas é claro que o objetivo é que seja aqui na UFRN”. As chances de Natal aumentam pelo fato de a cidade ser a sede do Instituto Nacional de Estudos do Espaço, coordenado pelo próprio José Renan. Enquanto a Missão Corot é comandada pela França, o Plato é um projeto maior da Agência Espacial Europeia e conta com participação também de centros de pesquisa dos Estados Unidos e Índia. “Enquanto o CoRot é o que chamamos de pequeno satélite, o Plato está na casa dos grandes satélites. A Missão Corot custou em torno de 160 milhões de euros. A estimativa para o Plato é algo em torno de 500 milhões de euros (cerca de R$ 1,2 bilhão)”, compara.

EMANUEL AMARAL

O astrofísico José Renan, do Departamento de Física da UFRN, participa do projeto do satélite


10 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de março de 2010

O novo programa da Agência Espacial Brasileira (AEB), chamado de Itasat, vai lançar ao espaço o primeiro satélite universitário brasileiro e também o primeiro totalmente nacional. A UFRN participa do projeto [ SATÉLITE ]

UFRN participará do 1º satélite Plato não é a única boa novidade para a pesquisa espacial potiguar. A UFRN também integra o novo programa da Agência Espacial Brasileira (AEB), chamado de Itasat, que pretende lançar ao espaço o primeiro satélite universitário brasileiro e também o primeiro totalmente nacional. José Renan explica que anteriormente os satélites eram desenvolvidos dentro de institutos como o Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe) e o Tecnológico de Aeronáutica (Ita), ambos localizados na cidade paulista de São José dos Campos. A Agência Espacial Brasileira, com o Itasat, decidiu ampliar o leque e incluir as universidades. Ao mesmo tempo em que participam e contribuem com o programa, as instituições formam pessoal para a área espacial, considerada uma carência atual do Ensino Superior. “O Itasat começou a ser pensado há uns cinco anos e não se restringe a um satélite, mas a um programa. Tanto que será no Itasat 2, daqui a uns três a cinco anos, que a UFRN vai efetivamente entrar com a mão na massa.” Para o Itasat 1, a UFRN tem atuado principalmente no acompanhamento e desenvolvimento de softwares. A expectativa é de o primeiro satélite ser lançado em 2012. Será um marco. “O mundo produziu até hoje cerca de 9 mil satélites e o Brasil tem quatro ou cinco, mas desenvolvidos junto com outros países. O país até hoje não desenvolveu nenhum totalmente nacional”, revela o astrônomo. O equipamento ficará na chamada baixa órbita, a cerca de 600 km de altitude. Um grande satélite de telecomunicações, por exemplo, permanece a cerca de 42 mil km da terra. “O Itasat é de pequeno porte, cerca de 80 kg e dimensões de 60 cm X 60 cm X 70 cm”, detalha. O objetivo será a coleta de dados. O tipo de informação a ser coletada, porém, será definido na fase final do projeto. Um dos critérios é que o “serviço” prestado pelo Itasat 1 vá ao encontro das necessidades da Agência Espacial Brasileira e dos dois coordenadores principais do projeto, Inpe e ITA. O professor da UFRN cita dentre as possibilidades o registro de dados meteorológicos em geral. “A participação no Itasat 1 também representa um incentivo para a formação de recursos humanos na UFRN voltados para a área espacial”, acrescenta José Renan. Já no Itasat 2, cuja missão também será de coleta de dados, a universidade poderá, inclusive, desenvolver partes do satélite. Para isso serão montadas novas estruturas e laboratórios. O astrofísico explica que é difícil mensurar o valor total investido, pois há custos efetivos com o satélite e o trabalho de inúmeros especialistas, pesquisadores, professores e estudantes envolvidos. Além do Departamento de Física, onde atua José Renan, outros setores da UFRN podem se integrar ao projeto, como os de Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, da Computação e os departamentos de Informática.

O

DIVULGAÇÃO

EXOPLANETAS De acordo com o Catálogo Interativo de Planetas Extrasolares,443 planetas fora do sistema solar,chamados também de exoplanetas,já foram descobertos nos últimos 20 anos,por missões espaciais e “supertelescópios”. O ano de 2009 bateu o recorde com 85 descobertas. No entanto,nenhum teria as condições de habitabilidade da terra,mas o otimismo no meio científico é cada vez maior de que um planeta semelhante ao nosso seja detectado nos próximos anos. Além do Corot,também estão em órbita no espaço diversos outros telescópios espaciais, como o Kepler,lançado pelos Estados Unidos em 2009 com a mesma finalidade do satélite europeu/brasileiro.

180

cientistas de universidades de todo o Brasil participam das pesquisas

A Agência Espacial Brasileira revelou que pretende lançar, até 2012, o Itasat, o primeiro satélite com tecnologia totalmente nacional

Conheça as características dos aparelhos disponíveis no mercado

Missão Corot

Missão Plato

Objetivo científico: Descobrir e caracterizar o maior número possível de planetas fora do sistema solar, estudando ainda a evolução das estrelas e dos sistemas planetários.

Projeto Itasat Participantes: Inpe,ITA, UFRN e diversas outras universidades brasileiras e a Universidade Técnica de Berlim (Alemanha). Objetivo científico: coleta de dados provavelmente voltados para previsão meteorológica.

Vida-útil: 6 anos Previsão de lançamento: 2018 Fonte:ITA/Consórcio Plato/José Renan

O satélite Corot está há três anos no espaço e deve permanecer orbitando por mais três. O Brasil é o único país fora da Europa a fazer parte do consórcio responsável pela missão, comandada pela França e que reúne diversas nações europeias. “É uma missão de sucesso, buscando planetas fora do sistema solar e estudando comportamento de estrelas mais jovens, da mesma idade e mais velhas que o sol, para tentar entender como o sol vai evoluir, envelhecer e influenciar as condições de vida e habitabilidade em nosso planeta”, esclarece José Renan. Participam do projeto cerca de 80 cientistas brasileiros e em Natal funciona um centro da missão, local onde os dados captados pelo satélite são tratados e distribuídos para o restante do Brasil. No caso do planeta gigante cuja descoberta foi anunciada na última semana, chamado de Corot-9b, o satélite o identificou após 150 dias de observações, em 2008. Os parâmetros do planeta foram verificados no ano passado por um telescópio na Espanha e confirmados por outro telescópio localizado no Chile. O novo satélite, o Plato, também terá um telescópio para captar a luz das estrelas e também estudará a oscilação desses corpos celestes. Segundo José Renan, o estudo representa uma verdadeira “dissecação” das estrelas, que permite a coleta de dados para entender melhor o comportamento do atual e futuro do sol.

NÚMERO

SATÉLITES

Participantes: cerca de 40 centros de pesquisa da Europa,Brasil,Estados Unidos e Índia

Missão Corot é considerada um sucesso

Previsão de lançamento: 2012

Participantes: centros de pesquisas da França,Brasil, Áustria,Bélgica,Alemanha e Espanha. Objetivo científico: Descobrir e caracterizar um grande número de planetas fora do sistema solar,a evolução das estrelas e dos sistemas planetários. Lançado em: dezembro de 2006 Vida-útil: 6 anos

O professor José Renan coordena o Instituto Nacional de Estudos do Espaço disse que a entidade congrega 180 cientistas de todo o Brasil, em universidades espalhadas pelo país, e está sediado em Natal, embora ainda não conte com prédio próprio. O instituto utiliza a estrutura de diversas universidades e centros de pesquisa onde atuam seus integrantes. “Há inúmeras pesquisas sendo feitas. Sobre formas de vida em condições extremas na terra, geleiras profundas, minas de sal. Aqui em Natal temos cientistas da área de Biologia fazendo experimentos em micro e hipergravidade, para entender, por exemplo, como a canade-açucar se comporta nessas condições e, a partir daí, trabalhar o melhoramento genético”, diz. No ITA, estão desenvolvendo um satélite científico chamado Mirax e também construindo aparatos para satélites. “Ou seja, o instituto é algo grandioso”, resume o professor, que atua “sincronizando” os diversos trabalhos desenvolvidos.


natal

Domingo | 21 de março de 2010

3porquatro

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11

POR ANNA RUTH DANTAS

JOICE CRISTINA DE OLIVEIRA SILVA

NASCIDA EM NATAL,ELA NÃO CONHECE A CIDADE QUE REPRESENTOU NO CONCURSO,SERRINHA DOS PINTOS, MAS SE MOSTRA EMPOLGADA NÃO APENAS COM O TÍTULO DE MISS, TAMBÉM COM A RESPONSABILIDADE QUE A FAIXA LHE TRAZ.JOICE CONFIRMA QUE DESDE O CONCURSO DE MISS A ROTINA SE TORNOU MUITO AGITADA.

“Temos que pensar no Miss Brasil” “

FOTOS:ANA SILVA

Você enveredou como modelo há oito anos e depois parou. Agora voltou no concurso de miss. O que lhe levou a competir para se tornar Miss Rio Grande do Norte? Na verdade, eu fui convidada a participar, mas nunca tinha pensado em ser miss. Não era assim um sonho, uma coisa que eu dissesse que estava me cuidando para ser miss. Simplesmente, meu primo Edmilson, que é cabeleireiro, disse que eu teria que participar do concurso. Ano passado, George (George Azevedo, organizador do concurso de miss) me chamou para participar, mas aí eu e Larissa (Larissa Costa, miss Brasil) terminamos conversando e ela disse: ou você vai ou eu vou. Sou muito amiga de Larissa. Aí ela foi. E este ano eu fui e consegui.

Temos que pensar no Miss Brasil. A gente tem que buscar fazer o melhor. Vou me preparar para trazer o título mais uma vez para o Rio Grande do Norte.”

Os concursos de miss estão passando por uma retomada,antes havia uma imagem pejorativa dos eventos. Antigamente o concurso era muito artificial. Acho que não era nem brega mesmo, mas artificial. As mulheres tinham que fazer certas coisas para poder parecer com alguém. O “tchau” era aquela coisa dura (ela faz o gesto com o braço), a postura era muito artificial mesmo. Hoje em dia a miss está se aproximando mais da profissão de modelo, uma coisa mais fotográfica, até mesmo o padrão de modelo. Você para o curso de Arquitetura para usufruir deste ano como “miss Rio Grande do Norte”? Não. De jeito nenhum. Vou continuar até onde for dando. Por enquanto está tranqüilo. O fato de você ter se tornado Miss Rio Grande do Norte é“passaporte” para retomar sua carreira de modelo? Não. É bem diferente ser miss e ser modelo. Quando você fala em miss você tem um compromisso social muito grande. Modelo já é uma profissão mais individual, você não tem nenhuma responsabilidade diretamente com o município, com o Estado. Porque no momento que você assume a faixa de miss Rio Grande do Norte você tem a responsabilidade com o povo do Rio Grande do Norte, com a cultura do Estado, com valores, costumes. O que você pensa agora como Miss Rio Grande do Norte? Qual seu projeto para este“reinado”? É diferente. Eu não estou acostumada ainda. Eu nem dormi (da noite do concurso para o dia seguinte) o telefone tocando direto. Quando você acorda já é uma correria, muita entrevista, é bem corrida. Mas eu estou adorando, é uma maratona bem legal. Você agora enfrentará o concurso Miss Brasil. Temos que pensar no Miss Brasil. A gente tem que buscar fazer o melhor. Vou me preparar para trazer o título mais uma vez para o Rio Grande do Norte. O que será mais difícil para você ganhar esse título de Miss Brasil? O mais difícil para mim hoje é esse desafio mesmo. A gente tem hoje a miss Brasil, Larissa. As pessoas cobram muito agora de mim, que sou a miss Rio Grande do Norte. Mas eu vou me cuidar, tanto psicologicamente e fisicamente

Pretendo me envolver em projetos sociais, principalmente em Serrinha dos Pintos. Quero desenvolver uns projetos bem interessantes e até já conversei com a prefeita de lá.”

estudante Joice Cristina de Oliveira Silva foi eleita Miss Rio Grande do Norte pelo município de Serrinha dos Pintos. Nascida em Natal, ela não conhece a cidade que representou no concurso, mas se mostra empolgada, não apenas com o título de miss, também com a responsabilidade que a faixa lhe traz. Trabalho social, inclusive em Serrinha dos Pintos, representar e divulgar o Rio Grande do Norte em eventos são algumas das atribuições que a miss potiguar cita como novas tarefas. Joice confirma que desde o concurso de miss, a rotina se tornou muito agitada. Longe de assustar, o novo ritmo agrava a estudante. Uma empolgação que não a tira do novo foco: o concurso de Miss Brasil. A estudante, que cursa Arquitetura na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, admite que sente pressão pelo fato da Miss Brasil 2009, Larissa Costa, ser potiguar. E agora? “Agora vou me cuidar para o Miss Brasil. Vou estudar um pouco mais sobre os assuntos gerais, que sempre têm aquelas perguntas que tiram muito as miss. Muita gente se preocupa com o físico e esquece da parte intelectual. Quando abre a boca as pessoas falam: puxa mulher tão bonita e não tem capacidade para responder simples perguntas”, responde, de pronto. Cautelosa, Joice Oliveira afirma que o concurso de miss abrirá muitas oportunidades e será preciso escolher para aproveitar as melhores. A convidada de hoje do 3 por 4 é uma jovem tranquila, uma cidadã empolgada, uma miss simpática. Com vocês, Joice Oliveira:

A

para que eu possa fazer bonito lá e trazer o título para o Rio Grande do Norte. Você sente pressão pelo fato do Estado potiguar ter ganho o concurso Miss Brasil de 2009? É uma pressão, mas é um desafio. E estou encarando com minhas maiores forças. Você foi eleita por um município muito pequeno, que é Serrinha dos Pintos.Qual sua ligação com a cidade,já que você é de Natal? É um município pequeno e que não tinha nenhuma tradição no concurso de beleza. Então as pessoas, a maioria, não conhecem nada do concurso de beleza. Nosso interesse é próximo ano fazer um concurso lá para continuar a tradição de miss. Mas, você foi convidada a com-

petir por Serrinha dos Pintos? Justamente. Fui convidada pela Prefeitura de lá. Meu primo Edmilson queria que eu participasse, ele é de lá e afirmou que eu representaria a cidade e eu disse que representaria com toda alegria.

to que você é convidada a participar e você abraça aquela cidade, aquele município, aquele distrito, como seu acho que vale muito mais até do que você ter nascido lá. Você cria um laço de carinho, de amor com aquele local.

Você conhece Serrinha dos Pintos? Vou lá segunda-feira (amanhã). Eu não fui ainda lá. Porque decidi participar há um mês, não tive condições de ir porque eu tinha várias coisas, faculdade, estudo, trabalho. Então não passei por lá ainda, mas segunda-feira vou lá.

Como você se preparou para participar do concurso, já que decidiu disputar há um mês? Não tive muito tempo para me preparar, mas procurei estudar, conhecer mais sobre a minha cidade, já que iria representar uma cidade de onde não era natural e fisicamente procurei estar sempre cuidando do cabelo, da pele.

Você não acha que o concurso de miss perde um pouco por essa diferença da candidata representar uma cidade onde ela não nasceu? Na verdade, não é necessário você ser daquele local. No momen-

Qual seu plano agora? Agora vou me cuidar para o miss Brasil. Vou estudar um pouco mais sobre os assuntos gerais, que sempre têm aquelas perguntas que tiram muito as miss. Muita

Detalhes A miss Rio Grande do Norte Joice Cristina de Oliveira Silva,19 anos, nasceu em Natal e cursa o primeiro semestre de Arquitetura na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. O ingresso no terceiro grau foi no curso de Jornalismo,mas depois resolveu mudar para Arquitetura. Joice Oliveira teve uma passagem como modelo em 2002,quando participou do concurso da agência Tráfego Look.Depois resolveu parar a carreira e priorizar os estudos.

gente se preocupa com o físico e esquece da parte intelectual. Quando abre a boca e as pessoas falam: puxa mulher tão bonita e não tem capacidade para responder simples pergunta. Acho que a mulher brasileira já quebrou tantas barreiras, a gente tem vários exemplos como Nísia Floresta, e mais recentes como Larissa Costa, que já quebrou tabus, mostrou a garra da mulher nordestina. O que você tem de bonito? Gosto do meu sorriso. Mas as pessoas falam dos meus olhos, do cabelo. Quem foi sua principal concorrente para miss? Eu gostava muito da miss Apodi e infelizmente não sei porque ela não ficou entre as cinco. Ela é espetacular. É super culta, super bonita.

Perfil Sonho concretizado: vestibular Em que acredita: em Deus Plano:construir uma família feliz e abençoada por Deus Mulher bonita: Mariana Ximenes O que é a beleza: ela pode ser dividida em vários ângulos, beleza física,beleza espiritual, beleza psicológica.Acho que esse conjunto deságua no significado real da palavra beleza.

O que foi determinante para você ser Miss Rio Grande do Norte? Acho que a confiança de na hora tentar segurar o nervosismo. Todas que estavam ali tinham condições. Se elas estavam lá é porque tinham algo que chamava atenção e as faziam dignas de serem miss. Mas acho que foi mesmo tentar segurar o nervosismo e ser mais racional pra responder, não tremer a perna, sorrir sem tremer a boca. Eu estava muito segura. O que ser miss pode trazer para sua vida? As oportunidades são inúmeras. Quando você ganha um concurso como esse várias portas se abrem. Cabe a cada um fazer as escolhas corretas, pensar direitinho nas atitudes que vai tomar daqui para frente e lembrar que você é uma figura pública. Pretendo me envolver em projetos sociais, principalmente em Serrinha dos Pintos. Quero desenvolver uns projetos bem interessantes e até já conversei com a prefeita lá.


12 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de março de 2010

Segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), com a temperatura em Natal oscilando entre 25 e 33 graus Celsius, as pessoas buscam alternativas para fugir do calor, usando aparelhos de ventilação

[ TEMPERATURA ]

Calor aumenta consumo de energia MARCELO BARROSO

om a temperatura oscilando entre 25 e 33 graus Célsius em Natal, segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), as pessoas buscam alternativas para fugir do calor, usando aparelhos de ventilação ou ar condicionado. Em outros casos, como o aposentado Luiz Gonzaga Alves Ferreira, 74 anos, a melhor opção é se refrescar à sombra de uma calçada. “Nem o ventilador dá vencimento dentro de casa”, diz ele, que mora em Santos Reis. Luiz Ferreira afirma que depois do almoço tenta dormir um pouco - “mas não tem quem aguente o calor” -, por isso, quando é por volta das 15 horas, ele coloca uma cadeira de balanço na calçada da rua Evaristo de Souza, que dá acesso à tancagem da Petrobras, para se refrescar com a brisa que vem da Praia do Forte. Mesmo à noite, segundo Ferreira, o ventilador é ligado, mas o calor ainda persiste: “Perturba de todo jeito”, complementou o aposentado, que por conta disso, a conta de luz de sua casa que custava em média R$ 80,00, subiu 40%: “A última conta paguei RR 112,00”. Toda manhã Ana Clara da Costa, quatro anos, faz o mesmo ritual, quando chega da escola, às 11 horas: senta em frente a televisão para assistir desenho animado ou lendo o livrinho infantil, mas sem abrir mão do ventilador para enfrentar o calor na casa de número 36 da rua Piancó, na Cidade da Esperança. “Ela faz isso todo dia, antes do almoço”, disse a sua avó, dona Severina Zacarias, cuja residência fica do lado sol, à tarde. O levantamento realizado pela Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) mostra que o consumo de energia elétrica registrou um crescimento acentuado entre os meses de fevereiro e março de 2009 em comparação com o mesmo período de 2010. Enquanto o crescimento de fevereiro para março de 2009 ficou em 2,2%, passando de 520 Mw médio para 532 Mw médio, em 2010 o crescimento neste mes-

C

Ana Clara apela para o ventilador para diminuir efeitos do calor

CONSUMO CRESCE CONSUMO DE ÁGUA NO RN Em milhões de m³/mês Ano Jan fev 2008 7,2 7,3 2009 7,5 7,2 2010 7,7 7,1 Fonte - Caern Comparação do consumo de energia elétrica no RN Média mensal em megawaats Ano Fev Mar 2009 520 532 2010 583 625 Crescimento médio % Fev/marde 2009– 2,2% Fev/mar de 20107,3% Mar/2009 - mar/201017,6% FONTE - COSERN

mo período foi de 7,3%, ou seja passou de 583 Mw médio em fevereiro para 625 Mw médio, em março. O acréscimo no consumo médio de energia elétrica entre os meses de fevereiro e março de 2009 para 2010 foi mais que o triplo.

Se for considerado apenas o mês de março deste ano e do ano passado o crescimento no consumo médio é bastante acentuado. Enquanto em 2009 o consumo médio ficou em 532 Mw, em 2010 este consumo médio passou para 625 Mw, que representa um aumento de 17,6% no mesmo período. É importante frisar que os números apresentados representam o crescimento no consumo médio para a primeira quinzena de março. Em períodos de intenso calor, como no verão, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) também informa que o consumo de água aumenta consideravelmente, em média, em 700 mil metros cúbicos por mês, o equivalente a 700 milhões de litros consumidos a mais no Estado. De acordo com a Caern, entre abril e setembro de cada ano, o volume de água consumido oscila entre 6,6 milhões e 6,9 milhões de m³ por mês. Quando chega outubro de 2009, o consumo bateu a casa dos 7,0 milhões de m³, chegando ao recorde de 7,7 milhões de m³ em janeiro deste ano. Em fevereiro, esse número foi de R$ 7,1 milhões de m³.

Caern orienta como evitar desperdícios A recomendação da Caern EM épocas de aumento de consumo de água, por causa do verão, é evitar o desperdício, principalmente os gastos com trabalhos desnecessários, como lavar calçadas e carros, além de economizar a água ao tomar banho e escovar os dentas, mantendo as torneiras abertas somente o necessário. Consertar vazamentos em casa também ajuda muito no combate ao desperdício de água. Para detectar vazamentos em casa, a Caern orienta a população a manter aberto o registro do cavalete, fechar bem as torneiras de casa e não utilizar a descarga do vaso sanitário, fechando completamente as torneiras de bóia das caixas, não permitindo a entrada de água. A empresa também considera fundamental observar ainda a leitura do hidrômetro e, após meia hora, sem o uso de água em casa, verificar se ela sofreu alguma alteração, em caso afirmativo, há vazamento no ramal alimentado diretamente pela rede. “Caso detecte algum vazamento, basta comparecer ao escritório distrital do seu bairro com os seus documentos pessoais e a conta de água para retirar o vazamento”, explica o diretor financeiro e comercial da Caern, Delevam Queiroz.


Domingo | 21 de marรงo de 2010

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 13


14 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de março de 2010

Eliana Lima elianalima@tribunadonorte.com.br

» BRIGADEIRO

Vaga rua lua/Rua lua vaga/Lua vaga rua”

Do poeta Volonté, em ‘Sombra’, livro ‘Pulsar de Saudade’

JOAONETOFOTOS.COM

JOAONETOFOTOS.COM

A Abelhinha tomou conhecimento da compra de mais um helicóptero para o governo do Estado. Secretário-chefe do Gabinete Civil, Vagner Araújo disse que não tem essa informação. Mas, revelou que há algum tempo falou-se que o então ministro da Justiça, Tarso Genro, estaria financiando novos equipamentos para Estados.

O próximo passo (ainda sem data) será a publicação do novo livro de Pablo Capistrano, que retorna à ficção cinco anos depois de ‘Pequenas Catástrofes’. O escritor-filósofo que tem livro editado pela poderosa editora carioca Rocco – ‘Simples Filosofia’ - terá um sob o selo Jovens Escribas. Planejam também lançar textos inéditos de referências na capital dos magos-letrados.

» CINTURA Enquanto o Exército devastava as dunas do Forte e a imprensa revelava a permuta da área com um empresário de Recife (PE), os acordos eram feitos no silêncio de arescondicionados split. Um grupo de cinco empresários da capital dos magos-empreendedores comprou do empresário pernambucano a área do Exército permutada, para construir um big condomínio de casas.

» TEM MAIS

» TLIMMM

No dia do seu badalado aniversário, a miss Brasil, Larissa Costa, ganhou beijos e mimos do namoradón-gatón André Guedes (Deco)

» APAIXONADÓNS

Nos festejos de LC, os namoradóns Mara Nóbrega e Gustavo Faria JOAONETOFOTOS.COM

JOAONETOFOTOS.COM

» JEITINHO O horário para atendimento a advogados no Fórum de Natal foi reduzido. Agora, só até às 14h. Sob a alegação da necessidade de dedicação ao trabalho interno, até por volta das18h. Foi uma brecha para aliviar no expediente. Advogados reclamam que nesse período de trabalho interno, funcionários fazem rodízio para folgas. No caso, observa-se que não havia necessidade de tempo exclusivo, enquanto advogados se desesperam.

» A PROPÓSITO... Que fim mesmo levou a Operação Jet Coca?? Tomou Doril, ninguém sabe, ninguém viu...??? Até mesmo o valente e ousado delegado do caso, Correia Jr., saiu dos flashes e holofotes...

» SENTENÇA Pode surgir a qualquer momento uma indenização pública de R$ 90 milhões por causa do embargo de uma obra que durou dois dias...

» FERVURA Os incentivos do poder público e de empresas privadas para que se plantem árvores são muitos. Distribuição de mudas, várias, até mesmo obrigatórias, em caso de concessionárias de carro. Tudo muito bom, tudo muito bem...maaasss... onde plantar árvores? Nas janelas dos prédios, impossível. Nas calçadas, não se pode – até se retira -, nos canteiros, proibido... Se observarem os estacionamentos de supermercados, shoppings, pequenos centros comerciais, etc, sentirão a falta de árvores. Carros ao sol impiedoso... Motivo: não plantam para não tirar a visão da fachada dos prédios. Santa ignorância. Quem tem memória boa, lembra que a área onde foi construído o Hiper Bompreço, na Prudente de Morais, por exemplo, era totalmente coberta por árvores frondosas. Arrancaram tudo e assim ficou. Como em outros empreendimentos.

» ...JOVENS

No fim deste março, a editora Record lançará no Rio de Janeiro o livro ‘Como se não houvesse amanhã’, uma homenagem de 20 escritores brasileiros aos 50 anos de nascimento do cantor Renato Russo. Cada autor escolheu uma música da Legião Urbana e desenvolveu um conto. Tem potiguar entre os escritores: o gatón-letrado Carlos Fialho, que representa o RN com um conto baseado na música ‘Faroeste Caboclo’.

» SEXAGENÁRIO » SUSPIROS

Belos e apaixonadinhos em dia de festão no Porto Brasil: o negón-bonitón Wellington Paim e Marcela Carvalho

» ATITUDE

» BZZZZZ...

Um pote de mel para quem acertar de quem são os sapatinhos fashion-chiques Victor Hugo. Dica: é serelepe e não abre mão de bobes para deixar os cabelos sempre prontos...

Bem que a gestão-verde da prefeita Micarla de Sousa poderia tornar obrigatório os supermercados, shoppings, etc, a plantar árvores em seus vastos estacionamentos externos.

JOAONETOFOTOS.COM

» FALHA... Mais uma do governo liderado pelo Partido dos Trabalhadores... Um rapaz pediu a emissão de carteira de trabalho no dia 2 deste março, com prazo estipulado no protocolo para recebimento no dia 17. Eis que quinta-feira, dia 18, ele telefonou para saber se já estava pronta. Sabe qual a resposta? Acreditem: “Tem mais de mil carteiras na sua frente. Talvez daqui a uns quinze dias”. Isso tudo na Central do Cidadão do Praia Shopping.

» EDIFICAÇÃO É amanhã que a Delphi entrega as chaves do residencial Samanna, aos futuros moradores, em Lagoa Nova. Com a entrega do Samanna, a constutora soma 13 empreendimentos entregues nos últimos 15 meses.

» ...DELES Sexta pela manhã ele foi à Delegacia Regional do Trabalho, Ribeira, em busca de informações mais esclarecedoras. Para começar, há distribuição diária de apenas 70 senhas para atendimento referente à carteira de trabalho, e só dois funcionários para atender. Isso mesmo: dois funcionários. Além de um sistema operacional que vive ‘saindo do ar’. Não conseguiu a senha, mas resolveu pedir informações a uma das funcionárias. Prontamente atendido. Explicou a situação e foi informado que (depois de quase meia hora, várias tentativas de colocar o sistema em ordem, ir à outra sala umas três vezes) a carteira ‘talvez’ fique pronta lá para o dia 25. Ou seja: desrespeito ao trabalhador brasileiro. Na minúscula sala de espera da DRT devia haver mais de cem pessoas à espera de atendimento, mais da metade em pé e sem perspectiva de horário para sair. Várias pessoas na mesma situação: emprego garantido e nada de carteira de trabalho. É mais fácil tirar um passaporte! Mas aí é coisa de rico, né?!?!

COLMEIA

» Agendado para o período de 28 a 30 de maio,o VIII Festival de Inverno de CerroCorá.

» Dia 27 tem luau no Villa Hall,ao som das bandas Amigos Sertanejos,The Frois e Deixe de Brincadeira.

» A luta contra o câncer

» LETRAS... 2010 é o ano do selo Jovens Escribas. Para começar, o selo será transformando em editora. Das primeiras iniciativas: a criação de um selo para livros-reportagens, relatos documentais e também livros sob encomenda. Receberá o nome de ‘Bons Costumes’, e “o primeiro lançamento é o divertido livro da jornalista cearense radicada em Mossoró Mirella Albuquerque: ‘Magra não. Gorda em recuperação’”, diz o jovem escriba Carlos Fialho.

Esta TRIBUNA DO NORTE chega aos 60 anos de fundação, dia 24. Os festejos serão dia 23, terça-próxima, com palestra do economista Gustavo Franco (ex-presidente do Banco Central) sobre ‘Perspectivas da Economia Brasileira’. Às 19h, no Pirâmide Natal, Resort & Convention, seguida de coquetel e entrega aos convidados do livro comemorativo aos 60 anos do jornal, mais a TN do dia seguinte, 24.

» ESTILO

Tázia Martins toda bela no Porto Brasil

infanto-juvenil no RN ganha mais um reforço. Toda sexta,na Rede Tropical,às 10h45,vão ao ar entrevistas sobre o Diagnóstico Precoce do Câncer,por profissionais da Casa Durval Paiva. COLABORAÇÃO DE ANNA CLÁUDIA COSTA


Domingo |

21 de março de 2010

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

15

George Azevedo georgeazevedo@digizap.com.br

LUZ NA PASSARELA CANINDÉ SOARES

FOTO DESABOYA.COM

eu Serrinha dos Pintos na cabeça!!! A cidade antes desconhecida, agora, é motivo de orgulho para uma bela jovem de 19 anos estudante de Arquitetura, Joyce Oliveira, natalense de nascimento, adotou a cidade do alto oeste potiguar para concorrer ao título de mulher mais bela do estado. Na noite da última quarta-feira, 17, no Vila Hall, 27 candidatas disputavam a sucessão de Larissa Costa, Miss RN 2009 e Miss Brasil. Joyce encantou o público presente e sua confiança crescia a cada momento, e assim, foi coroada Miss RN 2010. Após uma hora e meia de atraso, o que é normal para eventos tão grandiosos como este, as 27 candidatas surgiram deslumbrantes em looks animal print Estrela Viva e adereços de Dicarlos, cabelo, hair e make up do salão Abiss e Arlete Fontes, com bijuterias Sol Bijoux e sapatos Via Uno. A trilha sonora do desfile mesclou a batida da Banda São Jó com uma trilha instrumental super animalesca. O momento mais Glam de qualquer concurso de Miss, é o desfile de trajes de noite, e claro, os vestidos da maison Valéria Gurgel estavam belíssimos, muitos estampados, com brilhos, cores vibrantes, tudo para as candidatas brilharem na passarela do Vila Hall. Em maiôs mais do que sensuais e super selvagens da Romance Brazil, as belíssimas candidatas desfilaram com bijuterias Sol Bijoux e pisantes da Via Uno. Um dia antes do concurso eleger a Miss RN 2010, as 27 candidatas votaram em uma delas para o título de Miss Simpatia RN 2010. Mara Laíza de Monte Alegre foi “aclamada” por todas, ou seja, por unanimidade recebeu votos de todas as candidatas. A bela morena é a simpatia em pessoa!!! Top 15. Como anunciamos, este ano tivemos algumas novidades, uma pré seletiva no dia anterior, 16, para a escolha das 15 semi-finalistas do Miss RN, que contou com a participação de 5 jurados, que julgaram a beleza, postura e o corpo das candidatas e a votação pelo site do missrnoficial.com para a escolha de uma das semi-finalistas, que foi a Miss Macaíba, Deise de Moura. As outras 15 foram Macau, Monte Alegre, Patu, Touros, Caicó, Natal, Apodi, Caraúbas, Felipe Guerra, Parelhas, Serrinha dos Pintos, Parnamirim, Mossoró, São Gonçalo do Amarante e Acari. Após o desfile das 16, os jurados escolheram 5 para a prova final da entrevista. Macau, Natal, Macaíba, Parnamirim e Serrinha dos Pintos, tiveram a última chance de sonhar com o título de Miss RN 2010. Despedidas são momentos marcantes não é mesmo? E este ano não poderíamos deixar de homenagear a nossa Miss RN e Miss Brasil 2009, Larissa Costa. Um vídeo com toda a trajetória de Larissa desde o Miss Brasil até o Miss Universo, me emocionou bastante e mais ainda, a nossa Linda Miss Brasil, que também leu um belíssimo discruso de despedida de seu trono como Miss RN. As homenagens à Larissa Costa não se resumiram ao vídeo e a tantos aplausos e gritos do público presente no Vila Hall. A cantora Solange Almeida da banda Aviões do Forró, que é suuuuper fã da Miss Brasil, cantou duas músicas especialmente para a bela potiguar. Um sucesso!!! Ahh, Solange usou um vestidinho suuper curto da maison Valéria Gurgel, make up e hair de Abiss Fontes. O resultado final foi então anunciado: Em 5° Mariana Mamede de Paramirim, em 4° Giovanna Germek de Natal, a 3ª a representante de Macau, Raysa Campelo, a segunda colocada a Miss Macaíba Deise de Moura, e a grande vencedora Joyce Oliveira, de Serrinha dos Pintos.

D

Solange Gimenez, Márcio Kieling, Laurita Arruda, Salete Campari e Fabinho Vieira, na comissão julgadora CANINDÉ SOARES

Mara Laíza, a miss Monte Alegre foi aclamada como a mais simpática das candidatas CANINDÉ SOARES

Coleção Animal Print by Ana Neves e Soraya Simonetti para Estrela Viva

Joyce Oliver é a nova miss Rio Grande do Norte CANINDÉ SOARES

CANINDÉ SOARES

CANINDÉ SOARES

Swimsuit Competition com os maiôs da Romance Brazil

CANINDÉ SOARES

Valéria Gurgel, Linda Negreiros, Soraya Simonetti e Solange Almeida, elegantíssimas na comissão julgadora

CANINDÉ SOARES

Aqui, com a alta cúpula da Via Uno, Márcio Kieling, Alesandra e Guilherme Pontes

Deise Moura a vice Miss Rio Grande do Norte CANINDÉ SOARES

Joyce recebe o abraço de sua grande incentivadora, a mami Jeames

Raysa Campelo, a miss Macau, ficou em 3º lugar CANINDÉ SOARES

Misses.Valéria Gurgel e a jornalista Laurita Arruda foram prestigiar o evento

CANINDÉ SOARES

Outro grande incentivador da miss Joyce: o primo Edimilson Alves

Miss Paraíba 2010, Natália Taveira, sendo entrevistada pelos apresentadores Luciano Júnior e Suzana Schott


natal 16

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 21 de março de 2010

[ DIÁRIO DE BORDO ]

Brasileiros a bordo DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO Velejador-avoante1@yahoo.com

ecentemente postei um texto no nosso Blog (diariodoavoante.wordpress.com) comentando dos barcos brasileiros que se encontram navegando pelo mundo. Muitos leitores ficaram impressionados com o número e alguns até me pediram para fazer um levantamento de quantos brasileiros moram a bordo de veleiros no Brasil. A pesquisa não foi fácil, até porque temos um grande número de marinas e clubes náuticos espalhados pelo grande litoral brasileiro e também tem aqueles velejadores que não usam dos serviços nem de um, nem de outro e estão sempre ancorados ao largo de algum belo recanto litorâneo. Mas, com os amigos que temos por ai, tentamos levantar o número e por incrível que pareça, acho até que tem mais gente velejando pelo mundo, do que morando bordo no Brasil. Velejando pelo mundo, segundo o radar do amigo Hélio do veleiro Maracatu, existem hoje 28 barcos de bandeira brasileira. A grande maioria leva a bordo famílias inteiras. Outra parte se divide em navegação em solitário ou entre amigos. Todos eles levan-

R

do a bordo muitos sonhos e grandes perspectivas de um mundo melhor, mais humano, mais sincero, mais amigo e em paz. São pessoas que sentiram a necessidade de abrir mão da vida urbana, com todos os seus confortos e loucuras, e que se lançaram ao mar em busca, não da eterna aventura náutica, mas de uma qualidade de vida que nunca encontrariam em suas cidades. São pessoas que buscam na adrenalina de uma boa velejada, o combustível para prolongar a vida por mais um punhado de anos pela frente. Essa grande família de cruzeiristas brasileiros, que riscam os mares do mundo, não são os pioneiros, nem estão possuídos desse espírito, são apenas seguidores de outros velejadores que já provaram que não precisamos de camadas e mais camadas de tradições náuticas para realizar um sonho de uma volta ao mundo de veleiro. Precisamos apenas de uma pequena dose de coragem para soltar as amarras. A vida, os ventos, as correntes, o mar e a natureza se encarregam do resto. Para grande parte dessa turma que sai por ai ao sabor dos ventos, Natal é um dos últimos portos no Brasil. Apesar de nossa pequena

estrutura náutica, temos uma excelente localização geográfica para quem se dirige ao Caribe, que é o destino mais procurado. Portanto se você quer saber mais sobre essa turma de sortudos, é só ficar de olho nas águas do Potengí e procurar por eles. Sempre tem algum veleiro pronto para ganhar o mundo e uma tripulação louca para um

bom bate papo. A força tarefa dos que moram a bordo no Brasil parece ser menor do que a gente imagina. De Aracajú a Natal, apenas nós do Avoante, segundo foi o que apurei. Em Salvador, apesar da grande quantidade de veleiros, a turma de moradores não deve passar de 10. O Aratu Iate Clube, se-

gundo o que me passou o amigo e velejador Claudio do veleiro Anne, fica com a maior parte, cinco. Os outros cinco ficam por minha conta e risco. No Rio de Janeiro, não consegui nenhum informação, apesar de ter pedido ajuda a amigos que navegam por lá e moram a bordo, mas pela grande tradição náutica

carioca em barcos de cruzeiro, acho que deve ser a fatia do bolo. O litoral paulista, outro de grande concentração de veleiros e com lugares famosos como Ubatuba e Ilha Bela, também não recebi nenhuma notícia. Mas, não devem existir mais do que 15 barcos sendo usados com esse fim. No Rio Grande do Sul, segundo me informou o Danilo do site popa.com, não tem ninguém morando a bordo. Isso para mim foi uma surpresa, levando em conta a grande tradição gaucha em clubes náuticos, entre eles o Veleiros do Sul e ao grande número de estaleiros montados naquelas bandas do Brasil. Sei que minha pesquisa não tem nenhum valor cientifico e também é recheada de enormes furos numéricos e de informações, mas isso pode ser também a melhor prova de que apesar do nosso vastíssimo litoral, o velejador brasileiro ainda não acredita que um pequeno veleiro possa substituir o conforto de uma boa casa, nem se sente seguro para soltar as amarras de uma vida que, em muitos casos, o sufoca. Minha pesquisa continua e quem sabe em outra oportunidade o nosso Radar possa refletir a verdade.


natal

H1N1

Atriz Vanessa Giácomo, grávida, faz campanha da vacina contra gripe. PÁGINA 19

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Max.: 30º CO Min.: 26ºCO

Preamar 00h45 -0.6- 07h08 -2.1 Baixa-mar 13h08 -2.1- 19h38 -2.0

Panorama: hoje 332 bancas/196 feirantes Planalto 186 bancas/97 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Mãe Luíza Pium Pirangi do Norte Redinha

FASES DA LUA Cheia: Hoje Minguante: 15/07 Nascer do sol: 5h21 Pôr do sol: 17h19

Editor: Edilson Braga e-mail: braga@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 21 de março de 2010

Pesquisa feita em 2008 na Espanha, envolvendo 1.012 crianças espanholas e brasileiras, entre 10 e 12 anos, revela que a iniciação no consumo de álcool e tabaco está se dando cada vez mais cedo [ ALCOOLISMO ]

Criança e álcool, perigosa relação RODRIGO SENA

David Ramon e o músico Kléber Araújo começaram a beber quando tinham apenas 11 anos de idade

JACSON DAMASCENO Repórter

m 1976, Afonso tinha 10 anos de idade, quando tomou seu primeiro gole de cachaça. O menino pobre morava em Petrópolis, perto da praia do Meio. A mãe lavava roupas, e o pai ganhava trocados carregando as compras de quem frequentava a feira das Rocas, mas perdia boa parte do dinheiro com a bebida. Alcoólatra, o “balaieiro” (nome que se dava ao ofício do pai), morreu com menos de 50 anos. Porém, antes disso, apresentou de forma indireta a cachaça ao filho. Afonso, sorrateiro, provava diariamente da cachaça que o pai mandava comprar. E assim continuou e com 12 anos já bebia em festas e fumava. “Eu não sabia que o alcoolismo era uma doença orgânica e mental. E essa doença se instalou no meu corpo”, explica Afonso. Hoje, com 43 anos e afastado do álcool desde o primeiro dia em que visitou um grupo dos Alcoólicos Anônimos, há quase 15 anos. Porteiro de um prédio em Natal, ele domina a fera do alcoolismo, e no AA aprendeu que deve conversar com os filhos todos os dias. Tem dois de sangue e dois adotivos e nenhum bebe ou fuma. “Se proibir, é pior, aguça a curiosidade”. Nesta reportagem, somente o nome de Afonso é fictício. A his-

E

Comecei com um vinhozinho, essas bebidas fracas. Mas meu pai não gostava. Até hoje quando eu bebo ele reclama DAVID RAMON Amigo do músico

tória é bastante real e apesar de a iniciação dele com o álcool fazer tanto tempo, ainda representa bem a realidade atual. Pelo menos é o que diz uma pesquisa feita em 2008 na Espanha, pela Faculdade de Ciências Médicas e a Universidade Complutense de Madrid. O estudo foi feito com 1.012 crianças espanholas e brasileiras, entre 10 e 12 anos. O resultado chama a atenção: 43,8% dos alunos brasileiros (entrevistados em Campinas, São Paulo), já ingeriram bebidas alcoólicas. Na Espanha, o percentual é assombroso: 74,4%. O índice é menor nos dois países, quando o produto citado é o tabaco, porém não menos assustador: 12,7% no Brasil e 21,9% na Espanha. Os responsáveis pelas pesquisas dizem que nos últimos anos a idade de iniciação no álcool e no tabaco vem caindo bastante, baseada em fatores como acessibili-

dade e tolerância social. A pesquisa apontou ainda que entre o público brasileiro, 58,8% dos alunos têm mães que consomem álcool. O índice de crianças brasileiras cujos pais bebem foi de 49%. Na Espanha os pais bebem mais (78,5%) e as mães, bem menos (58,8%). O músico Kléber Araújo, de 24 anos, bebe desde os 11 anos de idade. Os pais dele não bebem, mas toleravam que ele o fizesse e o hábito foi adquirido com os amigos. “Acho que depende de cada pessoa. Eu mesmo tive uma época que bebia muito. Mas parei pra pensar e vi que devia diminuir”, disse o rapaz. O amigo dele, David Ramon, tem a mesma idade e começou a beber junto, também com 11 anos. Mas viveu situação diferente na infância. O pai bebe, mas não aceitava que ele fizesse o mesmo. “Comecei com um vinhozinho, essas bebidas fracas. Mas meu pai não gostava. Até hoje quando eu bebo ele reclama”, disse. Os estudiosos continuam pesquisando e as autoridades se preocupam. Em meio às discussões, tendo como cenário um Brasil onde álcool e tabaco são publicizados e comercializados com liberdade, o ponto pacífico é que a melhor forma de afastar os filhos das drogas lícitas é mesmo o diálogo aberto e a orientação frequente. Leia mais na página 18


18

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de março de 2010

Psicóloga Melina Séfora Souza Rebouças diz que as drogas lícitas ou ilícitas são um assunto ainda enfrentado com medos e tabus, pelos pais, fazendo com que muitas vezes não haja diálogo com os jovens [ ALCOOLISMO ]

Para psicóloga, diálogo é a saída a opinião da psicóloga Melina Séfora Souza Rebouças, o hábito de beber ou fumar dos pais não significa necessariamente influenciar no comportamento dos filhos. “Se não houver um embasamento de valores familiares, provavelmente vai influenciar. Mas é possível, sim, fazer esse distaciamento”, disse a psicóloga. Melina lembra que as drogas, lícitas ou ilícitas, são um assunto ainda enfrentado com medos e tabus, pelos pais, fazendo com que muitas vezes não haja diálogo com os jovens sobre tal questão. “Há pais que pensam que não falar sobre esse assunto é melhor. Pelo contrário. O ideal é manter um diálogo aberto, sem mentiras”. Segundo a psicóloga, a abordagem deve ser feita desde muito cedo. Uma criança de 5 anos, por exemplo, já pode ser esclarecida sobre os malefícios das drogas, numa linguagem específica para a idade, obviamente. Um outro comportamento que os pais podem experimentar é não proibir os filhos de forma ostensiva

N

ou autoritária. A psicóloga ressalta que dar certa liberdade é estabelecer uma relação de confiança, fazendo a ressalva de que isso não significa não dar limites. “Tudo que é proibido aguça mais a curiosidade do adolescente, que já existe naturalmente”, disse a profissional. Além da falta de diálogo aberto, há também a questão da influência do meio em que o jovem está inserido. Um garoto que convive com uma turma que costuma beber e fuma, está mais propenso a embarcar nos mesmos hábitos. “Não podemos esquecer também do fator orgânico. Há a predisposição genética, que também influencia na possibilidade de alguém se tornar alcoólatra”. O fácil acesso ao álcool e ao cigarro no Brasil também é um problema na opinião de Melina. Em alguns casos, o alcoolismo, por exemplo, aparece já na adolescência, causando um efeito devastador na vida do indivíduo. “Hoje encontramos muitos casos desses. E no caso da tentativa de recuperação, se a família não apoiar, fica tudo muito difícil”.

EMANUEL AMARAL

Melina Séfora diz que há pais que pensam que não falar sobre esse assunto é melhor. Pelo contrário

ENTREVISTA/AFONSO, NOME FICTÍCIO

Meu pai mandava comprar os ‘burrinhos’ RODRIGO SENA

Por que você diz que começou a beber por conta de seu pai? Como isso aconteceu? Afonso – Quando eu tinha dez anos meu pai mandava eu comprar os “burrinhos” (garrafa de 300ml) de cana para ele beber. E eu, por curiosidade, um dia tomei um pouquinho, escondido. E aí todo dia, antes de dar a garrafa a ele, eu provava um pouquinho e fechava a garrafa de novo. Quando você começou a beber normalmente? Com doze, treze anos eu já bebia em festas, comemorações. Quando você percebeu que era alcoólatra? Eu não sabia que o alcoolismo era uma doença orgânica e mental. E essa doença se instalou no meu corpo. Com 27 anos eu era alcoólico. Já bebia todos os dias. Dava tipo uma compulsão. Como uma droga, que é uma droga.

Juiz diz que realiza trabalho muito solitário Para o juiz da 1ª Vara da Infância e da Juventude, José Dantas, a justiça deveria ter a ajuda das polícias Civil e Militar no combate ao consumo de álcool por crianças e adolescentes. “É um trabalho muito solitário o que nós fazemos”, disse o magistrado. Ele lembra que vender ou servir bebida alcoólica a menores é contravenção prevista em lei e por isso, também deveria ser combatido pelos policiais. De fato, é raro encontrar na crônica policial notícias que dizem respeito a pessoas que tenham sido advertidas ou detidas por estarem fornecendo bebidas a crianças ou adolescentes. Mesmo fazendo parte da cultura brasileira, e a pesquisa comprova isso, que os jovens tenham acesso a tais produtos, mesmo em estabelecimentos comerciais das cidades do país. Há de se levar em conta que as polícias tenham uma vasta demanda de delitos tidos como de maior potencial ofensivo, mas segundo o juiz isso não seria motivo para deixar de lado um problema tão relevante, tido até como de saúde pública. A 1ª Vara conta com uma equipe de cem fiscais voluntários que nos fins de semana percorre bares e restaurantes e em várias ocasiões encontram casos de filhos que estão bebendo em companhia dos pais. “Houve um caso em que o pais insistiu, dizendo que estava certo em servir bebida ao filho adolescente porque era coisa de macho. O pai acabou preso”, disse Dantas. Os fiscais também passam por grandes eventos, como o Carnatal ou vaquejadas, por exemplo. “As equipes atendem a denúncias também, inclusive para casos de festas privadas ou de família. Se houver uma situação em que uma criança esteja consumindo álcool, qualquer pessoa pode nos procurar”, disse o juiz. O telefone para denúncias nesses casos é o 0800 281 6900. Os fiscais da Vara da Infância ainda são voluntários, mas até o final deste ano deve haver um concurso no Tribunal de Justiça para a função.

DADOS DA PESQUISA Que fato marcou sua vida, depois da doença? Eu tinha 28 anos e um dia estava embriagado na Praia do Meio, e o carro me pegou. Tive fratura exposta no joelho, fiquei 24 dias no hospital. Tive três infecções hospitalares, saí e voltei para o Walfredo Gurgel e fiquei mais 24 dias. Quando eu saí, disse que não ia beber mais. Mas era uma ilusão. Os amigos, entre aspas, me chamavam pra beber e eu voltava. E quando você decidiu parar de verdade e procurar os Alcoólicos Anônimos? Para isso existiu uma abordagem. Uma pessoa amiga minha, que já era do AA, disse onde tinha uma sala do grupo e eu fiquei curioso, querendo parar de beber. Eu queria sair desse sofrimento e fui conhecer. Daí me aceitei como alcoólico, este é o primeiro passo. Até hoje você vai? Eu tenho 14 anos de AA e até hoje eu vou. Indo todos os dias me sinto fortalecido e hoje ajudo os outros. Hoje eu sou um alcoólico em fase de recuperação. Porque é uma doença que não tem cura. Se alguém pingar uma gota de álcool no meu refrigerante, eu posso voltar e pior. Eu tomo uma grade. E estar em recuperação significa tomar alguns cuidados... Exato. Por exemplo, se eu for

(Com crianças entre 10 e 12 anos)

nino de 9 e uma menina de 12.

E

u não sabia que o alcoolismo era uma doença orgânica e mental. E essa doença se instalou no meu corpo”. É assim que Afonso - nome fictício - explica a sua dependência ao álcool, que ele combate diariamente, há 14 anos, nas reuniões

dos Alcoólicos Anônimos. Afonso disse que começou a beber aos dez anos de idade, incentivado pelo pai alcoólatra, morto aos 50 anos de idade pela doença. Porteiro de um prédio em Natal, ele domina a fera do alcoolismo, e no AA aprendeu que deve conversar com os filhos todos os dias. Tem dois biológicos e dois adotivos e nenhum bebe ou fuma. “Se proibir, é pior, aguça a curiosidade”. A história de Afonso é bastante real e apesar de a iniciação dele com o álcool fazer tanto tempo, ainda representa bem a realidade atual. Pelo menos é o que diz uma pesquisa feita em 2008 na Espanha, pela Faculdade de Ciências Médicas e a Universidade Complutense de Madrid. O estudo foi feito com 1.012 crianças espanholas e brasileiras, entre 10 e 12 anos.

Eu tinha 28 anos e um dia estava embriagado na praia do Meio, e o carro me pegou. Tive fratura exposta no joelho, fiquei 24 dias no hospital”

para uma festa, meu copo fica sempre na minha mão. Porque um daqueles “amigos”, pode botar uma gota de álcool no refrigerante e despertar os leões como a gente diz. Tem um amigo meu que tem 20 anos de AA e teve uma recaída recentemente. Eu nunca tive mas estou sempre me vigiando. Então você acredita que o vício de seu pai lhe atingiu diretamente? É, né? Porque meu pai já era al-

coólico, então eu já carregava a doença também. Meu pai morreu por conta da bebida. Tinha uns cinquenta anos, mais ou menos e eu tinha uns dez, onze. Ele morreu no hospital, já despelando. Quantos filhos você tem? Tem um casal da minha mulher, que mora comigo há mais de dez anos. O menino tem 20 anos, não bebe, nem fuma. A menina tem 12, não bebe nem fuma. E tem um casal que é meu, um me-

E como você trata esse assunto com eles? Todos os dias eu converso com os quatro. Sobre os males das drogas. Todos os dias eu oriento. Você não os proíbe de beber? Não. Não pode proibir. Tem que conversar, orientar. E até hoje graças a Deus nenhum bebe. Isso a gente aprende no AA. Se proibir é pior, porque desperta a curiosidade. E se um dia um deles chegar para você e contar que bebeu em uma festa? Eu vou chegar para ele e vou lembrar que não dá certo, que não é bom. Mas não vou brigar com ele. Ninguém pode proibir ninguém de fazer nada. Se ele quiser continuar a beber, ele vai continuar bebendo, bebendo até quando quiser parar por ele mesmo. E você,como membro do AA,já fez alguma abordagem e tirou afastou alguém do vício. Já sim. É a melhor sensação do mundo. Uma sensação de satisfação. É como se você tivesse salvo a vida de alguém. Assim como hoje me considero ressuscitado.

Alunos que já ingeriram bebida alcoólica

Brasil: 43,8% Espanha: 74,4% Alunos que já consumiram tabaco

Brasil: 12,7% Espanha: 21,9% Alunos cujos pais consomem bebidas alcoólicas

Brasil: 49% Espanha: 78,5% Alunos cujas mães consomem bebidas alcoólicas

Brasil: 58,8% Espanha: 58,8% Alunos brasileiros que já viram pai ou mãe embriagados

36,6% viram as mães 11,6% viram os pais

*Fonte: Faculdade de Ciências Médicas e Universidade Computense de Madri


natal

Domingo | 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 19

Durante duas semanas, até o dia 2 de abril, gestantes, crianças de seis meses a dois anos e doentes crônicos (exceto idosos) receberão as doses da vacina. O público-alvo esperado é de 20,3 milhões [ GRIPE SUÍNA ]

Começa amanhã 2ª etapa da vacina EMANUEL AMARAL

segunda etapa da estratégia nacional de vacinação contra gripe pandêmica começa amanhã (22). Durante duas semanas, até o dia 2 de abril, gestantes, crianças de seis meses a dois anos e doentes crônicos (exceto idosos) receberão as doses da vacina. O público-alvo esperado é de cerca de 20,3 milhões de pessoas. A meta do Ministério da Saúde é imunizar pelo menos 80% dessas pessoas. Os estados, em parceria com os municípios, são responsáveis por divulgar os locais e os horários de vacinação. Em todo o país, são mais de 36 mil salas de imunização. Todas as grávidas, independentemente do período de gestação, devem se vacinar. As mulheres que engravidarem após o fim dessa etapa poderão se imunizar nas fases seguintes. Na vacinação das crianças, pais e responsáveis devem levar aos locais de imunização apenas os bebês que já completaram seis meses de idade e os menores de dois anos. É muito importante que os pais ou responsáveis levem o cartão de vacinação da criança. As crianças receberão uma dose dividida em duas vezes. A segunda meia dose será administrada 30 dias após a primeira. Se a criança completar seis meses depois do dia 2 de abril, também poderá ser vacinada normalmente. Em relação aos doentes crônicos, devem procurar os postos de vacinação pessoas com menos de 60 anos que têm problemas sérios de coração, pulmão, rins, fígado, diabéticos, pacientes em tratamento para Aids e câncer ou os chamados grandes obesos (veja lista abaixo). Aqueles que serão vacinados devem levar aos postos um documento de identidade com foto e a carteira de vacinação do adulto, se possuírem. Não é necessário apresentar atestado médico para comprovar a doença crônica. “Optamos por não burocratizar o processo de vacinação. Confiamos no bom senso dos cidadãos. Aquele que se vacinar e estiver fora do grupo de risco deve saber que está tirando uma dose de alguém que realmente precisa”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Gerson Penna. Na dúvida, as pessoas devem procurar o médico mais próximo ou de sua confiança para receber orientações. Os idosos que integram esse grupo devem aguardar. A popu-

zação Mundial da Saúde (OMS), os dados epidemiológicos observados na primeira onda da pandemia no Brasil e a experiência dos países do Hemisfério Norte. A OMS recomendou a imunização de quatro grupos: trabalhadores de serviços de saúde, indígenas, gestantes e pessoas com doenças crônicas. O governo brasileiro ampliou a vacinação para outros três grupos: crianças de seis meses a menos de dois anos e adultos de 20 a 29 anos e de 30 a 39 anos.

A

Nessa etapa, todas as grávidas, independentemente do período de gestação, devem se vacinar, segundo orientação do governo

CRONOGRAMA DE VACINAÇÃO Ministério da Saúde estabeleceu um cronograma de vacinação para esta segunda etapa Grupos Prioritários Trabalhadores da rede de atenção à saúde e profissionais envolvidos na resposta à pandemia

Data da vacinação

08/03 a 19/03

Indígenas Gestantes (mulheres que engravidarem após esta data poderão ser vacinadas nas demais etapas da campanha) Doentes crônicos (Idosos com doenças crônicas serão vacinados em data diferente, durante a campanha anual de vacinação contra a gripe sazonal)

22/03 a 02/04

22/03 a 02/04

Crianças de seis meses a menores de dois anos

05/04 a 23/04

População de 20 a 29 anos CAMPANHA NACIONAL DE VACINAÇÃO DO IDOSO Pessoas com mais de 60 anos vacinam-se contra a gripe comum.Aqueles com doenças crônicas também serão vacinados contra a gripe pandêmica População de 30 a 39 anos

24/04 a 07/05 10/05 a 21/05

ALGUMAS DOENÇAS CRÔNICAS PARA VACINAÇÃO Os pacientes devem consultar o médico antes de tomar a vacina para esclarecer dúvidas e receber orientações. ■ Pessoas com grande obesidade (Grau III),incluídas atualmente nos seguintes parâmetros: ■ crianças com idade igual ou maior que 10 anos com índice de massa corporal (IMC) igual ou maior que 25; ■ criança e adolescente com idade maior de 10 anos e menor de 18 anos com IMC igual ou maior que 35; ■ adolescentes e adultos com idade igual ou maior que 18 anos,com IMC maior de 40 ■ Indivíduos com doença respiratória crônica desde a infância (ex:fibrose cística,displasia broncopulmonar) ■ Indivíduos asmáticos (portadores das formas graves,conforme definições do protocolo da Sociedade Brasileira de Pneumologia) ■ Indivíduos com doença neuromuscular com comprometimento da função respiratória (ex:distrofia neuromuscular) ■ Pessoas com imunodepressão por uso de medicação ou relacionada às doenças crônicas ■ Pessoas com diabetes ■ Pessoas com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e outras doenças respiratórias crônicas com insuficiência respiratória crônica (ex:fibrose pulmonar,sequelas de tuberculose, pneumoconioses) ■ Pessoas com doença hepática:atre-

sia biliar,cirrose,hepatite crônica com alteração da função hepática e/ou terapêutica antiviral ■ Pessoas com doença renal:insuficiência renal crônica,principalmente em doentes em diálise ■ Pessoas com doença hematológica: hemoglobinopatias ■ Pessoas com terapêutica contínua com salicilatos,especialmente indivíduos com idade igual ou menor que 18 anos (ex:doença reumática autoimune,doença de Kawasaki) ■ Pessoas portadoras da síndrome clínica de insuficiência cardíaca ■ Pessoas portadoras de cardiopatia estrutural com repercussão clínica e/ou hemodinâmica: ■ Hipertensão arterial pulmonar ■ Valvulopatia ■ Pessoas com cardiopatia isquêmica com disfunção ventricular (fração de ejeção do ventrículo esquerdo [FEVE] menor do que 0.40) ■ Pessoa com cardiopatia hipertensiva com disfunção ventricular [FEVE] menor do que 0.40 ■ Pessoa com cardiopatias congênitas cianóticas ■ Pessoas com cardiopatias congênitas acianóticas,não corrigidas cirurgicamente ou por intervenção percutânea ■ Pessoas com miocardiopatias (Dila-

tada,Hipertrófica ou Restritiva) ■ Pessoas com pericardiopatias. Parceiros do Ministério da Saúde na construção da estratégia nacional de vacinação contra influenza H1N1: 1. Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (CONASS) 2. Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS) 3. Conselho Federal de Medicina (CFM) 4. Associação Médica Brasileira (AMB) 5. Associação Brasileira de Enfermagem (ABEN) 6. Grupo Assessor do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde 7. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) 8. Sociedade Brasileira de Cardiologia 9. Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia 10.Sociedade Brasileira de Imunização 11.Sociedade Brasileira de Infectologia 12.Sociedade Brasileira de Medicina da Família e Comunidade 13.Sociedade Brasileira de Pediatria 14.Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia 15.Núcleo de Educação e Saúde Coletiva da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

lação com mais de 60 anos terá uma etapa exclusiva, entre os dias 24 de abril e 7 de maio, juntamente com a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso contra gripe comum. Nesse período, todos os idosos serão imunizados contra a gripe comum, como acontece todos os anos. Se tiverem doenças crônicas, serão vacinados também contra a gripe pandêmica. Assim, o idoso só precisará ir ao local de vacinação uma única vez. ETAPAS DE VACINAÇÃO A estratégia de vacinação contra a influenza pandêmica foi dividida em cinco etapas, para públicos específicos. A primeira fase da vacinação começou no dia 8 de março e terminou sexta-feira (19). É voltada para indígenas que vivem em aldeias e trabalhadores de serviços de saúde envolvidos diretamente na resposta à pandemia. Nas etapas seguintes, serão vacinados adultos de 20 a 29 anos (5 a 23 de abril); idosos, incluindo os que têm doenças crônicas (24 de abril a 7 de maio) e adultos de 30 a 39 anos receberão as do-

ses (10 a 21 de maio). Veja abaixo o cronograma completo. Em cada uma das etapas, os postos de vacinação serão definidos pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde. As vacinas serão distribuídas pelo Ministério da Saúde ao longo do período de vacinação, de acordo com cada etapa. Por isso, é importante que a população compareça aos postos de vacinação na data estabelecida para o grupo ao qual pertence. Ao todo o Ministério da Saúde adquiriu 113 milhões de doses para vacinar 91 milhões de pessoas contra gripe pandêmica. A meta é imunizar pelo menos 80% desse público-alvo. Os grupos prioritários são aqueles que têm o maior risco de desenvolver formas graves da doença e de morrer. Eles foram definidos pelo Ministério da Saúde em consenso com sociedades científicas, entidades de classe e representantes de estados e municípios (veja lista abaixo). Os critérios para definição dos públicos prioritários levaram em conta as recomendações da Organi-

CAMPANHA PUBLICITÁRIA Aqueles que quiserem receber um e-mail com lembrete da data em que deve se vacinar podem se cadastrar no Portal do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br), no hotsite especial do governo federal (www.vacinacaoinfluenza.com.br) e em sites comerciais onde a campanha publicitária será veiculada. Todas as peças da campanha, incluindo vídeos, materiais gráficos e áudio para rádio, estão disponíveis no hotsite e no portal do Ministério. Também serão distribuídos 100 mil cartazes e 1 milhão de folders com as datas em que cada grupo deverá receber as doses. O Ministério da Saúde divulga ainda peças publicitárias reforçando as medidas de prevenção que todas as pessoas devem adotar no dia-a-dia, como lavar as mãos com frequência, cobrir o nariz e a boca com um lenço descartável ao tossir ou espirrar e evitar compartilhar alimentos e objetos pessoais. O material impresso das campanhas é enviado às Secretarias Estaduais de Saúde, que fazem a distribuição para os municípios. Além de mensagens gerais de prevenção e orientação sobre as datas da vacinação, o governo federal optou por produzir filmes e materiais gráficos específicos para cada um dos públicos-alvo da estratégia nacional de imunização. A campanha publicitária da segunda etapa começou a ser divulgada no dia 16 de março, incentivando os três públicos-alvo a se vacinarem. Nas peças, a atriz Vanessa Giácomo, grávida de 28 semanas, é quem convida as futuras mães a irem até os locais de imunização. Já o ator Rodrigo Lombardi dá o recado às pessoas com doenças crônicas e a atriz e comediante Ingrid Guimarães, com a filha Clara de seis meses no colo, lembra pais e responsáveis de levarem as crianças para se vacinarem contra gripe A.


20 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 21 de marรงo de 2010


esportes

HOJE NA TV

RÁDIO GLOBO NATAL

10:00 – Esporte Espetacular - TV Globo 17h00 - Fluminense x Resende - Carioca

06h - Esporte em debate 17h00 - América x Alecrim - Estadual 2010 21h - Resumo Final

CURIOSIDADES A primeira partida de futebol artificialmente iluminada do mundo aconteceu em São Paulo,numa festiva noite de São João,no ano de 1923.

DICAS O Rali RN-1500 terá início no próximo dia 31 e se estenderá até o dia 4 de abril passando por vários municípios do RN.

ESTADUAL

Leandro Campos quer ensinar o ABC a marcar forte. PÁGINA 2 NÚMERO 3 metros é quanto o gramado do Morumbi precisará ser rebaixado para a Copa 2014.

Editor: Itamar Ciríaco e-mail: esporte@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 21 de março de 2010

Se perder o clássico para o Alecrim, o América vai passar a depender de um milagre para continuar na luta pelo título do segundo turno. Já o Verdão pretende explorar o desespero adversário para somar mais três pontos hoje

[ CAMPEONATO ESTADUAL ]

Reencontro em clima de decisão reencontro entre América e Alecrim hoje, às 17 horas no Machadão, é apenas uma prova que no esporte o futuro também costuma repetir o passado. A verdade é que o clássico voltará a se realizar com o mesmo caráter decisivo para o Alvirrubro que em caso de uma nova derrota hoje passará a depender de um milagre para se manter vivo na luta pelo título do segundo turno. Em situação menos dramática, mas de igual responsabilidade em relação a conquista dos três pontos, o Alecrim pretende utilizar o desespero do adversário como arma. Na busca para combater o “inferno técnico” na qual o elenco se encontra mergulhado desde a final do primeiro turno, o técnico americano Carlos Moura apelou para experiência dos jogadores Robson e Júlio Terceiro, na tentativa de garantir mais tranquilidade aos atletas em campo. Se tivesse boas opções, na verdade os atletas nem seriam aproveitados de saída, uma vez que ambos estão vindo de um longo tempo de inatividade e com problemas de ritmo de jogo. Porém, diante das cobranças, a necessidade falou mais alto. “Nós respeitamos muito a equipe do Alecrim, mas está na hora do nosso time fazer um bom jogo. Ficar só dando desculpas não interessa mais ao América e precisamos das vitórias. As voltas do Robson e do Júlio Terceiro serão importantes para gente porque além da qualidade que possuem, eles costumam orientar bastante a equipe dentro de campo. Acredito que só temos a ga-

O

nhar”, disse o meia Saulo. Dessa vez Moura sequer pôde ameaçar realizar algum tipo de mistério, com a dispensa do atacante Maurício Pantera, Ronny e Adriano Magrão voltam a ocupar as posições de titulares no ataque. Além de Pantera, o meia Aloísio e o volante Luís Maranhão também não fazem mais parte do grupo. Júlio Terceiro está ciente do momento delicado e promete fazer o que for preciso para que o clube reencontre o caminho da vitória. “Numa situação como esta, nada melhor que pegar um clássico e vencer para devolver a confiança ao nosso grupo. Eu e Robson que ficamos de fora do time durante um bom tempo sofremos bastante e agora teremos a oportunidade de ajudar a orientar a equipe. Nós como mais experientes temos a função de levantar o astral desse grupo”, ressaltou Júlio. FICHA TÉCNICA AMÉRICA ALECRIM Rodolpho;Thony,Edson Rocha,Robson e Rogerinho;Júlio Terceiro,Eliélton,Saulo e Assis;Adriano Magrão e Ronny.Técnico:carlos Moura.

Fernando;Ivisson, Jonatha e Maceió; Ewerton,Carioca, João Paulo,Henrique e Wescley;Torona e Júlio César. Técnico:Wassil Mendes

Árbitro:Leandro Saraiva Dantas de Oliveira Assistentes:Ubiratan Bruno Viana e Luiz Antônio Ribeiro da Silva Horário:17 horas Estádio:Machadão RODRIGO SENA

Júlio Terceiro deve dar mais experiência ao meio-campo do time

Alecrim promete ir para cima do América atrás da vitória Depois de perder a invencibilidade de dez partidas no Campeonato Estadual, o Alecrim volta a campo hoje para enfrentar o América, que passa por uma grave crise técnica e necessita desesperadamente da vitória. Mas no lado do Verdão, o treinador Wassil Mendes salienta que o grupo já vinha se preparando para perder e não acredita que o fim da jornada invicta deva criar algum tipo de problema para o grupo, que continua motivado. “Nós sabíamos que não iríamos terminar a competição invicta. É muito difícil um fato desses ocorrer no futebol atualmente. O mais importante foi que apesar de perder em Pau dos Ferros, nosso grupo realizou uma grande apresentação e tem condições de repetí-la diante do América”, alegou o treinador. Habituados a complicar a situação dos americanos, os alecrinen-

ses prometem partir com tudo em busca dos três pontos explorando a fragilidade emocional do adversário, que vai entrar em campo pressionado e ao menos deslize pode sofrer com o “fogo amigo” dos torcedores, como chegou a ser ensaiado no clássico do primeiro turno. “Sabemos da qualidade do América, mas sabemos que temos condições de enfrentá-los e buscar a vit��ria. Nós precisamos do resultado que será importante em termos de classificação para final e vamos buscar jogar com inteligência”, afirmou Wassil. O treinador considera a posição do clube bem melhor que a do primeiro turno, quando a campanha foi marcada por empates. “A vitória é muito importante com os três pontos. Perdemos uma e ganhamos outra e não temos porque nos desesperar”, destacou. Leia mais sobre Estadual - Pág 8


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 21 de março de 2010

ENTREVISTA/LEANDRO CAMPOS/TREINADOR DO ABC

“Agora, eles vão aprender a marcar” FOTOS:RODRIGO SENA

Como está sendo sua adaptação ao futebol nordestino, já que é a primeira vez que você trabalha aqui? É verdade que estamos trabalhando pela primeira vez aqui no Nordeste, mas já jogamos várias vezes aqui na região. Não só em Natal, mas em Maceió, Pernambuco, Bahia... Já trabalhei no Paysandu e Belém é quase Nordeste. Já estamos acostumados com esse ambiente, com esse calor, então, não podemos dar tanta importância a região que trabalhamos, e sim a condição que queremos dar ao trabalho. Temos que ter objetivos bem planificados, organizados. Está encontrando isso no ABC? O clube está dando essa condição. A estrutura física, as condições de trabalho são muito boas. O grupo de atletas, agora com um pouquinho mais de organização, no aspecto de formatação de grupo, está nos dando uma condição boa de opções. E até no âmbito geral, no que diz respeito a qualificação do grupo. Então, tudo isso somado, está nos dando uma tranquilidade para o que queremos desenvolver no ABC. VocêjásabiaalgumacoisadoABC, antes de acertar com o clube? Antes do acerto final com o clube, entrei no site para saber informações daqui, condições do clube, estrutura física, essas coisas. Não poderia tomar nenhuma decisão sem antes saber as condições de trabalho do clube. E foi muito satisfatório o que vi. Meus contatos com o Ricardo (Morais, superintendente de futebol), com o Flávio (Anselmo, vice-presidente de futebol), foram muito positivos. Os dirigentes todos são muito bem esclarecidos. O próprio presidente é uma pessoal muito sóbria, séria, em se tratando de negócios. Ele tem tudo definido do que quer realizar dentro do ABC e somando isso tudo, me deu o empurrão que faltava para acertar com o ABC. Muito se fala do estilo gaúcho de praticar o futebol.Que é mais de pegada, marcação.Vai adotar esse estilo no ABC ou vai prezar pelas características individuais de cada jogador? Não vamos alterar as características dos jogadores. Vamos respeitá-las, mas, é lógico que também existem as características do técnico. Na nossa equipe vamos procurar ter esse equilíbrio. Vamos dar liberdade para os jogadores trabalharem na parte ofensiva. Mas, os jogadores vão ter que marcar. Agora, eles vão aprender a marcar no estilo da minha escola, que é a gaúcha, que é mais de pegada, mais voluntariosa, no aspecto de marcação. Então, estamos tentando incutir aos poucos nos atletas, para que possamos ter um equilíbrio realmente bom no aspecto ofensivo e defensivo. Não foi você quem montou este elenco,mas,em pouco tempo os resultados apareceram. Isso dá uma tranquilidade maior para o decorrer do campeonato? Sempre é importante iniciar um trabalho vencendo jogos. Felizmente, tivemos dois jogos difíceis e com nosso empenho, conseguimos buscar os resultados. Mas, a briga pela classificação vai continuar até as últimas rodadas. Então, a equipe, em hipótese alguma pode se acomodar pelo que vem acontecendo. O grupo precisa lembrar-se do primeiro turno e tirar como lição. Começou bem, com um empate e duas vitórias e posteriormente o time não foi bem. Não podemos deixar que isso se repita para não haver um descontrole no andamento da competição. Queremos uma estabilização. Sabemos que estamos em uma condição boa, mas é importante que todos estejam conscientes para não deixar a equipe declinar na sequência do campeonato.

FELIPE GURGEL repórter de Esportes

Q

uando foi anunciado como novo treinador do ABC, o nome de Leandro Campos foi envolto em uma nuvem de desconfiança por grande parte dos torcedores alvinegros, já que seu trabalho era pouco conhecido no Rio Grande do Norte. Depois de 20 dias comandando o time, as desconfianças acabaram com os bons resultados conseguidos pelo ABC dentro de campo. Nesta entrevista concedida à TRIBUNA DO NORTE, Leandro Campos, de 46 anos, gaúcho de Porto Alegre, fala sobre suas expectativas no comando do ABC, o projeto para a série C do campeonato brasileiro, o bom início à frente do time, a discussão com o lateral-direito Acácio e seu modo de trabalhar no futebol.

Estou muito satisfeito com o trabalho realizado pelo pessoal que trabalha nos bastidores e isso tem dado um suporte muito bom para que nosso trabalho possa se desenvolver da melhor maneira possível.”

É dessa forma que nós pensamos e vamos procurar sempre dar o suporte e o apoio necessário para os jovens atletas.”

O futebol é assim. Não existe técnico sem jogadores. Pode até acontecer de existir jogadores sem o técnico. Temos que ser humildes e entender como funciona o futebol.”

Qual o estilo de Leandro Campos no trato com os jogadores? Mais disciplinador ou mais boa praça? Hoje no futebol não podemos ser nenhuma coisa nem outra. Temos que usar o bom senso. Na hora em que for necessária uma conversa mais amigável com o atleta, um diálogo mais aberto, estarei sempre à disposição. Mas, na hora que tiver que chamar a atenção, ser um pouco mais duro, iremos ser mais duro. Então, temos que saber o tempo certo de exercer nosso comando e também, o momento certo de criar uma abertura com o grupo. Muita coisa foi dita sobre a dispensa do lateral direito Acácio. O que aconteceu na verdade dentro do vestiário na partida contra o Coríntians de Caicó? Houve uma discussão entre você e o atleta? Discussão normal após o jogo, por questão até por rendimento técnico. Você pode ter certeza que nós vamos discutir muito, vamos brigar muito no vestiário na intenção de arrumar e ajustar a equipe. A saída do Acácio não foi nada por questão de discutir com o técnico. Considero normal a discussão de

um atleta com o técnico. A questão foi mais técnica e isso é bom de ressaltar. Foi mais um critério técnico do que disciplinar. Como foi seu acerto com o ABC? Foi para o Estadual ou para montar um time para a série C? Meu principal objetivo era a série C. O acerto foi até o final do brasileiro. Mas, sabemos como funcionam esses contratos de treinador. Às vezes se faz um contrato mais longo e não se cumpre, até em função dos resultados. Espero, dentro desse contrato, conseguir os resultados dentro do campeonato estadual e que possamos da essa sequencia na série C, já que foi acordado dessa forma. Como montar um time para a Série C,já que o clube vai ficar cerca de dois meses inativo, entre o Estadual e o Brasileiro? Já existem contatos com jogadores? Com certeza. O objetivo do ABC é o acesso à série B neste ano. Nós temos que nos preparar convincentemente. É importante que o clube monte um time forte e para isso reforços precisam ser contratados. Temos vários nomes agendados, atletas contactados, para que, acabando seus campeonatos

regionais, já se possa fazer os acertos e na reapresentação do time para a preparação visando a série C, tudo possa estar dentro do esperado. O torcedor do ABC anda meio desconfiado com o time,por tudo que aconteceu em 2009 e pelo primeiro turno do Estadual.É importante que a torcida volte a incentivar o time? Não existe futebol sem torcida. Nós fazemos futebol para o torcedor. É importante que o torcedor entenda que é o seu clube do coração e que ele se conscientize de que o trabalho não é feito só pela comissão técnica nem pela diretoria, nem pelos jogadores. O torcedor tem uma participação muito grande, a imprensa tem uma participação muito grande. Então, a junção desses fatores, tanto internos quanto externos é que vai, realmente, definir a grandeza de um clube e , naturalmente, as pretensões de um clube em qualquer competição. Como é seu relacionamento com a direção do ABC? Não tenho tanto contato com o presidente do clube (Rubens Guilherme Dantas), já que mantenho contato diário com o Flá-

vio Anselmo e o Ricardo Morais. Sei que o presidente tem muito o que resolver na administração do clube e o Flávio é o homem de confiança dele e como todas as funções ligadas ao futebol quem responde é o Flávio, então tenho mais contato com ele, e isso é normal. Estou muito satisfeito com o trabalho realizado pelo pessoal que trabalha nos bastidores e isso tem dado um suporte muito bom para que nosso trabalho possa se desenvolver da melhor maneira possível. Com o elenco que o ABC tem,dá para disputar o título e começar bem na Série C? Isso é muito relativo. Queremos o título do estadual, os atletas estão se entregando ao máximo, buscando os objetivos. Todos nós estamos trabalhando com seriedade e espero que esse clima, essa determinação do grupo continue e que possamos buscar a vaga na Copa do Brasil já nesse turno e, consequentemente, brigar em igualdade de condições na decisão do campeonato. Você disse que a responsabilidade de um técnico não passa de 15%. Isso não é deixar tudo nas costas dos atletas? O futebol é assim. Não existe técnico sem jogadores. Pode até acontecer de existir jogadores em o técnico. Temos que ser humildes e entender como funciona o futebol. Não sou eu o salvador da pátria. Se os jogadores não tiverem qualidade técnica, o treinador inexiste, então, é importante nós sabermos da nossa limitação e é preciso saber que precisamos muito da qualidade dos jogadores. É isso que interessa neste momento, é darmos uma estrutura tática, uma organização para a equipe, um padrão de jogo para o time, para que possamos como auxílio deles, com a qualidade deles, chegarmos ao nosso objetivo. Pretende utilizar jogadores das categorias de base do clube? Todos os atletas das categorias de base do clube serão observados. Nós gostamos muito desse trabalho de valorização de jovens atletas. No nosso grupo de profissionais temos vários das categorias de base do clube. Temos que ter uma relação muito saudável com as bases do ABC. Não existe equipe profissional sem categorias de base forte. É dessa forma que nós pensamos e vamos procurar sempre dar o suporte e o apoio necessário para os jovens atletas.


esportes

Domingo | 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

Durante quase 10 anos o mossoroense Olten Ayres de Abreu foi considerado um dos melhores árbitros da Federação Paulista de Futebol e do quadro da CBF. Ele comandou apenas uma partida no Juvenal Lamartine

[ SUCESSO NA ARTE DE APITAR ]

Mossoroense é lenda da arbitragem EVERALDO LOPES Repórter e Pesquisador

uinta-feira, dia 27 de setembro de 1928. Nessa data nascia na cidade de Mossoró Olten Ayres de Abreu, filho de José Rosalvo de Abreu, de família alagoana, e Josefa Ayres, natural de Atalaia/MG. O nascimento de Olten ter acontecido em Mossoró deveu-se ao fato de seu pai, fiscal da Receita Federal, Rosalvo Ayres estar sempre trocando de estado a cada período exercendo sua função no Fisco. “Seu” Rosalvo colecionou filhos seguindo a ordem das vogais a, e, i, o, u, ou seja, Ayrton, Edman, Ielton, Olten e Úlvio. Dos seis filhos do casal,um morreu, precocemente. No título (livro) que publicou em 2005, edição CNB Comunicação e Marketing (A Saga de um Vencedor) Olten conta toda sua trajetória cheia de lances e emoções, situações quase inacreditáveis que foram uma constante desde sua juventude, trocando de colégio a cada ano por conta de um temperamento impulsivo. (chegou a chutar a perna de um padre no colégio religioso onde estudava, segundo relata no livro, por querer se meter na sua vida colegial). Olten sempre buscou ser o melhor, ser um vencedor, e foi, começando logo cedo nos esportes, principalmente o atletismo, sagrando-se campeão paulista e brasileiro nas mais variadas provas: 100 e 200m rasos, revezamento 4x100m, 4x300m, salto em distância. Formou-se, primeiramente

Q

em educação física e, mais tarde, resolveu estudar Direito, colando grau anos depois, com banca instalada na capital paulista, hoje ocupada por ele e o filho também advogado, Olten Ayres Júnior, as filhas Denise Maria e Denise Abreu, esta, conhecidíssima nos círculos jurídicos paulistanos. Ela exerceu vários cargos públicos. Na verdade, o nome de Olten Ayres chegou às alturas no noticiário esportivo, no período em que atuou como árbitro do quadro principal da Federação Paulista de Futebol e, posteriormente, do Fifa. Curiosamente, apesar de norterio-grandense, Olten jamais fez lobby junto à FPF para que fosse escalado e apitar na sua terra natal. Por isso, apenas uma partida apitou nesta capital, ainda ao tempo do “Juvenal Lamartine”. Justifica-se sua ausência no RN o fato de não haver ainda Campeonato Brasileiro no período em que esteve em evidência no apito, nos anos sessenta. Era raro um árbitro do Rio ou SP atuar no Nordeste. BARULHENTO - Só é possível fazer uma análise da personalidade de Olten Ayres, quem com ele conviver durante algum tempo. Voz tonitroante, já se vê que não é de cochichos, nem tem medo de tempo quente. Boa estatura para os padrões nordestinos (1,85m), ótimo biotipo para a prática do atletismo, Olten acabou optando pela arbitragem no futebol. Era o preferido da Federação Paulista para os clássicos considerados quentes, sujeitos a muita tensão no gramado.

MOEDA EM PÉ – Olten Ayres era são paulino declarado, porém uma vez apitando jogo do time da camisa tricolor, a paixão clubística era temporariamente arquivada. Certa vez, em 1943, numa reunião na sede da Federação Paulista – conta Olten, presentes diretores do Corinthians e do Palmeiras, alguém sugeriu que se jogasse uma moeda no chão: se caísse com a “cara” pra cima ia dar Corinthians, se caísse a “coroa”, dava Palmeiras. E aí Olten indagou: e o São Paulo, nada? Só se a moeda cair em pé, gozou um dos presentes. Jogada a moedinha, ela rolou, rolou e não virou. Ficou em pé. Coincidentemente, deu São Paulo naquele ano. Olten guarda essa moeda até hoje. AMIGOS.MUITOS AMIGOS Apesar do jeitão explosivo, barulhento, sem meias palavras, Olten tem um larguíssimo círculo de grandes amigos. Facilmente, relaciona alguns famosos. O principal deles é Pelé, são amigos desde o surgimento do craque da Vila Famosa. Na lista extensa aparecem os ex-presidentes da Federação Paulista de Futebol, José Eduardo Farah e Marco Polo del Nero, dos ex-presidentes do São Paulo, ex-governador do estado, Laudo Natel, Juvenal Juvêncio, Marcelo Portugal, empresário Juan Figer, ex-árbitros José de Assis Aragão e José Teixeira de Carvalho, jornalistas Ênio Rodrigues e Orlando Duarte, o treinador Muricy Ramalho, goleiro Rogério Ceni. O JOGO DO SÉCULO – Um dos

orgulhos de Olten Ayres é ter sido convidado para apitar o chamado jogo do século, envolvendo Santos do Brasil e Inter de Milão, no Yankee Stadium. Eram os dois times mais fortes naquela oportunidade. Os italianos abriram o placar, e aí que começou uma verdadeira briga campal envolvendo os 22 jogadores. Até Olten levou um chute, mas deu o troco no agressor. Depois de muita discussão, o jogo foi reiniciado sem expulsões porque ninguém identificou ninguém. Ainda houve 20 minutos de jogo, terminando com vitória italiana por 1x0. BRASIL COMPROU O ÁRBITRO Olten havia sido convocado para a Copa de 62, no Chile, como titular, mas numa jogada desleal de Paes Leme, acabaram jogandoo para suplente, abrindo uma brecha para o veterano João Etzel Filho. Naquele Mundial, Olten testemunhou a forma como João Etzel deu “sumiço” ao bandeira uruguaio Esteban Marino, que seria testemunha da agressão de Garrincha no julgamento do camisa 7 do Brasil. Etzel desapareceu de Santiago com esse bandeirinha, e na hora do julgamento, não havia testemunha ocular da agressão de “Mané”, que acabou absolvido. Falam em US$ 10 mil dólares. Com isso, Garrincha pode participar da final contra os tchecos, o Brasil bicampeão mundial. Recentemente, Olten voltou ao assunto dando uma entrevista à Rede Globo, com repercussão bem menor. Afinal, já se passam quase 50 anos.

NÚMEROS

10

foi o período em que Olten Ayres foi considerado um dos cinco melhores árbitros do futebol paulista e brasileiro

01

vez como não havia ainda Campeonato Brasileiro,raramente um árbitro carioca ou paulista apitava em Natal.Olten apitou apenas um jogo no “JL”

AUGE – Olten Ayres de Abreu sempre era indicado para os grandes clássicos paulistas,pelas decisões firmes que tomava no contato com os jogadores.Na foto,com o meiocampista Dino Sani

Marinho Apolônio brilhou na equipe do América e também no ABC, o matador encabeça a lista de maiores goleadores desses dois clubes, assinalando um total de 114 gols

[ HISTÓRIA DO FUTEBOL POTIGUAR ]

[ JUSTIÇA ]

Wallyson é motivo de disputa judicial oberto Souza - Site Oficial do Atlético/PR - Para fazer valer a renovação automática do contrato que tem com o atacante Wallyson, o Atlético-PR decidiu apelar à Justiça. De acordo com o diretor jurídico do clube, Diogo Fadel Braz, como em meados de fevereiro o jogador não assinou a extensão automática prevista na data do acordo (03/07/2007), o Rubro-Negro ingressou em juízo para que o pacto, que se encerra no dia 2 de setembro, seja cumprido por mais dois anos. “Hoje em dia nenhum atleta negocia ou assina qualquer coisa em ter um procurador ou empresário do lado. A cláusula foi negociada e depois eles vêm tentar os recursos. Simplesmente ignoram o que concordaram antes. Tínhamos a obrigação de manter o salário, mas oferecemos um valor superior ao que ele ganha hoje”, adicionou o advogado, que revelou que a outra parte deve alegar que a cláusula é nula, por não conter a aprovação mútua. O procurador do atacante, Flávio Anselmo, por outro lado, afirmou que o novo contrato não foi assinado por ter valores bastante abaixo do mercado. Para ele, a proposta de renovação não é muito diferente do que foi oferecido há três anos. “Colocamos para eles que não existia interesse de renovar por causa dessa questão salarial. O que o Wallyson recebe hoje é o mesmo que ele ganhava em 2007. Eu não posso falar o valor exato, mas ele ganha muito menos do que R$ 10 mil. A proposta do clube era dobrar o valor atual, que na nossa avaliação continua muito baixo pelo que o Wallyson tem de mercado”, declarou à jornalista Nadja Mauad. A primeira audiência sobre o caso aconteceu sexta-feira, em Curitiba. A decisão em primeira instância deve sair até o dia 3 de maio.

R

RISONHA E FRANCA – Época de ouro de Marinho Apolônio, entre os colegas César Etcheverry (goleiro), Sérgio Poti, Domício, Sandoval, Didi Duarte, David, entre outros

Apolônio, o “rei” do Machadão m menino nascido no Recife, cria do Sport, que veio tentar melhor sorte no futebol do Rio Grande do Norte em 1977 – Marinho Apolônio o seu nome futebolístico é, até hoje, o maior goleador nos 38 anos do estádio “João Machado”. Apesar de uma carreira relativamente longa – de 77 a 95, Apolônio somente defendeu três clubes grandes: América, o primeiro, ABC e o EC Bahia, numa grande fase a ponto de ter sido tentado a jogar no Fluminense/RJ, só não indo porque o Tricolor baiano não o liberou Na relação dos 10 maiores goleadores que passaram por ABC e América, no estádio de Lagoa Nova, o pernambucano Apolônio en-

U

cabeça a lista com 114 gols, sendo 57 com a camisa alvinegra do ABC, e 53 defendendo o América. Na curtíssima passagem pelo Alecrim, Marinho não chegou a fazer nenhum gol. Assinalou um jogando pelo extinto Força e Luz, dois pelo Clube Atlético Potiguar, àquela altura já veterano, e um pela seleção do Rio Grande do Norte, totalizando 114 gols. Quando foi cogitado para o América, no curriculo de Marinho Apolônio constava como tetracampeão pernambucano pelos juniores do Sport Recife. Na sua estreia pelo América em 18 de maio de 1977, foi esta equipe escalada por Laerte Dória: Cícero, Ivan Silva (Joel Ribeiro), Joel Santana, Argeu e Jorge Nei, Was-

hington, Alberi e Soares, Pedrada, Aloísio e Ivanildo “Arara”. Jogo América 1x0 Potiguar/M, gol de Pedrada, árbitro Luiz Meireles. Apolônio integrou vários outros ataques no clube rubro, como o de 78, com David, Aloísio, Apolônio e Severinho, ou o de 1980, com Ronaldinho, Apolônio, Paulo César e Sandoval. No ABC, formou com esta equipe, em 1982: Zé Luiz, Joel Celestino, Dão, Arié e Escada, Gilson, Jadir e Alberi, Apolônio, Neínha e Noé Soares. Mas, a grande fase de Apolônio foi no campeonato de 83, quando fez 31 gols e seu companheiro Silva, 32. O time que venceu ao Alecrim por 3x1, dia 22/05/83 estava com Carioca, Divino, Joel Celestino, Noronha e

Luiz Antônio, Gelson (Arié), Alberi e Noé Soares, Tôni, Marinho Apolônio e Silva. Segundo o pesquisador Newton Alves, que há muito vem coletando todos os dados do ABC FC, uma das melhores formações lançadas por Valdemar Carabina, em 1983, foi esta: Carioca, Alexandre Cearense, Alexandre Mineiro, Joel e Noronha (Dudé), Nicácio, Marinho Apolônio e Dedé de Dora, Noé Silva, Silva e Soares. Outra formação alvinegra com Apolônio: Lulinha, Alexandre Cearense, Joel, Arié e Luiz Antônio, Gelson, Dedé de Dora e Apolônio, Curió, Reinaldo e Noé Soares. Nesse Estadual, o ataque do ABC ultrapassou os 100 gols, com Apolônio e Silva, os dois, so-

mando 63 gols. PRÉ SELEÇÃO Quando estava no auge de sua forma, vestindo a camisa do EC Bahia, em 1986, Apolônio foi pré convocado para a Seleção Brasileira, porém não chegou a ser escalado. Ao parar com o futebol, Marinho Apolônio acordou para a realidade: com o belo futebol que jogava, com as muitas chances que teve, guardava as chuteiras sem ter feito qualquer “pé de meia”. Chegou a ser camelô no Grande Ponto, vigilante, até receber convite do América para treinar as categorias sub 13 e sub 15. Em 1983, ao renovar com o ABC, ganhou um carro como luvas. (Everaldo Lopes)


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 21 de março de 2010

A partir do dia 30/03 os melhores competidores de motos, quadriciclos e carros 4x4 do Brasil marcarão presença na prova realizada pelo Rio Grande do Norte. O hotel Vila do Mar será a casa da competição em Natal

[ RALLY RN 1500 ]

Contagem regressiva para a prova Odisséia Potiguar está próxima! Daqui a duas semanas, a caravana do Rally RN 1500, com quase 400 pessoas, percorrerá cerca de mil quilômetros pelo Rio Grande do Norte. Competidores de todo o Brasil já confirmaram presença na etapa do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country nordestina, com início confirmado para o dia 30 de março com a abertura da secretaria de prova na nova casa do rally brasileiro durante a prova norte-riograndense, o hotel Vila do Mar

A

(www.viladomar.com.br), Via Costeira. Cearenses, potiguares, paraibanos, pernambucanos, alagoanos, baianos, paulistas, cariocas, mineiros, gaúchos e catarinenses já se inscreveram no evento, organizado pela KTC Produções. “Sem dúvida, será a edição mais completa e disputada do Rally RN 1500. E a participação dos melhores competidores do Brasil será a maior de todas. Está todo mundo ligando e se inscrevendo. E eu e Deco tivemos muito cuidado para que as trilhas e especiais sejam as mais

competitivas e completas. Quem vier vai conferir belas paisagens, o povo potiguar, a comida, hospitalidade e principalmente trilhas sensacionais”, disse o diretor geral do RN 1500, Kleber Tinoco. Outro ponto que está rendendo elogios e resultados é a parceria e as ações desenvolvidas pela Gestus Soluções em gestão. “Planejamento, prazos, processos e procedimentos são fundamentais para qualquer evento. Estamos cuidando da logística e contribuindo com a organização para melhorar os

processos e programar as ações”, disse o diretor da Gestus, João Henrique (www.grupogestus.com.br). Após presença e participação do Rally Barretos, no último fim de semana, Klebinho conversou com pilotos, tirou dúvidas e falou sobre a prova, garantindo a presença de muitos competidores no RN 2010. Os pilotos de carro Reinaldo Varela, Leandro Torres, Marcos Moraes, Paulo Pichini, Luiz Facco, Roberto Reijers, e Roberto Correa já se inscreveram e muitos outros estão ligando, enviando e-

mails e tirando dúvidas. Nas motos, Tiago Fantozzi, Zé Hélio Rodrigues, Deni Nascimento, Juca Bala, Ramon e Moara Sacilotti; Ruy Turza, prometem grandes disputas. Já nos quadriciclos, os nordestinos querem o título da etapa e o grid promete ser o maior da história. Cearenses, potiguares e paraibanos garantem mais de 20 representantes e a turma do Sul/Sudeste vai invadir o RN. As inscrições on line pelo site: www.webventure.com.br podem ser feitas até o dia 26/03. Informa-

ções e detalhes devem ser conseguidos pelo telefone 84.3222.7575 ou email’s:ktcproducoes@gmail.com ou rallyrn1500@gmail.com. E siga o twitter: twitter.com/rallyrn1500. O RN 1500 é uma organização da KTC Produções, com o patrocínio da Petrobras/Lubrax e Governo do Rio Grande do Norte/Emprotur, sob a supervisão das Confederações Brasileira de Automobilismo e Motociclismo - CBA e CBM. A prova conta ainda com o apoio da Gestus.

ENTREVISTA/JEAN AZEVEDO/PILOTO DONI CASTILHO

“O RN-1500 é sem dúvida uma ótima oportunidade para testes”

U

m grande campeão e um dos maiores nomes do rally brasileiro, Jean Azevedo, já confirmou participação e tentará o seu quinto título na prova e o primeiro na categoria carros. Nascido em São José dos Campos, interior de São Paulo, é irmão caçula de seu companheiro de equipe, André Azevedo. “Quando o André fez a primeira participação dele no Rally Dakar, comecei a andar de motocross na fazenda da minha família”, explica. Em 2008 Jean troca a moto pelo volante do Mitsubishi da Equipe Petrobras Lubrax, após uma excelente carreira no motociclismo nacional (seis títulos no Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country e cinco vitórias no Rally dos Sertões). Logo em sua estreia na nova categoria, venceu o Campeonato Brasileiro entre os Carros, sendo o único piloto a acumular vitórias nos campeonatos nacionais em duas categorias diferentes. É sócio-diretor da Brasildakar Competições, empresa que viabiliza sua equipe, a Petrobras Lubrax, conhecida pelas suas participações no Rally Dakar. Quais as suas metas para esta prova? Somar o maior número de pontos para o Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country e, quem sabe, vencer o RN-1500 de carro já que tenho quatro vitórias na categoria Motos. E o percurso,existe alguma particularidade? Eu gosto muito do RN-1500, por conta do percurso ser bem variado. É, sem dúvida, um ótimo treino para o Rally dos Sertões, além de uma oportunidade de testes em nosso carro em relação às evoluções que estamos trabalhando para tornálo ainda mais competitivo. Quais são os pontos positivos do RN 1500? A região é perfeita para fazer rally. Além disso, os organizadores conhecem muito bem o local e escolhem lugares com muitas variáveis, ficando assim uma prova muito prazerosa de participar. Quantas vezes vc já ganhou? Sou tetracampeão na categoria Motos. Existe uma preparação especial (que difere das demais provas) para competir no RN 1500? Não, na verdade aproveitamos esta competição como um gran-

Além de ser uma pessoa muito legal, é um cara que é apaixonado pelo rali e que tem competência ao fazer uma prova do porte do RN-1500”

de treino para o Rally dos Sertões, pois é a única prova que se assemelha a ele mais no calendário do Campeonato Brasileiro. Qual edição do RN mais gostou? Em 2007. Essa foi a minha última participação de moto e a vitória teve um gostinho especial. O que acha do organizador Klebinho? Além de ser uma pessoa muito legal, é um cara que é apaixonado pelo rali e que tem competência ao fazer uma prova do porte do RN-1500. O que acha do povo potiguar? É um povo muito acolhedor, todas as vezes que competi, sempre fui realmente muito bem recebido. Posso dizer que me sinto em casa por causa da recepção local.


esportes

Domingo | 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

Desfalcado dos seus principais jogadores, equipe santista quer se recuperar da derrota, sofrida no clássico contra o Palmeiras, diante do Ituano, no Pacaembu. Madson deve aparecer no ataque e Rodrigo Mancha no meio-campo

[ CAMPEONATO PAULISTA ]

Santos quer voltar a vencer no Paulista DOUGLAS ABY SABER/AE

íder do Campeonato Paulista, o Santos volta a jogar pelo Estadual, depois de perder para o Palmeiras, no clássico do último final de semana, na Vila Belmiro. E a intenção no Peixe é retomar o caminho das vitórias no Paulistão, após dois jogos sem vencer no torneio (empate com a Portuguesa e derrota para o Verdão), diante do Ituano, hoje, a partir das 19h30, no Pacaembu, para se aproximar da classificação as semifinais da competição. E para este confronto, o técnico Dorival Júnior terá dois desfalques

L

A equipe santista aposta na habilidade para vencer mais uma vez

São Paulo tenta se aproximar dos líderes da competição Com a sensação de dever cumprido na Copa Libertadores da América, o São Paulo retoma com tranquilidade seu objetivo de garantir a classificação para a próxima fase do Campeonato Paulista. Na tarde deste domingo, às 17h, o Tricolor encara o Mogi Mirim, que atravessa uma nova fase no Estadual, sob o comando de José Carlos Serrão. Embalado por quatro triunfos consecutivos na temporada, o time de Ricardo Gomes luta para aumentar a ótima sequência e encostar nos líderes Santos e Santo André. Porém, observando o desgaste de seu elenco, o treinador decidiu poupar alguns atletas no estádio do Morumbi. “Nossa projeção foi feita lá atrás, sempre pensamos que quem estiver bem vai jogar. O Dagoberto será poupado. Vamos atacar jogo a jogo e queremos chegar ao fim de março com o time inteiro. Eles estão em bom nível físico e vão subir ainda mais”, afirmou. Sem Dagoberto, o treinador deve promover a entrada de Fernan-

dinho na linha de frente. Na lateral direita, Jean seguirá no setor, já quer Cicinho ainda não apresenta o condicionamento ideal. O comandante faz mistério sobre outras mudanças que promoverá, mas deve dar uma oportunidade a Jorge Wagner, que vem se destacando nos treinos. FICHA TÉCNICA SÃO PAULO MOGI MIRIM Rogério Ceni;Jean, Alex Silva,Miranda e Junior Cesar; Richarlyson, Hernanes,Jorge Wagner e Léo Lima; Fernandinho e Washington Técnico: Ricardo Gomes

Alex Alves; Audálio,Fábio Sanches e Luizão; Niel,Ricardo Oliveira,Marcelo, Luis Mário e Raí; Zulu e Geovane Técnico:José Carlos Serrão

Estádio:do Morumbi,em São Paulo (SP) Horário:17h Árbitro:Wilson Luiz Seneme Assistentes: Émerson Augusto de Carvalho e Herman Brumel Vani

DANIEL AUGUSTO JR/ARENA/AE

Ronaldo voltou a marcar,mas não estará em campo no jogo de hoje

Corinthians quer manter boa fase com os reservas O bom momento do Corinthians permitiu que o técnico Mano Menezes voltasse a preservar seus titulares no Campeonato Paulista. Com uma equipe repleta de jogadores considerados reservas, o time tentará se manter na zona de classificação do torneio em seu primeiro confronto da história com o Grêmio Prudente, às 17h de hoje, no estádio Prudentão. Segundo Mano, a iniciativa de preservar jogadores não significa um menosprezo com o Estadual – até porque a situação do Corinthians na tabela não é tão cômoda, com 26 pontos ganhos e ainda na disputa por uma vaga nas semifinais. “Os atletas estão com desgaste físico, então não têm condição de dar o seu melhor. Sempre coloco o time ideal para cada jogo”, defendeu. A escalação ideal para o confronto com o Grêmio-SP certamente não terá o goleiro Felipe, suspenso, o zagueiro William e o atacante Ronaldo, que sequer viajarão para Presidente Prudente. A tendência é que Mano poupe mais cinco jogadores. Dos titulares absolutos, apenas o lateral esquerdo Roberto Carlos, o volante

Ralf e o meia Danilo deverão estar em campo. “Independentemente do time que jogar, o Corinthians tem condições de fazer uma boa partida. Se os jogadores estão aqui, é porque têm capacidade”, confiou Ralf, que jogava no Grêmio Barueri no ano passado. “Estou com muita vontade para esse reencontro. Só é meio estranho porque o time mudou de nome. A gente ainda não se acostumou”, comentou. FICHA TÉCNICA GRÊMIO PRUDENTE CORINTHIANS Márcio;Paulo César, Leonardo,Diego e Marcelo Oliveira;Anderson,Marcos Assunção,João Vítor e Wesley;Tadeu e Flavinho Técnico:Toninho Cecílio

Júlio César;Moacir, Paulo André,Leandro Castán e Roberto Carlos;Ralf,Edu, Tcheco e Danilo; Jorge Henrique e Souza Técnico: Mano Menezes

Estádio: Prudentão, em Presidente Prudente (SP) Horário:17h Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP) Assistentes: João Bourgalber Nobre Chaves e Giuliano Neri Colisse (ambos de SP)

importantes. Os atacantes Neymar e Robinho não poderão atuar contra o Galo. O primeiro foi expulso contra o Palmeiras e terá que cumprir suspensão automática. Neymar será julgado na segunda-feira e pode até mesmo receber uma punição de 18 partidas do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP), por conta do cartão vermelho no clássico. Já o “Rei das Pedaladas” irá mais uma vez desfalcar a sua equipe, a exemplo do que aconteceu contra o Remo, em Belém, pela Copa do Brasil, por conta de uma inflama-

ção no músculo adutor da coxa esquerda. Com isso, o treinador santista deve manter o esquema tático que utilizou diante dos paraenses, o 4-4-2, com Wesley improvisado, novamente, na lateral direita e Rodrigo Mancha formando o meiocampo ao lado de Arouca, Marquinhos e Paulo Henrique. No ataque, Madson deve formar dupla com André. Se o “baixinho” for preterido por Dorival, Maikon Leite pode receber uma chance. Mas, apesar do desfalque de seus dois principais atletas, o Alvinegrestá confiante na vitória.

FICHA TÉCNICA SANTOS ITUANO Felipe;Wesley,Edu Dracena,Durval e Pará;Rodrigo Mancha,Arouca, Marquinhos e Paulo Henrique;Madson (Maikon Leite) e André Técnico: Dorival Júnior

Saulo;Rodrigão, Roque Júnior e João Leonardo;Serginho, Carlos Eduardo, Sandro,Juninho Paulista e Alessandro; Marcel e Welton Técnico: Mazola Júnior

Estádio:Pacaembu,em São Paulo (SP) Horário:19h30 Árbitro: Robério Pereira Pires Assistentes:Alex Alexandrino e Caio Mesquita


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 21 de março de 2010

Rubro-negros querem devolver derrota na semifinal da Taça Guanabara. Botafogo precisa da vitória para continuar lutando por uma das vagas na decisão do segundo turno do carioca. Loco Abreu é o desfalque alvinegro [ CAMPEONATO CARIOCA ]

Clássico da revanche no Engenhão FERNANDO SOUTELLO/AE

otafogo e Flamengo fazem hoje, às 19h30 , no Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ), o clássico da quinta rodada da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca. As duas equipes chegam para este confronto na liderança de suas chaves. O Rubro-Negro está de forma isolada na ponta do Grupo A, com 12pontos ganhos e cem por cento de aproveitamento. Já o Glorioso tem nove pontos, mas leva vantagem sobre o Vasco, que começou o fim de semana com a mesma pontuação, nos critérios de desempate. Apesar de liderarem seus grupos as duas equipes chegam para este jogo vivendo momentos opostos e numa situação de troca de posições. Quando o ano começou todos esperavam um mar de tranquilidade na Gávea, com a conquista do título brasileiro, e momentos de tensão em General Severiano, com o Alvinegro montando seu elenco aos poucos e com qualidade duvidosa. Cerca de três meses depois o quadro é completamente o oposto. O Flamengo está mergulhado em uma crise que chegou até as manchetes policiais, ou se originou nelas. Adriano e Vágner Love, que formam a dupla de ataque Império do Amor, tiveram seus nomes ligados ao tráfico de drogas. O Imperador, inclusive, vem sen-

ANDRÉ MOURÃO/AE

B

O “talismã”Caio começa o jogo contra o Flamengo como titular e tem a confiança de Joel Santana

do acusado de agredir a noiva, fazer orgias e dirigir embrigado. Parte dos jogadores, inclusive, passou a evitar a imprensa desde a derrota para a Universidad de Chile, por 2 a 1, no meio de semana, pela Copa Libertadores. Já o desacreditado Botafogo mergulha em um mar de tranquilidade. Campeão da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, o Alvinegro já está na final do Estadual. O grupo passa a impressão de ser altamente disciplinado e estar nas mãos do técnico Joel Santana. Até o resultado de meio de semana foi diferente, com o Glorioso fazendo 1 a

0 no Santa Cruz-PE e deixando bem encaminhada a vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. No histórico em 2010 a vantagem também é do Botafogo. As duas equipes já se cruzaram uma vez esse ano, nas semifinais da Taça Guanabara, e os botafoguenses levaram a melhor, ganhando por 2 a 1. Apesar de toda essa realidade, os dois treinadores acreditam que o que aconteceu até o momento vai ficar de fora das quatro linhas. “Quando a bola começa a rolar o jogador esquece de tudo o que aconteceu fora de campo e se concentra apenas na conquista da vitória”, disse Joel Santana.

lopesrn@hotmail.com

América na corda bamba momento de instabilidade vivido pelo América é preocupante na medida em que o Brasileiro da Série B se aproxima cada vez com mais velocidade. Por duas temporadas o América escapou do rebaixamento no sufoco, e está muito claro que para esse ano tem que mudar muita coisa para repetir o sofrimento, ou o que é pior, evoluir para algo mais grave. A rivalidade existente no futebol muitas vezes não permite comparações, mas a situação do América de hoje é a mesma do ABC do ano passado, e, está demorando muito para arrumar a casa, com uma série interminável de reuniões e que de prático apresentaram apenas duas ou três dispensas. Pelo menos até o fechamento da coluna, ainda não tinha sido decidido o nome do novo treinador, que na minha avaliação já deveria estar contratado e trabalhando na montagem do elenco para o Brasileiro. A vida do América no Estadual está muito complicada e depende obrigatoriamente de uma vitória sobre o Alecrim neste domingo para continuar respirando na competição. Se empatar ou perder, acabou. Já não era hora então de estar com o novo treinador contratado? Eu concordo com o presidente do Conselho Deliberativo do América, José Rocha, quando ele fala que tem que contratar um treinador que esteja no mercado e que esteja atualizado com o futebol. O América está naquela situação de ter somente uma bala no tambor e se errar o tiro está morto. E mais. Todo mundo sabe que o problema não se resolve apenas com a chegada do novo treinador. O time precisa no mínimo, no mínimo de oito jogadores, a começar por um grande goleiro, que cheguem para ser titulares já na primeira rodada do Brasileiro dia 7 de maio contra o Bahia em Pituaçu. Não pode dar mole para o azar.

O

Com a contratação do técnico Leandro Campos e de mais três ou quatro jogadores, o ABC mudou da água para o vinho. O time ganhou um padrão tático e tecnicamente evoluiu muito, especialmente a partir do meio-campo, com Claudemir, Cascata, Gabriel Pimba e Ederson. É favorito neste segundo turno, mas sabe que ainda vai precisar qualificar de forma mais forte o elenco para o Brasileiro. Como o futebol é o carrro-chefe do clube, resta agora que os outros departamentos do clube tirem proveito desta evolução,especialmente o de Marketing, que tem um bom planejamento. A auto-estima do torcedor está sendo resgatada no campo de jogo.

BOTAFOGO FLAMENGO Jéfferson,Antônio Carlos,Danny Morais e Fahel;Sandro Silva, Leandro Guerreiro, Somália,Lucio Flavio e Marcelo Cordeiro; Herrera e Caio Técnico: Joel Santana

Bruno,Éverton Silva,Álvaro, Fabrício e Rodrigo Alvim;Toró, Williams,Kléberson e Vinícius Pacheco; Vágner Love e Adriano Técnico: Andrade

Estádio: Engenhão Horário:19h30 Árbitro:Wagner Magalhães (RJ) Assistentes: Francisco de Sousa (RJ) e Marcelo Mariano (RJ)

Polêmicas à parte, Adriano é a principal arma do Flamengo

Sem Fred,Fluminense vai para cima do Resende

Marcos Lopes

ABC evoluiu

FICHA TÉCNICA

Fim de jogo, fim de papo JÚNIOR SANTOS

Cícero Ramalho assumiu o comando técnico do Potyguar.

G4 É FUNDAMENTAL Em outro momento a gente pode discutir qual o modelo ideal de gestão para um clube de futebol, mas agora e na situação em que se encontra o América, o trabalho que vem sendo desenvolvido pelos conselheiros que integram o grupo de futebol é fundamental. O América não tem estrutura para trabalhar o futebol sem esse grupo que já acertou muito mais do que errou. O trabalho do G4 – ou cinco ou seis – é tão importante que José Maria Figueiredo só aceitou ser presidente se tivesse a certeza da permanência desses conselheiros no futebol do clube. O América não tem orçamento para fazer um time competitivo, e não tem, fora os que atuam no G4, não tem na diretoria ninguém que esteja atualizado com o futebol.

O Fluminense pega o Resende hoje, às 17h, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, pela quinta rodada da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, pressionado pela necessidade de vitória. Apesar da boa vitória por 2 a 0 sobre o Uberaba-MG, no meio de semana, que rendeu a classificação antecipada para as oitavas de final da Copa do Brasil, o Tricolor não vive situação tão tranquila no Estadual. Após empate por 1 a 1 com o América, na rodada passada, a equipe das Laranjeiras é a vicelíder do Grupo A, com dez pontos, mas seguida de perto por Boavista e Duque de Caxias, ambos com nove pontos. Cuca, técnico do Fluminense, lembrou que a vitória neste domingo é fundamental em termos de tabela de classificação. Isso porque o treinador não gostaria que sua equipe deixasse a conquista da vaga nas semifinais para a última rodada. “Estamos com uma pontuação boa neste Grupo A, pois os dez pontos mostram que ainda não perdemos e que dependemos das nossas próprias forças para nos classificarmos. Mas não podemos ficar adiando essa conquista de vaga nas semifinais, senão o torneio começa a afunilar e o grau de dificuldade aumenta. Além disso, temos Boavista e Duque de Caxias na nossa cola”, disse Cuca. Os jogadores do Fluminense

também reconhecem que quanto mais cedo a classificação for conquistada, melhor. Existe um otimismo para a partida contra o Resende por conta da classificação conquistada na Copa do Brasil. “O time do Fluminense vem crescendo muito nos últimos jogos e encontrando a formação ideal para superar os desafios que estão por vir. Fizemos um bom jogo contra o Uberaba e já tínhamos feito um grande clássico contra o Botafogo. O que aconteceu com o América foi um tropeço e todos no nosso grupo estão confiantes na conquista de um resultado positivo diante do Resende, apesar de respeitarmos esse adversário”, afirmou o goleiro Rafael. FICHA TÉCNICA FLUMINENSE RESENDE Rafael,Gum, Cássio e Dalton; Mariano, Diguinho, Thiaguinho,Darío Conca e Júlio César;Alan e André Lima Técnico:Cuca

Cléber,Naílton, Rodrigo Costa e Ramon;Tiago Bastos,Vinicius, Marcio Gomes, Hiroshi e Felipinho;Fabiano e Elias Técnico:Aílton

Estádio: Raulino de Oliveira Horário: 17h Árbitro:Pathrice Correa Maria (RJ) Assistentes:Cláudio Soares (RJ) e Sergio Waldman (RJ)

MARINO AZEVEDO

AMÉRICA

TIMES JOGAM DE OLHO NAS SEMIFINAIS América e Boavista prometem fazer um duelo muito movimentado hoje, às 17h, no Estádio Giullite Coutinho, em Mesquita, pela quinta rodada da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca. Os dois times estão criando sérios problemas para as equipes de maior investimento e ameaçam ficar com uma vaga nas semifinais. Depois de empatar por 1 a 1 com o Fluminense, na rodada passada, o América chegou aos sete pontos no Grupo B, iniciando o fim de semana a apenas dois de Botafogo e Vasco. O Boavista, vem de goleada de 4 a 1 sobre o Resende, tem nove pontos no Grupo A, colado no Tricolor das Laranjeiras, vicelíder com um ponto a mais. DUQUE DE CAXIAS

MADUREIRA SONHA COM O G-4 Também com nove pontos no Grupo A e de olho nas semifinais, o Duque de Caxias recebe o Madureira, também às 17h, no Estádio Romário de Souza Faria, o Marrentão, em Duque de Caxias. A equipe da Baixada vem de uma vitória por 1 a 0 sobre o Friburguense. O Tricolor suburbano, por sua vez, vem decepcionando no segundo turno, sem sequer ter conseguido pontuar. “O Madureira não somou pontos na Taça Rio, mas conta com um time muito experiente, com jogadores rodados e que estão acostumados a lidar com a pressão. Portanto, todo cuidado da nossa parte será pouco. Mas, atuando em casa, não podemos pensar em outro resultado que não seja a conquista dos três pontos”, afirmou o goleiro Getúlio Vargas, do Duque de Caxias. OUTROS JOGOS Outras duas partidas,no mesmo horário,envolvem equipes de menor expressão.Lanterna na classificação geral,o Americano recebe o Macaé no Estádio Godofredo Cruz,em Campos. Os macaenses somam seis pontos no Grupo B da Taça Rio.Fechando a rodada o Tigres do Brasil,que tem seis pontos e também foge do rebaixamento,encara o Volta Redonda.

O jovem atacante Alan forma a dupla com André Lima no Flu


esportes

Domingo | 21 de março de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

7

[ FIFA ] Expectativa do órgão gestor do futebol mundial é aumentar suas reservas se tudo correr bem durante a Copa do Mundo, que vai ser disputada no continente africano este ano

Apito Final EVERALDO LOPES - elopes@tribunadonorte.com.br

Torcida

A

lguns torcedores abecedistas mais apaixonados podem até achar natural os 3.394 pagantes que o Alvinegro colocou quinta-feira no “Maria Lamas Farache” na partida de volta contra o Fast Mas, convenhamos, o ABC não perde no seu estádio desde setembro de 2008. Já o América vem numa sucessão de resultados nada estimulantes para sua torcida, exceção da vitória do turno sobre o ABC, com seu torcedor desconfiado pela derrota em Aracaju, no jogo de id. Assim mesmo, na última quarta-feira, colocou 2.685 pagantes. Ninguém tem dúvida de que o atual momento do ABC é muito mais propício para chamar seu torcedor, do que o rival América. Invicto no “Frasqueirão” desde a goleada diante do Fortaleza (1x4) em setembro/2008, o empate no jogo da ida abria contra o Fast um amplo caminho para a classificação em Natal, como de fato ocorreu. O time vinha animado pela vitória diante do Santa Cruz, enquanto o América empatara em Mossoró. No confronto do público pagante, 2.685 na quarta feira e 3.394 na quinta, uma diferença de 709 pagantes. O ABC merece público maior.

Derrota é fatal Os números não deixam outra opção: quem perder no jogo Santa Cruz x América, esta tarde no Iberezão, ficará automaticamente fora da luta pelo título do returno. A situação também não é confortável para ASSU e ABC, embora sem o risco que correm americanos e

santacruzenses. O Alvinegro tem algum favoritismo contra o Potyguar/CN, até pela longa invencibilidade que vem sustentando no “Frasqueirão”. O abecedista, que compareceu mas não em grande número quinta-feira, hoje precisa responder presença.

Ou tudo ou nada O presidente do América, americaníssimo José de Vasconcelos Rocha, acostumado com os seguidos sucessos do time rubro nos anos 70, quer na sua administração, quer na dos outros presidentes vitoriosos como Henrique Gaspar, Jussier Santos, Nesi, Eduardo, Zé Maria, e o saudoso Dilermando Machado, não entende a demora da passagem da atual fase nebulosa. Como não é de fugir da luta, espera a qualquer instante o time sacudir a poeira e dar a volta por cima, como no grande samba de Gonzaguinha.

“Licença prêmio”? Não sei se ainda existe no serviço público o prêmio de assiduidade que é dado pelo governo ao servidor estatutário. O bônus consiste numa espécie de férias de seis meses com o nome de licença prêmio. Pois, a desclassificação do Potiguar na Copa do Brasil, após a goleada diante do EC Bahia me fez lem-

brar da tal licença prêmio que os servidores zelosos recebiam do governo. É que o Potiguar de Mossoró ficará “de férias” até janeiro de 2010, quando a FNF estará ensaiando a largada do Estadual. O ciclo Miluir Macedo em Mossoró pode ter chegado ao fim com mais essa frustração do seu torcedor.

Licença? (2) Sem dúvida, um duro castigo, uma sazonalidade forçada. Sobrando no Estadual, não há outra saída para o chamado time “príncipe” senão mandar lavar o material. E guardar. Apesar do Potiguar/M não ter muita penetração entre os baianos, assim mesmo o Bahia conseguiu colocar no jogo 11.501 pagantes para uma renda de R$249.830,00. E para que o torcedor mossoroense memorize o time que sofreu a dura goleada de 6x1, eis a formação lançada por Miluir Macedo: Gideão, Hugo, Paulão, Lima e Flavinho, Ricardo Lima, Marcelo Lopes, Vaninho e Márcio Silva, Helinho e Max.

Síndrome Aliás, nos últimos cinco anos, os clubes mossoroenses estão sendo marcados por goleadas homéricas na Copa do Brasil. Em 2005, o Baraúnas perdeu para o Cruzeiro, no Nogueirão, por 7x3 e, no jogo da volta, 5x0 no Mineirão. Agora, no jogo da volta o Potiguar perde de seis de Salvador. O príncipe virou plebeu?

Festejado na rua Dessa vez o orgulho do torcedor curraisnovense foi lá pras alturas. Não é exagero, já que após tantos anos disputando o Campeonato Estadual eis que o tricolor ocupa a ponta da tabela e, olhando lá pra baixo, vê o América no penúltimo lugar e o ex-lider – Santa Cruz na lanterna. Na rua, o torcedor da terra da shelita está rindo à toa.

TÉCNICO,DEPOIS Apesar de ainda sem novidade no nome do novo treinador rubro inclusive porque, a esta altura, não há mais tanta pressa, o nome de Lula Pereira volta a ganhar espaço.

JUDAS RECORDISTA No caderno de esportes da TN, amanhã, levanto a bola de Judas Tadeu, que caminha célere para chegar ao 11° ano de sua administração, batendo todos os recordes na história dos presidentes do Alvinegro.

ABC x Atlético

ABC x Atlético (2)

Os dois confrontos ABC x Atlético Paranaense e Atlético x ABC já têm datas indicadas pela CBF: dia 08/04 ABC x Atlético no “Maria Lamas” e, uma semana depois, (15/04) o Alvinegro pisa no belíssimo gramado da Arena atleticana.

Não será novidade se o treinador Geninho incluir o craque Wallyson na delegação que vem a Natal. Cabe ao ABC fazer das tripas coração para evitar a frustração de ver o rubronegro paranaense deixar Natal já classificado.

Entidade registra a maior reserva da história: US$ 1 bi ALESSANDRO DELLA BELLA/AP/AE

Z

urique (AE) - Bilionária, a Fifa admite que terá de começar a procurar projetos para fazer algum uso dos recursos que acumulou. Mesmo diante da pior crise financeira do planeta em 70 anos, a entidade máxima do futebol anunciou que tem reservas de mais de US$ 1 bilhão em ações. Para 2010, a Fifa indica que as reservas podem chegar a US$ 1,2 bilhão, “se tudo correr bem na Copa do Mundo”. Apesar dos lucros, há quem alerte que as contas não são sustentáveis e que os riscos são grandes. Franco Carraro, presidente do Comitê de Autoria, alerta que a reserva existente pode parecer grande, mas é insuficiente caso haja um cancelamento ou uma crise em uma Copa do Mundo. Para ele, a saúde financeira da Fifa está dependente demais no sucesso da Copa do Mundo. “Sucesso do período 2007-2010 dependerá da Copa do Mundo na África do Sul”, admitiu, também, o presidente do Comitê Financeiro da entidade, Julio Grondona. “Somos obrigados a dizer que, apesar das reservas de mais de US$ 1 bilhão, os riscos que ela precisa cobrir são várias vezes mais altos”, afirmou Carraro. Por seus cálculos, o fundo de reserva seria suficiente para pagar apenas por 18 meses de funcionamento da Fifa. O presidente da Fifa, Joseph Blatter, prefere dar um tom positivo. “Estamos confortáveis. Não podemos dizer que somos ricos. Mas sou um presidente feliz”, afirmou. “Estamos em uma situação muito boa, apesar da crise de 2009”, disse. A reserva de mais de US$ 1 bilhão - a primeira na história da entidade - se contrasta com a situação de prejuízos registrados em 2002.

Joseph Blatter revela que a Fifa lucra por causa do grande apelo que o futebol tem no mundo inteiro

Diante da falência da LSI, a Fifa quase decretou sua quebra. “Mas entre 2008 e 2009, tivemos um aumento de lucros de 18%”, disse Blatter. Em 2009, a Fifa teve uma renda de US$ 1,05 bilhão e somou gastos de US$ 863 milhões. O lucro, portanto, foi de US$ 196 milhões. Apenas o ano da Copa de 2006 registrou um lucro maior, de US$ 249 milhões. Blatter insiste que US$ 56 milhões serão devolvidos às associações nacionais. O orçamento para o período 2011-2014 também foi aprovado, com renda de US$ 3,8 bilhões e gastos de US$ 3,6 bilhões. Trata-se do maior orçamento já previsto pela Fifa. “A Fifa sai ainda mais forte da crise financeira”, afirmou o vicesecretário-geral, Markus Kattner. Para a entidade, a maior fonte de recursos nos últimos quatro anos

tem sido a venda de direitos de transmissão para a Copa. Segundo a Fifa, as preocupações iniciais de que patrocinadores não pagariam o mesmo preço por acordos comerciais se a Copa ocorresse na África não foram confirmadas. Questionado sobre o motivo dos lucros da Fifa diante de uma quebra generalizada no mundo, Blatter indicou que a explicação é o interesse que o futebol continua despertando. O que ele não indicou, porém, é que essa situação de lucros não é a mesma que vive os clubes pelo mundo. Na Europa, mais da metade dos clubes estão altamente endividados. O buraco supera a marca de 5 bilhões de euros. Na Fifa, porém, a história é outra. Blatter chega a dizer que está buscando onde aplicar o dinheiro, arrecadado pela entidade.

Morumbi finalmente é aprovado Zurique (AE) - Depois de meses de desentendimentos, a Fifa anuncia que está finalmente satisfeita com os planos apresentados pelo São Paulo para a reforma do Morumbi para a Copa de 2014. Mas não deixa de alertar: o desafio agora será o de traduzir o que está no papel para a realidade. Mesmo indicando a aprovação ao projeto, a Fifa por enquanto evita confirmar se o Morumbi já estaria confirmado para sediar uma das semifinais da Copa. A entidade que dirige o futebol mundial e o São Paulo mantiveram uma verdadeira batalha em torno do Morumbi. Os projetos entregues pelo clube à entidade eram considerados insuficientes.

O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, afirmou à Agência Estado Estado há menos de um mês que o projeto apresentado qualificava o estádio apenas para receber jogos da primeira fase da Copa e, no máximo, oitavas de final. Segundo a assessoria de imprensa da Fifa, um novo plano foi entregue há poucos dias. “As informações que recebemos agora são boas e o projeto atende às nossas exigências. Pelo menos no papel, estamos indo na direção certa finalmente”, disse Valcke. Ele insistiu que não quer ser visto como um “carrasco” dos objetivos de São Paulo. “Não queremos um conflito entre a Fifa e São Paulo. Nos-

so objetivo obviamente não é ver São Paulo fora da Copa. Nossas exigências são existem apenas para que um estádio fique bonito para a Copa. São critérios técnicos e de segurança que precisamos ver cumpridos para aprovar o projeto”, disse. “Parece que, o que vemos, começa a nos levar no caminho certo”, afirmou. Valcke admite que as diferenças se tornaram uma “saga” entre a Fifa e o São Paulo. Mas evitou dar detalhes sobre o que mudou entre um projeto e outro. “O São Paulo entendeu finalmente o que pedimos. Agora o projeto está na linha que a Fifa propôs desde o início. O que recebemos é bom”, disse o secretário-geral.

Aprovação não garante semifinais Mas se o projeto foi aprovado, isso não significa ainda que o Morumbi já está garantido nas semifinais. “Isso vamos discutir depois e será uma decisão que caberá ao comitê organizador e à Fifa, em conjunto”, disse. Para Valcke, o desafio a partir de agora será o de garantir que o que está aprovado no papel será transformado em realidade, seguindo o modelo da Fifa. “Precisamos garantir que não haja diferença entre o que está no papel e o que será feito”, alertou. Sobre eventuais atrasos em obras dos estádios no Brasil, Valcke insinuou que começará a pressionar os organizadores a partir de meados de 2011, quando a Copa na África do Sul já estiver encerrada. “Agora estou focado na Copa de 2010. Faltam apenas 85 dias. O que preocupa agora é isso”, disse. No final de 2009, o próprio Valcke declarou que o Brasil “não podia mais perder tempo” em relação às obras. O dirigente também optou por não polemizar em relação ao Maracanã e o fato de que as obras estão atrasadas. “O estádio está dentro do prazo”, afirmou, diplomaticamente. A Fifa ainda evitou comentar a situação no Rio de Janeiro e a polêmica envolvendo a distribuição da renda do Pré-Sal. O governo carioca havia alertado que não teria dinheiro para a Copa se o fundo da reserva de petróleo mudasse.


esportes 8 | Natal Rio Grande do Norte |Domingo| 21 de março de 2010

Com um ponto conquistado, de seis colocados em disputa, o Barú precisa da vitória no clássico de hoje no estádio Nogueirão, que promete mexer com os ânimos dos torcedores [ CAMPEONATO ESTADUAL ]

FICHA TÉCNICA POTIGUAR/M BARAÚNAS

Baraúnas promete atacar o Potiguar epois de uma campanha pífia no primeiro turno, os times mossoroenses tem a missão de se recuperar neste segundo turno e o clássico de hoje, às 17 horas, no estádio Nogueirão, promete mexer com os ânimos dos torcedores. Em situação mais privilegiada na tabela, o Potiguar pode se dar ao

D

luxo de empatar, mas ao Baraúnas, com apenas um ponto ganho em seis disputados, tem de partir para cima do rival atrás dos três pontos. No Potiguar, os zagueiros Vinicius e Jal e o volante Márcio Silva não participaram do último treino e como a bruxa parecia estar solta pelo lado alvirrubro, o later-

al-esquerda Yuri machucou o joelho e precisou deixar o campo mais cedo. Mesmo assim, o técnico Junior Xavier afirmou que irá relacionar os quatro para a partida. O caso que inspira maior cuidado é o de Yuri. O lateral se chocou com o meia Luiz Henrique durante o treinamento e machucou

o joelho. Sua escalação dependerá de um teste que irá fazer no vestiário, momentos antes da partida. No coletivo, Baltazar, Vitor, Afonso e Silas entraram nos lugares de Vinicius, Jal, Yuri e Márcio Silva, respectivamente. O Baraúnas vai com uma postura diferente para o clássico con-

tra o Potiguar, neste domingo. Depois do treinamento no Estádio Nogueirão, o técnico Paulo Jéferson decidiu resgatar o tradicional esquema 4-4-2, com dois zagueiros, abandonando o 3-5-2, com três defensores, a fim de surpreender o adversário com uma marcação adiantada.

Nilson,Magno, Vinicius,Jal (Baltazar) e Yuri (Afonso);Marcio Silva,Everton, Emerson e Paulinho;Giliarde e Helinho.Técnico: Júnior Xavier

Wendel,Daniel, Sadrack,Carlos Alberto e John; Diego,Nivaldo, Robertinho e Fabinho;Moacir e Kaká (Dida). Técnico: Paulo Jéfferson

Árbitro:Lenilson de Lima Auxiliares: Izaac Márcio da Silva Oliveira e Ricardo Balbino da Silva Horário: 17 horas Estádio: Nogueirão

EMANUEL AMARAL

Pedrinho Albuquerque quer contar com o apoio dos torcedores

Para sair da crise Galo tem de conquistar feito inédito Campeão do primeiro turno, o Coríntians tem uma oportunidade ímpar de se redimir de todo fracasso acumulado no segundo turno hoje, quando recebe o Santa Cruz no estádio Marizão, às 17 horas. Só que o adversário levará para dentro de campo um tabu que preocupa a torcida alvinegra, que nunca viu o Galo bater o Tricolor do Inharé em Caicó. A meta do treinador Paulo Moroni é conquistar pontos fora de casa. O Coríntians vem de duas derrotas seguidas e o jogo de hoje é considerado chave no segundo turno, uma vez que em caso de derrota, a única função do clube no segundo turno será se preparar para decisão do Estadual, uma vez que como campeão do turno, a vaga já está assegurada. Como o memento é decisivo, o técnico Pedrinho Albuquerque e os jogadores querem contar com apoio da torcida nessa busca pela recuperação.

A diretoria do clube anunciou a contratação de mais um reforço, trata-se do lateral Léo Marinho, que teve passagem pelo Baraúnas, mas que ainda não atuou profissionalmente na atual temporada. O atleta pernambucano vinha tentando manter a forma trabalhando com o elenco de um clube da segunda divisão de Pernambuco. A crise que se instalou no Galo do Seridó após a conquista do primeiro turno fez mais uma vitima. O preparado de goleiro Pavão pediu demissão insatisfeitos com os rumos que o clube vem tomando. “Nunca passei por isso, trabalhei cinco anos no América e uma coisa dessas nunca aconteceu, não tenho nada contra os goleiros que vieram agora. O Marcelo não foi nem apresentado a mim e já foi escalado, quem deveria ir para o jogo era Paulo Ricardo, que está treinando e pronto para jogar”, protestou. JÚNIOR SANTOS

Ramalho vai tentar dar uma cara nova a equipe de Currais Novos

Cícero Ramalho trava duelo tático contra Miluir Macedo Longe de repetir a façanha obtida no ano passado, quando sagrouse vice-campeão estadual, o Potyguar de Currais Novos terá uma prova de fogo diante do ASSU hoje, a partir das 17 horas, no estádio Coronel José Bezerra. O tricolor que acumula duas derrotas no segundo turno corre o risco de sair de forma prematura da luta pelo título, em caso de novo tropeço. Já o Camaleão, que acumula quatro pontos, não tem outra coisa em mente que não seja somar mais alguns pontinhos na jornada que visa colocar a equipe com chance de conquistar o bicampeonato estadual. Na última colocação e correndo um sério risco de rebaixamento para segunda divisão do próxi-

mo ano, o Tricolor do Seridó vai estrear hoje um novo comandante. Cícero ramalho foi convocado para assumir o posto antes ocupado por Neto Matias, com a missão de mudar a cara do clube. A diretoria também apresentou dois novos reforços: o lateral-direita Valentim, com passagem pelo Fortaleza, e o lateral-esquerda Carlos Anderson, que defendeu o Quixadá/CE. Pelo lado do ASSU, o treinador Miluir Macedo promete manter o esquema ofensivo e acredita na força do elenco para conquistar um bom resultado hoje. As dimensões do campo não preocupam, já que na visão do técnico os jogadores devem se adaptar rapidamente as condições da partida.


PÁGINAS 6 E 7

[ PÁGINA 5 ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 21 de março de 2010

PRETA GIL VOLTA À TELEVISÃO PARA CO MANDAR ‘VAI E VEM’, DESPUDORA DO PROGRAMA SOBRE SEXO DO GNT

revista da tv

A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

ALTOS BABADOS

Inspiração da personagem de Alinne Moraes em “Viver a vida”, Flávia Cintra fala das coincidências entre sua trajetória e a de Luciana.

Em “The pacific”, que estreia dia 11 de abril na HBO, Tom Hanks e Steven Spielberg voltam ao tema da Segunda Guerra e seus dramas. [ PÁGINA 3 ]

Cinco personagens fazem parte de uma série de reportagens que será exibida a partir de amanhã no “Jornal hoje”. O casal Arianne Thrall e Marco Estrella, Rodrigo Schuwenk, Thais Venosa, e Christiano Reis (foto). [ PÁGINA 10 ]


Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 21 de março de 2010

TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

Cristiana enfrenta Cissa. Bernardo aceita Renato como empresário. Samira fica chateada quando Bruno não repara que ela está com roupas novas. Cristiana não conta para Bruno o que aconteceu entre ela e Cissa. Bruno e Samira fazem as pazes. Nanda fica furiosa ao saber que Bernardo ganhou o festival de música. Nanda sugere a Cissa que consiga uma escola de patinação fora do país para Cristiana.

Cissa pede para Arnaldo conseguir a bolsa de estudos. Cristiana fica animada ao ser convidada por Arnaldo para estudar em uma escola na Itália. Cissa diz a Bia que vai apoiar seu namoro com Bernardo. Victor explica algumas gírias para Tânia. Valentina incentiva Cristiana a seguir para a Itália. Bruno fica admirado ao ver Samira de saia. Nanda conta para Bernardo sobre a bolsa de estudos que Cristiana ganhou.

Bernardo teme ser abandonado por Cristiana. Bruno sugere que Samira use uma saia mais curta. Samira convida Maria Cláudia para ir às compras. Bia se declara para Bernardo. Antônio fala para Bernardo que o namoro do rapaz com Cristiana o faz lembrar de sua esposa. Samira se irrita quando Bruno tenta tirar seu véu. Bernardo diz para Cristiana que vai para a Itália com ela.

Cristiana fica radiante. Nanda invade a casa de Bernardo e diz que ele não pode viajar com Cristiana para a Itália. Cissa se desespera ao saber que Bernardo está decidido a ir embora do país. Samira tira seu véu para Bruno. Cissa conta para Cristiana que é a responsável por sua viagem à Itália e diz que vai continuar sendo, se ela terminar o namoro com Bernardo.

O médico avisa que a cirurgia de Tarcísio foi um sucesso. Rose pede para Gustavo voltar para casa. Péricles fala com Rose sobre Geni e Gustavo conta sobre a fuga de Verônica e Roberto. Verônica pede dinheiro para o pai. Roberto descobre que Verônica o deixou preso no hotel. Verônica pega dinheiro com Severo. Rose afirma para Alcino que ela quer ficar com Gustavo. Consuelo aparece na mansão desesperada.

Consuelo conta a Alcino e Rose o que aconteceu com o marido. Verônica liga para seu advogado em Paris e manda que ele movimente sua conta no exterior. Alcino tenta beijar Rose, mas ela o manda embora. Geni avisa Verônica que já fez o serviço que ela mandou. Almeida fala sobre o que aconteceu com Jair e Antônio dentro de suas celas, e o delegado pensa em qual será a próxima vítima de Verônica.

Pedro implora que o juiz não tire Alice dele. Leda fica comovida e retira o pedido de posse. Pedro comemora com os pais e Alcino agradece a Leda. Rose diz que vai para casa ver Tarcísio. Um carro com um vidro fumê atropela Heloísa. Alcino tenta seduzir Rose durante o jantar. Taís conta a Rose sobre o atropelamento de Heloísa e ela e Alcino acreditam que a culpada foi Verônica.

Roberto teme que Verônica faça algo contra Glória. Rose fica emocionada ao ver Gustavo pedir ao médico para se esforçar e salvar Heloísa. Tarcísio fala para a mãe se afastar de Alcino se não quiser perder Gustavo. Roberto consegue fugir do quarto e sai do hotel. Roberto é flagrado por Verônica ligando para Glória do hotel. Gustavo é hostil com Alcino durante uma reunião e os dois acabam se desentendendo.

Ramón e Bárbara invadem a festa de Ditta. Led não consegue se apresentar para o maestro. Nara e Zeca continuam a ensaiar. Nelinha vai até a academia de Hélia e pede para que Zeca a ajude a achar uma casa para alugar. Nara fica com ciúmes de Nelinha. Renato faz uma surpresa para Nelinha, encontrando a casa dos sonhos da astrônoma. Niemann vai até o observatório para ter uma conversa com Portinho sobre Deodora, mas Nelinha o manda embora.

Hélia coloca Iolanda contra a parede. Deodora conversa com Niemann para tentar descobrir o que ele andou fazendo no observatório, mas ele não revela. Goretti diz a Faustaço que ele está proibido de ir à casa de Leal. Miranda coloca Iolanda contra a parede e a questiona sobre seus sentimentos em relação a Leal. Nelinha mostra para Zeca a sua nova casa e ele fica enciumado ao saber que foi Renato quem o ajudou a encontrar o imóvel.

Goretti pensa em interditar Leal, mas Niemann diz que ela precisa ter calma. Iolanda diz a Leal que seu trabalho como enfermeira já terminou e que ela voltará a cuidar somente das Marias. Ditta decide participar de uma ONG dando aulas de canto. Zeca conhece Renato e fica incomodado ao ver sua proximidade com Nelinha. Ramón desconfia de que seus filhos estejam lhe escondendo alguma coisa.

Niemann vai visitar Leal e Hélia não gosta de ver o arquiteto por perto. Tamara faz exames em Leal e constata que seu tumor está estável. Led e Jannis tentam contar para Ramón que Led está tocando violoncelo, mas não conseguem falar a verdade. Goretti diz que Leal não tem que voltar a ser um faztudo no Titã e ele se aborrece. Deodora vai até o observatório para ver Portinho. Ela chega sem que ele perceba.

Iolanda dá de cara com Leal à sua porta. Renato convida Nelinha para uma saída a dois e Zeca fica incomodado. Zeca tem um ataque de ciúmes e, mesmo sem ter nenhuma prática nas quadras, aceita a jogar uma partida de tênis com Nelinha e Renato. Leal ataca de jardineiro do Titã e deixa todos surpresos. Gaulês ajuda Led a sair da loja para se apresentar ao lado de Ditta. Ramón descobre o segredo de Led.

Gustavo procura Malu no estúdio e ela o expulsa de sua sala. Sandrinha é ameaçada pelos homens que bateram em Benê e ela diz ao marido que vai voltar para Búzios se ele não sair dessa vida. Marcos dá um carro adaptado para Luciana. Luciana e Mia decidem ir ao Gengibre de ônibus e enfrentam dificuldades. Renata não vai ao ensaio fotográfico e chora por ter bebido. Helena avisa à Alice que vai retomar sua carreira.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

Nara fica agoniada com a ausência de Claude na festa. Serafina bebe duas taças de champanhe e confessa que está tonta. Claude paga táxi para Serafina e vai para a festa de Nara. Frazão inventa para Egídio que Claude teve que acabar com uma amante, para abrir caminho para o casamento com Nara. Claude e Nara dançam em clima nada romântico. Serafina confessa a Amália que se casou de mentirinha.

Claude avisa Dádi que casou. O empresário sente pena de Serafina. Janete diz a Egídio que Serafina vai chegar atrasada. Terezinha acha o cheque na bolsa de Serafina e descobre a verdade sobre o casamento. Amália vê o valor do cheque e se assusta. Serafina afirma para a mãe que recebeu o dinheiro honestamente e que vai usá-lo para comprar o casarão. Egídio reclama do atraso para Serafina. Claude a defende.

Serafina exige desculpas de Egídio. Roberta avisa Claude que conseguiu o atestado de antecedentes do empresário. Claude declara para Frazão que se casou à toa. Serafina ouve tudo e diz que pode devolve o cheque. O fotógrafo entrega o envelope com as imagens do casamento para Janete, que vê uma foto e pergunta a Serafina se ela casou. Egídio presta atenção a tudo.

Serafina despista Janete. Claude pede para Frazão pagar o salário para Serafina ficar em casa. Giovani ouve de Afrânio que tem gente medindo o casarão para demolir o imóvel. Giovani discute com o incorporador, que afirma que Giovani e seus vizinhos não têm cacife para comprar o casarão. Amália mostra o cheque de R$ 1 milhão de Serafina. Giovani fica em choque.

Amália e Giovani conversam sobre o cheque. Serafina avisa Egídio que os comunicados sobre Nara na presidência foram jogados no lixo por Claude. Dino avisa Serafina que todos no cortiço já sabem sobre o cheque. Serafina conta ao pai que casou com Claude para ajudálo. O proprietário do casarão aceita receber o cheque. Giovani exige que Claude e Serafina casem na igreja.

Olga fica em pânico com o aparecimento de Bela. Vanda discute com Ariosto e diz que ele está tendo um caso com a manicure. Bela ameaça a continuar assombrando Olga até que ela pare de obrigar Rodrigo a voltar com Cíntia. Magdalena chega chorando no salão porque recebeu uma ordem de despejo por conta dos aluguéis atrasados. Elvira convida Magdalena e Victor Hugo para morarem com ela.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

E EMISSORA NÃO DIVULGOU O CAPÍTULO.

SEGUNDA

SÁBADO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

MALHAÇÃO ID Bernardo canta sua música no festival. As The Lícias exigem que Jotapeg seja desclassificado por não ter apresentado uma canção inédita. Victor e Valentina desconfiam que Tânia esteja namorando. Bia chora por Bernardo ter se declarado para Cristiana e Rafael tenta confortá-la. Samira fica com vergonha de sair com as roupas que Maria Cláudia lhe emprestou. Cissa tenta convencer Cristiana a terminar o namoro.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

CAMA DE GATO Rose fica confusa e chateada com o beijo de Alcino. Pedro recebe uma intimação sobre a audiência de guarda de Alice, solicitada por Leda. Gustavo chega ao hospital e Rose fica emocionada ao vê-lo com Tarcísio. Alcino aparece no hospital, mas Rose manda-o embora e Gustavo percebe o conflito da esposa. Geni, Lenita e Verônica fogem do presídio. Um homem leva Roberto para fora do hospital. Roberto se assusta ao ver Verônica disfarçada em um carro.

Roberto mente para Verônica e ela diz que eles só vão fugir depois que ela terminar seu plano. Gustavo se aproxima e chama a esposa para conversar. Ele diz que vai se separar dela e Rose chora. Rose pede para Alcino se afastar, mas ele não acredita e dá um ultimato a ela. Alcino beija Rose e Gustavo se decepciona ao ver os dois. Érica se declara para Pedro. Rose vai falar com Gustavo e ele decide terminar tudo com ela.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

TEMPOS MODERNOS Hélia fica incomodada ao ver Iolanda e Leal juntos. Zeca diz para a mãe que quer se vingar de Lossaco e Hélia sugere que ele entre no concurso com Nara. Ditta conta que vai receber um maestro internacional em sua casa e convida Led para conhecê-lo. Jannis diz para a mãe que Túlio tem outra namorada. Nelinha chega ao Observatório e se depara com Renato, o astronauta. Niemann vai visitar Leal e Iolanda o coloca para fora da casa.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

VIVER A VIDA Paixão pergunta se Jorge conhece Myrna. Luciana fala com Marcos sobre sua separação e conta que conheceu um ex de Tereza. Ingrid se revolta ao pensar em um possível casamento entre Miguel e Luciana. Myrna fica constrangida com o comportamento de seu acompanhante no momento em que Jorge e Paixão passam por ela. Paixão fica perplexa ao saber que Myrna é garota de programa. Helena e Bruno se beijam.

TV Tropical – Canal 8

UMA ROSA COM AMOR Raquel apresenta Sérgio a Nara, que o trata mal. Serafina confessa a Pimpinoni que gosta de Claude. Serafina entra no salão ao som da marcha nupcial. O juiz anuncia que o noivo pode beijar a noiva. O fotógrafo faz a foto do beijo. O empresário paga Serafina com um cheque de R$ 1 milhão e diz que não precisa mais dela. Serafina exige o jantar que Frazão prometeu. Todos seguem para o restaurante.

BELA, A FEIA Potengi – Canal 3

2

Bárbara decide ficar com as joias e pensa em devolver os cem mil dólares falsos a Ataulfo. Elvira fica indignada com o clima entre Bárbara e Ataulfo. Verônica agarra Diego. Clemente fica surpreso quando Nelson diz ter visto o fantasma de Bela. Ricardo debocha de Ariosto quando ele diz que as crianças viram a Bela. Bela vai até a clínica de Olga e se veste de enfermeira. Ataulfo começa a ler o diário de Bela.


Domingo | 21 de março de 2010

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 3 FOTOS DE DIVULGAÇÃO/HBO

Joe Mazzello perdeu 4,5 quilos em dez dias de treinamento para viver o soldado Eugene B.Sledge

Nas cenas de The Pacific foram usados 50 americanos e 35 japoneses para os exércitos

LAURO NETO O repórter viajou a convite da HBO

uando as filmagens de “The Pacific” estavam ainda na metade, em 2007, Tom Hanks já antecipara que a série seria mais pesada que “Band of Brothers”, também produzida por ele e Steven Spielberg. Agora que a superprodução de dez episódios, orçada em mais de US$ 250 milhões, estreou nos Estados Unidos (por aqui, vai ao ar a partir de 11 de abril, às 22h, na HBO), dá para entender o que Hanks quis dizer ao compará-la com “Band...”, que com metade do orçamento faturou seis Emmy, em 2001. Apesar de ambas mostrarem a participação americana na Segunda Guerra Mundial, a primeira girava em torno de um grupo de paraquedistas na Europa, enquanto sua “continuação” traz a atuação da Primeira Divisão de Infantaria da Marinha no Oceano Pacífico contra o exército japonês. — É provavelmente o programa mais violento da televisão nos últimos tempos. Mas não há nada feito meramente para chocar. Cada ato de violência afeta os personagens, que carregam os efeitos consigo por toda a série. “Band...” foi sobre um cara que ajudava os outros a passarem pela guerra. “Pacific” trata do indivíduo, do custo da guerra para a vida humana, sob a ótica de três fuzileiros — resume o produtor Tony To. O trio é formado pelo sargento John Basilone e os soldados de primeira classe Robert Leckie e Eugene B. Sledge, que inspiraram a criação de personagens homônimos que protagonizam a produção. A série, que mostra a saga deles desde a primeira batalha contra os japoneses em Guadalcanal até a vitória americana, é baseada parcialmente nos livros “Helmet for my pilow” e “With the old breed”, de Lec-

Q

Muita ação no front Novo projeto da dupla Tom Hanks e Steven Spielberg, ‘The Pacific’estreia em abril na HBO e explora,mais uma vez,os dramas da Segunda Guerra Mundial

Os bastidores das filmagens na Austrália: dez meses rodando a batalha no Pacífico

kie e Sledge, respectivamente. As filmagens rolaram nos Estados Unidos e na Austrália, onde, por dez meses, os atores sentiram na pele o que é ser um soldado. Para interpretar Sledge, Joe Mazzello perdeu 4,5 quilos em dez dias, tempo que durou o treinamento militar com o temido Capitão Dale Dye, ator e ex-fuzileiro que serviu no Vietnã, que se tornou consultor de filmes de guerra como “Platoon” e “O resgate do soldado Ryan”. — Ele exigia muito de nós: era cavar buraco, escalar com cordas sem comer, dormir apenas três horas por dia, carregar 18 quilos de equipamento nas costas. Um cara quebrou a clavícula, outro tomou uma facada no pé, e eu, que não gosto nem de sujar as unhas, estou orgulhoso de ter chegado ao fi-

nal sem um arranhão — comemora Mazzello. Já o metralhador Robert Leckie, que foi um dos primeiros a se alistar após o ataque a Pearl Habor, reservou outras aventuras ao ator James Badge Dale. Ele conta que em uma das cenas deixou o capacete cair ao lado de uma linha de morteiro: Peguei-o do chão, o morteiro explodiu na minha frente, dei uma pirueta e caí em cima da minha arma. Foi a última tomada da noite, e me senti muito estranho. Quando estava voltando para o acampamento por uma estrada australiana, vi uma placa que dizia: “Abra seus olhos para mortes estúpidas”. Foi tão significativo, pois aquilo era nosso trabalho diário, e tínhamos que ter cuidado — lembra Badge Dale. Cenas com armamentos como essa retra-

James Badge Dale: perda do capacete em cena o colocou em risco como Robert Leckie

tam os perigos enfrentados pelos três nos bosques de Cabo Gloucester, na floresta tropical de Peleliu e nas areias de Iwo Jima. Apesar de a história ser escrita sob a ótica americana, a participação japonesa é emblemática, com soldados que preferiam morrer a se entregar. Logo no primeiro capítulo, um deles é morto após resistir bravamente. O treinamento dos 35 atores japoneses (contra 50 americanos) também foi comandado pelo Capitão Dale. — Os japoneses fizeram um grande trabalho. Gosto de treinar de dentro para fora e trabalho filosoficamente: quero seu estômago, seu coração, sua mente. Mas os atores não querem se sacrificar, se machucar, sair da zona de conforto. Isso é besteira. A guerra não é algo confortável e, se você quer retratá-la, tem que entender isso — ensina o veterano Dale. Jon Seda aprendeu a lição. Ex-boxeador como o sargento Basilone, o ator portoriquenho penou para pesquisar sobre seu personagem, que não escreveu suas memórias como os outros dois. Para retratar fielmente a participação do filho de imigrantes italianos na guerra, ele conversou com familiares e mergulhou numa vasta pesquisa biográfica. — Ele recebeu uma medalha de honra e pediu para ir para guerra, logo depois de ter se apaixonado e se casado — diz Seda, referindo-se ao curto tempo em que Basilone voltou para casa, em Nova Jersey, depois de ter servido por três anos, antes da guerra, nas Filipinas, onde foi campeão de boxe.


4

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

» AH...JULIANNE.E CHIPS

A coisinha linda ao lado,também conhecida como Julianne Moore,vai dar expediente,esta semana,em “30 Rock”. E com direito à participação do eterno patrulheiro Larry Wilcox, de “CHiPs”. É quinta,às 22h,no Sony.

SERIAIS

»VAI TRANQUILA

Domingo | 21 de março de 2010

Parece que agora vai.Segundo o jornalista Michael Ausiello,Katherine Heigl deve,mesmo, abandonar “Grey’s anatomy”. A atriz,que interpreta Izzie no seriado,não gravou mais da metade dos episódios desta temporada.

Podem dizer o que quiser,até que “24 horas” (Fox) está agonizando.Mas Jack Bauer ainda aterroriza. De que adianta estrear uma série pouco depois dos EUA se,mais tarde,começam as insuportáveis reprises e embola tudo?

TÉLIO NAVEGA - TOM LEÃO - VALQUÍRIA DAHER

REPRODUÇÕES DE INTERNET

Família é tudo igual ara quem gosta de famílias numerosas e com problemas — como a de todos nós —, “Parenthood” é um prato cheio. Inspirada pelo filme homônimo, dirigido por Ron Howard em 1989, a série estreou há poucos dias nos EUA, via NBC, e deve estrear por aqui em abril, no People+Arts. O drama familiar é a força motriz do seriado, que parece uma resposta da NBC a “Brothers & sisters”, um dos grandes sucessos da concorrente ABC. Mas, diferentemente de “Um tiro que não saiu pela culatra”, péssimo título brasileiro para o filme estrelado por Steve Martin, o seriado vai por uma linha mais drama, com menos humor. E o foco não está mais nos problemas de um pai de família cheio de filhos. As agruras, agora, são as dos inúmeros filhos. Dois destes irmãos são as estrelas de TV Peter Krause (“A sete palmos”) e Lauren Graham (“Gilmore girls”). Esta última, aliás, entrou no programa aos 45 minutos do segundo tempo, substituindo Maura Tierney, que precisou abandonar a

P

LAUREN GRAHAM

PETER KRAUSE

Parenthood: bom drama familiar da NBC estreia com Lauren Graham (direita) no lugar de Maura Tierney (esquerda)

série por problemas de saúde. O drama dos Braverman, de “Parenthood”, é bem parecido com o dos Walker, de “Brothers & sisters”. E tome chororô. No episódio piloto, por exemplo, descobrimos que a personagem de Lauren, Sarah, é uma mulher carente que cria os filhos adolescentes sozinha, sem o apoio do ausente ex-marido. Já Krause vive Adam, um perfeito pai de família, casado e feliz. Isto até ele descobrir que o filho tem um problema. Há outros bons personagens, tão ricos quanto estes. Erika Christensen, de “Seis graus de separação”, é Julia, uma mulher casada que, de tanto trabalhar, acaba preterida pelo marido na relação com a filha. Já o pouco conhecido Dax Shepard faz outro irmão, Crosby, que, apesar da insistência da namorada, não quer um compromisso sério, e muito menos ser pai. Mas basta ela querer fazer uma produção independente para o personagem de Shepard mudar de ideia. No fundo, família é tudo igual.

»AS MELHORES... PARA ELES

A revista “Entertainment weekly”fez uma lista das melhores séries no ar atualmente.São elas:“The good wife”,“Breaking bad”,“Lost”, “Friday night lights”,“Fringe”, “Modern family”,“Glee”, “Southland”,“Damages”e “Caprica”.Tá,mas cadê “Dexter”? E “Sons of anarchy”?

»ÂNSIA POR SANGUE Surgem rumores sobre a próxima temporada de “True blood”, que estreia nos EUA em 13 de junho. A ação deve se passar fora de Bon Temps. Um dado reforça a tese: enquanto o resto do elenco grava a série vampiresca, Carrie Preston, a Arlene, estará em “The good wife”.

»HÁ 20 ANOS Com sua legião de fãs,“Os Simpsons” ganhou uma bela caixa de DVDs em comemoração à 20 temporada (R$ 124,90, em média).


Domingo | 21 de março de 2010

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

5

ELIÁRIA ANDRADE

PATRÍCIA KOGUT

lávia Cintra, jornalista paulista de 37 anos, chega ao saguão do hotel, na Barra da Tijuca, conduzindo sua cadeira de rodas. Ela está Rio para acompanhar as gravações de “Viver a vida” e orientar Alinne Moraes em cena. Flávia lê os capítulos da novela, faz sugestões e participa de algumas gravações de 15 em 15 dias. Aliás, conduzir é com ela mesmo. Recémseparada do pai dos gêmeos Mateus e Mariana, de 2 anos e 8 meses, é ela quem pilota a rotina dos filhos, que ficaram em casa com a babá. Também está à frente de um enorme projeto de capacitação de pessoas com deficiência da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Isso, somado ao trabalho na novela e à coordenação da Área de Inclusão da universidade paulista UniSantana, ocupa quase 100% do tempo desta moça magra, com 1,80 m e bonita. Flávia convida para um café perto da piscina. E sua primeira frase é: “Sou uma pessoa de muita sorte”. Logo emenda com outra, que explica tudo: Detesto gente que reclama. Não que a vida tenha sempre sido descomplicada, como até chega a parecer. Ela, tetraplégica desde os 18 anos devido a um acidente de carro, passou por “coisas muito duras”. Só que Flávia sabe — com o perdão pelo uso de um clichê bem surrado, mas quase inevitável — “enxergar o seu lado bom”. — Foram situações de dor. Mas para cada situação dessas tive dez possibilidades de alegria. Uma delas foi ter sido escolhida por Manoel Carlos para trabalhar no projeto de “Viver a vida”. Sou apaixonada pelo Maneco. O que esta novela está fazendo pela pessoa com deficiência é muito importante. Sou muito grata a ele e ao Jayme Monjardim por confiarem em mim — diz. O autor da história devolve o elogio: É ela, com sua luta, quem continua a nos impulsionar nesta tarefa que muito nos orgulha. Ela é o nosso exemplo de vida. E de superação. Depois de dez anos de análise, casamento, separação e uma carreira que vai bem, obrigada, ela afirma ser “bem-resolvida”. — Já não ligo para coisas que um dia me incomodaram, como o olhar piedoso. O olhar da pessoa sempre muda quando ela me conhece — confidencia a jornalista, que emenda: Sinto um pouco de pena de quem tem preconceito, é coisa de gente pequena. A história de Luciana não é a de Flávia, coisa que Manoel Carlos faz questão de deixar claro: A rigor, não existe qualquer semelhança entre a vida dela e a da Luciana, mas é a sua trajetória que tem pautado o nosso trabalho. Flávia é a legítima inspiradora de “Viver a vida”. Foi por meio de matérias sobre ela, e de entrevistas que ela concedeu, que fui levado a me interessar pela

F

‘Sou uma pessoa de sorte’

causa dos cadeirantes presente na novela. Flávia, ao contrário de Maneco, enxerga inúmeras coincidências entre a vida real e a ficção apresentada na trama das 21h. — Como Luciana, também fui modelo e, antes do acidente, estive numa cartomante que previu tudo. E o Maneco não sabia de nada disso! Meu pai também tinha se casado com uma mulher que eu não aceitava... Engraçado — relembra. E assim como Flávia, Luciana terá gêmeos. No caso da jornalista, no entanto, a gravidez aconteceu naturalmente: Não fiz inseminação, nada. Apenas engravidei quando ainda estava de casamento marcado. E decidi que quero ser uma mãe presente. Trabalho muito em casa, no computador. Sempre de porta aberta. Abri mão de viagens e minha prioridade são meus filhos. Ela passou a escrever sobre a maternidade num blog. E pensa em transformar isso num livro. — Não uma autobiografia, mas algo que leve informação a tantas cadeirantes como eu, que ouvem de seus médicos que não poderão ser mães. Isso é mentira — frisa. A convivência com Alinne começou há quase um ano, em abril. Para Flávia, a atriz é “um gigante, linda, muito séria e uma pessoa que vai sempre fazer algo pela causa das pessoas com deficiência”. Já Alinne acredita

Flávia Cintra, consultora de Alinne Moraes em ‘Viver a vida’, revela semelhanças entre sua história de vida e a de Luciana

que jamais teria chegado à Luciana que o público vê todas as noites na novela sem a orientação da jornalista. — Aprendi que há inúmeras possibilidades de lesões. Depois da cirurgia, ninguém sabe que ligações motoras vão ser refeitas. Então, não há um deficiente igualzinho ao outro. Precisava me basear em alguém. Passei cinco dias enfiada na casa da Flávia em São Paulo antes de a novela começar. Ela foi muito querida em abrir assim a intimidade para mim — conta Alinne. — A Flávia tem muita autonomia e eu ia observando os movimentos dela enquanto fazia tudo em casa, escovava os dentes, cuidava dos filhos, comia, enfim... Ela tem tanto traquejo, que, às vezes eu dizia: “Você mexeu a mão!”, mesmo sabendo que o movimento que eu tinha imaginado era algo que ela não conseguia fazer. E ela ria de mim. As duas ficaram muito próximas, embora Alinne — assim como Maneco e a própria Flávia — , a uma certa altura da entrevista, também lembre de um mesmo dado fundamental: A Luciana não é a Flávia, e a novela não é sobre a vida dela. Então tive que construir uma certa distância para encontrar o corpo da Luciana. Mas o laboratório foi essencial. Diferentemente de Luciana, que é filha de um milionário, Flávia não teve muitas facilidades durante sua recuperação. — Foi difícil, mas pelo menos minha família possuía plano de saúde. Tem gente que critica a novela por mostrar uma situação distante da realidade da maioria dos cadeirantes, mas eu acho que é o contrário. Vendo a cama automática de Luciana, os adaptadores que ela usa para comer, a cadeira de banho etc, é que a população toma conhecimento da existência de todos estes recursos. Só uma novela na televisão aberta para fazer este serviço. Não é à toa que todos estes equipamentos estão na lista dos objetos mais mencionados por telespectadores que ligam para a Central de Atendimento ao Telespectador da Globo. Agora, Flávia está entusiasmada com o romance entre Luciana e Miguel (Mateus Solano). — Estou louca para o Maneco começar a falar mais de sexo. A novela tem que mostrar os dois juntos na cama! A direção do Jayme, supercuidadosa, vai dar conta de fazer isso muito bem. Me irritam as pessoas que dão um tratamento infantilizado à pessoa com deficiência, e falam coisas do tipo “quer uma aguinha?”. Embutido nisso vai uma ideia de que o cadeirante é assexuado. A sexualidade é uma condição humana natural, diz respeito a todo mundo, inclusive à pessoa com deficiência. Da mesma forma, ser cadeirante não significa inocência. Tem de tudo, cadeirante canalha e mau caráter. É igual a todo mundo. Quando “Viver a vida” acabar, Flávia vai continuar em sua militância: Isso não pode acabar na ficção.


6

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 21 de março de 2010 FOTOS DE SIMONE MARINHO

E O PICANTE

Na linha entre o chique

Preta Gil, que estreia como apresentadora no GNT com ‘Vai e vem’, diz que hoje tem seus pudores para falar sobre sexo VAI

1 Homem de cueca vermelha 2 Fazer coisas que não dão prazer para agradar o parceiro 3 Não tomar banho 4 Virar para o lado e dormir depois de transar 5 Perfume muito forte

VEM 1 Homem de cueca box 2 Cheiro de pele 3 Muito beijo na boca e no pescoço 4 Homem que procura saber o que a mulher gosta 5 Massagem com óleos afrodisíacos


Domingo | 21 de março de 2010

TATIANA CONTREIRAS

reta Gil? Uma devoradora de homens. Desbocada. Sem pudores. Mas essa mulher que reside no imaginário coletivo e não sai da boca do povo não foi a que a Revista da TV encontrou para falar sobre “Vai e vem”, programa do GNT que estreia na sexta-feira às 23h30m, e que tem a cantora e atriz como apresentadora. Contrariando o que se pensa ou se diz sobre ela, Preta, 35 anos, parece mais séria e mais centrada pessoalmente. Ri, fala palavrão — mas um só, apenas um, durante toda a entrevista e sessão de fotos —, até comenta o “Big Brother Brasil”. Mas não perde o foco. Nem o controle, até mesmo quando fala sobre sua legião de detratores. E apesar de estar prestes a comandar uma atração que tem sexo como tema, não se envergonha ao dizer que não, não quis gravar numa sexshop, e que antes de aceitar o convite do canal achou por bem conversar com o marido para saber o que ele achava. Um tanto pudica, sim. Mas para falar do assunto, ela mesma diz, há que se ter alguma classe. — Sou pudica para falar sobre isso até com amigos. Não tenho vibrador. Não vou a sex shops. Nunca entrei em um site de sexo virtual — afirma Preta, que, há alguns anos, criou polêmica ao revelar, em uma entrevista, que já beijou mulheres e participou de festas, digamos, mais animadas. — Minha vida pessoal e minhas experiências não estão à mercê do programa, apesar de ser vista como “expansiva e irreverente”. Antes de aceitar o convite do GNT, conversei bastante com meu marido. No “Vai e vem”, quase tudo para mim é descoberta. Nas gravações, as descobertas de Preta são reforçadas pelas reações de seus convidados. Na estreia, por exemplo, o amigo Bruno Gagliasso dividiu com a apresentadora o espanto ao ver uma stripper que se despe online, em tempo real. O cenário, um elevador high-tech, idealizado pelo diretor Tiago Worcman, conduz a uma suposta cobertura onde rolam festas bombantes. O mesmo elevador é palco de perguntas picantes — às vezes em níveis mais brandos, às vezes superapimentadas — e, a cada semana, da discussão de um tema diferente. Futebol e moda já entraram na roda, e Luciano Huck, Adriane Galisteu, Olivier Anquier e Deborah Secco são alguns dos nomes que devem se juntar a Gagliasso, Vágner Love, Mariana Weickert e Walério Araújo, gente que já passou pela sabatina. — O programa não tem uma pegada didática, não temos especialistas ou

P

revista da tv sexólogos. Fazemos uma crônica e falamos de comportamento. Tem gente que tem tara em transar no carro, no avião. Outros têm tara em ser pisados por mulheres. O que queremos é ouvir histórias — avalia Preta. Depois de uma experiência um tanto frustrada como apresentadora, foi a curiosidade e, em parte, os apelos do pai famoso, o ex-ministro Gilberto Gil, que acabaram levando Preta a aceitar o convite do GNT. O fim de “Caixa Preta”, exibido pela Band em 2004, a deixou, em suas próprias palavras, traumatizada. — Amava o “Caixa Preta”. Mas hoje vejo que ele era too much para a TV aberta. Se tivesse feito esse programa na TV fechada não teria sofrido tanta censura. Via o que ia ao ar e era tudo mutilado, um Frankenstein. Foram 13 programas e fiquei frustrada, foi um baque. Imagina, 38 pessoas demitidas, uma equipe inteira. Guardei a vontade de estar na TV, mas depois me traumatizei. Resolvi ser só cantora. A hora da virada veio com o sucesso de “Noite Preta”, show que se tornou uma espécie de seita e que costuma atrair por onde passa um sem número de seguidores ávidos por “babado, confusão e gritaria”, um dos lemas da cantora. Com um público gay fiel, as apresentações chamaram a atenção do GNT, que a convocou para uma conversa. Na pauta, um programa de sexo — chique e sem ser vulgar. — Preta tem a espontaneidade e bom humor ideais para um programa como o “Vai e Vem”. Ela é capaz de falar de um assunto como sexo combinando ousadia e respeito. Revela os segredos dos convidados famosos e conversa de igual para igual com todos — comenta Letícia Muhana, diretora do GNT. — Estamos muito felizes e seguros com a estreia. E com a certeza de que Preta amadureceu e é a pessoa certa no lugar certo. A fase de testes aconteceu durante o Fashion Rio e o São Paulo Fashion Week, onde rolou o “Barraca da Preta”, programete feito para a internet e que acabou virando um quadro do novo programa. As inevitáveis críticas, Preta diz, são bem-vindas até certo ponto. — Podem falar da luz, do cenário, do jeito que apresento, mas o que me irrita é a agressividade, ou quando dizem que vivo da fama do meu pai, que sou gordinha... Fiz lipos, tomei remédios, e de que adiantou, se eu estava infeliz e ninguém me aguentava em casa? Hoje, vi que virei vidraça, mas minhas lutas não são em vão. Leio “Caras”, tomo Coca-Cola, vejo “Big Brother” e tenho celulite. Assumo tudo que ninguém assume.

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

7

REPÓRTER AVANÇADO É a própria Preta Gil quem diz:para tudo que ela não quer ou não tem coragem de fazer,João Gabriel Vasconcellos é o cara.O ator,cujo personagem no polêmico filme“Do começo ao fim”,de Aluízio Abranches,vive uma relação incestuosa,ganhou o posto de repórter avançado (nos dois sentidos) de“Vai e vem”.No quadro“Test drive”,como o nome já entrega,João vai a festas,faz entrevistas e confere os lançamentos do universo,como dizer,do sexo. Mas apesar de encarar com naturalidade pautas como uma ida a uma casa de podolatria,o ator admite que ainda fica um tanto constrangido com alguns assuntos. — Quando eu fico constrangido? Em todos os programas! — diz João,aos risos.— Sério,de certa forma eu sempre fico,sim,constrangido,meio sem graça. O quadro,gravado em externas,mostra temas ligados a sexo no cotidiano.Assim,um dia João pode estar na tal casa de podolatria;no outro, encontra uma stripper;no porgrama seguinte, pode até mostrar produtos em uma sex shop. Afinal,ele é o test-driver. — Fui indicado por um produtor,encontrei o Tiago (Worcman,diretor do programa),fiz um teste e me convidaram.São coisas inusitadas,situações engraçadas.No programa sobre sexo e internet,por exemplo, conheci uma stripper.Alguns lugares são bem quentes mesmo! Sou um cara tranquilo,encaro sexo como sexo mesmo.Tenho meus pudores, mas não sou tão tímido.O meu trabalho como ator acaba ajudando no de repórter,onde também tenho que improvisar às vezes.E o perfil do canal acaba garantindo a sutileza de tudo. O filme que fez com que seu nome ganhasse destaque,João diz,pode ter sido um dos fatores que o levaram ao programa. — Acho que as pessoas me reconheceram a partir do filme,que foi meu trabalho que ganhou mais projeção.Mas confesso que não sei se o tema de“Do começo ao fim”influenciou na escolha do meu nome,já que os assuntos dos dois são parecidos,ou se eu acabei me encaixando no que eles precisavam — avalia o ator,de 23 anos,que ensaia uma peça e ainda pensa em continuar no cinema. SIMONE MARINHO

João Gabriel vai a festas e faz entrevistas ligadas ao tema de cada episódio do programa


Domingo | 21 de março de 2010

TATIANA CONTREIRAS

reta Gil? Uma devoradora de homens. Desbocada. Sem pudores. Mas essa mulher que reside no imaginário coletivo e não sai da boca do povo não foi a que a Revista da TV encontrou para falar sobre “Vai e vem”, programa do GNT que estreia na sexta-feira às 23h30m, e que tem a cantora e atriz como apresentadora. Contrariando o que se pensa ou se diz sobre ela, Preta, 35 anos, parece mais séria e mais centrada pessoalmente. Ri, fala palavrão — mas um só, apenas um, durante toda a entrevista e sessão de fotos —, até comenta o “Big Brother Brasil”. Mas não perde o foco. Nem o controle, até mesmo quando fala sobre sua legião de detratores. E apesar de estar prestes a comandar uma atração que tem sexo como tema, não se envergonha ao dizer que não, não quis gravar numa sexshop, e que antes de aceitar o convite do canal achou por bem conversar com o marido para saber o que ele achava. Um tanto pudica, sim. Mas para falar do assunto, ela mesma diz, há que se ter alguma classe. — Sou pudica para falar sobre isso até com amigos. Não tenho vibrador. Não vou a sex shops. Nunca entrei em um site de sexo virtual — afirma Preta, que, há alguns anos, criou polêmica ao revelar, em uma entrevista, que já beijou mulheres e participou de festas, digamos, mais animadas. — Minha vida pessoal e minhas experiências não estão à mercê do programa, apesar de ser vista como “expansiva e irreverente”. Antes de aceitar o convite do GNT, conversei bastante com meu marido. No “Vai e vem”, quase tudo para mim é descoberta. Nas gravações, as descobertas de Preta são reforçadas pelas reações de seus convidados. Na estreia, por exemplo, o amigo Bruno Gagliasso dividiu com a apresentadora o espanto ao ver uma stripper que se despe online, em tempo real. O cenário, um elevador high-tech, idealizado pelo diretor Tiago Worcman, conduz a uma suposta cobertura onde rolam festas bombantes. O mesmo elevador é palco de perguntas picantes — às vezes em níveis mais brandos, às vezes superapimentadas — e, a cada semana, da discussão de um tema diferente. Futebol e moda já entraram na roda, e Luciano Huck, Adriane Galisteu, Olivier Anquier e Deborah Secco são alguns dos nomes que devem se juntar a Gagliasso, Vágner Love, Mariana Weickert e Walério Araújo, gente que já passou pela sabatina. — O programa não tem uma pegada didática, não temos especialistas ou

P

revista da tv sexólogos. Fazemos uma crônica e falamos de comportamento. Tem gente que tem tara em transar no carro, no avião. Outros têm tara em ser pisados por mulheres. O que queremos é ouvir histórias — avalia Preta. Depois de uma experiência um tanto frustrada como apresentadora, foi a curiosidade e, em parte, os apelos do pai famoso, o ex-ministro Gilberto Gil, que acabaram levando Preta a aceitar o convite do GNT. O fim de “Caixa Preta”, exibido pela Band em 2004, a deixou, em suas próprias palavras, traumatizada. — Amava o “Caixa Preta”. Mas hoje vejo que ele era too much para a TV aberta. Se tivesse feito esse programa na TV fechada não teria sofrido tanta censura. Via o que ia ao ar e era tudo mutilado, um Frankenstein. Foram 13 programas e fiquei frustrada, foi um baque. Imagina, 38 pessoas demitidas, uma equipe inteira. Guardei a vontade de estar na TV, mas depois me traumatizei. Resolvi ser só cantora. A hora da virada veio com o sucesso de “Noite Preta”, show que se tornou uma espécie de seita e que costuma atrair por onde passa um sem número de seguidores ávidos por “babado, confusão e gritaria”, um dos lemas da cantora. Com um público gay fiel, as apresentações chamaram a atenção do GNT, que a convocou para uma conversa. Na pauta, um programa de sexo — chique e sem ser vulgar. — Preta tem a espontaneidade e bom humor ideais para um programa como o “Vai e Vem”. Ela é capaz de falar de um assunto como sexo combinando ousadia e respeito. Revela os segredos dos convidados famosos e conversa de igual para igual com todos — comenta Letícia Muhana, diretora do GNT. — Estamos muito felizes e seguros com a estreia. E com a certeza de que Preta amadureceu e é a pessoa certa no lugar certo. A fase de testes aconteceu durante o Fashion Rio e o São Paulo Fashion Week, onde rolou o “Barraca da Preta”, programete feito para a internet e que acabou virando um quadro do novo programa. As inevitáveis críticas, Preta diz, são bem-vindas até certo ponto. — Podem falar da luz, do cenário, do jeito que apresento, mas o que me irrita é a agressividade, ou quando dizem que vivo da fama do meu pai, que sou gordinha... Fiz lipos, tomei remédios, e de que adiantou, se eu estava infeliz e ninguém me aguentava em casa? Hoje, vi que virei vidraça, mas minhas lutas não são em vão. Leio “Caras”, tomo Coca-Cola, vejo “Big Brother” e tenho celulite. Assumo tudo que ninguém assume.

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

7

REPÓRTER AVANÇADO É a própria Preta Gil quem diz:para tudo que ela não quer ou não tem coragem de fazer,João Gabriel Vasconcellos é o cara.O ator,cujo personagem no polêmico filme“Do começo ao fim”,de Aluízio Abranches,vive uma relação incestuosa,ganhou o posto de repórter avançado (nos dois sentidos) de“Vai e vem”.No quadro“Test drive”,como o nome já entrega,João vai a festas,faz entrevistas e confere os lançamentos do universo,como dizer,do sexo. Mas apesar de encarar com naturalidade pautas como uma ida a uma casa de podolatria,o ator admite que ainda fica um tanto constrangido com alguns assuntos. — Quando eu fico constrangido? Em todos os programas! — diz João,aos risos.— Sério,de certa forma eu sempre fico,sim,constrangido,meio sem graça. O quadro,gravado em externas,mostra temas ligados a sexo no cotidiano.Assim,um dia João pode estar na tal casa de podolatria;no outro, encontra uma stripper;no porgrama seguinte, pode até mostrar produtos em uma sex shop. Afinal,ele é o test-driver. — Fui indicado por um produtor,encontrei o Tiago (Worcman,diretor do programa),fiz um teste e me convidaram.São coisas inusitadas,situações engraçadas.No programa sobre sexo e internet,por exemplo, conheci uma stripper.Alguns lugares são bem quentes mesmo! Sou um cara tranquilo,encaro sexo como sexo mesmo.Tenho meus pudores, mas não sou tão tímido.O meu trabalho como ator acaba ajudando no de repórter,onde também tenho que improvisar às vezes.E o perfil do canal acaba garantindo a sutileza de tudo. O filme que fez com que seu nome ganhasse destaque,João diz,pode ter sido um dos fatores que o levaram ao programa. — Acho que as pessoas me reconheceram a partir do filme,que foi meu trabalho que ganhou mais projeção.Mas confesso que não sei se o tema de“Do começo ao fim”influenciou na escolha do meu nome,já que os assuntos dos dois são parecidos,ou se eu acabei me encaixando no que eles precisavam — avalia o ator,de 23 anos,que ensaia uma peça e ainda pensa em continuar no cinema. SIMONE MARINHO

João Gabriel vai a festas e faz entrevistas ligadas ao tema de cada episódio do programa


8

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

»‘TERRAAAA,PLANETA ÁGUA’

De amanhã a sexta-feira, o NatGeo apresenta a “Semana da água”, sempre às 19h. Entre os especiais está “Detritos da vida moderna”, na terça-feira, que, claro, fala sobre a questão do lixo.

»SÓ TEM HIT

Alô você que se liga nas tendências:vale assistir ao Brit Awards.A premiação britânica (obviamente) para os melhores da música rola na sexta-feira.Atenção:Lady Gaga vai se apresentar.TNT,à 0h10m.

A S E M A N A N A T V PA G A DIVULGAÇÃO

»COISA DE MULHER

Você é homem e entende o poder de um bom chocolate sobre uma mulher? Se não sabe,“The pleasure”, que estreia hoje na GlobosatHD,à 1h35m,desvenda esse e outros segredos femininos.

OLÍVIA MENDONÇA

Diversidade até no olhar

A

diversidade cultural brasileira ainda é tema de “Espelho”, com Lázaro Ramos,no Canal Brasil.Mas em sua quinta temporada,que estreia amanhã,às 21h30m,o programa ganhou novos diretores e um ar mais documental.No primeiro episódio,Lázaro conversa com Wagner Moura.Diretor-geral de “Espelho”, Anderson Quak fala sobre as mudanças. O que a entrada dos novos diretores traz ao programa? ANDERSON QUAK:O estilo de cada um aparece um pouco mais. Temos cinco novos diretores,e Lázaro também dirige alguns episódios,que estão todos bem surpreendentes. Além da estreia com Wagner,há outro destaque? A entrevista com Pedro Cardoso não foi biográfica,ele falou de coisas que não se esperaria dele,como o sistema de cotas.Desta vez, conseguimos mesclar bem personagens anônimos e conhecidos. DIVULGAÇÃO/DÉBORA GEMIGNANI

»

SOPHIA E A ‘PLAYBOY’ A cineasta Sophia Coppola agora tem algo em comum com a “Playboy”. Em “Girls of Playboy Mansion”, duas pupilas de Hugh Heffner fazem um teste para um longa da diretora.No mínimo,surreal.No E!,na quinta-feira,às 21h . RAPAZ LATINO-AMERICANO Apresentada pelo historiador Felipe Pigna e o escritor Pedro Palou,a série “Unidos pela história” estreia na terça-feira,às 22h,no History Channel.A ideia é mostrar que brasileiros e argentinos (ok,todos os povos latinos) têm muito mais em comum do que pensam.

»ELAS.COM.BR No “Urbano”de hoje,às 22h30m,no Multishow,Renata Simões apresenta a festa “Make me up”, criada por Flávia Durante e Miss Ma.O conceito? Maquiagem,manicure e cabelo na balada.Por conta disso,pedimos à superconectada Renata três dicas de sites bem mulherzinha. 1. Minas de Ouro (http://minasdeouro.com.br).“Oito mulheres bacanas que dividem com suas leitoras dicas de arte,beleza,decoração...” 2.Cajon DeSastre (http://mi-cajon.blogspot.com).“Cariocas espalhadas pelo mundo mostram a sua visão das cidades” 3.TwoWay Monologue (http://twoway-monologue.blogspot.com).“Duas meninas em cidades diferentes falam de cultura pop,música,cinema,viagens...”

DIVULGAÇÃO GLOBO NEWS/FÁBIO FERNANDES

»

SUPERFÊMEAS A faixa“GNT.doc”,sempre às 21h,tem bons perfis nesta semana. Amanhã,“Marilyn em Manhattan”mostra a atriz em restaurantes de Nova York.Na terça,em“Claudia Cardinale,a diva italiana”,a atriz fala sobre maternidade e solidão.Na quarta-feira,“Paixão pelo salto alto”traz uma entrevista com o famoso Manolo Blahnik.

e mais...

»CIRCENSE

Lulu Santos gravou o clipe da música “Baby de Babylon” (que está na trilha de “Viver a vida”) num circo armado na Barra da Tijuca. No vídeo, ele foi dirigido por Gabriela Gastal, Gabriela Figueiredo e Dora Jobim.

»‘IRRITANDO’

No fim deste mês começam as gravações da nona temporada do “Irritando Fernanda Young”, que tem data de estreia marcada para 25 de abril no GNT. Entre os convidados: Luciano Huck, Zeca Camargo, Maitê Proença e Ana Cláudia Michels.

»TESTE

Thaila Ayala fez teste para “Ti ti ti”. A novela de Maria Adelaide Amaral vai ao ar às 19h na Globo.

»CELESTE

No ar como o astrônomo Renato em “Tempos modernos”, Danton Mello tem um telescópio há dez anos em casa. Ele já fez até um curso para aprender sobre as estrelas no passado: “Quem nunca olhou para o céu e pensou em pisar na Lua?”, filosofa.

»LONGE DO SERENO

A equipe do “CQC” que vai à Copa respirou aliviada com a notícia que veio essa semana: Felipe Andreolli e Rafael Cortez terão credenciais que dão acesso às entrevistas coletivas e contato com os jogadores.

»NOVELA

Cacau Melo e Luiza Curvo estarão no elenco de “Cuidado com o anjo”, novela da Record em parceria com a Televisa.

»PARAÍSO

»

OUI! Jean-Luc Petitrenaud é apaixonado por gastronomia,mas passa longe do perfil de chefs como Jamie Oliver.Quer entender o porquê? Então dê um confere em“Les escapades de Petitrenaud”.Nesta semana,ele vai ao famoso mercado atacadista de Rungis,nos arredores de Paris.Amanhã,na TV5 Monde,às 18h30m.

Domingo | 21 de março de 2010

»ELE FARIA CEM ANOS O centenário de Chico Xavier levou Claufe Rodrigues,editor e repórter da Globo News,até Pedro Leopoldo,em Minas Gerais.Foi lá que ele refez passos importantes da vida do médium para o especial“Chico Xavier,entre o enigma e a fé”,que começa a ser exibido na terça-feira,às 23h.Entre os lugares visitados está o centro espírita da foto,no terreno da casa onde Chico nasceu.

Opeão Terêncio de “Paraíso” ficou para trás. Alexandre Nero terá cara de mau em “Escrito nas estrelas”, próxima novela das 18h. É o primeiro vilão dele na TV. Desta vez, seu personagem, Gilmar, será galanteador e ambicioso. Se antes seus papéis encantavam as mulheres, agora elas vão sofrer com ele. A história de Elizabeth Jhin tem estreia prevista para 12 de abril.


revista da tv

Domingo | 21 de março de 2010

Programação de tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Programação de filmes

FOTOS:DIVULGAÇÃO

HOJE GASPARZINHO — O FANTASMINHA CAMARADA Com Christina Ricci, Bill Pullman, Cathy Moriarty. Assombroso vai puxar seu pé. Na trama, o Fantasminha Camarada (dublado por Malachi Pearson) vive melancólico em uma mansão malassombrada. Mas seu coração espectral volta a bombear ectoplasma depois que ele conhece a pequena Kathleen “Kat” Harvey (Christina Ricci), cujo pai, Dr. James (Bill Pullman), é um psicólogo interessado em fenômenos sobrenaturais. Comédia sobrenatural. TROPICAL, 11h.

Rebelião em Milagro com Rubén Blades e Sonia Braga InterTV Cabugi/Globo -11 05:50-Santa Missa 06:50-Sagrado 07:00-Globo Comunidade 07:30-Pequenas Empresas 08:05-Globo Rural 09:00-Auto Esporte 09:30-Esporte Espetacular 12:25-A Turma do Didi 13:00-Temperatura Máxima:Acquamarin” 14:56-Globo Notícia 14:59-Domingão do Faustão 16:45-Futebol 2010 Fluminense x Resende 19:00-Domingão do Faustão 20:45-Fantástico 23:10-Big Brother Brasil 10 23:55-Domingo Maior: 8 Milímetros 02:05-Flash Big Brother Brasil 10

TV Universitária/Cultura - 5 06:00-Via Legal 06:30-Brasil Eleitor 07:00-Palavras de Vida 08:00-A Santa Missa 09:00-Viola Minha Viola 10:00-A Turma do Pererê 10:30-Poko 11:00-Castelo Rá Tim Bum 11:30-Janela Janelinha 12:00-ABZ do Ziraldo 12:45-Curta Criança 13:00-Os Heróis da Praia 13:30-Papo de Mãe 14:30-Cultura Ponto a Ponto 15:00-Stadium 16:00-Assim que Funciona 16:30-Expedições 17:00-Ver TV 18:00-De Lá Pra Cá 18:30-América Latina Tal Como Somos 19:00-Som na Rural 20:00-Conexão Roberto D’Avila 21:00-Esportvisão 22:15-Arte com Sérgio Britto 23:00-Cine Ibermedia 00:45-Curta Brasil 01:45-Doc TV IV

TV Mult tv/Rede TV! - 17 06:00-Ultrafarma 08:00-Igreja Universal do Reino de Deus 08:30-Avanti Midia 09:00-Super Papo 09:30-Pé na Estrada 10:00-Interligado 11:30-Carlos Cunha Show 12:00-Médico de Alma e Corpos 13:00-Tempo de Avivamento 13:30-Avanti Midia 13:55-Super Papo 14:00-Auto Mais 14:45-Caçadores de Aventuras 15:15-Transição Easy Rider

15:45-Olhar Digital 16:15-Interligado 17:15-Planeta Turismo 18:15-Ritmo Brasil 18:45-Bola na Rede 20:45-Momento Pânico 21:00-Pânico na TV 23:15-Dr.Hollywood 00:15-É Notícia 01:15-A Hora e Vez da Pequena Empresa 01:30-Interligado 02:30-Igreja da Graça Nosso Lar 04:30-Super Papo

TV Potengi/Bandeirantes - 3 07:00-Mundo Real 07:30-Vida e Missão 08:00-Posso Crer no Amanhã 08:30-A Programar 08:45-Informeciais 10:30-Brasil Caminhoneiro 11:00-Rota Sertaneja 12:00-Uma Escolinha Muito Louca 13:00-Liga dos Campeões 13:30-Band Esporte Clube 16:30-Futebol 2010: Fluminense x Resende 19:00-Terceiro Tempo 21:00-Vídeo News 21:30-Força Secreta 22:30-Mar Sem Fim:— Viagem à Antartica 23:25-De Olho na Copa 23:30-Canal Livre 00:30-Deles e Delas 01:30-Liliana Rodriguez 02:00-Show Mix

TV SBT/Ponta Negra - 13 06:00-Chaves 07:00-Pesca Alternativa 08:00-Vrum 08:30-Ganhe Mais Dinheiro com Jequiti 09:00-Domingo Animado 11:00-Domingo Legal 14:45-Eliana 19:00-Roda a Roda Jequiti 19:45-Programa Silvio Santos 00:00-Pegadinhas Picantes 00:30-Harper’s Island 01:30-Arquivo Morto 03:00-Nip/Tuck 04:00-Jornal do SBT

TV Tropical/Record - 8 08:00-Record Kids 09:30-Domingo de Prêmios 10:00-Record Kids 11:00-Domingo Aventura:Gasparzinho - O Fantasminha Camarada 12:30-Tudo é Possível 17:00-Domingo Espetacular 20:00-Programa do Gugu 00:00-Heroes 01:00-Programação Iurd

ACQUAMARINE Com Sara Paxton, Emma Roberts, Jake McDorman. Splish splash. Realizadora de um curta-metragem genial, chamado “Eyeball Eddie” (2001), Elizabeth Allen estreou na direção de longas em 2006, com cartabranca da 20th Century Fox para soltar a imaginação livremente em fábulas para adolescentes. Aqui, a cineasta narra os esforços da jovem sereia Acquamarine (vivida pelo bom-bocado Sara Paxton) para se enturmar entre seres humanos. O principal objetivo da peixinha é lançar suas ovas na direção do p...ericárdio do salva-vidas Raymond (Jake McDorman). Comédia fantástica. INTER TV/CABUGI, 13h05m. REBELIÃO EM MILAGRO Com Rubén

Blades, Christopher Walken, Sonia Braga. Colheita maldita. Finalizando a direção do drama “The conspirator”, com Robin Wright Penn e James McAvoy, Charles Robert Redford Jr., hoje com 73 anos, fez sua estreia como cineasta em 1980, ao lançar “Gente como a gente”. De cara, ganhou o Oscar de melhor diretor. Seu segundo longa como realizador foi esta adaptação para o romance homônimo de John Nichols. Sua trama propõe uma reflexão sobre reforma agrária a partir da luta de um grupo de pequenos agricultores do Novo México para resistir ao projeto de expropriação orquestrado pelo empresário Ladd Devine (Richard Bradford) e aplicado pelo matador Kyril (Christopher Walken, genial). Drama. TELECINE CULT, 14h15m. JCVD Mabrouk El Mechri, cineasta francês de origem argelina, pinta e borda com o belga Jean-Claude Van Damme nesta comédia semidocumental. Nela, o mais famoso dos kickboxers do cinema debocha de seu próprio fracasso pessoal e profissional. Inédita no circuito exibidor brasileiro, a produção, lançada em 2008, mostra Van Damme tal qual ele é: um astro detonado por escolhas estéticas equivocadas que regressa à sua Bélgica natal em busca de paz. Mas, ao chegar “em casa”, ele terá de lutar. De verdade. HBO, 16h40m.

JUMP IN! Com Corbin Bleu, Shanica Knowles. O filme tenta capturar espectadores com o carisma de Corbin Bleu, o Chad Danforth de “High School Musical”. Bleu vive Izzy Daniels, membro de uma família de boxeadores que tenta a sorte em um torneio diferente: o Double Dutch, uma competição de pular cordas. Comédia. INTER TV/CABUGI,15h50m.

TERÇA-FEIRA NAS PROFUNDEZAS DO MAR SEM FIM Com Michelle Pfeiffer, Treat Williams, Whoopi Goldberg. Nado sincronizado. Sob as rédeas do cineasta belga Ulu Grosbard, que dirigiu Dustin Hoffman nos inestimáveis “Liberdade condicional” (1978) e “O inimigo oculto” (1971), Michelle Pfeiffer mostra a grande atriz que é vivendo Beth Cappadora. A vida de Beth se desestrutura depois que seu filho desaparece. Nove anos após o sumiço, ela passa a desconfiar de que seu rebento é o guri que zela por seu jardim. Drama. INTER TV/CABUGI, 15h30m.

QUARTA-FEIRA JUNO Com Ellen Page, Michael Cera, Jen-

Rodrigo Fonseca DIAS DE SANTIAGO É um acerto e tanto para a sessão “Ibermedia” a escalação do drama “Días de Santiago” (2004), de Josué Méndez, para fechar a grade da TV Brasil deste domingão. O filme garante um preciso retrato do novo cinema peruano. Na trama, Santiago Roman (Pietro Sibille) regressa a Lima após anos de combate ao terrorismo na selva. No Peru, ele vai sofrer para se adaptar. TV BRASIL, 23h. 8MM — 8 MILÍMETROS Com Nicolas Cage, Joaquin Phoenix, James Gandolfini. Com a bitola inchada. Finalizando “Twelve”, um drama sobre drogas com 50 Cent e Kiefer Sutherland, o novaiorquino Joel Schumacher foi vitrinista, estilista de roupas e embalagens da Revlon e figurinista dos filmes de Woody Allen. Ele fez isso tudo antes de dirigir seus próprios longas. Emplacou pérolas (“O primeiro ano do resto de nossas vidas”) e bombas (“Em má companhia”), mas sempre rendeu fartas quantias aos estúdios. “8mm”, mergulho sombrio no submundo dos filmes pornôs, deu água: custou US$ 40 milhões e só faturou US$ 36 milhões. Porém, circula até hoje nas TVs, à força do carisma de Nicolas Cage, inspirado como um detetive que investiga o sumiço de uma menina. O desaparecimento dela está ligado à feitura de uma fita erótica. Thriller. INTER TV/CABUGI,23h55m. na indústria audiovisual como roteirista, ligado a séries como “Mork & Mindy”, que revelou Robin Williams. Neste azeitado telefilme, Brooke (Kaley Cuoco), uma estudante de moda que sonha ser estilista, herda um império mafioso. Comédia. INTER TV/CABUGI,15h45m.

AMANHÃ

VINGANÇA Com Erom Cordeiro, Branca Messina, Bárbara Borges. A trama começa na pequena Pedro Osório, no Rio Grande do Sul. Lá começa a cruzada de Miguel (Erom Cordeiro), um professor de tradições gauchescas. Ele vem ao Rio para executar uma missão misteriosa: reagir contra o estupro de uma jovem, Camila (Bárbara Borges). Mas Miguel põe sua revanche em risco depois que conhece Carol (a delícia Branca Messina), uma patricinha do Leblon. Thriller. CANAL BRASIL, 22h.

9

SEXTA-FEIRA

Juno com Ellen Page, Michael Cera, nifer Garner, Jason Bateman. Onde voam as cegonhas. Rodado ao custo de US$ 7,5 milhões, o segundo longa do canadense Jason Reitman (“Obrigado por fumar”) conquistou o prêmio de melhor filme no Festival de Roma de 2007, além do Oscar de melhor roteiro original, assinado pela ex-stripper Diablo Cody. Sua bilheteria: US$ 143,9 milhões. Diablo costura diálogos deliciosos ao narrar a crônica dos nove meses em que a adolescente Juno (Ellen Page, impagável) gesta no ventre um inesperado bebê, fruto de seu namoro com o tímido Paulie Bleeker (Michael Cera, de “Superbad — É hoje”). Um casal em crise (a chata Jennifer Garner e o ótimo Jason Bateman) vai se oferecer para adotar o neném de Juno.Comédia dramática. TROPICAL, 23h.

QUINTA-FEIRA A HERDEIRA DA MÁFIA Com Kaley Cuoco, Dominic Chianese, Megan Fox. Don Corleone veste Prada. O diretor canadense Stuart Gillard se destacou

ALELUIA, GRETCHEN Com Lilian Lemmertz, Míriam Pires, Sérgio Hingst, Carlos Vereza. A águia pousou. Exibida pelo Festival de Gramado de 1977, a obra-prima de Sylvio Back — obrigatória como reflexão sobre o totalitarismo — ganhou os Kikitos de melhor fotografia (dada a José Medeiros) e melhor ator coadjuvante (entregue a José Maria Santos). Back narra aqui a saga da família Kranz, liderada pelo professor Ross (Sérgio Hingst) e por sua mulher, Frau Lotte (Miriam Pires). Os Kranz fogem da Alemanha nazista, desembarcando no Brasil por volta de 1937. Drama. TV BRASIL, 22h30m.

SÁBADO O CÁRCERE E A RUA Visita íntima. Refletindo sobre as perdas e os danos implícitos no verbo viver, Mário Quintana (1906-1994) aconselhou: “Não desças os degraus do sonho/ Para não despertar os monstros”. Mas Betânia, Claudia e Daniela, internas da Penitenciária Madre Pelletier, não ouviram o poeta e trafegaram nessas duas (contra)mãos, descendo ao Inferno. Liliana Sulzbach, diretora deste documentário premiado em Gramado, acompanha as moças nos dois percursos, cruzando o limite entre o Purgatório da prisão e o Céu da liberdade. Documentário. TV BRASIL, 22h.


10 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 21 de março de 2010 FOTOS DE ARQUIVO PESSOAL

COLUNA DO

Clube do Assinante Promoções e descontos renovados a cada domingo

DIVULGAÇÃO

Promoções válidas de domingo (21/03/10) a sábado (27/03/10), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

Em sentido horário: Thais Venosa vai passar um semestre em San Diego, Rodrigo Schuwenk vai estudar inglês, em Nova York, o casal Arianne Thrall e Marco Estrella alugou apartamento em Londres e Christiano Reis vai conhecer o Japão

Artmag A Artmag é uma loja que oferece artigos terapêuticos em geral. Lá você encontra produtos para acupuntura, radiestesia, magnoterapia, massagens, etc. Faça uma visita e conheça as novidades que a Artmag reservou para você. Esta semana, a Artmag oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante TN, nos artigos ortopédicos “Ideal” e nos produtos para massagens. Shopping Via Direta, loja 824, Lagoa Nova Tel.: 3234.1897

50% à vista (dinheiro) nos artigos ortopédicos “Ideal” e nos produtos para DIVULGAÇÃO

massagens.

Em terra estrangeira

CIRP Há 10 anos, a CIRP realiza procedimentos para reabilitação postural como pilates e RPG. Atualmente, a clínica ampliou seu serviços oferecendo além disso, os serviços de reabilitação cardíaca e pulmonar, fisioterapia dermato funcional com serviços facias e corporais. Esta semana, a CIRP oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, nos serviços de pilates, RPG e drenagem linfática. Rua Cel. Costa Pinheiro, 1522, Tirol Tel.: 3211.6016/3212.3118

50% à vista (dinheiro) nos serviços de pilates, RPG e drenagem linfática. ■ As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■ Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção,o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■ Contatosparacredenciamento:Depto.deMarketing.Tel.4006-6100,R.6262. ■ e- mail.mkttn@terra.com.br; clubetribuna@digizap.com.br

A cada 15 dias, o “Jornal hoje”vai levar ao ar uma matéria,mostrando o dia a dia de cinco personagens. O que eles têm em comum? Todos são jovens,na casa dos 20 anos, com espírito aventureiro, decididos a passar alguns meses longe de casa, vivendo outra cultura

CLARISSA FRAJDENRAJCH

mineiro foi parar no Japão. O carioca embarcou para Nova York. A jornalista escolheu San Diego e o casal apaixonado já está em Londres. Os cinco personagens fazem parte de uma série de reportagens que será exibida a partir de amanhã, no “Jornal hoje”. O que eles têm em comum? Todos são jovens, na casa dos 20 anos, com espírito aventureiro, decididos a passar alguns meses longe de casa, vivendo outra cultura, enquanto aperfeiçoam um idioma estrangeiro. — Uma fatia de nossos espectadores é formada pelos jovens e este é um tema de grande interesse para eles — conta Teresa Garcia, editora-chefe do “Jornal hoje”.

O

A cada 15 dias, o jornalístico da TV Globo vai levar ao ar uma matéria, mostrando o dia a dia deles. E os participantes também vão poder contar como estão se virando no exterior através de um blog, hospedado dentro do site do “JH”. — Eles terão o canal do blog para uma contribuição mais pessoal. Vão poder falar das dificuldades de adaptação, da saudade da família, como é viver na casa dos outros — diz Teresa. Para chegar aos cinco escolhidos — o casal Arianne Thrall, 24, e Marco Estrella, 27, Rodrigo Schuwenk, 22, Thais Venosa, 24, e Christiano Reis, 29 — a equipe do “JH” fez uma pesquisa de dois meses, com a ajuda de embaixadas, consulados e cursos de língua estrangeira.


revista da tv

Domingo | 21 de março de 2010

PRIMEIRO PLANO

H

avia uma regra imutável no cinema americano:um filme tem de começar bem.Isto é,conquistar o espectador nos primeiros dez minutos.A regra continua válida para as novelas.É por isso que o primeiro capítulo costuma ter menos intervalos comerciais e ser mais longo.

COMEÇOU NO ALTO O ator Marcos Palmeira,insatisfeito com a sua última novela ( Três Irmãs),pretendia fazer uma pausa na televisão.Entretanto,ao ler os primeiros capítulos de Cama de Gato,voltou atrás.Realmente,o começo da novela foi bom, até mesmo surpreendente,e tinha um ritmo que Tempos Modernos nunca teve e não era monotonamente repetitiva como Viver a Vida.

A TRAMA Gustavo (Marcos Palmeira),milionário arrogante e executivo tirânico,é vítima de um falso sequestro.A idéia do amigo e sócio, Alcino (Carmo Dalla Vecchia),era dá um susto

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 11

VALÉRIO ANDRADE

Não basta começar bem

desata do relacionamento amoroso.

O PAPEL VIROU CONTRA O ATOR

DIVULGAÇÃO/TV GLOBO

a Gustavo para ver se ele voltava a ser o Gustavo de antigamente. O que Alcino desconhecia era que se aproveitando do falso sequestro, Verônica (Paola Oliveira),esposa de Gustavo,iria matar o marido.

A QUEDA Depois dos primeiros capítulos,o ritmo da novela foi caindo e a história

Marcos Palmeira: começou bem e caiu junto com a novela

Camila Pitanga: melhor como coadjuvante

se rotinizando.A heroína da novela,Rose (Camila Pitanga), testemunha ocular do plano de Veronica,que era a faxineira da fábrica de perfumes do casal,conquista o amor de Gustavo quando este ficou pobre e era dado como morto.O romance era previsível,mas não era para ser tão chato,no ata-

Cada um no seu quadrado Débora Bloch e Vladimir Brichta são os protagonistas de ‘Separação?!’, série escrita pelos autores de ‘Os normais’ TV GLOBO/ALEX CARVALHO

ZEAN BRAVO

arin e Aguinaldo chegam ao restaurante japonês para encontrar um casal de amigos irritadíssimos um com o outro. Não demora nada para que as implicâncias se transformem num verdadeiro barraco — “Eu não estou descontrolada”, grita ela, antes de esfregar molho agridoce na cara dele. Personagens de Débora Bloch e Vladimir Brichta na série “Separação?!”, que estreia dia 9, com a nova programação da Globo, os dois passam por aquele momento delicado em que o casamento chegou ao fim, mas só eles ainda não se deram conta disso. — Os dois não percebem que precisam se separar e acabam contaminando tudo ao seu redor — explica Débora, pouco depois de gravar duas vezes a cena em que besunta o rosto de Brichta com molho. Escrita pelo casal Fernanda Young e Alexandre Machado e dirigida por José Alvarenga, a nova produção traz em sua ficha principal a mesma equipe de “Os normais”. Comparações à vista com a série estrelada por Luiz Fernando Guimarães e Fernanda Torres? — “Os normais” trazia um casal pronto para viver a vida ao máximo, mas queren-

K

Personagem de Débora se irrita com o de Brichta em cena

do aparentar certa normalidade. A dupla de “Separação?!” começa careta e vai enlouquecendo. Como na série anterior, esses novos personagens vão criar um ponto de identificação com o público, mesmo que seja por uma particularidade — aposta Alvarenga. O diretor afirma que o programa traz uma evolução em relação a “Os normais”. — Ainda estamos falando de um casal, mas de

um ponto que não tínhamos tocado. E agora busco uma imagem mais elaborada, com cenas mais longas. Em “Os normais” o ritmo era outro, com muitos closes e cortes. Amiga de Luiz Fernando e Fernanda, Débora faz piada sobre as possíveis comparações entre as duas atrações. — Estamos tentando fazer tudo à altura deles. A ideia é não decepcionar e queremos correr atrás dessa

Ao contrário de Antonio Fagundes,cuja personagem (Tempos Modernos) nunca foi bom e está indo do mal a pior,Marcos Palmeira esteve bem enquanto o papel dava margem a uma boa interpretação.Quando este deixou de ser bom,Marcos Palmeira, talvez por achar ser inútil qualquer esforço, perdeu o entusiasmo inicial e rotinizou-se junto com o papel e a novela.

É MELHOR SER VILÃ Ser a protagonista nem sempre é bom,embora, é claro,seja o objetivo de toda a atriz.Veja o caso de Camila Pitanga.Ela não esteve (muito) melhor como coadjuvante? Pois é.Não é que esteja particularmente mau como Tais Araújo em Viver a Vida,mas a personagem não ajuda.Quem subiu foi a vilã Verônica,que deu margem para que Paola Oliveira se tornasse uma presença mais interessante do que a dupla romântica.

tarefa árdua — brinca ela. Brichta, que durante a gravação mantinha um tom de voz calmo, mas debochado, enquanto a personagem de Débora surtava, fala do clima nos bastidores da série. — Adoro trabalhar em programas desse gênero e me agrada muito a forma como eles são escritos. Os diálogos são muito afiados. Na primeira vez em que gravei com a Débora fiquei lembrando de certas falas dela no “Comédia da vida privada” — entrega o ator. Sem perder tempo, Débora emenda uma gracinha logo após a declaração do colega: Ele está me chamando de velha, não é? Enquanto os protagonistas usam um dos intervalos das gravações para conversar com a Revista da TV, numa sala próxima ao estúdio do programa, a atriz Cláudia Ventura aproveita o tempo livre para almoçar. Ela também está no elenco fixo da atração como Gilda, mulher de Delgado (Marcelo Várzea). São os dois que estão com Karin e Aguinaldo no entrevero criado no restaurante japonês. — Eles nem discutem mais a relação, mas brigam feio na frente dos outros. A Gilda e o Delgado também serão contaminados e passarão por uma crise mais adiante — conta Brichta, antes de concluir: — Karin e Aguinaldo brigam por razões que parecem trágicas para eles, mas patéticas para quem está de fora. Professora primária, Karin leva sua crise para o trabalho. Aguinaldo, que é funcionário de uma corretora de seguros, também se descontrola em qualquer lugar. Os dois já não fazem mais a menor cerimônia e geram o maior climão na frente de qualquer um.


Revista da tv 12

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 21 de março de 2010 ANDRÉ COELHO

ZEAN BRAVO

ilho de nordestino, o carioca Marcos Veras, de 29 anos, aproveitou as mais variadas oportunidades de trabalho na TV antes de emplacar dois personagens no humorístico “Zorra total”: Soluço (uma das crianças do quadro “Vamos brincar de quê?”) e Frescone (um mafioso afeminado). Ator há uma década, ele já vendeu panelas no Shoptime, ganhou R$ 100 para atuar num esquete do “Telecurso Educação Básica — Tecendo o Saber”, reprisado até hoje, interpretou um assassino de taxistas no “Linha direta”, e ganhou um papel fixo numa novela da Record — o de um garçom, “com nome e tudo”, frisa. Mas nada lhe deu tanta repercussão como as duas passagens pelo programa de Jô Soares, uma como convidado do quadro “Humor na caneca” e outra como entrevistado do apresentador. — A entrevista foi ao ar à 1h da manhã de sexta-feira para sábado. No dia seguinte já tinha vídeo no YouTube. E não fui eu que postei! — brinca o ator. Veras fazia participações no “Zorra” desde março do ano passado, mas só assinou o primeiro contrato fixo com a Globo depois de aparecer no sofá do Jô, em novembro último. — Apareci em dois blocos do programa e foi um boom. Hoje as pessoas já me reconhecem na rua por causa do Jô, do “Zorra”, e dos trechos da minha peça na internet — enumera. A peça em questão é a comédia “Falando a Veras”, em que o ator interpreta vários tipos. Um dos mais populares é Toinho, sujeito que deixou o interior do Ceará para tentar a sorte no Rio de Janeiro, lançou um CD de forró com letras de duplo sentido e não perde a chance de fazer piadas com todo mundo. — Ele é um nordestino fanfarrão — conta o ator, que também dá expediente em duas rádios cariocas. Ex-vendedor de loja formado em Propa-

F

Ex-vendedor de panela na TV, Marcos Veras entrou para o elenco fixo do ‘Zorra total’ depois de ser entrevistado no Jô

Um ator

comediante ganda e Marketing, Veras sempre quis ser ator. Mas conta que não recebeu incentivo nem mesmo em família. — Meu pai achava que era profissão de gay — revela. Ele só decidiu viver integralmente como ator em 2002, quando pediu demissão da loja. Lá, Veras já exercitava seus dotes dramáticos ao imitar personalidades como Silvio Santos e Caetano Veloso. — Enquanto vendia uma calça, imitava os famosos.

O jeito para lidar com vendas também foi explorado no vídeo durante o “pouco mais de um ano” em que o ator trabalhou no Shoptime em programas como “Sua casa na TV”. — Era uma espécie de vendedor sincero, sabe? Vendia panela, mas dizia que não sabia fritar um ovo — entrega. — Muita gente lembra de mim da época do Shoptime. Já alguns taxistas reconhecem o ator de um “Linha direta” em que ele foi o protago-

nista. — Fiz um matador de taxistas e fiquei uns três meses sem poder entrar num táxi. Divertido, Veras não se considera humorista. — Sou um ator comediante. Não sou um Tom Cavalcanti — compara. Escalado agora com um time de outros famosos para a “Maratoma do Faustão” — gincana gravada na Argentina que irá ao ar em junho no “Domingão” —, Veras afirma: Vou para ganhar!


Tribuna do Norte - 21/03/2010