Page 1

» OS CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 5.458 ANÚNCIOS E 32 PÁGINAS FUNDADOR:ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 61 • Número 134 • Domingo,28 de agosto de 2011

AP/AE

VELHAS LEMBRANÇAS NOVOS DESAFIOS

CLUBE DO ASSINANTE E A NOVA ESTAÇÃO

AS MULHERES ESTÃO COM A BOLA CHEIA

Em equipe competitiva,Bruno Senna tenta repetir caminho de sucesso do tio. [ PÁGINA 7 E ESPORTES 3 ]

Bijouterias,roupas,perfumes e estilos para quem assina a TN seguir a moda mais atualizada. [ CLUBE 1 A 8 ]

Fernanda Gentil (SporTV) é uma das mulheres na cobertura de temas onde os homens dominam. [RTV 6 E 7]

FOTO:ALEX RÉGIS / ARTE:MARCELO SENA

CONSTRUINDO A NOVA GESTÃO PÚBLICA A busca por modelos mais eficientes de gerir a máquina administrativa e os serviços públicos foi o tema do 10º seminário do projeto “Motores do Desenvolvimento do RN”. Jorge Gerdau, Vicente Falconi e Eduardo Campos mostraram por onde passam os caminhos da nova gestão. [ ESPECIAL 1 A 28 ]

[ ECONOMIA ] Projetos de aproveitamento do potencial do aeroporto de São Gonçalo estão pendentes ou sequer saíram das pranchetas

RN terá que investir em infraestrutura para novo aeroporto O Rio Grande do Norte está atrasado com o planejamento necessário para atender todas as expectativas abertas com a concessão do novo aeroporto de São Gonçalo do Amarante, arrematada na última terça-feira em leilão pelo consórcio Inframérica. Estão atrasados ou

ainda esperam ser feitos projetos de infraestrutura básica, como as vias de acesso, e a implementação da ZPE de Macaíba. A ZPE já foi ‘juridicamente constituída', inclusive com aprovação do modelo alfandegário, mas falta o complexo que abrigará as empresas e atrairá investidores.O consórcio

ganhador do leilão adverte que concentrará os investimentos no aeroporto. Lideranças empresariais e o próprio governo admitem: o risco é perder a nova oportunidade, após o Estado ter ficado fora da Transnordestina e ser excluído dos planos da Petrobras para uma grande refinaria. [ ECONOMIA 10 E 11]

JUNIOR SANTOS

ELIANA LIMA Professores de escolas municipais e estaduais estão em pânico com atuação de aliciadores.

RICARDO OLIVEIRA

[ NATAL 14 ]

CLÁUDIO HUMBERTO Tentativa de flexibilizar a Emenda 29 agrava ambiente de conflito na base aliada de Dilma. [ PÁGINA 10 ]

JORNAL DE WM Reportagem de Veríssimo de Melo destaca o humor de Luiz da Câmara Cascudo. [ PÁGINA 2 ]

“Resolvi dar uma chance a mim mesmo” representada pelos pichadores que vandalizam espaços públicos e privados. [ NATAL 3 ]

Triste com as contusões,Ricardo Oliveira chegou a desistir.Mas,feliz no ABC,quer recomeçar. [ ESPORTES 2 ]

CONDOMÍNIOS

COMPORTAMENTO

» O MURO A arte dos grafiteiros é uma alternativa cultural com efeitos sociais à ameaça MINISTÉRIO

POLÍTICA

Crea e Ministério Deputados do Fábio quer debater Vício em exercícios Público ensinam a PSDB acusam Ideli 2012 com foco em físicos causa danos função de síndico de favorecer ONG planos para Natal à saúde do atleta O Crea e o Ministério Público estão distribuindo o “Manual do Síndico”, um guia sobre como administrar condomínios. Há desde informações para contratar mão de obra às regras de acessibilidade. [ NATAL 9 E 10 ]

140

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

REDAÇÃO: PAUTA

pauta@tribunadonorte.com.br

FALE CONOSCO: PABX: 4006-6100 Redação: 4006-6113

Ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti é acusada de exercer influência para o favorecimento de uma entidade criada por um assessor que é o “braço direito” dela desde 2004. [ PÁGINA 6 ] Assinaturas: 4006-6111 Venda avulsa: 4006-6103 Comercial: 4006-6173

Classificados: 4006-6161 Circulação: 4006-6103 Reclamações:4006-6111

O deputado Fábio Faria (PSD) não quer discutir pré-candidaturas à Prefeitura do Natal. Segundo ele, o grupo político do qual faz parte está preocupado em encontrar saídas para a crise na capital. [ PÁGINAS 3 E 4 ] HOME PAGE:

Pesquisa revela que 28% dos atletas brasileiros, entre profissionais e amadores, são viciados em exercícios físicos. A maioria sofre de transtorno da autoimagem e outros danos na saúde. [TN FAMÍLIA 1 E 3]

www.tribunadonorte.com.br

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


» OS CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 5.458 ANÚNCIOS E 32 PÁGINAS FUNDADOR:ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 61 • Número 134 • Domingo,28 de agosto de 2011

AP/AE

VELHAS LEMBRANÇAS NOVOS DESAFIOS

CLUBE DO ASSINANTE E A NOVA ESTAÇÃO

AS MULHERES ESTÃO COM A BOLA CHEIA

Em equipe competitiva,Bruno Senna tenta repetir caminho de sucesso do tio. [ PÁGINA 7 E ESPORTES 3 ]

Bijouterias,roupas,perfumes e estilos para quem assina a TN seguir a moda mais atualizada. [ CLUBE 1 A 8 ]

Fernanda Gentil (SporTV) é uma das mulheres na cobertura de temas onde os homens dominam. [RTV 6 E 7]

FOTO:ALEX RÉGIS / ARTE:MARCELO SENA

CONSTRUINDO A NOVA GESTÃO PÚBLICA A busca por modelos mais eficientes de gerir a máquina administrativa e os serviços públicos foi o tema do 10º seminário do projeto “Motores do Desenvolvimento do RN”. Jorge Gerdau, Vicente Falconi e Eduardo Campos mostraram por onde passam os caminhos da nova gestão. [ ESPECIAL 1 A 28 ]

[ ECONOMIA ] Projetos de aproveitamento do potencial do aeroporto de São Gonçalo estão pendentes ou sequer saíram das pranchetas

RN terá que investir em infraestrutura para novo aeroporto O Rio Grande do Norte está atrasado com o planejamento necessário para atender todas as expectativas abertas com a concessão do novo aeroporto de São Gonçalo do Amarante, arrematada na última terça-feira em leilão pelo consórcio Inframérica. Estão atrasados ou

ainda esperam ser feitos projetos de infraestrutura básica, como as vias de acesso, e a implementação da ZPE de Macaíba. A ZPE já foi ‘juridicamente constituída', inclusive com aprovação do modelo alfandegário, mas falta o complexo que abrigará as empresas e atrairá investidores.O consórcio

ganhador do leilão adverte que concentrará os investimentos no aeroporto. Lideranças empresariais e o próprio governo admitem: o risco é perder a nova oportunidade, após o Estado ter ficado fora da Transnordestina e ser excluído dos planos da Petrobras para uma grande refinaria. [ ECONOMIA 10 E 11]

JUNIOR SANTOS

ELIANA LIMA Professores de escolas municipais e estaduais estão em pânico com atuação de aliciadores.

RICARDO OLIVEIRA

[ NATAL 14 ]

CLÁUDIO HUMBERTO Tentativa de flexibilizar a Emenda 29 agrava ambiente de conflito na base aliada de Dilma. [ PÁGINA 10 ]

JORNAL DE WM Reportagem de Veríssimo de Melo destaca o humor de Luiz da Câmara Cascudo. [ PÁGINA 2 ]

“Resolvi dar uma chance a mim mesmo” representada pelos pichadores que vandalizam espaços públicos e privados. [ NATAL 3 ]

Triste com as contusões,Ricardo Oliveira chegou a desistir.Mas,feliz no ABC,quer recomeçar. [ ESPORTES 2 ]

CONDOMÍNIOS

COMPORTAMENTO

» O MURO A arte dos grafiteiros é uma alternativa cultural com efeitos sociais à ameaça MINISTÉRIO

POLÍTICA

Crea e Ministério Deputados do Fábio quer debater Vício em exercícios Público ensinam a PSDB acusam Ideli 2012 com foco em físicos causa danos função de síndico de favorecer ONG planos para Natal à saúde do atleta O Crea e o Ministério Público estão distribuindo o “Manual do Síndico”, um guia sobre como administrar condomínios. Há desde informações para contratar mão de obra às regras de acessibilidade. [ NATAL 9 E 10 ]

140

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

REDAÇÃO: PAUTA

pauta@tribunadonorte.com.br

FALE CONOSCO: PABX: 4006-6100 Redação: 4006-6113

Ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti é acusada de exercer influência para o favorecimento de uma entidade criada por um assessor que é o “braço direito” dela desde 2004. [ PÁGINA 6 ] Assinaturas: 4006-6111 Venda avulsa: 4006-6103 Comercial: 4006-6173

Classificados: 4006-6161 Circulação: 4006-6103 Reclamações:4006-6111

O deputado Fábio Faria (PSD) não quer discutir pré-candidaturas à Prefeitura do Natal. Segundo ele, o grupo político do qual faz parte está preocupado em encontrar saídas para a crise na capital. [ PÁGINAS 3 E 4 ] HOME PAGE:

Pesquisa revela que 28% dos atletas brasileiros, entre profissionais e amadores, são viciados em exercícios físicos. A maioria sofre de transtorno da autoimagem e outros danos na saúde. [TN FAMÍLIA 1 E 3]

www.tribunadonorte.com.br

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

opinião

Domingo | 28 de agosto de 2011

ESPAÇO LIVRE [ Agnelo Alves ]

Jornal de WM WODEN MADRUGA - woden@terra.com.br

Cascudo segundo Vivi

N

o fundo da gaveta pesco um envelope e dentro dele está uma cópia xerox da capa do segundo caderno do jornal A União, de João Pessoa, de 8 de maio de 1987. Preso por um clipe, bilhete de Veríssimo de Melo, autor da reportagem, “O Folclore de Cascudo”, que ocupa a página inteira. O mestre havia morrido há quase um ano. O objetivo de Veríssimo era destacar o humor de Luís da Câmara Cascudo, uma constante no seu dia a dia. Reuniu alguns episódios que comprovam este lado do historiador. Na abertura da matéria, um três-por-quatro rápido de Cascudo. Diz Vivi:

“Luís da Câmara Cascudo era homem quotidianamente bem humorado. Sempre o encontrava trabalhando, escrevendo à máquina, quando não recebia visitas de admiradores e amigos inumeráveis. Cascudo era mestre também na arte de conversar. Não havia assunto, no plano da cultura, que desconhecesse. Falava e deixava a gente falar. A sua alegria interior era decorrência de sua cultura, de sua erudição. Muitas vezes também o surpreendia lendo, na

rede, fumando seu charuto. Certa manhã, entrando no quarto dele, encontrei-o na rede, com um grande travesseiro nas costas; lendo. Embaixo estava enorme bacia, o que estranhei. Ao sair, perguntei o que significava aquela bacia. Seria algum ritual folclórico? – indaguei. Ele deu a resposta adequada ao curioso: “Jumento – disse ele – como é que poderia acertar num cinzeiro deste tamanho, me balançando na rede e lendo?”

Opção difícil, mas necessária

A

inda temos três dias úteis de agosto. Não quero intranqüilizar ninguém da área política que ocupa cargo comissionado do chamado “alto nível”. Ministros de Estado por exemplo. Eles não me lêem. Mas, acho que a declaração da presidente Dilma de que a “faxina” terminou não me convence. Quem treme de medo com a faxina ética é o ministro do Turismo, Pedro Novais. A declaração presidencial não o tranqüilizou e acredito, até, que intranqüilizou os demais ministros, por uma razão muito lógica. Porque igualar o ministro do Turismo, que está por um fio de navalha por causa de denúncias, aos demais que ainda não sofreram acusações? É claro que a presidente Dilma está se ressentindo da falta de apoio na sua “base aliada” tão falada e cantada em alto e bom som pelos parlamentares que a integram na Câmara Federal e no Senado. De repente, os prédios da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, começam a apresentar uma espécie de treme-treme generalizado, desde a ascensorista do elevador, até o gabinete ministerial. Os próprios deputados correligionários avan-

Tem ministros que confiam que se não caírem até quarta-feira próxima, não cairão mais – É verdade que os ventos de agosto poderão cessar, mas a faxina vai continuar”

çaram o sinal contra os seus respectivos ministros como, por exemplo, o ministro das Cidades, Mário Negromonte, do PP. E aí, o tiroteio parece transcorrer entre deficientes visuais. O ministro Mário Negromonte concedeu uma declaração realmente inédita, diria mesmo perigosa, ameaçadora. Disse o ministro do PP, como advertência aos deputados de seu próprio partido: “Imagine se começar a vazar o currículo de alguns deputados. Ou melhor, a folha corrida. Mas não vou citar nomes”. E completando o conselho aos seus correligionários, o ministro declarou ainda: “Não devemos expor as vísceras. Em briga de família, irmão que tenta matar irmão, morre todo mundo”. Acompanho a vida política de Brasília desde 1955 e nunca vi coisa igual ou sequer parecida. Não sei, sinceramente, se a presidente Dilma Rousseff vai tolerar, ao preço de apoio no Congresso Nacional, que um ministro denunciado pelos seus próprios cor-

religionários revide as acusações com ameaças, propondo “paz” para todos, porque “irmão que mata irmão” termina em morte de todos da família. Que família, heim? Que “base de apoio” é essa, heim? A presidente Dilma recebeu, com as demissões de ministros denunciados, a aprovação da sociedade brasileira, manifestada em sucessivas pesquisas nacionais de opinião pública, apesar das pressões dos partidos dos respectivos demitidos. Tudo bem que a faxina contra a corrupção não seja uma meta do Governo, voltado para a erradicação da miséria na população brasileira. Ignorar a corrupção seria um preço muito caro para ela e para os brasileiros. Agosto, o mês da renúncia do presidente Jânio Quadros, o homem da “vassoura”. E da morte de Getúlio Vargas. Também o mês da demissão de três ministros de Dilma.

Amâncio - www.chargistaamancio.blogspot.com

Cartas

CASCUDO E SYLVIO PEDROZA Veríssimo segue contando outras histórias. Esta, por exemplo, que envolve o ex-governador do Estado e ex-prefeito de Natal, Sylvio Piza Pedroza: “Luis da Câmara Cascudo foi homem de amigos incontáveis. Dentro e fora do Rio Grande do Norte, inclusive muitos estrangeiros. Ele sabia cultivar amizades. Uns, naturalmente, mais diletos do que outros. Todos, porém, fiéis na devoção do carinho e admiração ao Mestre inesquecível. Para cada um Cascudo tinha uma palavra especial. Um gesto, uma atitude e até uma careta. Às vezes, criava estórias fabulosas para caracterizar e pilheriar com um ex-aluno querido. Por exemplo: o ex-Prefeito de Natal e ex-Governador do Rio Grande do Norte, dr. Sylvio Pedroza, foi dos seus amigos mais íntimos e conselheiro particular. Quando Prefeito, nomeou Cascudo oficialmente Historiador da Cidade do Natal, cargo honorífico com vencimento de um cruzeiro por ano – quantia que era sempre entregue na casa do Mestre com esfuziantes solenidades e brincadeiras. Sylvio só entrava na casa de Cascudo pulando a janela – gesto que o Mestre adorava. Ficou famosa a piada que Cascudo inventou a respeito de Sylvio Pedroza, estudante. Dizia ele que, num exame final, no Ateneu, teria indagado: - Sylvio, como foi que dom Manuel, Rei de Portugal, soube do descobrimento do Brasil? Sylvio teria respondido: - Pedo Álvares Cabral passou um telegrama!...”

Drenagem O governo federal tem mais é que investir mesmo em drenagem. Em 2007, eles investiram bilhões no RJ pra organizar o Pan-americano. Dessa vez, o governo federal, que historicamente nos desprezou e concentrou investimentos no centro-sul será obrigado a lembrar que a parte de cima do país também paga impostos e merece atenção.

Postos

CASCUDO E JOSÉ AMÉRICO Vivi lembra o encontro de Luis da Câmara Cascudo com o ministro e escritor José Américo de Almeida, aqui em Natal: “Quando o saudoso escritor José Américo de Almeida veio a Natal receber o título de Cidadão NorteRio-Grandense, aproveitou a oportunidade para visitar Cascudo. Subiu as escadas do casarão da Junqueira Aires com esforço, pois já contava, na época, perto dos noventa anos. Cascudo e d. Dália o espe-

ravam à porta. José Américo de Almeida abraçou-o afetuosamente, pois fazia bem uns vinte anos que não se avistavam. E disse: - Cascudo, você está muito bem, muito bem! Ao que Cascudo concluiu: - Quais são as suas intenções, velho devasso? José Américo respondeu, sorrindo: - Só você me chamaria de devasso!...”

CASCUDO DEAMBULANDO Adiante, Veríssimo lembra do tempo que era repórter do jornal A República e, das janelas da redação, via Luis da Câmara Cascudo, que morava ao lado, descer pela Junqueira Aires no rumo da Ribeira: “Quando trabalhava à tarde, no jornal A REPÚBLICA, que ficava vizinho à casa de Cascudo, observei muitas vezes o Mestre saindo de casa em direção à Ribeira. Roupa escura, chapéu, bengala, fumando enorme charuto. Ia a pé, falando com um e com outro pela calçada. Um dia, me deu vontade de saber para onde se dirigia o Mestre. Acompanhei-o, de longe. Passou pela rua Dr. Barata, falando com muita gente. Finalmente, entrou na av. Tavares de Lira e sumiu num bar. Esperei um pouco e resolvi também entrar no bar para falar com ele. Aproximei-me e observei a cena: estava sentado à cabeceira de uma mesa larga, cercado por garçonetes e motoristas de praça. Tomava uma cervejinha vespertina. Quando nos falamos, ele se justificou, dizendo: - Pois é, meu filho, estou aqui estufando costumes!” E estava. CASCUDO POLÍTICO Veríssimo conta outra: “Na campanha política de 1945, eu e Cascudo acompanhamos os líderes da época – Georgino Avelino, José Varela, João Câmara e Dioclécio Duarte – numa visita ao munícipio de Caicó. Eu era repórter da caravana oficial, chamado de “escriba” pela oposição. Cascudo ia como grande atração da comitiva para fazer conferência sobre a história de Caicó. Era estratagema do velho político Georgino Avelino, afim de atrair o povo – como se faz hoje com Fafá de Belém. Tudo saiu às mil maravilhas. Cascudo brilhou, co-

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av.Tavares de Lira,101 - Ribeira - Natal/RN CEP:59010200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

mo sempre. Dia seguinte, pelas dez horas da manhã, no calor sufocante de Caicó, encontro o Mestre Cascudo já sentado num automóvel, de chapéu, fumando charuto, ansioso para regressar a Natal. (Observem que todos fazíamos a campanha do General Dutra, cujo adversário era o Brigadeiro Eduardo Gomes). Na passagem, Cascudo me chamou e pediu que levasse ao Interventor Georgino Avelino a seguinte advertência: - Diga a Georgino que se ele demorar mais dez minutos para voltar a Natal, eu adiro ao Brigadeiro!” Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm.e Operações: Ricardo Luiz de V.Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação:Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

DALADIER PESSOA CUNHA LIMA [ Reitor da FARN ]

Aeroporto, lugar de muitas lições

J

á fiz boas viagens, pelo Brasil e pelo mundo, todavia, aquém dos sonhados planos de vida. O amigo Manoel Araújo, das bandas do Acari, mestre de sutil bom-humor, costuma dizer que o tempo é ingrato com o ser humano, por exemplo: quando jovens, temos vontade de dormir além da conta, mas devemos acordar cedo, pois o trabalho nos espera. Aposentados, podemos dormir até tarde, porém, cadê o sono? Da mesma forma, diz ele, estamos com todo o vigor para qualquer jornada de longo curso, mas, no geral, o dinheiro é curto durante a juventude, enquanto na fase da "melhor idade", alguma reserva nas finanças pode garantir a meta de viajar; no entanto, achaques e certo enfado tendem a nos prender ao conforto das nossas casas. Quando planejo conhecer outras cidades, visitar locais que me aprazem, desligar do dia a dia, sinto-me um turista cheio de ânimo. Por outro lado, quando penso na bagagem para levar, na quebra dos hábitos diários, inclusive da alimentação, nos atrasos de voos, na chatice dos aeroportos, então penso em desistir ou negociar uma outra data com os parceiros da viagem. Estava precisamente fazendo os planos de um passeio ao exterior, quando me chega às mãos uma crônica de Alain de Botton, na última página da revista Newsweek - edição recente -, na qual ele comenta e aplaude a cidade de Zurique, na Suíça. No rodapé, o editor se refere a de Botton como autor do livro Uma Semana no Aeroporto, um dos vários best-sellers deste reconhecido escritor. Por impulso, veio logo o desejo de ler Uma Semana no Aeroporto, que estava na estante dos livros comprados e guardados para serem lidos depois. O livro resultou das experiências do escritor ao permanecer uma semana no Aeroporto de Heathrow, em Londres. No verão de 2009, a convite de um diretor de Heathrow, Alain de Botton hospedouse no Sofitel do Aeroporto, para observar e conviver com os usuários do Terminal 5, dispondo de uma mesa de trabalho entre as zonas D e E, do salão de embarque. Ele resume dessa maneira sua rica vivência com tanta gente que exerce seus ofícios ou que transita em tais ambientes: "Penetrar na imensidão de uma sala de embarque é ter nas mãos uma oportunidade, bem característica da rede de transClassificados Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

portes do mundo moderno, de observar outras pessoas com discrição, de se soltar Alain de Botton em um mar de alteridade e não teve restrições deixar a imaginação correr para explorar as solta a partir do ilimitado diversas áreas do suprimento de histórias Aeroporto. Foi a fragmentadas que nossos outros terminais, olhos e ouvidos nos provisitou salões de vêm". embarque e Alain de Botton não tedesembarque, ve restrições para explorestaurantes, os rar as diversas áreas do Aegalpões onde se roporto. Foi a outros terconsertam os minais, visitou salões de aviões; conversou embarque e desembarque, com passageiros, restaurantes, os galpões com mecânicos, onde se consertam os pilotos, aviões; conversou com engraxates, passageiros, com mecânicarregadores de cos, pilotos, engraxates, malas e executivos carregadores de malas e de alta patente” executivos de alta patente. Extraiu pequenas histórias, algumas cheias de grandes emoções, de alegrias e de pesares, de ganhos e de perdas, sentimentos fortes que se alojavam nas almas e nos corações daqueles personagens. Um engraxate, com quem se encontrou algumas vezes, deixou a seguinte versão do seu ofício: embora fosse pago para dar brilho nos calçados, sua missão era mais de ordem psicológica, ou seja, as pessoas só engraxam os sapatos quando querem enterrar o passado, quando esperam que a cura de uma ferida externa se transforme na cura de uma ferida interna. Será? O famoso escritor vai muito além das impressões físicas do Aeroporto de Heathrow, pois preferiu os aspectos filosóficos e humanos das viagens. Sobre as frustrações frequentes, nas páginas finais do livro, ele assim se expressa: "Por mais benefícios que uma viagem de avião produtiva e oportuna nos proporcione, podemos sempre culpá-la por sua sutil subversão de nossas vãs tentativas de usálas para mudar nosso destino". Seja como for, não há como se livrar do aeroporto, lugar de muitas lições, aonde todos almejam logo chegar e donde querem logo sair.

Essa é a hora da gente saber quem colocamos na camara municipal. Essa quebra de monopólio é super importante para a população. Essa argumentação de riscos, é inconsistente. Será que uma empresa iria desrespeitar as orientações vigentes? Em todas as capitais do país em outras tantas grandes cidades, os postos são em áreas de grande fluxo. Isso facilita a vida. Essa votação não merece tanta polêmica. Se é bom para amenizar o sofrimento do povo, o vereador tem que aprovar. fco.fabio.med@hotmail.com

Combustíveis A população espera que os vereadores cumpra o papel primordial: Defender os interesses da população, liberar a livre concorrência. Esse cartel de combustíveis há muito sangra o consumidor natalense. Quanto aos riscos, será que Curitiba, Recife, Fortaleza, João Pessoa e tantas outras cidades infringiram a legislação que cuida do assunto? E a rede de gás natural sob nossas avenidas é muito arriscada também? Vereadores, o vosso sim à emenda é muito importante para todos.

Reforma Notícias recentes sobre a política nacional mostram a necessidade de uma reforma política urgente. Mas não uma reforma que dificulte a participação do eleitor e o acompanhamento das atividades dos parlamentares e detentores de cargos no Executivo. O importante é aumentar o poder de fiscalização e criar alternativas para a consulta à população. A concentração de poder só facilita a corrupção. É preciso modificar a situação atual. tnat2011@live.com Cartas para esta coluna deverão ter no » máximo 40 linhas para cada leitor e endereçadas para a seção Coluna do Leitor - Fone:4006-6100 FAX:4006-61224 - Redação/Tribuna do Norte. Email - tribuna@digizap.com.br

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro :(O21)2544-3070 – São Paulo:(011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J.do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J.Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


política

Domingo | 28 de agosto de 2011

Notas & Comentários colunanotas@tribunadonorte.com.br

Combustíveis em supermercados audiência pública sobre o projeto de lei que trata da instalação de postos de combustíveis em áreas de supermercados será nesta segunda-feira, a partir das 9 horas, no plenário Érico Hackradt, da Câmara Municipal. O projeto foi aprovado, em primeira votação, por nove votos a oito. Um acordo entre os vereadores assegurou a realização da audiência pública antes da segunda e definitiva votação. Foram convidados para a audiência representantes do Ministério Público, da OAB/RN, do Idema, do Corpo de Bombeiros, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo e do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Rio Grande do Norte.

A

Dança das cadeiras O ex-vereador Salatiel de Souza foi exonerado do cargo de secretário-adjunto de Operação da Secretaria Municipal de

Serviços Urbanos (Semsur). Para a vaga, foi nomeado o também ex-vereador Sargento Siqueira.

Festa da discórdia Os preparativos para a Festa do Boi começaram, mas o ambiente não é dos melhores entre os representantes das entidades que promovem o evento e o governo do Estado. Uma “força tarefa” foi a um gabinete para uma

reunião na qual pretendia tratar da liberação de R$ 1 milhão. O diálogo iniciou em tom cordial, mas terminou com troca de gritos que foram ouvidos além das quatro paredes do gabinete.

Pedido de prisão A Prefeitura de Parnamirim vai entrar na Justiça, nesta segunda-feira, com uma ação, na qual pedirá a prisão do presidente da Urbana, Sérgio Pinheiro. O problema seria um suposto descumprimento de decisão judicial que obriga a Urbana a receber o lixo de Parnamirim na estação transbor-

do de Cidade Nova. Na última sexta-feira, Sérgio Pinheiro enviou um ofício no qual comunicou que a estação deixaria de receber o lixo de Parnamirim e alegou dificuldades operacionais. O ofício chegou no final da manhã e já no sábado os caminhões foram impedidos de descarregar.

INAUGURAÇÕES DA PREVIDÊNCIA O ministro Garibaldi Filho inaugura nesta segunda-feira duas agências da Previdência Social no Piauí. As inaugurações vão ser nos municípios de União e Paulo Afonso. O ministro também vai à Assembleia Legislativa piauiense.

REPRODUÇÃO DA REVISTA VEJA

Conspirações do ex-ministro

As articulações do ex-ministro José Dirceu para influenciar no governo federal é assunto de capa da revista Veja desta semana.Com título “O poderoso chefão”, a reportagem aponta que “o ex-ministro mantém um gabinete num hotel de Brasília, onde despacha com graúdos da República e conspira contra o governo da presidente Dilma”. A imagem acima é uma reprodução de uma das fotos publicadas pela revista.

Reação do ex-ministro O ex-ministro José Dirceu reagiu, no “blog do Zé”, à reportagem da Veja. Acusou a revista de “abrir mão da legalidade”. Segundo José Dirceu, um repórter da pu-

blicação adotou uma “prática criminosa”, ao “tentar invadir o apartamento” no qual costumeiramente o ex-ministro se hospeda em um hotel de Brasília.

O Congresso deveria estabelecer uma cláusula de desempenho para evitar que tenhamos um grande número de partidos políticos o que dificulta a governabilidade”

RICARDO LEWANDOWSKI Presidente do Tribunal Superior Eleitoral

Sinalização ao governo A coluna Panorama Político, do jornal O Globo, destacou uma declaração do senador José Agripino sobre o relacionamento da presidenta Dilma Rousseff com as bancadas dos partidos de opo-

sição: “O governo precisa abrir os ouvidos para dialogar com os que querem colaborar. A oposição que faço não é apenas da crítica. Tenho procurado contribuir votando matérias do governo”.

Hoje o senhor se coloca como pré-candidato a prefeito de Natal? Eu sou totalmente contra a pessoa se colocar como pré-candidato. Acho que Natal vive um momento muito difícil em relação à política, com muita dificuldade na Prefeitura. Toda classe política está preocupada com Natal. O que existe é uma apreensão tanto da classe política como da população. Acho muito precipitado a pessoa se colocar apenas como pré-candidato. Os que querem ser pré-candidatos têm que conversar com a população, saber o que o natalense está pensando, compor um grupo de partidos, formar um grupo que seja forte. Já foi provado em Natal, algumas vezes e agora mais ainda, que não se governa sozinho. Se governa numa coalizão de forças, com um grupo forte, dando apoio, suporte, com gestão, planejamento. Acho muito precipitado falar em pré-candidatura. O que posso dizer é que nosso grupo político, nosso partido, vai querer participar desse planejamento, dessa gestão, do projeto para Natal. O senhor definiu como“apreensão” com Natal. E essa apreensão pode lhe levar a ser candidato a prefeito? Não. O nosso grupo quer participar, mas não quer dizer que estará na cabeça da chapa. O nosso grupo quer participar das decisões, encontrar um nome que agregue mais, que agregue forças políticas. O vice-governador (Robinson Faria) já disse que a governadora Rosalba vai gerir a questão do nosso grupo. Fazemos parte do Governo, Robinson Faria, nosso líder, é vice-governador. Vamos conversar. Natal, realmente, vive essa apreensão. Em qualquer roda que você senta para conversar, em qualquer bairro de Natal, qualquer nível social, existe apreensão por Natal. As pessoas são apaixonadas pela cidade, amam a cidade, vamos ter Copa do Mundo,teremos Aeroporto em São Gonçalo, Natal tem localização geográfica exclusiva no Brasil, e por tudo isso precisa de bons gestores para fazer com que Natal não perca as oportunidades que virão nos próximos anos. Então essa próxima eleição é crucial para Natal. Natal não pode errar e nós vamos participar desse conjunto que será formado para escolher um bom nome para Natal. Mas lhe digo que ninguém vai impor nome. Acho que não existe imposição, tem que ser o melhor nome, o nome que mais agregue. Isso será resolvido, como sempre é resolvido, nas rodas de conversas políticas no veraneio, em janeiro, que é sempre quando saem os nomes que irão disputar a eleição majoritária. O fato do nome do senhor aparecer nas pesquisas eleitorais, mas,em contrapartida,com um desempenho pequeno,isso lhe estimula ou desestimula a entrar no pleito? Eu não queria falar muito sobre possível candidatura. Não me coloco como pré-candidato a prefeito. Acho que o que foi provado muitas vezes é que pesquisa não vale, o que vale é o desempenho do candidato. Se você for falar hoje sobre pesquisa veja que 85% das pessoas não querem nem ouvir falar sobre a campanha de 2012. Os candidatos serão avaliados ao longo da campanha. O que eles têm feito, qual é o planejamento, se o plano é fictício ou se tem como sair do papel. Natal precisa de gestão. Veja a grande gestão que Aécio Neves fez, é meritocracia. Tratar o Estado como empresa. O funcionário que produz mais é o que terá o salário melhor, será promovido se produzir mais. Para isso precisa de um modelo de gestão onde possa ser adotado. Fiquei preocupado quando vi o aumento da folha de pessoal de Natal. O secretário Vagner disse nas redes sociais que Natal estava comprometida porque tinha uma folha de R$ 20 milhões e agora está em R$ 37 milhões. A primeira coisa que deve ser feita é reduzir a máquina, reduzir o tamanho para ficar com recurso para investimento, não faltar dinheiro para contrapartida. O mínimo que Natal de-

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

3

ENTREVISTA / FÁBIO FARIA/DEPUTADO FEDERAL

FÁBIO DEFENDE UNIÃO DA BASE ALIADA JÁ NO PRIMEIRO TURNO ANNA RUTH DANTAS Repórter

O

deputado federal Fábio Faria (PSD) é comedido ao falar sobre pré-candidatura a prefeito de Natal, mas traz um discurso contundente de crítica à gestão da prefeita Micarla de Sousa e de defesa para base da governadora Rosalba Ciarlini lançar candidatura única ao pleito da capital potiguar no próximo ano. Para o parlamentar é “perigoso” lançar candidaturas isoladas no primeiro turno apostando em uma união no segundo turno. Fábio Faria evita se colocar como pré-candidato, mas afirma que todos os políticos estão preocupados com Natal que vive, segundo ele, momentos de apreensão. “Acho que Natal vive um momento muito difícil em relação a política, com muita dificuldade na prefeitura. Toda classe política está preocupada com Natal. O que existe é uma apreensão tanto da classe política como da população”, comenta. Para o deputado, o erro da prefeita Micarla de Sousa, a qual ele apoiou em 2008, foi “querer administrar sozinha”. Críticas também não faltam ao senador José Agripino Maia (DEM). Para o deputado Fábio Faria a postura do DEM de tentar barrar o registro do Partido Social Democrático no Rio Grande do Norte foi um exagero. O parlamentar credita ao grupo do vice-governador Robinson Faria o empenho para reeleger o senador em 2010. “Eu tenho certeza que se o senador José Agripino fosse candidato em 2012 ou 2014 a relação estaria muito melhor”, observa. Embora afirmando que não está cobrando nada do senador José Agripino, Fábio Faria afirma que o grupo político de Robinson Faria foi “muito importante” para o líder do DEM. Fábio Faria confirma que a governadora Rosalba Ciarlini será candidata a reeleição em 2014 e o vice-governador Robinson Faria também. No entanto, logo em seguida, critica os políticos que estão pensando no pleito de 2014. Sobre a disputa de 2012, os planos de PSD e as alianças partidárias, Fábio Faria concedeu a seguinte entrevista a TRIBUNA DO NORTE:

ve ter é a contrapartida na conta da Prefeitura para mobilizar os recursos que vêm de fora. O governador Eduardo Campos, que esteve em Natal agora (no Motores do Desenvolvimento promovido pela TRIBUNA DO NORTE), implantou o modelo de Parceria Público Privada em hospitais, estradas, saneamento. Chamou as empresas privadas para participarem. Temos

que quebrar esse tabu que existe sobre PPP (Parceria Público Privada) O aeroporto de São Gonçalo foi sucesso com 218% de ágio. Empresas privadas estão querendo investir e claro que querem resultados. Temos que fazer um modelo transparente, justo, chamar várias empresas e fazer concorrência. Tem que abrir a capital para grandes investidores do Brasil. Eike Ba-

tista está em Belém do Pará. Vários investidores em eólica estão vindo para o Rio Grande do Norte. Natal têm que mostrar o que é para o mundo. A cidade precisa de investimento e tenho certeza como será a capital do Nordeste nos próximos anos. O que precisa ter o próximo prefeito de Natal? Precisa ter visão. Tem que pensar Natal daqui a 20 anos, estudar o trânsito de Natal que daqui a pouco vai parar, são 15 quilômetros aumentando em carros todos os anos. Tem que discutir saneamento, Natal só tem 36% saneada. Tem que discutir o turismo, tem que discutir o problema das drogas. Hoje 1% da população é viciada em crack e nã há medidas na capital para combater o crack. É preciso discutir a cidade, fazer o planejamento de como quer Natal daqui a 20, 30 anos. Os prefeitos que estão entrando fazem o feijão com arroz, não adianta pintar canteiro, fazer tapa buraco e na próxima chuva o buraco vai aparecer de novo. O que precisa é planejar a cidade. É como você faz com uma empresa. Planejamento a longo prazo com equipe qualificada, procurar experiências como Belo Horizonte, como Pernambuco, buscar cidades que deram certo. Veja o que existe no Rio de Janeiro, interação total entre Prefeitura, Governo do Estado e Governo Federal. Lá eles combatem o tráfico os três juntos, estão nas olimpíadas os três juntos. Precisa de interação. Para isso tudo precisa comitê de gestão participativa onde tenha Governo do Estado, Prefeitura de Natal e buscar o Governo Federal. Hoje Prefeitura e Governo não interagem. Hoje muitas coisas que são feitas precisam ser feitas em conjunto. Se eles não se conversam o prejudicado acaba sendo o povo de Natal. [ Continua na página 4 ] FOTOS:DIVULGAÇÃO

ACHO QUE NÃO EXISTE IMPOSIÇÃO,TEM QUE SER O MELHOR NOME, O QUE MAIS AGREGUE. ISSO SERÁ RESOLVIDO, COMO SEMPRE, NAS RODAS DE CONVERSAS POLÍTICAS NO VERANEIO”


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 28 de agosto de 2011

DIVULGAÇÃO

ENTREVISTA / FÁBIO FARIA/DEPUTADO FEDERAL / CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 3

“JOSÉ AGRIPINO EXAGEROU NO ESTADO” O senhor acredita que no pleito 2012 a base da governadora Rosalba Ciarlini poderá lançar candidato único a prefeito de Natal? Conversei muito pouco com a governadora Rosalba Ciarlini sobre Natal, sobre o que ela pensa para o pleito de Natal. Sei que ela está muito preocupada e o mais importante seria a base se unir em torno de um só nome. Defendo isso. Acho que pode até ter a opção de vários nomes saírem para no segundo turno ter uma aliança. Mas há um risco nisso. Agora sou contra acordão. Ficou mostrado nas últimas eleições quando você de última hora procura impor um nome isso não dá certo. É diferente de procurar um nome viável, onde agregue o máximo de partidos, tenha simpatia popular e esse no-

me seja lançado no conjunto de partidos, mas não um nome imposto. É importante ter essa união. Fico satisfeito que hoje a governadora do Estado tenha uma relação muito próxima com a presidente da República, há uma simpatia pessoal e isso para o desempenho da governadora será muito importante essa aproximação com o Governo Federal. Nosso Estado é pequeno e não pode se desvincular do Governo Federal, o Rio Grande do Norte não tem como andar sozinho. É preciso pensar grande, projetos de infraestrutura, melhorar o porto de Natal, o aeroporto. Para investimentos em infraestrutura tem que ter o Governo Federal. A governadora tem que pensar um nome que tenha a simpatia do Governo Federal. Não pre-

cisa ter um nome do partido da presidente da República, mas um nome que tenha trânsito. Tudo precisa ser conversado e no momento certo as coisas vão se encaixando, cada um está fazendo seu trabalho. O mais importante é um nome que agregue. O senhor acredita que essa tensão no relacionamento político do vice-governador Robinson Faria (PSD) e do senador José Agripino Maia (DEM) poderá impedir o PSD,seu partido,de integrar o palanque do DEM no pleito de Natal? Eu tenho certeza que se o senador José Agripino fosse candidato em 2012 ou 2014 a relação estaria muito melhor. Acho que todo PSD, Raimundo Fernandes, José Dias, Gesane, Fábio Faria, Robinson Faria e todos os prefeitos, votaram no senador, se empenharam pela eleição do senador José Agripino. O grupo político foi muito importante para eleição do senador José Agripino. Ninguém está cobrando nada, mas isso precisa ser levado em conta. O senador José Agripino é importante para o Rio Grande do Norte, tenho respeito por ele, mas houve uma relação onde foi confundida a questão nacional com a estadual. Ele teve um atrito com o prefeito Gilberto Kassab na questão do DEM nacional e onde tomou uma posição como presidente do partido, mas ele exagerou no Rio Grande do Norte, extrapolou. No Estado o processo que ele moveu contra o partido poderia ser mais brando, mas não envolver o nosso vicegovernador que é aliado e já votou várias vezes no senador José Agripino. Veja em 1998, Garibaldi Filho tinha acabado de vender a Cosern, tinha um amplo número de deputados, cooptou quase todos os candidatos do sistema de Agripino e o deputado Robinson segurou a bandeira do agripinismo sozinho na região Agreste. Teve uma exagero do senador Agripino envolvendo pessoalmente o vice-governador que ficou perplexo. Todo nosso grupo ficou perplexo. Mas o que a gente espera que tudo isso seja superado. Espero superar. Mas o senhor acha possível DEM e PSD estarem juntos em 2012? Lógico. O DEM e o PSD formaram uma chapa em 2010. A gover-

nadora Rosalba tem eleição em 2014, ela é candidata em 2014. O vice-governador é candidato em 2014 e se tem um grupo hoje que você pode dizer que estará ao lado da governadora Rosalba é o nosso grupo. O PSD está sendo formado para ajudar o Governo. Todos os prefeitos e lideranças que estão vindo sabem que só podem vir para o partido (o PSD) se apoiarem o Governo do Estado. Isso não abrimos mão. Podem ter outro candidato a deputado estadual, deputado federal, mas a candidata ao Governo é Rosalba. O deputado que está indo para o PSD vem para base do Governo. O partido vem a somar, motivações pessoais é superável. O que existe é uma aliança consolidada, respeitosa, uma relação muito boa da governadora Rosalba com o vice-governador. Lembrando a eleição de 2014 e observando a relação DEM-PSD, então a aliança de 2014 passa por 2012? Acho muito precipitado, é um desrespeito ao Rio Grande do Norte ficar falando em eleições 2012, 2014. Nós temos o grupo que elegeu Rosalba, temos que nos preocupar em ajudá-la a fazer um bom governo. O que a governadora Rosalba pensa todos os dias quando acorda é ter um governo de todos, que seja bem avaliada, que conclua todos os projetos. O grupo tem que ter hoje um só pensamento, esquecer 2012, esquecer 2014, esquecer radicalismo, ajudar o Rio Grande do Norte. A palavra chave é dizer não ao radicalismo e ajudar Rosalba a governar o Rio Grande do Norte. O senhor teme que o PSD possa não conseguir o registro para o pleito de 2012? Não tenho nenhum temor. O nosso maior desafio eram as certificações das assinaturas. Já entregamos as assinaturas no TSE estamos só aguardando a homologação. Os partidos que não queriam a formação do PSD fizeram de tudo para as assinaturas não serem certificadas, mas isso já superamos. Ninguém do PSD tem esse temor. O que existe hoje é só expectativa. Como o senhor viu a aliança do DEM e PMDB,no momento mais recente atraindo o deputado federal Henrique Eduardo Alves para apoiar o Governo Rosalba Ciarlini? Com muito bons olhos. Eu sou amigo pessoal do deputado Henrique e eu e o vice-governador fomos os que primeiro foram ao deputado Henrique chamando para ele vir para Rosalba. Fomos a residência do deputado Henrique. Existe uma afinidade muito grande, amizade do deputado Henrique com o vice-governador que se estende a mim. É muito importante ele vir para o Governo Rosalba, vai ajudar a todos nós. O nosso futuro político depende do sucesso do Governo. Quem vier ajudar o Governo será bem vindo. No pleito 2012, em Natal, o PSD estará aliado apenas dos partidos que apóiam o Governo Rosalba,ou poderá se aliar a outras legendas como PT e PSB? Acho que a governadora Rosalba vai comandar o processo. Ela vai conversar com outros partidos. Hoje há uma relação próxima da governadora com a presidente da República. Não teria problema algum a governadora Rosalba apoiar um nome que não seja do partido dela. Hoje você vê PMDB, aliado de Dilma, mas fez aliança com o Democratas no Rio Grande do Norte. Essa história de partido, cada Estado tem sua história. O senhor foi defensor da prefeita Micarla em 2008.Qual sua avaliação sobre a gestão dela? Conversei com a prefeita e já disse minha opinião. Ela se elegeu numa coalizão e quis governar sozinha. Esse foi o maior erro da prefeita. Quando você se elege na coalizão, tem que governar na coalizão. Não significa cargos, secretarias. Não é isso, é discutir com o grupo que lhe apoiou.


política

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

Fernando Collor defende que documentos fiquem inacessíveis. Senadores petistas querem barrar a proposta, mas bancada do governo não tem unidade, o que dificulta as articulações na comissão [ CONTROLE ]

Base aliada está dividida sobre sigilo rasília (AE) - O PT enfrentará dificuldades para derrotar, nesta semana, o parecer do senador Fernando Collor (PTB-AL) ao projeto de lei que regulamenta o acesso às informações oficiais na Comissão de Relações Exteriores. Apesar da maioria governista, o assunto divide as bancadas e os aliados que integram a comissão têm perfil independente. Além disso, apenas o PT vai orientar o voto contrário ao relatório do alagoano, que prevê o sigilo eterno de documentos ultrassecretos Os demais partidos, inclusive o PMDB, vão liberar os votos de suas bancadas. Na ponta do lápis, o governo contaria com os votos de 13 dos 19 titulares da comissão, presidida por Collor. No entanto, muitos desses aliados não estão dispostos a comprometer seus votos em matéria tão complexa. Se o parecer de Collor for aprovado, seguirá à apreciação do plenário do Senado, juntamente com o parecer da Comissão de Ciência e Tecnologia, do senador Walter Pinheiro (PT-BA), defendido pelo PT. O governo não quer a aprovação do parecer de Collor, nem parcialmente, porque qualquer mudança forçaria o retorno da matéria à Câmara. A meta é sancionar a lei o quanto antes. Vice-presidente da comissão, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), ainda não definiu sua posição. Teoricamente, ele teria de seguir a orientação do líder do bloco governista (PT, PDT, PSB, PCdoB, PRB), Humberto Costa (PT-PE), que recomendará o voto contrário ao relatório de Collor. Mas, em dúvida, ele não se compromete com o voto governista. “Uma coisa é ser da base,

MÁRCIA KALUME

B

Collor apresenta parecer que dificulta acesso

Fernando Collor apresenta parecer na Comissão de Relações Exteriores do Senado

Uma lei que liberasse completamente a divulgação de informações poderia indispor o Brasil com outros países”

Uma coisa é ser da base, outra é ser subserviente” CRISTOVAM BUARQU Senador pelo PDT

outra é ser subserviente”, afirma. Cristovam se diz sensível aos argumentos de Collor, principalmente quando o ex-presidente alerta para o risco de se revelarem informações relativas à defesa nacional, ainda que décadas depois. Como exemplo, o pedetista cita um acordo entre as Forças Armadas do Brasil e Moçambique recentemente votado na comissão, prevendo que nenhum dos dois países poderia divulgar, unilateralmente, um aspecto do acordo. “Uma lei que liberasse completamente a divulgação de informações poderia indispor o Brasil com outros países”, observou. Também será difícil convencer os peemedebistas da comissão a votarem com o governo, sendo todos de postura independente: Pedro Simon (RS), Luiz Henrique

(SC) e Jarbas Vasconcelos (PE). Por fim, integra a comissão o ex-aliado Blairo Maggi (PR-MT), cujo partido deixou a base aliada. Maggi saiu ressentido da crise no Ministério dos Transportes, em que seu apadrinhado, o ex-diretor-geral do Dnit Luiz Antonio Pagot, foi demitido sob suspeita de corrupção. Collor mantém, em seu parecer, a defesa do sigilo eterno aos documentos ultrassecretos ou cujo segredo seja “imprescindível à segurança da sociedade e do Estado”. Em contrapartida, o substitutivo ao PLC 41/10, de autoria dos petistas Reginaldo Lopes (MG), na Câmara, e Walter Pinheiro, no Senado, prevê o sigilo máximo de 50 anos dos documentos ultrassecretos, ou seja, 25 anos prorrogáveis apenas uma vez.

O parecer do senador Fernando Collor (PTB-AL) ao projeto que regulamenta o acesso às informações oficiais foi apresentado na última quinta-feira e mantém a defesa do sigilo eterno dos documentos ultrassecretos ou cujo segredo seja “imprescindível à segurança da sociedade e do Estado”. O texto contraria o relatório do PT, que limita a prorrogação do sigilo por uma vez e divide a base aliada. A matéria deve ser votada na Comissão de Relações Exteriores na próxima semana. A presidenta Dilma Rousseff já apoiou, publicamente, o fim do sigilo eterno dos documentos oficiais e depois recuou. A indefinição do Planalto levou o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDBRR), a não se posicionar. Jucá declarou, laconicamente, que “o governo defende o debate”. Inicialmente, o governo queria aprovar o projeto às pressas, diretamente no plenário, impedindo o debate nas comissões. Mas sob pressão de dois ex-presidentes - José Sarney (PMDB-AP) e Fernando Collor - teve de ceder, concordando com a análise da matéria na comissão presidida por Collor. Jucá afirmou, entretanto, que dois pontos do parecer de Collor merecem reflexão: a renovação ilimitada do sigilo dos documentos ultrassecretos (na prática, o sigilo eterno) e a flexibilização da divulgação na internet. Mesmo assim, o Planalto deve trabalhar pe-

la aprovação do parecer do senador Walter Pinheiro (PT-BA), que ratifica o texto aprovado na Câmara, restringindo o sigilo das informações ultrassecretas a 50 anos. Em defesa do sigilo eterno, Collor argumenta que, ainda que se passem muitos anos, a divulgação de documentos ultrassecretos, relativos às relações internacionais e à defesa nacional, pode trazer desconforto diplomático. “O tempo dos Estados não é o tempo dos homens”, diz Collor. Por isso, defende o sigilo renovável indefinidamente, em especial, de documentos que coloquem em risco conhecimentos tecnológicos sensíveis, na área espacial e nuclear, trocas de correspondências entre a chancelaria e missões diplomáticas, planos militares e informações produzidas pelos serviços secretos. Neste ponto, Collor alerta para o desmantelo da área de inteligência, formada por órgãos federais e estaduais que funcionam de forma desarticulada. Lembra este setor produz a fonte principal de informações e documentos sigilosos do Estado O ex-presidente opõe-se, também, à divulgação obrigatória dos documentos públicos na internet. Propõe que essa publicação seja apenas “possível”, definindo a obrigatoriedade como “a oficialização do Wikileaks”. Argumenta que os documentos públicos não devam ser expostos “de forma aleatória nem além das fronteiras nacionais”. Collor ainda retira poderes da comissão que reavaliará a classificação dos documentos, determinando que ela não poderá decidir, apenas propor reclassificações.


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 28 de agosto de 2011

Ministra de Relações Institucionais é acusada de destinar emendas ao orçamento e usar a influência em favor da ONG Centro de Elaborações, Assessoria e Desenvolvimento de Projetos [ ESPLANADA DOS MINISTÉRIOS ]

Ideli é acusada de favorecer ONG FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM

rasília (AE) - Após atingir em cheio cinco ministérios e vários órgãos federais, a faxina da presidenta Dilma Rousseffe pode chegar à área de serviço do Palácio do Planalto. Desta vez, o alvo é a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, acusada de destinar emendas e usar sua influência em favor da ONG Centro de Elaborações, Assessoria e Desenvolvimento de Projetos (Cesap), criada por Claudionor de Macedo, seu braço direito desde 2004. Espécie de faz tudo a serviço de Ideli, Macedo já foi motorista, segurança e assessor parlamentar, até se tornar coordenador de campanha da então senadora ao governo de Santa Catarina em 2010. Denúncia levada ao Congresso pelos deputados Fernando Francischini (PSDB-PR) e Duarte Nogueira (PSDB-SP) revela que a ministra, quando senadora, aprovou duas emen-

B

das em favor da Cesap, no valor de R$ 100 mil cada, nos anos de 2007 e 2008. A entidade recebeu mais R$ 377,7 mil de outros convênios com órgãos federais. Por meio de nota divulgada por sua assessoria, Ideli admitiu ter aprovado as emendas para a Cesap, mas ressalvou que Macedo está afastado da direção da entidade desde que se tornou seu assessor, em 2004, quando passou à condição de sócio colaborador Explicou que, com os recursos das duas emendas foram criados 12 grupos voltados para ajudar mulheres chefes de família na geração de renda. O trabalho, segundo a ministra, “beneficiou indiretamente centenas de famílias das cidades de Itajaí, Tijucas e Palhoça”. Não é o que diz um dos autores do requerimento, o deputado Francischini, um experiente delegado federal. Segundo sua apuração, o endereço da ONG regis-

trado nas emendas é uma residência com placa de “aluga-se”. Claudionor, que é irmão da atual secretária nacional da Juventude, ligada ao ministro Gilberto Carvalho, chefe da Secretaria Geral da Presidência, seria um ativo operador da ONG até hoje, mesmo tendo se afastado formalmente da direção. Ele nega. Francischini e Nogueira pediram à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara que convoque a ministra para dar explicações. Como parte dos recursos foram pagos à ONG este ano, com Ideli já no governo, eles acreditam que fica caracterizada improbidade administrativa. “Ao direcionar recursos públicos para entidade de que fazia parte funcionário do seu gabinete, a ministra parece não ter atuado em conformidade com os princípios constitucionais da impessoalidade e moralidade”, anotaram no requerimento.

Ministra da Relações Institucionais,Ideli Salvatti admite ter aprovado emendas para entidade suspeita

[ LIMITE PARA SALÁRIOS ] Desembargadora do Tribunal Regional Federal não

[ RUMO A 2012 ] Ìndio da Costa oferece

acata recursos contra decisão que proibiu supersalários na Câmara dos Deputados

aulas para quem tem interesse nas eleições

TRF impõe limite à Câmara

Ex-deputado cobra taxa para formar candidatos

DIDA SAMPAIO

rasília (AE) - A Câmara dos Deputados está proibida de pagar salários acima do teto do serviço público, que é de R$ 26,7 mil. A desembargadora Mônica Sifuentes, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª. Região, rejeitou um recurso da União contra uma decisão judicial que já tinha vedado os supersalários. No recurso, a União pedia que ficassem fora do teto os valores referentes a horas-extras. A desembargadora entendeu que os servidores podem receber horaextra desde que o total não seja superior aos R$ 26,7 mil. “A parcela relativa à prestação de serviços extraordinários não se inclui entre as vantagens de natureza indenizatória, por tratar-se de acréscimo pecuniário pelo serviço prestado pelo servidor”, disse a magistrada. De acordo com a desembargadora, os servidores não têm direito adquirido a receber salários acima do teto que, no Brasil, é o salário dos ministros do STF. “Não

B

Ministros do Supremo Tribunal querem aumento de 14,79%

há que se falar em ofensa ao princípio da irredutibilidade de vencimentos, uma vez que o Superior Tribunal de Justiça consolidou entendimento no sentido de que não há direito adquirido ao recebimento de salários ou proventos superiores ao fixado no teto constitu-

cional”, afirmou A decisão anterior à da desembargadora já proibia os supersalários. O juiz de 1ª. Instância tinha determinado que no cálculo dos salários recebidos pelos parlamentares e servidores fosse incluída uma série de par-

celas remuneratórias, inclusive adicionais como anuênios, biênios, triênios, quinquênios, sexta-parte e até um denominado “cascatinha”. Mônica Sifuentes chegou a uma conclusão diferente da decisão tomada recentemente pelo presidente do TRF, Olindo Menezes, que liberou o pagamento de supersalários no Senado. Segundo o desembargador, o corte nos salários acima do teto teria afetado repentinamente o planejamento econômico-jurídico-financeiro da vida de centenas de servidores ativos e inativos do Senado. Ele também disse que deveria ser respeitada a independência dos Poderes. O teto salarial do funcionalismo é hoje de R$ 26,7 mil. Mas o STF tenta aumentar em 14,79% o valor do salário pago aos ministros, que é o teto do serviço público. Se a proposta for aprovada pelo Congresso, a remuneração no Supremo passará para R$ 30,6 mil. E haverá em seguida aumentos em cascata no funcionalismo.

io (AE) - Por uma taxa de R$ 10, o ex-deputado Indio da Costa promete formar candidatos qualificados para disputar vagas nas Câmaras Municipais brasileiras em 2012. O futuro presidente do PSD no Rio mandou espalhar 65 outdoors pela capital fluminense para anunciar o curso Seja Vereador. Em três horas de aula, ele espera passar noções de atividade legislativa, administração pública municipal e mostrar aos alunos “como ganhar uma eleição”. “Nosso objetivo é elevar o nível da política brasileira. A ideia é atrair pessoas novas, que nunca militaram politicamente e têm capacidade de gerar voto”, explica Indio, que foi vereador, deputado federal e candidato a vice na chapa do tucano José Serra na campanha presidencial do ano passado. O site do curso (sejavereador.org.br) convoca líderes comunitários, estudantis e de movimentos sociais, e promete ensinar “o passo a passo para a vitória”. A pá-

R

gina informa que a taxa de R$ 10 é simbólica e coffee breaks serão oferecidos nos intervalos das apresentações. “O valor é simbólico, uma taxa para evitar que apareçam pessoas que não têm nenhum interesse político”, explica Índio. Os seminários serão usados para arregimentar candidatos para o PSD, em processo de formação. Um instituto coordenado por Indio será o organizador do curso, mas o novo partido passará a conduzir os seminários depois que for criado oficialmente. Um projeto piloto começa em setembro, no Rio, e vai até 4 de outubro - três dias antes da data-limite de filiação de candidatos para as eleições de 2012. O ex-deputado garante que os alunos serão livres para decidir se querem se filiar ao PSD e afirma que o curso será aberto a políticos de outras legendas. “Se vierem quatro ou cinco pessoas novas (para o partido), é um avanço”, avalia Indio da Costa.


geral

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

7

[ MEIO AMBIENTE ] Coordenados pelo Idema, cerca de 100 voluntários participam da mobilização para retirar entulhos do estuário do Potengi, com ajuda do Corpo de Bombeiros e do Exército

Gaudêncio Torquato gaudenciotorquato@tribunadonorte.com.br

O éden ao lado do inferno cena parece irreal. Na maior democracia do Ocidente, ícone do capitalismo mundial, a pobreza espraia-se por territórios ocupados por uma classe média que, menos de cinco anos atrás, exibia vitalidade e brandia com orgulho a bandeira dos direitos. A paisagem agora é de devastação. Milhares de famílias nos Estados Unidos perderam suas casas e hoje vivem em acampamentos. Na Inglaterra, o flagrante de lojas estilhaçadas, prédios e carros incendiados borra a imagem de Londres, uma das capitais do glamour mundial. Levantes no mundo árabe, revoltas em Tel-Aviv, manifestações violentas na Grécia e na Espanha, piqueteiros batendo panelas no Chile e até movimentos de insatisfação na controlada China parecem expressar o que o professor Samuel P. Huntington designa, em seu clássico O Choque das Civilizações, como paradigma do “puro caos”: quebra da lei e da ordem, Estados fracassados e anarquia crescente, violência étnica, religiosa e civilizacional, declínio de confiança e uso da força.

A

Não dá para escapar pela tangente e argumentar que nossa terra é uma ilha de segurança no oceano revolto”

Mas esses são os efeitos, fato que sugere indagar: que fatores explicam a escalada de barbárie que invade parcela do planeta neste início de segunda década do século 21? O painel de respostas é vasto, incluindo aspectos abrangentes, como a crise da democracia representativa - pasteurização de doutrinas e ideários, enfraquecimento dos partidos, declínio dos Parlamentos, desmotivação das bases eleitorais -, e questões imediatas com desfechos negativos, como a especulação imobiliária dos anos 1980, financiada por bancos japoneses e responsável pela expulsão de contingentes de áreas urbanas. Preconceitos culturais também deflagram ações violentas, como a que ocorreu na Noruega, com a morte de 87 pessoas vitimadas pelo serial killer nórdico. Mas a razão econômica é o fiel da balança, como se constata no rombo da economia americana em 2008: exagerado volume de empréstimos imobiliários não honrados por compradores. Razões pontuais (e regionais) explicam as mobilizações nos espaços - no mundo árabe o clamor por liberdade tomou conta das ruas -, mas fica evidente a existência de um fio comum que une espíritos rebeldes e grupamentos revoltosos: o capital global. Eis aí o novo parceiro do jogo do poder mundial. A socióloga americana Saskia Sassen (Estado, 14/8) aponta-o como figurante que substitui a burguesia dos tempos em que o conflito de classes tinha na outra ponta o proletariado. Já este cede vez às massas difusas, compostas por minorias étnicas e de gênero, classes médias rebaixadas, jovens que “vivem uma vida pior que a de seus pais”, imigrantes e moradores de regiões sem infraestrutura de serviços. A nova composição que enche as ruas insufla os pulmões do planeta sob o fermento de enormes carências da urbe. Podemos também classificar esse capital global como produto do sistema que o cientista social Roger-Gérard Schwartzenberg designa como tecnodemocracia. Ou seja, é a moeda que serve a um triângulo que junta o sistema político, a alta administração do Estado e os círculos de negócios. As mazelas geradas por esta nova concepção capitalista, centrada em volumosos capitais transnacionais, provoca impactos violentos no tecido social, atingindo, sobretudo, as classes médias, cujas condições de vida descem vertiginosamente a escada da degradação. O paradoxo se estabelece. Nos EUA, onde despontaram como os arquitetos do maior edifício democrático do universo, os contingentes médios enxergam o governo tirando dinheiro

dos contribuintes para salvar os bancos, deixando-os à míngua. A concentração de capital se adensa. Em 1980, 1% do topo da pirâmide ganhava 12% da renda de Nova York; hoje, o mesmo número abocanha 44% de toda a sua riqueza. Ao lado do adensamento do capital, a globalização deflagra uma revolução no sistema de cognição da comunidade internacional. O toque mágico é o acesso a informações tempestivas, que propicia a milhões de usuários das redes sociais integração de sentimentos e códigos. A conquista tecnológica não tem, porém, o condão de padronizar gostos, a não ser em campos restritos de interesse comum, como o entretenimento. Cada povo usa a ferramenta para uma expressão própria. Os embates que ocorrem em países centrais e periféricos, em democracias ou em regimes ditatoriais, condizem com as aspirações das comunidades. São manifestações plurais. Os jovens pobres e excluídos dos bairros londrinos desmontam seu hábitat sob motivação diferente da dos grupos que acorrem às ruas do mundo árabe. Neste ponto, cabe uma interrogação: por que nos EUA, pátria por excelência da liberdade de expressão, o manto do silêncio cobre núcleos que deveriam pôr a boca no trombone? Resposta: ali a lei é cumprida com rigor. Locução livre, tudo bem; arruaça, não. O receio do cidadão de se desviar da régua da rotina para tomar as ruas - mesmo sob razão de consciência e sobrevivência - o mantém retraído. A indignação acaba sendo canalizada para o duto político. A direita sobe alguns degraus, como se pode perceber pelo relevo conferido ao Tea Party. O estado de insolvência que envolve economias centrais e os distúrbios em praças civilizadas e incivilizadas impõem a pergunta: e o Brasil, como se comporta na moldura? Não dá para escapar pela tangente e argumentar que nossa terra é uma ilha de segurança no oceano revolto. É evidente que ondas concêntricas, formadas pelos sismos, acabarão batendo em nossas plagas. O País pode se dar ao luxo de exibir sua dimensão continental, riquezas naturais incomparáveis, reservas de US$ 350 bilhões e uma classe média inflada com a inserção de 32 milhões que saíram das margens sociais. E dizer que alargou o meio da pirâmide, ao contrário do que ocorre com a conformação social de outras nações. A questão é: sustentará a posição? Não há o risco de o dragão político devorar o leão econômico? Na era das incertezas, tal risco é possível. E as distâncias entre o Bem e o Mal são curtas. O éden fica ao lado do inferno.

GAUDÊNCIO TORQUATO jornalista, é professor titular da USP e consultor político e de comunicação.Twitter: @GaudTorquato

Mutirão recolhe toneladas de lixo do rio Potengi ALDAIR DANTAS

erca de 100 pessoas participaram ontem pela manhã do 12º Mutirão de Limpeza do Rio Potengi. A ação coordenada pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema RN), contou com a participação de guarda-vidas do Corpo de Bombeiros, soldados do Exército e muitos voluntários. Divididos em grupos, eles partiram do cais do Iate Clube em dois catamarãs: o Chama-Maré, do Idema e o Pirangi do Norte, da Transpetro. Além destes, quatro lanchas do Exército e do Corpo de Bombeiros auxiliaram na segurança e condução do pessoal e no traslado do lixo colhido em cinco diferentes pontos do estuário do Rio Potengi. O coordenador da Fundação para o Desenvolvimento Sustentável da Terra Potiguar (Fundep), André Pessoa, esperava que fossem recolhidas mais de três toneladas de lixo nas quatro horas de ação. Ele reiterou que é preciso que a população se conscientize da importância do Rio Potengi para todo o estado e não o poluam mais. “O lixo que está aqui no rio Potengi é de responsabilidade nossa e a limpeza não depende só do mutirão. É preciso ter consciência de que a poluição só nos prejudica”, ressaltou. Na última edição do Mutirão, em maio passado, os voluntários chegaram a retirar de uma das margens do rio a carcaça de um

C

Embarcações levam voluntários a cinco pontos do estuário do rio Pontengi para recolher lixo

É preciso ter consciência de que a poluição só nos prejudica” ANDRÉ PESSOA Coordenador da Fundep

fusca. Somente no primeiro semestre de 2011, foram retiradas cerca de 36 toneladas de lixo pelo Idema e Fundep. Por dia, aproximadamente 200 quilos de ma-

terial descartado no rio são retirados pelo barco Boomerangue, que conta com o apoio de garis da Urbana para colher os itens. Voluntários de todas as idades participaram da limpeza realizada ontem. Para o professor Leonado Canário, trocar um sábado ensolarado por uma ação voluntária em favor da natureza é de suma importância. “Eu escolhi contribuir para uma cidade mais limpa, mais justa. Este é o início de uma conscientização que deve ser coletiva. Afinal de contas, o meio ambiente é de todos”, defendeu. Na Gamboa Jaguaribe, uma es-

pécie de ilha que fica em frente ao Iate Clube, foram encontradas fraldas descartáveis, latas de cerveja, grelha de churrasqueira, sandálias, garrafas de vidro quebradas e muitos sacolas plásticas. De acordo com André Pessoa, o próximo Mutirão de Limpeza do estuário do rio será em novembro. “Precisamos ainda verificar a tábua de marés para escolhermos a data ideal para a limpeza. Ela deve ser feita na maré mais baixa do mês”, esclareceu. As pessoas que desejarem participar como voluntários, deverão entrar em contato com o Idema para maiores informações.

[ FÓRMULA 1] Vettel conquista o melhor tempo. Felipe Massa supera

[ GRAN PRIX ]

Fernando Alonso sai na quarta colocação. Bruno Senna fica em sétimo

Seleção feminina de vôlei vai à final

Bruno Senna surpreende AP/AE

íder da temporada 2011 do Mundial de Fórmula 1, o alemão Sebastian Vettel cravou o melhor tempo no treino que definiu o grid de largada para o Grande Prêmio da Bélgica, que ocorre neste domingo no circuito de Spa-Francorchamps. O piloto da Red Bull alcançou a marca de 1min48s298, seguido pelo britânico Lewis Hamilton, da McLaren e pelo australiano Mark Weber, seu colega de Red Bull. O brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, vai largar na quarta colocação, com o tempo de 1min50s256. Com um desempenho surpreendente no treino classificatório na Bélgica, Bruno Senna fez o sétimo melhor tempo, à frente do espanhol Fernando Alonso, bicampeão mundial, em oitavo. Outro brasileiro, Rubens Barrichello, da Williams, larga na 14ª colocação. Pela segunda vez na temporada, o brasileiro Felipe Massa superou o espanhol Fernando Alonso no grid de largada, já que o companheiro do brasileiro fez apenas o oitavo melhor tempo do treino classificatório. Na etapa anterior do Mundial, realizada na Hungria, o brasileiro também começou na frente.

L

M Bruno Senna faz um treino classificatório surpreendente

Após passar uma temporada na inexpressiva Hispania, Bruno Senna estreou em 2011 como substituto do alemão Nick Heidfeld na Renault. Com o sétimo melhor tempo em Spa, um circuitos preferidos pelo tio, ele superou o russo Vitaly Petrov, que costumava andar mais rápido que o piloto germânico e ficou apenas no 10º posto. O alemão Nico Rosberg (Mercedes) ficou com o quinto lugar do grid de largada, seguido por mais uma surpresa, o espanhol Jaime Alguersuari (Toro Rosso). Para completar o dia de resultados inesperados, o mexicano Sérgio Perez terminou em nono.

O alemão Michael Schumacher entrou na pista com um capacete dourado em alusão aos seus 20 anos na Fórmula 1, mas a peça não trouxe sorte ao piloto da Mercedes. Antes mesmo de completar a primeira volta, o veterano perdeu a roda traseira direita e deixou a pista, ficando no último posto do grid. A largada do Grande Prêmio da Bélgica está marcada para as 9 horas (de Brasília) com transmissão ao vivo da Rede Globo de televisão. LEIA MAIS SOBRE FÓRMULA 1 NO CADERNO DE ESPORTES

[ VENTOS ] Furacão Irene atinge a Carolina do Norte AP/AE

O furacão Irene, que deixou pelo menos seis mortos em sua passagem pelo Caribe, atingiu a Carolina do Norte, nos Estados Unidos, neste sábado pela manhã, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, pelas iniciais em inglês), com sede em Miami. O Irene perdeu um pouco da força, com ventos máximos sustentados de 130 quilômetros por hora, em relação aos 160 km/h atingidos durante a madrugada, mas mantém-se na categoria de furacão.

acau, China (AE) - O Brasil está em mais uma final do Grand Prix. Na manhã deste sábado, a seleção brasileira feminina de vôlei venceu a Rússia por 3 a 0 (parciais de 26/24, 25/17 e 25/23), em Macau, na China, e se classificou para a sua 12.ª decisão em 19 edições da competição. O adversário na decisão sai do confronto entre Sérvia e Estados Unidos, que se enfrentam logo mais. Maior campeão, o Brasil busca seu nono título. O time comandado por José Roberto Guimarães segue arrasador na temporada. No Grand Prix, já são 13 vitórias em 13 jogos, mantendo os 100% de aproveitamento na temporada, que se encerrará com a Copa do Mundo, competição classificatória para os Jogos Olímpicos de Londres, e que é o foco da equipe para 2011. O grande nome do jogo desta manhã contra a arquirrival Rússia foi a central Thaissa, que fez 15 pontos. Ela só não pontuou mais que a ponteira russa Gamova, que fez 17. O primeiro set foi o mais equilibrado da partida. De cara, o Brasil pulou à frente, mas a Rússia conseguiu a virada em 12/10, chegando a abrir quatro pontos. Logo a seleção brasileira se recuperou, voltou à frente em 19/18 e fechou a parcial em 26/24. A segunda parcial foi mais tranquila. No saque de Fernanda Garay, o time brasileiro abriu seis pontos de vantagem (8/2) e só teve que segurar a vantagem até chegar a 25/17. Já o terceiro set só foi conquistado na base da raça. Errando muito, o Brasil permitiu que a Rússia fizesse 17/9. Foi atrás, buscou o placar principalmente por conta da boa atuação defensiva, e fechou o jogo com 25/23 no set e 3 a 0 no jogo.


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 28 de agosto de 2011


Domingo | 28 de agosto de 2011

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

9


10

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 28 de agosto de 2011

[ CIÊNCIA ] Projeto que sacrifica bezerros tem parecer favorável da Procuradoria-Geral, mas repercussão negativa nas redes sociais leva reitor a suspender cronograma temporariamente

Cláudio Humberto E-mail: ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br

Projeto 'flexibiliza' Emenda 29 presidenta Dilma agravou o "clima de beligerância" com o Congresso, ao vazar, por seus líderes, a ideia de propor um projeto flexibilizando a rigidez da Emenda 29, que obriga a União, estados e municípios a destinarem, em seus orçamentos, percentuais mínimos de gastos com saúde pública. A ideia gerou a rebelião de parte dos deputados do PT, PMDB e PCdoB, que ameaçam votar a regulamentação da Emenda 29.

A

Conta solta

Dias contados

Aprovada em 2000, a Emenda 29 obriga o governo federal a investir em Saúde 10% do Orçamento, Estados (12%) e municípios (15%).

O novo projeto promete inibir a maquiagem de estados e municípios que põem na rubrica de saúde gatos com a previdência dos servidores.

Eu tive, na verdade, um desarranjo intestinal"

Ex-ministro da Defesa Nelson Jobim explicando sua ausência na posse do substituto

Turma do contra

Apoio discreto

FHC, Lula e Dilma não regulamentaram a Emenda 29 "pela pressão dos governadores", diz Humberto Costa (PT-PE), exministro da Saúde.

Como agora sabe onde aperta o calo, o ministro Alexandre Padilha (Saúde) apoia discretamente a regulamentação da Emenda 29.

Iniciativa popular propõe reforma Diante da omissão do Congresso Nacional e do próprio governo, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral prepara um novo projeto de lei de iniciativa popular, a exemplo do Ficha Limpa, do qual foi um dos

idealizadores. Trata-se de um projeto de reforma política, com prioridade para financiamento público de campanha e lista mista de candidatos. Como no Ficha Limpa, terá apoio da OAB, ONGs e Igreja.

Blá, blá, blá

Causa própria

Expoentes da sociedade que lutaram pelo Ficha Limpa perceberam que há muito debate e pouca vontade nas comissões do Congresso.

Parlamentares criam dificuldades para a reforma política porque não pretendem alterar regras das quais se beneficiam, a cada eleição.

É A CRISE... A crise na base governista foi o principal argumento do PMDB de Minas Gerais para romper com o PT local. A aliança nunca foi boa mesmo.

GIGANTE ENTALADO O ex-ministro da Defesa Nelson Jobim foi vítima da própria promessa não cumprida de exigir mais espaço entre as poltronas: no voo da TAM Brasília-SP, às 9h35 de sexta (26), ele mal se mexeu no assento 11.

Desafio no xadrez O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, e o ministro Fernando Haddad (Educação) toparam encarar um mico: estarão entre os adversários si-

multâneos do campeão de xadrez Garry Kasparov, nesta segunda, na sede do Sebrae, em Brasília. Prometem resistir alguns lances. Alguns.

BUMBUM DE FORA O embaixador da Líbia em Brasília, Salem Zubeidi, fez o que o Ministério das Relações Exteriores não teve coragem: reconheceu o novo governo que derrubou Muammar Kadhafi, o tirano que o nomeou.

Pesquisa da Ufersa com bezerros causa polêmica ALEX RÉGIS

HIGO LIMA Jornal de Fato

ossoró – O sacrifício de 30 bezerros em uma pesquisa da Universidade Federal Rural do Semi-árido (Ufersa) levantou a discussão quanto ao uso de animais em pesquisas científica. O assunto se amplificou nas redes sociais ao ponto de retardar o andamento da pesquisa da professora doutora Patrícia de Oliveira Lima, que pretende estudar o “Aleitamento Artificial de Bezerros com soro de queijo in natura em associação ao colostro”, como denomina o título do projeto. Depois da repercussão, a reitoria da Universidade suspendeu o andamento do cronograma da pesquisa até que os órgãos de Ética e a Procuradoria Geral da União se posicionassem sobre o assunto, que surgiu motivado por denúncia. A reportagem conversou com a professora Emanuelle Fontenele Rabelo, vice-presidente da Comissão de Ética no Uso de Animais que explica os caminhos da pesquisa científica e os trâmites de um projeto como o proposto pela professora Patrícia Lima. Segundo ela, para que um projeto desta natureza possa ser realizado é necessário um parecer favorável da comissão de Ética que, entre diversas questões burocráticas avalia a procedência dos animais. “Se for preciso usar animais em pesquisas é preciso uma documentação do órgão competente (Ibama, por exemplo) validando a procedência e autorizando o uso do animal”, explica ela. Os parâmetros são definidos por legislações específicas como a Lei de Crimes Ambientais e a Declaração Universal dos Direitos dos Animais, editada pela Unesco, órgão da Organização das Nações Unidas (ONU). Neste último documento, é previsto que “A experimentação animal, que implica sofrimento físico, é incompatível com os direitos do animal, quer seja uma experiência médica, científica, comercial ou qualquer outra”. Quanto a este último ponto, a vice-presidente da comissão esclarece que, em caso de aprovação do uso dos animais, incluindo os para eutanásia, suas condições devem ser acompanhadas para evitar sofrimento, garantir alimentação adequada e condições de existência compatíveis com as previstas pela Lei. “Os membros da comissão acompanham o cronograma da Pesquisa para fiscalizar os direitos dos animais e a veracida-

M

Josivan Barbosa,reitor da Ufersa,propõe métodos de pesquisa que não exponham animais ao sofrimento

Os membros da comissão acompanham o cronograma da pesquisa para fiscalizar os direitos dos animais e a veracidade das informações repassadas pelo projeto”. PATRÍCIA LIMA professora

de das informações repassadas pelo projeto”. E quanto à morte do animal? Depois do parecer pedido pela Reitoria, a comissão aprovou o procedimento, posição que foi seguida pela Procuradoria Geral da União. No entanto, como a decisão ainda depende do reitor Josivan Barbosa, a documentação foi encaminhada para o Conselho da Universidade que deverá se posicionar nos próximos dias. A professora Emanuelle Fontenele Rabelo ressalta que uma das exigências para o procedimento da eutanásia é o não sofrimento do animal. “É preciso que o pesquisador busque o método que não exponha o animal à dor. O procedimento, inclusive, é acompanhado de um membro da Comissão para assegurar o local adequado e os métodos corretos”.

Pesquisa avalia qualidade da carne bovina

Universidade tem 58 projetos em andamento

Para que um animal seja submetido à pesquisa, sobretudo a eutanásia, eles devem ser oriundos de criadouros específicos em criação para uso científico. Ou seja, existem instituições especializadas em reprodução de animais para uso de cobaia. “Não se pode simplesmente tirar um animal do seu habitat natural e expô-lo à ciência, sobretudo porque compromete o resultado da pesquisa”, reforça professora Emanuelle. A comissão recebe, em média, de 10 a 15 projetos de pesquisa mensalmente com uso de animais, não necessariamente submetendoos à morte. No entanto, o reitor Josivan Barbosa propõe que as pesquisa busquem métodos que não exponham o animal à eutanásia. “O professor pode consultar na bibliografia um método para obter o seu resultado sem que seja condicional submetê-los à morte”. De acordo com os objetivos apresentados pela professora Patrícia Lima no projeto, a intenção de usar os 30 bezerros é, entre outros pontos, avaliar o rendimento de carcaça dos cortes de vitelos; avaliar a qualidade da carne de bezerros para viabilizar a produção de vitelos e a eficiência econômica das dietas testadas. “A pesquisa da professora ganhou repercussão com a disseminação de informações desencontradas. Não há nenhuma irregularidade, tanto que a Procuradoria se posicionou favorável com base na Comissão de Ética.”

A polêmica com o uso de animais para pesquisas científicas veio à tona especificamente com esse projeto da Ufersa, mas inúmeros são os projetos com esta natureza. Somente no Departamento de Ciências Animais, cinquenta e oito projetos estão em andamento (sem necessariamente utilizar eutanásia com animais e outros tipos de cobaias) com financiamento de órgãos externos da Universidade, incluindo a pesquisa com os bezerros. Há ainda outras 75 iniciativas em execução na Universidade, por este departamento, sem financiamento. A Ufersa tem projetos financiados tanto por empresas do setor privado quanto do público. As maiores financiadoras são Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (Fapern). Somente na Universidade Federal do Semiárido estão em execução 372 pesquisas entre todos os departamentos, sendo que apenas 168 recebem algum tipo de financiamento. As pesquisas ganharam novo impulso com o fortalecimento das universidades públicas pelo governo nos últimos anos.

Ciúmes de candidato No aniversário da advogada Guiomar Mendes, sra. Gilmar Mendes, o ministro Luís Adams (AGU), típico gaúcho, reagiu com brevíssimo "oi" ao cumpri-

mento da mineira ministra Maria Elizabeth Rocha (STM). Ou seja, ele ainda sonha com a vaga no STF para a qual ela é cotada.

COM NOSSO BONÉ O MST pediu sexta-feira ao ministro Paulo Bernardo (Comunicações), expansão da banda larga, 500 lan houses e rádios comunitárias nos assentamentos. Jatinho, por enquanto, os malucos ainda não pediram.

PURA DEMAGOGIA A presidenta Dilma achou de "mau gosto" o projeto da deputada Erika Kokay (PT-DF) que amplia a licença paternidade de cinco para trinta dias. O País já não tolera projetos demagógicos desse tipo.

MENSALÃO AFRICANO A Justiça da Costa do Marfim expediu mandados de prisão ao Brasil, EUA, Angola e África do Sul contra sete ex-ministros de Laurent Gbagbo, diz site local. Com o ex-presidente, pilharam os cofres.

FÉ NA PRANCHETA A Igreja católica fixou a meta para seus arcebispos, preocupada com a perda de fieis: erguer o maior número possível de igrejas nos estados. O de Brasília, d. Sérgio da Rocha, já mapeia áreas no entorno do DF.

CLASSIFICADOS DA TRIBUNA FONE 4006 6161


geral

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11

Cientista do Instituto de Física de São Carlos apresenta, na reunião anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental, aparelho que mede a pressão no interior do crânio, sem a necessidade de perfurações [ MEDICINA ]

Novo método aposenta ‘furadeira’ R “ io (AE) - Um equipamento que mede a pressão dentro do crânio sem a necessidade de perfurá-lo promete melhorar o diagnóstico e o acompanhamento de pacientes com acidente vascular cerebral (AVC), traumatismo craniano, hidrocefalia, meningites e outras doenças do sistema nervoso central. “A pressão intracraniana é uma informação importantíssima, mas, até agora, esteve fora do alcance dos médicos na maioria das situações, pois exigia um procedimento invasivo para ser obtida”, explica Sérgio Mascarenhas, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC-USP). De fato, os métodos disponíveis no mercado incluem a perfuração do crânio para realizar a medição.

Mascarenhas apresentou o sensor na 26ª Reunião Anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (Fesbe), encerrada ontem, no Rio. Seu filho já criou uma empresa - a Sapra - para comercializar o sensor, que pode ser colocado sob ou sobre a pele para aferir a pressão dentro do crânio sem danos para o osso. O cientista também espera autorização do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Em um cenário otimista, prevê que receberá os carimbos no próximo semestre. Ele afirma que o preço dos monitores disponíveis no mercado varia de R$ 25 mil a R$ 50 mil. Os sen-

sores custam entre R$ 2,5 mil e R$ 5 mil. “Nosso produto terá um preço médio de R$ 350”, argumenta. “E será bem mais versátil. Poderá ser usado em academias, ambulâncias e consultórios, por exemplo.” A técnica já foi testada em ratos, coelhos, ovelhas e porcos. No Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, o método minimamente invasivo, que insere o sensor sob a pele - e, portanto, demanda uma pequena incisão -, apresentou ótimo desempenho em testes com dez seres humanos com traumatismo craniano. Mascarenhas, que hoje tem 83 anos, já recebeu diagnóstico de Parkinson. Exames mais cuidadosos mostraram que sofria de hidrocefalia de pressão normal. Há cinco

O produto terá um preço médio de R$ 350 e será bem mais versátil. Poderá ser usado em academias, ambulâncias e consultórios." SÉRGIO MASCARENHA professor da IFSC-USP

anos, perfurou o crânio para colocar um cateter que drenaria líquidos acumulados no seu cérebro. Também precisaria medir periodicamente a pressão intracraniana. Não se conformava com a

necessidade de um orifício para realizar as medições. Como bom físico, começou a indagar princípios para intuir o conteúdo de uma caixa sem violá-la. Realizou alguns testes sobre a mesa da cozinha da sua casa. O cientista supôs que o crânio poderia sofrer deformações quando a pressão dentro dele se altera. A hipótese feria uma convicção estabelecida desde 1783, a chamada doutrina Monro-Kellie: o crânio é uma caixa rígida. Mas os experimentos mostraram que o consenso estava errado: o crânio sofre uma deformação linear quando sua pressão interna aumenta. Recorreu a sensores semelhantes aos utilizados para aferir deformações em estruturas de construção

civil, devidamente adaptados. Teve de enfrentar então um novo ceticismo. “Diziam-me que, como as deformações eram muito sutis, não seria possível realizar medidas precisas: os dados importantes se confundiriam com o ruído”, recorda. O farmacêutico Gustavo Frigieri realizou seu doutorado sob a orientação de Mascarenhas e foi peça-chave no amadurecimento da tecnologia. Ele explica que utilizou um método chamado análise de Fourier para separar as informações úteis do ruído captado pelo sistema. Além de menos invasiva, a técnica também promete oferecer, para os médicos, dados mais precisos e em intervalos de tempo menores.

COMO FUNCIONA Método atual e princípio de funcionamento do novo equipamento apresentado à classe médica

[ TRÂNSITO ]

[ VIDA SAUDÁVEL ]

Ex-xerife da Lei Seca atropela 4 ao sair de festa

Alimentos para proteger a saúde

io (AE) - O subsecretário de Governo da Região Metropolitana do Rio, Alexandre Felipe Mendes, de 44 anos, que até fevereiro integrava a equipe da Operação Lei Seca, atropelou quatro pessoas após sair de uma festa, na quinta-feira à noite, em Niterói. Na delegacia, admitiu ter bebido “meia taça de vinho”. Mendes, que foi assessor parlamentar do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), na Assembleia Legislativa e no Senado, será indiciado por lesão corporal culposa. Entre as vítimas estavam dois meninos, de 2 e 5 anos, que deixavam a casa da tia com a mãe, Silvana Braga de Souza, de 30. Os garotos foram atendidos pelos bombeiros, ainda no local, e a mãe, após desmaiar, foi levada para o hospital, mas liberada. Ermínio Cosme Pereira, de 52 anos, que passava pelo local de bicicleta, sofreu traumatismo cranioencefálico e cervical e foi levado para o Hospital Estadual Azevedo Lima. Segundo a secretaria de Saúde, o estado dele é gravíssimo. Um jovem de 19 anos também foi atingido, de raspão. Após o acidente, Mendes não prestou socorro às vítimas. Ele se apresentou ontem à tarde à 81ª DP (Itaipu), onde o caso é investigado. “Bebi apenas meia taça de vinho. Peguei o carro por volta de 22h30 e ia para minha casa, quando fui surpreendido por uma bicicleta e perdi o controle do veículo”, disse. O advogado, José Maurício Ignácio, classificou o acidente como “uma fatalidade”. “Ele não é de beber, de fumar. Tinha passado na casa de amigos e me disse ter tomado apenas uma ‘tacinha’ de vinho. A bicicleta apareceu e entrou na frente dele, bateu no carro. Estava muito escuro”, disse o advogado.

R

Ações estratégicas de enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis preveem medidas que melhoram a qualidade de vida de estudantes, através do Programa Saúde na Escola

rasília - Abusar de alimentos com baixo valor nutritivo e alto valor calórico (junk food), ser sedentários, e, até mesmo, fumar e consumir bebidas alcoólicas são atitudes típicas da adolescência, mas que terão reflexo na saúde para o resto da vida do indivíduo. Estes fatores estão associados ao desenvolvimento da maioria das doenças crônicas não transmissíveis, como as cardiovasculares, diabetes e câncer, que lideram as causas de óbito na vida adulta no país e no mundo. A Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), realizada em 2009 com adolescentes de 9ª série do ensino fundamental nas 27 capitais do país, considerou que, naquela ano, 43,1% dos alunos eram suficientemente ativos, mas, no entanto, 79,5% gastavam mais de duas horas por dia em frente à televisão. O sobrepeso atingiu 16% e a prevalência de obesidade foi de 7,2% para o conjunto das capitais. Os levantamentos também alertam que jovens estão entre os grupos mais vulneráveis para o tabagismo e o consumo de álcool. No Brasil, onde o consumo de álcool também é associado às mortes por causas violentas e aos acidentes de trânsito, a exposição ao álcool tem início precoce: 71% dos estudantes de 9º ano avaliados na PeNSE relataram que já haviam experimentado álcool e 27% haviam consumido bebidas alcoólicas nos trinta dias anteriores. Quase 25% desses alunos disseram que haviam se embriagado pelo menos uma vez na vida. A coordenadora de Vigilância de Agravos e Doenças Não Transmissíveis do Ministério da Saúde, Deborah Malta, considera, porém, que a adolescência é também um período favorável para adoção de novas práticas e comportamentos, quando os jovens tor-

ANA SILVA

B

Ter cuidados com a alimentação evita a obesidade e reduz o aparecimento de doenças precoces

nam-se mais independentes. “A presença, neste período da vida, de determinados fatores de proteção, como alimentação saudável e atividade física, contribui para a promoção e preservação da saúde da população, com ganhos de curto e longo prazo.” Com uma atenção especial à prevenção das doenças crônicas, o Programa Saúde na Escola (PSE) foi lançado em 2008 para contribuir para a formação integral dos estudantes da rede pública da educação básica por meio de ações de prevenção, promoção e atenção à saúde. Em parceria, os ministérios da Saúde e da Educação integram as redes de educação e o Sistema Único de Saúde. Na prática, o trabalho integrado gera ações de promoção para a saúde, estimulando a alimentação saudável, bem como práticas corporais e atividade física. A prevenção do tabagismo e do uso de álcool, bem como a prevenção de violência, também fazem parte das ações que o programa incorpora ao cotidiano das escolas municipais que dele participam.

SAÚDE NO PRATO AÇÕES NA ÁREA DE ALIMENTOS • Implementar os guias alimentares para fomentar,em todos os ciclos da vida,escolhas saudáveis relacionadas à alimentação; • Apoiar a implementação dos parâmetros nutricionais do Programa de Alimentação do Trabalhador, com foco na alimentação saudável e na prevenção de DCNT no ambiente de trabalho; • Promover a aquisição de alimentos saudáveis para o Programa Nacional de Alimentação Escolar,de forma a respeitar as diferenças biológicas entre faixas etárias e condições alimentares que necessitem de atenção especializada; • Articular ações de capacitação e de educação permanente dos profissionais de saúde, em especial na Atenção Primária em Saúde,com foco na promoção da alimentação saudável; • Formular a orientação técnica para a aquisição dos alimentos oriundos da agricultura familiar,conforme o Art.14 da Lei 11.947/2009 – Atendimento da Alimentação Escolar; • Promover ações de educação alimentar e nutricional e de ambiente alimentar saudável nas escolas,no contexto do Programa Saúde na Escola; - Elaborar e implementar programas de educação alimentar e de nutrição, articulando diferentes setores da sociedade; • Fortalecer a promoção da alimentação sau-

dável na infância,por meio da expansão das redes de promoção da alimentação saudável voltadas às crianças menores de dois anos (Rede amamenta Brasil e Estratégia Nacional de Alimentação Complementar Saudável); • Fortalecer o projeto Educanvisa como estratégia de promoção da alimentação saudável; • Elaborar Guia de Boas Práticas Nutricionais para Alimentação Fora de Casa, destinado a orientar pequenos comércios e serviços sobre o preparo e a oferta adequada e saudável dos alimentos oferecidos para refeições de rua; • Estimular o consumo de alimentos saudáveis,como frutas,legumes e verduras; • Ordenar e fomentara a aqüicultura familiar,visando ao aumento da produção e oferta de alimentos (pescado e algas) para uma alimentação saudável; • Estimular a produção de alimentos de bases limpas (orgânicos,agroecológicos),em articulação com os programas facilitadores da produção de alimentos saudáveis do Ministério do Desenvolvimento Agrário; - Criar protocolo de ações de educação alimentar e nutricional para as famílias beneficiárias dos programas socioassistenciais, integrando redes e equipamentos públicos e instituições que compõem o Sisvan.

Ministério quer aumentar consumo de fruta Para controlar e reduzir o excesso de peso, obesidade e promover a alimentação saudável, o Ministério da Saúde apresenta à sociedade o Plano de Ações Estratégicas de Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) que traz como metas, para os próximos dez anos, elevar o consumo de frutas e hortaliças, reduzir o consumo médio de sal da população brasileira, aumentar a atividade física no lazer e a implementação do Plano Intersetorial de Obesidade, que buscará reduzir ao excesso de peso e a obesidade na infância, na adolescência e na vida adulta. O Plano de Enfrentamento das DCNT, também, tem como objetivo promover o desenvolvimento e a implementação de políticas públicas efetivas, integradas, sustentáveis e baseadas em evidências para a prevenção e o controle das DCNT e seus fatores de risco e fortalecer os serviços de saúde voltados às doenças crônicas. Para a coordenadora-geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Patrícia Jaime, esse cenário é preocupante uma vez que se observa o crescimento da obesidade no Brasil, associada, entre outros fatores, à má alimentação. “A população precisa criar o hábito de fazer três refeições e um lanche nos intervalos, buscando o consumo de frutas, verduras e legumes no lugar de alimentos processados. Ter cuidados com a alimentação reduz o aparecimento de doenças precoces como hipertensão e diabetes. E o Plano vem ao encontro dessa preocupação com a saúde dos brasileiros”, destaca.


12 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 28 de agosto de 2011


Domingo | 28 de agosto de 2011

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 13


e

o

quadrantes

14 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 28 de agosto de 2011

JOSÉ ARNO GALVÃO [ advogado ]

Alegrias, decepções e surpresas atividade profissional do advogado reserva-lhe algumas alegrias, um bocado de decepções e uma dose razoável de surpresas. Ontem mesmo, em reunião da Academia de Letras Jurídicas, por ocasião do lançamento do livrinho “Hélio Galvão, um advogado", edição prefaciada por José Daniel Diniz, reproduzindo o elogio que fiz do patrono da cadeira que ocupo na Alejurn, assinalava eu a oposição de meu pai a que eu seguisse seus passos, abraçando a advocacia. Pretendia proteger-me das decepções que sofrera e sofria no exercício dessa atividade. Mas, há alegrias, também. Algumas compensam, realmente, um ror de decepções. E nem sempre derivam daquelas causas trabalhosas, que exigem trabalho árduo. Essas, em geral, são vistas com certa indiferença, pois o esforço dispendido até chegar ao resultado almejado leva ao cansaço. Sem falar que, muita vez, o tempo conduz ao descrédito e ao desinteresse do cliente. Não, a alegria geralmente

A

decorre das pequenas vitórias, da viúva ou do órfão desamparado que obtém a afirmação de seu direito à pensão ou do proprietário desapossado que recupera seu pequeno imóvel, como no caso de uma viúva, já idosa, que se apaixonou por um jovem. O que ela não esperava é que, em conluio com o tabelião local, conseguisse ele escriturar em seu nome a pequena casa deixada por seu marido. Apesar da falta da assinatura dela, a verdadeira dona. E, embora vencida na primeira instância, obteve do Tribunal de Justiça o reconhecimento de seu direito. Mas, há surpresas. E muitas. Como da vez em que, advogando numa reclamação trabalhista (coisa rara, pois ainda não consegui entender como funciona a cabeça de um Juiz do Trabalho), tinha como adversário o Dr. Varela Barca. Terminada a audiência de instrução, faltando somente a sentença, saímos juntos e trocando idéias, Barca transmitindo a impressão, com que concordava eu, de que seu cliente ganharia em relação a uma par-

te da reclamação, ficando vencido com relação à outra. E saiu a sentença, só que o resultado era exatamente o contrário do que esperávamos. Mas, surpresa mesmo tive em um outro processo, na Justiça do Trabalho, também. Só que de outra ordem. Vou contálo, mudando apenas o nome dos personagens, para preservar meu cliente. O caso foi o seguinte. Tercio mantinha com a mulher e um terceiro uma empresa de construção, contra a qual foi ajuizada reclamação trabalhista, dada como procedente. No intervalo, a empresa cessara a atividade, impossibilitando a execução da sentença, o que levou o juiz a requisitar seus atos constitutivos à Junta Comercial, deixando clara a constituição de seu quadro de sócios. Pedida a citação do sócio Tercio, ficou ela frustrada por não ter sido localizado. É então que, não se sabe por que carga d'água, o advogado do reclamante atravessa pedido para que fosse citado Dercio, irmão de Tercio, que nunca tivera

Dercio era pessoa estranha à causa.Mas fui duplamente surpreendido a seguir.Primeiro, pelo despacho do juiz,exigindo de meu cliente cópia de seu documento de identidade e da inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas. Depois,por ter sido alterada a autuação do processo:o reclamado agora era eu mesmo.”

Humor Fino [ Amâncio ]

CARMEN VASCONCELOS [ poetisa ]

NELSON PATRIOTA [ escritor ]

Romance de Robert Walser antecipa universo kafkiano

O mal do século é a perfeição utro dia falei aqui sobre o quanto nos faz bem ao corpo e à mente cultivar certas crenças no coletivo, no ser humano como ser social. Falei da minha admiração pelo Jorge Mautner que, aos setenta anos, está cheio de crenças, planos e energia, e uns e outros alimentando-se mutuamente. Pois é. E por esses dias, envolvi-me em umas histórias que me fizeram constatar o quanto nós estamos com medo de confiar no outro individualmente. Podemos até fazer demagogia com a crença na sociedade, no ser humano, mas a nossa desconfiança no indivíduo nos assola a alma de tal jeito que passamos a agir sem qualquer cuidado com o outro, exacerbando todos os medos de que ele possa nos destruir ou nos prejudicar. O resultado é que acabamos por prejudicar o outro e, muitas vezes, sem remorsos, sem sequer perceber o quanto fomos levianos. Temos motivos para termos nos tornado esses seres acuados e inseguros. A violência nas ruas e a corrupção na política, além da prática insana e geral de levar vantagem em tudo, fazem com que olhemos para cada pessoa como um predador em potencial. Como alguém que, a qualquer momento, poderá nos fazer mal. Então, antes que ele o faça, nós é que ficamos de tocaia para qualquer passo em falso do outro. E qualquer deslize cometido estará, não abrimos espaço para outra explicação, carregado de má-fé e desonestidade. Negamos ao outro o benefício da dúvida porque queremos ter a satisfação de sermos os espertos, de termos descoberto a falcatrua, temos de provar, para alimentar nossa vaidade, que já sabíamos, já desconfiávamos. Pois não é nossa também a muito usada frase: eu bem que sabia, desde o início, desde que pus os olhos nele, que fulano não prestava... Negamos a nós mesmos, no mais das vezes, até o direito à decepção, porque queremos ser da raça dos que sabem sempre antes. E aí, dane-se o cuidado com o outro, com o lhe pode acontecer a partir dos nossos atos. Partimos para o contra-ataque, importando-nos apenas que saiamos incólumes das situações incômodas. Se fulano errou, só pode ter sido porque é desonesto. Não há possibilidade do equívoco, qualquer desvio está cheio de más intenções, e pronto. Somos uma sociedade de paranóicos, enxergamos emboscadas em todas as ações alheias. Porém, muitas vezes a nossa dificuldade de crer na boa-fé do outro advém de um olhar para dentro, ainda que não admitido. Talvez nosso medo seja das nossas intenções escusas, da nossa própria desonestidade, da nossa própria precariedade de caráter. Talvez tenhamos medo, um medo atávico, dos nossos próprios erros e das condições que os geram. Bodes expiatórios, linchamentos, apedrejamentos, servem para nos separar, nós, os normais e os certos, dos pecadores. Servem para nos apaziguar a consciência. Aliás, uma frase sobre consciência tranquila eu a ouvi foi da boca de alguém que, por falta de cuidado e reflexão, causou um transtorno enorme na vida de um outro. Temos muito medo de sermos passados para trás, por isso queremos nos antecipar sempre. Mas, não querendo ser enganados pelos outros, nós não evitamos de enganar continuamente a nós mesmos, atribuindo-nos características de bondade e justiça e a capacidade sobre-humana de detectar o mal, por estar acima dele, e do bem.

negócios em sociedade com ele. Para evitar a penhora, ingressei com um recurso chamado de “exceção de pré-executividade", espécie de defesa que evita ter de oferecer um bem à penhora. E aleguei exatamente isso: Dercio era pessoa estranha à causa. Mas fui duplamente surpreendido a seguir. Primeiro, pelo despacho do juiz, exigindo de meu cliente cópia de seu documento de identidade e da inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas. Depois, por ter sido alterada a autuação do processo: o reclamado agora era eu mesmo. Nova petição, indicando o equívoco da autuação. E recusando juntar a documentação exigida, que equivalia a negar a meu cliente um direito fundamental, inerente à sua personalidade, o direito ao próprio nome. Não tinha ele a obrigação de provar que ele era Dercio e não Tercio. Passa-se algum tempo e termina saindo o despacho reconhecendo ser improcedente aquela exigência. Mas o juiz finalizava com uma advertência ao modesto advogado: Justiça é coisa séria. A advertência era motivada pelo fato de que eu comparara a situação gerada àquela retratada por Kafka, em “O Processo". Mas, esqueceu ele de mandar corrigir a autuação. Resultado: ainda estou eu lá, figurando como reclamado, com direito até a advogado. Que é o advogado do reclamante. Até admito que, fosse verdade, o colega hesitasse em patrocinar a causa contra mim, mas afirmar ter ele cometido infração ao Código de Ética já é mais grave. É ou não é uma situação kafkiana?

O

e o adjetivo “kafkiano" está definitivamente incorporado ao nosso tempo para designar tudo que recaia no terreno do insólito ou do suprarreal, então vale a máxima borgiana de que determinados obras produzem automaticamente seus predecessores. O romance “Jakob Von Gunten: um diário", de Roberto Walser, se enquadra, por foros legítimos, na classe de obras que anunciariam o advento de Franz Kafka. A biografia do autor, que viveu anonimamente durante vinte anos internado numa instituição psiquiá-trica suíça até ser encontrado sem vida na neve, evoca a solidão sem remédio que assombra o mundo kafkiano. Mas é a própria ficção de Walser que anuncia antecipadamente alguns temas próprios ao autor de “O Processo". A perplexidade de viver num mundo que escapa a toda investida da razão é um desses temas que surge com impositiva nitidez na prosa de “Jakob...". A certa altura do livro, o personagem-título confessa que está sempre investigando porque, justifica-se, "segredos exalam perfume muito belo, indizivelmente belo". Mesmo assim, confessará mais na frente: "Alguma coisa está acontecendo, mas não compreendo o que é". O núcleo do romance de Walser é de típica matéria kafkiana: um colégio para formação de criados, mas não se trata de um colégio qualquer. Sua estrutura interna, composta de dependências secretas, jardins misteriosos, câmeras interditas de onde irrompe a determinada hora uma vaporosa figura feminina como que saída de uma novela gótica, conferem ao livro uma atmosfera abafada, onde presságios os mais sombrios parecem grassar como a erva no campo. Quanto ao campo pedagógico, anima-o uma única lição: “Como deve comportar-se um rapaz?", ministrada pela enigmática e elusiva Fräulein Lisa Benjamenta, que não resistirá a um amor não correspondido pelo narrador. Ainda assim, num gesto desesperado, ela tenta fazer de Jakob um confidente da hora final, como a buscar nele uma última esperança, no que também fracassa pela impossibilidade de amar que “A originalidade marca esse Dr. Fausto do início do do enredo não século XX. deve privar o Diante desse ambiente temeleitor de apreciar rário, o jovem Jakob não encontra de-moradamente outra defesa senão descrever dilia prosa de Robert gentemente num diário tudo o que Walser, que ocorre ao seu redor. Mas esse métodeixou em seu do defensivo não tardará a se "Jakob von mostrar insuficiente perante a aluGunten" páginas vião de acontecimentos que se prede uma sutileza cipitam de toda a parte, formando surpreendente". um cerco que ameaça se fechar em seu entorno. As contradições não resolvidas de Jakob começam pela sua origem nobre, classe que, historicamente, foi atendida por servos oriundos dos extratos plebeus da sociedade. Quando um nobre tenta inverter essa ordem social, oferecendo-se para regredir à condição servil, mecanismos de alerta começam a tocar denunciando a contradição. A originalidade do enredo não deve privar o leitor de apreciar demoradamente a prosa de Robert Walser, que deixou em seu “Jakob von Gunten" páginas de uma sutileza surpreendente, o que lhe assegura um lugar destacado na complexa literatura alemã do período imediatamente prévio à Primeira Guerra Mundial. As anotações de Jakob sobre os seus colegas de estudo são inestimáveis. Típicas “vidas minúsculas", para aproveitar uma expressão do francês Pierre Michon, esses seres reunidos pelo autor no seu colégio para criados forma um desses conjuntos literários que ficam como referências de leituras e cuja ambientação pode ser em toda a parte e em lugar nenhum. Algumas raízes do adjetivo kafkiano com certeza provieram dessa base ficcional. O breve estudo de J. M. Cotzee sobre Walser, enfeixado no livro “Mecanismos internos", dá detalhes biográficos do autor que ajudam a entender o universo ficcional de “Jakob Von Gunten", ao mesmo tempo em que analisa seu romance “Der Räuber" (“O ladrão"), aliás, inédito em português, e salienta o caráter universal da sua obra. É, em síntese, um bom “recomeço" para Walser neste começo de século.

S

CLÁUDIO EMERENCIANO [ professor da UFRN ]

Além do arco íris á pensamentos que habitam no coração e na consciência de todos os homens. Germinam o legítimo e intransferível direito de questionar e duvidar. Seu exercício revela a igualdade que, até hoje, na vertente dos tempos, nenhum regime político e nenhum tirano conseguiram eliminar. Houve e ainda existem tentativas de sufocá-lo, deformá-lo, constrangê-lo, erradicá-lo e suprimi-lo em âmbito individual e coletivo. Mas esse direito sobrevive intacto. Porque sua morada é indevassável. Aloja-se na consciência humana, que é um espelho do universo. Ilimitado. Incontido. Enigmático. Fantasticamente sem limites de tempo e espaço. Porque transcendental e espiritual. Cada homem carrega dentro de si sentimentos, percepções, sonhos, ideais, desejos, avaliações, curiosidades, esperanças e vontades, que se projetam no infinito. Do mesmo modo que as estrelas do céu. A mente humana é uma amostragem viva do universo: complexa, surpreendente, crescentemente em expansão. Albert Einstein dizia que, por isso, a vocação do homem é irreprimível. Cada um reclama condições e contexto para desenvolvê-la e aprimorá-la. Há um desafio à condição humana: o de estar no limiar ou no ocaso de uma nova era, no nascimento de circunstâncias de dor, dúvidas e apreensão, ou na plenitude de alegrias e felicidade. Incógnita desse tempo. A vida é um dom de Deus. Obra do Criador, que a inseriu na vastidão da beleza universal. A vida é um poema, que consagra e decanta o crescer, o ascender, o amar, o partilhar, o criar e o renascer. Nascemos a cada instante. Mas a fruição da vida não pode ser exclusiva, egoísta, indiferente à existência dos outros. A humanidade ingressou em novo milênio sem se aperceber dos seus reptos, que emergem de uma encruzilhada: viver ou não viver. Há, nesse sentido, uma interdependência universal. É impossível os povos se isolarem. Há problemas os quais nenhum país, rico ou pobre, poderoso ou frágil, pode ignorar: a sobrevivência e a qualidade de vida ambiental no planeta, o aprimoramento da condição humana, conjuntura e meios essenciais para cada homem ser efetivamente livre e feliz. A beleza da vida está, essencialmente, dentro de nós. Daí as palavras de Jesus no Evangelho de São Lucas: “o reino dos céus está dentro de vós”. Enquanto Charles Chaplin (em “O grande ditador”) profetizava o drama dos nossos dias: “A tecnologia que fornece abundância, deixa-nos, também, na privação. Mais que engenho, necessitamos humanidade”. Já se disse que as Catedrais medievais, majestosas, inimitáveis, arre-

H

batadoras, muito mais do que expressão magnífica como obra de arte e legado de uma época, estão impregnadas, em cada tijolo, em cada coluna, em cada arcada, em cada escultura, do suor, da fé e da esperança dos seus obreiros. Eles, anônimos, humildes, talentosos, indôHá pensamentos mitos, pacientes, perseveque habitam no corantes, transferiram a subsração e na consciêntância do seu ser, sua percia de todos os hocepção de infinito e sua vimens. Germinam o são de Deus para o sentido legítimo e intransfede suas vidas e das construrível direito de quesções que ergueram. Todas etionar e duvidar. Seu las, até hoje, parecem aponexercício revela a tar um caminho, uma via de igualdade que, até acesso, uma escada, como hoje, na vertente dos a de Jacó, no Velho Testatempos, nenhum remento, em busca de Deus e gime político e neda eternidade. De certo monhum tirano consedo, os homens, ao devassaguiram eliminar. rem o espaço sideral, ao piHouve e ainda exissarem no solo da lua, ao obtem tentativas de servarem com maior nitidez sufocá-lo, deformáas estrelas, as galáxias e a lo, constrangê-lo, vastidão do universo, ao erradicá-lo e tentarem esclarecer o mosuprimi-lo em âmbimento do “FIAT”, o “Bigto individual e coletivo. Mas esse direito Bang” (Grande Explosão, ou Grande Implosão), esquecesobrevive intacto. ram a lição dos construtores Porque sua morada daquelas catedrais, que tué indevassável. do fizeram com humildade Aloja-se na conse simplicidade, serenidade e ciência humana, que é um espelho do uni- paz, harmonia entre si, o mundo e a vida. Confirmaverso. Ilimitado. Inram a máxima evangélica contido. Enigmático. de que “a fé remove montaFantasticamente nhas”, pois não há nada de sem limites de temnovo “abaixo do sol”. po e espaço. Porque O arco íris é a expressão transcendental e esmais bela da manifestação piritual. de Deus no âmbito da natureza: “... porei nas nuvens o meu arco; será o sinal da aliança entre mim e a terra” (Genesis 9,13). Metaforicamente, “além do arco íris” é a dimensão onde a humanidade se encaminha para Deus, ou, segundo São João, no Apocalipse (4,3), a auréola que cerca a presença de Deus. Assim a fé projeta os homens além do arco íris...


geral

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 15

Incidente protagonizado por uma adolescente de 16 anos expõe a volatilidade de questões envolvendo o idioma e a educação no país que conseguiu se livrar do apartheid há poucas décadas

[ ÁFRICA DO SUL ]

Uma pedra no caminho da liberdade DIVULGAÇÃO

DONNA BRYSON Associated Press

ohannesburgo (AE) - Uma adolescente de 16 anos que acredita ter sido expulsa da sala de aula por ter falado alguma coisa em sua língua materna levou o governo da África do Sul a investigar um caso que expõe quão voláteis permanecem as questões do idioma e da educação no país. Representantes da escola insistem em tratar a questão como um problema de disciplina, e não de racismo. Mas o caso chama a atenção uma geração depois de centenas de pessoas terem sido mortas quando estudantes se revoltaram por serem obrigados a aprender o africâner, idioma de seus opressores brancos durante o regime do apartheid. Luthando Nxasana conta que pegou seus livros e foi atrás de um coordenador quando uma professora dirigiu-se a ela ordenando que falasse inglês ou saísse imediatamente da sala de aula. Ela disse aos professores que considerou “muito racista” o fato de ter sido expulsa da sala por falar xhosa. O xhosa é a língua falada por Nelson Mandela e por mais de 10 milhões de sul-africanos. O xhosa é um dos 11 idiomas oficiais da África do Sul, entre os quais figuram o inglês e o africâner. No entanto, as línguas dos colonizadores do país ainda são predominantes não apenas nas salas de aula, mas quase em toda a parte, o que torna a situação motivo de ressentimento neste país de cerca de 50 milhões de habitantes. Shawn Scannell, diretor da associação de pais da Escola Secundária Roosevelt, diz que muitos estudantes e professores têm sido injustamente expostos no turbilhão de publicidade que se formou depois que a denúncia de Luthando se espalhou. “A escola (...) encoraja o respeito por todos os grupos raciais e culturais”, disse ele em uma mensagem de correio eletrônico. Segundo ele, a escola abriga estudantes não só da África do Sul,

J

mas também de países como Angola, Namíbia, Nigéria e Zimbábue, além de nações asiáticas. Na versão de Scannell, Luthando foi punida porque estava falando alto demais e atrapalhava as outras pessoas. Ainda segundo ele, outros alunos que falam xhosa disseram que Luthando estava criticando a aparência da professora e de outras meninas. Luthando, por sua vez, assegura que estava apenas dando apoio a um colega que estava preocupado com as notas baixas. Ela disse que outros alunos possivelmente tenham feito piadas sobre a professora em suas línguas maternas e defendeu-se dizendo que seria injusto ser punida pelo mau comportamento de outras pessoas. O problema ocorrido em sala ganhou vulto. O pai de Luthando chegou a ir à polícia. Ele acusou professores de terem tentado intimidar Luthando e sua irmã gêmea, Lusanda. Promotores recusaram-se, no entanto, a levar o caso adiante. Eles consideraram que o assunto seria melhor conduzido pela Secretaria de Educação e pela Comissão de Direitos Humanos. Chris Swepu, diretor da Secretaria Pan-Sul-Africana de Idioma, que também investiga o caso, disse não ter ficado claro se “os direitos humanos idiomáticos” de Luthando foram realmente violados. De qualquer forma, avalia ele, o caso lançou luz sobre a questão do idioma nas escolas da África do Sul. Muitos pais e alunos já o procuraram com problemas similares nos três anos que dirige o organismo. Na maior parte dos casos, trata-se de negros de classe média que podem pagar para manter seus filhos em escolas como a Roosevelt em bairros onde, no passado, apenas os brancos podiam morar. Pais brancos ainda dominam as associações de pais e mestres. Eles têm autoridade para estabelecer o preço das mensalidades, determinar o idioma no qual uma matéria será ensinada e elaborar os códigos de comportamento dos alunos.

[ ÁUSTRIA ] Deputado trabalhista pode perder

mandato por uso indevido de recursos públicos

Escândalo de prostituição ameaça derrubar premiê iena (BBC) - Um escândalo envolvendo pagamentos em cartão de crédito feitos por um parlamentar a um serviço de acompanhantes está ameaçando o governo da premiê australiana Julia Gillard. O Partido Trabalhista australiano, de Gillard, tem a maioria no Parlamento com apenas uma cadeira de vantagem. Se o parlamentar trabalhista envolvido no escândalo, Craig Thompson, for obrigado a renunciar ao cargo, o partido terá que enfrentar uma eleição extraordinária. E, de acordo com as pesquisas de opinião, o partido do governo poderia ser derrotado nestas eleições. No começo de agosto Thompson admitiu que fez pagamentos a uma agência de acompanhantes em Sydney com o cartão de crédito do Sindicato dos Serviços de Saúde, quando ele era o diretor do sindicato. Ele também foi acusado de fazer saques pessoais e o total das despesas chegaria a mais de 100 mil dólares australianos. No entanto, o parlamentar alega que não sabia que os pagamentos que fez na época, em 2009, foram para prostitutas. Thompson também nega que tenho feito algo errado, mas, no início da semana, foi obrigado a renunciar à presidência do Comitê Econômico da Câmara dos Representantes. A oposição australiana usou o escândalo para atacar o governo da premiê Julia Gillard. Devido à sua estreita maioria no Parlamen-

V

to, Gillard teve pouca escolha, a não ser apoiar Craig Thompson. “Ele tem todo o meu apoio”, disse Gillard no começo da semana, recusando os pedidos para fazer com que Thompson dê uma declaração ao Parlamento sobre as acusações.Falando ao jornal The Canberra Times, o líder da oposição Tony Abbott afirmou que “o gabinete de Gillard sabia a respeito do caso antes de sua divulgação. Acho que ela deve ao pú-

O gabinete de Gillard sabia a respeito do caso antes de sua divulgação. TONY ABBOTT líder da oposição

blico, precisa contar exatamente o que ela sabia, quando ela sabia e o que ela fez a respeito”, disse.Para analistas, o escândalo prejudicou a imagem da premiê australiana. E este escândalo ocorre em um omento crítico para o governo australiano. O governo está lutando para que os impostos sobre emissão de carbono e mineração, ambos impopulares junto ao setor empresarial do país, sejam aprovados. líder da oposição Tony Abbott já prometeu abandonar os projetos para os dois impostos caso seja eleito.

Símbolo da luta contra a segregação racial,Nelson Mandela e mais 10 milhões de pessoas falam o shosa,um dos 11 idiomas sul-africanos

Ensino de um novo idioma na escola provoca tensões A tensão e a ansiedade têm diferentes contornos. Alunos são matriculados em escolas que ensinam em inglês depois de terem crescido falando zulu em casa e ressentem-se dos pais por isso. Pais negros orgulhosos de enviarem seus filhos às escolas dos melhores bairros podem se sentir constrangidos quando visitam seus vilarejos natais e constatam que as crianças não falam a mesma língua dos avós. Ao mesmo tempo, muitos sul-africanos negros suspeitam que os brancos não querem aprender os idiomas africanos por desdenha-

rem a cultura da África. Mesmo depois de toda a controvérsia, no entanto, as irmãs gêmeas continuaram estudando na Roosevelt. Quando foram entrevistadas pela Associated Press, as duas vestiam o uniforme azul e dourado com o emblema da escola no casaco. Luthando Nxasanacomentou que se tivesse simplesmente mudado de escola, talvez se deparasse com uma situação pior. “O problema do racismo é que ele é endêmico”, afirmou. Thami Nxasana, o pai das meninas, é um especialista em comu-

nicações que já prestou consultoria para a Secretaria de Educação. Ele diz que gostaria de ver a luta de suas filhas terminar com escolas como a Roosevelt oferecendo matérias em zulu, xhosa e outras línguas africanas, assim como em inglês e africâner. Questionada sobre se poderia ter sido mais tolerante com sua professora, Luthando para um pouco para pensar. Enquanto ela pensa, o pai repete uma frase comum antes do fim do apartheid, em 1994: enquanto os negros continuam perdoando, os brancos raramente mudam. A seguir, Luthando responde que sim, poderia ter sido mais tolerante com a professora, mas considera triste a situação dela.

O problema do racismo na África do Sul é que ele é endêmico LUTHANDO NXASANA cidadão sul-africano

Não está claro se os direitos humanos idiomáticos foram realmente violados. CRIS SWEPU diretor de escola

[ VIOLÊNCIA ] Entre 1998 e 2010, taxa de assassinatos passou de 19 para 57 homicídios para cada 100 mil habitantes, colocando o país entre os mais inseguros da região

Taxa de homicídios triplica em 12 anos na Venezuela ARIANA CUBILLOS

aracas (AE) - A taxa de homicídios na Venezuela triplicou nos últimos 12 anos, tornando o país um dos mais inseguros da região. O balanço é fruto de um trabalho do Observatório Venezuelano da Violência (OVV), enfocando um dos temas que mais preocupam os eleitores do país. O diretor da OVV, Roberto Briceño, afirmou que entre 1998 e 2010 a taxa de assassinatos deu um salto, passando de 19 para 57 homicídios para cada 100 mil habitantes. No início do ano, o governo do presidente Hugo Chávez havia informado que a taxa de homicídios em 2010 foi de 48 por cada 100 mil habitantes. Para fazer frente ao pico de violência, o governo proibiu o porte de armas e munições nas unidades de transporte público e terminais de passageiros, anunciou na última quarta-feira o ministro das Relações Exteriores, Tareck El Aissami. A medida, que entrará em vigor logo após a publicação no Diário Oficial, busca fortalecer o Exército no “monopólio legítimo da força, e não declinar esta competência ou delegá-la a particulares”, disse El Aissami na televisão estatal. O governo adotou a medida quase duas semanas após uma paralisação nacional de um dia realizada por sindicatos do setor de

C

Medidas adotadas por Hugo Chávez ainda não surtiram efeito

transportes, repudiando os vários assassinatos e assaltos sofridos por motoristas nos últimos meses. A situação de insegurança na Venezuela é “muito dramática”, afirmou Briceño em entrevista coletiva na última quarta-feira. Ele assegurou que as cifras divulgadas por sua organização não-governamental (ONG) se baseiam em informes de fontes oficiais que não foram entregues às autoridades. O analista acrescentou que desde 2005 o governo mantém limitado acesso aos indicadores sobre

homicídios. O diretor da ONG sustentou que o índice de homicídios em 2010 quase se igualou com os de Honduras e El Salvador, considerados os países mais violentos da América Latina. Ao analisar as causas do aumento da criminalidade, Briceño afirmou que existe a falta de uma “política de controle sustentado” da delinquência, a “quebra institucional” e o “aumento da impunidade”, favorecendo o pico de violência na Venezuela. Além dis-

so, o especialista notou que as medidas tomadas pelo governo de Chávez nos últimos meses, como a criação de uma polícia nacional, não têm sido suficientes para conter o alto índice de criminalidade. Briceño demonstrou inquietude com a proposta realizada pela nova ministra de Serviço Penitenciário, Iris Varela, de liberar delinquentes que tenham cometido crimes menores para descongestionar as cadeias, e indicou que deve haver um castigo para os que cometem um delito, já que no caso contrário haveria um “dano para a sociedade”. “O medo nos invadiu e tem preenchido nossas relações sociais”, afirmou o analista, demonstrando preocupação com os resultados de uma pesquisa nacional realizada entre maio e junho passado pelo OVV, junto com sete universidades. Essa sondagem mostrou que um em cada cinco venezuelanos sente necessidade de andar armado para combater a delinquência. Da mesma maneira, o estudo revelou que 45% da população está de acordo com os “assassinatos extrajudiciais” realizados por policiais para conter os delinquentes. Além disso, a pesquisa estimou que 91% dos policiais do país estão de alguma forma envolvidos em delitos.


16 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 28 de agosto de 2011


economia DÓLAR COMERCIAL Compra:R$ 1,6030 Venda:R$ 1,6050 DÓLAR PARALELO Compra:1,64 Venda: 1,76

POUPANÇA HOJE 0,6478% CDB 12,29% BOVESPA + 0,75%

SALÁRIO MÍNIMO

R$ 545,00 TAXA SELIC

12,50%

TELEFONES ÚTEIS Receita: 3232-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT/RN: 3220-2000

ENTREVISTA

Presidente da CPFL Renováveis, Miguel Saad,fala sobre negócios no setor de energia eólica. PÁGINA 3 DÓLAR TURISMO Compra: R$ 1,5570 Venda:R$ 1,6770 EURO Compra:R$ 2,3210 Venda:R$ 2,3240

Editora: Renata Moura e-mail: renatamoura@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 28 de agosto de 2011

Evento promovido pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico e Fapern, em Natal, vai reunir pesquisadores e investidores do setor para estreitar laços e discutir, entre outros assuntos, tecnologia e pesquisa [ WORKSHOP ]

Energia eólica será debatida no RN ono de um dos maiores potenciais do Brasil para geração de energia eólica e do maior volume de investimentos em curso no setor – mesmo após o desempenho abaixo do esperado nos leilões realizados este mês - o Rio Grande do Norte colocará no centro das discussões esta semana o potencial da energia dos ventos. Amanhã e terça-feira, o estado sedia o 1º Workshop para a construção de Redes Cooperativas em Tecnologias e Pesquisa em Energias Eólicas integradas aos Setores Empresarias. O treinamento será realizado no Hotel Escola Senac Barreira Roxae é essencial, explica a diretora da Fundação de Apoio e Pesquisa do RN (Fapern), Bernadete Cordeiro, para a implantação do Instituto Internacional de Tecnologia em Energia Eólica (IITEE), que deverá começar a operar ainda este ano no Estado. A ideia é garantir capital humano, para os investimentos que serão feitos. “O workshop visa fazer essa ponte entre o meio acadêmico e o empresarial para que possamos ter um direcionamento da melhor aplicação de recursos, conhecimentos e tecnologias integrando ensino e tecnologia”. O workshop reunirá pesquisadores e representantes de empresas geradoras de energia eólica, além de fabricantes de equipamentos necessários à geração da energia, de diversos lugares do país e de Portugal, com o intuito de gerar conhecimento por meio da troca de experiências.

D

TECNOLOGIA As atividades do IITEE não irão aguardar a criação de uma sede própria. De acordo com a diretora da Fapern, as pesquisas serão realizadas em laboratórios das Universidades federais do Rio Grande do Norte (UFRN) e Rural do Semiárido (Ufersa), Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e o Centro de Tecnologia do Gás e Energias Renováveis (CT-GAS-ER), que já dispõe de tecnologia no setor de energias renováveis. “A UFRN já desenvolve pesquisas sobre os impactos que a geração de energia eólica causa quando é lançada nas linhas de transmissões da energia elétrica”, lembra a professora. A Rede terá participação de pesquisadores das Universidades Federais de Pernambuco, Minas Gerais, Pará, Ceará, Paraíba, e Santa Catarina, além de especialistas em energias limpas da Universidade do Porto, em Portugal, e da Rise National Laboratory for Sustainable e a Energy Technical University of Denmark – DTU, e do Centro de Investigaciones Energéticas, Medioambientales y Tecnológicas (CIEMAT), da Espanha. A necessidade de mão de obra especializada no setor de energia eólica, segundo Bernadete, é equivalente ao volume de negócios que serão realizados no Estado. “Receberemos investimentos da ordem de R$ 9 bilhões, em 4 anos, com a instalação dos parques eólicos e geração de energia”, observa. Leia mais sobre o assunto na pág.3


2

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 28 de agosto de 2011

TOMISLAV R.FEMENICK [ autor do livro “Para Aprender Economia ]

Negócios &Finanças LUIZ ANTÔNIO FELIPE laf@tribunadonorte.com.br

Responsabilidade ampliada este segundo semestre legislativo, a Câmara dos Deputados vai avaliar a proposta que aumenta para dez anos o prazo de responsabilidade do empreiteiro pela solidez e segurança dos edifícios. Atualmente, as construtoras são obrigadas a reparar os defeitos dos prédios apenas durante cinco anos após findada a construção. O Projeto de Lei 243/11, do deputado Sandes Júnior (PP-GO), altera o Código Civil (Lei 10.406/02). Para o autor do texto não há justificativa técnica para que a responsabilidade pela solidez e pela segurança da obra se limite a cinco anos.

N

PROSPECÇÃO Mesmo com poços maduros no Oeste, o Ativo de Produção de Mossoró, da Petrobras, continua recebendo investimentos da Petrobras em prospecção e perfuração de poços. No campo de Canto do Amaro, já no município de Areia Branca, a Petrobras vai perfurar mais seis poços.

Conta

Varejo

O governo da Paraíba prorroga o prazo de contrato de gerenciamento da folha do Estado, que continuará sendo paga pelo Banco do Brasil. A prorrogação, que se estenderá por 90 dias, foi feita por decreto. Dentro desse prazo, o governo realizará a licitação para contratar um banco para administrar a conta da Paraíba. Essa licitação pode chegar aos R$ 400 milhões.

O Liquida Natal pega embalo ainda com a campanha publicitária. A multifeira “Brasil Mostra Brasil”, que começa na próxima sexta-feira, também está com sua campanha publicitária pronta, mas suspensa por enquanto. Houve um “entendimento” para não concorrer para um esvaziamento da promoção Liquida Natal, que vai sortear dez carros.

CUSTO É caríssimo o custo da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (Uern), de R$ 15 milhões/mês, segundo o levantamento do governo do Estado. Caro para um Estado pobre. A ignorância custa mais caro ainda. As lideranças políticas do RN deveriam aumentar a pressão no Ministério da Educação para transferir esse custo ao Orçamento da União ou, gradualmente, a UFRN absorver a Universidade Estadual.

Eólica em discussão Amanhã e terça-feira, a Fapern reúne autoridades acadêmicas e empresariais para discutir a evolução da fonte de energia eólica no Estado. O encontro, no Hotel Escola Barreira Roxa, denominado “1º Workshop para Formação de Redes Cooperativas em Tecnologia e Pesquisa em Energia Eólica Integradas aos Setores Empresariais” é primeira fase para a implantação do Instituto Internacional de Tecnologia em Energia Eólica (IITEE). Estão confirmados pesquisadores das uni-

versidades de Pernambuco, Minas, Pará, Ceará, Paraíba e Santa Catarina, além dos pesquisadores que atuam nas instituições de ciência e tecnologia instaladas no RN. Está confirmada a presença do professor catedrático da Universidade do Porto, Vlademiro Miranda, diretor de estratégia da área de energia do Inesc Porto, um instituto privado e sem fins lucrativos e de investigação em tecnologias da informação em Portugal, onde foi coordenador da área de Sistemas de Energia.

PAGAMENTO Além da Previdência Social que está pagando os benefícios de agosto, com a parcela do 13º salário, amanhã começa uma semana de pagamentos de salários. Estado e prefeituras pagam o mês de agosto ao funcionalismo.

1

Uma boa iniciativa do deputado potiguar Fábio Faria,ao apresentar o projeto que prevê o controle do endividamento de idosos. De acordo com a proposta, os empréstimos e financiamentos consignados só poderão ser contratados com a presença do aposentado ou pensionista.Poderia acrescentar “e um familiar”. Os empréstimos têm sido fruto de denúncias de desconhecimento do idoso.

2

Além da energia, papelão e embalagens em geral,o consumo doméstico de alumínio também cresceu (13,2%),no primeiro semestre, confirmando que o país continua seguindo em frente. Esses insumos indicam crescimento. No caso do alumínio, nos seis primeiros meses do ano, cresceu para 693,5 mil toneladas.

3

O contribuinte que declarar ter débito tributário pode ficar isento de multa moratória e propor a quitação de forma parcelada.Está prevista no Projeto de Lei Complementar 399/09,aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.O benefício já é concedido quando o contribuinte se apresenta ao fisco antes de qualquer medida fiscalizatória.

REVENDA Natal ganha mais uma concessionária de carros 4x4, a Stark BoaVentura. O empresário Sérgio Procópio abre as portas da loja, na Avenida Prudente de Morais, em Candelária, próximo à lombada eletrônica. O jipe Stark 4WD diesel é fabricado pela TAC (www.tacmotors.com.br), em Santa Catarina, e tem vários diferenciais que o tornam competitivo.

INTERCÂMBIO Amanhã e terça-feira (29 e 30), estará em Natal, o oficial consular dos EUA, Juan Cruz. Ele apresentará o Programa Work and Travel 2011-2012 destinado aos estudantes universitários, que desejam melhorar o Inglês, além de vivenciarem experiência de trabalho nos Estados Unidos. São três meses (período de recesso das universidades). A CI - Central de Intercâmbio e Viagens de Natal estará prestando assistência ao evento. BELEZA O Garbos Recepções e Eventos vai sediar, hoje e amanhã, a 4ª Feira da Beleza de Mossoró e Região, promovido pela Associação dos Profissionais da Área da Beleza do Rio Grande do Norte (Mossoró). Reunirá em mais de 50 estandes, expositores da cidade, Natal, Recife, Fortaleza e Maceió, que vão participar de cursos, palestras e fechar negócios.

O Estado sob a ótica Keynesiana uando se discute o papel do Estado na economia, as ideias desenvolvidas pelo economista John Maynard Keynes, sempre vêm à tona em forte clima de polemica. Na base dessas controversas, estão as teorias de economista britânico desenvolvidas nas décadas de 20 e 30 do século passado, principalmente nesta última e no bojo da grande crise provocada pela quebra da Bolsa de New York em 1929, que gerou um grave desequilíbrio conjuntural nos Estados Unidos, que logo se irradiou pela economia mundial. A crise financeira iniciada no final de 2008, também iniciada nos Estados Unidos e espalhada pelo planeta, fez reaparecer em destaques um dos postulados do keynesianismo: quando algo provoca desequilíbrio no mercado, ocasionando a retração do nível de consumo e/ou de investimento por parte dos agentes privados, o Estado deve intervir na economia em grau e em áreas tão diversas quanto necessário seja como forma de evitar o desemprego e garantir o estado de bem-estar social. Politicamente Lorde Keynes era um liberal (foi membro do Partido Liberal britânico), porém posicionou-se contra uma das bases do liberalismo clássico, o laissez faire (teoria segundo a qual o mercado deve funcionar livremente, sem interferência de quaisquer fatores), e, mais ainda, propôs a intervenção do Estado na economia como forma de defesa da livre iniciativa – posturas aparentemente antagônicas: o liberalismo e a intervenção estatal. Todavia eram posições racionais. Defendia uma maior atuação estatal nos assuntos da economia “por ser o único meio praticável para evitar a destruição total das formas econômicas existentes como por ser condição de funcionamento adequado da livre iniciativa” As concepções macroeconômicas de Keynes, embora possuam conotações e ca-

Q

racterísticas não liberais, aceita essa intervenção do goA lição recebida foi verno tão somente a de que uma como uma forma economia de suplementar inengessada,sem a suficiência conjunintervenção do tural da demanda indivíduo como do setor privado e agente condutor e rejeita, categoricaprodutor,sem mente, a propriecompetição e sem dade estatal dos oportunidades e meios de produção, opções de o Estado como mercado,tende a agente produtor de produzir menos do bens e serviços paque a sociedade ra o mercado. Na necessita .“ sua obra Teoria Geral ele afirma “não se vê nenhuma razão evidente que justifique um Socialismo de Estado abrangendo a maior parte da vida econômica da nação. Não é a propriedade dos meios de produção que convém ao Estado as sumir”. Na verdade, as teorias de Keynes têm por objetivo encontrar meios para evitar ou solucionar as crises que periodicamente afetam o funcionamento normal das sociedades capitalistas. Com avanços e recuos, o keynesianismo se impôs como teoria aceita, praticada e pouco criticada, desde o fim de depressão de 30 até a época de crescimento econômico que se seguiu aos anos da Segunda Guerra. Nos anos 70, quando os altos índices de desenvolvimento dos países capitalistas começaram a recuar, a arrefecer, suas teses começaram a ser contestadas, principalmente pelos integrantes da chamada escola de Chicago, uma corrente de pensadores integrada por economistas liberalistas, defensores de teses monetaristas e da ausência estatal no mercado. Fa-

zem parte desta escola importantes economistas, muitos deles ganhadores do premio Nobel de Economia, considerados como os novos defensores do laissez faire. Todavia Keynes também era monetarista. Segundo John Hicks, também ganhador do premio Nobel, ele “foi essencialmente um economista monetário; seus escritos são um complemente intelectual da revolução monetária do nosso tempo”. Os países que viveram sob governos tutelados por partidos comunistas, tiveram a maior experiência de intervenção governamental na economia. Planificando, orientando, implementando, produzindo e, enfim, conduzindo a atividade produtiva e a distribuição da riqueza de toda a sociedade de forma centralizada, o governo era onipresente na economia. As pessoas, como indivíduos, foram excluídas de todo o processo, como agentes econômicos produtores. Essa experiência foi desastrosa. A lição recebida foi a de que uma economia engessada, sem a intervenção do indivíduo como agente condutor e produtor, sem competição e sem oportunidades e opções de mercado, tende a produzir menos do que a sociedade necessita. Hoje, até os governos que ideologicamente se intitulam como comunistas vêm mudando a sua conduta no campo econômico. O capitalismo renasce na China, o Vietnã recebe as empresas multinacionais de braços abertos e em Cuba instalam-se empresas de qualquer nação e o governo quer também as norte-americanas. Por outro lado, há uma onda de privatizações de empresas governamentais, embora desacelerada com a presente crise financeira internacional. O processo iniciou-se na Grã-Bretanha e se espalhou pela França, Itália, Brasil, Argentina, México, Rússia, países do leste europeu e pelo mundo afora.

ALCIMAR DE ALMEIDA SILVA [ consultor administrativo,fiscal e tributário municipal ]

Preços públicos municipais s receitas públicas são tributárias – também chamadas derivadas e não-tributárias – também chamadas originárias. As primeiras obtidas ou extraídas compulsoriamente do patrimônio, da renda, da produção, da circulação e do consumo dos particulares (pessoas físicas e jurídicas), através da cobrança de impostos, taxas e contribuições, que no âmbito municipal compreendem o IPTU – Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana, o ITIV – Imposto de Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis e o ISSQN – Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza; as taxas pelo exercício do poder de polícia e pela utilização de serviços públicos específicos e divisíveis; e as contribuições de melhoria decorrente de obras públicas e para o custeio do serviço de iluminação pública. Paralelamente há nos Municípios ocorrências para a realização de receitas não-tributárias ou originárias, conseqüentes, sobretudo, da exploração do patrimônio público, quer pela prestação de serviços aos particulares não remunerados por tributos, quer pela concessão, permissão ou autorização a particulares para a prestação de serviços públicos, quer, finalmente, pela utilização pelos particulares de bens pertencentes ao patrimônio público municipal, sejam estes de uso comum, de uso especial e dominiais, havendo na maioria dos

A

Municípios de pequeno porte até mais potencial de receitas É público e notório não-tributárias ou que muitas são as originárias do que de atividades levadas a receitas tributárias ou efeito no território derivadas. municipal com a A realização e adutilização de área ministração destas pública, na qual são receitas não-tributáinstalados rias, tecnicamente equipamentos, denominadas preços privatizando bens públicos – embora públicos de uso sejam popularmente comum”. chamadas de taxas – oferecem, aliás, mais facilidade. Em primeiro lugar porque não estão elas sujeitas a algumas limitações do poder de tributar de que trata a Constituição Federal, pois se também devem observar o tratamento igual entre particulares que se encontrem em situação equivalente, proibida qualquer distinção, nem sempre dependem de lei, podendo ser fixados os preços públicos por Decreto do Poder Executivo, conforme previsto na respectiva Lei Orgânica Municipal; e podem ser cobrados dentro do mesmo exercício financeiro em que foram instituídos e aumentados. Além disso, é público e notório que muitas

são as atividades econômicas levadas a efeito no território municipal com a utilização de área pública, na qual são instalados equipamentos necessários, como postes, antenas, cabos subterrâneos, bancas de revistas, quiosques para venda de alimentação, abatedouros, mercados e feiras em vias públicas, pontos de táxi e até estacionamentos privativos para uso exclusivo dos beneficiários, privatizando assim bens públicos de uso comum, de uso especial ou dominiais, não apenas sem qualquer remuneração ao Município que é o proprietário e investe para a construção e manutenção daqueles bens. Daí porque é recomendável que, quando menos para a indenização ou recuperação das despesas de investimento ou de custeio para a construção e manutenção daqueles bens, assim como de serviços prestados diretamente pelo poder público ou por particulares aos quais é autorizada, permitida ou concedida a prestação, é tempo de ser instituída legislação municipal que objetive realizar a cobrança de preços públicos, encaminhando às Câmaras Municipais projetos de lei dispondo sobre os critérios a observar na fixação e cobrança, pela prestação de serviços, diretamente ou mediante autorização, permissão ou concessão de serviços e pela utilização de bens públicos de uso comum, de uso especial e dominiais.

JUAN QUIRÓS [ presidente do Grupo Advento,vice-presidente da Fiesp e da ABDIB ]

Carga tributária ainda alta para pequena empresa oi importante a recente medida anunciada pela presidente Dilma Rousseff, atualizando os limites de faturamento para efeito de caracterização das pequenas e microempresas no Simples Nacional. A decisão evitará que numerosas dessas firmas continuem pagando impostos e enfrentando trâmites burocráticos como se fossem grandes. No entanto, o ajuste de R$ 36 mil para R$ 60 mil do teto da receita bruta anual do empregador individual, de R$ 240 mil para R$ 360 mil para a micro e de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões para apequena empresa, elevação de 50%, significa basicamente a correção de uma defasagem de muitos anos. Também é pertinente o parcelamento da dívida tributária, em até 60 parcelas, para os empreendedores que estão enquadrados no Simples Nacional,assim como a suspensão da exigência de declaração anual, que será consolidada pela própria Receita Federal a partir do movimento mensal. Espera-se, ainda, que termine com êxito a negociação do governo e dos parlamentares para que micro e pequenas empresas possam exportar, em valores equivalentes aos das suas vendas no mercado inter-

F

no, sem serem excluídas do Simples. Não há dúvida de Imaginemos uma que esse conjunto de empresa que medidas é benéfico e recolha 20% de contribuirá para estitudo o que ganha mular número signifiem impostos.Dos cativo de empresas. restantes 80%,tem No entanto, um dos de bancar seu mais graves problecusteio (energia, mas enfrentados pela telefone,internet, pequenas e micro conágua,aluguel ou tinua afligindo esse amortização de segmento. Trata-se da imóvel próprio), pesada carga tributáinsumos e salários ria brasileira, inimiga dos da competitividade da colaboradores.” economia nacional. Há pequenas, médias e microempresas, dependendo de sua área de atuação, que chegam a empenhar até metade de seu faturamento somente para pagar impostos. Esta cruenta realidade é demonstrada em estudo da auditoria BDO RCS. A pesquisa constatou que 69,8%, num universo de 150 firmas entrevistadas, gastam pelo menos 20% de sua receita apenas com o re-

colhimento de tributos. Esse custo – pasmem – pode chegar a 27,9% do faturamento até mesmo para optantes pelo regime de tributação inerente ao Simples Nacional. Imaginemos uma empresa que recolha 20% de tudo o que ganha em impostos. Dos restantes 80%, tem de bancar seu custeio (energia, telefone, internet, água, aluguel ou amortização de imóvel próprio), insumos e salários dos colaboradores. O que resta de lucro para o empreendedor? A resposta está na estatística: a mortalidade dessas organizações nos primeiros cinco aniversários continua muito elevada, em torno de 58%. Todo ano, cerca de 85 mil fecham as portas. Por isso, é fundamental rever de modo mais profundo o regime tributário da pequena e da microempresa. Também são necessárias medidas como a desburocratização no acesso ao financiamento, diminuição das exigências de grandes compradores para fomento e garantias de crédito para compra de ativos que possam agregar inovação tecnológica a produtos e serviços e participação maior do segmento nas compras do setor público. Como se observa, não basta atualizar os tetos do Simples.


economia

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

A CPFL Renováveis tem diversos projetos no Estado.Em que fase estão e demandaram investimento de quanto? No Rio Grande do Norte, a CPFL Renováveis tem, além de atividades na área de energia dos ventos, investimentos na área de energia de biomassa com a construção de uma usina em Baía Formosa, do grupo do Eduardo Farias, com previsão para entrar em operação ainda em outubro deste ano. Estamos na fase de testes. Serão gerados 40 megawatts. Na questão eólica, temos em fase de construção 288 megawatts, todos localizados na região de João Câmara. Sendo o primeiro lote de 188 megawatts previsto para entrar em operação já em julho de 2012 e outros 108 megawatts que começam a operar em setembro de 2013. E decidimos, esta semana, por mais 270 MW que serão construídos a partir de agora, com previsão de funcionamento para julho de 2014. O que soma, no total, entre o que está em construção e o que iremos fazer a partir de agora, 558 megawatts. Isso representa um investimento da ordem de grandeza de R$ 2,2 bilhões, a serem feitos nos próximos três anos. Quanto isso representa no volume global de investimentos da empresa nesse mesmo período? Todo investimento em eólica está concentrado no Rio Grande do Norte. Não temos investimentos em andamento em outros estados. Na área de biomassa nós temos investimentos no Paraná, São Paulo e Minas Gerais. A biomassa é muito forte em São Paulo, onde ficam as maiores usinas de cana de açúcar e a parte de pequenas centrais Hidrelétricas. Se somarmos tudo, o RN concentra 70% dos investimentos da CPFL renováveis. E por que o Rio Grande do Norte foi escolhido para receber esse volume de investimentos? As maiores incidências e o melhor local para a energia de ventos é o Rio Grande do Norte, devido a qualidade, freqüência e intensidade de ventos. Sabemos que as melhores condições estão na região Nordeste, basicamente nos estados do Rio Grande do Norte, Bahia e Ceará. Nós temos parques eólicos em funcionamento no Ceará. Então, em construção, por questão de oportunidades de negócios, com base em estudos realizados preferimos investir no RN. A Energias Renováveis SA (ERSA),que compõe o grupo,tinha parques inscritos nos leilões A3 e de Reserva,mas acabou desistindo para se lançar no mercado livre. O que levou à desistência? O mercado livre tem mais vantagens? Essa foi uma decisão estratégica de buscar também o mercado livre, porque é um nicho de mercado muito bom. Uma empresa com o nosso portfólio e a quantidade de investimentos que tem é bom ter mais de uma de opção de venda dessa demanda. Todos os parques anteriores nós vendemos em leilão. Então, consideramos que, estrategicamente, seria bom abrirmos um novo mercado. E o mercado livre nos agrada muito, porque tem espaço para a venda de energia. As empresas querem muito comprar energia renovável. Fomos procurados por grandes investidores para vender essa energia. Foi mais no sentido de abrir o mercado e de comercializar a energia de nossas usinas e parque eólicos. A justificativa é diversificação de mercado. Da forma como os leilões foram realizados – em que vence quem oferece a menor tarifa a questão da tarifa se tornaria menos viável,menos rentável? Não colocaria dessa forma. Na verdade, não foram surpresa os valores de tarifa do leilão. Era o esperado. A gente que está no mercado sabe que os equipamentos tinham espaço para baixar os preços. E em função da competição os preços tenderiam novamente a cair. O mercado livre acaba acompanhando esses valores também. Hoje os contratos que

NIELS ANDREAS

ENTREVISTA/MIGUEL SAAD/PRESIDENTE DA CPFL RENOVÁVEIS

desses parques no mercado. É a dinâmica do mercado.

“RECUPERAÇÃO NO EXTERIOR DEVE FREAR QUEDA DE PREÇOS”

Como o senhor avalia o setor de transportes e estradas,que nesse momento são foco de investimentos por parte dos Estados para viabilizar os projetos... Não temos dificuldades. Nossos equipamentos estão chegando no Porto de Natal e têm recebido o apoio do governo do Rio Grande do Norte. O transporte por ser de peças muito grandes é feito fora do horário de pico, com acompanhamento da polícia rodoviária.

RENATA MOURA E SARA VASCONCELOS Editora e Repórter

Quais as projeções para o setor em relação a crescimento,atração de indústrias? A eólica é a bola da vez. Então o crescimento é grande. Existem dez grandes fabricantes se instalando no Brasil, com fábricas, todo ano tem leilão, o preço da energia eólica está com valores competitivos com os da energia elétrica. É um momento para o setor extraordinário, de crescimento acentuado. Por quanto tempo isso vai se manter vai depender da economia mundial.

A

criação da CPFL Renováveis, resultado da parceria entre a CPFL Energia SA e a ERSA, foi anunciada no primeiro semestre de 2011, recebeu em menos de cinco meses todas as anuências necessárias e foi oficialmente aprovada em assembleia de acionistas realizada esta semana. A companhia fruto dessa união se apresenta como a maior da América Latina no segmento de geração de energia por meio de fontes renováveis, com 1.417 Megawatts (MW) de potência em operação e construção, além de 3.037 MW em preparação para construção e desenvolvimento. Só no Rio Grande do Norte, que concentra o maior volume de projetos de energia eólica no gatilho ou em curso, no país, a pretensão é investir R$ 2,2 bilhões nos próximos três anos. É a maior fatia entre os investimentos previstos pelo grupo. “Por questão de oportunidades de negócios, com base em estudos realizados, preferimos investir no RN”, diz o presidente, Miguel Saad. Nesta entrevista à TRIBUNA DO NORTE, ele fala sobre os negócios no estado, sobre mercado, sobre crise internacional e problemas como infraestrutura, que, afirma, não tiveram relação com a recente perda de liderança do Rio Grande do Norte nos leilões de energia. Ele também fala sobre a aposta no mercado livre – em que os consumidores podem escolher seu fornecedor, negociando livremente variáveis como prazo contratual e preços, diferente do que ocorre no ambiente de contratação regulado, o dos leilões. E diz, ainda, que a queda de preços no setor, como ocorreu este ano, pode ser freada quando as economias da Europa e dos Estados Unidos - que estão entre os principais mercados do ramo - recobrarem o fôlego e os investimentos. Confira os principais trechos a seguir:

Estamos num momento extraordinárIo para o setor, de crescimento acentuado. Por quanto tempo isso vai se manter vai depender da economia mundial”

vamos fazer são valores parecidos com os praticados no leilão. A decisão foi mais no sentido de diversificar. Esse deságio de cerca de 20% nos leilões que foram realizados este mês - é ruim para os investidores? O que precisa ser colocado é a questão dos equipamentos. No Brasil, existem hoje dez grandes fabricantes mundiais, que estão procurando o país em virtude da crise nos EUA e na Europa. Como essa energia não está sendo construída lá, eles tinham equipamento que poderiam vender na Europa e Estados Unidos, mas o mercado diminuiu. Obviamente, procuraram o Brasil e tiveram uma grande demanda, em função disso baixaram o preço. Isso não quer dizer que no futuro será assim. Pode acontecer que, quando as economias europeia e americana retomarem os investimentos em eólica essa queda de preço que ocorreu no Brasil, não corra mais, pois aí os fabricantes terão que colocar os equipamentos nesses outros mercados. Se esses preços permanecerão nesse patamar do último leilão isso de-

penderá muito da retomada dos investimentos nesses países. E a crise que afeta alguns países neste momento compromete a capacidade de investir e executar esses projetos? Não. O que tem de capital estrangeiro é muito pequeno. Não teria interferência. O desempenho do RN no leilão – em que foi o terceiro colocado em número de projetos e o segundo em energia contratada, perdendo a liderança que vinha conquistando nos últimos leilões - é atribuído por analistas locais à questão de infraestrutura.Na sua avaliação,até que ponto o quesito infraestrututa pode ser responsabilizado? Acredito que não tem a ver com isso. Onde estão os principais potenciais eólicos no país? No Nordeste, na Bahia, Rio Grade do Norte e Ceará. Aqui, no Sul e Sudeste, no Rio Grande do Sul. Se você analisar os vencedores estão localizados, basicamente, nesses estados. O que ocorreu dessa vez é que houve muitos parques eólicos no Rio Grande do Sul. A Eletrosul, que foi o maior vendedor desse leilão,

tinha todos os parques naquele estado e conseguiu viabilizar. A mesma coisa se refere a Bahia, uma mesma empresa abarcou todos os parques. Enquanto que nos leilões anteriores predominou o RN, teve muito pouco do Rio Grande do Sul e da Bahia e quase nada do Ceará. Não tem nada a ver com questões de infraestrutura. É uma distribuição natural dos parques e dos potenciais que estão nesses estados. Não há explicação diferente. E será assim nos leilões futuros. Fala-se muito aqui no Estado que isto também se deve aos linhões que não foram implantados ainda,para escoar a energia produzida nos parques eólicos... Nenhum local tem linha de transmissão pronta para receber esses parques. Elas terão que ser construídas em todos os estados. Mesmo porque é uma quantidade grande de energia eólica que é jogada na rede de energia elétrica. Dos leilões anteriores, as linhas de transmissão já foram licitadas e estão em processo de construção. É assim que funciona. Para os vencedores desse leilão, as linhas serão construídas nesses três anos que é o prazo para a entrada

Em se estabilizando a economia mundial, esses investidores se voltem para estes mercados? Não. Os fabricantes estão instalados no Brasil e vão produzir no Brasil. Talvez até para exportação. É uma realidade irreversível e o crescimento da irreversível. E tende a uma estabilização. A crise mundial e as obras da Copa do Mundo podem comprometer os financiamentos no campo da energia? Não há riscos. O BNDES, que é o principal agente de financiamento de longo prazo para infraestrutura do país, tem a a energia como um item prioritário, inclusive alinhado com a Copa do Mundo e as Olimpíadas. O brasil precisa de energia para sediar esses eventos. Não há nenhuma falta de crédito para esses financiamentos. Há no Estado uma forte discussão sobre a geração de divisas para os Estados que sediam os parques eólicos.Uma vez essas divisas se concentra na fase de construção, mas pouco fica após essa fase. O que poderia ser feito nesse sentido? Na fase de construção tem arrecadação de ISS. Após entrar em operação, parte disso fica no Estado. Obviamente com o sistema interligado no Brasil, o ICMS acaba sendo cobrado no destino. Mas boa parte do que se arrecada com o ICMS vai ficar no Nordeste. E terá um acréscimo na arrecadação.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 28 de agosto de 2011


Domingo | 28 de agosto de 2011

economia

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 28 de agosto de 2011

[ CARNE ] Possível desaceleração esperada com as turbulências que afetam algumas das maiores

economias do mundo pode ter impacto na indústria de rações, segundo projeções do setor

Abrindo a porteira laf@digizap.com.br

Demanda crescente demanda sem precedentes por alimentos e as mudanças climáticas exigirão investimentos de US$ 1,12 trilhão em irrigação agrícola e preservação de solos em países em desenvolvimento até 2050. A projeção faz parte do primeiro relatório da FAO, agência da ONU, sobre a situação de terras e água para alimentação e agricultura no mundo, que será publicado no quarto trimestre. Para a FAO, em 2050 o aumento da população e da renda vai demandar uma produção alimentar 70% superior a de 2009. Mais de 80% do crescimento da oferta agrícola deverá vir da maior produtividade das terras atualmente exploradas e da intensificação da irrigação. Os investimentos líquidos para desenvolvimento e gestão da irrigação são calculados em US$ 960 bilhões - US$ 24 bilhões por ano, contando a partir de agora. Proteção e administração de terras, conservação de solos e luta contra inundações demandarão US$ 160 bilhões, ou US$ 4 bilhões por ano.

A

EXPOSIÇÃO Quase todos os espaços do parque de exposição de Parnamirim já foram comercializados para a Festa do Boi 2011, de 8 a 15 de outubro próximo. A exposição terá leilões todos os dias e pista de julgamento com ranking de várias raças.

Leite (I) O setor importador de alimentos e bebidas quer aumentar a importação de leite em pó comprado de países do Mercosul. A quantidade adquirida seria pequena diante dos níveis de produção nacional de leite. Na contramão, os produtores do Brasil querem di-

minuir a entrada do leite estrangeiro no país. O Brasil importou 45 mil toneladas de leite em pó em 2010, o equivalente a 380 mil toneladas de leite cru fluido, de acordo com a Associação Nacional dos Importadores de Alimentos e Bebidas (ANIABrasil).

Leite (II) O país produziu 30 bilhões de litros de leite cru em 2010. O impacto do leite em pó importado é mínimo e equivale a cerca de 1,31% da produção leiteira nacional, segundo a ANIABrasil. “Essa quantidade de importação

não justifica a implantação de barreiras à importação dos lácteos. Essa pressão das [ empresas] nacionais é para manter sua fatia de mercado”, afirma o presidente da ANIABrasil, Herculano Gonçalves.

PALMA A área global de palma sustentável já atinge 1 milhão de hectares certificados no mundo. O número foi alcançado depois que a brasileira Agropalma, sediada no Pará (40 mil hectares), recebeu o selo global que atesta a sustentabilidade do negócio e alavancou a área global. Após três anos de espera, a empresa obteve o sinal verde para comercializar 100% da sua produção com o certificado, no primeiro exemplo desse tipo na América Latina.

Resultado da ExpoGenética A ExpoGenética terminou com alta no faturamento. Os números finais da ExpoGenética 2011, realizada em Uberaba (MG), apontam um aquecimento no mercado de bovinos avaliados. O faturamento dos dez leilões virtuais e presenciais

1

De todo o agronegócio,o produtor rural da pecuária é quem mais transferiu renda para a sociedade.O processo de redistribuição de renda e redução de pobreza no Brasil,desde o início os anos 90,refletiu fatores atuantes do lado da demanda e da oferta.Para redistribuir renda é preciso produzir mais bens e a menores custos,ou seja, que a renda adicional seja gasta em bens cujos preços relativos não estejam em alta.Nesse sentido,o agronegócio atuou do lado da oferta, ajudando a tornar real a transferência nominal de renda proporcionada pelos vetores de demanda.

2

realizados durante a exposição chegou a R$11,5 milhões contra R$10,1 milhões, em 2010. O aumento no preço de bezerros e da arroba do boi têm permitido o crescimento desse mercado, que registra alta anual de 30%.

O Nordeste prevê retoma a moagem de cana,que vai de agosto a março de 2012- ,aos níveis de antes da crise.As chuvas bem mais distribuídas nas regiões historicamente mais secas devem ajudar a safra 2011/12 a atingir o desempenho de antes da crise de 2008.A previsão do Sindaçúcar-PE é a de que o Norte e o Nordeste processem nessa temporada 64 milhões de toneladas de cana.No ciclo anterior,o 2010/11,a safra foi de 63,13 milhões de toneladas.

3

O especialista em agronegócios, Luiz Gonzaga,da Conab, apresentou o trabalho de pesquisa, referente à conclusão do curso de pós-graduação em agronegócio,aos produtores rurais de castanha-de-caju in natura de Pureza e de outros municípios,além dos representantes de instituições afins (associações,cooperativa e outros órgãos ligados ao setor da cajucultura).Foi na Reunião e Seminário promovido pelo Comitê Gestor para Implantação de Minifábricas de Beneficiamento de Castanha-de-caju no RN, coordenado pela Fundação Banco do Brasil.

PLANTIO

Um grupo de pequenos agricultores do município de Canguaretama procurou a deputada estadual Gesane Marinho pedindo que ela solicitasse à Emparn uma doação de 1.000 mudas de bananeira. O objetivo do grupo é produzir a cultura do doce de banana na região. A parlamentar enviou o Ofício com a solicitação na última sexta-feira.

SOLOS O laboratório da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN recebeu, mais uma vez, o Certificado de Excelência do PAQLF 2011 da Embrapa Solos. O Programa de Análise de Qualidade de Laboratórios de Fertilidade, da Embrapa Solos, gera um certificado de excelência que preenche os mais rigorosos parâmetros de avaliação. O laboratório da Emparn tem um amplo funcionamento atendendo pesquisadores de instituições de pesquisa e fomento agrícola, empresas, indústrias, cooperativas, produtores e alunos de pós-graduação, na pesquisa básica, e também para fins práticos de uso, manejo e conservação do ambiente.

Com crise, tendência é de baixa para exportações REUTERS

ANA CONCEIÇÃO

ão Paulo (AE) - A produção da indústria brasileira de alimentação animal cresceu 4,1%, para 31,4 milhões de toneladas, no primeiro semestre, na comparação com as 30,16 milhões de toneladas do mesmo período do ano passado. O balanço foi divulgado pelo Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações). O incremento está em linha com a previsão para o ano, que é de crescimento de 4,2%, e, quando acrescentado o segmento de sal mineral, de 4,4%. De acordo com Ariovaldo Zani, vice-presidente executivo da entidade, apesar dos percalços vividos pelo setor de carnes neste ano, com forte queda nos preços domésticos dos suínos e embargo da Rússia, a indústria de alimentação animal mantém a expectativa de crescimento. “Mas com viés de baixa”, ponderou. Ele alerta que a crise internacional pode reduzir as exportações de carnes do Brasil, o que teria impacto na indústria de ração. Em 2010, a produção ficou em 61,4 milhões de toneladas, elevação de 5,3% ante o ano anterior. No caso dos suínos, a indústria de ração previa aumento de 2% na produção para este segmento em 2011. No primeiro semestre, contudo, a oferta ficou praticamente estável, com alta de 0,1%. “A desvalorização da carne suína foi dramática para os

S

Mesmo com percalços este ano,expectativa de crescimento existe no país,com viés,entretanto,de baixa

NÚMERO

4,1%

foi quanto cresceu a produção da indústria brasileira de alimentação no primeiro semestre.

produtores”, afirmou Zani. A entidade avaliou que, apesar do crescimento de 11% na receita das exportações, a quantidade de carne suína exportada no primeiro semestre recuou principalmente por

causa do embargo russo. A estabilidade no plantel de matrizes alojadas e de leitões resultou no consumo de 7,6 milhões de toneladas de ração de janeiro a junho de 2011. Na avicultura, que responde por 50% do consumo de ração no País, a demanda do segmento de corte se manteve forte no período e, por isso, a produção cresceu 6%, para 15 milhões de toneladas. Mas no segmento de ração para poedeiras o volume subiu apenas 0,5%, para 2,5 milhões de toneladas no primeiro semestre. “O in-

cremento de 60% no preço do milho para ração prejudicou a rentabilidade do produtor, já que o preço médio do ovo registrou variação de apenas 17% no mesmo período de junho de 2010 a junho de 2011”, diz a entidade. No segmento de bovinos de corte, o aumento foi de 6,5%, para 1,3 milhão de toneladas de rações, graças à manutenção da arroba em patamar superior aos R$ 100 por arroba. No caso do gado leiteiro, o incremento foi ainda mais expressivo - 8,6% - para 2,6 milhões de toneladas. ANA SILVA

[ BANCO ] Entre janeiro e julho deste ano, o BNB calcula ter emprestado

R$ 107 milhões por meio de programas de microfinanças no RN

Microcrédito avança no Estado s empréstimos concedidos pelos programas de microfinanças do Banco do Nordeste chegaram a R$ 107 milhões no Rio Grande do Norte, nos sete primeiros meses de 2011. Ao todo, a instituição financeira fechou mais de 84 mil contratos no segmento, registrando cerca de 80% das operações fora da região metropolitana de Natal. Atualmente, o BNB opera com dois programas de microcrédito que se diferenciam pelo acompanhamento aos clientes, realizado por assessores de crédito que se deslocam até os empreendimentos financiados.

O

Criado em 1998, o Crediamigo atende empreendedores informais da área urbana, com empréstimos que variam de R$ 100 a R$ 15 mil. O aval solidário é a principal característica do programa, em uma metodologia que contempla a formação de grupos de empreendedores, que se avalizam entre si para obtenção dos empréstimos. O índice de regularidade dos pagamentos no RN é de 99% e mais de 60% dos clientes são mulheres. Voltado a agricultores familiares classificados como Grupo B do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pro-

naf), o Agroamigo financia atividades agropecuárias e não-agropecuárias, desenvolvidas no meio rural. “Esse programa foi lançado em 2005, inspirado na experiência exitosa do Crediamigo. O grande desafio é promover o aumento da renda familiar no campo, manutenção e criação de novas oportunidades de trabalho e melhoria da qualidade de vida dos agricultores. Temos observamos que os resultados melhoram a cada ano e que essa ação inovadora do Banco tem feito a diferença”, disse o superintendente estadual do Banco do Nordeste no RN, José Maria Vilar.

Vilar, do BNB: desafio é aumentar a renda no campo

SEGURO RURAL

NOVO MINISTRO VAI BUSCAR MAIS RECURSOS O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, que tomou posse esta semana, afirmou que a busca de recursos para o seguro rural, a defesa agropecuária e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) serão metas da sua gestão à frente da pasta. “Serei parceiro da agricultura e acho a Embrapa fundamental. As prioridades da Embrapa serão minhas prioridades”, declarou. Mendes Ribeiro Filho disse que contará com o apoio dos deputados e da Comissão de Orçamento do Congresso Nacional para buscar mais recursos para a agricultura. Ele antecipou que já marcou uma reunião com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para tratar de seguro rural. O ministro também garantiu que pretende aumentar o contato com as câmaras setoriais e que buscará alternativas para diminuir o endividamento de todo o setor. A primeira medida será a criação de uma comissão especial para analisar o assunto.


economia

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 7

[ NOVO PROGRAMA ] De acordo com medidas divulgadas na semana passada, pequenos

empreendedores ganham a possibilidade de contratar mais de uma operação ao mesmo tempo

Mercado Publicitário ANNA RUTH DANTAS - annaruth@terra.com.br

TRIBUNA DO NORTE na liderança ovos números do IVC – Informação Jurada do Auditado, referente ao mês de julho. A TRIBUNA DO NORTE comercializou, na região da Grande Natal, uma média de 156% de jornais a mais do que o segundo concorrente. Em relação ao terceiro concorrente a maioria da TN chega a 298%. Em todo Rio Grande do Norte, a Tribuna distribui uma média de 107% de exemplares a mais do que o segundo colocado e 274%.

N

Paiva Gomes é destaque na FICRO A construtora Paiva Gomes comemora as vendas do primeiro módulo do Cidade Jardim Condomínio Clube, novo produto da construtora pensado para o mercado mossoroense e lançado durante a FICRO. Com assinatura dos criativos da Ratts Ra-

tis foi desenvolvido todo o material de papelaria, sinalização do estande, spot, anúncios nos jornais e ação digital no espaço Paiva Gomes que transportava o visitante para uma experiência virtual no apartamento decorado do Cidade Jardim.

SABORES A RAF criou para o seu cliente Armazém Gourmet uma charmosa campanha para o Festival Sabores do Mundo. No próximo mês será a vez da Itália, com seus vinhos, prossecos, salames e massas. A campanha está sendo divulgada em rádio, revista e PDV.

SUPERMERCADOS BOA ESPERANÇA O Supermercado Boa Esperança comemora os 25 anos de atuação no mercado potiguar. A empresa, fundada em Parnamirim, reuniu os 400 funcionários para marcar o aniversário. A Ratts Ratis produziu toda campanha, incluindo VT, spot, jingle e material impresso.

Nova fase O Natal Shopping está as voltas com novidades na nova fase. Nos oito primeiros meses do ano, nove operações foram inauguradas ou passaram por realocações e reformas. Entre as novidades que aportaram no shopping: Colcci e TNG, ambas no formato concept e a Business Store, primeira imobiliária a funcionar em um shopping na cidade. Até o final do ano, qua-

tro operações ainda passarão por realocações, como a Planeta Brinquedos e Andarella e o Natal Shopping contará com outras 11 lojas inéditas, sendo oito delas exclusivas no mercado local. Entre as inaugurações mais aguardadas estão Luigi Bertolli, Bar da Brahma, a grife jovem Emme, a Yogoothies com os refrescantes frozens, My Shoes e Patroni Pizza.

DIVULGAÇÃO

Eventos

A AT Eventos está em novo endereço e com toda a programação visual repaginada pela dois.a publicidade. Nova logomarca,papelaria e série de anúncios para revistas, além de site quase saindo do forno.A nova logo agrega o clássico ao moderno,e tem o bom gosto já característico da empresa das 3 Terezas.

Nacional A primeira experiência do Grupo O Boticário no mercado de moda tomou forma. Com a aquisição de uma fatia minoritária da Scalina, proprietária das marcas de lingerie Trifil e Scala, entra em campo a estratégia da empresa para diversi-

ficar os negócios e criar uma “Victoria’s Secret” brasileira. A iniciativa do grupo é mais um capítulo da transformação pela qual a Scalina passa desde agosto de 2010, quando o fundo americano Carlyle comprou o controle da empresa.

Automóvel Focando no “conforto” que todos procuram em automóvel, a Art & C criou o novo anúncio para o Kia Sorento. As peças mostram “luxo na cidade, conforto nos momentos mais off-road e um design que dispensa comentários”.

Empreendedores poderão contratar mais microcrédito WELLTON MÁXIMO repórter da Agência Brasil

rasília – Os pequenos empreendedores poderão contratar mais de uma operação de microcrédito ao mesmo tempo, desde que o valor total dos financiamentos não ultrapasse R$ 20 mil. A decisão foi tomada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). O CMN regulamentou parte das medidas do Programa Crescer, novo programa de microcrédito para o setor produtivo, lançado na semana passada pela presidenta Dilma Rousseff. As instituições financeiras também poderão cobrar, no máximo, 3% de taxa de abertura do crédito

B

(TAC) para o microcrédito destinado à produção. Esse é o valor que o tomador do microcrédito paga no momento de contratar o empréstimo. O limite vale apenas para as linhas que não fazem parte do Programa Crescer. Nos financiamentos do programa, o teto da TAC será 1%. Para o microcrédito às pessoas físicas, destinado fundamentalmente ao consumo, a TAC é limitada a 2% do valor da operação. Anteriormente, o teto era de 2% para o microcrédito a pessoas físicas, 3% para o microcrédito produtivo orientado e 4% para o microcrédito produtivo geral. O CMN também obrigou os bancos com mais de 10 mil clientes com financiamentos do Pro-

grama Crescer a adotar controles internos. As instituições deverão verificar se as operações estão adequadas às regras. A cada ano, os bancos terão de promover auditorias internas para revisar os financiamentos concedidos. Para estimular os bancos privados a também oferecer empréstimos com juros baixos, o Conselho Monetário Nacional (CMN) determinou que as instituições financeiras passem a destinar ao Programa Crescer parte dos 2% dos depósitos à vista que são obrigadas a repassar para as linhas de microcrédito em geral. A medida já havia sido anunciada ontem. De acordo com o governo, esse percentual será atingido de forma

escalonada: 10% a partir de 1º de janeiro de 2012; 40% em 1º de julho de 2012; 60% em 1º de janeiro de 2013; e 80% em 1º de julho de 2013. Se os bancos descumprirem a destinação, o dinheiro será recolhido pelo Banco Central como compulsório sem remuneração. A chefe adjunta do Departamento de Normas do Banco Central, Sílvia Marques, disse que atualmente, dos R$ 3,15 bilhões que deveriam ser destinados ao microcrédito, pouco mais de R$ 1 bilhão estão retidos no Banco Central. “A intenção do CMN é estimular o microcrédito produtivo orientado, mas não temos como garantir a aplicação de 100% por meio de uma medida regulatória.”

[ ALECRIM ] Por meio do projeto, 1.500 empresas do setor de varejo do

HABITAÇÃO

bairro receberam consultoria para melhorar o desempenho dos negócios

OS NEGÓCIOS DO MINHA CASA

Sebrae finaliza ciclo do Projeto ALI

O programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida” vem sendo apontado como uma das principais alavancas da construção civil e do setor imobiliário no Brasil e no Rio Grande do Norte. Lançado em abril de 2009, o programa vem possibilitando a concessão de subsídios de até R$ 17 mil para a compra da casa própria, contribuindo para a contratação de R$ 852 milhões em 17,2 mil moradias apenas no RN, segundo a Caixa Econômica Federal. Só este ano foram contratadas 2.650 moradias e um total de R$ 207 milhões. Na segunda etapa do programa, que começou a vigorar este mês, a previsão é construir mais 14.768 unidades no RN, o que corresponde a um investimento de R$ 1,3 bilhão. O programa tem impulsionado uma série de lançamentos no mercado e estimulado a criação de novos negócios também no setor imobiliário. De olho no filão, a ECM Imóveis, por exemplo, criou uma divisão, a Morar Bem, especializada no programa.

ELISA ELSIE

Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae RN), realiza amanhã, às 8h30, o evento de encerramento do projeto piloto Agente Local de Inovação (ALI) no bairro Alecrim. Desenvolvido pelo SebraeRN após diagnóstico nas empresas do bairro, o projeto promoveu ações que foram implementadas em 1.500 estabelecimentos do segmento do varejo. Durante o evento serão apresentados os resultados obtidos durante os dois anos do projeto, pioneiro no Nordeste. O balanço será apresentado na sede da entidade em Natal, próxima ao Machadão. Iniciado em 2009, o Projeto ALI finalizou suas ações em julho deste ano. Para a gestora do programa, Rose Alff, o programa foi concluído com sucesso. “Nós conseguimos alcançar 98% das metas previstas, com resultados que serão demonstrados no evento de encerramento”, contabiliza. De acordo com a gestora, as empresas participantes do projeto participaram ativamente de várias

O

Sebrae identificou necessidades e apontou soluções para o bairro

soluções oferecidas pelo SebraeRN, finalizando suas ações com consultorias de intervenção. DIAGNÓSTICO Em cada um dos 1.500 empreendimentos visitados pelos Agentes Locais de Inovação foi aplicado um diagnóstico empresarial. “Após a análise, os agentes do Sebrae-RN identificaram as necessidades, levaram as soluções aos empresários e entraram na fa-

se de consultoria, para que eles pudessem aplicar as soluções”, explica Rose Alff. A proposta é elevar a inovação nos negócios por meio de soluções de acordo com as demandas das micro e pequenas empresas. Podem ser soluções ligadas à gestão, desenvolvimento de produtos, processos produtivos e marketing. No Rio Grande do Norte o setor escolhido para a fase piloto do programa foi o de varejo.


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 28 de agosto de 2011


Domingo | 28 de agosto de 2011

economia

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

9


10

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 28 de agosto de 2011

RODRIGO SENA

RN TERÁ DE CORRER, PARA DECOLAR, NA ESTEIRA DO AEROPORTO SÃO GONÇALO É VISTO COMO ALAVANCA PARA A ECONOMIA DO ESTADO,FOI LEILOADO À INICIATIVA PRIVADA,MAS,PARA GOVERNO,DEVER DE CASA CONTINUA ANDRIELLE MENDES repórter

ZPE DEVE COMPLEMENTAR ESTRUTURA

lguém vai aproveitar as oportunidades que você perdeu”. A frase do dramaturgo inglês William Shakespeare soa familiar para quem conhece a economia do Rio Grande do Norte. O RN já viu isso ocorrer, pelo menos, duas vezes, quando perdeu a refinaria de petróleo para Pernambuco e quando ficou fora da Transnordestina, ferrovia que atravessa três estados na Região. Com o leilão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, arrematado por um valor três vezes maior que o estipulado, o estado tem a chance de compensar todas as perdas e se transformar numa plataforma de exportação e importação dentro do País. Para isso, porém, precisará corrigir falhas antigas. Só assim, dizem estudiosos, poderá atrair investimentos e potencializar os negócios já existentes. Antes do leilão, o governo depositava toda a sua confiança no consórcio que arrematou o novo aeroporto. O Inframérica, porém, já avisou que vai priorizar a construção dos terminais. Atrair novos negócios estaria fora dos planos do consórcio, pelo menos neste primeiro momento. Para José Antunes Sobrinho, CEO (espécie de diretor executivo) da Engevix, parceira no consórcio vencedor, não seria necessário atrair novos negócios para o entorno. Para ele, o aeroporto em si é o negócio. Segundo a empresa, o terminal

A Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Macaíba,área de livre comércio onde empresas produzem e exportam com isenção de tributos, e o aeroporto de São Gonçalo do Amarante podem transformar o estado num dos maiores pólos exportadores do Nordeste.A ZPE,como explica Flávio Azevedo,presidente da Federação das Indústrias do RN (Fiern),já foi ‘juridicamente constituída’e está com todos os projetos aprovados, incluindo o alfandegário.Resta construir o complexo que abrigará as empresas e atrair investidores. Por enquanto,a ZPE está vazia “como um hotel sem hóspede”, afirma Flávio.Para ‘povoar’a ZPE “é preciso fazer as malas e partir para o mundo em busca dos investidores”, afirma Flávio.“E Isso não se faz com uma simples conversa.É preciso convidar os investidores para conhecer o estado,visitar o país deles,realizar seminários no RN”, orienta.Segundo ele,não adianta começar a construir o complexo que abrigará as empresas,se não tem cliente para colocar lá. Atualmente,o Distrito Industrial e o Centro Industrial Avançado de Macaíba (CIA),fatores levados em consideração na hora de escolher a localização da ZPE,comportam empresas do setor de alimentos, informática,têxtil e material para produção de produtos e fica a poucos quilômetros de São Gonçalo. A expectativa é que a quantidade de empresas aumente ainda mais com a implementação da ZPE.Segundo Flávio,ZPE e aeroporto de São Gonçalo são peças de uma mesma engrenagem.Para que o conjunto funcione,é preciso que cada peça desempenhe sua função e trabalhe de forma integrada.

“A

atenderá todas as especificações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para um aeroporto de médio porte. Terá cinco terminais de embarque e desembarque em dois níveis; estacionamento e acessos internos ligando o local ao sistema viário da cidade. Como o projeto só será elaborado após assinatura do contrato, como esclarece o próprio consórcio, ainda não dá para dizer exatamente o que haverá. Entretanto, hotéis e shopping centers estão descartados, ao menos, neste primeiro momento. “Vamos ter o mesmo o que tem nos aeroportos internacio-

nais”, afirma o executivo. A colocação de Sobrinho vai de encontro aos planos para a região e deixa o governo em alerta. Sem o braço do consórcio, pelo menos nesta primeira fase voltado a construção dos terminais, o governo teria de captar investimentos sozinho. Os investidores, entretanto, só viriam se encontrassem um ambiente favorável aos negócios, como um porto competitivo e boas estradas para escoar a produção. Para Flávio Azevedo, presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), “o RN já perdeu várias oportunidades. Se

não se movimentar, perderá esta como perdeu a refinaria e a rota da transnordestina”. Por ser multimodal, o aeroporto receberá grande volume de carga. A mercadoria, diz Flávio, chegará em grandes aviões e será escoada em aviões de médio e pequeno porte, caminhões, trens e embarcações. “Não temos como integrar nossa malha ferroviária com o restante do País, porque a Transnordestina está passando longe do RN. Temos que nos concentrar em ligar os acessos à BR 101. Também temos que cuidar do nosso porto. Mesmo que amplie sua estrutura, ele não estará preparado para fazer parte desta rede multimodal. É preciso construir um porto ‘graneleiro’ (capaz de escoar minério, por exemplo) em Porto do Mangue, próximo a região produtora. Além disso, é preciso operacionalizar o Terminal Pesqueiro, que precisa de alguns ajustes, incluindo sua ligação com a rodovia. Também temos que implantar a ZPE de Macaíba”, enumera Azevedo. Para o diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e titular da Secretaria Extraordinária para Assuntos da Copa, Demétrio Torres, “o RN já perdeu demais”. “Por que perdemos a refinaria de petróleo? Por que ficamos fora da rota da Transnordestina? Não tem como ficar perdendo os grandes investimentos por falta de infraestrutura. O Estado já perdeu demais. E digo mais, a gente perdeu o melhor momento da economia mundial”.

NÃO TEM COMO FICAR PERDENDO OS GRANDES INVESTIMENTOS POR FALTA DE INFRAESTRUTURA.O ESTADO JÁ PERDEU DEMAIS. DEMÉTRIO TORRES TITULAR DA SECOPA EMANUEL AMARAL

O AEROPORTO NÃO PODE SER UMA ILHA. É PRECISO QUE OS SISTEMAS AEROVIÁRIO, FERROVIÁRIO, RODOVIÁRIO E MARÍTIMO SEJAM INTEGRADOS" FLÁVIO AZEVEDO, PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO RN DIVULGAÇÃO

Atrair negócios é papel do Estado,diz especialista É o governo do estado quem tem que atrair investimentos, caso queira que a região cresça e que o aeroporto se transforme numa plataforma de exportação e importação dentro do País. Caso contrário, a própria operação do aeroporto será afetada. A afirmação é do especialista aeroviário Guilherme Amaral, que acompanha de perto o processo de desestatização dos aeroportos brasileiros. “Negócios no entorno são benéficos para o aeroporto, mas viabilizá-los não é papel do consórcio. É papel do governo”, afirma. “Seria um absurdo colocar esta responsabilidade nas mãos do consórcio”, complementa. Se quiser que São Gonçalo se

transforme num ‘hub’ de cargas e passageiros, afirma o especialista, o governo terá de trabalhar para atrair as grandes indústrias e prestadoras de serviço. “As chances desse aeroporto gerar receita e justificar o investimento serão pequenas se não houver grandes negócios na região”, justifica o especialista. O aeroporto, se construído da forma como está sendo planejado, atrairá, por si só, grandes empresas. Mas ele sozinho não basta. É preciso criar uma política de incentivo fiscal, investir em infraestrutura, capacitar mão de obra. “Um estado deficiente em infraestrutura não pode sobreviver a base de um aeroporto”, defende.

Sem condições favoráveis às empresas, o aeroporto pode acabar vazio e frustrar as expectativas do estado, que vê em São Gonçalo do Amarante a chance de transformar o estado na porta de entrada do Brasil, e do consórcio, que apostou alto no projeto, pagando o triplo do valor estipulado para a concessão. O trabalho do governo não acaba com a concessão do aeroporto, relembra Guilherme. Pelo contrário, só começa. Acomodarse, alerta o especialista, é perigoso. “A acomodação pode levar ao fracasso do aeroporto”, resume. “O Rio Grande do norte tem uma grande oportunidade na mão. Mas para aproveitá-la é necessário mui-

to investimento. De nada adianta carregar e descarregar mercadorias vindas do exterior, se caminhões vindos de outros municípios e regiões do País não conseguirem entrar ou sair do aeroporto. Não adianta ter ligação com a Europa, se não há ligações com o Brasil. O aeroporto precisa se comunicar com o restante do País”, afirma. O poder público, segundo Guilherme, precisa assumir a responsabilidade pelo projeto e cumprir seu papel. “O consórcio pode até querer investir em outras áreas, mas o grande negócio dele será a construção e operação do aeroporto e ponto. Ele não é responsável por trazer mais nada”, conclui.

AS CHANCES DESSE AEROPORTO GERAR RECEITA E JUSTIFICAR O INVESTIMENTO SERÃO PEQUENAS SE NÃO HOUVER GRANDES NEGÓCIOS NA REGIÃO" GUILHERME AMARAL ESPECIALISTA AEROVIÁRIO

Acessos deverão ser concluídos no final de 2013 O governo do estado corre para construir os acessos ao aeroporto, que, por enquanto, mais parece uma ilha em meio ao matagal. De tudo que está previsto no projeto, só a pista de pouso e decolagem está pronta, segundo a Infraero. A expectativa é que o ritmo das obras, até o momento conduzidas pela Infraero, acelere com a concessão do aeroporto à iniciativa privada. Embora ainda não tenha assinado o contrato, o que só deverá ocorrer em novembro, se não houver nenhum entrave, o consórcio que venceu o leilão já planeja terminar a obra antes do prazo, embora não garanta cumprir a promessa feita em rede nacional. Segundo o diretor geral do Departamento de Estradas de Rodagem e titular da Secretaria Extraordinária para Assuntos da Copa, Demétrio Torres, os acessos ao aeroporto de São Gonçalo foram licitados no início de 2010 e as obras devem começar até início outubro. A ideia é concluir os acessos até dezembro de 2013 – antes, portanto, da conclusão do aeroporto. Dos R$76 milhões necessários às obras, o governo, conforme explica Demétrio, garantiu R$15 milhões (recurso previsto no projeto Pac da Copa). Licitado de uma única vez, o projeto se divide em dois blocos: o bloco 1 liga o aeroporto à Zona Norte de Natal e ao município de Ceará Mirim, Região Metropolitana. E o bloco 2, à Mossoró e Fortaleza, no Ceará. “O governo está ciente de que precisa investir em infraestrutura para atrair grandes investimentos”, afirma Demétrio. Segundo ele, de nada adianta estimular a produção no interior e construir um bom aeroporto próximo a capital, se a produção não conseguir chegar ao aeroporto. “Portos, aeroportos, ferrovias, estradas. Todos estes modais precisam estar interligados para que a gente dê condições e estimule a chegada de novas empresas. Essa é a visão do governo. As dificuldades não são pequenas, mas a gente está voltado para isso”, afirma.


economia

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11 RODRIGO SENA

BATE-PAPO JOSÉ ANTUNES SOBRINHO

»

CEO (espécie de diretor executivo) da Engevix,componente do Consórcio Inframérica na concessão do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante

“O Aeroporto, em si, é o negócio” Quais os planos do consórcio para a área do aeroporto? Que tipo de negócios o consórcio quer atrair? Agora estamos focados no terminal. A gente vai estudar as outras possibilidades mais na frente. Mas vocês pensam em atrair hotéis,indústrias,shoppings centers? Nós não sabemos. Não estudamos isso. Não geramos nosso modelo baseado em outras atividades. Nós nos concentramos no terminal e nas receitas do terminal. Concluir o que está previsto para depois incrementar... Entender primeiro, eu diria.

AEROPORTO: NÚMEROS,VALORES E DATAS

R$50

R$650

R$170

R$138

milhões é quanto o consórcio espera faturar com o novo aeroporto por ano.

milhões é quanto terá de investir no aeroporto.

milhões é quanto o consórcio vencedor vai pagar pela concessão.

milhões é quanto a Infraero investiu na obra até o momento.

9%

3

25

14

é a taxa de retorno estimada pelo consórcio vencedor.

anos é o tempo que terá para concluir a obra.

anos é o período que terá para explorar o aeroporto.

Anos.É há quanto tempo o empreendimento é esperado no RN.

Orçados em R$76 milhões,os acessos se dividem em dois blocos.

P/ CEARÁ-MIRIM

O BLOCO 1 incluído no projeto Pac da Copa e com recursos já garantidos,liga o aeroporto de São Gonçalo do Amarante à Zona Norte de Natal e Ceará Mirim.

NOVO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RN

P/ NATAL

Alguns especialistas dizem que construir apenas um aeroporto naquela região não basta.Seriam necessários vários outros negócios no entorno.O consórcio concorda com esta colocação? Não. Não concorda? Por que não? Porque achamos que o aeroporto em si é o negócio. Claro, se houver outros negócios que gerem renda, ótimo. Mas nossas receitas foram baseadas no terminal. Vamos tirar receita dos espaços alugados dentro do terminal. Não estamos falando de hotéis, shopping centers. Vamos ter o mesmo o que tem nos aeroportos internacionais. Não geramos receita com hotéis ou coisas assim. Qual a taxa de retorno prevista para o negócio? Na última entrevista concedida à Tribuna,logo após o leilão, o senhor disse que antes de divulgá-la precisaria pedir autorização os parceiros.O senhor já os consultou? (Silêncio). Olha, em valor real, sem inflação, a taxa está estimada em torno de 9% a 10%. Numa das entrevistas concedidas logo após o leilão,o senhor disse que a Engevix procurava alguém e a Corporación procurava alguém e aí houve esse casamento. Pergunto: Quem encontrou quem primeiro? Ótima pergunta. Mas eu não sei te responder. Acho que acabamos sendo apresentados.

O BLOCO 2 de responsabilidade do governo estadual,liga o aeroporto à Mossoró,e por extensão \ Fortaleza.Obra consumirá R$50 milhões,em média.Do total,o governo estadual garantiu R$8 milhões.Os dois acessos,licitados de uma só vez no início de 2010, devem ficar prontos,segundo estimativa do governo,em dezembro de 2013.

Mas como foi esse primeiro contato? A Engevix precisava de um operador. Sabíamos que os argentinos tinham vencido a licitação para operar vários aeroportos e que os aeroportos andavam bem. Achamos melhor um parceiro latino-americano que um europeu. O latino-americano está mais próximo de nossa cultura e de nossos custos.

RIO JUNDIAÍ

MACAÍBA P/ Mossoró/ Caicó

Antes desse ‘casamento’ entre

Engevix e Corporación América, a Engevix chegou a ‘flertar’ com outras empresas? Contatos. Nada muito forte. Poderia citar os nomes? Dizer se são nacionais ou estrangeiras? Estrangeiras. Não me recordo dos nomes. De algum país específico? Não me recordo. Saberia dizer o que aconteceu com essas empresas? Se entrarão sozinhas na disputa pelas próximas concessões? Empresas que operam aeroportos europeus devem se interessar pelas grandes concessões. Porqueocasamentocomessasoutras empresas,que o senhor não recorda os nomes,não deu certo? Essas empresas europeias, que operam os grandes aeroportos, estão interessados em aeroportos muito maiores (que o de São Gonçalo do Amarante, considerado de médio porte pelo consórcio). A Engevix não poderia entrar na disputa sozinha? Precisava realmente desse parceiro? Ah não, nós não entraríamos sozinhos. Nós não temos expertise de operação. Nem de operação nem de comercialização. Isso eles (a Corporación) sabem porque operam 46 aeroportos. Nós nunca entraríamos sozinhos. Sua resposta já abre caminho para a próxima pergunta.Casamento, ao menos para mim, passa ideia de complementariedade.É isso o que ocorre com esta parceria? É assim mesmo. Nós compreendemos muito bem de projetos de construção de aeroportos. Eles compreendem muito bem de operação de aeroportos e comercialização. O senhor já tinha anunciado o interesse em disputar as próximas concessões dos aeroportos.Poderia nos dizer quais aeroportos estariam no radar do consórcio? Vamos examinar primeiro os editais. Mas vão entrar na disputa? Vamos esperar. Mas não vai dizer nem se vai participar? Bom, cada aeroporto é um negócio. Não é uma concessão de aeroportos em blocos (como ocorreu na Argentina). Pode ser que um aeroporto médio (como é o caso do aeroporto de São Gonçalo do Amarante) seja mais interessante que um grande aeroporto. Também não sabemos como a Infraero vai participar. Vamos olhar cuidadosamente. O fato de terem vencido o leilão de São Gonçalo mostra que entraram bem no processo... Isso sim. LUIS PRADO

O que falta: T ítulo definitivo da posse Em que fase está: governo,que tem título provisório da posse desde 1997,espera nova perícia para pagar ex-proprietários da área onde aeroporto está sendo erguido e receber o título definitivo da posse. à

à Terminal de passageiro,terminal de carga,acessos internos,estacionamento de veículos,implantação de todos os sistemas elétricos,eletrônicos,mecânico,ar condicionado,navegação aérea,balizamento, sinalização horizontal e vertical (de responsabilidade do concessionário) Em que fase está:consórcio Inframérica acaba de vencer leilão do aeroporto e aguarda assinatura do contrato, prevista para 21 de novembro,para iniciar obras.

à Acessos viários,água,luz,esgoto,comunicação (de responsabilidade do governo) Em que fase está: governo licitou acessos no início de 2010 e aguarda liberação de recursos para iniciar 1ª etapa do projeto.Ao todo,a obra custará R$76 milhões.Prazo de conclusão da obra é dezembro de 2013.

Passo a passo até assinatura do contrato: 13 de setembro: Anac publica resultado da análise dos documentos de habilitação do consórcio Inframérica,classificado em primeiro lugar;

14 a 22 de setembro: prazo concedido para consórcio Inframérica entrar com recurso, questionando análise da Anac;

3 de outubro: Anac publica julgamento dos recursos;

4 de outubro: resultado é homologado;

19 de novembro: termina prazo para comprovar que consórcio classificado atendeu todas as obrigações previstas no edital;

20 de novembro: contrato de concessão é assinado.

Fonte: Infraero/Anac/Consórcio Inframérica/Governo do RN


12

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 28 de agosto de 2011


natal

CONDOMÍNIOS

Ismael Benévolo aprova ideia de criar “Manual do Síndico.” PÁGINA 9

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com grande presença de nuvens Máx.: 28ºC Mín.: 21ºC

Preamar 03h38 -2.5- 16h02 -2.4 Baixa-mar 09h32 -0.1- 21h47 -0.1

Lagoa Seca: hoje 206 bancas/122 feirantes Nova Natal 550 bancas/283 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Redinha (Rio Potengi)

FASES DA LUA Minguante: hoje Lua Nova: Amanhã Nascer do sol: 5h22 Pôr do sol: 17h21

Editora: Luciana Campos e-mail: lucianacampos@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 28 de agosto de 2011

As Casas de Passagem, centros para onde são levados menores em risco, não cumprem seu papel e quem deveria ser beneficiado com atenção e assistência foge. A maioria dos internos não consegue superar problemas

[ CRIANÇA E ADOLESCENTE ]

Políticas públicas são ineficazes ALEX RÉGIS

RICARDO ARAÚJO repórter

os 17 anos, Francisco (nome fictício) traz consigo marcas de uma vida inteira nas ruas. Destituído de sua família, há sete anos é assistido pelos programas sociais do Município. Entre idas e vindas aos centros de assistência, tentativas em vencer a dependência do crack e ir regularmente à escola. Todas elas, porém, frustradas. As políticas municipais de assistencialismo social não foram suficientes para mantê-lo na instituição, educá-lo adequadamente e encaminhá-lo a um curso profissionalizante. Como consequência, fugas recorrentes e recaídas. Consciente da conjuntura na qual está inserido Francisco e muitos outros adolescentes, a Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas), afirma que está em busca de alternativas para solucionar o problema. A história de Francisco é apenas um caso das crianças que fogem das Casas de Passagem e retornam para as ruas. Em Natal, são três imóveis administrados pela Semtas, onde estão cadastradas cerca de 120 crianças e ado-

A

O menino Francisco,17 anos,vive na rua após fugir várias vezes da Casa de Passagem.A última fuga ocorreu depois de esfaquear colega

lescentes. Elas foram encaminhadas às Casas após solicitação dos Conselhos Tutelares à Vara da Infância. Em duas delas, a situação é considerada satisfatória pela secretária municipal adjunta de Assistência Social, Verônica Dantas. Na terceira, entretanto, os proble-

mas começam pela infraestrutura do prédio e se evidenciam na dinâmica de funcionamento da instituição. “Nós reconhecemos que temos dificuldades na Casa de Passagem III. Há crianças e adolescentes que cometeram atos infracionais, consomem drogas”.

Foi justamente desta Casa que Francisco fugiu. A fuga se deu, após ter cometido um delito contra um colega interno. “Eu furei meu colega e depois fugi. Não lembro o dia, mas faz pouco tempo. Eu prefiro ficar na rua porque tenho mais liberdade”, admite Fran-

cisco. Ele foi abordado pela reportagem durante o início da madrugada da quinta-feira passada, enquanto limpava parabrisas num cruzamento da zona sul. Até o início do diálogo, não se sabia que ele era um evadido da Casa de Passagem.

A secretaria relata, ainda, que os adolescentes mais velhos acabam influenciando as crianças que vivem no mesmo local. Para a psicóloga Normanda Morais, muitas dessas instituições não conseguem propor práticas de atendimento que respeitem as particularidades das faixas etárias atendidas. “Sobretudo, há um choque de valores, de linguajar, de perspectivas de vida, que termina sendo um grande desafio ao trabalho. Infelizmente, falta-nos, ainda, criatividade e recursos humanos e financeiros para propor alternativas mais coerentes às reais demandas das crianças atendidas”, destaca. De acordo com Verônica Dantas, o Município busca recursos para pôr em prática dois projetos. Um deles criará Residências Inclusivas. O outro, implantará a Casa de Passagem IV, exclusiva o tratamento de crianças e adolescentes viciados em drogas. Tudo esbarra, porém, na falta de recursos e na burocracia. Enquanto os projetos não se tornam reais e sob o conhecimento dos governantes, Francisco se droga, comete delitos e vive sem perspectivas de reinserção social.


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 28 de agosto de 2011

[ CONT. PÁG. 1/CRIANÇA E ADOLESCENTE ] A história de Amanda é uma como a de tantos outros jovens que, sem acesso à educação

e assistência adequadas, encontram na rua um meio de vida, seja em esmolas, trabalhos esporádicos ou na exploração sexual

Travesti e prostituta aos 16 anos A “

janela dos carros que cruzam as ruas escuras do bairro Capim Macio, zona Sul de Natal, emolduram corpos modificados por hormônios e implantes de silicone. A vitrine preferida de mulheres e travestis que se prostituem na região, são as esquinas. Um corpo franzino e o comportamento tímido, chamou a atenção da equipe de reportagem na noite da última quinta-feira. Amanda, 16 anos. Nome adotado por um menino que, aos oito anos de idade, após conversas com amigos mais velhos, de-

cidiu transformar o corpo e se tornar travesti. Prostitui-se desde então. Divide a esquina com mais três jovens que também ganham a vida vendendo o corpo, uma delas de 17 anos. Os três cobram R$ 50 pelo programa – o preço de uma infância perdida. Amanda, menor de idade e vivendo em situação de risco, disse nunca ter sido abordada por assistentes sociais. Das 19 horas às 3 horas da manhã, o trabalho no ponto é quase sagrado. “Estou aqui quase todos os dias. Faço uns quatro progra-

mas por noite”, admite Amanda. Ela e as amigas utilizam parte de uma construção da Caern como abrigo. O lugar é muito escuro e não oferece nenhum tipo de segurança. Lá, Amanda se expõe como um objeto, sempre disponível a quem lhe oferecer dinheiro. Parte do que arrecada é para a família. “Parte do dinheiro que eu ganho, eu dou para minha mãe. Por isso, que ela me aceita sem problemas”, confirma. A autoconfiança com a qual Amanda responde aos questionamentos da equipe de

reportagem, chama atenção. Em nenhum momento, desvia o olhar ou trata o assunto com deboche. Entretanto, questionada sobre o que diria aos seus filhos, se um dia os tiver, sobre a vida que tem hoje, ela para e reflete. “Eu aceitaria se fosse gay, sapatão. Mas diria que a vida de travesti é ruim”. Com os estudos interrompidos aos 12 anos, no sétimo ano do ensino fundamental, as perspectivas de Amanda em relação ao futuro passam somente pela comercialização do seu próprio corpo. “Quero colo-

Parte do dinheiro que eu ganho dou para a minha mãe. Por isso que ela me aceita sem problemas” AMANDA Travesti

FOTOS:ALEX RÉGIS

Promotores vão apurar denúncias O coordenador do Centro de Apoio Operacional à Promotoria , Leonardo Nagashima, e o promotor de Defesa da Criança e do Adolescente, Marcos Aurélio Freitas de Barros, analisaram um vídeo produzido pela TRIBUNA DO NORTE, na qual a travesti Amanda relata momentos de sua vida. “O conteúdo do material será analisado e minuciosamente avaliado para se buscar a atuação mais efetiva da solução do problema”, afirmam os promotores. Segundo eles, a correta apuração dos fatos apontados será realizada pela Promotoria de Justiça da área da Infância que atua no combate à exploração sexual. O caso também será investigado pelo promotor Marconi Falcone, que trabalha na fiscalização de instituições que prestam assistência à crianças e adolescentes infratores. O funcionamento das Casas de Passagem já vem sendo fiscalizado pela Promotoria da Criança e do Adolescente. “No que se refere às Casas, já existem três inquéritos civis em tramitação na 21ª Promotoria de Justiça. Os programas e serviços do Sistema Único de Assistência Social estão sendo acompanhados e alvos de visita da equipe técnica”. Além disso, os promotores reiteram que é preciso fortalecer os programas assistenciais. Eles dizem que “uma vez fortalecido o Sistema da Assistência Social, consegue-se uma atuação mais proativa do Município na redução das vulnerabilidades. inclusive os serviços de Busca Ativa”. A Promotoria ressalta, ainda, que a atuação do Ministério Público será baseada em duas vertentes: a preventiva e a repressiva. A primeira, ligada ao encaminhamento do caso aos serviços sociais do Município e a segunda na intensificação da fiscalização policial e efetiva repressão à prática criminosa, que tem como vítima, crianças e adolescentes.

car silicone. Quero ser bonita e me prostituir até quando quiser”, diz com segurança sem conseguir vislumbrar outro futuro. Para a psicóloga Normanda Morais, casos como o de Amanda refletem as consequências negativas da exploração sexual. *VEJA VIDEO COM ENTREVISTA NO PORTAL DA TRIBUNA DO NORTE:WWW.TRIBUNADONORTE.COM.BR

NÚMEROS REVELAM TRISTE REALIDADE A partir de estatísticas,é possível conhecer um pouco mais a dimensão dos problemas que envolvem crianças e adolescentes no Brasil.

➔Das 59,5 milhões de crianças e adolescentes brasileiros,quase metade (49,5%) é pobre,residindo em domicílios com renda per capita até meio salário mínimo e encontra-se em situação de grande vulnerabilidade. Mensagem presidencial referente ao Plano Plurianual 2008/2011 do Governo Federal

➔241 rotas de tráfico de crianças e adolescentes no Brasil. Pesquisa sobre tráfico de mulheres, crianças e adolescentes para fins de exploração sexual comercial no Brasil – Pestraf,2002

Amanda, 16 anos, faz ponto em uma rua do bairro de Capim Macio. A adolescente conta que decidiu seguir esse caminho aos 8 anos

CRIANÇA E ADOLESCENTE Pesquisa mostra realidade em Natal Em 2003,o Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid) realizou um estudo em todas as capitais brasileiras.Em Natal,97 crianças e adolescentes em situação de rua foram entrevistados.Para a assistente social Verônica Dantas,o resultado continua atual.Veja abaixo. Motivos atribuídos para a situação de rua

Formas de sustento (as cinco mais citadas)

Diversão,liberdade,falta de outra atividade

Vigiava carros

54

53

Sustento para si e/ou família

66

Pedia dinheiro

52

Relações familiares ruins (conflitos,agressões)

23

Furtava,roubava

Acompanhar parente ou amigo

7

Vendia coisas

Mudança de estrutura familiar (morte de mãe/pai ou casamento de um deles)

4

Transava por dinheiro

Questionadas sobre expectativa de vida e o que aguardam do futuro,a maioria respondeu que desejava conseguir um trabalho.Em último lugar, livrar-se das drogas.

62

Estudar

16

Ocupar melhor o tempo (recreações,esportes,etc.)

9

16

Conseguir lugar para morar

9

14

Melhorar sua relação com a família

7

11

Resolver problemas de saúde

5

Conseguir usar menos drogas ou parar de usar

3

Fonte:Livro “Levantamento Nacional Sobre o Uso de Drogas entre Crianças e Adolescentes em Situação de Rua nas 27 Capitais Brasileiras – Cebrid,2003”.

➔1.820 pontos vulneráveis de exploração sexual nas rodovias federais. Polícia Rodoviária Federal,2009

Expectativa de Vida Trabalhar

➔234 mil jovens abaixo de 18 anos são responsáveis por chefiar uma família. Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios – PNAD,2009

➔10.385 denúncias de abuso e exploração sexual infantojuvenil recebidas pelo Disque-Denúncia Nacional em 2010. LIGUE 100

➔7.743 denúncias de pornografia infantil na internet recebidas pela Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos apenas no primeiro semestre de 2011.

Fonte: ONG Childhood

BATE-PAPO Normanda Morais » psicóloga

No tocante às Casas de Passagem, temos três inquéritos civis em tramitação na 21ª Promotoria de Justiça”

MARCOS AURÉLIO DE BARROS Promotor

Quais são as principais consequências para uma criança que começa a se prostituir aos oito anos de idade? Crianças e adolescentes que são vítimas da exploração sexual podem apresentar muitas conseqüências negativas ao seu desenvolvimento, que vão desde conseqüências físicas (traumas, DSTs, dores psicossomáticas, etc), emocionais (sentimento de medo, vergonha, culpa, irritabilidade, desconfiança, auto-estima baixa) e comportamentais (isolamento, agressão, fuga de casa, baixo rendimento escolar, comportamento hipersexualizado, dentre outros). Não há uma regra geral para as conseqüências que cada criança vai apresentar, nem uma medida única de intensidade. Mas os elementos citados anteriormente são bem frequentes. Além disso, o envolvimento com situações de exploração as expõe a outros riscos, como o envolvimento com drogas, tráfico e situações outras de violência.

O comportamento destas crianças e adolescentes reflete o ambiente familiar no qual elas convivem? Em cada caso é preciso ver de que forma e como a dinâmica familiar está relacionada com a situação de exploração sexual na qual a criança está envolvida. Há crianças que relatam a saída para a rua e mesmo o seu envolvimento na exploração por influência direta dos pais. No entanto, não se trata de culpabilizar as famílias dessas crianças ou mesmo generalizar esse fato. Longe disso! O que se tem visto é que as famílias de crianças expostas à exploração são também vítimas de outras vulnerabilidades, como o desemprego, abuso de álcool e outras drogas, dificuldades de relacionamento, violência doméstica etc. Em um contexto de pauperização e práticas violentas familiares, a exploração sexual tem, infelizmente, virado uma alternativa de sobrevivência para muitas crianças/adolescentes. No entanto, tão importante quan-

to pensarmos os motivos que impelem as crianças a se envolverem na situação de exploração sexual, é preciso questionar o porquê de muitos adultos – tidos como homens/mulheres decentes, e pais/mães de família – saírem com essas crianças e adolescentes. Ou seja, se há tantas crianças/adolescentes se expondo à “prostituição” é porque muitas pessoas continuam a alimentar essa demanda. A atual realidade das crianças que vivem em situação de risco é reversível? Acredito que seja. E, antes de tudo e qualquer coisa, porque é um direito constitucional de que sejam cuidadas e protegidas, de que tenham as condições necessárias para o seu pleno desenvolvimento físico, mental e social. Essa é uma missão de responsabilidade do Estado, da família e de toda a sociedade. De que forma cada criança adere/não adere ao que lhe é proposto é uma questão dos serviços

O envolvimento de crianças com situações de exploração as expõe a outros riscos, como o envolvimento com drogas, tráfico e situações outras de violência. (...) É direito constitucional que elas sejam cuidadas e protegidas.” especializados discutirem alternativas que funcionam melhor. O que envolve pesquisa, estudo, conhecimento de outras realidades e, sobretudo, mergulho na situaçãoproblema, em cada contexto e particularidade das demandas atendidas. Mas a oportunidade preci-

sa ser dada! Deve ser dada! Além de um imperativo legal, trata-se de um imperativo ético, de crença na dignidade e potencial humano, de que todos temos direito à vida e à vida com qualidade. Depende de quê e por quê não são feitas? Depende, entre tantas coisas, da boa articulação das dimensões que falei acima – Estado, família e sociedade civil como um todo... Não são feitas porque, em última instância, cada um pensa que essa não seja uma responsabilidade sua. Estamos todos pensando muito individualisticamente. Isso vale para o Estado, mas também para cada cidadão que acha que não tem nada a ver com aquela criança/adolescente que encontra na rua, “prostituindo-se” ou não. E que muitas vezes é por ele/ela vitimizada, seja no “programa” feito ou na “cara virada”, no preconceito expresso no olhar ou verbalmente.


Domingo | 28 de agosto de 2011

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

[ URBANISMO ] Sem vigilância ou fiscalização, a prática, que é considerada crime ambiental, continua a se espalhar pela cidade. Prédios públicos, particulares, viadutos e praças são alvo ALEX RÉGIS

ALEX RÉGIS

A tinta spray é de difícil remoção e o prejuízo para os donos é alto

Prédios particulares também são alvos frequentes de pichadores

Muros e monumentos estão à mercê dos pichadores ALEX RÉGIS

núncios, desabafos, desenhos e letras incompreensíveis. Eles estão em prédios públicos e privados, novos ou antigos, sem discriminação em relação à cor da tinta que reveste o concreto que sustenta a estrutura. Com o intuito de transmitir alguma mensagem, ou somente danificar visualmente um bem, pichadores fazem de muros, monumentos públicos ou portas de lojas, suas molduras à céu aberto. A tinta utilizada é o spray aerosol, de difícil remoção. Na escuridão da noite e no vazio das ruas, os pichadores escalam prédios, arriscam suas vidas e assinam seus nomes nos mais excêntricos pontos. Sem vigilância e fiscalização, esta prática que é considerada um crime ambiental, se espalha pela cidade. Na Via Costeira, a parede de um prédio abandonado próximo ao Centro de Convenções serve de outdoor para o anúncio de um detetive. Sem logomarcas, desenhos ou design rebuscado, a informação é direta. Se resume ao trabalho oferecido e ao telefone de contato. “Nós pagamos para que terceiros façam o serviço de letreiros. Mas nós evitamos e instruímos que eles não usem locais inadequados. Nós só colocamos em locais permitidos”, afirmou João

A

No muro do Solar Bela Vista,no bairro da Ribeira,os vândalos também deixaram sua marca com spray

Medeiros, um dos detetives que atende ao telefone publicado. Na Ribeira, bairro famoso pelos casarões antigos, nem mesmo a casa do folclorista Câmara Cascudo escapou dos atos de vandalismo. Numa linguagem incompreensível, os pichadores, pela terceira vez em menos de um ano, refletiram no muro o que sentiam.

“A gente sempre faz pinturas em prédios pichados e na semana seguinte, está tudo pichado de novo”, disse o pintor José Maria. Ontem pela manhã, ele realizava a pintura do muro. Entre os bairros da Ribeira e Cidade Alta, três prédios públicos estavam pichados até ontem. A sede da Ordem dos Advogados do

Brasil (OAB), Departamento Estadual de Imprensa / A República, um casarão da Travessa Aureliano, próximo à Rodoviária Velha. Além destes, muitas lojas e empreendimentos particulares com pequenas ou grandes pichações podem ser visualizados. Temendo represálias, alguns comerciantes preferem silenciar.

JÚNIOR SANTOS

Legislação prevê punição e prática pode dar cadeia

Para os grafiteiros, os muros da cidade são como telas e o grafite uma forma de expressão artística

Pichação é diferente de grafitagem A diferença entre o grafite e a pichação, é percebida numa análise superficial dos manuscritos e nos desenhos. A grafitagem exige uma técnica mais apurada, mais elaborada. Acaba se tornando, por ter estas características, mais aceita pela sociedade. Em contrapartida, a pichação é vista como uma prática transgressiva de imprimir mensagens em muros, monumentos públicos ou privados. “Pichar uma parede, ao invés de embelezar, é um ato de vandalismo. No fundo, todo pi-

chador gostaria de ser um grafiteiro”, afirmou o artista plástico Andruchak. As pichações não trazem consigo, na maioria dos casos, mensagens, como fazem as pinturas feitas através do grafite. Com o intuito de reduzir o número de prédios pichados em todo o país, o Governo Federal aprovou, em maio deste ano, a lei que proíbe a venda de tintas em embalagem aerosol para menores de 18 anos. De acordo com a nova lei, o spray só poderá ser vendido para maiores de idade, mediante a

apresentação de um documento de identidade e com nota fiscal emitida em nome do comprador. Com a lei, a grafitagem foi descriminalizada. A redação do documento diferencia pichação de grafitagem e determina que as latas de tinta em aerosol deverão trazer inscritas as expressões “Pichação é crime” e “Proibida a venda para menores de 18 Anos”. O comerciante que não seguir a lei será punido com multa e suspensão parcial ou total das atividades.

De acordo com o artigo 65 da Lei nº 9.605/98 (Lei dos Crimes Ambientais), pichação é crime e a pena varia entre três meses e um ano de detenção. Entretanto, alguns juízes optam pela prestação de serviços comunitários. Trata-se de Crimes Contra o Ordenamento Urbano e o Patrimônio Cultural. Detalha o artigo: “Se o ato for realizado em monumento ou coisa tombada em virtude do seu valor artístico, arqueológico ou histórico, a pena e de seis meses a um ano de detenção, e multa”. Para o titular da Semsur, Cláudio Porpino, manter prédios e monumentos sem pichações não é uma tarefa fácil. “A gente tem buscado evitar a pichação, mas é complicado. Precisamos que a população se conscientize acerca disso. Nós já fizemos inúmeras pinturas em praças, no monumentos dos Reis Magos e não adianta. A gente faz um apelo para ver se consegue manter a limpeza desses monumentos. É preciso, antes de tudo, educação”, afirmou. A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público foi procurada para comentar o acompanhamento da fiscalização deste tipo de ação. Visto que, a maioria dos prédios pichados são públicos. Não foi possível, entretanto, contato com nenhum deles. A promotora de Defesa do Meio Ambiente, Rossana Sudário, também foi procurada mas não respondeu às tentativas de contato telefônico.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 28 de agosto de 2011


Domingo | 28 de agosto de 2011

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 28 de agosto de 2011

MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA [ Procurador da República ]

Poder Judiciário ANELLY MEDEIROS

EMANUEL AMARAL

Destaque

O juiz federal Marco Bruno Miranda irá atuar como um dos coordenadores do Fórum Nacional dos Juizados Especiais Federais que começa, esta semana, no Rio de Janeiro. O titular da 3ª Vara Federal e coordenador do Juizado Especial Federal no Rio Grande do Norte foi escolhido pela segunda vez para representar a Justiça Federal da 5ª Região. O tema do fórum destaca os 10 anos da lei que criou os Juizados Especiais Federais.

Muitas dúvidas juíza Federal Joana Carolina Lins Pereira, titular da 12ª Vara Federal de Pernambuco negou pedido da empresa CIMA Engenharia e Empreendimentos Ltda que buscava liminar para romper contrato com a INFRAERO para a reforma do Aeroporto Internacional Augusto Severo. A empresa alega que a obra está com entraves devido há vários problemas como a falta de projetos e de ordem técnica em “praticamente todos os setores e fases executivas. A magistrada negou a liminar, mas reconheceu que existem fatos a serem esclarecidos como: “o porquê da opção da Infraero de apresentar apenas os projetos básicos por ocasião do certame licitatório e o porquê de apresentarem tais projetos básicos tantas deficiências”. A audiência de conciliação entre as partes está marcada para o próximo dia 5 de setembro, às 10h, na JF de Pernambuco.

A

Pubsday a Irlanda”, certa vez disse Samuel Johnson (17091784), “ninguém vai aonde não se pode beber”. Talvez isso – ao lado de outros fatores, como o clima chuvoso e uma propensão natural dos locais para discussão – explique a tradição dos pubs irlandeses. Dublin tem hoje para mais de 800 dessas “public houses”. E é ao derredor deles que a vida gira: negócios e política, esporte e religião, literatura e Direito, em Dublin tudo isso se discute e se vive em pubs. Buscando me instruir e com o “Dublin Literary Pub Crawl: A guide to the pubs of Dublin and the writers they served” (2008, de Colm Quilligan) em mãos, fui na direção de alguns deles na minha peculiar versão do “Bloomsday”. O meu “pubsday” começou com a marcação de um duplo literário: o “Farrington’s” e o “Palace Bar”, em East Essex Street e Fleet Street, respectivamente, ruas que não são mais do que a continuação, para oeste e para leste, da animadíssima Temple Bar, onde eu estava satisfeitamente hospedado. Quanto ao primeiro, a visita se deu por acaso. Foi só sair do hotel e dar de cara, completamente sem saber e sem querer, com o perfeito ponto de partida para minha jornada: o “Farrington’s” é batizado em homenagem a uma personagem de um dos contos de “Dubliners” (1914), de James Joyce (1882-1941). Do “Palace Bar”, após a leitura das primeiras páginas do meu livroguia e uma “pint” das boas, já sabia a fama de pub literário, onde Flann O’Brien (pseudônimo de Brian O’Nolan, 1911-1966), um dos maiores literatos irlandeses do Século XX, passou muitas de

“N

suas tardes. Animado com as minhas descobertas literárias, resolvi estender minha jornada para além de Temple Bar. Próxima parada: “The Stag’s Head” (em Dame Court, mais ao sul da cidade). E foi nesse pub de estilo vitoriano, um dos mais belos da capital irlandesa e também frequentado por Joyce, que meu “pubsday” deu uma quebrada em direção ao Direito. Ali, entre um gole e outro, fiquei sabendo que, segundo a lei irlandesa primitiva (a “Brehon law”), na alta sociedade, além de não ser de bom tom, chegava a ser considerado um tipo especial (e bizarro, para falar a verdade) de delito não servir comida e bebida para convidados/hospedes. “Vivendo e aprendendo”, foi o que comentei. “Quem disse que o Direito só pode ser achado nos bibliotecas e não nas estradas da vida? No meu caso, nos pubs da vida”, assim completei. Logo em seguida, fiquei sabendo que, durante muito tempo, mulheres não eram toleradas nos pubs irlandeses. Excetuando-se, certamente, as garotas de “vida fácil”, como mostrou Sean O’Casey (1880-1964) em sua peça “The Plough and the Stars” (1926). Já nos anos 1990 ainda era comum um proprietário de pub dizer para um grupo de pessoas de ambos os sexos: “as mulheres serão servidas no lounge”. “Pense numa coisa sem futuro”, foi que o quase gritei ao saber que essa “lei” só havia sido formalmente revogada com “Equal Status Act” de 2000. Mas esse aprendizado já se deu no “Davy Byrne’s” (em Duke Street, uma rua repleta de pubs tradicionais, também frequentada por Joyce e suas personagens), onde se passa to-

do um capítulo do “Ulysses” (1922). Curiosamente, a clientela ali, não em razão do sexo, mas da idade, parecia a mesma do tempo do autor de “A Portrait of the Artist as a Young Man” (1916). Mas valeu a pena. Além do meu “altíssimo” astral, o “fish and chips” de lá estava uma maravilha. Bom, todo lugar tem os seus demônios. E, na Irlanda, esse “natural” consumo exagerado de álcool é certamente um deles. Que o digam os admiradores de Brendan Behan (1923-1964), o mais boêmio dos escritores dublinenses e um imenso talento destruído pela bebida. Li sobre ele já no “The Bailey” (também em Duke Street), onde seus amigos, todos os dias, aguardavam pela notícia da sua morte. Bebericando, claro. Mas o Direito, pelo que eu soube, vem lutando contra isso. Por exemplo, foi passando pelo “The Bank” (em College Green, a rua que dá nos portões do Trinity College) que tomei conhecimento da lei (“The Drink on Credit to Ser-

vants Act”, de 1735) que proibiu a venda de bebida fiado a trabalhadores. Segundo essa lei, o proprietário de pub que vendesse fiado, em caso de não pagamento por parte do cliente, restava com um crédito juridicamente inexigível perante a Justiça. No “The Porterhouse” (localizado em Parliament Street e cuja filial de Covent Garden/London é muito de meu agrado) foi informado que, até boa parte Século XIX, trabalhadores iam a pubs pela manhã para arranjar emprego e ali mesmo, no fim do dia, eram pagos. Para onde o dinheiro dos pagamentos ia, é facílimo de imaginar. Certamente, não para as famílias daqueles “profissionais”. Outra prática perniciosa da época era a “terceirização” do trabalho, ainda no pub, em troca de uma ou algumas “pints”. Quem conseguia trabalho pela manhã passava-o a frente em troca de bebida o dia todo. Uma terceirização pessimamente regulamentada, com certeza. E isso tudo só veio acabar em 1813 com uma sábia lei proibindo essas contratações e esses pagamentos em “public houses”. Finalmente, preocupado com os demônios, resolvi dar apenas uma passadinha no aristocrático bar do “Shelbourne Hotel” (bem em frente ao St. Stephen Green), cuja lista de frequentadores vai de celebridades do cinema aos escritores Brendan Behan, Patrick Kavanagh (1904-1967) e Seamus Heaney (1939-), para terminar minha jornada, calmamente, no famoso “Bewley’s Café” (em Grafton Street). A essa altura, eu precisava de alguns “double expressos” para reorganizar ideias e, mesmo que ainda bem sorridente, traçar estas linhas para você, caro leitor.

ça”, coordenado pela competente desembargadora Maria Zeneide Bezerra, além de visitar a Casa de Justiça e Cidadania de Natal. O magistrado elogiou os dois trabalhos desenvolvidos no Rio Grande do Norte.

Acessibilidade O Tribunal de Justiça aprovou Resolução instituindo a Comissão Permanente de Acessibilidade que tem entre suas funções o planejamento, elaboração e acompanhamento de projetos direcionados à promoção da acessibilidade de pessoas com deficiência ou mobi-

lidade reduzida. Destina-se a ampliar a acessibilidade no âmbito do Poder Judiciário Estadual, em atendimento ao que dispõe a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

ENASP O juiz Guilherme Pinto, auxiliar da presidência, representou o Tribunal de Justiça do RN no Encontro da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública – ENASP. Representantes do Judiciário, Ministério Público e órgãos de Segurança Pública discutiram estratégias para agilizar e obter maior efetividade na apuração, denúncia e julgamento dos crimes de homicídio. Guilherme Pinto informou que o Judiciário Estadual está organizando um grupo de trabalho para a realização de diversas sessões do Tribunal do Júri no interior do Estado. O encontro aconteceu em Brasília.

MPE/RN: parecer favorável ao PSD O Partido Social Democrático no Estado recebeu parecer favorável ao pedido de registro. Depois de avaliar os documentos, a Procuradoria Regional Eleitoral do RN opinou pela improcedência das impugnações apresentadas pelo Democratas e pelo Partido Trabalhista Brasileiro – PTB.Sobre as acusações de que as listas com as assinaturas dos eleitores eram falsas, o procurador

regional eleitoral Ronaldo Sérgio Chaves Fernandes, afirmou que “a alegação é relevante e preocupante, mas os elementos colhidos até o momento não autorizam concluir com segurança pela efetiva ocorrência dessas fraudes. Sem evidências consistentes e robustas, não vejo como impedir o registro dos órgãos partidários nessa Corte Regional”, destacou o procurador.

TODOS OS DOMINGOS NA TRIBUNA DO NORTE

O juiz Fabrício Carata, representante do Conselho Nacional de Justiça esteve visitando esta semana o Tribunal de Justiça para acompanhar alguns projetos desenvolvidos pela instituição, conhecendo o “Justiça na Pra-

tn família

Exemplo


natal

Domingo | 28 de agosto de 2011 ➾ www.tribunadonorte.com.br ➾ tnonline@tribunadonorte.com.br ➾ twitter.com/tribunadonorte

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

7

tn online Fred Carvalho - www.twitter.com.br/fredcarvalhorn

Windows 8 A Microsoft mostrou durante a conferência TechEd America, que aconteceu semana passada nos EUA, como serão os primeiros tablets que rodarão o Windows 8 - ou algo parecido com ele. De acordo com o Ubergizmo, a empresa não deu detalhes sobre o funcionamento do novo sistema operacional, e mostrou apenas os aparelhos desligados. Porém, ela deu algumas informações técnicas de como eles serão. Os tablets deverão contar com processadores quad-core e serão mais finos do que os atuais dispositivos que usam Windows.

3D

XperiaTM PLAY a quinta-feira passada, a TIM apresentou o Sony Ericsson XperiaTM PLAY – o primeiro modelo da família Xperia com o certificado PlaystationTM. Com o sistema operacional Android 2.3 Gingerbread, o aparelho oferece todas as funcionalidade que os usuários precisam em um smartphone, aliada à experiência em games nunca vista antes em um celular.

N

los gratuitos, divididos nas categorias Entretenimento, Esportes, Músicas, Educação e Kids. Estão disponíveis shows, documentários, séries educativas sobre história, biologia e material infantil. Já o WealthTV 3D leva para as TVs serviço de vídeo sob demanda (pago) com conteúdo em 3D.

Em conta Os fornecedores asiáticos da Apple começaram a fabricar uma versão mais barata do iPhone 4, com capacidade menor, de 8 GB, de acordo com duas fontes próximas ao assunto. A memória do iPhone 4, de 8 GB, está sendo fabricado por uma empresa sul-coreana, disse uma das fontes, se recusando a identificar a companhia. A Apple atualmente adquire flash drives da japonesa Toshiba e da sul-coreana Samsung Electronics.

Biblioteca Virtual Ciente de que a leitura é importante para o desenvolvimento das competências e habilidades específicas necessárias ao profissional contemporâneo, o Grupo Estácio disponibiliza para seus alunos e professores a “Biblioteca Virtual”, que conta com um acervo de 2.479 livros das editoras Artmed, Atica, Casa do Psicólogo, Contexto, IBPEX, Manole, Papirus, Pearson e Scipione. Todas as obras totalmente em Português e leitura total disponível pela Internet. O programa conta ainda com ferramentas que enriquecem e agilizam a pesquisa e/ou estudo, como: marcadores de páginas, anotações personalizadas e impressões de capítulos ou avulsas, além da ferramenta de busca, que através de palavras chave pode procurar no livro selecionado ou em todo acervo. Outra vantagem é o desconto de 40% para quem prefere ter a obra impressa.

Essa é para quem já tem (ou pensa em ter) uma TV 3D LG com plataforma SmarTV e está aguardando conteúdos em terceira dimensão. A empresa coreana anuncia a chegada dois aplicativos que dão acesso a ambientes com conteúdos 3D. O 3D Zone começa a oferecer mais de 40 títu-

Mobilidade

Em voo

Para emergência A maioria das pessoas vive na correria cotidiana, dividindo o seu tempo entre diversas tarefas diárias, como trabalhar e estudar. É normal que elas se esqueçam de recarregar o iPhone ou iPod, mas é chato ficar na mão, pois hoje em dia dados importantes são armazenados nesses dispositivos. Pensando em atender essas necessidades e oferecer mais praticidade, a Macally, marca especializada no desenvolvimento de acessórios para celulares e eletrônicos domésticos com design diferenciado, lança no mercado o MiniCarUSB. O acessório é um carregador veicular, que pode ser usado em tomadas de 12V, ideal para quem passa o dia inteiro na rua, indo e vindo de lugares diferentes.

A GOL Linhas Aéreas anunciou a implantação, a partir da próxima quintafeira, de uma solução de entretenimento de bordo inovadora e inédita na aviação mundial. Utilizando um pacote de ferramentas tecnológicas, a empresa vai oferecer aos clientes conteúdo de qualidade fornecido por alguns dos maiores grupos de comunicação do Brasil. O acesso será realizado por meio dos aparelhos eletrônicos pessoais dos próprios passageiros.

Com as novas tecnologias invadindo o universo a todo o momento, o computador não poderia ficar de fora dessas evoluções. Para deixar as máquinas mais práticas e com um design moderno, os acessórios são as ferramentas que costumam dar um up ao PC. Pensando em oferecer mais praticidade e comodidade, a Mtek, uma das principais fornecedoras nacionais de suprimentos de informática, lança no mercado o Mini Mouse Óptico Wireless. O mini mouse se comunica com o laptop ou o PC através de um nano receptor e opera na freqüência de 2.4 GHz, que dá um alcance de até 10 metros de distância em espaços abertos, ideal para quem detesta fios e gosta de ambientes mais organizados.

[ MUDANÇA ] Executivo deixa a empresa norte-americana após 14 anos. No lugar de Steve Jobs,

[ COMÉRCIO ELETRÔNICO ] Empresas, que são

Tim Cook, que já exercia o posto interinamente, será efetivado, consolidando a transição

febre no país, preveem alta de 110% este ano

Sites de compra coletiva projetam crescimento

Jobs renuncia ao cargo de executivo-chefe da Apple O DIVULGAÇÃO

e licença médica desde janeiro, Steve Jobs, fundador da Apple, anunciou na semana passada que deixará definitivamente o cargo de CEO depois de 14 anos. Seu destino continuará ligado à empresa como consultor ou possivelmente na presidência do conselho de administração. Em seu lugar, Tim Cook, que já exercia o posto interinamente, será efetivado, consolidando a transição. A reação no mercado será observada com mais detalhe amanhã já que o anúncio ocorreu depois do fim do pregão. Em negociações pósfechamento, os papéis havia se desvalorizado em cerca de 7%. Alguns investidores, porém, diziam hoje que a possível saída de Jobs já estava precificada nas ações ao longo do último ano e Cook seria considerado um sucessor preparado para assumir o comando de forma definitiva. A decisão do fundador da maior empresa do mundo em valor de mercado foi dada através de uma carta enviada para os integrantes do conselho. “Sempre soube que se chegasse um dia em que não pudesse mais cumprir minhas obrigações e expectativas como CEO da Apple, vocês seriam os primeiros a saber”, afirmou no texto assinado de Cupertino (Califórnia), sede da empresa. Em seguida, Jobs indicou que poderia assumir um novo papel. “Eu renuncio ao cargo de CEO da Apple e gostaria de servir, caso o conselho ache necessário, como presidente do Conselho, diretor e empregado da Apple”, afirmou o fundador da empresa que, na avaliação de muitos, é a sua própria cara. Ele acrescentou que recomendava ao conselho que no-

D

‘A cara’da Apple nos últimos anos, Jobs renunciou ,por motivos de saúde,ao maior posto da empresa

measse Tim Cook como CEO. Aos 55 anos, Jobs continua realizando tratamento médico e não há informações claras de como está a sua saúde. Neste ano, ele apareceu publicamente em março, para lançar o iPad2, no lançamento do iCloud, em junho, e também esteve presente em um jantar organizado pelo presidente Barack Obama. Nestas ocasiões, o fundador da Apple, sempre vestido com seu jeans e a camiseta de gola alta preta, estava bem mais magro, apesar de apresentar enorme disposição, sem deixar transparecer algum problema. Em 2004, Jobs foi submetido a uma cirurgia para tratamento de

câncer no pâncreas. Cinco anos mais tarde, precisou realizar um transplante de fígado. Os dois procedimentos são complicadíssimos e de elevado risco para a vida do paciente. A Apple tem 35 anos e foi fundada por Jobs, ainda jovem, junto com Steve Wozniak, e revolucionou o mercado de tecnologia pela primeira vez com ao introduzir o Macintosh. Porém ele deixaria a empresa nove anos mais tarde para retornar cerca de dez anos depois e se consolidar como um dos maiores inovadores de toda uma geração da área de tecnologia. O iPod revolucionou a forma de

as pessoas ouvirem música. O iPhone transformou-se no mais bem sucedido aparelho celular de toda a história. O iPad é o último produto a transformar a vida dos consumidores, que cada vez mais deixam os PCs de lado e optam por tablets. Nos Estados Unidos, alguns dos clientes da Apple são praticamente como religiosos, tratando Jobs como guru, e fazem filas gigantescas para comprar um produto quando este é lançado. As lojas viraram pontos turísticos. A filial da Apple na Quinta Avenida é dos lugares mais visitados por turista em Nova York, chegando perto do Empire State Building e da Estátua da Liberdade.

mercado de compras coletivas pela internet já teve seu período de rápida expansão no ano passado, quando algumas empresas voltadas a esse tipo de negócio apresentavam crescimento de ao menos 50% ao mês. Mas para os executivos das empresas do setor esse fenômeno não foi apenas uma febre e se engana aquele que pensar que as compras coletivas já não terão um desempenho elevado daqui para frente. O presidente da ClickOn, Marcelo Macedo, projeta expansão da empresa entre 5% e 10% em 2011. Já Ivan Martinho, sócio do Clube do Desconto, é mais otimista, e fala em crescimento de 110% neste ano. De acordo com Martinho, é impossível o setor manter números de crescimento “irreais” como os verificados no ano passado. “Mas uma expansão de 50% ao ano, como projetamos para o setor a partir de agora, também é um fenômeno. Qual empresa que acumula metade da sua operação em um ano?”, questiona, após seminário na Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio). O executivo espera ver no final de 2011 elevação no número de usuários cadastrados, de cupons vendidos, de funcionários contratados e faturamento. Macedo, do ClickOn, minimiza a desaceleração do setor em relação ao ano passado, quando as primeiras empresas deste sistema de negócio chegaram ao País, e prefere destacar os números absolutos das vendas. Segundo ele, o crescimento “vertiginoso” apresentado no primeiro semestre de 2010 equivalia a um montante de R$ 4 milhões em cupons vendidos. Hoje, com crescimento porcentual de até 10%, as vendas, afirma, alcançam R$ 15 milhões “Para o ano que vem devemos crescer cerca de 40%, acima do desempenho do e-com-

merce em geral, que deverá ficar em torno de 25%”, diz. Para o presidente do ClickOn, as compras coletivas terão um novo patamar acelerado de crescimento quando houver reforço da estratégia voltada para o comércio efetivado por meio de celulares, com promoções instantâneas e mais próximas ao usuário “Teremos um novo crescimento quando o dispositivo móvel estiver também com o fornecedor do produto. O dono da padaria da esquina, por exemplo, poderá anunciar a oferta de desconto de 50% em um suco para o usuário que, naquela mesma hora, estiver a poucos metros do estabelecimento”, explica. CRISE Nem a crise econômica internacional tira o otimismo das empresas de compra coletiva. Para Macedo, as dificuldades da economia global devem afetar mais os países do Hemisfério Norte do que as nações emergentes, como o Brasil. “A crise pode atrapalhar qualquer mercado, mas não vejo impacto muito grande para o País”, afirma. Para justificar o otimismo, Macedo conta que o ClickOn planeja terminar o ano que vem com 700 funcionários, cerca de o dobro da configuração atual, de 352 empregados - em maio de 2010, quando o site lançou sua primeira oferta, eram seis. O presidente do Conselho de Tecnologia e E-commerce da Fecomercio, Pedro Guasti, recorre ao termo usado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quando perguntado sobre os efeitos da crise de 2008 na economia brasileira. “Se a crise significar aumento do nível de desemprego no País isso pode afetar o setor. Mas como o e-commerce tem apresentado números diferenciados, mesmo que haja efeitos a crise poderá ser considerada uma marolinha”.


natal 8

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 28 de agosto de 2011 DIVULGAÇÃO

[ MEDICINA ] Congressos latino americano e

brasileiro serão realizados em setembro Um dos expositores trará ao evento o aparelho conhecido como “mão biônica”, que é uma novidade no mercado de órteses e próteses

Especialistas em Ortopedia se reúnem em Natal A Associação Brasileira de Ortopedia Técnica (ABOTEC) vai realizar em Natal, entre 27 de setembro a 1º de outubro, um dos maiores eventos em Órteses e Próteses Ortopédicas da América Latina. O II Congresso Latino Americano e VIII Congresso Brasileiro de Ortopedia Técnica reunirá mais de 500 especialistas do mundo e mais de 32 palestrantes da área para discutir técnicas e trocar experiências, além de uma feira de produtos ortopédicos, com mais de 30 expositores nacionais e internacionais. Durante o evento, dois temas importantes terão destaque na pauta do congresso: “A regulamentação da profissão de ortesista e protesista ortopédico no Brasil” e “A concessão de órteses e próteses pelo Governo e o sistema público de saúde”. Enquanto os especialistas discutem os avanços científicos, a feira de produtos (aberta ao público) mostrará as principais novidades e alta tecnologia da área de próteses, órteses ortopédicas. Entre os expositores está a Otto Bock, responsável por trazer para o Brasil a mão biônica apelidada de “Michelangelo”, e a Touch Bionics responsável pela mão biônica “i-LIMB”. Próteses ortopédicas de membro superior como essas, possuem design anatômico e detalhes de uma mão natural. Os equipamentos representam uma inovação em reabilitação, uma vez que possibilitam aos usuários movimentos nos mais diversos momentos do cotidiano, incluindo atividades que exigem coordenação motora fina, como escrever. O presidente da ABOTEC, Joaquim Cunha, explica que, nos últimos anos, é crescente o interesse internacional no mercado brasileiro de órteses e próteses ortopédicas. “Por este motivo, o Bra-

sil foi escolhido para sediar o II Congresso Latino-Americano de Ortopedia Técnica. Nosso objetivo é, além de atender às solicitações de vários congressistas e empresas satisfeitas com o resultado da primeira edição, consolidá-lo como o maior evento de Ortopedia Técnica da America Latina”. Joaquim está muito otimista com a realização do evento que visa à garantia de qualidade na reabilitação das pessoas e melhora nas condições de vida dos usuários de próteses e órteses. “Trata-se de uma oportunidade única de estarmos com profissionais de ou-

Trata-se de uma oportunidade única de estarmos com profissionais de outras regiões e outros países, para a troca de informações, e experiências” JOAQUIM CUNHA Presidente da Abotec

tras regiões e outros países, em que poderemos efetivar uma grande troca de informações, tecnologias e experiências”. SERVIÇO: Inscrições para o Congresso: As inscrições devem ser feitas pelo site: www.abotec.org.br/congresso Visitantes da feira:gratuita Estudante:R$ 100 Profissional da Saúde:R$ 200 Congressista Associado da ABOTEC:R$ 400 Congressista Não-associado da ABOTEC: R$ 800 Inscrições Internacionais:US$150

[ ODONTOLOGIA ] O objetivo é levar assistência

odontológica onde não há clínica do Sesc

Unidade móvel do Sesc vai a Parnamirim manhã (29), a partir das 19h, o município de Parnamirim irá receber a Unidade Móvel do OdontoSesc. O projeto de saúde bucal é uma parceria do Sesc/RN com o Departamento Nacional da instituição, e tem como objetivo levar assistência odontológica a lugares onde o SESC não possui clínica, estendendo o atendimento a população em geral. Durante quatro meses, a unidade móvel estará em Parnamirim, precisamente no estacionamento da Uvifrios (localizada na Rua Brigadeiro Everaldo Breves, Centro), realizando atendimentos na parte curativa (obturação, extração), preventiva, como também desenvolvendo ações em educação bucal, através de atividades em escolas, envolvendo alunos e professores. As consultas iniciam na quinta-feira (1º/09), organizadas em três etapas. No primeiro momento serão atendidos os funcionários e dependentes da empresa parceira (Uvifrios), seguidos pelos comerciários da região e comunidade local. Os interessados devem

A

agendar consulta na própria unidade móvel, de segunda à sextafeira, das 8h às 14h e aos sábados das 7h às 13h. A equipe do OdontoSesc realizará uma média diária de 44 atendimentos. Este ano, a unidade móvel esteve em Natal e Campo Grande. O quadro de funcionários da unidade móvel é composto por 10 profissionais do SESC - quatro dentistas, uma educadora de saúde, três auxiliares em saúde bucal, um artífice e uma recepcionista. Existem 44 unidades móveis espalhadas pelo país. Aqui no RN, além da unidade móvel, a assistência odontológica do SESC é composta por três clínicas fixas: em Natal, no SESC Restaurante (Av. Rio Branco); outras duas nas unidades de Mossoró e Macaíba. De 2001 a 2009, o OdontoSesc já esteve em 23 municípios norterio-grandenses, realizando nesse mesmo período 359 mil atendimentos, entre a parte curativa e ações educativas. No ano de 2010 foram registrados 14 mil atendimentos no RN, este ano a meta é realizar 16 mil.


natal

3X4

O empresário Ulisses Tapajós Neto conta sua história de sucesso e superação. PÁGINA 11

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com grande presença de nuvens Máx.: 28ºC Mín.: 21ºC

Preamar 03h38 -2.5- 16h02 -2.4 Baixa-mar 09h32 -0.1- 21h47 -0.1

Lagoa Seca: hoje 206 bancas/122 feirantes Nova Natal 550 bancas/283 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Redinha (Rio Potengi)

FASES DA LUA Minguante: hoje Lua Nova: Amanhã Nascer do sol: 5h22 Pôr do sol: 17h21

Editora: Luciana Campos e-mail: lucianacampos@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 28 de agosto de 2011

Diante do crescimento no número de condomínios em todo o Rio Grande do Norte, o Crea/RN e o Ministério Público lançaram uma espécie de cartilha de orientação para síndicos e moradores a fim de diminuir o número de problemas [ CONDOMÍNIOS ]

Um manual para fazer cumprir regras VALDIR JULIÃO Repórter

ma espécie de “cartilha do ABC” chegou aos portões dos condomínios horizontais e verticais de Natal, com a distribuição de dez mil unidades do primeiro “Manual do Síndico”, concebido a partir de uma parceria feita entre o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea/RN) e o Ministério Público Estadual (MP/RN). O documento foi distribuído em duas versões: de bolso e no formato livro. O presidente do CREA, engenheiro Adalberto Pessoa de Carvalho, diz que o “Manuel do Sindico” foi elaborado a partir de de cinco seminários realizados com os profissionais da construção civil e de administração condominial, diante do boom na construção de edifícios residenciais em Natal e em cidades como Parnamirim e Mossoró. Adalberto Pessoa contou que tudo começou em 2007, quando o Crea foi procurado “por agentes de controle interno e externo”, como as Promotorias de Defesa das Pessoas com Deficiência, do Idoso, das Comunidades Indígenas e das Minorias Étnicas. Naquele ano, o Crea patrocinou os primeiros cinco mil exemplares da cartilha, enquanto a segunda edição saiu no ano passado. A cartilha de bolso contém as principais questões relativas à acessibilidade e um “check list”, cuja finalidade é educativa e preventiva. O manual traz informações precisas sobre as normas de acesso “e a sua aplicação no cotidiano operacional, numa linguagem simples e objetiva”. Para Adalberto Pessoa, a cartilha é de fundamental importância para os síndicos, já que contém orientações sobre como proceder na contratação de mão de obra. “Um eletricista, por exemplo. Ele pode ter trabalhado por 20 ou 30 anos num condomínio, mas estar fazendo tudo errado”, disse. Ele deu o exemplo do incêndio do edifício Joelma, em São Paulo, em 1º de fevereiro de 1974, que foi provocado por um circuito no aparelho de ar condicionado. O eletricista era empregado antigo do prédio, mas não trocou uma fiação que estava errada, provocando o acidente, que matou mais de 180 pessoas. A idéia de criar o “Manual do Síndico”, foi tão boa que vai ser copiada pelo Crea de São Paulo. A manutenção preventiva, “que permite o prolongamento da vida útil dos edifícios, além de proporcionar conforto aos condôminos” é um dos focos .

U

Segundo Carvalho, a cartilha possibilita aos síndicos, dirimir dúvida e orientar quando a necessidade organizar o espaço que é comum a todos, como também negociar divergências existentes. Ele deu um exemplo de um condomínio horizontal da cidade, onde o Crea teve de ser chamado, porque um morador levantou o muro de sua casa, impedindo que a piscina do vizinho tivesse a luz solar: “O síndico era responsável por manter a arquitetura do jeito que era, o vizinho foi na justiça e o muro foi rebaixado”. Carvalho ainda explicou que é muito comum, os prédios serem entregues com material inadequado, que põe em risco, inclusive, a segurança dos moradores. Ele citou o caso de um condomínio de baixa renda, do PAR, o Programa de Arrendamento do governo federal, em que as casas foram entregues pela construtora com a fiação abaixo das especificidades exigidas, que colocava em risco a moradia, na hipótese de ocorrer um curto-circuito se vários eletrodomésticos fossem ligados ao mesmo tempo: “O pobre também direito de consumir”. Promotora de Defesa do Idoso e das Minorias Étnicas, Rebeca Nunes, disse que as cartilhas é uma “forma de trabalho mais preventivo”, mas existem também questões repressivas, como a assinatura de Termos de Ajustamento de Condutas (TAC) relacionadas a temas de acessibilidade. “Ainda não temos nenhuma ajuizamento de ação na Justiça”, ressalvou ela, quanto a área dos condomínios. A promotora Rebeca Nunes disse que em virtude dos TACs, não preciso acionar a Justiça, em virtude dos acordos feitos para agendamento de prazos e comprometimento em realizar mudanças necessárias nos espaços físicos e comuns a todos os condôminos e até visitantes, como altura de um vaso ou pia sanitárias, distância inadequadas dos banheiros para as piscinas, para os casos de idosos e portadores de deficiência. Segundo ela, muitos prazos “estão correndo”, mas depois de exauridos, explica que o procedimento “é mandar um arquiteto a comprovar se as mudanças foram feitas, mas sempre tem uma coisinha para mexer de novo”. Em último caso, explicou a promotora, dá-se um prazo maior para se concluir “o que ficou de irregularidade”. No caso do arquiteto voltar e averiguar se não foi nada terminado, executa-se o TAC, o qual, afirmou, “trata-se de um título extrajudicial”, que inclusive prevê a aplicação de multas para esses casos. ALDAIR DANTAS

Adalberto Pessoa explica importância da cartilha para síndicos


10

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 28 de agosto de 2011

Quem trabalha na área afirma que a função do síndico não pode ser de um mero recebedor de dinheiro e pagador de contas. É preciso zelar pelo imóvel, saber administrar e ter caráter conciliador diante de conflitos [ CONT. PÁG 9/CONDOMÍNIOS ]

Administrar é a principal tarefa ALDAIR DANTAS

residente do Sindicato Patronal dos Condomínios do Rio Grande do Norte (Sipcern), Ismael Benévolo Xavier diz que o Manual do Síndico é “uma ferramenta a mais” para um setor que está em franca expansão. “Só o sindicato tem 1.500 condomínios cadastrados”, informou ele, sem falar nos empreendimentos funcionam independentemente. Para ele, também importante para o setor, é que os condôminos, na hora de contratar um profissional, têm de avaliar a sua capacidade e conhecimento. O sindico, acrescenta, “é como um clínico geral e não pode mais ser apenas um arrecadador, que pega o dinheiro e sai pagando água, luz e funcionários”. Por isso, diz Ismael Benévolo, a cartilha que foi distribuída pelo Crea em parceria com o Ministério Público Estadual (MPRN) também pode ajudar na hora em que um síndico precisa administrar um condomínio: “Tem muitas coisas além da tarefa de gerir recursos financeiros na vida de um condomínio”. Benévolo lembra que ao contrário de hoje, antigamente não havia tantas exigências quanto às questões de segurança e de acessibilidade das pessoas. Ele dá o exemplo das áreas de escapes dos novos edifícios, como prevenção contra incêndios, e que passam pela inspeção do Corpo de Bombeiros. Ao falar das relações com os condôminos, Benévolo explica que ao se tratar da aplicação de recursos, as decisões têm de sair das assembléias, mas é comum a tomada de decisão pessoal, relacionadas a questões administrativas propriamente ditas e que envolvem áreas comuns do condomínio. Segundo ele, hoje, aumentouse muito a responsabilidade do sindico, como também do próprio Sindicato, “devido a velocidade com que se constrói hoje”. Ele lembra que o primeiro condomínio de Natal foi o edifício 21 de Março, construído nos anos 60/70, na Cidade Alta. Depois vieram o Sisal, o T. Barreto, na rua João Pessoa e o edifício Salmar, na avenida Deodoro e onde ocorreu o primeiro incêndio de um edifício em Natal.

P

BATE-PAPO Leonardo Rodrigues Alves » Diretor da Gestcon

“O papel do síndico é de supervisionar” Qual o papel do síndico hoje com este boom imobiliário em Natal e outras cidades do Estado? O síndico é uma personalidade eleita para representar a massa por um determinado período. A expectativa é de que haja uma rotatividade entre os condôminos, e uma maior participação, porque os condôminos não entendem que é necessária a participação freqüente, em assembléias, com sugestões. Ao síndico cabe manter a valorização patrimonial continuada de seu condomínio. A mensalidade não pode ser vista como despesa.

O número de condomínios vem crescendo e com eles a quantidade de problemas a solucionar

Não pode mais ser apenas um arrecadador, que pega o dinheiro e sai pagando água, luz" ISMAEL BENÉVOLO Presidente do Sinpcern

Atualmente, segundo Benévolo, não apenas a qualidade da construção que é levada em conta. Por causa da violência e da criminalidade, os condomínios estão investindo em segurança privada. Ele explicou que um edifício no Tirol, depois que houve um “arrastão” por ocasião de um assalto, para se entregar uma carta ou correspondência, a pessoa tem que acompanhar uma voz, que orienta como depositar numa caixa: “A gente não fala e nem vê ninguém, vai acompanhando essa voz”.

ATRIBUIÇÕES DO SÍNDICO • Quem pode convocar assembleia? Em geral é convocada pelo síndico, mas pode também ser convocada por 1/4 dos moradores,se a Convenção não dispuser de forma diferente. • O que pode ser votado em assembleia? A assembléia poderá deliberar exclusivamente sobre a matéria que constar na Ordem do Dia do Edital de Convocação. • Quem pode ser síndico de condomínio? Qualquer pessoa pode ser síndico de condomínio,condômino ou não.A Convenção do Condomínio tem o poder de restringir quais pessoas que podem se candidatar à função de síndico. • Por quanto tempo pode-se exercer a função de síndico? O mandato do síndico não pode exceder a dois anos,podendo ser reeleito.Algumas convenções

determinam que o mandato do síndico terá a vigência de um ano, permitida a reeleição. •O síndico pode ser remunerado? Sim.A Lei 4.591/64 determina que a assembleia que eleger o síndico, irá fixar o pró-labore. •Quais são as atribuições do síndico? Representar o condomínio,em juízo ou fora dele,nos atos necessários à defesa dos interesses comum;cumprir e fazer cumprir a convenção,o regimento interno e as deliberações de assembléia; diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação de serviços que interessem aos possuidores; elaborar o orçamento da receita e da despesa relativa a cada ano; cobrar dos condôminos as contribuições,bem como impor e cobrar as multas devidas;prestar contas à assembléia,anualmente. FONTE - SIPCERN

Então o papel do síndico não é só gerenciar conflitos internos dentro de um condomínio? Absolutamente. Ele tem todo um trabalho administrativo a fazer. E ele tem de contar com uma assessoria completa, por exemplo, para que o seguro do condomínio seja feito para cobrir todo esse tipo de evento e não cause problemas ao próprio fundo, que não haja uma despesa grande o seguro tem de ser feito bem organizado. Qualquer tipo de problema o síndico ou condômino pode acionar imediatamente a empresa de gestão condominial, que acionará o prestador de serviço para resolver o problema, diminuir o desconforto, acionar seguradora. O síndico na verdade tem de ser um supervisor, quem é para resolver problemas entre moradores é uma empresa de gestão, informando que existe um regimento interno para ser cumprido e apresentar para as partes uma solução. Mas, têm-se a expressão que o síndico é uma profissão e administrador?

Não existe sindico profissional, não existe formação de sindico profissional. Natal já foi vitima e continua sendo vitima de pessoas que se apresentam com esse título de sindico profissional. Vários condomínios, já sofreram duras penas, financeiras inclusive, por causa de síndicos que se dizem profissionais, na verdade não são. Recebem determinada importância, tem até carteira assinada para poder manter o vínculo empregatício, mas não cumpre horário, vai duas horas num condomínio, vai duas horas em outro. Síndico tem que conviver, estar presente, tem de supervisionar.

Papel de síndico é supervisionar, convocar o conselho, convocar os moradores, discutir, sugerir, com o apoio de uma empresa. Ele não é xerife” Síndico não é para representar o condomínio,nem pagar papel de água, luz, contratar funcionários? Papel de síndico é supervisionar, convocar o conselho, convocar os moradores, discutir, sugerir, com o apoio de uma empresa de gestão. Ele não é xerife. Existe uma cultura de boa convivência em Natal nos condomínios? Infelizmente não. A pessoa que adquire um apartamento, na hora que recebe as chaves, entende que aquilo é a sua casa, que o que está em volta daquilo não existe e não é problema dele. O que não é verdade, pra se manter o patrimônio valorizado, tudo o que está em volta dele tem de ser mantido e bem mantido.


natal

Domingo | 28 de agosto de 2011

3porquatro

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11

POR ANNA RUTH DANTAS

ULISSES TAPAJÓS NETO

A TRAJETÓRIA VITORIOSA DE EMPREENDEDOR DE SUCESSO ACABA OFUSCADA PELA HISTÓRIA DE VIDA E SUPERAÇÃO DESSE AMAZONENSE QUE NASCEU POBRE E HOJE É DIRETOR DA MELHOR EMPRESA PARA SE TRABALHAR DO PAÍS.ELE CONTA QUE O SEGREDO É INVESTIR NA EDUCAÇÃO E MOTIVAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS

“Não sou sonhador, sou humanista” FOTOS:RODRIGO SENA

vamos lutar como o índio ajuricaba (que foi preso por portugueses, lutou, caiu do navio e morreu). Não vamos nos entregar. Foi a partir daí que decidimos reduzir os custos, cortamos salário de uns em 30% ou 40%, cortamos todo conforto que tínhamos na fábrica e fizemos um pacto de trabalhar mais, com mais cuidado, sem reclamar e encontrar alternativa. Eu dizia que tínhamos condições de guerrear e nos tornarmos em dez anos a maior empresa de Manaus. As pessoas acreditaram, se interessaram e deixaram de serem passíveis. Eu fiz uma pesquisa na fábrica e vi que 85% do pessoal era semi-analfabeto.

O senhor traz uma história de superação. Quando o senhor para o que lhe vem de reflexão? Eu tenho uma grande gratidão aos meus pais. Meu pai começou a vida dele lavando copos em bares, depois evoluiu foi trabalhar em boates. Mas meu pai e minha mãe tinha uma característica de serem pessoas muito cristãs e muito preocupados com os filhos que eles trouxeram ao mundo. Mesmo pobre, mesmo humilde eles se empenharam muito em nos dar uma educação doméstica cheia de valores morais, cheia de limites. Fomos meninos que aprendemos com eles (os pais) a respeitar o próximo, a falar a verdade, respeitar os mais velhos. Meu pai e minha mãe sempre diziam que a única chance de uma família humilde vencer na vida era se nós estudássemos muito, trabalhássemos muito e se a gente fosse muito humilde. O que seu pai queria dizer com essa fórmula: "trabalhar muito,estudar muito e ser muito humilde"? Com esse termo humilde ele queria dizer que a gente precisava se relacionar, respeitar as pessoas. Por conta disso ele me policiava, obrigava a estudar. Eu fui uma criança que vivi muito sobre castigo para estudar e acabei tomando muito gosto pelo estudo graças a essa firmeza. Como ele dizia que a gente só vencia na vida com muito estudo, muito trabalho, muita humildade, ou seja, ele me obrigava a estudar e eu me formei muito cedo. Com 16 anos já estava formado no segundo grau em Manaus, em uma época em que Manaus não tinha uma faculdade se quer. Em 1964 Manaus era muito desprovida de recursos. Por conta disso e pela minha vontade de estudar meu pai conseguiu para mim uma passagem pelo Correio Aéreo Nacional, naqueles aviões da Força Aérea Brasi-leira, fui a São Paulo. Lá fiquei morto de medo, levava só três salários mínimos. Mas, graças a Deus, pela bondade divina, encontrei pessoas que me deram conselhos certos. E uma delas me indicou para eu estudar minha sonhada Engenharia em Curitiba. Lá chegando fiz uma série de bicos, fui lavador de ônibus, e consegui passar no vestibular e lá fiquei cinco anos. Nessa época fui mensageiro do Banco Bradesco. Desenvolvi carreira no banco ao mesmo tempo em que estudava. Em 1970 voltei a Manaus. Mas se o senhor estava em um polo como Curitiba o que lhe fez retornar para Manaus? Fui um dos primeiros amazonenses a chegar a Manaus com o diploma de engenharia. Foi um momento muito favorável porque quando cheguei, em 1970, havia sido criada a Zona Franca de Manaus. Havia centena de empresas se instalando e precisando de engenheiro. O que foi determinante para despertar o espírito empreendedor no senhor? A vida que a nossa família vivia era muito difícil. Meu pai que não tinha instrução jamais deixaria de ser garçom. Meu pai projetava em mim a chance de, através do estudo, eu poder mudar a condição da nossa família. Daí que o maior fator da motivação que eu tinha era transformar a vida da minha família. Eu sabia que só poderia fazer isso se estudasse e depois,

O que o índice de analfabetismo trouxe para sua gestão na empresa? Nós não poderíamos criar melhores condições de trabalho se o pessoal era semi-analfabeto. Fui até o Governo, expliquei a dramaticidade da situação e foi instalada uma escola dentro da empresa. Levamos educação para o pessoal.

Q

uando planejei entrevistar o empresário Ulisses Tapajós Neto o foco era a atuação como empreendedor, como um profissional que reergueu uma empresa falida e tornoua a melhor empresa para se trabalhar como indicou prêmios nacionais recebidos pela Multibrás (hoje chamada de Masa). Mas, acreditem, a grande história de Ulisses não está no empreendedorismo, embora esse também seja de destaque. A real história que emociona o espectador é a de vida, os limites impostos para esses amazonense e transpostos por ele. Filho de um garçom que trabalhava em zona de prostituição na cidade de Manaus e de uma servidora pública, Ulisses Tajapós, desde criança, ouvia a grande lição do pai: só seria alguém na vida com estudo. A lição foi incutida na mentalidade do jovem que ousou e, na ausência de um curso superior em Manaus, foi de carona em uma aeronave da Força Aérea Brasileira para São Paulo. Era o primeiro passo para buscar a sonhada universidade de Engenharia. Esse foi apenas um passo, decisivo, é verdade, mas não o grande passo na história de Ulisses Tapajós. Depois que concluiu o curso, ele voltou para Manaus, conseguiu emprego na Multibrás e de engenheiro trainee chegou a presidente da empresa. Uma carreira completa e de desbravação. Em 1993, Tapajós foi convocado a participar de uma reunião com o presidente geral da empresa, integrante do grupo Brastemp, em São Paulo. Chegou lá recebeu uma notícia boa e uma ruim. A boa: estava promovido a presidente da fábrica de Manaus. A ruim: a promoção tinha como finalidade que ele fechasse a fábrica, que acumulava prejuízos, em um ano. A superação de Ulisses e a capacidade de liderar empregados para mudar o quadro e a própria “missão" que havia sido definida pela empresa foram determinantes para fazer exatamente o contrário: reerguer a Multibrás. O 3 por 4 de hoje é um convite a reflexão sobre a capacidade de desbravar e persistir. Com vocês, Ulisses Tapajós.

Mesmo pobres, meus pais se empenharam muito em nos dar uma educação cheia de valores morais”

quando chegasse no mercado de trabalho, eu trabalhasse muito. Eu era assalariado, era uma pessoa que tinha receios. Muitas pessoas me perguntam porque eu não fui um empresário. É que meu pai, como garçom, muitas vezes, tinha confusão na boate e ele era esfaqueado, levava garrafada e ele ficava sem trabahar. Quando isso ocorria a gente passava a maior necessidade do mundo porque ele (o pai) ganhava a noite a comida que a gente tinha no dia seguinte. Então como eu me via nesse ambiente de insegurança eu nunca tive coragem de ser um empreendedor na sua essência, um empresário na sua essência. Costumo dizer que não fui um empresário bem sucedido, mas fui o melhor tomador de conta das

coisas dos outros e com isso cresci muito, sempre fui dedicado, honesto, com-prometido, administrei a empresa como se fosse minha e meu patrão me recompensava pelo esforço todo. O senhor chegou a MASA como engenheiro e hoje presidente. Que pulo foi esse? Veja, de 1968 a 1993 eu fui crescendo no plano de carreira. Por último em 1993 eu tinha sido promovido a gerente de manufatura e era uma pessoa muito querida pela equipe. Eu tratava meus colaboradores da maneira que meus pais me ensinaram, eu não mentia, não prometia o que não poderia cumprir, não embromava para resolver qualquer situação. Falava com eles como um deles. Em 1993 o presidente Collor deu um choque por ter aberto a importação. As indústrias brasileiras não conseguiam competir com os produtos que chegavam. Pertencíamos ao grupo da Brastemp. E então a Brastemp decidiu fechar a nossa empresa. Fui chamado a São Paulo pelo presidente da companhia e recebi a notícia de que estava sendo nomea-

Detalhes Em que acredita: acredito no amor,na honestidade,lealdade, paixão para fazer as coisas Caminho para vencer:estudar muito e saber se relacionar com as pessoas O que é preciso para crescer: ter perseverança,não querer ser imediatista e pagar determinados preços e sacrifícios que a vida lhe requer

Sua visão é muito romântica não combina com a do empresário? Minha visão não é romântica, minha visão é que pessoas felizes conseguem sempre os melhores resultados. Nossa empresa é a que apresenta maior rentabilidade de Manaus. Nosso trablaho é feito em ambiente de sustentabilidade. As pessoas são felizes e elas cuidam para que aquilo seja sempre melhor. O empresário usa o poder ditatorial e isso não se sustenta. O maior orgulho que tenho é que não sou sonhador, sou uma humanista, que entendeu que pessoas felizes conseguem os melhores resultados.

Que conselho o senhor daria para o empresário? O principal conselho é pensar na sustentabilidade da empresa dele. É muito cruel um empresário quando se afasta da empresa ela acaba. Significa que a empresa viveu momentos sob sua administração, mas ele não foi competente para deixar a empresa crescente.

Minha visão não é romântica, mas acho que pessoas felizes conseguem sempre os melhores resultados”

do presidente da Multibrás para fechar a empresa no prazo de um ano. E, de uma maneira muito sincera, o presidente disse que eu só havia sido escolhido porque era amazonense e saberia encontrar maneira menos dolorosa de fechar a fábrica. Recebi a notícia atônico. Quando cheguei a Manaus, reuni todos os 1.400 funcionários e fui falar a verdade para eles. Disse exatamente o que havia ocorrido: havia sido nomeado presidente da companhia e a missão era fechar a empresa. E eu lembrei do Ajuricaba, o índio amazonense, preso pelos portugueses, foi embarcado e o índio, mesmo algemado lutou na embarcação com só portugueses acabou caindo no mar e morreu. E eu disse para o meu pessoal:

Como se faz uma boa empresa para se trabalhar? Em primeiro lugar a educação e segundo lugar a consciência e terceiro lugar pela maturidade dos relacionamentos. No trabalho da educação eu reuni o pessoal e disse que quem fosse reprovado seria demitido. Quem se negasse a estudar também sairia da empresa. Os funcionáriso trabalhavma oito horas e tinham mais quatro horas de estudo. Eles teriam cinco anos para chegar no segundo grau. Foi a mais maravilhosa revolução que já vi.

Perfil Ulisses Tapajós Neto é engenheiro,fez uma carreira de engenheiro trainee a presidente da Masa,fábrica de plástico que pertenceu ao grupo Brastemp. Ele foi o primeiro amazonense a presidir uma empresa no Polo Industrial do Amazonas.Hoje, aposentado da empresa,dirige, junto com os filhos,em uma corretora de bolsa de valores no Amazonas.

Faz palestra hoje por que? Faço palestra de maneira voluntária. Me dediquei muito a ganhar dinheiro para ganhar dinheiro garantir o futuro dos meus filhos. Mas o grande preço é que vivi afastado deles. Passava mais tempo na fábrica do que na minha casa. Logo percebi que havia preparado centenas de líderes, mas não preparei meus filhos. Moralmente meus filhos são muito bem preparados, mas não tiveram orientação de pessoa presente para o mercado de trabalho. Agora trabalho com meus filhos e ensino a serem líderes servidores. Hoje temos uma corretora de bolsa de valores, é a única de Manaus. Sou um aposentado em luade-mel com a vida.


12

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 28 de agosto de 2011 RODRIGO SENA

[ SAÚDE ] Serão realizadas ações educativas

em seis municípios do Rio Grande do Norte

Dia Nacional de Combate ao Fumo é amanhã P O objetivo das ações é conscientizar os fumantes e não fumantes sobre os riscos e os prejuízos para a saúde, causados pelo cigarro

ara marcar o Dia Nacional de Combate ao Fumo, que será comemorado amanhã (29), a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) desenvolverá várias ações, em parceria com o Ministério da Saúde, o Instituto Nacional de Câncer e as secretarias municipais de Saúde. As atividades serão realizadas das 8h às 17h, nos municípios de Natal (unidades básicas de saúde de Mirassol, Pirangi e Escola Estadual Jorge Fernandes, em Mirassol), Parnamirim, Mossoró, Canguaretama, Monte Alegre e Parelhas. Criado pela Lei Federal 7.488, em 1986, o Dia Nacional de Combate ao Fumo é uma oportunidade para sensibilizar e mobilizar a população sobre temas específicos do controle do tabaco, alertando sobre os malefícios para a saúde e os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais dele decorrentes. O foco das mensagens é o incentivo à não experimentação dos produtos derivados do tabaco, a cessação de fumar e a proteção do não fumante da poluição tabagística ambiental. Este ano, o tema escolhido para comemorar a data foi os aditivos em cigarros, que são substâncias incluídas no seu processo de fabricação e embalagem, a fim de estimular o consumo. Entre os aditivos usados se destacam os que conferem aromas e sabores mentolados, de bebidas, perfumes, colônias e doce, além daqueles com propriedades estimulan-

tes, como a taurina, o guaraná e a cafeína. Evidências científicas mostram que os aditivos são usados pelos fabricantes para potencializar os efeitos farmacológicos da nicotina, tornar o sabor das marcas mais palatável para os jovens aspirantes a fumantes, bem como mascarar o sabor e o desconforto imediato da fumaça. Assim, facilitam a experimentação, propiciando a dependência e o consumo regular. Estudos revelam que os ado-

NÚMERO

200

mil mortes são causadas anualmente no Brasil por doenças relacionadas ao cigarro.

lescentes são especialmente vulneráveis a esses efeitos e têm maior probabilidade, do que os adultos, de desenvolverem a dependência. Quase metade dos adolescentes que fuma opta por cigarros mentolados. No Brasil, o tabaco é a segunda droga mais consumida entre estudantes e funciona como porta de entrada para o uso das drogas ilícitas. Por essa razão, o público-alvo das ações alusivas à data comemorativa, neste ano, são os adolescentes e adultos jovens, de modo a prevenir a iniciação ao uso do tabaco.

[ PARQUE DAS DUNAS ] Shows estão dentro da

programação do projeto “Agosto da Alegria”

Coco de Roda e Boi de Reis são atrações de hoje oje será o último dia das atrações do Agosto da Alegria no Parque das Dunas. A festa da cultura popular inicia às 10h com o mamulengueiro Heraldo Lins. Logo após ocorre a apresentação do Trotamundos Companhia de Artes com a peça “Cascudo Canta Lá que eu Conto Cá”. Na parte das tarde, às 16h, o município de Extremoz estará representado pelo Coco de Roda de Dona Dorinha e o grupo de Boi de Reis de Zé Barrá. O Agosto da Alegria é realizado pelo Governo do Estado em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema/RN) e com órgãos da administração direta e indireta. Desde o início de agosto, todos os domingos, que o Parque das Dunas, vem apresentando uma série de apresentações folclóricas, entre elas: Caboclinhos, Araruna, Pastoril de Dona Joaquina, Boi Pintadinho e Congos de Calçola. O anfiteatro Pau Brasil, local das apresentações, vêm ficando lotado graças à programação preparada para homenagear o folclore potiguar. O mamulengueiro Heraldo Lins e a Trotamundos Companhia de Artes vão se apresentar neste domingo (28), assim como fizeram nos últimos três finais de semana no período da manhã. O Benedito e o João Rendondo de Heraldo encantam pela linguagem popular engraçada e histórias bem construídas que prendem a atenção do público. Já a Trotamundos passeia pelos contos da nossa cultura po-

H

pular, registradas pelo folclorista Câmara Cascudo, num espetáculo musical que agrada crianças e adultos. Às 16h, é a vez do Coco de Roda de dona Dorinha, que tem como mestre Maria das Dores do Nascimento, grupo que existe há 29 anos em Extremoz. O grupo é formado por residentes em área

NÚMEROS

10h

terá início a apresentação do mamulengueiro Heraldo Lins.

16h

horário marcado para as apresentações do Coco de Roda e Boi de Reis.

de praia, sendo formado principalmente por pescadores e seu filhos. Adolescentes e pessoas da terceira idade estão envolvidos na dança folclórica. O grupo de Boi de Reis de Zé Barrá, é composto por 20 pessoas. É um grupo genuíno, onde a maioria dos seus integrantes é composta por membros de uma mesma família e por trabalhadores da agricultura. O Boi de Reis de Extremoz existe há 38 anos e tem como mestre Francisco Manoel Inácio. A entrada no Parque das Dunas custa R$ 1.


Domingo | 28 de agosto de 2011

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 13


14 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 28 de agosto de 2011

Eliana Lima elianalima@tribunadonorte.com.br

» URNAS DE FALSTAFF Escrevi esse texto para o blog em novembro do ano passado, mas, de tão atual, resolvi reproduzir aqui na coluna. Atual, diga-se, ontem, hoje, amanhã...e, pelo andar político do umbigo, sempre... Eis: De eleição em eleição, após as apurações, as promessas se vão com os sonhos do eleitor brasileiro. Aquele dia melhor vai se transformando em outro sonho, novamente, e assim por diante. Governar e legislar? Deveriam. Mas, mal o resultado sai das urnas e já se tramam novas eleições. Campanhas constantes. Vive-se eleição, respira-se eleição, saboreia-se eleição… E o povo? É o que menos importa. E o desenvolvimento? Contanto que a divisão promova o progresso dos bolsos das intenções. Esse progresso, claro, sem falhas. Aliados põem à mesa compromissos acordados. No prato feito, vale até a participação de adversários para que os negócios sejam coisa das arábias. No maior partido de todos os tempos, o PG, Partido do Governo, acomodam-se base aliada e oposição comprada. Coisa de metamorfose política na impessoalidade contagiosa. Ou pessoalidade, quem sabe. O certo é que dividem ideias superlativas… Ô! Coisa de consórcio partidário que dá sustentação no repasto do bem público. Certamente não leêm Nietzsche, mas se às letras chegassem, zombariam do seu pensamento: "Não colocas a tua carreira acima de teus deveres éticos nem constitucionais". E nas searas espúrias, não existem laços de amizade, de respeito, de consideração, etc e tal, tal. Apenas afagos nos interesses do momento. E assim caminha a humanidade política - com suas exceções, elementar -, reproduzindo 'Falstaff' , o farsante que deu nome à última ópera de Verdi, líder do coro: “Tutto nel mondo è burla" (Tudo no mundo é farsa). No olheiro do velho ditado, conclui: "Ri melhor quem ri por último." E tudo corre aos olhos do povo, uma dolorosa farsa que se assiste e se admira, enquanto outros poucos gritam- com ecos que não se ouvem mais - enojados. E assim se vai caminhando e cantando…

» CASA DE FERREIRO.... Dia desses a Abelhinha fez rasante pelo bairro das Rocas. No Hospital dos Pescadores, viu o cartaz: Minha Casa não tem Dengue - De Casa em Casa Contra a Dengue. Bom apelo publicitário... maaasss.. .ao que parece é faça o que eu digo, não o que faço.

» ...ESPETO DE PAU Próximo, o famigerado Mercado Modelo, aquele prédio inacabado que há tempo a coluna alertou abandono, é sinal de mau exemplo. O prédio fica ao lado da faixa, mesmo assim está rodeado de muito mato e lixo. Uma espécie de hotel cinco estrelas para o Aedes Aegypti.

Ceda ao perdão, sempre que puder. Nem sempre se pode, mas a falta de perdão só faz mal a uma pessoa: a quem não o dá" Da poetisa Carmem Vasconcelos, em 'O perdão, essa liberdade', no substantivoplural.com.br

» PARA VER

FOTOS JOAONETOFOTOS.COM

O Comando do 3° Distrito Naval levará navios ao mar de Natal. Fará parte da Parada Naval, com o 'desfile' de cinco navios da Redinha a Ponta Negra, próximo dia 4, em comemoração à Semana da Pátria. Dos navios: Rebocador Triunfo, os navios-patrulha 'Graúna', 'Goiana' e 'Grajaú'; e o Aviso de Patrulha 'Anequim'.

» QUE FEIO Da série peculiaridades da capital dos magos-singulares: tempo desses, um abastado partidón bemnascido levou a namorada-bela para lanchar no Pittsburg. Na hora da conta, não fez a menor cerimônia e lançou o dinheiro contado apenas para o seu sanduíche. Constrangida, a bela teve que abrir a carteira e pagar o seu. Hum-rum...

»

RETRATOS... Este domingo é de mulheres chíquimas e cheirosas de Natal: Lídia Constança Barreto

» ...DE

CHÍQUIMAS... Magda Patriota

» MAGOS... Continuando as peculiaridades, Natal é a capital que mais reúne 'barracos jetianos'. Tudo caladinho. Tudo passageiro como se nada tivesse acontecido. Natal que guarda e resguarda o que o luxo e o poder proporcionam.

» ...ESPALHAFATOSOS Corre na 'boca maldita' que é o melhor lugar para Kadafi se esconder. Terá direito a espocares de borbulhas francesas e um bunker no nobre Plano Palumbo. Hum-rum...ô povo ruim.

» FERAS... O ator Carlos Machado, que faz o Ferdinand na novela global Fina Estampa (um ex-salva vidas, sargento reformado do Corpo de Bombeiros, dono de uma rede de vôlei que aluga na praia) é também um bom ortodontista. Em Natal, ele faz parceria com o dentista Eider Lima, especialista em estética bucal, no consultório no Espaço América.

» ...DA... Vivi Vasconcelos da Rocha

» SIRENE O Mercado 'Modelo', aliás, não é só paraíso para lixo e mosquito, não. Moradores reclamam como ponto de perigo, com entra e sai de pessoas, que atravessam ou pulam os tapumes de proteção, dia e noite. Espaço ideal para esconderijo.

» VIA...

» ...CAPITAL... Maninha Dias

Há semanas que a entrada do estacionamento do Instituto de Radiologia, na Afonso Pena, tem causado dor de cabeça em motoristas que precisam fazer o retorno para entrar na Jundiaí em direção à av. Hermes da Fonseca, principalmente pela manhã e no começo da tarde. E amarelinho que é bom para organizar as coisas, nem pensar.

» EM... O estacionamento é hoje o que foi a casa do ex-prefeito Djalma Maranhão, que imortalizou sua administração com o projeto de alfabetização 'De Pé no Chão Também se Aprende a Ler'.

» Para festejar sete anos do

A casa foi tombada na gestão de Carlos Eduardo Alves para dar vez ao Memorial Djalma Maranhão. Mas não resistiu à necessidade de um estacionamento. Ficou acordado, então, que a fachada seria preservada. E está. Só a parede, sem conservação e escondida por um alto muro que serve para cerca elétrica.

'Forró no Pote',em Pium,dia 3 de setembro tem show de Alcimar Monteiro!

» A Natura Faces relança linha de cuidados faciais para tratamento de pele oleosa e com acne,com nova fragrância e novo design gráfico nas embalagens.

» CAOS Professores e funcionários de várias escolas municipais e estaduais estão com pânico. Diante de aliciadores que levam alunos para o mundo, quase sem volta, das drogas. Relatos de viagens que convencem. Início é com bebidas e cigarro. Depois maconha e, por fim, o crack. Muitas das vítimas são alunos que sofrem bullyng, pois procuram alguma saída para o sofrimento. Drogas aparecem como boa fuga.

Carlos é especialista em colocação de aparelho lingual, colado na parte de trás dos dentes. Em Natal, já colocou o aparelho em belas como Nathalia Faria e Thaysa Flor. Assim que a novela global der uma brecha, ele aterrissará novamente no consultório de Eider para nova rápida temporada.

COLMEIA

» ...TEMPO

» ALERTA

» ...BUCAL

» Hoje e amanhã tem Feira da

» ...POTENGI DeDeus Fonseca

Beleza de Mossoró e Região,no Garbos Recepções e Eventos,com expositores de Natal,Recife, Fortaleza e Maceió. COLABORAÇÃO DE HELDON SIMÕES


Domingo |

natal

28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

15

George Azevedo georgeazevedo@digizap.com.br

Oh, Glória!!!

Anita Portela e Guia Benevides circulando pelo Requinte Buffet

Chica Boa e a filha Rosângela Barreto

.Ivone Lopes brindouidade nova na última segunda-feira, 22, com mais uma "Chá Colonial" nos salões do Requinte Buffet, que ficaram bacanérrimo com produção do filho, o colunista Walterlin Lopes e a turma da Master. E o Trafegando.com registrou tudo em fotos de Eduardo Kennedy.

D

FOTOS:EDUARDO KENNEDY/TRAFEGANDO.COM

Marilene Paiva numa prévia da sua "Noite de Charme" com a amiga Viviana Araújo

Ivone Lopes recebendo Aninha Borges

A aniversariante posando na decoração assinada pela Master Produções

Eronildo Pereira foi parabenizar a amiga Ivone Lopes

A vice-prefeita Ruth Ciarlini na festa da querida Ivone Lopes

Conceição Souza com a filha Camila e o colunista Walterlin Lopes

Aldemir Lima e Sonaly de olho nos lançamentos da KIA

FICRO e 17 a 20 de agosto, a Terra de Santa Luzia sediou a FICRO 2011 Feira Industrial e Comercial da Região Oeste no Expocenter, com cerca de 300 expositores dos mais diferentes setores. Mais um sucesso da Prefeitura Municipal de Mossoró.

D

Celian Carlos e Misa Moura, as poderosas da Não + Pelo, circulando pela FICRO

Andrea Rosado e a filha Luara no stand da Socel Veículos

Musa & Mister eorgiano Azevedo esteve na capital baiana no último dia 24 acompanhando os modelos Hiago Paullino e Thaís Araújo no concurso Mister Brasil e Musa do Brasil 2011, que acontece no Teatro ISBA. Confira nosso resumo!!!

G

FOTOS:GEORGIANO AZEVEDO

Os vencedores Fernando Jr (Rio de Janeiro) e Lana Cardoso (Bahia). Agora, se preparam para a etapa internacional no Equador

Luis Henrique, Georgiano Azevedo e Fernando Fernandes na torcida potiguar

Arnom César e Raquel Carvalho recebendo convidados no stand da KIA Dunas

Sarte Praxedes, Livio Barreto, José Morais e Danilo Carlos no stand da KIA Dunas

A potiguar Thaís Araújo, 4ª colocada, em momento traje de gala by Arthur Caliman

Conceição Gurgel com as filhas Nazareth e Larissa

Sara Barreto, Ana Paula Santos e Kelly Morais.Trilegal!!

Hiago Paullino, o nosso representante, 3º colocado, usou look Fina Flor Noivas

A abertura com crianças usando traje típico


natal 16 | Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 28 de agosto de 2011

NELSON MATTOS FILHO Velejador

osto de sentar no cockpit do Avoante e observar o mundo que se transforma a passos cada vez mais largos e rápidos. Tenho a sensação que estamos vivendo num mundo meio amalucado, onde nada parece ter sentido e o modismo transloucado ferve numa grande panela de pressão. Até as nossas Leis parecem saídas das pranchetas de alegres designs. Elaboradas para atender a ânsia de algum malfeitor do momento e livrá-lo de alguma enrascada futura. Passado o aperto inicial da ilegalidade, que não dura mais do que uma manchete de jornal, a etapa seguinte é a alegria do abraço e a certeza que algum famoso vai chegar para se solidarizar. Quando não, basta o elemento malfeitor se lançar candidato em alguma eleição e dizer que está sendo vítima de ataques oposicionistas. A Lei sai de moda instantaneamente e os designs voltam às pranchetas para atualizar os traços. Uma marola passa sob o Avoante e meus pensamentos vagueiam nos embates das cidades. Penso nas crianças destruídas pelas ruas e adotadas pelas drogas, com os sinais insistentemente fechados para elas. Fazem parte de um mundo que os homens apelidam de estatística. Um mundo floreado com explicações desencontradas e cheio de permissida-

VIDA A BORDO

NAVEGANDO EM DESATINOS

G

de. Um mundo que os homens não sabem gerenciar e, por isso, se acham no direito de tapar os olhos com receitas psicológicas que nem eles acreditam no resultado. Um mundo que começa baseado na legalidade e termina na encruzilhada sem saída de muros de pedras. Os homens, sem conhecer a verdade, e sem querer sujar as mãos com o sangue da destruição, criaram um mote e deram vi-

da a um estatuto colorido, esquecido, permanentemente triturado e com um nome que azeita a cabeça de intelectuais engravatados e de pessoas com os romantismos das flores e de antigos festivais. O tal estatuto funciona claramente para liberar os pais da tarefa de educar e se fazer obedecer, e libera as crianças para cair nas armadilhas do mundo e aprender com os amigos, que

também são desassistidos e, por isso também, presas fáceis das armadilhas urbanas. Não sei em que mundo chegaremos, mas vamos caminhando para ver ao vivo cenas daqueles filmes que falam do futuro da humanidade. O Avoante não para um instante de se movimentar e eu observo um mundo diferente a cada grau indicado pela bussola. O vento sopra sussurros de incerteza sobre um mundo de mons-

truosos titãs. Dessa vez me assusto com o que escuto, e com alegria estampada em rostos cada vez mais endividados. Os titãs vomitam teorias e teoremas de um mundo maravilhoso. Um mundo de um progresso torto e corroído pelo falso moralismo de gravatas engomadas. Um mundo em que o tudo pode e onde o lucrar cada vez e justificado pela corrupção consumada em felizes amizades.

Os titãs têm sede exagerada e fome cada vez mais voraz, nada consegue deter a fúria desenfreada desses deuses impunes e cheios de truques mirabolantes. São empregadores apaixonados da própria família, dos amigos e dos pretensos amigos. São eternos, mutantes e cada vez mais se multiplicam. São os senhores da verdade. Para ser um titã não é tão fácil quanto parece ser. É preciso dominar a técnica do ilusionismo, desconversar a verdade, desacreditar os crédulos, prometer o inalcançável e receber os aplausos acalorados de uma platéia bem ouvida. Olhando para o alto vejo países se desmanchando na sanha destruidora de um capitalismo torto e cada vez mais incerto. Mundos que antes eram verdadeiras rochas e hoje não passam de poeira no vento. Mundos que acostumamos a chamar de primeiro, mas que agora não sabem fazer o dever de casa dos últimos colocados. Mundos focados nos desejos dos homens, mas que agora tentam destrinchar o segredo da palavra não. Dizem que eles estão desatinados e que o nosso próprio desatino está indicando crescimento, mas qualquer marolinha pode desmanchar nosso castelo. Então tá! Vamos espalhar mais migalhas. Acho que hoje o cockpit está muito carregado ou então é o mundo que navega em meio a um temporal. É melhor eu entrar e dormir um pouco.

classificados O seu mercado de serviços todos os dias na TRIBUNA DO NORTE


JORGE GERDAU « PÁGINA 4

VICENTE FALCONI « PÁGINA 11

A BUSCA PELA QUALIDADE E EFICIÊNCIA DEVE SER CONSTANTE

A IMPORTÂNCIA DA ESCOLHA CORRETA DOS GESTORES

EDUARDO CAMPOS « PÁGINA 27

TRANSPARÊNCIA E RESULTADOS NO GASTO DA VERBA PÚBLICA

gestão pública MOTORES DO DESENVOLVIMENTO DO RN FOTO: ALEX RÉGIS / ARTE: MARCELO SENA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE • DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

NO CAMINHO PARA O DESENVOLVIMENTO A aplicação de modernos princípios de gestão na administração pública é item fundamental para garantir uma maior eficiência e a melhoria da qualidade dos serviços. Sistemas de avaliações periódicas e metas, apoiados em programas de capacitação e motivação de servidores, podem trazer benefícios para todas as áreas, contribuindo para o progresso da sociedade e de todo o Rio Grande do Norte.


2

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

SEGUNDA CAPA

»SUCESSO A décima edição do projeto Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte bateu recorde de inscrições e mostrou a importância da discussão do tema Gestão Pública para o desenvolvimento pleno do Estado. Participantes ressaltaram o alto nível das palestras e debates. PÁGINA 03

CONCEITO

EDITORIAL

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

QUALIDADE E EFICIÊNCIA

Equilibrar receitas e despesas objetivando a garantia de benefícios e direitos ao cidadão é o principal desafio da boa Gestão Pública. PÁGINA 06

LEGISLAÇÃO Todos os atos administrativos dos gestores precisam ser tomados de acordo com a legislação nacional que regula o serviço público. PÁGINA 07

FERRAMENTAS A reforma nos serviços públicos tem como objetivo a obtenção de melhores resultados a baixo custo e para isso é preciso lançar mão de instrumentos de gestão.

»PERNAMBUCO O governador Eduardo Campos relatou a experiência exitosa de administrar o Estado com foco nas modernas técnicas de Gestão Pública. PÁGINA 27

PÁGINA 09

GESTÃO PÚBLICA A décima edição do projeto “Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte” veio coroar uma iniciativa de sucesso. Com o tema Gestão Pública, o seminário trouxe a Natal os principais nomes na área, como o professor Vicente Falconi, o empresário Jorge Gerdau Johannpeter e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e despertou a sociedade potiguar para a importância da adoção de modernos princípios da administração no âmbito do poder público a fim de obter melhorias para a sociedade. O evento, realizado na última segunda-feira, dia 22, superou todas as expectativas de público, sendo necessária a disponibilização de um espaço anexo para acomodar os participantes já que o auditório Albano Franco, da Fiern, esteve lotado durante todo o dia. O projeto “Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte” é um compromisso da TRIBUNA DO NORTE com o público leitor para um jornalismo de qualidade. Desde o início do projeto, em 2008, foram realizados dez encontros, além de uma edição especial sobre as eleições para Governo do Estado, em 2009. A qualidade técnica dos debates, a profundidade das análises e o valor das informações discutidas deixou os participantes satisfeitos com a profissionalização e alto nível do evento. O “Motores do Desenvolvimento” já é um marco na história do jornalismo potiguar, ao passo que se transformou em uma importante fonte de informações e de conhecimentos sobre a realidade de nosso Estado. Trata-se de uma oportunidade ímpar de se pensar o Rio Grande do Norte no rumo do desenvolvimento. E nesse contexto é importante destacar a parceria de sucesso construída entre a TRIBUNA DO NORTE, RG Salamanca Capital, UFRN, Sistemas Fiern e Fecomércio.

EXPEDIENTE Diretor de Redação: Carlos Peixoto

Gerente Comercial: Eliane Rocha

Gerente de Marketing Andréia Barandas

Edição Luciana Campos

Textos Isaac Lira

Fotos Alex Régis

Projeto gráfico e diagramação: Carlos Bezerra

Infografia Bob Calazans

Revisão: Cássia Maria


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

3

Um dos debates contou com a participação do presidente da Câmara de Gestão e Competitividade, Jorge Gerdau, o ministro da Previdência, Garibaldi Alves, e o presidente da Fiern, Flávio Azevedo

O CAMINHO PARA PROFISSIONALIZAR A ADMINISTRAÇÃO “O Motores do Desenvolvimento é uma das grandes inciativas atualmente no Estado,uma vez que os temas são de grande relevância para o Rio Grande do Norte” GARIBALDI ALVES FILHO Ministro da Previdência

“A preocupação com a transparência é um exemplo de gestão pública.Isso é feito aqui no Estado,com o nosso Portal da Transparência,que é um dos mais detalhados do Brasil” ROBINSON FARIA Vice-governador

“Graças a um Plano de Desenvolvimento Institucional,com destaque para qualificação acadêmica e administrativa,é que estamos conseguindo bons resultados. É um modelo democrático, que mobiliza os gestores e toda a comunidade universitária” ÂNGELA PAIVA Reitora da UFRN sobre a gestão da Universidade

A GESTÃO PÚBLICA PODE – E DEVE – SE TRANSFORMAR EM UM INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO.ESSA FOI A TÔNICA DAS PALESTRAS REALIZADAS NA 10ª EDIÇÃO DO PROJETO “MOTORES DO DESENVOLVIMENTO DO RN estão Pública é um tema que não se limita a nenhuma área específica da administração. Está presente em todas. Do produtor cultural que prepara a comemoração natalina da cidade ao técnico responsável pela folha de pagamento do Estado, todos precisam aplicar técnicas de gestão. Esse fato, incontestável, era plenamente visível na fila que se formou para a décima edição do projeto Motores do Desenvolvimento, sobre Gestão Pública. O auditório da Fiern ficou literalmente pequeno para abrigar tantos interessados em aprender mais sobre o tema. Um tema que, segundo a unanimidade dos especialistas e palestrantes presentes no evento, é fundamental para o Brasil consolidar o seu papel como uma das mais importantes nações do mundo. E o Rio Grande do Norte precisa trilhar o mesmo caminho. O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, Flávio Azevedo, cuja fala abriu o Seminário na última segundafeira, abordou essa necessidade: “Uma boa gestão pública não é só questão de competitividade. Eu acredito que a gestão pública para o Rio Grande do Norte é uma questão de sobrevivência. Todos ganham quando o país melhora”, discursou. A primeira palestra do dia foi proferida pelo empresário e presidente da Câmara de Gestão e Produtividade, órgão ligado ao Governo Federal, Jorge Gerdau. Ele lembrou a importância de incentivar e aumentar o nível de qualidade e eficiência como uma forma de competir de igual para igual com os demais países. “É preciso padronizar os processos para diminuir as perdas. Deixar de perder com processos mal geridos é uma forma de ter lucro”, apontou. “Em um mundo globalizado, onde a competição é feroz, os paí-

BATE-PAPO

G

Rosalba Ciarlini »Governadora do Rio Grande do Norte

“Novo modelo deve focar o desenvolvimento”

O público lotou o auditório Albano Franco,na Casa da Indústria,durante todo o dia de seminário

ses que não investirem na eficiência da gestão ficarão para trás”, garantiu. O consultor e fundador do Instituto de Desenvolvimento Gerencial, Vicente Falconi, foi o segundo a falar no Seminário. Em seu talk show, onde respondia perguntas da platéia, Falconi falou sobre o papel do líder. O INDG prestou consultoria aos governos de Minas Gerais e Pernambuco. Atualmente, trabalha em conjunto com a Câmara de Gestão para o Governo Federal. Símbolo de gestão reconhecida pelos eleitores e por especialistas no assunto, o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) explicou como conseguiu fazer do Estado vizinho um modelo. “É preciso inovar na gestão pública, romper com velhas práticas e investir na capacitação de pessoal”, deu a receita. Como “velhas práticas”, ele citou a prática

comum de repartir cargos, secretarias e chefias em empresas públicas por conveniência política e para pagar compromissos de campanha. Segundo Eduardo Campos a prioridade é “cuidar de receita e despesa, mas sem esquecer de saúde, educação e segurança pública. O Estado do fazer tem que a capacidade de planejar, executar e avaliar”, disse o governador pernambucano, que no ano passado foi reeleito com mais de 82% dos votos válidos. O presidente do Banco do Nordeste, Jurandir Santiago, encerrou as palestras da décima edição do Motores do Desenvolvimento. Ele apresentou o papel do Banco do Nordeste como indutor de desenvolvimento da região. Jurandir Santiago disse que a instituição dará tratamento diferenciado para micro e pequenas empresas que pretendam se capitalizar para a

Copa do Mundo de 2014. No Nordeste, quatro Estados sediarão jogos do mundial: Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco e Bahia. “Além de financiarmos, vamos auxiliar os empresários em pesquisas. O objetivo é analisar o mercado e fazer com que os investimentos sejam os mais adequados”, falou. Jurandir Santiago disse que o mesmo será feito com o empreendedor individual. O projeto Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte, uma realização da TRIBUNA DO NORTE, Fiern, Fecomércio/RN, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, RG Salamanca Capital e Governo do Estado do RN, com patrocínio da Assembleia Legislativa do RN, Faculdade Natalense para o Desenvolvimento do RN (FARN) e Banco do Nordeste, e está em seu quarto ano de realização.

SEMINÁRIO ATRAI INTERESSE EM TODOS OS SETORES

“Todos ganham quando o país melhora.Esse é um resumo da importância da Gestão Pública” FLÁVIO AZEVEDO Presidente da Fiern

O caráter intersetorial do tema Gestão Pública fez com que o Seminário Motores do Desenvolvimento batesse recorde de procura. Essa marca se expressa também na participação da platéia durante as palestras e durante o talk show do consultor do INDG, Vicente Falconi. Em praticamente todas as falas, houve a participação da platéia. De acordo com o consultor em Gestão Pública, Francisco Amorim,

a qualidade dos debates foi um dos destaques da programação. “Sem dúvida, é uma grande iniciativa. Tratar do tema Gestão Pública é fundamental. Uma iniciativa como essa deveria inclusive ser copiada”, avalia. Entre as palestras destacadas, esteve a fala do consultor Vicente Falconi e do governador de Pernambuco, Eduardo Campos. A participação do público no entanto não se resumiu a essas d-

uas palestras. Em todas, as perguntas sobre os mais variados pontos de vista foram abundantes. O estudante de administração, Alexandre Pinheiro, enfatizou especificamente esse ponto. “É sempre muito interessante ter um espaço para debater esses temas não somente nas universidades, mas também com pessoas que tenham experiência na área”, disse. Para um dos parceiros do pro-

jeto, essa é uma evidência do acerto na escolha do tema. “A qualidade do público mostra que a questão da qualidade na gestão pública vem chamando atenção da sociedade. É um bom sinal para o exercício da cidadania”, avaliou o consultor Renato Garcia, da RG Salamanca Capital, um dos idealizadores Motores do Desenvolvimento e parceiro da TRIBUNA DO NORTE desde o início dos seminários.

O que é preciso para o RN em termos de gestão? Precisamos de um novo modelo, que foque principalmente o desenvolvimento. Esse é o modelo. Precisamos valorizar casa centavo do orçamento público para fazer o Rio Grande do Norte acontecer. Isso já pode ser notado com a confiança que os investidores demonstraram no nosso Estado com o leilão do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante. Como a senhora avalia esse bom resultado para a gestão do RN como um todo? Esperávamos três propostas e vieram quatro. Os investidores viram no nosso Estado uma oportunidade de negócios e que colocará o RN em um outro patamar de competitividade nacional e internacional. É o início da profissionalização na gestão. Profissionalizar a gestão é uma meta? Sem dúvida. Tanto priorizamos a profissionalização que apesar de todas as dificuldades mantivemos a construção da Escola de Governo, que é uma obra fundamental para profissionalizar e capacitar os nossos servidores.


4

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

JORGE GERDAU JOHANNPETER PRESIDENTE DA CÂMARA DE GESTÃO E COMPETITIVIDADE

Como se deu o início do interesse do senhor pelo tema da eficiência na gestão pública dentro do setor público? Sempre me questionei se deixarei para os meus filhos e netos um País melhor do que aquele que recebi dos meus pais. Receio que, em alguns aspectos, isso não vá ocorrer. É verdade que registramos melhorias nas condições de vida da população brasileira nos últimos anos, mas também vemos a degradação de instituições importantes, como a educação, com uma qualidade de ensino insuficiente para os desafios que temos de enfrentar em um mundo globalizado. Isso ocorre porque não temos cumprido os deveres que cabem a cada um de nós como cidadãos. Acredito que todos nós temos três tipos de responsabilidade. A primeira é a profissional, pela qual temos de exercer nosso trabalho com qualidade e seriedade. A segunda é a responsabilidade de atuar solidariamente em nossa comunidade, procurando desenvolver atividades que ajudem a atender suas necessidades, de forma voluntária. A última, e mais importante, acredito que seja nossa responsabilidade institucional com o País, ou seja, é a nossa contribuição para a construção de um Brasil melhor. Se cada indivíduo orientar o seu comportamento tendo em mente suas responsabilidades com o País, tanto nas grandes decisões quanto nas pequenas atividades, poderemos ter uma mudança real no Brasil, gerando mais renda e empregos. Essa é uma tarefa de todos. Como o senhor explicaria, de forma simplificada,a importância de modernizar a gestão no Brasil? Qual o preço da má gestão e do excesso de burocracia? A modernização da gestão pública brasileira é de extrema importância, pois implica no desenvolvimento sustentável do Brasil. Uma boa gestão exige planejamento de médio e longo prazo, não apenas os de curto prazo, como tem sido o processo histórico no País. Aqueles que não aderirem ao movimento da qualidade na gestão ficarão para trás na competição cada vez mais feroz do mundo globalizado. Quanto antes aderirmos a essa nova revolução gerencial, melhor deixaremos o Brasil para nossos filhos e netos. O que mudou - para melhor ou pior - no Brasil em termos de gestão pública desde a criação do Movimento Brasil Competitivo,em 2001? Em nível nacional, o movimento pela qualidade tem obtido destaque, principalmente, pela atua-

A ADMINISTRAÇÃO PRECISA SER PROFISSIONAL

E

m 2011, Jorge Gerdau foi reconhecido pelo governo federal como um dos maiores, senão o maior, defensor da eficiência e da qualidade. Nomeado presidente da Câmara de Gestão e Competitividade, Gerdau passou a ser uma espécie de consultor do Governo Dilma. Onde haja sinais de ineficiência e desperdício de dinheiro público, a Câmara presidida por Gerdau terá liberdade para “propor, decidir e acompanhar“ as mudanças necessárias, segundo as palavras do próprio. A luta de Jorge Gerdau para tornar o Brasil competitivo, tanto na iniciativa privada quanto no setor público, começou no início da década de 90 do século passado, ao visitar parceiros japoneses da sua empresa siderúrgica. “Eles investiam em gestão o mesmo valor que investiam em inovação”, disse, em sua palestra no seminário Motores do Desenvolvimento. De lá para cá, o empresário foi um dos fundadores do Movimento Brasil Competitivo, em 2001, e vê avanços na eficiência brasileira. “Em nível nacional, o movimento pela qualidade tem obtido destaque”, diz. Em entrevista, Jorge Gerdau fala sobre como tornar a gestão eficiente e é taxativo ao comentar as indicações políticas sem critério para cargos administrativos: “A Administração precisa ser profissional. É uma tendência natural que os cargos da administração sejam ocupados por profissionais e não por políticos ou indicados de políticos sem aptidão para o cargo”.

A MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA BRASILEIRA É DE EXTREMA IMPORTÂNCIA, POIS IMPLICA NO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO BRASIL “

A TRANSPARÊNCIA NO PROCESSO DE DEFINIÇÃO DE CARGOS NO SETOR PÚBLICO É ESSENCIAL”

ção do Movimento Brasil Competitivo (MBC), que já conta com o apoio de mais de cem empresas. Um exemplo disso é o Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP), cujos resultados são impressionantes. Para cada R$ 1,00 investido, temos contabilizado um retorno de R$ 188,00. Isso significa que os ganhos dos 10 Estados e oito municípios brasileiros beneficiados por esse programa chegam, considerando cinco anos de trabalho, a uma eficiência anual de mais de R$ 14,2 bilhões. Apoiados pelo MBC, esses resultados têm sido obtidos sem aumentos de impostos nem interrupção de serviços, mas apenas aumentando a produtividade, com o melhor aproveitamento dos funcionários públicos, o que se reverte em benefícios para toda a sociedade. Além disso, o MBC desenvolve diversas ações para levar ferramentas e conceitos de gestão às micro e pequenas empresas, com o objetivo de contribuir para a melhoria do ambiente de negócios no país. Afinal, o aumento da competitividade de cada negócio brasileiro promove expressivos ganhos para todo o País. Como é possível aumentar a qualidade do gasto público? Em que medida isso implica numa mudança de mentalidade cultural? É preciso buscar melhorias em

custos e receitas, sem aumentar impostos, aprimorando a gestão. Ou seja, é preciso viabilizar que os governos façam mais com menos, com mais qualidade e eficiência. Não há dúvida de que a caminhada ainda é longa, pois a mudança de cultura requer um trabalho minucioso e contínuo, com muitas décadas de dedicação. Porém, para atingir um novo patamar de gestão pela qualidade é preciso ter lideranças capacitadas e motivadas e acesso ao conhecimento e à metodologia adequada, fundamentais para mobilizar as pessoas. Somente com a mobilização da sociedade brasileira é que conseguiremos construir um processo sustentável, para aumentar o nível de poupança e investimentos no Brasil, melhorar a qualidade da educação e da saúde e gerar empregos. Em que medida a politização da gestão - o número de cargos comissionados e o apadrinhamento - é um obstáculo para melhorar a eficiência? Qual a importância da transparência nesse processo? A transparência no processo de definição de cargos no setor público é essencial para a melhoria de gestão. Um bom exemplo vem dos mercados de capitais, nos quais a transparência é primordial. Nos Estados Unidos,

após escândalos contábeis de grandes corporações, foi criada a lei Sarbanes-Oxley, que regula as práticas das empresas de capital aberto e, hoje, serve como modelo mundial. Com a SarbanesOxley, passou-se a exigir a co-responsabilidade de todos os executivos das empresas, exigindo que eles afirmem formalmente que não há qualquer tipo de desvio na sua área. Quais os efeitos negativos do excesso de cargos de confiança? São cargos administrados por interesses pessoais e políticos. Ao mesmo tempo, as funções representadas por esses cargos são muito complexas, demandam um conhecimento técnico amplo. Por esse motivo, a carreira profissional, o preparo técnico, são indispensáveis. Há quem defenda eliminar a indicação política. O senhor concorda? Não. A indicação política não precisa necessariamente acabar, contanto que indiquem quadros profissionais e não qualquer pessoa. É inaceitável hoje não profissionalizar a gestão. Por que? A tendência, dada a complexidade do cenário de globalização e também dos desafios do Brasil, é que o nosso país entre nesse nível

de qualidade padronizado internacionalmente nas funções do Estado, nas funções de governança e nas funções administrativas. As funções de Estado são relativas aos interesses de Estado. As funções de governança são relativas à política, aos políticos e partidos. As funções administrativas por sua vez precisam se profissionalizar. É uma tendência natural que os cargos da administração sejam ocupados por profissionais e não por políticos ou indicados de políticos sem aptidão para o cargo. O Brasil já tem vários setores que trabalham sob essa perspectiva e deverá cada vez mais utilizar funcionários de carreira, substituindo os não-profissionais e cargos de confiança. O Itamaraty, o Banco Central, o Banco do Brasil, o Exército, os tribunais já fazem isso. Que bons exemplos de evolução e modernização podem ser citados no Brasil atualmente? É muito positivo constatar que, nos últimos anos, o número de bons exemplos de gestão pública em todo o Brasil tem aumentado gradativamente. Governos federal, estaduais e municipais, nas mais diversas regiões do País, passaram a aplicar práticas de gestão modernas, gerando resultados impressionantes. Além disso, esse trabalho, cada vez mais, tem se dissociado de ideologias políticas, à medida que passa a ter a adesão de dirigentes de distintas linhas de pensamento, mas com uma preocupação em comum: a melhoria da qualidade de vida das pessoas. O governo de Pernambuco, por exemplo, aplicou técnicas modernas de gestão, prevendo metas e prêmios para alunos e professores, o que elevou a qualidade do ensino e ajudou o Estado a alcançar melhores posições nos rankings nacionais nesse segmento. Fazer mais com menos é o diferencial. O que é prioridade para a Câmara de Gestão? Saúde, Infraero, transportes, Justiça e os Correios. Devem entrar também esportes e a Previdência. Por que foram escolhidas essas áreas? Foram analisadas a dimensão, complexidade e a necessidade de aprimorar os processos e conseguir resultados. São temas que a própria presidenta Dilma Rousseff recomendou que fossem tratados. O trabalho já foi iniciado? Sim. Estamos na fase de analisar como funcionam esses setores indicados pela presidenta. A Câmara tem a responsabilidade de propor, decidir e acompanhar essas propostas de melhoria.


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

5


6

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

A tarefa primordial do gestor é equilibrar receitas e despesas de modo que os recursos públicos sejam aplicados em prol de benefícios para toda a comunidade.A Gestão Pública normatiza esse conjunto de ações

BATE-PAPO

DINHEIRO PÚBLICO GASTO COM RESPONSABILIDADE

» Paulo Daniel Barreto

Consultor de desenvolvimento gerencial

O MAIOR DESAFIO DA GESTÃO É GARANTIR QUE OS RECURSOS PÚBLICOS SEJAM APLICADOS PARA BENEFICIAR A POPULAÇÃO, OFERECENDO DIREITOS SOCIAIS FUNDAMENTAIS AO CIDADÃO COMO SAÚDE, EDUCAÇÃO E SANEAMENTO BÁSICO qui estão R$ 9,4 bilhões. Se o dinheiro é seu, naturalmente você pode gastar da maneira como quiser. Mas se pertence a mais de três milhões de pessoas, numa espécie de consórcio, é preciso haver regras. Como gastar? Em que? Como garantir que o dinheiro será usado para o benefício de todos? O “consórcio” do exemplo acima é o estado do Rio Grande do Norte, o montante é o orçamento do Governo do Estado e a forma de aplicar esse orçamento para garantir, ou tentar, o benefício de todos os “financiadores” pode ser chamada de Gestão Pública. O termo ganhou “fama” há pouco tempo, mas as tentativas de gerir o bem público de forma eficiente são antigas. A preocupação com a eficiência ganhou força a partir da déca-

A

da de 90 do século passado. Com a Constituição de 1988, o Brasil consolidou o papel do seu Estado como Estado Social. “O Estado vai se ampliando, aumentando as demandas e assumindo cada vez mais as políticas sociais. Ora, há uma capacidade finita de arrecadação dos recursos do Estado. Então, surgiu o conceito de efetividade. Não basta gastar. É preciso gastar e produzir o impacto desejado”, explica a professora da UFRN, Arlete Duarte. O mais importante no papel do poder público, do Estado, passou a ser garantir os direitos sociais do cidadão. Essa transição tenta tirar o status de aparelho eminentemente burocrático do poder público, sendo que o termo burocrático não tem aqui uma carga pejorativa (veja quadro). A burocracia, quando excessiva, passa a se preocu-

par somente com os seus próprios processos. Dessa forma, o funcionamento da máquina do Estado passa a ser mais importante do que o serviço que precisa ser prestado ao cidadão. Nada mais obsoleto hoje do que pensar o poder público dessa maneira. Quando o foco passa a ser o cidadão e o número de serviços oferecidos pelo Estado aumenta consideravelmente, a preocupação com a eficiência ganha peso. No Brasil, esse movimento data de meados da última década de 90, tendo continuidade até hoje. Percebeu-se que economizar dinheiro público – não somente na execução dos gastos, mas também evitando desperdícios de tempo e de força de trabalho – significava ter mais para aplicar nas políticas públicas, em outras palavras no benefício do cidadão.

Apesar de ser um conceito amplamente difundido, a prática diária da eficiência não chegou a todos os recantos do Estado brasileiro, incluindo nisso necessariamente o Rio Grande do Norte. O que também não significa que todas as iniciativas são um fracasso. Segundo a professora Arlete Duarte, o setor público brasileiro tem “ilhas de eficiência” e “ilhas de ineficiência”. O movimento pela eficiência do Estado tem uma de suas origens na luta pela competitividade nas empresas. Antes da chamada Reforma do Estado, em 1995, o empresário Jorge Gerdau já tratava sobre o assunto no Rio Grande do Sul. A partir do primeiro governo Fernando Henrique Cardoso, a eficiência entrou de vez na pauta das organizações públicas Brasil afora.

REFORMA OBJETIVA DAR MAIS AGILIDADE AO PODER PÚBLICO A chamada Reforma do Estado foi iniciada pelo então ministro da Administração e Reforma do Estado, Luiz Carlos BresserPereira a partir de 1995. A tentativa era de dar mais agilidade ao poder público e fazer a transição do chamado Estado Burocrático para o Estado Social. A Reforma é importante para entender como se encara os governos e os demais poderes atualmente, porque criou alguns dispositivos e colocou em prática outros já previstos desde a Constituição. Na prática, o Estado passou a ser visto desde aquela data como uma espécie de “gerente” de políticas públicas. Isso aconteceu a partir de diversos conceitos, como a descentralização, a municipalização e a participação social. “É um esforço de repensar a forma de funcionamento do Estado, de forma que ele incorpore características da iniciativa privada, mas sem perder aquilo que lhe é próprio: a busca da Justiça, da eqüidade, etc. Por isso há toda uma discussão sobre audiências públicas, ouvidorias, fóruns, entre outros mecanismos que visam dar voz ao cidadão”, explica Arlete Duarte. O próprio movimento de reforma teve suas revisões. Por ter se aproximado de uma visão empresarial, passaram a “reformar a própria reforma. “Em uma nova cor-

rente, começou a se falar: o Estado não pode ser tratado dessa forma, como se fosse uma empresa. É preciso contrabalancear isso, senão você vai tratar um aparato público como se fosse uma coisa privada. Cliente e cidadão são coisas diferentes”, acrescenta a professora. Os caminhos sugeridos para conseguir contrabalancear as duas tendências, mantendo as características públicas de Justiça, eqüidade, de procurar o bem comum são a profissionalização dos gestores, a busca por processos mais simples, o estímulo à participação popular através do controle social, a crescente capacitação dos servidores públicos, a abertura para parcerias com a iniciativa privada, o aprimoramento da independência dos órgãos de controle, entre outras. O Governo Federal, ao mesmo tempo, instituiu uma série de programas para incentivar a eficiência e a qualidade dentro das organizações públicas. Atualmente, o Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização é o esforço federal para disseminar a cultura da eficiência. Além disso, a Câmara de Gestão e Competitividade funciona como uma espécie de consultoria, avaliando e apontando os setores que merecem maior atenção.

HÁ UMA CAPACIDADE FINITA DE ARRECADAÇÃO DOS RECURSOS DO ESTADO.ENTÃO, SURGIU O CONCEITO DE EFETIVIDADE. NÃO BASTA GASTAR. É PRECISO GASTAR E PRODUZIR O IMPACTO DESEJADO” ARLETE DUARTE Professora da UFRN

✱ O QUE É... O que é Estado É muito comum referir-se a “Estado”quando se fala nas unidades da federação.O estado de São Paulo,o estado do Rio Grande do Norte.Há um outro significado para a palavra.Estado é também “o conjunto dos poderes políticos de uma nação”,segundo definição do dicionário Aurélio.Neste MOTORES DO DESENVOLVIMENTO,a palavra terá essa conotação.

Paulo Daniel Barreto compara iniciativa privada com poder público

O que é burocracia A definição mais comum de burocracia é uma organização com regras próprias,claras e regulares de funcionamento.Em suma,burocratizar é regular,organizar um determinado funcionamento.Contudo,o termo adquiriu um significado eminentemente negativo.Burocracia virou sinônimo de exigências desnecessárias.Se uma organização pede documentos desnecessários para um determinado procedimento,é chamada pejorativamente de burocrática. Contudo,a carga negativa não corresponde necessariamente à realidade.A organização burocrática do Estado,por exemplo, trouxe ferramentas indispensáveis como o concurso público. Segundo o professor Paulo Daniel Barreto,“a burocracia é necessária à administração pública, o seu excesso é que redunda em prejuízo para o cidadão e para a sociedade”.

“Má gestão traz impactos negativos” É preciso modernizar a gestão? Qual o preço da má gestão? Entenda-se modernizar a gestão pública como a ação de dotála de instrumentos de melhoria que a tornem e mantenham continuamente em níveis contemporâneos de excelência gerencial. O preço da má gestão e do excesso de burocracia causa impactos negativos: a) para o setor produtivo que carece de infraestrutura, que paga impostos abusivos sem o retorno necessário em benefícios, principalmente aqueles que contribuem para a competitividade de seus negócios e do próprio país; b) para o cidadão que igualmente dá conta de uma carga pesada de impostos, sem retorno equivalente em qualidade dos serviços que a muito custo consegue ter acesso. Gasta-se mal o dinheiro público? A qualidade do gasto público só será atingida quando os projetos pessoais dos políticos dirigentes der lugar a projetos sociais viáveis. É gastar com qualidade erguer palácios do executivo, do judiciário e do legislativo e continuar a prestar serviços de baixa qualidade? É gastar com qualidade quando projetos são iniciados e não concluídos? São projetos de lei importantes que não andam enquanto sessões solenes distribuem títulos honoríficos. Existe uma percepção de que o privado é mais bem gerido que o público.Verdade ou mito? O setor privado é superior ao setor público na gestão estratégica e financeira. Não podemos se quisermos respeitar a natureza da organização pública gerenciá-la como se fosse uma empresa. Reconhecida essa diferença no campo da gestão financeira e estratégica, as demais são gritantemente falsas. No momento em que a organização privada encontra com o seu cliente e a organização pública com o cidadão, praticamente não há diferença. Apenas como exemplo, o que dizer do atendimento bancário, do fornecimento de informações à finalizações de determinados serviços? O que dizer do atendimento de companhias aéreas, a começar pelas mentiras na previsão de tempo de embarque até a forçar o cidadão a buscar apoio em atendimentos judiciários para obter o que lhe é de direito? Esses exemplos bastam. Tenho certeza que servirão para despertar a memória de milhares de clientes que tem histórias até cômicas dos revezes que passaram ao enfrentarem a baixa qualidade do atendimento no setor privado.


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

7

A LEGISLAÇÃO DITA AS REGRAS NÃO É PRECISO APENAS A VONTADE DO GESTOR NA HORA DE TOMAR MEDIDAS ADMINISTRATIVAS. TODOS OS ATOS SÃO REGULADOS E PRECISAM ESTAR EM CONSONÂNCIA COM A LEI nquanto na iniciativa privada as decisões e a gestão em si dependem unicamente da decisão do administrador, no setor público cada ato está submetido a uma extensa legislação. Não se trata de um detalhe. Na verdade, as leis que regulam a administração do Estado são as responsáveis por dar o caráter único à administração pública. Além de “simplesmente” escolher qual o caminho mais eficiente, o gestor precisa pensar nas políticas e na administração dos recursos públicos a partir do que é permitido em lei. Entre as várias leis que incidem sobre a Gestão Pública, a Lei de Licitações e a Lei de Responsabilidade Fiscal são as mais presentes. Duas situações se repetem quase indefinidamente. Medicamentos em falta no posto de saúde. Gestores chamados a explicar a falha não titubeiam: “houve um atraso na licitação, uma empresa concorrente entrou com um recurso e só teremos os medicamentos em 60 dias”. Servidores públicos pedem reposição de perdas salariais, mas o Governo não pode conceder. Motivo? Limites da Lei de Responsabilidade Fiscal. As páginas de jornais e os microfones das emissoras de televisão se enchem de explicações parecidas todos os anos. Afinal, a lei “ajuda” ou “atrapalha”? É quase uma unanimidade entre os especialistas em direito administrativo que a lei “somente ajuda”. “Quando ela (a lei) estabelece regras de forma clara, dizendo o que se pode e o que não se pode, está facilitando a vida do gestor”, explica o advogado e excontrolador-geral do Estado, Jorge Galvão. Mesmo assim tanto Jorge Galvão como Carlos Gomes, ex-consultor-geral do Estado, concordam que as leis, principalmente a Lei de Licitações, precisam de revisão em alguns pontos. Ou seja, às vezes a lei “atrapalha”.

E

Todas as medidas tomadas no âmbito do poder público precisam estar previstas na legislação.Ela determina,de forma clara,o que o gestor pode e o que ele não pode fazer

Os gestores públicos por sua vez recorrem repetidamente aos limites da lei para explicar os motivos de ineficiências na prestação de serviços públicos. Com a experiência de ex-secretária de Saúde de Natal, Ana Tânia Sampaio relata as dificuldades de conviver com os prazos e passos da licitação. “Muitas vezes o gestor quer fazer as coisas acontecerem, mas tem dificuldades com a licitação, por exemplo. É muito frustrante porque o bom gestor acaba penalizado”, diz. No setor aeroportuário, as críticas são mais contundentes. Especialistas afirmam que as limitações da lei são incompatíveis com o setor, que é por demais dinâmico para esperar pelos prazos das licitações e da máquina pública. “A aviação civil é uma atividade dinâmica, e sua gestão não pode estar atrelada a uma legislação tão rígida. Porém, nada impede que o

Governo faça gestões para adequar à legislação à realidade econômica no transporte aéreo”, diz o consultor José Wilson Massa. Os dois instrumentos citados – Lei de Licitações e Lei de Responsabilidade Fiscal - regulam a contração e os gastos em todas as esferas dos governos. Quando um gestor público precisa contratar, pessoas ou serviços, essas duas leis estabelecem de forma clara como contratar e qual o limite dessas contratações, para que não haja excessos com potencial para desequilibrar as finanças públicas. Esse é o objetivo. LICITAÇÕES A Lei de Licitações (8666/93) regulamenta o artigo 37 da Constituição Brasileira. O inciso XXI desse artigo diz o seguinte: “ressalvados os casos especificados na legislação, as obras, serviços, compras e alienações serão contrata-

dos mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos da lei”. A essência do texto é a garantia a isonomia. Os governos não podem fazer distinções ao seu critério entre os possíveis contratados para prestar serviços ao Estado. Ganha quem estiver melhor preparado, em teoria. Assim, as licitações são um esforço para garantir a livre concorrência entre os interessados em prestar serviços à administração pública. Além disso, a licitação escolhe o gasto mais adequado nas contratações. O melhor gasto não é necessariamente o menor gasto. A contratação deve prezar pelo preço adequado, suficiente para se atingir o fim desejado.

CASOS EM QUE NÃO HÁ LICITAÇÃO:

Dispensa: Nesses casos,é possível fazer a licitação,mas por alguma contingência ela não será feita.Em casos de contratação de emergência, quando o prazo da licitação excede o tempo mínimo necessário.Em momentos de exceção,como durante uma guerra ou na ocorrência de algum desastre natural

CARLOS GOMES Advogado e ex-consultor-geral do Estado

Carlos Gomes vê grandes avanços com a Lei de Responsabilidade

LEI DA RESPONSABILIDADE FISCAL VISA DISCIPLINA NOS GASTOS A Lei de Responsabilidade Fiscal é uma legislação relativamente recente. Criada pela Lei Complementar 101, no ano 2000, ela trouxe disciplina aos gastos públicos. Ao colocar regras claras, com percentuais de gastos e de contratação de pessoal, entre outros pontos, a Lei de Responsabilidade Fiscal deu um basta em uma prática comum até então: um governante deixar dívidas para a próxima administração. Com a Lei de Responsabilidade Fiscal, essa prática foi criminalizada. A partir da edição da lei, os gestores passaram a só poder contrair dívidas para períodos posteriores às suas administrações sob o condicionante de haver receita disponível. Exemplo: um prefeito deixará o executivo no fim de 2012. Nesse caso, ele terá de deixar receita reservada para pagar dívidas contraídas por ele mesmo a serem

quitadas no ano seguinte, pelo próximo prefeito. Do contrário, há um crime de responsabilidade fiscal. A lei impõe uma série de outras restrições aos gestores, no intuito de impedir o uso irresponsável dos recursos públicos. Limites para despesa com pessoal, necessidade de lei de diretrizes orçamentárias, transparência, entre outros pontos importantes foram introduzidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. MUDANÇAS A reclamação contínua de gestores acerca das limitações impostas pela legislação, notadamente a Lei de Licitações, não encontra eco entre os especialistas em Direito Administrativo. Para eles, as duas leis são instrumentos que possuem a necessidade algumas emendas, mas não é preciso uma revisão total. A insistência em re-

visão costuma ser vista como uma tentativa de afrouxamento. Jorge Galvão e Carlos Gomes, o primeiro ex-controlador-geral do Estado e o segundo ex-consultor do Estado, acreditam que a legislação impõem para o administrador a necessidade de planejamento. “Com a lei de Licitações, principalmente, é necessário planejamento, para que não haja problemas com os prazos”, diz Jorge Galvão. Os prazos para se finalizar uma licitação, caso todos os passos do processo ocorram sem questionamento judicial ou até administrativo por parte dos participantes, varia entre 15 e 60 dias. Isso depende da modalidade: concorrência, pregão, carta-convite, etc. O pregão eletrônico foi justamente uma das tentativas de diminuir o tempo necessário para fazer uma licitação. Ele foi instituído em 2002 e conta com o cadas-

tramento prévio dos fornecedores, além de ter fases mais simples, diminuindo o tempo necessário. “Desconfio do burocrata que atribuiu aos passos da necessária burocracia como foco de engessamento na atividade”, diz Jorge Galvão. Ele complementa que as possibilidades de não haver licitação já estão colocados em lei: “A lei já previu todas as exceções à regra, então não há o que mudar nesse sentido. O que há para modernizar no que diz respeito à lei de licitações pode ser resolvido com algumas emendas. Mas tenho medo da palavra flexibilização”. Ao mesmo tempo, as emendas são necessárias, na perspectiva de Jorge Galvão. “Algo muito comum é uma empresa perdedora entrar com diversos recursos propositadamente, o que contribui com a demora. É necessário encontrar uma maneira para se coibir isso”,

Carlos Gomes »Advogado e ex-consultorgeral do Estado

Inexigibilidade: A licitação não é possível de ser feita pela impossibilidade de concorrência. Exemplos:contratação de artistas; aquisição de materiais ou serviços para os quais só exista uma empresa fornecedora; e para contratar profissionais de notória especialização.

A LRF AINDA É UM POUCO CRITICADA POR QUEM NÃO QUER FAZER AS COISAS CERTAS”

Jorge Galvão avalia o impacto da legislação na Gestão Pública

BATE-PAPO

COM A LEI DAS LICITAÇÕES É NECESSÁRIO PLANEJAMENTO, PARA QUE NÃO HAJA PROBLEMAS COM OS PRAZOS” JORGE GALVÃO Professor e ex-controlador do Estado

“Na licitação está o calo das irregularidades” Qual a importância da Lei de Responsabilidade Fiscal? A palavra de ordem dessa lei é o equilíbrio trazendo responsabilidade na gestão. Ainda é um pouco criticada por quem não quer fazer as coisas certas, mas foi ela quem inaugurou alguns princípios fundamentais. Criou também uma série de penalizações pelo descumprimento da lei, além de novas metodologias de transparência. Não existe somente a penalização pessoal do administrador, mas a penalização da administração em si. Não se pode firmar convênios, receber as transferências voluntárias, entre outras. Nenhum governo pode sobreviver sem convênios. Fica impossível realizar as grandes obras. Na questão dos “restos a pagar”, houve uma evolução. A lei traz normas específicas para o último ano de governo. Só é possível deixar restos a pagar se houver caixa. Do contrário, é crime. O governante hoje não pode deixar uma pilha de dívidas e nada no caixa, o que garante o equilíbrio. E a lei de licitações? Ela tem as seguintes finalidades: garantir que todos possam participar e que não haja direcionamento dos vencedores. Todos podem participar, dependendo da modalidade. A lei de licitações deve ser revista? Acredito que deve haver uma modernização, mas não para aliviar. É na licitação que está o grande calo das irregularidades. O preceito constitucional diz que a regra é licitar. Só é possível não fazer em casos específicos, já previstos em lei. Mas as administrações muitas vezes passam por cima disso. Modernizar em que sentido? A própria Constituição, por exemplo, recomenda que se elabore uma lei de licitações somente para as empresas públicas. Isso nunca foi feito. E por que é necessário? Porque a empresa pública tem uma dinâmica diferente. Ela não pode perder tempo, senão perde mercado. Isso é necessário modernizar.


8

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

Entre os princípios da boa Gestão Pública está,além da fixação de metas e avaliações,a plena participação da sociedade civil na fiscalização e na formulação de políticas públicas para todos os setores

AS FERRAMENTAS PARA A SUPERAÇÃO DE OBSTÁCULOS

Audiências públicas É uma das principais formas de controle social na administração pública atualmente.As audiências são convocadas sempre que se tem algum tema relevante para ser tratado e uma de suas características é a presença de representações de vários setores da sociedade,que opinam e dão sugestões sobre os temas abordados.Um exemplo é o processo de construção dos planos diretores.Todo Plano Diretor – a exemplo do aprovado em Natal em 2008 – precisa ter audiências públicas antes de ser levado a votação.

PARA SE CONSEGUIR MAIS EFICIÊNCIA E QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS PELO PODER PÚBLICO É PRECISO LANÇAR MÃO DE INSTRUMENTOS DE GESTÃO ealizada a reforma gerencial do Estado e estabelecidos os princípios da administração pública a partir daquela data, passou a ser necessário definir instrumentos para se atingir os principais objetivos: eficiência, serviços públicos de qualidade ao menor custo possível. Alguns desses instrumentos, em voga até hoje, já haviam sido definidos na Constituição de 1988. Outros foram possibilitados pela reforma. De qualquer forma, são instrumentos que a cada dia ganham mais espaço dentro da administração e tentam dar excelência às políticas públicas. As várias mudanças pelas quais a Gestão Pública vem passando têm três sentidos principais: garantir a participação da sociedade civil na formulação e fiscalização dos

R

atos do poder público; viabilizar maneiras de avaliação e cobrança de metas e resultados; e uma maior abertura para a participação de órgãos não-estatais na gestão pública, sejam elas da iniciativa privada ou do chamado Terceiro Setor, com as organizações sociais sem fins lucrativos. Entre todas, essa última vertente é até hoje a mais polêmica, suscitando discussões e processo judiciais. A abertura para a participação da sociedade civil não é uma invenção da reforma do Estado. Esse princípio está presente desde a Constituição de 1988, com a descentralização, os conselhos gestores, as audiências públicas, entre outros instrumentos. O contexto da época dá o sentido para essa tendência participativa. Depois de décadas sob uma ditadura militar, a sociedade queria ca-

BATE-PAPO ARLETE DUARTE

» Diretora do CCSA/UFRN

Participação popular é fundamental O que há em termos de instrumentos? As ouvidorias, audiências públicas, são canais importantes de interlocução. Servem não só para deixar mais claro, mais transparente, as ações públicas, mas para dar a oportunidade de a população participar da gestão. As agências reguladoras são formas de regular alguns setores. São instrumentos gerenciais. Há também as organizações sociais (OSs) e organizações da sociedade civil com interesse público (Oscip’s), os contratos de gestão para contratualizar e pactuar, etc. Isso tudo inaugura uma série de funções novas para o Estado.

E os conselhos? Já os conselhos são de outra forma. Além de instrumentos de participação, eles são instrumentos de gestão. No caso do SUS, por exemplo, os conselhos de saúde funcionam como controle de gestão. Desde o início do SUS, o controle social foi colocado como deliberativo também. Ele pode cobrar, definir agenda, elaborar planos, etc. A participação da população, a avaliação e a cobrança de resultados são os principais pontos? Essas são alguns das principais mudanças desde a chamada reforma do Estado. A idéia de contratualizar, avaliar os resultados, a produtividade, a eficiência, o controle social e participação como um todo. Há também as audiências, os fóruns. Todas essas são alterações colocadas por essa reforma do Estado.

nais onde pudesse ser ouvida sobre os rumos da gestão. Com a reforma, o controle social passou a ser aspecto indispensável à administração pública, condicionando repasse de recursos e votação de leis a esses instrumentos de participação (veja quadro). A contratação de metas e a cobrança de resultados estão presentes em praticamente todo discurso sobre gestão pública. Os principais instrumentos, viabilizados após a reforma, para formalizar essa relação são os contratos de gestão e a competição administrada. As duas são maneiras que o poder público encontrou para cobrar resultados anteriormente acordados em uma espécie de contrato e para estimular a excelência, premiando as pessoas e as instituições mais produtivas. A partir de então, o Governo Fe-

ALGUNS DOS PRINCIPAIS INSTRUMENTOS NA GESTÃO PÚBLICA:

deral não “distribui” recursos, mas contrata projetos. Os Estados e Municípios com mais capacidade de demonstrar preparo angariam mais convênios e executam mais obras e programas. A abertura para empresas e organizações sociais são polêmicas. Há quem veja nisso uma diminuição da força do Estado e formas de terceirização e privatização disfarçadas. A utilização de OS´s na saúde, por exemplo, foi alvo de questionamento judicial, atualmente no Supremo Tribunal Federal. Sindicatos consideram a utilização inconstitucional. A matéria ainda está sob julgamento do STF. Em Natal, o Tribunal de Justiça considerou a lei municipal sobre o tema inconstitucional. A Prefeitura de Natal havia contratado uma empresa pernambucana para gerir a UPA de Pajuçara.

Conselhos gestores São órgãos colegiados com representantes de diversas entidades organizadas da sociedade civil.Eles pode ser deliberativos, ajudando a formar as políticas públicas,de fiscalização,entre outras atribuições.As áreas de políticas sociais que contam com repasses do Governo Federal,como saúde e educação,necessitam de conselhos gestores em todos os municípios,embora nem sempre isso seja respeitado. Ouvidorias As ouvidorias são instrumentos viabilizados em maior escala após a reforma gerencial de 1995 e servem para colher reclamações e sugestão dos usuários dos serviços públicos.Em teoria,são instrumentos independentes,de controle interno. Contratos de gestão É um compromisso firmado entre o poder público e gestores da administração direta e indireta que fixa resultados a serem atingidos.Em suma,é um compromisso de atingir determinado resultado,onde também há cláusulas que definem os critérios de avaliação.O Reuni - Programa de Apoio ao Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais - é um exemplo.As universidades se comprometem com melhorias e resultados para receberem recursos de expansão. Competição administrada Membros de uma organização pública – sejam eles pessoas ou instituições – competem por recursos ou excelência a partir de critérios de avaliação definidos pelo poder público.Os editais de cultura são um exemplo.A forma de acesso a recursos para projetos científicos também.É uma forma de estimular a excelência:recebe uma bolsa de pesquisa aquele que tiver o melhor currículo,o maior número de trabalhos científicos publicados,por exemplo. Organizações Sociais O uso de Organizações Sociais também foi possível a partir da reforma gerencial de 1995.Trata-se da participação do terceiro setor na oferta de serviços à população.O exemplo mais atual são as Unidades de Pronto-atendimento.Em alguns estados,as unidades são geridas por entidades sem fins lucrativos.Todo o serviço é bancado pelo poder público,que repassa para as OS´s.O intuito é flexibilizar a gestão desses serviços,já que o Terceiro Setor não está submetido às regras e limitações de contratação do setor público. Agências reguladoras As agências reguladores ganharam espaço para as privatizações da década de 90.Elas existem principalmente para fiscalizar a prestação de serviços públicos por parte de empresas privadas.O setor elétrico ganhou a Agência Nacional de Energia Elétrica após a privatização. As telecomunicações,a Agência Nacional de Telecomunicações.Em teoria,as agências devem ser independentes,mas há vários questionamentos acerca de sua efetividade. Parcerias Público-privadas Criadas para suprir a escassez de recursos por parte do poder público,a PPP possibilita o investimento de recursos privados em áreas de interesse público.Uma empresa ou consórcio banca a construção de um aeroporto,por exemplo.Os construtores ganham o direito de explorá-lo economicamente por um período definido de anos,a fim de reaver o investimento.É basicamente o que está acontecendo para a construção do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

9


10

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

Os conselheiros,reunidos no plenário do Tribunal de Contas do Estado,fiscalizam,avaliam as contas públicas e checam se os recursos empregados nos projetos foram utilizados de maneira correta e idônea

BATE-PAPO

PRESTAÇÃO DE CONTAS À SOCIEDADE

» Valério Mesquita Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado

O MINISTÉRIO PÚBLICO E OS TRIBUNAIS DE CONTAS TÊM A TAREFA DE FISCALIZAR E GARANTIR QUE OS GESTORES ESTÃO SE COMPORTANDO CONFORME REGE A LEGISLAÇÃO

F

iscalizar as ações dos gestores públicos é um dever de todos, e a mobilização da sociedade é fundamental para o bom funcionamento das relações de poder, mas o Estado possui órgãos de controle responsáveis especificamente por realizar essa fiscalização de forma rotineira. No que diz respeito à distração da sociedade quanto ao comportamento dos gestores, existem dois espaços criados pela Constituição de 1988 para controlar a gestão pública: o Ministério Público e os tribunais de contas. São eles os responsáveis por assegurar que os gestores não irão se comportar de forma diferente do que diz a lei. Os governos dessa forma são fiscalizados tanto de forma periódica quanto de forma ocasional. O poder legislativo tem, em todos os níveis de governo, o dever de fiscalizar da mesma forma as ações do executivo. Porém, a Constituição delegou ao Ministério Público e aos tribunais de conta um papel diferente. Em teoria, são órgãos de controle externo que não sofrem as influências do jogo político. A formatação desses instrumentos de controle são um esforço para evitar desvios de verbas, condutas diferente do que obriga a legislação e de tentar garantir a concretização de princípios como a eficiência, impessoalidade, mo-

ralidade, etc. Os tribunais de Contas fiscalizam prioritariamente a execução orçamentária do Estado (em que e de que forma o dinheiro público foi gasto) enquanto que o Ministério Público atua de forma mais ampla. “O Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais”, diz o texto da Constituição. O Ministério Público fiscaliza a aplicação das leis e dos princípios constitucionais, além de promover a defesa do patrimônio público. Já os tribunais de contas ficam restritos a auditar os gastos da gestão, como diz o texto constitucional: o papel do tribunal de contas é “julgar as contas dos administradores e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos e as contas daqueles que derem causa a perda, extravio ou outra irregularidade de que resulte prejuízo ao erário público”. MINISTÉRIO PÚBLICO No Ministério Público, são os promotores e procuradores os responsáveis por acompanhar a execução das políticas públicas e os atos administrativos. Em nível federal, o Ministério Pública conta com procuradores da República, os responsáveis pela atividade-fim

do órgão. Existem procuradores na estrutura dos Ministério Público Estadual, mas relacionados a atividades administrativas, enquanto que a atuação como fiscal da lei é exercida pelos promotores (veja quadro com números) A “provocação” é o motivo mais comum para a instauração de inquéritos civis, o instrumento de investigação do Ministério Público. Um cidadão resolve denunciar a falta de acessibilidade para portadores de necessidades especiais em uma escola pública, por exemplo. O promotor, a partir disso, irá apurar o problema através de um inquérito. As investigações também são iniciadas pela própria iniciativa do promotor. Outro exemplo: o promotor ou procurador fica sabendo pela imprensa sobre uma licitação suspeita realizada pelo governo de um Estado. Também é possível abrir um inquérito por essa via. O MPE produziu também um Plano de Atuação onde estão listadas as áreas prioritárias para atuação do órgão. As ações civis públicas, as ações de improbidade administrativa e as ações diretas de inconstitucionalidade são alguns dos principais instrumentos de defesa do interesse público utilizados pelo MP. Os direitos da coletividade são defendidos a partir das ações civis públicas. Se falta professores na re-

de pública de ensino, o MP pode ajuizar uma ação civil pública para “obrigar” a contratação de professores com urgência, pois o direito a educação é um direito coletivo. O mesmo se dá em relação aos demais direitos fundamentais, como saúde, meio ambiente, ordem urbanística, etc. Para punir condutas desonestas e reaver danos ao patrimônio o patrimônio público, existem as ações de improbidade administrativa. Condutas em desacordo com a lei, por incompetência, omissão ou mesmo para a obtenção de vantagens pessoais, podem ser alvo de uma ação de improbidade administrativa. Muitas vezes o MP pede à Justiça o ressarcimento dos prejuízos aos cofres públicos, além de requisitar a punição dos maus administradores com multas e até prisão. Já na ação direta de inconstitucionalidade (Adin), o Ministério Público, através do procuradorgeral de Justiça, pode pedir a nulidade de uma lei por considerála contrária aos princípios e normas da Constituição. No Rio Grande do Norte, um exemplo recente foi a lei que instituía a inspeção veicular. Após considerá-la inconstitucional, o Ministério Público entrou com uma Adin no Supremo Tribunal Federal. Posteriormente, a lei foi revogada pelo Governo do Estado.

GASTOS PÚBLICOS SÃO EXAMINADOS PELO TCE/RN

O MINISTÉRIO PÚBLICO É INSTITUIÇÃO ESSENCIAL À FUNÇÃO JURISDICIONAL DO ESTADO” CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA Promulgada em 1988

É NECESSÁRIO OBSERVAR OS ANSEIOS DA SOCIEDADE E TOMAR PROVIDÊNCIAS PARA ATENDÊ-LOS” VALÉRIO MESQUITA Conselheiro do TCE/RN

DE ✱ ÓRGÃOS CONTROLE

NO ESTADO:

Ministério Público Estadual

Os tribunais de conta passaram a ser indispensáveis para o funcionamento da máquina pública após a Constituição de 1988. Isso não significa que antes não houvessem instrumentos de controle. No RN, o TCE existe desde 1961. Foi no Governo de Aloízio Alves, na mesma época, que o Tribunal potiguar provou a sua constitucionalidade. Mesmo assim, foi com a Constituição de 1988 que os tribunais de conta se tornaram fundamentais para o controle externo do comportamento dos gestores públicos. A fiscalização se detém nos aspectos financeiros, como a aplicação dos recursos públicos, nomeação de cargos comissionados, entre outros atos administrativos. Os tribunais de contas estaduais são formados por conselheiros, enquanto que o Tribunal de Contas da União é formado por ministros. Se no Ministério Público os membros são selecionados por concursos públicos, os conselheiros e ministros são submetidos à indicação política do poder executivo (governadores e presiden-

te da República) e do poder legislativo (deputados e senadores). O Ministério Público, por sua vez, tem os seus procuradores-gerais indicados pelo poder executivo. Eis uma questão controversa. Há quem defenda a indicação política, como há também especialistas que apontam nessa particularidade uma forma de diminuir a independência desses órgãos. Os tribunais de conta fiscalizam permanentemente os contratos da administração pública. Todos os anos as Prefeituras e o Governo do Estado enviam suas contas para o TCE/RN. Além disso, o Tribunal pode realizar auditorias periódicas. “A inexistência de uma instituição como a do Tribunal de Contas ou de órgão similar, geraria um desequilíbrio no sistema de “freios e contrapesos” do Estado, pois o mesmo, além de atuar no controle, principalmente da administração, exerce também fiscalização sobre o Poder Legislativo e o Poder Judiciário, não estando direta ou hierarquicamente vinculado a nenhum dos três”, explica o conselheiro Valério Mesquita.

220

cargos de promotor,sendo

208

preenchidos até o momento Tribunal de Contas do Estado:

7

conselheiros

965

processos julgados até essa data em 2011

R$ 13.965.507,82 em penalidades de ressarcimento ao erário,

R$ 1.635.602,63 Valério Mesquita fala sobre atribuições do Tribunal de Contas do RN

em sanções administrativas aplicadas aos gestores e responsáveis

Tribunal tem função corretiva e de ouvidoria QualopapeldoTribunaldeContas? O papel dos Tribunais de Contas, no Brasil, principalmente após a promulgação da Constituição de 1988, passou a ser muito mais relevante para a sociedade brasileira. Atuando de forma autônoma, o TCE/RN abarca competências próprias, que não podem ser reivindicadas pelo poder Judiciário nem pelo Poder Legislativo, pois suas atribuições de controle, conjugadas com as exercidas pelos referidos Poderes, garantem a efetivação dos ideais inerentes ao Estado Democrático de Direito. A inexistência de uma instituição como a do Tribunal de Contas ou de órgão similar, geraria um desequilíbrio no sistema de “freios e contra-pesos” do Estado, pois o mesmo, além de atuar no controle, principalmente da administração, exerce também fiscalização sobre o Poder Legislativo e o Poder Judiciário, não estando direta ou hierarquicamente vinculado a nenhum dos três. Nessa esteira, se faz necessário observar os anseios da sociedade e tomar providências no sentido de atendê-las. Esse é o nosso papel. Como é o trabalho de fiscalização do Tribunal de Contas? O Tribunal emite pareceres acerca de assuntos técnicos relacionados às contas em exame, bem como também efetua o exame em abstrato de consultas realizadas por autoridade legitimadas, dando assim lugar a sua função consultiva. Exerce função informativa, quando presta informações solicitadas pelo Poder Legislativo, relacionadas às atividades de fiscalização do Tribunal de Contas. A função é judicante quando efetua o julgamento das contas que lhe são submetidas por determinação constitucional. A função sancionadora se consubstancia na aplicação de multas, penalidades como a inabilitação para exercer cargo em comissão ou função de confiança, declaração de inidoneidade para contratar com a administração pública. No exercício de suas atribuições, o Tribunal de Contas, à vista de determinada irregularidade ou ilegalidade, pode recomendar ao responsável que tome medidas no sentido de corrigi-las, desenvolvendo assim sua função corretiva. O Tribunal de Contas também atua como ouvidor. Quais os desvios mais comuns? Os maiores desvios constatados pelo Tribunal são em processos de Despesa Pública, especialmente àqueles que tratam de obras e convênios, cujos responsáveis são punidos com a obrigação de ressarcimento ao erário, além do pagamento de multa, dentre outras sanções previstas em Lei.


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

11

Um dos principais especialistas na área de Gestão Pública no país e idealizador do INDG,o professor Vicente Falconi Campos,esteve em Natal para a 10ª edição do projeto Motores do Desenvolvimento do RN

“O SUCESSO DEPENDE DA ESCOLHA DOS LÍDERES” PARA O CONSULTOR VICENTE FALCONI, UM DOS PRINCIPAIS ESPECIALISTAS DA ÁREA DE GESTÃO PÚBLICA NO PAÍS, A MAIOR PARTE DOS PROBLEMAS DE UMA ORGANIZAÇÃO PODEM SER RESOLVIDOS A PARTIR DA ESCOLHA CORRETA DOS LÍDERES s dois principais casos de sucesso em Gestão Pública no Brasil nos últimos anos tiveram a orientação do mesmo consultor. Vicente Falconi, fundador do Instituto de Desenvolvimento Gerencial (INDG), é apontado como o homem por trás da reestruturação dos estados de Minas Gerais e Pernambuco que nos últimos anos consagraram com expressivas votações seus governadores, agora postulantes ao Governo Federal: Aécio Neves e Eduardo Campos. Um dos principais nomes do seminário Motores do Desenvolvimento Gestão Pública, Falconi falou principalmente sobre o papel do líder numa organização. Para Falconi 70% dos problemas em uma organização podem ser resolvidos a partir da escolha correta dos líderes da equipe. Embora sejam instrumentos indispensáveis, metodologia e conhecimento são ferramentas largamente disponíveis. Formar e reco-

O

nhecer líderes são tarefas mais complexas, a serem realizadas dentro da própria organização. “Ter uma liderança forte resolve 70% dos problemas. Já conhecimento técnico e metodologia dá para comprar”, disse Falconi, acrescentando: “O sucesso depende muito dos líderes”. O fundador do INDG acredita que é preciso “colocar o valor da liderança no seu devido lugar”. Trata-se de uma “receita” adequada tanto para o setor público quanto para o privado. Somente o líder, na opinião de Falconi, tem a capacidade de motivar e incentivar a produtividade numa organização. O estabelecimento e o cumprimento de metas funciona da mesma forma. “O líder sabe impor disciplina e cobrar da sua equipe sem ser desagradável. Isso aumenta a produtividade”, diz. E complementa: “O maior gargalo de gestão pública no Brasil é encontrar os líderes dentro das organizações públicas”. Não há grandes segredos para

se identificar esses líderes e o método já é amplamente utilizado na iniciativa privada. “Os empresários sabe como identificar os seus líderes. Estabeleça metas e veja quem alcança. Os líderes irão cumprir tudo e os que não são líderes vão inventar desculpas para não terem atingido. É simples, não tem segredo”, diz, ressaltando que na politica brasileira recente há o surgimento de vários líderes com uma visão moderna da gestão. Falconi citou o governador de Pernambuco, Eduardo Campos e Aécio Neves, com os quais já trabalhou, como exemplos desses novos políticos. “Há pelo menos cinco políticos com esse perfil no Brasil hoje e essa é a maior mudança que posso perceber na Gestão Pública do país”, acrescentou. Falconi explicou que as áreas prioritárias que qualquer gestor precisa atacar primeiramente são educação, saúde e segurança. “São os primeiros setores a serem trabalhados”, diz. De acordo com o professor, essas três áreas, por seu caráter

de políticas públicas, pedem uma intervenção mais urgente. Como complemento a esse componente político – ou seja, a disposição dos detentores de cargos eletivos em investir em Gestão - Falconi defende o estabelecimento de funcionários de carreira nas chefias da administração pública. “O político diz a direção e os técnicos, os gestores, constroem o caminho para se chegar nessa direção”, aponta. “A gestão em si é apolítica, precisa ser apolítica. Ela não tem ideologia, podendo ser usada de várias formas diferentes. Então é preciso ter esses funcionários de carreira, muito bem pagos e muito bem treinados para aplicar o conhecimento técnico e os métodos adequados”, explicou Vicente Falconi. O enxugamento da máquina é outro ponto absolutamente necessário. Para o professor, há um exagero no número de funcionários na administração pública. “Um estudo feito pelo INDG mostrou ser possível diminuir sensi-

velmente a quantidade de funcionários de um setor”, rememora. Esses servidores, como é de conhecimento público, não podem ser demitidos. São funcionários públicos com estabilidade. Então, a solução defendida por Vicente Falconi é criar centros de treinamento para aproveitar esses funcionários em outras áreas mais carentes. “Foi o que houve nos Estados Unidos após a Segunda Guerra Mundial”, compara. Os benefícios de se adotar as modernas técnicas de gestão chegam inclusive ao setor privado. “A maior contribuição que o setor público pode dar ao privado é cumprir de forma eficiente as suas obrigações”, defendeu. Para o professor, há um mito em termos de comparação entre os dois setores. Não é raro encontrar quem defenda a ampla superioridade do setor privado. “Há empresas privadas mais mal geridas que repartições públicas. E vice-versa. Não é porque é público que não tem como funcionar”, encerrou.

TER UMA LIDERANÇA FORTE RESOLVE 70% DOS PROBLEMAS.JÁ CONHECIMENTO TÉCNICO E METODOLOGIA DÁ PARA COMPRAR”

O MAIOR GARGALO DE GESTÃO PÚBLICA NO BRASIL É ENCONTRAR OS LÍDERES DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS” VICENTE FALCONI Consultor em Gestão Pública

BATE-PAPO MIRZA QUINTÃO UTSCH

» Consultora do INDG

MELHORIA DA GESTÃO É CAMINHO PARA EFICIÊNCIA O que mudou para melhor nos últimos anos? O que continuou igual? Existem inúmeros setores da área pública que estão buscando a excelência por meio da melhoria da gestão, buscando avanços que tem alto impacto na vida do cidadão. Mas, ainda, temos instituições públicas que não têm claramente identificado o foco nos resultados, que trarão benefícios para o cidadão, a comunidade e o próprio servidor. Quais os principais gargalos? As receitas públicas são crescentes, mas as despesas também. Faz se necessário a racionalização dos recursos, para melhor investir em áreas primordiais para o cidadão, como Educação, Saúde e Segurança. O país conseguiu desburocratizar a gestão? Ainda temos muito a caminhar no sentido da desburocratização

para alcance de resultados. Talvez por termos um passado de administração pública burocrática que ainda deixou resquícios em alguns administradores e com a complexidade da administração crescente, a gestão atual necessita de mudar, renovar. Mas estamos otimistas e percebendo o interesse em avanços. Como o setor público pode se aliar ao privado para conseguir melhores resultados? Quais os limites dessa relação? Existem várias melhorias de gestão conseguidas na gestão privada que são aplicáveis na gestão pública. É possível a utilização de metodologias e ferramentas são inteiramente aplicáveis sem distinção. Compara-se com frequência a qualidade na gestão pública e na gestão privada, com amplo saldo positivo para o privado. Essa diferença é real? Isso é de-

vido somente a uma diferença cultural ou tem a ver com especificidades de cada setor? Isso tem diminuído? As instituições privadas têm seus resultados medidos e seu foco de atuação mais claramente identificado. A cultura de gestão para resultados ainda é mais visível nas empresas privadas do que nas públicas. Mas existem setores públicos que começam a identificar a sua razão de existir e quem são seus verdadeiros clientes, definir e acompanhar os seus resultados. Acho que as mudanças são mais visíveis nos setores que têm vontade de mudar e liderança forte. Que ferramentas utilizadas nas empresas podem ser usadas no setor público com sucesso? As metodologias aplicadas no setor privado são as mesmas aplicadas no setor público. As ferramentas também podem ser aplicadas. As especificidades que

acontecem no setor público são quanto ao conhecimento técnico das normas e legislação, capacitação dos envolvidos e a capacidade de transformar agilmente este conhecimento em resultados. Os gestores públicos hoje, em sua maioria, têm qualificação específica na área de gestão ou ainda prevalece o “amadorismo”? Existem pessoas muito preparadas na área pública quanto ao conhecimento técnico, mas ainda temos um gargalo com relação ao conhecimento gerencial – principalmente quanto à medição de resultados, planos com ações para alcance dos resultados e acompanhamento destas ações e resultados. Quais os caminhos de qualificação existentes hoje no mercado para o gestor que pretende se especializar? Tenho participado de projetos

que percebo que tem gestores/servidores buscando aprimorar a gestão participando de cursos para conhecimento de metodologias de gestão. Mas, na prática, a cultura de não medir é muito forte, fazendo-se necessário ter lideranças que apóiem as mudanças para uma gestão por resultados.

Quais os erros mais comuns dos gestores dentro do setor público? O foco muitas vezes não é nos resultados e sim nos meios. Há reclamações sobre falta de recursos, pessoal e tecnologias, mas não estão claros os resultados a serem alcançados.


12

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

A DISTÂNCIA ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA GERIR A ÁREA DA SAÚDE É UMA DAS TAREFAS MAIS DIFÍCEIS PARA QUALQUER ADMINISTRADOR.O TEXTO DA LEI QUE O CRIA, FAZ DO SUS UM EXEMPLO PARA TODO O MUNDO, MAS COLOCAR EM PRÁTICA O QUE ESTÁ NO PAPEL É UM DESAFIO SUS como o próprio nome indica é um sistema. Trata de procedimentos, processos, a fim de organizar e ditar regras para o funcionamento da máquina estatal relacionada à saúde. Um especialista em SUS, no entanto, lança mão de palavras mais afeitas à poesia para falar sobre o Sistema Único de Saúde: “sonho”, “utopia”, “conquista” são palavras usualmente colocadas ao se tentar explicar a gênese do SUS. No cotidiano das secretarias de saúde, gestores são responsáveis por concretizar a poesia expressa na teoria. É um desafio. Tanto, que a gestão do SUS é uma das áreas mais problemáticas da administração pública. Sintomas dessas dificuldades estão presentes todos os dias nas manchetes dos jornais e nas portas dos hospitais. Há problemas de toda ordem: grandes filas, desabastecimento de medicamentos e insumos, médicos e demais profissionais de saúde em faltas, vagas insuficientes para unidades de terapia intensiva. Ao mesmo tempo, a saúde consome uma das

O

maiores somas de recursos anualmente. Mesmo assim, não é incomum encontrar quem diagnostique um subfinanciamento no setor. Há um problema de gestão ou falta dinheiro? Segundo a sanitarista e doutora em saúde pública, Ana Tânia Sampaio, ex-secretária de Saúde de Natal e adjunta no Governo do Estado, os dois problemas são reais. Existe o subfinanciamento. Contudo, e na mesma medida, os gestores de saúde ainda não conseguiram harmonizar os objetivos do SUS com os procedimentos necessários para viabilizálo. Há um abismo no meio do caminho. O Sistema Único de Saúde tropeça todos os dias em procedimentos insuficientes para tirar do papel todos os princípios de Justiça e eqüidade que ele prega. Os princípios doutrinários do SUS são a integralidade, universalidade e a eqüidade. Esses são o objetivos. Em suma: atendimento integral das necessidades de todos os cidadãos com resolutividade. Além disso, o atendimento para quem mais precisa, um atendimento “desigual na medida das desigualda-

des”, com Justiça. Todos esses princípios são únicos no mundo. Em nenhum outro país, há um sistema de saúde tão abrangente. “Até mesmo um turista, um estrangeiro, tem direito à saúde no Brasil”, acrescenta Ana Tânia Sampaio. Para colocar isso em prática, é preciso dar efetividade a uma série de princípios organizativos. Aqui estamos no terreno do “método”. A descentralização dos recursos, a regionalização e o controle social são os mais importantes princípios organizativos. Como existem fragilidades no cumprimento desses princípios, o SUS apresenta os problemas tão conhecidos por todos. Descentralizar os recursos e regionalizar o atendimento é uma das saídas para dar resolutividade. Com a descentralização, o dinheiro é administrado localmente. Já a regionalização reúne municípios em “regiões de saúde”. Exemplo: um município de pequeno porte não tem como manter um serviço de ortopedia. Contudo, cinco ou seis juntos podem prover esse atendimento, resolvendo as demandas na região e

impedindo o fluxo de pacientes para a capital, onde filas se amontoam nos maiores hospitais. Por outro lado, o controle social é uma ferramenta indispensável para o SUS, como para toda a Gestão Pública posterior à Constituição de 1988. Ao mesmo tempo, é um dos instrumentos mais frágeis. “Há conselhos de saúde que viram fóruns de debates de políticas partidárias. Isso despolitiza a política de saúde, porque o SUS não tem partido, ele é para todos. O que temos na maioria das vezes são gestores que desconhecem o SUS e uma população desinformada dos seus direitos”, aponta Ana Tânia. SUBFINANCIAMENTO O SUS é o primeiro sistema de saúde de fato no Brasil. O que havia antes eram instituições de saúde que faziam o trabalho quase em separado do Estado. Na época do Inamps (Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social) só tinha direito à atendimento médico quem tinha previdência. Segundo Ana Tânia Sampaio, isso correspondia se muito a

O QUE TEMOS NA MAIORIA DAS VEZES SÃO GESTORES QUE DESCONHECEM O SUS E UMA POPULAÇÃO DESINFORMADA DOS SEUS DIREITOS”

ANA TÂNIA SAMPAIO Professora da UFRN e doutora em Saúde Pública

60% da população. “O Inamps fazia o atendimento médico e o Ministério cuidava da política de prevenção, por exemplo. Era um sistema dicotomizado”, aponta. Com o SUS, o que era para 60% da população passou a ser para todos. O atendimento foi universalizado, enquanto que o financiamento não acompanhou a demanda. “A legislação é falha ao fixar percentuais de investimento”, analisa a sanitarista. “Temos uma política de financiamento injusta”, complementa. Até mesmo iniciativas como a Emenda 29, que fixa o mínimo de 12% do PIB em investimentos nas esferas de governo, seriam insuficientes. “Muitos municípios e estados estão investindo mais do que isso”, define. Além disso, uma distorção nos setores que mais recebem recursos drena boa parte do dinheiro na saúde. A atenção básica tem a capacidade de resolver 80% dos problemas apresentados pelos usuários. Como é o “patinho feio” nas secretarias e ministério, os problemas evoluem para os demais níveis de atenção. A média e a alta complexidade consomem a maior parte dos recursos do SUS, o que dificulta a viabilização do sistema “Um especialista recebe muito mais em dinheiro, por exemplo, do que um médico generalista. Está errado, deveria ser o contrário, porque o generalista vai cuidar do todo”, diz Ana Tânia Sampaio, acrescentando que até mesmo a formação dos médicos causa distorções. “Os profissionais estão sendo formados com base no modelo antigo. Eles são formados para cuidar de uma parte do corpo e não do ser humano. Além disso, são formados para cuidar da doença e não para promover a saúde”.

BATE-PAPO Domício Arruda »secretário estadual de Saúde

“Estamos finalizando um plano de metas” Quais as principais dificuldades na gestão até agora? Dificuldade de manutenção regular do abastecimento de insumos e serviços agravada por dívidas pendentes de exercícios anteriores e déficit de pessoal, principalmente na área da enfermagem e algumas especialidades médicas. O que torna a gestão em saúde particularmente problemática? O subfinanciamento do setor. De caráter nacional, é traduzido localmente pela inexistência de dotação para investimentos no orçamento estadual para 2011.

A rede de saúde é uma das cadeias mais complexas do serviço público e, por causa dessa complexidade, os profissionais precisam estar atentos às etapas da gestão

“A VERDADE É QUE TODOS USAM O SUS” O tema da Conferência de Saúde deste ano resume bem o sentimento de muitos dos militantes do sistema. Exasperados pelas constantes notícias de ineficiência, os organizadores da Conferência resolveram mostrar o SUS “invisível” nas denúncias de filas, falta de médicos e medicamentos. “O SUS não é somente os corredores lotados. Também há excelência”, reclama Ana Tânia. As conferências estaduais de Saúde serão realizadas nos dias 27, 28 e 29 de setembro. Existe uma idéia equivocada – e em certo ponto preconceituosa – que o SUS é “para pobre”. Segundo os termos de um preconceito bastante disseminado, os setores com mais poder financeiro poderiam prescindir do Sistema Único de Saúde por pagar um plano de saúde ou um hospital privado. Mas isso não é verdade. O SUS está mais presente no cotidiano dos brasileiros do que mui-

tos imaginam. Produtos cosméticos, alimentos, produtos de limpeza, tudo isso é fiscalizado e aprovado pela Agência Nacional de Saúde. Ora, a Anvisa faz parte do SUS. A vacinação é promovida pelo SUS e o Brasil tem o segundo melhor sistema de imunização do mundo. Esses são alguns exemplos pouco lembrados. Existem outros. “Atendimento de urgência de problemas cardíacos, cirurgias neurológicas, por exemplo. São procedimentos pagos na rede privada pelo SUS. Mas os pacientes acham que o Sistema Único de Saúde é somente a fila do Walfredo Gurgel, não vêem que esses atendimentos na rede conveniada também são SUS”, diz Ana Tânia. O Hospital Maria Alice Fernandes é um dos exemplos de estrutura hospitalar bem avaliada na Região Metropolitana de Natal. Tanto o atual secretário de

Saúde, Domício Arruda, quanto a ex-secretária-adjunta Ana Tânia Sampaio, são unânimes ao apontar o Maria Alice Fernandes como um exemplo na rede. A própria aparência do Hospital, com corredores limpos e arejados, já demonstra um diferencial. Mas a excelência só foi obtida após uma mudança no perfil do atendimento. De acordo com o diretor do Hospital, Wilson Cleto, o atendimento no Maria Alice foi organizado após a redefinição do perfil. Antes, o Hospital fazia atendimento em ambulatório, o que está fora das obrigações da alta complexidade. “Somos um hospital de atendimento de média e alta complexidade. Não podemos fazer ambulatório”, diz Cleto. A demanda pelo atendimento básico terá de ser absorvida pelos municípios, a quem compete fazer esse tipo de atendimento.

Que caminhos pretende seguir para resolver essas dificuldades? Através da estruturação de oito colegiados gestores regionais para implementação das ações planejadas em consonância com os principais programas anunciados pelo Ministério da Saúde: atenção materno-infantil, rede de urgência/emergência e enfrentamento às drogas, com ênfase ao crack. Em quanto tempo será possível resolver os principais problemas? Estamos finalizando um plano plurianual que prevê ações a serem desenvolvidas nos próximos quatro anos, com estabelecimento de metas entre elas as mais importantes são a redução das taxas de mortalidade materna peri-natal e infantil.

Ana Tânia Sampaio é professora da UFRN e especialista em saúde


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

13


14

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

DEMOCRATIZAÇÃO DA GESTÃO ESCOLAR A DESCENTRALIZAÇÃO E A AUTONOMIA DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO TROUXERAM UMA SÉRIE DE RESPONSABILIDADES AOS GESTORES, QUE PRECISAM ESTAR PREPARADOS PARA AS NOVAS FUNÇÕES ais liberdade para os diretores de escolas. E mais responsabilidade também. As mudanças pelas quais a administração pública brasileira passou na década de 90 aumentaram significativamente o poder e a responsabilidade das direções de escola e da comunidade que a utiliza. Com a chamada descentralização, cada unidade de ensino é responsável por gerir os seus próprios recursos e por construir o próprio currículo, com base em padrões nacionais. Se de um lado isso democratiza a gestão, de outro impõe uma série de dificuldades aos gestores, nem sempre preparados para lidar com esses novos deveres. A política de descentralização na educação seguiu o roteiro dos demais setores, ganhando espaço em meados da década de 90 com a reforma gerencial do Estado. Foram criados, por essa época, fundos setoriais para disponibilizar recursos para as escolas. As transferências independem de convênios e é repassada automaticamente para estados e municípios. Os três entes – União, Estados e municípios – contribuem para a manutenção e o desenvolvimento das escolas. Há fundos somente para a manutenção, para a merenda escolar, para o desenvolvimento de melhorias nas escolas com os menores índices e para projetos específicos. Uma das “novidades” que a descentralização trouxe foi a gerência dos recursos por parte de cada escola. Os diretores decidem em conjunto com a comunidade como os recursos serão investidos. Essa característica provoca necessariamente duas necessidades: gestores preparados para administrar a escola e uma comunidade participativa, atenta ao que está acontecendo dentro do ambiente escolar. Na prática, nem sempre isso se concretiza. Segundo a professora da UFRN, Magna França, doutora em gestão e financiamento da educação, o processo de descentralização é lento, acontece gradualmente. Por conter uma obrigatoriedade expressa na legislação, a descentralização financeira tem tido mais atenção dos gestores que a pedagógica e administrativa. Mesmo assim, distorções são freqüentes. “ Sendo, assim, a autonomia financeira conquistada pelas escolas está ocorrendo de forma relativa, pois, nem todo gestor tem a capacidade de gerir vários recursos com a mesma autonomia e com a participação da escola e de sua comunidade”, explica Magna França. Distorções comuns nesse processo são a insuficiência de recursos para reformas, manutenção e até mesmo para a aquisição da merenda escolar. São pontos controversos, com opiniões divididas. Alguns diretores reclamam da insuficiência dos recursos, outros afirmam que se trata de um problema de gestão. O controle social também causa conseqüências antagônicas na gestão das escolas. Nem todas as comunidades participam ativamente do cotidiano das escolas. Dessa forma, o controle social não é exercido e isso reflete nos resultados dos alunos. Da mesma maneira, é comum que as escolas com maior nível de participação dos pais e responsáveis por alunos tenham os melhores índices. Participação de pais e professores é fundamental A Escola Nossa Senhora da Guia, em Parnamirim, foi uma das que seguiu à risca os princípios

BATE-PAPO

M

Magna França »Professora da UFRN

“Processo de descentralização ainda é lento” Quais as principais especificidades da gestão de uma escola e como essa gestão vem se desenvolvendo visando a sua autonomia? O processo de descentralização administrativa, pedagógica e financeira desenvolvidas pela gestão da escola está indo a passos lentos. Por ter sido a mais incisiva, com legislações e medidas obrigatórias sobre o gerenciamento de recursos, a financeira tem sido aquela em que os gestores escolares estão dando prioridade. Esse processo não logrou o êxito esperado, em face da falta de qualificação e capacitação pedagógica das equipes escolares e docentes. Sendo, assim, a autonomia financeira conquistada pelas escolas está ocorrendo de forma relativa, pois, nem todo gestor tem a capacidade de gerir vários recursos com a mesma autonomia e com a participação da escola e de sua comunidade. Observa-se que a maioria das escolas brasileiras não está desenvolvendo de forma ideal as ações descentralizadoras. Qual a importância da gestão participativa nas escolas? A escola deve criar suas próprias estratégias visando a cultura político educativa e a prática democrática no seu cotidiano. A gestão democrática hoje é a mais discutida, porém não se pode afirmar que todas as escolas públicas a exercem, pois, em face de suas características e formas de gerenciamento escolar, essa gestão democrática exige participação e poder. Isto implica a participação e interação com os segmentos escolares e comunidade. Um exemplo: se uma escola possui conselhos representativos e atuantes, faz um bom gerenciamento financeiro e a questão pedagógica é vista como essencial - com planejamento e ações que visam o rendimento e acesso dos alunos - com certeza essa escola deve apresentar um índice satisfatório de aprendizagem.

A boa gestão de escolas da rede pública passa por uma série de medidaspráticas,mas traz gratas consequências para toda a sociedade

propostos para a educação após as reformas da década de 90. Com participação intensa dos pais dos alunos, professores e funcionários junto à direção, a Escola a Escola alcançou um Ideb de 6.4 no ano de 2009. É preciso lembrar que o Ministério da Educação havia traçado a meta de atingir a nota de 6 até 2022. A Escola Nossa Senhora da Guia saiu na frente. Segundo a diretora irmã Maria Salomé de Oliveira Soares, a participação dos pais é fundamental. “Aqui durante as reuniões não sobra espaço no nosso pátio. Fica tudo lotado de cadeiras e pais. Há muita participação”, aponta. E complementa: “ O jardim da Escola é a primeira coisa que chama a atenção de quem chega às dependências da Nossa Senhora da Guia. Limpo e bem cuidado. As paredes, pintadas e limpas, também se destacam. Além disso, a Escola mantém sala de informática, recém-

inaugurada, e uma biblioteca. Livros e equipamentos para lazer estão disponíveis no pátio. Sobre a gestão em si, a irmã Salomé diz que a maioria das melhorias na estrutura física da Escola são fruto de investimentos do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). Nesse caso, segundo a irmã, os recursos são destinados às escolas com menores índices no Ideb. “Não recebemos nos últimos anos essa cota”, diz. Contudo, segundo a diretora, o dinheiro recebido pela Escola Nossa Senhora da Guia é suficiente para a manutenção e para a merenda escolar, dois dos calos da gestão nas escolas. “O dinheiro da merenda é suficiente, mas precisa ser usado com racionalidade. A merenda é para o aluno. Somente. Além disso, não retiramos dinheiro dessa verba para a festa do Dia do Professor, por exemplo, ou do Dia do Aluno, como sabemos que acontece”, diz a diretora.

NÚMEROS DO FINANCIAMENTO EM EDUCAÇÃO:

19,7% do gasto com educação em de recursos federais 41,2% do gasto com educação vem de recursos estaduais à 39,1% do gasto com educação vem de recursos municipais à A União gasta 0,98% do seu PIB com educação à Os Estados gastam em média 2,04%% do seu PIB com educação à Os municípios gastam em média 1,94% do seu PIB com educação à Do investimento total em políticas sociais por parte da União,2,9% vai para a educação à Do investimento total em políticas sociais por parte dos Estados,em média 6% vai para a educação à Do investimento total em políticas sociais por parte dos municípios, em média 5,7% vai para a educação Dos investimentos em educação no Brasil: à 60% é destinado para pagamento de gestores,professores e funcionários à 27% vai para a manutenção das escolas à 6,6% para reformas e construções de novas escolas à 6% para encargos sociais,como contribuições trabalhistas e previdenciárias à 0,4% para pesquisa e desenvolvimento à Orçamento do Fundeb para o RN em 2011 é de R$ 1,415 bilhão à Orçamento do Fundeb para Natal em 2011 é de R$ 109 milhões à à

Fonte: INEP (2009) e MEC (2011)

A valorização do professor e do gestor escolar pode influir positivamente na gestão escolar repercutindonumensinodequalidade? Investir em capacitação – planos e projetos de formação continuada de conformidade com os interesses desses educadores – deve ser a meta principal dos executivos educacionais para tornar o educador mais accessível com os conteúdos e metodologias curriculares. A satisfação do educador deve vir em primeiro lugar. Pois, o educador que tem seus interesses correspondidos, sem dúvida alguma ele será um dos responsáveis pelo sucesso dos seus alunos, e, automaticamente, estaria contribuindo com a melhoria da qualidade do ensino.


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

MANTER QUALIDADE NA AVIAÇÃO É DESAFIO

rias na gestão. Ao mesmo tempo, o Governo deu início ao processo de concessão de vários aeroportos, como forma de prover dinâmica ao setor. Foram anunciadas as concessões dos aeroportos de Congonhas e Viracopos em São Paulo e o Aeroporto de Brasília. Contudo, esses virão depois do primeiro aeroporto com gestão privada no Brasil: São Gonçalo do Amarante. O MODELO DE SÃO GONÇALO

COM UM AUMENTO CRESCENTE DA DEMANDA E POUCO INVESTIMENTO, GARANTIR EFICIÊNCIA NO SETOR AEROPORTUÁRIO É UMA TAREFA CADA VEZ MAIS ÁRDUA PARA OS ADMINISTRADORES m crescimento “chinês”. De 1999 a 2009, o fluxo de passageiros nos aeroportos do Brasil cresceu cerca de 10% ao ano. Em 2010, esse número bateu a casa dos 20%. A vitalidade do setor seria apenas uma ótima notícia, caso não tivesse trazido consigo uma diminuição da qualidade do atendimento nos aeroportos e dificuldades de infraestrutura sentidas tanto pelos passageiros no cotidiano dos aeroportos quanto pelas pesquisas realizadas nos últimos anos. Todas essas dificuldades serviram por sua vez para aumentar a discussão sobre a eficiência e a viabilidade da Gestão Pública no setor aeroportuário. Segundo a quase totalidade do especialistas no setor, os investimentos do Governo Federal nos aeroportos brasileiros ficou aquém do necessário. De 2003 a 2010, o Governo investiu pouco mais de R$ 8 bilhões, numa média de R$ 1 bilhão ao ano. Não foi suficiente. Um relatório recente do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) analisou a situação dos aeroportos com vistas à Copa do Mundo de 2014 e diagnosticou a necessidade de mais investimentos. Há gargalos em boa parte dos aeroportos do Brasil e 14 foram considerados em situação crítica. O Aeroporto Internacional Augusto Severo ganhou a etiqueta de “preocupante”. Todos esses dados fazem com que consultores e especialistas como José Wilson Massa defendam uma mudança na forma de gestão. As formas mais citadas são a concessão e a privatização, embora a última dependa ainda de mudanças na legislação para ser viabilizada. “A atual legislação brasileira não permite a privatização de aeroportos (ver art. 38 do Código Brasileiro de Aeronáutica), logo, somente restou ao Governo partir para as concessões, como já vem fazendo com estradas e portos”, diz José Wilson Massa. Independente da forma adotada, é quase consenso a necessidade de retirar do setor público a quase totalidade do comando dos aeroportos com grande fluxo no Brasil. Há 742 aeroportos públicos no país, sendo que em 149 destes há vôos regulares. Desses 149, apenas 67 são administrados pela Infraero, ou seja apenas 9% do total. “Este é um dos pontos-chaves a ser considerado, pois nesta parcela menor de aeroportos é que estão concentrados 97% da movimentação de passageiros e carga da aviação civil do Brasil”, diz José Wilson.

U

O fluxo de passageiros no aeroporto Augusto Severo cresceu,mas as poucas melhorias não foram suficientes para comportar a demanda

O terminal que está sendo construído em São Gonçalo do Amarante é modelo de gestão privada,mas com supervisão do poder público

A administração totalmente pública dos aeroportos é desaconselhada por especialistas porque a dinâmica do setor de aeroportos seria incompatível com as “limitações” naturais dentro do setor público. A gestão nos moldes da iniciativa, mas com supervisão pública seria o ideal. O professor da UFRJ, Respício Espírito Santo, acredita que o atual modelo é inoperante: “A Infraero em si não é culpada. O modelo centralizador, monopolista e anticoncorrencial no qual a empresa

está inserida é que já está mais do que ultrapassado. O modelo vigente é danoso ao sistema como um todo e incapaz de prover – com qualidade e eficiência – os serviços que a sociedade brasileira anseia e necessita”. O gargalo no setor aeroportuário brasileiro precisa ser tratado com urgência na visão do Governo Federal. A Câmara de Gestão e Competitividade, presidida por Jorge Gerdau, recebeu a presidente Dilma Rousseff a incumbência de estudar o setor e propor melho-

15

AVIAÇÃO X RECURSOS Investimentos nos aeroportos: R$ 1,088 bilhões

R$ 1,228 bilhões

2008

2009

R$ 1,307 bilhões

2010

Fluxo de passageiros: 113 milhões de pessoas

128 milhões de pessoas

2008

2009

154 milhões de pessoas

2010

O Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante foi o primeiro a ser modelado a partir de uma gestão privada. O leilão realizado na última segunda-feira foi vencido pelo consórcio Inframérica, formado pela empresa brasileira Engevix Engenharia e pela operadora argentina Corporación América, por R$ 170 milhões. Na prática, haverá em São Gonçalo um aeroporto público com a gestão de uma empresa privada, que terá metas a cumprir durante o regime de concessão. A expectativa é que o consórcio Inframérica invista cerca de R$ 650 milhões durante os 25 anos de concessão. Ao fim do período fixado no edital, o Aeroporto de São Gonçalo volta às mãos do poder público. Nesse caso, tanto poderá haver uma nova licitação para conceder novamente a operação do aeroporto quanto o Governo Federal poderá assumir a gestão. Consultores da área divergem sobre o assunto. O professor Hugo Ferreira Braga, do Centro Universitário Una em Belo Horizonte, acredita que São Gonçalo não será o modelo esperado. “Infelizmente citar o aeroporto de São Gonçalo do Amarante, bem como o de Porto Seguro, não é adequado para as demandas atuais do Brasil, em função do estrutura destes terminais, volume de passageiros e expectativas de crescimento no longo prazo”, opina. Já José Wilson Massa pensa o contrário: “a grande virtude da concessão do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante - RN é que se pensou grande em seu projeto. Será uma solução para o Nordeste do Brasil para os próximos 50 anos, no mínimo. E em termos de infraestrutura aeroportuária, não se pode planejar a curto ou médio prazo: é sempre a longo prazo”. Já o superintendente regional da Infraero no RN, Usiel Paulo Vieira, não há grandes problemas na administração de aeroportos no Estado. Apesar do status de preocupante, dado pelo estudo do IPEA, ele acredita não haver gargalos, a não ser nos horários de pico, como as madrugadas, onde o volume de passageiros é maior do que a estrutura disponível, causando filas e atrasos. Hoje a capacidade do terminal do Augusto Severo é de 4,2 milhões de passageiros por ano, segundo o superintendente. “Fala-se numa capacidade de 1,9 milhões de pessoas, mas essa é uma capacidade estática. A conta que fazemos é por hora. Hoje é possível processar 1,5 mil por hora”, diz, acrescentando que o movimento de 10 mil passageiros por dia. Entre uma e duas da manhã, a média fica em 1,6 mil passageiros por hora.

BATE-PAPO HUGO FERREIRA BRAGA » Pós-doutor em transportes pela Sauder School no Canadá

GESTÃO PRIVADA E PLANEJAMENTO Qual a causa dos gargalos nos principais aeroportos do Brasil hoje? A causa dos principais gargalos nos aeroportos brasileiros hoje é a falta de planejamento histórica e gestão pública. Somente em 2010, o setor de aviação cresceu 10% no país e até o mês de julho, 26%. Se por um lado, observamos a quebra da Varig, mas o início das operações de empresas como Gol, Webjet e Azul, para o pleno aten-

dimento das demandas consumidoras e passageiros (pelo crescimento econômico), do outro lado, não tivemos o investimento necessário em pistas, terminais de passageiros, terminais de cargas, segurança e gestão. A descentralização é um bom caminho? A descentralização é um excelente caminho. No entanto, para que a mesma seja ótima há a ne-

cessidade de que a gestão privada seja privada, com ampla supervisão pública. Gestão privada é sinônimo de investimentos em serviços adequados, mas com ampla competição. Isto significa que aeroporto privado deve ser acompanhado de outro terminal nas suas proximidades, para garantir uma política de preços adequada. Aeroporto adequado é aquele que tenha o terminal de passageiros e cargas, agregando serviços de alto ní-

vel, para a redução do seu custo fixo. Existem diversos exemplos no mundo, como os aeroprotos de Vancouver, Toronto, Schipol, Hamburgo, Atlanta, Dallas e Narita. Os“limites”da lei na administração pública são incompatíveis com a gestão dos aeroportos? Plenamente! A dinâmica do setor aeroportuário acontece na mesma velocidade dos executivos que pelos terminais aeroportuárioas trafegam ou na dinâmica dos próprios aviões (!) O modelo de gestão pública é lento para aten-

der um setor que vem crescendo entre 10 - 25% ao ano, com demandas para investimentos em toda a sua estrutura. Os recursos empenhados para os aeroportos em 2011 foram em torno de R$ 250 milhões e para as rodovias de R$ 44 bilhões, sendo que o valor agregado nos aeroprotos e a sua demanda por investimentos é infinitamente superior ao que o governo propõe. Hoje, os aeroportos operam no vermelho? Por que isso acontece? Atualmente, somente os aero-

portos do RJ, SP e Brasília operam no azul, devido ao volume de passageiros e cargas. A concepção pública para os aeroportos está meramente associada a movimentação de passageiros, como se estes fossem “rodoviárias de luxo”. Além das tarifas pagas pelos passageiros e empresas aéreas, há a necessidade de agregar os serviços de transportes, como foco em mobilidade urbana e serviços como redes hoteleiras, restaurantes, entre outros, para a redução do custo fixo e aumento das margens de contribuição.


16

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

17


18

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

JOSÉ MARIA VILAR

SUPERINTENDENTE REGIONAL DO BNB NO RIO GRANDE DO NORTE

Qual a diferença entre o BNB e um banco comum? O diferencial importante do Banco do Nordeste reside no fato de que, sem que se deixe de perseguir o financiamento de projetos que fazem sentido sob a ótica do retorno do investimento, assume a responsabilidade de contribuir para a criação de ambientes competitivos O banco tem o mandato bastante claro de estimular o investimento privado na Região Nordeste, contribuindo para o crescimento da região em níveis acima da média obtida pelo país como um todo, o que implica na redução das disparidades regionais. Faz isso quando ajuda a atrair grandes projetos para a Região Nordeste, mas também quando fomenta o surgimento de uma nova geração de empreendedores locais. Trata-se da busca de um crescimento inclusivo, na medida em que sua atuação implica no fortalecimento das micro e pequenas empresas e produtores rurais da região, que leva em conta as questões relacionadas à inovação, preocupação ambiental e a ética empresarial. Como desburocratizar o acesso ao crédito? O setor bancário, em geral, constitui um dos setores mais regulados e monitorados dentro do sistema econômico em qualquer país do mundo. Isso é explicado pelo papel crítico de intermediação financeira que eles exercem e pela capacidade que eles têm para, lastreado na confiança da sociedade em sua solidez, alavancar recursos para financiar as empresas, os consumidores e o ente público. Por conta desse fato, é natural que haja um alto nível de formalização de suas transações e, notadamente quando se trata de bancos públicos, de um maior grau de exigência de documentos e certificações (licenças ambientais, alvarás de funcionamento, certidões negativas, relatórios financeiros, etc.). Tendo como pano de fundo essa realidade, o Banco do Nordeste tem, no entanto, feito um grande esforço para prestar um serviço cada vez mais qualificado aos seus clientes, de forma a orientá-los melhor com relação ao atendimento das exigências de documentos e informações para acesso ao crédito. Embora reconheçamos que devemos sempre aperfeiçoar nossa atuação, o treinamento dos nossos gerentes e a melhoria de suas práticas vêm re-

NOSSO OBJETIVO É ESTIMULAR O CRESCIMENTO DA REGIÃO

O

Banco do Nordeste é uma instituição reconhecida em termos de gestão. No ano passado, o programa Agroamigo foi o segundo colocado no 15º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal, que premia as principais iniciativas em termos de Gestão Pública no país, em instituições federais. José Maria Vilar, superintendente regional do BNB no Rio Grande do Norte, falou sobre o Agroamigo e os métodos de trabalho do banco para conseguir resultados importantes. Segundo Vilar, a eficiência só é conseguida “com planejamento, gestão de relacionamentos e gestão de resultados”.

dundando em resultados que evidenciam uma maior agilização no processo de crédito, refletido no crescimento de 263,8% em 2010 no número de operações contratadas pelo banco apenas no Estado do Rio Grande do Norte em relação a 2003, quando passamos de 45,5 mil para 165,5 mil operações contratadas, e de 1.597% no volume de contratações no período, quando passamos de R$ 85,1 milhões para R$ 1.444,9 milhões. Contribuiu também para isso algumas simplificações feitas no processo de concessão de crédito, voltadas notadamente para as micro e pequenas empresas, dentre as quais destacamos a possibilidade de dispensa de garantias reais para operações com clientes que tenham responsabilidades inferiores a R$50mil, aumento de alçadas das agências, projetos bastante simplificados para pleitos de investimento de até R$200 mil, possibilidade de financiamento para investimento em itens isolados sem necessidade de projetos, desde que amparados em limites de crédito previamente aprovados para os clientes, dentre outras. O que é avaliado para saber se o programa teve sucesso? Do ponto de vista de um programa de crédito, a métrica mais imediata de avaliação é o volume de recursos destinado aos financiamentos das empresas beneficiárias que estão amparadas no referido programa. Assim, por exemplo, podemos

inferir como muito bem sucedido o programa de microcrédito urbano orientado, nosso Crediamigo, que tem evoluído de forma muito satisfatória no Estado do Rio Grande do Norte, ao alcançar um volume contratado em 2010 de R$ 122,5 milhões e 87,9 mil operações. Da mesma forma, observamos grandes progressos no financiamento do Programa Nacional da Agricultura Familiar, PRONAF, que respondeu por um valor contratado em 2010 de R$ 54 milhões, ou aqueles voltados para o segmento de micro e pequenas empresas e ao segmento de comércio e serviços, que atingiram patamares de contratações excepcionais. Ainda com relação à métrica para definir os resultados de um programa, reconhecemos a necessidade da realização de estudos de impacto, relacionados, por exemplo, ao aumento da geração de empregos e impostos, melhoria da qualidade de vida dos beneficiários, ampliação das vendas das empresas, etc. Nesse sentido, os estudos do pesquisador Marcelo Neri, da Fundação Getúlio Vargas, em relação ao Crediamigo, fornece um bom exemplo de metodologias de identificação de impactos, ao mostrarem uma correlação positiva entre o acesso sistemático pelos microempreendedores ao financiamento do Crediamigo e o aumento do padrão de renda e consumo dos beneficiários. Da mesma forma, o BNB, através do Escritório Técnico de Es-

tudos do Nordeste – ETENE, tem periodicamente publicado estudos de impacto do FNE, que mostram, da mesma forma, sua repercussão no crescimento da riqueza regional. Como garantir a efetividade das políticas? Com planejamento, gestão de relacionamentos e gestão de resultados. Tais práticas são ainda mais importantes quando se tratam de políticas públicas voltadas ao fortalecimento de pequenos negócios e, portanto, tendo como foco o empreendedor-cidadão. Não é possível ter sucesso nesse tipo de iniciativa se não houver uma ação articulada, integrada, que possa endereçar um conjunto de variáveis que podem mudar a realidade desse público. Tomemos como exemplo a questão da viabilização dos assentamentos rurais. A simples concessão de crédito, isoladamente, não torna sustentável o assentamento e os agricultores familiares ali estabelecidos, havendo a necessidade de que sejam tratadas, simultaneamente, questões relacionadas à assistência técnica, acesso a mercados e ao crédito, gestão do negócio, etc., e associando essas ações a outras políticas públicas de acesso à saúde, educação, dentre outras. Da mesma forma, do ponto de vista dos micro e pequenos negócios localizados em Arranjos Produtivos Locais, observa-se a necessidade do mesmo padrão de intervenção, com ações cooperati-

SÓ PODEMOS GARANTIR EFETIVIDADE NAS POLÍTICAS COM PLANEJAMENTO, GESTÃO DE RELACIONAMENTOS E GESTÃO DE RESULTADOS”

A GESTÃO DO PROGRAMA TEM COMO PREMISSA BÁSICA O ACOMPANHAMENTO DE INDICADORES DE DESEMPENHO”

vas que levem em consideração diversos aspectos que, conjugados, conferem condições de competitividade a tais segmentos. O Agroamigo é um programa premiado em termos de gestão. O que o senhor destaca sobre esse programa? O Agroamigo é o programa de Microcrédito Rural Orientado, inspirado na experiência revolucionária do Crediamigo, que é o Programa de Microcrédito Urbano Orientado. Ele agrega à forma tradicional de conceder crédito uma sistemática de acompanhamento e capacitação aos agricultores familiares, que começa desde a seleção dos beneficiários. No processo de seleção, os assessores de Agroamigo, que são os colaboradores do programa responsáveis pelo acompanhamento de uma carteira de clientes, deslocam-se para as comunidades, atendendo os produtores em seus locais de origem, individualmente ou através de palestras informativas, realizadas nas próprias comunidades com grupos de produtores, em que são repassadas informações sobre o crédito, direitos e deveres dos produtores, importância da pontualidade e conseqüências do não pagamento da dívida e disseminação de informações sobre aspectos ambientais e sensibilização para a importância da poupança por parte da família, dentro de um processo de educação financeira. A gestão do programa tem como premissa básica o forte acompanhamento de indicadores de desempenho, com adoção rápida de ações de forma descentralizada, que permite que sejam corrigidos possíveis resultados negativos, em curto prazo. Para isso, foi criada em cada estado uma gestão estadual, descentralizada, além de coordenações em cada agência. Além disso, foi criado um programa de ação, composto por 10 variáveis, que permite categorizar os assessores de crédito por desempenho, permitindo o efetivo acompanhamento do seu desempenho, tanto sob os aspectos quantitativos quanto no que diz respeito à qualidade de sua carteira. Todo o crédito é concedido de forma orientada e acompanhada, com visitas antes e após a concessão do crédito, por parte dos assessores de crédito. Outro diferencial é que todos os assessores têm formação como técnicos agrícolas.


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

19

A GESTÃO DE PESSOAS E OS RESULTADOS ALCANÇADOS MOTIVAR E GARANTIR QUALIDADE DE VIDA AOS SERVIDORES DE CARREIRA DOS DIVERSOS ÓRGÃOS, É ITEM FUNDAMENTAL PARA O SUCESSO DO TRABALHO omeço de governo. Todo mundo sabe o que acontece. Coordenadores, diretores, ligados à administração anterior, são exonerados para dar espaço a novos indicados. O processo é corriqueiro. O que quase ninguém imagina é como ficam os funcionários que não estão à mercê das periódicas trocas políticas no comando da administração. Em todo órgão, há uma parcela de funcionários de carreira que, com o passar dos anos, precisa conviver com diferentes chefes nos seus setores, a maior parte deles indicados pelo partido no poder. Frente a isso, cabe à administração conseguir gerir esses funcionários da melhor forma possível. Seleção, treinamento, avaliação de desempenho, pagamento, etc. Esses são os principais processos presentes em um setor de recursos humanos. A Gestão de Pessoas, contudo, traz um conceito mais amplo, subjetivo, indo além dos passos burocráticos de delegar função, avaliar e cobrar resultados. Não que isso não seja importante. São pontos fundamentais. Mas a Gestão de Pessoas se preocupa também com outros fatores. “Quanto o funcionário vai ganhar? Isso é importante? Claro que é importante. Um funcionário bem pago tem mais motivação, fica mais satisfeito. Mas não se trata somente disso. É garantir qualidade de vida e investir no desenvolvimento pessoal do funcionário”, explica o professor da UFRN, José Arimatés, doutor em Gestão de Pessoas. O conhecimento dos princípios dessa gestão se torna ainda mais importante, para o setor público brasileiro, quando se vê a prática comum no Brasil: o fim de um governo significa a substituição de boa parte dos cargos de chefia nas secretarias, autarquias, fundações, etc. O professor José Arimatés dá dois exemplos do que pode acontecer de errado nesse processo: o novo chefe comummente ou chega ao serviço público com o pensamento de ser rígido e dessa forma acaba se transformando em um “carrasco”; ou faz vistas grossas e deixa passar tudo, sem cobrar resultados. É preciso equilibrar a balança.

C

A preocupação com a qualidade de vida e com a motivação dos servidores deve ser uma premissa das organizações.Motivados,eles produzirão com melhores resultados

Essa distorção na forma como alguns chefes tratam os servidores tem, em grande parte, raiz em uma visão bastante comum. Quem nunca ouviu alguém dizer “funcionário público não trabalha”? “Esse é um estigma comum e qualquer pessoa precisa levar isso em consideração. Os próprios funcionários públicos são afetados por essa visão. Se o líder, o chefe de setor, não tiver cuidado, pode enveredar por esses dois lados: ou ser carrasco ou ser omisso”, aponta Arimatés. Para o professor da UFRN, o sucesso em uma organização depende da promoção de um clima favorável e a formação de uma cultura que propicie a produtividade. Não se trata de impor e muitas das mudanças têm um caráter subjetivo. As especificidades do funcionalismo público, na visão de José Arimatés, não são impeditivo. “É perfeitamente possível

obter um bom clima organizacional dentro do serviço público. A saída é o gestor dar a atenção que os servidores merecem. Não estamos mais em um serviço público autoritário”, diz o professor. Clima organizacional, cultura organizacional, motivação, gestão participativa. Todos esses são conceitos importantes para promover um ambiente de trabalho saudável e produtivo. O clima organizacional é o ambiente que reina no trabalho. “Isso depende da relação entre funcionários e chefes e entre funcionários e os outros chefes. Muitos chefes não têm o traquejo do líder e não vêm com a idéia de promover uma gestão participativa”, diz. Já a cultura organizacional diz respeito a fazer com que os trabalhadores entendam a importância do seu trabalho para a equipe e dêem a sua contribuição. A motivação é um aspecto fundamen-

tal, ainda que subjetivo, para o sucesso na organização. “As pessoas se comprometem de acordo com seus objetivos pessoais. Podem ser afetivos, financeiros ou simplesmente pode haver a acomodação”, complementa. Tudo isso resulta num aspecto ainda mais subjetivo, de difícil definição: qualidade de vida. “Não é fácil definir qualidade de vida, porque o que é confortável para mim não necessariamente é confortável para outra pessoa”, diferencia. José Arimatés também acredita que o estigma do funcionário público improdutivo está cada vez mais longe da realidade. “Com a coqueluche dos concursos públicos, sempre muito concorridos, os selecionados estão cada vez mais bem preparados e distantes dessa concepção de improdutividade. Vejo mudanças significativas nesse ponto nos últimos tempos”, encerra.

SE OS CHEFES DOS SETORES, NÃO TIVEREM CUIDADO, PODEM ENVEREDAR POR DOIS LADOS: OU SER CARRASCO OU SER OMISSO”

ESPECIALISTAS CRITICAM EXCESSO DE INDICAÇÕES POLÍTICAS A influência da indicação de cargos por partidos políticos é um dos pontos mais criticados por especialistas em gestão pública. Poucos questionam a validade em si do procedimento, contudo criticam o excesso de cargos comissionados. Nessa perspectiva, os especialistas dizem ser legítimo o ato de preencher cargos com “pessoas de confiança”. O que distorce o sentido dessas indicações é a quantidade de comissionados. As críticas são dirigidas a duas supostas conseqüências dessa prática: uma é política, com o loteamento de cargos entre partidos aliados; a outra é administrativa, pois as indicações nem sempre seguem padrões técnicos e o resultado é gestores “amadores” em cargos de chefia dentro da administração pública. Há ainda um terceiro aspecto, que é a desmotivação dos funcionários de carreira. O jornalista e diretor da ONG Transparência Brasil, Cláudio Abramo, é um dos principais críticos das relações políticas concretizadas a partir da indicação de cargos de chefia. Para Abramo (veja entrevista na pág. 21), a quantidade de cargos à disposição do poder executivo para pessoas comissionadas dá margem para muitos problemas.

“Essa indicação faz com que os partidos invadam a administração e isso faz com que essa repartição não possa evoluir funcionalmente”, diz. E complementa: “Claro que alguns cargos são necessários, muito poucos. Mas é preciso uma diminuição brutal dessa indicação política”. O problema administrativo é a desmotivação dos funcionários de carreira, além da inabilidade de alguns chefes comissionados. “É importante que haja gente de carreira nas chefias e que a administração não traga todos os cargos de fora. Se o funcionário percebe que, mesmo com a indicação política, ele também pode atingir um cargo de chefia, com certeza irá trabalhar com mais dedicação”, explica José Arimatés. Do contrário, o funcionário de carreira se acomoda, pois não vê perspectiva de ascensão. Não é difícil também encontrar gestores indicados por partidos sem aptidão para o cargo que ocupa. Esse é um ponto negativo, porque impede a profissionalização do serviço público. “Profissionalizar o serviço público é fundamental para fazer uma gestão funcionar. A meritocracia precisa ser implantada”, explica a professora da UFRN, Arlete Duarte. Segundo os princípios da me-

✱ CARGOS NO RN 112.104

1 729

Funcionários da administração direta no estado e nos municípios

Funcionários da administração indireta no estado e nos municípios

73.720

169

Servidores públicos

Servidores públicos

4.860

1 325

Trabalhadores com vínculo CLT

Trabalhadores com vínculo CLT

13.304

113

Comissionados

Comissionados

2.114

54

Estagiários

Estagiário

18.106

68

Sem vínculo permanente

Sem vínculo permanente Fonte:IBGE (2009)

ritocracia, a capacidade técnica do funcionário tem maior peso na hora de definir a promoção a cargos de chefia do que a “amizade” com dirigentes partidários e políticos.

Poucos são os observadores qualificados da realidade política e administrativa que não vejam nesse excesso de politização partidária um problema.

EM ALGUNS CARGOS ELAS SÃO NECESSÁRIAS.MAS É PRECISO UMA DIMINUIÇÃO BRUTAL DESSAS INDICAÇÕES POLÍTICAS” JOSÉ ARIMATÉS Professor da UFRN

HISTÓRICO

Década de 30 Implantação dos primeiros cargos e carreiras na administração federal.Essa data também é marco da preocupação com a profissionalização e capacitação dos servidores, com a criação do Departamento Administrativo do Serviço Público (Dasp). Durante a existência do Dasp, foram implantados concursos públicos,criados órgãos para atuar em variados setores, normas e estatutos. Décadas de 60 e 70 Entre os anos 1960 e 1970,a maior mudança na administração pública ocorreu na organização da administração federal e a reforma administrativa. Muito do que foi estabelecido nesse período permanece até hoje,como,por exemplo,a divisão entre administração direta e indireta e a divisão de alguns ministérios e respectivas áreas de competência. Foram instituídos princípios como a descentralização de atividades,a coordenação e planejamento de ações, mecanismos de controle e a delegação de competências. Anos 90 O início dos anos 1990 é marcado pelas privatizações, pela extinção de vários órgãos e implantação de planos de demissão voluntária5.No fim dessa década,são retomadas as contratações em setores específicos,mas o quantitativo total de servidores cai ou permanece estável.Nesse período,foi instituído o Regime Jurídico Único dos servidores,em 1990.São características desse período:aumento significativo do quantitativo de cargos organizados em carreiras do serviço público federal;fortes distorções de remuneração,resultando em pressões pela reposição de perdas salariais. Fonte:Enap


20

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

Um dos principais objetivos dos cursos de capacitação deve ser a criação de competências e não apenas o mero treinamento para o exercício de determinada atividade. As organizações precisam estar atentas

CAPACITAÇÃO GERA EFICIÊNCIA CIENTES DA IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DE PESSOAL ESPECIALIZADO, UNIVERSIDADES E GOVERNOS ESTÃO INVESTINDO NA OFERTA DE CURSOS VOLTADOS PARA A GESTÃO DE ORGANIZAÇÕES ntre os esforços necessários para dar mais eficiência ao trabalho dos gestores, a capacitação é um aspecto fundamental. Com o passar do tempo e o aumento das exigências no trabalho cotidiano dos técnicos e burocratas das administrações, tornou-se indispensável investir na formação de competências. Ao mesmo tempo, o número de cursos direcionados para a gestão pública teve um aumento significativo nos últimos anos. O resultado disso é que há várias opções para quem quer se capacitar, tanto nas faculdades e universidades quanto no próprios governos. As escolas de governo são o ambiente criado pelo poder público, tanto a nível federal quanto nos

E

Estados, para promover a capacitação dos servidores públicos. A sua origem é a Escola Nacional de Administração Pública, cuja criação data de 1986. À época, o então ministro da Administração, Aluízio Alves, promoveu a criação da Escola para “promover, elaborar e executar os programas de capacitação de recursos humanos para a Administração Pública Federal, visando o desenvolvimento e a aplicação de tecnologias de gestão que aumentem a eficácia, a qualidade e a produtividade permanente dos serviços prestados pelo Estado aos cidadãos”, segundo o texto do decreto. Contudo, a preocupação com a importância de capacitar o servidor público só ganhou mais re-

levância por parte dos governos estaduais, principalmente, na primeira década do século XXI. A partir dessa data, as escolas de governo estaduais foram sendo criadas, seguindo experiência pioneira em São Paulo. No RN, a Escola de Governo foi criada em 2007. De lá para cá, capacitou cerca de 300 servidores em nível superior e 200 servidores em pós-graduação, segundo dados oficiais. De acordo com o professor da UFRN, José Arimatés, doutor em Gestão de Pessoas, capacitar é criar competências. Existe uma diferença com relação a treinar. Ele dá um exemplo: “Se treino um funcionário em uma máquina específica que existe na minha empresa, esse conhecimento não se-

rá aplicado em outros lugares. O funcionário sai da empresa depois e não tem como usar aquele conhecimento em outro lugar. Capacitar é outra coisa. É investir no desenvolvimento humano do funcionário”, explica. Dentro da Escola de Governo do RN, existem duas áreas de ação: há cursos de formação escolar, como aqueles de nível superior e pósgraduação em gestão pública; e os cursos livres, como de informática básica, inglês, redação oficial, etc. A perspectiva da direção da escola é colocar em prática a partir de 2012 a formação dos servidores em quatro eixos: básico, gerencial, aperfeiçoamento e atualização. Segundo Giovani Carvalho, diretor da Escola, a intenção é criar

TEM QUE HAVER ESSES DOIS FATORES: SER ÚTIL AO SERVIDOR E À ADMINISTRAÇÃO TAMBÉM ” GIOVANI CARVALHO Diretor da Escola de Governo

ESCOLA DE GOVERNO GANHA NOVO PRÉDIO Um dos investimentos recentes do Governo do Estado foi a construção do prédio da Escola de Governo, localizado no Centro Administrativo, ao lado da Secretaria Estadual de Administração. A previsão de entrega está fixado em dezembro desse ano. Iniciadas no segundo semestre do ano passado, as obras da Escola de Governo representam investimentos da ordem de R$ 10,8 milhões. O prédio da Escola de Governo tem 7.000 metros quadrados de área construída e contará com 10 salas de aula, laboratório de informática, arquivo para documentos históricos, estacionamento para 650 veículos e a segunda maior biblioteca co país especializada em Administração Pública. A Escola de Governo terá também auditório modular onde poderão acontecer quatro eventos simultâneos para 500 pessoas cada, ou um de grande porte para 2.000 pessoas. Se por um lado os próprios governos passaram a investir na capacitação dos seus servidores, por outro o número de cursos para quem deseja trabalhar com gestão pública nas faculdades e universidades também cresceu. O fato é relativamente recente e, segundo especialistas, teve como marco a reforma gerencial de 1995. A nova postura frente à gestão pública acabou por provocar um aumento considerável da atenção que as universidades e os professores da área de administração dedicavam ao tema. Foi o que

possibilitou esse crescimento. Hoje, há várias ofertas de cursos em Natal, tanto em instituições privadas quanto públicas. A UFRN, por exemplo, mantém um Programa de Pós-graduação em Gestão Pública, onde se ministra um mestrado profissional. Em termos de graduação, a Universidade tem o curso de Administração Pública, realizado à distância, uma vertente forte na formação de gestores. Parte dos cursos oferecidos no Brasil hoje em gestão pública é à distância. Em outra vertente, está o curso de Gestão em Políticas Públicas, também da UFRN. Lá, os alunos adquirem a competência de formular e implementar políticas públicas. Entre as faculdades particulares, a Unp e a Farn mantém cursos com aplicações na gestão pública. Segundo o professor Aloísio Dantas, coordenador na Farn, os princípios da gestão pública e privada são semelhantes, o que propicia a aplicação de conhecimentos iguais nas duas áreas. “Gestão de pessoas, gestão hospitalar, gestão de turismo. São áreas comuns entre o público e o privado. Mas claro que o gestor público precisa ficar atento a uma série de especificidades”, diferencia. “A formação específica em cursos de gestão é fundamental para que o gestor possa trabalhar com eficiência a aplicação das políticas públicas. Vários alunos procuram, das mais diferentes formações. Os estudos sobre gestão são interdisciplinares”, encerra.

cursos que também contemplem as necessidades da administração. “Tem que haver esses dois fatores: ser útil ao servidor e à administração também. Temos necessidade de capacitar em pontos específicos, como gestão de patrimônio, compras governamentais, economia, etc. Criaremos cursos sob demanda da administração”, explica Giovanni. O curso básico irá contemplar redação oficial, informática, línguas estrangeiras, entre outros pontos. Já na parte gerencial o funcionamento da administração será o foco. Gestão de pessoas, patrimônio, financeiro, tecnologia da informação, etc. O aperfeiçoamento será feito sob demanda em áreas muito específicas, como economia, direito, contabilidade, etc. A atualização terá seminários, palestras, fóruns e outros espaços de debate. A Escola de Governo, ligada ao executivo estadual, não é a única iniciativa do poder público para capacitar os seus servidores. A Assembléia Legislativa, a Câmara Municipal de Natal, o Tribunal de Contas do Estado e o Judiciário têm as suas próprias escolas para capacitar os seus servidores. Temas específicos, como saúde e educação, são tratados em escolas de gestores próprias, principalmente a partir de iniciativas do Governo Federal.

BATE-PAPO » José Arimatés Professor da UFRN

“É preciso investir em pessoas” Qual a importância da capacitação? É fundamental. Impossível obter uma ambiente com eficiência numa organização pública sem investir em capacitação. Nesse ponto, é sempre importante frisar a diferença entre treinar e capacitar. Capacitar é algo mais amplo.

O professor Mizael Barreto é diretor do Instituto do Legislativo Potiguar,ligado à Assembleia Legislativa

INSTITUTO LEGISLATIVO TEM 2 MIL ALUNOS A Assembleia Legislativa do RN faz um trabalho semelhante ao da Escola de Governo, mas com o foco voltado para os seus próprios servidores. Efetivado em 2009, o Instituto do Legislativo Potiguar tem atualmente mais de dois mil alunos, em todos os cursos oferecidos, de acordo com o diretor Mizael Barreto. Nem todas são vinculadas à Assembleia. De acordo com a proposta do Instituto, as vagas remanescentes são destinadas aos dependentes dos servidores e à comunidade em geral.

No Instituto são oferecidos cursos de formação escolar, como Ensino Médio e Ensino Superior, além da pós-graduação, e também os cursos de livres de atualização e formação. Há cursinhos para o vestibular e escola de línguas também. Segundo o diretor Mizael Barreto, a intenção é elevar o nível de qualidade no trabalho interno externo dentro da Assembléia. “Investir na capacitação do servidor é investir na Instituição”, diz. Na última semana, o Institu-

to do Legislativo Potiguar inaugurou mais curso de especialização, dessa vez com foco na Gestão Pública. O curso anteriormente oferecido se detinha na área da administração legislativa. “O curso de Gestão Pública é mais amplo. A primeira turma do curso de administração legislativa se formará no final do ano”, diz o professor Mizael. Serão 120 vagas, com duas turmas. A primeira inicia o trabalho no dia 15 de setembro e a segunda no primeiro semestre de 2012.

Quais as diferenças? Dou um exemplo. Uma empresa gráfica treina um funcionário para lidar com determinada máquina. Mas aquela máquina só existe naquela empresa. Se um dia o funcionário sair ou for demitido, esse conhecimento não será utilizado em nenhum outro lugar. Servia só para aquela empresa, aquela organização. A capacitação não está ligada somente às necessidades da organização? Capacitar é investir nas pessoas, é fazer com que elas criem competências. Quando o Estado capacita o seu servidor, ele está investindo no desenvolvimento humano daquela pessoa, o que consequentemente irá frutificar em melhorias para a própria organização.


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

21

CLÁUDIO ABRAMO

DIRETOR-PRESIDENTE DA ONG TRANSPARÊNCIA BRASIL

Quais as esferas mais e menos transparentes no Brasil hoje? A área federal é sempre menos opaca. As condições não são iguais em todo tipo de órgão. Embora haja avanços no executivo, isso não se dá uniformemente. Por transparência, aliás, estou entendendo a disponibilidade de informações. O Ministério Público é a instituição mais opaca do país. Não se conhece nada, tanto no federal quanto nos estaduais. É muito pior que o Judiciário. Trata-se de uma área onde não existe nenhuma informação para se avaliar qual a eficiência do Ministério Público. Podemos concluir dessa sistemática omissão de informações que eles não são eficientes e estão escondendo isso. Como é possível avaliar a eficiência? Você tem diversos indicadores de desempenho para se saber a eficiência das instituições. No caso do Ministério Público, por exemplo, quantos processos e ações do MP são rejeitados pelo Judiciário? Quantos não são? Do total de ações, quantas ações o MP ganha, pelo menos na primeira e segunda instâncias? Não se sabe disso. E como não se sabe, é possível que uma instituição de um determinado estado tenha uma taxa baixíssima de sucesso, de modo que não se justifique nem a sua existência. Esse é o tipo de informação fundamental que não se tem. Não há um acompanhamento sistemático da eficiência dos promotores. Eles não são acompanhados e uns são mais competentes do que outros. Os incompetentes, sem fiscalização, continuam trabalhando. A falta de transparência é maior com relação às contas públicas ou à execução das políticas? O acompanhamento das contas têm melhorado bastante, nos Governo Federal principalmente. Não saberia dizer como está a situação em todos os Estados. No nível federal, há bastante transparência no que diz respeito à execução orçamentária, do ponto de vista contábil. Os processos decisórios são ainda muito pouco transparentes. Se essas decisões não são acompanhadas de uma verificação sistemática – para se saber o que motivou determinadas decisões – abre-se a porta para arbitrariedades. Nesse ponto, o Governo Federal ainda está atrás. Por sua vez, nos Estados e Municípios há o caos. Não há acompanhamento nenhum. A administração pública é

NÃO HÁ SENTIDO EM PARTIDO POLÍTICO CONTROLAR SECRETARIA

C

láudio Abramo se opõe a quase todos os princípios de gestão institucionalizados nos últimos anos. Para o diretor-presidente da Transparência Brasil, organização que luta para disponibilizar informações dos governos para o público, a melhoria do Estado brasileiro só será alcançada após uma mudança profunda nas práticas atualmente em vigor, a começar pela influência dos partidos políticos na administração. Na entrevista, Cláudio Abramo critica alguns dos mecanismos mais celebrados por acadêmicos e previstos na legislação. Controle social, descentralização, organizações sociais, flexibilização da lei de licitações. Esses são alguns dos assuntos que Abramo aborda, sempre na contramão dos discursos oficiais. muito mal administrada.

NÃO HÁ UM ACOMPANHAMENTO SISTEMÁTICO DA EFICIÊNCIA DOS PROMOTORES.ELES NÃO SÃO ACOMPANHADOS E UNS SÃO MAIS COMPETENTES DO QUE OUTROS”

É PRECISO UMA DIMINUIÇÃO BRUTAL DESSAS INDICAÇÕES POLÍTICAS.ELAS FAZEM COM QUE OS PARTIDOS INVADAM A ADMINISTRAÇÃO”

Qual seria a situação ideal em termos de transparência? Para que se tenha um melhor acompanhamento e eficiência nas decisões públicas, o mecanismo administrativo precisa sofrer profundas transformações. A primeira delas é eliminar a influência dos partidos políticos na administração pública. Isso é possível proibindo o presidente da República, governadores e prefeitos de nomear cargos de confiança nas repartições públicas. O senhor é a favor da extinção do cargo de confiança? Não completa. Claro que alguns cargos são necessários. Mas é preciso uma diminuição brutal dessa indicação política. Essa indicação faz com que os partidos invadam a administração e essa repartição não evolui funcionalmente. O funcionário de carreira sabe que se não se acertar com o partido político ele não vai crescer. Não há sentido em partido político ficar controlando secretaria. Também gera descontinuidade de políticas dentro das secretarias,por exemplo? Sim, mas isso é outro problema. É um problema político. Acontece porque o Poder Legislativo toler, depois de ter sido comprado pelo Executivo com a distribuição de cargos. É um negócio. Os deputados e vereadores acabam cooptados para não reclamar. Isso é gravíssimo, destrói

a administração pública e a vida política também. A distribuição desses cargos com critérios políticos é geradora de ineficiência, além de corrupção.

Flexibilizar, nesse caso, é uma forma de burlar a lei? Exatamente. Os gestores querem mais formas de burlar a lei, quando dizem isso.

Essa corrupção é fruto de falhas na legislação? Os cargos são distribuídos porque está na lei e não porque é cultural. São falhas na legislação e no processo administrativo. A corrupção tem causa objetiva, assim como as ineficiências em geral. Isso acontece por conta do arcabouço jurídico, porque a lei é contraditória ou ineficaz, permissiva, omissa. Há também o problema administrativo, que não recebe muita atenção. É preciso aplicar o que está escrito e isso se faz administrativamente. Você tem o problema institucional e gerencial. Cultura não entra nisso aí. Cultura é conseqüência dessas coisas. Falam em cultura pra fingir que estão falando alguma coisa. A corrupção e a ineficiência só podem ser resolvidas de forma objetiva.

Como dar mais eficiência e transparência às licitações? Nas áreas mais desenvolvidas – uma empresa como a Sabesp, por exemplo – há acompanhamento de preço. Você não sai para comprar uma cadeira e paga o primeiro preço que aparece. Você vai querer saber os outros preços. Faz-se uma concorrência e aparecem preços 20%, 30%, até 100%, mais caros que o preço de mercado. Para a administração saber disso, precisa acompanhar os preços de mercado. Agora, quando se faz conluio para combinar preço, sempre há a conivência do administrador. Não existe cartel em contratações públicas sem conhecimento do administrador. Aí o administrador é o cara do partido. São organizações criminosas, na acepção da palavra.

Em relação à lei de licitações, fala-se em reforma. O que o senhor acha disso? Quem fala muito? Os gestores, que querem ter mais liberdade de decisão, e as empreiteiras...

O que o senhor acha da contratação de Organizações Sociais para prestarem serviços públicos? Isso está sendo abusado. Estão sendo contratadas OSs para fazer todo o trabalho da administração. E essas OSs não precisam seguir todas as normas de contratação, por exemplo, que a administração direta precisa. Isso tem sido usado para fraudes, em muitos casos. Essa questão das OSs não está sendo bem acompanhada. Existem prefeituras que terceirizaram toda a adminis-

Fala-se em flexibilização... Muito gente fala isso, mas por maus motivos. Quanto mais flexível, mais fácil para direcionar para uma empresa amiga. A lei de licitações brasileira não precisa de reforma, mas alguns ajustes.

tração. O beneficiário costuma algum laranja, um parente, o papagaio da mulher do prefeito. Isso é um problema sério. Eu acho que a terceirização das funções do Estado por Organizações Sociais precisa ser acompanhada de melhores mecanismos de controle. O Controle Social é uma saída? Isso não funciona. O que significa controle social? O cara do botequim? Isso não quer dizer nada. As OSs precisam ter mais de 50% do seu conselho formado por pessoas da comunidade. São cooptados. Imagine um município onde não há atividade econômica, o que acontece com 40% dos municípios brasileiros. O cara da comunidade é cooptado pelo prefeito, não tem outra saída, já que a comunidade depende do poder público pra viver. Não há atividade econômica, os empregos saem todos da administração pública. Os conselhos gestores de políticas públicas não funcionam por este motivo. Controle Social é uma forma de não ter controle. Claro que é preciso ter controle social quando é viável. Mas em alguns casos é inviável e não adianta insistir. Qual a solução? É o tipo da coisa que não tem solução. Porque a Constituição Brasileira atribui um grau que não tem igual no mundo de autonomia aos municípios. Eles têm 100% de autonomia, quando 40% dos municípios dependem de repasse federal para 90% dos seus orçamentos. Não tem atividade econômica. Não há contraditório político, nem entre capital e trabalho. Nesses 40% de município, é ridículo falar em Controle Social. O senhor é contra a descentralização? Eu sou contra. Os controles precisam ser centralizados, se o controle local não acontece. Isso não acontece somente nos municípios. Há estados no Brasil, como Alagoas e Sergipe, que não conseguem sobreviver de forma autônoma. Se o dinheiro não é gerado localmente, não pode ser administrado localmente. Tem que haver o repasse, agora esse repasse sem contrapartida do ponto de vista do controle é absurdo. A Constituição Brasileira estipulou o Controle Social nesses casos, através dos conselhos. Mas eles são inoperantes.


22

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

23

Para a professora do Departamento de Políticas Públicas da UFRN,Lindijane de Souza,os canais de participação popular existem e são fundamentais para a plena aplicação dos princípios da gestão pública

BATE-PAPO

PARTICIPAÇÃO SOCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO

Lindijane de Souza »Professora da UFRN

Sociedade tem que participar do processo

MECANISMOS DE PARTICIPAÇÃO, COMO OS CONSELHOS GESTORES, AS AUDIÊNCIAS PÚBLICAS E AS CONFERÊNCIAS NACIONAIS FORAM CRIADOS PARA DAR VOZ À PARCELA DA POPULAÇÃO QUE ANTES NÃO ERA OUVIDA que uma sociedade pode desejar logo após sair de um longo processo de ditadura e autoritarismo? Participação. Poder falar o que antes era obrigatório calar. Esse foi um dos anseios atendidos pela Constituição de 1988 e largamente utilizado nos anos seguintes. Em teoria, o que antes era decidido de forma centralizada, levando em conta somente o desejo da gestão, agora teria de ser compartilhado com setores da sociedade civil organizada. Para isso, foram criados mecanismos de participação social, como os conselhos gestores, as audiências públicas e as conferências nacionais. Apesar da instituição de vários canais de participação popular, mais de 20 anos depois da guinada democrática da Constituição brasileira a efetividade dessa política ainda é questionável. Um dos principais mecanismos de controle social, os chamados conselhos gestores, por exemplo, tem dificul-

O

dades para funcionar a contento na maioria dos municípios brasileiros, principalmente os de pequeno porte. O problema é suficiente para que alguns observadores da gestão e das políticas públicas no Brasil, como o jornalista Cláudio Abramo, não apóiem a idéia. Contudo, ainda há quem defenda o controle social. Para a professora do Departamento de Políticas Públicas da UFRN, Lindijane de Souza, os canais de participação existem, e são fundamentais para a gestão pública após 1988, mas é necessário aferir a efetividade desses espaços. “Os canais existem, mas é preciso entender a qualidade dessa participação. A sociedade realmente está representada? A participação social é efetiva? Posso dizer que há experiências exitosas, mas também há dificuldades em muitos locais”, explica Lindijane, que coordena atualmente uma pesquisa sobre os conselhos municipais de saúde na Região Metropolitana de Natal. Além das audiências públicas

e das conferências nacionais, os conselhos gestores são os principais instrumentos de participação social em uma gestão. Eles existem para participar da formulação das políticas públicas e para fiscalizar o poder executivo. Em sua composição, obrigatoriamente é necessário haver paridade: 50% de representantes do governo, seja ele municipal, estadual ou federal; e 50% de representantes da sociedade, sem vínculos com o governo em questão. Apenas os temas relacionados a políticas sociais, com repasses de verbas federais, têm a obrigatoriedade de conselhos gestores. Educação, saúde, assistência social são exemplos. Contudo, nada impede os governos estaduais e municipais de criarem conselhos para a defesa de minorias, por exemplo, ou para a gestão da Cultura. E eles criam. Todas as cidades do Brasil precisam ter os conselhos relacionados a repasses federais, como em saúde ou educação. Isso faz com que a mé-

dia, segundo dados do IBGE, seja de mais de 4 conselhos por município, o que, no total, supera os 20 mil conselhos gestores em todo o país. No Rio Grande do Norte, essa proporção é ainda maior. O mesmo IBGE mostra que há 853 conselhos gestores no Estado, o que significa cerca de cinco conselhos por município. Os dados são de 2009. A profusão de canais de controle social não significa necessariamente qualidade nessa participação. Os conselhos têm várias dificuldades. Para a professora Lindijane de Souza, a primeira delas é a falta de capacitação dos gestores. “Há casos em que os conselheiros não detém conhecimento técnico suficiente para atuar de forma adequada. Muitos não sabem qual é o seu papel. Estão ali porque forma designados por alguma entidade e não conseguem exercer o seu papel, que é muito importante”, explica. Outro ponto comummente alegado é a influência do poder públi-

co nas decisões dos conselhos. Teoricamente, o funcionamento do controle social é independente. Mas há desvios. Exemplo: numa cidade pequena, onde não há atividade econômica (emprego) para todos, toda a população depende, mesmo que indiretamente, dos gestores para sobreviver. Como um conselheiro poderá fiscalizar e tomar decisões independentes se ele tem um parente, por exemplo, com emprego na Prefeitura? “Sabemos que isso acontece e dessa forma o Conselho não consegue realizar o seu papel de forma adequada”, lamenta Lindijane. Para Marcos Dionísio Medeiros, militante do controle social que já passou por diversos conselhos, os gestores públicos por sua vez não dão a importância devida aos conselhos: “Eles não colocam prioridade a sua participação e relegam as cadeiras cativas do poder público ao segundo ou terceiro escalão e não tentam materializar as políticas públicas gestadas nesses conselhos”.

FUNCIONAMENTO DO CONSELHO DE SAÚDE É MODELO Para entender melhor como funcionam os conselhos gestores, tomemos o exemplo do Conselho Estadual de Saúde. Ele tem metade da sua estrutura formada por representantes dos usuários. O restante é de representantes de trabalhadores de saúde e do Governo do Estado. A missão do Conselho é deliberar as políticas públicas e fiscalizar a gestão, principalmente no que diz respeito à execução das ações de saúde. “A parte de contas também é feita, mas para isso há também os órgãos de controle, como o Tribunal de Contas. Somos aqui como a “assembléia legislativa” da saúde”, diz Francisco Canindé dos Santos, presidente do CES/RN. Entre as principais atividades está a aprovação do planejamento da Secretaria Estadual de Saúde. O Plano Estadual de Saúde e o Plano Plurianual, onde a gestão diz quais as diretrizes e ações para os quatro anos seguintes, são aprovadas no Conselho. Trimestralmente, além disso, as contas da Secretaria passam pelos conselheiros para a aprovação. No fim do ano, as contas anuais passam pelo CES antes de ir para a Assembléia Legislativa. Existem outras atribuições. À época da entrevista, os conselheiros haviam feito uma vistoria no Hospital Alfredo Mesquita, de Macaíba, que havia sido fechado.

NÓS CONSELHEIROS NÃO TEMOS REMUNERAÇÃO ALGUMA DENTRO DO ESTADO” FRANCISCO CANINDÉ SANTOS Presidente do CES/RN

Francisco Canindé dos Santos é o presidente do CES/RN e comenta as atribuições da entidade

“Queríamos ver as condições de atendimento”, justifica Canindé. Os representantes do Conselho são indicados por entidades representativas e associações. O mandato, de dois anos prorrogado por até dois, não pertence aos conselheiros em si, mas às entidades que os indicaram. Essas entidades são: igrejas, associações de portadores de doenças, faculdades e universidades, sindicatos, entre outras representações da sociedade civil organizada.

A remuneração é outro ponto importante. Os conselheiros não recebem salário especificamente pelo trabalho no Conselho. As entidades que o cedem é que bancam o salário dos conselheiros. “Eu represento a Arquidiocese e quem paga o meu salário no fim do mês. Nós não temos remuneração alguma dentro do Estado, embora o orçamento da Secretaria banque o custeio do Conselho Estadual em si. Telefones, mobiliário, o carro à

disposição é pago pela Secretaria”, exemplifica. A questão da estrutura é outro ponto nevrálgico para o setor. Falta equipe técnica especializada adequada, na opinião de Marcos Dionísio. Já Francisco Canindé coloca a questão das diárias. “Quando alguém precisa representar o Conselho, o conselheiro paga todas as despesas do próprio bolso e só depois recebe a compensação, 15 ou 20 dias depois”, mostra.

É PRECISO HAVER UMA SOCIEDADE MOBILIZADA E PARTICIPATIVA” LINDIJANE DE SOUZA Professora da UFRN

Qual a importância da participação social? Para que uma política pública seja eficaz, e vários estudos mostram isso, é preciso que exista a participação da sociedade. Sem essa participação, dificilmente haverá eficiência e eficácia. E esse acompanhamento não deve ser somente o de monitorar a execução das políticas, do gasto público, etc. É necessário que a sociedade participe também da formulação das políticas públicas. Então, a partir de 1988 o novo modelo de gestão pública, com participação social, requer um novo modelo de planejamento. Não apenas técnico, mas também político. Político aqui é entendido de uma forma mais ampla. Trata-se da relação do poder público com a sociedade. Alguns conselhos acabam sendo tutelados pelas prefeituras, governos de Estado,etc? Sim, acontece. Mas além disso também há casos em que os conselheiros não detém conhecimento técnico suficiente para atuar de forma adequada. Muitos não sabem qual é o seu papel. Estão ali porque forma designados por alguma entidade e não conseguem exercer o seu papel, que é muito importante. O Conselho de Saúde, por exemplo, delibera sobre a política de saúde. Então é um papel importante. Não é simplesmente votar sim ou não, mas contribuir com a política. Qual o peso desses canais na gestão? É preciso haver, até mesmo nos menores municípios, uma sociedade mobilizada e participativa. Para que o desenho proposto pela Constituição seja colocado em prática, é preciso uma sociedade ativa, organizada e mobilizada. Por que a participação ainda é pequena? Entre os fatores, está a nossa herança política de baixa participação. Nós viemos de um modelo autoritário, de um modelo centralizado no Governo Federal, onde não existia participação no processo de tomada de decisão.


24

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

LUIZ CARLOS BRESSER-PEREIRA EX-MINISTRO DA ADMINISTRAÇÃO E REFORMA DO ESTADO ciedade demanda esses serviços, que além de mais justos, são mais baratos se consumidos coletivamente. Se você quiser garantir o mesmo nível de saúde e tudo for privatizado, é mais caro. Nos Estados Unidos, onde quase tudo é privado, é 70% ou o dobro, em relação aos países desenvolvidos da Europa. Mas esses serviços que já são mais baratos consumidos coletivamente podem ser mais baratos caso sejam administrados com eficiência. Então, é uma tolice chamar isso de neoliberal. Que outras críticas eram comuns? Diziam também que a reforma era contra a administração pública. Eu sou um feroz defensor da administração pública. Cada país precisa ter uma alta administração, muito bem preparada, treinada e muito bem paga. Eles dirigem o país, junto com os políticos. Então isso é importante.

O senhor poderia explicar de forma simples o que foi a Reforma Gerencial de 1995? Eu chamo essa reforma de Gerencial do Aparelho do Estado de 1995. Essa reforma, também chamada de reforma da Gestão Pública, é a segunda do Estado moderno. A primeira transformou o Estado em burocrático, do ponto de vista administrativo. Isso aconteceu na Europa no século XIX e no Brasil a partir de 1937. Depois, a partir dos anos 80, começa a acontecer na Europa, Estados Unidos, Nova Zelândia e Austrália a reforma gerencial. Ela transforma o Estado de burocrático para gerencial. Qual a diferença? Para entender isso, é preciso pensar que existem três formas de Estado, do ponto de vista administrativo: patrimonialista, burocrático e gerencial. Há também o Estado enquanto sistema político, que é diferente da estrutura que o garante. O aparelho do Estado garante a lei do Estado. Há três formas de Estado, do ponto de vista político: Estado absoluto, que correspondeu a administração patrimonialista; Estado liberal, que correspondeu a administração burocrática; e o Estado Democrático-Social, que corresponde à administração advinda após a reforma gerencial. O que o Estado Social? É o Estado para o qual o Brasil tem feito um grande esforço para atingir desde a transição democrático e que se definiu na Europa após a Segunda Guerra Mundial. Trata-se de um Estado que garante os direitos sociais e que tem grandes serviços: de previdência social, saúde pública, educação pública, esportes, lazer, cultura, ciência, etc. Isso é o Estado Social. Isso implica em que? Quando se passa a ser um Estado Social, que garante todos esses direitos e serviços, é preciso ter uma reforma gerencial. E por quê? Porque o Estado passa a ser muito grande. O Estado burocrático correspondia a aproximadamente 7% do Produto Interno Bruto. Era um Estado muito pequeno, que só tinha a polícia, o exército, a Justiça e os diplomatas. Mas o Estado Social precisa de 42% do PIB para funcionar. É seis vezes maior que o Estado burocrático. Quando esse aparelho se torna muito maior, a eficiência se torna fundamental, a realização do serviços do Estado a um custo mais baixo possível. Quando o Estado significa 7% do PIB, não tem muita importância o quanto custo. Pode custar caro a Justiça, a Polícia, etc. É um caro muito relativo. Mas quando é 42% do PIB, se você quer crescer 5% ao ano e não cresce a produtividade do setor público, o setor privado vai ter que crescer

A EFICIÊNCIA É FUNDAMENTAL, MAS O CUSTO DEVE SER BAIXO

E

le foi o autor da Reforma Gerencial amplamente estudada e discutida pelos especialistas em Gestão Pública. Iniciada em 1995, no primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso, a Reforma Gerencial foi alvo de inúmeras críticas, por, na visão dos críticos, diminuir a atuação do Estado e ser “neoliberal”. Mas Luiz Carlos Bresser-Pereira, ex-ministro da Administração e Reforma do Estado, não leva a sério as críticas. “Isso é tolice”, diz. Dezesseis anos depois, Bresser é um dos principais teóricos e defensores das mudanças implementada na década de 90. Ele garante: “A reforma teve continuidade nos anos seguintes”. Em entrevista à TRIBUNA DO NORTE, ele explicou porque a reforma foi necessária e porque, na opinião dele, continuá-la é imprescindível para o Brasil.

mais de 10%, o que é um absurdo. Então, torna-se fundamental aumentar a eficiência na prestação desses grandes serviços sociais e científicos. A reforma gerencial vem fundamentalmente para tornar mais eficientes esses serviços. A burocracia é extinta? Você continua necessitando de uma alta burocracia, dentro do que eu chamei, na Reforma, de núcleo estratégico do Estado. Nesse núcleo estratégico, os políticos e essa alta burocracia definem as políticas públicas e controlam a sua execução. A execução desses serviços é transferida para organizações sociais ou entidades sem fins lucrativos, mais flexíveis do que o aparato social. Além disso, há Agências Reguladoras que executam papéis do Estado com mais autonomia. Há duas idéias fundamentais nessa reforma: uma é transferir para o setor público nãoestatal, as organizações sociais e o terceiro setor, esses grandes serviços sociais e científicos. Mas pagos e controlados pelo Estado e ainda públicos, oferecidos gratuitamente ou quase gratuitamente. A outra é a estratégia de gestão, que muda de algo baseado nos regulamentos rígidos, na supervisão e auditoria – típicos da administração burocrática – para a administração por resultados contratados, dando autonomia para o gestor atingir objetivos definidos; a competição administrada por excelência, fazendo com que se compare a performance de serviços semelhantes, escolas que atendem estudantes semelhantes, hospitais que atendem pacientes semelhantes, etc e eles concorram entre si por excelência; em terceiro, o controle social, convocando a socie-

dade para também controlar a execução dos serviços. A sociedade pode se organizar em torno de comitês, conselhos ou ONG´s. A reforma gerencial teve continuidade nos governos seguintes? A reforma teve continuidade nos outros governos. As pessoas não gostam do termo “gerencial” porque acham que isso é transformar o Estado em uma empresa, o que é uma enorme tolice. O Estado não tem nada a ver com uma empresa. Ele é a instituição fundamental de uma sociedade e o objetivo do Estado não é o lucro, mas o bem público. O que é importante é você ter claro é que todos os países tendem a transitar necessariamente para uma forma gerencial do Estado. A França foi um dos países que mais resistiu e está aderindo amplamente a isso. Por que isso é verdade? Porque também é verdade que os Estado Democráticos tendem a se tornar sociais. O povo não quer comunismo, mas quer é boa educação, saúde, previdência, ou seja, os grandes serviços de consumo coletivo. Quando isso acontece, é necessário utilizar essas formas de administração que falei. Ela varia um pouco de país para país. Essa reforma é um enorme sucesso e não há um congresso de administração pública que não fale sobre ela. A reforma foi terminada? Não. Essa reforma demora de 30 a 40 anos para ser completada e mesmo assim é preciso colocar aspas nisso. Isso envolve toda uma mudança não só da forma de gestão, das organizações públicas, mas uma mudança de cultura. O Estado é uma coisa muito grande, complexa.

Que setores estão mais atrasados? Um grande atraso é a questão das universidades. Elas deveriam ter se transformado em organizações sociais. O grande sucesso da reforma foram as organizações sociais hospitalares em São Paulo e de uma forma geral os planos integrados de reforma gerencial em vários estados, como Minas Gerais e Pernambuco. Quando se fala na reforma, há quem a chame de “neoliberal”, por abrir mais espaço para organizações não ligadas ao Estado. O que o senhor acha disso? Isso é ridículo. O que acontece é que ela surgiu no governo da Margaret Thatcher em plena época da hegemonia do neoliberalismo, que para mim vai de 1979 a 2008. Mas o outro governo pioneiro foi na Nova Zelândia, na época com um governo trabalhista. Por essa razão, as pessoas confundem. Mas essa reforma na verdade estava respondendo a esse problema do tamanho do Estado e o que os governantes foram obrigados a entender, mesmo os neoliberais, era que não dava para diminuir o tamanho do Estado. Isso porque a sociedade não estava de acordo. Mas que era possível diminuir o custo do Estado. Na verdade, essa reforma é social-democrática. Se eu fosse neoliberal, acabaria com a educação pública, com a saúde. Aí não precisa reforma gerencial. Voltamos para o Estado Burocrático, com apenas quatro ministérios. As sociedades democráticas não aceitam isso. Se você for examinar o tamanho do Estado de 1979 até agora, em todos os países do mundo ele aumentou, apesar da hegemonia neoliberal. A so-

O POVO NÃO QUER COMUNISMO, MAS QUER É BOA EDUCAÇÃO, SAÚDE, PREVIDÊNCIA, OU SEJA, OS GRANDES SERVIÇOS DE CONSUMO COLETIVO”

A REFORMA DEMORA DE 30 A 40 ANOS PARA SER COMPLETADA.ELA ENVOLVE UMA MUDANÇA NÃO SÓ DE GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES PÚBLICAS, MAS UMA MUDANÇA DE CULTURA”

O uso de organizações sociais também é bastante criticado.Há quem ache que esse uso é uma forma disfarçada de privatização. É outra bobagem. Se fosse totalmente estatal, você faria com que o faxineiro, o servente de café, o cozinheiro, os médicos, enfermeiras, professores virassem servidores públicos, com todas as características próprios do servidores. Maior estabilidade no emprego, por exemplo. Isso se torna profundamente ineficiente. A primeira coisa é terceirizar esses serviços mais elementares. Isso está disseminado e quase ninguém questiona mais. Agora, os serviços “nobres”, como educação, saúde, previdência social e coisas que afetam profundamente a vida do cidadão-usuário, não podem ser feitos pelo setor privado. Sou contra. Esses setores não podem ser submetidos ao lucro. Eles devem ser voltados para instituições públicas não-estatais, financiadas e muito bem controladas pelo Estado, mas sem servidor público. A reforma mais uma distinção muito clara entre atividades exclusivas do Estado e as não-exclusivas. As exclusivas são as que envolvem poder de Estado, políticas públicas e a administração do dinheiro do Estado. Mas por que uma transformar um violinista de uma orquestra sinfônica em servidor público? Uma enfermeira. Não faz sentido. Não há nada de específico do Estado nessas atividades. A eficiência é então o principal objetivo da reforma? Toda a lógica da reforma é voltada para aumentar esses serviços básicos sem aumentar os impostos. Quanto mais eficiente, menor o aumento da carga tributária. E isso interessa a todo mundo. Na prática, isso não tem acontecido. Se faz a reforma gerencial e continua a se aumentar o tamanho do Estado, porque a demanda por serviços é maior do que o aumento da eficiência que acontece neles. Nesses 30 anos neoliberais, a concorrência entre os países aumentou muito com a abertura dos mercados. Começou a se defender a flexibilização do trabalho. O que é isso? A diminuição de direitos dos trabalhadores, aqueles pagos pelas empresas, como férias e rescisão ou auxíliomaternidade. Havia uma luta dos neoliberais para diminuir esses direitos. Eles conseguiram até certo ponto. Na Alemanha, isso é muito claro e nos países escandinavos também. Mas lá os serviços do Estado aumentaram proporcionalmente. O Estado passou a gastar mais com seguro-desemprego, a treinar as pessoas demitidas por não acompanhar o avanço tecnológico, etc. Essa compensação foi inventada na Dinamarca e chama-se “flexiseguridade”. Isso tornou mais necessário o Estado Social, porque isso transferiu os direitos dos trabalhadores das empresas para a coletividade.


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

25

Os principais benefícios da adoção do Gespública por instituições e órgãos da administração direta e indireta,em todas as esferas,seriam a desburocratização e a consequente melhora na qualidade do serviço

GESPÚBLICA AINDA AGUARDA EFETIVAÇÃO O PROGRAMA NACIONAL DE GESTÃO PÚBLICA E DESBUROCRATIZAÇÃO, CONSIDERADO UM AVANÇO NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA,ESBARRA EM UMA SÉRIE DE DIFICULDADES PARA SER POSTO EM PRÁTICA eforma do Estado: um avanço. Conscientização acerca dos benefícios da adoção de novas técnicas de gestão: outro avanço. Mas nada disso seria efetivo se não houvesse um política pública orientada para levar até aos ministérios, secretarias, autarquias, etc, esses princípios e colocá-los em prática. A política pública que se encarregou desse trabalho é o Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização, criado em 2005. Mais do que uma iniciativa isolada, o Gespública é a continuidade de um esforço que data do Governo Collor. Apesar do tempo decorrido, a implementação dessa política ainda é problemática. O Gespública trabalha a partir da adesão dos órgãos públicos da administração direta (ministérios e secretarias de estados e municípios, principalmente) e da administração indireta (autarquias, empresas e fundações públicas, etc) aos seus princípios. São eles: planejamento, avaliação continuada, gestão participativa, foco nas

R

pessoas, comprometimento com o cidadão, entre outros. Além da Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, nos estados funcionam gerências regionais sediadas em alguma instituição pública, que coordena as ações. No RN, a Superintendência de Agricultura gere o Programa. Os passos para o Gespública são simples: a instituição procura a coordenação regional do Gespública e assina um termo de compromisso. Depois disso, as ações são planejadas, executadas, acompanhadas e avaliadas. O Gespública faz a capacitação dos servidores. O programa em si – com suas quatro ferramentas (veja quadro) – é implementado pela própria instituição que aderiu. São as quatro tecnologias de gestão: carta de serviços, IPPS, simplificação de processos administrativos e auto-avaliação. Em conjunto, elas concretizam os princípios do Programa. Aqui começam os problemas. O RN, teve até dezembro de 2010, 40 órgãos públicos com adesão ao Gespública. Mas poucos levaram a idéia adiante. A descontinuidade de gestões

é o motivo apontado por José Teixeira de Souza Júnior, superintendente de Agricultura no RN e gestor do Programa, e Nicolau Frederico de Souza, coordenador-executivo do Gespública, como o principal problema. Como se trata de uma política não-obrigatória, tudo fica na dependência do gestor. Se o gestor da ocasião, tiver o entendimento da importância de profissionalizar a gestão, o Programa tem continuidade. Do contrário, fica tudo no papel. “Além disso, ocorre a descontinuidade na troca de gestão. Um hospital faz a adesão, por exemplo. Começa o trabalho, mas dois meses depois muda o diretor. E o que havia sido feito anteriormente não é levado em consideração”, explica José Teixeira de Souza Júnior. Entre as 40 instituições aderentes ao programa, Nicolau Frederico destaca: o Tribunal Regional do Trabalho, o Exército e o Ministério Público Estadual. “Existem outras bastante avançadas também. Contudo, o mais importante é fazer da implementação da

política não um projeto do gestor, mas instituição. Caso contrário, sempre haverá esse problema da descontinuidade por conta da troca de pessoas no comando”, explica. E complementa: “Entre os órgãos que realmente trabalharam dentro dos princípios do Gespública, os ganhos são muitos. A UFRN por exemplo tem uma carta de serviços, a primeira a ser reconhecida pelo Governo Federal”. Para diminuir os efeitos negativos das descontinuidades durante as trocas de gestão, o Ministério do Planejamento determinou que a adesão ao Gespública se transformasse em um termo de compromissos. Com esse instrumento, não será mais possível aderir aos passos do Programa e simplesmente deixar de aplicá-lo. “Temos agora um contrato de cooperação entre o órgão e a Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, o que dá mais segurança de que os aderentes irão realmente colocar em prática as ferramentas oferecidas pelo Gespública”, aponta Nicolau.

✱ HISTÓRICO ENTRE OS ÓRGÃOS QUE REALMENTE TRABALHARAM DENTRO DOS PRINCÍPIOS DO GESPÚBLICA, OS GANHOS SÃO MUITOS.A UFRN É UM EXEMPLO” JOSÉ TEIXEIRA DE S. JÚNIOR

Gestor do Gespública no RN

José Teixeira de Souza Júnior e Nicolau Frederico explicam como funciona o Programa de Gestão Pública e Desburocratização no RN

PROGRAMA É IMPLEMENTADO POR VOLUNTÁRIOS Uma característica do Gespública em particular divide opiniões acerca de sua eficácia. Colocado como transversal (atinge todos os níveis de governo e órgãos com atuações diferentes), o Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização é tocado por servidores públicos que não são remunerados pela atividade. Exemplo: caso um servidor da Secretaria Estadual de Administração resolva se engajar nas ações do Gespública, ele não receberá, em dinheiro, nada além dos seus vencimentos habituais como servidor. Essa peculiaridade traz benefícios e malefícios.

Um ponto positivo citado por Nicolau Frederico, coordenadorexecutivo do Programa, é o grau de comprometimento dos envolvidos. Como não recebem dinheiro e trabalham “por gosto”, os realizadores do Gespública têm uma atuação abnegada, segundo Nicolau. “Tenho aqui cerca de 10 pessoas engajadas, que participam de todas as reuniões e colaboram muito no processo. São pessoas da Universidade, das instituições que participam, do Exército, entre outras”, explica Nicolau. Por outro lado, por ser um programa formado basicamente pelo voluntariado, o Gespública não

tem orçamento. Sem orçamento, há dificuldades para conseguir diárias, transportes, entre outras ferramentas importantes. No fim, a instituição âncora – aquela que sedia o Gespública no Estado, como é o caso da Superintendência Regional de Agricultura no RN – acaba arcando com esses custos. Além disso, a Superintendência ainda “libera” um funcionário, que no caso é o coordenador Nicolau Frederico, de parte do seu expediente para que ele se dedique às ações do Programa. Na avaliação dos dois responsáveis pelo Gespública no RN, a falta de um orçamento específico

e de uma equipe fixa não significa necessariamente “falta de prioridade por parte do Governo Federal”. “A melhoria na gestão é prioridade em qualquer plano que se faça no Governo”, diz Nicolau. Ao mesmo tempo, os dois divergem quando falam se o “voluntariado” é ou não um empecilho a um melhor desenvolvimento. José Teixeira de Souza acredita ser uma dificuldade. Já Nicolau Frederico não vê um entrave nessa questão. “Precisamos mesmo é desenvolver parcerias com a iniciativa privada, porque é muito difícil para o setor público realizar essas mudanças sozinho”, diz.

PRECISAMOS MESMO É DESENVOLVER PARCERIAS COM A INICIATIVA PRIVADA, PORQUE É MUITO DIFÍCIL PARA O SETOR PÚBLICO REALIZAR ESSAS MUDANÇAS SOZINHO” NICOLAU FREDERICO

Coordenador-executivo do Gespública no RN

Os esforços para modernizar a Gestão Pública no Brasil não são recentes. Desde a Ditadura Militar existem iniciativas que buscavam, mesmo que indiretamente, mais eficiência e qualidade no serviço público. Contudo, segundo especialistas, esses esforços, ainda tímidos no início, começaram a ganhar força na passagem de Paulo Bresser, ex-ministro da Administração e Reforma do Estado, pelo primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso na presidência da República. Antes disso, as iniciativas não tinham grande respaldo e eram subordinadas a tentativas de melhoria na iniciativa privada. O Programa de Desburocratização, na década de 80, foi o responsável pela criação do Juizado de Pequenas Causas, por exemplo. Mas ainda não se tratava de uma política de qualidade no serviço público, embora os seus efeitos indiretos tendessem para esse benefício.“A primeira iniciativa acerca da qualidade no setor público se deu no Governo Collor”, explica Nicolau Frederico. O Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade (PBQP), criado em 1990, era voltado para a competitividade das empresas, mas tinha um subprograma direcionado para os órgãos públicos. O foco era necessariamente interno. Em 1996,foi criado,dentro da Reforma do Estado,o Programa de Qualidade e Participação na Administração Pública, interessado em promover a chamada “gestão de resultados” no serviço público,baseada na fixação de metas,avaliação e a premiação das melhores iniciativas.Logo depois,no ano 2000,o foco passou a ser a qualidade,além do resultado. Qualidade e resultado não estão dissociados,mas a excelência nos serviços prestados ao cidadão transforma-se no principal objetivo do período.O Gespública,criado em 2005, congrega basicamente todas esses tendências desenvolvidas,em maior ou menor escala,por todos essas políticas gestadas anteriormente.“Fundir a desburocratização pela busca da qualidade na gestão pública era uma reivindicação antiga de todos os que militam nesse setor”,explica Nicolau Frederico.


26

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

BATE-PAPO

BOAS PRÁTICAS EM FAVOR DO CIDADÃO

» Paulo Daniel Barreto especialista em Gestão Pública e idealizador dos programas de qualidade

“O foco está na melhoria de resultados”

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO RIO GRANDE DO NORTE IMPLEMENTOU UM BEM-SUCEDIDO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE ADOÇÃO DE MODERNAS PRÁTICAS DE GESTÃO PÚBLICA percurso do Ministério Público Estadual na adoção do Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização é um exemplo de como funcionam na prática os princípios do Gespública. O MPE adotou, ainda durante o período em que José Augusto Peres era procurador-geral de Justiça, o modelo Gespública. As ações tiveram continuidade na primeira gestão de Manoel Onofre Neto e terão seguimento agora, na segunda gestão. “Uma característica importante é que o MPE conseguiu fazer do Programa uma ação institucional e não uma ação de um gestor isolado”, resume Nicolau Frederico, coordenador-executivo do Gespública. O primeiro passo, após a ado-

O

ção do Gespública, de acordo com o procurador-geral de Justiça, Manoel Onofre Neto, foi a definição de um Plano de Melhorias e do Planejamento Estratégico. Esses dois instrumentos geraram, por sua vez, um Plano Operacional e um Plano de Atuação. Os termos podem parecer “burocráticos”, mas na avaliação do Ministério Público são de suma importância. O primeiro, operacional, diz como que medidas a instituição deve tomar para promover as melhorias determinadas pelo plano estratégico. Já o Plano de Atuação define áreas como prioridade. É aqui que o planejamento chega ao cidadão. O MPE definiu, “ouvindo a sociedade civil”, segundo Manoel Onofre, as áreas com maior necessidade de atenção por parte dos promotores e

procuradores. No meio ambiente, saneamento básico; na saúde, o atendimento materno-infantil; no patrimônio público, as licitações; e assim por diante. Essas são as linhas mestras de atuação do órgão, os setores da sociedade com maior carência de intervenção do MPE. Além disso, o Ministério Público planeja, a partir do desenvolvimento das ações do Gespública, a virtualização dos inquéritos civis e a formatação de uma equipe técnica especializada para dar suporte ao trabalho dos promotores. O primeiro ponto atende a um critério básico de qualquer organização pública moderna: transparência. “O cidadão vai poder acompanhar em tempo real, pela internet, o que o órgão está fazendo com a denún-

cia que ele ofereceu, sem precisar vir até à promotoria”, indica Manoel Onofre Neto. A virtualização dos inquéritos deve ser concluída até o fim do ano. Já no que diz respeito à equipe técnica especializada – a ser formada por psicólogos, assistentes sociais, contadores, arquitetos, entre outros especialistas – o objetivo é auxiliar na proposição de soluções para temas considerados prioridade. Exemplo: se a violência é um problema sério em um determinado bairro da capital, esses profissionais irão atuar junto ao promotor para conceber uma ação possível. “Além disso, temos o convênio com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte para a realização de perícias”, encerra o procurador-geral de Justiça.

OUVIMOS A SOCIEDADE CIVIL PARA DEFINIR AS ÁREAS COM MAIOR NECESSIDADE DE ATENÇÃO” MANOEL ONOFRE NETO

Procurador-Geral de Justiça

Qual a eficácia dos programas implementados pelo governo nos últimos anos, principalmente o Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização? Imagine um programa de melhoria do sistema de gestão pública que tenha como foco a melhoria dos resultados organizacionais. Este é o Programa Nacional de Gestão Pública – Gespública. Ao analisarmos o seu conteúdo e a abordagem que dá ao sistema de gestão como um todo e não a práticas de gestão isoladas, torna-se evidente, mesmo sem qualquer caso prático, a eficácia do Gespública como instrumento de melhoria da qualidade da gestão e do desempenho dos órgãos e entidades públicos. É por aí - e somente por aí - que a eficácia do Gespública pode e deve ser avaliada. Na prática, ratificam a eficácia do Gespública organizações que o implementaram e o mantiveram ativo por pelo menos quatro anos. Neste rol estão organizações como o HEMORIO (administração direta estadual) e o INMETRO (autarquia federal), dentre outras. Existem dificuldades para implementação do Gespública? Há dificuldades importantes para a implantação do Gespública, dentre elas, podemos destacar a dificuldade dos dirigentes e do pessoal da área de gestão de pessoas de entender que a mudança proposta pelo Gespública é essencialmente de atitudes, as demais ações capacitação em métodos e técnicas ou mudanças de organograma e de espaço físico – podem ser necessárias, mas sem a mudança da forma de pensar e de agir serão insuficientes e, muitas vezes, decepcionantes e desmotivadoras. Esta dificuldade - o ponto de vista interno das organizações públicas – tem sido a principal dificuldade de mudança, e, conseqüentemente, o maior obstáculo na obtenção do efetivo sucesso que a implantação do Gespública pode proporcionar às organizações públicas

O procurador-geral de Justiça,Manoel Onofre Neto,fala sobre o Plano de Melhorias e Planejamento Estratégico implementado com sucesso no Ministério Público Estadual

FERRAMENTAS OFERECIDAS PELO GESPÚBLICA:

CARTA DE SERVIÇOS Coloca de forma detalhada que serviços são oferecidos,de que forma,quais os horários,formas de acesso,entre outros.Isso dá mais transparência na relação com o público.Somente informado sobre o que determinada instituição e faz e de que forma,o cidadão poderá cobrar os seus direitos de forma adequada.No Brasil,a UFRN foi a primeira universidade a ter uma Carta de Serviços reconhecida pelo Gespública.A orientação do Ministério do Planejamento é que a

Carta de Serviços é prioridade. IPPS Trata-se de um software disponibilizado pelo Gespública para avaliação dos serviços prestados por parte do cidadão.A avaliação constante da eficiência de um serviço é uma das principais vertentes da nova gestão pública.O gestor,a partir disso,pode acompanhar como a população vê aquele serviço. SIMPLIFICAÇÃO ADMINISTRATIVA

Essa é a tecnologia de gestão mais complexa e sua oficina de treinamento só é oferecida após um processo de adaptação.Atua tanto na resolução de problemas específicos quanto na administração como um todo.O objetivo é tornar os processos mais simples para ganhar em eficiência. Rotinas e exigências desnecessárias são eliminadas. AUTOAVALIAÇÃO E MELHORIA DE GESTÃO Essa é a última etapa oferecida pelo

Gespública.A partir disso,os próprios servidores avaliam como está sendo oferecido o serviço,qual o nível de comprometimento dos participantes com Modelo de Qualidade do Gespública e com as ferramentas anteriormente aplicadas e o que é preciso fazer para melhorar.O resultado dessa ferramenta,que deve ser aplicada de forma contínua,é um Plano de Melhoria de Gestão.Isso tudo com detalhes:planejamento do que precisa ser feito,de que forma e qual o custo para isso.

DIRIGENTES E FUNCIONÁRIOS TÊM DIFICULDADE DE ENTENDER QUE A MUDANÇA PROPOSTA É DE ATITUDES” PAULO DANIEL BARRETO

Que outras dificuldades existem? A falta de percepção estratégica da maioria dos dirigentes públicos; há fluente produção de planos – amadoristicamente chamados de estratégicos - que juntos não determinam com clareza um estado futuro para a organização e muito menos apontam caminhos viáveis para atingir tal futuro desejado; o Gespública é um programa eminentemente estratégico, não cabe em um mandato de gestão, como não tem cabido qualquer projeto que ultrapasse o horizonte de um mandato; isto torna o avanço limitado no tempo e, quase sempre abre espaço para que os projetos pessoais dos dirigentes sejam prioridades em relação aos projetos organizacionais que efetivamente interessam à sociedade. A melhoria não vem sendo prioridade? Há uma evidente falta de prioridade dos governos em relação à melhoria da gestão, talvez até por desconhecimento dela. Normalmente quando se fala em melhoria de gestão foca-se apenas em redução do gasto, mesmo que essa redução do custo seja feita a qualquer custo degradando a já precária qualidade dos serviços públicos.

Especialista em Gestão Pública

EVOLUÇÃO DOS PROGRAMAS NACIONAIS DE QUALIDADE:

Década de 80 - Programa de Desburocratização Criado pelo ministro Hélio Beltrão,o Programa queria diminuir a burocracia no serviço público.O Juizado de Pequenas Causas e o Estatuto da Microempresa - ambos aprovados em 1984 – foram algumas conquistas da época.

1990 - Subprograma Brasileiro de Qualidade e Produtividade Voltado à administração pública,mas subordinado ao Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade,que era direcionado para a iniciativa privada.Nessa época,a principal preocupação era tornar as empresas competitivas.O poder público vinha em segundo plano.

1996 - Programa de Qualidade e Participação na Administração Pública Vinculado às reformas do Estado Brasileiro, capitaneadas pelo ministro do Planejamento Paulo Bresser (veja entrevista na pág.27),o Programa queria introduzir uma mudança de valores no serviço público.O principal foco era a busca por resultados no setor público.

2000 - Programa de Qualidade no Serviço Público Nos mesmos moldes do seu antecessor,mas preocupado com a qualidade do atendimento ao cidadão,principalmente nos serviços essenciais.

2005 - Programa de Gestão Pública e Desburocratização Dessa vez,o Programa nacional juntou a questão da qualidade e da gestão por resultados com o Programa de Desburocratização.

Fonte: Gespública


Motores do RN GESTÃO PÚBLICA Quando o senhor percebeu que o caminho para evoluir era profissionalizar a gestão através do Programa Modernizando a Gestão Pública? Sempre tivemos clareza de que sem lançar mão das modernas ferramentas de gestão, o poder público não iria conseguir avançar na qualidade dos serviços básicos de direito da população. Hoje, no Governo de Pernambuco, todas as áreas contam com uma gestão estratégica norteada por 12 objetivos prioritários, que se desdobram em mais de 400 ações. E vamos seguir aprimorando cada vez mais esse modelo. Contratamos, só este ano, cem novos analistas de planejamento e gestão para se somar a esse esforço. Estruturamos uma carreira, com pessoal de alta qualificação e cuja remuneração é variável, maior ou menor conforme os resultados obtidos na redução dos gastos e na concretização de resultados concretos. Funciona da seguinte forma: equipamos o aparelho de Estado com pessoal capacitado e instrumentos modernos de acompanhamento das ações em andamento de uma ponta à outra do nosso território. Conduzo pessoalmente reuniões semanais de monitoramento, onde os secretários e suas equipes prestam contas e recebem uma pontuação de acordo com o desempenho das atividades de cada ala. Se tem administrador que não bate meta num mês e nem no outro, ou ele arruma uma desculpa muito convincente ou a coisa vai complicar para ele e quem tiver do seu lado. Porque o povo quer ver seu dinheiro bem gasto. São esses valores republicanos, balizados pela meritocracia, que eu não abro mão no meu Governo. Após tanto esforço, tive o prazer de ser o único governador premiado pelo Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP), considerado o “Oscar da Gestão”, com a “Medalha Pessoa Física” pela nossa contribuição à modernização da gestão pública. Em que fase está o programa? Como ele foi aplicado? Quais os principais resultados obtidos até agora? Ainda no meu primeiro mandato, estruturamos um modelo de gestão de integração de metas e resultados que fosse irreversível para o Estado. Criamos, então, a Lei Complementar nº 141, de 03/09/2009, para evitar que Pernambuco tenha politicas públicas de um ou dois governos. Mas que elas sejam efetivamente de Estado. Contamos com a valiosa colaboração do Movimento Brasil Competitivo, capitaneado por Jorge Gerdau Johanpetter. Dessa forma, estamos garantindo que avanços conquistados hoje perdurem, impedindo que Pernambuco volte a sofrer com um tempo em que a máquina pública funcionava apenas para uma pequena parcela da população, enquanto a grande maioria formada por aqueles que mais precisam, vivia esquecida e à margem dos benefícios que lhe dá a dignidade cidadã. Por isso, quando me candidatei pela primeira vez ao cargo de governador do Estado, sabia o que queria, quando, onde e como fazer. E aí, lá em 2006, ainda como candidato, apresentei aos pernambucanos e pernambucanas um Plano de Governo propositivo que tinha metas prioritárias e prazos estabelecidos. Depois de vencer as eleições nas urnas, fui atrás de ampliar esse planejamento colocando toda a população pernambucana no centro das decisões, para pensar junto com a gente o que deveria vir primeiro, em segundo e assim por diante. Chamamos esse movimento de consulta popular de “Todos por Pernambuco”, quando levamos o aparato do Estado (secretários e técnicos) para as 12 microrregiões de desenvolvimento. Repetimos esse formato também no meu segundo mandato. Participei de todos os encontros naquele momento e agora, em maio passado, quando concluímos a pactuação do nosso PPA (Plano Plurianual) para os próximos quatro anos. E os resultados são sentidos no cotidiano das pessoas. Pernambuco vem, mês após mês, batendo

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

EDUARDO CAMPOS

um Ministério Público bem estruturado e atuantes, as cortes de contas eficientes, diplomas legais como a lei de responsabilidade fiscal e a própria presença de uma empresa forte e livre, de grande poder crítico e fiscalizador. Estamos, ainda, devendo ao Brasil um aparato institucional capaz de dar ao estado muito mais agilidade, muito mais capacidade de enfrentar os desafios sociais do que o que temos hoje.

GOVERNADOR DE PERNAMBUCO

O POVO QUER VER O SEU DINHEIRO BEM GASTO

N

ão se fala em Gestão Pública no Brasil hoje sem citar o caso de sucesso implementado pelo governo de Pernambuco. Lá, o governador Eduardo Campos, conseguiu se estabelecer como exemplo de gestão diferenciada no Brasil e obteve uma aprovação recorde de 91%, o que evidencia a satisfação dos pernambucanos com as ações do governo. Na prática, a inovação começou com a adesão aos princípios da nova gestão, em um programa denominado Modernizando a Gestão Pública. Em entrevista, o governador Eduardo Campos falou sobre a experiência à frente do governo de Pernambuco e sobre a implementação de técnicas modernas de gestão na administração estadual. Segundo ele, as principais ferramentas foram a orientação para resultados, a qualidade do gasto público e a transparência nas ações.

recordes nos indicativos que medem desde o crescimento do nosso PIB e a geração de emprego, passando pela estruturação do sistema público de saúde, à redução da criminalidade e os índices do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Para se ter uma ideia da velocidade com que as coisas estão acontecendo em Pernambuco, no último resultado do Ideb, superamos a referência planejada para o Estado, pelo MEC, para o ano de 2021. O corte de gastos é sempre citado como um exemplo de modernização. Como fazê-lo sem comprometer os investimentos? O custeio da máquina é a principal área de cortes? Partimos da premissa que existe o gasto bom, justificado e que produz resultado, e o gasto ruim que pune duplamente o cidadão ao malbaratar o que é arrecadado e ao negar serviço público de qualidade. Realizando auditorias periódicas a fim de fiscalizar o uso de combustível em carros oficiais, diárias de viagens para equipes do Governo e outras despesas com pessoal. Centralizamos, por exemplo, a compra de medicamentos e, com isso, economizamos mais de R$ 300 milhões em quatro anos. Esses recursos viram investimento estruturadores e viram serviços públicos eficientes. Parte da equação em qualquer fórmula de gestão pública é a questão do tamanho da máquina administrativa. Quantos funcionários tem,hoje,o governo de Pernambuco, qual a proporção desse total com a população (funcionário/grupo de x habitantes)? Atualmente, o quadro de servidores públicos estaduais é formado por 121.195 profissionais. Des-

tes, apenas 3.054 são exercem cargos comissionados, ou seja, perto de 2% do total da Folha do estado. Como o Programa de modernização influenciou no cotidiano dos pernambucanos? A gestão eficiente de receitas e despesas possibilitou ao Governo multiplicar por quatro a capacidade anual de investimentos, alcançando R$ 2,5 bilhões em 2010, contra a média histórica de R$ 600 milhões apurada até 2006. Como resultado, Pernambuco hoje cresce mais do que o Nordeste e cresce mais do que a média brasileira, reduzindo pela metade o desemprego. O Produto Interno Bruto do Estado atingiu a marca 9,3% superando o nacional, que girou na casa dos 7%, em 2010. Isso também se refletiu no crescimento da taxa de emprego, que era de quase 65 mil postos em 2007 e alcançou quase 119 mil no ano passado. A forma como o governo federal tem distribuído os recursos é pautada pelos chamados “contratos de gestão”. Ao invés de simplesmente distribuir equitativamente,o governo dá acesso às verbas federais a quem apresenta projetos concretos.Qual a importância dessa captação de recursos para viabilizar os investimentos públicos hoje? Boa parte da verba que o Tesouro Estadual dispõe vem de repasses, financiamentos e parcerias entre os governos e também com o setor privado. Assim, o desafio não só de Pernambuco como dos demais entes federados, é conseguir aumentar o seu poder de captação desses recursos. Recentemente, implantamos de forma pioneira no Nordeste, o Sistema Web Regularidade, que

fiscaliza a situação jurídica, fiscal, econômico-financeira e administrativa de órgãos e entidades do Estado. Com a nova ferramenta é possível para o Estado evitar, através de monitoramento, que os órgãos e entidades da administração pública fiquem inadimplentes no CAUC (Cadastro Único de Convênios) do Governo Federal. Isso dá a lisura e a celeridade necessárias para a aprovação dos nossos projetos frente à União. São movimentos como esses que vão nos fazendo assistir, em Pernambuco, a execução de grandes obras estruturadoras, dotando o Estado de infraestrutura que inauguram um novo tempo: o da reindustrialização e da mudança de patamar econômico de Pernambuco. Mas sempre será importante uma nova abordagem do pacto federativo, para que a gente usar a força política que temos para ir buscar os recursos que Brasília deve a cada estado. Fizemos isso durante os quatro anos do governo do Lula e vamos seguir fazendo junto à presidente Dilma. É comum ouvir gestores públicos lamentarem as dificuldades burocráticas impostas por leis como a de Licitações,por exemplo. Como o Governo de Pernambuco tem lidado com essas limitações? A lei é burocrática além da conta? Acredito na institucionalidade como algo que agrega valor. Os órgãos de controle são necessários para que a qualidade no gasto do dinheiro público seja resguardada. Sem dúvida que é preciso ter regras rígidas, mas sem que elas sejam intransponíveis. Porque quando há vidas em jogo, o bom senso tem que imperar. Foi o que ocorreu há cerca de um ano

27

EXISTE O GASTO BOM, JUSTIFICADO E QUE PRODUZ RESULTADO, E O GASTO RUIM QUE PUNE DUPLAMENTE O CIDADÃO AO MALBARATAR O QUE É ARRECADADO E AO NEGAR SERVIÇO PÚBLICO DE QUALIDADE”

em Pernambuco, quando vivemos um momento de muita dor por conta das enchentes na nossa Zona da Mata Sul. Flexibilizamos o tramite normal e criamos, em caráter de urgência, o Fundo Especial de Emergência e Calamidade, que garantiu a celeridade na liberação de recursos federais que vão nos ajudando a dar conta, em tempo recorde, da operação de reconstrução das cidades atingidas. É inegável, porém, que chegou a hora de repensar a capacidade do estado de realizar. Costumo dizer que a sociedade brasileira, a partir da redemocratização, construiu avanços importantes na estruturação do estado do controle. Temos

Qual o limite da indicação política de cargos dentro de uma administração? É possível combinar cargo de confiança e preparo técnico ou a profissionalização da gestão passa necessariamente pela diminuição dessas indicações? No nosso governo não existe mais um tipo de indicação política que era muito comum no passado e que ainda persiste em alguns lugares. Os diretores regionais de educação e saúde, por exemplo, que antes eram indicados pelas lideranças políticas hegemônicas no plano local, agora são escolhidos por comitês de busca, entre servidores de carreira que apresentam projetos e são avaliados por bancas externas, sem qualquer consideração por ativismo político. E os políticos, que antes estranhavam, agora aceitam, porque se sentem prestigiados quando o governo dá certo, obtém reconhecimento da sociedade. Em outros níveis existem indicações políticas, mas sob uma condição inegociável, que é exatamente o crivo técnico. Com os mecanismos de gerenciamento das ações que criamos no nosso Governo, e que já falamos sobre eles nas perguntas anteriores, não permitem que um gestor mantenha-se no cargo se não cumprir as metas da sua pasta. Assim, nomeio um secretário de Estado e lhe delego algumas atribuições, dentre as quais está a formação de sua equipe. Ele pode escolher quem ele quiser, mas os resultados serão cobrados. Fala-se que o Brasil tem um problema sério com a “cultura da corrupção”.O fato é que contratos públicos são alvos constantes de denúncias,a maioria comprovadas. Novos modelos de gestão pública devem levar isso em conta? No modelo adotado em Pernambuco, que mecanismos de controle/transparência foi utilizado? O nosso principal instrumento de controle social é a vigilância da sociedade, o olho do cidadão sobre o que lhe pertence. Nosso Portal da Transparência de Pernambuco, que foi reconhecido pela ONG Transparência Brasil como o segundo melhor entre os estados brasileiros, oferece todas as condições para que qualquer um, na mídia, nas ONGs, até na oposição, acompanhe em tempo real tudo o que governo contrata e gasta. A implantação do site foi uma das minhas promessas de campanha e um dos meus primeiros atos como governador. Outro canal direto entre a nossa administração e população, é o serviço de ouvidoria, que funciona tanto por site como por telefone, via ligação gratuita. Em relação aos servidores públicos, quais as ações do governo para mobilizá-los? Há projetos de bônus por produtividade, por exemplo? Sim! As áreas de segurança e educação são as mais motivadas por esse tipo de política de premiação. Entendemos que nada mais justo do que favorecer com um bônus salarial àqueles que fazem jus à função de servidores públicos, na essência da palavra. Foi com muito gosto que pagamos, este ano, quase R$ 50 milhões em bônus para 32 mil servidores da Educação. O valor equivale a uma espécie de 14° salário e foram para as unidades de ensino da rede estadual que atingiram pelo menos 50% das metas fixadas no IDEPE (Índice de Desenvolvimento da Educação de Pernambuco). A mesma coisa acontece com os policiais, bombeiros, peritos e legistas. Todas as vezes que a meta anual de redução de homicídios em Pernambuco for atingida, os cerca de 30 mil profissionais recebem os bônus, que pode chegar a quase R$ 4 mil.


28

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 28 DE AGOSTO DE 2011

Motores do RN GESTÃO PÚBLICA


esportes

HOJE NA TV

9h00 -GP da Bégica de Fórmula 1 - Globo 16h00 - Série A: Flamengo e Vasco - Globo

RÁDIO GLOBO NATAL

12h - Globo Esportivo 1ª Edição 16 h - Série A: Flamengo e Vasco - Globo

ENTREVISTA

Ricardo Oliveira afirma que no ABC o clima é de uma grande família. PÁGINA 2

CURIOSIDADES

DICAS

NÚMEROS

Apenas um dia antes do jogo contra a Nigéria o Brasil treina no palco do amistoso,no Craven Cottage Stadium.

Os ingressos para o jogo entre ABC e Bragantino começam a ser vendidos amanhã,no Frasqueirão.

140 ginastas participam da etapa do Mundial da modalidade no próximo fim de semana.

Editor: Itamar Ciríaco e-mail: esporte@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 28 de agosto de 2011

O presidente do Conselho Deliberativo do Alvirrubro, José Rocha, afirma que apenas a morte o faria desistir do projeto de construção e espera já ter parte da obra concluída para o Estadual 2012

[ ARENA DO DRAGÃO ]

Estádio do América vira obsessão RODRIGO SENA

e depender da palavra e da disposição apresentada pelo presidente do conselho deliberativo do América, José Rocha, a construção do estádio Arena do Dragão deixou de ser sonho e se transformou numa verdadeira obsessão. O dirigente foi taxativo ao afirmar que só a morte o fará desistir do projeto, apontado como o maior trunfo da equipe para levantar a autoestima dos seus torcedores. Para quem não acredita naquilo que hoje parece ser um sonho longínquo, o veterano dirigente lembra que ao longo dos seus 96 anos de existência, o alvirrubro já fez alguns milagres e a construção do seu próprio estádio será apenas mais um. “Os mais jovens não sabem mais o América já construiu duas sedes sem um centavo na conta, apenas com a ajuda de alguns abnegados. Nos últimos anos chegou duas vezes na divisão de elite e nós vamos enfrentar mais esse desafio. Se você perguntar ao torcedor americano o que ele mais pretende neste momento ele dirá que é a construção do próprio estádio”, destacou José Rocha. O dirigente disse que se dependesse da vontade dele, o clube já teria construído o seu estádio. A ideia é debatida no clube desde

S

Construção em módulos agiliza uso já no Estadual

O presidente do Conselho Deliberativo,José Rocha afirma que não precisará da ajuda do poder público

meados da década de 90, quando surgiu a proposta para venda do terreno onde existia o campo de treinamento na estrada de Ponta Negra (General Everardo). Naquela ocasião tanto ele quanto o filho, Eduardo Rocha, foram votos vencidos na reunião do conselho que optou pela construção do CT. “Naquela época o presidente do conselho conseguiu mobilizar os conselheiros em torno dessa ideia de CT e eu já me

mostrava contra, mas fui voto vencido a acatei a posição. Agora o estádio do América vai sair do papel de qualquer forma eu não vou ser derrotado de novo. Os torcedores também compraram a ideia e estão me dando apoio”, ressaltou. Frisando que é melhor ninguém duvidar da capacidade da família americana, José Rocha cita como exemplo o que aconteceu dentro do próprio rival ABC para mostrar que

não existe nada de utopia neste projeto que está encabeçando. “Quando Judas Tadeu disse que iria construir um estádio no terreno do ABC, onde existia um imenso buraco, chegou a ser ridicularizado por muitas pessoas. Mas determinado e com vontade ele foi dando sequencia ao plano e hoje vemos que o Frasqueirão se tornou uma realidade. Neste caso, querer é poder”, salientou o presidente do conselho.

Embora o sonho do estádio seja grande, o projeto da arena do Dragão não há nada de extraordinário é por isso que ele alimenta a pretensão de ver a equipe realizando alguns jogos do Estadual do próximo ano na sua própria casa. O estádio será construído em módulos e inicialmente sua principal fonte de recursos virão da venda de cadeiras e camarotes. “Não pretendemos construir nada de extraordinário, vamos realizar a construção por partes de acordo com nossa realidade financeira”, explicou. Questionado se esta não seria a parte utópica do projeto, uma vez que os recursos provenientes dessa venda seriam insuficientes para cobrir os gastos com um estádio e se o clube não teria de partir para alienação de mais uma parte do seu patrimônio, José Rocha foi direto ao assunto. “O América nunca se desfez de patrimônio, ao contrário disso, nós estamos agregando valor ao que te-

mos. Quem anda dizendo que perdemos parte da nossa sede, se esquece de que possuímos imóveis naquele espaço América que rende R$ 50 mil mensais ao América. Antes não rendia nada e com o estádio estaremos agregando mais valor ao terreno do CT”, disse. Quanto à possibilidade da realização de alguma permuta para dar prosseguimento as obras do estádio, por enquanto o dirigente não trabalha com essa hipótese, mas no futuro, caso seja necessário, disse que não se furtará em levar a proposta a apreciação do conselho deliberativo. “Nós temos em Parnamirim uma área de 20 hectares e só precisamos de 8 hectares para fazer nosso estádio. Tem muita terra sobrando e quando o projeto estiver em andamento teremos um trunfo forte nas mãos para negociar. Volto a frisar, os tempos mudaram e o clube precisa saber agregar valor ao seu patrimônio senão estaremos fadados ao insucesso”, ressaltou. Por fim José Rocha destacou que a Arena do Dragão terá o tamanho exato para o América, pois o clube pode jogar em qualquer praça esportiva.


esportes

2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

O que passou pela sua cabeça após o jogo contra a Ponte Preta? Você pensou em abandonar o futebol? Para mim foi um momento muito difícil, já que me contundi novamente e meu primeiro pensamento foi de parar, já que eu não estava conseguindo ajudar a equipe com uma regularidade. Por isso que decidi tomar essa decisão. Mas, depois, de cabeça fresca, conversei com os preparadores físicos, com o médico e resolvi em dar mais uma oportunidade a mim mesmo e me recuperar com mais calma, para poder dar continuidade na minha carreira. Como foi sua conversa com a direção do ABC? O Flávio (Anselmo, vice de futebol do clube), pediu para eu ter um pouco mais de calma. Ele sabia que era um momento difícil para mim, mas, não precisava de desespero. A diretoria me pediu um pouco d tranqüilidade, que pensasse bem sobre o assunto e no outro dia a gente conversava. E foi o que aconteceu. Me acalmei e voltei atrás na decisão de ma aposentar do futebol. Você chegou a conversar com sua família sobre a decisão de se aposentar? Olha, conversei com meu pai e meu cunhado e eles me apoiaram. Primeiro pediram para eu pensar bem no que fazer e depois disseram que se, eu quisesse mesmo me aposentar, eles estariam do meu lado, dando suporte. Me deram força para continuar. Eu sei que ainda possa treinar, trabalhar, jogar. Sei que não seria por condicionamento físico que eu ia tomar essa decisão. Os problemas eram as lesões e isso era apenas uma fase que eu estava passando.

Domingo | 28 de agosto de 2011

RICARDO OLIVEIRA “Somos uma família” FELIPE GURGEL Repórter de Esportes

T

ido por muitos como o volante mais habilidoso do ABC, Ricardo Oliveira, de 34 anos, vem passando por uma sequência negativa de contusões, chegando a divulgar que iria abandonar o futebol. Depois de muita conversa com os dirigentes do ABC e com a família, o jogador voltou atrás e decidiu continuar. Agora, por mais três, quatro anos, como ele mesmo revelou. Nessa entrevista exclusiva à TRIBUNA DO NORTE, Ricardo falou sobre o momento em que decidiu parar com o futebol, a situação do clube potiguar na série B do Brasileiro, as notícias sobre rachas no elenco e quando a torcida vai poder vê-lo de novo dentro de campo. FOTOS:JUNIOR SANTOS

Muitos jogadores reclamam da quantidade de jogos por semana e o excesso de concentração. Isso pesa,na hora de pensar em se aposentar? Geralmente pesa. Isso é um dos fatores para os jogadores encerrem suas carreiras. O desgaste da concentração, a distância da família.... Chega um determinado ponto, em que acabamos por tomar a decisão de parar. Abrimos mão de muita coisa para ser jogador de futebol. Mas, o meu caso não foi esse. O meu foram as lesões. Agora que você voltou atrás na decisão de continuar jogando, vai ser apenas essa temporada ou próximo ano você continua? Estou pensando no ABC até o término do meu contrato. Espero que, até lá, eu não venha mais sentir nenhuma lesão assim que me recuperar. Se daqui para frente eu não tiver mais nenhuma lesão grave, pretendo continuar mais uns três, quatro anos, aju-

Em 2009 você passou uma situação parecida quando defendia o América.O time estava entre os quatro primeiros da série B,perdeu cinco jogos seguidos e entrou na zona de rebaixamento.Como vocês fizeram para tirar o time daquela situação? Naquela oportunidade, o grupo se fechou, se uniu. O torcedor nos apoiou e isso fez com que a gente conseguisse tirar o América daquela situação. O torcedor apoiando e o grupo unido foi fundamental para tirar o América da situação em que se encontrava. A torcida gritando seu nome,dá vontade de estar em campo a qualquer custo? Esse é um dos motivos principais de voltar atrás na minha decisão de parar de jogar. Não consigo entrar em campo e não dar o meu melhor. O torcedor tem me apoiado sempre, me incentivando e me ajudado bastante. Eles estão me motivando para superar essas dificuldades. Não seria justo da minha parte, abandonar o barco nesse momento difícil e não poder dar minha ajuda dentro de campo. Agradeço ao torcedor que está me apoiando e espero me recuperar e ajudar o time de alguma forma. Ainda existe amor ao clube ou o jogador é estritamente profissional? Primeiramente profissional. Amor ao clube acontece quando o jogador está há muito tempo defendendo aquele time e ele acaba pegando amor ao clube. Mas, quando o jogador chega ao clube, o que é levado em consideração é o profissionalismo dele. Ele está defendendo as cores da equipe que paga seu salário, que divulga seu trabalho, então, ele tenta fazer o seu melhor dentro de campo.

Esse ano vem sendo muito difícil para você,no que diz respeito às contusões. Já tinha passado por situação parecida? Para mim, é um dos piores anos da minha carreira. Isso nunca tinha acontecido comigo, ter tanta lesões e algumas graves. Realmente, me bateu um desespero, até por nunca ter passado por isso. Agora, estou com a cabeça tranqüila de poder me recuperar bem e ajudar a equipe do ABC a conquistar seus objetivos. Contra a Ponte Preta você estava 100% fisicamente ou estava sentindo alguma coisa? Estava 100%. Não entrei em campo lesionado, nem sentindo nenhum tipo de dor. Estava me recuperando física e tecnicamente. Infelizmente, acabei sentindo outra lesão.

de cobrar. Espero que o torcedor possa vir a campo, continuar nos incentivando nos momentos difíceis. Agora, o torcedor tem que se unir ao ABC, para que a gente possa sair dessa situação.

dando alguma equipe. Só não sei qual vai ser. A parte financeira pesa,na hora de tomar a decisão de parar de jogar? Sem dúvida que isso pesa. Cada jogador tem um planejamento para sua vida. Seria muito difícil para mim, teria que tomar outras providências. O padrão de vida cai? Cai bastante. Se você não se estrutura bem, não tem um alicerce bom, seu padrão de vida vai cair muito. Mas, sou muito consciente. O negócio é procurar se estruturar o mais rápido possível, para que a gente não venha sofrer depois, já que isso vai acontecer mais cedo ou mais tarde. Existem problemas de relacionamentoentreosjogadoresdoABC? Nunca houve isso. Todos os jogadores que aqui chegaram, foram bem recebidos. Os mais antigos no clube, sempre procuraram dar atenção aos novatos. Não existe nenhum tipo de problema. Se eu disser que existe ou existiu algum tipo de problema, estaria mentin-

do. O grupo é bom. Sempre que chega um jogador, sabemos que é para ajudar e isso é bom. Os reforços estão vindo para ajudar o clube a alcançar seus objetivos. Foi revelado que,depois do empate contra o Icasa/CE, no Frasqueirão, alguns jogadores foram reclamar do goleiro Welligton,pela falha no gol.Existiu algum tipo de briga no vestiário? Não. No meu conhecimento, até hoje, não houve nenhuma briga no vestiário ou em qualquer lugar que seja. Até porque, nós somos uma família. Se for parar para analisar, passamos mais tempo juntos, do que com as nossas famílias. Aqui jamais aconteceu algo assim. O que as pessoas falam, não é nada de concreto. Deixo afirmado que, briga entre nós, jamais teve. Resolver problemas, sempre resolvemos, assim como conversamos entre nós, para chegar a um denominador comum, para favorecer o ABC e não a si próprio. Você trabalhou com Leandro Campos em outros clubes.Sentiu a saída dele do ABC?

Trabalhei com o Leandro Campos em quase todas as equipes que joguei. Além de ser um treinador de muita qualidade é também um amigo que fiz no mundo do futebol. Fico chateado porque é um profissional que vai ficar desempregado não sei por quanto tempo. Mas, ao mesmo tempo, por ele ter formado um grupo bom, ter conquistado títulos no ABC, queríamos que ele permanecesse. Mesmo ele não estando mais aqui, se alcançarmos nossos objetivos no final do ano, tem certeza que ele vai fazer parte disso. Você falou sobre conseguir os objetivos traçados. O ABC não vem em uma sequência boa no campeonato. Ainda tem como recuperar? Sem dúvida. Esses resultados negativos é apenas uma nuvem que vem passando. Certamente, isso vai mudar. O grupo quer mudar e temos forças para sair dessa situação. Tenho certeza que esse grupo vai fazer de tudo para que a gente possa, realmente, voltar a conseguir os resultados positivos e continuar pensando nos nossos objetivos.

A chegada de um novo treinador (Guto Ferreira) dá um ânimo novo aos jogadores? Toda mudança de treinador, se requer uma motivação. Todos os atletas querem mostrar que tem qualidade, querem ter uma oportunidade na equipe. Aqueles que não vinham jogando vão querer mostrar que tem qualidade e os que estão jogando vão fazer de tudo para permanecer como titular na equipe. Então, é uma motivação a mais para os jogadores. A gente espera que isso possa ser um ponto positivo para o ABC e que a gente possa voltar a pontuar com vitórias. Nesse momento difícil que a equipe passa, a torcida atrapalha ou ajuda,com as cobranças? É uma faca de dois gumes. De um lado, o torcedor tem razão de reclamar, por nós não estarmos atingindo as vitórias dentro de casa. Por outro lado, fica chato, porque, a outra equipe que vem jogar com o ABC no Frasqueirão, vê que a torcida está cobrando e acaba fortalecendo o adversário. Não tiro a razão de a torcida cobrar, mas, eles precisam saber a hora exata

Jogador sabe quando um companheiro está fazendo “corpo mole”,que é o chamado de “chinelinho”,que invés de treinar,fica apenas no departamento médico do clube? Todo atleta sabe disso, mas não cabe a nós, jogadores, chegar para um companheiro, seja A, B ou C , seja lá quem for e falar. Isso cabe a direção do clube e a comissão técnica. Até porque, hoje, ninguém é bobo. Todo mundo sabe quando um atleta está disposto para trabalhar e não está disposto. Quando a torcida vai poder ver Ricardo Oliveira de novo, nos gramados? O mais rápido possível. Se tem uma pessoa que está mais chateada com isso situação, essa pessoa sou eu. Até porque, o que mais gosto de fazer é estar dentro de campo. Se você parar para conversar com os fisioterapeutas do clube, tenho certeza que eles vão falar que eu fico agoniado dentro do departamento médico. Sei que o grupo precisa de cada um de nós e sei que posso ajudar dentro de campo. E, se eu ficar de fora, não vou somar em nada. Então, espero me recuperar o mais rápido possível , para que eu possa voltar 100%, dessa vez, sem ter nenhum tipo de lesão, para ajudar o ABC. Se não for 100%,você não volta? Não volto. Já deixei bem claro para todos, até para o departamento médico. Não vou voltar sentindo dor, sem ritmo, não vou mesmo. Sei que, só vou ajudar ao ABC, se estiver 100%.


esportes

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3 ARQUIVO TN

[ FÓRMULA 1 ] Bruno, sobrinho do ídolo Ayrton Senna, terá a chance

de correr em uma equipe de ponta e pode mostrar que tem valor

No GP da Bélgica, volta de Senna é a principal atração pa Francorchamps (Bélgica) - Favorito da maioria dos pilotos da Fórmula 1, o circuito de Spa-Francorchams será palco do grande Prêmio da Bélgica neste domingo. A prova marca o retorno após a pausa de verão, quando equipes e pilotos tiram férias, e reinicia a disputa pelo título da temporada, liderada com folgas pelo alemão Sebastian Vettel, da Red Bull. A largada para o GP da Bélgica está marcada para às 9 horas da manhão deste domingo, no horário de Brasília, com transmissão ao vivo da Rede Globo. Apesar da briga pelo título estar “pegando fogo”, para os brasileiros a prova é cercada de ainda mais expectativa, com o retorno de Brunno Senna à Fórmula 1. O sobrinho do tricampeão Ayrton Senna assume a vaga do alemão Nick heidfeld na Lotus Renault como piloto titular, pelo menos até segunda ordem. Piloto reserva da escuderia, Bruno não participa de um GP desde o ano passado, quando era titular da Hispania, e joga todas as suas fichas nesta nova oportunidade na F1,

S

desta vez em uma equipe de melhor nível. “Eu fiquei muito feliz com a notícia, e também muito nervoso com a perspectiva de sentar em um carro como piloto de corridas novamente. Não é todo dia que você

Eu vou colocar todo meu coração nesta nova oportunidade, e estou confiante” BRUNO SENNA Piloto

tem a oportunidade em uma equipe deste porte. “Eu vou colocar todo meu coração nesta nova oportunidade, e estou confiante em dar à equipe um bom resultado no GP da Bélgica”, afirmou Senna. Quem também precisa de um bom resultado é a Red Bull. Depois de um início arrasador, com seis vitórias nas oito primeiras etapas de 2011, a equipe austríaca não vence há três corridas e assiste a uma reação de suas

principais concorrentes, McLaren e Ferrari. Enquanto a McLaren está em alta com duas vitórias seguidas, na Alemanha e na Hungria, com Lewis Hamilton e Jenson Button, respectivamente, Fernando Alonso levou a escuderia italiana ao topo do pódio na Inglaterra, além de dois segundos lugares, em Valencia e na Alemanha. Com 234 pontos e 85 de vantagem sobre o segundo colocado, seu companheiro Mark Webber, Vettel mantém a calma com a ascensão dos adversários. “Do ponto de vista do Campeonato, o GP da Hungria foi uma boa corrida, com muita gente terminando atrás de nós, exceto Jenson, então vamos ver”, ponderou o alemão após a prova. “Ainda temos um longo caminho pela frente e corridas como a Hungria mostram como as coisas podem mudar rapidamente. Eu creio que a mensagem mais importante é que, especialmente a McLaren nas últimas duas provas, foi muito competitiva, e nós não estamos felizes com isso. Mas nós precisamos nos recuperar e estamos trabalhando duro para Spa”, completou o atual campeão mundial.

Ayrton Senna brilhou correndo pela equipe Lotus logo no início de sua carreira, no ano de 1985 BEN STANSALL/AF/AE

Bruno Senna agora ganha uma nova chance e terá nas mãos uma Lotus Renault para mostrar talento

Hamilton espera repetir ano de 2010 Marcos Lopes lopesrn@hotmail.com

Insisto e não abro mão oltei a comentar na Rádio Globo o que já havia comentado na Tribuna do Norte: a absurda falta de ação dos parlamentares na defesa do futebol, em nível de CMN e Assembléia Legislativa.Vereadores de Natal e Deputados Estaduais não mexem uma palha em favor do futebol, e olha que na Assembléia tem o presidente do América, Hermano Morais e o vice do ABC, Poti Júnior.Poderiam então pelo menos copiar o que está dando certo aqui bem pertinho, na Paraíba, que é o programa Gol de Placa, para estimular os contribuintes a investirem recursos no desenvolvimento do futebol profissional, o Governo do Estado determinou, através do projeto de lei que os valores recolhidos aos clubes profissionais serão considerados antecipação do ICMS devido, e serão deduzidos do ICMS a pagar do mês seguinte ao do efetivo recolhimento.Para participar do programa, os clubes de futebol profissional deverão disponibilizar pessoal e recursos materiais para atendimento de alunos das redes públicas estadual e municipal de ensino em aulas de futebol, palestras sobre esportes e condicionamento físico e recreação de alunos, segundo cronograma aprovado pela Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer. A AMBEV por exemplo vai destinar 400 mil reais de reais para o Treze, de um total de mais de 1 milhão de reais que vai canalizar para o futebol paraibano, seguindo o que determina o programa. A Paraíba é apenas um exemplo. No Rio Grande do Norte, os caras não estão nem aí para o futebol. Depois que eu abordei o assunto no Globo Esportivo, surgiram algumas informações sobre projetos de emendas ao orçamento que foram apresentados na Assembléia, mas é pouco. Falta vitalidade, falta determinação, falta espírito de luta, falta comprometimento da bancada da bola, que poderia ser a bancada Ada bola cheia, mas aqui é a bancada da bola murcha.

V

SÉRIE D EM AÇÃO O Santa Cruz potiguar enfrenta o Santa pernambucano no Almeidão e ao negociar o jogo para a Paraíba nivelou as forças. O Alecrim joga a ultima cartada em Caruaru contra o Porto.

O “CARA”ESTÁ NO LIMITE Cascata é o “cara”no time do ABC,que joga e produz de acordo com a capacidade de jogo e de produção de Cascata, que disputou até agora 19 jogos e está,segundo o fisiologista e preparadores físicos do ABC no limite,correndo o risco de “estourar”a qualquer momento e causar um prejuízo técnico considerável para o técnico Guto Ferreira,que não tem no elenco um jogador com a mesma qualidade técnica de Cascata.E ele não puder jogar quem vai para meia¿ Diego Barbosa ou Chimba,e qual dos dois pode suprir a lacuna¿ Na minha avaliação nenhum,ainda que entre os dois eu prefira o Chimba que nas vezes mostrou mais habilidade.É um problema que deve ser solucionado pelo Departamento de Futebol do ABC,que reforçou a zaga,qualificou o setor de pegada e o ataque,mas esqueceu da meiúca,do cérebro do time.Metade do campeonato já foi embora.

Fim de jogo, fim de papo RODRIGO SENA

Flávio Araújo tem Luiz André como alternativa no ataque

MAIS UM CARTUCHO EM CASA Difícil escrever sobre o América sem saber o resultado do jogo com o Guarany – fecho a coluna na sexta – mas de toda forma e independente do que tenha acontecido,o time de Flávio Araújo tem mais dois cartuchos para queimar e um deles não pode negar fogo de maneira nenhuma,que é o ultimo jogo dos rubros na primeira fase,em casa contra o Fortaleza,que vive uma crise assustadora e merece até um tópico mais detalhado.A montagem do time – caro time – do tricolor do Pici foi uma demonstração de incompetência monumental, mas isso é problema de quem montou,de quem indicou,de quem avalisou as contratações.O problema do América é saber explorar o Campinense no Amigão e o Fortaleza no Nazarenão e partir para a segunda fase.

Hamilton foi o vencedor do GP da Bélgica em 2010 e está muito amsioso para se recuperar do desapontamento na Hungria, quando um erro na estratégia de pneus lhe custou uma possível vitória. “Nós chegamos para este fim de semana numa ótima posição - nós vencemos as últimas duas provas e o carro está forte, nós temos trabalhado duro para melhorar o acerto. A confiança nos permite forçar um pouco mais, principalmente no classificatório”, disse Hamilton, que aproveita para exaltar as qualidades do circuito: “Sempre foi um de meus favoritos. É um lugar onde você realmente se sente no limite, e isso é demais num carro de F1”. Além da disputa na parte de cima da tabela, o GP da Bélgica não carece de mais atrativos.

ANIVERSÁRIO A prova marca o aniversário de vinte anos da estréia de Michael Schumacher na Fórmula 1. Piloto mais bem sicedido da

Sempre foi um de meus favoritos. É um lugar onde você realmente se sente no limite” LEWIS HAMILTON Piloto

história da categoria, o heptacampeão debutou em 25 agosto de 1991, e também venceu sua primeira corrida em Spa, no ano seguinte.

“Eu estava em dúvidas se tinha qualidade o suficiente para competir com esses caras. Você os vê como intocaváveis, principalmente nesses momentos em que você tinha Senna, Prost, Mansell e por aí. Realmente não acreditava que poderia equipará-los”, disse o piloto da Mercedes. “No fim do dia, somos todos humanos, temos limites e não há razão para ser impossível superar aqueles pilotos do passado ou os caras que estão aqui agora. Isso que é o bom da Fórmula 1. É sempre um desafio e é sempre um desafio motivante que é divertido”, explicou Schumi. Já o público local verá um piloto belga no grid pela primeira vez desde Philippe Adams em 1994, quando Jerome d’Ambrosio alinhar com a Virgin.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 28 de agosto de 2011 RODRIGO SENA

[ BRASILEIRO SÉRIE D ] O Alecrim, de luto, vai até Pernambuco enfrentar o Porto pensando em se manter vivo na luta pela classificação. Já o Santa Cruz defende a liderança do grupo

Potiguares vão a campo série D do Campeonato Brasileiro será movimentada para os representantes potiguares na competição. Alecrim e Santa Cruz voltam a campo hoje com a missão de vencer para se manterem vivos na luta por uma vaga na segunda fase da competição. O time esmeraldinho vai até Pernambuco enfrentar o Porto, lanterna do grupo 3 (16h) e já sem chance de classificação, mas o fato de jogar fora de casa é encarado como fator complicador pelo técnico Carlos Gutemberg. De luto pela morte do diretor de eventos José Arivan (Pastel), os jogadores do Alecrim querem

A

conquistar um resultado positivo em homenagem a família do dirigente. A baixa na equipe será o lateral-direita Eduardo Igor, expulso no duelo potiguar contra o Santa Cruz. PARAÍBA Por sua vez, apesar de ser o mandante do jogo contra o Santa Cruz/PE, o tricolor do Inharé abriu mão da vantagem de atuar no estádio Iberezão, onde ainda não perdeu na temporada, para buscar alguns recursos atuando no estádio Almeidão, em João Pessoa, às 17 horas. O presidente Luiz Antônio “Tomba”, na verdade, vendeu o jo-

go para o time pernambucano que vai pagar uma cota fixa de R$ 150 mil ao time potiguar e por isso não está preocupado com um possível boicote promovido pelo torcedores adversários. O treinador Paulo Moroni que terá três importantes baixas na equipe: o atacante Maurício Pantera, o lateral-direita Fernandes e o volante Hércules, todos suspensos, ainda não definiu a equipe titular já que andou realizando alguns experimentos táticos para tentar surpreender Zé Teodoro, comandante do representante de Pernambuco. Como o encontro é considera-

do decisivo, Teodoro realizou uma convocação especial a torcida. “É um jogo decisivo, talvez o mais importante para a gente. Pode marcar o nosso retorno à liderança e definir a classificação, porque vão faltar três jogos, sendo que dois em casa. Temos que ir para lá com o intuito de surpreender, de buscar um resultado e fazer um jogo de superação”, destacou. Os pernambucanos deverão ir a campo com a seguinte formação: Tiago Cardoso; Roma, Leandro Souza, Thiago Matias e Dutra; Memo, Jeovânio e Weslley; Thiago Cunha (Renatinho) (Bismarck), Kiros e Ricardinho.

Jogadores do Alecrim querem vitória em homenagem a Pastel


Domingo | 28 de agosto de 2011

esportes

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5

DIVULGAÇÃO

[ CAMPEONATO INGLÊS ] O clássico entre Manchester e Arsenal é o principal confronto da rodada. A expectativa é que o confronto seja marcado por muito equilíbrio, como nas vezes anteriores

Duelo de gigantes é atração anchester (Inglaterra) Gazeta Press - O clássico entre Manchester United e Arsenal, que acontece hoje às 12h (horário de Brasília), é a principal atração da terceira rodada do Campeonato Inglês. Como em todas as vezes que essas duas equipes se encontram, a expectativa é a de um duelo muito equilibrado, porém não dá para negar que os Diabos Vermelhos apresentam um certo favoritismo. Além de jogar em casa, no Estádio Old Trafford, o Manchester United faz uma campanha bem melhor que à do concorrente, com seis pontos conquistados e cem

M

Alex Ferguson acredita que não existe favoritismo no confronto

por cento de aproveitamento. Já os londrinos conquistaram apenas um ponto até o momento e sequer conseguiram ganhar na competição. Mesmo diante de campanhas tão diferentes, a ordem no Manchester United é de se evitar declarações polêmicas e não contar com a vitória antes do tempo. Determinação do experiente técnico Alex Ferguson, acostumado a surpresas no Campeonato Inglês. “Nem mesmo contra equipes de menor expressão se pode contar com o ovo antes de a galinha botar. Muito menos contra um adversário de enorme tradição como o Arsenal, que tem tudo para evo-

luir na temporada. Logicamente que eu e meus comandados faremos de tudo para tirar proveito do momento vivido pelo nosso oponente e de suas deficiências, pois isso faz parte do jogo. Mas o respeito pelo Arsenal é muito grande e não consigo mesmo ver favoritismo quando se está analisando um clássico”, afirmou Alex Ferguson. Líder por conta dos critérios de desempate, o Manchester City entra em campo também hoje, quando visita o Tottenham, lanterna sem sequer ter conseguido pontuar. NEGÓCIOS

O Arsenal acertou com o Man-

chester City a venda do meia Samir Nasri. Esta não era a vontade do técnico Arsene Wenger, mas o clube preferiu vendê-lo neste momento por 25 milhões de libras (R$ 66 milhões) a perdêlo de graça no fim da temporada, quando acabaria o contrato do jogador francês.

JOGOS DE HOJE Newcastle Tottenham West Brom Manchester

x x x x

Fulham Manchester Stoke Arsenal


esportes

6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

NÚMEROS DO CLÁSSICO

85 vitórias têm a equipe do Vasco sobre seu maior rival.

Domingo | 28 de agosto de 2011

100

671

vitórias têm o Flamengo sobre o Vasco.

gols foram marcados nos 258 clássicos.

Meus jogadores não podem se envolver com isso, até porque o momento é de somar pontos e se manter no pelotão de frente” RICARDO GOMES - treinador do Vasco

MARCELO SADIO/AE

RIVALIDADE EM DOBRO JEFFERSON BERNADES

epois de muito tempo Flamengo e Vasco voltam a fazer um clássico realmente relevante na luta pelo título do Campeonato Brasileiro. O duelo acontece hoje, às 16h, no Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ), pela 19ª rodada e colocará frente a frente duas equipes que estão na parte de cima da tabela de classificação. O Cruzmaltino não aparece entre os principais favoritos desde 2000, quando foi campeão batendo o São Caetano na decisão. Já o Rubro-Negro foi campeão em 2009, mas naquela ocasiões os vascaínos amargavam a disputa da Série B e não rivalizaram na luta pelo caneco. Dessa vez a história é muito diferente. O Flamengo é o vice-líder com 35 pontos, dois a menos que o Corinthians, e deseja encerrar o primeiro turno na ponta da tabela de classificação. Para isso, além de ganhar vai depender de uma derrota do Timão, que no mesmo horário encara o Palmeiras. Já o Cruzmaltino é o quarto colocado com 34 pontos e pretende trocar de posição com seu principal rival. Além desses ingredientes, as duas equipes chegam embaladas por terem garantido vaga nas oitavas de final da Copa SulAmericana, mesmo tendo preservado titulares nas partidas de meio de semana. O Flamengo venceu o Atlético-PR por 1 a 0 em Curitiba (PR), enquanto que o Vasco avançou mesmo perdendo por 3 a 1 para o Palmeiras na capital paulista. A fase vivida pelos dois times deixa os treinadores na expectativa de um jogão. “Esse é um jogo temperado por si só, mas com a pontuação das duas equipes logicamente que ganha ainda mais importância. Os jogadores vivem mesmo o clima por conta da rivalidade e da necessidade de vitória” disse Vanderlei Luxemburgo. Pelo lado do Vasco, Ricardo Gomes pretende apenas deixar a euforia de lado para que seus jogadores não venham a sofrer prejuízos. Os torcedores estão vivenciando muito o clima do

D

clássico e o treinador não quer que isso afete seus comandados. “A torcida pode ficar eufórica, pois o Vasco conquistou a Copa do Brasil está bem na Copa Sul-Americana e vem dando sinais de que pode lutar até o fim pelo título do Campeonato Brasileiro. Mas a euforia deve ficar apenas do lado de fora do gramado. Meus jogadores não podem se envolver com isso, até porque o momento é de somar pontos e se manter no pelotão de frente”, disse Gomes. A opinião do treinador vascaíno é compartilhada pelo atacante Eder Luis. “Sabemos que é

um clássico diferente e que os jogadores não admitem a derrota. Mas o fundamental neste momento não é a rivalidade e sim somarmos o máximo de pontos para nos mantermos entre os primeiros colocados quando a competição realmente chegar na reta final. Vai chegar uma hora em que poucas equipes estarão com chances de lutar pelo título e cabe ao Vasco batalhar para estar neste grupo”, disse Eder Luis. Se o Vasco valoriza mais a pontuação, no Flamengo ninguém esconde que a rivalidade está tendo um peso considerável. “Contra o Vasco é sempre especial. Ainda mais nesta situação. A semana é diferente por conta da expectativa. Sabemos como é. As torcidas se provocam, os bastidores sendo muito comentados. Para nós é da mesma forma, nós comentamos. A semana que antecede o jogo é de concentração total para não errarmos. As duas equipes vivem um bom momento, dois times que conquistaram títulos neste ano. Espero um grande jogo, vamos procurar fazer o melhor para vencer. Queremos não só a vitória, mas também convencer que podemos brigar pelo título. Não pensamos na rivalidade, mas numa classificação melhor” avisou o meia Renato Abreu. Como de costume os dois treinadores seguem abusando do mistério. No Flamengo, o volante Aírton, que se submeteu a uma cirurgia no menisco no joelho esquerdo, e o meia Thiago Neves, com lesão na coxa direita, ficam de fora. A tendência é que Vanderlei Luxemburgo mexa o menos possível no time, mantendo o volante Luiz Antônio e o argentino Bottineli no meio-decampo. No Vasco, o zagueiro Anderson Martins, recuperado de dores na coxa esquerda, volta, compondo o setor com Dedé e deixando Renato Silva como opção no banco de reservas. Livre de dores no tornozelo esquerdo, o lateral esquerdo Julinho vai a campo. Com isso, o desfalque fica por conta do meia Felipe, que sofreu uma lesão no menisco do joelho direito e teve que passar por cirurgia.

FICHA TÉCNICA FLAMENGO VASCO Felipe,Leonardo Moura,Alex Silva, Welinton e Junior Cesar;Willians,Luiz Antônio,Renato Abreu e Bottineli; Ronaldinho Gaúcho e Deivid Técnico:Vanderlei Luxemburgo

Fernando Prass, Fagner,Dedé, Anderson Martins e Julinho;Jumar, Rômulo,Juninho Pernambucano e Diego Souza;Eder Luis e Alecsandro Técnico:Ricardo Gomes

Estádio:Engenhão Horário:16h Árbitro:Péricles Bassols Cortez (RJ) Assistentes:Dibert Pedrosa (Fifa-RJ) e Luiz de Oliveira (RJ)

MAIORES RIVAIS DO RIO DE JANEIRO, FLAMENGO E VASCO FAZEM O CLÁSSICO CARIOCA PARA SABER QUEM É A MELHOR EQUIPE DO RIO NO BRASILEIRO


esportes

Domingo | 28 de agsoto de 2011

Apito Final Vicente Estevam - interino (jrvicente@tribunadonorte.com.br)

Bomba-relógio agenda cheia da governadora Rosalba Ciarlini, que teve de viajar a São Paulo para participar do leilão de privatização do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, deve ter sido o motivo dela não ter convocado os representantes do clubes e o presidente da Federação Norte-Riograndense de Futebol (FNF), José Vanildo, para anunciar os detalhes da construção do novo Juvenal Lamartine, como prometera, via imprensa. Mesmo com toda boa vontade da governadora, José Vanildo considera que o ano de 2012 será bastante complicado em termos de acomodação dos clubes natalenses. Tanto o estádio prometido pelo América quanto o novo JL irão demandar de tempo para serem erguidos, sendo necessário pelo menos um ano para entrar em atividade. Caso o América conquiste a classificação para Série B, o problema aumentará de proporção, pois fora o estádio do ABC, nenhum outro tem capacidade para comportar um público igual ou superior a 10 mil pessoas e, ao que tudo indica, dificilmente as portas do Frasqueirão serão abertas para o clube rival. Em Goianinha a adaptação não será possível, então como resolver esse problema? O presidente da FNF prefere, inclusive, não pensar nisso agora, acreditando que o tempo poderá ser capaz de fechar algumas feridas entre os dirigentes dos dois maiores clubes do RN.

A

AUTOESTIMA Dentre todos os legados que a Copa do Mundo deverá deixar para Natal, para Demétrio Torres, titular da Secopa, o maior de todos não será a Arena das Dunas, o Aeroporto de São Gonçalo, nem muito menos as obras de mobilidade, todas muito importantes para o RN. Segundo o secretário, o principal legado para os natalenses será a certeza de que a capital potiguar pode, sim, sediar grandes eventos.

Há tempo

Treinamento

Após errar na maioria das contratações realizadas para disputa da Série B, a diretoria do ABC tem tempo para tentar reparar os equívocos. O registro de novas contratações acaba no dia 26 de setembro e o tempo é razoável para que o treinador Guto Ferreira observe melhor o elenco e entregue sua lista de reforços. A diretoria de futebol alvinegra já errou o que podia e qualquer falha nesta reta final pode comprometer as otimistas pretensões do clube de disputar o acesso.

Comitê Organizador Local da Copa de 2014 definiu os locais em Natal com capacidade para se tornar um Centro Oficial de Treinamento das seleções. O secretário da Secopa, Demétrio Torres, informou que os contratos para serem assinados pelo ABC, Sesi, a direção da IFRN (Etfern) e pela reitoria da UFRN já se encontram com as autoridades potiguares. No documento também existe a indicação das melhorias necessárias a serem realizadas.

Ganhos Servir como Centro Oficial de Treinamento de seleções durante a Copa de 2014, vai obrigar o ABC antecipar a realização de alguns investimentos no estádio, mas não irá render lucro financeiro direto aos cofres do clube. De acordo com o diretor de Patrimônio alvinegro, Wil-

son Cardoso, o retorno do investimento virá através do marketing. As melhorias sugeridas no contrato, segundo o dirigente, foram nos vestiários, um projeto que o clube iria desenvolver independente do Frasqueirão ser escolhido como CT para Copa de 2014.

Queda de braço Depois de anunciar a venda dos direitos federativos do atacante João Paulo para o Gwuangju, da Coreia do Sul, por R$ 350 mil, a diretoria abecedista deve entrar numa batalha de bastidores agora com a direção do CDF, que mesmo extinto, pretende receber sua fa-

tia da transação como clube formador do jogador. O ABC não reconhece esse direito, uma vez que para cumprir a exigência da Fifa, o CDF teria de apresentar algum documento comprovando a passagem do atleta pelo clube e contendo os gastos com o mesmo.

COPA 2014 As denúncias de corrupção no Ministério dos Transportes geraram um grande transtorno para os projetos de mobilidade em Cuiabá. Os projetos, que haviam sido licitados através do Dnit, foram cancelados por determinação da presidenta Dilma. Os contratos estão com suspeitas de superfaturamento. Com isso, Cuiabá perdeu R$ 470 milhões em investimentos.

Papa Títulos

Pan-Americano

As conquistas da Seleção Brasileira durante a administração do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, talvez só não sejam maiores que o número de denúncias de corrupção envolvendo a entidade. O pentacampeonato mundial da seleção sub-20 na Colômbia foi a 112ª conquista da atual administração. A única competição que falta no currículo do cartola e do próprio futebol nacional é a conquista da medalha de ouro olímpica.

O bom rendimento, seguido do título mundial, fez a CBF definir que a seleção sub-20 irá representar o Brasil nos jogos PanAmericanos, no México. A definição saiu após uma reunião de diretoria que contou com a participação dos treinadores Ney Franco e Mano Menezes. Os jogos que este ano vão ser realizados na cidade de Guadalajara serão disputados no período entre 14 e 30 de outubro. A escolha obedece a uma sequência natural de trabalho no projeto olímpico do futebol.

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 7

[ BRASILEIRO - SÉRIE A ] Corinthians e Palmeiras se enfrentam sabendo

OLÍMPICO

que uma derrota pode significar também a demissão do técnico perdedor

GRÊMIO E INTER FAZEM CLÁSSICO GAÚCHO

Confronto pelos pontos e pelo cargo de treinador

A “gangorra Gre-Nal”expressão cunhada na década de 60 para ilustrar os momentos, geralmente, diferentes vividos pelos maiores clubes gaúchos - por mais surrada que pareça não sai de moda. O fim do primeiro turno do Campeonato Brasileiro exemplifica bem a falta de equilíbrio vivido pelas duas forças. O clássico de hoje, às 16h, pode diminuir um pouco a distância entre gremistas e colorados ou aumentá-la sensivelmente. O gramado do Olímpico receberá um Grêmio tentando se manter fora da zona do rebaixamento. A rodada começou com o Tricolor escapando dessa parte da tabela por um ponto.

DANIEL AUGUSTO JR

cidade de Presidente Prudente receberá às 16h de hoje, o clássico entre Palmeiras e Corinthians em meio a um ambiente que há muito não se via no principal embate paulista. O time alvinegro, cujo 101º aniversário será quatro dias depois, tenta fechar o primeiro turno do Campeonato Brasileiro ainda como líder, enquanto o rival alviverde, com recém-completados 97 anos na sexta-feira, busca se aproximar do topo da competição. “Temos oito pontos atrás do líder e, para continuarmos brigando pela classificação para a Libertadores, temos de conseguir pontos. Neste jogo, o importante é somar três pontos, para terminarmos o turno com um débito menor”, avalia o técnico Luiz Felipe Scolari. “Se ganharmos, vamos de novo entrar no páreo no Brasileiro. Se não vencermos, ficaremos muito longe”, completa. Por outro lado, a cobrança por triunfo também afeta o Corinthians. “O clássico é diferente, meio que um campeonato à parte”, diz o meia Alex, que fará seu primeiro Derby na carreira. “Todos os clássicos têm uma rivalidade absurda, lidam com uma paixão muito grande, aquele sentimento muito grande de um contra o outro, e ninguém quer perder. Disputei desde Ponte Preta e

A

PRESIDENTE VARGAS

BAHIA E CEARÁ FAZEM DUELO DE OPOSTOS

Tite, no Corinthians, tem perdido a confiança após as derrotas

Guarani (pelo time alviverde) e Gre-Nal (pelo Internacional) até clássicos na Rússia. É tudo na mesma linha. Tudo é objetivado antes, tem grande importância”, emenda. A liderança do Corinthians está garantida no momento por dois pontos de diferença sobre o Flamengo (37 contra 35), mas o terceiro colocado São Paulo também ameaça. Um empate bastaria para conquistar o primeiro turno, o que Tite considera de grande valia, dado o histórico da fórmula por pontos corridos - dos oito campeões desde 2003, seis viraram na dianteira.

FICHA TÉCNICA PALMEIRAS CORINTHIANS Marcos;João Vitor (Paulo Henrique), Thiago Heleno, Henrique e Gabriel Silva;Chico,Marcos Assunção e Valdivia;Maikon Leite, Kleber e Luan.Técnico:Luiz Felipe Scolari

Julio Cesar;Alessandro (Welder),Chicão,Leandro Castán e Ramon (Leandro Castán);Ralf,Paulinho e Danilo (Alex); Willian (Emerson), Jorge Henrique e Liedson.Técnico: Tite

Estádio:José Farah,em Presidente Prudente (SP) - Horário: 16h - Árbitro:Luiz Flávio de Oliveira (SP) - Assistentes:Marcelo Carvalho Gasse e Vicente Romano Neto (ambos de SP)

Após ser eliminado da Sulamericana, o Ceará agora planeja manter a regularidade no Campeonato Brasileiro para terminar o ano em uma posição satisfatória na competição. Sem disputar mais o torneio continental, o Vozão dará o primeiro passo para cumprir seu objetivo hoje, quando recebe o Bahia, às 16h, no Presidente Vargas. Alheios aos inúmeros clássicos desta rodada do Brasileirão, ambos os times pretendem conseguir uma vitória satisfatória para amenizarem a tensão vivida dentro dos clubes e subirem na tabela. Apesar do Ceará ocupar a 13ª colocação, os 22 pontos que conquistou no campeonato não afastam a equipe da zona de rebaixamento. FLORIANÓPOLIS

Embate da crise em Minas Gerais

AVAÍ QUER DERRUBAR O FIGUEIRENSE

s principais rivais de Minas Gerais não vivem um bom momento no Campeonato Brasileiro, e jogam neste domingo, às 18h (Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O Atlético-MG não venceu há oito jogos, enquanto o Cruzeiro triunfou apenas duas vezes nas últimas sete em que entrou em campo. Em melhor situação, o time celeste ocupa a 11ª colocação com 24 pontos. O técnico Joel Santana evitou definir a escalação com antecedência e deixa os torcedores cheios de dúvidas. Dudu e Anselmo Ramon brigam por uma vaga ao lado de Wellington Paulista no ataque, enquanto Char-

O Figueirense recebe o Avaí hoje, às 18h no Estádio Orlando Scarpelli, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, a última do primeiro turno, recheada de clássicos e emoção. Do lado azurra, duas novidades que são as grandes esperanças do torcedor para mudar de vez a situação do time na tabela: Toninho Cecílio e Lincoln. Logo na estreia, o novo comandante poderá contar com a maior contratação da equipe na temporada. O Alvinegro também leva o confronto a sério, já que é decisivo para se manter próximo do G-4. A vitória sobre o Corinthians na última rodada, do mesmo modo que a conquista de dez pontos nas últimas cinco partidas, encheu de moral o grupo.

O

les foi utilizado no meio-campo na ausência de Roger. “Se vai ter surpresa ou não, não sei, mas estamos prontos. Eles devem estar caçando lá algum tipo de notícia que vem de cá. É por isso que alguns tipos de trabalho a gente procura fazer entre nós. Para ver se pelo menos na hora do jogo o treinador já não sabe tudo que está acontecendo”, explicou. DEFESA Na defesa, Léo e Naldo estão confirmados após a saída de Gil para o Valenciennes, da França. Completando a linha, o lateral esquerdo Diego Renan acredita que o clássico pode realmente ser um divisor de águas no campeona-

to. “Uma vitória diante do Atlético pode nos colocar na briga direta por uma vaga na Libertadores. Ainda não tem nada definido, faltam 20 rodadas e, com 60 pontos em jogo, muita coisa pode mudar”, argumentou. No outro lado, a aposta é no conhecimento. O técnico Cuca passou um ano treinando o Cruzeiro e o atacante Guilherme disputou oito clássicos com a camisa celeste, vencendo seis e marcando seis gols. “O resultado deste clássico vai ditar o ritmo das duas equipes no segundo turno. O que nos favorece é a força de vontade, que temos há alguns jogos. Acima de tudo, a presença de nosso torcedor no estádio”, declarou o jogador.


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 28 de agosto de 2011

Santos e São Paulo se enfrentam às 16h na Vila Belmiro e ambos querem a vitória para terminar a primeira fase da competição em uma curva ascendente que os faça arrancar rumo ao título [ BRASILEIRO SÉRIE A ]

Clássico para fechar turno em alta antos (SP) - Gazeta Press Agosto foi de irregularidade tanto para o Santos quanto para o São Paulo. Mas os dois rivais têm no último compromisso no mês a oportunidade de confirmar uma ascensão que começa a ser traçada e encerrar o primeiro turno do Brasileiro em alta. O clássico das 16 horas, na Vila Belmiro, define o status de cada um. O Peixe, com três vitórias, um empate e três derrotas neste mês, está motivado com dois triunfos consecutivos na liga nacional.

S

Com 21 pontos e um pouco mais distante da zona de rebaixamento, o Alvinegro aspira uma projeção maior na tabela e, para isso, derrotar um rival pode ser o impulso necessário para que o time embale de vez no Brasileirão. A sensação é a mesma de quem sai do Morumbi para o confronto no litoral paulista. Após começar agosto com duas vitórias, o Tricolor ficou quatro partidas em jejum, com três empates e uma derrota, até alcançar os 3 a 0 sobre o Ceará na última quarta-feira que valeu a classifi-

cação na Copa Sul-americana. No Brasileiro, o terceiro colocado pode até assumir a liderança caso vença o San-São, o Flamengo não ganhe do Vasco e o Corinthians perca do Palmeiras por um placar suficiente para anular a desvantagem de seis gols no saldo. Possibilidades que motivam os dois rivais. “É sempre gostoso jogar um clássico, independentemente do momento do campeonato. Na última rodada do primeiro turno é algo legal e que valoriza ainda mais a partida. São duas equipes fortes, com grande joga-

dores e aquele que errar menos irá vencer. E queremos ganhar para sair da situação delicada que estamos. Ainda não estamos felizes com a nossa colocação no Brasileiro”, discursou Elano, recuperado de dores musculares e confirmado no jogo. Além de Elano, o volante Arouca também chegou a ser dúvida por conta de dores musculares, porém, foi liberado pelo departamento médico do clube e está à disposição de Muricy Ramalho. Com isso, a formação adotada no triunfo sobre o Fluminense, na última

quarta-feira, na Vila Belmiro, será mantida. Destaque na vitória sobre os cariocas, que o revelaram para o futebol nacional, Arouca enfrenta outro ex-clube seu neste domingo, e espera ter uma atuação tão boa ou melhor do que a última. Adilson Batista quer cadenciar mais o jogo, mantendo a bola no pé para evitar a pressão alvinegra. A solução para isso deve ser o retorno de Rivaldo alternandose entre o meio-campo e a função de centroavante entre Lucas e Dagoberto.

FICHA TÉCNICA SANTOS SÃO PAULO Rafael;Danilo,Edu Dracena,Durval e Léo;Henrique,Arouca,Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges Técnico:Muricy Ramalho

Rogério Ceni;Piris, João Filipe,Rhodolfo e Juan;Wellington,Carlinhos Paraíba,Casemiro e Rivaldo;Lucas e Dagoberto Técnico: Adilson Batista

Estádio:Vila Belmiro Horário:16 horas Árbitro:Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP) Assistentes:Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcio Luis Augusto (SP)


FERNANDA VASCONCELLOS E ANA BEATRIZ NOGUEIRA GRAVARAM CENAS DE “A VIDA DA GENTE”, PRÓXIMA TRAMA DAS 18H,EM BUENOS AIRES.

A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

[ PÁGINA 11 ]

revista da tv Fernanda Gentil, apresentadora do SporTV

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 28 de agosto de 2011

S A D E B S E U CL LHER U M

NOVA TEMPORADA DE “MALHAÇÃO”, QUE ESTREIA AMANHÃ,TRAZ CAIO PADUAN COMO UM BLOGUEIRO COM DONS SOBRENATURAIS. [ PÁGINA 3 ]

JEAN-CLAUDE VAN DAMME MOSTRA SEU LADO MAIS SENSÍVEL E TENTA VOLTAR À VELHA FORMA EM SÉRIE SOBRE SUA VIDA NO A&E. [ PÁGINA 11 ]

NA PROGRAMAÇÃO,ELAS PROVAM QUE ENTENDEM DO ASSUNTO E SE IMPÕEM NOS CAMPOS,RINGUES E PISTAS [ PÁGINS 6 E 7 ]


Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Inter TV/Cabugi – Canal 11 Inter TV/Cabugi – Canal 11

revista da tv

Domingo | 28 de agosto de 2011

TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

Moisés reclama dos constantes choros de Alexia. Natália critica o trabalho de Ziggy. Dieguinho e Jefferson perguntam sobre Alexia para Moisés. Gabriel encontra uma foto de Alexia em seu quarto e sente uma vibração estranha. Gabriel e Cristal se beijam e ele desmaia.

Cristal não consegue acordar Gabriel. Gabriel tem a visão do mesmo pesadelo de Alexia, sendo ele o perseguidor da menina. Natália liga para Ziggy, com ciúmes de Babi. Filipe explica para Nelson como ficou cego. Fôjo entrega uma mochila para Jefferson, que fica empolgado.

Cristal vê o blog de Gabriel e fica ainda mais encantada. Filipe convence Nelson a voltar a surfar. Beatriz, a avó de Gabriel, vai procurá-lo. Moisés vê endereços relacionados a Douglas no histórico de Alexia no computador. Gabriel diz que teme ter um tumor no cérebro.

Beatriz diz a Gabriel que ele tem um dom e não uma doença. Moisés pede que Dieguinho e Jefferson investiguem o que Alexia faz. Ziggy sugere a Gabriel tornar o blog interativo, ouvindo casos das pessoas. Gabriel e Betão sentem uma antipatia mútua ao se verem.

Felipe pensa em se casar com Dora. Timóteo manda Zóio-Furado prender Jesuíno e esconde o tesouro em seu quarto. Zóio-Furado ameaça prender Lilica se ela pensar em pedir sua parte no tesouro. Herculano chega à Vila da Cruz e promete libertar Jesuíno.

Helena convence Batoré a se juntar aos cangaceiros contra Timóteo. Herculano recusa a ajuda de Batoré. Úrsula convence Timóteo a soltá-la. Baldini procura Augusto para ajudá-lo a resgatar Jesuíno. Dora e Fausto descobrem que são irmãos de Nidinho.

Dora diz a Nidinho que vai resolver o problema dele com Patácio. Padre Joaquim leva Nidinho embora do palácio. Herculano explica a todos o plano para resgatar Jesuíno. Mulheres rezam por proteção aos companheiros. Virtuosa avisa que Açucena fugiu.

Açucena propõe se casar com Timóteo para libertar Jesuíno. Batoré entrega os papéis de anulação do casamento com Antônia para Helena. Úrsula manda Nicolau pegar a chave do quarto de Açucena com Lilica. A duquesa leva a princesa para ver Jesuíno.

Pedro e Diego tentam amenizar a situação entre Roberta e Alice. Alice e Roberta discutem na festa. Leila e Jonas transam. Leonardo e Silvia dão presentes de aniversário a Márcia e a deixam comovida. Tomás e Carla tentam compor uma música juntos.

Leila e Jonas flagram Carla e Tomás e os dois casais ficam desconfortáveis com a situação. Alice conta a Franco que brigou com Roberta e o empresário estranha. Pedro e Alice reúnem os alunos para convencer Vicente a voltar para o Elite Way.

Vicente diz aos alunos que não voltará ao Elite Way e todos ficam frustrados. Eva e Franco tentam arranjar uma maneira de conversar com Roberta e Alice sobre relações sexuais. Os rebeldes decidem fazer rapel. Binho e Pilar fazem trilha no mato e se perdem.

Dois rapazes ajudam Pilar e Binho a saírem do meio do mato. Jonas consegue falar com Pilar e fica mais aliviado. Franco proíbe Alice de sair de casa. Becky desmaia depois de correr. Roberta vai à casa de Diego e vê garrafinhas em cima da cama.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

Abner tenta confortar Naomi na cadeia. Ícaro desconfia que Júlia esteja com o dossiê. Amanda vê Ícaro beijando Júlia. Guilherme fica com ciúmes de Alice, e Tânia se irrita. Xavier procura Elaine/Élcio na fazenda de Abner e flagra o farsante colocando seu disfarce.

Xavier não se dá conta de que Elaine é um homem vestido de mulher. Leandro pede a ajuda de Zariguim para religar Naomi e descobre que a robô está sem bateria. Dulce apresenta Lídia a Janice. Amanda visita Naomi e conta que Ícaro e Júlia estão tendo um romance.

Minerva leva Abner e Josué à delegacia para denunciar Isaías. Naomi se desespera ao saber que Wilson pretende mandá-la para um presídio. Dulce se revolta ao descobrir que Guilherme planejava ir embora sozinho. Amanda diz a Júlia que sabe do romance dela com Ícaro.

Naomi conta para Abner que Júlia e Ícaro estão tendo um romance. Guilherme admite que pretendia ir embora sem a mãe e o filho. Júlia desabafa com o avô e decide se separar de Ícaro. Dulce conta a Júlia que foi enganada de novo por Guilherme. Guilherme desiste de partir.

Tadeu comenta com Ícaro que Naomi já sabe de seu relacionamento com Júlia. Amanda acha a bateria de Naomi robô no quarto de Hoshi e a esconde na casa de Ícaro. Isaías propõe um acordo para Abner não processá-lo. Júlia rompe com Ícaro, mas ele não aceita.

Mirna promete a Antenor que não irá mais se embriagar. Paulo confidencia a Renê que não pode ter filhos. Vilma sofre com a perda de seu táxi. Crodoaldo recebe uma visita misteriosa em sua casa. Antenor entra em pânico quando vê Renê em sua casa.

Antenor se esconde de Renê. Quinzé reclama ao ver Griselda sair com Renê de madrugada para trabalhar. Baltazar invade o baile onde Solange está e tenta levá-la, mas os seguranças o impedem. Tereza Cristina entra no restaurante e flagra Griselda junto a Renê.

Renê conta a Tereza Cristina sobre o curto-circuito. Griselda comenta a coincidência de ter um filho com o mesmo nome do noivo de Patrícia. Guaracy beija Griselda, que o expulsa de sua casa. Renê decide mandar flores para Griselda. Griselda resolve convidar Guaracy para jantar.

Antenor faz mudanças em seu plano com Mirna. Vanessa começa a trabalhar no Le Velmont. Griselda recebe flores de Renê. Baltazar ameaça Solange, e Celeste tenta defender a filha. Tereza Cristina exige que Álvaro proíba Íris de voltar para o Brasil.

Álvaro e Tereza Cristina se desentendem. Carolina ouve Vilma e Letícia se lamentando para consertar o táxi. Amália agradece Griselda pelo jantar. Luana se indispõe com um cliente e o enfrenta. Antenor conversa com Mirna. Tereza Cristina implora para que Renê não a abandone.

Maurício entra no flat de Cleber e instala uma escuta. Cleber volta ao cativeiro e afirma que matará Lucas e Andrea caso tentem alguma vingança. Ao voltar para casa, Lucas encontra Andrea encolhida, apontando uma arma para a própria cabeça.

Lucas tira a arma das mãos de Andrea. Armado, Lucas vai até Cleber. Carlos e Maurício também se aproximam. Os três miram na cabeça do ex-policial. Quando atiram, o barulho de crianças abafa o som. Não se sabe quem acertou Cleber.

Paramédicos levam Cleber. Rita vai à delegacia resolver a história com Ivan. Maurício diz a Patrícia que atirou em Cleber. O delegado diz que marcará uma acareação entre Rita e Ivan. Francisco oferece a Ivan o restante da quantia restante, para livrar Rita.

Regina assume para Patrícia que é apaixonada por Cleber. Ela diz à filha que teve uma ideia para fazer com que Francisco e Rita desistam do processo. Regina propõe a Francisco que se ele desistir do processo, ela convence Ivan a inocentar Rita.

Aranha aponta arma contra a cabeça de Dona Juliana, mas não acha Maria. Ana diz a Violeta que Filinto foi baleado e está internado. Violeta afirma a Ana que quer visitá-lo. Filinto recobra a consciência e revela a doutor Ruy que Feliciana tentou matá-lo.

Dona Juliana promete ajudar Maria. José promete descobrir quem matou Cléo e faz ameaças a Aranha. Feliciana diz a Lobo Guerra que vai denunciar todos os crimes dele à imprensa. Aranha comenta que encontrar Maria se tornou uma questão de honra.

Disfarçada de senhora, Maria chega ao “aparelho” e conta aos guerrilheiros que por pouco não foi presa. Violeta vai ao quarto em que Filinto está internado. Violeta pega um travesseiro para sufocar Filinto e o chama de assassino.

Doutor Ruy e Ana entram no quarto. Ao recuperar o fôlego, Filinto diz que Violeta tentou sufocá-lo e a chama de Olivia. Batistelli diz que o único jeito de Maria continuar na luta e amar José seria ele abandonar o Exército e passar para o lado da Revolução.

Jôse está decidida a ter a criança. Márcio tenta convencer Lili a criar o filho com ele. Natal, Laura e Dalva comemoram a reabertura da Kosmos. Herculano fecha negócios escusos com Ruben, dono da concorrente do Grupo Hayalla. Alan vai morar com Herculano.

Lili é levada para o hospital. Doutor Fernando diz a Samir que Márcio tem transtorno bipolar. Ele insinua para Clô que a internação pode ser uma solução. Samir grava a conversa de Herculano e descobre que ele desviará dinheiro do Grupo. Márcio exige uma explicação.

Herculano se explica. Clô diz a Samir que Márcio tem visões com Salomão. Ferragus aconselha Herculano a não trair Márcio. Samir forja situações para Márcio pensar que está alucinado. Lili promove um pagode na mansão. Márcio tem um acesso de raiva e discute com Lili.

Herculano se desespera ao não conseguir fazer previsões. Samir ameaça revelar a Clô o caso de Magda e Salomão. Amanda se preocupa com o deslumbramento do ilusionista pelo dinheiro. Magda dá a Samir uma caixa com segredos que podem prejudicar Márcio.

SEGUNDA

SÁBADO

MALHAÇÃO ID Alexia tem um pesadelo em que procura por uma casa de número 1046. Babi e Cristal retiram as coisas que Alexia abandonou no quarto. Betão descobre que tem um irmão adolescente. Ele vai buscá-lo no aeroporto e vê que ele é cego. Cristal fica encantada com Gabriel.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

CORDEL ENCANTADO Batoré diz a Antônia que vai pedir a anulação de seu casamento. Raimundo diz a Miguézim que foi obrigado a contar onde o tesouro de Seráfia estava escondido. Florinda pede a Petrus que fique. Miguézim diz a Açucena e Augusto que o tesouro foi roubado.

Úrsula ajuda Açucena a desamarrar Jesuíno. Úrsula e Nicolau vasculham o quarto do coronel à procura do tesouro. Antônia implora para que o irmão a deixe ficar na fazenda. Úrsula flagra Antônia e Açucena combinando a fuga.

TV ponta Negra– Canal 13

TV Tropical – Canal 8

Inter TV/Cabugi – Canal 11

Inter TV/Cabugi – Canal 11

TV Tropical – Canal 8

REBELDES

Inter TV/Cabugi – Canal 11

2

Genaro protesta para tirar Ofélia da Vila Lene, mas não recebe apoio dos vizinhos. Vitória e João se entendem. Pedro e Alice se beijam na biblioteca. Pilar fica com ciúme. Todos chegam à festa de Márcia fantasiados: Roberta vai como Alice e Alice vai vestida de Roberta.

MORDE & ASSOPRA Leandro diz a Amanda que ama Naomi robô e pretende ligá-la novamente. Oséas flagra Tiago e Lídia juntos e a expulsa de casa. Wilson revela a Ícaro que Naomi já esteve internada em um hospício. Abner descobre que Salomé pode perder a fazenda para os chineses.

FINA ESTAMPA Antenor fica impressionado com a atuação de Mirna, que se passa por sua mãe. Griselda decide aceitar uma carona de Renê. Griselda convida Rafael para jantar em sua casa e oficializar o namoro da filha. Mirna decide sair para gastar e Antenor ameaça acabar com o acordo.

VIDAS EM JOGO Patricia ameaça Rita e diz que Ivan a culpou pelo sequestro. Regina diz que contará a Rita que Zizi foi prostituta. Com medo, Zizi diz à filha a verdade. Cleber chega à casa de Andrea e diz que ela terá que ir para a cama com ele, se não quiser ver Lucas morto.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

AMOR E REVOLUÇÃO José e Maria vão para um hotel e ele diz que desmarcou o casamento com Miriam. Do quarto, José vê a movimentação de policiais na rua. Eles invadem o quarto, mas José está só. Maria entra no quarto de Dona Juliana, e pede ajuda para se esconder.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

O ASTRO NÃO HÁ EXIBIÇÃO

NÃO HÁ EXIBIÇÃO


revista da tv

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 3

LIGAÇÃO DIRETA

OS PROTAGONISTAS Os intérpretes de Gabriel e Alexia têm em comum o fato de serem praticamente estreantes na TV.Bia Arantes,de 18 anos,nasceu na cidade de Piumhi,em Minas Gerais.Veio para o Rio de Janeiro há dois anos para uma pequena participação em “Cama de gato”.Já Caio Paduan nasceu na Cidade Maravilhosa, mas mudou-se para São Paulo aos 9 anos. Apenas agora,aos 24,volta para assumir seu primeiro protagonista.Acostumado aos palcos do teatro,ele tem uma pequena experiência em televisão,na série “Descolados”,da MTV.

THAÍS BRITTO

uas desertas e escuras, chuva e uma mulher sendo perseguida por um homem que já morreu. Parece cena de filme de terror, mas é o pesadelo de Alexia (Bia Arantes), que dá início à nova temporada de “Malhação”, no ar amanhã, a partir das 17h54m. Há 16 anos no ar, a novela investe, pela primeira vez, no realismo fantástico, com uma história que envolve mistérios e paranormalidade. O folhetim gira em torno de Gabriel (Caio Paduan), um rapaz que chega ao Rio de Janeiro para cursar faculdade e acaba indo morar no quarto que pertencia a Alexia (Bia Arantes). A dupla ainda nem se conhece no início da trama, mas os jovens estão ligados por um sonho em comum e pelo número 1046, que aparecerá de diversas maneiras nos capítulos, sempre aproximando as trajetórias dos dois. Gabriel tem um dom para assuntos paranormais: o estudante mantém um blog chamado “Além da intuição”, no qual investiga e comenta casos sobrenaturais. Já Alexia ainda so-

fre com o trauma da morte do namorado, Douglas (Pierre Baitelli), num suspeito acidente de carro. O núcleo central se completa com Babi (Marcella Rica) e Cristal (Thaís Melchior), as companheiras de apartamento de Gabriel, que logo vai engatar um romance com esta última; Ziggy (Felipe Haiut), um dos melhores amigos do estudante; e Betão (Lucas Cordeiro), um lutador de kung-fu que vai precisar lidar com muitas mudanças em casa, após descobrir que tem um irmão mais novo, Felipe (Pedro Tergolina), e que ele é cego. Diretor de “Malhação”, Ajax Camacho é a mente por trás da temática sobrenatural, cujo projeto foi lapidado a seis mãos com a autora Ingrid Zavarezzi e o diretor-geral Mario Marcio Bandarra. Segundo ele, a ideia é mostrar para o público da novela que não existe acaso e coincidência: tudo está dentro da gente. — Acho que este é um tema que interessa a todo mundo. Milagres acontecem diariamente, conosco e com nossos amigos. Gabriel tem um dom como qualquer pessoa, só que

O PESADELO Alexia é assombrada pela morte precoce do namorado,Douglas (Pierre Baitelli),num acidente de carro.A jovem sempre sonha que está em busca de uma casa cujo número é 1046: à noite,por ruas desertas e na chuva,Douglas surge nessas imagens.Esse é um dos casos que vai aproximá-la de Gabriel,que começa a ter o mesmo sonho,ainda sem conhecê-la.O tal número 1046 aparecerá em outras situações,sempre relacionadas aos dois protagonistas.

tífica. Um de seus mais recentes trabalhos é o romance “Dom Casmurro e os discos voadores”, parte de uma coleção que mistura clássicos da literatura a zumbis, fantasmas e alienígenas. A moda capitaneada por livros e filmes como “Crepúsculo” e séries de TV como “True blood” torna o momento perfeito para experimentar esses temas em “Malhação”, na opi-

R

OS NOVOS CENÁRIOS Lá nos primórdios,quando Danton Mello era Héricles,um rapazinho do interior que vinha para o Rio de Janeiro,a academia era o único cenário de “Malhação”.Ao longo das temporadas,a escola virou o ponto central da trama.Desta vez,a variedade é a marca dos locais frequentados pelos personagens.A escola ainda está lá, mas é acompanhada pela universidade onde Gabriel (Caio Paduan) estuda,pela favela Dos Anjos onde moram Dieguinho (Pedro Bernardo) e Jefferson (Douglas Sampaio),além do brechó de Laura (Letícia Spiller) e da locadora,local de trabalho de Guido (Gil Coelho).

nem todos o exercem. Muitas vezes, não enxergamos porque estamos muito voltados para os nossos problemas, mas está tudo lá — explica. Especialista em histórias para jovens, Ingrid chamou um profundo conhecedor do realismo fantástico para ajudá-la a desenvolver a trama: Lúcio Manfredi, escritor e roteirista com foco na ficção cien-

NOVA TEMPORADA DE ‘MALHAÇÃO’ ESTREIA AMANHÃ INVESTINDO EM TRAMAS DE MISTÉRIO E NO USO DA INTERNET

internet e das novas tecnologias para aproximar os personagens. Fora o “Além da intuição”, de Gabriel, há ainda o “Nós online”, blog de notícias mantido pelos moradores da favela conhecida como Dos Anjos. A estudante de jornalismo Natália (Carla Salle) dá o pontapé inicial no projeto, tocado por Fôjo (Jonathan Azevedo) e Jefferson (Douglas Sampaio) na comunidade. Os dois sites, aliás, existirão também no “mundo real”, assim como os perfis dos personagens da novela no Twitter. O expediente já foi utilizado por Ingrid anteriormente, na série “Beijo, me liga”, do Multishow, e no especial de fim de ano “Tal filho, tal pai”, na Globo. Doze dos jovens de “Malhação” já estão na rede de microblogs em perfis como @malhacaoalexia e @malhacaogabriel.

nião de Manfredi. — Toda essa revolução tecnológica e a internet fazem com que percamos um pouco a conexão com o fantástico, o maravilhoso. Daí o interesse da geração atual em histórias TEXTO E A DIREÇÃO Formando a equipe ao lado do sobrenaturais. Elas O experiente diretor-geral Mario Marcio Bandarra estão dois resgatam essa di- estreantes em“Malhação”.A autora Ingrid Zavarezzi e o diretor mensão mágica e Ajax Camacho são casados há 18 anos.Ela já havia atuado servem de contra- como colaboradora em“Malhação ID”e,agora,assume pela vez o roteiro como titular.Foi de Ajax a ideia do ponto ao mundo co- primeira projeto com o tema “intuição”que,a princípio,serviria para lorido, brilhante, uma série.Mas,quando Ingrid mostrou o argumento a mas totalmente ima- Bandarra — com quem já havia trabalhado no especial de fim nente da ciência — de ano“Tal filho,tal pai”—,ele insistiu em levá-lo para o folhetim.Os três vêm desenvolvendo o projeto há seis meses. defende o escritor, que fala sobre algumas das referências utilizadas no fo- Neles, são publicados detalhes do lhetim: Um autor que Ingrid e eu te- cotidiano do personagem e indimos em nossas mesinhas de cabe- cações de sites e notícias condizenceira é Philip K. Dick, que escreveu tes com seus gostos. É ainda mais os livros e contos que inspiraram trabalho para Ingrid e a equipe de “Blade runner” e “O vingador do fu- colaboradores, mas ela garante que turo”, e cuja obra explora a realida- a resposta vale a pena. de e a percepção que temos dela. — É muito bacana ter esse conNa hora de listar suas referên- vívio 24 horas com o público. E as cias, Ingrid considera Dick seu au- pessoas entendem perfeitamente a tor preferido e diz que o filme “Ma- brincadeira, que não estão ali contrix” mudou sua vida. Mas duas das versando com o ator. O público en— aparentemente — maiores inspi- tra no clima e realmente interage. rações desta nova temporada de Alguns insistem, tipo: “Você é da “Malhação” estão nas séries de TV produção?”, “Quem está aí escreque mais a impactaram nos últimos vendo?”, “Você é o fulano (o atempos: “Lost” e “Gossip girl”. En- tor)?”. Mas nós respondemos que quanto a primeira se reflete na au- são os personagens, cada um com ra misteriosa e, especialmente, no sua personalidade, suas gírias, seus número que conecta os protagonis- emoticons, suas idiossincrasias — tas, a segunda revela a utilização da ri a autora.


Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

TA P E T E V E R M E L H O

revista da tv

Domingo | 28 de agosto de 2011

COM REPORTAGEM DE NATALIA CASTRO,TATIANA CONTREIRAS E AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

AP FOTOS DE REPRODUÇÃO

JOGO RÁPIDO ROSANA HERMANN

abalou verdade que Kim Kardashian tem seus momentos exagerados com roupas que marcam demais suas formas avantajadas. Porém, parece que no dia de seu casamento com Kris Humphries ela deixou a volúpia de lado para se tornar uma “princesa”. E mostra seu conto de fadas, exclusivament e, na capa da “People”. Com um dos três vestidos que usou — todos assinados por Vera Wang, a queridinha de dez entre dez

Dona de um dos mais influentes perfis do Twitter,Rosana Hermann estreou,na semana passada,como colunista de internet e redes sociais do “Jornal da Record News”. A jornalista — que também é pós-graduada em Física Nuclear — acumula experiência na telinha:já foi redatora de programas como “Pânico na TV!”, âncora do “Fala, Brasil”e roteirista do “Sai de baixo”, entre outros trabalhos.

É

»MÃE NOTA 1000

Casório badalado noivas —, Kim disse o “sim” em uma cerimônia na Califórnia, com preço estimado em US$ 10 milhões. Ui!

O bafafá começou quando o menino Max apareceu com um hematoma na região do olho. Bastou para que o site “Media Take Out”acusasse Christina Aguilera de agredir o próprio filho.Indignados,os advogados da cantora entraram com um processo contra o site,alegando que “Christina é uma mãe maravilhosa e não estava presente no parque quando Max caiu e se machucou”.

» VEM MAIS UM POR AÍ... » PODER

E saiu a lista da “Forbes” com as mulheres mais poderosas do mundo.Em primeiro lugar,a chanceler alemã Angela Merkel,seguida de Hillary Clinton e da nossa presidente Dilma Rousseff. Michelle Obama (acima) está em oitavo.Lady Gaga (à esq.), em 11, e Oprah Winfrey, em 14 . Gisele Bündchen ocupa a 60 posição.

A história é sempre a mesma:elas negam,negam e,depois,quando a situação já fica ridícula,confirmam a gravidez.A atriz Jennifer Garner bem que tentou,mas foi traída por seu barrigão.Ela e Ben Affleck acabaram revelando que estão esperando o terceiro filho.O casal já é pai de Violet,de 5 anos (na foto com Jennifer),e Seraphina,de 3.

Como você se tornou especialista em internet? Quando estudava Física,nos anos 70, aprendi a programar num computador antigo.Depois,fiz Comunicação e só voltei a ver um computador nos anos 80.Desde então,fui evoluindo e uni a paixão jornalística à formação científica.Usei icq,tenho blog desde 2000 e aderi ao Twitter em 2007. Que tipo de assuntos você pretende abordar nos comentários? Coisas interessantes que podem facilitar a vida.Desde um site para criar sua própria rádio até sugestões para usar a câmera do celular para registrar o lugar onde estacionou o carro. Qual é a diferença desta experiência na televisão? Trabalho em TV desde 1983,mas agora é diferente:ela está totalmente integrada à web.O jornal vai ao ar simultaneamente pela Record News e pelo portal R7.

DIVULGAÇÃO

4

» DUVIDOSO

Após fortes rumores de separação,Will Smith e Jada Pinkett Smith apareceram juntinhos e felizes — até demais — em Malibu.Casados há 13 anos,eles fizeram questão de desmentir a notícia,afirmando que a relacão permanece intacta.


revista da tv

Domingo | 28 de agosto de 2011

Para Guilhermina Guinle,pela Beatriz de “O Astro”. A atriz vem mostrando um ótimo trabalho com uma personagem divertida,uma mulher liberada e bem resolvida,uma das mais interessantes do remake.É seu melhor desempenho na TV até hoje.

10 0

Para aquele pessoal da rede de vôlei de “Fina estampa”, novela de Aguinaldo Silva.Eles são praticamente coreografados,é aflitivo.A coisa piora bastante levando em consideração que eles representam o espírito carioca espontâneo.

CONTROLE REMOTO

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

»CONTRATO

Mônica Martelli, que está no ar no GNT com a segunda temporada de “Dilemas de Irene”, assinou contrato longo com a Globo. A atriz ficará na emissora por três anos.

»OUTROS CRIMES

Fabíula Nascimento vai rodar, em setembro, “O lobo atrás da porta”, de Fernando Coimbra, sobre a história de um crime passional. A atriz, que na TV é do elenco de “Forçatarefa”, será mulher do personagem de Milhem Cortaz. Lula Carvalho assinará a direção de fotografia. ELIZABETE ANTUNES (INTERINA)

MARIANA VIANNA

GABRIEL WARDIL

»DO BRASIL

Maria Paula brinca com Roberto Santucci,no 15th Brazilian Film Festival of Miami.

»PORCHAT,O

ONIPRESENTE

Fábio Porchat e o grupo Galo Frito estão na turma de roteiristas que trabalha com o pessoal do Casseta na criação de um novo programa.

»DE NOVO

A Globo vai reprisar o show do “Criança esperança”, hoje,depois do “Esporte espetacular”.

»VAI VOLTAR

No ar na reprise de “O rei do gado”, no Canal Viva,Oscar Magrini vai gravar um episódio de “As brasileiras”.

»LIVRO

Ana Maria Moretzsohn,uma das roteiristas de “Confissões de adolescente”, vai lançar “Pintos de sangue no play”, romance infanto-juvenil.

inda falta muito para que Carolina Dieckmann entre em cena em “Fina estampa”— ela só chegará à história de Aguinaldo Silva,dirigida por Wolf Maya,no capítulo 25.Mas a atriz já está treinando intensivamente para se transformar na periguete Teodora.A moça de caráter duvidoso é casada com um lutador de vale-tudo,Wallace (Dudu Azevedo),com quem vive nos Estados Unidos.Antes de viajar,ela deixou para trás o filho pequeno e o marido,Quinzé (Malvino Salvador).Para se familiarizar com o universo de Wallace,Carolina vem frequentando aulas de muay thai três vezes por semana numa academia na Barra da Tijuca,Zona Oeste do Rio.— Teodora está nascendo à base de muito soco e chute — brinca a atriz,que se diverte nos treinos e aproveita para manter a forma,já que esta prática é conhecida,entre outras virtudes,por “secar”o corpinho.

A

CRÍTICA MARCELO SERRADO,O CRÔ No ar em “Fina estampa”como o mordomo Crô,Marcelo Serrado está de volta à Globo depois de uma passagem bem-sucedida pela Record.É um caminho único,já que Gabriel Braga Nunes,que pegou o mesmo trem,teve um momento como vampiro em “Mutantes”. Marcelo manteve o currículo longe das derrapadas.É claro — e necessário ressalvar — que uma derrapada não desmerece o talento de ninguém,apenas fica o registro. Voltando à vaca fria,Serrado estreou na extinta TV Manchete em “Corpo santo”, em 1987,mas ficou conhecido mesmo fazendo novelas e minisséries de Gilberto Braga.Em 1990,atuou em “O dono do mundo”; em 92,em “Anos rebeldes”; mais tarde,em “Labirinto”. Trabalhou em diversas produções na Globo e em papéis de destaque,mas nunca chegou a protagonista.Seu desempenho era bom,mas brilho mesmo ele demorou a mostrar.Em 2006,ele não só mostrou,como esbanjou.Aconteceu quando ele interpretou um delegado em “Vidas opostas”, novela de Marcílio Moraes escrita na Record.Foi uma virada. Depois,Serrado gravou “Mandrake”, série do HBO,igualmente com bons resultados. Ele já tinha provado que sabia fazer o mocinho e o bandido.Faltava uma incursão pela comédia.Daí a curiosidade em conferir como ele vai se sair como o empregado fiel de Tereza Cristina (Christiane Torloni) no folhetim de Aguinaldo Silva.O personagem é afetado,mas Serrado vem usando gestos contidos e mantendo o tom de voz sob controle.A grandiloquência fica por conta da caracterização — um topete enorme e figurino beirando a caricatura.Crô também possui um vasto repertório de expressões alusivas ao antigo Egito para reverenciar a patroa:Rainha do Nilo,Pitonisa, Nefertiti etc.Fez dois arranjos de flores logo no primeiro capítulo.Desfilou pela praia com dois cachorrinhos pouco discretos.Apesar dos trejeitos e da aparente alegria,há uma boa dose de sofrimento e espírito de manipulação no personagem.Serrado sabe disso.Crô é interessante porque admira aquela que o faz sofrer.Por esses conflitos silenciosos e também por seu potencial de humor,o jogo entre ele e Torloni pode render ótimas cenas.

5


revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Domingo | 28 de agosto de 2011 E GUITO MORETO E GUITO MORETO

NATALIA CASTRO

epórter do canal pago Combate há nove anos, Vivi Ribeiro conta que ainda ouve perguntas do tipo: “Nossa, mas o que você faz entre tantos trogloditas?”. É assim que a maioria se refere aos gigantes lutadores de vale-tudo, entre os quais Vivi está acostumada a circular no trabalho. A jornalista defende sua turma: Eles não são trogloditas. Eu me amarro nesses caras. São pessoas simples, com belas histórias de vida. Aliás, são tantos anos convivendo com eles, que já me sinto até meio menino. Quem a vê à frente de atrações como “Área exclusiva”, “Combate Brasil” e “Espaço octágono” (leia quadro com a programação na página ao lado) e na cobertura de eventos ligados à luta — como na noite de ontem, em que acompanhou o UFC Rio, no HSBC Arena — percebe que a moça, de 30 anos, não se intimida com os músculos e a estatura de seus entrevistados. Muito pelo contrário. Ela frisa que, por trás da força e da concentração deles, também bate um coração. — Nunca senti preconceito por ser mulher. Lembro da primeira vez em que entrevistei o Minotauro (Rodrigo Nogueira) e ele foi um fofo. Saí encantada — derrete-se Vivi, revelando que, às vezes, recebe cantadas, sim: — Teve um que resolveu fazer gracinhas no ar. Mudei de assunto, cortei sem perder a simpatia. Temos que aprender a lidar. Vivi, que era leiga no assunto antes de ir para o Combate, procura estar sempre por dentro do que acontece. Vive fuçando sites especializados e ouvindo a opinião de experts. Fora isso, adora ficar em frente à TV grudada no octagon (o ringue das competições): — A luta é assim: ou você ama ou odeia. Depois que começa a gostar, vicia. E é o que acontece com muitas mulheres que primeiro acompanham os homens e, depois, acabam gostando. A paixão por esportes desde a infância foi a responsável por aproximar Fernanda Gentil do SporTV. Hoje à frente do “É gol”, exibido diariamente, Fernanda começou sua carreira no canal como repórter de campo, há cerca de cinco anos. E ela diz que, ali, no meio do gramado, ser homem ou mulher não faz diferença. O negócio é mesmo “ir para a guerra”: correr atrás dos jogadores, posicionar o microfone e fazer as perguntas necessárias. E, o principal, se impor diante da “macharada”. — O que me intimidava eram alguns técnicos mais ranzinzas. Você tem que

R

OLHAR FEMININO

6

PROG

Vivi Ribeiro, do Combate, revela que já levou cantada de lutador no ar

MULHERES FALAM COMO É TRABALHAR EM PROGRAMAS LIGADOS A TEMAS — AINDA — DOMINADOS POR HOMENS

Fernanda Gentil, do SporTV, aprendeu a lidar com treinadores

“Auto e 10h35m (SBT,do (SBT,do caminh 10h30m sex.,às (Comb “Comb às 12h) (Comb

SBT/DIVULG

Monica Velloso, do “Vrum”: sem medo da ofic

chegar com alguma distância, não pode dar brecha por ser mulher. A maioria ainda olha com um certo desdém, mas, depois que veem que você é uma profissional séria, que entende do assunto, se abre mais — analisa. A jornalista esteve na Copa do Mundo da África, em 2010, e na Copa da Confederações, em julho deste ano, na Argentina. A experiência, embora valiosa, a deixou temerosa. — Fiquei em um centro de imprensa em que tinha acesso direto aos jogadores. E você passa por todos os tipos de situação, até apertar a mão do ceguinho, lembra? — indaga ela, lembrando a situação constrangedora em que estendeu a mão para cumprimentar um deficiente visual, ao vivo. O vídeo foi parar no YouTube e Fernanda diz que aprendeu a tirar as gafes de letra. Ela destaca que estar no meio do burburinho faz toda a diferença no trabalho. — Eu sei de várias coisas porque estudei, vi, decorei. Os homens, não.

Eles vivenciaram esses momentos, estavam nas arquibancadas. Então, percebi que ir aos jogos e eventos faz toda a diferença — explica. Raul Costa Junior, diretor-executivo do SporTV, garante que a escolha da jornalista, assim como de outras profissionais mulheres, não tem a ver com o sexo. Mas ele concorda que o interesse do público feminino pela programação do canal só faz crescer. — E não é só pelo futebol. Mas pelo esporte em geral — reforça o diretor. Pelos automóveis também, avisa Millena Machado, do “Auto esporte”, na Globo. Mas, ao contrário do que diz o executivo do SporTV, ela acredita que sua presença na atração tenha como objetivo aproximar as mulheres do universo automobilístico. E que, de fato, elas vêm compartilhando a paixão dos maridos pelos carros. Segundo Millena, o reflexo dessa adesão pode ser reparado nas oficinas mecânicas. — Eles ser-

vem café, há banheiros femininos e você não vê mais aqueles pôsteres de mulheres nuas nas paredes — observa. Mesmo assim, ela reconhece que ainda sofre um certo preconceito daqueles que insistem que “mulher no volante é perigo constante”: Fico constrangida quando ouço frases como “Mulher, quando dirige bem, é melhor que homem” ou quando o entrevistado tem medo que eu dirija o carro dele. É chato. Para não ter mais que passar por esse tipo de situação, Millena conta que corre — e muito — atrás da informação. A partir do momento em que se viu diante de tantos veículos, entendeu que o mundo das quatro rodas vai muito além de cores, espaço e tamanho. — Até surpreendo alguns homens. Quando eles vão me explicar determinados conceitos, eu já sei do que se trata — gaba-se ela, que já se viu diante de algumas palavras não tão comuns em seu vocabulário. Outro dia mesmo,

aprendeu o signi câmbio tiptronic mesmo que câmb curso a mais para automáticos — af Monica Vellos acha que a mulhe do dos carros. E qu elas não sabem dir te das estimativas guro de carros par barato. Somos ma tas e provocamos Juliana Nogue térias no “Brasil Band, diz que a te bastante o públic nhões, já que a pr nônimo de brutal sa de passar muito que ficar sentado d te é realmente mac nalista, acrescen gem aos caminho


DIVULGAÇÃO

Juliana Nogueira, do “Brasil caminhoneiro”: segurança ARQUIVO PESSOAL

GAÇÃO

Michelle Cavalcanti, do “Pesca Alternativa”

ificado da expressão c. — Descobri que é o bio borboleta, um rea o motorista de carros firma, orgulhosa. o, do “Vrum”, no SBT, erada não pode ter meue essa história de que rigir cai por terra dians: Não é à toa que o sera mulheres é bem mais ais sensíveis, mais atens menos acidentes. ira, que edita e faz mal caminhoneiro”, na ecnologia aproximou co feminino dos camirofissão sempre foi siidade. — É aquela coio tempo na estrada, ter dirigindo... O ambienchista — pondera a jorntando que a abordaoneiros precisa ser de

igual para igual, sem rodeios. Juliana garante que nunca foi destratada por nenhum deles. Mas que já foi testada por empresários do setor. — Eles me olham e devem pensar o que estou fazendo lá. Mas sou segura. Estou no programa há oito anos, entendo do assunto — defende-se. Michelle Cavalcanti que o diga. Apresentadora do “Pesca alternativa”, do SBT, ela está aí para provar que pescaria não é assunto exclusivo de homens, mas também de mulheres que apreciam relaxar em contato com a natureza. No entanto, admite que a falta de conforto dos barcos e as iscas (muitas vezes, minhocas) afastam as moças da atividade. — A presença de insetos e o medo dos perrengues inibem um pouco — exemplifica. O didatismo dos guias e a paciência dos colegas, pondera, faz o trabalho valer a pena. — E ainda dizem que mulher no barco dá sorte! — lembra Michelle.

TV GLOBO/ ESTEVAM AVELLAR

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

TV GLOBO/ JOÃO MIGUEL JUNIOR

A Faz-Tudo Griselda,de “Fina estampa”,é desprovida de vaidade

Já a taxista Vilma não dispensa o batom colorido e o bom humor TV GLOBO/ RENATO ROCHA MIRANDA TV GLOBO/ MARCIO NUNES

esporte”(Globo,dom.,às m);“Pesca alternativa” om.,às 7h30m);“Vrum” om.,às 8h30m);“Brasil honeiro”(Band,dom.,às m);“É gol”(SporTV,seg.a 11h45m);“Área exclusiva” ate,em dias de evento); bate Brasil”(Combate,ter., );“Espaço octágono” ate,qua.,às 12h) .

Millena Machado, do “Auto esporte”, enfrenta o preconceito masculino

Com licença, eu vou à luta

TV GLOBO/DIVULGAÇÃO

GRAMAÇÃO:

cina

revista da tv

Domingo | 28 de agosto de 2011

Em o Astro Lili já foi manicure e caixa.Agora,é taxista

Já foi o tempo em que os papéis femininos nas tramas se resumiam a mulheres frágeis,sonhadoras e inocentes.Agora mesmo,no ar,temos vários exemplos de que pilotar fogão é apenas uma das atividades as quais elas estão aptas a fazer.E bem.Em “Cordel encantado”, por exemplo,Dora,vivida por Nathalia Dill,deixou a candura de lado para se juntar ao bando comandado por Herculano (Domingos Montagner) no cangaço.Sem fazer feio.A atriz acredita que,hoje em dia,não há espaço para machismo.E que as mulheres podem, sim,mostrar que têm talento para jogar futebol,lutar em ringues,fazer serviços mecânicos... — A gente só não fica falando muito para os homens não ficarem chateados — brinca Nathalia,explicando que o mais difícil de sua transformação em cena foi deixar a voz mais grave:— Era preciso que ficasse masculina sem ser falsa. Em “O Astro”, Lili,personagem de Alinne Moraes,já tentou a sorte como manicure e caixa de mercado.Atualmente,ganha a vida como taxista,profissão que vem se

tornando cada vez mais comum no meio feminino.Prova disso encontramos em “Fina estampa”, a nova trama das 21h.Na história de Aguinaldo Silva, também há uma taxista.Ela é Vilma,interpretada por Arlete Salles.Segundo a própria atriz, grande parte das profissionais foi parar atrás do volante após herdar o carro de um pai ou de um irmão.Mas ela explica que os riscos da função ainda repelem um pouco as mulheres. — É fato que as taxistas têm um temperamento corajoso.Além do perigo de lidar com gente estranha o tempo todo,há a questão de não poder ir ao banheiro na hora que dá vontade,da falta de rotina...— enumera Arlete. No entanto,a atriz pontua que,apesar de algumas exigências impostas pelo dia a dia da profissão — como não usar saias e um perfume muito forte —,é importante que as motoristas mantenham sua vaidade nos pequenos detalhes,como nos brincos,no batom e em um corte de cabelo bacana.— Alguns homens ainda se surpreendem quando entram em um táxi e se deparam com uma mulher.Mas,

Em Cordel encantado”,Dora se vestiu de homem para lutar pelo que soube,eles são sempre muito simpáticos — diz a atriz. Na mesma novela,Griselda,a protagonista vivida por Lilia Cabral,abriu mão de qualquer resquício de vaidade para fazer serviços considerados de macho.Metida em um macacão que em nada valoriza o seu corpo,sempre de botas e com um boné que esconde seus cabelos,ela é constantemente confundida com um homem.E até em seu cartão de visita,distribuído aos clientes,ela se autodenomina Pereirão. Mas por que ocultar tanto a feminilidade? — Eu acho que ela nunca teve vaidade. Griselda era mulher de pescador,cuidava da família,não conhece esse outro lado — analisa a atriz,frisando que a faz-tudo só usa esse tipo de roupa por uma questão de praticidade. Para ela,assim como sua personagem,as mulheres têm total capacidade para lidar bem com uma troca de pneu,um cano furado e outras tarefas mais técnicas. — Imagina uma solda feita por uma mulher? Sem dúvida,somos muito mais caprichosas! — valoriza Lilia.

7


revista da tv

8 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

O QUE VEM POR AÍ

Domingo | 28 de agosto de 2011

TATIANA CORREIA

REUTERS

MULTISHOW/DIVULGAÇÃO

»CELEBRANDO AMY

Amy Winehouse será a grande homenageada do Video Music Awards,que a MTV transmite ao vivo hoje.É Tony Bennett,um dos ídolos da cantora,que sobe ao palco para dar início ao tributo com a canção “Body soul”, que os dois gravaram recentemente.A cerimônia de premiação é às 22h,mas a cobertura começa uma hora antes,com os apresentadores Penélope e Thunderbird e a comentarista Jana Rosa falando dos modelitos.Já o VJ Didi estará em Los Angeles e vai mostrar o tapete vermelho,além de twittar cada detalhe da festa na hashtag #didinovma.

»SOPRANDO VELINHAS

ncontrar semelhanças e diferenças entre o humor lusitano e o brasileiro é um dos objetivos de Fernando Caruso no “Muito giro”, estreia do Multishow na terça-feira, às 20h. Segundo o humorista, diferentemente do “De cara limpa”, a atração é mais investigativa ao estudar a comédia em Portugal e buscar material para usar no palco. Ele viaja e se apresenta pelo país, além de conversar com os comediantes de lá, como

E

A estreia de três novas provas e a exibição de um clipe com os melhores momentos são atrações do episódio de um ano do game “O último passageiro”, com Mario Frias,na Rede TV!.Hoje,às 19h50m.

TV GLOBO/ESTEVAM AVELLAR

O documentário “Angelina Jolie:Além da beleza”, amanhã,às 23h15m,inaugura a programação “Perfis femininos”, do GNT.Haverá ainda especiais sobre Monica Belluci e Charlotte Gainsbourg.

»BUSH NA BERLINDA

O NatGeo estreia quinta-feira, às 21h, o especial “11 de Setembro: 10 anos depois”. Neste primeiro episódio, uma entrevista exclusiva com o ex-presidente George W. Bush revela os detalhes de sua experiência como chefe de Estado durante os atentados.

»COMO LIDAR?

O Discovery Home & Health exibe hoje,em sequência, dois programas sobre fobias e como enfrentá-las: “Mulheres com medo”vai ao ar às 22h e “Ansiedade extrema”, às 23h.

þ

»CHICO TOTAL

Chico Anysio é o entrevistado do quadro “O que vi da vida”, no “Fantástico”, hoje, a partir das 20h45m. Conduzido por Claudio Manoel, o humorista fala sobre família, amores, saúde e trabalho no emocionante depoimento.

»GIRL POWER

C E NA V I R T UA L

Cesar Mourão (com Caruso na foto, ao lado da estátua de Fernando Pessoa) e seu grupo de teatro, o Comédia à la Carte. — A principal surpresa é que eles são muito mais receptivos com os brasileiros do que nós somos com os portugueses. Eu gastei muito tempo preocupado em adaptar meu vocabulário para lá,mas eles estão acostumados com a nossa cultura há mais de 30 anos — conta Caruso.

DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET

Winning! Charlie Sheen lembra a todos de sua participação no Comedy Central neste teaser.Detalhe: vai ser no dia da estreia da nova temporada de “Two and a half men”.

þ

Turma do funil. Esta coluna protesta contra os míseros segundos dedicados a Tia Neném (Ana Lúcia Torre) no final de “Insensato coração”. Ela merecia mais!

þ

Sem palavras. “November rain”. Dois homens. Coreografia tosca.É duro explicar quão épico é o vídeo de “Bailando por un sueño”, o “Dança dos famosos” argentino.


revista da tv

Domingo | 28 de agosto de 2011

Filmes de hoje

05:35-Santa Missa 06:35-Sagrado 06:50-Globo Comunidade 07:15-Pequenas Empresas 07:50-Globo Rural 08:50-Fórmula 1 — GP da Bélgica 10:35-Auto Esporte 10:55-Esporte Espetacular 12:25-Criança Esperança — Melhores momentos 13:55-Temperatura Máxima:“Shrek 2” 15:45-Campeonato Brasileiro — Flamengo x Vasco 18:00-Domingão do Faustão 20:45-Fantástico 23:05-Domingo Maior:“O vidente” 00:50-Sessão de Gala:“Garota da vitrine” 02:35-Corujão

TV Universitária/Cultura - 5 06:00-Via Legal 06:30-Brasil Eleitor 07:00-Palavras de Vida 08:00-A Santa Missa 09:00-Viola Minha Viola 10:15-Curta Criança 10:30-Escola pra Cachorro 10:45-Meu AmigãoZão 11:00-Castelo Rá Tim Bum

09:20-Pé na Estrada 09:50-Campeonato Italiano — Internazionale X Lecce 12:00-Médico de Alma e Corpos 13:00-Fórmula 3 Sulamericana 14:00-Copa Mercedes 15:00-Companhia de Viagem 15:45-Olhar Digital 16:15-Transição 16:45-Concessionário 17:20-A Hora e a Vez da Pequena Empresa 17:35-Super papo 17:45-Pague Menos 18:15-Ritmo Brasil 18:45-Belas na Rede 19:50-O Último Passageiro 21:00-Pânico na TV! 23:30-Dr.Hollywood 00:30-É Notícia 01:30-Bola na Rede 02:00-Super Papo 03:00-Igreja da Graça — Nosso Lar 04:40-Igreja da Graça — Nosso Lar — Palavra Urgente

Band/Natal - 3 05:45-Espaço Vida Vitoriosa 07:00-Clip 07:30-Igreja Batista Central da Barra 08:00-Caminhos da Cultura 08:30-Clip 09:00-Multirio 10:00-Comunidade na TV 10:30-Brasil Caminhoneiro 11:00-Infomercial 12:00-Auto Mais 12:30-Itaipava GT Brasil — Etapa São Paulo/SP 13:40-Band Clássicos 14:10-Band Esporte Clube 15:30-Futebol 2011 — Flamengo X Vasco 18:00-Terceiro Tempo 20:15-Bones 21:10-Domingo no Cinema — Filme:“Merlin:O começo da lenda” 22:50-Acerto de Contas 23:30-Canal Livre 00:30-Deles & Delas 01:00-Show Mix 01:45-Cine Band:“Sete homens e um destino” 03:45-Espaço Vida Vitoriosa

TV SBT/Ponta Negra - 13

Sessão de Gala: “Garota da vitrine” 11:30-Janela Janelinha 12:00-ABZ do Ziraldo 12:30-AnimaTV — Tromba Trem 12:45-AnimaTV — Carrapatos e Catapultas 13:00-Um Menino Muito Maluquinho 13:30-Catalendas 13:45-Cocoricó 14:00-Dango Balango 14:30-TV Piá 15:00-Stadium 16:00-Animais Extraordinários 17:00-Ver TV 18:00-De Lá pra Cá 18:30-Cara e Coroa 19:00-Papo de Mãe 20:00-Conexão Roberto D’Ávila 21:00-Esportvisão 22:30-Lutas.DOC 23:00-Cine Ibermedia:“La perrera” 01:00-A Grande Música 02:00-Doc TV IV

TV Mult tv/Rede TV! - 17 06:00-Ultrafarma 08:00-Tempo de Avivamento 08:30-Super Papo 08:50-Ordem dos Cavaleiros de Cristo

06:00-Cory na Casa Branca 06:30-Aventura Selvagem 07:30-Pesca Alternativa 08:30-Vrum 09:00-Chaves — Série 11:00-Domingo Legal 15:00-Eliana 19:00-Roda a Roda Jequiti 19:40-Sorteio da Tele Sena 19:45-Programa Silvio Santos 00:00-De Frente com Gabi 01:00-O Mentalista — Série 02:00-Divisão Criminal — Série 03:00-V — Visitantes — Série 04:00-Jornal do SBT — Série

TV Tropial/Record - 8 05:25-Bíblia em Foco 05:55-Desenhos Bíblicos 06:45-Nosso Tempo 07:15-Desenhos Bíblicos 07:40-Record Kids 08:00-Domingo de Prêmios 08:30-Record Kids 12:00-Tudo é Possível n 16:00-Programa do Gugu 20:00-Domingo Espetacular 23:00-A Fazenda 4 00:10-Heroes — Série 01:15-Programação IURD

9

ZEAN BRAVO

S

FOTOS:DIVULGAÇÃO

Programação de tv InterTV Cabugi/Globo -11

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

ensibilidade e beleza são, talvez, as melhores palavras para definir este longa de Spike Jonze. “Where the wild things are” (no original) é a versão cinematográfica do cultuado livro de Maurice Sendak. A história do garoto Max (Max Records), contada em apenas nove frases por Sendak, ganha o olhar um tanto absurdo e lúdico de Jonze para virar um filme infantil feito para adultos. Na trama, o menino briga com a mãe e, num acesso de raiva, foge de casa e vai parar numa ilha habitada por monstros. Lá, ele vira o rei e terá que aprender a lidar com cada um daqueles personagens que, no fundo, são frações de sua própria personalidade. Ele logo toma como melhor amigo o monstro Carol (belissimamente interpretado, ainda que só na voz, por James Gandolfini), não por acaso, o mais impulsivo de todos. A jornada de amadurecimento do menino é pontuada por uma fotografia caprichada (de Lance Acord) e trilha sonora idem, obra de Karen O., vocalista do grupo Yeah Yeah Yeahs. “ONDE VIVEM OS MONSTROS” (HBO FAMILY, 18h) • UMA GAROTA DIVIDIDA EM DOIS Com Ludivine Sagnier, Benoît Magimel e François Berléand. Drama. A moça do título é Gabrielle (Ludivine), uma talentosa “moça do tempo” da TV que se envolve num relacionamento tórrido com um escritor francês de meia-idade, Charles (François). Em paralelo existe Paul (Benoît), um rico herdeiro apaixonado pela mocinha e que nutre um ódio sem explicações por Charles. MAX*, 12h30m. • SCOTT PILGRIM CONTRA O MUNDO Com Michael Cera, Mary Elizabeth Winstead, Alison Pill, Mark Webber e Kieran Culkin. Comédia. Uma das melhores sínteses da cultura pop contemporânea, o filme baseado nos quadrinhos do canadense Bryan Lee O’Malley traz o muso indie Michael Cera como o personagem-título. Para conquistar o coração de Ramona Flowers (Mary Elizabeth), a garota descolada recémchegada à cidade, ele precisa duelar com a liga de ex-namorados da moça, como se estivesse num videogame. TELECINE PREMIUM, 15h50m. • LIGADO EM VOCÊ Com Greg Kinnear, Matt Damon e Eva Mendes.Comédia. Os irmãos Farrelly estão acostumados a rir — embora sem tirar sarro ou humilhar — de tipos considerados anormais, perdedores e outsiders. Foi assim em “Debi & Lóide”, “Quem vai ficar com Mary?” e “O amor é cego”, por exemplo. Neste longa, Matt Damon e Greg Kinner interpretam os irmãos siameses Bob e Walt. A trama esquenta quando o primeiro resolve tentar uma carreira de ator em Hollywood e, claro, precisa convencer o irmão a também aceitar a ideia. FX, 17h30m. • A CASA DO LAGO Com Keanu Reeves, Sandra Bullock e Christopher Plummer. Romance. A dupla cuja química foi uma das maiores responsáveis pelo sucesso de “Velocidade máxima” volta a se encontrar, 12 anos depois, neste filme. Com uma narrativa ao mesmo tempo fragmentada e linear, o longa narra a história de amor entre o arquiteto Alex (Keanu) e a médica Kate (Sandra), que se conhecem apenas por cartas, já que ela vive em 2006 e ele, em 2004. WARNER CHANNEL, 21h. • ALÉM DA LINHA VERMELHA Com

Nick Nolte, James Caviezel, Sean Penn, Adrien Brody e John Cusack. Drama. Em cartaz nos cinemas atualmente com o ganhador da Palma de Ouro “A árvore da vida”, o diretor Terrence Malick voltou ao mundo cinematográfico depois de um jejum de 20 anos com este longa. Para filmar a atuação americana em Guadalcanal, na Segunda Guerra Mundial, Malick não abusa dos clichês de ação, explosões ou arroubos de ufanismo. TELECINE CULT, 22h. • CAÇADA AO OUTUBRO VERMELHO Com Sean Connery, Alec Baldwin, Sam Neill e James Earl Jones. Ação. Adaptação do livro de Tom Clancy (que já teve outras de suas obras levadas para a tela grande como “Jogos patrióticos”, “Perigo real e imediato” e “A soma de todos os medos”), o longa traz Sean Connery como o capitão russo Markus Ramius, comandante do submarino Outubro Vermelho que desobedece ordens superiores e segue com o veículo rumo à América. TCM, 23h. • GAROTA DA VITRINE Com Claire Danes, Steve Martin e Jason Schwartzman. Romance. Steve Martin abandona as caretas — ainda bem! — nesta versão cinematográfica do livro homônimo escrito por ele mesmo. A solidão é o grande mal que aflige os personagens, a começar por Mirabelle (Claire), uma jovem artista que trabalha numa loja de grifes para se sustentar. Esquecida ali atrás de seu balcão, ela acaba sendo disputada por dois homens.IINTER TV/CABUGI, 0h50m. • AS BRUXAS DE EASTWICK Com Jack Nicholson, Cher, Susan Sarandon e Michelle Pfeiffer. Comédia. Cher, Susan e Michelle são Alexandra, Jane e Sukie, três mulheres romanticamente frustradas que se reúnem toda semana para reclamar da vida. Num desses encontros, elas falam sobre o homem ideal e, pouco depois, chega à cidade de Eastwick o misterioso ricaço Daryl Van Horne (Jack Nicholson no auge do charme e inspiração). Homem perfeito para as três ao mesmo tempo, ele reacende as emoções e a sexualidade das moçoilas. HBO, 4h45m.

Ligado em Você

A Casa do Lago

As Bruxas de Eastwick


10 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte COLUNA DO

Clube do Assinante Promoções e descontos renovados a cada domingo

ALEXSANDRA BORGES

Promoções válidas de domingo (28/08/11) a sábado (03/09/11), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

Malug Roupas e Acessórios A Malug é uma loja que acompanha todas as tendências da moda, por isso preparou para você lindas peças com as cores e modelos que certamente a deixarão ainda mais bela. Lá, você encontra roupas femininas, acessórios como bolsas, cintos, bijouterias, etc.Esta semana, a Malug oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, nas roupas e acessórios, exceto nas peças do bazar. Av. Romualdo Galvão, 2100, loja 06, Lagoa Nova Tel.: 3206.4804

50% à vista (dinheiro) nas roupas e acessórios, exceto nas peças do bazar

revista da tv

Domingo | 28 de agosto de 2011

DE CARA NOVA C

TV GLOBO/ALEX CARVALHO

om longos cabelos louros, Carolina Chalita dá razão a quem a para nas ruas e diz que a atriz parece outra pessoa. Conhecida na TV por conta de seu papel em “Viver a vida” (2009) — trama de Manoel Carlos na qual vivia Suzana, a arquiteta que nutria uma paixão pelo sócio, Jorge (Mateus Solano) —, Carolina deixou a personagem para trás ao assumir a caracterização de Tânia, a amiga serelepe e suburbana de Lili (Alinne Moraes) em “O Astro”. Sensual, a caixa de supermercado não lembra em nada a requintada Suzana e faz com que a atriz se destaque aos olhos do público. — As pessoas me olham e dizem “Nossa, te conheço de algum lugar”. Quando digo que fiz a Suzana, todo mundo se espanta — conta. Quando fez o teste para o folhetim das 23h, Carolina ainda não sabia qual papel lhe caberia, caso fosse aprovada. Um mês depois, ao ser escalada, as informações sobre a personagem ainda

TV GLOBO/THIAGO PRADO NERI

Agora loura, a atriz em nada lembra a personagem que viveu em novela

eram um tanto escassas. A atriz descobriu, então, que Tânia seria a melhor amiga de Lili. E mais: uma jovem atraente, moradora da Penha, fã de funk, funcionária de um supermercado e que teria uma relação com Olavo (Rafael Losso). A partir daí, ela buscou

elementos para criar “uma historinha”. — Comecei a ir à Penha. Fui ao parque (de diversões) Shangai, à igreja e tomei cerveja nos bares do bairro. Também visitei os mercados de lá, conversei com os gerentes e observei muito — explica a atriz

TUDO PELO SOCIAL

DIVULGAÇÃO

TV GLOBO/ZÉ PAULO CARDEAL

eforçar a ideia de sustentabilidade e de responsabilidade social de forma educativa: esse é o objetivo do “Globo cidadania”, que estreia na grade da emissora no próximo sábado, às 6h05m. O novo projeto vai reunir as cinco atrações já existentes na programação — “Globo educação”, “Globo ciência”, “Globo ecologia”, “Globo universidade” e “Ação” — em um único pacote, com apresentação de Serginho Groisman. — Todas têm o mesmo compromisso, que é contribuir para o processo de educação. Ao colocá-las numa grade única, esse compromisso se torna mais visível — explica Beatriz Azeredo, diretora de Responsabilidade Social e Relações Públicas da Central Globo de Comunicação. Beatriz deixa claro que os programas — também exibidos pelo Canal Futura e Globo News — manterão suas próprias identidades, com seus apresentadores, aberturas e logos. Porém, eventualmente, todos eles abordarão o mesmo assunto, sob diferentes pontos de

R

Word Station Word Station é uma escola de idiomas que preza pelo ensino, de maneira a preparar seus alunos para o mercado de trabalho, através das quatro habilidades: escrever, falar, ouvir e ler. Você dispõe de aulas presenciais durante a semana ou aos sábados, plantões, aulas de reposição, etc. Esta semana, Word Station oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, nas mensalidades dos cursos de inglês e espanhol. Av. Deodoro da Fonseca, 444, Cidade Alta Tel.:3222.7923

50% à vista (dinheiro) nas mensalidades dos cursos de inglês e espanhol. ■ As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■ Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção,o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■ Contatosparacredenciamento:Depto.deMarketing.Tel.4006-6100,R.6262. ■ e- mail.mkttn@terra.com.br; clubetribuna@digizap.com.br

Serginho Groisman: à frente do “Globo cidadania”

vista. Para a diretora, a demanda da população por informações referentes aos temas tratados nestas atrações está cada vez maior: As pessoas querem informação. E vamos oferecer isso de modo que todos entendam que ecologia, por exemplo, não é para especialista. Serginho, há onze anos à frente do “Ação”, vai passar o comando do programa para as jornalistas Júlia Bandeira e Mariana Salermo, vindas do “Profissão repórter”. Helena Lara Resende, Alexan-

dre Henderson, Max Fercondini e a dupla Paulo Mário Martins e Lizandra Trindade permanecem à frente do “Globo Educação”, “Globo Ciência”, “Globo Ecologia” e “Globo Universidade”, respectivamente. — Achei essa ideia ótima porque as cinco atrações já conversavam entre si, mas não sabiam disso. Essa grade única vai reforçar o conceito de sustentabilidade, voluntariado e responsabilidade social. Estou bastante animado com essa interação — afirma Serginho.


revista da tv

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 11

A VIDA (PORTENHA) DA GENTE TV GLOBO/RENATO ROCHA MIRANDA

m dos principais pontos turísticos de Buenos Aires, a Feira de San Telmo é, provavelmente, o evento mais concorrido da cidade: todos os domingos, as ruelas do bairro ficam lotadas de barraquinhas, quinquilharias e — sem exagero — milhares de pessoas, entre moradores, turistas e curiosos. Foi nessa confusão que a equipe de “A vida da gente”, próxima novela das 18h, se meteu, no mês passado, para gravar a passagem de Ana (Fernanda Vasconcellos) e Eva (Ana Beatriz Nogueira) pela capital portenha. As cenas vão ao ar no segundo capítulo do folhetim, que estreia no dia 26 de setembro, e mostram a viagem da tenista vivida por Fernanda para participar de seu primeiro torneio internacional, acompanhada da mãe. O diretor-geral Fabrício Mamberti conta que as gravações foram feitas de modo quase documental. E a ideia era essa mesmo: re-

U

Na trama,a tenista Ana,vivida por Fernanda Vasconcellos,participa de uma competição na Argentina

gistrar a feira a valer, com pessoas e produtos reais sem que parecesse fake. Claro que as coisas não foram assim tão fáceis. Além de enfrentar os curiosos e os problemas de continuidade — já que raramente as mesmas pessoas estavam passando na hora de gravar diferentes planos —, a produção ainda precisava acalmar os ânimos

de vendedores e consumidores ávidos em desempenhar suas funções no mercado. — Tinha que ter muito jogo de cintura. A gente precisava gravar uns 20 planos na feira. Para as duas atrizes, o trabalho foi bem mais tranquilo. Elas haviam acabado de chegar de Ushuaia, também na Argentina, onde gravaram outro momento da trama. E onde a

EQUIPE DA PRÓXIMA NOVELA DAS 18H GRAVA CENAS EM BUENOS AIRES, EM MEIO AO VAI E VEM DA FEIRA DE SAN TELMO

temperatura chegava bem perto dos dígitos negativos. Segundo Fernanda, o clima mais ameno e o calor humano provocado pela maior quantidade de pessoas em San Telmo tornou a experiência mais prazeirosa. Já Ana Beatriz lembra que o número de brasileiros passando férias na capital argentina quase dava a sensação de estar em casa: Tem mais brasileiro do que portenho naquela feira, né? — brinca a atriz: — E, além disso, tinha muita gente de outros países que vê as novelas vendidas para o exterior, e mais aquelas pessoas curiosas por estarem vendo uma gravação. Entre um take e outro, a gente tirava foto com todo mundo. E sempre numa boa porque, afinal, nós é que estávamos invadindo o espaço turístico ali. Foram duas semanas na Argentina (entre Buenos Aires e Ushuaia), com horários de gravação intensos. Além da feira, a equipe gravou passeios das duas personagens pela cidade, mostrando o relacionamento íntimo de mãe e filha — trama essencial para entender o desenrolar do folhetim escrito por Lícia Manzo. DIVULGAÇÃO

ALÉM DO DRAGÃO BRANCO os 50 anos, Jean-Claude Van Damme ainda é lembrado por todos aqueles filmes de pancadaria total e irrestrita, com os quais normalmente os telespectadores são brindados em infindáveis reprises na grade de programação. Mas, como dizem por aí, o ator e lutador belga agora quer mostrar que é mais que um rostinho bonito — melhor dizendo, mais que um corpinho forçudo. No reality show “Van Damme a portas fechadas”, no ar às quartas-feiras, às 20h, no A&E, ele exibe sem pudores seu lado mais sensível. Chora, demonstra carinho pelo filho, tenta salvar um cachorrinho, conhece o namorado da filha... Tudo isso em meio a uma jornada pessoal: entre hospitais e treinamentos, Van Damme ainda tenta voltar à velha forma e aos ringues. Mais lacrimoso impossível. Em entrevista por e-mail à Revista da TV, o astro de “Soldado universal” e “O grande dragão branco” conta que queria mostrar suas diferentes facetas. Enquanto o resto do show bu-

A

JEAN-CLAUDE VAN DAMME MOSTRA SEU LADO MAIS SENSÍVEL E TENTA VOLTAR À VELHA FORMA EM SÉRIE SOBRE SUA VIDA NO A&E siness parece empreender uma guerra contra os paparazzi, com quem vive uma relação de gato e rato, Van Damme não se mostra ressabiado por expor sua vida particular na televisão. O ator tampouco enxerga o reality como uma tentativa de fugir da perseguição da mídia: Não, não fui tão analítico assim. Gostei de fazer o programa e foi por isso que o gravei. Em um dos episódios recentes, ele aparece, acompanhado por um dos filhos, num hospital de Bruxelas onde consegue a proeza de dormir em um aparelho de ressonância magnética — os exames são fei-

tos para checar como está sua forma, já visando uma luta. Rocky Balboa, clássico personagem de Sylvester Stallone que encarnou situação parecida nas telas, certamente se identificaria com a saga do belga. Na próxima quarta, Van Damme será visto interagindo com o genro e também às lágrimas por não ter conseguido um papel. Apesar de estar satisfeito com “Behind closed doors” (no original), o astro não pensa numa segunda leva de episódios e quer continuar investindo em sua carreira nos cinemas. — Tenho uma agenda um tanto apertada em função dos filmes nos quais estou trabalhando no momento. Uma nova temporada não está na minha pauta — diz Van Damme, que prega ainda sua paixão pelas telas, garantindo que é muito mais que o machão dos longas de lutas: Os filmes são a minha vida, não tenho planos de parar de fazê-los. Em duas semanas, começo a rodar “The butcher” (título alternativo para “Six bullets”), que tem um ótimo roteiro.

Na TV, o ator revela suas “diferentes facetas”, mas não pensa em largar as telas


Revista da tv 12

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 28 de agosto de 2011

» QUEM É VIVO...

Na bolsa de apostas das séries do fall season,os promos de “The new girl”, com Zooey Deschanel,já são pule de dez!

» ALÔ,ARTHUR!

As chamadas são grandiosas. Mas “Terra Nova”parece um apanhado de muita coisa já vista antes...

SERIAIS

MAIS MAIS

...Sempre aparece.Em “Hawaii Five-0”, Greg Grunberg (ex-“Heroes”) fará participação.Em “The middle”, Chord Overstreet,recém-dispensado de “Glee”, também vai ganhar um espacinho.

O Globosat HD exibe no sábado,às 22h30m,o último episódio de “Camelot”(foto).No desfecho,com Joseph Fiennes no elenco,Arthur (Jamie Campbell Bower) tenta proteger seu povo.

LÍVIA BRANDÃO - TATIANA CONTREIRAS

Para não sermos injustos,listamos cinco séries que foram exibidas no Brasil com dublagens inesquecíveis. 1.“Alf”. Orlando Drummond,um ás neste ofício,é reconhecido até hoje pela voz do “ETeimoso”.

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

2.“Um maluco no pedaço”.Quem é que pensa no seriado com a voz original de Will Smith? Quase ninguém,né? 3.“A gata e o rato”.Sumara Louise e Newton da Matta brilhavam como as vozes de Cybill Shepard e Bruce Willis.

“Sons Of anarchy”é uma das atrações do FX que passou a ser exibida sem a opção de legendas

Dublagem X legendagem

S

ofrimento,gritaria,confusão.Essa poderia até ser a descrição de uma cena das inúmeras séries policiais do mercado,mas reflete a revolta de espectadores,desgostosos por terem que assistir aos seus seriados preferidos dublados.Com o anúncio do FX,que passou a exibir todos eles — com exceção de “Dexter”e “Spartacus”— em português e sem opção de legendagem,fãs lotaram as redes sociais de lamentos e reclamações.Apesar das ameaças de boicote,os canais garantem que estão seguindo uma tendência de mercado. — Esta mudança se deu depois de um longo processo de pesquisa,que apontou um

empate entre os que preferem a programação dublada e os que gostam mais do áudio original.Com isso,concluímos que o assinante merece ter essa opção — justifica Alberto Niccoli Junior,vicepresidente sênior e gerente geral dos canais do grupo Sony Pictures Television no Brasil. No começo de agosto,o Sony Spin estreou “Teen wolf”dublada ou com o áudio original em inglês,mas sem legendas.A falta de tradução,explica Niccoli,se deve a questões técnicas:Estamos caminhando aos poucos para exibir todas as nossas séries dubladas porque só poderemos dar a opção de legendar o áudio original em abril de 2012.

Diretor de marketing da Fox Channels do Brasil,cujos canais foram pioneiros no uso da dublagem,Marcello Braga alega que a audiência aumentou desde que a emissora-mãe mudou radicalmente,em 2007. — Essa demanda se deve ao aumento do número de assinantes. Muitos dos novos usuários se habituaram à dublagem nos canais abertos e preferem receber o conteúdo em português — diz. Ao contrário do que acontece no Sony, Braga descarta a possibilidade de oferecer opção de legendas: — Temos uma boa recepção do conteúdo dublado.

4.“Punky,a levada da breca”.A personagem, interpretada por Soleil Moon Frye,era engraçadinha também em português. 5.“Barrados no baile”.O sotaque verde-amarelo nos aproximou ainda mais de Brandon e Brenda,vai.

E AINDA... • GAGAÍSMO. Cenário preferido de muitos artistas,que adoram ver suas versões animadas,“Os Simpsons”vai receber uma convidada de peso:Lady Gaga.A cantora aparecerá como ela mesma na nova temporada,que estreia em setembro,e vai tentar ajudar Lisa a dar um up em sua autoestima.


tn família ASTROLOGIA Sol e Plutão vibram ainda por regeneração e desvelamento.Lua nova. PÁGINA 6

CINEMA Em cartaz em Natal,“Planeta dos Macacos:A Origem” conta como tudo começou. PÁGINAS 6 e 7

CULTURA Instituto Tempo Glauber espera verba do MinC há mais de oito meses. PÁGINA 4

GLAM Depois da oncinha,dos leopardos e zebras,chegou a hora da cobra nas estampas. PÁGINA 8

E-mail: tnfamilia@tribunadonorte.com.br Editor: Isaac Ribeiro ARTIGO Moderna ultracavitação utiliza ultrassom de baixa frequência para reduzir formas. PÁGINA 2

PAULO COELHO Manuel é um homem importante e muito útil para o mundo em que vive. PÁGINA 2

NATAL | RIO GRANDE DO NORTE Domingo | 28 de agosto de 2011

MALHADORES COMPULSIVOS ALEX RÉGIS

PESQUISA REVELA QUE 28% DOS ATLETAS BRASILEIROS,ENTRE PROFISSIONAIS E AMADORES, SÃO VICIADOS EM EXERCÍCIOS FÍSICOS E PORTADORES DE TRANSTORNO DA AUTOIMAGEM ISAAC RIBEIRO repórter

Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a prática de uma atividade física diariamente, durante trinta minutos, no mínimo, para se ter uma vida saudável e fugir do sedentarismo. Mas tem gente que extrapola, na busca da forma perfeita e de um ideal de beleza obsessivo. E para alcançarem seu objetivo, passam a exercitar o copo de forma compulsiva. Não adianta elogiar... para o compulsivo a insatisfação é uma constante. Esse tipo de comportamento é chamado vigorexia, um transtorno de imagem corporal, uma falsa percepção do próprio corpo e à realidade revelada pelo espelho. Uma pesquisa realizada pelo Centro de Estudos em Psicobiologia da Universidade de São Paulo (Unifesp) identificou que 28% dos atletas brasileiros, amadores ou profissionais, são viciados em exercícios físicos. Eles não conhecem limites. Para eles, quanto mais atividade melhor. A compulsão por exercícios físicos assemelha-se ao vício em drogas e tal qual seus usuários, o viciado em malhação têm cri-

A

ses de abstinência quando afastados da academia, apresentando inclusive ansiedade, depressão, irritabilidade e variações de humor. As consequências da prática exagerada de exercícios físicos surgem em forma de lesões nos músculos e nas articulações. Segundo os pesquisadores, os principais indícios que a malhação se transformou em vício são: estreitamento do repertório (só fala sobre isso), preocupação excessiva com o corpo e com a alimentação, perda de interesse social por causa do treino, insistir em treinar mesmo com ambiente desfavorável ou condição adversa (na chuva, machucado). A professora de Educação Física e personal trainer Thaís Ravaggi Ruiz, 28 anos, já sentiu na pele esse tipo de compulsão nos tempos de faculdade e até antes. “Se comesse um sanduíche e não fosse malhar, ficava aflita”, comenta ela, considerando o culto ao corpo, iniciado nos anos 80, como um dos responsáveis pela compulsão. “O aluno passa a ir para a academia de manhã, à tarde e, se der, à noite também; faz musculação, faz spinning... A única coisa que ele vai conseguir com esse excesso e sem repouso é a lesão. Ele não consegue entender que na musculação você só está agredindo

seu corpo, e que o ganho da massa muscular que eles tanto desejam, o emagrecer, o sarar o corpo, está na alimentação, principalmente, e no repouso”, analisa a personal. DIRETO NA ACADEMIA O professor universitário Daniel Borba é aluno de Thaís e vem treinando para competir em fisioculturismo. Ele ressalta a importância de ser bem orientado por um profissional da área. “Quando era mais novo, não tinha acompanhamento, malhava excessivamente, duas horas por dia, pegava muito pesado, ficava com as articulações machucadas; no outro dia, acordava todo dolorido e ia malhar, e só piorava a situação. Depois que eu comecei com personal trainer, acabou tudo isso e tenho um resultado muito melhor.” Se comesse algo gorduroso, a culpa não tardava a se instalar. Para afastá-la, só mesmo dobrando, triplicando os exercícios. Hoje, ele diz ter consciência sobre os limites e as consequências de uma atividade física exagerada, sem orientação e conhecimento. Já a bacharel em Direito e modelo carioca Patrícia Fonseca malha seis horas por dia, há seis anos. Sua rotina de exercícios

inclui musculação, kangoo jump, spinning, dança. “A academia que frequento tem uma estrutura muito grande e oferece muita coisa. Tudo o que tem, eu vou fazendo.” Ela diz gostar “de pegar muito, muito” peso e acredita que a quantidade de atividades físicas que pratica não lhe prejudica em nada. “Pelo contrário; quando eu não vou para a academia fico nervosa, doente, estressada, instável. Ir para academia é minha terapia. Quando não estou malhando, fico estressada.” No final de semana, a academia até abre, mas seu personal trainer não trabalha, o que gera alguns transtornos. “Como sou dependente de personal, e ele só me dá aula de segunda à sexta, sábado e domingo são os dias em que eu fico muito estressada. Aí tento ir à praia, fazer uma caminhada, dou umas corridinhas, mas nada supre a academia, que são seis horas que fico aqui”, desabafa Patrícia, dizendo fazer as refeições lá mesmo. “Acho que só ultrapassei meu limite quando fazia jiu jitsu, pois malhava oito horas por dia”, comenta enquanto pedala na bicicleta ergométrica. [ LEIA MAIS NA PÁGINA 3 ]


tn família

2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 28 de agosto de 2011

Paulo Coelho [ escritor ]

Manuel é um homem importante e necessário anuel precisa estar ocupado. Caso contrário, acha que sua vida não tem sentido, está perdendo seu tempo, a sociedade não precisa dele, ninguém o ama, ninguém o quer. Portanto, assim que acorda, tem uma série de tarefas: assistir o noticiário na televisão (pode ter acontecido alguma coisa durante a noite), ler o jornal (pode ter acontecido alguma coisa durante o dia de ontem), pedir à mulher que não deixe as crianças se atrasarem para a escola, pegar um carro, um táxi, um ônibus, um metrô, mas sempre concentrado, olhando o vazio, olhando o relógio, se possível dando alguns telefonemas em seu celular – e fazendo questão que todos vejam que é um homem importante, útil para o mundo. Manuel chega no trabalho, debruça-se sobre a papelada que o espera. Se for um funcionário, faz o possível para que chefe veja que chegou na hora. Se for patrão, coloca todos para trabalhar imediatamente; caso não

M

existam tarefas importantes, Manuel irá desenvolvê-las, cria-las, implementar um novo plano, estabelecer novas linhas de ação. Manuel vai almoçar – mas jamais sozinho. Se for patrão, senta-se com os amigos, discute novas estratégias, fala mal dos concorrentes, sempre tem uma carta escondida na manga, queixa-se (com um certo orgulho) da sobrecarga de trabalho. Se Manuel for funcionário, também senta-se com os amigos, queixa-se do chefe, diz que está fazendo muita hora extra, afirma com desespero (e com muito orgulho) que várias coisas na empresa dependem dele. Manuel – patrão ou empregado – trabalha a tarde inteira. De vez em quando olha o relógio, está chegando a hora de voltar para casa, mas falta resolver um detalhe aqui, assinar um documento ali. É um homem honesto, quer fazer jus ao seu salário, às expectativas dos outros, aos sonhos de seus pais, que tanto se esforçaram para lhe dar educação ne-

cessária. Finalmente volta para casa. Toma banho, coloca uma roupa mais confortável, vai jantar com a família. Pergunta pelos deveres dos filhos, as atividades da mulher. De vez em quando fala do seu trabalho, apenas para servir de exemplo – porque não costuma trazer preocupações para casa. O jantar termina, os filhos – que não estão nem aí para exemplos, deveres, ou coisas similares – saem logo da mesa e vão para frente do computador. Manuel, por sua vez, vai também sentar-se diante daquele velho aparelho de sua infância, chamado televisão. De novo vê os noticiários (pode ter acontecido alguma coisa de tarde) Vai deitar-se sempre com um livro técnico na mesa de cabeceira – sendo patrão ou empregado, sabe que a concorrência é grande, e quem não se atualiza, corre o risco de perder o emprego e ter que enfrentar a pior das maldiçoes: ficar desocupado. Conversa alguma coisa com sua mulher –

Ele é um homem comum. Acorda,vê o noticiário na televisão,pedi para mulher não deixar as crianças se atrasarem para a escola e vai para o trabalho,onde uma papelada lhe espera.Ele faz questão que todos vejam que ele é um homem importante, útil para o mundo

afinal, é um homem gentil, trabalhador, amoroso, que cuida de sua família e está pronta para defendê-la em qualquer circunstância. O sono vem logo, Manuel dorme, sabendo que no dia seguinte estará muito ocupado, e é preciso recuperar as energias. Naquela noite, Manuel tem um sonho. Um anjo lhe pergunta: “por que você faz isso?” Ele responde que é um homem responsável. O anjo continua: “você seria capaz de, pelo menos durante quinze minutos do seu dia, parar um pouco, olhar o mundo, olhar você mesmo, e simplesmente não fazer nada?” Manuel diz que adoraria, mas não tem tempo para isso. “Você está me enganando”, diz o anjo. “Todo mundo tem tempo para isso, o que falta é coragem. Trabalhar é uma benção quando isso nos ajuda a pensar no que estamos fazendo. Mas torna-se uma maldição quando sua única utilidade é evitar que pensemos no sentido de nossa vida”. Manuel acorda no meio da noite, suando frio. Coragem? Como é que um homem que se sacrifica pelos seus, não tem coragem de parar quinze minutos? É melhor dormir de novo, tudo não passa de um sonho, estas perguntas não levam a nada, e amanhã vai estar muito, muito ocupado.

Dr. Jorge Boucinhas [ médico e professor da UFRN ]

Libertas libertas@libertas.com.br

Mais uma vez a ultracavitação

Tirar por menos esde menino escuto esta expressão, sempre que aconteciam situações em que havia exaltação. Cresci vivenciando muitos eventos que me exigiram horas, meses, anos e décadas de aprendizado para compreender o real valor daquela experiência. Aprendi algumas direções da vida. Outras não consegui me aplicar o suficiente ainda. Mas, certamente, uma noite de sono antes de tomar uma decisão difícil, responder a alguém ou ficar magoado, pode trazer lucidez para aquele conflito. Resolver conflitos pode basear-se em adiamento, fuga, confronto, conciliação ou negação. Qualquer uma dessas formas pode ser adequada, desde que não ajamos sempre da mesma maneira. No trânsito, como exemplo, muitas discussões bobas, infantis, imaturas e impulsivas podem ser tiradas por menos. Não seremos menos homens ou mulheres por não responder nem aceitar provocações. E, certamente, nos pouparemos de uma discussão, briga ou confronto. Perdemos o que queremos. É uma escolha nossa o que perder. Creio que não podemos, pela preciosidade que a vida, as amizades e os vínculos têm, perder pessoas. É inadmissível perdê-las gratuitamente. Da mesma maneira por discussões como futebol ou política ou valores morais. Deixar por menos é uma sabedoria. E um aprendizado.

D

Jayme Panerai Alves – Jayme@libertas.com.br.

O REI DOS ANIMAIS Em uma floresta existiam três leões fortes e um deles teria que ser eleito o Rei da floresta. Para resolver este problema os animais acataram a idéia do macaco. Os três leões teriam que escalar a Montanha Difícil e o que atingisse o pico primeiro seria consagrado o rei. O desafio foi aceito. No dia combinado, milhares de animais cercaram a Montanha para assistir a grande escalada. Nenhum conseguiu, os três leões foram derrotados. Qual dos três seria o Rei? - Eu sei quem deve ser o rei! Falou a astuta águia. - Eu estava voando entre eles, bem de perto e, quando eles voltaram fracassados para o vale, eu escutei o que cada um deles disse para a montanha. O primeiro leão disse: - Montanha, você me venceu! O segundo leão disse: - Montanha, você me venceu! O terceiro leão também disse: - Montanha, você me venceu, por enquanto! Mas você, montanha, já atingiu seu tamanho final, e eu ainda estou crescendo. SEMINÁRIO Será realizado, nos próximos dias 29 e 30 (segunda e terça), o IV Seminário Local Conexões de Saberes UFRN. Esta edição é intitulada “Encontro de Saberes: diálogo entre a universidade e as comunidades populares”. A abertura do evento está marcada para as 9h, no Auditório da Biblioteca Central Zila Mamede, com a apresentação do Grupo de Metais da Escola de Música da UFRN. BOLSA A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte abriu inscrições para a seleção de Professor Pesquisador pelo Programa Bolsa de Produtividade em Pesquisa. Ao todo serão disponibilizadas 15 vagas para os cursos de Ciências da Computação, Educação, Ciências Naturais, Física e Letras. Mais informação: www.uern.br Esta coluna é de responsabilidade da Libertas Comunidade www.libertas.com.br libertas@libertas.com.br

boucinhas_jc@hotmail.com

elo fato de a população, como um todo, estar cada vez mais ciente dos riscos de procedimentos cirúrgicos maiores, as formas menos agressivas de abordar os problemas clínicos e estéticos têm recebido uma atenção progressivamente maior. Ademais, como os cuidados com o peso e com as famosas “gordurinhas” localizadas é uma das áreas hoje em dia socialmente comprometedoras, pouco a pouco se tem procurado mais as formas mais suaves de intervir. A Ultracavitação, quiçá a mais promissora, já foi alvo de Artigo nesta coluna, mas a importância gradualmente maior que tem alcançado como recurso terapêutico faz com que venha a se constituir em assunto merecedor de uma nova abordagem. Até há pouco tempo atrás a redução dos perímetros corporais e sua modelagem estava limitada a procedimentos cirúrgicos invasivos, em especial a lipoaspiração, secundada pela sua irmã, a lipoescultura. Por mais eficazes que seja, ambas apresentam riscos de complicações trans- e pós-operatórías, afora uma demorada recuperação, exigindo repouso intenso após o procedimento. Outras opções para modelagem corporal incluem dietas, exercícios físicos e procedimentos estéticos para mobilização de gordura (Endermologia, Carboxiterapia, Intradermoterapia), que, isoladamente, não ofere-

P

cem soluções mui satisfatórias em áreas que podem ser resistentes a todos os esforços de eliminação da gordura localizada. A moderna Ultracavitação utiliza um sistema ultra-sônico de baixa freqüência que produz não só os efeitos calóricos, mecânicos e químicos dos aparelhos comuns de emissão de ultrassons mas utiliza a metodologia de focagem/coerência (as emissões não são dispersas mas concentradas, afora razoavelmente uníssonas, tal como se fosse um Laser), acrescentando-lhe o desejado efeito cavitacional. Mas o que é isto? Tal processo decorre da formação de bolhas dentro do tecido gorduroso. As vibrações levam à implosão das bolhas, rompendo a membrana das células adiposas, que têm membranas delgadas, tudo isto sem danificar as estruturas nobres (quais nervos, artérias, veias e capilares). A gordura celular é liberada. Ela compreende basicamente triglicerídeos, formados por um álcool, o glicerol, e por três moléculas de ácidos graxos. Estes últimos são levados ao fígado, onde serão metabolizados. O primeiro entra na sistema círculatórío, onde será utilizado. Para facilitar a entrada na circulação, seja linfática seja sanguínea, pode ser empregada massagem manual ou, quiçá ainda melhor, a Endermologia, efetuada com aparelho que, ao mesmo tempo, succiona e empurra os tecidos

superficiais. Para evitar que grandes perdas localizadas de gordura possam levar à flacidez localizada é conveniente complementar tais ações com o emprego da Carboxiterapia, a qual não só aumenta o poder lipolítico (“quebrador” de gorduras) da Ultracavitação como acrescenta-lhe um efeito de tonificação da pele, importantíssimo para deixá-la firme (evita bem a flacidez!). Esse sistema de ultra-som de baixa freqüênAté há pouco tempo cia promove a redução de barriguinhas excesa redução dos sivas, “culotes”, “pneuzinhos”, braços gordos e perímetros quaisquer outros depósitos esteticamente imcorporais e sua próprios de lipídios, e isso de forma rápida e não modelagem estava invasiva. Esta última característica faculta relimitada a sultados indolores e isentos dos efeitos colateprocedimentos rais associados a técnicas mais agressivas. Adecirúrgicos invasivos, mais, faz com que a realização possa ser em amem especial a biente ambulatorial e se prescinda de qualquer lipoaspiração e a preparação especial prévia. lipoescultura. A Para facilitar o acompanhamento dos remoderna sultados, de vez que os primeiros podem ser visUltracavitação tos já após a primeira sessão, emprega-se a avautiliza um sistema liação fotográfica (menos precisa) ou mede-se ultra-sônico de a espessura da prega cutânea por meio de adibaixa frequência pômetro, devendo-se determinar os perímetros que produz não só usando fita métrica (método clássico mas ainos efeitos calóricos, da o melhor). mecânicos e Ultimamente tem sido divulgados trabalhos químicos dos e mais trabalhos, em maioria realizados com aparelhos comuns grande rigor científico, que demonstram a utide emissão de lidade de tal procedimento não só para seu misultrassons mas ter primeiro (a redução de gorduras localizadas) utiliza a mas também para eliminação de celulite (e nesmetodologia de te casos os resultados são fabulosos!). Adiciofocagem/coerência nalmente obtém-se um efeito de tonificação (as emissões não são da pele (quando se agrega a Carboxiterapia) e dispersas mas sobre as estrias o efeito também é bom (especoncentradas,afora cialmente quando acrescenta-se a Carboxiterazoavelmente rapia e a Endermologia). uníssonas,tal como Vivemos um tempo bom, em que se consese fosse um Laser), gue melhorar o físico sem precisar recorrer a acrescentando-lhe o cortes e a métodos ou por demais agressivos desejado efeito ou demorados. A Medicina Estética e suas aliacavitacional das, a Fisioterapia Dermato-Funcional e a Estética, têm caminhado juntas para levar a beleza a todos e todas, cada vez de forma mais barata e eficaz.

Feizi Milani [ profº da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) ]

Os males do excessivo individualismo m dos paradoxos de nossos dias está na exigência de profissionais competitivos, de um lado, e de cidadãos que saibam trabalhar de forma ética e viver em comunidade, de outro. Ou seja: querem que saibamos partilhar, mas somos estimulados, ensinados e cobrados a vencer e superar o próximo. Exatamente porque essa cultura ainda predomina é que precisamos trabalhar, de forma cada vez mais sistemática, continuada e eficiente, para promover princípios éticos. Os ambientes escolar e universitário devem propiciar situações concretas por meio das quais os estudantes vivenciem experiências de cooperação, resolução de conflitos e convívio com as diferenças. Não basta apregoar esses valores, é preciso que eles sejam exercitados na prática. Precisamos perceber a relação direta de causa-efeito entre o discurso da competição extremada, do sempre levar vantagem, do vencer a qualquer custo, do cuidar somente de si e do que é seu, e o panorama geral da sociedade, marcado por violências, destruição ambiental, solidão e vazio existencial. Muitas pessoas fazem de conta que uma coisa não tem nada a ver com a outra. É co-

U

mo se pensassem: eu posso ser egoísta, mas a sociedade deve ser solidária! Como é possível haver uma sociedade humanizada, justa e acolhedora formada por pessoas individualistas e egocêntricas? A cultura ocidental contemporânea se caracteriza pelo individualismo e pelo imediatismo. E como todos nós estamos imersos nessa cultura, tendemos a acreditar que trabalhar em grupo seja uma tarefa quase impossível, algo que exija um esforço sobre-humano. Reconheço que não é fácil trabalhar em grupo; no entanto, “Sozinho se vai mais rápido, mas juntos se vai mais longe”. É trabalhando em grupo que a pessoa pode aprender mais, enriquecendo sua visão ao entrar em contato com percepções diferentes. É impossível a alguém enxergar a multiplicidade de ângulos de uma questão – principalmente se esta for complexa. Ora, a maior parte dos problemas que uma empresa (ou a sociedade) enfrenta são de grande complexidade, e requerem abordagens que incluam a diversidade, a multiplicidade e a multidimensionalidade. Isso só pode ser alcançado em grupo. A dificuldade de se trabalhar em grupo re-

A cultura ocidental contemporânea se caracteriza pelo individualismo e pelo imediatismo.E como todos nós estamos imersos nessa cultura, tendemos a acreditar que trabalhar em grupo seja uma tarefa quase impossível, algo que exija um esforço sobrehumano. Reconheço que não é fácil trabalhar em grupo;no entanto, “Sozinho se vai mais rápido,mas juntos se vai mais longe”

side no fato de que esse processo depende de um conjunto de qualidades, atitudes e competências que muitos não desenvolveram ao longo de um processo de escolarização tecnicista – empatia, escuta ativa, respeito às opiniões contrárias, tolerância para com o jeito de ser de cada um, humildade em reconhecer que não é o dono da verdade, cortesia etc. É por intermédio do diálogo e da participação que um grupo se constrói. Obviamente, ninguém nasce sabendo trabalhar em grupo. É preciso aprender, e esse aprendizado se dá na prática e ao longo da vida. Observemos os estágios do desenvolvimento infantil: o bebê não admite partilhar seus brinquedos; a criança aceita emprestar o seu brinquedo a outra, desde que haja uma permuta; a criança maior já é capaz de participar em esportes coletivos; e o adolescente busca ativamente engajarse em algum grupo e sente prazer na partilha. O amadurecimento se dá em direção a relações de cooperação e interdependência. Mas a cultura pode tolher esse aprendizado. Não podemos tolerar o excessivo individualismo, egoísmo que nada constrói. Temos que reaprender a trabalhar – e a nos desenvolver – em equipe.


tn família

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

A COMPULSÃO PODE TER DIVERSOS ALVOS,TODOS LIGADOS PELA INSACIABILIDADE.E ISSO TAMBÉM ACONTECE COM A ATIVIDADE FÍSICA.QUANTO MAIS O INDIVÍDUO SE EXERCITA,MAIS VONTADE TEM, NA BUSCA PELO CORPO PERFEITO

VIGOREXIA ALTERA PERCEPÇÃO DA PRÓPRIA IMAGEM

FOTOS:ALEX RÉGIS

BATE-PAPO

uando um aluno evita se submeter à avaliação física, o educador físico Bruno Paulo Andrade, 28 anos, logo desconfia. Na figura de avaliador, ele percebe um certo receio de eventuais críticas pelo fato de praticar exercícios de forma exagerada. Muitos nem desconfiam, mas podem ser portadores de vigorexia, transtorno que altera a percepção da própria imagem. A pessoa se imagina mais fraca do realmente é e adquire uma postura compulsiva. Bruno explica que na vigorexia, o indivíduo utiliza referências equivocadas e busca a perfeição da auto-imagem de uma forma que acaba lhe prejudicando. “Algumas alunas querem ser iguais às mulheres da mídia, todas perfeitas”, comenta Bruno. Ele lembra do caso de uma aluna que queria ficar igual a algumas mulheres de uma foto tirada em balneário Camboriú (SC). “Elas eram até mais jovens que a aluna. Tivemos de convencê-la de que não seria possível. E era uma senhora na faixa dos quarenta anos, com o corpo muito bonito para os nossos padrões. Aparentava menos idade”, recorda o avaliador físico, citando ainda que ela treinava três horas seguidas, revezando musculação, spinning e ginástica.

Q

REPETIÇÃO E INSATISFAÇÃO A compulsão pode ter diversos alvos, mas a insaciabilidade é um fator em comum. E isso também acontece com a atividade física. O comportamento e o pensamento compulsivo precisam ser repetidos pois o indivíduo não se satisfaz em fazêlo uma única vez, como observa a psiquiatra Paula Borba. “Do ponto de vista cerebral, trabalhamos com a hipótese de desorganização da neuroquímica do cérebro, ou seja, alguma alteração em nível dos neurotransmissores, neste caso, principalmente a serotonina.” Segundo ela, a compulsão pode ser a linguagem encontrada por outro tipo de transtorno, como depressão, ansiedade, distúrbios alimentares. A intensidade pode variar também para cada pessoa. “Então, deve-se avaliar cada caso individualmente para que se compreenda o comportamento compulsivo. Já o alvo da compulsão pode variar de acordo com os estímulos ambientais. Por exemplo, o mundo moderno com as exigências de beleza e consumo tem estimulado o indivíduo para compras, atividade física excessiva e dietas exageradas, aumentando os comportamentos compulsivos que às vezes nem são percebidos como tal”, analisa Paula Borba. O compulsivo leva a vida dedicado ao seu alvo. Isso pode fazer com que ele se desinteresse pelas coisas em geral, daí ao isolamento social, queda em seu desempenho sócio-ocupacional e a dificuldades nos relacionamentos. “Além disso, pode levar à angústia, irritabilidade, insônia e com esses prejuízos psicológicos até não perceber os potenciais riscos à saúde”, comenta a psiquiatra. O tratamento contra a compulsão será direcionado após a avaliação de suas possíveis causas. Para administração de medicamentos psicofármacos e sessões de psicoterapia, é preciso acompanhamento de um psiquiatra ou psicólogo — assim como uma nutricionista para os transtornos alimentares. “Para as compulsões a exercícios físicos, não precisa parar de fazê-los, mas necessita de um educador físico para orientálo”, conclui Paula Borba.

Márcio Mousinho »especialista em Fisiologia do Exercício

“É difícil convencer que não precisam treinar tanto” — Qual parte do corpo sofre mais com o exagero na atividade física? Os praticantes de exercícios físicos que exageram na atividade terão mais desgaste físico nos seguimentos corporais que mais são exigidos na prática que ele escolheu. Por exemplo: futebol – predispõe o corpo a sofrer mais lesões em membros inferiores; surf – articulação de ombro e coluna cervical; tênis – cotovelo, tornozelo e joelhos; musculação – depende do programa de treinamento e do grupo muscular que ele mais exagera. Por exemplo: é comum aos homens que sofrem de vigorexia querer treinar somente peito, bíceps e tríceps e as mulheres, coxa e glúteo. — Já teve algum caso de compulsão em sua academia? Sim! Inicialmente, é difícil de convencer que não precisam treinar tanto. Por isso, é preciso conquistar a amizade, para em seguida orientá-la corretamente.

Bacharel em Direito e modelo,Patrícia Fonseca tem uma rotina de seis horas diárias de atividades físicas,entre musculação,spinning e dança

TESTE Você é viciado em musculação? Quantas vezes por semana você treina? a) 1 a 2 vezes b) 2 a 3 c) 3 a 4 d) 4 a 5 e) todos os dias

1

5

Quantas vezes já utilizou esteroides anabolizantes?

a) 0 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4 ou mais Sua altura está relacionada ao seu peso? Por exemplo,1,70m com 70kg ou 1,80m com 80kg:

9

a) abaixo desse índice b) no índice c) pouco acima d) acima e) muito acima OS VALORES: a) 1 ponto b) 2 pontos c) 3 pontos d) 4 pontos e) 5 pontos Se você atingir: +30 pontos ou menos:normal +31 a 40 pontos:sérias tendências a desenvolver vigorexia +41 a 50 pontos:seria interessante buscar orientação psicológica Fonte:Folha de S.Paulo

2

Quantos treinos você faz por dia?

3

Quantas vezes você come por dia?

4

Quantos suplementos alimentares diferentes consome?

a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5

a) 4 b) 5 c) 6 d) 7 e) 8

a) 0 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4 ou mais

Ao olhar no espelho,você se sente: a) muito forte b) forte c) bem d) normal e) magro

Quando as pessoas o observam, comentam que: a) você está normal b) você está bem c) você está muito bem d) você está forte e) você está muito forte

Quando não consegue treinar, você se sente: a) normal b) pouco estressado c) estressado d) muito estressado e) fraco

6

7

8

No treino,você quer aumentar a carga quantas vezes? a) 1 vez por mês b) 1 vez por semana c) 2 vezes por semana d) todos os dias e) a cada série de exercícios

10

MALHAÇÃO COMPULSIVA Vigorexia atinge mais os homens O que é? Transtorno que altera a percepção da própria imagem.O vigoréxico se imagina mais fraco ou mais magro do que realmente é,e busca novas formas de ganhar mais músculos,praticando exercícios em excesso. Tratamento Acompanhamento psiquiátrico e medicamentos.

— Como devem ser tratados os compulsivos? Em primeiro lugar o profissional deve saber humanizar o tratamento. Como? Identificar bem o caso clínico e tratar da pessoa, não da patologia; ter paciência para ouvir bastante; conquistar a amizade. Somente após esses princípios o profissional bem embasado em seu conhecimento, poderá aconselhar seu cliente em mudar de postura, quanto ao exagero em algum segmento do seu treinamento, seja na frequência, na duração total do treino, na quantidade de exercícios, na intensidade de esforço, entre outros. — Como perceber os “viciados”? Eles têm manias gerais, entre elas podemos destacar: vivem falando em todo lugar dos seus feitos relacionados à sua prática de exercícios; adoram se olhar no espelho fazendo poses associadas à sua prática esportiva; são bem informados quanto aos recordes alcançados e comparam com o que eles são capazes de fazer; querem treinar mesmo se alguma coisa não está adequada: presença de chuva, doença, falta de equipamento; adoram ser comparados aos campeões de sua modalidade esportiva.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

tn família

Domingo | 28 de agosto de 2011

HELP Passando por situação financeira crítica, o Hospital Infantil Varela Santiago pede apoio aos empresários e sociedade em geral para continuar realizando seu nobre trabalho. Até o final do mês, todas as neurocirurgias serão suspensas devido à falta de recursos.

Jota Oliveira jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

CARPE DIEM! CUIDE DAS SUAS EMOÇÕES! Elas garantem a sua estabilidade e a vida longa. Os que sentem saudade além da medida, vivem do passado que não volta, e não conseguem presenciar o presente, encurtam o futuro. Mais uma forma disfarçada de suicídio... Não

guarde tantas emoções! Extravase-as, liberte cada sentimento. Doe-se, ame, goste, desgoste, sinta a sua raiva, mas perdoe sempre, é mais prudente e sensato. Aquele que carrega o ódio, leva uma cruz, sofre sempre em dobro, pela lembrança que não se apaga, e pela doença que se instala e a radiografia nem sempre mostra. Cuidado com quem você briga!

Cuidado com quem você se lança ao desafio! Cuidado com o que você fala! Preste atenção nos seus sentimentos. Quantas mágoas você carrega e nem percebe? Aquela dor no estômago que nunca cessa, pode ser a ausência que você não esquece. Aquele nódulo estranho, pode ser o luto mal resolvido. O amargo na boca, um amor mal resolvido, o

nervosismo, amor mal-vivido. Sempre é tempo para dar um basta na solidão, de libertar-se das correntes da ingratidão, de usar a força mágica do perdão. Para seguir viagem, para ser mais saudável, libere as suas emoções. Compartilhe mais, guarde menos, seja breve com as emoções que afligem, mas eterno com o amor que tudo perdoa, liberta e faz crescer.

BOBFLASH

BOBFLASH

PARABÉNS! Vivas de parabéns para Marilda F de Souza, Tatiana Almeida, exdeputado Laíre Rosado. Nesta segunda, 29, vivas antecipados Monique Pinheiro Cordeiro Gurgel de Sá, Renata Bezerra, Rubens Barros Jr.

FOREVER YOUNG

Hermeneluce Fernandes em vivas para a musa Marilda rasgando folhinha hoje BOBFLASH

Nos preparativos para mais uma edição da esperada festa Forever Young. A designer gráfica Márcia Kafensztok em mais um ano assina o projeto gráfico que será impresso na Gráfica RN Econômico. Tem sido muitas as ligações e e-mails parabenizando pela escolha da banda Calçadão Carioca, do RJ e Latino que faz as melhores festas do Jet set brasileiro, tá meu bem? A produção será da dupla Codualdo Bahia – Designer Brasil e Matheus Bulhões que estão cheios de bossas para a esperada festa. A Prátika Locações e Castelo Casado em mais um ano juntam-se a nós. Ai que tudo! Na sequencia estaremos divulgando os parceiros que apóiam esta edição. Take a note! Dia 17 de setembro, a partir das 23 hs. grupos de festeiros e mais, mais juntos para brindar a vida e amizade.

Odete parabeniza o amado Rubinho Barros, aniversariando amanhã CEDIDA

MÃO DE OBRA O Corinthians irá contratar 240 ex-detentos e 30 detentos em regime semiaberto para trabalhar na construção do seu estádio Itaquerão, uma das sedes da Copa 2014. A iniciativa faz parte do Programa Começar de Novo, do CNJ, do qual o clube paulista é parceiro. PREVENÇÃO Tendo em vista que o câncer é a segunda principal causa de morte dos brasileiros, o Icesp desenvolveu um tipo de “relógio do tempo” da prevenção. Faixa etária, sexo e histórico familiar exigem cuidados fundamentais, mas hábitos de vida saudáveis continuam a ser a melhor opção em todos os casos.

A aniversariante Renata em vivas com Bianor Bezerra

Nosso grupo em temporada de visita a vinículas em terras chilenas

[ ACERVO ] Em meio a promessas, assinatura de contratos e longos processos burocráticos, as contas se acumulam e tiram a paciência da primeira filha de Glauber, Paloma Rocha, presidente da entidade

[ CRÍTICA ] Flávia Castro resgata memória do pai,

Instituto Tempo Glauber espera verba do MinC há oito meses

Tragédia de uma geração em “Diário de Uma Busca”

ARQUIVO

WLADIMIR D’ANDRADE Agência Estado

O

Instituto Tempo Glauber espera há oito meses por recursos do Ministério da Cultura (MinC) destinados à restauração, ao inventário e a outros projetos envolvendo o acervo histórico do cineasta Glauber Rocha, um dos mais ilustres nomes do Cinema Novo brasileiro. A entidade vem sendo bancada este ano pela família do cineasta, morto há 30 anos, enquanto a verba federal aguarda os trâmites legais para ser liberada pelo ministério. Em meio a promessas, assinatura de contratos e longos processos burocráticos, as contas se acumulam e tiram a paciência da primeira filha de Glauber, Paloma Rocha, presidente da entidade. “É um vexame passar por essa situação”, afirma. Em dezembro, o MinC assinou convênio para destinar R$ 200 mil a ações de preservação e atendimento gratuito ao público, manutenção do antigo prédio da sede, que fica no bairro de Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, e cursos de capacitação no setor audiovisual No entanto, esse recurso nunca chegou aos cofres do Tempo Glauber. A promessa foi renovada em junho, mas questões de ordem jurídica teriam impedido a liberação do dinheiro. Paloma contava com o ministério para bancar o restauro e a digitalização do acervo do cineasta. Como os recursos não chegaram, a família não teve saída a não ser arcar com todas as despesas do instituto, cerca de R$ 30 mil por mês. “Foi uma bola nas minhas costas, na da minha equipe e na do próprio Glauber”, diz. “Não

Instituto contava com verba do MinC para restaurar e digitalizar acervo do cineasta Glauber Rocha

posso colocar do meu bolso o tempo todo.” A entidade passou por corte de luz e de funcionários - seis foram afastados em 1.º de agosto. De acordo com Paloma, para cobrir os custos ela utilizou parte do dinheiro recebido com a venda do acervo de Glauber Rocha à Cinemateca Brasileira. A coleção de 22 filmes e cerca de 80 mil documentos e roteiros produzidos pelo cineasta foi adquirida em dezembro de 2010 por aproximadamente R$ 3 milhões. Tudo foi entregue restaurado e digitalizado - e pago - pela fundação. “O recurso do convênio era

para concluir um trabalho no acervo que é do próprio ministério”, explica. “A Cinemateca reconheceu o trabalho que fizemos e pediu que ficássemos com o acervo até agosto para que ele fosse entregue todo arrumado.” No dia 23, o MinC voltou a prometer a liberação de recursos para a fundação. Durante sessão solene realizada no Senado Federal em homenagem aos 30 anos da morte do cineasta, um bilhete passou das mãos da secretária do Audiovisual, Ana Paula Santana, para o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) e chegou ao presidente da Casa, José Sarney (P-

MDB-AP). Nele, a garantia do ministério em liberar os R$ 200 mil para o Tempo Glauber. Por meio da assessoria de imprensa, o MinC confirmou o compromisso. “A Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura compromete-se em assegurar o apoio para manutenção do Tempo Glauber e da obra do cineasta aportando recursos de R$ 200 mil”, informou. Segundo a pasta, o convênio nunca sofreu interrupção e será cumprido o que foi acertado desde o início do processo. “Ontem foi uma vitória política”, diz Paloma. “Agora temos instrumentos públicos para cobrar.”

o militante político e jornalista Celso Afonso Gay

LUIZ CARLOS MERTEN Agência Estado

m dos mais obscuros casos policiais de Porto Alegre não é exatamente um caso policial. Ou, pelo menos, não se resume a esse gênero da crônica jornalística. É o que descreve a diretora Flávia Castro em seu “Diário de Uma Busca”. O que busca Flavia e por que motivo “anota” essa procura sob a forma de documentário? Em primeiro lugar, busca resgatar a memória do pai, o jornalista Celso Afonso Gay de Castro, um dos mortos no episódio. A outra pessoa, que perdeu a vida na mesma ocasião, foi o amigo de Celso, Nestor Guimarães Herédia, economista formado na Bélgica. Ambos haviam sido militantes de esquerda durante os anos do governo militar. Lutaram contra a ditadura. Morreram, ou foram mortos, em 1984, no apartamento do alemão Rudolf Goldbeck, cônsul honorário do Paraguai em Porto Alegre, e que teria sido oficial nazista. A polícia concluiu que a dupla invadiu a residência para assaltar. Surpreendidos pelos policiais, e vendo que seria impossível escapar, os dois teriam se suicidado no interior da casa. A versão não cola, na opinião de vários especialistas, inclusive na de um legista que diz nunca ter visto suicidas se comportarem dessa maneira. E aqui aparece a segunda das intenções de Flavia - resgatar a verdade do caso. Acontece que, para reconstruir as circunstâncias desse desfecho trágico, Flávia faz um desvio que engloba sua própria memória de filha de militante político. E nessa digressão reside todo o encanto e também a emoção desse filme muito especial. Flávia monta as peças desse retrato em família, em primeiro lugar através de conversas com parentes. A avó, a mãe (Sandra Ma-

U

cedo), o irmão Joca, uma filha de outro casamento do pai. Segue as pistas do exílio, com passagens pelo Chile, França, Venezuela. Busca traços nas casas que habitaram, em colégios por onde passaram e embaixadas onde se abrigaram. Conversa com companheiros de militância de Celso, alguns bem conhecidos como o ex-ministro Marco Aurélio Garcia, o historiador Daniel Aarão Reis, o então líder estudantil Jean Marc Von der Weid, segundo marido de Sandra e, portanto, padrasto de Flavia e Joca.

Para reconstruir as circunstâncias de um desfecho trágico, Flávia faz um desvio que engloba sua própria memória de filha de militante político ”

Outra peça importante é a correspondência de Celso. As cartas revelam como a vitalidade em determinado período se alterna com o desânimo em outro. De volta ao Brasil com a Anistia, Celso parece não se adaptar a um cotidiano de cinzenta normalidade. Trabalhando como jornalista e assessor parlamentar, tinha problemas com álcool e drogas. Talvez sentisse falta de algo maior por que lutar. Talvez. Mas tudo isso é tão misterioso quanto o crime da Rua Santo Inácio, situada no bairro chique de Moinhos de Vento, em Porto Alegre. “Diário de Uma Busca”, ao retraçar essa trajetória pessoal, faz o retrato da tragédia de uma geração. O olhar da filha, orientado pela disposição férrea em ir até o fundo dos fatos, empresta à história a ternura que só a faz mais pungente, e significativa.


tn família

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

VIVAS A empresária Caffech Raíssa Carvalho reúne os mais queridos

Jota Oliveira

para celebrar idade nova ao estilo Fantástica fábrica de chocolates na próxima quarta-feira. A Party acontece nos salões La Mouette, a partir das 21hs, regada a muita música, descontração e delícias.

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

SELO

EXTINÇÃO

EXÓTICO

A Justiça determinou este mês que todos os vinhos, nacionais ou importados, devem conter o Selo de Controle Fiscal. A obrigatoriedade da medida independe de que eles sejam ou não associados da Associação Brasileira de Exportadores e Importadores de Alimentos e Bebidas.

Parece piada gay, mas não é! Estudo da ONU afirma que as mulheres podem estar em processo de extinção. O estudo publicado na revista “Economist” aponta que as mulheres não terão filhas suficientes para substituí-las se o padrão continuar o mesmo do atual nos 83 países pesquisados.

Com roteiros exclusivos para os que querem conhecer lugares excêntricos no melhor estilo, a aposta da Arituba para o segundo semestre é na beleza e luxo do Marrocos, com um roteiro recheado que inclui 16 dias de viagem. Outros destinos também de sucesso são Austrália e Nova Zelândia.

AI QUE TUDO! A Club é sem favor nenhum o templo dos sarados, bunitas com U, mimosas e guapos da cidade. No pedaço os que são, os que querem ser e os que pensam que são cuidam do físico e mente, claro. Em se falando d’A Club que junta-se a Body Tech com unidades em várias capitais, a A Club passa a ser Body Tech Natal já com os personais em treinamento em três turnos e nos próximos dias os freqüentadores/sócios estarão desfrutando das novas que estão por vir. Take a note!

BLOGJOTAOLIVEIRA/JOÃO NETO

CEDIDA

Bolinhas no inverno chileno: este colunista, Diógenes, Lauro,Waldemir, Beto, Guilherme e Felipe

BOM GOSTO

No salões natalenses, Celina Marinho e Rita Alexandre

BLOGJOTAOLIVEIRA/JOÃO NETO

BLOGJOTAOLIVEIRA/JOÃO NETO

MOTORES A PG Prime nos preparativos para o próximo PG Prime Experience organiza passeio para os clientes Land Rover no próximo sábado. E para os amantes dos motores Audi também exclusividade da PG Prime no RN, chega em setembro ao Salão Frankfurt a versão final do A8 Hybrid que começa a ser vendido apenas em 2012.

Em sessão apaga velinhas, Luciana Patriota e Yone Álvares CEDIDA

Beto Santos em ensinamentos Baco ao filho Guilherme

Lulus em parabéns,Thaysa, Lourdes Flôr, Bia Santa Rosa e Silvana Gadelha

BLOGJOTAOLIVEIRA/JOÃO NETO

Celebrando De Deus: Zuleide Varela Barca e Rianete Mesquita

BLOGJOTAOLIVEIRA/JOÃO NETO

Ocasião de tintins, Magaly Medeiros, Marília Bezerra e Cristina Pinto

ormada em Contabilidade, mas desde cedo apaixonada pelas possibilidades do paisagismo, a empresária Débora Saldanha traz no sangue a paixão pelas belezas naturais. Paranaense, mas há anos em Natal, ela já se considera potiguar e não está em seus planos sair da terrinha. Competente e criativa, Débora se inspirou desde cedo no pai para adquirir experiência e seguir os caminhos do paisagismo. Hoje, caminhando sozinha no bem-sucedido Viveiro Marina, ela traz em si o segredo do sucesso para qualquer negócio: a determinação e amor à profissão. Sempre respeitando os interesses do cliente, Débora usa e abusa de sua criatividade e bom gosto na elaboração de jardins e paisagens em geral. Na vida pessoal, ela revela ser uma mãezona, bem família, gosta de estar sempre curtindo a companhia das filhas. Tendo a família como prioridade, viagens, jantares, filmes e tudo mais que lhe permita estar na companhia dos que ama é muito bem vindo. Com uma vida repleta de amor tanto na família quanto pelo trabalho, impossível algo dar errado e o sucesso é garantido.

F


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

tn família

Domingo | 28 de agosto de 2011

Liege Barbalho

PARABÉNS Funcionários e amigos do prefeito de Parnamirim,Maurício Marques,cantaram coro de parabéns para o político que celebrou mudança de idade na última sexta-feira.A sessão de vivas aconteceu com um café da manhã na Associação da Cohabinal.Os cumprimentos da coluna para o aniversariante.

liegebarbalho@tribunadonorte.com.br

PODEROSAS A presidente Dilma Rousseff aparece como a terceira mulher mais poderosa do mundo em ranking elaborado pela revista Forbes. A lista é liderada pela primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, seguida pela secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton. Segundo a publicação, Dilma destaca-se por ter sido a primeira mulher eleita para liderar a maior economia da América Latina.

CIRCO O colunista Chrystian de Saboya movimentou ontem o Olimpo Recepções de Candelária com big festa. Tendo como título o “Circo de Saboya”, o evento contou com mega produção no melhor estilo do dono da noite. Com show do cantor baiano Netinho e mais o som do DJ Luiz Couto, o anfitrião celebrou seu aniversário ao lado dos muitos amigos que foram lhe abraçar. Toda cobertura dos vivas para Saboya está em cartaz no www.liegebarbalho.com no link Quem Acontece.

Gov. Rosalba Ciarlini recebeu homenagem do Hospital da PM

Deputado Ricardo Motta reeleito para a presidência da AL/RN

Toda simpatia, Raíssa Carvalho celebra aniversário esta semana

Parabéns para o prefeito Maurício Marques pelo seu aniversário

DESABOYA.COM

Várias »

BABALU Duas grandes estrelas da música popular brasileira se apresentarão no Teatro Riachuelo. Ângela Maria e Agnaldo Timóteo estarão juntos pela primeira vez em Natal durante show que acontecerá nesta quarta-feira, a partir das 21 horas,numa noite de muito romantismo,emoção e sucessos.Os artistas cantarão juntos e separados atendendo o gosto musical dos seus fãs.O evento tem assinatura do jornalista e produtor cultural Amaury Júnior.

LANÇAMENTO O empreendedorismo do empresário potiguar Haroldo Azevedo foi destaque na revista Exame com uma matéria sobre o Dermacoconut Spray, um hidratante com água de coco natural que tonifica, suaviza e amacia a pele. O produto será lançado para vendas no exterior e já está sendo negociado com a rede de varejo El Corte Inglés. Está na programação do grupo Haroldo Azevedo promover o lançamento no mercado americano e brasileiro até o final de 2011.

Geane Carlina Ferreira e a magistrada Lena Rocha em evento do TJ/RN

»

Os parabéns da coluna para o casal Irany e Antônio Andrade. Ele mudando de idade

O empresário Haroldo Azevedo investindo forte no mercado internacional o produto Dermacoconut Spray Singrid e Edmurd Rosado em tarde agradável no Garbos Hotel em Mossoró

GARBOS A colunista esteve em Mossoró, atendendo convite do casal amigo José Carlos e Beth Rego, proprietários do Garbos Hotel. Na companhia de Nelly Carlos, assessora de imprensa do espaço, a Blonde foi conhecer não só as instalações do hotel como também o Garbos Recepções e Eventos. Um espaço arrojado e majestoso, que deu um toque a mais de desenvolvimento à terra de Santa Luzia. Sofisticação, bom gosto e refinamento dão o tom à belíssima casa que está com a agenda concorridíssima para eventos como: casamentos, formaturas, 15 anos e feiras nos mais diversos segmentos.

NA NOITE GARBOS EM MOSSORÓ

FOTOS:LIEGEBARBALHO.COM

MISS Romildo Silva promove na próxima quinta-feira a 15ª edição do Miss RN Turismo. Com realização na AABB ,o evento contará com a participação de 24 candidatas que disputarão o título de mais bela representante do RN.O evento ainda prestará uma homenagem a Hatmo/RN – Humanização e Apoio ao Transplantado de Medula Óssea.A vencedora irá representar o nosso Estado em São Paulo do Miss Brasil Model e do Miss Brasil Turismo em Curitiba.

»

HOMENAGEM A governadora Rosalba Ciarlini foi homenageada com medalha do Mérito da Saúde Coronel Pedro Germano,por ocasião da comemoração do 48º aniversário do Hospital da Polícia Militar.De acordo com Cel.Cleber, comandante geral do Hospital da PM,a honraria é destinada a agraciar membros da Polícia Militar e da sociedade civil que tenham contribuído para o aperfeiçoamento e engrandecimento do serviço de saúde da corporação.

»

ELEIÇÕES O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal realizará entre os dias 28 e 29 de setembro eleições para escolha do novo presidente e vice-presidente. A atual direção terá um forte concorrente com a chapa Nº 2 que tem como lema“ Sinsenat na direção certa”. Sendo a chapa alternativa,tem como candidato à presidência o todo simpatia Ernesto Morais e como vice Eduardo.

Henrique Carlos com a mãe Lígia Rego

A Blonde posa com a colega Nelly Carlos

»CINEMA Promover por meio da sétima Túlio Ratto, Dedé Casado e Paulo Braz Casal anfitrião José Carlos e Beth Rego

arte,reflexões sobre temáticas ligadas ao meio ambiente,sustentabilidade,consciência ambiental,relações humanas,ética entre outros.É o objetivo do Projeto Cine Semurb,realizado pela Prefeitura do Natal e Secretaria,que propõe a exibição de filmes e documentários seguido de mesa-redonda sobre o tema.A programação será quinzenal e acontecerá sempre às sextas-feiras.

Bárbara Abramo

Cinema

Horóscopo

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ESTREIA

Sol e Plutão vibram ainda por regeneração e desvelamento.Lua nova em Virgem:29/8

Áries 21/03 a 20/04 Vibrações ainda ótimas para você se dedicar aos esportes,a vida social,e a tudo que traz alegria e enobrece a alma.O único porem fica por conta de detalhes do cotidiano e gente pegando no seu pé por causa deles. Amor em alta!

Touro 21/04 a 20/05

Clima astral bom pra você curtir a vida intima, ficar a vontade e dar vazão a seus talentos culinários e artísticos. Hospitaleiro,vai armar um belo encontro em sua casa.De noite,ritmo mais leve e mais intimidade dão fecho de ouro.

Gêmeos 21/05 a 20/06

Hábil e engenhoso com as ótimas vibrações da Lua em Leão,você também conta com uma boa inspiração para se expressar com clareza e brilho.Quebre a rotina viajando para perto, ou mesmo descobrindo lugares bonitos onde mora!

Câncer 21/06 a 21/07

Altos e baixos vão se dissolvendo e em seu lugar chega a estabilidade e algumas certezas.Bom pique e faro especial para colher o lado mais bonito das coisas.As artes serão particularmente inspiradoras.Não seja impulsivo com seu dinheiro.

Leão 22/07 a 22/08

Talvez você se sinta um tanto vulnerável, apegado ao passado,até melancólico ou inclinado a remoer magoas.Afaste estes pensamentos e combata estas inclinações cultivando esportes e vida ao ar livre tranqüilidade ajuda no amor também.

Virgem 23/08 a 22/09

Sob um clima astral benéfico,em geral,você tem a sorte de atrair pessoas camaradas e a simpatia de compartilhar com elas seu melhor lado.Facetas pouco visíveis agora podem ser exibidas em ambiente seguro e amigável.Boas ideias.

Libra 23/09 a 22/10

Conceitos que estão sendo filtrados pela realidade,necessidade de romper o cotidiano para prestar atenção a algo mais interior o domingo será um dia mágico para rever algo em que já acreditou.Você também mudou,para sua surpresa.

Escorpião 23/10 21/11

Vergonha de aparecer? Que nada! Saia no capricho e arrase corações,porque você conta com uma aura mais encantadora e atraente.Um domingo movimentado pode alegrar e restituir uma jovialidade esquecida.Tentações gastronômicas.

Sagitário 22/11 a 21/12

Seus sonhos serão eloqüentes,bons para orientar você em pegadinhas da próxima semana.Como ontem,a vibração da Lua revela e suaviza.Os encantos distantes estão em alta;o domingo é bom pra você mudar de orbitas,rotinas e papos.

Capricórnio 22/12 a 20/01

Há pendências e assuntos que ficaram mal resolvidos,mas você tem condições de resolver tudo hoje.Assim entra na próxima semana zerado,com o coração leve.Desinteresse por assuntos complicados.Não insista com abstrações.

Aquário 21/01 a 19/02

Assuntos familiares no fundo da cena, namoro no destaque,você no meio, sem tempo para si mesmo.Equilibre esta tendência,dando o tempo devido a cada atividade.Cuidado com alimentos e remédios. Discriminação e atenção com isso.

Peixes 20/02 a 20/03

Você passa por uma fase de mudança no modo de viver,são costumes antigos sendo dissolvidos e uma nova ordem e necessidades apelando a sua atenção.Um parceiro pode dar dicas ótimas a respeito de como coordenar tudo de novo.

★★ OS SMURFS (Livre,dublado) Moviecom 1.Sessões 12h45 (sáb,dom e feriado) 14h55,17h05,19h15 e 21h25 / Cinemark 5.Sessões 12h30,15h10,17h30 e 19h55 / Cinemark 6 3D.Sessões 11h30 (sáb e dom),13h50,16h30,19h20 e 22h05 e 0h15 (sáb) Após muito tentar,o mago Gar-gamel (Hank Azaria) enfim consegue expulsar os Smurfs de sua pacata vila.Com isso eles deixam o mundo mágico e aparecem em plena Nova York,mais exatamente no Central Park.É lá que Papai Smurf (Jonathan Winters),Smurfette (Katy Brand),Gênio (Fred Armisen) e os demais smurfs precisam viver até encontrarem um meio de voltar para casa. ★ PROFESSORA SEM CLASSE (14 anos, legendado/dublado) Moviecom 2.Sessões 12h30 (sáb.Dom e feriado),19h35 e 21h35 / Cinemark 3 (dub). Sessões 11h20 (sáb e dom),16h20,18h50, 21h20 e 23h35 (sáb) Elizabeth (Cameron Díaz) é uma professora irreverente e por vezes inapropriada.Seu maior desejo é se casar com um bom partido que a mantenha e lhe permita parar de trabalhar. Mas quando recebe um fora do namorado e suposto pretendido,ela tenta colocar em prática um plano para conquistar um jovem e rico professor (Justin Timberlake).Para isso ela terá de competir com Amy (Lucy Punch),outra professora hiperativa e cheia de energia.Ao mesmo tempo,Elizabeth precisa conter as investidas de um sarcástico professor de ginástica (Jason Segel).O problema é que toda

essa confusão romântica coloca Elizabeth numa situação um tanto escandalosa,o que resulta em consequências que atingem seus alunos,os colegas de trabalho e principalmente a ela mesma. ★ ONDE ESTÁ A FELICIDADE(12 anos, nacional) Moviecom 2.Sessões 14h45 e 17h10 Até onde você iria para ser feliz? Nesta comédia,a chef de cozinha Teodora embarca em uma jornada de descobertas que farão dela uma nova mulher.Crises no amor e na vida profissional a levarão - junto com o amigo Zeca e a espanhola Milena - à percorrer o Caminho de Santiago de Compostela,cenário ideal para encontros,reencontros e aventuras. ★★ ASSALTO AO BANCO CENTRAL(14 anos, nacional) Moviecom 3.Sessões 14h25 e 18h55 / Cinemark 4.Sessões 19h30 e 21h55 Em Agosto de 2005,R$ 164,7 milhões foram roubados do Banco Central em Fortaleza (CE). Sem dar um único tiro,sem disparar um alarme,os bandidos entraram e saíram por um túnel de 84 metros cavado sob o cofre, carregando 3 toneladas de dinheiro.Foram mais de três meses de operação.Milhares de reais foram gastos no planejamento.Foi o segundo maior assalto a banco do mundo.Um dos crimes mais sofisticados e bem planejados de que já se teve notícia no Brasil.Quem eram essas pessoas? E o que aconteceu com elas depois? São as perguntas que todo o Brasil se faz desde então.Direção Marcos Paulo.


Domingo | 28 de agosto de 2011

tn família

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 7

TEMPO DE LEMBRAR Da querida amiga IVONE LIRA ALVES. Missa em sua lembrança, terça-feira, às 17h30, na Matriz de Sta. Terezinha.

Hilneth Correia hilnethcorreia@tribunadonorte.com.br

NOITE RED DA BUDWEISER

BRASILEIRINHO Nós estamos assinando uma tarde descontraída no feriado de 7 de setembro, no SHOCK BAR. Uma tarde de feijoada, samba e muita alegria. Vamos festejar “cara nova” do nahorah.net e o Hilneth é Show! Com novas parcerias. A música fica a cargo dos tops PRETO CHIQUE e MESA 12. Oportunidade para quem não conhece o Shock ir conferir... Os “passaportes” vão estar no Pastel Petrópolis e na Banca de Tota.

A convite da Ambev,fomos conferir o lançamento da estrela do grupo que acaba de desembarcar no Brasil e já com status de estrela patrocinadora oficial da COPA de 2014.A festa de lançamento reuniu um naipe de jornalista/colunistas do Brasil em party no Marina Suites,no Leblon.Uma noite deliciosa,

nas cores vermelha,da cerveja e recheada de convidados vips,evento aconteceu num momento especial,com a cidade em efervescência pelo UFC que acontece neste final de semana ,no Rio de Janeiro.No Brasil,a marca global vai atuar nas plataformas de música e esportes internacionais,apoiando

shows e eventos como FIFA World Cup,UFC (Ultimate Fighting Champioship) e mais de 20 shows só este ano.Daqui da terrinha fomos nós (Hilneth Correia) e a colunista Flávia Freire dos Diários Associados.Fizemos um bate-volta tendo em vista compromissos na cidade.Vejam os clic’s.

QUANDO SETEMBRO CHEGAR A temporada de festas e casórios já começa no próximo dia 3 de setembro. Já agendamos : 1- Casório de CLARA MEDEIROS, da família “Camarões” com SAULO “Pura Tentação”, em Cerimônia, 3 de setembro, às 17h na Igreja de Sant’Ana e recepção no Espaço Privado (O Terreno). Os noivos são filhos de Fernando Medeiros Santos, Vânia Bezerra; Rubens-Escolástica Araújo de Medeiros. 2- SIM DE FERNANDA TAVARES ...A filha de Fernando Tavares-Liane Fagundes Tavares com o baiano ALONSO, filho de Antônio-Nilzelina dos Santos. Cerimônia no dia 10 de setembro, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, às 20h. Recepção no Versailles/Tirol.

PARABÉNS PRA VOCÊS

HILNETH É SHOW!

CLICS DE RENIER...

ASSUNTO DO MOMENTO –

1As lutas livres saíram do

Coluninha de hoje também traz clics da festa de RENIER NUNES, já comentada na coluna da quinta-feira.

Brasil para fazer os tatames mundiais.Por este motivo estamos reprisando a entrevista de Raphael com Ricardo Sério Faria que é empresário de nomes fortes neste novo esporte.

Deputado Nelter Queiroz, Renata Bezerra, Jorge Cunha, Monique Gurgel de Sá, Roberto Avila,Olimpio Maciel, Margarida Monte Holanda, Sônia Magalhães Tavares, Rubinho Barros, minha queridissíma cardiologista Maria José Pacheco Kettel, Paulo de Paula, Cecilia Paiva, João Dias, Adelmo Freire, Cristina Lyra,Jô Godeiro, Rose Flor, Odete Guerra,Virna Dantas, Tota Toneli, Joselito Nunes, Pedro Henrique Câmara Monte, Karla Couto, Fábio Faria, Andressa Gurgel.

SELECIONANDO HUMORISTAS O divertidíssimo Mafaldo Pinto, está promovendo um festival com concurso para selecionar e inscrever todos os estilos de humor. Só para humoristas com inscrições até o próximo 5 de setembro. Confiram com MAFALDO PINTO em www.mafaldopinto.com.

DOIS BLOCOS - Vocês

2confiram: a entrevista de

MANOEL DE BRITO pelo conteúdo, teve que ser dividida em dois blocos. A primeira parte está sendo levada (hoje tem reprise às 13h30) neste final de semana. Próxima sábado a 2ª parte. História do AI5, o seu trabalho com os dois maiores lideres ALUIZIO ALVES e DINARTE MARIZ e passagens da vida. Confiram no HILNETH É SHOW!

CORREDOR DE COMPRITAS Tem gente que não gosta,de “fazer supermercado”,eu adoro! É uma terapia...ando para lá e para cá;converso com pessoas,sei de novidades.Nesta última manhã de quinta-feira foi uma festa de encontros do Plano Palumbo. Encontrei com ...* SÂNZIA-HÉLIO NELSON depois de mais de “quarenta anos”na Trairi,trocaram a moradia da casa pelo Montparnasse...* Com TEREZINHA MARIZ conversamos sobre o saudoso DINARTE que se fosse vivo teria completado 107 anos,no último dia 23...*DE LÚCIA a maravilhosa notícia de que GARIBALDI CABRAL está voltando de S.Paulo com os exames zerados.Ela se recuperando de um ligeiro derrame ...*COM Wandick Jr.Papo descontraído e troca de receitas. Eis que aparece Cléo,de longas datas e eis que Papagaio (que reside em Portugal) surge no papo...AVISTEI e um rápido alô com Ana Carla Leite,com Roberto Bezerra (Piru) e de longe Zilda Lopes...SÃO essas coisas boas de sair as compras, no habitat do Tirol.Conversar e rever amigos numa Natal de “novas caras”.

ÁLBUNS DA NIGHT Já estamos com o nosso “XERETA” do www.nahorah.net bombando. Voces vão poder conferir semanalmente os álbuns do D. Vinicius, Mariposa, Shock Bar, Saideira Lounge, Seis em Ponto e Rusto. Confiram ...vocês podem estar neles.

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE lESTREIA

Cinema DIVULGAÇÃO

l O HOMEM DO FUTURO (12 anos,nacional) Moviecom 3.Sessão 21h05 / Cinemark 4.Sessão 0h10 (sáb) Zero (Wagner Moura) é um cientista genial,mas infeliz porque há 20 anos atrás foi humilhado publicamente na faculdade e perdeu Helena (Alinne Moraes) o grande amor de sua vida. Certo dia,uma experiência acidental com um de seus inventos faz com que ele viaje no tempo, mais precisamente,ao passado.Depois da chance de mudar a sua história,Zero retorna ao presente totalmente modificado e se descobre um tremendo canalha,o que só o afastou ainda mais de Helena.Agora,sua chance é voltar novamente no tempo e impedir que ele mesmo altere o presente. ★★★ SUPER 8 (10 anos,legendado) Moviecom 3.Sessões 16h35 e 21h05 (seg a sex, dom e feriado) No verão de 1979,um grupo de crianças em uma pequena cidade de Ohio presencia uma catastrófica colisão de trens enquanto realizavam um filme com a câmera Super-8 e logo eles desconfiam que aquele não foi um acidente.Pouco tempo depois,estranhos desaparecimentos e eventos inexplicáveis começam a acontecer na cidade,e o agente da lei tenta descobrir a verdade - algo mais assustador do que eles poderiam imaginar. Direção: J.J.Abrams.

universo.O destino dos guerreiros e do planeta Terra estará nas mãos do seu mais novo recruta, o primeiro humano a ser selecionado para a Tropa:Hal Jordan (Ray Reynolds).Direção: Martin Campbell.

l PLANETA DOS MACACOS (12 anos, legendado/dublado) Moviecom 4.Sessões 15h15,17h30,19h45 e 22h / Moviecom 7 (dub).Sessões 14h40,16h55, 19h10 e 21h25 / Cinemark 1.Sessões 11h35 (sex e sáb),14h05,16h35,19h,21h40 e 0h15 (sáb) / Cinemark 6 (dub).Sessões 13h,15h30,18h, 20h40 e 23h10 (sáb) A história original acontece nos dias atuais em São Francisco,onde experimentos com engenharia genética levam ao desenvolvimento de inteligência nos macacos e principia uma guerra por supremacia. l AMOR A TODA PROVA(14 anos, legendado) Moviecom 5.Sessões 14h35,17h,19h25 e 21h50 O careta Cal Weaver tem quarenta e poucos anos e uma vida perfeita - um bom emprego,uma casa legal,filhos ideais e um casamento com sua namorada do colégio.Mas quando Cal descobre que sua esposa Emily o está traindo e quer o divórcio,sua vida "perfeita" desaba rapidamente. E para piorar,faz décadas que Cal não tem um encontro amoroso e ele é justamente a definição de alguém s em charme.

Moviecom 6.Sessão 23h45 (sex e sáb) Filmado na Arena O2 de Londres,este fantástico show da diva Kylie Minogue filmado inteiramente em 3D inclui os hits "Can't Get You Out Of My Head","Spinning Around" e "Slow". Com direito a carruagens douradas e anjos voadores.

l KYLIE 3D:APHRODITE LES FOLIES (MOVIEMOBZ) (Livre,legendado)

★★ LANTERNA VERDE (10 anos, legendado/dublado)

“Planeta dos Macacos:A Origem” conta como tudo começou Moviecom 6 3D (dub).Sessões 14h20 e 16h40 / Moviecom 6 3D.Sessões 19h e 21h20 / Cinemark 2 3D (dub).Sessões 12h45 e 18h15 / Cinemark 2 3D.Sessões 15h40,20h50 e 23h30 (sáb) Em um universo tão vasto quanto misterioso, uma pequena mas poderosa força existe há séculos.Protetora da paz e da justiça,ela é conhecida como a Tropa dos Lanternas Verdes. Porém,um novo inimigo chamado Parallax ameaça destruir o equilíbrio das forças do

★★★ CAPITÃO AMÉRICA - O PRIMEIRO VINGADOR(12 anos,dublado) Cinemark 5.Sessão 22h10 Nascido durante a Grande De-pressão,Steve Rogers foi um menino franzino em uma família pobre.Horrorizado com a ascensão Nazista na Europa,o garoto parte para entrar para o exército.Mas,devido a sua saúde frágil,ele é rejeitado.Mas após escutar os apelos honestos do menino,o General Chester Phillips oferece a Rogers a chance de participar da Operação: Renascimento.Depois de semanas de testes ele recebe o soro do supersoldado e é bombardeado por raios-vita.Steve Rogers aparece então com o corpo mais perfeito que um ser humano pode ter e é submetido a intensos treinamentos físicos e táticos.Meses depois ele recebe sua primeira missão como o Capitão América e,com seu escudo indestrutível, ele parte para combater o mal sozinho e como o líder dos Vingadores.Direção:Joe Johnston. ★CILADA.COM(14 anos,nacional) Cinemark 4.Sessão 15h Exposto pela namorada através de um

vídeo na internet,Bruno tenta refazer sua reputação,mas tudo o que consegue é se meter em uma série de ciladas.Uma comédia sobre amor e traição que mostra o poder da internet em transformar pequenas intimidades e deslizes em fama e constrangimentos globalizados.Direção José Alvarenga Jr. l O MÁGICO(12 anos,legendado) Cinemark 5.Sessão 14h. Tatischeff é um artista em decadência,cuja fase de glória está sendo roubada por estrelas emergentes do rock.Forçado a aceitar tarefas cada vez mais obscuras,como se apresentar em bares falidos e festas no jardim,ele conhece uma jovem fã,Alice,que muda sua vida para sempre. Direção: Sylvain Chomet l REINO DOS FELINOS (Livre,dublado) Cinemark 4.Sessões 12h50 e 17h20 Documentário que acompanha duas famílias de felinos e como os filhotes são preparados para sobreviver aos desafios da natureza.São eles:Mara,a filha de uma leoa ferida,porém determinada;Sita,uma corajosa guepardo, mãe solteira com cinco filhotes recémnascidos,que tenta fazer do lugar mais selvagem da Terra o seu lar;e Kali,um leão que foi banido de seu bando e retorna com os filhos para retomar o seu lar.


tn família 8 | Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 28 de agosto de 2011 NEWSNEWSNEWS Além do concurso Tráfego Look, em que selecionamos novos modelos para nossa agência, iremos dá início ao projeto “Catwalk”, onde iremos preparar modelos para o mercado de trabalho. Tudo irá acontecer na novíssima agência Tráfego Models, que a partir de setembro, irá funcionar na Rua Alberto Silva, nas proximidades do Midway Mall. O “Catwalk” contará com aulas de passarela, fotografia, moda, beleza, saúde, vídeo e mercado fashion. As vagas são limitadas para apenas 30 garotas, que serão divididas em duas turmas. Mais informações com Sandra Máximo no telefone (84) 3206-3052. Mossoró vive hoje seus dias de beleza, com o início da 4ª edição da Feira da Beleza. Tudo acontece até amanhã no Garbos Recepções e Eventos, e é organizado pela Associação dos Profissionais da Área da Beleza do RN. Mais de 50 estandes, com expositores de alguns estados, participam do evento, que também contará com cursos, palestras, desfiles e muito mais. Lançada na última terça-feira, 23, a 9ª edição do Minas Trend Preview nos Jardins do Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte. O estilista Ronaldo Fraga e o presidente da FIEMG, Olavo Machado Jr, apresentaram as novidades para a próxima temporada. A expectativa é aumentar o número de compradores nacionais e estrangeiros. Evento acontece de 26 à 29 de outubro no Expominas, na capital mineira. Misses de 89 países já se encontram em São Paulo para a programação do Miss Universo, que pela primeira vez em 60 anos acontecerá no Brasil. As beldades foram clicadas pelo fotógrafo Fadil Berisha, para as fotos oficiais, que tem como tema o “Carnaval Brasileiro”. O concurso tem final no dia 12 de setembro, no Credicard Hall. Valéria Gurgel lança sua coleção de noivas na próxima terça-feira, 30, a partir de 19h no Versailles. O desfile contará com a participação do cast poderoso da Tráfego Models, com beleza assinada por Sinval de Souza, Johnny Coiffeur e Salão Chique. O evento é em benefício à entidades carentes. Depois de uma seleção com o cast Tráfego Models, o scouter Jocler Turmina decidiu investir em quatro beldades locais: Lizandra Mendes, Rádila, Arthur Muniz e Luan Jácome. Todos seguirão para São Paulo nos próximos dias, para iniciar trabalho com a Elo Management. E por falar em Elo Management, a agência fecha parceria com o Tráfego Look 2011, e garante participar ativamente das seletivas do nosso concurso. A Carmen Steffens lançou o “Concurso de Estilismo” para descobrir novos talentos do design de calçados. As inscrições acontecem no site www.carmensteffens.com.br/concurs odeestilismo. O vencedor irá ganhar uma bolsa de estudos no exterior, na renomadíssima Parsons NYC.

Vestido Printing para Donna Donna, sandálias e bolsa Carmen Steffens

Blusa Agilitá e saia Thamara Capelão, tudo para Yolla. Cinto Estrela Viva, pulseiras Bain Douche, e sandálias Carmen Steffens

A saia Espaço Fashion para Bagatelle é usada com blusa Dress To, colete Cheroy para Bain Douche, cinto, pulseiras e brincos S.Design, e sandálias Carmen Steffens

Blusa Pelu para Donna Donna, com saia Thamara Capelão, pulseiras e cinto Caos, tudo para Yolla. Bolsa Michael Kors para New York New York

DEU COBRA georgeazevedo@tribunadonorte.com.br

Sabendo que a presença deles é totalmente ligada às vontades do planeta fashion, os bichos já viraram clássicos.E depois das oncinhas, leopardos e zebras, chegou a vez das cobras entrarem em cena.Agora, a estampa vigente alia-se a cores fortes como laranja, royal e pink para colorir os looks do verão.Outra boa notícia para os fãs do “mundo animal”é que nesta temporada surgem mais opções de compras, pois, além de estarem nas roupas, os “phythons”

Macacão Caos para Yolla, cinto Estrela Viva, pulseiras e colar Bain Douche, e sandálias Carmen Steffens

estampam bolsas, calçados e até objetos de decoração.

Óculos Gucci para Ótica Diniz Prime, blusa Estrela Viva, pulseiras S.Design, e bolsa Michael Kors para New York New York

FICHA TÉCNICA Foto: Humberto Lopes Tratamento de Imagem: Oziel Almeida Modelo:Gardênia Alves (Tráfego Models) Styling: Kassius Salviano Beleza: Edimilson Alves (Camarim das Estrelas) Onde encontrar os looks: Yolla na Campos Sales,Estrela Viva no Midway Mall,Bain Douche no Midway Mall,Natal Shopping e Hiper, Carmen Steffens no Midway Mall e Natal Shopping,Donna Donna na Afonso Pena,Bagatelle no Natal Shopping e Afonso Pena,S.Design no CCAB Petrópolis e Cidade Jardim,Dress To no CCAB Petrópolis e Midway Mall,Diniz Prime em Petrópolis,e New York New York na Afonso Pena.

✱ ✱


Fênix Aromas trabalha a aromaterapia em Natal com florais, incensos, óleos, sprays e velas PÁGINA 06 ALDAIR DANTAS

O salão de beleza Shop Hair tem serviços para cabelo, maquiagem e massagens especialmente para você

solta

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 28 de agosto de 2011

PARTE INTEGRANTE DO JORNAL TRIBUNA DO NORTE - NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE - LINHA DIRETA DO ASSINANTE NATAL: 4006-6100 - R - 6261

ALDAIR DANTAS

clube do assinante

Leve e

PÁGINA 03

OFERTAS VÁLIDAS EXCLUSIVAMENTE AOS ASSINANTES DA TRIBUNA DO NORTE DE 01 A 30 DE SETEMBRO DE 2011


2

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Palavra do editor calor ainda está forte, mas agora há mais leveza e cor. A primavera já brinda jardins, ruas e vitrines com seu colorido característico, e tudo ganha um pouco mais de luz. O caderno CLUBE DO ASSINANTE entrou no clima e selecionou uma série de dicas que deixarão os meses seguintes mais floridos e bonitos de se ver. E há primavera em tudo: na hora de se vestir, principalmente. As coleções apontam para estampas floridas, multi-cores, e até mesmo o branco, sempre compondo bem qualquer visual. As peças estão leves, ideais para o dia a dia, mesmo sem abrir mão da elegância – para homens e mulheres. Os acessórios também acompanham a tendência, com bastante detalhes coloridos e brilhos. A ocasião também é boa para dar uma nova trabalhada no visual. Para elas, o penteado mais curto é o ideal para enfrentar o calorão primaveril. A estação das flores também promove melhores aromas e fragrâncias no ar.

O

NOTAS EXPLICATIVAS »Este é um serviço gratuito,oferecido aos assinantes da TRIBUNA DO NORTE pelo Depto.de Marketing com o objetivo de orientá-los na hora de escolher sua opção de compras.As informações contidas no CLUBE DO ASSINANTE foram fornecidas pelas empresas conveniadas.Não nos responsabilizamos pelas mudanças de preços e descontos.

»Os descontos oferecidos pelas empresas associadas e anunciadas são válidos durante o mês de setembro de 2011.A cada mês ocorrem alterações na listagem.

»No caso de assinaturas feitas por empresas, uma pessoa deverá ser nomeada como titular do cartão.Os descontos oferecidos não serão cumulativos. Capa: Modelo:Jully Marques - Tráfego Models Foto:Humberto Lopes Cabelo e maquiagem:Lirêda Coiffeur Produção:George Azevedo

clube do assinante

Domingo | 28 de agosto de 2011

Um figurino de primavera ALDAIR DANTAS

moda para a primavera é democrática por natureza. A estação das flores sugere cor e leveza, sem dispensar a liberdade. O toque elegante está em combinar bem as peças, como afirma a jornalista Luciana Campos, que há dois anos escreve o blog de moda “Elas”, no site da TRIBUNA DO NORTE. Em sintonia com o clima do momento, a blogueira separa uma série de dicas entre roupas, calçados, cores, maquiagem e cabelo que deixarão as mulheres ainda mais ‘primaveris’ durante os próximos meses. Acompanhe a entrevista:

A

CA - Quais as características comuns às coleções de Primavera?

LC - As cores e o despojamento são as principais características dessa fase do ano. Como na nossa região temos praticamente duas estações - a quente e a chuvosa quando chega setembro as pessoas já começam a usar o figurino de verão e tiram do armário shorts, vestidos floridos e peças em cores mais fortes. CA - Quais as cores e estampas em evidência para 2011?

LC - As passarelas nacionais seguem as tendências do hemisfério Norte que ditam muita cor. O ‘color block’ é uma das tendências que promete fazer a cabeça das natalenses. Consiste em usar peças de cores fortes e diferentes. Verde e vermelho, azul e amarelo, azul e laranja - mas é importante coordenar bem as cores. Para quem não tem muita prática, vale olhar blogs de moda ou revistas para se inspirar. Eles estão cheios de ideias. Além do color block o branco também vai estar super em alta. Looks em branco total vão ser a cara do verão. O floral á é um clássico e continua. CA - O que deve ser combinado nesta estação (peças,cores,etc)?

LC - A moda está mais democrática. Tudo pode. As variações de peças, cores, padronagens e formas são inúmeras. Só vai depender mesmo é do gosto da pessoa - e, sempre, do bom senso. Nunca misturar duas tendências em um só look. Tem que buscar o equilíbrio e saber que menos é sempre mais.

A jornalista Luciana Campos sugere diversas peças e padronagens para a estação

CA - Em relação à cabelo e maquiagem,o que está caindo bem neste ano?

LC - Se você me perguntar itens indispensáveis para um bom make de verão eu diria que é um batom coral e o iluminador. O batom dá uma cara atual e o iluminador faz brilhar, sem exageros. Para o cabelo, os coques continuam com tudo; desde os maia arrumadinhos até os com jeito de despenteados. CA - Há uma tendência específica para os pés?

LC – Sim, as espadrilles. Elas serão os sapatos do verão. Espadrilles são aqueles sapatos com o solado feito de corda (ou com uma borracha moldada pra parecer corda). Apesar desse nome afrancesado, elas são uma invenção espanhola vindas da Cataluña, no século XIV. Originalmente esses sapatitos são feitos em algodão, mas hoje a Gerente de Marketing :Andreia Barandas Editor : Carlos Peixoto Repórter:Tadzio Yuri Atendimento aos assinantes: Halicene Dantas,Alexsandra Borges e Cibelle Ribeiro

gente encontra em mil versões: vários tipos de tecidos, couro, couro metalizado… Mas se tem solado de corda, a gente continua chamando de espadrille. E elas são sempre bem ‘veranescas’, combinam super com vestidões soltos, shortinhos e saias. Alguns modelos são só de “enfiar o pé” e outros de amarrar no tornozelo. Tem plataforma, anabela e rasteirinha. Meio que pra todos os gostos. CA - O que não pode usar de jeito nenhum?

LC - Roupa preta durante o dia. Não combina com a luz da primavera. CA - É possível manter a elegância numa estação que exige mais despojamento? Como?

LC - Claro que sim. Elegância não tem a ver com rigidez ao vestir, mas sim em coordenar bem as peças. End.:Av.Duque de Caxias,106,Ribeira CEP:59010-200. Fone:4006-6100 R-6261-6262 E-mail:clube@tribunadonorte.com.br Fax:4006-6121 www.tribunadonorte.com.br/clubeassinante.php


clube do assinante

Domingo | 28 de agosto de 2011

Diversão Lazer

» BIG BLUE PARQUE AQUÁTICO

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

3

Um salão de belezas ALDAIR DANTAS

Av.Brigadeiro Paulo Salema s/n,Praia de Búzios Tel.(84) 3239-2118 Desc.: 20% à vista na entrada do parque,limite de até 05 pessoas por assinante.

» DANNY'S PARK Av.Senador Salgado Filho,2233 Lagoa Nova–Shopping Via Direta Tel.:3206-1000 Av.Dr.João Medeiros Filho,2300 Loja 07 Potengi–Shopping Estação Tel.:3614-3710 Promoção:Compre R$20,00 em créditos e ganhe mais R$25,00 em bônus para brincar a vontade de domingo a domingo. Bônus válido para máquinas de vídeo game simuladores,brinquedos coletivos e Kid Raidem (para participar o assinante terá que adquirir o cartão do Park no valor de R$1,00).www.dannyspark.com.br » DUNNAS BOLICHE Av.Dos Ipês,2685 Neópolis Tel.:3207-6924 Desc.:20% à vista ou 10% a prazo nos jogos de boliche (não inclui alimentação e jogos eletrônicos). www.dunnasboliche.com.br » MA-NOA PARK Av.Ponta dos Anéis,s/n Praia de Maracajaú Município de Maxaranguape/RN Tel.:(84) 3211-2140.Desc.:20% à vista ou a prazo na entrada do parque,na aquisição do passaporte Classic Ma-Noa Park e passeio nos parrachos.Respectivamente no máximo de 5 (cinco) pessoas,(titular + 4 dependentes). » MARINA BADAUÊ Av.Deputado Márcio Marinho,s/n Praia de Pirangi do Norte/RN Tel.:(84) 3238-2066 Desc.:50% à vista na entrada inteira para os passeios de barco (Assinante + 4 pessoas). Crianças até 5 anos não pagam e de 6 a 11 anos pagam meia entrada.Reservas antecipadas. » TAVERNA PUB MEDIEVAL BAR Rua Dr.Manoel Augusto Bezerra de Araújo,500 Ponta Negra Tel.:3236-3696 Desc.:60% à vista (dinheiro) na entrada do Pub em festas normais e 20% à vista na entrada de festas especiais e nacionais.

Educação Cursos de Idiomas

» CNA INGLÊS DEFINITIVO Unidade I:Av.Hermes da Fonseca,1168 Tirol Tel.:3222.4395 Unidade II:R.Leôncio Etelvino de Medeiros, 2835 Mirassol Tel.:3207-8468 Unidade III:Av.Senador João Câmara,134 Centro-Parnamirim/RN Tel.:3645-5062 Desc.:20% à vista ou 15% a prazo nas mensalidades dos cursos de espanhol ou inglês. www.cna.com.br/parnamirim » ESCOLAS FISK Unidade I:Rua Mipibu,365 Petrópolis

Serviço mais visado do salão é o dos trabalhos capilares, com vários estilos de corte, coloração e tratamentos

ma aparência boa, leve e harmônica tem tudo a ver com a primavera. O salão de beleza Shop Hair tem um visual para todas as estações, já que trabalha há dez anos com procedimentos estéticos dos pés à cabeça de sua clientela. A casa conta com vários procedimentos modernos para os cabelos, pés e mãos, e também massagens que relaxam e embelezam. O setor mais visado da casa é, claro, a cadeira do cabeleireiro. Há cortes masculinos e femininos, tratamentos variados (hidratação, cauterização e selagem), coloração, mechas, escovas, e megahair. Estão em alta no momento, segundo a gerente Débora Maia, as mechas ‘ombre hair’ (ou californianas) e os tratamentos à base de óleo argan, uma base natural que recupe-

U

Tel.:3222.7114 Unidade II:Shopping Via Direta,Mirassol Tel.:3206-2711.Desc.:25% à vista ou 20% a prazo nas parcelas dos cursos de inglês e espanhol e promoções para os cursos de informática. Informamos que estamos com novas turmas.

Shop Hair trabalha há dez anos com procedimentos estéticos para várias ocasiões: cabelos,pés,mãos,além de massagens que aliviam e reduzem medidas ra a cutícula capilar. Em termo de visual, as mulheres estão procurando cabelos mais cacheados e ondulados. “Parece que elas se cansaram da ditadura dos lisos e agora querem os cachos de volta”, brinca Débora. Sejam curtos ou compridos, os cabelos devem ter ondas e parecerem os mais naturais possíveis, segundo a gerente. O tom louro ainda prevalece – em parte devido ao sucesso das mechas californianas, que exigem raiz es-

Tel.:3222.7923.Desc.:45% à vista ou 45% a prazo nas mensalidades dos cursos de Inglês e Espanhol.

Shop Hair Av.Senador Salgado Filho,3684,Candelária (ao lado do Natal Shopping).Tel.:3231-1701

à vista ou 10% a prazo na hidratação comum,coloração Matrix e mechas.Nos demais serviços 10% à vista (exceto estética).

20%

Unidade 02:Av.Ayrton Senna,1501- Fm Empresarial,Nova Parnamirim, Tel.:3208-0111 Desc.: 20% à vista ou 10% a prazo nos cursos das academias da IT Cursos.

Cursos Profissionalizantes

» IT CURSOS » WORD STATION Av.Deodoro da Fonseca,740 Cidade Alta

cura e pontas claras. Entre os demais procedimentos estéticos do Shop Hair, estão o spa dos pés e mãos; o Dia das Noivas; limpeza de pele, clareamento e peeling; maquiagem (para bailes, formaturas, casamentos, e baladas); e a drenagem linfática através de massagens manuais, que atua como redutor de medidas e também relaxa ao melhorar a circulação sanguínea.

Unidade 01:Rua:Joaquim Holanda,1825 (Acesso Av.Miguel Castro),Lagoa Nova, Tel.:3222-4866

» MICROLINS Av.Ayrton Senna,1970 Neópolis Tel.:3207-3727 Desc.:35% à vista ou a prazo em todos os cursos, exceto nos cursos Vip.


4

clube do assinante

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Domingo | 28 de agosto de 2011

Preparatório para Concursos

FOTOS:ALDAIR DANTAS

» PREMIUM CONCURSOS Av.Senador Salgado Filho,2981 Potilândia Tel.:3234-9923.Desc.:20% à vista ou a prazo nos cursos regulares preparatórios para concursos.

Gastronomia Alimentos Dietéticos

» NUTRE SAÚDE CENTER Rua Ataúlfo Alves,1889 Candelária Tel.:3231.5429 Desc.:10% à vista nos produtos e pratos do dia (alimentação light e diet). Bares e Restaurantes

» CONFRARIA DAS MASSAS Rua:Valter Fernandes,1846,Loja 1,Capim Macio (Ao lado do estacionamento do Favorito) Tel.:3642-1538.Desc.:20% à vista (dinheiro) em todos os itens do cardápio. » MARIPOSA – CREPES E SALADAS Rua:Assú,707,Tiro l Tel.:3611-9227 Desc.:10% à vista (dinheiro) em todo o cardápio, exceto bebidas. » MERCEARIA SANDUÍCHES Rua:Lima e Silva,1549,Lagoa Nova Tel.:3615-6200 Desc.:10% (dinheiro e cartão débito ou crédito) em todo o cardápio,exceto promoções.

» Ó PAI Ó – CULINÁRIA BAIANA Rua:Fernando Barreto,1443,Lagoa Nova Tel.:3234-4250.Desc.:10% à vista (dinheiro) em todo o cardápio,exceto bebidas.

» RESTAURANTE BARRA MARES Av.Cotovelo s/n,Praia de Cotovelo Parnamirim/RN Tel.:3237-2164. Desc.:10% à vista em todo o cardápio. (O desconto é válido havendo consumação de no mínimo uma refeição). » RESTAURANTE COISAS DA ROÇA BR 304,Km 287 Reta Tabajara Macaíba/RN Tel.:3271-3349/ 9985-8307 Desc.:10% à vista (dinheiro) em todo o cardápio. Chocolates

» ANA & CLÁUDIA DOCES

Clássico, casual e street: On Line tem um pouco de tudo para atender o vestuário do homem moderno de todas as idades

Moda esporte e fina homem de hoje entra numa loja de roupas já sabendo o que quer levar – mesmo que a esposa ou namorada ao lado sempre dê aquela ajudinha. É assim que a loja On Line For Man vê a sua clientela masculina em 15 anos de mercado. A empresa conta com fábrica própria, e trabalha uma grande diversidade de opções no segmento de moda casual e esporte fino para eles. Do boné à gravata, tem um pouco de tudo para deixar os homens bem vestidos em qualquer fase da estação. “Percebemos que o homem foi ficando mais exigente em termos de moda. Ele continua querendo conforto na roupa, mas sem abrir mão do estilo”, analisa a estilista e proprietária Ana Paula Cachina. A loja atende um público de perfil que vai, na maioria, dos 15 aos 40 anos de idade. Há uma pequena parcela de op-

O

On Line for Man conta com fábrica própria ,e é uma grife voltada para a moda no segmento casual e esporte fino para vários momentos ções para mulheres (blusas babylook com gola pólo) e crianças (roupas iguais às dos pais). E acessórios para todas as ocasiões. O segmento de camisaria e camiseta é o mais eclético da loja. Há várias tendências, segundo Ana Paula, como a malha ‘silk’ (com pinturas), flamé (mais leve e fria, com tons de pele) e botoné. No geral, o homem deseja um tecido leve e prático, que não precisa ficar engomando. A partir daí há opções diversas, entre camisas sociais de mangas curtas ou compridas, camisetas de golas redonda, em vê, ou pólo diferenciadas. Há lisas,

estampadas, listradas, e a tendência mais forte da estação, o xadrez. Cores: preto, branco, cereja e salmão. O clássico, o casual e o ‘street’ também se encontram em outras peças. As calças jeans, sejam corte reto ou skinny, estão com lavagens de tons mais claros; já as calças sociais em brim, são encontradas nas cores preta, branca e bege. As bermudas em estilos variados, estão em brim (xadrez), jeans, e tactel (floral ou lisa). Para calçar, há sandálias de couro, sapatênis e sapatos sociais (bico intermediário, nem fino, nem quadrado), nas cores preta e marrom. As gravatas entram pra compôr o look esporte fino, não há paletós na On Line. On Line For Man Shopping Via Direta,loja 429,Mirassol.Tel.:3234-0564.

20%

à vista em toda a loja.

Rua Praia de Pirangi,2302 Ponta Negra Tel.:30827515. Desc.:10% à vista (dinheiro) em todos os serviços.

» SHOWCOFRUTAS Av .Engenheiro Roberto Freire,8790 Praia Shopping–Ponta Negra. Tel.:9481-6183/ 8893.1366 Desc.:10% à vista (dinheiro) em todo o cardápio. Delicatessen

» MAGAZZINO VINHOS E COZINHA Rua Potengi,576 Petrópolis Tel.:3212.1477 Desc.:10% à vista nos vinhos,chocolates e bacalhau.

Óticas » ÓTICA MÁSTER Av.Cel.Joaquim Manoel,615 Loja 02 B-Ed.Harmony Medical Center Petrópolis Tel.:3202-1084 Desc.:20% à vista (dinheiro) ou 15% a prazo em toda a loja.Parcelamento no cartão em até 10x sem juros.Desconto não cumulativo com nenhuma outra promoção.

Presentes e decoração » ALÔ AMERICA SHOW CASE Av.Rodrigues Alves,930,Loja 11 Espaço América Petrópolis Tel.:3211-2343. Desc.:20% à vista em toda a loja. » ARTE FINAL Av.Afonso Pena,703 Tirol Tel.:3211-5661 Desc.:20% à vista ou 10% a prazo em todos os produtos.

» MOEDA DE OURO Loja 01:Rua Leonel Leite,1429 Alecrim Tel.:3344.3194 Loja;02 Av.Presidente Bandeira,576,Alecrim Tel.:3613.2744 Loja:03 Rua:Presidente José Bento,496,Alecrim Tel.: 3213.0503.Desc.:20% à vista (dinheiro) ou 10% a prazo em toda a loja,exceto produtos em promoção. » MOLDURA MINUTO Av.Engenheiro Roberto Freire,2920 Shopping Cidade Jardim – Loja 49 Capim Macio


clube do assinante

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Sintonia de primavera eve, solta e florida: assim está a coleção em sintonia com as vibrações da primavera na vitrine da Vestale Colection, a loja de multimarcas que há seis anos trabalha um estilo que mulheres e homens da cidade possa vestir com conforto e estilo. “A estação das flores é uma das que mais traz roupas bonitas para as mulheres. A coleção de 2011 está especialmente linda”, afirma a proprietária Tayse Medeiros. O segmento feminino está caprichado na estamparia colorida e florida. Tayse destaca as saias e vestidos longos, as blusas, os coletes com rendas, e as cores quentes, como vermelho, laranja, azul e verde limão. Também estão de volta co-

L

Vestale Colection é uma loja de multimarcas que há seis anos trabalha um estilo de vestir que leva conforto e estilo para homens e mulheres antenados com moda mo tendência as calças pantalona e o macacão. Mais primaveril, impossível. Por outro lado, ainda sai muito a calça skinny, além das versões coloridas (rosa, azul, amarela). Para os homens há menos flores nas estampas, mas não deixa de haver muita cor e estilo – seja esporte ou social. As camisetas estão em vários estilos, em golas careca, vê ou pólo, em cor única ou com listras (ainda

na moda), em gola vê e manga longa, da regata à manga comprida, tem de tudo. Para vestir, as calças jeans com stretch garantem o bom caimento. Continuam em alta as bermudas xadrez. A parte de acessórios também é variada e eclética, incluindo carteiras, óculos de sol, bijuterias, perfumaria, e cintos – e até eles não escaparam das cores da primavera. Há cintos, finos ou largos, nas cores azul, verde, bege, salmão e verde. Vestale Colection Av.Prudente de Morais, 2936, loja 07, shopping Unicenter, Lagoa Seca.Tel.:3223-5002.

20%

à vista ou 5% a prazo em toda a loja.

5

Av.Prudente de Morais,1836 Tirol Tel.:32013678. Desc.: 20% à vista em todos os serviços. Consertos e Ajustes

» SAPATARIA DO FUTURO Loja I:Av.Senador Salgado Filho,2190 Loja 01 Portugal Center Tel.:3234-1995 Loja II:Shopping Cidade Jardim,Loja 20 Tel.: 3217-7527.Desc.:20% à vista em todos os produtos e serviços (Limpeza e consertos de sapatos,tênis,bolsas,cintos,ajustes em roupas, bainhas,etc.) Floriculturas e Paisagismo

» ART PLANTAS Av.Ayrton Senna,s/n Nova Parnamirim (Próximo ao Colégio Salesiano Dom Bosco) Tel.:3608-4736.Desc.:20% à vista ou 10% a prazo em toda a loja.

nova » CEIÇA FLORES Av.Eng.Roberto Freire,2895 Nordestão Cidade Jardim Tel.:3217-2755.Desc.:20% à vista (dinheiro) em toda loja (não inclui entrega em domicílio).

» ESTÂNCIA FLORICULTURA Av.Campos Sales,465 Petrópolis Tel.:32011705/ 9987-8706.Desc.:20% à vista em toda loja (não inclui entrega em domicílio). » GIRASSOL FLORES E JARDINS Av.Rui Barbosa,13 Morro Branco Tel.:3211-0660 Av Eng Roberto Freire,3039 Capim Macio Tel.: 3217-6278.Desc.:20% à vista nas flores naturais. Fotografia, Filmagem e Acessórios

» FAFÁ NOBRE STUDIO R.Inconfidentes,4778 Conjunto Pirangi II etapa Tel.:3217-3804/9981-5640 Desc.:20% à vista no poster infantil,book infantil e book para grávidas. www.fafanobre.com.br » ITALY COLOR R.Cel.Milton Freire,2865,Lj.06,Cidade Jardim, Por trás do Nordestão do Cidade Jardim Tel.:3217-9098.Desc.:15% à vista nos serviços fotográficos e 10% à vista nos produtos. Lavanderias

O segmento feminino está caprichando na estamparia colorida e florida, enquanto homens têm mais opções em camisas

Tel.:3207-2235.Desc.: 20% à vista (dinheiro) em quadros da vitrine,15% à vista (dinheiro) em serviços de emolduramento e 10% a prazo em até 6x no cartão,parcela mínima de R$50,00.Desconto não cumulativo com nenhuma outra promoção.

» SONHO DE PAPEL R.Industrial João Mota,1556 Capim Macio Tel.:9992-4900/ 8862-2969 Desc.: 20% à vista nas embalagens artesanais, cartões e caixas de mensagens.

» SONHO MEU PRESENTES Av.Hermes da Fonseca,620 Tirol Tel.3201.1933 Desc.:20% à vista(dinheiro,cheque ou cartão) na confecção de colchas de cama e cortinas (mão-de-obra).

Produtos e serviços

4450. Desc.:20% à vista (dinheiro) nas cestas de café da manhã.

» GM SOM E HOMENAGENS Rua Jandira,809 Bairro Nordeste Tel.:36541088/3082-0029.Desc.:20% à vista (dinheiro) em todos os produtos e serviços.

Cestas, Presentes e Homenagens ao Vivo

Decoração de Festas

» BREAKFAST SABOR DE CARINHO Av.Paulistana,2113 Panatis 1 Tel.:3214-3521/9987-

» IDEARTE Av.Jaguarari ,1815,Lagoa Nova Tel.:3213-8245

» LAVANDERIA PRIMAVERA Av.Rui Barbosa,28 Morro Branco Tel.:32229697.R.Princesa Isabel,821 Centro Tel.:3222-6513 Av.Jaguarari,5085 Lagoa Nova Tel.:3606-0827 Desc.:20% à vista na lavagem a seco e lavagens especiais (cortinas,estofados, tapetes) e revitalização de artigos em couro. Delivery grátis a partir de R$80,00.Desconto válido em todos os pontos de atendimento. Papelaria e Livrarias

» RELLICARIUM – PAPELARIA E PRESENTES Av.Afonso Pena,628 Loja 5 Petrópolis Tel.:3211-2300.Desc.:20% à vista ou 10% a prazo em toda a loja.


6

clube do assinante

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

»UNIVERSITÁRIA PAPELARIA Av.Rio Branco,590,Cidade Alta Tel.:3211.2727 Desc.:15% à vista em toda a loja.

Roupas, bolsas & acessórios

Domingo | 28 de agosto de 2011

Os cheiros da estação ALDAIR DANTAS

Bijuterias e Acessórios

»ITALY PRATA Av.Eng° Roberto Freire,8790,Praia Shopping, Loja C-06,Ponta Negra Tel.:3219-2180 Desc.:20% à vista (dinheiro) ou 10% à Prazo em toda a loja (exceto promoções).

»TIÊ BIJUTERIAS E PRESENTES Shopping Via Direta,Loja 892,Mirassol Tel.:3206-3850 Norte Shopping,Loja 220,Potengi Tel.:3674-8450 Shopping Cidade Jardim – Tel:3217.9850 Desc.:20% à vista (dinheiro ou vencimento cartão) em toda a loja. Bolsas, Calçados e Acessórios

»BAGAGERIE – BOLSAS,MALAS E ACESSÓRIOS Midway Mall loja 144 A 1º piso,Tirol Tel.:3646-3515 Natal Shopping loja 113,Candelária Tel.:3206-8109 Desc.:20% à vista (dinheiro) nas linhas escolares infantis (exceto produtos em promoção).

»LE POSTICHE Midway Mall lojas 272/272 A 1º piso,Tirol Tel.:3646-3240.Desc.:20% à vista (dinheiro) nas linhas escolares infantis (exceto produtos em promoção). Moda Feminina

nova BÁSICA MODA FEMININA R. Anibal Brandão, Galeria Tânia Pereira, Loja 361D, Nova Parnamirim (Na lateral do Salesiano Dom Bosco) Tel.: 3208-4091. Desc.: 20% à vista (dinheiro) em toda a loja, exceto promoções.

»DUETO MODA FEMININA Av.Jaguarari 1875,Jaguarari Center Loja 13 Lagoa Nova Tel.:3213-2306 Desc.:20% à vista ou 10% a prazo em toda a loja.

»MALUG ROUPAS E ACESSÓRIOS Av Romualdo Galvão,2100 Loja 06 Lagoa Nova Tel.:3206-4804.Desc.:20% à vista (dinheiro) ou 10% a prazo em toda a loja.

»ROSA CHIC Av.Eng.Roberto Freire,8790 Praia Shopping Loja G 04 Tel.:3219-0443 Desc.:20% à vista em toda a loja,exceto nos calçados da coleção Time Code.Desconto não cumulativo com nenhuma outra promoção.

»ZULLYS Av.Amintas Barros,2909 Loja 02 Lagoa Nova Tel.:3606-0343.Desc.:20% à vista (dinheiro) ou 10% a prazo a toda a loja. Moda Masculina

»O GORDO - TAMANHOS ESPECIAIS Shopping Via Direta,loja 217 Mirassol Tel.:32343547.Desc.:20% à vista (dinheiro) em toda a loja.

Os produtos aromáticos da Fênix estão na forma de incensos, sprays, velas e óleos essenciais, junto aos famosos florais

s cores e os cheiros da estação fazem bem de várias formas. A aromaterapia utiliza de flores, ervas e demais vegetais da natureza para beneficiar a saúde. A Fênix Aromas trouxe esse conceito para Natal há quase 10 anos, e continua mantendo sua linha de essências especiais sob a forma de incensos, sprays, velas e óleos essenciais, além das opções diferenciadas de presentes. Os chamados ‘florais de Saint Germain’ são os produtos mais procurados, afirma Simone Brasil, nova administradora da loja desde dezembro do ano passado. Os florais têm uso oral, sendo usados para vários fins, como combater insônia, estresse, depressão, nervosismo, efeitos da menopausa, TPM, e trazer ânimo, prosperidade e proteção.

A

nova ON-LINE FOR MEN Shopping Via Direta, loja 429 Mirassol Tel.: 3234-0564. Desc.: 20% à vista (dinheiro ou vencimento do cartão) em toda a loja, exceto promoções.

»PIRINEUS Shopping Via Direta,loja 209 Mirassol Tel.:3206-2303 Desc.:20% à vista (dinheiro) em toda a loja. »SCHALK Rua:Trairi,654,Loja 01,Petrópolis Tel.:3212-1123

A Fênix Aromas trouxe o conceito da aromaterapia para Natal,mantendo suas essências especiais ao lado de artigos esotéricos A Fênix é a distribuidora oficial dos florais no estado. O catálogo de aromas nos produtos da Fênix tem mais de 50 variedades, circulando entre absinto, hortelã, cravo-daíndia, canela, lavanda, entre outros, cada qual com uma propriedade. Os aromatizadores, por exemplo, podem ser aplicados em ambientes, roupas, lençóis e toalhas. Assim como óleos e velas aromáticas, loções hidratantes, sabonetes esfolian-

Av.Amintas Barros,2372,Loja 02 Lagoa Nova Tel.:3206-9439 Av.Eng° Roberto Freire,2920,Shopping Cidade Jardim,Loja 31,Capim Macio Tel.:3217-3521 Av.Dr° João Medeiros Filho,2395,Norte Shopping,Loja 214,Potengi Tel.:3214-5358 Av.Piloto Pereira Tim,2756,Loja 03,Monte Castelo/ Parnamirim Tel.:3272-0087 Desc.:20% à vista (dinheiro) em toda a loja. Moda Unissex

»GARAGEM 303 Av.Deodoro,303 Petrópolis Tel.:8821-1322

tes e óleos corporais. A loja tem uma série de artigos relacionados ao seu estilo ‘zen’, como objetos de cromoterapia, feng-shui, leques, massageadores, fontes, livros, CDs e mandalas. Segundo Simone Brasil, a Fênix também atua no preparo e manipulação das fórmulas, seguindo indicações de terapeutas ou com as próprias indicações. “Nossa clientela se interessa em vida saudável e auto-conhecimento, são pessoas de postura zen”, conclui.

Fênix Aromas Av. Engenheiro Roberto freire, 2925, Capim Macio. Tel.:3207-3600.

20%

à vista ou 10% a prazo em toda a loja,exceto florais e chás.

Desc.:20% à vista ou 10% a prazo em toda a loja,exceto produtos em promoção.

»TISSAGE – MODA MASCULINA E FEMININA Av.Sen.Salgado Filho,2190 Portugal Center Loja 11,Lagoa Nova.Tel.:3234-5017. Desc.:20% à vista (dinheiro ou débito) em toda a loja. »VESTALE COLECTION Av.Prudente de Morais,2936 Loja 07 Shopping Unicenter .Lagoa Seca Tel.:3223-5002.Desc.:20% à vista ou 5% a prazo em toda a loja.


20110828_CLB07.qxd

26/8/2011

18:50

Page 1

clube do assinante

Domingo | 28 de agosto de 2011

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Moda Praia Unissex

7

ADRIANO ABREU

»FIO A FIO Loja 1:Av.Engenheiro Roberto Freire,2920 Shopping Cidade Jardim,Loja 27 Capim Macio Tel.:3217-7966 Loja 2:Av.Engenheiro Roberto Freire,8790 Praia Shopping,Loja G8,Ponta Negra Tel.:3236-3123 Loja 3:Av.Bernardo Vieira,3775,Tirol Midway Mall,Loja 323,2° Piso Tel.:3646-3050 Desc.:20% à vista em toda a loja,(Exceto promoção.) »ROMANCE BRAZIL Loja 1:Av.Bernardo Vieira,3775,Tirol Midway Mall,Lj.152-L1°Piso Tel.:3646-3003 Loja 2:Av.Engenheiro Roberto Freire,8790 Praia Shopping,Loja C-09,Ponta Negra Tel.:3219-2917 Desc.:20% à vista (dinheiro) em toda a loja, (Exceto promoções).

Saúde Academias e Clubes

»AABB – NATAL Av.Hermes da Fonseca,1017 Tirol Tel.:3211-4412 Desc.: 20% à vista na adesão para sócio e nas mensalidades das seguintes atividades esportivas (para assinantes não sócios): basquete,dança,futebol,futsal,ginástica, handball,hidroginástica,karatê,musculação, natação,tênis,voleibol. »AGEM ACADEMIA R.Conselheiro Lafayete ,2837 Conj.Pirangi 1ª Etapa Neópolis. Tel.:3217.5586 Desc.:20% à vista (dinheiro) em uma das modalidades - ginástica aéro-local, Musculação,jump e spinning »ACADEMIA DE KUNG FU SHAO LIN R.Luzia Bezerra,244 Rosa dos Ventos Parnamirim Tel.:9153-5515/ 8809-5296 Desc.:20% à vista nas três primeiras mensalidades e isenção da taxa de matrícula (kung fu tradicional,boxe chinês e Shuai Shiao). »AERO FOOTBALL CENTER Av.Hermes da Fonseca,1400 Tirol Tel.:3221.1408 Desc.: 25% à vista na escolinha de futebol e 10% à vista na locação de quadras e no futebol para executivos. »TUAREG – Kasa do Oriente (Dança do Ventre) R.Praia de Alagamar,2170 Ponta Negra Tel.: 3219-0029.Desc.:20% à vista nas aulas da dança do ventre.

O tema da grife para a estação é “Vejo Flores em Você”,com grande variedade entre vestidos,blusas e calças para ela

Fashion para o cotidiano U

m visual para todas as horas. Investindo há sete anos numa moda feita para o dia a dia, mas sem abrir mão do estilo, a Básica Moda Feminina procura fazer jus ao seu nome. A marca também é uma empresa que fabrica seu próprio material e tem seu modo de pensar moda. A estilista Jaína Bezerra também é uma das proprietárias da grife, e afirma que a Básica faz roupas “atemporais”, que podem ser usadas em qualquer ocasião. “A Básica pensa em moda para o cotidiano, não há preocupação em ser conceitual, apenas que seja uma roupa bonita e caia bem em quem está vestindo”, afirma Jaína. Apesar de não se prender a tendências, a loja respeita as influências da es-

Artigos Terapêuticos

»TUTUBARÃO Av.Nascimento de Castro,954,Dix-Sept Rosado Tel.: 3223-5594/ 3223-5599.Desc.:20% à vista (dinheiro).Com 1 mensalidade o cliente pode fazer as 4 (quatro) modalidades:natação, hidroginástica,musculação e ginástica.Exceto fisioterapia e hidroterapia.

»FÊNIX AROMAS

»VOLLEY CLUB Av.Nascimento de Castro,1024 Lagoa Nova Tel.: 3231-1054.Desc.:20% à vista ou a prazo nas mensalidades das aulas de voleibol.

(Aromaterapia,Florais Saint Germain e Artigos Fitoterápicos) Av.Engº Roberto Freire,2925 Capim Macio Tel.3207-3600.Desc.: 20% à vista ou 10% a prazo em toda a loja,exceto florais e chás.

nova MAKTUB Shopping Via Direta,Loja 824 Mirassol Tel.32341897.Desc.: 20% à vista ou 10% a prazo em toda a loja.

Básica Moda Feminina é uma empresa de marca própria,e que visa o vestuário da mulher para qualquer ocasião

tação. A coleção do momento tem como tema “Vejo Flores em Você”, mencionando o estilo alegre, colorido, leve e solto da primavera. O fato de Natal não ter as estações bem definidas, com sol e calor dominantes, facilita o estilo da loja. A Básica trabalha com várias opções em vestidos, blusas e calças. Peças com bordados e apliques estão bem em evidência e dando um toque diferenciado às roupas.

Cabeleireiros

»FRANK CENTRO DE BELEZA

Os vestidos estão floridos, longos e ao estilo ‘tomara-que-caia’. As blusas estão amplas, soltas e confortáveis. No território das calças, a Básica não trabalha com jeans. São calças de tecido ao estilo alfaiataria ou em malha; há desde cortes tradicionais até a modelagem ‘saruel’. Peças confortáveis são prioridades na casa. Saias longas e coloridas também estão em alta. As cores variam entre azul, lilás, rosa e tons pastéis. Cores leves, primaveris, e ao mesmo tempo básicas. Básica Moda Feminina

Rua Anibal Brandão,Galeria Tânia Pereira,loja 361D, Nova Parnamirim.Tel.:3208-4091.

20%

à vista (dinheiro) em toda loja, exceto promoções.

lado do Natal Shopping) Tel.:3231-1701 Desc.:20% à vista ou 10% a prazo na hidratação comum,coloração Matrix e mechas.Nos demais serviços 10% à vista (exceto estética).

Av.Romualdo Galvão 779,Tirol Tel.:3211-1134 Desc.:20% à vista na cauterização,manicure, pedicure,depilação e escova.

Clínicas de Fisioterapia Respiratória

»ROUGE COIFFEUR

»FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA PEDIÁTRICA

Rua Seridó,471 Petrópolis Tel.:3222-9946 Desc.: 20% à vista no tratamento da loreal, escova e pedicure.

Rua Tomaz Matias II,156 Nova Parnamirim Parnamirim/ RN Tel.:3608.0596 / 8816.2989 Desc.:20% à vista (dinheiro) nas sessões realizadas.Atendimento 24H de domingo a domingo e por hora marcada.

»SHOP HAIR Av.Senador Salgado Filho,3684 Candelária (ao


clube do assinante 8 Domingo | 28 de agosto de 2011 Natal • Rio Grande do Norte

Clínicas Terapêuticas

»CIRP – CENTRO INTEGRADO DE REEDUCAÇÃO POSTURAL Rua Coronel Costa Pinheiro,1522,Tirol Tel.: 3211.6016.Desc.: 20% à vista nas sessões de pilates para reabilitação e fitness,RPG, osteopatia,terapia manual,fisioterapia dermato-funcional,reabilitação cardíaca e pulmonar e fisioterapia para gestantes.

Presentes que brilham ALBERTO LEANDRO

»CLÍNICA MÁRCIA ORTIZ (ATIVIDADES AQUÁTICAS E PSICOCORPORAIS) Av.Passeio dos Girassóis,2562 Mirassol Tel.:3231.1727 /9481.2979.Desc.:20% à vista em todos os serviços,incluindo a avaliação. Desconto válido para alunos novatos e em um contrato mínimo de 03 meses. www.marciaortiz.com.br »ESPAÇO CORPOMENTE Rua Mipibu,338 Petrópolis Tel.:3221-5502 Desc.:20% à vista nas terapias.Yoga, massoterapia oriental (shiatsu,ayurvedica,etc), psicoterapia corporal em biossíntese,terapias da respiração,hidroterapia,relaxamento e meditação,drenagem linfática manual, fisioterapia,bamboterapia,programa de combate a celulite e aumento do tonos musculares e pilatos (com e sem aparelhos). Depilação, Estética e Beleza

»CLINOPÉ Rua Romualdo Galvão,2189,Lagoa Nova Tel.: 3234-1703.Desc.:20% à vista (dinheiro) Nos serviços de Podologia. »REVITALLE BELEZA ,ESTÉTICA E SAÚDE Av.Prudente de Morais,6332 Candelária Tel.:3206.3280.Desc.:20% à vista (dinheiro) em todos os serviços. »ROSE ESTÉTICA Av.Prudente de Morais,3857 Loja 22 Shopping Natal Sul-Lagoa Nova Tel.:3234-1996 Desc.:20% à vista em todos os serviços (massagem,peeling,depilação,banho de lua, coloração,corte,escovas (vários tipos), manicure,pedicure e etc). »SPA PRATAGY E SALÃO FINA FLOR Av.Senador Dinarte Mariz,4077,Via CosteiraParque das Dunas Tel.:4005-0505 Desc.:20% à vista (dinheiro) em todos os serviços do salão e SPA (massagem – tratamento corporal e facial,manicure e pedicure,depilação,corte,escova,penteado, maquiagem e química). Estamparia e Bordados

»STAMP SERVICE ShoppingVia Direta,loja 254 MirassolTel.:3231-1050 Desc.:20% à vista (dinheiro) em todos os serviços.

As bijuterias da Tiê acompanham as tendências da estação, entre colares, pulseiras, braceletes, e acessórios para cabelo

s cores da estação também refletem – literalmente – no segmento de acessórios femininos. É o que pode ser visto e usado na Tiê Bijuterias e Presentes, loja que há vinte anos trabalha as tendências existentes entre brincos, pulseiras e colares, peças tão visadas entre as mulheres. A nova coleção da primavera já pode ser vista nas vitrines da casa. “Como não poderia deixar de ser, as peças estão coloridas e alegres, como manda o figurino”, afirma a proprietária Maria Auxiliadora Dantas. Os brincos estão com muitas pedras e cores; junto ao dourado, muitos elementos nas cores verde, azul e laranja, ao lado do branco. Os brincos estão do tamanho médio e grande, conforme o gosto do momento. Os colares podem ser curtos ou com-

A

Perfumaria, Cosméticos e Drogarias

»SOLUI FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO Rua Apodi,559 Tirol Tel.:3222-1900/3222-1901 Desc.:20% à vista(dinheiro ou cheque) na manipulação de fórmulas (ou produtos manipulados) »YES COSMÉTICS – ALECRIM Av.Coronel Estevam,1141,Alecrim Tel.:3211-6216 Desc.:30% à vista ou 10% a prazo nas deocolônias,cosméticos e maquiagens.(exceto para revendedoras).

Tiê Bijuterias e Presentes está há 20 anos no mercado,trabalhando toda uma variedade de acessórios,de brincos a echarpes pridos (os favoritos do momento) com várias voltas, e pingentes florais. Os braceletes estão em alta, podendo ser de couro ou metal. Os cintos também estão obtendo destaque, marcando bastante a cintura, fino ou largo, trançados, e sendo usados por cima das blusas e camisas. A Tiê ainda vende bastante as tiaras para cabelo, adornadas com flores e laços. As echarpes – levinhas para nos-

Veículos Acessórios para Carros

»DOM CAR PEÇAS & SERVIÇOS Av.Alexandrino de Alencar,1112 Lagoa Seca Tel.:3211.7501/3222.8611 Desc.:15% à vista nas peças. Troca de Óleo, Lava Jato e Revitalização de Pintura

so clima – completam o visual. Uma das opções da casa anda fazendo bastante sucesso no momento, segundo Maria Auxiliadora, não é do segmento de bijuterias. “Nossas canecas personalizadas são itens de presente que as pessoas estão adorando dar. Tem mensagens para amigos, pais, avós, irmãos, e casais”, afirma. Há ainda porta-retratos personalizados, e até opções de maquiagem. Tiê Bijuterias e Presentes Shopping Via Direta, loja 892, Mirassol.Tel.: 32063850/Norte Shopping,loja 220,Potengi.Tel.:36748450/Shopping Cidade Jardim.Tel.:3217-9850.

20%

à vista em toda a loja.

»CAR SERVICE J.MARQUES Loja 01:Av.Presidente Bandeira, 975 Lagoa Seca Tel.:3223-6338/9980-3535 Desc.:15% à vista (dinheiro) Na troca de óleo,lava jato e polimentos,(exceto promoções). Loja 02:Estacionamento do Hiper Bompreço Cidade Jardim Tel.:3207-1305/ 8855-1961.Desc.:15% à vista Lavagem Ecológica (Sem água) e Polimentos.(dinheiro) em todos os produtos e serviços (exceto promoções).


Tribuna do Norte - 28/08/2011  

ELIANA LIMA Abusca por modelos mais eficientes de gerir a máquina administrativa e os serviços públicos foi o tema do 10º seminário do proje...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you