Issuu on Google+

» OS CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 28 PÁGINAS E 5.036 ANÚNCIOS FUNDADOR: ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 60 • Número 143 • Domingo,05 de setembro de 2010

EXEMPLAR DO ASSINANTE

Quatro ases No baralho os quatro ases representam muito.No ABC, contra o Campinense,pode valer a vitória. [ ESPORTES 1 ]

MARCO ANTÔNIO TEIXEIRA

Jeans,tênis camurça,camisas lisas e quadriculadas,chapéu...o estilo despojado faz a moda rock bem comportada. [ GLAM 8 ]

Jogo de cena

JÚNIOR SANTOS

ANDREY LOURENÇO

Estilo do rock

Fernanda Montenegro e Mariana Ximenes (foto) vivem um encontro de gerações em ‘Passione’. [ REVISTA DA TV 6 ]

“Ouviram do Ipiranga”... mas, esqueceram a história sobre a História do Brasil. Perguntas feitas pela TN, em duas turmas, mostram que mesmo fatos recentes, como o impeachment do presidente Collor, são alvos de confusão por parte dos alunos. [ NATAL 1 A 3 ]

EXEMPLAR DO ASSINANTE

Mudanças nos currículos escolares e novos enfoques no ensino fizeram com que estudantes de escolas públicas e privadas cheguem ao fim do ciclo fundamental (9ª série) sem conhecimentos básicos

Hora da largada Atletas amadores e profissionais se preparam para a Meia Maratona de Natal,domingo 12.A TN mostra,hoje, como será a prova. [ ESPECIAL 1 A 12 ]

ALDAIR DANTAS

ELIANA LIMA

RODRIGO SENA

Audiência deverá decidir demarcação do Parque Estadual da Mata da Pipa. [ NATAL 12 ]

C.HUMBERTO No Pará,a política virou uma grande jogada para atletas de futebol. [ PÁGINA 10 ]

JORNAL DE WM Reflexos da existência do JB, um jornal que influenciou gerações.

Sabores proibidos

[ PÁGINA 2 ]

» FERAS O mundo das artes marciais era um “Clube do Bolinha”, mas já vem atraindo as mulheres. Aprender defesa pessoal é o principal motivo para elas entrarem no ringue. [ PÁGINA 12] CASO GOBAT

108

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

COMPORTAMENTO

ELEIÇÕES

Portadores da doença celíaca seguem dieta rigorosa,evitam alimentos com glúten e têm dificuldades em manter uma boa alimentação. [ TN FAMÍLIA 1 E 3 ] AMÉRICA

Auditor fiscal que Portadores de causou acidente deficiências vai a júri popular ganham espaços

Novo presidente Vice-presidente do TRE vai aplicar critica opinião detalhes da lei de Lula Pereira

O novo júri popular do auditor fiscal Lúcio Flávio Barbosa, que causou o acidente vitimando o conselheiro do TCE José Gobat, está marcado para quinta-feira. [ NATAL 4 ]

Empossado na presidência do TRE na sexta-feria, o desembargador Vivaldo Pinheiro vai presidir as eleições deste ano e avisa: a lei será cumprida em detalhes. [ PÁGINA 3 ]

REDAÇÃO: PAUTA

pauta@tribunadonorte.com.br

FALE CONOSCO: PABX: 4006-6100 Redação: 4006-6113

Apesar da arquitetura desfavorável da cidade, portadores de deficiências impõem o direito de terem uma vida normal e ganham visibilidade social. [ NATAL 9 E 10 ] Assinaturas: 4006-6111 Venda avulsa: 4006-6103 Comercial: 4006-6173

Classificados: 4006-6161 Circulação: 4006-6103 Reclamações:4006-6111

HOME PAGE:

O vice-presidente do América acredita na recuperação do time na Série B. No entanto, contesta a opinião de Lula Pereira sobre o volante Júlio Terceiro. [ ESPORTES 2 ]

www.tribunadonorte.com.br

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

opinião

Domingo | 05 de setembro de 2010

JOSÉ SARNEY [ escritor ]

Jornal de WM WODEN MADRUGA - woden@terra.com.br

Tempos do Jornal do Brasil

“U

lysses Guimarães tinha razões para resistir. Nos estúdios da Rede Globo em Nova Iorque, em dezembro de 1983, lançou sua candidatura à Presidência. Seu projeto, entretanto, estava umbilicalmente ligado ao pleito direto; garantiu, centenas de vezes, que não disputaria no Colégio Eleitoral. A campanha das ruas cresceu; foi o maior movimento popular da História do Brasil. No dia 25 de janeiro, ao falar a 250 mil pessoas, na Praça da Sé, em São Paulo, pedindo a volta das eleições diretas, ele certamente acreditava que, com as massas nas ruas, haveria possibilidades de o Congresso aprovar a emenda Dante de Oliveira”.

Estou relendo a matéria de capa do Caderno Especial do Jornal do Brasil do dia 24 de março de 1985, um domingo, com o título “A República em pé e em paz”. O Brasil vive o drama da doença do presidente Tancredo Neves, lá se vão 10 dias. Na véspera da posse, dia 15, o presidente eleito teve que se submeter a uma cirurgia, internando-se num hospital de Brasília. Desenhouse uma crise institucional. O resto da história todos sabem. O presidente eleito e não empossado morreria no dia 21 de abril. Releio o texto de Gilberto Dimenstein, decorridos 25 anos de sua publicação, terça-feira que passou, dia 31 de agosto, quando o Jornal do Brasil, fundado em 1891, circulou pela última vez. Durante sua existência de 119 anos sempre esteve na linha de frente dos grandes jornais brasileiros. Nos anos 50, 60, 70 e 80, do século passado, foi uma referencia nacional. Por lá passaram os maiores nomes do jornalismo do Brasil e serviu de espelho para outros jornais do país. Até a provinciana e conservadora Tribuna do Norte teve um instante que tentou copiá-lo – imagine – em suas acanhadas acomodações da Tavares de Lira, numa Ribeira já decadente. Isso ocorreu no trágico ano de 1964 quando Walter Gomes, vindo de uma temporada como repórter do JB, assumiu a direção de redação da TN. E a partir daí, repórteres e redatores começaram a falar em lide (lead) e sublide, pirâmide invertida, pauta, diagramação, e coisas que tais, com a preocupação de tornar o texto mais leve e mais objetivo, traços marcantes do JB. A primeira página era desenhada tentando “copiar” o grande jornal carioca, a época, o mais charmoso jornal brasileiro. O Jornal do Brasil influenciou toda uma ge-

ração de jornalistas. Várias gerações. A minha, dos anos 50, sim. Ler suas páginas todos os dias era uma verdadeira guerra na banca de jornais da avenida Rio Branco, imediações do Grande Ponto, no andar da noite, quando aqui chegavam os aviões vindos do Rio de Janeiro. Em minhas gavetas, guardo algumas edições inteiras, cadernos separados, páginas soltas, recortes. Como este Caderno Especial do domingo, 24 de março de 1985, cuja matéria de capa é o longo e primoroso texto de Gilberto Dimenstein, que era repórter do JB em Brasília, no rastro da crise que se instalara em Brasília, a nação perplexa acompanhando o drama de Tancredo. O repórter conta tudo que passava, então, pelos bastidores de Brasília. A reportagem pinta um perfil do deputado Ulysses Guimarães, presidente da Câmara: “Ulysses Guimarães é o tipo de político que cresce nas horas de crise. Ele faz o necessário. Foi ele quem pôs de pé a Nova República. É, sem dúvida, o político brasileiro mais respeitado e acatado pelo Presidente Tancredo Neves”. Adiante, Gilberto Dimenstein recorda a campanha das diretas, cuja figura central foi o próprio Doutor Ulysses, e cita Aluizio Alves: - Mais do que ninguém, no processo sucessório, Ulysses Guimarães, com seus 69 anos, geralmente vestido com um terno em desalinho, olhar de sonolência, mostrou senso de realidade. “Ele nunca foi um problema, sempre uma solução”, afirma o Ministro da Administração, Aluizio Alves. De fato: candidato natural do PMDB, liderou a campanha das diretas – tornou-se, como era chamado pelas praças públicas, o “Dr. Diretas” -, mas abriu mão de suas pretensões.

A HORA DA CONSTITUIÇÃO Conta Gilberto Dimenstein: “A vitória de Tancredo Neves, era em grande parte, tributada ao velho companheiro, ex-Presidente da Câmara, ex-Ministro da Indústria e Comércio durante o regime parlamentarista. Com Tancredo, Ulysses estava no poder antes de 1964, enfrentaram o suicídio de Getúlio Vargas e as crises do Governo JK – caíram juntos, organizaram a oposição. Em 15 de janeiro de 1984, depois de duas décadas distantes do poder central, estavam de volta. Mas, naquele quarto de hospital, na noite do dia 14, ao lado do vicePresidente José Sarney, do Ministro da Fazenda, Francisco Dorneles, do Ministro do Exército, Leônidas Pires Gonçalves, uma nova crise se configurava. “Vai ter que operar”, informou a todos, depois um breve encontro com os médicos e os familiares do Presidente. “E você assume”, disse, olhando em direção a Sarney, que, sentado, ficou literalmente pálido. - Assume você, Ulysses. Eu me elegi com Tancredo. - Não é uma questão de querer ou não querer. É a Constituição. Na sua frieza política, Ulysses certamente esquecera a saúde do Presidente eleito, atendo-se, agora, a saúde das instituições. Naquele momento, uma dependia da outra.

JUSTIÇA DE OLHOS ABERTOS A conta-capa do Caderno Especial traz uma entrevista, de página inteira, com o ministro da Justiça Fernando Lyra. Título: “A Justiça abre os olhos”. A entrevista foi feita pela jornalista Eliane Catanhede e na abertura está escrito: “Desde sua primeira cirurgia, na madrugada de 15 de março – dia reservado para sua posse – o Presidente Tancredo Neves conversou informalmente com um único político: o Ministro da Justiça, Fernando Lyra, um pernambucano de 47 anos que, além da circunstância de ter sido um safenado e, também, conhecer a solidão de um hospital, foi o primeiro deputado a articular a candidatura de Tancredo no Congresso” Dois depois da primeira cirurgia, Tancredo, recebeu a visita do seu ministro da Justiça e quis saber como tinha sido a posse de Sarney. Fernando Lyra respondeu, segundo conta Eliane Catanhede: - O Sr. operou, na cama, a transição que talvez não tivesse feito de pé. Naqueles tempos o editor do Jornal do Brasil era Marcos Sá Correia e o Redator Chefe, Fernando Pedreira. Zózimo assinava a coluna social. Exemplar. Leio uma em sua coluna do Caderno B, de 26 de janeiro de 1986: “Olivia Hime vai dedicar seu LP anual a Manuel Bandeira, cujo centenário de nascimento se comemora em abril. O disco será composto de poemas seus musicados por uma dúzia de grandes nomes da MPB.” Saudades do JB.

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av.Tavares de Lira,101,Ribeira - Natal/RN CEP:59010200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm.e Operações: Ricardo Luiz de V.Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação:Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

Guerra e sigilo

C

lausewitz, o maior filósofo da guerra, afirmou ser ela uma continuação da política por outros meios. No Brasil Colônia (séc. 16 e 17), no enfrentamento com os índios, até os padres falavam em guerra justa, destinada a salvar as almas dos indígenas do diabo. Anchieta foi um encabulado adepto dessa linha. Nos tempos atuais, Bush, o novo, com a inteligência que tem, lhe deu sofisticação, confeitou com chantilly, inovou criando outro tipo de guerra, a preventiva, feita para evitar outra guerra. Resultado: tudo guerra. Com meu temperamento cristão, pacifista e humanista, todas as guerras são más, catastróficas e sem resultados positivos -e não modificam nada, a não ser curvas momentâneas da história. E o homem inventou coisas terríveis de matança coletiva, desde o timbó das tribos primitivas até as armas nucleares e as bombas de fragmentação, estas que distribuem balas de morte para provocar extermínio de inocentes. Obama anunciou o término da Guerra do

Iraque, iniciada há sete anos para combater o terrorismo e Nos tempos atuais, as armas de destruiBush,o novo,com a ção em massa e painteligência que ra fazer o mundo tem,lhe deu mais seguro. O únisofisticação, co objetivo alcança- confeitou com do foi o pescoço de chantilly, Saddam.O fim da inovou criando guerra também é outro tipo de exótico. Acaba a guerra,a guerra, mas não preventiva,feita acaba. para evitar outra Palavras de Obaguerra.Resultado: ma: "Não vamos tudo guerra” cantar vitória, nossa tarefa no Iraque não terminou". Permanecerão 50 mil soldados, e os EUA abrirão "unidades diplomáticas" em Mosul, Erbil, Basora e Kirkuk. Envolveram-se na aventura 1 milhão de soldados americanos, morreram 4.247, e 34.268 saíram feridos. A coligação internacional amargou

4.734 vítimas fatais, e o sofrido país invadido perdeu 106.147 vidas.O Iraque não se tornou democrático nem se transformou em "aliado eficaz", como sonhara Bush. A Al Qaeda ali se instalou, e o Iraque ficou à mercê da influência do Irã, com quem tem seu maior comércio e que é o guia da maioria xiita -dois terços da população que tem o verdadeiro comando do país.Sem eles (xiitas e Irã) não se forma governo, como não foi constituído depois das últimas eleições. O terror continua intenso, e tudo aponta para um único futuro: o Iraque será um país teocrático, satélite dos aiatolás do Irã.Somos um mundo mais seguro com a guerra terminada que não terminou?Aqui, nossa guerra que não acaba é diferente: a dos sigilos fiscais de todos os brasileiros, que são vendidos a R$ 1 mil na praça da Sé de São Paulo, com grande surpresa para a mídia, que julgava só ela ter essa informação.Lembro o Golbery: "Segredo só não conta quem não sabe". E alguns setores da Polícia Federal confirmam esse pensamento.

Amâncio

Cartas PCCV Esse secretário acha que com o salário congelado por anos as nossas contas também ficarão assim? Escola, transporte, alimentação, tudo aumenta. E ele ainda acha que esse plano é algo extraordinário que essa prefeita nos oferece??? E eu queria saber o que ele acharia se o subsídio dele ficasse congelado também. O erro foi ter negociado com essa gestão. Que deixasse o STF julgar.LLuanafigueira@zipmail.com.br

Operação Curupira

FÁBIO ARRUDA MORTARA [ Empresário ]

JB, contradição e convergências

A

o contrário do que se difunde no chamado inconsciente coletivo, o período de maior crescimento do número de títulos de jornais no Brasil é simultâneo ao boom da internet. Em 2001, eram 1.980 periódicos em circulação. Em 2009, o total alcançou 4.148. Estes dados da ANJ (Associação Nacional de Jornais), que revelam expansão de 109,5% em oito anos, evidenciam que a Web e as novas tecnologias complementam e, ao mesmo tempo, constituem uma base para a ascensão da mídia impressa. Outro indicador relativo à credibilidade e solidez dos jornais refere-se à evolução dos investimentos em propaganda nesses veículos, que saltaram de R$ 1,97 bilhão, em 2001, para R$ 3,13 bilhões, em 2009, conforme também é possível constatar nas estatísticas daquela entidade. O aumento foi de 58,7%. No ano passado, os periódicos responderam por 14,97% do aporte de recursos em publicidade no País, perdendo apenas para a televisão. A Internet ficou com 4,27% do total. Outra boa notícia refere-se ao crescimento da circulação média dos jornais no Brasil no acumulado de janeiro a abril de 2010, que foi de 1,5% em comparação com o mesmo período do ano passado e de 1,7% em relação ao primeiro quadrimestre de 2008. Esta informação do IVC (Instituto Verificador de Circulação) corrobora estimativa de estudo da Pricewaterhouse Coopers: a circulação dos jornais impressos crescerá na América Latina nos próximos cinco anos, mesmo que a crise econômica ainda não tenha sido completamente superada. A maior expansão dar-se-á no Brasil (2,2%), seguido por Argentina (1,4%). A exceção, por motivos óbvios, fica por conta da Venezuela, onde se prevê queda de 0,2%. É claro que o advento da Web apresenta impacto no mercado dos jornais. Tanto assim, que todos eles já têm sua edição digital, a maioria protegida, reservada apenas aos assinantes da impressa. Paulatinamente, os fatos do dia, em sua versão mais imediata e urgente, vão-se caracterizando como noticiário dos sites informativos, cabendo aos jornais impressos a publicação de informações com mais detalhes, infográficos, opiniões mais diversificaClassificados: Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

das sobre o tema e maior esforço de apuração. Ademais, seu texto já incorpoConsiderado todo ra críticas, correções de esse contexto,a equívocos e sugestões posextinção da edição sibilitadas pela interativiimpressa do Jornal dade da internet. É, portando Brasil,um dos to, mais aprimorado na formais importantes e ma e no conteúdo. influentes veículos No ambiente contemde comunicação porâneo da comunicação, que o País já teve, nota-se sinergia e complevai na contramão mentaridade entre as mídas tendências de dias. Todas ajustam-se ao convergência das cenário da convergência, mídias. Aos 119 que se consolida como um anos,o periódico eficiente modelo. Os jorprotagonizou nais do Interior, por exemmomentos plo, ganham crescente sigmemoráveis. nificado e ampliam sua cirResistiu a graves culação à medida que foataques dos cam de modo prioritário as regimes de força” questões locais e regionais. Os anunciantes há tempos perceberam o seu potencial econômico, expresso no perfil de seu público, que é formador de opinião e tem poder aquisitivo. Os grandes diários, de peso e distribuição nacionais, ajustam suas tiragens e circulação à nova realidade, mas continuam se constituindo em mídias decisivas para informar e influenciar de modo expressivo a vida do País. Considerado todo esse contexto, a extinção da edição impressa do Jornal do Brasil, um dos mais importantes e influentes veículos de comunicação que o País já teve, vai na contramão das tendências de convergência das mídias. Aos 119 anos, o periódico protagonizou momentos memoráveis. Tinha caráter e personalidade. Resistiu, como muitos jornais, a graves ataques dos regimes de força que por aqui se implantaram, e lamento a sua extinção como mídia gráfica. Assim como a Gazeta Mercantil, que sucumbiu em 2009, o grande diário carioca deixa irreparável lacuna no jornalismo brasileiro e no cenário urbano. As bancas nunca mais serão as mesmas... e, por favor, não culpem a internet!

É muito pouco provável que um esquema de corrupção dessa amplitude, que durou tantos anos e numa secretaria “chave" para a arrecadação do município tivesse apenas três funcionários “cabeças" do crime. O povo não é tão besta assim!! Bote fé que a fedentina pode subir bem mais alto. Se essa Operação for devidamente levada a termo causará muito IMPACTO. namagaderas@yahoo.br

Assaltos a bancos O que está faltando é polícia nas ruas, nos interiores. Vejam aqui em Natal, a moda é invadir as casas e levar tudo, Goianinha é bem aí, cerca de 50km de Natal. Portanto, o que está faltando é polícia, como o próprio comandante da PM disse, o RN precisa de 12mil policias, por que não convoca os suplentes? Já que o concurso está em validade. Ibere já fez o principal corrigir a validade do concurso, só falta o governo convocar. Glauber

Praia de Pipa Moro em Pipa há um ano e fico muito triste de ver tantos jovens se drogando e se prostituindo. Não só em pipa, mas em todo o Brasil. Espero que haja solução para esses problemas como o crack e esses crimes cometidos, que nessas eleições saibamos escolher o melhor para nosso Brasil. kaccia22@yahoo.com.br

Delegados A estrutura da Polícia Civil com certeza necessita de investimentos e também compromisso de todo efetivo; o que não dá é delegado não cumprindo os dois expedientes onde estes exigem dos seus agentes e escrivães. flaviossapc@yahoo.com.br

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro :(O21)2544-3070 – São Paulo:(011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J.do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J.Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


Domingo | 05 de setembro de 2010

política

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

3

ENTREVISTA / VIVALDO PINHEIRO / PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RN

Notas & Comentários colunanotas@tribunadonorte.com.br

Revelações em vídeos s revelações feitas por sargento Regina em vídeos postados do YouTube exigem uma apuração rigorosa por parte do Ministério Público e da Comissão de Ética Parlamentar da Câmara Municipal. Nos vídeos, ela faz uma série de afirmações que, confirmada a autenticidade, podem implicar até em quebra de decoro parlamentar e a consequente punição com a perda do mandato. Um dos trechos mais graves dos vídeos postados é o que ela fala sobre uma “negociação financeira pessoal com Dickson”. Ela deve se referir ao atual presidente da Câmara Municipal, Dickson Nasser. No vídeo, Sargento Regina não explica detalhes da negociação. Mas diz que recebeu R$ 10 mil no acordo.

A

VENDA DE VOTOS É oportuno lembar que a Operação Impacto, que motivou a denúncia à Justiça contra 19 pessoas, algumas das quais vereadores, foi motivada por uma investigação sobre venda de votos na Câmara. Na ocasião, a “negociação financeira” envolvia a apreciação do projeto do Plano Diretor.

Recuo

Pesquisa

Sargento Regina, que na sexta-feira chegou a anunciar um entrevista coletiva, neste sábado disse que vai esperar a análise da assessoria jurídica dela antes de se pronunciar sobre o teor das revelações. Ela disse apenas que o vídeo foi gravado numa reunião com representantes das associações de policiais militares e dos bombeiros. Afirmou também que muitos trechos estão fora do contexto do pronunciamento que fez na ocasião.

O instituto Datafolha divulgou neste sábado (4) mais uma pesquisa eleitoral para presidente da República. As oscilações dos principais candidatos foram dentro da margem de erro. Dilma Rousseff (PT) variou, em relação à pesquisa anterior do mesmo instituto divulgada há uma semana, de 49% para 50%. José Serra estava com 29% e desta vez foi para 28%. Marina Silva (PV) está com 10%, contra 9% da semana anterior.

VIOLAÇÃO Com o título “O partido do polvo”, a revista Veja dedica a reportagem de capa deste fim de semana ao caso da violação do sigilo fiscal de Verônica Serra, filha de José Serra. A violação do sigilo “levanta suspeitas sobre a campanha de Dilma e mostra o enfraquecimento das instituições no governo Lula”, destaca. A Época também trata do assunto. Com o título “A cartada de Serra”, a reportagem de capa afirma que “em queda nas pesquisas, o tucano vai ao ataque e explora o crime cometido contra sua filha para tentar chegar ao segundo turno”.

DIDA SAMPAIO

Influência de Aécio

Em Minas Gerais, o crescimento do candidato do PSDB ao governo, Antônio Anastasia — que pelos números mais recentes do Ibope tem 35%, contra 33% de Hélio Costa (PMDB) — demonstra a capacidade do ex-governador Aécio Neves (foto) influenciar na disputa. Anastasia, que era vice e assumiu o governo com a desincompatibilização de Aécio Neves para concorrer ao Senado, não chegava a dois dígitos no início da disputa. Agora, está tecnicamente empatado com Hélio Costa. Ao terminar um governo reconhecido como uma gestão séria e profissional, Aécio preservou a capacidade de influenciar na sucessão.

DIVULGAÇÃO DO LIVRO O empresário Aluízio Alves Filho estará, nesta segunda-feira, em Mossoró, onde vai conceder uma série de entrevistas sobre o seu novo livro. A entrevista à rádio Difusora será às 15h e, à TV TCM, às 17h. Aluízio Filho vai também entregar exemplares do livro à Livraria Siciliano, no Mossoró West Shopping. A programação inclui ainda a entrega do livro à prefeita Fafá Rosado. As vendas em Mossoró do novo livro de Aluízio Filho serão para ajudar a creche “Lar da criança pobre de Mossoró”. AGENDA DOS CANDIDATOS AO GOVERNO CARLOS EDUARDO 8h - Gravação para o Programa Eleitoral,em Natal; 11h - Carreata Coragem pra Mudar, na Zona Leste de Natal; 20h -Caravana Coragem pra Mudar com Comício de encerramento,em Jandaíra. ROSALBA CIARLINI 8h - Visita à feira do município de Baraúnas; 10h - Caminhada e Comício,no bairro de São José,no município de Grossos;

15h – Visita aos municípios do Mato Grande. IBERÊ FERREIRA 8h - Aniversário da mãe de Poti Júnior,em São Gonçalo do Amarante; 10h30 - Reunião com lideranças do vereador Fernando Lucena, em Parnamirim; 13h - “Maré vermelha”nas praias de Natal; 19h - Comício em São José de Campestre

‘Financiamento público daria margem a um controle melhor’ RODRIGO SENA

O senhor assume o tribunal em meio a uma campanha que,até por ser esta uma preocupação crescente,promete ter cada vez mais questões jurídicas a serem decididas.Isso preocupa? Não deixa de preocupar. A responsabilidade é muito grande e isso preocupa. Mas, por outro lado, estamos verificando que a campanha está tranquila até agora e nós temos um cronograma a cumprir. E estamos cumprindo. O quadro de funcionários do TRE, que é uma justiça especializada, é muito bom, muito competente. Então se por um lado nos preocupa, por outro nos dá essa tranquilidade. Na última semana a Justiça atingiu o número de mais de 200 apreensões de material de campanha irregular, somente em Natal, desde o início de julho. Para o senhor isso é uma prova de que tem havido mais irregularidade em termos de propaganda,ou que agora elas estão sendo mais combatidas? Acho que elas estão sendo mais combatidas. Porque a vida toda fui juiz eleitoral no interior e via essas irregularidades, se bem que a legislação mudou. Mas eu via essas irregularidades e não havia essa quantidade de apreensões. Já tendo sido juiz no interior, o senhor entende que uma eleição estadual é menos “problemática”e litigiosa que a eleição nos municípios? Menos, certamente menos. Os ânimos ficam menos acirrados que nas eleições municipais, com certeza. Isso facilita até um pouco o trabalho da Justiça Eleitoral. E agora com as regras da Lei da Ficha limpa praticamente definidas, o que essa legislação representa para o pleito? É um grande avanço, tenho a impressão de que vai contribuir muito para a melhoria de nossos quadros políticos e se há esses questionamentos que são naturais, é porque é uma lei nova, que é complexa e causa uma série de discussões, mas com certeza a ficha limpa veio para ficar. Mas a própria campanha pela conscientização dos eleitores afirma que não basta observarem se o candidato não tem o nome sujo.É fundamental também o cidadão analisar outros detalhes da vida e da conduta dos candidatos? Exatamente, claro que sim, o eleitor tem de dar a sua parcela de contribuição. Em relação às eleições, há defensores de que elas devem ocorrer realmente de dois em dois anos,para os brasileiros se acostumarem a votar e praticar a democracia, mas há os que, por verem toda mobilização necessária da Justiça, do Executivo, da própria sociedade, acham que deveria ocorrer apenas de quatro em quatro anos. Qual a opinião sobre essa discussão? Para a Justiça eleitoral, facilitaria em termos de trabalho, em termos de logística e de despesas, a unificação. Agora a questão é política e o País precisa de uma reforma política para discutir melhor esse aspecto. Dentro dessa reforma política o senhor entende que seria necessário deixar mais clara a questão da fidelidade partidária? Em relação à fidelidade partidária acho que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) já avançou no entendimento de que ela tem de ser observada. Agora, na realidade, volto a dizer, nós precisamos de uma reforma política e eleitoral, na qual as regras fiquem

missão não é simples. O desembargador Vivaldo Pinheiro assumiu na última sextafeira a Presidência do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN), a apenas 30 dias do primeiro turno de uma ampla eleição, que inclui no Rio Grande do Norte a disputa por 24 vagas de deputados estaduais, oito de federais, duas de senadores e a de governador, fora a disputa

A

presidencial. O novo presidente do TRE admite a preocupação, mas garante que está preparado para comandar o pleito de 3 de outubro e destaca o apoio que tem recebido dos integrantes do Tribunal, bem como a relativa tranquilidade com que a campanha vem se desenvolvendo em todo o Estado. Nascido em São José de Campestre, ele ingressou na magistratura em 1982, no município de São João do Sabugi, onde passou mais de quatro anos, antes de ir para Apodi e de lá para Santa Cruz, sendo então promovido a Nova Cruz, cidade na qual passou 19 anos e seis meses. Tomou posse como desembargador em 2007. Para Vivaldo Pinheiro, a Justiça Eleitoral poderia contribuir ainda mais com a democracia se a legislação trouxesse regras mais claras e objetivas. Nessa entrevista exclusiva à TRIBUNA DO NORTE, o magistrado fala sobre o assunto e também de questões polêmicas como a reeleição, a compra de votos, a fidelidade partidária e as eleições conjuntas:

mais claras e a gente possa enfrentar este assunto, depois de uma discussão aprimorada sobre tudo isso. Ainda há muitas questões subjetivas na legislação eleitoral? Sim, ainda há. A discussão se uma atitude irregular de determinado candidato teve, ou não, peso para influenciar no resultado das urnas,por exemplo,precisaria ser mais objetiva, com uma lei determinando claramente que tal prática resulta em tal sanção? Precisa, perfeitamente. Porque a legislação, o texto legal, quanto mais objetivo, mais fácil a sua interpretação, mais fácil a sua aplicação e aí mais fácil seu cumprimento. E os eleitores hoje já começam a confiar um pouco mais na Justiça Eleitoral? Entendo que sim. No meu entendimento o eleitor confia, sobretudo, na Justiça Eleitoral, graças também à celeridade, já que são prazos curtos. E quanto à questão de pessoal, há carência no TRE? Há deficiência, claro, mas com o quantitativo que nós temos, estamos cumprindo a nossa missão. Claro que se a gente tivesse um efetivo maior, dividiríamos melhor as tarefas. Outro debate atual no mundo político e inclusive já citado no TRE é da possibilidade de abertura de uma espécie de “janela” para políticos de um partido poderem passar a outra legenda sem perderem os mandatos. O senhor entende que é preciso haver uma possibilidade de transferência? É uma matéria complexa e não tenho ainda uma opinião formada sobre isso. Em princípio acho interessante (a ideia da fidelidade partidária), se você foi eleito pelo

A Lei da Ficha Limpa é um grande avanço, tenho a impressão de que vai contribuir muito para a melhoria de nossos quadros políticos”

Precisamos de uma reforma política e eleitoral, na qual as regras fiquem mais claras ”

partido tal, então você deve ser fiel àquele partido até o fim do seu mandato. Por outro lado há argumentos também de que o voto foi dado ao candidato, não só ao partido. Então é algo complexo e tem de ser visto caso a caso. E quanto ao financiamento público de campanhas, seria um meio de moralizar um pouco mais as eleições? Seria, tenho a impressão que sim. É também outra questão bastante discutida, mas tenho a impressão que o financiamento público ajudaria e daria margem a um melhor controle. Muitas decisões da Justiça Eleitoral resultaram em perdas de mandato na última eleição municipal.O senhor teme que esses resultados levem a um “denuncismo”por parte das coligações este ano, ou seja, inclusive denúncias forjadas na tentativa de derrubar adversários?

É possível. Não quero acreditar que aconteça, mas é possível e até provável. Agora não quero acreditar que os candidatos ajam desta forma, mas é possível. Reeleição é outra polêmica.O senhor acha que acaba tornando a campanha um plebiscito? A reeleição, eu pessoalmente enquanto cidadão, sou contra. Acho que o processo de mudança é mais benéfico para o Pa��s, para a democracia. E a compra de votos, geralmente se diz que vai continuar ocorrendo enquanto tiver gente disposta a vender seu voto.Então é necessária uma mudança cultural ou econômica? Acho que a mudança cultural é mais importante que a própria mudança econômica. Na hora que a gente tiver um corpo eleitoral mais consciente quanto aos seus direitos políticos, mesmo que a pessoa chegue oferecendo vantagens, o eleitor recusaria, é uma questão muito de consciência política. E como o senhor entende o papel do Ministério Público Eleitoral? O Ministério Público é um parceiro do Judiciário na fiscalização, no acompanhamento das ações ilícitas, então tem dado uma contribuição enorme no processo eleitoral e nós, na presidência, temos a certeza de que vamos contar com essa participação efetiva e no que depender da minha presidência o Ministério Público vai ter o valor reconhecido em sua atuação. E qual recomendação o senhor deixa aos políticos? A recomendação é para que cumpram rigorosamente os termos da lei, a legislação foi feita para ser cumprida e todos têm conhecimento, muitos dos quais inclusive são autores, votaram essa legislação, então cumpram a lei e não haverá maiores problemas.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

polĂ­tica

Domingo | 05 de setembro de 2010


Domingo | 05 de setembro de 2010

política

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

[ LEGISLATIVO ] Infraero deverá entregar, a pedido do TCU, um plano de ação para solucionar as irregularidades que impedem as obras de aeroportos localizados nas cidades-sede da Copa

[ SALÁRIO ] Projeto de orçamento enviado

pelo governo federal prevê reajuste de 5,52%

Deputado alerta para atrasos nas obras de infraestrutura A

Centrais defendem mínimo de R$ 560

LEONARDO PRADO

A

pouco menos de quatro anos do início da Copa do Mundo no Brasil, os atrasos nas obras de infraestrutura, principalmente na ampliação de aeroportos, preocupam os parlamentares. O presidente da subcomissão permanente que fiscaliza os recursos públicos federais destinados à Copa de 2014, deputado Silvio Torres (PSDB-SP), lembra que as previsões são de um aumento de 2,7 milhões no número de viajantes durante o Mundial de futebol. “Se acontecer essa previsão, vamos ter problemas com certeza”, sustenta. Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), a demanda nos 16 aeroportos próximos às cidadessede da Copa chegará a 26 milhões de passageiros. Apesar desses cálculos, as obras em aeroportos sequer começaram ou estão paralisadas, caso de Guarulhos, em São Paulo, Vitória, no Espírito Santo, e Goiânia, em Goiás. Nesses locais, os trabalhos estão parados desde 2008. Os contratos para a realização de melhorias nesses aeroportos foram suspensos ou rescindidos, porque o Tribunal de Contas da União (TCU) — órgão auxiliar do Congresso Nacional que tem por atribuição o controle externo dos atos financeiros, orçamentários, contábeis, operacionais e patrimoniais dos Poderes da República — suspeita de superfaturamento da ordem de R$ 70 milhões em cada um deles. No último dia 27, o tribunal

Sílvio Torres preside a subcomissão permanente que fiscaliza os recursos públicos para a Copa

determinou à Infraero que encaminhe, em 15 dias, um plano com providências para solucionar as irregularidades que ocasionaram a paralisação das obras.Silvio Torres acredita que, se a Infraero e o governo continuarem nesse ritmo na execução das obras, os trabalhos não serão concluídos. “Dificilmente conseguiremos recuperar esse tempo precioso que foi perdido”, afirma. Na opinião do parlamentar, o que provavelmente vai acontecer é a celebração de contratos para compra de equipamentos provi-

sórios para os terminais aeroportuários. Conforme Torres, “essa é uma possibilidade já bastante utilizada no País”. O deputado também acredita que logo após as eleições devem ocorrer reuniões com os eleitos, a fim de elaborar “um cronograma real” para a melhoria da infraestrutura necessária à realização do mundial. “Se preciso, teremos de diminuir o número de sedes, redimensionar as obras para fazer uma Copa à altura das possibilidades financeiras e orçamentárias do País”.

Já para a relatora da subcomissão permanente, deputada Rebecca Garcia (PP-AM), ainda é possível concluir as obras no prazo. “Ainda há tempo, mas é preciso que as obras sejam iniciadas já, até dezembro deste ano”, sentencia. A deputada antecipa que em outubro, “quando a Câmara voltar efetivamente à atividade”, a subcomissão vai realizar novas viagens de acompanhamento às cidades-sede. Segundo ela, o objetivo principal é garantir a aplicação adequada dos recursos públicos.

s principais centrais sindicais do País decidiram defender o aumento do salário mínimo dos atuais R$ 510 para R$ 560 em 2011. A posição foi anunciada após reunião das centrais CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CGTB e NCST. O governo enviou na terçafeira (31) o projeto da lei orçamentária (PLN 59/10) ao Congresso prevendo um mínimo de R$ 538,15 no próximo ano. O reajuste previsto no Orçamento, de 5,52%, limita-se a repor a inflação prevista para 2010. O governo alega que apenas segue as regras acertadas com as centrais sindicais em 2007. Pela política atual, o aumento do salário mínimo será equivalente à inflação acumulada no ano anterior mais a variação do PIB de dois anos antes. Ou seja, para 2011 o aumento seria a previsão de inflação para 2010 (5,52%) mais o PIB de 2009. Mas como o PIB desse ano não cresceu - ao contrário, apresentou um declínio de 0,2% - desta vez não haveria aumento real para o salário mínimo. De acordo com as centrais sindicais, a proposta de R$ 560 levou em conta, além da inflação, a variação do PIB de 2006 a 2009 (de 3,8%). As centrais também exigem abertura imediata de negociação com o governo para a definição do reajuste. O presidente da CUT, Artur Henrique, ressalta que o salário mínimo vem tendo aumentos reais desde 2003 e que o projeto de lei orçamentária é apenas uma previsão de gastos da União, que pode ser alterada após diálogo com os diversos atores sociais.

NÚMEROS

538

reais é o valor do salário mínimo de acordo com o projeto de orçamento do governo

3,8% foi a variação do PIB de 2006 a 2009

“Desde 2004 nós estamos conseguindo, pelo processo de negociação, a partir da pressão das marchas a Brasília pelo salário mínimo, um reajuste maior que o da previsão inicial do projeto de lei orçamentária”, diz Artur Henrique. O presidente em exercício da Força Sindical, Miguel Torres, argumenta que um reajuste “digno” do salário mínimo é uma forma de distribuir renda, fortalecer o mercado interno, elevar a produção e o consumo, além de gerar novos postos de trabalho. Torres afirma que o crescimento do mercado interno e o aumento real do salário mínimo foram decisivos para ajudar o Brasil superar a crise econômica iniciada em 2008. Ele ressalta, ainda, que o reajuste do mínimo ajuda a aumentar o valor do piso de diversas categorias profissionais. “Como a crise ficou para trás, queremos consolidar nossa economia através de bons reajustes do salário mínimo e das aposentadorias”, afirma.


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 05 de setembro de 2010

ELEIÇÕES 2010

QUAIS SÃO AS PROPOSTAS PARA INTERIORIZAR O DESENVOLVIMENTO? CANDIDATOS APONTAM QUE INVESTIMENTOS EM EDUCAÇÃO E INCENTIVOS IGUALITÁRIOS AOS MUNICÍPIOS DE DIVERSAS REGIÕES PODEM LEVAR O DESENVOLVIMENTO AO INTERIOR ocê sabe as propostas dos principais candidatos ao Governo do Estado para interiorizar o desenvolvimento? Eles responderam à TRIBUNA DO NORTE as ações e medidas que pretendem tomar, se eleitos, para banir a concentração das riquezas do estado nas cidades de maior expressão econômica. O candidato da coligação “Coragem para Mudar”, Carlos Eduardo Alves (PDT) afirmou que

V

uma das saídas está em investir igualitariamente na educação. “Nós sabemos que sem desenvolvimento humano não há desenvolvimento econômico, por isso a principal política que um governo pode oferecer nos próximos anos é Educação de qualidade. Nós precisamos superar a dicotomia entre o Ensino Formal e o Ensino Profissionalizante para melhorar um, implantar o outro e articular os dois. Em meu gover-

no, todas as escolas terão laboratório de informática com internet banda larga e biblioteca bem equipada, e o Ensino Técnico Profissionalizante caminhará de mãos dadas com a pesquisa, a tecnologia e a informação, contribuindo para o desenvolvimento do território”, enfatizou. Já Rosalba Ciarlini (DEM), da coligação “A Força da União”, entende que o governo não deve privilegiar uma região ou muni-

cípio em detrimento de outro, mas sim beneficiar a todos. “E isso se faz começando por descentralizar os serviços e as ações que o Estado deve oferecer à sociedade: nas áreas da saúde, da educação, da segurança pública, mas também daqueles que compreendem a promoção e o apoio direto ou indireto à atividade econômica”, enfatizou. O governador Iberê Ferreira de Souza (PSB), candidato à reelei-

DIVULGAÇÃO

ção pela coligação “Vitória do Povo”, começou por lembrar que nos últimos anos, o governo do PSB, o Rio Grande do Norte elevou os índices sociais e econômicos do estado e disse ver com naturalidade o fato de Natal e Mossoró concentrarem as melhores condições para os grandes investimentos. “Natal por sua condição de polo turístico, pelo Aeroporto de São Gonçalo e por todas as razões reunidas pela sua condição de capi-

tal do Estado concentrando as melhores condições de infraestrutura. Mossoró por ter hoje a vocação de polo cerâmico dos mais importantes do Nordeste, além do sal e do petróleo. Mas, mesmo assim, não se pode esquecer que há outras grandes vocações naturais que estão hoje em processo de consolidação com a política de incentivo e apoio do governo”, concluiu o governador. Veja as respostas na íntegra. ALEX REGIS

ALDAIR DANTAS

FICHA

FICHA

FICHA

IBERÊ PAIVA FERREIRA DE SOUZA

ROSALBA CIARLINI

CARLOS EDUARDO NUNES ALVES

Data de Nascimento: 27 de fevereiro de 1944 Estado Civil: Casado Naturalidade: Natal Formação: Bacharel em Direito Partido: PSB Coligação: “Vitória do Povo”(PSB/PT/PPS/PTB)

Eleições disputadas:Iniciou a carreira política como deputado estadual,eleito em 1970;em 1974 foi reeleito e,em 1985,concorreu,com sucesso,a uma das cadeiras da Câmara de Deputados,tendo renovado o mandato por mais quatro eleições;em 2006 deixa a disputa de deputado federal para concorrer,ao lado da exgovernadora Wilma de Faria,ao cargo de vice-governador.Assume o governo estadual,em 2010,com a desincompatibilização da candidata ao Senado.

“Nos últimos anos, no Governo do PSB, o Rio Grande do Norte cresceu. Todos os índices sociais e econômicos atestam esse crescimento. Somos o segundo estado nordestino com melhor renda per capita; temos a melhor renda domiciliar e o menor número de pessoas abaixo da linha de pobreza. É natural que Natal e Mossoró concentrem as melhores condições para os grandes investimentos. Natal por sua condição de polo turístico, pelo Aeroporto de São Gonçalo e por todas as razões reunidas pela sua condição de capital do Estado concentrando as melhores condições de infraestrutura. Mossoró por ter hoje a vocação de polo cerâmico dos mais importantes do Nordeste, além do sal e do petróleo. Mas, mesmo assim, não se pode esquecer que há outras grandes vocações naturais que estão hoje em processo de consolidação com a política de incentivo e apoio do governo. A região do Seridó tem sua vocação natural para se transformar num polo têxtil com a sua produção de bordados, bonés e redes. O Polo Mineral com as riquezas minerais de Currais Novos e Jucurutu. O Polo Cerâmico em Mossoró e Baraúna. A Fruticultura é a vocação natural do Vale do Açu e, no litoral, a força maior deverá ser do parque eólico que ao produzir energia vai contribuir para o surgimento de vários investimentos nos próximos quatro anos. Portanto, já existem as vocações e elas são naturais. Ao governo, caberá uma política estratégica de incentivos que possam garantir os investimentos. Expandimos as indústrias para o interior através do Proadi e vamos ampliar ainda mais nos próximos anos, oferecendo mais incentivos às que forem se instalar no interior do Estado, distribuindo renda e levando novas oportunidades para as cidades menores. Nós precisamos manter o Rio Grande do Norte num patamar de competitividade na oferta de incentivos para assegurar que não será suplantado por outros estados Nordestinos e do centro sul. O aeroporto de São Gonçalo vai desempenhar um papel importantíssimo na área de turismo e de exportação. Será o mais importante portão para a exportação de cargas e de turismo receptivo, uma vocação que faz de Natal um destino dos mais fortes do Brasil. O desafio é interiorizar o turismo. O sertão, as praias, as dunas e as lagoas são potenciais que poderão ser transformados em atrações para um turismo de trilhas e descobertas. No governo do PSB o Rio Grande do Norte passou a ocupar a segunda posição em condições de infraestrutura do Nordeste, uma conquista que é preciso transforar em vantagem na luta para atrair novos investimentos. Esse é o papel estratégico do Estado. Identificar e preparar reais oportunidades de investimento para que nossa riqueza melhore a vida de todos.”

Data de Nascimento: 26.10.1952 Estado Civil: Casada Naturalidade: Mossoró Formação: Médica Partido: DEM Coligações: “A Força da União”(DEM/PSDB/PMN/PSC/PTN/PSL)

Eleições disputadas: Elegeu-se prefeita do município de Mossoró,pela primeira vez,em 1988;em 1996 foi a escolhida para comandar a cidade mais uma vez,tendo sido reeleita quatro anos mais tarde,em 2000;em 2006,foi eleita senadora do Estado.

“A desconcentração da atividade econômica ou a promoção do desenvolvimento de forma espacialmente mais equilibrado é uma questão que precisa ser enfrentada pelo poder público,principalmente em razão dos comprovados efeitos negativos que a sua omissão histórica provocou em termos de urbanização descontrolada das regiões metropolitanas brasileiras,com custos sociais e econômicos cada vez mais elevados. Portanto,a decisão de promover uma política de interiorização do desenvolvimento no nosso estado – que eu prefiro chamar de desenvolvimento territorialmente equilibrado – tem o significado de promoção do bem-estar geral da população,em função da redução das desigualdades sócio-econômicas dentro dos espaços sub-regionais. Entendo que esse é o papel do governo e não se trata de privilegiar uma região ou município em detrimento de outro,mas sim de beneficiar a todos.E isso se faz começando por descentralizar os serviços e as ações que o Estado deve oferecer à sociedade:nas áreas da saúde,da educação,da segurança pública,mas também daqueles que compreendem a promoção e o apoio direto ou indireto à atividade econômica. Assim,vamos descentralizar os serviços de saúde pública,fazendo funcionar os hospitais regionais,com serviços de média e alta complexidade,e implantando as policlínicas de especialidades médicas nas principais cidades de cada região;na educação,vamos implantar as escolas e os cursos profissionalizantes em todas as regiões,conforme suas vocações e suas potencialidades;e na segurança,vamos implantar e/ou estruturar as delegacias em todos os municípios do estado.Essas medidas,por si só,já representam uma mudança positiva para criação de um ambiente favorável ao desenvolvimento local. Mas vamos também levar para todas as regiões os programas de apoio à atividade econômica,a exemplo do Mão Amiga,que garantirá o financiamento para a criação ou ampliação de micro e pequenos negócios,desenvolvendo ainda programas específicos de incentivo a implantação de empreendimentos industriais,comerciais e turísticos,de acordo com as potencialidades de cada região. Quero aqui citar como exemplo a região do Seridó,que detém reconhecidas competência e tradição em diversos segmentos econômicos,principalmente nos de alimentos,de artesanato,de mineração e de têxteis,mas que por falta de apoio efetivo do governo,vem perdendo capacidade de competição no mercado.Nós vamos reverter esse quadro com a implementação de uma política de apoio integrado que contemplará desde a estruturação de centros de pesquisa,desenvolvimento e inovação de processos e produtos,com vistas a assegurar qualidade e diversificação,passando pela concessão de incentivos diferenciados em termos de infra-estrutura e benefícios fiscais e alcançando também a questão da promoção de canais eficientes de comercialização da produção. Nós vamos transformar a economia seridoense com essas medidas de incentivo, destacando a implantação de um Distrito Comercial do Seridó,com sede principal em Caicó,nos moldes de um moderno mercado“outlet”,em que se instalarão micro e pequenos empreendedores,devidamente submetidos a processos de capacitação,e cujos produtos possuam certificação de qualidade e origem seridoense.Esse distrito passará a ser uma referência para a venda dos já reconhecidos produtos do Seridó e terá sua marca,ainda a ser criada,divulgada em campanhas para todo o território nacional. São medidas como essa que estenderemos para todas as regiões do estado com o objetivo de promover o desenvolvimento equilibrado do RN,gerando oportunidades de emprego e de renda para as famílias e os jovens do interior e contribuindo para que cumpram os seus sonhos de progredir e alcançar o bem-estar em sua terra Natal.”

Data de Nascimento: 5 de junho de 1959 Estado Civil: Casado Naturalidade: Rio de Janeiro Formação: Direito Partido: PDT Coligação: “Coragem para Mudar”(PDT/PC do B)

Eleições disputadas: Elegeu-se deputado estadual pelo PMDB em 1986 e continuou na Assembleia Legislativa por mais três mandatos consecutivos (1990,1994,1998).Em 2000,foi eleito vice-prefeito de Natal.Em 2002,quando Wilma de Faria renunciou ao cargo para se candidatar ao Governo do Estado,assumiu a prefeitura e,em 2004, se reelegeu no cargo de prefeito de Natal.

“Existe uma vibração econômica que começa a surgir no interior de todo o Brasil, fruto da estabilização do real, das políticas de transferência de renda do Governo Lula e do aumento do salário mínimo, e o Rio Grande do Norte não está fora deste contexto. Nós precisamos aproveitar o bom momento para conduzir uma política de desenvolvimento econômico sustentável e com inclusão social planejada de acordo com as vocações de cada território – conceito que inclui critérios sociais, ambientais e econômicos - e não da região, que é uma divisão puramente geográfica, e oferecendo instrumentos de controle social, como os conselhos paritários. Assim, as políticas deixarão de ser uma decisão de Governo para se incorporarem ao tecido social e se transformarem em política de Estado. Esse é o jeito moderno de administrar. Nós sabemos que sem desenvolvimento humano não há desenvolvimento econômico, por isso a principal política que um Governo pode oferecer nos próximos anos é Educação de qualidade. Nós precisamos superar a dicotomia entre o Ensino Formal e o Ensino Profissionalizante para melhorar um, implantar o outro e articular os dois. Em meu Governo, todas as escolas terão laboratório de informática com internet banda larga e biblioteca bem equipada, e o Ensino Técnico Profissionalizante caminhará de mãos dadas com a pesquisa, a tecnologia e a informação, contribuindo para o desenvolvimento do território. Os professores serão valorizados e terão formação continuada. Nós levaremos para o interior o “Cidade Viva”, em que os projetos habitacionais serão construídos de acordo com a urbanização integrada, isto é, com acesso à escola, unidades de saúde, transporte, educação, cultura, justiça e lazer. Vamos amadurecer a mobilidade regional, pavimentando as estradas entre os distritos e as cidades, e integrar os terminais rodoviários aos principais serviços dos municípios. Vamos criar os polos industriais no interior, incentivar os arranjos produtivos e implantar o Bolsa Empreendedor, que dará crédito e assistência técnica aos pequenos negócios. Nós também fortaleceremos a agricultura familiar, levaremos a assistência técnica para o campo e resgataremos o papel planejador da Emparn e Emater. A diminuição das desigualdades regionais é o caminho para a construção de um futuro mais rico e justo para os potiguares, e ela passa necessariamente pelo acesso ao conhecimento e à tecnologia, investimento planejado nas potencialidades de cada território e fortalecimento da democracia participativa.”


geral

Domingo | 05 de setembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

7

CONCERTO

[ SEGURANÇA ] Produtores e frequentadores do espaço cultural

[ POLÍTICA ] Em vídeos postados no YouTube,

FILARMÔNICA DE MINAS VEM A NATAL

pedem policiamento ostensivo no bairro durante à noite

parlamentar comenta negociação de voto

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais vai percorrer sete estados das regiões Norte e Nordeste, em sua maior turnê nacional: Salvador, João Pessoa, Recife, Natal, Fortaleza, Belém e Manaus recebem a Orquestra em concertos nos principais teatros dessas capitais. Sob regência de Fabio Mechetti, os músicos apresentam as obras O Guarani: Protofonia, de Carlos Gomes; Egmont: Abertura, de Beethoven; a Sinfonia n° 41, “Júpiter”, de Mozart; e a bela Sinfonia n° 8 em Sol maior, de Dvorák. A apresentação em Natal será dia 14, no Teatro Alberto Maranhão. CRIME

JOVEM É EXECUTADO NA ZONA NORTE Um jovem de 18 anos, identificado como Leandro Borges da Silva, foi morto na noite de sexta-feira (3) com seis tiros. O crime ocorreu por volta das 21h, no Loteamento Jardim Progresso, zona norte da capital. Segundo informações de populares à polícia, a vítima chegava de bicicleta a Sorveteria São Paulo, na Rua Antônio de Moraes, quando um homem disparou contra ele. O primeiro tiro atingiu a perna. Outros cinco tiros foram disparados contra o tórax e cabeça da vítima, que faleceu no local. Ainda segundo informações da polícia, leandro Borges respondia, em liberdade, por homicídio o que levar a crer que o motivo do crime seja acerto de contas. JOGOS

PRÊMIO DE R$ 1,6 MILHÃO NA SENA Um apostador acertou a Sena, sexta-feira 3, no 1º sorteio do concurso 895 da Dupla Sena e ganhou R$ 1.628.911,03. No mesmo sorteio, 31 apostadores fizeram a Quina e levaram R$ 3.731,35 cada. A Quadra premiou 1897 pessoas, com R$ 58,07. No 2.o sorteio, ninguém acertou a Sena. A Quina premiou 51 apostadores, com R$ 2.268,07 e a Quadra 2977, com R$ 37,00 cada um. O concurso 2389 da Quina não teve ganhadores. A estimativa é de que o concurso 2390 pague um prêmio de até R$ 900.000,00. A Quadra pagou R$ 4.091,62 para 72 apostadores e 6.177 fizeram o terno e receberão cada um R$ 68,13. Os sorteios da Quina e da Dupla Sena foram realizados no município de Santa Rosa do Viterbo (SP).

Sargento Regina recua nos esclarecimentos

Crime na Catita foi ato isolado, A dizem comerciantes FOTOS:RODRIGO SENA

espera da tão prometida revitalização, a Ribeira vai resistindo ao tempo com o seu casario antigo e a teimosia de alguns aficionados da cultura e da boêmia. Quinta e sexta-feiras são os dias de maior agito de um bairro que viveu, à meia noite da última quintafeira, cenas de um filme de bang-bang americano. Com a morte, a tiros, de dois operários de da construção civil, deixando ainda dois feridos, um operário e uma universitária que saía de um evento quando voltava para o seu carro, na rua Câmara Cascudo, local do duplo homicídio. Os crimes ocorreram depois que as vítimas chegaram de um bar em Igapó, onde teriam se envolvido numa discussão e tinham parado para beber numa barraca próximo ao Espaço Cultural do Buraco da Catita, situado na travessa José Alexandre Garcia. O bancário José Marcelo de Souza é um dos freqüentadores do Buraco da Catita e acredita que esse “foi um fato isolado”, que em nada vai “influenciar o público que conhece o bar e a Ribeira”, porque, segundo ele, “a violência está no mundo e no Brasil todo”. A TRIBUNA DO NORTE deu uma volta no quarteirão “cultural” da Ribeira e não viu um policial sequer fazendo a ronda da área, embora na noite de anteontem, havia uma certa agitação por causa de um evento que estava ocorrendo no Teatro Alberto Maranhão (TAM): “Aqui não falta guarda não, o prédio público não pode ficar abandonado”, dizia o cabo Itar Índio da Silva, da guarda patrimonial do Estado que se reveza com outro militar reformado na tarefa de vigiar o TAM, tenha ou não alguma peça teatral. O músico e agitador cultural

À

“A Ribeira está entregue”, avalia o músico Camilo Lemos

“Em frente ao TAM não falta guarda”, diz cabo Itar da Silva

Camilo Lemos disse que já encaminhou ofício para as autoridades públicas, do município e do estado, pedindo apoio à realização dos eventos na Ribeira, como forma de prevenir coisas como a que ocorreram no meio da semana. Segundo ele, as vítimas do atentando “não eram frequentadoras” da Casa, mas se tivesse um ordenamento das barracas que ficam próximas ao Buraco da Catita, certamente o incidente não teria acontecido ali, numa área onde circulavam tantas pessoas, embora no momento dos tiros, o público já tivesse quase todo se retirado. “A Ribeira está entregue”, avalia Camilo, que informou já feito pedido à prefeitura para ordenar a questão dos barraqueiros e ao comandante da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo, uma guarnição para fazer a ronda nos dois dias de abertura do Buraco da Catita. O artista Galvão Filho teme que se não houver um apoio à revitalização da Ribeira, como hoje é feito no Recife Velho, na capital pernambucana, vai ocorrer a mesma

coisa que ocorreu com a rua Chile, quando se tentou fazer dela um corredor cultural, que hoje praticamente inexiste. Para ele, o Buraco da Catita, é um espaço “underground” que faltava a Natal e se nada for feito, vai se acabar como outras que também morreram em Natal. “É preciso haver apoio e organização do poder público, não dá para fazer depois”, apelou o músico. VIATURA A presença de viaturas da Polícia Militar, especialmente no turno da noite, no bairro da Ribeira, está quase sempre associada às eventuais demandas que chegam ao Itep ou quando há eventos de grande porte, afirmam os comerciantes e alguns frequentadores do bairro. Entre as observações de quem freqüenta a Ribeira, seja à noite ou durante o dia, é que deveria haver um policiamento ostensivo mais intenso. Especialmente com uma base — trailer ou mesmo duplas de policiais a pé ou com apoio de viatura.

CRIME

PRESO ENVOLVIDOS EM FRAUDE NO PARÁ Cinco pessoas, entre elas dois empresários e três servidores da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) de Belém (PA), foram detidos nesta sexta-feira pela Polícia Federal, acusados de montar um esquema de fraude na Secretaria de Saúde do município. Segundo o Ministério Público Federal, a fraude com as licitações atingiu mais de R$ 10 milhões em recursos federais. Os detidos foram denunciados criminalmente e são acusados de formação de quadrilha, fraude em licitações, peculato e falsidade ideológica. Eles já foram encaminhados à carceragem da PF. O secretário Sérgio Pimentel não foi preso porque está no exterior. O MPF informou que o esquema foi montado no início deste ano na Secretaria de Saúde da capital paraense e fraudou duas licitações que somavam R$ 10,3 milhões em recursos federais. As investigações se iniciaram com a apreensão de documentos das licitações, em junho passado.

Movimentação no Buraco da Catita é grande às sextas-feiras, mas público reclama de apoio policial

Criminalidade na Ribeira é baixa O bairro boêmio da Ribeira, localizado em área portuária e cercado por repartições pública e financeiras, registra baixos índices de criminalidade, na avaliação do coronel Edmundo Clodoaldo Silva Júnior, do 1º Batalhão de Polícia Militar da Ribeira. Segundo ele, casos de homicídios - como ocorrido nas proximidades do bar Buraco da Catita, esta semana - são fatos isolados. Questionado sobre as solicitações por parte de comerciantes e moradores da área, para que a polícia esteja mais presente, o coronel informa que estas não chegaram ao Batalhão, sendo atendidas as que são enviadas. “A Polícia Militar trabalha em cima de números e não em cima de vontade própria. E a central de

informações, que não pode ser fraudada, não registra altos números na Ribeira e Rocas. Ao contrário, a criminalidade é baixa”, frisa o comandante. “Inclusive, ontem (sexta-feira) foram enviadas três guarnições ao Buraco da Catita”, acrescenta. O bairro é assistido por duas guarnições da polícia militar, além da viatura do oficial de serviço, que faz ronda 24 horas. Na região, pontos-bases são montados nas proximidades da Codern, Receita Federal, Itep, Natal Card, Comércio das Rocas e Mercado do Peixe. O reforço com uso de cavalaria ou motos é dispensável, segundo coronel Silva Júnior, devido as ações realizadas nas áreas por destacamentos da Rocam, BPChoque e Bope.

“O efetivo é suficiente para darmos cobertura, inclusive devido a logística trabalhada”, garante. Todas as operações realizadas pelo 1º BPMR, três vezes por semana, partem do eixo Ribeira-Rocas-Santos Reis, antes de irem aos bairros a serem investigados. Embora a conhecida movimentação de rotina dos bares, sobretudo no fim de semana, o coronel orienta que para a realização de eventos maiores, há a necessidade de comunicação ao batalhão, para garantir o reforço policial. Sobre o autor do duplo homicídio na madrugada do dia 2, no Buraco da Catita, as investigações continuam por parte da Polícia Civil. Ainda não há informações sobre identidade e paradeiro do assassino.

pesar de anunciar coletiva para o sábado, dia 4, para esclarecer os vídeos postados no site Youtube, a exvereadora e candidata a deputada estadual Sargento Regina, preferiu não dar entrevista. Procurada pela TRIBUNA DO NORTE, via celular, a assessoria de imprensa informou que uma nota de esclarecimento publicada no blog de cabo Heronides, encerram as explicações acerca do material divulgado na internet. Nos 15 vídeos, a parlamentar aparece comentando negociação de voto com o presidente da Câmara Municipal de Natal, vereador Dickson Nasser (PSB). Esquemas para compra de voto e apoio de lideranças no interior, para a campanha de 2010. Além de acusar os vereadores Raniere Barbosa e George Câmara de desvio de recursos públicos; e explicar como se dar a repartição dos vencimentos de cargos comissionados do poder público. A nota - assinada por presidentes e diretores das Associações representativas de Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar – afirma que o vídeo foi gravado durante reunião realizada no Clube Tiradentes, no início de 2009, com representantes destas entidades. E que tais declarações são o desabafo “sobre as cobranças que vinha recebendo no Gabinete mais precisamente da ACSPM–RN. E sobre o jogo político com o qual se deparou logo que assumiu o

mandato. E do qual nunca fez parte. (…) Reproduziu francamente o cenário que encontrou no legislativo municipal, as concessões e a troca de favores. As negociações e os números de votos como moeda de troca dentro do jogo político”. O texto acusa o Policial e Bombeiro Militar, o cabo Jeoás – Presidente Executivo da ACSPM-RN de guardar o vídeo gravado no início de 2009 até este momento para desconstruir o projeto da categoria. “A divulgação do material editado desta forma é tão somente a tentativa desesperada de descredenciar a Sargento Regina como representante legítima dos Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.” A TN tentou contato com o Ministério Público Federal e Estadual para saber quais procedimentos serão adotados na apuração das declarações. Segundo informações da assessoria de imprensa do Ministério Público Federal, por se tratar de um caso concreto – com vídeos postados na rede de computadores – é vetado ao procurador se pronunciar antecipadamente. Em nível estadual, o Ministério Público informou que o procurador geral do Estado, Manoel Onofre Neto encontra-se em férias, fora da cidade. E que as declarações sobre a distribuição dos rendimentos de cargos comissionados deverá ser apurada pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público.


8

geral

Natal | Rio Grande do Norte| Domingo | 05 de setembro de 2010

De acordo com Sindicato dos médicos, paralisação nas unidades de saúde do município é forma de pressionar a prefeitura a alterar o projeto de lei que versa sobre o Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos dos funcionários da Saúde

[ GREVE ]

Médicos entram em greve hoje ALDAIR DANTAS

população ficará sem atendimento na rede municipal de saúde da capital, a partir de hoje. A paralisação nas unidades de saúde foi a forma encontrada pelo Sindicato dos Médicos (Sinmed) para pressionar a Prefeitura a alterar o projeto de lei que versa sobre o Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos (PCCV) dos funcionários da Saúde, encaminhado à Câmara Municipal em 10 de agosto passado. Com os cerca de 700 médicos da rede municipal de braços cruzados, a população não deverá encontrar médicos nos postos de saúde. Já nas unidades de pronto atendimento - como as localizadas nos bairros de Mãe Luiza, Pajuçara e Ci-

A

Médicos e funcionários da saúde pintaram o rosto em protesto

[ TRÂNSITO ] Duas faixas de rolamento foram interditadas, gerando uma fila

de carros com cerca de 1 quilômetro de extensão e revolta de motoristas

Troca de poste da Cosern causa congestionamento na costeira ALDAIR DANTAS

troca de um poste na Via Costeira provocou um grande congestionamento no sentido centro-Ponta Negra, durante a manhã de ontem. Para a execução, as duas faixas de rolamento foram interditadas, gerando uma fila de carros com cerca de 1 quilômetro de extensão e revolta entre os motoristas, que queixavam-se por não haver qualquer sinalização de alerta na via. O serviço, que durou aproximadamente uma hora, foi desenvolvido por funcionários que utilizavam macacões com a identificação da Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern). Para tanto, foram posicionados cones, no intuito de isolar a área em torno do poste que havia sofrido avarias, enquanto um guindaste e cerca de cinco funcionários desenvolviam a colocação de uma nova peça da rede de energia e retiravam a antiga. Por não haver sinalização acerca do serviço ao longo da Via Costeira, os motoristas eram pegos de surpresa com a interdição e obrigados a esperar até sua conclusão. Mas nem todos os condutores demonstravam a paciência necessária para aguardar a conclusão do trabalho e alguns retornavam na contramão ou passavam para o sentido oposto da via, em arriscadas manobras, que poderiam ter se transformado em acidentes de grandes proporções. A reposição do equipamento foi provocada pela colisão de um Toyota Corolla contra o poste localizado nas proximidades do Hotel Serhs, durante a madrugada do sábado. A liberação do trânsito ocorreu às 9h20.

A

Alguns condutores mais impacientes desistiram de aguardar a conclusão do trabalho e retornavam na contramão ou passavam para o sentido oposto da via, em arriscadas manobras”

Sem sinalização, motoristas foram pegos de surpresa

dade Satélite – não deverá haver alteração, já que nesses locais os médicos são contratados através de cooperativas ou empresas e o serviço é terceirizado. De acordo com o Sinmed, será mantida a quantidade mínima exigida por lei, de 30% de profissionais trabalhando. Segundo o presidente do Sinmed, Geraldo Ferreira, a paralisação visa pressionar a Prefeitura por salários justos, melhores condições de trabalho para os profissionais da categoria, para que seja possível oferecer um atendimento digno à população. Ferreira lembra que a atual gestão, assumiu a administração municipal com a promessa de resolver questões ligadas à saúde pública em um período de 100 dias.

Entretanto, em mais de um ano de mandato, não é possível perceber qualquer melhora no que diz respeito ao atendimento à população ou às condições de trabalho dos profissionais de saúde. “Queremos dar um basta no caos em que a saúde pública se encontra atualmente e tomamos a iniciativa de realizar a suspensão do atendimento, por acreditarmos que a administração municipal não tem dado a devida atenção ao problema”, afirma. O presidente do sindicato explica que as alterações reivindicadas pela categoria e rejeitadas pelo Gabinete Civil se referem à Gratificação de Atividade Médica – R$ 3 mil - que, na opinião da categoria, deve ser estendida a todos os médicos, inclusive os municipalizados,

do Samu e do Programa Saúde da Família. “Entendemos que a atribuição de médicos é comum e buscamos isonomia”. Serviços como Samu, deverão funcionar com 50% do efetivo, enquanto os demais com apenas 30% de acordo com a alei de greve. Na manhã de ontem, um grupo formado por 15 médicos realizou uma mobilização, em frente ao Hospital dos Pescadores, nas Rocas. Entre discursos inflamados, os integrantes do Sinmed pintaram o rosto, fazendo duas linhas preta em cada bochecha. De acordo com Geraldo Ferreira, a iniciativa foi tomada para simbolizar que a categoria está entrando em uma guerra, lembrando o antigo hábito dos índios.


geral

Domingo | 05 de setembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

[ CENSO 2010 ] Apesar do ritmo acelerado dos trabalhos de coleta de dados, recenseadores têm dificuldade em

algumas cidades de pequeno porte no interior e enfrentam problemas para entrar nos condomínios da Grande Natal

IBGE reforça trabalho no feriadão m mês depois de iniciado, os recenseadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) coletaram informações de 62% da população do Rio Grande do Norte. Vila Flor, no Litoral Sul, foi a primeira a atingir 100% dos habitantes, mas como 20% dos domicílios ainda não foram visitados, existe a possibilidade de a população sem bem maior do que a estimativa feita pelo IBGE no ano passado e que serviu de parâmetro para o Tribunal de Contas da União (TCU) fixar os coeficientes do Fundo de Participação dos Estados e Municípios. Em Florânia, os recenseadores já contaram 8.059 habitantes, o que corresponde a 95% da população estimada. Das cidades de porte médio, os melhores desempenho são os de Caicó, que atingiu 75% na última sexta-feira; e Assu, com 40.116 moradores recenseados (75%). Na ponta de baixo do ranking estão Bodó, com apenas 29% e Timbaúba dos Batistas, com 32%. Em Parnamirim, terceira maior cidade do Estado, a comissão censitária municipal resolveu reforçar o esquema no feriadão. O trabalho dos recenseadores será desenvolvido normalmente

U

neste domingo, na segunda e também no feriado de terçafeira. Para ajudar na divulgação do trabalho, um carro de som vai percorrer as ruas dos bairros convocando a população a abrir as portas para o recenseadores. “Enfrentamos problemas para entrar nos condomínios, especialmente em Nova Parnamirim”, disse o coordenador de divulgação, Ivanilton Oliveira. Neste domingo, o reforço das operações será em Emaús, na área da passarela e também em condomínios e residências nas imediações do cemitério Morada da Paz. Na terça-feira, os recenseadores intensificam o trabalho em Nova Parnamirim. Tendo como slogan “Você responde e o Brasil corresponde”, o trabalho de coleta de dados começou em 1º de agosto e vai até o final de novembro. Em dezembro haverá a divulgação dos primeiros resultados. Antes disso, o IBGE repassa as informações sobre população para o Tribunal de Contas da União definir os coeficientes de repasses de verbas federais (FPM e Saúde) de 2011 para as prefeituras e governos estaduais. Dúvidas e informações: 0800-721-8181

MAPA DO CENSO Municípios do Rio Grande do Norte e índice populacional pesquisado no mês de agosto OS MELHORES Município Vila Flor Florânia Bom Jesus Serra Negra Viçosa Lagoa de Velhos Riacho da Cruz São Paulo Potengi Lajes Pintadas Campo Redondo Ruy Barbosa Água Nova Porto do Mangue Itajá Angicos

(%) 100 95 93 88 86 86 84 83 83 82 80 80 79 79 79

OS PIORES Município Bodó Timbaúba dos Batistas Ielmo Marinho São Miguel do Gostoso Ipueira Nova Cruz São Vicente Olho D’Água do Borges Caraúbas Tibau Extremoz Galinhos Caiçara do Rio dos Ventos Monte das Gameleiras Pedra Grande

(%) 29 32 34 37 38 38 38 39 40 40 41 41 42 43 44

9


10 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 05 de setembro de 2010

[ ELEIÇÕES 2010 ] Ilzamar Mendes critica uso político da imagem do marido pelo PT e afirma

que só Marina tem o direito de vincular sua trajetória de vida à luta de Chico Mendes

Cláudio Humberto E-mail: ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br

Contador cobrou R$ 10 mil

O

contador Antonio Carlos Atella Ferreira, que acessou os dados fiscais sigilosos de Verônica Serra, filha do candidato a presidente José Serra (PSDB), exigiu pagamento de R$ 10 mil para conceder entrevistas, assim que seu nome foi divulgado pela Receita Federal, na quinta-feira (2). A Band foi uma das emissoras que receberam a proposta, mas se recusou a fazer o pagamento. Perdeu o “furo”.

A ORIGEM DE TUDOA suspeita é que o falso procurador vendeu os dados fiscais da filha de Serra a pessoas recrutadas em Minas para devassar a vida do paulista.

A Receita é órgão de Estado, e não pode fazer política partidária”

JOSÉ SERRA, candidato do PSDB, sobre a violação do sigilo fiscal de sua filha Veronica

MUI AMIGOS O objetivo de quem mandou investigar Serra era “ajudar” Aécio Neves, aparentemente à sua revelia, na disputa para ser o candidato do PSDB.

Retrato

Outra batalha

A Abin, mais muda que samambaia no brejo, diante de novo escândalo de violação de sigilo, exibe sua “missão” na internet: “desenvolver atividades voltadas para a defesa do estado democrático de Direito.”

Após inútil inquérito em que denunciou assédio moral do então cônsul-geral no Canadá, Américo Fontenelle, o ex-funcionário Geoges Cunninghan pena há três anos para receber seus direitos trabalhistas.

A ‘VINGANÇA’ Dias antes da quebra do sigilo de Verônica, amigos mineiros atribuíram à turma de Serra a tentativa “plantar” falsas notícias contra Aécio.

Craques batem um bolão na política No Pará, a política virou uma grande jogada para atletas de futebol. O artilheiro Robson “Robgol” busca a reeleição para deputado estadual. Do seu ex-clube, Paysandu, saíram outros dois: o atual vereador Vandick Lima e Zé Augusto (o conhecido “Zé Doido”), atacante do clube que disputa a série C do Brasileirão. Pelo rival Remo, disputam o ex-jogador Arthur, o “Rei Arthur”, e Landu, atual atacante do clube.

AJUDA EXTERNAAraponga do antigo SNI do Rio seria o elo entre “clientes” na quebra de sigilo e a quadrilha que prestava esse serviço sujo em São Paulo.

Aprendiz

Mui querida

O governador do DF, Rogério Rosso, aprendeu ligeiro. Mandou abrir licitações nos órgãos Novacap e DER faltando só quatro meses para deixar o governo. Não cuida das atuais e ainda quer começar outras.

O Planalto anda festejando pesquisas internas para o Senado, em São Paulo, que apontam o cantor Netinho (PCdoB) com chances de ser o mais votado, restando a Marta Suplicy (PT) apenas a segunda vaga.

CALABOCA Lula disparou palavrões quando viu na tevê o ministro Guido Mantega (Fazenda) discorrendo sobre quebra do sigilo. Mandou que se calasse.

Sede ao pote

Palácio

Brasília anda muito seca, mas não justifica a sede da rapaziada que contratou os shows do programa Virada Cultural, da Secretara de Cultura do DF. Artistas receberam cachês até quatro vezes maior.

A Câmara dos Deputados, que anda mais vazia que porta de cemitério à noite, vai gastar R$ 7,7 milhões com seus copeiros e com os copeiros e cozinheiros da residência oficial do presidente Michel Temer.

VIDA DURA Se da gripe, da morte e dos impostos ninguém escapa, Cuba tem mais uma fatalidade: os discursos de Fidel Castro. Recomeçaram, na sexta.

Pagando mico O líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), está uma arara: reclamou ao ministro Alexandre Padilha (articulação) que foi induzido a erro (e a um mico histórico) ao dar entrevista jurando ser “verdadeiro” o documento de Verônica Serra autorizando a própria quebra de sigilo.

BEM RELAXADOConvenceram o senador Osmar Dias (PDT) de que ele será ministro da Agricultura de eventual governo Dilma, caso perca o governo do Paraná para Beto Richa (PSDB), líder nas pesquisas. Ele acreditou. PIOR NÃO FICA A classe já tem seu Tiririca: o loquaz e “histriônico” contador da procuração falsa para vazar o sigilo da filha de Serra.

Viúva de Chico Mendes faz campanha por Marina RODRIGO SENA

R

io Branco (AE) - Desfiliada do PT há três anos, Ilzamar Mendes, viúva do líder seringueiro Chico Mendes, assassinado em 1988, faz campanha pela candidatura à Presidência de Marina Silva (PV) no Acre. Sem filiação partidária, embora não esconda sua simpatia pelo PV, Ilzamar critica o uso político da imagem do marido pelo PT e diz que só Marina tem o direito de vincular sua trajetória de vida à luta de Chico Mendes. A viúva revela, em entrevista exclusiva à Agência Estado, que pouco antes do crime, o seringueiro manifestava o desejo de deixar o partido que ajudou a fundar no Estado. “A política do PT no Acre é feita em cima da luta do Chico. Se ele não tivesse morrido, ninguém estaria aí no poder. O PT tomou a luta dele para si”, desabafa a viúva. Ilzamar lembra que o líder seringueiro estava se aproximando de lideranças do PV e cogitava a saída do PT. Segundo a viúva, Chico estava desgostoso com a tentativa de radicalização do movimento em defesa da floresta e dos trabalhadores. “Tinha gente querendo se infiltrar na luta dele. O Chico Mendes defendia a ação pacífica, mas já tinham alguns radicais”, disse. Ilzamar, que também participou da fundação do PT, conta que tolerou por muitos anos as posições do partido, embora não concordasse com algumas situações. “Muitos se aproveitaram para aparecer após a morte do meu marido”, critica. Ela lembra que, na época com 23 anos e dois filhos pequenos (Elenira, então com 4 anos, e Sandino, com 2 anos), ficou desorientada com a perda do marido e o PT nunca a apoiou. “Eu levei algum tempo relevando, mas depois passei a discordar”, afirma. Ilzamar diz que a mudança de postura gerou desconforto dentro do PT do Acre, a ponto de tentarem afastá-la da direção da Fundação Chico Mendes (entidade que cuida da memória do seringueiro), da

Marina tem apoio da viúva do líder dos seringueiros,que morreu lutando pela preservação da floresta

qual ainda é presidente. “O Chico não estaria hoje no PT, estaria no PV”, acredita. Para ela, o PT mudou nos últimos anos e Chico não apoiaria essas mudanças. “Começando pelo mensalão.” A viúva diz ter se decepcionado com o governo Lula. “Eu esperava mais do Lula, mais apoio aos trabalhadores”, afirma. Ilzamar critica um das estrelas do governo: o Bolsa Família. “O Chico dizia que não se deve dar o peixe, mas ensinar a pescar. O Bolsa Família ajuda, mas será que é só disso que o povo precisa?”, questionou. Para ela, o papel do Estado é dar condições iguais de sobrevivência. Ilzamar critica também os 12 anos de administração petista no Acre, liderada pelos irmãos Jorge e Tião Viana e que, em sua opinião, mantém os seringueiros e ribeirinhos do interior do Estado em condições miseráveis. “A política do PT foi construída para o centro da cidade. E ainda fizeram história em cima do meio ambiente, enquanto os seringueiros estão esquecidos”, afirma.

Justiça investiga troca de votos por drogas João Pessoa (AE) - O juiz Ozenival dos Santos denunciou na última sexta-feira que cabos eleitorais estão trocando votos por crack no município de Solânea, a 140 quilômetros de João Pessoa. A Polícia Federal já foi acionada para investigar as denúncias feitas pelo magistrado, que é titular da 48ª Zona Eleitoral da Paraíba, com sede na cidade de 28 mil habitantes e 22,4 mil eleitores. “Nós temos aqui (em Solânea) muita gente envolvida com droga e muita gente consumidora está sendo usada por cabos eleitorais em processo de troca de votos pelo crack”, disse o juiz em entrevista a uma emissora do grupo Correio, de João Pessoa.

O delegado da Polícia Federal, Derly Brasileiro, declarou que recebeu a denúncia do juiz de Solânea e que enviará à cidade uma equipe para investigar o caso. De acordo com a denúncia do juiz, a troca de votos por crack envolveria traficantes, cabos eleitorais, políticos e motoboys que funcionariam como base de apoio ao esquema de distribuição da droga. “Não é uma investigação fácil, mas Solânea receberá policiais federais especialmente para isso”, afirmou o delegado Derly Brasileiro. De acordo com o juiz de Solânea, “é uma situação constrangedora saber que pessoas ainda são capazes de votar com o objetivo apenas de ganhar uma, duas ou três pedras de crack”. “É uma infelicidade, mas é uma realidade que nós enfrentamos aqui em Solânea”, acrescentou o magistrado.

[ MUNICÍPIOS ]

Verbas da União não têm aumento desde 2008

A

s prefeituras receberam, a última parcela do mês de agosto do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) já descontados os valores do Fundeb, com um repasse de R$ 963.006.704,92. Embora tenha havido acréscimo de 20,8% em comparação a agosto de 2009, o aumento se deve a dois repasses extras de R$ 143 milhões relacionados às decisões judiciais e reclassificação de receitas. Já em relação à estimativa da Receita, houve um aumento de 11,65%. A Receita previa R$ 3,8 bilhões para agosto, porém o total repassado é de R$ 4,3 bilhões. Para o presidente da União Brasileira de Municípios, Leonardo Santana, esses números não indicam uma recuperação esperada para o FPM, nem desafoga as contas municipais, pois, segundo ele, os Municípios já amargam, durante dois anos, perda de mais de 53% dos recursos do FPM, onerando ainda mais as administrações, em virtude do atraso dos compromissos, impulsionando as prefeituras aos caos financeiro. Leonardo lamentou que o momento ainda seja de apreensão quanto ao atendimento da equipe econômica em relação aos municípios, sobretudo os que vivem exclusivamente do FPM.


Domingo | 05 de setembro de 2010

geral

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11

‘O CONGRESSO DEVE APROVAR O CONTROLE SOCIAL DA MÍDIA?’ CANDIDATOS AO SENADO DAS PRINCIPAIS COLIGAÇÕES PARTIDÁRIAS TÊM POSIÇÕES CONVERGENTES, EM SUA MAIORIA, SOBRE A PROPOSTA DA CRIAÇÃO DE MECANISMOS PARA CONTROLAR OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO s candidatos ao Senado Wilma de Faria (PSB) – coligação “Vitória do Povo”; Garibaldi Alves (PMDB) – “Para um Rio Grande do Norte Melhor”; Sávio Hackradt (PC do B), “Coragem para Mudar”; e José Agripino Maia (DEM), “A Força da União” são, em suma, contrários a qualquer mecanismo de controle da mídia social. O tema enviado pela

O

TRIBUNA DO NORTE aos candidatos de quatro das principais coligações focaram a necessidade de se manter a imprensa livre. Sávio Hackradt disse ter uma “posição clara a favor da liberdade de expressão e de imprensa”, garantidas na Constituição Federal e elencou um texto aprovado durante a Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), segundo

ele resultante de ampla discussão nacional envolvendo a a sociedade com representantes dos mais variados segmentos. Ele destacou uma seleção das 13 principais propostas aprovadas pela Confecom. Wilma de Faria afirmou que não é aceitável, sob qualquer pretexto, a invasão da vida privada. “A lei precisa ser rigorosa e punir quem ferir os limites”. Mas desta-

GARIBALDI ALVES

cou que não vê sentido a discussão em torno do controle social da mídia nos termos em que vem sendo posto. “Uma tentativa de controle da informação, por decorrência lógica, é uma tentativa de controle da liberdade de expressão”, assinalou. Para Garibaldi Alves, o tema deve ser analisado em maior extensão e dentro de uma aborda-

gem mais completa do que seja o controle social das políticas e ações do poder público. Mas criticou o fato de tratar-se o caso específico em tentativas de atentado indisfarçável à liberdade de pensamento, expressão e informação. “As liberdades públicas não podem tolerar qualquer tipo de patrulhamento à imprensa, muito menos a censura às suas iniciativas em

JOSÉ AGRIPINO EMANUEL AMARAL

“O tema em debate deve ser analisado em maior extensão,isto é,dentro de uma abordagem mais completa do que seja o controle social das políticas e ações do poder público.A democracia tem por alicerce a representação popular.Governo do povo,a democracia se exerce,de forma geral e rotineira,não diretamente pela intervenção popular,mas através de representantes eleitos.No Brasil de nossos dias,sob a Constituição Cidadã de 1988,o poder emana do povo,e é por ele exercido através de seus representantes,eleitos livremente,através do voto direto e secreto.A intervenção direta do povo se faz em alguns casos específicos.O exemplo mais notório é a iniciativa popular de projetos de lei apresentados ao Congresso Nacional,experiência ainda incipiente,mas que já tem dado frutos,como as duas leis que tratam da punição à compra de votos nas eleições e a da ficha limpa.

De uns tempos para cá,entretanto,tem-se disseminado a ideia de se impor ao Congresso e ao Governo mais ampla intervenção direta de movimentos populares.É o chamado controle social, que,não sendo universal,como a iniciativa popular das leis,corre o risco de descambar para o sectarismo de grupos e ideologias. Geralmente,este pretendido controle social se faz conforme deliberações de conferências sobre os mais variados temas, conferências estas de que participam não todos os eleitores,mas só os cidadãos já agrupados em organizações civis com propósitos próprios e definidos.Como disse,isto pode levar a posições ideologicamente inaceitável para a verdadeira democracia,pautada pela igualdade e a liberdade. É o caso do anunciado controle social da mídia.Trata-se de atentado indisfarçável à liberdade de pensamento,expressão e

informação.As liberdades públicas não podem tolerar qualquer tipo de patrulhamento à imprensa,muito menos a censura às suas iniciativas em busca da notícia,e de sua ampla e irrestrita divulgação. Este é direito inalienável do próprio povo, direito a ser informado plenamente,sem qualquer direcionamento,subterfúgio ou meias verdades. Ao condenar veemente esta ideia de controle da imprensa,chamo a atenção, mais uma vez,para o risco de se fazer esta pseudo democracia direta,com participação apenas de alguns,com os nocivos preconceitos de todas as ações sectárias e intolerantes. Aprimoremos a democracia representativa,buscando a saúde moral das eleições e no exercício dos mandatos, mas não à custa da participação universal do povo nos negócios nacionais.”

MARCELO BARROSO

“A imprensa e o Congresso são poderes irmãos que sustentam a democracia.Basta apenas um deles não ser livre,ou ser acuado,para o autoritarismo prosperar.Por isso,sem meias palavras,defendo a imprensa livre.Propostas como “marco regulatório”ou “controle social da mídia”podem ser formas disfarçadas de impor à população um fantasma chamado censura. Vale a pena contar a história desde o começo.A primeira iniciativa de amordaçar a imprensa,na última década,ocorreu em 2004,quando foi encaminhado ao Congresso um projeto de lei criando o Conselho Federal de Jornalismo.O Conselho teria poderes de “orientar,disciplinar e fiscalizar”o exercício da profissão e a atividade de jornalismo.Poderia, inclusive,punir jornalistas.No mesmo

ano,o Congresso,guardião da liberdade,rejeitou o texto. Mas a ideia do “controle social”à mídia foi reincidente tanto nos Congressos de militantes partidários,como,por exemplo,na Conferência Nacional de Comunicação,realizada em 2009.No começo deste ano,a questão voltou à tona por meio do 3º Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH). Pelo programa,o governo poderia suspender programações e cassar licenças de rádios e televisões,quando houvesse “violações”de direitos humanos. “Violações de direitos humanos”, no caso,foi apenas uma bela expressão que significava “ser contra o governo” (qualquer governo).Pressionado pelas verdadeiras entidades ligadas aos direitos humanos no Brasil,o governo retirou os pontos mais autoritários da

proposta. É preciso estar atento para defender o cidadão desses abusos à sua liberdade de receber informações,papel que procuro exercer no Congresso. Repudio a todas essas tentativas de censura.O jornalista deve ser tratado como um cidadão comum,com seus direitos dignos e também deveres. Nesse sentido,apoiei a emenda constitucional que restitui a obrigatoriedade do diploma do jornalista. Já as empresas de comunicação devem buscar a autorregulamentação e se submeter à lei como todas as outras.Os controles sociais da mídia podem ser apenas uma forma de o governo (qualquer governo),não a sociedade,esconder para debaixo do tapete as informações que não lhe interessam.“

WILMA DE FARIA

SÁVIO HACKRADT

RODRIGO SENA

ALEX RÉGIS

“Em dezembro de 2009,em Brasília,a primeira Conferência Nacional de Comunicação (Confecom),aprovou 672 propostas sobre a produção e a distribuição de informações jornalísticas e culturais no país.O fórum foi convocado pelo Governo Federal e,durante quatro dias,reuniu 1.684 delegados,40% vindos da sociedade civil,40% do empresariado e 20% do poder público. O que foi aprovado pela Confecom é resultado de uma ampla discussão nacional envolvendo a nossa sociedade com representantes dos seus mais variados segmentos.Tenho uma posição clara a favor da Liberdade de Expressão e de Imprensa,garantidas em nossa Constituição.Apoio e destaco abaixo uma seleção feita pelo Coletivo Intervozes de 13 das principais propostas aprovadas pela Confecom: 1.A afirmação da comunicação como direito humano,e o pleito para que esse

busca da notícia, e de sua ampla e irrestrita divulgação”. José Agripino Maia foi mais longe e disse que “a imprensa e o Congresso são poderes irmãos que sustentam a democracia”. “Basta apenas um deles não ser livre, ou ser acuado, para o autoritarismo prosperar. Por isso, sem meias palavras, defendo a imprensa livre”, ressaltou.

direito seja incluído na Constituição Federal;2.A criação de um Conselho Nacional de Comunicação que possa ter caráter de formulação e monitoramento de políticas públicas;3.O combate à concentração no setor,com a determinação de limites à propriedade horizontal,vertical e cruzada;4.A garantia de espaço para produção regional e independente;5.A regulamentação dos sistemas público,privado e estatal de comunicação,que são citados na Constituição Federal mas carecem de definição legal,com reserva de espaço no espectro para cada um destes; 6.O fortalecimento do financiamento do sistema público de comunicação,inclusive por meio de cobrança de contribuição sobre o faturamento comercial das emissoras privadas;7.A descriminalização da radiodifusão comunitária e a abertura de mais espaço para esse tipo de serviço,

hoje confinado a 1/40 avos do espectro; 8.A definição de regras mais democráticas e transparentes para concessões e renovações de outorgas,visando à ampliação da pluralidade e diversidade de conteúdo; 9.A definição do acesso à internet banda larga como direito fundamental e o estabelecimento desse serviço em regime público,que garantiria sua universalização,continuidade e controle de preços;10.A implementação de instrumentos para avaliar e combater violações de direitos humanos nas comunicações;11.O combate à discriminação de gênero,orientação sexual,etnia,raça,geração e de credo religioso nos meios de comunicação; 12.A garantia da laicidade na exploração dos serviços de radiodifusão; 13.A proibição de outorgas para políticos em exercício de mandato eletivo.”

“Não faz sentido a discussão em torno do controle social da mídia nos termos em que vem sendo posto. Uma tentativa de controle da informação, por decorrência lógica, é uma tentativa de controle da liberdade de expressão. Esse vício jurídico nasceu no regime de exceção e até hoje se tenta impor o controle da informação como se fosse salutar ao processo democrático, alegando ser em defesa dos bons costumes e do bem comum. A sociedade brasileira tem maturidade suficiente para conviver com a liberdade de expressão. Não é aceitável, sob qualquer pretexto, a invasão da vida privada. A lei precisa ser rigorosa e punir quem ferir os limites. Isto é inegociável no

capítulo dos delitos de opinião compendiados na lei comum, pois não há necessidade de lei especial, de controle ou regulamentação. A liberdade de expressão, como a própria liberdade, não se regulamenta. A liberdade deve ser exercida livremente. E se alguém exerce com excesso deve responder pelo excesso que pratica, todas as vezes que o atingido achar que deve reagir na defesa de sua dignidade. A reforma política não pode se furtar ao debate da liberdade de expressão no plano da cidadania. Não defendo opiniões na condição de proprietária de rádios, tevês ou jornais. Defendo a liberdade de expressão como um direito da cidadania.

É nessa perspectiva que a questão deve ser analisada. Mesmo que se possa lutar pela volta do diploma, afinal a formação acadêmica sempre é importante como formação profissional, isto nada tem a ver com o exercício da liberdade de expressão como conquista da sociedade e não apenas de uma categoria. O Brasil reconstruiu com o povo uma sociedade democrática e esta sociedade tem o dever se preservar a liberdade de expressão. Não apoio qualquer restrição à liberdade de expressão. É um direito que respeitei, mesmo quando fui vítima de distorções e acusações injustas. Não há sociedade livre sem liberdade de expressão. Regulamentar a liberdade é negar a própria liberdade.”


12 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 05 de setembro de 2010

[ COTIDIANO ] É cada vez maior o número de mulheres que buscam as academias de artes marciais no Rio Grande do Norte

para desenvolver práticas de defesa pessoal e melhorar as condições físicas e mentais para enfrentar o estresse do dia a dia

Mulheres invadem ‘clube do bolinha’ que antes era um verdadeiro “Clube do Bolinha”, ter aulas de defesa pessoal ou artes marciais já é, hoje, uma coisa atrativa para as mulheres. Tanto, que numa das academias mais procuradas, como a Escola Gracie Barra do Rio Grande do Norte, situada em Nova Parnamirim, pelo menos 30% dos 80 alunos que treinam jiu jitsu são mulheres. Além da conquista de um melhor condicionamento físico, o diretor da academia, que é uma franquia da famosa academia da família Gracie do Rio de Janeiro, professor Itácio Lisboa, afirma que a mulherada, atualmente, também procura a prática de uma arte marcial para aprender defesa pessoal. No caso do jiu jitsu, Itácio Lisboa explica que em uma hora de treinamento “se perde entre 700 e 1.500 calorias”, bem mais que em outras atividades físicas, como corrida ou ginástica aeróbica, “onde se perde, no máximo, 900 calorias”. O professor Lisboa informou que tem uma aluna na sua academia, que funciona na rua rua das Algarobas, nº 110, em Cidade Verde, que em virtude do risco inerente à sua profissão – oficial de justiça -, já passou por uma situação de violência e, por isso, decidiu entrar na academia para aprender defesa pessoal: “O trabalho dela é perigoso, mas defesa pessoal não é só para se defender, é também para evitar a violência”. Para Lisboa, quando uma pessoa está bem condicionada fisicamente e treina defesa pessoal, “só pelo fato dela saber, isso a torna mais segura”. Em ocasiões que essas pessoas podem passar por situação de violência, vão saber se há necessidade de reagir contra um ato dessa natureza. “Nesses casos elas podem protelar a reação e só agir no momento certo”, disse ele. Uma das 40 alunas de jiu jitsu da Academia Gracie Barra-RN, a secretária executiva Ilani Virgílio, disse que a prática dessa arte marcial foi muito benéfica “para tirar o estresse” do dia-a-dia. Ela disse que aliado ao fato de procurar o melhor condicionamento físico, também escolheu o jiu jitsu para aprender defesa pessoal. “Veja o mundo ai fora, muita violência”.

ALDAIR DANTAS

O

A estudante Mônica dos Santos e a secretária executiva Ilane Virgílio treinam jiu-jitsu para modelar o corpo,desenvolver técnicas de defesa pessoal e combater o estresse ALEX RÉGIS

Para ela, é importante uma prática de defesa pessoal, porque ninguém sabe o que pode encontrar pela frente numa: “É bom até para a gente aprender a se esquivar”. Ilane Virgílio pratica jiu jitsu ao lado do namorado Marcos Antonio Barros, com quem chega a brincar, na hipótese de ter uma briguinha entre os dois: “A gente pega ele e dá uns treinos”. Para Marcos Barros, o fato de treinar junto com a namorada contribui para melhorar a relação entre os dois: “Um cuida do outro”. Ele disse que a deixou à vontade para escolher a academia na qual desejava aprender jiu jitsu: “Não queria que ela viesse simplesmente porque eu era daqui”. A estudante Mônica dos Santos que “não sentiu nenhum preconceito” dos homens com relação ao fato das mulheres decidirem pela prática do jiu jitsu. “A gente traz o toque feminino”, disse ela.

O QUE SE PRATICA

HISTÓRICO

Três vertentes do do jiu-jitsu

O estilo Garra de Águia (Ying Jau) tem sua origem no norte da China,onde foi arduamente treinado pelas tropas do lendário General Yue Fei (Ngok Fei / Ó Fei), fundador do estilo.Yue Fei nasceu numa família de agricultores em 24 de março de 1.103 na província de Henan.Órfão de pai,foi educado por seu padrinho Chow que,além das matérias escolares,lhe ensinou técnicas de Kung-Fu que aprendeu no Templo de Shaolin.Dentre os treinamentos de Yue Fei, faziam parte:arquearia,lança, práticas internas de Qi Gong e técnicas de chaves e torções (Chin Na),que foram incorporadas no estilo que criara,o Garra de Águia.

Defesa Pessoal: Defesas e saídas de situações indesejadas que possam acontecer no cotidiano de um cidadão de bem.Torna o indivíduo mais seguro e coerente em suas reações e evita o embate desnecessário.Excelente para um melhor condicionamento físico e mental.Aumenta a flexibilidade e melhora o funcionamento dos músculos e articulações. Submission: É a prática do jiu-jitsu sem o uso do quimono.Se destina a competição ou,simplesmente,para um melhor condicionamento físico. Personal: Aula particular de Jiu-jitsu, defesa pessoal ou Submission ministrada por um professor faixapreta de uma academia. Fonte - Escola Gracie Barra/RN

Marcelo Sena: filosofia da não violência no tatame da academia

Resistência física é estimulada

Treino para melhorar a condição física e aprender uma defesa pessoal. Reagir a uma ameaça só se não houver outra alternativa.” FERNANDO CRUZ estudante, 17 anos

Com 100 alunos espalhados em academias de Natal e do interior, o professor Marcelo Sena diz que “pelo menos 10% dos alunos de kung fu são mulheres”. A maioria delas, segundo ele, procura as academias “para cuidar do corpo” e ganhar resistência física. Poucas são as mulheres, segundo ele, que querem aprender kung fu para a defesa pessoal. Quando isso ocorre, explica Sena, mudam logo de idéia porque a filosofia da arte marcial “é de pregar a não violência”. Uma pessoa bem treinada também ganha em defesa pessoal, embora a orientação de é que, em caso de violência, “ninguém deve reagir”, principalmente em casos de assaltos, quando o oponente está

armado, porque o risco de sofrer alguma violência “é muito grande”. Sena diz que que na matriz da Academia Shaolin Kung Fu Garra de Águia, que funciona rua Luzia Bezerra, 244, em Rosa dos Ventos, Parnamirim, as mulheres que estão treinando têm entre 17 e 25 anos. “Elas resolvem treinar por questão de estética e manutenção da saúde”, continuou ele. A estudante Fernanda Cruz, 17 anos,tinha dado uma parada, mas resolveu voltar, pior insistência dos amigos. “Eu treino pelas duas coisas, melhorar a condição física e aprender uma defesa pessoal”, disse ela, que em caso de sofrer algum tipo de ameaça, fala em reagir “somente se não tiver outra

alternativa”. Mesmo tendo passando por diversas situações de assalto em Parnamirim, as irmãs Maria de Fátima e Maria Aparecida Lucas diz que resolveram praticar arte marcial “mais para trabalhar o corpo” e mais para tirar o estresse “depois de um dia corrido de trabalho”. Com relação à defesa pessoal, Aparecida diz “que é bom aprender”, mas isso não é o foco principal, porque “não é aconselhável se correr o risco de reagir a uma violência”. O inspetor de qualidade Joanderson Alberto diz que está há dois anos na academia, mas depois que as meninas entraram lá, não viu nenhuma situação de preconceito em relação a elas.


Domingo | 05 de setembro de 2010

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 13

[ GUERRA ] Sete anos depois da conquista de Bagdá pelas tropas dos Estados Unidos, o Iraque ainda enfrenta problemas

de todas as ordens. Especialistas dizem que o país dificilmente terá um futuro de paz como imaginavam os americanos

EUA perderam o rumo no Iraque NABIL AL-JURANI / AE

ROBERT BURNS Associated Press

ashington - Pouco depois de as tropas norteamericanas terem capturado Bagdá, em abril de 2003, o mais alto oficial militar dos Estados Unidos fez uma previsão sobre o futuro da Guarda Republicana de elite de Saddam Hussein que reflete o enorme vácuo entre as expectativas norteamericanas e a realidade iraquiana. "Eles fazem parte da história", disse o general Richard Myers, então chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas, em entrevista a um repórter da Associated Press que viajou com ele de Washington para uma visita à frente de guerra. Myers estava falando sobre os planos norte-americanos para dispersar o aparato de segurança de Saddam, mas sua conclusão geral de que os homens leais ao líder iraquiano estavam fora do caminho e eram incapazes de prolongar a guerra se provou completamente errada. No Iraque, a realidade insiste em tomar o lugar das expectativas A diferença entre as duas situações ajuda a explicar por que demorou tanto para que os Estados Unidos encerrassem suas operações de combate e por que os esforços de segurança iraquianos podem falhar. Hoje, algumas pessoas questionam se a expectativa do presidente Barack Obama de que o Iraque não vai se despedaçar com a saída das tropas norte-americanas condiz com a realidade, num país que ainda enfrenta turbulências políticas e não conseguiu formar um novo governo meses após as eleições. Os historiadores vão esmiuçar os detalhes do que deu errado no Iraque, mas já é possível apontar uma razão para o desencontro entre as expectativas dos Estados Unidos e a realidade iraquiana: as tropas e diplomatas norteamericanos entraram no país com pouca compreensão sobre suas divisões sectárias e étnicas e sobre as profundas cicatrizes deixadas por décadas de governo repressivo de Saddam Hussein. Saddam governou como ditador entre 1979 e 2003. Ele foi enforcado em 2006. Essa falta de conexão teve um poderoso papel na alteração da

W

Garoto iraquiano joga pedra em carro das forças aliadas incendiado em Bagdá. Militares encontram dificuldades para estabilizar o país após a morte de Saddam

perspectiva sobre a guerra, que inicialmente não indicava a existência de um confronto longo e insensato. A desconhecida e resistente insurgência iraquiana se recusou a se curvar à visão norteamericana sobre o que era bom para o futuro do Iraque. Treze dias depois de Myers ter feito seu comentário sobre a Guarda Republicana e Guarda Republicana Especial, a corporação que fazia a segurança pessoal de Saddam, o então principal administrador civil em Bagdá, Paul Bremer, emitiu um decreto desmantelando o Exército do Iraque. Em vez de se dispersarem, como Myers havia previsto, os homens leais a Saddam encontraram um novo trabalho. Eles ajudaram a organizar e financiar grupos insurgentes como as Brigadas Revolucionárias 1920, que atuaram contra as forças norte-americanas em partes do Iraque dominadas pelos sunitas até mudarem de lado em 2007 e se juntarem ao combate à Al-Qaeda.

A Guarda Repúblicana de Saddam faz parte da história do Iraque RICHARD MYERS general dos Estados Unidos

Foi realmente apavorante, mas meus garotos trabalharam unidos. Sinto-me culpado"

Dose de realismo no campo de luta No dia 29 de março de 2003, um táxi laranja e branco estacionou perto de um posto de verificação administrado por soldados norte-americanos, no norte da cidade sagrada de Najaf. O motorista fez gestos pedindo ajuda e então explodiu o veículo, matando a si mesmo e a quatro soldados da 1ª Brigada do Exército, 3ª Divisão de Infantaria. Foi o primeiro ataque suicida com carro-bomba numa guerra na qual a tática se tornaria uma marca da insurgência. Richard Henson, sargento do pelotão ao qual os soldados mortos pertenciam, lembra do ataque com clareza. Ele também se lembra que quatro meses mais tarde contou a Paul Wolfowitz, secretário de Defesa que estava em visita ao Iraque, sobre o impacto emocional

RICHARD HENSON sargento

Oficiais cometeram erro de avaliação Nos primeiros meses da guerra contra o regime de Saddam, os oficiais de alta patente do Pentágono consideraram que os insurgentes não tinham "possibilidade de avanço" no confronto. Em entrevista concedida em julho de 2003 em Bagdá, Bremer disse que embora a segurança fosse um problema na região central do Iraque, os combatentes inimigos que estavam realizando ataques contra as tropas norteamericanas deveriam ser reprimidos. "Estes ataques não representam uma ameaça estratégica à coalizão", disse Paul Bremer, administrador de Bagdá. "Estes são ataques de pequena escala. Vamos pacificar esta região."

Nos primeiros dias da guerra, a confiança entre os militares norte-americanos era alta, alimentada pela crença de que os iraquianos estavam ávidos para aproveitar o final da era Saddam e a ter em suas próprias mãos os assuntos do país. E concluíram que, com Bagdá sob o controle da coalizão liderada pelos Estados Unidos a partir de 9 de abril e com a fuga de Saddam, a guerra teria uma conclusão rápida. Os fuzileiros navais, de fato, ajudaram a liderar uma ação em Bagdá e posteriormente passaram um verão tranquilo em áreas predominantemente xiitas ao sul da capital e deixaram o país em setembro.

Uma pequena mostra da confiança dos norte-americanos foi um objeto que Bremer levou consigo para o avião de Myers em sua chegada a Bagdá no dia 12 de maio. O objeto tinha os dizeres: "o sucesso tem milhares de pais". Bremer, um diplomata veterano, foi enviado para colocar o Iraque no caminho da democracia. Enquanto pousava em Bagdá, Bremer disse: "nós chegamos para depor um regime despótico. Isso nós já fizemos. Nosso trabalho é ajudar o povo iraquiano a reconquistar o controle de seu próprio país". Mas aí já havia sinais de confronto entre a expectativa e a realidade.

Estes ataques não representam ameaça à coalização. São ataques de pequena escala. Vamos pacificar esta região" PAUL BREMER administrador civil de Bagdá

que o ataque causou a ele. Wolfowitz, que estava em Bagdá para uma visita para o recolhimento de dados, ouviu as declarações de Henson sobre a guerra e recebeu uma dose de realismo dos campos de batalha. Henson elogiou a atuação norte-americana mas subitamente mudou de rumo, descrevendo o ataque de 29 de março. "Foi muito apavorante", disse Henson a Wolfowitz, na presença de um repórter da AP. Soluçando, na tentativa de conter as lágrimas, ele acrescentou: "mas meus garotos trabalharam unidos". Ele terminou dizendo que não houve nada que qualquer pessoa do batalhão pudesse ter feito para evitar a tragédia. Ainda assim, ele afirmou: "Sinto-me culpado". Henson, 47 anos, que é agora sargento major do quartel-general do Exército dos

EUA no forte Sam Houston, Texas, disse em entrevista telefônica que se lembra de pensar que Wolfowitz precisava ouvir o que realmente estava acontecendo e como os soldados lidavam com os fatos. SURPRESA O ataque suicida foi uma surpresa na época e não era o tipo de tática para a qual os norteamericanos estivessem preparados. Com a saída das forças dos Estados Unidos, iniciada no úlitmo dia de agosto, a dura realidade do Iraque permanece. "Eu achei que era importante dividir essas coisas com ele", disse Henson, recordando o esforço feito para fazer com que Wolfowitz tivesse uma visão ampla dos acontecimentos. "Daquela forma ele saberia a verdade, a realidade do que estava acontecendo, que não estava sendo fácil."


14

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

quadrantes

Domingo | 05 de setembro de 2010

JOÃO DA MATA COSTA [ escritor ]

Raibrito, guardião da memória o final o verbo. A palavra escondida nos escaninhos da existência. Memória?! – Deixe de ser cabido. Pobre não tem memória. Pobre coleciona causos. Raimundo Soares de Brito coleciona papéis velhos. Feliz a cidade que tem esses guardadores de saudades. Florilégios restaurados e derramados na folhinha de um calendário feito de “Paginas Arrancadas”. Assim o fez Raibrito em sua profícua existência de colecionador. Juntou tudo e formou um arquivo precioso ao longo de quase um século. Ele implora para que sua memória seja preservada num livro onde tudo termina. Pois se trata de partículas do seu corpo, tudo aquilo que ele é (sic). E mais: aquilo que fui, sou, ainda tudo que desejaria ter sido. No livro Páginas Arrancadas, série c, Coleção Mossoroense/ Fundação Vingt-

A

Un Rosado, Raimundo Soares de Brito escreve sobre pessoas comuns, tipos populares, costumes, brincadeiras, fatos históricos, crendices, guardadas na carteira da história. Um rico repositório que conta boa parte da história de Mossoró, Natal e Caraúbas durante o século XX. História de viventes na sua vida cotidiana na província do Rio Grande do Norte. O perfil humano de políticos, comerciantes, soldados e tipos populares são traçados por protagonista de uma história que não pode ser esquecida das gerações vindouras. Brincadeiras que ainda lembro são resgatadas por Raibrito: A “Briga de Araque” onde dois moleques simulam uma briga. Um tem um pau na mão e o outro pede para que solte o pau se for homem. Um transeunte vai passando e o moleque pede para que ele segure o porrete, ao

que o moleque puxa o pau e o transeunte fica com a mão cheia de tiririca de galinha. Outra brincadeira lembrada por Raibrito, é aquela dos dois traços no chão. Cada um simboliza a mãe de um dos moleques. O que apagar o traço simbolizando a mãe do outro tá xingando e a briga está formada. As festas religiosas, o Natal, a Semana Santa e São João são lembrados em festas e costumes não mais praticados. Raibrito foi comerciante e dono de bar, conheceu muito tipos populares e ouviu muitos causos e histórias. A história da bela Pinheira que virou mulher-dama. Jucá, o limpador de fossa. O Padre Mota e seus cinco charutos guardados no bar “ O Botijinha” de propriedade do Raibrito, etc. De Dorian Jorge Freire ele traça um be-

CARMEN VASCONCELOS [ poetisa ]

Raimundo Soares de Brito, assim como Dorian Jorge Freire são grandes escritores e guardiães da rica cultura mossoroense e do Estado do RN. É triste constatar que o valioso acervo deixado pelo escritor Dorian ainda não recebeu uma destinação adequada. Um acervo que precisa de cuidados urgentes.”

Humor Fino [ Amâncio ]

De fugas e de provérbios stava lendo “A Grande Travessia” (A Bridge for Passing), da americana Pearl S. Buck, escritora que, até então, eu não conhecia. Mas já sei, ela escreveu setenta livros, muitos dos quais se tornaram filmes e, de quebra, ganhou o Nobel de literatura em 1938. Foi também uma lutadora pelos direitos das crianças sem pais e criou nos Estados Unidos uma Fundação para ajudar a encontrar pais adotivos para crianças asiáticas órfãs. Ela mesma adotou umas seis. A mulher era uma pérola mesmo. Ah, a Ásia? Pearl viveu infância e adolescência na China e em seus livros sempre se encontram, recorrentes, a cultura e vida da Ásia. “A Grande Travessia” é autobiográfico e trata de uma viagem que Pearl fez ao Japão, para as filmagens de um de seus livros. Escrito em 1961, tem uma linguagem moderna e vigorosa, uma delícia de livro. Logo no começo, Pearl cita um antigo provérbio chinês que diz que, das trinta e seis maneiras de fugir, a melhor é correr. A ela, diz, nunca lhe ocorreu perguntar quais seriam as outras trinta e cinco, talvez porque a resposta mais óbvia fosse que as tais trinta e cinco seriam desnecessárias, porque a pessoa sempre poderia correr. A mim, talvez não me ocorresse perguntar, mas eu sei de muitas outras maneiras de fugir, além de correr. Aliás, dependendo da natureza da fuga, correr pode ser o pior jeito de fugir. Para os mineiros chilenos, protegidos, porém confinados sob toneladas de terra por um desmoronamento, a única maneira de fugir é esperar. E quanto a nosotros, quantas vezes também descobrimos a espera como a melhor maneira de fugir... Dos lugares para se ir, se há trinta e seis ou mais, quando se pensa em fuga, eu não sei. Quando penso em fugir, penso sempre em fugir para mim mesma, ficar ao abrigo de mim. EmNão quero bora eu tenha muito prazer dizer que seja em ficar com minha filha, fácil fugir para meu marido, minha famímim mesma. lia e amigos, acho também Às vezes pode que uma das melhores comser bem panhias para mim sou eu incômodo. mesma. Onde ninguém me Talvez vê... Às vezes, nem eu. E adesagradável, cho esse pensar uma beneu só e comigo, ção, porque, não fosse asdar de cara sim, como eu faria para fucom certas gir de mim? Seria um custo vilanias. Não alto. tenho a quem Digo como diz o poema atribuir culpas, “Conselho” de Fernando e às vezes as Pessoa: “Cerca de grandes culpas são muros quem te sonhas... E imensas que ninguém, que veja e fipontes.” te, possa saber mais que um jardim de quem tu és...” Não quero dizer que seja fácil fugir para mim mesma. Às vezes pode ser bem incômodo. Talvez desagradável, eu só e comigo, dar de cara com certas vilanias. Não tenho a quem atribuir culpas, e às vezes as culpas são imensas pontes. Pois, pois, às vezes tenho de atravessar grandes pontes. Mas em mim é onde melhor eu posso “deixar as flores que vêm do chão crescer e deixar as ervas naturais medrar”. Por isso, de quando em vez, preciso fugir para mim mesma com uma urgência de predador avistando uma presa. E aí, corro. Mas também, de quando em vez, preciso tomar distância do mundo, de uma maneira lenta e silenciosa, como se, mesmo ida, eu pareça estar presente. Well, entre correr e ficar, restam ainda trinta e quatro das maneiras proverbiais de fugir. E há, ainda, as outras...

lo perfil. Metido invariavelmente num terno de brim, às vezes de casimira, sempre como seu sinhozinho, com sua borboleta, sabia vim a indumentária como talvez os seus princípios, idéias, etc. Dorian Jorge Freire assina o prefácio desse belo livro que precisava de uma revisão mais rigorosa. Saiu com muitos erros de digitação. Raibrito foi um predestinado, nasceu no dia 23 Abril de 1920. O dia em que faleceu Miguel de Cervantes. Escreveu entre outros livros, o dicionário “Ruas e Patronos de Mossoró” Raimundo Soares de Brito, assim como Dorian Jorge Freire são grandes escritores e guardiães da rica cultura mossoroense e do estado do RN. É triste constatar que o valioso acervo deixado pelo escritor Dorian ainda não recebeu uma destinação adequada. Um acervo que precisa de cuidados urgentes e sua preservação é uma obrigação do estado. Raibrito e Dorian acumularam um acervo imprescindível para a história das mentalidades, política e costumes do nosso estado. Preservar esses acervos é preservar uma identidade que não pode ser esquecida e, em boa hora, recebe mais um valioso livro escrito pelo incansável Raimundo Soares de Brito, nosso querido Raibrito nos seus bem vividos noventa anos. Parabéns.

NELSON PATRIOTA [ escritor ]

Balanço sentimental do amor de um poeta

E

á pouco mais de um ano, o poeta Paulo de Tarso Correia de Melo lançou uma edição omnibus de sua obra poética, através da editora da UFRN-Edufrn, sob o título de “Talhe Rupestre – poesia reunida e inéditos”, organizada e anotada pelo escritor Carlos Newton Júnior. Suas mais de 440 páginas constituem uma espécie de mosaico minucioso e discreto dos muitos motivos que explodem na poesia intempestiva desse poeta tardio. Obra densa, tocada por uma linguagem contida, às vezes se confundindo com um “coloquial culto e escorreito”, está ainda por merecer uma abordagem ampla de suas múltiplas tendências e do acerto poético dessas tantas vias, trabalho que certamente revelará inúmeras pérolas, de variados valores e matizes. A partir deste 9 de setembro, a poesia de Paulo de Tarso ganha um novo título. Trata-se de “Sabor de amar”, obra que sai sob a custódia da editora Sarau das Letras, de Mossoró. Não por acaso seu prefaciador é o operoso escritor Clauder Arcanjo, enquanto a contracapa ficou a cargo do poeta David Leite. “Sabor de amar” poderia ter outro nome. Por exemplo, “O livro de Ana”, porque é em torno da longa e bem-sucedida relação amorosa de Paulo de Tarso com sua Ana Maria que nascem e findam os motivos poéticos fartamente derramados na obra. Não é raro, portanto, que alguns poemas se reportem a acontecimentos passados, vividos, firme ou vagamente lembrados. Nessa espécie de contabilidade sentimental é frequente tais retrospectos. Um dos mais significativos é, certamente, o poema “Cantiga de amigo II”, deLivro de amor dicado a Ana Maria, elogio do confesso,“Sabor amor sereno, confiante, pródide amar”tem go em verdades de afeto e que alguns momentos dispensam, assim, retórica e especialmente metro. Ei-lo: “Um dia / eternalíricos (expressão mente / deixaremos a terra / -– “natural”do nossa casa – / e o amor – / nospoema amoroso, sa veste – // Por enquanto / sobretudo agradeço / o / que / de suave / quando namora a e terno / me deste”. forma clássica do Não é difícil ao leitor percesoneto)”. ber por trás de cada poema, como uma luz finamente filtrada, a imagem da musa do poeta, uma musa real, histórica, fator determinante para que se realize a contento a costura de um poema ao seguinte, garantindo-lhes uma veraz poeticidade, não obstante os desdobramentos de tons, cores, tempos, lembranças. À paleta de afetos recenseados corresponde, a cada vez, uma forma adequada, porque sabe o poeta que “Não passa o canto / passa o cantor” – / ars fugidia – / não passa. Permanência”. É por essa razão que o livro abre com o conhecido verso extraído da “Eneida” de Virgílio: “Arma virumque cano” (“canto as armas e o varão”), contraponto ao canto da musa Ana Maria. Livro de amor confesso, “Sabor de amar” tem alguns momentos especialmente líricos (expressão “natural” do poema amoroso, sobretudo quando namora a forma clássica do soneto). Dentre estes, destacamos o quase-soneto “Cantiga de velha lembrança”, que diz: “Lembrar-te é endereçar-me à pulsão das estrelas / e às fibras que maduram no âmago do tempo / para fazerem fenecer as flores / e aparecerem rugas num momento. // Lembrar-te é embaçar o rio dos teus olhos / e as pétalas da pele florindo em pensamento / e mais lugares distantes da memória - / os teus cabelos, onde passa o vento // desértico da ausência que é futuro / perdido no passado, de repente. / Lembrar-te é um poço escuro / e ignorado como teu presente. // lembrar-te é confundir as dimensões do tempo / e compreendê-las no mesmo momento”. Mas é preciso demorar-se antes poemas como “Salmo”, “Cântico”, peças compactas, densas, revestidas de um verniz metafísico à John Donne e Milton. Elas parecem anunciar novos caminhos para a poesia de Paulo de Tarso, poesia que, de tão inquieta, parece não conhecer fronteiras definitivas.

H

CLÁUDIO EMERENCIANO [ Professor da UFRN ]

Tetos da condição humana s estrelas da manhã. Adornam e brilham no firmamento, enquanto as primeiras claridades salpicam o dia e a vida. Suscitando os cantos primários de aves nos jardins e quintais. Na primavera do clima temperado, a cotovia desperta casais míticos de apaixonados: Romeu e Julieta, Abelardo e Heloísa, Petrarca e Laura. Os sinos a tocar e a repicar. Os pássaros inebriam e aguçam a sensibilidade dos madrugadores. As rosas, flores e folhas, que o vento matinal sacode, distendemse e fazem uma aspersão intensa do seu aroma. A despedida, naquele último instante, em que as faces da noite se diluem numa réstia longínqua do horizonte até desaparecer. O cantar do galo, que não é o último, mas sucede aqueles tantos que vigiam, incessantemente, o fluir da noite e a aproximação da aurora. Cantar que testemunhou a negação de Pedro e o seu arrependimento. E que freqüenta todos os tempos, culturas e povos. Conhece as grandezas e as fragilidades humanas. Sente-as pelo olhar, espelho da alma. Numa cena trágica e amarga, uma vila destruída na Primeira Guerra, na fronteira da Alemanha com a França, no livro "Nada de novo no front", de Erich Maria Remarque, o galo é o único sobrevivente da chacina. Testemunha da loucura e insensatez dos homens. Os primeiros instantes do dia, acolhidos pela suavidade dos sopros da natureza, assumem a prerrogativa de uma metáfora. Que pode projetar sonhos, sentimentos e alegrias, ou apenas tênue ilusão, desfazendo uma perspectiva de felicidade. Foi assim, nesse mesmo contexto, que Gandhi contemplou o Oceano Índico. Nele imergiu seu pensamento, perscrutou seu espírito, buscou a Deus e iniciou a fase mais épica da "Não Violência". Infundiu em milhões e milhões a convicção de que o sofrimento, como oferta do homem a Deus e aos semelhantes, é a mais contundente forma de celebrar a identidade de uns com os outros. Rumo à libertação. Seu exemplo comoveu o mundo. Tornou-o, como disse Albert Einstein, a "voz da consciência da humanidade". Como São Francisco de Assis, nas excepcionais biografias de Chesterton e Julien Green, a fé lhe deu o conhecimento e a prática do amor, erradicando de si o medo, a dúvida e a insegurança. São Francisco foi a mais sublime "imitação do Cristo". Há quem considere a vida uma aventura sem nexo. Movida pela fatalidade. Cada um pensa como quer. Mas os laços humanos dão sentido e força às formas de aprimoramento individual e coletivo. Quanto mais se eliminam os grilhões e a

A

degradação do homem, mais largo é o caminho de realização dos sonhos, que se amontoam e se renovam desde o nascer dos tempos. Viver é mudar lentamente. Crescer em todas as dimensões. A substância e “A condição humana o sentido da felicidade pode ascender a repousam na partilha do patamares que a que é bom para todos. purificam.São os Pelo menos no essencial, tetos de sua como dizia o gênio iniexistência.De onde mitável de André Malos homens raux. Assegurando sua descortinam sua ascensão moral, cultural própria grandeza e espiritual. A construpela prática do amor. ção da felicidade se obsPelo compromisso ta por antagonismos gecom a verdade.Pela rados pelo próprio holucidez e mem: miséria, injustiça, racionalidade para violência, desumanidadiscernir,escolher, de, ignorância, insensaampliar e desfrutar tez, mentira, ódio, coros caminhos de rupção e felonia. busca sem fim da A condição humana felicidade.Entardece pode ascender a patamaneste setembro.As res que a purificam. São nuvens me os tetos de sua existênconvidam a refletir e cia. De onde os homens um frio agradável descortinam sua própria me alicia.Inspiramgrandeza pela prática do me.As estrelas de amor. Pelo compromisnovo se mostram so com a verdade. Pela cintilantes.Os ventos lucidez e racionalidade que sopram do mar para discernir, escolher, para a cidade me ampliar e desfrutar os ca"fazem voar". minhos de busca sem fim Alcanço os tetos da da felicidade. Entardece minha imaginação. neste setembro. As nuSinto-me vens me convidam a retransportar para fletir e um frio agradável altitudes das quais me alicia. Inspiram-me. contemplo o "luscoAs estrelas de novo se fusco",a volta para mostram cintilantes. Os casa...” ventos que sopram do mar para a cidade me "fazem voar". Alcanço os tetos da minha imaginação. Sinto-me transportar para altitudes das quais contemplo o "luscofusco", a volta para casa, os enamorados que se estreitam, as crianças que riem, os idosos que se dão às mãos, o manto cinzento que, pouco a pouco, é desfeito pelas luzes da cidade, das ruas, das casas, dos edifícios, das praças, dos carros e coletivos. Acima dos tetos, a vida continua...


Domingo | 05 de setembro de 2010

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 15

RN TEM 33% DE TODOS OS PROJETOS DE EÓLICA DO PAÍS

BATE-PAPO » Wilson Lage

professor do Deptº de Engenharia Mecânica da UFRN

Temos também de pensar na formação de RH

SOMANDO A PARTICIPAÇÃO DAS REGIÕES NAS DUAS VENDAS PÚBLICAS, O RN LIDERA, COM 6.577 MW, À FRENTE DO CEARÁ E RS EMANUEL AMARAL

O Brasil possui 65% do potencial instalado para geração de energia eólica da América Latina, e o RN lidera, com 6.577 MW, à frente do Ceará e do Rio Grande do Sul

TODA A ALTERNATIVA É BOA

io Grande do Norte, Ceará e Rio Grande do Sul possuem os projetos de energia eólica com maiores potenciais de geração de energia habilitados, de acordo com dado da ABEEólica - Associação Brasileira de Energia Eólica. Somando a participação das regiões nas duas vendas públicas, o RN lidera, com 6.577 MW, à frente do Ceará, com 4.257MW e do Rio Grande do Sul, com 3.262 MW. Atualmente, o RN tem 1.077,9 MW garantidos em sua matriz energética eólica. Os parques de Macau (1.8 MW) e Rio do Fogo (49.3 MW) já estão em funcionamento. Já Alegria I e II, localizados em Guamaré, estão tecnicamente habilitados a gerar 151.8 MW, somando os 657 MW arrematados no leilão do ano passado e 218 MW contratados à Bioenergy. Essas são perspectivas animadoras dentro da discussão das energias renováveis, mas que dependem de ações fortes por parte do Estado para garantir as con-

R

A economia que a energia eólica traz para a energia de origem hidrelétrica é indiscutível.Principalmente no Nordeste,há uma boa compatibilidade quanto ao aumento da velocidade dos ventos com a geração de eletricidade. A demanda maior acontece no período de maior seca dos reservatórios.A possibilidade de usar a energia eólica nesse período consegue manter o nível dos reservatórios por mais tempo.Essa é uma grande contribuição e dá mais segurança ao sistema. Uma grande aposta para o futuro é também a energia solar.Há projetos em andamento,mas,por enquanto,ela é ainda cara,diz o professor - pelo menos de duas a três vezes mais. “O desafio da pesquisa é justamente reduzir esse custo criando escala”, pontua Wilson Lage.“A perspectiva é que dentro de 10 anos esse custo esteja bem acessível em relação a outras formas de energia”, acrescenta. Já há um marco regulatório para a energia eólica até por causa dos leilões. Isso ainda não existe no caso da energia solar.

quistas. Entre elas, investimentos em infraestrutura portuária para receber os equipamentos necessários à construção dos parques eólicos, já que a tecnologia é totalmente importada. O tema energias renováveis será discutido, nos dias 14 e 15, durante seminário que a UFRN realizará, através da Próreitoria de Extensão Universitária, em parceria com a TV Universitária e jornal TRIBUNA DO NORTE. No dia 20 haverá debate com os candidatos a governador. Wilson Lage, professor do Departamento de Engenharia Mecânica da UFRN e especializado em energias alternativas, mais especificamente energia eólica e solar, considera investimentos em

pesquisa e desenvolvimento de tecnologias nacionais nessa área fundamentais. A UFRN já tem em funcionamento, desde o começo deste ano, um núcleo específico para as chamadas energias alternativas, como a eólica, solar e biomassa, desmembrando a estrutura inteira em duas – uma relativa a petróleo e outra de energias renováveis. Antigamente era núcleo de estudos em petróleo e gás, mas foi ampliado por decisão da Reitoria, seguindo uma tendência mundial. Da mesma forma, o Centro de Tecnologias do Gás (CTGás) acrescentou à sua sigla (ER) Enegias Renováveis. Na UFRN, o que era Centro de

Tecnologia e Gás passou a ser Núcleo de Pesquisa em Petróleo e Energias Renováveis. Apesar dos esforços investidos em energia a partir da biomassa e dos biocombustíveis, no RN a energia eólica é a grande vedete do momento. “Está provado que o RN é um dos melhores estados, juntamente com o Ceará, em termos de potencialidade para a energia eólica”, diz Wilson Lage. O RN o dono do maior número de projetos no primeiro leilão - 33% de todos os projetos aprovados no primeiro leilão de eólica, ou seja, 1/3 de todos os projetos. Para Lage, já houve progressos interessantes na tecnologia da eólica, sobretudo no aumento das pás do aerogerador, o que aumentou a produção. Mas ele reconhece que é preciso a Universidade correr com as pesquisas. “Já existe um certo amadurecimento dessa tecnologia perfeitamente estabelecida na Europa e outros recantos do planeta. Agora, esse processo deve chega ao Brasil com maior visibilidade”, afirma. O Brasil possui 65% do potencial instalado para geração de energia eólica da América Latina. Hoje, o país conta com 45 parques, que somam 794 MW de potência - o que equivale a apenas 0,7% da matriz energética brasileira. Essa energia é capaz de abastecer 600 mil residências ou uma cidade com 3 milhões de habitantes.

Já existe um certo amadurecimento dessa tecnologia perfeitamente estabelecida na Europa” WILSON LAGE professor da UFRN

Está provado que o RN é um dos melhores Estados em termos de potencialidade para a energia eólica” WILSON LAGE professor da UFRN

Para produzir energia dos ventos é alto o investimento em linhas de transmissão? Uma das vantagens das energias renováveis do tipo solar e eólica é que alas podem ser produzidas próximas ao lugar de consumo a partir de unidades modulares. E as usinas podem ir se proliferando na medida em que a demanda for aumentando, inserindo essa produção de energia na matriz. Mas a energia solar ainda é inacessível... De maneira geral, sim. Mas os coletores solares térmicos, por exemplo, já estão bastante difundidos. Em muitas residências e hotéis eles já propiciam água quente em dias de sol. Em dias sem sol, o consumidor volta para a energia elétrica. São os chamados chuveiros flex. Esse recurso já é muito usado em estados como São Paulo, Minas e no Distrito Federal. O problema aí é termos tecnologia para transformar a energia solar em elétrica por meio de painéis foto voltaicos. Essa é a tecnologia mais cara e o Brasil precisa enfrentar esse desafio via as Universidades. Temos que pensar também, além da pesquisa, na formação de recursos humanos, na qualificação de pessoal. E, é claro, no direcionamento das pesquisas juntamente para baratear os custos. E quanto à biomassa? Quanto a biomassa, a produção uma vez sustentável, não deixa de ser uma alternativa interessante. A questão é economizar na emissão de CO2, considerado um dos vilões do efeito estufa. E isso se consegue gerando um balanço neutro entre a queima e a absorção do CO2 pela vegetação recomposta. O que falta para deslancharmos nesse processo? Falta fortalecer essa política de inserção das energias renováveis, algo muito ligada aos níveis de decisão política. Vamos aumentar ou não essa participação, é conveniente ou não fazer isso. A geração de energia brasileira, com as hidrelétricas, já tem destaque no mundo. Uma hidrelétrica demora em média sete anos para ser construída. Essa é a grande matriz. Cabe agora cuidar para garantir a estabilidade do sistema, fazendo o caminho das energias limpas como a eólica, cuja usina demora em média, dependendo do que ela vai gerar, um ano para ser implantada. Se conseguíssemos avançar na tecnologia nacional, faria uma grande diferença.


16

geral

Natal | Rio Grande do Norte| Domingo | 05 de setembro de 2010 DIVULGAÇÃO

[ TRIBUNAIS ] Nascido no Rio Grande do Sul, o novo presidente do Superior Tribunal de Justiça faz

parte da geração de juízes que privilegia a qualidade e não a quantidade de processos julgados

Ari Pargendler assume a presidência do STJ rasília (STJ) - Quinze anos após chegar ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e 34 depois de abraçar a magistratura, o ministro Ari Pargendler assume a Presidência da maior corte infraconstitucional do país. Ele é o primeiro magistrado oriundo da Justiça Federal a ocupar o cargo por todo o biênio. Doze anos separam a ocasião em que o Tribunal foi dirigido por um juiz de carreira da magistratura federal. O ministro Américo Luz, também vindo de tribunal regional federal, foi presidente da Corte por oito meses, entre junho de 1997 e fevereiro de 1998. À frente do STJ, o ministro Ari Pargendler tem uma meta a perseguir: melhorar a prestação ju-

B

risdicional. O propósito da Justiça é ter boas decisões no menor tempo possível. Para perseguir esse objetivo, o novo presidente do STJ pretende se concentrar na gestão dos recursos humanos e materiais. Gaúcho de Passo Fundo, o ministro faz parte da geração de juízes que privilegia a qualidade, e não a quantidade. “Entre o artesanato e a indústria, eu ainda prefiro o artesanato. Prefiro não julgar a julgar errado”, afirmou certa vez em entrevista à revista eletrônica Consultor Jurídico. Para ele, não há equilíbrio entre o número de processos que o juiz deve decidir e aqueles que ele realmente tem tempo para decidir – a quantidade sempre se sobrepõe ao tempo disponível. Além disso,

acredita não ser possível dizer se um magistrado trabalha ou não pela medição quantitativa. “Produtividade não é um bom critério para avaliar o trabalho dos juízes”, acredita. O juiz pode dar uma decisão e esse entendimento ser replicado em milhares de outros casos semelhantes. “A Justiça é um valor que não pode ser medido em números”, afirma. E questiona: “Se assim for, onde fica a qualidade?”. Defensor de mecanismos mais severos para promover a agilização do trâmite processual sem, contudo, diminuir a qualidade das decisões e afetar a jurisprudência dominante, Pargendler está convencido que deve ser atribuído ao Superior Tribunal de Justiça o efeito da cassação, mecanismo

que já existe em vários países europeus. Esse mecanismo permitiria que o STJ, ao verificar que o acórdão proferido pelo tribunal local não está de acordo com a jurisprudência, cassasse a decisão e determinasse o rejulgamento de acordo com o entendimento dominante. Nesse sentido de diminuir o tempo que o processo demora para ser concluído, Pargendler acredita que a Lei dos Recursos Repetitivos (Lei n. 11.672/2008) foi um instrumento extraordinário. E avalia: “O efeito nas causas envolvendo Direito Público é quase milagroso”. No âmbito do Direito Privado, também surtiu efeito, ainda que sem a mesma magnitude. Na área Penal, contudo, teve pouca repercussão.

Pargendler: “Produtividade não é bom critério para avaliar juízes”

[ CIDADANIA ]

Companheiro de servidor falecido terá pensão rasília (AE) - O governo federal decidiu autorizar a concessão imediata de pensão em caso de morte às pessoas que comprovarem que mantiveram união estável com funcionário público federal falecido. Uma súmula publicada no dia 26 de agosto pela Advocacia Geral da União (AGU) autoriza a concessão do benefício mesmo quando não houve um casamento oficial. Com a súmula, não será mais necessário recorrer à Justiça para obter o direito de receber a pensão. O texto não deixa claro se a súmula também valerá para as uniões homoafetivas. A súmula estabelece expressamente que a falta de uma prévia designação do companheiro como beneficiário da pensão vitalícia não impede a concessão do benefício desde que a união estável fique devidamente comprovada por meios idôneos de prova. Com a súmula, a AGU autoriza seus advogados e de outras entidades públicas a não contestarem mais os pedidos de pensão feitos por companheiros e a desistirem dos recursos já propostos Para redigir a súmula, a AGU baseouse num artigo da Constituição Federal que reconhece a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar. Também foram levadas em conta decisões do Superior Tribunal de Justiça (STJ) sobre o assunto. Indagada pela reportagem se a orientação também beneficiará os casais homoafetivos, a assessoria de comunicação da AGU respondeu que “a súmula não entra neste mérito”. O texto da súmula é genérico e não exclui esse tipo de união. “A falta de prévia designação da (o) companheira (o) como beneficiária (o) da pensão vitalícia de que trata o art. 217, inciso i, alínea “c”, da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990 (que estabelece os casos em que a pensão deve ser garantida), não impede a concessão desse benefício, se a união estável restar devidamente comprovada por meios idôneos de prova”, prevê a súmula. A assessoria da AGU fez referência a um parecer recente do órgão que reconheceu a união homoafetiva para fins previdenciários no setor privado.

B


economia DÓLAR COMERCIAL Compra R$ 1,731 Venda R$ 1,733 DÓLAR PARALELO Compra R$ 1,81 Venda R$ 1,93

POUPANÇA HOJE 0,5925% CDB 10,64% BOVESPA

SALÁRIO MÍNIMO

R$ 510,00 TAXA SELIC -0,72%

10,75%

TELEFONES ÚTEIS Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT RN: 3220-2000

LIDERANÇA

Rhandy di Stéfano explica qual é o papel dos líderes no mundo de hoje PÁGINA 3 DÓLAR TURISMO Compra Venda EURO Compra Venda

R$ 1,747 R$ 1,840 R$ 2,232 R$ 2,235

Editor:Vinícius Albuquerque E-mail: vinicius@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 05 de agosto de 2010

Consultoria pesquisou o mercado em 65 países e, para a comparação internacional, considerou os ganhos antes dos impostos e taxas. Brasil perde apenas para os Estados Unidos e Canadá em lucratividade [ CARTÕES ]

Brasil é o 3º mercado em lucros ALDAIR DANTAS

Cada cartão emitido representa lucro de US$ 20 para os bancos

ão Paulo (AE) - O mercado brasileiro de cartões já é o terceiro mais lucrativo do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e Canadá. As empresas ligadas ao setor, incluindo bancos emissores e os credenciadores de lojistas para as bandeiras, devem lucrar mais de US$ 4 bilhões este ano, segundo estudo da consultoria inglesa Lafferty. Em 2009, os lucros somaram US$ 3,750 bilhões. A consultoria pesquisou o mercado de cartões em 65 países e, para a comparação internacional, considerou os ganhos antes dos impostos e taxas. Cada cartão de crédito emitido no Brasil dá lucro de US$ 20 para os bancos. É o maior valor entre os países que formam a sigla Bric (além do Brasil, há a Rússia, a Índia e a China). Na Índia, o lucro é de US$ 12 e na Rússia de apenas US$ 5. Já na China, mercado dominado pelos cartões de débito, cada plástico dá prejuízo de US$ 1. Mesmo estando entre os cinco maiores mercados de cartões do mundo, o setor no Brasil ainda tem grande potencial para crescimento, avalia o sócio da Lafferty Group, o irlandês Michael Lafferty. Um dos indicadores disso é que o gasto médio por cartão aqui ainda é baixo quando comparado a outros países. No mercado brasileiro, cada cartão movimenta US$ 937 por ano, em média, considerando dados de 2009. Na China, é de US$ 1.538. A média mundial está em US$ 2.613. Na comparação internacional quando se considera o valor de cada transação, o Brasil é apenas o oitavo do ranking global, com US$ 75. Nos outros países, está na casa dos US$ 100. Segundo o executivo, mercados como o Reino Unido e o norte-

S

NÚMERO

3,7

bilhões de dólares são o valor dos lucros do setor de cartões no Brasil durante o ano passado

americano estão com taxas estáveis de crescimento, ainda influenciadas pela crise financeira mundial de 2008 e 2009. Enquanto isso, o Brasil continua mantendo o ritmo de crescimento, sempre na casa dos dois dígitos. “Vemos um crescimento massivo para o crédito ao consumo no Brasil, muito a frente dos outros países dos Bric”, disse o executivo, que veio a São Paulo para participar do C4 - Congresso de Cartões e Crédito ao Consumidor. O Brasil deve fechar o ano com 600 milhões de cartões, entre plásticos de débito, crédito e de lojas. POPULARIDADE Para Lafferty, uma das particularidades do Brasil é a forte popularidade dos cartões de varejo, emitidos por lojas e redes em parcerias com bancos. Diferentes de outros países, esses cartões são muito usados aqui e são considerados um modelo mundial para a expansão desse mercado. Hoje, praticamente todas as grandes redes varejistas emitem cartões. Na comparação internacional, apenas os EUA têm participação importante dos plásticos de varejo. Nos Estados Unidos, o setor de cartões deu lucro bruto de US$ 18 bilhões em 2008. Com a crise, os ganhos despencaram para cerca de US$ 1 bilhão em 2009. Este ano, devem se recuperar e bater em quase US$ 5 bilhões.


2

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 05 de setembro de 2010

ALCIMAR DE ALMEIDA SILVA [ Consultor Administrativo,Fiscal e Tributário ]

Negócios &Finanças LUIZ ANTÔNIO FELIPE laf@tribunadonorte.com.br

Otimismo x dificuldades minisrtro da Fazenda, Guido Mantega, não estava tão otimista para o PIB do segundo trimestre, encerrado em julho, espera avanço de 0,5% a 1%. Foi maior um pouco, de 1,2% Em compensação estima 7% em todo o ano de 2010. Mantega é do time dasqueles que prrevêm mais tempos difíceis para os Estados Unidos e para a Europa. Mesmo assim, o enfraquecimento das economias desenvolvidas não vai impedir o Brasil de crescer com robustez. Mantega prevê expansão de apenas 1% para as economias dos países europeus e de 2,5% para os Estados Unidos. No caso do Brasil, Mantega volta a destacar que o crescimento o País terá como base o forte consumo e grandes investimentos. A expectativa é de que, em 2010, o aumento da formação bruta de capital fixo seja de 22%.

O

SALÁRIO O salário mínimo deverá ser reajustado pelo Congreso para R$ 550,00. Os senadores e deputados não vão deixar passar essa oportunidade de aumentar em R$ 12,00 a proposta do Governo, para o mínimo em 2011. Já teve uma decisão igual no ano passado.

Transporte

Debate

A 13ª edição do Congresso Nacional Intermodal dos Transportadores de Carga será realizado de 22 a 24 próximo, em Natal, para reforçar a discussão sobre o futuro do transporte de carga no Brasil. Em sete painéis serão abordados temas como as eleições 2010, renovação de frota de caminhões e meio ambiente, linhas de financiamento, economia e investimentos.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), convida executivos da América Latina e do Caribe a participar da Cúpula Empresarial China-LAC em Chengdu, na China, nos dias 21-22 de outubro. Terá de rodadas de negócios com potenciais parceiros estratégicos asiáticos para projetos de investimento e compradores de bens e serviços. Espera reunir 300 empresários da China, América Latina e Caribe e Ásia.

POUPANÇA O rendimento da caderneta de poupança em outubro começa a ser fixado pelo Banco Central. A poupança com aniversário no primeiro dia do próximo mês será corrigida em 0,57%,

Investidores externos O RN é o primeiro estado em captação de investimentos externos, pessoa física e o terceiro do Nordeste em captação de investimentos estrangeiros diretos. Perde para a Bahia e Ceará Recebeu investimentos estrangeiros diretos, no ano passado, da ordem de

U$ 108,5 milhões. Os dados são da Diretoria de Fiscalização do Banco Central. Os recursos foram destinados a produção na fruticultura, beneficiamento da castanha de caju, mineração, turismo mobiliário, setor de alimentos e bebidas, e construção civil.

DRAGAGEM A esperança da Companhia Docas do RN´(Codern), com a dragagem do canal Porto de Natal, é finalmente, viabilizar a linha de cabotagem (navegação costeira). Prevê também um mirante e um restaurante no futuro Terminal Marítimo de Passageiros.

1

O consumidor brasileiro, de 21 cidades de 15 Estados, tem uma nova ferramenta para ajudá-lo a detectar onde estão os melhores preços de supermercados, com o simulador que a Proteste Associação de Consumidores disponibiliza desde o dia 1º, em seu site. O estudo comparativo leva em conta o mais barato de cada cidade. No sexto ano da pesquisa, Natal foi incluída, junto com Fortaleza, São Luis e João Pessoa.

2

O INSS já esta

informando aos trabalhadores da cidade que eles já podem se aposentar, por idade. Um avanço significativo no País. O cidadão só deve requerer o benefício a partir da data de seu aniversário. Estão sendo enviadas 1.373 cartasaviso para os homens que completam 65 anos e mulheres que completam 60 a partir do dia 1º de setembro.

3

A Petrobras Transporte recebeu do Idema a Licença de Operação para ampliação da Unidade de Gasolina de Guamaré, preparando as instalações para entrada em operação da Refinaria Clara Camarão, prevista para novembro. A principal instalação serão dois tanques de armazenamento para dez mil metros cúbicos de nafta craqueada.

EMPREGO Um número que pode ser considerado recorde no RN. O novo resturante Camarões, do Shopping Midway Mall, está empregando nada menos do que 90 pessoas. É uma verdadeira indústria da gastronomia funcionando dentro de um shopping. INCORPORAÇÂO A partir do dia 27 próximo, os clientes Unibanco terão suas contas, produtos e serviços transferidas para o Itaú. Dentro do processo de incorporação, as agências do Unibanco passarão a exibir, dentro e fora, a logomarga do Itaú.

SEGURANÇA A Graber Rastramento inicia sua atuação no Nordeste pelo RN. A empresa no RN tem à frente o empresário potiguar José César Araújo. Entre os produtos oferecidos estão a proteção contra roubo e furto do veículo (moto, carro ou caminhão) 24 horas, central de emergência dia e noite, equipe própria para auxiliar na recuperação do veículo roubado e cobertura em todo o País. LIGAÇÔES

Vai ficar mais fácil para o natelense viajar para o Rio e São Paulo. A Tam inicia amanhã (6) mais dois vôos diários para Recife: um a partir do Rio de Janeiro (Galeão), com saída às 7h41, e outro de São Paulo (Guarulhos), às 15h30. Os voos serão feitos em aeronaves A320, com capacidade para 174 passageiros.

Consórcios públicos e federalismo crise financeira que afeta os Municípios, de modo especial os de pequeno e médio porte, dependentes das transferências de recursos da União e do Estado, especialmente do FPM e do ICMS, pode ser propícia à criatividade na busca de soluções alternativas para atender as cada vez mais crescentes necessidades de serviços públicos. Talvez seja oportunidade para se testar uma forma de associativismo mais concreto e eficaz entre as administrações municipais, com o compartilhamento de recursos não apenas financeiros, como também humanos e materiais, que são os consórcios públicos, cujas normas gerais foram estabelecidas pela Lei nº 11.107, de 6 de abril de 2005. É bem verdade que tanto em nosso Estado como nos demais são numerosas as Associações e as Federações Municipais, cujos objetivos, entretanto, são restritos, enquanto poderiam elas próprias se transformar em consórcios intermunicipais, constituídos em associações públicas ou em pessoas jurídicas de direito privado, conforme permitem as normas aplicáveis, objetivando

A

a realização de objetivos de interesse comum, podendo haver inclusive a participação dos Estados em cujos territórios estejam situados os Municípios consorciados e até a União, na hipótese de haver envolvimento dos Estados. Os consórcios públicos terão seus objetivos determinados pelos entes da Federação que se consorciarem, podendo para o seu cumprimento firmar convênios, contratos, acordos de qualquer natureza, receber auxílios, contribuições e subvenções sociais ou econômicas de outras entidades e órgãos do governo; promover desapropriações e instituir servidões nos termos de declaração de utilidade, necessidade pública ou interesse social; e ser contratados pela administração direta ou indireta dos entes consorciados, dispensada a licitação. Poderão ainda os consórcios emitir documentos de cobrança e exercer atividades de arrecadação de tarifas e outros preços públicos pela prestação de serviços ou pelo uso ou outorga de uso de bens públicos por eles administrativos ou, mediante autorização específica, pelo ente da Federação

consorciado. Também é possível aos Também é possível consórcios aos consórcios outorgar concessão, o u t o r g a r concessão, permissão ou autorização de obras permissão ou serviços públicos ou autorizamediante autorização ção de obras prevista no contrato ou serviços de consórcio público, públicos meque deverá indicar de diante autorização preforma específica o objeto da concessão, vista no contrato de conpermissão ou sórcio públiautorização e as co, que devecondições a que rá indicar de deverá atender.” forma específica o objeto da concessão, permissão ou autorização e as condições a que deverá atender. O contrato de constituição do consórcio deve conter como cláusulas necessárias, entre outras: I – a denominação, a finalidade, o prazo de duração e a sede do consórcio; II – a identificação dos entes da Federação consorciados; III – a indicação da área de atuação do consórcio; IV – a previsão de que o consórcio público é associa-

ção pública ou pessoa jurídica de direito privado sem fins econômicos; V – os critérios para, em assuntos de interesse comum, representar os entes da Federação consorciados perante outras esferas de governo; VI – a forma de eleição e a duração do mandato do representante legal do consórcio que, obrigatoriamente, deve ser Chefe do Poder Executivo. Sem dúvida trata-se de forma apropriada para dar mais substância ao associativismo municipal, promovendo a colaboração dos municípios entre si, destes com o Estado e com a União, mobilizando recursos para dar cumprimento a objetivos de interesse comum, através de uma melhor relação custo-benefício, inclusive concretizando a eficiência que se constitui em um dos princípios da administração pública prevista no caput do art. 37 da Constituição Federal e, sobretudo, superando as deficiências do federalismo brasileiro reiteradamente apontadas como causa das desigualdades regionais, cuja redução se constitui em objetivo fundamental da República Federativa do Brasil.

ANTOIR MENDES SANTOS [ Economista ]

Quando sanear é preciso falta de coleta e tratamento de esgoto nos municípios brasileiros é uma questão que já deveria ter sido resolvida há muito tempo. Em 2000, a coleta de esgoto por rede atingia apenas 52% dos nossos municípios (2.893 do total), enquanto que em 2008 esse serviço estava presente em 55% das cidades brasileiras (3.060 do total), ou seja, no decorrer de oito anos somente 167 novos municípios passaram a dispor desse benefício. Essa é uma das conclusões da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico levada a efeito pelo IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística que avaliou os serviços de esgotamento sanitário, abastecimento d”água e manejo de resíduos sólidos, no período 2000/2008. Muito embora os serviços de esgotamento sanitário ainda estejam distante do ideal, a pesquisa mostrou alguns avanços no período analisado: i) nos municípios onde já havia coleta de esgoto, houve uma melhoria no sistema de esgotamento, que passou de 58% para 80%, e no número dos domicílios atendidos, que evoluiu de 33% para 44%; e ii) em 2000, 35% dos esgotos coletados eram tratados, ao passo que em 2008 es-

A

se percentual já era de 69%, muito embora apenas 28% dos municípios do país (1.558 do total) faziam o tratamento de seus esgotos (pelo menos um distrito do município fazia o tratamento do esgoto no todo ou em parte). Uma avaliação do avanço da rede coletora de esgoto pelas regiões do país, mostra que o Sudeste registrava em 2008 o maior percentual de municípios com rede de esgotos, cerca de 95%, pontificando naquela região o estado de S. Paulo, com apenas um município sem esse serviço, e o Espírito Santo com dois municípios sem acesso à esgoto. A região Norte apresentava 13% de municípios atendidos, o Centro-Oeste 28%, o Sul 40% e o Nordeste 46%. No contexto da região nordestina, os estados melhores situados em 2008 eram Pernambuco com 88% de seus municípios ligados à rede coletora, a Paraíba com 73%, o Ceará com 69% e a Bahia com 51%. O Rio G. Norte com tão somente 35% de seus municípios (59 do total) com rede de coleta, somava-se aos estados cuja totalidade de suas cidades dependia de fossas sépticas como solução sanitária. Por outro lado, se tomarmos os estados que reali-

zavam o tratamento de esgotos, veA grande maioria remos que dos municípios 49% dos muofertava água nicípios ceatratada à população, renses disputodavia ainda existia nham desse 7% dos municípios serviço, 27% brasileiros onde a das cidades água fornecida não pernambuera tratada.Em 2008 canas tratahavia no país 33 vam seus esmunicípios que não gotos, 23% eram abastecidos dos municípela rede geral,dos pios potiguaquais 21 se res faziam localizavam no tratamento Nordeste.“ sanitário, enquanto que apenas 20% dos municípios baianos e paraibanos executavam o tratamento de seus esgotos.Os demais estados estavam abaixo da média do Nordeste, estimada em 19%. Se a coleta e o tratamento dos esgotos ainda deixam muito a desejar, o abastecimento de água nos municípios se aproxima da universalização, haja vista que em 2000 98% das cidades estavam ligadas a rede geral (no todo ou em parte) tendo esse percentual evoluído para 99% em 2008. Do ponto de vis-

ta regional, a região Sudeste era a única com todos os seus municípios abastecidos por rede geral de água, em pelo menos um distrito, enquanto que as demais regiões se aproximam desse patamar. A grande maioria dos municípios ofertava água tratada à população, todavia ainda existia 7% dos municípios brasileiros onde a água fornecida não era tratada. Em 2008 havia no país 33 municípios que não eram abastecidos pela rede geral, dos quais 21 se localizavam no Nordeste. Nesses, a água fornecida provinha de outras fontes, tais como carros-pipas, poços etc. Finalmente, com relação ao manejo dos resíduos sólidos, que compreende coleta e destinação do lixo, a pesquisa apontou que em 2008 todas as cidades estavam atendidas por esse serviço. Neste ano, o percentual de municípios que jogavam lixo a céu aberto (lixões) caiu de 72% para 51% (número ainda preocupante), enquanto que os que passaram a se utilizar de aterros sanitários evoluiu de 17% para 28%. A coleta seletiva que em 2000 estava presente em 450 municípios saltou para 994 cidades em 2008, contribuindo para aumentar o nível de conscientização da população.

TOMISLAV R.FEMENICK [ Auditor Independente e Historiador ]

As sociedades de natureza econômica ndependente de seus respectivos setores de atuação, as organizações que se dedicam a produção de bens e serviços se organizam na forma de sociedades, que podem ou não por objetivo a obtenção de lucros, pois há organizações produtivas que não têm fins lucrativos. A formalização legal de uma organização a transforma em uma pessoa jurídica, esta totalmente independente de seus sócios. Em qualquer dos casos, então, a sociedade é uma entidade patrimonial com vida própria, autônoma, sem vínculo patrimonial com seus sócios. Assim estabelece o Princípio da Entidade, um dos Principio da Contabilidade, em seu Artigo 4º. O que identifica uma sociedade como de natureza econômica é o que ela produz e como desenvolve suas atividades de produção. E o que caracteriza uma entidade com “atividade econômica”? E a ação que o ser humano pratica tendo por objetivo produzir riquezas, riquezas essas que visam suprir suas necessidades físicas, sociais ou intelectuais. É importante notar que os “indivíduos não agem isoladamente e sim dentro de uma ordem social onde o trabalho adquire feição de esforço combinado e interdependente, aliando aos fins” (CAMPIGLIA, 1996) individuais aos ob-

I

jetivos da coletividade. Por isso as pessoas tendem a coletivizar seus esforços organizar-se institucionalmente, em organizações que têm por fim preservar e reproduzir a riqueza individual e do grupo. Além dos seres humanos terem a tendência de, espontaneamente, se juntarem em forma associativa e, ao mesmo tempo tem a propensão de excluir aqueles agrupamentos que não se adaptam às expectativas gerais do grupo. Daí porque algumas organizações sociais e empresariais são formadas, se adaptam às expectativas e se desenvolvem; enquanto outras não se adaptam, não se desenvolvem e são extintas. As sociedades são, pois, o resultado da união de duas ou mais pessoas, por simples acertos verbais ou por contratos escritos. Nesses acertos, os sócios se obrigam reciprocamente a contribuir com bens ou serviços, para o exercício de uma atividade econômica ou social, e se prever a partilha dos resultados obtidos pela atividade da entidade. Vale salientar que esses resultados podem ser de natureza financeira (lucro) ou social (obras beneméritas, filantrópicas). O interesse aqui é direcionado para as sociedades empresariais, organizações técnico-econômicas que têm por objetivo combinar di-

versos elementos (recursos da naNa segunda Idade tureza, traMédia,o Mar balho, capiMediterrâneo era tal e tecnolouma via de intensa gia) para a afluência de produção de embarcações.A bens e serviexpansão dos negócios fez com que ços destinados ao meros portos da Costa cado, visanAmalfitana e de Veneza,na Itália,de do à realização de luBarcelona,na cros. Espanha, Essas orregistrassem em ganizações crescimento voltadas à continuado por produção vários períodos.“ ensejaram o aparecimento de um tipo especial de pessoa, a pessoas jurídicas, “aquelas que não se criaram pela natureza, mas sim pelo direito” e que representam a junção de pessoas físicas com objetivo comum: “destinam bens à formação de um patrimônio para exploração de atividade” (FRANCO, 1976). A empresa – a atividade de produção e comercialização de bens – é um procedimento que antecede a era Medieval e que vivenciou todo o seu período. A imagem simplista que se tem da Idade Média européia é de um tempo de reclusão absoluta, de uma economia

natural e fechada, quando não se buscava excedentes negociáveis com terceiros, muito menos exportações a longas distâncias. Ledo engano. Na primeira Idade Feudal, na Europa existiam várias vias comercias, por onde circulavam as trocas com outros povos. Uma das mais ativas era a da Espanha muçulmana. Uma rota marítima, passado pelo Adriático, ligava Veneza com o mundo bizantino. Havia vias comerciais pelo Danúbio, uma que unia a Baviera a Praga, e daí aos Cárpatos, ao Denieper. Outras que iam até Kiev, ao Báltico e ao Mar Cáspio ou com os oásis do Turquestão. Na segunda Idade Média, o Mar Mediterrâneo era uma via de intensa afluência de embarcações. A expansão dos negócios fez com que os portos da Costa Amalfitana e de Veneza, na Itália, de Barcelona, na Espanha, registrassem em crescimento continuado por vários períodos. Antes, eminentemente importador, o Ocidente Europeu tornou-se um grande fornecedor de produtos manufaturados para o Mediterrâneo Oriental e, de lá, para o Sudeste Asiático, centro de grande trocas de mercadorias entre a Europa Ocidental e o Mundo Oriental (BLOCH, 1982 – Ver, ainda, PIRENNE, 1973 e 1982; DOBB, 1983).


economia

Domingo | 05 de setembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

ENTREVISTA/RHANDY DI STÉFANO/PSICÓLOGO E COACH

“O melhor é ser um líder respeitado” “ Coaching não é um termo popular.O que significa,na prática? Coaching é um trabalho de planejamento pessoal, que significa: saia de seu estado atual e alcance aquele patamar mais alto que você deseja. Tanto no mundo dos negócios quanto no plano pessoal, o objetivo é levar o indivíduo ou uma equipe a atingir suas metas, revelando todas as suas potencialidades. O profissional do coaching está apto a capacitar e elevar o nível de habilidade das pessoas, criando com elas novos modelos de atuação nos diversos aspectos da vida.

Como prática, o coaching pode melhorar o desempenho de uma empresa? Hoje em dia é comum, além das grades de treinamentos que todos os funcionários devem cumprir de acordo com a posição que ocupam, existe um foco urgente em cursos comportamentais de liderança e coaching individual. Os cursos comportamentais tem tido muita aceitação porque preenchem uma lacuna constante, que é a falta de preparo de muitos técnicos quando são promovidos à posições de gestão. O brilhantismo técnico, na maioria das vezes, não se traduz em brilhantismo de liderança, pois são mundos diferentes. Por outro lado, existe um desconforto em relação a cursos de liderança puramente conceituais e abstratos, pois não preenchem as necessidades práticas destes gestores. Se os cursos de liderança não forem práticos e comportamentais, geram apenas frustração. O coaching também é de auxílio muito forte nesta tendência de desenvolvimento de competências de liderança, ajudando a personalizar o desenvolvimento para as necessidades do gestor com sua equipe, ou até trabalhando equipes inteiras. Novamente, funciona apenas quando o processo de coaching é prático, objetivo e estruturado. Hoje temos relatos constantes de gestores que conseguiram salvar departamentos inteiros, uma vez que seus estilos de liderança foram melhorados. Isto se reflete não só na produtividade imediata, mas também nos lucros financeiros da empresa, o que já foi comprovado em estudos de Harvard. Quem busca essa ferramenta? Há segmentos específicos de onde vem maior demanda? Hoje a maior demanda vem de gestores que tem grande capacidade técnica, mas estão sendo pressionados a ter equipes mais produtivas e motivadas, e não está claro para eles como fazer isto. Qual é a demanda hoje por coaching? É crescente? A maior demanda dos executivos se refere à gestão pessoal e ao conhecimento inter-relacional, pelo qual não devem se sentir culpados em não dominar, ainda. É comum, no mundo todo, as pessoas virem de posições técnicas sem serem adequadamente preparadas para lidar com gestão de pessoas. Assim, cada um aprende no dia-a-dia, de forma empírica, mas este processo de aprendizado gera muito sofrimento, pois muitos precisam se desenvolver como podem. Por isto a sede dos executivos, quando participam dos cursos de lider-coach que oferecemos, é tão grande. Eles querem aprender a lidar com as equipes de forma mais leve, e conseguir resultados sem tanto stress. Eles querem aumentar a qualidade de vida de todos. É uma ferramenta usada só por grandes empresas ou as pequenas também têm apostado nela? As tendências começam com as grandes empresas e se alastram para as médias e pequenas, quando percebem os resultados que se tem obtido. Hoje em dia, desenvolvimento de funcionários não é um luxo das grandes empresas, mas uma necessidade crescente do mundo empresarial, ligado à própria competitividade da empresa

RENATA MOURA repórter de Economia

O líder precisa urgentemente rever o seu papel, se quiser ter equipes de alto desempenho.O papel antigo de líder, centralizador e dono da verdade, está ficando cada vez menos eficaz”.

Os executivos querem aprender a lidar com as equipes de forma mais leve e conseguir resultados sem tanto stress. Eles querem aumentar a qualidade de vida de todos”.

Algumas empresas saíram sem nenhum aprendizado da crise, o que quer dizer que ainda estão vulneráveis – apenas cortaram funcionários pensando em gastos, mas estão sobrecarregando os que ficaram com trabalho excessivo, sem rever os processos”.

Hoje em dia, desenvolvimento de funcionários não é um luxo das grandes empresas, mas uma necessidade crescente do mundo empresarial”.

e independe do seu tamanho. Na palestra em Natal, o senhor vai falar sobre liderança e seus vários aspectos.O que seria um líder nos dias de hoje? É só alguém que está no comando ou a definição é outra? Estar no comando significa que você é um chefe. Mas liderança é fruto dos seus atos, não do seu cargo. A maior responsabilidade de um líder hoje é entender o seu papel como um desenvolvedor de equipes, para que ele consiga atingir resultados através destes. Parece simples, mas esta prática requer toda uma mudança de hábitos, que nem sempre os chefes conseguem, pois mantém os hábitos antigos de quando eram técnicos ou especialistas na parte operacional. E um líder de sucesso,como o senhor definiria? Que atributos ele tem? É aquele que tem visão de onde a empresa vai; aquele que tem capacidade de gerenciar as suas próprias emoções, pois sabe que o seu humor afeta e empresa; aquele que sabe mobilizar seus funcionários a caminhos novos de expansão; aquele que entende que existe um equilíbrio entre a realização de tarefas e a criação de qualidade de vida para o seu capital humano; aquele que consegue não se deixar influenciar pela crença cultural no fracasso, que tem a capacidade de traduzir qualquer situação em oportunidade de aprendizado e sucesso; aquele que sabe delegar, criando outros líderes dentro de sua empresa,

A

definição parece simples: líder é um chefe. É alguém que está no comando da empresa e é responsável por ditar as regras. Certo? Não, na visão do psicólogo e coach norte-americano Rhandy Di Stéfano. “Liderança é fruto dos seus atos, não do seu cargo”, diz. Com português fluente, ele, que é considerado ícone no Brasil na área de coaching - numa definição simplista, a “arte” de treinar indivíduos para que atinjam suas metas -, desembarcará este mês no Rio Grande do Norte como um dos palestrantes do Fórum Internacional de Gestão, Estratégia e Inovação, que pretende reunir mais de 2.500 participantes no dia 21, no Centro de Convenções de Natal (mais informações sobre o evento estão disponíveis no site http://www.foruminternacionaldenatal.com.br). Nesta entrevista à TRIBUNA DO NORTE, Stéfano antecipa parte do que trará na bagagem, ressalta que o líder é, na prática, alguém que sabe desenvolver sua equipe para que, juntos, atinjam os melhores resultados possíveis para o negócio e também dá um recado: “Ninguém se motiva só recebendo ordens”. Nascido nos Estados Unidos e criado no estado da Califórnia, ele é fundador do ICI (Integrated Coaching Institute) e presidente do Chapter Brazil – São Paulo do ICF (International Coaching Federation). Confira a entrevista:

para que ele fique livre para ser o visionário; aquele que consegue perceber o nível de maturidade de seus funcionários e exercer a liderança mais adequada à situação; aquele que sabe como se equilibrar para lidar com as adversidades inerentes à sua posição Há diferenças entre os líderes no Brasil e em países como os Estados Unidos, de onde o senhor veio? Que diferenças seriam essas? A capacidade de liderança se divide em liderança estratégica e liderança de pessoas. Em relação à liderança estratégica: considerando que vivemos em uma sociedade cada vez mais globalizada, desenvolvemos uma maneira ´executiva´ de pensar, muito parecida, independente do país: atingir metas, obter resultados de formas mais eficientes, executar ideias e projetos, expandir os negócios. Então, a outra pergunta é: há diferenças entre os executivos destes dois países? A única resposta real é: depende. Em relação à liderança de pessoas, o que difere tem a ver com o estilo pessoal de cada um, que pode tanto ser influenciado pela cultura local, como pela própria família de origem. Então é possível um executivo americano ter mais em comum com um executivo brasileiro, do que dois executivos brasileiros entre si. Mas, se fossemos citar alguma diferença cultural, pareceme que alguns executivos americanos têm mais dificuldade em se conectar de forma mais humana com a sua equipe, além de falar de uma forma muito direta, e não tem muita paciência quando alguem leva um comentário profissional para o lado pessoal. Por outro lado, o executivo brasileiro pode ser visto como alguém muito informal, que, justamente por entender que as pessoas podem levar comentários ou alg u mas

atitudes para o nível pessoal, às vezes não estabelece limites de forma clara, contribuindo para que se deixe interromper e distrair com os outros. Importante enfatizar que essas diferenças não são regra absoluta, pois existem executivos brasileiros muito diretos e executivos americanos muito preocupados com o lado humano. Seguindo a linha de Maquiavel, é melhor para um líder ser amado ou temido? Na verdade, o melhor é ser um líder respeitado, pois um líder temido eventualmente vai sofrer uma rebelião da equipe; um líder amado eventualmente vai decepcionar a equipe, pois vai ter que tomar decisões que nem sempre são populares. O líder respeita-

do é aquele que tem congruência entre o que fala e o que faz. Estes são os líderes que as equipes têm necessitado neste mundo de constantes mudanças e incertezas – alguém que age alinhado com a missão da empresa que ele prega, alguém que é um exemplo. Muitas empresas ao redor do mundo enfraqueceram,demitiram e perderam dinheiro com a crise que eclodiu no segundo semestre de 2008.Essas turbulências foram, de alguma maneira, positivas ou só trouxeram perdas para as companhias e suas equipes? Na verdade, toda crise é apenas uma mudança em uma estrutura que estava funcionando automaticamente e ninguém via as falhas. A crise apenas aconteceu porque a estrutura já não funcionava direito. Se é positivo ou se só trouxe perdas depende de como a empresa resolver a sua posição. O problema é quando a empresa simplesmente demite para cortar gastos, mas não aproveita para melhorar seus processos de funcionamento, então volta tudo a ser o que era antes. Outras empresas apro-

veitam para demitir o excesso de funcionários que inchavam o quadro de trabalho de forma improdutiva – e para muitas, foi o que aconteceu (pois no boom econômico as empresas contrataram com pressa devido à necessidade e nem sempre contratava-se a melhor pessoa para o cargo). Estas também aproveitam para melhorar sua forma de funcionamento. Muitas empresas souberam investir e saíram mais fortes e mais eficientes. Outras saíram sem nenhum aprendizado, o que quer dizer que ainda estão vulneráveis – apenas cortaram funcionários pensando em gastos, mas estão sobrecarregando os que ficaram com trabalho excessivo, sem rever os processos. Qual é a postura esperada de um líder após um período de tantas turbulências na economia? É possível se comportar como antes? Espera-se maior eficiência, mas para isto é preciso de mais eficácia, ou seja, o líder precisa urgentemente rever o seu papel, se quiser ter equipes de alto desempenho. O papel antigo de líder, centralizador e dono da verdade, está ficando cada vez menos eficaz. Nesse momento pós-crise, em que a economia,no Brasil especificamente, fervilha, acho que muitas empresas querem saber como fazer com que seus funcionários produzam mais, com mais rapidez e sem ficar desmotivados.Há uma receita para isso? Qual seria? A receita é simples de falar, mas difícil de fazer, pois requer todo um aprendizado comportamental. O líder precisa desaprender a liderança com a qual foi acostumado: o chefe dá ordens, a equipe obedece cegamente. No mundo de hoje, se o líder não ensinar a equipe a pensar e tiver a capacidade de criar uma cultura de aprendizado constante, e de contribuição constante da equipe nas soluções, não há milagre que motive a equipe. Ninguém se motiva só recebendo ordens. Também nesse pós-crise, as redes sociais ganharam força no país. Como o senhor enxerga a participação de CEOs e de altos executivos nesse meio? Tudo depende do que eles desejam atingir e depende da natureza do seu negócio. Para alguns negócios, talvez seja interessante ver o que o líder tem a dizer. Para outros, um líder que aparece em rede sociais pode gerar perda de credibilidade. Como eles podem usar sites de relacionamento a favor das empresas em que trabalham? Isto foge à questões de liderança de pessoas, e entra em estratégias de marketing. Muitas empresas usam estes sites pois sabem que somos mais influenciados por opiniões de pessoas do que por propaganda impessoal. Quem souber usar vai ter grandes resultados, mas quem usar de forma inadequada vai gerar o efeito contrário, criando uma imagem negativa para sua empresa. As pessoas estão ficando mais e mais cansadas de marketing vazio.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 05 de setembro de 2010


economia DÓLAR COMERCIAL Compra:R$ 1,731 Venda:R$ 1,733 DÓLAR PARALELO Compra:1,81 Venda: 1,93

POUPANÇA HOJE 0,5925% CDB 10,64% BOVESPA - 0,72%

SALÁRIO MÍNIMO

R$ 510,00 TAXA SELIC

10,75%

TELEFONES ÚTEIS Receita: 3232-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT/RN: 3220-2000

EÓLICAS

RN se destaca em leilão,mas projetos podem enfrentar problemas de mercado. PÁGINA 7 Editor: Vinícius Albuquerque e-mail:vinicius@tribunadonorte.com.br

DÓLAR TURISMO Compra: R$ 1,747 Venda:R$ 1,840 EURO Compra:R$ 2,232 Venda:R$ 2,235

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo• 05 de setembro de 2010

[ PROMOÇÃO ] Na nona edição, comércio comemora resultados mas

LIQUIDA NATAL EM NÚMEROS

por outro lado, consumidores desconfiam sobre redução de preços

Veja as mudanças entre a campanha desenvolvida no comércio da capital potiguar,nos anos de 2009 e 2010

Liquida Natal de mais consumo e muita cautela

Em 2009

Em 2010

Mais de R$ 120 milhões

Em torno de R$ 150 milhões*

volume comercializado

volume comercializado

Em torno de 3 mil

Mais de 2.500

quantidade de empresas participantes

quantidade de empresas participantes

riado para aquecer o comércio em um período no qual havia certa calmaria, o modelo Liquida surgiu há 15 anos em Salvador e está sendo desenvolvido pela nona vez em Natal, tendo começado no dia 26 de agosto e se encerrando hoje. Para o comércio da capital potiguar, a inciativa é motivo de comemoração, uma vez que se consolidou como a segunda melhor data para o setor, atrás apenas do Natal. Já os consumidores enxergam a promoção com ressalva, por acreditarem que algumas lojas se aproveitam da situação para tentar desencalhar peças que estão há muito tempo no estoque. Idealizador do modelo e coordenador da Liquida Natal, Bernardo Carvalho explica que o varejo vive de datas, sendo o Natal a principal delas, seguida pelo Dia das Mães, Namorados, Crianças e Pais. “O objetivo da Liquida Natal era se tornar a segunda data mais importante para o comércio e isso foi conseguido já a partir do terceiro ano da promoção”, comemora. Carvalho lembra que em 2002, primeiro ano de Liquida Natal, houve a participação de pouco mais de 1,5 mil lojas, apenas em shoppings da capital potiguar. Ao longo do tempo, todo o comércio passou a aderir, fazendo com que a cidade inteira se envolvesse na promoção e este ano foram contabilizados mais de 2,5 mil pontos comerciais que aderiram à campanha. “Além de aumentar a quantidade de lojistas participando a cada ano, vemos que o consumidor também fica mais exigente, interessado, perspicaz e pesquisa antes de comprar”, afirma. Para atrair cada vez mais consumidores, o coordenador da promoção diz que a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) trabalha junto aos empresários, reforçando a importância de serem oferecidos descontos reais. Com essa postura, acredita Carvalho, os consumidores hoje veem a Liquida Natal como a liquidação de maior credibilidade na capital. Essa postura é enfatizada pela entidade que organiza a promoção, pelo entendimento de que o consumidor conhece os valores dos produtos que o interessam e se os preços não forem convidativos, o cliente não tira o dinheiro do bolso. “A verdade tem que prevalecer e se o lojista só pode dar 5% ou tem condições de oferecer 40%, que esse desconto seja real”, diz o coordenador da campanha.

número de cupons distribuídos

número de cupons distribuídos Setor que mais aderiu: vestuário Setor que mais aderiu: vestuário

RODRIGO SENA

SÍLVIA RIBEIRO DANTAS Repórter de Economia

4 milhões*

3,3 milhões

C

Premiação: dois automóveis Voyage 1.0 modelo 2010 0km,10 motos Suzuki 125cc 0km e 10 notebooks CCE.Além de 22 cheques no valor de R$500,para os vendedores dos clientes contemplados. Fonte:CDL Natal

* estimativa ** A CDL Natal não disponibilizou dados de edições anteriores da Liquida Natal

Consumidores divergem sobre descontos reais Consumidor está atento aos números e procura redução real

HORÁRIO ESTENDIDO Prevendo um final de semana bastante movimentado no comércio,por ser os dois últimos dias da Liquida Natal 2010,a CDL Natal fez um acordo com todos os shoppings participantes do evento,para que estendessem o horário de funcionamento no período.Dessa forma,durante o dia de hoje,as lojas do Natal Shopping,Via Direta,Cidade Jardim,Praia Shopping,Midway Mall e Norte Shopping permanecerão abertas das 12h às 21h.Os clientes concorrem aos prêmios através de cupons,recebidos a cada R$ 25 em compras e os sorteios serão realizados em 18 de setembro,durante show do cantor Fábio Júnior.Na ocasião,haverá o sorteio de uma picape Ranger 4x4,um Ford Ka,6 notebooks e 5 motos 150cc.

Se para a maioria dos lojistas o período é de boas vendas, entre os consumidores não há consenso. Enquanto alguns elogiam a iniciativa e afirmam ser árdua a tarefa de se controlar durante as compras, outros se queixam por não encontrar ofertas significativas nos produtos que estavam procurando. Bastante empolgada com a liquidação, a estudante Maria Elizângela Vieira conta ter comprado sapato, perfume, lingerie e biquíni entre o primeiro dia de Liquida Natal e a quinta-feira pas-

sada. “E acho que ainda volto às lojas durante o final de semana, para tentar encontrar mais algum produto que eu goste e esteja com um preço interessante”, completa. Já o policial militar Felipe Costa diz não ter notado mudanças nos preços praticados na Liquida, em relação ao período anterior à promoção. Além disso, ele diz ter percebido que boa parte das mercadorias com preços mais em conta é formada por peças cuja qualidade não é tão boa ou parecem estar encalhadas no estoque das

Premiação: Para os clientes,serão sorteados uma Picape Ranger 4x4,um Ford Ka 0km modelo 1.0,cinco motos 125cc e seis notebooks.Para vendedores, serão 13 vale compras no valor de R$ 500 e para as empresas participantes,13 planos de saúde da Unimed Natal,“Plano Empresa”

lojas e chama a atenção para a importância de pesquisar, mesmo durante a liquidação. Também insatisfeito com os preços praticados durante a Liquida, o fotógrafo Rodrigo Cortez lamenta ter dedicado o seu horário de almoço da quartafeira passada para ir ao shopping. Ele afirma ter voltado para casa frustrado e sem adquirir qualquer mercadoria. “Estava determinado a comprar e achei que as vantagens oferecidas não eram suficientemente atrativas. Sei que tem a questão dos sorteios também, mas o meu interesse era em descontos reais e isso, eu não encontrei”, enfatiza Cortez, demonstrando certa irritação.


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 05 de setembro de 2010

[ APICULTURA ] Rio Grande do Norte acumula 435 toneladas de mel

exportadas até agora e o Sebrae quer estimular consumo interno

Abrindo a porteira laf@tribunadonorte.com.br

Agropecuária puxa o PIB agropecuária foi o setor da economia que apresentou o maior crescimento do PIB, no segundo trimestre deste ano, em relação ao trimestre anterior, com um aumento de 2,1%. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a indústria cresceu 1,9% e o setor de serviços, 1,2%. Já na comparação do segundo trimestre deste ano com o mesmo período de 2009, a agropecuária cresceu 11,4% e os serviços tiveram expansão de 5,6%. No acumulado do primeiro semestre, as taxas de crescimento foram os seguintes: agropecuária (8,6%), indústria (14,2%), serviços (5,7%), investimento (26,2%), consumo das famílias (8,0%) e despesas do governo (3,6%). No acumulado dos 12 meses, as taxas foram: agropecuária (1,6%), indústria (5,6%), serviços (4,5%), investimento (8,9%), consumo das famílias (6,9%) e despesas do governo (3,4%).

A

EXPORTAÇÕES As exportações de carne bovina cresceram 32,1% em agosto, para 95,9 mil toneladas. No ano, o preço da arroba do boi acumula alta de quase 20%. No entanto, as exportações de agosto foram inferiores em 5 mil toneladas em relação ao alto número de embarques do mês anterior, de 101,7 mil toneladas, o maior volume mensal desde outubro de 2008.

Exposição (I)

Exposição (II)

Segundo o presidente da Anorc, Marcos Texiera, já existe uma procura superior à oferta de argolas para a exposição de gado puro (raça), na próxima Festa do Boi, em outubro. Ele disse que a exposição de 2010 deverá movimentar entre R$ 25 e R$ 30 milhões, praticamente iguial aos negócios do ano passado.

A Festa do Boi 2010 também está registrando uma procura, acima da capacidade das baias para a exposição de cavalos de diversas raças, principalmente, quatro de milha, pônei e manga larga marchador. E dos espaços para as exposições de ovinos e caprinos, da Ancoc.

IMPOSTO Os produtores rurais do RN estão sendo acionados, segundo eles, por um advogado do Mato Grosso, por conta do atraso no pagamento da anuidade da Confederação Nacional da Agricultura (CNA). Serão mais de mil ações, com audiências na Justiça já agendadas para os próximos dias.

escassez de chuvas que atingiu o Rio Grande do Norte no primeiro semestre do ano provocou uma redução no ritmo das exportações de mel do estado. Em julho, foram enviadas pouco mais de 38 toneladas, enquanto, em 2009, o Estado chegou a exportar mais de 208 toneladas em apenas 30 dias. Porém, nem a queda foi suficiente para tirar o espaço do estado na produção: dados da Secretaria do Comércio Exterior (Secex), ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), indicam que o Rio Grande do Norte já exportou este ano 435 toneladas de mel natural de janeiro a julho deste ano, o equivalente a uma negociação de US$ 1,07 milhão. O desempenho coloca o RN como o terceiro maior exportador do produto na região Nordeste, ficando atrás apenas do Piauí - 2,1 mil toneladas - e Ceará - 1,8 mil toneladas, onde a apicultura encontra-se em estágio mais avançado de maturação. São Paulo continua sendo o maior exportador do País. De acordo com as informações da Secex, o acumulado das exportações potiguares nos sete primei-

A

NÚMERO

38

toneladas de mel potiguar foram enviadas ao exterior em julho contra 208 de julho de 2009

ros meses do ano caiu quase 77% no comparativo com igual período de 2009. Em termos de receita, as reduções chegaram a 76%. Na avaliação do gestor do projeto de Apicultura do Sebrae-RN, Valdemar Belchior, a explicação para essa baixa passa pelos fatores climáticos. A falta de chuvas no semiárido influenciou a produção em todos os Estados da região. “Muito provavelmente, o Rio Grande do Norte registrará uma baixa nas exportações que beira os 50% em função das chuvas”, prevê. Na análise geral dos dados divulgados pelo MDIC, a maioria dos Estados está com as exportações em ritmo decrescente. São Paulo e Santa Catarina, por exemplos, registram diminuição de 45,3% e 59,3%, respectivamente. “Esses Estados também compram o produto do Rio Grande do Norte”, lembra Valdemar. O Ceará e o Piauí tem exportações superiores a

do Rio Grande do Norte, porque compram o mel potiguar. “É muito comum o Ceará adquirir o mel produzido nos municípios de fronteira, como Baraúnas, Apodi e Pau dos Ferros. Isso é refletido nas exportações”, explica. Mas, sabe-se que a maior parte da produção potiguar vai mesmo para o mercado internacional. Segundo Valdemar Belchior, o mel destinado ao mercado interno é repassado à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e Emater. Mas, a apicultura nordestina tem perspectivas positivas e otimista. Pelo menos é o que pensa o coordenador de Apicultura do Sebrae Nacional, Reginaldo Resende. Ele acredita que o desafio atual é ampliar a participação dos Estados do Nordeste no cenário das exportações brasileiras. “Vemos que essa participação é crescente e isso só é possível porque os produtores estão se unindo em cooperativas e associações, o que torna a atividade mais competitiva”, destaca Resende. Para o consultor, a produção apícola na região está muito ligada à agricultura familiar e isso a vincula à um modelo essencialmente cooperativista.

Posse na ABCZ posse. Eduardo Biagi, eleito no dia 9 de agosto para comandar a ABCZ durante o triênio 20102013, destacou em seu discurso as realizações do ex-presidente, José Olavo Borges Mendes, e quais serão as prioridades da entidade nesses próximos anos.

EXPOINTER O presidente da Anorc, Marcos Texieira e o vicepresidente, senador José Bezerra Júnior, retornam hopje de Esteio, na Grande Porto Alegre. Visitaram a Expointer 2010, a maior feira agropecuária do sul do País. Pela primeira vez aquela exposição recebe um plantel do Gir leiteiro, raça zubuina.

1

Decisão do Conselho Deliberativo Técnico define a nova metodologia para o Controle Leiteiro. A partir de outubro, o Controle Leiteiro Oficial mensal continuará sendo feito sem prévio aviso aos criadores, conforme decisão tomada pelo Conselho, em outubro de 2009

2

Há novidades em relação à pesagem de esgota. A partir de 1º de outubro, a pesagem da esgota continuará sendo obrigatória, porém, sem a eliminação da maior produção registrada naquele controle, conforme havia sido definido em 2009.

3

O Governo do Estado RN iniciou um levantamento das demandas já visando a distribuição de sementes em 2011, aos 860 bancos de sementes do Rio Grande do Norte. A projeção é que o investimento seja de aproximadamente R$ 3,6 milhões e o benefício alcance mais de 30 mil agricultores potiguares.

ESCOAMENTO O Governo apoia o escoamento de sisal da Bahia. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) fez um leilão de Prêmio para Escoamento de Produto (PEP) com oferta de 6,5 mil toneladas de sisal bruto da safra 2010/2011. Noventa por cento do produto é oriundo da Bahia. O restante veio da produção da Paraíba e Rio Grande do Norte. O preço mínimo fixado pelo governo federal, de R$ 1,04 por quilo. VETERINÁRIO O Dia do Médico Veterinário, 9 de setembro, será comemorado antecipadamente na próxima quarta-feira, dia 8, em Mossoró, com o Seminário O Médico Veterinário e o seu Papel na Saúde Ambiental, às 8 às 18:30h, no Auditório do CTARN, no Campus Leste da UFERSA. A iniciativa é do Conselho Regional de Medicina Veterinária, numa parceria com a Universidade Federal do Semi-Árido. Em Natal, comemorações pela Passagem do Dia do Veterinário terão prosseguimento, com a palestra sobre “Células Tronco”, com o professor Ricardo Junqueira Del Carlo, da Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais. A palestra vai acontecer a partir das 8:30h, no auditório da FIERN. FRUTAS

O Brasil já chegou a exportar 100 mil toneladas dee banana para a Europa. As inundações no Rio Grande do Norte e a valorização do real, reduziram as vendas. Hoje está na casa das 60 mil toneladas/ano. O assunto será discutido de 13 a 16, em Fortaleza, na 17ª Semana Internacional da Fruticultura, Floricultura e Agroindústria (Frutal) - www.frutal.org.br. O tema é “Educação e CT&I Como Indutores do Desenvolvimento”. O presidente da Frutal é Euvaldo Bringel.

Setor pode produzir energia de uma Itaipu

Mesmo com queda, RN ainda é 3º no NE S em produção de mel

MORAIS NETO

Tomou posse o novo presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), Eduardo Biagi. O evento aconteceu no Centro de Eventos Rômulo Kardec de Camargos, em Uberaba (MG). Cerca de 600 pessoas participaram da solenidade de

[ BIOELETRICIDADE ]

O mel produzido no Rio Grande do Norte é um dos produtos que mais cresce na pauta de exportações

Mercado interno é filão a explorar Tradicionalmente, o mel produzido no Rio Grande do Norte segue para os Estados Unidos com preço médio, nesse período, de US$ 2,46 por cada quilo comercializado do produto. Atualmente, o mercado americano também é o principal comprador do mel brasileiro, seguido da Alemanha e Reino Unido. Isso é o que aponta a balança comercial do produto no mês de julho. Para direcionar a produção também para o mercado interno, o Sebrae está com uma campa-

nha nacional, que estimula o consumo diário de mel. Intitulada “Meu Dia Pede Mel”, a campanha será lançada no Rio Grande do Norte em outubro, durante o 10º Congresso Ibero Latino-Americano de Apicultura, a ser realizado no Centro de Convenções de Natal. A proposta do Sebrae é incentivar o consumo diário do produto pelos brasileiros e ampliar a participação do mel no mercado nacional. Apesar de o País ser um grande produtor de mel, o consu-

mo ainda é baixo em relação a países como os Estados Unidos. Foi criado um portal (www.meudiapedemel.com.br) com informações sobre os benefícios do mel introduzido na alimentação e suas contribuições para a saúde física e mental de crianças, jovens e adultos. Para entender os propósitos e a importância da companha, basta saber que o mel possui mais de 184 susbtâncias favoráveis ao bom funcionamento do metabolismo humano.

ão Paulo (AE) - Até 2020, o setor sucroenergético poderá produzir um volume de bioeletricidade a partir do bagaço e palha de cana equivalente ao produzido por uma Usina Itaipu, que tem uma capacidade operacional de 14 mil megawatt médio. A informação consta Anuário Brasileiro de Energias Renováveis da AgraFNP, lançada na semana passada. Jacqueline Bierhals, gerente de agroenergia da AgraFNP, explica que o setor sucroenergético já possui potencialmente capacidade para produzir um grande volume de bioeletricidade. “O problema é que os investimentos na produção são menores que a real capacidade do setor”. O anuário lançado hoje mapeia o mercado de energia renovável no Brasil, de biomassa às pequenas centrais hidrelétricas, passando pela energia eólica. No Brasil, a utilização de energias alternativas não pressupõe o abandono dos recursos tradicionais, mas sua capacidade não deve ser subestimada. Em 2008, cerca de 54% do consumo de energia nacional era originária de fontes não-renováveis, sendo que 36,6% vinha do petróleo. Dentre as energias renováveis, a biomassa responde por 28%, sendo que a maior oferta vem da cana-de-açúcar, com 17%. Em função do aumento da frota de veículos Flex Fuel, essa fonte de energia cresceu 9,5% ao ano, entre 2000 a 2008. Segundo a gerente, em 2008, do total de energia consumida no país, 17,7% vinha do diesel, 17,4% de eletricidade, 13,4% do bagaço da cana e 4,8% do etanol. Do total, as energias renováveis representam 45,2%, dos quais 16,4% são derivados da cana. “Na última década, a energia renovável está crescendo mais que a não renovável”, disse. Enquanto entre a década de 1990/2000 e os anos de 2000/08, a oferta de energia não renovável passou de um crescimento de 4,51% para 2,47%, a oferta de energia renovável passou de uma expansão de 1,16% para 5,04% no período citado. Para o ex-ministro de Ciência e Tecnologia do governo federal, José Goldemberg, o potencial da bioeletricidade deve continuar crescendo. Em 2020, o bagaço e a palha de cana-de-açúcar poderão representar 14% da matriz energética brasileira, mas para que isso ocorra, será necessário que se transforme em meta de política setorial pública e também privada. Goldemberg participou da elaboração do anuário juntamente com analistas da AgraFNP. ���O bagaço de cana pode ser um produto tão importante para a sustentabilidade energética do País quanto hoje é o etanol. O futuro das usinas está na bioeletricidade e no álcool”, disse ele. Atualmente, 100 usinas sucroenergéticas exportam bioeletricidade. Esse número é relativamente pequeno, se comparado ao potencial das 437 usinas existentes no País.


economia

Domingo | 05 de setembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

7

RN é considerado o novo Eldorado para a geração de energia através dos ventos, porém empresas buscam qualificação de mão de obra e maiores incentivos governamentais para um dos setores que mais crescem atualmente [ EÓLICA ]

Mercado ainda precisa se adequar RICARDO ARAÚJO Repórter de Economia

s ventos do desenvolvimento sopraram a favor do Rio Grande do Norte no último leilão de fontes renováveis de energia, realizado no dia 26 de agosto. No total, o estado ganhou mais trinta projetos de energia eólica que deverão entrar em operação até janeiro de 2013. O investimento inicial nas obras de infraestrutura e instalação dos aerogeradores será de R$ 3,5 bilhões. Porém, dificuldades que também atingem setores como a construção civil, como a falta de mão de obra qualificada e material de construção, por exemplo, ainda precisam ser superadas para que as obras dos parques não sofram atrasos. O primeiro parque eólico implantado no estado para geração de energia elétrica destinada ao consumo público pertence ao grupo Iberdrola e se localiza no município de Rio do Fogo. A empresa espanhola ganhou concessão para instalar o empreendimento através do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa) em 2005 junto com a empresa New Energy Options/Multiner, que está concluindo os parques Alegria I e II em Guamaré. O parque Alegria I ficará pronto em novembro, segundo informações da empresa. Por ter enfrentado problemas de questão fundiária, o Alegria II ficará pronto em outubro de 2011, cujas obras estão em ritmo acelerado. Em relação às seis empresas ganhadoras do primeiro leilão, que ocorreu em dezembro de 2009, duas (Desa/Dobrevê e Santa Clara) iniciaram a construção dos parques no município de Parazi-

O

FUNCIONAMENTO A energia eólica tem sido aproveitada desde a antiguidade para mover os barcos impulsionados por velas ou para fazer funcionar a engrenagem de moinhos,ao mover suas pás.Nos moinhos de vento a energia eólica era transformada em energia mecânica,utilizada na moagem de grãos ou para bombear água.Os moinhos foram usados para fabricação de farinha e ainda para drenagem de canais,sobretudo nos Países Baixos. Na atualidade utiliza-se a energia eólica para mover aerogeradores grandes turbinas colocadas em lugares de muito vento.Essas turbinas têm a forma de um catavento ou um moinho.Esse movimento,através de um gerador, produz energia elétrica.Precisam agrupar-se em parques eólicos, concentrações de aerogeradores, necessários para que a produção de energia se torne rentável,mas podem ser usados isoladamente, para alimentar localidades remotas e distantes da rede de transmissão.

nho. As demais empresas (Cedin do Brasil, Aratuá, Eólica Mangue Seco e Gestamp), iniciarão a construção dos seus parques entre dezembro e janeiro de 2011, dentro do cronograma estipulado por cada uma delas. Para o diretor da construtora Dois A Engenharia, Sérgio Azevedo, após 15 anos de estagnação, o setor de construção civil tomou um novo fôlego com a retomada do crescimento imobiliário aliado à ascensão do segmento industrial, incluindo os parques de geração de energia. “Os parques não são o-

ALEX FERNANDES

bras de empreendimento imobiliário, mas consomem os mesmos produtos da construção civil”. O consultor da Pactum Consultoria, Jefte Lisowski, comenta que a questão dos produtos que fomentam a construção civil hoje, abrange todo o país. “Devido a retomada do crescimento da construção civil como um todo, a procura por aço, ferro e cimento aumentou consideravelmente no Brasil. Existem empresas europeias que querem se instalar no país e isso obviamente é uma demonstração de que ferro, aço e cimento com certeza terão uma demanda muito significativa”. Segundo dados divulgados pelo Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC), poderá faltar cimento até 2013. As obras do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), Olimpíadas e Copa do Mundo, serão os principais consumidores do insumo. O Sindicato analisa que as indústrias estão se preparando para o aumento do consumo, porém não descarta a possibilidade de ocorrer situações pontuais de descasamento entre a oferta e a demanda. No entanto, o presidente da Cooperativa da Construção Civil (Coopercon RN), Marcus Aguiar, acredita que o estado não será atingido pela falta de cimento nos próximos anos. “O Grupo Votorantim acelerou a construção da fábrica de cimento em Baraúnas e o Grupo Lafarge, um dos maiores produtores de cimento do mundo, estuda a possibilidade de instalar uma fábrica no RN em breve”. Além disso, Aguiar comenta que as empresas estão importando cimento do Vietnã, Estados Unidos e Canadá para conseguir atender os pedidos.

BATE-PAPO Marília B.Pioli »advogada do setor de energia Quais são os principais entraves burocráticos para a implantação de um parque eólico? Se tomarmos a expressão “entraves burocráticos” em um sentido mais amplo para indicar os “freios” para o desenvolvimento da exploração da energia eólica no país, podemos apontar a inexistência de um marco regulatório e inexistência de um procedimento padrão no Estados da Federação. Por “marco regulatório” refiro-me a um conjunto de normas claras e específicas para o setor. Não se pode afirmar que as normas não existam, mas são esparsas, insuficientes e muitas vezes genéricas. A burocracia e a morosidade das leis brasileiras impedem que mais parques eólicos sejam implementados no Brasil? Eu não diria que “impedem”, até porque o número de empreendimentos inscritos no último leilão contraria este tipo de afirmação. Contudo, não receio afirmar que a burocracia e a morosidade não só da legislação brasileira, mas também a atuação dos órgãos governamentais, atuam como “freio” para o desenvolvimento da energia eólica. O desenvolvimento da energia eólica no Brasil ganhará no impulso quando – e se – conseguirmos superar os problemas – alguns deles culturais – que agem como freio para a expansão da exploração eólica no país.

Parque eólico de Rio do Fogo.Empreendimento de sucesso no RN

RODRIGO SENA

Os parques não são obras de empreendimento imobiliário, mas consomem os mesmos produtos da construção civil” SÉRGIO AZEVEDO diretor da Dois A Engenharia

Objetivo é se tornar um polo exportador de energia

Política estadual merece destaque A condição excepcional dos ventos que atingem o estado atrai cada vez mais investidores. O estado tem se destacado por apoiar o setor eólico, agilizando os processos de concessão de terrenos e liberação destes por órgãos ambientais. “O Rio Grande do Norte tem um potencial eólico diferenciado em relação aos demais estados brasileiros. Aliado a esse fator, o claro interesse do governo em apoiar o desenvolvimento desse novo mercado”, aponta o dire-

e Manutenção, que trabalhará para os parques eólicos”, afirma Sérgio Azevedo.

RN ganhou mais 30 parques eólicos no último leilão do dia 26 de agosto. Visualize abaixo a localização dos projetos contemplados.

Costa Branca

Potência em megawatts (MW)

Empreendimento

Potência em megawatts (MW)

20,7 MW

Dreen Boa Vista Dreen Olho D'água Dreen São Bento do Norte Dreen Farol

12,6 MW 30 MW 30 MW

Grossos

SOBRADINHO Sua empresa de construção civil participou da construção de todos os parques eólicos no estado e um na Paraíba. Recentemente, o grupo venceu uma concorrência para construir o parque eólico de Sobradinho, da Chesf, cujo valor da obra está orçado em R$ 100 milhões. O empresário confirma que até o final do ano irá divulgar o nome da empresa alemã com a qual está fechando negócios para a fabricação de torres de concreto para turbinas eólicas. “Seremos exportadores de energia e de mão de obra qualificada. Temos condições de transformar o RN num polo da energia eólica”. O setor de construção civil estima que 3,9 mil empregos sejam gerados na construção dos parques da cidade de Parazinho. Visando o crescimento da demanda por profissionais na área de eólica, instituições como o Centro de Tecnologia dos Gás Natural e Energias Renováveis (CTGás-ER) estão desenvolvendo cursos de aperfeiçoamento para qualificar pessoal e habilitá-los ao trabalho com essa nova tecnologia.

SIMM que prestará assistência técnica aos parques que se instalarão no estado. Um dos entraves no setor eólico é a falta de uma legislação exclusiva para o setor, além da imprevisibilidade da cobrança do ICMS. Os estados não assinam um contrato de isenção do imposto por um período superior a um ano. Questiona-se porque os estados não concedem a isenção do imposto de acordo com o contrato de exploração das áreas.

PROJETOS

Empreendimento

A energia eólica tem se mostrado um negócio rentável, apesar do alto investimento inicial. Por ser uma energia limpa com uma fonte inesgotável, tem atraído cada vez mais investidores nacionais e estrangeiros. Somente o grupo Iberdrola irá investir R$ 2 bilhões no processo de expansão da energia eólica no Brasil nos próximos dois anos. “Embora tenhamos decidido alargar os investimentos no Brasil, as coisas não evoluíram como pensávamos”, comenta o presidente de Novos Mercados da Iberdrola, José Oriol Hoyos, em comunicado enviado a imprensa. Ele cobra mais investimentos do próprio governo federal e a realização periódica de leilões desta fonte de energia para a expansão dos projetos do grupo. No Brasil, a cultura de geração de energia elétrica a partir dos ventos ainda é pouco difundida e são raros os estados que têm o potencial eólico necessário que viabilize a instalação de um projeto. Porém, as empresas que já existem apostam no crescimento gradual do setor e vislumbram ótimas oportunidades de negócios. “Acredito no crescimento e criamos mais uma empresa genuinamente potiguar, SIMM- Soluções Integradas de Montagem

tor-presidente da Galvão Energia, Otávio Silveira. A empresa participou do último certame e conquistou 94 megawatts (MW) para produção de energia. Ela investirá R$ 400 milhões na construção dos seus parques na cidade de São Bento do Norte. Novas empresas pretendem se instalar no estado para prestar assistência técnica aos parques. A Construtora Dois A fundou, em parceria com um engenheiro espanhol, a empresa

S.Bento do Norte

Parazinho

TOTAL

817,4 MW

João Câmara

Empreendimento Empreendimento Aratuá 3 Asa Branca I Asa Branca II Asa Branca III Asa Branca IV Asa Branca V Asa Branca VI Asa Branca VII Asa Branca VIII Eurus IV Arizona I Calango 1 Calango 2 Calango 3 Calango 4 Calango 5 Mel 02 Jurema

19,8 MW

Potência em megawatts (MW) 28,8 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW 28 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW 20 MW 16,1 MW

Potência em megawatts (MW)

Macacos Pedra Preta Renascença I Renascença II Renascença III Renascença IV Ventos de São Miguel

20,7 MW 20,7 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW 30 MW

DIMENSÃO DAS OBRAS Para a construção das 400 torres eólicas,são consumidos:

128 mil

Proporção

metros cúbicos de concreto

1 casa de 40 metros quadrados consome 7 metros cúbicos de concreto

11,5 milhões de quilos de aço

Fonte:Câmara de Comercialização de Energia Elétrica/Dois A Engenharia

Seriam construídas 18,8 mil casas com o concreto usado em 400 torres

O que o Estado ganha sediando projetos desse porte? A tecnologia envolvida nos equipamentos passa a exigir mão de obra qualificada, reclamando, por consequência, centros de treinamento de excelência em formação profissional. Essas fábricas precisam de insumos, de matéria-prima, o que fomenta o crescimento também de outras empresas. A necessidade de mão de obra fica evidente, aumentando significativamente a oferta de emprego. Ser o endereço de parques eólicos representa um grande crescimento econômico para o estado, com a grande vantagem de não haver grandes impactos ambientais, já que a energia eólica é notoriamente limpa.

Incertezas cercam os contratos A falta de padrão normativo para o setor eólico revela-se na condução de cada Estado nas exigências legais. Em alguns deles as imposições são mais simples e em outros, mais burocráticas. A advogada Marília Bugalho Pioli exemplifica que a falta de definição e de regras claras causa insegurança nos investidores. Ela diz que o edital do leilão traz um capítulo inteiro sobre a constituição de uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) e diz que as pessoas jurídicas de direito privado estrangeiras e os Fundos de Investimento em Participações (FIP) devem constituir uma SPE sob a forma de Sociedade Anônima, para receber a outorga de autorização dos parques. Em 2009, a advogada levou o estatuto de constituição da SPE para registro na Junta Comercial do Rio Grande do Norte e eles se negaram a registrar alegando que não poderiam constituir a SPE porque ela não é regida pela lei das Sociedades Anônimas. Essa alegação é tida como um absurdo jurídico que pôs em risco o prazo de entrega dos atos de constituição da SPE e, por consequência, submeteu os vencedores do leilão a riscos financeiros imensuráveis.


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 05 de setembro de 2010


natal

CASO GOBAT

Promotor Augusto Flávio diz que está tudo pronto para julgamento. PÁGINA 4

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS-LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Max.: 30º CO Min.: 26ºCO

Preamar 01h32 -2.1- 14h11 -2.1 Baixa-mar 07h45 -0.3- 20h00 -0.4

Panorama: hoje 332 bancas/196 feirantes Planalto 186 bancas/97 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Mãe Luíza Pium Pirangi do Norte Redinha

FASES DA LUA Minguante: 01/09 Nascer do sol: 5h21 Pôr do sol: 17h19

Editor: Edilson Braga e-mail: braga@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Natal • 05 de setembro de 2010

O país para na próxima terça-feira para comemorar a sua Independência. Em Natal, o desfile militar terá início às 9h, na praça Pedro Velho com a presença do governador Iberê Ferreira e da prefeita Micarla de Sousa [ CIVISMO ]

Dia 7, a praça é da Independência O desfile do dia 7 de Setembro, terçafeira, terá início às 9h, na Praça Pedro Velho, em Petrópolis, com a participação do governador Iberê Ferreira de Souza, a prefeita Micarla de Sousa e comandantes das guarnições militares (Marinha, Exército e Aeronáutica). Este ano a coordenação geral do desfile está a cargo da Força Aérea Brasileira. Durante o desfile da FAB haverá sobrevôo de quatro aeronaves AT-26 Xavante, quatro do tipo A-29 Super Tucano e quatro helicópteros H-50 Esquilo.

CONFIRA O QUE ABRE E FECHA NO FERIADO DE SETE DE SETEMBRO

Repartições públicas têm ponto facultativo e shoppings horários diferenciados

Quem estiver em Natal nesta terça-feira (7),dia em que se comemora a Independência do Brasil,deve atentar para mudança no horário de funcionamento de repartições públicas, serviços e comércio.Devido ao feriado

de Sete de setembro,a Prefeitura de Natal e o governo do Estado concederam ponto facultativo nas repartições públicas no dia 6 de setembro (segunda-feira).O expediente será retomado normalmente no dia 8

(quarta-feira),às 8h.A medida não se aplica às repartições que necessitam de funcionamento ininterrupto,como Defesa Civil,Guarda Municipal,ProntosSocorros,Samu e outros serviços.

Confira agora o que abre e fecha nesse feriado: Justiça O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte e o Ministério Público manterão suas atividades normais na segunda-feira (6), fechando somente no feriado. Bancos Seguindo orientação da Febraban,as agências bancárias de todo Estado terão expediente normal na segunda-feira e fecham as portas na terça-feira. Comércio de Rua Alecrim: Lojas fechadas.

Centro da Cidade: A maioria das lojas fecham mas grandes magazines abrem em horários diferentes, como a Riachuelo (09h às 17h) e Lojas Americanas ainda vai confirmar abertura (09h às 15h). Zona Norte: Abertura facultativa,mas maioria das lojas fecham. Shopping Midway Mall Praça de Alimentação e lazer:11h às 22h.Lojas Âncoras: A partir das 12h às 21h. Demais lojas e Quiosques:15h à 21h. Natal Shopping Praça de Alimentação e Lazer:11h às 22h.Lojas e Quiosques:14h à 21h.

Norte Shopping Praça de Alimentação:11:30h às 22h. Lojas e Quiosques:15h à 21h. Praia Shopping Praça de Alimentação e Lazer:A partir das 11h.Lojas e Quiosques:15h à 21h. Cidade Jardim Praça de Alimentação:A partir das 11h. Lojas e Quiosques:14h às 20h. Via Direta Praça de Alimentação e Lazer:12h às 22h.Lojas e Quiosques:14h à 20h. Supermercados Grandes redes abrem normalmente.

Confira a seqüência do Desfile ➔ Banda de Música Mista ➔ Comandante-Geral do Desfile ➔ Estado-Maior do Comandante-Geral do Desfile ➔ Representação das Escolas Municipais ➔ Representação das Escolas Estaduais ➔ Representação das Escolas Privadas ➔ Bandeiras Históricas ➔ Veteranos da FEB e Ex-Combatentes ➔ Fundação Rampa ➔ Programa Educacional de Resistência as Drogas e a Violência – PROERD da PM ➔ Educação de trânsito da SEMOB ➔ Legião da Boa Vontade ➔ Escoteiros ➔ Desbravadores ➔ Comando Pré-Militar Alfa (Serviço de Ação Social do RN) ➔ Marinha do Brasil;o Exército Brasileiro ➔ Força Aérea Brasileira ➔ Polícia Militar do RN;o Corpo de Bombeiros Militar do RN;o Guarda Municipal de Natal ➔ Grupamentos Motorizados (Marinha do Brasil, Exército Brasileiro,PMRN,CBMRN,Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal,Guarda Municipal de Natal e SEMOB);o Grupamento Hípico (PMRN) ➔ Grupamento Aéreo (FAB).


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 05 de setembro de 2010

A HISTÓRIA É DESCONSTRUÍDA POR FALTA DE CONHECIMENTO DOS ALUNOS

SARA VASCONCELOS repórter

“Ouviram do Ipiranga as margens plácidas. De um povo heróico o brado retumbante. E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos, brilhou no céu da Pátria nesse instante.” s versos poéticos do Hino Nacional Brasileiro - escrito pelo jornalista Joaquim Osório Duque Estrada, para ilustrar a ruptura do Brasil com Portugal - parecem não ecoar na memória do brasileiro, sobretudo dos mais jovens. Exceto pelo desfile cívico e palestras realizadas em escolas durante a Semana da Pátria, a impressão é que se o brasileiro ouviu ‘O Grito do Ipiranga’, já esqueceu. Assim como a outros acontecimentos da história do país. Para testar o nível de conhecimento sobre o assunto, a TRIBUNA DO NORTE aplicou entre estudantes de duas turmas do 9º ano do ensino fundamental, de escolas das redes pública e privada, um questionário sobre história do Brasil. Foram sete questões feitas aos adolescentes, com idades entre 12 e 13 anos, intencionalmente, a cerca de datas, símbolos e personagens que marcaram a trajetória desde a descoberta à democracia do país. (Teste seus conhecimentos com o questionário aplicado nas escolas, na pág. 3 ). O resultado revela rasa noção sobre fatos históricos e uma necessidade urgente de se rever o modelo de ensino, no intuito de congregar a análise contextualizada com os factuais. Nenhum dos estudantes sou-

O

be responder quem era o patrono da Independência, apesar dos livros apresentarem José Bonifácio de Andrada e Silva como autor da carta agitadora, que persuadiu Dom Pedro da impossibilidade de entendimento com a Corte Portuguesa. O título de patrono foi atribuído a Dom Pedro entre os estudantes da rede privada, e ao marechal Deodoro da Fonseca, entre os da escola pública. Não houve acertos sobre o ano de início e fim do governo militar no Brasil. Época que não passaria sem riqueza de detalhes e alguma comoção, se questionada ao público acima dos 30 anos. Foi comum trocarem o ano da Proclamação da República (1889), com o ano da promulgação da Constituição Federal (1988) ou ainda fundir o nome de dois presidentes - criando um Fernando Henrique Collor - para aquele afastado do governo por impeachment. Mas a justificativa alegada pelas turmas é respaldada pelos professores e coordenadores pedagógicos. O modelo atual de ensino não aborda a fixação de datas e ícones. Inclusive, há muito não são mais cobrados em exames de vestibular ou no Enem, o que desobriga o aprendizado. “Algumas coisas a gente decora só para a prova. Os professores mesmo dizem que não é preciso gravar as datas, que já vêm na pergunta”, observa o estudante Pedro Henrique Braga de Moraes. Não há como fixar, acrescenta Sayonara Santos, também aluna do 9º ano, se o conteúdo é restrito a determinadas séries. “Acho que história do Brasil, geral ou do RN, deveria ser dada desde os primeiros

anos até chegar na faculdade”. Desconhecer símbolos nacionais, como o Hino da Independência, não acarreta prejuízos para formação pessoal e intelectual na opinião dos alunos. “Não é usado. Diga um evento na escola ou fora dela em que se canta este hino? Eu nunca ouvi. Diferente do (hino) nacional que é cantado em jogos de futebol”, conclui Marcos Leon Camilo Valdivino, 13, que reconhece que é preciso aprender mais sobre história da nação. “Não tem muito livro sobre história do Brasil. A gente vê naquele ano e pronto”, acrescenta Jéssica Nóbrega, 15 anos. RESULTADO ERA O ESPERADO POR PROFESSORES Apresentado a alguns educadores, o resultado do questionário não surpreendeu. Para o coordenador pedagógico e professor de história Gilson Barbosa, o estilo – factual não se encaixa na metodologia de ensino implantada com a reforma pós-regime militar, quando a antiga disciplina de Moral e Cívica foi abolida das instituições. “Não é mais valorizada a questão da data, do personagem. É dado, claro. Mas o ensino da História do Brasil é feito de modo contextualizado, buscando a interpretação dos fatos”. Mas, ele opina que o conteúdo da antiga grade, que obrigava estudantes ao hasteamento da bandeira e cantar o hino

nacional às quintas-feiras, conhecer brasões e demais ícones da história, deveria ter sido melhor aproveitada na reforma pedagógica. O conteúdo para turmas de 9º ano, explica o professor José Gomes Gonzaga, aborda questões de conflitos e economia da história contemporânea e geral sempre fazendo comparativos com a história do país. “O método atual abandonou o vício de decorar e levou a a pensar. O esquecimento é falta de interesse dos alunos”, disse. Para Gleydson José Bento Lima, assessor técnico pedagógico da Secretaria Municipal de Educação, os professores trabalham dentro dos parâmetros curriculares nacionais que prima por uma visão interpretativa dos acontecimentos, não só a data. O plano pedagógico contempla os dois lados, mas o trabalho em sala de aula varia de acordo com o professor. Como não há obrigatoriedade de se promover momentos cívicos aos moldes antigos, fica a critério de cada instituição. “O estilo tradicional apontava para os heróis e mitos da história, até pelo contexto nacionalista da época da ditadura. Nesta versão mais moderna, se busca a explicação. Não fixar estes dados não mina a capacidade de análise”, enfatiza. “CIDADÃOS BRASILEIROS SEM IDENTIDADE NACIONAL”

Formar cidadãos sem identidade pessoal e memória cultural. É este o risco apontado pelo professor de história Fábio Moreira, com modelo atual de ensino da história do Brasil. Ao passo que o esquema pegunta-resposta, do tipo “Quem descobriu o Brasil? Pedro Álvares Cabral”, caiu de moda. A abordagem atual dá mais subsídios aos alunos para avaliar fatos, como perceber que o 7 de Setembro de 1822 foi o ápice de um acontecimento que integra o processo de crise do antigo sistema colonial, iniciado com as revoltas de emancipação no final do século XVIII, como a Inconfidência Mineira (1789). “O prejuízo de focar o ensino mais na formação crítica de cidadãos, em detrimento da memória cultural, é a perda da identidade enquanto pessoa e brasileiro”, frisa o professor. Hoje é mais fácil um estudante conhecer bandeira, hino e datas dos Estados Unidos – acrescenta – trabalhados nos veículos de massa. Para a diretora do Instituto de Desenvolvimento da Educação (IDE), Claudia Santa Rosa, privilegiar mais um aspecto que outro do mesmo evento ocorre por um “desvio pedagógico” para se manter um estilo mais contemporâneo. “Para dar condições de análise, é preciso que o estudante domine o quando, quem e onde aconteceu, não só o quê, como e porquê. Para não deixar lacunas no aprendizado que se leva para a vida”. Ao renegar as amarras de um período de ditadura militar, não se poderia ter abandonado de todo o modelo. Para ela, é responsabilidade da escola direcionar e definir a forma de trabalhar a educação. A pedagoga e vice-diretora da rede pública, Jailde Oliveira, alerta para urgente mudança em resgate da história. “A escola continua sem dar capacidade dos alunos interpretar e escrever”.


natal

Domingo | 05 de setembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

[ CIVISMO ] Ao responderem questionário elaborado pela TN, grupo de alunos do 9º ano do ensino fundamental, criaram um novo personagem: Fernando Henrique Collor

Alunos não sabem nome do patrono da Independência Respostas dadas por um grupo de alunos ao questionário elaborado por este jornal,mostram a falta de conhecimento de história

Brasil? dependência do in a d o n ro at p o 1 Quem foi . primeira estrofe a a ev cr Es a? ci endên o Hino da Indep 2 Você conhece e 1889? s de 1822,1888 o an s o n u ce te n 3 O que aco e, amarelo, azul e d er (v l si ra B o d andeira nta as cores da b a bandeira? 4 O que represe stas no centro d o p is d as el tr es branco) e as overnos mais recentes g s o am ar in rm te ou e 5 Que ano começ l? militares no Brasi cesso de do cargo por pro o d ta as af i fo l si te do Bra 6 Qual Presiden ? “impeachment” rasil? era a capital do B al u ,q lia sí ra B e 7Antes d

RESPOSTAS: Pedro I,idealizador da Bandeira do Império.Com o passar do tempo esta informação foi sendo substituída por uma adaptação feita pelo povo brasileiro.Dentro deste contexto,o verde passou a representar as matas,o amarelo as riquezas do Brasil,o azul o seu céu e o branco,a paz que deve reinar no Brasil.A versão atual da Bandeira Nacional Brasileira com 27 estrelas entrou em vigor em 11 de maio de 1992,com a inclusão de mais quatro estrelas (antes eram 23 estrelas) 1889 - Proclamação da República Questões religiosas,militares, escravistas e eleitorais e ideias como o Abolicionismo,republicanismo, positivismo e darwinismo contribuíram para a articulação da “Proclamação da República”em 15 de novembro de 1889 e a formação do Governo Provisório presidido pelo Marechal Deodoro da Fonseca.

liberdade de expressão,inexistência dos direitos fundamentais e das garantias constitucionais faziam parte da normalidade política da época.

3 1822 - Independência do Brasil;1888 - Libertação dos escravos;1889 Proclamação da República 2 Já podeis,da Pátria filhos,Ver contente a mãe gentil;Já raiou a liberdade,No horizonte do Brasil. 1 José Bonifácio de Andrada e Silva

7 Rio de Janeiro. 6 Fernando Collor de Mello. 5 O Regime militar no Brasil se iniciou com o golpe de 31 de março de 1964, derrubada de João Goulart do poder,e durou até a eleição de Tancredo Neves em 1985. representando os estados do Amapá, Tocantins,Roraima e Rondônia.

E

TESTE TAMBÉM SEUS CONHECIMENTOS

4 As quatro cores da Bandeira Nacional representam simbolicamente as famílias reais de que descende D.

sta semana a TRIBUNA DO NORTE contatou algumas escolas públicas e privadas para aplicar um questionário com o objetivo de testar os conhecimentos dos alunos do ensino fundamental sobre a história do Brasil. Apenas duas escolas concordaram em aplicar nosso questionário em turmas do 9º ano, com o compromisso do jornal de não identificá-las nem muito menos os alunos. Acordo feito, o jornal aplicou um questionário com sete perguntas, todas subjetivas. As questões foram apresentadas aos adolescentes, com idades entre 12 e 13 anos, intencionalmente, a cerca de datas, símbolos e personagens que marcaram a trajetória desde a descoberta à democracia do país. Nenhum dos estudantes soube responder quem era o patrono da Independência, apesar dos livros apresentarem José Bonifácio de Andrada e Silva como autor da carta agitadora, que persuadiu Dom Pedro da impossibilidade de entendimento com a Corte Portuguesa. O título de patrono foi atribuído a Dom Pedro entre os estudantes da rede privada, e ao marechal Deodoro da Fonseca, entre os da escola pública. Não houve acertos sobre o ano de início e fim do governo militar no Brasil. Época que não passaria sem riqueza de detalhes e alguma comoção, se questionada ao público acima dos 30 anos. Os alunos fundiram o nome de dois presidentes - criando um Fernando Henrique Collor - para aquele afastado do governo por impeachment.

CONHECIMENTOS Acontecimentos sobre a história do Brasil

1500 - Chegada dos portugueses ao Brasil Em 22 de abril de 1500,quando a esquadra de dez naus,três caravelas e 1,2 mil homens,comandada pelo navegador português Pedro Álvares Cabral,atinge o litoral sul da Bahia,na região da atual cidade de Porto Seguro.

1808 - Chegada da Família Real ao Brasil Ameaçados pelo avanço das tropas francesas de Napoleão Bonaparte, fixam reino no Brasil.

1624 - Invasão Holandesa No século XVII,os holandeses realizam tentativas de estabelecer-se no Nordeste brasileiro,na Bahia (1624),em Pernambuco (1630) e no Maranhão (1641).As invasões são um empreendimento ligado aos interesses do mercantilismo europeu na América colonial.

1792 - Inconfidência Mineira Revoltados com a falta de liberdade, com a opressão e os altos impostos cobrados pela Coroa Portuguesa e principalmente com o anúncio da Derrama para fevereiro de 1789, importantes membros da elite econômica e intelectual de Minas Gerais planejaram o movimento que culminou,com a morte do ativista revolucionário Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes),em 21 de abril daquele ano.

1822 - Independência do Brasil Embora a independência política do Brasil tenha sido um "arranjo político", segundo a expressão do historiador Caio Prado Jr.,ela implicou uma acirrada luta social.Em 7 de setembro de 1822,impedido pelas circunstância,D.Pedro rompeu definitivamente os laços de união política com Portugal. 1888 - Abolição da escravatura Movimento social e político intensificado entre 1870 e 1888,que defendia o fim da escravidão no Brasil.Termina com a promulgação da Lei Áurea,que extingue o regime escravista originário da colonização do Brasil.

1930 - Revolução de 1930 A Revolução de 30 foi um movimento iniciado por oligarquias insatisfeitas com o resultado das eleições presidenciais de 1930 em associação com grupos radicais de oficiais do exército brasileiro,que culminou com a renúncia do presidente Washington Luís,obrigado a entregar o poder a Getúlio Vargas.O governo instaurado pela Revolução de 30 foi responsável pela adoção no Brasil das primeiras formas de legislação social e de estímulo ao desenvolvimento industrial.

1964 a 1985 - Ditadura militar O Regime Militar foi instaurado pelo golpe de 1º de abril de 1964,que depõs o então presidente João Goulart.Até 1985,o Brasil viveu sob uma ditadura militar.Torturas, desaparecimentos,assassinatos,além de medidas para o cerceamento da

1985 - Redemocratização O processo de redemocratização teve início no governo do general João Baptista Figueiredo,com a anistia aos acusados ou condenados por crimes políticos,processo perturbado pela chamada linha dura.Em 15 de janeiro de 1985,o governador de Minas Gerais,Tancredo Neves,foi eleito Presidente da República pelo Colégio Eleitoral,com José Sarney como vicepresidente,derrotando o candidato da situação,o deputado federal Paulo Maluf. 1988 - Constituição Federal A redemocratização só foi completa com a promulgação da Constituição Federal,em 5 de outubro de 1988.

1992 - Impeachment A maior e mais forte crise enfrentada pelo governo Collor tomou forma em junho de 1992 graças a uma disputa envolvendo o irmão Pedro Collor e o empresário Paulo César Farias.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 05 de setembro de 2010

[ CASO GOBAT ] Justiça consegue intimar o auditor fiscal Lúcio Flávio Barbosa de Andrade que voltará a ser julgado por ter

provocado o acidente no qual foram vítimas o conselheiro do TCE, José Gobat Alves e a esposa dele, Maria José

Lúcio Flávio vai a júri na quinta-feira ALDAIR DANTAS

enta no banco dos réus, na próxima quinta-feira (9), às 8 horas da manhã, o auditor fiscal Lúcio Flávio Barbosa de Andrade. O julgamento ocorre no Fórum Miguel Seabra Fagundes, em Lagoa Nova. Lúcio é acusado de ter provocado um acidente de trânsito no dia 12 de julho de 1992 onde morreu Maria José de Vasconcelos Alves, causando lesão grave em José Gobat Alves que morreu em 2004. Após 18 anos, o réu poderá definitivamente ser julgado pelo crime que cometeu. Em substituição a juíza Eliana Alves Marinho, titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, que está de férias, o julgamento será realizado pela magistrada Daniela do Nascimento Cosmo, titular da Vara Criminal de Parnamirim. De acordo com informações do diretor da 1ª Vara do Tribunal do Júri Wilson Duarte, o réu foi intimado, por meio de carta precatória (instrumento utilizado pela justiça para intimar uma pessoa que reside em outra comarca. Lúcio mora no Estado da Paraíba), no dia 20 de agosto passado a comparecer no julgamento na próxima quinta-feira. “Recebemos, no dia 2 de setembro, o documento que comprova que Lúcio foi intimado pelo oficial de justiça). Segundo Duarte, os advogados do réu também foram intimados por meio do Diário da Justiça. Mesmo assim, Lúcio ainda poderá não comparecer ao júri. Basta a defesa do réu apresentar um atestado médico para que o julgamento seja reaprasado mais uma vez. Sobre o outro juri que foi marcado este ano e não aconteceu, Wil-

S

MEMÓRIA

O promotor Augusto Flávio, responsável pela acusação, ressalta o fato do auditor ter burlado a Justiça potiguar se dizendo incapaz

son Duarte afirmou que o julgamento do dia 22 de julho não foi realizado porque o oficial de justiça não teve tempo hábil para entregar a carta precatória ao réu. “A justiça do Estado da Paraíba estava em greve. O julgamento foi adiado”. Já o promotor de justiça Augusto Flávio de Azevedo - peça acusatória no processo, informou que está tudo pronto para que o julgamento seja realizado e que espera que desta vez ocorra o juri. Questionado sobre a presença de Lúcio no Tribunal, Augusto Flávio disse que, regularmente, é opção do réu comparecer ou não e que a ausência do réu não impossibilita a realização, porém, os advogados do acusado devem estar

presentes. “Obrigatoriamente a defesa do acusado tem que participar do júri”. Mas se os advogados de Lúcio também não aparecerem e não justificarem a ausência “fatalmente” a juíza terá que cancelar o julgamento e encaminhar o processo à defensoria pública. “Quem assume o caso passa ser o defensor e o julgamento é reaprazado”. Porém, caso não haja nenhum impedimento para a realização do júri popular, se for condenado, o auditor fiscal não sairá do banco dos réus direto para a penitenciária, isso porque, mesmo após a sentença, Lúcio deve aguardar em liberdade o transitado julgado do processo – quando é encerrada qualquer pos-

sibilidade de recurso. No início deste ano uma carta enviada por meio de anonimato à justiça do Rio Grande do Norte provocou uma reviravolta no caso. A denuncia mostra que Lúcio está burlando a justiça. A promotoria pediu à juíza que fossem apurados os fatos, onde foi constatado que a denúncia era verdadeira. No começo de 2010, Lúcio renovou a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), no Estado da Paraíba e entrou com pedido na justiça contra a interdição. O acusado foi interditado quando sofreu um acidente vascular cerebral (AVC). A justiça do RN entendeu que se foi feito o pedido ele já está em ampla condições físicas. “Se

alguém fez teste de direção e está apto a dirigir então porque o processo deve continuar suspenso?”, questionou o promotor Augusto Flávio. O processo havia sido suspenso porque Lúcio argumentou não ter condições físicas para enfrentar um julgamento. Consta na denuncia um CD com inúmeras fotos que comprovam que Lúcio fez várias viagens recentes e chegou a ser padrinho de um casamento. Augusto Flávio explicou que a legislação brasileira determina que o processo seja suspenso até que o acusado se recupere, porém os advogados de defesa do réu não tiveram interesse em avisar a justiça do Rio Grande do Norte que Lúcio está bem.

Início da tarde do domingo 12 de julho de 1992.Parecia mais um fim de semana como qualquer outro, mas aquele dia mudou a vida de uma família inteira. Lúcio Flávio dirigia um veículo Monza e ultrapassou o sinal vermelho da avenida Prudente de Moraes (cruzamento com a rua Apodi),atingindo em cheio a lateral do automóvel Santana no qual vinham Maria José de Vasconcelos Alves,que morreu na hora,e José Gobat Alves,que passou 12 anos em coma,até falecer em 2004. O casal retornava de uma visita à amigos.Segundo testemunhas,em companhia do auditor fiscal estavam duas mulheres.Durante a vistoria no veículo do homem que provocou o acidente,peritos do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) encontraram garrafas de bebida dentro do carro que Lúcio dirigia.O auditor fiscal teria fugido do local sem prestar socorro às vítimas.José Gobat Alves foi um dos fundadores da TRIBUNA DO NORTE. O primeiro julgamento realizado em 2002 foi considerado nulo pela justiça.De acordo com o promotor a nulidade ocorreu porque os jurados não teriam entendido com precisão a exposição do caso. Diante disso,o Tribunal de Justiça decidiu por anular o júri popular. “Quando a nulidade é reconhecida é como se nunca tivesse sido realizado nenhum julgamento.Nada do que passou tem valor”,informou Azevedo.


Domingo | 05 de setembro de 2010

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 05 de setembro de 2010

MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA [ Procurador da República ]

Poder Judiciário ANELLY MEDEIROS

OPINIÃO - RONALDO SÉRGIO CHAVES - PROCURADOR REGIONAL ELEITORAL

Tribunal Regional Eleitoral do RN intimou três partidos e três coligações a ajustar o número de candidaturas, observando a proporção entre gêneros, definida pela Lei Eleitoral. Os recursos partiram da Procuradoria Regional Eleitoral no Rio Grande do Norte, com a finalidade de assegurar o respeito à cota feminina nas candidaturas da proporcional dentro do estado. Agora os partidos tem que correr contra o tempo para se ajustarem e evitarem o indeferimento de todasas candidaturas proporcionais.

O

1) Essa decisão, faltando um mês para eleição, não pode prejudicar essas novas candidaturas, já que terão pouco tempo para consolidar o processo???? Essa exigência de proporção entre os gêneros já é exigência da lei desde o ano passado. Assim, se prejuízo houver será única e exclusivamente pela omissão dos partidos em dar cumprimento ao comando legal. Na verdade, o que se percebeu foi que os partidos não deram a devida importância ao assunto, e agora estão às voltas com esse problema. De qualquer modo, o TSE está proporcionando agora mais uma chance para que haja a devida adequação, ou seja, os partidos têm mais uma oportunidade para dar cumprimento à proporção estabelecida pelo legislador pela Lei n.º 12.034/2009; 2) E qual a penalidade para esses partidos que não se adequaram àlei? Em princípio, pela lei, a penalidade será o indeferimento de todas as candidaturas proporcionais. Esse aspecto, no entanto, ainda será objeto de apreciação pelo TSE, que, à vista de eventual descumprimento, poderá não aplicar essa penalidade de modo excepcional, caso haja a devida comprovação da absoluta impossibilidade de cumprir a proporção (ex.: inexistência de mulheres filiadas ao partido em número suficiente etc.).

HOMENAGEM O subprocurador da República Edilson Alves de França aterrissou na terrinha para receber merecida homenagem prestada pelo Tribunal Regional Eleitoral. O grande advogado e conselheiro do CNMP, Adilson Gurgel de Castro, o presidente do Tribunal Regional Federal, desembargador Luiz Alberto Gurgel, e o vice-presidente, desembargador Marcelo Navarro, também foram homenageados pelo Tribunal com a comenda Tavares de Lira.

TRT/RN: bens serão leiloados O Tribunal Regional do Trabalho do RN está organizando dois leilões para este mês. Serão leiloados bens penhorados em reclamações trabalhistas, como móveis, imóveis, utensílios domésticos, máquinas, aparelhos eletrônicos, entre outros.As audiências públi-

cas vão acontecer no dia 14, em Natal, e dia 28, em Currais Novos. Na capital cerca de 140 pessoas aguardam o leilão para ter a conclusão dos processos. Os interessados podem acessar os editais no endereço www.trt21.jus.br e clicar no ícone “Leilões”.

SELO DIGITAL Os Corregedores dos Tribunais de Justiça reunidos em Santa Catarina aprovaram um documento a ser enviado ao Conselho Nacional de Justiça no qual pedem que seja adotada a uniformização da tabela de atualização monetária de débitos judiciais. Também solicitam a adoção do selo digital para a fiscalização dos cartórios e querem que seja conferido aos Corregedores Gerais o poder de requerer diligências e perícias às autoridades policiais. O presidente do Colégio de Corregedores é o desembargador João Batista Rebouças do TJRN.

Implantação de sistema Os advogados tiveram esta semana uma boa notícia com a implantação do Sistema PUSH pelo Tribunal de Justiça do Estado. Agora, toda a movimentação nos processos em que o profissional estiver cadastrado será comunicada via e-mail ou até mesmo por celular para quem tiver o aparelho com acesso a pacote de dados. Essa tecnologia já existe nos tribunais superiores, mas ainda poucos tribunais brasileiros im-

plantaram esse serviço. O advogado deve cadastrar o número dos processos que deseja acompanhar através do portal do TJ e é automaticamente avisado de toda movimentação que ocorrer em tempo real. A mensagem que for enviada por e-mail conterá um link e o interessado poderá clicar nele para ser automaticamente remetido para a página com a movimentação ocorrida no processo.

Decisão: Alphaville A Juíza Ana Carolina Maranhão, da Vara da Fazenda Pública da Comarca de Parnamirim/RN, rejeitou a Ação Civil Pública que o Ministério Público do RN ajuizou contra a Associação Alphaville Natal e reconheceu que, mesmo se tratando de área pública, o loteamento pode existir com restrição de acesso. A decisão tranquiliza centenas de natalenses, donos de terrenos, que viviam dias de incerteza diante da ameaça da proibição do fechamento da área.

Além dessa decisão, a Juíza Ana Carolina Maranhão acatou as razões da defesa apresentadas pelos advogados Fabiano Falcão, Ivanka Nobre e Ronald Castro, negando haver inconstitucionalidade na Lei Municipal 1.312/06, do município de Parnamirim, que permite a criação de loteamentos fechados, mantendo íntegros todos os atos decorrentes da referida norma, concluindo, por fim, não haver qualquer conduta irregular por parte dos demandados.

NOMEAÇÃO O governo da Paraíba terá que nomear os agentes penitenciários aprovados em concurso público para a realização do curso de formação, observada a ordem de classificação e o número de vagas previsto no edital. A decisão partiu do Superior Tribunal de Justiça que tem jurisprudência sobre o assunto. “Com a veiculação em edital de que a administração necessita prover determinado número de vagas, a nomeação e posse, que seriam, a princípio, atos discricionários, tornam-se vinculados, gerando, em consequência, direito subjetivo para o candidato aprovado dentro do número de vagas previsto no edital”, ressaltou na decisão o desembargador convocado Celso Limongi. Então é dever da administração pública nomear os candidatos aprovados para as vagas oferecidas no edital do concurso.

A frio em seu palacete em doido para todos os gostos e classificações. Uma das classificações mais curiosas que conheço é a de “doido a quente” e “doido a frio”, como queria Fernando Pessoa. E é na categoria de “doido a frio”, que é “lúcido e louco”, na visão do poeta, que parece se encaixar o caso de um amigo. Conhecido de vocês (dos que militam no Direito, certamente), é uma das pessoas mais dotadas de bom-senso que já conheci. Mas, nos últimos tempos, está com uma ideia fixa: o prédio da antiga Faculdade de Direito, na Ribeira, nas imediações do Teatro Alberto Maranhão. Ele só fala nisso. É o palacete pra lá e pra cá. “Porque o prédio da Faculdade...” Veio-me até com um papo de fantasma que, segundo soube nas suas rondas diárias e noturnas, assombraria o belo edifício. Nesse ponto, “ele está mais para doido a quente”, disse um amigo em comum, que escutou sua conversa. Mas o pior – pelo menos para mim - é que ele, toda vez que nos encontramos, para o meu quase desespero, tem apenas uma saudação, mesmo antes de um olá: “rapaz, escreva sobre o prédio da antiga Faculdade de Direito”. Pela importância do tema e também porque quero nosso amigo só “lúcido” outra vez, confesso que tenho pensado nisso (mais pensado do que agido, reconhe-

T

ço). Mas quando eu decido escrever algo, vem a Tribuna do Norte e publica uma matéria sobre o tema. Outro dia, foi uma reportagem sobre “antigas, abandonadas e assombradas” casas e palacetes das nossas Ribeira e Cidade Alta. Recentemente, foi uma página inteira sobre o “palacete do nosso amigo”, registrando até a existência de uma ação civil pública (perante a Justiça Federal, dada a propriedade do imóvel pela UFRN), que exige a restauração do edifício por parte do Estado do Rio Grande do Norte (que, além de haver tombado o prédio, obteve a sua cessão). E eu tenho ficado sem um viés para adotar, pelo menos um diferente e curioso. Não iria - e não vou aqui - ser repetitivo discorrendo sobre os aspectos históricos e arquitetônicos do edifício, inaugurado em 1908, para abrigar o Grupo Escolar Augusto Severo e que hospedou, entre outros, além da Faculdade de Direito, o nosso Ateneu e a Secretaria Estadual de Segurança. Por que falaria sobre o seu estilo eclético (diz-se uma mescla das tendências neoclássica, rococó e art nouveau), se existem outros muito mais habilitados do que eu para tanto? Poderia falar sobre sua beleza? Mas como definir o belo, sem cometer pecados filosóficos? Direi apenas “vá lá e sinta”. Para falar a ver-

dade, no estado atual das coisas, com a depreciação do edifício, direi “vá lá e imagine sentir, seja lá o que for, com exceção, claro, de fantasmas, como no caso do nosso amigo”. Mas o fato é que hoje encontrei um mote simples - mas interessante, acredito - para abordar o tema. Ele veio de uma obra que lembrei ter em casa: “Law and the City”, editado por Andreas Philippopoulos-Mihalopoulos (Routledge-Cavendish, 2007). O livro nos oferece visões críticas e inesperadas das mais diversas cidades do mundo, por prismas os mais diversos também, mas sempre conectados com Direito. Assim, legalmente (com e sem trocadilho), passeamos por Berlim,

Moscou, Istambul, Atenas, Cidade do México, Toronto, Londres e nossa Brasília, entre outras metrópoles. Falando de Londres, daí foi um passo para eu recordar o apreço que a cultura dali tem por sua “Legal London”, o que implica também a produção de belíssimos livros – no que toca a textos e fotografias - sobre o assunto. Em minhas mãos tenho agora dois: “The Lawyers – The Inns of Court: The home of the Common Law”, por Timothy Tyndale Daniell (Wildy and Sons Ltd., 1976) e “Legal London: A Pictural History”, por Mark Herber (Phillimore, 2007). Seguindo esses exemplos, será que já não chegou a hora de alguém escrever sobre a Natal Jurídica? Sobre seus edifícios, suas personagens, suas histórias e estórias. Por enquanto, à falta de cabedal para essa obra de fôlego, em tom de lamento e também de cobrança, apenas rogo atenção e providências efetivas, por parte das autoridades (da UFRN e do Estado do Rio Grande do Norte, por intermédio da Fundação José Augusto), para o palacete da antiga Faculdade de Direito. Se não pela importância do edifício para Natal, pelo nosso amigo, que, daqui a pouco, de “doido a frio” vai “a quente”, com seus fantasmas e suas estranhas rondas noturnas.


natal

Domingo | 05 de setembro de 2010 ➾ www.tribunadonorte.com.br ➾ tnonline@tribunadonorte.com.br ➾ twitter.com/tribunadonorte

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

7

tn online Fred Carvalho - fred@tribunadonorte.com.br

Twitter

Galaxy Tab

presidente-executivo do Twitter, Evan Williams, anunciou na sexta-feira passada que o microblog criado em 2006 ultrapassou 145 milhões de usuários cadastrados. Segundo Williams, o crescimento foi motivado pela facilidade que as pessoas encontram hoje para acessar o site por meio de celulares. O número de pessoas participando do Twitter por meio de aparelhos móveis aumentou 62% desde abril. De todos os usuários novos do microblog, 16% começam acessando a ferramenta por celular, diferente dos 5% registrados em abril.

A Samsung lançou na terça-feira passada um concorrente para o iPad, da Apple. É o Galaxy Tab, equipamento que já vinha sendo especulado pela imprensa há algumas semanas. A empresa confirmou a veracidade dos boatos por meio de um pequeno vídeo que divulgou sobre o produto. O anúncio é curto – cerca de 20 segundos – mas algumas informações importantes são exibidas. O tablet portará o Android 2.2, terá tela de sete polegadas, tocará filmes em HD e contará com uma câmera frontal, que poderá ser usada tanto para recursos de realidade aumentada quanto para videochamadas.

O

FINA A feira de tecnologia IFA 2010, realizada em Berlim (Alemanha), tem entre suas principais promessas novos modelos de TV. E em sua edição de número 50, os fabricantes se mostraram empenhados em tornar esses aparelhos cada vez mais finos: o protótipo da LG, chega a 2,9 mm. Já outras alternativas prontas para chegarem ao mercado – como a LEX8, com 8,8 mm – apresentam espessura maior.

Recall

Profissional

A comissão americana de proteção ao consumidor (Consumer Product Safety Commission - CPSC) recomendou, em cooperação com a Toshiba, o recall de 41 mil laptops dos modelos Satellite T135, T135D e Satellite Pro T130 por problemas de superaquecimento. A comissão informou que o superaquecimento estaria provocando uma deformação na carcaça plástica próxima à área do conector de energia, o que traria problemas de queimadura para os usuários.

Transformar seu iPod em gravador profissional não é uma tarefa que exige desbloqueio ou qualquer intervenção mecânica digna de estudiosos do hardware. Desde que, é claro, você tenha um gravador Belkin GoStudio próprio para a tarefa. Esse modelo é vendido por US$ 109 (cerca de R$ 188) e é compatível com o iPod da 5ª geração, além dos modelos classic e na-

no (2ª e 3ª gerações) - adaptadores se responsabilizam pelos encaixes corretos. Você conecta o portátil da Apple no gravador e pode começar a registrar seus podcasts, suas entrevistas, cantos dos pássaros ou qualquer outra coisa. Ele tem duas entradas para microfone, além de dois microfones internos, e grava sons com qualidade 16-bit e 44kHz direto no iPod.

Não é um pássaro, não é um avião, mas também não é um inseto - apesar de lembrar um mosquito no nome e ser pequeno a ponto de se perder por aí. O MosKeyto é um pendrive formado, basicamente, por uma tampa para a extremidade USB. Tão pequeno que parece ser um pedaço quebrado de outros pendrives, não é? Conectado ao PC, ele ocupa pouco espaço (6 milímetros "para fora" da porta USB) e po-

Zeebo

VOIPA Skype divulgou na quinta-feira passada a nova versão beta do seu software de comunicação Voip (Voz sobre IP). De acordo com a empresa,a edição 5.0 beta 2 oferece uma interface atualizada e a possibilidade de realizar videochamadas em um grupo composto por até 10 pessoas ao mesmo tempo.O lançamento duplica o número máximo de usuários em uma videochamada, já que a versão 5.0 beta 1,lançada em maio,deste ano,permitia até cinco participantes.

MAIS PRÓXIMO A fornecedora de mapas digitais Navteq anunciou na quinta-feira passada um novo serviço projetado para adicionar mais elementos humanos na navegação do GPS. Durante conferência na IFA,a maior e mais antiga feira de tecnologia e eletrônicos da Europa, a empresa apresentou o serviço chamado Natural Guidance,que pesquisa as instruções tradicionais de navegação do GPS e fornece comandos que os usuários poderiam receber de amigos.

Filme na mão

O Zeebo, videogame voltado para países em desenvolvimento, tenta uma segunda chance no mercado brasileiro. O console que se conectava na rede 3G para comprar jogos por meio de download agora utiliza a conexão para que os usuários naveguem na internet e aces-

sem conteúdo educativo. Com a mudança de foco, o Zeebo agora possui um teclado (vendido no pacote com o videogame) e um browser próprio, que permite uma navegação segura. O aparelho chega às lojas de todo o Brasil nas próximas semanas pelo preço de R$ 300.

Mosquito?

O iPad, tablet da Apple, é o novo alvo dos canais de TV por assinatura. Em entrevista à Bloomberg, o presidente da HBO, Eric Kessler, afirmou que o conteúdo produzido por sua empresa estará disponível em até seis meses no tablet da Apple e em smartphones, no pacote conhecido

de até ficar guardado ali mesmo. O pendrive está disponível em versões de 4GB e 8GB (US$ 17,99 e US$ 27,99, respectivamente).

como HBO Go. A empresa, que fornece conteúdo para TVs por assinatura, possui os direitos de filmes como Homem de ferro e Uma noite no Museu, por exemplo. A programação será exibida no tablet em sistema de streaming, sem a necessidade de baixar um arquivo.

A coleção Curso de Inglês para todos” estará disponível nas bancas de Natal todas às sextas-feiras, até o dia 17 de dezembro. Para adquirir cada livro, basta comprar um exemplar da TRIBUNA e pagar mais R$ 9,90

[ LEITOR ]

Tribuna oferece coleção de inglês partir da próxima sextafeira (dia 10), a TRIBUNA DO NORTE oferece a seus leitores a Coleção Inglês para Todos Curso Prático para o Dia a Dia. É um curso de auto-aprendizagem na língua inglesa, em 15 volumes, cada um deles composto por livro e DVD interativo. O primeiro volume inclui, grátis, o minidicionário prático Inglês-Português / Português-Inglês. A coleção estará disponível nas bancas de Natal todas as sextas-feiras, até o dia 17 de dezembro. Fora da capital, será distribuída para as bancas que a solicitarem. Para adquirir cada livro, basta comprar um exemplar da TRIBUNA e pagar mais R$ 9,90. Assinantes da TN têm direito a desconto de 20%, ou seja, pagam apenas R$ 7,90 por unidade e R$ 118,50 pela coleção completa. De acordo com a gerente de Marketing da TRIBUNA DO NORTE, Andreia Barandas, a empresa procura sempre agregar valores culturais e educativos para seus leitores. “Aprender inglês hoje é uma necessidade para a formação pessoal e profissional das pessoas. Esta Coleção oferece a oportunidade de autoaprendizado, que pode ser praticado em qualquer horário, de acordo com a rotina de cada um”, destaca. Uma ótima oportunidade para quem não tem tempo de frequentar um curso regular de inglês. Andreia Barandas destaca o preço excelente, muito abaixo de mercado e acessível a todos. “A Coleção é útil tanto para quem já sabe inglês, e quer se aperfeiçoar, quanto para os iniciantes. A grande ferramenta é a interatividade, com livro e DVD”, ressalta. O gerente de Circulação da TRIBUNA DO NORTE, Thales Vilar, acrescenta que, com a realização da Copa do Mundo na capital potiguar, em 2014, cresce a necessidade de uma boa fluência em língua inglesa. “Esta Coleção é uma grande

A

APRENDIZADO Principais temas abordadas na Coleção Inglês para Todos: Uso de verbos nos tempos presente,passado e futuro Construção de frases e orações afirmativas,negativas e interrogativas Diferenciação do modo formal e informal,tanto na fala quanto na escrita Contagem de números e conhecimento de quantidades Compreensão de expressões de tempo (dias,meses,anos) Extenso vocabulário relacionados a situações do cotidiano Aprendizado de expressões comumente usadas no dia-a-dia. Prática da pronúncia correta de diversos sons em inglês.

oportunidade para os profissionais que atendem os turistas, como garçons, taxistas e donos de lanchonetes, aprenderem ou reforçarem seus conhecimentos de inglês”, afirma. Ele explica que os assinantes devem ligar para o número 4006-6111 e fazer o pedido. Quem preferir receber os livros em casa só precisa pagar um real a mais por unidade. “Além de ter o desconto, o assinante pode dividir o pagamento em quatro vezes no cartão”, detalha Vilar. Objetivos – A Coleção Inglês para Todos foi desenvolvida para o usuário aprender a falar, entender e escrever o inglês do dia-a-dia. Cada unidade aborda temas ambientados em situações cotidianas em casa, no trabalho, nos momentos de lazer, com familiares, amigos ou pessoas que exigem tratamento de respeito. A organização editorial inclui 30 unidades temáticas, divididas em 15 volumes com os DVDs correspondentes. Seus conteúdos podem ser usados de acordo

com as necessidades do usuário. Em cada uma das unidades, o leitor encontra diversas seções. Em Warming Up, se apresentam atividades relacionadas ao diálogo e ao vocabulário que servirão para compreender os temas abordados. A seção pode ser ouvida no DVD e, em seguida, acompanhada no livro. As seções Are you Ready (Part 1, Part 2 e Play All!) apresentam as etapas inicial e final dos diálogos, incluindo funções básicas do idioma e explicações gramaticais. A conversa pode ser vista e ouvida na íntegra, por meio do DVD, enquanto se faz o acompanhamento no livro. Chegando às Pronunciation Tips, você encontra dicas para melhorar a pronúncia, sempre seguindo as explicações do livro e escutando o DVD para aprender a forma exata de dizer cada palavra. Finalmente, na seção Now It´s Your Turn!, é a hora de praticar o que se aprendeu por meio de exercícios no DVD e no livro.

FOTOS:EMANUEL AMARAL

Assinantes da Tribuna têm direito a desconto de 20%, ou seja, pagam apenas R$ 7,90 por unidade

GUIA O primeiro volume da Coleção Inglês para Todos - Curso Prático para o Dia a Dia, que circula na próxima sexta-feira (10), incluirá, além do dicionário Inglês-Português / Português-Inglês, uma uma seção inicial onde o usuário aprende a utilizar o curso com máxima eficiência. SERVIÇO Como adquirir a Coleção Inglês para Todos: Nas bancas,basta comprar um exemplar da TRIBUNA e pagar mais R$ 9,90. Assinantes ganham desconto de 20%,pagando apenas R$ 7,90 por unidade e R$ 118,50 pela coleção completa.Além disso,podem dividir o pagamento em quatro vezes no cartão.Basta entrar em contato pelo 4006-6111 Bancas situadas fora de Natal devem solicitar o envio da coleção.

A Coleção Inglês para Todos foi desenvolvida para o usuário aprender a falar, entender e escrever


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 05 de setembro de 2010

COLEÇÃO INGLÊS PARA TODOS - CURSO PRÁTICO PARA O DIA A DIA Curso de auto-aprendizagem na língua inglesa,em 15 volumes,cada um deles composto por livro e DVD interativo

Volume 1

Volume 2

Volume 3

Livro + DVD + Minidicionário

Livro + DVD

Livro + DVD

Título Unit 1 – Getting Acquainted (Conhecendo-nos) Unit 2 – What´s your address (Qual é seu endereço?) Circulação nas bancas 10/09/2010

Título Unit 3 – The Birthday Party (A festa de aniversário) Unit 4 – At the bar (No bar) Circulação nas bancas 17/09/2010

Título Unit 5 –We´re going to the movies (Vamos ao cinema) Unit 6 – Flying to Orlando (Voando para Orlando) Circulação nas bancas 24/09/2010

Volume 4

Volume 5

Volume 6

Livro + DVD

Livro + DVD

Título Unit 7 – The Perfect Hotel (O hotel perfeito) Unit 8 – That´s expensive! (Que caro! Circulação nas bancas 01/10/2010

Título Unit 9 – Where´s Allen St.? (Onde fica a rua Allen?) Unit 10 – When´s your birthday? (Quando é seu aniversário?) Circulação nas bancas 08/10/2010

Título Unit 11 – Who´s calling? (Quem fala?) Unit 12 – The tango class (A aula de tango) Circulação nas bancas 15/10/2010

Volume 7

Volume 8

Volume 9

Livro + DVD

Livro + DVD

Livro + DVD

Título Unit 13 – Enter your password (Digite sua senha) Unit 14 – How big is the apartment? (Qual o tamanho do apartamento?) Circulação nas bancas 22/10/2010

Título Unit 15 – I love these lamps! (Adoro essas luminárias!) Unit 16 – The Lucky Charm (O amuleto da sorte) Circulação nas bancas 29/10/2010

Título Unit 17 – Fickle Lesley (Lesley, a indecisa) Unit 18 – The Basketball Game (O jogo de basquete) Circulação nas bancas 05/11/2010

Livro + DVD

Volume 10

Volume 11

Volume 12

Livro + DVD

Livro + DVD

Livro + DVD

Título Unit 19 –Home sweet home (Lar,doce lar) Unit 20 – Fashion emergency (emergência de vestuário) Circulação nas bancas 12/11/2010

Título Unit 21 – I know a lot about cars (Sei muito sobre carros) Unit 22 –I hope you can help me! (Espero que você possa ma ajudar!) Circulação nas bancas 19/11/2010

Título Unit 23 – A table for four (Uma mesa para quatro) Unit 24 – It hurts a lot! (Dói muito!) Circulação nas bancas 26/11/2010

Volume 13

Volume 14

Volume 15

Livro + DVD

Livro + DVD

Livro + DVD

Título Unit 25 – The Driving Lesson (A aula de direção) Unit 26 – And the winner is.... (E o ganhador é.....) Circulação nas bancas 03/12/2010

Título Unit 27 – The fortune teller (A adivinha) Unit 28 – Please,analyze me (Por favor,analise-me) Circulação nas bancas 10/12/2010

Título Unit 29 – Elementary,my dear Spy (Elementar,meu caro Spy!) Unit 30 – There´s somebody out there! (Tem alguém aí!) Circulação nas bancas 17/12/2010


natal

3PORQUATRO

Mário Prata crítica livros escritos por padre e diz que é picaretagem. PÁGINA 11

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS-LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Max.: 30º CO Min.: 26ºCO

Preamar 01h32 -2.1- 14h11 -2.1 Baixa-mar 07h45 -0.3- 20h00 -0.4

Panorama: hoje 332 bancas/196 feirantes Planalto 186 bancas/97 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Mãe Luíza Pium Pirangi do Norte Redinha

FASES DA LUA Minguante: 01/09 Nascer do sol: 5h21 Pôr do sol: 17h19

Editor: Edilson Braga e-mail: braga@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 05 de setembro de 2010

O censo do IBGE de 2000 revelou que o Brasil tem 24,5 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, o equivalente a 14,5% da população. É um contingente que quer ser ouvido, respeitado

[ DEFICIÊNCIAS ]

É uma luta para superar obstáculos FÁBIO ARAÚJO Repórter

s obstáculos começam logo na saída de casa. Para Carmem Lúcia Bernardes, 43, o caminho para o trabalho é ainda mais longo do que mostra a distância física. Cega desde os 27 anos, devido a uma doença congênita, Carmem precisa tomar dois ônibus para se deslocar de sua residência, no conjunto Pirangi, em Parnamirim, até o bairro de Potengi, na zona Norte de Natal. A cada passo no trajeto, sinais de que a sociedade avança, de forma constante, para respeitar cada vez mais os direitos da pessoa com deficiência. Mas também de que ainda há muito a fazer e o ritmo desta mudança de paradigmas deixa a desejar. Segundo o censo do IBGE de 2000, o Brasil tem 24,5 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, o equivalente a 14,5% da população. Um contingente que quer ser ouvido, respeitado. E está disposto a cobrar isso da sociedade, que comemora, no próximo dia 21, o Dia Nacional de Luta das Pessoas Deficientes. Logo que atravessa o portão de casa em direção à parada do ônibus, Carmem Lúcia depara com diversas barreiras. Precisa atravessar uma rua cheia de buracos e andar por calçadas que mais parecem muralhas. “A acessibilidade é terrível aqui. O poder público faz reparos na via e deixa os buracos abertos. Os proprietários não conservam o passeio nem removem os entulhos. O descaso aparece na forma de buracos e lixo”, constata. Quando, sempre com a preciosa ajuda de sua bengala, Carmem consegue chegar ao ponto de ônibus, é hora de enfrentar a incompreensão de certos motoristas. “Se eu estiver sozinha, eles não param de jeito ne-

O

nhum. Quando tem pessoas na parada, normalmente elas me ajudam”. O coletivo chega, Carmem estende a mão e o condutor cumpre com sua obrigação, possibilitando a subida pela porta adaptada. Logo em seguida, ela senta na vaga reservada e segue viagem. Tem sorte de não encontrar nenhum passageiro ocupando o assento. “Muitas vezes a gente é obrigada a pedir o lugar. De qualquer jeito, temos a maior frota adaptada do Nordeste, com 110 carros. É um avanço muito grande. Sem esses veículos, a gente seria obrigado a pegar táxi”, desta-

A acessibilidade é terrível aqui. O poder público faz reparos na via e deixa os buracos abertos. O descaso aparece na forma de buracos CARMEM LÚCIA portadora de deficiência

ca. O coletivo a deixa na avenida Salgado Filho, onde ela precisa trocar de linha. Na parada, árvores, grades, poste, orelhão e cadeiras parecem ter sido colocados com o objetivo específico de bloquear seu caminho. Mas, experiente no trajeto, ela tira os obstáculos de letra. “Antes de sair de casa, tento memorizar o caminho. O dono da cigarreira até me ajuda”, conta. Andando um pouco além da parada, Carmem depara com uma garagem fechada com grossos fios de metal, que a obrigam a uma perigosa manobra para poder passar. Mas toma o segundo ônibus normalmente e vai em frente até a avenida Itapetinga, onde desce. EMANUEL AMARAL

Carmem Lúcia enfrenta uma série de obstáculos até o trabalho


10 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 05 de setembro de 2010

Voluntária na Associação dos Deficientes Físicos do Rio Grande do Norte, a portadora Carmem Lúcia enfrenta uma série de dificuldades para chegar ao trabalho, tendo a sua frente calçadas esburacadas

[ DEFICIÊNCIAS ]

‘Preciso pedir para alguém me ajudar’ FOTOS:EMANUEL AMARAL

primeira vista, o cenário é mais animador, com calçada larga e plana, piso tátil e outros elementos colocados numa obra recente. Mas logo, na hora de atravessar as duas faixas da avenida, Carmem se lembra de que nem tudo são flores. “Mesmo tendo a faixa, os carros não param. Preciso pedir para alguém me ajudar a atravessar”, lamenta. Transposto o obstáculo, o destino final – a sede da Associação dos Deficientes Físicos do Rio Grande do Norte (Adefern), onde Carmem atua como voluntária – está mais próximo. Mas a rua esburacada, com paralelepípedos soltos, é um tormento para quem tem deficiência. Como em diversos outros locais da cidade, as rampas mal feitas, que não levam em conta a necessidade de equilíbrio com a calçada vizinha, atrapalham o caminhar. Mas Carmem já tem amigos entre os moradores da rua, que a ajudam na luta para chegar à Adefern. Mais de uma hora de viagem, incluindo dois ônibus e dezenas de obstáculos entre a porta de casa e o trabalho.

Camelôs geram riscos,mas também ajudam

À

O ônibus chega, ela estende o braço. E precisa andar até o veículo, que é adaptado para pessoas com deficiência

Dentro do coletivo, Carmem senta-se na vaga reservada. Dessa vez, não precisou do constrangimento de reivindicar seu direito

Após pedir ajuda do cobrador, desce na Salgado Filho para tomar outra condução até a zona Norte

Perto dali, fios metálicos para proteger uma garagem bloqueiam seu caminho.

Na zona Norte,a luta é para atravessar as várias faixas da avenida Itapetinga. Há uma faixa de pedestres, mas ninguém respeita

Já perto do destino, a solidariedade que faz a diferença

NÚMEROS

30

anos é o tempo em que se fala nos direitos das pessoas portadoras de deficiências

500

com esse teto as empresas são obrigadas a reservar 3% das vagas para trabalhador com deficiência

A grande melhoria em Natal tem sido no transporte público, que pode ser considerado referência. Hoje vejo até crianças com deficiência nas paradas. Antes não havia condições, era um transtorno grande demais andar de ônibus” SANDRA REJANE DE SOUZA cadeirante

Cadeirante diz que acessos são ruins no centro A cadeirante Sandra Rejane Souza, paralítica devido a uma poliomielite que a acometeu com apenas um ano de vida, tomou uma medida decisiva para melhorar sua mobilidade e independência: financiou a compra de um carro adaptado. No veículo, as funções de embreagem, freio e acelerador são controladas manualmente, numa mesma alavanca. “Não é luxo, e sim necessidade”, atesta. Quando Sandra estaciona o veículo, a cadeira de rodas entra em ação. “A grande melhoria em Natal tem sido no transporte público, que pode ser considerado referência. Hoje vejo até crianças com deficiência nas paradas. Antes não havia condições, era um transtorno grande demais andar de ônibus”, lembra. Por outro lado, Sandra Rejane não poupa críticas à acessibilidade na capital potiguar. “Péssimo. O centro é horrível. O cadeirante sozinho não consegue se locomover. O comércio não tem vontade nem incentivo para se adaptar.”

MP vê lentidão no processo de conscientização da sociedade No Ministério Público do RN, a coordenadora do Centro de Apoio Operacional às Promotorias dos Direitos da Pessoa com Deficiência, dos Idosos, das Comunidades Indígenas e Minorias Étnicas (CAOP-Inclusão), Rebecca Monte Nunes Bezerra, reconhece uma série de avanços, mas critica a lentidão do processo de conscientização da sociedade. “Há 30 anos que se fala nos direitos dessas pessoas. Por mais que seja uma questão de mudança de paradigmas, já deveria haver mais respeito. Tudo está caminhando, mas ainda é preciso muito trabalho para que as exigências da legislação sejam cumpridas”, atesta. Para Rebecca Nunes, o maior problema enfrentado pela pessoa com deficiência hoje é a falta de acessibilidade nas calçadas. “Elas são terríveis também para idosos, gestantes e pessoas com carrinhos de bebê. A sociedade precisa entender que as calçadas são parte

do passeio público. É obrigação de todos fazê-las no mesmo nível da rua e em conexão com o imóvel vizinho. Até terrenos não construídos devem ter calçadas acessíveis”, orienta. Em sua visão, os profissionais da construção civil já têm a preocupação com a acessibilidade. “No entanto, a maioria das intervenções feitas com esse objetivo não está de acordo com as norma NBR-9050, que define os critérios técnicos”, critica. A coordenadora do CAOP-Inclusão vê avanços em andamento na educação. As crianças com deficiência estão chegando cada vez mais à escola. “Os casos de estabelecimentos que se recusam a matriculá-las, o que é um crime, estão diminuindo. Mas em muitas delas, não se faz nenhum trabalho voltado para a inclusão. As escolas têm que se preparar para receber esse público. Falta desenvolver as habilidades e competências deles, e principalmen-

te, acreditar no potencial que eles têm”, ressalta. Na sala de aula, a interação entre alunos com e sem deficiência é considerada essencial para quebrar incompreensões e desenvolver o espírito de companheirismo. “O preconceito está diminuindo. As pessoas com deficiência frequentam cada vez mais os shoppings e outros espaços. A convivência cada vez maior reduz a discriminação”, analisa Nunes. Novas leis estão facilitando o acesso das pessoas com deficiência ao mercado de trabalho e à aprovação nos concursos públicos. Sobre este ponto, a especialista aponta que não se deveria barrar o deficiente só pelo edital. “O momento de analisar a compatibilidade com o cargo é durante o estágio probatório, com ajuda técnica para ajudá-lo a desempenhar a função”, alerta. Segundo a coordenadora, o MPRN tem realizado ações preventivas e repressivas para a garantia dos direitos do segmento. “Firmamos muitos TACs sobre acessibilidade, saúde, educação, inclusão escolar”, diz Rebecca.

O presidente do Instituto de Educação e Reabilitação de Cegos do Rio Grande do Norte, Marcos Antônio da Silva, tem uma opinião diferente da maioria dos militantes da causa das pessoas com deficiência. Para ele, as políticas públicas devem focar na sociedade como um todo, sem prioridade específica para o segmento. “Temos que trabalhar na perspectiva de atender o outro, independentemente de ter deficiência ou não. A cidade precisa estar preparada para o atendimento a todos. O que é feito para beneficiar um pode acabar atrapalhando o outro”, afirma. Ele cita os camelôs como um exemplo. Em sua perspectiva, esse tipo de comerciante gera risco para os cegos, mas também costuma ajudá-los nas ruas. “Meu pensamento é antagônico ao de boa parte das pessoas envolvidas com o tema. Não acho que a pessoa com deficiência precise ter prioridade”, resume. Marcos Antônio defende que a questão seja vista com “ousadia” e pensando na cidade como um todo. “A acessibilidade deve ser pensada de forma ampla. Rampa é bom para quem tem deficiência? É, mas é importante para todos? Vai causar acidente?”, questiona. Ele considera positivo o que está sendo feito hoje pela pessoa com deficiência. Mas ressalta que é preciso prudência e reflexão, para não criar acessibilidade para uns e barreiras para outros. “Tem que ser para todos”, define. Chefe de Recursos Humanos da Associação dos Deficientes Físicos do RN (Adefern), Décio Filho aponta uma série de melhoras na situação do segmento no RN. “A acessibilidade tem melhorado, assim como o mercado de trabalho. Com a sociedade mais aberta, as pessoas com deficiência se sentem mais aceitas e querem ser sujeitos da própria vida. Antes, eram bem reclusas”, analisa. Décio acha que a sociedade tem demonstrado interesse no assunto, num processo de conscientização que dá frutos visíveis como os ônibus adaptados. “A UFRN, por exemplo, tem cotas e capacita os professores para receber os alunos com deficiência. É um avanço tremendo. Os novos prédios são adaptados e cursos são oferecidos em linguagem de libras”, cita.

Legislação não Escolas cobram se adequa à taxa extra para realidade do país aceitar crianças A Lei 8.213/91 determina que as empresas com entre 100 e 200 empregados precisam deixar pelo menos 2% da quantidade de vagas para profissionais com deficiência. No caso de empresas com até 500 funcionários, a cota sobe para 3%; com até um mil, 4%; e acima disso, 5%. A multa para quem descumprir a Lei varia de R$ 1.195,13 a R$ 119.512, 33, de acordo com a Portaria 1.199, de 28 de outubro de 2003. De acordo com o Ministério do Trabalho, além de colocar a pessoa com deficiência no mercado, a lei tem a meta de integrálo socialmente. Assim, pode ser considerado ato discriminatório manter todos os trabalhadores com deficiência no mesmo setor. A promotora do Portador de Deficiência e do Idoso, Iadya Gama Maio, vê sérios problemas nesta legislação. “Ela não se adequa à realidade brasileira, em que a maioria das empresas é pequena e tem bem menos do que 100 empregados. É absurdo”.

A promotora do Portador de Deficiência e do Idoso, Iadya Gama Maio, lança o alerta: a partir de agora, não haverá tolerância com as escolas que insistirem em fazer cobranças extras para matricular crianças com deficiência. Mesmo que o pai concorde em pagar. “As taxas para os alunos com deficiência têm que ser iguais às estipuladas para os alunos não deficientes. Vamos fiscalizar isso. A escola precisa ser inclusiva e estar preparada para receber esses alunos. Se há custos extras, eles devem ser colocados na planilha geral e divididos por todos”, afirma. Este ano, Iadya identificou duas escolas de Natal que admitiam cobrar taxas diferenciadas pelo acompanhamento em sala de aula, alegando que os pais estavam pagando de livre e espontânea vontade. Consultado, o CAOP-Inclusão do Ministério Público classificou como “descabida e ilegal a cobrança de taxa extra para o aluno com deficiência.


natal

Domingo | 05 de setembro de 2010

3porquatro

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11

POR ANNA RUTH DANTAS

MARIO ALBERTO CAMPOS DE MORAIS PRATA

AO PARTICIPAR EM NATAL DO 4º SEMINÁRIO POTIGUAR PRAZER EM LER,O ESCRITOR MÁRIO PRATA NÃO POUPOU CRÍTICAS AOS LIVROS DE VAMPIRO E AOS ESCRITOS POR PADRES.“NÃO PRECISA NEM LER (LIVRO ESCRITO POR PADRE) BASTA VER O TÍTULO,É UM TÍTULO PARA VENDER,PARA ENROLAR”.

Livro de padre é feito para enrolar FOTOS:RODRIGO SENA

meta do casal feliz é ter um apartamento, casa no campo, e dar um carro para cada filho quando entrar na faculdade. Ele escreve um livro ensinando as pessoas a atingirem essa meta. A meta é de merda. Não é casa no campo, um carro para o filho que vai resolver o problema da família e nem do país. O buraco está no outro lugar. E 2,5 milhões de pessoas lêem um livro de um babaca desse. Deveria ser preso. Esses 2,5 milhões que lêem um livro de um cara desse acha que livro é aquilo e vai resolver a vida dele. Mas ele não vai, e não vai ter casa em campo, porque isso é até sonho americano, não é sonho brasileiro. Isso é coisa de veado.

O senhor chegou a dizer que foi educado para gerente de banco. Qual a relação de gerente de banco com escritor? Acho que é uma pergunta que depõe um pouco contra os bancários porque é como se os bancários não lessem. Tem um preconceito nela (na pergunta). O que quis dizer é que não sei se existe uma indicação para pessoa ser escritora. Vejo um exemplo, meu filho é escritor, mas a gente não o educou para ser escritor. Ele foi ser escritor porque o pai é, a mãe é, o padrasto é, ele viveu em um meio de escritores. Ele deve ter tropeçado muito em livros em casa. Mas ele não foi educado para isso. Talvez a coisa de que fui criado para ser gerente do Banco do Brasil é que na minha época um jovem tinha opções Medicina, Direito ou gerente do Banco do Brasil. Como era um péssimo aluno, não entraria na faculdade, meu destino foi o Banco do Brasil. Essa pergunta é esquisita, fico encabulado com ela. Mas o importante é que ninguém poderia imaginar e muito menos eu que pudesse vir a ser escritor. Ser escritor no Brasil hoje é tarefa árdua em um país que ainda tem milhares de analfabetos e ainda tem alfabetizados que não leem? 99,9% dos brasileiros não lêem. Para você ter uma idéia estimo em 300 mil leitores no Brasil em uma população de 200 milhões. Veja que é mais de 99% que não lê. Falar em números, um livro quando é lançado se na primeira semana ele vende 5 mil exemplares ele entra na lista dos mais vendidos. Isso é baixo. O Uruguai lê mais que o Brasil, Argentina nem se fala. Estive na Argentina agora há dez dias, sento no metrô e está todo mundo lendo livro. O nível de leitura do Brasil se aproxima com países mais desenvolvidos da África. É um negócio muito absurdo. E pior disso tudo é que de um tempo para cá, de uns 15 anos para cá, não sei o que houve é que a leitura virou modismo. A moda hoje é vampiro. Só tem livro de vampiro, você entra na livraria e nas primeiras prateleiras são todos livros roxos. Tem um livro Crepúsculo que começou a vender muito, aí um cara publica Opúsculo e assim vai. Como houve uma época há uns quatro anos veio uma onda com o garoto que caçava pipa veio uma série de livros de Irã e Iraque, ali da região do Oriente Médio. O garoto da pipa era até bom, mas muita merda. Então vira uma moda, é um fenômeno incrível. Acompanhei muito de perto a lista dos mais vendidos porque saiu um livro meu “Os Viúvos”, que está vendendo bem. Recebo a lista dos 20 mais vendidos das grandes livrarias, nesses quatro meses nunca um brasileiro esteve entre os 15 primeiros. O máximo que aconteceu fui eu com Os Viúvos, o Veríssimo com Os Espiões e o cara da Cabana, o Augusto Cury, que ficávamos ali entre o 15º e 20º. Há quatro anos o “Purgatório” meu vendeu menos que “Os Viúvos” e chegou ao quarto lugar. Então é estranho esse fenômeno. É impressionante o que vende os livros roxos. A que o senhor credita essa grande venda dos livros sobre vampiros? Burrice. Burrice, não tem quem informe ao jovem o que ele vai ler. Os pais não lêem mais. O principal problema aí é o vestibular. Desde que começaram a exigir que os ga-

Por que o brasileiro não gosta de ler? Porque não sabe o que é ler. Ninguém falou para ele o que é ler. Ele não tem noção do que é um livro. Ele não tropeçou em casa em livro. Livro não é hábito da casa dele. Os casais com 60 anos para baixo não tem livro em casa, não tem biblioteca em casa. Eu, por sorte, nasci em uma casa, meus amigos todos no interior, todo mundo lia. Tinha o clube do livro, recebia um livro por mês. Tinha um interesse pela leitura.

F

amoso por grandes obras e que tem como livro mais recente “Os Viúvos”, o escritor Mário Prata é direto na fala e nas críticas ao falar do universo literário brasileiro. La-

menta os modismos e mais ainda a fase dos “vampiros” que são consumidos pelos leitores brasileiros. A que o senhor credita essa grande venda dos livros sobre vampiros? “Burrice. Burrice, não tem quem informe ao jovem o que ele vai ler. Os pais não leem mais”, responde Mário Prata, de pronto. O escritor esteve semana passada em Natal participando do 4º Seminário Potiguar Prazer em Ler. O cenário literário brasileiro traçado por Mário Prata não é dos mais animadores. Ele estima que menos de 300 mil brasileiros lêem e, pior, ainda têm entre obras lidas livros pouco produtivos. “Um livro quando é lançado se na primeira semana ele vende 5 mil exemplares ele entra na lista dos mais vendidos. Isso é baixo. O Uruguai lê mais que o Brasil, Argentina nem se fala”, comenta o escritor. Mário Prata não poupa críticas aos livros de “vampiro” e mais ainda aos padres que enveredam pelo universo da escrita. O escritor usa para as obras feitas por sacerdotes o mesmo termo dos livros de vampiro “burrice”. “Não precisa nem ler (livro escrito por padre) basta ver o

Detalhes O que é mais difícil escrever: escrever ou é facílimo ou é impossível.Não tem meio termo O que falta a Mário Prata escrever: bula.Acho as bulas muito mal escritas.As bulas poderiam se tornar uma leitura mais agradável Em que acredita: não acreditava no Brasil até a Era Lula.Fiquei surpreso,nunca fui um lulista. Estou acreditando muito no Brasil agora.

título, é um título para vender, para enrolar. Não quero falar especificamente desse padre (Fábio de Melo), são todos eles”, destacou Mário Prata. O convidado de hoje do 3 por 4 é um famoso escritor, fala com mansidão, calma, mas traz palavras pesadas, críticas contundentes e expressa toda empolgação na escrita de livros policiais.

Burrice, não tem quem informe ao jovem o que ele vai ler. Os pais não lêem mais.

rotos nessa idade de 16 a 18 anos, que é a idade que poderiam gostar de ler, obrigaram a ler, tudo que é obrigado é ruim. É ruim ler livro de Química, de Física, de Biologia. Os garotos de 16 a 18 anos estão lendo por obrigação livros da língua Portuguesa chatíssimos, são obras primas, mas não é por ali que você pega o leitor. Não é com Machado de Assim, com Eça que você vai prender o leitor. Para um escritor como o senhor que vende muito em um país de poucos leitores, ver os livros de

“vampiro”entre os mais vendidos lhe desestimula? Para escrever não. Eu adoro escrever e como você mesmo disse eu vendo legal, mas ainda não consigo viver só de livro. A gente tem que escrever crônica para jornal, tem que fazer palestra, tem que fazer roteiro de cinema, peça de teatro, alguma coisa para televisão. Dá para se viver do ofício de escritor, mas não de livro, nem vendendo muito, a não ser que seja um picareta. Para você fazer um trabalho honesto, digno com você mesmo e com respeito ao leitor só livro não dá. Qual o olhar de Mário Prata para a linha de autoajuda? Acho uma grande picaretagem esses livros de autoajuda. Muita picaretagem, principalmente quando entra padre no meio. Deveria ser pecado na religião dele. O senhor se refere ao padre Fábio

Não precisa nem ler basta ver o título, é um título para vender, para enrolar”

de Melo? É. Não precisa nem ler basta ver o título, é um título para vender, para enrolar. Não quero falar especificamente desse padre, são todos eles. Um dia uma produtora de cinema me ofereceu uma grana desgraçada para fazer um roteiro do cinema baseado em um título desses elementos, teria que ser aquele título porque tinha vendido 2,5 milhões de livros. Fui ler o livro, talvez tenha sido o primeiro livro de auto-ajuda que li seriamente, e o que ele (o autor do livro) prega ali é tudo que sou contra. Ele acha que a

Perfil Mario Alberto Campos de Morais Prata nasceu em Uberaba,Minas Gerais,e viveu a juventude em Lins, interior de São Paulo.Antes de enveredar pelas escritas,atuou durante oito anos como gerente de uma agência do Banco do Brasil. O primeiro livro veio ainda quando cursava Economia na Universidade de São Paulo.Enquanto os alunos ocupavam a faculdade ele escreveu “O morto que morreu de rir”e foi publicado pelo próprio Centro Acadêmico. Autor de dezenas de livros,Mário Prata já figurou por muitas vezes na lista das obras mais vendidas.O livro mais recente é “Os Viúvos”.

A que você credita conseguir vender livros nesse cenário adverso brasileiro? Deve ser bom. Me lembro que havia até uma concorrência entre a gente, pegava um livro da lista dos mais vendidos há 10 ou 15 anos, quem estava lá? Estávamos eu, o Ziraldo, o Conny, o Drumont, era entre a gente a corrida. Era legal essa briga, um passava na frente do outro. Hoje ninguém mais. Rubem Fonseca lança livro e não entra, eu lanço livro e não entro. É esse modismo. Se você entrar na internet nos 20 mais vendidos e agora nem lá estou. Esse modismo é ditado por quem? Principalmente pela editora. O senhor escreve para o cinema, para o teatro, para a literatura. Qual a leitura que o senhor faz dessa escrita? Cinema, por exemplo, já trabalhei em roteiro de cinema de textos meus e de livros de outros. São duas coisas diferentes. E são linguagens diferentes. A escrita não precisa chegar a cinema e teatro para ser diferente. A minha carreira é meio por década. Comecei pelo teatro na década de 70. Na década de 80 fiz cinema. Na década de 90 fiz crônicas e na década de 10 livros. Sendo que dos cinco anos para cá estou fazendo romances. Cada segmento desse que citei é uma coisa diferente, é sempre um aprendizado diferente. Ao contrário dos outros escritores que começam com livro e depois vão para cinema, fiz o processo inverso. Desde os 23 anos já fazia teatro. Meus três primeiros romances percebi que eram meio marginais e foi quando resolvi começar a escrever realmente literatura policial. De cinco anos para cá estou estudando isso, estou levando (livros) policiais, lendo como trabalho, a 4 horas por dia me dedico a leitura de livros policiais. Estou com 80 livros para ler e a grande maioria de autores que eu não conhecia. É interessantíssimo notar o crescimento da literatura policial no mundo. Literatura policial deu a volta por cima e é a grande literatura hoje.


natal

12 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 05 de setembro de 2010

Eliana Lima

Da poeta Diva Cunha,‘Corpos viscosos’, livro ‘Armadilha de vidro’

elianalima@tribunadonorte.com.br JOAONETOFOTOS.COM

»CONTANDO...

JOAONETOFOTOS.COM

A torcida pela vitória de Rosalba Ciarlini ou Iberê Ferreira ganhou um reforço a mais. Ou seja: o estímulo de alguns candidatos a deputado estadual. Tudo porque a cadeira do deputado-vice Robinson Faria já foi alvo de algumas promessas.

»SOM BOM » SININHOS...

Nos holofotes dos festejos: Fabíola e Lauro Neto MARLIO FORTE

» ...DOMINGO

Nos flashes:Victor Bezerra e Renata Gomes JOAONETOFOTOS.COM

»

A PROPÓSITO... Quem foi a prefeita que levou uma ‘ovada’ durante caminhada na sua cidade???

»A PROPÓSITO 2...Qual foi a dobradinha estadualfederal que deixou o conjunto Santa Cecília, em Pajuçara, sob forte chuva de vaias?

»SUCUPIRA Das constantes pérolas ouvidas nos programas eleitorais, um atento leitor da coluna diz que se não “bastassem os caNidatos e os goNvernos”, há também aquela já tradicional frase:- Meu númUru é...

»BISCOITO A moeda nesse período de campanha eleitoral é o ade$ivo. Necessária para incentivar apoio a este ou aquele candidato. Mas, tudo muito à boca pequena, por medo, receio ou o que seja de serem pegos ao telefone ou por um ouvido mais atento... Pois não foi que os radares captaram uma conversa e tanto? Dizia:- Ei, o número de adesivos que você mandou foi um pouco baixo. Mas não se preocupe, vou ver o que faço pra adesivar.

»INFRINGINDO... Sobre o ‘radar-pegadinha’ na Ponte Newton Navarro, outro leitor observador atenta que o “Contran proíbe a instalação de radares sem um estudo prévio e justificativa da necessidade naquele local, bem como obriga a existir sinalização vertical no local, informando a existência de fiscalização, associada à placa de regulamentação de velocidade máxima no local”. Assim, se este radar da ponte não obedecer a lei, quem for multado deve recorrer através de advogado.

»ÀS ESCONDIDAS Lembram do partidón do carro preto que abalou o Plano Palumbo em aventuras amorosas em plena madrugada? Pois bem! Caiu de novo nas lupas de Bareta. Em situação mais escandalizante que a protagonizada por Jaquie Portela em João Pessoa... Vixe-vixe...

»...CARNEIRINHOS Se Iberê vencer, quem pode assumir a presidência da AL é Ezequiel Ferreira. Já Luiz Antônio Farias-Tomba, amigo conterrâneo do governador, ficaria com a 1ª Secretaria. Caso Rosalba chegue lá, Ricardo Motta e Gesane Marinho vão tirar par ou ímpar. O desempenho nas urnas pode resolver a questão...

Entre mim e ti/ passam três barcos”

» BZZZZ...

Vem aí o V MPBeco – Festival de Música do Beco da Lama, dias 11, 18 e 25, com shows especiais e 124 músicas finalistas que disputarão os prêmios. Na abertura, às 18h do dia 11, na Praça 7 de Setembro, show com Babal e Banda. O evento tem patrocínio da Prefeitura de Natal-Funcarte, por meio do Programa Djalma Maranhão de Incentivo à Cultura; Governo do Estado-Fundação José Augusto: Lei Câmara Cascudo. Os patrocinadores oficiais são: Destaque e Cosern. Apoio cultural da TV Assembléia, Radiotec Cursos, Locarx Aluguel de Carros, Água Mineral Santa Maria, Universitária FM, Offset Gráfica, Sindipetro e do estúdio Natal Groove.

Um pote de mel para quem acertar de quem é esse braçoouro-titânio. Dica: pode ser a mulher mais poderosa do Brasil...

»GRINALDA

»...LEI?

Ecologicamente corretos, o convite do casório do juiz Marcus Vinícius Pereira Jr. e a promotora Uliana Lemos é em papel reciclado. Na apresentação, a frase de Patativa do Assaré: ‘Esperançosos fomos nos amando, ambos pensando em um feliz noivado; até que um dia o nosso lindo sonho, sempre risonho, foi realizado’. Será dia 11 próximo, na Igreja Nossa Senhora do Ó, em Nísia Floresta.

Continua: “Da mesma forma nossos agentes de trânsito estão desrespeitando frontalmente outra Resolução do Contran, que estabelece a proibição de tachas e tachões (as famosas tartarugas) colocadas transversalmente à via pública, como redutor de velocidade. Mais: “Além deles não terem retirado as existentes, ainda instalaram novas após a publicação da Resolução, como as existentes no final da Av. Jaguararí, antes da rotatória instalada. Conclui: - “É lamentável. Antigamente o Detran convocava a imprensa tão somente para informar da existência de novos radares nas nossas vias, especificando o local e data em que começariam a funcionar. Mas hoje, a prefeitura, que tanto diz defender os interesses do povo, através da Semob, prepara essas armadilhas com fim único de arrecadar com as multas, prejudicando nós cidadãos, que os elegemos para zelar pelos nossos interesses”.

» TINTIM

Para o porta-retrato:Vyctor Potiguar e Isabelle Azevedo JOAONETOFOTOS.COM

»ONDAS

COLMEIA

Em Mossoró não se fala noutra coisa: o deputado Gustavo Carvalho comprou a Rádio Vale. Em uma sociedade com Agostinho Pinto, de Apodi.

» Estão abertas as inscrições para o I Prêmio Conciliar é Legal. Objetivo:identificar,premiar e disseminar boas práticas autocompositivas que estejam contribuindo para a efetiva pacificação de conflitos,bem como para a modernização, rapidez e eficiência da Justiça Brasileira.

»ORGANIZAR Uma luz se acende para denifir o Parque Estadual da Mata da Pipa. Dia 13, às 9h, haverá uma audiência pública para discutir a demarcação, com os órgãos ambientais do RN, possuidores e proprietários de áreas dentro do parque e zona de amortecimento. Também será inciada a discussão sobre o plano de manejo.

»PARA AGENDAR Dovér Gois vai retormar o que gosta de fazer, e bem: festas. A cada mês, nas mais diversas praias dos litorais potiguares, realizará uma numa pousada. A primeira será sábado, na pousada Vila do Sol, em Jenipabu, ao som DJ e VJ Iran, banda Via Praça. Noitada para relembrar as boas músicas dos anos 80 e 90. Tem ingresso individual e pacote com hospedagem.

» O Hotel Thermas de Mossoró comemora um ano de Planeta Humor com show do humorista Zé Lezin,dia 9.

» Cláudio Freitas definiu a data do 7º Festival Gastronômico da Pipa:17 a 24 de outubro,com participação redorde de mais de 50 restaurantes. Twitter:festivaldapipa.Site: www.festivalgastromicodapipa.c om.

»MEMOREX Falta um mês para as eleições e nada de Rosy de Sousa dizer que é irmã da prefeita Micarla. E nada de Miguel Weber mostrar a aliança de casadón com a borboleta.

»PAIO REFORÇADO Por falar em Miguel Weber, o pessoal escalado para vender as senhas da sua feijoada, que aconteceu no Versailles, teve dificuldades. Poucos secretários compraram. O presidente da Ativa, por exemplo, ao ser abordado, disse: Diga que eu não vou e não compro. Não sabem que o meu candidato é Gilson Moura??? Viiixeee...

» Hoje tem a 10ª Convenção

» PASSARELA

Na moda Donna Donna, Edna Galvão e a arquiteta-bacana Mézia Araújo

Rede Mais,no Centro de Convenções.Tema ‘Eu faço parte desta história’. COLABORAÇÃO DE ANNA CLÁUDIA COSTA


Domingo |

natal

05 de setembro de 2010

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

13

George Azevedo georgeazevedo@digizap.com.br

SOUL ENERGIA

As irmãs Silvana e Vera Escóssia no look Maison Tráfego

A colunista Marilene Paiva foi bem feliz na sua festa “Soul Energia” no último dia 27, no Requinte Buffet, com assinatura da Master Produções. E os convidados curtiram pra valer o som da Radiola Club, Dj Charles Segundo e a banda cearense Soul Pop com participação de Thábata Mendes.Confira nosso resumo em fotos do Trafegando.com

Márcio Oliveira e Roseane, os poderosos da MN Imóveis

Ana Paula e Lucineide Dias com a aniversariante da semana, Lucivan Fontes

Fernanda Karina e a cunhadinha Sânzia Fernandes

Marilene Paiva recebendo Paulo Macedo

Germanna Gabriella e Polianna Simas

Encontro dos colunistas Georgiano Azevedo, Leonardo Gonçalves, Lisboa Batista e Jean Rodrigues

Turma animada... Adriana Lopes, Claudinha Pinto, Gustavo Barreto e Narjara Souza

CHÁ DE BONECAS Maria Luíza Queiroz recebeu familiares e amigos queridos no último dia 28 para comemorar o segundo aninho da filha

Maria Clara, nos jardins do Fantastic Buffet. E, claro que o Trafegando.com registrou tudo

CHAMPAGNE NO GELO Jeans Rêis acionou os serviços da Master Produções e festa uma festa pra lá de bacana para brindar idade nova, no sá-

bado, 28, no Requinte Buffet, com direito até a boa música de Renata Falcão. As fotos são do Trafegando.com. Olha só:

Itamar Nogueira e Lucineide num papo animado com o aniversariante Jean

Tácio Garcia e Fátima Gondim com o querido Tácio Neto

Jean Rêis recebendo o abraço da maravilhosa Renata Falcão Zé Ricardo e Kaliane Alves

Irla Nogueira, Eveline Soares e Valéria Rêis. Animação não faltou!!!

Maria Leopolda Queiroz não podia levar falta Tereza Glícia Queiroz ganhou “ bolinho” pela passagem do aniversário

Luis Alberto Borges, só Love, com Ana Maria Pinheiro

Gumercília Paiva, Tanilde Galiane e Luzia Paiva

Maria Luíza Queiroz paparicando a aniversariante Maria Clara

O brinde Neísa Fernandes e Ana Paula Santos

Vasconcelos Neto e Zuíla Ramalho com a filha Gimena


natal 14

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 05 de setembro de 2010

[ DIÁRIO DE BORDO ]

Diário de uma viagem DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO Velejador-avoante1@gmail.com

alvador/BA, terra dos Orixás e de todos os Santos. Se já não bastassem tantas proteções, ainda tem a benção maior do Senhor do Bonfim, do alto da Colina Sagrada. Foi com toda essa proteção que desembarcamos em Salvador para fazer parte da tripulação do veleiro Toa Toa, um trinindad 37, e levá-lo até a cidade do Recife. Mas, como chegamos com uma semana de antecedência da viagem, ficamos meio que a toa nessa cidade apimentada e que exala um forte cheiro moreno de perfumes e acarajés crocantes. Quente ou frio freguês? Com vatapá ou com caruru? Eita como é bom ouvir o sotaque carregado da baiana do acarajé! O cheiro forte do dendê se espalha pela cidade, num convite de fé e coragem para aqueles não acostumados ao óleo efervescente que borbulha nos tachos espalhados pelas calçadas. Isso é Bahia! Perambular pelas cidades é muito gostoso. Só em não ter compromissos já é um estimulo para a mente. E sair caminhando ao deus dará, como diz o baiano, é porreta.

S

Começamos nossa pequena estadia nessa terra de fitinhas coloridas olhando para a Praça do Campo Grande, onde ficamos hospedados no apartamento de uma grande amiga. A bela visão da Praça símbolo da luta de resistência pela independência da Bahia é um convite que abre as portas da cidade. Estimulados por um céu nublado, e um clima mais frio do que o normal, tomamos coragem e fomos enfrentar uma boa caminhada para visitar o Iate Clube da Bahia, na Ladeira da Barra, num programa típico de velejador. Tivemos a grata surpresa de conhecer um clube com excelente infra-estrutura social e náutica e com uma boa escolinha de vela funcionando a todo pano, que é a base e o futuro de todo clube náutico. De lá, voltamos apreciando o esmero da natureza para com a Bahia e a beleza de sua rica arquitetura. Ao caminharmos protegidos pelas sombras do Corredor da Vitória, vislumbramos uma construção que nunca tinha nos chamado atenção, andar de carro nas cidades deixa a gente sem visão, e na fachada estava escrito: Museu de Arte da Bahia. Fomos instintivamente seduzidos para o seu interior.

O Museu de Arte da Bahia é fantástico e vale ser visitado. Conta toda a história das artes na Bahia, inclusive a do seu maior incentivador, o mestre José Valadares. Valadares foi o autor do livro “Museus para o povo”, um minucioso estudo para colocar o museu a serviço do público, como centro de apren-

dizagem e divulgação cultural. O texto “Quase um diálogo com José” de Walter da Silveira, na entrada do museu, deixa nossa mente aberta para um mundo infinito de arte e beleza presente no MAB. “O museu não se pode limitar à apresentação técnica das coleções que possui. Terá, em primei-

ro lugar, de saber atrair o visitante; depois, de tornar os momentos de permanência nas galerias, momentos agradáveis; finalmente deverá cuidar de que o visitante deixe suas portas, tendo aprendido alguma coisa de novo e – o que é da maior importância – com um desejo forte de relatar a expe-

riência àqueles com quem priva...” Texto do livro Museus para o povo. Foi com esse sentimento que deixei as dependências daquele museu e tenho certeza que é o mesmo sentimento que carregam todos que por ele passa. Essa é a vantagem de se andar a pé nas cidades. Somos despertados para lugares que na maioria das vezes passam despercebidos, apesar da beleza e de toda sua história. Valeu ter conhecido o Museu de Arte da Bahia, como valeu ter feito essa boa e valiosa caminhada pelas ruas de Salvador. Depois desse dia produtivo em Salvador, pegamos um ônibus e tomamos a estrada até o pequeno distrito de Terra Caída, no município sergipano de Indiaroba, onde passaríamos quatro dias até chegar o dia de embarcar no Toa Toa. Terra Caída é um pequeno pedaço de paraíso muito próximo das dunas brancas de Mangue Seco, onde a morena Tieta, saída dos livros de Jorge Amado, encantava e embalava corações. Lá, nos esperavam umas deliciosas empadinhas, que já comentei em outros artigos e que não canso de comentar. Lá, estaríamos diante de outra história. Chegamos na hora de um belíssimo Pôr-do-Sol.


contagem para

a largada NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

Mais de cinco mil atletas, amadores e profissionais, estão inscritos para a Meia Maratona de Natal. A prova já é a maior corrida de rua do Estado. A largada será domingo, dia 12


2

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

MEIA MARATONA DE NATAL

“ ”

A Meia Maratona de Natal cresceu 100%, e muito disso se deve à parceria firmada com a TRIBUNA DO NORTE”

KARLLEY PONDOFE diretor comercial da Unika Eventos

l i 5 mredores cor Meia Maratona de Natal se consolidou como maior evento esportivo do Estado”. A declaração é do diretor comercial da Unika Eventos, Karlley Pondofe, comemorando o sucesso de procura do evento do dia 12 de setembro. A prova, que terá disputas nos 5km, 10km e 21km, contará com a presença de 5 mil corredores do Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Piauí, Alagoas, Bahia, Amazonas, Roraima, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina,

“A

Rio Grande do Sul e até representante de Portugal. Após o sucesso da primeira edição da Meia Maratona de Natal, em 2009, a organização procurou inovar ainda mais na prova, disponibilizando atrativos e promovendo a ampla divulgação da corrida, que está no calendário da Confederação Nacional de Atletismo. “Todas as federações do país foram comunicadas sobre as provas, grandes sites voltados para a corrida deram espaço para o evento e as duas principais revistas voltadas para os corredores, a Runners Brasil e a Contra Relógio fizeram matérias sobre a prova. Foi uma excelente divul-

No Rio Grande do Norte, o número de inscritos do interior do Estado duplicou e o limite de inscritos foi atingido sete dias antes do prazo de inscrição

gação no país”, explicou Pondofe. “Para se ter ideia, até um grupo de idosos do Ceará fechou um ônibus para participar da prova”, disse. No Rio Grande do Norte, o número de inscritos do interior do estado duplicou e o limite de inscritos foi atingido a sete dias antes do prazo de inscrição. Junto com a ampla divulgação da prova, Karlley Pondofe também se disse satisfeito com o apoio recebido pelas empresas do Rio Grande do Norte, que acreditaram na Meia Maratona e firmaram importantes parcerias. De acordo com ele, os empresários demonstraram o interesse no evento devido à boa repercussão da prova em 2009 e também pela seriedade como o evento deste ano vem sendo organizado. “Os empresários tiveram bastante

sensibilidade para a importância do fortalecimento de um evento esportivo como esse no Rio Grande do Norte”, avaliou Pondofe. Para dar mais comodidade aos atletas, a arena montada ao lado da Ponte Newton Navarro servirá para atender aos participantes e familiares que forem prestigiar a prova, tendo à disposição banheiros e estacionamento. “Haverá as tendas com fisioterapeutas, massagistas, instrutores para alongamento e as equipes ainda terão tendas para montarem duas próprias estruturas da forma que quiserem”, explicou Pondofe. Com a consolidação da Meia Maratona de Natal no calendário das principais corridas de rua do Brasil e a maior do Rio Grande do Norte, o organizador do evento acredita que o maior legado que vem sendo trabalhado junto ao público é a difusão de um estilo de vida saudável. “É impressionante como hoje em dia vemos nas ruas os grupos de corrida se reunindo para treinar para as provas de rua, e com certeza a Meia Maratona de Natal é um incentivo a mais para todos eles. Esse é um vício que todos deveriam ter”, finalizou ele.

EXPEDIENTE Meia Maratona de Natal é um caderno encartado na edição da TRIBUNA DO NORTE do dia 05 de setembro de 2010,produzido em parceria com a Unika Eventos,e não pode ser vendido separadamente. Edição Carlos Peixoto

Textos Júlio Pinheiro

Fotos Alex Fernandes

Programação gráfica Carlos Bezerra

Infografia Bob Calazans

Gerente Comercial Eliana Rocha

Gerente de Marketing Andréia Barandas

Revisão Cássia Maria Graziela Grilo


NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

MEIA MARATONA DE NATAL

corrida e de E sem pe nho quipamento adequado e exercícios de alongamento antes da prova. A combinação dessas duas providências garantem uma boa margem de segurança contra lesões e dores musculares para quem vai participar da Meia Maratona de Natal. Em corridas de rua, a escolha das roupas e do calçado adequado são essenciais. Os corredores devem optar por camisetas com tecidos leves, que permitam a transpiração e que possibilitem a ventilação do corpo durante a atividade. Os calções devem dar conforto aos movimentos e, inclusive, podem ser utilizados juntos com shorts compressivos (conhecidos como shorts térmicos), que dão maior estabilidade muscular e melhor circulação sanguínea no local. “Além disso, é importante que se use o protetor solar em provas realizadas durante o dia, como é o caso da Meia Maratona de Natal”, explicou o médico Roberto Vital, especialista em medicina esportiva. A escolha do tênis também é algo essencial. Além de ser aconselhável a utilização de um calçado específico para corrida, os atletas precisam saber qual o tipo de tênis que melhor se adequa à pisada de cada corredor. Essa informação é conseguida através de um exame conhecido como “teste da pisada”, que analisa a curvatura dos pés e qual o tipo de adaptação que o calçado precisa para dar estabilidade e conforto aos corredores com pisadas neutras (normais), pronadas (tornozelos curvados para dentro) ou supinadas (curvados para fora). “As torções de tornozelo são comuns em corridas de rua, já que o terreno apresenta irregularidades. Por isso é importante que os atletas usem os tênis específicos para seus tipos de pisada”, alertou Roberto Vital. Outro cuidado que deve ser to-

O corpo humano é como uma máquina que, lubrificadas as peças, funciona perfeitamente e sem riscos de danos. Equipamento e aquecimento são a combinação certa para isso mado pelos competidores é com relação ao aquecimento e alongamento da musculatura. Vital analisa o corpo humano como uma máquina que precisa estar com as peças lubrificadas para funcionar perfeitamente e sem riscos de danos. De acordo com o médico, os problemas mais comuns são de artralgias e mialgias nos membros inferiores, que são os mais exigidos durante a provas de corrida. Por isso, a indicação é que o aquecimento dos atletas seja realizado com ênfase no quadril e membros inferiores. Ao contrário do que fazem alguns atletas amadores, o ideal para a preparação pré-corrida é que o aquecimento e alongamento sejam realizados intercaladamente. “É melhor ir alongando e aquecendo levemente ao mesmo tempo. Alonga um pouco, trota um pouco, alonga novamente. As-

sim o trabalho é mais eficiente”, explicou Roberto Vital. Se mesmo após uma preparação adequada e alongamento realizado de maneira correta o atleta sentir dor, a atitude correta é parar. Segundo Vital, a dor é o sinal de que há algo errado e a continuidade do exercício pode levar a uma lesão mais séria. “Desconforto é diferente de dor. Quando é desconforto, ele para depois de um tempo. Se for uma dor mais forte, a tendência é piorar e haver alguma lesão grave. Sempre é bom se prevenir e evitar um problema mais sério”, explicou o médico, citando como dores mais comuns as nos músculos inferiores das pernas, principalmente a panturrilha.

3

Tudo como deve ser

A CAMISETA Use camisetas com tecidos leves,que permitam a transpiração e que possibilitem a ventilação do corpo durante a atividade

O CALÇÃO Os modelos ideais devem dar conforto aos movimentos, podem ser utilizados juntos com shorts compressivos,que dão maior estabilidade muscular e melhor circulação sanguínea.

O TÊNIS É aconselhável a utilização de um calçado específico para corrida.Os atletas precisam saber qual o tipo de tênis que melhor se adequa à pisada de cada corredor.

DICA Faça um alongamento muscular antes e depois da corrida: antes,ele prepara as articulações para o exercício; após a atividade,ele prepara o corpo para o próximo treinamento.


4

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

MEIA MARATONA DE NATAL


MEIA MARATONA DE NATAL

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

5


POSTO DE SAÚDE

ÁREA PATROCINADORES

BANHEIRO QUÍMICO ISOTÔNICO

VESTIÁRIO ÁREA PÓDIO

LARGADA TENDA CRONOMETRAGEM

BANHEIRO QUÍMICO KITLANCHE/ ENTREGA MEDALHA

CAMAROTE

GUARDA-VOLUME

BANHEIRO QUÍMICO

TENDA PARA ATLETAS

no rumo certo impressão que atletas e o público tem de estar “subindo” em direção a Ponta Negra deve-se a topografia (dunas e falésias) do terreno por onde passa a Via Costeira, a avenida que constitui boa parte do percurso da Meia Maratona de Natal. A mesma geografia que cria a impressão de subida, mostra que do Forte a Ponta Negra estamos, na verdade, descendo. Os atletas da Meia Maratona de Natal vão estar voltados para o Sul e prontos para descer o litoral natalense. Ninguém vai precisar levar uma bussola, mas vai ser preciso estar atentos a cada detalhe geográfico do terreno . “É preciso que os atletas mantenham o foco e saibam como precisam encarar cada trecho percorrido, independentemente da prova que estarão na disputa. O planejamento é essencial para uma boa corrida”, explica o preparador físico André Fernandes. No momento da largada, o ideal é que os corredores amadores aguardem o aquecimento completo do corpo antes de imprimirem o ritmo mais acelerado.

A

Primeira virada (2,5km) é em frente ao Chaplin,na rotatória

Ponto de água

oriente-se

Terceira virada (10,5km) é próximo ao hotel Pestana

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

Ponto de água

6

Segunda virada (5km) pouco depois do Pirâmide

char a prova. Já os dos 21km precisam manter o ritmo e a hidratação”, disse André Fernandes. Quando apenas os corredores que participam da prova dos 21km estão sozinhos no sentido Praia do Forte – Ponta Negra, começam a enfrentar as maiores oscilações do terreno. Antes do posto de hidratação dos 7,5km há a primeira grande subida da prova. Com os atletas já com um certo desgaste, a indicação dos preparadores físicos é que os corredores procurem manter o ritmo, forçando um pouco mais a passada. Porém, se sentirem desconforto muscular, o ideal é que segurem um pouco o ritmo até a virada dos 10,5km. “Os que forçaram um pouco devem aproveitar a volta, com ladeira abaixo em alguns trechos e vento a favor, para se recuperarem”, sugeriu. Nos últimos 10,5km da prova para os competidores da Meia Maratona, o percurso ajuda. Além de mais descidas do que subidas, oc corredores poderão aproveitar o vento a favor para aumentarem a velocidade ou recuperarem o fôlego.

O percurso da Meia Maratona de Natal “começa lá embaixo”, na altura da praia do Forte, e “sobe” em direção a Ponta Negra... Certo? Errado! Vire a página e você vai descobrir.

Ponto de água

Na opinião de André Fernandes o percurso da Meia Maratona de Natal é bom, mas é preciso que os corredores falam um reconhecimento prévio da pista. “Quem puder, corra ou passe pelo local para saber como será a corrida. Isso vai ajudar bastante”. Por volta dos 2,5km, quando há o primeiro posto de hidratação e é o retorno para os corredores dos 5km, todos os competidores já estão aquecidos e, com a exceção dos que disputam os 21km, os demais atletas já estão próximos à velocidade máxima que irão imprimir na prova. Porém, é importante que todos aproveitem o primeiro posto de hidratação para se refrescar. Enquanto os que disputam os 5km já estão chegando ao fim da prova, os competidores dos 21km e 10km chegam ao segundo posto de hidratação. Nesse momento são sentidos os primeiros sinais de desgaste . “Quando o pessoal dos 10km está retornando para os últimos 5km, eles devem aproveitar o vento a favor para se recuperarem e, na parte final imprimir um ritmo bom para fe-

MEIA MARATONA DE NATAL


NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

MEIA MARATONA DE NATAL

alta tec no lo gia velho cronômetro de mão, pendurado no pescoço de um funcionário que trabalha na organização das corridas, já é coisa do passado. A cronometragem nas principais provas do mundo já é realizada de modo eletrônico, garantindo maior precisão e mais comodidade tanto aos participantes quanto aos organizadores das provas de rua. Na Meia Maratona de Natal, que ocorre no dia 12 de setembro, a tecnologia de chips será utilizada por todos os atletas das provas dos 5km, 10km e 21km. Usados desde 1994, os chips

O

o chip

Usados desde 1994,os chips foram mudando de formato. Atualmente,o mais comum serve como transponder da tecnologia de identificação de rádio frequência.

como funciona o sistema

1 2

O atleta prende seu chip no tênis de maneira adequada

Transpondo os tapetes é feita a leitura em milésimos de segundo

7

A cronometragem nas principais provas do mundo já é realizada de modo eletrônico, garantindo maior precisão na marca do tempo de chegada de cada atleta.

servem para cravar os tempos com que os corredores passaram por trechos pré-determinados, seja a largada, virada ou chegada. Com o tempo, eles foram mudando de formato e os engenheiros avançaram a tecnologia utilizada para a cronometragem. Atualmente, o dispositivo mais comum nas maiores corridas de rua do mundo é o chip que serve como transponder da tecnologia de identificação de rádio frequência. A tecnologia é usada com o chip preso no cadarço do tênis do corredor e, ao passar pelos tapetes magnéticos durante a prova, que servem como antenas, um sinal é enviado para o computador central, que já tem as informações sobre o atleta no banco de dados. Com essas informações é possível determinar, além do tempo que o atleta completou o percurso, a coloca-

3 4

ção por sexo, idade e na prova que disputou. Na prova de Natal, uma empresa foi contratada para disponibilizar a tecnologia aos atletas. Com ela, todos os atletas que participarem da competição terão seus tempos marcados de maneira precisa, garantindo a confiabilidade e agilidade na divulgação dos resultados. Para isso, a organização da Meia Maratona de Natal disponibilizará três dias para a entrega do equipamento. Os corredores receberão os chips junto com os kits da Meia Maratona de Natal, que serão distribuídos nos dias 9, 10 e 11 de junho. A devolução dos dispositivos será realizada logo depois da prova, antes que os corredores recebam os kits pós-prova, com lanche, isotônico e medalha. “É uma forma segura de se fazer a cronometragem e que as maiores provas sempre oferecem aos competidores”, explicou Felipe Azevedo, do site Natal Crono, que traz a tecnologia ao estado.

A informação recolhida pelos leitores é enviada para o sistema de computadores via rádio

Nos computadores,os dados são tratados por um software especialmente desenvolvido para as diferentes modalidades,determinando o tempo e a colocação de acordo com prova,sexo e idade


8

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

MEIA MARATONA DE NATAL


MEIA MARATONA DE NATAL

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

9


10

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

MEIA MARATONA DE NATAL

ali men ta ção correta

ão importante quanto uma alimentação balanceada e adequada aos treinamentos dos corredores de rua, é a forma como o corredor vai se alimentar durante, depois e pouco antes das provas. A ingestão de nutrientes adequados, além de evitar o mal-estar dos corredores, contribui para um melhor desempenho e, principalmente, para a recuperação da condição física. Para se iniciar qualquer tipo de atividade física o atleta nunca pode estar em jejum. O ideal é que entre 40 minutos e uma hora antes do início da prática o atleta ingira frutas (de preferência em forma de suco, adoçado com açúcar ou mel), e carboidratos, que podem ser encontrados em pães, por exemplo, que também poder ser acompanhados por

T

Como adquirir e repor energia para a Meia Maratona

1 2 3

60 ou 40 minutos antes da prova,o atleta precisa de glicose e carboidratos Recomenda-se:frutas, sucos,mel,pães e geléia Fibras,lactose e gorduras encontradas em pão integral,aveia, frutas secas,derivados do leite e carnes não são recomendados Até duas horas após a prova a reposição das calorias pode ser feita com massas,queijos, carnes e isotônicos

Nutricionistas asseguram que a alimentação, logo após o fim da prova, é tão importante quanto no início e durante as atividades físicas uma geléia. No entanto, é necessário que se evite alimentos derivados do leite, devido à gordura, e carnes e molhos. Além disso, o consumo de alimentos muito fibrosos, como pão integral, aveia e frutas secas (ameixa, uva passa) também são desaconselhados antes dos treinamentos e provas. “Durante a atividade física, as principais fontes de energia são a glicose, os carboidratos e a própria gordura”, disse Helke Cunha. De acordo com a nutricionista, o consumo de açúcar contribui para o acúmulo de glicogênio entre as fibras musculares, que contribui para

o bom desempenho do atleta durante os treinamentos e as provas. Porém, no momento da atividade física, o corredor também precisa estar consciente do que deve consumir. De maneira geral, quando a prova é realizada dentro de períodos inferiores a uma hora, apenas a hidratação com água e isotônicos é suficiente para os atletas que iniciaram o trabalho alimentados de maneira adequada. “Mas devem lembrar que o ideal é o consumo de um litro de água para cada hora de treinamento”, alerta a nutricionista. Em período superior a uma hora de corrida, os corredores precisam da recomposição também de carboidratos e açúcar. “A recomposição pode ser feita através de carboidrato em gel e mel, por exemplo. Mas não é aconselhável ingerir comida durante as provas devido aos riscos de refluxo ou até ânsia de vômito”, explica. Ao contrário do que muitos podem pensar, a alimentação logo após o fim da prova é tão importante quanto no início e durante as atividades físicas. É nesse momento que os corredores devem recompor as energias para evitar que haja a perda da massa magra com a quebra da célula muscular para que o organismo retire o glicogênio que está entre as fibras. “O ideal é que em até duas horas depois da atividade física haja a reposição, que pode ser feitas com macarrão, queijo, carnes, que são fontes de carboidratos e proteínas”, sugeriu a nutricionista. Preocupada com a recuperação dos atletas, a Meia Maratona de Natal já definiu que haverá um lanche para os corredores após o evento, acompanhado de suco e isotônicos, oferecido pela Gatorade.


NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

MEIA MARATONA DE NATAL

Repórter da TN vai correr

A jornalista Anna Ruth Dantas,repórter da editoria de Política da Tribuna do Norte e do blog Panorama Político, se inscreveu para correr os 10km.Durante a prova,ela vai transmitir flashes para a TN online sobre a corrida.

maior corrida de rua do Rio Grande do Norte terá cobertura especial da Tribuna do Norte e do portal TN Online. Para a Meia Maratona de Natal, inovações serão lançadas no www.tribunadonorte.com.br e o internauta poderá acompanhar a prova sabendo o que se passa com os corredores a cada instante. Para dar uma visão ainda mais fiel sobre o que passam os corredores durante a prova, uma repórter disputará a corrida e repassará as informações nos principais trechos do percurso. Com uma equipe completa durante a prova, o TN Online trará informações direto do local da prova sobre a competição e todo o entorno da arena montada na Praia do Meio. Os internautas poderão acompanhar entrevistas com autoridades e personagens principais da corrida, além de vídeos dos principais momentos das provas de 5km, 10km e 21km, e as entrevistas com os alguns dos participantes das provas. Para garantir a disponibilização quase que instantaneamente de imagens do percurso e dos principais momentos do evento, fotógrafos estarão posicionados

Confira seu tempo no celular

por den tro da prova

Os internautas poderão acompanhar entrevistas com autoridades e personagens principais da corrida, incluindo vídeos dos melhores momentos das provas de 5km, 10km e 21km.

A

em pontos estratégicos, assim como cinegrafistas e repórteres da Tribuna do Norte. Porém, as informações não ficarão a cargo apenas dos observadores. Além das informações postadas pela equipe do portal TN Online, a repórter de Política da Tribuna do Norte Anna Ruth Dantas estará dentro da prova. Ela vai disputar a corrida dos 10km, relatando através de áudio a visão da prova por parte de uma corredora. As informações serão disponibilizadas na página do TN Online e o internauta, inclusive, poderá acompanhar na tela do computador todo o trajeto da repórter em tempo real. Ela estará com um dispositivo localizador via satélite (GPS) e um gráfico do per-

11

curso será disponibilizado na página do TN Online. Além das informações completas da corrida através da Internet, a edição da terça-feira (14) da Tribuna do Norte trará também uma página dedicada ao evento, com os resultados das três provas e informações sobre os bastidores da maior corrida de rua do Rio Grande do Norte.

Os atletas amadores que estão acostumados a participar das corridas de rua já se contentam em comemorar apenas o fato de chegarem ao fim das provas, sem saber o tempo exato em que terminaram a corrida ou a posição em que chegaram. Porém, na Meia Maratona de Natal todos os participantes terão acesso a esses resultados com a maior comidade e agilidade possível. A organização do evento firmou parceria com o site Hora de Correr e todos os participantes que completarem uma das três provas receberão através de SMS a informação exata sobre o tempo e a colocação em que terminou a competição. Já com o acordo firmado para a disponibilização de fotos e vídeos de todos os corredores que participarem de uma das provas, o diretor do site Hora de Correr, Nivaldo Pereira, informou que a novidade será implantada já na edição deste ano da Meia Maratona de Natal. Utilizando as informações do banco de dados utilizado pela cronometragem oficial, que será feita através dos chips nos tênis dos corredores, um programa utilizará essas informações e repassará aos atletas via mensagem, sem nenhum custo para os participantes. “É uma comididade a mais. Vamos oferecer a possibilidade de que os atletas comprem suas fotos ou vídeos através do nosso site e o bônus que ofereceremos será essa ferramenta que não é utilizada convencionalmente nas corridas do país”, explicou Nivaldo Pereira. Para que o atleta receba as informações sobre o tempo e a colocação é necessário que, no momento em que ele for buscar o kit da prova, forneça o número do telefone celular que receberá a mensagem. Com isso, o banco de dados será atualizado e as informações serão repassadas pouco tempo depois que o último atleta cruze a linha de chegada. “Depois que tivermos acesso aos dados da corrida, em aproximadamente de 30 minutos os corredores receberão o SMS”, garantiu Nivaldo Pereira.


12

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

MEIA MARATONA DE NATAL


MEIA MARATONA DE NATAL

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

13


14

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

igar marcas a eventos de grande repercussão positiva na sociedade é sempre a intenção das maiores empresas, e em Natal não é diferente. Na Meia Maratona de Natal, várias empresas potiguares firmaram a parceria e viram na prova uma forma de ligar suas marcas a um evento desse porte. Com presença constante em diversos eventos esportivos e culturais do estado, a água mineral Santa Maria também abraçou a ideia da Meia Maratona de Natal. A empresa acredita que o apoio a um evento com grande visibilidade, que estimula a prática esportiva e a vida saudável, está dentro do planejamento estratégico da marca. “Há um certo tempo buscamos ligar nossa marca a eventos como esse, pois o nosso produto está diretamente relacionado à saúde”, explicou o diretor da empresa, Roberto Serquiz. Do mesmo modo, o shopping Midway Mall elogiou a seriedade e visibilidade da prova, também enaltecendo a atividade esportiva. “Como esta corrida abrirá espaço para profissionais e amadores, com três distâncias a serem percorridas, ligar nossa marca a

L

MEIA MARATONA DE NATAL

lar gan do na frente As parcerias com os patrocinadores trarão frutos positivos para as empresas e para os próprios participantes da Meia Maratona de Natal que terão uma excelente estrutura para a prova.

MMN também é uma forma de participar deste grande evento junto com nossos clientes, corredores ou espectadores”, explicou o gerente de marketing do Midway Mall, Diego Fernandes. Empresas ligadas diretamente à área de Saúde também viram na MMN uma forma de relacionar suas marcas a uma atividade que contribui para a vida saudável. O Hospital do Coração aposta na prova uma forma de diversificar a abrangência da marca da empresa. “A nossa ideia é agregar o conceito de esporte, saúde, estilo e qualidade de vida com o intuito de estimular a população a fazer atividades físicas”, explicou

Lorena Duarte, assessora de comunicação e marketing do Hospital do Coração. A Unimed, empresa que também firmou parceria com a MMN, acredita que o evento contribui para ligar ainda mais à marca também ao estilo de vida saudável. “Acho que esse evento já se tornou parte do calendário esportivo do estado, com atletas de ponta de todo o país, e com certeza será um sucesso”, aposta Daniel Freire, coordenador de mercado da Unimed Natal. Mesmo sendo um evento esportivo e ligado à qualidade de vida, empresas de outros segmentos também se interessaram em

colaborar com a MMN. É o caso da rede de supermercados Nordestão e da Cosern, que acredita que o apoio à prova é uma contribuição à cidade. “É um ambiente interessante para se divulgar as marcas, mas entendemos também que é uma contribuição que a empresa dá para a sociedade como um todo. Já patrocinamos outras diversas corridas e acredito que a parceria é uma forma de divulgar, além da marca, o estímulo ao esporte”, acredita Hélder Cavalcanti, assessor de comunicação da Cosern. “O Nordestão é uma empresa atenta às necessidades sociais. Já realizamos na empresa práticas que visam me-

lhor qualidade de vida, como Ginástica Matinal oferecida em todas as lojas aos clientes, e a Laboral, realizada com nossos colaboradores. Achamos pertinente apoiar um evento que difunde práticas saudáveis para a população de nossa cidade”, explicou o diretor superintendente do Nordestão, Manoel de Medeiros. A Miranda Computação, empresa ligada diretamente à área informática, também é parceira da MMN. A empresa tem ligação direta com o esporte e sempre marca presença em corridas de rua tanto como patrocinadora quanto como competidora. “Como incentivamos a prática esportiva aqui na empresa, também incentivamos o restante da população porque damos valor à questão da atividade física”, justificou Miranda. Observando a importãncia do evento para o turismo do estado e de Natal, a Empresa de Promoção Turística do RN (Emprotur) e a Prefeitura do Natal também garantiram o apoio à MMN. “Estou muito satisfeito. Essas parcerias trarão frutos para as empresas e para a economia do estado”, acredita Pondofe.

Karlley Pondofe

Eliana Rocha

Marcelo Gurgel

Diretor comercial da Unika Eventos

Gerente comercial do jornal TRIBUNA DO NORTE

Gerente de Operações da Emprotur


MEIA MARATONA DE NATAL

espaço res tri to O trânsito no trecho será fechado a partir das 6h, desde o início da Ponte Newton Navarro, no sentido ForteRedinha, até o final da prova. m dos pontos mais discutidos para a realização da Meia Maratona de Natal foi a questão do trânsito no local. Membros da Federação NorteRiograndense de Atletismo, Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, Batalhão da Polícia de Trânsito e Polícia Rodoviária Estadual definiram os trechos que serão utilizados tanto pelos atletas quanto pelos demais motoristas que trafegarão pelas proximidades da prova. Com a largada realizada na

U

Avenida Praia do Forte, o trânsito no trecho será fechado a partir das 6h desde o início da Ponte Newton Navarro, no sentido Forte-Redinha, assim como também estará impedido o trânsito na ponte no mesmo sentido. A paralisação será até o fim da prova, mas os motoristas que vierem no sentido Redinha-Forte poderão utilizar a via normalmente, sendo obrigados a entrar na Avenida Presidente Café Filho no sentido Santos Reis. A Avenida Presidente Café Fi-

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

lho também terá alterações no fluxo. Os motoristas que estiveram na via passando por Santos Reis em direção à orla não poderão passar por baixo do viaduto que liga a via à Ponte Newton Navarro. Na marginal da Avenida Praia do Forte no sentido Forte-Ponta Negra o fluxo será de mão dupla no trecho da Café Filho até as proximidades da Ponte Newton Navarro, onde haverá um estacionamento os corredores. Outra rua que ficará interditada é a 25 de Dezembro, paralela à Presidente Café Filho e que tem sentido Forte-Ponta Negra. Toda a via será utilizada pelos corredores, assim como a rua do Motor, que também fará parte do percurso de todos os participantes. Essas duas vias, no entanto, serão liberadas logo após a passagem de todos os corredores. A Ladeira do Sol também será interrompida durante um período. O trecho no sentido hospital Onofre Lopes – Praia do Meio será interrompido desde as 6h e só será liberado no fim da prova. Já o trecho no sentido contrário será liberado logo após a liberação da rua do Motor. A rua Fabrício Pedroza, que é a continuação da rua do Motor, ficará interditada durante toda a prova. A via será utilizada pelos corredores que disputarão os 10km e 21km e vão utilizar a Avenida Sílvio Pedroza (Via Costei-

15

ra) durante o percurso, o que só vai permitir a liberação da Fabrício Pedroza quando o último competidor retornar pela Via Costeira e cruzar a rótula em frente ao Chaplin. Na Via Costeira, os motoristas também deverão estar atentos às mudanças no trânsito. O trecho do sentido Praia do MeioPonta Negra será interrompido até as imediações do hotel Serhs, onde será a virada dos corredores que disputarão os 21km. A outra pista, ao lado do mar, será mão-dupla. “Foi decido deixar a outra faixa como mão-dupla para dar comodidade aos turistas que estão hospedados na área, mas como o trecho da Café Filho da praia do Meio será interditado, os técnicos do trânsito acreditam que o fluxo se limitará ao embarque e desembarque de passageiros nos hotéis”, explicou Eliomar Câmara, membro da FNA que participou da reunião sobre o trânsito na prova. Assim como a faixa da Via Costeira no sentido Forte-Ponta Negra, o trecho da Avenida Café Filho que vai do Chaplin até as proximidades do viaduto que liga a Praia do Meio a Santos Reis será totalmente interditada a partir das 6h. A liberação dos trechos ocorrerá após o fim das três provas. O efetivo que fará a organização do trânsito no dia da prova ainda não foi definido, mas a expectativa é que aproximadamente 50 policiais estejam orientando o tráfego.


16

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE DOMINGO • 05 DE SETEMBRO DE 2010

MEIA MARATONA DE NATAL


esportes

HOJE NA TV

RÁDIO GLOBO NATAL

11:00 – Stoc Car - GP de São Paulo - Globo 16h00 - FLAMENGO X SANTOS, Globo

06h - Esporte em debate 17h00 - ABC x Campinense CRB x Alecrim - Série C 21h - Resumo Final

CURIOSIDADES O técnico Ferdinando Teixeira, hoje no Alecrim,comandou o CSA,rival do CRB,adversário de hoje do Verdão.

DICAS As inscrições para a MeiaMaratona de Natal estão abertas no site da Tribuna do Norte.

AMÉRICA

Clóvis Emídio aposta na reação,mas é contra comentários de Lula Pereira. PÁGINA 2 NÚMERO 16 mil pessoas são esperadas pelo ABC para a partida de hoje contra o Campinense/PB.

Editor: Itamar Ciríaco e-mail: esporte@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 02 de setembro de 2010

Titulares em grande parte dos jogos em 2010, Claudemir e Éderson recuperam titularidade e time volta a jogar com seu quadrado, composto ainda por Cascata e João Paulo, que deu certo no estadual [ BRASILEIRO SÉRIE C ]

ABC aposta no quarteto vitorioso máxima do futebol que diz: “ Em time que está vencendo, não se mexe”, volta à tona no time do ABC, hoje, quando entrar em campo para enfrentar o Campinense, pela oitava rodada da série C do Brasileiro, no estádio Frasqueirão, às 17h. Para isto, o técnico do Alvinegro potiguar promove o retorno do quarteto que fez sucesso no primeiro semestre do ano, quando conquistou o título estadual e também no início do Campeonato do Nordeste. Claudemir e Éderson se juntam a Cascata e João Paulo, para tentar bater o time paraibano e quebrar um jejum que já dura um ano. Nos últimos três jogos entre as duas equipes, o ABC perdeu todas. Duas pela série B de 2009 e a uma pelo turno do grupo B desse ano. No geral, a equipe de Natal pode ser considerada “freguês” do seu adversário de logo mais. No histórico, são 16 vitórias para os visitantes de hoje, apenas seis triunfos do time de Ponta Negra, e quatro empates. Mas, para o comandante alvinegro, Leandro Campos, esses números não vão valer de nada depois que o jogo começar. “ Esse números servem só para as estatísticas. O que vale é dentro de campo e os jogadores do ABC não estão preocupados com esse retrospecto. Eles estão preocupados em vencer e ficar mais perto de uma classificação para a segunda fase”, afirmou Campos. O atacante Éderson, se disse totalmente recuperado da lesão e que pretende entrar em campo com o pensamento exclusivo de vitória. “Estou me sentindo bem e venho treinando forte para que possa ajudar o ABC a conquistar

A

essa vitória, que vai ser muito importante para a nossa classificação. Tenho certeza que a torcida vai comparecer e nos incentivar para que nosso time consiga derrotar o adversário”, revelou. CAMPINENSE A diretoria do Campinense anunciou nesta quinta-feira a contratação de mais um reforço para a sequência da Série C 2010. Trata-se do atacante Gilson Costa, que foi campeão da segunda divisão pernambucana jogando pelo Petrolina. O atleta já foi apresentado e participou dos treinos preparatórios para o jogo contra o ABC. Gilson participou da Série C no ano passado, quando jogou pelo Salgueiro e foi o goleador da equipe do Sertão Pernambucano. A partida vale muito para o Campinense, que é vice-lanterna do Grupo B, com 6 pontos, apenas 1 a mais que o lanterna Salgueiro. Portanto, um revés pode tirar a Raposa de vez da briga pela classificação e deixá-la próxima da degola. FICHA TÉCNICA ABC CAMPINENSE ABC:Wellington;Lisa,Tiago Garça,Leonardo e Renatinho Potiguar;Basílio,Ricardo Oliveira,Claudemir e Cascata; João Paulo e Éderson.Técnico:Leandro Campos.

CAMPINENSE:Ricardo;Israel, Henrique,Rafael Alemão e Rogerinho;Stênio,Daniel,Flavinho e Tazinho;Bruno Recife e Binho. Técnico:Suélio Lacerda.

Estádio: Frasqueirão,Natal/RN Horário: 17h Árbitro:Gleyston Gonçalves da Silva(CE) Assistentes:Francisco Rudson Rocha Aquino e Marcos Antônio da Silva Brígido

JÚNIOR SANTOS

O quarteto abecedista está de volta para tentar quebrar tabu

Calculista,Alecrim pretende explorar “desespero”do CRB CRB e Alecrim realizam uma partida considerada chave em termos de classificação para segunda fase dentro do grupo B, quem perder ficará em situação bastante delicada na luta para chegar à segunda fase, onde serão definidos os novos participantes da série B na temporada de 2011. O empate é bom para os potiguares, que vão manter a vantagem de dois pontos frente aos alagoanos e deixará a decisão da segunda fase para última rodada da primeira fase. O técnico Ferdinando Teixeira deve manter a formação que empatou contra o ABC e pretende

jogar precavido, explorando os contra-ataques, uma vez que o clube regatiano necessita vencer a qualquer custo. Com a crise entre o atacante Júnior Amorim e o técnico Edson Ferreira, contornada, existe a expectativa apenas de saber se o jogador sofrerá algum tipo de punição. A diretoria, por respeito a história do atleta no clube, descartou qualquer tipo de retaliação. Mas se depender do que trabalhou no treinamento, o ataque do CRB será formado por Luciano Dias e Edmar. O lateral-esquerdo Rafinha se apresentou, treinou mas não está confirmado na partida.


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 05 de setembro de 2010

ENTREVISTA / CLÓVIS EMÍDIO / VICE-PRESIDENTE DO AMÉRICA

“Nosso treinador foi muito infeliz” RODRIGO SENA

A situação do América é complicada, ou vocês da direção acreditam em uma virada? Nossa situação é plenamente recuperável. A direção, em momento algum, pensou que o barco tinha afundado. De forma alguma. Ainda temos muito chão pela frente, muito jogo a ser jogado e compete única e exclusivamente à direção, empreender as medidas para que a gente saia dessa situação. No início da temporada, a diretoria americana foi elogiada por manter a base de 2009. Em que momento do percurso,esse planejamento desandou? A partir do momento em que o clube perdeu um campeonato estadual, que era tido como fácil, pelo América ter tido o melhor plantel, a partir do momento que fomos eliminados de forma bisonha, na Copa do Brasil, por um time semiamador, que formou seu time na semana do jogo contra o América, que foi o São José. Então, a leitura é muito fácil: se não andou no estadual, se não andou na Copa do Brasil, enfrentando equipes, com todo respeito, como a do São José, você não pode insistir. Tivemos que rearrumar a carruagem em direção a um novo rumo. O clube investiu em contratações como Adriano Magrão, Ronny e Asprilla, jogadores caros e que não renderam o esperado.Como foi a escolha desses jogadores? O América não podia continuar pagando um preço alto por esses atletas, já que eles não vinham correspondendo como esperávamos. Eu diria, com exceção do Asprilla, as outras rescisões foram de forma muito amigáveis, muito brandas, sem nenhum transtorno para as partes.O Asprilla é um caso a parte, é um sujeito que não merece o respeito do América. O clube jamais recomendará sua contratação para qualquer time que seja. Ele saiu de forma drástica. Fizemos um acerto com ele com um cheque pré-datado, e ele sequer honrou esse compromisso. Os acertos,com esses jogadores se deram por intermédio de empresários? Nenhuma contratação, depois que me aproximei do América, há mais de 10 anos, pode ser creditada a dirigente A ou B. Quem contrata é a instituição. Quem deve responder por essas contratações, é o América Futebol Clube. Quem passa pela administração do clube, certamente tem o intuito de acertar sempre. Os erros são decorrentes de quem busca o acerto. Você foi eleito junto com José Maria Figueiredo,presidente do clube. Como você recebe essas críticas por parte de alguns torcedores?

FELIPE GURGEL Repórter de Esportes

C

lóvis Emídio é auditor fiscal da receita federal, por opção e americano por paixão. No

final de 2009, ele foi convidado pelo, então candidato à presidência do clube, José Maria Figueiredo, para ser o seu vice, na chapa única para as eleições do América. Com os insucessos do time na temporada, como a perda do campeonato estadual, e eliminação precoce na Copa do Brasil e a péssima campanha do time na série B do Brasileiro, a figura de Clóvis Emídio vem ganhando força como dirigente mais influente do clube. Nessa entrevista exclusiva concedida a reportagem da TRIBUNA DO NORTE, o vice-presidente fala sobre a situação do time, e do clube, as brigas internas, o uso da sede social, e mantém as esperanças por uma virada no momento do clube dentro da competição nacional.

Ser dirigente de um clube, com a demanda de torcida semelhante a do América, o dirigente tem que ter a consciência de que ele passa a ser vitrine permanentemente. Quem não estiver preparado para receber críticas, não pode se aproximar do futebol. Principalmente em clubes do porte do América, com todas as dificuldades que temos que conviver. A recente saída de Souza, e anteriormente, de Alex Padang e Eduardo Rocha,fragiliza a direção americana? Eduardo Rocha, em nenhum momento, se afastou do América. Como estamos em uma nova administração, ele, simplesmente, ficou em uma retaguarda com os grandes americanos. Mas, em nenhum momento, ele se negou a colaborar com a nossa diretoria. Alex Padang, em momento algum, se furtou de discutir o América com a nova direção. Aconteceram problemas, de ordem muito privada, entre ele e o atual presidente, por opiniões diferentes sobre determinados assuntos, e temos que respeitar, que não devem preponderam no espectro maior, que é o América. A saída de Eduardo Rocha, nunca existiu e a de Alex, existiu um desentendimento com José Maria Figueiredo, plenamente contornável. Tanto, que já discutimos com ele, Alex Padang, recentemente, assuntos de ordem financeira. E o que aconteceu com Souza? Em relação a Souza, eu fui o mentor intelectual da volta dele para o América, já que ele havia se afastado do clube, realmente, depois de dezembro de 2009. Acontece que, desde nosso primeiro contato, que ele já tinha me alertado pela falta de tempo que teria, já que tem outros negócios. Tentei convencê-lo, que daria para conciliar seus afazeres, com as obrigações para com o clube. Souza é tão equilibrado e apaixonado pelo clube, que estava se sentindo mal de não poder dividir seu tempo com o América, de forma mais efetiva. Ele pediu para sair, porque não estava se sentindo bem em ter uma remuneração do

clube, sem exercer sua função de maneira plena. Por esta razão, e respeitando, acima de tudo, o cidadão, aceitei o seu desligamento do clube. Mas, já contratamos outro para assumir seu lugar. Mas, sabemos que, dificilmente, alguém vai conseguir substituir Souza na sua plenitude, por tudo que ele representa para o América. O atual técnico do América, Lula Pereira,foi indicação de Souza. Com a sua saída, a pressão pode aumentar no treinador? Olha, alguns setores tem creditado a Souza, a contratação de Lula Pereira. Não foi. Souza, pura e simplesmente, concordou com o nome, por já ter trabalhado com ele e por ter convivido com ele. Mas, já fazia três anos que o América tentava a contratação de Lula Pereira para ser o nosso técnico, por enxergar nele, um profissional do mais alto quilate. Particularmente, sou da opinião de que Lula está entre os 20 melhores técnicos do país. Mas, efetivamente, a indicação dele foi da direção. Da mesma forma que José Maria Figueiredo, indicou o nome de Ferdinando Teixeira, mesmo sendo bastante respeitado e querido por nós, americanos decidimos por mudar. E Quando surgiu o nome de Lula Pereira, foi unanimidade. Não teve um só dirigente contrário. Sabíamos que o investimento seria alto, mas, confiamos que Lula Pereira iria dar a resposta que a diretoria esperava. E, está dando. Mas, ainda quero ver Ferdinando Teixeira comandando o América. Depois que Lula Pereira foi contratado,chegaram cerca de 17 jogadores.Foram indicações dele? Todas as contratações da era Lula Pereira, são de indicação do treinador. A única que foi não indicação dele foi o lateral-direito Dick. Foi Souza buscou informações sobre o atleta. Só depois de checar tudo, que assinamos contrato com ele. Lula Pereira, lógico, avalizou a contratação do atleta. Dos 16, 17 que chegaram, apenas um não foi indicação do treinador. As outras, todas, foram pedidos dele.

Ainda quero ver Ferdinando Teixeira comandando o América.” CLÓVIS EMÍDIO vice-presidente do América

Não temos jogadores perdedores. Os que se tornaram ídolos, certamente tem o seu valor.” CLÓVIS EMÍDIO vice-presidente do América

O Asprilla é um caso à parte, é um sujeito que não merece o respeito do América” CLÓVIS EMÍDIO vice-presidente do América

Esse elenco inchado do clube, com quase 40 jogadores, não atrapalha o ambiente? Não tenha dúvida. Mas, vocês da imprensa contabilizam como jogadores do América, alguns atletas que estavam passando por um período de experiência, que estavam sendo observados. Atleta do clube, eu só considero aqueles que já assinaram o contrato. Por exemplo, o zagueiro Paulo Sérgio. Ele veio ser observado, por indicação de Lula Pereira, mas, em nenhum momento, ele foi jogador do América. No elenco, nós tivemos cerca de oito atletas em observação e mais oito que vieram das bases, que são nossas apostas para o futuro. Então, na verdade, o clube só tem 27 jogadores que tem contrato, o que é um número perfeitamente normal, se tratando de um elenco de futebol. O crescimento do clube, não passa pela profissionalização dos setores? A tentativa dessa gestão, desde o início, sinaliza nesse sentido. Quando cheguei na sede, tínhamos 16 funcionários. Hoje em dia, só ficamos com cinco, fazendo o mesmo serviço que os outros faziam. Tivemos problemas no nosso Centro de Treinamento com gente que estava ganhando dinheiro sem produzir nada. Demos uma enxugada nessa folha de forma a tornar viável a administração do América. E, iremos sim, profissionalizar todos os setores. Sonho o dia em que possamos ter, em todos os setores do clube, principalmente o futebol, profissionais remunerados pelos seus serviços. Isso é para onde o mundo do futebol sinaliza. Ou você profissionaliza, ou vai estar fadado a ter problemas. É uma necessidade premente. O que tem de verdade em relação a essa polêmica que se criou em torno da venda da sede social do clube? Em nenhum momento foi aventada a possibilidade de venda. O patrimônio do América, ninguém mexe. O que se tenta, é aproveitar todo o potencial dessa área que estamos instalados. Precisamos que a sede social dê rendimento mensal ao clube, para ajudar na sua sobrevivência. O modelo de clube social há muito pereceu. Só existem dois clubes em Natal que conseguem sobreviver do social. A AABB, que a mensalidade é descontada em folha e o Iate, onde os frequentadores têm um poder aquisitivo maior. Esses não sofrem de inadimplência e podem investir. O América, hoje em dia, ainda tem cerca de oito mil sócios remanescentes. Desses, apenas 500 pagam mensalidade em dia. Isso, quando o time vai bem. Quando está mal, não chega a 200. Os sócios, na sua absoluta maioria, es-

tão inadimplentes. Então,como aproveitar a sede? A ideia central é fazer com que, esse terreno, que é um dos mais valiosos da área nobre de Natal, passe a render dividendos para ajudar na manutenção do clube. É óbvio, que quando se fala em parceria, você vai empatar parte desse patrimônio como retorno para quem investir. Mas a ideia é fazer isso, de tal forma, que potencialize o patrimônio do América. Ao invés de depredá-lo, temos que potencializar. Vamos criar um mix de lojas, restaurantes e salão de eventos, para se alugar. Temos que fazer a sede render dinheiro. O América, hoje, com todo esse valor que tem, sobrevive à custa de muitos sacrifícios de seus abnegados. O técnico Lula Pereira, quando da saída de Júlio Terceiro, revelou que existe um grupo de jogadores, dentro de clube, com estigma de perdedor.Como a direção analisou esse caso? Nosso treinador foi muito infeliz nessa declaração. Inclusive, comentei isso com os outros dirigentes e todos foram unânimes em não concordar com tal declaração. Júlio Terceiro, enquanto permaneceu no América, foi ídolo. Não podemos dizer que o atleta não deixou sua marca na história do clube. É tanto que, na saída de Júlio, disse a ele que o mundo gira e que no futuro, ele pode retornar ao clube. Do jeito que Lula Pereira está aqui, e é intenção nossa que ele fique por muito tempo, já que, na medida que ele for mostrando resultados, não vejo motivos para troca de comando, mas, pode acontecer um revés e não vai existir impedimento nenhum para que Júlio retorne ao clube. Na minha opinião, como vice-presidente do clube, o treinador foi infeliz na sua declaração. Nós não temos jogadores perdedores. Os que se tornaram ídolos da torcida, certamente tem o seu valor. E não há, sinceramente, problemas de relacionamento algum. As mudanças são necessárias. Qual mensagem você pode deixar a torcida do América, nesse momento difícil que o clube vem atravessando? Acreditem que ainda vamos escrever uma bonita história dentro do clube. Estamos buscando fortalecer o grupo, nós sabemos das deficiências que nós temos, vamos estar, permanentemente em negociações para requalificar o grupo, e a torcida pode ter certeza absoluta, que nunca passou pela cabeça de nenhum dirigente a possibilidade de descenso. Quem está falando isso não é o vice-presidente, É um torcedor igual a tantos americanos apaixonado por esse clube. Vamos dar a volta por cima e conseguir honrar as cores do América.


Domingo | 05 de setembro de 2010

esportes

[ CENTENÁRIO ] O parelhense Didi, além de

Djalma e Souza vestiram a camisa corintiana

Três potiguares na história dos 100 anos do Corinthians EVERALDO LOPES Repórter e Pesquisador

epois de fazer um belo Campeonato Estadual pelo América FC, trazido que foi de Itajá para o elenco rubro pelo treinador Ferdinando Teixeira, o meiocampista José Ivanildo de Souza, na época com apenas 17 anos veio tentar o futebol da capital. O garoto, nascido em Itajá revelou-se por ocasião do Campeonato de Futebol do Interior, o Matutão, quando disputou o título no Machadão, e logo despertou a curiosidade do torcedor e do treinador Didi Duarte. Para velo jogar melhor, o América fez um amistoso naquela cidade, quando o treinador rubro constatou as qualidades de Souza. Naquele ano, a equipe americana sagrava-se campeã estadual, projetando mais ainda o jovem valor vindo da região do vale do Assu. Com seu “olho clínico”, o empresário Gilberto de Nadai conseguiu colocar Souza no Rio Branco de Americana/SP. E foi justamente graças às excelentes atuações, logo despertou a cobiça de alguns clubes paulistas. O Corinthians foi mais rápido e o levou para o Parque São Jorge. A partir daí, Souza deu início a um longo período de grandes atuações, acumulando títulos inicialmente no Coringão, posteriormente São Paulo, Flamengo, Krylia Sovetov, Atlético Mineiro e, finalmente, a volta ao América, ajudando o clube a retornar à Série “A” em 2006, disputando a competição maior da CBF em 2007. O primeiro título de Souza no Corinthians foi em 1995, com esta formação na partida decisiva e o poster de página dupla publicado pela revista Placar: Ronaldo, André Santos, Bernardo, Célio Silva e Silvinho, Henrique, Souza e Zé Elias, Marcelinho Carioca, Viola e Marques. É também campeão no Alvinegro na Copa do Brasil 95. O craque itajaense foi também supercampeão paulista e campeão da Copa do Brasil em 2000, pelo Tricolor do Morumbi

D

Outro norte-rio-grandense que está na história do Coringão é o parelhense Didi (Antônio Pereira do Nascimento), revelado também no Matutão, atuando pela seleção de Parelhas/RN. Didi é campeão brasileiro pelo Corinthians em 1998, tendo vestido a camisa corinthiana em 54 partidas, assinalando 10 gols. Numa melhor de três Cruzeiro x Corinthians para decidir o Brasileirão/98, Didi participou de duas partidas, ficando fora do jogo decisivo. O time do primeiro jogo, no Mineirão, foi este: Nei, Índio, Batata, Gavilan e Sylvinho, Vampeta, Rincón, Ricardinho e Edilson, Marcelinho Carioca e Didi. Didi era um atleta muito extrovertido, com a conduta fora do gramado nem tão reta, o que comprova seu curriculo ser recheado de muitos clubes. Esteve no Sttutgart (Alemanha), mas acabou desentendendo-se e vindo de volta para o Brasil. Jogou na Portuguesa de Desportos, Juventude, Sport Recife, e seguiu trocando de clubes numa vida nômade. Teve enormes chances de fazer um belo “pé de meia”, mas não foi assim. O terceiro potiguar a vestir o “manto” corinthiano foi o quarto zagueiro Djalma (Linhares), natural de Macaíba, cria do América/RN, clube pelo qual foi campeão, e muito cedo tomou o rumo do Sport Recife, nascido a 21 de junho de 1955. Um dos bons campeonatos estaduais que fez defendendo o América/RN foi o de 1974, com este time campeão: Otávio, Ivan Silva, Mário Braga, Djalma e Cosme, Edinho, Garcia e Gilson Porto, Jangada, Santa Cruz e Reinaldo. O presidente do clube era José de Vasconcelos Rocha, o técnico, Sebastião Leônidas. Djalma tinha acabado de subir dos juvenis, aos 19 anos. Fez um tremendo sucesso no Sport Recife, até seguir para defender o Corinthians Paulista. Qualquer livro, vídeo, dvd ou revista aonde constem os títulos corinthianos estão lá os nomes dos norte-rio-grandenses Souza e Djalma, saídos do América/RN, e Didi, da cidade de Parelhas. MARCELO BARROSO

O potiguar Souza foi uma das estrelas campeãs no Corinthians

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 05 de setembro de 2010

[ ENTREVISTA / VALDENO BRITO / PILOTO DA STOCK CAR ]

Paraibano quer mais um milhão S

ão Paulo (SP) - Vencedor da primeira edição da Corrida do Milhão, em 2008, no Rio de Janeiro, o paraibano Valdeno Brito já sentiu o gostinho de ganhar a mais importante prova da temporada na Copa Caixa Stock Car. O piloto da equipe Cosan Mobil Super Racing (Chevrolet) chega pronto para defender o título e, por que não, tentar o bicampeonato. A prova será neste domingo, no Autódromo Internacional José Carlos Pace, em Interlagos, São Qual sua expectativa para a sétima etapa? Na Stock Car, vencer uma corrida é extremamente difícil, pois temos pilotos e equipes de excelente qualidade. E essa corrida, em especial, torna-se ainda mais difícil por ser mais longa, e consequentemente mais desgastante tanto fisicamente quanto para o equipamento. A equipe também terá um trabalho fundamental, pois serão dois pit stops e para vencermos tudo tem que sair perfeito. Deverá ser uma prova emocionante. Qual a “estratégia” para manter o título de vencedor do Milhão? Apesar do formato da corrida ser diferente (mais longa e com um pit stop extra), ela tem que ser encarada com a mesma

A pista de Interlagos é desafiadora e uma vitória pode me colocar na Super Final”

seriedade com que encaramos as outras. Claro que por pagar um prêmio milionário, a motivação é ainda maior. Vencerá talvez não necessariamente o piloto mais rápido, e sim o que, juntamente com sua equipe, não cometer erros. Alguns pilotos acham que a etapa de São Paulo será a mais importante do ano,você concorda? Por quê?

Paulo, a partir das 11h. A Corrida do Milhão Goodyear, válida pela sétima etapa da temporada, terá 36 voltas ou 65 minutos de muita emoção na disputa pelo primeiro lugar e o incrível prêmio de um milhão de reais. A Rede Globo de Televisão fará a transmissão ao vivo e na íntegra para todo o país, dentro do Esporte Espetacular. A programação do final de semana ainda prevê a quinta prova da Copa Chevrolet Montana, divisão de acesso da Stock

Car; e a quarta corrida do Mini Challenge. Num bate-papo descontraído, Valdeno, que atualmente ocupa a 15ª posição, com 20 pontos e fez a pole na terceira etapa, no Velopark, fala das expectativas para a prova e prevê uma disputa equilibrada. Ele, porém, considera que o trabalho das equipes será fundamental na edição 2010 da Corrida do Milhão Goodyear, justamente por ter uma característica diferenciada. DIVULGAÇÃO

Sim. Porque além de ser uma corrida especial pelo prêmio que pagará ao vencedor, é a etapa que deixará mais perto a vaga para a Super Final. O que pode fazer a diferença na Corrida do Milhão? Além do carro rápido, o trabalho da equipe nas paradas e saber poupar o equipamento e pneus. Será assim como na última Corrida do Milhão, uma prova bem desgastante. Já pensou o que fazer com o prêmio? E a propósito,o que fez com o dinheiro da primeira edição da corrida? Com o da primeira, construí a casa que moro hoje com minha família em Londrina. Depois que ganhar a próxima, pensarei o que fazer com a grana (risos).

[ KART ] Piloto do Rio Grande do Norte participa das provas finais e

apesar de não concorrer ao título geral espera por mais vitórias

Marcos Lopes

Uchôa compete na Espanha

lopesrn@hotmail.com

Crescimento é real

TEM QUE PROFISSIONALIZAR

omo negar que a partir da posse da nova diretoria do ABC, o clube deu um salto em nível de gerenciamento e qualificação profissional? Como fechar os olhos para as mudanças positivas que já foram, e que estão sendo implementadas pelo grupo capitaneado pelo presidente Rubens Dantas? Negar que o ABC passou por um processo de transformação e que deu um salto de qualidade enorme desde a posse dessa diretoria, é negar o óbvio. A visão empresarial, a profissionalização dos vários departamentos do clube, a implantação de um programa moderno de captação e fidelização do torcedor estão transformando o ABC em um clube que deve, em pouco tempo ocupar um lugar de destaque no futebol nordestino. Observem apenas e tão somente com a razão, deixando de lado a paixão, e a preferência pessoal por esse ou por aquele dirigente, e vocês irão constatar que, dos clubes de futebol do nordeste, o que está robustecendo uma base verdadeiramente sólida e calcada em um planejamento profissional, é o ABC. Como de forma racional ninguém pode negar que o pontapé inicial desse processo de crescimento começou na gestão de Judas Tadeu, com a construção do Frasqueirão, referendada e acompanhada pelo Conselho Deliberativo. Isso é ponto pacífico na discussão, assim como também é, o fato que as pessoas devem olhar para frente. E a diretoria do ABC sabe disso e, está trabalhando de forma séria, profissional e com uma visão empresarial. O ABC, presidido por Rubens Dantas, amparado por uma diretoria extremamente competente – sem exceção – é um clube que pode apostar em um futuro sólido e estruturado.

SILÊNCIO SEPULCRAL

C

RN TEM ESPAÇO NA SÉRIE B Discordo frontalmente de quem defende a tese que o futebol potiguar não tem estrutura para permanecer na Série B do Brasileiro. Eu acredito firmemente que América e ABC tem todas as condições para disputar e permanecer na Segundona, e mesmo que o América venha a ser rebaixado – torço para que não aconteça ele tem capacidade regenerativa e já mostrou essa capacidade em outras oportunidades. A situação do Alecrim é diferente das duas citadas. Como o Verdão está afastado há muito tempo das disputas em nível nacional – voltou ano passado – é difícil avaliar qual seria o comportamento na Série B, qual a capacidade de investimento do clube em um campeonato desse porte. Mas é um exagero, e quase uma insanidade dizer que o lugar do futebol potiguar é na Série C. É uma teoria derrotista e auto-discriminatória.

Não conheço o trabalho do Roberto Arcieri que veio do Confiança para assumir a função de Gerente de Futebol do América, mas vejo a contratação dele como um passo importante que o clube está dando no sentido de profissionalizar o futebol pelo lado de fora do gramado. Qualquer clube de futebol minimamente organizado tem que manter um profissional para acompanhar o dia a dia do time, da comissão técnica e ser o elo com a direção do clube. É elementar a necessidade de contar com um profissional com experiência na área, na medida em que os dirigentes, não tem dispõe de tempo integral para acompanhar o que acontece no CT. Com a implosão da Fonte Nova, mais uma vez a preocupação sobre o que realmente vai acontecer com Natal em relação a Copa de 14 é visível. Segundo o secretário Fernando Fernandes, o tempo não é problema e tudo está no seu lugar. Só o que não está no lugar é o futuro dos clubes de futebol profissional de Natal. Parece que eles não entram na pauta de discussão. Com a possível demolição do Machadão, ficam desabrigados. Não seria hora do Poder Público firmar uma parceria com a FNF para revitalizar o estádio Juvenal Lamartine?

Fim de jogo, fim de papo RODRIGO SENA

Eduardo Rocha,presidente da Liga do Nordeste:“O Campeonato está mantido para 2011.Mente quem afirma o contrário”.

s provas finais do Campeonato Espanhol de Kart são o desafio de hoje do piloto Victor Uchôa, atual Campeão Brasileiro Mirim de Kart. O jovem potiguar está desde o início desta semana em Sevilha, na Espanha, onde realizou treinamentos de preparação para mais essa disputa. Esta é mais uma oportunidade para Victor mostrar seu talento na Europa, região onde conquista mais respeito a cada nova corrida. Na competição espanhola, o piloto faz parte da equipe LTP Competição/Geni Kart, a mesma que foi responsável pelo início da carreira do bicampeão mundial de

A

Fórmula 1, o espanhol Fernando Alonso, que hoje guia um dos carros da Ferrari na principal competição do automobilismo. Victor não tem mais chances de ganhar o título do Campeonato Espanhol em virtude das constantes quebras que teve na maioria das etapas. Mas, “independente dos resultados, devemos apostar na qualidade dos pilotos que temos. Victor, apesar de muito novo, tem talento de sobra. E o que é ainda melhor: vontade e facilidade de aprender. A experiência que ele está adquirindo nas competições internacionais lhe dará muita credibilidade, gerando uma repercussão muito positi-

va”, afirma Eric Rodrigues, conselheiro internacional do potiguar. Victor Uchôa voltará a Natal na próxima semana, mas já pensando na disputa da 5ª e última etapa do Baltar Kart Cup, competição a ser realizada no dia 10 de outubro, em Portugal. Das três etapas em que participou, o kartista saiu vitorioso em duas e segue como favorito. O mundial da Easykart Birel, também em outubro, e a Taça Portugal, em novembro, serão as últimas competições internacionais do piloto confirmadas para este ano. Há também a possibilidade de Victor disputar a Taça dos Campeões, em Barcelona.


Domingo | 05 de setembro de 2010

esportes

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

5

[ BRASILEIRO SÉRIE A ] Adversários de hoje venceram na última rodada e esperam confirmar boa ‘fase. Em caso de vitória, equipe mineira pode entrar na zona de classificação da Libertadores

Apito Final EVERALDO LOPES - elopes@tribunadonorte.com.br

ABC quer 15 mil no “Frasqueirão”

Palmeiras e Cruzeiro duelam para seguir na disputa TOM DIB

a partida deste domingo diante do “carrasco” da Borborema o projeto dos dirigentes alvinegros é ver o “Frasqueirão lotado. O Campinense é tido como carrasco porque na série “B” do ano passado o time raposa pregou uma peça no ABC naquele fatídico 15 de agosto, praticamente alijando a chance do Alvinegro fugir do rebaixamento. Este ano, valendo a Série “C” novamente lá vem o Campinense tentando atrapalhar os planos de Leandro Campos. Por isso, a diretoria colocou toda sua equipe de marketing em ação para que o “Frasqueirão” receba, hoje, 15 mil torcedores. Haverá intensa movimentação durante todo o dia, com a carreata da classificação, os 200 primeiros torcedores que se cadastrarem receberão a revista do ABC e o dvd da classificação, segundo garante o vice de marketing, Alan Oliveira.

N

ESPORTES EM DEBATE Com primeira apresentação ontem de 14 às 15 e hoje, às 7 da matina após a missa da Rede Globo, o programa Esportes em Debate terá o vice de futebol, Flávio Anselmo. Fala sobre o interesse do Chelsea pelo garoto Felipe Bezerra do ABC (tem 16 anos) e a campanha do clube na tentativa de retornar à “B”/2011.

ESPORTES (2) O dirigente abecedista cita os cuidados do clube com outros garotos que estão se revelando nas categorias de base, graças ao trabalho de Didi Duarte, Moura e Gilmar Oliveira. É que têm sido constantes os assédios de atravessadores querendo “roubar” os que mais se destacam no grupo. “Eles sabem até a técnica de tirar o garoto”, frisam.

Alfabeto das desistências São muitos os leitores desta coluna, que nos brindam com a leitura e sugerem uma opinião mais abrangente sobre alguns assuntos. Um deles – Clodoaldo Monte, escreve e propõe que este colunista (e pesquisador) faça um trabalho sobre os muitos clubes que, um dia, participaram do

campeonato promovido pela FNF. Os mais novos, na faixa entre 40 e 50 anos com certeza lembram que já tivemos campeonatos com Ferroviário, Emserv, Globo, Racing, Grêmio, Vênus, e muito mais. Alguns, com passagem meteórica, dois, cinco anos, e sumiram.

ALFABETO (2) Achei curiosa a ideia do torcedor, e resolvi fazer um rápido levantamento das mais de 30 associações desportivas que tiveram seus nomes apagados nos registros da FNF. Resolvi seguir uma certa ordem alfabética, começando com o Asas EC, de Parnamirim, surgindo em 1956, quando era ainda um distrito de Natal, já que sua emancipação só ocorreu em 1958. O Asas disputou o campeonato de 1956, e abandonou a federação no final do ano. A equipe reunia somente soldados, cabos e sargentos da Aeronáutica.

s dois clubes originários do Palestra Itália gozam de momentos semelhantes na temporada. Depois do vexame perante o Atlético-GO, o Palmeiras reagiu e acumulou dois jogos seguidos com bons resultados (uma vitória e um empate) fora de casa, contra Atlético-MG e Fluminense. Já o Cruzeiro aproveitou os confrontos diante de Corinthians, Vasco e Flamengo para ganhar sete pontos. Portanto, o confronto de hoje, às 16h, no Pacaembu, vai testar a boa sequência de ambos no Campeonato Brasileiro. “Nossa motivação está lá em cima, tivemos dois jogos dificílimos, contra Atlético-MG e Fluminense, nossa evolução está boa, mostramos o nosso valor. Tenho certeza de que agora teremos uma postura aguerrida contra o Cruzeiro”, prevê o volante Pierre. A ordem do elenco alviverde é aproveitar a motivação do jogo contra o Fluminense. Ao encontrar o líder do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras apresentou personalidade e determinação para buscar o empate nos acréscimos. “O sentimento foi muito bom, conseguimos mostrar força para alcançar esse bom resultado. Sabemos que precisamos alcançar a regularidade para ficar entre os primeiros o mais rápido possível”, reconhece Pierre. Para o treinador celeste, a tendência é que o time suba de produção com o passar do tempo. “Temos feito bons jogos, mas o time ainda não está no ponto ideal. Vamos melhorando aos poucos e tenho certeza de que faremos mais um grande jogo contra o Palmeiras”, assegura Cuca. No confronto contra o Verdão, as novidades serão os retornos do zagueiro Gil e do atacante Wellington Paulista. Ambos não atuaram na vitória sobre o Flamengo, pois cumpriram suspensão.

O

Seguindo a ordem alfabética, relacionamos Areia Branca FC e Atlético Potiguar, o chamado Atlético do “doutor João Machado”. Este, sim, enfrentou chuvas e trovoadas, e somente se licenciou em definitivo em 1991. Surgiu em 1941 numa fusão com o Centro Esportivo Natalense. A maior proeza do Atlético foi ganhar um Torneio Início, ou então muito raramente protagonizar alguma “zebra”. Nos últimos anos, era formado basicamente por veteranos saídos dos três grandes da capital. Areia Branca EC foi outro que “tirou o time”, após algumas entradas e saídas sem maior sucesso técnico.

CRUZEIRO

Baixa Verde FC foi um dos primeiros clubes filiados à finada Liga Norte-Riograndense de Desportos. O pior é que ninguém sabe se era um clube da cidade que lhe deu o nome, ou apenas uma simples homenagem aos baixaverdenses. Na federação, não há nem sombra da sua passagem. Se houve inscrição de alguns jogadores, o tempo devorou qualquer “relíquia”. Na sequência, veio o Caicó EC, rival do Corinthians, entrou em 1994 e saiu em 96, sem deixar qualquer marca histórica, ou algum feito esportivo. Dizem que faltou gestão, já que o rubro-negro do Seridó possuía um belo patrimônio. Seu patrono é o advogado Revil Alves.

Fechando a sequência alfabética, é a vez da Desportiva do Vale (de Ipanguaçu), que chegou à FNF graças ao empenho do exprefeito José de Deus Barbosa, de grande prestígio na região. Fez tudo pelo clube, mas não resistiu, sozinho, e “tirou o time”. A maior façanha da equipe do Vale foi estragar a festa do título de 95, do ABC, em pleno Machadão. Se ganhasse do Alvinegro com diferença de dois gols ou mais, seria a campeã, mas o placar ficou no 1x0a seu favor, um gol do goleador Zé Ivaldo. Costumava-se dizer que a Desportiva havia colocado agua no chope do ABC. Vibrando com o feito do seu time, Zé de Deus ofereceu uma festa aos seus jogadores. No próximo domingo, a coluna conclui o “alfabeto”.

Atlético-MG e São Paulo estão entre os clubes brasileiros que mais investiram para esta temporada, mas uma série de problemas jogou ambos para a crise. Agora, Vanderlei Luxemburgo e Sérgio Baresi lutam pela calmaria. Os dois clubes venceram na rodada passada, mas só poderão realmente entrar em uma fase de tranquilidade em caso de um triunfo hoje, às 18h30, no Ipatingão, na rodada de encerramento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. “A vitória diminuiu um pouco o grau de ansiedade, mas domingo já teremos o Atlético, que está em situação muito difícil também. Vai ser pedreira”, avaliou o técnico Sérgio Baresi. Do outro lado, o Atlético-MG quer literalmente deixar para trás

o primeiro turno e começar do zero a segunda etapa da competição, Afinal, motivos para isso o Galo tem de sobra. Com 17 pontos, o time passou a maior do tempo na incômoda zona de rebaixamento. Das 18 partidas disputadas, o alvinegro perdeu 11 (mesmo número de derrotas do lanterna Goiás) e sua defesa é a segunda pior do Brasileirão, tendo levado 31 gols. Contudo, a vitória por 3 a 1 sobre o Goiás deu novo alento ao Atlético-MG e os alvinegros esperam superar o São Paulo, para tentar encerrar o turno fora da zona de rebaixamento. Insatisfeita com o time, a apaixonada torcida atleticana já garantiu o seu apoio no jogo de despedida no Vale do Aço, já que os demais compromissos serão na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. LUIZ PIRES/VIPCOMM

PALMEIRAS

Alfabeto (5)

Clubes querem vitória para deixar a crise para trás

FICHA TÉCNICA

ALFABETO (3)

Alfabeto (4)

Luiz Felipe Scolari espera que seu time conquiste mais uma vitória para se aproximar dos líderes

Marcos;Maurício Ramos,Danilo e Fabrício;Márcio Araújo,Pierre, Edinho,Marcos Assunção e Rivaldo; Valdívia e Kleber Técnico: Luiz Felipe Scolari

Fábio;Jonathan,Gil, Edcarlos e Diego Renan;Fabrício, Marquinhos Paraná,Henrique e Montillo; Wellington Paulista e Thiago Ribeiro Técnico:Cuca

Estádio: Pacaembu, em São Paulo (SP) Horário: 16h Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR) Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Rodrigo Pereira Joia (RJ)

Dagoberto pode ser titular, na partida contra os mineiros

RESSACADA

ATLÉTICO/PR DESAFIA AVAÍ Em ascensão no Campeonato Brasileiro, aproveitando os quatro jogos sem derrota e uma boa combinação de resultados nas últimas rodadas, o Atlético Paranaense quer se aproximar agora dos líderes da competição. Para isso, terá que melhorar sua campanha fora de casa, já que hoje, às 16h, enfrenta o Avaí, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis. Com todo o time a disposição, sem lesões ou suspensões o técnico Paulo César Carpegiani poderá repetir a mesma escalação, mas a tendência é por optar pela formação que atuou no segundo tempo. SERRA DOURADA

ATLÉTICO/GO QUER RETOMAR BOA FASE A reação do Atlético Goianiense no Campeonato Brasileiro acabou sendo interrompida na última quinta-feira, na derrota por 2 a 1 para o São Paulo, no estádio do Morumbi. Depois de deixar a lanterna, a equipe do Cerrado terá a oportunidade de retomar o embalo neste domingo. A partir das 18h30, o time comandado por René Simões recebe o Vitória, no estádio Serra Dourada, com a possibilidade de se aproximar da saída da zona de rebaixamento. Nos últimos quatro confrontos disputados pela Série A, o Atlético somou três sem sofrer derrotas.

Alecrinenes no “Rei Pelé” Um ônibus lotado e várias vans e automóveis estão no rumo de Maceió onde, logo mais, 16h o Alecrim enfrenta o Clube de Regatas Brasil (CRB) pela primeira fase da Sé-

rie “C” do Campeonato Brasileiro. Para tristeza da torcida alecrinense, nenhuma emissora do RN se propôs cobrir essa partida. A Rádio Globo/Natal fará a cobertura.

CONSELHO RUBRO SE REÚNE Está confirmada para este dia oito a reunião extraordinária do Conselho Deliberativo do América FC, sob a presidência de José de Vasconcelos Rocha.

autos &

motores

TODAS AS SEXTAS NA TRIBUNA DO NORTE


esportes 6 | Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 05 de setembro de 2010

Equipe carioca foi derrotada na última rodada e vê zona de rebaixamento se aproximar. Técnico Silas vai poder contar com a estreia do atacante Deivid para tentar voltar a vencer. No Alvinegro paulista, Neymar está fora [ BRASILEIRO - SÉRIE A ]

Fla tenta reação contra o Santos MÁRCIA FEITOSA/VIPCOMM

WALLACE TEXEIRA

O

Santos tenta confirmar diante do Flamengo, hoje, às 16h, no que deve ser o último jogo do Maracanã, a sua boa fase no Campeonato Brasileiro. A novidade do lado do rubronegro poderá ser a estreia do atacante Deivid, recém-contratado, que terá a responsabilidade de acabar com a má fase do ataque. Já os paulistas, que vêm de uma sequência de quatro vitórias seguidas, tenta dar prosseguimento na sua caça aos líderes do Brasileirão, mesmo sem poder contar com um dos seus principais jogadores: o atacante Neymar. O jovem craque santista recebeu o terceiro cartão amarelo na vitória sobre o Avaí, na última quinta-feira, na Vila Belmiro, e por conta disso, não poderá estar à disposição do técnico Dorival Júnior para esse confronto. Sem o seu principal destaque, tendo em vista que o meia Paulo Henrique rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo e ficará seis meses longe do futebol, o treinador alvinegro espera montar um time forte para o duelo contra o Rubro-Negro. Dorival deve escalar o meia Zezinho na vaga de Neymar, alterado o esquema tático do Santos do 4-3-3 para o 4-44. O volante Rodriguinho, recuperado de uma contusão na coxa esquerda, volta a ser titular na vaga de Danilo. Léo, que cumpriu suspensão automática ante os catarinenses, está liberado e irá retomar a titularidade na lateral esquerda.

Inter quer fechar turno,com vitória contra Prudente

O atacante Deivid faz sua estreia no Flamengo e se diz pronto

Deco espera estar melhor adapatado já na partida de hoje à tarde

Do lado do Flamengo, o técnico Silas comandará a equipe pela primeira vez em casa. Para isso, ele deverá contar com o atacante Deivid desde o início. O jogador está confiante para poder estrear com a camisa rubro-negra no Maracanã. No entanto, ele lamenta que só poderá fazer isso uma vez por conta do fechamento do estádio. “Queria jogar mais no Maracanã, mas tive o privilégio de jogar uma final contra o Fla no Maracanã, pelo Cruzeiro e estar lá dentro é diferente. Queria jogar mais, mas vai ser bom. Vou tirar o melhor proveito para guardar para os meus filhos”, disse.

Fluminense quer reencontrar a vitória contra o Guarani

FICHA TÉCNICA FLAMENGO SANTOS Marcelo Lomba, Leonardo Moura, Welinton (David), Ronaldo Angelim e Juan;Corrêa,Willians, Renato Abreu e Petkovic;Diogo (Diego Maurício) e Deivid Técnico:Silas

Rafael;Pará,Edu Dracena,Durval e Léo;Arouca, Rodriguinho, Zezinho e Marquinhos;Zé Eduardo e Keirrison Técnico: Dorival Júnior

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro/RJ Horário: 16h Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS) Assistentes: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Tiago Gomes Brigido (CE)

Sem vencer há dois jogos, tendo empatado com São Paulo e Palmeiras dentro de casa, o Fluminense ligou o sinal de alerta e espera reencontrar o caminho das vitórias hoje, às 16h, quando encara o Guarani, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP), pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. O Tricolor carioca segue na liderança com 38 pontos, mas já viu cair para quatro pontos a diferença para

o segundo colocado Corinthians, que tem um jogo a menos. O Bugre, com 23 pontos, tenta reagir após derrota de 1 a 0 para o Grêmio. Muricy Ranalho, técnico do Fluminense, vem procurando minimizar os últimos resultados do Tricolor para não aumentar a pressão sobre o elenco. “Mesmo quando estávamos em mais vantagem na liderança sempre coloquei que o Brasileiro é muito difícil”, disse Muricy.

Domingo é dia de Gre-Nal no Beira-Rio. Porém, o Internacional, campeão da América e candidato ao título nacional, não jogará contra o Grêmio Porto-Alegrense, seu grande rival, mas sim contra o Grêmio Prudente, que vem à capital gaúcha precisando de um resultado que o tire da zona de rebaixamento. A partida começará às 18h30. Quinto colocado, com 28 pontos, o Internacional busca um placar que torne o empate obtido em Salvador, diante do Vitória, um bom resultado. O zagueiro Bolívar, que está de volta após cumprir suspensão, dá a receita: “Se empatarmos fora e ganharmos no Beira-Rio, fica bom para nós. Mas precisamos confirmar uma vitória no domingo”, projeta o capitão. O Inter não cogita outro resultado que não seja o de três pontos, para seguir na caça ao líder Fluminense, hoje oito pontos à frente, que já disputou um jogo a mais que o time gaúcho. A única dúvida do técnico Celso Roth para o confronto de domingo é o volante Guiñazu. O jogador não atua desde o último dia 18, na segunda partida da final da Libertadores.


revista da tv A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 05 de setembro de 2010

Mais recente sócio do Canal Brasil, André Saddy fala do compromisso da emissora com a subversão e com a ampliação de seu público. [ PÁGINA 3 ]

Humberto Carrão, Guilherme Winter e Alexandre Slaviero fazem parte da safra de jovens galãs que encanta o público de “Ti-ti-ti”. [ PÁGINA 12 ]

JOGO DE CENA FERNANDA MONTENEGRO E MARIANA XIMENES VIVEM UM ENCONTRO DE GERAÇÕES EM ‘PASSIONE’ [ PÁGINA 6 ]

Depois de um tempão loura para “Bela, a feia”, a atriz[Carla PÁGINA 5 ] Regina voltou a escurecer os cabelos. [ PÁGINA 5 ]


Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 05 de setembro de 2010

TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

Pedro e Catarina se desentendem. Fred mente para Roberto e diz que nunca mais sentiu dores de cabeça. Inspetor Moraes avisa a Fausto que tomará uma providência quanto ao caso de seu filho. Catarina considera a ideia de Babi para tentar convencer Pedro a deixá-la ser a organizadora das festas. Theo aparece no Botecão e leva um fora de Lorelai. Josiane procura Maicon no clube, mas ele a deixa sozinha para falar com Babi. Lúcio diz que já sabe o que fazer para afastar Theo e o irmão do colégio.

Catarina e Pedro ficam deslumbrados com o salão da caldeira e conversam sobre as melhorias necessárias. Theo fica apavorado com as ameaças feitas pelo Inspetor Moraes. Catarina é assaltada e Pedro a ajuda. Roberto cumprimenta Maicon, enquanto Laura, sua filha, o destrata. Catarina acusa Pedro de pegar a autorização em sua mochila e ele fica furioso. Pedro, Theo e Ângela ficam revoltados ao ver que o muro do Primeira Opção foi pichado com ofensas a eles. Pedro acusa Catarina de ser a autora.

Catarina fica indignada com a acusação de Pedro. Babi implica com Maicon quando ele se aproxima para pintar o muro. Catarina tenta falar com Pedro, mas é impedida por Eric. Seu Pintinho reclama por Dodói ter quebrado um antigo vaso. Dona Zica repreende Josiane ao encontrála vigiando Maicon. Pedro se aproxima de Catarina, e a menina se desculpa por tê-lo acusado de mexer em sua mochila. Lúcio fala para Fred que Júlia e Arthur estão namorando. Hélio conta para Pedro que Catarina irá conversar com ele.

Pedro tira satisfações com Catarina e se irrita quando ela diz que o DJ trabalhará para ela. Fred vê Júlia se aproximar de Arthur e fica furioso. Ângela afirma a Pedro que não irá ajudá-lo com as festas se ele aceitar trabalhar com Catarina. Juvenal entra na casa de Pedro com um possível comprador e deixa a família constrangida. Eric pede para voltar a namorar Catarina. Pedro mostra o salão da caldeira para Geraldo. Catarina chega com Eric e o apresenta como seu namorado, deixando Pedro incomodado.

Antônia se desespera com sua visão e Vicente e Ricardo tentam acalmá-la. Antônia comenta o que viu com José e teme pela vida de Vitória/Viviane. Vicente mostra para Ricardo o bilhete de Daniel que Madame Gilda psicografou. Antônia conversa com Vitória/Viviane sobre sua visão e afirma que vai contar para Madame Gilda o que aconteceu. Viviane diz a Jofre que vai contar a verdade para Ricardo e tenta convencê-lo a fugir. Gilmar leva Viviane para conhecer Velho.

Fernanda avisa a Sofia que Vicente fará o procedimento de Vitória/Viviane. Judite briga com Guilherme e finge estar passando mal. Miguel chama Zenilda para o cinema. Jane acompanha o início do procedimento de Vitória/Viviane. Dalva beija Mateus na frente de todos no bar. Jardel sorri ao ver Dalva com Mateus. Jardel leva presentes para Clara e sugere que Dalva conte a verdade para a filha sobre sua identidade. Daniel aparece no quarto de Viviane depois que Ricardo sai.

Vitória/Viviane conversa com Daniel, acalmando seu espírito. Ricardo agradece Jane por ter feito todo o procedimento de Vitória/Viviane Judite pede para Yasmin confirmar sua história sobre a perda do bebê, mas ela nega. Gilmar entrega Fernanda para Velho. Dalva expulsa Jardel e teme por Clara. Manoel se encanta por Berenice. Judite chega em casa passando mal e Tadeu diz a Guilherme que a mãe perdeu o bebê. Vitória/Viviane vê o retrato de Valentina e questiona Ricardo.

Guilherme conforta Tadeu, que se sente culpado pelo aborto da mãe. Vitória/Viviane e Ricardo se beijam e Daniel chora. Gilmar pede Leninha em casamento e sua mãe lhe dá o anel que ganhou de Velho. Mauro descobre que conseguiu a bolsa de estudos na escola de balé internacional. Guilherme chama Jane para examinar Judite, mas ela deixa os médicos constrangidos. Ricardo avisa a Vitória/Viviane que tudo ocorreu bem com o procedimento de fecundação.

Vitória/Viviane e Ricardo comemoram o resultado positivo da fertilização. Jofre conforta Viviane, que sofre por estar enganando Ricardo. Beatriz e Sofia acordam assustadas com a confusão na casa de Magali. Gilmar é agressivo ao falar com Viviane, que procura manter a calma. Jane sofre ao ver Vitória/Viviane com Ricardo e Virgínia a conforta. Viviane é sedada e Athael guia Vicente durante a implantação embrionária. Daniel se emociona ao lado de Viviane.

Gustavo estranha a falta de interesse de Edgar pelo casamento. Cecília comenta com Dr. Queiroz que tem um filho e que o deixou com sua irmã. Luti pede a Suzana que não atrapalhe a carreira de Victor Valentim. Jacques Leclair recebe Luíza Brunet em seu ateliê. Ariclenes e Chico se disfarçam para despistar Mário Fofoca. Camila experimenta seu vestido de noiva e fica encantada. Luíza Brunet chega ao ateliê de Victor Valentim. Edgar afirma para Luisa que está apaixonado por Marcela.

Luisa fica chocada com a revelação de Edgar, mas ele diz que é brincadeira. Julinho incentiva Marcela a lutar por Edgar. Victor mostra um de seus modelos a Luíza Brunet e ela decide fazer seu vestido com ele. Ariclenes e Chico se disfarçam para sair do prédio, mas Jaqueline segue os dois. Clotilde convence Luíza Brunet a ficar com o vestido de Jacques. Edgar diz a Marcela que desistiria de se casar com Camila por ela. Clotilde se insinua para Jacques e os dois se beijam.

Marcela sugere a Edgar que eles sejam apenas amigos. Armandinho não convence Desirée a ficar na vila. Lourdes avisa a Ariclenes que seu contratante está cobrando o retorno do investimento. Desirée chega ao novo apartamento e é recebida por Dorinha. Cecília fala de seu passado para Ariclenes. Ariclenes fica furioso ao descobrir que Luíza Brunet desistiu de fazer o vestido com ele. Edgar leva Marcela na agência. Jaqueline exige que Jacques lhe peça em casamento. Luisa flagra Edgar e Marcela juntos.

Jacques diz que não pode se casar com Jaqueline por causa dos filhos e ela ameaça abandoná-lo. Fabinho se insinua para Gabriela e Luti não liga. Jaqueline é reconhecida por um fã de sua antiga banda e canta no bar. Ariclenes pede ajuda a Suzana para fazer um desfile para apresentar a coleção de Victor Valentim. Jaqueline descobre que Breno armou contra Rebeca. Edgar comunica a Luisa que quer se desligar da agência. Clotilde liga para Victor Valentim e consegue colocá-lo para falar com Adriano.

Adriano entrevista Victor Valentim e se surpreende com os elogios do espanhol a Jacques Leclair. Luti ironiza Valquíria e os dois discutem. Edgar conta para Bruna e Marcela que decidiu investir em sua carreira de fotógrafo. Ariclenes arma um plano para se livrar de Mário Fofoca. Gabriela cuida dos machucados de Luti e pergunta se ele está gostando de Valquíria. Luisa se irrita ao saber que Edgar levou Marcela à sessão de fotos da Moda Brasil e procura Gustavo.

Clara não consegue fugir e Kelly se desespera ao ver a irmã ser levada pelos policiais. Totó vai para a delegacia ao saber que Clara foi presa. Adamo se decepciona com Francesca e sai de casa. Totó diz a Bete que quer pagar um advogado para tirar Clara da cadeia. Melina invade o apartamento de Diana. Gerson remarca sua consulta com o psiquiatra. Melina ameaça Mauro e Diana. Clara se admira ao saber que Totó pagou os honorários de seu advogado. Totó visita Clara na cadeia.

Clara suplica para que Totó a tire da cadeia. Gemma incentiva Agostina a pedir explicações para Berilo sobre o falso documento antes de eles viajarem. Clara, em seu depoimento, nega seu envolvimento com o roubo das joias e afirma que tentou fugir do país por medo de Bete. Agnello pensa em Stela. Jéssica sai do quarto para ver Olavinho e Berilo aproveita para fugir. Melina, Saulo e Bete ficam perplexos ao ver que Fred é o representante dos acionistas da metalúrgica.

Fred demonstra ter grande parte das ações da metalúrgica e Saulo fica a seu favor. Totó entra na sala de reuniões, surpreendendo a todos os presentes. Bete reassume a presidência da metalúrgica. Fred invade a sala de Bete e Totó o expulsa sem piedade. Totó diz a Bete que não vai mais se deixar enganar por Clara. Gerson expulsa Mauro de sua casa e Melina fica arrasada. Melina afirma a Bete que vai se vingar de todos. Danilo visita Clara na cadeia. Melina procura Fred.

Melina conta para Fred que foi humilhada por toda a sua família. Fred aceita a proposta de Melina. Totó avisa a sua mãe que vai voltar para a Itália. Jéssica encontra o passaporte de Berilo e fica furiosa ao concluir que ele não viajou para a Itália. Fred se reúne com os acionistas da metalúrgica e os convence a continuarem a seu lado. Antero fica angustiado por não ter contado para Gemma sua verdadeira identidade. Clara é solta, mas não sabe para onde ir. Clara procura Totó.

Totó tem uma conversa séria com Clara. Os mafiosos ameaçam Adamo para que ele desminta para o jornal que a máfia colocou fogo no sítio. Berilo paga a conta do restaurante onde está com Agostina com cartão de crédito. Jéssica descobre onde Berilo está e Clô decide acalmá-la. Clara volta para a pensão de Valentina. Diana consegue o emprego na metalúrgica. Bete empossa Mauro como presidente. Agostina e Jéssica se encontram e descobrem que ambas são casadas com Berilo.

Ellen conta a Guilherme que não amava mais Sílvio e que está gostando de Newton. Arminda liga para a casa de Joca no meio da noite. A executiva fala para o detetive que precisa falar com ele com urgência. Joca entra no solar sem ser visto e Arminda vai com ele para seu quarto. Teixeira bate no quarto de Arminda e Joca se esconde. Joca e Arminda acabam transando. Ao amanhecer, Arminda expulsa Joca do solar. Joca chega em casa cantarolando, feliz da vida.

Elza diz a Arminda que a camareira encontrou um caderninho no armário dela. Arminda explica a Filó que ela e o pai precisam estar a par das decisões que vão ser tomadas a partir de agora. Newton fica feliz ao ver Ellen na cadeia. Iara pergunta a Virgílio o que Nicolau tem a ver com a armação dele. Virgílio hesita, mas revela que o senador quer comprar as terras e a pousada de Tito, por isso provocou o acidente. Ellen e Newton se declaram um para o outro.

Beatriz, Nicolau, Tito e Clorís são convidados para a reunião no solar. Querêncio diz a Marisa que faz questão que ela vá à reunião. Filomena conta a Ellen que é neta de Madame Durrel. Teixeira diz a Bruno e Célia que Madame Durrel deixou um documento nomeando Arminda como sua substituta na presidência das empresas. O advogado confessa ao casal que quer destruir o documento. Teixeira queima o documento e brinda com Bruno e Célia. Tito busca Karina para ir à reunião.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

SEGUNDA

SÁBADO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

MALHAÇÃO ID Hélio sugere que Catarina converse com Pedro e acerte a produção das festas no salão da caldeira. Arthur aconselha Júlia a contar sobre sua gravidez para Antônio. Fausto reclama por Fred ter perdoado Theo e ele sente dor de cabeça. Seu Pintinho se irrita com o barulho e resolve acabar com a festa na república. Catarina comenta sobre as festas e Cláudia se preocupa. Fred lembra do que aconteceu minutos antes de seu acidente e fica angustiado. Catarina revela a Pedro que vai organizar as festas no clube.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

ESCRITO NAS ESTRELAS Vicente descobre a farsa de Sofia. Tadeu destrata Mariana. Breno, Suely e Luciana encontram Marcelo Estrada. Marcelo flerta com Luciana, enquanto Breno observa os dois. Gilmar conta para Magali que pedirá a mão de Leninha em casamento. Daniel se recusa a ir com Athael e Francisca e afirma que vai tentar conquistar Viviane. Ricardo pede Vitória/Viviane em casamento e Daniel fica inconformado. Antônia passa mal ao ver uma sombra envolvendo Vitória/Viviane.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

TI-TI-TI Bruna estranha a hostilidade entre Luisa e Marcela. Chico e Ariclenes se divertem com o artigo de Beatrice M. que critica Jacques Leclair. Camila desabafa com as amigas sobre a mudança de Edgar. Stéfany afirma querer se casar com Armandinho e deixa Desirée arrasada. Amanda aconselha Desirée a se concentrar em sua carreira de modelo. Wagner contrata Thaísa para trabalhar na Lugar Models. Luíza Brunet marca com Victor Valentim e Jacques Leclair. Edgar se comove ao falar de Osmar e beija Marcela.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

PASSIONE Clara escapa e se esconde ao ver a polícia. Melina afirma a Bete que não vai deixar Mauro em paz. Mauro e Diana combinam de morar juntos. Gerson fica nervoso ao voltar para casa e ver que sua esposa foi embora. Francesca conta para Adamo que Clara a convenceu de procurá-lo. Kelly encontra com a irmã no aeroporto e a vilã compra uma passagem para fora do país. Kelly se despede de Clara, mas é surpreendida por Valentina, que leva os policiais ao encontro da neta.

RIBEIRÃO DO TEMPO

TV Tropical – Canal 8

2

Arminda fala para Querêncio e Filomena que eles devem esconder o máximo de tempo possível que são filho e neta de Eleonora. Nicolau pergunta a Arminda se ela se sente preparada para substituir Eleonora. Arminda fica tensa. Flores consegue entrar no quarto de Eleonora. O professor injeta uma seringa no tubo de soro de Madame Durrel, que morre. Arminda conta a verdade a Bruno e Célia sobre o filho de Madame Durrel. A executiva conta a Filomena que Eleonora morreu.

Arminda revela a Joca que Madame Durrel deixou um filho. Lincon mostra a seus funcionários a manchete da Folha da Corredeira: “Será que Madame Durrel deixou um filho em Ribeirão?”. Célia revela a Karina que Querêncio é o herdeiro da fortuna de Madame Durrel. Flores diz a Nicolau que ele deve propor casamento a Arminda o quanto antes. Arminda diz a Teixeira e a Bruno que acha que eles devem comunicar a todos da cidade que Querêncio é herdeiro de Madame Durrel.


revista da tv

Domingo | 05 de setembro de 2010

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 3

CONTRA A MARÉ CLARISSA FRAJDENRAJCH

esde julho passado, André Saddy, de 37 anos, se tornou o oitavo sócio do Grupo Consórcio Brasil. Formada por Luiz Carlos Barreto, Zelito Vianna, Marco Altberg, Roberto Farias, Anibal Massaini Neto, Patrick Siaretta e Paulo Mendonça, essa turma divide com a Globosat — numa sociedade de meio a meio — a responsabilidade sobre o Canal Brasil. Mas a ligação de Saddy com a emissora já vem de muito tempo. Com mais precisão, há 11 anos e seis meses — no dia 18 de setembro, o canal completa 12 anos — ele ocupa o cargo de gerente de marketing e projetos. — Pensei muito pouco quando recebi o convite. Eu já sei como o canal funciona, o seu potencial e as suas limitações. Entrei no grupo como um investimento e por uma vontade do Barreto de me ter mais perto — diz. Sua história e a do produtor de cinema, no entanto, é anterior ao Canal Brasil. Paulista, criado em Cuiabá, Saddy fez faculdade de Administração de Empresas, mas logo foi perdendo interesse pelo assunto. Ainda estudante, abria mão de algumas aulas para pegar um cineminha no meio da tarde, com a sala de exibição praticamente vazia. Já formado, nos anos 1990, contou o desejo de trabalhar com cinema para um amigo, que o colocou no telefone com Barreto. Da primeira conversa até a entrevista para estágio só demoraram dois dias. — Normalmente, quem entra para trabalhar com produção de cinema um dia quer ser diretor. Eu só queria produzir, pensar em projetos e viabilizar os filmes. E calhou de eu chegar na hora certa, com a Lei do Audiovisual nascendo, uma época boa para se trabalhar com cinema. Eu tive a sorte de cair ao lado do Barreto. Houve um encantamento mútuo. Eu me tornei o seu aprendiz e, três anos depois, já era supervisor comercial dos filmes — resume Saddy, que foi levado por seu mestre para o Canal Brasil. — Vim desconfiado. Pensei que não ia passar de três anos, mas me encantei porque na TV tudo é mais dinâmico. O projeto é pensado e, dois meses depois, está no ar. Na emissora, o agora mais novo sócio segue uma filosofia de trabalho: andar na contramão. Em nome de uma programação 100% nacional e diferenciada,

D

a palavra de ordem é transgredir: O que baliza um pouco o nosso olhar é o que não cabe em outros canais. Isso tem nos trazido resultados ótimos. Um exemplo é o (Paulo César) Pereio. Existe uma resistência imensa em torno dele e nunca tivemos problema nenhum. Seu programa (“Sem frescura”) já está no sétimo ano de exibição. A mesma coisa com o “Larica total”. Quando você o vê pronto, acha que é engraçado. Só que, quando chegou para a gente, era só um projeto de uma molecada, no qual um maluco ia sacanear os programas de culinária e fazer um prato com o que tivesse na geladeira. Quantos canais podem fazer isso? — questiona Saddy. O que pode parecer uma jogada um tanto arriscada para a programação de uma TV mais conservadora se transformou no foco da emissora: Só temos a ganhar quando abrimos espaço para isso. Tem muita gente boa produzindo, muitas ideias originais e sentimos que os canais acabam se fechando um pou-

participação tão efetiva nos rumos do conteúdo como ele tem aqui. Numa breve comparação com o passado, Saddy lembra quando o canal ainda engatinhava e tinha a programação totalmente voltada ao cinema brasileiro. Mas se resumir a isso os tornava pouco competitivos: A gente dependia da produção audiovisual do país, que vem crescendo, melhorando muito, mas apostar todas as fichas nisso limitava muito o canal. Em 2004, com a entrada do Paulo Mendonça na diretoria (ele é diretor geral), abrimos o horizonte para a cultura brasileira. Assim, trouxemos personalidades para a programação, o que agregou mais valor à marca. Deixamos de ter cara de canal de acervo. Segundo ele, audiência é um fator que preocupa, mas não é o balizador principal do canal. — É importante que seja cada vez mais visto, mas trabalhamos com algumas limitações. Uma delas é o fato de fazer parte de um dos

NOVO SÓCIO DO CANAL BRASIL, ANDRÉ SADDY ASSUME A POLÍTICA DE RISCO DA EMISSORA, QUE TEM COMO PALAVRA DE ORDEM TRANSGREDIR co em um modelo de produção mais tradicional, com a cara parecida. Nós nos permitimos arriscar — diz ele, que sabe que nisso também está embutido o fato de ter que lidar com uma parcela de erro: — A gente tem o direito de errar na nossa linha de conduta. Mas toma muito cuidado para não errar tentando fazer parecido com o que os outros fazem. E até nisso as pessoas reconhecem a originalidade do canal, que passa a ter uma personalidade. Saddy conta que pelo menos duas ideias novas de programa chegam até ele por semana. Hoje, essas atrações representam 25% da programação, enquanto os filmes ocupam 75% : A gente recebe muito projeto e sabe logo qual vai se encaixar perfeitamente. É uma questão de estilo. Tem que existir um olhar inteligente e inédito sobre o que está sendo dito e vontade de trabalhar com esse exercício de liberdade para o canal. O Lázaro (Ramos), por exemplo, sabe que só aqui vai poder produzir o “Espelho” do jeito que ele pensa. Não vai conseguir emplacar esse projeto em outro canal ou ter uma

pacotes mais caros da TV por assinatura. É uma eterna briga. Achamos que, com o nosso conteúdo, obrigatoriamente deveríamos estar em pacotes mais acessíveis. E é até engraçado quando ouço que existe uma procura pela valorização do conteúdo nacional, com canais de filmes dublados sendo lançados toda hora. Brincamos, dizendo que nós somos 100% dublados há muito tempo. Nossa grande batalha hoje é popularizar o canal. Enquanto não vence essa barreira, Saddy sabe que não tem como disputar audiência com emissoras que estão em pacotes que têm o dobro de assinantes: Eventualmente, a gente faz uma degustação do canal em parceria com as operadoras. Quando acontece, é um estouro a audiência (de acordo com dados do Ibope, durante a abertura do sinal em abril passado, houve um crescimento de 20% na audiência, comparado aos três primeiros meses do ano). Prova de que existe de fato uma demanda reprimida para isso, o que nos deixa mais ansiosos para falar para esse público maior.


4

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 05 de setembro de 2010

‘EM CASA, SOU APENAS EDIE’ AP

PROTAGONISTA DE ‘NURSE JACLIE’LEVA O EMMY E DIZ QUE TV TEM MAIS PAPÉIS INTERESSANTES QUE O CINEMAA TATIANA CONTREIRAS

o palco da 62 edição do Emmy, que premia os melhores da televisão americana, Edie Falco não se conteve. “Eu não sou engraçada!”, exclamou, depois de levar a estatueta de melhor atriz em série de comédia por “Nurse Jackie”. Mas Edie, nascida Edith, 47 anos, acabou cativando o público na pele da enfermeira viciada em remédios. Bem diferente de Carmela, personagem que já havia rendido à atriz fãs e outros três Emmys por “Família Soprano”. — Minha experiência mostra que os papéis que acho mais interessantes estão na televisão. O tipo de coisa que me oferecem nos cinemas é estereotipada demais, fico com a impressão de que já vi e ouvi tudo antes — diz Edie, por telefone, à Revista da TV, contando que não

N

se preocupa com a transição de um personagem forte para outro semelhante. — O que eu aprendi é que se eu acredito, o público acredita. Se eu me dedicar 100% a um papel, não preciso me preocupar: o público normalmente me acompanha. Aqui, “Nurse Jackie” está na segunda temporada, no Universal Channel (domingo, às 21h). Nos EUA, a terceira leva de episódios estreia em fevereiro. Enquanto isso, já que o cinema não a atrai, tenta cuidar de outro papel: o de mãe de Anderson e Macy. — Quando chego em casa, depois de um dia de gravação, sou apenas Edie, sou só “mamãe”. Mas as crianças sempre vão ao set comigo quando não estão na escola. Lá tem comida, tem doce, tem cupcakes... Sou uma mãe que trabalha, e sou sortuda porque ainda tenho muitos amigos da minha idade que não têm dinheiro para viver.

Edie Falco: premiada na noite do Emmy

ANA BRANCO

PAPO FASHION CLARA TIEZZI,A ANTENADA MABI DE ‘TI-TI-TI,’ TROCA IMPRESSÕES SOBRE O MUNDO DA MODA COM DUAS BLOGUEIRAS DA VIDA REAL nquanto a Mabi, a blogueira que assina com o codinome Beatrice M. em “Ti-ti-ti”, é marra pura, sua intérprete, a atriz Clara Tiezzi, de 11 anos, é uma figurinha fofa. Durante um papo com as blogueiras profissionais Clara Lemos, do site Modices, e Fernanda Alves, do So Shopaholic, a pré-adolescente deixa as moças, ambas de 25 anos, encantadas com suas risadas divertidas e com a paixão que nutre por laços e sapatos. — Nossa, mas ela é tão pequenininha — exalta Fernanda, ao ser apresentada para a atriz de 1,51 metro de altura e 35 quilos, em uma livraria. — Você é a terceira pessoa que me diz isso hoje — rebate Clara, enquanto dava golinhos em seu cappuccino. A atriz explica que os posts de Beatrice M. no blog — que faz parte do site da novela das sete — não pouparão nem as criações do pai de Mabi, o estilista Jacques Leclair

E

(Alexandre Borges), muito menos Victor Valentim (Murilo Benício). — Ah, você vai gongar geral — imagina Carla. — Oi? — Clara não entende a gíria da moda. — Gongar é criticar, falar mal do look dos outros. Bem Mabi mesmo — brinca a blogueira. Carla e Fernanda percebem que Mabi é inspirada na blogueira americana Tavi Gevinson, aquela que virou ícone fashion aos 13 anos. Inclusive no visual. — Total! Eu tinha o maior cabelão castanho, tive que cortar desse jeito e pintar. Pintar foi a melhor parte — conta a menina, observada de longe pela mãe, a advogada Vanessa Tiezzi. Nascida em Brasília, Clara começou a carreira de atriz no teatrinho da escola aos 4 anos, quando se mudou com a família para Niterói. Seu debute na telinha foi em 2006, no infantil “Teca na TV”, do Canal Futura, como a protagonista da terceira temporada. Nessa época, a moda já era uma de suas

Clara (à esquerda) com Carla Lemos e Fernanda Alves:‘gongando’geral

paixões. — Sempre gostei de fazer minha próprias roupas e, com a Mabi, descobri mais formas de customizar — conta, orgulhosa. E brincar de bonecas? As blogueiras lembram que, quando tinham 11 anos, o máximo que elas faziam era trocar as roupinhas da Barbie. — Eu também brinco de boneca, mas ninguém sabe. E também não tenho vergonha de dizer que tenho ver-

gonha de contar — ri Clara, que cursa o 5 ano e bate ponto no Projac uma, ou no máximo duas, vezes por semana. Após declarar que Humberto Carrão, o Luti, e Caio Castro, o Edgar, empatam no quesito beleza, Clara revela que ainda é “BV” (“boca virgem”). — Ainda não estou pronta. E não tenho pressa, um dia isso vai acontecer — diz [JOANA DALE ]


revista da tv

Para André Arteche,pelo Julinho de “Ti-ti-ti”, novela de Maria Adelaide Amaral dirigida por Jorge Fernando.O ator já tinha mostrado talento em “Caminho das Índias”como o Indra.Agora está arrasando de novo num personagem totalmente diferente.

10

Para “Tribunal na TV”, programa da Band com Marcelo Rezende,por tudo.As reconstituições são a coisa mais tosca do mundo,e Rezende parece se inspirar nelas para encarnar o apresentador canastrão.Olha para 80 câmeras ao mesmo tempo,no cenário que é uó.

0

DANÇA

Danielle Winits e o namorado,Jonatas Faro, foram passar um mês em Nova York.O casal viajou de férias,mas nem tanto: eles estão frequentando inúmeras aulas de canto e dança.

CRÍTICA

M

al terminou sua participação em “Malhação”e Olivia Torres,de 16 anos,retomou o ritmo das aulas de canto.A atriz,que recentemente se apresentou no Canecão com a banda WWW,dedica 50 minutos de seu dia,pelo menos duas vezes por semana, a exercícios vocais e de respiração,sob o comando de Monique Aragão.— Eu era bebê e já cantarolava no carrinho — diz Olivia,que faz aulas desde os 6.Foi graças a suas habilidades vocais que foi parar na TV:as primeiras participações foram cantando com o coral de Agnes Mosso, sua primeira professora.Olivia se prepara agora para a apresentação que fará em outubro,no Teatro do Leblon, no Rio.Ao lado de Herberth Azul e Edinho Queirós,ela cantará quatro músicas.Entre elas,uma composição sua: “Sem pressa”.

»FESTIVAL

“Olho da rua”, filme estrelado por Murilo Rosa, foi a única produção latino-americana entre os 24 selecionados para o Festival de Montréal.

»DATA

Zezé Motta estreia em outubro um show em comemoração aos seus 40 anos de carreira.

»NAS ONZE

No elenco de “Araguaia”e redatora de “Os caras de pau”, Suzana Pires vai lançar duas peças no ano que vem:“O cara”, sobre o universo masculino,já em fase de produção; e “Como conquistar um homem em sete dias”.

»DE VOLTA

Guilherme Leme vai fazer “Insensato coração”, a próxima novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares.

»LONGE DE

DIAMANTINA

No ar em “A cura”, Ana Rosa foi convidada por Walcyr Carrasco para voltar às novelas.

»NA TV PAGA

Bruna Di Tulio vai apresentar uma série de 40 episódios no canal Fox.

Depois de um tempão loura para “Bela,a feia”— parceria da Record com a Televisa —,a atriz Carla Regina voltou a escurecer os cabelos.Sem planos profissionais na televisão no momento, ela está de férias até ser convocada para uma nova novela na emissora.

10 0 10 0 10 0

SANDRA APARECIDA DE OLIVEIRA: Para Mariana Ximenes,em “Passione”. Gostaria que sua personagem,Clara,se apaixonasse pelo Totó (Tony Ramos). Para “Escrito nas estrelas”. Amo a novela das 18h,mas agora a trama está sem ritmo,arrastada.Elizabeth Jhin,volte a dar dinâmica à história. JÚLIO PÓVOAS DE ARRUDA MIRANDA: Para o “Roda viva”, com Marília Gabriela.Com novo formato,o programa ficou intimista e moderno. Para as reprises das novelas “Canavial de paixões”, no SBT, “Sinhá Moça”, nas tardes da Globo,e “Os mutantes”, na Record. HEYNER BEZERRA DA SILVA MÉLO: Para Tony Ramos,em “Passione”. Ele esteve excepcional quando descobriu as armações de Clara (Mariana Ximenes). Para a saída de Juliana Didone de “Passione”. Ela foi muito bem como a Lia e merecia entrar na briga por Agnello (Daniel de Oliveira) até o final da novela.

Mande as suas sugestões de nota dez e zero para o site www.globo.com.br/kogut,leia as sugestões dos outros leitores e discuta com eles se quiser.Todos os domingos serão publicadas três opiniões de internautas.

‘AMERICA’S NEXT TOP MODEL’

»TOUCHÉ!

Aos 14 anos,Larissa Biondo,a Michele de“Escrito nas estrelas”, posa para o site Ego (www.ego.globo.com),praticando esgrima.A atriz diz que por causa do esporte tornou-se uma pessoa mais concentrada. MARCOS SERRA LIMA

»FÉRIAS COM

» MORENA

ELIZABETE ANTUNES (INTERINA)

ANA BRANCO

CONTROLE REMOTO

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte GUSTAVO MENDES

Domingo | 05 de setembro de 2010

O episódio de estreia da 12 temporada de“America’s next top model”,no Sony,foi uma reunião de tudo aquilo que o programa tem de melhor.Ou de pior.Depende do grau de preconceito do freguês.Entendase por melhor (aqui o preconceito é nulo) a entrega irrestrita à,digamos, estética pop,e ao culto à personalidade de Tyra Banks. As 34 concorrentes chegaram ao hotel Caesar Palace de Las Vegas (não devem ter escolhido a cidade à toa) para a primeira sessão de fotos.Muitos gritinhos e suspiros depois,surgiu um grupo de,de...de quê mesmo? De rapazes vestidos de gladiadores romanos.A câmera foi para uma das participantes que, não reconhecendo os paramentos dos bravos legionários,exclamou: “Olha lá,uns caras fortes e malhados!”. Luzes se acendem. Uma vez instalado o ambiente dramático,eis que surgiu Tyra, vestida de...de...Deusa da Intensidade,segundo esclareceu a própria,seja lá isso o que for. Algumas meninas discordaram. Uma,depois de pensar muito no maior elogio que poderia fazer, derreteu-se:“Ela parece a Barbie!”. Outra:“Ela é uma entidade extraterrestre!”.E houve ainda quem quase desmaiasse.A maioria chorou.Te cuida,Rosa Magalhães. “America’s next top model”é assim mesmo:mais preocupado com o suor e lágrimas de agora do que propriamente com o futuro profissional das aspirantes a modelos. Aliás,a gente não ouve falar de nenhuma top que tenha surgido ali. Pensando bem,outros realities também funcionam assim,oferecem o prêmio no último dia e o que acontece antes disso é que importa.Ninguém se interessa em fazer um programa sobre o vencedor.Com toda razão.

5


6

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 05 de setembro de 2010

FERNANDA MONTENEGRO E MARIANA XIMENES VIVEM PAPÉIS INÉDITOS EM SUAS CARREIRAS E TROCAM EXPERIÊNCIAS NOS BASTIDORES

A ARTE DE SER ATRIZ CLARISSA FRAJDENRAJCH

ossa Senhora!”, diz Mariana Ximenes, respirando aliviada. “Difícil, né?”, resume Fernanda Montenegro. Era terça-feira, já passava da hora do almoço, e as duas atrizes, desde cedo no estúdio, tinham acabado de gravar um dos momentos mais aguardados de “Passione”, quando a milionária Bete Gouveia e a pistoleira Clara se

FOTOS DE MARCO ANTÔNIO TEIXEIRA

“N

enfrentam. Seguindo as linhas traçadas pelo autor, Silvio de Abreu, as duas atrizes, cara a cara, sem fazer uso de gestos exagerados ou aumentar o tom de suas vozes, protagonizaram um momento feliz do encontro de diferentes gerações da teledramaturgia. De um lado, Fernanda, aos 80 anos, uma das maiores atrizes do país e com o domínio de um veículo que conhece desde 1951, quando assinou seu primeiro contrato na extinta TV Tupi; de outro, Mariana, aos 29, e com 12 de carreira, segura e concentrada em sua estreia no papel de vilã. — Hoje, tive vontade de bater nela. Cheguei a dar uns socos na minha mão em cena — afirma Fernanda, com bom humor, ao fim da gravação na qual sua personagem qualificou Clara como “ordinária”, “imunda” e “vaca” e só não perdeu a linha porque precisa manter a pose de fina. Encarar uma cena densa como essa não é tarefa fácil nem para Fernanda. — O seu estado de criadora naquele instante não sai na urina. Desgasta mesmo. Você se exaure como um atleta, emocional e fisicamente — conta a intérprete de Bete, satisfeita por dividir o set com Mariana. — É uma atriz extremamente talentosa e estudiosa. Mariana não se poupa. Poucas vezes a gente vê numa jovem atriz tanta objetividade e vontade, e tanto esforço e trabalho para não ser superficial e linear — elogia. O empenho da jovem atriz é visível nos mínimos detalhes. Mariana é pé no chão, anda pelos bastidores de chinelinho de dedo — pelo conforto e para ser mais ágil — e só sobe no saltoalto para incorporar Clara. Para onde vai, carrega os diálogos de suas cenas encadernadas. As pontas das folhas, já amassadas e dobradas, indicam o quanto foram manuseadas e lidas. A atriz coloca a mão no rosto com vergonha quando alguém percebe como o texto também foi colorido — de amarelo, ela grifa suas falas e, de rosa, destaca as reações. — Significa que o meu roteiro tem vivência. Assim que o bloco chega, eu começo a estudar — conta Mariana, que pode até aproveitar um cantinho em branco do papel para tirar o excesso de batom. — É que eu não gosto muito... — sorri, ao ser flagrada. Tanto preparo não livra a atriz do frio na barriga na hora de encarar cenas fortes, cada vez mais comuns na trama das 21h: Honro muito o meu ofício. Preciso me sentir segura do texto e da personagem para ter um jogo gostoso com quem estou contracenando, como é o caso da Fernanda. Tenho uma honra enorme em trabalhar com ela, pelo papel que ocupa na dramaturgia. Espero chegar na sua idade assim, é louvável. Enquanto Mariana exercita pela primeira vez na carreira a maldade em cena — “tenho que trabalhar com filigranas, com a sutileza”, como

ela explica — Fernanda experimenta o que define como “o papel de uma boa mulher”. — É a primeira vez que eu faço uma personagem sem estridência, sem charminho para conquistar a plateia. Bete é rigorosamente estruturada na lisura de propósitos dramatúrgicos. E é nisso que me desafia. Fazer a senhora boa dá trabalho — confessa Fernanda. — Todo mundo tem medo do papel da heroína porque uma hora ela se esgota. Até onde eu puder, vou fazer de tudo para Bete não ficar chata, mas se ela resultar desta forma para os telespectadores, aí eles vão ter que me aguentar por mais cem capítulos — completa, aos risos. Para o autor, Fernanda se transformou em cena na “própria matriarca”: Fernanda é tudo e um pouco mais. Ela me surpreende por, depois de tantos anos de carreira, ser capaz de inovar e se reinventar. Para ela, não faz sentido se acomodar. A atriz não se vê longe da rotina de trabalho: Desde 1951 faço TV, juntamente com o teatro, criando filho, viajando. Não sei como dei conta disso tudo. Eu só posso entender que eu gosto do que faço, pois é uma tara! — diz ela, aos risos: — O Silvio me chama e eu venho. Se novela não tivesse nenhuma qualidade, não seria o xodó televisivo do Brasil. Hoje, ninguém tem vergonha de dizer que vê, do Presidente da República ao gari, que passa por mim e me chama de dona Bete. É bom fazer parte disso. Não sou uma atriz de viver numa gaiola, num pequeno mundo do meu umbigo. Mariana, que já sentiu na pele o que é ser mocinha de folhetim, pensou um “que delícia”, quando foi escalada por Abreu para fazer a Clara. Antes de falar sobre o assunto, a atriz finge limpar um fio de veneno no canto da boca. — A vilania é um prato cheio. Se a mocinha luta para não ficar monocórdia, quem faz a vilã luta para saber imprimir todas as facetas da personagem. São diferentes composições. Mas uma não existe sem a outra — compara Mariana, que tem colocado seus diabinhos a serviço da arte: — Eu não me importo de fazer nada em cena, de explorar a minha sexualidade, de fazer maldades. Nessa hora, pode tudo, é catártico. Segundo o autor, a atriz se encaixou perfeitamente no papel da moça que parece um anjo, mas não vale nada: Mariana é um dos maiores talentos da sua geração. Uma jovem atriz com “A” maiúsculo, dedicada e madura. Com Clara, está provando que está aí para o que der e vier, para ser a bela ou a fera! Se o comportamento dissimulado de Clara tem tirado Bete do sério na trama, o mesmo ainda não resultou em reações exageradas do público na rua. Até agora, Mariana escapou. Como pode? — Tem gente que fala: “Tá malvada, né?”,

mas ainda não tomei um tapa (risos). Par nada justifica o que Clara faz, mas, para a a justificativa está na avó que ela tem, n de afeto. O público também leva em con ção o fato de ela se preocupar com a irm nova. Sem falar que não teve coragem d tar o Totó no incêndio. É... Não sei o que nos reserva — despista. Ele, por sua vez, permanece mantendo tério do seu thriller. — Clara é uma sobre te. Cresceu explorada e agora quer se vin mundo. Mas não é diferente dos demais nagens. Todos têm um lado bom ou ruim valecendo no seu caráter. Bete teve um formação, mas foi enganada pelo marido sar de ter um lado positivo preponderan seu caráter, tem lá seus sentimentos contr sos — acredita Abreu. — O fato é que a dessas duas atrizes em cena só poderia tar em uma coisa: num grande espetácu


ra mim alguns, na falta nsideramã mais de mae Silvio

o o misevivenngar no s persom prema boa o. Apente no roverunião resululo!

revista da tv

Domingo | 05 de setembro de 2010

MAIS QUE VETERANOS Parte do elenco que sempre grava no cenário da mansão da família Gouveia,em“Passione”,Elias Gleizer — o motorista Diógenes Santarém da trama — não perde a piada.E brinca com o fato de estar quase sempre rodeado pelos veteranos Fernanda Montenegro,Cleyde Yáconis e Leonardo Villar em cena.— Se somarmos as idades daquele núcleo dará como resultado o ano do descobrimento do Brasil — exagera um gaiato e simpático Gleizer.Aos 76 anos,o ator é praticamente um operário da TV.Com mais de 50 trabalhos no vídeo,Gleizer,que recentemente brilhou no papel do patriarca Sr.Cadore,de“Caminho das Índias”,segue o lema de nunca reclamar do tamanho dos seus personagens.— Tenho 50 e poucos anos de TV e o meu negócio é trabalhar. Cada papel para mim é um prêmio.O Diógenes,por exemplo,não é muito grande.E por isso mesmo tenho que caprichar mais e valorizar cada aparição dele — ensina. Diógenes é coadjuvante,mas movimenta a trama com um mistério que o liga à patroa,Brígida (Cleyde).Seriam os dois amantes? Ou eles apenas se encontram às escondidas para jogar cartas? — Virei o galã das velhinhas — ELIAS GLEIZER diverte-se. Com duas casas,uma no Rio e outra em São Paulo,o ator está sempre em movimento:O tempo me trouxe experiências e sei que um sujeito bem-humorado tem menos problemas.Se não estou trabalhando,estou envolvido em outras atividades.Faço ginástica na academia e na piscina. Quem também começou de mansinho mas deve se revelar um conquistador na trama de Silvio de Abreu é o personagem de Leonardo Villar,Antero.Casado com a ranzinza Brígida,ele é o italiano abandonado por Gemma (Aracy Balabanian) no altar.Agora,tentará reconquistar a conterrânea.— O clima dessa novela é muito bom — afirma Villar,de 87 anos.— Temos um elenco muito homogêneo e não vejo diferença entre as atuações dos jovens e as dos mais experientes. Com uma carreira construída no cinema e no teatro,o veterano nunca teve um contrato fixo com a TV.Seu trabalho mais recente em novelas foi em “Pé na jaca”, de 2006.E seu último grande sucesso no vídeo se deu em “Laços de família”(2000),no papel de Pascoal,pai da garota de programa Capitu (Giovanna Antonelli). — O ator ganha um dinheiro razoável com o cinema e o teatro,mas não dá para viver só dessa forma.Por isso tem muita gente que se acomoda com um contrato na televisão — analisa Villar,que optou por um caminho contrário:— Eu sempre trabalhei por obra na TV para ter a liberdade de fazer outras coisas.O que não quer dizer que o ator encare o trabalho na televisão com menos dedicação. Pelo contrário.— Procuro tirar partido do meu papel quando faço uma novela — garante.O personagem de Villar na trama das 21h terá ainda a oportunidade de contracenar com o de outro veterano do elenco,Emiliano Queiroz,de 71 anos.O italiano Benedetto,papel de Queiroz, é irmão de Giovanni (verdadeira identidade de Antero). Em um folhetim marcado por atuações de nomes experientes,Flavio Migliaccio é outro que encontra espaço para brilhar.Na semana passada,o malandrão Fortunato roubou a cena ao tascar um beijo na boca da secretária Jaqueline (Alexandra Richter) em um show de pagode.— O cinema de comédia italiano valoriza o ator idoso e o Silvio de Abreu está seguindo essa linha.Aliás, essa é uma característica dele como autor:não menosprezar nenhum personagem — diz Migliaccio. Aos 76 anos,o ator nem pensa em fazer planos de aposentadoria.— O bom da nossa profissão é isso:poder trabalhar até os 100 anos se tiver força e saúde.Olha o exemplo da Cleyde Yáconis que está atuando numa cadeira de rodas depois de ter se acidentado (a LEONARDO VILLAR atriz fraturou o fêmur e teve que se operada recentemente) — destaca Migliaccio, que contracena ainda com Francisco Cuoco,de 75 anos,outro veterano que também tem tido ótimos momentos no folhetim de Abreu.

»ATÉ LOGO I

Com o fim da temporada de “Brothers & sisters”, o Universal Channel vai dedicar o mesmo horário para reprises de “The good wife”(quartas,22h) e para a estreia do quinto ano de “Psych”(segundas,22h).

SERIAIS

»ATÉ LOGO II

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Grande surpresa do Emmy, onde desbancou o favoritismo de “Glee”e ganhou o prêmio de melhor série de comédia, “Modern Family”(foto) chega ao fim de sua primeira temporada amanhã,às 22h,na Fox.

Oba.David Simon (“The wire”) está de volta à TV. Desta vez,com“Treme” (HBO),sobre Nova Orleans pós-Katrina. Uma dica para quem for assistir a “Spartacus”no Globosat HD:esteja certo de que seu estômago está vazio.

TÉLIO NAVEGA - GUSTAVO LEITÃO

Uma ponte longe demais

LISTÔMETRO

É

Frank Leo tem um problemão.O personagem de Aaron Douglas (o chefe Tyrol de “Battlestar galactica”) em “The bridge”,que estreia terça,às 22h,no AXN,é um policial que resolve se candidatar a líder do sindicato.E ganha,por unanimidade.A partir daí,sua vida vira um inferno,pois Leo passa a incomodar as altas esferas do departamento.Leo decide trocar de posição depois que seu mentor na polícia comete suicídio e a chefia proíbe qualquer tipo de funeral oficial.É motivo mais do que suficiente para ele brigar por seus ideiais. Mas o maior desafio de Leo é acabar com a corrupção em seu departamento.Se ele quiser limpar a imagem da polícia de sua cidade,ele vai precisar entregar alguns colegas.A tal ponte do título original se refere ao local,em St.James Town,Toronto, por onde passam,diariamente,na ronda policial,Leo e seu parceiro.O nome da série também faz referência à mudança na vida profissional do protagonista, que sai das ruas para a luta sindical.Com 12 episódios,a temporada de estreia de “The bridge”foi produzida pelo canal canadense CTV em parceria com a rede americana CBS, que cancelou a exibição nos EUA logo depois dos três primeiros episódios.Apesar disso,a série,que é baseada na experiência de vida do ex-policial e líder sindical Craig Bromell,fez sucesso no Canadá e deve ganhar um segundo ano por lá.

Um é pouco? Depende.No caso das séries que inauguram esta seção,a resposta é: certamente.Abaixo estão as produções que tiveram uma única (e boa) temporada.

• “FIREFLY”(2002): Só o nome do produtor Joss Whedon (“Buffy, a caça-vampiros”) já justificaria o interesse por esse faroeste do espaço (acima), que vendeu como água em DVD.

• “FREAKS & GEEKS”(1999): Está preparado para o elenco dessa comédia teen produzida por Judd Apatow? James Franco, Seth Rogen...Parei.

• “MINHA VIDA DE CÃO”(1994): Claire Danes (ao lado),aos 15 anos, vivia uma adolescente como todas as outras.E Jared Leto,sua paixão disléxica.

• “POLICE SQUAD!” (1982): O detetive Frank Drebin (Leslie Nielsen) era capaz de absurdos nesta comédia absurda,que deu origem ao filme “Corra que a polícia vem aí”.

• “FAT ACTRESS”(2005): John Waters se orgulharia da série protagonizada por Kirstie Alley,que ria da própria capa de gordura.

7


8

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

»ACREDITA NO CARÃO

Domingo | 05 de setembro de 2010

»PURA PURPURINA

Cinco adolescentes aspirantes a modelo buscam um lugarzinho ao sol.Poderia ser um reality,mas é “Meu book”, programa nacional que estreia no E! (terça,às 20h) e que acompanha a rotina das mocinhas.

»BONITA E TURBINADA

Uma banda de rock 100% gay:essa é a Pansy Division,que abriu a turnê do Green Day e é tema do documentário “Os gays do rock”, que o Multishow exibe hoje,às 22h30m,na faixa “Pensa nisso”.

O QUE VEM POR AÍ

Apresentado por Alice Braga,o “Superbonita”estreia segunda temporada no GNT (sexta,Às 22h) com algumas turbinadinhas.Uma delas a presença maior de Fernando Torquatto no programa.

TATIANA CORREIA

DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

»TOMA!

A segunda temporada da “Maratoma”,no “Domingão do Faustão”,estreia só no dia 26.Mas os convidados já estão escolhidos.Entre eles estão Milena Toscano,protagonista de “Araguaia”,a próxima novela das seis; Wagner Trindade,o Gabriel do “Zorra Total”;e a ex-BBB Priscila Pires.

»DE VOLTA AO ACAMPAMENTO

Oi,seguidoras da família Jonas! Como vocês já devem saber,o esperado “Camp Rock 2:The final jam”estreia na terça,às 20h,no Disney Channel. No filme,Mitchie (Demi Lovato) reencontra Shane (Joe Jonas) e lidera a galera na disputa contra um acampamento de riquinhos.

»IMAGINE PARA A CLASSE MÉDIA

“A nova classe média”é a série especial que a Globo News estreia hoje, às 23h.Nos três episódios,Cristina Aragão e Sidney Resende rodam o Brasil e mostram histórias de gente que subiu na vida. DIVULGAÇÃO

»QUAL É A NOTA?

Ideias que nunca saíram do papel para as telas são o mote de“Genial!!”,que estreia na sexta,às 21h,no Canal Brasil. Gilberto Scarpa bate papo com cineastas e autores sobre aqueles projetos engavetados.O primeiro é o diretor e roteirista José Roberto Torero.

C E NA V I R T UA L þ

uinze jovens fashionistas disputam um estágio numa revista adolescente famosérrima. Assim é “Temporada de moda Capricho”, reality teen que estreia sua segunda leva de episódios na terça, às 21h, no Boomerang. Redatora-chefe da revista, a apresentadora Adriana Yoshida diz que até se apega aos pupilos. Fofa.

Q

Qual a diferença da segunda para a primeira temporada? ADRIANA YOSHIDA: Desta vez,nossa ideia foi abrir um pouco os temas e o leque dos assuntos.As tendências estarão refletidas nos looks e nas provas. Queremos,sim,ver se eles sabem sobre lavagens de jeans,por exemplo.Vamos trazer temas mais universais e globais,e também mostrar o lado pessoal de cada um,com depoimentos mais intimistas.

Quais são os desafios e os convidados dessa edição? Em um deles,pedimos para os candidatos cruzarem tendências num look que misture o romântico folk com o glam rock.Já os convidados vão de bandas a estilistas.Mais não posso contar! O que acontece com os candidatos depois do programa? Quase todos já saem empregados.E eu me apego a eles!

DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET

“Ai,Emílio! ”Sabrina Sato foi entrevistar Justin Bieber para o “Pânico na TV”. Foi parar no Twitter por falar errado o nome do menino.Espia aí.

þ

Ops. Entrou a matéria no “Jornal da Globo”e só se escutou um “manda calar a boca!”de William Waack.Rolou um constrangimento e um mal estar político....

þ

Se joga! A abertura do Emmy trouxe um número musical inédito com a galerinha do barulho de “Glee”e o apresentador Jimmy Fallon,ao som de Bruce Springsteen.Boa!


revista da tv

Domingo | 05 de setembro de 2010

Programação de tv InterTV Cabugi/Globo -11 05:40-Santa Missa 06:40-Sagrado 06:50-Globo Comunidade 07:20-Pequenas Empresas 07:55-Globo Rural 09:00-Auto Esporte 09:30-Esporte Espetacular 12:30-Aventuras do Didi 13:05-Os Caras de Pau 13:50-Temperatura Máxima:“Doze é Demais 2” 15:41-Globo Notícia 15:44-Campeonato Brasileiro:Guarani x Fluminense 18:00-Domingão do Faustão 20:45-Fantástico 23:15-Hipertensão 00:10-Domingo Maior:“A Liga Extraordinária” 02:05-Sessão de Gala:”Fazendo História”

TV Universitária/Cultura - 5 06:00-Via Legal 06:30-Brasil Eleitor 07:00-Palavras de Vida 08:00-A Santa Missa 09:00-Viola Minha Viola 10:00-A Turma do Pererê 10:30-Esquadrão sobre rodas 11:00-Castelo Rá Tim Bum 11:30-Janela Janelinha 12:00-ABZ do Ziraldo 12:45-Curta Criança 13:00-Um Menino muito Maluquinho 13:30-Catalendas 14:00-Dango Balango 14:30-TV Piá 15:00-Stadium 16:00-A‘ UWÊ: Apresentação:Marcos Palmeira 17:00-Ver TV 18:00-De Lá Pra Cá 18:30-Cara e Coroa 19:00-Papo de mãe 20:00-Conexão Roberto D’Ávila 21:00-Esportvisão 22:30-Nova África 23:00-Cine Ibermedia:“Bolívia” 00:45-A Grande Música 01:45-Doc TV America Latina II 02:30-Curta Brasil

TV Mult tv/Rede TV! - 17 06:00-Ultrafarma 08:00-Tempo de Avivamento Lar 09:00-Helifly Comunidade Sara Nossa Terra 09:30-Pé na Estrada 10:00-Programa Carlos Cunha Show 12:00-Ultrafarma Médicos de Corpo e Alma 13:00-Interligado 13:30-Copa Montana 14:00-Auto Mais 15:15-Transição Avanti Midia 3 15:45-Olhar Digital 17:45-Pague Menos

Filmes de hoje

Q

TV Potengi/Bandeirantes - 3 07:00-Mundo Real 07:30-Vida e Missão 08:00-Posso Crer no Amanhã 08:30-A programar 08:45-TV Jam 09:00-Multirio 10:00-Full Motor 10:30-Brasil Caminhoneiro 11:00-Infomercial 12:00-Que Dureza 12:30-Liga dos Campeões UEFA - Magazine 13:00-Band Esporte Clube 15:30-Campeonato Brasileiro: Guarani x Fluminense 18:00-Terceiro Tempo 19:30-O Formigueiro 21:00-Domingo no Cinema:“Corações Apaixonados” 23:15-Busão do Brasil 23:30-Canal Livre 00:30-Deles & Delas 01:30-Liliana Rodriguez 02:00-Show Mix 02:30-Espaço Vida Vitoriosa

vidas por uma trupe de estrelas, passam por apertos do coração em Los Angeles. PO TEN GI, 21h.

TV SBT/Ponta Negra - 13 06:00-Aventura Selvagem 07:00-Pesca Alternativa 08:00-Vrum 08:30-Ganhe Mais Dinheiro Com Jequiti 09:00-Clube do Chaves 11:00-Domingo Legal 15:00-Eliana 19:00-Roda Roda Jequiti 19:45-Programa Silvio Santos 00:00-De Frente com Gabi 01:00-Arquivo Morto 02:00-Desaparecidos — Série 03:00-Nip/Tuck (Estética) — Série 04:00-Jornal do SBT

07:15-Desenhos Bíblicos 08:00-Record Kids 09:30-Domingo de Prêmios 10:00-Record Kids 12:00-Tudo é Possível 16:00-Programa do Gugu 20:00-Domingo Espetacular 00:00-Heroes 01:00-Programação Iurd

• HARRY & SALLY - FEITOS UM PARA O OUTRO — Com Billy Crystal, Meg Ryan, Carrie Fisher. Comédia romântica. Quando as comédias românticas ainda não eram uma fonte de dinheiro fácil, Harry (Crystal) conheceu Sally (Meg). Eles se odiaram, trocaram implicâncias, viraram amigos e descobriram o amor. O roteiro de Nora Ephron é um primor de leveza, completado por um show de charme dos protagonistas e pela trilha cheia de clássicos do jazz. MGM, 10h45m. • DOZE É DEMAIS 2 — Com Steve Martin, Bonnie Hunt, Carmem Electra. Comédia. Doze podem ser demais, mas outro filme que faz graça com as loucuras de uma família nunca é. Capitaneados por Tom (Martin), os Bakers estão de férias em uma casa à beira do lago. É a receita para mais um monte de trapalhadas à la “Férias frustradas”. IN TER TV/CA BUGI, 13h50m.

Harry & Sally - Feitos um para o outro. Com Billy Crystal, Meg Ryan, no MGM

Gustavo Leitão

uando Quentin Tarantino lançou o primeiro “Kill Bill”, em 2003, já tinha provado seus dotes de estilista da imagem em filmes como “Cães de aluguel” e “Pulp fiction”. Mas até então, para muita gente, ele era apenas um criador de diálogos espertos e eficiente empilhador de referências, capaz de fazer de cada obra sua um jogo de adivinhação para fãs de pérolas esquecidas do cinema. A partir dos longas calcados na vingança da Noiva (Uma Thurman), porém, não havia mais como negar: aos dotes já conhecidos de Tarantino, somava-se o de diretor maiúsculo. Exibidos em sequência, os dois volumes — há previsão de um terceiro, em 2014 — trazem sua usual colagem hi-lo, que vai do kung-fu mais vagabundo aos melhores animês e westerns spaghetti. Mas não só isso. Também representam o píncaro de recursos de um cineasta hábil em construir sequências de perfeita movimentação de câmeras e arquitetura de planos. Coisa de mestre. “KILL BILL: VOL. 1” e “KILL BILL: VOL. 2” (HBO 2, 17h35m e 19h35m)

18:15-Ritmo Brasil 19:00-Belas na Rede 20:00-O Último Passageiro 21:00-Pânico na TV 23:30-Dr.Hollywood 00:30-É Notícia 01:30-Bola na Rede 01:50-A Hora e A Vez da Pequena Empresa 02:05-Super Papo 1 03:00-Igreja da Graça no Seu Lar

TV Tropical/Record - 8

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

• CORAÇÕES APAIXONADOS — Com Ellen Burstyn, Sean Connery e Angelina Jolie. Comédia. Para quem gosta de filmes-painéis, com mensagens acopladas. Na trama, 11 pessoas, vi-

• TRILOGIA PODEROSO CHEFÃO — De Francis Ford Coppola. Com Marlon Brando, Al Pacino, James Caan, Diane Keaton, Andy Garcia. Crime. O horário não é dos melhores, mas o REC está aí para eternizar esta súmula da carreira de Coppola, a maior saga de família da História do cinema. A família em questão, os Corleone, não eram exatamente buona gente. Mafiosos, mataram e morreram em três filmes cheios de sequências memoráveis, com a contundência de uma ópera. MEGAPIX, a partir de 7h45m. • BOLÍVIA — Com Freddy Flores, Rosa Sánchez, Oscar Bertea. Drama. A TV Brasil continua em seu firme propósito de propagar a produção de países hermanos. Aqui, o diretor Israel Adrián Caetano se debruça sobre a crise econômica argentina com a história de Freddy, um imigrante boliviano que tenta sobreviver como cozinheiro em Buenos Aires. TV BRASIL, 23h. • A HISTÓRIA REAL — Com Richard Farnsworth, Sissy Spacek, Harry Dean Stanton. Drama. David Lynch deve ter ouvido muito dos amigos a pergunta “Quando você vai fazer um filme normal?” antes de optar pela história real de Alvin Straight (Farnsworth), um senhorzinho que cruzou dois estados americanos sobre um cortador de grama para fazer as pazes com o irmão, à beira da morte. Aula de concisão, o longa valoriza o drama sem choramingar sobre ele. TELECINE PIPOCA, 16h10m.

• A LIGA EXTRAORDINÁRIA — Com Sean Connery, Naseeruddin Shah, Pela Wilson, Stuart Towsend. Aventura. Os quadrinhos de Alan Moore já inspiraram outras adaptações mais felizes, como “V de vingança” e “Watchmen”. Nesta, um grupo de heróis liderado pelo aventureiro Allan Quatermain (Connery) tem que combater um poderoso inimigo alemão chamado Phantom na Londres de 1899. O bastidor cheio de confusões da produção se reflete no resultado na tela, que desagradou aos fãs de HQ. INTER TV/CABUGI, 0h10m. • THX 1138 — Com Robert Duvall, Donald Pleasence, Don Pedro Colley. Ficção científica. O diretor George Lucas tinha propósitos muito mais sérios quando era estudante de Cinema e não tinha descoberto o poder da pipoca “Guerra nas estrelas”. Desenvolvida a partir de um curta estudantil, sua estreia nos longas-metragens mostra a marca de um cineasta em busca de aprovação. Milimetricamente desenhado, dos cenário assépticos às interpretações propositalmente robóticas, o filme mostra um futuro totalitário, de repressão sexual e disciplina. Vale pela direção de arte. TCM, 0h20m.

9


10 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte COLUNA DO

Clube do Assinante

revista da tv

Domingo | 05 de setembro de 2010

A TV DE....

ZECA PAGODINHO FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Promoções e descontos renovados a cada domingo

DIVULGAÇÃO

Promoções válidas de domingo (05/09/10) a sábado (11/09/10), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

iel telespectador do horário da tarde,Zeca Pagodinho é eclético na hora de escolher seu programa:vale dos telejornais às reprises do “Vale a pena ver de novo”.A ligação profissional do sambista com as novelas vem de longa data.Mais precisamente,de 1986, quando “Judia de mim” integrou a trilha sonora de “Hipertensão”.Outro bocado de seus sucessos embalaram folhetins.Atualmente, “Garanhão”— faixa de seu 21 disco,que será lançado em setembro — é a música-tema do Tio Fortunato (Flavio Migliaccio),em “Passione”.

F Fênix Aromas Na Fênix Aromas você encontra uma excelente variedade em cosméticos, produtos em aromaterapia como essências, sprays para ambientes, roupas e lençóis, difusores, hidratantes, sabonetes, sais para banho, etc. Esta semana, a Fênix Aromas oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante TN, nos produtos de aromaterapia, cosméticos e artigos para presentes e decoração. Av. Engº Roberto Freire, 2925, loja 02 (em frente ao Shop. Cidade Jardim) Tel.: 3207.3600

50% (dinheiro) nos produtos de aromaterapia, cosméticos e artigos para preDIVULGAÇÃO

sentes e decoração.

Qual trilha sonora de novela é inesquecível para você?

A da novela e “O bem-amado” (de Dias Gomes, exibida em 1973, com Lima Duarte e Paulo Gracindo no elenco) é a melhor de todas.

Big Blue Parque Aquático O Big Blue é um espaço de diversão e lazer para você e sua família. Lá, você encontra piscinas, toboáguas restaurante, além de dispor da comodidade e da formidável localização, em frente para o mar de Búzios. Esta semana, o Big Blue Parque Aquático oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, na entrada do parque, no limite de até 5 pessoas por assinante. Av. Brigadeiro Paulo Salema, s/nº, Praia de Búzios Tel.: 3239.2118

50% à vista (dinheiro) na entrada do parque, no limite de até 5 pessoas por assinante.

■ As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■ Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção,o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■ Contatosparacredenciamento:Depto.deMarketing.Tel.4006-6100,R.6262. ■ e- mail.mkttn@terra.com.br; clubetribuna@digizap.com.br

los”e “American idol”?

Não tenho costume de assistir a esse tipo de programa. Musa da teledramaturgia brasileira.

Fernanda Montenegro.

E qual foi a sua primeira música que fez parte de uma trilha de folhetim?

E o galã? Quem seria?

“Judia de mim”, na novela “Hipertensão” (de Ivani Ribeiro), de 1986.

Melhor entrevista que você concedeu na TV?

Para ouvir música: MTV ou Multishow?

Tony Ramos.

taria de ser entrevistado na televisão?

Ih, nem sei. Tenho preguiça de dar entrevista. Qual são seus quitutes e/ou drinques favoritos para acompanhar uma sessão de TV?

Nenhum, gosto de ver TV deitado. Não dá vontade nem de abrir a boca.

Foi para o Ancelmo Gois, no “De lá, pra cá”, da TV Brasil.

Melhor atração de todos os tempos para ver aos domingos,com a família reunida.

E por quem você ainda gos-

“Os Trapalhões” (recentemente lançado em DVD).

Escuto na minha vitrola. Qual é o melhor programa sobre música que está no ar?

O “Sarau”, do Chico Pinheiro, na Globo News. Qual é sua opinião sobre os realities musicais como “Ído-

Você vê TV antes de dormir ou quando chega em casa depois de um show?

Vejo à tarde. Gosto dos telejornais desse horário e do “Vale a pena ver de novo” (que atualmente está exibindo “Sinhá Moça”).


revista da tv

Domingo | 05 de setembro de 2010

PRIMEIRO PLANO

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 11

VALÉRIO ANDRADE

Os limites da televisão na política ANTÔNIO CRUZ/ABR

A

constatação é do presidente Lyndon Johnson:“Nós perdemos a guerra do Vietnã dentro dos EUA”. Ele se referia à oposição da imprensa,e,principalmente,a artilharia diária do telejornalismo.Se não tivesse sido massacrado diariamente pela televisão,Richard Nixon possivelmente teria completado o segundo mandato presidencial.

O PODER DA TV É MAIOR NOS EUA? A julgar pelo que ocorreu em relação ao Vietnã e a Nixon,o poder social e político da televisão parece ser maior lá do que aqui. Parece porque no caso de Collor,talvez ele não tivesse sido obrigado a renunciar se não tivesse sido triturado pela Globo e os formadores de opinião – entre os quais, destaca-se,em primeiro plano,Boris Casoy.

A DIFERENÇA ENTRE COLLOR E LULA Por que,então,durante a sucessão de escândalos de corrupção do PT Lula não caiu?

entro do escritório da produtora Mixer, em São Paulo, o movimento é grande. Cerca de 200 funcionários estão envolvidos com a longa lista de afazeres para cumprir os contratos assinados com canais de TV aberta e por assinatura. O mais recente deles foi fechado com a Globo e consiste em levar para a telinha em 2011 a animação do “Sítio do Picapau amarelo” e adaptar para o público brasileiro o documentário da BBC “Mundo sem mulheres”. — No caso do “Sítio”, os personagens já foram desenvolvidos. Agora, estamos concebendo a série. Quanto ao outro, ainda vamos escolher a cidade onde será gravado porque, como no original, a ideia é tirar todas as mulheres que lá vivem para observar como os homens se viram sem elas — adianta o diretor artístico Michel Tikhomiroff. Michel é um dos sócios da produtora, que é comandada por mais “dois cabeças”: seu pai, João Daniel Tikhomiroff, que atua como presidente do grupo, e Gil Ribeiro, o vice. A Mixer surgiu em 2003, quando os dois últimos decidiram unir forças e fundir suas produtoras, a Jodaf e a Radar, respectivamente. — De um lado, tínhamos a Jodaf, com toda sua experiência em

D

Porque houve uma habilidosa dissociação da imagem presidencial da elite petista estrelada por José Dirceu.Mas não foi somente isso. Houve outra diferença em relação a Collor. Formidável mobilização popular,corporificada nos jovens de caras pintadas,cujo efeito psicológico era multiplicado nacionalmente pela televisão.E também porque a arrogância psicótica diferenciava Collor da imagem simpática e sorridente de Lula.

ILUSÃO E DECEPÇÃO

A QUEDA DA ÉTICA

DOIS ROSTOS E UMA IMAGEM

A ética,que era a bandeira do PT na época de Collor,deixou de sensibilizar o povão.Ela continua sensibilizando a elite que ler jornais e revistas.Nos novos tempos da política, diferentemente dos velhos tempos,a ética foi substituída e sepultada pelo dinheiro no bolso do eleitor. Quem recebe o Bolsa Familia jamais deixará de votar em Dilma porque o sigilo bancário da filha de Serra foi violentado.

A estratégia eleitoral de Serra somente poderia ter surtido efeito se na televisão tivesse havido uma dissociação das imagens de Lula e Dilma. O que se viu,porém,foi o contrário.Pelo menos para 24 milhões de eleitores,sem contabilizar os familiares,a imagem de Dilma tem a cara de Lula.Para os milhões de beneficiados pelos múltiplos programas sociais,com Dilma tudo ficará como está.Essa certeza a televisão será incapaz de alterar.

Acreditava-se que com o advento da propaganda na televisão Serra seria beneficiado,por ser mais experiente e mais preparado do que Dilma.Acreditava-se, também,que Serra deveria poupar Lula,por motivo óbvio:a cristalizada popularidade do presidente.Com a campanha eleitoral na TV,a ilusão virou desilusão e a esperança cedeu lugar a decepção,com Serra caindo e Dilma subindo.

Dilma: a herdeira do pai dos pobres

PRODUTORA DE ATRAÇÕES COMO ‘HAPPY HOUR’ E ‘MOTHERN’, DO GNT, A MIXER SEGUE CHEIA DE PROJETOS

USINA DE PROGRAMAS MICHEL FILHO

João (esquerda), Michel e Gil: animação para a Globo e programa para a BBC

comerciais. De outro, a Radar, atuando na produção de conteúdo para a TV, incluindo TV a cabo, um pioneirismo quase heróico para a época — lembra João Daniel. A primeira experiência da produtora na área de dramaturgia foi a série “Mothern”, exibida pelo GNT. Como define Michel, “foi um

laboratório, um projeto piloto que deu certo”. Seu pai lembra que a inspiração para o programa nasceu através de uma conversa com a emissora: O pessoal do GNT comentou o desejo de ter um programa que falasse da mãe jovem, mas não tinha ideia de formato, roteiro... Hoje, para a TV aberta, a Mixer

está produzindo duas séries para o público adolescente previstas para 2011: “Julie e os fantasmas”, que será exibida pela Band, e “Brilhante F.C.”, para a TV Brasil. — A primeira tem um toque musical e, indo na carona dessa onda de vampiros, também mexe com o sobrenatural. Já a outra gira em torno do univer-

so de meninas de 15 anos que jogam futebol. — conta João Daniel. Hoje, são 30 roteiristas na produtora, divididos entre as áreas de arte, criação e supervisão. Segundo Ribeiro, a equipe está afinada para desenvolver de quatro a cinco “bíblias” por ano, como eles chamam internamente os projetos: Atuamos de acordo com o briefing recebido ou, então, detectamos uma lacuna que não está sendo provida. O “Descolados”, da MTV, é um exemplo disso. Ninguém estava falando diretamente para o público entre 18 e 25 anos, pesquisamos para entender como ele gostaria de ser retratado e fomos atrás de um canal para exibir. A atração deu tão certo que já está em fase de captação para uma segunda temporada. No mesmo embalo, inclui-se os desenhos “Escola pra cachorro”, coproduzida com a TV Ontário, do Canadá, e “Vivi viravento”, que narra a história de uma menina que viaja através de seu diário. Também carregam a marca da Mixer programas destinados ao Discovery Channel. Este ano foi fechado um pacote com 14, sendo que metade já foi entregue. A Mixer ainda tem no portfólio o “GNT fashion” e o “Happy hour”, do GNT.


Revista da tv 12

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 05 de setembro de 2010

TV GLOBO/JOÃO MIGUEL JUNIOR

Guilherme Winter, Alexandre Slaviero e Humberto Carrão: sucesso com personagens de destaque no remake das 19h

C

C O L Í R I O S DAS SETE seu colega de elenco também em “Malhação”, como o tipo que faz sucesso com as mulheres. — Caio, sim, é galã! — diz Carrão, surpreso ao saber que ficou em primeiro lugar, com 41% dos votos, numa enquente do site da Revista da TV que pediu aos leitores para escolherem o jovem galã preferido de “Ti-ti-ti”. Castro ficou em segundo lugar, com 34%. Aos 21 anos, o paulistano faz sucesso agora como o fotógrafo Edgar, que na trama é sete anos mais velho do que ele. Noivo de Camila (Maria Helena Chira), o personagem tem um caso com a sócia Luisa (Guilhermina Guinle), mas se apaixonou por Marcela (Ísis Valverde). Apesar de ser infiel, agrada ao público. — Ainda não me sinto totalmente confiante, mas sei que sou capaz de dar conta desse personagem, que é mais difícil do que o anterior. Com exceção de Cardoso, os outros quatro galãs de “Ti-ti-ti” passaram por “Malhação”. Descoberto em um concurso promovido pelo “Caldeirão do Huck”, Castro permaneceu na novela adolescente por três temporadas. O personagem de Castro encontrará concorrência na figura de Guilherme Winter. O paulistano de 31 anos interpreta Renato, herdeiro ri-

JOVENS ATORES DE ‘TI-TI-TI’ RENOVAM ELENCO DE GALÃS DA TV GLOBO E FAZEM SUCESSO COM OS TELESPECTADORES co que engravidou Marcela e foi passar um temporada em Londres depois de se desentender com a moça. — Renato voltará para Brasil e vai lutar pela Marcela — adianta Winter. O ator já apareceu num papel pequeno em “Cobras & lagartos”, fez um professor em “Malhação” e chamou a atenção como o idealista Otávio, de “Paraíso”. Com uma faculdade de Desenho Industrial trancada, o ator quase foi skatista profissional. Torcedor do Atlético Paranaense, Alexandre Slaviero, de 26 anos, já treinou para ser jogador de futebol, começou a faculdade de Administração e hoje é sócio de um restaurante japonês no Rio. — Tive que desistir do futebol para me dedicar aos outros planos. Vim para o Rio com 18 anos para me pro-

fissionalizar como ator. No ar em sua terceira novela (depois de “Duas caras” e “Caras & bocas”), o curitibano exercita sua veia cômica como o encanador-eletricista Armandinho, disputado por Desirée e Stéfany. — Armandinho é bronco, mas acho que chama a atenção das mulheres por ser encanador. É uma fantasia. Elas gostam de um trabalhador braçal, suado... — teoriza. Na trama, Armandinho é rival de Jorgito, playboy que traça todas, mas deseja mesmo Desirée. O gaúcho Rafael Cardoso, que já viveu o adolescente Klaus em “Beleza pura”, e foi seduzido por Marília Gabriela na minissérie “Cinquentinha”, faz o pegador das 19h. O gremista Cardoso também já quis jogar futebol no passado e chegou a treinar profissionalmente. Mas a vontade de atuar prevaleceu. Casado com a atriz Mariana Bridi, Cardoso já protagonizou cenas de sexo e nudez na minissérie da Globo e no filme “Do começo ao fim”, em que vivia um incesto homossexual com o irmão. Garante ter tirado a exposição de letra. — Você tem que estar aberto para o que os personagens pedem. Não tenho problema com nudez. O corpo taí, é nossa ferramenta — defende o ator.

PEDRO KIRILOS

ansada dos bonitões de sempre na tela da sua televisão, prezada telespectadora? Que tal sintonizar em “Ti-ti-ti”? A atual novela das 19h — responsável por promover as pazes entre a audiência e o horário — traz um grupo de jovens atores promissores. Com carisma, talento e beleza suficientes para integrar a nova seleção de galãs da Globo, Humberto Carrão, Caio Castro, Alexandre Slaviero, Rafael Cardoso e Guilherme Winter têm agora bons papéis nas mãos. E a chance de se destacar. Caçula do grupo, Carrão, de 19 anos recém-completados, esteve duas vezes em “Malhação” — em 2004 e 2009. Na temporada do ano passado, fez o vilão Caio. Em “Ti-ti-ti”, interpreta Luti, o bom moço que irá despedaçar o coração de Gabriela (Carolina Oliveira) ao terminar com a garçonete para ficar com Valquíria (Juliana Paiva). Ele tornou-se “o” galã jovem do remake escrito por Maria Adelaide Amaral. — A finalidade do Luti não é atrair o público feminino dessa forma, mas acho legal ser visto como galã. É legal, e só. Para mim, o mais interessante é notar a renovação entre os atores mais novos. Tem muita gente boa aí que não consegue aparecer — afirma Carrão. Estudante de Cinema e flamenguista roxo, ele aponta Caio Castro,

Rafael Cardoso (acima) interpreta o playboy Jorgito e Caio Castro (a baixo) faz o fotógrafo Edgar TV GLOBO/ALEX CARVALHO

ZEAN BRAVO


Tribuna do Norte - 05/09/2010