Page 1

Nº 608 de 1º a 15 de junho de 2013

Nesta edição Manutenção da via

Um ano do SIC

Poemas no trem


2

e

Responsabilidade Além de buscar conectar pessoas a seus destinos da forma mais eficiente possível e contribuir com o desenvolvimento do transporte público e da indústria nacional, a Trensurb, enquanto empresa socioambientalmente responsável e sob controle estatal, preocupa-se também com as realidades dos espaços e comunidades em que está inserida. Iniciativas como a Campanha do Agasalho e os

Música e amizade na Estação Luiz Pasteur

Série

ESTAÇÕES

DA LINHA

Foto: Emilene Lopes

programas Estação Educar e Espaço do Trabalhador são exemplos do compromisso que a Trensurb tem com a sociedade. Ações destacadas nesta edição, como uma manutenção de via eficaz, a contratação de novos empregados e o estudo de novos projetos de mobilidade contribuem, ainda, para conectar usuários a seus destinos da melhor maneira possível. Boa leitura!

Ereni (esq.) e Hortência são amigas há muito tempo na Trensurb

A Estação Luiz Pasteur, em Sapucaia do Sul, é conhecida pelos empregados da Trensurb como uma estação tranquila. Em 2012, ela recebeu 1,2 milhão de usuários e ficou em décimo quarto lugar no ranking total de acessos de passageiros por estação. Ana Rita Schmidt demonstra grande satisfação em trabalhar na bilheteria de Luiz Pasteur. Além de ter um público calmo, ela conta que o clima entre os colegas de trabalho é muito bom. Ana está há dois anos na Trensurb e afirma que Luiz Pasteur é a sua estação preferida: “Já trabalhei em todas as estações, essa é a melhor”. “Esta é patrimônio da estação”, declara com um largo sorriso a empregada Hortência do Canto referindo-se à Ereni Florentino da Silva que acabara de fazer o café. A convivência de Ereni com os metroviários vem de longa data, desde 1985, quando começou a trabalhar fazendo a limpeza das estações, através da empresa Inconfidência. Em Luiz Pasteur, ela está há seis anos e a amizade com os colegas de estação é notável. A estação também é fonte de renda para Eva Salete da Silva. Ela e mais duas irmãs participavam das feiras na Trensurb e, há dois anos, têm seus próprios quiosques nas estações São Pedro, Farrapos/IPA e Luiz Pasteur. No quiosque de Luiz Pasteur, localizado na área paga, o usuário pode encontrar bijuterias e artigos femininos.

Foto: Emilene Lopes

Música movimenta a estação

Valdir é conhecido por tocar violão na estação

São nas primeiras viagens da manhã que o fluxo de passageiros da Estação Luiz Pasteur aumenta devido às pessoas que utilizam o trem para chegar ao trabalho. Entretanto, há outro fator que contribui para a agitação no local que normalmente é tão tranquilo: o Clube 5 Estrelas. Localizado próximo à estação, atrai bom público com shows de música gauchesca e sertaneja. Segundo os assistentes operacionais, no domingo, às 5h, quando terminam os shows, filas se formam para comprar passagem de trem. A música também é trazida por um personagem característico da estação: Valdir Rambo. Com jaqueta de couro e violão em mãos, há um ano ele passa o dia tocando para os usuários que circulam pela Luiz Pasteur. “Eu gosto de Elvis Presley, Beatles e Bee Gees, mas o que as pessoas pedem eu toco”, conta.


3

Manutenção da via garante qualidade e segurança no serviço do metrô

Foto: Marco Pecker/Arquivo

Os trabalhos de manutenção

Reperfilamento dos trilhos foi concluído em janeiro deste ano

Foto:Leandro Bandeira/Arquivo

A Trensurb conduz processo licitatório para a prestação de serviços de engenharia e manutenção da via permanente, que engloba as vias principais, pátios, terminais e desvios – nos trilhos que vão da Estação Mercado à futura Estação Novo Hamburgo, incluindo seus terminais de manobra. No último dia 22, a empresa abriu os envelopes contendo as propostas técnicas das duas empresa consideradas habilitadas a participarem dessa fase da licitação: MPE Montagens e Projetos Especiais S/A e Prumo Engenharia Ltda. Preocupada com a capacitação técnica das empresas candidatas a prestar o serviço, a Trensurb optou pelo modelo de concorrência do tipo técnica e preço, levando-se em conta não somente o valor proposto pelas empresas, mas também a capacitação técnica que cada uma poderá oferecer para cumprir as demandas da Trensurb. A avaliação técnica representa 70% das notas para selecionar uma ou outra concorrente (enquanto o preço tem peso de 30%). O resultado final deve ser conhecido na primeira quinzena de junho.

Troca de dormentes de madeira

A Trensurb realiza manutenções preventivas, corretivas e atualizações tecnológicas na linha férrea para garantir a qualidade do serviço prestado aos usuários do trem. Em junho de 2012, a empresa contratada Brick Engenharia e Comércio Ltda. começou o processo de reperfilamento corretivo dos trilhos, entre as estações Mercado e São Leopoldo. O objetivo é fazer o ajuste dos trilhos e componentes que garantem o tráfego seguro das composições do metrô. A manutenção terminou em 9 de janeiro, com um investimento de R$ 2,3 milhões. Atualmente, está em estudo um possível reperfilamento de caráter preventivo no trecho da expansão em curso – de São Leopoldo até Novo Hamburgo. O engenheiro Luciano Martin, do Setor de Via Permanente da Trensurb, explica que são realizadas vistorias regulares no percurso do trem, durante o dia e à noite, por profissionais da empresa metroviária. A equipe responsável pela revisão é constituída, normalmente, por três técnicos que acompanham trechos da via e produzem relatórios que registram o nível de desgaste dos trilhos e de outros materiais para estabelecer planos de controle e segurança. Outras atividades da área são a supervisão dos contratos firmados com as terceirizadas e o acompanhamento das manutenções requeridas para a linha. A substituição de equipamentos danificados, bem como a troca de trilhos, dormentes, lastros e outras peças que compõem a via, são realizados por empresas contratadas, conforme as demandas da Trensurb. A Trensurb realiza, ainda, aperfeiçoamentos tecnológicos na linha para qualificar o conforto dos usuários e a segurança no percurso dos veículos, como: a substituição de jacarés, parte dos aparelhos de mudança de via, por novos modelos com maior vida útil e que requerem menos serviços de manutenção; a troca de trilhos, dormentes de madeira e do tipo de solda utilizada.


4

Foto: Karoline Cardoso/Arquivo

Compromisso muito além do transporte

Campanha do Agasalho distribuiu mais de 40 toneladas de donativos em 2012

Na Trensurb, a responsabilidade socioambiental vai muito além de levar pessoas aos seus destinos através de um transporte econômico e ecologicamente correto. Buscando ir mais longe no seu compromisso com a sociedade e levar mais qualidade de vida à população, a empresa promove ainda diversos programas e ações sociais, culturais e educativos. Um deles é a Campanha do Agasalho, que teve a sua edição de 2013 - com o slogan “faz bem fazer o bem”iniciada em 29 de maio, com postos de coleta em todas as estações. O ato inaugural simbólico será a entrega de três toneladas de donativos, no início de junho, ao projeto Fábrica da Cidadania, de Novo Hamburgo, que faz

ajustes nas peças doadas, repassando aos necessitados. Realizada desde 1994, a campanha já arrecadou e distribuiu 321 toneladas de roupas e calçados. Segundo Cláudio Carvalho, chefe do Setor de Responsabilidade Socioambiental, a divulgação deste ano dá ênfase à doação de roupas em condições de uso. “No ano passado, por exemplo, cerca de 30% das roupas doadas não puderam ser repassadas porque não estavam em condições apropriadas, então queremos pedir que as pessoas doem roupas que elas mesmas usariam”, conta. Os donativos serão repassados de forma institucional para as prefeituras e para a defesa civil fazerem a distribuição. A campanha segue até 19 de setembro.

Socioambiental detalhado em números O Relatório Socioambiental 2012 da empresa deve ser apresentado pela Gerência de Planejamento (Gepla) no final de junho, mostrando todos os dados referentes ao período. No ano de 2012, mais de 740 mil viagens de ônibus deixaram de ser realizadas graças à operação da Trensurb, evitando-se a emissão de mais de 3,7 milhões de toneladas de poluentes na atmosfera. A questão ambiental também tem lugar de destaque - além do operacional - no planejamento de outras atividades da empresa, como a campanha A mudança começa em nós, o descarte ecológico de lâmpadas fluorescentes e a coleta seletiva nas estações e no pátio de manutenção/administrativo. Preocupação mostrada, também, nos grandes projetos estratégicos da empresa, como a expansão norte e o Aeromovel. O relatório apresenta, ainda, dados dos diversos programas e ações sociais, culturais e educativos da Trensurb.

Foto: Marco Pecker

Vagas de emprego e combate à fome

Painéis nas estações divulgam vagas

O Espaço do Trabalhador é outro canal de solidariedade que conecta a Trensurb ao mercado de trabalho e a instituições beneficentes. Em 2012, 1.051 cestas básicas foram arrecadadas, representando 26.290 quilos em alimentos e produtos de higiene. Elas foram entregues pela empresa a 59 instituições em dez municípios. O Espaço do Trabalhador é um painel que a empresa metroviária disponibiliza em 18 das suas 19 estações para que as empresas da região possam divulgar ofertas de emprego e estágios. As empresas, para utilizarem o painel, devem doar cestas básicas.


Foto: Marco Pecker

5

Aprendizes conheceram oficina de manutenção dos trens

Sonhos incentivados no Estação Educar Comissária de voo, professora, psicólogo, médica, veterinária, engenheiro mecânico. Esses são apenas alguns dos profissionais que os jovens aprendizes do Estação Educar sonham ser no futuro. E são sonhos que um programa como esse incentiva diariamente, oferecendo aprendizagem profissional a estudantes de baixa renda. 39 aprendizes - 20 do turno da manhã e 19 do turno da tarde - visitaram a Trensurb no dia 14 de maio, lançando a temporada 2013 do Futuro Usuário – outro programa educativo da empresa, através do qual, em 2012, a Trensurb recebeu 7.094 alunos de escolas da rede pública. Os aprendizes do Estação Educar até então não conheciam tão profundamente a sede, pois o curso, realizado em parceria com o SENAI-RS, anteriormente acontecia nas dependências da Trensurb e, neste ano, passa a ser desenvolvido na Escola de Educação Profissional SENAI Nilo Bettanin, em Esteio. Desde 11 de março, os aprendizes estão assistindo às aulas do curso de assistente administrativo,

com carga horária de quatro horas diárias, no turno inverso ao da escola. O curso completo tem duração de 800 horas-aula ao longo do ano e os requisitos para a permanência são a comprovação de frequência e desempenho escolar. Os jovens recebem, ainda, meio salário mínimo mensal, vale-transporte, vale-refeição e passe livre no metrô. Durante a visita, os jovens conheceram o Setor de Oficina (Seofi) e o trabalho de manutenção realizado, a cabine de um trem, o Centro de Controle Operacional (CCO), além de atividades desempenhadas pela Gerência de Comunicação Integrada (Gecin), como o Sexta Curta – programa cultural que trará os estudantes até a sede da empresa uma vez por mês para que assistam a filmes curta-metragem - e a Biblioteca Livros sobre Trilhos. Apresentando a Biblioteca, o assistente de gestão Fernando Noronha salientou que chegar ao ensino superior no futuro é importante, mas é preciso saber muito mais do que se aprende na faculdade. “Nós precisamos ter conteúdo para con-

versar com as pessoas e a leitura é muito importante para isso. A leitura nos faz viajar sem sair do lugar”, incentivou. Os estudantes aproveitaram para fazer seu cadastro e agora podem retirar livros gratuitamente na Estação Mercado. A professora do Estação Educar, Silvana Tais Rech, mora em São Leopoldo e é sócia da biblioteca há um ano. “Quando eu trabalhava no SENAI de Porto Alegre viajava por uma hora e meia, então lia muito”, contou. A aprendiz Hevelin Cristina, que tem 15 anos e mora em Sapucaia do Sul, não imaginava haver tanta estrutura por trás da operação: “a gente pensa que é só colocar o trenzinho nos trilhos e pronto, e agora vimos como tudo acontece na oficina. O gasto é grande, mas eles fazem para melhorar”. A estudante pensa, também, que esse contato com os empregados da Trensurb traz motivação. “A gente vê que os funcionários começam de baixo como nós e que é possível crescer”, conta a adolescente, sonhando com um futuro de realização profissional.


6

A Trensurb entregou oficialmente à administração municipal de Porto Alegre, em 21/05, o estudo de demanda de passageiros de uma linha da tecnologia Aeromovel na Zona Sul do município, com trajeto proposto que iria do Centro Histórico até o terminal Juca Batista.

Foto: Marco Pecker

Foto: Luana Rosales

No dia 23/05, o secretário nacional de Transporte, do Ministério das Cidades, Julio Eduardo dos Santos, usou a sala da presidência da Trensurb para discutir com prefeitos gaúchos e representantes do governo estadual os investimentos do PAC no Rio Grande do Sul.

Desde 17/05, é distribuído o novo Manual Trensurb, com Estatuto Social, Regimento Interno e Regulamento de Pessoal, além de organograma e nominata. A retirada é obrigatória para todos os empregados e deve ser feita no Setor de Pessoal ou com os respectivos supervisores.

Uma audiência pública no dia 20/05 discutiu a expansão do metrô até Sapiranga. Durante o encontro, no Sindicato dos Metalúrgicos do município, foram apresentados estudos preliminares e as opções iniciais de traçado, passando pelo Centro de Campo Bom ou pela RS-239.

Foto: Marco Pecker

Foto: Marco Pecker

Foto: Kauê Menezes

Foto: Sandra Hess/PMS

Foto: Marco Pecker

No dia 16/05, o Serviço de Informação ao Cidadão (SIC) da Trensurb completou um ano de atividades. Nesse período, foram 100 pedidos de informação, com média de resposta de oito dias, atendendo o prazo legal de até 20 dias. Os temas mais frequentes nos pedidos são pesquisas, incidentes operacionais, recursos humanos, expansão da Linha 1, contratos, assuntos técnicos e jurídicos. Visando à melhoria do atendimento, a sala do SIC passa por uma reforma. Já em fase final, as obras incluem melhorias no piso, no forro e nas paredes, além da adaptação à acessibilidade universal.

No dia 16/05, representantes da empresa e do Canal Você inspecionaram e acompanharam teste dos monitores da TV Trensurb, já instalados no trem 116. Na plataforma de embarque e junto às bilheterias da Estação Mercado, os testes da TV já acontecem em tempo integral.

Sete assistentes operacionais de estações, um técnico em estradas, um técnico em contabilidade, um técnico em administração e um advogado, aprovados nos concursos públicos de 2009 e 2012, foram recebidos no programa de integração de novos empregados iniciado em 09/05.


7

Novos poemas no trem Abandonei um poema Abandonei um poema no banco da estação da infância o trem do tempo partiu e com uma lufada carregou os versos que caíram no caminho de ferro então, minha vida tornou-se uma reta um partir e chegar de cotidianos

Já estão circulando nas composições da Trensurb os poemas selecionados na edição 2012 do concurso cultural Poemas no ônibus e no trem, promovido pela Coordenação do Livro e Literatura de Porto Alegre com a parceria da Trensurb. As 57 obras selecionadas na 21ª edição da iniciativa, como o poema reproduzido ao lado, fazem parte também de uma coletânea lançada na última Feira do Livro da capital e já se encontram nos ônibus de Porto Alegre. As inscrições para a edição 2013 – cujos poemas selecionados circularão em 2014 – encerraram-se no dia 17 de maio.

André Telucazu Kondo Poemas são colocados nos trens pela Gerência de Comunicação Integrada

Foto: Marco Pecker

Hoje, já no fim da linha surpreso, reencontro a poesia adormecida em um dormente ainda me esperando na mesma estação

“Amo viajar e amo a literatura. O que poderia ser melhor do que unir as duas coisas? Foi uma grande alegria ver o meu poema embarcando em uma viagem pelos trens e ônibus de POA, graças ao concurso literário. Posso afirmar que concursos assim realmente me fazem viajar...” André Telucazu Kondo, escritor

Mudar totalmente de direção. Foi o que fez Bruno Vasconcellos, recém-chegado na Trensurb. O assistente operacional começou seu treinamento em abril e, desde o dia 16 de maio, trabalha na Estação Mercado. Com apenas 22 anos, ele tem um histórico profissional um tanto particular: antes de ser metroviário foi militar da Marinha do Brasil por dois anos. Bruno conta que decidiu prestar o concurso público para a Trensurb porque, devido à carreira militar, morava em Rio Grande e queria voltar para Porto Alegre – cidade em que nasceu e foi criado – para ficar mais próximo das pessoas mais importantes em sua vida. “Se continuasse na Marinha, teria que morar cada vez mais longe”, relata. Ele observa que, a longo prazo, o salário se-

ria maior lá, mas “o que importa mais é a satisfação profissional. A pessoa tem que se sentir bem, fazer o que gosta”. O assistente afirma que está aprovando a nova fase: “Eu não tinha experiência com público, mas estou achando interessante ter esse envolvimento e ajudar as pessoas”. Nesse redirecionamento, seu próximo passo é ingressar em uma faculdade, provavelmente no curso de engenharia civil. Da época de militar, Bruno herdou o gosto pelas atividades físicas, principalmente corrida e musculação. No tempo livre, ele ainda gosta de sair com a namorada e com os amigos. “Também sou muito curioso, gosto de estar sempre lendo e buscando informações”, conta.

Foto: Luana Rosales

Trilhando novos caminhos


Foto: Marco Pecker

Sinalizando novos tempos

Notícias Trensurb  
Advertisement