Page 1


2

RTV|08-09|2007


os fluídos hidrocarbonetos, tanto alifáticos como aromáticos, da marca ExxonMobil; e inclusive passa a operar na Argentina, num novo Centro de Distribuição. O leitor conhecerá ainda o solvente lançado pela Rhodia. Em entrevista, Alexandre Castanho, diretor da área de solventes - América Latina revela maiores detalhes, inclusive a estrutura internacional que foi projetada. Também estivemos na Unipar Comercial para saber o posicionamento da empresa frente as grandes mudanças no segmento petroquímico; e outras novidades estão na seção Atualidades. Esperamos que apreciem a leitura e nos encontramos no 10º Congresso Internacional de Tintas. Visitem nosso estande!

En las próximas páginas, podrá leer el reportaje especial sobre la 1ª Conferencia Técnica Tintas & Vernizes, promovida por Morrell Editora Técnica en alianza con la Facultad de Ingeniería Industrial (FEI). La iniciativa movilizó durante meses al equipo, pero el resultado lo compensó. Reunimos estudiantes, fabricantes y proveedores de pinturas en el intercambio de experiencias a través de conferencias técnicas y alcanzamos el objetivo con mucho éxito. Los segmentos de sílices y de dispersantes en pinturas son temas de esta edición. Consultamos a proveedores que se desarrollan en el universo de estos insumos para que resaltáramos las novedades en productos y trazáramos opiniones del mercado. La revista también realizó un reportaje exclusivo en

Gafor Distribuidora. Como novedad, la empresa está comercializando los fluidos hidrocarburos, tanto alifáticos como aromáticos, de la marca ExxonMobil, e inclusive ahora opera en Argentina, en un nuevo Centro de Distribución. El lector conocerá también el solvente lanzado por Rhodia. En entrevista, Alexandre Castanho, director del área de solventes - América Latina - revela mayores detalles, inclusive la estructura internacional que fue proyectada. También estuvimos en Unipar Comercial para conocer el posicionamiento de la empresa frente a los grandes cambios en el sector petroquímico; y las otras novedades están en la sección Actualidades. Esperamos que aprecien la lectura y nos encontramos en el 10º Congreso Internacional de Pinturas. ¡Visiten nuestro stand!

In the next pages you can know more about the special report about the 1st Technical Conference Tintas & Vernizes, promoted by Morrell Editora Técnica, in partnership with the Faculdade de Engenharia Industrial (Industrial Engineering School - FEI). The initiative mobilized for months the staff, but the result was compensating. We gathered students, manufacturers and paint suppliers in the exchange of experiences through the technical lectures and we achieved our objective successfully. The sectors of silicas and dispersing agents in paints are subjects in this edition. We consulted suppliers that work in the field of these inputs, so that we could emphasize the news in products and trace the opinions of the market.

The magazine also carried out one exclusive at Gafor Distribuidora. As a novelty, the company is commercializing ExxonMobil’s hydrocarbon fluids, as the aliphatic as the aromatic; and also starts operations in Argentina, in a new Distribution Center. You will also learn about the new solvent launched by Rhodia. In interview, Alexandre Castanho, Latin America - solvents director, reveals more details, including the international structure that was projected. We were also in Unipar Comercial to know the positioning of the company to face the big changes in the petrochemical sector; and other novelties are in the section Current Affairs. We expect you enjoy the lecture and let’s meet in the 10th International Paint Congress. Visit our stand!

RTV|08-09|2007

3

EDITORIAL

A reportagem especial sobre a 1ª Conferência Técnica Tintas & Vernizes, promovida pela Morrell Editora Técnica em parceria com a Faculdade de Engenharia Industrial (FEI), poderá ser conferida nas próximas páginas. A iniciativa mobilizou por meses a equipe, mas o resultado compensou. Reunimos estudantes, fabricantes e fornecedores de tintas na troca de experiências através de palestras técnicas e atingimos o objetivo com muito sucesso. Os segmentos de sílicas e de dispersantes em tintas são temas desta edição. Consultamos fornecedores que atuam no universo destes insumos para ressaltarmos as novidades em produtos e traçarmos opiniões de mercado. A revista ainda realizou uma exclusiva na Gafor Distribuidora. Como novidade, a empresa está comercializando


Fundador

Homero Bellintani 26-04-1919 02-02-1992

Diretor Presidente

F. L. Morrell

06

18-03-1927 23-10-2001

Conferência Técnica

Diretor Comercial

Francis Louis Morrell Júnior

Diretora Executiva

Francely Morrell

Projeto Gráfico

Kinthos Criação e Design ME

16 Sílicas

Publicidade

Carlos A. Cunha Salvador Valente Junior

Colaboradores

Gabriela Lozasso (Mtb. 26.667) Márcia Sílvia Ito

Edição Bimestral

DISPENSADA

Ano 46 | nº 232 | 08-09/2007

DA EMISSÃO DE DOCUMENTAÇÃO FISCAL,

CONFORME PEDIDO DE REGIME ESPECIAL PROTOCOLO Nº

2.346/91

“TINTAS & VERNIZES” É

DE

04/07/91

MARCA REGISTRADA PELA

MORRELL EDITORA TÉCNICA

DESDE

1959

E SUA UTILIZAÇÃO ,

SEM AUTORIZAÇÃO, É VEDADA EM QUALQUER FORMA.

32 36 60 64 70 73 92

Posicionamento

Dispersantes

Expansão

Novidade

Produto

Atualidades

Artigo Técnico

As opiniões dos artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando, necessariamente, os da revista.

infotintas.com.br

Rua Filomena Parmigiani Fiorda, 140 - Santo Amaro - Cep: 04756-130 - São Paulo/SP Fone: (011) 5645-0505 - Fax: (011) 5645-0509 - revista@tintasevernizes.com.br CNPJ 44.365.260/0001-36

4

RTV|08-09|2007


SÓ QUEM TEM HISTÓRIA PODE CONTAR

O que foi notícia em agosto de 1960 (47 anos atrás)

EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE TINTAS E VERNIZES NOS ESTADOS UNIDOS

AGOSTO DE 1960 OUTUBRO, EM ILLINOIS Convite da Associação Nacional de Tintas, Vernizes e Lacas, dos Estados Unidos, extensivo aos industriais brasileiros, foi recebido pelo Escritório Comercial do Brasil em Nova York, para participação na 73.a Convenção da entidade, a realizar-se em Chicago, Illinois, no período de 27 a 29 de outubro próximo. O principal atrativo da 73.a Convenção da Associação Nacional de Tintas , Vernizes e Lacas dos Estados Unidos, será a Exposição Internacional de Tintas, Resinas e Vernizes, do corrente ano. Mais de dois mil industriais norte-americanos, desse setor, estarão presentes ao certame. Por outro lado, a exposição dará aos varios paises que nela se fizerem representar a oportunidade de entrar em conta-

to com o mercado ianque. O Escritório Comercial do Brasil em Nova York já enviou circular à indústria brasileira de tintas, vernizes e lacas e está à disposição dos fabricantes para qualquer informação, consulta ou colaboração relativa à Exposição. Por seu turno, a Associação Nacional de Tintas, Vernizes e Lacas dos E.U.A. encarregar-se-á de expor artisticamente o material enviado para a mostra, como cartazes, etiquetas, films, fotografias, slides, catálogos, brochuras descritivas, mostruários de cores, etc., destacando o nome do Brasil e da firma representada, e, ainda, cooperando com os participantes no sentido de trocar dados, informações, com o objetivo de promover maior intercâmbio entre os interessados. Parece-nos que a indústria brasileira de tintas e vernizes, pelo seu notável progresso dos últimos anos, não pode, nem deve, fazer ouvidos moucos a tão lisongeiro convite. RTV|08-09|2007

5


CONFERÊNCIA TÉCNICA

1ª CONFERÊNCIA TÉCNICA TINTAS & VERNIZES É REALIZADA COM SUCESSO NA FEI As apresentações foram destinadas aos alunos de 4º e 5º anos da FEI e aos químicos formuladores das indústrias de tintas do país. Com o objetivo de informar e atualizar este público, as palestras abordaram conceitos de química em tintas, novos produtos e tecnologias A Morrell Editora através da revista Tintas & Vernizes promoveu no dia 28 de agosto a 1ª Conferência Técnica em parceria com a Faculdade de Engenharia Industrial (FEI). A iniciativa aconteceu em um dos auditórios do Centro Universitário da FEI, que fica em São Bernardo do Campo (SP) e contemplou seis palestras técnicas que foram ministradas por grandes empresas do setor de matérias-primas para o segmento de tintas – Bunge / Biphor™, Carbono, Eastman, Ipiranga Química, Makeni Chemicals, Reichhold – que patrocinaram o evento, que inclusive contou ainda com o apoio da Bandeirante Química/Brazmo. As apresentações foram destinadas aos alunos de 4º e 5º anos da FEI e aos químicos formuladores das indústrias de tintas do país. Com o objetivo de informar e atualizar este público, abastecendo-os com informações importantes para o futuro, as palestras abordaram conceitos de química em tintas, novos produtos e tecnologias. “Quando fui procurada, dois anos 6

RTV|08-09|2007

atrás, para fazer uma pesquisa e elaborar um projeto junto aos alunos, achei que deveria aumentar o meu desafio. Pensei que atingir apenas os alunos era insuficiente para realizar um bom projeto e assim, veio a idéia de promover uma integração entre os químicos, os alunos e os gerentes das indústrias, para um intercâmbio mais proveitoso. Tanto os alunos quanto os químicos têm carência de informação. Em contrapartida, as indústrias sentem necessidade de apresentar aos químicos seus produtos e a melhor forma de

Luiz Carlos Bertevello, coordenador do curso de Engenharia Química da FEI e Francely Morrell, diretora executiva da Morrell Editora

aplicá-los, e também de captar novos talentos que estão saindo das universidades, através de programas de trainee”, explica Francely Morrell, diretora executiva da Morrell Editora Técnica. Desta forma, a Conferência foi realizada dentro de uma consagrada faculdade, reforçando a comunicação entre a indústria fornecedora de matérias-primas e os seus consumidores, além de promover uma maior aproximação destas empresas com o universo acadêmico, mostrando aos alunos que pretendem ingressar no mercado, todas as oportunidades que o segmento pode oferecer. “Nosso negócio é a formação de engenheiros, e a palavra que me vem à mente após a realização desta Conferência da revista Tintas & Vernizes é satisfação. A revista teve uma feliz idéia reunindo gerentes, industriais e estudantes num ambiente universitário como o da FEI. Elogio a qualidade das palestras, as quais foram feitas por pessoas tecnicamente capacitadas, e vimos inovações em química que nos


RTV|08-09|2007

7


CONFERÊNCIA TÉCNICA

deixam muito orgulhosos”, finaliza Luiz Carlos Bertevello, coordenador do Curso de Engenharia Química, da FEI. Segundo observação de Francely, o público presente foi bem receptivo aos temas e interagiram com várias perguntas. Uma avaliação feita pela revista, apontou que os comentários e opiniões foram mais de 90% favoráveis. “O evento foi um sucesso e já tenho algo mais elaborado para este projeto para o ano que vem”, avisa. Na oportunidade, os alunos e formuladores puderam conferir os seguintes temas: Resinas Poliésteres Sólidas – por Antonio Carrascosa, gerente de tecnologia, da Reichhold do Brasil Esta apresentação teve como objetivo demonstrar de forma sintética o que são, como são obtidas, quais são as principais características químicas e físicas e onde são aplicadas as resinas poliésteres sólidas. Portanto, nesta palestra, os estudantes puderam conferir de perto as características das Resinas Poliésteres Sólidas para Fabri-

Antonio Carrascosa, da Reichhold do Brasil

8

RTV|08-09|2007

cação de Tintas em Pó, e também foi apresentado um Fluxograma de Produção de uma Resina Poliéster para Tintas em Pó, assim como os processos de produção e dados do mercado de tintas em pó. As resinas poliésteres sólidas são muito utilizadas em formulações de tintas em pó, aplicadas principalmente em peças metálicas, tais como, armários de aço, eletrodomésticos, autopeças, etc., apresentando crescimento de volume acima da média das resinas líquidas nos últimos anos, devido a diversos fatores, como a eliminação da emissão de voláteis (VOC’s) e a maior eficiência de transferência em seu processo de aplicação. Essas resinas são obtidas das reações entre poliálcoois e poliácidos especiais que transmitem produtos com ponto de fusão e temperatura de transição vítrea elevados, o que possibilita que o produto final permaneça no estado sólido. Promotores de Aderência e Novos Desenvolvimentos – por Renan Urenhiuki Imar, representante de desenvolvimento técnico da Eastman do Brasil para a América Latina O palestrante Renan Urenhiuki Imar, representante de desenvolvimento técnico da Eastman do Brasil para a América Latina, abordou os tipos existentes de poliolefinas e suas aplicações, citando os substratos mais difíceis para a adesão de uma tinta. Foram ressaltadas as razões que podem resultar em uma baixa aderência das tintas em vários tipos de substratos como, por exemplo, polipropileno, polietileno, aço, alumínio galvanizado, entre outros; além dos possíveis tratamentos que buscam uma melhora na aderência das tintas. Imar também apresentou um estudo mais profundo

Renan Urenhiuki, da Eastman do Brasil

sobre as características das poliolefinas cloradas, buscando relacionar a quantidade de cloro nas propriedades físico-químicas das poliolefinas, bem como a influência da temperatura na aderência em diversos sistemas de aplicação. O mercado de poliofinas se divide em 66% voltado para o segmento automotivo e 34% para outros, como embalagens, plástico de engenharia, aplicação em computadores, etc. Novas Tecnologias em Sistemas Epoxy – por Sérgio Rubio, gestor de Laboratório e Aplicações Técnicas, da Ipiranga Química Foi feita uma explanação geral sobre sistemas epóxis, suas características, aplicações, vantagens e desvantagens. Foram apresentados novos produtos neste segmento, cujo desempenho transcende o apelo ambiental. Foram citados tipos de agentes de cura para sistemas alto sólidos com ótima relação custo/benefício; além de sistemas aquosos para concreto verde, piso cimentício de alto desempenho e pisos com excelente resistência ao amarelamento.


RTV|08-09|2007

9


CONFERÊNCIA TÉCNICA

nas epóxi, no que tange as propriedades finais obtidas.

Sérgio Rubio, da Ipiranga Química

Novas Tecnologias em Poliamidas (não-tecidos) – por Rodrigo Lopes Rodrigues, da área de Pesquisa e Desenvolvimento de produtos, na unidade Sul da Carbono Há muito tempo usam-se poliamidas como agentes de cura de resinas epóxi, devido as excelentes propriedades do material curado. O trabalho apresentado discutiu a produção de poliamidas em relação as matérias-primas utilizadas, e a sua influência nas características da poliamida. Também tratou do mecanismo de cura nas resi-

Rodrigo Lopes Rodrigues, da Carbono

10 RTV|08-09|2007

Coalescente Vegetal: Nova Tendência para a Formulação de Tintas – por Klaus Raske, gerente de mercado, da Makeni Chemicals A apresentação abordou o perfil da linha Oxi Cure®, a qual, segundo o palestrante, são produtos de origem vegetal com aprovação ambiental, derivado da glicerina e utilizado como alternativa de substituição aos derivados do petróleo. O produto já está sendo exportado para os Estados Unidos. O Oxi-Cure® 1000 é um agente redutor da temperatura mínima de formação do filme da tinta imobiliária. É um conceito inovador de coalescência. Ele é atóxico e não evapora como os demais. Ocorre um processo de reticulação e oxidação com os componentes da tinta. Neste sentido, a Makeni Chemicals, acompanhando as tendências mundiais em desenvolver produtos que preservem o meio ambiente, investiu em um completo laboratório de aplicação para tintas imobiliárias com o intuito de fornecer um suporte adicional às necessidades técnicas de seus clientes. Deste laboratório surgiu grande parte dos trabalhos de aplicação apresentados na 1ª Conferência Técnica Tintas & Vernizes / FEI. A distribuição no mercado interno é fruto do acordo entre a Makeni Chemicals e a Cargill que, além de oferecer a linha Oxi Cure® 1000, disponibiliza também óleos vegetais, agentes de coalescência vegetal, glicerina, lecitina de soja e outra grande novidade, os polióis de base vegetal, em substituição aos polióis tradicionais utilizados na fabricação de resinas.

Klaus Raske, da Makeni Chemicals

Efeito Excepcional de Partículas Nanoestruturadas de Fosfato de Alumínio na Performance do Novo Pigmento Branco, o Biphor™ - por Gilmar de Oliveira Pinheiro, gerente comercial e de aplicações do Biphor™ na Bunge Fertilizantes O palestrante abordou as características do Biphor™, os mecanismos de funcionamento e seus efeitos excepcionais, como um produto da nanotecnologia aplicada à química inorgânica. Trata-se de um fosfato de sódio alumínio amorfo com proprie-

Gilmar de Oliveira Pinheiro, da Bunge Fertilizantes


RTV|08-09|2007

11


CONFERÊNCIA TÉCNICA

dades opacificantes que, durante o processo de coalescência do filme da tinta onde foi aplicado, desenvolve “vazios” de dimensões nanométricas (15 a 45 em média) que atuam como potentes agentes de reflexão da luz no filme da tinta, ou seja, tendo um comportamento similar a tradicionais pigmentos como o óxido de

titânio, por exemplo. Em razão da estrutura amorfa do Biphor™ e da não existência de uma estequiometria definida, ele poderia ser também definido como um polímero iônico entrelaçado. Na apresentação, foi retratada a parte de reflectância e absorção do produto, comparado ao dióxido de

titânio – o Biphor™ tem hoje o maior nível de substituição do TiO2 do mercado; e foi dado exemplo de sua eficiência numa formulação de tinta decorativa. O Biphor™está em escala experimental, mas há previsão de uma planta de produção do produto no Brasil, talvez em meados de 2011.

OPINIÃO DO PÚBLICO - O QUE VOCÊ ACHOU DA CONFERÊNCIA TÉCNICA TINTAS & VERNIZES?

“Já estou trabalhando na área de tintas, então achei muito interessante e enriqueceu meus conhecimentos”, Juliana Pantalena (4º ano de FEI) “As explanações foram bem objetivas, claras e melhor ainda: abordaram não só produtos, mas também o mercado e o processo de tinta no material” Mariana Yamaguri (9º ciclo-FEI), Norma Saderi Moreira (9º ciclo-FEI) Heloisa Emi Hoga, (10º ciclo-FEI) “Achamos muito bom até porque os palestrantes se prontificaram a ajudar os alunos, a sanar dúvidas, mostrar os termos profissionais e dar uma noção do mercado de tintas”, Maria Carolina Conejero (9º ciclo-FEI) e Paulo Vitor Leite Penachio (8º ciclo-FEI) “A iniciativa da revista Tintas & Vernizes foi muito boa, e a participação dos alunos está excelente. É uma oportunidade de passar a experiência e a realidade de um mercado para que um dia eles possam atuar. Nesta conferência, tanto eles (os alunos) aprendem, como nós também”, Márcia Marreiro e Luciana Almeida, ambas da Bandeirante Química/Brazmo “A presença e a participação dos alunos me surpreendeu muito. Uma ação como esta da revista Tintas

& Vernizes enriquece tanto a faculdade como a indústria. Parabéns”, Sérgio Brito, da Carbono “É a primeira vez que vejo um evento com nível igual ou até superior a Semana de Química. A Conferência é excelente e aproxima a escola da empresa, faltava mesmo esta ponte que muito nos ajuda a dar um rumo profissional”, Rodrigo Chaves Ghiro (9º ciclo-FEI) “A Conferência parece a realização de um sonho. As empresas falando com seus futuros clientes na fase de estudos. Isso é muito bom e tem que ser freqüente e com abrangência. Aproxima o aluno da realidade e da prática do que ele está aprendendo”, Ayrton Macedo Eyherabide, da Reichhold “Em termos de aproveitamento foi excelente. Estamos no ambiente certo para aprender, conhecer e trocar experiências. Temos que acompanhar tudo que existe de novidade para buscar melhorias e até preservar o meio ambiente”, Américo S. Ishizaki, da Natrielli “Foi bem interessante. Algumas palestras foram bem didáticas, ressaltando temas de interesse dos alunos e estabelecendo aproximação com o mercado de tintas”, Luis Fernando Novarezzi, pro-fessor da FEI

Francely, “venho somente agradecer o excelente Seminário organizado por vocês da revista Tintas & Vernizes. Impecável em todos os aspectos.” Hugo Antunes, assistente de marketing e comunicações para América Latina, da Eastman.

12 RTV|08-09|2007


RTV|08-09|2007

13


CONFERENCIA TÉCNICA

La 1ª Conferencia Técnica Tintas & Vernizes es realizada con éxito en la FEI Morrell Editora a través de la revista Tintas & Vernizes promovió, el 28 de agosto, la 1ª Conferencia Técnica en sociedad con la Facultad de Ingeniaría Industrial (FEI). La iniciativa se llevó a cabo en uno de los auditorios del Centro Universitario de la FEI, localizada en São Bernardo do Campo (SP) y comprendió seis conferencias técnicas que fueron dictadas por grandes empresas del sector de materias primas para el segmento de pinturas – Bunge / Biphor™, Carbono, Eastman, Ipiranga Química, Makeni Chemicals, Reichhold – que patrocinaron el evento, que inclusive contó también con el apoyo de Bandeirante Química/Brazmo. Las presentaciones fueron destinadas a los alumnos de 4º y 5º años de la FEI y a los químicos formuladores de las industrias de pinturas del país. Con el objetivo de informar y actualizar este público, proporcionándoles información importante para el futuro, las conferencias abordaron conceptos de química en pinturas, nuevos productos y tecnologías. “Cuando me llamaron hace dos años, para hacer una investigación y elaborar un proyecto junto con los alumnos, pensé que debería aumentar mi desafío. Pensé que alcanzar solamente a los alumnos era insuficiente para realizar un buen proyecto, y así vino la idea de promover una integración entre los químicos, los alumnos y los gerentes de las industrias, para un intercambio más provechoso. Tanto los alumnos como los químicos carecen de información. En cambio, las industrias sienten necesidad de presentar a los químicos sus productos y la mejor forma de aplicarlos, y también de captar nuevos talentos que estén saliendo de las universidades, a través de programas de entrenamiento”, explica Francely Morrell, directora ejecutiva de Morrell Editora Técnica. De esta forma, la Conferencia se realizó dentro de una consagrada facultad, reforzando la comunicación entre la industria proveedora de materias primas y sus consumidores, además de promover una mayor aproximación de estas empresas con el universo académico, mostrando a los alumnos que pretenden ingresar en el mercado, todas las oportunidades que el segmento puede ofrecer.

14 RTV|08-09|2007

TECHNICAL LECTURE

1st Tintas & Vernizes Technical Lecture is successfully carried out at FEI Morrell Editora, through Tintas & Vernizes magazine, promoted in August 28 the 1st Technical Lecture, in partnership with Faculdade de Engenharia Industrial (FEI - Industrial Engineering School). The initiative was held at one of the auditoriums of FEI University Center , in São Bernardo do Campo (SP) and comprised six technical lectures, given by big companies of the raw material sector for the paint industry – Bunge / Biphor™, Carbono, Eastman, Ipiranga Química, Makeni Chemicals, Reichhold – that sponsored the event, that even had the support of Bandeirante Química/Brazmo. The lectures were intended for students of 4th and 5th years of FEI and to the chemists formulators of the paint industry of the country. Aiming at informing and updating this audience, supplying them with important information for the future, the lectures approached chemical concepts in paints, new products and technologies. “When I was required, two years ago, to make a research and prepare a project together with the students, I thought that I should raise my challenge. I thought that achieving only the students was not enough to carry out a good project, and then, came up the idea of promoting an integration among chemists, students and managers of the companies, for a more beneficial exchange. Both the students and chemists have a lack of information. In the other hand, the companies feel the need of introducing to the chemists their products and the best way to apply them, and also to find new talents graduating from schools, through trainee programs”, explains Francely Morrell, executive director of Morrell Editora Técnica. Thus, the Lecture was carried out at a recognized school, reinforcing the communication between the raw material supplying industry and their consumers, besides promoting a closer approach of these companies with the academic universe, showing to the students that intend to get into the labor market, all the opportunities that the sector can offer.


RTV|08-09|2007

15


SÍLICAS

SÍLICAS EM TINTAS: SOLUÇÕES DE PERFORMANCE A procura dos fabricantes de tintas e vernizes por matérias-primas cada vez mais nobres, aliada as constantes exigências do fator ambiental, tem levado os fornecedores de insumos a atender tais necessidades e buscar novas soluções. Apesar das sílicas formarem um mercado bem estabelecido - para alguns especialistas já atingiu sua plenitude - é um segmento que não fica de fora deste objetivo, e que também foca determinadas inovações. Conforme explica Léa Sgai, gerente de marketing - América Latina, da Cabot, o fato das sílicas pirogênicas serem uma especialidade, pois conferem características únicas para a formulação de tintas, sua utilização vem crescendo ano a ano, devido justamente a constante busca das empresas por um desempenho superior. Entretanto, ela acredita que muitas indústrias, talvez por falta de conhecimento, usam um só tipo de sílica para todos os sistemas, esquecendo que, em virtude do seu tratamento especial e as diferentes polaridades dos distintos sistemas, as sílicas tratadas deveriam ser utilizadas, pois apresentam melhor performance. Para José Carlos Bartholi, diretor comercial da Minérios Ouro Branco, o mercado de sílicas ainda está em expansão, e trata-se de um produto que

pode vir a substituir várias cargas usadas hoje em dia, porém com vantagens muito superiores, principalmente os tipos que possuem tratamento superficial. Na opinião de Bartholi, a barreira para esse avanço é o preço do produto que ainda está muito aquém do esperado. Outro ponto a ser ressaltado é a tendência mundial ao acabamento fosco. Isto vem de encontro ao chamado efeito “soft touch” – de ser agradável ao toque – que está desencadeando um aumento na demanda por materiais foscos e, ao mesmo tempo, indicando maior movimentação em sílicas com alto poder de fosqueamento. José Vicente de Paiva Bezerra, gerente comercial da Ineos Sílicas Brasil, também lembra que o uso das sílicas fosqueantes para aplicação de revestimentos em UV (ultravioleta) cresce a cada dia, principalmente em indústrias de produtos de madeira, móveis e pisos. As sílicas podem ser de vários tipos e aplicadas nos mais diversos segmentos, sendo o de borracha um grande consumidor do insumo, porém na área de tintas elas são utilizadas para determinadas funções como no controle de reologia, para melhorar a fluidez, resistência, trabalhar como extenders de dióxido de titânio, e muitas outras

propriedades relacionadas a performance de uma tinta. A Degussa/Evonik foi a inventora do processo de obtenção do dióxido de silício por pirogenia, isto significa que a empresa é pioneira mundial no desenvolvimento de sílicas pirogênicas, fato ocorrido em 1941. Não é à toa que possui uma das linhas mais amplas e variadas da matéria-prima, comercialmente consagrada pela marca Aerosil®. Suas variações podem atender tintas industriais de todos os tipos, automotivas originais e de repintura, protetivas, em pó, de impressão e decorativas. Em termos de função, a linha Aerosil traz para estas aplicações características atreladas ao controle reológico, podendo-se dizer que trabalham como anti-sedimentantes e como agentes tixotrópicos, além de atuarem como aditivos de dispersão, estabilização de pigmentos, anticorrosivo e de fluidez. As sílicas pirogênicas hidrofílicas constituem uma série mais antiga, de primeira geração, que através de tratamento superficial com silanos ou siloxanos, geraram as sílicas hidrofóbicas, de segunda geração, com diversos produtos e amplo campo de uso. Segundo o gerente de produto –

foto: gentilmente cedida pela Cabot

16 RTV|08-09|2007


RTV|08-09|2007

17


SÍLICAS

Alex Fabretti, Camila Pecerini e Joaquim Melo, da Degussa/Evonik

Aerosil & Silanes, Alex Fabretti, o número de opções de sílicas hidrofóbicas da Degussa é superior aos existentes no mercado, proporcionando produtos específicos para cada tipo de aplicação, um forte diferencial. Com o passar dos anos passou-se a trabalhar também na estrutura física do material, desencadeando as chamadas sílicas de estrutura modificada que beneficiam, principalmente, o aumento da resistência ao risco. Nesta classe, a Degussa tem uma variedade de soluções e está trazendo como inovação uma dispersão de uma sílica com estrutura modificada, denominada VP Disp.CO 1030, lançada oficialmente no último European Coatings Show – ECS 2007, em Nürnberg na Alemanha.

18 RTV|08-09|2007

Conforme esclarece Fabretti, trata-se de uma dispersão em MPA (metoxi-propil acetato) da sílica pirogênica Aerosil® R 9200, direcionada para aumentar a resistência ao risco de sistemas transparentes (clear-coating) bicomponentes alto sólidos. Segundo o gerente de produto, a nova dispersão VP Disp.CO 1030 traz como vantagens fácil incorporação, redução de tempo de processo e garantia de perfeita dispersão, permitindo o alcance máximo da performance. A Degussa também oferece uma grande variedade de sílicas fosqueantes, que atuam na superfície da tinta mudando o caminho de reflexão da luz, tornando-o irregular e gerando o efeito fosco. Este tipo de acabamento é desejado em várias aplicações, como

couro, embalagens, painéis automotivos e placas de sinalização. O chamado efeito “soft touch” – ser agradável ao toque – é claramente uma tendência que vem sendo difundida no desenho de novos produtos e embalagens. Tendo em vista este fato, a Degussa incrementou a sua linha Acematt® de agentes fosqueantes com o novo Acematt® 3300. Trata-se de uma sílica pirogênica de alto fosqueamento, desenhada para proporcionar a propriedade soft touch entre outros benefícios, conforme destacam o representante técnico/comercial, Joaquim Melo; e a coordenadora de negócios, Camila Pecerini, ambos da unidade de Cargas Avançadas e Pigmentos. Segundo eles, o Acematt® 3300 não interfere na transparência da tinta ou verniz, tornando-se ideal em revestimentos para madeira, plástico e couro; propiciando um elegante acabamento fosco bem como a destacada sensação de ser agradável ao toque. Melo e Camila garantem ainda que o produto tem capacidade de melhorar a estabilidade e de interferir pouco na viscosidade. Na classe de sílicas precipitadas, a Degussa promove sua linha Sipernat® com agentes de escoamento e antiumectantes como Sipernat® 22 LS para tintas em pó, além de agentes antiblocking em tintas de impressão como Sipernat 310. Dentro da família existe ainda o Sipernat® 820 A, um sílico aluminato


RTV|08-09|2007

19


SÍLICAS

rísticas acima mencionadas, proporciona resistência à corrosão (para sistemas PU/ Epóxi). “A Cabot investe constantemente em novas tecnologias para oferecer ao setor a melhor solução para cada formulação. Preocupada sempre em atender as necessidades de seus clientes e parceiros, a empresa inaugurou recentemente sua sexta unidade de sílica pirogênica na China com a mais moderna tecnologia existente no mercado, sendo considerada uma planta state-of-the-art”, destaca Léa. Léa Sgai, da Cabot

de sódio que age como extender de dióxido de titânio (TiO2), podendo substituir parcialmente esta matéria-prima em formulações base água. A Cabot oferece completa linha de sílicas pirogênicas Cab-O-Sil hidrofílicas e hidrofóbicas, com ênfase nas sílicas especiais para tinta em pó CT1111G que confere uma maior fluidez, prometendo melhorar a performance final da tinta. Além disso, possui a série de alumina pirogênica Spectral que confere resistência à abrasão, que é amplamente utilizada em sistema de tribo charge para tinta em pó. De acordo com Léa Sgai, gerente de marketing - América Latina, da Cabot, as sílicas Cab-O-Sil hidrofílicas conferem para a maioria dos sistemas fluidez, tixotropia e antiescorrimento, sendo que a sílica tratada (hidrofóbica), além das caracte-

20 RTV|08-09|2007

A Ineos Sílicas possui sete plantas espalhadas ao redor do mundo, com capacidade para produzir sílicas (além de silicatos e zeólitos) para alguns setores como tintas, cervejas e óleos comestíveis, plásticos, personal care, entre outros. A empresa tem projetos para a melhoria do controle de qualidade de seus produtos, e estudos para a ampliação de sua capacidade a curto prazo. Os principais destaques dos produtos da Ineos Sílicas Brasil para o segmento de tintas são as sílicas fosqueantes para aplicação de revestimentos em UV, cuja procura cresce a cada dia, principalmente em indústrias de produtos de madeira, móveis e pisos. Segundo José Vicente de Paiva Bezerra, gerente comercial da Ineos Sílicas Brasil, são várias as vantagens da sílica gel comercializada para a área de tintas, como por exemplo, o seu alto

poder de fosqueamento, sobretudo, no tratamento de superfícies, acabamentos para madeira, além de couros, plásticos e pigmentados. “Contamos com um grande diferencial, pois temos uma planta com alta capacidade de produção e otimizada para atender toda a América Latina, sem contar com a vantagem de importamos os grades fabricados em nossa matriz na Inglaterra. Tudo isso para proporcionar aos nossos clientes produtos de qualidade, preço adequado às formulações, pontualidade e competitividade internacional”, ressalta Bezerra. Recentemente a Ineos Sílicas Brasil passou por uma modificação em sua estrutura organizacional, na qual redirecionou alguns executivos para determinadas áreas e projetou o contrato de novos profissionais. Tratando-se do Grupo como um todo, no mesmo mês de maio a Ineos Sílicas assinou o acordo de compra do negócio global de sílicas da Millennium Chemicals Inc, USA. A empresa é fornecedora de sílicas para tintas, inkjet, antiblock e cervejas e seus produtos têm as seguintes denominações comerciais: SilCRON® e Sil-PROOF®. Estas marcas devem continuar no mercado e a aquisição faz com que a Ineos Sílicas acelere a sua estratégia de negócios que é crescer no segmento. A Minérios Ouro Branco trabalha com a sílica amorfa precipitada Ourosil 210 e com a sílica cristalina OB-


José Carlos Bartholi, da Minérios Ouro Branco

6290. O Ourosil 210 é uma sílica amorfa precipitada que confere excelente dispersão, com a finalidade de melhorar as propriedades reológicas da tinta, além de funcionar como agente fosqueante. Por outro lado, para melhorar as características mecânicas, a empresa oferece a sílica cristalina ventilada OB-6290 utilizada em esmaltes, tintas industriais e para piso que necessitam de um bom acabamento e alta resistência. “A sílica OB-6290 chega a atingir 6,5 hegmann somente em dispersão, não havendo necessidade de passar pelo moinho. Este fato é bastante benéfico, já que agiliza tempo de processo e evita o desgaste de equipamentos”, afirma José Carlos Bartholi, diretor comercial da Minérios Ouro Branco. Atualmente, a sílica cristalina representa em torno de 50% das exportações da empresa no Mercosul. Mas Bartholi revela que a próxima meta será a importação das sílicas amorfas para o mercado local. A Ipiranga Química é o distribuidor das sílicas pirogênicas HDK ®

produzidas pela Wacker Silicones, na Alemanha, estando estruturada para atender as necessidades do mercado quanto a aplicação técnica e estoque local. A maior importância da aplicação técnica das sílicas pirogênicas HDK® , consiste na atuação nas propriedades reológicas; como a tixotrópica, no controle de fluxo e viscosidade em sistemas líquidos, e como agente de espessamento. Estas sílicas consistem em produtos à base de dióxido de silício (SiO2) de alta pureza. O emprego da linha HDK® em tintas e vernizes tem como objetivo ajustar as viscosidades envolvidas durante o processo de aplicação do revestimento ou como agente de fluxo em sistemas de tintas em pó. Conforme esclarece Antonio Carlos Slongo, gestor de marketing – UN Tintas e Adesivos, da Ipiranga Química, uma das mais importantes propriedades do produto é a habilidade de aumentar a viscosidade e promover o efeito tixotrópico. “O estudo reológico mostra a importância destes materiais em tintas, pois a aplicação da tinta ou do verniz

Antonio Carlos Slongo, da Ipiranga Química

RTV|08-09|2007

21


SÍLICAS

sobre o substrato requer um controle de viscosidade no momento da transferência. O líquido deve ser transferido sem que haja escorrimento, respingos ou, em casos de grandes velocidades de transferência (alta taxa de cisalhamento), pulverizações. Neste momento, a viscosidade é reduzida pela ação do cisalhamento aplicado, e as propriedades de umectação (tensão superficial) e alastramento do filme devem ser conseguidas para se obter um filme uniforme, sem defeitos de superfície”, explica. Tendo em vista a necessidade de adição de um agente de controle reológico, Slongo ressalta que para uma estrutura reológica adequada é necessário observar alguns aspectos como: as tintas devem apresentar a propriedade de ter a sua viscosidade reduzida quando submetida a tensões de transferência a uma determinada taxa de cisalhamento; tensões que ocorrem em processos que envolvem altas velocidades provocam alterações no fluxo e na elasticidade da tinta, afetando a formação do filme; além disso, deve-se analisar a restauração da estrutura reológica; e buscar a instrumentação adequada para a avaliação e estudo reológico. “A sílica pirogênica HDK® é uma opção muito importante para o ajuste reológico de uma tinta, verniz ou adesivo; e também um excelente agente de fluxo para tintas em pó. Por ter propriedades inertes, não prejudica a estabilidade do produto final e pode

22 RTV|08-09|2007

Claudinei Luiz Quaglio e Roberto Giannini, da Carbono

ser empregada em diversos tipos de veículos”, enfatiza o gestor. Cabe ainda destacar que o laboratório de Aplicações Técnicas localizado no Centro de Distribuição da Ipiranga Química, em Guarulhos (SP), pode auxiliar os clientes quanto a utilização e aplicação dos produtos, como as sílicas mencionadas, nos desenvolvimentos das formulações. Como parte do portfólio oferecido pela Carbono para o segmento de tintas, a empresa distribui também sílicas pirogênicas e precipitadas da linha Carbosil. A Carbono disponibiliza suas sílicas importadas em estoque local, com fornecimento desde fracionados até grandes quantidades. Entre os produ-

tos, destaque para o Carbosil 150, usado como extender de dióxido de titânio, representando aproximadamente 20% de substituição. “Temos uma gama de produtos que podem dar uma solução completa para o fabricante de tinta. Além do pacote de itens, nosso apoio técnico e de desenvolvimento possibilita trabalhar a formulação junto ao cliente, ajudando-o a melhorar o processo. Contamos com uma linha diversificada de produtos e capacitação técnica para desenvolver aplicações, e em muitos casos podemos oferecer uma condição comercial interessante”, comentam Roberto Giannini, diretor de planejamento de novos negócios, e Claudinei Luiz Quaglio, gerente de mercado, ambos da Carbono.


RTV|08-09|2007

23


SÍLICES

SÍLICES EN PINTURAS: SOLUCIONES DE DESEMPEÑO La demanda de los fabricantes de pinturas y barnices por materias primas cada vez más nobles, aliada a las constantes exigencias del factor ambiental, ha llevado a los proveedores de insumos a atender tales necesidades y buscar nuevas soluciones. A pesar de que las sílices forman parte de un mercado bien establecido - para algunos especialistas ya alcanzó su plenitud - es un sector que no se queda fuera de este objetivo, y que también enfoca determinadas innovaciones. Conforme explica Léa Sgai, gerente de mercadeo - América Latina, de Cabot, el hecho de que las sílices pirogénicas son una especialidad, pues proporcionan características únicas a la formulación de pinturas, su utilización ha venido creciendo a cada año, debido justamente a la constante búsqueda de las empresas por un desempeño superior. Sin embargo, cree que muchas empresas, talvez por falta de conocimiento, usan un sólo tipo de sílice para todos los sistemas, olvidando que, en virtud de su tratamiento especial y las diferentes polaridades de los distintos sistemas, las sílices tratadas deberían utilizarse, ya que

24 RTV|08-09|2007

presentan mejor desempeño. Para José Carlos Bartholi, director comercial de Minérios Ouro Branco, el mercado de sílices todavía está en expansión, y se trata de un producto que puede venir a sustituir varias cargas usadas hoy en día, sin embargo con ventajas muy superiores, principalmente los tipos que cuentan con tratamiento superficial. Otro punto a destacar es la tendencia mundial al acabado opaco. Esto viene a concordar con el llamado efecto “soft touch” – de ser agradable al toque – que está desencadenando un aumento en la demanda por materiales opacos, y al mismo tiempo, indicando mayor demanda en sílices con alto poder opacante. José Vicente de Paiva Bezerra, gerente comercial de Ineos Sílices Brasil, también recuerda que el uso de las sílices opacantes para aplicación de revestimientos en UV (ultravioleta) crece cada día, principalmente en industrias de productos de madera, muebles y pisos. Las sílices pueden ser de varios tipos y aplicadas en los más diversos sectores, siendo el de caucho un gran consumidor del insumo, sin embargo en el área de pinturas, son utilizadas para determinadas fun-

ciones, como en el control de reología, para mejorar la fluidez y la resistencia, trabajar como extenders de dióxido de titanio, y muchas otras propiedades relacionadas al desempeño de una pintura. Degussa/Evonik fue la inventora del proceso de obtención del dióxido de silicio por el proceso de pirogenia, esto significa que la empresa es pionera mundial en el desarrollo de sílices pirogénicas. No en vano cuenta con una de las líneas más amplias y variadas de la materia prima, comercialmente consagrada por la marca Aerosil®. En términos de función, la línea Aerosil ofrece para aplicaciones características vinculadas al control reológico, pudiéndose decir que trabajan como antisedimentantes y como agentes tixotrópicos, además de actuar como aditivos de dispersión, estabilización de pigmentos, de anticorrosivo y de fluidez. Las sílices pirogénicas hidrofilicas constituyen una serie más antigua, de primera generación, que a través de tratamiento superficial con silanos o siloxanos, generaran las sílices hidrofóbicas, de segunda generación, con diversos productos y amplio campo de uso.


Con el paso de los años se empezó a trabajar también en la estructura física del material, desencadenando las llamadas sílices de estructura modificada, que benefician principalmente el aumento de la resistencia a rayaduras. En esta clase, Degussa tiene una variedad de soluciones y está trayendo como innovación una dispersión de una sílice con estructura modificada, denominada VP Disp. CO 1030. Se trata de una dispersión en MPA (metoxi-propil acetato) de la sílice pirogénica Aerosil ® R 9200, destinada a aumentar la resistencia a rayaduras de sistemas transparentes (clear-coating) bicomponentes altos sólidos. Degussa también ofrece gran variedad de sílices opacantes, que actúan en la superficie de la pintura, cambiando el camino de reflexión de la luz, haciéndolo irre gular y generando el efecto opaco. El llamado efecto “soft touch” – suave al toque – es claramente una tendencia que viene a difundirse en el diseño de nuevos productos y embalajes. Teniendo en vista este hecho, Degussa incrementó su línea Acematt® de agentes opacantes con el nuevo Acematt ® 3300. En la clase de sílices precipitadas, Degussa promueve su série Sipernat® con agentes de escurrimiento y antihumectantes como Sipernat ® 22 LS para pinturas en polvo, además de agentes antiblocking en tintas de impresión, como el Sipernat 310. Dentro de la familia existe también el Sipernat ® 820 A, un sílicoaluminato de sodio que actúa como e xtender de dióxido de titanio (TiO2), pudiendo sustituir parcialmente esta materia prima en formu-

laciones de base agua. Cabot ofrece una línea completa de sílices pirogénicas Cab-O-Sil hidrofílicas e hidrofóbicas, destacando las sílices especiales para pintura en polvo CT-1111G, que proporcionan una mayor fluidez, ofreciendo una mejora en el desempeño final de la pintura. Además, cuenta con la serie de alúmina pirogénica Spectral, que proporciona resistencia a la abrasión y que es ampliamente utilizada en sistemas de tribo charge para pinturas en polvo. De acuerdo con Léa Sgai, gerente de mercadeo - América Latina, de Cabot, las sílices Cab-O-Sil hidrofílicas proporcionan para la mayoría de los sistemas fluidez, tixotropía y propiedades anti-escurrimiento, siendo que la sílice tratada (hidrofóbica), además de las características antes mencionadas, proporciona resistencia a la corrosión (para sistemas PU/ Epoxi). “Cabot ha invertido constantemente en nuevas tecnologías para ofrecer al sector la mejor solución para cada formulación. Preocupada siempre en atender las necesidades de sus clientes y aliados, la empresa inauguró recientemente su sexta unidad de sílice pirogénica en China, con la más moderna tecnología existente en el mercado, siendo considerada una planta state-of-theart”, destaca Léa. Ineos Sílicas cuenta con siete plantas distribuidas alrededor del mundo, con capacidad para producir sílices (además de silicatos y zeólitos) para algunos sectores como pinturas, cervezas y aceites comestibles, plásticos y personal care, entre otros. La empresa tiene proyectos para

la mejoría del control de calidad de sus productos, y estudios para la ampliación de su capacidad a corto plazo. Los principales productos destacados de Ineos Sílicas Brasil para el sector de pinturas son las sílices opacantes para aplicación de revestimientos en UV, cuya demanda crece a cada día, principalmente en industrias de productos de madera, muebles y pisos. Según José Vicente de Paiva Bezerra, gerente comercial de Ineos Sílicas Brasil, son varias las ventajas de la sílice gel comercializada para el área de pinturas, como por ejemplo, su alto poder de opacidad, sobre todo, en el tratamiento de superficies, acabado para maderas, además de cueros, plásticos y pigmentados. “Contamos con un gran diferencial, pues tenemos una planta con alta capacidad de producción y optimizada para atender toda América Latina, sin contar con la ventaja de que importamos los grades fabricados en nuestra matriz en Inglaterra. Todo eso para proporcionarle a nuestros clientes productos de calidad, precio adecuado a las formulaciones, puntualidad y competitividad internacional”, destaca Bezerra. Recientemente Ineos Sílicas Brasil pasó por una modificación en su estructura organizacional, en la cual reorientó algunos ejecutivos para determinadas áreas y proyectó el contrato de nuevos profesionales. Tratándose del Grupo en general, en el mismo mes de mayo Ineos Sílicas firmó el acuerdo de compra del negocio global de sílices de Millennium Chemicals Inc, USA. La empresa es proveedora de sílices para pinturas, inkjet, antiblock y cerRTV|08-09|2007

25


SÍLICES

vezas y sus productos tienen las siguientes denominaciones comerciales: SilCRON ® y Sil-PROOF ® . Estas marcas deben continuar en el mercado y la adquisición hace que Ineos Sílicas acelere su estrategia de negocios, que es crecer en el sector. Minérios Ouro Branco trabaja con la sílice amorfa precipitada Ourosil 210 y con la sílice cristalina OB-6290. El Ourosil 210 es una sílice amorfa precipitada que permite una excelente dispersión, con la finalidad de mejorar las propiedades reológicas de la pintura, además de funcionar como agente opacante. Por otro lado, para mejorar las características mecánicas, la empresa ofrece la sílice cristalina ventilada OB-6290 utilizada en esmaltes, pinturas industriales y para pisos que necesitan un bueno acabado y alta resistencia. “La sílice OB6290 llega a alcanzar 6.5 hegmann solamente en dispersión, no habiendo necesidad de pasar por el molino. Este hecho es bastante benéfico, ya que agiliza el tiempo de procesado y evita el desgaste de equipos”, afirma José Carlos Bartholi, director comercial de Minérios Ouro Branco. Actualmente, la sílice cristalina representa alrededor del 50% de las exportaciones de la empresa en el Mercosur. Pero Bartholi revela que la próxima meta será la importación de las sílices amorfas para el mercado local. Ipiranga Química es el distribuidor de las sílices pirogénicas HDK ® producidas por Wacker Silicones, en Alemania, estando estructurada para atender las necesidades del mercado con respecto a aplicación técnica y existencias locales. La mayor impor tancia de la 26 RTV|08-09|2007

aplicación técnica de las sílices pirogénicas HDK®, consiste en la acción sobre las propiedades reológicas; como la acción tixotrópica, en el control de flujo y viscosidad en sistemas líquidos, y como agente de espesamiento. Estas sílices consisten en productos a base de dióxido de silicio (SiO 2) de alta pureza. El empleo de la línea HDK ® en pinturas y bar nices tiene como objetivo ajustar las viscosidades involucradas durante el proceso de aplicación del revestimiento o como agente de flujo en sistemas de pinturas en polvo. Conforme aclara Antonio Carlos Slongo, gestor de mercadeo – UN Tintas e Adesivos, de Ipiranga Química, una de las más importantes propiedades del producto es la habilidad de aumentar la viscosidad y promover el efecto tixotrópico. “El estudio reológico muestra la importancia de estos materiales en pinturas, pues la aplicación de la pintura o del barniz sobre el substrato requiere un control de viscosidad en el momento de la transferencia. El líquido se debe transferir sin que haya escurrimiento, salpicaduras o, en casos de grandes velocidades de transferencia (alta tasa de cizallamiento), pulverizaciones. En este momento, la viscosidad se reduce por la acción del cizallamiento aplicado, y las propiedades de humectación (tensión superficial) y esparcimiento de la película se deben conseguir para que se obtenga una película uniforme, sin defectos de superficie”, explica. Según Slongo, “la sílice pirogénica HDK® es una opción muy importante para el ajuste reológico de una pintura, barniz o adhesivo, y también un excelente agente de flujo para pinturas en polvo. Por tener

propiedades inertes, no perjudica la estabilidad del producto final y puede emplearse en diversos tipos de vehículos”. Cabe también destacar que el laboratorio de Aplicaciones Técnicas localizado en el Centro de Distribución de Ipiranga Química, en Guarulhos (SP), puede auxiliar a los clientes con relación a la utilización y aplicación de los productos, como las sílices mencionadas, en los desarrollos de las formulaciones. Como parte de la cartera de productos ofrecida por Carbono para el sector de pinturas, la empresa distribuye también sílices pirogénicas y precipitadas de la línea Carbosil. Carbono pone a disposición sus sílices importadas en existencias locales, distribuyéndolas desde fraccionadas, hasta en grandes cantidades. Entre los productos, se destaca el Carbosil 150, usado como extender de dióxido de titanio, representando aproximadamente el 20% de sustitución. “Tenemos una gama de productos que pueden dar una solución completa para el fabricante de pinturas. Además del paquete de ventajas, nuestro soporte técnico y de desarrollo permite trabajar la formulación junto con el cliente, ayudándolo a mejorar el proceso. Contamos con una línea diversificada de productos y capacitación técnica para desarrollar aplicaciones, y en muchos casos podemos ofrecer una condición comercial interesante”, comentan Roberto Giannini, director de planificación de nuevos negocios, y Claudinei Luiz Quaglio, gerente de mercado, ambos de Carbono.


RTV|08-09|2007

27


SILICAS

SILICAS IN PAINTS: PERFORMANCE SOLUTIONS The search for more and more noble raw materials by paint and varnish manufacturers, together with the constant environmental requirements, has lead the input suppliers to fulfill such needs and search for new solutions. Despite the silicas make part of a well established market for some specialists it has already reached the peak stage - is a sector that does not stay aside of this objective, and that also focuses some innovations. As Léa Sgai, Cabot marketing manager - Latin America, explains, the fact of the pyrogenic silicas are a specialty, as they provide unique characteristics to the paint formulation, their use is growing year after year, just because of the constant search of the companies for a higher performance. Therefore, she believes that many companies, perhaps by ignorance, use only one type of silica for all the systems, forgetting that, due to their special treatment and different polarities of the several systems, treated silicas should be used, as their performance is better. Para José Carlos Bartholi, Minérios Ouro Branco business

28 RTV|08-09|2007

manager, the market o silicas is still in expansion, and it is a product that may become a substitute of different extenders in use today, however, with higher advantages, specially the types with surface treatment. Another point to be highlighted is the global trend to the dull finishing. This comes along with the called “soft touch” effect that is unleashing an increase on the demand by dull materials and, at the same time, appointing a bigger movement to the silicas with high dulling power. José Vicente de Paiva Bezerra, Ineos Sílicas Brasil business manager, also remembers that the use of the dulling silicas for the application of UV (ultraviolet) coatings grows every day, specially in the wood products, furniture and floor industries. There are several types of silicas and applied in the most different sectors, being the rubber industry one of the big consumers of the input, but in the paint industry, they are used for specific functions as in the rheology control, to improve fluidity and resistance, and to work as titanium dioxide extenders, and several other

properties related to the performance of a paint. Degussa/Evonik was the inventor of the obtaining process of the silicon dioxide by the pyrogeny process, this means that the company is global pioneer in the development of pyrogenic silicas. It is not in vane that it has one of the widest and varied lines of raw material, acknowledged commercially as Aerosil® mark. In terms of function, the Aerosil line brings to applications characteristics connected to the rheological control, and we can say that they work as anti-settling and thixotropic agents, besides working as dispersion, pigment stabilization, anticorrosive and fluidness additives. The hydrophilic pyrogenic silicas constitute a previous series, from the first generation, that through surface treatment with silanes or siloxanes, generate the hydrophobic silicas, of second generation, with several products and wide field of use. After many years, the work in the physical structure of the material was started, unchaining the called modified structure silicas that


benefit mainly the increase of scratching resistance. In this class, Degussa has a wide range of solutions and is introducing as innovation a silica dispersion with modified structure, denominated VP Disp.CO 1030. It is about a MPA (metoxi-propil acetate) dispersion of the pyrogenic silica Aerosil® R 9200, intended to increase the scratching resistance of high-solid bi-component transparent systems (clear-coating). Degussa also offers a wide variety of opaquing silicas, which act on the surface of paints changing the way of light reflexion, mking it irregular and causing the opaquing effect. The called “soft touch” effect is clearly a trend that is being spreaded in the design of new products and packages. Taking this into consideration, Degussa improved its Acematt® line of opaquing agents with the new Acematt® 3300. Within the class of precipitated silicas, Degussa promotes its Sipernat® series with runoff and anti-moisturizing agents as Sipernat® 22 LS for powder paints, besides antiblocking agents in printing inks as Sipernat 310. The family also comprises the Sipernat® 820 A, a sodium silicon aluminate that acts an extender of titanium dioxide (TiO2), being able to substitute partially this raw material in water based formulations. Cabot offers the complete Cab-O-Sil line of pyrogenic hydrophilic and hydrophobic silicas, highlighting the special silicas CT1111G for powder paints, that

provide a higher fluidity, allowing to improve the final performance of the paint. Besides, the company introduces the Spectral series of pyrogenic alumina that provides abrasion resistance and is widely used in tribo charge systems for powder paints. According to Léa Sgai, Cabot’s marketing managerLatin America, the Cab-O-Sil hydrophilic silicas provide fluidness, thixotropy and antirunoff properties to most of the systems, since the treated silica (hydrophobic), besides the characteristics mentioned above, provides corrosion resistance (for PU/ Epoxy systems). “Cabot has been constantly investing on new technologies in order to offer to the sector the best solution for each formulation. Always concerned to meet the needs of its customers and partners, the company recently inaugurated its sixth manufacturing unit for pyrogenic silica in China with the most modern technology in the market, being considered a state-of-the-art plant”, points out Léa. Ineos Sílicas has seven manufacturing plants distributed around the world, with capacity to produce silicas (besides silicates and zeolites) for some sectors as paints, beers and edible oils, plastics, personal care, among others. The company has projects to improve the quality control of its products, and studies for the enlargement of its production capacity in the short term. The most outstanding products of Ineos Sílicas Brasil for the paint

sector are the opaquing silicas for application of UV coatings, whose demand grows every day, chiefly in wood products, furniture and floors industries. According to José Vicente de Paiva Bezerra, Ineos Sílicas Brasil business manager, there are several advantages of silica gel commercialized for the paint industry, as for example, its high opaquing power, above all, on the surface treatment, wood finishing, besides leathers, plastics and pigmented products. “We have a big differential, because we have a plant with high production capacity and optimized to meet all Latin America demand, that without count on the advantage that we import the grades manufactured in our headquarters in England. All this is to provide ours customers with quality products, fair prices to the formulations, punctuality and international competitiveness”, points out Bezerra. Recently, the organizational structure of Ineos Sílicas Brasil was modified, redirecting some executives for specific areas and planned the hiring of new professionals. Considering the Group as a whole, last May, Ineos Sílicas signed the purchasing agreement of the Millennium Chemicals Inc, USA global silica business. The company supplies silicas for paints, inkjet, anti-blocking and beers and its products are known with the following commercial denominations: SilCRON® and Sil-PROOF®. These marks must continue in

RTV|08-09|2007

29


SILICAS

the market and the acquisition of the company makes Ineos Sílicas to speed up its business strategy, that is to grow up in the industry. Minérios Ouro Branco works with the precipitate amorphous silica Ourosil 210 and with the crystalline silica OB-6290. The Ourosil 210 is a precipitate amorphous silica that provide excellent dispersion, with the purpose of improving the paint rheological proprieties, besides working as dulling agent. In the other hand, in order to improve the mechanical features, the company offers the ventilated crystalline silica OB-6290 used in enamels, industrial paints and for floors that need a good finishing and higher resistance. “The silica OB-6290 reaches up to 6.5 hegmann only in dispersion, so there is no need of grinding. This fact is very beneficial, since speeds up the processing time and avoids the wear of equipment”, declares José Carlos Bartholi, Minérios Ouro Branco commercial director. Currently, the crystalline silica represents around 50% of the company’s exports to Mercosul. But Bartholi reveals that the next target will be the importation of the amorphous silicas for the local market. Ipiranga Química distributes the pyrogenic silicas HDK® produced by Wacker Silicones, in Germany, whose structure meets the needs of the market regarding the technical application and local stock. The most important of the

30 RTV|08-09|2007

technical application of HDK® pyrogenic silicas consists on the action on the rheological proprieties; as the thixotropic propriety, on the flow and viscosity control in liquid systems, and as thickening agent. These silicas consist on products based on high pureness silicon dioxide (SiO2). The objective of using the HDK® line in paints and varnishes is to adjust the viscosities involved during the process of coating application or as flow agent in powder paint systems. As Antonio Carlos Slongo (Ipiranga Química marketing manager – UN Paints and Adhesives) explains, one of the most important proprieties of the product is the ability to increase the viscosity and promote the thixotropic effect. “The rheological study shows the importance of these materials in paints, since the application of the paint or varnish over the substrate requires a viscosity control at the moment of the transference. The liquid must be transferred without running off, splashing, or in cases of high speed transferences (high shearing rate), pulverizations. At this moment, the viscosity is reduced by the action of shearing applied, and the moisturizing proprieties (surface tension) and spreading of the film must be achieved in order to obtain an even film, without surface defects”, Slongo explains. According to him, “the HDK® pyrogenic silica is a very important option for the rheological adjustment of paint, varnish or adhesive; and also an excellent

flow agent for powder paints. Because of the inert proprieties of the product, it does not affect the stability of the final product and can be used in several types of vehicles”. It is also worth to emphasize that the laboratory of Technical Applications at the Distribution Center of Ipiranga Química, in Guarulhos (SP), can help the customers about the using and application of the products, as the mentioned silicas, in the development of the formulations. As a part of the portfolio offered by Carbono for the paint sector, the company also distributes pyrogenic and precipitated silica of the Carbosil line. Carbono makes available its imported silica in local stocks, supplying from fractioned to larger quantities. Among the products, stands out Carbosil 150, being used as titanium dioxide extender, representing approximately 20% of substitution. “We have a range of products that provide a complete solution for the paint manufacturers. Besides the package of advantages, our technical and development support makes possible to work the formulation together with the customer, helping them to improve their processes. We have a diversified line of products and technical capability to develop applications, and in many cases we can offer an interesting business condition”, comment Roberto Giannini, Carbono’s new businesses planning director, and Claudinei Luiz Quaglio, market manager.


RTV|08-09|2007

31


POSICIONAMENTO

UNIPAR COMERCIAL FORTALECE SUA ATUAÇÃO Diante da movimentação do Grupo Unipar com a Petrobras, através da criação da Companhia Petroquímica do Sudeste, a distribuidora avança, sendo impulsionada pela sua estrutura responsável e também por novos investimentos As fortes movimentações no mercado petroquímico têm resultado em constantes novidades promovidas por grandes companhias como Braskem e Petrobras. Nos últimos períodos, nos deparamos com a compra da Suzano Petroquímica e da Ipiranga Química e, recentemente, o Grupo Unipar assumiu 60% do controle da nova CPS – Companhia Petroquímica do Sudeste, empresa criada junto à Petrobras. Com a decisão, o Grupo Unipar dá um grande salto em sua estratégia de integração com o pólo Sudeste, podendo ser considerada a segunda ou terceira maior petroquímica do Brasil. Em meio a esta soma de forças do mercado, a distribuidora Unipar Comercial, que trabalha nas gerências de químicos e polímeros, avança com mais velocidade, aumentando sua consolidação e considerando-se preparada para absorver os requisitos e demandas atuais. Com estratégias bem desenhadas e 34 anos de atividades, a distribuidora está dando continuidade ao seu programa estratégico, e cada vez mais é vista pelo Grupo Unipar como uma empresa que agrega valor, atuando como prestadora de serviços com base na venda e na logística inteligente para satisfazer tanto o produtor como o cliente final. “A distribuição no Brasil ainda é carente de identidade e reconhecimento. Agora, o setor está se movimentando e a visão do produtor começa a se 32 RTV|08-09|2007

voltar para empresas responsáveis do ponto de vista fiscal, social e ambiental. Estes valores a Unipar possui. Já enxergávamos a necessidade de atuação de distribuidores no padrão que temos, e a Unipar sempre foi um diferencial no mercado, em termos de operação e custo. Estamos muito bem preparados para acompanhar na mesma velocidade toda essa evolução. Temos interesse, capital para investir, inteligência e histórico”, garante José Luiz Franco dos Santos, diretor da Unipar Comercial.

José Luiz Franco dos Santos, diretor da Unipar Comercial

Frente ao cenário de crescimento da demanda por escala, aumenta também a necessidade de investimentos. O Centro de Distribuição (CD) da Unipar Comercial é um exemplo desta realidade. Projetando agregar novos clientes, produtores e vislumbrando

expansão do portfólio, o CD está sendo ampliado e os processos automatizados. Novos investimentos se estendem a cargas secas e líquidas, seja em sistema de envasamento - não apenas em tambores, mas também em contêineres, embalagens de menor volume -; assim como em tanques, para dar início a operação de blends. A empresa aposta ainda nas pessoas e investe em sua equipe e novos colaboradores com expertise de mercado. “Estamos investindo no time para aumentar a nossa capacidade de ler melhor as necessidades dos clientes, e oferecermos serviços diferenciados, não se limitando apenas a comprar numa ponta e vender na outra. E o Grupo Unipar, que tem uma origem industrial, está agregando muito nesse sentido”, observa Santos. Hoje, a Unipar Comercial tem uma plataforma de aproximadamente 7 mil clientes e distribui produtos das empresas do Grupo e inclusive de outras. Por estar completamente lincada ao segmento de distribuição, age de forma totalmente independente da CPS. Segundo Santos, a empresa tem intenção de atuar fora do Brasil e de incrementar seu portfólio com novos produtos; e dependendo das condições macroeconômicas e movimentações futuras, prevê para os próximos três anos crescimento de 12% ao ano, número alavancado principalmente pela área de polímeros.


RTV|08-09|2007

33


POSICIONAMIENTO

Unipar Comercial fortalece su desempeño Los fuertes cambios en el mercado petroquímico han resultado en constantes novedades promovidas por grandes compañías como Braskem y Petrobras. Últimamente, nos encontramos con la adquisición de Suzano Petroquímica y de Ipiranga Química y, recientemente, el Grupo Unipar asumió el 60% del control de la nueva CPS, Companhia Petroquímica do Sudeste, empresa creada junto a Petrobras. Con la decisión, el Grupo Unipar da un gran salto en su estrategia de integración con el complejo Sudeste, pudiendo ser considerada la segunda o tercera mayor petroquímica de Brasil. En medio a esta suma de fuerzas del mercado, la distribuidora Unipar Comercial, que trabaja en las gerencias de químicos y polímeros, avanza con mayor velocidad, fortaleciendo su consolidación y considerándose preparada para absorber los requisitos y demandas actuales. Con estrategias bien diseñadas y 34 años de actividades, la distribuidora está dando continuidad a su programa estratégico, y cada vez más es vista por el Grupo Unipar como una empresa que agrega valor, actuando como prestadora de servicios con base en la venta y en la logística inteligente para satisfacer tanto al productor como al cliente final. “La distribución en Brasil todavía carece de identidad y reconocimiento. Ahora, el sector se está activando y la visión del productor comienza a enfocarse en las empresas responsables desde el punto de vista fiscal, social y ambiental. Unipar posee estos valores”, garantiza José Luiz Franco dos Santos, director de Unipar Comercial. Frente al escenario de crecimiento de la demanda por escala, aumenta también la necesidad de inversiones. El Centro de Distribución (CD) de Unipar Comercial es un ejemplo de esta realidad. Proyectando agregar nuevos clientes, productores y vislumbrando expansión del portafolio, se está ampliando el CD y los procesos se están automatizando. Por estar completamente vinculada al segmento de distribución, Unipar se desarrolla de forma totalmente independiente de CPS. Según Santos, la empresa tiene la intención de actuar fuera de Brasil y de incrementar su portafolio con nuevos productos; y dependiendo de las condiciones macroeconómicas y movimientos futuros, prevé para los próximos tres años un crecimiento del 12% al año, número impulsado principalmente por el área de polímeros.

34 RTV|08-09|2007

POSITIONING

Unipar Comercial strengthens its performance The deep changes in the petrochemical market have yielded constant news promoted by large companies as Braskem and Petrobras. Lately, we found out bout the acquisition of Suzano Petroquímica and Ipiranga Química and, recently, Grupo Unipar took 60% of the control of the new CPS, Companhia Petroquímica do Sudeste, company created together with Petrobras. With the decision, Grupo Unipar makes headway in its integration strategy with Sudeste industrial complex, which can be considered the second or third Brazilian larger petrochemical company. Within this sum of market strengths, the distributor company Unipar Comercial, which works in the managements of chemicals and polymers, speeds up by strengthening its integration and considering itself as ready to absorb the current requirements and demands. With well-structured strategies and 34 years of experience, the company is giving continuity to its strategic program, and more and more is considered by Grupo Unipar as a value-adding company, performing as service provider based on sales and intelligent logistics to satisfy as the producer as the final customer. “The distribution in Brazil still lacks an identity and recognition. Now, the sector is picking up and the producer view is focusing now on companies responsible on the fiscal, social and environmental point of view. Unipar has these values”, assures José Luiz Franco dos Santos, Unipar Comercial director. Facing the scenario of scale growth demand, the need for investments also rises. Unipar Comercial Distribution Center (DC) is an example of this reality. Planning to gain new customers and producers, and foreseeing a portfolio enhancement, the DC is now having its facilities enlarged and its processes automated. As the company is closely linked to the distribution sector, Unipar is a completely independent company from CPS. According to Santos, the company has the intention to expand outside Brazil and enlarge its portfolio with new products; and depending on the macroeconomic conditions and future moves, he foresees a 12% growth per year for the next three years , a number leveraged mainly by the polymer sector.


RTV|08-09|2007

35


DISPERSANTES EM TINTAS

DISPERSANTES EM TINTAS: MERCADO AQUECIDO De acordo com os especialistas, o mercado de dispersantes se encontra aquecido e vem crescendo, tanto que alguns profissionais, como o engº André Rohr, diretor administrativo e desenvolvimento industrial, da Miracema-Nuodex, aposta num incremento em torno de 20% no volume negociado até o final do ano, em relação a 2006. Para Rohr, os fornecedores de dispersantes deverão estar atentos às novas tendências no setor de tintas em geral, especialmente aquelas conhecidas como econômicas, já que necessitam de atenção especial no processo de dispersão, principalmente em razão das concentrações de pigmentos utilizados. Oswaldo Prickaitis, gerente de contas – Paint & Coatings Materials, da Rohm and Haas, tem notado, no decorrer dos últimos anos, uma intensa procura por parte dos formuladores de produtos mais robustos que proporcionem excelente desempenho em termos de propriedades das tintas. Isso indica uma grande utilização de itens nobres (formulações acetinadas e semibrilho), bem como o crescimento de produtos especiais como esmalte base água e tintas para ambiente externo, que requerem dispersantes de alto desempenho. Mas para Prickaitis, na maioria dos casos, a falta de produção local é uma das maiores barreiras para maior participação dos produtos de alta performance, situação que pode ser alte36 RTV|08-09|2007

rada com o aumento de escala de utilização, justificando assim a oferta local. Já para Seimor Walchhutter, gerente de contas - América do Sul, da Cognis, o principal obstáculo continua sendo o privilégio do mercado consumidor final, tanto institucional quanto varejista, por custos em detrimento a diferenciais técnicos, o que não permite altos investimentos em tecnologia por parte das indústrias, bem como o mercado informal, que na sua opinião está com os dias contados, através da ajuda de programas promovidos por entidades de classes. Além disso, Walchhutter percebe que no momento há um aquecimento dos setores de tintas imobiliárias e de manutenção pesada,

Aurélio Nazaré Rocha, da BYK Chemie

através das tintas anticorrosivas para indústria naval e, em decorrência do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do governo. Neste mesmo cenário, com juros menores de financiamento, ele ressalta o segmento automotivo, que projeta crescimento acima do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro também alavancando o consumo de tintas e, por conseqüência, o de aditivos. Tratando-se das evoluções, o gerente acredita que estas ficam por conta das tendências e regulamentações internacionais, que através dos grandes grupos fabricantes de insumos, assim como as fábricas de tintas; trazem ao Brasil tecnologias pertinentes e exclusivas. Sob outro aspecto, Fernando L.O. Matta, gerente comercial epóxi e aditivos especiais - América do Sul, da Air Products, ressalta que o mercado encontra-se em fase de reavaliação e substituição, em função de restrições do uso de Nonilfenol Etoxilados (NPEs) e Alquilfenol Etoxilados (APEs) em vários países de diferentes continentes, principalmente liderados por empresas multinacionais e nacionais que já estão se adiantando, voluntariamente, e eliminando estes produtos de suas formulações, independente de legislação governamental. Entretanto, de modo geral, sabese que a escolha de um dispersante não é um processo simples, já que a reatividade dessas substâncias pode afetar


a estabilidade da tinta e as propriedades das formulações. Portanto, a escolha certa do produto, e o fornecimento feito por empresas que garantam suporte técnico e qualidade, são fatores que fazem parte do jogo, como peças fundamentais. Uma geração de aditivos dispersantes e umectantes de pigmentos é lançada mundialmente pela BYK Chemie para tintas de alta qualidade e performance, tanto em sistemas aquosos como solventes. Trata-se da nova tecnologia de fabricação de aditivos denominada CPT (Control Polimerization Technologies), uma polimerização patenteada pela multinacional que torna possível controlar o polímero desejado em quase 100%. Segundo o gerente geral da BYK Chemie, Aurélio Nazaré Rocha, este diferencial químico pode melhorar e qualificar os resultados da tinta, pois com o uso deste aditivo dispersante existe uma compatibilização muito maior com os veículos trabalhados, gerando ganhos em termos da dispersão do pigmento e aumento na força colorimétrica, tintorial, etc. Para sistemas base solvente três produtos compõem esta família: Disperbyk® 2000, Disperbyk® 2001 e Disperbyk® 2025, sendo que este último é o mais recente da série. Para sistemas base água o destaque é o Disperbyk® 2010 que permite fazer dispersões de pigmentos em água sem utilizar resinas. “Além de gerar economia, existe a possibilidade de usar este concentrado em qualquer veículo sem nenhuma interferência físico-química para as qualidades finais em tintas”, cita Rocha. Cabe ainda ressaltar que com o concentrado formulado com o Disperbyk® 2010 torna-se possível tingir do látex base água até a tinta automotiva aquosa. Já com o concentrado para base solvente pode-se trabalhar desde o esmalte sintético até uma tinta aeronáutica, epóxi ou muitas outras. A Air Products apresenta a nova linha de dispersantes de pigmentos ZetaSperse que são isentos de Nonilfenol etoxilados (NPEs) e Alquilfenol etoxilados (APEs), sendo considerados de alta performance que umectam e estabilizam pigmentos em um único produto. Conforme esclarece Fernando L.O. Matta, gerente comercial epóxi e aditivos especiais - América do Sul, da Air Products, eles ajudam na umectação do pigmento e aumentam a porcentagem de sólidos, permitindo moagens com RTV|08-09|2007

37


DISPERSANTES EM TINTAS

viscosidades mais baixas. “A alta eficiência dos aditivos ZetaSperse pode significar redução de custo em uso, versus outros produtos dispersantes”, diz Matta, lembrando ainda que os aditivos dispersantes ZetaSperse foram desenvolvidos especialmente para aplicações base água, onde existe a necessidade de dispersão e estabilidade do pigmento. O novo produto é utilizado em revestimentos base água como tintas automotivas OEM e repintura; tintas imobiliárias ou de manutenção industrial; além de industriais. Podendo atender inclusive a área gráfica base água - tintas flexográficas; tintas de gravuras, e tinta de impressão. Segundo Matta, a linha ZetaSperse confere muitas vantagens de aplicação como excelente umectação e eficaz estabilização de pigmentos; além de alto desenvolvimento de cor. São ainda aditivos adequados para negro-de-fumo e para grande variedade de pigmentos orgânicos e orgânicos de alto desempenho, e também para pigmentos inorgânicos, incluindo cargas, TiO2, óxidos de ferro. Disponíveis globalmente, os novos aditivos dispersantes da Air Products são livres de HAPs (Hazardous Air Pollutants) e de APE (Alquil fenol etoxilados), e baixo VOC (Componentes Voláteis Orgânicos). A representatividade do segmento de dispersantes nos negócios da companhia na linha de Performance Solutions é bastante significativa e explica este recente investimento na série Zeta Sperse para atender as novas exigências do mercado global com relação à performance, eficiência e meio ambiente. A novidade foi inicialmente desenvolvida nos centros de pesquisa e de38 RTV|08-09|2007

senvolvimento da Europa e Estados Unidos. Na Cognis, a linha de maior destaque em tecnologia para base solvente, pertence aos oligoméricos funcionais de médio peso molecular, com concentração de grupos afins com pigmentos em suas moléculas, e os dispersantes de alto peso molecular. No sistema base água, os dispersantes de alta performance são os blocos de copolímeros hidrofílicos, os monofuncionais e os dispersantes de plataforma química com base em complexos de ésteres fosfóricos não-iônicos.

Seimor Walchhutter, da Cognis

De acordo com Seimor Walchhutter, gerente de contas - América do Sul, o grande diferencial destes produtos é agregar vantagens técnicas e comerciais perceptíveis à cadeia de valores do cliente. Isto significa que, através destes dispersantes, é possível o cliente elaborar formulações mais concentradas, estáveis e com alto poder de desenvolvimento de cor, principalmente com reprodutibilidade de lote. “E isto, tanto o cliente direto, quanto seu cliente final, percebem, desejam e podem comprar o produto a preço competitivo”, acrescenta. Tecnicamente, os dispersantes oli-

goméricos Texaphor 3250 e Texaphor 914-B, e os poliméricos como o Texaphor P-63, proporcionam alto desempenho na estabilidade da dispersão por impedimento estérico e repulsão eletrostática. O Texaphor 3250 foi especialmente desenvolvido para concentrados em artes gráficas com resinas nitrocelulose, poliamidas e pigmentos orgânicos, especialmente negros-defumo; e para o setor industrial com resinas acrílicas hidroxiladas e epóxi bicomponente. O Texaphor P-63 é indicado para a linha automotiva, com base CAB para pigmentos inorgânicos e óxidos de ferro. Já o Texaphor 914-B promete excelente performance em pigmentos orgânicos e inorgânicos, em resinas alquídicas e poliésteres. Para sistemas base água que, em moagens de alta concentração que exigem alto cisalhamento e, conseqüentemente, causam espuma mecânica indesejada ao processo, utiliza-se o Hydropalat 7003 para pigmentos inorgânicos e óxidos de ferro. Para pigmentos orgânicos, usa-se Hydropalat 3294 ou Hydropalat 1080, de baixa formação de espuma, principalmente com negro-de-fumo. Conforme declara Walchhutter, em ambos os casos, é de vital importância para otimização da formulação e redução de custo, a utilização conjugada do Starfactante A-20, aditivo multifuncional de altíssima performance onde, ao mesmo tempo em que umecta os pigmentos para facilitar o trabalho dos dispersantes, evita a formação de microbolhas e melhora a reologia na aplicação, principalmente em artes gráficas. Os aditivos dispersantes inseridos no segmento base solvente ou na cate-


INFORME PUBLICITÁRIO

RTV|08-09|2007

39


INFORME PUBLICITÁRIO

40 RTV|08-09|2007


DISPERSANTES EM TINTAS

goria base água, representam uma grande conta para a Cognis no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos. Walchhutter explica que os investimentos neste mercado estão focados na otimização de reatores para melhoria contínua da qualidade e produtividade, principalmente em plantas que são consideradas centros de competência tecnológica nesta área como Brasil e Espanha, garantindo assim, assimilar aumentos de matéria-prima buscando sempre ganhos de escala e permitindo lucros financeiros aos clientes. “Através de suas estratégias de negócios nas matrizes da Alemanha e Estados Unidos, a Cognis pretende trazer cada vez mais para o Brasil, inovações de produtos e tendências de serviços e negócios, focando nas necessidades do mercado consumidor de nossos clientes, a curto e médio prazo, ajudando-os a conquistar mais e melhor este setor de tintas que é cada vez mais competitivo”, finaliza o gerente. A Lubrizol oferece para o segmento de tintas a linha Solsperse®

Antonio Dominguez Lopez, da Lubrizol

de hiperdispersantes de pigmentos com diferenciações, em relação aos dispersantes convencionais, caracterizadas na melhora da estabilidade da dispersão e no auxílio à redução da ação e viscosidade da moagem. Segundo Antonio Dominguez Lopez, gerente de vendas CA, da Lubrizol do Brasil, são produtos com propriedades que permitem ainda aumentar o teor de pigmento no concentrado, favorecendo o poder tintorial e, no caso dos inorgânicos, melhora o poder de cobertura. “Nossos hiperdispersantes ancoram na superfície do pigmento de maneira mais eficiente que o tradicional”, enfatiza Lopez, lembrando que há outra série de hiperdispersantes a Solplus® que é direcionada para área de piso epóxi, por exemplo. Entre as três plataformas da Lubrizol – resinas e polímero; hiperdispersantes e modificadores de superfície – a dos hiperdispersantes é um dos setores que mais está crescendo, e que representa aproximadamente 30% em volume. A empresa não disponibiliza apenas tecnologia do produto, mas conta com equipe de desenvolvimento e apoio técnico no Brasil, além do Centro de Desenvolvimento e Tecnologia que fica na Inglaterra. E, em breve, a Lubrizol Brasil divulgará novidades. A Miracema-Nuodex dispõe de uma completa linha de dispersantes e umectantes, especialmente formulados para dispersar cargas minerais e pigmentos orgânicos em água na fabricação de tintas e slurries. Segundo o engº André Rohr, diretor administrativo e desenvolvimento industrial, o destaque fica RTV|08-09|2007

41


DISPERSANTES EM TINTAS

Andre Rohr, da Miracema-Nuodex

para os dispersantes/umectantes que têm uma formulação especial que permite uma melhor resistência a abrasão úmida das tintas - sobretudo aquelas com alta concentração volumétrica de pigmentos - e para a polimerização de emulsões acrílicas, vinílicas e estireno acrílicas (para o controle do tamanho e número de partículas poliméricas). Além disso, a Miracema-Nuodex oferece novas opções para a área de tintas de impressão e sistemas de difícil umectação, tais como plásticos e filmes celulósicos. Conforme ressalta Rohr, o segmento de dispersante possui uma importante participação nos números globais da empresa que está sempre investindo e desenvolvendo novos produtos/aplicações e que, atualmente, está muito focada no mercado de slurries. A Rohm and Haas possui um amplo portfólio de produtos na linha de dispersantes para tintas base água que atendem as diversas necessidades dos formuladores e que incluem dispersan42 RTV|08-09|2007

tes poliácidos, copolímeros hidrofílicos e copolímeros hidrofóbicos, comercializados em toda a América Latina sob a marca Orotan. Entre os poliácidos destacam-se o Orotan 930 que promete excelente custo x benefício e apresenta baixa formação de espuma, sendo indicado para formulação de tintas desde econômicas a semibrilho, e para dispersão de cargas em geral (slurries); e o Orotan 850, dispersante com maior estabilidade em tintas contendo óxido de zinco e outros pigmentos reativos. Na família dos hidrofílicos, a empresa garante que o Orotan 1124 mostra bom desenvolvimento de brilho e ótima aceitação de cor, além de ser compatível com espessantes acrílicos e uretânicos. Já na série dos copolímeros hidrofóbicos, os destaques são o Orotan 731 A - considerado o mais versátil da linha – o qual, segundo Oswaldo Prickaitis, gerente de contas – PCM, da Rohm and Haas, apresenta excelente desenvolvimento de cor e compatibilidade com a maioria dos componentes das formulações, incluindo os pigmentos orgânicos e inorgânicos dispersos em água e glicóis. Outros hidrofóbicos citados são o Orotan 165 A - indicado principalmente em formulações com resistência à água e tintas para contato direto com o metal (DTM), onde a resistência à corrosão é item fundamental; e o Orotan 2001 - recomendado para formulações low odor – low VOC. O Orotan 930, 850 e 731A são oferecidos na forma de sódio; o 1124 e o 165A no formato de amônio, enquanto que o Orotan 2001 apresenta-se em emulsão, podendo ser neutralizado

com ambos os cátions. Considerando a indústria de tintas e os produtores de slurries, a linha de dispersantes é uma das mais representativas nos negócios da Rohm and Haas. “Em termos de produtos, podemos destacar a série dos poliácidos como a mais representativa quanto a volume, sendo esses materiais produzidos localmente a partir de nossa unidade de Jacareí (SP)”, diz Prickaitis, ressaltando também que, de qualquer forma, a Rohm and Haas procura disponibilizar ao máximo a oferta de todos os seus dispersantes, seja através de produção na planta de Jacareí ou da revenda, a partir de estoque local, ou por meio do seu distribuidor no Brasil que é a Brenntag Química.

Oswaldo Prickaitis, da Rohm and Haas

“Em linha geral podemos oferecer solução para a grande maioria das necessidades do mercado, desde a dispersão de cargas convencionais (slurries) até a formulação de produtos mais elaborados como esmaltes base água, dispersões de pigmentos orgânicos e inorgânicos e formulações de tintas exteriores e low odor – low VOC”, conclui.


RTV|08-09|2007

43


INFORME PUBLICITÁRIO

44 RTV|08-09|2007


RTV|08-09|2007

45


DISPERSANTES EN PINTURAS

DISPERSANTES EN PINTURAS: MERCADO ACTIVO De acuerdo con los especialistas, el mercado de dispersantes se encuentra activo y ha estado creciendo, al punto de que algunos profesionales, como el Ing. André Rohr, director administrativo y de desarrollo industrial de Miracema-Nuodex, apuesta en un incremento de alrededor del 20% en el volumen negociado hasta el final del año, en relación con 2006. Para Rohr, los proveedores de dispersantes deberán estar atentos a las nuevas tendencias en el sector de pinturas en general, especialmente aquellas conocidas como económicas, ya que necesitan de atención especial en el proceso de dispersión, principalmente debido a las concentraciones de pigmentos utilizados. Oswaldo Prickaitis, gerente de cuentas – PCM, de Rohm and Haas, ha notado, en el transcurso de los últimos años, una intensa demanda

46 RTV|08-09|2007

por parte de los formuladotes, de productos más robustos, que proporcionen un excelente desempeño en términos de propiedades de las pinturas. Esto indica una gran utilización de estos productos más nobles (formulaciones satinadas y semibrillo), así como el crecimiento de productos especiales como esmalte de base agua y pinturas para ambientes externos, que requieren dispersantes de alto desempeño. Pero para Prickaitis, en la mayoría de los casos, la falta de producción local es una de las principales barreras para mayor un participación de los productos de alto desempeño, situación que puede cambiar con el aumento de escala de utilización, justificando así la oferta local. Ya para Seimor Walchhutter, gerente de cuentas - América del Sur de Cognis, la principal barrera continúa siendo el privilegio del mer-

cado consumidor final, tanto institucional como minorista, por costos en detrimento a los diferenciales técnicos, lo que no permite altas inversiones en tecnología por parte de las empresas. Sin embargo, se sabe que la selección de un dispersante no es un proceso simple, ya que la reactividad de estas substancias puede afectar la estabilidad de la pintura y las propiedades de las formulaciones. Por lo tanto, la selección correcta del producto, y la distribución hecha por empresas que garantizan soporte técnico y calidad, son factores que forman parte del juego, como piezas fundamentales. BYK Chemie lanza mundialmente una generación de aditivos dispersantes y humectantes de pigmentos para pinturas de alta calidad y desempeño, tanto en sistemas acuosos como solventes.


Se trata de la nueva tecnología de fabricación de aditivos denominada CPT (Control Polimerization Technologies), una polimerización patentada por la multinacional que hace posible controlar el polímero deseado en casi 100%. Según el gerente general de BYK Chemie, Aurélio Nazaré Rocha, este diferencial químico puede mejorar y cualificar los resultados de la pintura, pues con el uso de este aditivo dispersante hay una compatibilidad mucho mayor con los vehículos trabajados, permitiendo ganancias en términos de la dispersión del pigmento y aumento en la fuerza colorimétrica, de teñido, etc. Para sistemas base solvente, tres productos componen esta familia: Disperbyk® 2000, Disperbyk® 2001 y Disperbyk® 2025, siendo que este último es el más reciente de la serie. Para sistemas base agua se destaca el Disperbyk® 2010, que permite hacer dispersiones de pigmentos en agua sin utilizar resinas. “Además de generar economía, existe la posibilidad de usar este concentrado en cualquier vehículo sin ninguna interferencia fisicoquímica para las cualidades finales en pinturas”, menciona Rocha. Cabe también destacar que con el concentrado formulado con el Disperbyk® 2010, es posible teñir desde el latex de base agua, hasta la pintura automovilística acuosa. Ya con el concentrado para base solvente se puede trabajar desde el esmalte sintético, hasta una pintura aeronáutica, epoxi o muchas otras. Air Products presenta la nueva línea de dispersantes de pigmentos Zeta Sperse, exentos de Nonilfenol etoxilados (“NPEs”) y Alquilfenol etoxilados (“APEs”), siendo considerados de alto

desempeño que humectan y estabilizan pigmentos en un único producto. Conforme aclara Fernando L. O. Matta, gerente comercial epoxi y aditivos especiales - América del Sur, de Air Products, estos dispersantes ayudan en la humectación del pigmento y aumentan el porcentaje de sólidos, permitiendo molidos con viscosidades más bajas. “La alta eficiencia de los aditivos Zeta Sperse puede significar una reducción de costo en uso, en comparación con otros productos dispersantes”, dice Matta, recordando también que los aditivos dispersantes Zeta Sperse se desarrollaron especialmente para aplicaciones de base agua, donde existe la necesidad de dispersión y estabilidad del pigmento. Se utiliza el nuevo producto en revestimientos base agua como pinturas automovilísticas OEM y repintado; pinturas inmobiliarias o de mantenimiento industrial; además de industriales. Pudiendo atender inclusive el área gráfica de tintas de base agua: tintas flexográficas, tintas de grabados, y tinta de impresión. Según Matta, la línea Zeta Sperse proporciona muchas ventajas de aplicación, como excelente humectación y estabilización de pigmentos eficaz; además de alto desarrollo de color. Son también aditivos adecuados para negro de humo y para gran variedad de pigmentos orgánicos y orgánicos de alto desempeño, y también para pigmentos inorgánicos, incluyendo cargas, TiO2, óxidos de hierro. Disponibles globalmente, los nuevos aditivos dispersantes de Air Products son libres de HAPs (Hazardous Air Pollutants) y de APE (Alquil fenol etoxilados), y bajo VOC (ComponenRTV|08-09|2007

47


DISPERSANTES EN PINTURAS

tes Volátiles Orgánicos). La representatividad del segmento de dispersantes en los negocios de la compañía en la línea de Performance Solutions es bastante significativa y explica esta reciente inversión en la serie ZetaSperse para atender las nuevas exigencias del mercado global con relación al desempeño, eficiencia y medio ambiente. La novedad fue inicialmente desarrollada en los centros de investigación y desarrollo de Europa y Estados Unidos. En Cognis, la línea más destacada en tecnología para base solvente, pertenece a los oligoméricos funcionales de peso molecular medio, con concentración de grupos afines con pigmentos en sus moléculas, y los dispersantes de peso molecular alto. En el sistema base agua, los dispersantes de alto desempeño son los bloques de copolímeros hidrofílicos, los monofuncionales y los dispersantes de plataforma química con base en complejos de ésteres fosfóricos no iónicos. De acuerdo con Seimor Walchhutter, gerente de cuentas - América del Sur, la gran diferencia de estos productos es agregar ventajas técnicas y comerciales perceptibles a la cadena de valores del cliente. Esto significa que, a través de estos dispersantes, es posible que el cliente elabore formulaciones más concentradas, estables y con alto poder de desarrollo de color, principalmente con reproducibilidad de lote. “Y esto, tanto el cliente directo, como su cliente final, perciben, desean y pueden comprar el producto a precio competitivo”, agrega. Los aditivos dispersantes incluidos, tanto en el sector de base solvente o en la categoría de base agua, representan una gran cuenta para Cognis en Brasil, Europa y en los Estados Unidos. Walchhutter explica que las inversiones en este mercado están enfocadas en la optimización de reactores para la mejoría continua de la calidad y productividad, principalmente en plantas que son consideradas centros de competencia tecnológica en esta área como Brasil y España, garantizando así, asimilar aumentos de materia prima buscando siempre ganancias de escala y permitiendo lucros financieros a los clientes. “A través de sus estrategias de negocios en las matrices de Alemania y Estados Unidos, Cognis pretende traer para Brasil, cada vez más, innovaciones de productos y tendencias de servicios y negocios, enfocándose en las necesidades del mercado consumidor de nuestros clientes, a corto y mediano plazo, ayudándolos a con48 RTV|08-09|2007


quistar más y mejor este sector de pinturas, que es cada vez más competitivo”, finaliza el gerente. Lubrizol ofrece para el segmento de pinturas la línea Solsperse® de hiperdispersantes de pigmentos con diferenciaciones, en relación a los dispersantes convencionales, se caracterizan por la mejora de la estabilidad de la dispersión y en el auxilio a la reducción de la acción y viscosidad del molido. Según Antonio Dominguez Lopez, gerente de ventas CA, de Lubrizol do Brasil, son productos con propiedades que permiten además aumentar el contenido de pigmento en el concentrado, favoreciendo el poder tintorial, y en el caso de los inorgánicos, mejora el poder de cobertura. “Nuestros hiper-dispersantes se fijan en la superficie del pigmento de manera más eficiente que el tradicional”, enfatiza Lopez, recordando que hay otra serie de hiperdispersantes, la Solplus® que se enfoca en el área de pisos epoxi, por ejemplo. Entre las tres plataformas de Lubrizol – resinas y polímero; hiperdispersantes y modificadores de superficie – la de los hiperdispersantes es uno de los sectores que más está creciendo, y que representa aproximadamente el 30% del volumen. La empresa no ofrece solamente la tecnología del producto, sino que cuenta con un equipo de desarrollo y soporte técnico en Brasil, además del Centro de Desarrollo y Tecnología, que se localiza en Inglaterra. Y, en breve, Lubrizol Brasil divulgará novedades. Miracema-Nuodex dispone de una completa línea de dispersantes y humectantes, especialmente formulados para dispersar cargas minerales y pigmentos orgánicos en agua en la fabricación de pinturas y slurries. Según el Ing. André Rohr, director administrativo y desarrollo industrial, los productos destacados son los dispersantes/humectantes que tienen una formulación especial que permite una mejor resistencia a la abrasión húmeda de las pinturas, sobre todo aquellas con alta concentración volumétrica de pigmentos, y para la polimerización de emulsiones acrílicas, vinílicas y estireno acrílicas (para el control del tamaño y número de partículas poliméricas). Además, Miracema-Nuodex ofrece nuevas opciones para el área de tintas de impresión y sistemas de difícil humectación, tales como plásticos y películas de celulosa. Conforme destaca Rohr, el segmento de dispersantes tiene una participación importante en los números globales RTV|08-09|2007

49


DISPERSANTES EN PINTURAS

de la empresa, que está siempre invirtiendo y desarrollando nuevos productos/aplicaciones y que, actualmente, está muy enfocada en el mercado de slurries. Rohm and Haas posee una amplia variedad de productos en la línea de dispersantes para pinturas de base agua que atienden las diversas necesidades de los formuladores y que incluyen dispersantes poliácidos, copolímeros hidrofílicos y copolímeros hidrofóbicos, comercializados en toda América Latina bajo la marca Orotan. Entre los poliácidos se destacan el Orotan 930, que ofrece excelente relación costo - beneficio y presenta baja formación de espuma, siendo indicado para la formulación de pinturas, desde económicas a pinturas semibrillo, y para la dispersión de cargas en general (slurries); y el Orotan 850, dispersante

50 RTV|08-09|2007

con mayor estabilidad en pinturas que contiene óxido de zinc y otros pigmentos reactivos. Dentro de la familia de los hidrofílicos, la empresa garantiza que el Orotan 1124 muestra un buen desarrollo de brillo y excelente aceptación del color, además de ser compatible con espesantes acrílicos y uretánicos. Ya en la serie de los copolímeros hidrofóbicos, se destacan el Orotan 731 A, considerado el más versátil de la línea, el cual, según Oswaldo Prickaitis, account manager – PCM, de Rohm and Haas, presenta excelente desarrollo de color y compatibilidad con la mayoría de los componentes de las formulaciones, incluyendo los pigmentos orgánicos e inorgánicos dispersos en agua y glicoles. Otros copolímeros hidrofóbicos mencionados son el Orotan 165A, indicado principalmente en formula-

ciones con resistencia al agua y pinturas para contacto directo con metal (DTM), donde la resistencia a la corrosión es elemento fundamental, y el Orotan 2001, recomendado para formulaciones low odor - low VOC. El Orotan 930, 850 y 731A son ofrecidos en la forma de sodio; el 1124 y el 165A en formato de amonio, mientras que el Orotan 2001 se presenta en emulsión, pudiendo neutralizarse con ambos cationes. Considerando la industria de pinturas y los productores de slurries, la línea de dispersantes es una de las más representativas en los negocios de Rohm and Haas. “En términos de productos, podemos destacar la serie de los poliácidos como la más representativa con relación a volumen, siendo estos materiales producidos localmente en nuestra unidad de Jacareí (SP)”, dice Prickaitis.


RTV|08-09|2007

51


DISPERSING AGENTS IN PAINTS

DISPERSING AGENTS IN PAINTS: MARKET HEATED UP In accordance with the specialists, the market of dispersers has heated up and in process growing, insomuch some professionals, as Engineer André Rohr, Miracema-Nuodex administrative and industrial development director, bets on a rise of around 20% on the volume negotiated until the end of the year, in relation to 2006. For Rohr, the suppliers of dispersers shall be aware of the new trends in the paint industry in general, especially those known as the economical ones, as they need special attention in the dispersion process, mainly due to the concentration of pigments used. Oswaldo Prickaitis, Rohm and

52 RTV|08-09|2007

Haas account manger – PCM, has observed along the last years, an intense search by formulators for more solid products that provide excellent performance in terms of paints properties. This shows a great use of these more noble products (satin and semi-gloss formulations), as well as the growth of special products, as the water-based coating and paints for external environments, which require high-performance dispersing agents. But for Prickaitis, in most of the cases, the lack of local production is one of the main obstacles for a greater participation of the highperformance products, situation that can change with the increase in the utilization scale, justifying

thus the local offer. For Seimor Walchhutter, Cognis account manager – South America, the main obstacle is still the privilege of the end-consumer market, either institutional or retailer, for costs in detriment of technical differentials, which do not allow high investments in technology by the industries. However it is known that the choice of a dispersing agent is not a simple process, since the reactivity of those substances can affect the stability of the paint and the proprieties of the formulations. Therefore, the right choice of the product, and the supplying by the companies that warrant technical support and quality, are factors that make


part of the game, as essential parts. A new generation of pigment dispersing and moisturizer additives is launched worldwide by BYK Chemie for high quality and performance paints, as for waterbased as for solvent-based systems. It is the new manufacturing technology of additives known as CPT (Control Polimerization Technologies), a polymerization procedure patented by the multinational company that makes possible to control the polymer desired in almost 100%. According to the BYK Chemie general manager, Aurélio Nazaré Rocha, this chemical differential may improve and qualify the results of the paint, as by using this dispersing additive the

compatibility of vehicles worked becomes much higher, allowing the dispersion of the pigment improve and increasing the color and tinctorial strength, among others. For the solvent-based systems, the family comprises three products: Disperbyk® 2000, Disperbyk® 2001 and Disperbyk® 2025, being the latter the most recent of the series. For water-based systems Disperbyk® 2010 stands out, allowing to prepare water pigment dispersions without using resins. “Besides allowing a saving, it is possible to use this concentrate in any vehicle without any physicchemical interference for the final quality in paints”, states Rocha. It’s even worth to highlight that with the concentrate

formulated with Disperbyk® 2010 it is possible to dye from water-based latex to water-based car paint. Now with the concentrates for solventbased it is possible to work from synthetic enamel, to paint for airplanes, epoxy, or many others. Air Products introduces the new line of dispersing agents for pigments ZetaSperse, free of ethoxylated Nonylphenol(“NPEs”) and etoxilated Alquilfenol (“APEs”), being considered as high performance and pigment moisturizer and stabilizer in only one product. As Fernando L. O. Matta, Air Products commercial manager epoxy and special additives - South America, explains, they help in the moistening of the pigment

RTV|08-09|2007

53


INFORME PUBLICITÁRIO

54 RTV|08-09|2007


DISPERSING AGENTS IN PAINTS

and increase the percentage of solids, allowing lower viscosity millings. “The high efficiency of the ZetaSperse additives can imply a cost reduction in their use, versus other dispersant products�, says Matta, remembering also that the dispersing agent for additives ZetaSperse were developed specially for water-based applications, which need pigment dispersion and stability. The new products are used in water-based coatings as OEM car paints and repainting; architectural or industrial maintenance paints; besides industrial paints. They serve even the water-based graphic sector flexographic inks; engravings inks, and printing inks. According to

Matta, the ZetaSperse line provides a lot of advantages in application as excellent pigment effective moistening and stabilization; besides allowing a high color development. They are also additives appropriated for carbon black and for great variety of organic and high-performance organic pigments, and also for inorganic pigments, including fillers, TiO2, iron oxides. The new Air Products dispersing agents for additives are globally available and free of HAPs (Hazardous Air Pollutants) and APE (Alkyl Phenol Ethoxylates), and low VOC (Volatile Organic Compounds). The representation of the

dispersing agent sector in the company businesses within the Performance Solutions line is very important and explains this recent investment on the ZetaSperse series to meet the new global market requirements related to the performance, efficiency and environment. The novelty was initially developed in the research and development centers of Europe and the United States. In Cognis, the most outstanding line in technology for solvent base, are those from the functional oligomers of average molecular weight, with concentration of groups related with pigments in their molecules, and the dispersers

RTV|08-09|2007

55


INFORME PUBLICITÁRIO

56 RTV|08-09|2007


DISPERSING AGENTS IN PAINTS

with high molecular weight. In the water based system, the high performance dispersers are the blocks of hydrophilic copolymers, the monofunctional and the dispersers of chemical platform based on the complexes of non-ionic phosphoric esters. According to Seimor Walchhutter, account manager – South America, the great differential of these products is they add perceivable technical and commercial advantages to the value chain of the customer. This means that, through these dispersers, it is possible for the customer to carry out more concentrated, stable formulations and with high power of color development, specially with lot

reproducibility. “And as the direct customer, as its final client, perceive, desire this and can purchase the product at competitive price”, he adds. The disperser additives included as in the solvent-based as in the water-based sectors, represent a great account for Cognis in Brazil, Europe and the United States. Walchhutter explains that the investments in this market are focused on the optimization of triggers for the continuous improvement of the quality and productivity, chiefly in plants that are considered as technological competence center in this sector, as Brazil and Spain, thus assuring to assimilate the increases of raw material, searching always gains

of scale and allowing financial profits to the customers. “Through its business strategies in the headquarters in Germany and the United States, Cognis intends to bring to Brazil, more and more, innovative products and service and business trends, focusing on the needs of the consumer market of our customers, in the short and medium term, helping them to gain more and in a better way this paint industry that is more and more competitive”, ends the manager. Lubrizol offers to the paint sector the outstanding Solsperse® line of pigment hyper-dispersers, with relation to the conventional dispersing agents, characterized by

RTV|08-09|2007

57


DISPERSING AGENTS IN PAINTS

the improvement of the dispersion stability and by helping in the reduction of the action and viscosity of the grinding. According to Antonio Dominguez Lopez, Lubrizol do Brasil sales manager CA, the proprieties of these products allow also to increase the content of pigments in the concentrate, favoring the dying power and, in case of the inorganic ones, improve the coating power. “Our hyper-dispersers anchor on the surface of the pigment more efficiently than the traditional ones”, emphasizes Lopez, remembering that there is another series of hyper-dispersers, the Solplus®, that is intended for epoxy floor area, for example. Among the three Lubrizol platforms – resins and polymers; hyper-dispersers and surface modifiers – hyper-dispersers platform is one of the most growing sectors, and which represents approximately 30% in volume. The company does not make available only the technology of the product, but has also a developing and technical support team in Brazil, besides the Developing and Technology Center in England. And soon, Lubrizol Brasil will reveal novelties. Miracema-Nuodex has a complete line of dispersing and moisturizing agents, specially formulated to disperse in water mineral fillers and organic pigments in the manufacturing of paints and slurries. According to engineer André Rohr, administrative and industrial

58 RTV|08-09|2007

development director, the highlights are for the dispersers/ moisturizers that have a special formulation to allow a better resistance to wet abrasion of paints - above all, those with high volumetric concentration of pigments - and for the polymerization of acryl, vinyl and acryl-styrene emulsions (for the control of the size and number of polymeric particles). Besides, Miracema-Nuodex offers new options for the sector of printing inks and systems of difficult humectation, such as plastics and cellulose films. As Rohr emphasizes, the sector of dispersers has a important participation in the global numbers of the company that is always investing and developing new products and applications and that, currently, is very focused on the market of slurries. Rohm and Haas has a wide portfolio of products in the line of dispersing agents for waterbased paints that meet the several needs of formulators and which include poly-acid dispersing agents, hydrophilic copolymers and hydrophobic copolymers, commercialized in all Latin America under the Orotan mark. Among the poly-acids, stand out the Orotan 930, which are very cost-effective and allow low foam formation, and are appropriate for paint formulations, since the economic to the semi-gloss paints, and for filler dispersions in general (slurries), and the Orotan 850, an agent with higher stability in paints containing zinc oxide and other reactive pigments.

Within the hydrophilic family, the company guarantees that the Orotan 1124 allows a good shine development and very good color acceptation, besides being compatible with acrylic and urethane thickeners. Now in the hydrophobic copolymers series, the highlights are for the Orotan 731 A considered the most versatile of the line – which according to Oswaldo Prickaitis, Rohm and Haas account manager – PCM, allows an excellent color development and compatibility with most of the formulation components, including the organic and inorganic pigments dispersed in water and glycols. Another hydrophobic series mentioned are the Orotan 165A suitable mainly in formulations with water resistance and paints for direct contact with metals (DTM), where the corrosion resistance is an essential element, and the Orotan 2001 - recommended for low odor – low VOC formulations. Orotan 930, 850 and 731A are offered as sodium; the 1124 and 165A are commercialized as ammonium, while the Orotan 2001 is sold as an emulsion, and can be neutralized with both cations. Taking into consideration the paint industry and slurries producers, the line of dispersing agents is one of the most representatives in the Rohm and Haas businesses. “In terms of products, we can highlight the poly-acid series as the most representative regarding volume, being these materials produced locally, in our plant in Jacareí (SP)”, declares Prickaitis.


RTV|08-09|2007

59


EXPANSÃO

GAFOR PASSA A SER DISTRIBUIDORA EXCLUSIVA DA MARCA EXXONMOBIL E INICIA OPERAÇÃO NA ARGENTINA A empresa foi a escolhida pela ExxonMobil para distribuir a linha de fluídos hidrocarbonetos no mercado brasileiro, além de inaugurar na Argentina sua unidade distribuidora de produtos químicos

Luiz Carlos Silva, gerente de negócios; e o diretor Sílvio Fagundes, da Gafor Distribuidora

A partir do mês de julho a Gafor Distribuidora passou a comercializar com exclusividade os fluídos hidrocarbonetos, tanto alifáticos como aromáticos da marca ExxonMobil, das seguintes linhas: Exxprint®, Exxsol®, Escaid®, Isopar®, Norpar 15®, Solvesso®, Varsol® e Arol® 1260. Segundo o diretor da Gafor Distribuidora, Sílvio Fagundes, o processo de concorrência para a escolha da empresa foi longo e complexo. “A Gafor 60 RTV|08-09|2007

concorreu com oito candidatas, inclusive multinacionais. A solidez do Grupo, os valores e a competência das equipes foram fatores determinantes para mais esta conquista.” Esta nova fase representa um aumento da participação da Gafor no setor de distribuição e no mercado de tintas, proporcionando um crescimento significativo da base de clientes, resultando em um incremento superior a 70% no volume de negócios.


Para Fagundes, com toda a flexibilidade logística estabelecida e a competitividade maior de escala que a empresa adquiriu com a ExxonMobil, se consegue ter mais condições de competir na área de tintas, visando atuar numa primeira fase com volumes de produtos diferenciados. “Pretendemos complementar a série de químicos com resinas, aditivos, etc”, acrescenta Luiz Carlos Silva, gerente de negócios – químico. Além disso, a Gafor estará iniciando em setembro a distribuição de hidrocarbonetos na Argentina, com a compra de um dos principais distribuidores deste mercado. Com esta aquisição a empresa já parte de uma carteira com mais de 300 clientes de diferentes áreas habilitandose a distribuir toda a linha de insumos para o segmento de tintas, resina e afins. Tanto a filial da Argentina quanto a do Brasil, contam com uma equipe comercial e operacional, além de instalações para armazenagem de produto a granel e embalados. No mercado argentino, a Gafor é conhecida pela unidade de papéis auto-adesivos e pelo setor de transporte e logística. Com esta aquisição, tam-

bém cria no país seu canal distribuidor de químicos que está aberto para diferentes empresas. Segundo Fagundes e Silva, o grande diferencial da Gafor Distribuidora está na alta qualidade da prestação de serviços. “Nossa relação está na agregação de valor, apoiada na experiência de logística que é muito forte por meio da Gafor Logística, e na flexibilidade do atendimento. Esta soma é perfeita. Portanto, queremos trabalhar com empresas que se importem com a nossa diferenciação de serviços caracterizada pela facilidade de entrega 24 horas, equipe treinada e especializada, serviços de logística próprios, fracionamento de granéis, e muitos outros”, destacam os executivos. E entre uma série de investimentos em sistemas de gestão de qualidade, segurança, saúde e meio ambiente fato que reforçou o suporte de certificações, como a conquista do Prodir (Processo de Distribuição Responsável) - a Gafor Distribuidora também está abrindo uma filial em Porto Alegre (RS) e outra será aberta no Rio de Janeiro (RJ), totalizando quatro unidades no Brasil, além da nova sede na Argentina. RTV|08-09|2007

61


INFORME PUBLICITÁRIO

62 RTV|08-09|2007


EXPANSIÓN

Gafor pasa a ser distribuidora exclusiva de la marca ExxonMobil e inicia operaciones en Argentina A partir de julio, Gafor Distribuidora comercializa con exclusividad los fluidos hidrocarburos, tanto alifáticos como aromáticos de la marca ExxonMobil, de las siguientes líneas: Exxprint®, Exxsol®, Escaid®, Isopar®, Norpar 15®, Solvesso®, Varsol® y Arol® 1260. Según el director de Gafor Distribuidora, Sílvio Fagundes, el proceso de competencia para la selección de la empresa fue largo y complejo. Esta conquista representa un aumento de la participación de Gafor en el sector de distribución y en el mercado de pinturas, proporcionando un crecimiento significativo de la base de clientes, resultando en un incremento superior al 70% en el volumen de negocios. Además, Gafor iniciará en septiembre la distribución de hidrocarburos en Argentina, con la compra de uno de los principales distribuidores de este segmento. Con esta adquisición la empresa ya parte de una cartera con más de 300 clientes de diferentes áreas habilitándose a distribuir toda la línea de insumos para el mercado de pinturas, resina y afines. Tanto la sucursal de Argentina, como la de Brasil, cuentan con un equipo comercial y operacional, además de instalaciones para almacenamiento de productos a granel y envasados. En el mercado argentino, Gafor es conocida por la unidad de papeles autoadhesivos y por el sector de transporte y logística. Con esta adquisición, también crea en el país su canal distribuidor de químicos que está abierto para diferentes empresas. Según el director de Gafor Distribuidora, el gran diferencial está en la alta calidad de la prestación de servicios. “Nuestra relación está en la adición de valor, apoyada en la experiencia de logística que es muy fuerte por medio de Gafor Logística, y en la flexibilidad de la atención. Esta suma es perfecta”. Y entre una serie de inversiones en sistemas de gestión de calidad, seguridad, salud y medio ambiente - hecho que reforzó el soporte de certificaciones, como la conquista del Prodir (Proceso de Distribución Responsable) - Gafor Distribuidora también está abriendo una sucursal en Porto Alegre (RS) y otra será abierta en Rio de Janeiro (RJ), totalizando cuatro unidades en Brasil, además de la nueva sede en Argentina.

EXPANSION

Gafor is now exclusive distributor of the ExxonMobil mark and begins operations in Argentina From July, Gafor Distribuidora commercializes with exclusiveness the ExxonMobil hydrocarbon fluids, as the aliphatic as the aromatic, from the following lines: Exxprint®, Exxsol®, Escaid®, Isopar®, Norpar 15®, Solvesso®, Varsol® and Arol® 1260. According to Sílvio Fagundes, Gafor Distribuidora manager, the competence selection process of the company was very long and complex. This achievement represents a rise in the Gafor share in the distribution sector and in the pint market, allowing a significant growth of the base of customers, resulting in an turnover increase higher to 70%. Besides, in September, Gafor will begin distributing hydrocarbons in Argentina, by the acquisition of one of the major distributors of this sector. With this acquisition, the company starts with a portfolio with more than 300 customers from different sectors being eligible to distribute the whole line of raw materials for the paint, resins and related market. As the branch in Argentina, as the one in Brazil, have a business and operational team, besides warehousing facilities for bulk and packed products. In the Argentinean market, Gafor is known by the auto-adhesive papers unit and for the transports and logistics sector. With this acquisition, the company creates also in the country its chemical distribution channel, which is open to different companies. According to the Gafor Distribuidora manager, the big differential lies in the high quality of the services provided. “Our relation resides in the addition of value, supported by the experience of logistics of Gafor Logística, that is very strong, and by the flexible customer service. This is the perfect addition.” And among a series of investments on quality management systems, security, health and environment – a fact that strengthen the support of certifications, as the achieving of Prodir (Responsible Distribution Process) - Gafor Distribuidora is also starting a branch in Porto Alegre (RS) and another one will be opened in Rio de Janeiro (RJ), totaling four units in Brazil, besides the new headquarters in Argentina.

RTV|08-09|2007

63


NOVIDADE

DEGUSSA ANUNCIA SEU NOVO NOME: EVONIK Evonik Industries AG é o grupo industrial criativo da Alemanha que atua em três áreas: química, energia e negócios imobiliários; e no primeiro semestre de 2008 pretende ingressar no mercado de capitais A Alemanha agora tem um novo grupo industrial: a Evonik. Na sua matriz em Essen, Werner Mueller, CEO da organização que atuava sob o nome de RAG Beteiligungs-AG, apresentou no mês de agosto a nova marca com a qual Evonik pretende ingressar no mercado de capitais no primeiro semestre de 2008. “Evonik é o grupo industrial criativo da Alemanha para química, ener-

64 RTV|08-09|2007

gia e negócios imobiliários. Nosso objetivo é tornar a empresa uma das mais criativas do mundo”, declarou Mueller, ao apresentar a essência da nova marca. “O nosso portfólio combina uma substancial massa crítica com um atraente potencial de crescimento”, afirmou. O batismo do grupo com o nome Evonik é o ponto alto do novo realinhamento estratégico da empresa,

além de constituir o último estágio antes de seu ingresso no mercado de capitais. No futuro, as operações de mineração de carvão da Alemanha continuarão utilizando o nome RAG e atuarão totalmente separadas. “Evonik entra, agora, em uma nova era de desenvolvimento da empresa e estamos bem posicionados e otimistas com o nosso ingresso no mercado de capitais”, disse Mueller.


Durante os quatro anos de reestruturação do grupo, Evonik apresentou um impressionante histórico de desempenho, aumentando de modo significativo o seu resultado operacional nesse período. As vendas cresceram 3%, atingindo • 7,565 bilhões nos primeiros seis meses deste ano. Num programa de ajuste de portfólio, fez desinvestimentos de aproximadamente 480 empresas com vendas totais acima de • 8 bilhões e 35.000 colaboradores. Ao mesmo tempo, a companhia concluiu a aquisição da Degussa e o “squeeze-out” dos acionistas foi realizado em apenas três meses, tempo recorde na Alemanha. Além

disso, a estrutura do grupo foi ajustada rapidamente, a fim de preencher os requisitos de uma organização moderna e de alto desempenho. “Já estamos em condições de otimizar as nossas oportunidades de crescimento co-

mo uma nova força, bem a tempo para o batismo da Evonik”, comentou Mueller. A Evonik deverá expandir as suas posições de liderança nos mercados atraentes e de grande expansão e se beneficiará especialmente da principal

megatendência econômica mundial – melhorar e aumentar a eficiência energética global. “Estamos focados no crescimento rentável e queremos ampliar nossa atuação no futuro com produtos novos, inteligentes e de ponta”, continuou Mueller. A companhia já oferece aos clientes no mundo todo produtos, serviços e soluções que ajudam a diminuir o consumo de recursos naturais e as emissões de CO2 utilizando, assim, a energia de modo mais eficiente. Isso inclui a produção de matérias-primas essenciais para a indústria da energia solar; tecnologia e produtos para pneus green tire que reduzem o gasto de

RTV|08-09|2007

65


NOVIDADE

combustível; materiais modernos, leves e econômicos, restringindo o consumo de energia no setor de transportes, por exemplo; energia de centrais elétricas com gasto de carvão reduzido e energias renováveis como também soluções energéticas para a construção habitacional. Gerenciamento de portfólio O crescimento rentável será sustentado pelas principais competências da Evonik Industries. Contribuem para isso, além da confiabilidade e capacidade de auto-renovação, as características de criatividade e especialização da empresa. “Estamos estabelecendo padrões internacionais com os nossos produtos e serviços, além de liderança em qualidade e tecnologia”,

66 RTV|08-09|2007

declarou Mueller. A Evonik controla os seus investimentos em negócios promissores mediante um gerenciamento ativo de portfólio. “A fim de otimizar a alocação de capital usamos os mesmos indicadores de benchmark para todo o grupo“, acrescentou Müeller, explicando que esses referenciais incluem retornos mínimos antes dos impostos de 16% nas áreas química; 10,5% em energia e 6,3% na divisão de negócios imobiliários. Poder de inovação como promotor de um crescimento rentável A fim de expandir a liderança tecnológica nas respectivas áreas de negócio, a Evonik aumentará o seu poder de inovação. O setor de química obtém, atualmente, 20% de suas re-

ceitas de produtos que existem há menos de cinco anos. Evonik dispõe de 20.000 patentes e mais de 35 centros de pesquisa no mundo todo. O modelo de pesquisa estratégica, que se distingue pela proximidade dos clientes, pela cooperação, além de ciclos curtos de desenvolvimento, constitui um promotor importante para conquistar novos mercados. A sua presença nos mercados em expansão, em particular na Ásia, leste da Europa e América Latina, assim como o reforço da organização de marketing e vendas acelerará o seu crescimento. Evonik Industries atua em mais de 100 países no mundo. No ano fiscal de 2006, 43.000 funcionários geraram vendas de aproximadamente • 14,8 bilhões e lucros operacionais (Ebit) superiores a • 1,2 bilhão.


RTV|08-09|2007

67


NOVEDADES

Degussa anuncia su nuevo nombre: Evonik Alemania tiene ahora un nuevo grupo industrial: Evonik. En su matriz en Essen, Werner Mueller, CEO de la organización que actuaba bajo el nombre de RAG Beteiligungs-AG, presentó la nueva marca con la cual pretende ingresar en el mercado de capitales en el primer semestre de 2008. “Evonik es el grupo industrial creativo de Alemania para química, energía y negocios inmobiliarios. Nuestro objetivo es hacer de la empresa una de las más creativas del mundo”, declaró Mueller. El bautismo del grupo con el nombre Evonik es el punto alto de la nuevo realineación estratégica de la empresa, además de constituir la última etapa antes de su ingreso en el mercado de capitales. En el futuro, las operaciones de minería de carbón de Alemania continuarán utilizando el nombre RAG y actuarán totalmente separadas. Durante los cuatro años de reestructuración del grupo, Evonik presentó un impresionante historial de desempeño, aumentando de modo significativo su resultado operacional en este período. Las vendas crecieron un 3%, alcanzando 7,565 millones de euros en los primeros seis meses de este año. En un programa de ajuste de portafolio, hizo desinversiones de aproximadamente 480 empresas con ventas totales superiores a los 8 mil millones de euros y 35 mil colaboradores. Al mismo tiempo, la empresa concluyó la adquisición de Degussa y el “squeeze-out” de los accionistas se realizó en tan sólo tres meses, tiempo record en Alemania. Además de esto, la estructura del grupo se ajustó rápidamente, a fin de llenar los requisitos de una organización moderna y de alto desempeño. Evonik ya ofrece a los clientes en todo el mundo productos, servicios y soluciones que ayudan a disminuir el consumo de recursos naturales y las emisiones de CO2, utilizando así, la energía de modo más eficiente. Esto incluye la producción de materias primas esenciales para la industria da energía solar; tecnología y productos para neumáticos green tire, que reducen el gasto de combustible; materiales modernos, ligeros y económicos, restringiendo el consumo de energía en el sector de transportes, por ejemplo; energía de centrales eléctricas con consumo de carbón reducido y energías renovables, así como también soluciones energéticas para la construcción habitacional.

68 RTV|08-09|2007

NEWS

Degussa announces their new name: Evonik Germany has now a new industrial group: Evonik. At the headquarters in Essen, Werner Mueller, CEO of the entity previously operating under the name of RAG Beteiligungs-AG, introduced the new brand with which Evonik plans to enter the capital market in the first half of 2008. “Evonik is Germany’s creative industrial group for chemicals, energy and real estate. Our goal is to become one of the most creative industrial groups in the world,” stated Mueller. The christening of the group with the name Evonik is the highlight of the company‘s new strategic realignment, besides constituting the last stage before entering the capital market. In the future, the German coal mining operations will continue using the name RAG, and both companies will work totally separate. During the four years of restructuring of the group, Evonik presented an impressive performance background, increasing significantly its operating results in this period. Sales rose 3 percent, reaching • 7.565 billion in the first six months of this year. In an adjustment program, the company divested its portfolio of some 480 companies with sales of over • 8 billion and 35,000 employees. At the same time, the company has completed the acquisition of Degussa, and the shareholder squeeze-out was accomplished in just over three months, a record time for Germany. Besides, the group structures were adjusted in a very short period of time in order to meet the requirements of a modern, high-performance company. Evonik already offers to the customers all around the world products, services and solutions that help to decrease the consumption of natural resources and CO2 emissions, thus using energy more efficiently This includes the production of key raw materials for the solar energy industry; technology and products for green tires that reduce the consumption of fuel; modern, lightweight, and economical materials, reducing the consumption of energy in transportation sector, for instance; energy of coal-conserving power plants and renewable energies as also energy-saving solutions for housing construction.


RTV|08-09|2007

69


PRODUTO

RHODIA LANÇA DIBK, O NOVO SOLVENTE PARA TINTAS E VERNIZES Este solvente é uma especialidade com solubilização diferenciada, indicado para formulações que demandam propriedades especiais brilho e aderência. Ele apresenta também alto poder de solvência para resinas nitrocelulósicas, sendo importante em aplicações no setor de acabamento para couros, além de oferecer alternativa para a substituição de alguns tipos de cetonas pesadas e lactatos. A Rhodia disponibiliza aos clientes uma ampla gama de produtos acéticos e cetônicos, sendo o DIBK parte da família dos cetônicos. A empresa está trabalhando cada vez mais em linhas de diferenciação, e esta molécula é o resultado deste conceito e da combinação de duas frentes: perfomance e toxicidade. “O DIBK é um solvente ecológico que agride menos o meio ambiente, pois apresenta toxicidade muito mais baixa que a média dos solventes do mercado, e foi desenvolvido para trazer melhorias no desempenho”, diz Castanho.

Alexandre Castanho, diretor da área de solventes da Rhodia

A Rhodia lança no mercado o Rhodiasolv® SMEP/ DIBK, a diisobutilcetona que promete excelente poder de solvência, baixa solubilidade em água e densidade, além de pequena taxa de evaporação relativa (TER). Tais características - e inclusive o fato de não fazer parte da HAP (Hazardous Air Pollutant) por não apresentar substâncias que agridem a atmosfera - transformam o produto em um solvente de grande aplicação nos mercados de tintas e vernizes, industriais, tintas automotivas originais (OEM), thinners e acabamentos de couro. Desenvolvido no Brasil e produzido na unidade industrial da Rhodia em Paulínia (SP), o DIBK é novidade no portfólio da empresa e, mundialmente, são poucos os produtores do insumo. Segundo Alexandre Castanho, diretor da área de solventes da Rhodia – América Latina, o novo solvente é uma especialidade com capacidade de solubilização diferenciada, indicado para formulações que demandam propriedades especiais, principalmente quanto ao 70 RTV|08-09|2007

Estrutura internacional Como parte do negócio mundial, a empresa possui hoje uma estrutura internacional que agrega correspondentes nos Estados Unidos, Europa e Ásia trabalhando o setor de solventes da Rhodia com base na estratégia estabelecida no Brasil. Esta estrutura, além de fazer contratos de distribuição no exterior, irá reforçar a expansão comercial do Rhodiasolv® SMEP/DIBK, apontando os nichos de aplicação do produto nos outros países. A Rhodia elegeu o Brasil para produzir seus solventes e exportá-los para o mundo. Aproximadamente 280 mil toneladas do insumo são produzidas por ano, sendo 45% deste volume dedicado à exportação. No 1º semestre deste ano, a companhia registrou crescimento de 6% no mercado interno de solventes e, no mesmo período, aumentou suas exportações em 16%. Hoje, ela está entre os quatro maiores fabricantes de acetato de etila do mundo e a marca Rhodia está em franca consolidação, tornando-se cada vez mais conhecida.


RTV|08-09|2007

71


PRODUCTO

Rhodia lanzó DIBK, el nuevo solvente para pinturas y barnices Rhodia lanza al mercado el Rhodiasolv® SMEP/DIBK, la diisobutilcetona, que ofrece excelente poder de solvencia, baja solubilidad en agua y densidad, además de pequeña tasa de evaporación relativa (TER). Tales características e inclusive el hecho de no formar parte de la HAP (Hazardous Air Pollutant) por no presentar substancias que atacan la atmósfera - hacen del producto un solvente de gran aplicación en los mercados de pinturas y barnices industriales, pinturas automovilísticas originales (OEM), thinners y acabados de cuero. Desarrollado en Brasil y producido en la unidad industrial de Rhodia en Paulínia (SP), el DIBK es novedad en el portafolio de la empresa y mundialmente, son pocos los productores de este insumo. El nuevo solvente es una especialidad con solubilización diferenciada, indicado para formulaciones que demandan propiedades especiales, principalmente con relación al brillo y adherencia. Presenta también alto poder de solvencia para resinas de nitrocelulosa, siendo importante en aplicaciones en el sector de acabado para cueros, además de ofrecer alternativa para la sustitución de algunos tipos de cetonas pesadas y lactatos. Rhodia pone a disposición de sus clientes una amplia gama de productos acéticos y cetónicos, siendo el DIBK parte de la familia de los cetónicos. La empresa está trabajando cada vez más en líneas de diferenciación, y esta molécula es el resultado de este concepto y de la combinación de dos frentes: desempeño y toxicidad. Como parte del negocio mundial, la empresa cuenta hoy con una estructura internacional a la que se suman correspondientes en los Estados Unidos, Europa y Asia trabajando el sector de solventes de Rhodia con base en la estrategia establecida en Brasil. Esta estructura, además de hacer contratos de distribución en el exterior, reforzará la expansión del DIBK. Rhodia escogió Brasil para producir sus solventes y exportarlos para el mundo. Aproximadamente 280 mil toneladas del insumo son producidas por año, siendo el 45% de este volumen destinado a la exportación. En el primer semestre de este año, la compañía registró un crecimiento del 6% en el mercado interno de solventes y, en el mismo período, aumentó sus exportaciones en un 16%. Actualmente, está entre los cuatro mayores fabricantes de acetato de etilo del mundo y la marca Rhodia está en franca consolidación, haciéndose cada vez más conocida. 72 RTV|08-09|2007

PRODUCT

Rhodia introduces DIBK, the new solvent for paints and varnishes Rhodia introduces to the market the Rhodiasolv® SMEP/DIBK, the diisobutyl ketone, wich offers excellent solvency power, low solubility in water and density, besides small relative evaporation rate (TER). Such characteristics - and even the fact of not being a HAP (Hazardous Air Pollutant, as they are environmentally friendly) - make the product a solvent widely used in markets as the paint and varnishes, industrial, original automotive paint – OEM, thinners and leather finishing. Developed in Brazil and produced in the industrial Rhodia unit in Paulínia (SP), the DIBK is a novelty in the portfolio of the company and there are only a few producers of this input around the world. The new solvent is a specialty with special solubilization, intended for formulations that demand special proprieties, chiefly related to gloss and adherence. It also has a high solvency power for nitrocellulose resins, being important in applications in the leather finishing industry, besides offering an alternative for the substitution of some types of heavy ketones and lactates. Rhodia makes available to its customers a wide range of acetic and ketonic products, being the DIBK a part of the ketonic family. The company is working more and more in differentiation lines and this molecule is the result of this concept and of the combination of two fronts: performance and toxicity. As part of the global business, the company has today an international structure that adds to the correspondents in the United States, Europe and Asia, working the solvent sector of Rhodia based on the strategy established in Brazil. Besides allowing distribution contracts abroad, this structure will reinforce the expansion of the DIBK. Rhodia chose Brazil to produce its solvents and to export them to the world. Approximately 280 thousand tons of this input is produced per year, being 45% of this volume devoted to exportation. In the first hlf of this year, the company registered a 6% growth in the internal market of solvents and, in the same period, its exports increased 16%. Today, the company is among the four largest manufacturers of ethyl acetate in the world and the mark Rhodia is in frank consolidation, being more and more acknowledged.


No dia 20 de julho aconteceu a 3ª edição do Simpósio Técnico de Tintas e Vernizes do Rio de Janeiro - Simpotec, promovido pelo Sintirj (Sindicato das Indústrias de Tintas e Vernizes e de Preparação de Óleos Vegetais e Animais do município do Rio de Janeiro). O Simpotec foi realizado no Centro Empresarial Rio Praia de Botafogo, na capital carioca, e reuniu especialistas, químicos e técnicos de indústrias químicas e de tintas. Com o objetivo estimular o desenvolvimento de novas tecnologias e otimização de processos já existentes, além de reforçar o crescimento da área de tintas e vernizes tanto no aspecto técnico como de meio ambiente e da sustentabilidade; o evento contou com um painel de seis palestras

sendo cada uma voltada para um segmento do mercado: a Carbono Química abordou “Avaliação Ambiental de Solventes Petroquímicos de Baixa Toxidez” (por Roberto Gianini); a Bandeirante Química destacou “Superfícies das Tintas e seus Problemas, Causas e Soluções” (por Aurélio Rocha); a Transcor falou sobre “Pigmentos Inorgânicos / Amarelos e Laranjas de Cromo” (por Júlio Luiz Delboni); a Mast apresentou “Aplicação da Norma Abrafati – Tintas para Construção Civil” (por Dario Gonçalves Mendonça Junior); a Ipiranga Química ressaltou “Novas Soluções em Cura para Sistemas Epóxi (por Sérgio Rubio) e a Petrobras Distribuidora discorreu sobre “Soluções Petrobras para o Segmento de Tintas e Vernizes”. Alguns participantes que assistiram as palestras, como Amaro Ribeiro – da Nena Ind. Química, e Jorge Marques – da Colorcril Ind. e Com. de Tintas; acharam muito interessante todos os temas e tiveram a certeza de ter agregado novos conhecimentos técnicos.

ATUALIDADES

Sintirj realiza 3º Simpotec

Sintirj realiza 3º Simpotec

Guilherme de Souza Pires, presidente do Sintirj

El 20 de julio se llevó a cabo la tercera edición del Simposio Técnico de Pinturas y Barnices de Rio de Janeiro (Simpotec), promovido por el Sintirj (Sindicato de las Industrias de Pinturas y Barnices y de Preparación de Aceites Vegetales y Animales del municipio de Rio de Janeiro). El Simpotec fue realizado en el Centro Empresarial Rio Praia de Botafogo, en la capital carioca, y reunió especialistas, químicos y técnicos de industrias químicas y de pinturas. Con el objetivo de estimular el desarrollo de nuevas tecnologías y optimización de procesos

RTV|08-09|2007

73


ATUALIDADES

ya existentes, además de reforzar el crecimiento del área de pinturas y barnices tanto en el aspecto técnico como de medio ambiente y de la sustentabilidad; el evento contó con un panel de seis conferencias, siendo cada una centrada en un segmento del mercado: Carbono Química abordó “Evaluación Ambiental de Solventes Petroquímicos de Baja Toxicidad” (por Roberto Gianini); Bandeirante Química destacó “Superficies de las Pinturas y sus Problemas, Causas y Soluciones” (por Aurélio Rocha); Transcor habló sobre “Pigmentos Inorgánicos / Amarillos y Naranjas de Cromo” (por Júlio Luiz Delboni); Mast presentó “Aplicación de la Norma Abrafati – Pinturas para Construcción Civil” (por Dario Gonçalves Mendonça Junior); Ipiranga Química resaltó “Nuevas Soluciones en Curado para Sistemas Epoxi (por Sérgio Rubio) y Petrobras Distribuidora discurrió sobre “Soluciones Petrobras para el Sector de Pinturas y Barnices”. Algunos de los participantes que asistieron las conferencias, como Amaro Ribeiro, de Nena Ind. Química, y Jorge Marques, de Colorcril Ind. e Com. de Tintas, consideraron muy interesante todos los temas y están seguros de que se han agregado nuevos conocimientos técnicos. Sintirj carries out the 3º Simpotec On July 20 was held the third edition of the Rio de Janeiro Technical Symposium of Pints and Varnishes (Simpotec), promoted by Sintirj (Syndicate of the Paint and Varnishes and Preparation of Vegetable and Animal Oils Industries of Rio de Janeiro City). Simpotec was held at Centro Empresarial Rio Praia de Botafogo, in the carioca capital city, and brought together specialists, chemists and technicians of the chemical and paints industries. With the purpose of stimulating the development of new technologies and to optimize the already existing processes, besides strengthening the growth of the paint and varnishes industry, as in the technical as in the environmental and sustainability aspects; the event had a panel of six lectures, each of them focused on one market sector: Carbono Química approached “Environmental Assessment of Low-Toxicity Petrochemical

74 RTV|08-09|2007 74 RTV|08-09|2007

Solvents” (by Roberto Gianini); Bandeirante Química stressed the “Paint Surfaces and their Problems, Causes and Solutions” (by Aurélio Rocha); Transcor talked about “Chromium Yellow and Orange / Inorganic Pigmentos” (by Júlio Luiz Delboni); Mast presented “Application of Abrafati Standard – Paints for the Civil Construction” (by Dario Gonçalves Mendonça Junior); Ipiranga Química gave “New Solutions on Curing for Epoxy Systems” (by Sérgio Rubio) and Petrobras Distribuidora approached “Petrobras Solutions for the Paint and Varnishes Sector”. Some of the attendees to the lectures, as Amaro Ribeiro, from Nena Ind. Química, and Jorge Marques, from Colorcril Ind. e Com. de Tintas, considered as very interesting all of the topics and they are sure that they added new technical knowledge. Columbian Chemicals inicia operação na Bahia No final do mês de agosto, a Columbian Chemicals Co. inaugurou sua nova fábrica de negrode-fumo no Pólo de Camaçari, um complexo químico no Estado da Bahia - Brasil. O projeto começou em setembro de 2005 e utiliza as mais recentes tecnologias ambientais e de conservação de energia. A capacidade de produção de 75.000 toneladas métricas da fábrica de US$ 75 milhões poderá ser expandida à medida que o mercado crescer.

Autoridades locais, clientes, fornecedores e conselho diretor da companhia, assim como representantes do Pólo de Camaçari participaram da festa de inauguração. Jacques Wagner, governador do Estado da Bahia e Luiz Carlos Caetano, prefeito de Camaçari, se dirigiram aos presentes, assim como JS Lee, presidente e principal executivo da Columbian, e Antonio Quaresma,


Columbian Chemicals inicia operación en Bahia A fines del mes de agosto, Columbian Chemicals Co. inauguró su nueva fábrica de negro de humo en el Polo de Camaçari, un complejo químico en el Estado de Bahia, Brasil. El proyecto comenzó en septiembre de 2005 y utiliza las más recientes tecnologías ambientales y de conser-

vación de energía. La capacidad de producción de 75,000 toneladas métricas de la fábrica de 75 millones de dólares podrá expandirse a medida que el mercado crezca. Autoridades locales, clientes, proveedores y el consejo director de la compañía, así como representantes del Polo de Camaçari, participaron de la fiesta de inauguración. Jacques Wagner, gobernador del estado de Bahia y Luiz Carlos Caetano, alcalde de Camaçari, se dirigieron a los presentes, así como J. S. Lee, presidente y principal ejecutivo de Columbian, y Antonio Quaresma, presidente de la región de América del Sur de la empresa. “Columbian es una industria que crece y hoy vemos la evidencia del tipo de crecimiento que asegurará nuestro éxito futuro”, dijo Lee. “Nuestros clientes están aquí; por lo tanto, nosotros estamos aquí para formar parte de lo que promete ser un futuro muy próspero para Bahia”, agregó. Lee y Wagner develaron una placa conmemorativa y la fábrica fue oficialmente inaugurada cuando Lee accionó la alarma de la planta. Los invitados recorrieron las instalaciones y el día terminó con un almuerzo de celebración, en Salvador. Con sede en Marietta, Georgia, Columbian Chemicals Co. y sus afiliadas tienen y operan 13 plantas de fabricación de negro de humo en Brasil, Canadá, China, Inglaterra, Alemania, Hungría, Italia, Corea, España y Estados Unidos, empleando aproximadamente 1,400 personas en todo el mundo. La empresa recibió la certificación ISO-14001, una norma reconocida internacionalmente rela-

ATUALIDADES

presidente da região da América do Sul. “Columbian é uma indústria que cresce e hoje vemos a evidência do tipo de crescimento que assegurará nosso sucesso futuro”, disse Lee. “Nossos clientes estão aqui; portanto, nós estamos aqui para fazer parte do que promete ser um futuro muito próspero para a Bahia”, acrescentou. Lee e Wagner descerraram uma placa comemorativa e a fábrica foi oficialmente inaugurada quando Lee ligou o alarme sonoro. Os convidados fizeram uma visita às instalações e o dia terminou com um almoço comemorativo, em Salvador. Com sede em Marietta, Geórgia, a Columbian Chemicals Co. e suas afiliadas possuem e operam 13 plantas de fabricação de negro-de-fumo no Brasil, Canadá, China, Inglaterra, Alemanha, Hungria, Itália, Coréia, Espanha e Estados Unidos, empregando aproximadamente 1.400 pessoas mundialmente. A empresa recebeu a certificação ISO 14001, uma norma reconhecida internacionalmente relativa ao gerenciamento ambiental, em todas as instalações de produção da Europa, América do Norte e América do Sul.

RTV|08-09|2007

75


ATUALIDADES

cionada a la administración ambiental, en todas las instalaciones de producción de Europa, América del Norte y América del Sur. Columbian Chemicals starts operations in Bahia At the end of August, Columbian Chemicals Co. inaugurated its new carbon black plant at the Camaçari Complex, a chemical complex in the state of Bahia, Brazil. The project began in September 2005 and uses the most recent environmental and energy preservation technologies. The 75,000 metric ton production capacity of the US$ 75 million plant may be expanded insofar as the market grows. Local authorities, customers, suppliers and the Board of Directors of the company, as well as representatives of the Camaçari Complex were present to the inauguration party. Jacques Wagner, governor of Bahia state and Luiz Carlos Caetano, major of Camaçari, spoke to the presents, as well as JS Lee, Columbian president and senior executive, and Antonio Quaresma, Columbian South America president. “Columbian is a growing company and today we see the evidence of the kind of growth that will assure our future success”, said Lee. “Our customers are here; therefore, we are here to make part of this that promises to be a very thriving future to Bahia”, he added. Lee and Wagner revealed a commemorative plate and the plant was officially inaugurated when Lee turned on the sound alarm. The guests visited the facilities and the day finished with a lunch to celebrate, in Salvador. With headquarters in Marietta, Georgia, Columbian Chemicals Co. and its affiliates have and operate 13 manufacturing plants of carbon black in Brazil, Canada, China, England, Germany, Hungary, Italy, Korea, Spain and the United States, employing approximately 1,400 people all around the world. The company has been granted the ISO 14001 certification, a standard internationally acknowledged regarding environmental management, in the whole production facilities in Europe, North America and South America.

76 RTV|08-09|2007 76 RTV|08-09|2007

Suzano Petroquímica recebe aporte para pesquisa em nanotecnologia A Suzano Petroquímica - SZPQ, primeira petroquímica da América Latina a lançar um portfólio de resinas plásticas com nanotecnologia, assinou um acordo com a Finep - Financiadora de Estudos e Projetos – a partir do qual recebeu a verba de R$ 508 mil, destinada a execução de um projeto para o desenvolvimento de nanocompósitos estruturados com argila. O projeto da Suzano Petroquímica aprovado pela Finep, cujas pesquisas se iniciaram em 11 de julho, é intitulado “Desenvolvimento de Nanocompósitos Polipropileno-Argila: Métodos de Obtenção e Viabilização Comercial” e foi caracterizado como inovador pela Financiadora, após passar por uma avaliação composta de três rigorosas etapas: pré-qualificação, avaliação de mérito e análise operacional. De acordo com Cláudio Marcondes, gerente de desenvolvimento de novos produtos da SZPQ, esta é a primeira vez que é realizado um estudo para a utilização de nanopartículas de argila nacional para a obtenção de nanocompósitos. “Por meio desse trabalho, esperamos viabilizar a aplicação de uma técnica de polimerização via incorporação de argila que representará um aumento significativo nas propriedades finais de barreira física e química, principalmente ao oxigênio e CO2”, avalia Marcondes.

Cláudio Marcondes, da Suzano Petroquímica


Suzano Petroquímica recibe aporte para investigación en nanotecnología Suzano Petroquímica (SZPQ), primera empresa petroquímica de América Latina a lanzar un portafolio de resinas plásticas con nanotecnología, firmó un acuerdo con la Finep, Financiera de Estudios y Proyectos, a partir del cual recibió un fondo de 508 mil reales, destinado a la ejecución de un proyecto para el desarrollo de nanocompuestos estructurados con arcilla. El proyecto de Suzano Petroquímica aprobado por la Finep, cuyas investigaciones se iniciaron el 11 de julio, se titula “Desarrollo de Nanocompuestos Polipropileno - Arcilla: Métodos de Obten-

ción y Viabilidad Comercial” y fue caracterizado como innovador por la Financiadora, después de pasar por una evaluación compuesta de tres rigurosas etapas: precalificación, evaluación de mérito y análisis operacional. De acuerdo con Cláudio Marcondes, gerente de desarrollo de nuevos productos de SZPQ, ésta es la primera vez que se realiza un estudio para la utilización de nanopartículas de arcilla nacional para la obtención de nanocompuestos. Según el superintendente del área de Innovación para Competitividad Empresarial de la Finep, Luiz Antônio Coelho Lopes, éste es el primer programa para la obtención de subvención económica hecho en Brasil. Este tipo de concesión para la innovación en las empresas es un instrumento de política de gobierno ampliamente utilizado en países desarrollados y que sólo ahora comienza a usarse en el país. Suzano Petroquímica deberá aportar una contrapartida de 1.2 millón de reales, referente a la compra de equipos especializados y otros elementos económicamente mensurables. Este proyecto caracteriza un marco para la empresa como ejecutora de trabajos de innovación y como resultado, pretende obtener productos comerciales con nanotecnología aplicada, además de conseguir solicitudes de la patente de la invención.

ATUALIDADES

Segundo o superintendente da área de Inovação para Competitividade Empresarial da Finep, Luiz Antônio Coelho Lopes, este foi o primeiro programa para a obtenção de subvenção econômica feito no Brasil. Esse tipo de concessão para a inovação nas empresas é um instrumento de política de governo largamente utilizado em países desenvolvidos e que só agora começa a ser usado no país. A Suzano Petroquímica deverá aportar contrapartida de R$ 1,2 milhão, referente à compra de equipamentos diferenciados e outros itens economicamente mensuráveis. Este projeto caracteriza um marco para a empresa como executora de trabalhos de inovação e como resultado, pretende obter produtos comerciais com nanotecnologia aplicada, além de conseguir pedidos de patente de invenção.

Suzano Petroquímica is granted contribution for research on nanotechnology Suzano Petroquímica (SZPQ), the first

RTV|08-09|2007 RTV|08-09|2007 77

77


ATUALIDADES

petrochemical company in Latin America to launch a portfolio of nanotechnology plastic resins, signed an agreement with Finep, the Research and Projects Financing, from which received a R$ 508 thousand funding, intended for the carrying out of a project to develop structured nanocomposites with clay. The project by Suzano Petroquímica approved by Finep, whose researches begn in July 11th, is entitled “Development of Polypropylene-Clay Nanocomposites: Obtaining Methods and Commercial Availability”, and was classified as innovative by the financing agency, after an assessment comprising three strict stages: pre-qualification, merit assessment and operational analysis. In accordance with Cláudio Marcondes, SZPQ’s new products development manager, this is the first time that a study for the use of nanoparticles from national clay to obtain nanocomposites is carried out. According to Finep’s Business Competitiveness Innovation area superintendent, Luiz Antônio Coelho Lopes, this was the first Brazilian program to obtain financial support. This type of concession for the innovation in the companies is an governmental instrument policy widely used in developed countries and only now starts to be used in Brazil. Suzano Petroquímica shall contribute with a R$ 1.2 million balance entry, regarding the acquisition of special equipment and other items economically measurable. This project represents a milestone for the company as executer of innovative works and as a result, intends to obtain commercial products with applied nanotechnology, besides receiving requests of the patent of the invention. Oxiteno tem novo gerente de mercado para tintas No mês de agosto, Maurício de Andrade Lopes assumiu a gerência de mercado para tintas, cargo anteriormente presidido pelos executivos, Andréa Campos Soares e Hugo Ladeira. Nascido e criado no interior paulista, Lopes é formado em química pela Unicamp, tem 30 anos de idade, e entrou na Oxiteno em 2000, como

78 RTV|08-09|2007 78 RTV|08-09|2007

trainee. Atuou nos segmentos de resinas e construção civil e, de 2003 a 2005, dedicou-se exclusivamente aos mercados de tintas e vernizes. No início de 2005, foi direcionado para outra unidade de negócios, assumindo a gerência de vendas de catalisadores, respondendo por Brasil e América Latina. Em 2007, acumulou a gestão de vendas dos setores de EO (Óxido de Etileno) e Poliéster.

Maurício de Andrade Lopes, da Oxiteno

Agora, em seu novo cargo, o executivo estabelece relação com várias atividades como distribuição, revenda, fluidos funcionais e, principalmente, tintas e vernizes que possui grande representatividade nos negócios da companhia. Para ele, o principal desafio no momento está em consolidar a reestruturação das áreas de mercado buscando sinergias e melhorando os resultados. “Apesar de ter trabalhado em outras organizações, minha formação pós-faculdade foi na Oxiteno e me sinto muito orgulhoso por isso. A empresa é muito importante no cenário químico e petroquímico brasileiro” diz e afirma gostar de trabalhar em equipe, julga-se comunicativo e garante que humildade e dedicação são algumas de suas qualidades. Do lado pessoal, Lopes aprecia muito o universo dos vinhos. Oxiteno tiene nuevo gerente de mercado para pinturas En el mes de agosto, Maurício de Andrade Lopes asumió la gerencia de mercado para pinturas, cargo anteriormente presidido por los ejecutivos, Andréa Campos Soares y Hugo Ladeira. Nacido y criado en el interior del estado de São Paulo, Lopes se graduó en química en la Unicamp (Universidade de Campinas), tiene 30 años


que le gusta trabajar en equipo, se juzga comunicativo y garantiza que la humildad y dedicación son algunas de sus cualidades. Por el lado personal, Lopes aprecia mucho el universo de los vinos. ATUALIDADES

de edad, y entró en Oxiteno en el 2000, como practicante. Actuó en los sectores de resinas y construcción civil, y de 2003 a 2005, se dedicó exclusivamente a los mercados de pinturas y barnices. A inicios del 2005, fue designado para otra unidad de negocios, asumiendo la gerencia de ventas de catalizadores, respondiendo por Brasil y América Latina. En 2007, acumuló la gestión de ventas de los sectores de EO (Óxido de Etileno) y Poliéster. Ahora, en su nuevo cargo, el ejecutivo establece relación con varias actividades como distribución, reventa, fluidos funcionales y, principalmente, pinturas y barnices, el cual tiene una gran representatividad en los negocios de la compañía. Para él, el principal desafío en el momento consiste en consolidar la reestructuración de las áreas de mercado, buscando sinergias y mejorando los resultados. “A pesar de haber trabajado en otras organizaciones, mi formación postuniversitaria fue en Oxiteno y me siento muy orgulloso por eso. La empresa es muy importante en el escenario químico y petroquímico brasileño”, dice y afirma

Oxiteno has new manager for the paint market Last August, Maurício de Andrade Lopes assumed the management of the paint market. The position was presided by the executives Andréa Campos Soares and Hugo Ladeira. Born and raised in São Paulo inland, Lopes graduated in chemistry from Unicamp, he is 30 years old, and joint Oxiteno in 2000, as a trainee. He worked in the sectors of resins and civil construction, and from 2003 to 2005, was devoted exclusively to the paints and varnishes markets. In the beginning of 2005, was assigned to other business unit, assuming the sales management of catalysts, being responsible for Brazil and Latin America. In 2007, he accumulated the position of sales manager of the Ethylene Oxide and Polyester sectors.

RTV|08-09|2007

79


ATUALIDADES

Now, in his new position, the executive interfaces the relationships of several activities as distribution, resales, functional fluids and, chiefly, paints and varnishes, which represents a great share of the company’s businesses. For him, the major challenge at the moment is to consolidate the restructuring of the market areas, looking for synergies and improving the results. “Despite being worked in other organizations, my post-university training was in Oxiteno, and I am very proud of this. The company is very important in the Brazilian chemical and petrochemical scenario” he says and declares he likes to work in team, he thinks he is communicative and assures that humility and dedication are some of his qualities. On the personal aspect, Lopes enjoys very much the universe of wines. Hi-Tech comemora um ano de atividades No mês de agosto, a Hi-Tech comemorou um ano de atividades no Brasil. Como empresa 100% nacional atua principalmente na fabricação de tintas e vernizes especiais para o segmento industrial com tecnologia de cura UV (ultravioleta) e térmico. Localizada em Santana de Parnaíba (SP), atende as áreas de cosméticos, automobilístico, linha branca, entre outras. A Hi-Tech tem uma capacidade instalada de 100 mil litros de tintas e, atualmente, 75% já são utilizados. Para 2008 prevê um investimento de mais US$ 1.000.000,00 para dobrar essa produção, visto que a aceitação de seus produtos e serviços no mercado superou as expectativas. A fabricante também promove serviço técnico de acompanhamento de processo de pintura junto ao cliente, visando mostrar o melhor custo/beneficio das soluções de sua linha e procura oferecer

80 RTV|08-09|2007 80 RTV|08-09|2007

para seus parceiros produtos de alta tecnologia, menos nocivos ao meio ambiente. Hi-Tech celebra un año de actividades En el mes de agosto, Hi-Tech celebró un año de actividades en Brasil. Como empresa 100% nacional, actúa principalmente en la fabricación de pinturas y barnices especiales para el segmento industrial con tecnología de curado UV (ultravioleta) y térmico. Localizada en Santana de Parnaíba (SP), atiende las áreas de cosméticos, automovilística y línea blanca, entre otras. Hi-Tech cuenta con una capacidad instalada de 100 mil litros de pinturas, y actualmente, ya utiliza el 75%. Para 2008 prevé una inversión de más de un millón de dólares para duplicar esta capacidad, ya que la aceptación de sus productos y servicios en el mercado ha superado las expectativas. El fabricante también promueve con al cliente un servicio técnico de acompañamiento del proceso de pintado, buscando mostrar la mejor relación costo/beneficio de las soluciones de su línea y procura ofrecerle a sus socios productos de alta tecnología, menos nocivos al medio ambiente. Hi-Tech celebrates one year of activities In August, Hi-Tech celebrated on year of activities in Brazil. As a 100% Brazilian company, it works mainly in the manufacturing of special paints and varnishes for the industry sector with UV (ultraviolet) and thermal curing technology. Placed in Santana de Parnaíba (SP), the company serves the fields of cosmetics, automotive and household appliances, among others. Hi-Tech installed capacity is 100 thousand liters of paints and, currently, 75% of it is already used. For 2008 the company expects apply an investment of US$ 1 million aiming at doubling this production, since the acceptance of its products and services in the market exceeded the expectations. The manufacturer also promotes with the customers the technical service of follow-up of the painting process, with the purpose of showing the best cost/effective relation of the


Associquim e Sincoquim organizam a 4ª edição do Ebdquim A Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos (Associquim) e o Sindicato do Comércio Atacadista de Produtos Químicos e Petroquímicos no Estado de São Paulo (Sincoquim) já trabalham na organização do 4º Ebdquim – Encontro Brasileiro dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos, que ocorrerá entre os dias 5 e 9 de março de 2008, no Resort Vila Galé Marés, em Guarajuba, Bahia, a 42 km de Salvador. Esperado com grande expectativa pelos empresários do setor, o Ebdquim reúne um público diversificado, sendo prestigiado por distribuidores, produtores, transportadores e consumidores de produtos químicos. De acordo com Rubens Medrano, presidente das entidades, muitas empresas e patrocinadoras já manifestaram intenção de marcar presença no evento de 2008. “A terceira edição, realizada em 2006, demonstrou que o Ebdquim já se consolidou como um dos encontros setoriais mais importantes da América Latina, pois integra todos os elos envolvidos na produção e distribuição de produtos químicos”, ressaltou o dirigente. O aumento crescente do número de interessados também reforça as expectativas para o ano que vem. Desde a primeira edição, em 2002, o encontro, patrocinado pelas principais indústrias do setor, conta com a presença de importantes empresas da cadeia produtiva de produtos químicos, além de entidades de classe e associações brasileiras e do exterior. “O diferencial do Ebdquim é reunir diferentes segmentos num único local, gerando valor aos participantes”, completa Medrano.

4º Ebdquim, Encuentro Brasileño de los Distribuidores de Productos Químicos y Petroquímicos, a celebrarse entre los días 5 y 9 de marzo de 2008, en el Resort Vila Galé Marés, en Guarajuba, Bahia, a 42 km de Salvador. Esperado con gran expectativa por los empresarios del sector, el Ebdquim reúne un público variado, realzado por la presencia de distribuidores, productores, transportadores y consumidores de productos químicos. De acuerdo con Rubens Medrano, presidente de las entidades organizadoras, muchas empresas y patrocinadores ya manifestaron la intención de estar presentes en el evento de 2008. “La tercera edición, realizada en 2006, demostró que el Ebdquim ya se consolidó como uno de los encuentros sectoriales más importantes de América Latina, pues integra todos los eslabones involucrados en la producción y distribución de productos químicos”, resaltó el dirigente. El aumento creciente del número de interesados también refuerza las expectativas para el año que viene. Desde la primera edición, en 2002, el encuentro, patrocinado por las principales industrias del sector, cuenta con la presencia de importantes

ATUALIDADES

solutions from its line and tries to offer to its partners, high technology products, environmentally harmless.

Associquim y Sincoquim organizan la 4ª edición del Ebdquim La Asociación Brasileña de Distribuidores de Productos Químicos y Petroquímicos (Associquim) y el Sindicato de Comercio Mayorista de Productos Químicos y Petroquímicos del Estado de São Paulo (Sincoquim), ya trabajan en la organización del

RTV|08-09|2007 RTV|08-09|2007 81

81


ATUALIDADES

empresas de la cadena productiva de productos químicos, además de entidades de clase y asociaciones brasileñas y del exterior. “El diferencial del Ebdquim es reunir diferentes sectores en un único local, generando valor a los participantes”, completa Medrano. Associquim and Sincoquim organize the 4th edition of Ebdquim The Brazilian Association of the Commerce of Chemical And Petrochemical Products (Associquim) and the São Paulo State Wholesaler Syndicate of Chemical and Petrochemical Products (Sincoquim) have been already working in the organization of the 4th Ebdquim, Brazilian Congress of Chemicals and Petrochemicals Distributors, to be held from 5 to 9 of March, 2008, in the Vila Galé Marés Resort, in Guarajuba, Bahia, 42 km away from Salvador, the capital city. Expected by businessmen of the sector, the Ebdquim gathers a very different public, being honored by distributors, producers, transportation companies and consumers of chemical products. In accordance with Rubens Medrano, president of the organizations, many companies and sponsors have already shown the intention of participating in the event in 2008. “The third edition, held in 2006, showed that the Ebdquim has already consolidated as one of the most important sectorial meetings in Latin America, since it integrates all links involved in the production and distribution of chemical products”, emphasized the leader. The growing number of people interested in participating has also reinforced the expectations for the event next year. Since the first edition, in 2002, the meeting sponsored by the major companies of the industry, counts on the presence of important companies of the production chain of chemical products, besides Brazilian associations and trade associations and from foreign countries. “The highlight of the Ebdquim is to gather different segments in only one place, adding value to the participants”, concludes Medrano.

82 RTV|08-09|2007 82 RTV|08-09|2007

Bayer participa da recuperação da memória de São Paulo O edifício sede do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/SP) será totalmente restaurado após 60 anos de existência no coração da capital paulista. Em uma parceria inédita, a Bayer Material Science - uma empresa do Grupo Bayer - apoiará o projeto de modernização deste marco da arquitetura brasileira, conciliando a necessária atualização das instalações com a preservação da obra original. “Notamos que no Brasil, apesar de disponíveis, nem sempre se utilizam as mais novas tecnologias da construção civil. Acreditamos que, em parte, isto se deve ao desconhecimento e ao tradicionalismo. Como dispomos tanto da tecnologia de ponta quanto da experiência e parcerias mundiais para este segmento, vimos neste projeto a oportunidade de divulgar e, ao mesmo tempo, ajudar na recuperação da memória da cidade de São Paulo”, diz Henning von Koss, presidente da Bayer MaterialScience América Latina. O primeiro passo da parceria será a doação do sistema Baytec® SPR para impermeabilização da laje de cobertura do edifício. Este revestimento elastomérico de poliuretano/poliuréia é ideal para proteger superfícies expostas a intempéries sujeitas a grandes variações de temperaturas e cargas mecânicas, aumentando assim, a vida útil de coberturas planas ou irregulares. “Diferente das aplicações tradicionais, a elasticidade do sistema possibilita que ele acompanhe o movimento da superfície onde é aplicado, protegendo-a contra futuras infiltrações que possam surgir de possíveis trincas e rachaduras”, explica Adércio Savignani, gerente BaySystems América Latina. As matérias-primas do portfólio da Bayer MaterialScience terão prioridade no projeto e, em conjunto com o IAB/SP, a empresa está estudando outras aplicações no restauro do edifício. “O sistema apresentado pela Bayer atende aos pré-requisitos básicos do projeto original. Sua grande vantagem é que utiliza água como solvente, e é aplicado em sistema ‘spray’, sem emendas com arremates em rodapés e em interferências com absoluta adesão às superfícies do substrato previamente regularizado”, comenta Arnaldo Martino, presidente do IAB/SP. Com o tema do aquecimento global em pauta e o aumento da consciência ambiental, a Bayer


Bayer participa de la recuperación de la memoria de São Paulo El edificio de la sede del Instituto de Arquitectos de Brasil (IAB/SP) será totalmente restaurado después de 60 años de existencia en el corazón de la capital paulista. En una sociedad inédita, Bayer MaterialScience, una empresa del Grupo Bayer, apoyará el proyecto de modernización de este marco de la arquitectura brasileña, conciliando la necesaria actualización de las instalaciones con la preservación de la obra original. “Notamos que en Brasil, a pesar de disponibles, no siempre se utilizan las más nuevas tecnologías de la construcción civil. Creemos que esto se debe, en parte, al desconocimiento y al tradicionalismo. Como disponemos tanto de la tecnología de punta, como de la experiencia y sociedades mundiales para este segmento, vimos en este proyecto la oportunidad de divulgar, y, al mismo tiempo, ayudar en la recuperación de la memoria de la ciudad de São Paulo”, dice Henning von Koss, presidente de Bayer Material Science América Latina. El primer paso de la sociedad será la donación del sistema Baytec® SPR para la impermeabilización de las losas de cobertura del edificio. Este revestimiento de elastómeros de poliuretano/ poliureia es ideal para proteger superficies expuestas a intemperies sujetas a grandes variaciones de temperaturas y cargas mecánicas, aumentando así, la vida útil de coberturas planas o irregulares. “Diferente de las aplicaciones tradicionales, la elasticidad del sistema permite que acompañe el movimiento de la superficie donde se aplica, protegiéndola contra futuras infiltraciones que puedan surgir de posibles grietas y rayados”, explica Adércio Savignani, gerente Bay Systems América Latina. Las materias primas del portafolio de produc-

ATUALIDADES

MaterialScience quer incentivar os profissionais ligados à área da construção civil, como os arquitetos, a utilizarem sua ampla gama de matériasprimas nas chamadas construções inteligentes ou sustentáveis. O edifício do IAB/SP é hoje vítima do processo de degradação do centro de São Paulo e o projeto de restauro funcionará como mais um agente para revitalizar a região. A partir da esq.: Henning von Koss (presidente da Bayer Material Science América Latina), Adércio Savignani, Alexandre Savignani, Arnaldo Martino (presidente do IAB/SP) e Mariana Tozzi.

tos de Bayer MaterialScience tendrán prioridad en el proyecto, y en conjunto con el IAB/SP, la empresa está estudiando otras aplicaciones en la restauración del edificio. Con el tema do calentamiento global en pauta y el aumento de la consciencia ambiental, Bayer MaterialScience quiere estimular a los profesionales relacionados al área de la construcción civil, como los arquitectos, a utilizar su amplia gama de materias primas en las llamadas construcciones inteligentes o sostenibles. Bayer participates in the recovery of the memory of São Paulo The headquarters building of the Brazilian Institute of Architects (IAB/SP) will be totally restored after 60 years of existence at the heart of São Paulo city. In a new partnership, Bayer MaterialScience - a Bayer Group company – will support the modernization project of this milestone of the Brazilian architecture, combining the necessary updates of the facilities with the preservation of the original work. “We observe that in Brazil, despite being available, the newest civil construction technologies are not always used. We believe that, in part, this is because of the unawareness of those technologies, and traditionalism. As we have the leading edge technology, as the experience and global partnerships for this segment, we saw in this project the opportunity to divulge, and at the same time, to help in the recovery of the memory of São Paulo city”, says Henning von Koss, Bayer MaterialScience Latin America president. The first step of the partnership will be the donation of the Baytec® SPR system for the

RTV|08-09|2007 RTV|08-09|2007 83

83


ATUALIDADES

waterproofing of concrete slabs of the building. This polyurethane/polyureia elastomeric coating is excellent to protect surfaces exposed to whether, subjected to big temperatures and mechanical loads variations, thus increasing the lifespan of the flat or irregular coatings. “Unlike the traditional applications, the elasticity of the system makes possible to follow the move of the surface where applied, protecting against future percolations that may arise from possible cracks and fissures”, explains Adércio Savignani, BaySystems Latin America manager. The raw materials of the Bayer MaterialScience portfolio will take priority over the project and, together with the IAB/SP, the company is analyzing another applications for the restoration of the building. With the global warming issues in the agenda and the increase of the environmental awareness, Bayer MaterialScience wishes to encourage the professionals connected to the civil construction area, as the architects, to use its wide range of raw materials in the called intelligent or sustainable buildings. Abiquim realiza Congresso de Atuação Responsável Nos dias 28 e 29 de agosto, em São Paulo (SP), aconteceu o 11º Congresso de Atuação Responsável, um evento promovido pela Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química). Na oportunidade, foram apresentados os números de 2006, referentes ao desempenho das empresas do setor químico em áreas como saúde, segurança do trabalho e meio ambiente, e comemorou-se os 15 anos de programa Atuação Responsável que, ao longo do tempo, já proporcionou, por exemplo, a redução das emissões de gás carbônico na atmosfera (principal alvo de atenção do Protocolo de Kyoto) - em 2002 era de 40 kg por tonelada de produto, hoje é de 32 kg/t, a despeito de uma produção muito maior da indústria. A ação também ajudou a diminuir o consumo de água nas indústrias químicas - em 2001 a água captada era de 10,6 m3 por tonelada de produto. Já em 2006 houve cerca de 30% de redução, ou seja, 7,2 m3. O programa Atuação Responsável, desenvolvido no Canadá, em 1985, e implantado no

84 RTV|08-09|2007 84 RTV|08-09|2007

Brasil, em 1992, pela Abiquim, foi idealizado para auxiliar as empresas na gestão responsável de seus negócios e vem contribuindo para a mudança de conduta na área química brasileira, segundo maior setor na constituição do PIB brasileiro, com um faturamento líquido da ordem de R$ 180 bilhões em 2006. Portanto, a legislação internacional de produtos químicos, a sustentabilidade empresarial e o futuro da indústria química foram alguns dos temas debatidos durante o 11º Congresso que reuniu investidores, empresários, executivos, dirigentes de associações de classe e consultores. Na ocasião, também foram divulgados dados sobre a evolução do programa, indicadores de sustentabilidade ambiental e os resultados de produção, além de vendas e faturamento dos vários setores da indústria química brasileira em 2006. Abiquim realiza Congreso de Actuación Responsable Los días 28 y 29 de agosto, en São Paulo (SP), se llevó a cabo el 11º Congreso de Actuación Responsable, un evento promovido por la Abiquim (Asociación Brasileña de la Industria Química). En la oportunidad, se presentaron los números de 2006, referentes al desempeño de las empresas del sector químico en áreas como salud, seguridad del trabajo y medio ambiente, y se celebraron los 15 años del programa Actuación Responsable, que a lo largo del tiempo ya ha permitido, por ejemplo, la reducción de las emisiones de bióxido de carbono en la atmósfera (principal punto de atención del Protocolo de Kyoto) - en 2002 era de 40 kg por tonelada de producto, hoy es de 32 kg/t, a pesar de una producción mucho mayor de la industria. La medida también ayudó a disminuir el consumo de agua en la industria química, en 2001 el agua captada era de 10.6 m3 por tonelada de


Abiquim carries out the Atuação Responsável Congress In August 28th and 29th, was held in São Paulo (SP) the 11th Atuação Responsável Congress (the Brazilin Responsible Care Program), an event promoted by Abiquim (Brazilian Chemical Industry Association). In the event were presented the figures of 2006, regarding the performance of the companies of the chemical sector in areas as health, security at work and environment, and celebrate the 15 years of the program Atuação Responsável that, along the time, has already provided, for example, the reduction of carbon dioxide emissions to the atmosphere (main focus of attention of the Kyoto Protocol) - in 2002 it was 40 kg per ton of product, today is 32 kg/t, despite an even higher production of the industry. The action has also helped to reduce the consumption of water in the chemical industry in 2001 the amount of water collected was 10.6 m3 per ton of product. Now, in 2006, there was around a 30% reduction, that is, 7.2 m3 collected. The Atuação Responsável program -

developed in Canada, in 1985, and implemented in Brazil in 1992 by Abiquim-, was conceived to help the companies on the responsible management of their businesses and contributes to the change of conduct in the Brazilian chemical industry, second biggest sector in Brazilian GDP, with a net invoicing of around R$ 180 billion in 2006. However, the international legislation of chemical products, business sustainability and the future of the chemical industry were some of the issues discussed during the 11th Congress that gathered investors, businessmen, executives, leaders of class associations and consultants. In the event, was also disclosed data about the evolution of the program, environmental sustainability indicators and the results of production, besides sales and invoicing in 2006 of several sectors of the Brazilian chemical industry.

ATUALIDADES

producto. Ya en 2006 hubo alrededor de un 30% de reducción, o sea, 7.2 m3. El programa Actuación Responsable, desarrollado en Canadá en 1985, e implementado en Brasil en 1992, por la Abiquim, fue idealizado para auxiliar las empresas en la gestión responsable de sus negocios y ha venido contribuyendo para el cambio en la conducta en el área química brasileña, segundo mayor sector en la constitución del PIB del país, con una facturación líquida del orden de 180 mil millones de reales en 2006. Por lo tanto, la legislación internacional de productos químicos, la sustentabilidad empresarial y el futuro de la industria química fueron algunos de los temas debatidos durante el Congreso, que reunió inversionistas, empresarios, ejecutivos, dirigentes de asociaciones de clase y consultores. En la ocasión, también se divulgaron datos sobre la evolución del programa, indicadores de sostenibilidad ambiental y los resultados de producción, además de ventas y facturación de los varios sectores de la industria química brasileña en 2006.

Arinos Química adquire a marca e tecnologia Politivos A Arinos Química pretende expandir a oferta de produtos no segmento brasileiro de poliuretano, cuja participação atual é em torno de 50%. Este objetivo motivou a aquisição da marca e tecnologia Politivos que, desde 1º de setembro, passa a ser a denominação oficial que a Arinos adotará na área de poliuretanos para todo o mercado. A negociação envolveu investimento da ordem de R$ 6 milhões e permitirá a empresa aumentar em 30% sua capacidade produtiva que chegará próxima a 600 toneladas/mês de sistemas de PU (poliuretano) apenas na matriz, que mantém em Osasco (SP), além de praticamente dobrar a sua capacidade de oferecer produtos formulados para o segmento de poliuretano flexível. A distribuidora também elevará em cerca de 15% o seu portfólio que passará para quase 700 produtos. O faturamento deste ano, previsto inicialmente em R$ 200 milhões, terá um incremento e totalizará R$ 225 milhões, assim como o número de colaboradores que passa a 180 pessoas. Mateos Raduan Dias, presidente da Arinos, destaca que a escolha pelo mercado de poliuretano deve-se ao fato de que a Arinos já é líder de distribuição nesse setor, que responde por 38%

RTV|08-09|2007 RTV|08-09|2007 85

85


ATUALIDADES

Henrique Bavoso (diretor responsável – divisão Poliuretanos), Vanio Oleiro (diretor comercial), Celso Colleti (diretor administrativo financeiro) e Mateos Raduan (presidente)

do faturamento. Nessa área, ela atua não apenas como distribuidora de insumos, mas também como formulador de produtos. “Ao adquirirmos a marca e a tecnologia Politivos, que possui mais de 35 anos de experiência e domina a tecnologia de PU no Brasil, aperfeiçoaremos nossas operações, pois a integração entre as empresas é total, assim como o alinhamento de valores e de estratégias. Com isso poderemos estar mais próximos dos nossos clientes e fornecedores, e atender plenamente as suas expectativas e necessidades”, destaca. A nova divisão de Poliuretanos, com a marca Politivos, terá como diretor responsável, Henrique Bavoso, que trabalha na Arinos há sete anos. Arinos Química adquiere la marca y tecnología Politivos Arinos Química pretende expandir la oferta de productos en el segmento brasileño de poliuretano, cuja participación actual es de alrededor del 50%. Este objetivo motivó la adquisición de la marca y tecnología Politivos, que desde el 1º de septiembre, pasa a ser la denominación oficial que Arinos adoptará en el área de poliuretanos para todo el mercado. La negociación involucró una inversión del

86 RTV|08-09|2007 86 RTV|08-09|2007

orden de 6 millones de reales y le permitirá a la empresa aumentar en 30% su capacidad productiva, que llegará a casi 600 toneladas/mes de sistemas de PU (poliuretano) solamente en la matriz, en Osasco (SP), además de prácticamente duplicar su capacidad de ofrecer productos formulados para el sector de poliuretano flexible. La distribuidora también elevará en alrededor del 15% su línea de productos, que pasará para casi 700 productos. La facturación de este año, prevista inicialmente en 200 millones de reales, tendrá un incremento y totalizará 225 millones de reales, así como el número de colaboradores; que pasa a 180 personas. Mateos Raduan Dias, presidente de Arinos, destaca que la elección por el mercado de poliuretano se debe al hecho de que Arinos ya es líder de distribución en este sector, que responde por el 38% de la facturación. En esta área, la empresa actúa no sólo como distribuidora de insumos, sino también como formuladora de productos. “Al adquirir la marca y la tecnología Politivos, que tiene más de 35 años de experiencia y domina la tecnología de PU en Brasil, perfeccionaremos nuestras operaciones, pues la integración entre las empresas es total, así como la alineación de valores y de estrategias. Con esto podremos estar más cerca de nuestros clientes y proveedores, y atender plenamente sus expectativas y necesidades”, destaca. El director responsable de la nueva división de Poliuretanos, con la marca Politivos, será Henrique Bavoso, que trabaja en Arinos desde hace siete años. Arinos Química acquires the mark and technology Politivos Arinos Química intends to expand the offer of products in the Brazilian sector of polyurethane, which current participation is of around 50%. This objective motivated the acquisition of the mark and technology Politivos, which since September 1st became the official denomination that Arinos will adopt in the field of polyurethanes for the whole market. The negotiation involved an investment of about R$ 6 million and will allow the company to increase 30% of its productive capacity that reaches almost 600 tons/month of PU


SGS Polímeros participa da Abrafati 2007 A SGS Polímeros estará presente na Abrafati 2007 destacando especialmente lançamentos com tecnologia e matéria-prima 100% nacional e renovável, além de sua linha convencional. Nas resinas poliamidas o Brasmide R41 é uma das novidades com alto desempenho de resistência e adesão. Outra nova solução é o Brasmide R05, uma poliamida modificada que proporciona baixa viscosidade, flexibilidade, aliada à excelente resistência química e mecânica, alto brilho e rápida secagem, sendo especial para substratos úmidos. Já o Braspoxy DR é um diluente reativo para sistema epóxi e plastificante de origem vegetal com grande estabilidade e resiste ao ataque de produtos de limpeza e outros. A empresa oferece ainda a série Brasmine de

aminas modificadas e adutos de aminas (cicloalifáticos e alifáticos), e a Brasdym composta por ácidos graxos dimerizados, alternativa com tecnologia e matéria prima 100% nacional e renovável. Além disso, destaca o Olvex 50 um plastificante primário vegetal que promete ótima estabilidade e resistência para flexografia e rotogravura; o Brasmide NR 7050 indicado para flexografia com 50% de NV e o Brasmide 7040 com 40% de NV; e também o Brasmide NR 90 para rotogravuras. Em fase de desenvolvimento avançado e em testes de performance, encontra-se o sistema hidrocompatível, que apresenta poliamida hidrossolúvel e resina epóxi líquida e auto-emulsionável.

ATUALIDADES

(polyurethane) systems only in the headquarters, in Osasco (SP), besides almost duplicating its capacity to offer products formulated for the sector of flexible polyurethane. The distributor will also increase around 15% its portfolio that now will have about 700 products. The invoicing this year, expected initially in R$ 200 million, will increase and reach R$ 225 million, as well as the number of collaborators, that now are 180 people. Mateos Raduan Dias, president of Arinos, points out that the choice for the polyurethane market is because of the fact that Arinos already is leader of distribution in this industry, responsible for 38% of the invoicing. In this field, the company works not only as distributor of inputs, but also as formulator of products. “By acquiring the Politivos mark and technology, that has more than 35 years of experience and masters the PU technology in Brazil, we will improve our operations, as the commitment between the companies is complete, as well as the alignment of values and strategies. Thus, we can be closer to our customers and suppliers, and meet fully their expectations and needs”, he emphasizes. Henrique Bavoso, who has been working in Arinos for seven years, will be the responsible director of the new Polyurethane division, with the mark Politivos.

SGS Polímeros participa de la Abrafati 2007 SGS Polímeros estará presente en la Abrafati 2007, destacando especialmente los lanzamientos con tecnología y materia prima 100% nacional y renovable, además de su línea convencional. En las resinas poliamidas, el Brasmide R41 es una de las novedades, con alto desempeño de resistencia y adhesión. Otra nueva solución es el Brasmide R05, una poliamida modificada que proporciona baja viscosidad, flexibilidad, aliada a la excelente resistencia química y mecánica, alto brillo y rápido secado, siendo especial para sustratos húmedos. Por su parte, el Braspoxy DR es un diluyente reactivo para sistema epoxi y plastificante de origen vegetal, con gran estabilidad y resiste al ataque de productos de limpieza y otros. La empresa ofrece también la serie Brasmine de aminas modificadas y aductos de aminas (cicloalifáticos y alifáticos), y la Brasdym compuesta por ácidos grasos dimerizados, alternativa con tecnología y materia prima 100% nacional y renovable. Además, se destaca el Olvex 50 un plastificante primario vegetal que ofrece una excelente estabilidad y resistencia para flexografía y rotograbado; el Brasmide NR 7050, indicado para flexografía, con 50% de NV y el Brasmide 7040, con 40% de NV, y también el Brasmide NR 90, para rotograbados. En fase de desarrollo avanzado y en pruebas de desempeño, se encuentra el sistema hidrocom-

RTV|08-09|2007 RTV|08-09|2007 87

87


ATUALIDADES

patible, que presenta la poliamida hidrosoluble y la resina epoxi líquida y autoemulsionable. SGS Polímeros participates in the Abrafati 2007 SGS Polímeros will be present in Abrafati 2007, highlighting specially new products with 100% Brazilian and renewable technology and raw material, besides its conventional line. In the polyamide resins family, the Brasmide R41 is one of the novelties with high resistance and adhesion performance. Another new solution is the Brasmide R05, a modified polyamide that provides low viscosity, flexibility, together with excellent chemical and mechanical resistance, high gloss and quick drying, being recommended for wet substrates. In the other hand, the Braspoxy DR is a diluent reactive for epoxy and plasticizer vegetal systems with great stability and resists to attacks by cleaning products and others. The company also offers the Brasmine series of modified amines and amine adducts (cycloaliphatic and aliphatic), and the Brasdym, a compound of dimerized fatty acids, an alternative with 100% Brazilian and renewable technology and raw material. Beside, stands out the Olvex 50, a primary vegetal plasticizer that offers excellent stability and resistance for flexography and engraving; the Brasmide NR 7050, recommended for flexography, with 50% of NV and the Brasmide 7040, with 40% of NV; and also the Brasmide NR 90, for engravings. The hydro-compatible system is in the advanced development phase and in tests of performance. This compound presents hydrosoluble polyamides and liquid, self-emulsifying epoxy resins. Dow anuncia três aquisições estratégicas para ampliar o negócio de sistemas epóxi A Dow Epóxi, uma unidade global de negócios da The Dow Chemical Company (“Dow”), anunciou no mês de agosto a assinatura de acordos definitivos para adquirir a UPPC AG, na Alemanha, e a POLY-CARB Inc. e a GNS Technologies,

88 RTV|08-09|2007 88 RTV|08-09|2007

nos Estados Unidos, todas empresas líderes em sistemas epóxi em suas regiões. Estas aquisições estão alinhadas com a estratégia da Dow de investir em negócios mais próximos do consumidor final. Para a Dow Epóxi, essas transações acelerarão o crescimento e a expansão geográfica de sua nova unidade de negócio de Sistemas Epóxi, que entrou em operação no início deste ano. “A Dow Epóxi é um dos principais fornecedores de epóxi no mundo, com alcance global e em expansão, oferecendo tecnologia na produção e em pesquisa e desenvolvimento”, afirma Patrick Ho, presidente do grupo do negócio de Epóxi e Especialidades Químicas da Dow. “A unidade de Sistemas Epóxi da Dow amplia nosso conhecimento em química e aplicações para fornecer soluções inovadoras em sistemas para nossos clientes. Com isso, apoiaremos a estratégia da Dow de ser uma companhia mais voltada ao cliente e ao mercado, impulsionando o crescimento”, acrescenta Ho. A unidade de Sistemas Epóxi da Dow se concentrará em aplicações de engenharia civil, revestimento de proteção especial, composites, energia eólica e em outras indústrias onde as soluções únicas de tecnologia e sistemas da Dow podem oferecer melhor desempenho e diferenciação aos clientes. “Estamos entusiasmados com o negócio de Sistemas Epóxi da Dow Epóxi, que representa um avanço em inovação e crescimento”, diz Pepe Carnevale, diretor global do negócio de Sistemas Epóxi da Dow. “Com estas aquisições, reforçamos nosso portfólio de produtos, investimentos em pesquisa e desenvolvimento, conhecimento em aplicações e canais de mercado. Combinados com os recursos de crescimento e a expertise da Dow Epóxi, temos uma base sólida para construir os Sistemas Epóxi”, esclarece. De acordo com Carnevale, cada um dos três formuladores agregará recursos únicos ao negócio de sistemas epóxi da Dow. A POLY-CARB possui uma longa história como líder de mercado em sistemas que combatem a erosão de infraestruturas e melhoram a segurança de pontes, rodovias e outras estruturas. A GNS Technologies é um fornecedor voltado para serviços de sistemas termofixos customizados para a engenharia civil, manutenção industrial e aplicações de revestimento em estruturas de aço. A UPPC é um grande pro-


Dow anuncia tres adquisiciones estratégicas para ampliar el negocio de sistemas epoxi Dow Epóxi, una unidad global de negocios de The Dow Chemical Company (“Dow”), anunció en el mes de agosto la firma de acuerdos definitivos para adquirir UPPC AG, en Alemania, y POLY-CARB Inc. y GNS Technologies, en los Estados Unidos, todas ellas empresas líderes en sistemas epoxi en sus regiones. Estas adquisiciones están alineadas con la estrategia de Dow de invertir en negocios más próximos del consumidor final. Para Dow Epóxi, estas transacciones acelerarán el crecimiento y la expansión geográfica de su nueva unidad de negocio de Sistemas Epoxi, que entró en operación a inicios de este año. “Dow Epóxi es un de los principales proveedores de epoxi en el mundo, con alcance global y en expansión, ofreciendo tecnología en la producción y en investigación y desarrollo”, afirma Patrick Ho, presidente del grupo del negocio de Epoxi y Especialidades Químicas de Dow. “La unidad de Sistemas Epoxi de Dow amplia nuestro conocimiento en química y aplicaciones para proveer soluciones innovadoras en sistemas para nuestros clientes. Con esto, apoyaremos la estrategia de Dow de ser una compañía más dirigida al cliente y al mercado, impulsando el crecimiento”, agrega Ho. La unidad de Sistemas Epoxi de Dow se concentrará en aplicaciones de ingeniaría civil, revestimiento de protección especial, composites, energía eólica y en otras industrias, donde las soluciones únicas de tecnología y sistemas de Dow pueden ofrecer mejor desempeño y diferenciación a los clientes. POLY-CARB posee una larga historia como líder de mercado en sistemas que combaten la erosión de infraestructuras y mejoran la seguridad de puentes, carreteras y otras estructuras. GNS Technologies es un proveedor dirigido a los servicios de sistemas termofijos personalizados para la ingeniaría civil, mantenimiento industrial y aplicaciones de revestimiento en estructuras de acero.

UPPC es un gran productor europeo de endurecedores para sistemas epoxi, además de liderar la innovación en áreas como, por ejemplo, de composites utilizados en las palas de energía eólica y sistemas cargados por agua.

ATUALIDADES

dutor europeu de endurecedores para sistemas epóxi, além de liderar a inovação em áreas como, por exemplo, de composites utilizados nas pás de energia eólica e sistemas carregados pela água.

Dow announces three strategic acquisitions to expand the epoxy system businesses Dow Epóxi, a global business unit of The Dow Chemical Company (“Dow”), announced last August the signature of definitive agreements to acquire UPPC AG, in Germany, and POLY-CARB Inc. and GNS Technologies, both in the United States, all of them leader companies in the epoxy systems market in their regions. These acquisitions are aligned with the Dow strategy of investing on businesses closer to the final customers. For Dow Epóxi, these transactions will speed up the growth and the geographic expansion of its new Epoxy Systems business unit that started the operation in the beginning of this year. “Dow Epóxi is one of the main world epoxy suppliers, with global and in expansion scope, offering production technology, research and development”, states Patrick Ho, the president of Dow Epoxy and Chemical Specialties business group. “Dow Epoxy Systems unit enlarged our knowledge on chemistry and applications to provide innovative solutions in systems for our customers. With this, we will support the Dow strategy of being a company more focused on the customer and the market, leveraging the growth”, adds Ho. Dow Epoxy Systems unit will focus on the applications of civil engineering, special protection coating, composites, eolic energy and on other industries where Dow’s unique technology and systems solutions can offer a better performance and differentiation to the customers. POLY-CARB has a large history as market leader in systems that fight the erosion of infrastructures and improve the security of bridges, highways and other structures. GNS Technologies is a provider focused on services of customized thermofixed systems for the civil engineering, industrial maintenance and coating applications on steel structures. UPPC is a big European

RTV|08-09|2007 RTV|08-09|2007 89

89


ATUALIDADES

producer of hardeners for epoxy systems, besides being an innovative leader in areas as for instance, composites used in the blades of eolic energy and systems carried by water. X-Rite compra a Pantone e aumenta seu alcance na indústria da cor A X-Rite anunciou no mês de agosto que entrou com um acordo definitivo para comprar a empresa Pantone por US$ 180 milhões. Espera-se que a aquisição eleve a X-Rite à liderança mundial em hardware, software e serviços em cores com as inovações em padrões e comunicação da marca Pantone. A companhia se tornou mundialmente conhecida através do sistema de medição Pantone, desenvolvido para identificar, comparar e comunicar cores visando resolver os problemas de reprodução das mesmas no segmento de artes gráficas. Posteriormente, este sistema foi expandido para outras áreas, como arquitetura e tintas. A Coralis, distribuidora autorizada da X-Rite no Brasil, trará para o mercado as inovações resultantes da aquisição. Para Pedro Garlaca, diretor da Coralis, a compra da marca irá provocar grandes mudanças. “O mundo poderá presenciar a partir de agora uma revolução tecnológica em instrumentos de medição e especificação colorimétrica”, afirmou. X-Rite adquiere Pantone y aumenta su alcance en la industria del color X-Rite anunció en el mes de agosto que entró con un acuerdo definitivo para comprar la empresa Pantone, por 180 millones de dólares. Se espera que la adquisición eleve X-Rite al liderazgo mundial en hardware, software y servicios en colores con las innovaciones en estándares y comunicación de la marca Pantone. La compañía se volvió mundialmente conocida a través del sistema de medición Pantone, desarrollado para identificar, comparar y comunicar colores buscando resolver los problemas de reproducción de los mismos en la industria de artes gráficas. Posteriormente, este sistema se expandió para otras áreas, como arquitectura y pinturas. Coralis, distribuidora autorizada de X-Rite en Brasil, traerá al mercado las innovaciones resul-

90 RTV|08-09|2007 90 RTV|08-09|2007

tantes de la adquisición. Para Pedro Garlaca, director de Coralis, la compra de la marca provocará grandes cambios. “El mundo podrá presenciar a partir de ahora una revolución tecnológica en instrumentos de medición y especificación colorimétrica”, afirmó. X-Rite acquires Pantone and enlarges its scope in the color industry X-Rite announced in August that entered into a definitive agreement to acquire the company Pantone by US$ 180 million. It is expected that the acquisition raises X-Rite to the global leadership in hardware, software and color services with the innovations in standards and communication of the Pantone brand. The company became known worldwide through the Pantone measuring system, which was developed to identify, compare and communicate colors aiming at solving the problems of reproducing the colors in the sector of graphic arts. Later, this system expanded to other areas, as architecture and paints. Coralis, X-Rite authorized distributor in Brazil, will bring to the market the innovations resulting from the acquisition. For Pedro Garlaca, Coralis director, the acquisition of the brand will cause great changes. “The world will witness from now a technological revolution in measurement instruments and colorimetric specification”, Pedro stated. Lanxess constrói novas instalações para produção de resinas de troca iônica na Índia No final do mês de agosto, o grupo químico Lanxess anunciou a construção da sua nova fábrica de resina de troca iônica no estado indiano de Gujarat. O investimento de • 30 milhões no novo Jhagadia Chemical Park, perto de Baroda, deverá começar no segundo trimestre de 2008 e a produção está agendada para início de 2010, com a contratação de 200 novos funcionários. Em termos de volume de investimentos, este é o maior projeto empreendido pela unidade de negócio Resinas de Troca Iônica da Lanxess desde o final da década de 90. “Isto representa um comprometimento com uma das áreas mais pro-


Lanxess construye nuevas instalaciones para producción de resinas de intercambio iónico en India A fines del mes de agosto, el grupo químico Lanxess anunció la construcción de su nueva fábrica de resinas de intercambio iónico en el estado de Gujarat, en la India. La inversión de 30 millones de euros en el nuevo Jhagadia Chemical Park, cerca de Baroda, deberá comenzar en el segundo trimestre de 2008 y la producción está programada para inicios de 2010, con la contratación de 200 nuevos funcionarios. En términos de volumen de inversiones, éste es el mayor proyecto emprendido por la unidad de negocios Resinas de Intercambio Iónico de Lanxess desde fines de la década de 90. “Esto representa un comprometimiento con una de las áreas más promisorias y de mayor expansión de la química industrial. El objetivo de este medida es generar un crecimiento rentable y reforzar todavía más nuestra posición en el mercado global”, explica Rainier van Roessel, miembro responsable por el Consejo de Administración de Lanxess. La nueva unidad fabricará productos para el tratamiento del agua industrial y generación de agua ultra pura para las industrias farmacéuticas y de semiconductores. El portafolio incluirá una

selección de los grados de intercambiadores iónicos en la gama de productos actuales de la unidad de negocio Resinas de Intercambio Iónico, que pertenece al segmento de Performance Chemicals, tales como aniones, cationes y de lecho mixto. La región Asia-Pacífico tiene una importancia crucial para la empresa. Con las ventas aumentando para 1 millón 230 mil euros, Asia fue responsable por casi el 18% de las ventas del Grupo en 2006. La línea completa de resinas de intercambio iónico de Lanxess, denominada Lewatit se comercializa en Brasil.

ATUALIDADES

missoras e de maior expansão da química industrial. O objetivo deste movimento é gerar um crescimento rentável e reforçar ainda mais a nossa posição no mercado global”, explica Rainier van Roessel, o membro responsável do Conselho de Administração da Lanxess. A nova unidade fabricará produtos para o tratamento de água industrial e geração de água ultrapura para as indústrias farmacêuticas e de semicondutores. O portfólio incluirá uma seleção dos graus de trocadores iônicos na gama de produtos atuais da unidade de negócio Resinas de Troca Iônica, que pertence ao segmento Performance Chemicals, tais como aníons, catíons e leito misto. A região Ásia-Pacífico tem uma importância crucial para a empresa. Com as vendas aumentando para • 1,23 milhão, a Ásia foi responsável por quase 18% das vendas do Grupo em 2006. A linha completa de resina de troca iônica da Lanxess, denominada Lewatit é comercializada no Brasil.

Lanxess builds new production facilities for ion exchange resins in India At the end of August, Lanxess chemical group announced the building of its new ion exchange resin facilities in the Indian state of Gujarat. The • 30 million investment in the new Jhagadia Chemical Park, near Baroda, is set to begin in the second quarter of 2008 and the production is scheduled to start at the beginning of 2010, with the 200 new employees taken on. In terms of investment volume, this is the biggest project undertaken by Lanxess Ion Exchange Resins business unit since the end of the decade of the 90’s. “This represents a commitment to one of the fastest growing and most future-poof areas of industrial chemistry. The objective of this move is to é generate a profitable growth and further strengthen our position on the global market”, explains Rainier van Roessel, the member of the Lanxess Management Board responsible. The new unit will manufacture products for industrial water treatment and the generation of ultra-pure water for the pharmaceutical and semiconductor industries. The portfolio will include a selection of the ion exchanger grades in Ion Exchange Resins business unit’s product range that belongs to the Performance Chemicals segment, such as anions, cations and mixed bed. The Asia-Pacific region is of crucial importance to the company. With sales increasing to • 1.23 million, Asia responded for nearly 18% of the Group’s sales in 2006. The complete ion exchange resin line of Lanxess, denominated Lewatit is commercialized in Brazil.

RTV|08-09|2007 RTV|08-09|2007 91

91


ARTIGO TÉCNICO

EFEITO ANTIMICROBIANO EM PELÍCULA SECA DE TINTA HOSPITALAR Por Larissa Yumi Sakurai, Bruna Galves Forti dos Santos, Miriam de Faria Lemos RESUMO A infecção hospitalar atinge o mundo todo e representa uma das principais causas de morte em pacientes hospitalizados. Entre os aspectos abordados para a melhoria das condições assépticas do ambiente hospitalar estão as superfícies de equipamentos imobiliários e de instrumentos, rouparias, lençóis e paredes. A adição de um agente bactericida na tinta com efeito sobre o filme seco poderia minimizar essas infecções. Neste estudo, aplicamos um antimicrobiano baseado em sal de prata (Ag Cl) em tintas hospitalares e avaliamos o efeito bactericida sobre Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli e Staphylococcus aureus, microorganismos comumente encontrados em hospitais. Os resultados mostraram diferentes graus de efetividade bactericida na película seca contra os três microorganismos testados. INTRODUÇÃO A grande concentração de microorganismos patogênicos em ambientes hospitalares é um fator crítico, considerando que os pacientes estão, muitas vezes, com o sistema imunológico debilitado. Esses dois fatores, em conjunto, são os responsáveis por um dos maiores problemas da área da saúde: a infecção hospitalar. A infecção hospitalar atinge o mundo todo e representa uma das principais causas de morte em pacientes hospitalizados. Segundo dados do Ministério da Saúde, o índice mundial é de 5%, enquanto o Brasil apresenta o percentual de 15,5% entre os pacientes internados. Bactérias, fungos e vírus são os principais causadores da infecção. Entre os aspectos que podem ser abordados para a melhoria das condições assépticas do ambiente hospitalar estão as superfícies de equipamentos imobiliários e de instrumentos, rouparias, lençóis e paredes. A indústria da tinta geralmente já utiliza bactericidas como conservante, visando evitar o apodrecimento da tinta durante o tempo de estocagem do produto (estado úmido). A tinta deve ser preservada por conter ingredientes susceptíveis a contaminação. A proliferação de microorganismos pode causar inúmeros problemas, como mau odor,

92 RTV|08-09|2007

quebra de viscosidade, alteração de pH, descoloração, entre outros. Os bactericidas mais utilizados como conservantes são as isotiazolinonas e doadores de formaldeído. Apesar do uso desses conservantes, esses bactericidas não têm efeito sobre o filme seco da tinta, portanto não protegem as superfícies pintadas da contaminação microbiana. A aplicação de fungicidas e algicidas é largamente difundida entre os fabricantes de tintas; já a utilização de bactericidas em filme seco é uma novidade no Brasil, sendo aplicada na Europa e nos EUA, principalmente em tintas hospitalares. O efeito bactericida em filme seco é conseguido pela aplicação de ativos diferentes dos usados na conservação da tinta. Um desses ativos é um sistema baseado em sais de prata. A ação bactericida da prata e seus derivados é largamente conhecida (Grier, 1983), a novidade é a aplicação. Uma nova tecnologia, caracterizada pela combinação da prata com dióxido de titânio, permite a liberação do íon prata de forma gradual, constante e duradoura no meio aquoso. Esse bactericida à base de cloreto de prata é de baixa toxicidade, efetivo a baixas concentrações, apresenta estabilidade a alta temperatura (300oC) e pode até ser aplicado em formulações de plásticos. Entre as bactérias comumente encontradas em ambiente hospitalar estão Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli e Staphylococcus aureus (David, C.M.N., 1998). P. aeruginosa é um microorganismo oportunista que infecta praticamente qualquer local do organismo, provoca infecções na pele, trato respiratório e urinário, já a E. coli promove doenças diarréicas, meningite e sepse, e S. aureus é responsável por infecções da pele, em feridas cirúrgicas, sepse e pneumonia (Mims et al., 1999). O objetivo deste trabalho foi verificar a eficiência do sistema antimicrobiano à base de sais de prata em filme seco de tinta hospitalar contra P. aeruginosa, E. coli e S. aureus, espécies de bactérias comuns em ambiente hospitalar. MATERIAL E MÉTODOS Todos os experimentos envolvidos neste estudo ocorre-


ram no Laboratório de Microbiologia da Clariant S.A., localizado na região de Santo Amaro (São Paulo, SP). Para os experimentos foram utilizadas duas amostras de tintas PVA, uma com 0,4% do biocida e outra sem biocida (branco), que serviu como controle. Como cupons de prova foram usados papéis de aquarela (gramatura 360 g/m2), os quais receberam duas demãos de tinta com intervalo de 24 horas entre cada demão, conforme especificações do fabricante. Transcorridos sete dias para secagem da película seca da tinta (tempo de cura), os papéis foram cortados em tamanho regular (3x3 cm), sendo chamados agora de corpos de prova. Parte dos corpos de prova foi submetida a lixiviação por 6, 12, 18 e 24 horas em tanque de lixiviação padronizado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas – NBR 14941), com fluxo contínuo de modo que a cada quatro horas toda a água contida no tanque é renovada. Após a lixiviação, os corpos de prova secaram por dois dias. Esse procedimento tem como objetivo avaliar a resistência do sistema antibacteriano a lavagens sucessivas. Os corpos de prova foram expostos, em ambas as faces, à luz UV na capela de fluxo laminar por 15 minutos cada lado para que se evitasse a contaminação cruzada. Para o preparo dos inóculos foram utilizadas suspensões com concentração de 105 células/mL das bactérias abaixo, previamente enriquecidas: Pseudomonas aeruginosa (ATCC 10145), Escherichia coli (ATCC 25922) e Staphylococcus aureus (ATCC 6538). Sobre cada corpo de prova foi pipetado 0,5 mL de suspensão de bactéria, espalhada de modo a obter a maior superfície de contato possível. Estes foram mantidos a 32°C + 2 em câmara umedecida com algodão estéril úmido. Os corpos de prova foram divididos em quatro grupos, de acordo com o tempo de contato do inóculo com a película seca da tinta, sendo eles 0, 6, 12 e 24 horas. Para cada tinta, tempo de contato, tempo de lixiviação e suspensão de bactéria, os corpos de prova foram testados em duplicata. A contagem de microorganismos foi realizada através de diluição seriada pela técnica de plaqueamento pour plate (Associação Brasileira de Normas Técnicas – NBR 15458, Projeto nº 02:115.29-044). Os corpos de prova foram retirados da câmara e inseridos em frascos contendo 10 mL de caldo inativante CLT (caldo casoy Difco, lecitina de soja Purex, Tween 20 Inlab, água destilada). Após agitação dos frascos, a fim de garantir maior homogeneização do caldo com a suspensão de bactérias, foram deixados por 20 minu-

tos para inativação de possíveis agentes antimicrobianos (diluição 10-1). As placas com o meio Ágar Casoy (Difco) solidificado foram incubadas invertidas em estufa a 32ºC + 2 por 48 horas. Em seguida, foi realizada a leitura. RESULTADOS Todas as bactérias testadas apresentaram susceptibilidade ao sistema antimicrobiano. Os resultados estão apresentados nos gráficos abaixo. Os tempos de contato das células com o filme seco (eixo das abscissas) não estão representados de forma linear para o tempo 24 horas.

Figura 1 – Contagem de microorganismos após tempo de contato com a tinta sem biocida e com biocida, sem lixiviação. A) P. aeruginosa B) Escherichia coli C) Staphylococcus aureus

A bactéria P. aeruginosa, no ensaio sem lixiviação, apresentou redução de 99,9% na superfície coberta com tinta com biocida, transcorrido o período de seis horas de contato. A eliminação total foi verificada após 12 horas de contato com a pintura (fig. 1A). A tinta sem biocida também apresentou redução, entretanto comparativamente não significativa. Após 6, 12 e 18 horas de lixiviação, os resultados para a tinta dosada com biocida foram similares entre si (fig. 2), não havia células viáveis com 6 horas de contato, exceção feita para o ensaio após 24 horas de lixiviação, que apresentou eliminação total do inóculo após 12 horas de contato

Figura 2 – Contagem de P. aeruginosa após lixiviação dos corpos de prova. A) 6 horas de lixiviação B) 12 horas de lixiviação C) 18 horas de lixiviação D) 24 horas de lixiviação

RTV|08-09|2007

93


ARTIGO TÉCNICO

Figura 3 – Contagem de E. coli após lixiviação dos corpos de prova. A) 6 horas de lixiviação B) 12 horas de lixiviação C) 18 horas de lixiviação D) 24 horas de lixiviação

(fig. 2). Para o ensaio da tinta sem biocida após lixiviação, os resultados foram parecidos entre si, houve um aumento de viabilidade superior a 90% transcorridas 24 horas de contato do inóculo com a película seca. Após 6 horas de contato, houve eliminação total de E. coli nos ensaios com a tinta dosada com biocida, sem lixiviação e após 6, 12 e 18 horas de lixiviação (figs. 1B e 3). No ensaio após 24 horas de lixiviação, a eliminação completa dos organismos foi verificada após 12 horas de contato do inóculo com a película seca (fig. 3). Para a tinta sem biocida não houve redução de viabilidade de E. coli nos resultados. Nos ensaios com S. aureus para a tinta dosada com biocida, sem lixiviação e após 6 e 18 horas de lixiviação, verificou-se a eliminação completa dos agentes do inóculo após 12 horas de contato (fig. 1C e fig. 4). Já após 12 e 24 horas de lixiviação, a eliminação completa ocorreu após 6 horas de contato (fig. 4). S. aureus apresentou redução de 99% de viabilidade nos ensaios com tinta sem biocida, sem lixiviação após 24 horas de contato. Já com 12 horas de lixiviação, o número de células viáveis se manteve e, após

Figura 4 – Contagem de S. aureus após lixiviação dos corpos de prova. A) 6 horas de lixiviação B) 12 horas de lixiviação C) 18 horas de lixiviação D) 24 horas de lixiviação

94 RTV|08-09|2007

6, 18 e 24 horas de lixiviação, houve o crescimento das células em 90% (fig. 4). DISCUSSÃO Nos experimentos realizados neste trabalho, verificouse que P. aeruginosa, E. coli e S. aureus apresentaram queda de viabilidade nos ensaios com tinta sem biocida, sem lixiviação. Esse fato poderia sugerir que a tinta apresenta, em sua composição, compostos como polímeros e resinas que teriam efeito inibitório para o crescimento dessas bactérias. Nos ensaios com tinta com biocida após 24 horas de lixiviação, foi demonstrado que as bactérias P. aeruginosa e E. coli levaram um tempo maior para serem completamente eliminadas (12 horas) em comparação com os ensaios de 6, 12 e 18 horas de lixiviação, os quais mostraram eliminação total das bactérias após 6 horas de contato com a película seca. Isso pode sugerir que um tempo mais prolongado de lixiviação removeu parcialmente o sistema bactericida, levando à queda de sua atividade. S. aureus, de um modo geral, apresentou maior tempo para a redução total de células na película seca. Estruturalmente, essas bactérias são diferentes das demais avaliadas, o que poderia explicar a diferença nos resultados. Além disso, é característica dessas bactérias a formação de agrupamentos na forma de cachos, o que dificultaria a entrada dos íons prata na célula bacteriana. Concluindo, foi verificada a eficiência do antimicrobiano à base de sais de prata em película seca para as bactérias P. aeruginosa, E. coli e S. aureus. Os efeitos foram diversos, dependendo do tipo de microorganismo avaliado. Os resultados obtidos neste estudo servem como incentivo para a utilização desse bactericida em tintas hospitalares, visando a melhoria nas condições de assepsia em hospitais e o auxílio no controle de infecções nesses ambientes críticos. BIBLIOGRAFIA • David, C.M.N. Infecção em UTI. Simpósio: Medicina Intensiva: I. Infecção e choque. Medicina, Ribeirão Preto, 31: 337-348, jul./set. 1998. • Grier, N. Silver and its compounds. In: Disinfections, Sterilization and Preservation. 3ª ed. Ed. Block, S.S., 1983. • Mims, Playfort, Roitt, Wakelin, Williams. Microbiologia Médica. 5ª ed. Ed. Manole Ltda., 1999. Clariant S.A. Bruna.galves@clariant.com | tel.: 11 5683.7137 Miriam.lemos@clariant.com | tel.: 11 5683.7126 Larissa Sakurai | tel.: 11 5683.7137


RTV|08-09|2007

95


96 RTV|08-09|2007


Tintas & Vernizes #232  

Edição Agosto/Setembro 2007

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you