__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

gĂŠnio NA garrafa DE Miguel Louro

O


GOSTO DE IRRITAÇÕES. Aquilo que nos atrai é um pouco as dificuldades. Irritam-me as facilidades…


O GÉNIO UM CRIADOR QUE RECUSA A TRIVIALIDADE P O L É M I C O , I R A S C Í V E L E AV E S S O A N O R M A S

Exímio jogador de póquer, colecionador de antiguidades e médico dentista em Évora,

«Dizem que Miguel Louro sempre foi assim, um iconoclasta… o seu combate é pelos vinhos autênticos, pela transparência e

Miguel de Orduña Viegas Louro é, desde o

início, a alma da Quinta do Mouro.

pela liberdade de criação...» Manuel

Carvalho, Jornal Público 21.05.2016


EM 1978 VIM VER A QUINTA ficou-me na ideia, mas na altura eu tinha 25 anos, faltava-me dinheiro para comprรก-la...


EM ESTREMOZ O PÓQUER DITOU A SORTE: A Q U I N TA N O A L E N T E J O , E M V E Z D O P O R S C H E N A G A R A G E M

A Quinta do Mouro está situada às portas da cidade de Estremoz. Possui uma casa

« Fui sentar-me a uma mesa de póquer, umas

horas largas, na esperança de a sorte me dar

apalaçada do séc. XVIII com jardins encantadores, caramanchões e tanques

os meios. E foi o que aconteceu. - Deram, os

setecentistas. Pertenceu à família Zagalo, a

créditos da jogatina, para comprar a quinta e

mais abastada de Estremoz. Mas em 1974, com a revolução, foi abandonada. Foi assim que Miguel Louro a comprou em 1979.

fazer obras… » Entrevista a Miguel Louro, Revista Epicur,

nº27,

Agosto de 2014


A ORIGINALIDADE começa por se tratar de uma “Quinta” no Alentejo, onde dominam as grandes “Herdades”


OCEANO AT L Ã N T I C O

E U R O PA

ESTREMOZ P O RT U G A L ALENTEJO


A VINHA NO LIMITE 33 hectares sem rega, em solos xistosos, de baixa produção.


UMA VITICULTURA TEIMOSA A Q U I S Ó E N T R A M A S C A S TA S Q U E P O D E M ( E M U I TA S S A E M )

Tudo começou em 1989 com 6 hectares de

«Para além dos solos pouco habituais (xisto), a

vinha e uma obsessão: criar clássicos no

viticultura será muito provavelmente o principal

Alentejo. Miguel Louro plantou, enxertou,

segredo da Quinta do Mouro, uma viticultura

arrancou. Ficaram só castas com provas

original não só pela escolha de castas,

dadas: Aragonês, Alicante Bouschet,

que fogem à escolha tradicional,…como

Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Merlot, Petit Syrah e, mais recentemente, as

pela condução pouco habitual das vinhas.»

brancas Arinto, Antão Vaz e Verdelho.

Fugas, Jornal Público, 04.07.2015


UMA ADEGA “ARCAICA” onde os princípios básicos não podem falhar


POETA vs ENGENHEIROS AS DISCUSSÕES PROVEITOSAS DA FAMÍLIA LOURO NUMA ADEGA “ARCAICA”

Na adega combina-se o saber de toda a

«A adega é surpreendentemente pequena

família Louro. A visão “poética” do pai,

e acanhada, num pequeno anexo da casa, exígua no pouco espaço disponível,

que defende a vindima manual, a pisa a pé e modesta na utilização de peças e as barricas de carvalho português,

de tecnologia, tal como modesta

com o rigor da enologia contemporânea

no investimento.» Suplemento Fugas,

dos seus filhos, Luís e Miguel.

Jornal Público - 04.07.2015


A MELHOR FORMA DE OS SABOREAR EM PLENO? “ É para mim vendendo, para vocês bebendo. Mas comendo…”


O GÉNIO NA GARRAFA VINHOS GASTRONÓMICOS, COM PERSONALIDADE À P R O VA D O T E M P O

Na senda dos grandes clássicos do Alentejo,

«Vinhos amplos e monumentais na estrutura,

cada vinho da Quinta do Mouro revela

carnudos e densos. Vinhos que na generalidade

uma personalidade vincada, em constante

mostram ainda uma capacidade de guarda

evolução. Pessoalmente, Miguel Louro

muito significativa que poderá ultrapassar sem

aprecia vinhos sérios e austeros, que

grandes dificuldades a barreira dos trinta

crescem a cada prova, ao longo do tempo.

anos.» Fugas, Jornal Público, 04.07.2015


O MEU VINHO tem de ser irreverente e polémico. Como eu sou”


«TODAS AS PROVAS QUE FIZ NO ALENTEJO SÓ ME LEVAM A UMA CONCLUSÃO.

A QUINTA DO MOURO É O MELHOR PRODUTOR DA REGIÃO. É IMPOSSÍVEL IGNORÁ-LOS. » MARK SQUIRES, THE WINE ADVOCATE, NOV 2015


Q U I N TA D O M O U R O R Ó T U L O D O U R A D O De produção limitada, é considerado um dos grandes tintos de Portugal. Castas: Alicante Bouschet, Aragonez, Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon. - Solo: Xistoso - Estágio: 18 a 24 meses em barricas novas de Carvalho Francês de 300L - Nota de Prova: Fruta vermelha madura, especiarias subtis, mas com profundidade. Espesso, gordo, glicerinado, com textura aveludada pontuada por taninos e acidez muito bem trabalhados, termina longo, muito sofisticado e elegante.

2011

Robert Parker /Mark Squires – 95 pts;

2010

Robert Parker /Mark Squires – 93 pts;

2009

Robert Parker /Mark Squires – 94/96 pts; Revista de Vinhos – 18,5pts Prémio de Excelência; João Paulo Martins – 18 pts;

2008

Robert Parker /Mark Squires – 94 pts; Jancis Robinson – 18 pts;

2007

Robert Parker /Mark Squires – 96 pts; Jancis Robinson– 18,5 pts; Rui Falcão– 18 pts; Revista de Vinhos – 17,5 pts; Marcelo Coppelo – 95 pts;

2006

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Jancis Robinson – 18 pts; Rui Falcão – 18,5 pts; Marcelo Coppelo 95 pts;

2005

Robert Parker /Mark Squires – 95 pts; Jancis Robinson – 17,5 Revista Gosto, Brasil – 95+ pts; Revista Wine - 18,5 pts; Guia dos 50 Melhores Vinhos para o Brasil 2010, Marcelo Copello;

2002

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 19 pts; Revista Wine – 19 pts; Marcelo Coppelo– 91 pts;

2000

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011 – 18,5 pts; Revista Wine – 18,5 Pts;


Q U I N TA D O M O U R O Um vinho de autor, gastronómico, com forte identidade. Castas: Aragonez, Alicante Bouschet - Solo: Xistoso - Estágio: 14 meses em barricas de 300L de Carvalho Francês e Português, 50% novas - Nota de Prova: Carregado na cor, é um vinho de grande complexidade aromática. Na boca é encorpado, com boa estrutura, excelente equilíbrio e acima de tudo muita frescura, que dificilmente se encontra no Alentejo. Final longo.

2010

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts;

2009

Robert Parker /Mark Squires – 95 pts ; Revista de Vinhos – 17,5 pts;

2008

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts; Jancis Robinson – 18 pts; Revista de Vinhos - Os Melhores do Ano;

2007

Robert Parker /Mark Squires – 94 pts; Aníbal Coutinho – “Guia Copo & Alma – Os Melhores 319 vinhos 2012” – 94 pts;

2006

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Jancis Robinson – 17,5 pts;

2005

Robert Parker /Mark Squires – 93 pts; Revista de Vinhos 2015 – 18 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17,5 pts;

2004

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17 pts; Revista Wine – 17 pts;

2003

Robert Parker /Mark Squires – 93 pts; Rui Falcão – 17,5 pts; Revista Wine – 17,5 pts;

2002

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17,5 pts; Revista Wine 2009 – 17,5 pts;

2001

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 18 pts; Revista de Vinhos 2011 – “Tintos de 2001. A excelência 1 década depois.” – 17 pts;

2000

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011 –– 17 pts; Revista Wine – 17 pts;

1999

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17,5 pts; Revista Wine 2009 – 17,5 pts;


Q U I N TA D O M O U R O T O U R I G A N A C I O N A L A emblemática casta portuguesa num vinho intemporal. Castas: Touriga Nacional - Solo: Xistoso - Estágio: 12 meses em barricas novas carvalho francês de 300L Nota de prova: Cor vermelho carregado, aroma fresco, com breves notas maduras. Na boca, é estruturado, volumoso e com uma acidez bem equilibrada. É um vinho com muita longevidade.

2014

Robert Parker /Mark Squires – 89 pts

2010

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts

2006

Jancis Robinson– 17,5 pts; Revista Wine – 16,5 pts Prova de Touriga Nacional - 2º no ranking dos 35 vinhos provados; Rui Falcão – 16,5 pts; Marcelo Coppelo – 88 pts;

2003

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011 – 17 pts; Revista Wine 2009 – 17 pts;


Q U I N TA D O M O U R O C A B E R N E T S A U V I G N O N O clássico Cabernet Sauvignon com um toque de génio. Castas: Cabernet Sauvignon - Solo: Xistoso - Estágio: 12 meses em barricas novas carvalho francês de 300L Nota de Prova: Cor carregada, nariz puro com fruta vermelha, chocolate e notas vegetais. Na boca taninos harmoniosos, bom corpo e final longo.

2011

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts; Revista de Vinhos – Os Melhores do Ano 2015 – 18 pts; Vinhos de Portugal 2015, João Paulo Martins – 16 pts

2007

Jancis Robinson – 17 pts; Revista de Vinhos 2014 – 17 pts; Revista Wine – 17 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2012 – 17 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17 pts; Marcelo Coppelo – 87 pts;


Q U I N TA D O M O U R O V I N H A D O M A L H Ó Um tinto todo feito de delicadeza e fascínio. Brilhante. Castas: Híbridos de Cabernet Sauvignon - Solo: Xistoso - Estágio: 12 meses em barricas novas carvalho francês de 300L Nota de Prova: Nariz muito bonito, com as notas delicadas da madeira muito bem integradas na fruta azul e preta, suaves notas herbáceas, grafite, absolutamente sedutor. Leve e fresco, luminoso, todo feito de delicadeza, fascínio.

2009

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Revista de Vinhos 2013 – 18 pts; Vinhos de Portugal 2015 - João Paulo Martins – 17,5 pts;


Q U I N TA D O M O U R O – E R R O B Um branco controverso, feito à moda dos tintos, que revela uma acidez invulgar para o Alentejo. Castas: Arinto, Antão Vaz e Verdelho - Solo: Xistoso Nota de Prova: No nariz, parece um vinho já com um punhado de anos de evolução em garrafa. Os seus aromas são delicados, marcados por uma nota química, que sugere um Riesling e por sintomas de oxidação. A sua acidez é brutal…


ZAGALOS O carácter alentejano trabalhado com verdadeira elegância. Castas: Trincadeira, Aragonez, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon - Solo: Xistoso - Estágio: 1 ano em barricas de 300L de Carvalho Francês e Português - Nota de Prova: um vinho de cor granada, com boa profundidade aromática, notas de fruta algo madura e alguma especiaria. Na boca apresenta-se com bom volume e muito equilibrado, termina longo.

2012

Mundus Vini - Prata

2011

Robert Parker /Mark Squires – 91 pts; Mundus Vini - Bronze

2010

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Concours Mondial de Bruxelles 2015 - Prata; Concurso Vinhos de Portugal 2015 - Prata

2009

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; International Wine Challenge 2013 - Prata; João Paulo Martins – 16 pts; Revista de Vinhos 2014 – 16 pts;

2008

Robert Parker /Mark Squires – 88 pts; Jancis Robinson -17 pts; Challenge International du Vin 2013 - Bronze; International Wine Challenge 2012 – Bronze ; Wine Enthusiast – 90 pts; Revista de Vinhos 17 pts – Boa Compra

2007

Jancis Robinson – 17 pts: Concours Mondial de Bruxelles 2011 – Ouro ; MundusVini 2011 – Prata; Wine Spectator – 87 pts; Rui Falcão– 15,5 pts; Jornal Público, Fugas – Nota de Prova: 8, Relação Qualidade/Preço: 7,5/8 (1 a 10);

2006

Revista Wine – 15,5 pts; Marcelo Coppelo – 87 pts

2004

Robert Parker /Mark Squires – 87 pts; Wine Spectator – 81pts

2002

Robert Parker /Mark Squires – 85 pts

2001

Concours Mondial de Bruxelles – Ouro

1999

Wine Spectator – 86 pts; Revista de Vinhos – 15,5 pts;


VINHA DO MOURO TINTO Um tinto para todos os dias, pleno do carácter alentejano. Castas: Trincadeira , Aragonez, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon – Solo: Xistoso Nota de Prova: é um vinho que tem uma boa complexidade aromática de fruta vermelha com notas de especiaria. Bem estruturado e com boa frescura. Vinho com garra e final persistente.

2013

Robert Parker /Mark Squires – 89 pts; International Wine Challenge – Bronze;

2011

Robert Parker /Mark Squires – 89 pts; Wine Enthusiast – 87 pts; Revista Wine – 16 pts; Vinhos de Portugal 2015 - João Paulo Martins – 16 pts;

2010

Robert Parker /Mark Squires – 88 pts;

2009

Robert Parker /Mark Squires – 87 pts; Wine Enthusiast 2012 – 88 pts; Revista de Vinhos 2013 – 16 pts - Boa Compra Selecção do Mês

2008

Jancis Robinson – 16,5 pts; Revista de Vinhos – 15,5 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2012 – 14,5 pts;

2007

Robert Parker /Mark Squires – 86 pts; Marcelo Coppelo – 84 pts;

2006

Robert Parker /Mark Squires – 82 pts; Wine Spectator – 87 pts;


VINHA DO MOURO BRANCO Uma visão refrescante dos brancos Alentejanos. Castas: Antão Vaz, Arinto e Verdelho – Solo: Xistosos Nota de Prova: Cor Citrina. Aroma intenso a frutos citrinos com algumas notas minerais. Equilibrado na boca e com boa frescura e longevidade.

2013

Robert Parker /Mark Squires – 88 pts; Vinhos de Portugal 2015 - João Paulo Martins – 16 pts; Revista de Vinhos – 15 pts;

2012

Robert Parker /Mark Squires – 88 pts; Revista de Vinhos – 15,5 pts – Boa Compra;


vimeo.com/quintadomouro


Crafted by Tinta Amarela & Myhre Design

Quinta do Mouro 7100 - 056 Estremoz Tel.: + 351 268 334 097 | M.: + 351 913 457 606

E-mail: geral@quintadomouro.com www.quintadomouro.com

Profile for TINTA AMARELA | Craft Digital Branding

Quinta do Mouro | O Génio na Garrafa  

Tudo começou em 1989 com 6 hectares de vinha e uma obsessão: criar grandes vinhos clássicos no Alentejo. Na Quinta do Mouro em Estremoz Migu...

Quinta do Mouro | O Génio na Garrafa  

Tudo começou em 1989 com 6 hectares de vinha e uma obsessão: criar grandes vinhos clássicos no Alentejo. Na Quinta do Mouro em Estremoz Migu...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded