Quinta do Mouro | O Génio na Garrafa

Page 1

gĂŠnio NA garrafa DE Miguel Louro

O


GOSTO DE IRRITAÇÕES. Aquilo que nos atrai é um pouco as dificuldades. Irritam-me as facilidades…


O GÉNIO UM CRIADOR QUE RECUSA A TRIVIALIDADE P O L É M I C O , I R A S C Í V E L E AV E S S O A N O R M A S

Exímio jogador de póquer, colecionador de antiguidades e médico dentista em Évora,

«Dizem que Miguel Louro sempre foi assim, um iconoclasta… o seu combate é pelos vinhos autênticos, pela transparência e

Miguel de Orduña Viegas Louro é, desde o

início, a alma da Quinta do Mouro.

pela liberdade de criação...» Manuel

Carvalho, Jornal Público 21.05.2016


EM 1978 VIM VER A QUINTA ficou-me na ideia, mas na altura eu tinha 25 anos, faltava-me dinheiro para comprรก-la...


EM ESTREMOZ O PÓQUER DITOU A SORTE: A Q U I N TA N O A L E N T E J O , E M V E Z D O P O R S C H E N A G A R A G E M

A Quinta do Mouro está situada às portas da cidade de Estremoz. Possui uma casa

« Fui sentar-me a uma mesa de póquer, umas

horas largas, na esperança de a sorte me dar

apalaçada do séc. XVIII com jardins encantadores, caramanchões e tanques

os meios. E foi o que aconteceu. - Deram, os

setecentistas. Pertenceu à família Zagalo, a

créditos da jogatina, para comprar a quinta e

mais abastada de Estremoz. Mas em 1974, com a revolução, foi abandonada. Foi assim que Miguel Louro a comprou em 1979.

fazer obras… » Entrevista a Miguel Louro, Revista Epicur,

nº27,

Agosto de 2014


A ORIGINALIDADE começa por se tratar de uma “Quinta” no Alentejo, onde dominam as grandes “Herdades”


OCEANO AT L Ã N T I C O

E U R O PA

ESTREMOZ P O RT U G A L ALENTEJO


A VINHA NO LIMITE 33 hectares sem rega, em solos xistosos, de baixa produção.


UMA VITICULTURA TEIMOSA A Q U I S Ó E N T R A M A S C A S TA S Q U E P O D E M ( E M U I TA S S A E M )

Tudo começou em 1989 com 6 hectares de

«Para além dos solos pouco habituais (xisto), a

vinha e uma obsessão: criar clássicos no

viticultura será muito provavelmente o principal

Alentejo. Miguel Louro plantou, enxertou,

segredo da Quinta do Mouro, uma viticultura

arrancou. Ficaram só castas com provas

original não só pela escolha de castas,

dadas: Aragonês, Alicante Bouschet,

que fogem à escolha tradicional,…como

Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Merlot, Petit Syrah e, mais recentemente, as

pela condução pouco habitual das vinhas.»

brancas Arinto, Antão Vaz e Verdelho.

Fugas, Jornal Público, 04.07.2015


UMA ADEGA “ARCAICA” onde os princípios básicos não podem falhar


POETA vs ENGENHEIROS AS DISCUSSÕES PROVEITOSAS DA FAMÍLIA LOURO NUMA ADEGA “ARCAICA”

Na adega combina-se o saber de toda a

«A adega é surpreendentemente pequena

família Louro. A visão “poética” do pai,

e acanhada, num pequeno anexo da casa, exígua no pouco espaço disponível,

que defende a vindima manual, a pisa a pé e modesta na utilização de peças e as barricas de carvalho português,

de tecnologia, tal como modesta

com o rigor da enologia contemporânea

no investimento.» Suplemento Fugas,

dos seus filhos, Luís e Miguel.

Jornal Público - 04.07.2015


A MELHOR FORMA DE OS SABOREAR EM PLENO? “ É para mim vendendo, para vocês bebendo. Mas comendo…”


O GÉNIO NA GARRAFA VINHOS GASTRONÓMICOS, COM PERSONALIDADE À P R O VA D O T E M P O

Na senda dos grandes clássicos do Alentejo,

«Vinhos amplos e monumentais na estrutura,

cada vinho da Quinta do Mouro revela

carnudos e densos. Vinhos que na generalidade

uma personalidade vincada, em constante

mostram ainda uma capacidade de guarda

evolução. Pessoalmente, Miguel Louro

muito significativa que poderá ultrapassar sem

aprecia vinhos sérios e austeros, que

grandes dificuldades a barreira dos trinta

crescem a cada prova, ao longo do tempo.

anos.» Fugas, Jornal Público, 04.07.2015


O MEU VINHO tem de ser irreverente e polémico. Como eu sou”


«TODAS AS PROVAS QUE FIZ NO ALENTEJO SÓ ME LEVAM A UMA CONCLUSÃO.

A QUINTA DO MOURO É O MELHOR PRODUTOR DA REGIÃO. É IMPOSSÍVEL IGNORÁ-LOS. » MARK SQUIRES, THE WINE ADVOCATE, NOV 2015


Q U I N TA D O M O U R O R Ó T U L O D O U R A D O De produção limitada, é considerado um dos grandes tintos de Portugal. Castas: Alicante Bouschet, Aragonez, Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon. - Solo: Xistoso - Estágio: 18 a 24 meses em barricas novas de Carvalho Francês de 300L - Nota de Prova: Fruta vermelha madura, especiarias subtis, mas com profundidade. Espesso, gordo, glicerinado, com textura aveludada pontuada por taninos e acidez muito bem trabalhados, termina longo, muito sofisticado e elegante.

2011

Robert Parker /Mark Squires – 95 pts;

2010

Robert Parker /Mark Squires – 93 pts;

2009

Robert Parker /Mark Squires – 94/96 pts; Revista de Vinhos – 18,5pts Prémio de Excelência; João Paulo Martins – 18 pts;

2008

Robert Parker /Mark Squires – 94 pts; Jancis Robinson – 18 pts;

2007

Robert Parker /Mark Squires – 96 pts; Jancis Robinson– 18,5 pts; Rui Falcão– 18 pts; Revista de Vinhos – 17,5 pts; Marcelo Coppelo – 95 pts;

2006

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Jancis Robinson – 18 pts; Rui Falcão – 18,5 pts; Marcelo Coppelo 95 pts;

2005

Robert Parker /Mark Squires – 95 pts; Jancis Robinson – 17,5 Revista Gosto, Brasil – 95+ pts; Revista Wine - 18,5 pts; Guia dos 50 Melhores Vinhos para o Brasil 2010, Marcelo Copello;

2002

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 19 pts; Revista Wine – 19 pts; Marcelo Coppelo– 91 pts;

2000

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011 – 18,5 pts; Revista Wine – 18,5 Pts;


Q U I N TA D O M O U R O Um vinho de autor, gastronómico, com forte identidade. Castas: Aragonez, Alicante Bouschet - Solo: Xistoso - Estágio: 14 meses em barricas de 300L de Carvalho Francês e Português, 50% novas - Nota de Prova: Carregado na cor, é um vinho de grande complexidade aromática. Na boca é encorpado, com boa estrutura, excelente equilíbrio e acima de tudo muita frescura, que dificilmente se encontra no Alentejo. Final longo.

2010

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts;

2009

Robert Parker /Mark Squires – 95 pts ; Revista de Vinhos – 17,5 pts;

2008

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts; Jancis Robinson – 18 pts; Revista de Vinhos - Os Melhores do Ano;

2007

Robert Parker /Mark Squires – 94 pts; Aníbal Coutinho – “Guia Copo & Alma – Os Melhores 319 vinhos 2012” – 94 pts;

2006

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Jancis Robinson – 17,5 pts;

2005

Robert Parker /Mark Squires – 93 pts; Revista de Vinhos 2015 – 18 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17,5 pts;

2004

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17 pts; Revista Wine – 17 pts;

2003

Robert Parker /Mark Squires – 93 pts; Rui Falcão – 17,5 pts; Revista Wine – 17,5 pts;

2002

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17,5 pts; Revista Wine 2009 – 17,5 pts;

2001

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 18 pts; Revista de Vinhos 2011 – “Tintos de 2001. A excelência 1 década depois.” – 17 pts;

2000

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011 –– 17 pts; Revista Wine – 17 pts;

1999

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17,5 pts; Revista Wine 2009 – 17,5 pts;


Q U I N TA D O M O U R O T O U R I G A N A C I O N A L A emblemática casta portuguesa num vinho intemporal. Castas: Touriga Nacional - Solo: Xistoso - Estágio: 12 meses em barricas novas carvalho francês de 300L Nota de prova: Cor vermelho carregado, aroma fresco, com breves notas maduras. Na boca, é estruturado, volumoso e com uma acidez bem equilibrada. É um vinho com muita longevidade.

2014

Robert Parker /Mark Squires – 89 pts

2010

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts

2006

Jancis Robinson– 17,5 pts; Revista Wine – 16,5 pts Prova de Touriga Nacional - 2º no ranking dos 35 vinhos provados; Rui Falcão – 16,5 pts; Marcelo Coppelo – 88 pts;

2003

Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011 – 17 pts; Revista Wine 2009 – 17 pts;


Q U I N TA D O M O U R O C A B E R N E T S A U V I G N O N O clássico Cabernet Sauvignon com um toque de génio. Castas: Cabernet Sauvignon - Solo: Xistoso - Estágio: 12 meses em barricas novas carvalho francês de 300L Nota de Prova: Cor carregada, nariz puro com fruta vermelha, chocolate e notas vegetais. Na boca taninos harmoniosos, bom corpo e final longo.

2011

Robert Parker /Mark Squires – 92 pts; Revista de Vinhos – Os Melhores do Ano 2015 – 18 pts; Vinhos de Portugal 2015, João Paulo Martins – 16 pts

2007

Jancis Robinson – 17 pts; Revista de Vinhos 2014 – 17 pts; Revista Wine – 17 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2012 – 17 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2011– 17 pts; Marcelo Coppelo – 87 pts;


Q U I N TA D O M O U R O V I N H A D O M A L H Ó Um tinto todo feito de delicadeza e fascínio. Brilhante. Castas: Híbridos de Cabernet Sauvignon - Solo: Xistoso - Estágio: 12 meses em barricas novas carvalho francês de 300L Nota de Prova: Nariz muito bonito, com as notas delicadas da madeira muito bem integradas na fruta azul e preta, suaves notas herbáceas, grafite, absolutamente sedutor. Leve e fresco, luminoso, todo feito de delicadeza, fascínio.

2009

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Revista de Vinhos 2013 – 18 pts; Vinhos de Portugal 2015 - João Paulo Martins – 17,5 pts;


Q U I N TA D O M O U R O – E R R O B Um branco controverso, feito à moda dos tintos, que revela uma acidez invulgar para o Alentejo. Castas: Arinto, Antão Vaz e Verdelho - Solo: Xistoso Nota de Prova: No nariz, parece um vinho já com um punhado de anos de evolução em garrafa. Os seus aromas são delicados, marcados por uma nota química, que sugere um Riesling e por sintomas de oxidação. A sua acidez é brutal…


ZAGALOS O carácter alentejano trabalhado com verdadeira elegância. Castas: Trincadeira, Aragonez, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon - Solo: Xistoso - Estágio: 1 ano em barricas de 300L de Carvalho Francês e Português - Nota de Prova: um vinho de cor granada, com boa profundidade aromática, notas de fruta algo madura e alguma especiaria. Na boca apresenta-se com bom volume e muito equilibrado, termina longo.

2012

Mundus Vini - Prata

2011

Robert Parker /Mark Squires – 91 pts; Mundus Vini - Bronze

2010

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; Concours Mondial de Bruxelles 2015 - Prata; Concurso Vinhos de Portugal 2015 - Prata

2009

Robert Parker /Mark Squires – 90 pts; International Wine Challenge 2013 - Prata; João Paulo Martins – 16 pts; Revista de Vinhos 2014 – 16 pts;

2008

Robert Parker /Mark Squires – 88 pts; Jancis Robinson -17 pts; Challenge International du Vin 2013 - Bronze; International Wine Challenge 2012 – Bronze ; Wine Enthusiast – 90 pts; Revista de Vinhos 17 pts – Boa Compra

2007

Jancis Robinson – 17 pts: Concours Mondial de Bruxelles 2011 – Ouro ; MundusVini 2011 – Prata; Wine Spectator – 87 pts; Rui Falcão– 15,5 pts; Jornal Público, Fugas – Nota de Prova: 8, Relação Qualidade/Preço: 7,5/8 (1 a 10);

2006

Revista Wine – 15,5 pts; Marcelo Coppelo – 87 pts

2004

Robert Parker /Mark Squires – 87 pts; Wine Spectator – 81pts

2002

Robert Parker /Mark Squires – 85 pts

2001

Concours Mondial de Bruxelles – Ouro

1999

Wine Spectator – 86 pts; Revista de Vinhos – 15,5 pts;


VINHA DO MOURO TINTO Um tinto para todos os dias, pleno do carácter alentejano. Castas: Trincadeira , Aragonez, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon – Solo: Xistoso Nota de Prova: é um vinho que tem uma boa complexidade aromática de fruta vermelha com notas de especiaria. Bem estruturado e com boa frescura. Vinho com garra e final persistente.

2013

Robert Parker /Mark Squires – 89 pts; International Wine Challenge – Bronze;

2011

Robert Parker /Mark Squires – 89 pts; Wine Enthusiast – 87 pts; Revista Wine – 16 pts; Vinhos de Portugal 2015 - João Paulo Martins – 16 pts;

2010

Robert Parker /Mark Squires – 88 pts;

2009

Robert Parker /Mark Squires – 87 pts; Wine Enthusiast 2012 – 88 pts; Revista de Vinhos 2013 – 16 pts - Boa Compra Selecção do Mês

2008

Jancis Robinson – 16,5 pts; Revista de Vinhos – 15,5 pts; Rui Falcão – Guia de Vinhos 2012 – 14,5 pts;

2007

Robert Parker /Mark Squires – 86 pts; Marcelo Coppelo – 84 pts;

2006

Robert Parker /Mark Squires – 82 pts; Wine Spectator – 87 pts;


VINHA DO MOURO BRANCO Uma visão refrescante dos brancos Alentejanos. Castas: Antão Vaz, Arinto e Verdelho – Solo: Xistosos Nota de Prova: Cor Citrina. Aroma intenso a frutos citrinos com algumas notas minerais. Equilibrado na boca e com boa frescura e longevidade.

2013

Robert Parker /Mark Squires – 88 pts; Vinhos de Portugal 2015 - João Paulo Martins – 16 pts; Revista de Vinhos – 15 pts;

2012

Robert Parker /Mark Squires – 88 pts; Revista de Vinhos – 15,5 pts – Boa Compra;


vimeo.com/quintadomouro


Crafted by Tinta Amarela & Myhre Design

Quinta do Mouro 7100 - 056 Estremoz Tel.: + 351 268 334 097 | M.: + 351 913 457 606

E-mail: geral@quintadomouro.com www.quintadomouro.com