Issuu on Google+

MODA • ESTILO • ATITUDE • INFORMAÇÃO

EDIÇÃO DE LANÇAMENTO

CAMISAS ELAS VÃO TE ENCANTAR HOMENS DE

TERNO Sim, dourado

dourado

4 muito

tipos de

trança para

arrassar na produção 1


2


3


Sapatos, nós amamos! Os novos tênis Moda! Camisas no auge Moda! Alta voltagem Moda! O melhor da festa

23 T RÈS J OLI E M A G AZINE Tra bal h o d e C on cl u são d e Curs o d e C omu n i c aç ão So cial – H a b i l i t a ção em Jo rnal i s mo - U n i v er sid ade de U b e ra b a ( U n i u be) – Deze m b ro 2 0 1 2 . Av Nen e Sabin o, 1 8 0 1 , U n i v er sit ár io , CEP: 3 8 0 5 0 - 5 0 0 . B lo c o L .

4

08 17

13 38 42 48 52

10

Sapatos Com os pés no chão Perfil Fátima Porto

Acessórios Dourado, muito dourado Eles curtem Os ternos modernos chegaram

Economia Em outras praias

Expediente E st u d an t e d o 8° pe r í o d o d e Jo r nal i s m o : Jú l i a M agal hãe s .O r i e nta dora : p r o f esso r a I nd i ar a Fe r r e i r a ( M TB / JP 6308) . P r o j e to G r áfi co e D iagr am a ção : Th i ago Fe r r e i r a. Fo to s : Vand e r R i b e i r o e Júl i a M aga lhã es. P r o du ç ão : G i l Fo ns e ca.


5


Cara leitora, É com prazer que damos vida à Très Jolie Magazine. A ideia nasce do desejo de trazer para Patos de Minas uma revista especializada em Moda e Estilo. A moda surgiu na Europa, precisamente na França. Pensando em fazer uma homenagem ao país que nos trouxe tantos estilos diferentes, escolhemos o nome Très Jolie que, em francês, significa você muito bonita. Para você se sentir muito bonita, preparamos várias dicas de roupas, sapatos, acessórios e beleza. Você vai aprender como usar camisas em várias composições, conhecerá um pouco mais sobre a história dos vestidos de formatura e dos maxi colares. O tema dourado, por todos os lados também está aqui, já que o brilho aparece em acessórios, roupas e na maquiagem. Para você não sair de casa de cara limpa, trazemos dicas da blogueira Carla Silver, de como fazer um make up

Júlia Magalhães, idealizadora da Très Jolie Magazine 6

simples e rápido. Para complementar a visual, o cabeleireiro Gil Fonseca ensinará a trançar seus cabelos. Inovando, nossa revista traz uma editoria para os homens. Afinal, eles também curtem moda e, se não curtem, receberão o nosso auxílio. Nesta edição, falaremos um pouco sobre os ternos e como ganharam ‘cara nova’ nos últimos tempos. Você também fica por dentro da maior fábrica de exportação de biquínis de Patos de Minas de como a ideia ganhou vida em nossa cidade. A magazine, recheada de informações sobre tendências, tem uma editoria especial para quem curte a moda dos exercícios físicos. Na atualidade, o pilates ganha visibilidade. Folhei e divirta-se. A Très Jolie Magazine foi feita para você ficar muito bonita! Obrigada pela companhia. Júlia Magalhães


7


SAPATOS, NÓS AMAMOS!

Por Júlia Magalhães Fotos: Vander Ribeiro Produção: Gil Cabeleireiros

Os novos

TÊNIS Os tênis com salto, conhecidos por sneakers, deixaram as quadras e as academias e ganharam as baladas

8


Você já se imaginou usando um tênis com salto? Já ouviu falar dos sneakers? Então, é o sapato que aliou o conforto do tênis e o charme do salto alto! O calçado surgiu na América do Norte, na década de 80. Naquela época, as mulheres se esbaldaram com o novo hit da moda. O termo sneaker quer dizer sorrateiro. Este termo foi atribuído ao calçado por causa do solado de borracha aderente. Fazendo valer a máxima de que a moda é cíclica, a estilista francesa Isabel Marant reviveu os sneakers em sua coleção de verão de 2010. Os modelos só chegaram às vitrines do Brasil este ano, na coleção outono/ inverno, mas se mantiveram como tendência forte para a temporada do verão. “Eles serão o hit do verão e, podem ser usados tanto durante o dia, quanto à noite”, garante o estilista Jordano Vitor, assegurando que o salto esporte embutido nos tênis confere elegância ao calçado. De diversas cores, com brilhos, paetês, taxas, mais básicos nas cores preta ou bege, ou mais elaborados, nas cores fluo, os sneakers podem ser combinados em diversas composições para a balada ou para o dia a dia. Para a balada, a dica do estilista Jordano Vitor é usar o short jeans básico, com camiseta de paetê e, nos pés, o sneakers. “É uma produção básica, casual, e confortável para curtir uma balada. Já para durante o dia, um short, com camisa de tecido fino e um sneakers bem colorido podem compor o look”, afirma Jordano.

Sim eu uso! Com 17 anos, a estudante Alessandra Versiani está no 2º ano do Ensino Médio, também conhecido com Colegial. Ela aderiu à moda assim que os calçados chegaram às vitrines das lojas de Patos de Minas. “Comprei um preto com branco e dourado que, de alguma forma, lembra uma estampa de oncinha. No início, o pessoal achou estranho, porém gostei e decidi investir no calçado. Já usei com vestidos, calça, saia, short, depende da ocasião.Fica bem com tudo”, conta Alessandra. 9


SAPATOS, NÓS AMAMOS!

CHÃO Com os pés no

As rasteirinhas são a cara do verão

10

Por Júlia Magalhães Fotos: Vander Ribeiro Produção: Gil Cabeleireiros


Q

Quem diz que para ser elegante é necessário usar salto, se engana. As rasteirinhas podem substituir o salto e deixar a produção requintada. Confortável, o calçado permite que as mulheres coloquem os pés de fora neste clima tropical brasileiro. Entra verão, sai verão elas continuam fortes nas vitrines e nos pés das mulheres. “Assim como as roupas, as rasteirinhas com pedras e muito brilho são tendência na próxima temporada”, conta a proprietária de uma loja especializada em rasteirinhas, Sônia Amaral. Com diferentes tipos, somente de tiras, de amarar, gladiadora, com strass, com tiras trançadas, o modelo não importa, mas sim o charme, e o ar casual das produções sofisticadas. Segundo Sônia, os materiais que compõem essas sandálias são mais rústicos, em formas simples, e com grande variedade de cores. A diversidade de tons pode ir do bege cru até as misturas mais exóticas, como vermelho, azul e verde.

Como combinar Para a estilista Ednéia Ribeiro, a rasteirinha é muito fácil de ser combinada e pode ser considerada curinga no verão. “Você pode usar com vestidos longos, saias no estilo cigano, pantalonas estampadas, vestidinhos de algodão, macacões e short jeans com regatinha, fica bem com todas as peças da estação”.

Pedras e brilhos Pedras de todos os tamanhos e cores são aplicadas às tiras das rasteirinhas dando ar sofisticado. Os brilhos também fazem parte da produção: strass também está em alta. São ideais para usar em uma produção noturna. “As rasteirinhas com pedras douradas e azuis são as que as mulheres mais procuram”, garante Sonia Amaral. A biomédica Larissa Costa é a apaixonada pelo chinelo chique. “Se for sair para um barzinho, gosto de combinar rasteirinha com brilhos e um vestidinho básico. Os acessórios podem seguir a mesma linha dos brilhos do calçado”.

Rasteirinhas combinam com: • Short, saias e vestidos curtos • Vestidos longos de verão • Jeans skinny com regatas

Rasteirinhas não combinam com: • Tecidos de inverno • Conjuntos com manga longa • Roupas muito esportiva • Roupas sociais FONTE: Ednéia Ribeiro

11


12


MODA

Por Júlia Magalhães Fotos: Vander Ribeiro Produção: Gil Cabeleireiros

Alta

VOLTAGEM

As cores fluorescentes, como verde e amarelo limão, rosa choque e azul brilhante servem de luz para cores básicas 13


fluo ou neon, como são chamados os tons vibrantes e fluorescentes que invadiram a primavera/ verão, tem origem nos anos 80, a década do brilho, das cores e do exagero. Naquela época, os tons combinavam com o clima descontraído da música new wave , que dominava as rádios ao som dos grupos The Police, B-52 e Devo. Em 2009, estas cores voltaram em acessórios e na nesta coleção primavera/verão 2012/2013, vieram para ficar. As nuances da luz, como o são conhecidas as cores de caneta marca texto (verde e amarelo limão, rosa choque, azul brilhante e laranja bem aceso), enfeitam roupas, sapatos, acessórios, bolsas e dão vida aos batons, sombras e esmaltes. Atualmente, o neon aparece combinado com peças neutras para garantir a elegância. “As peças coloridas podem ser usadas com tons pastéis e branco para uma combinação elegante e até mesmo discreta. Apostaria também nos tons rosa, azul e verde bebê, com o fluo”, comenta o estilista Jordano Vitor. Cores escuras fazem com que os tons fluo fiquem mais evidentes, deixando o look mais chamativo. Para o estilista Antônio Carlos Fortes, conhecido como Cahê, quem é discreta não deve se trair, porém pode abusar das cores neon em estampas gráficas, outra tendência da temporada. “Para quem tem estilo e gosta de usar cores chamativas, misturar tons neons em uma produção equilibrada pode dar certo e ficar elegante”, comenta o estilista. 14

A apresentadora de TV, Monique Fernandes, não abre mão da camisa neon durante o telejornal Band Minas, em Belo Horizonte


O especialista O estilista Antônio Carlos Fortes dá dicas de como usar cores neons em seus looks.

Alta e magra

Abuse da cor em peças de alfaiataria em algum tom fluo. A peça requer poucas curvas. Pode abusar de volumes.

Baixinha

Os tops em cores fluo são as melhores apostas, pois ajudam alongar a silhueta.

Curvilínea

Peças básicas e clássicas nas cores neon ficam ótimas nestas pessoas. Que tal um blazer ou uma saia de corte reto?

Plus size

Utilize as cores neon em peças pequenas ou em acessórios, como um complemento.

15


16


MODA

Camisas, elas vão

DOMINAR seu guarda-roupa Comuns no meio masculino, chegaram devagar e conquistaram as mulheres Por Júlia Magalhães Fotos: Vander Ribeiro Produção: Gil Cabeleireiros

17


A

As camisas, por anos, foram peças exclusivas do guarda-roupa masculino. Só os homens eram guardiões desta peça, símbolo de elegância e sofisticação. Porém, devido às transições da sociedade, a mulher incorporou o modelo. Após a revolução feminista, nas décadas de 60 e 70, mudaram conceitos, opiniões e também as roupas. O estilo inspirado no masculino começou a despontar entre elas. Surgiram calças, camisas, terninhos. As camisas, aos poucos, conquistaram a maioria. Ainda no século XX, as cores eram básicas, como branco, preto e, às vezes, cinza. Com modelagem simples, corte reto e a cintura levemente marcada, ganharam apelido de camisetes, nos anos 80. A peça se popularizou como uniforme de trabalho. Advogadas, bancárias, jornalistas, entre outras profissionais, também usavam o modelo ajustado como curinga. A marca de camisas Dudalina é exemplo da transição. Os proprietários Duda e Adelina confeccionavam camisas exclusivamente masculinas, na década de 50. Com peças de design e tecidos diferenciados, ganharam o respeito dos homens e a admiração das mulheres. Em 2010, a marca lançou uma coleção feminina com o tema: Dudalina para Mulheres que Decidem. A coleção foi um sucesso. Nesta onda da Dudalina, já no século XXI, as camisas foram repaginadas, ganharam diversas formas, cores, estampas e tecidos. A estilista reconhecida internacionalmente, Carolina Herrera, também é uma das responsáveis por esta democratização. Em todos os desfiles em que sua marca participa, Herrera aparece vestindo camisas, imprimindo sofisticação a esta peça aparentemente convencional.

18


De cara nova! As velhas e boas camisas brancas não perderam seu lugar. Símbolo de sofisticação e classe, elas ganharam uma cara diferente. A designer de camisas Ana Carolina Vilela comenta que as peças ganharam elementos que as deixam mais femininas e até ousadas. “São rendas, detalhes em tecidos diferentes, tanto nos punhos, quanto nas golas, para inovar. Nos escritórios ou numa produção para a noite, a camisa pode ser combinada com saia estampada ou calça preta de alfaiataria”.

Flores da estação Flores pequenas, grandes, de várias cores ou em tom único, as camisas ganharam um ar romântico na primavera. Hit do verão, as flores podem estar presentes em toda a camisa ou só nos detalhes. “Geralmente, usamos estampa com a cor predominante da camisa e fazemos o punho e gola com este tecido”, conta Ana Carolina, que complementa falando que o punho da camisa pode ser liso também. Bancária há 25 anos, Maria Inês Elias Ribeiro, coleciona camisas e assegura que as estampas são uma boa fórmula para quem quer parecer diferente, porém usando uma peça básica. “Durante alguns anos, usei camisas somente na cor branca. Atualmente, podemos abusar das estampas e detalhes e manter a mesma classe e sofisticação que o branco proporciona”, conta Inês.

Quanto mais transparente melhor Tendência da próxima temporada, as transparências também aparecem nas camisas. “Quanto mais fino for o tecido, melhor será o caimento da camisa”, conta Ana Carolina Vilela. Os tecidos finos podem ser de uma única cor ou estampados. Já a modelagem das camisas é diferenciada. Largas no corpo, sem cintura marcada, em estilo mullet - igual às saias (curtas na frente com caudas médias na parte de trás). Outro detalhe são os

botões. Obedecendoà tendência de cores do verão, em sua maioria, são dourados, consolidando a sofisticação da peça. Uma maneira de utilizar a camisa transparente é com uma camiseta de cor diferente por baixo. “Gosto de combinar a camisa transparente azul turquesa, com uma regata verde fluorescente. Acho que dá um tom casual por causa da regata e sofisticado em função da camisa”, comenta a médica veterinária Lorena Rodrigues. 19


Qualquer hora Não sabe o que usar? Aposte nas camisas. Sem restrições, elas são fáceis de combinar com diversas peças. Se usadas com calça social e scarpin, um look clássico e executivo é montado. Se combinadas com jeans e sapatilhas, formam uma produção casual. Para o dia, aposte na camisa estampada com short jeans e rasteirinha. Se a produção é para noite, a opção é a mistura com brilhos. “Você pode combinar uma camisa estampada com uma saia de paetês. O look fica clássico e, ao mesmo tempo, glamuroso”, garante Ana Carolina. A bancária Maria Inês diz que, nesta nova era das camisas, tem coragem de ousar ao combinar as peças. “Antes usava somente para trabalhar, uma espécie de uniforme. Com as novas opções, além de dar uma diversificada no look de trabalho, posso reaproveitar e usar em outras ocasiões.” Inês garante que a camisa florida, combinada com calça jeans e sapatilha é ótima opção para um almoço de domingo.

Camisa feminina lançada pela Dudalina

20


21


MODA Por Júlia Magalhães Fotos: Vander Ribeiro Produção: Gil Cabeleireiros

O melhor da

FESTA

Os vestidos de formatura tomam conta do imaginário das formandas e pedem brilho especial para iluminar a noite

22


abados, rendas, brilhos, paetês, fitas, pedras, bordados e cores, muitas cores. Estes são os itens dos vestidos da próxima temporada de formaturas. Saias longas, curtas, mulett, modelagens simples e tecidos trabalhados compõem os modelos dos bailes. E você? Sabe o que usar e por que usar? Na década de 60, os elegantes bailes de formatura faziam os anos ainda mais dourados. Na festa, penteados exuberantes, com os cabelos presos em coques volumosos no topo da cabeça. Já os sapatos, estilo scarpin, com bicos arredondados e laços enfeitando, juntamente com os vestidos longos, faziam da noite o momento mágico. Naquela época, os estilistas Yves Saint Laurent, Paco Rabanne, Courréges, Pierre Cardim e Mary Quant eternizaram sua criatividade nos bailes de gala ao combinar preto, branco, vermelho e rosa, dando vida aos vestidos de cintura baixa. Os tecidos apresentavam as texturas metálicas. Décadas se passaram e os bailes de formatura não perderam o glamour dos anos dourados. O estilo se modificou conforme o comportamento das pessoas e a evolução da moda, mas o ritual de preparação ainda pode durar meses. É preciso pensar no modelo do vestido, cor e textura do tecido. Há ainda o sapato, os acessórios, a maquiagem e o penteado. O estilista Silvinho Carlos explica que a escolha do vestido deve ser realizada com calma, considerando os desejos e as aspirações da formanda que espera por anos até a festa. “A roupa deve imprimir a cara e a vontade da formanda. Quando me pedem auxílio com o vestido, tento captar o que ela quer e traduzir em um look que seja perfeito para este dia mágico”. 23


Vestidos curtos têm o seu lugar Com a modernização dos trajes para os bailes de gala, o vestido curto ganhou seu espaço. Com tecidos elaborados, bordados, rendas e até mesmo decotes, estão cada vez mais elegantes. Os vestidos curtos surgiram da necessidade das pessoas que vão aos bailes de gala apenas como convidadas. “Há algumas décadas, o longo era obrigatório para todas. Atualmente, mudaram alguns protocolos, mas a formanda e sua mãe devem usar longo”, comenta o estilista Antônio Carlos Fortes, conhecido como Cahê. Se usado nas proporções corretas, o vestido curto pode ter decote nas costas, ser tomara que caia e ter um cumprimento micro para as pessoas que gostam. Combinado com saltos altos e acessórios glamourosos, eles substituem o longo em questão de estilo e autenticidade. As saias mullet são a opção para quem deseja usar um vestido curto, porém acreditam que o longo é marca forte nos bailes de formatura. Elas surgiram na década de 80 e foram inspiradas nos cortes de cabelo assimétrico. Curtas na frente com caudas longas ou médias atrás prometem estar em alta na próxima temporada de bailes. “As saias mullet vão aparecer nos vestidos de formatura, não só das convidadas, mas também nas formandas. É uma oportunidade de brincar com tamanhos e proporções”, conta o estilista Jordano Vitor.

A saia removível pode ser sua aliada As formandas querem aproveitar ao máximo o baile após a cerimônia da valsa e o modelo da saia removível pode ser um truque para estar elegante e curtir cada minuto da noite. “Geralmente, estas saias são adaptadas aos vestidos tubinhos, colados ao corpo. Na altura do joelho, coloca-se com zíper com uma saia, em formato sereia ou então de babados, da maneira que a formanda desejar, deixando o vestido longo. Após a valsa, esta parte é retirada, e a formanda está liberada para curtir”, explica Jordano Vitor. 24


Pinte e borde no seu vestido Ao contrário dos vestidos das convidadas dos casamentos, em que o branco e o preto se tornam deselegantes, os vestidos de formatura não conhecem censura quando o assunto é cor. O preto e branco, se combinados na mesma peça, se tornam uma casadinha imbatível. “Como a moda está bem colorida, as pessoas estão livres em questões de cores”, comenta Silvinho, que acredita que as cores fluo e neon estarão presentes nos vestidos de formatura do verão. Em relação aos brilhos e bordados, Silvinho é categórico: “use e abuse de pedrarias, rendas, fitas e tecidos elaborados, que já contenham brilho na própria composição”. Segundo ele, os tecidos que lembram a confecção artesanal, com efeito bicolor e translúcido são boas pedidas. “Sensualidade nas transparências, combinadas com bordados de pedrarias bem chamativas e muito brilho. Tudo isso é o que o verão pede e o que as formandas estão procurando”, conta Silvinho.

Paetê, seu lindo! O paetê ou lantejoula, como também é conhecido, já era usado desde 2.500 A.C, em formato de discos dourados. Há resquícios dos brilhos em roupas usadas por faraós. Foi no início do século passado, nos Estados Unidos, que os paetês foram industrializados, comercializados e apresentados aos consumidores. Mais tarde, se popularizaram, em Nova York, nos espetáculos da Broadway. De diversas cores, formatos e tamanhos, os paetês estão presentes nas composições de festas. Pode ser um detalhe ou brilho da cabeça aos pés. De uma cor só ou com paetês bicolores, que combinam entre si, ou metalizados, todos remetem ao luxo que a ocasião sugere. “Os paetês continuam em alta para esta estação e para a próxima, mas com uma nova textura. Os pastilhados e alternados são uma proposta forte para as formaturas e podem ser misturados com rendas, franjas e fitas”, aposta Silvinho. 25


A grande escolha Penélope Cássia, de 24 anos, está concluindo o curso de Medicina e buscou dois vestidos ideais para o baile e o coquetel. Junto com ela, a mãe Rita de Cássia, com 44 anos, e as irmãs Larissa Cássia, Melanie Cássia, também na casa dos 20 anos,ajudaram na procura dos modelos e escolhem os seus. “Encontrei os vestidos da maneira que eu queria. O do baile é lindo, traz bordados e brilhos. Ao mesmo tempo em que é longo, tem uma saia removível para ficar curto. Assim, posso aproveitar o baile melhor após a valsa”, diz a formanda. Larissa comenta que apesar do curto estar em alta para as convidadas, prefere o vestido longo por ser mais elegante para o baile. “Quero um vestido simples, porém longo, acredito que, em termos de elegância, ele supera o vestido curto”, fala Larissa. Para Rita, mãe das três jovens, o difícil foi encontrar oito modelos que agradassem as quatro e que não fossem parecidos. “O difícil foi encontrar oito vestidos que nos agradassem, porém conseguimos”, conta aos risos.

Mel, Larissa e Penélope na busca do vestido perfeito

26


27


MODA

Pulseira Etc e Tal R$25,00

Sapatilha Polaina R$169,00

Esmalte

Marisa Cosméticos R$2,99

Sneakrs

Arezzo R$325,00

A cor da

ESTAÇÃO

Vestido

Ana Vilela Camisaria R$425,90

Cinto

Meia Lua Acessórios R$80,00

Brincos

Bolsa

Meia Lua Acessórios: R$49,90

Couro e Arte R$435,00

Sandália Salto Polaina: R$299,00

28

Sapato

Polaina R$285,00


CERTO ERRADO

&

A mulher patense investe em diferentes estilos. Nas ruas, bares, baladas, faculdades, o público feminino inova a cada instante. A equipe da Très Jolie Magazine passeou pelas ruas de Patos de Minas de olho no estilo de vestir das mulheres da cidade. Trazemos duas produções para a noite, para uma saída casual. Nossa convidada do Certo ou Errado desta edição é a estilista Elaine Ribeiro.

Certo “Tanto a calça laranja fluorescente, quanto a camisa são tendências do verão. O look está despojado e obedece as proporções exatas. A camisa amarrada de lado deu um charme, juntamente com o maxi colar. O sapato preto neutralizou a fluorescente da calça. Está aprovado”.

Errado O vestido de renda é atual, ainda mais forrado pelo tecido dourado, que é a cor da estação, porém, as proporções não estão legais. Ele deveria ser um pouco mais largo e uns quatro centímetros maior no comprimento. Adequando isso, a produção fica equilibrada com os sapatos e acessórios”.

29


BELEZA É FUNDAMENTAL

Por Júlia Magalhães Fotos: Vander Ribeiro Produção: Gil Cabeleireiros

JOGUE SUAS TRANÇAS RAPUNZEL De lado, embutida, frouxa, em forma de coque, as tranças prometem tomar conta da cabeça das mulheres na próxima estação

30


É

na infância que, normalmente, o desejo das meninas de ser vaidosa, aprender a se maquiar e arrumar os cabelos se manifesta. É também na infância que as mães têm o costume de ensinar as filhas a prender o cabelo com tranças. Este penteado simples é cheio de histórias e costumes. As tranças podem ser lembradas pelo conto de fadas da Rapunzel, sempre jogando suas madeixas do alto de uma torre na qual vivia aprisionada. Porém, registros históricos apontam que as primeiras tranças teriam surgido na Idade Média, nos cabelos das deusas gregas e sacerdotisas. Entre os africanos e seus descendentes, a trança é uma referência cultural. A arte de entrelaçar os cabelos já diferenciou tribos, idade, estado de civil e até a posição na sociedade. No mundo ocidental são moda! No verão 2012/2013, os fios estão presos, mas há liberdade para a criação dos modelos clássicos e ousados: todos presos, em formato de coque, de lado ou apenas com parte dos fios presos. O cabeleireiro Gil comenta que as mulheres têm procurado o penteado para diversas ocasiões, como casamentos, festas de formatura, batizados e aniversários. “Não tem um padrão certo para as tranças. Você pode usar presas em coques ou de lado, depende da ocasião. O importante é estar confortável com o penteado”, garante o cabeleireiro. Você pode fazer a sua trança usando a imaginação para qualquer ocasião.

O especialista Aprenda quatro diferentes tranças para você arrasar nas festas de fim de ano • Tranças embutidas: elas também são conhecidas como tranças de raiz. Pode ser iniciada desde o topo da cabeça ou até mesmo pela franja. Divida o cabelo em três partes, bem próximas ao topo da cabeça. Comece a trançar as madeixas. Depois, vá pegando pequenas mechas laterais e puxando para o centro até o fim do cabelo. Finalize com um elástico de sua preferência. • Traças laterais: você pode fazer nas duas laterais ou então em só uma com o cabelo repartido de lado. Deixe o cabelo da parte de trás solto. Pegue uma mecha na lateral do cabelo e comece a trançar. Puxe alguns fios do cabelo junto à trança para dar um ar bagunçado. “Se fizer as tranças dos dois lados, uma opção é unir as pontas das duas tranças, formando uma “coroa” ao entorno da cabeça”, ensina Gil. • Tranças embutidas laterais: do mesmo modo da trança embutida,

é necessário dividir uma mecha em três partes na parte lateral. Vá unindo os fios da lateral escolhida com os fios do meio do cabelo. Deixe a parte debaixo dos cabelos solta. Amarre no final. Gil ensina a trançar as madeixas. “Deixe os fios soltos formando gomos largos para depois serem enfeitados com pequenos pontos de brilho”, ensina. • Tranças frouxas: faça uma trança com três pernas partindo de uma das laterais. Vá alimentando a trança com fios da nuca até a linha central da cabeça e termine a trança de forma rasteira. Na outra lateral, faça uma trança do mesmo modelo. Deixe as tranças frouxas puxando os gomos com as pontas dos dedos. Para finalizar, escolha um dos lados da cabeça e junte as duas tranças em uma única trança. Para finalizar, Gil ensina que puxar as pontas do cabelo deixará a trança com fios desordenados, dando um ar leve ao penteado.

Trança lateral é tendência clássica para o verão

31


32


33


Caras & Bocas nos

tons do verão

BELEZA É FUNDAMENTAL

Make up de verão vem acompanhado de muitas cores e brilhos 34

Por Júlia Magalhães Fotos: Vander Ribeiro Produção: Gil Cabeleireiros


Louca por maquiagem! É assim que estudante de medicina Carla Silver, de 24 anos, se define. Não só ela, mas grande parte das mulheres não sai de casa sem antes passar, pelo menos, batom. A administradora Nilza Canêdo, de 47 anos, não abre mão das armas coloridas de beleza. “Não saio sem pó com filtro solar para rosto, rímel, blush neutro e batom. São elementos básicos para uma produção para o dia a dia”, conta Nilza.

Os olhos

Com a proximidade do verão, surgem novas tendências de make up. Aliás, mais uma vez, a estação promete ser das cores e luzes. Assim como nas roupas, as cores metalizadas vêm com tudo nas sombras, principalmente, explorando o dourado, o prateado e o cobre. “Estes brilhos vão marcar presença nas festas de fim de ano”, garante a maquiadora Vanusa Fonseca, complementando que os tons do make seguem, normalmente, as cores das roupas. Outra forte tendência inspirada no vestuário são as sombras em cores fluorescentes que fazem do make ousado. A escala de cor terrosa aparece no verão em substituição ao preto. Outra tendência para o verão, tanto nas roupas quanto nas maquiagens, são as candy colors, ou seja, as cores doces, bem clarinhas. As sombras trazem texturas secas, nas cores pastéis, lilás, rosa, azul e verde bebê. “Algumas mulheres não gostam de muito brilho para o dia. A opção é apostar nas candy colors. As sombras são opacas, sem muito cintilante, e dão um leve colorido na produção”, comenta Vanusa.

A boca Vermelhos, laranjas, pinks e corais. Nestas cores, os batons serão a grande aposta do verão. Bem fortes e marcando o traço dos lábios, eles vão colorir o rosto das mulheres. Vanusa conta, que para os tons laranja, o recomendável são os batons de textura seca e sem brilho. Já as cores pinks, podem ser aplicadas juntamente com gloss incolor, no centro da boca, para oferecer a sensação de “molhado”. “O verão pede uma boca bem colorida, porém cuidado para o make não ficar carregado. Se for abusar no batom, use sombras e blush neutros”, comenta a maquiadora. Apesar da tendência dos tons ardentes na boca, as candy colors também estão presentes. Batons lilás, rosa clarinho, até mesmo azul e verde bebê podem ser combinados com um make neutro e opaco. Como se diz no mundo da moda: blasé.

35


Dica da leitora Carla Silver

Para fazer bonito no dia a dia e também na balada, a apaixonada por maquiagem, Carla Silver, preparou para você algumas dicas de make up. A estudante de Medicina, nas horas vagas, se dedica ao seu blog (Bula de Beauté). Online ela traz opções de maquiagem, cabelo, roupas e sapatos. Aqui na Très Jolie Magazine, ela ensina truques exclusivos para um make de verão prático, leve e divertido! • Para pele, é bom optar por pó e bases leves e com proteção solar. Procure deixar a pele bem natural. Use base e corretivo apenas para apagar as imperfeições • O foco deve ser na parte inferior dos olhos, com cores vibrantes. Capriche em um lápis colorido na linha d’agua e rente aos cílios inferiores. • Se você gosta de uma maquiagem bem elaborada, principalmente destacando os olhos, opte por cores mais abertas. As candy colors (tons pasteis rosa, azul, verde bebê) estão com tudo neste verão. Além de femininas, são leves como o clima quente pede. As cores metalizadas também estão liberadas, até para durante o dia. • Agora, se você tem pouco tempo para se maquiar, aposte em cílios bem pesados com máscara preta. Para finalizar, um batom marcante nas cores vermelhas, laranjas ou tons de pink. Neste caso, não abuse muito do blush. Cores neutras combinam melhor. 36

A blogueira Carla Silva ensina a fazer uma maquiagem para o verão


37


38


ESTILO DE VIDA

FÁTIMA

PORTO De batom e salto alto Estilo irreverente e autêntico marca o cotidiano desta historiadora, sinônimo de glamour em Patos de Minas

Por Júlia Magalhães Fotos: Arquivo Pessoal

39


A doutora em Histórias e Culturas Políticas pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Maria de Fátima Silva Porto, mais conhecida como Fatinha, é sinônimo de elegância e glamour na sociedade patense. Casada há 37 anos com Francisco Porto e mãe de Francisco Filho e Aroldo, ela aposta no estilo autêntico e chamativo. Fatinha ministra aulas de Antropologia, Sociologia e Filosofia no Centro Universitário de Patos de Minas (Unipam) em diversos cursos e garante que não desce do salto alto. Très Jolie: Qual é o estilo Fatinha de ser? Fátima Porto: Sou vaidosa, gosto de maquiagem e salto alto. Minhas roupas são diferenciadas e, digamos, até mesmo exóticas. Sou autêntica. Assim defino meu jeito de ser. Sou assim, mais sempre mantenho minha autocrítica. TJ: Como é a sua preparação para o dia a dia? FP: Me produzir é uma coisa comum e natural, pois já faz parte do meu cotidiano. É um hábito. Levanto, me maquio, de preferência, um olho com fundo preto, que eu gosto. Já não gasto muito tempo me maquiando, é prática. Costumo brincar que me maquio até sem luz, sem espelho. Coloco meus cílios postiços, escolho a roupa do dia, subo no salto e estou pronta para sair. TJ: O que não pode faltar em seu 40

guarda-roupa? E qual é peça que não tem nenhum exemplar? FP: Salto alto e maquiagem são produtos da minha personalidade. Eu também amo um bom perfume. Cílios postiços, eu sou apaixonada. Se tivesse como, colocaria definitivo. Claro, uso roupas bem diferenciadas, com brilhos e estampas. Agora, o que não tenho de jeito nenhum é sapatilha ou rateirinha. Não saio do portão da minha casa para a rua sem salto. É como se eu estivesse nua. TJ: Você disse que não sai de casa sem salto alto. Há alguma recordação marcante com os saltos? FP: O meu pai sempre foi comerciante. Tinha lojas de sapatos, tecidos e roupas. Eu cresci neste meio. Quando pequena, ficava fascinada com os sapatos de salto, porém minha mãe não deixava usar. Uma vez, chegaram uns

tecidos na loja e estavam enrolados em cartelas de madeira, estilo toquinho. Quando passaram os tecidos para outra estrutura para venda, peguei os pedaços de madeira, cortei em dois toquinhos, com aproximadamente cinco centímetros, catei o prego e o martelo, peguei meus sapatos e fui tentar emendar o toquinho no sapato para fazer um salto. Eu devia ter aproximadamente uns sete anos de idade (risos). TJ: É verdade que, até bem pouco tempo, nem em casa você ficava sem salto? FP: É sim. Até um tempo atrás, eu não tinha nenhum chinelinho. Até que meu filho fez uma viagem e encontrou uma Havaiana estampada, de oncinha, com uma correinha dourada. Achou minha cara e resolver trazer. Presente de filho, não tem como não usar. Mas só para ficar em casa.


TJ: Você é a rainha da casa, a única mulher. Seu marido e seus filhos opinam no seu estilo? FP: No início do casamento, meu marido interferiu. Claro que ele me conheceu assim. Maquiagem, salto alto, roupas chamativas. Quando nos casamos, ele sempre falava: por que tanta maquiagem, por que salto? E eu dizia: porque eu gosto, eu não estou afetando a minha moral e nem a sua e, antes, eu vou ter a autocrítica de saber se estou sendo vulgar ou não. Com o decorrer dos anos, ele foi percebendo que eu era assim e eu também não permiti que ele me anulasse. Se isso tivesse acontecido, às vezes, nós nem seríamos felizes como somos porque primeiro você tem que ser o que você é para depois gostar do outro. Já os meus filhos, às vezes, pelas mães de amigos e até mesmo amigas, eles falam alguma coisa. O caçula é mais crítico. Ele sempre diz ‘mãe, menos lápis no olho, menos blush, anel menor’. Eu gosto de ouví-lo, porém tenho a minha crítica. TJ: Seu pai teve um papel importante neste seu interesse pela moda. Como foi? FP: Desde que me entendo por mocinha sou fascinada por moda. Lógico que meu pai teve uma influência muito grande nesta parte. Ele era comerciante e tinha lojas de sapatos, roupas, tecidos, perfumes. Eu acordava, atravessava a casa que fica no fundo de uma das lojas e já estava neste mundo. Cresci no meio de sapatos, meias finas e tecidos. Lembro que meu pai sempre me levava nas viagens que ia comprar mercadorias. Lembro também das minhas amigas comentando que sempre estava com alguma roupa de veludo nova. TJ: A cor dourada define Fátima Porto? FP: Eu amo dourado. Sou maravilhada. Dourado em joias, bijuterias, sombras, esmalte e roupas. Eu sempre gostei muito de dourado. Acho luxuoso. Eu brinco que meu nome deveria ser Maria Dourado (risos). TJ: Já pensou em trabalhar com moda? FP: Depois que tive meus filhos e eles já estavam crescidinhos, uma necessidade de fazer algo a mais surgiu. Então, co-

mecei a estudar, me graduei em História e comecei a dar aula de substituição nas escolas públicas. Me apaixonei por ser professora, por ensinar as pessoas. Às vezes, pelo meu estilo ou então pela influência de meu pai no mundo do comércio, recebi alguns convites para tra-

Fátima Porto, na defesa da tese do mestrado “De Batom e Salto Alto”

balhar como modista, mas o magistério falou mais alto e, até hoje, ministro aulas.

Coloco meus cílios postiços, escolho a roupa do dia, subo no salto e estou pronta para sair”

TJ: Você disse que é apaixonada por dar aulas. Possui várias formações. A sua tese de mestrado foi intitulada “De Batom e Salto Alto”. Do que se trata? FP: O livro aborda a inserção de algumas mulheres empresárias de Patos de Minas no mercado de trabalho nas décadas de 80 e 90. A obra busca recuperar a formação, educação, valores e cultura e as relações de poder entre os sexos travados no cotidiano. TJ: Quais são os planos? FP: Quero muito ser avó. Sempre falo isso aos meus filhos. Mas ainda não me deram este presente. Quero cuidar dos meus netos, assim como eu cuidei dos meus filhos, com dedicação total e continuar a carreira acadêmica. 41


ACESSÓRIOS Por Júlia Magalhães Fotos: Vander Ribeiro Produção: Gil Cabeleireiros

Nos brincos, pulseiras, bolsas e colares, este brilho promete dominar o verão e a cabeça das mulheres, ou melhor, o corpo inteiro

Dourado, muito

DOURADO

42


“A

mulheres estão apaixonadas pelo dourado.É muito difícil o prata voltar com força total”, diz a proprietária de uma loja de acessórios na cidade de Patos de Minas, Luciene Castro. Você concorda? Para você o dourado é sinônimo de luxo, sofisticação e glamour ou é um curinga para toda ocasião? A funcionária pública, Eliane Bomfim, assume que a maioria dos seus acessórios tem dourado. “Sempre gostei da cor e sempre usei. Com esta onda de tudo dourado, estou me deliciando e abusando do brilho e da sofisticação que o dourado oferece. Em disparado, o tom toma conta dos meus acessórios”, comenta. Luciene conta que atualmente, quase todos os acessórios da loja vem com algum detalhe dourado. “Se você observar, os zípers das bolsas coloridas são dourado, os brincos de pedras tem a base dourada, as pulseiras de pérolas são misturadas com fios dourados. Este brilho está presente em todos os acessórios.” Os acessórios na cor dourada podem ser usados durante a noite e também durante o dia. O importante é saber dosar até para realçar a produção como um todo. “Você pode carregar no dourado, misturando com outra peça colorida. Brincos e pulseiras douradas, acompanhados de uma bolsa verde, dão um up na produção”, garante Luciene.

Brinco dourado de franjas: pode ser usado em uma produção mais sofisticada para ocasião de baile ou somente o brinco com uma regata simples para uma balada casual à noite.

Maxicolar de correntes: este acessório é um curinga tanto para uma produção noturna, quanto para uma produção diurna. Se combinado com um vestido preto básico, pode ser a atração do look.

Bracelete de franjas: o bracelete traz franjas que são elementos que sugerem leveza e movimento. O ideal é combinar produções para noite, com brincos acompanhando também o estilo com franjas.

Pulseiras com strass e taxas douradas: as taxas douradas são o hit do verão para acessórios e sapatos. Use e abuse delas. Tanto durante o dia, quanto durante a noite. Já o strass, traz um pouco mais de brilho para a pulseira que é de courinho dourado, casual e despojado.

Carteira/bolsa: O acessório para noite contém muito brilho e requinte do dourado. Fica ótimo se combinado com um vestido de festa estampado. Dará glamour e sofisticação à produção. 43


ACESSÓRIOS Por Júlia Magalhães Fotos: Vander Ribeiro Produção: Gil Cabeleireiros

Gola ou colar? Grandes, chamativos e coloridos, os maxicolares surgiram na coleção outono/inverno e permanecem com força total durante o verão 44


N

a antiguidade, os colares eram utilizados como amuletos, porém, com o passar dos anos, eles passaram a adornar o pescoço com objetivo de complementar o visual. Um dos primeiros maxicolar do cinema apareceram com a protagonista do filme Bonequinha de Luxo, interpretada por Audrey Hepburn, em 1961. Ela ousou para destacar o vestido preto básico. Décadas se passaram e os maxicolares, ou grandes colares, ressurgiram na última coleção outono/inverno como complemento das golas das blusas de frio. No verão, eles permanecem com muitas cores e pedras grandes. Podem ser usados com camisas, regatas e vestidos curtos ou vestidos de festa. O maxicolar já foi visto em diferentes ocasiões pelas celebridades. A atriz Natália Dill, trouxe para vida real, o acessório preferido de sua personagem Débora, da novela Avenida Brasil, que foi sucesso nacional nos últimos meses. Assim como ela, as atrizes Juliana Paes, Giovanna Ewbank, Sophie Charlotte e Monique Alfradique apostam no acessório em looks para festa ou para o dia a dia.

Audrey Hepun, primeira mulher a usar um maxicolar em, 1961, no filme Bonequinha de Luxo

Natália Dill, na onda do maxicolar em 2012

45


Quanto mais, mais! Com a máxima, de que mais é mais, quanto maior o acessório, melhor. Para ser considerado maxi, a peça precisa ter mais volume do que comprimento. Os modelos são confeccionados nas mais diferentes formas e materiais como couro, pedras, fitas, cristais e brilhos. A aposta da design de bijuterias Ana de Arvelos são nos maxicolares com pedras em tons de marrom e azul. “Além destas cores, muito neon misturado com as pedras foscas e também as franjas é o que maioria das consumidoras está procurando”. Ana ainda completa que o maxicolar é uma peça única, de estilo próprio. “É muito difícil uma peça ficar igual à outra”. A estudante de Terapia Ocupacional, Rafaela Castro, comenta que utiliza o acessório no dia a dia. “Uso combinado com uma regata para dar um up no look ou, então, com roupas estampadas. Procuro usar com alguma pedra de cor predominante para dar um ar sofisticado à produção”.

46

Maxicolar + decote fechado:

Maxicolar + decote aberto:

para combinar o acessório com golas altas e decotes fechados, é ideal é apostar em colares mais curtos sempre por baixo da gola. Para dar foco na peça, prenda os cabelos em coques ou rabos de cavalo para deixar o colo mais evidente. Os demais acessórios da produção, devem ser pequenos e simples para não poluir o look.

para utilizar o acessório com decote é interessante que a peça cubra a região do decote ou termine no início da camiseta ou regata, dando uma ilusão de que o acessório e a blusa se completam. Como a blusa deixa o colo em evidência, procure deixar os cabelos soltos ou presos em forma de rabo de cavalo. Para os brincos, invista em peças discretas para que não “briguem” com o colar.


47


ELES CURTEM

Por Júlia Magalhães Fotos: Júlia Magalhães

O traje pode ser usado no dia a dia não só para quem faz a linha executiva

HOMENS DE

TERNO 48


O

terno surgiu na França, na segunda metade do século XVII. Com mais de 300 anos de existência, a peça está presente no guarda-roupa dos homens como fundamental para usar no trabalho e nas festividades de gala. Durante a Idade Média, as roupas dos homens eram feitas para aquecer e proteger o corpo. Com o Renascimento, houve a acentuação ou valorização das formas. Os modelos amplos deram lugar às peças mais justas e elaboradas. Assim surgiu a alfaiataria. O modelo surgiu e atravessou séculos se transformando e ganhando destaque nas mãos de renomados alfaiates, como Giorgo Armani e Ermenegildo Zegna. Segundo o alfaiate Sérgio Nunes, há 35 anos no mercado, nos últimos anos, com o aprimoramento das máquinas de costura e dos teares, foi possível gerar tecidos cada vez melhores e mais confortáveis. “Isso possibilita a produção de peças com modelagens diferentes, que se adaptam ao estilo de vida moderna”, conta Sérgio.

Terno esporte O terno esporte é uma adaptação do estilo esporte fino, que tem como principal característica a casualidade. Pode ser usado para festas mais descontraídas e até mesmo para o trabalho em um dia com happy hour no final. Porém toda esta descontração não dispensa regras. Algumas peças sociais como a camisa e o blazer devem ser utilizadas. “As calças podem ser de brim ou então jeans, dependendo da

ocasião. As de brim dão ar mais sofisticado”, comenta Sônia Maria. As camisas podem ser lisas ou então com listras e quadriculados em tons claros. Devem ser usadas para fora da calça. “Gosto de usar a camisa com o colarinho um pouco maior para fora do blazer. A combinação dá um ar sofisticado, que contrapõe com a casualidade da produção”, afirma o advogado Gabriel Gomes.

Nestas ocasiões, as gravatas estão dispensadas. Já os blazeres para esta produção têm que ser mais descolados, com um único botão, deixando a lapela mais comprida e dando um ar moderno. Os sapatos e o cinto devem ser do mesmo tom. Neste caso, o sapato social não é dispensado. Os modelos de bico arredondados são os mais apropriados. “Para quem gosta de inovar, indico os sapatênis”, segue Sônia.

49


Novas proporções!

Com novos cortes e ajustes, os ternos procuram atender às expectativas dos homens modernos. Existem quatro tipos de cortes: clássico, também é conhecido por americano, inglês, italiano e slim fit. Este corte é reto, solto e confortável, adequado para quem está acima do peso. Já o corte inglês é solto, com paletó levemente acinturado. A calça costuma ser justa, porém não pode ser grudada ao corpo. No corte italiano, que a modelagem começa a aparecer. Acinturado, possui mangas estreitas, ajustado no peito e a calça tem cós mais baixo, levemente justa nas coxas. O corte slim fit é considerado o corte mais atual. Skinny, ou seja, rente ao corpo, tanto o paletó quanto a calça modelam as formas dos homens. Indicado para quem está no peso ideal. Um dos traços marcantes da alfaiataria é atender as particularidades e medidas de cada pessoa. “Procuramos confeccionar o terno de acordo com as preferências de cada um, assim, a qualidade fica em primeiro lugar e satisfaz as exigências do cliente”, conta Sérgio Nunes ressaltando que o modelo mais procurado por seus clientes ainda é o clássico.

Um, dois, ou três botões Todo homem que veste terno sabe diferenciar a importância do número de botões: um, dois ou até mesmo três. “O mais comum é o paletó com três botões que faz um estilo tradicional. Pode ser usado com dois botões fechados e o último aberto”, explica a proprietária de uma loja especializada em aluguéis de ternos, Sônia Maria, O terno com o botão deixa a lapela mais comprida e o visual moderno. É adequado para quem tem barriga um pouco saliente. O paletó com dois botões é indicado para jovens e deve ser usado com o primeiro botão fechado. Sua característica é alongar o tronco. Já o terno com três botões é clássico e proporciona ar de seriedade, destacando o colarinho e gravata. Este é recomendável para quem faz o estilo executivo. 50


O especialista Gravatas aliadas Dúvidas sempre surgem na hora de combinar a camisa social com terno e a gravata. Além das cores e estampas riscadas ou quadriculadas, sempre fica a pergunta: deve-se usar o modelo mais largo ou mais estreito? O alfaiate Sérgio Nunes dá algumas dicas de como combinar as gravatas.

• As gravatas não precisam combinar com as cores da roupa. Na dúvida, faça contraste com a camisa. • A gravata nunca deve ser mais clara que a camisa. • Evite usar camisas pretas com gravatas escuras. • As gravatas mais formais são as lisas, listrados na diagonal, ou escuras. • Cores fortes, como rosa pink e verde-limão, combinam bem com cores mais sóbrias e neutras, como o azul marinho. • Os tons mais discretos, como os pasteis, vão bem se combinados com camisas brancas. • Camisas lisas podem ser combinadas com gravatas lisas ou estampadas. • Camisas estampadas (listradas ou quadriculadas) podem ser combinadas com gravatas estampadas para um estilo mais despojado.

51


ECONOMIA

EM OUTRAS

PRAIAS

Biquínis de Patos de Minas são exportados e um dos diferenciais é a originalidade

Por Júlia Magalhães Fotos: Farnésio Porto

52


N

as passarelas da moda, vitrines internacionais, as peças estão expostas ao lado de outras de marcas consagradas, como Dolce Gabbana, Prada, Gucci. Os biquínis brasileiros conquistaram o mercado externo em ritmo acelerado. Com glamour, sofisticação e pequenos detalhes já conhecidos aqui, tomaram conta do verão americano e europeu. A fábrica de biquínis patense Sol e Ondas é personagem desta história. A marca está no mercado há 20 anos. “Comprei a fábrica em 1992 de uma amiga e logo comecei a regularizar os processos de registro da marca e patente”, conta a proprietária, Terezinha Martins. Segundo ela, naquelee período, também começou o planejamento e a organização para atender o mercado regional e conquistar credibilidade junto aos fornecedores e clientes. A fábrica começou pequena: três máquinas e apenas dois funcionários. “Hoje, temos oito máquinas, dez funcionárias diretas e três bordadeiras que trabalham em suas casas”, comenta Terezinha. Os estados de Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Bahia foram os primeiros a conhecer as peças da fábrica de Patos. Só depois de quase dez anos de produção, a Sol e Ondas passou a focar no mercado externo. A primeira exportação aconteceu em 2001 para cidade de Iquique, no Chile. “Acreditei no nosso potencial e, a partir daí, colocamos como meta conquistar o mercado internacional”, comenta a proprietária frisando que foi procurada pelos clientes. Com o futuro traçado, a empresa procurou o reconhecimento da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecções (ABIT). “Ganhamos nota máxima na avaliação de nossos produtos, então, fomos convidados pela própria ABIT e também pela Agência de Promoção de Exportações (APEX) para participar da Feira Mode e City, especializada no setor, e realizada todos os anos na França. Este ano, completamos seis anos de participação no workshop”,

conta. Atualmente, a fábrica exporta três mil peças por mês. Ao final de um ano, são aproximadamente 36 mil peças espalhadas pelo Chile, Espanha, Itália, França e Estados Unidos, além dos pontos de venda brasileiros. Segundo Terezinha, o principal objetivo é trabalhar o valor agregado (além das peças de fabricação própria, exportar todos os tipos de produtos relacionados à moda praiana). “Podemos crescer nossas exportações com segurança”, garante. Com estilo próprio e autêntico, as peças são feitas sempre usando aviamentos de alta qualidade e tecidos, como o elastano. Drapeados, franzidos, com rendas e bordados artesanais fazem a diferença na hora da exportação. “Brinco que, neste segmento, o Brasil dita a moda. Somos respeitados. Somamos um conjunto de bom gosto com inovação que o mercado internacional gosta”, explica Terezinha. Para o futuro, os planos da proprietária são sólidos. “Ser uma marca forte, acompanhando o crescimento de nosso país e conquistar mais uma fatia do mercado internacional”. Em Patos de Minas, você pode encontrar as peças da marca Sol e Ondas na Rua Olegário Maciel, 575, ou conferir os modelos no site www.soleondas.com.br. 53


54


BEM VIVER

Por Júlia Magalhães Fotos: Júlia Magalhães

Pilates: a moda das academias No solo, em aparelhos ou suspenso, é a sensação das academias e conquista cada vez mais fãs 55


A

aula de pilates começou pontualmente às 17h. Na ocasião, cheguei alguns minutos antes e fiquei à espera da educadora física, especializada em pilates, Fernanda Vieira para, então, conversarmos a respeito da nova modalidade de exercício físico que está tomando conta das academias. Nestes minutos, observei a movimentação da sala. Cerca de oito mulheres se preparavam para dar início aos exercícios e comentavam o quanto o Pilates havia modificado a vida delas. Aproximei-me do grupo e contei o motivo que me levou até aquela aula: uma matéria, para uma revista, falando sobre as diferentes modalidades de pilates, tão em moda na atualidade. Prontamente, elas me convidaram para participar da aula e entender melhor os exercícios. Confesso que no início fiquei com um pouco de receio, pois sou uma pessoa sedentária e, com poucos hábitos saudáveis. Porém, aceitei o desafio. Começamos pelo alongamento. Todas sentadas em uma bola aeróbica. Todos os membros foram alongados delicadamente. Após esta etapa, passamos aos exercícios. O pilates é divido em três modalidades: aparelhos, Mat Pilates (solo) e também pilates em suspensão. Esta última modalidade foi lançada recentemente. “Trabalhamos com essas três modalidades e também com os três pilares que sustentam os exercícios físicos: fortalecimento, equilíbrio e alongamento”, conta a professora de pilates Fernanda Vieira.

Trabalhamos com os três pilares que sustentam o pilates: fortalecimento, equilíbrio e alongamento 56

Aluna faz exercício de repetição no aparelho Cadillac

Passamos para os exercícios com aparelhos. Ao todo, são quatro tipos diferentes: cadillac ou trapézio (possui molas de resistências permitindo uma infinidade de movimentos); reformer (possibilita a composição de variados exercícios sentado, deitado e ajoelhado); cadeira combo (muito versátil e possibilita exercícios em pé); lader barrel (tem seu design parecido com um barril e proporciona inúmeras possibilidades de posicionamentos oferecendo movimentos leves). “Nos aparelhos, fazemos séries com pequenas repetições”,

garante Fernanda. Ela explicou que geralmente as turmas também são dividas pelas modalidades. “No pilates de aparelho, trabalhamos com no máximo oito alunos. No solo e no Pilates suspenso, com aproximadamente 15 integrantes”. A aula era específica de aparelhos, porém Fernanda decidiu me apresentar as demais modalidades. O pilates solo é realizado com as bolas aeróbicas e requer um pouco mais de força para realização dos exercícios. Segun-


A contadora Edilene Aparecida pratica pilates há cerca de um ano

do Fernanda, no solo, alguns exercícios se tornam mais pesados por que praticamente não têm a ajuda de aparelhos, somente da bola. “Esta modalidade depende da força do próprio corpo para realizá-la”. Por último, fui apresentada à nova modalidade, o pilates suspenso. Todos os exercícios feitos nos aparelhos e no solo são realizados em cordas presas ao teto. A força é primordial. Observei as mulheres executarem os exercícios e constatei que o equilíbrio também é fundamental. “Trabalhamos esta modalidade com as pessoas que já estão no nível avançado”, diz Fernanda. Não me arrisquei. Fim de aula e posso dizer que o pilates é realmente um exercício físico completo. Trabalha com todas as partes do corpo. A contadora Edilene Aparecida, de 35 anos, viu a vida mudar após o pilates. “Pratico pilates aproximadamente há um ano. Meu corpo está definido. Transformei toda massa gorda em massa magra. Além da mente, corpo são e mente sã”. Fernanda enfatiza que o exercício pode ser praticado em qualquer idade, até mesmo por crianças, e pelas grávidas após o terceiro mês de gestação. “É um exercício completo. Alia fortalecimento, equilíbrio, alongamento e traz benefícios em qualquer época da vida”.

Como nasceu o pilates O fundador da modalidade, o alemão Joseph Hubertus Pilates, era uma criança doente, que sofria de asma, raquitismo e febre reumática. Sua determinação em se tornar fisicamente mais forte o levou estudar formas diferentes de movimento durante toda sua vida. Na juventude, em meados de 1890, foi especialista em mergulho e ginástica. Na Inglaterra em 1912, foi internado no início da Primeira Guerra Mundial. Na enfermaria do acampamento, amarrou molas nas camas hospitalares. A ideia dele era que os pacientes pudessem tonificar e alongar os músculos com exercícios de resistência enquanto se recuperavam. Deu certo. Com o trabalho da mente e do corpo, eles fortaleceram os músculos, condicionando todo o corpo e melhorando o bem-estar geral.

Depois da guerra, Pilates voltou à Alemanha e, em 1926, emigrou para os Estados Unidos e montou com sua esposa um estúdio em Nova York. O sistema de exercícios que coordena os movimentos com a respiração traz além de fortalecimento , alívio nas costas, ombros, pescoço entre outros membros e atualmente também é utilizado para a reabilitação. Joseph Pilates morreu aos 87 anos.

57


58


59


60


Très Jolie Magazine