TERRITÓRIO COMUNICAÇÃO - PORTFÓLIO

Page 1

TERRITÓRIO COMUNICAÇÃO PORTFÓLIO



Olá, O material a seguir leva a você alguns projetos e eventos para os quais atuei como assessor de imprensa. Já são quase 20 anos na área, tempo que me rendeu a chance de percorrer todas as áreas da cultura e outras como meio ambiente e filosofia. Dividido em seções, ao ler este portfólio você fica por dentro de projetos solos, festivais, mostras, programas e séries por meio da sinopse de cada um deles. Em muitos, confere ainda o resultado do meu trabalho por meio da valoração de mídia estimulada, além de comentários de seus realizadores. Como conteúdo, portanto, este material apresenta um recorte expressivo do que já rolou de melhor no Centro Cultural Banco do Brasil, CAIXA Cultural, Funarte, Teatros do SESI e SESC, Clube do Choro, Museu Correios, Unipaz, teatros de bolso e espaços culturais de todo o DF, além de parques, feiras e praças públicas. E mais: se ficou curioso em saber mais sobre determinado evento, clicando na imagem de cada texto (caso esteja lendo este por meio eletrônico), você tem acesso ao release e a todas as matérias veiculadas na imprensa. O material destes e de muitos outros eventos estão disponíveis em issuu.com/territorio. comunicacao

Fazer este material chegar até você ultrapassa a ideia de divulgar a Território Comunicação. Folheie, leia e compartilhe esta expressiva fonte de informações e consulta, compilada especialmente para quem admira o fazer artístico e curte acompanhar o que acontece na nossa Capital Federal. Um forte abraço, Rodrigo Machado Território Comunicação

3



MÚSICA


influências musicais. Idealização e coordenação da Alecrim Produções. VALORAÇÃO: R$ 2.017.379,00

CANÇÕES ORIGINAIS trouxe, em 2002, ao CCBB Brasília importantes artistas da música brasileira como Ná Ozzetti, Ceumar e Daúde, e fechou com a parceria inédita entre Arnaldo Antunes e Elza Soares. Todos apresentaram canções que os influenciaram e que estão presentes na nossa memória musical. Idealização da Alecrim Produções. VALORAÇÃO: R$ 130.140,76

IDENTIDADE BRASILEIRA, realizado pelo CCBB Brasília em 2005, teve a proposta de divulgar o trabalho de cantores de diferentes regiões do Brasil, apresentando uma nova mistura de ritmos, estilos e 6

UM PAINEL DA MÚSICA DE CÂMARA DE CAMARGO GUARNIERI, série promovida pelo CCBB Brasília em 2007, prestou homenagem ao compositor que completaria cem anos. Foram quatro concertos com a riqueza, apuro técnico e alto refinamento, característicos da obra do Maestro. Coordenação e produção da Dinâmica Produções; e curadoria de Carlos Eduardo Vieira.

BRASIL CABOCLO DE CORNÉLIO PIRES encatou Brasília com quatro encontros entre grandes nomes da música caipira de raiz no teatro do CCBB em 2007. Uma merecida homenagem a Cornélio Pires, o pioneiro na criação, produção,


comercialização e circulação da cultura rural. A produção e coordenação foi da Brasil Festeiro. DEPOIMENTO DE CLIENTE: Olá Rodrigo, Gostei muito de seu trabalho. Obrigada. grande abraço, Marinéa

reuniu artes cênicas, literatura e música clássica em três criações inéditas, relembrando grandes contos infantis junto a obras de música clássica, em espetáculos interpretados pela Cia. Giramundo e Cia. KaragozwK. Direção musical de Daniel Guedes e coordenação de M’Baraká Experiências Relevantes. VALORAÇÃO: R$ 256.749,36

MERCOSUL MUSICAL mostrou, em setembro de 2007, ao público do CCBB Brasília, as afinidades entre a música do Brasil e dos países irmãos Uruguai e Argentina, em quatro shows inéditos e exclusivos, de artistas que vêm estabe- lecendo intercâmbio cultural. Cantores, compositores e instrumentistas como os uruguaios Jorge Drexler e Luciano Super- vielle, juntamente com o Bajofondo Tan- go Clube, e os argentinos Pedro Aznar e Kevin Johansen dividiram o palco com os brasileiros Arnaldo Antunes, Paula Toller, Celso Fonseca, Vitor Ramil, Pauli- nho Moska e Marcos Suzano. Produção da Tema Eventos em parceira com a Nós Mesmos Produções. VALORAÇÃO: R$ 1.585.369,01

Com uma seleção musical surpreendente e arranjos preciosos para as canções inesquecíveis do grupo mais famoso do mundo a CIA. FILARMÔNICA DE SÃO PAULO veio a Brasília para apresentar o show THE BEATLES’ SONGS nos dias 30 e 31 de agosto de 2008 na Sala Villa-Lobos do TNCS. O espetáculo, que está há cinco anos em cartaz, já foi visto por mais de 180 mil pessoas Brasil a fora.

DEPOIMENTO DE CLIENTE: Querido!!! Esse projeto vai ficar para a história. Caramba, uma valoração de um milhão e meio é para quem pode MUITO!!!! Parabéns!!!! Beijocas, Amanda Menezes

Em 2008, o CCBB Brasília trouxe o projeto infantil CONTOS CLÁSSICOS, que

Depois de participar do 34º Festival de Jazz de Montreux, na Suíça, e de fazer 7


uma tournée pela Europa, ELBA RAMALHO passou por Brasília, dia 26 de julho de 2008, no CENTRO DE CONVENÇÕES ULYSSES GUIMARÃES, com show, em formato acústico, ¿Qual O Assunto Que Mais Lhe Interessa? O novo CD, 28º de sua carreira e o seu primeiro independente, coloca em discussão temas como fé, religião, caos urbano, regionalismo e universalidade.

O CCBB Brasília trouxe o melhor da tendência musical argentina com o projeto PONTE AÉREA PORTENHA – ELETROTANGO, em 2009. Em seu repertório, o encontro do Tango com a Música Eletrônica em quatro diferentes shows das bandas Tanghetto, Otros Aires, Narcotango e San Telmo Lounge. Produção executiva da Azambuja Promo. VALORAÇÃO: R$ 755.169,82

Em comemoração ao centenário de Carmen Miranda, ícone da música brasileira, o CCBB Brasília apresentou, em 2009, o Festival ALÔ... ALÔ? 100 ANOS DE CARMEN MIRANDA. A série de shows apresentou as variadas faces do repertório de Carmen, nas vozes e interpretações de Pedro Luiz, Roberta Sá, Pedro Miranda, Verônica Ferriani, Beatriz Faria, Marcos Sacramento, Eduardo Dussek e Rita Ribeiro. Direção musical de Luís Filipe de Lima. Produção da Tema Eventos. VALORAÇÃO: R$ 1.804.660,61 DEPOIMENTO DE CLIENTE: Bravo, Rodrigo, como sempre você arrasou!!! O Banco do Brasil deve adorar você... Obrigada por tudo e beijos, Maria Angela.

8

A música contemporânea brasileira agitou o palco do teatro do Centro Cultural Banco do Brasil Brasília. Em novembro de 2009, o CCBB ampliou os novos horizontes da música popular brasileira com o projeto PODE APOSTAR!, um diversificado panorama de gêneros, ritmos e estilos renovados pelas vozes de nove jovens talentos. Com produção da Tema Eventos e curadoria da jornalista e produtora Amanda Menezes, juntamente


com Carla Mulullo e João Braune, a série de shows apresentou intérpretes que despontam no cenário da nossa música contemporânea. VALORAÇÃO: R$ 1.089.813,32

Em 2010, a ALECRIM PRODUÇÕES ARTÍSTICAS, com patrocínio da CAIXA CULTURAL BRASÍLIA e do FAC, realizou o TAMBORES DO BRASIL. Quatro workshops gratuitos ministrados por NANÁ VASCONCELOS, MARCOS SUZANO, LEANDER MOTTA e pelo projeto ARTE EDUCA SOM, que aprimoraram o conhecimento de músicos, atores, bailarinos nos ritmos brasileiros quem têm como fundamento instrumentos de percussão e o próprio corpo. VALORAÇÃO: R$ 282.273,78

O CCBB BRASÍLIA apresentou a pluralidade de grupos vocais brasileiros com o projeto VOX BRASILIS em fevereiro de 2010. Com produção da BRASIL FESTEIRO e curadoria de DANIELA LASALVIA, a série de concertos trouxe ao Teatro I do centro cultural VOZES BUGRAS, MAWACA, BANDA DE PAU E CORDA, A QUATRO VOZES, MAMBEMBRINCANTES, NÚCLEO ORGÂNICO PERFORMÁTICO, MPB4 e TARUMÃ. VALORAÇÃO: R$ 282.273,78

Brasil, Ilha da Madeira, Guiné-Bissau, Timor-Leste, Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Portugal, países que falam português unificados, também, pela cultura. Inspirado nisto, o projeto NOSSA LÍNGUA, NOSSA MÚSICA divulgou, em 2010, a integração desses países por meio da canção. Produção da Brasil Festeiro. VALORAÇÃO: R$ 1.790.397,64

Em 1909 nascia Carmen Miranda, estrela de primeira grandeza. Para homenageá-la, a CAIXA CULTURAL BRASÍLIA apresentou, em fevereiro de 2010, uma 9


constelação de atrizes, cantoras e interpretes de primeira linha – LUCINHA LINS, VIRGÍNIA ROSA e CÉLIA em NA BATUCADA DA VIDA. Amigas de longa data, as três já se apresentaram juntas em diversos shows.

MENEZES e PEDRO SEILER, apresenta

VALORAÇÃO: R$ 492.389,43

VALORAÇÃO: R$ 1.269.410,72

shows de interpretes e compositores expoentes de uma geração que se destaca na utilização da internet e de novas tecnologias como ferramentas de produção, difusão e comercialização de suas obras. DEPOIMENTO DE CLIENTE: Oi querido, ainda bem que batalhamos pra você estar com a gente nessa! Valeu a pena demais!!, Amanda Menezes.

Lançando novos olhares sobre o legado artístico de Wilson Simonal, Raul Seixas, Sérgio Sampaio, Torquato Neto, Waly Salomão e Itamar Assumpção, a série de shows ANJOS TORTOS, A MPB GAUCHE NA VIDA, realizada no CCBB BRASÍLIA em setembro e outubro de 2011, com curadoria de Monica Ramalho, apresentou-nos a música destes importantes personagens da MPB nas vozes de Max de Castro, Jorge Mautner, Xangai, Chico César, Jards Macalé e Isca de Polícia.

Com produção da Baluarte Agência de Projetos Culturais e curadoria de Mônica Ramalho e Luíz Filippe de Lima, a série CONTOS DE AREIA – 70 ANOS DE CLARA NUNES trouxe ao CCBB Brasília, em 2012, shows inéditos em homenagem à intérprete. A série apresentou quase uma centena de canções registradas pela cantora. VALORAÇÃO: R$ 1.941.621,55 DEPOIMENTO DE CLIENTE: Rodrigo! Parabéns! Estou super satisfeita com essa divulgação! Bjs, Paula Sayão, Gerente Geral do CCBB Brasília.

LUCAS SANTTANA, TIÊ, ISAAR, BURRO MORTO, LULINA, INSTITUTO, LETUCE, TULIPA RUIZ, JOÃO BRASIL e GABY AMARANTOS, artistas garimpados na internet, desembarcaram no CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL, em janeiro de 2011, para a estreia do festival SAI DA REDE. O projeto, de curadoria de AMANDA 10


têm especial sintonia com a trajetória arreba- tadora desta figura seminal que é Raul. O Festival reuniu mais de 40.000 pessoas nos jardins do CCBB Brasília, um recorde de público do Centro Cultural. Produção de Tema Eventos e curadoria e direção artística de Luis Filipe de Lima. VALORAÇÃO: R$ 883.810,98 DEPOIMENTO DE CLIENTE: Só sucesso! Valeu, Rodrigaço! Até as próximas aventuras, em breve! Luís Filipe de Lima, 7Cordas Produções.

Com produção de Tema Eventos e curadoria de Pedro Seiler e Chico Dub os Festivais INVASÃO PARAENSE (2012) e INVASÃO BAIANA (2014) mapearam a riqueza musical destes Estados, mostrando ao público do CCBB Brasília 21 artistas de diversos estilos, dos mais folclóricos aos mais contemporâneos. Alguns dos artistas convidados foram Gaby Amarantos, Pinduca, Metaleiras da Amazônia, Lia Sophia, Dona Onete, Pio Lobato, Felipe Cordeiro, Gang do Eletro, do Pará, Márcia Castro, Orquestra Rumpilezz, Lucas Santtana, Dois em UM, Vivendo do Ócio, Baiana System e Cascadura. VALORAÇÃO (INVASÃO PARAENSE): R$ 1.148.582,66

CAIXA Cultural Brasília trouxe, em 2013, o encontro entre o Jazz Brasileiro, dos virtuoses da BANDA JAZZCO, acompanhando o Jazz Fusion, do piano de EUMIR DEODATO (foto), aliado à energia do Jazz Frevo, de Spok no saxofone. Um projeto idealizado pela Brasil Festeiro.

VALORAÇÃO (INVASÃO BAIANA): R$ 5.664.327,05

VALORAÇÃO: R$ 77.117,32

O Festival TOCA RAUL! apresentou em 2013 quatro shows inéditos e gratuitos com clássicos de Raul Seixas, interpretados por Zélia Duncan e Lucas Santtana; BNegão & Seletores de Frequência e Letuce; Zeca Baleiro e Katia B; Marcelo Nova e O Terno. Artistas da MPB que

ERNESTO NAZARETH – 150 ANOS DE MÚSICA POPULAR BRASILEIRA, série de três concertos, com produção da 11


Baluarte Agência de Projetos Culturais, que reuniu, em 2013 na CAIXA Cultural Brasília, destacados intérpretes trazendo um repertório que reviveu as várias facetas de um compositor que influenciou tanto a música de concerto brasileira, quanto a música popular. VALORAÇÃO: R$ 234.354,20

Bruxo da musicalidade, HERMETO PASCOAL, hipnotizou a plateia da CAIXA CULTURAL BRASÍLIA com sua maestria em produzir sonoridades a partir de instrumentos variados e objetos. A espontaneidade no repertório das apresentações é fruto da intimidade entre os músicos, que desde 1973 se apresentam com o multinstrumentista. Seus três concertos, em agosto de 2014, lotaram o teatro. VALORAÇÃO: R$ 451.557,17

Artistas trouxeram à área externa do CCBB Brasília, em março de 2014, a essência do carnaval pernambucano em 6 horas de cortejo e shows, apresentando a riqueza e cultura da festa mais popular, multicultural e multifacetada do Brasil. O FESTIVAL CCBB DO CARNAVAL – ORIGINAL PE E OLINDA teve como convidados a Orquestra de Frevo Henrique Dias, passistas, boneco gigante, Siba e as bandas Eddie, com participação de Erasto Vasconcelos, e Mombojó. VALORAÇÃO: R$ 634.431,61

12

Em dezembro de 2014, o Museu Nacional da República foi palco de um encontro inédito dos dez virtuoses da guitarra brasileira. Com direção musical de Reco do Bandolim, realização da Brazil Arte e Cultura e correalização da Táta Cavalcanti Produções, o BRASIL GUITARRAS reuniu 15 mil pessoas que reverenciaram lendários e virtuoses instrumentistas brasileiros além de grandes representantes da guitarra brasiliense. Respeitados no Brasil e no mundo, Armandinho Macedo, Lanny Gordin, Edgar Scandurra, Frank Solari, Pepeu Gomes, Kiko Loureiro, Luiz Carlini, Marcelo Barbosa, Toninho Horta e Andreas Kisser, se revezaram em apresentações em duos. VALORAÇÃO: R$ 243.657,40


projeto Terreirada Cearense, com direção musical de Beto Lemos, convidou Silvério Pessoa e Herbert Lucena. VALORAÇÃO: R$ 1.085.560,63

ZEZÉ MOTTA apresentou seu show NEGRA MELODIA em duas noites que fizeram história no Teatro da CAIXA CULTURAL BRASÍLIA, em novembro de 2014, com sua voz poderosa que ecoa na história da música brasileira. O repertório mergulhou na obra de Luiz Melodia e Jards Macalé, mesclando sucessos como Magrelinha, Fadas e Estácio Holly Estácio, com uma seleção de músicas marcantes de sua carreira como Senhora liberdade, Muito prazer e Rita Baiana. VALORAÇÃO: R$ 311.386,60

O CCBB BRASÍLIA recebeu a série musical OS FILHOS DOS CARAS, que trouxe cinco shows em março de 2015, nas performances de jovens talentos que têm a influência e o legado de imortais que revolucionaram a música brasileira no DNA de seus trabalhos. Gigantes da cultura brasileira foram reverenciados nos shows de Jair Oliveira e Luciana Mello, filhos de Jair Rodrigues; Max de Castro e Simoninha, filhos de Wilson Simonal; e Léo Maia, filho de Tim Maia. O festival foi patrocinado pelos Correios e foi idealizado e produzido pela Villa-Lobos Produções. VALORAÇÃO: R$ 1.382.153,75

Em junho de 2014, o CCBB Brasília recebeu o projeto O BRASIL DE JACKSON DO PANDEIRO. Uma série de quatro shows com a presença de sete artistas apresentando releituras e versões dos grandes sucessos da discografia de um dos mestres dos ritmos populares e tradicionais do Nordeste. Chico César, Pedro Luís, Marcos Suzano e Thais Macedo sob a direção artística de Luís Felipe de Lima se apresentaram em palco montando próximo ao Pavilhão II. Em outro palco, montado próximo ao restaurante, o

Maestro, arranjador e pianista brasileiro, ARTHUR MOREIRA LIMA, uma das mais importantes personalidades da nossa cultura, apresentou, na CAIXA CULTURAL em Brasília em janeiro de 2015, clássicos de Beethoven, Villa-Lobos e Pixinguinha, entre outros. O concerto 13


inaugurou a programação de shows do Centro Cultural em Brasília. Em sua apresentação, o maestro buscou desmistificar a música instrumental como inacessível. Arthur Moreira Lima projetou-se internacionalmente no Concurso Chopin de Varsóvia, em 1965. VALORAÇÃO: R$ 156.716,14

Ao ar livre e de graça, no estacionamento ao lado do MUSEU CORREIOS, o BRASILIDADE JAZZ trouxe ao centro da Capital Federal a musicalidade de três quintetos, expoentes da qualidade musical brasileira liderados por Raúl de Souza, Maestro Spok e João Bosco. Acompanhados de suas bandas base, se apresentaram em um grande palco. O projeto teve como patrocinador os Correios e aconteceu em junho de 2015. O projeto foi idealizado e produzido pela 78 Rotações.

Com patrocínio da Oi, por meio da LIC (Lei de Incentivo à Cultura do DF), a CASA DO CANTADOR, em Ceilândia, recebeu o FESTIVAL REGIONAL DE REPENTISTAS DO DF E ENTORNO. Uma produção da Acrespo (Associação dos Cantadores Repentistas e Escritores Populares do DF e Entorno), que realizou, em agosto de 2015, festival competitivo de repentistas. Sob a coordenação do produtor cultural e também repentista Chico de Assis, cinco duplas de improvisadores do repente se apresentaram no evento. VALORAÇÃO: R$ 97.705,00

VALORAÇÃO: R$ 188.989,55

Após algum tempo afastada do violão, ADRIANA CALCANHOTTO, em temporada apresentada na CAIXA CULTURAL em 14


Brasília em agosto de 2015, retomou seu contato com o instrumento, que, segunda ela, a fascina e provoca. Produzido por ela em parceria com Daniel Carvalho, o show OLHOS DE ONDA destacou a elegância da cantora num acústico que trouxe no repertório seus sucessos e também músicas inéditas. A temporada foi realizada por Vander Produções. VALORAÇÃO: R$ 421.799,23

Em setembro de 2015, o CCBB BRASÍLIA prestou reverência à efervescência e energia dos anos 60 com a realização do projeto JOVEM GUARDA 50 ANOS – EM RITMO DE FESTA, que apresentou sucessos que marcaram a música popular brasileira, atravessaram décadas, e são as raízes do pop atual. O projeto apresentou, além de shows, bate-papos com ícones da Jovem Guarda. Participaram Renato e seus Blue Caps (com Michael Sullivan); Lafayette e os Tremendões (com Getúlio Côrtes); Jerry Adriani; e Wanderléa. Série de shows com produção da MBP Marketing e patrocínio do CCBB Brasília.

O múltiplo artista Arnaldo Antunes desembarcou em Brasília, em outubro de 2015, para participar do projeto PALAVRA EM MOVIMENTO e apresentar seu novo show Já É em evento gratuito, na área externa do MUSEU CORREIOS, que contou com a participação da banda Móveis Coloniais de Acajú. A programação teve início com Sarau de Poesia e música dos DJs do Sistema Criolina. No projeto, a pluralidade da obra de Arnaldo foi o plano-piloto, que dialogou transversalmente com a sua exposição em cartaz na galeria do Museu Correios e com os demais convidados. Produção da 78 Rotações com patrocínio dos Correios. VALORAÇÃO: R$ 682.739,93

VALORAÇÃO: R$ 949.956,30

15


estudar a anatomia do frevo, desconstruindo-o, recontextualizando-o para ir além das fronteiras da tradição, surgiu o projeto, com as assinaturas de importantes nomes da divulgação e experimentação do frevo. VALORAÇÃO: R$ 87.399,50

A CAIXA Cultural apresentou em maio de 2015 o III ENCONTRO NORDESTINO DE CORDEL EM BRASÍLIA, evento que reuniu cordelistas e repentistas de todo o país com o propósito de manter viva a arte da poesia do Nordeste dividido em dois eixos: Fórum da Categoria Repentista e Cordelista e Mostra Cultural. O Encontro é uma realização da Associação dos Cantadores Repentistas e Escritores Populares do DF e Entorno (Acrespo), em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). VALORAÇÃO: R$ 682.739,93

A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA apresentou, em junho de 2016, a estreia em Brasília do primeiro DVD solo de PEDRO LUÍS – APOSTO. Projeto solo no qual, Pedro, apresentou versões próprias pra canções de sua autoria, já bastante conhecidas em grandes vozes femininas da MPB. A temporada contou com as participações de NINA BECKER e de JOÃO CAVALCANTI. VALORAÇÃO: R$ 1.155.788,80

O refinamento do Maestro Spok, a qualidade musical do multi-instrumentista Yuri Queiroga e a genialidade do produtor DJ Dolores reunidas, pela primeira vez, em um só espetáculo. FREVOTRON estreou em maio de 2015 na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA. Com o desafio de 16


nova iorquina de Afrobeat dos ANTIBALAS, BIXIGA 70 e ABAYOMY AFROBEAT ORQUESTRA, MUNTCHAKO, TED FALCON E GYPSY JAZZ CLUB e dos mineiros da ICONILI. A programação contou ainda palestras, ambiente para negócios, feira de produtos musicais e duas oficinas avançadas de música. VALORAÇÃO: R$ 1.179.223,38

O BANCO DO BRASIL patrocinou, em agosto de 2016, FESTIVAL BATIDA AFRO. Em dois dias de festival, destacados expoentes da cena musical cujos trabalhos resgatam influências de ritmos africanos na música popular contemporânea brasileira, se apresentaram na área externa do CCBB BRASÍLIA. A programação contou com a ORQUESTRA JOVEM RECICLANDO SONS, a brasiliense MUNTCHAKO, da baiana IFÁ AFROBET, o paulista EMICIDA, NANÃN MATOS, de Brasília, a banda paulista METÁ METÁ e JOÃO DONATO. O Festival teve curadoria de KATIA CESANA e produção da AMPLICRIATIVA, gerida por Marcel Arêde.

O BANCO DO BRASIL apresentou e patrocinou, em fevereiro de 2016 – O SÉCULO DO SAMBA. Série de shows para celebrar o primeiro século do Samba. Projeto com curadoria e direção musical de LUÍS FILIPE DE LIMA e produção da TEMA EVENTOS CULTURAIS. Entre as muitas vertentes apresentadas pelo samba privilegiou quatro recortes, Samba de breque e outras bossas, com PEDRO LUÍS e JARDS MACALÉ; Samba novo, com OS PRETTOS e JOÃO MARTINS; Terreiro e carnaval, com NEI LOPES e MONARCO; e Partido-alto, samba de fato, com TANTINHO DA MANGUEIRA e LECI BRANDÃO. VALORAÇÃO: R$ 2.347.468,02 DEPOIMENTO DE CLIENTE: Como sempre arrasando Rodrigo! Bjus grandes da Família Villa-Lobos

A VIVO, via LIC – Lei de Incentivo à Cultura do DF, apresentou, em julho de 2016, a primeira edição do FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA INSTRUMENTAL INSTRUMENTA BRASÍLIA. Em dois dias, o Parque da Cidade foi o palco para grandes shows com ORLANDO JULIUS, nigeriano, radicado em Chicago, a orquestra

A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA apresentou, em abril de 2016 – TULIPA RUIZ. 17


Acompanhada pelo irmão Gustavo Ruiz, no violão, e pelo pai Luiz Chagas, na guitarra, Tulipa trouxe, pela primeira vez a Brasília, show intimista com repertório de seus três discos: Efêmera, Tudo Tanto e Dancê.

de uma artista que ganhou o mundo com sua música. A temporada abriu uma caixa de surpresas vibrante, emocionante, com histórias que revelaram o lado engraçado de Daniela, com mensagens de Direitos Humanos e de muita cidadania.

VALORAÇÃO: R$ 1.908.810,41

A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA, em novembro de 2016, apresentou ZÉLIA DUNCAN em O LADO BOM DA SOLIDÃO. Sozinha no palco com o violão, quase na sua intimidade, ZÉLIA DUNCAN tocou algumas de suas composições, canções de seu repertório afetivo e de sua trajetória de sucesso, entre agradáveis surpresas. A ideia do projeto era estar pertinho de seu público. VALORAÇÃO: R$ 548.345,80

Em sintonia com as mais celebradas e reconhecidas produções musicais da atualidade, a CAIXA CULTURAL BRASÍLIA apresentou temporada de três espetáculos, em abril de 2017, do premiado álbum de ELZA SOARES - “A MULHER DO FIM DO MUNDO”. Vencedora do GRAMMY LATINO e de outros importantes prêmios musicais e técnicos de 2015 e 2016, o novo álbum da diva brasileira configura entre os dez melhores do ano pelo jornal THE NEW YORK TIMES. VALORAÇÃO: R$ 715.159,25 DEPOIMENTO DE CLIENTE: Querido MASTER, um beijo Pedro Loureiro

DANIELA MERCURY e seu mais recente projeto “A VOZ E O VIOLÃO” desembarcaram na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA em setembro de 2016. Show, que deu origem ao CD e ao DVD ao vivo - “DANIELA MERCURY – O AXÉ, A VOZ E O VIOLÃO”, apresenta repertório e reforça as raízes 18


A AMBEV, via LIC – Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria de Cultura de Brasília, patrocinou o desfile de 39 Blocos de Rua de Brasília, por meio do projeto “BLOCOS ALTERNATIVOS DE BRASÍLIA – CARNAVAL DE RUA 2017”. Ao longo de um mês, Brasília abriu suas Quadras, Praças, Ruas e Eixos para o desfile de seus blocos carnavalescos e despontou no cenário nacional como o quinto maior Carnaval do país.

DIA DE LUZ, FESTA DE SOL! ROBERTO MENESCAL E A BOSSA NOVA. Em 2017, o CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL BRASÍLIA homenageou o compositor nos seus 80 anos em shows nos CCBBs de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Com curadoria de GISELLE e SOLANGE KFURI, Menescal foi o anfitrião de importantes nomes da música brasileira interpretando sucessos. Entre os convidados FERNANDA TAKAI, MARCOS VALLE, MARCOS VALLE, CRIS DELANNO, IVAN LINS e LEILA PINHEIRO.

VALORAÇÃO: R$ 5.663.322,43

A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA apresentou, em agosto de 2017, concerto de LENINE acompanhado da curitibana ORQUESTRA À BASE DE CORDA. Espetáculo com versões orquestradas para sucessos da carreira do cantautor, bem como canções de seu álbum “Carbono”. VALORAÇÃO: R$ 1.233.112,55

O CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL BRASÍLIA apresentou a 4ª Ed. do Festival SAI DA REDE - Um panorama plural com as novas vertentes da música brasileira. Em março e abril de 2017, o palco do TEATRO I do CCBB BRASÍLIA recebeu oito projetos musicais contemporâneos e totalmente distintos - MAHMUNDI, RICO DALASAM, TÁSSIA REIS, FLORA MATOS, 13.7, JÚLIA VARGAS, ANA VILELA e RUBEL.

19


DANNA LISBOA (SP), GALI (SP), DOLORES 602 (MG), além de atrações do DF.

Em 2017, feiras populares de Samambaia e Ceilândia receberam a 4ª temporada do projeto REPENTE NA FEIRA. O mestre repentista CHICO DE ASSIS foi o anfitrião de encontros com outros mestres. Num total de nove apresentações, Chico se apresentou com DONZÍLIO LUIZ, JOÃO SANTANA e VALDENOR DE ALMEIDA.

O CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL BRASÍLIA apresentou, em maio de 2018, FEMININO, projeto de shows que celebrou a força do feminino em encontros de diversos gêneros e origens. Em Brasília, cantaram XÊNIA FRANÇA, AS BAHIAS, ANELIS ASSUMPÇÃO, TULIPA RUIZ, ALICE CAYMMI, JALOO, BADI ASSAD e TIÊ. O festival foi idealizado por DÉBORA RIBEIRO DE LIMA e DANI GODOY, do NINAS. DEPOIMENTO DE CLIENTE: Foi lindo demais trabalhar com você!!! Vou te carregar para vida...rs. Muito obrigada por seu trabalho, carinho e empenho conosco e com nosso projeto, amado. Com carinho imenso, Débora Lima Ribeiro.

A SALA DE PRODUÇÕES ocupou o gramado da FUNARTE BRASÍLIA, em 2018 e 2019, com o BOCADIM – FESTIVALZIM LGBTQ+, festa cultural de combate à discriminação e à violência contra LGBTIs. Em 2018, a programação apresentou artistas da cena independente e engajada como VERÓNICA DECIDE MORRER (CE), CHINELO DE COURO (DF), JALOO (PA), LETRUX (RJ), AÍLA (PA) e JOHNNY HOOKER (PE). Já em 2019, subiram ao palco do Festival, DUDA BEAT (PE), 20


A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA abriu as cortinas de seu teatro, em agosto de 2018, para a estreia nacional de - O VIOLEIRO, espetáculo cênico-musical de ROBERTO CORRÊA. Música e contos de crenças, amores, alegrias e lamentos da vida de um violeiro. Com direção de JOÃO ANTÔNIO, o espetáculo faz um passeio através do imaginário, das danças e dos gêneros sertanejos. VALORAÇÃO: R$ 414.130,95

Plano Piloto e Gama, no DF, além de São Paulo e Belo Horizonte, foram, em 2018, palco para o encontro entre dois virtuoses instrumentistas de renome internacional – PEDRO MARTINS e DANIEL SANTIAGO, na turnê do disco – SIMBIOSE. Contemplado pelo FAC – Fundo Apoio à Cultura do DF, com a assinatura e direção de ambos, o projeto ultrapassa suas influências em comum e cria uma sonoridade atemporal do encontro de emoções. VALORAÇÃO: R$ 160.993,07

O CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL BRASÍLIA recebeu a 9ª Edição [nacional] do Festival SAI DA REDE. Em sua 3ª edição no CCBB Brasília, junho e julho de 2018, o Festival desembarcou com novidades. Os shows aconteceram na área e, além de música, a programação contou com exibição de filmes e bate-papos. Participaram desta edição BACO EXU DO BLUES, ATTOOXXA, RINCON SAPIÊNCIA, MUNTCHAKO, LUEDJI LUNA e ALMÉRIO. Já os bate-papos foram comandados por CHOQUE DE CULTURA, CLARA AVERBUCK, ALEXANDRA GURGEL e ROSA LUZ.

O CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL BRASÍLIA apresentou e foi a casa de estreia para a série de shows em homenagem a um dos maiores instrumentistas e compositores brasileiros EGBERTO GISMONTI – no projeto: EGBERTO 70. Em 2018, a série de shows percorreu os 21


quatro CCBBs – Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. Subiram ao palco GAIA WILMER e sua Big Band com participações de ANDRÉ MEHMARI, JAQUES MORELENBAUM, RICARDO HERZ, YAMANDU COSTA, GABRIEL GROSSI, MAURO SENISE e o próprio EGBERTO GISMONTI. O projeto teve produção executiva de MARI DANTAS. VALORAÇÃO: R$ 486.988,65 DEPOIMENTO DE CLIENTE: Garoto, vc é foda, te agradeço por TUDO! Obrigadaaaaaa, Mari Dantas

ocupado importantes polos culturais e turísticos de Brasília. Como marca de inovação, o Festival apresentou arte autoral nas áreas de música, teatro, dança, performance, artes visuais e arte urbana, idealizados por coletivos culturais ou artistas de Brasília, vindos outros estados brasileiros e também representantes internacionais. Entre as atrações, ELZA SOARES, GAL GOSTA, ARNALDO ANTUNES, JOHNNY HOOKER, GOG, EDGAR SCANDURRA, BNEGÃO, DI MELO, SIBA, AS BAHIAS E A COZINHA MINEIRA, KARINA BUHR, ELLE OLÉRIA, ALBERTO SALGADO, CÉU, OTTO, AUTORAMAS e tantos outros. VALORAÇÃO (2016): R$ 3.186.228,11

Em setembro de 2018, MART’NÁLIA misturou estilos musicais em temporada de shows no TEATRO DA CAIXA. No repertório do show, canções do disco homônimo da interprete, + MISTURADO, além de sucessos de Ana Carolina, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Geraldo Azevedo. A vinda da artista à Brasília contou com patrocínio da CAIXA. VALORAÇÃO: R$ 447.486,43

Idealizado por MARTA CARVALHO, SATÉLITE 061 – 24 HORAS NO AR firmou-se como um dos maiores festivais de arte e cultura independentes do Brasil. Em suas 5 edições, de 2012 a 2016, o Festival realizou extensa programação tendo 22

O musical brasiliense, TUMBA LA CATUMBA E O SUMIÇO DA PANDEIROLA, resgata o imaginário das lendas e do folclore brasileiros, com elementos do teatro de sombra e ao som de trilha sonora original. O espetáculo desembarcou no TEATRO PLÍNIO MARCOS, da FUNARTE BRASÍLIA, para apresentações em maio de 2019, patrocínio do FAC - FUNDO DE APOIO À CULTURA DO DF e realização do GRUPO DEPOIS DAS CINCO e GUINADA PRODUÇÕES. DEPOIMENTO DE CLIENTE: Obrigada pelo carinho e profissionalismo, todos cheios de elogio a ti, Anna França.


CAIXA CULTURAL BRASÍLIA recebeu MORAES MOREIRA em janeiro de 2019. Dividido em dois momentos, o show/ espetáculo estabelece um instigante diálogo entre as linguagens artísticas da música e da poesia, com a participação do seu filho DAVI MORAES. Moraes recitou poemas do seu segundo livro “Poeta não tem Idade”, que inclui cordéis, poemas e cantorias. VALORAÇÃO: R$ 524.664,88

PEDRO LUÍS bridou Brasília, na CERVEJARIA CRIOLINA, com noite intimista. Multifacetado, o artista carioca PEDRO LUÍS apresentou, em abril de 2019, versões de voz, violão e bateria no show “PEDRO LUÍS COM S”. No repertório, mostrou a pluralidade de seu cancioneiro autoral, que passeia por diversos matizes, com músicas que fizeram sucesso em roupagens de outros artistas. DEPOIMENTO DE CLIENTE: O contratante pode colocar o rider de som que ele quiser, mas ascom tem que ser Rodrigo Machado. Sou só agradecimento. Beijos, Heloisa Marinho.

LUCIANA MELLO foi atração na CERVEJARIA CRIOLINA em abril de 2019. Considerada uma das grandes cantoras da música popular brasileira, Luciana fez aulas de canto, teatro, dança, teatro musical e surpreende por seu incrível desempenho nos palcos. Aos 5 anos de idade, gravou sua primeira música, “O Filho do Seu Menino”, ao lado do pai, Jair Rodrigues.

Show DUO GISBRANCO E JAQUES MORELENBAUM - VILLA MAIS 60 HOMENAGEOU Villa-Lobos na CAIXA CULTURAL em novembro de 2019. O espetáculo trouxe, além de obras emblemáticas de Villa-Lobos arranjadas para piano a quatro mãos e dois pianos mais violoncelo, obras dos compositores brasileiros mais influenciados pelo mestre nesse legado de 60 anos. VALORAÇÃO: R$ 2.229.580,80

23



ARTES VISUAIS


Rodolfo de Athayde; curadoria de Ania Rodríguez; e produção Associação Cultural Guatanamera. VALORAÇÃO: R$ 766.429,00

A exposição 60 ANOS DE BAIÃO – TRIBUTO A GONZAGÃO prestou honrosa homenagem ao Rei do Baião, brasileiro que simboliza a força e o vigor do trabalhador nordestino. Promovida pela UGT, a exposição apresentou 300 peças entre objetos pessoais e coleção fonográfica do artistas, no ano de 2003, na galeria da Câmara dos Deputados, em Brasília, e também no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, num caminhão caçamba.

A exposição TOMIE OHTAKE ESCULTURAS, realizada em outubro de 2006 no CCBB Brasília, foi uma rara oportunidade de se conhecer as esculturas da artista produzidas nos últimos dez anos. A mostra reuniu obras que estiveram na 23ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1996, outras produzidas ao longo da década e quatro peças inéditas que ocupam a parte externa do edifício do CCBB. Produção: Instituto Tomie Ohtake. VALORAÇÃO: R$ 417.173,00 DEPOIMENTO DE CLIENTE: Rodrigo, nós agradecemos o excelente trabalho que você fez para a Exposição de Tomie Ohtake Esculturas. Abraço, Vitoria

ARTE DE CUBA, apresentado pelo CCBB Brasília em 2006, foi a exposição com o mais significativo conjunto de peças cubanas já vista no Brasil, com o acervo do Museo Nacional de Bellas Artes e de coleções particulares. Paralelamente à mostra aconteceu ainda o MÚSICA DE CUBA, reunindo nomes como Nueva Tradición, Cuba Jazz Plus e Mahe Ensemble, e o CINE DE CUBA, com 18 filmes da ilha. Idealização de 26


JARDIM DO PODER, uma exposição concebida especialmente para ocupar o gramado do CCBB Brasília, em 2007. Com curadoria de Felipe Chaimovich, a mostra reflete sobre a origem de Brasília a partir do paisagismo do palácio de Versalhes, usado por Lúcio Costa como referência para a urbanização da capital, e reúne dez obras contemporâneas que tematizam contrastes sócio-políticos da vida nacional. Destaque para Mundus Admirabilis (foto), Prêmio Bravo! 2007, de Regina Silveira.

Em 2008, o CCBB apresentou FALA, a primeira exposição individual de Nuno Ramos em Brasília. Um dos mais inventivos artistas plásticos brasileiros, Nuno entrelaça palavra e imagem em trabalhos que representam, em nosso quadro cultural, um momento de ousadia e experimentação, dos mais intensos. Produção: Tisara Arte Produções.

A Embaixada da França trouxe em 2009 uma exposição do classicismo moderno de MICHEL BOYER para o Espaço de Exposições da Biblioteca Nacional de Brasília. Uma amostra do trabalho deste designer dono de um talento que o tornou um dos mais relevantes nomes da arquitetura de interiores das últimas décadas. VALORAÇÃO: R$ 619.294,23

Estruturado para atender crianças do ensino fundamental de escolas públicas do DF, o projeto Circuito Educativo BRASILIATHOS utilizou a força iconográfica das obras do mestre Athos Bulcão para transmitir o conhecimento do legado histórico, artístico e patrimonial de Brasília, estimulando o olhar 27


crítico e o encantamento pela a arte, a criatividade e atitudes de respeito ao patrimônio. Promovido em 2009 pela Tríade Patrimônio Turismo Educação com patrocínio da Petrobras e apoio da Fundação Athos Bulcão. VALORAÇÃO: R$ 1.139.710,62

por um sistema computadorizado e em sincronia com equipamentos de luz, exibindo um elaborado jogo de reflexos, imagens e sons, dando a ilusão ao expectador de que tudo é real. A instalação circulou entre julho de 2012 e janeiro de 2013 pelo CCBB Brasília, pela Galeria de Artes Van Gogh, em Sobradinho, e pelo Teatro Newton Rossi, SESC Ceilândia. Produção de Alaor Rosa. VALORAÇÃO: R$ 642.400,41

Liberdade de criação, pluralidade de interpretações estéticas e técnicas diversas, presentes nas obras plásticas de 12 artistas radicados em Brasília, propõem e instigam o exercício individual do olhar para as artes plásticas. Sob a curadoria de Luiz Galvão, a exposição coletiva O EXERCÍCIO DO OLHAR, em cartaz na Galeria do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em setembro de 2010, apresentou uma rica e diversificada coleção de obras de arte criadas por meio de técnicas como fusão de vidro, mosaico, óleo sobre tela, reciclagem, modelagem e outras. VALORAÇÃO: R$ 177.346,01

O ESPELHO, instalação teatral de som e imagens com concepção de Iain Mott e curadoria em conjunto com Simone Reis, é um marco na aplicação das artes híbridas. A obra apresenta vídeos trasmitidos através de um espelho, controlados 28

Em CARAMETADE, com curadoria de Ana Queiroz, o artista plástico Roger Regner apresentou, em 2012, a instalação composta por 14 painéis, que ficaram expostas no ICC Norte da UnB. O artista escolhe ícones e personalidades emblemáticas das Américas e África que possuem expressiva carga simbólica para elaborar a fusão dos rostos. Produção de Teresa Rollemberg.


CD’s e quatro filmes. O IMAGINÁRIO DO REI – VISÕES DO UNIVERSO DE LUIZ GONZAGA foi apresentada no Pavilhão da Oca do Parque Ibirapuera em São Paulo, de julho a setembro de 2013. Curadoria de Bené Fonteles e produção da Fundação Athos Bulcão. VALORAÇÃO: R$ 2.896.590,13

A SORTE DA ARTE foi composta de obras de artistas que ilustraram bilhetes da Loteria Federal entre 1968 e 1986, como Di Cavalcanti, Carybé, Glênio Bianchetti, Carlos Scliar e Glauco Rodrigues. A mostra, com curadoria de Cézar Prestes, apresentou ao público da CAIXA Cultural Brasília, de janeiro a março de 2013, um esforço de popularização da arte brasileira a partir de um conjunto tão expressivo de obras. Produção de R. Godoy Marketing e Cultura. VALORAÇÃO: R$ 228.135,40

A mostra AZULEJOS EM LISBOA – AZULEJOS EM BRASÍLIA, apresentada no Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa, de maio a julho de 2013, traça um paralelo entre obras brasileiras e portuguesas em características diversas: as semelhanças compositivas, as paletas de cores, as evocações aproximativas entre imagens, a lógica do processo de montagem. E mais do que tudo isso, a exposição é um passeio que desconsidera distâncias históricas e geográficas, de maneira poética e não conclusiva. A mostra revela a fruição da obra naquilo que lhe é intrínseco: as possibilidades estéticas da composição modular. Curadoria de Marília Panitz e produção da Fundação Athos Bulcão. VALORAÇÃO: R$ 1.116.955,83

Uma homenagem coletiva, com 63 artistas, dentro das comemorações do Ano Luiz Gonzaga, com diversificada iconografia sobre a vida e obra de Gonzagão. Além de 162 obras de arte, criadas especialmente para a mostra, reuniu também fotografias raras de Luiz Gonzaga, livros, 29


signos religiosos se apresentam mimetizados, livrando-os de condições folclóricas como sinal da realidade de um Brasil plural. Produção: Roberta Martinho, Oiya Produções. VALORAÇÃO: R$ 125.302,88

A CAIXA Cultural Brasília celebrou a obra de Gilvan Samico com uma exposição inédita do pernambucano. Samico, um dos maiores nomes da gravura nacional, se valia da cultura nordestina, revelando a magia de mundos míticos e poéticos. LINHAS, TRANÇADOS E CORES: NO REINO DE GILVAN SAMICO apresentou 28 xilogravuras, nas Galerias Picolla I e II, entre os meses de março e maio de 2014. Produção de Roberta Marinho e curadoria de Renata Pimentel. VALORAÇÃO: R$ 611.108,69

O Museu Correios, em Brasília, reuniu obras de ANNA BELLA GEIGER na exposição CIRCA MMXI, que deflagrou a riqueza de resultados de uma das mais importantes aristas plásticas do país, obtidos ao logo de seus mais de 60 anos de atividade, com a utilização de uma variedade de meios de expressão, técnicas e materiais. A retrospectiva da artista esteve em cartaz entre os meses de maio e julho de 2014. Uma realização da Zucca Produções e curadoria da própria artista. VALORAÇÃO: R$ 246.298,00

WAGNER PINTO: VENTOS DE OYA, mostra de um artista múltiplo no discurso poético-plástico, apresentada pela CAIXA Cultural Brasília, de outubro a janeiro de 2014, que traz em sua obra o contato entre polos diversos da nossa cultura, em que a figuração e abstração dos 30

NINO CAIS, exposição realizada na CAIXA Cultural Brasília, de julho a setembro


de 2014. Compilação de escultura, colagens, desenhos e fotografias, traçando um percurso dos últimos 12 anos de uma produção poética e ininterrupta, com algumas de suas obras mais emblemáticas. A mostra teve curadoria de Afonso José Afonso e produção pela AjAx | Produção em Arte. VALORAÇÃO: R$ 65.267,40

Exposição da artista plástica Claudia Bertolin, ALMA DE CRISTAIS levou 40 de suas obras à Brasília, Taguatinga e Ceilândia, entre julho e dezembro de 2014. A proposta foi apresentar uma retrospectiva de sua produção desde 2007, com curadoria de Bisser Nai. Cada obra da artista é única e tem como ponto de partida a redação de pequenos textos sobre o cotidiano. Este trabalho celebrou a amizade e o carinho, que temos pela artista, e a estreia do designer Vitor Borysow na Território, que assinou toda a identidade visual da exposição, com cartazes, convite, catálogo e banners.

O escritor Mário de Andrade, pai do Modernismo, foi o tema central para a exposição que traçou o desenvolvimento do gênero artístico, através de suas correspondências. Com curadoria de Denise Mattar, a exposição apresentou ainda as obras As Margaridas de Mário, de Anita Malfatti, Mulher, de Di Cavalcanti, A Menina do Circo, de Di Cavalcanti, O Violinista, de Portinari, e dois retratos do escritor realizados por Portinari e Enrico Bianco. A exposição MÁRIO DE ANDRADE – CARTAS DO MODERNISMO ficou em cartaz no Museu Correios entre outubro de 2014 e janeiro de 2015. VALORAÇÃO: R$ 245.126,46

VALORAÇÃO: R$ 174.299,82

O grupo OS TAPETES CONTADORES DE HISTÓRIAS, em atividade desde 1998 e sob a coordenação de Cadu Cinelli e 31


Warley Goulart, apresentou na CAIXA Cultural Brasília, entre setembro e novembro de 2014, duas exposições: SHTIM SHLIM, inédita até então, e VIAGEM PELO MUNDO ATRAVÉS DAS HISTÓRIAS. Além das visitações interativas, os atores-contadores ministraram oficinas, realizaram mesas-redondas e atenderam a um extenso público de alunos da rede pública de ensino. VALORAÇÃO: R$ 225.880,35 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Querido! Obrigado por tudo e parabéns pelo lindo trabalho realizado! Espero revê-lo em breve! Abração, Cadu Cinelli

Exposição na CAIXA Cultural Brasília fez um resgate da obra de FARNESE DE ANDRADE. A mostra apresentou um conjunto de assemblages e objetos do artista mineiro, um dos ícones da arte brasileira. Em janeiro de 2015, com curadoria de Marcus de Lontra Costa e produção da Adupla Produção Cultural, a mostra mapeou a produção do artista ao longo dos anos 1970, 1980 e 1990, com a linguagem única e singular do artista, de forma a mostrar sua personalidade e trajetória fundida com as diferentes fases de sua obra. VALORAÇÃO: R$ 157.964,80

32

ARTE QUENTINHA transformou 132 mil saquinhos de pão em telas para impressão de obras de arte de 24 artistas de Brasília, que circularam por 17 padarias de 15 Regiões Administrativas do Distrito Federal. De setembro a outubro de 2015, o pãozinho de todo dia do brasiliense foi servido com arte. Esse criativo e inovador projeto cultural foi idealizado por Susanna Aune, teve curadoria de Renata Azambuja, coordenação de produção de Henrique Rocha e patrocínio do FAC (Fundo de Apoio à Cultura), da Secretaria de Cultura do Governo de Brasília. VALORAÇÃO: R$ 1.170.837,26

A exposição CÉUS E NÓS revelou ao público, em dezembro de 2016, series inéditas de monotipias e esculturas de ELYESER SZTURM. Com patrício do FAC - Fundo de Apoio à Cultura do DF e apoio do CCBB BRASÍLIA a mostra apresentou a recente produção de Elyeser, artista com mais de 40 anos de carreira. Após


nove anos sem realizar exposições individuais em Brasília, o artista apresentou ao público um recorte inédito de sua pesquisa mais recente.

de HENRI MATISSE. A mostra reuniu 20 pranchas impressas com a técnica au pochoir, feitas especialmente para o álbum Jazz, publicado em 1947. As obras, ora apresentadas, pertencem ao exemplar 196, que integra o acervo dos Museus Castro Maya. A curadoria da exposição foi de ANNA PAOLA BAPTISTA, curadora do Museu da Chácara do Céu.

Lunchtime Hora do almoço, 2001 | Cortesia: roger Ballen @roger Ballen

Parque interativo e exposição temática DIVERSOM levaram o público a descobrir o mundo dos sons de uma maneira surpreendente. Com fomento do FAC – Fundo de Apoio à Cultura do DF e apoio do CCBB BRASÍLIA o projeto do CIRCO TEATRO UDI GRUDI exibiu, em junho de 2016, esculturas sonoras interativas e exposição temática sobre o som e a música.

RogeR Ballen t R a n s f i g u R a ç õ e s fotografias 1968 - 2012 curadoria D a n i e l l a G é o

3.10 a 17.12.2017 Terça a domingo, das 9h às 21h | Entrada Franca

A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA apresentou em sua GALERIA PRINCIPAL, entre outubro e dezembro de 2017, uma representativa mostra com a trajetória artística de quase 50 anos do fotógrafo ROGER BALLEN, em TRANSFIGURAÇÕES, FOTOGRAFIAS 1968-2012. Revista e aumentada, a exposição trouxe uma seleção de mais de 100 fotografias dividida em nove séries. Essencialmente norteada pela busca por autoconhecimento, a mostra transportou o visitante através de uma jornada de transfigurações reais e simbólicas do artista. Curadoria de DANIELLA GÉO e produção executiva da PATUÁ PRODUÇÕES ARTÍSTICAS. CAIXA Cultural Brasília | Galeria Principal

Acesse www.caixacultural.gov.br | Baixe o aplicativo Caixa Cultural Curta facebook.com/CaixaCulturalBrasilia

Produção

Apoio

Patrocínio

VALORAÇÃO: R$ 743.993,15

Em outubro de 2016, a CAIXA CULTURAL BRASÍLIA apresentou a série Jazz 33


palavra-chave de ARTE PRA SENTIR, que ficou em cartaz de outubro a dezembro de 2018 na Galeria Principal do centro cultural. A exposição, feita com a curadoria de ISABEL SANSON PORTELLA, apresentou obras que estimulam o tato, a audição e o paladar dos visitantes. Os trabalhos apresentados remetiam às experimentações realizadas nos anos 1960 e 1970 por artistas do neoconcretismo. VALORAÇÃO: R$ 296.007,13

A obra do pintor e escultor baiano RUBEM VALENTIM foi exposta na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA entre março e maio de 2017. Com curadoria de MARCUS DE LONTRA COSTA, a mostra revelou um rico panorama do trabalho do artista e sua inserção na arte nacional e internacional, privilegiando a produção pictórica e escultórica com obras disponibilizadas de coleções públicas, particulares e dos herdeiros do artista.

Exposição da CAIXA CULTURAL BRASÍLIA estimulou os diferentes sentidos dos visitantes. Multisensorialidade foi a 34

LOUCURAS ANUNCIADAS, do artista espanhol FRANCISCO GOYA, desembarcam na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA em janeiro de 2018. A coleção de gravuras, que revela o período mais obscuro de Goya, também chamada de Disparates, reúne 20 obras em uma edição póstuma da Academia de Belas Artes de Madri, que adquiriu as pranchas em 1864. As enigmáticas gravuras foram as últimas obras gráficas de Goya.


CHAVES, designer da cidade, para criar o projeto que visa estruturar e concentrar estúdios, escolas e agentes atuantes nos campos do design de moveis, design gráfico, design de joias e moda. VALORAÇÃO: R$ 433.230,45

Exposição celebrou os 80 anos do xilogravurista J. BORGES, na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA nos meses de junho e julho de 2018. A arte de gravar na madeira e perpetuar na memória coletiva a essência do cotidiano nordestino fazem do xilogravurista e cordelista J. BORGES um dos mais expressivos artistas populares do Brasil. A mostra, produzida pela CACTUS PROMOÇÕES E PRODUÇÕES, trouxe uma coletânea de 30 xilogravuras, sendo 10 inéditas. VALORAÇÃO: R$ 472.117,20

O TEMPO DE NOSSAS VIDAS, exposição com temática LGBT falou sobre envelhecimento, ativismo político e violência, sob a curadoria de CLAUDER DINIZ. CASA DA CULTURA DA AMÉRICA LATINA, a mostra coletiva reuniu 18 artistas de arte contemporânea, três deles de países da América Latina, que por meio de suas obras refletem sobre o universo de gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais. Entre os artistas, GÊ ORTHOF (Prêmio Marcantônio Vilaça); CÉLIO BRAGA; BIA MEDEIROS; FRANCISCO HURTZ; MARIA EUGÊNIA MATRICARDI; RAFAEL BQUEER; LECI AUGUSTO; e os estrangeiros ROCIO GARCIA e ALEXANDER LOMBAINA, de Cuba; NELSON MORALES, do México, e FREDMAN BARAHONA, da Nicarágua.

Nos formatos de catálogo e site, o MAPA DESIGN BRASÍLIA reúne trabalhos de 283 designers, entre pessoas e empreendimentos, com sedes em 27 Regiões Administrativas do DF. Brasília recebeu da Unesco o título de Cidade Criativa do Design e esta foi a motivação de RAQUEL 35


responsável por alterar paisagens urbanas nos quatro cantos do globo, esteve em Brasília entre janeiro e março de 2019. Em INCISÃO, o artista exibiu suas técnicas preferidas: corte, subtração e descasque da superfície. VALORAÇÃO: R$ 694.061,60

STREETTYPE – TIPOGRAFIA DAS RUAS DE A À Z na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA de maio a julho de 2018. A exposição exibiu o abecedário das ruas. 22 artistas mostraram a riqueza que o graffiti proporciona. As 26 telas, organizadas em ordem alfabética reuniram desde letras clássicas "wildstyle" como "bomb", tradicional das ruas, até experimentais. A mostra foi uma criação do artista e curador TITO SENNA. VALORAÇÃO: R$ 433.230,45 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Foi um trabalho incrível!, Adriana Milhomem

Entre janeiro e março de 2019, JORGE FONSECA trouxe à CAIXA CULTURAL BRASÍLIA a exposição LABIRINTO DE AMOR. As mais de 20 obras, praticamente todas do acervo do próprio artista e produzidas entre 1998 e 2018, dão um novo significado a objetos do imaginário coletivo e apontam brechas de afeto em coisas simples do cotidiano. A mostra teve produção da MUSEO – MUSEOLOGIA E MUSEOGRAFIA. COMENTÁRIO DE CLIENTE: Mariana me falou que vc é um amor e eu acredito. Grande beijo, Daniela Camargo

A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA recebeu INCISÃO do artista visual português ALEXANDRE FARTO, conhecido como VHILS. A mostra, com produção da 78 ROTAÇÕES, reuniu peças do artista, cuja trajetória é destaque internacional quando o tema é intervenção em espaços urbanos. Impactante, seu trabalho, 36

Fotógrafos surdos expuseram suas visões e sentimentos no MUSEU NACIONAL em VOZES DA ALMA, projeto


pioneiro no DF. A exposição, sob a coordenação geral de NÍSIA SACCO e curadoria do fotógrafo OLIVIER BOËLS, apresentou obras de seis fotógrafos. O projeto contou com financiamento do FAC - Fundo de Apoio à Cultura, e ficou em cartaz entre maio e junho de 2019. VALORAÇÃO: R$ 694.061,60 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Grata por teu empenho e dedicação ao Vozes da Alma, Nísia Sacco

A exposição CIRCONJECTURAS apresentou o universo de RAFAEL SILVEIRA na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA de outubro a dezembro de 2019. Nela, circo, tatuagem, botânica, publicidade dos anos 1950 e cultura pop, e elementos underground se mesclam em pinturas, esculturas, bordados e instalações interativas, criando um universo onírico completamente surrealista do artista. VALORAÇÃO: R$ 402,899,00 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Obrigada pelo trabalho e dedicação ao longo dos meses da exposição. Ana Rocha

O FAC – Fundo de Apoio à Cultura do DF apresentou a segunda edição do SALÃO MESTRE D’ARMAS, mostra de valorização da produção em artes visuais do DF e Entorno. Três obras de cada um dos artistas escolhidos, e que foram submetidas à seleção, ficaram expostas para visitação, gratuita, entre junho e agosto de 2019. Na cerimônia lançamento, os vencedores serão anunciados. Como em sua primeira edição, o Salão aconteceu no MUSEU HISTÓRICO E ARTÍSTICO DE PLANALTINA.

37


38


ARTES CÊNICAS


BAQUE, prêmio Shell 2005 de melhor atriz para Deborah Evelyn. Três peças, três tragédias, três monólogos trazem à tona questões básicas de moralidade e resignação humana. Apresentado na CAIXA Cultural Brasília em 2006.

MOLLY SWEENEY UM RASTRO DE LUZ, o retorno da atriz Julia Lemmertz aos palcos após cinco anos dedicados ao cinema e à tevê. A temporada de estreia nacional no CCBB Brasília, em 2006, foi um sucesso – 3.894 pessoas esgotaram os ingressos duas horas depois do início das vendas. VALORAÇÃO: R$ 473.652,00 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Te agradeço por tudo, vocé é dez!!! Beijos, até já, Julia Lemmertz

MISSA DOS QUILOMBOS, de Pedro Tierra e Dom Pedro Casaldáliga. Espetáculo com 20 atores/cantores/bailarinos, 7 músicos e 10 toneladas de cenário para encenar 11 músicas, que pede a igualdade dos povos e a justiça social, deixando claro que elas só podem chegar com consciência social. Direção de Luiz Fernando Lobo; arranjos de Túlio Mourão; e produção Cia. Ensaio Aberto/RJ. Apresentado no Teatro Plínio Marcos, do Complexo Cultural da Funarte Brasília. em 2005.

O CCBB Brasília apresentou, em 2007, a estréia nacional de HOMEMÚSICA, a conclusão do projeto Trilogia Brasileira de Michel Melamed, composto ainda pelos espetáculos Regurgitofagia e Dinheiro Grátis. No projeto, o ator, músico, cantor e apresentador utiliza-se de diversas linguagens artísticas, num trabalho comprometido com a criação, pesquisa, experimentação. VALORAÇÃO: R$ 334.348,70

40


O CCBB Brasília apresentou, em 2007, uma fascinante história de intriga e sedução, QUARTETT. Adaptação para o teatro da famosa obra de Choderlos de Laclos, Ligações Perigosas. A trama, sucesso no cinema com Glenn Close e John Malkovich, ganhou a roupagem atual e urbana dada pelos atores Beth Goulart e Guilherme Leme, com direção de Victor Garcia Peralta. VALORAÇÃO: R$ 642.958,34

O CCBB Brasília apresentou em 2007 a estréia nacional de UM DIA, NO VERÃO, exemplo poderoso da dramaturgia de Jon Fosse. Direção de Monique Gardenberg, tradução de Lya Luft, com Renata Sorrah e Silvia Buarque dividindo o papel principal. Produção executiva de Bianca De Felippes, da Gávea Filmes.

Em 2008, o CCBB Brasília apresentou a comédia A ORDEM DO MUNDO, peça inédita de Patrícia Melo. Escolhida para ser levada aos palcos por Drica Moraes, a peça tem direção de Aderbal Freire-Filho e foi o primeiro monólogo da atriz. O texto aborda questões cotidianas e existenciais do ser humano contemporâneo sob a visão feminina. VALORAÇÃO: R$ 662.356,69 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Ôi Rodrigo, mais uma vez parabéens pelo teu trabalho. Muito bom trabalhar com você!, Drica Moraes

A estreia de um clássico de Bertolt Brecht marcou a reinauguração do teatro do CCBB Brasília, em 2008. MÃE CORAGEM E SEUS FILHOS, com direção de Paulo de Moraes, teve a atriz Louise Cardoso no papel título ao lado da Armazém Cia de Teatro, que celebrava duas décadas de premiadas atuações. COMENTÁRIO DE CLIENTE: Gostei muito de trabalhar com você. Por favor continue assim: competente e obstinado! Isso é muito raro! beijo carinhoso e até a próxima, Louise Cardoso.

VALORAÇÃO: R$ 939.393,15

41


O CCBB Brasília apresentou em 2009 a estréia nacional de MARIA STUART, de Friedrich Schiller. Na peça, Julia Lemmertz e Clarice Niskier dão vida às rainhas Maria Stuart e Elizabeth, sob direção de Antonio Gilberto e Ednei Giovenazzi, em participação especial. A montagem não julgou a luta entre essas rainhas, mas sim, apresentou os conflitos que fizeram parte da relação entre elas. VALORAÇÃO: R$ 984.587,03

O CCBB Brasília apresentou, em 2009, o espetáculo MEDIDA POR MEDIDA, de William Shakespeare, com tradução de Barbara Heliodora. Sexualidade, erotismo, hipocrisia no exercício do poder, incoerências e fraquezas do ser humano são os temas que conduzem esta comédia. Na peça, 13 atores – todos homens – encarnam oito personagens masculinos e três femininos. O espetáculo tem ares ousados e até sadomasoquistas, com visual pop, figurinos atrevidos e trilha sonora recheada de hits de Madonna, Queen e Cindy Lauper. VALORAÇÃO: R$ 904.285,94 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Muito obrigado por tudo! Abraço, Ricardo Blat

No monólogo SIMPLESMENTE EU, CLARICE LISPECTOR, dirigido e estrelado por Beth Goulart, que teve sua estreia nacional em Brasília, em 2009, a atriz propõe uma conversa entre a autora e o público. Bem à moda de Clarice, a narrativa convida a plateia a refletir-se nos espelhos em que a escritora ora oculta, ora expõe os detalhes da sua personalidade. A atuação de Beth lhe rendeu o prêmio Shell de melhor atriz em 2010. VALORAÇÃO: R$ 2.049.186,67 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Rodrigo, Sua assessoria como sempre foi impecável. Mais uma vez parabéns pelo trabalho realizado. Abs, Pierina

GOTA D’ÁGUA, foi apresentada em Brasília dia 5 de junho de 2009, depois de temporada de sucesso em Portugal. Na montagem estavam Cláudio Lins, no papel de Jasão, e Izabella Bicalho, como 42


Joana, vivida anteriormente por Bibi Ferreira. Em 1975, Chico Buarque em parceria com Paulo Pontes escreveram a adaptação para a realidade brasileira da tragédia de Eurípides, Medeia. Texto que se tornaria um clássico nacional. VALORAÇÃO: R$ 144.561,20

MOSTRA DULCINA DE MORAES apresenta espetáculos, cenas curtas, leituras dramáticas, improvisações, seminários e exposições de artes visuais, resultado das produções artística dos estudantes, dramaturgos, diretores e professores da FACULDADE DE ARTES DULCINA DE MORAES. Assessoramos as IX (2009), X (2010) e XI (2011) edições da mostra. Projeto idealizado por Francis Wilker.

A CABRA OU QUEM É SYLVIA?, com direção de Jô Soares e no elenco José Wilker e Denise Del Vecchio, pode ser descrita como uma peça que fala de um amor tão avassalador quanto absurdo e desconcertante. Uma comédia surpreendente e provocante, que coloca em questão temas como a tolerância e a compreensão. O espetáculo foi apresentado no Teatro Nacional dias 17, 18 e 19 de julho de 2009. VALORAÇÃO: R$ 453.087,82

O CCBB Brasília apresentou, em 2010, INVERNO DA LUZ VERMELHA, texto do autor off-Broadway Adam Rapp, 43


indicado ao Prêmio Pulitzer, em 2006. Com André Frateschi, Marjorie Estiano e Rafael Primot no elenco, a montagem foi responsável pela volta de Monique Gardenberg à direção teatral. ENTREPARTIDAS fala de coisas simples e caras a todo ser humano, daqueles momentos efêmeros que às vezes mudam vidas, que povoam a nossa memória e que parecem ser aquilo que realmente levamos dessa vida. Um espetáculo itinerante, apresentado em 2010, no qual a plateia embarca em um ônibus e percorre, com o elenco, praças, ruas e casas de Brasília. Espetáculo do Grupo Teatro do Concreto, com direção de Francis Wilker. O CCBB Brasília apresentou em 2010 a temporada de estreia nacional do espetáculo TENTATIVAS CONTRA A VIDA DELA – 17 SITUAÇÕES PARA O TEATRO, texto do dramaturgo inglês Martin Crimp, com direção de Felipe Vidal e tradução de Daniele Ávila. Impactante e sedutora, a peça proporciona aos espectadores uma experiência instigante, além de sugerir uma reflexão cortante e bem-humorada sobre o mundo. Produção de Damiana Guimarães e Liliana Mont Serrat.

Num hospital psiquiátrico, a divergência de diagnósticos, racismo intitucionalizado e jogos de poder são questões levantadas na peça LARANJA AZUL. O CCBB Brasília apresentou em 2010, a primeira montagem no Brasil do texto do premiado autor inglês Joe Penhall. Direção de Guilherme Leme. VALORAÇÃO: R$ 846.131,46

FESTIVAL MULHER EM CENA – produções artísticas, realizadas por mulheres, ocuparam, em 2010 e 2012, salas de espetáculos, camarim, foyer e áreas externa e de circulação do Complexo Cultural da Funarte Brasília para apresentar um rico mosaico com dança, teatro, música, mostra de cinema, exposição, oficina, lançamento de livros, bate-papos e brechó, compondo um instigante convite a desvendar o universo feminino. VALORAÇÃO (2010): R$ 620.754,03 VALORAÇÃO (2012): R$ 123.878,00 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Rô, Vc tá impossível de tão eficiente!! Dá vontade de apertarrrrrrr Beijo, Anasha

44


essa bela história que nos faz refletir sobre a importância do afeto, da criatividade e da ludicidade em nossas relações. VALORAÇÃO: R$ 173.249,58

O CCBB Brasília apresentou, em 2011, A LUA VEM DA ÁSIA, monólogo estrelado por Chico Diaz e dirigido por Moacir Chaves, adaptado da obra homônima de Campos de Carvalho. A loucura é o tema central da peça, cujo protagonista conta momentos de sua vida desafiando a lógica, tornando-se o narrador de um mundo absurdo. VALORAÇÃO: R$ 1.232.013,09 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Valeu garoto!! E olha, muito obrigado por tudo. A temporada de Bsb foi sensacional!!! muchas gracias, Chico Diaz

Com patrocínios da Petrobras e do FAC (Fundo de Apoio a Cultura do DF), o CCBB Brasília abriu suas portas, em 2011, para a comemoração dos 7 anos de carreira do Teatro do Concreto apresentando, pela primeira vez, toda a trajetória artística e inovadora do grupo em: CONCRETO EM 7 ATOS, um convite a experimentar diferentes dinâmicas do fazer teatral e inovadoras pesquisas de linguagem. Sete experimentações cênicas, espetáculos e intervenções urbanas que possibilitaram ao público conhecer a trajetória artística deste coletivo teatral brasiliense, que tem influenciado grupos e criado estéticas. VALORAÇÃO: R$ 1.116.468,73 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Poxa, Rodrigo...muito obrigado por essa força toda, Francis Wilker

DE OUTRO JEITO é mais um espetáculo infantil do grupo As Caixeiras – Cia de Bonecas, inspirado no livro infantil de Stephen Michael King. A peça, apresentada em 2011, conta a história de um homem apaixonado por caixas e por seu filho, mas que tem dificuldade de expressar seu amor pelo menino de maneira natural. Teatro de bonecos e de atores para contar

O CCBB Brasília apresentou, em 2011, o Festival SONHO & MAGIA do Grupo Tholl. Palhaços, malabaristas, equilibristas em números aéreos, encantando e remetendo plateias a um mundo de 45


sonhos e fantasia, por meio do circo, estimulando sensações e fazendo vibrar emoções em cada um. Para esta temporada: O CIRCO DE BONECOS, THOLL, IMAGEM E SONHO e EXOTIQUE.

polidez civilizada dá lugar a um campo de batalha, onde tudo pode acontecer. O espetáculo foi apresentado em 2012 no Teatro Nacional Cláudio Santoro, com patrocínio da Vivo Em Cena.

VALORAÇÃO: R$ 525.534,54

VALORAÇÃO: R$ 504.191,08

No FESTIVAL DE TEATRO NA ESCOLA, professores da rede pública participam de workshops com o propósito de aperfeiçoar suas qualificações na área de cênicas. Cada um, com o auxílio de instrutores da Fundação Athos Bulcão, guia um grupo de alunos, de sua escola, para que, ao final de quatro meses de preparação, apresentem uma montagem cênica. Assessoramos a 9a edição do Festival, em 2012, que contou com o apoio do CCBB Brasília.

ERA UMA VEZ... GRIMM. O CCBB Brasília apresentou, de 13 de setembro a 14 de outubro de 2012, musical que fez um mergulho no universo fantástico dos Irmãos Grimm em duas versões uma adulta e outra infantojuvenil. A direção teve a assinatura de José Mauro Brant e Sueli Guerra e as composições eram de Tim Rescala. VALORAÇÃO: R$ 994.844,76

DEUS DA CARNIFINICA, UMA COMÉDIA SEM JUÍZO, de Yasmina Reza. Dois casais se encontram para resolver um incidente envolvendo seus filhos. Nada que os pais não possam resolver, mas quando o verniz social que protege os adultos da selvageria se quebra, a 46


deste sonho, criando uma história encantadora. A turnê passou por cinco cidades do DF. VALORAÇÃO: R$ 217.481,26

A CAIXA Cultural Brasília apresentou, 2013, NO PIREX. Comédia do absurdo do Grupo de Teatro Armatrux, selecionado como um dos melhores espetáculos de 2011 pela revista Bravo. A peça narra o encontro de cinco personagens grotescos e surreais, numa dramaturgia que dispensa a palavra. COMENTÁRIO DE CLIENTE: Oi Rodrigo Vc está de pa-

ÁRVORE DOS ANJOS realizou uma intervenção de arte multimídia que fez sobrevoar uma falange de anjos sobre a Catedral de Brasília. 10 anjos, içados por guindastes a 40 metros de altura, realizaram performances pelo céu. Uma projeção em vídeo mapping preencheu de luzes, cores e imagens um dos cartões postais da capital.

rabéns! Ótimo trabalho e ótimas matérias. Bjs e mto

VALORAÇÃO: R$ 152.030,41

VALORAÇÃO: R$ 191.244,14

obrigada, Tina Dias

A Cia. CELEIRO DAS ANTAS comemorou 22 anos, em 2013, com a remontagem de seu espetáculo de estreia, A HISTÓRIA DO BALÃO VERMELHO. Um balão ingênuo desconhece sua habilidade de voar, parte em busca da realização

QUANTO CUSTA?, uma adaptação de dois textos complementares de Bertolt Brecht, inéditos no Brasil. Montagem do diretor Pedro Granato para os textos Quanto Custa o Ferro? e Dansen. A peça estreou no CCBB Brasília em 2013. 47


Produção de Carla Estefan. VALORAÇÃO: R$ 755.128,38 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Rodrigo, vc é incrível! parabéns e obrigado, ótimo trabalho. grande abraço, Pedro Granato

Em dezembro de 2014, o Teatro Brasília recebeu a atuação iluminada de Nicette Bruno, em PERDAS E GANHOS. O texto de Lya Luft teve adaptação de Beth Goulart, quem também dirigiu o monólogo. De maneira sensível e delicada, o espetáculo valoriza os afetos que se cativa e as relações que se costroi desde o nascimento, com a família, consigo mesmo e inclusive com a natureza. VALORAÇÃO: R$ 208.877,69

A peça tem a proposta de fazer com que o público se veja em diversas situações. O título é uma paródia do famoso livro de aforismos Humano, demasiado Humano, do filósofo F. Nietzsche. O espetáculo foi apresentado no Teatro Goldoni, em agosto de 2014.

A PEQUOD, a mais importante companhia carioca de teatro de animação e uma das mais respeitadas do Brasil, trouxe à CAIXA Cultural Brasília, em julho de 2014, o espetáculo MARINA – 100 ANOS CAYMMI. Espetáculo em versões adulta e infantil, Marina tem como cenários quatro aquários gigantes, onde bonecos contracenam debaixo da água, proporcionando movimentação e poesia cênica irreproduzíveis em outro ambiente. VALORAÇÃO: R$ 437.686,42

HERCULANO, DEMASIADO URBANO, monólogo com texto e direção de Tiago Gomes, traz passagens por temas às vezes conturbados como orientação sexual, liberdade de expressão e hipocrisia. 48


as três grandes heroínas trágicas Medéia, a que mata, Electra, a que manda matar, e Antígona, a que se mata, na interpretação de Denise Del Vecchio, Miwa Yanagizawa e Letícia Sabatella. O espetáculo com concepção e direção de Guilherme Leme Garcia, cumpriu temporada em novembro de 2014 no Teatro I do CCBB Brasília. VALORAÇÃO: R$ 522.606,98 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Obrigado! Pelo jeito deu certo nossa empreitada parabéns pelo seu trabalho. Abração, Guilherme Leme Garcia

Trabalho cênico sobre formas de violência institucional, MORRO COMO UM PAÍS, da Kiwi Companhia de Teatro, dialoga com públicos que estiveram envolvidos na luta contra ditaduras civilmilitares na América Latina e outros que dispõem de escassas informações. O espetáculo, inspirado no teatro documentário, em Brecht e em técnicas do diretor russo Meierhold, utiliza depoimentos, análises históricas, canções e imagens para investigar o conceito de “estado de exceção” e a violação aos direitos humanos. Cumpriu curta temporada no CCBB Brasília em junho de 2014. VALORAÇÃO: R$ 334.549,70

AUTÓPSIA, do Grupo Sutil Ato, reúne trechos adaptados de cincos peças de Plínio Marcos, um dos mais importantes nomes da dramaturgia nacional. As tramas complexas e de realidades densas de Navalha na Carne, Querô: Uma Reportagem Maldita, Quando as Máquinas Param, Dois Perdidos numa Noite Suja e Abajur Lilás, expõem relações de poder, desejos e opressão. A montagem celebra a obra do autor, no 15º ano de sua morte. O espetáculo esteve em cartaz em 2015 no Espaço PéDireito e no Teatro Dulcina de Moraes, sendo um dos destaques do Festival Internacional Cena Contemporânea daquele ano. COMENTÁRIO DE CLIENTE: amor! Obrigado pelo teu olhar, pela tua abertura de caminhos, pelo teu investimento, pela tua sensibilidade, Jonathan Andrade

TRÁGICA.3, indicado em cinco categorias ao 27º Prêmio Shell de Teatro, apresenta 49


dos 3 anos de idade. VALORAÇÃO: R$ 355.806,58

O CCBB BRASÍLIA apresentou a temporada de CONTRA O VENTO (UM MUSICAOS). Projeto do Complexo Duplo, com direção de Felipe Vidal e texto de Daniela Pereira de Carvalho, o musical rememora o surgimento do Tropicalismo ambientado no lendário Solar da Fossa, casarão carioca onde conviveram artistas e grandes pensadores dos anos 1960. O musical cumpriu temporada no Teatro I do Centro Cultural em agosto de 2015. Em CONTRA O VENTO (UM MUSICAOS), o público embarca numa viagem no tempo e relembrar um dos momentos mais criativos das artes e do pensamento do passado recente de nosso país, a Tropicália.

A Embaixada da República Tcheca e o CCBB apresentaram turnê nacional do GRUPO DE TEATRO DE MARIONETES LOKVAR, pelas cidades de Brasília, Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro, em julho de 2015. Nascido na cidade onde o teatro de marionetes é tradição, Praga, o Lokvar apresentou dois espetáculos, “João, o Indeciso”, que traz um conto de fadas tradicional tcheco, e “A Pequena Sereia”, um clássico da literatura internacional. O grupo promoveu também vivências e oficinas, acompanhados de atores-manipuladores brasileiros, que passaram 14 dias com o Lokvar, em Praga, através de um programa de intercâmbio a convite do projeto. VALORAÇÃO: R$ 261.402,10

O JARDIM BOTÂNICO DE BRASÍLIA ganhou mais cor e alegria, nos meses de janeiro e de fevereiro de 2015, com as apresentações de espetáculos teatrais do FESTIVAL BB SEGURIDADE DE TEATRO INFANTIL. Uma realização do Minc, via LIC, com patrocínio da BB Seguridade, apoio do Jardim Botânico de Brasília, curadoria de Bia Gonçalves e produção da Texto Intermídia. Projeto que reuniu os mais renomados e importantes grupos de teatro infantil do DF. Ao todo foram 12 apresentações, todas gratuitas, voltadas à garotada a partir 50

Petrobras e CAIXA Cultural apresentaram a fábula trágica OS GIGANTES DA MONTANHA, do Grupo Galpão, em novembro e dezembro de 2015 no Teatro


da CAIXA CULTURAL BRASÍLIA. A fábula narra a chegada de uma companhia teatral decadente a uma vila mágica, povoada por fantasmas e governada pelo Mago Cotrone. Escrita por Luigi Pirandello, a peça é uma alegoria sobre o valor do teatro (e, por extensão, da poesia e da arte) e sua capacidade de comunicação com o mundo moderno, cada vez mais pragmático e empenhado nos afazeres materiais. VALORAÇÃO: R$ 635.351,86

Em O PRIMEIRO MILAGRE, Abaetê Queiroz e Roni Sousa, na direção de Humberto Pedrancini, se multiplicaram em 25 personagens numa comédia que recontava a história da Sagrada Família. O espetáculo, que ficou em cartaz em outubro e novembro de 2015, era um convite a refletir, com pitadas de humor e ironia, temas como racismo, igreja e capitalismo. VALORAÇÃO: R$ 208.865,30

O CCBB Brasília recebeu temporada de estreia de CHARIVARI, da Cia. Mapati. Com 11 atores e atrizes em cena, o espetáculo infantil apresentou múltiplas linguagens teatrais representando a diversidade cultural, expressas na dança, costumes, condição social e crendices encontrados nas mais diferentes regiões do Brasil e de outros países. A peça cumpriu temporada em julho de 2015. VALORAÇÃO: R$ 476.236,89

TODO ROMANCE É DELÍRIO, com texto e atuação de Larissa Sarmento e direção de Zé Regino, trouxe ao palco, em julho e agosto de 2015, o ridículo das separações amorosas, as frustrações, os delírios e desastres. Flertando com o amor romântico e suas desilusões, a peça falava de uma 51


mulher que repensa sua vida afetiva de forma exagerada e quase tragicômica. VALORAÇÃO: R$ 161.411,55

brasiliense de atores, artistas circenses e bailarinos - Trupe de Argonautas - apresentou, em outubro e novembro de 2016, temporada de estreia de PARADOXO ZUMBI. Drama ficcional que se desenrolava numa sociedade decadente e pós -apocalíptica, onde o algoz, uma devastadora praga zumbi, se tornara objeto de consumo e admiração. VALORAÇÃO: R$ 288.891,05

Ministério da Cultura e Petrobras apresentaram, em março de 2016, Gilberto Gawronski em ATO DE COMUNHÃO – LOGIN/LOGOUT, no Teatro I do CCBB Brasília. Com texto do argentino Lautaro Vilo. Livremente baseada num fato real que ficou conhecido na mídia como o do “canibal alemão”, a peça colocou no palco, com elaborada delicadeza, algumas complexidades perturbadoras da vida contemporânea. VALORAÇÃO: R$ 181.326,99

No Teatro II do CCBB Brasília, o Teatro dos Ventos | Confraria Artística estreou PERSONAS. Montagem na direção de Fernando Martins, para texto premiado de Luciana Loureiro, apresentou uma intrigante teia de relacionamentos e conflitos entre seis personagens, todos em busca de expressão sexual, na expectativa de vivenciar seus desejos. A temporada aconteceu entra maio e junho de 2016. VALORAÇÃO: R$ 295.821,45

Com patrocínio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do Governo de Brasília, a companhia 52


lutou pelo Brasil contra do Paraguai. A trama se desenvolve quando retorna ao Rio de Janeiro e encontra sua cidade em profunda transformação. A temporada na CAIXA Cultural Brasília foi de 13 a 23 de julho de 2017. No ano de 2016, a peça foi vencedora do Prêmio Shell em três categorias (Direção, Texto e Atriz). VALORAÇÃO: R$ 329.551,35

A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA apresentou temporada de A CHEGADA DE LAMPIÃO NO INFERNO, da CIA. PEQUOD – TEATRO DE ANIMAÇÃO, uma das principais companhias de Teatro de Bonecos do país. Indicada ao Prêmio Shell de Teatro em 2 categorias – Melhor Cenografia e Melhor Iluminação, a montagem esteve em cartaz de 10 a 13 de novembro de 2017. VALORAÇÃO: R$ 359.013,30

Enquanto preparam a última sopa, sete pessoas partilham angústias, algumas esperanças e muitos nós. NÓS, a 23º montagem do GRUPO GALPÃO, debate questões atuais, como violência e intolerância, a partir de uma dimensão política. Tendo estreado em 2016, montagem do Galpão foi gerada a partir de um mergulho radical na experiência do grupo, que completou 35 anos em 2017. A temporada ocorreu na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA de 24 de novembro a 3 de dezembro de 2017. VALORAÇÃO: R$ 474.512,45 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Agradecemos seu trabalho na divulgação dos eventos da CAIXA Cultural Brasília. Atenciosamente, Alessandro Amâncio Amorim, Assistente na CAIXA Cultural Brasília

CARANGUEJO OVERDRIVE, espetáculo d’Aquela Cia, é ambientado no final do século XIX, a peça tem como personagem central Cosme, um sodado que 53


O CCBB Brasília apresentou temporada de CABEÇA (UM DOCUMENTÁRIO CÊNICO), do coletivo teatral Complexo Duplo. A peça celebrou os 30 anos do álbum icônico “Cabeça Dinossauro”, dos Titãs. As canções de “Cabeça Dinossauro”, todas executadas ao vivo na mesma sequência do álbum, são a espinha dorsal do espetáculo. Na 29ª edição Prêmio Shell, o espetáculo foi vencedor na categoria melhor música, e foi vencedor do 6º Prêmio Questão de Crítica.

O Coletivo Instrumento de Ver, com fomento do FAC - Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura do DF, realizou, entre 7 e 16 de dezembro de 2018, a segunda edição do ARRANHA-CÉU – FESTIVAL DE CIRCO ATUAL. Mostra internacional que descortina a atualidade das artes circenses enquanto linguagem múltipla. VALORAÇÃO: R$ 527.329,65

Premiado espetáculo VAGA CARNE fez curta temporada na CAIXA Cultural Brasília. Primeiro solo da atriz mineira Grace Passô aborda temas identitários e cria um campo de jogo entre palavra e movimento, em que um corpo de mulher vive a urgência do discurso à procura de suas identidades e de pertencimento. A temporada aconteceu em setembro de 2017. VALORAÇÃO: R$ 220.686,50

O CCBB Brasília recebeu o musical infantojuvenil CONTOS PARTIDOS DE AMOR em setembro de 2018. Baseado na literatura de Machado de Assis, o espetáculo 54


da diretora Duda Maia, com dramaturgia de Eduardo Rios e trilha sonora original de Ricco Viana, colecionou 12 indicações aos Prêmios Zilka Sallaberry, de teatro infantil, e Botequim Cultural. COMENTÁRIO DE CLIENTE: Você é incrível, você é d+ garoto, apaixonado, Bruno Mariozz

Idealizado por Lelê Marins, o LABORATÓRIO DE PALHAÇAS E PALHAÇOS transformou o DF em um grande picadeiro para a apresentação de 12 espetáculos de palhaçaria, sendo 11 inéditos, além de oficinas, laboratório de direção, rodas de debates e cinema ao ar livre. O evento ocupou, de 5 e 9 de setembro de 2018, espaços no Plano Piloto e outras três Regiões Administrativas.

Timochenko Wehbi, no CCBB BRASÍLIA. A temporada, de estreia nacional do espetáculo, aconteceu em janeiro de 2018. Escrita na década de 1970, a tragicomédia narra a história de um palhaço que tem a sua rotina alterada ao se deparar com um espectador em seu camarim.

Brasília sediou, entre 23 e 29 de julho de 2018, mais uma edição do FESTIVAL SOLOS FÉRTEIS. Teatros e centros culturais receberam extensa e diversificada programação de espetáculos solo, nacionais e internacionais, e atividades com foco na presença, performance e atuação do feminino nas artes cênicas. Integrante da rede internacional – The Magdalena Project, o Festival tem direção e curadoria de Luciana Martuchelli. VALORAÇÃO: R$ 898.730,00

VALORAÇÃO: R$ 366.033,35

Dedé Santana, o eterno Trapalhão, acompanhado do ator Fioravante de Almeida, sob a direção de Alexandre Borges, estrelaram PALHAÇOS, de

Premiado espetáculo do Coletivo Binário na direção de Nando Motta, 180 DIAS DE INVERNO foi construída a partir 55


de texto biográfico do artista plástico Nuno Ramos. A obra narra a história de um homem que enfrenta seus medos e angústias enquanto cuida da esposa doente. A temporada aconteceu na CAIXA Cultural Brasília em agosto de 2018. VALORAÇÃO: R$ 368.219,70

Vencedor de 13 Prêmios, nova versão do clássico de Chico Buarque e Paulo Pontes, GOTA D’ÁGUA [A SECO], passou por Brasília em fevereiro de 2019, no Teatro Unip. Com apenas dois atores em cena, com Laila Garin e Alejandro Claveaux, e outras canções em seu roteiro, adaptação de Rafael Gomes tem direção musical de Pedro Luís. Como ‘a seco’ do título já indica, a montagem busca chegar à essência da história, através dos embates entre os protagonistas, Joana e Jasão. VALORAÇÃO: R$ 595.559,28

Mundialmente considerado o melhor ‘texto teatral sobre memórias’ já escrito por Tennessee Williams, À MARGEM DA VIDA discorre acerca de comoventes laços familiares. A adaptação sob direção de Ivan Chagas, uma mãe solteira, Amanda Wingfield, personagem central da trama vivida pela atriz Eni Braga, impõe-se a responsabilidade pela felicidade de seus dois filhos. A temporada de estreia aconteceu no Teatro do Brasília Shopping em outubro de 2018.

O GRUPO TRIPÉ, com financiamento do FAC – Fundo Apoio à Cultura e apoio do SESC DF, apresentou o premiado espetáculo ENTRE QUARTOS por três Regiões do DF, entre março e abril de 2019. A montagem dá luz à relação entre 56


três jovens que decidem morar juntos. A convivência, ao longo do tempo, desencadeia conflitos que levam a questionamentos sobre liberdade e amizade. VALORAÇÃO: R$ 153.756,00

Depois de passar por nove países e ter realizado uma turnê nacional, o premiado espetáculo MISANTHROFREAK voltou aos palcos de Brasília para apresentações em maio de 2019 no ESPAÇO CULTURAL RENATO RUSSO. Premiado como melhor espetáculo de teatro de 2014 em Brasília pelo Prêmio Sesc de Teatro Candango, Misanthrofreak, de Rodrigo Fischer, é um espetáculo teatral do GRUPO DESVIO que aborda o fracasso, o erro e a dificuldade de tomar decisões de forma poética e lúdica. COMENTÁRIO DE CLIENTE: Clipping responsa demais! Foi bem foda esse trabalho! Gratidao que não cabe!, Rodrigo Fischer

A peça BARCA NÔMADE chegou ao DF, com fomento do FAC, após estreia em Madri. Resultante de uma compilação de textos do poeta, músico e filósofo hindu RABINDRANAZ TAGORE (Nobel de Literatura 1913), o espetáculo, sob a direção da russa IRINA KOUBERSKAYA, e protagonizado por um homem e uma mulher, ANDRÉ AMARO e FERNANDA CABRAL, versa sobre mútua devoção que os leva se defrontarem­com a santidade deste sentimento universal. VALORAÇÃO: R$ 463.240,30 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Recebi o relatório! Obrigado. Você é 10!!!, André Amaro

57


58

Fruto do projeto de manutenção, realizado com recursos do FAC DF, o TEATRO DO CONCRETO estreou, em agosto de 2019, seu nono espetáculo: FESTA DE INAUGURAÇÃO Descoberta de frases deixadas por operários na construção do Congresso Nacional, inspirou o grupo a criar metáforas narrativas que versam sobre desmontes de políticas públicas, silenciamento de grupos minoritários, revisionismos históricos e reflexão sobre a história da arte.

O Teatro da CAIXA CULTURAL BRASÍLIA foi palco, em dezembro de 2019, da peça infanto-juvenil MALALA, A MENINA QUE QUERIA IR PARA A ESCOLA. Uma história real e comovente para inspirar pais e filhos a acreditarem no poder transformador da educação, com canções originais de ADRIANA CALCANHOTTO. O musical é a primeira adaptação teatral do livro-reportagem da premiada autora ADRIANA CARRANCA. A obra teatral foi idealizada pela atriz TATIANA QUADROS e tem direção de RENATO CARRERA e adaptação de RAFAEL SOUZA-RIBEIRO.

COMENTÁRIO DE CLIENTE: Amigo, achei maravi-

VALORAÇÃO: R$ 296.813,27

lhoso! Gratidão por estar ao lado esses anos todos,

COMENTÁRIO DE CLIENTE: Maravilha, Rodrigo. Foi

Francis Wilker

ótimo, Tatiana Quadros


DANÇA


Luís Vaz de Camões em Os Lusíadas. Realização da BRAVO Produções. VALORAÇÃO: R$ 176.524,67

DANÇA EM PAUTA, evento do CCBB Brasília que, em 2006, apresentou 12 criações inéditas na capital federal, interpretadas por sete importantes elencos da dança contemporânea brasileira. Com curadoria da jornalista e crítica de dança Ana Francisca Ponzio, o evento colocou a dança brasileira em foco e também promoveu intercâmbios por meio de workshops e encontros dos coreógrafos com o público. COMENTÁRIO DE CLIENTE: Caro Rodrigo, Gostaria de agradecer a sua gentileza e profissionalismo. Um grande abraço para você. Glauce Milhazes

O GRUPO DE DANÇA PRIMEIRO ATO, com direção artística de Suely Machado, trouxe dois espetáculos a Brasília em 2009. No Teatro Brasília, ISSO AQUI NÃO É GOTHAM CITY – que transporta aos palcos quadros e takes dançados, inspirados no mundo das histórias em quadrinhos e dos desenhos animados, e, no Teatro Nacional Claudio Santono, GERALDAS E AVENCAS – que coloca a prova a plastificação, a padronização e a discussão em torno da ditadura da estética. Patrocínio da Petrobras Distribuidora. VALORAÇÃO: R$ 711.084,97

Em comemoração aos 200 anos da chegada da Corte Real Portuguesa ao Brasil, A COMPANHIA NACIONAL DE BAILADO (CNB) de Lisboa (Portugal), em colaboração com o Instituto Camões/ Embaixada de Portugal, trouxe para a sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Cláudio Santoro, em 2008, apresentação única e gratuita do espetáculo PEDRO E INÊS, que conta a trágica história do romance imortalizado por 60

COMENTÁRIO DE CLIENTE: Olá Rodrigo, tudo bem? Recebi seu material, muito bacana, ficou super organizado. Parabéns também pelo profissionalismo e o alcance que conseguiu dar para nossa temporada em Brasília. Vc é uma das referências que terei de agora em diante. Obrigada. Abraços. Regina Moura – Coordenadora de Produção


estacionamentos, etc., lugares onde se pratica a caça, o assédio. A obra esteve em cartaz no TEATRO HELENA BARCELOS, do Complexo das Artes IDA/UnB, em dezembro de 2010. VALORAÇÃO: R$ 292.143,27

A Sala Villa-Lobos, do TNCS, recebeu, em 2009, a turnê do espetáculo METAMORPHOSES da companhia francesa Ballet National de Marseille. O espetáculo, com elenco de 27 bailarinos, tem cenários e figurinos dos brasileiros Irmãos Humberto e Fernando Campana e coreografia do belga Frédéric Flamand. Inspirado no poema mitológico que desafia e explora a ordem clássica, Metamorfose de Ovídio, o diretor da companhia convidou os consagrados designers brasileiros para desenvolver os cenários e os figurinos, por terem como base de suas criações a transformação de produtos artesanais, a reciclagem e a transgressão das normas estéticas. Patrocínio da 2009, Embaixada da França e GOL Linhas Aéras. VALORAÇÃO: R$ 416.423,34

A ESCOLA DE TEATRO BOLSHOI no Brasil apresentou GRANDE SUÍTE DO BALLET DON QUIXOTE e GISELLE na Sala Villa -Lobos do TNCS em 2011 e 2012, respectivamente. As montagens e produção dos espetáculos são do mestre russo Vladimir Vasiliev. Cerca de 80 bailarinos compõem os elencos destas, que são obras com quase 200 anos de história e umas das preferidas das Companhias de Balé do mundo. VALORAÇÃO (DON QUIJOTE): R$ 313.844,31 VALORAÇÃO (GISELLE): R$ 312.094,10

PERFUME DE AÇOUGUE – homo-pornografia/homoerotismo. Espetáculo da Companhia DANÇA PEQUENA-GRUPO DE DANÇA CONTEMPORÂNEA, fez referência a pontos de encontro homossexuais como saunas, cruising bars, dark rooms, parques públicos,

2010, no ano em que se torna a primeira mulher no mundo a dirigir um 61


espetáculo do Cirque du Soleil, Ovo, Deborah Colker retorna a Brasília com sua premiada companhia de dança para a apresentação de 4 POR 4, obra para 17 bailarinos. As apresentações da CIA DE DANÇA DEBORAH COLKER aconteceram na Sala Villa-Lobos do TNCS. VALORAÇÃO: R$ 727.077,00

mesmo espaço cênico. As intérpretes, JULIA HENNING e MAÍRA MORAES, transitam por um desafiador universo de acrobacias aéreas, percorrendo uma trajetória cênica entre memórias, reprodução, imitação e criatividade. A obra esteve em cartaz no COMPLEXO CULTURAL DA FUNARTE em junho de 2012. VALORAÇÃO: R$ 147.879,04

Inspirado na obra de Francis Bacon, CARCAÇA SENTADA NO ABISMO foi resultado de pesquisa das possibilidades da representação física de uma criação plástica bidimensional. Este sexto espetáculo do DANÇA PEQUENA-GRUPO DE DANÇA CONTEMPORÂNEA, é um solo interpretado pelo bailarino LEANDRO MENEZES, dirigido e concebido por ÉDI OLIVEIRA, coreógrafo e diretor artístico do grupo. A montagem esteve em cartaz no TEATRO GOLDONI, da Casa d’Itália, em outubro de 2012. VALORAÇÃO: R$ 118.548,75

ARENA DELIMITADA POR SUPERFÍCIE de COR, espetáculo criado e dirigido pelo bailarino brasiliense, com carreira internacional, Isaac Araújo, estreou no CCBB BRASÍLIA em sessão de gala na abertura do Seminário Internacional de Dança de Brasília, em agosto de 2014. A concepção da coreografia permeou versões de personalidades e comportamentos que o indivíduo incorpora ao longo de sua vida. VALORAÇÃO: R$ 320.422,74

O QUE ME TOCA É MEU TAMBÉM, sob direção e concepção dramatúrgica de RAQUEL KARRO, é um espetáculo que reúne interpretação e dança aérea no 62


A Anti Status Quo Cia. de Dança estreou DE CARNE E CONCRETO – UMA INSTALAÇÃO COREOGRÁFICA – duas propostas artísticas que se convergem: instalação coreográfica, exposição para visitação durante o dia, e espetáculoinstalação, ambas ocupando o mesmo espaço. O espetáculo e a exposição ficaram em temporada na GALERIA ATHOS BULCÃO, entre novembro e dezembro de 2014. Os trabalhos têm como proposta provocar uma imersão sensorial do público na reflexão sobre a condição humana nas cidades.

O 10º CELLO DANCE, festival de dança, apresentou interações entre violoncelistas e bailarinos, solistas, de companhias de dança do Brasil e do exterior. A programação contou as participações dos violoncelistas DAVE HAUGHEY, MATEUS CECCATO, STEPHEN KATZ, YANIEL MATTOS e DJ MURALHA, e de bailarinos como RODRIGO WERNECK, LIANA VASCONCELOS, PAULA MARACAJÁ, DANILO D´ALMA, RENATA VERSIANI e RENATO VIEIRA CIA DE DANÇA. O projeto ocupou o Teatro da CAIXA CULTURAL BRASÍLIA setembro de 2016.

VALORAÇÃO: R$ 111.787,84

Montagem da companhia alemã CIRCLE OF ELEVEN, o espetáculo LEO desafia a gravidade do espaço e imaginação do público. Estrelado por Julian Schulz, com direção do canadense Daniel Briere, prega peças na percepção da realidade através da interação inteligente da performance ao vivo e projeção de vídeo. O espetáculo encantou a plateia da CAIXA Cultural Brasília em novembro de 2014. VALORAÇÃO: R$ 137.519,28

A CAIXA CULTURAL recebeu temporada da premiada companhia carioca AMOK TEATRO com o espetáculo: SALINA (A ÚLTIMA VÉRTEBRA). Reverenciado pela crítica, o espetáculo para texto do francês LAURENT GAUDÉ, com direção de 63


ANA TEIXEIRA e STEPHAN BROT, cumpriu curta temporada, em junho de 2016. Ambientado numa África imaginária, o espetáculo convida o público a imergir em uma cultura ancestral. VALORAÇÃO: R$ 237.522,29

Em maio de 2016, a companhia paulistana de dança contemporânea CISNE NEGRO CIA. DE DANÇA desembarcou na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA para apresentação do projeto SRA. MARGARETH, montagem que traz em seu roteiro três coreografias: “O Boi no Telhado”; “Sabiá”; e “Sra. Margareth”. A companhia tem direção artística de HULDA BITTENCOURT e DANY BITTENCOURT.

FAC – Fundo de Apoio à Cultura do DF apresentou, em março de 2017 no TEATRO GARAGEM do SESC, EROS - encenação da COMPANHIA TEMPOS DANÇA-TEATRO, com direção, coreografias e concepção da dançarina ELISA TEIXEIRA DE SOUZA. O espetáculo trouxe à cena um mosaico das sensações do amor erótico.

VALORAÇÃO: R$ 162.570,54

Com direção de MARIKA GIDALI e DECIO OTERO, FIGURAS E VOZES, do BALLET STAGIUM, laçou o desafio de investigar o estado de espírito dadaísta, como ele emergiu e suas implicações na nossa contemporaneidade. O espetáculo foi apresentado em junho de 2018 na CAIXA CULTURAL BRASÍLIA. Na estrada desde 64


1971, o Ballet Stagium é a mais longeva companhia de dança em atuação do país. VALORAÇÃO: R$ 259.632,09

O coletivo brasiliense INSTRUMENTO DE VER realizou itinerância por três Regiões Administrativas do DF, nos meses de outubro e novembro de 2018, e viajou para Fortaleza e Rio de Janeiro, com PORUMTRIZ. Espetáculo autobiográfico traz à cena memórias vividas pela atriz, bailarina e acrobata BEATRICE MARTINS. Com direção de RAQUEL KARRO, a montagem apresenta um potente diálogo entre as artes do circo, do audiovisual, dança e teatro. A circulação contou com o fomento do FAC - Fundo de Apoio à Cultura do DF, e o Prêmio FUNARTE DE CIRCULAÇÃO DE ESPETÁCULOS CIRCENSES.

A obra MICROUTOPIAS COTIDIANAS AGLUTINANTES DO LUGAR da ANTI STATUS QUO COMPANHIA DE DANÇA [30 anos], entre as mais atuantes e respeitadas companhias de dança contemporânea do Centro-Oeste, foi apresentada com fomento do FAC em fevereiro e março de 2019. Itinerante e contemplativa, a montagem mergulha na experiência do corpo no cotidiano e no espaço urbano misturando as linguagens da dança, da fotografia e da intervenção urbana. As apresentações tinham início no CENTRO DE DANÇA DO DF. VALORAÇÃO: R$ 318.770,68 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Adorei trabalhar com vc. Fiquei tão tranquila. Sabia que ia ser um arraso., Luciana Lara

VALORAÇÃO: R$ 206.245,50

65


A ESCOLA DO TEATRO BOLSHOI NO BRASIL desembarcou no TEATRO DA CAIXA CULTURAL BRASÍLIA, em setembro de 2019, com a peça: GALA BOLSHOI. Composto de dois atos, de dança clássica e dança contemporânea, o espetáculo apresenta coreografias que destacam o talento individual de integrantes do Bolshoi no Brasil, fruto da dedicação e da prática diária. No elenco, estão alunos da Escola e da sua Cia. Jovem. VALORAÇÃO: R$ 605.551,75

66

A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA recebeu, em novembro de 2019, ROOTS, espetáculo interpretado por THIAGO SOARES (primeiro bailarino convidado do Royal Ballet de Londres) e DANILO D'ALMA (bailarino e coreógrafo reconhecido no cenário das danças de rua do Rio). A obra promove o diálogo entre a dança de rua contemporânea e o balé clássico na direção de Renato Cruz e Ugo Alexandre.


IDEIAS


PENSAMENTOS INSTIGANTES, ciclo bimestral de palestras realizado em 2006 e 2007, promovido pelo CCBB e com produção de Regina Rosa. Cada palestra enfocou um pensador e um sistema de idéias apresentados por filósofos e comentados por artistas ou cientistas, que em seus trabalhos tenham sido influenciados, direta ou indiretamente, pelo pensador em questão. Assessoramos o projeto por dois anos, em um total de 12 encontros no CCBB Brasília. COMENTÁRIO DE CLIENTE: Gatíssimo... Tu é tudo, hein? Demais Parabéns. Vamos fechar com chave de platina, porque de ouro foi o ano todo. Beijos, Regina Rosa

MOVIMENTO HOTSPOT – Prêmio de inovação – apresenta o trabalho de criativos brasileiros selecionados via plataforma online. O festival, que passou por 10 capitais brasileiras, teve sua estreia em Brasília, em 2013, na sede do Sebrae Nacional. O projeto busca, expõe e premia novos talentos da criatividade em 11 áreas (arquitetura, beleza, cenografia, design, design gráfico, filme, fotografia, ilustração, moda, música e novas ideias). O Festival tem realização da Luminosidade com patrocínios da Vale e da Riachuelo e apoio do Sebrae Nacional. VALORAÇÃO: R$ 1.545.665,45

VERTENTES LITERÁRIAS, instigantes encontros com escritores. Nélida Piñon, Mário Bortoloto, Mamede Jarouche, Lourenço Mutarelli, Moacyr Scliar e Ignácio de Loyola Brandão falaram de suas obras e processos. No CCBB Brasília, em 2006, com produção de Regina Rosa.

68

A proposta do ARTE E VANGUARDA, apresentado pelo CCBB Brasília em 2010, foi a de pensar e discutir a internet no que ela tem de mais radical como suporte para as várias artes: música, literatura, teatro, artes plásticas e fotografia, explorando seu potencial artístico e


crítico, que estão revolucionando nossa vida e a arte no mundo contemporâneo. COMENTÁRIO DE CLIENTE: Ei, Rodrigo, parabéns querido! O seu trabalho é sempre excelente! Beijão, Bia Gonçalves.

O II SIMPÓSIO DE CRÍTICA DE POESIA, coordenado por Sylvia Helena Cyntrão, apresentou, em 2010, a relação da poesia com as variadas manifestações artísticas e as mídias atuais, trazendo à tona uma rica reflexão acerca dos diferentes cenários e formas de falação e construção da poesia contemporânea. Em seis mesas de debate, cada uma com dois palestrantes e um mediador, e oito mesas de comunicação, pesquisadores de diversos estados brasileiros apresentaram seus trabalhos em sessões abertas a estudantes e interessados no Museu Nacional da República e na UnB.

192ª FESTA DO DIVINO DE PIRENÓPOLIS, o sagrado e o profano; a realeza e o popular; a diversidade e a singularidade. A Festa do Divino Espírito Santo de Pirenópolis, considerada uma das mais expressivas celebrações do Espírito Santo no país, pelo grande número de rituais, personagens e componentes, como as Cavalhadas de mouros e cristãos e os Mascarados montados a cavalo, vem sendo realizada anualmente desde 1819. Os rituais têm início na Páscoa e seguem até o domingo seguinte ao feriado de Corpus Christi. O clímax da festa se dá no Domingo de Pentecostes ou do Divino, cinquenta dias após a Páscoa, com as Cavalhadas. A 192ª Festa do Divino de Pirenópolis foi realizada de 30 de abril a 25 de maio de 2010, em Pirenópolis-GO. VALORAÇÃO: R$ 1.066.771,01 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Que ótimo!! Este é um momento histórico... é a primeira Festa do Divino Espírito Santo que tem um assessor de imprensa... Abraços, Gedson Oliveira

VALORAÇÃO: R$ 121.006,45

Em formato de talk show, o LABORATÓRIO DO ESCRITOR propôs, em 2007, no CCBB Brasília. desmistificar a relação com a escrita ao colocar o autor diante de questões por eles pouco exploradas, tais como o branco, a relação com a mídia, o difícil começo de uma carreira e o 69


modus operandi de uma narrativa. Participaram do projeto Paulo Lins, Milton Hatoum e Lya Luft. Curadoria da editora Verso Brasil.

com direçãode Regina Rosa. VALORAÇÃO: R$ 206.241,88

COMENTÁRIO DE CLIENTE: Obrigada por tudo, Rodrigo, abração, Lya Luft

POESIA NO JARDIM DA FILOSOFIA, com sede nos jardins do CCBB Brasília, o projeto promoveu, em 2008, a palavra e a arte por meio de encontros com grandes nomes como Zeca Baleiro, Elisa Lucinda, Chacal e Fabrício Carpinejar. Apresentação de Viviane Mosé e produção e curadoria de Regina Rosa. VALORAÇÃO: R$ 407.178,72

O CCBB trouxe para Brasília, em 2013, o projeto FILOSOFIA DO ROCK – ANO II, uma série de encontros para desvendar as afinidades entre o Rock e as correntes filosóficas contemporâneas. Mestre e doutora em Filosofia, Marcia Tiburi esteve à frente dos encontros que tiveram como convidados destaques do cenário da cultura nacional como Zélia Duncan, Nelson Motta, Thedy Corrêa, Leoni, Wander Wildner e Elisa Gargiulo, que durante os encontros fizeram a plateia refletir sobre as questões antropológicas e históricas que definem o rock como fenômeno cultural. A série teve produção da R. Godoy Marketing e Cultura, 70

FESTA LITERÁRIA DE PIRENÓPOLIS. A festa promove uma extensa e dinâmica programação com atividades, como contação de histórias, falação de poesia, bate-papos com escritores, lançamentos de obras literárias inéditas e oficinas para adultos, jovens, crianças e professores, além de uma exposição de artes plásticas, mostras cinematográficas e shows musicais. Todas as atividades são gratuitas e muitas delas apresentadas por artistas de Pirenópolis. Assessoramos a I, II, III e IV edições do evento, de 2009 a 2012. Patrocínio da Secretaria de Cultura de Pirenópolis, BNDS e Petrobras. VALORAÇÃO: R$ 5.336.999,66


Veríssimo, Marina Colasanti, Zuenir Ventura e Nelson Motta. Já o elenco de atores para interpretar as obras dos escritores pariticipantes foi composto por nomes como Cássia Kiss, Diogo Vilela, Christine Fernander e Vera Holtz. Produção de Marcelo Andrade. VALORAÇÃO: R$ 1.238.437,93 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Oi, Rodrigo! Já estou em Porto Alegre, deu tudo muito certo ontem, obrigada

RADIOGRAFIA CULTURAL: PERIFERIA E ARTE NO DF, ciclo de debates, saraus, mostra de vídeos, shows de hip-hop e rock, oficinas de grafite,peças teatrais e difusão da programação de três rádios comunitárias. Estas foram as atrações do projeto que aconteceu em 2012 no CCBB Brasília, na Universidade de Brasília e em outros locais públicos. O projeto teve curadoria da jornalista Beatriz Carolina Gonçalves e do produtor Luiz Nunes.

pelo carinho. Um beijo! Martha Medeiros

VALORAÇÃO: R$ 455.707,95

ESCRITORES BRASILEIROS. Ao longo de 2011, grandes nomes da literatura e da atualidade se encontraram no Teatro I do CCBB Brasília em prol da literatura, com o propósito de contribuir com o desenvolvimento do hábito da leitura, a fim de formar cidadãos mais críticos e conscientes. Como convidados, os escritores Martha Medeiros, Luis Fernando

A LIC (Lei de Incentivo à Cultura), a Secretaria de Estado de Cultura, o Governo do Distrito Federal e a Oi apresentaram em 2015 o projeto MAPA GENTIL – ARTE URBANA EM TRÂNSITO, o maior roteiro cultural de arte urbana do DF. Os jogos de arte do Mapa Gentil, aplicados em escolas da Rede Pública de Ensino, motivaram alunos do ensino médio a criarem placas com mensagens motivadoras e de cunho social que foram afixadas em Taguatinga Sul. O projeto, desde 2012, 71


oferece, gratuitamente, oficinas de arte urbana a alunos de diferentes RAs do DF.

Evaristo, Paulina Chiziane, Patricia Hill Collins, Elza Soares, Mart’nália, Fabiana Cozza, YabaBlay e o ex-Presidente Lula. VALORAÇÃO: R$ 5.779.927,32

72

Ao longo de uma série de sete debates, o ARTE & CIÊNCIA reuniu grandes nomes das ciências e das artes no CCBB Brasília em 2015, com o objetivo discutir a interrelação entre cultura científica, cultura humanística e artes. Abordou temas estimulantes e atuais, como o papel da razão, da memória e da imaginação no mundo contemporâneo; os dilemas éticos envolvidos nas pesquisas genéticas; o poder das artes e da música para o bem-estar psicológico, as fronteiras filosóficas da física e da cosmologia. Programa com patrocínio do CCBB, curadoria de Bia Gonçalves e produção da Texto Intermídia.

FAC – Fundo de Apoio à Cultura e SESC DF apresentaram as II e III Edições da JORNADA LITERÁRIA DO DISTRITO FEDERAL, programa de longa duração envolveram mais de 15 mil pessoas, moradoras do Distrito Federal. As cerca de 40 atividades, gratuitas, de fomento à leitura e formação de novos leitores, foram ministradas por 40 escritores, entre romancistas e poetas, e ilustradores e quadrinistas de todo o Brasil. O projeto tem curadoria de JOÃO BOSCO BEZERRA BONFIM e produção de MARILDA BEZERRA.

LATINIDADES – FESTIVAL DA MULHER AFRO-LATINO-AMERICANA E CARIBENHA reúne personalidades e artistas de vários estados brasileiros, Estado Unidos e de países da América Latina e África em prol da igualdade racial e enfrentamento ao racismo e ao sexismo. Consolidado como o maior festival de mulheres negras da América Latina, prestigia a cultura afro com a realização de ampla programação artística com shows, oficinas, exposições e lançamentos literários. Já participaram do Festival nomes como Gabi Amarantos, Angela Davis, Shirley Campbell Barr, Conceição

GREEN NATION trouxe experiências interativas, sensoriais e emocionais para


em Brasília. Tratar de temas como água e sustentabilidade por meio de uma série de experiências interativas, sensoriais e emocionais, o festival multimídia promoveu momentos de diálogo e diversão com o objetivo de despertar novas atitudes no cotidiano das pessoas. Em sua quarta edição – a primeira fora da capital fluminense – ocupou a VILA CIDADÃ, área gratuita e aberta ao público, dentro do 8º FÓRUM MUNDIAL DA ÁGUA, em março de 2018.

O GRUPO DE CAMINHADAS BRASÍLIA – GCB é um espaço aberto para praticantes de caminhadas que se organiza de forma voluntária e colaborativa, para contemplar o cerrado e promover o cuidado com a natureza. Em maio de 2017, o GCB foi convidado pelo ICMBIO para pensar um complexo de trilhas dentro da Floresta Nacional de Brasília - FLONA. Desde então, o GCB estudou mapas e o Plano de Manejo da Unidade, fez desenhos, participou de treinamentos e reuniões com o ICMBIO e apresentou o projeto dos CAMINHOS DA FLONA, implementado em março de 2018.

CAMINHADOWN – Uma caminhada pela inclusão. Evento tem o intuito de comemorar o dia INTERNACIONAL DA SÍNDROME DE DOWN, afirmar direitos das famílias e pessoas com deficiência intelectual e aproximar a sociedade do tema em busca de uma inclusão efetiva. A caminhada é organizada pela ASSOCIAÇÃO DF DOWN, FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE SÍNDROME DE DOWN, INSTITUTO ÁPICE DOWN, MOVIMENTO DOWN, ASSOCIAÇÃO DE PAIS, AMIGOS E PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, FUNCIONÁRIOS DO BANCO BRASIL- APABB e DIÁRIO DA INCLUSÃO, e tem público crescente a cada ano. COMENTÁRIO DE CLIENTE: Amei!!! Divulgação ótima! Estamos emocionados de ter um parceiro tão do bem!, Melina Sales

73


sócio-produtiva, consumo consciente, valorização e fortalecimento da cultura e economia local, engajamento e educação para a sustentabilidade. O projeto culminou com a realização de um festival com as participações do PATUBATÊ, MUNTCHAKO e LENINE. VALORAÇÃO: R$ 930.827,70 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Foi lindo! Formamos um ótimo time!!, Rachel Rosa

A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA promoveu, em novembro de 2019, o curso ARTE AFRICANA: UMA INTRODUÇÃO, ministrado por RENATO ARAÚJO DA SILVA, filósofo formado pela Universidade de São Paulo (USP) e curador de inúmeras exposições pelo país. O curso investiga as condições sociais, econômicas e culturais que se engendraram historicamente e permitiram a criação de estéticas específicas entre as diversas etnias e culturas africanas. VALORAÇÃO: R$ 106.150,00 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Valeu, querido. Achei o resultado bem positivo, Gustavo

Com patrocínio da CLARO, via LIC - Lei Incentivo à Cultura do DF, a JM TECNOLOGIA EM EVENTOS e a ATITUDE BRASIL realizaram, em outubro de 2019, o MOVIMENTO FACES. Como pilares do evento, estão economia criativa, inclusão 74

A OI realizou, em setembro de 2019, o BRAZILIAN INTERNATIONAL GAMES SHOW (BIGs), a mais nova feira de tecnologia do país. Ocorrido no GINÁSIO NILSON NELSON, a feira ofertou não apenas formas variadas de entretenimento, mas também meios de expandir o conhecimento através de diferentes tipos de experiências educativas e divertidas. O evento trouxe ainda competições [ao vivo] de e-Sports, meet & greet com YouTubers e concurso de cosplay.


CINEMA


assessoria. Inserido no Calendário Oficial de Eventos do DF, em 2017, a mostra competitiva exibe curtas e longas metragens nacionais, realiza debates, com cineastas, e bate-papos entre cineclubistas. A programação conta ainda com painéis sobre o mercado audiovisual. Produção e curadoria de WILLIAM ALVES e NÔGA MARIA. VALORAÇÃO: R$ 926.591,00

ANIMA MUNDI BRASÍLIA 2008 – em 6 dias de evento no CCBB Brasília, foram exibidos 39 das melhores filmes de animação apresentados nas edições carioca e paulista do festival, dentre eles os grandes vencedores da edição 2008. Foi realizada ainda oficina de pixilation, animação feita com pessoas de carne e osso, como se fossem bonecos. Os participantes se fantasiam e criam estórias e movimentos absurdos, fazendo poses quadro a quadro. Patrocínio da Petrobras. VALORAÇÃO: R$ 439.282,55 COMENTÁRIO DE CLIENTE: Rodrigo, Parabéns. Excelente retorno de mídia. Marco Marra, Gerente de Comunicação do CCBB Brasília

O CCBB Brasília apresentou em 2011 a primeira mostra internacional da América Latina dedicada exclusivamente a filmes interativos. A MOSTRA INTERNACIONAL DE FILMES INTERATIVOS, com curadoria de Filipe Gontijo, exibiu 15 filmes de Israel, EUA, Portugal, Inglaterra, Nova Zelândia, República Tcheca e Brasi, pioneiros e atuais, exemplos do que há de mais moderno na sétima arte e que um dia foi visto como utopia – a possibilidade de o público interagir e mudar o rumo que um filme irá tomar. VALORAÇÃO: R$ 850.798,07

Com realização da ASSOCIAÇÃO CULTURAL FAÍSCA e apresentação do FAC - DF, o Complexo Cultural TEATRO DA PRAÇA recebeu as 8ª, 9ª e 12ª edições do FESTIVAL TAGUATINGA DE CINEMA, sob nossa 76


A CAIXA Cultural Brasília apresentou, em fevereiro de 2015, DAVID LYNCH – O LADO SOMBRIO DA ALMA. Grande mostra com a exibição da filmografia completa do diretor estado-unidense. Foram apresentados ao todo 42 filmes entre seus longas-metragens, curtas, filmes que produziu ou apenas atuou, suas séries para tevê, material exclusivo para a internet, comerciais para a TV, além de documentários sobre sua trajetória e os que participou. Curadoria de Mário Abbade e produção local da Villa-Lobo Produções. VALORA.ÇÃO: R$ 287.517,89

EL DESEO – O APAIXONANTE CINEMA DE PEDRO ALMODÓVAR, mostra que reuniu 19 longas do diretor espanhol e realizou debate sobre a sua obra na CAIXA CULTURAL Brasília em julho de 2015. A programação, com curadoria da especialista na obra do cineasta, Sílvia Oroz, e do jornalista, Breno Lira Gomes, exibiu 21 filmes, incluindo todos os longas-metragens do diretor e dois documentários sobre sua vida e obra. A mostra apresentou o

cineasta que subverte o cinema e a estética em busca de uma história emocionante, o que realmente faz de Almodóvar um diretor singular e, por vezes, visionário. VALORAÇÃO: R$ 385.071,57

Com a proposta de valorizar a produção cinematográfica da Capital Federal, o CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL BRASÍLIA apresentou: CAPITAL NA TELA – A CAPITAL EM PRIMEIRO PLANO. A mostra, sob curadoria de FERNANDO TOLEDO, promoveu o encontro dos brasilienses com as produções cinematográficas realizadas em monumentos e espaços públicos da sua cidade. Os filmes foram projetados na área externa do CCBB.

O cinema brasileiro invadiu o CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL BRASÍLIA, em agosto de 2017, com a realização do FESTIVAL DE CINEMA BB DTVM. Foram projeções, ao ar livre e na sala de cinema, de 25 longas-metragens além de shows com Luciana Mello, Léo Maia, O Tarot e 2 Reis, tudo de graça. O projeto teve realização da BB DTVM e produção da VILLA-LOBOS PRODUÇÕES.

77


curtas-metragens produzidos em Brasília, com isso, apresentou um panorama da recente produção cinematográfica da Capital Federal. O BRASÍLIA EM PLANO ABERTO teve curadoria de MAURÍCIO WITCZAK e WOL NUNNES, e produção da GUINADA PRODUÇÕES. VALORAÇÃO: Que maravilha meu querido . Excelente trabalho!!, Maurício Witczak

Com apresentação do FAC – Fundo de Apoio à Cultura, e patrocínio do BRB – BANCO REGIONAL DE BRASÍLIA, o CINE CULTURA, do Shopping Liberty Mall, recebeu festival de 12 dias em celebração à vida e obra do ator GRANDE OTHELO. Programação inclui a exibição de 29 filmes, estrelado pelo artista, Master Class, Debate e Sessões Especiais. GRANDE OTHELO – O MAIOR ATOR DO BRASIL teve curadoria de BRENO LIRA GOMES e JOÃO MONTEIRO e produção da VILLA -LOBOS PRODUÇÕES.

A SÉTIMA CINEMA realiza o CURTA BRASÍLIA – Festival Internacional de Curta-Metragem. Em suas sete edições, o Festival convida o público a mergulhar no audiovisual e a experimentá-lo além da grande tela do CINE BRASÍLIA, sede do evento. Instalações para exibição de filmes, fóruns, bate-papos, debates, cenografia interativa, mostras internacionais, projeções mapeadas se juntam às demais mostras já tradicionais do Festival. De caráter competitivo, o Curta Brasília premia curtas de todo o Brasil. Idealizado por ANA ARRUDA, o festival tem produção da SÉTIMA CINEMA. VALORAÇÃO: R$ 6.372.910,63

Com fomento do FAC e apresentação do BANCO DO BRASIL, Brasília recebeu duas edições da mostra BRASÍLIA EM PLANO ABERTO nos anos de 2018 e 2019. O projeto consistiu em exibir 96 78


O FAC – Fundo de Apoio à Cultura do DF, apresentou a 2ª Ed. da Mostra de Filmes de Arquitetura - CINEMA URBANA. Com o tema Memórias em Construção, o evento aconteceu em outubro de 2019 no SETOR COMERCIAL SUL, no CINE DRIVE-IN e nos INSTITUTOS FEDERAIS do RECANTO DAS EMAS e SAMAMBAIA. Além da exibição de filmes, foram realizados painéis temáticos, palestras com pesquisadores [brasileiros e estrangeiros] e intervenção artística em espaço público, tudo com entrada franca. VALORAÇÃO: R$ 522.290,00

79



No mercado da comunicação desde 2001, já assessorei criações idealizadas e desenvolvidas por mais de 800 artistas, intelectuais, ativistas, grupos e companhias de renome nacional e internacional. Este portfólio traz alguns destaques. O número de projetos atendidos, com vistas a alcançar a imprensa local, nacional e internacional, ultrapassa 550, entre solos, mostras, ações, festivais e programas percorrendo todas as áreas da cultura, política, gastronomia, entretenimento e meio ambiente. Dos SERVIÇOS que ofereço, ao lado de equipe de profissionais experientes, estão: Assessoria de imprensa; Gestão de mídias sociais; Planejamento e execução de mídia paga, estimulada, espontânea e transmídia; Clipping, valoração, minutagem e centimentragem de mídia estimulada e espontânea; e Análise crítica de clipping. No perfil do ISSUU (issuu.com/territorio.comunicacao), publico clippings de trabalhos realizados. Em 2018, vencemos o PRÊMIO PROFISSIONAIS DE MÚSICA na categoria MELHOR AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO.

Um caloroso abraço a todas e todos, Rodrigo Machado +55 61 9.8654-2569 rodrigomachado@territoriocomunicacao.com Facebook e Instagram: @territorio.comunicacao



Ficha técnica projeto gráfico Tiago Gomes Miranda e Vitor Borysow textos Rodrigo Machado revisão e editoração eletrônica Vitor Borysow impresso em março de 2020

83



Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.