__MAIN_TEXT__

Page 1

CAMPOS DOS GOYTACAZES, RIO DE JANEIRO • 21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

Nas bancas por R$ 1,50

NÚMERO 225 Foto: Carlos Grevi

Expectativa e dúvidas | Verônica Marques e seu filho Nycollas Fernando aguardam reinício das aulas

O desafio da volta às aulas em Campos no sistema híbrido

Comunidade escolar e especialistas têm opiniões divergentes; aulas começam a partir de 8 de março

PÁGINA 03

Jardim S. Benedito ainda em estado de abandono

Um aniversário sem festas,

mas cheio de tradição

Descaso com um dos principais espaços de lazer da cidade começou no governo anterior PÁGINA 07

NAYARA LIMA NA COLUNA CARLOS FREDERICO

Bloco Os Psicodélicos completou 53 anos no dia 6 de fevereiro, CAPA porém, a pandemia cancelou as comemorações

PÁGINA 09

HERMINIA SEPULVEDA PÁGINA 07

JULIANA RIBEIRO PÁGINA 10

Abuso psicológico ganha espaço nas redes sociais

Segundo especialista, tanto a vítima quanto o PÁGINA 11 abusador precisam de tratamento

Luciene Peixoto

Joana Cabral


Revisão com Consulta de Preenchimento de um aconselhamento pós-teste Aconselhamento questionário de saúde e entrega de relatório Baseado risco individual comcom auxílio dos testes genéticos, Genético antes dano consulta e envio e familiar final ao paciente com as orientações présão defi nidas condutas para prevenção e diagnóstico precoce. O processo até 3 dias antes ao médico.

envolve três etapas:

teste genético.

orientações adequadas.

Tem dúvidas, quer saber mais ou se interessou pelo Aconselhamento Genético e predisposição hereditária ao câncer? Fale com nossos especialistas:


PÁGINA

03

Especial

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

Fotos: Carlos Grevi

Volta às aulas com dúvidas e incertezas Retorno gradual a partir de 8 de março com classes remotas e presenciais começará pela educação infantil Ocinei Trindade O início do ano letivo em 2021 com pandemia de Covid-19 é cercado por polêmicas e inseguranças. Sem vacinação em massa, professores, estudantes e pais questionam se é adequado voltar à sala de aula. O governo estadual sinalizou para o retorno gradual a partir de 1º de março de modo híbrido (presencial e remoto). A Prefeitura de Campos dos Goytacazes decidiu pelo mesmo formato a partir do dia 8, a começar pela educação infantil. A decisão gerou críticas por parte dos profissionais e pais, mas agradou a uma parte significativa da sociedade que apóia as aulas presenciais, mesmo aos poucos. A Prefeitura de Campos desenvolveu o Plano de Implantação do Modelo Híbrido nas Unidades Escolares para funcionamento do ensino infantil e fundamental, prevendo a presença de até 30% dos estudantes nas unidades, com aumento escalonado de acordo com os critérios relacionados às fases epidemiológicas. São considerados os níveis de contaminação da Covid-19 no município e o cumprimento de protocolos de saúde na escola. A educação infantil nas escolas públicas e particulares de Campos iniciará atividades entre 8 e 29 de março. A rede municipal vai começar com 10% das unidades escolares, ampliando para 50% das unidades em até 30 dias; e o total de escolas em até 60 dias. As aulas híbridas para o Ensino Fundamental em todas as escolas públicas e privadas terão início entre 22 de março e 22 de abril. “Não se trata ainda de um retorno presencial, mas um modelo prudente e responsável, sem perder o foco na proteção dos profissionais da educação, alunos e seus familiares. Com base em evidências científicas e diretrizes dos Governos do Estado e Federal, o planejamento busca garantir a segurança sanitária com o menor risco possível para a comunidade escolar”, explicou o secretário de Educação, Marcelo Feres. Para o advogado do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino, Bruno Lannes, a decisão é positiva. "O importante é que houve a anuência do Ministério Público na condução dos trabalhos e, portanto, o plano seguirá. Óbvio que o andamento e a evolução estão atrelados aos índices de segurança epidemiológica", comentou. A promotora da Infância e Juventude, Anik Rebello, informou que o Ministério Público acompanhará a retomada das aulas e o cumprimento das medidas de segurança. "Foi solicitada apresentação de calendário com estimativas para a vacinação de professores, e assegurado que o retorno dos estudantes será facultado a cada família, consideradas as peculiaridades de cada aluno, mantendo-se a oferta de ensino remoto aos que assim desejarem", disse em nota. A coordenadora do Sindicato dos Profis-

Reunião Técnica | Ministério Público, Sindicatos, pais de alunos e Conselho Tutelar debateram sobre o retorno às aulas sionais de Educação, Odisseia Carvalho, afirmou que o órgão é contra o retorno de atividades presenciais nas escolas em todo o Estado do Rio. "Foi aprovada a Greve pela Vida. O secretário Marcelo Feres compreende a posição do SEPE no que se refere ao não retorno de aula presencial sem vacinação. Nossa posição é preservar a vida não só do profissional de educação, como também dos alunos. Nossas escolas não têm condições de receber os alunos com limpeza absoluta, com trabalho para proteção. Defendemos a vida. Retorno às aulas presenciais somente com vacina”, disse. Questionamentos Em frente ao Liceu de Humanidades de Campos, tradicional escola estadual, a reportagem conversou com a técnica de enfermagem, Verônica Marques, e com o seu filho, Nycollas Fernando. Aos 11 anos, ele está matriculado para cursar o 6º ano. O menino estudava em uma escola particular no bairro Eldorado, em Guarus. A mãe foi à instituição em busca de informações sobre como serão às aulas a partir de 1º de março, mas saiu com incertezas. "Não ficou claro como o Nycollas será orientado nas aulas remotas. Também não foi dito se ele terá acesso às aulas presenciais. No ano passado, apesar de ser à distância, ele teve toda atenção na escola particular. Com a crise financeira, optei pela escola pública, mas ainda não sabemos como será no Liceu", disse Verônica. A Secretaria Estadual de Educação afirmou que as unidades escolares não poderão desenvolver atividades presenciais enquanto o município estiver nas bandeiras vermelha e roxa, conforme a classificação de risco da Secretaria de Estado de Saúde. Nesse retorno, a prioridade é atender 70 mil alunos em situação de maior vulnerabilidade social, cerca de 10% da rede estadual. Por não possuírem dispositivo eletrônico para

considerar as condições sanitárias do município. Uma pesquisa interna identificou que alunos, professores e funcionários se sentem inseguros sobre aulas no campus. "Enquanto essas incertezas permanecerem, continuaremos prestando os nossos serviços educacionais com a excelência de sempre de maneira remota em nossas graduações, mestrados e doutorado", explicou. O Instituto Federal Fluminense ainda avaliará a possibilidade de retorno de atividades pedagógicas presenciais regulares em 2021, assim como a revisão dos protocolos de biossegurança demandada pelo retorno. "No conjunto de ações também serão tratados os calendários acadêmicos de 2021 e a definição dos processos de acesso aos cursos da instituição. Tal análise ocorrerá ainda que o Governo do Estado do Rio de Janeiro tenha prorrogado o estado de calamidade pública, em virtude da situação de emergência decorrente da Covid-19", informou o pró-reitor de Ensino, Carlos Artur Arêas. A Universidade Estadual do Norte Fluminense foi procurada, mas não respondeu sobre retorno presencial. De acordo com a Associação dos Docentes (Aduenf), no dia 11 foi rejeitada veementemente o retorno às aulas presenciais enquanto não houver segurança sanitária. Foi defendida a inclusão digital dos estudantes para manutenção das atividades remotas.

ENQUETE ON-LINE Mãe e filho| Verônica Marques e Nycollas foram ao Liceu buscar informações acompanharem as aulas remotas, os estudantes poderão ir à escola em sistema de revezamento para tirar suas dúvidas e ter acesso a recursos de áudio e vídeo. Pais e responsáveis também poderão optar pelo ensino exclusivamente remoto, caso desejem. Preocupação Para a pedagoga e professora Jovana Paiva, o retorno às aulas presenciais é arriscado. Ela considera a suspensão para reduzir a disseminação do Coronavírus. "Para o momento não é adequado, uma imprudência eu diria. Essa proposta será viável após a população ter sido vacinada. A retomada das aulas deveria ocorrer com a doença epidemiologicamente controlada. Aí sim, a preparação das instituições de ensino de Campos seguindo o protocolo de segurança se fará necessário. O ensino remoto é a proposta adequada para este momento", avalia. A profissional de ensino se preocupa com a exclusão escolar. "Há impactos negativos na aprendizagem e no desenvolvimento socioemocional dos estudantes, causados pelo isolamento social e pelo afastamento da escola. Porém, no ambiente escolar,

me preocupa a falta do afastamento social (físico), o relaxamento nas medidas sanitárias de contenção do contágio e a propagação do vírus. O momento é de intenso aprendizado para pais e professores". Universidades O retorno às aulas presenciais nas instituições de ensino superior também gera debates. De acordo com o diretor de marketing da Universidade Candido Mendes, Rodrigo Lira, o ano letivo deve

Antes da decisão da Prefeitura de Campos pelo sistema híbrido de retorno às aulas, o Terceira Via lançou em suas redes sociais uma enquete para saber da população a preferência pela forma de ensino (presencial, on-line ou híbrida). A postagem no Facebook envolveu mais de 26 mil pessoas com centenas de compartilhamentos e comentários. Pelas respostas, a maioria optou pela forma remota ou on-line. A reportagem selecionou alguns comentários dos internautas. "Só seria possível um retorno presencial seguro se apenas os serviços essenciais mercado, hospital e farmácia - atendessem presencialmente. Sem isso, o retorno às aulas presenciais é uma tragédia anunciada". (Vansan Gonçalves) "Imaginem as salas cheias. Crianças irão permanecer com máscaras, sem tocar em nada? A contaminação vai espalhar muito mais" (Beatriz Menezes) "Prefiro o híbrido porque seria uma maneira a ser estudada para o retorno presencial permanente" (Mônica Alves)

Jovana Paiva critica retorno presencial

"Aula presencial só com vacina! Vacinem os profissionais da educação" (Priscila Reis)


PÁGINA

04

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

AloysioBalbi Com Girlane Rodrigues

“Castor é o bicho”, embora tenha sido sempre chamado de Doutor Castor.

Carrefour reforma Makro para virar novo Atacadão A rede Carrefour iniciou as adaptações na Makro, na entrada de Campos, que estava fechada desde o ano passado. Como já noticiamos aqui, vai virar Atacadão da rede de origem francesa, que já mantém um outro na altura do quilômetro 10 em Guarus. A ideia é colocar o novo Atacadão para funcionar no final deste semestre, gerando cerca de 230 empregos diretos. Preço do petróleo sobe e terá reflexo nos royalties Apesar de tudo, parece que as coisas estão começando a melhorar. O preço do petróleo, depois de andar de joelhos, começa a reagir. Notícia ruim para quem usa gasolina, mas boa para os municípios produtores de petróleo. O preço vem subindo e o dólar, com o qual é comprado, não vem caindo. Os royalties tendem a engordar um pouco. Digamos, pouca coisa. Grupos da Itália e da Espanha estão chegando Dois grupos estrangeiros estão se aproximando da região e nada tem a ver com petróleo. Um é de bandeira italiana e outro Espanhola. São dois projetos que estão sendo segredados, mas que serão expostos ainda neste semestre. Ambos vão gerar um bom punhado de empregos. Antes que perguntem, não tem relação alguma com o Açu e as atividades são distintas. Plantio de soja já é uma realidade em Campos O plantio de soja em Campos começa a ganhar corpo, embora os produtores, neste primeiro momento, estejam colhendo para consumo próprio, ou seja para a engorda do gado. Por enquanto, a maior plantação de soja de Campos é da Fazenda Abadia, na margem esquerda do Rio Paraíba do Sul. Castor é o Bicho Está bombando do Globoplay o documentário “Doutor Castor” que conta a história do bicheiro mais poderoso do país, com tentáculos no futebol, carnaval e na sociedade. Um bom documentário que ficaria melhor com o nome

Radionovela 1 Acaba de ser concluída a radionovela sobre o caso “Mota Coqueiro”, o último brasileiro executado com base na lei de pena de morte que vigorava no Brasil. Alunos de um projeto da Uenf e também gente grande como os professores Hélio Coelho e Silvia Paes emprestaram suas vozes para dar vida ao texto de Waldir Carvalho e Gastão Machado, sob a direção da professora Simone Teixeira. Radionovela 2 A radionovela tem 16 capítulos que contam uma história verídica, que aconteceu aqui bem pertinho, mais precisamente em Conceição de Macabu, ao tempo em que essa cidade era distrito de Macaé. A confusão foi lá, mas Mota Coqueiro acabou enforcado em Macaé em um lugar que hoje é pátio de uma escola. Para muitos, ele era inocente e rogou uma praga de 100 anos sobre Macaé antes de morrer. A novela vai estar no ar rapidinho. Mais portas fechadas Um cartaz na porta resume a história de um estabelecimento comercial que, por quase 50 anos, funcionou na esquina da Rua Barão de Amazonas com Avenida Alberto Torres, área central de Campos. “Fim de um ciclo”. Ali, funcionou a Foto Menezes, sapataria Menezes, Beleza Natural Cosméticos e Cosmética Cabelo e Pele. Mais um ponto comercial no Centro de portas fechadas. Mestrado O médico ortopedista Gustavo Ribeiro está se dedicando ao mestrado na Universidade Estadual de Londrina, no Paraná no tema: "Células-tronco na regeneração da cartilagem articular". O campista, que é especialista em ortopedia esportiva e joelho, agora está buscando novos conhecimentos no Sul do Brasil, onde também está residindo ao lado da linda esposa, Pollyana Dutra.

A necessária volta às aulas

Opinião

Desde que observados rigorosamente todos os protocolos de segurança contra a Covid-19, a volta às aulas é necessária e inevitável em todos os níveis. Tecnicamente, o ano letivo de 2021 já começou, mas as aulas presenciais, tanto na rede municipal quanto na estadual, serão iniciadas em oito de março, com a adoção de um sistema híbrido, com parte dos alunos na escola e outra parte com aulas à distância. Esse sistema que convencionou-se a se chamar de híbrido é acertado como se fosse um ensaio para a volta à normalidade. As opiniões se divergem no que diz respeito ao período em que essa modalidade de ensino irá durar, mas todos concordam que é um passo firme e necessário. No caso específico das crianças, o retorno às salas de aula com

a devida prudência, é defendido por especialistas diversos. O confinamento das crianças por um período tão longo pode levar a sequelas de sociabilidade graves como já perceberam outros países que enfrentam o mesmo problema. Fato é que tiramos lições de tudo isso. As escolas, tanto públicas, quanto privadas, assim como seus alunos, se adaptaram ao ensino remoto, com o uso de tecnologia, mas isso, principalmente na formação dos alunos, definitivamente não pode ser uma regra, diferentemente do que acontece no ensino universitário. Aos poucos, sob a orientação da ciência, a Educação vai retomando seu espaço, e isso nunca parece ter sido tão necessário.

O meu sonho não vai esmorecer

Volta às aulas? Antigamente as aulas começavam em março. As férias eram compridas, as crianças brincavam de amarelinha, chicotinho queimado, pique - esconde, peteca, andavam livres sem medo, pelas ruas e tudo parecia seguir um ritmo lento. A vida era devagar. A vida era mais alegre. Éramos mais felizes por isso. Hoje mal termina janeiro e as aulas começam. Em fevereiro, mês quente e abafado, os alunos vão para as escolas. Tem que cumprir os duzentos dias letivos previstos em lei, dizem. Não vou discutir, aqui, quais são os dias que devem ser considerados letivos. Isso daria outro texto. Nos dias atuais, bem longe do chamado “normal”, em meio a uma pandemia avassaladora, com média de mil e poucos mortos por dia – só ontem, 18/02/2020, mil quatrocentas e trinta e duas pessoas perderam a vida devido à COVID19 – está instaurada a polêmica da volta às aulas presenciais. Os professores ainda não foram vacinados e a discussão sobre eles pertencerem ao grupo prioritário não progride. A maioria das escolas não apresenta estrutura adequada, o transporte urbano, em geral, continua deficitário, principalmente nas grandes cidades, as escolas não possuem número suficiente de funcionários para a limpeza, o exercício da docência pressupõe, muitas vezes, contato físico, professores se deslocam de uma escola para outra tentando aumentar seus parcos rendimentos e tantas outras questões que, no momento, impedem sequer cogitar a vota às aulas presenciais. Muitas escolas que já iniciaram o ano escolar tiveram que paralisar suas atividades devido á infecção pelo vírus como é o caso de cidades dos estados de São Paulo e do Amazonas. Qual a motivação para esse retorno no auge da segunda onda da COVID e, ainda, com ameaça de uma terceira ocasionada pela (s) variante (s) do vírus? Interesses econômicos, com certeza. Estes estão se mostrando acima da preservação da vida humana. Infelizmente, a banalização da existência tem sido recorrente no Brasil: o avanço da política de posse e do porte de armas, a truculência policial ( com exceções ), os discursos de ódio, o desrespeito ou mesmo a afronta às medidas sanitárias para conter a pandemia, o mau exemplo dos negacionistas, as Fakes News sobre as vacinas, a ausência de coordenação do trabalho de enfrentamento da doença no país, a política equivocada do tratamento precoce com remédios ineficazes para o caso e tudo mais que tem concorrido para a propagação do mal, para o desolamento, o obscurantismo e para a morte. Em meio à pandemia e a esse pandemônio, querem colocar as crianças na escola? Mesmo que sejam dez, trinta, setenta por cento da turma não deve. Não é o momento. Escola não é praia nem festa que vai quem quer. Mesmo os especialistas em saúde estão divididos quanto ao retorno. Muitos não recomendam. Penso que descobriram, no tempo errado, que a escola é uma instituição importantíssima para o desenvolvimento saudável psíquica e cognitivamente das crianças, adolescentes e jovens. Ou melhor, se descobriram essa importância, que tentem entender as especificidades do trabalho que nela se realiza. Se o confinamento parece ser a arma mais eficaz para combater a pandemia, enquanto a vacinação não avança, para que empurrar os alunos e seus familiares por extensão numa espécie de roleta russa?

“A fé é a força da vida”. Leon Tolstoi”.

Fernando da Silveira - Cronista, advogado e professor universitário

P

arece-me oportuno dizer que estou ansioso por tomar a vacina. Talvez, quando sair esta crônica, eu já tenha sido vacinado para que possa enfrentar com mais força a COVID-19, que está se alastrando pelo mundo afora terrivelmente. Devo dizer que só o simples fato de sair de casa para ser vacinado, me daria uma alegria imensa. Atentem bem! Não tanto por ter recebido a vacina, mas por ter saído de casa, por ter a liberdade de andar por alguns momentos pelas ruas da minha Cidade. E esperançoso de que no futuro possa continuar a exibir a minha feiura pelo lugar em que moro, em que trabalho, em que converso com os meus amigos. Em que levo, sobretudo, o amor à minha família como algo que deve ser cultivado. Enfim, como um exemplo que deve ser acompanhado. Devo confessar que, em face do horror da COVID-19 estar ganhando novos aspectos altamente preocupantes, me faz sentir como se estivesse doente neste nosso mundo às vezes aterrorizador. Daí buscar o sonho em dias melhores. Mesmo se fosse afetado por essa doença altamente contagiosa. Mas, lendo para me distrair um haicai de Matsuo Bashô, me espantei com os três versos do poemeto redigido pelo grande poeta japonês. Foi assim que eles me chegaram às mãos: “Viajando enfermo, / meu pobre sonho percorre / um campo deserto”. Haicai, que vou repetir em japonês, como me ensinou Luiz Antônio Pimentel: “Tabi Ni Yamite, (redondilha menor) / Yume Wa Areno Wo (redondilha maior) / Kakemeguru” (redondilha menor). E me lanço a ele com tal empenho para deixar bem claro, que não me rendo a esta tese do infortúnio defendida anos atrás por Bashô. O meu sonho por dias melhores não vai esmo-

www.jornalterceiravia.com.br

\ jornalterceiravia

Sistema de Comunicação Terceira Via CNPJ 15.205.202/0001-47

recer, não vai me levar a ficar sem ânimo, sem entusiasmo, sem vibração. Não vai percorrer pelo campo deserto vislumbrado por Bashô. Mas por um terreno coberto de flores exalando perfume. Tenho consciência de que o meu otimismo decorre por ter Fé. Sim, Fé com letra maiúscula, aquela que de fato, por ser com letra maiúscula, é a força da própria vida. Fé decorrente, resultante das orações diárias ao nosso Deus de Amor, ao Deus que é a Plenitude do Bem. Aquela Fé que se manifesta pelo amor ao próximo, seja ele católico, evangélico, espírita, budista, zoroastrista, islamita, hinduísta, ateu, agnóstico, comunista, anarquista etc. Podendo com eles discutir amistosamente, logo sem deixar de amá-los. É que o amor ao próximo nos leva ao otimismo. Sem dúvida, o otimismo é a maior característica da Fé, pois só com a Fé chegamos de fato a Deus, o Ser Supremo, que nos convoca permanentemente a amar o próximo. O Sonho Altruístico dos que acreditam na vitória contra o COVID-19 é a Árvore Frondosa do Amor ao Próximo. A Árvore das sementes plantadas pelas Famílias Abertas ao Outro, ao Diferente. E é nela que devemos nos abrigar, se de fato quisermos tornar o Sonho em realidade, pois com ela o Nosso Salvador estará ao nosso lado. E tal fato ocorre porque o mais importante atributo de Deus é o Amor. Sentimento que faz Deus Pai amar Deus Filho e ser amado por Ele. E leva Deus Espírito Santo a amá-Los para todo o sempre. O que naturalmente gera ao correr dos milênios a retribuição a Ele por Deus Pai e pelo Deus Filho do Deus Pai com o Amor Perene. E é este Amor Resplendente da Santíssima Trindade, que me dá coragem para enfrentar o COVID-19. Expediente: Fundador Herbert Sidney Neves - Direção Executiva Martha Henriques - Diretor Geral Fábio Paes Diretor de Jornalismo Aloysio Balbi Chefes de Reportagem Girlane Rodrigues e Roberta Barcelos - Projeto Gráfico Estúdio Ideia Diagramação Elton Nunes - Departamento Comercial (22) 2738-2700 Rua Gov. Theotonio Ferreira de Araújo, 36 - Centro - Campos dos Goytacazes - RJ Impressão: Parque Gráfico do Jornal O Globo. Tel: (21) 2534-9579/ comercialpg@infoglobo.com.br


PÁGINA

05

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

Um ano de Covid

Do primeiro caso, em 26 de fevereiro de 2020, aos dias atuais, vacinação é a única boa notícia. Só que as doses estão acabando

N

a próxima sexta-feira o Brasil completa um ano desde a confirmação do primeiro registro de infecção pelo novo coronavírus. No longo caminho tortuoso, marcado por erros grotescos que colocam o País entre os piores do mundo no enfrentamento à doença, o programa de imunização iniciado na 2ª quinzena de janeiro foi o único passo na direção de

conter o avanço da Covid. Entretanto, um passo curto, curtíssimo, porque as doses acabaram na maioria das cidades e a vacinação está sendo interrompida. A conclusão óbvia é que a imunização não fugiu à ‘regra’ da incompetência no combate à pandemia, visto que nem mesmo o ritmo extremamente lento da vacinação no Brasil impediu que os estoques fossem zerados. Logo, o pro-

Mandetta errou em seu prognóstico de “pior cenário”. Teich não disse a que veio e Pazuello cumpre ordens - Em um ano, três ministros da Saúde e o saldo de mais de 240 mil mortes. O Brasil tem um dos piores desempenhos do mundo no combate ao coronavírus e o plano de imunização, mesmo lento, está com os estoques no fim. O governo federal, que subestimou a pandemia tratando-a por

cesso de imunização acaba se tornando angustiante, tendo em conta que a luz no fim do túnel passa a ser uma luzinha e o ‘fim do túnel’ muito mais distante do que a expressão costuma representar. A escassez e a falta de doses corroboram a trajetória desastrosa das autoridades sanitárias do Brasil – particularmente do governo federal – que falharam também nos protocolos de compras de

imunizantes e os resultados do atraso agora estão sendo sentidos: fomos para o fim da fila. O Ministério da Saúde deve receber a partir desta semana mais uma remessa de doses da CoronaVac. Contudo, face à lentidão com que as vacinas foram distribuídas – lembrando que os primeiros lotes de imunizantes estão sendo dirigidos apenas aos grupos prioritários – não era para haver falta a ponto de esgotar os estoques.

“gripezinha”, segue obcecado por armas. Como o exemplo vem de cima, parte da população não se cansa de promover aglomerações e fez o ‘seu carnaval’ em meio ao luto de centenas de milhares de famílias. Numa comparação estarrecedora, a pandemia da Covid já atinge o mesmo percentual de quando a gripe espanhola desapareceu. Só que o novo coranavírus continua matando

Minoria ruidosa fez ‘Carnaval da Covid’ Igualando ao percentual de mortes da gripe espanhola Quase às vésperas de um ano do primeiro caso confirmado no Brasil, o ‘Carnaval da Covid’ expressou o desprezo de parte da população – talvez uma minoria, mas minoria ruidosa – pela pandemia e pelos mais de 243 mil mortos computados no Brasil até a quarta-feira de cinzas. O inconsciente coletivo faz parecer que não estamos sen-

do assolados pela maior pandemia dos últimos 100 anos. O ‘Carnaval da Covid’ mostrou que não existe um ‘novo normal’, mas o normal de sempre: gente insensível para com a dor alheia e o bem estar do próximo. Ao luto das centenas de milhares que choram seus mortos e à aflição de quem está com o pai ou a mãe numa UTI, respon-

dem com seus batuques e aglomerações movidos a muita bebida. A máscara é adereço que serve ao deboche e os que passam filmando, quando não são agredidos, são ridicularizados. E ainda tivemos os ‘sem noção’, aqueles que por desinformação sequer sabem o que é uma pandemia ou o risco que correm, mas que também engrossaram a folia.

Número de mortos equivale quase metade da população de Campos A pandemia já tirou mais de 240 mil vidas, praticamente a metade da população de Campos – o maior município do interior fluminense –, estimada em 511 mil. Chega perto do total de habitantes de Macaé (261 mil) e é maior do que as populações juntas de seis municípios vizinhos: São Fidélis

(39 mil), São João da Barra (37 mil), São Francisco de Itabapoana (42 mil), Italva (16 mil) e Itaperuna, cuja estimativa é de 104 mil habitantes. Com essas comparações é possível enxergar melhor, visualizar, o que são 240 mil mortos. São 240 mil famílias – número que talvez já esteja sendo

arredondado para 250 quando o texto chegar ao leitor. Ainda assim, nas praias aqui da região e Brasil afora, o carnaval que se pretendeu com aspas – mas não foi – percorreu os quatro dias de bares lotados, festas clandestinas e eventos que resultaram em aglomeração.

Segundo registros históricos, entre 1918 e 1919 a gripe espanhola matou cerca de 35 mil brasileiros. Não havia hospitais públicos e a vacina só foi desenvolvida 24 anos depois. As autoridades sanitárias da época acreditaram que o avanço no tratamento da pneumonia e a mutação do vírus para uma estirpe de menor letalidade foram os responsáveis pelo desaparecimento do vírus. Contudo, a comparação

percentual de óbitos entre ambas as pandemias mostra o quão letal está sendo a Covid-19: a gripe espanhola matou 35 mil pessoas quando a população era de 35 milhões de habitantes. Logo, 0,116%. Hoje, somos 211 milhões de brasileiros e a Covid já matou 243 mil, ou seja: 0,115% – praticamente o mesmo percentual. É gravíssimo constatar que quando a gripe espanhola alcançou a referida proporção,

deixou de existir, enquanto a Covid segue batendo recordes de óbitos, como na quintafeira (17) que registrou 1.432 mortes nas últimas 24 horas. Registre-se, além de não contar com hospitais públicos, na época ainda não havia antibióticos, que só foram descobertos em 1928. Enfim, o retrospecto de um ano da pandemia é avassalador e o Brasil precisa, ‘para ontem’, virar a chave da imunização.


PÁGINA

06

Campos

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

Transporte público é motivo de reclamação

Foto: Carlos Grevi

por todo o município

Usuários se queixam, principalmente, de superlotação, atraso dos coletivos e abandono de linhas por empresas Da Redação Não é de hoje que a população de Campos enfrenta dificuldades com o transporte público. Prova disso são as queixas feitas por usuários em várias partes do município, principalmente, por motivos como atraso e superlotação. A Prefeitura de Campos busca, nestes primeiro meses de 2021, melhorar este panorama. No fim de 2020, o terminal de coletivos que funcionava no final da Avenida 28 de Março foi desmontado. Outra medida tomada foi o retorno da circulação das vans para linhas que estavam restritas a ônibus. Apesar disso, usuários do transporte público das regiões mais próximas do Centro, da Baixada Campista, da Região Norte e também da região Sul da BR-101, relatam a rotina de desafios para se locomover diariamente. Alguns dos relatos foram feitos nas redes sociais.“No Parque Imperial estamos sem ônibus. É um absurdo moradores ficarem mais de 2 horas no ponto. Quando tinha o terminal,

aqui dentro do bairro tinha ônibus de 20 em 20 minutos, agora ficamos sem”, reclamou Luana Pessanha. Moradora do Parque Leopoldina, Clécia Ribeiro também lamenta. “Trabalho na Avenida 28 de Março, então tenho que pegar o ônibus Penha x Pecuária que só passa a cada uma hora, igual a ônibus de interior”, relatou. Para Ana Helia Muniz, o problema está relacionado ao retorno das vans. “Os ônibus sumiram, as empresas diminuíram o número de ônibus nas ruas. O problema é que van não pega idoso e nem estudante... Tem que ter fiscalização. O IPS não tem ônibus e nem van! Absurdo!”. Prefeitura fala em ajustes O Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT) está fazendo uma revisão de todo o sistema de transporte para ser mais eficiente, com horários determinados e sem interrupção do serviço. “Nestes 45 dias de governo fizemos adequação do transporte alternativo, para chegar a área central, melhorando o desloca-

mento da população; regularização do pagamento do subsídio dos permissionários que estava em atraso desde dezembro do ano passado; e suplementação de linhas que há mais de um ano não vinham sendo operadas”, informou a prefeitura em nota.

Longa espera| No terminal urbano, no Centro, usuários chegam a esperar até uma hora pelo transporte

Melhoria Para a estudante de nutrição Giselly Cordeiro, que mora em Donana, o transporte público no trajeto entre o bairro e a área cen-

Cobrança abusiva Outro problema apontado pelos usuários é o de cobrança abusiva. Segundo o estudante Mateus Gomes, que utiliza o transporte pú-

tral de Campos melhorou. “Neste ano, a gente está pagando uma passagem só. No governo anterior, a gente pagava uma passagem de Donana até o Terminal e depois pagava outra”, explicou.

blico semanalmente do Centro de Campos para o distrito de Santo Eduardo, os responsáveis pelas vans chegaram a cobrar valores três vezes mais elevados que o preço habitual da passagem. “Até duas semanas atrás, as vans para Santo Eduardo estavam cobrando R$ 11 em vez dos habituais R$ 2,75. Os permissionários alegavam que a prefeitura não estava repassando o subsídio e, por

Região de Serrinha e adjacências sofrem com falta de ônibus Como se não bastasse o atraso dos ônibus, há outro problema ainda maior: a falta deles. O trabalhador rural Amaro Edson precisa do transporte público para se deslocar entre Campos e Sentinela do Imbé, na área rural, mas ficou até 30 dias sem ônibus. “A empresa abandonou a linha e aí colocaram outra, mas esta nova não está dando conta. Para chegar até o Centro precisávamos pegar os coletivos intermunicipais que passam na BR-101. Eu vou com minha moto até a rodovia e deixo lá em um posto, para então pegar o ônibus. São uns 6 ou 7 quilômetros de distância e muitas pessoas precisam andar isso tudo a pé para conseguir pegar

esse ônibus intermunicipal”, lamentou. O IMTT disse que notificou a empresa para regularizar as operações. “No entanto, o órgão verificou que o atendimento na linha de Serrinha seguia dentro da normalidade”, informou. Ainda de acordo com o IMTT, será publicada nova portaria com os horários oficiais de ônibus. Apesar do posicionamento da prefeitura, o assistente administrativo Sanderson Vieira, de Serrinha, também reclama: “O problema não foi resolvido. A empresa atual só está um pouco melhor do que antes, mas continuamos só com dois horários por dia (7h30 e 16h) e outros dois que venham de Campos para Serrinha (13h e 18h45)”, frisou.

Chuvas de fevereiro vão garantir boa safra este ano

isso, a passagem ficou mais cara. A situação foi normalizada na semana anterior ao Carnaval, mas fica a insegurança de haver novo atraso no subsídio”, denunciou. Outro problema, segundo ele, diz respeito aos horários das vans. “Para quem sai tarde do trabalho, por exemplo, é bastante complicado porque a última van sai do terminal às 19h35. Depois disso não há mais coletivos para Santo Eduardo. Imagina quem sai do trabalho 20h ou 21h, por exemplo. Não tem como ir embora”. Em nota, o IMTT informou que a questão está regularizada e que o órgão continua intensificando a fiscalização. De acordo com o Instituto, o permissionário que for flagrado fazendo cobrança abusiva fora do valor único de R$ 2,75, receberá a sanção prevista no contrato, podendo até perder a permissão. Além disso, denúncias podem ser feitas através do Fale Conosco do IMTT (22) 98152 1116. É preciso informar o horário e o número de série da van para que seja feita a verificação. Foto: Divulgação

Veranico chegou a assustar mas a lavoura está salva

Foto: Arquivo/Silvana Rust

Aloysio Balbi Os 20 primeiros dias de fevereiro interromperam um período em que os produtores rurais definem como “veranico”, um espaço de tempo de pouca chuva, mas não necessariamente seca. Nestes primeiros 20 dias de fevereiro choveu sete vezes mais do que o previsto para este mês, e animou os agricultores da região. Segundo o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Campos, Ronaldo Bartolomeu Júnior, as chuvas de fevereiro foram suficientes para a salvação da lavoura, principalmente porque estão previstas chuvas pelo menos até março. "Principalmente no que se refere a parte mais forte da agricultura do município, que é de cana-de-açúcar. Essas chuvas de fevereiro foram essenciais e vão garantir uma boa oferta de matéria-prima para a usina, igual ou um pouco maior do que a safra passada e em alguns casos com um maior teor de sacarose", disse o líder dos produtores rurais. Previsão de mais chuvas De acordo com o subsecretário municipal de Defesa Civil, major Edison Pessanha, até o dia 18 de fevereiro, choveu 117,5 milímetros em Campos. Só na segunda-feira de carnaval (15), foram 44 milímetros, enquanto o esperado era apenas 4. Até o fim do mês, major Edison explicou que há previsão de mais chuva. Já no mês de janeiro de 2021,

Intercâmbio: experiência que aumenta chances de trabalho Expectativa| Bartolomeu, líder dos produtores rurais, está otimista

choveu abaixo do previsto na cidade, segundo Pessanha. Foram apenas 19.8 mm. Em dezembro de 2020, o esperado para esta época do ano foi alcançado. A quantidade de chuva chegou a 146,3 mm em toda cidade. "Para o mês de março ainda não temos previsão estendida", falou. Safra de etanol Na safra passada o setor sucroalcooleiro de Campos movimentou algo em torno de R$ 500 milhões, e existe a expectativa de aumentar em pelo menos 5% esta marca na safra deste ano em razão das canas que foram plantadas, aumentando a oferta de matéria-prima. No ano passado foi esmagado 1,7 milhão de toneladas de cana-deaçúcar. Porém, cerca de 300 mil toneladas produzidas no norte do município e também em São Francisco foram para o estado do Espírito Santo, por questões

de logística. Isso significa que na safra passada foram produzidas dois milhões de toneladas de cana-de-açúcar. A tendências da safra deste ano é a mesma do ano anterior, produzindo bem mais etanol do que açúcar. Essa é a sinalização do mercado, já que no momento o preço do etanol continua sendo mais vantajoso do que o do açúcar. A Coagro deve destinar 90% de sua safra para a produção de etanol e 10% para o açúcar, enquanto a Canabrava produz somente etanol. Mais emprego O setor também deve continuar aquecendo o mercado de trabalho. Somente a Coagro tem a expectativa de gerar algo em torno de três mil empregos diretos, embora parte terceirizada. A Canabrava gerou no ano passado outros dois mil postos. Ao todo as duas vão gerar cinco mil empregos.

Programa da Universidade Candido Mendes aberto aos alunos Da Redação Além de apresentar novas culturas e costumes, o intercâmbio vem se configurando como um item de destaque na disputa por vagas no mercado de trabalho. Ter uma vivência em outro país expande o universo do profissional moderno e possibilita uma maturidade emocional e profissional. O intercâmbio promove experiências de autoconhecimento, sair da zona de conforto, alto poder de adaptação, potencialidade na comunicação, proatividade, conhecimentos diversos sobre sociedade e cultura e, dependendo do país escolhido, fluência em uma segunda língua.  Existem, hoje, inúmeros tipos de intercâmbio disponíveis, tais

como High School, Au Pair, Intercâmbio para estudo de Idiomas, trabalho voluntário, graduação, especialização, entre outros. Para universitários, uma das modalidades que mais tem crescido é a “graduação-sanduíche”, que consiste em estudar um ou dois semestres em uma instituição de ensino internacional, permitindo, assim, um aprendizado mais profundo e grandes trocas de experiência com estudantes e profissionais da área de atuação do aluno em outros países. O discente pode, muitas vezes, aproveitar as disciplinas cursadas no exterior na matriz curricular obrigatória e/ ou em matérias opcionais. A Universidade Candido Mendes, por exemplo, oferece a possibilidade dos seus alunos experienciarem um intercâmbio por meio de convênios com diversas instituições de prestígio internacional. A coordenadora do Centro de Práticas Empresariais (CENPRE) da Universidade Adriana D'Ávila fala sobre o impacto que as experiências internacionais têm na vida do aluno.

“Sem dúvida, uma vivência de intercâmbio tem peso no currículo de um candidato. Demonstra o desejo de ir além, a capacidade de buscar novos aprendizados e romper barreiras geográficas, linguísticas, culturais, emocionais e de conhecimentos. Isso amplia o repertório de vida e pode potencializar a criatividade na lida com imprevistos e situações novas. O intercambista precisa ter coragem, iniciativa, criar novas relações e conexões, fazer acontecer e sair da zona de acomodação, soft skills cada vez mais valorizadas pelo mercado de trabalho. Mas vale ressaltar que a experiência deve ser vivida com intencionalidade; se conseguir estudar e estagiar/ trabalhar, melhor ainda. É fundamental refletir sobre o que essa experiência agregou no perfil do universitário em termos de conhecimentos, habilidades, atitudes e novas perspectivas, caso contrário, pode ser vista como algo superficial e passageiro, com maior foco no turismo.”


PÁGINA

07

Destaque

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

Jardim São Benedito fechado e descuidado

Fotos: Carlos Grevi

Área de lazer considerada a mais nobre de Campos agoniza com falta de manutenção Da Redação

Fechado há quase um ano, por causa da pandemia do novo coronavírus, o Jardim São Benedito não está em seus melhores dias. Mato alto em alguns pontos, brinquedos quebrados e enferrujados e lixo nos canteiros apontam a situação de descuido vivida por uma das poucas áreas de lazer do município. A situação de descuido, no entanto, não é novidade e se arrasta desde o último governo. Contudo, a reabertura do local divide opiniões. Apesar do aspecto de negligência do parque, os animais que estão no local têm sido cuidados. Há viveiros de preás, coelhos e periquitos, todos estão sendo alimentados periodicamente. O que não tem acontecido com a poda da grama. Para um guardador de carros do Jardim São Benedito, que preferiu não se identificar, o parque está fazendo falta e deveria ser reaberto ao público, com as medidas de distanciamento e outros protocolos de saúde respeitados. “O parque está largado e não é de hoje. Nunca mais abriram e é um ponto que faz falta, com área verde e espaço para esporte”, lamentou o guardador de carros.

Descuido| Vegetação alta, brinquedos quebrados e alguns pontos de acúmulo de lixo são problemas no local Já a professora aposentada Lourdes Gregório Mattos, 72 anos, acha que a área deve permanecer fechada, como forma de evitar a propagação da Covid-19. Contudo, segundo ela, isso não impede que o local seja cuidado. “Os números da Covid em Campos são de assustar e, por isso, acredito que o Jardim São Benedito não deve reabrir nem tão cedo. Mas, por ser um parque de destaque, devia ser melhor cui-

dado. Apesar de não estar recebendo público, o aspecto de descuido fica evidente para quem passa”, comentou a aposentada. Em nota, a Subsecretaria de Serviços Públicos informa que vem realizando a limpeza de praças públicas abertas e dentro do cronograma está previsto que o Jardim São Benedito receba um mutirão ainda neste mês de fevereiro. Sobre a reabertura, ainda não há previsão, já que o município segue em fase amare-

Conheça os membros das Comissões da Câmara

São 24 órgãos colegiados que debatem, votam e fiscalizam Foto: Arquivo/Carlos Grevi

Marcos Curvello Com o término do recesso parlamentar de fim de ano, prolongado pelo feriado de Carnaval e pela desinfecção, no último dia 18, do Plenário Álvaro Lopes Vidal contra a Covid-19, a Câmara Municipal de Campos volta a sediar sessões ordinárias na próxima terça-feira (23). O início oficial dos trabalhos dos vereadores marca, também, o começo do funcionamento das 24 Comissões Permanentes da Casa de Leis, constituídas e instaladas no dia 1º de janeiro. As Comissões Permanentes são órgãos colegiados, que, segundo o Regimento Interno da Casa, "têm por objetivo estudar os assuntos submetidos ao seu exame, manifestar sobre ele a sua conclusão e preparar, por iniciativa própria ou indicação do Plenário, projetos de resolução atinentes à sua especialidade". Formados vereadores, esses órgãos debatem e votam propostas legislativas relacionadas a seus temas antes que o assunto seja apreciado em Plenário. Além disso, também atuam na fiscalização do Poder Executivo, funcionando como mecanismos de controle dos programas e projetos executados ou em execução. A Câmara de Campos conta com 24 comissões permanentes, das quais quatro são técnicas e 20, de trabalho. As comissões técnicas são: de Constituição, Legislação,

Expectativa| Com fim do recesso, comissões devem iniciar trabalhos

Justiça e Redação Final; Finanças e Orçamento; Obras e Serviços Públicos; e Fiscalização. Já as comissões de trabalho são: de Defesa do Consumidor; Defesa dos Direitos Humanos e Minorias; Defesa do Meio Ambiente; Defesa do Trabalhador; Defesa da Saúde; Defesa da Educação e Cultura; Petróleo e Energia; Defesa da Juventude; Defesa dos Desportos; Transportes e Trânsito; Legislação Participativa; Defesa da Criança; Direitos da Mulher; Direitos do Idoso; Direitos de Pessoas com Deficiência; Agricultura, Pecuária e Políticas Rural, Agrária de

Abastecimento; Defesa da Pesca; Ciência e Tecnologia; Desenvolvimento Econômico e Turismo; e dos Serviços Concedidos. Cada comissão é formada por um presidente, um vice-presidente e um membro. Isso permite que todos os vereadores, com exceção do presidente da Mesa Diretora, presidam uma das comissões e atue como vice-presidente e membro em outras duas. O mandato é de dois anos. Veja no infográfico ao lado a composição das 24 comissões permanentes da Câmara para o biênio 2021-2022.

la, por conta da pandemia. Lockdown O lockdown decretado pelo ex-prefeito Rafael Diniz passou a valer a partir da meia noite do dia 18 de maio de 2020, por conta do avanço do novo coronavírus e a possibilidade de colapso na rede pública e particular de saúde na época. Ao anunciar a medida, que já havia sido tomada por várias cidades brasileiras, a Prefeitura

Pandemia | Um dos principais parques da cidade não recebe mais visitantes de Campos justificou que tinha 100% das vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Centro de Controle e Combate ao Coronavírus (CCCC) ocupadas e 87% dos leitos clínicos preenchidos. Entre outras coisas, ficou proibida a permanência de pessoas e o

trânsito em vias, parques, equipamentos, locais e praças públicas. Atividades esportivas em vias públicas, mesmo individualmente, foram suspensas. O lockdown foi paulatinamente flexibilizado a partir de 1º de junho de 2020, mas o Jardim São Benedito permanece fechado até hoje.

COMISSÕES TÉCNICAS De Constituição, Legislação, Justiça e Redação Final Presidente: Kassiano Tavares (PSD) Vice-presidente: Dandinho De Alciones Rio Preto (PSD) Membro: Bruno Pezão (PL)

De Defesa da Saúde Presidente: Marcione da Farmacia (DEM) Vice-presidente: Dr. Abdu Neme (Avante) Membro: Anderson de Matos (REP)

De Finanças e Orçamento Presidente: Pastor Marcos Elias (PSC) Vice-presidente: Maicon Cruz (PSC) Membro: Helinho Nahim (PSC)

De Defesa da Educação e Cultura Presidente: Maicon Cruz (PSC) Vice-presidente: Helinho Nahim (PSC) Membro: Marcione da Farmacia (DEM)

De Obras e Serviços Públicos Presidente: Rogério Matoso (DEM) Vice-presidente: Marquinho Bacellar (SD) Membro: Álvaro Oliveira (PSD)

Comissão de Petróleo e Energia Presidente: Helinho Nahim (PSC) Vice-presidente: Marcione da Farmacia (DEM) Membro: Marquinho Bacellar (SD)

De Fiscalização Presidente: Álvaro Oliveira (PSD) Vice-presidente: Thiago Rangel (PROS) Membro: Fred Machado (CDN)

De Defesa da Juventude Presidente: Luciano Rio Lu (PDT) Vice-presidente: Bruno Vianna (PSL) Membro: Maicon Cruz (PSC)

COMISSÕES DE TRABALHO De Defesa do Consumidor Presidente: Anderson de Matos (REP) Vice-presidente: Fred Machado (CDN) Membro: Juninho Virgilio (PROS) De Defesa dos Direitos Humanos e Minorias Presidente: Leon Gomes (PDT) Vice-presidente: Marquinho do Transporte (PDT) Membro: Silvinho Martins (MDB) De Defesa do Meio Ambiente Presidente: Nildo Cardoso (PSL) Vice-presidente: Thiago Rangel (PROS) Membro: Beto Abençoado (SD) De Defesa do Trabalhador Presidente: Jô de Ururaí (PODE) Vice-presidente: Kassiano Tavares (PSD) Membro: Nildo Cardoso (PSL)

De Defesa dos Desportos Presidente: Bruno Vianna (PSL) Vice-presidente: Bruno Pezão (PL) Membro: Thuin (PTB) De Transportes e Trânsito Presidente: Thiago Rangel (PROS) Vice-presidente: Juninho Virgilio (PROS) Membro: Marquinho do Transporte (PDT) De Legislação Participativa Presidente: Dr. Abdu Neme (Avante) Vice-presidente: Beto Abençoado (SD) Membro: Kassiano Tavares (PSD) De Defesa da Criança Presidente: Beto Abençoado (SD) Vice-presidente: Dr. Abdu Neme (Avante) Membro: Anderson de Matos (REP) Dos Direitos da Mulher Presidente: Marquinho Do Transporte (PDT)

Vice-presidente: Luciano Rio Lu (PDT) Membro: Jô de Ururaí (PODE) Dos Direitos do Idoso Presidente: Marquinho Bacellar (SD) Vice-presidente: Leon Gomes (PDT) Membro: Luciano Rio Lu (PDT) Dos Direitos de Pessoas com Deficiência Presidente: Thuin (PTB) Vice-presidente: Leon Gomes (PDT) Membro: Bruno Vianna (PSL) De Agricultura, Pecuária e Políticas Rural, Agrária de Abastecimento Presidente: Dandinho De Alciones Rio Preto (PSD) Vice-presidente: Nildo Cardoso (PSL) Membro: Pastor Marcos Elias (PSC) De Defesa da Pesca Presidente: Bruno Pezão (PL) Vice-presidente: Pastor Marcos Elias (PSC) Membro: Dandinho De Alciones Rio Preto (PSD) De Ciência e Tecnologia Presidente: Fred Machado (CDN) Vice-presidente: Silvinho Martins (MDB) Membro: Rogério Matoso (DEM) De Desenvolvimento Econômico e Turismo Presidente: Juninho Virgilio (PROS) Vice-presidente: Rogério Matoso (DEM) Membro: Thuin (PTB) Dos Serviços Concedidos Presidente: Silvinho Martins (MDB) Vice-presidente: Álvaro Oliveira (PSD) Membro: Jô de Ururaí (PODE)


PÁGINA

08

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021


PÁGINA

09

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

@rodrigovianarodrigoviana

Novos brasileiros chegaram à F1 Mudou o Século, mas o Brasil continuou firme na categoria

Dando continuidade à matéria sobre os pilotos brasileiros que chegaram ao topo do automobilismo mundial, a Fórmula 1 (F1), nesta semana falaremos sobre os heróis nacionais que começaram na categoria na primeira década dos anos 2000. Foram eles, nesta ordem: Luciano Burti, Enrique Bernoldi, Felipe Massa, Cristiano da Matta, Antônio Pizzonia e Nelson Piquet Júnior.

LUCIANO BURTI

Luciano Pucci Burti, o Luciano Burti, nasceu em 5 de março de 1975, na cidade de São Paulo. Na F1, participou de duas temporadas, em 2000 e 2001, competindo pelas equipes Jaguar e Prost. Fez 15 corridas, mas não conseguiu marcar pontos. O seu melhor resultado foi o 8º lugar no GP da Austrália e no GP do Canadá, ambos em 2001. Ele também foi piloto de teste, em 1999, pela equipe Stewart, e de 2002 a 2004, pela equipe Ferrari. Em 2005, ele retornou ao automobilismo nacional, competindo na Stock Car até 2016. Hoje, Luciano Burti tem 45 anos e é, desde 2004, comentarista nas transmissões dos GPs de Fórmula 1 na Rede Globo.

ENRIQUE BERNOLDI

Enrique Antônio Langue de Silvério e Bernoldi, o Enrique Bernoldi, nasceu em 19 de outubro de 1978, em Curitiba, no Paraná. Na F1, competiu em duas temporadas, em 2001 e 2002, pela equipe Arrows. Fez 28 corridas, mas não conseguiu marcar pontos. O seu melhor resultado na categoria foi no GP da Alemanha, em 2001, quando conquistou o 8º lugar. Em 2004, ele voltou à categoria, mas como piloto de teste. Em 2008, ele competiu na Fórmula Indy. Também já participou de duas temporadas da Stock Car no Brasil, além da FIA GT1 World Championship. Hoje, Enrique Bernoldi tem 42 anos e continua competindo mundo afora.

FELIPE MASSA

Felipe Massa nasceu no dia 25 de abril de 1981, na cidade de São Paulo. Na F1, disputou 15 temporadas. Começou em 2002. Em 2003, foi piloto de teste. Em 2004, voltou a competir e continuou até 2017, atuando em três equipes: começou na Sauber (2002, 2004 e 2005), passou pela Ferrari (2006 a 2013) e finalizou na Williams (2014 a 2017). Até a presente data, foram 269 GPs, 11 vitórias, 16 pole-positions, 41 pódios e 1 vice-campeonato, este, em 2008, ao qual perdeu o título de campeão mundial da categoria por apenas um mísero ponto, decidido no GP do Brasil, na penúltima curva, da última volta, da última corrida do ano e após ter vencido a prova. O campeão foi Lewis Hamilton, que ultrapassou o alemão Timo Glock na penúltima curva do Autódromo de Interlagos, garantindo o 5º lugar e alcançando assim, um ponto a mais no campeonato do que Felipe Massa. Felipe Massa pensou em se aposentar da F1 no final da temporada de 2016, ele chegou até a anunciar oficialmente a sua despedida da categoria. No Autódromo de Interlagos, durante o GP Brasil de F1 daquele ano, o Sr. Titônio Massa falou para este colunista sobre a decisão do seu filho de se aposentar da F1: “Felipe pensou muito e decidiu se aposentar, pois quer ter uma participação maior na vida da sua família, quer acompanhar o crescimento do Felipinho (único filho) de perto e quer que ele estude na Europa. Na Fórmula 1 é viagem quase toda semana e o tempo em casa se torna curto”. Mas, uma proposta feita pela sua equipe Williams, no valor em torno de 20 milhões de reais para a temporada de 2017, o que daria uma média de 1 milhão de reais por final de semana de corrida, fez o piloto mudar de ideia e voltar atrás para correr mais uma temporada. Ao final de 2017, Felipe Massa foi eleito Presidente do Conselho Mundial de Kart pela FIA - Federação Internacional de Automobilismo. Mas, ao final de 2016, Felipe Massa, na 20ª edição do Capacete de Ouro, a mais importante premiação do automobilismo nacional, após ser contemplado, já havia me relatado o seu apoio e incentivo ao kart: “É preciso incentivar a molecada do kart. Estamos precisando de pilotos brasileiros na Fórmula 1”. Após a F1, Felipe Massa resolveu correr duas temporadas da Fórmula E: a de 2018/2019 e a de 2019/2020. Felipe Massa tem hoje 39 anos e ingressará neste ano de 2021 na Stock Car.

CRISTIANO DA MATTA

Cristiano Monteiro da Matta, o Cristiano da Matta, nasceu no dia 19 de setembro de 1973, em Belo Horizonte, nas Minas Gerais. Na F1, ele participou de 2 temporadas, em 2003 e 2004, ambas pela equipe Toyota. Competiu em 28 corridas e marcou um total de 13 pontos. O seu melhor resultado foi o 6º lugar alcançado em três provas: no GP da Espanha e no GP da Alemanha, em 2003, e no GP de Mônaco, em 2004. Na Fórmula Indy, correu 6 temporadas, de 1999 a 2002, 2005 e 2006. Em 2002, sagrou-se campeão mundial da categoria, foi um dos quatro brasileiros que conseguiram tal façanha. Ele também chegou a correr duas temporadas da Fórmula Truck brasileira. Hoje, Cristiano da Matta tem 47 anos e é guitarrista de uma banda de rock.

ANTÔNIO PIZZONIA

Antônio Reginaldo Pizzonia Júnior, o Antônio Pizzonia, nasceu no dia 11 de setembro de 1980, em Manaus, no Amazonas. Ele foi casado com a atleta Maurren Maggi, medalha de ouro no salto em distância dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. Na F1, Antônio Pizzonia participou de 3 temporadas, de 2003 a 2005, correu pela equipe Jaguar e Williams. Correu 20 provas e fez 8 pontos. O seu melhor resultado foi o 7º lugar em quatro ocasiões: no GP da Alemanha e no GP da Hungria, em 2004, e no GP da Itália, em 2004 e 2005. Na Fórmula Indy, correu 4 provas na temporada 2006 e 1 prova na temporada 2008. Hoje, Antônio Pizzonia tem 40 anos e corre na Stock Car desde 2007, além de praticar triathlon.

NELSON PIQUET JÚNIOR

Nelson Ângelo Tamsma Piquet Souto Maior, o Nelson Piquet Júnior, nasceu no dia 25 de julho de 1985, em Heidelberg, na Alemanha. Ainda criança, veio para o Brasil para morar com o seu pai, Nelson Piquet - tricampeão mundial da F1 -, em Brasília, quando se naturalizou brasileiro. Na F1, iniciou-se em 2007, como piloto de teste. Como piloto oficial, participou de duas temporadas, em 2008 e 2009, ambas pela equipe Renault, correu 28 provas, fez 19 pontos e conquistou 1 pódio. Este, quando alcançou o seu melhor resultado na categoria, o 2º lugar no GP da Alemanha, em 2008. De 2010 a 2014, Nelson Piquet Júnior participou da Nascar norte-americana, competindo nas divisões: Sprint Cup Series, Nationwide Series e na Camping World Truck Series. Em 2012, ele se tornou o primeiro brasileiro a vencer uma corrida de uma das três divisões da Nascar, a Nationwide Series. Em 2015, tornou-se o primeiro brasileiro a vencer uma prova de primeira linha da modalidade rallycross, a categoria Global Rallycross Championship, e também, o primeiro campeão da recém-criada categoria mundial, a Fórmula E, a qual ele correu nas temporadas 2014/2015 e 2018/2019. Hoje, Nelson Piquet Júnior tem 35 anos e desde 2018 ele corre na Stock Car brasileira.


PÁGINA

11

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

O que é abuso psicológico?

Foto: Carlos Grevi

Assunto está cada vez mais evidência em virtude das redes sociais Letícia Nunes Nas últimas semanas, um dos assuntos mais comentados nas redes sociais de todo o país é o chamado abuso psicológico. O termo ganhou ainda mais evidência, diante de práticas danosas contra o ser humano, cometidas por uma figura pública em um programa de televisão. Tal comportamento perverso ocorre quando uma pessoa tenta controlar e humilhar outra mais vulnerável. A situação se agrava a medida que acontece em público, em que os observadores ficam inertes ao problema e nada fazem. Segundo a psicóloga, Marilyn Barros, a sociedade só está falando deste assunto no momento, justamente porque o tema ganhou evidência em um meio de comunicação, um canal de transmissão de conteúdo para muitas pessoas. "Porém, isso sempre aconteceu. No abuso psicológico, há vítimas de indivíduos, que geralmente são narcisistas e percebem a fragilidade do outro, logo se aproveitam disso para criar cenários em que a pessoa é humilhada e denegrida. Tal ato eleva a autoestima doentia do abusador. Infelizmente, hoje, além de estar vivendo isso na realidade, temos

Relacionamentos | Para identificar um abuso psicológico pode ser necessário intervenção de um profissional visto muito na internet e na TV. O mais importante agora é trazer para a sociedade essa sensibilidade de entender que não é normal, o que até então era muito padronizado", comenta. Personalidade A especialista detalha a específica personalidade do abusador. "É uma pessoa narcisista, que geralmente tem uma personalidade muito fragilizada. Ela se esconde nessa formação de opinião, de ser agradável. São indivíduos que transitam bem na sociedade, tem argumentos, são coerentes e parecem ser extremamente corretos. Ao

sofrer um abuso, a vítima chega ao ponto de se questionar se merece passar por tal situação, justamente porque o ato vem de uma pessoa tão bem instruída e aceita. O que acontece na verdade, é que o abusador está projetando as suas falhas de personalidade no outro, atacando o tempo inteiro. Infelizmente, as atitudes vêm de pessoas que a gente nem imagina que são capazes de cometer tal atrocidade. É por isso que a sociedade fica tão chocada, ainda mais quando os casos que estão ultimamente em evidência envolvem artistas e pessoas famosas", frisa.

Em todos os lugares A psicóloga ainda explica que a questão de relacionar o abuso psicológico a uma pessoa famosa é mais chocante para a sociedade, porque justamente são personalidades e formadores de opinião. "É importante frisar que o problema acontece em todos os lugares, casa, escola, trabalho... o que me chama atenção a todo instante é como que as pessoas não são sensíveis ao sofrimento do outro. Para muitos, é normal ver o outro sofrer e ser humilhado. Como que a gente não se coloca ao ponto de defender o que tem que ser defendido? Se você vê alguém

Tratamento

Saúde

Marilyn Barros ainda completa que um abusador vai precisar de tratamento e acompanhamento para se regenerar. O ideal é que cada vez mais a sociedade tenha olhar clínico e sensibilidade para entender o que está acontecendo. É preciso aprender a identificar os gatilhos e saber quando alguém está sendo invasivo e humilhando o outro. "A vítima e o abusador têm o mesmo distúrbio, só que em polos diferentes. Todos são extremos. Um se protege das suas fragilidades extremamente, numa personalidade empoderada, bem coesa, e o outro expõe a sua fragilidade no sentido de não querer se proteger. O ideal é que ambos façam acompanhamento psicológico. Na verdade, não só o abusador e a vítima, mas todos nós devemos fazer para identificar, para entender o que é gatilho. O que eu posso terminar dizendo é que existe solução para o abuso psicológico", garante. sendo humilhado e percebe que aquela pessoa está fragilizada, é preciso intervir. Não podemos aceitar isso acontecer. A mudança começa dessa forma. É necessário pegar esse gancho para que a gente vá se desconstruindo e se reconstruindo, no sentido de formar uma nova teoria do correto. Tem que haver essa discussão, no sentido de estar sensível ao que é gritante aos olhos e a gente sempre se calou", diz. Por que ninguém faz nada? De acordo com a especialista, nestes casos, a resposta é simples. "Porque não há essa desconstrução. E junta-se isso com o medo. Hoje, vivemos em uma sociedade, principalmente nes-

te ano que passou, com maior índice de doenças psicológicas. Logo, estamos numa sociedade com pessoas doentes, fragilizadas e quando vem uma pessoa assim narcisista a gente se questiona ‘será que fulano não mereceu?’, mas a questão é que ninguém merece. Estamos aqui para tentar ajudar e não julgar. Todo abuso psicológico é feito de fases. Existe a fase do arrependimento, a fase do tentar ajustar... e é importante entender que o arrependimento do abuso não é pela ação em si, mas pelo arranhão que a pessoa acaba causando na imagem dela. Infelizmente, todo mundo, em algum momento da vida, já foi abusado psicologicamente", pontua.


PÁGINA

12

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

www.boulevardcampos.com.br @boulevardcampos

Fotos: Arquivo do colunista

(22) 9985-02331 @salgado_gostoso

INTERINA: Patrícia Abud

A R E L A G QUE A S S E É ? O Ã M R I MEUAVAL 2021!

CARN

Jonatha Gonçalves #paparazzi

Juliana Pires #paparazzi

Laila Póvoa, Mirna Rangel e Millena Martins #paparazzi

Carla Abreu Soares

Narcisia Cordeiro Gisela Sarmet #paparazzi

Robertinha e Raphael Thuin

Lalinha Paes Letícia Viana #paparazzi Danielle Guimarães

Ellen e Bruno Falcão

Magda e Eder Garcia

Viviane Gandra e Carolina Magalhães

Festejando niver em família: querida Márcia Duarte com maridão Cláudio e filhos: Iago, Igor e Ian Riquelle e Bruno Mendes

Aline Monteiro e Matheus Barreto

Suellen e Rafael Guimarães Higor Pita e Luiza Godoy Ana Luiza e Tiago Abud

Michelle Tavares

Álvaro Oliveira e Fábio Ribeiro

Renata Campista #paparazzi

Gabriel Bense #paparazzi

Nádia e Jóber Brito

Gabi Paes e Luis Artur Viana

Rogério Seabra

Joana Cabral #paparazzi

Day Rodrigues

Cicinha Chagas e Edvar Jr.

Wladimir Garotinho, Tassiana Oliveira e filhos Gabi e Anthony

Priscilla e Gilson Rangel

Kassius Azevedo #paparazzi

Lula Sampaio e Jaline Acruche

Rildo Jr. e vovó Alair

Nathália Peixoto

Léo Pinheiro e Babi Teixeira

Rosana Valadares

Patrícia Cordeiro

Amanda Henriques

Luiza Rosa e Bruno Cabral #paparazzi


Fotos: Divulgação

Um aniversário sem festas, Toninho Shita | oito sambas pelo Psicodélicos

mas cheio de tradição

Bloco Os Psicodélicos completou 53 anos no dia 6 de fevereiro, porém, a pandemia cancelou as comemorações transformar o cenário numa grande diversão. “É algo que marca a comunidade como uma união de forças e de uma capacidade absurda em prol de um objetivo comum. Outro ponto muito importante para mim, como mulher, é a força feminina dentro da agremiação, que é sempre respeitada. Uma figura que admiro muito é a Joselia Feydit, que é compositora e uma das fundadoras do bloco. Ela é uma representante do universo feminino no samba”, explica Simone.

Mariane Pessanha Marcelo Sampaio | união com moradores difere psicodélicos

Um aniversário sem festas, mas cheio de tradição. No dia 6 de fevereiro de 1968 nascia o bloco Os Psicodélicos, que completou 53 anos e encheu de orgulho a comunidade do Morrinho, em Campos dos Goytacazes. As comemorações foram adiadas por causa da pandemia e também pela perda do compositor e ritmista Jailton "Maguila". A agremiação, que esteve a maior parte do tempo no grupo especial, caindo apenas uma vez para o grupo de acesso e retornando campeã, é considerada uma das mais queridas e importantes da cidade. Para o pesquisador Marcelo Sampaio, o que diferencia Os Psicodélicos dos outros blocos é a integração com a comunidade, o que garante a participação dos moradores nos carnavais e transforma o evento numa grande festa familiar. Ao todo, são 600 componentes. Ele conta que antes da pandemia havia sempre ensaios, shows com a bateria, o que contribuía muito para unir o bloco e a comunidade. “Para ter uma ideia da força da comunidade com Os Psicodélicos, teve uma vez que o bloco não iria desfilar e em cima da hora resolveu participar do Carnaval. Foram apenas 15 dias para preparar tudo, desde as fantasias à criação do samba e do enredo. A garra e a força dos moradores fizeram toda a diferença nessa hora e eles conseguiram concluir os trabalhos e fazer um desfile impecável”, conta Marcelo.

Simone Pedro | "bloco do coração" Velha-guarda O pesquisador conta ainda que outra característica marcante do bloco é que ele é o único que mantém a velha-guarda organizada. A socióloga e cantora Simone Pedro concorda com Marcelo e fala da importância da velha-guarda. “Eu aprendi muito com eles, por exemplo, a importância da hierarquia, do tempo e do aprender com as pessoas que sabem mais, viveram mais. Eu sou muito agradecida aos Psicodélicos por me encorajar a enveredar no mundo do samba como cantora, compositora, porque é um lugar que me mostrou que dentro da minha cidade esse universo do samba, o encanto pela cultura existe. Sempre vai ser a agremiação do meu coração”, diz Simone. A socióloga ressalta ainda que o bloco nasceu da necessidade de dar uma nova cara ao Carnaval e da vontade de querer

Tradição Compositor de oito sambas-enredo pelo Os Psicodélicos, Toninho Shita fala da sua relação com o bloco. Ele começou sua história na agremiação na década de 70, desfilando nas alas e depois conquistou a vaga de compositor. “Sem dúvida alguma tenho um grande apreço pelo bloco. Ganhamos vários concursos e minha ligação com Os Psicodélicos é para sempre”, diz Toninho, ressaltando que entre blocos, bois pintadinhos e demais agremiações, Os Psicodélicos é o que mais tem títulos na cidade. Entre as composições memoráveis ele cita “Aconteceu no Boulevard”, composta por ele, Marquinho Grande, Silvinho e Josélia Feydit. Com a quadra em obras e um 2020 praticamente todo sem eventos devido à pandemia, o bloco elegeu no ano passado, de forma virtual, o novo presidente da agremiação, Antônio Simões, também conhecido como “Charuto”. Quem disse que o samba pode parar?


PÁGINA

02

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021


PÁGINA

03

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

@priscylabezerra

TENDÊNCIA

A GERAÇÃO QUE

DESCEU DO SALTO E

stamos na era do conforto e do bem estar, sendo assim, sacrifícios estéticos não cabem neste novo padrão. Moda é comportamento, logo o que mais tenho visto são pessoas trocando o salto por um belo tênis. Selecionei algumas produções que me inspiraram e espero que inspirem você também.

COM JEANS + LONGO XADREZ COM SAIA PLISSADA + JAQUETA JEANS

COM MOLETON

COM BLAZER E JEANS

COM SAIA LÁPIS ANINAL PRINT

COM POÁ

COM XADREZ

CRM 52-815861

COM P&B

COM BLAZER BRANCO

TODA HORA!

COM FENDA (amei)

BELEZA

5 ERROS COMUNS NA HORA DE SE PROTEGER DO SOL Paula Marsicano

Dermatologia Integrada Rua Voluntários da Pátria 500 sala 108 Ed. Platinum Tel: 22 3026-1819 @paulamarsicano

INSTAGRAM

@_larissaraposo

Usar o protetor solar para se prevenir do sol é de extrema importância! Mas como aplicar, escolher saber o fator de proteção ideal (FPS), entre outras coisas? Os 5 ERROS mais comuns são: 1) Achar que a fotoproteção acontece apenas pelo uso de protetor solar: é preciso, também usar, chapéu de aba larga, roupas e óculos com proteção UV, preferir a sombra e evitar o sol de 9-16h; 2) Usar protetor solar com FPS abaixo de 30 e acreditar que está protegido; 3) Usar protetor solar para o corpo no rosto: protetores para o corpo quando utilizados no rosto, podem aumentar a oleosidade da pele e provocar o surgimento de acne; 4) Passar o protetor solar e se expor ao sol imediatamente: o ideal é passar os fotoprotetores 30 minutos antes da exposição solar.

MÃES PODEROSAS PASSANDO POR AQUI

@lauraferreiraribeiro

@brazlaura

@dralaraassade

@ingridcoutinhor


PÁGINA

05

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

Reviver...Reviver... M

agda Lopes Cardoso Gomes não imaginava, quando deixou Campos, aos 17 anos, no final da década de 70 para morar no Rio com a amiga Cecília Lysandro Ribeiro Gomes, que faria parte do jet set carioca e frequentaria os salões coroados da cidade. Pois a menina chegou para prestar vestibular e logo "causou". Levava na bagagem sonhos comuns aos adolescentes da época e o título de rainha do Carnaval do Grussaí Praia Club, que conquistou aos 10 anos, escolhida aleatoriamente pela sua alegria e animação, durante um baile infantil. Sim, porque alegria, beleza e alto astral foram atributos que sempre a fizeram ser notada. O colunista de O Globo, Ibrahim Sued, viu uma foto sua, levada pelo fotógrafo Antônio Carlos Kempriff, achou-a interessante, publicou o flash e logo em seguida a escolheu para ser "cocadinha do Ibrahim", nome dado a um grupo de garotas da sociedade carioca que frequentava os lugares badalados e se destacava pelos sobrenomes tradicionais e conta bancária. No caso da nossa persona foi por puro carisma pessoal que ela alçou ao "posto".

Magda com a querida Marília Aquino

Magda com a amiga Silvinha Salgado, Lia Mirian Aquino Cruz e Denny Jô

Governador Togo de Barros, Hervê Salgado Rodrigues e Tatão Ribeiro Gomes

Magda e Gina Inojosa

Com Sarney Filho

O avô querido de Magda Tatão Ribeiro Gomes e Jorge Pereira Pinto

candinhovasconcellos@gmail.com

No lançamento do livro de José Sarney

Com o grande amigo da sua vida, Zé Lysandro

Com Dora Klabin em coquetel no Cap Ferrat

Com a irmã Anamarcia Lysandro e Cristina Salgado

Com a amiga Olguinha Vieira

Com os amigos Dr. Marzano e Paulo Müller

Com João Otávio e Fátima Brizola

Com seu carisma e beleza, Magda Gomes abriu portas dos mais importantes salões da cidade do Rio de Janeiro. Nessa altura, Magda fazia duas faculdades: Reabilitação, na UERJ e Economia, na Cândido Mendes. E, aos 20 anos, daria o primeiro passo rumo ao mundo dos negócios: fez parte de uma sociedade com a 'socialite' Helô Amado, o economista Raphael Peres Borges e a eterna miss Brasil, Martha Rocha, numa loja de plantas, a Viverde, na Rua Montenegro, hoje Vinícius de Moraes, no coração de Ipanema. Nessa altura já tornara-se figura obrigatória nas festas estreladas da cidade, nos clubes fechados como Privê, Hipopótamus, Regine's e nas colunas sociais. O Rio vivia uma efervescência social e cultural, época em que, como disse Vinícius, "o Rio era só felicidade". E era. Magda lembra que acabou trancando a matrícula na UERJ, cursando só economia, "pois o nosso grupo saía todas as noites e não dava para conciliar duas faculdades com a vida social". Em 1982, ela se engajou na campanha de Brizola para o governo do estado do Rio, levada pela amiga Alice Tamborindeguy. Viveu os bastidores do poder. Trabalhou na Riocop com João Otávio Brizola e na direção do BANERJ. Magda afirma, e a quem a conhece sabe que é verdade, que nunca correu atrás dos holofotes, dos famosos, da notoriedade. "Sempre essas situações vieram até mim, assim de graça, sem que eu fizesse qualquer esforço", conta. E foi o acaso que a levou à Ilha de Skorpius, residência de um dos homens mais ricos do mundo, o grego e emblemático Aristóteles Onassis. Ela estava passando férias na casa de um casal amigo, em Atenas, quando os anfitriões foram convidados pela Fundação Onassis para um passeio pelo mar Adriático com parada na Ilha mais famosa do mundo. Quando Magda se deu conta estava sentada na cadeira do armador, apreciando a estrela mais brilhante do universo, pensando: " Que coisa, com certeza Onassis se sentou aqui onde estou e olhou para esta estrela!". Magda Gomes em 2003 lançou a Acqua Madre termal que já figurou na novela das nove da Globo, na Vogue, na Veja. Uma água que hidrata e refresca a pele. Agora se prepara para relançar o produto em nível nacional e ampliar a marca, com uma linha de colônias e sabonetes, já em produção. Católica fervorosa, em novembro do ano passado, esteve com o Bispo Diocesano de Campos, Dom Roberto Francisco Ferreria Paz para doar à Diocese uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, para que aqui seja construído um santuário ou uma capela para abriga-la. Essa relíquia veio da Palestina, esculpida por cristãos de lá, em terracota, cuja a coroa, o manto e o broche foram feitos de madeira de oliveira. Magda lembra que Campos é a única cidade banhada pelo Rio Paraíba do Sul que não fez a homenagem, rio em que a santa foi encontrada por pescadores em 1717. Magda segue devota de Aparecida, do Divino Espírito Santo, buscando inspiração no avô Tatão Gomes, nos pais, Margarida e Ângelo, grata aos céus pela juventude dourada que viveu, pelos amigos que fez, pelo protagonismo que exerceu num tempo mais romântico, ameno e lúdico.

Com Renezinho Ribeiro, Eraldo Bacelar e Magda em Atafona

Com Alice Tamborindeguy

Entregando a Dom Roberto Ferreria Paz o projeto para que seja construído um memorial a Nossa Senhora Aparecida em Campos.

Com a mãe Margarida

No casamento da amiga Cecília Ribeiro Gomes com Leda Lysandro Ribeiro Gomes

Com Darcy Ribeiro

Com a sua eterna Babá Nilza Rufino

Com o pai Angelito Gomes

Com a amiga Helô Amado

No Central Park em Nova York


PÁGINA

06

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021


“Amigos são aqueles que te criticam na sua frente, mas te defendem pelas costas.”

Atafona: Ariuza Kury izar, que recebe todos anos para uma feijoada no Carnaval, este ano não quebrou tradição mas foi apenas para a família.

Pura sintonia: A aniversariante Mirza Kury com a netinha linda Beatriz.

Praia dos Coqueiros: A bonita morena Luciene Peixoto em Trancoso PETIT COMITÉ Na terça-feira de Carnaval, no Orla G2 em Grussaí, Lígia Corrêa e Eraldo Ribeiro, Rita de Cássia Navarro e Paulo Leirson, Fátima Vasconcelos e João Gama, Regina e Zezito Bittencourt puderam saborear um delicioso Medalhão de Filé Mignon com batatas, bacon e salada, feito com muito carinho e competência por Eraldo Ribeiro. Todos deram nota 10. RAPIDINHAS *Lúcia Assed e Cristóvão Bastos estiveram em Vila Velha neste Carnaval. *Laura Ferreira Paes e Rodrigo Faria curtindo sua deliciosa casa de Manguinhos em São Francisco. * Luiz Mendes e Fernanda Zulchner Rumen na espera do seu primeiro bebê. A família está exultante. *Adhairzinha Moll passou o Carnaval se dedicando aos seus quadros de pintura a óleo. Quem viu adorou! *Marilene Ramalho hospedou Beth Aguiar em sua casa num condomínio em Chapéu de Sol. . *Márcia e Paulo Andre Chaves hospedaram durante o Carnaval Andreia e Wilson Correia em seu apartamento de Guarapari. *Farol de São Thomé: Onecy Barros, Salvador Marques, Beth Neto, Conchita e o desembargador José Mota Filho e Felipe Mota. *Ana Luiza e Almir Quitete estavam em Búzios no Carnaval reunindo os filhos e netos. Toda animação foi em casa. *Está linda e florida a casa de Beatriz e Marcelo Bastos em Atafona, com belos vasos presos na fachada e folhagens belíssimas. *As irmãs Silvana e Scheilla Siqueira passaram uns dias em Cabo Frio reunindo a família toda por lá. CARNAVAL EM... Atafona: Dulce e Waltinho Godoy, Ariuza Kury Izar e filhos, Rosane Tinoco, Tânia e José Carlos Alves, Cicinha Chagas, Suzana e Humbertinho Fernandes, Ana e Cláudio César Soares, Marthinha e José Cláudio Poppe, Graziella Aquino Cruz e Guilherme Cassiano, Sid e Edvar Jr,Viviane de Aquino, Ana e Ronaldo Arêas entre outros. Grussaí: Udinha e Renato Moreira Ramos, Christiane Siqueira, Deborah Casarsa e Guilherme Rodrigues, Rosana Guimarães, Sandra Rabelo, Laurinha Pereira Pinto e Maurício Pereira Nunes, Marilene Ramalho,Regina e Ronaldinho Pereira, Carlos Augusto Zulchner e Jacqueline. Guarapari: Marlene Nogueira, Márcia e Paulo André Chaves, Márcia e Danilo Barroso, Sandra e José Mariz, Maria Lúcia Pereira Pinto e família. Rio das ostras: Alessandra Vasconcelos, Lu Santana e Júlio Boldrini. Búzios: Silvana e Chrysantho Neves, Mary e Maron El Kik, Valéria e Luiz Alberto Pupe, Valéria Sampaio Peres, Ludendorff Boeschenstein. NIVER Os parabéns de hoje vão para Valéria Palhares, Bela Azeredo, Cândida Rebel Albernaz, Cíntia Carvalho Ribeiro Gonçalves, Solange da Silva Figueiredo, Leonardo Barbosa, Luis Gustavo Araujo, Carlos Adão Rodrigues Barcelos, Ivanir de Carvalho, Rafael Ferreira e Marina Patrão. Amanhã para Ana Luiza Concebida, Maria José Ramos Basílio, Renato Jacinto, Fabiana de Araújo Leal, Mara Rúbia, Eduardo Pozitivo, Patrícia Lima, Reubes Pess, Claudete Abreu, Arthur Campanelli, Marcelo Pedroso Tardivo, Carol Correa, Rafael Schimming. Terça-feira para Pietro e Paola Sardenberg, Afaf Ibrahim Khenaifes, Evaldo de Andrade, Vinícius Azevedo, Cláudio Nogueira, Fred Nicácio, Thiago Carvalho Pereira, Priscila Lucas, Carol Tripari e Noêmia Viana. Quarta-feira para Valéria Sampaio Peres, Daniele Manhães, Luiz Carlos Chicri, Leiva Urbano, Nani Guedez, Marcinha Barroso, Bia Azeredo, Raquel Parreiras, Ana Carolina e Marilene Saldanha. Quinta-feira para Tânia Escocard, Júlia Araújo, Nathalie de Castro Pessanha, Jualmir Delfino, Sandra Lúcia Coitinho Ferreira, Soraya Abdu, Tati Escocard, Edinho Sangue Bom e Luiz Alberto Arruda. Sexta-feira para Ricardinho Ferreira Filho, Rodrigo Feitoza, Nininha Gazineu, Camilla Henrique, Rose Coutinho Jaber, Cristiano Rochinsky, Wellington Cordeiro, Neinha Freitas, Vinícius Barcelos, Carol Costa e Fran Freitas. Sábado para Carlos Alberto Pereira Pinto, Monique Sepulveda Tonti, Suledil Bernardino, Carlos André Barbosa, Jessica Guzzo e Tony Martins. Da coluna os votos de muita saúde e felicidades para todos.

Belas na Bahia: Carol Landim no seu aniversário com a mãe Beth e as irmãs Ju e Rafa em Trancoso.

Grussaí: Toda a beleza e elegância de Jacqueline Lima Zulchner em sua casa no Carnaval

Grussaí: Lígia Corrêa e Eraldo Ribeiro, Rita de Cássia Navarro, Fátima Vasconcelos e João Gama, Paulo Leirson, Regina e Zezito Bittencourt

Mulheres bonitas, mães exemplares e de bem com a vida: Carla Monteiro Paes, Cristiane Nascimento,Sandra Rangel, Ana Paula Neves, Mara Si- Jericoacara: Rafaella mões Robaina e Carol Alves Rodrigues em Búzios. Vergnano sempre linda

Beleza de mãe pra filha: Renata Rodrigo Tolomei e Ana Luiza Aguiar festejando “in family” os 4 aninhos de Bebel Vilaça e Sophia em Geribá

Comemorando: Mario Antônio Bittencourt com os filhos Ana Liz e Mário Daniel que aniversariava.

A bonita Luísa Lisboa Martins, filha de Patrícia Lisboa, comemorou seus 17 anos

Simone Salomão e sua Meg no Carnaval

Rose Coutinho Jaber é a bela aniversariante da próxima sexta-feira.


PÁGINA

09

21 A 27 DE FEVEREIRO DE 2021

GENTE BACANA CURTINDO O VERÃO SERINGA

Iniciou a vacinação local aos maiores de 90 anos, como Seu João Fernandes, de 104 bons anos, e Dona Maria da Penha, de 99, que foram os primeiros a serem vacinados na cidade. A orientação da Secretaria de Estado de Saúde é que se vacine 100% deste grupo que é considerado de alto risco.

DE LÁ, PRÁ CÁ

resgatando suas raízes muito bem fincadas nesta cidade, a campista Ana Aiube, que hoje é uma empresária bem sucedida em Niterói, resolveu se conectar novamente com sua terra natal. Enquanto lá comanda casas de festas e conviteria que assinam as mais importantes cerimônias da Terra de Araribóia, aqui ela vem a passeio. Por enquanto.

PALCO

Mestre Fernando Rossi, ator e diretor teatral, resolveu oferecer a jovens que queiram se ingressar na carreira artística, ou modelos que desejam aperfeiçoar sua interpretação de texto e presença diante das câmeras, uma oficina de teatro para iniciantes. Tem vagas limitadas, com no máximo 12 alunos por turma, ao ar livre, com início marcado para o dia 1 de março.

A casa da família, onde nasceu e foi criada, ganhou reforAna com o marido Maurício Aiube e o filho Jonas. ma bruta e está tão classuda quanto imponente, imperando na Rua Gilberto Cardoso com obra assinada pela dupla Thiago de Sá e Natália Paes.

GRATIDÃO

Com o titular desta coluna em férias, aqui deu continuidade como colunista interino, o querido amigo Mário Cruz, que executou com profissionalismo, boa informação e sensibilidade a tarefa de noticiar com elegância, o que a sociedade campista promove de melhor. O meu muito obrigado ao Mário, pelo esforço dedicado com esmero e carinho. Meus leitores também agradecem. Você é bacana! Na foto, Mário e o amigo, André Torres, em Rio das Ostras.

QUERIDA

Aniversariante da semana que passou, Mirza Sampaio Péres Kury passou a data em Campos, sem aglomeração, junto da família e mais ninguém. Recebeu a presença surpresa da irmã Valéria Sampaio Péres, que veio de Búzios festeja-la com a amiga Miriam Kilmeblat.

A aniversariante com o amigo Silvio Cruz, super estilista das estrelas da tv, com atelier no Rio e Niterói

Na sexta pré carnavalesca chegou à Campos para comemorar seu aniversário e inaugurar a área gourmet da casa. Foi um jantar íntimo, com culinária árabe assinada por Nelita Hissa, que abusou do sabor. Teve chuviscos e tronco como sobremesa, tudo bem servido pela garçonete Iris que atende com eficiência as melhores festas do society. Ao lado de Ana o marido gentleman Maurício Aiube e o filho bacana Jonas, além dos arquitetos Thiago e Natália, do estilista carioca Silvio Cruz, do decorador Sandro Oliver, Cristina e Nilo Sérgio da Silva Pessanha, Rodrigo Oliveira,..w.

OSWALDÃO VIVE

Se vivo fosse, Dom Américo estaria comemorando aniversário na semana que passou. Sua passagem entre nós deixou encantos mil como cantor e ser humano de qualidade. Dom hoje é saudade e viverá para sempre no coração dos campistas. Prova disso foi a enxurrada de homenagens póstumas que a ele foram dedicadas carinhosamente nas redes sociais do povo desta terra.

Juventude BBB bacana, bonita e badalada: Bernardo Pires e Lorrany Machado.

ON LINE

O Senac RJ está com inscrições abertas em todo o estado do RJ para cursos técnicos e livres, em diversas áreas, ministrados de forma remota. Com início nos meses de fevereiro, março e abril, os programas oferecem aulas online em tempo real. Há turmas nas áreas de Informática, Moda, Administração, Design, Idiomas, Fotografia e Decoração. Inscrições pelo site da entidade.

VIVA BETH!

ARTE

Esse quarteto é maravilhoso! Falo de Beth Aguiar Linhares e a trinca de filhas lindas Isabel, Olguinha e Rachel, que a coluna admira por muitos motivos. Beth, uma das mulheres mais elegantes da sociedade goitacá, foi festejada na intimidade da casa de Chapéu do Sol, com direito a bolo e fagulhas iluminadas ao seu redor. Cercada feito ilha, de amor por todos os lados, ela era só felicidade e gratidão.

Empresário Edvar Junior, com o desejo valorizar os artistas locais, realiza I Mostra de Arte e Cultura, um evento que terá a presença do escultor Daniel de Lima que vai expor suas obras de arte tendo o barro como matéria prima. Daniel é fenomenal e esculpe arte sacra que ele batiza de Filhos do Barro. A Orquestrando a Vida fará performance musical do Violino Vermelho e DJ GG. Edvar deseja que sua loja possa ser um portal de integração dos artistas com os arquitetos e a comunidade, com o apoio da expertise em eventos culturais Elaine Emerick.

PASSAPORTE

Campos atraiu até cá, fugindo do rigoroso lockdown do Chile, a modelo e atriz carioca Patrícia Cinelli com o filho Bento e o marido chileno Carlos Gomez. Patrícia tem fortes ligações com Campos, pois seu primeiro marido era campista, Rodolfo Bousquet, o modelo que faleceu tragicamente naquele país em acidente de moto. Bento vem a ser neto de Ana Laura Bousquet e Gustavo Carvalho, que também foi top model internacional nos anos 80 e 90 e vive em Boa Ventura, distrito de Itaperuna. Carlos veio e já se enturmou na cidade, dando aulas de personal trainer em academias locais.

O top Rafael Quintanilha, cheio de charme e estilo em tarde de verão.

BÚZIOS

A promoter buziana Drika Nogueira esteve à frente da inauguração da Movida, o novo espaço para drinkar na Orla Bardot, em Búzios. Inaugurou dando prova que Sant`Anna protege o balneário e fortalece os moradores, mesmo diante da pandemia, com força bruta para seguir em frente. Nayara Lima combinando com a estação quente do ano


Filipe Pinho e Rinaldo Gama aproveitaram o final do Carnaval pra curtir a Bahia na cia de amigos queridos.

Bia Azeredo está super feliz com os projetos para 2021. O ano começou com o pé direito para essa grande empreendedora. Já já conto as novidades!

As queridas amigas Carol Moura e Thais Nascimento estão cheias de histórias incríveis para contar sobre a trip do Jalapão e sua beleza extraordinária.

Bettina Bacelar e Felipe Mendonça estão curtindo a plenitude do momento mágico pós mudança. Sim, depois de muita obra e expectativa, o casal curte o novo endereço que é um charme.

Parabéns para o grande amigo e parceiro de frescobol, Felipe Martins, aniversariante da semana passada. Viva Felipe!

Tula Tavares está fazendo uma breve temporada pelo Brasil e prometeu visitar os amigos em Campos muito em breve. Filipe Pinho e Rinaldo Gama aproveitaram o final do Carnaval pra curtir a Bahia na cia de amigos queridos. Joana Cabral toda lindona curtindo Búzios

Gabi Rangel é a dona do estilo

Mariah Khenayfes curte o Nordeste em grande estilo

Que saudade que eu estava desse casal! Teve resenha gostosa, passeio no pontal, muita risada e afeto. Bruno Siqueira e Gabi Albernaz, obrigada pela recepção calorosa em família

Nina Aquino, princesa estuda assim

Bia Azeredo está super feliz com os projetos para 2021. O ano começou com o pé direito para essa grande empreendedora. Já já conto as novidades!

As queridas amigas Carol Moura e Thais Nascimento estão cheias de histórias incríveis para contar sobre a trip do Jalapão e sua beleza extraordinária.

Bettina Bacelar e Felipe Mendonça estão curtindo a plenitude do momento mágico pós mudança. Sim, depois de muita obra e expectativa, o casal curte o novo endereço que é um charme.

Parabéns para o grande amigo e parceiro de frescobol, Felipe Martins, aniversariante da semana passada. Viva Felipe!

Tula Tavares está fazendo uma breve temporada pelo Brasil e prometeu visitar os amigos em Campos muito em breve.

O querido casal Alex Costa e Morena Tavares curtem aquele praião

Além de linda e interessante, Paula Alexandrisky sabe viver!

Profile for terceiravia

Jornal Terceira Via 225  

Jornal Terceira Via 225  

Advertisement