Issuu on Google+

Trabalho de campo: Entrevista e sua análise sobre o uso de redes sociais em contexto educativo - representações dos professores do ensino básico e secundário

(http://lixado.com/wp-content/uploads/2011/02/redes_sociais.jpg)

Metodologias de Investigação em Contexto Online Mestrado em Pedagogia do e-Learning Universidade Aberta

Docente: Alda Pereira Discente: Telma Martins de Jesus Março de 2011


Índice Introdução

2

Contextualização

3

Enquadramento

3

Ferramenta utilizada para realização da e-entrevista

4

Guião para a entrevista

5

Transcrição da e-Entrevista

10

Análise da e-Entrevista

19

Conclusões – Análise da Entrevista

31

Limitações da técnica utilizada e / ou limitações sentidas pelo entrevistador

33

Considerações Finais

35

Bibliografia

36

Telma Martins de Jesus

Página 1


Introdução Na Unidade Curricular de Metodologias de Investigação em Contexto Online foi proposto como actividade final, a realização de um trabalho de campo sobre a temática redes sociais em contexto educacional. Supostamente o entrevistador, faz parte de uma equipa de investigação que pretende estudar as representações de professores do ensino básico/secundário sobre as redes sociais. Para a concretização desta actividade final, cuja finalidade foi a elaboração de um trabalho individual, que consistiu na realização e análise de uma entrevista semiestruturada a um professor do ensino básico/secundário, realizada através de uma ferramenta de comunicação online. Esta suposta investigação deve ser realizada com base nas seguintes questões: 1. O que pensam os professores sobre as redes sociais a exemplo do Facebook, Myspace, Twitter, etc? 2. Como é que vêem a sua (hipotética/real) participação numa rede social? 3. Que expectativas têm sobre o seu uso no ensino? A entrevista é de natureza semi-estruturada e o informante seleccionado deve enquadrar-se no universo acima enunciado. A entrevista será preparada e realizada com recurso a uma tecnologia online, sendo posteriormente objecto de uma transcrição e análise. Como resultado deste trabalho, é apresentado este relatório que incidirá sobre os seguintes pontos: 

a preparação da entrevista;

a razão da selecção da tecnologia online escolhida para a entrevista;

a transcrição da entrevista;

a análise da entrevista

as limitações da técnica usada e/ou as limitações sentidas pelo entrevistador.

Telma Martins de Jesus

Página 2


Contextualização Este trabalho servirá de base para uma investigação hipotética, que pretende trabalhar a temática das redes sociais, mais especificamente, a sua utilização pelos professores do ensino básico e/ou secundário em contexto educativo. Para a recolha de dados desta investigação, foi utilizado o método da entrevista, cuja natureza é a semi-estruturada, tendo a mesma sido aplicada a um informante que se enquadre no universo acima enunciado. A entrevista será realizada com recurso a uma tecnologia online, que privilegia a comunicação escrita – Googletalk, estimando-se uma duração média de 90 minutos e posteriormente será transcrita e analisada.

Enquadramento Uma entrevista “consiste numa conversa intencional, geralmente entre duas pessoas, embora por vezes possa envolver mais pessoas, dirigida por uma delas com o objectivo de obter informações sobre a outra” (Morgan, 1988, citado por Bogdan & Biklen 1994: 134). Uma entrevista semi-estruturada consiste numa conversação que foca determinados assuntos, neste caso, é centrada na temática das redes sociais utilizadas em contexto educativo, devendo ser preparada e basear-se, num guião de entrevista adaptável e não rígido ou pré-elaborado. As questões colocadas aquando de uma entrevista desta natureza, apesar de previamente preparadas pelo entrevistador, geralmente, são colocadas por uma ordem ou sequência não rígida e vão surgindo no decorrer da mesma de forma flexível, podendo inclusive, surgir questões novas que complementem ou confirmem as já aplicadas. Esta entrevista foi planeada, por forma a poder recolher o maior número de dados, capazes de gerar informação quantitativa. O Entrevistador deve ser detentor de várias capacidades ou técnicas para realizar uma entrevista. Um Entrevistador deve preparar-se previamente para a mesma e assegurar-se de que está bem informado sobre a temática em investigação, para poder colocar de forma pertinente as questões previamente preparadas e controlar a entrevista. Telma Martins de Jesus

Página 3


Consequentemente, deve planear bem o enquadramento da mesma, recorrendo a uma matriz, delineando os tópicos principais ou questões a debater, partindo das mais gerais para as mais específicas e estabelecendo uma calendarização para esse processo. Quanto à Amostra, tanto a sua dimensão como natureza, não foi aqui aplicado, dado tratar-se de uma investigação hipotética. Relativamente à selecção do entrevistado, o mesmo foi seleccionado de entre um conjunto de indivíduos que utilizam as redes sociais e que pertence às relações do entrevistador como amigo e colega. Foi ainda tido em conta a rotina diária e ocupação do entrevistado, de forma a assegurar que a entrevista não interfira com outras actividades do entrevistado. A Entrevista deverá ser previamente testada e validada. O Entrevistador teve o cuidado de pensar na ferramenta a utilizar para a realização da entrevista, escolhendo uma com a qual o entrevistado estivesse familiarizado e salvaguardar a confidencialidade do entrevistado. Uma entrevista online, permite a poupança de custos. Durante a entrevista o entrevistador deverá criar condições favoráveis à realização da mesma e iniciar a entrevista com tópicos de adaptação e introdução à mesma, manifestando sensibilidade, interesse e respeito pelas respostas dos entrevistados. Deve ser utilizada uma variedade de estilos de questão (confirmação, clarificação, exploração, outras) e ouvir com atenção, não emitindo juízos verbais, não tomando partido e não criticando as respostas.

Ferramenta utilizada para realização da e-entrevista Inicialmente, a ferramenta escolhida para a realização da entrevista foi o MSN, por ser chat escrito e ser fácil depois de gravar e transcrever para um documento para posterior análise. Devido a algumas limitações técnicas, em que o entrevistador e entrevistado não conseguiram contactar através desta via, foi estabelecido novo contacto para escolher uma nova ferramenta utilizada por ambos e combinar um outro dia e hora. Foi então escolhido o Gtalk (ou Google talk), por ser uma ferramenta que possibilita a comunicação escrita, síncrona e permitir gravação do chat. Telma Martins de Jesus

Página 4


Uma vez que o entrevistador e entrevistado já se conheciam , não se verificou quaisquer constrangimentos aquando da realização da entrevista, tendo a mesma ocorrido de forma espontânea e num ambiente de colaboração. Nesta entrevista, embora entrevistador e entrevistado residissem na mesma cidade, mas, em extremos opostos, a utilização de uma ferramenta de comunicação online revelou-se bastante produtiva.

Guião para a Entrevista Este guião destina-se a orientar uma entrevista semi - estruturada com o intento de estudar as representações dos professores do ensino básico e secundário sobre o uso das redes sociais. Os objectivos deste estudo são: 1. Saber o que pensam os professores sobre as redes sociais a exemplo do Facebook, Myspace, Twitter, etc? 2. Como é que vêm a sua (hipotética/real) participação numa rede social? 3. Que expectativas têm sobre o seu uso no ensino? Para a elaboração deste guião, foram tidos em conta os seguintes aspectos: 

pesquisa do entrevistador sobre os métodos de recolha de dados;

pesquisa sobre a utilização de entrevistas e sobre as técnicas de entrevista;

Pesquisa sobre a temática em investigação;

Preparação do guião para a entrevista semi-estruturada;

Pulico-alvo : Professores do ensino básico e/ou secundário que utilizam as redes sociais;

Propósito da entrevista (trabalho de uma uc de mestrado);

Perfil do sujeito (utiliza e conhece redes sociais);

Perguntas definidas de acordo com a problemática a investigar (3 questões da investigação);

Meio de comunicação utilizado.

Previamente à entrevista, serão adoptados os seguintes procedimentos: o esclarecimento do entrevistado acerca da temática sobre a qual incidirá a entrevista, o que é pretendido, as questões que servirão de base e objectivos da entrevista, bem como, qual a ferramenta a utilizar dentre as sugeridas pelo entrevistador. Será respeitado o tempo de duração da mesma e será comunicado ao entrevistado todos os detalhes sobre os seus direitos. O entrevistador deverá promover um clima Telma Martins de Jesus

Página 5


agradável, de privacidade e de registo de todas as informações recolhidas. No Final, o entrevistador deverá terminar a entrevista, com cordialidade. O sujeito a quem foi aplicada a entrevista, foi escolhido de forma intencional dentre um conjunto de colegas e amigos do entrevistador que estão familiarizados com a temática. Tema da Entrevista: Redes Sociais em contexto educacional Entrevistador: Telma Jesus Entrevistado: Professor PG Data de realização:11 de Março de 2011 Início:22:14 Términos:23:57 Ferramenta: Gtalk Dimensão Perfil pessoal e profissional

Tópicos

Questões

Sexo

Qual o teu sexo?

Idade

Qual a tua idade?

Formação Académica

Quais são as tuas habilitações literárias?

Tempo de serviço na docência

Tens quantos anos de serviço?

Grupo de recrutamento Nível de ensino

Qual o teu grupo disciplinar?

Disciplinas a leccionar Cargos que exerce

Quais as disciplinas que leccionas?

Utilização das TIC em contexto educativo

Utilizas as Novas Tecnologias de Informação e Comunicação em ambiente sala de aula?

Qual o nível de ensino?

Actualmente, encontras-te a exercer algum cargo de coordenação? Qual?

Que recursos costumas utilizar e com que objectivo? (Moodle) Redes sociais

Noção de rede social Que redes conhece Aplicabilidade e funcionalidade de cada uma das redes identificadas

Telma Martins de Jesus

Para ti, o que é uma rede social? Quais as redes sociais que conheces e como as descobriste? Consegues identificar qual o objectivo de cada uma das redes que identificaste? Qual a funcionalidade de cada uma delas e, na tua opinião, que importância têm?

Página 6


Participação numa rede social

Vantagens e desvantagens da utilização Quem utiliza

O que pensas sobre a sua utilização? Vantagens e desvantagens?

Inscrição numa rede social

Estás registado/inscrito em alguma rede social?

Motivos

Quem consideras ser o público-alvo das redes sociais?

Qual e porque motivo(s) te inscreveste e a(s) utilizas ?

Utilização

Com que frequência utilizas as redes sociais (diária, semanal, mensal)?

Actividades

Que tipo de actividades aí desenvolves? O que pensas da utilização das redes sociais a nível familiar, interpessoal e pedagógico?

Redes sociais e o ensino

Redes sociais no Ensino

Consideras que as redes sociais podem ser utilizadas no ensino ou como suporte do processo de ensino/aprendizagem?

Vantagens e desvantagens da utilização no ensino

Para ti quais as vantagens da utilização das redes sociais em contexto educativo?

Papel do professor

Qual será o papel do professor numa rede social de cariz educacional?

Prática pedagógica

Consideras que as redes sociais poderão influenciar a prática pedagógica dos professores? Podes exemplificar?

Interacção entre alunos

Neste tipo de ambiente, como vês a interacção dos alunos entre si?

Interacção com o Professor Capacidade de expressão escrita

E com o próprio professor?

Metodologias de ensino

Consideras que as metodologias de ensino actuais poderão vir a ser influenciadas pelas redes sociais? De que forma?

Aplicação ao ensino

Tens conhecimento de alguma situação concreta da aplicação de redes sociais no ensino? Podes descrevê-la?

Exemplo de práticas com redes sociais Vantagens para os alunos

Conheces algum caso de sucesso relativamente à aplicação das redes sociais no ensino?

Interacção com alunos

Costumas recorrer às redes sociais para interagir com os teus alunos? Com que objectivos?

Telma Martins de Jesus

E desvantagens?

Consideras que esta interacção promove o desenvolvimento da capacidade da expressão escrita do aluno?

Consideras que existem vantagens para os alunos utilizarem as redes sociais em termos educacionais?

Página 7


Se não o fazes, podes indicar-me as razões. Utilização futura das redes sociais na educação

O que esperas no futuro, em termos de utilização pedagógica das redes sociais?

Queres acrescentar mais alguma informação que consideres relevante acerca da utilização pedagógica das redes sociais?

Após o término da entrevista, a mesma deverá ser gravada e transcrita. Posteriormente será entregue uma cópia uma cópia da transcrição da sua entrevista.

Telma Martins de Jesus

Página 8


TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Transcrição da Entrevista sobre Redes Sociais em Contexto Educacional

(http://www.mastertrad.com.br/servicos/imagens/transcricao.jpg)

Telma Martins de Jesus

Página 9


TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Entrevista sobre a temática redes sociais em contexto educativo: Entrevistador: Telma Jesus Entrevistado: Professor PG Data de realização:11 de Março de 2011 Início:22:14 Términos:23:57 Ferramenta: Gtalk

Perfil do Entrevistado Sexo: Masculino Idade:36 anos Local: Habilitações Literárias: Licenciatura em Ensino de Informática Grupo de recrutamento: 550- Informática Nível de Ensino: 3º Ciclo Disciplinas leccionadas: Tecnologias de Informação e Comunicação-9ºAno, Área de Projecto-8ºAno e Tecnologias de Informação e Comunicação – Curso de Educação e Formação Anos de serviço docente: 4 anos Cargos que desempenha: Coordenador técnico do PTE

Entrevista Telma Jesus diz: Olá PG. PG diz: olá. Telma Jesus diz: Como sabes, esta entrevista destina-se à realização de um trabalho para a disciplina de Metodologias de Investigação em Contexto Online, do Mestrado em Pedagogia do e-learning, que estou a frequentar na Universidade Aberta. PG diz: Sim, sei. Telma Jesus diz: O objectivo desta entrevista é responderes às 3 questões que te enviei por email no outro dia. Tudo o que aqui for dito é confidencial, desde os teus dados de perfil às respostas propriamente ditas. Não te preocupes, isto é só uma conversa entre dois colegas de profissão. Vou então iniciar pedindo que me forneças algumas informações relacionadas com o teu perfil. PG diz: vamos então.

Telma Martins de Jesus

Página 10


TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Telma Jesus diz: Qual o teu sexo? :-) PG diz: Masculino. Telma Jesus diz: Qual a tua idade? PG diz: 36 anos. Telma Jesus diz: Quais são as tuas Habilitações literárias? PG diz: Licenciatura em Ensino de Informática. Telma Jesus diz: Tens quantos anos de serviço? PG diz: Aproximadamente 4 anos de serviço. Telma Jesus diz: Qual o teu grupo disciplinar? PG diz: O meu grupo é o 550-Informática. Telma Jesus diz: Qual o nível de ensino? PG diz: Neste momento dou aulas ao 3ºciclo, nomeadamente 9ºano, 8ºano e curso CEF do Tipo II equivalente ao 9ºano Telma Jesus diz: Quais as disciplinas que leccionas? PG diz: Ao nível do 9ºAno lecciono Tecnologias da Informação e Comunicação. Ao nível do 8ºAno lecciono Área de Projecto, e por fim aos cursos de CEF, lecciono a disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação. Telma Jesus diz: Actualmente, encontras-te a exercer algum cargo de coordenação? Qual? PG diz: Sim, Coordenador Técnico da Equipa PTE. Telma Jesus diz: Utilizas as Novas Tecnologias de Informação e Comunicação em ambiente sala de aula, certo? PG diz: sim. Telma Jesus diz: Que recursos costumas utilizar e com que objectivo? PG diz: O recurso que mais utilizo é a plataforma Moodle. Com o principal objectivo de servir como um meio por excelência de comunicação entre mim e os meus alunos. Com esta plataforma, eu tenho sempre a certeza que os meus alunos tem acesso aos conteúdos leccionados, como também permito-lhes a realização das actividades fora do contexto de sala de aula com a entrega através desta mesma plataforma Dentro do Moodle exploro com os meus alunos ainda outras funcionalidades, assim como, glossários, lições, testes e questionários, entre outros. Telma Jesus diz: Muito bem….vamos então proceder às questões relacionadas com a temática em estudo.

Telma Martins de Jesus

Página 11


TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

PG diz: ok. Telma Jesus diz: Para ti, o que é uma rede social? PG diz: Será todo o "mecanismo" que permite ligar (entenda-se comunicar) pessoas em torno de um ou mais interesse. Assim e dentro das Tecnologias da Informação, toda e qualquer plataforma que permita a comunicação referida. Telma Jesus diz: Quais as redes sociais que conheces e como as descobriste? PG diz: Conheço várias, Facebook, Hi5, MySpace, Stumbleupon, Digg, Linkendin, Tumbl entre outras. Tweeter. Tomei conhecimento da maior parte delas, ou por colegas/amigos, por notícias em foruns, ou até por alunos (Tumbl). Telma Jesus diz: Consegues identificar qual o objectivo de cada uma das redes que identificaste? PG diz: Como disse anteriormente, todas elas permitem a ligação (entre pessoas) em torno de vários interesses. Ex: Facebook: Social, Facebook, Hi5, MySpace, Twitter para interesses generalistas e diversos. Stumblenupon, também entra na categoria anterior. Digg - Partilha de informação/notícias, no entanto funciona como uma rede social. Linkedin - Partilha de Currículos, novamente com a construção de uma rede de contactos (rede social específica). Tumbl – Generalista. Telma Jesus diz: Na tua opinião, consideras que estas redes sociais são importantes? PG diz: Sim, muito, as redes sociais vieram acrescentar uma dinamica (construção e partilha de informação e contactos) que não era possível com os fóruns e com os blogues. Telma Jesus diz: O que pensas sobre a sua utilização? Vantagens e desvantagens? PG diz: Todas estas redes sociais só apresentam vantagens se utilizadas correctamente. Quer a nível profissional, pessoal, ou simplesmente lúdica. Tudo depende do que o utilizador pretende com a rede social em questão. Eu comparo muitas vezes a utilização das redes sociais com a utilização do MSN, ou seja, a normal utilização do MSN é lúdica e de simples conversa (o que também é importante :) ), no entanto, esta ferramenta permite a qualquer empresa efectuar apoio (técnico, informático, ou de outro tipo) e um cliente (esteja ele em qualquer parte do mundo) com a mesma facilidade que seria se o cliente estive a 1 metro de distância. Agora se a utilização das redes sociais, passar somente pela exposição da vida quotidiana, sem sentido, propósito, ou até mesmo descuidada... aqui sim, uma rede social é muito "perigosa". Telma Jesus diz: Quem consideras ser o público-alvo das redes sociais? PG diz: Está directamente relacionado com o tipo de rede social, no caso do LinkedDin, o público alvo está muito bem definido e é muito específico. As restantes redes mencionadas já quase todos nós podemos ser um público alvo

Telma Martins de Jesus

Página 12


TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Telma Jesus diz: Consideras que os jovens adolescentes também fazem parte deste público-alvo, certo? PG diz: Sim, grande parte das redes sociais tem como público principal os adolescentes ... até porque estes são muito mais dinâmicos a aceitar/experimentar as novidades tecnológicas. Telma Jesus diz: Quando te referes a "todos nós", queres dizer adultos em geral ou só professores? PG diz: Adolescentes, adultos, professores … todos. Telma Jesus diz: Vamos então questionar a tua participação numa rede social. Estás registado/inscrito em alguma rede social? PG diz: Estou registado em duas redes sociais, no Google Buzz (não referi anteriormente) e no FaceBook. Telma Jesus diz: Porque motivo(s) te inscreveste e a(s) utilizas ? PG diz: No GoogleBuzz começou por ser uma brincadeira entre alguns colegas (da escola onde lecciono) para podermos comunicar/partilhar entre nós, embora praticamente não esteja a utilizar há já algum tempo. E No FaceBook, por dois motivos: 1º Para poder manter contacto com amigos, familiares e colegas (que entretanto mudaram de escola), já tendo encontrado pessoas que não falava com eles há já vários anos. 2º Para poder mostrar algumas das actividades que gosto de fazer (Fotografia) e ter um feedback por parte dos "Amigos" que tenho na rede de contactos. Telma Jesus diz: Com que frequência utilizas as redes sociais (diária, semanal, mensal)? PG diz: Em média semanalmente. Telma Jesus diz: Já referiste que gostas de mostrar algumas das actividades que desenvolves. Que outras actividades poderias desenvolver através de uma rede social? PG diz: Por exemplo, em contexto lectivo, uma rede social pode ser utilizada de várias formas: -Para as turmas mostrarem os trabalhos realizados por eles ao seu grupo de amigos, ou até outras turmas. -Para poder criar uma rede de contactos (locais, regionais ou até mesmo internacionais) e a partir destes realizar um projecto mais elaborado (como no caso do eTwinning. Telma Jesus diz: O que pensas da utilização das redes sociais a nível familiar, interpessoal e pedagógico? PG diz: Como te disse anteriormente, se for com bom senso acho excelente :) ... nas aulas onde abordo o conteúdos da Internet/Segurança eu falo sobre as redes sociais e Telma Martins de Jesus

Página 13


TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

sobre o que se escreve nelas e acabo sempre por mostrar um site, não me recordo exactamente o nome +- pleaserobme .... e o propósito deste site é somente analisar os post feitos em algumas redes (de acesso público ao perfil e ao posts) e mostrar os que aparece informação sobre a localização do seu autor ... isto é ... se determinada pessoa chegou ao trabalho, se está a caminho de casa por aí adiante ... ora bem.... se alguém mal-intencionado saber que determinada pessoa acabou de sair de casa sabe que esta está vazia ...e isto torna a utilização da rede social a nível pessoal, familiar ou pedagógico com muitos perigos. Telma Jesus diz: Compreendo.... Consideras que as redes sociais podem ser utilizadas no ensino ou como suporte do processo de ensino/aprendizagem? PG diz: Podem ser utilizadas no ensino e como suporte .Por exemplo como te dei nos exemplos anteriores. Por exemplo, em contexto lectivo, uma rede social pode ser utilizada de várias formas: -Para as turmas mostrarem os trabalhos realizados por eles ao seu grupo de amigos, ou até outras turmas. -Para poder criar uma rede de contactos (locais,regionais ou até mesmo internacionais) e a partir destes realizar um projecto mais elaborado (como no caso do eTwinning. Telma Jesus diz: Para ti, quais as vantagens da utilização das redes sociais em contexto educativo? PG diz: Principalmente a de poder mostrar o trabalho realizado pelos alunos/professores dentro da escola, que por vezes não é mostrado à comunidade escolar, para fora desta e a todas as pessoas que tenham acesso às redes sociais. Telma Jesus diz: E desvantagens? PG diz: Pois ... aqui é que se torna mais complicado ... isto é ... uma vez disponibilizado algo numa rede social ... deixamos de ter algum controle sobre o que mostrámos ... e também não temos controle sobre o "feedback" dado por quem está a ver ... ex: Eu disponibilizo numa rede social fotos sobre um evento que realizei na escola juntamente com os meus alunos de seguida aparece um comentário a maldizer/injuriar o trabalho realizado e este comentário até pode ter sido porque a pessoa em questão estava mal disposta nesse dia não sei se me fiz entender Telma Jesus diz: sim, sim PG diz: A desvantagem é esta, nós só controlamos a acção de disponibilizar .. daí para a frente ... é uma incógnita. Telma Jesus diz: Pois, é verdade. Continuando...Qual será o papel do professor numa rede social de cariz educacional? PG diz: Muito similar ao de uma aula .. o de orientar/moderar, para tentar gerir os interesses (conteúdos) dos alunos no sentido de se tirar um maior partido das vantagens da rede social.

Telma Martins de Jesus

Página 14


TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Telma Jesus diz: Consideras que as redes sociais poderão influenciar a prática pedagógica dos professores? Podes exemplificar? PG diz: Sim, numa sala de aula, as questões postas pelos alunos são normalmente respondidas no momento, por vezes acontece que mais tarde eu chego à conclusão que poderia ter respondido de outra forma à mesma questão e numa rede social, qualquer outra pessoa (em principio um aluno da turma, ou de outra turma) pode interferir e sugerir algo novo para a mesma questão. permite ainda o seguinte, a mim professor, dá-me tempo suficiente para preparar melhor a resposta a dar ao mesmo aluno. é interessante... porque pode permitir uma comunicação mais eficiente e mais cuidada Telma Jesus diz: Neste tipo de ambiente, o que pensas acerca da interacção dos alunos entre si? PG diz: Se funcionar bem é excelente ... porque permite-lhes discutirem (da mesma forma que o fariam em sala de aula) um determinado assunto sem estar preso à duração da aula. Telma Jesus diz: E se funcionar mal? PG diz: Se funcionar mal ... a uma perca de tempo ... e uma possível frustração na utilização das redes por parte do professor ou dos alunos. Telma Jesus diz: E o que pensas acerca da interacção entre os alunos e o professor? PG diz: Permite uma comunicação entre ambos fora do contexto de sala de aula ... ainda com vantagens em permitir ao aluno ver um professor como um individuo e poder vir a identificar-se com o professor em termos de ideias (algo que nem sempre é possível fazê-lo na escola). Desta forma pode até motivar o aluno porque está a ver um professor como pessoa e que até partilha interesses (logo vai motivar futuramente o aluno em contexto de sala de aula). Telma Jesus diz: Consideras que esta interacção promove o desenvolvimento da capacidade da expressão escrita do aluno? PG diz: Se o aluno, antes de realizar um post, reflectir, ponderar e organizar as ideias antes de escrever ... sim. Agora se o aluno simplesmente escrever o que veio à cabeça .... não Telma Jesus diz: Achas que as metodologias de ensino actuais poderão vir a ser influenciadas pelas redes sociais? De que forma? PG diz: Não te sei responder em que forma poderá vir a alterar ... no entanto .. toda e qualquer tecnologias tem a possibilidade de influenciar, desde os telemóveis, computadores, moodle/joomla, redes sociais, quadros interactivos entre outros mecanismos tem vindo a alterar a forma como a sociedade se relaciona/comunica ... logo com alterações nas metodologias de ensino

Telma Martins de Jesus

Página 15


TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Telma Jesus diz: Conheces alguma situação concreta da aplicação de redes sociais no ensino? Podes descrevê-la? PG diz: Conheço a vários níveis: -Na escola onde lecciono, as actividades realizadas na escola também são posteriormente disponibilizadas no FaceBook (além da página inicial da escola), -Sei que há bibliotecas que utilizam as redes sociais (FaceBook) para chegaram ao seu público-alvo (alunos) para mostrarem o que tem vindo a realizar, -Sei de um caso em que os alunos antes de entregarem os trabalhos de multimédia à professora, eles disponibilizaram na rede social para mostrarem aos colegas ... isto reflecte que os alunos em questão gostaram do trabalho que realizaram assim como tem orgulho e não tem receio de o mostrar Telma Jesus diz: Conheces algum caso de sucesso relativamente à aplicação das redes sociais no ensino que seja relevante? PG diz: Em que sentido te estás referir como relevante? Telma Jesus diz: Que se destaque. PG diz: Dos que te referi atrás achei muito interessante (a nível pedagógico) a partilha dos trabalhos dos alunos antes mesmo de os entregaram ao professor. não sei se te respondi Telma Jesus diz: Sim PG diz: Agora não conheço nenhum trabalho realizado em aula que estivesse dependente do acesso a uma rede social (da mesma forma que posso estar dependente de um livro para realizar uma actividade), no entanto, já tenho realizado trabalhos em aula sobre as redes sociais, mas este caso acho que não se encaixa na questão. Telma Jesus diz: Não, mas a resposta está bem. Telma Jesus diz: Consideras que existem vantagens para os alunos utilizarem as redes sociais em termos educacionais? PG diz: Depois do que falamos, desde que a rede social seja utilizada para esse propósito ... sim Telma Jesus diz: Costumas recorrer às redes sociais para interagir com os teus alunos? Com que objectivos? PG diz: Embora tenha como "amigos" alguns dos alunos, normalmente não são abordados conteúdos de aula. Para abordar esses conteúdos, normalmente utilizo o Chat/Fóruns do Moodle ou o Email. isto fora da sala de aula obviamente := Telma Jesus diz: Portanto, não recorrem a redes sociais para expor esses trabalhos. PG diz: Comigo ainda não aconteceu . Mas tenho algumas expectativas em relação a alguns dos trabalhos que estou a realizar com os 8ºAnos. vamos ver :).

Telma Martins de Jesus

Página 16


TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Telma Jesus diz: Se ainda não o fizeste, podes indicar-me as razões. PG diz: Este ano com os 8ºanos tenho vários grupos a criar "filmes" e "animações", espero com alguns destes vir a ter alguma partilha nas redes sociais. mas isso só vai ser possível se os alunos se identificarem com o trabalho que eles produziram. em contexto de brainstorming ... sim sem dúvida ... de outra forma só depois de eu explorar por mim para poder recomendar Telma Jesus diz: E relativamente aos teus familiares, recomendarias? PG diz: Sim . mas alertando para uma utilização ponderada ... para não se exporem inadvertidamente. Telma Jesus diz:...e para terminar, queres acrescentar mais alguma informação que consideres relevante acerca da utilização pedagógica das redes sociais? PG diz: Penso que se for bem utilizada pode vir a ser uma ferramenta muito interessante para a partilha de conhecimento, bem como, para a distribuição do mesmo num circuito específico (escolar) Telma Jesus diz:...por último, das redes sociais que conheces, qual pensas ser a mais adequada para utilizar em contexto educativo? PG diz: Nem sempre o mais adequado será o melhor ... sugiro o mais utilizado (melhor aceite pelos alunos) o FaceBook Telma Jesus diz: Chegámos ao fim da nossa Entrevista. Muito obrigada pela tua excelente colaboração. PG diz: De nada. tive muito gosto. Telma Jesus diz: Também eu. Até breve PG diz: Até breve.

Telma Martins de Jesus

Página 17


ANรLISE DA ENTREVISTA

Marรงo de 2011

Anรกlise da Entrevista

(http://www.treebranding.com/blog/wp-content/uploads/capitalsocial2.jpg)

Telma Martins de Jesus

Pรกgina 18


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Análise de Conteúdo – Matriz

Entrevistador: Telma Jesus Entrevistado: P. G. (Professor do 3º ciclo do ensino básico) Tipo de Entrevista: Online Local da Entrevista: Gtalk Data da Entrevista: 11 de Março de 2011 Início da entrevista:23:14 Fim da Entrevista: 23:57 Duração da Entrevista: 90 minutos Tema Perfil do Entrevistado

Perfil Profissional

Telma Martins de Jesus

Categoria Idade Sexo

Sub-categoria Anos Masculino/Feminino Grupo de recrutamento Formação académica Anos de serviço Nível de ensino Disciplinas que lecciona

Indicadores/Unidades de registo 36 Masculino 550-Informática Licenciatura em Ensino de Informática 4 anos 3ºCiclo TIC, Área de Projecto

Cargo de Coordenação

Coordenador técnico PTE

Unidades de Contexto “36 anos” “Masculino” “O meu grupo é o 550-Informática” “Licenciatura em Ensino de Informática” “Aproximadamente 4 anos de serviço” “dou aulas ao 3ºciclo”, “Ao nível do 9ºAno lecciono Tecnologias da Informação e Comunicação. Ao nível do 8ºAno lecciono Área de Projecto, e por fim aos cursos de CEF, lecciono a disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação.” “Coordenador Técnico da Equipa PTE.”

Utiliza as TIC em ambiente sala de aula

sim

“sim”

Actividade Profissional

Página 19


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Redes Sociais

Telma Martins de Jesus

Conhecimento sobre a temática

Março de 2011

Recursos

Moodle

“eu tenho sempre a certeza que os meus alunos tem acesso aos conteúdos leccionados” e “permitolhes a realização das actividades fora do contexto de sala de aula com a entrega através desta mesma plataforma” e “exploro com os meus alunos ainda outras funcionalidades, assim como, glossários, lições, testes e questionários, entre outros” “todo o "mecanismo" que permite ligar (entenda-se comunicar) pessoas em torno de um ou mais interesse. Assim e dentro das Tecnologias da Informação, toda e qualquer plataforma que permita a comunicação referida.”

Noção de rede social

Mecanismo para interligar pessoas e permitir a comunicação entre elas em torno de interesses comuns.

Redes Sociais que conhece

Facebook, hi5, Myspace, StumbleUpon, tweeter, Tumbl Linkedin, Digg, Google buzz,

“ Facebook, Hi5, MySpace, Stumbleupon, Digg, Linkendin, Tumbl entre outras, Tweeter, …(Tumbl)”

Como as descobriu

Alunos, Amigos, notícias em fóruns e Colegas.

Objectivo das redes sociais

Interesses diversos, Ligação entre pessoas, partilha de informações e notícias, partilha de currículos, rede de contactos.

“Tomei conhecimento da maior parte delas, ou por colegas/amigos, por notícias em fóruns, ou até por alunos” “todas elas permitem a ligação (entre pessoas) em torno de vários interesses”.” Facebook: Social” “Facebook, Hi5, MySpace, Twitter

Página 20


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

para interesses generalistas e diversos” “ Stumblenupon, também entra na categoria anterior” “Digg - Partilha de informação/notícias, no entanto funciona como uma rede social” “LinkedIn - Partilha de Currículos, novamente com a construção de uma rede de contactos (rede social específica)” “ Tumbl – Generalista” Importância das redes sociais

Nova dinâmica-construção e partilha de informação e contactos

Utilização de redes sociais Muitas vantagens - Vantagens Utilização de redes sociais

Telma Martins de Jesus

“Sim, muito, as redes sociais vieram acrescentar uma dinâmica (construção e partilha de informação e contactos) que não era possível com os fóruns e com os blogues.” “Todas estas redes sociais só apresentam vantagens se utilizadas correctamente. Quer a nível profissional, pessoal, ou simplesmente lúdica”.

Página 21


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

“a normal utilização” Utilização de redes sociais Exposição descuidada da vida - desvantagens quotidiana

“Agora se a utilização das redes sociais, passar somente pela exposição da vida quotidiana, sem sentido, propósito, ou até mesmo descuidada... aqui sim, uma rede social é muito "perigosa"”

Público-Alvo

“ LinkedIn, o público alvo está muito bem definido e é muito específico”

Todos nós - jovens, adolescentes, adultos, professores

“ as restantes redes mencionadas já quase todos nós podemos ser um público alvo” “grande parte das redes sociais tem como público principal os adolescentes ... até porque estes são muito mais dinâmicos a aceitar/experimentar as novidades” “adolescentes, adultos, professorestodos” Participação numa rede social

Telma Martins de Jesus

Registo numa rede social

Google Buzz e FaceBook

Motivo(s)da inscrição/ utilização

Por brincadeira, para comunicar com colegas,

“Estou registado em duas redes sociais, no Google Buzz (não referi anteriormente) e no FaceBook.” “No GoogleBuzz começou por ser uma

Página 22


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

brincadeira entre alguns colegas (da escola onde lecciono) para podermos comunicar/partilhar entre nós” “E No FaceBook, por dois motivos: 1ºPara poder manter contacto com amigos, familiares e colegas (que entretanto mudaram de escola), já tendo encontrado pessoas que não falava com eles há já vários anos 2ºPara poder mostrar algumas das actividades que gosto de fazer (Fotografia) e ter um feedback por parte dos "Amigos" que tenho na rede de contactos” Formas de utilização

Frequência que utiliza

Semanalmente

“Em média semanalmente”

Actividades que desenvolve

Mostra de trabalhos escolares, rede de contactos,

“Para as turmas mostrarem os trabalhos realizados por eles ao seu grupo de amigos, ou até outras turmas.” “-Para poder criar uma rede de contactos(locais,regionais ou até mesmo internacionais) e a partir destes realizar um projecto mais elaborado (como no caso do

Telma Martins de Jesus

Página 23


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

eTwinning” Utilização das redes sociais a nível familiar, interpessoal e pedagógico.

Com bom senso, mas apresenta muitos perigos.

“se for com bom senso acho excelente :) “... nas aulas onde abordo o conteúdos da Internet/Segurança eu falo sobre as redes sociais e sobre o que se escreve nelas” e acabo sempre por mostrar um site, não me recordo exactamente o nome +- pleaserobme .... e o propósito deste site é somente analisar os post feitos em algumas redes” “utilização da rede social a nível pessoal, familiar ou pedagógico com muitos perigos”

Redes sociais no Ensino

Utilização das redes sociais no ensino

Sim, como suporte.

“podem ser utilizadas no ensino e como suporte”…“ em contexto lectivo, uma rede social pode ser utilizada de várias formas:“Para as turmas mostrarem os trabalhos realizados” “Para poder criar uma rede de contactos”

Vantagens da utilização das redes sociais em contexto educativo

Telma Martins de Jesus

Mostra de trabalho realizado nas escolas à comunidade escolar.

“ poder mostrar o trabalho realizado pelos alunos/professores dentro da escola, que por vezes não é mostrado

Página 24


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

à comunidade escolar, para fora desta e a todas as pessoas que tenham acesso às redes sociais”

Telma Martins de Jesus

Desvantagens

Não ter controlo sobre o que disponibilizamos e sobre o feedback dado nas redes sociais.

“uma vez disponibilizado algo numa rede social ... deixamos de ter algum controle sobre o que mostrámos “... e também não temos controle sobre o "feedback" dado por quem está a ver” ...”nós só controlamos a acção de disponibilizar .. daí para a frente ... é uma incógnita”

Papel do professor numa rede social de cariz educacional

Orientador e moderador

“muito similar ao de uma aula .. o de orientar/moderar, para tentar gerir os interesses (conteúdos) dos alunos no sentido de se tirar um maior partido das vantagens da rede social”

Influencia das redes sociais na prática pedagógica dos professores

Sim, síncronicidade das respostas dadas aos alunos e permite uma comunicação mais eficiente e cuidada.

“Sim”…“numa sala de aula, as questões postas pelos alunos são normalmente respondidas no momento”…“e numa rede social, qualquer outra pessoa (em principio um aluno da turma, ou de outra turma) pode interferir e sugerir algo novo para a mesma questão”

Página 25


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

“ tempo suficiente para preparar melhor a resposta a dar ao mesmo aluno” “é interessante... porque pode permitir uma comunicação mais eficiente e mais cuidada” Interacção entre alunos

Interacção entre os alunos e o professor

Telma Martins de Jesus

Excelente

“se funcionar bem é excelente” “permite-lhes discutirem (da mesma forma que o fariam em sala de aula) um determinado assunto sem estar preso à duração da aula”

Perca de tempo, frustração

“se funcionar mal ... a uma perca de tempo ... e uma possível frustração na utilização das redes por parte do professor ou dos alunos”

Permite uma comunicação entre ambos e os alunos identificam-se mais com o professor e incrementa o grau de motivação dos alunos.

“permite uma comunicação entre ambos fora do contexto de sala de aula ... ainda com vantagens de permitir ao aluno ver um professor como um individuo e poder vir a identificar-se com o professor em termos de ideais e ideias (algo que nem sempre é possível fazê-lo na escola)”

Página 26


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

“desta forma pode até motivar o aluno porque está a ver um professor como pessoa e que até partilha interesses (logo vai motivar futuramente o aluno em contexto de sala de aula)” Promoção da capacidade da expressão escrita do aluno

Sim e não

“se o aluno, antes de realizar um post, reflectir, ponderar e organizar as ideias antes de escrever ... sim” “agora se o aluno simplesmente escrever o que veio à cabeça .... não”

Telma Martins de Jesus

Influencia das redes sociais nas metodologias de ensino actuais

Não sabe de que forma, mas toda a tecnologia influencia.

“não te sei responder em que forma poderá vir a alterar ... no entanto .. toda e qualquer tecnologia tem a possibilidade de influenciar, desde os telemóveis, computadores, moodle/joomla, redes sociais, quadros interactivos entre outros mecanismos tem vindo a alterar a forma como a sociedade se relaciona/comunica ... logo com alterações nas metodologias de ensino”

situações concretas da aplicação de redes sociais no ensino.

Sim , a vários níveis: Disponibilização de actividades realizadas na escola, mostra de

“conheço a vários níveis” “ -Na escola onde lecciono, as

Página 27


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

trabalhos e actividades realizadas nas bibliotecas escolares e mostra de trabalhos a colegas.

Março de 2011

actividades realizadas na escola também são posteriormente disponibilizadas no FaceBook (além da página inicial da escola)” “-Sei que há bibliotecas que utilizam as redes sociais (Facebook) para chegaram ao seu público-alvo (alunos) para mostrarem o que tem vindo a realizar” “-Sei de um caso em que os alunos antes de entregarem os trabalhos de multimédia à professora, eles disponibilizaram na rede social para mostrarem aos colegas ... isto reflecte que os alunos em questão gostaram do trabalho que realizaram assim como tem orgulho e não tem receio de o mostrar”

Telma Martins de Jesus

Casos de sucesso relativamente à aplicação das redes sociais no ensino.

Sim, a nível pedagógico a partilha de trabalhos dos alunos

“dos que te referi atrás achei muito interessante(a nível pedagógico) a partilha dos trabalhos dos alunos antes mesmo de os entregaram ao professor”

Vantagens da utilização das redes sociais por

Sim

“depois do que falamos, desde que a

Página 28


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

parte dos alunos em termos educacionais Recorre às redes sociais para interagir com os seus alunos

Março de 2011

rede social seja utilizada para esse propósito ... sim” Não, mas tem como amigos os seus alunos.

“ embora tenha como "amigos" alguns dos alunos .. normalmente não são abordados conteúdos de aula.” “Para abordar esses conteúdos, normalmente utilizo o Chat/Fóruns do Moodle ou o Email” “ comigo ainda não aconteceu .. mas tenho algumas expectativas em relação a alguns dos trabalhos que estou a realizar com os 8ºAnos”

Razões para a não utilização das redes sociais em contexto educativo.

Espera vir a utilizar, se os alunos se identificarem com o trabalho produzido e em contexto de brainstorming. Posteriormente poderá recomendar.

“este ano com os 8ºanos tenho vários grupos a criar "filmes" e "animações", espero com alguns destes vir a ter alguma partilha nas redes sociais” “mas isso só vai ser possível se os alunos se identificarem com o trabalho que eles produziram” “em contexto de brainstorming ... sim sem dúvida” ... de outra forma só depois de eu explorar por mim para

Telma Martins de Jesus

Página 29


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

poder recomendar Recomendação da utilização de redes sociais a familiares.

Sim, uma utilização ponderada.

“ sim ... mas alertando para uma utilização ponderada ... para não se exporem inadvertidamente”

Mais informação cerca da utilização pedagógica das redes sociais

Ferramenta interessante para partilhar e distribuir conhecimento

“penso que se for bem utilizada pode vir a ser uma ferramenta muito interessante para a partilha de conhecimento, bem como, para a distribuição do mesmo”

Redes social mais Facebook adequada para utilizar em contexto educativo

Telma Martins de Jesus

“sugiro o mais utilizado (melhor aceite pelos alunos) o FaceBook”

Página 30


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Conclusões – Análise da entrevista Através desta entrevista, foi possível verificar que o entrevistado é utilizador assíduo das Tecnologias de Informação e Comunicação, uma vez que, as utiliza em ambiente de sala de aula no âmbito das disciplinas que lecciona e da sua formação base. O recurso mais utilizado e explorado pelo entrevistado é a plataforma de Aprendizagem Moodle, “um meio por excelência de comunicação entre” o professor e os seus alunos e que permite aceder aos conteúdos leccionados e “ a realização das actividades fora do contexto de sala de aula, com a entrega através desta mesma plataforma” e utiliza ainda outras funcionalidades da ferramenta acima referida. 

Quanto à questão 1 da investigação- O que pensam os professores sobre as redes sociais a exemplo do Facebook, Myspace, Twitter, etc?

O entrevistado conhece e define as redes sociais como uma ferramenta que permite a comunicação e interligação entre pessoas. Conhece várias redes sociais, desde Facebook, hi5, Myspace, Tweeter, digg, LinkendIn, Tumbl, Stumbleupon, entre outras e identifica qual o objectivo das redes que referenciou. Considera que as redes sociais são importantes e que “vieram acrescentar uma dinâmica (construção e partilha de informação e contactos)”. “Todas estas redes sociais só apresentam vantagens se utilizadas correctamente”, quer seja a “nível profissional, pessoal, ou simplesmente lúdica”, comparando a utilização das redes sociais com a do MSN. Considera que o público-alvo pode ser definido por “quase todos nós”.

Quanto à questão 2 da investigação - Como é que vêm a sua (hipotética/real) participação numa rede social?

Está registado em duas redes sociais, o Google buzz e o Facebook, utiliza-as semanalmente e o motivo da sua inscrição foi inicialmente por brincadeira e para manter contacto com amigos, familiares e colegas e para mostrar alguns hobbies e receber feedback. A participação numa rede social com fins educacionais é vista como um meio para mostrar trabalhos realizados pelos alunos a colegas e outras turmas ou então para realização de projectos de âmbito mais vasto (eTwinning). O entrevistado aborda nas suas aulas a temática redes sociais e reforça e alerta para os perigos da utilização as mesmas. Considera que as redes sociais podem ser utilizadas no ensino como suporte à realização de várias actividades. Refere como

Telma Martins de Jesus

Página 31


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

grande vantagem, o mostrar à comunidade escolar e a todos os que têm acesso às redes sociais, as actividades realizadas nas escolas. Como desvantagem, enumera, o facto de só podermos controlar a acção de disponibilizar a informação, ficando tudo o resto fora do nosso controle, o que representa uma incógnita. O Papel do professor aquando da utilização de redes sociais de cariz educativo, é considerado como um moderador e orientador. Pode ainda gerir conteúdos e interesses dos alunos para tirar um maior partido da utilização das redes sociais. O entrevistado considera que a utilização das redes sociais em contexto educativo, pode influenciar a prática pedagógica do professor, na medida em que, numa sala de aula, as respostas dadas aos alunos são feitas sincronamente e numa rede social, isso é feito de forma assíncrona, podendo ainda intervir qualquer pessoa. A comunicação resultante desta troca de informações revela-se mais eficiente e permite ao professor preparar melhor a resposta que é dada aos alunos. O entrevistado considera que a interacção entre os alunos é excelente neste tipo de ambiente se funcionar bem e se funcionar mal é uma perca de tempo e pode resultar em sentimentos de frustração na utilização das redes sociais por parte dos mesmos. Relativamente à interacção entre alunos e professores, o entrevistado, realça a possibilidade de comunicação efectuada fora do contexto sala de aula, permitindo ai«o aluno identificar-se com o professor e incrementar o seu grau de motivação ao ocorrer uma partilha de ideias e interesses. O aluno beneficia desta interacção, uma vez que ao elaborar uma mensagem para um post numa rede social, pode reflectir e organizar as suas ideias, desenvolvendo desta forma a sua capacidade de expressão escrita. 

Quanto à questão 3 da investigação - Que expectativas têm sobre o seu uso no ensino?

O entrevistado não sabe responder acerca da forma como as redes sociais podem influenciar as metodologias de ensino actuais, no entanto, considera que qualquer tecnologia tem a possibilidade de influenciar ou alterar as metodologias de ensino. Entrevistado conhece algumas situações concretas de aplicação das redes sociais no ensino e enumera-as. Considera a partilha de trabalhos muito interessante. E é da opinião de que existem vantagens na utilização das redes, desde que utilizadas para um propósito educacional. O entrevistado não costuma interagir com os seus alunos através das redes sociais, embora no Facebook tenha alguns alunos como amigos.

Telma Martins de Jesus

Página 32


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

O entrevistado tem algumas expectativas relativamente à utilização das redes sociais com os seus alunos no próximo ano lectivo e ainda não o fez por uma questão de organização curricular. O entrevistado recomendaria a utilização de redes sociais, mas de forma ponderada sem demasiada exposição. Considera as redes sociais uma ferramenta muito interessante desde que bem utilizada e considera o Facebook a mais adequada para trabalhar em contexto educativo.

Limitações da técnica utilizada e/ou as limitações sentidas pelo entrevistador Quando planeei esta entrevista, senti algumas dificuldades, nomeadamente ao nível da gestão do tempo. Esta entrevista foi pensada para aplicar a um único entrevistado, todo o processo, desde a sua realização, transcrição e análise, iria repetir-se pelo número de entrevistados definidos numa amostra, o que tornaria todo o processo mais moroso e complicado. Apesar de, a entrevista ter sido realizada através de uma ferramenta online, não senti que o factor presença iria enriquecer a entrevista. Penso que, este tipo de ferramentas, quando bem utilizadas facilita muito todo o processo. Considero também que, quando realizadas neste tipo de ambientes, um entrevistado se sente mais à vontade para responder a todas as questões colocadas pelo entrevistador. Penso que o envio das questões de investigação ou até do próprio guião será uma mais-valia para que todo o processo decorra da melhor forma e o entrevistador consiga recolher o máximo de informações possível. Se o guião de entrevista for bem elaborado, assim como, todo o trabalho preparatório desde a pesquisa bibliográfica acerca da temática a abordar na entrevista, o entrevistador conseguirá colocar o número de questões suficientes para abordar todos os pontos sobre os quais quer obter informações. A disponibilidade dos entrevistados será uma questão muito relevante a ter em conta, pois o entrevistador dependerá deste factor para realizar o seu trabalho. Numa entrevista desta natureza, o entrevistador tem o privilégio de poder colocar mais questões para explorar mais algum ponto que considere menos explorado e desta forma, conseguir obter as informações, no entanto, deverá ter o cuidado de permitir e dar tempo ao entrevistado para desenvolver o seu raciocínio e as suas respostas. O entrevistador deverá ter o cuidado de omitir as suas opiniões para não influenciar o entrevistado. Telma Martins de Jesus

Página 33


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

A duração prevista para uma entrevista, deve ser respeitada sob pena de provocar cansaço nos entrevistados e não conseguir obter as informações desejadas. Quanto ao trabalho que é realizado após a realização da entrevista, considero que a análise do conteúdo, onde o entrevistador se vai debruçar sobre as informações recolhidas e onde terá que repetir esse processo tantas vezes quantos os elementos da amostra, poderá revelar-se uma tarefa com um elevado grau de complexidade. Relativamente às matrizes para análise de conteúdo que são construídas e onde são definidas as categorias, subcategorias, unidades de registo e unidades de contexto, o entrevistador deverá proceder à divisão e recorte da mensagem recolhida, isolando os vários elementos, com o intuito de facilitar esta tarefa que à partida se prevê que seja complexa. Aquando da realização da entrevista, senti que apresentava uma preocupação constante para que nenhuma questão caísse no esquecimento e aguardava sempre que o entrevistador terminasse a sua resposta. Considero importante referir que, se eu não me relacionasse com o meu entrevistado, não estaria tão à vontade para conduzir a entrevista e estaria constantemente preocupada em não ultrapassar o tempo destinado à entrevista e certamente que isso iria influenciar a forma como a mesma foi conduzida.

Telma Martins de Jesus

Página 34


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Considerações Finais O Entrevistado, foi inicialmente convidado, de forma presencial para esta entrevista, resultado de um encontro casual entre amigos e colegas de curso. Posteriormente, foi contactado por e-mail para acordar acerca da hora e o entrevistador enviou também, as 3 questões principais da investigação. Posteriormente, registou-se uma troca de emails, uma vez que inicialmente estava previsto utilizar a ferramenta MSN e no dia inicialmente combinado para realizar a entrevista não conseguimos contactar, por dificuldades técnicas por parte de ambos, uma vez que residimos na mesma cidade, tendo ficado acordado que a entrevista se iria realizar no dia seguinte, à hora combinada e com recurso a outra ferramenta online. Foi ainda acordado entre ambos no primeiro encontro, a disponibilização da versão final do trabalho. Para a realização desta entrevista foram utilizadas aproximadamente 32 questões exploratórias,

às

quais

o

entrevistado

respondeu

com

sinceridade

e

pormenorizadamente, tendo conseguido obter a opinião do entrevistado acerca das redes sociais. Penso que o meu entrevistado esteve à vontade para responder a todas as questões por mim colocadas. Após uma leitura flutuante da entrevista, procedi à fase de codificação, recortando os dados, classificando-os, agregando-os e categorizando-os. Esta foi uma análise interpretativa Dado tratar-se apenas de uma entrevista, procedi a uma análise vertical das informações recolhidas. Através deste trabalho, foi possível tomar consciência das várias problemáticas com as quais nos deparamos quando realizamos um trabalho de investigação, cuja recolha de dados e informações é feita através da realização de entrevistas. Com este trabalho conseguimos perceber as várias etapas que são necessárias para proceder a uma investigação. A experiência de um entrevistador e a forma como é conduzida a entrevista, também influencia todo o processo de recolha de dados. A utilização de uma linguagem clara e menos formal coloca o entrevistado mais à vontade para responder a todas as questões. Também me foi possível verificar que por vezes nos deparamos com alguns percalços e dado que a entrevista se realizou com recurso à tecnologia, convém pensar sempre numa alternativa para o caso de nos depararmos com algum problema. Através deste trabalho tivemos a oportunidade de aplicar os conhecimentos adquiridos ao longo do semestre nesta unidade curricular e preparar para a próxima tarefa.

Telma Martins de Jesus

Página 35


PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA

Março de 2011

Bibliografia Amado, J.(2000). A Técnica de Análise de Conteúdo. In Referência , n.º5 Anderson, T., & Kanuka, H. (2003). e-Research: Methods, Strategies, and Issues. Boston: Allyn & Bacon. Bardin, L. (2009). Análise de Conteúdo. Lisboa: Almedina. Bogdan, R., & Biklen, S. (2010). Investigação Qualitativa em Educação. Porto/Portugal: Porto Editora. Stake, R. E. (2009). A Arte da Investigação com Estudos de Caso (2ª ed.). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Telma Martins de Jesus

Página 36


Trabalho de campo