Page 1

VP VALORES PRÓPRIOS REVISTA DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO MAGAZINE JANEIRO/FEVEREIRO JANUARY/FEBRUARY 2015


Editorial

O Técnico e o “Problem of More” / Técnico and “Problem of More” PT A Investigação e Desenvolvimento (I&D) estão no centro da missão do Técnico. Acreditamos que podemos dar uma melhor educação aos nossos estudantes se os inserirmos num ambiente com elevada intensidade de I&D; é através da I&D que os nossos professores, investigadores e funcionários podem contribuir para resolver alguns dos desafios do século XXI. O ecossistema de I&D do Técnico engloba as ciências fundamentais, as diferentes áreas da engenharia, e ainda as ciências da vida aplicadas, arquitetura e gestão; estamos totalmente internacionalizados, e somos competitivos, e trabalhando nas fronteiras da ciência e da tecnologia. Há muitas demonstrações deste posicionamento: os prémios internacionais e reconhecimentos com que os nossos professores, investigadores e alunos têm sido distinguidos, a fração importante de fundos europeus concedidos a instituições portuguesas que é gerida no universo do Técnico ou a nossa posição nos rankings académicos mundiais e europeus. A nível nacional, a excepcionalidade, alta qualidade e padrões internacionais da I&D no Técnico nem sempre são reconhecidas; muitas das decisões oficiais, políticas de I&D e o próprio discurso político são ensombrados por considerações que devem pouco a uma cultura de mérito, não protegem as instituições com uma forte orientação para a I&D, como o Técnico, e a longo prazo, não contribuem da melhor forma para o futuro do país. Um dos desafios mais importantes de Portugal e da Europa é a disseminação do que de melhor se faz em cada domínio, ou seja como generalizar as boas práticas, a qualidade e as melhores organizações. Este é o chamado “Problem of More”, descrito pelo professor da Universidade de Stanford, Bob Sutton, como “(...) a dificuldade de difundir algo bom daqueles que o têm para os que não o têm”. Através da I&D, o Técnico pode contribuir para resolver o “Problem of More” português. Já difundimos sistematicamente os resultados de I&D, a cultura científica e o know-how aqui desenvolvido para a sociedade e para a economia. Combinamos uma comunidade vibrante de spin-offs com um grande número de estudantes de mestrado e doutoramento que trabalham em áreas de I&D em permanente mudança e revolução, como por exemplo as Tecnologias da Informação e Comunicação, e em que a I&D está mais próxima dos produtos e do mercado. Como instituição académica, incorporamos os princípios de uma universidade de investigação, tendo reconhecimento internacional. Colaboramos e competimos com as melhores do mundo pelas principais descobertas, os financiamentos de maior prestígio e os melhores talentos entre alunos, professores, investigadores e funcionários. O Técnico representa um exemplo de grande qualidade de I&D. Trabalhamos para o tornar uma fonte de inspiração e orgulho para todos os nossos estudantes, alumni, professores, investigadores e funcionários e, para que, a partir daqui, possamos difundir as melhores práticas e os melhores resultados de I&D, para a sociedade e para a economia, e ser um ponto de partida para resolver o “Problem of More” português e europeu.

EN Research and Development (R&D) are at the core of the mission of Técnico. We believe that we can provide a better education to our students by immersing them in an R&D intensive environment. We believe that it is through R&D that our professors, researchers and staff can better contribute to solve the societal problems of the 21st century. The R&D ecosystem of Técnico encompasses fundamental sciences and the many different strands of engineering, with a touch of applied life sciences, architecture and management sciences; we are fully internationalized, competitive, at the bleeding edge of science and technology. There are many demonstrations of this: the international prizes and recognitions that our faculty members and students hold, the significant fraction of European funding by Portuguese institutions that is secured by Técnico, or our standing in the World and European academic rankings. At the national level, the uniqueness, high quality, and international standards of R&D at Técnico are not always properly acknowledged; many official decisions and appointments, R&D policies, and the political discourse are shadowed by considerations far from meritocratic, that do not protect the R&D intensive public institutions such as Técnico, and, in the long run, hinder the future of the country. One of the most important challenges of Portugal and Europe is scaling i.e. how to spread the pockets of superior practices, high quality, or of better institutions. This is the so-called “Problem of More”, described by Stanford Professor Bob Sutton as “(…) the difficulty of spreading something good from those who have it to those that don’t”. Through R&D, Técnico can contribute to solve the Portuguese “Problem of More”. We already spread the R&D results, the scientific culture, and the know-how developed here to society and to the economy. We combine a vibrant pool of spin-offs with a large number of talented MSc and PhD students working in fast moving R&D fields with extremely “short times to market” such as Information and Communication Technologies. As an academic institution, we embody the principles of a research university, holding international recognition, and collaborating and competing with the best in the World for the top discoveries, the most prestigious funds, or the best talents. Técnico truly represents a pocket of high quality R&D. We work to make it a source of inspiration and pride to all our students, alumni, faculty members and staff, from where to scale up, a template for best practices in R&D, and a starting point to solve the “Problem of More” of Portugal and Europe.

Luís Oliveira e Silva Presidente do Conselho Científico / President of the Scientific Board

3


Instantâneos/Snapshots 2015

Alumni

Prémio/Award

DUARTE DONAS-BOTO / TÉCNICO

Livro de docente vence Prémio Gulbenkian da Academia Portuguesa de História / Teacher’s book wins Gulbenkian Award from the Portuguese Academy of History

Jantar de Antigos Alunos traz alumni de volta ao Técnico / Alumni Dinner brings former students back to Técnico EN At the end of December the Meeting of the Former Students of Técnico, sponsored by the Associação de Antigos Alunos do Instituto Superior Técnico (AAAIST), took place. The meeting was a social event and, among other things, aimed to advertise the AAAIST Solidarity Fund “From the Former to the Current Students” (Fundo Solidário AAAIST - do Antigos para os Atuais Alunos). The Salão Nobre was the chosen venue to host the meeting, which around one hundred alumni attended. Among them was engineer Carlos Moedas: “The day I first came in here, into the Salão Nobre, on the first day of class, was the day my life changed”, said the European Commissioner for Research, Innovation and Science in a short speech in which he spoke about what he had learned during the years he spent at Técnico. “Besides being the school where I was taught to look at problems and to solve them in an analytical way, Técnico had a different characteristic: it taught me something else. It is an analytical school that has a way of teaching us how to solve things through intuition.” !

EN The book “Modern Architecture in Africa: Angola and Mozambique”, coordinated by professor Ana Tostões and published in 2013, won the Gulbenkian Award from the Portuguese Academy of History in the category History of the Presence of Portugal in the World. The book resulted from an Exchanging Worlds Vision research project, conducted within the Institute of Structural Engineering, Territory and Construction (ICIST) of Técnico, and entitled “Cross-visions of the Worlds: Modern Architecture in Lusophone Africa”. Ana Tostões, an architecture professor, was the researcher in charge. Besides this book, which is published in Portuguese and English and includes contributions from all the researchers of the project, this research led to the publication, by professor Ana Tostões, of ten papers in international journals, and the presentation of 25 papers at national and international conferences. The professor also supervised, within the scope of this work, two doctoral theses and four master’s theses. !

FCT

PT Decorreu, no final de dezembro, o Encontro de Antigos Alunos do Técnico, promovido pela AAAIST - Associação de Antigos Alunos do Instituto Superior Técnico, que pretende ser um momento de convívio e, entre outras coisas, dar a conhecer o Fundo Solidário AAAIST – dos Antigos para os Atuais Alunos. O Salão Nobre foi o palco escolhido para acolher o encontro, que juntou cerca de uma centena de alumni. O engenheiro Carlos Moedas foi um deles: “O dia em que entrei pela primeira vez aqui no Salão Nobre, no primeiro dia de aulas, foi o dia em que a minha vida mudou”, afirmou o Comissário Europeu para a Investigação, Inovação e Ciência, num pequeno discurso em que falou sobre o que aprendeu nos anos em que passou pela escola. “Além de ser a escola onde aprendi a olhar para os problemas e a resolvêlos de uma forma analítica, o Técnico tinha uma característica diferente: ensinava mais qualquer coisa. É uma escola analítica que tem uma forma de nos ensinar a resolver as coisas pela intuição.” !

PT A obra “Arquitectura Moderna em África: Angola e Moçambique”, coordenada pela professora Ana Tostões e publicada em 2013, venceu o Prémio Gulbenkian da Academia Portuguesa de História, na modalidade História da Presença de Portugal no Mundo. O livro resultou do projeto de investigação Exchanging Worlds Vision, conduzido no seio do Instituto de Engenharia de Estruturas, Território e Construção (ICIST), do Técnico, intitulado “Visões Cruzadas dos Mundos: Arquitectura Moderna na África Lusófona”, e do qual a docente de Arquitetura foi investigadora responsável. Além deste livro, editado em português e inglês e que integra colaborações de todos os investigadores do projeto, esta investigação motivou a publicação, por parte da professora Ana Tostões, de dez artigos em revistas internacionais e a apresentação de 25 papers em conferências nacionais e internacionais. A docente conduziu ainda, no âmbito deste trabalho, duas teses de doutoramento e quatro teses de mestrado. !

4


Instantâneos/Snapshots 2015

Ciência/Science

Evento/Event

Erupção em Cabo Verde foi prevista por alumnus / Eruption in Cape Verde predicted by alumnus PT A erupção do vulcão do Fogo, em Cabo Verde, que teve início a 23 de novembro e arrasou duas localidades da ilha do Fogo, foi prevista por um ex-aluno do Técnico. O doutor Bruno Faria, alumnus de Engenharia Física e Tecnológica e responsável pelo Departamento de Geofísica do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica de Cabo Verde, detetou sinais anómalos de atividade sísmica e deformação do solo através de uma rede de monitorização geofísica do vulcão, e alertou a proteção civil para a iminência de uma erupção com dois dias de antecedência. Antes desse, um pré-aviso já tinha sido comunicado com cerca de um mês de antecedência. Bruno Faria doutorou-se em Engenharia Física e Tecnológica no Técnico em 2010, com uma tese intitulada “Monitorização geofísica e níveis de alerta do vulcão do Fogo”. Esta monitorização teve início no final da década de 90, através de dois projetos da Fundação para a Ciência e Tecnologia liderados pelo IST. Até ao final do mês de dezembro, a lava expelida já tinha destruído duas localidades na ilha do Fogo (Portela e Bangeira), mas não há registo de vítimas mortais – na ilha habitam cerca de 37 mil pessoas. !

EN The eruption of the volcano on Fogo Island, Cape Verde, which began on November 23 and razed two localities, was predicted by a former student of Técnico. Dr Bruno Faria, a former physics and technology engineering student and head of the Department of Geophysics of the National Institute of Meteorology and Geophysics of Cape Verde, detected abnormal signs of seismic activity and ground deformation in the geophysical monitoring system of the volcano and recommended civil protection from an imminent eruption two days in advance. Before that, a prior warning had already been issued about a month in advance. Bruno Faria earned a PhD in physics and technology engineering from Técnico in 2010, with a thesis entitled, “Geophysical Monitoring and Alert Levels of the Fogo Island Volcano”. This monitoring began in the late 1990s through two projects of the Foundation for Science and Technology led by IST. By the end of December, the lava that was expelled had already destroyed two villages on Fogo Island (Portela and Bangeira), but there is no record of deaths - about 37,000 people live on the island. !

PT A primeira edição das Alumni Talks - um evento que reúne, ao pequeno-almoço, um grupo de alunos do Técnico e vários alumni de sucesso decorreu no dia 10 de dezembro, no Salão Nobre do IST. O evento, organizado pelo Núcleo de Apoio ao Estudante (NAPE), serviu como momento de networking e ajudou os alunos a entender a realidade do mercado de trabalho, o que os empregadores procuram e a perceber o seu nível de preparação. Nesta primeira edição, os engenheiros Manuel Lopes da Costa (exaluno de Eng. Civil e Advisory Leader na PwC Portugal), Bernardo Meyrelles (ex-aluno de Eng. Mecânica e Chief Country Officer do Deutsche Bank Portugal), Pedro Marques (ex-aluno de Eng. Eletrotécnica e Diretor Adjunto do Banco de Portugal) e Francisco Veloso (ex-aluno de Eng. Física e Tecnológica e Dean da Católica Lisbon School of Business & Economics) juntaram-se aos professores Arlindo Oliveira, Luís Caldas de Oliveira e Afonso Barbosa, e aos engenheiros Francisco Sanchez (AAAIST) e Marcos Ribeiro (Santander Universidades) e falaram com os alunos finalistas sobre a sua experiência, a sua formação e as suas expectativas. !

EN The first edition of the Alumni Talks - an event that brings together for breakfast a group of Técnico students and several successful alumni took place on December 10th, at the Salão Nobre of IST. The event, organized by the Student Support Centre (NAPE), was useful not only for networking, but it also helped current students better understand the realities of the labour market and what employers look for, and realize their own level of preparedness. In this first edition, Manuel Lopes da Costa (former civil engineering student and Advisory Leader at PwC Portugal), Bernardo Meyrelles (former mechanical engineering student and Chief Country Officer of the Deutsche Bank Portugal), Pedro Marques (former electrical engineering student and Deputy Director of the Bank of Portugal) and Francisco Veloso (former engineering physics student and Dean of the Lisbon Catholic School of Business & Economics) joined Arlindo Oliveira, Luis Caldas de Oliveira, Afonso Barbosa, Francisco Sanchez (AAAIST) and Marcos Ribeiro (Santander Universities) and spoke with the graduating students about their experience, their training and their expectations. !

SARAH SAINT-MAXENT / TÉCNICO

RAUL ROSA / SHUTTERSTOCK.COM

Pequeno-almoço com alumni é um sucesso / Breakfast with alumni is a success

5


Instantâneos/Snapshots 2015

Alunos/Students

Património/Heritage

Jornadas de Santa Bárbara pretendem fazer ligação entre o Técnico e a indústria / The Saint Barbara Days aim to bridge the gap between Técnico and the industrial sector PT Decorreu, no início de dezembro, a IX edição das Jornadas de Santa Bárbara, um evento organizado pelo Núcleo de Minas do Instituto Superior Técnico que, durante uma tarde, trouxe ao Salão Nobre oradores especialistas em várias áreas da Engenharia de Minas e Georrecursos. O eng.º João Carvalho, antigo aluno do Técnico e organizador de outras edições destas jornadas, explicou ao numeroso público presente do que trata o evento: “As Jornadas de Santa Bárbara foram criadas por um grupo de alunos que quis fomentar a ligação entre a escola e a indústria”. Criadas em 2003 com o nome de Santa Bárbara, padroeira dos mineiros, hoje as jornadas são um momento de convívio entre alunos, docentes, investigadores e profissionais da área. Na abertura da sessão, o professor Arlindo Oliveira, presidente do Técnico, falou sobre a importância de os alunos organizarem atividades desta natureza, que complementam a formação oferecida pela escola, e lembrou que a Engenharia de Minas e Georrecursos é uma área de “grande tradição” no Técnico. !

6

EN The ninth edition of the Saint Barbara Days, an event that took place at the beginning of December and was organized by the Mining Centre (Núcleo de Minas) of the Instituto Superior Técnico, brought to IST’s Salão Nobre specialists from various fields of mining and geo-resources engineering for an afternoon of talks. Engineer João Carvalho, a former Técnico student, and organizer of previous editions of this conference, explained to the large audience present what the event was about: “The Saint Barbara Days were created by a group of students who wanted to promote the link between the school and the industry”. Created in 2003 and named after Saint Barbara, the patron saint of miners, today this event is an informal meeting place for students, teachers, researchers, and industry professionals. At the opening session, Professor Arlindo Oliveira, president of IST, spoke about the importance of students organizing activities of this nature that complement the training offered by the school, and noted that mining and georesources engineering is a field of great tradition at Técnico. !

PT Decorreu, no final de novembro, a cerimónia de celebração do Auto de Doação do espólio pessoal e académico do professor Giovanni Costanzo ao Instituto Superior Técnico. O Auto, que resulta da doação por parte da família de um espólio documental, bibliográfico e museológico, decorreu na presença do presidente do Técnico, professor Arlindo Oliveira, e dos netos do professor Giovanni Costanzo, Ana Sá da Costa e Mário Costanzo Nunes, que formalizaram a doação. “O Técnico agradece a disponibilidade que têm para doar este espólio. Da nossa parte, há um interesse muito grande em preservar este material”, explicou o presidente. Mário Costanzo Nunes falou em seguida, considerando que o Técnico “é o melhor local para manter esta coleção”. “Sabemos que vai ser muito bem tratado”, resumiu Ana Sá da Costa. O professor Giovanni Costanzo fez parte do corpo docente do Instituto Superior Técnico nos primeiros anos da existência da escola. O espólio agora doado, que inclui várias publicações e artigos, diplomas, fotografias, medalhas e instrumentos científicos, entre outros, será entregue à guarda do Núcleo de Arquivo, da Biblioteca Central e do Núcleo Museológico. !

EN The ceremony celebrating the legalization of the donation of the personal and academic estate of Professor Giovanni Costanzo to the Instituto Superior Técnico took place at the end of November. The legalization, which finalized the donation by the family of a documental, bibliographic and museum collection, took place in the presence of the president of Técnico, Professor Arlindo Oliveira, and the grandchildren of Professor Giovanni Costanzo, Ana Sá da Costa and Mario Costanzo Nunes, who formalized the donation. “Técnico is grateful for receiving the donation of the estate. On our part, there is a very strong interest in preserving this material”, said the president. Mário Costanzo Nunes spoke next, stating that Técnico “is the best place to keep this collection”. “We know it will be very well treated”, summarized Ana Sá da Costa. Professor Giovanni Costanzo was part of the Instituto Superior Técnico’s teaching staff in the early years of the school’s existence. The estate now donated, including several publications and articles, diplomas, photographs, medals, and scientific instruments, among others, will be delivered to the custody of the Archive Centre, the Central Library, and the Museum Centre. !

CARLOS CARVALHO / TÉCNICO

JOSÉ SANTOS / TÉCNICO

Doação do espólio pessoal e académico do prof. Giovanni Costanzo / Donation of Professor Giovanni Costanzo’s personal and academic estate


Instantâneos/Snapshots 2015

Alunos/Students

Empreendedorismo/Entrepreneurship

“É muito bom ouvir outros a elogiar Portugal” / “It’s great to hear others praise Portugal” PT Decorreu, entre os dias 15 e 21, a edição de novembro do Programa Athens, um programa de mobilidade internacional intensivo, que aposta em cursos de especialização para estudantes. Além da parte curricular, os estudantes também participaram num programa cultural levado a cabo pelos Guias do NAPE - Núcleo de Apoio ao Estudante, que durante três dias mostra o que de melhor há para ver, saborear e experimentar em Lisboa. Passeios por alguns dos momentos e locais mais emblemáticos de Lisboa fizeram parte do programa, e foram completados com uma visita a Sintra e uma caminhada até ao Guincho. “Alguns participantes nunca tinham visto o mar e ficaram deslumbrados”, explica Cristiano Rodrigues, um dos responsáveis. Os petiscos tradicionais portugueses não faltaram e foram, numa das noites, acompanhados por uma sessão de fado: “Apesar de não compreenderem o que se diz, muitos referiram que é uma experiência muito forte”. Além disso, explica Inês Godet, outra das guias, todos dizem que “gostam muito da gastronomia portuguesa”. Para os Guias do NAPE, esta experiência faz parte do trabalho, mas supera-o: “É muito bom ouvir outros a elogiar Portugal, a nossa comida, as nossas paisagens e a nossa cultura”, resume Inês. !

EN Between the 15th and the 21st of November, took place one more edition of the Athens Program, an intensive international mobility program, which focuses on specialized courses for students. In addition to the curricular component, the exchange students also participated in a cultural program carried out by guides from the Student Support Centre (NAPE), who, for three days, showed the best of what there is to see, taste and experience in Lisbon. Tours to some of the most emblematic spaces and places in Lisbon were part of the program and were complemented with a visit to Sintra and a walk to Guincho. “Some participants had never seen the sea and were dazzled”, explains Cristiano Rodrigues, one of the organizers. Traditional Portuguese snacks were plentiful and on one night were accompanied by a Fado session: “Although they did not understand what was being sung, many said that it was a very intense experience”. Furthermore, Inês Godet, another of the guides, explained that everyone said they were very fond of Portuguese cuisine. For NAPE Guides, this experience is part of the job, but it’s also satisfying: “It’s great to hear others praise Portugal, our food, our landscape and our culture”, said Inês. !

PT Decorreu, no final de novembro, o sexto encontro da Comunidade IST SPIN-OFF que junta no mesmo espaço membros da comunidade empreendedora ligados ao Técnico, alunos, docentes e investigadores, para um momento de partilha e networking. “A comunidade foi criada para mostrar o espírito empreendedor de antigos alunos, professores e investigadores aos atuais alunos. O Técnico reconhece a coragem que tiveram ao lançar-se neste mundo empresarial, nada fácil”, explicou o professor Luís Caldas de Oliveira, vice-presidente para o Empreendedorismo e as Ligações Empresariais. Durante o evento, como habitual, foram entregues os diplomas de membro da comunidade IST SPINOFF a três novas startups: Unbabel, que se dedica ao serviço de tradução online com a combinação de software de pós-edição automática por tradutores; a SiliconGate, que consiste numa empresa especializada na investigação e desenvolvimento da microeletrónica; e a GetSocial, uma empresa que ajuda negócios e lojas online a aumentar a sua visibilidade, retenção e vendas. !

EN At the end of November the sixth annual meeting of the IST SPIN-OFF Community brought together members of the entrepreneurial community linked to Técnico with students, teachers and researchers for an evening of sharing and networking. “The community was created to show the entrepreneurial spirit of former students, teachers and researchers to current students. Técnico recognizes the courage they had to launch into the business world, which is not easy”, said Professor Luís Caldas de Oliveira, vice president for Entrepreneurship and Business Relations. During the event, as usual, IST SPIN-OFF Community Member Diplomas were delivered to three new startups: Unbabel, dedicated to online translation services that combine software with automatic post-editing by translators; SiliconGate, which is a company specialized in the research and development of microelectronics; and GetSocial, a company that helps businesses and online stores to increase their visibility, retention and sales. !

NUNO PEREIRA / TÉCNICO

NAPE / TÉCNICO

“O Técnico reconhece a coragem que tiveram ao lançar-se neste mundo” / “Técnico recognizes the courage they had to launch into the business world”

7


Entrevista/Interview Mário Figueiredo

“O mundo hoje é extremamente visual, estamos imersos em imagens” / “Today’s world is extremely visual, we are immersed in images” Falámos com Mário Figueiredo, um dos dois únicos Higly Cited Researchers a trabalhar em Portugal / We talked with Mário Figueiredo, one of the only two Highly Cited Researchers working in Portugal Texto/Text Sarah Saint-Maxent Tradução/Translation Unbabel

PT É professor no Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores do Técnico, onde fez a Licenciatura, Mestrado e Doutoramento, antes da Agregação em 2004. Além disso, é investigador sénior do Instituto de Telecomunicações (IT), onde é coordenador da área científica Networks and Multimedia e líder do grupo Pattern and Image Analysis. Porquê a Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, na altura de escolher? Eu sempre tinha gostado de eletrónica, e também gostava de matemática… Na altura, o curso de Eletrotecnia tinha fama de ser um dos melhores para aprender Matemática e Física, com aplicações práticas. Na altura tinha a visão de um miúdo de 18 anos, e achava que a Matemática era demasiado teórica e desligada da realidade. Alguma vez se arrependeu? Nunca. Na verdade, quando estava a meio do curso, apareceu o curso de Física no Técnico e ainda ponderei bastante mudar, mas acabei por achar que não valia a pena. Hoje não me arrependo de não ter mudado, não faria sentido. Trabalha nas áreas de processamento de sinais e imagens, otimização,

8


DÉBORA RODRIDUES / TÉCNICO

reconhecimento de padrões e aprendizagem automática... Sim. São coisas aparentemente bastante diferentes, em termos de aplicações. O processamento de imagens é pegar numa imagem e criar outra, com outro tipo de características. Já a aprendizagem automática é, de certa forma, tentar ensinar os computadores a tentarem resolver alguns problemas autonomamente. Que tipo de problemas? Por exemplo reconhecer se uma fotografia tem ou não uma cara. Ou olhar para uma imagem e perceber se essa imagem é dentro ou fora de casa… algo que para nós é trivial, para um computador não é fácil. E a otimização? A otimização é um ramo da matemática que se dedica a criar, desenvolver e analisar algoritmos para encontrar mínimos de coisas. Para ser o mais eficiente possível, o que tem aplicações em todos os outros problemas. Por que é que essa área é tão relevante? Agora, quando escrevo propostas de projetos, começo logo por dizer que hoje as pessoas fazem uploads de dezenas de milhões de fotografias para o Facebook. O mundo hoje R

2

Número de Highly Cited Researchers em Portugal / Number of Higly Cited Researchers working in Portugal

EN He is a professor in the Department of Electrical and Computer Engineering at Técnico, where he obtained the bachelor’s, master’s and PhD degrees before his habilition in 2004. He is also a senior researcher at the Instituto de Telecomunicações (IT) where he coordinates the Networks and Multimedia scientific area and leads the Pattern and Image Analysis group. Why electrical and computer engineering when it was time to choose? I had always liked electronics, and also math... At the time, the electrical engineering degree was reputed to be one of the best to learn mathematics and physics with practical applications. At the time I had the vision of an 18-year-old kid and I thought that mathematics was too theoretical and disconnected from the reality. Did you ever regret it? Never. In fact, when I was in the middle of my degree, Técnico started offering a degree in physics and I thought a lot about changing, but ended up finding that it wasn’t worth it. Today I do not regret not having changed. It wouldn’t have made sense. You work in the areas of signal and

image processing, optimization, pattern recognition and machine learning... Yes. These are seemingly very different things, in terms of applications. Image processing is to pick an image and create another, with other features. But automatic learning is, in a way, trying to teach computers to try to solve some problems autonomously. What kind of problems? For example, to recognize whether or not a photograph has a face. Or look at a picture and see if that image is inside or outside the house... something that is trivial for us, but not easy for a computer. And optimization? Optimization is a branch of mathematics, which is dedicated to creating, developing and analysing algorithms for finding minimums of things. To be as efficient as possible, which has applications in all other problems. Why is that area so relevant? Now, when I write project proposals, I begin immediately by saying that people nowadays upload tens of millions of photos to Facebook. The R

9


Entrevista/Interview Mário Figueiredo

MARIANA ALMEIDA E MÁRIO FIGUEIREDO / TÉCNICO

R PT é extremamente visual, estamos imersos em imagens, e portanto tudo o que tenha a ver com aquisição, processamento, transmissão, análise de imagens, são coisas extremamente relevantes. As grandes empresas estão todas em cima disso. Em que altura decidiu virar-se para o estudo das imagens? Muito cedo... o meu mestrado já é na área das imagens. Também sou fotógrafo amador, e portanto as coisas juntam-se, embora na verdade não tenham nada a ver. Não? São tudo imagens mas a abordagem é totalmente diferente. No meu trabalho uso ferramentas digitais, mas a fotografia é uma atividade estética, e é uma coisa totalmente diferente. Mas eu gosto das duas coisas. Gosto de imagens.

“Blind image deblurring with unknown boundary conditions using the alternating direction method of multipliers”, IEEE International Conference on Image Processing, Melbourne, Australia, 2013.

Este trabalho valeu-lhe a presença na lista do Highly Cited Researchers, divulgada em julho. O que significa para si esse reconhecimento? Significa orgulho, claro, pelo reconhecimento do trabalho. É sinal que há pessoas a ler aquilo que fazemos. E o reconhecimento que dá mais gosto é o reconhecimento dos pares: das pessoas que trabalham na mesma área e conhecem as dificuldades do problema, que sabem analisar o que é ou não relevante.

qualidade é impossível fazer investigação. É possível fazer em nichos, é possível fazer um bocadinho, mas não é possível ter um fluxo constante de trabalho e qualidade sem eles.

É um dos únicos dois investigadores que trabalham em instituições portuguesas a integrar a lista. De certa forma isto há de ter algum impacto a nível nacional local e nacional… Aparentemente contribuiu um pouco para a subida da Universidade de Lisboa no Ranking de Xangai, porque um dos indicadores é a quantidade de Highly Cited Researchers que existem em cada universidade. Para o Instituto de Telecomunicações também, claro, é mais uma medalha, um reconhecimento.

O que podemos fazer para evitar isso? Uma das coisas muito importantes é estar num lugar alto do ranking, é ser uma Universidade com prestígio internacional.

Além de ser investigador, é também professor, e disse numa entrevista que considera que o sangue de uma universidade são os seus estudantes de pós-graduação. Nas universidades de topo esse é um dado adquirido, eles sabem que precisam de equipas de estudantes de doutoramento para trabalhar. Quem faz o trabalho, sempre com orientadores, são os estudantes de doutoramento, e daí o termo sangue: eles fluem, passam, entram e saem. Não ficam, é um fluxo de estudantes que vai deixando o seu trabalho, a sua inteligência e a sua contribuição. O que significa a falta desses estudantes? Sem estudantes de doutoramento de

10

E como é o panorama aqui no IST? Nos casos que eu conheço, não é famoso. Portugal está muito no fundo da escala, depois dos Estados Unidos, da Inglaterra, do resto da Europa, da Austrália. Por causa da língua, e por causa de muitas outras coisas…

A fusão da Universidade Técnica com a Universidade de Lisboa vem ajudar? Sim, penso que sim. !

R EN world today is extremely visual,

we are immersed in images, and thus everything that has to do with image acquisition, processing, transmission and analysis, is extremely relevant. Big companies are all on top of that. When did you decide to turn to the study of images? Very early... My master’s was already in the area of ​​the images. I am also an amateur photographer, and so things come together, although they don’t actually have anything to do with each other. No? They’re all images, but the approach is totally different. In my work I use digital tools, but photography is an aesthetic activity, and it is a totally different thing. But I like both things. I like pictures.

2004

Ano da Agregação no Técnico / Year of Agregation

2010

Ano em que se tornou fellow do IEEE / Year he became an IEEE fellow

This work earned you the presence in the Highly Cited Researchers list, published in July. What does that recognition mean to you? It means pride, of course, for the recognition of the work. It is a sign that there are people reading what we do. And the most pleasing recognition is peer recognition, from people working in the same area and who know the hardships of the problem, who can analyse what is or is not relevant. You are one of the only two researchers working in Portuguese institutions included in the list. In a way this will have an impact at a national local level and a national level... Apparently it contributed slightly to the rise of the University of Lisbon in the Shanghai Ranking because one of the indicators is the amount of Highly Cited Researchers that exist in each university. For the Instituto de Telecomunicações also, of course, it’s one more medal, a recognition. Besides being a researcher, you
are also a professor, and you said in an interview that you consider that the blood of a university consists of its postgraduate students. This is taken for granted in the top universities, they know they need teams of PhD students to work. The ones who do the work, always with supervisors, are the PhD students, hence the word blood: they flow, pass, come and go. They don’t stay, it is a flow of students who leave behind their work, their intelligence and their contribution. What does the lack of these students mean? Without quality PhD students, it is impossible to do research. It is possible to do it in niches, it is possible to do a little bit of it, but you can’t have a steady stream of work and quality without them. And how is the situation here at IST? In the cases I know, it is not great. Portugal is at the bottom of the scale, after the United States, England, the rest of Europe, Australia. Because of the language and because of many other things... What can we do to improve that? One of the very important things is to be in a high place in the ranking, to be a university of international standing. The merger of Universidade Técnica with the Universidade de Lisboa will help? Yes, I think so. !


ASSINATURAS E PUBLICIDADE VALORES PRÓPRIOS

PRETENDE RECEBER A REVISTA NA SUA MORADA OU ANUNCIAR OS SEUS SERVIÇOS JUNTO DE UMA COMUNIDADE DE MAIS DE 10 MIL PESSOAS? CONTACTE-NOS: SOFIA CABELEIRA SCABELEIRA@TECNICO.ULISBOA.PT +351 218 417 622 VALORESPROPRIOS.TECNICO.ULISBOA.PT

TECNICO.ULISBOA.PT


Testemunho/Testimonial Arlindo Oliveira

Técnico: um motor da investigação em Portugal / Técnico: an R&D Powerhouse “ O Técnico mantém-se a instituição portuguesa mais importante nas áreas em que desenvolve a sua atividade” / “ Técnico remains Portugal’s most important player in the areas where it develops activity” Texto/Text Arlindo Oliveira


Testemunho/Testimonial Arlindo Oliveira

PT O trabalho de investigação e desenvolvimento (I&D) que tem tido lugar no Técnico, ao longo dos últimos cem anos, teve um impacto duradouro na economia e sociedade portuguesas. Muitas grandes empresas, em todas as áreas da engenharia, foram criadas como consequência de trabalho desenvolvido no Técnico. A qualidade técnica do trabalho desenvolvido na escola fala por si e é amplamente reconhecida em todos os domínios de atividade do Técnico, que vão da engenharia civil e mecânica às tecnologias de informação e comunicação, cobrindo a maioria das outras áreas de engenharia. Contudo, e felizmente para o país, a ciência em Portugal desenvolveu-se tremendamente durante as últimas décadas, e o Técnico já não é o único agente relevante nas áreas da ciência, tecnologia e engenharia. Existem muitas outras instituições, nestes e noutros campos, que desenvolvem trabalho excelente, e que se tornaram muito conhecidas internacionalmente. O Técnico mantém-se, no entanto, a instituição portuguesa mais importante nas áreas em que desenvolve a sua atividade. Os mais recentes rankings, que incluem o ranking de Xangai e o ranking US News, listam consistentemente a engenharia da Universidade de Lisboa (isto é, o Técnico) como a melhor no país, entre as cem melhores do mundo e as vinte melhores da Europa. Tirando a Matemática (que também faz parte do top 100 no ranking US News), nenhuma outra área tecnológica aparece em posições relevantes nestes rankings. Muitos outros campos que têm, merecidamente, tido grande cobertura mediática, como a medicina, a economia, a gestão e as ciências sociais estão, apesar disso, muito menos desenvolvidos que os campos da engenharia e da matemática, onde o Técnico desempenha um papel fundamental. Se olharmos para a investigação de maior impacto desenvolvida em Portugal, olhando, por exemplo, apenas para os artigos mais citados na Web of Science, o Técnico ocupa o terceiro lugar nacional, atrás apenas da Universidade de Lisboa (que inclui o Técnico, que contribui com cerca de metade da produção desta) e da Universidade do Porto. Ambas são muito maiores e cobrem um muito maior número de áreas que o Técnico. (ver imagem) O Técnico também tem sido extraordinariamente eficaz a garantir financiamento para as suas atividades de I&D a nível nacional e internacional. No importante e competitivo Sétimo Programa-Quadro da Comissão Europeia, o Técnico e os institutos privados de investigação que controla obtiveram contratos num total de 69 milhões de euros, o que representa mais de 22% do total concedido a instituições de Ensino Superior em Portugal. Isto contrasta fortemente com o financiamento pú-

blico direto das universidades por parte do Estado, onde o Técnico custa menos de 5% do total do orçamento total para instituições de Ensino Superior. A qualidade do trabalho desenvolvido pelo Técnico tem impactos diretos nos ganhos económicos do país. As empresas que utilizam os recursos humanos altamente qualificados produzidos pelo Técnico, as empresas criadas por investigadores da escola (incluindo as mais de 40 que integram a Comunidade IST SPIN-OFF) e os projetos desenvolvidos pelo Técnico em cooperação com outras empresas contribuem com uma fração muito significativa da produção económica do país no setor tecnológico, multiplicando cada euro investido. É da maior importância que as políticas públicas reconheçam estes factos e apoiem mais efetivamente o desenvolvimento da ciência e tecnologia que são essenciais para a competitividade de Portugal e da Europa. !

EN The research and development work that have taken place at Técnico, over the last hundred years, have made a lasting impact in the Portuguese economy and society. Many large Portuguese companies, in all areas of engineering, were created as a consequence of work developed at IST. The technical quality of the work developed at IST speaks for itself and is widely recognized in all domains of activity of IST, ranging from civil and mechanical engineering to information and communication technologies, covering most of the other areas of engineering. However, and fortunately for the country, science in Portugal has developed tremendously over the last decades, and Técnico is no longer the only significant player in the areas of science, technology and engineering. Many other institutions do exist, in these and in other fields, that perform excellent work and became well known internationally.

69

Milhões de euros de financiamento da Comissão Europeia / Million euros funded by the European Comission

48

Número de empresas da comunidade IST SPIN-OFF / Number of IST SPIN-OFF companies

Artigos mais citados na Web of Science / Highly cited publications in Web of Science

Técnico remains, however, Portugal’s most important player in the areas where it develops activity. The most recent rankings, that include the Shangai ranking and the US News ranking, consistently rank the engineering at the University of Lisbon (that is, Técnico) as the best in the country, amongst the best 100 in the world and amongst the best 20 in Europe. Other than mathematics (which also ranks on the top 100 in the US News ranking) no other field in Portugal appears in relevant positions in these rankings. Many other fields that have, deservedly, obtained high profile coverage in the news, like medicine, economics, business and social sciences are, nonetheless, much less developed than the fields of engineering and mathematics, where Técnico plays a leading role. If one looks at the highest impact research being performed in Portugal, looking, for instance, only at the most highly cited papers in the Web of Science, Técnico ranks as the third institution in Portugal, lagging behind the University of Lisbon (that, of course, includes IST, which contributes with about half the scientific production) and the University of Porto. Both are much larger and cover a much larger number of fields than IST. (see image) Técnico has also been remarkably effective at securing financing for its R&D activities at the national and international level. In the most important and competitive 7th Framework Program of the European Commission, Técnico and the private research institutes that it controls have won contracts with a total funding of 69 million euros, which represents more than 22% of the total amount that was awarded to the Portuguese higher education institutions. This contrasts sharply with the direct public financing of universities by the state, where IST costs less than 5% of the total of the national budget of higher education institutions. The superior quality of the work developed in Técnico impacts directly in economic gains for the country. The companies that employ the highly qualified human resources produced by IST, the companies created by researchers from IST (including the more than 40 that integrate the IST Spinoff community) and the projects developed by IST in cooperation with other companies contribute with a very significant fraction of the economic output of the country in the technological sector, clearly leveraging every Euro invested . It is of utmost importance that public policies recognize these facts and support more effectively the development of science and technology that is essential for the competitiveness of Portugal and Europe. !

13


Momento/Moment

2015.01.17

Aula aberta de ROB-09-16 no Campus Taguspark / Experimental ROB-09-16 class at Taguspark Campus


Entrevista/Interview Alexandra Antunes

Química na deteção do cancro: uma investigação que vence prémios / Chemistry in cancer detection: an investigation that wins awards Alexandra Antunes trabalha numa área de fronteira da Química, onde estuda vários ramos da toxicologia molecular / Alexandra Antunes works in a cutting edge area of ​​chemistry, where she studies various branches of molecular toxicology Texto/Text Sarah Saint-Maxent Tradução/Translation Unbabel

PT Docente do Departamento de Engenharia Química (DEQ) e investigadora do grupo Chemistry and Toxicology of Bioactive Molecules, Alexandra Antunes recebeu, em dezembro do ano passado, o prémio Long-Range Research Iniciative (LRI) Innovative Science award, pela sua pesquisa na área da deteção precoce de cancro. Passou pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e pela Universidade Nova de Lisboa… Quando começou a sua ligação ao Técnico? Eu tive um percurso um bocadinho diferente do que é habitual: ainda não tinha acabado o doutoramento e tive logo um emprego na indústria. Estive a trabalhar na Bial, durante cerca de dois anos e quando decidi que o que gostava mesmo era de estar ligada à academia, vim para o Técnico fazer o pós-doutoramento, em 2004. Saí em 2006 para a Nova, e voltei dois anos depois. Como foi o seu percurso? Na verdade eu queria seguir Bioquímica, mas entrei num ano muito conturbado e decidi assegurar a entrada em Química. Acabei por gostar e prossegui essa área, mas na verdade o que eu hoje faço é um ramo da Química muito ligado à Bioquímica.

16

“Quando decidi que o que gostava mesmo era de estar ligada à academia vim para o Técnico” “When I decided that what I really liked was to be connected to the academic world, I came to Técnico”

Depois fez o Mestrado em Química Orgânica e Industrial e o doutoramento em Química Orgânica. Em que trabalha hoje? Em toxicologia molecular, ligada à toxicologia química: a toxicologia induzida por agentes químicos. Os meus primeiros passos nesta área foram dados ainda no meu mestrado, e depois no pós-doutoramento, mas desde que estou no Técnico é esta a área em que trabalho. Foi mesmo para desenvolver esta área que vim. O que é que esta área tem de tão interessante? É a possibilidade de aplicar os meus conhecimentos básicos de Química Orgânica de uma forma bastante direta. Neste momento tenho vários projetos onde, por exemplo, estou a monitorizar doentes. Estou a trabalhar diretamente com os hospitais, monitorizo doentes… A possibilidade de ver a minha ciência completamente aplicada. Quando decidiu manter-se ligada à academia, arranjou uma forma de se manter ligada à indústria? Não, é uma aplicação não industrial. Na indústria somos obrigados a fazer a investigação mediante as políticas da empresa. Aqui eu sou completamente livre de escolher o meu caminho, e essa liberdade é uma grande mais-valia. R


DR

EN Professor of the Department of Chemical Engineering and researcher at the Chemistry and Toxicology of Bioactive Molecules group, Alexandra Antunes received, in December last year, the Long-Range Research Initiative (LRI) Innovative Science award for her research in the area of early detection of cancer. You first studied at the Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa and Universidade Nova de Lisboa. When did your connection to Técnico start? I had a route a little different than usual: I had not yet finished my doctorate and I got a job in the industry. I worked for Bial for about two years, and when I decided that what I really liked was to be connected to the academic world, I came to Técnico to develop my post-doctoral research in 2004. In 2006 I left for Nova, and returned two years later. What was your career path? I actually wanted to study biochemistry, but I entered in a very troubled year and decided to ensure an entry in chemistry instead. I ended up liking it and went on in that area, and actually what I do today is a branch of chemistry very attached to biochemistry. Then you did a master’s in organic and industrial chemistry and a PhD in organic chemistry. What do you do now? I work in molecular toxicology linked to chemical toxicology: the toxicology induced by chemical agents. My first steps in this area were during my master’s degree, and then during my post-doctoral phase, but since I’ve been at Técnico this is the area in which I work. I came here specifically to develop this area. What does this area have that is so interesting? It is the opportunity to apply my basic knowledge of organic chemistry in a very direct way. Right now I have several projects in which, for example, I’m monitoring patients. I’m working directly with hospitals, I monitor patients... The possibility to see my science fully applied. When you decided to re-connect to the academic world, did you manage to stay connected to the industry? No, it is a non-industrial application. In the industry we are required to do research according to company policies. Here I am completely free to choose my path and that freedom is a great asset. R

17


DR

Entrevista/Interview Alexandra Antunes

R PT Recebeu, em dezembro, o LRI

Innovative Science award. Quais são as inovações que motivaram este reconhecimento? O prémio refere-se a um ramo daquilo que estou a fazer. O que tenho estado a fazer é desenvolver aquilo a que chamamos biomarcadores, que são marcadores que nos permitem ligar tanto a exposição do doente ao fármaco, como depois correlacionar a exposição aos efeitos adversos. Se pudermos fazer esta ligação, conseguimos tentar perceber como conseguimos minimizar esses efeitos. Este prémio não é especialmente dedicado aos fármacos, é a agentes químicos no geral, e é muito focado na carcinogénese induzida por agentes químicos. Pode explicar? Premeia o desenvolvimento de biomarcadores precoces de cancro (cancro induzido por agentes químicos) e o desenvolvimento de um teste preditivo do poder carcinogénico dos agentes químicos. Para que isso possa acontecer, o que eu vou fazer é explorar uma nova hipótese: monitorizar a interação dos agentes químicos com proteínas chave. Qual a relevância para o dia a dia? Não sei se as pessoas no geral têm essa noção, mas a exposição humana a agentes químicos é uma das maiores causas de cancro. Estes novos biomarcadores que estou a desenvolver vão possibilitar fazer a monitorização da exposição humana a um agente químico em concreto, e também vão permitir que se caracterize numa fase muito mais precoce o potencial carcinogénico de cada agente. Considera que a Química tem um papel fundamental no estudo da prevenção e tratamento do cancro nos próximos anos? Sim, a Química, a Bioquímica... é nas mãos dos químicos que está muito deste desenvolvimento de terapêutica. E ao nível da prevenção, no campo onde estou a trabalhar... onde não é tão vulgar ver químicos. Não? A maior parte das pessoas que trabalham nesta área da toxicologia não são químicos: são bioquímicos. No país, devemos ser o único grupo de químicos que trabalha nesta área.

18

Can you explain? It recognizes the development of early cancer biomarkers (cancer induced by chemical agents) and the development of a predictive test of the carcinogenic power of chemical agents. For this to happen, I will explore a new hypothesis: to monitor the interaction of chemical agents with key proteins. What is the relevance for everyday life? I do not know if people in general have this notion, but human exposure to chemical agents is a major cause of cancer. These new biomarkers that I am developing will enable the monitoring of human exposure to a specific chemical agent. They will also allow the characterization at a much earlier stage of the carcinogenic potential of each agent.

“O mais importante foi ter o reconhecimento internacional do valor do meu trabalho. Nos últimos anos tenho batalhado muito para implementar a minha ciência”

“The most important thing was to have the international recognition of the value of my work. In recent years I struggled to implement my science”

O que significou vencer este prémio? Para já, um orgulho imenso. Mas o mais importante foi ter o reconhecimento internacional do valor do meu trabalho. Nos últimos anos tenho batalhado muito para implementar a minha ciência, escrevi mais de vinte projetos, e nenhum foi subsidiado por fundos portugueses. Aliás, este mesmo projeto já tinha sido submetido à Fundação para a Ciência e Tecnologia e foi recusado, portanto…ter vencido foi a validação de todo o meu trabalho. E na prática? Em termos internacionais, mais do que o dinheiro, penso que me vai ajudar no networking europeu que é muito importante para lançar a minha carreira internacional. E como é um prémio monetário [vale 100 mil euros], vai possibilitar desenvolver todo este projeto. Vou chamar para trabalhar comigo outras pessoas de outras instituições, sobretudo porque isto é um trabalho de fronteira, e nós não temos no Técnico todas as valências. Vai possibilitar-me criar esta equipa multidisciplinar. !

R EN You received, in December, the

LRI Innovative Science award. What are the innovations that led to this recognition? The award refers to a branch of what I’m doing. What I have been doing is developing what we call biomarkers, which are markers that allow us to connect both patient exposure to the drug as well as correlate the exposure to adverse effects. If we can connect these, we can try to understand how we can minimize those effects. This award is not especially dedicated to drugs, but to chemical agents in general, and is very focused on carcinogenesis induced by chemical agents.

Do you think that chemistry will play a key role in the study of the prevention and treatment of cancer in the coming years? Yes, chemistry, biochemistry... it is in the hands of the chemists that lies much of this therapeutic development. And in terms of prevention, in the field where I am working... where it is not so common to see chemists. It is not? Most people working in the field of toxicology are not chemists. They are biochemists. In this country, we must be the only group of chemists working in this area. What did it mean to win this award? For now, immense pride. But the most important thing was to have the international recognition of the value of my work. In recent years I have struggled a lot to implement my science. I wrote more than twenty project proposals and none of them were subsidized by Portuguese funds. By the way, this same project had already been submitted to the Portuguese Science and Technology Foundation (FCT) and was refused, so... to have won was the validation of all my work. And in practice? On an international basis, it meant more than money. I think it will help me in European networking, which is very important to launch my international career. As it is a cash prize [worth 100,000 euros], it will enable me to develop the whole project. I will call to work with me other people from other institutions, particularly since this is cutting-edge work and at Técnico we do not have people with all the right qualifications. It will enable me to create a multidisciplinary team. !


SERVIÇOS DE SAÚDE TÉCNICO LISBOA

ESPECIALIDADES: ANDROLOGIA, CARDIOLOGIA, CLÍNICA GERAL, DERMATOLOGIA, GINECOLOGIA - OBSTETRÍCIA, MEDICINA DENTÁRIA, OFTALMOLOGIA, OPTOMETRIA, ORTOPEDIA, FISIOTERAPIA, PEDIATRIA, PSIQUIATRIA, UROLOGIA, PSICOLOGIA CRIANÇAS E ADOLESCENTES, PSICOTERAPIA E ACONSELHAMENTO DE ADULTOS, TERAPIA FAMILIAR, TERAPIA DA FALA, DIETÉTICA E NUTRIÇÃO, SERVIÇO DE ENFERMAGEM.

FOTOGRAFIA © LAFLOR / ISTOCKPHOTO

EXAMES DE DIAGNÓSTICO: ANÁLISES CLINICAS, AUDIOLOGIA, ELECTROCARDIOGRAFIA E ESPIROMETRIA.

SAUDE.TECNICO.ULISBOA.PT

TECNICO.ULISBOA.PT


Destaque /Highlight ITER

O contributo português para a construção do ITER / The Portuguese contribution to ITER “A investigação sobre fusão tem por objetivo desenvolver um protótipo de uma central elétrica de fusão segura e fiável” / “Fusion research is aimed at developing a prototype fusion power plant that is safe and reliable” Texto/Text Bruno Gonçalves

PT O desafio da investigação em fusão é a produção de energia elétrica a partir da fusão nuclear por confinamento magnético num período de tempo razoável. O ITER (www.iter. org) será a maior central elétrica de fusão nuclear do mundo, concebida para demonstrar a viabilidade científica e técnica da energia de fusão para fins energéticos. A investigação sobre fusão tem por objetivo desenvolver um protótipo de uma central elétrica de fusão segura e fiável, ambientalmente responsável e economicamente viável. A fusão tem a capacidade de produzir energia em grande escala, utilizando combustíveis abundantes, sem emissões de dióxido de carbono ou de outros gases de efeito estufa. Os avanços científicos possibilitados pelo ITER irão melhorar consideravelmente a capacidade de prever o comportamento de plasmas em combustão em futuros reatores. Mas para se tornar económica, a energia de fusão exigirá avanços além da construção do ITER, sendo necessário desenvolver a engenharia e a tecnologia de primeira geração de reatores de fusão. O ITER é um passo importante na construção destas primeiras centrais de elétricas de fusão. A participação Portuguesa na construção do ITER, através do Ins-


DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

tituto de Plasmas e Fusão Nuclear (IPFN), incide em i) Controlo e aquisição de dados para experiências de fusão e de I & D de longa duração, de elevada disponibilidade e fiabilidade; ii) manipulação remota e iii) desenvolvimento de diagnósticos (em especial diagnósticos de microondas). Estas são áreas de reconhecida experiência por parte dos investigadores do IPFN. Todas as atividades são realizadas através do programa European Joint Undertaking for ITER e de candidaturas ao F4E - Fusion for Energy ou ainda de concursos internacionais realizados pelo ITER International. O valor total ganho pelo IPFN em contratos e bolsas foi superior a 11 milhões de euros. O consórcio liderado pelo IPFN, onde se inserem o CIEMAT (Espanha) e o IFP-CNR (Itália), foi premiado com uma bolsa de 8,5 milhões e meio de euros para o desenvolvimento de um reflectómetro para controlo da posição do plasma do ITER. O contrato abrange I&D (incluindo protótipos de linhas de transmissão e eletrónica de microondas), engenharia, apoio à qualidade e gestão, e o desenvolvimento do diagnóstico desde as especificações funcionais até um desenho final aprovado para construção e apoio ao projecto de construção de R

11

Milhões de euros ganhos pelo IPFN em contratos e bolsas / Million euros awarded to IPFN in contract and grants

EN The ultimate challenge of fusion research is the realization of electricity generation from magnetic confinement fusion within a reasonable time horizon. ITER (www.iter.org) will be the world’s largest experimental fusion facility and is designed to demonstrate the scientific and technological feasibility of fusion power for energy purposes. Fusion research is aimed at developing a prototype fusion power plant that is safe and reliable, environmentally responsible and economically viable, with abundant and widespread fuel resources. Fusion has the capacity to produce energy on a large scale, using plentiful fuels, and releasing no carbon dioxide or other greenhouse gases. The scientific advances enabled by ITER, will considerably improve the ability to predict the behavior of burning plasmas for future reactors. But to become economical, fusion power will require developments beyond ITER and certainly it will be necessary to develop the engineering and technology of the first generation of fusion reactors. ITER is an important step on the road to these first fusion power plants. The Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear (IPFN) contributes to activities related to the construction of ITER and preparatory R&D activities lead-

ing to it. The Portuguese participation in the ITER construction is focused on i) Control and Data Acquisition for long-time operation of fusion experiments and R&D on high-availability and high-reliability; ii) Remote Handling and iii) development of diagnostics (in particular microwave diagnostics). These are areas where the expertise of IPFN’s researchers is widely recognized. All the activities are carried out through the European Joint Undertaking for ITER and the Development of Fusion Energy (F4E) calls for participation or through International calls issued by the ITER International Organisation. The total value of contract and grants awarded to IPFN amount to over 11M€. The consortium lead by IPFN, with CIEMAT (Spain) and IFP-CNR (Italy), was awarded an 8.5M€ grant for development of the Plasma Position Reflectometer for ITER. The contract covers R&D (including prototypes of transmissions lines and MW electronics), engineering, quality support and managerial activities, testing from functional specifications up to supply of an approved final design and support for production of manufacturing drawings for all components of the system as well as the final design for electronics components and for R

21


R PT todos os componentes incluindo os sistemas de controlo e aquisição de dados. A atribuição deste contrato ao IPFN resulta do reconhecimento do trabalho desenvolvido pela unidade de investigação ao longo dos anos e da demonstração com sucesso de um sistema similar na máquina de Fusão nuclear alemã, ASDEX-Upgrade, que deu origem a uma publicação listada no top10 de 2012 pela revista Nuclear Fusion. Adicionalmente, o IPFN contribuiu para o desenvolvimento de um diagnóstico de micro-ondas, baseado na técnica de Espalhamento de Thomson Colectivo, contrato liderado pela Universidade Técnica da Dinamarca (DTU), com um financiamento para o Técnico de aproximadamente 3,5 milhões de euros. Apesar da reconhecida excelência do IPFN, estes projetos exigirão ainda o desenvolvimento de novas competências, consideradas essenciais no quadro do programa Europeu de fusão, nas áreas da neutrónica (em colaboração com Centro de Ciências e Tecnologias Nucleares), análise termomecânica, engenharia de componentes, integração de sistemas, RAMI, robótica móvel e processamento de sinais. Na área do controlo e aquisição de dados, o IPFN liderou um consórcio com o CIEMAT e a Universidade Politécnica de Madrid (Espanha), tendo por objetivo o desenvolvimento de soluções inovadoras para o protótipo de um sistema de controlo rápido de transmissão e aquisição de dados do ITER. O contrato, de dois anos e valor aproximando de 1,5 milhões de euros, contribuiu para um esforço de padronização dos processadores mais rápidos, tendo resultado na edição do ITER Plant Control Design Handbook, do qual foram publicados cerca de vinte artigos em revistas da especialidade. O IPFN presta serviços de consultoria à F4E, através de um contrato liderado pela INDRA no valor de aproximadamente meio milhão de euros, na área de Sistemas e Engenharia de Instrumentação. Na área da manipulação remota, o IPFN lidera duas bolsas F4E em consórcio (CIEMAT/ASTRIUM e ASTRIUM) no âmbito da fiabilidade e estudos logísticos para o funcionamento nominal do Cask Transfer System (CTS) em edifícios do ITER (Tokamak e edifícios das células quentes). Os resultados foram cruciais para a construção do edifício Tokamak. Foi desenvolvido e testado um software de aplicação para otimização das trajetórias do CTS no interior dos edifícios. Estes trabalhos de manipulação remota resultaram num significativo número de publicações e colaborações com diversos grupos da União Europeia. Está atualmente em fase de avaliação a proteção da propriedade

22

IPFN / TÉCNICO

Destaque /Highlight ITER

“As atividades do IPFN estão ligadas a programas ambiciosos e de grande impacto, (...) cujo trabalho inovador tem sido amplamente reconhecido”

“IPFN activities are anchored in ambitious and high-impact programmes (...) and are specialized on topics where the innovative role of the unit and the leadershipt of its members have been consistently acknowledged”

intelectual para a implementação de um sistema para controlo omnidireccional de rodas. As atividades do IPFN estão ligadas a programas ambiciosos e de grande impacto, não apenas em fusão nuclear mas também na área de lasers intensos e tecnologias de plasma, cujo trabalho inovador tem sido amplamente reconhecido. Através de uma procura de competências por todo o país, o IPFN tem criado grupos de trabalho com a multidisciplinaridade exigida, aptos a participar em projetos ambiciosos e de grande escala na área da física. !

R EN data acquisition and real-time software. The contract acknowledges a long tradition of development in this domain by IPFN and the successful demonstration on AUG of plasma position feedback control via reflectometry (one paper considered top10 paper of 2012 on Nuclear Fusion). Additionally IPFN has also a strong contribution on the contract for the development of ITER Collective Thomson Scattering diagnostic (contract lead by DTU, IST funding ~3.5M€). Apart for the recognized expertise already existing at IPFN, these projects will require fostering new competencies, considered essential in the frame of the EU Fusion Programme, in the areas of neutronics (in collaboration with C2TN), thermalmechanical analysis, component engineering design and simulation using CAD (CATIA) and HFSS, systems integration, RAMI, mobile robotics and signal processing. In the field of control and data acquisition IPFN lead the consortium with CIEMAT and UPM (Spain) to develop innovative solutions for ITER prototype Fast Plant System Controller. The contract (2 years, 1.5M€) contributed to the ITER Plant Control Design Handbook

effort of standardization on fast controllers and resulted in ~20 publications in peer-review journals. IPFN provides F4E with consulting regarding CODAC through a contract with F4E (lead by INDRA) for Provision of System & Instrumentation Engineering support with a value of ~0.5 M€. In the area of Remote handling IPFN lead two F4E grants in consortium (with CIEMAT/ASTRIUM and ASTRIUM) for feasibility and logistic studies for the nominal operations of the Cask Transfer System (CTS) in the ITER buildings (Tokamak and Hot Cell). Results were crucial to proceed with the construction of ITER Tokamak building. Application software was developed and tested for optimization and path following of the CTS trajectories inside the buildings. These RH tasks were an opportunity for a significant number of publications (15+) and collaborations with several EU groups. IP protection for the engine implementing the steering and motion capabilities of a single wheel is currently under evaluation. IPFN activities are anchored in ambitious and high-impact programmes, not only in nuclear fusion but also on intense lasers and plasma technologies), and are specialized on topics where the innovative role of the unit and the leadership of its members have been consistently acknowledged. In this respect, the due recognition of the ground-breaking innovative nature of ITER related activities, a project presently amongst the most challenging scientific and engineering endeavours, is by itself a distinct qualification factor. The ITER related projects require advances beyond the state-of-art, not only with tremendous potential societal impact but also with near-term strong links to industry. Overall, by leveraging competencies across the country, IPFN has created groups with critical mass and the required multidisciplinarity to be competitive in the participation to ambitious large-scale physics projects. !


SERVIÇOS DE COLHEITA E ANÁLISES QUÍMICAS E MICROBIOLÓGICAS DE AMOSTRAS DE ÁGUAS LIMPAS E RESIDUAIS, SOLOS, RESÍDUOS, LAMAS E AR INTERIOR. ACREDITADO DESDE 1994 (CERTIFICADO IPAC Nº L0108)

LA.TECNICO.ULISBOA.PT

TECNICO.ULISBOA.PT 23

FOTOGRAFIA © NICOLAS LORAN / ISTOCKPHOTO

LAIST LABORATÓRIO DE ANÁLISES DO IST


Investigação/Research CTN

CTN e a investigação multidisciplinar / CTN and multidisciplinary research O mais recente campus do Técnico priviligia o estudo de ciências e tecnologias nucleares, mas aposta em várias áreas / The newest campus at Técnico focusses on the study of nuclear science and technology, but it’s active in several areas Texto Sarah Saint-Maxent Tradução/Translation Unbabel

24


PT “O que fazemos aqui é aplicar as ciências e as tecnologias nucleares a vários domínios.” As palavras de Isabel Santos, professora e investigadora no Campus Tecnológico e Nuclear (CTN) – anteriormente designado Instituto Tecnológico e Nuclear (ITN) – resumem a atividade desenvolvida no mais recente campus do Técnico. Criado em 1956, com o nome Laboratório de Física e Engenharia Nuclear (LFEN), o CTN foi integrado no Técnico em 2012, e mantém-se como a instituição de referência no campo das ciências e engenharias nucleares em Portugal. “Há um conjunto muito grande de equipamentos que só existem aqui ou que, quando existem noutros locais, são usados de forma diferente”, explica José Marques, vice-presidente do IST para o CTN. “Há um know-how, uma cultura em torno das aplicações de radiações que resultam de cinquenta anos de experiência.” De facto, nas instalações do campus encontra-se o único reator nuclear de investigação da Península Ibérica, bem como os únicos aceleradores de partículas do país, que permitem investigações ímpares na área da radioatividade e engenharias nucleares, cujas aplicações, da medicina à eletrónica, são inúmeras. O reator nuclear tem igualmente dezenas de aplicações e nele são baseados inúmeros projetos de investigação: não produz energia, mas é utilizado para fazer a datação de artefactos antigos, analisar materiais ou desenvolver radiofármacos, por exemplo. “Estas técnicas superam outras porque são muito sensíveis e não são destrutivas”, explica Isabel Santos. O que é exatamente o que diz Eduardo Alves, diretor do Laboratório de Aceleradores e Tecnologias de Radiação (LATR), e um dos responsáveis pela investigação feita com recurso aos aceleradores de partículas. “Os estudos que fazemos aqui têm aplicações muito práticas na área da Medicina, na Biologia, na Conservação e Restauro, no Ambiente…” explica o investigador. “O facto de utilizarmos uma técnica não destrutiva e quantitativa dá-nos uma enorme vantagem em relação às outras, nomeadamente as químicas, que muitas vezes exigem a destruição da amostra.” Na verdade, praticamente todos os projetos desenvolvidos no CTN integram equipas multidisciplinares, o que é uma das grandes vantagens da investigação que ali é feita. E o futu-

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

Investigação/Research CTN

Interior do reator nuclear localizado no CTN / Interior of the nuclear reactor located at CTN ro da ciência passa por trabalhar na fronteira de algumas áreas, na opinião de Manuel Almeida, presidente do recém-criado Departamento de Engenharia e Ciências Nucleares. Investigador na área da Química, diz que os projetos desenvolvidos no CTN poderão revolucionar, no futuro, o mundo da eletrónica. “Os químicos podem desenvolver materiais e moléculas com propriedades específicas, que podem trazer uma revolução, por exemplo, à eletrónica.” Toda a investigação, no entanto, requer muitos anos de trabalho, e recursos humanos competentes para o desenvolver. Por isso, a opinião geral é a de que a integração no Técnico será benéfica para a escola e para o campus, já que permitirá um fluxo constante de estudantes que poderão desenvolver projetos nestas áreas. “Quando fomos integrados no Técnico, não houve redundância. Entrámos trazendo coisas novas, áreas novas, infraestruturas que agora estão ao alcance de todos”, resume José Marques. !

EN “What we do here is apply nuclear science and technology to various fields”, says Isabel Santos, professor and researcher at the Campus Tecnológico e Nuclear (CTN) - formerly known as the Instituto Tecnológico e Nuclear (ITN), summarizing the activity developed at the most recent campus at Técnico. Created in 1956, with the name Laboratório de Física e Engenharia Nuclear (LFEN), the CTN was integrated into Técnico in 2012, and remains the reference institution in the field of nuclear science and engineering in Portugal. “There is a very large set of equipment that only exists here, or if it exists elsewhere, it is used differently”, explains José Marques, vice president of IST for the CTN. “There is a know-how, a culture around the applications of radiation that result from fifty years of experience.” Actually, in the campus facilities there is the only research nuclear reactor of the Iberian Peninsula, as well as the only particle accelerators in the country, which allows unique investigations in the field of radioactivity and nuclear engineering, whose applications, from medicine to electronics, are numerous.

The nuclear reactor also has dozens of applications, and numerous research projects are based on it: it does not produce energy, but it is used to date ancient artefacts, analyse materials or develop radiopharmaceuticals, for example. “These techniques outperform others because they are very sensitive and are not destructive”, explains Isabel Santos. This is exactly what Eduardo Alves, director of the Laboratório de Aceleradores e Tecnologias de Radiação (LATR), and one of those responsible for the research made with the particle accelerators, says. “The studies we carry on here have very practical applications in the fields of medicine, biology, conservation and restoration, environmental studies...”, explains the researcher. “The fact that we use a non-destructive and quantitative technique gives us a huge advantage over other techniques, namely chemical, which often require the destruction of the sample.” In fact, practically all projects developed at the CTN integrate multidisciplinary teams, which is one of the great advantages of the research done there. And the future of science is to work on the cutting edge of some areas, according to Manuel Almeida, president of the newly created Departamento de Engenharia e Ciências Nucleares. A researcher in the area of chemistry, he says the projects developed at the CTN could revolutionize, in the future, the world of electronics. “Chemists can develop materials and molecules with specific properties that can revolutionize, for example, electronics.” All the research, however, requires many years of work and competent human resources to develop it. Therefore, the general opinion is that the integration into Técnico will benefit the school and the campus, as it will allow a steady stream of students who can develop projects in these areas. “When we were integrated into Técnico, there was no redundancy. We brought in new things, new areas, infrastructures that are now available to everyone”, says José Marques. !

25


DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

Loja/Store Merchandising

Direção Editorial / Editorial Direction: Arlindo Limede de Oliveira, José Santos-Victor, Luís Caldas de Oliveira, Palmira Ferreira da Silva Editores / Editors: André Pires, Sarah Saint-Maxent Direção de Arte / Art Direction: Tiago Machado Designers: Patrícia Guerreiro, Telma Baptista, Tiago Machado Assinaturas e Publicidade / Subscriptions and Advertising: Sofia Cabeleira scabeleira@tecnico.ulisboa.pt Website: valoresproprios. tecnico.ulisboa.pt

€6

€5

Capa para tablet / Tablet cover

€3

Porta-chaves em cortiça / Porta-cartões em cortiça / Cork keychain Cork card holder

€8

€5

T-shirt

Caneca de giz / Chalk Mug

Lista completa dos artigos de merchandising: gcrp.tecnico.ulisboa.pt/relacoes-publicas

26

€3

Garrafa de desporto / Sports Bottle

Full list of merchandising products: gcrp.tecnico.ulisboa.pt/relacoes-publicas

Editora / Publisher: Instituto Superior Técnico Av. Rovisco Pais, 1 1049-001 Lisboa Tel: (+351) 218 417 000 Fax: (+351) 218 499 242 Impressão / Printing: Gráfica Maiadouro, S.A. Rua Padre Luís Campos N.º 586 e 686 Vermoim 4471-909 Maia Tel. 229 439 710 Fax. 229 439 718 Edição / Edition Número 7 Janeiro/Fevereiro 2015 January/February 2015 Periodicidade / Periodicity: Bimestral Tiragem / Circulation: 10.000 exemplares


PLANEIA UM EVENTO EM LISBOA? DENTRO DO CAMPUS DA ALAMEDA, O CENTRO DE CONGRESSOS DO TÉCNICO OFERECE 1 AUDITÓRIO COM 300 LUGARES, DEVIDAMENTE EQUIPADO COM A MAIS MODERNA TECNOLOGIA DE SOM E IMAGEM, PARA ALÉM DE 4 SALAS COM CAPACIDADE VARIÁVEL, DE 20 ATÉ 80 PESSOAS.

CENTROCONGRESSOS.TECNICO.ULISBOA.PT

TECNICO.ULISBOA.PT

FOTOGRAFIA © YINYANG / ISTOCKPHOTO

CENTRO DE CONGRESSOS TÉCNICO LISBOA


VALORES PRÓPRIOS REVISTA DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO MAGAZINE JANEIRO/FEVEREIRO JANUARY/FEBRUARY 2015

Profile for Técnico Lisboa

Valores Próprios 2015-007  

Revista do Instituto Superior Técnico. Edição de jan/fev de 2015.

Valores Próprios 2015-007  

Revista do Instituto Superior Técnico. Edição de jan/fev de 2015.

Advertisement