Page 1

RELATÓRIO ANUAL 2012


05

O Programa

06

Quem Somos

11

Gestão de Negócios

Gestão de Operação

14 16

Pesquisa e Desenvolvimento Meio Ambiente/ Sustentabilidade

19

Desenvolvimento Sustentável

20

Relacionamento com o cliente Gestão de Administração e Tecnologia da Informação Recursos Humanos

23 25 28

Resultados do Programa I/M

Resultados Ambientais

Resultados para a Saúde

38 50


Controlar

Relatório Anual 2012

O PROGRAMA Tanto a poluição do ar quanto a poluição sonora são graves ameaças à saúde e à qualidade de vida de quem vive nas grandes cidades. A Organização Mundial da Saúde considera a poluição do ar uma das maiores ameaças à saúde humana e São Paulo, como uma das metrópoles mais poluídas do mundo, tem muitos motivos para se preocupar. Estudos comprovam que em apenas dois anos no município de São Paulo, mais de 20 mil crianças e mais de 8 mil idosos foram internados por problemas respiratórios relacionados à poluição atmosférica. Mas os efeitos nocivos da poluição no corpo vão muito além de problemas respiratórios como pneumonia, bronquite e asma. O sistema imunológico enfraquece, o coração fica mais sujeito a doenças, as chances de ter câncer aumentam, a fertilidade pode diminuir e até um feto no útero materno corre o risco de ter a formação prejudicada. Na região metropolitana, em média, quase 20 pessoas morrem por dia em decorrência do ar poluído. Pelo mesmo motivo, estima-se que a expectativa de vida de cada habitante seja reduzida em 1,5 ano. Das mortes supostamente naturais na cidade, 5% a 10% estão associadas à má qualidade do ar. Por tudo isso, ambientalistas, médicos, técnicos da área de poluição ambiental e autoridades em saúde pública consideram o Programa de Inspeção Ambiental Veicular de importância fundamental para a cidade de São Paulo. As inspeções seguem as normas estabelecidas pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e têm como objetivo manter a frota circulante bem regulada e dentro dos padrões adequados de manutenção. Nelas são avaliadas as emissões de monóxido de carbono e hidrocarbonetos nos veículos a gasolina, álcool, gás natural, motores flex e motocicletas; material particulado (MP) nos veículos a diesel; e os níveis de ruído em todos os veículos. Fonte: estudo do Laboratório de Poluição Atmosférica Experimental (LPAE) da Faculdade de Medicina da USP.

Os níveis de ozônio no Parque do Ibirapuera já chegaram a ficar 49 dias acima do recomendado

5


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

MISSÃO / VISÃO / VALORES MISSÃO “Melhorar a qualidade de vida na cidade de São Paulo, reduzindo a poluição por meio da Inspeção Ambiental Veicular, e gerar resultados para a sociedade, colaboradores e acionistas.”

VISÃO “Ser reconhecida e admirada pela excelência e responsabilidade na prestação de serviços, respeito à sociedade e por sua contribuição ao meio ambiente e saúde pública.”

VALORES

QUEM SOMOS Tendo como acionistas os grupos CSS Participações – que atua nas áreas de energia, transporte, distribuição de gás natural, concessão de rodovias, projetos imobiliários e inspeção veicular; CCR – uma das maiores companhias de concessão de rodovias do mundo; BRISA – a maior empresa de infraestrutura de Portugal; e parceria técnica com a TÜV NORD – empresa alemã com experiência internacional em inspeção e certificação de produtos, a Controlar é a empresa pioneira no Brasil a realizar esse importante serviço. Toda a estrutura da Controlar foi planejada com o objetivo de prestar serviços de alto padrão de excelência, desde o agendamento prévio, garantindo que todos os dados do veículo, ao chegarem ao centro, estejam disponíveis para o início da inspeção, até a formação dos funcionários que recebem treinamento constante tanto para realizar a inspeção quanto para prestar atendimento ao público. A empresa implantou diversas rotinas de auditoria técnica interna buscando a eliminação de desvios de processo e foi certificada nas normas ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001 (qualidade, meio ambiente, segurança e saúde), demonstrando o reconhecimento pela qualidade do serviço prestado.

Comprometimento É agir com responsabilidade, de forma alinhada à nossa missão, demonstrando entusiasmo e energia na busca de resultados, sendo persistente e determinado frente aos desafios.

Desenvolvimento Sustentável É reconhecer e agir garantindo que as dimensões econômica, social e ambiental estejam em equilíbrio, sendo capaz de difundir e praticar um modelo de gestão comprometido com a prosperidade econômica, com a justiça social e com o respeito ao meio ambiente.

Ética É agir com honestidade, integridade, lealdade e coerência em todas as nossas ações, dentro e fora da empresa. É cumprir a legislação, normas internas e acordos, não tolerando injustiça, discriminação e corrupção.

Excelência É agir com obstinação pela qualidade e superação de desempenho, num processo de melhoria contínua, promovendo um ambiente para a atuação de equipes de alta performance.

Transparência É agir de forma clara e objetiva, comunicando abertamente nossas políticas e resultados, estimulando o debate franco, valorizando a cordialidade e a acessibilidade.

O ar de São Paulo causa 4 mil mortes prematuras ao ano

6

7


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

INFRAESTRUTURA A estrutura dos Centros de Inspeção, muito além de apenas atender à demanda, foi desenvolvida respeitando o meio ambiente, com um projeto moderno que contempla: • sistema de coleta e reúso de água; • conservação da permeabilidade do solo, com ruas internas construídas com pisos especiais; • aquecimento por energia solar; • caixa separadora de água e óleo; • conservação das áreas verdes.

CENTROS DE INSPEÇÃO Para atender a população, a Controlar conta com Centros de Inspeção localizados em todas as regiões da cidade, com capacidade para realizar 700 mil inspeções por mês.

CENTRO DE INSPEÇÃO

Jaguaré Parque São Jorge

8

ENDEREÇO

Av. Eng. Billings, 2.100 Av. Condessa Elizabeth de Robiano, 1.822

REGIÃO

QUANTIDADE DE LINHAS

CAPACIDADE DIÁRIA

CAPACIDADE MENSAL

Zona oeste

18

1.642

41.040

Zona leste

11

1.003

25.080

Anchieta

Rua Francisco Bautista, 163

Zona sul

11

1.003

25.080

Barra Funda

Rua Gustav Willi Borghoff, 450

Zona oeste

17

1.550

38.760

Aricanduva

Av. Aricanduva, 8.095

Zona leste

16

1.459

36.480

Itaquera

Rua Sabbado D'Angelo, 1.300

Zona leste

6

547

13.680

Parque do Estado

Rua Alexandre Aliperti, 351

Zona sul

15

1.368

34.200

Parque do Carmo

Av. Adriano Bertozzi, 641

Zona leste

13

1.094

27.360

Cidade Dutra

Av. Irmã Dulce, 200

Zona sul

16

1.459

36.480

Pirituba

Av. Raimundo Pereira de Magalhães, 11.701

Zona norte

9

821

20.520

Vila Medeiros

Rua Soldado Claudino Pinheiro, 160

Zona norte

15

1.368

34.200

Raposo Tavares

Rua Joaquim Lapas Veiga, 339

Zona oeste

6

547

13.680

Morumbi Sul

Estrada de Itapecerica, 160

Zona sul

12

1.094

27.360

Casa Verde

Av. Eng. Caetano Álvares, 341

Zona norte

6

547

13.680

Tatuapé

Av. Ulisses Cruz, 655

Zona leste

32

2.918

72.960

São Miguel

Rua Cembira, 422

Zona leste

8

1.152

28.800

Além disso, a distribuição geográfica dos Centros de Inspeção contribui para a geração de empregos e o atendimento da frota em regiões próximas aos locais de moradia. Para garantir a redução do impacto sobre o trânsito e o sistema de transporte, realizamos Estudos de Caracterização Ambiental (ECA) em todos os Centros de Inspeção. Todos os centros contam com geradores de emergência e diversos sistemas de contingência para a comunicação de dados, assegurando a continuidade e regularidade no atendimento aos usuários.

A poluição mata mais que AIDS e H1N1 juntas

9


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

Gestão do Negócio A Política do Sistema de Gestão Integrado É através da Divulgação da Política de SGI que a Controlar declara o compromisso de gerenciar de forma integrada: a qualidade dos processos e serviços, a garantia do respeito ao meio ambiente e o cuidado com a segurança dos colaboradores, clientes e visitantes. A Controlar também declara seis compromissos com a política e, para cada um, realiza ações para garantir padrões de Qualidade, Saúde, Meio Ambiente e Segurança, adotando uma postura rigorosa no cumprimento de todos os requisitos legais associados à sua atividade. Modelo de Gestão Estratégico O Modelo de Gestão de Negócios utilizado pela Controlar, desenvolve o planejamento de maneira sistêmica que integre as fases de análise, formulação do mapa estratégico, comunicação, execução e análise crítica. Esta metodologia maximiza as chances de sucesso na formulação e execução do planejamento estratégico, através do Mapa Estratégico da Controlar, baseado na metodologia do Balanced Scorecard – BSC. A necessidade de medir os resultados e avaliar o desempenho das ações estratégicas, ganha grande destaque na Controlar, que procura a constante atualização na implantação de sistemas de gestão e medição de desempenho. Este modelo de gestão foi implementado com o auxílio de ferramentas de tecnologia possibilitando a mensuração dos resultados de forma transparente e confiável.

Certificações e Premiações Sistema de Gestão Integrado O sistema de gestão foi certificado em 2010 nas normas ISO 9001 (qualidade), ISO 14001 (meio ambiente) e OHSAS 18001 (saúde e segurança). Em 2011, a empresa foi recertificada nas três normas, comprovando sua capacitação técnica, a qualidade dos serviços prestados, a excelência no atendimento ao cliente, a preocupação com o meio ambiente e a busca constante por melhores condições de segurança e saúde dos colaboradores. Ainda em 2011, a auditoria realizada pela empresa alemã TÜV NORD apontou a empresa como referência mundial nos processos implantados. Em 2012, a Controlar manteve todas as certificações em continuidade ao seu compromisso com a melhoria contínua dos processos.

10

11


Controlar

Relatório Anual 2012

Evento III QlikDev Sampa Em julho de 2012, a Controlar participou e foi premiada com o tema “Disseminação do Planejamento Estratégico por Toda a Organização”, no evento III QlikDev Sampa, que teve como objetivo compartilhar conhecimentos e experiências em projetos de apoio à Gestão da Informação. Foi apresentado o projeto PEG - Prêmio Excelência em Gestão, que tem o objetivo de traduzir e disseminar a estratégia em todos os níveis hierárquicos e reconhecer o Centro de Inspeção Ambiental Veicular que apresentar o melhor desempenho em relação às perspectivas do Balanced Scorecard (BSC).

Controlar

Relatório Anual 2012

Evento Melhores Práticas em BSC - IQPC Em maio de 2012, a capital paulista recebeu a 6ª edição do fórum “Melhores Práticas em Balanced Scorecard” realizado pelo IQPC - International Quality & Productivity Center e a Controlar foi convidada a apresentar seu modelo de gestão para grandes empresas.

A poluição é responsável por 5% dos casos de cânceres de pulmão

Em agosto de 2012, o Diretor de Operações da Controlar, Marcos Brandão, apresentou os resultados obtidos com a utilização deste modelo no evento Latin America QlikView Customer Conference, em Buenos Aires, Argentina.

12

13


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

PLANEJAMENTO

GESTÃO DE OPERAçÃO

O planejamento da operação levou em conta o cronograma de Processos A Controlar é uma empresa orientada por processos. Seu sistema de gestão é apoiado ANO INSPEÇÕES por três macroprocessos de negócio – agendar, inspecionar e informar – que se 2010 2.870.697 aplicam a toda empresa e são essenciais para que os serviços sejam prestados 4.142.027de 2011 forma consistente, padronizada e confiável, 3.761.249 garantindo a alta2012 qualidade reconhecida pelos clientes.

licenciamento e privilegiou o atendimento à demanda, permitindo que, durante todo o período compreendido entre fevereiro de 2012 e janeiro ANO RECLAMAÇÕES

RECLAMAÇÕES/ INSPEÇÕES

INSPEÇÕES % RECLAMAÇÕES (%)

RECLAMAÇÕES

% RECLAMAÇÕES de 2013, fossem

disponibilizadas vagas suficientes para o agendamento

em qualquer região da cidade, conforme tabela abaixo:

Atualizar2010

0.97% 2.870.697 1,38%

Atualizar

1,38%

Atualizar 2011

4.142.027 0,33%

Atualizar

0,33%

Atualizar 2012

3.761.249 0,17%

Atualizar

0,17%

Qualidade do Serviço Prestado Os resultados das melhorias implantadas no atendimento ao cliente foram medidos pelo “índice de reclamação por inspeção efetuada”.

Disponibilidade operacional dos Centros de Inspeção Para garantir o contínuo funcionamento dos centros de inspeção foram desenvolvidas diferentes formas de infraestrutura que conseguiram manter a operação dentro de elevados padrões, conforme demonstra a tabela ao lado:

14

15


Controlar

Relatório Anual 2012

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO Com objetivo de incentivar a busca constante por inovação e fazer frente aos desafios, a Controlar investe e mantém tecnologia de ponta estabelecendo parcerias que, continuamente ofereçam condições técnicas respeitando as resoluções determinadas pelas leis e regulamentações que regem o Programa de Inspeção a nível nacional com o propósito de contribuir com a redução de emissão de poluentes na atmosfera. Encontros com fabricantes de veículos, participação em eventos, apresentação de estudos de caso e o desenvolvimento interno de novas tecnologias, reforçam e garantem a sustentabilidade do nosso negócio.

Relatório Anual 2012

poluentes liberados na atmosfera pela frota inspecionada, a partir do trabalho realizado pela Controlar, e foi utilizado como uma das bases para a estimativa dos benefícios para a saúde pública, realizado pela Faculdade de Medicina da USP.

Ferramentas para Melhorias do Programa I/M

Os autores do trabalho são os engenheiros Gabriel Murgel Branco, ex-Coordenador de Desenvolvimento e Implantação do Proconve e Fabio Cardinale Branco, da EnvironMentality, Wagner Delmo Abreu Croce, ex-coordenador da Comissão de Implantação e Execução do Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos em Uso do Município de São Paulo, Alfred Szwarc, da ADS Tecnologia e Desenvolvimento Sustentável, José Mauro Napoleone, consultor de engenharia da Controlar e Eduardo Rosin, diretor executivo da Controlar.

Aprimoramento da Legislação

Compromisso com a Prevenção de Fraudes

• Desenvolvimento de métodos e processos para a avaliação da eficácia do Programa de Inspeção Veicular na redução da poluição do ar; • Elaboração de sugestões para o aprimoramento das regulamentações do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) e SVMA (Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente); • Participação em Grupos de Trabalho na AEA (Associação Brasileira de Engenharia Automotiva) e outras associações contribuindo com informações estatísticas relacionadas à inspeção veicular, ampliando a discussão com todas as partes interessadas; Participação em Simpósio - SIMEA O estudo que comprova a eficiência do Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos em Uso na Cidade de São Paulo foi considerado o melhor trabalho técnico do SIMEA 2012 – Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva, realizado nos dias 24 e 25 de setembro, em São Paulo. O trabalho “Critérios de avaliação de inspeção veicular” concorreu com outros 49 estudos, que foram avaliados por uma comissão de engenheiros automotivos. Todas as apresentações foram coordenadas pelo professor Ronaldo Salvagni, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). O estudo vencedor mostrou a metodologia utilizada para estimar a redução de

16

Controlar

A Controlar trata dos processos de prevenção à fraudes como prioridade para antecipar e evitar riscos, através de auditorias internas, externas, controle de processos, investimentos em tecnologia da informação e formação de uma cultura organizacional de prevenção à fraude, reiterando nosso compromisso com a sociedade paulistana.

Relacionamento com as partes interessadas Programa de Relacionamento A Controlar reafirma seu compromisso com as partes interessadas, para assegurar que suas expectativas e necessidades sejam atendidas e por isso, ao longo de 2012 as discussões foram ampliadas com o objetivo de aprimorar o Programa de inspeção na cidade de São Paulo, como: Mecânicos e oficinas O programa de Formação de Mecânicos para Inspeção Ambiental Veicular, em parceria com o SINDIREPA (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo) e o SEBRAE (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), foi lançado com o objetivo de capacitar os mecânicos da cidade de São Paulo para realizar de maneira mais adequada a manutenção preventiva, aprimorando a reparação de forma a reduzir o número de reinspeções e, consequentemente, a redução da emissão de poluentes na atmosfera.

17


Controlar

Relatório Anual 2012

O passo inicial foi dado na Expo Mecânico 2012, que nos dias 11 e 12 de agosto de 2012 reuniu mais de 1.000 pessoas no estande da Controlar, onde os profissionais da área de reparação automotiva assistiram à palestra educativa, receberam material didático, que os auxiliou no atendimento aos clientes e realizaram um pré-cadastro para participar do Programa de Formação. A segunda etapa, foi iniciar a capacitação dos profissionais da reparação com treinamento em sala de aula. Capacitamos 05 turmas entre outubro e dezembro de 2012, atingindo mais de 300 profissionais. No total, mais de 1.300 profissionais assistiram às nossas palestras. Palestras e Eventos Foram realizadas palestras e treinamentos em universidades, associações e entidades de classe (AEA, FATEC, SINDIREPA e outros), para cerca de 3.500 participantes, com o objetivo de difundir os critérios e procedimentos de inspeção visando à capacitação da indústria de reparação, em especial oficinas mecânicas e profissionais da área.

Controlar

Relatório Anual 2012

O Movimento vem desenvolvendo desde 2009 ações de educação sócioambiental para conscientizar a população sobre os malefícios da poluição, cuidados ambientais e benefícios da Inspeção. A Controlar estabelece ao Movimento Respirar os seguintes compromissos: • Divulgar e incentivar a adesão ao Programa de Inspeção, por meio de palestras que incentivem a reflexão sobre sua necessidade. • Disseminar os benefícios da inspeção e trabalhar uma imagem positiva para o Programa, incentivando iniciativas que possam contribuir para a melhora do ar de São Paulo. • Ressaltar que os benefícios da Inspeção Veicular contribuem para a diminuição de gastos públicos com doenças respiratórias e outras. • Promover a integração e participação dos colaboradores como palestrantes voluntários para apresentações nas escolas Públicas.

Apresentação em escolas Foram também realizadas apresentações teatrais em escolas de ensino fundamental da cidade de São Paulo, para conscientizar as pessoas sobre a importância da inspeção ambiental veicular para a melhoria da qualidade do ar de São Paulo. Foi promovida a participação de colaboradores voluntários nas apresentações e com isso, a Controlar conseguiu impactar mais de 3.000 crianças na abordagem das questões ambientais e a importância da inspeção veicular nesse contexto. Movimento Respirar O Movimento Respirar é uma iniciativa da Controlar que procura criar interatividade com a sociedade paulistana, representantes de comunidades organizadas, formadores de opinião, agentes transformadores e estudiosos do tema.

Respirar na cidade equivale a fumar 4 cigarros por dia

18

19


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

2/2012 3/2012 4/2012 5/2012 6/2012 7/2012 8/2012 9/2012 10/2012 11/2012 12/2012 1/2013

• URA - Unidade de Resposta Audível é um aparelho utilizado em Call Centers para que possam ser digitadas opções no atendimento eletrônico. • Referência ano exercício – fev. 2012 à jan.2013

Fale Conosco

RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

Além do atendimento telefônico, foram recebidos e respondidos no mesmo período um total de 16.738 e-mails.

A Controlar é totalmente comprometida na busca da excelência no relacionamento e nos serviços prestados aos seus clientes. Analisa e responde 100% das manifestações e estabelece planos de ação sempre que necessário. O SAC, CHAT e Twitter são canais que estão à disposição do usuário para o esclarecimento de dúvidas, reclamações e sugestões. Em 2012 foram realizadas melhorias nos processos de relacionamento com o cliente e de infraestrutura incluindo atualizações de licenças e sistemas de tecnologia. Call Center Em 2012, o Call Center recebeu 853.752 ligações. Dessas chamadas, 98,84% dos contatos solicitaram informações, agendamentos ou reagendamentos de inspeção. O tempo médio de espera (TME) do ano foi de 55 segundos e o tempo médio de atendimento (TMA) foi de 5 minutos e 39 segundos. O percentual de abandono médio foi de 4,2%. As reclamações de clientes que em 2010 foram de 1,38%, em 2011, foram drasticamente reduzidas para 0,33%, em 2012 chegaram a 0,17%.

20

21


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

Chat

Mídias Sociais

Foram realizados 15.746 atendimentos pelo chat, o que representou um

O Twitter encerrou 2012 com 1.700 seguidores e a página do Movimento

crescimento de mais de 100% desse canal de atendimento.

Respirar no Facebook.

GESTÃO DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DA INFORMAçÃO Alinhada com a Estratégia de Negócios, a área de Tecnologia da Informação TI desenvolve trabalhos e projetos que objetivam atingir níveis de excelência operacional e de atendimento ao cliente interno e dos milhares de usuários dos serviços da Controlar. Temos uma gestão focada na alta disponibilidade dos serviços, tais como: Agendamento e emissão de guia de pagamento online, fluxo de informação entre Data Center – Centros de Inspeção – PRODAM, que garantem total conforto ao usuário durante todas as fases dos nossos processos de agendamento e pagamento do boleto bancário, realização da inspeção e licenciamento do veículo com facilidade e sem a ocorrência de contratempo ao usuário. Para tanto, temos realizado investimentos em: • Governança corporativa dos processos de TI; Internet O site recebeu 27.555.724 acessos no ano.

• Processos de tecnologia apoiados por parceiros como a IBM e a Oracle; • Ambiente apropriado para o desenvolvimento de projetos inovadores, sempre priorizando o melhor atendimento aos nossos usuários; • Segurança da Informação; • Capacitação e desenvolvimento profissional dos colaboradores; Projetamos um ambiente que nos possibilita assumir um indicador de 99,99% de disponibilidade operacional. Os nossos sistemas “Core” estão implantados em dois Data Centers, caso exista a ocorrência de falhas no site principal, o Data Center backup é acionado automaticamente, evitando, desta forma, complicações que possam ser percebidas pelos usuários dos serviços, prestados pela Controlar. Este contingenciamento requer não somente investimentos de alocação de Data Center, mas também de duplicação de equipamentos, links de comunicação e procedimentos de atualização de dados e controles.

22

23


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

Também realizamos investimentos para o monitoramento 24 horas/dia de todos os componentes e processos de TI, que acontecem nos Centros de Inspeção e Data Center. As áreas de TI e Engenharia fornecem toda a infraestrutura necessária para a realização da inspeção, sendo de responsabilidade de TI, a realização do cabeamento de rede, equipamentos de linhas de inspeção, servidores, sistema técnico que garante o procedimento de realização da inspeção, links de comunicação para envio e recebimento de informações. A Controlar tem realizado investimentos importantes em equipamentos e softwares, com o propósito de garantir total integridade dos dados, com rígidos procedimentos internos de tratamento da informação e forte monitoramento das aplicações Web e dos bancos de dados, porque internalizamos em nossas operações que devemos estar sempre na vanguarda da utilização dos recursos tecnológicos, portanto, estas iniciativas reiteram o compromisso da Controlar

RECURSOS HUMANOS

com a sociedade paulistana. Em 2012 foram investidas 61.675 horas em treinamento e desenvolvimento, o que representa mais de 80 horas de capacitação por colaborador, reafirmando o compromisso com a excelência operacional e aos serviços prestados. Durante o ano, merecem destaque as ações abaixo: Olimpíada do Conhecimento A Olimpíada do Conhecimento de 2012 trouxe como novidade o concurso denominado o Carro dos Sonhos, sendo que o protótipo do carro vencedor foi utilizado na comunicação interna e nos jogos eletrônicos da olimpíada. Durante o primeiro trimestre os colaboradores foram preparados para o campeonato participando de grupos de leitura dirigida das Instruções de Trabalho de Operações - ITO. As Olimpíadas foram divididas em três etapas e realizadas on line através de jogos eletrônicos, no qual foram convidados para um programa virtual de perguntas e respostas. O objetivo de garantir a prontidão no conhecimento técnico, por meio do engajamento foi conquistado na íntegra.

24

25


Controlar

Relatório Anual 2012

ECOAR A 5ª edição do principal encontro anual da Controlar reuniu as equipes dos Centros de Inspeção e da Matriz para momentos de integração, aprendizado e reflexão sobre os próximos desafios. O encontro reuniu mais de 700 pessoas e abordou temas importantes como Pioneirismo, Desafios 2012 e Desenvolvimento Profissional. Contou com a participação de profissionais renomados como o ex-Coordenador de Desenvolvimento e Implantação do Proconve, Gabriel Murgel Branco, que falou sobre o desenvolvimento do Programa I/M e o professor do Departamento de Patologia da FMUSP, Dr. Paulo Saldiva, que ressaltou os benefícios da Inspeção e Manutenção Veicular. Também como destaque foi à palestra com o publicitário Clóvis Carvalho, experiente palestrante motivacional que enfatizou a importância da proatividade, visão, eficiência, padronização, sinergia e ética no ambiente de trabalho, objetivando prestar um serviço público de qualidade. Programa de Desenvolvimento da Liderança As competências previstas no Modelo de Avaliação de Desempenho foram revistas para que o Modelo de Gestão de Pessoas acompanhasse a evolução dos desafios que a Controlar está vivenciando. O resultado gerou como plano de desenvolvimento a formação do Líder Coaching. Além disso, em 2012, os gerentes contaram com a aplicação de mapeamento comportamental, com o objetivo de aumentar o autoconhecimento e ampliar as ações previstas no PDI – Plano de Desenvolvimento Individual. As ações implementadas em 2012 visaram o fortalecimento de uma cultura que apoie a implantação das Estratégias Corporativas e que garanta um clima organizacional que promova o engajamento de todos os públicos internos, por meio de uma liderança cada vez mais preparada para influenciar pessoas e gerar o comprometimento e o entusiasmo para que a Visão Controlar seja conquistada. O processo de integração ficou mais ágil e garantiu que as informações relevantes fossem passadas de forma padronizada, o que foi conquistado com a aplicação de conteúdos por meio de e-learning.

26

Controlar

Relatório Anual 2012

Com isso, hoje o Programa proporciona aos novos colaboradores o entendimento da Missão, Visão e Valores e apresenta o modelo de Gestão de Pessoas, o Código de Conduta e os conceitos do Sistema SGI. Gestão de Pessoas Durante o ano, o Modelo de Gestão de Pessoas incorporou quatro ações relevantes para favorecer a comunicação e consolidação dos valores Controlar, são elas: Programa Café com o Presidente Lançado no inicio do ano, o programa tem como objetivo trocar experiências sobre planejamento, mercado, programas, resultados, sustentabilidade, além de estimular soluções de melhoria aos mais diversos temas. Os encontros foram conduzidos pelo Diretor Presidente, abrangeu aproximadamente 150 profissionais e foram planejados para acontecer em todos os locais de atuação. Programa Antitabagismo Para apoiar os colaboradores que desejavam abandonar o hábito de fumar, a Controlar implantou o Programa em parceria com especialistas do Hospital Universitário da USP. Além dos encontros de acompanhamento, a Controlar forneceu a medicação para a primeira fase do tratamento. O resultado que 50% dos participantes do programa abandonaram o hábito de fumar. Cartilha de Relações Trabalhistas Alinhado ao Valor Excelência, foi desenvolvido mais um instrumento para estimular as melhores práticas em gestão de pessoas, a Cartilha de Relações Trabalhistas. Ela visa abordar temas relevantes e recorrentes no dia a dia, orientando o gestor como proceder na gestão de temas legais. Pesquisa de Satisfação do Cliente Interno Como mais uma ação para promover o Valor Excelência, as áreas de apoio a operações participaram da Pesquisa de Satisfação do Cliente Interno, a qual gerou planos de melhoria e novas iniciativas as áreas.

27


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

RESULTADOS DO PROGRAMA I/M Este relatório foi elaborado com base nos resultados das inspeções realizadas no ano exercício 2012, em veículos leves e motocicletas com motor do Ciclo Otto e veículos leves e pesados com motor do Ciclo Diesel. De fevereiro de 2012 a janeiro de 2013, foram inspecionados 2.630.236 veículos leves do Ciclo Otto e realizadas 3.209.741 inspeções.

Visão tecnológica do controle de emissão veicular O Programa I/M-SP está propiciando ganhos ambientais efetivos, na medida em que reduz o excesso de emissão decorrente da falta de manutenção ou da modificação dos veículos que compõem parte minoritária da frota, mas crescente com a idade dos veículos. É por isso que se considera o Programa I/M-SP como sendo a melhor alternativa conhecida e praticamente disponível e

Características da Frota

economicamente viável para reduzir a emissão evitável, conforme ilustrado abaixo. A frota inspecionada de veículos leves vem apresentando crescimento da participação de veículos FLEX em detrimento dos demais, sendo que os veículos a álcool e convertidos para GNV constituem menos de 5% da frota, com tendência a desaparacer. Desse total, 97% são automóveis e 3% utilitários.

EMISSÃO EVITÁVEL COM I/M

EMISSÃO DE VEÍCULO NOVO

28

EMISSÃO DE VEÍCULO USADO E BEM MANTIDO

EMISSÃO DE VEÍCULO USADO SEM MANUTENÇÃO

Em geral reparos simples, de baixo custo, resolvem o problema.

A frota inspecionada de motociclos inclui apenas os veículos com motor de quatro tempos, em sua grande maioria movido a gasolina, além de versões flex, que tiveram iniciadas a sua produção e comercialização no país em 2009 e totalizam 7%. A frota alvo de veículos a diesel contempla todos os veículos dotados de motores diesel, leves ou pesados. Nos quatro primeiros anos do Programa I/M, observou-se um gradual aumento da participação da frota diesel. No ano de 2012, quinto ano da inspeção, observou-se uma pequena redução tanto no número de veículos quanto de inspeções. Essa variação corresponde a uma redução de apenas 5% da frota inspecionada e de 14% do número de inspeções. Esses dados indicam que os veículos em mau estado podem não estar sendo submetidos à inspeção e, consequentemente licenciados, circulando irregularmente; podem estar tendo seus registros transferidos para outros municípios por falta de condições para circular na capital ou, ainda, podem estar sendo sucateados.

29


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

Veículos inspecionados x Inspeções realizadas Inspeção em automóveis e utilitários do Ciclo Otto Diversos parâmetros permitem obter índices de desempenho para a avaliação da eficácia do Programa I/M, entre eles as comparações das médias das concentrações de poluentes medidas nas inspeções iniciais; a evolução dessas médias; a evolução das percentagens de aprovação, rejeição e reprovação; as distribuições estatísticas dos parâmetros de inspeção e a proporção de redução da emissão anual estimada para cada categoria, tipo de combustível e ano de fabricação do veículo. O número de reprovações na inspeção inicial vem caindo desde 2010, ano em que as inspeções começaram a ser feitas em veículos de todas as idades. O número de rejeições cresceu em 2011 porque novos itens foram adicionados à inspeção. Por outro lado, após a reinspeção, o número de aprovações se aproximou da totalidade dos veículos, indicando total viabilidade de atendimento às exigências do Programa I/M-SP.

Motivos de Rejeição na Pré-inspeção e de Reprovação na Inspeção Visual

Resultados da primeira inspeção - 2012

Com relação aos motivos de rejeição, em 2012 foram mantidos os mesmos itens de inspeção já consolidados no ano de 2011, sendo que os mais frequentes foram os mesmos de 2011. Comparativamente, observa-se redução das rejeições por “Vazamentos ou avarias no sistema de admissão de ar” e aumento pelo motivo de “Vazamentos aparentes de fluidos”, ambos sem influência direta sobre as emissões, mas bons indicadores da necessidade iminente de manutenção do veículo. A emissão de fumaça visível é o item mais importante do ponto de vista ambiental e o que mais provoca rejeições, tendo se mantido em níveis semelhantes aos do ano anterior, em relação aos demais itens de inspeções visuais, embora o número de casos tenha se reduzido significativamente, passando de 116.327 casos em 2011 para 96.340 em 2012, uma queda de 17%.

30

31


Controlar

Relatório Anual 2012

Principais motivos de rejeição

Controlar

Relatório Anual 2012

Inspeções até a conformidade

Otto Quanto ao número de inspeções realizadas, observa-se que 83% dos automóveis inspecionados foram aprovados na primeira inspeção realizada, 11% na primeira reinspeção e 2% na segunda, totalizando 98% até o final do processo de inspeção.

30% 25% 20%

2011

15%

2012

10%

81,9%

5% 0%

Otto Leve

Pré 2

Pré 1

Pré 3

Pré 4

Pré 5

Pré 9

PRÉ1 - Funcionamento irregular do motor PRÉ2 - Emissão de fumaça visível, exceto vapor d’água PRÉ3 - Vazamentos aparentes de fluidos (gotejamento de lubrificante, combustível, água, outros) PRÉ4 - Vazamentos, avarias ou estado avançado de deterioração no sistema de escapamento no sistema de escapamento PRÉ5 - Vazamentos ou avarias no sistema de admissão de ar PRÉ9 - Existência de anormalidade que possa apresentar risco de acidentes ou danos.

13,4% 3,1%

Principais motivos de reprovação Otto

1ª INSPEÇÃO

100% 80%

4ª INSPEÇÃO

5ª INSPEÇÃO

Inspeção em Motocicletas

60%

120

50% 40%

80

30%

MILHARES DE VEÍCULOS

160

70%

40

20%

GASOLINA

HC

ÁLCOOL

dil

FLEX

CO HC

GASOL/GNV

CO dil

CO dil HC

motonetas, triciclos e quadriciclos, conforme definições do DENATRAN e nas classes de cilindrada categorizadas pelo CONAMA.

ser visto como uma nítida melhoria no comportamento dos proprietários de

ÁLCOOL/GNV FLEX/GNV

dil HC

anteriores a essa legislação, tendo sido subdividida em ciclomotores, motociclos,

clara evolução da frota, com aumento do percentual de aprovações, o que pode

0

0%

A frota de motocicletas contempla todas as fases do PROMOT e veículos

A análise dos resultados iniciais do Programa nos últimos três anos mostra uma

10%

32

3ª INSPEÇÃO

0,3%

200

90%

CO

2ª INSPEÇÃO

1,1%

N

veículos quanto à sua manutenção, resultante do aprendizado propiciado pelo Programa.

33


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

Por outro lado, o aprimoramento da inspeção visual trouxe uma elevação dos níveis de veículos rejeitados, melhorando a seleção prévia ao excluir do procedimento de medição os veículos com defeitos visíveis e de fácil correção.

Motivos de Rejeição Vazamentos aparentes de fuidos (gotejamento de lubrificante, combustível, água, outros)

2,10%

Existência de anormalidade que possa apresentar risco de acidentes ou danos

Comparação dos resultados

Vazamentos ou avarias no sistema de admissão de ar

90% 80% 70%

2010

60%

Vazamentos, avarias ou estado avançado de deteriorização no sistema de escapamento

0,10% 1.48%

0,01%

Insuficiência de combustível para realização da medição de emissão

Ausência da vareta medidora de óleo lubrificante

3,09%

4,51%

65,82%

50%

2011

40% 30%

Funcionamento irregular do motor

Emissão de fumaça visível, exceto vapor d`agua

22,89%

2012

20% 10% 0%

APROVADO

REJEITADO

REPROVADO

Base: Inspeções. Motivos de Rejeição na Pré-inspeção e Reprovação na Inspeção Visual Quanto aos motivos de rejeição, em 2012 foram mantidos os mesmos itens de inspeção já consolidados no ano de 2011, e praticamente com as mesmas frequências. A principal diferença encontrada foi em relação às inspeções de 2011, quando o item de pré-inspeção 1, funcionamento irregular do motor, respondia por cerca de 60% das rejeições. Do ponto de vista ambiental o item mais importante e que mais provoca rejeições é o da Pré-inspeção 2 - emissão de fumaça visível, exceto vapor d’água, tendo se mantido em níveis semelhantes aos do ano anterior, em relação aos demais itens de inspeções visuais.

Inspeções até a conformidade Moto

77,9%

17,2% 3,7% 1ª INSPEÇÃO

34

2ª INSPEÇÃO

3ª INSPEÇÃO

1,0%

0,2%

4ª INSPEÇÃO

5ª INSPEÇÃO

35


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

Motivos de reprovação 90% 80% 70%

2010

60% 50%

2011

40% 30%

2012

20% 10%

Inspeção em Veículos Diesel A análise dos resultados iniciais do Programa mostra uma evolução positiva, com aumento do percentual de aprovações, que passou de 54% no ano de 2011 para 61% em 2012. Pode-se inferir que esse resultado expressivo se deve a uma melhoria no estado de manutenção dos veículos, objetivo primordial do I/MSP, fato evidenciado pela redução das rejeições (de 35% em 2011 para 27% em 2012). Embora o número de reprovações tenha se mantido aproximadamente constante, como nos anos anteriores, a redução das rejeições indica que a manutenção do estado geral melhorou, ainda que não tenha ocorrido o mesmo com a regulagem do motor quanto à emissão de fumaça preta.

0%

Média acima do limite

Variação de K

Outros

Inspeções até a conformidade 63,7%

Diesel

Motivos de Rejeição na Pré-inspeção e de Reprovação na Inspeção Visual

23,3% 7,7%

Principais Motivos de Rejeição

3,1%

1,2%

50%

CO

1ª INSPEÇÃO

2ª INSPEÇÃO

3ª INSPEÇÃO

4ª INSPEÇÃO

5ª INSPEÇÃO

40%

dil 30%

HC 20%

CO HC

Resultados Gerais Resultados de veículos aprovados até a segunda inspeção

10%

CO dil HC

0% PRÉ1

PRÉ2

PRÉ3

PRÉ4

PRÉ1 - Funcionamento irregular do motor PRÉ2 - Emissão de fumaça branco-azulada ou fumaça preta visivelmente muito intensa PRÉ3 - Violação de lacres

PRÉ5

PRÉ6

PRÉ8

Ciclo Classe

% Aprovações na 1ª

% Aprovações até a 2ª

OTTO LEVE

82,5%

94,0%

OTTO MOTOCICLO

76,2%

92,3%

DIESEL LEVE CAMINHÃO

60,1%

83,8%

58,3%

79,1%

ÔNIBUS

70,2%

88,3%

TOTAL

81,0%

93,4%

OUTROS

PRÉ4 - Vazamentos aparentes PRÉ5 - Avarias no sistema de escapamento PRÉ6 - Avarias no sistema de admissão de ar PRÉ8 - Nível de óleo acima ou abaixo

Em relação aos motivos de reprovação, a distribuição tem-se mantido relativamente estável desde 2010.

36

37


Controlar

Relatório Anual 2012

Resultados Ambientais

Controlar

Comparativo entre as médias de emissões dos veículos aprovados, reprovados e rejeitados

CO(%)

3

3

2

2

1

1

PRÉ

L1

L2

L3

REPROVADOS

L4

0

L5

REINSPECIONADOS

CO(%)

0,2

L3

L4

APROVADOS

REPROVADOS

REINSPECIONADOS

1.600

1.600 HC (ppm)

HC (ppm)

2.000

800 400

89%

PRÉ

L1

L2

L3

REPROVADOS

L4

L3

L4

L5

REINSPECIONADOS

1.200 800

0

L5

REINSPECIONADOS

PRÉ

L1

APROVADOS

L2

REPROVADOS

L3 REINSPECIONADOS

Médias de HC - automóveis convertidos para GNV 800

600

120

HC (ppm)

HC (ppm)

L2

REPROVADOS

400

160

80

400

200

40 0

L1

Médias de HC - automóveis a álcool

2.000

1.200

PRÉ

APROVADOS

Médias de HC - automóveis flex

38

1,2

0

L5

200

Resultados ambientais das inspeções em Veículos Leves do Ciclo Otto Os gráficos a seguir demonstram a grande redução das médias das emissões de CO e HC exibida pelos veículos leves do ciclo Otto.

REINSPECIONADOS

0,4

0

7%

Motos

REPROVADOS

L3

0,8

APROVADOS

Utilitários

L2

1,6

0,4

0

Automóveis

L1

2

0,6

7%

78%

PRÉ

Médias de CO - automóveis convertidos para GNV

Médias de HC - automóveis a gasolina

4%

Médias de CO - automóveis a álcool

APROVADOS

Médias de CO - automóveis flex

0,8

Participação relativa dos veículos do Ciclo Otto na redução das emissões de CO e HC

HC

5 4

APROVADOS

Os benefícios ambientais são estimados por esta metodologia separadamente para as emissões de material particulado, proveniente dos veículos a diesel, e para CO e HC, emitidos pelos automóveis, utilitários e motocicletas. A influência relativa de cada categoria sobre a redução da emissão destes últimos pode ser vista nesta figura.

15%

Médias de CO - automóveis a gasolina

4

0

CO(%)

Para isso, foram comparadas as concentrações de poluentes medidas na primeira e na última inspeção de cada veículo, no exercício de 2012, de forma a caracterizar as médias dos veículos aprovados e dos reprovados na primeira inspeção, bem como destes últimos na sua última inspeção. As diferenças encontradas foram convertidas em massa anual de poluentes emitida pelas frotas, estimada para cada categoria, tipo de combustível e ano de fabricação do veículo, na situação inicial (1ª inspeção) e final (após a última inspeção dos reprovados inicialmente). Comparando-se o benefício ambiental com a emissão anual de cada poluente para cada ano de fabricação e cada categoria de veículo, é possível estimar o número de veículos de cada frota que, se retirado de circulação, produziria o mesmo benefício ambiental. Esse indicador, caracterizado como “número de veículos equivalentes”.

5

CO(%)

Os benefícios ambientais do Programa I/M-SP são estimados através do cálculo das reduções de emissão anual em massa.

CO

Relatório Anual 2012

L3 APROVADOS

L4 REPROVADOS

L5 REINSPECIONADOS

0

PRÉ

L1

APROVADOS

L2

L3

REPROVADOS

L4

L5

REINSPECIONADOS

39


Emissão anual - CO - Automóveis (% em massa da emissão inicial)

Emissão anual - HC - Automóveis (% em massa da emissão inicial)

30%

35%

25%

30% 25%

PROCONVE

Ano de Fabricação

PRÉ

Até 1979 1980 a 1988 1989

54%

45%

31%

1990 1991

56%

49%

42%

54%

50%

43%

1992

55%

52%

48%

1993

57%

51%

43%

PRÉ

1994

54%

50%

50%

1995

51%

48%

48%

Gasolina

1996

49%

44%

46%

1997

52%

46%

65%

1998

52%

63%

70%

1999

50%

59%

73%

2000

47%

64%

76%

2001

41%

71%

75%

2002

39%

65%

76%

2003

53%

57%

71%

73%

2004

49%

67%

52%

78%

140

60

67%

80%

120

50

15%

41%

38%

34%

L5

L4

GNV-Gás

Álcool

Redução

30

Gasolina

Álcool

Flex

GNV-Gás

Gasolina

Álcool

Flex

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

2000

1999

0 1998

0

1997

10

1996

20

1995

20

1994

Nota: L1 e L5 são as fases do PROCONVE estabelecidas pelo CONAMA para veículos leves e definem os padrões tecnológicos utilizados pela indústria automobilística.

L3

40

1993

63,4% 38.789

Flex

1992

43,2% 74.272

Milhares de veículos

55,7% 1.257.295

2011

47,6% 1.175.516

40

2010

77%

2009

82%

27%

2008

52%

9%

60

2007

8%

2011

L2

Veículos equivalentes “retirados” - HC Automóveis (total = 607.639)

80

2006

2010

Gasolina

100

2005

78%

Redução

Veículos equivalentes “retirados” - CO Automóveis (total = 1.172.592)

2004

56%

L1

Veículos equivalentes “retirados”- CO e HC automóveis

2003

11%

PRÉ

Estes mesmos resultados, expressos em veículos equivalentes, podem ser visualizados nas figuras a seguir:

2002

2009

L5

L4

GNV-Gás

Álcool

2001

80%

Flex

L3

2000

82%

49%

L2

1999

56%

9%

0% L1

1998

18%

2008

0%

1997

2007

77%

5%

1996

63%

5%

1995

61%

30%

10%

1994

39%

2006

15%

10%

1993

2005

20%

1992

Frota total inspecionada

40%

1991

Porcentagem média de redução

31%

1990

L5

29%

1989

L4

20%

até 1979

L3

GNV - Gás

Flex

1980 - 1988

L2

Álcool

Gasolina

Milhares de veículos

L1

40

As emissões anuais finais são comparadas abaixo com a redução obtida, por padrão tecnológico correspondente a cada fase do PROCONVE, indicando reduções significativas das quantidades de CO e HC nos veículos de todas as fases, que correspondem aos respectivos benefícios ambientais anuais distribuídos da mesma forma. Importante salientar que a massa anual reduzida pelo Programa nos veículos L5, que possuem menos de quatro anos, é comparável à da fase L3, composta por veículos de 7 a 15 anos, indicando a importância da inspeção desde os primeiros anos de uso.

1991

A seguir, são apresentadas as reduções percentuais na concentração de CO em marcha lenta das diversas frotas, como exemplo. Observa-se que o Programa I/M-SP levou a população à realização da manutenção de seus veículos e obteve reduções percentuais significativas em todas as categorias e idades de veículos, cumprindo o seu objetivo ambiental de maneira bem distribuída na frota para todos os níveis tecnológicos.

As reduções acima, devidamente ponderadas pelo número de veículos afetados, pela quilometragem média anual e pelos fatores de emissão certificados pelo PROCONVE para cada ano-modelo, permitem o cálculo dos benefícios ambientais induzidos pelo Programa I/M-SP à frota como um todo.

1990

Reduções percentuais na concentração de CO e HC na frota inspecionada

Relatório Anual 2012

1989

De uma maneira geral, as reduções médias das concentrações foram maiores para o CO do que para o HC, como mostra a tabela abaixo.

Controlar

até 1979

Relatório Anual 2012

1980 - 1988

Controlar

GNV-Gás

41


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

De uma maneira geral, observa-se que os benefícios ambientais se distribuem por todas as categorias, dependendo do tamanho da frota e dos fatores de emissão associados, e não se justifica qualquer tipo de isenção ou de intensificação do Programa, seja por tipo de combustível ou padrão tecnológico ou mesmo pela idade dos veículos. Resultados ambientais das inspeções em Motocicletas Os benefícios ambientais propiciados pela inspeção e manutenção das motocicletas foram calculados da mesma forma que para os veículos leves, cujos resultados estão apresentados a seguir.

Estas reduções distribuem-se uniformemente entre os veículos de todas as idades, sendo maiores nas motocicletas mais novas porque estas possuem tecnologias capazes de reduzir as emissões e mais sensíveis à manutenção. É importante ressaltar que a fase M3 foi iniciada teoricamente em janeiro de 2009, porém foi autorizada a venda de um grande número de veículos do estoque de passagem de 2008 durante o primeiro semestre. Por isso, as estatísticas daquele ano foram feitas separadamente, tomando-se a tecnologia M3 somente a partir do ano 2010.

Considerando-se o número de motociclos registrados no município, de 890 mil unidades e a frota inspecionada de 263 mil, temos um índice de comparecimento de 30%, o que indica elevada evasão desse tipo de veículo da inspeção, fato que recomenda medidas por parte da administração pública para identificar a origem de tais discrepâncias e reverter essa situação.

Estas reduções, devidamente ponderadas pelo número de veículos afetados, pela quilometragem média anual e pelos fatores de emissão certificados pelo PROMOT para cada ano-modelo, permitem estimar os benefícios ambientais induzidos pelo Programa I/M-SP à frota de motocicletas como um todo. A figura abaixo apresenta as emissões anuais finais comparadas com a redução obtida, por padrão tecnológico correspondente a cada fase do PROMOT, indicando reduções significativas das quantidades de CO e HC nos veículos de todas as fases, que correspondem aos respectivos benefícios ambientais anuais distribuídos da mesma forma. Importante salientar que a massa anual reduzida pelo Programa nos veículos M3, que são veículos de até três anos, é comparável a de M1, composta por veículos de 8 a 10 anos, indicando a importância da inspeção desde os primeiros anos de uso.

Como nos automóveis, as médias das concentrações de CO e HC apresentam reduções significativas e os veículos reprovados inicialmente voltam às mesmas condições dos aprovados quando realizam a manutenção.

Médias de CO - Motocicletas

Médias de HC - Motocicletas

8

3.500

7

3.000 2.500

5

HC (ppm)

CO(%)

6

4 3

1.500 1.000

2

500

1 0

2.000

PRÉ

M1

APROVADOS

M2 2006/07

M2 2008

REPROVADOS

M3 2009

M3 2010/11

REINSPECIONADOS

0

Emissão anual - CO (%) Motociclos PRÉ

M1

APROVADOS

M2 2006/07

M2 2008

REPROVADOS

M3 2009

REINSPECIONADOS

Em termos percentuais, pode-se verificar que as maiores reduções obtidas são sempre nas emissões de HC, embora as reduções de CO também sejam muito altas. A ocorrência simultânea dos dois problemas caracteriza a predominância de desregulagem do motor para mistura rica.

42

M3 2010/11

Emissão anual - HC (%) Motociclos

40%

40%

35%

35%

30%

30%

25%

25%

20%

20%

15%

15%

10%

10%

5%

5%

0%

0% PRÉ

L1

L2

L2

Até 15cc 151 a 500cc 501cc e acima Redução Até 15cc Redução média da frota inspecionada = 35% para CO e 39% para HC

PRÉ

L1

151 a 500cc

L2

501cc e acima

L2

Redução

43


Controlar

Relatório Anual 2012

Controlar

Relatório Anual 2012

Médias da concentração de material particulado emitido pelos veículos Diesel

Estes mesmos resultados, expressos em veículos equivalentes, podem ser visualizados nas figuras a seguir:

Emissões médias (MP mg/Nm3) - VUC

Emissões médias (MP mg/Nm3) - Utilitários

25

25 Milhares de veículos

15 10 5

20

600

500

500

400

400

300 200

15

100

10

0

PRÉ 2003

2003

2004

Até 150cc

2005

2006

2007

151 a 500cc

2008

2009

2010

2011

501 cc e acima

0

PRÉ 2003

2003

2004

Até 150cc

2005

2006

2007

2008

151 a 500cc

2009

2010

2011

A comparação do estado inicial da frota (ao chegar para a primeira inspeção do ano) melhorou em relação a 2011, com o índice de aprovação crescendo 6,5%, enquanto que as rejeições caíram 7% e as reprovações mantiveram-se praticamente estáveis, com um crescimento de 0,6%. O fato de as rejeições terem

200

PRÉ

P1

P2

P3

REPROVADOS

P4

0

P5

REINSPECIONADOS

P1

P2

P3

REPROVADOS

P4

P5

REINSPECIONADOS

Emissões médias (MP mg/Nm3) - Caminhão trator

600

600

500

500

400

400

300 200

300 200

100 0

PRÉ

APROVADOS

Emissões médias (MP mg/Nm3) - Caminhões

501 cc e acima

Resultados ambientais das inspeções em Veículos Diesel

300

100

APROVADOS

5

mg/Nm3

Milhares de veículos

20

0

mg/Nm3

30

600

mg/Nm3

Veículos equivalentes “retirados” - HC Motociclos (total = 92.094)

mg/Nm3

Veículos equivalentes “retirados” - CO Motociclos (total = 85.575)

100

PRÉ

P1

APROVADOS

P2

P3

REPROVADOS

P4

0

P5

REINSPECIONADOS

PRÉ

P1

APROVADOS

P2

P3

REPROVADOS

P4

P5

REINSPECIONADOS

diminuído revela uma melhora no cuidado dos proprietários com a manutenção Emissões médias (MP mg/Nm3) - Ônibus

de seus veículos conforme já mencionado. 600 500

motociclos foram calculados da mesma forma que para os veículos leves, cujos

400

resultados estão apresentados a seguir. Da mesma forma que para o CO e HC, as médias das concentrações de MP apresentam reduções significativas e os veículos reprovados inicialmente voltam às mesmas condições dos aprovados quando realizam a manutenção.

mg/Nm3

Os benefícios ambientais propiciados pela inspeção e manutenção das

300 200 100 0

PRÉ

P1

APROVADOS

44

P2

P3

REPROVADOS

P4

P5

REINSPECIONADOS

45


Controlar

Relatório Anual 2012

Em termos percentuais, pode-se verificar que as reduções obtidas são sempre elevadas e independem do padrão tecnológico ou da fase do PROCONVE, como mostrado abaixo.

Controlar

Relatório Anual 2012

Estes mesmos resultados, expressos em veículos equivalentes, podem ser visualizados nas figuras a seguir: Veículos Diesel Equivalentes “retirados” - MP

Reduções obtidas das emissões médias após a reinspeção dos veículos reprovados

4.000 3.500 3.000

Fase do PROCONVE

Utilitários

PRÉ

55%

51%

51%

58%

68%

P1

65%

54%

46%

66%

65%

P2

62%

55%

47%

59%

1.500

Ônibus

62%

1.000

VUC

As reduções acima, devidamente ponderadas pelo número de veículos afetados, pela quilometragem média anual e pelos fatores de emissão certificados pelo PROCONVE para cada categoria e ano-modelo, permitem o cálculo dos benefícios ambientais, em termos da redução da emissão anual de material particulado, induzidos pelo Programa I/M-SP à frota Diesel como um todo.

Emissão anual FINAL da frota inspecionada - MP (%)

35% 30%

Redução

25%

Caminhões-trator

20%

Caminhões

15%

Ônibus

10%

VUC Utilitários

0% PRÉ

46

P1

P2

P3

P4

P5

2011

2009

2010

2007

2008

2005

2006

2004

0 2002

40%

2003

55%

2000

51%

2001

49%

1998

62%

1999

P5

Utilitários 1997

500

64%

1995

67%

60%

1996

62%

56%

1993

57%

55%

1994

66%

62%

1991

63%

até 1988

P3 P4

5%

Caminhões

2.000

1992

Caminhões

1989

Ônibus

Caminhões-trator

2.500

1990

VUC

Caminhõestrator

Aprendizado da sociedade a partir do I/M-SP A comparação entre as concentrações médias medidas em 2010, 2011 e 2012 para cada categoria de veículo e por ano de fabricação indica comportamentos semelhantes para todas as idades e tipos de veículos, com as raras exceções de desconformidade provocada por modificações não certificadas. No caso dos veículos leves com motor do ciclo Otto, esta comparação mostra três efeitos importantes. O primeiro diz respeito às médias iniciais de 2011 e 2012, onde se observa, em praticamente todas as idades de veículos, que após o primeiro ano do Programa, os veículos já chegaram para a primeira inspeção com níveis de emissão sistematicamente inferiores aos do ano 2010. Este fato caracteriza um ganho permanente do Programa, assegurado pelas suas características atuais de controle de qualidade, auditoria, periodicidade etc., que estão gradualmente elevando a qualidade dos serviços prestados pelas oficinas e a conscientização da população. O segundo efeito refere-se à anualidade das inspeções, pois as médias das primeiras inspeções em 2011 e 2012 permanecem próximas entre si e superiores às médias finais, confirmando a necessidade de inspecionar os veículos anualmente para que recuperem o estado de manutenção adequado todos os anos. O terceiro efeito refere-se às médias finais observadas nos três anos consecutivos, onde se observa também uma redução, embora mais discreta, que pode ser atribuída ao aprimoramento ocorrido nas oficinas de manutenção e aumento dos cuidados com a manutenção por parte dos usuários.

47


Controlar

Relatório Anual 2012

Tomando-se as emissões médias de CO e HC de todas as idades, observase claramente os ganhos do Programa I/M-SP para os veículos com motor do ciclo Otto em geral, conforme o gráfico abaixo, que apresenta as médias gerais de toda a frota na inspeção inicial e depois dos veículos não aprovados serem reinspecionados, obtidas nos três últimos anos. As frotas de motociclos e de veículos a diesel também apresentaram comportamentos semelhantes aos descritos para os veículos leves, tornando válidas as mesmas conclusões acerca da efetividade do Programa I/M-SP para todas as categorias e tipos de veículos.

0,45 GANHO INICIAL

GANHO ANUAL

0,25 0,2 0,15 0,1

INICIAL 2010

FINAL 2010

INICIAL 2011

FINAL 2011

INICIAL 2012

0

FINAL 2012

INICIAL 2010

FINAL 2010

FINAL

INICIAL 2011

FINAL 2011

INICIAL

Emissão média CO (%) - Motos

INICIAL 2012

FINAL 2012

FINAL

CO

HC

MP

Automóveis

47,5%

35,6%

--

Utilitários

43,9%

50,8%

--

Motos

34,6%

39,2%

--

Diesel

--

--

20,1%

Emissão média de HC (ppm) - Motos 900

3

800

2,5

APRIMORAMENTO DO PROGRAMA

GANHO INICIAL

2

APRIMORAMENTO DO PROGRAMA

700

GANHO INICIAL

600

GANHO ANUAL

HC (ppm)

CO (%)

TIPO DE VEÍCULO

60

20

INICIAL

1,5

GANHO ANUAL

500 400 300

1

200

0,5 0

GANHO ANUAL

80

40

0,05 0

Redução da emissão na Frota Inspecionada

GANHO PERMANENTE GANHO INICIAL

100 HC (ppm)

CO (%)

120

GANHO PERMANENTE

0,3

Tais conquistas são extremamente importantes para o controle da poluição do ar e resultam das características de um Programa Centralizado e do empenho da Controlar no desenvolvimento de métodos para a atualização e aprimoramento do processo de inspeção como ferramenta para evidenciar a necessidade de manutenção, cuja qualidade é sempre reconhecida pela aprovação final dos veículos.

O Programa I/M-SP induziu a população a melhorar a manutenção de seus veículos e, com isso, propiciou reduções significativas das emissões de CO, HC e MP, como detalhado neste relatório anual e resumido a seguir.

140

0,35

Os resultados anuais obtidos com ganhos sucessivamente crescentes evidenciam que o Programa de Inspeção e Manutenção I/M-SP gerou um aprendizado da sociedade, tanto por parte dos serviços de manutenção e venda de peças originais, quanto dos usuários que vem se habituando à prática da manutenção preventiva.

Emissão média de HC (ppm) - Otto

0,5 0,4

Relatório Anual 2012

Efeitos sobre a qualidade do ar

Comparação das concentrações médias de poluentes no gás de escapamento, por tipo de veículo

Emissão média CO (%) - Otto

Controlar

100

INICIAL 2010

FINAL 2010

INICIAL 2011

INICIAL

FINAL 2011

INICIAL 2012

0

FINAL 2012

INICIAL 2010

FINAL 2010

FINAL

INICIAL 2011

INICIAL

Concentrações médias de MP 100%

PERDA ANUAL

90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20%

FINAL 2011

INICIAL 2012

FINAL

FINAL 2012

A comprovação direta destes benefícios sobre a qualidade do ar demanda estudos especiais para isolar os efeitos do I/M-SP das influências de outras fontes de emissão. Entretanto, as fontes de monóxido de carbono são os automóveis e motocicletas, predominantemente, e a qualidade do ar medida pela CETESB evidencia uma mudança de comportamento da atmosfera da região metropolitana. Observa-se que tendência de agravamento das condições de dispersão dos poluentes não coincide com a tendência de comprometimento por causa do CO. Mais ainda, o número de dias com a qualidade do ar comprometida vinha caindo por efeito do PROCONVE, com uma estabilização destes episódios agudos entre 2004 e 2007. Porém a partir de 2008 houve uma forte melhoria da qualidade do ar, estabelecendo um novo patamar sob tendência muito semelhante à curva do número de dias desfavoráveis à dispersão atmosférica.

Anos fabr. até 2010 somente

10% 0

48

INICIAL 2011

FINAL 2011

INICIAL 2012

FINAL 2012

49


Controlar

Relatório Anual 2012

Ressalta-se que tal patamar resgata, pela primeira vez, a “qualidade BOA” do ar de São Paulo em termos de monóxido de carbono, após 3 décadas de esforços dos órgãos ambientais para a conformidade da atmosfera com os padrões de qualidade do CONAMA e da Organização Mundial de Saúde. Considerando que não houve alteração significativa nos fatores médios de emissão de CO dos veículos certificados entre 2006 e 2011, nem substituição de combustíveis que justificassem o estabelecimento de um novo comportamento da emissão de CO pela frota circulante, fica evidente que as ações do Município de São Paulo contribuíram de maneira decisiva para a melhoria da qualidade do ar, entre elas o Programa de Inspeção e Manutenção, cujos benefícios estimados são coerentes com os valores encontrados pela CETESB.

Controlar

Relatório Anual 2012

Saúde) e chegou a indicadores quantitativos para a avaliação do Programa I/M-SP no que tange à emissão de material particulado, pois os modelos estatísticos voltados às estimativas dos impactos sobre a saúde pública ainda não estão validados para os demais poluentes. Seguindo a mesma metodologia dos anos anteriores, os resultados do Programa I/M-SP em 2012 apresentados confirma que as melhorias trazidas pela Inspeção Ambiental Veicular para a qualidade do ar e à saúde vão além da capital paulista, atingindo também a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), composta por 39 municípios. O cenário base de referência considera uma concentração atmosférica média de material particulado inalável fino de 26 µg/m3 e que 49% deste poluente é originado pelas emissões dos veículos a diesel, conforme mostrado no Relatório de Qualidade do Ar no Estado de São Paulo da CETESB, para 2012 e confirmado por outro estudo da caracterização deste poluente realizado em seis Regiões Metropolitanas brasileiras entre 2007 e 2008 sob a coordenação da Faculdade de Medicina da USP. Corrigindo-se os dados acima pela redução da emissão da frota diesel estimada pelos trabalhos da Controlar, foi possível estimar também a redução de concentração de particulados na atmosfera da RMSP decorrente do Programa I/M-SP. Para isso foram assumidos os seguintes resultados e informações: • A redução nas emissões de particulados dos veículos a diesel na frota inspecionada foi de 20% em 2012, atingindo os mesmos patamares finais dos anos anteriores; • 75% da frota diesel circulante no Município de São Paulo - MSP foi inspecionada;

50

RESULTADOS PARA A SAÚDE

• O consumo de óleo diesel do Município de São Paulo (MSP) é 50% do verificado na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), o que permite assumir que as emissões anuais das frotas diesel destas regiões também guardam esta proporção;

Pelo 3º ano consecutivo, o estudo feito pela Faculdade de Medicina da USP comprovou as melhorias trazidas pela Inspeção Ambiental Veicular para qualidade do ar e à saúde dos paulistanos. Esse estudo foi realizado de acordo com as recomendações da OMS (Organização Mundial da

• A contagem de mortes atualizada em 2010 (último ano disponível) subiu aproximadamente 17% em relação aos valores divulgados no ano passado.

51


Controlar

Relatório Anual 2012

Benefícios resultantes da inspeção de veículos Diesel pelo I/M-SP no ano de 2012, na concentração do MP2,5 no MSP e na RMSP, em cada um dos cenários de análise.

Controlar

Relatório Anual 2012

Benefícios resultantes da inspeção de veículos Diesel pelo I/M-SP no ano de 2012, na saúde pública no MSP e na RMSP, em cada um dos cenários de análise.

VIDAS SALVAS CENÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO NA BACIA AÉREA

#1 - Apenas frota inspecionada (75% real)

REDUÇÃO EMISSÃO INSPEC

MSP

RMSP

QUEDA MP2.5µg/m3

20%

15%

7,5%

0,96

#2 - Frota na frota total - MSP

20%

20%

10%

1,28

#2 - Frota na frota total - RMSP

20%

20%

20%

2,56

MSP = Município de São Paulo RMSP = Região Metropolitana de São Paulo

Para a estimativa dos custos associados às mortes evitadas pelo Programa I/M-SP, foi aplicada a técnica de valoração econômica de impactos na saúde baseada nas evidências de estudos epidemiológicos e teoria econômica desenvolvida pela Organização Mundial da Saúde e pela Universidade de Harvard, chamada “Disability Adjusted Life Years - DALY” que significa “Anos de vida perdidos ou vividos com incapacidades”. Esse método parte de estudos que associam um fator ambiental, neste caso poluição atmosférica, com um indicador de saúde (mortalidade) para estimar

CENÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO NA BACIA AÉREA

ECONOMIA NO SISTEMA DE SAÚDE (US$)

QUEDA MP2.5µg/m3

MSP

RMSP

MSP

RMSP

#1 - Frota inspecionada (75% real)

0,96

365

559

48.200

73.819

#2 - Frota na frota total - MSP

1,28

487

745

64.311

98.381

#2 - Frota na frota total - RMSP

2,56

974

1.490

128.622

196.763

MSP = Município de São Paulo RMSP = Região Metropolitana de São Paulo

Uma outra forma de realizar esta avaliação é a divisão dos custos diretos das 127 mil inspeções de veículos diesel pelo número de vidas salvas, o que resulta num custo de R$ 10 mil por vida salva, significativamente mais baixo do que os resultantes de qualquer programa de saúde pública. Se considerarmos também a redução do número de internações hospitalares, não incluídos nesta avaliação, os custos unitários seriam ainda menores. As estimativas destes benefícios à saúde se basearam na variação de 20% na emissão de material particulado (MP) ocorridas em 2012. Mas se considerarmos a redução total de MP desde o início do Programa, a redução se manteve em 30%.

quanto tempo, em anos, cada evento adverso de saúde impactou na população. Em outras palavras, quantos anos de vida cada habitante afetado perdeu por morte prematura em relação à sua expectativa de vida. O indicador em anos de vida pode ser convertido em base monetária para efeito de avaliação custo-benefício (Miraglia, 2002).

No ano de 2012 foram salvas 559 vidas e economizados US$ 74 milhões o sistema de saúde

Considerando apenas os veículos a diesel que fizeram a inspeção em 2012, o estudo conclui que a concentração particulados foi reduzida em 0,96μg/m3 e com isso foram evitadas 559 mortes por problemas respiratórios na Região Metropolitana de São Paulo (bacia aérea da RMSP), resultando em uma economia de mais de US$ 74 milhões ao sistema de saúde na grande São Paulo. Caso as demais hipóteses venham a se concretizar, estes benefícios podem ser triplicados.

52

53


www.controlar.com.br

Relatório Anual de 2012 - Inspeção Veicular  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you