Page 1

DNIT expõe ações ambientais em mais de 25 empreendimentos rodoviários

Página 04

Página xx

BOLETIM 35 junho 2013

DNIT inaugura Mostra fotográfica itinerante “Endereçar”

Entrevista Georgina Ferreira , ex-moradora da Vila do Dique de Canoas conta sobre as dificuldades em residir em área irregular e como foi a conquista da cidadania Página 06

Programa Gestão Ambiental monitora os mais de 8 km de taludes revegetados da BR-448 Página 03 A exposição revela por meio de fotografias, o protagonismo das 599 famílias beneficiadas pelo programa de Reassentamento Populacional da BR448 na conquista da cidadania e na melhora da qualidade de vida Página 05

Educação Ambiental Gestão envolve cerca de 1.000 pessoas em ações durante a Semana do Meio Ambiente Página 05


GER -

EDITORIAL

SOBRE

Dia Mundial do Meio Ambiente

O dia 05 de junho foi estabelecido pela Assembleia da ONU - Organização das Nações Unidas como a data de celebração ao Dia Mundial do Meio Ambiente. Desde então, o mundo inteiro une-se em ações voltadas à preservação dos recursos naturais e ao desenvolvimento sustentável. Para 2013, a ONU chama a atenção ao desperdício de comida com o tema “Pensar. Comer. Conservar - Diga não ao desperdício”. A campanha visa reduzir o desperdício por parte dos consumidores e comerciantes de alimentos para o consumo e incentiva as pessoas a pensar no impacto ambiental das suas escolhas relativas à alimentação. Enquanto o planeta luta para garantir recursos para sustentar uma população de 7 bilhões de pessoas – que deve chegar a 9 bilhões até 2050 – a FAO - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação junto com o PNUMA - Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente estimam que um terço da produção de comida é perdida. O desperdício de alimentos é um enorme consumidor de recursos naturais e um contribuinte para impactos negativos no meio ambiente. Portanto, vamos todos fazer parte desta sensibilização repensando nossas práticas diárias.

Nesta edição de junho, o Boletim da Rodovia do Parque traz informações sobre as ações da Semana do Meio Ambiente desenvolvidas pela equipe da Gestão nas cidades de abrangência da rodovia, e o trabalho técnico de monitoramento dos taludes do empreendimento realizado pela Supervisão. Outra notícia é a inauguração de um novo projeto, o “Endereçar”, uma iniciativa com o propósito de representar o processo de cidadania com a aquisição do endereço das 599 famílias que viviam em área irregular e de risco na Vila do Dique/Canoas e hoje compartilham de uma vida com qualidade, a partir da construção da BR-448. A entrevista deste mês é com uma das beneficiadas pelo processo de reassentamento, Dona Georgina Ferreira, que conta sobre as dificuldades e os anseios vividos desde o “congelamento” da área para a realocação até a conquista da casa própria. Boa leitura!

Contate-nos

EXPEDIENTE Realização: Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) Execução: STE - Serviços Técnicos de Engenharia S.A. Conselho Editorial: Carlos Türck, Chaiana Teixeira e Letícia Frantz Jornalista Responsável: Andrea Weschenfelder MTB 10594 Fotografias: Divulgação STE S.A. Projeto Gráfico: FT Design

2

educombr448@stesa.com.br

Visite nosso site rodoviadoparque.com.br

Curta nossas fanpages fb.com/gestaoambiental.rodoviadoparque fb.com/QueArvoreVoceQuerParaOFuturo fb.com/EnderecarBR448 Um Novo Caminho. Uma Nova Vida


GERAL

Descidas d’água fazem a drenagem da pista

Revegetação dos taludes evita a erosão e o carreamento de terra para leito de recursos hídricos

Construção e desenvolvimento dos taludes da BR-448 são monitorados pela Gestão Com cerca de 75% da construção concluída, a BR-448 com extensão de 22 km faz ligação entre os municípios de Sapucaia do Sul, Esteio, Canoas e Porto Alegre. A rodovia possui maior trecho sobre aterros e áreas de ambientes úmidos (solos orgânicos utilizados para o cultivo de arroz) podendo ocorrer processos erosivos e instabilidades e com isso, ocasionar o deslocamento de terra para leitos de rios próximos ao empreendimento. Neste sentido, o DNIT por meio da Gestão Ambiental com o Programa de Controle de Processos Erosivos atua de forma preventiva e corretiva durante a fase construtiva, propondo alternativas (dispositivos) previstas pela Licença de Instalação - LI às construtoras dos lotes responsáveis pela execução do Programa. Das medidas de controle de erosão e assoreamento propostas pela LI está a revegetação dos taludes e os dispositivos de drenagem com a construção de meios fios e

descidas d’água. Com isso, a Gestão Ambiental fomenta as construtoras e a Supervisora de Obras a implementar as iniciativas. “Observamos a situação em que os taludes encontram-se e verificamos possíveis indícios de erosão nos mesmos. Caso ocorra, entramos em contato com o responsável pelo lote para que seja providenciada a restauração do talude e, sempre que possível, o inicio do enleivamento. Evitando assim que ocorra o carreamento de sedimentos para os recursos hídricos próximos da área”, explica a Técnica Ambiental da Gestão, Andressa Facin. Na BR-448 a técnica empregada na vegetação é a colocação de leivas (placas de gramíneas nativas). “A licença prevê que todos os taludes deverão ser vegetados com leivas ou hidrosemeadura. A licença sugere ainda que sejam utilizadas espécies nativas características da região, sendo proibido o uso de espécies exóticas invasoras”, ressalta.

DNIT lança publicação socioambiental inédita Durante a realização do evento de celebração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, no dia 05/06, na sede do DNIT, em Brasília, aconteceu o Lançamento do volume I da Coleção “Estrada Verde” idealizada pela Corrdenação Geral Meio Ambiente (CGMAB), a publicação abrange artigos e textos dos diversos workshops promovidos pelo departamento, destacando aspectos do licenciamento e da gestão ambiental das obras rodoviárias federais. Na presença de servidores e autoridades do DNIT, do IBAMA , de Universidades e representantes das Gestões Ambientais, o Diretor Geral do DNIT, General Jorge Ernesto Pinto Fraxe destacou o trabalho da autarquia e refletiu sobre a data.

Boletim junho 2013

3


DIA MUNDIAL DO MEIO MEIO AMBIENTE Gestões levam suas atividades para celebrar a data mundial

Alunos do Centro Ensino Fundamental 410 Norte de Brasília expressaram visões sobre o meio ambiente através da pintura e construção de painel coletivo como uma das açõe s integradas das gestões durante o evento

Com intensa e variada programação, o DNIT por meio da CGMAB, promoveu no Dia Mundial do Meio Ambiente (05/06), na sede da autarquia, em Brasília, o encontro das Gestões Ambientais dos empreendimentos rodoviários federais. Com o objetivo de apresentar o trabalho ambiental desenvolvido no país, 26 Gestões Ambientais estiveram com estandes, oficinas, exposições fotográficas, vídeos e mascotes para os mais de 800 colaboradores do DNIT e os alunos do Centro de Ensino Fundamental 410 Norte que participaram durante todo o dia do evento. A STE S.A. levou as Gestões da BR-448 (empreendimento de 22 km abrangendo os municípios de Sapucaia do Sul a Porto Alegre), BR-116/RS (duplicação de trecho de 211 km, Guaíba a Pelotas), BR-116/392 (duplicação de trecho de 84 km entre Pelotas a Rio Grande) e a BR-230 (Transamazônica – com a construção de mais de 1000 km). A BR-448, além da oficina de fuxico, hora do conto e oficinas de pintura, contou com o Projeto Endereçar (Mostra fotográfica sobre a conquista da cidadania das 599 famílias realocadas para a construção da rodovia); a BR116/RS ofereceu oficina de brinquedo com garrafa pet e de pintura, a BR116/-392 mostrou o Infoambiente (sistema amigável e flexível de acesso rápido as informações de gestão ambiental de rodovias) e o jogo do passa–bicho; a BR-230 esteve com material informativo e oficina de pintura no rosto e tatuagens. Em conjunto, as BR’s 116, 392 e 448 organizaram uma mostra de fotos sobre o trabalho realizado nos Programas Ambientais relacionados com

4

a flora (transplantes de árvores, realocação de epífitas e cactáceas além de imagens das árvores e plantas típicas da região). O projeto Endereçar conseguiu mostrar a melhoria da qualidade de vida das famílias beneficiadas com a BR-448, de acordo com a jovem, Letícia da Costa, de 13 anos, aluna da 7ª Série do CEF 410 em Brasília. “Tá bem legal. É uma melhoria muito grande”. A oficina de fuxico levou jovens e adultos, inclusive homens, a “pegar na agulha” e a levar a técnica do adereço para casa, como Dona Cleidi Souza, 49 anos, de Taguatinga e funcionária terceirizada da agência do Banco do Brasil no DNIT. “Está tudo muito legal, acho muito bonito os fuxicos e sempre quis fazer. Achei fácil e vou praticar em casa”, observa. A oficina de confecção de brinquedos, em especial a do brinquedo “vai e vem”, oferecida pela BR-116/RS trouxe saudosismo aos colaboradores da autarquia, como Amélia Lourinho, 63 anos, natural de Fortaleza e moradora de Brasília há 37 anos e servidora da CGMAB. “Volto a brincar depois de mais de 50 anos com esse brinquedo. Vou levar para minha única neta, a Alice, de 4 anos”. Para Maria Ilza Madela, 55 anos, o vai e vem fez parte da infância, embora o material da época fosse diferente. “Brinquei demais da conta. Só que fazíamos com lata de óleo de soja que era vendia antigamente. É uma ótima brincadeira para brincar com meus sete netos”. A atividade também chamou a atenção de um casal de índios sul-matogrossenses, da etnia Terena, que experimentaram o brinquedo e o levaram para a tribo.

Um Novo Caminho. Uma Nova Vida


“Endereçar” revela protagonismo e conquista da cidadania das famílias beneficiadas pela BR-448 qualidade de vida da comunidade durante a realocação para a construção da rodovia. Imagens que levam o expectador ao universo vivido pelas famílias da Vila do Dique, em Canoas RS, ressaltando as dificuldades do ambiente vivenciadas por décadas na Vila, a fase provisória de moradia na Vila de Passagem e as residências definitivas no Loteamento Canoas Minha Terra II. A exposição é promovida pelo DNIT e realizada pela Gestão Ambiental com apoio da STE S.A. e Prefeitura de Canoas.

Da dir., p/esq., Superintendente do DNIT/RS, Pedro Gomes, Diretor da STE, Daniel Bolsoni, Coordenadora do Setor de Projetos da STE, Zélia D’azevedo, a mascote da BR-448, Engenheiro Carlos Türck, Coordenador de Meio Ambiente da STE, Adriano Panazzolo, Diretor da STE, Athos Cordeiro e Superintendente adjunto do DNIT Delmar Pellegrini

No final da tarde de 17/06, a superintendência e engenheiros do DNIT/RS, acompanhada da diretoria da STE S.A., equipe de Gestão Ambiental da BR-448, convidados e frequentadores do Shopping Total, em Porto Alegre, participaram da inauguração da Exposição Fotográfica Itinerante “Endereçar”. A Mostra destaca a conquista da cidadania e a melhora da

Na oportunidade, esteve representando as famílias fotografadas a moradora Georgina Ferreira que reside atualmente nas moradias definitivas do Loteamento Canoas Minha Terra II, explicou sobre o processo aos visitantes e conheceu mais detalhes sobre o trabalho

Gestão Ambiental envolve cerca de mil pessoas em ações na Semana do Meio Ambiente Emancipação, foi promovida oficina de brinquedo com garrafa pet, onde 150 pessoas participaram. E à noite, 50 alunos do Curso de Meio Ambiente do IPUC - Instituto Pro-Universidade Canoense conheceram o trabalho da Gestão. Na cidade de Sapucaia do Sul, no dia 07/06, foram distribuídos materiais e aconteceu oficina de brinquedos produzidos com sucatas onde foram envolvidas 400 crianças. No final de semana, 08/06, sábado, em Porto Alegre a Escola Infantil Recanto da Criança, no bairro Lindóia também foram entregues materiais informativos e confeccionados brinquedos de material reciclado para 200 crianças.

Atividade de confecção de vai e vem de garrafa pet na praça Emancipação em Canoas

Quatro cidades do entorno da Rodovia do Parque (Porto Alegre, Canoas, Sapucaia do Sul e São Leopoldo) tiveram a participação do DNIT, com a Gestão Ambiental em palestras, oficinas de brinquedos com garrafas pet, exposição artística e fotográfica, além de distribuição de material informativo durante a Semana do Meio Ambiente. A equipe esteve no dia 03/06, na Unisinos (Universidade do Vale dos Sinos) em São Leopoldo, onde proferiu palestra para mais de 60 alunos dos cursos de Engenharia Ambiental, Ciências Biológicas e Tecnólogo em Gestão Ambiental. No dia 05/06, no Auditório Sady Schiwitz da Prefeitura de Canoas, foram apresentados os Programas Ambientais da rodovia para 20 participantes. Paralelo a palestra, na Praça Boletim junho 2013

Realização de oficina de brinquedo no zoo de Sapucaia do Sul reuniu crianças e alunos de escolas para a produção de brinquedos com garrafa pet

5


ENTREVISTA Georgina Ferreira : “Não quero nunca mais passar trabalho na minha vida. Acho que não terei vida melhor do que aNTREVISTA que estou tendo agora, estou com 50 anos e o melhor eu vivo agora”.

E

Georgina Silveira Ferreira, 50 anos, natural de Livramento RS, é uma das beneficiárias do Programa de Reassentamento Populacional da BR-448 e passou recentemente pelo processo de mudança para a moradia definitiva no Loteamento Canoas Minha Terra II, revela as dificuldades da vida em área irregular e as etapas do processo de realocação que segundo ela, é a realização de um sonho e a promessa de uma vida com qualidade. Dona Georgina, 50 anos, viveu por cinco anos em área irregular e de risco na cidade de Canoas

GA: Foi uma opção morar no Dique? E por quanto tempo residiu lá? Georgina - Foi, pois não tinha onde morar. Antes de ir para o Dique dividi por um ano o terreno no pátio da casa do meu cunhado no bairro Niterói, em Canoas, com mais quatro famílias. Residi no dique por cinco anos. GA: Quais as dificuldades em residir em área irregular e de risco? Quais eram as perspectivas de futuro? Georgina - A pior dificuldade era a água, a luz e os bichos. Era muito bicho como lagartos, ratos, mosquitos, aranhas e cobras. As comidas tinham que ser todas bem guardadas em plástico, mas mesmo assim, os ratos roíam e tinha que por tudo fora. Nunca tive vantagens lá no Dique, pelo contrário, o que tinha perdi tudo, como geladeira e televisão que queimaram com a precariedade da luz. A única vantagem que havia era não pagar aluguel, luz e água. Não tinha nenhuma perspectiva de futuro. Tomava banho em bacia. “Tremo dos nervos” quando eventualmente vou lá. Fui uma vez depois da mudança. Volta à minha cabeça o sofrimento que passei lá. Não vejo a hora em que todos se mudem logo. GA: A promessa da casa própria, em local regularizado, com infraestrutura e saneamento chegou a vocês como? E quais foram as expectativas da família? Georgina - Era uma promessa de 14 anos. Foi em 2009, quando começou a se falar na tal da BR e começaram a marcar as casas. Daí tudo mudou, pois enquanto morávamos lá havia a promessa, mas nada se falava de construção de rodovia. Foi então que passamos a acreditar na nossa saída. Aí pensamos na casa própria, no sonho e fiz a promessa de que só sairia morta da minha casa nova. Não quero nunca mais passar trabalho na minha vida. Acho que não terei vida melhor do que a que estou tendo agora, estou com 50 anos e o melhor eu vivo agora. GA: Há uma situação importante que tenha vivido no Dique e que deseja esquecer ou contar a seus filhos e netos? Georgina - Foi o meu acidente devido a precariedade do

6

lugar onde vivia. Foi no banheiro quando levava uma bacia para dar banho na minha neta em um dia frio e úmido e acabei caindo e quebrei a minha perna. Tomar banho dentro de casa, num lugar muito pequeno era difícil e como era numa descida e o banheiro era fora acabei caindo e me machucando. Lembrar de como era a água que tinha que aquecer para dar banho na minha neta antes de ir para o colégio e das quedas bruscas de luz . É difícil, às vezes me belisco para ver se é realmente verdade o que vivo hoje. É um sonho realizado. GA: Como foi o período provisório de moradia na Vila de Passagem? Como foi atendimento da equipe social da BR-448? Georgina - Fiquei um ano e dois meses na Vila de Passagem. Gostei de lá porque tinha água, luz e dois banheiros. Era tudo direitinho e novinho. Agradeço a prefeitura, ao DNIT pela equipe social que sempre resolveram os meus problemas, como os atendimentos médicos, o encaminhamento dos meus documentos e o transporte escolar. GA: E como está sendo a vida com casa própria, saneamento e a aquisição de um endereço? Georgina - Uma maravilha. Um sonho realizado. GA: A senhora foi a representante das famílias na inauguração do projeto “Endereçar” , a mostra fotográfica que revela por meio de fotos e depoimentos um pouco sobre a situação em que a sua família e mais 500 outras viveu no Dique, na Vila de Passagem e a transformação com a conquista da casa própria e de um endereço. O que achou da mostra? Georgina - Eu achei muito boa. A gente viveu aquilo e ao visitar a mostra passou um filme na minha cabeça. Vi minhas vizinhas no dique e o depoimento do meu marido. Se existe alguém que ainda reclame da casa na Vila de Passagem ou da nova, está cometendo um pecado.

Um Novo Caminho. Uma Nova Vida


O FOTÓGRAFO É VOCÊ

Foto da Bióloga, Suzielle Modkowski, traz a parada de uma athene cunicularia (coruja buraqueira) sobre a BR-448, em fase de pavimentação. Envie sua foto para o e-mail educombr448@stesa.com.br e participe da coluna O Fotógrafo é Você.

GLOSSÁRIO

NOTÍCIAS CURTAS

Aceiro - prática utilizada por bombeiros e agricultores no combate e prevenção de incêndios florestais. Consiste numa faixa de terra aberta em volta da área que está sendo queimada ou que se quer proteger, mantida livre de vegetação, com capina ou poda, a qual impede a invasão do fogo.

FLORA - No dia 06/06, o DNIT, por meio da CGMAB reuniu as equipes responsáveis pela flora das gestões ambientais para apresentarem suas experiências no Workshop Flora - Proteção à Flora na Implantação de Rodovias sendo destaque 10 iniciativas como a da BR-448 sobre a Recuperação de Áreas Degradadas e a utilização de resíduo florestal para a criação de um banco de sementes, apresentada pela Engenheira Florestal, Silvia Aurélio.

Aeração - reoxigenação da água com a ajuda do ar. A taxa de oxigênio dissolvido, expressa em % de saturação, é uma característica representativa de certa massa de água e de seu grau de poluição. Para restituir a uma água poluída a taxa de oxigênio dissolvido ou para alimentar o processo de biodegradação das matérias orgânicas consumidoras de oxigênio, é preciso favorecer o contato da água e do ar. Ambientalista - termo criado para traduzir environmentalist, surgido na década de 80 para nomear a pessoa interessada ou preocupada com os problemas ambientais e a qualidade do meio ambiente ou engajada em movimentos de defesa do meio ambiente. Também usado para designar o especialista em ecologia humana.

MASCOTES - Das Gestões Ambientais presentes ao

evento promovido pelo DNIT, por meio da CGMAB, no dia 05/06, em Brasília, oito levaram suas mascotes. Elas passearam pelos estandes e posaram para fotos demonstrando que a “humanização da fauna e da flora” permite a aproximação e, ao mesmo tempo, reforça de forma lúdica os valores da preservação das espécies. COMUNICAÇÃO SOCIAL - As equipes do Programa de Comunicação Social das BR’s 116, 392 e 448 preparam para o dia do meio ambiente notícia especial sobre o atendimento de educação ambiental nos empreendimentos e chegaram aos seguintes números: 134 escolas abrangidas, com atendimento a 1950 professores e 18 200 alunos nos três empreendimentos.

Leia mais no site: www.rodoviadoparque.com.br Boletim junho 2013

7


BOLETIM 35 junho 2013

“Árvores de Lixo” na 2ª Feira Verde do Colégio Farroupilha

Pequeninos são impactados pela árvore dos brinquedos

Alunos conhecem as “árvores de lixo”

Coordenador da Educação Ambiental da BR-448 Carlos Türck falou também como ex-aluno

Alunos, gestores, educadores, integrantes do Grêmio Estudantil, representantes de turma e direção do Colégio Farroupilha, na capital, Porto Alegre, participaram no dia 27/05, da abertura oficial da Exposição “Que árvore você quer para o futuro? Não faça do lixo a semente”.

fundamental, e essa conscientização começa em casa”.

A participação da Mostra do DNIT, realizada pela Gestão Ambiental na escola, é parte do projeto de sustentabilidade chamado 2ª Feira Verde que busca refletir sobre as ações que provoquem novas atitudes, conforme explica a diretora pedagógica, Marícia Ferri. “A exposição vem ao encontro de muitos projetos do colégio no que se refere à conscientização dos alunos com relação ao planeta. É algo simples, mas

Na oportunidade, o Engenheiro Carlos Türck, Coordenador dos Programas de Educação Ambiental, Reassentamento Populacional e Comunicação Social da BR-448 e também ex-aluno do educandário falou aos presentes sobre os objetivos da exposição. “A instalação está itinerando desde outubro de 2011 e neste ano optou-se por levá-la às escolas e universidades. O objetivo da Exposição é chamar a atenção das pessoas através da arte educação para a atitude de jogar o lixo no lugar certo e inquietar o público visitante a não gerar sementes como a das árvores em exposição”, esclarece.

Confira a agenda do próximo local para visitação: 28 a 21/07 - Estação Rodoviária de Porto Alegre 22 a 24/07- 4º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos - Porto Alegre

Boletim 35 BR-448 junho 2013  

Boletim da Gestão Ambiental 35 BR-448/Rodovia do Parque junho de 2013

Advertisement