Page 1

FILHO DE ARTISTA

FLAVIO DE SOUZA


( OS ATORES ENTRAM DANÇANDO. DOIS OU MAIS DELES TRAZEM UMA GRANDE. A ARCA SE ABRE E DE DENTRO SAI ROMEU, QUE FALA À PLATÉIA:) ROMEU - Era uma vez Eu! Um homem chamado Romeu! Como todos os homens, e mulheres também, eu já fui criança. E como toda criança, eu nasci de um pai e uma mãe. Os pais são engenheiro, pedreiros, dentista. O meu, por acaso, era artista. As mães são professoras, secretária, doutoras. A minha era atriz e foi por um triz que não nasci num palco. Mas eu estou me adiantando. Antes de contar uma história é preciso dizer como ela se chama. Então, senhoras e senhores, meninos e meninas, gatas e gatos, patas e patos, girafas e girafos, sapos e sapas… ( OS ATORES TIRAM DE DENTRO DA ARCA UMA GRANDE FAIXA ONDE ESTÁ ESCRITO “FILHO DE ARTISTA”.) ROMEU - … com vocês, a história que é de teatro, mas poderia ser de cinema, livro ou revista, a história da minha infância… FILHO DE ARTISTA! ( E MOSTRA FAIXA ONDE SE LÊ “ROMEU E JULIETA”.) ROMEU - E a primeira parte desta história começa num teatro. Finge que este é outro teatro, tá? E a peça é outra, que conta uma história do tempo em que o relógio se chamava ampulheta. É a história de Romeu e Julieta! ( ENQUANTO ELE ANUNCIOU, OS ATORES SE VESTIRAM E ACONTECE O BAILE DA PEÇA “ROMEU E JULIETA”.) ( TERMINANDO O BAILE, ROMEU CONTINUA NARRANDO E VAI ACONTECENDO.) ROMEU - Era uma vez, há muito e muitos anos, numa cidade que fica longe daqui, uma moça chamada Julieta… ( JULIETA APONTA PARA ELA MESMA E DANÇA.)


ROMEU - Os pais dela deram um baile na casa deles. E, disfarçado com uma máscara, como Zorro ou Batman, entrou neste baile um rapaz chamado Romeu. ( O ROMEU DA PEÇA TIRA A MÁSCARA, FAZ CARA DE ESPERTINHO E PÕE A MÁSCARA DE VOLTA.) ROMEU - Acontece que o pai da Julieta era inimigo do pai do Romeu. ( PAI DE JULIETA SOBRESSAI E FAZ CARA DE MAU.) ROMEU - Este é o pai da Julieta. O pai do Romeu não foi convidado para o baile!… Mas como acontece em todos as histórias de amor, a Julieta resolveu se apaixonar justo por quem? ( JULIETA E ROMEU SE ENCONTRAM E FAZEM CENA EXAGERADA DE SE APAIXONAR.) ROMEU - Pelo Romeu, é claro. Os dois começaram a namorar escondido e eles gostaram tanto um do outro que foram escondidos até uma igreja e se casaram! ( OS DOIS SE CASAM.) ROMEU - E até dormiram na mesma cama! ( 2 ATORES SEGURAM LENÇOL, E JULIETA E ROMEU FICAM ATRÁS DO LENÇÓL, EM PÉ, MAS COMO SE ESTIVESSEM DEITADOS. ELES SE ABRAÇAM.) ROMEU - Só que no dia seguinte, quando os dois iam contar para os pais que tinham se casado, um primo da Julieta armou a maior briga com um primo de Romeu, no meio da parça! ( OS DOIS PRIMOS COMEÇAM A LUTAR COM ESPADAS.) ROMEU - O Romeu e outros rapazes entram na confusão para tentar com a briga…


( ROMEU E OUTROS “RAPAZES”ENTRAM NA BRIGA COM ESPADAS TAMBÉM, ACONTECE LUTA COREOGRAFADA ( TALVEZ EM CÂMARA LENTA?), OS RAPAZES SE EMBOLAM .) ROMEU - E o Romeu, sem querer, matou o primo da Julieta. E fugiu! ( ROMEU “FOGE”.) ROMEU - O padre que era amigo do Romeu e da Julieta combinou com a Julieta dela se fingir de morta para depois fugir com o Romeu. Por quê? Eu não sei direito. Eu acho que era para os pais da Julieta não ficarem triste dela estar casada com filho do inimigo deles… Mas aí então Julieta tomou uma poção encantada e ficou geladinha e paradinha… ( ACONTECE ESTA AÇÃO E PAIS DE JULIETA A DESCOBREM MORTA E CHORAM E PUXARAM OS CABELOS.) ROMEU - Parece que os pais dela ficaram triste do mesmo jeito… Bom, o padre mandou um amigo dele levar uma carta para o Romeu, para avisar que a Julieta não tinha morrido, que ela estava só fingindo. ( PADRE DÁ CARTA . AMIGO VAI PELA “ESTRADA” E CRUZA COM ROMEU.) ROMEU - Mas ele não encontrou com o Romeu, porque o rapaz estava voltando para a cidade para encontra com a Julieta, mesmo correndo o perigo de ser preso! ( ROMEU ENCONTRA JULIETA “MORTA”.) ROMEU - E ele achou que a Julieta tinha morrido mesmo. E ficou tão triste, que se matou. Aí a Julieta acordou. E ficou tão triste de ver o Romeu morto, que se matou também! ( ACONTECE ISSO.)


ROMEU - Aí os pais do Romeu e os pais da Julieta ficaram tão tristes que perceberam como tinham sido bobos de serem inimigos. Eles podiam ter percebidos isso antes, você não acha? Mas é assim que acontece esta história. E é assim que termina esta peça. Quando uma peça acaba, o público aplaude e os atores agradecem… ( OS ATORES SE LEVANTAM E TODOS AGRADECEM, ROMEU PUXA APLAUSO.) ROMEU - Pára! ( OS ATORES SE PARALIZAM.) ROMEU - Foi assim que meus pais se conheceram. Minha mãe fingindo que era Julieta… ( ELA SE MEXE, VEM PARA A FRENTE, FAZ REVERÊNCIA.) ROMEU - E meu pai, fingindo que era Romeu! ( PAI SE MEXE, VEM PARA A FRENTE, FAZ REVERÊNCIA. OS DOIS FICAM DE MÃOS DADAS. OS OUTROS ATORES TIRAM AS ROUPAS DE JULIETA E ROMEU DELES, POR BAIXO ELES ESTÃO VESTIDOS DE NOIVO E NOIVA, UM DOS ATORES PÕE VÉU COM GRINALDA NA MÃE. ENTRA “MARCHA NUPCIAL”, FORNA-SE CORTEJO DANÇADO COM OS PAIS À FRENTE.) ROMEU - ( ENQUANTO ISSO) E tanto eles fingiram que gostavam um do outro que acabaram gostando mesmo um do outro, de verdade. E casaram, sem se esconder de ninguém. E a história do Romeu e da Julieta, que é tão triste, desta vez teve final feliz. Porque este Romeu e esta Julieta não morreram e viveram felizes por muitos e muitos anos. ( FORMA-SE DE NOVO A “CAMA”, COM O LENÇOL EM PÉ NA FRENTE DELES,OS DOIS SE ABRAÇAM, SE ABAIXAM, OS OUTROS ATORES LEVANTAM O LENÇOL E A MÃE JÁ ESTÁ COM BARRIGA DE GRÁVIDA.


ELA DESFILA, COM TODOS ATRÁS. SE DEITA , OS OUTROS A COBREM COM OLENÇOL, FICANDO DO OMBRO PARA CIMA DE FORA. O ROMEU NARRADOR ENTRA EMBAIXO DO LENÇÓL E SAI PELA FRENTE, COMO SE ESTIVESSE NASCENDO, ENQUANTO FALA: ) ROMEU - E não muito tempo depois tiveram um filhinho. Algumas criança ficam sem nome por uns dias depois que nasceram, porque os pais não sabem direito que nome dar. Mas isso não aconteceu com esse nenê. Os pais não tiveram que conversar para saber que se fosse uma menina, ai se chamar Julieta. E se fosse um menino… ( ELE “NASCE”, SE PÕE NO COLO DA MÃE.) PAI - É um menino! ROMEU -( APONTANDO PARA ELE MESMO)- Eu! MÃE

- Então ele vai se chamar…

PAI E MÃE - Romeu! ( ROMEU FICA “NENÊ”, CHORA UM POUCO, A MÃE NINA, ELE DÁ RISADINHA.) ( ROMEU SAI DO COLO DA MÃE, ELA CONTINUA “NINANDO”, PAI ABRAÇA MÃE.) ROMEU

- Passaram-se cinco anos!

( PASSAM 5 ATORES COM PANOS OU BANDEIRA.) ROMEU

- Um… dois… três… quatro… cinco!

( ENQUANTO ELE CONTA E OS ANOS PASSAM, ELE SE VESTE DE MENINO.) ROMEU - E o nenê chamado Romeu… ( INDICA ELE MESMO) Eu!… Cresceu! E virou um menino!


( ENQUANTO OS ANOS PASSAM, O PAI SAI ( PARA SE VESTIR DE PALHAÇO), MÃE SE VESTE DE MÃE E TRAZ MESA E 3 CADEIRAS ROMEU, DEPOIS DE FALAR, FICA NUM LADO DO PALCO, ONDE ELE VAI ENCONTRA COM OS 2 AMIGUINHOS, E A MÃE FICA DO OUTRO, ONDE SERIA A COZINHA DA CASA. ELA PÕE A MESA PARA O CAFÉ DA MANHÃ.) ROMEU - Esta segunda parte da minha história se chama… “Terno macacão ou”… ( É MOSTRADO FAIXA ONDE SE LÊ: “TERNO, MACACÃO OU…” ROMEU ENTRA NO PAPEL DE MENINO, FICA BRINCANDO COM CARRINHO. CHEGAM AMIGO E AMIGA DA IDADE DELE, ELA COM BONECA, ELE COM CARRINHO MAIOR.) AMIGO E AMIGA -Vamos brincar? ROMEU

- Vamos!

( ELES BRINCAM.) AMIGO

- Meu pai tem um carro de quatro portas!

AMIGA

- O meu tem um carro de duas porta!

ROMEU

- O meu é mais legal que o de vocês. Ele anda de ônibus!

AMIGO

- E daí?

ROMEU

- Ônibus é maior que carro!

AMIGA

-É mesmo! Que legal! O meu pai vai trabalhar cedinho!

AMIGO

- O meu faz ginástica antes de ir trabalhar!

ROMEU

- Naquela bicicleta que não sai do lugar?

AMIGO

- É!


ROMEU E AMIGA - Que legal! AMIGO

- Meu pai vai trabalhar de terno!

AMIGA

De gravata e tudo?

AMIGO

- É!

ROMEU

- Que legal!

AMIGA

- O meu vai de macacão!

ROMEU

- Igual bombeiro?

AMIGA

- Não, não é vermelho! É cinza! E ele vai de capacete também!

AMIGO

- Que legal!

( MÃE CHAMA ROMEU.) MÃE

- Romeu! Vem tomar café!

ROMEU

- Já vou, mãe!

MÃE - Vem logo senão o leite esfria! ( PARA O “QUARTO”) Meu bem! O café está mesa! PAI

-( OFF) Já estou indo!

AMIGA macacão?

-( PARA ROMEU) E seu pai? Vai trabalhar de terno ou de

ROMEU

- É mais ou menos um macacão…

AMIGA

- Cinza?

ROMEU

- Não…É cor de abóbora e azul!


AMIGO

- E ele tem capacete?

ROMEU - Não, ele usa um chapéu comprido cheio de estrelas. Um sapato bem comprido, um nariz de bola vermelha… ( ENTRA PAI DE ROMEU, VESTIDO COMO DESCRITO, COM MALA DE EXECUTIVO, COMO SE ESTIVESSE DE TERNO,MUITO COMPENETRADO SENTA-SE À MESA, MÃE SERVE CAFÉ COM LEITE. PAI ABRE JORNAL E LÊ, MÃE PEGA OUTRO CADERNO DO JORNAL E LÊ TOMA CAFÉ COM LEITE, OS DOIS BEM NORMAIS.) ROMEU

- E nas mãos…

AMIGO E AMIGA - O quê? ROMEU

- Luvas!

AMIGO E AMIGA - Que legal! MÃE

-( CHAMANDO) Romeu! Eu não vou te chamar de novo!

ROMEU

-( PARA AMIGOS) Tchau.

AMIGO E AMIGA - Tchau! ( AMIGOS SAEM. ROMEU ENTRA NA COZINHA, SENTA, MÃE SERVE CAFÉ COM LEITE.) MÃE

- Não reclama se o leite esfriou! Eu te chamei!

ROMEU

- Tá bom, mãe. Paiê.

PAI

- (SEM PARAR DE LER JORNAL) Sim…

ROMEU

- Por que que eu não sou palhaço?

( PAI E MÃE SE OLHAM ESPANTADOS.) MÃE

- Porque não, ora essa!


ROMEU

- Mas filho de peixe é peixe, não é?

PAI

- É…

ROMEU

- E por que que filho de palhaço não é palhaço?

PAI

- Eu não sou palhaço, meu filho!

ROMEU

- (SEM ENTENDER) Ah!…

MÃE

- Seu pai é ator, Romeu. E sou atriz.

PAI

- A gente trabalha em teatro, em cinema, em televisão…

MÃE

- Ou em festa de aniversário de crianças, em bailes…

ROMEU

- Ah! Então você está só fingindo que é palhaço?

PAI

- É isso!

ROMEU

- Ah!… Que pena!

( PAI E MÃE SE OLHAM E RIEM.) ( PAI VAI “PARA O TRABALHO” MÃE SAI PELO OUTRO LADO, LEVANDO MESA. ROMEU SE DESTACA, FALA À PLATÉIA, ENQUANTO É ARMADO AO FUNDO O AMBIENTE DA CASA DA VIZINHA, COM TELEVISÃO.) ROMEU

- E agora vem a terceira parte desta história, que se chama…

( É MOSTRADA FAIXA ONDE SE LÊ “O SUSTO”.) ROMEU - O susto!… Um dia, minha mãe saiu e eu fiquei na casa da vizinha. A filha dela era minha amiga…


( A VIZINHA, UMA DONA DE CASA ALUCINADA, ENTRA CORRENDO E TOMA O LUGAR DE NARRODAR DE ROMEU ELE ENTRA NA CENA E BRINCA COM A FILHA DA VIZINHA, QUE É UMA MENINA DA IDADE DELE ( QUE PODE SER AMIGA DA CENA ANTERIOR.) VIZINHA - Foi na minha casa que o Romeuzinho ficou, viu? Porque eu ficava com ele com o maior prazer, viu? O Romeuzinho era um menino bonzinho e educadinho e brincava tão bem com a minha Patricinha! E a mãe dele trabalhava, não é? É para isso que servem os vizinhos, não é? Para dar uma mão! Ou as duas, não é? Mas aconteceu aquilo, viu? Ai, eu fiquei tão nervosa! ( ELA DÁ UMA GRANDE SUSPIRO) Espera aí, deixa eu me acalmar pra poder contar… Pronto! Foi assim! Um dia o Romeuzinho e a Patricinha brincaram com os brinquedinhos deles. Aí eu servi um lanchinho e eles foram assistir um pouquinho de televisão! ( A MENINA “LIGA”A TV, “SURGE”APRESENTADORA DE PROGRAMA VESPERTINO) APRESENTADORA - ( NA TV) Boa tarde! Estamos começando mais um “Bate papo na TV”!… VIZINHA - Era um daqueles programas que aparece aquela gente sentada eles falam a tarde inteira e a gente nem presta muita atenção, mas é com que distrai, não é? Às vezes tem umas pessoas interessantes. E nessa tarde apareceu… ( EENTRA MÃE DE ROMEU NA TV, SENTA-SE AO LADO APRESENTADORA, ROMEU NÃO ESTÁ OLHANDO PARA TV.) APRESENTADORA - Hoje nós vamos conversar com uma atriz que é a Laura Miranda. Como vai, Laura? MÃE - Tudo bem, Adélia. Eu queria agradecer o convite para participar deste programa maravilhoso. APRESENTADORA - Imagine, nós é que agradecemos a sua presença…


VIZINHA - O Romeuzinho ouviu a voz da mãe e já foi se preparando para ir embora, porque ele pensou que a mãe dele estava na sala, que ela já tinha vindo buscá-lo! ( NERVOSA DRAMÁTICA) E então, ele olhou para a televisão! ( ROMEU OLHA PARA TV, FICA EM PÂNICO. PASSA A MÃO NO “VIDRO” DA TV.) APRESENTADORA - E como é a vida de quem faz teatro? MÃE - Ah, é muito difícil, porque se as pessoas gostam da peça que a gente esta fazendo, tudo bem, porque elas falam para os amigos irem também, e o teatro fica cheio e a gente ganha o dinheiro para pagar o aluguel e as contas. APRESENTADORA - Mas se pouca gente vai ver vocês… MÃE

- É difícil, né?

APRESENTADORA - E vocês precisam pagar também material dos cenários e as fantasias, não é? MÃE - É, quem vai assistir uma peça não imagina o trabalho que dá para ficar tudo pronto… ( MÃE E APRESENTADORA CONTINUAM FALANDO, MAS SEM SOM.) VIZINHA -( MUITO DRAMÁTICA) Aí a Patricinha veio me dizer... PATRICINHA - Manhê! O Romeu pirou! VIZINHA - Como é que é? PATRICINHA - A mãe dele apareceu na televisão e ele acha que ela está presa lá dentro! Ela tá, mãe? VIZINHA - Ai, meu Deus do céu!


( VIZINHA ENTRA NA CENA.) ROMEU

- Mãe! Manhê! Sai daí!

VIZINHA - Sua mãe não está aí dentro, Romeuzinho! ROMEU

- Tá sim!

VIZINHA -( PARA A FILHA) Vai na cozinha buscar um copo com água com açúcar para ele! ROMEU

- Manhê! Fala comigo!

VIZINHA - Aí, eu acho melhor eu desligar esta televisão! ( ELA FAZ MENÇÃO DE DESLIGAR, ROMEU NÃO DEIXA.) ROMEU

- Não! Não desliga! Minha mãe vai sumir!

VIZINHA - Deixa eu te explicar! Sua mãe está num lugar chamado estúdio, onde eles filmam as pessoas e passam na mesma hora nas televisões das pessoas, através de uma antena, entendeu? ROMEU

- Não! Minha mãe está presa aí dentro! Eu vou soltar ela!

( ROMEU PEGA MARTELO E TENTA QUEBRA TV, VIZINHA GRITA E SEGURA MÃO DELE, CONSEGUE TIRAR MARTELO DELE.) VIZINHA - Não faça isso! ROMEU

- Me larga!

VIZINHA - Patricinha! Vamos logo com essa água com açúcar! ( PATRICINHA VEM COM COPO DE ÁGUA.) PATRICINHA - Acabou o açúcar, eu pus adoçante!


VIZINHA - ( PARA ROMEU) Aclame-se, menino! Vamos lá fora pra você tomar um pouco de ar fresco! ROMEU

- NÃO! Eu preciso salvar minha mãe!

( ROMEU SE SOLTA, VOLTA PARA À FRENTE DE TV.) VIZINHA - Não ouse quebrar a minha televisão! ( PARA A PLATÉIA) Apareceu outra pessoa na TV! ( ENTRA, NA TV, O PAI DE ROMEU, SENTA-SE JUNTO À MÃE.) APRESENTADORA - Está aqui também conosco o marido da Laura Miranda, que também é ator. Como vai, Ricardo Ferdinando? PAI

- Eu vou bem, Adélia.

ROMEU

- Meu pai também!

VIZINHA - ( PARA PLATÉIA) E o Romeuzinho ficou tão nervoso, que desmaiou! ( ROMEU CAI DURO. VIZINHA OLHA PARA ELE , PEGA COPO DA MÃO DA FILHA E TOMA A ÁGUA. RETOMA A NARRATIVA, ENQUANTO A FILHA FICA ABANANDO O AMIGO) ( ENQUANTO VIZINHA FLA SAEM APRESENTADORA, PAI E MÃE.) VIZINHA - Imaginem que tarde que eu passei , com aquele menino desmaiado na minha sala! Eu só me recuperei do susto quando os pais do Romeuzinho vieram buscá-lo mais tarde! ( PAIS ENTRAM, ROMEU ACORDA.) ROMEU

- Que bom! Vocês conseguiram sair!

( PAIS OLHAM, ESPANTADOS, OLHAM PARA A VIZINHA, QUE FAZ CARA DE DRAMA. ROMEU SE DESTACA, FALA À PLATÉIA. SAEM MÃE E PAI, VIZINHA E PATRICINHA.)


ROMEU

- E aí vem a quarta parte da minha história, que se chama…

( É MOSTRADA FAIXA ONDE LÊ: “O ANIVERSÁRIO, A FADA, O SONHO”.) ROMEU - Passou um tempo e chegou p meu aniversário de seis anos, e meus pais preparam uma festa super legal, com os amigos deles fantasiados e tudo! ( ENTRAM PAI, MÃE E AMIGOS ATORES TRAZENDO MESA ENFEITAD, COM BOLO COM VELINHAS ACESAS. ELES DANÇAM EM VOLTA DA MESA, ENTRAGAM PRESENTES, CANTAM O “PARABÉNS”, ROMEU APAGA AS VELINHAS, ETC.) ( UMA DAS AMIGAS DOS PAIS, QUE ESTÁ VESTIDA DE FADA, FICA NUM CANTO COM ROMEU, ENQUANTO A FESTA VAI SE DESFAZENDO. MÃE FICA “ARRUMANDO” MESA, PAI FALA AO PÚBLICO: ) PAI - De noite, quando já tinha ido quase todo mundo embora, o Romeu estava sentado num canto, cansado de tanto brincar. ( A “FADA” SE COMPORTA COM TAL, ROMEU ESTÁ RODEADO DE SEUS PRESENTES.) FADA - Romeu, Romeu, faça um pedido! ROEMU

- Ah, eu já ganhei tanta coisa!

FADA - Então vamos brincar de conversar sobre o seu futuro. O que você vai ser quando crescer? ( ELE PENSA ANTES DE RESPONDER: ) ROMEU

- Grande!

( FADA RI E RCITA, FAZENDO “COREOGRAFIA”COM SUA VARINHA DE CONDÃO: )


FADA - Romeu, querido Romeu. Faça um pedido, que eu, com os poderes da mente que é a mágia de escolher o que se pode e quer vover, farei o futuro se mostrar antes dele se realizar e se o destino resolver, seu pedido vai mesmo acontecer! ( ELE PENSA E FALA.) ROMEU

- Eu quero… eu quero trabalhar no teatro!

( PAI SAI. MÃE FALA Á PLATÉIA, ENQUANTO FADA FAZ 3 CÍRCULOS EM VOLTA DA CABEÇA DELE COM A VARINHA E COMEÇA A DANÇAR E A CANTAR NUMA LÍNGUA INVENTADA.) MÃE Minha amiga parecia uma fada uma fada de verdade. Ela cantou uma música que eu conhecia mas não me lembrava de onde, talvez de quando eu era criança… E o Romeu, dormiu… e sonhou! ( MÃE SAI, MUDA O CLIMA É ENCENADO, COM DANÇA, O SONHO DE ROMEU. CIRCO, ESTRELAS, CÔRO DE ANJOS, LUZ. ENTRAM PAI E MÃE, VESTIDOS DE JOSÉ E MARIA. SOM DE SINO. OUTROS ATORES COM FLORES E BICHOS. SOM DE APLAUSOS.) ( TALVEZ ESTE SONHO POSSA ACONTECER COM BONECOS E ADEREÇOS EM PEQUENA DIMENSÃO, QUE “FLUTUEM”EM VOLTA DE ROMEU, PARA QUE A CENA FINAL NÃO SEJA IGUAL E ESSA E SIM A REALIZAÇÃO DESTE SONHO) ( O SONHO SE DESFAZ. AMANHECER, SONS CARACTERÍSTICOS. ROMEU ACORDA.) ROMEU

- Que pena que foi só um sonho!

( MUDANÇA DE LUZ. MÃE ENTRA COM MALAS E ROUPA, COMEÇA A “FAZER”AS MALAS. PAI FALA À PLATÉIA, ROMEU NÃO SAI MAIS DO PERSONAGEM.)


PAI

- Romeu, pra que essa mala? Filho nós vamos viajar…

( E MOSTRA FAIXA ONDE SE LÊ: “A VIAGEM”.) PAI

- A viagem!

( PAI AJUDA MÃE COM MALAS.) ROMEU

- Manhê… Por que você tá fazendo tanta mala?

MÃE

- Por que nós vamos viajar!

PAI - Sua mãe e eu vamos trabalhar numa peça que vai ser apresentada nos teatros de várias cidade! ROMEU

- E eu? Com quem eu vou ficar?

MÃE

- Você vai junto, seu bobinho!

( ENTRAM OS OUTROS ATORES, FORMANDO UM AUTOMÓVEL, COM DOIS SEGURANDO “PNEUS”, UM OUTRO UMA DIREÇÃO, ETC. ROMEU PAI E MÃE “ENTRAM” NO AUTOMÓVEL E “VIAJAM”.) ( TALVEZ UM DOS ATORES NÃO ESTEJA DENTRO DO AUTOMÓVEL E PASSE COM PLACAS COM NOMES DE CIDADES.) ( ELES “CHEGAM” EM UMA CIDADE. DESCEM TODOS DO AUTOMÓVEL E MONTAM CENÁRIO, QUE DEVE SER UM PALCO VISTO DE LADO, PORTANTO A PLATÉIA QUE VAI ASSISTIR A PEÇA DELES ESTARIA NUMA DAS CAIXAS LATERAIS. UM DOS ATORES, QUE SE VESTIU DE HOMEMSANDUÍCHE COM CARTAZ DA PEÇA, FALA Á PLATÉIA: )


ATOR - Nós viajamos de cidade em cidade. Cada cidade era diferente. Cada teatro também. E em cada cidade a gente montava tudo, apresentava a peça, desmontava tudo e ia embora. Numa das cidades aconteceu uma coisa engraçada. Como sempre, a gente não conhecia ninguém desta cidade, e o Romeu ficou no teatro com a gente, até a peça termina. ( PAIS E OUTROS ATORES REPRESENTAM A PEÇA, QUE PODE SER IMPROVISADA, PORQUE OS DIÁLOGOS DEVEM SER DITOS EM VOZ BEM BAIXA, COM MÚSICA, E PODE TER CENAS DANÇADAS ROMEU FICA ESPIANDO, AJUDA QUEM ESTIVER PARA ENTRAR EM CENA, ETC. O ATOR QUE FALAVA À PALTÉIA CONTINUA: ) ATOR - O Romeu sempre dormindo nos camarins, que é onde os atores se vestem e se pintam. Até ir dormir, ele ficava na caixa do palco, que é o pedaço de palco que o público não vê, espiando os pais e os amigos deles trabalhando. Mas antes da peça terminar ele já tinha ido dormir. Acontece que nesta noite… ( ROMEU VAI ESPIAR POR DETRÁS DA ÁRVORE QUE ESTÁ COLOCADA NO FUNDO DO PALCO, QUE PARA O PÚBLICO “DESTA” PEÇA, ESTÁ DE LADO) ATOR -… ele estava atrás de um cenário, que era uma árvore de papelão. Ele ficou lá espiando e espiando, até que… ( ROMEU BOCEJA, VAI SE ENCOLHENDO, DEITA E DORME ATRÁS DA ÁRVORE.) ATOR peça…

- … ele adormeceu! Até ai, tudo bem. Só que no final da

( ATOR SAI. A PEÇA CONTINUA, AGORA COM DIÁLOGO EM VOZ ALTA: ) PAI - Precisamos fugir desta floresta antes que a Rainha da Neve nos encontre!


MÃE

- Mas é noite e nós não sabemos o caminho!

PAI - Depressa! Eu ouço o som das asa dos espíritos malignos que acompanham a Rainha da Neve! MÃE

- Tarde demais! Ela nos encontrou!

( EFEITOS DE LUZ, A ATRIZ QUE FAZ A RAINHA ENTRA ATRÁS DA ÁRVORE, NÃO VÊ ROMEU, À ÁRVORE É RETIRADA, ENTRAM ESPÍRITO, LUZ SE ACENDE TODOS VÊEM ROMEU DEITADO NO CHÃO, SE OLHAM ESPANTADOS, MENOS A RAINHA.) RAINHA

- Há, há, há! Você estão pedidos!

( OS OUTROS FAZEM SINAIS, SEGURAM RISO, OS ATORES QUE ESTÃO DE FORA COMENTAM, DÃO RISADA, ESPIAM. PAI E MÃE DE ROMEU COCHICHAM “ALTO”.) PAI

- E agora?

MÃE

- Vamos fingir que é propósito!

PAI

-( REPRESENTANDO) Não, não estamos!

RAINHA

- ( SEM ENTENDER) Como?

MÃE - ( APONTANDO PARA ROMEU) Veja, Rainha da Neve! Um anjinho caiu do céu para nos proteger! ( A RAINHA OLHA PARA BAIXO E TEM ATAQUE DE RISO, TODOS RIEM.) PAI

- Bem… eu acho que…

( OS ATORES QUE ESTÃO DE FORA DÃO PALPITES: ) ATOR

- Inventa outro final!


ATRIZ

- Finge que é assim mesmo a peça!

RAINHA -( IMPROVISANDO) Bem… se é assim… que os bons espíritos os acompanhem… e … que este anjinho acorde… para… indicar a vocês o caminho de saída da floresta… ( RINDO) Espírito malignos! Sigam-me! Mas uma vez a força do mal foi vencida! ( ELA E OS ESPÍRITOS MALIGNOS SAEM DO “PALCO” RINDO.) ( PAI E MÃE FORMAM CENA COM ROMEU NO MEIO.) PAI

- E se esse não era o final desta história…

MÃE - … que o céu nos mande sempre este anjo para encantar o destino de nossas vidas! ( FINAL DA PEÇA, CORTINA OU LUZ SE APAGA, SOM DE APLAUSOS, PAI E MÃE LEVAM ROEMU PARA COIXA.) ATRIZ

- Ele precisa acordar para agradecer os aplausos!

ATOR

- Não, deixa ele dormir!

PAI

- Ele entrou na peça e nem ficou sabendo!

MÃE

- Amanhã a gente conta!

( ROMEU DORMINDO NA COIXA, ELES VÃO FAZER AGRADECIMENTO. BLECAUTE OU MUDNÇA DE LUZ. ROMEU SAI DE CENA E ATORES DESMONTA TUDO E SAEM. O MESMO ATOR VOLTA A FALAR Á PLAÉIA, TIRANDO A “ROUPA” DE HOMEM- SANDUÍCHE.) ATOR - A viagem demorou para acabar. E quando eles voltam para casa, já estava na hora do Romeu ir para a escola.


( ELE MOSTRA FAIXA OU VIRA A ROUPA DE HOMEMSANDUÍCHE, E NUM OU OUTRO ESTA ESCRITO: “A ESCOLA”) ATOR - E esta é a sexta parte desta história, que se chama “A escola”!… foi aí que a vida do Romeu começou a ficar igual a das outras crianças. Todos tinham professora. Todos tinham cadernos, livros, lápis, borracha. As mesmas letras palavras para aprender lições de geografia, história e ciências. E muita coisa na cabeça para conversar! ALUNO médico!

- Eu fui na praia e engoli tanta água que tive de ir no

ROMEU

- Meu pai se veste de palhaço e de príncipe!

ALUNO - Eu vi um disco voador e a minha mãe disse para eu não mentir. Mas eu vi! ALUNO - Eu tenho um irmão maior que sabe desenhar uma motocicleta! ALUNO - Na casa ao lado da minha mora um anão que tem três filhos maiores que ele! ROEMU - Eu dormi atrás de uma árvore de papelão no palco de um teatro no meio de uma peça! ALUNO

- No meu aniversário eu vou ganhar um carro de corrida!

( CAMPANHA, TODOS ALUNOS, INCLUSIVE ROMEU, SAEM CORRENDO. EENTRA UM ATOR VESTIDO DE PAPAI NOEL, E FALA À PLATÉIA.) PAPAI NOEL - Esta sexta parte da história passou bem depressa, mas faz de conta que passou um ano, tá bom? Porque agora vem á sétima parte da história do Romeu, que acontece na época do Natal, que é no fim do ano, e se chama…


( ELE OU OUTRO ATOR MOSTRA FAIXA ONDE SE LÊ-SE: “A LISTA DE PRESENTES”.) PAPAI NOEL - A lista de presentes!… É por isso que eu estou vestido de Papai Noel! Porque o Natal está chegando nesta história! ( ENTRAM MÃE E ROMEU DE MÃOS DADAS, E ELES ANDAM PELO PALCO COMO SE ESTIVESSE FAZENDO COMPRAS.) PAPAI NOEL - A mãe do Romeu foi fazer compras e levou ele junto. Então eles entram numa loja… ( MÃE E ROMEU CHEGAM ATÉ ELE, QUE SE SENTA. ROMEU FICA OLHANDO COM ADMIRAÇÃO E MEDO.) MÃE

- Você quer falar com o Papai Noel?

ROMEU

- ( COM MEDO) Quero…

MÃE

- Então fala! Ele não vai te morder!

( ROMEU CHEGA ATÉ ELE, SENTA NO COLO.) PAPAI NOEL - HO, ho ho, ho! O que você quer que eu leve para você no Natal? ( ROMEU RESPIRA FUNDO ECOCHICHA COM PAPAI NOEL, FAZENDO GESTOS, COMO SE ELE ESTIVESSE FALANDO UMA LISTA ENORME. MÃE VAI FICANDO AFILITA, PAPAI NOEL ESPANTADO.) MÃE - Romeu!… Filhinho! Será que você não está exagerando? O Papai Noel vai trazer presentes só para você! Romeu ! ( ROMEU OLHA AINDA FALA UMAS DUAS ÚLTIMAS COISAS, PAPAI NOEL OLHA PARA MÃE E COMENTA COM GESTOS.) PAPAI NOEL -Ufa! Haja Papai Noel, hein, ho ho ho!


MÃE Vamos!

-( SEM GRAÇA) É, não é? … ( PARA ROMEU)

( MÃE LEVA ROMEU PELO BRAÇO.) PAPAI NOEL -( PARA A PLATÉIA) A lista de presente dele era enorme! E aí, numa loja não muito longe daqui… (MÃE E ROMEU CHEGAM EM OUTRA LOJA, ONDE JÁ ESTÁ OUTRO PAPAI NOEL. ROMEU ESTRANHA.) ROMEU

- Ué! O que o senhor está fazendo aqui?

MÃE

- Romeu!

PAPAI NOEL 2 - Como assim, ho ho ho? ROMEU

- O senhor estava lá naquela outra loja!

PAPAI NOEL 2 - Bem… ho, ho, ho! Eu … vim correndo, não é? Ho ho ho! ROMEU - Ah!… Então eu vou dizer a lista de presentes que eu quero só pro senhor não esquecer, tá? PAPAI NOEL - Tá, ho ho ho… ( MESMA CENA SE REPETE. ELE SENTA NO COLO E COCHOCHA BASTANTE. MÃE PUXA PELO BRAÇO, ELE VAI , MEIO QUE ARRASTADO PELA MÃE, DANDO TCHAU.) PAPAI NOEL 1 - E na loja, seguinte, e na outra e na outra…


( A MESMA CENA SE REPETE VÁRIAS VEZES, DA MESMA MANEIRA, SEM DIÁLOGO. MÚSICA DE NATAL, QUE PODE ESTAR TOCANDO DESDE O INÍCIO DESTA CENA, FAI FICANDO CADA VEZ MAIS ALTA, E A CENA DELE ESTRANHAR, SENTAR, COCHICHAR E PUXADO PELA MÃE PODE IR FICANDO CADA VEZ MAIS RÁPIDO, TIPO CINEMA MUDO PODENDO UNCLUSIVE SEREM REPETIDOS OS PAPAIS NOÉIS. QUANDO ISSO ACABA, DE PREFERÊNCIA COINCIDINDO COM O FINAL DA MÚSICA, MÃE JÁ ESTÁ QUASE LOUCA.) MÃE - Romeuzinho querido do meu coração! Agora chega! O Papai Noel já deve saber de cór e salteado a sua enorme lista de presentes! Vamos para casa! ROMEU

- Manhê… Por que eles fazem isso com as crianças?

MÃE

- Isso o que, meu filho?

ROMEU - Eu não sou bobo, tá? Não era mesmo Papai Noel! Um era mais magro, o outro tinha barba mais curta, um tinha botão dourado na roupa, outro não tinha! MÃE

- Imagine, Romeu!

ROMEU

- Por que eles enganam a gente deste jeito?

MÃE

- Bem… eu acho que… quer dizer…

ROEMU

- Já sei!

MÃE

- Ai, qur bom!

ROMEU - Não existe só um Papai Noel! E porque tem tanta criança nesse Mundo, que um só não ia conseguir entregar todos os presentes!


( MÃE SUSPIRA ALIVIADA E LEVA ROMEU PARA FORA. OS PAPAIS NOÉIS SE JUNTAM DANÇANDO.) ( ENQUANTO SE ARMA A CASA DOS PAIS DE ROMEU, OS PAPAIS NOÉIS VÃO SAINDO. UM DELES FICA, MOSTRA FAIXA ONDE LÊ -SE “O FILHO DO PAPAI NOEL” E FALA À PLATÉIA.) PAPAI NOEL - A ante-penúltima parte desta história se chama “ O filho do Papai Noel”! Por quê? Você vai logo descobrir! ( ELE SAI. MÃE DE ROEMU, FAZENDO ALGUM SERVIÇO DE CASA, FALA PARA FORA DE CENA.) MÃE

- Romeu! O que você e a sua amiga estão aprontando?

ROMEU

- ( OFF) Nada, mãe…

MÃE

- Nada, é?

( ELE FALA À PLATÉIA.) MÃE - Este nada era uma brincadeira que os dois adoravam fazer. Eles iam até o meu guarda-roupa, pegavam roupas minhas e do Romeu e brincavam de gente grande… ( ENTRAM ROMEU E SUA AMIGUINHA, COM ROUPAS DE ADULTO, PORTANTO BEM NA MAIORES QUE ELES QUE ELES. MÃE FICA À PARTE, COMO SE NÃO ESTIVESSE LÁ.) ROMEU

- Tá bom que eu era o marido e ia trabalhar?

AMIGUINHA - Tá. Então eu era a mulher e ficava em casa cuidando dos filhinhos! ROMEU

- Quantos filhinhos a gente tinha?

AMIGUINHA - Dezoito!


ROMEU

- Só?

AMIGUINHA - É claro! Eu não podia ter mais porque eu trabalhava também, né? ROMEU -Tá! Mas aí então se eu ia para o trabalho, então eu tenho que pôr uma fantasia porque eu trabalhava no teatro, tá? AMIGUINHA - Tá! ( ROMEU SAI, AMIGUINHA FICA CUIDANDO DE FILHINOS IMAGINA RIOS. MÃE FALA Á PLATÉIA: ) MÃE - Foi aí que Romeu mexeu numa gaveta da minha cômoda e descobriu por que o pai dele andava cansado ultimamente! ROMEU

-( OFF, GRITANDO) Ai, não!

AMIGUINHA - Que foi? ( ROMEU ENTRA TRAZENDO ROUPA, BARBA E BONÉ DE PAPAI NOEL) ROMEU

- Eu sou filho do Papai Noel!

AMIGUINHA - Como você é bobo! Papai Noel não existe! E só truque para as crianças pedir em bastante presente e os pais terem de comprar! ROMEU - Mas é claro! É preciso que tinha tantos homens de roupa vermelha e barba branca pela cidade! Eram todos atores fantasiados! E o meu pai, que já foi palhaço e príncipe, agora está se fazendo de bondoso velhinho que distribui presentes! Manhê ! ( MÃE ENTRA NA CENA.) MÃE - O que foi… ( ELA VÊ A ROUPA DE PAPAI NOEL, FICA SEM GRAÇA) Onde você achou isso?


ROMEU - Na gaveta daquele mau que está enganando crianças bobas como eu! MÃE

- Não fale assim do seu pai, Romeu!

ROMEU - Eu não gosto mais dele! Não gosto mais de você também! E não gosto do Papai Noel! E não gosto nunca mais do Natal! ( ROMEU COMEÇA A CHORAR, AMIGUINHA FAZ BICO E TAMBÉM CHORA. ENTRA PAI, QUE FICA TAMBÉM SEM GRAÇA.) PAI

- O que foi, filho?

ROMEU

- E não me chama de filho, tá?

MÃE - Não fique assim, Romeu! Os Papais Noéis que ficam nas lojas, como o seu pai, são de mentirinhas… PAI

- Mas o Papai Noel de verdade existe mesmo…

ROMEU

- Chega de mentiras!

AMIGUINHA -É, chega, tá? MÃE

- O Papai Noel não pode sair lá do Polo Norte…

PAI - E a gente precisa fingir que é ele, para as crianças poderem contar o que elas querem ganhar de presente… ROMEU E AMIGUINHA - Mentirosos! ( ROMEU E AMIGUINHA SAEM CHORANDO BEM ALTO. PAIS SE OLHAM, UM DELES OU OS DOIS MOSTRA (M) FAIXA ONDE LÊ-SE “NOITE FELIZ”, E ELES FALAM À PLATÉIA.) PAI

- A penúltima parte da história do Romeu se chama…


Mテウ

- Noite feliz!


( ENTRA A MÚSICA “NOITE FELIZ”, EM ARRANJO BEM TRISTE. ENTRAM OS OUTROS ATORES, COM ROUPAS FESTIVAS, TRAZENDO ÁRVORE DE NATAL ENFEITADA, OUTROS ENFEITES, E A CEIA DE NATAL. ROMEU ENTRA, COM ROUPA FESTIVA TAMBÉM, JUNTO AMIGUINHA E OUTRA (S) “CRIANÇAS”) PAI - Na véspera de Natal o Romeu estava tentando ficar mais alegrinho. MÃE - Mas a árvore enfeitada não tinha o mesmo encanto dos outros anos! PAI

- As músicas com sinos não pareciam tão bonitas.

MÃE - E não era tão gotoso esperar pela hora de ganhar os presentes, ele sabia que tinha sido tudo comprado… MÃE - E a meia-noite foi chegando. O Romeu foi ficando contente, mesmo sem querer. O coração batia forte. Ele não conseguia ficar parado, ele sentia fome não sei do quê, sede, vontade de fazer xixi e sair correndo pela rua cantando, tudo ao mesmo tempo. Parecia que o corpo dele queria explodir de alegria, mesmo sem ter motivo. As pernas queriam dançar, a cara sorrir, os braços abraçar quem quer que fosse. E então, já era quase meia-noite. O Romeu foi ficando cada vez mais nervoso, com vontade de chorar e se esconder. Ele não queria ver a entrega de presentes. Ele sabia que era o pai dele que ia se fingir de Papai Noel, era ele que tinha a roupa. E então… ( MÃE SE JUNTA À FESTA. CLIMA DE ESPECTATIVA.) MÃE

-Ih, tá na hora, criançada!

ADULTO

- Aquela pessoa vai chegar!

ADULTO 2 - Será que ele vai trazer presentes?


( ROMEU RI, MAS SE LEMBRA E FICA TRISTE. DOZE BADALADAS. A LUZ VAI DIMINUINDO, TODOS RIEM E FALAM COISAS TIPO “É AGORA”, “AI VEM ELE”, ROMEU SE AGARRA NA MÃE, QUER FUGIR, MÃE O SEGURA. ENTRA PAPAI NOEL, QUE DEVE TER OUTRO TIPO DE FIGURINO, MAIS REALISTA, COMO SACO DE PRESENTES.) PAPAI NOEL - Ho,ho, ho,! Feliz Natal a todos! ( ROMEU E MÃE FICAM EM EVIDÊNCIA,OS OUTROS SE JUNTAM, PARA DESTACÁ-LOS. PAPAI NOEL TIRA PRESENTES DO SACO E DISTRIBUI.) ROMEU

- Manhê! Posso ir dormir?

MÃE - Que isso, meu filho! O Papai Noel ainda não deu os seus presentes! ROMEU

- Ai, eu não quero! É o meu pai mesmo!

( PAPAI NOEL CHEGA ONDE ESTÁ ROMEU, QUE FICA PARALIZADO. PAPAI NOEL DÁ 3 PRESENTES.) PAPAI NOEL - E então, Romeu? Me disseram que você não acredita mais em mim, ho, ho, ho! ( ROEMU FAZ CARA DE CHORO, ABRAÇA PRESENTES.) PAPAI NOEL - Você quer puxar a minha barba para ver como é de verdade? ( ROMEU FAZ QUE NÃO COM A CABEÇA, MÃE GENTILMENTE O EMPURRA NA DIREÇÃO DE PAPAI NOEL, QUE SE INCLINA, ROMEU ESTENDE MÃO TRÊMULA E PUXA BARBA DE PAPAI NOEL, QUE NÃO SAI.) PAPAI NOEL - Ho, ho, ho! Viu só como é de verdade?


( ROMEU FICA MUITO ESPANTADO, VAI INDO PARA TRÁS. E ENCOSTA NO PAI DELE, QUE ENTROU DESAPERCEBIDO. ROMEU FICA MUITO FELIZ, ABRAÇA PAI. MÚSICA MUITO EMOCIONANTE. PAPAI NOEL VAI SAINDO, DANDO TCHAU.) ROMEU

-( PARA O PAI) Ele existe! Ele existe mesmo!

PAI

- É claro que sim!

PAPAI NOEL - Feliz Natal para todos, ho ho ho! Até o ano que vem, crianças! ( TODOS SE DESPEDEM, ROMEU, CHORANDO DE ALEGRIA, DÁ TCHAU, ABRAÇADO AO PAI.) ROMEU - Tchau, Papai Noel! Tchau, até o ano que vem! Eu nunca vou deixar de acreditar no senhor! ( A FESTA DE NATAL SE DESFAZ E É MONTADO O TEATRO. TODOS SE MOVIMENTAM E SE VESTEM, EM CENA MESMO, COM SUA FANTASIAS DE ANJO, ETC. PAI SE VESTE DE JOSÉ, MÃE DE MARIA, EM CENA. ROMEU OBSERVA TUDO, ANIMADO. UMDOS ATORES,QUE LOGO SE VESTIU DE ANJO. FALA À PLATÉIA, MOSTRANDO FAIXA ONDE LÊ-SE “O MENINO JESUS”.) ANJO - E aí vem a última parte da história do filho de artista, que se chama “O menino Jesus”. No dia seguinte da festa, os pais do Romeu foram trabalhar num espetáculo especial de Natal. O pai ia fazer o papel de José, o pai do menino Jesus, e a mãe, a Maria, a mãe do menino Jesus. É o Romeu? Ele foi junto. É claro. Fazia tempo que ele não ficava na coxia, espiando uma peça… E ai, no meio da confusão, alguém chegou dizendo… ( CHEGA ATOR 1, ANUNCIANDO:) ATOR 1

- O menino Jesus não pode vir!

ATOR 2

- Por quê?


ATOR 1

- Ele comeu muito peru ontem á noite e está com dor de barriga!

ATOR 3

- E agora?

ATOR 4

- Não dá para fazer uma peça de presépio sem menino Jesus!

ROMEU estão

- ( PARA PAIS) É do mesmo Jesus mesmo que eles falando?

MÃE

- Não, era uma criança que ia se vestir…

PAI

- E fingir que era o menino Jesus!

ATOR 2

- O quê que a gente faz?

ATOR 1

- A gente precisa achar outro menino Jesus!

ATOR 3

- Quem pode ser?

( PAI E MÃE OLHAM PARA ROMEU, SE OLHAM E FALAM : ) PAI E MÃE – Eu acho que sei ! ( DE REPENTE TODOS OLHAM NA DIREÇÃO DE ROMEU, AO MESMO TEMPO , E GRITAM : ) TODOS – É ele! ( CORRERIA, PAIS SAEM LEVANDO ROMEU. ATOR VESTIDO DE ANJO FALA À PLATEIA : ) ANJO - Lembra que o Romeu sonhou lá na festa de aniversário dele? E que a fada disse que seu desejo dele ia um dia se realizar?


Pois foi assim que o sonho do filho artista, um dia , se tornou realidade, e o Romeu, de filho, passou a ser uma artista de verdade ! ( MÚSICA, ACONTECE A CENA DANÇADA DE PRESÉPIO, COMO ACONTECEU NO SONHO DE ROMEU. ARMA –SE UMA MANJEDOURA COBERTA. ENTRAM OS 3 REIS MÁGOS, OS ANJOS, ETC., ATÉ QUE MARIA E JOSÉ DESCOBREM A MANJEDOURA E VÊ-SE ROMEU DE MENINO JESUS. ELE MOSTRA FAIXA , ONDE LÊ-SE “FIM” E ANUNCIA : ) ROMEU – Fim!


Filho de Artista  

Flávio de Souza

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you