Page 1

CONTOS DURADOUROS PARA JARDINS EFÉMEROS Espaço com a presença de vários contadores de histórias com textos para crianças e adultos. No princípio era o verbo e por meio da palavra se construiu o mundo. De palavra em palavra, de conto em conto, numa viagem feita entre a boca e o ouvido, fomos construindo e partilhando a nossa identidade, as histórias de que somos feitos, os contos que estão escritos nas linhas da nossa mão. No verde do jardim, a brisa traz palavras que acompanham o chilrear dos pássaros e o bater das asas das borboletas. No verde do jardim vai contarse que era uma vez, há muito, muito tempo... E no verde do jardim todos serão sempre, felizes para sempre.

21 Julho

22

23

24

21h30 Cláudia Sousa

18h00 + 19h00 Lira Keil e Ana bento

18h00 + 19h00 Miguel Horta e Cláudia Sousa

18h30 Cristina Taquelim e Cláudia Sousa


CONTADORES

ANA BENTO Licenciada em Educação Musical, integra os projectos musicais Colectivo Gira Sol Azul e Tangerine (jazz), Urtigas (covers rock/pop) e No No (experimental) onde canta e toca saxofone tenor. Orienta os grupos “Tubo d’Ensaio” (fusão) e darteRITMO (percussão) no âmbito do projecto Entre Teias promovido pela FRAP Viseu. Orienta as Oficinas de Expressão Musical “Corpo do Som” (Gira Sol Azul, Viseu) e “1ºs Sons” (Casa da Música, Porto). Lecciona a disciplina de Expressão Musical na ESE de Viseu.

CLÁUDIA SOUSA Bacharel em Educação Social, e licenciada em Animação Sócio Educativa, especialização em Desenvolvimento Local, tem desenvolvido projectos na área da animação e educação com escolas, A.T.L., centros de dia, lares de 3ª idade e bibliotecas. “O livro e o contar surgiram na minha vida não sei quando… acho que me são tão inerentes que durante muito tempo simplesmente existiram. Foi o trabalho que me fez olhar para eles de outra forma e desde então, são para além de tudo o resto, duas ferramentas de intervenção que eu não dispenso.”

CRISTINA TAQUELIM Nasceu em Lagos, uma cidade à beira mar no Sul de Portugal e fez-se mulher no Alentejo onde encontrou a sua raiz: “ Amo as palavras, as pessoas e acredito firmemente que nascemos para aprender, semear e sermos felizes “. Licenciada em psicologia educacional, bibliotecária e narradora, a autora gosta de se definir como mediadora de leitura: a natureza do meu trabalho, é construir pontes entre a memória, os afectos e palavra escrita ou contada. Desenvolve actividade enquanto formadora na área da promoção de leitura e narração, em Portugal, Espanha e nos Países de Língua Portuguesa. Editou em Junho de 2010, pela Editora Paulinas o seu último livro: Uma Casa na Lua.

LIRA KEIL DO AMARAL Interventora cultural, leitora de histórias e também actriz, diz sobre si: “Nasci na Madeira em 1937. Fui para Lisboa aos 16 anos, para a escola superior de belas artes, onde fiz escultura. E no fim do meu curso comecei uma vida bastante variada... Há 17 anos que vivo em Canas de Senhorim É o sitio em que fiquei mais tempo... Sou mãe, avó e bisavó. Gosto imenso de viver nestes sítios. Gosto imenso de estar viva.”

MIGUEL HORTA É um pintor contador de histórias que cruza imaginários como quem mistura pinceladas de cores. Embora Miguel seja essencialmente um artista plástico, desde muito cedo encarou a mediação cultural como ferramenta de comunicação e mudança social. Neste campo encontramos duas linhas mestras de intervenção: a Promoção do Livro e da Leitura e a Educação pela Arte. Trabalha nos Bairros, Bibliotecas, Museus, Prisões, Escolas… Em 2006 publicou “Pinok e Baleote”(PNL) e em 2009 “Dacoli e Dacolá”(PNL)

Contos Duradouros para Jardins Efémeros  

Folheto de Divulgação

Contos Duradouros para Jardins Efémeros  

Folheto de Divulgação

Advertisement