{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

Coleção Paulo Pardal e Lully de Carvalho

L eilão M arço de 2020


Leilão 10 de MArço DE 2020 terça-feira

20h Atlântica Business Center Av. Atlântica, 1.130, 7º andar Copacabana – Rio de Janeiro Estacionamento pela Av. Princesa Isabel EXPOSIÇÃO 11 de fevereiro a 9 de março de segunda-feira a domingo, das 12h às 19h30 Atlântica Business Center Estacionamento pela Av. Princesa Isabel Lances Prévios / Estimativas Soraia Cals Escritório de Arte Tel. (21) 2540 0688 contato@soraiacals.com.br Marcella Cals Leiloeira Tel. (21) 2540 0106 marcella@marcellacalsleiloeira.com.br

Lances por Telefone nos Dias de Leilão até as 18h

Tel. [21]

2540-0106 2540-0688 3258-7004 3258-7014 3258-6974 3258-6978

Capa

Quarta Capa

Lote 21 GUARANY, Francisco Biquiba dy Lafuente (atribuído)

Lote 62

1884 – 1985 Carranca Navegada de Leão escultura em bloco único de madeira, pertenceu à Coleção Luís Vianna Filho e provavelmente pertenceu à Barca Oliveira atribuído ao artista pelo seu filho, Ubaldino 59 x 45 x 25 cm

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Exu Caveira

escultura com corpo em figueira mata-pau e busto de oiticica (1982/1983) (Casimiro de Abreu – RJ) Reproduzido na p. 25 do livro A escultura mágico-erótica de Chico Tabibuia, de Paulo Pardal (Rio de Janeiro: Uerj; Erca, 1989) 200 x 64 x 49 cm


10 de Março DE 2020 Leilão

terça-feira 20h

Exposição

11 de fevereiro a 9 de março de segunda-feira à domingo horário: 12h as 19h30

LOCAL

Atlântica Business Center Av. Atlântica, 1.130, 7º andar Copacabana – Rio de Janeiro (Estacionamento pela Av. Princesa Isabel)

Lances Prévios e Estimativas

Organização

Leiloeira

(21) 2540 0688

(21) 2540 0106

contato@soraiacals.com.br

marcella@marcellacalsleiloeira.com.br

Soraia Cals Escritório de Arte

Marcella Cals

Telefones para Lances nos Dias de Leilão até as 18 h

2540-0106 2540-0688 3258-7004 3258-7014 3258-6974 3258-6978

www.soraiacals.com.br www.marcellacalsleiloeira.com.br


Regulamento do leilão

1. Os organizadores diligenciaram com esmero e cuidado a confecção do catálogo e procuraram descrever, tanto quanto possível, as peças a serem leiloadas. 2. O leilão obedecerá, rigorosamente, a ordem do catálogo. 3. Todos os lotes estão sujeitos a um preço mínimo, indicado pelo proprietário e ratificado pelos organizadores. 4. A adjudicação será pela oferta mais alta do último licitante. No caso de litígio, prevalecerá a palavra da leiloeira oficial. 5. Considerando que as peças apresentadas são de propriedade de terceiros, entende‑se a sua venda no estado em que se encontram. Por essa razão, os organizadores solicitam que os interessados procedam aos exames que desejarem, durante a vigência da exposição que antecede ao leilão, não sendo aceitas desistências após o arremate. 6. A retirada das peças adquiridas no leilão será por conta e risco do arrematante. 7. As peças foram cuidadosamente examinadas antes do leilão, e os organizadores se responsabilizam por sua autenticidade e descrição. Na hipótese de divergência quanto à autenticidade das peças, desde que baseada em laudo firmado por perito idôneo, o arrematante poderá optar pela anulação da transação, no prazo de 45 (quarenta e cinco) dias após a compra. 8. Para maior comodidade dos licitantes, serão colocadas, à disposição, credenciais numeradas que deverão, em todos os casos, ser preenchidas e firmadas pelos licitantes antes do leilão ou depois da primeira arrematação.

9. Juntamente com este livro/catálogo, são oferecidas listas com as indicações de preços‑base para o início de leilão de cada lote, podendo a leiloeira a seu exclusivo critério modificá‑los para mais ou para menos, no momento do pregão. 10. A leiloeira poderá receber ordens de compra, com limites máximos indicados, por escrito, pelos interessados. Nesse caso, um funcionário, devidamente credenciado, ficará incumbido de lançar, em nome e lugar do interessado, até o limite autorizado. 11. Serão aceitos, ainda, lances por telefone durante o leilão. Igualmente, o interessado em determinada peça poderá solicitar, por meio de prévio contato telefônico, que um funcionário devidamente credenciado lhe contate também por telefone, no momento do leilão em que for apregoada a peça de seu interesse. Nesses casos, um funcionário, devidamente credenciado, ficará incumbido de lançar, em nome e lugar do interessado, até o limite verbal autorizado, conforme contato telefônico simultâneo ao leilão. Em tais hipóteses, o licitante firmará a credencial de que trata o item 8, na forma ali prevista ou, antes, fornecerá os dados constantes da referida credencial, pelos telefones divulgados para o evento. 12. No ato da arrematação, o interessado pagará o sinal de 30% (trinta por cento) do preço, mais 5% (cinco por cento) referente à comissão da leiloeira. Arrematada a peça e assinada pelo arrematante a credencial de compra, não mais serão admitidas desistências, podendo o saldo do preço ser cobrado via execução judicial. 13. O saldo deverá ser pago contra a entrega da peça, não tendo os organizadores qualquer responsabilidade pela eventual obtenção de crédito ou financiamento para sua aquisição, entendendo‑se que as medidas, para tanto necessárias, são de responsabilidade exclusiva dos adquirentes.


14. Após a licitação, as peças arrematadas estarão à

16. Os interessados têm ciência das condições esta-

disposição dos adquirentes, correndo, a partir desse

belecidas neste regulamento, através do catálogo

momento, por conta exclusiva dos adquirentes, os cui-

do leilão, na medida em que constitui parte deste

dados para conservação das peças. As peças deverão

impresso, ou acessando o site mantido pelos organi-

ser retiradas, no prazo máximo de 3 (três) dias úteis após a data de licitação.

zadores na internet (www.marcellacalsleiloeira.com.br

ou www.soraiacals.com.br), pelo que não poderão

15. A leiloeira, como mandatária dos vendedores e agindo

alegar qualquer desconhecimento dessas condições,

em nome deles, reserva‑se o direito de lançar por

ficando eleito o foro central da Comarca do Estado

eles, de não aceitar lances e de agrupar ou retirar

do Rio de Janeiro, com exclusão de qualquer outro,

lotes, sem nenhuma obrigação de esclarecer os mo-

por mais privilegiado que seja, para dirimir qual-

tivos de sua decisão.

quer incidente alusivo à arrematação ou ao leilão.

Progressão de lances no leilão Até R$1.000,00

De R$20.000,01 a R$50.000,00

De R$500.000,01 a R$1.000.000,00

Lance mínimo de R$100,00

Lance mínimo de R$1.000,00

Lance mínimo de R$20.000,00

De R$1.000,01 a R$5.000,00

De R$50.000,01 a R$100.000,00

De R$1.000.000,01 a R$5.000.000,00

Lance mínimo de R$200,00

Lance mínimo de R$2.000,00

Lance mínimo de R$50.000,00

De R$5.000,01 a R$20.000,00

De R$100.000,01 a R$500.000,00

De R$5.000.000,01 em diante

Lance mínimo de R$500,00

Lance mínimo de R$5.000,00

Lance mínimo de R$100.000,00


Índice A.F.S. 146

JOÃO DE SOUZA (João da Bahia) (atribuído) 2

ADÃO DE LOURDES CASSIANO 89, 93

JOSÉ DO MATOSINHO 139

AMARO RODRIGUES 150

LIA DAS CARRANCAS 12

ANA LEOPOLDINA DOS SANTOS (Ana das Carrancas)

LÍDIA VIEIRA 145

99, 100, 102, 103

LOUCO (Boaventura da Silva Filho) 106, 107,

ANTÔNIA BEZERRA LEÃO 142, 143

108, 109

ANTÔNIA LEOPOLDINA DOS SANTOS 144

LULLY DE CARVALHO 174, 175, 176, 177, 178,

ARMANDO SANTOS XAVIER 153

179, 180, 181, 182, 183, 184, 185, 186, 187,

AUTOR DESCONHECIDO 78, 79, 80, 81, 82, 83, 85, 87,

188, 189, 190, 191

88, 97, 126, 132

LUZIA DANTAS 155

AUTOR DESCONHECIDO (MÃO ESCRAVA) 135, 136,

MESTRE CORNÉLIO (José Cornélio de Abreu) 122

137, 164

MESTRE ROQUE SANTEIRO (ROQUE GOMES

AUTOR NÃO IDENTIFICADO 20, 110, 114, 117, 118,

DA SILVA) 18

119, 120, 121, 124, 125, 127, 128, 129, 130, 131, 133,

MESTRE SABINO 15

166, 172

MESTRE VITALINO (Vitalino Pereira dos Santos)

B. FARIA / ADAILTON / ELIZEU 17

147, 148, 149

BAPTISTA, Paulo Nunes 170

MIRIAM Inês da Silva 86

CERÂMICA CARAJÁ (ILHA DO BANANAL) 140, 141

MOREIRA DO PRADO (atribuído) 28

CERÂMICA DO VALE DA RIBEIRA – SP 159

MUDINHO (Manoel Ribeiro da Costa) 92, 94, 95,

CERÂMICA DO VALE DO JEQUITINHONHA 157, 158

96, 116

DITO 19

PEDRO PAULINO 22, 23, 24, 25

DOMINGOS DA TRINDADE LOPES 14, 104

RENAZE PINTO DO AMARAL 101

EDSON 111

SABINO 112

EUGÊNIA MARIA DA SILVA 151

SYRO 98

F.A. (ARTE POPULAR NORDESTINA) 123

TABIBUIA, Chico 29, 30, 31, 32, 33, 34, 35, 36,

FLÁVIO E AGNALDO 13

37, 38, 39, 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47, 48, 49,

FRANAN 105

50, 51, 52, 53, 54, 55, 56, 57, 58, 59, 60, 61, 62,

G.T.O. (Geraldo Teles de Oliveira) 90

63, 64, 65, 66, 67, 68, 69, 70, 71, 72, 73, 74, 75,

GUARANY, Francisco Biquiba dy Lafuente 4, 5, 8, 21,

76, 77

26, 27

TAMBA (CÂNDIDO SANTOS XAVIER) 153

GUARANY, Ubaldino 1, 3, 6, 7, 9, 10, 11

VICENTINA JULIÃO 91

J. ORDÉLIO 156

ZÉ LOPES 173


NOITE úNICA lotes 1 a 191


Os objetos, duráveis e sem vida, transcendem aos homens, mortais e transitórios, desde que estes, em suas curtas vidas, os conservem.

COLEÇÃO PAULO PARDAL e LULLY DE CARVALHO

O objetivo deste catálogo é convidá-lo a participar do devir de suas peças que, através do leilão, passarão a integrar novas coleções, possibilitando a continuidade de sua história.

Maria Vittoria de Carvalho Pardal


A partir da década de 1950 o casal Paulo Pardal e Lully de Carvalho inicia uma coleção

P

Casamento de Lully de Carvalho e Paulo Pardal em junho de 1955

aulo José Pardal nasceu em Niterói em 1928. Já na adolescência começou a demonstrar o fascínio pela organização de coleções que de alguma forma valorizassem as riquezas deste vasto país. Engenheiro, professor de estatística da UFRJ, Paulo Pardal passou a se dedicar à questão com meticulosidade cartesiana. A possibilidade de percorrer durante décadas todo o Brasil, ministrando seminários sobre produtividade industrial e simplificação do trabalho, permitiu-lhe o contato pessoal com inúmeras manifestações de nossa arte popular. Dentre essas, a primeira que se destacou foi sem dúvida a singularidade das carrancas do médio São Francisco. Além de pesquisar e escrever artigos e um livro de referência sobre o tema, Paulo Pardal organizou a maior coleção de carrancas já vista e não poupou esforços em divulgar, nacional e internacionalmente, essa manifestação de arte popular tão genuinamente brasileira. Suas viagens pelo Brasil, entretanto, tornaram possível além do contato com as carrancas, a organização de uma vasta coleção de arte popular de diferentes artistas e regiões brasileiras. Peças de profunda originalidade, surgidas do barro ou das madeiras brasileiras, foram ao longo de mais de 50 anos sendo adquiridas e estudadas. Não poderia faltar, ao seu interesse de colecionador, a aquisição e também estudo dos ex-votos brasileiros e de nossa tão representativa arte sacra. Em Barra de São João, Paulo Pardal encontrou um singular morador, Chico Tabibuia, analfabeto e culto, cujas esculturas – ousadamente eróticas, algumas monumentais, com até quatro metros de altura – dali saíram para mostras, individuais e coletivas, no Brasil e no estrangeiro. A força de suas peças tem, atualmente, reconhecimento internacional.


A

nna Luiza Torres de Carvalho Pardal, Lully de Carvalho, como sempre se apresentou, nasceu no Rio de Janeiro também em 1928. Desde pequena sentia que a pintura seria seu universo, apesar da forte oposição do pai, para quem o universo artístico não era coisa para uma moça “de família”. Em 1945, aos 17 anos, a moça rebelde, com o apoio da mãe, pianista laureada, e do avô materno que passou a acompanhá-la em todas as atividades artísticas, ingressou no curso de pintura para moças da então diretora da Enba, Georgina de Albuquerque. Em 1946 a futura artista estudou desenho com Osvaldo Teixeira e em 1947, pintura com Carlos Chambelland. Nesse último ano, ousou inscrever-se no Salão Nacional de Belas Artes, então templo da pintura – acadêmica e moderna – no Rio, onde não havia galerias e poucos eram os locais para exposições. Apesar da seleção rigorosa, seu trabalho em pastel foi aceito. Logo em 1948 recebeu menção honrosa no Salão Nacional de Belas Artes e em 1951, medalha de prata. Em 1955 alcançou a grande vitória: o prêmio de viagem ao estrangeiro do Salão Nacional de Belas Artes, tendo sido a primeira mulher brasileira a usufruir desse prêmio. Passou um ano em Paris, na Academia Grande Chaumière, estudando com Henry Goetz, Ives Brayer e Mac Avoy, e um ano viajando e pintando pela Europa e Marrocos. O casal volta ao Brasil em 1958. O amor à arte os une, e iniciase uma história e uma coleção.

Desembarque do casal do navio, 1956


Carrancas do São Francisco

As famosas carrancas do São Francisco constituem um enigma de nossa arte popular, na qual ocupam um lugar de especial destaque, tanto pela notável expressão artística como, principalmente, por sua dupla origi- nalidade. As barcas do rio São Francisco são as únicas embarcações popu- lares de povos ocidentais que apresentaram, de modo generalizado, figuras de proa, pelo menos nos últimos séculos. E elas parecem constituir exemplo único no mundo de esculturas de proa zooantropomorfas.

Paulo Pardal. Carrancas do São Francisco. São Paulo: Martins Fontes, 2006.


1

GUARANY, Ubaldino sĂŠculo XX Carranca Zooantropomorfa escultura em madeira pintada, ass. por Ubaldino e Guarany e dat. 10/11/1981 inf. lat. dir. 95 x 30 x 40 cm


2

JOÃO DE SOUZA (João da Bahia) (atribuído) século XX Carranca (Figura Zooantropomorfa)

escultura em bloco único de madeira pintado, s/ ass. (Santa Maria da Vitória – BA) 85 x 26 x 39 cm


3

GUARANY, Ubaldino século XX Raivoso

escultura em madeira policromada, ass., dat. 22/07/1976, tit., sit. SMV (Santa Maria da Vitória) e com dedicatória a Paulo Pardal lat. inf. peça catalogada na p. 165, foto n. 101, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 98 x 26 x 30 cm


Barca: em primeiro plano a Ubirajara, com carranca da segunda fase de Guarany, em Minas Gerais Foto extraída do livro Carrancas do São Francisco, de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006, p. 34, foto 18)


4

GUARANY, Francisco Biquiba dy Lafuente 1884 – 1985 Muturãn (Carranca Zooantropomorfa da 3ª Fase do Artista)

madeira policromada, ass., tit., sit. Santa Maria – Bahia e com dedicatória a Paulo Pardal na parte inf. peça catalogada na p. 100, foto n. 49, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) e na p. 72 do livro Guarany: 80 anos de carrancas, de Clarival do Prado Valladares (São Paulo: Berlendis & Vertecchia, 1981) 83 x 28 x 45 cm


5

GUARANY, Francisco Biquiba dy Lafuente 1884 – 1985 Tôrian

escultura em madeira policromada, ass., tit., sit. Santa Maria – Bahia e com dedicatória a Paulo Pardal na parte inf. peça catalogada na p. 220, foto n. 149, livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 83 x 43 x 27,5 cm


Guarany: o mestre Francisco Biquiba dy Lafuente Guarany, em sua oficina em Santa Maria da Vitória. Em artigo de Guilherme Azevedo, “A viagem que não termina” (Jornalirismo, 2015)


6

GUARANY, Ubaldino século XX Carranca Zooantropomorfa

escultura em madeira policromada, ass. na parte inf., sit. Santa Maria da Vitória – Bahia e com dedicatória a Paulo Pardal lat. inf. dir. 87 x 27 x 30 cm


7

GUARANY, Ubaldino século XX Gir

escultura em madeira policromada com resquícios de título, ass., sit. BA e com dedicatória a Paulo Pardal na parte inf. peça catalogada na p. 166, foto n. 102, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 83 x 25 x 40 cm


8

GUARANY, Francisco Biquiba dy Lafuente 1884 – 1985 Zulcão (Carranca Zooantropomorfa)

escultura em madeira pintada, ass., tit., sit. Santa Maria – Bahia e com dedicatória a Paulo Pardal na parte inf. 84 x 26 x 33 cm


9

GUARANY, Ubaldino século XX Negão

escultura em madeira policromada, ass., sit. S.M. Vitória – Bahia, com dedicatória a Paulo Pardal centro inf. e tit. lat. dir. 89 x 28 x 33 cm


10

GUARANY, Ubaldino século XX Carranca Zooantropomorfa escultura em madeira policromada, ass. por Ubaldino e Guarany, dat. 15/09/1980 e sit. S.M. Vitória – BA lat. dir.

88 x 24 x 33 cm


11

GUARANY, Ubaldino século XX Feroz

escultura em madeira pintada, ass., dat. 09/77, tit., sit. Santa Maria – Bahia e com dedicatória a Paulo Pardal lat. inf. 85 x 23 x 33 cm


12

LIA DAS CARRANCAS Carranca Zooantropomorfa escultura em bloco único de madeira, ass. na parte inf. (Pirapora – MG) 100 x 40 x 40 cm


13

15

14

13

14

15

FLÁVIO E AGNALDO

DOMINGOS DA TRINDADE LOPES

MESTRE SABINO

Carranca

escultura em bloco único de madeira, ass. na parte inf. (Médio São Francisco – Pirapora – MG) 83 x 24 x 45 cm

Carranca escultura em bloco único de madeira, ass. e dat. 02/02/1977 na base 34,5 x 17 x 12,5 cm

escultura em forma de carranca em bloco único de madeira, ass., dat. 1977 e sit. Petrolina inf. dir. 37 x 23 x 11,5 cm

Carranca


16b

16a

16c

17


19

18

16

17

18

19

Três Carrancas

B. FARIA / ADAILTON / ELIZEU

MESTRE ROQUE SANTEIRO (Roque Gomes da Silva)

DITO

século XX bloco único de madeira, ass. com “R” na base (procedência: provavelmente Petrolina – BA) a) maior: 33 x 16,5 x 11,5 cm b) média: 32 x 18 x 13 cm c) menor: 27 x 13 x 10 cm (página ao lado)

século XX Conjunto de três carrancas

(Região de Petrolina – PE)

a) B. FARIA escultura em bloco único de madeira, ass. na base 22 x 8 x 9,5 cm b) ADAILTON escultura em bloco único de madeira, ass. na parte inf. 24 x 11 x 11 cm c) ELIZEU carranca de cachorro, escultura em bloco único de madeira, ass. na parte inf. 17 x 12 x 8 cm (página ao lado)

Carranca de Cavalo escultura em bloco único de madeira, ass. na lateral (Afrânio – PE) 66 x 25 x 46 cm

Carranca de Cavalo escultura em bloco único de madeira de lei, ass. na base (década de 1970/1980) (Petrolina – BA) 32 x 15,5 x 10 cm


20

AUTOR NÃO IDENTIFICADO Pequena Carranca escultura em madeira partido raro, que deve ter pertencido a um paquete catalogada sob a foto n. 63, na p. 125, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 32 x 47 x 14 cm (detalhe na página ao lado)


21

GUARANY, Francisco Biquiba dy Lafuente (atribuído) 1884 – 1985 Carranca Navegada de Leão

escultura em bloco único de madeira, pertenceu à Coleção Luís Vianna Filho e provavelmente pertenceu à Barca Oliveira atribuída ao artista pelo seu filho, Ubaldino 59 x 45 x 25 cm (foto da peça na exposição na página ao lado)


22

23

22

23

PEDRO PAULINO

PEDRO PAULINO

Carranca Zooantropomorfa

Carranca

escultura em madeira policromada, ass. com as iniciais na base peça catalogada na p. 166, foto n. 103, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 50 x 17 x 20 cm

escultura em madeira policromada, ass. com as iniciais na base peça catalogada na p. 166, foto n. 103, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 78 x 21 x 24 cm


25

24

24

25

PEDRO PAULINO

PEDRO PAULINO

Carranca Zooantropomorfa

Carranca

escultura em madeira policromada, s/ ass. 60 x 22 x 17 cm

escultura em bloco único de madeira policromada, ass. na base 26 x 9 x 9 cm


26

GUARANY, Francisco Biquiba dy Lafuente 1884 – 1985 Carranca

escultura em bloco único de madeira, s/ ass. última carranca esculpida pelo artista, em 1979 Reproduzida na p. 79 do livro Guarany: 80 anos de carrancas, de Clarival do Prado Valladares (São Paulo: Berlendis & Vertecchia, 1981) 87 x 25 x 30 cm


Troncos de cedro, em início de desgaste, para escultura de carrancas Foto extraída do livro Carrancas do São Francisco, de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006, p. 231, foto 158)


27

GUARANY, Francisco Biquiba dy Lafuente 1884 – 1985 Carranca Inacabada

escultura em tronco de cedro, s/ ass. processo de elaboração explicado na p. 131, foto n. 158, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 84 x 24 x 36 cm


28

MOREIRA DO PRADO (atribuído) Carranca Navegada escultura em bloco único de madeira peça catalogada sob a foto de n. 70, na p. 136, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) atribuída a Moreira do Prado por Guarany e adquirida por Paulo Pardal em 1970 do desembargador Deoclisiano Martins de Oliveira Filho, que a recolhera na cidade de Barra, em 1956 com a base: 114 x 43 x 38 cm sem a base: 90 x 22 x 33 cm


Chico Tabibuia

Meu estudo (dom) veio do berço e quem está acompanhando são anjos do céu. Durmo e tem um Velho que ensina, que é Deus. O senhor estuda nos livros. Eu estudo nos sonhos. Chico Tabibuia

Paulo Pardal. A escultura mágico-erótica de Chico Tabibuia. Rio de Janeiro, Uerj; Erca, 1989


29

30

29

30

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo

1936 – 2007 Falo-Menina Figurativo

escultura em madeira 32 x 7,5 x 7,5 cm

escultura em madeira com olhos em jacarandá (aplicados) Reproduzido na p. 20 do livro A escultura mágico-erótica de Chico Tabibuia, de Paulo Pardal (Rio de Janeiro: Uerj; Erca, 1989) 27 x 6 x 7 cm


31

32

31

32

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo

1936 – 2007 Falo Negro Figurativo

escultura em madeira policromada 39 x 7 x 8 cm

escultura em madeira 20 x 5,5 x 6 cm


33

34

33

34

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo

1936 – 2007 Falo Figurativo

escultura em madeira com dentes esculpidos 31 x 7 x 8 cm

escultura em madeira 31 x 6,5 x 7 cm


35

36

35

36

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo

1936 – 2007 Falo Menina Figurativo

escultura em madeira 33,5 x 7 x 7 cm

escultura em madeira 30 x 7 x 7,5 cm


37

38

37

38

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo

1936 – 2007 Falo Figurativo

escultura em madeira 28 x 7 x 6,5 cm

escultura em madeira 31 x 7 x 6,5 cm


39

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Falo-Mulher Figurativo

escultura em madeira Reproduzido na p. 20 do livro A escultura mágico-erótica de Chico Tabibuia, de Paulo Pardal (Rio de Janeiro: Uerj; Erca, 1989) 30 x 5,5 x 7 cm


41 40

40

41

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo com Pata

1936 – 2007 Falo Figurativo

escultura em madeira 31,5 x 6,5 x 6 cm

escultura em madeira 35 x 7,5 x 8 cm


43

42

42

43

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo

1936 – 2007 Falo Figurativo

escultura em madeira 31 x 5 x 6,5 cm

escultura em madeira 48 x 9,5 x 8 cm


44

45

44

45

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo com Cabeça Feminina

1936 – 2007 Falo Figurativo

escultura em madeira 50 x 8 x 9 cm

escultura em madeira 34 x 7 x 8 cm


46

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Falo Figurativo

escultura em madeira 36 x 6 x 8 cm


47

48

47

48

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo-Saci Figurativo

1936 – 2007 Falo-Saci Figurativo

escultura em madeira 64 x 6 x 6,5 cm

escultura em madeira 52 x 6,5 x 7,5 cm


49

50

49

50

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo com Chapéu

1936 – 2007 Falo Figurativo com Cabeça Cônica

escultura em madeira Reproduzido na p. 20 do livro A escultura mágico-erótica de Chico Tabibuia, de Paulo Pardal (Rio de Janeiro: Uerj; Erca, 1989) 45 x 8 x 8 cm

escultura em madeira 46 x 7 x 9 cm


51

52

51

52

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Falo Figurativo

1936 – 2007 Falo Figurativo com Serpente

escultura em pinho-de-riga 28 x 6 x 7,5 cm

escultura em madeira 41 x 6 x 11 cm


53

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Falo Figurativo

escultura em madeira 26 x 5,5 x 6 cm

54

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Falo Figurativo

escultura em madeira 38 x 6,5 x 8 cm 53

54


55

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Cajado Figurativo

escultura em madeira 96,5 x 5 x 5 cm

56

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Cajado Figurativo 55 56

escultura em madeira 97 x 6 x 6 cm


57

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Perna

escultura em madeira 86 x 16 x 9 cm


58

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Casal de Exus

escultura em bloco de vinhático, com n. 179 do Inventário Paulo Pardal (1992) 56,5 x 11,5 x 14 cm


59

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Casal de Exus

escultura em madeira, com n. 172 do Inventário Paulo Pardal (1991) 58 x 9,5 x 11 cm


60

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Casal de Exus

escultura em madeira 171 x 38 x 32 cm (detalhe na página ao lado)


61

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Exu de 5 Faces / Família de Exus

escultura em bloco único de madeira peça com reprodução fotográfica por Paulo Pardal na Enciclopédia Itaú Cultural, no verbete do artista 163 x 45 x 45 cm (detalhe na página ao lado)


62

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Exu Caveira

escultura com corpo em figueira mata-pau e busto de oiticica (1982/1983) (Casimiro de Abreu – RJ) Reproduzido na p. 25 do livro A escultura mágico-erótica de Chico Tabibuia, de Paulo Pardal (Rio de Janeiro: Uerj; Erca, 1989) 200 x 64 x 49 cm (detalhe na página ao lado)


63

64

63

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Onça

escultura em madeira, com n. 194 do Inventário Paulo Pardal na parte interna 40 x 113 x 29 cm

64

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Touro

escultura em madeira 48 x 60 x 35 cm

65

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Cobra com Pássaro na Base

65

escultura em madeira, com n. 20 do Inventário Paulo Pardal na base 50 x 38 x 19 cm


66

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Jacaré

escultura em madeira, com n. 18 do Inventário Paulo Pardal (1982/1983) 24 x 182 x 65 cm


67

67

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Cobra Areliô (ou Arereô)

escultura em cipó, com n. 19 do Inventário Paulo Pardal (1982/1983) 34 x 56 x 49 cm

68

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Cobra

68

escultura em cipó, com n. 14 do Inventário Paulo Pardal (1982/1983) 75 x 95 x 33 cm


69

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Cobra

escultura em cipó, com n. 11 do Inventário Paulo Pardal (1982/1983) 112 x 135 x 69 cm


70

70

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Tucano Calçado de Espora

escultura em madeira maciça, com n. 21 do Inventário Paulo Pardal (1982/1983) 29,5 x 57,5 x 6,5 cm

71

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Pássaro com Pé

71

escultura em madeira entalhada, com n. 166 do Inventário Paulo Pardal (1981) 80 x 25 x 5,5 cm


72

73

72

73

TABIBUIA, Chico

TABIBUIA, Chico

1936 – 2007 Peixe

1936 – 2007 Sapo Fumando Cachimbo

escultura em madeira entalhada (1980/1981) Reproduzido na p. 65 do livro A escultura mágico-erótica de Chico Tabibuia, de Paulo Pardal (Rio de Janeiro: Uerj; Erca, 1989) 52 x 95 x 20 cm

escultura em madeira, com n. 187 do Inventário Paulo Pardal (1995) 11 x 18 x 31 cm


74

74

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Gamela com Cabeça de Exu

escultura em bloco único de madeira, com n. 148 do Inventário Paulo Pardal (1990) 24 x 47 x 30 cm

75

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Banco Sapo

75

tampo em madeira maciça, com quatro apoios roliços e pés em cipó, com n. 33 do Inventário Paulo Pardal (1984/1985) 45 x 43 x 31 cm


76

76

TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Canoa

escultura em forma de barco fálico com barqueiro fumando charuto, com n. 230 do Inventário Paulo Pardal (2000) (Casimiro de Abreu – RJ) 19 x 44 x 17 cm

77 TABIBUIA, Chico 1936 – 2007 Sem Título

escultura em raiz de mangueira 9 x 10,5 x 21 cm

77


Arte Popular Em todos os países é cada vez maior a preocupação com a proteção de seus bens culturais, o que é especialmente válido quanto à arte popular, que desaparece progressivamente em virtude da produção industrial e da penetração dos meios de comunicação, que difundem o uso de produtos e ideias modernas.

Paulo Pardal. Carrancas do São Francisco. São Paulo: Martins Fontes, 2006.


78

AUTOR DESCONHECIDO Ex-Voto (Cabeรงa) escultura em madeira 23 x 15 x 14 cm


81 79

80

79

80

81

AUTOR DESCONHECIDO

AUTOR DESCONHECIDO

AUTOR DESCONHECIDO

Ex-Voto (Cabeรงa)

Ex-Voto (Cabeรงa)

Ex-Voto (Cabeรงa)

escultura em madeira 16,5 x 9 x 10 cm

escultura em madeira 19,5 x 10 x 8,5 cm

escultura em madeira 24 x 13 x 13 cm


82

83

82

83

AUTOR DESCONHECIDO

AUTOR DESCONHECIDO

Ex-Voto (Cabeรงa)

Ex-Voto (Cabeรงa)

escultura em madeira 18,5 x 10,5 x 8,5 cm

escultura em madeira 22 x 12 x 10 cm


84

85

84

85

AUTOR DESCONHECIDO

AUTOR DESCONHECIDO

Ex-voto (Cabeça)

Ex-Voto (Cabeça Feminina)

papier mâché, provavelmente português 10,5 x 10,5 x 6,5 cm

escultura em madeira policromada 13 x 11 x 8 cm


86

MIRIAM Inês da Silva 1938 – 1996 Santana Mestre

óleo s/ madeira, ass. e dat. 1972 inf. dir. 50 x 31 cm


87

AUTOR DESCONHECIDO Ex-Voto (Menino) escultura em madeira com braรงos articulados 28,5 x 11,5 x 8,5 cm


88

AUTOR DESCONHECIDO Ex-Voto (Menina) escultura em madeira com cabelo natural 44 x 19 x 10 cm


89

ADÃO DE LOURDES CASSIANO 1945 Árvore com Flores, Animais e Frutos

escultura em tronco único em madeira, ass. na parte inf. (Mariana – MG) 85 x 42 x 45 cm


90

91

90

91

G.T.O. (Geraldo Teles de Oliveira)

VICENTINA JULIÃO

1913 – 1990 Família

1955 Roda

escultura em dupla face em formato de domo com três figuras, ass. na parte inf. (década de 1970) 31,5 x 24,5 x 7 cm

escultura em madeira entalhada, formando dois círculos de figuras e ass. no centro inf. (Prados – MG) 100 x 39 x 21 cm


92

MUDINHO (Manoel Ribeiro da Costa) (atribuído) 1906 – 1987 Leão

escultura em bloco único de madeira, s/ ass. (década de 1970) 20 x 41 x 15 cm


93

ADÃO DE LOURDES CASSIANO (atribuído) 1945 Leão

escultura em madeira entalhada, s/ ass. (Mariana – MG) 23,5 x 53 x 17 cm


94

94

MUDINHO (Manoel Ribeiro da Costa) 1906 – 1987 Gamela Pássaro

escultura em bloco único de madeira 18 x 71 x 21 cm 95

95

MUDINHO (Manoel Ribeiro da Costa) 1906 – 1987 Gamela Pássaro

escultura em bloco único de madeira (década de 1970) 44,5 x 79 x 25 cm

96

MUDINHO (Manoel Ribeiro da Costa) 1906 – 1987 Gamela Ganso

96

escultura em bloco único de madeira, ass. e n. 149 no verso 23 x 48 x 5,5 cm


97

97

AUTOR DESCONHECIDO Pássaro escultura inspirada nas carrancas sãofranciscanas Reproduzida sob a foto de n. 90, na p. 157, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 65 x 43 x 17 cm

98

SYRO Notável Carranquinha (Inspirada no Minhocão) escultura zooantropomorfa, policromada, ass. no centro inf. (adquirida em Recife – PE) (1980) peça catalogada na p. 170, foto n. 106, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 15 x 5,5 x 12 cm

98


99

100

99

100

101

Ana Leopoldina dos Santos (ANA DAS CARRANCAS)

Ana Leopoldina dos Santos (ANA DAS CARRANCAS)

RENAZE PINTO DO AMARAL

1923 – 2008 Pequena Carranca

cinzeiros promocionais para a revista O Cruzeiro em forma de barcas com carrancas, todos marcados com símbolo da revista e um com descrição técnica no verso; foram encomendados em 1960 à autora, que fez seis miniaturas de carrancas em barro cozido garantindo a tipologia original Duas peças catalogadas na p. 169, foto n. 104, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 1) 9 x 18 x 8 cm 2) 9 x 18 x 9,5 cm (página ao lado)

1923 – 2008 Conjunto de 3 Pequenas Gangulas

conjunto de três esculturas em barro cozido vitrificado, sendo uma assinada na parte inferior (Petrolina – PE) verde: 7 x 8 x 5 cm | marrom: 11 x 16 x 6,5 cm | verde musgo: 10 x 12 x 4,5 cm

escultura em barro cozido, s/ ass. (Petrolina – PE) 12 x ø8 cm

Conjunto de 2 Barcas com Carranca


101

102

103

102

103

Ana Leopoldina dos Santos (ANA DAS CARRANCAS) (atribuído) e Outros Autores

Ana Leopoldina dos Santos (ANA DAS CARRANCAS)

1923 – 2008 Conjunto de 5 Cinzeiros

1923 – 2008 Gangula

esculturas em cerâmica com carrancas em forma de cinzeiro 1) Ana das Carrancas (atribuído): 8,5 x 18 x 7,5 cm (Petrolina – PE) 2) Lembrança do Grande Hotel Juazeiro do Norte (ass. Jordélio na parte da base): 5,5 x 16,5 x 5 cm 3) Conjunto de 3 cinzeiros-barcas ainda com policromia incompleta, provavelmente brinde da revista O Cruzeiro [a) 8,5 x 17,5 x 8 cm | b) 10 x 16,5 x 8 cm | c) 9 x 17, x 8,5 cm]

escultura em barro cozido, ass. lat. dir. (Petrolina – PE) 10 x 23 x 4,5 cm


104

DOMINGOS DA TRINDADE LOPES 1951 Pequena Barca Ornada com Carranca Esculpida na Proa

escultura em madeira, ass., dat. 1982 e sit. Pernambuco inf. esq. 14,5 x 43 x 11 cm


105

FRANAN Barca do SĂŁo Francisco escultura em madeira em formato de barco com carranca na proa e cobertura de palha, ass., dat. 1982 e sit. Petrolina no verso 32,5 x 74 x 23 cm


107

106

106

107

LOUCO (Boaventura da Silva Filho)

LOUCO (Boaventura da Silva Filho)

1932 – 1992 Homem com Crianças

1932 – 1992 Apóstolo

escultura em madeira entalhada, s/ ass. 105 x 35 x 20 cm

escultura em madeira entalhada, ass. no verso 66 x 25 x 16,5 cm


108

109

108

109

LOUCO (Boaventura da Silva Filho)

LOUCO (Boaventura da Silva Filho)

1932 – 1992 Profeta

1932 – 1992 Santa Ceia

escultura em madeira entalhada, s/ ass. 75,5 x 33 x 10 cm

escultura em bloco único de jacarandá, ass. no verso 22 x 59 x 5 cm


110

AUTOR NÃO IDENTIFICADO Figuras Rituais de Terreiro de Candomblé ou Umbanda conjunto de duas esculturas figurativas policromadas de figa para uso ritual maior: 42 x ø7 cm menor: 33 x ø3 cm


111

112

111

112

EDSON

SABINO

Cabeรงa Masculina

Figura

escultura em madeira, ass. lat. esq. 47 x 19 x 20 cm

escultura em bloco de madeira, ass. inf. dir. 86 x 25 x 28 cm


114 113

113

114

AUTOR DESCONHECIDO

AUTOR DESCONHECIDO

Ex-Voto (Costas com Saliência)

Ex-Voto (Mão)

escultura em madeira 24 x 20,5 x 3,5 cm

escultura em madeira maciça, s/ ass. 20 x 8 x 5,5 cm


115

Conjunto de 7 Ferramentas Originais do AteliĂŞ do Mestre Guarany composto de cortador de entalhe grande, cortador de entalhe pequeno, martelo de madeira, entalhador e 3 formĂľes (1 grande, 1 mĂŠdio e 1 pequeno) maior: 29 x 13 x 10 cm menor: 16 x 2 x 1,8 cm


116

117

118

116

117

118

MUDINHO (Manoel Ribeiro da Costa) (atribuído)

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

século XX Capuchinho escultura em madeira, s/ ass. (década de 1970) (Salvador – BA) 26 x 9,5 x 7,5 cm

século XX Santo escultura em bloco de madeira, s/ ass. (década de 1970) (Salvador – BA) 21,5 x 7 x 6 cm

1906 – 1987 Orante escultura em bloco único de madeira, s/ ass. (década de 1970) 84 x 15 x 17 cm


119

120

121

119

120

121

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

século XX Santana Mestra escultura em bloco único de jacarandá, s/ ass. (década de 1970) (Salvador – BA) 39 x 13 x 11,5 cm

século XX Nossa Senhora da Conceição escultura em bloco único de jacarandá, s/ ass. (década de 1970) (Salvador – BA) 41 x 15 x 11,5 cm

século XX Apóstolo escultura em bloco único de jacarandá, s/ ass. (década de 1970) (Salvador – BA) 41 x 13,5 x 11 cm


122

123

122

123

MESTRE CORNÉLIO (José Cornélio de Abreu)

F.A. (ARTE POPULAR NORDESTINA)

1956

século XX Oratório de Viagem (acessório que acompanha romeiros viajantes)

Ressurreição escultura em bloco único de madeira entalhado, ass., dat. 1975 e sit. Teresina – Piauí no verso 56 x 21 x 5 cm

escultura em bloco único de madeira com partes entalhadas na frente e iniciais do artista no verso, representando N. Senhora, Jesus Cristo e Padre Cícero aberto: 39 x 12 x 6 cm fechado: 39 x 26 x 6 cm


125

124

124

125

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

século XIX Oratório de Viagem

século XIX Oratório de Viagem

madeira policromada na parte interna, com N. Senhora, Jesus Cristo e São José entalhados na própria peça (Nordeste brasileiro) aberto: 23 x 18 x 5 cm fechado: 23 x 8 x 5 cm

madeira policromada em tons de verde, bege e dourado, com N. Senhora, Jesus Cristo e São José entalhados na própria peça (Nordeste brasileiro) aberto: 21,5 x 17 x 3,5 cm fechado: 21,5 x 7 x 6 cm


126

AUTOR DESCONHECIDO Vaca escultura em madeira entalhada com pintura que reproduz o couro da vaca, com patas articuladas, rabo de couro e crina natural de animal (Goiรกs) 24 x 41 x 9 cm


127

AUTORES DESCONHECIDOS São Jorge e São Lázaro esculturas em madeira com vestimentas em tecido, s/ ass. São Jorge: 32,5 x 20 x 8 cm São Lázaro: 41 x 19,5 x 15 cm


128

AUTOR NÃO IDENTIFICADO século XIX Cristo Crucificado

escultura brasileira representando Cristo Crucificado (com todas as ferramentas da crucificação) em madeira policromada 56 x 29 x 12,5 cm


129

AUTOR NÃO IDENTIFICADO século XVIII Menino Deus

escultura em madeira policromada, com coroa em prata de lei e peanha original (Maranhão) com base: 43 x 14 x 8 cm sem base: 21 x 14 x 5 cm


131

130

130

131

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

século XIX São José de Botas

Nossa Senhora com Menino Jesus

escultura brasileira em madeira policromada 55 x 20 x 13 cm

escultura possivelmente alemã em madeira policromada, timbrada no verso (timbre estrangeiro) com base: 68,5 x 26 x 16 cm sem base: 55 x 17 x 12 cm


132

133

132

133

AUTOR DESCONHECIDO

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

Ex-Voto

século XIX Nossa Senhora da Conceição da Praia

escultura em madeira policromada, s/ ass. (Portugal) 35 x 13 x 11 cm

escultura em madeira policromada, s/ ass. (Bahia) 25 x 12 x 6,5 cm


134

MÃO ESCRAVA século XIX Oratório

madeira de lei; com duas portas e frontão com forte influência afrobrasileira; policromia original em azul claro (Minas Gerais) aberto: 77 x 72 x 17 cm fechado: 77 x 41 x 17 cm


135

AUTOR DESCONHECIDO (MÃO ESCRAVA) Oratório de Residência (Devoção) madeira decorada com pinturas de flores no interior aberto: 77 x 72 x 17 cm fechado: 77 x 41 x 17 cm


136

AUTOR DESCONHECIDO (MÃO ESCRAVA) Oratório de Residência madeira com pintura decorativa no interior e duas portas aberto: 76 x 45,5 x 15 cm fechado: 76 x 37 x 15 cm


137

MÃO ESCRAVA / ERUDITO Oratório madeira decorada com cenas religiosas no interior das portas (caixa de mão escrava e portas de arte erudita) aberto: 86 x 101 x 40 cm fechado: 86 x 61 x 40 cm


138 Tábua Votiva (Ex-voto) (Milagre Pintado em Placa de Madeira) século XVIII óleo s/ madeira, s/ ass. e com o seguinte texto na parte inferior: “Me Fes NS Mattosinhos, a Isabel Gonçalves dos Anjos, mulher de Manoel Esteves, que depois de passados 9 anos enferma, nos últimos 4 meses, com mais eficácia padecia grandes aflições no coração e no corpo todo que ardia em vivaz chama, sem febre a recusa nesta consternação vendo-se bastante aflita e recorrendo do dito senhor alcançou muitas melhoras até que de todo ficou livre da referida moléstia para memória mandou fazer no presente ano de 1787” 22 x 33,5 cm


139

JOSÉ DO MATOSINHO século XVII Tábua Votiva (Ex-Voto) (Milagre Pintado em Placa)

óleo s/ madeira, s/ ass., representando a benção de Cristo ao enfermo e com o seguinte texto legível na parte superior: “ao Bom Jesus de Mattosinho (...) Anna Felicia de S. Luz Silveira (...) 1785” (Aparecida – SP) 30,5 x 43,5 cm


140

CERÂMICA CARAJÁ (Ilha do Bananal) Conjunto de 7 Peças esculturas em barro pintado representando figuras da tribo em tipos e costumes da época, e animais como o tamanduá medidas diversas (maior: 27 x 14 x 8 cm | menor: 12 x 6,5 x 5 cm)


141

CERÂMICA CARAJÁ (Ilha do Bananal) Conjunto de 11 Esculturas cerâmica antiga Carajá, representando o cotidiano com figuras em barro pintado com adereços de palha medidas diversas (maior: 12 x 17 x 6 cm | 10 x 5,5 x 6 cm)


142

143

142

143

ANTÔNIA BEZERRA LEÃO

ANTÔNIA BEZERRA LEÃO

1914 – 1990 Apóstolo

1914 – 1990 Apóstolo

escultura em barro cozido, ass., sit. Tracunhaém lat. dir. e ass. na parte de trás (década de 1970) (Tracunhaém – PE) 47 x ø15 cm

escultura em barro cozido, ass. na base (década de 1970) (Tracunhaém – PE) 47 x ø14,5 cm


144

ANTÔNIA LEOPOLDINA DOS SANTOS 1914 – 1990 São Francisco

escultura em barro cozido, ass. e sit. Tracunhaém lat. esq. (década de 1970) 43,5 x ø16 cm


145

LÍDIA VIEIRA 1911 Representação Religiosa Feminina

escultura em barro cozido, s/ ass. (Tracunhaém – PE) 22 x ø11,5 cm


146

A.F.S. Casal de Idosos e Homem no Jumento conjunto de duas esculturas em barro, s/ ass. (década de 1950) 1) Casal de Idosos cerâmica, ass. A.F.S. no verso (no estado) 17 x 13 x 7,5 cm 2) Homem no Jumento cerâmica de jacobina (etiqueta no verso) 15 x 13 x 6 cm


147

MESTRE VITALINO (Vitalino Pereira dos Santos) 1909 – 1963 Boi

escultura em barro cozido, ass. no centro esquerdo (símbolo da obra do artista) 27 x 23,5 x 9 cm


148

MESTRE VITALINO (Vitalino Pereira dos Santos) 1909 – 1963 Vaquejada

escultura em barro cozido, ass. no verso 11 x 20,5 x 11,5 cm


149

MESTRE VITALINO (Vitalino Pereira dos Santos) 1909 – 1963 Cangaceiro a Cavalo

escultura em barro cozido, ass. no centro esquerdo 21,5 x 18 x 8 cm


150

AMARO RODRIGUES Casamento a Cavalo e Vaqueiro grupo escultórico em barro policromado, ass. na parte interna dos cavalos (Alto do Moura, Caruaru – PE) casamento a cavalo: 25,5 x 22,5 x 10 cm vaqueiro: 23 x 20,5 x 9 cm


151 EUGÊNIA MARIA DA SILVA Galinho do Céu e N. S. Caminhante a) Galinho do Céu

(Taubaté, Vale do Paraíba – SP) (1975) 25,5 x 15 x 11 cm b) Nossa Senhora Caminhante

(Taubaté, Vale do Paraíba – SP) (década de 1970) 18 x 9,5 x 10 cm


152

Conjunto de Três Esculturas esculturas em barro cru pintado, representando zebra (13 x 17,5 x 6,5 cm), galo (16,5 x 14 x 5,5 cm) e Adão e Eva no Paraíso (18 x 11 x 12 cm)


153

TAMBA (Cândido Santos Xavier) / ARMANDO SANTOS XAVIER 1934 – 1987 / ? Menino Nu e Macaco

esculturas em barro cru pintado, representando menino nu (21 x 8 x 7 cm) e macaco (5,5 x 4 x 3,5 cm) (década de 1970) (Cachoeira – BA)


154 Capoeiristas dois grupos escultóricos em barro cozido, s/ ass. (década de 1970) (Salvador – BA) a) 12 x 12,5 x 8,5 cm b) 9,5 x 13 x 9,5 cm


155

LUZIA DANTAS 1937 Casa de Farinha

escultura em madeira entalhada com 6 figuras, ass., tit. e sit. S. Vicente – Rio Grande do Norte na parte frontal 20 x 28 x 23 cm


156

J. ORDÉLIO Gaiola Otávio Carneiro (Gaiola de São Francisco) miniatura de barco do Rio São Francisco – Bahia com etiqueta do artista na parte inferior (Juazeiro – BA) 25 x 28 x 7,5 cm


157

CERÂMICA DO VALE DO JEQUITINHONHA Figura Zooantropomorfa moringa em barro pintado, s/ ass. 40 x 18 x 21 cm


158

158

CERÂMICA DO VALE DO JEQUITINHONHA Figura Zooantropomorfa escultura em barro cozido pintado, s/ ass. 41 x 28 x 24 cm

159

CERÂMICA DO VALE DA RIBEIRA – SP Figura Zooantropomorfa moringa em barro cozido, s/ ass. referência: provável Cerâmica de Apicú – Vale da Ribeira – SP 43 x ø25 cm

159


160

160

Par de Donzelas vidro arredondado 56 x ø20 cm

161 161

Par de Castiçais estanho; com base redonda 21 x ø12,5 cm


162

162

Cômoda século XX estrutura em madeira retangular, pés quadrangulares, duas gavetas pequenas e duas gavetas grandes 120 x 93,5 x 59 cm

163

Cômoda século XX estrutura em madeira retangular, com pés quadrangulares, duas gavetas pequenas em cima e dois gavetões 112 x 140 x 88 cm

180 163


164

165

164

165

MĂƒO ESCRAVA

Par de Cadeiras de Congada Para Festa de Reisado

Conjunto de 4 Cadeiras de Congada para Festa de Reisado estrutura em madeira quadrangular, pĂŠs em formato de X e encosto e assento em couro pirogravado tacheado 84 x 30 x 56 cm

estrutura quadrangular, encosto em estrutura de madeira e assento em couro pirogravado a) 86 x 35,5 x 57 cm b) 82 x 33,5 x 52 cm


166

167

166

167

AUTOR NÃO IDENTIFICADO

Par de Cadeiras Savonarola

século XIX Espreguiçadeira de Fazenda

estrutura de madeira, assento de encosto retangular de palhinha, apoio de braço em couro e pés em formato de X quadrangular (Brasil) 89,5 x 50,5 x 82 cm

de braços, com extremidade superior do espaldar arqueada e recortada interrompe duas reservas de movimentação em harmonia com o arco do dito espaldar; nessas reservas, entre o assento e o arco que cinge o espaldar, tabela tripartida em formato de “Y” 87 x 72 x 45 cm


168

169

168

169

Conjunto de 6 Matrizes de Xilogravura

Conjunto de 7 Matrizes de Xilogravura

para impressĂŁo de livros de cordeis de tamanhos variados

para impressĂŁo de livros de cordeis de tamanhos variados


170

171

170

171

BAPTISTA, Paulo Nunes

Coleção de 23 Livros de Cordel

1924 – 2019 Um Drama nas Selvas do Amazonas (Cordel)

publicação com 32 páginas (São Paulo: Prelúdio Limitada, 1958) 18 x 3,5 cm

14 exemplares editados por João José da Silva (sendo dois com dedicatória a Paulo Pardal datado de 1963 – Juazeiro do Norte, CE), dois por José Bernardo da Silva (Recife, PE), um por José Pedro Pontual, um por Francisco Sales Areda, um por Manuel de Assis Campina, um por Francisco da Silva, um por Alfredo Cesário e duas edições independentes


172

AUTOR NÃO IDENTIFICADO Exu Sobrenatural escultura em ferro forjado, de uso ritual em terreiro de candomblé ou umbanda (Salvador – BA) 22 x 6,5 x 9 cm


173

ZÉ LOPES Dança de Bumba-meu-Boi conjunto de 12 figuras representando bumba meu boi, com estrutura das bonecas em metal com rica policromia de plumas, lantejoulas e lã de cores diversas, ass. na parte traseira, tit. e sit. São Luís do Maranhão na parte frontal 24 x ø34 cm


Lully de Carvalho “Meus

pincéis

são

a

continuação

de

meus dedos, de tal forma que os sinto.”

Lully de Carvalho


Retratos da vida. Quadro que ganhou o prĂŞmio de viagem ao estrangeiro e se encontra no Museu Nacional de Belas Artes


Foto de capa da revista Brasil Rotário, de julho de 1956, com entrevista sobre o prêmio de viagem. Lully sentada na mala-armário que levará na viagem com autorretrato em tamanho natural ao fundo


Vernissage da exposição no retorno do prêmio de viagem Lully com o quadro Concierge parisiense ao fundo


174

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Concierge Parisiense

óleo s/ tela, ass. inf. dir. (década de 1950) 100 x 76 cm


175

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Nu Feminino

óleo s/ tela, ass. sup. esq. (década de 1950) 73,5 x 60 cm


176

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Nu Feminino

óleo s/ tela colada em chapa de madeira industrializada, ass. inf. esq. (década de 1950) 73 x 54 cm


177

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Autorretrato

pastel s/ papel, ass. inf. esq. (década de 1940) 47 x 32 cm


178

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Estudo de Academia

óleo s/ tela, s/ ass. (década de 1950) 52 x 43 cm


179

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Academia

óleo s/ tela, ass. inf dir. e com selo do Salão Nacional de Belas Artes de 1959 no verso 90 x 115 cm


Lully com amigo escultor


Lully em seu atelier


180

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Vaso com Flores e Bandolim

óleo s/ tela, ass. inf. esq. (década de 1950) 65 x 81 cm


181

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Marinha

óleo s/ tela, ass. inf. dir. (década de 1950) 31 x 48 cm


182

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Paisagem do Rio com o Pão de Açúcar ao Fundo

óleo s/ tela, ass. e dat. 1949 inf. dir. 28 x 43 cm


183

183

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Paisagem de Veneza (Ponte de Rialto)

óleo s/ papel colado em chapa de madeira industrializada, ass. inf. esq. (década de 1950) 24 x 33 cm

184

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Marrocos

óleo s/ tela, ass. e dat. 1958 inf. dir. 73,5 x 54 cm

184


185

186

LULLY DE CARVALHO

LULLY DE CARVALHO

1928 – 2017 Paisagem (Quatis)

1928 – 2017 Igreja Mineira

óleo s/ tela, ass. inf. esq. e tit. no verso 37 x 46 cm

óleo s/ chapa de madeira industrializada, ass. e dat. 1969 inf. esq. 46 x 37,5 cm (página ao lado)


187

187

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Figura Feminina

óleo s/ tela, ass., dat. 1978 inf. dir., ass. e dat. 1978 no verso 46 x 38 cm

188

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Figura Feminina

óleo s/ tela, ass. e dat. 1980 inf. esq. 61 x 50 cm 188


189

189

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Carranca

óleo s/ tela, ass., dat. 1974 inf. esq. e com carimbo do Salão Nacional de Belas Artes no verso baseada em carranca catalogada na p. 123, foto n. 62, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 73 x 60 cm

190

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Carranca com Fundo Vermelho

190

óleo s/ tela, ass. e dat. 1973 inf. esq. baseada em carranca catalogada na p. 213, foto n. 141, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 77 x 52 cm


191

LULLY DE CARVALHO 1928 – 2017 Carranca

óleo s/ tela, ass. e dat. 1973 inf. esq. baseada em carranca catalogada na p. 181, foto n. 115, do livro Carrancas do São Francisco (3ª edição), de Paulo Pardal (São Paulo: Martins Fontes, 2006) 73 x 54 cm


Baile da passagem da Linha do Equador no navio


Créditos

Catálogo

Exposição

Coordenação, produção editorial e design Soraia Cals

Cenografia

Catálogo, fotografia digital, manipulação e tratamento de imagens Felipe Araujo

Coordenação editorial e site Maria Fernanda Cals Revisão Maria Vittoria de Carvalho Pardal

Jorge Mendes Produção Felipe Rezende Alves

Francisco Roberto F. de Almeida Saulo de Oliveira Rezende Colaboradores Luiz Carlos Franzão

Rosalina Gouveia

Digitalização e tratamento das fotos antigas e montagem dos painéis fotográficos

Consultoria

André Marini Ferreira

Ana Maria de Aguiar RESTAURAÇÃO Marconi Edson Mendonça Araújo Ana Eliza Frazão Manoel Batista Filho

Administração Gerência executiva Joseane Amorim Departamento jurídico Marcela Casé Secretaria Regina Toscano Arquivo e organização das obras Elizabeth S. F. Oliveira

Agradecimentos Ana Maria de Aguiar André Marini Ferreira Flávio Szenkier Jorge Mendes Maria Vittoria de Carvalho Pardal


© Soraia Cals Escritório de Arte © Maria Vittoria de Carvalho Pardal, de seus textos © PARDAL, Paulo: A escultura mágico-erótica de Chico Tabibuia (Rio de Janeiro: Uerj; Erca, 1989) ©PARDAL, Paulo: Carrancas do São Francisco (3ª edição) (São Paulo: Martins Fontes, 2006) Todos direitos reservados desta edição, de acordo com a legislação em vigor Rio de Janeiro, Março de 2020.


Organização

Rua Marquês de São Vicente 22 sala 201 Gávea CEP 22451-040 Rio de Janeiro RJ

Rua Marquês de São Vicente 22 sala 301 Gávea CEP 22451-040 Rio de Janeiro RJ

Profile for Soraia Cals Escritorio de Arte

Catálogo do Leilão de Março de 2020  

Coleção Paulo Pardal e Lully de Carvalho Organização: Soraia Cals Escritório de Arte Leiloeira: Marcella Cals

Catálogo do Leilão de Março de 2020  

Coleção Paulo Pardal e Lully de Carvalho Organização: Soraia Cals Escritório de Arte Leiloeira: Marcella Cals

Advertisement