Page 1

3ª EDIÇÃO DE

SETEMBRO / 2013

Semanário do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região - nº 723 - Rua Júlio Hanser, 140. Lajeado - Sorocaba/SP - CEP: 18030-320

SEM PROPOSTA SEM PRODUÇÃO

Metalúrgicos de todo o estado realizam protestos e dão ultimato a patrões Metalúrgicos de várias regiões do estado iniciaram nesta quarta-feira, dia 18, uma onda de paralisações para forçar os patrões a apresentarem propostas coletivas nesta campanha salarial. O prazo final dado

aos patrões é sexta-feira, dia 20. Se as negociações continuarem emperradas, a categoria deve iniciar greve por tempo indeterminado. Em Sorocaba, cinco mil metalúrgicos atrasaram a produção de pelo

acompanhe em nosso site:

menos sete fábricas nesta quarta. De manhã, 3.500 trabalhadores da CNH e da Flextronics se concentraram na avenida Jerome Case, na zona industrial da cidade (foto). A tarde, mais 1.500 metalúrgicos da

Toyota e suas fornecedoras se reuniram no Parque Tecnológico. Em relação ao reajuste salarial, os empresários oferecem apenas 0,5% de aumento acima da inflação, que está acumulada em 6,07%.

WWW.SMETAL.ORG.BR

Foguinho

CAMPANHA SALARIAL


Pág. 2 Edição 723 Setembro de 2013

Nos últimos anos, os patrões metalúrgicos, reunidos em suas entidades de representação, como a Fiesp, têm articulado várias formas de desmobilizar a categoria para evitar avanços em relação a salários e direitos sociais. Uma dessas maneiras é esvaziar as campanhas salariais por meio de acordos por fábrica ou por grupos de empresa. Os patrões do setor já têm uma facilidade para tentar desunir a categoria por se dividirem em sete diferentes grupos na Fiesp, que negociam separadamente com a bancada de trabalhadores. Assim, as autopeças fazem uma agenda de negociação, as montadoras de eletroeletrônicos outra, as montadoras outra, e assim por diante. Mas, além desse formato diluído de negociações, os empresários também emperram o diálogo devido à diferença entre o porte de cada fábrica. Dessa forma, a empresa com 50 trabalhadores reclama de uma dificuldade, a empresa com até 100 funcionários reclama de outra, aquelas com mais de 500 reclamam do governo, do câmbio, dos juros, do povo, de tudo.

A unificação de esforços entre três centrais sindicais deve contribuir para que a campanha salarial de 2013 atenda todos os metalúrgicos do estado

Mesmo com todas essas dificuldades, há 10 anos os metalúrgicos da CUT no estado de São Paulo, liderados pela FEM/CUT, têm conseguido conquistar aumento real de salários. Ou seja, reajustes acima de inflação. Além de garantir reajustes salariais, os metalúrgicos também têm conseguido manter cláusulas importantes na Convenção, como a garantia de emprego ao trabalhador que sofre acidentes ou doenças ocupacionais, e conquistar novas garantias e direitos. Diante desse quadro, nos anos mais recentes surgiram, por parte dos patrões, as propostas de campanha salarial por fábrica e os

Folha Metalúrgica Diretor responsável: Ademilson Terto da Silva (Presidente) Jornalista responsável: Paulo Rogério L. de Andrade Redação e reportagem: Felipe Shikama Paulo Rogério L. de Andrade Fotografia: José Gonçalves Fº (Foguinho) Diagramação e arte-final: Lucas Eduardo de Souza Delgado Cássio de Abreu Freire

abonos salariais para substituir parte do que seria o aumento real de salários. Também se intensificaram várias outras artimanhas empresariais para dividir os metalúrgicos e supervalorizar as pautas específicas por fábrica, com prejuízos para as pautas coletivas da própria categoria e da classe trabalhadora com um todo, como é o caso do PL 4330, que pretende ampliar as terceirizações nas empresas. Nesse sentido, a unificação de esforços entre três centrais sindicais — CUT, Conlutas e Intersindical — deve contribuir para que a campanha salarial de 2013 atenda, de fato, todos os metalúrgicos do estado de São Paulo. Guardadas as diferenças de concepção e de prática entre as centrais sindicais, essa unidade pode trazer conquistas e minar a alienação apregoada pelos patrões. Agora, cada metalúrgico, de cada região, deve incorporar esse ideal e dar sua parte de contribuição para o sucesso desta campanha salarial, lutando junto com o seu sindicato para que toda a categoria seja vitoriosa.

Informativo semanal do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região Sede Sorocaba: Rua Júlio Hanser, 140. Tel. (15) 3334-5400 Sede Iperó: Rua Samuel Domingues, 47, Centro. Tel. (15) 3266-1888 Sede Regional Araçariguama: Rua Santa Cruz, 260, Centro. Tel (11) 4136-3840 Sede em Piedade: Rua José Rolim de Goés, 61, Vila Olinda. Tel. (15) 3344-2362 Site: www.smetal.org.br E-mail: diretoria@smetal.org.br Impressão: Gráfica Taiga Tiragem: 44 mil exemplares

Luiz Gushiken foi vítima de infâmias Agência Brasil

Que as conquistas sejam coletivas

Além de sindicalista do ramo bancário, Gushiken foi deputado federal e um dos fundadores da CUT

Morreu na última sexta-feira, dia 13, o ex-ministro do governo Lula, Luis Gushiken. Ele tinha 63 anos e lutava contra um câncer no estômago havia 12 anos. Formado em administração pela Fundação Getúlio Vargas, este filho de um imigrante japonês foi presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo e participou da fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Além de sua militância sindical, Gushiken também dedicou sua vida à construção do PT, partido pelo qual foi eleito deputado federal por três mandatos. Com a eleição de Lula, foi no-

meado ministro-chefe da Secretaria de Comunicação. “Vítima de mentiras” Já bem doente, Gushiken também teve que enfrentar a má fé de parte da Procuradoria Geral da República e da imprensa no processo da Ação Penal 470, apelidado pela mídia de “mensalão”. “Gushiken foi uma das vítimas das mentiras de uma parte da imprensa deste país. Eu sei o que ele sofreu com as infâmias que levantaram contra ele. Se a imprensa tivesse vergonha na cara, teria dado manchetes sobre a inocência [que foi comprovada]”, afirmou o ex-presidente Lula durante encontro com lideranças petistas em São Paulo.

Luta das Pessoas com Deficiência é lembrada neste sábado Instituído pelos movimentos sociais brasileiros em 1982, o dia 21 de setembro, próximo sábado, é o Dia de Luta dos Trabalhadores com Deficiência. O secretário de Saúde do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região, Ailton da Silva, lembra que a data tem como objetivo chamar atenção da sociedade para as dificuldades enfrentadas pelas pessoas com deficiências e reivindicar mais espaço no mercado de trabalho.

Ailton acrescenta que a data também visa alertar o não cumprimento da lei 8.213/91, que no artigo 93 determina que as empresas a partir de 100 empregados contratem de 2% a 5% de pessoas com deficiência no quadro geral de trabalhadores. Segundo dados do IBGE, em levantamento realizado em 2010, dos 190 milhões de habitantes, 23,91% da população brasileira declarou ter ao menos uma deficiência.

Sorocaba participa de reunião do Conselho Europeu da ZF O secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região, João Evangelista, participou nos dias 12 e 13 de setembro da reunião do Conselho Europeu de Trabalhadores da ZF. O encontro foi realizado na cidade de Überlingen, na Alemanha, teve apoio da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) e da fundação Friedrich Ebert Stiftung (FES). Além de Evangelista, da ZF de Sorocaba, e de Paulo Márcio, da ZF

Sachs de São Bernardo, a reunião contou com representantes de trabalhadores de oito países europeus onde a ZF tem plantas instaladas. Segundo ele, o encontro tem como objetivo ampliar o diálogo e as experiências dos trabalhadores da multinacional. “Esse intercâmbio existe há sete anos e a troca de informações tem ajudado muito os trabalhadores da Europa e do Brasil nas negociações com a empresa”, comenta Evangelista.


Edição 723 Pág. 3 Setembro de 2013

Foguinho

CAMPANHA SALARIAL

Nem a chuva da manhã desta quarta-feira impediu os trabalhadores da CNH e da Flextronics de colaborarem para o fortalecimento da campanha salarial dos metalúrgicos

Paralisações mobilizam mais de cinco mil metalúrgicos Mais de cinco mil metalúrgicos de pelo menos sete empresas de Sorocaba atrasaram a produção em várias horas nesta quarta-feira, dia 18, para protestar contra a falta de propostas dos grupos patronais do setor. Os metalúrgicos estão em campanha salarial e a data-base da categoria venceu no dia 1º de setembro. Mas os patrões se negam a atender às reivindicações coletivas dos trabalhadores. As manifestações em Sorocaba nesta quinta aconteceram em dois períodos. De manhã, cerca de 3.500 trabalhadores da Flextronics e da

Case New Holland (CNH) se concentraram na avenida Jerome Case, em frente à fábrica da CNH, na zona industrial, onde permaneceram parados das 5h15 às 8h15. Os atrasos de produção nas duas empresas duraram até três horas, dependendo do horário de entrada de cada turma. No período da tarde, a manifestação teve a adesão de 1.500 trabalhadores da Toyota e de pelo menos quatro sistemistas [fornecedoras] da montadora: Scórpios, TT Steel, Kanjiko e Sanoh. A concentração aconteceu no Parque Tecnológico de Sorocaba, que fica na avenida Itavuvu,

zona norte de Sorocaba, nas proximidades da Toyota. O protesto atrasou a produção em cerca de duas horas, das 16h às 18h. Novos protestos podem acontecer a qualquer momento, até que os grupos patronais atendam as reivindicações da categoria (veja quadro). Sem horas extras A direção do Sindicato pede aos metalúrgicos que não façam horas extras nos próximos dias, a fim de evitar que as empresas acumulem estoques de produtos. “Devemos lutar juntos para que

Os protestos em Sorocaba nesta quarta-feira, dia 18, foram sincronizados com manifestações de metalúrgicos de outras regiões, que também estão em campanha salarial, como São Bernardo do Campo, Salto e São José dos Campos. Além dos 14 sindicatos filiados à Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM), como é o caso de Sorocaba, também as bases metalúrgicas ligadas a outras duas centrais, a Intersindical e a Conlutas, estão atuando juntas nesta campanha salarial. A decisão de somar esforços para pressionar os patrões metalúrgicos foi tomada em reunião nesta terça-feira, dia 17. Todos exigem que os patrões apresentem propostas de acordos coletivos para a categoria, e não por fábrica.

Foguinho

Categoria unifica protestos por acordos coletivos

A tarde, metalúrgicos se concentraram no Parque Tecnológico de Sorocaba, próximo à Toyota

Alguns dos sindicatos ligados à FEM/CUT são o de Sorocaba, ABC, Salto, Itu, Cajamar, Taubaté, entre outros. Os metalúrgicos filiados à Intersindical são de Campinas, Limeira e Santos; já o sindicato da categoria em São José dos Campos é filiado ao Conlutas. Ao todo, são 360 mil me-

talúrgicos no estado representados pelas três centrais. As reivindicações unificadas nesta campanha salarial são o aumento real de salários, a redução da jornada e o arquivamento do Projeto de Lei 4330, que está tramitando no Congresso Nacional e que prevê a ampliação das terceirizações nas empresas.

os empresários de Sorocaba falem com os grupos patronais, na Fiesp [Federação das Indústrias de SP] e exijam a apresentação de propostas coletivas de reajuste e garantias da Convenção Coletiva”, afirma João de Moraes Farani, dirigente do Sindicato em Sorocaba e também da FEM/CUT. No caso da Toyota, além da campanha salarial, o protesto desta quarta também foi motivado por uma série de pendências específicas, como baixo adicional noturno, falta de vale-compra e valorização dos pisos salariais.

Patrões têm até sexta para apresentar propostas Diante das negociações emperradas, a FEM/CUT protocolou avisos de greve junto aos grupos patronais na última segunda-feira, dia 16. Esses documentos deram respaldo legal para que a categoria inicie paralisações por tempo indeterminado a qualquer momento. Os sindicatos filiados à Federação, como Sorocaba, também estão entregando comunicado de greve diretamente às empresas a fim de reforçar a legalidade de eventuais greves. As centrais Conlutas e Intersindical também tomaram a mesma providência esta semana. Juntas, as centrais anunciam que se não houver propostas de acordos coletivos dos grupos patronais até sexta-feira, dia 20, as empresas metalúrgicas do estado vão parar por tempo indeterminado.

Reivindicações As principais reivindicações dos metalúrgicos da FEM este ano são a reposição integral da inflação, aumento real no salário, valorização dos pisos salariais, redução da jornada de trabalho sem redução de salário e ampliação e unificação dos direitos na Convenção Coletiva de Trabalho. O período de cobertura da campanha salarial é de 1º de setembro até 31 de agosto do ano seguinte. A inflação do período, medida pelo INPC/IBGE, está acumulada em 6,07%. Os grupos patronais ofereceram até agora somente a inflação e aproximadamente 0,5% de aumento real. Alguns setores querem ceder aumento real somente em 2014. A FEM rejeitou as propostas patronais.


Pág. 4 Edição 723 Setembro de 2013

ESPORTE

Com direito a goleada com placar de 6 a 0 sobre a equipe DMV Peças de Precisão, o time Tecforja/Psiupaumandado.com levou o título de campeão do 3º Torneio de Inverno dos Metalúrgicos. A partida decisiva foi disputada na manhã do último domingo, dia 15, no Clube de Campo dos Metalúrgicos, no Éden, em Sorocaba. Essa é a segunda vez que os atletas da Tecforja vencem o Torneio de Inverno. O time também é o atual campeão da Taça Papagaio, disputada no final do ano passado. Além do título de campeã,

a Tecforja encerrou o torneio com a defesa menos vazada, recebendo apenas dez gols em sete partidas, uma média de 1.4 gols sofridos por partida. Já a artilharia do torneio ficou com Rodrigo Pedrosa Silva, da Ceni Futsal, que marcou 15 gols. O time da Ceni foi eliminado na semifinal pela DMV. A competição, promovida pelo Sindicato dos Metalúrgicos e organizada pela Liga Votorantinense de Futsal (Livofus), contou com a participação de 28 times divididos em quatro grupos.

Artilheiro do torneio, Rodrigo Pedrosa Silva (à esquerda) recebe trófeu do diretor sindical, Silvio Luiz Ferreira da Silva

Fotos: Lucas Delgado

Tecforja leva o título de campeã do Torneio de Inverno de Futsal

Equipe vencedora também é a atual campeã da Taça Papagaio

Os atletas da DMV levaram para casa o troféu de vice-campeão

Fábio Neri, da Tecforja, foi o goleiro menos vazado da competição

Diretoria / SMetal

Torneio de Araça teve mais quatro jogos

Senior e Âncora realizaram partida mais disputada da segunda rodada

Quatro jogos realizados no domingo, dia 15, marcaram a segunda rodada do Torneio de Futebol Society dos Metalúrgicos de Araçariguama. No primeiro jogo, o Sport goleou o SMetal por 7 a 0, em seguida, a Metalvic venceu a Bicho Solto por W.O. Na terceira disputa do dia, a Unidos (Metalvic) também goleou a Cavelocos por 5 a 0. O último jogo da segunda rodada foi o mais acirrado, e terminou com o placar de 4 a 3 para a Âncora sobre a Senior.

Com boa campanha até agora, a Sport e a Unidos terão vantagem em caso de empate, nos jogos da terceira rodada do torneio. A próxima rodada acontece no domingo, dia 22. As partidas são realizadas no Arena Sport Bar, rua Imperador, 75, Centro de Araçariguama. O 1º Torneio de Futebol Society dos Metalúrgicos de Araçariguama é realizado pelo do Sindicato dos Metalúrgicos e tem apoio da Livofus.

Abertas as inscrições para 9ª Taça Papagaio Começou nesta quarta-feira, dia 18, e vai até o dia 31 de outubro o prazo de inscrições para as equipes interessadas em disputar a 9ª Taça Papagaio de Futebol de Salão do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região.

Este ano o torneio terá duas categorias: masculino e feminino. As partidas serão realizadas no ginásio do clube de campo da categoria, que fica na avenida Victor Andrew, 4.100, no Éden, em Sorocaba.

De acordo com o regulamento, os times devem ser formados, exclusivamente, por sócios do Sindicato e dependentes. No entanto, não é necessário que a equipe seja formada por trabalhadores da mesma empresa.

As fichas de inscrição podem ser retiradas na sede do Sindicato em Sorocaba ou no Clube, de quarta a domingo, das 9h às 18h. Mais informações pelo telefone (15) 3225-3377 ou pelo email ribamar_@hotmail.com

NOTAS

Site no bolso O novo site do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (www.smetal.org.br) já está disponível para dispositivos móveis, como tablets e smartphones. Com o mesmo endereço, o site oferece listagem das notícias com carregamento mais rápido e não é necessária a instalação de aplicativos.

Piscinas do Clube As piscinas do Clube de Campo do Sindicato dos Metalúrgicos serão reabertas no sábado, dia 28. O horário de funcionamento será das 9h às 18h, de quarta a domingo. O uso das piscinas é permitido somente para associados do Sindicato e seus dependentes. O exame médico é obrigatório e deve ser feito aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 15h, no próprio Clube de Campo. Mais informações pelo telefone (15) 3225-3377.

Folha 723 web  

Folha Metalúrgica 723

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you