Issuu on Google+

2ª EDIÇÃO DE

SETEMBRO / 2013

Semanário do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região - nº 722 - Rua Júlio Hanser, 140. Lajeado - Sorocaba/SP - CEP: 18030-320

CAMPANHA SALARIAL

Gabrielli Duarte

MOBILIZAÇÕES FORTALECEM A CATEGORIA

Em assembleia realizada na sexta-feira, dia 6, na sede do Sindicato, metalúrgicos da região decidiram intensificar a mobilização e iniciar paralisações temporárias da produção

Para pressionar grupos patronais, Sindicato lidera novos protestos nas fábricas e pede que metalúrgicos não façam horas extras Cerca de 10 mil metalúrgicos de 13 fábricas da região participaram de protestos e paralisações temporárias da produção nos últimos dias para exigir propostas dos grupos patronais na campanha salarial deste ano. As negociações estão emperradas porque os representantes patronais

se recusam a atender às reivindicações da categoria. Para Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM), as mobilizações podem reverter esse quadro, fortalecendo a categoria e forçando os patrões a apresentarem propostas de acordo. Outra medida que ajuda muito a acelerar a campanha salarial é a re-

acompanhe em nosso site:

dução drástica de horas extras. Os metalúrgicos devem evitar trabalhar além da jornada normal no período de negociações. As negociações coletivas este ano envolvem não apenas reajustes salariais, mas também os direitos sociais dos metalúrgicos previstos na Convenção Coletiva de Trabalho.

Mobilizações e protestos como os de Sorocaba estão acontecendo em várias regiões representadas pela FEM. Os sindicatos prometem ampliar os protestos e paralisações de produção nos próximos dias. A database da categoria venceu no dia 1º de setembro. PÁG.3

WWW.SMETAL.ORG.BR


Pág. 2 Edição 722 Setembro de 2013

CAMPANHA SALARIAL

Como os leitores metalúrgicos de Sorocaba e Região sabem, a data-base, que é o período previsto em lei para patrões e empregados firmarem uma convenção coletiva de trabalho, venceu no dia 1º de setembro. Em tese, após essa data, os trabalhadores sem acordo ficam também sem as garantias das cláusulas sociais da convenção coletiva. Por lei, caso não haja acordo após a data-base, uma das partes pode pedir que a Justiça do Trabalho resolva o impasse. O ato de empurrar a decisão para os trâmites judiciários chama-se dissídio. O Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região, a FEM e a própria CUT têm como princípio não pedir o dissídio, pois, numa democracia, a negociação direta entre as partes é sempre o melhor caminho. Além disso, sob o frio olhar da Justiça, a decisão pode não atender às expectativas dos trabalhadores, além de nem sempre considerar os lucros crescentes das empresas, às custas da precarização do trabalho. Este ano, como todos os outros, com artimanhas e choradeira, os patrões resistem em conceder os avan-

Neste momento de negociações, a ganância do empresariado fica exposta em argumentos produzidos junto à mídia convencional para manipular a opinião pública

ços reivindicados pelos metalúrgicos. Neste momento de negociações, a ganância do empresariado fica exposta em argumentos produzidos junto à mídia convencional para manipular a opinião pública, como “queda de produção”, “desaceleração da economia” e qualquer outra alegação que, para eles, soa conveniente para não partilhar esses bons resultados com os trabalhadores. Com base em estudos feito pela subseção Dieese Metalúrgicos de Sorocaba, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no segundo trimestre de 2013 foi 3,3% superior ao mesmo período do ano passado. Além disso, a indústria de transfor-

Folha Metalúrgica Diretor responsável: Ademilson Terto da Silva (Presidente) Jornalista responsável: Paulo Rogério L. de Andrade Redação e reportagem: Felipe Shikama Paulo Rogério L. de Andrade Fotografia: José Gonçalves Fº (Foguinho) Diagramação e arte-final: Lucas Eduardo de Souza Delgado Cássio de Abreu Freire

mação teve um crescimento de 4,6% na produção no mesmo período comparativo. Como destacou Ademilson Terto da Silva, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região, em matéria publicada na Folha Metalúrgica nº 721, “temos que deixar bem claro aos patrões que não vamos acreditar em choradeira”, lembrando que o PIB cresceu mais do que o previsto, a inflação está em queda [teve deflação de -0,13 em julho] e o dólar mais alto deu mais competitividade à indústria. Além de verificarmos o bom desempenho da economia brasileira nos últimos anos, convém lembrar os inúmeros benefícios concedidos pelo governo federal ao empresariado, que, ainda assim, insiste em não compartilhar desses benefícios públicos com a sociedade, por meio da valorização de seus trabalhadores. Enquanto os patrões, com sua ganância pelo acúmulo de riquezas, ficam cada vez mais mesquinhos, esse momento exige que nós, trabalhadores, continuemos na luta unidos, com grande demonstração de solidariedade e consciência de classe.

Horas extras prejudicam negociações coletivas A diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos alerta aos trabalhadores que fazer horas extras em período de campanha salarial prejudica as negociações. Por isso, pede aos metalúrgicos que evitem ao máximo trabalhar além da jornada normal nos próximos dias. As horas extras possibilitam aos empresários, especialmente em época de negociações coletivas, fazer estoque de produtos ou antecipar a entrega de pedidos. Com isso, os protestos e paralisações de

trabalhadores têm efeito reduzido. Os protestos e mobilizações têm por objetivo forçar os empresários locais a exigir de seus representantes na Fiesp (federação patronal) que atendam às reivindicações dos trabalhadores, a fim de evitar prejuízos à produção. Porém, se as horas extras proporcionarem aumento de produção, os empresários não terão motivos para aceitar uma campanha salarial vitoriosa para os metalúrgicos.

FEM/CUT tem novas reuniões esta semana Não há proposta definitiva de nenhum grupo patronal metalúrgico na Fiesp (Federação das Indústrias). As próximas negociações agendadas para esta semana são dia 12, quinta-feira, com os grupos 2, 8 e Estamparia. Na sexta-feira, dia 13, a reunião é com o grupo Fundição.

A Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM) orientou os sindicatos filiados, como é o caso de Sorocaba, a intensificarem as mobilizações esta semana para ajudar nas negociações. Caso não haja proposta até sexta-feira, os metalúrgicos da CUT podem iniciar greves nas fábricas a partir da próxima semana.

Trabalhadores da Dynapac aprovam proposta de PPR Foguinho

Choradeira injustificável

Informativo semanal do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região Sede Sorocaba: Rua Júlio Hanser, 140. Tel. (15) 3334-5400 Sede Iperó: Rua Samuel Domingues, 47, Centro. Tel. (15) 3266-1888 Sede Regional Araçariguama: Rua Santa Cruz, 260, Centro. Tel (11) 4136-3840 Sede em Piedade: Rua José Rolim de Goés, 61, Vila Olinda. Tel. (15) 3344-2362 Site: www.smetal.org.br E-mail: diretoria@smetal.org.br Impressão: Gráfica Taiga Tiragem: 44 mil exemplares

Além de aprovar a proposta de participação nos resultados, assembleia tratou da campanha salarial

Trabalhadores da Dynapac, instalada na zona industrial de Sorocaba, aprovaram em assembleia na manhã de sexta-feira, dia 6, proposta para o recebimento do Programa de Participação nos Resultados (PPR) de 2013. A proposta foi negociada com a empresa por representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região juntamente com membros de uma comissão interna de funcionários. O valor não é divulgado para

não influenciar outras negociações em andamento. Conforme o acordo, o PPR será pago em parcela única, em janeiro de 2014. Além de resultar na aprovação do PPR, a assembleia também pediu mobilização dos trabalhadores para a campanha salarial da categoria, cuja data-base venceu no dia 1º de setembro. A Dynapac produz máquinas pesadas para pavimentação e tem aproximadamente 130 funcionários.


Edição 722 Pág. 3 Setembro de 2013

CAMPANHA SALARIAL

Assembleia aprova realização de protestos para pressionar empresários Gabrielli Duarte

Em assembleia na noite de sextafeira, dia 6, os metalúrgicos da região de Sorocaba decidiram iniciar protestos e paralisações por tempo determinado nas fábricas da categoria a partir dos próximos dias. A data-base da categoria metalúrgica, que está em campanha salarial, venceu no dia 1º de setembro, mas até agora não houve propostas de acordo com o setor patronal. “As paralisações podem acontecer a qualquer momento, em qualquer fábrica”, afirma Ademilson Terto da Silva, presidente do Sindicato. Segundo Terto, se não houver acordos firmados com os grupos patronais até o dia 13 de setembro, os trabalhadores poderão iniciar greve.

Além de aprovar as paralisações temporárias nas fábricas, assembleia também orientou metalúrgicos a não realizarem horas extras durante a campanha salarial

No prazo de uma semana [desde o dia 4], cerca de 10 mil metalúrgicos de treze fábricas da região de Sorocaba participaram de protestos liderados pelo Sindicato devido à recusa dos grupos patronais em apresentarem propostas nesta campanha salarial da categoria. Após uma assembleia na última sexta (veja matéria acima), os metalúrgicos intensificaram as mobilizações. Desde segunda, dia 9, os protestos interromperam a produção de cinco fábricas por um período de até uma hora. Aproximadamente 2 mil metalúrgicos trabalham nessas fábricas. Em Sorocaba, as mobilizações mais recentes foram na Apex Tool, dia 11, na Wyda, Jaraguá e Syl, dia 10. Na segunda, dia 9, o sindicato liderou protestos na Controlflex, em Votorantim. Entre quarta e sexta-feira da semana passada, as mobilizações aconteceram na Atlanta, Wobben, ZF do Brasil, ZF Sistemas, Metso Fundição, YKK Alumínio, CNH e Dynapac.

Reivindicações As perdas salariais dos metalúrgicos com a inflação, de acordo com o INPC, estão acumuladas em 6,07%. Além de aumento salarial acima da inflação, a categoria metalúrgica reivindica redução da jornada de trabalho sem redução de salário, ampliação das cláusulas sociais da Convenção Coletiva de Trabalho e unificação desses direitos para todos os segmentos do ramo metalúrgico.

Fotos: Foguinho

Protestos nas fábricas mobilizaram mais de 10 mil metalúrgicos

Wobben, dia 4

CNH/Case, dia 6

Apex Tool, dia 11

Dynapac, dia 6

Jaraguá, dia 10

Atlanta, dia 4

ZF do Brasil e ZF Sistemas, dia 5

Wyda, dia 10

Syl, dia 10


Pág. 4 Edição 722 Setembro de 2013

Foguinho

Inscrições para curso gratuito de Informática terminam dia 12

Termina nesta quinta-feira, dia 12, o prazo de inscrições para as próximas turmas do curso gratuito de informática oferecido pelo Sindicato dos Metalúrgicos em Sorocaba. Os interessados devem comparecer pessoalmente à sede do Sindicato, das 7h30 às 11h30 e das 13h30 às 19h. O sorteio das vagas acontece na sexta-feira, dia 13. O curso é destinado para sócios do Sindicato, dependentes e membros da comunidade (exceto metalúrgicos não sindicalizados). Haverá turmas de adultos, adolescentes e terceira idade. Para a turma de adultos a idade mínima é 16 anos e o curso enfatiza as exigências do mercado de trabalho sobre o uso da informática. Já as turmas de adolescentes serão formadas por alunos de 14 a 18 anos de idade e as aulas priorizam a produção de texto em meios eletrônicos. Para as turmas da terceira idade o aluno ou a aluna deve ter pelo menos 50 anos de idade. Neste caso, o curso dá ênfase na comunicação por e-mail e pesquisa na internet.

Mais informações sobre o curso de informática pelo telefone: (15) 3334-5419. A sede do Sindicato em Sorocaba fica na rua Julio Hanser, 140, Lajeado, próximo à rodoviária.

ESPORTE

A DMV Peças de Precisão e a Tecforja/Psiupaumandado.com vão disputar a final do 3º Torneio de Inverno de Futsal dos Metalúrgicos neste domingo, dia 15, às 8h, no ginásio do clube de campo da categoria. A DMV garantiu vaga na final após derrotar a equipe Ceni Futsal pelo placar de 3 a 1 no último domingo. No mesmo dia, a Tecforja eliminou a Schaeffler Group, após vencer por 3 a 1. A Tecforja é a atual campeã da Taça Papagaio e tem a defesa menos vazada deste torneio, com a média de 1,7 gols recebidos por partida. Já a DMV ocupa a segunda posição nesse quesito, com média de três gols sofridos por partida. O Clube de Campo dos Metalúrgicos fica na avenida Victor Andrew, 4.100, no Éden, Sorocaba.

Foguinho

DMV e Tecforja se enfrentam na final do Torneio de Inverno

Pressão positiva Em reunião com dirigentes da CUT na semana passada, em Brasília, o presidente da Câmara Federal, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB), assumiu o compromisso de não colocar em votação o Projeto de Lei 4330, da terceirização, enquanto o tema não for amplamente discutido. O parlamentar propôs a realização de audiência pública, ainda sem data definida para acontecer. A decisão de Alves é resultado da pressão da CUT que, no início da semana passada, enfrentou a truculência da segurança da Câmara para defender os interesses dos trabalhadores.

Cursos de qualificação As escolas RH Treinare e Rise - que mantêm cursos na sede do Sindicato - estão com inscrições abertas para Metrologia, Auditor de Qualidade, Departamento Pessoal, ISO 9001-2008 e NR-10. Os cursos são pagos, mas sócios e dependentes do Sindicato têm descontos especiais. Mais informações pelos telefones (15) 3334-5417 e 33345419.

Partida decisiva é neste domingo, dia 15, às 8h, no Clube de Campo dos Metalúrgicos, no Éden

Goleadas marcam primeira rodada do Torneio de Society dos Metalúrgicos em Araça Com destaque para a presença de familiares de metalúrgicos entre o público, teve início no domingo, dia 8, o 1º Torneio de Futebol Society dos Metalúrgicos de Araçariguama. A primeira rodada foi marcada por várias goleadas. Na primeira partida, a equipe Âncora venceu o time Bicho Sol-

NOTAS

to por 7 a 3. Em seguida, o time Unidos goleou a equipe Sport pelo placar de 6 a 1. Na terceira partida do dia, os jogadores da Senior derrotaram a Metalvic por 8 a 4 e, na última partida da primeira rodada, a Cavelocos goleou o time SMetal por 8 a 2. A segunda rodada da com-

petição, com mais quatro jogos, acontece na manhã do próximo domingo, dia 15. As partidas são realizadas no Arena Sport Bar, Rua Imperador, nº 75, Centro de Araçariguama. O torneio é realizado pelo do Sindicato dos Metalúrgicos com apoio da Livofus.

Curso de Inglês A Move On Idiomas, escola que mantém curso de Inglês na sede do Sindicato em Sorocaba, está com matrículas abertas para as últimas vagas para nova turma, com aulas às terças-feiras, das 19h às 20h. A mensalidade para sócios do Sindicato e dependentes custa R$ 65 e a taxa de matrícula R$ 10. Mais informações pelos telefones: (15) 30138252 ou (15) 98156-2595 ou pelo email: ingles.sindicato@ globomail.com


Folha Metalúrgica nº 722